Page 1

O JORNAL DA COMUNIDADE DO HOSPITAL DA CIDADE

OUTUBRO/09

Vovô do Ilê, primeiro entrevistado do Ìlú pág. 8

01

Como se prevenir da gripe H1N1 pág. 3

Agora o HC tem Núcleo de Oncologia pág. 5

Dicas para comer bem com pouco Equipe da Secretaria de Saúde é recebida no HC por Dr. André Guanaes

Secretário de Saúde no HC

pág. 6

dicas do ìlú

Hospital de Cidade participa de mutirão e recebe elogios pela parceria com o Governo da Bahia Em julho o Hospital da Cidade recebeu a visita do Dr. Jorge Solla, o Secretário de Saúde da Bahia. Ele veio acompanhado do Dr. Andres Alonso, responsável pelo mutirão de cirurgias de alta complexidade que o governo está realizando em parceria com vários hospitais.

O HC participa do mutirão e no primeiro semestre de 2009 foi o hospital que mais realizou procedimentos. Durante a visita, o secretário também conheceu os projetos do HC para 2010 e disse que quer continuar a parceria. Saiba mais sobre a visita na página 5 do Jornal Ìlú.

Coisas legais para fazer na cidade Cursos no ISG, arte na Lapinha, restaurante no Curuzu. Confira as dicas da nossa comunidade na página 7.

Orí eni ní um ‘ni j´oba (a cabeça de uma pessoa faz dela um rei) - Mãe Stella de Oxóssi


editorial

Dr. André Guanaes | Diretor Técnico e Sócio Fundador-HC

Você já leu o Ìlú? Inauguramos o HC, na virada do milênio, precisamente no dia 18.02.2000. Estamos próximos de completar nossa primeira década de existência. A data foi escolhida para homenagear a Escola Mater da Medicina no Brasil. Podíamos ter escolhido qualquer lugar desta Boa Terra para construir o nosso hospital, mas escolhemos com muita propriedade colocar aqui para estar perto de quem faz esta cidade acontecer, para acolher a quem precisa dos nossos cuidados com o carinho que merece. Aqui mora e trabalha o funcionário público, o petroleiro, o comerciário e o comerciante, o petroquímico, o bancário, etc. E é por todos vocês que estamos aqui, porque este hospital é de toda esta cidade. No inicio de 2008, ficamos mais fortes ainda quando o Grupo Promédica, que este ano completa 40 anos dedicados a nossa saúde, reconhecendo a excelência do nosso trabalho, resolveu apostar na gente para que nós continuássemos cuidando de você. O nosso jornal nasce para podermos nos comunicar com todos que trabalham para cuidar de gente e para toda esta gente que cuidamos, que é a gente da nossa cidade. Por isso o batizamos de ÌLÚ, que em iorubá quer dizer “cidade”! Que os santos nos protejam e os orixás nos salvaguardem. Amém-Axé.

Vinícius Xavier | flickr.com/viniciusxavier

convênios HC | 71 3505.8477 APUB ASSEFAZ BRADESCO CAMED CASSEB CASSI CORREIOS 2

EMBRATEL MEDIAL SAÚDE MEDISERVISE NOVELIS / ALCAN OAB SALLUS PETROBRAS PETROBRAS DISTRIBUIDORA

quem faz PLAN-ASSISTE PLANSERV PROMÉDICA SAÚDE CAIXA SUL AMÉRICA UNIMED SSA

Projeto editorial: Muito Comunicação tudomuito.com 71 3311.0101 Contatos Ìlú: 71 3505.8600 jornalilu@gmail.com


O que é a H1N1?

A maioria dos casos foram registrados nas regiões mais frias do país

Prevenção é o melhor remédio. por Dra. Miralba Freire Até 04 de outubro a OMS (Organização Mundial da Saúde) relatou mais de 375.000 casos confirmados de influenza H1N1, com 4.500 óbitos pela doença. No Brasil, o Ministério da Saúde registrou até 29 de agosto 6.592 casos positivos para o novo vírus A (H1N1), com 657 óbitos, 58 em gestantes. Segundo a Secretaria da Saúde, na Bahia até 13 de outubro de 2009, foram considerados 1.257 casos suspeitos, 187 casos confirmados, 231 descartados, 839 em investigação. Foram confirmados laboratorialmente 8 óbitos por H1N1 e quatro por Influenza A sazonal. A maioria

dos casos (66,3%) é de pessoas que residem em Salvador. Os sintomas da Influenza A (H1N1) são parecidos com os da gripe comum, sendo mais freqüente febre acima de 38°C, tosse, dor de garganta, dores no corpo, fadiga, cefaléia, coriza, espirros freqüentes e, em alguns casos, diarréia e vômitos. A doença apresenta quadro leve na maioria dos casos, porém pode evoluir para forma grave, em especial em pacientes com menos de 5 anos, idosos acima de 65 anos, mulheres grávidas, pacientes com doença pulmonar crônica, diabetes, doença cardíaca, renal, hepática ou neurológica e doenças que

A Influenza A, inicialmente denominada de “Gripe Suína”, é uma doença respiratória aguda causada pelo vírus influenza A (H1N1). Este vírus se diferencia do vírus Influenza humano que circulava nos últimos anos pelo fato de conter material genético dos vírus humano, de aves e suínos. comprometam o sistema imune (imunossupressora). Ao apresentar os sintomas da doença, o paciente deve procurar de imediato assistência médica para avaliação e orientações, incluindo o uso de antiviral nos casos indicados e hospitalização, se necessário. A medicação é distribuída nos hospitais de referência, de acordo com o Protocolo do Ministério da Saúde.

Dra. Miralba Freire é Médica Infectologista, Mestre e Doutora em Medicina.

dicas dos médicos Como se prevenir? Para prevenir a contaminação pelo vírus é recomendado lavar bem as mãos com água e sabão freqüentemente ou higienizá-las com álcool-gel, evitar contato com pessoas doentes, não compartilhar objetos de uso pessoal, evitar coçar olhos, nariz e boca após contato com superfícies e cobrir a boca e nariz ao tossir. Existe alguma vacina? A vacina já está sendo desenvolvida. O Ministério da Saúde prevê o uso da vacina no Brasil a partir do próximo ano. 3


artigo

Dr. Carlos Augusto Bastos Mello

A cirurgia bariátrica e a cura do diabetes tipo 2 Ao longo dos anos, a cirurgia bariátrica tem proporcionado avanços na qualidade de vida de pacientes portadores da obesidade mórbida, além de promover melhorias significativas em males consequentes da doença. O diabetes mellitus tipo 2, por exemplo, é um dos problemas relacionado ao excesso de peso que reduz em 100% dos casos a necessidade de uso de medicamentos assim que o paciente se submete a cirurgia. Há 30 anos, percebeu-se que ao realizar a Bypass em obesos mórbidos com diabetes tipo 2, ocorria rapidamente a melhora da diabetes, mesmo antes da perda do peso. Através da exclusão de parte do intestino delgado da participação do processo digestivo, ocorre alterações na produção de hormônios secretados pelo trato gastrintestinal. Segundo Dra Juliana Carvalho, membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia, “tais modificações hormonais podem levar à melhora da ação da insulina, hormônio que facilita a entrada da glicose na célula e a sua utilização como fonte de energia para as diversas funções do organismo”. Diante dos resultados animadores observados em pacientes obesos, com o IMC (Índice de Massa Corporal) acima de 35, alguns grupos de pesquisa começaram a realizar estudos em ratos diabéticos magros, com o objetivo de tentar a cura do diabetes tipo 2 em pacientes com IMC inferior a 35. Foram realizadas cirurgias experimentais em humanos sem indicação formal para cirurgia bariátrica e observou-se uma importante melhora no controle glicêmico desses indivíduos. Pesquisadores da Unicamp já reúnem resultados iniciais bastante satisfatórios, que torna a técnica uma potencial possibilidade de cura para o diabetes em pacientes obesos e não obesos. Falta apenas uma observação de longo prazo quanto aos efeitos da cirurgia em pacientes magros e com sobrepeso para a realização do procedimento em hospitais. Dr. Carlos Augusto Bastos Mello é cirurgião geral, especialista em Cirurgia do Aparelho Digestivo, Mestre em Imunologia pela UFBA, titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. 4

dr. ìlú responde

Plano de saúde cobre a cirurgia bariátrica? A cirurgia bariátrica trata uma doença e por isso a ANS estabeleceu normas que obrigam a cobertura pelos planos de saúde.

Tem alguma contraindicação para fazer a cirurgia? Alcoolismo, uso de drogas ilícitas, algumas cirurgias gástricas prévias, gravidez, obesidade por síndromes genéticas ou endócrinas e doença psiquiátrica preexistente. Lembrando que a massa corpórea deve estar acima de 35.

É preciso fazer alguma preparação antes da cirurgia? Primeiro ter consciência do procedimento que irá realizar. Mas também fazer avaliação cardiológica, laboratorial, pneumológica, renal, hepática e endócrina. O paciente deve ser liberado pelos especialistas de cada área para que tenhamos certeza que está preparado. mande sua dúvida para jornalilu@gmail.com


Um hospital parceiro da cidade O HC participa do mutirão de cirurgias de alta complexidade da Secretaria de Saúde da Bahia. Em julho deste ano o Secretário de Saúde, Dr. Jorge Solla, visitou o HC e reafirmou a importância do mutirão para atender a demanda de pacientes que aguardavam na fila. Ele também agradeceu a equipe do Hospital da Cidade por ter sido o que realizou mais procedimentos. “O HC é um hospital parceiro da nossa cidade”, afirmou Jorge Solla. Com a parceria mais pessoas puderam fazer cirurgias cardíacas, para tratamento de obesidade mórbida e cirurgias ortopédicas no HC.

Dr. Andrés Alonso, Sr. Jorge Oliveira, Dra. Fabíola Mansur, Sec. de Saúde Jorge Solla, Sra. Tereza Valente, Dr. Guilherme Montal e Dr. André Guanaes.

Segundo Dr. André Guanaes, “a Bahia conta com apenas uma unidade cardiológica para cada quatro milhões de habitantes, quando deveria ter três”, o que reforça a importância do mutirão.

“Queremos levar para um número cada vez maior de baianos este elenco de procedimentos cirúrgicos” Jorge Solla Jorge Oliveira, diretor administrativo e financeiro do Grupo Promédica, disse

Um HC cada vez melhor para você “O Hospital da Cidade está modernizando, mas o atendimento continua com a qualidade de sempre”, disse Dr. André Fraife, assessor de mercado do hospital. Confira os números do HC entre janeiro e agosto de 2009.

• 11.200 internações • 32.000 atendimentos na Unidade de Emergência • 11.000 atendimentos na Bio Imagem • 8.000 atendimentos ambulatoriais • 19 cirurgias cardíacas • 57 cirurgias bariátricas • 1.500 cirurgias gerais

que essa grande participação do Hospital da Cidade no mutirão só foi possível porque “os médicos atenderam ao apelo do hospital e compraram a ideia”. O Secretário de Saúde e sua comitiva também visitaram as novas instalações do hospital e elogiaram os projetos do HC para 2010. “Nosso crescimento é um reconhecimento pela qualidade dos serviços que prestamos e uma motivação para buscar o melhor”, destacou Dr. André Guanaes.

Novo núcleo de oncologia Quimioterapia ambulatorial, internação, emergência, centro cirúrgico e UCI em um só lugar. Outra novidade é o transporte gratuito de ida e volta para os pacientes que fazem quimioterapia. 5


wajeum

Reciclar é uma delícia

Já que o tema do momento é reciclagem, juntamos a fome com a vontade de comer e convidamos duas especialistas para darem dicas gostosas de como usar sobras de alimentos para ter uma alimentação saudável. Experimente.

Para almoçar: farofa de sobra de cuzcuz de milho Fez cuzcuz, mas sobrou? Não tem problema. Esfarele a sobra com as mãos, depois refogue com cebola, tomate, cheiro verde e sal a gosto. Pronto. A farofa de cuzcuz é ótima para acompanhar carne de boi ou carneiro.

Para jantar: sopa de feijão O restinho do feijão não dá pra almoçar no dia seguinte? Bata no liquidificador com um pouco de água, refogue com alho e cebola, depois coloque pedaços de abóbora, massa de macarrão ou a sobra do arroz. Sal a gosto. Quando a abóbora ficar mole, pode servir.

Para se deliciar: doce de casca de maracujá Lave 6 maracujás, descasque e deixe a parte branca e dura de molho na água de um dia para o outro. Escorra, coloque em uma panela com 2 xícaras de açúcar e 3 xícaras de água. Deixe apurar. Se desejar acrescente canela.

Márcia Oliseski é especialista em nutrição clínica, coordenadora de nutrição do HC e da residência de nutrição do ISG. Vanessa Maggitti é residente de nutrição clínica.

imagens ilustrativas 6


espaço ISG

Programação Instituto Sócrates Guanaes | 71 3505.8660

Residências Multiprofissionais em áreas de saúde

32 vagas para Enfermagem em Terapia Intensiva 12 vagas para Fisioterapia em Terapia Intensiva 06 vagas para Medicina Intensiva 02 vagas para Cirurgia Geral 02 vagas para Clinica Médica Abertura do Processo Seletivo: 22/10/2009 Informações: www.consultec.com.br Novos programas solicitados ao MEC para 2010: Anestesia, Acupuntura, Medicina de Urgência

Introdução à Psicologia Hospitalar 3º Turma

O curso une a teoria e a prática, com a participação de diversos professores convidados. Serão 40 horas de teoria e 20 horas de prática. A coordenação é das psicólogas Jaqueline Maia (coordenadora dos serviços de psicologia do HC e do Hospital Unimed) e Dra. Roberta Marback (Hospital da Cidade). Carga horária: 60 horas | Vagas Limitadas Informações: 71 3505.8660

mande sua dica para jornalilu@gmail.com

dicas da comunidade Bar e Restaurante Point dos Amigos

Espaço de Artes Moisés Souza Corredor da Lapinha, nº 16 | Tel: 8874-3840 Visitas: segunda a sexta das 8h às 18h e sábado até às 12h.

Moisés Souza é restaurador de imagens e móveis antigos, pintor, escultor e ainda encontra tempo para oferecer cursos de restauração de imagens barrocas e pinturas artísticas sem fins lucrativos para a população local. Já fez exposições em vários locais do Brasil e foi elogiado por artistas como Caribé e Pierre Verger.

Rua Direta do Curuzu Proprietário: Luizinho Funcionamento: quarta a segunda, das 11h às 23:30h.

Figura emblemática do bairro, nascido e criado na redondeza, Luizinho procura contribuir com a comunidade através da sua apurada responsabilidade social. Além da sadia prosa e da famosa “carne do sol da patroa”, segunda é dia de partido alto com o Grupo Partsamba, das 19:30h às 22:30h. 7


Foto: nublog.com.br

Vovô, o pai do Ilê Ìlú - Como surgiu a parceira ISG/HC e ILÊ? Vovô – Surgiu no camarote do ILÊ, há muito tempo, onde fui apresentado a Dr. André e a partir daí surgiu uma amizade muito forte entre nós. Ìlú – Qual a importância dessa parceria? Vovô – Considero uma parceria muito importante, não só para o ILÊ, mas para toda a comunidade. É sempre bom ter parceiros desse porte. O HC é um hospital de qualidade, que tem ajudado muito a nossa comunidade. Ìlú – Quais as contribuições que o ISG/HC já fizeram para o ILÊ? Vovô – Muitas. Só em ter a parceria com essas instituições sólidas já é uma contribuição. Nossos

8

associados já foram atendidos diversas vezes no HC. Eu tive que fazer uma cirurgia muito importante e escolhi o HC para realizála. A princípio várias pessoas foram contra, pois era um hospital de bairro, mas a minha preferência foi o HC, pois tem uma equipe médica capacitada. Realizei minha cirurgia com sucesso e fui muito bem tratado. Ìlú – No HC tem uma praça chamada ILÊ AIYÊ, onde foi desenhado o Perfil Azeviche. Qual o sentimento do ILÊ diante dessa homenagem? Vovô – Foi muito marcante. As pessoas que estão no Hospital estão tristes ou por que estão doentes ou por que estão acompanhando alguém doente, e quando elas visitam a praça se

Em 1974, junto com Apolônio de Jesus (já falecido), Vovô fundou a Associação Cultural Bloco Carnavalesco ILÊ AIYÊ. Além do bloco, sua atuação inclui a Band’Aiyê, Escola Mãe Hilda, Projeto de Extensão Pedagógica, Escola de Música e Percussão Banda Erê e outras atividades sociais. Um ícone da cultura baiana, Vovô foi entrevistado por Naiara Gondim, com exclusividade para o Jornal Ìlú.

sentem rejuvenescidas. Esse perfil era para ser feito na nossa quadra, mas por falta de recursos não o fizemos. Aí vem o HC e faz essa belíssima homenagem. Na verdade reacendeu a vontade de fazer o perfil na nossa quadra. Ìlú – O que significa Perfil Azeviche? Vovô – Em português significa BASTANTE NEGRO. Essa marca surgiu com a música de César Maravilha em homenagem ao ILÊ. Nós gostamos e a adotamos por que é a nossa cara. Ìlú – Alguma mensagem para encerrar? Vovô – Finalizo com um abraço para meu irmão Dr. André Guanaes.

Jornal Ilù  

Jornal do Hospital da Cidade, de Salvador, Bahia.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you