Page 1

CIDADES Alagoas tem 18 dos 200 municípios mais violentos do país, segundo Mapa da Violência 11 EXEMPLAR DO ASSINANTE

QUARTA-FEIRA

MACEIÓ - ALAGOAS - 9 DE MAIO DE 2012 - Nº 1439 - R$ 1,50

tribunahoje.com

ESCÂNDALO DOS PRECATÓRIOS

Justiça condena ex-secretário e mais 6 por fraudes nas Letras do Tesouro José Pereira de Souza pegou cinco anos de reclusão em regime semiaberto e o ex-governador Suruagy safou-se por ter mais de 70 anos de idade. Golpe provocou um rombo de mais de R$ 470 milhões nos cofres do Estado COMEÇA A DECISÃO!

ADAILSON CALHEIROS

DAVI SALSA

CRB tenta quebrar tabu e vencer o ASA para sair na frente Começa hoje a decisão do Campeonato Alagoano 2012. CRB e ASA fazem o primeiro jogo, ás 20h45, no Estádio Rei Pelé. A segunda partida será sábado, em Arapiraca. Em campo, uma grande rivalidade formada nos último anos. O Galo não vence o Alvinegro desde 2007 e para largar na frente precisa quebrar esse tabu. Do outro lado, o time de Arapiraca vem embalado pela conquista recente do segundo turno e pela boa fase do atacante Lúcio Maranhão, arilheiro do estadual com 21 gols. Um esquema com 320 policiais foi montado para garantir a segurança da partida. Pág. 16

FRATICIDA

Irmão mata irmão pela posse de terra da família

TAÇA LIBERTADORES

Corinthians e Vasco decidem hoje se continuam na competição O Corinthians enfrenta hoje à noite em São Paulo o Emelec, do Equador, e precisa de uma vitória para seguir na Taça Libertadores da América. Na partida de ida, os dois times empataram em 0x0 em Guayaquil. Já o Vasco joga na Argentina por um empate contra o Lanús, time que derrotou na semana passada, no Rio, por 2x1. O Vasco poderá iniciar com Juninho Pernambucano e Felipe, juntos. Os dois jogos serão transmitidos pela TV. Pág. 16

JADILSON, um dos destaques do CRB, vai encarar Lúcio Maranhão, artilheiro do campeonato

SECOM / TÉRCIO CAPPELLO

TRAIPU

Por decisão do STJ, nora de Marcos Santos reassume a prefeitura TEMPO Bom a parcialmente nublado com possiblidades de chuvas em áreas isoladas

20º

Máxima

30º

Marés

05:53 12:15 18:32

2.1 0.2 2.0

FINANÇAS DÓLAR COMERCIAL R$ 1,93 R$ 1,93 DOLAR PARALELO R$ 1,93 R$ 2,06 OURO: R$ 100,90 POUPANÇA: 0,5561%

Após uma discussão familiar, Sinval dos Santos, 47, matou o irmão a tiros, o agricultor Manoel Messias dos Santos, 50, numa briga pela posse de terra da família. O crime ocorreu no povoado Poço da Ilha, no município de Olho D’Água Grande. De acordo com testemunhas, a família é formada por dez irmãos e os dois viviam às turras. Pág. 9 NIGEL SANTANA

ELEIÇÕES 2012

Vereadores não chegam a acordo sobre vagas

Pág. 4

Mínima

A Justiça Federal em Alagoas condenou o ex-secretário da Fazenda do governo Divaldo Suruagy, José Pereira Souza, a 5 anos e 7 meses de reclusão em regime semiaberto pelo chamado “Escândalo dos Precatórios”, operação ocorrida em 1995 com a negociação das Letras Financeiras do Tesouro do Estado de Alagoas. Além de José Pereira, foram condenadas outras seis pessoas. Suruagy escapou da sentença do juiz Paulo Machado por ter mais de 70 anos. 7 e 8

BOA NOTÍCIA!

Mineradora Vale Verde vai investir R$ 500 milhões em Alagoas O governador Teotonio Vilela recebeu James Bannantine, presidente da Mineração Vale Verde, que anunciou investimentos de R$ 500 milhões em Alagoas. Vilela entregou ontem motocicletas, armamentos e veículos para reforçar a segurança. Pág. 13

Por maioria de votos, os vereadores de Maceió rejeitaram ontem a emenda que manteria o atual número de vagas (21) na Câmara Municipal. Logo após a proclamação do resultado, o vereador Carlos Ronalsa protocolizou outro projeto de lei, dessa vez ampliando para 29 o número de vagas. A matéria deverá ser debatida ainda esta semana. Os vereadores estão divididos sobre o tema e sequer conseguem chegar a 2/3 de apoio a uma das propostas, o que poderá levar a decisão para o TRE. Pág. 3

ACIDENTE

Trabalhador da Sococo morre em explosão de equipamento O trabalhador Adeilton Joaquim da Silva, 51, morreu ontem após explosão em uma autoclave, equipamento usado para esterilizar produtos, da Indústria Alimentícia Sococo. O diretor-presidente, Emerson Tenório, lamentou o ocorrido. Pág. 12


TribunaIndependente

2 POLĂ?TICA 0$&(,Ă?48$57$)(,5$'(0$,2 DE 2012

PolĂ­tica

Objetivo Ê um eleitor mais consciente e uma Justiça Eleitoral mais råpida Do ineditismo da iniciativa da ministra Carmem Lúcia ainda surgiram outras duas sugestþes para garantir uma eleição limpa. A instalação de ouvidorias nos Tribunais Eleitorais e uma maior celeridade nas decisþes judiciais eleiWRUDLVTXHWUDWDPGHDo}HVFRQWUDSUHIHLWRVJRYHUQDGRUHVHQ¿P³4XHUHmos um tempo mais curto de resposta para dar à sociedade e assim acabar FRPLQGH¿QLo}HV´0DUFHOR%UDERFUrTXHDVDo}HVTXHHQYROYHP75(V 2$%H03VSRGHPUHVXOWDUQXPHOHLWRUPDLVFRQVFLHQWH

Ficha Limpa: TSE quer apoio da OAB

&RQVHOKHLURIHGHUDO0DUFHOR%UDERHVWHYHFRPDSUHVLGHQWHGR76(HFRQKHFHXDVSUHRFXSDo}HVGD-XVWLoD(OHLWRUDO

ESPLANADA LEANDRO MAZZINI - contato@colunaesplanada.com.br

RĂŠu no STF, ex-ministro trai PMDB com PT

C

onfusão armada no PMDB de Uberaba, cidade de 300 mil habitantes do triângulo mineiro. O prefeito Anderson Adauto (PMDB) recusa apoiar o prÊ-candidato do partido, o deputado federal Paulo Piau, relator do Código Florestal. Adauto, ex-ministro dos Transportes e rÊu no Mensalão, anunciou como seu candidato o deputado estadual Adelmo Carneiro, do PT, QXPDHVWUDWpJLDGHVHDSUR[LPDUGRSDUWLGRHQmRÀFDULVRODGRQR julgamento no STF. O diretório municipal vai pedir a intervenção da executiva nacional.

MemĂłria 2H[PLQLVWURpDFXVDGRGHODYDJHPGHGLQKHLURHFRUUXSomRDWLYD $GPLWLXFDL[DGRLVHWHUUHFHELGR5PLOGRH[WHVRXUHLURGR37 'HO~ELR6RDUHV

Vai mal Adauto estĂĄ no segundo mandato na prefeitura e mal avaliado, principalmente pela imprensa. Ele nĂŁo gosta de ler crĂ­ticas em jornais.

Ă?ndice da Taquicardia (QURODGRDWpRRXYLGRQDVHVFXWDVFRPRFRQWUDYHQWRU&DUOLQKRV &DFKRHLUDRJRYHUQDGRUGH*RLiV0DUFRQL3HULOOR 36'% TXDVHFDLX GDFDGHLUDTXDQGRYLXDSHVTXLVDHQFRPHQGDGDDDYDOLDomR5XLP3pVVLPRGHVHXJRYHUQRSXORXGHSDUDQHVWDVHPDQD(OHHVWi QDPLUDGD&3,PLVWDQR&RQJUHVVR

FamĂ­lia Adams 2$GYRJDGR*HUDOGD8QLmR/XtV,QiFLR$GDPVFRQWLQXDÂżUPHVXD FDPSDQKDSRUXPDGDVYDJDVQR67)FRPDVLPLQHQWHVDSRVHQWDGRULDV GH$\UHV%ULWWRH&H]DU3HOXVR-iWHPFRPRSDGULQKRVRVH[$*8ÂśVH PLQLVWURV*LOPDU0HQGHVH'LDV7RIIROL

MMA Supremo 6HYLQJDUDLQGDGH$GDPVSDUDR6XSUHPRMiH[LVWHPDSRVWDVQD &DVD1RSULPHLURURXQG3HOXVR[-RDTXLP%DUERVDQRVHJXQGR RVPLQLVWURV/HZDQGRZVNL[*LOPDURSUy[LPRSRGHVHUHQWUH0DUFR $XUpOLR0HOOR[$GDPV

Moral 5HQDQ&DOKHLURVH5RPHUR-XFiWHUmRLQYHMD$SUHVLGHQWH'LOPD5RXVVHIIWHPOLJDGRDWpWUrVYH]HVSRUVHPDQDSDUDROtGHUGR*RYHUQRQR &RQJUHVVR(GXDUGR%UDJD 30'%$0 

PrĂŠ-pago 7XGREHPTXHRGHSXWDGRIHGHUDO$QWKRQ\*DURWLQKR 355- QmRWHPR SDWULP{QLRGRVULYDLVTXHDFXVDVHJXQGRGL]PDVVXDDVVHVVRULDDQGD ligando a cobrar para seus contatos.

Falta muito 5HODWRUGD/HLGRV5HVtGXRV6yOLGRVRVHQDGRU&tFHUR/XFHQD 36'% 3% DQGDSUHRFXSDGR6yFRQVyUFLRVFRPPXQLFtSLRVDSUHVHQWDUDPDWpDJRUDDRJRYHUQRVHXVSODQRVSDUDRÂżPGHOL[}HV2SUD]R ÂżQDOpDQRTXHYHP

‘Capatazes’

$548,926$1'52/,0$

res de 70 anos - eles nĂŁo tĂŞm a obrigatoriedade do voto. De acordo com a presidente, bertura, objetividade tanto os jovens, quanto os e vontade de apren- idosos, nĂŁo podem deixar de der. Parece que a at- exercer seu direito do voto, ual presidente do Tribunal pois por outro lado, pode Superior Eleitoral (TSE), haver uma interferĂŞncia de ministra Carmem LĂşcia segmentos alheios ao proAntunes Rocha, estĂĄ levan- cesso. do a Justiça Eleitoral uma Para a ministra, o sucespostura diferente de como so da Lei da Ficha Limpa sĂł tem sido habitualmente os pode ser alcançada quando tribunais. Pelo menos foi a sociedade abraçar a ideia essa a impressĂŁo deixada da Lei, pois “quem vota ĂŠ o no encontro informal feito, cidadĂŁoâ€?. no dia de ontem, em BraMarcelo Brabo completou sĂ­lia-DF, reunindo presi- a ideia da ministra dizendo dentes e membros das sec- que ĂŠ necessĂĄrio uma mucionais da OAB de todos os dança cultural na sociedade. estados. Todos se reuniram “A ministra Carmem LĂşcia SDUD GHĂ€QLU SDUFHULDV TXH soliticou que os Tribunais apliquem em sua integrali- Regionais Eleitorais [TREs] dade a Lei da Ficha Limpa conscientizem a população (LC 135/2010) durante as da importância do voto limeleiçþes municipais de 2012. po, conscienteâ€?, ressaltou. O conselheiro federal da 2 FRQVHOKHLUR FRQĂ€UPRX Ordem dos Advogados do que a presidente queria Brasil, e advogado eleitoral, aprender com as demais exMarcelo Brabo MagalhĂŁes, periĂŞncias exitosas de consressaltou que hĂĄ uma pre- cientização do voto no pleito ocupação da falta de inte- eleitoral deste ano. “Essa resse de dois segmentos em postura ĂŠ extremamente poHVSHFtĂ€FRRVMRYHQVHQWUH sitiva, isso me deixa muito e 18 anos, e os idosos maio- feliz e esperançosoâ€?. Para Marcelo Brabo, parceria deve funcionar com uniĂŁo de forças CADU EPIFĂ‚NIO (',725'(32/Ă‹7,&$

A

ADESĂƒO JOVEM

Escolas poderiam ter postos do TRE A importância da educação no processo de politização dos jovens foi outro ponto de pauta da reunião entre o Tribunal Superior Eleitoral e as seccionais da Ordem dos Advogados do Brasil. Marcelo Brabo ressaltou que a reunião aconteceu numa clima de puro aprendizado e por que não dizer, humildade entre os participantes. Carmem Lúcia, foi advogada, e segundo Brabo, ela compreende melhor o panorama

eleitoral, principalmente em ano de pleito, onde todos anseiam por uma “eleição limpa, com voto limpoâ€?, destacou. “Ela pediu ajuda para que a educação seja inserida no processo e a ministra entende que a OAB pode ser um grande instrumento de conscientização. Em Alagoas e em demais estados, campanhas jĂĄ foram feitas e essas experiĂŞncias devem ser compartilhadasâ€?, explicou o con-

Violação de prerrogativas pode ser crime 6$1'52/,0$$548,92

Esvaziamento 2VGHSXWDGRV9DOGLU&ROODWR 30'%6& +RPHUR3HUHLUD 36'07 H 0RUHLUD0HQGHV 36'52 GLVSDUDUDPWHOHIRQHPDVGRVJDELQHWHVSDUD DIUHQWHGRVID]HQGHLURVDÂżPGHHVYD]LDUDVHVVmR

Briga virtual 'HSXWDGR/HOR&RLPEUD 30'%(6 GHFLGLXFRPSUDUEULJDSHORPLFUREORJFRPRFROHJD5REHUWR)UHLUH 33663 2FDSL[DEDGLVVHTXHR SUHVLGHQWHQDFLRQDOGR336YLYHGH³SULPDULHGDGHVQR7ZLWWHU´

É fato 'RVHQDGRU3DXOR3DLP 3756 FRPSRQWDGHUD]mR³1DSROtWLFDKRMH R6XSUHPRVDLQDIUHQWHHD&kPDUDFRUUHDWUiV´

Amor & poder &LUR*RPHVDQRVWHPQRYDQDPRUDGD0DVYLURXDOYRGHJR]DomR dos amigos – e por que não, de inveja. A bela tem 22 anos.

Ponto Final $QRYDYHOKD5~VVLD9ODGPLU3XWLQSURPHWHGHPRFUDFLDQRWHUFHLUR PDQGDWR1RSULPHLURGLDPDQGRXSUHQGHUTXHSURWHVWDUDPFRQWUD sua posse.

Twitter @leandromazzini

JUDICIALIZAĂ‡ĂƒO Foi levantada tambĂŠm a importância de uma padronização dos procedimentos eleitorais, para, conforme torce Brabo, se evite uma ainda maior - judicialização das eleiçþes, visto a complexidade da Lei da Ficha Limpa. “Vamos instrumentalizar isso por meio dessas parcerias com o MinistĂŠrio PĂşblico, com a OAB, sĂł assim serĂĄ possĂ­vel. O Ăşnico caminhos ĂŠ unir forçasâ€?. (C.E)

NOVO CĂ“DIGO PENAL

(QTXDQWRD&3,GR7UDEDOKR(VFUDYRDWXDYDDEDQFDGDUXUDOLVWDDWXRX SDUDGHUUXEDUDHQWUDGDHPSDXWDHPžWXUQRGD3(&TXHDXPHQWDD SXQLomRFRQWUDRFULPH$SURSRVWDHVWiSDUDGDGHVGHQD&DVD

Com Gilmar Correa e Hosa Freitas ZZZFROXQDHVSODQDGDFRPEU contato@colunaesplanada.com.br

selheiro. Particularmente, Marcelo Brabo contou que conversou com Carmem LĂşcia e sugeriu, inclusive, que os TREs podem instalar postos de alistamento eleitoral - para tirar o primeiro tĂ­tulo - dentro das escolas. “Ela se mostrou bem receptiva com a ideia. Temos 15 dias para ver se consolidamos as propostas e efetivamos as sugestĂľes nos estadosâ€?, frisou Brabo.

Presidente Omar CoĂŞlhoDÂżUPRXTXHGHVUHVSHLWRpFRQVWDQWH

A reforma do CĂłdigo Penal veio em bora hora e estĂĄ se adequando Ă sociedade contemporânea, principalmente no tocante das mazelas e possĂ­veis injustiças que a todo momento acontecem no dia a dia. O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Alagoas, Omar CoĂŞlho de Melo, comePRUDRĂ€PGHXPDGHVVDVLQjustiças. No Ăşltimo sĂĄbado, o presidente da OAB SP, Luiz FlĂĄvio Borges D´Urso, anunciou que foi incluĂ­da no novo texto do CĂłdigo Penal a criminalização da violação das prerrogativas dos advogados. A bandeira ĂŠ defendida nos quatro cantos do paĂ­s, principalmente em ano de eleiçþes nas seccionais da Ordem, mas agora ĂŠ uma iniciativa nacional e extremamente esperada pelos advogados como um todo. Visto que, reforça Omar CoĂŞlho, tais prerrogativas sĂŁo diariamente desrespeitadas por delegados, promotores e juĂ­zes. “As prerrogativas dos advogados sĂŁo desrespeitadas por pes-

soas que se acham acima da lei. Isso acontece diariamenteâ€?, enfatiza o presidente da seccional alagoana. Na avaliação de Omar, a PHGLGD DSUHVHQWD ´R Ă RUHcer de um novo tempo para o advogadoâ€?. Ele parabenizou a postura da OAB nacional e dos conselheiros federais, que tanto lutaram por essa valorização. “A mudança vem em boa hora, no momento certo. O CĂłdigo Penal tinha que se adequar Ă sociedade em que estamos vivendo, e assim estĂĄ sendo feitoâ€?, comemorou. OUTRA MUDANÇA O novo texto do cĂłdigo pode trazer ainda um aumento de pena para homicidas, por exemplo. Segundo o que estĂĄ sendo apreciado no Congresso Nacional, a pena para assassinos pode aumentar de 30 para 50 anos. A ComissĂŁo de Constituição e Justiça, do 6HQDGRWHPDWpRĂ€QDOGHVWH mĂŞs de maio para concluir as alteraçþes no CĂłdigo Penal Brasileiro. (C.E)


TribunaIndependente

MACEIĂ“ - QUARTA-FEIRA, 9 DE MAIO DE 2012

POLĂ?TICA

3

&kPDUDQmRGHĂ€QH nĂşmero de vereadores

3RVWXUDH[SOtFLWD 230'%LQLFLDKRMHXPDWHPSRUDGDGHGRLVPHVHVGHYHLFXODomR GHLQVHUo}HVQRUiGLRHQD793HORTXHLQIRUPDDDVVHVVRULDGR SDUWLGRSDUWLFLSDUmRGDFDPSDQKDRVHQDGRU5HQDQ&DOKHLURVRV GHSXWDGRVIHGHUDLV5HQDQ)LOKRH-RDTXLP%HOWUmRHRSUHIHLWRGH $UDSLUDFD/XFLDQR%DUERVDDOpPGHRXWUDVOLGHUDQoDV3HORTXH H[SOLFDDDVVHVVRULDGR30'%RVSURJUDPDVDERUGDUmRQHVVHV GRLVPHVHVWHPDVFRPR&DQDOGR6HUWmRGXSOLFDomRGD%5 HGD$/6XOUHQHJRFLDomRGDVGtYLGDVGHSURGXWRUHVUXUDLV GLVWULEXLomRGHVHPHQWHVUHFXSHUDomRGRSRGHUGHFRPSUDGR VDOiULRPtQLPRH%ROVD)DPtOLD1DGDHVSHFLĂ€FDPHQWHVREUHD FDSLWDO3DUDERPHQWHQGHGRULQH[LVWHPFKDQFHVGHRSDUWLGRGDU IRUoDD0RVDUW$PDUDOFRPRSUpFDQGLGDWRDSUHIHLWRGH0DFHLy )LFDIUXVWUDGRDVVLPRSODQRGRSUHIHLWR&tFHUR$OPHLGDGHWHU FRPRVXFHVVRURVHXDWXDOVHFUHWiULRGD,QIUDHVWUXWXUDDTXHP LQFHQWLYRXDLUSDUDR30'%FRPWDOLQWHQomR3HORTXHVHVHQWHD WHQGrQFLDGH5HQDQ&DOKHLURVpPHVPRDSRLDU5RQDOGR/HVVD

Quase lå Joaquim Brito, presidente regional do PT, estå à frente dos entendimentos para que o partido feche coligação com o PTdoB, que tem a deputada federal Rosinha da Adefal candidata a prefeita de 0DFHLy$VHFRQ¿UPDURVSHWLVtas indicariam o vice. Jå houve reunião entre dirigentes nacionais dos dois partidos para tratar do assunto. Fechado o acordo, um trunfo na campanha seria o apoio de Dilma Rousseff, que Ê do PT.

Memória 2JRYHUQRHVWDGXDOWHPUHD¿UPDGRRFRPSURPLVVRGHGHUHDMXVWH salarial para o funcionalismo, mas o projeto ainda não foi para a Assembleia Legislativa. Se demorar muito, não haverå tempo de ser implantado na folha do mês de maio, que começa a ser paga dia 30. No ano passado, foi exatamente o que ocorreu.

Gentileza Sempre que pode, TĂŠo Vilela ressalta a cordialidade como uma das suas virtudes. E lembra, por exemplo, que tem sido o governador mais democrata na relação com os movimentos sociais, especialmente os de sem-terra. “Costumo receber no palĂĄcio os representantes do MST, discutindo diretamente nossas questĂľesâ€?, diz.

Sem jeito 1mRGHXRXWUDDSHVDUGHWRGRVRVDYLVRVGDGRVGHVGHRÂżQDOGRDQR passado, quando acabou o recadastramento, eleitores que pretendem votar ainda este ano deixaram para tirar o tĂ­tulo de Ăşltima hora. ConseTXrQFLDPXLWDVÂżODVHUHFODPDo}HV2SUD]RDFDEDKRMHjVKRUDV Em MaceiĂł, deve-se procurar o Forum Eleitoral, no Farol.

Palpite Experiente político alagoano opina que a duplicação da AL-101 Norte vai sair e não demora. Sua explicação: algumas obras viårias, como a duplicação da AL-101 Sul, vão ser concluídas este ano e, como Ê preciso mostrar serviço e dar ocupação a empreiteiras, a tendência Ê que a estrada do Norte saia. AtÊ porque Ê algo necessårio.

Posição Em entrevista a Emanuele Araújo, do portal Cada Minuto, o vereador Marcelo Malta (PCdoB) defende a ampliação das atuais 21 vagas na Câmara Municipal de Maceió. Para ele, a Constituição Federal estabelece isso. Malta cita que não haveria geração de mais despesas, pois o quadro de servidores da CMM continuaria o mesmo.

Extremo -iTXHQmR¿VFDOL]DD6077SRGHULDDFDEDUFRPDSURLELomRGHHVtacionamento de veículos na Avenida Antônio Gouveia, sentido praiaCentro, no início da manhã. É que qualquer um para o carro o tempo que quer, apesar da proibição, prejudicando o tråfego. O desrespeito Ê maior quanto hå eventos em hotÊis naquela årea.

“

NĂŁo serĂĄ agora, no papel de investigador de uma CPI, que mudarei PLQKDFRQGXWDÂľ FERNANDO COLLOR DE MELLO Senador do PTB-AL, defendendo sigilo de depoimentos na CPI do Cachoeira sob a alegação de que quando era presidente da RepĂşblica foi investigado por uma CPI e nem por isso cometeu “qualquer tipo de cerceamento Ă liberdade de expressĂŁoâ€?.

PolĂŞmica segue na Casa de MĂĄrio GuimarĂŁes e nova emenda chega em ComissĂŁo SANDRO LIMA/ARQUIVO

NIGEL SANTANA REPĂ“RTER

O

s vereadores passaram o dia inteiro QD &kPDUD GH 0DFHLy SDUD WHQWDU GHÀQLU TXDO seria o provåvel número de eleitos no pleito deste ano. Não adiantou. A manutenção dos 21 parlamentares ou o aumento para 25 ou 31 não SDVVRXDSHQDVGHGLVFXVV}HV 6HJXH D LQGHÀQLomR SRrÊm, o vereador Carlos Ronalsa (PP) apresentou uma HPHQGD j /HL 2UJkQLFD GH 0DFHLy SDUD TXH R Q~PHUR de vereadores seja de 29. O SURMHWR Mi SURWRFRODGR FKHgou a estar em pauta, mas, Ronalsa pediu para retirå-lo. A emenda vai para a Comissão de Constituição e Justiça HGHSRLVFKHJDDRSOHQiULR REJEIÇÕES 6HP FRQVHQVR RV YHUHDGRUHV DSHQDV GLVFXWLDP RV artigos da Constituição FeGHUDO QD MXVWLÀFDWLYD GH DXmentar ou manter o número de vereadores. 8PDGDVSURSRVLo}HVGRV SDUODPHQWDUHV 'DYL 'DYLQR 33  H 0DUFHOR *RXYHLD 35%  SUHYLD R DXPHQWR GH 21 para 25 vereadores. ApeQDVRVGRLVFRQFRUGDUDPFRP a proposta e o projeto foi rejeitado por 18 votos. Favoråvel à manutenção

Galba NovaesSUHVLGHQWHGD&kPDUDGH0DFHLyDÂżUPRXTXHQmRTXHUUHVSRQGHUSRULPSURELGDGH

da mesma quantidade de parlamentares, o presidente da Câmara, Galba NovaHV 35%  DSUHVHQWRX XPD HPHQGDj/HL2UJkQLFDSDUD que apenas 21 vereadores IRVVHPHOHLWRVHP1Rvamente o projeto foi derruEDGR9RWDUDPDIDYRU'DYL

SEGUNDO HELOĂ?SA

“Podem ser eleitos 31 PDODQGURVHEDMXODGRUHVÂľ Os ânimos na Câmara GH9HUHDGRUHVĂ€FDUDPDFLUUDGRVTXDQGRDWHPiWLFDGR aumento no nĂşmero de eleitos poderia subir este ano. 2YHUHDGRU5LFDUGR%DUERVD (PT) foi o primeiro a usar a tribuna da Casa para explaQDU DV VXDV MXVWLĂ€FDWLYDV H porque vota pelo aumento GHFDGHLUDQD&DVDGH0iULR GuimarĂŁes. O petista ressalta que a Câmara de Vereadores ĂŠ quem tem que se organizar estruturalmente SDUD UHFHEHU QRYRV SDUODmentares. “O que esta Casa tem de ID]HU p VH SRVLFLRQDU D UHVpeito do aumento do nĂşmero GHYHUHDGRUHV,VVRHVWiFODro. Na prĂłxima legislatura, a Câmara terĂĄ de se adequar Ă quantidade de parlamentares que serĂŁo eleitos, seja 25, 29 ou 31. O imporWDQWHpTXHĂ€FRXGHĂ€QGRHP votação que 21 vereadores QmR YmR SHUPDQHFHU DTXLÂľ RSLQRX%DUERVD JĂĄ a vereadora Silvânia %DUERVD 336 WDPEpPGLVse ser favorĂĄvel ao aumento. Ela relatou ainda que quem YRWD FRQWUD R DXPHQWR HVWi VHQGR´GHPDJRJRÂľHXVDQGR sua opiniĂŁo para “fazer maUNHWLQJ SHVVRDOÂľ 6LOYkQLD

garante que mais parlamenWDUHVQD&DVDWrPFRQGLo}HV GHGHQXQFLDURVGHVFDVRVGR PXQLFtSLR $WHQWD DR GLVFXUVR GH 6LOYkQLD %DUERVD D YHUHDdora Heloisa Helena (PSOL) XVRX D WULEXQD SDUD GHFODrar que a eleição pode trazer 31 vereadores “malandros e EDMXODGRUHVÂľ “Quando falam que ĂŠ demagogia votar por um aumento, tambĂŠm posso dizer que essa deliberação ĂŠ uma safadeza e malandragem. Quando se fala que 31 vereadores podem aumentar D Ă€VFDOL]DomR HP 0DFHLy tambĂŠm, podem ser eleitos 31 malandros, bajuladores, que podem vir aqui apenas SDUDÂśPDPDU¡¾GLVSDURX+Hloisa. 1R SHUtRGR GD WDUGH TXHP DSDUHFHX IRL D YHUHDdora FĂĄtima Santiago (PP). (OD H[SOLFRX TXH SHGLX OLFHQoD SDUD FXLGDU GH SURblemas pessoais, porĂŠm, a 0HVD'LUHWRUDQmRDFDWRXR seu pedido. ´1mR SHGL OLFHQoD SDUD nĂŁo votar sobre o aumento. 3HGLSRUTXHSUHFLVRUHVROYHU problemas de ordem pessoDOÂľHVFODUHFHX)iWLPDDQWHV GHHQFHUUDUDVHVVmR 16 

* Hoje o Sebrae realiza o Seminårio de Acesso ao CrÊdito, em Penedo, EHQH¿FLDQGRRVGRQRVGHSHTXHQRVQHJyFLRVORFDLV$SURSRVWDpHVclarecer sobre as linhas de crÊdito disponíveis. Às 19 horas, no auditório do Sebrae, na Praça Jåcome Calheiros, 64.

$)DFXOGDGH(VWiFLRUHDOL]DKRMHPRELOL]DomRQDFLRQDOFRPDo}HV VLPXOWkQHDVHPVXDVXQLGDGHVHPFLGDGHV2³'LD(´DFRQWHFH HP0DFHLyQDVXQLGDGHV-DUDJXiH-DWL~FDFRPSURJUDPDomRTXHLQFOXL SUHVWDomRGHVHUYLoRVjFRPXQLGDGH * O ASA Ê favorito para ser campeão alagoano de 2012, em disputa com R&5%TXHFRPHoDKRMHjVKQR7UDSLFKmR2WLPHDUDSLUDTXHQVH faz melhor campanha, tem jogado melhor e de 2000 para cå ganhou sete dos títulos disputados. O CRB, só um.

6HVV}HVGR7ULEXQDOGH Contas ganham a televisĂŁo ANA PAULA OMENA REPĂ“RTER

'XUDQWHDVROHQLGDGHGH DVVLQDWXUD GR FRQYrQLR HQtre a TV Assembleia e o Tribunal de Contas do Estado de Alagoas (TCE), na manhĂŁ de ontem, dia 8, o presidente da Corte de Contas alagoana, Luiz EustĂĄquio TolĂŞdo, ressaltou a honra de transfermar em realidade um sonho, que sempre teve GHWUDQVPLWLUDVVHVV}HVVRlenes por meio de uma emissora de TV. â€œĂ‰ imensa a satisfação de mostrar a partir de agora QRVVDVVHVV}HVVROHQHVSDUD TXH D VRFLHGDGH DFRPSDnhe de forma transparente R TXH RFRUUH GHQWUR GHVWH Tribunal. É um momento ~QLFRRQGHSHVVRDVSRGHUmR DFRPSDQKDUGHSHUWRRQRVVRWUDEDOKRÂľPHQFLQRX/XL] EustĂĄquio. O presidente do Tribunal GH &RQWDV GHVWDFRX TXH D SDUFHULDHQWUHD79$VVHPbleia e o Tribunal de Contas FRP R DSRLR GR SUHVLGHQWH da Assembleia Legislativa do Estado, Fernando Toledo 36'% YHPSDUDIRUWDOHFHU DWUDQVSDUrQFLDGR7&( “O Tribunal se aproxima

Ex-presa polĂ­tica palestra hoje

ATO PĂšBLICO

Ordem se solidariza a pleito dos ‘federais’ O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas, Omar CoĂŞlho, anunciou apoio da entidade Ă manifestação que as associaçþes e sindicatos ligados aos Advogados PĂşblicos Federais (Advogados da UniĂŁo, Procuradores Federais, Procuradores da Fazenda Nacional e Procuradores do Banco Central) e de Defensores PĂşblicos Federais realizam hoje em todo o paĂ­s. Em MaceiĂł, a manifestação acontecerĂĄ Ă s 14h, na sede da OAB/AL (Praça BrĂĄulio Cavalcante, 60, Centro).

YHUHDGRUHV ´$ SUHVLGrQFLD HVWiFRUUHWDDRVHDVVHJXUDU na Lei de Responsabilidade )LVFDO>/5)@6HPSUHGHL[HL FODUR TXH VRX FRQWUD HVVH aumento. Espero que essa GHÀQLomRQmRYiSDUDD-XVtiça. Não vou responder por LPSURELGDGH¾

TV ASSEMBLEIA

NO CESMAC

2VLQJUHVVRVSDUDRÂł7ULEXWRDR5HLGR%DLmR´GLDQD9R[5RRP MiHVWmRjYHQGDQD%RGHJDGR6HUWmR$WUDo}HV-RUJHGH$OWLQKR7ULR 1RUGHVWLQR&KDXGR3LIH;DPHJXLQKRHEDQGD0{)LR,QIRUPDo}HV  * Hoje, Ă s 19 horas, no Teatro Deodoro, apresentação das cantoras Fernanda GuimarĂŁes e Irina Costa, como parte do projeto “Teatro Deodoro ĂŠ o Maior Baratoâ€?, com o espetĂĄculo “Sawabonaâ€?. Ingresso a R$ 10.

'DYLQR 0DUFHOR *RXYHLD 2VFDUGH0HOR 33 +HORLVD Helena (PSOL), FĂĄtima Santiago (PP), Tereza Nelma 36'%  3DVWRU -RmR /XL] '(0 HRSUySULR1RYDHV Para o presidente, nĂŁo hĂĄ FRQGLo}HV ItVLFDV H RUoDPHQtĂĄrias para manter novos

A professora e escritora baiana, Yara Falcon, presa polĂ­tica durante a ditadura militar, palestra, Ă s 19h de hoje no prĂŠdio sede da Faculdade de Comunicação do Cesmac (Rua Ă‚ngelo Neto, s/n), sobre “Ditadura e Direitos Humanosâ€?. Falcon relata sua luta e os momentos vividos durante o perĂ­odo. “Ter acesso Ă s experiĂŞncias de uma militante polĂ­tica ĂŠ de fundamental importância hoje, para mostrar o que foi a ditadura militarâ€?, ressalta o professor AntĂ´nio Daniel Ribeiro, do curso de HistĂłria.

GDVRFLHGDGHRQGHTXDOTXHU sessĂŁo poderĂĄ ser vista ao vivo pela TV e ainda pelo LQWHUQDXWD (VWD SDUFHULD nada mais ĂŠ do que o dever FRQVWLWXFLRQDO GH DSURIXQGDUQRVVDFUHGLELOLGDGHÂľGHFODURX7ROrGR 2YLFHSUHVLGHQWHGR7ULEXQDOGH&RQWDVFRQVHOKHLUR&tFHUR$PpOLRIULVRXTXH DSDUFHULDHQWUH$VVHPEOHLD e o TCE ĂŠ de fundamental LPSRUWkQFLD H SDVVD D PRVWUDU jV Do}HV GD &RUWH GH &RQWDV D VRFLHGDGH DODJRDna. A mesma linha de penVDPHQWR IRL FRPSDUWLOKDGD SHORFRQVHOKHLUR2WiYLR/HVsa. Ele salientou que a parFHULD p IXQGDPHQWDO SDUD TXH D VRFLHGDGH DODJRDQD se aproxime mais do TribuQDOHFRQKHoDRGLDDGLDGD &RUWHHFRPRRVJHVWRUHVHVWDGXDLV JDVWDP RV UHFXUVRV S~EOLFRV Luiz EustĂĄquio TolĂŞdo DYLVRXTXHHPEUHYHRFDQDO da TV Assembleia serĂĄ disponibilizado de forma aberta. “Estamos trabalhando MXQWRFRPD796HQDGRSDUD TXH LVWR DFRQWHoD SRLV KRMH a TV Assembleia ĂŠ transmiWLGD HP FDQDO IHFKDGR LVWR pSRUDVVLQDWXUDÂľ


TribunaIndependente

4 POLĂ?TICA 0$&(,Ă?48$57$)(,5$9 DE MAIO DE 2012

%$572/20(8'5(6&+EDUWRORPHXBGUHVFK#KRWPDLOFRPEU

Novo pacote social

A

presidente Dilma Rousseff escolheu o próximo domingo, Dia das Mães, para fazer o anúncio de um novo pacote social voltado à primeira infância, de zero a seis anos, de IDPtOLDVDWHQGLGDVSHOR%ROVD)DPtOLDHFKHÀDGDVSRUPXOKHUHV 2SODQRDLQGDSDVVDSRUDOJXQVDMXVWHVÀQDLVPDVRSURQXQFLDPHQWRGRGRPLQJRDQWHFLSDUiRODQoDPHQWRRÀFLDOQDVHJXQGD (QWUHDVDo}HVHVWiXPE{QXVÀQDQFHLURSDUDIDPtOLDVFRP FULDQoDQHVWDIDL[DHWiULDHLQVFULWDQR%ROVD)DPtOLD'LVFXWHVH DSRVVLELOLGDGHGHHPXPDSULPHLUDIDVHDSHQDVEHQHÀFLiULRV do programa Brasil Sem MisÊria (renda per capita de atÊ R$ 70) UHFHEHUHPXPYDORUH[WUDSRUFULDQoD)D]SDUWHDLQGDGRQRYR pacote social a ampliação da rede de creches e centros de atendimentos municipais para crianças de atÊ seis anos de famílias FDUHQWHV(VWHLWHPFRQWHPSODXPDSURPHVVDGHFDPSDQKDGD presidente, que Ê de construir seis mil creches em todo o país DWp2XWUDVDo}HVQmRFRQÀUPDGDVSRGHPDWHQGHUjiUHD de saúde materna e infantil e uma linha de crÊdito especial para IDPtOLDVFDUHQWHVFKHÀDGDVSRUPXOKHUHV2%ROVD)DPtOLDDWHQGH PLOK}HVGHIDPtOLDVHPWRGRRSDtVVHJXQGRR0LQLVWpULRGR 'HVHQYROYLPHQWR6RFLDOH&RPEDWHj)RPH

,FRQRJUDÂżDGR&DQJDoR Lançado ontem em SĂŁo Paulo o livro “IconoJUDÂżDGR&DQJDoR´RUJDQL]DGRSRU5LFDUGR Albuquerque e que traz mais de 400 imagens de Virgulino Ferreira da Silva, o LampiĂŁo, e seu bando. Boa parte das imagens pertencia ao seu avĂ´, Adhemar Albuquerque, TXHKDYLDVLGRHVFROKLGRSDUDÂżOPDUREDQGR e a rotina dos cangaceiros, mas cedeu o seu lugar para o libanĂŞs Benjamin AbrahĂŁo. Adhemar cedeu os equipamentos e orientou o libanĂŞs de como obter um bom resultado. Muita coisa se perdeu, mas mesmo assim recuperou-se imagens importantes, como as H[LELGDVQRÂżOPHÂł%DLOH3HUIXPDGR´HPXLWDVIRWRVDOJXPDVFHGLGDVDR MRUQDOÂł23RYR´GH)RUWDOH]DHPHRXWUDVHQFRQWUDGDVSRVWHULRUmente, e sĂł agora publicadas.

,FRQRJUDÂżDGR&DQJDoR 2SURMHWRGHVWDLFRQRJUDÂżDVXUJLXDSDUWLUGRDQRTXDQGRRDXWRU IXQGRXHP)RUWDOH]DR,QVWLWXWR&XOWXUDO&KLFR$OEXTXHUTXH SDLGH5LFDUGR $RUHPH[HUQRVDUTXLYRVGRDY{HQFRQWURXIRWRJUDÂżDVHIUDPHV GRÂżOPHIHLWRSRU%HQMDPLQ$EUDKmR$HVWHDFHUYRMXQWDUDPVHRXWUDV fotos e imagens, muitas anĂ´nimas e que culminaram com as 400 fotos incluĂ­das na atual obra. SĂŁo registros do cotidiano do bando, costumes dos cangaceiros e suas vestes. E inclui uma narrativa do movimento do 6HUWmRQRUGHVWLQR$FRPSDQKDROLYURXP'9'FRPLPDJHQVGRÂżOPHGR libanĂŞs, editadas por Ricardo e cinco minutos de imagens inĂŠditas que IRUDPUHFXSHUDGDVSHOD&LQHPDWHFD%UDVLOHLUD

Leilão de bens A Secretaria de Gestão Pública realiza nesta quinta feira (10) um leilão de bens inservíveis provenientes de secretarias estaduais e orgãos da administração direta e indireta. São lotes de veículos, móveis, equipamentos e sucatas de diversos tipos. O leilão serå de responsabilidade GDHPSUHVD/DQFH&HUWRSRULQWHUPpGLRGROHLORHLURR¿FLDO&DUORV3LQKR O objetivo do governo Ê possibilitar um novo modelo de gestão dos procedimentos de descarte ou alienação de bens móveis patrimoniais. Os interessados podem consultar a natureza dos lotes disponíveis no site www.lancecertoleilþes.com.br.

'HEDWHVGD/HL6HFD A audiĂŞncia pĂşblica no Supremo Tribunal Federal que discutiu a questĂŁo da Lei Seca proporcionou a discussĂŁo sobre o assunto sob o ponto de vista de ambos os lados. A audiĂŞncia foi proposta pelo Ministro Luiz Fux, relator da ação que tramita no STF. Estiveram reunidos 12 representantes de instituiçþes de trânsito, universidades, advogados, especialistas e parentes de vitimas do trânsito. O advogado do Instituto Brasileiro GH&LrQFLDV&ULPLQDLV5RJpULR7DIIDUHOORGHIHQGHXDLQFRQVWLWXFLRQDOLdade da lei e apoiou a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (entidade autora da ação no STF) que defende que as leis repressivas nĂŁo dĂŁo um bom resultado. “Um drinque erguido em uma saudação nĂŁo SRGHVHUFRQVLGHUDGRGHOLQT rQFLD$PDLRULDGRVEUDVLOHLURVID]LVVR´ disse o advogado.

$XGLrQFLDGD/HL6HFD Os que defendem a repressão e a criminalização dos que usam ålcool e dirigem mostraram os números de mortos e feridos em função dos acidentes cometidos por motoristas embriagados. O próprio ministro Luiz )X[VHGLVVHSDUWLGiULRGD³WROHUkQFLD]HUR´2GHSRLPHQWRGRSUHVLGHQWH da ONG Trânsito Amigo, Fernando Diniz, emocionou a todos. Ele contou TXHSHUGHXXP¿OKRGHDQRVHPXPDFLGHQWHGHWUkQVLWRHP2 culpado estava embriagado, atÊ hoje estå foragido e, para completar, os documentos da vitima foram roubados, e desde então a família tem sido YLWLPDGHJROSHV¿QDQFHLURV267)GHYHMXOJDUHPGH¿QLWLYRDTXHVWmR DWpR¿QDOGRDQR1DSUy[LPDVHPDQDVHUiUHDOL]DGDRXWUDDXGLrQFLD pública no Supremo.

0RELOL]DomRQDFLRQDO Dando sequência ao processo de integração com a comunidade, a Faculdade Eståcio FAL realiza nesta quarta-feira (9) uma prestação de serviços à comunidade por meio das suas duas unidades de Maceió. O SURMHWRGHPRELOL]DomRQDFLRQDOWHUiDo}HVVLPXOWkQHDVQDVXQLGDGHV HVSDOKDGDVSRUFLGDGHVEUDVLOHLUDV(P$ODJRDVQRVEDLUURVGH Jaraguå e Jatiúca, as unidades da Eståcio serão transformadas em centros de atendimento, com serviços gratuitos de massoterapia, avaliação física e postural, alongamento, aferição da pressão arterial e atividades educativas sobre diretos do consumidor, do idoso, da criança e do adolescente. Participarão alunos e professores dos cursos de Fisioterapia, Educação Física, Enfermagem, Direito, Administração, Secretariado, redes de computação e Sistema de Informação. ‡7HUPLQDKRMHRSUD]RSDUDTXHDVSHVVRDVSRVVDPUHJXODUL]DUVXD VLWXDomRMXQWRDR7ULEXQDO5HJLRQDO(OHLWRUDOH¿FDUHPDSWDVDSDUWLFLSDU do pleito municipal de outubro. ‡0DVTXHPGHL[RXSDUDKRMHYDLFRPHURSmRTXHRGLDERDPDVVRX1RV~OWLPRVGLDVR)yUXP(OHLWRUDOGD)HUQDQGHV/LPDWrP¿ODV JLJDQWHVFDVHPHVPRFRPRUHIRUoRGHPDLVVHUYLGRUHVGR75( WUHLQDGRVSDUDDX[LOLDUQRDWHQGLPHQWRDVLWXDomRpGUDPiWLFD ‡'LDGHGHFLVmRQRIXWHERODODJRDQR2VGRLVUHSUHVHQWDQWHVGRHVWDGR QD6pULH%GR&DPSHRQDWR%UDVLOHLUR&5%H$6$ID]HPDSULPHLUD SDUWLGDGD¿QDOQR(VWiGLR5HL3HOp ‡$HVSHUDQoDpTXHRIXWHEROFDQDOL]HDGLVSXWDSDUDGHQWURGRFDPSR QDHVSHUDQoDGHTXHDVWRUFLGDVIDoDPRTXHOKHVFDEHWRUFHU$SHQDV WRUFHU ‡1RMRJRGHViEDGRGR&6$FRQWUDR$6$DVLWXDomRMiIRLEHPPHOKRU com pequenas escaramuças mais por parte dos insanos integrantes da Mancha Azul. Que hoje a situação seja ainda melhor, para que o futebol saia vitorioso.

“O caos voltou a Traipuâ€?, diz ex-prefeita da cidade &RQFHLomR7DYDUHVDJXDUGDDJRUDDQiOLVHGHDJUDYRQD-XVWLoD)HGHUDO DIVULGAĂ‡ĂƒO

NIGEL SANTANA 5(3Ă?57(5

O

UHWRUQR GH -XOLDQ\ Machado ao comando da Prefeitura de Traipu, na regiĂŁo do Baixo SĂŁo Francisco, por meio de uma decisĂŁo liminar, representa XP DOWR ULVFR SDUD DV Do}HV GR PXQLFtSLR e R TXH DUgumenta a vereadora ConFHLomR 7DYDUHV '(0  TXH estava exercendo o mandato de prefeita com o afastamenWRGDQRUDGH0DUFRV6DQWRV $R VDEHU GD GHFLVmR GR ministro Ari Pargendler, do 6XSHULRU 7ULEXQDO GH -XVtiça (STJ), Conceição impeWURX QR 7ULEXQDO 5HJLRQDO Federal da 5ÂŞ regiĂŁo, em 5HFLIH3( XP DJUDYR GH instrumento, que deve ser apreciado na prĂłxima terçaIHLUD  $ PHGLGD FDVR seja acatada, poderĂĄ retirar -XOLDQ\ 0DFKDGR QRYDPHQWHGRSRGHU ´(VVDV LGDV H YLQGDV QD administração do municĂ­SLRVmRQRFLYDVjVRFLHGDGH (VWi H[SOtFLWR TXH QmR Ki continuidade de governo e as REUDV FRPHoDP H Ă€FDP LQDFDEDGDV e FRPSOHWDPHQWH prejudicial ao povoâ€?, ressalta a presidente da Câmara de Vereadores Ă reportagem da Tribuna Independente Conceição Tavares lemEUDDLQGDTXHH[LVWHQRSDUlamento daquela cidade um processo de afastamento da nora do prefeito afastado 0DUFRV 6DQWRV 'H DFRUGR com ela, hĂĄ a expectiva dos vereadores retirĂĄ-la do manGDWR 'RV QRYH SDUODPDQtares, seis estĂŁo dispostos a levar o processo contra JuOLDQ\jIUHQWH (QTXDQWR SUHIHLWD &RQceição Tavares mostrou FRPR RV UHFXUVRV S~EOLFRV FRPR HOD EHP GLVVH SRGHP cumprir com sua missĂŁo constitucional: “Gastando FRP R SRYRÂľ 7DYDUHV FLWD que foram feitas praças, UXDV H UHYLWDOL]Do}HV HP DOJXQVEDLUURV´7XGRFRPUHFXUVRVS~EOLFRVÂľ A ex-prefeita tocou no assunto por Marcos Santos e -XOLDQ\ 0DFKDGR UHVSRQGHrem na Justiça justamente SRU LPSURELGDGH DGPLQLVWUDWLYD No que diz respeito ao IXQFLRQDOLVPR S~EOLFR D vereadora salienta que um gari ganhava pouco mais de R$ 70 e atualmente, houve um reajuste de 42% para HOHV ´2V VHFUHWiULRV WDPEpP nĂŁo tinham aumento, agora FRQWDPFRPVDOiULRVGLJQRV 2 IXQFLRQDOLVPR WDPEpP teve aumento de salĂĄrioâ€?, deFODURX 3DUD &RQFHLomR 7DYDUHV R UHWRUQR GH -XOLDQ\ ao poder ĂŠ resumida assim: “O caos volta a Traipuâ€? - o promotor Luiz TenĂłrio disse em 2011, que a cidade estaYDQXPFDRVDGPLQLVWUDWLYR

&RQFHLomR7DYDUHVDVVXPLXDSUHIHLWXUDGXUDQWHRDIDVWDPHQWRGH-XOLDQ\0DFKDGRH0DUFRV6DQWRV

32/Ç0,&$

Pleno do STJ deve se manifestar VREUHSURFHVVRGH-XOLDQ\0DFKDGR $ GHIHVD GH -XOLDQ\ 0Dchado, que conseguiu no SuSHULRU 7ULEXQDO GH -XVWLoD (STJ) seu retorno ao cargo de prefeita de Traipu, explica que nĂŁo existem provas “concretasâ€? que comprovem irregularidades cometidas SRUHOD O advogado Felipe Lins assegurou que nĂŁo existem UD]}HV SDXSiYHLV SDUD R DIDVWDPHQWR GH -XOLDQ\ GR FDUJR ´2 67- HP GHFLVmR liminar entendeu desta forPD 1mR H[LVWH FULPH TXH comprometa a conduta da prefeita ou provas concretas para o seu afastamento das

IXQo}HVGHSUHIHLWDHP7UDLSX &DEH DR SOHQR GR 67- DLQGDVHPDQLIHVWDUVREUHD questão�, argumentou FeliSH/LQV Para o advogado, não hå como contestar legitimidade da prefeita no município, pois, como vice na chapa de 0DUFRV 6DQWRV HOHV UHFHEDUDP YRWRV R VXÀFLHQWH SDUD VHUHPHOHLWRV -XOLDQ\0DFKDGRVHJXQdo Felipe Lins, jå foi comunicada da decisão do ministro Ari Pargendler, e deve estar voltando ao comando da Prefeitura de Traipu esta VHPDQD

SERVIDORES

*RYHUQRGHUUXEDSURMHWRTXH YHWDYDœ)LFKD6XMD¡QR(VWDGR A ordem do dia da sessão GHRQWHP  GD$VVHPEOHLD Legislativa, veio recheada de vetos do governo aos proMHWRV SDUODPHQWDUHV 2 SULmeiro projeto vetado, de autoria do deputado Ronaldo 0HGHLURV 37  GLVS}H VREUH os percentuais de ocupação GDV IXQo}HV GH FRQÀDQoD H dos cargos em comissão no kPELWR GD $GPLQLVWUDomR 3~EOLFD GR (VWDGR FRPR WDPEpP SURtEH GH RFXSDU FDUJRVQRJRYHUQRGR(VWDGR DVSHVVRDVGLWDVFRPR´ÀFKD suja�, ou seja, os que forem alcançados Lei Complemen-

tar 135 de 4 de junho de D´/HL)LFKD/LPSDÂľ “Lamento imensamente R IDWR GH R *RYHUQR GR (Vtado ter vetado totalmente o projeto de minha autoria TXH GLVS}H VREUH RV SHUFHQtuais de ocupação das funo}HV GH FRQĂ€DQoD H GRV FDUJRV HP FRPLVVmR QR kPELWR GD $GPLQLVWUDomR 3~EOLFD GR (VWDGR QHVWD &DVD HVVH projeto passou por todas as FRPLVV}HV H IRL FRQVLGHUDGR legal, entĂŁo nĂŁo teria motivo nenhum para o governo vetar esse Projetoâ€?, ressaltou 0HGHLURV

HOMOAFETIVA

R$ 400 MIL

Outro projeto vetado pelo Governo de autoria do deputado Ronaldo Medeiros (PT) dispĂľe sobre a garantia da extensĂŁo dos benefĂ­cios previdenciĂĄrios da uniĂŁo estĂĄvel Ă s relaçþes homoafetivas no âmbito da previdĂŞncia dos servidores pĂşblicos de Alagoas. “Um absurdo o Governo do Estado vetar um projeto como este, que inclusive jĂĄ estĂĄ em vigor em âmbito federal. O INSS reconhece essas relaçþes, esse ato sĂł vai trazer uma conVHTXrQFLDPDOpÂżFD´DVVHJXUD o petista.

Marcos Santos e sua nora Juliany Machado estão sendo processadas pelo MinistÊrio Público Federal (MPF) por atos de improbidade administrativa. De acordo com a ação do procurador da República JosÊ Godoy Bezerra de Souza, o grupo comandado por Marcos Santos, que incluía servidores do município, Ê acusado de envolvimento num esquema de desvio de verbas públicas da merenda escolar, num total de R$ 400 mil entre março de 2009 e outubro de 2010.

Ronaldo critica veto de benefĂ­cios

2XWUD TXHVWmR OHPEUDGD pela defesa da prefeita faz alusĂŁo ao salĂĄrio que ele dei[RXGHUHFHEHUTXDQGRDSUHsidente da Câmara de Vereadores, Conceição Tavares, DVVXPLXHPVHXOXJDU “A entĂŁo prefeita cortou o pagamento do salĂĄrio da SUHIHLWD -XOLDQ\ 0DFKDGR Recorremos, mas a Justiça em primeiro grau nĂŁo nos DWHQGHX 2QWHP IRL SXEOLFDGRQR'LiULR(OHWU{QLFRGR 7ULEXQDO GH -XVWLoD TXH RV salĂĄrios devem voltar a ser pagos, inclusive os retroativos desde fevereiroâ€?, revelou )HOLSH/LQV 16

Nora e sogro respondem por desvio

O projeto original previa que 60% dos cargos de cheĂ€DGLUHomRHDVVHVVRUDPHQto, fossem destinados para VHUYLGRUHV S~EOLFRV HIHWLYRV do quadro da AdministraomR 3~EOLFD GR (VWDGR GH $ODJRDV PDV D $VVHPEOHLD sĂł aprovou o percentual de 5%, o que â€˜ĂŠ um avanço, visto que, antes disso, os servidores nĂŁo tinham qualTXHUSHUFHQWXDODVHXIDYRU 'XUDQWH D YRWDomR QD $/( RV GHSXWDGRV GHUUXEDUDP R veto do governo e mantiveUDPRSURMHWR)RUDPYRWRVDIDYRU


TribunaIndependente

0$&(,Ă?48$57$)(,5$'(0$,2 DE 2012

POLĂ?TICA

5

Estado reforça segurança pública &RPDDTXLVLomRGHPRWRVDUPDPHQWRHHTXLSDPHQWRVGHSURWHomR&RPDQGRGD30IDUiUHPDQHMDPHQWRGHIRUoD

Cotidiano LININHO NOVAIS - contato@lininho.com

Bons Olhos

M

esmo sem muitos holofotes diante do seminårio do Partido da República em Alagoas, porÊm outro fator chamou a atenção quando do lançamento da prÊ-candidatura do deputado federal Mauricio Quintella (PR) à Prefeitura de Maceió. O evento, que reuniu lideranças politicas de todo o estado, foi prestigiado tambÊm por membros da bancada federal alagoana, que manifestaram apoio à decisão do PR em lançar candidatura própria para o Executivo municipal em Maceió. AtÊ aí tudo bem! O que ninguÊm esperava era a reação positiva do Palåcio do Planalto diante do fato do lançamento da prÊ-candidatura, contudo VHJPHQWRVTXHHVWmRDJOXWLQDGRVQRTXDUWRDQGDUÀ]HUDPTXHVtão de ligar para o próprio Quintella e manifestar o interesse do governo federal em apoiå-lo como candidato a chefe do Executivo GH0DFHLyDWpRSUySULRSDUODPHQWDUÀFRXVXUSUHVRHVHQWLXVH em posição confortåvel para cair em campo.

Falando nisso... 0XLWRVQmRDFUHGLWDPTXHRGHSXWDGRIHGHUDO*LYDOGR&DULPEmR 36% FRQ¿UPHVXDFDQGLGDWXUDDSUHIHLWRGH0DFHLy6HJXQGRSHVVRDV SUy[LPDVDRSDUODPHQWDUHOHHVWiHQJDMDGRHPRXWUDPLVVmRTXHp a construção de diversos centros de acolhimento para dependentes químicos, porÊm hå quem diga que no dia 18 de maio Carimbão poderå mesmo vestir a camisa de prefeitavel.

A vista Rua do ComÊrcio lotada e teve uma prefeita que entrou numa referida ORMDHGLDQWHGDPXOWLGmRTXHHVSHUDYDQD¿ODGLVWULEXLXEHLMRVHDIDJRV e com muita sabedoria conseguiu ludibriar os clientes e efetuou o pagamento em menos de cinco minutos. Isso que chamamos de politica da boa vizinhança!

Mudança $SyVORQJRVDQRVLQVWDODGDQXPDFDVDQREDLUURGD*UXWDGH/RXUGHV DYLFHJRYHUQDGRULDLUiPXGDUGHHQGHUHoRMiQDSUy[LPDVHPDQDR vice-governador Thomaz Nonô irå usufruir de um espaço amplo e muito PDLVDFRQFKHJDQWHSDUDRVHX³HJR´QREDLUURGD0DQJDEHLUD4XHP comemorou as mudanças foram os funcionårios que jå não estavam mais aguentando a falta de estrutura diante do ritmo acelerado que tem Nonô.

Entrância 2GHSXWDGR5HQDQ)LOKR 30'%$/ IRLjWULEXQDGD&kPDUDGLVFXUsar sobre Proposta de Emenda Constitucional de sua autoria que visa acabar com a disparidade de tratamento entre as justiças Federal e do Trabalho, de um lado, e, de outro, a Justiça Estadual. Renan Filho GLVFRUUHVREUHDFODVVL¿FDomRGD-XVWLoD(VWDGXDOGHSULPHLURJUDXHP entrâncias, quando isso inexiste para qualquer outra justiça, ainda que o Poder Judiciårio tenha caråter nacional.

E a licença? Parece que o sonho da petista PatrĂ­cia Sampaio em assumir - mesmo que temporariamente - o mandato de deputada estadual nĂŁo vai se UHDOL]DUWXGRVHGHSHQGHUGRHVWDGRGHVD~GHGRWLWXODU0DUTXLQKRV 0DGHLUDTXHVHPSUHpYLVWRQDVEDODGDVGDFDSLWDOHSHODDSDUrQFLD estĂĄ “muito bem, obrigado!â€?.

Perguntar não ofende 6HDVXSHULQWHQGrQFLDGHLOXPLQDomRGH0DFHLyQmRWHPFRPSHWrQFLD para trocar uma lâmpada que estå queimada hå oito meses o que serå que a administração anda fazendo com a taxa de iluminação pública? 0RUDGRUHVGREDLUURGR)DUROSODQHMDPFRPSUDUERORHFDQWDU³SDUDEpQV SUDYRFr´VyQmRSRGHUmRDSDJDUDYHOLQKDSRUTXH¿FDUmRQRHVFXUR

O

Governo de Alagoas realizou na manhĂŁ de ontem, dia 8, a entrega de veĂ­culos, equipamentos de proteção e armas para ĂłrgĂŁos que compĂľem a Defesa Social do Estado. Durante solenidade ocorrida no pĂĄtio do PalĂĄcio RepĂşblica dos Palmares, o governador Teotonio Vilela (PSDB) e o secretĂĄrio da Defesa Social, 'iULR&pVDUĂ€]HUDPDHQWUHga simbĂłlica dos equipamentos Ă PolĂ­cia Militar, Bombeiro Militar e PolĂ­cia Civil. Ao todo foram 35 novas motocicletas de 300 cilindradas entregues ao BatalhĂŁo de PolĂ­cia de Radiopatrulha, 70 pistolas ponto 40 para a PolĂ­cia Civil e seis novas motos, alĂŠm de 80 capas e botas de proteção para auxĂ­lio no combate a incĂŞndio ao Corpo de Bombeiros Militar. “A motocicleta oferece maior agilidade e, consequentemente, diminuição no tempo de espera do serviço policial. Em determinados horĂĄrios, R Ă X[R GH YHtFXORV p PXLWR grande e a chegada no local da ocorrĂŞncia se dĂĄ de forma mais rĂĄpidaâ€?, salientou o comandante-geral da PM, coronel Luciano Silva. JĂĄ o governador Teotonio Vilela destaca os investimentos que o Estado vem fazendo nos Ăşltimos anos e que moder-

$6&2030

Motocicletas darĂŁo uma maior mobiliade aos policiais militares

nizou o aparato da segurança pĂşblica. “Ao assumir o governo encontrei apenas 40 viaturas com a PolĂ­cia Militar. Hoje sĂŁo 400 veĂ­culos utilizados como ferramentas no combate Ă criminalidade em Alagoasâ€?, disse o chefe do Executivo. De acordo com o comandante da PM, a aquisição das novas motos resulta tambĂŠm

3UHYLVmRGHĂ€ODVQRLQWHULRUHFDSLWDO DAVI SALSA REPĂ“RTER

No último dia do prazo para regularização do título eleitoral, mais de 90% da população de Arapiraca jå cumpriu com suas obrigaçþes perante a Justiça Eleitoral. De acordo com o chefe do cartório, Alberto Alencar, no município funcionam a 22ª e 55ª zonas eleitorais, com um contingente estimado em 125 mil pessoas aptas a votar. Desde o início dos trabalhos, atÊ a manhã do dia de

ontem (8), cerca de 112 mil eleitores compareceram ao posto avançado e, atualmente, no cartório eleitoral, localizado na Avenida Minervina Francisca da Conceição, no bairro Novo Horizonte. Na terça-feira (8), faltando apenas um dia para o encerramento do prazo para regularização do título e do recadastramento biomÊtrico, como era previsto, as pessoas deixaram tudo para última hora, o que estå geUDQGR ORQJDV ÀODV QD VHGH do Cartório Eleitoral. Teve gente que madrugou no pos-

SAĂšDE EM ARAPIRACA

UNE convoca jovens para tirar tĂ­tulo Termina hoje, 9, o prazo para emitir o TĂ­tulo de Eleitor. A UniĂŁo Nacional dos Estudantes (UNE) fez uma convocação ontem, em seu site. Todos os jovens que completam 16 anos atĂŠ o dia 7 de outubro podem, e devem, SURFXUDURFDUWyULRHOHLWRUDOH providenciar o documento. â€œĂ‰ preciso criar uma cultura de participação da juventude nos pleitos eleitorais, desde a candidatura atĂŠ a eleiçãoâ€?, explicou a presidente da UniĂŁo Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), Manuela Braga.

mento no prazo estipulado, não votarå na eleição do dia 7 de outubro, alÊm de não poder fazer concurso público, obter CPF e passaporte. Quem estå em dÊbito com a Justiça Eleitoral tambÊm ÀFDLPSHGLGRGHVHPDWULFXlar em escola pública. MACEIÓ O cenårio na capital Ê o mesmo que no interior, de PXLWDV ÀODV H FDQVDoR 2 TRE/AL informou ontem que as portas do Fórum Eleitoral Desembargador Moura Costa abre suas portas às 6h e deve fechar meia-noite.

Vilela cumpre agenda em BrasĂ­lia

CONVOCAĂ‡ĂƒO

Segurança

to de atendimento, em busca de senhas na tentativa de evitar o cancelamento do título eleitoral. Os eleitores que desejarem participar do pleito deste ano, têm o prazo atÊ esta quarta-feira (9) para fazer o cadastramento biomÊtrico. Como requisito, o eleitor deve ir ao Cartório e apresentar documento de identidade e comprovante de residência. Os homens precisam levar tambÊm o comprovante de quitação do Serviço Militar. As pessoas que não conseguirem obter o doc-

HOJE

Para o enfrentamento da criminalidade no país, o senador Renan Calheiros pediu no Senado, a aprovação da PEC 60/2005, de sua iniciativa, que vincula recursos da União, estados e municípios para o setor de segurança pública, por cinco anos. Combate ao crack, maior ¿VFDOL]DomRGDVIURQWHLUDVHUHHVWUXWXUDomRGRVLVWHPDSUHYLGHQFLiULR são pontos prioritårios na agenda do setor que, com a aprovação da PEC.

(RSUHIHLWR&LFHUR$OPHLGDSRGHUiYROWDUjVRULJHQVDSDUWLUGHSULPHLUR GHMDQHLURGHVHJXQGRHOHDÂżUPRXSDUDRUDGLDOLVWD)UDQoD0RXUD TXHQmRVHQWLUiQHQKXPFRQVWUDQJLPHQWRHPYROWDUDVHUUHSyUWHU policial, e atĂŠ deixou a dica de que poderĂĄ ingressar na equipe do site emergĂŞncia 190.

rança Pública e o MinistÊrio da Justiça. O investimento total foi de R$.846.569. TambÊm participaram da solenidade, o superintendente-geral da Administração Penitenciåria, tenente-coronel Carlos Luna, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Luís Antonio, entre outros.

REGULARIZAĂ‡ĂƒO ELEITORAL

O governador Teotonio Vilela Filho (PSDB) cumpre agenda em Brasília, nesta quarta-feira (9), onde tem diversas audiências. No início da manhã, Teotonio vai se reunir com a ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, quando farå uma apresentação sobre os efeitos da Seca em Alagoas. TambÊm participam do encontro o secretårio de Estado da Infraestrutura, Marco Fireman; o secretårio do Programa de Aceleração do Crescimento, Maurício Muniz; e a direto-

Nas ruas

no remanejamento de outras pertenciam à Radiopatrulha. Os Batalhþes de Polícia de Trânsito e Rodoviårio, e agora o Bope, receberão os veículos, alÊm de unidades do interior do Estado. Todos os equipamentos e os veículos foram adquiridos por meio de convênios com a Secretaria Nacional de Segu-

ra da Infraestrutura Social, Maria Caldas. Teotonio Vilela tambÊm tem encontro marcado com o ministro Aloízio Mercadante, da Educação. Na reunião, serão discutidas açþes de combate ao analfabetismo no estado. O governador estarå acompanhado do secretårio estadual, Adriano Soares. Durante a tarde, o governador se encontra com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Junto com o secretårio de Estado da Saúde, Alexandre Toledo, Teotonio

Mais recursos aumenta assistĂŞncia local $VHFUHWiULD0XQLFLSDOGH6D~GHGH$UDSLUDFDSandra MĂĄrcia Lima, disse, ontem (8), que a provĂĄvel elevação do teto do SUS em R$ 15 milhĂľes irĂĄ permitir o fortalecimento dos serviços dos programas de Atenção BĂĄsica no municĂ­pio. “Esse aporte de recursos nos permitirĂĄ a implantação da Rede Cegonha, como tambĂŠm dar maior assistĂŞncia aos portadores de câncerâ€?, adiantou, informando que a unidade de oncologia ainda nĂŁo entrou em funcionamento justamente pela falta de mais recursos.

discutirå medidas do Programa É Possível Vencer, voltado para o combate ao uso de drogas. O Laboratório Farmacêutico de Alagoas tambÊm serå pauta da reunião. Em seguida, Vilela se reúne com o advogado geral da União, Luiz Inåcio Lucena, para falar sobre a dívida do Estado. Ainda na capital federal, Teotonio, junto dos governadores Marcelo DÊda (PT/SE) e Cid Gomes (PSB/ CE), se reúne com o presidente do Superior Tribunal Federal (STF), ministro

Carlos Ayres Britto. No encontro, os governadores irão manifestar a preocupação com a súmula vinculante que trata da inconstitucionalização das leis estaduais que estabelecem incentivos ÀVFDLVDRVLQYHVWLGRUHV Na última reunião com a Sudene, em Recife, os governadores do Nordeste destacaram a necessidade desses incentivos para o crescimento dos estados a partir da iniciativa privada – pelo importante papel que desempenha em favor dos menores índices de desemprego.

PF EM ALAGOAS

Novo superintendente chegou ontem O novo superintendente da Polícia Federal em Alagoas, delegado Omar Gabriel Haj Mussi, desembarcou ontem em Alagoas. O paranaense assume o cargo deixado por Amaro Vieira, que estå de licença de treinamento no Rio de Janeiro. O delegado paranaense vem com o objetivo de combater o desvio de recursos públicos e RWUi¿FRGHGURJDVHP0DFHLy Em seu primeiro dia de trabalho, Omar deve se reunir com o delegado Daniel Granjeiro, do Combate ao Crime Organizado.


6

OPINIAO

TribunaIndependente

MACEIĂ“ - QUARTA-FEIRA, 9 DE MAIO DE 2012

OpiniĂŁo

Celular no presĂ­dio

A

comissĂŁo que elabora o anteprojeto de lei do novo CĂłdigo Penal aprovou a criminalização do uso de aparelhos de comunicação, como telefones celulares, dentro de presĂ­dios. Reunida para concluir a anĂĄlise do capĂ­tulo dos crimes contra a administração – em que foram incluĂ­dos os crimes contra a administração da Justiça –, a FRPLVVmRWDPEpPGHFLGLXVHSXOWDUDĂ€gura do desacato como tipo penal. Atualmente, o uso de celular em presĂ­dio ĂŠ repreendido como falta grave do preso, nĂŁo implicando acrĂŠscimo de SHQDPDVVRPHQWHUHĂ HWLQGRQRFXPprimento dela (ao impedir a concessĂŁo de benefĂ­cios, por exemplo). O cĂłdigo atual criminaliza apenas a facilitação da entrada do aparelho de comunicação nos presĂ­dios. A mudança altera o artigo 349-A, para incluir como agente da conduta o preso que “utilizar,

de forma não autorizada, aparelho de comunicação, de rådio ou similar, sem autorização legal em estabelecimento prisional�. A pena serå de prisão de atÊ um ano. O objetivo Ê proteger as pessoas que são vitimadas por ligaçþes vindas de GHQWUR GH SUHVtGLRV GHÀQLX R UHODWRU do novo Código Penal, procurador regional da República Luiz Carlos Gonçalves, referindo-se a golpes praticados por presidiårios via celular. A comissão tem uma ótima chance de rever um Código Penal, atualmente obsoleto e em desacordo com os preceitos constitucionais. Alguns itens do conjunto de legislação datam de 50 anos passados o que jå requeria de alteraçþes. Basta citar que o uso de celular no presídio Ê uma modalidade de comunicação recente, mas jå incomoda a sociedade.

MAUR�CIO CALEIRO Mestre em Comunicação, Imagem e Informação

Os ataques de O Globo

Em editorial publicado ontem (08/05), O Globo, no afĂŁ de defender sua comparsa de denĂşncias e factoides, a revista Veja, sobe o tom dos ataques da mĂ­dia corporativa contra a blogosfera. A peça, que vem com as digitais do “imortalâ€? Merval Pereira, intitula-se “Roberto Civita nĂŁo ĂŠ Rupert Murdochâ€?, e ĂŠ nosso dever admitir que, ao menos no tĂ­tulo, estĂĄ certa. Com efeito, o megaempresĂĄrio proprietĂĄrio do jornal sensacionalista News of the World ĂŠ acusado tĂŁo-somente de grampear meio mundo no Reino Unido, enquanto as acusaçþes que pesam sobre a publicação de Civita sĂŁo muito mais sĂŠrias - pois, como aponta Luis Nassif, “a parceria com Veja tornou Cachoeira o mais poderoso contraventor do %UDVLOPRGHUQRFRPLQĂ XrQFLDHP todos os setores da vida pĂşblicaâ€?. Quem te viu, quem te vĂŞ: O Globo, um jornal sempre tĂŁo sensĂ­vel Ă s denĂşncias de corrupção, agora que D FDVD FDL GHVFDUWD FRPR LQVLJQLĂ€cante o envolvimento de Veja com o maior contraventor de nossos dias... Em post em histĂłrico, Nassif, que tem o mĂŠrito indiscutĂ­vel de ter revelado com grande antecedĂŞncia o grau de perversidade das prĂĄticas de Veja - sofrendo retaliaçþes judiciais e ataques a sua famĂ­lia -, elenca nada menos do que nove suspeitas “que necessitam de um inquĂŠrito policial para serem apuradasâ€?, advindas das relaçþes da publicação com Daniel Dantas e com Carlos Cachoeira. HĂĄ desde invasĂŁo de quarto de hotel atĂŠ publicação de matĂŠria falsa, passando por tentativa de manipulação da Justiça e negligĂŞncia para informar RS~EOLFRFRPRIRUPDGHEHQHĂ€FLDU o esquema do bicheiro nos Correios. Temos, portanto, uma vez mais, de concordar com o perspicaz editorialista: “Comparar Civita a Murdoch ĂŠ tosco exercĂ­cio de mĂĄ-fĂŠâ€?. O Globo – que ajudou a repercutir quase todas as denĂşncias de Veja contra o governo federal – abre o editorial cuspindo fogo: “Blogs e veĂ­culos de imprensa chapa branca que atuam como linha auxiliar de setores radicais do PT desfecharam uma campanha organizada contra a revista ‘Veja’â€?.

É a mesma lenga-lenga de sempre, tentar desautorizar a opiniĂŁo GLYHUJHQWH GHVTXDOLĂ€FDQGRD FRPR ideolĂłgica e partidariamente engajada (como se as do jornal nĂŁo o fossem...). Pior: trata-se de uma dupla mentira. Primeiro, porque qualquer analista que se dedicar a examinar, com isenção, os blogs atĂŠ agora citados neste post – o de Maria FrĂ´, o de Nassif e este aqui -, alĂŠm de vĂĄrios outros, hĂĄ de constatar a presença de diversos textos crĂ­ticos em relação ao governo federal (sendo que cansei de ler acusaçþes raivosas, por parte de governistas, a mim e a FrĂ´ devido a nossas ponderaçþes). $ RXWUD PHQWLUD p D DĂ€UPDomR de que se trata de uma “campanha organizadaâ€?. O que move a maioria absoluta da blogosfera nĂŁo ĂŠ uma inexistente palavra de ordem partidĂĄria, mas a genuĂ­na indignação pelo estado a que chegou o jornalismo brasileiro apĂłs uma dĂŠcada GHDomRLUUDFLRQDOQmRSURĂ€VVLRQDO esta sim partidarizada (como a prĂłpria Judith Brito, executiva do Grupo Folha e sindicalista patronal, admitiu, com a insolĂŞncia caracterĂ­stica). Uma ação, por um lado, descaradamente engajada na defesa do grande capital, do demotucanato e GRPHUFDGRĂ€QDQFHLUR FRPRDUHDção ante o corte de juros promovido pelo governo federal ilustra de forma inconteste); por outro lado, hidrĂłfoba no trato com tudo o que diga respeito a avanços sociais, democracia racial e o cumprimento, ainda que tĂ­mido, do programa das forças de centro-esquerda que venceram, de forma legĂ­tima, as eleiçþes. Esperar que o editorialista de O Globo admitisse tais fatos seria o cĂşmulo da ingenuidade. Ao invĂŠs disso, ele prefere gastar parĂĄgrafos numa digressĂŁo sobre ĂŠtica jornalĂ­stica em que, citando atĂŠ os “PrinĂ­pios Editoriais das Organizaçþes Globoâ€? - pausa para a gargalhada – faz uma tremenda ginĂĄstica verEDO SDUD Ă€QJLU QmR DSHQDV TXH RV procedimentos de Veja nĂŁo pertencem Ă esfera criminal, mas que sĂŁo eticamente legĂ­timos. Mais cara de pau impossĂ­vel. 3RUĂ€PRHGLWRULDOUHFRUUHDPDLV

XPDLQYHUGDGHDRDĂ€UPDUTXH´QmR houve desmentidos das reportagens de ‘Veja’ que irritaram alas do PTâ€?, emendando com uma das poucas DĂ€UPDo}HV YHUGDGHLUDV GD SHoD “Ao contrĂĄrio, a maior parte delas UHVXOWRXHPDWLWXGHVĂ€UPHVGDSUHsidente Dilma Roussef, que demitiu PLQLVWURVHIXQFLRQiULRVQRTXHĂ€cou conhecido no inĂ­cio do governo como uma faxina ĂŠtica.â€? Neste ponto sĂł nos resta lamentar, por um lado, que o editorialista de O Globo trate seus leitores como idiotas, ao negligenciar-lhes o fato Ăłbvio de que houve um cĂĄlculo polĂ­tico – em que pesou o receio de que o bombardeio denuncista midiĂĄtico pudesse afetar a governabilidade e o grau de aprovação da administração– a motivar a decisĂŁo de Dilma em relação Ă maioria das demissĂľes. Por outro lado – e provando inverĂ­dica, uma vez mais, a acusação de chapa-branquismo – ĂŠ preciso UHDĂ€UPDU QRVVD SRVLomR FRQWUiULD Ă  maneira como Dilma Rousseff administrou suas relaçþes com a mĂ­dia no primeiro ano de seu governo, cortejando-a e cedendo com tibieza Ă s pressĂľes advindas das denĂşncias e factoides, ao invĂŠs de reagir de forma condizente e fazer valer o poder do Executivo no sentido de pressionar por um jornalismo ĂŠtico. A blogosfera polĂ­tica ĂŠ muito PDLV DPSOD H GLYHUVLĂ€FDGD GR TXH O Globo quer fazer crer – e ele poderia facilmente constatar tal fato se se propusesse a praticar jornalismo de verdade ao invĂŠs de se enlamear em tramas fantasiosas, denuncismo tendencioso e associaçþes suspeitas. O crescimento e o peso crescente da blogosfera e das redes sociais como fatores de contrainformação nĂŁo pode ser explicado pela fĂłrmula simplista do engajamento partidĂĄrio. Tal sucesso advĂŠm, em larga medida, justamente da descrença no consĂłrcio Abril-Rede Globo-Grupo Folha, descrença esta que tende a se difundir exponencialmente Ă  medida que as reportagens da TV Record sobre a Veja atingirem um pĂşblico exponencialmente maior. Um editorial como o de O Globo VyDoXODRGHVFUpGLWRHDGHVFRQĂ€DQça em relação ao jornalismo que o jornal pratica e que endossa.

RICARDO KOTSCHO Jornalista

Veja pode ser a bola da vez

MARCO ANTONIO ARAUJO Jornalista

O desespero de Bob Civita Dizem que a melhor defesa Ê o ataque. E quando não hå defesa? A revista Veja responde: o ataque gratuito. Ontem, quase 24 horas após a veiculação das denúncias contra a revista levadas ao ar pelo Domingo Espetacular, da Record, o senhor Roberto Civita (dono, patrão e responsåvel por Veja) usou sua caneta de aluguel e publicou em um EORJXLQKRGRVLWHRÀFLDOGDSXblicação uma sÊrie de ataques gratuitos, grosseiros e infantis contra o empresårio Edir Macedo e a Record. No lugar de explicar as acusaçþes contra seu jornalista Policarpo Júnior - o homem de Cachoeira na Veja -, Civita partiu para cima de quem o denunciou. As ligaçþes telefônicas suspeitas, registradas pela Polícia Federal e mostradas pela Record, entre o jornalista e a

quadrilha montada pelo bicheiro, nĂŁo tiveram como origem ou destino qualquer celular da Record, como vocĂŞ pode ler aqui. HĂĄ tempos a Veja deixou de ser uma revista para virar um SDQĂ HWR NĂŁo ĂŠ preciso ser jornalista para saber disso, mas a explicação dada pela cĂşpula da “publicaçãoâ€? de que “ter uma fonte corrupta nĂŁo torna o jornalista corruptoâ€? ĂŠ digna de estudo psicolĂłgico. De fato nĂŁo torna, desde que a ligação entre a fonte e o jornalista nĂŁo gerasse cinco capas com denĂşncias “embasadasâ€? em interesses de bandidos. Quem diz isso nĂŁo sou eu, basta contar as capas e constatar. NotĂ­cia plantada (inventada) ganhou destaque em Veja. E se nĂŁo houvesse essa denĂşncia? Quantas mais viriam? SerĂĄ que Cachoeira e seus

FRPSDUVDV À]HUDP WDQWDV GHnúncias somente porque desejavam o bem do Brasil? A escuta da Justiça mostra que apenas a ponta do podre iceberg que sustentava as operaçþes dos Civita deu as caras. São duzentas ligaçþes (isso mesmo: duzentas!!) entre Policarpo e o criminoso registradas pela Polícia Federal. Vem muito mais por aí e a Editora Abril sabe disso, assim como seu dono. Por isso o desespero. Pelo teor da raiva, imagino como a Veja deve atacar a ReFRUG QDV SiJLQDV SDQà HWDGDV de sua revista. Não Ê batendo em Edir Macedo ou na Record que se resolve a questão, meu caro Civita. É dando a cara para bater. A sua, a de Policarpo e de quem mais estiver envolvido nesta sujeira. É passando a limpo a sua revista. FILIADO AO

Jorgraf UM PRODUTO:

Rua da Praia, 134 - sala 303 - centro - Maceió Alagoas Endereço Comercial: Av. Menino Marcelo - 10.440 - Serraria Maceió - Alagoas - CEP: 57.083.410 CNPJ: 08.951.056/0001 - 33

Cooperativa dos Jornalistas H*UiÂżFRVGRHVWDGRGHDODJRDV

Agora nĂŁo tem mais jeito, nĂŁo dĂĄ mais para esconder. A CPI, que começou com o nome de Cachoeira (por que nĂŁo DemĂłstenes?) e ameaçou virar CPI da Delta, pode tomar um novo rumo, investigando pela primeira vez, alĂŠm de corruptos e corruptores, atividades nebulosas de setores da imprensa brasileira. Ao terminar de assistir Ă demolidora reportagem sobre as Ă­ntimas relaçþes entre Cachoeira, a Delta e a maior revista semanal do paĂ­s, exibida na noite deste domingo, no programa Domingo Espetacular, da TV Record, nĂŁo tenho mais dĂşvidas: a “Vejaâ€? agora pode ser a bola da vez da CPI. As gravaçþes das escutas telefĂ´nicas, apresentadas com exclusividade pelo repĂłrter Afonso MĂ´naco, denunciam que o contraventor Carlinhos Cachoeira nĂŁo era apenas uma “fonteâ€? da revista, como nĂłs jornalistas chamamos quem nos dĂĄ informaçþes. Cachoeira aparece tambĂŠm muito Ă  vontade fazendo o papel de pauteiro e atĂŠ de editor da “Vejaâ€?, sugerindo em qual espaço e data suas “matĂŠriasâ€? deveriam ser publicadas. Cinco capas da revista nasceram assim, como mostram as gravaçþes da PolĂ­cia Federal. ApĂłs a publicação, comemorava com ClĂĄudio Abreu, diretor da Delta, tambĂŠm preso, o resultado do trabalho de Policarpo JĂşnior, um dos redatores-chefes da revista, baseado em BrasĂ­lia. “Poliâ€? ou “PJâ€?, como era carinho-

PRESIDENTE Antonio Pereira Filho DIRETOR ADMINISTRATIVO FINANCEIRO: JosĂŠ Paulo Gabriel dos Santos Editor geral: Ricardo Castro

samente chamado por Cachoeira e Abreu, foi o co-autor da denĂşncia sobre a corrupção nos Correios, em 2005, que deu origem Ă crise do mensalĂŁo. Por ordem de Cachoeira, o jornalista da “Vejaâ€? recebeu de Jairo Martins, araponga do staff do contraventor, o vĂ­deo mostrando um diretor dos Correios, embolsando uma propina de R$ 3 mil. Foi um trabalho de parceria. SerĂĄ que Carlinhos Cachoeira utilizou Policarpo JĂşnior apenas para combater a corrupção nos Correios, preocupado com a moralidade nos negĂłcios pĂşblicos? Ficaria claro algum tempo depois que o “empresĂĄrio de jogosâ€? fez isso para derrubar um grupo corrupto e colocar outro em seu lugar nos &RUUHLRV PDLV DĂ€QDGR FRP VHXV interesses. As gravaçþes reveladas pelo Domingo Espetacular, mostram tambĂŠm que foi o mesmo Jairo Martins quem forneceu Ă  revista o vĂ­deo do hotel em que se hospedava JosĂŠ Dirceu em BrasĂ­lia, utilizado, no ano passado, para a capa “O poderoso chefĂŁoâ€?, episĂłdio em que um repĂłrter subordinado a Policarpo tentou invadir o apartamento do ex-ministro. Como se vĂŞ na reportagem, as relaçþes entre Cachoeira e Policarpo sĂŁo antigas e variadas, mas atĂŠ agora ainda pouco se sabe sobre o conteĂşdo das mais de 200 ligaçþes feitas entre os dois personagens e gravadas pela PF. O pouco que vazou atĂŠ agora e a

reportagem que a Record colocou no ar domingo, no entanto, quebrando a cortina de silĂŞncio dos barĂľes da mĂ­dia reunidos no InsWLWXWR0LOOHQQLXPMiIRLVXĂ€FLHQWH para que tanto o presidente da CPI, Vital do Rego, como o relator, Odir Cunha, admitissem no prĂłprio programa que a imprensa pode, sim, ser investigada tambĂŠm. Para o deputado federal Fernando Ferro, do PT de Pernambuco, nĂŁo sĂł o jornalista Policarpo JĂşnior deveria ser convocado pela CPI, mas tambĂŠm o proprietĂĄrio da Editora Abril, Roberto Civita: “Na minha opiniĂŁo, ele ĂŠ o principal responsĂĄvel. Ele ĂŠ o dono dessa revista, e ele operou com vontadeâ€?. As famĂ­lias proprietĂĄrias da grande imprensa nem admitem ouvir falar nesta possibilidade, ao contrĂĄrio do que aconteceu com o magnata Rupert Murdoch, convocado a depor em comissĂŁo do Parlamento britânico e agora ameaçado de perder o seu impĂŠrio. A direção da Abril nĂŁo se maQLIHVWRX RĂ€FLDOPHQWH VREUH R DVsunto atĂŠ o momento. Apenas foi publicada, na versĂŁo on-line, onde escrevem alguns bate-paus da revista, uma espĂŠcie de “carta de princĂ­piosâ€?, assinada pelo diretor de redação EurĂ­pedes Alcântara, em que nĂŁo cita fatos nem nomes ligados ao escândalo. Tudo poderĂĄ agora ser esclarecido pela CPI. É para isso mesmo que ela foi criada: investigar tudo e todos.

Nosso noticiĂĄrio nacional ĂŠ fornecido pelas agĂŞncias: AgĂŞncia Folha e AGĂŞncia Nordeste PABX: 82.3311.1338 COMERCIAL: 82.3311.1330 - 3311. 1331 REDAĂ‡ĂƒO: 82.3311.1328 - 3311.1329 CENTRAL DE ASSINANTE: 82.3311.1308 - 3311.1309 comercial.tribunaindependente@gmail.com redação.tribunaindependente@gmail.com

ricardocastro@tribuna-al.com.br

DIRETORA COMERCIAL: Marilene Canuto

OS ARTIGOS ASSINADOS SĂƒO DE RESPONSABILIDADE DOS SEUS AUTORES. NĂƒO REPRESENTANDO, NECESSARIAMENTE, A OPĂ?NIĂƒO DESTE JORNAL.


TribunaIndependente

MACEIĂ“ - QUARTA-FEIRA, 9 DE MAIO DE 2012

PolĂ­tica

POLĂ?TICA

7

Constituição autorizou emissão de títulos que se transformou em falcatruas AtÊ 1996, quando foi criada uma das mais agitadas CPIs da história da República, pouca gente tinha ouvido falar em precatórios. São dívidas do poder público jå calculadas pela Justiça e contra as quais não hå mais possibilidade de recurso ou contestação. A Constituição de 1988 autorizou estados e municípios a emitir títulos ¿QDQFHLURVSDUDTXLWDURVGpELWRVMXGLFLDLVDFXPXODGRV2SURFHVVRGHODQoDPHQto desses papÊis acabou marcado por falcatruas, a mais notória delas a aplicação de uma metodologia capaz de superestimar o total de dÊbitos.

Caso das Letras provoca condenaçþes

Ex-secretårio JosÊ Pereira cumprirå 5 anos de reclusão semi-aberta;Suruagy escapa da sentença da JFAL

A

Justiça Federal em Alagoas (JFAL) condenou o ex-secretĂĄrio da Fazenda do Governo de Divaldo Suruagy, JosĂŠ Pereira de Souza, a 5 anos, 7 meses e 15 dias de reclusĂŁo em regime semi-aberto e multa, alĂŠm do ressarcimento aos cofres pĂşblicos pelo chamado “Escândalo dos PrecatĂłriosâ€?, operação realizada em 1995 com a venda de Letras Financeira do Tesouro Financeiro do Estado de Alagoas (LFT/AL). Na sentença, o juiz federal titular da 3ÂŞ Vara, Paulo Machado Cordeiro, condenou ainda o economista Marcos VinĂ­cius Boa Ventura GuimarĂŁes a 9 anos e 7 meses, inicialmente em regime fechado, alĂŠm de multa e ressarcimento solidĂĄrio ao Estado de Alagoas. Foram condenados

DIVULGAĂ‡ĂƒO

tambÊm os sócios, à Êpoca do Banco Divisa S/A. Roberto Sampaio Corrêa, Genival de Almeida Santos Filho, Galdino de Farias Alvin 1HWR5LFDUGR7KHyÀOR5RVVLH JosÊ de Vasconcelos Silva foram condenados a 4 anos, 1 mês e 15 dias de reclusão em regime semi-aberto, segundo o Art. 33 do Código Penal, mais multa alÊm do ressarcimento do Tesouro Estadual, valores a serem calculados na fase de liquidação de sentença. O processo tramitou inicialmente na Justiça Federal do Rio de Janeiro, inclusive no TRF da referida região e no Supremo Tribunal Federal para depois chegar a JFAL. Não houve punição ao ex-governador Divaldo Suruagy por prescrição processual em função de ter mais de 70 anos. Juiz federal da 3ª Vara, Paulo Machado Cordeiro, emitiu sentença com a condenação dos acusados

FARSA DOCUMENTAL

Maior parte dos títulos quitou dÊbitos com empreiteiras Segundo o magistrado federal, a conduta dos rÊus JosÊ Pereira e Marcos Vinícius, consubstanciadas na apresentação de informaçþes inverídicas e utilização de documentos falsos, teve o desígnio de obter a autori-

zação para a emissĂŁo de Letras Financeiras do Tesouro do Estado de Alagoas que, PDLV WDUGH EHQHĂ€FLDULDP construtoras, empreiteiras e bancos. “Mais de 60% dos tĂ­tulos emitidos foram utilizados em pagamento de em-

prÊstimos bancårios, taxas de sucesso e dívidas com empreiteiras�. O juiz federal Paulo Cordeiro cita considerao}HV ÀQDLV GR %DQFR &HQtral ao ressaltar que todo o esquema gerou uma

dívida para o Estado de Alagoas no valor histórico de R$ 300.000.000.00, chegando a um valor de R$ 475.000.000,00 com os acrÊscimos do custo de remuneração dos títulos, correspondentes à taxa Selic.

Conclui, ainda, que o total dos participantes do esquema, incluindo-se corretoras e demais pessoas que negociaram os tĂ­tulos no mercaGRĂ€QDQFHLURDSURSULDUDP-se de recursos na ordem de R$ 52.000.000,00.

COFRE VAZIO

Atraso na folha gerou emissão dos títulos No ano de 1995, Alagoas vivenciava grave instabilidade HFRQ{PLFRÀQDQFHLUD GHYLGR R atraso da folha de pagamento, bem como de vultosos dÊbitos pendentes em favor de bancos, empreiteiras e construtoras, que chegavam a R$ 650 milhþes. A FULVHFRPRpQRWyULRÀFRXPDLV grave em decorrência dos efeitos da decisão do STF que autorizou a repetição do indÊbito concernente ao Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS do setor sucroalcooleiro, R TXH VLJQLÀFRX SDUD $ODJRDV expressiva perda de arrecadação. Diante desse quadro emergencial, Alagoas, por conduto do então Governador Divaldo Suruagy, requereu ao Senado, após aval do Banco Central do Brasil, a emissão de títulos públicos consubstanciadas em Letras Financeiras do Tesouro do Estado GH $ODJRDV FRP D ÀQDOLGDGH GH JHUDU UHFXUVRV ÀQDQFHLURV SDUD pagamento de precatórios judiciais pendentes.


8

POLÍTICA

MACEIÓ - QUARTA-FEIRA, 9 DE MAIO DE 2012

TribunaIndependente

FraudeWHYHDWpDVVLQDWXUDIDOVLÀFDGD Portaria que estabelecia emissão de títulos tinha nomes adulterados dos governadores Fernando Collor e Moacyr Andrade

O

artigo 5º da Emenda Constitucional nº 3/93, estabelecida que para que fosse regular a emissão de títulos públicos, seria imprescindível que o Executivo disciplinasse a forma por que seriam pagos os débitos judiciais pendentes. A decisão governamental, Contudo, apenas poderia ser tomada até 180 dias da promulgação da Carta Política, isto é, 5 de abril de 1989. Nesse interstício – da promulgação da CF/1988 e dos 180 que lhe seguiram –, eram, respectivamente, governador e vice-governador do Estado de Alagoas, o senador Fernando Afonso Collor de Mello e Moacy Lopes de Andrade. Em ofício dirigido ao Banco Central do Brasil (Bacen), por intermédio do então governador Suruagy e do secretário da Fazenda, José

Pereira, munidos da Lei Estadual nº 5.743/95 e do Decreto Estadual nº 36.804/95, foi solicitada autorização para a emissão de 301.623.440 LFTs. Os títulos, com data-base de 1º de novembro de 1995, teriam quatro vencimentos distintos: 1/6/1997, 1/6/1998, 1/6/1999 e 1/6/2000. Tais vencimentos regulados pela Portaria nº. 1928A, com aparente assinatura de Fernando Collor. No entanto, investigações realizadas pela CPI da Assembléia Legislativa de Alagoas concluíram que nem Fernando Collor nem Moacy de Andrade assinaram qualquer GRFXPHQWRRÀFLDOGLVFLSOLQDQdo a forma de pagamento dos precatórios judiciais pendentes de pagamento na data da promulgação da Constituição )HGHUDO 3UHWHQGHQGR FRQÀUPDUDVXVSHLWDGDIDOVLÀFDomR

da assinatura de Fernando Collor aposta à Portaria, a CPI da Assembléia Legislativa tentou fazer uma perícia grafológica. Tal diligência não pôde ser realizada em razão de ter sido extraviado o original da Portaria. O fato foi FRQÀUPDGR DLQGD HP WHVWHmunhos de Fernando Collor e Moacyr Andrade. Outra irregularidade foi o Banco Divisa ser contratado sem licitação para um contrato totalmente desnecessário do ponto de vista técnico. “A Secretaria de Fazenda de qualquer estado brasileiro possui funcionários com capacidade para elaborar uma emissão de títulos para Financiamento de precatórios, bastando para isto seguir os passos dados pelas prefeituras de pequenos municípios brasileiros”, apura a sentença

PRECATÓRIOS

32 usinas e destilarias foram credoras de quase R$ 1 milhão Outra fraude demonstrada nos autos: “Nenhum precatório judicial pendente na época da promulgação da Carta da República foi adimSOLGRFRPUHFXUVRVÀQDQFHLros gerados pela comercialização dos títulos, na medida em que, entre dezembro de 1995 e maio de 1996, não foram quitados requisitórios

NOS AUTOS

Cálculos eram superestimados durante trama Está demonstrado nos autos que nenhum precatório judicial pendente na época da promulgação da Carta da República foi pago com recurVRV ÀQDQFHLURV JHUDGRV SHOD comercialização dos títulos, pois entre dezembro de 1995 e maio de 1996, não foram quitados requisitórios de pagamento, conforme certidão do Tribunal de Justiça de Alagoas. A fase inicial da trama consistia elaborar cálculos que superestimavam o volume de precatórios pendentes de pagamento e, por consequência estabeleciam o montante da emissão a ser pleiteada. Era a ´WHFQRORJLDGHLQÁDJHPSUHFDtórios”. Na prática, o governo aproveitou o chamado “Acordo GRV8VLQHLURVµÀUPDGRQRJRverno anterior, em que o setor acumulava dívidas de ICMS com o Estado que deveriam ser saldadas por compensação.

de pagamento”. “Relação de Precatórios Pendentes”, contendo uma relação de 32 usinas e destilarias de álcool, credoras de uma dívida de R$ 950.199.885, dos quais R$ 642.457.140,25 iriam ser adimplidos sob a forma de compensação, restando um saldo de R$ 301.623.440,

montante correspondente ao pedido ao Banco Central do Brasil e ao Senado Na prática, o governo aproveitou o chamado “AcorGR GRV 8VLQHLURVµ ÀUPDGR no governo anterior, em que o setor acumulava dívidas de ICMS com o Estado que deveriam ser saldadas por compensação.

Ex-governador Divaldo Suruagy, com mais de 70 anos, foi excluido da lista de condenados pela Justiça


TribunaIndependente

0$&(,Ă?48$57$)(,5$'(0$,2'(

Cidades

CIDADES

Média de armas apreendidas sobe de SDUDSRUPrVFRPERQL¿FDomR &RPRSDJDPHQWRGHERQL¿FDomRDSROLFLDLVSRUDSUHHQVmRGHDUPDVHGURJDVD 'HIHVD6RFLDOWHPUHJLVWUDGRDXPHQWRGRQ~PHURGHDUPDVGHIRJRUHWLUDGDVGH FLUFXODomRHP$ODJRDV$LQIRUPDomRIRLUHSDVVDGDSHORVHFUHWiULR'iULR&HVDU RQWHPGXUDQWHVROHQLGDGHGHHQWUHJDGHHTXLSDPHQWRVGHVWLQDGRVj6HJXUDQoD 3~EOLFD³(PFRQWUDSDUWLGDDXPHQWRXRQ~PHURGHSHVVRDVHQFDPLQKDGDVDR VLVWHPDSULVLRQDO´D¿UPRX$PpGLDGHDSUHHQVmRGHDUPDVSDVVRXGHSDUD DRPrV(PPDUoRRQ~PHURGHDUPDVUHWLUDGDVGHFLUFXODomRFKHJRXD HQTXDQWRTXHHPDEULOIRLGH$SRSXODomRFDUFHUiULDHPQRYHPEURGR DQRSDVVDGRHUDGHSUHVRVSDVVDQGRDWXDOPHQWHSDUD

Agricultor mata o irmĂŁo com um tiro de espingarda

$66(6625,$3&

&ULPHWHULDVLGRPRWLYDGRSRUGLVSXWDGHWHUUDDSHVDUGH QmRKDYHUFRQÂżUPDomRGDSROtFLDDFXVDGRHVWiIRUDJLGR DAVI SALSA 5(3Ă?57(5 &20(',725,$'(&,'$'(6

U

ma tragÊdia em família ocorreu logo no início da manhã da última segunda-feira (7), no povoado Poço da Ilha, localizado no município de Olho d’à gua Grande, a 160 quilômetros de Maceió. Após uma discussão familiar, Sinval dos Santos, de 47 anos, matou o próprio irmão, o agricultor Manoel Messias dos Santos, de 50 anos. De acordo com testemunhas, a família Ê formada por dez irmãos e o crime teria ocorrido em consequência de uma briga pela disputa de terra. Familia-

res afirmaram Ă polĂ­cia que os irmĂŁos discutiam com frequĂŞncia por conta da disputa por propriedades. O acusado teria seguido o irmĂŁo atĂŠ um sĂ­tio e efetuado um disparo de espingarda calibre 32 contra Manoel. A vĂ­tima ainda chegou a ser socorrida pelo Serviço de Atendimento MĂłvel de UrgĂŞncia (Samu), mas nĂŁo resistiu e morreu a caminho da Unidade de EmergĂŞncia (UE) do Agreste. INQUÉRITO O delegado regional de Arapiraca, IsaĂ­as Rodrigues, contou que recebeu o caso ontem e irĂĄ começar as investigaçþes nesta quarta-feira. “Ainda nĂŁo posso afirmar qual serĂĄ a

9

linha de investigação�, declarou. PorÊm agentes da delegacia afirmam que esse Ê o principal comentårio acerca da morte do agricultor. O corpo de Manoel Messias foi sepultado ontem no município de Olho d’à gua Grande e o acusado, Sinval dos Santos, estå foragido. Uma guarnição do 3º Batalhão da Polícia Militar, realizou diligências pela região onde ocorreu o homicídio, mas não conseguiu localizar o acusado. A reportagem tentou localizar familiares dos irmãos Manoel Messias e Sinval dos Santos, por meio das instituiçþes de Segurança Pública, mas os familiares ainda não compareceram a esses locais.

DelegadoYDLFRPHoDULQYHVWLJDomRKRMHPDVGLVSXWDSRUWHUUDGHYHVHUSULQFLSDOOLQKDGRLQTXpULWR


10

PUBLICIDADE

MACEIÓ - QUARTA-FEIRA, 9 DE MAIO DE 2012

TribunaIndependente


TribunaIndependente

AĂ?LTON VILLANOVA ailton.villanova@gmail.com

MACEIĂ“ - QUARTA-FEIRA, 9 DE MAIO DE 2012

CIDADES

11

Corpo encontrado não Ê de jovem desaparecida Familiares ainda têm esperança de que Roberta Costa Dias esteja com vida ANA PAULA OMENA REPÓRTER

O Um carro impossĂ­vel

O

vendedor de automĂłveis Dogival Doralino, o DodĂ´, ĂŠ, hoje em dia, um sujeito de sucesso na vida profissional. PragmĂĄtico, ele nĂŁo ĂŠ de ficar enchendo o saco de freguĂŞs com conversa mole. Define uma situação de compra e venda na base do vapt-vupt, como diria o saudoso Chico Anysio. Dado o seu sucesso no ramo de negĂłcios automotivos, conseguiu juntar uma boa grana a ponto de montar o seu prĂłprio negĂłcio. Sua fama de vendedor “primeiro sem segundoâ€? circula pelo Estado inteiro, a ponto de, um dia, ter recebido bela proposta de certo alcaide para ser seu sĂłcio numa venda e revenda de veĂ­culos. A proposta nĂŁo foi fraca, mas DodĂ´ nĂŁo foi na onda. - Estou satisfeito com o que eu ganho e esse negĂłcio de ser “testa-de-ferroâ€? de polĂ­tico nĂŁo dĂĄ pra mim, nĂŁo! – foi a resposta que ele deu ao preposto do alcaide, portador da proposta. Dogival Doralino nasceu na outrora Vila OperĂĄria, no Bom Parto, mais precisamente na Rua Belo Horizonte (em MaceiĂł existem trĂŞs ruas Belo Horizonte) pobrezinho que nem Job. Filho de antigos operĂĄrios da falecida fĂĄbrica de tecidos Alexandria ele cursou o antigo PrimĂĄrio no Grupo Escolar Cincinato Pinto e concluiu o Curso TĂŠcnico na antiga Escola Industrial de Alagoas, quando esta funcionava na Praça Sinimbu. Seu primeiro emprego foi o de torneiro mecânico, mas foi como vendedor de carros na finada Praça da Cadeia, no centro da cidade, que tomou tento na vida. Anos se passaram desde que se tornou empresĂĄrio, encontrava-se o nosso simpĂĄtico DodĂ´ na porta de sua loja apreciando o movimento da rua quando adentrou uma madame muito chique e cheirosa, com um ar muito boçal. Imediatamente, ela se dirigiu a um modelo Mercedes-Benz e começou a inspecionĂĄ-lo. Ao inclinar-se para sentir o revestimento de couro soltou um sonoro pum. Muito envergonhada, ela ainda olhou em redor para ver se alguĂŠm havia notado o acidente, esperando que nenhum vendedor aparecesse na hora, mas deu de cara com o DodĂ´, que jĂĄ estava de olho nela: - Bom dia, madame. Como posso ajuda-la? Muito sem graça, ela perguntou: - Qual o preço desse carrinho, senhor? E o DodĂ´, exibindo a sua sutileza de paquiderme: - Olha, madame, se a senhora soltou esse peido sĂł de tocar no “carrinhoâ€?, imagine a caganeira que vai lhe dar quando eu lhe disser o preço!

Confusão alcoólica Na porta do Bar do Duda o pinguço conhecido como Aerobaldo desabafava: - Putaquipariu! Putaquipariu! Alertado pelo berreiro do cara, o garçom Deraldo chegou junto: - Êpa! Olha a moral, rapaz!

Qual Ê a bronca? E o Aerobaldo: - É que eu num tô sabendo mais se minha mulher disse pra eu beber uma garrafa de cachaça e voltar às 10 horas ou se era pra eu beber 10 garrafas e voltar uma hora da madrugada!

Vista curta demais! No consultĂłrio do oftalmologista LĂŠo Montenegro o sobredito solicitava a uma paciente velhusca que ela sentasse numa poltrona confortabilĂ­ssima e em seguida a orientava: - Por favor, dona ObdĂşlia, eu quero que a senhora leia o que estĂĄ escrito nesse painel, aĂ­ na sua frente. A velhinha foi mais para a frente, tocou no ombro do doutor e disse: 3RUIDYRUPHXÂżOKROHLDSUDPLP$WXDOPHQWHHXDQGRFRPDYLVWD muito curta!

JĂĄ foi tudo! O tal de OscĂĄvalo ĂŠ um biriteiro espirituoso. Ele ĂŠ do tipo que bebe atĂŠ cair no pĂŠ do guarda. Acorda cedo, corre pro bar da esquina, “lava a prensaâ€? e volta pra casa para pegar o desjejum. Outro dia, depois de cumprir esse ritual, sua mulher, dona EucalĂ­pta,

jĂĄ de saco cheio, deu a bronca: - MisericĂłrdia, OscĂĄvalo! VocĂŞ jĂĄ foi beber? E ele: - Eu jĂĄ fui bebĂŞ, jĂĄ fui rapaz, jĂĄ fui casado e hoje eu quero ser divorciado pra beber de novo... concorda comigo?

O vovô Ê mecânico? O pentelho Cacå entrou em casa algo intrigado e correu direto para a mãe: - Mainha, o vovô Ê mecânico? - Não, meu amor. Ele Ê contador aposentado. - E o que ele estå fazendo estirado debaixo do ônibus, no meio da rua?

O teste agora complicou! Depois de uma quilomĂŠtrica farra com os colegas de sempre aquele nosso amigo voltou pra casa puxando o maior fogo. Conseguiu entrar com algum sacrifĂ­cio e dirigiu-se ao quarto de dormir. Deitou-se, virou-se para um lado, virou-se para o outro, levantou-se. Depois de algum tempo ele voltou para o quarto, pegou o cobertor e deitou-se. A mulher, que dormia tranquila, acordou-se com aquele chamego todo do marido e perguntou: - O que ĂŠ que hĂĄ, meu amor? VocĂŞ estĂĄ com frio? - Muito. - Onde vocĂŞ foi? - Ao banheiro. - VocĂŞ apagou a luz? - NĂŁo. Ela apagou sozinha. A mulher levantou-se nervosa: - NĂŁo acredito, Marco AurĂŠlio! VocĂŞ andou mijando dentro da geladeira de novo!

corpo encontrado na cidade de Coruripe, na Fazenda Primavera, no último såbado, não Ê da jovem Roberta Costa Dias, de 18 anos, que estå desaparecida desde o dia 11 de abril deste ano. Ela estå com dois ou três meses de gestação, segundo familiares. A informação quanto ao não reconhecimento do corpo foi confirmada pelo diretor do Instituto MÊdico Legal (IML) Eståcio de Lima, Gerson Odilon Pereira, que esteve com um membro da família de Roberta e descartou a possibilidade. Os familiares estiveram no Instituto MÊdico Legal (IML) e não identificaram

o cadĂĄver. A jovem encontrada com uma perfuração Ă bala na cabeça seria uma adolescente que residia em ChĂŁ Preta. A notĂ­cia animou os parentes que continuam a busca. “Ainda temos esperança de encontrĂĄ-la com vida; estamos confiantes e temos muita fĂŠâ€?, disse Amanda Dias, irmĂŁ da jovem desaparecida. Documentos e informaçþes sobre Roberta Dias, como fotos, cor de pele e caracterĂ­sticas da arcada dentĂĄria, estĂŁo sendo entregues em delegacias de Alagoas, Pernambuco e Sergipe para ajudar na busca pela jovem. Roberta tinha saĂ­do de casa para fazer seu prĂŠ-natal e nunca mais voltou. Ela foi vista pela Ăşltima vez com um short jeans e uma blusa

azul, a mesma veste supostamente encontrada ao lado do corpo numa fazenda no Ăşltimo sĂĄbado. Por este motivo cogitou-se a possibilidade de o corpo da jovem encontrada em ChĂŁ Preta ser de Roberta. De acordo com a irmĂŁ de Roberta, Amanda Costa Dias, o Instituto MĂŠdico Legal de MaceiĂł (IML) jĂĄ teria feito a coleta de material para fazer o exame de DNA do corpo encontrado, que foi enterrado no CemitĂŠrio Divina Pastora, no bairro Santa AmĂŠlia, na capital alagoana, como indigente, para cruzar com material genĂŠtico coletado de um membro da famĂ­lia. “Pelo tamanho do corpo, poderia ser de minha irmĂŁâ€?, diz Amanda Dias. O DESAPARECIMENTO “Estranhamos a atitude

dela e minha mãe começou a ficar preocupada pela demora dela para chegar em casa. Uma colega que a levou atÊ a esquina de casa disse que nunca imaginava isto acontecer. Minha irmã sempre ligava e desta vez não ligou, e minha mãe, vendo anoitecer, ficou preocupada�, frisou. A estudante do Instituto Federal de Alagoas (Ifal) teria ainda duas tatuagens que ajudariam na identificação do corpo, uma nas costas e outra no tornozelo. Mas, devido ao alto grau de decomposição do cadåver encontrado as tatuagens não puderam ser visualisadas a olho nu. Quem souber informaçþes sobre a jovem pode entrar em contato pelos telefones: (82) 3551-5091 ou 9665-0690. MILTON RODRIGUES

NO BRASIL

AL tem 18 dos 200 municĂ­pios mais violentos ANDREZZA TAVARES REPĂ“RTER

Dos 200 municĂ­pios mais violentos do paĂ­s, 18 estĂŁo em Alagoas, e o Estado continua em primeiro lugar no Brasil no ranking de homicĂ­dios. A capital, MaceiĂł, ocupa a primeira posição no ranking de homicĂ­dios do Brasil entre as capitais, com 109,9 mortes por 100 mil habitantes. É o que aponta o Mapa da ViolĂŞncia 2012, do Instituto Sangari, divulgado ontem. Todos os municĂ­pios listados entre os mais violentos tĂŞm mais de 10 mil habitantes. Os 18 alagoanos sĂŁo: MaceiĂł, Arapiraca, Pilar, Messias, Marechal, SĂŁo SebastiĂŁo, TeotĂ´nio Vilela, SĂŁo Miguel dos Campos, UniĂŁo dos Palmares, Joaquim Gomes, Rio Largo, Piranhas, Flexeiras, SĂŁo JosĂŠ da Lage, Paripueira, Branquinha, Penedo e Coruripe. Pela quinta vez consecutiva Alagoas ĂŠ apontado como o Estado mais violento do Brasil, com uma taxa de 66,8 assassinatos por 100 mil habitantes em 2010, quase trĂŞs vezes mais que a mĂŠdia nacional, que ĂŠ de 26,2 assassinatos. De acordo com o Mapa da ViolĂŞncia 2012, referente ao ano de 2010, os piores Ă­ndices de violĂŞncia nĂŁo param por aĂ­ no Estado. Alagoas tambĂŠm ĂŠ apontado como o primeiro lugar no paĂ­s em homicĂ­dios de negros e jovens de 15 a 24 anos, com 84,9 e 150,4 mortes a cada 100 mil habitantes, respectivamente. Alagoas ĂŠ o segundo em assassinatos de mulheres com 8,3 homicĂ­dios para 100 mil, perdendo apenas para o EspĂ­rito Santo, que registrou 9,4 mortes em 2010. Para Alberto Jorge Ferreira dos Santos, presidente da ComissĂŁo de Defesa das Minorias Éticas e Sociais da OAB/ AL, os assassinatos de negros se dĂŁo pela exclusĂŁo social em Alagoas. De acordo com ele, 70% da população que vive em grotas, favelas e regiĂľes mais miserĂĄveis sĂŁo negros. “Faltam polĂ­ticas pĂşblicas voltadas para a classe que ĂŠ tĂŁo marginalizada onde, ao invĂŠs da educação, predomina as drogas, e ao invĂŠs da socialização os roubos e os homicĂ­diosâ€?, diz. O presidente aponta dois fatores que contribuem para o aumento da violĂŞncia contra a mulher: o silĂŞncio das violentadas, gerando a impunidade, e a falta de conscientização em relação aos seus direitos e deveres.

Rio Largo estĂĄ entre os municĂ­pios com mais homicĂ­dios no Brasil, junto com outros 17 alagoanos

VESTIBULAR

Secretåria de Educação tira zero em prova de redação e se classifica DANIEL MAIA MILTON RODRIGUES REPÓRTERES

A primeira-dama do município de JacarÊ dos Homens, Grazielle Melo Monteiro Silva, que tambÊm Ê secretåria de Educação, tirou zero na prova de redação do Curso de Pedagogia à distância da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), promovido pela Comissão Permanente de Vestibular (Copeve), e foi classificada. Entretanto, Grazielle conseguiu passar no teste. Havia 20 vagas para 22 concorrentes. Na lista dos candidatos classificados consta que duas pessoas não compareceram no dia da prova e, ainda por

cima, mais quatro candidatos tambĂŠm tiraram zero na prova de redação. A secretĂĄria fez 14 pontos em portuguĂŞs e 14 pontos em conhecimentos gerais, ficando na 18ÂŞ colocação no certame. Ontem, o prefeito de JacarĂŠ dos Homens, JĂşnior Ernesto, demonstrou revolta com a revelação da lista pela imprensa. “Isso tudo ĂŠ polĂ­tico. Vou entrar em contato com meus advogados para ingressar com uma ação judicial por danos morais a quem estĂĄ fazendo issoâ€?, reiterava. Ernesto informou ainda que sua esposa estaria em SĂŁo Paulo e portanto nĂŁo poderia dar declaraçþes a respeito do assunto.

A secretåria se inscreveu no vestibular por meio da Plataforma Paulo Freire, do MinistÊrio da Educação. O dispositivo favorece professores que atuam na rede municipal ou estadual para que eles possam se inscrever em mais de 90 cursos de aperfeiçoamento ou extensão no Brasil. A validação da inscrição se då por meio da aprovação do secretårio de Educação do município. Nesse caso a secretåria concorreu à vaga do município de Olho d’à gua das Flores. A Tribuna Independente tentou falar com a Copeve, mas nenhum diretor atendeu às ligaçþes. ASSESSORIA

Secretåria de Educação de JacarÊ dos Homens passou no vestibular de Pedagogia à distância


12

CIDADES

TribunaIndependente

MACEIĂ“ - QUARTA-FEIRA, 9 DE MAIO DE 2012

Prefeita reassume o cargo

A

prefeita de Traipu, Julliany Tavares Machado, reassumiu o cargo ontem pela manhã. Ela passou três meses afastada por decisão da Justiça. Advogados da prefeita disseram que Julliany foi beneficiada por uma liminar do Superior Tribunal de Justiça (STJ), na última segunda-feira, que suspendeu a execução da decisão de afastamento proferida pelo juiz Gilton Batista Brito, da 8ª Vara Federal em Arapiraca.

6HPMXVWLÂżFDWLYD Ainda de acordo com os advogados a decisĂŁo do STJ acatou a arguPHQWDomRGDGHIHVDHHQWHQGHXTXHQmRKDYLDMXVWLÂżFDWLYDSDUDPDQWHU Julliany afastada do cargo. Para o advogado Felipe Lins, “tudo o que pesa contra sua cliente jĂĄ foi colhido como prova durante o inquĂŠritoâ€?.

Feira Grande 1

Feira Grande 2

O prefeito de Feira Grande, FĂĄbio Lira, esteve na tarde do Ăşltimo dia cinco no povoado Olho d’à gua do Mandacaru para conferir as obras que foram feitas em benefĂ­cio, nĂŁo sĂł dos moradores daquele povoado, mas tambĂŠm da população feira-grandense. Com a “passagem molhadaâ€? (nome TXHGHÂżQHDHVWUDGDIHLWD DVSHVVRDV da zona rural poderĂŁo se locomover com mais facilidade atĂŠ o municĂ­pio. Sem contar com a acessibilidade das DPEXOkQFLDVTXHHQIUHQWDYDPSUREOHPDV TXDQGRFKRYLDMiTXHÂżFDYDSUDWLFDPHQte impossĂ­vel transitar pelo povoado e fazer o transporte dos doentes.

â€œĂ‰ uma grande conquista para os moradores do povoado. O prefeito Fabinho estĂĄ de parabĂŠns por esta iniciativa. SĂŁo inĂşmeros os benefĂ­cios que esta passagem trarĂĄ para as pessoas que moram aqui. 3RGHPRVDÂżUPDUTXH este ĂŠ mais um entre os tantos povoados que estĂŁo assistidos pela atual JHVWmR´DÂżUPRXRFDSLWmR Ilton, que tambĂŠm ĂŠ empresĂĄrio no municĂ­pio de Feira Grande.

‘ExplosĂŁo’ em equipamento da Sococo mata funcionĂĄrio Acidente que vitimou Adeilton Joaquim da Silva foi logo no inĂ­cio do expediente ANA PAULA OMENA BRENO AIRAN NIGEL SANTANA REPĂ“RTERES

U

ma ‘explosĂŁo’ em uma autoclave equipamento que funciona com pressĂŁo e que ĂŠ usado para esterilizar produtos - da IndĂşstria AlimentĂ­cia Sococo, localizada no bairro de Mangabeiras, em MaceiĂł, deixou uma pessoa morta e outras levemente feridas ontem de manhĂŁ. O funcionĂĄrio da Sococo, Adeilton Joaquim da Silva, de 51 anos, que tinha 13 anos de trabalho na empresa, morreu na hora. Uma equipe do Serviço de Atendimento MĂłvel de UrgĂŞncia (Samu) chegou a ir no local, mas a vĂ­tima jĂĄ estava em Ăłbito. O acidente ocorreu por volta das oito horas da manhĂŁ. Peritos do Instituto de CriminalĂ­sitica (IC) e do Instituto MĂŠdico Legal (IML) foram acionados para os de-

vidos procedimentos. INVESTIGAĂ‡ĂƒO Segundo o chefe de operaçþes do 9Âş Distrito Policial (DP) - que investigarĂĄ as causas do acidente - Themildo Duarte das Trevas, a empresa pode ser penalizada, se a culpa tiver sido dela, ou seja, se houve falha mecânica. As causas devem ser constatadas apenas apĂłs a conclusĂŁo dos laudos periciais e pode apontar tambĂŠm falha humana. Os agentes civis do 9Âş DP, comandados pelo delegado Waldor Coimbra Lou, foram atĂŠ o local a fim de fazer os primeiros levantamentos. A assessoria de imprensa da Sococo informou que a empresa vai dar todo o apoio necessĂĄrio Ă famĂ­lia da vĂ­tima. A reportagem tentou falar com os trĂŞs parentes de Adeilton que chegaram no local, mas eles estavam muito abalados e nĂŁo quiseram dar entrevista. SANDRO LIMA

“Quero agradecer a presença de todos e tambĂŠm a força que o capitĂŁo Ilton nos tem dado. Este povoado nunca esteve desassistido, porĂŠm, procuramos sempre melhorar a qualidade de vida dos nossos munĂ­ciSHVDÂżUPDQGRVHPSUHRQRVVRFRPSURPLVVRSURFXUDQGRDWHQGHUDV reivindicaçþes da populaçãoâ€? garantiu o prefeito FĂĄbio Lira.

Criminalidade 2

Para o enfrentamento da criminalidade no paĂ­s o senador Renan Calheiros pediu ontem, no Senado, a aprovação da PEC 60/2005, de sua iniciativa, que vincula recursos da UniĂŁo, Estados e municĂ­pios para o setor de segurança pĂşblica por cinco anos. A proposta de Renan, segundo ele, pronta para ser votada em PlenĂĄrio, torna obrigatĂłrio o gasto em segurança e “pode representar um duro golpe ao crime instalado no paĂ­sâ€?, disse o senador.

Combate ao crack, maior ÂżVFDOL]DomRGDVIURQWHLras e reestruturação do sistema previdenciĂĄrio sĂŁo pontos prioritĂĄrios na agenda do setor que, com a aprovação da PEC 60/2005, “teriam um PRGHORGHÂżQDQFLDPHQWR mais estĂĄvelâ€?, defendeu Renan.

InvestigaçãoYDLLGHQWL¿FDUVHKRXYHIDOKDPHFkQLFDRXKXPDQD

Craíbas O governador Teotonio Vilela Filho recebeu ontem o executivo James Bannantine, presidente e chefe-executivo da Aura Minerals Inc. A companhia Ê detentora da Mineração Vale Verde no Brasil e vai implantar em Alagoas uma mineradora com operaçþes voltadas principalmente para a extração de cobre. $SUHYLVmRGRVGLUHWRUHVpTXHRHVWXGRGHYLDELOLGDGHHFRQ{PLFR¿QDQFHLURVHMD¿QDOL]DGRDWpRPrVGHDJRVWRHDVREUDVVHMDPLQLFLDGDV atÊ junho de 2013, com um prazo de execução que varia entre 18 e 24 meses. O valor total de investimentos previstos Ê de US$ 500 milhþes.

Presença

SĂŁo Miguel

A reunião aconteceu no Palåcio República dos Palmares e foi acompanhada pelo secretårio de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico, Luiz Otåvio Gomes; pelo diretor-presidente da Mineração Vale Verde, Carlos Bertoni, e pelo secretårio de Estado da Articulação Política, 5RJpULR7Hy¿OR O encontro serviu para que os executivos apresentassem ao Governo de Alagoas o planejamento atualizado e o cronograma para a instalação da mineradora no município de Craíbas.

A informação estå no blog do Tinho, assinado por Wellington Silva: O prefeito de São Miguel dos Campos, George &OHPHQWH 36% ID]PDLVXP malabarismo para tentar se livrar da rejeição que vem enfrentando nos últimos meses de seu governo. AlÊm das vårias polêmicas, a exemplo da venda das açþes do município e da aprovação de uma peça orçamentåria de aproximados R$ 300 milhþes, Clemente agora pþe à venda os carros do município.

... Segundo Wellington Silva, o jogo de marketing ocorre sobre o olhar de um dos principais marqueteiros do Estado, Tadeu Alves. O objetivo da estratÊgia Ê convencer a população a todo o custo que o município HVWiVHPGLQKHLURRTXHQmRpYHUGDGHHFRPLVVRMXVWL¿FDUDLQRSHUkQFLDGRJRYHUQRTXHDWXDOPHQWHYHPDWUDVDQGRUHSDVVHVHYDORUHV GHVWLQDGRVDFRQYrQLRVHVVHV¿UPDGRVMiQDJHVWmRGH&OHPHQWH ... O parecer do senador Renan Calheiros sobre a incidência do ICMS no comÊrcio eletrônico estå pronto para ser votado na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, nesta quarta-feira (9). ... Hoje, numa operação interestadual pela internet, o ICMS Ê recolhido pelo Estado de origem da mercadoria. A proposta de Renan Ê sujeitar essas operaçþes - nas quais o comprador Ê uma pessoa física e, portanto, não inscrito no ICMS - ao mesmo tratamento dado às vendas que se realizam entre empresas de Estados diferentes: caberå ao Estado do destinatårio da mercadoria o imposto correspondente à diferença entre a alíquota interna e a interestadual.

AbaladoSDUHQWHGDYtWLPDQmRTXLVGDUGHFODUDo}HVRXVHLGHQWLÂżFDU

SOCOCO

Diretores explicam causas do acidente em coletiva

Feira Grande 3

Criminalidade 1

SANDRO LIMA

Uma coletiva de imprensa na sede da Indústria Alimentícia Sococo foi realizada ainda de manhã de ontem para esclarecer o acidente que levou à morte um funcionårio da empresa. Falaram com a imprensa o presidente-diretor da Sococo, Emerson Tenório; o engenheiro de manutenção, David Passos, e o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Sococo, Severino Barros. Emerson Tenório, de imediato, afirmou que não houve uma explosão propriamente dita na indústria Sococo. O acidente, segundo explicou, aconteceu numa måquina de autoclave, um equi-

pamento cilĂ­ndrico, onde se esteriliza o coco, jĂĄ que ele ĂŠ recolhido com sujeira, contendo inĂşmeras bactĂŠrias. Este, segundo ele, ĂŠ um procedimento padrĂŁo. A autoclave ĂŠ regulada por uma tampa e tem baixa pressĂŁo. No entanto, ela estava colocada de forma errada e a pressĂŁo foi acumulando. Quando o funcionĂĄrio Adeilton Barros, que estava na empresa desde 2000, passava pelo setor a tampa da caldeira ‘voou’, por conta da pressĂŁo aglutinada, e o atingiu em cheio. Todos lamentaram o fato e o clima era de inteiro pesar em todas as instalaçþes da empresa. (A.P.O. / B.A. / N.S.)

APĂ“S ASSALTOS

BancĂĄrios se reĂşnem com Defesa Social ViolĂŞncia preocupa funcionĂĄrios de bancos assim como dos Correios em Alagoas Diretores do Sindicato dos BancĂĄrios se reĂşnem hoje de manhĂŁ com a cĂşpula da Secretaria de Defesa Social para tratar dos frequentes assaltos a bancos ocorridos em Alagoas. Os dirigentes querem saber o que o Estado tem feito, concretamente, para combater a onda de criminalidade e para proteger os bancĂĄrios e a população de novas investidas dos assaltantes. A reuniĂŁo serĂĄ Ă s 10 horas e os bancĂĄrios voltarĂŁo a cobrar das autoridades melhores resultados na segurança, principalmente a segurança preventiva no Estado. Segundo levantamento do Sindicato, mais de 90% dos assaltos a bancos este ano aconteceram no interior, em municĂ­pios carentes de policiamento, viaturas, delegacias e armamentos. “Algumas agĂŞncias sĂŁo assaltadas mais de uma vez e da mesma forma, sem que os bandidos enfrentem dificuldades ou resistĂŞnciaâ€?, observa o presidente da entidade, Jairo França. A reuniĂŁo foi agendada depois que o Sindicato solicitou, hĂĄ vinte dias, audiĂŞncia com o governador

BRENO AIRAN / ARQUIVO

Agências dos Correios e bancos vivem hoje situação semelhante, sendo alvos frequentes de bandidos

Teotonio Vilela Filho. Para a entidade, a situação em que a categoria bancåria vive hoje - com funcionårios e seus familiares sendo sequestrados e amarrados a explosivos - Ê de extrema gravidade. CORREIOS Em uma situação bem

parecida com a dos bancos estĂŁo as agĂŞncias dos Correios em Alagoas. Na segunda-feira, outra agĂŞncia foi roubada. No bairro de Bebedouro, em MaceiĂł, trĂŞs homens com armas em punho invadiram a agĂŞncia e roubaram os guichĂŞs e os clientes.

O prejuízo não foi repassado pelos Correios, mas, só dos cidadãos foram levados cerca de R$ 200. Após a ação, os meliantes fugiram em duas motocicletas. Este foi o 32º assalto registrado em apenas cinco meses no Estado. Em 2011, houve 42.


TribunaIndependente

MACEIĂ“ - QUARTA-FEIRA, 9 DE MAIO DE 2012

Economia

ECONOMIA

13

Grupo avalia revitalização da Trilha do Visgueiro de Mata Atlântida em Maragogi Nos próximos dias 10 e 11, gerentes da Secretaria de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico (Seplande) e membros do MinistÊrio do Turismo, se reunirão, no município de Maragogi, para visitar locais que poderão ser revitalizados por meio do Programa Talentos do Brasil. O programa poderå disponibilizar recursos para execução do projeto de revitalização da Trilha do Visgueiro, contemplada no Programa Alagoas Tem Pressa. A Trilha do Visgueiro, localizada no assentamento à gua Fria, Ê uma reserva ecológica de Mata Atlântica, com aproximadamente 8km, onde, durante a caminhada, os visitantes têm a oportunidade de comer as frutas cultivadas pelos assentados da região, conhecer cachoeiras de ågua pura e o Visgueiro, årvore de mais de cem metros de altura, que då nome à trilha.

Mineradora movimentarå US$ 500 milhþes Vale Verde vai atuar na extração de cobre e Ê um dos maiores projetos para gerar emprego e renda para Alagoas

O

governador Teotonio Vilela Filho recebeu ontem o executivo James Bannantine, presidente e chefe-executivo da Aura Minerals Inc. A companhia Ê detentora da Mineração Vale Verde no Brasil e vai implantar em Alagoas uma mineradora com operaçþes voltadas principalmente para a extração de cobre. A previsão dos diretores Ê que o estudo de viabilidade HFRQ{PLFRÀQDQFHLUR VHMD Ànalizado atÊ o mês de agosto HDVREUDVVHMDPLQLFLDGDVDWp MXQKRGHFRPXPSUD]R de execução que varia entre HPHVHV2YDORUWRWDO de investimentos previstos Ê GH86PLOK}HV A reunião aconteceu no Palåcio República dos Palmares e foi acompanhada pelo secretårio de Estado do 3ODQHMDPHQWR H GR 'HVHQvolvimento Econômico, Luiz Otavio Gomes, pelo diretor-presidente da Mineração Vale Verde, Carlos Bertoni, e pelo secretårio de Estado da Articulação Política, Ro-

APROVADO

Plano Anual de CrĂŠdito FundiĂĄrio

PrevisĂŁo dos diretores ĂŠ que obras sejam iniciadas atĂŠ junho de 2013, conforme debatido ontem

JpULR7HyÀOR O encontro serviu para que os executivos apresentassem ao Governo de AlaJRDV R SODQHMDPHQWR DWXDOLzado e o cronograma para a instalação da mineradora no município de Craíbas.

Na fase de construção, a Mineradora Vale Verde vai JHUDUHPSUHJRVHP$ODgoas. Jå em sua fase operaFLRQDO FHUFD GH  QRYRV empregos diretos serão oferWDGRVDOpPGHLQGLUHWRV $OpP GRV 86  PLOK}HV

de investimentos, a empresa YDLLQMHWDUGXUDQWHRSHUtRGR GHDQRV86PLOK}HV na economia alagoana com custos operacionais. “Sabemos da importância da chegada desse empreendimento, tendo em vista os

JUNTO COM EISA

O Conselho Estadual de 'HVHQYROYLPHQWR GD $JULcultura Familiar e Reforma AgrĂĄria (Cedafra) aprovou, ontem, o Plano OperatĂłrio $QXDO  GR 3URJUDPD Nacional de CrĂŠdito FundiĂĄrio. Com a medida, o Instituto de Terras e Reforma AgrĂĄria de Alagoas (Iteral), ĂłrgĂŁo gestor do programa no Estado, vai trabalhar SDUD DVVHQWDU  IDPtOLDV GHDJULFXOWRUHVDWpRĂ€QDOGR ano. Segundo o diretor de benefĂ­cios socioeconĂ´micos 3URMHWRV GR ,WHUDO 6HYHULque serĂŁo gerados com o seu QR $UD~MR $ODJRDV WHP XP funcionamento. Consciente dos preços de terra mais aldisso, o Estado nĂŁo vai medir WRVGR1RUGHVWH´,VVRLQĂ XL esforços para que os prazos GLUHWDPHQWH QRV SURMHWRV SDUDDLQVWDODomRVHMDPFXP- de assentamentos, como ĂŠ o pridosâ€?, destacou o governa- caso do CrĂŠdito FundiĂĄrioâ€?, dor Teotonio Vilela Filho. DĂ€UPRX (OH WDPEpP IH] um balanço do programa no Estado, apresentou o nĂşmeUR GH IDPtOLDV EHQHĂ€FLDGDV ĂĄreas adquiridas e nĂşmero de inadimplentes. 'XUDQWH D UHXQLmR GRV membros do conselho, realizada no PalĂĄcio RepĂşblica dos Palmares, em MaceiĂł, tambĂŠm foi discutido o Pronecessidades. Os acessos ro- grama de Sementes, coordoviĂĄrios de boa qualidade denado pela Secretaria de tambĂŠm sĂŁo fundamentais Estado da Agricultura e do para o escoamento da pro- 'HVHQYROYLPHQWR $JUiULR dução, principalmente para (Seagri). A secretĂĄria executiva do R 3RUWR GH 0DFHLy TXH Ă€FD D  NP GD PLQHUDGRUDÂľ Cedafra, InĂŞs Pacheco, que tambĂŠm ĂŠ superintendente destacou o presidente. Em sua segunda fase de Fortalecimento da Agride operaçþes, a Vale Verde cultura Familiar da Seagri, tambĂŠm vai direcionar suas ressaltou que os lotes de atividades para a extração sementes adquiridos pelo Estado passam por anĂĄlises de ferro e ouro. Os minĂŠrios sĂŁo oriun- em laboratĂłrios. GRV GH GXDV MD]LGDV VHQGR “SĂł distribuĂ­mos as seuma localizada na cidade de mentes depois que temos os CraĂ­bas, batizada de “Serro- laudos do laboratĂłrio, que WHGD/DMHÂľHRXWUDQRPXQL- atestam a germinaçãoâ€?, sacĂ­pio de Igaci. lientou InĂŞs Pacheco.

Vale Verde ĂŠ um dos pilares do desenvolvimento de Alagoas

'LUHWRUGD$PDÂżO discute com secretĂĄrio Luiz Otavio fĂĄbrica no Estado

MANDIOCA

Fecularia estuda instalação de fĂĄbrica em Alagoas O secretĂĄrio de Estado do 3ODQHMDPHQWR H GR 'HVHQvolvimento EconĂ´mico, Luiz Otavio Gomes, participou ontem de uma reuniĂŁo com o executivo Manoel AntĂ´nio da Silva, diretor da empreVD $PDĂ€O XPD GDV OtGHUHV nacionais na produção de alimentos oriundos do processamento da mandioca. A $PDĂ€O HVWXGD D SRVVLELOLGDde de instalar uma unidade no municĂ­pio de Taquarana, no Agreste alagoano, investindo cerca de R$ 7 milhĂľes em sua fase inicial e outros 5PLOK}HVHPXPDSRVsĂ­vel ampliação. Com o empresĂĄrio e o prefeito de Taquarana, Alay Correia, o secretĂĄrio Luiz Otavio apresentou os beneItFLRV Ă€VFDLV FUHGLWtFLRV H locacionais que sĂŁo ofertados para a chegada de novos empreendimentos, atravĂŠs GR3URJUDPDGH'HVHQYROYLmento Integrado do Estado de Alagoas (Prodesin). “O empreendimento movimentaria toda a cadeia produtiva da mandioca em

Alagoas, que atinge boa parte do Agreste alagoano. A empresa poderå ser uma âncora para o setor produtivo local, trazendo competitividade e gerando novos negócios em Alagoas�, destacou o secretårio Luiz Otavio Gomes, chamando a atenção para o importante papel que a empresa pode exercer, favorecendo os produtores liJDGRV DR $UUDQMR 3URGXWLYR Local da Mandioca do Agreste. O empresårio explicou que tÊcnicos da empresa farão, nos próximos meses, estudos ambientais do solo e das principais åreas onde hå o cultivo do produto, como tambÊm testar a qualidade da mandioca da região. $HPSUHVDKRMHWHPXPD OLQKD FRP PDLV GH  WLSRV de produtos como polvilhos doce, farinhas e farofa pronta.  $ $PDÀO TXH WHP VXD matriz na cidade de Cianorte-PR, Ê a pioneira no Brasil na importação de tecnologia para seus equipamentos.

O secretĂĄrio Luiz Otavio Gomes ressaltou ser a Mineradora Vale Verde um dos SLODUHV MXQWR FRP R (VWDleiro Eisa Alagoas e a nova planta de PVC da Braskem, TXHVHUiLQDXJXUDGDHPMXlho deste ano para o para o desenvolvimento econĂ´mico de Alagoas. “Entendemos como prioridade viabilizar a implantação da Mineradora Vale Verde, que vai movimentar a economia de todo o Agreste e boa parte do SertĂŁo alagoanoâ€?, disse Luiz Otavio. 'XUDQWH D DSUHVHQWDomR GR SODQHMDPHQWR R SUHVL-

dente da Aura Minerals Inc. DĂ€UPRXTXHFHUFDGHGD mĂŁo de obra aproveitada na mineradora serĂĄ de trabalhadores locais. Para isso, a empresa e o Governo de Alagoas articulam com o Senai FXUVRV GH TXDOLĂ€FDomR HVSHFtĂ€FRVSDUDDVRSHUDo}HVTXH serĂŁo feitas na Vale Verde. James Bannantine ainda destacou os serviços e obras de infraestrutura realizadas pelo Governo do Estado, que facilitam as operaçþes de produção e logĂ­stica. “Contamos com um abastecimento de ĂĄgua e de energia que supre nossas


14

ECONOMIA

MACEIĂ“ - QUARTA-FEIRA, 9 DE MAIO DE 2012

etjornalista@gmail.com

SĂŁo BrĂĄs, prefeitura com energia cortada

D

epois de Palmeira dos �ndios, agora foi a vez de São Brås. É que a Eletrobras não mediu distância para cortar a energia da prefeitura. O fato ocorreu ontem, porque a dívida jå Ê superior aos R$ 37 mil reais. Dentro de um ano eleitoral e acima de tudo para quem estå em baixa nas pesquisas para a eleição que se aproxima, esse fato foi triste para o prefeito Antônio Neto. A determinação para os tÊcnicos da empresa Ê de somente promover a religação da sede do Poder Executivo quando um novo acordo for feito e parte do valor for pago como entrada do parcelamento. Funcionårios públicos municipais lamentam o descaso administrativo, mas evitam falar sobre o assunto temendo sofrer represålias por parte do grupo político do prefeito tucano.

SĂŁo Miguel

Coruripe

O Festival de MĂşsica “SĂŁo Miguel Canta Pazâ€? selecionou no Ăşltimo sĂĄbado, onze composiçþes originais com a temĂĄtica “Por uma Cultura de 3D]´QDVXDVHPLÂżQDOUHDOL]DGD na Escola Ana Lins. Os clasVLÂżFDGRVLUmRSDUWLFLSDUGDÂżQDO do evento, sĂĄbado que vem, Ă s 18h, na Praça Multieventos. As trĂŞs melhores mĂşsicas receberĂŁo premiação em dinheiro. O primeiro colocado vai ganhar R$ 1.000 o segundo lugar R$ 600 e o terceiro R$ 400.

Hoje, na Cooperativa Pindorama, a Desenvolve – Agência de Fomento de Alagoas inaugura mais uma sala de atendimento ao crÊdito no interior do estado. A meta Ê fortalecer os pequenos negócios do Litoral Sul. A criação do ambiente tambÊm tem por ¿QDOLGDGHRULHQWDUPLFURVHSHTXHnos empresårios da região sobre como abrir e fazer desenvolver seus empreendimentos, com informaçþes sobre o programa do Micro Empreendedor Individual (MEI), acesso às capacitaçþes e às linhas de crÊdito disponíveis pela Agência de Fomento.

Marechal )RLLQLFLDGDRQWHPHVy¿QGDDPDQKmD6HPDQDGD)RUPDOL]DomR O evento que tem à frente o Sebrae/AL, visa tirar da ilegalidade os pequenos empreendimentos locais. O público-alvo são as cocadeiras, os prestadores de serviços da orla e os artesãos locais, que trabalham hå anos naquela região, mas não possuem nenhum tipo de benefício por estarem na informalidade.

Penedo (QHVWDTXDUWDIHLUDR6HEUDH$/FKHJDD3HQHGRD¿PGHUHDOL]DU R6HPLQiULRGH$FHVVRDR&UpGLWREHQH¿FLDQGRRVGRQRVGHSHTXHnos negócios locais. O intuito Ê esclarecer sobre as linhas de crÊdito disponíveis, como fazer para ter acesso a elas, quais as restriçþes, as garantias e os procedimentos, esclarecendo as dúvidas que os empreendedores geralmente encontram nesse processo.

Taquarana

Coruripe

Ontem foi discutida em Maceió, a possibilidade de uma empresa de grande porte nacional se instalar em Taquarana, para atuar no ramo da mandioca. A reunião foi entre o secretårio de Estado do Planejamento, Luiz Otavio Gomes, e o empresårio Manoel Antônio da Silva, diretor GDHPSUHVD$PD¿O$HPSUHVD uma das líderes nacionais na produção de alimentos oriundos do processamento da mandioca. Os investimentos giram em torno de cerca de R$ 7 milhþes em sua fase inicial e outros R$ 19 milhþes em uma possível ampliação.

O presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Agapito Santana, diplomarå amanhã os novos conselheiros tutelares do município de Coruripe. O evento estå marcado para as 15h, no auditório da Câmara de Vereadores. Na relação estão: Welliton da Silva Moura, Antônio Lessa Satil da Silva, Erika Esterfânia Lessa da Silva, Erijane Gonçalves Castro e Paulo Alberto dos Santos, no auditório da Câmara de Vereadores, às 15h. Em seguida, o prefeito Marx Beltrão empossarå os cinco primeiros colocados da eleição, que aconteceu no dia 21 de abril.

Cegonha Amanhã e depois em Maceió, mÊdicos e enfermeiros da Atenção Båsica dos 12 municípios prioritårios do Programa da Rede Cegonha vão participar de uma capacitação sobre teste råpido para diagnóstico do +,96t¿OLV5HDOL]DGDSHOD6HFUHWDULDGH(VWDGRGD6D~GHDDWLYLGDGH acontece no Hotel San Marino, na Ponta Verde, e tambÊm terå a participação das maternidades das cidades prioritårias.

Cegonha – Presente São considerados prioritårios: Arapiraca, União dos Palmares, Marechal Deodoro, Murici, Rio Largo, Maragogi, Pilar, Jequiå da Praia, Flexeiras, Girau do Ponciano, JacarÊ dos Homens e São Miguel dos Campos. Cada administração municipal terå direito a duas vagas para o evento, que tem como objetivo reduzir a transmissão vertical das doenças.

Prefeito em BrasĂ­lia

TribunaIndependente

Desenvolve e Pindorama lançam posto de crÊdito Objetivo Ê fortalecer os pequenos negócios no Litoral Sul em forma de parceria

P

ara fortalecer os pequenos negĂłcios do Litoral Sul de Alagoas, a Desenvolve – AgĂŞncia de Fomento de Alagoas –, em parceria com a Cooperativa Pindorama, vai inaugurar mais uma sala de atendimento ao crĂŠdito no interior do Estado. O evento acontece nesta quarta-feira, na sede da cooperativa, em Coruripe. A criação do ambiente WDPEpP WHP SRU Ă€QDOLGDGH orientar micros e pequenos empresĂĄrios da regiĂŁo sobre como abrir e desenvolver seus empreendimentos, fornecendo informaçþes sobre o programa do Micro Empreendedor Individual (MEI), acesso Ă s capacitaçþes e Ă s linhas de crĂŠdito disponĂ­veis pela AgĂŞncia de Fomento. Segundo o diretor de Desenvolvimento e Projetos da Desenvolve, FĂĄbio LeĂŁo, o proCooperativa Pindorama se alia a Desenvolve para abrir posto e ajudar pequenos negociantes a obterem crĂŠdito cedimento do posto de atendimento serĂĄ o mesmo adotado na sede da agĂŞncia, em MaceiĂł. ESTADUAL DESENVOLVIMENTO “Todas as demandas e cadastros dos clientes serĂŁo feitos no municĂ­pio e repassados para a agĂŞncia, onde vamos avaliar as propostas para a liberação do crĂŠditoâ€?, explicou. De acordo com o diretorA Secretaria de Estado da ofertados nos novos centros -presidente da Desenvolve, O governador Teotonio Vile- Educação e do Esporte (SEE) SURĂ€VVLRQDOL]DQWHV FRPR QDV Antonio Carlos Quintiliano, la Filho foi comunicado pelo su- foi contemplada com mais de escolas da rede vĂŁo atender a instalação de um posto de perintendente do Banco do Bra- R$ 22 milhĂľes em recursos do aos eixos produtivos existen- atendimento na ColĂ´nia Pinsil em Alagoas, Eduardo Sant’ SURJUDPD%UDVLO3URĂ€VVLRQD- tes em cada regiĂŁo. Em Ara- dorama cumpre com um dos Anna, sobre o andamento das lizado para ampliar o acesso piraca, por exemplo, os cur- principais objetivos da AgĂŞncia obras de dez novas agĂŞncias que j HGXFDomR SURĂ€VVLRQDO HP sos serĂŁo voltados para o polo de Fomento de Alagoas, que ĂŠ moveleiro, enquanto, em Pi- descentralizar o desenvolviserĂŁo inauguradas este ano em Alagoas. O investimento contem- lar, serĂŁo direcionados para mento e o crĂŠdito. cidades do interior do Estado. pla a construção de dois cena cadeia quĂ­mica e da pesca. “Estamos preparando noEduardo Sant’Anna tambĂŠm “AlĂŠm disso, nas escolas vos convites com o objetivo de falou sobre a ampliação dos li- WURV SURĂ€VVLRQDOL]DQWHV XP em Arapiraca e outro em da rede, localizadas em Maampliar as parcerias com os mites de crĂŠdito do Estado e a diminuição das taxas de juros. Pilar); a ampliação dos dois ceiĂł, Teotonio Vilela, Palmei- demais municĂ­pios e desta forO superintendente disse que a jĂĄ existentes (em Coruripe e ra dos Ă?ndios, Viçosa e San- ma estender o crĂŠdito da agĂŞnchegada de novas empresas e MaceiĂł – este Ăşltimo em fase tana do Ipanema, os alunos cia para todos os alagoanosâ€?, o crescimento das cidades estĂĄ de conclusĂŁo) e a reforma e cursarĂŁo o Ensino MĂŠdio in- completou. INSS EM ALAGOAS proporcionando um novo quadro adequação de sete escolas da WHJUDGRjHGXFDomRSURĂ€VVLRA nova GerĂŞncia Executiva para as agĂŞncias do Banco em rede estadual para a oferta nal e, quando concluĂ­rem os GHFXUVRVGHHGXFDomRSURĂ€V- estudos, estarĂŁo mais prepa- do INSS em Alagoas estĂĄ pronAlagoas. rados para o mercado. Estas ta para entrar em operação na “As empresas se instalam sional. O diretor de Educação mesmas escolas, posterior- cidade de Arapiraca. O gerente e criam empregos, estes geram 3URĂ€VVLRQDO H 7HFQRORJLD GD mente, tambĂŠm receberĂŁo executivo do Instituto, Edgar renda que alimenta nossa economia. Para nĂłs que trabalha- SEE, JosĂŠ Barboza, explica ODERUDWyULRVGR%UDVLO3URĂ€V- Barros, prevĂŞ a inauguração da unidade para os prĂłximos mos com o banco, ĂŠ muito fĂĄcil que tanto os cursos que serĂŁo sionalizadoâ€?, explica. dias. Para ele, ĂŠ mais uma perceber esse comportamentoâ€?, conquista dos segurados da explicou o superintendente. PrevidĂŞncia Social como parte “Esse quadro tem nos dado Ă­ndo Plano de ExpansĂŁo da Rede dices de crescimento maior do de Atendimento (PEX), que em que a mĂŠdia nacional e temos menos de uma dĂŠcada aumenocupado o melhor desempenho tou de oito para 25 o nĂşmero de dos nove estados do Nordesteâ€?, agĂŞncias do INSS no Estado. acrescentou Eduardo. “Toda essa expansĂŁo ĂŠ rePara o governador, a chesultado do trabalho da bancagada das agĂŞncias no interior da federal de Alagoas desde o VLJQLĂ€FD PDLV GHVHQYROYLPHQWR primeiro governo do presidenpara a cidade e cria oportunidate Lula, em especial do senador des para a população, alĂŠm de Renan Calheiros, que tem se funcionar como agente facilitaesforçado para que o segurado dor das empresas. â€œĂ‰ uma ferda PrevidĂŞncia em nosso Estaramenta que gera novas possido tenha um atendimento ĂĄgil bilidades para o comĂŠrcio e para e com qualidade em sua prĂło povo, cria comodidade e mais pria cidade ou regiĂŁoâ€?, explica FLGDGDQLDÂľDĂ€UPRX7HRWRQLR o gerente do instituto. A gerĂŞncia de Arapiraca, segundo Edgar, foi um pleito formulado pelo senador ao ministro da PrevidĂŞncia, GaribalGL$OYHV)LOKRFRPDĂ€QDOLGDde de descentralizar a gestĂŁo do INSS em Alagoas, principalmente apĂłs a instalação das novas APS (AgĂŞncia da PrevidĂŞncia Social), pois alĂŠm das 25 que jĂĄ estĂŁo em atividade, mais 20 unidades estĂŁo sendo implantadas ou jĂĄ autorizadas para o interior do Estado.

Novas agências Educação tem R$ 22 milhþes do Banco do SDUDSURÀVVLRQDOL]DomR Brasil em AL

De terça a quinta-feira da prĂłxima semana, a capital federal mais uma vez receberĂĄ prefeitos de todo paĂ­s, onde lĂĄ acontece a Marcha a BrasĂ­lia em Defesa dos MunicĂ­pios. Com o tema “Poder Local na Construção de uma Nova Realidadeâ€?, o evento contarĂĄ com a presença dos prefeitos de todo paĂ­s. Cerca de 50 gestores alagoanos irĂŁo participar da mobilização.

Acesse: tribunahoje.com


TribunaIndependente

MACEIÓ - QUARTA-FEIRA, 9 DE MAIO DE 2012

PUBLICIDADE

15


16 ESPORTES

TribunaIndependente

MACEIĂ“ - QUARTA-FEIRA, 9 DE MAIO DE 2012

Esportes

à rbitro polêmico Ê escalado para a grande ¿QDOHP$UDSLUDFDQRSUy[LPRViEDGR Assim como no jogo de hoje entre CRB e ASA, såbado que vem, em Arapiraca, na partida de volta, a arbitragem serå Fifa de fora de Alagoas. O trio jå foi sorteado pela Comissão Estadual de Arbitragem (Ceaf-AL). Evandro RogÊrio Roman )LID35 FRPDQGDRGXHOR¿QDOHQWUHUHJDWLDQRVHDOYLQHgros. Ele serå auxiliado por Carlos Berckembrock (Fifa-SC) e Emerson Carvalho (Fifa-SP). O 4º e o 5º årbitros serão respectivamente George Feitoza H%HQtOVRQGRV6DQWRV1RGXHORHQWUH$6$H&6(SHODVHPL¿QDORiUELWUR Evandro Roman foi muito contestado pelo tricolor, por ter feito duas expulsþes e mostrado uma atuação fraca. A direção do CRB ainda não se manifestou.

CRB e ASA começam decisão do Estadual *DORHVSHUDFDVDFKHLDQR7UDSLFKmRHWHUiTXHTXHEUDUXPWDEXGHFLQFRDQRVSDUD¿FDUPDLVSHUWRGRWtWXORDODJRDQR

C

ampeĂŁo do primeiro turno contra o campeĂŁo do segundo. CRB e ASA começam hoje a decidir quem serĂĄ o campeĂŁo alagoano 2012. A partida serĂĄ as 20h45, no EstĂĄdio Rei PelĂŠ, com expectativa de mais de 15 mil torcedores. Em campo uma grande rivalidade criada ao longo dos Ăşltimos anos. Desde abril de 2007 o Galo nĂŁo consegue vencer o Alvinegro. Os dois sĂŁo adversĂĄrios tambĂŠm na SĂŠrie B do BrasileirĂŁo. “Tabus existem para serem quebrados. Temos um grupo muito forte e motivado para chegar ao objetivo, que ĂŠ o tĂ­tulo. Teremos um estĂĄdio lotado nos incentivando e vamos com tudo nesta partida para largar na frenteâ€?, disse o meia Geovani, que serĂĄ titular do CRB no jogo. Ontem, o tĂŠcnico Roberto Fonseca aplicou apenas um rachĂŁo. A definição dos titulares ocorreu na segunda, no

coletivo realizado no Estådio Nelson Feijó. Os titulares formaram com Cristiano; Filipe, Rodrigão e �talo; Elsinho, Daniel, Everton Luiz, Giovani e Jadilson; Wanderley e Rodrigo Dantas. Mas Fonseca poderå sacar �talo e colocar Nilson, que tambÊm treinou muito bem e sai mais para o jogo. Com mais de meio time pendurado, o tÊcnico Heriberto da Cunha estå preocupado com a atuação do ASA nas finais do Estadual. Principalmente por conta do artilheiro Lúcio Maranhão, que assim como Alan, Dudu, Valdívia, Audålio e Chiquinho, estão com dois cartþes amarelos. No último jogo, Cal e Jorginho entraram para essa lista. Mesmo assim os titulares devem ser Jonatas, Gabriel, Fabiano, Gaúcho e Augusto, Cal, Jorginho, Didira e Audålio, Valdívia e Lúcio Maranhão.

DAVI SALSA / ADAILSON CALHEIROS

$UWLOKHLUR/~FLR0DUDQKmRWUDYDXPQRYRGXHORFRPR]DJXHLUR5RGULJmRQRFOiVVLFRHQWUH&5%H$6$KRMHQR(VWiGLR5HL3HOp DAVI SALSA / ADAILSON CALHEIROS

),1$/'2(67$'8$/

CSA confirma dispensas e traz novos reforços

320 policiais estarão fazendo a segurança dos torcedores O Comando de Policiamento da Capital (CPC) divulgou o esquema de segurança montado para o policiamento da primeira partida da final do Campeonato Alagoano. O CPC recebeu representantes do CRB, ASA, da administração do Estådio Rei PelÊ, SMTT, SMCCU e torcidas organizadas. Dentre as principais decisþes tomadas estå o impedimento de torcedores caracterizados ao estådio se não estiverem portando a carteira que os identifiquem como membros da torcida. A entrada da torcida organizada do CRB serå pela rampa 2. Jå a torcida organizada do ASA entrarå pela rampa 3. Ficou definida tambÊm a abertura de trinta e cinco

catracas para a entrada dos torcedores no estådio. O CRB afirmou que estarå disponibilizando trinta orientadores para auxiliar na organização. Jå a SMTT se comprometeu em disponibilizar uma quantidade maior de ônibus para que no final do jogo o torcedor possa voltar para casa com maior rapidez. Ao todo serão 320 policiais militares. Eles estarão distribuídos em pontos estratÊgicos nos setores interno e externo do estådio. Para dar maior segurança aos visitantes do ASA o policiamento motociclístico da Radiopatrulha ficarå responsåvel pela escolta de ônibus e veículos vindos de Arapiraca na entrada e saída do Trevo do Pólo Cloroquímico. TERRA

(TXLSHVGH$6$H&5%Âż]HUDPRQWHPR~OWLPRWUHLQDPHQWRDQWHVGDSULPHLUDSDUWLGDGDJUDQGHÂżQDO

/,%(57$'25(6

Corinthians recebe o Emelec; Vasco vai atĂŠ a Argentina encarar o LanĂşs

Emerson e Juninho são peças fundamentais de Corinthians e Vasco

5()2508/$d­2

Faz tempo que a torcida do Corinthians não sabe o que Ê comemorar uma classificação no mata-mata da Copa Libertadores da AmÊrica. Mais exatamente 12 anos e 15 dias, desde que eliminou o AtlÊtico-MG nas quartas-de-final da competição em 2000, em 23 de maio daquele ano. Desde então, confrontos de ida e volta para o clube do Parque São Jorge na AmÊrica do Sul têm sido motivo para se esquecer. Em 2012, o Corinthians tem mais uma chance de superar este espinho na garganta. Hoje, às 22h, o time encara o Emelec-EQU pelas oitavas-de-final. Na partida de ida, em Guayaquil, os dois times ficaram no 0 a 0. A partida no Estådio George Capwell ficou marcada pelas críticas à arbitragem e pela expulsão do meia-ata-

cante Jorge Henrique. A história do Corinthians promete ser sofrida em virtude do resultado no duelo de ida. A equipe alvinegra precisa vencer por qualquer placar para se garantir. Jå o Emelec avança com qualquer vitória ou com empate com gols. Um novo 0 a 0 leva o duelo para os pênaltis - e, por isso, as cobranças jå andaram atÊ sendo treinadas pelo tÊcnico Tite. 9$6&2(/$1Ò6 Depois de um jogo tumultuado em São Januårio, quando venceu por 2x1 e saiu vaiado pela sua torcida, o Vasco vai à Argentina encarar o Lanús hoje, às 22h, precisando apenas de um empate para alcançar as quartas-de-final da Taça Libertadores. A equipe não contarå com o zagueiro DedÊ, um dos ídolos do time, com um

edema ósseo na fíbula da perna direita. Assim, Rodolfo serå seu substituto, o que preocupa comissão tÊcnica e, principalmente, os torcedores. O zagueiro tem sido criticado por falhar com frequência na zaga cruzmaltina. Em compensação, a equipe terå os meias Juninho Pernambucano, que serå escalado pela primeira vez fora de casa na competição, e Felipe. Os dois veteranos têm atuado juntos nas últimas partidas da equipe de São Januårio. Se por um lado o Vasco segue tentando conquistar o seu segundo título na Libertadores - o primeiro trofÊu foi levantado em 1998, ano do centenårio - o Lanús receberå o cruzmaltino tentando chegar pela primeira vez às quartas-de-final da competição.

Um novo CSA estĂĄ surgindo. Ontem, foi um dia muito movimentado com anĂşncio de dispensas e contrataçþes. Algumas das novas contrataçþes do AzulĂŁo jĂĄ começaram a ser divulgadas. O atacante Paulinho MacaĂ­ba, que estava no Novo Hamburgo (RS) e foi campeĂŁo alagoano pelo CSA em 2009, foi confirmado pelo presidente marujo, Jorge VI. AlĂŠm dele, o lateral Marcelo Batista, conhecido no meio do futebol como Celico, que estava atuando no Treze (PB), tambĂŠm ĂŠ um dos nomes que vĂŁo chegar para reforçar o elenco para a SĂŠrie D. Ambos, juntamente com o volante GuĂŞba, do Murici, devem ser apresentados oficialmente nesta quinta (10), no CT Gustavo Paiva. Como prometido no inĂ­cio da semana, a diretoria e a comissĂŁo tĂŠcnica do CSA confirmaram a dispensa de alguns dos jogadores que fizeram parte do elenco que participou do Campeonato Alagoano 2012 e conquistaram a vaga para disputa da SĂŠrie D do Brasileiro. “Ao termino de seus respectivos contratos nĂŁo houve interesse ou em alguns casos, possibilidade na renovação dos mesmos, visto que a pretensĂŁo ĂŠ montar um novo perfil para o time na competição da SĂŠrie Dâ€?, disse o presidente Jorge VI. Foram 11 jogadores desligados. A renovação do goleiro FlĂĄvio ainda ĂŠ um problema. Jogador e clube tĂŞm interesse na permanĂŞncia, mas a questĂŁo financeira estĂĄ pesando. ',63(16$'26 Santos (goleiro) Jackson (lateral) Jefferson (lateral) Rafael (zagueiro) LeĂ­s (volante) Douglas Silva (volante) William CĂŠsar (meia) Kel (meia) Reinaldo GaĂşcho (atacante) Jean Assis (atacante) Rony (atacante)


TribunaIndependente

0$&(,Ă?48$57$)(,5$'(0$,2'( DIVERSĂƒO&ARTE

Andre 3000 viverĂĄ Jimi +HQGUL[QRVFLQHPDV

Rodrigo Santoro pode interpretar 6HQQDHPÂżOPHVREUHSLORWR

Andre 3000,GR2XWNDVWYDLSURWDJRQL]DUD FLQHELRJUD¿DGH-LPL+HQGUL[³$OO,V%\0\6LGH´ 2¿OPHFRPHoDDVHUJUDYDGRQR¿PGRPrV HP:LFNORZH'XEOLQQD,UODQGD2ORQJDGHYH FRQWDUDKLVWyULDGH+HQGUL[GHVGHRLQtFLRGHVXD FDUUHLUDSDVVDQGRSHORSHUtRGRTXHHOHPRURX QD,QJODWHUUDHQWUHHTXDQGRFRPS{V VHXiOEXPGHHVWUHLD³$UH<RX([SHULHQFHG´

5RGULJR6DQWRURSRGHLQWHUSUHWDU$\UWRQ6HQQDHPXP¿OPHVREUHD YLGDGRSLORWR(PHQWUHYLVWDDRVLWH&ROOLGHURDWRUGLVVHTXHDLQGD QmRpR¿FLDOPDVTXHKiQHJRFLDo}HVSDUDRSDSHO³$LQGDQmRDVVLQHLQDGD3RUHQTXDQWRpVyXPUXPRUPDVpXPUXPRUYiOLGRSRUTXH DOJXPDVFRQYHUVDVHVWmRDFRQWHFHQGR´D¿UPRX2DWRUFRQ¿UPRX TXHMiH[LVWHSHVVRDVWUDEDOKDQGRQRURWHLURHTXHVHUiXPSURMHWR PXLWRJUDQGH6RQWRURGLVVHDLQGDTXHHVWiFRQVFLHQWHGRTXDQWR 6HQQDVLJQL¿FDSDUDR%UDVLO

1

LONGE DO

D

o diretor Marcos Prado, conhecido pelo documentĂĄrio Estamira, 3DUDtVRV$UWLĂ&#x20AC;FLDLVpRTXHSRGH VHFKDPDUGHXPĂ&#x20AC;OPHOLVpUJLFRHP inĂşmeros sentidos. Evidentemente, em SULPHLUROXJDUUHODFLRQDVHWDODGMHWLYR DVXDDERUGDJHPGHVSXGRUDGDGRXVR GHYiULDVGURJDVHPVHQWLGRDPSOR TXHLQGX]HPDRHVWDGRGHSHUGLomR PDVWDPEpPVmRYLVWDVVyFRPRXP GRVGHJUDXVGHXPDYLGD3RURXWUR YLpVSRGHPRVHQFDUDUDSURGXomRGHVVD PDQHLUDSRUFRQWDGHVXDFRQVWUXomR errĂĄtica, parte culpa de um roteiro TXHVHHQWUHJDGHPDLVDRGHVWLQRSDUD decidir seus trechos mais importantes, SDUWHSRUFRQWDGHXPDPRQWDJHPTXH VHDGDSWDDRWHRUPDVQmRDRHVSHFWDdor. 1RĂ&#x20AC;OPHVHJXLPRVDKLVWyULDGH GRLVSHUVRQDJHQVHPSDUDOHOReULND 1DWKDOLD'LOO XPD'-TXHWHQWD FUHVFHUGHQWURGRVHXQLFKRHQTXDQWR desenvolve um relacionamento com sua PHOKRUDPLJD/DUD /tYLDGH%XHQR H 1DQGR /XFD%LDQFKL XPMRYHPTXH DRSDUWLUSDUDXPDYLDJHPD$PVWHUGmDFDEDVHHQYROYHQGRFRPRWUiĂ&#x20AC;FR GHGURJDVHYDLSUHVR(QWUHLQ~PHUDV LGDVHYLQGDVGDWUDPDDVKLVWyULDVGRV GRLVMRYHQVWHUPLQDPSRUVHFUX]DU mudando seus rumos. 2LQtFLRGDSURMHomRpEHPWUDEDlhado ao compor a saĂ­da de Nando da cadeia e seu retorno ao meio social e Ă famĂ­lia, revelando, silenciosamente, VHQVDo}HVKiPXLWRQmRSUHVHQFLDGDV SHORUDSD]FRPRTXDQGRHOHDSURYHLWD RYHQWRDRS{UDFDEHoDSDUDIRUDGR carro, ou ao tomar um banho demorado HFDOPRTXDQGRFKHJDHPFDVD2LPSDFWRGDVPXGDQoDVWDPEpPpVHQWLGR MiTXHHOHSHUFHEHDVYDULDo}HVItVLFDV HWHPSHUDPHQWDLVQRLUPmRPDLVQRYR e os desentendimentos entre este e sua PmH ,QWHUHVVDQWHpQRWDUWDPEpPFRPRD IRWRJUDĂ&#x20AC;DGH/XOD&DUYDOKRDWXDGHVGH MiDRFRPSRUXPFHQiULRPRUWRGHVFRORULGRVHMDQDVDtGDGDSULVmRRXQRV cĂ´modos escuros do apartamento do UDSD]GLIHULQGRFODUDPHQWHGDVFHQDV

CLICHĂ&#x160;

Ă&#x20AC;OPHSULQFLSDOPHQWHD3UDLDGR3DLYD HP&DERGH6DQWR$JRVWLQKRRQGHIRUDPĂ&#x20AC;OPDGDVDOJXPDVGDVLPSRUWDQWHV SDVVDJHQVGDREUD &ODURTXHQHQKXPDĂ&#x20AC;WDVHVDOYD DSHQDVSHORHVPHURWpFQLFRORJRPXLWR GRVXFHVVRGRĂ&#x20AC;OPHVHGiSHODVSHUIHLWDVFRPSRVLo}HVGHVHXVDWRUHV1DWKDOLD'LOOYDLIXQGRHPVXDSHUVRQDJHPH SHUID]XPDH[SHULrQFLDGHGHVFREHUWDV HGHFHSo}HVTXHEHLUDRVXEOLPH$HQWUHJDGDDWUL]jVFHQDVGHGURJDVHVH[R pIDVFLQDQWHPHVPRTXHKDMDFHUWDFDUrQFLDGHH[SUHVV}HVHPVXDIDFH/XFD %LDQFKLFULDPRPHQWRVGLDPHWUDOPHQWH RSRVWRVHPVHX1DQGRTXDQGRRYHPRV HPVHXSDVVDGRIHOL]HVHPOLPLWHVFRP SXUDSUHJXLoDHXVDUGHXPDDERUGDTXHYHPRVORJRTXHVXUJHRSULPHLUR JHPSLHJDVSDUDMXVWLĂ&#x20AC;FDURVHQFRQWURV XPDH[SUHVVmRVHPSUHDEHUWDHGHVSXVDOWRWHPSRUDOGDSHOtFXODDRPLJUDUdorada, e ao encararmos seu presente mos para o centro de uma boate, reche- HGHVHQFRQWURVGHVHXVKHUyLVHQIUDfĂşnebre, onde o peso das perdas e das TXHFHQGRRSHVRGUDPiWLFRGHPXLWRV DGDGHOX]HVHEDWLGDVGDVFDQo}HV 7mRORJRDSVLFRGHOLDFRPHoDDDWXDU PRPHQWRVFRPRDTXHOHHPTXHeULNDH GHFLV}HVSDVVDGDVLQĂ XHQFLDHPVHX 1DQGRVHHQFRQWUDPSHODSULPHLUDYH] comportamento, principalmente com o QRĂ&#x20AC;OPHRVSULPHLURVWUDoRVGHFRQLUPmRPHQRU/tYLDGH%XHQRH%HUQDUQRXQLYHUVRGLHJpWLFRGRĂ&#x20AC;OPH(TXDQIXVmRSRUSDUWHGRURWHLURFRPHoDPD VXUJLUMiTXHDWpTXHYROWHPRVjDWXDO GRSUHVHQFLDPRVDFHQDH[FHVVLYDPHQ- GR0HOR%DUUHWRSRUPDLVTXHRSHUHP WHORQJDHPTXHRVMRYHQVSDVVHLDPGH com menos intensidade, destacando-se UHDOLGDGHGH1DQGRSDVVDPRVQmRVy HPDOJXPDVFHQDVDTXLHDOLHQFDL[DPELFLFOHWDSRU$PVWHUGmQmRKiFRPR SRUXPORQJRĂ DVKEDFNDSHQDVDEDQVHEHPQRVSDSpLVFRDGMXYDQWHV QmRSHQVDUHPQRYHODVJOREDLVMiTXH donado no inĂ­cio do terceiro ato, como oferecendo um suporte inestimĂĄvel aos Marcos Prado investe numa trilha temos inĂşmeras idas e vindas para diSURWDJRQLVWDV VRQRUDyEYLDHXWLOL]DYiULDVYH]HVGD IHUHQWHVpSRFDVGDVYLGDVGRVSHUVRQD(QmRSRGHPRVHVTXHFHUDHQWXVLDVFkPHUDOHQWDSDUDLQGLFDUDSDL[mR JHQVGHQWURGDTXHOHPHVPRFRQWH[WR /RJRQRVVHQWLPRVSHUGLGRVLQ~PHUDV HYLGHQWHGRFDVDOWD[DQGRVHXHVSHFWD- mada persona criada por Roney Villela. 6HX0DUNXPHVSpFLHGHDOtYLRF{PLFR GRUGHEXUURMiTXHIRPRVFDSD]HVGH YH]HVWHQGRTXHUHDOL]DUXPHVIRUoR HJXUXGRVMRYHQVVHPSUHEULOKDTXDQentender o entrelace dos dois desde o tremendo para se situar na trama, e GRVXUJHHPFHQD encontro na boate. TXDQGRHVVHSRVLFLRQDPHQWRRFRUUH $RĂ&#x20AC;PREWHPRVPDLVXPDERD Mas nem tudo cheira mal em ParaHPDOJXQVPRPHQWRVMiSHUGHPRVERD SURGXomREUDVLOHLUDPDVTXHSHFDSHOD tVRV$UWLĂ&#x20AC;FLDLV*UDoDVDRFRPSHWHQWH SDUWHGRTXHKDYLDVLGRQDUUDGRSRU LUUHJXODULGDGHHH[FHVVRGHFRQĂ&#x20AC;DQoD WUDEDOKRGDHTXLSHWpFQLFDRĂ&#x20AC;OPHp GHVFRQKHFHUPRVRPRPHQWRKLVWyULFR HPVXDKLVWyULDRTXHQmRGLPLQXL XPGHVOXPEUHQRTXHWRFDjVXDIRWR([HPSORFODURGLVVRRFRUUHTXDQGRYHpFODURSDVVDJHQVEHODVHSRQWXDLV PRVeULNDH/DUDGHQWURGHXP{QLEXV JUDĂ&#x20AC;D$FRQH[mRHQWUHRH[FHVVRGH comandadas por Marcos Prado. QuanFRUHVHDVYLDJHQVDOXFLQyJHQDVGRV GHWXULVPR'DGDDFRPSOH[LGDGHGD GRRVFUpGLWRVVREHPRTXHUHVWDpD SHUVRQDJHQVpPXLWREHPWUDEDOKDGD FHQDTXHLQWURGX]RVSDVVHLRVYHUWLJLLGHLDHVVDVLPEHPWUDEDOKDGDGHTXH DRSRQWRGHDWLQJLURFOtPD[QDFHQD QRVRVGDVGXDVJDURWDVHDDPELHQWDomRWmRGHVWRDQWHGDVGHPDLVDWpHQWmR HPTXHHQFDUDPRVXPSULQFtSLRGHXP GHWHUPLQDGDVFRLVDVTXHDFHLWDPRV PpQDJHjWURLV3RUFRQWDGREHOtVVLPR YLYHUQmRSDVVDPGHLQVWDQWHVIXJLGLRV DSUHVHQWDGDVpLPSRVVtYHOQmRVH HDUWLĂ&#x20AC;FLDLVFRPRVTXDLVSUHWHQGHPRV SHUJXQWDURTXHHVWiDFRQWHFHQGRHHP HSOiFLGRFXLGDGRQDSUHSDUDomRGD SUHHQFKHUUHDOLGDGHVYD]LDV2SUREOHTXHSRQWRGDOLQKDFURQROyJLFDGRĂ&#x20AC;OPH FHQDRTXHSRGHULDGHVFDPEDUSDUD PDUHVLGHHPFRPSUHHQGHUTXHHVVD estamos. Assim, se Marcos Prado se re- XPLQVWDQWHSXUDPHQWHVH[XDOWUDQVDUWLĂ&#x20AC;FLDOLGDGHpDSHQDVSDVVDJHLUDRX borda em erotismo e romance. Mas vela um diretor interessante, o mesmo DFDEDUVHHQWUHJDQGRDXPGLDDGLDGH QmRSRGHVHUGLWRGRURWHLURHVFULWRSRU RĂ&#x20AC;OPHWDPEpPpDX[LOLDGRSHODVXD SRWHQWHWULOKDVRQRUDTXHHFRDQDVDOD VRQVFRUHVHVHQVDo}HVTXHVHPSUHLUmR HOH&ULVWLDQR*XDOGDH3DEOR3DGLOOD necessitar de doses maiores para serem GHFLQHPDHSHUPLWHTXHRHVSHFWDGRU ,QFRPRGDWDPEpPDLGHLDGHTXH PHUJXOKHIDFLOPHQWHQDTXHOHXQLYHUVR aproveitadas. WXGRHP3DUDtVRV$UWLĂ&#x20AC;FLDLVHVWiDPde festas e raves, da loucura adolescenplamente conectado pelo destino. Na te de apenas viver a vida sem pensar falta de uma desculpa melhor, os roWHLULVWDVSDUHFHUDPVHHQWUHJDUDPDLV HPIUHLRV'HVWDTXHSDUDDVORFDo}HVGR

$SHVDUGDVFHQDVGRWtWXORHGRVFDUWD]HV VXJHULUHPÂľ3DUDtVRV$UWLÂżFLDLVÂśQmRpXP ÂżOPHVREUHVH[RGURJDVHP~VLFDHOHWU{QLFD (OHYDLEHPPDLVDOpPHFRORFDDSURGXomR EUDVLOHLUDQDWULOKDGRFLQHPDH[LVWHQFLDOLVWD


2

TribunaIndependente

DIVERSÃO&ARTE 0$&(,Ï48$57$)(,5$'(0$,2'(

Temática Espírita 2DWRU5HQDWR3LHWUR ¿OPH³1RVVR/DU´ FKHJDD0DFHLyQRSUy[LPRGLDSDUDDSUHVHQWDUDSHoDGHWHPiWLFDHVStULWD³26HPHDGRUGH(VWUHODV´7H[WRGH&\UDQR5RVDOHP1RSDOFRGR7HDWUR*XVWDYR/HLWH -DUDJXi jVK9HQGDVQRVVWDQGV9LYD$ODJRDV 0DFHLy6KRSSLQJ H )ROLD%UDVLO *%DUERVD6WHOOD0DULV ,QIRUPDo}HV

Inscrições no Quinta

3URVVHJXHPDWpRGLDGHPDLRDVLQVFULo}HVSDUDDRLWDYDHGLomRGRSURMHWR4XLQWDQR$UHQD1RDQRHPTXHFRPSOHWDDQRVGHDWLYLGDGHVR7HDWUR GH$UHQD6pUJLR&DUGRVR DQH[RDR7HDWUR'HRGRUR UHFHEHUiXPDHGLomRHVSHFLDOGRSURMHWR4XLQWDQR$UHQDHPVXDRLWDYDHGLomR$QWHVGHGLFDGR DSHQDVjSURGXomRWHDWUDORSURMHWRUHFHEHUiDJRUDWDPEpPSURMHWRVQDiUHDGHGDQoDFLUFRHGHP~VLFD3RGHUmRSDUWLFLSDUJUXSRVHDUWLVWDVUHSUHVHQWDGRVSRUSURSRQHQWHVTXHVHMDPSHVVRDVMXUtGLFDVFRPRXVHP¿QVOXFUDWLYRVFRPDWLYLGDGHVOLJDGDVjFXOWXUD$VLQVFULo}HVVmRJUDWXLWDVHSRGHPVHU IHLWDVQD'LUHWRULD$UWtVWLFDGR7HDWUR'HRGRURGHVHJXQGDDVH[WDGDVjVK$¿FKDGHLQVFULomRHHGLWDOHVWmRGLVSRQtYHLVWDPEpPQRVLWHGR7HDWUR 'HRGRURZZZWHDWURGHRGRURDOJRYEU

Agenda Maikai

Alice Jardim

Vendas na sexta

Conversando com Mamãe

1R0DLNDL&KRSDULDDPDQKmD SDUWLUGDVKpGLDGH)RUUy3p GH6HUYD1DTXLQWDIHLUDDQRLWH FRPHoDjVKFRP*XLOOD*RPHVH VHJXHFRPRSURMHWR$QGUp$QWXQHV ³&DQWDQGRDVXDKLVWyULD´'DQGR LQtFLRDR¿QDOGHVHPDQDQDVH[WD DFDVDUHFHEH9--DPHV%'DQGR FRQWLQXLGDGHjQRLWHDEDQGD/D &RUWH1RViEDGRRVRP¿FDSRU FRQWDGH*XLOODHEDQGD6DPED 5RFNVHJXLGRGH&DVDGH1R] 'RPLQJRDSDUWLUGDVKDIHVWD FRPHoDFRPDEDQGD1-HLWRVHVH HQFHUUDFRP5XD1HVWH¿QDO GHVHPDQDR0DLNDL6KRZ%DUWUD] $UUHLRGH2XURH(VTXDGUmRGH%DOL QDVH[WDIHLUD1RGLDVHJXLQWH%DGDOODGDH)RUUy$EVROXWR( SDUDIHFKDUPDLVXPDVHPDQLQKD WHPDWUDGLFLRQDOtVVLPDGRPLQJXHLUD FRPDVEDQGDV;DWUH]H(VTXDGUmR GH%DOL

$SDUWLUGRSUy[LPRGLDD3LQDFRWHFD8QLYHUVLWiULDDEULJDD SULPHLUDH[SRVLomRLQGLYLGXDOGH $OLFH-DUGLP³'REUD´DSUHVHQWD HPVXDVIRWRJUD¿DVHYtGHRV FRPSRVLo}HVTXHGHOLQHLDPD FLGDGHDSDUWLUGDVOX]HVLOXV}HV PRQWDGDVFRPLPDJHQVUHDLV$ PRVWUD¿FDHPFDUWD]DWpRGLD GHMXQKR$EHUWXUDPDUFDGDSDUDDVKQR(VSDoR 8QLYHUVLWiULR&XOWXUDOQD3UDoD 6LQLPEX

2SURMHWR03%3HWUREUDVFRPHoD QDSUy[LPDVH[WDIHLUDDYHQGHURV LQJUHVVRVSDUDRVKRZGRFDQWRU,YDQ /LQVTXHDFRQWHFHQRSUy[LPRGLD QR7HDWUR*XVWDYR/HLWHjVK(P FRPHPRUDomRDRVVHXVDQRVGH FDUUHLUDRFRPSRVLWRUIDUiXPVKRZ EDVHDGRQRiOEXP3HU¿OODQoDGRHP 1DDEHUWXUDRS~EOLFRDLQGD SRGHUiFRQIHULURWUDEDOKRGDGXSOD 'LYLQD6XSHUQRYD2VLQJUHVVRVFRQWLQXDPFRPSUHoRVSRSXODUHV5 LQWHLUD H5 PHLD ,QIRUPDo}HV 

1R¿QDOGHVHPDQDHPTXHpFRPHPRUDGRR'LDGDV0mHVQDGDPHOKRU TXHDVVLVWLUXPHVSHWiFXORVREUHD UHODomRPmH¿OKR$SHoD&RQYHUVDQGRFRP0DPmHWUD]SDUD0DFHLyRV DWRUHV%HDWUL]6HJDOH+HUVRQ&DSUL FRPDSUHVHQWDo}HVQRVGLDV HGHPDLRQR7HDWUR'HRGRUR 2VLQJUHVVRVFXVWDP5 LQWHLUD  H5 PHLDHQWUDGD HHVWmRj YHQGDQDORMD/HYL¶VQR0DFHLy 6KRSSLQJ$LQGLFDomRHWiULDp5 3DUDPDLVLQIRUPDo}HV RX

Teatro Deodoro

Direto da Jamaica

$PDQKmDVFDQWRUDV)HUQDQGD *XLPDUmHVH,ULQD&RVWDVHMXQWDPQRVKRZ³6DZDGRQD±6RQV GD3D]´$DSUHVHQWDomRHVWi PDUFDGDSDUDDVKQRSURMHWR 7HDWUR'HRGRURpR0DLRU%DUDWR3UHoRV5H5

(PWXUQrQR%UDVLODEDQGDMDPDLFDQD7KH:DLOHUVTXHFRPHoRXFRP%RE 0DUOH\VHDSUHVHQWDHP0DFHLyQRSUy[LPRGLDGHPDLR$QRLWHGRUHJJDH WHPPXLWRPDLV2XWUDDWUDomRLQWHUQDFLRQDOpRJUXSRGD1RYD=HOkQGLD.DWFKD¿UH$ODJRDVHQWUDFRPDVEDQGDV$GDPD5RRWV*URXYH5HJJDH5HVLWrQFLDDOpPGHYiULRV'-V3UHoRV5 SLVWD H5 9,3 9HQGDVQDVORMDV 3RLQW5DGLFDO7FKXN-KRQHVHQRVWDQG9LYD$ODJRDV 0DFHLy6KRSSLQJ  ,QIRUPDo}HV

FALE CONOSCO$$JHQGDpXPVHUYLoRJUDWXLWRGHRULHQWDomRDROHLWRU2VLQWHUHVVDGRVHPGLYXOJDUHYHQWRVVKRZVHH[SRVLo}HVSRGHPHQYLDUPDWHULDODWUDYpVGRHQGHUHoRWLDJHQGD#KRWPDLOFRP

RESUMO DE NOVELAS GLOBO 18h AMOR ETERNO AMOR

)HUQDQGRVHHQIXUHFHDRYHU0LULDPH5RGULJR MXQWRV-XQLRUWHPXPDWDTXHGHUDLYDHGHL[D 0HOLVVDLQWULJDGD&RPDDMXGDGH/H[RU 5RGULJRFXUDRS{QHLGH&ODUD3HGURHQFRQWUD 3ULVFLODQDSUDLD0LULDPH5RGULJRDQGDPD FDYDORQDID]HQGD7RELDVWHQWDFRQVRODU-DFLUD 9DOpULDVHHQWULVWHFHDRVDEHUTXH5RGULJRQmR HVWiHPFDVD9LUJtOLRFRQWDSDUD/DXGHOLQRTXH FRQVHJXLXGLQKHLURFRP0HOLVVDSDUDSURFXUDU (OLVD0LULDPH5RGULJRVHEHLMDP

CHEIAS DE CHARME

GLOBO 19h 6DQGURDFKDTXH$OHMDQGURHVWiSDTXHUDQGR 3HQKDHWHPXPDWDTXHGHFL~PHV3HQKD¿FD FKDWHDGDFRPRFRPSRUWDPHQWRGH6DQGURHGL] TXHRFDVDPHQWRGRVGRLVDFDERX$HTXLSHGR EXIrFKHJDjFDVDGH&KD\HQHH5RViULROHYD XPVXVWRDRYHU,QiFLR5RViULRYDLHQWUHJDU VXDJUDYDomRSDUD)DELDQTXDQGR&KD\HQH VXUJHHOKHWRPDR&'$OHMDQGURpUHMHLWDGR SRU*UDFLQKDHUHVROYHLQYHVWLUHP3HQKD&LGD QRWDTXH,VDGRUDQmRGRUPLXHPFDVDH6{QLD GHVSLVWD&KD\HQHRXYHDP~VLFDGH5RViULR 5RViULRUHFHEHDQRWtFLDGHTXHRSDLWHUiTXH VHURSHUDGR

GLOBO 21h AVENIDA BRASIL

1LQDWHUPLQDVHXURPDQFHFRP-RUJLQKR7RGRV QDPDQVmRGH7XImRVHQWHPIDOWDGH1LQD 'pERUDD¿UPDTXHUHFRQTXLVWDUi-RUJLQKR1LQD FRPHQWDFRP/XFLQGDTXHQmRSRGH¿FDUFRP -RUJLQKRHHVTXHFHUGHVXDYLQJDQoD2OHQND GHVFREUHDIDUVDGH6LODV6XHOHQWRUFHSRU,UDQ H/HDQGUR1LQDFKRUDSHQVDQGRHP-RUJLQKR &DUPLQKDH7XImRVHGHVHVSHUDPTXDQGRXP SROLFLDOFKHJDFRPRFDUURGR¿OKRTXHHVWDYD DEDQGRQDGRQDUXD-RUJLQKRWHPXPDFULVH GHVRQDPEXOLVPRHOHPEUDVHGHVHXVSDLV ELROyJLFRV1LQDSURFXUD'pERUD

RECORDE 21h MÁSCARAS

2LPHGLDWRGL]D&DLRTXHDSROtFLDQmRWHP LQIRUPDo}HVVREUH2WiYLR(OL]DIDODSDUD2WiYLR FKDPiODGH/L],PDJLQDQGRVHWUDWDUGH0DUWLP(OL]DIDODSDUD2WiYLRTXHHOHGHYHULDOKH HQWUHJDUDVLQVWUXo}HVGHXPDPDOHWDFRQWHQGR GLQKHLUR2WiYLRWHQWDREWHULQIRUPDo}HVVREUH 0DULD(OL]DLPSORUDD%LJ%ORQGTXHDOLEHUH GDPLVVmRGHPDWDU0DUWLP2WiYLRFRQFOXLTXH %RULVWHQWRXDEULUDPDOHWDFRPRGLQKHLURVHP VDEHUDVHQKD0DQXHODWHOHIRQDSDUD0DUWLP


TribunaIndependente

0$&(,Ă?48$57$)(,5$'(0$,2'( DIVERSĂ&#x192;O&ARTE

3

SBT/DIVULGAĂ&#x2021;Ă&#x192;O

FLĂ VIO RICCOFRODERUDomR-RVp&DUDORV1HU\ZZZWZHWWHUFRPĂ&#x20AC;DYLRULFFR

Record antecipa a estreia da â&#x20AC;&#x153;Fazendaâ&#x20AC;?

TV TUDO No prego

F

inalmente, depois de muito mistĂŠrio, a GLUHomRGD5HFRUGĂ&#x20AC;[RXDGDWDGHHVWUHLD da nova â&#x20AC;&#x153;Fazendaâ&#x20AC;? para o dia 30 deste mĂŞs. Seria em junho, mas agora se decidiu que serĂĄ mesmo em maio. Uma quarta-feira. )LFDUiWUrVPHVHVQRDUFRPDĂ&#x20AC;QDOSUHYLVta para a Ăşltima semana de agosto. A sua exibição, durante determinado perĂ­odo, coincidirĂĄ com a realização dos Jogos OlĂ­mpicos de Londres, que a Record irĂĄ transmitir com exclusividade na TV aberta. Esta simultaneidade, se concluiu internamente, poderĂĄ jogar a favor dos dois eventos. Entre as noviGDGHVSUHYLVWDVFRQĂ&#x20AC;UPDPVHDOWHUDo}HVQD SDUWHFHQRJUiĂ&#x20AC;FDLQWHUQDHH[WHUQDDOpPGH pequenas mudanças no formato, jĂĄ a partir da chegada dos 16 participantes. Cris Couto continuarĂĄ com as provas amarradas em açþes de merchandising e Celso Cavallini, uma vez mais, o responsĂĄvel pelas matĂŠrias em externas. Apresentação do Britto Junior. E pronto.

$%DQGHLUDQWHVGHL[RXSDUDR VHJXQGRVHPHVWUHDHVWUHLDGR ³&RQYHUVDGH*HQWH*UDQGH´QRYR SURJUDPDGR0DUFHOR7DV (QWUHRXWUDVTXHVW}HVLQFOXVLYHGH RUGHPFRPHUFLDODLQGDIDOWDHQFRQWUDUXPHVSDoRDGHTXDGRQDJUDGH

Recado 2QWHPHPVHXWZLWWHURPDULGR /XFDV/LPDTXHVWLRQRXRTXHID] XPMRUQDOLVWD"³6HYDLGHSRUWDHP SRUWDQREDLUURGD6DQG\HSHUJXQWD QDVORMDVVHHODFRPSURXDOJXPD FRLVDSUREHEr´ eXPDERD6yQmRVHLVHRVFROHJXLQKDVMiWLQKDPSHQVDGRQLVVR 0DV¿FDDVXJHVWmR

Rosanne Mulholland H0DLVDHPFHQDGH³&DUURVVHO´TXHHVWUHLDGLDQR6%7

No mercado $*ORERQmRUHQRYRXRFRQWUDWRGH-XOLDQD.QXVWDSyVVXDSDUWLFLSDomRHP ³)LQD(VWDPSD´(ODHVWiQRPHUFDGR 1DYHUGDGHHVVHSRVLFLRQDPHQWRGD HPLVVRUDDWLQJLXYiULRVRXWURVDWRUHV TXHWUDEDOKDUDPQDPHVPDQRYHOD &DUORV&DVDJUDQGHpRXWURH[HPSOR

Em estudos 1

Trio avançado

23URJUDPDGR5DXO*LOFRP WRGDFHUWH]DWHUiDVXDGXUDomR UHGX]LGDQR6%7$G~YLGDDLQGD pHPTXDQWRWHPSR (VWXGRVUHDOL]DGRVDSRQWDP TXHDVXDDXGLrQFLDYDLPXLWR EHPGDVjVGDWDUGHPDV FRPHoDDFDLUQRLQtFLRGDQRLWH +iVHJXQGRDVSHVTXLVDVXPD WUDQVIHUrQFLDGHS~EOLFRSDUDD QRYHODGD*ORER

2FDQDO%DQGVSRUWVDFHUWRX DVFRQWUDWDo}HVGD)RImRH 0DUFHOR1HJUmRGRY{OHLH /XOD3HUHLUDEDVTXHWHSDUDDV WUDQVPLVV}HVGD 2OLPStDGD 2VWUrVMiHVWmR FRPYLDJHPDVVHJXUDGDSDUD/RQGUHVHP PHDGRVGHMXOKR

ConteĂşdo exclusivo

$VDÂżOLDGDVGD*ORERHVWmR SDUWLFLSDQGRGHXPSURMHWRTXH YLVDDSURGXomRGHFRQWH~GR LQWHJUDGRQD,QWHUQHW$~OWLPD TXHHQWURXIRLD79/LEHUDO GH%HOpPHDSUy[LPDVHUiD 797ULEXQDGH6DQWRV$V HPLVVRUDVSUySULDV%UDVtOLD %HOR+RUL]RQWH5HFLIH5LRGH -DQHLURH6mR3DXORHPDLV DÂżOLDGDVMiVHLQWHJUDUDPD HVWDQRYDSURSRVWD

Em estudos 2 6REUHHVWHDVVXQWRDOJXPDVUHXQL}HVIRUDPUHDOL]DGDVLQFOXVLYH QDSUHVHQoDGRÂżOKRGRDSUHVHQWDGRU5DXO*LO-UR5DXO]LWR 7RGRVSDUHFHPGHDFRUGRTXH SURJUDPDQHQKXPQRVGLDV DWXDLVUHVLVWHDKPLQ'H GXUDomR

Reza brava

Jornalismo

6yDJRUDVHGLYXOJDTXHD %DQGHLUDQWHVDQWHVGHUHDOL]DU DSURYDGD,QG\HP6mR3DXOR FRQWUDWRXRVVHUYLoRVGHXP UHSUHVHQWDQWHGD)XQGDomR&DFLTXH&REUD&RUDOSDUDLPSHGLU TXHDSURYDIRVVHQRYDPHQWH DWLQJLGDSHODVFKXYDV 3HURVLSHURQRDiJXDVyYHLR GHSRLVGDFKHJDGD

,]DEHOOD&DPDUJRH[%DQGGHSRLV GHDOJXQVGLDVGHQHFHVViULDDGDSWDomRFRPHoRXRQWHPWHUoDIHLUD VHXWUDEDOKRQD79*ORER 3RUHQTXDQWRFRPUHSRUWDJHQVQRV WHOHMRUQDLVGH6mR3DXOR

Não vai dar 1R6%7DLGHLDGHVHSURGX]LU XPDVpULHGHSURJUDPDVHVSHFLDLVSDUDFRPHPRUDURVDQRV GH³$3UDoDp1RVVD´WDPEpPIRL GLVFXWLGDQDV~OWLPDVUHXQL}HV 0DVGLDQWHGHDOJXPDVGL¿FXOGDGHVDVXDGLUHomRDFDERX GHL[DQGRGHODGR

5DWLQKRQRSURJUDPDGDWHUoDIHLUD TXLVSRUTXHTXLVVDEHUGDNany People VHTXDQGRFULDQoDHODWLQKDVLGRPHQLQR HPDOJXPDRSRUWXQLGDGHRXQXPGHWHUPLQDGRORFDO(DUHVSRVWDYHLR³1DVFL 'XQJDHYLUHL%UDQFDGH1HYHTXHULGR´

Bate-rebate ¡ O workshop da novela â&#x20AC;&#x153;Salve Jorgeâ&#x20AC;?, da GlĂłria Perez, vai continuar DWpRÂżPGDVHPDQD Ă&#x201A;5HGH79QDDEHUWDH(VSQ %UDVLOQRFDERWUDQVPLWHPKRMH KDÂżQDOGD8HID(XURSD/HDJXH$WOpWLFRGH0DGULGH$WKOHWLF %LOEDR ¡A participação da Ivete Sangalo HPÂł&KHLDVGH&KDUPH´QD*ORER FRPHoDQRFDStWXORGRSUy[LPR ViEDGR Ă&#x201A;6RQLD$EUmRJUDYRXRSURJUDPDGD 0DUtOLD*DEULHODQR6%79DLDRDU QHVWDTXDUWDIDL[DGDPHLDQRLWH Ă&#x201A;0DUFHOR7DVWDPEpPYDLSDUWLFLSDUGRÂł9&RQJUHVVR%UDVLOHLURGD ,QG~VWULDGD&RPXQLFDomR´GH DGHPDLRQR:7&HP6mR 3DXOR Ă&#x201A;(QWUHYLVWDGD+HEH&DPDUJRFRP R7RP&DYDOFDQWHÂżFRXSDUDRSURJUDPDGDVHPDQDTXHYHP Ă&#x201A;%ULWWR-XQLRUIRLDFRPSDQKDGRR WHPSRWRGRSRUGRLVGLUHWRUHVGD 5HGH79HPVXDSDVVDJHPSHOD HPLVVRUDQDVHJXQGDIHLUD3DSDULFDJHPH[SOtFLWD Ă&#x201A;*RXODUWGH$QGUDGHDFDEDGH IHFKDUFRQWUDWRFRPD79*D]HWD SDUDGHVHQYROYHUXPQRYRSURJUDma. Ă&#x201A;Âł)LQD(VWDPSD´YDLHVWUHDUHP 3RUWXJDOQD6,&GLD Ă&#x201A;8PJUXSRGHH[HFXWLYRVGD7HOHYLVDHVWHYHQD~OWLPDVHJXQGDIHLUD QR6%7SDUDXPDUHXQLmRFRP

&¡HVWĂ&#x20AC;QL ([LVWHPGLÂżFXOGDGHVTXHDLQGDQmR IRUDPWLUDGDVGDIUHQWHQDSURGXomR GRÂł6DWXUGD\1LJKW/LYH´$OJR TXHMiHUDHVSHUDGRPDVQmRGR WDPDQKRTXHDJRUDVHDSUHVHQWD$ PDLRULDGL]UHVSHLWRDRVFRQYLGDGRV ([LVWHPGHXPODGRRVTXHQmR JRVWDPGR5DÂżQKD%DVWRVHGR RXWURRVSURLELGRVGD5HGH792V TXHIRUDPLQFOXtGRVQDVXDÂłOLVWD QHJUD´)LFDGLItFLO (QWmRpLVVR0DVDPDQKmWHP PDLV7FKDX

HORĂ&#x201C;SCOPO PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

www.coquetel.com.br Os dois Sugeri- Beatles ram; indi- ainda caram vivos JoĂŁo (?), o mais antigo teatro do Rio

Š Revistas COQUETEL 2012

Desenho Protegidos do rosto de um Cartunista suspeito carioca

Atraçþes de Tem direito a fÊrias, Genipabu (RN) 13º, aviso-prÊvio e Semelhantes como licença-maternidade Sophia Loren e Maria Fernanda Cândido

Próton (símbolo) Os sites com atualização constante de conteúdo

PaĂ­s do Museu do Holocausto

Crime cometido em nome da piedade

Rio de Berna Morrer, em inglĂŞs

Esposairmã de Osíris (Mit.) Familia de iatistas Lengalenga (?) Maior, constelação boreal

Autran Dourado, escritor mineiro Clister; lavagem intestinal A maior regiĂŁo brasileira (sigla)

Clip-(?), ilustração de trabalhos "I" grego Mata alagada (bras.)

O dedo da impressĂŁo digital

Passado Formato do esquadro de pedreiro (?) magnĂŠtico, prĂĄtica espĂ­rita

Diz-se das cidades com educação universitåria Beira; a distância margem

Ă&#x161;nica letra com cedilha

53, em romanos

15

Solução A N O L U I Z

A L P U D S O S I A S

I S R A E L E

E R A M A P A R D E I E N GA A D N M A E I DO C O M S S E S R T I I I T C A D A

BANCO

Seu espelho sĂŁo os olhos (dito)

He-(?), herói de Formação EtÊrnia de jogadores do (TV) vôlei de praia

A D P R O P U C A E T A N E U T A N A L R I S L E A R G A R T U R I O T A N F D N I G A P O P O L O S A L S M O D E R A R O G O L A L MA P A D R O N

Uniformizada

Desenhos (?) HayartĂ­sticos worth: fez do corpo striptease humano retirando apenas uma luva, em "Gilda" (Cin.)

3/aar â&#x20AC;&#x201D; art â&#x20AC;&#x201D; die â&#x20AC;&#x201D; man. 4/land. 5/enema â&#x20AC;&#x201D; igapĂł â&#x20AC;&#x201D; polos. 11/apaniguados.

SĂşplica

Unidade "Cada de dis- doido (?) tâncias sua maestelares nia" (dito)

A arma da dona de casa nas charges

Gerencia comunidades no Orkut

Terra, em inglĂŞs

Ă RIES - (21/3 a 19/4) â&#x20AC;&#x201C; Foco e SHUVLVWrQFLDHVSHFLDOPHQWHHP WHPDVOLJDGRVDWUDEDOKRSURÂżVVmRHDXPHQWRGHKDELOLGDGHV 9RFrDWUDYHVVDyWLPDIDVHSDUD GHSXUDo}HVHDSULPRUDPHQWRV2 VXFHVVRGHSHQGHGLVVRWDPEpP 5HQRYDomRYLUiGLVVR 1~PHURVGD6RUWH  TOURO Âą D Âą&RQVROLGDomRQRFDPSRÂżQDQFHLURpXP DVVXQWRTXHYRFrWHPGHHQFDUDU FRPĂ&#x20AC;H[LELOLGDGHHFRQÂżDQoD&RQÂżH QRVVHXVWDOHQWRVPDVDSOLTXHRV GHXPMHLWRPDLVDWXDO6HQmRIRU UHOHYDQWHQmRLQWHUHVVDUiQLQJXpP $WXDOL]HVH 1~PHURVGD6RUWH  GĂ&#x160;MEOS â&#x20AC;&#x201C; D Âą9RFr HVWiHPEXVFDGHXPDIRUPDPHOKRU SUDVHWUDGX]LU"8PQRYRMHLWRGH VHUDSDUrQFLDUHQRYDGDSRQWXDQGRDVHULHGDGHDTXDOLGDGHD HOHJkQFLDWHPDVHPDOWDWXGRLVWR pQHFHVViULRDJRUD3UDYRFrVH JRVWDUPDLVWDPEpP 1~PHURVGD6RUWH  CĂ&#x201A;NCER Âą D Âą&OLPD DVWUDOWXUEXOHQWRGHKRMHHSRODUL]DGRFRPDYLEUDomRGD/XDFKHLDGH RQWHPDLQGDUHYHUEHUDQGR2IRFR QDVHPRo}HVGHYHVHUXVDGRSDUD WUDQVPXWDUSDGU}HVDQDFU{QLFRV (PFDVDDVVXQWRVPHQRUHVWRPDP certo tempo. 1~PHURVGD6RUWH  LEĂ&#x192;O â&#x20AC;&#x201C; D Âą$SULPHLUD VHPDQDGHPDLRFRPHoDVXSHUEHP SUDYRFrTXHFRQWDFRPDPLJRVH DMXGDQRPHLRHPTXHFLUFXOD+i TXHPVHVLQWDLQVSLUDGRHHVWLPXODGRSRUVHXKXPRUHVHXVUHSHQWHV GLYHUWLGRV8PGHVDÂżRSRGHVHU VXSHUDGR 1~PHURVGD6RUWH  VIRGEM Âą D Âą$VVRFLH VHDTXHPWHPPDLVSRGHUpHVWDD PHQVDJHPGH0DUWHHPVHXVLJQR TXHHVWiTXDVHFRPSOHWDQGRXP DVSHFWRSRGHURVRFRP3OXWmRe SDUDPDQWHUHPVHJUHGRLVVR9RFr SRGHJDQKDUXPDSDUDGDGLItFLO'r VHXH[HPSOR 1~PHURVGD6RUWH 

LIBRA Âą D Âą2DX[LOLR DPRURVRGHXPDDPLJDRXSHVVRD TXHJRVWDGHYRFrYDLWRUQDUPDLV OHYHVXDUHVSRQVDELOLGDGH$VVLP YRFrVHVHQWLUiPHQRVSUHVRDIRUPDOLGDGHVDWDGRDFRPSURPLVVRV 3RGHUiGDUXPDIRUPDPHOKRUDXP SURMHWRWDPEpP 1~PHURVGD6RUWH  ESCORPIĂ&#x192;OÂą D Âą2 DVWUDOGHVWDIDVHFRPHoDYLEUDQGR HPSUROGRVHXGLQKHLUR&DEHoD ERDSUDOLGDUFRPDVÂżQDQoDVĂ?WLPD LQVSLUDomRSUDDSRVWDUÂżUPHHPDOJR TXHVyYRFrVDEHTXHYDLGDUFHUWR $VSHUVSHFWLYDVVHDPSOLDPQRV SUy[LPRVGLDV 1~PHURVGD6RUWH  SAGITĂ RIO â&#x20AC;&#x201C; (22/11 a 21/12) â&#x20AC;&#x201C; Lua HPVHXVLJQRSHGHGHVFDQVRHDU OLYUHSXURPRYLPHQWRDomRH[HUFtFLRVPHQWHVmHPFRUSRVmRROHPD GHVWHVLJQRTXHYLYHGHQDWXUH]D HGHÂżORVRÂżD'LPLQXDRULWPRGRV DID]HUHVUHSHWLWLYRVYRFrSUHFLVDGH PDLVOLEHUGDGH 1~PHURVGD6RUWH  CAPRICĂ&#x201C;RNIO â&#x20AC;&#x201C; (22/12 a 19/1) â&#x20AC;&#x201C; A VHXIDYRUDSUXGrQFLDGHFRPHoDU DVHPDQDQXPHVWLORVyEULRVHP DWUDLUDWHQo}HVRXID]HUH[LJrQFLDV %RPSUDSHQVDUTXDQWRRPHGR GHDUULVFDUWLURXYRFrGRFDPLQKR 4XHPVDEHGDSUy[LPDYH]DYLGD OKHSHUPLWDDUULVFDUGHQRYR" 1~PHURVGD6RUWH  AQUĂ RIO â&#x20AC;&#x201C; D Âą$PLJRV VmRErQomRVYHUGDGHLURVDQMLQKRV GDJXDUGDTXHSURWHJHPHLQVSLUDP YRFrGDQGRDQLPRQDVKRUDVGH GHVRULHQWDomR+RMHHOHVPHUHFHP DWHQomRFXLGDGRVHPLPRV&RP HOHVDYLGDVHWRUQDPDLVGLYHUWLGD WDPEpP5HDMD 1~PHURVGD6RUWH  PEIXESÂą D &RPRHVWH pXPSHULRGR]LQKRGHFKHFDJHQV WHVWHVHWUDQVIRUPDo}HVUiSLGDV YRFrFDSWDVXSHUEHPRTXHWHP GHVHUIHLWRQDiUHDSURÂżVVLRQDO 5HODo}HVIDPLOLDUHVHPGHVWDTXH 3RGHVHUXPFRQYLWHTXHVXUJHSRU FRQWDGHDOJXpPSUy[LPR 1~PHURVGD6RUWH 

LUTO

Morre Maurice Sendak, autor do livro â&#x20AC;&#x153;Onde Vivem os Monstrosâ&#x20AC;?

M

aurice Sendak, considerado um dos mais importantes autores de literatura infanto-juvenil do sĂŠculo 20, morreu aos 83 anos, ontem, em um hospital de Danbury, em Connecticut, nos EUA. A informação ĂŠ do jornal â&#x20AC;&#x153;The New York Timesâ&#x20AC;?. De acordo com o jornal, a morte do escritor e ilustrador foi provocada por complicaçþes decorrentes de um AVC (acidente vascular cerebral) que ele sofreu recentemente. Segundo a agĂŞncia Associated Press, a notĂ­cia foi dada por Lynn Caponera, amiga do autor, que cuidava dele hĂĄ anos. Controverso e premiado, Sendak ĂŠ autor de â&#x20AC;&#x153;Onde Vivem os Monstrosâ&#x20AC;?, sua obra mais famosa, que foi adaptada para o cinema por Spike Jonze, em 2009. Entre os outros tĂ­tulos importantes do escritor estĂŁo â&#x20AC;&#x153;Os

Sete Monstrinhosâ&#x20AC;?, â&#x20AC;&#x153;In the Night Kitchenâ&#x20AC;? e â&#x20AC;&#x153;Outside Over Thereâ&#x20AC;?. Aclamados, os livros de Sendak marcaram a infância de toda uma geração nascida nos Estados Unidos depois da dĂŠcada de 1960. (OHĂ&#x20AC;FRXFRQKHFLGRSRUPDLV de uma dĂşzia de livros que escreveu e ilustrou. â&#x20AC;&#x153;Onde vivem os monstrosâ&#x20AC;?, seu trabalho mais conhecido internacionalmente, foi considerado um divisor de ĂĄguas no gĂŞnero, ao levar uma atmosfera sombria aos contos infantis. No livro, um garoto travesso chamado Max foge de casa e sai em uma jornada imaginĂĄria por um mundo povoado por monstros, apĂłs ser posto de castigo pela mĂŁe. A obra causou polĂŞmica na ĂŠpoca da publicação por conta de suas ilustraçþes, consideradas â&#x20AC;&#x153;esquisitasâ&#x20AC;? e â&#x20AC;&#x153;quase assustadorasâ&#x20AC;?.


4

TribunaIndependente

DIVERSĂ&#x192;O&ARTE MACEIĂ&#x201C; - QUARTA-FEIRA, 9 DE MAIO DE 2012

Ser MĂŁe ĂŠ sorrir, chorar, sofrer, JDUJDOKDUVHUĂ&#x20AC;OKRpDRSRUtunidade de ter uma mĂŁe como YRFr3DUDEpQVDQyVPDPmHV que sofrem, choram, dĂŁo risadas, OXWDPSDUDGDURPHOKRUDRV VHXVĂ&#x20AC;OKRVeRDPRUPDLVSXURH verdadeiro! Fotos by Chico BrandĂŁo

Em Alta

O

Congresso

Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região realizarå, de 31 de maio a 2 de junho, no auditório do Hotel Jatiúca, o VII Congresso Brasileiro de Direito do Trabalho e Processual do Trabalho sobre o tema: Acessibilidade no Mundo do Trabalho: Aplicaçþes e Efeitos Sociais. Desembargadores, juízes, procuradores do Trabalho de diversas regiþes participarão do evento.

EmpresĂĄria â&#x20AC;&#x2DC;ouroâ&#x20AC;&#x2122;, MĂĄrcia Vasconcelos, uma amiga muito querida, que desponta com sucesso com o seu Buffet MĂĄrcia Vasconcelos

Bruno e Maria Conde, um casal que representa sucesso e garra, se destaca em nossa cidade com a conhecida empresa ComnexĂŁo. Ela engrandece os eventos chics realizados em nosso Estado

O cuidado da pele do nosso corpo nos dias de hoje ĂŠ fundamental. SĂ´nia Rodrigues, leia-se EstĂŠtica VenĂşs, cuida hĂ mais de 30 anos dos rostos e corpos dos tops da cidade

Pesto Genovese

D

HL[HRFRSRGROLTXLGL¿FDGRUQRIUHH]HUSRUDOJXQVPLQXWRVDQWHVGHFRPHoDURSUHSDUR LVVRHYLWDDR[LGDomRGRPROKR $GLFLRQHR azeite... Ingredientes: 1/2 xícara de chå de azeite extravirgem, 1 dente de alho pequeno, 1/2 colher de sobremesa de pinhole, 2 colKHUHVGHVREUHPHVDGHSDUPHVmRUDODGRPDoRGHPDQMHULFmRGHIROKDVJUDQGHV VyDVIROKDV VDODJRVWRFROKHUGHFKiGHYDJHP holandesa cortada em pedaços de 1cm, 1/2 batata cortada em cubos pequenos, 1/4 colher de chå de sal grosso. Modo de preparo: 'HL[HRFRSRGROLTXLGL¿FDGRUQRIUHH]HUSRUDOJXQVPLQXWRVDQWHVGHFRPHoDURSUHSDUR LVVRHYLWDDR[LGDomRGRPROKR $GLFLRQHR azeite, o alho, o pinhole e o queijo. Coloque o manjericão por último para que as folhas não entrem em contato direto com as lâminas do OLTXLGL¿FDGRU&RPDIXQomRSXOVDUWULWXUHWRGRVRVLQJUHGLHQWHVHDGLFLRQHPDLVD]HLWHVHQHFHVViULR&R]LQKHDPDVVDHPiJXDIHUYHQWH e sal durante o tempo sugerido pelo fabricante. Adicione a batata em cubos pequenos e a vagem à massa e cozinhe por mais dois minutos. Escorra, mas reserve um pouco da ågua da massa. Sem levar ao fogo, ponha o molho numa frigideira e acrescente uma concha da ågua do cozimento para ajudar a dissolver o pesto. Misture a massa com a batata e a vagem ao molho na frigideira. Nunca leve o pesto DRIRJRRFDORUGDPDVVDpVX¿FLHQWHSDUDDTXHFHURPROKR$FHUWHRVDOHVLUYDLPHGLDWDPHQWH

O

No Foco Q

EstĂŠtica Pele

ue tal dar de presente Ă sua mĂŁe uma pele luminosa? Os amigos mĂŠdicos Bibiana GuimarĂŁes, Fayrrus Costa e Alberto Cardoso trouxeram para a ClĂ­nica Pele os tratamentos mais inovadores para a pele. A dica da coluna ĂŠ conferir o Clareamento Leaser Light, que consiste em uma sessĂŁo de peeling a laser e dois peelings de melanese. Fica a dica!

A

No PĂĄtio

s mamĂŁes devem ter observado os outdoors, as campanhas de TV, rĂĄdio e mĂ­dias sociais que o Shopping PĂĄtio MaceiĂł preparou especialmente para homenagear essas grandes mulheres. Por isso, atĂŠ o dia 13 de maio, o maior centro de compras do Tabuleiro do Martins HVWDUiDEHUWRSDUDTXHWRGRVRVÂżlhos possam garantir a felicidade de suas mĂŁes. Com a data comemorativa, o superintendente do PĂĄtio MaceiĂł, Gerardo Andrade, prevĂŞ alta de 15% nas vendas.

O

Passarela

A

Acesse o portal Tribunahoje.com e leia na Ă­ntegra a coluna Top News no Blog Elenilson Gomes

FOTOS BY CHICO BRANDĂ&#x192;O

O

s top models Diego Fragoso e Willy Bonaparte entraram em cena juntos para a campanha da marca italiana Benetton, cujo ensaio foi realizado em MilĂŁo. Nascidos em MaceiĂł os meninos estĂŁo juntos em um mesmo trabalho de alto nĂ­vel PXQGLDOHWDPEpPGHVÂżODUmRMXQWRV na prĂłxima semana em Pequim para a marca Armani. Detalhe: os modelos fazem parte do ranking mundial e estĂŁo entre os modelos mais bem pagos do mercado da moda mundial.

Novo CEP

mÊdica dermatologista Cleide Vieira nos comunicando que em breve estarå de novo endereço seu consultório. A expert estå de malas prontas para uma bela sala no Harmony Center, no Stella Maris. Em breve estaremos dando mais detalhes. ParabÊns

Elenilson Gomes, em companhia do grande amigo Rafael Tenório, quando o empresårio comemorou a inauguração da jå conhecida à gua Mineral Verdes Mares

Ana e Henrique DĂłria, mĂŁe e ÂżOKRGXDVJHUDo}HVGHYDORUHV empresariais, comemora o sucesso da conhecida Dry Clean, na Ponta Verde e Stella Maris

MĂĄrcia Lavyne, leia-se MammoWKDSUHVHQWDXPH[FOXVLYRPRGHlo de Lucas Barros, que estarĂĄ DPDQKmGHVÂżODQGRQDEHODORMD jVKRUDV,PSHUGtYHO

Daniel Padilha e Vaninha Nutels formam um casal top de linha no HPSUHVDULDGRMRYHPGDQRVVD cidade

O

Sawabona

quinto espetĂĄculo do projeto Teatro Deodoro ĂŠ o Maior Barato trarĂĄ uma mensagem de muita paz. Ă&#x2030; o que prometem as cantoras Fernanda GuimarĂŁes e Irina Costa, que se apresentarĂŁo hoje, 9 de maio, no palco do Teatro Deodoro, a partir das 19h, com ingressos a R$ 10,00 e R$ 5,00. Sawabona ĂŠ um cumprimento usado no sul da Ă frica, que quer dizer â&#x20AC;&#x153;Eu te respeito, eu te valorizo, vocĂŞ ĂŠ importante pra mimâ&#x20AC;?.

Natura Musical

Programa Natura Musical abre inscriçþes, atÊ 25 de maio, para a 8ª edição do Edital Nacional, que vai contemplar desde a gravação de CD, DVD, turnê de shows ou festival, produção de ¿OPHVOLYURVDWpPHVPRSURMHWRV de pesquisa, resgate de acervo ou ação educativa que tenham a música brasileira como foco principal. O edital vai destinar R$ 1,5 milhão, a ser dividido entre todos os selecionados. Para participar do 1º Edital Nacional 2012, os interessados devem acessar o site institucional www. natura.net/patrocinio ou o Portal www.naturamusical.com.br, que disponibilizarå o Regulamento do Edital na íntegra e preencher todo o formulårio eletrônico. Flavinha Coutinho nos apresentando look da Richards by Clube Lyon. Uma leitura pra lå de elegante e descolada da WHPSRUDGDRXWRQRLQYHUQR

Couro

guarda-roupa feminino tem alguns itens bĂĄsicos de, digamos, â&#x20AC;&#x153;sobrevivĂŞnciaâ&#x20AC;?. Entre eles estĂŁo o vestidinho preto, aquela camisa poderosa e tambĂŠm o jeans que vai bem em qualquer ocasiĂŁo. Neste inverno, prepare-se para aumentar a lista: a calça de couro ganhou o status de queridinha da moda e se tornou presença constante no guarda-roupa das celebridades. NĂŁo importa se vocĂŞ faz o estilo bĂĄsica, ĂŠ mais romântica ou gosta de uma pitada rocker no seu look, a peça chega com força e pode ser considerada um must have da estação mais fria do ano.

Flashes V

E

pelo telefone (82) 3311-1308

elenilsontopnews@gmail.com

Gunga

streou o longa ParaĂ­sos $UWLÂżFLDLVGH0DUFRV3UDGR 2ÂżOPHID]XPUHWUDWRGHJHUDomR de jovens em busca de utopias pessoais e de prazer, embalados por drogas sintĂŠticas e mĂşsica eletrĂ´nica. Filmado em vĂĄrias locaçþes, entre AmsterdĂŁ, Rio de Janeiro, Pernambuco e Alagoas, RÂżOPHWHPVHTXrQFLDVEHOtVVLmas servindo como cenĂĄrio para as experiĂŞncias dos personagens. Como uma â&#x20AC;&#x153;viagemâ&#x20AC;? de peiote, na Praia do Gunga, para onde foram transportados bĂşfalos e um grande iguana, que nĂŁo pertenciam ao local, com a devida autorizaomRGR,EDPD$ODJRDVQDÂżWD

A

Assine a Tribuna Independente e esta coluna

JacarĂŠ

ocê sabia que carne de jacarÊ se come? A iguaria super exótica pode ser encontrada na Mix das Carnes mas, para conhecer e provå-la, o empresårio Fernando Falcão - que comanda a boutique de carnes mais badalada da Ponta Verde - convida os amantes de carnes para uma saborosa noite de menu/degustação. O evento acontece nesta quarta, a partir das 18h, na Galeria Boulevad, na Avenida Mårio de Gusmão. Ah, com assinatura do chef Jonathas Moreira.

Violeta senses

s amigas Ana e Aninha Loureiro nos comunicando a chegada de mais uma novidade. Desta vez o Violeta Senses, da linha Nativa Spa de O BoticĂĄrio. ,QVSLUDGDQDĂ&#x20AC;RUGHRULJHPHXURpeia, a novidade complementa a linha de perfumaria Nativa SPA Senses, que traz fragrâncias inspiradas em ingredientes exĂłticos originĂĄrios de diversas partes do mundo, jĂĄ disponĂ­veis nas versĂľes Ameixa, GuaranĂĄ, AçaĂ­, Blueberry e Verbena. A linha conta com sabonete lĂ­quido, loção cremosa, Ăłleo hidratante e sabonete em barra.

Edição número 1439 9 de maio de 2012  

Edição Digital Jornal Tribuna Independente TribunaHoje.com

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you