Page 2

TRIBUNAINDEPENDENTE

2 POLÍTICA MACEIÓ - QUINTA-FEIRA, 16 DE MARÇO DE 2017

Política

Bancários e homens do campo também estão em desvantagem O presidente do Sindicato dos Bancários, Jairo França, afirmou que o tempo de contribuição necessário para a aposentadoria atualmente já é complicado e que a reforma da previdência vai dificultar ainda mais. “Com relação aos bancários, já tem gente que adoece por conta do tempo de trabalho, imagine agora com a reforma da previdência”. Para ele, os trabalhadores do campo terão ainda mais problemas já que não têm como comprovar o tempo de trabalho.

Trabalhadores protestam contra reforma

Categorias se manifestam totalmente desfavoráveis à proposta que modifica o regime previdenciário no Brasil

ESPLANADA LEANDRO MAZZINI - contato@colunaesplanada.com.br

Reguffe e Bolsonaro cobiçados

A

16 meses do início da campanha à Presidência da República, dois nomes do Congresso Nacional, de perfis bem distintos, entraram na mira de pequenos e médios partidos. Pelo menos quatro partidos, entre eles o PDT, Rede e o Novo sondaram o senador Antonio Reguffe (DF), hoje sem legenda. E o deputado Jair Bolsonaro avança nas tratativas para trocar o PSC pelo PHS. As legendas querem Reguffe e Bolsonaro como candidatos ao Palácio do Planalto.

Novo amigo O presidente do Novo, João Dionísio, teve uma conversa com Reguffe há 15 dias. O senador não tem dito sim, nem não, a quem o procura. Mas não pensa em Presidência.

Trio da pesada Bolsonaro tem 6% nas pesquisas estimuladas, e acha que vai crescer. Ele vai levar outros dois filhos deputados – um federal e um estadual – para uma nova legenda.

Tô fora O clima está tão ruim entre Bolsonaro e o presidente do PSC, Pr Everaldo, que há seis meses não se falam, e há quatro meses o deputado não entra na liderança do partido.

Troféu Lava Jato A melhor do ano é de Paulo Lacerda, ex-diretor da Polícia Federal, em depoimento à Justiça Federal ontem, no processo que investiga o ex-presidente Lula da Silva. Ao fim do depoimento, indagado pelo juiz se teria algo que desabonasse Lula, ele disse que sim, o que causou furor na sala. Encerrou: “A indicação de Dilma para a presidência”.

Blindagem dupla Paulo Lacerda e o também ex-diretor da PF Luiz Fernando Corrêa depuseram no mesmo processo como testemunhas de Lula. Ambos negaram qualquer interferência do então presidente na corporação ou direcionamentos em investigações do Mensalão.

Radiografia Lacerda ainda lembrou ao juiz que, se hoje a PF é o que é em credibilidade e com poder de investigação, foi em especial o ex-presidente Lula quem ajudou a turbinar o novo perfil da Polícia e o orçamento. Mas os delegados ainda reclamam autonomia.

Cabral & Adriana Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo, presos em Bangu, fizeram chegar aos advogados que não há qualquer conteúdo ou intenção de falar de magistrados em eventuais delações.

Passeio 1 A despeito da crise, o brasileiro viajou mais ano passado – pelo menos através de agências de turismo. Foi o que constatou o estudo ‘Indicadores Econômicos do Agenciamento Turístico Nacional 2016’, do Instituto de Pesquisas, Estudos e Capacitação em Turismo, sob encomenda do Sindetur-SP.

Passeio 2 Ano passado as agências registraram volume total de vendas 8,3% maior que os dados de 2015, embora a confiança dos empresários do setor ainda esteja baixa.

Poeta do caos Brasília incendiada e surge Paulo Maluf como poeta do caos. Acredite. Em seu Twitter, Maluf – o primeiro brasileiro a ser incluído na lista de procurados da Interpol – se vangloriou de não estar na Lava Jato, na lista de Janot e no Mensalão.

e-webtv Na entrevista à e-webtv, o senador Cristovam Buarque (PPS-DF) reforça a importância da aprovação da PEC do fim do foro privilegiado, parada na fila para o plenário, e da mudança no sistema de escolha de ministros para Cortes do Judiciário. Assista no canal “Coluna Esplanada” no Youtube.

Fronteirômetro Dia 21 o Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários lançará o Fronteirômetro, plataforma online que apresenta projeções de cargas importadas e exportadas, veículos e pessoas que entram e saem do país e as limitações do controle de fronteiras.

Em rede A Coluna passou a ser distribuída pela Dow Jones & Co para jornais dos EUA, Europa, Ásia e África. Nosso conteúdo de política, economia e mercado estará disponível no sistema da Dow para jornais interessados, através do portal Opinião e Notícia, do Rio.

Com Equipe DF, SP e Nordeste www.colunaesplanada.com.br contato@colunaesplanada.com.br Twitter @leandromazzini

SANDRO LIMA

THAYANNE MAGALHÃES BRUNO MARTINS REPÓRTERES

T

rabalhadores alagoanos, organizados em categorias sindicais, tomaram as ruas de Maceió e de municípios do interior ontem (15) para protestar contra a proposta de Reforma da Previdência, defendida pelo governo de Michel Temer (PMDB) e que tramita na Câmara dos Deputados. Embora encontre alguns focos de resistência entre os parlamentares, os trabalhadores dos setores da educação, seguridade social, correios, rodoviários, entre outros, lotaram a Praça dos Martírios, no Centro de Maceió e saíram em caminhada com faixas e protestos contrários ao projeto. Representando a Unidade Popular (UP), o professor Magno Francisco, disse que a reforma traz graves prejuízos aos trabalhadores. “Essa reforma faz parte do pacote de medidas neoliberais do governo golpista que também já teve uma PEC que economiza os investimentos nas áreas sociais, além de outras ações

Trabalhadores concentraram os protestos na Praça dos Martírios e seguiram em caminhada pelo centro

como as privatizações de empresas estatais, interesses de banqueiros e grandes empresários, que é o que esse governo representa”, argumentou. A diretora do Sindicato dos Trabalhadores da Edu-

cação de Alagoas (Sinteal), Girlene Lázaro, destacou a greve nacional da Educação. A paralisação foi aprovada em assembleia no dia 15 de janeiro e acontece em escolas estaduais, municipais e no distrito federal.

“Hoje estamos participando do Dia Nacional de Lutas que envolve todas as categorias contra a reforma da previdência e também as reformas trabalhistas”, disse Girlene. (Mais protestos nacionais na Página 5)

MANIFESTOS

“Classe trabalhadora vai arcar com prejuízos” Cícero Lourenço, diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Seguridades Social e Trabalho no Estado de Alagoas (Sindprev-AL) e da Central Única dos Trabalhadores em Alagoas (CUT-AL), falou que a seguridade social não precisa de reforma, a não ser que seja para a melhoria da qualidade de vida e aposentadoria dos trabalhadores. “A previdência é superavitária só que falta postura do governo para fazer as cobranças necessárias das empresas que devem ao INSS, o que o governo não faz. Vai acabar sobrando para a classe trabalhadora perder os seus direitos.”, pontuou o dirigente sindical da CUT-AL. “Nessa manifestação, queremos chamar a responsabilidade da votação da PEC para os deputados e senadores estaduais. Vamos para as ruas chamar de traidor aquele que votar a favor da reforma”, frisou Cícero Lourenço. INTERIOR Os protestos contra a re-

SANDRO LIMA

Manifestantes pediram a saída de Michel Temer e mostraram repulsa ao projeto que tramita no Congresso

forma previdenciária também foram realizados nos municípios do interior alagoano, a exemplo de Arapiraca, Delmiro Gouveia, Japaratinga, Flexeiras e Novo Lino. Em todos eles, a palavra

de ordem mantinha-se contra a proposta de Michel Temer, além de pedidos para a sua saída da presidência da República. As manifestações também contaram com doses de ironia ao tratar de um tema

tão sério. Além de pedir “Fora Temer” em faixas, algumas pessoas colocaram máscaras de caveiras por não poder se aposentar caso a reforma seja aprovada pelo Congresso Nacional.

DETERMINAÇÃO

Propaganda do governo será retirada do ar A Justiça Federal do Rio Grande do Sul determinou a suspensão da campanha publicitária do governo federal em defesa da reforma da Previdência. A ação foi protocolada por nove sindicatos e argumenta que as peças publicitárias não se revestem de caráter educativo, informativo ou de orientação social, como determina a Constituição. Todas as peças devem ser retiradas do ar nas pró-

ximas 72 horas. O Planalto afirmou que a Advocacia-Geral da União (AGU) vai recorrer da decisão. A suspensão da veiculação das peças prejudica a estratégia do governo para ganhar o apoio da sociedade às reformas. Segundo a juíza que assina a decisão, Marciane Bonzanini, “há a intenção do partido que detém o poder no Executivo federal de re-

formar o sistema previdenciário e que, para angariar apoio às medidas propostas, desenvolve campanha publicitária financiada por recursos públicos”. Além de suspender a divulgação das campanhas, a magistrada determinou uma multa de R$ 100 mil em caso de descumprimento da medida. As peças são veiculadas em televisão, rádios, publicações impressas (jornais e revistas), rede

mundial de computadores, painéis de mídia exterior (outdoors) e de mídia interior (indoors instalados em aeroportos, estações rodoviárias e em quaisquer outros locais públicos). A decisão em suspender as propagandas governamentais agradaram aos movimentos que protestaram ontem contra a reforma que está em tramitação inicial na Câmara dos de Deputados.

Edição número 2858 - 16 de março de 2017  

tribunaindependenteediçãodigitaltribunahoje

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you