Page 7

TRIBUNAINDEPENDENTE GOVERNO TEMER

MACEIÓ - QUARTA-FEIRA, 15 DE MARÇO DE 2017 POLÍTICA 7 DIVULGAÇÃO

Primo de Gilmar ganha emprego

O presidente Michel Temer indicou um primo do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), para a direção da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). Gilmar é presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), corte que julga o pedido de cassação da chapa formada por Dilma e Temer nas eleições de 2014. A indicação de Francisval Dias Mendes para a Antaq foi publicada na edição de ontem do Diário Oficial da União. Caberá ao Senado sabatinar Francisval e confirmar sua nomeação. O primo de Gilmar é mestrando em Direito Regulatório e Responsabilidade Social pela Universidade Ibirapuera, em São Paulo. É também especialista em Direito Processual Civil e do Trabalho e Direito Previdenciário. Francisval é diretor-ouvidor da Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Mato Grosso (Ager-MT), cargo para o qual foi nomeado pelo então governador Blairo Maggi, hoje ministro da Agricultura de Temer e amigo de Gilmar. O presidente do TSE se reuniu com Temer, no Palácio do Jaburu, no último domingo (12). O encontro não foi divulgado nas agendas oficiais dos dois. O ministro nega ter conversado sobre o processo que pode cassar o presidente ou sobre a Lava Jato. Segundo ele, a pauta foi exclusivamente a reforma política.

Em depoimento, Lula acusa grande mídia de atacá-lo “Doutor, eu aprendi andar de cabeça erguida. Pra quem é elite isso não significa muito. Mas para mim é muito”, disse

O Lula desafiou procuradores a apresentarem provas contra ele

ex-presidente Lula disse, na manhã de ontem, que aguardou “pacientemente” o momento de, diante de um “juiz imparcial”, poder contar os fatos a respeito das denúncias feitas pela força-tarefa da Lava Jato em Brasília. Lula falou pela primeira vez como réu, na ação em que Delcídio do Amaral o

acusa de ter sido o mentor de um plano para impedir que Nestor Cerveró fizesse uma delação premiada. O processo por formação de quadrilha está nas mãos do juiz Ricardo Leite. Lula, ao falar em “juiz imparcial”, fez uma alusão velada aos problemas que sua defesa enfrenta com o juiz Sergio Moro, que cuida da operação em Curitiba. Moro

já denunciado à Comissão de Direitos Humanos das Nações Unidas por fazer uso de lawfare - empregas instrumentos jurídicos numa perseguição de cunho político contra o ex-presidente. O ex-presidente Lula, no depoimento que prestou à 10a. Vara Federal em Brasília, acusou os grandes meios de comunicação de estarem patrocinando uma campanha de ataques a ele: – Quem sabe está na hora de chamar o dono da Globo e da Record para me delatar? Quem sabe eles me delatam? Em nome da liberdade de imprensa, ninguém pode avacalhar a vida dos outros. Eu não sou contra a Lava Jato. Sou contra execrar as pessoas pela imprensa. Sabe quantas horas eu tenho negativas contra mim no Jornal Nacional em 8 meses? 16 horas! Lula criticou a cumplicidade entre a Polícia Federal, o Ministério Público, o Judiciário e a mídia: ” Juiz, delegado, procurador não devem ficar fazendo pirotecnia com a vida das pessoas. Provem, condenem e ponham na cadeia. Fazer isso não dá”. E disse que vai defender, acima de tudo, a sua honra pessoal: – Doutor, eu aprendi a andar de cabeça erguida. Pra quem é da elite isso não significa muito. Mas pra quem veio do nada, é muito. Eu vou defender a minha honra, que é a coisa mais importante da minha vida.

PREVIDÊNCIA

Deputado diz que reforma não passará Em reunião com sete centrais sindicais e diversos sindicatos do setor público e da iniciativa privada, o deputado federal Daniel Vilela (PMDB) afirmou que a Reforma da Previdência, da forma como foi apresentada pelo governo, não tem como ser aprovada. Daniel também é presidente estadual do partido e pré-candidato ao governo de Goiás. O encontro entre o parlamentar e os dirigentes sindicais aconteceu na manhã de ontem, na sede da CUT-GO. Daniel reconheceu não ter profundo conhecimento sobre a Reforma da Previdência e afirmou que existem alguns pontos que precisam ser discutidos, mas que, de forma geral, não há como aprovar o projeto do jeito que está. O objetivo da reunião foi realizar um debate entre legislativo e movimentos sociais sobre a Reforma Trabalhista, outro projeto polêmico do governo de Michel Temer em tramitação. Daniel é o presidente da Comissão da Reforma Trabalhista e sua declaração no encontro sobre a previdência pode ser apenas para agradar aos sindicatos. O filho de Maguito Vilela é fiel a Temer, votou a favor do impeachment e também foi o autor do polêmico projeto de lei que pretendia dar patrimônio bilionário estatal para as empresas de telefonia.

Edição número 2857 - 15 de março de 2017  

tribunaindependenteediçãodigitaltribunahoje

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you