Page 9

MACEIÓ - TERÇA-FEIRA, 10 DE JANEIRO DE 2017

TRIBUNAINDEPENDENTE

Cidades

CIDADES

9

Obra da CBTU causa estreitamento da pista em vias da Levada hoje Desde a semana passada, obras da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) têm impactado o trânsito do bairro da Levada. De acordo com o cronograma da CBTU, o trabalho se encerra hoje (10) com a colocação de asfalto na região. A companhia asfaltará o cruzamento da Avenida Francisco de Menezes com a Rua São João. Durante o serviço, essas vias sofrerão estreitamento de pista, permitindo fluxo parcial de veículos, mas sem novos desvios ou bloqueios no local. A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) de Maceió informou que agentes de trânsito prosseguirão com as rondas na região para orientar condutores, dar fluidez ao trânsito e garantir a segurança do tráfego nas proximidades da obra.

IMA coleta amostras de água em riacho no Litoral Norte de Maceió

SANDRO LIMA

Braço do Rio Pratagy amanheceu rosa ontem; resultado da análise da coleta só deve ficar pronto na próxima semana LUCAS FRANÇA REPÓRTER

T

écnicos das gerências de Monitoramento, Fiscalização e Laboratório de Estudos Ambientais do Instituto do Meio Ambiente em Alagoas (Ima) colheram na tarde de ontem (9), amostras de águas de um riacho que forma um braço do Rio Pratagy, na entrada do povoado conhecido como Boca do Rio, perto do Mirante da Sereia. O resultado da coleta deve sair na próxima semana. A equipe de fiscalização foi até o local e informaram que já tem indícios do que pode ter causado a mudança na cor da água.

“Iremos avaliar se há contaminação por produtos químicos e, só após os resultados, saberemos as causas do problema e se a situação se trata de um crime ambiental”, afirmou Manuel Messias, gerente do laboratório do Ima. O rio amanheceu com uma coloração rosa na manhã de ontem e surpreendeu pedestres e motoristas que passaram pelo Litoral Norte de Maceió. A denúncia da mudança na coloração do rio foi feita pelo Instituto Biota que também encaminhou para as Secretarias de Proteção ao Meio Ambiente (Sempma) e do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Se-

marh). De acordo com o Coordenador do Instituto Biota, Bruni Stéfanis, ele passou pelo local na noite de domingo (8) e o riacho já estava com a coloração estranha. “Não fiz fotos porque estava sem o celular, por isso pedi para uma equipe ir ao local e fazer fotos hoje [ontem] pela manhã”, disse. Bruno informou que o instituto não realiza fiscalização, só verifica o que está suspeito e denuncia. Ele acrescentou que a entidade tem um projeto na região e, geralmente, as águas apresentam cor normal. “Fazemos análise da água do Pratagy e ela vem apresentando bom resultado,” ressaltou.

ASCOM IMA

De acordo com Instituto Biota, que fez a denúncia, coloração do riacho já estava estranha na noite de domingo

1ª DENÚNCIA DO ANO

Órgão também registra mortandade de peixes no Rio Camaragibe

Denúncia de mortandade de peixes no Rio Camaragibe alertou equipes de fiscalização do IMA

Desde a primeira semana de janeiro, essa é a segunda denúncia que o IMA recebesse relacionadas à possível contaminação de corpos hídricos na região Norte do Estado. A primeira denúncia foi referente à mortandade de peixes no Rio Camaragibe. Na última quinta-feira (5), uma equipe do laboratório foi até o município de Matriz do Camaragibe, para coletar amostras de um dos trechos do Rio Camaragibe, próximo à uma usina de cana-de-açúcar existente na região para saber se houve despejo de efluentes sem tratamento no leito. Os resultados da coleta

devem sair amanhã (11), mas, segundo Manuel Messias, gerente do laboratório do órgão, a temperatura medida pelos técnicos durante a vistoria já indica impacto ambiental. “Esse impacto é causado pela alta temperatura dos efluentes que a usina lança naquele corpo hídrico. Independente do laudo de amanhã, que dirá o tipo de efluente lançado, a usina deverá responder por essa alteração”, explicou o gerente. ÁGUA ROSA No ano passado a água do rio Rêgo dos Mamões, localizado em uma região de mangue na Barra Nova também

mudou de cor e ficou com uma coloração rosada. Na época os moradores da região disseram que nunca tinham visto nada parecido e que a mudança poderia prejudicar os peixes do rio. Um especialista ambiental da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) informou que desconhece qualquer fenômeno natural que faça um rio mudar de cor e que isso só pode acontecer quando há despejos de produtos químicos. A cor rosa do rio Rêgo dos Mamões foi investigada pelo o IMA, que constatou que se tratava de uma tinta utilizada por uma comerciante local. (L.F.)

RÍVISON BATISTA

EM 2016

Número de internações por queda de motos aumenta na UE do Agreste DAVI SALSA REPÓRTER

Um levantamento feito pela Unidade de Emergência do Agreste (UE), em Arapiraca, mostra que os casos de internação por quedas de motos registraram crescimento no ano passado. Enquanto em 2015 foram contabilizadas 7.077 ocorrências de pessoas que caíram desses veículos e sofreram traumas ou ferimentos, no período de janeiro até dezembro de 2016, os indicadores mostram que houve 7.944 atendimentos. Os números foram repassados pelo Setor de

Psicologia da unidade hospitalar e computados pelo Núcleo de Processamento de Dados (NPD) da instituição. Eles apontam, ainda, que também houve aumento no atendimento às vítimas de colisões entre motos, que passaram de 987 em 2015 para 992 em 2016. Mais uma vez o consumo de bebidas alcoólicas está presente na maioria das ocorrências, segundo a psicóloga da Unidade de Emergência do Agreste, Mônica Leal. Os casos também revelam, ainda, de acordo com a técnica, que “as vítimas são pessoas jovens, que sofreram quedas

em estradas de barro e, além de não usarem o capacete, não possuíam habilitação para conduzir motos”, informou a psicóloga. Mônica Leal diz que, nos últimos três anos, o governo estadual gastou mais de R$ 10 milhões para custear somente as internações de pessoas vítimas de acidentes de trânsito. “Estamos com um grupo de trabalho fazendo orientações duas vezes por semana na unidade”, salientou, ao enfatizar que, “os recursos gastos para tratar das vítimas de acidentes com motos poderiam ser economizados e investidos em outras áreas da saúde pública”, ressaltou.

Enquanto em 2015 foram contabilizadas 7.077 internações, já em 2016 UE do Agreste recebeu 7.994 pacientes por queda de motos

Edição número 2813 - 10 de janeiro de 2017  

tribunaindependenteediçãodigitaltribunahoje

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you