Page 4

TRIBUNAINDEPENDENTE

4 POLÍTICA MACEIÓ - TERÇA-FEIRA, 10 DE JANEIRO DE 2017

BARTOLOMEU DRESCH bartolomeu_dresch@hotmail.com.br

WELLINGTON SANTOS (INTERINO)

Na contramão da crise

C

hamou atenção ontem o discurso enfático e com perspectiva positiva do governador Renan Filho durante a posse do novo titular da Secretaria de Estado da Assistência Social, Fernando Pereira, sobre os vários investimentos que o Governo do Estado tem feito desde o ano passado - período agudo da crise econômica no Brasil - , mesmo com a grave situação que assola o país, sobretudo a grande maioria dos outros Estados. No rol de boas novas para o Estado em 2017, Renan Filho listou a entrega de escolas em tempo integral, de hospitais, investimentos em segurança pública com a construção dos chamados Centros Integrados de Segurança Pública (Cisps), estradas dentro do programa Pró-Estrada e mobilidade urbana, como os eixos viários que estão sendo construídos paralelos à Avenida Fernandes Lima. Ainda no rol de obras estruturantes estão o viaduto da Polícia Rodoviária Federal, isso sem falar nas duplicações da AL-101 Norte, da Barra de São Miguel a São Miguel dos Campos e a duplicação de São Miguel dos Campos até Arapiraca.

Além de um cargo

A

chegada à estrutura do Governo do Estado do ex-prefeito de Junqueiro Fernando Pereira para assumir a Secretaria de Assistência Social não é apenas uma mera substituição administrativa no próprio governo. É também, dizem os analistas políticos, uma jogada de Renan Filho mexendo o jogo para 2018, mais precisamente as eleições para o Governo do Estado. Sabe-se que a família Pereira é umbilicalmente ligada ao senador Benedito de Lira, que apoia publicamente o grupo do prefeito Rui Palmeira, potencial concorrente a governador pela oposição.

Servidores públicos Deu na Agência Brasil. Em 2016, o governo federal expulsou 550 servidores por irregularidades. Em 65% dos casos, o motivo do desligamento foi a prática de atos relacionados à corrupção. O número de expulsões registradas em 2016 é o maior para um ano desde o início do levantamento em 2003. Os dados são do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU). De acordo com a CGU, das demissões registradas em 2016, 445 foram de servidores efetivos, 65 cassações de aposentadorias e 40 destituições de ocupantes de cargos em comissão.

Servidores públicos 2 pós a prática de corrupção, que somou 343 casos, as irregularidades com maior número de casos foram o abandono de cargo, a inassiduidade ou a acumulação ilícita de cargos. Os dados não incluem os empregados de empresas estatais, como a Caixa Econômica Federal, Correios, Petrobras, entre outras. Os servidores punidos, nos termos da Lei Ficha Limpa, ficam inelegíveis por oito anos. Dependendo do tipo de infração cometida, também podem ficar impedidos de voltar a exercer cargo público.

Servidores públicos 3 Desde 2003, o governo federal expulsou 6.209 servidores. Destes, 5.172 foram demitidos, 493 tiveram a aposentadoria cassada e 544 foram afastados de funções comissionadas. As unidades da federação com maior número de punições foram Rio de Janeiro (1.096), Distrito Federal (763) e São Paulo (667).

Cannabis A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a importação do Real Scientific Hemp-X (RSHO-X), produto derivado da cannabis que já é liberado em toda a América Latina desde 2014. O produto é o terceiro da empresa HempMeds Brasil a ser aprovado pelo órgão regulador brasileiro. O RSHO-X foi o primeiro produto derivado da cannabis importado legalmente no México e já está disponível como suplemento no Brasil. De acordo com a HempMeds Brasil, a linha de produtos foi desenvolvida como o primeiro produto de cânhamo livre de tetrahidrocanabinol (THC), uma substância psicoativa.

Cannabis 2 HempMeds Brasil é uma subsidiária do grupo americano Medical Marijuana, Inc, primeira empresa de cannabis publicamente negociada nos Estados Unidos. A empresa informou, em nota, que o RSHO-X “não possui substâncias ilícitas e pode ser utilizado por crianças e profissionais sujeitos a testes de medicamentos, como primeiros socorristas, bombeiros, policiais, militares e atletas”. A maconha e o cânhamo, apesar de serem da mesma família, são plantas diferentes tanto em relação a estrutura física quanto biológica. A maconha é baixa e espessa, e o cânhamo é alto e longo, conforme dados da HempMeds Brasil. * O ator Leonardo Vieira esteve na tarde de ontem na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática, no Rio, para prestar queixa contra os ataques homofóbicos que vem sofrendo pela internet. As ofensas começaram depois da publicação de fotos do ator beijando um outro homem no fim de uma festa. Leonardo procurou a polícia após publicar uma carta aberta ao público em que fala do episódio e, pela primeira vez, sobre sua sexualidade. * À imprensa, Leonardo Vieira lamentou ainda que a homofobia ainda não seja considerada crime no Brasil. “Que passe a ser! Há pessaos que morrem por causa disso, famílias são destruídas. Estou dando voz a pessoas que não seriam ouvidas: o menino do morro, uma pessoa que é morta com uma lâmpada na cabeça na (Avenida) Paulista. Estou aqui como representante dessas pessoas”, afirmou o ator. * Da atriz, Meryl Streep no palco do Globo de Ouro, no domingo, ao receber o prêmio Cecil B. DeMille pelo conjunto da obra, em longo discurso endereçado a Donald Trump, presidente eleito dos Estados Unidos: “Hollywood está repleta de forasteiros e estrangeiros, e se você nos chutar todos para fora (do país), você não terá nada para assistir, exceto futebol e MMA, que não são arte”, alfinetou. * “O desrespeito convida o desrespeito, a violência incita a violência”, continuou. “Quando os poderosos usam sua posição para intimidar os outros, todos nós perdemos”, completou a atriz.

Prefeitos cobram maior participação para saúde Gestores alagoanos dizem que sem o governo, atenção básica complica ASSESSORIA

EDITORIA DE POLÍTICA COM ASSESSORIA

N

a abertura do calendário de discussões sobre as demandas municipalistas, a saúde foi o primeiro tema a ser tratado em 2017 entre Estado e prefeituras. Ao apresentar as metas da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) para os gestores que assumiram este mês o mandato, a secretária Rozangela Wyszomirska reconheceu a necessidade de um debate mais ampliado sobre a revisão de recursos. Prefeitos e secretários garantem que, sem a ajuda do Governo do Estado, não têm como avançar mais na atenção básica. Hoje, os municípios respondem por até 80% dos investimentos no primeiro atendimento. A partir do dia 24 de janeiro, na décima Regional, até 07 de fevereiro, em Maceió, a secretária pretende se reunir com prefeitos e secretários das 10 regionais para avaliar o que está sendo feito e como os casos pontuais poderão ser resolvidos. Um guia, com um conjunto de informações básicas distribuídos pela Sesau vai funcionar como parâmetro para que os municípios possam ter as características específicas do SUS na cidade. Entre os indicadores está o registro de nascimentos e óbitos, as doenças e agravos registrados nos municípios, os indicadores de vacinação, a Hemorrede, as equipes de atenção primária, de média e alta complexidade, da atenção materno-infantil, da vigilância sanitária e as ações da vigilância na saúde do trabalhador. Também constam informações sobre as unidades hospitalares geridas pela Sesau, dados como estão estruturadas as redes de atenção à saúde como a rede de Urgência e Emergência, a rede de Atenção Psicossocial e a rede de Cuidado à Pessoa com Deficiência. A secretária também apresentou o Plano Estadual de Saúde, proposto no início da gestão para o quadriênio 2016-2019, onde constam todos os compromissos do governo. O prefeito Marcius Beltrão, que presidiu a reunião, garantiu que os gestores querem tratar a saúde como uma das prioridades, mas, sem uma ajuda maior do governo, não têm como assumir sozinhos toda a atenção básica, sem contrapartidas financeiras. Beltrão ressaltou, novamente, que as prefeituras necessitam o apoio incondicional do governo alagoano para manter os serviços de saúde em pleno funcionamento.

Prefeitos alagoanos participaram de um debate com a secretária de Saúde, Rozângela Wyszomirska

OPORTUNIDADE

Ministério lança programa para qualificação internacional Promover a cooperação internacional na área de turismo e hospitalidade e contribuir para o aumento da competitividade do trade turístico brasileiro. Esses são alguns dos objetivos do Programa de Qualificação Internacional em Turismo e Hospitalidade publicado ontem (09), no Diário Oficial da União. A iniciativa prevê o envio, em 2018, de 120 alunos de cursos técnicos e de graduação de instituições públicas para até três meses de treinamento no Reino Unido. A seleção dos estudantes será realizada no primeiro semestre deste ano. O MTur investirá R$ 5 milhões no programa. A proposta é complementar a formação dos estudantes em outro idioma e técnicas de turismo e hospitalidade. A parceria entre os dois países foi definida há dois meses, durante a World Travel Market (WTM), uma das maiores feiras de Turismo do mundo, em Londres. Na ocasião o ministro do Turismo, Marx Beltrão, se reuniu com a ministra de Esporte, Turismo e Patrimônio da Inglaterra, Tracey Crouch, e com o presidente da Associação de Colleges do Reino Unido, David Hughes, para acertar os últimos detalhes para retomar o programa. “O Ministério teve experiências exitosas neste sentido, com Portugal, em 2013, e com o próprio Reino Unido

e a Espanha em 2014. Agora estamos transformando estes projetos em uma política pública perene. Qualificar os nossos futuros profissionais é uma necessidade que atenderá à demanda do trade turístico, gerando renda e benefícios para a sociedade”, explicou Marx Beltrão. Os recursos do Ministério do Turismo serão repassados a entidades da administração pública, que firmarão convênio com a Pasta, por meio de Termo de Execução Descentralizada. A bolsa arcará com a matrícula na universidade, além de cobrir gastos com hospedagem, alimentação, auxílio-deslocamento, seguro saúde e ajuda de custo mensal. Os critérios de seleção dos bolsistas serão os mesmos dos utilizados nas experiências de 2013 e 2014. Dentre eles, o estudante deve ser brasileiro e residir no país no momento da candidatura; estar matriculado em curso de bacharelado, licenciatura, e/ ou tecnólogo em Turismo e/ ou Hospitalidade; ter integralizado de 20% a 80% do currículo previsto do seu curso; ter obtido nota no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) igual ou superior a 600 pontos, a partir de 2009; apresentar perfil de aluno de excelência, baseado no bom desempenho acadêmico, segundo parâmetros da Instituição de Ensino Superior e; comprovar proficiência mínima em língua inglesa.

DEFESA

ELEITORAL

O magistrado Ney Costa Alcântara de Oliveira assumiu ontem a presidência da Associação Alagoana de Magistrados (Almagis), para o triênio 20172019, em substituição da juíza Maria Lúcia de Fátima Barbosa Pirauá. O juiz Ney Alcântara se afastou da 1ª Vara Criminal da Capital para assumir a presidência da Associação. A cerimônia foi realizada às 19h30, no auditório da Escola Superior da Magistratura de Alagoas (Esmal), localizada no bairro do Farol, em Maceió.

A nova cúpula diretiva do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE/AL) toma posse hoje às às 17h, no auditório do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL). Para o biênio 2017/2018, serão empossados, como presidente, o desembargador José Carlos Malta Marques e, como vice -presidente, o desembargador Pedro Augusto Mendonça de Araújo. O mandato à frente da Corte Eleitoral é de dois anos. Antes da posse, Malta Marques fala com jornalistas a partir das 16h30.

Ney Alcântara assume Almagis por três anos

Cúpula diretiva do TRE toma posse hoje

A grade disciplinar será a mesma para todos os estudantes, mesmo os que estejam em diferentes instituições da Associação de Colleges, como são chamadas as faculdades no Reino Unido. O chefe de cozinha britânico Jamie Oliver é esperado para ministrar algumas aulas na área de gastronomia para um grupo desses estudantes. Para Londres serão 12 vagas, enquanto as demais serão destinadas a outras cidades da Inglaterra e para outros países do Reino Unido (Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte). OPORTUNIDADE – Mariana Radicchi, 23 anos, cursava turismo na Universidade de Brasília (UnB) em 2014, quando enxergou a chance de realizar o desejo de estudar fora do país. Uma palestra para apresentar o projeto do MTur, oferecendo bolsas para os alunos estudarem no Reino Unido e na Espanha, chamou a atenção da jovem. “Eu sempre quis morar fora e fazer intercambio, mas não tinha condições financeiras para isso. Como era na minha área e praticamente gratuito, me interessei, além de ser no Reino Unido. O curso atendeu às minhas expectativas, lá é muito bom para estudar”, recorda Mariana, que esperou o edital abrir, passou pelo processo de seleção e foi estudar no Exeter College, na cidade de mesmo nome.

Edição número 2813 - 10 de janeiro de 2017  

tribunaindependenteediçãodigitaltribunahoje

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you