Page 2

TRIBUNAINDEPENDENTE

2 POLÍTICA MACEIÓ - TERÇA-FEIRA, 10 DE JANEIRO DE 2017

Política

Veto pode ser causa de problemas à governabilidade, diz Rodrigo Cunha O deputado estadual Rodrigo Cunha (PSDB) avalia a justificativa do governador Renan Filho em vetar o aumento salarial como importante, mas com algumas ressalvas. “Se não for uma jogada ensaiada do governo junto à sua base eleitoral, o veto é importante. No entanto, se não for algo combinado, o veto pode ser o principal causador de riscos à governabilidade”, analisa o parlamentar. Rodrigo diz ainda que o governador não tem qualquer dificuldades em aprovar projetos no parlamento.

Governador vai vetar aumento salarial

Renan Filho quer um diálogo permanente com a Assembleia Legislativa para tentar outro acordo junto à base aliada

ESPLANADA LEANDRO MAZZINI - contato@colunaesplanada.com.br

A internet como aliada

O

debate em torno da eleição à presidência da Câmara chegou também às redes sociais com a transmissão ao vivo, ontem, pelo Facebook do candidato Rogério Rosso (PSD-DF). Foi uma tentativa de chamar o eleitorado para o processo que está sendo discutido apenas entre as paredes dos gabinetes dos parlamentares. Rosso pode ter dificuldades na própria bancada, mas ganha pontos ao popularizar a eleição do dia 2 de fevereiro. O presidente da Câmara, é bom lembrar, é o sucessor direto na atual conjuntura do presidente da República Michel Temer.

Poderes O presidente da Câmara define as matérias que entram na pauta de votação, o debate em torno dos temas em plenário e pode fazer do Parlamento mero cabide do Palácio do Planalto.

Ferramenta O engajamento pelas redes sociais em torno da sucessão na Câmara pode ganhar volume e à medida que cresce, coloca em jogo candidaturas consolidadas.

Filho meu Na próxima semana a Executiva e bancada do PDT decide se adota a candidatura de André Figueiredo (CE). Ele é um dos quatro pré-candidatos que se apresentaram até agora.

Cultura radical O brasileiro é em geral de direita de valores e intervencionista na economia, observa o filósofo Fabiano Lana, ao citar o Instituto GPP. De acordo com a pesquisa, 81% são contra a legalização da maconha; 77% contra o aborto; 90% querem a diminuição da maioridade penal; 79,7% querem ensino religioso na escola pública; e 52% querem mais intervenção do Estado na economia.

Negócio Dia 20 de abril acontece o leilão para concessão do terminal de trigo no Rio de Janeiro. Edital publicado ontem no DOU, prevê arrendamento mensal de R$ 428 mil por 25 anos.

Papa léguas Otimista com a tramitação de quatro reformas no Congresso, presidente Michel Temer tem pressa: “Agora podemos pensar na reforma tributária”.

Em curso O motivo dos massacres não está no pátio das penitenciárias ou no interior das celas, mas do lado externo das muralhas: a guerra previamente anunciada entre as duas principais facções criminosas do país.

Dois líderes De um lado está Marcola, do PPC, e de outro Fernandinho Beira Mar, do CV. A observação é do promotor Aluísio Maciel Neto, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Barba de molho Aparentemente Michel Temer está mais preocupado com a situação dos presídios que o ministro Alexandre Moraes. Teme o “salve geral”, a ordem que paralisou São Paulo há alguns anos.

Interesse partidário Duas consultas aguardam parecer na CCJ sobre a perda de cargo parlamentar em razão de desvinculação de sua bancada. Elas foram protocoladas em abril e maio do ano passado. Para seguir no curso normal do Regimento da Câmara depende da indicação do relator a ser feito pelo presidente da comissão, que sairá das articulações em torno da eleição da Mesa Diretora.

Interesse eleitoral A consulta desperta o interesse de várias bancadas e partidos, especialmente dos maiores que não querem mais perder integrantes. Numa das consultas, o deputado Carlos Manato (SD-ES) faz quatro perguntas. A primeira interessa especialmente nestas eleições: a quem pertence a vaga de suplente eleito para cargo da Mesa - ao Parlamentar, ao partido ou ao bloco.

Soneca Ministro Moreira Franco (PMDB) mandou avisar que não tem insônia por qualquer motivo, nem pelas ameaças do ex-deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ)

Ponto Final Lixo, depredação e gramado abandonado do Maracanã, o retrato de uma crise que não tem limites.

Com Equipe DF, SP e Nordeste www.colunaesplanada.com.br contato@colunaesplanada.com.br Twitter @leandromazzini

ASSESSORIA

NIGEL SANTANA EDITOR DE POLÍTICA

O

aumento salarial concedido pelos próprios deputados estaduais na reta final de 2016 pode ser vetado pelo governador Renan Filho (PMDB). Foi o que argumentou ontem (9) o próprio chefe do Poder Executivo durante entrevista à imprensa após a posse do novo secretário de Desenvolvimento Social, Fernando Pereira. De acordo com Renan Filho, houve uma imposição legal por parte da Assembleia Legislativa do Estado em aprovar um acréscimo de 26,3% nos salários a partir deste ano. “Talvez eu não tenha condiçoes de dar o aumento salarial dos parlamentares. Antes de vetar o aumento, irei conversar com os deputados estaduais, mas tomarei a decisão que a lei me obriga a tomar que é vetar o aumento em virtude de não haver legalidade. Pode se estudar um outro caminho, mas no atual cenário parece que não há. Solicitei da Secretaria de Estado do Planejamento [Seplag] para comunicar aos deputados para que possamos encontrar uma saída”, argumentou o governador Renan

Renan Filho trouxe o tema à baila durante a posse de Fernando Pereira, que assume a Seades

Filho. Em relação ao duodécimo da Assembleia Legislativa do Estado para 2017, o governador Renan Filho lembrou que foi aprovado um acréscimo de 5%. Em contato com a reportagem da Tribuna Independen-

te, o líder do governo, deputado Ronaldo Medeiros (PMDB), que também exerce a vice-presidência da Mesa Diretora, informou que tem uma reunião hoje (10) com o governador Renan Filho. Embora a pauta seja outra, o possível veto ao aumento sala-

rial dos parlamentares pode ser posto em debate. A reportagem também tentou contato com outros parlamentares, a exemplo do presidente da ALE, Luiz Dantas (PMDB), que não retornou as nossas ligações.

TITULAR DA SEADES

Pereira quer estender políticas sociais em AL Paulatinamente, a reforma administrativa no Governo de Alagoas vem sendo colocada em prática. Mais uma prova disso ocorreu ontem quando o governador Renan Filho deu posse o novo titular da Secretaria de Estado de Assistência e Desenvolvimento Social (Seades), Fernando Pereira. Ele foi prefeito do município de Junqueiro e com vasta experiência administrativa assume a vaga de Antônio

Pinaud para dar continuidade aos trabalhos e ações da pasta. O governador afirmou que este momento revigora a esperança para visualizar o futuro e o que foi feito para melhorar a vida das pessoas. “Conheço o seu espírito público e a sua dedicação para com Alagoas”, disse o governador. Fernando Pereira reafirmou o compromisso do Governo de Alagoas com a proteção das famílias em si-

tuação de vulnerabilidade. “O desafio é enorme, mas tenho consciência de que esse não é um desafio só de Alagoas. Vamos trabalhar no sentido de estender os benefícios a todas as famílias vulneráveis de Alagoas, a partir de políticas públicas integradas de Estado, envolvendo todos os órgãos de governo e as prefeituras”, disse Pereira. O novo secretário também apontou as medidas prioritá-

rias em sua gestão. “Nossa atenção será voltada principalmente para a retomada do programa de distribuição de cestas nutricionais e do programa da sopa. Vamos trabalhar também em sintonia com a Assembleia Legislativa, a bancada federal e o Fecoep, para garantir os recursos necessários para implementar nossos projetos”, explicou Pereira. (N.S, Com assessoria)

CÂMARA FEDERAL

Maia consegue apoio de bancada à reeleição Ao vislumbrar mais dois anos de mandato à frente da Câmara Federal, o atual presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) esteve em Alagoas no último final de semana para angariar apoios às suas pretensões. Maia participou de um almoço com os deputados federais por Alagoas, Cícero Almeida (PMDB), Rosinha da Adefal (PTdoB), Pedro Vilela (PSDB) e Givaldo Carimbão (PHS) na residência do ex-vice-governador de Alagoas, José Wanderley, atual tesoureiro do PMDB. A reportagem da Tribuna Independente apurou que Rodrigo Maia deixou Alagoas e levou consigo sete votos favoráveis à continuidade do seu mandato na presidência da Câmara dos Deputados. Não vota em Maia o deputado Ronaldo Lessa (PDT), líder da bancada alagoana, porque o partido vota no deputado André Figueiredo (PDT-CE). Outro parlamentar que não presta apoio a Rodrigo

DIVULGAÇÃO

Rodrigo Maia deixou Alagoas com uma boa expectativa de votos para seguir na presidência da Câmara

Maia é Paulão (PT). O parlamentar também aguarda uma posição do bloco PT/ PCdoB a respeito da composição para presidência da Câmara dos Deputados. No domingo (8), o deputa-

do federal JHC (PSB) se encontrou com o Rodrigo Maia e tratou, entre outros assuntos, os projetos da Câmara Federal para a recém-criada Secretaria da Juventude. O parlamentar também está

propenso a votar em Maia. NOVA VISITA Outro candidato que pretende vir a Alagoas mediar apoio à sua candidatura para presidência da Câmara é Rogério Rosso, do PSD.

Edição número 2813 - 10 de janeiro de 2017  

tribunaindependenteediçãodigitaltribunahoje

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you