Page 1

www.tribunafeirense.com.br ATENDIMENTO (75)3225-7500

FEIRA DE SANTANA, QUINTA-FEIRA 12 DE JUNHO DE 2014

ANO XV - Nº 2.484

R$ 1

redacao@tribunafeirense.com.br

Você paga para ficar parado e ser assaltado na BR 324

Glauco Wanderley

Segunda-feira (09) na BR 324: acidente em uma das pontes em obras gerou quilômetros de congestionamento. A pista rumo a Salvador precisou ser compartilhada com quem vinha da capital

É pouco provável que se possa encontrar no Brasil ou no mundo alguma estrada pedagiada pior que a BR 324, a mais movimentada do estado. Cada vez que a concessionária Via Bahia resolve fazer uma obra, por pequena que seja, pode ter certeza de que, se tiver sorte, você vai ficar horas preso em engarrafamento. Se não tiver, será vítima dos assaltantes que se aproveitam das interdições.

Acesse nosso site: www.tribunafeirense.com.br

4


2

Feira de Santana, quinta-feira 12 de junho de 2014

Parque Shopping vai gerar 5.500 empregos Com investimentos de R$ 310 milhões e previsão de inauguração para o segundo semestre de 2016, foi anunciado na manhã de segunda-feira (09) na prefeitura o lançamento do Parque Shopping, a ser construído na avenida Noide Cerqueira, no bairro SIM, principal zona de expansão imobiliária da cidade. O shopping será inaugurado com 150 lojas, sendo 8 âncoras e 4 mega lojas e já com previsão de área de expansão. Não foram divulgados nomes das lojas, pois tudo ainda está em fase de definição. As salas de cinema serão oito, o dobro do que tem hoje o Boulevard. Inicialmente serão 38 mil metros quadrados de área construída e 1.300 vagas de estacionamento.  O empreendimento reproduz grande parte da composição acionária do shopping Boulevard, pois entre os sócios estão

quadrados, com 1.350 vagas de estacionamento. Durante a construção está prevista a geração de 2.500 empregos diretos e indiretos. Com a estrutura em funcionamento, serão 5.500 empregos diretos e indiretos. O restante de 2014 será dedicado à elaboração de todos os projetos e a construção começa em 2015, no primeiro trimestre.

PAPAGAIO

Empresário Edson Piaggio falou como porta-voz do grupo

a EPP, de Edson Piaggio e o grupo de shoppings Aliansce, da familia Rique, de Salvador. Outros sócios feirenses são Francisco Cosmo, da rede Disbal e Luis Mercês, da Mersan. Uma fonte ligada a um dos empreendedores contou à Tribuna Feirense que a participação de

Mercês é de 5%. O empresário Edson Piaggio falou como porta-voz do grupo e exibiu uma pequena apresentação com informações básicas sobre o projeto. O shopping vai ocupar um espaço de 76 mil metros

O projeto de shopping no bairro Papagaio, que o grupo EPP anunciou há alguns anos, está suspenso. “A cidade ainda não comporta um terceiro shopping”, vaticinou Piaggio. Mas não descartou sua abertura no futuro, com o crescimento da região, que deve ocorrer a partir da inauguração da Avenida Ayrton Senna, que está sendo pavimentada pela prefeitura.

Trecho do Metrô de Salvador inaugurado após 14 anos Com a primeira viagem feita pela presidente Dilma Rousseff e pelo governador Jaques Wagner, sob o comando de uma mulher na direção, o Sistema Metroviário de Salvador, iniciado no ano 2000, foi oficialmente inaugurado na manhã de quarta-feira (11). Acompanhados pela imprensa e outras autoridades, Dilma e Wagner percorreram o trajeto Acesso Norte / Campo da Pólvora / Acesso Norte. A primeira viagem oficial marca o início da operação da primeira etapa da Linha 1, trecho que passa pelas estações da Lapa, Campo da Pólvora, Brotas e Acesso Norte. Na fase experimental, o transporte será oferecido de forma gratuita, de segunda a sexta-feira, de 12h às 16h, com capacidade de passageiros limitada. O chamado “período assistido”, até 14 de setembro, vai permitir que os baianos se familiarizem com o transporte, enquanto a concessionária CCR Metrô Bahia realiza retoques finais antes da operação comercial do sistema. O trecho que foi liberado nesta quartafeira integra o roteiro

adilson-simas@bol.com.br

Adilson Simas Feira Ontem Autoridades queixosas e anônimas Na sua coluna social Acontece, da edição 2.025 do jornal Feira Hoje, que circulou na terça-feira, 24 de fevereiro de 1981, o jornalista Antonio José Laranjeira, comenta a presença nesta cidade, do ex-governador Roberto Santos, recebido por Vicente Quezado Leite, presidente municipal do PP e outras lideranças locais. O jornalista informa que “Roberto Santos

traçou planos de ação da agremiação por estas plagas e manteve contatos muito importantes com políticos de outras alas partidárias que não estão satisfeitos com certos tratamentos da cúpula”, e encerra o texto com a seguinte observação: - Note bem: deixo de registrar nomes a pedido dos interessados...

“Mariposas da devassidão” do lado dos estudantes

Um dos batalhadores pela instalação da Santa Casa de Misericórdia, o tenente coronel Leonardo José Pereira Borges é nome de rua em pleno centro da cidade. O jornal Gazeta do Povo que circulou no domingo, 1º de maio de 1960, assim começa seu editorial: “Muita gente ignora a Rua Leonardo Borges. Mas se falarmos do Beco do Ginásio, todos conhecem, pela sua tradição de zona de baixo meretrício”.

O editorial lembra que a via pública fica situada na parte lateral do Ginásio Santanópolis – onde estuda a juventude feirense – e pede providencias às autoridades policiais alertando que a movimentação já está se igualando à da Rua do Meio e concluiu afirmando: - As mariposas assentaram ali o quartel general da devassidão...

Gentileza que custou caro

Com uma mulher no comando, o trem andou com governador, presidente e convidados

da Linha 1, que será concluída em janeiro de 2015, quando chegará até Pirajá. Esta linha completa tem investimento de R$ 8,7 milhões. O metrô da capital baiana passou à responsabilidade do estado em 2013, após entendimento entre o governador Wagner e o prefeito ACM Neto. Com investimento total de R$ 3,6 bilhões do governo federal, estadual e da concessionária CCR Metrô Bahia, a previsão é que todo o projeto do sistema metroviário fique pronto em abril de 2017. Nesta data, será

entregue a Linha 2, que sai do Detran até o aeroporto, passando pela Rodoviária, Pernambués, Imbuí, CAB, Pituaçu, Flamboyant e Mussurunga. As obras necessárias ao funcionamento do primeiro trecho integram o Programa Mobilidade Salvador, um pacote de obras estruturantes tocadas pelo governo estadual, com orçamento de R$ 8,5 bilhões. A presidente Dilma disse que “é um dia histórico depois de 14 anos, nos quais houve uma série de impedimentos.

Colocamos o metrô para rodar e servir a população. A inauguração para a Copa é simbólica, pois o mais importante é mostrar que é possível fazer a obra e ir entregando trecho a trecho”. “O sonho virou realidade e, para que chegássemos a esse dia de orgulho e satisfação, foi muito importante o processo de transferência do sistema do município para o estado, com o contrato assinado em abril e a licitação lançada entre outubro e novembro do ano passado”, comentou o governador Jaques Wagner.

No disputado o quadro Para quem você tira o chapéu?, do programa dominical na Rádio Subaé, o radialista Silvério Silva teve como convidado o exreitor Josué da Silva Mello, candidato a prefeito pelo PFL nas eleições de 1996. Indagado se tiraria o chapéu para Colbert Martins Filho, líder do PMDB, o entrevistado não pensou duas vezes: “Claro que tiro o chapéu. Colbert é um político sério, que trabalha sempre com ideias para a comunidade”. O programa foi no último domingo de

maio de 2000, teve grande repercussão nos meios políticos e como se tratava de um ano eleitoral, na edição que circulou no primeiro sábado de junho o semanário Tribuna Feirense manchetou: - Josué “tira o chapéu” e fica mal com o carlismo...


3

Feira de Santana, quinta-feira 12 de junho de 2014

Glauco Wanderley redacao@tribunafeirense.com.br

Reciclagem eleitoral

A eleição dos antipáticos

Foi em Feira de Santana que abriu, foi em Feira de Santana que fechou o ciclo de encontros para elaboração do programa de governo de Rui Costa. As promessas para a cidade foram todas recicladas: duplicação do Contorno, novo hospital, aeroporto de cargas, polo de logística, apoio ao centro industrial. Só não prometeu concluir o Centro de Convenções, tema por demais espinhoso que é melhor esquecer.

Rui Costa, que angariou larga fama de antipático quando chefe da Casa Civil no primeiro mandato de Jaques Wagner, apelou às recordações ruins que os políticos do interior têm do concorrente Paulo Souto, também conhecido por ser pouco afeito ao trato

Embasa

Mudou a camisa. Sai o vermelho entra o verde e amarelo

Claramente há uma articulação oposicionista em relação à Embasa. Se no fundo a intenção é abrir caminho para a privatização, como acusa o PT, ou apenas pressionar para extrair acordos mais vantajosos na hora de renovar os contratos, o tempo vai dizer. Só não dá para acreditar que é por mera coincidência que de repente a Embasa virou assunto obrigatório, de ACM Neto a Correia Zezito.

Água é municipal A discussão pode soar estranha, pois estamos acostumados a ver o setor como atribuição exclusiva dos governos estaduais. Mas a norma constitucional é que os municípios

é que decidem sobre água e esgoto. Como são poucos os que montam sua própria estrutura (Alagoinhas é uma exceção),

concedem o direito para exploração da empresa estadual. Municipalizar pode ser uma boa ideia. Da privatização de um monopólio, queiramos todos distância.

Por que não cavou mais, Embasa? Neste trecho da rua Monsenhor Moisés do Couto, no Campo Limpo, é uma pena que a Embasa não esburacou a rua inteira. Porque o conserto após a implantação da rede de esgoto foi feito com asfalto, ao invés de paralelepípedo, material preferido das pavimentações ronaldistas. A fim de trepidar menos, alguns carros vão tentando se equilibrar sobre a estreita faixa de asfalto, ou andam com pelo menos duas rodas sobre ele.

com os prefeitos - que chegam sempre de cuia na mão. Rui diz ter apoio de mais de 350 prefeitos, que segundo ele desabafam dizendo que eram muito maltratados quando Souto foi governador. “Dizem que quando iam a Salvador resolver um

problema de sua cidade eram recebidos em pé, com pressa”, atacou o petista, que promete fazer governo itinerante, transferindo a sede do poder por até 3 dias para cidades do interior, com órgãos e secretários a tiracolo.

Campanha fantasma

A candidata ao Senado pelo PSB, Eliana Calmon, queixou-se certa vez da falta de estrutura para a campanha. Mas a verdade é que a própria candidatura de Lídice da Mata ao governo é inconsistente em termos de exposição. Nem releases chegam à mídia dando conta da movimentação dela. Assim o palanque de Eduardo Campos na Bahia fica vazio.

Ronaldo desenvolvimentista O prefeito José Ronaldo aproveitou o anúncio de novo shopping center em Feira de Santana, para destacar o crescimento econômico da cidade “desde o início dos anos 2000”, que foi quando assumiu o poder no município. Ronaldo citou dados nacionais, que vêm colocando Feira de Santana em evidência. Como uma pesquisa da consultoria Urban Systems, divulgada pela revista Exame, a maior de economia do país, que colocou Feira como 10ª melhor cidade do Brasil em “infraestrutura urbana”.

Para nós que enfrentamos no cotidiano a precariedade dessa infraestrutura pode parecer estranho, mas foi o que a consultoria divulgou, após um complicado cálculo com 27 indicadores, destinados a encontrar as “melhores cidades para negócios” no país, pesquisadas entre 300 com mais de 100 mil habitantes. Foi ressaltado por Ronaldo na lista de avanços, o crescimento do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), que de 2001 a 2010 passou em Feira de 0,585 para 0,712 (a nota máxima possível é 1). Este

avanço de 22% em 10 anos colocou Feira em 5º lugar no estado. Ronaldo aproveitou para fazer uma comparação com Vitória da Conquista (que está em 16° na Bahia), segundo município do interior em população, governado pelo PT desde que Feira é governada por Ronaldo. O principal ponto ressaltado no discurso do prefeito foi a queda da mortalidade infantil. Em 2000 eram 32,83 mortes para cada 1.000 nascidos vivos e em 2010, último dado disponível, caiu para 15,64.

Queda no índice Firjan Um número que o prefeito não citou foi o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal, elaborado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, com base em dados oficiais do governo. Neste, o município teve queda da 3ª para a 10ª posição na Bahia e da 1424ª

para a 1694ª no Brasil. O índice atual leva em conta dados de 2011 e a comparação é com 2010 (anos em que a cidade estava sob o comando de Tarcízio Pimenta). Neste período, o município recuou de 0.6991 para 0.6954. Apesar do recuo, Feira tem um índice considerado Moderado,

pela classificação da pesquisa. A nota final é extraída através da média entre Educação, Saúde e Emprego & Renda. Dos três, o único em que a cidade desce a uma categoria inferior da escala (Regular) é Educação, bem abaixo dos demais indicadores.

ASSIM FALOU RENATO RIBEIRO, radialista

“Quem é o padrinho dessa ViaBahia, que faz o que quer, quando quer?” indignado com os engarrafamentos provocados pelas intermináveis obras nas pontes da BR 324

ELI RIBEIRO, vereador da igreja Universal

“O Brasil, o nosso estado, a nossa cidade precisa de orar, precisa de Deus” sugestão do pastor para combater a violência


4

Feira de Santana, quinta-feira 12 de junho de 2014

Engarrafamento e assaltos devido a obras na BR 324 GLAUCO WANDERLEY A quinta-feira (05) começou com um pesadelo para quatro empresários do ramo de seguros em Feira de Santana. Era pouco mais de meia noite e o grupo vinha junto pela BR 324, em uma Hilux SW4, retornando de um encontro em São Paulo, onde foram para o lançamento de um produto do setor. Ironicamente, os seguradores foram vítimas de assalto, praticado com a ajuda das intermináveis obras em pequenas pontes localizadas na BR 324. Devido ao horário, não havia engarrafamento, mas como nos trechos em obras a pista está reduzida à metade, com passagem para apenas um carro por vez, os ladrões em um Corolla preto (com placa IAN 6245, de Laranjeiras, Sergipe) fizeram a ultrapassagem e em seguida pararam sobre a ponte. Os empresários, obrigados a parar também, foram imediatamente abordados por dois homens armados, que invadiram o veículo. A história foi relatada à Tribuna Feirense por Etevaldo Almeida, da Roadseg. Ele estava na companhia de Menandro Suzart, Romildo Pinto e Edval Nogueira, cada um de uma seguradora da cidade. Segundo Etevaldo, os ladrões seguiram viagem por alguns minutos, fazendo todos de reféns, enquanto tomavam o que era possível, incluindo compras feitas em São Paulo e objetos de uso pessoal, como celulares. Quiseram saber se Etevaldo, que trajava terno, era juiz. Quando esclareceu que é advogado, acabou conquistando alguma simpatia do aparente líder do bando, que argumentou que advogados os ajudam junto à Justiça. O ladrão informou que poderia vender o carro por R$ 40 mil, mas resolveu deixar o grupo seguir viagem.

O sentido Salvador-Feira, com apenas duas pistas, recebe 45 mil veículos/dia, segundo a Via Bahia

O curioso é que Etevaldo vinha comentando com os colegas sobre esse tipo de assalto na BR 324, favorecido pelas obras nas pontes. Mas pensava que por estar em um grupo de quatro, não seria mais um alvo. Nesta semana mesmo, a seguradora indenizou um sinistro de alguém que perdeu o carro do mesmo modo. E ficou sabendo de outros dois casos de roubo nos longos engarrafamentos que se formam em vários trechos da estrada. Em função do transtorno, ele solicitou ressarcimento à Via Bahia, que está analisando administrativamente o caso. Etevaldo adianta que se não for atendido, abrirá ação judicial e acredita que assim poderá até ter uma indenização maior, pois incluirá na ação o dano moral. Ele conta que ficou difícil dormir, após o trauma de ter uma pistola apontada para a cabeça durante

cerca de 15 minutos. No dia em que falou à Tribuna Feirense, tinha conversado com um dos companheiros de desventura, que também relatou estar tendo dificuldade de dormir, uma semana depois do ocorrido.

HORAS DE VIAGEM Não existe mais horário bom para pegar a BR 324. No sentido SalvadorFeira, obras se sucedem em cinco pequenas pontes sobre riachos que cortam a rodovia. Próximo às obras, a pista fica com apenas uma faixa. Por menor que seja o

tráfego, o engarrafamento é inevitável e tem quilômetros de extensão. Quem costumava cobrir em uma hora ou um pouco mais a distância que separa as duas cidades, gasta agora no mínimo três horas. O pior é passar pelo ponto causador do transtorno e verificar que não há ninguém trabalhando. A Tribuna Feirense recebeu da assessoria de imprensa da concessionária Via Bahia resposta parcial aos questionamentos apresentados. A empresa tenta minimizar a participação das obras nas pontes como causa dos problemas. “As obras em pontes e viadutos na BR324 são essenciais e não são responsáveis isoladamente pelos engarrafamentos”, diz a assessoria. A justificativa para a paralisia das obras é climática. “A suspensão temporária dos trabalhos foi em função das fortes chuvas que caíram na região, mas já foram retomados”, garante. As obras estão sendo feitas há meses. A Tribuna Feirense solicitou uma previsão para o término e indagou se a pista seria liberada antes do

São João (quando o movimento de Salvador rumo ao interior se multiplica e leva a grandes engarrafamentos mesmo quando não há obra na pista). Não obtivemos resposta específica para a questão do São João. O que a concessionária informa é que “as obras de recuperação da rodovia prosseguirão durante o segundo semestre de 2014”. Para justificar a demora na conclusão, a empresa alega que “as obras de recuperação das pontes e viadutos são de alta complexidade. Além disso, os trabalhos são realizados com as pontes em funcionamento, o que acarreta maior cuidado na sua execução”. A Via Bahia ressalta que as estruturas ficaram décadas sem manutenção adequada e contraditoriamente conclui que o serviço não poderia ser feito “ao mesmo tempo e nem uma a uma”. No segundo semestre do ano passado, a empresa descumpriu vários prazos e demorou mais de três meses para consertar uma cratera que se abriu na BR ainda em Salvador, na altura de Porto SecoPirajá.

Deputado cobra ação do Ministério Público O deputado federal Colbert Martins (PMDB) ingressou com representação no Ministério Público Federal (MPF), pedindo o encaminhamento de uma ação judicial contra a ViaBahia, em que pede a suspensão da cobrança de pedágio. “Não é possível passar mais de 90 dias para fazer metade de uma ponte. Nós sabemos que a tecnologia hoje na engenharia civil, com os pré-moldados, agiliza e muito esse tipo de obra. O cidadão não pode continuar

pagando pedágio para ser prejudicado em engarrafamentos, ser assaltado e enfrentar recuperações que parecem intermináveis”, afirma o parlamentar. O deputado Colbert Martins destaca que trafegar por esta rodovia tornou-se uma tarefa insegura, pela “péssima qualidade da via”, pelos constantes congestionamentos, e, principalmente, em decorrência dos assaltos, já que os bandidos se aproveitam dos engarrafamentos. O advogado Rafael

Pinto Cordeiro, que deu entrada na representação solicitada pelo deputado, critica o modo como a recuperação está sendo executada. “A concessionária achou por bem intervir na rodovia de forma concomitante em cinco pontos diferentes, gerando em consequência cinco pontos de retenção, que têm resultado em grandes e perigosos congestionamentos”. Na representação do MPF, o advogado Rafael Pinto Cordeiro fez um histórico de todos os problemas causados pela ViaBahia desde que

assumiu a BR-324. UM SÉCULO Em maio, durante discurso na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Carlos Geilson (PTN) comparou a obra da Via Bahia com uma feita na China, de construção de uma ponte de 42 quilômetros sobre o mar e que ficou pronta em quatro anos. “Se essa concessionária executasse uma obra do mesmo porte demoraria um século para ser finalizada”, criticou.


5

Feira de Santana, quinta-feira 12 de junho de 2014

Fazenda otimista em vencer ações contra o IPTU Em função de um parecer favorável do Ministério Público Federal ao aumento do IPTU em São Paulo, o secretário Expedito Eloy, da Fazenda, se disse otimista de que a ação de inconstitucionalidade contra o aumento em Feira de Santana, movida pelos partidos PT e PSD, será vencida pela prefeitura. Isso porque, segundo o secretário, o MPF reconheceu que o aumento paulista, tal qual o feirense, foi legal, porque não envolveu elevação de alíquota e sim correção do valor venal dos imóveis. “Temos segurança do que fizemos, mas a ação preocupa, claro. No entanto, estamos otimistas ainda mais, após essa vitória da prefeitura de São Paulo”, comentou o secretário, que convocou a imprensa, para avaliar a conseqüência da novidade judicial na maior cidade do país. O

Em maio, Expedito apresentou os números aos vereadores, como manda a Lei de Responsabilidade Fiscal

caso ainda será decidido, porém, pelo Tribunal de Justiça. Diferente da capital paulista, onde uma liminar suspendeu a cobrança, em Feira de Santana o contribuinte teve que pagar o imposto com os novos valores ou ficar inadimplente. O próprio secretário previa desde o ano passado que iria crescer o número de contribuintes deixando

de pagar. Mesmo assim, acreditava num aumento de arrecadação, que se concretizou, segundo relatório apresentado por ele à Câmara municipal. Até o final de maio o IPTU arrecadado pelo município de Feira de Santana superou a marca de R$ 30 milhões, o que já representa 50% a mais do que em 2013. Isso significa que apesar de toda a turbulência provocada

Prefeitura distribui 70 toneladas de sementes A Secretaria Municipal de Agricultura, Recursos Hídricos e Desenvolvimento Rural, começou a distribuir quarta-feira (11), 50 toneladas de sementes de feijão e outras 20 toneladas de sementes de milho para os pequenos produtores rurais do município. De posse de listas elaboradas pelas respectivas associações de produtores e conhecendo a demanda de cada região. No total são 132 associações nos oito distritos. Quatro caminhões começaram a percorrer a partir desta quinta-feira as localidades, para fazer a entrega aos responsáveis pela distribuição em cada localidade. Quanto ao plantio, o secretário Ozeny Moraes explica que

22 tratores estão em operação há vários dias para fazer o preparo do solo. Ele também ressaltou a expectativa positiva para a zona rural com a chegada das chuvas. De acordo com informações colhidas pela Seagri, a previsão é de mais 25 milímetros de chuvas no município até o próximo fim de semana. “Estamos num bom momento para jogar a semente na terra, porque o período chuvoso está se consolidando. Não podemos perder

tempo”, completa Ozeny, lembrando que “milho e feijão são culturas muito sensíveis às condições climáticas”. Toda a semente a ser distribuída tem certificação de qualidade com pureza mínima de 98%. Antes de ser embarcada para os depósitos da prefeitura, passou por análise para se ter a certeza da boa qualidade a fim de não comprometer a germinação e garantir uma boa produtividade.

pelo aumento aplicado pelo governo, a projeção da secretaria da Fazenda está próxima de se concretizar. Na entrevista de dezembro à Tribuna Feirense, o secretário calculou que a receita seria de R$ 35 milhões até o fim do ano. Este valor representa R$ 15 milhões ou 75% a mais do que o obtido no ano de 2013. Os números atualizados foram informados pelo secretário em audiência na Câmara de Vereadores, sexta-feira (30), onde foi apresentado o relatório

do 1º quadrimestre do ano foram detalhados pelo secretário da Fazenda, Expedito Eloy. Por exigência legal, as audiências são realizadas a cada quatro meses pela Comissão de Finanças da Casa. O objetivo é analisar o cumprimento de metas fiscais do Poder Executivo. Segundo o titular da Fazenda, no quadrimestre “ficou patente um superávit”, sendo o ISS a principal fonte arrecadadora, 3 vezes maior que o IPTU.

A GENTE É MAIS BRASIL. —

A gente é mais Brasil quando bate recordes de produção no pré-sal. A nossa produção de petróleo está entre as que mais cresceram no mundo, nos últimos dez anos. Em maio de 2014, ultrapassamos a marca de 470 mil barris de petróleo por dia, somente no pré-sal.

A gente é mais Brasil quando constrói navios e plataformas aqui. Estamos criando novos empregos e oportunidades: hoje já são 80 mil trabalhadores na indústria naval. Até 2020, está prevista a entrega de 38 plataformas, 28 sondas, 88 navios e 146 barcos de apoio.

A gente é mais Brasil quando aumenta a produção das refinarias no país. Processamos, em março de 2014, mais de 2,1 milhões de barris de petróleo por dia.

A gente é mais Brasil quando garante estrutura para entregar mais gás. Com o investimento em gasodutos e terminais de regaseificação, ultrapassamos a entrega de 100 milhões de metros cúbicos de gás natural em um único dia.

A gente é mais Brasil quando nosso valor de mercado aumenta seis vezes desde 2002. Nosso valor de mercado atual* é 104,9 bilhões de dólares, seis vezes maior do que em 2002, quando foi avaliado em 15,5 bilhões de dólares. *valor em 7 de maio de 2014.

A gente é mais Brasil fazendo mais, acreditando mais e crescendo mais.

INFORMATIVO: A Unimed de Feira de Santana contrata pessoas portadores de necessidades especiais. Interessados deverão encaminhar currículo com descrição da necessidade especial e/ou CID para e-mail: selecao@hufsa.com.br.

Em 2014, estamos investindo um total de 104 bilhões de reais para continuarmos crescendo. E até 2020 vamos duplicar a nossa produção de petróleo.

Saiba mais em petrobras.com.br/fatosedados


6

Feira de Santana, quinta-feira 12 de junho de 2014

Comissão da Assembleia aprova projeto que reduz território de Feira A polêmica divisão territorial entre Feira de Santana e São Gonçalo dos Campos, proposta pela Secretaria de Planejamento (SEI) do estado, deu o primeiro passo para entrar em vigor. Foi aprovada terça-feira pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa da Bahia, que é presidida pelo deputado Joseildo Ramos (PT). O projeto ainda terá que ser votado em plenário pelo conjunto dos deputados. O texto aprovado não contempla as objeções feitas por Feira de Santana, que alega perda de 37 quilômetros em seu território. O projeto é ainda pior do que a versão inicial, na avaliação de Arcênio Oliveira, exsecretário de Gestão e Convênios, que esteve à frente dos estudos da prefeitura que contestam a proposta da SEI (Arcênio deixou a secretaria há poucos dias, alegando que pretende tocar projeto pessoal como arquiteto). Em outubro de 2013, a prefeitura promoveu uma caravana, com vereadores e imprensa, além do prefeito José Ronaldo, que compareceu a uma reunião da comissão de Assuntos Territoriais da Assembleia Legislativa, em Salvador, para apresentar a opinião de Feira de Santana. Diante da aprovação na Comissão da Assembleia, o prefeito avalia se no momento em que a proposta seguir para o plenário pedirá a deputados aliados para apresentarem emendas. Como o governo estadual tem ampla maioria na Assembleia, é provável que o projeto da SEI seja aprovado. O prefeito reiterou sua disposição já anunciada ano passado, de recorrer à

Justiça e “ir até o STF se for preciso”. O BOTICÁRIO Além dos muitos quilômetros de área perdida, um pequeno trecho acabou virando o centro da polêmica entre os municípios vizinhos. É onde se localiza o Centro de Distribuição de O Boticário, que no entendimento do governo municipal está em território feirense. Após a inauguração, em abril, a secretaria da Fazenda inclusive já notificou a empresa, para apresentar documentação que autorize seu funcionamento. O Boticário respondeu que os documentos foram apresentados em São Gonçalo e o caso foi encaminhado à Procuradoria, cujo parecer o secretário Expedito Eloy agurda, para decidir como agir. O território Portal do Sertão engloba 17 municípios (Água Fria, Amélia Rodrigues, Anguera, Antônio Cardoso, Conceição da Feira, Conceição do Jacuípe, Coração de Maria, Feira de Santana, Ipecaetá, Irará, Santa Bárbara, Santanópolis, Santo Estevão, São Gonçalo dos Campos, Tanquinho, Teodoro Sampaio e Terra Nova). A SEI informa que há 60 anos foram feitas atualizações dos limites entre os municípios, e na época o estado tinha apenas 150, enquanto hoje são 417. Na Assembleia, o projeto foi relatado pelo deputado João Bonfim (PDT) - que na foto aparece recebendo documento das mãos do prefeito José Ronaldo - e relatado pelo deputado Zé Raimundo (PT).

Os mapas da esquerda são da prefeitura. O território de Feira está dividido em cores diversas. As partes brancas são os municípios vizinhos.

Os mapas da direita mostram a proposta da SEI. Em todos eles, o território de s , onde Feira de Santana está representado na cor bege.

MAIS ANGUERA - No mapa da direita, com a proposta da SEI, a área branca avança rumo ao Norte sobre o território de Feira, alargando a área de Anguera

MAIS ANTÔNIO CARDOSO - No mapa da prefeitura de Feira, uma larga faixa separa os limites com Antônio Cardoso (ao Sul) e Anguera (ao Norte). No mapa da SEI, os três municípios quase se tocam numa tríplice fronteira

MAIS SÃO GONÇALO - A linha reta na parte mais baixa do mapa da prefeitura de Feira desaparece na proposta da SEI, que também cria uma série de reentrâncias ao Norte

Perda equivale ao tamanho do CIS Pelos cálculos feitos no ano passado pelo então secretário Arcênio Oliveira, a perda com a proposta da SEI era de 37 quilômetros quadrados, equivalente ao tamanho do CIS (Centro Industrial do Subaé). A extensão do município cairia de 1.338 (conforme estabelecido pelo IBGE) para 1.301 quilômetros quadrados. Inicialmente pensava-se

que o estudo da SEI pretendia somente colocar um ponto final na disputa territorial de Feira de Santana com São Gonçalo dos Campos. O problema se agravou, porque de acordo com Arcênio, a proposta da SEI alterou limites que não estavam em questão, fazendo com que Feira perdesse terras para Antônio Cardoso, Anguera e Tanquinho, além de São Gonçalo.

O ex-secretário usou mapas da prefeitura e do IBGE, do Censo do ano 2000 e comparou com o mapa da nova proposta da SEI. As diferenças podem ser constatadas nos trechos destacados ao lado. SÃO GONÇALO O conflito com São Gonçalo dos Campos é especialmente complexo. Uma lei

de 1954 estabeleceu marcos cuja localização hoje é duvidosa. É o caso do Bebedouro do Sabino e do Pau de Légua. Prefeitura e SEI divergem sobre onde estão situados estes dois pontos. Entram ainda na conta os moradores do loteamento Alameda das Árvores, que reivindicam ser considerados como feirenses, pois reclamam que não

são assistidos pela prefeitura de São Gonçalo. O problema com O Boticário é mais grave. No entendimento do governo de Feira a região nunca foi objeto de dúvida. A instalação da empresa em terras feirenses teria sido simplesmente um erro, pois o município vizinho começaria somente cerca de um quilômetro mais à frente. Para “puxar”

a empresa para São Gonçalo, os técnicos da SEI teriam criado um traçado sem relação com a Geografia ou a História. Com as mudanças propostas pela SEI, a fazenda Saco do Limão passaria a pertencer a São Gonçalo. “Estão alterando até a História de Feira, porque essa é a fazenda onde nasceu Lucas da Feira”, comentou na época Arcênio.


7

Feira de Santana, quinta-feira 12 de junho de 2014

IMAGINE Imagine! A sua cidade, Feira de Santana, com muitas escolas em tempo integral, atendendo dezenas de milhares de alunos, dos 6 aos 14 anos, das segundas às sextas-feiras, iniciando as atividades às 7h30, encerrando às 17h00, quando eles já cumpriram todas as tarefas escolares, praticaram esportes, alimentaram-se correta e satisfatoriamente durante a jornada com assistências médica, odontológica e psicopedagógica.

IMAGINE

Imagine! Que estas escolas, situadas em bairros carentes como Campo Limpo, Gabriela, George Américo e tantos outros, pudessem congregar, aos sábados, alunos e familiares, fazendo-os participar conjuntamente de atividades esportivas, sócio-culturais, em processo de integração e educação socializante. Que as escolas se transformassem em espaços desejados e defendidos pela comunidade porque necessários e indispensáveis aos seus filhos, para afastá-los das drogas, da vadiagem, abrindo-lhes as portas de um futuro digno, honesto e promissor.

Imagine! Não há paraíso acima Nem inferno eternos abaixo de nós O que existe é o céu Com tudo o que construímos sob ele.

Imagine! Que a administração municipal planejou e começou a construir todas estas escolas ao mesmo

tempo. Dezenas delas! Uma forma de pressionar e obter os recursos necessários ao empreendimento. Dinheiro municipal, estadual, federal, internacional, de empresas, fundações e particulares. De todos os que pudessem entender o significado desta Revolução.

Imagine! Você pode dizer que eu sou um sonhador Mas não sou o único. Prefeitos como os de Mata de São João (BA), Sobral(CE) pensaram assim. Espero que um dia você junte-se a nós. Nosso mundo, nossas cidades, serão melhores.

Imagine! Poder viver a cidade sem medo, sem assaltos, sem miséria, respeitando-nos uns aos outros. Com

a consciência de que a coisa pública precisa ser defendida e cuidada porque é nosso patrimônio, dos nossos filhos, dos nossos netos. Poder sonhar e exigir o passo seguinte, a Educação Básica profissionalizante que garantirá aos jovens a tão sonhada inserção social, livrando-os da marginalidade.

Imagine! Todas as pessoas Vivendo suas vidas em paz Um mundo único, menos desigual Sem necessidade de ganância ou fome Sem motivos para matar ou morrer tão estupidamente. Imagine todas as pessoas Partilhando nossas cidades, nosso mundo ...

Prof. Teomar Soledade Júnior


8

Feira de Santana, quinta-feira 12 de junho de 2014

Evento no MAC reúne literatura, música e poesia Washington Nery

O jornalista Marcondes Araújo autografando exemplares de sua obra

Literatura, música e poesia. Tudo em um só lugar. Foi assim a noite de terça (10), no Museu de Arte Contemporânea Raimundo de Oliveira (MAC), quando foram lançados dois livros. O espaço ficou pequeno para o grande público que prestigiou o evento e, ao mesmo tempo, curtiu show de chorinho e recital de poesia. Os livros de Marcondes Araújo e Tércia Souza, de contos e poesia

respectivamente, foram lançados abriram a produção literária das Edições MAC 2014. “Nossa proposta é viabilizar a publicação de trabalhos de autores novos e consagrados, sem distinção”, define Edson Machado, coordenador do Museu. O jornalista Marcondes Araújo, autor de “Jeremias ladrão-de-cavalo e outros contos”, se define como um

experimentador – e não propriamente escritor – da arte literária. Apesar de ter textos publicados em revistas da Bahia e de outros estados e ser premiado no XI Prêmio Literário Livraria Asabeça pelo livro “Piolhos-de-cobra”. Leitor de contistas e romancistas de projeção mundial, diz que não se atém a temáticas específicas para criar, mas nos quatro contos que compõem a obra lançada, estão presentes os conflitos das relações humanas. A poesia da estreante Tércia Souza também não se prende a tema único. Os seus “Primeiros ensaios poéticos” falam de amor, de exclusão social, de tecnologia e, sobretudo, de vida. Versos de poemas como “Imundície”, “Transe”, Eclipse”, “Irmandade”, e “Mudernidade”, da estudante de Educação Física que se descobriu poeta, foram recitados por um grupo de poetas, o que garantiu um clima especial ao evento. As sessões de autógrafos, contaram com a apresentação do grupo “Chorinho entre amigos”.

Festival de Samba de Roda – Samba de Todos O samba de roda praticado na Bahia é uma expressão musical singular no panorama nacional, que evidencia a riqueza do nosso legado cultural afro-brasileiro. O reconhecimento pelo IPHAN em 2004 como patrimônio imaterial nacional, e pela UNESCO em 2005, no âmbito internacional, em muito pode contribuir para a valorização do samba de roda do sertão, e dos sambadores e sambadeiras, como autores e guardiões dessa herança cultural. O Festival Samba de Roda, Samba de todos, é uma ação da Fundação Cultural Municipal Egberto Tavares Costa, em parceria com a Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer que objetiva a valorização e difusão do samba de roda da Bahia. O festival prevê palestras, mostras de samba, exibição de filmes, discussões entre órgãos governamentais e sociedade, apresentações de 16 grupos de samba de roda de Feira de Santana e do Território Portal do Sertão, além de dois shows musicais. Essas atividades ocorrerão em cinco escolas da rede municipal de ensino, no Centro de Cultura Amélio Amorim e na Praça do bairro da Cidade Nova. O início do festival será no dia 03 de julho no Seminário Samba de Roda, Samba de Todos, das 09h00 até às 18h00 no Centro de Cultura Amélio Amorim. No período de 14 a 18 de julho ocorrerão atividades nos colégios: Jonathas Telles de Carvalho, Agrário de

Melo, Ana Maria Alves dos Santos, Rosa Maria Espiridião Leite e Olga Noêmia. Entre os dias 18 e 19 de julho haverá a grande roda de samba com a presença de grupos de samba diversos e shows musicais, na Praça João Havelange no bairro da Cidade Nova. Todas as atividades terão entrada gratuita.

Política Ambiental O matadouro Frigorífico Campo do Gado na busca da melhoria contínua das ações voltadas para o meio ambiente, assegura que está comprometido em: . Promover o desenvolvimento sustentável, protegendo o meio ambiente através da prevenção da poluição, administrando os impactos ambientais de forma a torná-los compatíveis com a preservação das condições necessárias à vida; . Atender à legislação ambiental vigente aplicável e demais requisitos subscritos pela organização; . Promover a melhoria contínua em meio ambiente através de sistema de gestão estruturado que controla e avalia as atividades, produtos e serviços, bem como estabelece e revisa seus objetivos e metas ambientais; . Garantir transparência nas atividades e ações da empresa, disponibilizando às partes interessadas informações sobre seu desempenho em meio ambiente; . Praticar a reciclagem e o reuso das águas do processo produtivo, contribuindo com a redução dos impactos ambientais através do uso racional dos recursos naturais; . Promover a conscientização e o envolvimento de seus colaboradores, para que atuem de forma responsável e ambientalmente correta;

PEDIDO DE LICENÇA AMBIENTAL O Matadouro Frigorífico Campo do Gado, CNPJ n0 04.678.717/0001-48 torna público que está requerendo ao Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos – INEMA a Licença de operação para a atividade de abate de bovinos, bubalinos, suínos, caprinos e ovinos, localizada na Rua Heráclito de Carvalho, s/n – Campo do Gado Novo – Feira de Santana – Bahia. Gustavo Luiz Pereira Machado Diretor

Fundado em 10.04.1999 www.tribunafeirense.com.br / redacao@tribunafeirense.com.br Fundadores: Valdomiro Silva - Batista Cruz - Denivaldo Santos - Gildarte Ramos Editor - Glauco Wanderley Diretor - César Oliveira Editoração eletrônica - Maria da Piedade dos Santos

Maiores informações pelo telefone 75 32215079. Futuramente será lançado o site www. sambaderoda.org.

OS TEXTOS ASSINADOS NESTE JORNAL SÃO DE RESPONSABILIDADE DE SEUS AUTORES. Rua Quintino Bocaiuva - 701 - Ponto Central CEP 44075-002 - Feira de Santana - PABX (75)3225.7500/3021.6789


9

Feira de Santana, quinta-feira 12 de junho de 2014

Diretoria quase completa SIDNEI CAMPOS - ASCOM-FFFC

ORDACHSON GONÇALVES Dos onze departamentos que compõem a diretoria executiva do Fluminense de Feira Futebol Clube, apenas dois ainda não têm nomes definidos: Departamento de Futebol e Secretaria Geral. Os demais membros da Mesa Diretiva foram anunciados pelo presidente Gerinaldo Costa na noite da última terça-feira (10). Como já havia revelado o gestor do clube, a nova diretoria mescla alguns nomes novos com outros já conhecidos pela torcida. Foram nomeados: Mizael Freitas (diretor Administrativo), Aelcio Macedo (diretor de Patrimônio), Jairo Miranda (diretor de Finanças), Leon Wanderley (Diretor do Dep. de Amador e Base), Paulo Ribeiro (diretor Social e de Relações Públicas) e José da Paz (Tesouraria Geral). O Departamento Jurídico contará com três advogados: Renildo Brito, Júlio César e Emanoel Almeida. O Departamento Médico também terá três

também é composta pelos vice-presidentes Everton Cerqueira (Administrativo) e Luiz Paolilo (Futebol).

DESTINO INCERTO

Os vices Luiz Paolilo (à esquerda) e Everton Cerqueira, com o presidente Gerinaldo (de vermelho)

profissionais: Richard Moreira, Antônio José e Umberto Martins. Já o Departamento de Comunicação e Marketing contará com dois profissionais: Wilson Passos e Elsimar Pondé. Na oportunidade também foi nomeada a Comissão Organizadora do Seminário de Planejamento, evento previsto para acontecer no mês de julho com o objetivo de discutir com a sociedade civil organizada alternativas para o clube. Compõem

a comissão: Jairo Miranda, José da Paz, Mizael Freitas e Carlos Brito. O presidente Gerinaldo Costa deverá anunciar nos próximos dias os nomes do diretor de futebol e secretário geral. Ele acredita que um dos principais desafios da diretoria executiva é estabelecer a união interna. “É natural dentro de um processo de democracia ideias

e pensamentos diversos. Mas não vamos aceitar imposições. Queremos a participação e a união de todos”, pontua. A nova diretoria executiva comandará o clube pelos próximos dois anos. A chapa eleita no dia 31 de maio

Um dos fatos mais polêmicos da última gestão do Fluminense de Feira, que tinha à frente o advogado Hércules Oliveira, foi a exclusão de 189 sócios e conselheiros inadimplentes com o clube. A lista, com os nomes completos, foi publicada no jornal Folha do Estado, através de decreto assinado pelo então presidente, sob a justificativa de ‘obedecer a uma determinação estatuária’. Hércules, que assumiu o time durante 90 dias, não conseguiu êxito na última eleição – foi derrotado pela chapa encabeçada por Gerinaldo Costa por 41

votos contra 33. Com a eleição de uma nova diretoria, a situação dos excluídos passou a ser uma incógnita. O atual presidente evita emitir opinião acerca das ações do antecessor, mas revela que a Diretoria Social, que tem à frente Paulo Ribeiro, deverá apresentar em breve um plano de recadastramento de associados e uma campanha para atrair novos sócios. De acordo com o estatuto do clube, os sócios e conselheiros excluídos poderão retornar após a quitação das mensalidades em atraso – que na gestão anterior foi reajustada para R$ 50,00. Os ex-conselheiros Elson Abreu, Emerson Cerqueira e Antônio Carlos Almeida só poderão retornar após aprovação do Conselho Deliberativo.

O CORAÇÃO QUE PULSA NO MEU PEITO

É VERDE E AMARELO. Vamos lá Brasil!


10

Feira de Santana, quinta-feira 12 de junho de 2014

Sandro Penelu

Cultura e Lazer sandropenelu@gmail.com

Espetáculo “Tem areia no maiô” tem apresentação única na CDL Dentro da programação do Circuito Cultural Belgo Bekaert, Feira de Santana recebe neste sábado, dia 14, às 16 horas, no Teatro da CDL, o espetáculo “Tem areia no maiô”, do grupo As Marias da Graça. A peça conta a história de quatro palhaças que resolvem ir à praia num belo domingo de sol. A trupe embarca num calhambeque rumo à Copacabana e a aventura começa com um pneu furado. Na praia, as Marias fazem um strip-

tease desfilando seus maiôs graciosos e divertidos. Enfrentam desastradamente, perigos no mar, chuvas de verão e claro, areia no maiô. Promovido pela empresa Belgo Bekaert Arames, o Circuito tem como objetivo oferecer uma programação cultural regular à comunidade e contribuir para formação de público. A proposta é democratizar a cultura como fonte

de conhecimento e desenvolvimento, através de uma programação voltada, especialmente, para crianças e jovens estudantes da rede pública de ensino. Todas as apresentações são gratuitas, sempre no segundo e quarto sábado de cada mês. As senhas de acesso começarão a ser distribuídas uma hora antes de cada espetáculo. A maratona cultural prossegue com grupos teatrais locais e nacionais, até dia 22 de novembro.

“Só Depende de Nós, rumo a Copa” no Domingo tem Teatro O projeto Domingo Tem Teatro traz como atração para o mês de junho o espetáculo “Só Depende de Nós, rumo a Copa”, da Cia. Cuca de Teatro, sempre às 10h30min, no Teatro Universitário do CUCA, em Feira.

O espetáculo busca uma nova consciência e visão ambiental, promovendo uma vivência e estímulo, unindo o tema meio ambiente ao contexto em que estamos vivendo, todos rumo à Copa. Temas como coleta seletiva, poluição de lagoas e desperdício

de água são tratados de maneira dinâmica e lúdica, possibilitando um maior envolvimento e atenção do público, que se identifica com as histórias e situações vividas pelas personagens. Ingressos no local a R$ 12,00 (Meia promocional para todos).

Inscrições abertas para Rainha do Bando Anunciador da Festa de Santana

SHOWS AO VIVO SEXTA-FEIRA 13/06 ATRAÇÃO

LOCAL

HORA

ENDEREÇO

DENIS

Quiosque do Mazinho

21

Praça Gilson Pedreira – Av. Getúlio Vargas

MAIRI MONTE ALEGRE

Cidade da Cultura

21

Conj. João Paulo

JOSAS ALMEIDA

Paradinha Pastelaria

21

Rua São Domingos

GRUPO KI XOTE É ESSE E PÉRICLES E LEONARDO

Espaço Graça Magalhães

22

Capuchinhos

GRUPO ARMARIAS

Botekim

21

Av. João Durval

SÁBADO 14/06 ATRAÇÃO

LOCAL

HORA

ENDEREÇO

ELIOMAR SANTOS

Quiosque dos Amigos

18

Praça Duque de Caxias

MARCIANO DO ACORDEON

Cidade da Cultura

21

Conjunto João Paulo

JOSAS ALMEIDA

Paradinha Pastelaria

21

GENIVAN DE LEDA

Quiosque do Mazinho

21

URI BECHEN

Porto da Feira

20

SANDRO PENELÚ

Saigon

21

BANDA ROCK NA VELHA

Radiola

21

Rua São Domingos Praça Gilson Pedreira – Av. Getúlio Vargas Estação Nova Rua José Pereira de Mascarenhas – Próximo ao Cortiço Em frente ao Mercantil

Itamar Vian Luzes no Caminho Arcebispo Metropolitano

Guia de separação Comemora-se, neste dia 12 de junho, o Dia dos Namorados. A data, apesar de ser muito antiga, não é bem definida. No Brasil, parece ter sido fixada neste dia por ser véspera do dia de Santo Antônio, o santo casamenteiro e o santo defensor dos valores da família. Em muitos países, a data é celebrada no dia 14 de fevereiro, dia de São Valentim, o santo que realizava muitos casamentos. UMA REVISTA brasileira traz o sugestivo título: Guia de Separação. Diz o artigo: “O fim de um matrimônio é sempre doloroso. Além de mágoas, decepções, também são muito comuns as brigas pela guarda dos filhos, a pensão alimentícia e a divisão dos bens. Se o casal não for capaz de entender quem fica com o quê, caberá à Justiça decidir sobre cada uma destas questões”.

O Cuca está com inscrições abertas para Rainha do Bando Anunciador da Festa de Senhora Santana. Para concorrer é preciso ter 18 anos ou mais. As interessadas devem fazer a inscrição

presencialmente, até 22 de junho. O Cuca está situado na Rua Conselheiro Franco, 66, Centro, Feira de Santana. As inscrições podem ser feitas de 8 às 17h, de segunda a sexta-feira. A escolha da Rainha será em 10

ALUGO CASA - Rua São Domingos nº 951, Parque Getúlio Vargas. Falar com Sandra, pelos telefones 8269-3469 ou 9272-2835. ALUGO PONTO COMERCIAL - Rua Quintino Bocaiuva, 701 - Ponto Central. Próximo a João Durval - TEL: (75) 3225-5877 / 9134-1235 ALUGO PONTO COMERCIAL - Rua São Domingos nº 951, Parque Getúlio Vargas. Telefones 8269-3469 ou 9272-2835. Falar com Sandra.

de julho, oportunidade em que haverá debates e exposição de fotos antigas do evento. O Bando Anunciador da Festa de Senhora Santana sai às ruas em 13 de julho, pelo centro de Feira de Santana, com saída do Cuca. Apresentamse grupo de diversos bairros da cidade e de outros municípios da região. Trata-se de um projeto da Universidade Estadual de Feira de Santana, executado desde 2007, com o objetivo de resgatar uma das mais tradicionais festas populares da região.

TUDO isso é certo. Quando a vida em comum se torna impossível, a separação deve ser feita de maneira correta e justa para todos os envolvidos. O que chama a atenção é a preocupação da revista em estabelecer um Guia de Separação. Trata-se de um roteiro para quem busca este caminho. É realmente fácil decidir quem fica com o apartamento, o automóvel, os pratos, a casa de praia, o televisor. A situação complica-se quando entra em questão: Quem fica com os filhos, ou os filhos ficam com quem? MUITO melhor que tratar essas questões, seria preparar bem o casamento. Quando é praticamente impossível remediar, é muito melhor prevenir. Prevenir, no caso, significa uma séria e criteriosa preparação para o casamento, respeitando as etapas, os sentimentos e a individualidade de cada um. O Evangelho fala em construir sobre a rocha. O namoro e o noivado são etapas para elaborar juntos um projeto a dois. Muitas vezes, não existe um projeto a dois, mas dois egoísmos morando na mesma casa. NA CELEBRAÇÃO do “Dia dos Namorados”, convocamos os jovens para que construam suas vidas sobre a rocha, dando estabilidade ao casamento. Muitos casam, apostando na subjetividade e na busca da satisfação. Isto é construir sobre a areia. Depois se torna necessário instituir o Guia da Separação O TEMPO de namoro e de noivado é um tempo sagrado. É tempo de conhecer e deixar-se conhecer. É tempo de avaliar e deixar-se avaliar. Quando o namoro for responsável, a vida a dois será uma história de amor. Mais do que querer a pessoa certa, o candidato precisa ser a pessoa certa. Que Deus abençoe todos os namorados!


11

Feira de Santana, quinta-feira 12 de junho de 2014

Menino de 14 anos morto a tiros na Famfs Em plena pista de atletismo de borracha de pneu reciclada, na Fundação de Apoio ao Menor (Famfs) o corpo

inerte de Jorge Gabriel Gonçalves Lemos, de apenas 14 anos, foi coberto com um pano azul enquanto esperava o levantamento cadavérico da polícia.

“Aqui agora é ponto de drogas, aprontam de tudo aqui. Esses dois indivíduos entraram aqui armados. Os dois estavam praticando assaltos e depois

Aldo Matos

Armando Sampaio Empresário de Turismo - Presidente da ACEFS- Associação Comercial e Empresarial de Feira de Santana

Carta a um soteropolitano Andei no mundo de vocês, ví a bela exposição de Diógenes Rebouças, visitei o Museu do Azulejo, revisitei o acervo do Museu de Arte da Bahia, a exposição de Bel Borba. Retornei ao meu mundinho acostumado aos santos de Jan, as pinturas de Juracy e Gil e senti que a loquacidade das intervenções urbanas de Bel Borba afetam meus sentidos e perturbam meu conceito de estética. Minha leitura já faz esforço para os poemas herméticos de Brasileiro, imagina interpretar o caos da cidade grande com as subliminares mensagens de consumo distribuídas regularmente em suas ruas, shoppings, espaços públicos e privados. Fico com meu Poeta interiorano que utilizando palavras locais se comunica com qualquer sujeito que tendo discernimento, percebe a universalidade da sua poesia, que traduzida em qualquer idioma é entendida e merece ser respeitada. Vocês fazem uns tais “Ceasinhas” para imitar nossos mercados e apesar da comida boazinha, da variedade de condimentos, falta o cheiro de terra, a aparência de serem plantados e colhidos, mais parecem que foram fabricados! Se quiserem mesmo sentir o interior, que venham a nossa cidade experimentar mingaus, carne de sol, rapaduras e biscoitos, frutas e legumes, aipim e inhame, maniçoba e sarapatel, cuscuz e requeijão, doce de leite e tamarindo, goiabada e bananada. Tenham

medo não! Por aqui tem uns acontecidos bravos, como a insegurança de andar nas ruas, o medo que habita os becos, o viver assustado até do vizinho de porta, de nossas crianças confinadas em espaços pré-estabelecidos, de cercas elétricas e grades nas janelas e portas, coisa a que vocês também estão habituados. Mas, tem a lua que é mais bonita e que se desnuda mais fácil para ser vista. Tem ar mais puro, menos contaminado. Tem casinhas coloridas que nos surpreendem, tem centenárias arvores que ainda dão frutos, tem cachorros nas ruas usando de uma imensa liberdade que já foi nossa. O clima é ameno, temperado nas alturas dos cerrados e perfumado pelo mato e flores da caatinga. Bem, verdade que temos também passeios inseguros, pois irregulares, lixo na rua, trânsito caótico, hospitais deficientes, escolas carentes. Mas, a isso, vocês também estão acostumados, porque desde que este PT assumiu o Estado as mazelas se alastraram e seja na capital ou no interior, estamos mesmo é fodidos! Para vir até aqui só tem um jeito. Não venha a pé para não ser confundido com os manifestantes que param a estrada vários dias por semana. Não tem avião, porque o Aeroporto mesmo licitado tem algum mistério e não é operado. Use então a BR324 e faça 108 km de estrada em no mínimo 2 horas, podendo chegar a 4. A concessionária não acaba nunca os reparos. Tem mais: dois caros pedágios. Aqui chegando, fique aliviado: você está vivo! Visite o comércio, sua enorme variedade de lojas

e shoppings. Aqui tem tudo, com menos carestia que em toda a Bahia. E curiosidades: o maior entreposto de vendas de artigos feitos na China de todo o Nordeste, que alguns dizem irregular, mas todos frequentam quando a Federal não baixa e faz um reboliço. As ruas centrais invadidas pelo comércio ambulante em total insalubridade, insegurança e bagunça que fará você sentir-se em Mumbai na Índia. Ė uma pena, mas não temos mar. O lago para substituí-lo não foi, ainda, urbanizado. Não se aborreça. Visite o Museu do Saber, o Museu do Sertão, o Museu do CUCA, o Museu Regional procurando antes saber se não estão fechados. Não me pergunte onde perguntar, pois não sei responder. Consulte a internet. Procure conhecer nossos novos e os tradicionais restaurantes e bares, que nada ficam a dever dos bons de Salvador. Lembre-se que estamos no interior e o que nos falta em suntuosidade, transborda em qualidade, simplicidade e simpatia. Por fim, conheça o ateliê dos nossos artistas, heróis batalhando a sobrevivência, com seus honrados trabalhos, que dignificam a literatura, as artes plásticas, as artes cênicas na Bahia. E volte com a saudade que lhe trará de volta um dia. Até mais ver, no dia em que eu for aí ou você aqui voltar. Espero que as coisas estejam melhores, mas vamos ajudar! Nas próximas eleições vamos escolher bem em quem votar!

Cena triste na Famfs semi-destruída: o cadáver de um garoto, sobre a pista de corrida

ouvi dizer que tinham baleado Gabriel. Eu tinha ouvido o barulho dos tiros, mas achei que fossem bombas de São João”, disse o pai da vítima, Jorge Lemos, ao repórter Aldo Matos. O adolescente morto era usuário de drogas, de acordo com depoimentos que a mãe e o pai deram à imprensa. Na área da Famfs funciona uma escola estadual e tanto professores quanto alunos, que tomaram um grande susto com o crime, reclamam da falta de segurança e dizem que têm medo de estudar nestas condições. O episódio tornase o ápice da crise da Fazenda do Menor, cujas atividades econômicas foram encerradas, após rompimento de contratos com o Ministério do Esporte, em 2011. Na época, após denúncias de desvio de recursos por parte de ONGs que tinham contrato com o Ministério, a presidente Dilma suspendeu todos os contratos do governo federal com as instituições. Desde janeiro do ano passado, o governo do estado negocia com os dirigentes da Fundação a retomada das atividades. A Fundação recebeu visias de vários secretários, mas não houve progresso.


12

Feira de Santana, quinta-feira 12 de junho de 2014

Edicao 12 06 14  

jornal Tribuna Feirense, Feira de Santana, Bahia

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you