Page 16

16

geral

Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 30 de dezembro de 2012 EVAN VUCCI

[ ESTADOS UNIDOS ] Partido busca um rumo Mitt Romney mantém-se recluso após a derrota na campanha presidencial deste ano nos Estados Unidos, evitando comentar, até mesmo, o abismo fiscal, assunto mais discutido no cenário político norte-americano

após a derrota nas eleições presidenciais

Derrota de Romney cria vácuo entre republicanos ashington (AE) - principal rosto da legenda conservadora durante a maior parte deste ano, mitt romney se transformou num fantasma desde sua derrota nas eleições do dia 6 de novembro, ele tem vivido recluso em sua casa no sul da Califórnia, emergindo somente para um almoço privado na casa branca com o presidente Barack Obama, tempos atrás. A derrota e o abandono do cenário político, apesar de comemorados por muitos, criou um vazio no que diz respeito à liderança do seu partido, que lida com a falta de uma agenda e com visões internas divergentes sobre o futuro. Em sua última reunião com a equipe de campanha em Boston, Romney prometeu permanecer “uma voz forte para o partido”, segundo os presentes. Até agora, no entanto, ele tem oferecido pouco às negociações no Capitólio sobre o abismo fiscal - uma série de cortes de gastos e aumentos de impostos automáticos que entrarão em vigor no começo do ano que vem, caso não haja acordo no congresso. Romney também se negou a comentar a recusa do tesouro em declarar a China como manipuladora do câmbio, o que foi uma das principais questões levantadas por ele nos últimos 18 meses. Além disso, ele não fez comentários após seu encontro com Obama, voltando novamente à reclusão. “Se eu tivesse que dizer quem é o líder do partido neste momento, eu não conseguiria”, disse Amy Kremer, presidente do Tea Party

W

Express, uma das facções conservadoras que busca maior influência no partido. “Existe um buraco”, acrescentou. Por outro lado, parece não haver falta de republicanos querendo preencher esse vazio. O presidente da Câmara dos Representantes, John Boehner, e uma série de políticos querem aumentar sua influência nacional e possivelmente se posicionar para a eleição presidencial de 2016. O grupo pode incluir o ex-governador da Flórida, Jeb Bush, que é filho e irmão de ex-presidentes, e o atual governador de New Jersey, Chris Christie. Autoridades do Partido Republicano reconhecem a existência de tensões entre as alas moderada e conservadora, mas minimizam a falta de liderança como sendo resultado da derrota na eleição presidencial. Existe a esperança de que um grupo de líderes mais jovens e diverso irá emergir nos próximos meses para ajudar a fortalecer e unificar o partido, que atualmente lida com a falta de identidade. Essa lista inclui o senador da Flórida, Marco Rubio, e os governadores Bobby Jindal e Nikki Haley, de Louisiana e Carolina do Sul, respectivamente. O partido entrou em desordem após 2006, quando tentou buscar novo caminho em um momento no qual o presidente George W. Bush era extremamente impopular. O senador do Arizona e candidato à presidência em 2008, John McCain, assumiu brevemente o controle do partido, mas isso não o satisfez.

Tribuna do Norte - 30/12/2012  
Tribuna do Norte - 30/12/2012  
Advertisement