Page 1

» CLASSIFICADOS DA TN CIRCULAM HOJE COM 36 PÁGINAS E 4.528 ANÚNCIOS FUNDADOR:ALUÍZIO ALVES - 1921 - 2006

Ano 59 • Número 279 • Domingo,21 de fevereiro de 2010 EXEMPLAR DO ASSINANTE MARCELO SADIO / AE

RIVALIDADE MARCA DECISÃO Vasco e Botafogo voltam a se encontrar na final da Taça Guanabara numa partida marcada por um sentido de revanche, já que no primeiro encontro entre eles, Dodô surpreendeu com três gols na goleada por 6 a 0. [ ESPORTES 4]

SAÚDE

ESPIONAGEM

JIM HOLLANDER / AE

ASSASSINATO EM DUBAI EXPÕE ISRAEL Daubai Jogo sujo do Mossad em nistro mi o cria dificuldades para 11] INA Avigdor Lieberman. [ PÁG

ESTAMOS MAIS ALTOS E MAIS GORDOS brasileiro Pesquisa mostra que o estão ,8% 43 está mais alto,mas E3] 1 ÍLIA FAM com sobrepeso. [ TN

JÚNIOR SANTOS

Setor de apart-hotéis muda e espera crescer com a Copa Sol, mar e a possibilidade de lucrar numa região "barata" e em expansão trouxeram uma enxurrada de estrangeiros ao Nordeste do Brasil, em meados desta década. Foram eles os principais alvos de um novo nicho no mercado imobiliário local: o de apart-hotéis. Mas, a onda

acabou quebrando contra o declínio do turismo internacional e na crise financeira mundial, a partir de 2008. A queda no setor foi de 29,4%, entre 2008 e 2009, segundo os números de licenciamentos da Semurb, analisados em estudo do administrador e professor de Políticas

e Tendências Econômicas da Faculdade de Natal (FAL), Otomar Lopes Cardoso Junior. Corretores e construtores esperam o reaquecimento e um novo ânimo para o setor com a Copa de 2014 no país. E o melhor: com mais participação de clientes brasileiros. [ ECONOMIA 5 ] ED FERREIRA /AE

ENTREVISTA

FELIPE AUGUSTO FAZ DENÚNCIAS SÉRIAS Advogado taxa dirigentes de patifes e denuncia irregularidades nos contratos dos atletas. [ ESPORTES 2 ]

tv

REVISTA DA

e dois anos Depois de quas lenovelas, a afastada de te ntin, a Nara atriz Priscila Fa odernos”, de “Tempos m pediu para conta porque fazer um papel Minha coadjuvante.“ trabalho relação com o a atriz. mudou”, revela [ PÁGINA 3 ]

Ao defender a pré-candidatura de Dilma Rousseff,o presidente Lula reforça objetivos estatizantes do programa de governo aprovado no Congresso do PT

COLUNAS

AGNELO ALVES Uma proposta estapafúrdia está abalando a estrutura da oposição. [ PÁGINA 6 ]

JORNAL DE WM Mais de 60 anos depois,carta de Eloy a Dinarte guarda lições de política. [ PÁGINA 2 ]

SUCESSÃO PRESIDENCIAL

ENTREVISTAS

NO HOSPITAL

PT oficializa pré-candidatura de Dilma Rousseff

GEORGE ALBUQUERQUE

Queimada, mulher toma anestesia para fazer curativo

Petistas aproveitam Congresso Nacional do partido para aclamar Dilma Rousseff como pré-candidata à Presidência da República e Lula destaca que eleger a ministra é prioridade. [ PÁGINA 5 ] SUCESSÃO ESTADUAL

Álvaro conta com as lideranças de base para a 3ª via Vice na chapa ao governo liderada por Carlos Eduardo, Álvaro Dias define a base de apoio com a qual pretende viabilizar a 3ª via no RN: os movimentos sociais. [ PÁGINA 3 ]

90

TOTAL DE PÁGINAS DESTA EDIÇÃO: páginas

REDAÇÃO: PAUTA

pauta@tribunadonorte.com.br

FALE CONOSCO: PABX: 4006-6100 Redação: 4006-6113

ARMADOR A armadora francesa CMA CGM, hoje, é a única a operar uma rota regular pelo Porto de Natal. O coordenador da empresa avalia o que precisa mudar. [ ECONOMIA 3 ]

JORGE ANDRÉ AVANCINI CONSULTOR DE MARKETING Para conseguir novos sócios nos clubes de futebol, é preciso mais do que promoções. O foco, segundo o consultor, está na tradição e conquistas do clube. [ NATAL 9 ] Assinaturas: 4006-6111 Venda avulsa: 4006-6103 Comercial: 4006-6173

Classificados: 4006-6161 Circulação: 4006-6103 Reclamações:4006-6111

Patrícia da Rocha (39), uma das vítimas do acidente do dia 02, em Boa Saúde, precisa de anestesia para fazer os curativos. Com 90% do corpo queimado, ela ainda chora ao lembrar do ocorrido. [ NATAL 1 ]

FÁBIO ROSSI

EXEMPLAR DO ASSINANTE

[ ECONOMIA ] Impulsionado pela onda do turismo internacional,o novo nicho do mercado imobiliário sofreu com a crise (queda de 29,4%),mas se reinventa para o Mundial de 2014

TRÂNSITO

Suspensão da carteira atinge poucos motoristas Apesar de mais de 130 mil multas aplicadas na capital, em 2009, apenas 1.119 motoristas atingiram os 20 pontos e 153 estão com as carteiras suspensas. [ NATAL 2 ] HOME PAGE:

www.tribunadonorte.com.br

PREÇO DESTA EDIÇÃO:

R$ 2,50


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

opinião

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

JOSÉ SARNEY [ Escritor ]

Jornal de WM WODEN MADRUGA - woden@terra.com.br

Uma carta de Eloy de Souza

E

m 1945, era junho, Eloy de Souza escreveu uma carta endereçada a Dinarte Mariz e ao doutor José Augusto Bezerra de Medeiros. O Brasil vivia os últimos suspiros da ditadura de Getúlio Vargas (seria deposto em outubro), tropas norte-americanas continuavam aquarteladas em Natal (a Segunda Guerra se esticaria até setembro) e o general Antônio Fernandes Dantas era o interventor do Rio Grande do Norte. O Congresso e as assembleias legislativas estaduais estavam sem funcionar desde o golpe de 1937. Mas os líderes políticos, sem mandatos, conspiravam nos bastidores e ensaiavam a criação de novos partidos. Em meados de 1945 os políticos do Rio Grande do Norte cuidaram de se organizar, levados pela intuição que ia clareando a marcha dos acontecimentos. Eram remanescentes do Partido Popular, fundado em 1933 por, entre outros, José Augusto, Dinarte Mariz e Eloy de Souza, e cuja ata da fundação foi escrita por Aluízio Alves, menino ainda de calças curtas. As novas legendas partidárias seriam criadas também em 1945. A UDN, para onde iria boa parte do pessoal do Partido Popular, é de abril de 1945. O PSD, de julho. O doutor Eloy de Souza se agasalhou na UDN. Pouco tempo depois romperia com os velhos companheiros e ingressaria no PSD de Georgino Avelino, de João Câmara (que também foi do PP) e de Theodorico Bezerra. A carta de Eloy de Souza, além

de refletir os sentimentos do velho político, retrata também o quadro político-partidário da época (lá se vão mais de 60 anos) que se diferencia um pouco do que vai acontecendo, agora, na civilização dos parrachos. A carta (foi me entregue por um pesquisador do agreste) é datilografada, tem trinta linhas em espaço um. Trechos dela foram transcritos no livro Memórias, de Eloy de Souza, cuja segunda edição, organizada pela jornalista Rejane Cardoso, foi publicada em 2008 pelo Senado Federal e Instituto Pró-Memória de Macaíba. Uma cópia desta carta Eloy mandou, tempos depois, para Theodorico Bezerra, com um postscriptum manuscrito: “Caro Theodorico: Uma parte desta carta talvez sirva para enfeitar o meu necrológio. Velho Eloy”.

Quem paga a conta

A

DEMOCRACIA É complicada e bem mais barata que os regimes monárquicos, teocráticos e ditatoriais. Mas não é o gasto que pesa na arte de ter um bom sistema. A democracia representativa custa pouco: é um título de eleitor e a burocracia de colher os votos. Mas será só isso? É que, para conscientizar o eleitor, é necessário que o candidato exponha suas ideias, faça proselitismo e realize aquilo que se chama campanha -e só quem viveu uma campanha sabe o que é. Ela se confunde com a eleição de que faz parte, mas domina todas as etapas desta, e assim a abarca toda. Mas, nas articulações entre adeptos e rivais, a pergunta que surge é sempre: “Em que palanque vamos ficar?”. O palanque é o essencial, o resto é supérfluo. As agruras de uma campanha-eleição são tantas que contam haver um homem visitado um cemitério e começado a ler as inscrições nos túmulos: “Aqui repousa em paz...”. O visitante escreveu: “Porque nunca concorreu a uma eleição!”.

Senão, nem depois de morto tem paz. Antigamente, a Hoje,nosso campanha era feita sistema do voto de diretório em direproporcional,que tório, com organizavem do século 19, ção de comitês, gruobriga cada pos de trabalho e tocandidato a fazer a da forma de mobilisua campanha,o zação. Hoje, um mique significa muito nuto de televisão vamais dinheiro e le mais que tudo isso. comprometimento A campanha redo financiador com duziu-se à televisão. o seu financiado.” Ela fornece, comanda, decide a pauta da eleição. E é aí que se estabelece o nó do dinheiro. Hoje, o palanque eletrônico leva 90% de todos os gastos. E de onde tirar o dinheiro? No mundo inteiro descobriram duas fórmulas: o financiamento público e a generosidade privada. No Brasil, essa discussão já é velha e agora cresce mais. Já existe um projeto de lei pas-

sado no Senado que cria o financiamento público e a lista fechada. Por ele, financia-se o partido, e não o candidato. O partido torna-se o encarregado da campanha. Hoje, nosso sistema do voto proporcional, que vem do século 19, obriga cada candidato a fazer a sua campanha, o que significa muito mais dinheiro e muito maior comprometimento do financiador com o seu financiado. Hoje ninguém quer ver o seu nome numa lista de doadores. Estabelece-se logo uma suspeita de relação de interesses. Daí o nosso impasse. Se o dinheiro não sai de um financiamento público e não sai de particular, e se uma equipe de marqueteiro e sua parafernália eletrônica não custam menos de R$ 10 milhões, de onde virá o dinheiro? Brizola já dizia: “Para combater epidemia e fazer eleição nunca faltará dinheiro”. Assim, a democracia, que é barata, fica cara, porque a solução será a porta escusa do caixa dois e seus custos inconfessáveis. A outra saída, como diria o Otto Lara, é dissolver a eleição.

Amâncio

Cartas Combustíveis Excelente a iniciativa da SET/RN de aumentar a fiscalização nos postos de combustíveis para evitar a sonegação de impostos. Agora gostaria muito que o Ministério Público Estadual e o Ministério Público Federal do Rio Grande do Norte se juntassem para combater o cartel generalizado pelos postos de combustíveis de Natal e região.

O QUE DISSE ELOY Transcrevo por inteiro a carta que foi escrita na cidade de Nova Cruz, onde, à época, residia o grande jornalista. É datada de 14 de junho de 1945: “Caro Dinarte e José Augusto: Tenho refletido muito a respeito da nossa situação política no tocante, principalmente, à organização da chapa dos que nos devem representar na Câmara e no Conselho Federal. Se o interesse de todos é a vitória do pleito, o meu sobreleva a qualquer outro, porque se fôssemos, por ventura derrotados ficaria privado do desejo e propósito de morrer e sepultar-me em mossa terra. De um tal desastre não escapariam as conquistas morais e materiais realizadas pelos ancestrais num esforço consciente de perpetuidade. Tudo sossobraria; e é preciso que não sossobre pela mostra que aí está podemos prever o que virá depois de tal calamidade se concretizar. Assim sendo, devem vocês considerar o campo eleitoral e por indicações adequadas fortaleceremos o êxito da campanha. É preciso olhar o Oeste e o Assu por circunstâncias que uma conversa pessoal melhor esclarecerá. Só não me considero inválido porque, mercê de Deus, ainda conservo a faculdade de auto-crítica que me aconselha e determina escrever-lhes estas linhas, que espero e conto serão lidas por vocês com a devida atenção. De meditação em meditação cheguei a convicção de que devo por ponto final na minha atividade representativa, sem prejuízo da minha colaboração propriamente partidária em tudo que se possa e deve fazer para assegurar a nossa vitória agora e depois. Venho, pois, dizer-lhes que não sou candidato a nenhum mandato na representação nacional. Meu tempo passou. O mundo que vai nascer em nada se parece com aquele em que eu tenho vivido tão longamente. É possível, será bem certo, talvez, que sua organização corresponda melhor à felicidade humana. Seja, porém, como for já não tenho saúde para ajudar os gigantes que vão empreender essa construção de proporções tão vastas. Não lhes escrevo palavras, mas sim, lhes comunico uma resolução que respeitada, muito mais me solidariza com os meus amigos e os seus bons propósitos. Sinto-me no dever de acrescentar que minha deliberação foi tomada de acordo com minha mulher para quem a minha renúncia completa a harmonia da minha vida pública. Não fujo. Antes busco com a minha atitude fortalecer ainda mais minha autoridade combativa. Abraços e saudades do velho e fiel, amigo, Eloy de Souza.”

ELOY,O POLÍTICO Quando escreveu esta carta, Eloy tinha 72 anos de idade, mais de 50 dedicados à política. Pelas mãos de Pedro Velho foi eleito em 1894, cinco anos depois da proclamação da República, deputado do Congresso Legislativo Estadual. Tinha 21 anos de idade. Três depois se elegeria deputado federal. Era o mais moço da Câmara, 24 anos. Reelegeu-se cinco vezes deputado federal (os mandatos eram de 3 anos). Em 1914 foi eleito Senador, na vaga de Ferreira Chaves que fora eleito governador do Estado. Foi reeleito senador quatro vezes, renunciando o mandato em 1927. Neste ano volta à Câmara dos Deputados onde permaneceu (reeleito uma vez) até 1937, quando Getúlio fechou o Congresso. Começava a ditadura do Estado Novo. Sem mandato, voltou para o Rio Grande do Norte quando, então, foi nomeado diretor do jornal “A República”, pelo interventor Rafael Fernandes, substituindo a Edgar Barbosa. Em suas memórias, Eloy escreveu: “Recordo ainda hoje que nunca tive período de maior contentamento na minha vida de jornalista do que o tempo em que permaneci n’ “A República”, naquele período de calma e tranquilidade revolucionária”. Em 1945, quando da redemocratização do país, a UDN pensou fazer Eloy de Souza candidato ao Senado. Ele recusou o convite, como está dito na carta do dia 14 de junho. Mas na convenção do partido, para homologar as candidaturas, Eloy conta que o partido o recebeu friamente: “nenhum gesto afetuoso, nenhuma fisionomia que me sorrisse com alegria ao coração (...) No dia seguinte choviam comentários contra a atitude da convenção que me havia esquecido , sobretudo, comentários ferinos contra Dinarte Mariz, apresentado a uma das senatorias. Todos ignoravam a minha carta que eu trazia no bolso para ler no discurso que pretendia proferir despedindome da atividade representativa.” Eloy de Souza morreu em Natal no dia 7 de outubro de 1959. Tinha 86 anos. Morreu pobre, morava modestamente numa casa simples da rua Manoel Dantas, vizinha à Maternidade Escola Januário Cicco.

Empresa Jornalística Tribuna do Norte Av.Tavares de Lira,101,Ribeira - Natal/RN CEP:59010200 Fone: (PABX) 4006-6100 Fax: (0xx84) 4006-6124 Endereço eletrônico: www.tribunadonorte.com.br

Diretor Presidente: Henrique Eduardo Alves Superintendente: José Roberto Cavalcanti Diretor Adm.e Operações: Ricardo Luiz de V.Alves Diretor Financeiro: Agnelo Alves Filho Diretor de Redação:Carlos Peixoto cpeditor@tribunadonorte.com.br Gerente Comercial: Eliane Rocha Gerente de Marketing: Andréia Barandas Gerente de Circulação: Thales Vilar

fran_fabiano@hotmail.com

Deputados

LEONARDO BOFF [ Teólogo,filósofo e escritor ]

A Sociedade Mundial da Cegueira

O

poeta Affonso Romano de Sant'Ana e o prêmio Nobel de literatura, o português José Saramago, fizeram da cegueira tema para críticas severas à sociedade atual, assentada sobre uma visão reducionista da realidade. Mostraram que há muitos presumidos videntes que são cegos e poucos cegos que são videntes. Hoje propala-se pomposamente que vivemos sob a sociedade do conhecimento, uma espécie de nova era das luzes. Efetivamente assim é. Conhecemos cada vez mais sobre cada vez menos. O conhecimento especializado colonizou todas as áreas do saber. O saber de um ano é maior que todo saber acumulado dos últimos 40 mil anos. Se por um lado isso traz inegáveis benefícios, por outro, nos faz ignorantes sobre tantas dimensões, colocando-nos escamas sobre os olhos e assim impedindo-nos de ver a totalidade. O que está em jogo hoje é a totalidade do destino humano e o futuro da biosfera. Objetivamente estamos pavimentando uma estrada que nos poderá conduzir ao abismo. Por que este fato brutal não está sendo visto pela maioria dos especialistas nem dos chefes de Estado nem da grande mídia que pretende projetar os cenários possíveis do futuro? Simplesmente porque, majoritariamente, se encontram enclausurados em seus saberes específicos nos quais são muito competentes mas que, por isso mesmo, se fazem cegos para os gritantes problemas globais. Quais dos grandes centros de análise mundial dos anos 60 previram a mudança climática dos anos 90? Que analistas econômicos com prêmio Nobel, anteviram a crise econômico-financeira que devastou os países centrais em 2008? Todos eram eminentes especialistas no seu campo limitado, mas idiotizados nas questões fundamentais. Geralmente é assim: só vemos o que entendemos. Como os especialistas entendem apenas a mínima parte que estudam, acabam vendo apenas esta mínima parte, ficando cegos para o todo. Mudar este tipo de saber cartesiano desmontaria hábitos científicos consagrados e toda uma visão de mundo. É ilusória a independência dos territórios da física, da química, da biologia, da mecânica quântica e de outros. Todos os territórios e seus saberes são interdependentes, uma função do todo. Desta percepção nasceu a ciência do sistema Terra. Dela

Classificados: Redação Fax Venda Avulsa Assinatura Natal Reclamações Natal ASSINATURA Mensal (à vista) Semestral (à vista) Anual (à vista)

4006-6161 4006-6113 4006-6124 4006-6100 4006-6111 4006-6111 R$ 43,00 R$ 258,00 R$ 516,00

PREÇO DO EXEMPLAR Rio Grande do Norte 3ª a Sábado Domingo Outro Estado 3ª a Sábado Domingo

se derivou a teoria Gaia que não é tema da New Age; mas, resultado de minucioTemos que sa observação científica. desenvolver Ela oferece a base para pourgentemente a líticas globais de controle capacidade de do aquecimento da Terra somar,de interagir, que, para sobreviver, tende religar,de de a reduzir a biosfera e até repensar,de o número dos organismos refazer o que foi vivos, não excluídos os sedesfeito e de res humanos. inovar.Esse desafio Emblemática foi a COPse dirige a todos os 15 sobre as mudanças cliespecialistas para máticas em Copenhague. que se convençam Como a maioria na nossa de que a parte sem cultura é refém do vezo da o todo não é atomização dos saberes, o parte.” que predominou nos discursos dos chefes de Estado eram interesses parciais: taxas de carbono, níveis de aquecimento, cotas de investimento e outros dados parciais. A questão central era outra: que destino queremos para a totalidade que é a nossa Casa Comum? Que podemos fazer coletivamente para garantir as condições necessárias para Gaia continuar habitável por nós e por outros seres vivos? Esses são problemas globais que transcendem nosso paradigma de conhecimento especializado. A vida não cabe numa fórmula, nem o cuidado numa equação de cálculo. Para captar esse todo precisa-se de uma leitura sistêmica junto com a razão cordial e compassiva, pois é esta razão que nos move à ação. Temos que desenvolver urgentemente a capacidade de somar, de interagir, de religar, de repensar, de refazer o que foi desfeito e de inovar. Esse desafio se dirige a todos os especialistas para que se convençam de que a parte sem o todo não é parte. Da articulação de todos estes cacos de saber, redesenharemos o painel global da realidade a ser compreendida, amada e cuidada. Essa totalidade é o conteúdo principal da consciência planetária, esta sim, a era da luz maior que nos liberta da cegueira que nos aflige.

Artigo publicado em www.adital.org.br

É importante a preocupação do TSE no que concerne à quantidade de parlamentares, diretamente proporcional ao número de eleitores brasileiros, porém seria brilhante se houvesse rigor na qualidade dos nossos representantes, no tocante a exigibilidade de conduta imposta pela ordem jurídica. Espera-se que um dia a Nação Brasileira possa alcançar a plenitude da Democracia Representativa, desfrutar do tão sonhado Estado Democrático de Direito e a Democracia Participativa seja prioridade na Educação em todo o Brasil. Waldemir Santiago – por email

Educação Resta saber quem está faltando com a verdade. A presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação afirma que os pagamentos e outros compromissos assumidos pela prefeitura de Natal estão atrasados. Já o secretário de Educação garante que está tudo as maravilhas. O certo é que as consequências virão para quem nada tem a ver com isso que são os alunos. edson.az.horacio1@gmail.com

CAERN É lamentável que uma cidade como Natal, que se diz polo turístico, mantenha uma Companhia de Águas e Esgoto como essa. Aqui na Cidade Alta já faz seis dias que não cai uma gota d'água nas torneiras. Hoje tive que comprar 10 garrafões de água mineral para os afazeres de casa e todos tomarem banho. É uma vergonha. E o pior é que ninguém dá uma satisfação à população, informando o que está acontecendo. Só recorrendo a Vossa Excelência, governadora Wilma, para que haja uma solução. Josemar Lima - por email Cartas para esta coluna deverão ter no » máximo 40 linhas para cada leitor e endereçadas para a seção Coluna do Leitor - Fone:4006-6100 FAX:4006-61224 - Redação/Tribuna do Norte. Email - tribuna@digizap.com.br

FILIADO AO

R$ 1,50 R$ 2,50

FILIADO AO INSTITUTO VERIFICADOR DE CIRCULAÇÃO

R$ 2,00 R$ 3,20

REPRESENTANTE NACIONAL – Pereira de Souza & Cia Ltda: Rio de Janeiro :(O21)2544-3070 – São Paulo:(011) 3259-6111

FILIADO À ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS

REDE CABUGI DE COMUNICAÇÃO TRIBUNA DO NORTE 4006-6100 Rádio Globo/Cabugi (AM) Natal 4006-6180 104 (FM) Parnamirim 3272-3737 Rádio Difusora de Mossoró (AM) 3316-3181/2181/3317-6167 Rádio Cabugi do Seridó (AM) J.do Seridó 3472-2759 Rádio Baixa Verde (AM)J.Câmara 3262-2498 Pereira de Souza(SP) 11/3259-6111 Pereira de Souza(RJ) 21/2544-3070


política

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

3

ENTREVISTA / ÁLVARO DIAS / DEPUTADO ESTADUAL

Notas & Comentários colunanotas@digizap.com.br

Relatório contra Agaciel Comissão Especial de Inquérito que investigou os escândalos dos atos secretos aprovou um relatório que recomenda a demissão do ex-diretor-geral do Senado Agaciel Maia. O relatório, que condenou o ex-diretor, foi aprovado pelos integrantes da Comissão por dois votos a um. O resultado da investigação foi enviado para o 1º secretário, senador Heráclito Fortes (DEM-PI). Heráclito, se respaldar as conclusões da Comissão, vai entregar o relatório ao presidente do Senado, José Sarney, a quem cabe a palavra final sobre a demissão de Agaciel.

A

Não considero apropriado discutir luminosidade com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso”

DILMA ROUSSEFF, ministra e pré-candidata do PT à presidência, ao responder, à Veja, sobre como pretende firmar uma identidade depois que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso a definiu como uma “lua política, sem luz própria, girando em torno e dependente do carisma ensolarado do presidente Lula”.

DESTAQUE DA CANDIDATA Duas das principais revistas semanais de circulação nacional — Veja e Época — dedicam as capas das edições que chegam às bancas neste fim de semana, a ministra Dilma Rousseff.

Doações eletrônicas O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pediu à Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) a fixação de uma taxa única - e mais baixa que a convencional - a ser cobrada nas doações feitas por cartão de crédito a candidatos e comitês políticos nas eleições de outubro deste ano.

A Abecs se reunirá na próxima semana para poder dar um posicionamento do setor ao TSE. A resolução que permitirá a doação por meio eletrônico está sendo elaborada pelo ministro Arnaldo Versiani e precisa ser aprovada pelo TSE até 5 de março para entrar em vigor ainda nas eleições deste ano.

DIVULGAÇÃO

Volta ao Parlamento

Com a provável alta hospitalar de Garibaldi Alves (pai), o senador Garibaldi Filho deve voltar nesta segunda-feira para Brasília, onde retoma a rotina parlamentar. Na terça-feira (23), ele já deve presidir as reuniões da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (foto).

Encontro

Eleição da Fetarn

A senadora Rosalba Ciarlini, o deputado Robinson Faria, e os senadores José Agripino e Garibaldi Filho conversaram longamente, neste sábado (20), durante um almoço. O encontro reuniu uma chapa majoritária completa. Certamente, aproveitaram para discutir os rumos da campanha.

A Federação dos Trabalhadores da Agricultura do Estado do Rio Grande do Norte (Fetarn) vai definir a composição da nova diretoria durante o 8º Congresso da entidade, que será realizado de 23 a 25 de fevereiro, no Centro de eventos Mardunas, na Lagoa do Bonfim.

RETORNO DA PREFEITA A prefeita Micarla de Sousa, que está licenciada, retorna de viagem nesta segunda-feira, e reassume o cargo, exercido interinamente por Paulinho Freire.

Congresso do PT Depois de passar o carnaval nos Estados Unidos, o líder do PMDB na Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves chegou a Brasília na sexta-feira à noite e neste sábado participou do 4º Congresso Nacional do PT. O Congresso foi marcado pelo lançamento oficial da pré-candidatura da ministra Dilma Rousseff à presidência. Outras lideranças do PMDB também prestigiaram o lançamento da pré-candidatura, como o presidente do PMDB e da Câmara, Michel Temer (SP).

ELEIÇÃO O deputado estadual Nélter Queiroz poderá mudar de planos. Antes decidido a tentar a reeleição, ele poderá concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados.

PDT quer movimentos sociais nas discussões da 3ª via MARCELO BARROSO

O que lhe levou a optar por uma candidatura a vice-governador na chapa do ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo? Eu fui convidado por Carlos Eduardo e aceitei porque, mesmo renunciando a uma reeleição garantida, bem encaminhada, consolidada, acho que vale a pena disputar a eleição . Tenho certeza que Carlos Eduardo eleito governador implantará um projeto novo, moderno, diferente para o Rio Grande do Norte. O senhor diria que trocou o certo (a candidatura a deputado) pelo incerto (já que a eleição na majoritária se mostra muito acirrada)? Não. Na minha avaliação eu troquei o certo pelo certo. Desisti de disputar uma reeleição garantida para deputado estadual para lutar, para consolidar idéias nas quais acredito e que Carlos Eduardo defende, já que ele faz parte do meu partido. Ele deu demonstração na Prefeitura de Natal de que implantará um projeto diferente no Governo. O Rio Grande do Norte com Carlos Eduardo sairá da mesmice. Rosalba (senadora Rosalba Ciarlini) e Iberê (vice-governador Iberê Ferreira) representam a mesma coisa. Carlos Eduardo não. Ele tem um projeto diferente e implantará algo moderno, eficiente, competente. Ele governou Natal cercado por auxiliares competentes, progressista, figuras ligadas ao PC do B, ao PT e deverá repetir a mesma administração inovadora que fez em Natal. O senhor decidiu ser candidato a vice só agora no mês de fevereiro.Mas alguns prefeitos ligados ao seu grupo já haviam fechado a majoritária com outro candidato.O tempo não será um fator complicador para o senhor arregimentar o seu grupo nesse novo projeto? Não. O tempo vai nos ajudar porque o tempo fará com que essas pessoas realizem uma reflexão, analisem as nossas propostas, analisem o programa de governo que estamos elaborando, que vamos levar para discussão nos meios sociais, nos movimentos sociais, vamos discutir com entidades representativas da sociedade civil organizada. Com certeza essas pessoas se estavam já posicionadas ou encaminhadas em direção a mesmice deverão repensar seu projeto porque ocorreu um fato novo na política do Rio Grande do Norte: o deputado Álvaro Dias resolveu se engajar no projeto que Carlos Eduardo defende mudando a fisionomia e a face do Rio Grande do Norte. O senhor tem uma atuação muito centrada no Seridó. O exprefeito Carlos Eduardo tem uma atuação mais na Grande Natal. Como os senhores farão para levar essa candidatura às demais regiões do Estado? Nós vamos procurar reunir o maior número de pessoas, maior número de entidades representativas da sociedade civil para desencadear a discussão do programa de governo que será defendido e implementado por essa coligação de partidos que farão parte do nosso bloco de apoio à candidatura majoritária. Queremos então expandir as nossas propostas, discutir, aprofundar, dissecar para que nosso projeto esteja também em sintonia com os anseios e aspirações populares. Uma chapa “puro sangue” não é um fator complicador? O PDT fechou a chapa majoritária apenas com o PDT, restam poucos espaços para negociar com futuros aliados. Não vejo a chapa majoritária como sendo a chapa puro sangue. Vejo a majoritária bem diversificada e procurando ampliar essa diversificação. Temos o PC do B que está se integrando, que deve-

ANNA RUTH DANTAS Repórter

e antes o cenário eleitoral potiguar apontava para uma eleição polarizada, o pleito ganhou uma nova chapa que chega com contornos de uma terceira via. Depois do anúncio do vice-governador Iberê Ferreira (PSB), que disputará como o candidato da situação, da senadora Rosalba Ciarlini (DEM), que se intitula como oposicionista, foi lançada a chapa do ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo (PDT) para o Governo e o deputado estadual Álvaro Dias (PDT) para vice. Uma majoritária que se auto-intitula independente, como diz o próprio Álvaro Dias. O deputado pedetista aposta na estratégia de campanha arregimentando os integrantes dos movimentos sociais e levando o projeto de governo para ser discutido nas bases. Para o deputado, essa será a forma de mostrar “ao povo o diferente”. Álvaro Dias avaliou que teria uma “reeleição tranquila”, mas preferiu apostar no projeto da chapa majoritária. Seria trocar o certo pelo incerto? “Na minha avaliação eu troquei o certo pelo certo. Desisti de disputar uma reeleição garantia para deputado estadual para lutar, para consolidar idéias nas quais acredito e que Carlos Eduardo defende, já que ele faz parte do meu partido, deu demonstração na Prefeitura de Natal de que implantará um projeto diferente no Governo”, respondeu o deputado. Para o Senado, ele defendeu a candidatura do publicitário Sávio Hackradt, que deverá compor a chapa majoritária, e o segundo voto de senador ficaria “livre”. No caso específico de Álvaro Dias ele já anunciou o apoio à reeleição de Garibaldi Filho (PMDB). Sobre o pleito 2010, o PDT e a candidatura a vice-governador Álvaro Dias concedeu a seguinte entrevista a TRIBUNA DO NORTE.

S

rá indicar o candidato a senador. Existem outras vagas na chapa majoritária que poderão fazer parte da composição, como toda chapa proporcional que ainda se encontra em discussão. O programa de governo será bem amplo e participativo. Acho também que minha atuação política por se situar em uma região totalmente diferente da de Carlos Eduardo ao invés de diminuir vai somar, agregar valores, votos que, se a gente não fizesse parte da majoritária, seria mais difícil agregar votos e os valores éticos e morais que fazem parte da tradição política e histórica da região do Seridó. Essa nova chapa majoritária garante o segundo turno para o pleito potiguar que estava polarizado entre Iberê Ferreira e Rosalba Ciarlini ? Com certeza. Acho que a realização do segundo turno agora é fato inquestionável. Sabemos que com a nossa entrada na chapa (de Carlos Eduardo) deixam também, a partir de agora, de existirem dúvidas sobre a consolidação e disposição de Carlos Eduardo de disputar as eleições. A entrada da nossa chapa não resta dúvida sobre a existência do segundo turno. O cenário político hoje mostra a candidatura do vice-governador, que estará no Executivo na eleição,e de uma senadora que tem como vice o presidente da Assembléia Legislativa.Agora está confirmada a do ex-prefeito de Natal tendo como vice um deputado estadual.Nesse palco,a disputa estaria injusta para a chapa Carlos Eduardo e Álvaro Dias? A princípio, analisando dessa forma que você coloca, aparentemente vamos disputar uma eleição em desigualdade de condições. Mas acredito que pela administração que Carlos Eduardo realizou, pelo programa de governo que ele implementou a frente da Prefeitura de Natal, pelas obras inovadoras que ele deixou e estão aí para serem mostradas e analisadas pela opinião pública, a grande decisão quem vai tomar é o povo, o eleitor

que quer um projeto novo, diferente, moderno, competente e progressista. E esse só quem tem é Carlos Eduardo que será o diferencial dessa eleição. A chapa Carlos Eduardo e Álvaro Dias é de oposição ao Governo do Estado? Essa chapa é independente, desvinculada totalmente dos grandes grupos políticos. Essa foi uma chapa que se formou ouvindo as bases, ouvindo o povo, procurando trazer uma opção nova, diferente das que aí estão. A chapa vai procurar, com toda certeza, caso vença as eleições e eu acredito nisso, tenho convicção que vai acontecer. O Rio Grande do Norte verá, pela primeira vez em muitos anos, um projeto novo.

Tenho certeza que Carlos Eduardo eleito governador implantará um projeto novo, moderno, diferente para o Rio Grande do Norte”

A chapa que o senhor integra parece que será composta apenas pelos pequenos partidos,já que as grandes legendas estão em outros palanques. É que os grandes partidos se habituaram a decidir e tomar as decisões sem ouvir os pequenos. Dessa vez os pequenos estão procurando se agrupar, se reunir em torno de um projeto novo, diferente, desvinculado de tudo que aí está. Isso é o que nós queremos e acreditamos. Foi por isso que renunciei a uma reeleição garantida de deputado estadual. E o Partido dos Trabalhadores? O senhor ainda espera uma aliança com os petistas? Tenho, inclusive, um bom relacionamento com o PT, com a deputada Fátima Bezerra. Apoiei (Fá-

tima Bezerra) em diversas oportunidades quando ela foi candidata a prefeita de Natal. Esperava que o PT estivesse alinhado conosco, compartilhando desse projeto, desse sentimento, dessas idéias de implantar algo novo no Rio Grande do Norte. Infelizmente o PT está aí fazendo uma opção por se coligar com o PSB. Mas eu espero que isso ainda seja revisto pelos integrantes, militantes e filiados do Partido dos Trabalhadores até porque o PSB tem um candidato a presidente, que é o deputado federal Ciro Gomes. Portanto isso irá dificultar muito a consolidação da aliança. Nós do PDT sempre tivemos um passado e história militando ao lado do PT. Para nós, inclusive, já há decisão nacional de apoiar Dilma Roussef. Acho que a possibilidade da coligação com o PT ainda não está descartada. Como estará a chapa para o Senado a ser apoiada pelo PDT? Ela está em discussão. Atualmente, temos definido e eu defenderei que nós tenhamos apenas o nome do jornalista Sávio Hackradt como candidato a senador deixando a outra vaga em aberto para que as pessoas possam escolher livremente de acordo com a consciência de cada um. Eu pessoalmente votarei e apoiarei o senador Garibaldi Filho. Ele será minha escolha para o segundo voto. Mas as pessoas terão liberdade dentro da nossa coligação para fazer sua opção de acordo com a realidade de cada um. Deixar o segundo voto para o Senado “livre”não pode complicar a própria identidade da chapa majoritária, já que o senhor anuncia agora o voto ao Senado para um candidato da chapa de oposição,no caso o senador Garibaldi Filho? Não acredito. O foco central da nossa coligação será a chapa majoritária, o programa de governo que estamos elaborando, as propostas que serão defendidas por todos nós e que inesequivelmente serão postas em prática por Carlos Eduardo quando assumir o Governo do Estado.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

política

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

[ INTERCÂMBIO ] Durante viagem que fará na próxima semana a países

da América Central, presidente vai defender retomada das negociações

Cláudio Humberto

ROOSEVELT PINHEIRO / ABR

E-mail: ch@claudiohumberto.com.br - www.claudiohumberto.com.br

Deputados conspiram

A

Estou curiosíssimo para ver”

PRESIDENTE DO PT, JOSÉ EDUARDO DUTRA, ironizando o programa de governo da oposição

SOLUÇÃO ‘MILAGROSA’ O pretexto para a indecente criação de um terceiro Tribunal de Contas no Rio é a CPI que investiga membros do conselho deliberativo do atual TCE, suspeitos de enriquecimento ilícito – cuja origem é a Operação Pasárgada, da Polícia Federal. A CPI jamais foi concluída.

Olho na grana

Marionete

O governo do DF dispõe de mais de R$ 1 bilhão em caixa para investir. Em um ano eleitoral, é dinheiro que vira a cabeça de qualquer político.

Os deputados estão excitados com o eventual governo Wilson Lima no DF, porque – sobretudo no PT – acham que podem controlá-lo.

‘FAVORITA’PERDE... Após organizar 117 eventos em três anos para o Ministério da Justiça, a empresa de eventos Aplauso desistiu, após vencer um pregão, na quarta-feira (10), para realizar o 12º Congresso da ONU sobre Prevenção ao Crime e Justiça Criminal, em Salvador (BA), em abril.

Loteamento

Crime perfeito

O presidente da Câmara Legislativa do DF tem fama de bobão, por isso os deputados acham que seu governo seria loteado entre eles.

Ainda que mal intencionada, a destituição de Arruda e Paulo Octavio teria apoio da opinião pública, alegam os articuladores da conspiração.

... NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA O ministério estimou o serviço em R$ 25,2 milhões, mas a Aplauso cobrou R$ 11,6 milhões, menos da metade, o que concorrentes questionaram por ser “inviável”. Dois dias após vencer o pregão, a Aplauso desistiu. Venceu a Sun & Tour, que propôs R$16,8 milhões.

Demarcação de Roraima foi grave A demarcação de terras indígenas na reserva Raposa-Serra do Sol, em Roraima, expulsando não-índios e criando área contínua de 1, 7 milhão de hectares para cinco tribos, foi “um erro geopolítico”, avalia Aldo Rebelo (PCdoB-SP), ex-presidente da Câmara dos Deputados. É o que ele defende no livro “Raposa-Serra do Sol – o Índio e a questão nacional” (Ed. Thesaurus), que vai lançar em Brasília na quarta (24).

A VINGANÇA DO GERÚNDIO O Tribunal de Justiça do Rio condenou a TIM a indenizar em R$ 12 mil uma assinante que por oito meses recebeu a conta em nome de “Catarina quer chorar ela tem um gatinho”. Irritou-se com o atendente “estaremos providenciando”, e dito que morava só com o gato.

Los amigos

Cinderela 2010

A Justiça da Nicarágua deu ok para a obra da hidrelétrica Tumarín, construída pela Queiroz Galvão, com US$ 650 milhões do BNDES.

Definição de uma leitora do Rio, de 87 anos, nula em política e que nem quer mais saber de voto: “Essa Dilma tem cara de madrasta”.

BRASILEIROS E BRASILEIRAS... Um roedor da família dos esquilos surpreendeu pela comunicação mais sofisticada que a dos golfinhos e macacos, informa a BBC. Um rato que fala bem, digamos. Nobel garantido, se a pesquisa vier ao Brasil. NADA DE FITA O cliente GOL que teve suas malas extraviadas após o vôo 1852 (SP-Brasília), telefonou a Infraero para tentar achar as malas. Decepcionou-se. O aeroporto de Guarulhos não filma a bagagem, só passageiros.

Senador Chico O deputado Chico Leite deve ser candidato ao Senado pelo PT, no DF. Nas pesquisas, ele está empatado com o deputado Geraldo Magela.

MUAMBA BRITÂNICA Era o que faltava: depois das cuecas, malas e meias, circula e-mail de um “George York”, da British Airways, avisando que há duas caixas com US$ 5 milhões em nome do bobonauta no aeroporto de Heathrow. ENTENDERAM-SE BEM Quem é chato sempre reaparece: o ex-candidato a presidente do Peru, Ollanta Humala, era um dos convidados do 4º Congresso do PT, que terminou ontem, ungindo a candidata de Lula, Dilma Rousseff.

Especialista critica apoio ao governo iraniano ão Paulo (AE) - As declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo”, sobre o apoio de seu governo ao Irã e à Venezuela provocaram polêmicas. Na opinião do analista José Guilhon Albuquerque, professor titular aposentado de Relações Internacionais da Faculdade de Economia da USP, do ponto de vista objetivo não há nada que justifique o apoio brasileiro ao iraniano Mahmoud Ahmadinejad. “Não é compreensível o Brasil apoiar e jogar tanto a favor de um país que é um pária internacional.” Para o especialista, esse apoio só pode ser compreendido a partir de razões pessoais do presidente Lula. “Ele tem uma espécie de obsessão pessoal por um papel de liderança internacional - que é compartilhada pelos formuladores da política externa de seu governo”, disse. “Essa obsessão faz com que passe por cima de interesses econômicos, políticos, financeiros, regionais. Poderíamos citar uns dez episódios em que o País jogou todas as suas fichas, buscando esse papel de liderança, e fracassou. A lista incluiria desde a disputa por cargos de pequeno destaque em organizações internacionais ao caso de Honduras.” Na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o professor de Relações Internacionais Marcelo Coutinho disse que também considera difícil encontrar razões que justifiquem a aproximação com Teerã. “Há apenas hipóteses”, afirmou. “Uma delas seria a influência antiamericana de determinados setores do governo e da diplomacia brasileira, que defenderiam relações com regimes antiamericanos.” O professor Clodoaldo Bueno, do curso de pós-graduação em Relações Internacionais da Unesp, Unicamp e PUC, disse estranhar o fato de o Brasil se alinhar contra nações do Ocidente em momento tão delicado.

S

pós dois meses empurrando o escândalo com a barriga, os deputados distritais de Brasília agora agilizam o impeachment do governador preso, José Roberto Arruda, e do interino Paulo Octavio, a fim de destituí-los para controlar também o governo do DF. O deputado Wilson Lima, presidente da Câmara, gostou tanto da idéia que já dava entrevistas sobre planos de governo quando P.O. desistiu de renunciar.

[ REAÇÃO ]

Marcelo Baumbach informa que Lula vai participar em Cancún da 2ª Cúpula América Latina e Caribe

Lula defenderá diálogo para volta de Honduras à OEA rasília (AE) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defenderá um diálogo para a volta de Honduras à Organização dos Estados Americanos (OEA). O porta-voz do Palácio do Planalto, Marcelo Baumbach, relatou que Lula, na viagem que fará na próxima semana ao México e a países da América Central, estará disposto a dialogar sobre uma reconciliação de Honduras com os demais países. “O presidente Lula acha que é sim importante que Honduras volte à OEA”, disse Baumbach. Lula participará em Cancún, na segunda e na terça-feira, da 2ª Cúpula América Latina e Caribe e da 21ª Cúpula do Grupo do Rio, integradas por chefes de Estado do continente. Baumbach disse que Lula não apresentará nenhuma proposta concreta para que Honduras re-

B

torne à OEA. Mas deixou claro que o governo brasileiro, mesmo sem apresentar condicionantes, avalia que é possível evoluir num diálogo no momento em que Honduras já tem um presidente eleito, que é Porfírio Lobo. O governo brasileiro avalia, segundo o porta-voz, que, para a reaproximação de Honduras aos demais países, é preciso que o governo hondurenho demonstre um compromisso com a reconciliação em seu próprio país. “O presidente acha que é importante que qualquer solução dada à crise, em Honduras, não crie precedentes a movimentos golpistas na América Latina”, disse. Segundo o porta-voz, a volta do presidente deposto Manuel Zelaya e a criação de uma comissão da verdade poderiam ser demonstrações de que o novo governo hondurenho está aberto ao diálogo, mas repetiu que isso não são

condicionantes. Auxiliares do presidente Lula avaliam que Honduras poderá sair das cúpulas da semana que vem mais próxima de se reintegrar à OEA. O governo brasileiro, segundo esses auxiliares, manterá a mesma posição tomada no decorrer da crise, de consultar os demais países antes de tomar qualquer medida e agora não seria diferente. O governo brasileiro estará aberto ao debate. Recursos O presidente também anunciará na próxima semana uma série de investimentos em Cuba, Haiti e El Salvador. Na visita que fará a Cuba, na quarta-feira (24) Lula deve anunciar o repasse de cerca de US$ 300 milhões para a modernização do porto de Mariel, em Havana. Na ocasião terá um encontro com o “amigo” Fidel Castro, segundo o porta-voz da presidência.


Domingo | 21 de fevereiro de 2010

política

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 5

Ao anunciar oficialmente a pré-candidatura da ministra Dilma Rousseff ao Palácio do Planalto, durante o 4º Congresso Nacional do partido, presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirma que prioridade da vida dele é a sucessão [ ELEIÇÕES 2010 ]

Dilma é aclamada pré-candidata ED FERREIRA / AE

rasília (AE) - Em discurso no 4º Congresso do PT de aclamação de Dilma Rousseff como pré-candidata do partido à presidência da República, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ser prioridade de sua vida e de seu governo eleger a ministra sua sucessora. “Eleger a Dilma é a coisa mais importante do meu governo”, disse. “Eleger a Dilma não é secundário para o presidente da República, é a coisa prioritária na minha vida neste ano”. O presidente negou que a candidatura Dilma seja “tampão” e que esteja preparando a sua volta em 2014. “Rei morto, rei posto”, disse. “Eu quero eleger a Dilma Rousseff presidente da República para que ela governe um primeiro mandato extraordinário e ganhe autoridade política para um segundo mandato neste país”, afirmou Lula, sob fortes aplausos, ao se contrapor à estratégia de políticos “perversos e não-sérios”, que prefeririam eleger o candidato adversário. Em quase 50 minutos de discurso, no encerramento do congresso, neste sábado (20), Lula mandou um recado aos partidos aliados dizendo que o programa de governo será discutido com todos e com a candidata. Lula reforçou objetivos estatizantes que estão presentes nas diretrizes do PT para o programa de um eventual governo de Dilma e recomendou que a candidata esteja preparada para os ataques da oposição du-

B

Lula faz diversos elogios à ministra Dilma Rousseff,afirma que ela é rigorosa na gestão pública e não teme acusações de adversários

rante a campanha eleitoral. Conforme destacou, Dilma “sabe fazer como poucos no nosso querido Brasil” com que o Estado seja um grande indutor e veiculador do desenvolvimento econômico. “Vão dizer que a Dilma vai ser estatizante. Se prepare. Isso não é ruim, não, isso é bom”, afirmou Lula, dirigindo-se a Dilma. “Claro que você não vai querer estatizar bor-

racharia, bar, pizzaria, cervejaria. Mas aquilo que for estratégico para o país, não estiver funcionando e precisar colocar para funcionar, a gente não tem que ter medo de tomar decisões que são importantes para o nosso país”, completou. O presidente passou parte de seu discurso falando bem de seu governo, que, segundo ele, Dilma herdará. Ele citou o Programa de Acele-

ração do Crescimento (PAC), o programa Luz Para Todos, o programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, os aumentos do salário mínimo que não causaram inflação, entre outras realizações, e ressaltou a política externa como a “mais ousada e mais diversificada”. Mencionou conversa com o vice-presidente José Alencar, segundo a qual o Brasil hoje é lembrado por sua política

tn família

e sua economia e não pelo samba e pelo futebol. Na linha dos elogios, Lula afirmou: “A principal qualidade dela é ser rigorosa na gestão púbica. Para conhecer a Dilma é preciso conviver, brigar e teimar com ela”. O presidente também destacou que a petista tem coragem política de não tremer diante acusações de adversários.

Serra pretende sinalizar candidatura Brasília (AE) - O governador de São Paulo, José Serra, espera apenas o desembarque do colega mineiro Aécio Neves, que retorna neste domingo de férias no exterior, para marcar a visita que pretende lhe fazer ainda esta semana. Além de selar as costuras políticas no segundo maior colégio eleitoral do País, o encontro dos dois é tático. Serra quer mostrar que fará gestos cada vez mais firmes para não deixar dúvida de que é o candidato do PSDB à Presidência, mesmo sem assumir a candidatura. Independentemente da movimentação de Serra e do anúncio oficial, que setores do partido apostam que se dará em meados de março, “no máximo”, as várias alas do PSDB concordam em um ponto: o inferno astral do candidato tucano se arrastará maio adentro. Isso porque, até lá, a “superexposição” da candidata petista e ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, será acentuada pelos programas partidários do PT e dos partidos aliados do Planalto, em rede nacional de rádio e televisão. É diante desse quadro que serristas do grupo mais próximo ao governador, como o deputado Jutahy Júnior (BA), sustentam a tese de que apressar o lançamento de Serra é inútil.

TODOS OS DOMINGOS NA TRIBUNA DO NORTE


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

política

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

Agnelo Alves O REPÓRTER NOTAS... ...SATON MANOEL PAULINO A morte do seridoense Manoel Paulino dos Santos,embora esperada, face ao agravamento constante de sua saúde,chocou a todos nós seus admiradores.O conheci já ex-prefeito de sua cidade,Jardim do Seridó. Nossos encontros eram raros.Mas quando aconteciam,eram sempre prazerosos.Em qualquer fato da política Manoel Paulino tinha um exemplo do passado para comparar e entender,mesmo que o exemplo do passado e o fato recém-acontecido não combinassem.Seridoense da gema,deixa muitos filhos e netos, dentre eles,cito o desembargador Cláudio Santos,do nosso Tribunal de Justiça.Foi prefeito de Jardim do Seridó quatro mandatos e empresário também em Caicó.Pêsames à família, aos seus conterrâneos de Jardim e de todo o Seridó.

PERDA DE RUI PEREIRA O Rio Grande do Norte sofreu uma de suas grandes perdas com a morte de Rui Pereira.O Governo do Estado não tem como medir a perda que sofreu.Rui era um grande quadro como Secretário de Educação.Homem público,foi presidente da Casa de Estudante de Caicó e prefeito da cidade Serra Negra, onde realizou um extraordinário trabalho,marcado pela criatividade e pela coragem de executá-lo.Pêsames à família e ao Governo.

VENDA EM SILÊNCIO? O Governo do Estado vendeu por oitenta milhões de reais a prorrogação,por mais dois anos,a conta corrente ao Banco do Brasil. Nada de anormal.O que é estranhável é apenas o silêncio.

“CHEGAR JUNTO” “Chegar junto”é a frase corrente nas tratativas de acordos para o apoio a candidatos,desde o chefe municipal ao cabo eleitoral.Os eleitores são mantidos à distancia,sem saber que o voto de cada um está sendo vendido na “chegança”.

PADRE FÁBIO Na irreverência que caracteriza os foliões independentes do carnaval, uma musiquinha era cantada na Redinha e em Ponta Negra,chegando a Parnamirim.A ausência de prestação de contas dos 210 milhões de reais pagos ao Padre Fábio,pela cantoria nas festividades da cidade,pela Prefeitura de Natal.O vice prefeito,em exercício, Paulinho Freire,recebeu ordens para não franquear o processo à imprensa.

ELEITORADO DE NATAL O eleitorado de Natal com mais doze cidades:Mossoró,Parnamirim,São Gonçalo,Ceará Mirim,Caicó,Nova Cruz, Currais Novos,Apodi,Macaíba,São José de Mipibu e Assu,representa 51% do eleitorado do Rio Grande do Norte. Os outros 49% são representados pelas 154 outras cidades do Estado. Enquanto,Natal sozinha,representa 32% do eleitorado do Estado.

EM RISCO A espera pelo emissário submarino de Ponta Negra coloca em risco o saneamento da zona sul de Natal e, igualmente,dos bairros de Emaús e Nova Parnamirim,em Parnamirim.Os dois,claro! Quem vai ganhar a licitação,a OAS ou a Odebrecht? Direta ou indiretamente,através de subsidiárias? Por que o Ministério das Cidades insiste no emissário submarino?

ÁLVARO DIAS Um gesto de coragem e de confiança a aceitação do deputado Álvaro Dias para formar chapa governamental com Carlos Eduardo para governador e vice.Coragem porque tem uma eleição certa e,relativamente,fácil para deputado estadual.Confiança porque acredita que o eleitorado norte-riograndense quer mudar, renovar,criar um novo quadro político para o Rio Grande do Norte.Carlos Eduardo,governador.Álvaro Dias, vice-governador.

PROPOSTA ESTAPAFÚRDIA ABALA ESTRUTURA DA OPOSIÇÃO

Carlos confia nas pesquisas

DIVULGAÇÃO

MARCELO BARROSO

ELISA ELSIE

Rosalba espera pelo Supremo

terra está tremendo debaixo dos pés dos candidatos ao Governo do Estado e ao Senado da República das duas estruturas políticas que têm de um lado a candidatura da senhora Rosalba Ciarlini e do outro Iberê Ferreira de Souza na disputa ao Governo e a duas vagas para Senador, José Agripino Maia, Garibaldi Filho e Wilma Maria de Faria. Em vôo próprio, entrando na disputa para o Governo do Estado, está o ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, alavancado pelas pesquisas eleitorais que lhes assegura a condição de candidato competitivo, sem avocar a condição de “terceira força” ou de “terceira via”. Carlos, em busca do voto independente, ganhou, agora, Álvaro Dias, do Seridó, como companheiro de chapa.

A

TREMOR NA OPOSIÇÃO Na estrutura dita da oposição, a chapa parece fechada com a opção recente do deputado Robinson Faria para vice-governador depois de mais de três anos na ilusão de que seria o candidato da estrutura governamental ao Governo. Foi seduzido? Iludido? Pelo sim, pelo não, ocupou o único lugar disponível na estrutura “oposicionista” entre aspas, porque jamais fez oposição. Por sua vez, a prefeita Micarla de Souza, que ainda curte a neve novaiorquina, nos Estados Unidos, com medo das vaias com que tem sido brindada pelos natalenses todas as vezes que aparece em público, fez sua opção para governador com a parceria da campanha de prefeito, Rosalba Ciarlini e para Senador escolheu Agripino. Quanto ao segundo voto para o Senado, impôs a condição estapafúrdia para “chegar junto” ao senador Garibaldi Filho: Quer o apoio da Tribuna do Norte e da InterTV Cabugi para as trapalhadas da Prefeitura. Garibaldi está à espera da reação da estrutura “oposicionista”. Não é acionista de nenhuma das duas empresas e se fosse, não as colocaria, por descabimento, no jogo político de maneira tão espúria. Obteve o apoio de Agri-

Iberê: espera pela caneta

pino e de Rosalba. Mas espera que esse apoio seja público como público tem sido Entre sedução o seu apoio e sua in- e ilusão, parece tegração no sistema. que Robinson não Como conciliar a é o único – Nem a estapafúrdia condi- renúncia da ção exposta pela pre- governadora pode feita ainda em Nova ser considerada Iorque? Via Embratel prego batido, ponta deve estar custando virada.” um dinheirão. Maior do que gasto por telefone de um dos seus assessores, contabilizado em mais de vinte mil reais só com o celular em um mês. E nesse absurdo pago pelos natalenses não constam as ligações telefônicas para Nova Iorque e Miami e vice-versa.

TREMOR NO GOVERNO Por outro lado, não há segurança na estrutura governamental, embora o candidato a governador Iberê Ferreira de Souza venha demonstrando calma ainda não está no comando da estrutura. Quem está é a governadora Wilma Maria de Faria, candidata ao Senado. Iberê, certamente, espera que o comando seja transferido para as suas mãos dentro de mais 41 dias exatamente quando a governadora Wilma Maria de Faria renunciará, desincompatibilizando-se para ser candidata ao Senado. A partir do dia 2 de abril será naturalmente para o candidato ao Governo do Estado. Sai Wilma da prioridade e entra Iberê como candidato ao Governo do Estado. TREMOR APENAS POLÍTICO Dir-se-á que esses tremores nas duas estruturas políticas são naturais todas as vezes que se tenta acomodar adversários tradicionais em “acordões” – saiu de moda. Agora é estrutura – numa chapa onde os lugares são de menos e os candidatos são de mais. Pode ser. Realmente é difícil acomodar num lado só lideranças que sob siglas partidárias diferentes sempre se digladiaram entre si. Co-

estória da história CHIFRE EM CABEÇA DE CAVALO E TANCREDO TRANQUILIZOU uma típica feijoada, bem carioca, que o restaurante do Hotel San Paul servia aos sábados, desconfiei do movimento algo diferente. Após algumas conjecturas, fui eliminando uma vez, até chegar à política. E aí comecei novo jogo por eliminação. Os personagens. Os problemas. O doutor Tancredo estava viajando com toda a cúpula da sua campanha. O doutor Paulo Maluf também. Investi a investigação no Governo. Mais precisamente dentro do Governo, no SNI. Guardei comigo a preocupação. Mas comecei a me inquietar. Assumi uma decisão. Alertar a quem de direito. Mas quem, se Brasília aos sábados virava terra de ninguém? Uma comunicação com a caravana do doutor Tancredo Neves, talvez, para dizer o quê? Que os homens da informação secreta do Governo estavam assim, assim, assim, assado? E daí? Seria levado ao ridículo, com prejuízo para minha credibilidade. Estava nesses pensamentos, povoado de suspeitas e dúvidas, quando sou chamado ao telefone. Respirei fundo. Toda a liderança que estava acompanhando o doutor Tancredo estava sabendo de tudo que eu,

N

apenas, suspeitava. E todos estavam exatamente preocupados, aconselhando o doutor Tancredo a interromper a excursão e voltar imediatamente para Brasília. O doutor Ulisses fora escalado pata transmitir a preocupação de todos. Estaria em desenvolvimento um novo ato institucional, mais feroz do que o AI-5. O doutor Tancredo limitou-se a rir. Estava mais bem informado do que todos. Não dera detalhes do que sabia, mas tranqüilizou a todos. Realmente a turma da “Linha Dura” estava inconformada. Tancredo seria eleito presidente da República. Um risco que a nação não perdoaria os militares que fizeram a “revolução”, se o poder fosse entregue aos inimigos do movimento militar de 1964, achava a “Linha Dura”. Tancredo tinha já aquela altura – cerca de três semanas antes da eleição – o controle militar com todos os seus ministros militares escolhidos, exceção da Aeronáutica, que não o preocupava. Se a preocupação com a Aeronáutica existisse, seria pela escolha do seu ministro, tantos mereciam por todas as razões. Até para o SNI. Tancredo já tinha o convite feito e aceito e já trabalhando.

ALEX RÉGIS

Wilma com dias contados

mo juntá-las num lado só sem que haja reação do eleitorado? O transcorrer da campanha virá. Se na campanha for possível juntar adversários tradicionais, será que no Governo o prestígio aos líderes municipais será distribuído eqüitativamente, com equilíbrio depois de tantos e tantos anos de luta entre si? Essa pergunta começa a encucar o raciocínio dos líderes municipais. E o tremor começa exatamente nos municípios, agravando a motivação quando surge a motivação estadual. Os tremores já começam a “pipocar” nos municípios. E O TEMPO CORRENDO... A folhinha do calendário continua inexoravelmente sendo mudada, dia a dia, advertindo que os prazos da Lei são longos, mas chegam fatalmente. Como exemplo, o dia da renúncia ao Governo da senhora Wilma de Faria poderia ter acontecido bem antes. Mas, no dia dois de abril, ela terá que passar o governo ao vice-governador Iberê Ferreira, ambos candidatos a postos majoritários, respectivamente ao Senado e ao Governo. Natural que a governadora tenha priorizado a sua própria candidatura a senadora. Como natural será o governador Iberê priorizar a sua candidatura ao Governo. O tempo está correndo. As águas estão rolando. O tempo está encurtando e as águas estão sobrando para rolar por todo o tempo, até o dia o dia três de outubro, o dia da eleição. AS EXIGÊNCIAS DE MICARLA As exigências repentinas da prefeita Micarla com o nome da irmã ou da mãe para suplente de Agripino não é de bom paladar. Mas as exigências do apoio da Tribuna do Norte e da InterTV Cabugi às suas trapalhadas na Prefeitura para apoiar Garibaldi para o Senado atinge à sandice do estapafúrdio. É tremor de terra sob os pés dos candidatos que, longe de passar, aumenta a sua intensidade na escala Richter. Do que vai resultar, ninguém pode, sequer, palpitar. É o inusitado? Não. É a conseqüência.

Aluízio ficou preocupado comigo em Brasília, sabendo dos zunzuns, precisando de um apoio. E me transmitiu em voz sintonizada, o que soubera de Tancredo. Se os jornais de São Paulo e do Rio telefonassem, mostrasse surpresa, mas o melhor seria desaparecer. Que é isso Aluízio? Vou tranqüilizar a todos, usando uma terminologia até então inédita na imprensa, “chifre em cabeça de cavalo”. Os colegas todos riram e noticiaram, cada um numa linha só, mas todos usando o “chifre em cabeça de cavalo”. Vim a saber que Tancredo adorou quando leu. A “Linha Dura” não encontrou respaldo – diga-se em nome da verdade – no general João Figueiredo. Mas Tancredo não causava nenhuma preocupação. Também os ministros militares escolhidos por Tancredo entraram em ação. O SNI já não era mais aquela usina de boatos dirigidos. Figueiredo fazia apenas uma restrição ao telegrama que recebera de Tancredo comunicando a renúncia do Governo de Minas Gerais para ser eleito presidente da República e “sucedê-lo”. Já Sarney, o nome podia ser pronunciado na frente de Figueiredo. E porque desconfiei? Pela movimentação do pessoal que nós do Gabinete de Tancredo já notávamos a caracterização. E na feijoada do sábado eles estavam comemorando, percebi. Perdera a última batalha.

... CARO LEITOR... Passei em branco o carnaval.Em nenhum instante e por motivação nenhuma consegui incentivar a mim mesmo.Sequer para ver.Soube que “bombou”,como se diz na gíria,em Pirangi,na Redinha e em Ponta Negra. Pela televisão vi momentos dos desfiles do realmente maior espetáculo da terra a céu aberto,no Rio de Janeiro. Um carnaval industrializado,igual, quase ao Carnatal.Não faz o meu gênero.O carnaval do meu tempo passou.Entre os vários fatores que contribuíram para a mudança,o mais preocupante foi o econômico.O vil metal é o que se pode chamar de maior de todos os argumentos.E a Rede Globo comanda o espetáculo como comanda o futebol. E o ABC heim? Só não perdeu para quem não jogou.O América estava nos estertores de uma crise ameaçadora para o seu futuro.O ABC aparece e perde.Quer coisa melhor do que isso para o América? Quando os abecedistas começam a se conformar com a derrota diante do América,vem o Assu e pimba.O ABC não está em crise, mas se perde hoje para o Alecrim,sei não,amigo. Soube,veja bem,não vi.Mas a nossa muito estimada Dedete mandou todos os seus problemas para o ar.Pintou o sete e o quatro no carnaval.Chegou em casa quarta-feira de cinzas já passava das seis da tarde.Como soube também que na quinta-feira já estava instalada em cima dos sapatos de três andares, toda elegante,distribuindo simpatia em torno do Senadinho. Politicamente alguns estremecimentos começaram a aparecer.Estou sintonizado, mas não estou autorizado. Espero que apareça para eu deitar e rolar.Tenho detalhes.A eleição para senador pode entornar o caldo da eleição para governador.Andei consultando o horóscopo e já contratei um“expert”.Gostou? Não sei como se escreve.Vai aí como entendo,ok? Para publicar o horóscopo semanal sem visar nem“a”nem“b”,nem“c”.O cara é um estudioso na matéria. Amigo,recomende-me aos seus com a afeição que nos une.Em cada um,beijo no coração e um abraço especial para a Maneca,NECO.

EDITORIAL SUCESSÃO ESTADUAL Salvo surpresa,o quadro de candidatos ao Governo do Estado está definido com os candidatos Carlos Eduardo Alves, Rosalba Ciarlini e Iberê Ferreira de Souza.Dos três,apenas o candidato Iberê ainda não indicou o seu candidato a vice-governador.Rosalba tem Robinson e Carlos Eduardo tem Álvaro Dias.Caberia uma pesquisa independente dos partidos e candidatos como patrocinadores? Claro que sim.Temos quatro jornais matutinos.Fácil,portanto,os quatro poderiam patrocinar uma pesquisa periódica.A primeira,agora no inicio de março e as seguintes,a cada quarenta e cinco dias,ou mesmo,sessenta dias, sendo a divulgação feita, simultaneamente,pelos quatro jornais e já incluindo,também,os candidatos ao Senado.Até hoje o comum tem sido os candidatos ou os partidos mandarem fazer pesquisas e só divulgarem se o resultado servir de propaganda para os que estiverem na frente.Longe, portanto,de ser uma informação,passa a ser uma desinformação,mesmo quando registrada,como manda a Lei,na Justiça Eleitoral.O simples registro impõe responsabilidade,mas não impõe neutralidade na divulgação. Dispomos de boas agências de pesquisa.Não precisamos,assim, importar agências nacionais que, inclusive,terminariam por utilizar os pesquisadores locais.Por outro lado,o fato da divulgação ficar por conta dos próprios candidatos ou dos partidos não é problema das agências pesquisadoras.A mídia pode trazer seriedade,responsabilidade e a verdade das pesquisas.


Domingo | 21 de fevereiro de 2010

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

7

Caminhão estava estacionado na garagem da empresa, em Cidade Nova, nas proximidades, quando perdeu o freio e destruiu a fachada da casa. Moradores dizem que problema é recorrente

LUTO

Caçamba de lixo derruba casa

O escultor Bruno Gironcoli, cuja ampla gama de técnicas e obras ecléticas desafiaram a categorização, morreu na sextafeira, em Viena, aos 73 anos de idade após “uma longa doença grave”, informou a Austria Press Agency neste sábado. Nascido na cidade de Villach, ele aplicou seu talento em ouro e prata nos primeiros trabalhos, utilizando fios finos, por exemplo, para esculpir cabeças em três dimensões, uma peça que chamou atenção em âmbito internacional. Suas obras posteriores refletiam seu interesse em poder, sexualidade e fertilidade como temas artísticos. Detalhes sobre o funeral não foram divulgados. As informações são da Associated Press.

[ ACIDENTE ]

FOTOS:ALEX RÉGIS

ma caçamba de lixo invadiu uma casa onde residem três pessoas na manhã de ontem na rua Copacabana, bairro de Cidade Nova. Por volta das 06h30, o caminhão, que estava estacionado nas proximidades da casa, perdeu o freio, desceu a ladeira, destruiu a fachada da residência de Maria Araújo de Melo, de 59 anos, e quase atingiu uma de suas filhas, que é portadora de necessidades especiais e estava dormindo no momento do choque. Apesar do susto, ninguém ficou ferido. Maria Araújo vai processar a empresa responsável pela caçamba. Segundo moradores, a caçamba pertence a uma empresa prestadora de serviços da Urbana – a Aracely e Cia. LTDA – que mantém uma oficina e lava-jato na rua Copacabana. Os mesmos moradores afirmam que a empresa, gerida por William Cesar Duarte, é controlada pelo ex-vereador Fernando Lucena, de quem William Cesar é primo. Contatado pela reportagem da TRIBUNA DO NORTE, Fernando Lucena disse que não tem qualquer relação com a empresa do primo William Cesar Duarte. “É meu primo sim, mas eu não tenho nada a ver com isso. Que culpa tenho eu do meu primo possuir uma empresa?”, reclama. A relação entre a Aracely e Cia vem desgastada há pelo menos dois anos, tendo inclusive gerado dois processos na Justiça. De acordo com Antonio Fernandes, que mora vizinho à garagem da empresa, os moradores da rua Copacabana querem que a empresa retire a garagem dali. “Essa garagem, que funciona também como oficina e lava-jato é fonte de

U

TURBULÊNCIA

VOO DE WASHINGTON A TÓQUIO FERE 20

Caçamba destruiu a fachada da residência de Maria Araújo de Melo, de 59 anos, e quase atingiu uma de suas filhas

Moradores da rua Copacabana querem que empresa retire garagem

incômodo para todos os moradores”, diz Antonio. Para ele, o acidente da manhã de ontem era mais do que previsível. “Todo mundo sabia que isso iria acontecer”, diz. A bronca dos moradores começa com o tráfego de veículos de grande porte pelo local. São tratores, caçambas, caminhões, etc, segundo relatos. “Eles já tinham passado pela calçada algumas vezes, subido mesmo. Os motoristas têm a mania de deixar o carro ligado e sair”, diz Jeane Félix de Melo, de 35 anos, que é uma das filhas de Maria Araújo e vive na residência atingida pela caçamba. O barulho e o mau cheiro também são problemas. Antonio Fernandes conta que não há horário

de trabalho definido e que o barulho entra madrugada adentro. Além disso, caminhões carregados de lixo ficam “estacionados” dentro da oficina causando mau cheiro e atraindo insetos e ratos. “Ninguém agüenta. Eles incomodam demais. Tem até uma moça que está grávida e que mora do lado da garagem”, diz Antonio Fernandes. As duas ações na Justiça dizem respeito à retirada da garagem da rua Copacabana e à construção de um muro por parte da empresa. A reportagem da TRIBUNA DO NORTE tentou contato com funcionários na própria garagem, mas eles disseram não estar autorizados a dar qualquer informação.

[ ESGOTO ] Em Lagoa Nova, a água servida

[ CARNAVAL ] Shows cancelados por falta de palco e trivela, interdição

vem transformando rua em lagoa de podridão

de palco e não pagamento de cachês foram algumas reclamações

Moradores convivem com fedentina de bueiro

Artistas e agremiações reclamam da desorganização

transbordo constante de uma boca de lobo na esquina das ruas Coronel Coelho e Cirilo Moreira, por trás do Rodoviária Nova, em Cidade da Esperança, tem causado transtornos aos moradores de Lagoa Nova. A água servida e os dejetos que minam do bueiro formam uma lagoa de podridão, em dias de chuva, que invade as casas mais próximas. Mesmo sob sol forte, o problema não cessa. Na manhã de ontem, a situação permanecia uma semana depois dos reparos feitos pela Companhia de Água e Esgoto do Rio Grande do Norte (Caern). Temendo a “inundação” a partir do banheiro, de onde os excrementos retornam pela tubulação para dentro de casa, a dona de casa Maria Verônica de Araújo Campos mantém o vaso sanitário “descolado”. O mau cheiro é sentido em todos os cômodos. “Foram 18 dias sangrando direto e com o refluxo invadindo tudo. Além do prejuízo com os móveis e os reparos no banheiro, mi-

O

MORRE ESCULTOR BRUNO GIRONCOLI

nha filha de um ano e sete meses está com creca (sic.) no corpo todo”, disse a mãe apontando para as micoses na pele da criança. Mais lamentável, segundo ela, é o tratamento dispensado pelos técnicos da Caern. “Depois de consertarem, ainda soltaram piadinha dizendo que pobre tem mesmo que sofrer. O tapamento não durou um dia, desde o sábado que o problema voltou”, disse Maria Verônica. Com uma filha grávida e criança na casa, a vizinha Luzia Fernandes,58, conta que é comum os filhos adoecerem. “Dor de cabeça, garganta inflamada e problema na pele é fichinha. Já pensei em vender a casa para me livrar dessa imundície, mas ninguém quer comprar desse jeito”, critica a senhora, que afirma ligar diariamente para solicitar a manutenção da Caern. Segundo informações da assessoria de imprensa da Caern, uma equipe técnica foi encaminhada ao local na tarde de ontem, para verificar a causa do vazamento. ALEX RÉGIS

Água servida e dejetos que minam do bueiro formam uma lagoa

noite desse sábado pode até ter sido de festa no desfile das escolas de samba e tribos de índio campeãs do carnaval de Natal, como estava previsto ocorrer a partir das 20h. No entanto, a folia de momo trouxe mesmo foi preocupação para artistas e agremiações. As escolas de samba e tribos de índio ainda não receberam os valores referentes a ajuda de custo. Já os cantores, esses enfrentaram problemas na própria apresentação. Na sexta-feira de carnaval Geraldinho Carvalho foi anunciado para cantar no pólo Cidade da Esperança. O artista foi ao local, mas não havia nenhuma estrutura. Nesse mesmo dia estava previsto o show da Orquestra Boca Seca no pólo do bairro do Alecrim. Os artistas compareceram, mas não havia a trivela onde aconteceria a apresentação. Os problemas se estenderam também para infraestrutura dos shows. Na Redinha, no sábado de carnaval, durante os shows, o palco chegou a ser interditado pelo Corpo de Bombeiros, que flagrou irregularidade no fato do palco ter aberturas laterais. “Esse foi o carnaval da gambiarra. Quando interditaram o palco eles (a Prefeitura) fizeram uma gambiarra para fechar as laterais”, disse o cantor Júlio Lima. Crítica à estrutura, mas elogios a iniciativa da Prefeitura de contratar artistas locais. “Esse foi um carnaval muito desorganizado, mas precisamos também reconhecer que foi muito bom a contratação de artistas locais para os shows”, destacou Júlio Lima. Nelson Rebouças, que empresariou dez cantores para a a folia

A

COORDENADORA CRITICA ORGÃOS Coordenadora do carnaval de Natal,Cristina Medeiros,avaliou que o maior problema não foram as transferências de shows devido a falta de estrutura, mas as falhas de organização da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) e da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur).“A Semob não fez as interdições que foram solicitadas e até atropelamento ocorreu”,disse.Ela também não poupou críticas à Semsur que“falhou na iluminação”.“A Semsur não iluminou,o maior problema foi mesmo na Redinha”,disse a coordenadora, que entregará um relatório completo sobre o carnaval de Natal à prefeita Micarla de Sousa.Sobre os shows de Geraldo Carvalho e Boca Seca,que não ocorreram conforme a programação,Cristina explicou:“a trivela chegou um pouco tarde e Boca Seca não quis esperar.Já Geraldinho o problema foi da Urbana que não montou o palco”. A coordenadora do carnaval negou que o palco da Redinha tenha sido interditado pelo Corpo de Bombeiros.“Eles apenas pediram para gente fechar as laterais do palco”, completou.

de Momo em Natal, preferiu não creditar à Prefeitura a responsabilidade pela não realização dos shows de Boca Seca no Alecrim e Geraldinho Carvalho na Cidade da Esperança. “No Alecrim estava tudo certo, mas a trivela (onde ocorreria o show de Boca Seca) não apareceu. Infelizmente, ele (o responsável pela trivela) não cumpriu a palavra”, disse Rebouças, informando que o show da orquestra foi transferido para o pólo carnavalesco do centro da capital potiguar. Explicação semelhante Nelson Rebouças dá para a falta de palco na Cidade da Esperança, onde ocorreria o show de Geraldinho Carvalho. “Essa foi uma falha das pessoas que se comprometeram com a Prefeitura em instalar o som. Seria um palco em cima do caminhão e não estava lá”, observou. RECLAMAÇÃO Reclamação de cantores, críticas também das escolas de samba que ainda não receberam a aju-

da prometida para antes do carnaval. No caso das agremiações do grupo A o valor do repasse seria de R$ 15 mil. A alternativa encontrada pelos carnavalescos foi buscar promissória no comércio. Presidente da Escola de Samba Malandros do Morro, Kerginaldo Alves, disse que até “já se acostumou” com os atrasos no repasse do dinheiro da Prefeitura. Ele disse que a Associação das Escolas de Samba e Tribos de Índio, da qual Kerginaldo Alves é vice-presidente, afiançou os gastos das agremiações, firmando uma nota promissória de repassar o pagamento logo que a Prefeitura efetue o crédito. “A Associação afiançou e pagará ao comércio quando a Prefeitura depositar. Diretor Financeiro da Associação das Escolas de Samba e Tribos de Índio, Ronaldo Cruz, disse que o convênio de R$ 200 mil será repassado nessa segunda-feira pela Prefeitura. “O atraso foi apenas devido a burocracia. Na segunda-feira faremos o pagamento”, destacou.

Cerca de 20 pessoas ficaram feridas em uma turbulência a bordo de um avião da United Airlines que ia de Washington, nos Estados Unidos, a Tóquio, no Japão. Tetsuya Shinozuka, autoridade policial do Aeroporto Internacional de Narita, em Tóquio, afirmou que muitos dos feridos estavam com hematomas, mas que ao menos uma pessoa pode ter quebrado a perna. Ele não forneceu mais detalhes sobre o incidente. O porta-voz da United Airlines, Mike Trevino, em Chicago, disse que com 13 horas de voo, quase na metade da viagem, o piloto alertou os passageiros para colocarem os cintos de segurança. Pouco tempo depois, o avião “passou por turbulência moderada”. CRIME

PIA NASCIMENTO É ENCONTRADA MORTA A ex-modelo, consultora de moda e socialite Penha Ferreira do Nascimento, Pia Nascimento, de 66 anos, foi encontrada morta, por volta das 19h45 desta sexta-feira, com ferimentos, possivelmente a facadas, no pescoço, no interior de sua residência, no bairro da Urca, zona sul do Rio. Policiais militares foram acionados por uma amiga da ex-modelo, que encontrou o corpo na cozinha, no andar superior da casa. Uma faca supostamente usada no crime foi encontrada no local. Vizinhos que acompanhavam a movimentação da polícia civil e da imprensa comentaram que Pia teria registrado queixa de ameaça na polícia recentemente. CONFLITO

SÍRIA ADVERTE PARA CRISE MAIOR O primeiro-ministro da Síria, Naji al-Otari, está alertando Israel de que uma nova guerra no Oriente Médio seria catastrófica para a região. Por semanas, Israel trocou algumas das palavras mais afiadas em anos com a Síria e outro adversário chave na fronteira norte, o grupo militante Hezbollah, no Líbano. O premiê afirmou que um novo conflito terá perigosas repercussões não apenas no Oriente Médio, mas também em âmbito internacional. Ele conversou com repórteres neste sábado após se reunir com o primeiro-ministro da França, François Fillon. O ministro de Relações Exteriores de Israel disse à Síria que seu exército seria derrotado e seu regime entraria em colapso em uma futura guerra.


8

geral

Natal | Rio Grande do Norte| Domingo | 21 de fevereiro de 2010

“Após debater esta questão exaustivamente por um ano, vamos avançar juntos”, disse Obama em seu programa de rádio semanal. O republicano Dave Camp acusa novo projeto de ter sido redigido em segredo [ EUA ]

Obama aponta reforma da saúde presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse neste sábado que a reunião da próxima semana com republicanos e democratas sobre a reforma da saúde testará a capacidade dos dois partidos para

O

resolver não apenas este problema, mas outros também. “Após debater esta questão exaustivamente por um ano, vamos avançar juntos”, disse Obama em seu programa de rádio semanal. “Na próxima semana é nossa

chance de finalmente reformar nosso sistema de saúde de modo que funcione para famílias e pequenos negócios. É nossa chance de finalmente dar paz de espírito aos americanos, sabendo que conseguirão ter cobertura acessível

quando mais precisarem.” Um ponto de partida para as negociações da semana que vem é uma versão ainda não conhecida de dois projetos de lei aprovados separadamente pela Câmara dos Deputados e pelo Senado. O republicano Dave

Camp disse que as pessoas querem que Obama e os democratas “descartem seu plano equivocado de uma aquisição do sistema de saúde pelo governo” e comecem de novo passo-a-passo. “Para aquelas famílias e pequenas empresas em busca de um

sinal de que Washington está pronto para acordar e achar um senso comum sobre o assunto, a reunião da próxima semana sobre a reforma da saúde pode não ser isso”, afirmou ele , acusando o novo projeto de ter sido redigido em segredo.

[ CRISE ]

Fifa quer controle na negociação de atletas JAMIL CHADE Agência Estado

ransferências de jogadores que não existem, clubes fictícios e dinheiro de origem obscura. Em um raio X preocupante, a Fifa admite abertamente pela primeira vez que o futebol no Brasil e em toda América do Sul se transformou em um paraíso para a lavagem de dinheiro. Nas palavras da entidade, o mercado de jogadores vive uma “lei da selva, sem controle”. Para acabar com esses esquemas fraudulentos, a Fifa dará até outubro para que todos os clubes do mundo passem a registrar compra e venda de atletas em um sistema eletrônico que dá à entidade amplos poderes para monitorar as transações internacionais. No Brasil, escolinhas de futebol, fundos de investimentos e mesmo empresas como a Traffic poderão ter dificuldades para se adaptar. Pelas estimativas da Fifa, entre 20 mil e 30 mil jogadores saem de seus países por ano em um mercado avaliado em bilhões de euros. Tudo sem qualquer controle. “O futebol é um dos últimos setores no mundo em que uma movimentação enorme de dinheiro ocorre internacionalmente sem qualquer controle. Agora, decidimos que essa era está chegando a seu fim”, afirmou Mark Goddard, gerente geral do Sistema de Transferência da Fifa, o novo mecanismo eletrônico que promete revolucionar a administração do futebol. Há poucos meses, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) comprovou que o futebol se transformou em plataforma privilegiada para lavagem de dinheiro Nem a Fifa nem a OCDE dão detalhes do que descobriram na América do Sul. “O que existe é uma selva e essa é a lei que impera. Não há controle, são transferências internacionais e privadas, portanto, fora do alcance dos governos. Decidimos que cabe à Fifa realizar esse monitoramento”, disse, indicando casos de transferência de jogadores que simplesmente não existiam e que os contratos serviam apenas para justificar a lavagem de dinheiro. Pela nova lei da Fifa, apenas clubes podem vender e comprar atletas. Intermediários e fundos como a MSI, e mesmo empresas como a Traffic, simplesmente não terão mais lugar na nova arquitetura que está sendo desenvolvida há dois anos. A entidade sabe que o sistema não impedirá acordos nos bastidores entre clubes e empresários. Mas indica que o sistema é pelo menos um início da tentativa de colocar ordem em um dos negócios mais lucrativos do mundo. A Agência Estado apurou que, no Brasil, 38 clubes já adotaram o sistema, depois de passar por treinamento. Mas a meta da Fifa é de que 400 times adotem o sistema de transferência.

T


geral

Domingo| 21 de fevereiro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

9

[ PEC 300 ] Representantes dos policiais pressionam os deputados para aprovar a proposta que estabelece piso

nacional e estipula que o salário inicial não poderá ser inferior ao valor recebido pelos colegas do Distrito Federal

PMs ameaçam parar em março rasília - Policiais e bombeiros militares de todo o país ameaçam cruzar os braços no próximo dia 3 caso a Câmara não vote até o dia 2 a proposta de emenda constitucional que cria o piso salarial para a categoria. Proibidos pela Constituição de fazer greve, os militares apostam em uma estratégia alternativa para suspender seus trabalhos: promover o chamado aquartelamento. “Os familiares irão para a porta dos quartéis e impedirão a saída dos militares, que não poderão fa-

B

zer nada”, explica o deputado Capitão Assumpção (PSB-ES), coordenador da Frente Parlamentar em Defesa dos Policiais e Bombeiros Militares. “Isso não contraria a Constituição”, ressalta. Representantes da categoria vão se reunir em Brasília, no próximo dia 2, para pressionar os deputados a aprovarem a PEC 300/08. A proposta estabelece o piso nacional para policiais e bombeiros militares e estipula que o salário inicial das categorias não poderá ser inferior ao valor receJOSÉ CRUZ/ABR

Michel Temer propõe ajustes para evitar impasse no plenário

Lideranças prometem mobilizar 10 mil policiais Representantes dos policiais prometem fazer uma marcha com 10 mil policiais e bombeiros na Esplanada dos Ministérios para pressionar os líderes partidários e os integrantes da Mesa Diretora a votarem a PEC 300 na primeira semana de março. Cerca de 5 mil policiais lotaram as galerias e os corredores da Câmara na abertura do ano legislativo para pressionar a Casa a votar a PEC 300. Mas os líderes partidários decidiram segurar a votação. A estratégia agora é intensificar o corpo a corpo com os líderes e os integrantes da Mesa Diretora. Pelo acordo em construção, o novo piso contemplará também os policiais civis e os pensionistas. A proposta preliminar propõe ainda que o novo piso passe a valer assim que a PEC for promulgada. Inicialmente as novas regras davam prazo de um ano para os governos se adequarem aos valores. Os estados que não conseguissem arcar com o novo piso serão socorridos pelo governo federal. “Estamos avançando e está sendo construída uma saída. Se tivesse mantido o texto da for-

ma como está na PEC 300, ela não passaria no Senado. É importante a mobilização da categoria, mas é importante que se faça pressão já tendo os parlamentares feito articulação. Agora podemos avançar”, disse o deputado distrital Cabo Patrício (PT-DF), presidente da Associação Nacional dos Praças. Conforme mostrou o Congresso em Foco, a tramitação da PEC 300 corre o risco de parar no Congresso. Se for decretada a intervenção federal no Distrito Federal, conforme pedido do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, a votação de propostas de emendas à Constituição ficará suspensa durante todo o período de intervenção. A justificativa é que, para haver emendas à Constituição, os poderes federativos precisam estar em livre funcionamento, o que não ocorre em casos de intervenção. O pedido de interferência no DF ainda será analisado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e pelo presidente da República. A solicitação precisa também ser apreciada pelo Congresso.

Intervenção federal no DF é um obstáculo a mais A tramitação da PEC 300, que institui o piso nacional para policiais militares e bombeiros, corre o risco de parar no Congresso. Se for decretada a intervenção federal no Distrito Federal, conforme pedido do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, a votação de propostas de emendas à Constituição (PECs) ficará suspensa durante todo o período de intervenção. A justificativa é que, para haver emendas à Constituição, os poderes federativos precisam estar funcionando livremente, o que não ocorre em casos de intervenção. O pedido de interferência no DF ainda será analisado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e pelo presidente da República. A solicitação precisa também ser apreciada pelo Congresso. A interven-

ção consiste em a União assumir, temporária e excepcionalmente, o desempenho de competências do ente federativo. Ela ocorre por meio de decreto presidencial, que estabelece a amplitude, o prazo e as condições de execução dessa interferência. Depois de editado, o Congresso tem 24 horas para votar o decreto. A interferência federal no DF foi solicitada por Gurgel na última quinta-feira (11), devido às denúncias de corrupção envolvendo o governador José Roberto Arruda (sem partido). O pedido foi encaminhado ao presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, logo após a prisão de Arruda na semana passada. Arruda foi preso por tentativa de suborno de testemunha. (Congresso em Foco)

bido pelos colegas do Distrito Federal. Os sindicalistas ameaçam votar o indicativo de paralisação caso os líderes partidários não incluam a proposta na pauta do Plenário na primeira semana de março. Mas a votação esbarra em dois obstáculos: a eventual intervenção no Distrito Federal e a falta de acordo sobre o texto a ser votado. “Não há acordo. Não abrimos mão de votar o texto aprovado na comissão especial”, diz Capitão Assumpção. O texto ao qual o deputado se

refere é o que fixa em R$ 4,5 mil o piso para praças e em R$ 9 mil o salário inicial de oficiais. A proposta enfrenta resistência dos governadores e dos líderes partidários na Câmara, que alegam que o texto é inconstitucional por criar despesas para os Executivos sem apontar receitas. MILITARES Em busca de um entendimento, o presidente da Casa, Michel Temer (PMDB-SP), propõe ajustes na redação, com a incorporação

de dispositivos da PEC 446/09, que também estabelece piso para PMs e bombeiros, mas não estipula valor. O novo texto está sendo redigido pelo secretário-geral da Mesa, Mozart Vianna, e um grupo de deputados ligados aos militares. De acordo com a proposta em negociação, o piso contemplará os policiais civis e será fixado em R$ 3,5 mil, valor admitido pelo governo federal. Caberá à União ajudar os estados que não tiverem condições de arcar

com o salário inicial de PMs e bombeiros. A proposta também beneficia os policiais civis e os pensionistas e prevê que o piso valerá assim que a PEC for promulgada. Os estados que não conseguirem arcar com o novo piso serão socorridos pelo governo federal. “Isso não existe. Querem diminuir em R$ 1 mil o piso da categoria. Não aceitamos votar outro piso que não seja o de R$ 4,5 mil”, afirma Capitão Assumpção.


quadrantes

10 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

SANDERSON NEGREIROS [ escritor ]

Américo era um ser moral sólido, a evidenciar sempre um caráter pródigo de compreensão da natureza humana. Mesmo sem aceitar a realidade difícil que a vida,muitas vezes,oferece-nos, no apogeu de seu transcurso, não tateava nunca o prumo do equilíbrio interior. Profundo conhecedor da caminhada terrestre,fazia da conversa, em sua casa, um encontro fraterno.”

Do nosso grupo, fazia parte habitual, Alvamar Furtado de Mendonça, o “causeur” que se não esquece — capaz de alongar as 24 horas de um dia com a palavra — sumo de sua eloqüência de professor — provida de humor, tão característico de sua personalidade que se fazia crescer nas horas de quem nasceu com o ofício litúrgico do dom da palavra. De vez em quando, ou quase sempre, aparecia Mário Moacir Porto, a sabedoria em pessoa, no seu sentido mais prático. Era um privilegiado em tudo que dizia ou sentia — abarcava com seu talento uma visão mais ampla possível do Conhecimento. Tanto podia ser o professor, de fama internacional, — e isso o comprova as várias bancas de exame de Direito Civil, de que fez parte na Europa. Ou o admirador de poesia em seu elementar canto plural. Américo, Alvamar e Mário Moacir ensinaram-me mais de que todos os livros, pobres livros, que pude ler até hoje. Agora, os cem anos de solidão, sem Américo, sem Alvamar, sem Mário Moacir. Tudo a obedecer aos ciclos existenciais que tornam inevitáveis os naufrágios de todas as ilusões, como ensinou o bruxo do Cosme Velho. Cláudio Emerenciano e Luís Carlos Guimarães apareciam, de vez em quando, nessas tardes tirolesas, ressoadas pelos sinos que a lembrança toca e retoca nos alpendres da noite. Da noite que chegava, abrandada pelo aviso da hora do jantar. Antes de sairmos, na despedida afetuosa, avultava sempre para nos saudar Dona Zefinha, com seus olhos verdes, sua simpatia, os cabelos brancos, companheira de Américo, sempre prestante a se devotar, esposa, mãe e avó, com um carinho que não se perderá nunca no esquecimento. Américo foi o personagem principal de seu grande livro “A Biblioteca e Seus Habitantes”. Livro de anotações singulares, de alguém que sempre soube eleger a beleza do texto, da música ou do poema, nele repercutindo como expressões da bondade mais explícita que a vida pode nos entregar como oferta e memória.

Humor Fino [ Amâncio ]

Nelson Patriota [ escritor ]

O habitante de bibliotecas or mais de quatro anos, fui aluno exemplar de uma disciplina que hoje se torna rara e, na maioria dos casos, fugaz e instantânea: a da Amizade. Cumpria um périplo diário ao visitar dois amigos, que jazem hoje à sombra da saudade, mas que foram para mim testemunhos de ensinamentos que jamais se perderão na memória afetiva e intelectual. O primeiro encontro era na casa de Luís Romano. Embora já preso à cadeira da quase imobilidade física, fulgia de estuante entusiasmo na discussão das idéias e das leituras, desviando-se, quase sempre, para os caminhos da sua própria biografia. Foi uma vida de fascinantes aventuras do seu espírito, que viajou continentes; e era capaz de descrever desde a luminosidade do deserto do Saara até a visão fulgurante de um acender de luzes de Paris. Ele, um caboverdeano de primitiva origem, um ilhéu cercado de oceano atlântico por todos os lados, foi um resistente, capaz de enfrentar a polícia feroz de Salazar. Libertário confesso veio terminar seus longos anos de vida, de sofrimento físico, na mansa solidão que o preservava em Natal. Eram quase sempre três horas da tarde — eu chegava para uma conversa, habitual de carismas, na chama de seu afeto de homem extrovertido. Mas eu estava ali, também, para presenciar uma comovida amizade que ele mantinha com as formigas. Não era uma fábula. Eu vi e via. Chegava-lhe às mãos o lanche propiciatório e se dava o milagre do fraterno silêncio entre quem pensa e, sem nada entender, apenas sobrevive. Luís Romano colocava um pedaço do cuscuz de sua merenda, esmigalhando-o numa plataforma pequena do jardim de sua casa, e as formigas vinham em procissão abastecer-se. Nunca esqueci o valor do símbolo dissimulado dessa poesia anônima. Ele era o poeta, o romancista, o pesquisador, que se voltava a um ato tão fortuito: o homem

P

que era amado por formigas. Silenciosamente, Visto e revisto, quase diariamente, o transbordamento desse silêncio, eu me encaminhava para um casa da rua Mipibu, para outro encontro, esse mais numeroso e menos solitário. A tarde já estava avançada — assim o dizia o telégrafo musical dos bem-te-vis que, nos fins do dia, nos arrabaldes do espaço azul do Tirol, tornavam-se guardas de trânsito, sem apitos nem multas, mas solfejando a escala musical de uma partitura que, hoje para mim, é um toque de lembrança que eu jamais reencontrarei. Era a casa de Américo de Oliveira Costa. Fui aprendiz de sua grandeza de caráter, de sua significação de homem culto e viajante, que amava a França, com o sentimento de um homem superior, ao demonstrar a personalidade integral de quem compreendeu o mistério da beleza da cultura, naquele mesmo encantamento lírico de um Goethe que retornasse de sua viagem à Itália. Américo era um ser moral sólido, a evidenciar sempre um caráter pródigo de compreensão da natureza humana. Mesmo sem aceitar a realidade difícil que a vida, muitas vezes, oferece-nos, no apogeu de seu transcurso, não tateava nunca o prumo do equilíbrio interior. O silêncio cortava, então, seu céu — e se refugiava, ou ouvindo a música clássica, ou na leitura dos clássicos. Profundo conhecedor da caminhada terrestre, fazia da conversa, em sua casa, um encontro fraterno, onde eu era o mais moço, promissor apenas no meu discipulado de ouvinte. Pois, todas as tardes, estava Américo a situar o destino de suas leituras — que foram tantas e profundas que o fez escrever livros de sabedoria imediata. Sabia colher as pedras do caminho, abrir estradas, e nunca deixar fenecer o encanto de uma frase pronunciada de um romance. Ou o verso iluminador na escureza da vida.

CARMEN VASCONCELOS [ poetisa ]

Quando o ano realmente começa

Direito de matar? ciúme e o sentimento de posse são dois primos-irmãos muito parecidos. Podem se tornar motivos de atitudes violentas, mas em geral é o sentimento de posse que se mostra mais nefasto nas relações humanas. Nestes últimos dias, mais dois casos de ciúme e posse foram divulgados em mídia nacional. No primeiro, um ex-marido manteve a ex-mulher em cárcere privado por mais de três dias, ao fim dos quais acabou se entregando e deixando viva a ex, mãe de seus dois filhos. No segundo caso, a ex-mulher não teve a mesma sorte. Após umas horas de cárcere, o ex a matou com um tiro, suicidando-se em seguida. O casal deixou uma filha de dez anos. O ciúme age por impulso. Fica cego, mata logo antes de pensar. Já esses casos de cárcere privado são movidos por um sentimento de posse crônico que faz com que os algozes imaginem ter direito de vida e de morte sobre suas vítimas. Tudo quanto é premeditação vem da posse. A posse não é um sentimento impulsivo, momentâneo. A irracionalidade de quem leva às últimas consequências o seu sentimento de posse mantém-se viva enquanto viva se mantém a pessoa. A pessoa pensa, mas pensa torto. A posse não se arrepende. Somos todos, em alguma medida, irracionais. Mas precisamos de um mínimo de razão para reconhecer nossa irracionalidade. E não matar por causa dela. Para não deixar no mundo órfãos indefesos. Às vezes, a posse é o antagonista do amor, embora seja sempre o amor, alguma forma dele, que nos leve à posse. Acho que se muitos de nós nos demorarmos no espelho, acabaremos por nos reconhecer muito mais possessivos do que ciumentos. O ciúme é bem O ciúme é bem menos menos perigoso perigoso que a posse. Esta que a posse. Esta é é uma cobra que se alimenuma cobra que se ta do tempo, da acomodaalimenta do ção, da rotina, do que é estempo, da tabelecido. A posse é iniacomodação, da miga das mudanças, das rotina, do que é rupturas. Comparado à estabelecido. A posse, o ciúme é um garoposse é inimiga das mudanças, das tinho birrento, enquanto àquela é um adulto rancorupturas. roso e vingativo. Comparado à Às vezes pensamos esposse, o ciúme é tar sendo apenas ciumenum garotinho tos, mas se paramos para birrento, pensar no quanto somos enquanto aquela é possessivos, alguns de nós um adulto ficaremos bem assustados rancoroso e com os monstros que nos vingativo.” habitam. Onde vivem os monstros? Olhemo-nos para dentro. Temos o direito de vida e morte sobre nós mesmos e mais ninguém. Não nos é dado o direito de vida e de morte sobre outra pessoa. O único lugar onde se pode realizar essa morte é dentro de nós mesmos, como metáfora do fim. Apagar em nós a imagem do outro, isso é possível e desejável quando já não somos queridos. Mas os mais possessivos não se contentam. Nem se satisfazem em matar-se, porque imaginam deixar sua posse para o mundo. Não querem deixar para os próprios filhos, nem esse desapego são capazes de ter. Largam os filhos no mundo e eles se virem. Isso quando não resolvem também matar os filhos que, ao fim e ao cabo, imaginam também lhes pertencerem.

O

gora que o carnaval passou, já é costuma dizer-se que é quando o ano realmente começa, em que pese o fato de contrariar-se o calendário. É que o carnaval se apresenta como uma meta de tal modo desejável que nos dá, por assim dizer, a chance de adiar para depois de sua passagem tudo o mais, inclusive coisas importantes que precisávamos fazer. Como se a própria ideia de “urgência” se revestisse de uma natureza relativa quando confrontada com a “real” urgência demandada pelo carnaval. Por que essa forma de adiamento é aceita com tal isenção, como se fora o que de mais natural se pudesse esperar das pessoas? Uma possível resposta é que o carnaval se apresenta como um tempo de exceção – o mais típico do ano, com inquestionável respaldo na tradição e nos costumes -–, fato que lhe acrescenta autoridade sobre o mundo da vida, franqueando-lhe, durante o seu ruidoso transcurso, as portas do excesso legitimado. O carnaval é assim como uma espécie de loteria de riscos variados. Pessoas que parecem ignorá-lo em seus aspectos imediatos (as mesmas que costumam praticar o desgastado saudosismo resumido na sentença: “Bom, mesmo, era o carnaval de antigamente”), se deixam levar por preocupações coincidentes sobre disputas entre escolas de samba, daqui e de alhures; discutem demoradamente se a volta dos carnavais de rua agora é para valer, ou não passa de mera veleidade do prefeito (ou prefeita) da ocasião; discutem, até o último momento, as conveniências de fazer um retiro laico, de preferência num spa, a fim de readquirir a autoestima resultante de um bom condicionamento físico etc. Ressuscitar modinhas carnavalescas é outra maneira de usar o carnaval, especialmente para compará-las com as “modinhas carnavalescas” atuais, para, em seguida, desconstruí-las pela simples constatação de que sequer merecem ser chamadas por esse nome, tal a mudança de gênero, de ritmo e de temática que as diferencia. Situação mais difícil é a daquelas pessoas em que a vizinhança do carnaval desperta um desejo subitâneo de consumo: será que O carnaval se vale a pena empacar algumas poucas apresenta como economias no aluguel de uma casa de um tempo de praia, durante o tríduo carnavalesco, exceção – o mais para se somar aos felizardos que lá es- típico do ano, com tão, aparentemente sem o adicional inquestionável respaldo na de qualquer sacrifício monetário? Observe-se, ainda, com que pra- tradição e nos zer esses moradores ocasionais das costumes –, fato praias conversam, contando uns aos que lhe acrescenta outros as “proezas” etílicas e gastro- autoridade sobre o nômicas que viveram durante o car- mundo da vida”. naval. Dizer que discutem coisas graves é incorrer em pleonasmo. Essas pessoas sugerem beber como um mero pretexto para embalar seus pendores filosóficos, aprofundar suas pesquisas sociológicas, acompanhar a mais nova virada nos costumes... O carnaval dá mesmo margem a esse tipo de incursão pela filosofia miúda, pela sociologia prêt-à-porter, pela observação in loco dos mutáveis costumes, e, por que não, a chance de as pessoas se desligarem dos escândalos políticos que as escravizam diariamente, durante horas seguidas, às telas da tevê, trocando-os por histórias de famílias ou de vizinhos, pequenos dramas inócuos que parecem combinar à perfeição com o embalo da brisa que aconchega tão suavemente as varandas das casas de praia por essa época. A arte da conversação deve muito de seus avanços a esses eventos banais. Na verdade, são muitos os modos de uso do carnaval, que, se bem detalhados, estudados e contextualizados, comporiam um manual bastante curioso do qual poderíamos extrair informações valiosas sobre essa época tão peculiar do ano, mas de história tão ampla em sua diversidade de protagonistas, motivos, coreografias, modismos e excessos. A rigor, é mesmo de excesso -? e de exceção ? que se trata quando se fala de carnaval, seja no passado, seja no presente. Um excesso que muda de feição a cada época, estampando-a como um estigma difícil de apagar ou uma caricatura extravagante que custamos a esquecer. Daí a tentação de incorrermos na nostalgia do carnaval em que supostamente ficamos, abstraindo-o da banalidade do real que o enquadrava.

A

CLÁUDIO EMERENCIANO [ professor da UFRN ]

Um olhar sobre a vida á circunstâncias que propiciam e estimulam o pensar. Eis quando predominam visões e sensações em que o homem atônito se confunde, submetendo-se ao mesmo tempo ao sonho e à realidade. O passado e o presente se conjugam, misturam-se, entrelaçam-se para ampliar o espaço de questionamentos, dúvidas, buscas e aspirações do mundo e da vida. O homem é capaz de voar, ascender e alcançar níveis através dos quais vê a vida simplesmente com lucidez, harmonia, pureza e isenção. Assim os preconceitos e as motivações temporais, materiais e imediatistas são fulminados por um desejo irrefreável, legítimo e puro de conhecer a essência da vida. Identificá-la em cada gesto, em cada olhar, em cada atitude e em cada laço entre os homens. Conhecer a vida é devassar, revelar, alcançar e entender a condição humana. É distinguir o que torna o homem digno, altivo, até sublime, daquilo que o subverte e amesquinha seus atributos e sua vocação. Eis por que o genial Goethe (alemão) clamou no último instante de sua vida: “Mais luz". A luz que erradica as trevas e a ignorância. Somos todos criadores e construtores. Em todos os tempos e culturas. Somos, acima de tudo, detentores de uma identidade eterna, indestrutível, mas ainda sem plena consciência de suas potencialidades. Erguemos dentro de nós obstáculos à nossa ascensão espiritual, moral, ética e cultural: egoísmos, violências, mesquinharia, indiferença, injustiças, misérias, vaidades, hipocrisia, mediocridade, mentira, desfaçatez, cinismo e desonestidade. John Milton (inglês), em “O paraíso perdido", um dos mais belos poemas épicos da humanidade, diz que os homens abdicam de sua divindade ao perder o senso da vida. Desprezam a beleza e a magnitude da vida pela submissão aos interesses germinados por antagonismos e falsos valores. A obra de Milton é expressão do Renascimento na Inglaterra. Coincidiu com a reforma anglicana. Tempos de perplexidades, incertezas e contradições. Sua visão de vida certamente ignorou o ensinamento de São Paulo (1Coríntios, 3, 16): “Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito Santo habita em vós?" Ou tenha entendido que a perda desse vínculo entre Deus e o homem não fosse susceptível de restauração, através do amor e do perdão. Essa é a interpretação da infinitamente humana parábola do “Filho Pródigo". A Bíblia Sagrada, a obra de Shakespeare (tragédias, comédias, dramas históricos, dramas líricos e dramas) e a “Comédia Humana" de Balzac, individualmente, desvendam, em caráter abso-

H

luto, inquestionável, toda a complexidade de sentimentos, paixões, ideais, aspirações e antíteses da condição humana. Nada do ser humano lhes escapa. Da grandeza à vilania. Do altruísmo ao individualismo. Da fé ao ceticismo. Do amor ao ódio. Da Há circunstâncias beleza natural às criações que propiciam e humanas, também extenestimulam o pensar. são de formosura e encanEis quando tamento universais. Tudo predominam visões no homem pode variar e sensações em que entre os extremos. A geo homem atônito se nialidade de El Greco (Doconfunde, menikos Theotokopoulos, submetendo-se ao pintor grego radicado na mesmo tempo ao Espanha) consagra, sosonho e à realidade. bretudo, as manifestações O passado e o fisionômicas dos homens, presente se variadas, sentimentais e conjugam, arrebatadoramente immisturam-se, previsíveis. De todas elas, entrelaçam-se para a mais expressiva, tocanampliar o espaço de te, perceptível, está no questionamentos, quadro “As lágrimas de dúvidas,buscas e São Pedro", exibindo seu aspirações do arrependimento por ter mundo e da vida.O negado o Cristo três vehomem é capaz de zes. Três séculos depois, voar,ascender e Emile Zola (francês), na alcançar níveis defesa (“Eu acuso") do teatravés dos quais vê nente Dreyfus, vítima de a vida simplesmente injustiça e felonia, disse com lucidez, que aquele quadro de El harmonia,pureza e Greco poderia exprimir, isenção.Assim os não lágrimas de contripreconceitos e as ção, mas a dor e o sofrimotivações mento dos injustiçados temporais,materiais em todo o mundo. Soe imediatistas são mente outra obra encarfulminados por um nava tão insuperaveldesejo irrefreável, mente o desolamento da legítimo e puro de perda, a solidão da saudaconhecer a essência de e o amor sem fim: a da vida.” “Piettá" de Miguel Ângelo. Essa vocação criadora do homem se renova no exercício da liberdade. Eis por que Thomas Jefferson e Joaquim Nabuco invocaram a utopia da “Fábula da Nova Atlântida", de Francis Bacon (inglês), como inspiração ao ideal político em seus países. A vida desafia os homens porque os homens ignoram ou esquecem seu sentido...


Domingo | 21 de fevereiro de 2010

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 11

[ ESPIONAGEM ] Imagens de câmera de segurança levam a polícia de Dubai a acreditar que o serviço secreto

de Israel está por trás do assassinato de um líder do grupo islâmico Hamas, ocorrido no mês passado

Mossad é pego com a mão na massa MATTI FRIEDMAN / ASSOCIATED PRESS

erusalém - O assassinato de um líder do grupo islâmico Hamas em Dubai pelas mãos de um esquadrão da morte lembra as imagens da série de execuções extrajudiciais ocorridas após o massacre de atletas israelenses nas Olimpíadas de Munique em 1972 e a tentativa frustrada de envenenar um líder do Hamas na Jordânia 13 anos atrás. O serviço de espionagem do Mossad - principal suspeito pela morte de Mahmoud al-Mabhouh no mês passado em Dubai - conheceu tanto o triunfo quanto embaraços durante suas décadas de guerra secreta e o último episódio parece conter os dois tipos de elementos. Os assassinos, quem quer que sejam, pegaram o alvo e escaparam. Mas suas imagens ficaram registradas em vídeo e eles deixaram o que parecem ser evidências significativas: a força policial de Dubai mostrou-se competente, talvez além das expectativas dos agentes, e descobriu que pelo menos sete integrantes do grupo usaram nomes de israelenses verdadeiros que têm passaportes europeus. O Mossad é suspeito de ser o responsável por vários incidentes violentos no Oriente Médios nos últimos anos, tais como o assassinato de um alto integrante do Hezbollah no coração de Damasco em 2008. Mas sua reputação, particularmente no mundo árabe, onde geralmente é vista como uma força ameaçadora por trás de eventos não explicados vem de décadas. Em 1972, um grupo de palestinos armados invadiu os quartos da equipe olímpica israelense em Munique, matou dois atletas e tomou outros nove como reféns. Uma tentativa de resgate fracassada feita pela polícia alemã terminou com a morte de todos os israelenses num feroz tiroteio num aeroporto militar. Golda Meir, a primeira-ministra na época, ordenou que o Mossad matasse os responsáveis, em parte como vingança e em parte para impedir futuros ataques. A diretriz deu início a uma ofensiva secreta sem precedentes que resultou na morte de vários militantes palestinos - muitos dos quais sem conexão direta com o massacre de Munique em vários países da Europa e do Oriente Médio. Numa noite de abril de 1973, dois homens se aproximaram de Basil al-Kubaisi, integrante do Fronte Popular pela Libertação da Palestina, quando ele deixava o Cafe de la Paix, em Paris. Ele teve tempo de dizer “não façam isso” em francês antes que os homens, assassinos uniformizados do Mossad, conhecidos como Caesarea, disparassem tiros que o mataram com pistolas calibre 22 com silenciadores. Isso aconteceu numa sextafeira. Na segunda-feira seguinte, após uma longa preparação dos agentes do Mossad, comandos israelenses aportaram em botes de borracha numa praia de Beirute perto do hotel Sands. Um dos integrantes do grupo era Ehud Barak, futuro primeiro-ministro e atual ministro da Defesa, que estava disfarçado de mulher, usando uma peruca morena e maquiagem. Os assassinos realizaram a missão matando três altos integrantes da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), antes de fugirem em seus barcos. Algumas pessoas que estavam no local também foram mortas. Outros militantes palestinos foram mortos a tiros ou por bombas em cidades como Roma, Nicósia e Atenas e em outros lugares e o mito do Mossad - cruel e hábil e com recursos e atuação ilimitados - tinha início. E se manteve, mesmo com os embaraços provocados por alguns erros.

J

Envolvimento do Mossad com assassinatos foi intensificado depois do massacre de atletas israelenses nas Olimpíadas de Munique HUSSEIN MALLA / AE

Os assassinatos do Mossad deram a Israel uma vantagem tática de curto prazo ao eliminar os inimigos.” AARON KLEIN ex-agente do Mossad

A polícia não explicou as circunstâncias da morte, nem deu qualquer prova de que ele tenha sido assassinado.”

Policial aposentado libanês Mahmoud Rafeh é acusado de ajudar no atentado que matou Majzoub

O Mossad colocou muito mais ênfase em operações especiais como assassinatos do que as agências de inteligência da maioria dos demais países, disse Ronen Bergman, autor de um livro sobre as operações secretas de Israel contra o Irã. “A ênfase é por causa dos temores existenciais de Israel. Não se trata de política - é uma forma de pensar, o sentimento de que o Mossad é a fronteira final para a defesa da segurança nacional do Estado de Israel”, disse ele à Associated Press. Essa abordagem agressiva levou a alguns erros públicos. Numa noite de sábado de julho de 1973, na pequena cidade norueguesa de Lillehammer, homens do Mossad atiraram e mataram um homem que eles acreditavam fosse Ali Hassan Salameh, um alto militante palestino conhecido como Príncipe Vermelho. Mas a vítima foi, na verdade, um inocente garçom marroquino chamado Ahmed Bouchiki. Seis dos agentes foram capturados e julgados na Noruega pelo assassinato. Isso aconteceu seis anos antes de o Mossad ter chegado ao verdadeiro Salameh, usando um Volkswagen cheio de explosivos plásticos que o mataram no centro de Beirute. O fiasco de Lillehammer revelou um aspecto interessante das operações do Mossad: dois dos agentes capturados eram mulheres. Uma delas, Sylvia Rafael, uma israelense de origem sul-africana que foi detida na Noruega, mais tarde se casou com seu advogado de defesa.

Israel rejeita pedido para prender chefe do Mossad Jerusalém (AE) - O governo israelense rejeitou na sexta-feira os pedidos para que o chefe do serviço de espionagem do país, o Mossad, fosse preso por suposta responsabilidade na morte de um líder do Hamas. “A polícia de Dubai não forneceu prova para incriminá-lo”, disse um alto funcionário de Israel, que pediu anonimato. O chefe da polícia de Dubai afirmou, na quinta-feira, querer que o chefe do Mossad, Meir Dagan, seja preso caso a agência comandada por ele seja responsável pelo assassinato, executado no mês passado, de Mahmoud alMabhouh, um alto comandante do movimento islâmico Hamas, que controla a Faixa de Gaza. “As ameaças contra Dagan são absurdas”, disse o funcionário israelense. “A polícia não explicou as circunstâncias da morte, nem deu qualquer prova de que ele tenha sido assassinado. Tudo que há são vídeos de pessoa falando ao telefone”, afirmou. Al-Mabhouh, um dos fundadores do braço militar do Hamas, foi encontrado morto em um quarto de hotel em Dubai no dia 20 de janeiro. A polícia afirma que ele seguiria para a China, e depois para o Sudão. A viagem seria para comprar armas. Nenhum governo acusou diretamente Israel, mas o chefe de polícia de Dubai, general Dahi Khalfan Tamim, disse que quase certamente o líder do Hamas foi mor-

to pelo Mossad. A agência de espionagem israelense já utilizou no passado passaportes falsos para realizar ações similares. A Interpol emitiu na quintafeira mandados de prisão para 11 suspeitos - seis com passaportes britânicos, três com irlandeses, um com documento francês e outro com o alemão, por suposto envolvimento no crime. O suposto uso de passaportes europeus falsos levou os governos de Grã-Bretanha, Irlanda, França e Alemanha a convocarem diplomatas israelenses para explicações na quinta-feira. O funcionário israelense minimizou o assunto. “Israel foi apenas convidado a ajudar a investigar o uso dos passaportes falsos.” O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, ressaltou a necessidade de uma “investigação completa”. Nesta segunda-feira, o ministro das Relações Exteriores de Israel, Avigdor Lieberman, deve enfrentar duros questionamentos, quando se encontrar com colegas europeus em Bruxelas, em uma visita anteriormente planejada. Parte da mídia israelense demonstrou temor de que Israel possa ficar no olho de um furacão diplomático. O jornal Haaretz, porém, citou um funcionário prevendo que o assunto logo perderá força. A imprensa israelense notou que os governos ocidentais não estavam lamentando a morte do líder do Hamas.

FUNCIONÁRIO ISRAELENSE

NÚMEROS

11

foi o número de mandados de prisão expedidos na semana passada pela Interpol JIM HOLLANDER / AE

Avigdor: embaraço diplomático

Se nós, cidadãos de Israel, queremos que este Estado continue a existir, devemos estar preparados para lutar por isso dia e noite, na luz e na escuridão.” RAFI SUTTON agente aposentado do Mossad

Sucessos e fracassos do serviço secreto No assassinato de Dubai, no mês passado, câmeras de um circuito fechado filmaram o integrante da dupla de vigilância que as autoridades de Dubai identificaram como a irlandesa Gail Folliard, que foi vista entrando num banheiro e saindo com uma peruca preta escondendo seus cabelos loiros. Khaled Meshal, um dos principais líderes do Hamas, estava em Amã, na Jordânia, em 1997, num período em que o grupo islâmico estava realizando ataques mortíferos em cidades israelenses. Dois homens do Mossad, que usavam passaportes canadenses, tentaram matá-lo com um artefato que soltou uma toxina em seu ouvido, mas o plano foi atrapalhado pelos guarda-costas que perseguiram os israelenses. Eles foram detidos pela polícia jordaniana, dando início a uma crise diplomática entre Israel e a Jordânia. O primeiroministro israelense, que autorizou o ataque, era Benjamin Netanyahu, que voltou a ocupar o cargo novamente no ano passado e deve ter dado o sinal verde para a operação em Dubai, se ela tiver sido realmente realizada por Israel. Na época, Netanyahu foi forçado a enviar um antídoto para a Jordânia, salvando da vida de Meshal, e a libertar o líder espiritual do Hamas em troca pela liberação dos dois agentes capturados. A guerra secreta pode ser feia, mas é necessária, disse Rafi Sutton, de 78 anos, que atuou como agente do Mossad na Europa nos anos 1970. “Se nós, cidadãos de Israel, queremos que este Estado continue a existir, devemos estar preparados para lutar por isso dia e noite, na luz e na escuridão”, disse ele à AP. “A organização merece a fama que tem”, afirmou ele. “O nome do Mossad foi construído com anos de operações de sucesso. Não é por nada, o grupo tem as melhores pessoas do mundo, cada qual contribuindo com seu intelecto, sua ousadia e improvisação”, disse Sutton. A reputação é tal que seus erros são geralmente vistos como feitos de propósito e o grupo geralmente é responsabilizado por coisas que não fez, disse Aaron J. Klein, um ex-integrante da inteligência israelense cujo livro “Striking Back” documenta a mortífera resposta israelense ao ataque de Munique. Em 2005, Klein pediu a um grupo de militantes da Frente Popular da Libertação da Palestina, detidos em prisões israelenses, que fizesse uma lista das pessoas que eles acreditavam tivessem sido mortas pelo Mossad. Ele então comparou a informação com suas fontes no Mossad. Dos cerca de 40 nomes da lista, pouco mais da metade havia realmente sido assassinada pelos agentes israelenses. “Os assassinatos do Mossad deram a Israel uma vantagem tática de curto prazo ao eliminar os inimigos”, disse ele. Mas o efeito de longo prazo é incerto. “Às vezes eu sinto que usamos esse recurso um pouco demais e que colocamos muita energia e recursos nesse tipo de coisa porque é mais fácil do que lidar com assuntos estratégicos, como decidir realmente o que fazer com o Hamas. Isso é mais complicado”, disse Klein. “Há uma tendência de nos voltarmos ao que é familiar”, disse Kein. “Funciona, claro que funciona. Mas não traz nenhuma solução.” Os próximos passos de jogo de xadrez dependem da repercussão internacional que o caso venha a ter.


12

geral

Natal | Rio Grande do Norte| Domingo | 21 de fevereiro de 2010

[ CRISE ECONÔMICA ]

[ PARAGUAI ]

Cuba reduz compra de alimentos

Mulher reabre processo contra Lugo

Relatório do Conselho Econômico e Comercial Estados Unidos-Cuba, entidade sediada em Nova York, aponta queda de 26% nas importações cubanas de gêneros alimentícios no ano passado

AE

PAUL HAVEN Associated Press

avana (AE) - Cuba reduz as importações de comida dos Estados Unidos, seu maior fornecedor de alimentos apesar de décadas de relacionamento conturbado, à medida que o governo comunista aperta o cinto por causa dos problemas econômicos. As importações caíram 26% em 2009, para US$ 528 milhões, após terem chegado a US$ 710 milhões um ano antes, segundo relatório divulgado recentemente pelo Conselho Econômico e Comercial EUA-Cuba, entidade sediada em Nova York que fornece informações independentes sobre a ilha e afirma não ter posicionamento político. “A diminuição não tem nada a ver com as regulações, leis e políticas dos Estados Unidos”, disse John Kavulich, um graduado analista político do conselho. “É o resultado do fato de que Cuba não tem recursos.” Kavulich disse que Cuba tem cada vez mais escolhido outros países, com o Vietnã, que vendem comida de baixa qualidade e cujo pagamento pode ser feito depois de dois anos. Apesar da rixa de quase meio século no Estreito da Flórida, os Estados Unidos são o maior vendedor de comida para Cuba: produtos alimentícios foram excluídos do embargo de 48 anos no ano 2000. Mas o governo cubano es-

H

Raúl Castro: tentativa de aumentar a produção de alimentos para compensar queda de importações

A diminuição não tem nada a ver com as regulações, leis e políticas dos Estados Unidos. É Cuba que não tem recursos” JOHN KAVULICH analista político

perou mais de um ano depois da decisão para começar a importar comida dos Estados Unidos, irritado com uma regra que exige o pagamento em dinheiro antes da entrega das mercadorias. Porém, o furacão do final de 2001 atingiu a produção de comida e deixou pouca escolha a Cuba. Atualmente, os cubanos que recebem alimentos mensalmente do governo consomem frango do Arkansas e trigo do Nebraska. Mercados mais sofisticados vendem cereais Kellogg’s,

ketchup Heinz e bolachas Oreo, embora os preços sejam exorbitantes. As importações de outros parceiros importantes como Venezuela, China e Espanha também estão em queda. Rodrigo Malmierca, ministro de Comércio Exterior, disse em novembro passado que o comércio nos primeiros três trimestres de 2009 caiu 36%. A economia de Cuba foi recentemente atingida por uma tripla conjunção de más notícias: três grandes furacões que provocaram mais

de US$ 10 bilhões em danos em 2008; a crise econômica global, que reduziu os lucros com o turismo, e a queda nos preços das commodities, que afetou as vendas de níquel durante a maior parte de 2009. O presidente Raúl Castro tentou ofuscar a queda nas importações ao aumentar a produção agrícola interna, entregando dezenas de milhares de hectares de terras desocupadas para pequenos agricultores. Ele fez repetidas advertências de que o governo já não pode mais arcar com os gastos de subsídio na ilha e que os cubanos devem trabalhar mais duro e assumirem mais responsabilidade por seu bem-estar econômico. O governo controla cerca de 90% da economia e oferece pesados subsídios a todos os aspectos da vida dos cubanos ao mesmo tempo em que paga salários médios equivalentes a US$ 20 por mês. Os cubanos têm direito a saúde e educação gratuitos e geralmente pagam quase nada por moradia e serviços públicos. Nos últimos meses, porém, Havana tem tomado pequenos passos no sentido de mudar esse sistema, eliminando algumas mercadorias do fornecimento mensal de alimentos, abolindo almoços gratuitos para trabalhadores em algumas empresas estatais e diminuindo os gastos com educação e saúde.

ssunção (AE) - Uma terceira mulher que afirmou ter tido um filho do presidente do Paraguai, Fernando Lugo, reabriu na sexta-feira um processo judicial de paternidade. O advogado Rodrigo Aguilar disse aos jornalistas que sua cliente, Hortensia Damiana Morán, de 40 anos, “reabriu a denúncia, que havia sido retirada no dia 2 de fevereiro, porque o presidente não cumpriu a promessa de reconhecer o filho, expressada verbalmente durante um encontro de ambos”. Juan Pablo, de 2 anos, é supostamente filho do ex-bispo católico. A causa tramita no tribunal da infância e da adolescência de Augusto Saldivar, cidade a cerca de 30 quilômetros ao leste de Assunção, mas a promotoria da infância funciona em San Lorenzo, outro povoado da região metropolitana.”Hortensia me disse na quinta-feira que reabriria o processo e assim o fez na sexta-feira, pedindo ao presidente que se submeta ao exame de DNA”, disse ele. Nem Lugo, nem seu advogado, Marcos Farina, comentaram o fato. Em novembro passado, Benigna Leguizamón, a segunda mulher que afirmou ter um filho de Lugo, o menino Lucas Fernando de 6 anos, retirou a denúncia de paternidade que tramitava num tribunal de Ciudad del Este, a 320 quilômetros ao leste da capital, sem dar explicações.

A


economia DÓLAR COMERCIAL Compra:R$ 1,803 Venda:R$ 1,805 DÓLAR PARALELO Compra:1,82 Venda: 1,99

POUPANÇA HOJE 0,5000% CDB 8,70% BOVESPA - 0,72%

SALÁRIO MÍNIMO

R$ 510,00 TAXA SELIC

8,75%

TELEFONES ÚTEIS Receita: 3220-2200 Procon Estadual: 3232-6869 Procon Municipal: 3232-9050 DRT/RN: 3220-2000

CONTÊINERES

George Albuquerque avalia situação do Porto de Natal e atuação da CMA CGM. PÁGINA 3 DÓLAR TURISMO Compra: R$ 1,817 Venda:R$ 1,900 EURO Compra:R$ 2,448 Venda:R$ 2,451

Editor interino: Vinícius Albuquerque e-mail:vinicius@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo | 21 de fevereiro de 2010

Avaliação é do economista-chefe da MB Associados, Sérgio Vale. Para ele, se a taxa básica de juros do país fosse mantida no patamar atual, o crescimento do Produto Interno Bruto poderia chegar a 7% ao longo deste ano

[ ANÁLISE ]

Selic alta vai desacelerar economia DIVULGAÇÃO

Juros em alta devem segurar também geração de empregos formais

ão Paulo (AE) - A elevação da Selic, com início esperado para abril, deve desacelerar a economia brasileira principalmente a partir do segundo semestre do ano, afirmou o economista-chefe da MB Associados, Sérgio Vale, ao programa AE Broadcast Ao Vivo. Para o analista, o crescimento da economia brasileira poderia chegar a 7% ao longo de 2010, mas a alta da Selic deverá trazer o Produto Interno Bruto (PIB) para um nível “mais razoável” de expansão. Ele projeta avanço de 6% do PIB em 2010. Vale prevê IPCA em 4,7% neste ano, mas não descarta um avanço para 5,0%, números que ficam acima do centro da meta de inflação (4,5%). “Para ter um IPCA de 4,7%, no cenário muito ruim de inflação que estamos tendo no primeiro trimestre, o IPCA médio, a partir de abril, teria de ser de 0,30% a cada mês. Acho difícil isso acontecer”, acrescentou. O analista avalia que os principais riscos à inflação neste ano derivam da demanda doméstica. Para o economista, a taxa Selic começará a subir em abril, com elevação de 0,50 ponto porcentual. Até o final do ano, prevê o analista, a taxa Selic deve subir 250 pontos-base, ante o nível atual de 8,75%. Com esta elevação esperada para o juro, uma trajetória de desaceleração também pode ocorrer com a criação de empregos formais no País. Vale considera que “não seria difícil” a concretização da meta do governo de criação de dois milhões de vagas formais em 2010. Mas, do mesmo modo que deve haver uma perda de velocidade no ritmo de crescimento econômico, a chance de não ocorrer tal elevação na quantidade de postos de trabalho também reside na condução da política monetária.

S

Esse risco passou. Com pequenos ajustes na política monetária, mantémse a inflação na meta sem acelerar tanto a economia” SÉRGIO VALE economista da MB Associados

O aperto do juro ainda deverá atuar bastante na desaceleração da economia em direção a 2011, “trazendo a inflação para mais próximo (do centro) da meta”, ponderou. Para ele, a expectativa de inflação para 2011 coletada na pesquisa Focus, conduzida pelo BC, continua ancorada por conta da percepção dos agentes do mercado relacionada à possibilidade de o BC ser “veemente na sua política, começando a fazer o aumento do juro em um momento em que acha adequado”. Com a alta projetada para a Selic, Vale estima que a economia deve ter desaceleração, mas não deve enfrentar o risco dos voos de galinha muito extremos registrados no passado, de um crescimento muito forte em um ano e desaceleração muito intensa no ano seguinte. “Esse risco passou. Com pequenos ajustes na política monetária, mantémse a inflação na meta sem acelerar tanto a economia”, disse. As estimativas para o próximo ano têm por base a manutenção das políticas econômicas pela próxima administração federal. Vale avalia que não deve haver um “cavalo de pau” nas políticas monetária e cambial. “Não há francos atiradores na disputa presidencial”, afirmou.


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

ANTOIR MENDES SANTOS [ Economista ]

Negócios &Finanças LUIZ ANTÔNIO FELIPE laf@tribunadonorte.com.br

Crescimento com base Brasil está demonstrando que terá fôlego suficiente para crescer até 6% do Produto Interno Bruto (PIB), em 2010. Salvo alguma tempestade externa, o consumo vai puxar a produção e o emprego. O governo Lula da Silva vai deixar um grande legado para milhões de trabalhadores que sentiram sua renda avançar 14,3% em sete anos, registrando um recorde em 2009 . Esse crescimento é equivalente a R$ 168,43 médios, nas seis regiões maiores regiões metropolitanas do País. O Nordeste precisa crescer mais, não só para reduzir a desigualdade com o Sul e o Sudeste, mas pelo fato de ter um potencial ainda inexplorado em vários segmentos. Seria crescer com as próprias pernas, desde que o governo federal aumente os seus investimentos na infraestrutura da região.

O

ESTALEIRO O anúncio oficial do segundo grande estaleiro a se instalar no cluster naval de Suape, em Pernambuco, poderá ocorrer na próxima semana. Os executivos do consórcio Schahin-Modec estão ajustando os detalhes do negócio com os acionistas. O Ceará também terá um estaleiro. Falta o RN conquistar o seu.

Investimento

Expansão

Se confirmada a informação de que a Petrobras prepara uma capitalização que pode atingir US$ 75 bilhões, certamente o governo vai autorizar o trabalhador a investir parte do FGTS. Quem investiu na Petrobras e na Vale, ainda no governo FHC, vem auferindo ganhos bem acima de outras aplicações financeiras.

A previsão para a produção de etanol é de crescimento do 150% nos próximos 10 anos, chegando aos 64 bilhões em 2017. A de álcool carburante sairá dos 20 bilhões de litros atuais para 53 bilhões de litros, com o que Brasil exportará, em 2017, 11 bilhões de litros de álcool, sem prejuízo do mercado doméstico.

VITRINE Executivos da marca inglesa Land Rover estarão em Natal no mês de março. Está sendo esperado um grande número no grupo na viagem de incentivo. Mais formadores de opinião pública e, de poder aquisitivo elevado, para divulgar o Rio Grande do Norte.

1

O Ministério Público da Paraíba vai abrir inscrições para o concurso público de Promotor Substituto. Serão oferecidas 20 vagas, com as inscrições começando na próxima quarta-feira (24), prolongando-se até o dia 25 de março, através do site www.mp.pb. gov.br. O formulário de inscrição estará disponível no site.

2

O 4º Congresso de Gestão Pública do RN, que acontece de 1º a 3 de março, no Centro de Convenções, em Natal está com inscrições abertas até amanhã. A taxa é de R$ 30,00 para estudantes e de R$ 60,00 para profissionais. Servidores públicos, terá gratuidade desde que confirmada via ofício, com empenho. Mais informações no 3232-1699.

3

A Caern abre inscrições na próxima terçafeira (23) para concurso público em diversas áreas. O processo de inscrições do novo concurso público, visa a formação de cadastro reserva para diversos cargos e funções. A taxa de inscrição é de R$ 50,00 para os níveis médio e médio técnico e de R$ 80,00 para nível superior. As inscrições vão até 22 de março.

Retomada lenta Especialistas acreditam que a retomada dos planos de expansão do varejo poderá esbarrar, no médio prazo, em limitações de áreas para novas lojas em shopping centers. Como consequência da crise financeira internacional, nenhum novo grande empreendimento do setor no País foi anunciado em 2009, e o cronograma de execução de alguns projetos foi

adiado. Uma nota na revista Exame, com o título “Vai faltar Shopping” diz que “grandes varejistas brasileiros têm anunciado planos de expansão para aproveitar o crescimento do consumo interno. Boa parte dessas novas lojas deverá ser aberta em shopping centers, onde as vendas avançam a um ritmo acima da média do mercado.

CURSOS GRATUITOS Os interessados em uma das mil vagas no Programa Senac Gratuidade (PSG) tem mais uma semana para inscrever-se em um dos 26 cursos disponibilizados para o ano de 2010 pelo Senac RN. O Senac decidiu prorrogar o período de inscrições até 28 de fevereiro, devido ao baixo número de inscritos em algumas unidades e cursos. Das 5.311 inscrições efetivadas até 18/02, 4.437 (83,5%) procuram uma das 555 vagas nas unidades de Natal e Parnamirim. Inscrições pela internet no endereço www.rn.senac.br NOVO VOO A partir da noite de hoje, a TAM um novo voo diário ligando Guarulhos/SP a Natal. Bom para viagens de negócios. O voo JJ 3316 partirá de São Paulo às 20h10 e chegará a Natal às 23h25. O retorno, pelo voo JJ 3317, começa amanhã. A saída de Natal será às 7h00 e o pouso em Guarulhos às 10h25. As frequências serão operadas com aeronaves Airbus A320, com capacidade para transportar até 174 passageiros. AVANÇO A Capuche Empreendimentos garante um um ritmo surpreendente às suas obras, como na Cidade Verde com o empreendimento SunRise. No último mês de janeiro, a construtora chegou a concretar 4 lajes e meia da obra citada. O feito se revela quase um recorde para o mercado da construção civil onde a meta normal é conseguir concretar 3 lajes por mês.

O país dos pequenos empreendedores - I studo elaborado pelo IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, utilizando-se de dados do IBGE e do Ministério do Trabalho e Emprego traçou um perfil dos pequenos empreendimentos existentes no país em 2008, considerados como àquelas empresas com até 10 postos de trabalho. Para se ter uma idéia da massa de trabalhadores ocupada no Brasil, identificou-se que existiam no país 92,4 milhões de pessoas trabalhando, das quais 60,8 milhões eram empregados assalariados: destes 40,1 milhões tinham carteira assinada e 20,7 milhões trabalhavam sem contrato formal de trabalho. Das 31,6 milhões de pessoas ocupadas que não eram assalariadas, 18,7 milhões trabalhavam por conta própria; 4,6 milhões eram trabalhadores sem remuneração; 4,2 milhões trabalhavam em atividades próprias de produção, consumo e construção e 4,1 milhões eram empregadores. Tomando-se por base os trabalhadores ocupados e vinculados ao setor privado (excluem-se os funcionários públicos, empregados domésticos, ocupados não remunerados e envolvidos em atividades não agrícola, que ao todo somavam 21,8 milhões), verificou-se que o país detinha 70,6 milhões de pessoas ocupadas na iniciativa privada, o equivalente a 76,4% da massa de trabalhadores, sendo que 47,8 milhões eram empregados; 4,1 milhões empregadores e 18,7 milhões constituíam os indivíduos que trabalhavam por conta própria. Assim, no contexto da iniciativa privada, 38,4 milhões de pessoas estavam ocu-

E

padas em empresas com até 10 postos de trabalho, o que re- Para se ter uma ideia, presentava 54,4% da massa ocupada no de todos os postos. Brasil,identificou-se A distribuição des- que existiam no país ses ocupados nas 92,4 milhões de pequenas empresas pessoas trabalhando, mostra a importân- das quais 60,8 cia desse segmento mihões eram empresarial, na me- empregados dida em que dos assalariados:destes 38,4 milhões, 18,7 40,1 milhões tinham milhões eram traba- carteira assinada e lhadores por conta 20,7 milhões própria, ou 100% trabalhavam sem dessa categoria de contrato formal de ocupados no país; trabalho.Das 31,6 16,5 milhões cons- milhões de pessoas tituíam os emprega- ocupadas que eram dos assalariados, assalariadas,18,7 correspondendo a milhões trabalhavam 27% do total de as- por conta própria”. salariados brasileiros, e 3,2 milhões eram empregadores, que respondiam por 78% do total de empresários. É importante observar que além da quantificação das diversas categorias de trabalhadores, o estudo do Ipea também preocupou-se em identificar as dificuldades que os pequenos empreendimentos tinham de ter acesso às políticas macroeconômicas (tributária, creditícia etc) e sociais (previdenciária, trabalhista etc), normalmente acessíveis às médias e grandes empresas. Neste sentido, em que pese a participação

dos pequenos empreendimentos no contexto da economia nacional, apenas 29% das vagas em empresas com até 10 postos de trabalho estavam submetidas a algum tipo de proteção trabalhista e social. Entre os ocupados por conta própria essa proteção atingia a 17%; entre os empregados assalariados 41% tinham contrato formal, enquanto que 56% dos empregadores se beneficiavam de proteção social e trabalhista. Por seu turno, o rendimento médio mensal dos ocupados nas pequenas empresas era de R$ 902, sendo de R$ 633 para os empregados assalariados; de R$ 2.607 para os empregadores e de R$ 807 para os que trabalham por conta própria. Contudo, dos 38,4 milhões de ocupados em empreendimentos com até 10 postos de trabalho, cerca de 23% (8,8 milhões de pessoas) encontravamse na condição de pobreza absoluta, ou seja, pessoas com rendimento bruto individual de até ½ salário mínimo. Dentre os pobres que estavam ocupados, 62% trabalhavam por conta própria; 36% eram empregados e apenas 2% eram empregadores. Finalmente, se tomarmos a escolaridade dos trabalhadores em empreendimentos com até 10 postos de trabalho, constatouse que somente 10,8% deles tinham nível de estudo compatível com o ensino superior (completo ou incompleto), enquanto que para os demais trabalhadores 48,2% possuíam o ensino fundamental e 41% o ensino médio. No caso dos empregados assalariados apenas 29,5% tinham curso superior, contra 32,4% dos que trabalhavam por conta própria e 51,9% dos empregadores.

KARLA MOTTA [ Arquiteta ]

Qual é mesmo o seu negócio? m um primeiro momento, parece óbvio que cada um saiba qual é o seu negócio, mas a prática mostra o contrário disso. O início do ano é momento de planejar e tenho tido contato com várias empresas de diversos setores da economia, que buscam escolher posicionamentos, estabelecer metas e definir suas ações. E quando recaímos na definição do negócio, muitas pessoas não têm uma noção clara ou unificada deste conceito na empresa. O planejamento estratégico é composto por dois momentos distintos, que são o da definição da identidade organizacional e o do posicionamento competitivo. Posicionarse competitivamente implica em analisar o ambiente externo com relação a oportunidades e ameaças, reconhecer as forças e fraquezas do interior da empresa, definir objetivos estratégicos, metas e ações. Para que estas ações sejam realizadas por toda a equipe, a empresa precisar ter um objetivo comum, o que surge no reconhecimento da identidade organizacional. Construir uma identidade organizacional significa reconhecer quem é a empresa, para que ela existe. Isso é feito na formulação da missão, dos valores, do negócio e da visão de futuro que a organização tem para si. Assim, começando pela identidade organizacional, seguimos com tranqüilidade identificando valores e missão, a razão de existir da organização. Mas quando chegamos à definição do negócio, a coisa muda de

E

figura. O negócio de uma organização é a demarcação de É comum encontrar quais produtos e empresas que,no serviços serão for- primeiro momento, necidos, para aten- declaram querer der a necessidades atender a todas as específicas de mer- necessidades de cados e clientes. As todos os mercados. perguntas são sim- E não é nenhuma ples, mas nem sem- novidade o fato de pre são fáceis de se- que quem quer ser rem respondidas. tudo para todos,não Quem são os nossos consegue ser nada clientes? Quais as para ninguém. necessidades deles? Iniciada a discussão, Como, com que pro- fica claro que cada dutos ou serviços, colaborador tem vamos atender a es- uma visão particular da tas necessidades? É comum en- empresa e do seu contrar empresas posicionamento que, no primeiro comercial.” momento, declaram querer atender a todas as necessidades de todos os mercados. E não é nenhuma novidade o fato de que quem quer ser tudo para todos não consegue ser nada para ninguém. Iniciada a discussão, fica claro que cada colaborador tem uma visão particular da empresa e do seu posicionamento comercial. Como conseqüência, muitas vezes os esforços das pessoas se anulam e a companhia não consegue evoluir, por uma simples questão de falta de visão unificada. É sim-

ples, mas não é fácil. E continua o debate. Algum tempo depois, com muitas idéias e conceitos lançados, chega-se a um lugar comum, um espaço novo, construído com negociação entre os membros da equipe. Identifica-se quem são os clientes prioritários, aqueles que de fato necessitam dos produtos e serviços que a empresa tem a oferecer, que reconhecem esta necessidade e estão dispostos a pagar por eles. Afinal, vivemos no capitalismo e é maravilhoso, fundamental viver por um ideal, mas é preciso pagar as contas ao final do mês e capacitar a equipe, para continuar oferecendo soluções eficazes. Na discussão, ficam mais claras e melhor definidas as necessidades dos clientes. São reconhecidos quais produtos atendem a estas demandas e até mesmo que ajustes e inovações podem ser incorporados para deixar o mercado mais satisfeito. E reina a paz. O dono da empresa poderia simplesmente ter definido sozinho o negócio da organização, sem que a equipe estivesse de acordo. Mas dificilmente estes colaboradores somariam esforços por um objetivo imposto e às vezes nem divulgado, como o fazem quando o processo é colaborativo. O mais comum, o mais visto, são pessoas seguindo suas próprias direções, agindo mecanicamente e anulando as iniciativas uns dos outros. Pior ainda é quando nem mesmo o empreendedor tem clareza de quais são o seu mercado, as necessidades a atender e os produtos a ofertar. E quanto a você, qual é mesmo o seu negócio?

JOÃO LYRA NETO [ Jornalista ]

Walter Alves e a energia eólica omo foi amplamente comentado em 2008, o Governo do Estado dava através da imprensa conhecimento aos, quatro ventos, da pretensa instalação de meios eólicos para melhoria das condições de vida da população, não só das cidades, como do interior. Muitas são as cidades que não dispõem de energia elétrica, usando outros meios inclusive, o cata-vento, para atender às sofridas necessidades da população. O nordeste, mesmo com a crise que atingiu o país, conseguiu, de alguma forma desenvolver seus negócios, tanto na agricultura como no setor industrial. Em 2009 projetos sobre energia eólica foram claramente debatidas pelo brilhante deputado Walter Alves, na Assembléia Legislativa do Estado. E, assim sendo, fez o deputado diversas e importantes observações sobre os benefícios da energia eólica. Isso, pelo que se vê, faz parte do trabalho do deputado Walter Alves, em favor das áreas carentes do Rio G. do Norte, como já acontece no Estado do Ceará. As usinas de geração eólica, a mais limpa fonte de energia do Ceará, por exemplo,

C

garantem investimentos da ordem de R$ 1,7 milhões Aqui no Rio do Estado. Aqui, no Grande do Norte, Rio G. do Norte, 12 12 propostas de proposta de dife- diferentes condições rentes condições foram discutidas foram discutidas entre empresários e entre empresários e representantes do representantes do Governo do Estado Governo no Estado, concluindo por uma concluindo por de 1 mil MW, uma de 1 mil MW, número dobrado da numero dobrado da demanda média do demanda media do Estado.Em Estado. Em alguns alguns países,a países a energia eó- energia eólica, lica, gerada a partir gerada a partir do do vento, represen- vento,representa ta importante par- importante parcela cela da demanda da demanda media em torno de média em torno de 600 MW. Em sua 600 MW”. fala na Assembléia Legislativa do Estado, ressaltou o deputado, que no Rio G. do Norte são produzidos hoje 51 mega watts de energia elétrica. Disse ainda, que existem 114 projetos para o

Estado inscritos no Cadastro de Energia Eólica. Nesse período de conversas entre empresários e o Governo, ficou estipulado que estavam programados projetos para expansão do MW. Isso, realmente, é um assunto para o governo de Rosalba Ciarline e Robson Faria. Em sua primeira fase de implantação deveriam reunir 12 proposta de seis diferentes entidades que representam um produção de 1 mil MW, quase o dobro da demanda media do Estado. O que se pode dizer, evidentemente, è que o Ceará vai à frente com os mais variados setores, como é o caso da agricultura e da pesca em suas diferentes faixas. Em termos de Rio G. do Norte, temos a exploração da cultura do melão, cultura do caju para exportação, ao lado da criação de camarão em viveiros. A carcinocultura é uma atividade que tem dado favoráveis resultados para o Estado. Os projetos de energia eólica poderão ser apreciados, discutidos e executados, Em alguns países, a energia gerada a partir do vento, representa significativa parcela de demanda. Eis, portanto, o que esta programado em termos de energia do vento para ajudar no desenvolvimento do Rio G. do Norte.


economia

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

ENTREVISTA / GEORGE ALBUQUERQUE, COORDENADOR DA CMA CGM EM NATAL

‘O Porto ainda precisa de mudanças’ FOTOS:JOANA LIMA

Como é a atuação da CMA CGM? Quais os principais produtos que ela transporta? De um modo geral, a empresa está apta a transportar todo e qualquer produto, porque trabalhamos com carga conteinerizada. Ou seja, com mercadorias sempre dentro de contêineres e isso possibilita o transporte de praticamente todo tipo de mercadoria. Atualmente, os principais produtos que saem através do Porto de Natal são frutas, pescado, baterias automotivas, minerais, tecido, além de chegarem também tecidos e porcelanato. Além de uma ou outra coisa esporádica, como alguém que vai morar em outro país e leva os móveis por via marítima. Qual o volume de carga transportado pela empresa? O Porto de Natal ainda vive uma sazonalidade muito grande, pela questão da fruta que é o maior nicho de carga, digamos assim. Durante o período da safra, são atingidos picos de grande movimentação, só que na entressafra há uma queda vertiginosa no volume embarcado. Se considerarmos a média atual, podemos dizer que a movimentação entre embarque e descarga, chegamos a ter uma média entre 250 a 300 contêineres por semana. Existem vários tipos de contêiner e para exemplificar, um que é utilizado para transportar fruta pode abrigar uma média de 25 toneladas do produto. Quanto a CMA CGM investe no Porto de Natal? Quando se fala em investimento no porto em si, é complicado mensurar. Isso ocorre porque a empresa investe de diversas formas, para viabilizar suas operações. Para dar uma ideia, quando implantada uma linha regular aqui o que existia antes era apenas uma linha para transporte de fruta, que era uma carga praticamente toda solta. Uma pequena parte ia em contêiner, que era apenas a carga frigorificada e apenas por seis meses do ano. Então, foi preciso realizar todo um trabalho junto a importadores e exportadores, para que eles vissem, entendessem e acreditassem que existia uma linha regular capaz de transportar suas cargas pelo Porto de Natal e que teria condições de atendê-los bem. Para que começássemos a ter um retorno positivo com essas operações, a linha passou praticamente dois anos sem sequer se pagar, ou seja, apenas investindo dinheiro para que houvesse a operação. Acontece que para um navio vir até aqui (Natal) existem custos fixos altos, que além do custo de entrada e saída da embarcação no porto, existe o custo para manter o próprio navio e sua tripulação, como salários, energia e combustível. Outra coisa que fez com que o custo subisse ainda mais é que depois dos primeiros dois anos, a empresa trocou todos os navios e os as embarcações que vêm a Natal hoje são da própria empresa, projetados pensando nos portos em que eles vão, incluindo o daqui. Essa linha escala seis portos na Europa e mais seis na região da América Central e Brasil. Recentemente, a empresa também abriu uma subsidiária, para fazer a parte de operação portuária e apenas em maquinário foi feito um investimento de mais de R$ 1 milhão Quais são as especificidades que podem ser observadas nesses navios? Vou responder com um exemplo. São navios que possibilitam entrar no Porto de Natal com o máximo da sua capacidade, pois o máximo que ele vai calar é 9,30 metros. O Porto de Natal tem um calado de 10 metros e, anteriormente, se eu quisesse sair com o navio cheio daqui durante a safra, possivelmente se utilizássemos fosse um navio comum ele teria um calado maior e não seria possível fazer com que saísse com o

exclusivo da CMA CGM.

SÍLVIA RIBEIRO DANTAS Repórter

A

armadora francesa CMA CGM se estabeleceu no Rio Grande do Norte há cerca de três

anos e meio e hoje é a única empresa a operar uma rota regular com passagem pelo Porto de Natal. O tempo foi suficiente para que a companhia percebesse a necessidade de uma série de melhorias estruturais para possibilitar o incremento da atividade portuária no Estado. Coordenador da empresa em Natal, George Albuquerque conta que é possível que a partir do próximo mês de maio, a CMA CGM possa realizar a cabotagem aqui no Estado, transporte de cargas entre diferentes portos do país, facilitando uma melhor distribuição de grandes volumes de produtos como frutas, com maior segurança e menor custo do que o transporte viário, que é o principal meio utilizado atualmente.

máximo da sua capacidade. Esse navio não é tão comprido, ele é mais largo do que a maioria e assim, temos condições de atracar no berço com tranquilidade, também tem uma boa quantidade de plugs para podermos ligar os contêineres refrigerados que transportam as nossas principais cargas. Outro detalhe é que os navios rodam com um técnico de refrigeração a bordo, porque se houver algum problema com esses contêineres no mar, ele é logo solucionado e não há o risco de perder a mercadoria. Então, podemos dizer que toda essa estrutura foi pensada nos portos onde esses navios chegam, como o de Natal, de Belém, de Fortaleza e da Guiana Francesa. Qual avaliação a companhia faz dos três anos e meio de atuação no Rio Grande do Norte? A atuação no Porto de Natal começou de um sonho do gerente da companhia, que acreditou e quis desenvolver o mercado aqui. Ele decidiu trazer a linha, mesmo dando mais custo do que lucro no início e o retorno só começou a chegar na safra de 2008 para 2009. Então, hoje, Natal é uma realidade para a empresa e eu acredito que estamos tendo retorno positivo, mas ainda temos muito a crescer. O que falta para possibilitar esse crescimento? A estrutura do porto precisa passar por melhorias? São vários aspectos distintos. Seria muito cômodo eu dizer que o problema é simplesmente da estrutura do porto ou a administração portuária dizer que as deficiências são da empresa, por exemplo. Na verdade, existe um ambiente inteiro, uma comunidade portuária que inclui importadores e exportadores, e ocorre que todo o conjunto tem que funcionar em harmonia. Se há um problema em um dos setores, isso refletirá nos outros. Infelizmente, hoje no Por-

to de Natal só há uma linha regular trabalhando, o que é ruim para a estrutura portuária em si, porque apenas uma linha não mantém um porto com o que ela rende de receita, mas todo mundo cobra melhorias. Atualmente, o porto necessita de diversas melhorias, mas se compararmos com o que existia há até pouco tempo vemos que está havendo avanços. O porto da capital do RN, assim como em outros locais do Brasil, foi construído para nichos de cargas bem diferentes do que os produtos que passam por ele hoje. Então, é preciso que sejam feitas adaptações, por exemplo, a conteinerização, novos equipamentos que surgem. Antigamente, as mercadorias que rodavam nos portos eram sacarias, vergalhões e outras cargas soltas. O que existia de mais moderno na estrutura portuária há cerca de 20 anos eram os armazéns de primeira linha, que são aqueles localizados na borda do cais, pois a carga já saia do armazém para bem próximo do navio e o pátio praticamente não tinha utilidade. Ocorre que nos últimos tempos, com a utilização do contêiner, o pátio passou a ser um dos itens essenciais em um porto, pois além de abrigar os contêineres é necessário espaço para que as máquinas que os movimentam possam se locomover. E tudo isso são detalhes que vêm com a modernização. O que podemos dizer é que o Porto Natal ainda necessita de mudanças, mas não podemos deixar de considerar que foram feitas reformas importantes nos últimos dois anos. Eu acho que se ficar na disputa do “se houver mudança vem a carga ou se vier a carga haverá a mudança” nada mudará, na verdade. Temos que ir andando conforme as possibilidades e sempre com cada qual buscando o seu papel para a melhoria da infraestrutura portuária. O senhor afirmou que há a neces-

sidade de realizar modificações no porto.Que mudanças são essas? Há cerca de um ano e meio foi colocado um novo piso, o que melhorou significativamente, também houve a ampliação da quantidade de tomadas no porto para ligar os contêineres, que são tomadas especiais. Além disso, passou a ser feita uma manutenção na parte elétrica, pois ficávamos receosos em ligar os contêineres nas tomadas que existiam porque a subestação poderia não aguentar. Nessa parte elétrica, as mudanças são meio invisíveis, mas essenciais. Outras coisas que estão em andamento, mas não sei dizer em que pé estão, são a reanexação da área onde hoje fica a comunidade do Maruim, que são 14 mil metros quadrados, o que dá um belo pátio e hoje faz uma grande diferença. É necessário também que haja uma melhor utilização dos armazéns existentes. Ou seja, é preciso ir realizando as melhorias passo a passo. A CMA CGM já tinha falado em retomar a cabotagem no Porto de Natal.Como está este projeto? Acredito que não existia esse projeto, porque a CMA CGM é uma empresa francesa e hoje, não podemos ainda fazer cabotagem no Brasil. Isso pela cabotagem ser o transporte de cargas entre portos nacionais e existe uma série de pormenores burocráticos legislativos a serem cumpridos, como a exigência de ser uma empresa brasileira que utilize navios brasileiros ou ainda ter capital nacional na empresa. Enfim, é necessário que seja uma empresa daqui. Na realidade, estamos brigando já há algum tempo para podermos fazer a cabotagem e acreditamos que conseguiremos isso a partir de maio deste ano. O que eu sei é que o porto tenta há muito tempo trazer uma linha de cabotagem para Natal, mas isso não é um projeto

O porto da capital do RN, assim como em outros locais do Brasil, foi construído para cargas bem diferentes das que passam por ele hoje”

Não é de hoje que os fruticultores embarcam suas mercadorias em portos de Estados próximos ao Rio Grande do Norte e é natural que isso ocorra em um mercado no qual há concorrência”

O que podemos dizer é que o Porto de Natal ainda necessita de mudanças, mas não podemos deixar de considerar que foram feitas reformas importantes nos últimos dois anos”

Caso a empresa consiga realizar a cabotagem,quais vantagens ela terá com a operação? Se pegarmos o sal produzido no RN, por exemplo, vemos que boa parte é transportado para o sul do país a partir de portos como Mucuripe e Pecém, no Ceará. Já o arroz que vem do sul para cá, boa parte é através de caminhões. A vantagem de realizar o transporte por via marítima é que essa é uma operação com menor custo, levando um maior volume e com mais segurança. Como exemplo disso posso dizer que ouvimos muito falar em assalto nas estradas brasileiras, mas não no oceano. Hoje, algumas empresas transportam produtos até portos em estados vizinhos ao RN e trazem suas cargas para cá pelas estradas. Vindo diretamente por via marítima, já diminuiria parte dos custos. De uma forma direta, podemos dizer que com a cabotagem, Natal passaria a ser um ponto que facilitaria a distribuição de grandes volumes de determinados produtos. Como o senhor enxerga o movimento de transferência de alguns fruticultores do Rio Grande do Norte que foram se instalar no Ceará? Isso pode implicar em algum tipo de dificuldade ou prejuízo para o Porto de Natal? Há anos já existe o transporte de frutas que são produzidas no RN, mas a exportação ocorre através de portos do Ceará, então isso não é novidade alguma. Existem várias linhas que competem, uma vez que o transporte marítimo é um mercado com concorrência, como ocorre em qualquer setor da economia. O Porto de Natal concorre com os de Mucuripe e Pecém, no Ceará, com Suape, em Pernambuco. Assim, não é de hoje que os fruticultores embarcam suas mercadorias em portos de estados próximos ao Rio Grande do Norte e é natural que isso ocorra em um mercado onde há concorrência. Da mesma forma, nós já embarcamos cargas de estados como Bahia e existem frutas que são escoadas a partir do porto de Natal cuja produção ocorre em Russas, no Ceará. Claro que eu preferia que toda a produção do RN fosse embarcada no porto de Natal, mas essa movimentação é natural e eu acredito que mesmo existindo mais navios e mais linhas operando no porto, nem toda a produção do estado passará a ser escoada a partir de Natal.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

[ ENCONTRO ] Representantes do setor procuraram o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, um dos responsáveis por lista de produtos vindos dos Estados Unidos que serão retaliados

Abrindo a porteira laf@digizap.com.br

Terras valorizadas

O

s preços das terras agricultáveis devem seguir em alta em 2010. A valorização nominal foi de 5% em 2009, mostra pesquisa da consultoria AgraFNP. O reaquecimento desse mercado se consolidou no último bimestre do ano passado, apesar da queda das cotações de commodities como soja e milho. Com a tendência de expansão do agronegócio brasileiro nos próximos anos, os sinais de uma disputa mais acirrada por terras de qualidade e a maior presença de grupos estrangeiros e fundos de investimentos em alguns segmentos, novas valorizações estão por vir. O levantamento da AgraFNP mostra que o preço médio do hectare alcançou R$ 4.593 no Brasil no último bimestre de 2009, com um incremento nominal de 5% em 12 meses e de 40,2% em 36 meses.

IMPOSTO No Imposto de Renda 2010, no caso de atividade rural, a entrega do IR também é obrigatória, até o final de abril, para quem teve receita bruta em valor superior a R$ 86.075,40. O documento também tem de ser entregue por quem pretenda compensar, no ano-calendário de 2009 ou posteriores, prejuízos de anos-calendário anteriores ou do próprio ano-calendário de 2009.

Clima

Atividades

A diretoria da Associação Norte-rio-grandense de Criadores (Anorc) será na próxima terça-feira (23), a primeira assembléia/palestra do ano, no auditório do Parque de Exposições Aristófanes Fernandes, em Parnamirim. A exposição será feita pelo metrologista Gilmar Bristot, da equipe da Emparn, sobre a previsão do clima para o Semi-árido e o litoral-agreste.

O presidente da Anorc, Marcos Teixeira, já iniciou entendimentos para realizar cursos técnicos de tratorista e de inseminação artificial, sendo 2 no primeiro e 2 no segundo semestre. As conversa estão sendo feitas com empresas privadas, para formalizar uma parceria. O objetivo é atender as necessidades de profissionalização das propriedades rurais potiguares.

1

Os treze meteorologistas de estados do Nordeste estão reunidos até a última sexta-feira, em Natal, elaboraram um documento de previsão das chuvas no semiárido nordestino em 2010. Chegaram a conclusão que o período chuvoso vai oscilar entre mediano e abaixo da média. No Rio Grande do Norte fevereiro já tem tido chuvas abaixo da média.

2

O governo federal incluiu mais produtos na lista da sociobiodiversidade, um programa que visa dar preços mínimos a culturas agrícolas, que passam a receber verba para pesquisas. Os produtos são o baru, umbu, mangaba, cupuaçu, buriti e óleos de copaíba e andiroba, agora incluídos no Programa de Garantia de Preços Mínimos (PGPMBio).

3

Empresários do setor de laticínios do Nordeste estão questionando a empresa gaúcha Bom Gosto, alegando prática de concorrência desleal no mercado de leite longa vida. Os sindicatos admitem risco de haver queda da produção e abastecimento de leite no Nordeste porque, a preços de hoje, a Bom Gosto acabaria marchando para o monopólio do segmento.

PREVISÃO (I) O quarto levantamento da safra de grãos 2009/2010, elaborado pela Conab, mostra que o Brasil terá a segunda maior produção da história, com volume de 141,35 milhões de toneladas. O resultado é 4,6% superior ou 6,21 milhões de toneladas a mais que as 135,13 milhões de toneladas da temporada anterior. A maior colheita registrada, até agora, é de 144,1 milhões de toneladas, em 2007/2008. PREVISÃO (II) Apesar da produção de açúcar e álcool do Nordeste estar no pico da safra, os preços deverão subir por conta do cenário externo e da produção do Centro Sul do Brasil. O Rio Grande do Norte, a Paraíba, Pernambuco e Alagoas registram excedentes de açúcar e álcool, em suas safras de agosto a fevereiro.

Mercado em baixa O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, afirmou que o mercado de etanol, que tem enfrentado problemas de abastecimento em alguns estados, deve levar mais 90 dias para ser normalizado. Até lá, na maioria dos estados brasileiros, entre eles o RN, a gasolina deve continuar sendo vantajosa para quem tem veículos flex. Stephanes disse que o problema foi causado pelo ex-

cesso de chuvas no período de colheita, que obrigou os produtores a deixar mais de 60 milhões de toneladas de cana sem cortar. Para reverter a situação de pouca oferta, que eleva o preço do etanol, o ministro informou que 60 usinas estão moendo cana, mesmo em período de entressafra, e que 160 anteciparão para março a moagem, normalmente iniciada em abril.

PREVISÃO (III) O cenário da avicultura brasileira em 2010 vai depender do comportamento do mercado externo, para onde são direcionados 30% da produção e onde o Brasil permanece como líder em vendas. Em 2009, o país exportou cerca de 3,6 milhões de toneladas de frango, o mesmo volume de 2008. ESPECIAL O Programa de Fortalecimento e Crescimento da Embrapa – PAC Embrapa executou a totalidade dos recursos destinados, em 2009, para a construção dos três novos centros de pesquisa da Embrapa e para modernização das dezessete Organizações Estaduais de Pesquisa Agropecuária – Oepas. Foram investidos R$17,540 milhões na implantação das Unidades da Embrapa no Mato Grosso, Tocantins e Maranhão e R$120.466.908,63 na revitalização e ampliação da infraestrutura.

Anfavea quer evitar que retaliação chegue a peças VALTER CAMPANATO/ABR

B

rasília (AE) - Representantes da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e de montadoras estiveram na sexta-feira passada com o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, para solicitar que autopeças usadas pelas empresas automotivas brasileiras e a importação de veículos - basicamente de luxo - não entrassem na lista de retaliação que o governo brasileiro deve apresentar até o dia 1º de março para os produtos dos Estados Unidos. O embate entre os dois países se dá por conta de subsídios concedidos ao agricultor de algodão norte-americano e que foram considerados abusivos pela Organização Mundial de Comércio (OMC). Além de Stephanes, os executivos também entraram em contato com os demais seis ministérios que compõem a Câmara de Comércio Exterior (Camex). No Ministério da Agricultura, os representantes das montadoras não quiseram falar com a imprensa. Além da possibilidade de encarecer os produtos brasileiros, a maior preocupação dos representantes das montadoras é a de que uma retaliação do Brasil aos Estados Unidos neste momento poderá prejudicar as exportações futuras para aquele país. O raciocínio é o de que os EUA passem a

NÚMEROS

300

milhões de dólares de trigo foram importados dos Estados Unidos no ano passado

Gostaríamos que os produtos agrícolas fossem contemplados direta ou indiretamente”

Stephanes considera legítima colocação do setor de automóveis

adquirir carros mais compactos do que os fabricados no país por conta ainda dos desdobramentos da crise financeira, e o país com maior potencial de venda desses automóveis de menor porte é o Brasil. VALOR Segundo Stephanes, o valor dos produtos importados pelo Brasil pela área automotiva é insignificante, apesar de ele não saber exatamente a quantia. “Acho legítima a colocação”, comentou o ministro. Na próxima segunda-

feira, os técnicos dos ministérios que compõem a Camex estarão reunidos para terminar de fechar a lista. O ministro da Agricultura ressaltou “ser óbvio” o desejo da pasta de ter os produtos agrícolas contemplados nessa lista de retaliação da Camex. “Gostaríamos que os produtos agrícolas fossem contemplados direta ou indiretamente. É evidente que o Ministério tem interesse”, disse. Caso os Estados Unidos sinalizassem com a possibilidade de acordo entre as par-

REINHOLD STEPHANES Ministro da Agricultura

tes, Stephanes defenderia o desenvolvimento de pesquisa, principalmente em relação a doenças que atacam o algodão, como o bicudo. Na lista, Stephanes enfatizou que gostaria de ver retaliação ao trigo importado dos Estados Unidos. Em 2008, a compra chegou a US$ 300 milhões. Além desta medida, o ministro também proporá que a Camex aumente a Tarifa Externa Comum (TEC) de importação do trigo de 10% para 20%.

[ CRESCIMENTO ] Estimativa é US$ 2 bilhões

[ CARNE ] Escassez de carne bovina levou

superior à divulgada em novembro passado

país a buscar fontes externas do produto

EUA preveem superávit Argentina aumenta agrícola de US$ 22,5 bi importação do Uruguai

A

rlington (AE) - O superávit comercial da agricultura norte-americana chegará a US$ 22,5 bilhões no ano fiscal 2010, afirmou esta semana o subsecretário do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) Jim Miller. A nova estimativa é US$ 2 bilhões superior à leitura divulgada pelo governo em novembro, mas está 3% abaixo do superávit do ano fiscal 2009, de US$ 23,2 bilhões. No Fórum de Perspectivas Agrícolas do USDA, Miller disse que as exportações de produtos agrícolas norte-americanos crescerá para US$ 100 bilhões, en-

quanto as importações são estimadas em US$ 77,5 bilhões. Em novembro, o governo havia previsto exportações de US$ 98 bilhões e importações de US$ 77,5 bilhões. “A recuperação econômica global e os preços das commodities estão sustentando as exportações”, explicou o Serviço de Pesquisa Econômica do USDA em relatório que detalha a projeção comercial. Miller acrescentou que a expectativa é de fortes exportações de soja, o que contribui para a elevação da estimativa. A demanda por soja na China deve seguir firme no ano fiscal 2010, segundo Miller.

B

uenos Aires (AE) - Diante da escassez de carne bovina para abastecer a demanda interna, a Argentina está aumentando a importação do produto, especialmente do Uruguai. Segundo números do Serviço Nacional de Sanidade Animal e Qualidade Agroalimentar (Senasa), a importação de carne fresca aumentou de 28 toneladas, em novembro, para 90 toneladas, em dezembro. Estimativas de consultores indicam que em janeiro a compra de carne uruguaia teria sido de 110 toneladas, enquanto nas duas primeiras semanas de fevereiro chegaria à metade desse volume. O Senasa afirma que, durante 2009, foram importadas 793 toneladas de carnes frescas ao custo de US$ 1,47 milhão. Para um país que possui um consumo per capita anual de 73 quilos, o volume importado é irrisório, mas evidencia a crise da pecuária na Argentina. Com base nas estimativas de janeiro, o consultor pecuarista Ignácio Iriarte projeta um aumento das importações argentinas de carne uruguaia durante 2010, chegando a 2.400 toneladas. O volume representa menos de 1% do consumo argentino As províncias de Entre Ríos, Corrientes e Misiones compram 90% do “asado” (costela) uruguaio, conforme Iriarte. Das 580 mil toneladas de carne bovina que o Uruguai produz, 80% são para exportação. Contudo, com uma alta de preços que varia de 35% a 70%, desde o início do ano, a carne está sofrendo um boicote natural por parte dos argentinos. As associações de consumidores estão convocando a população a deixar de consumir carne bovina. O vice-presidente da Associação de Proprietários de Açougues, Alberto Williams, disse semana passada que o consumo caiu 15% nos últimos 15 dias. Mas o vice-presidente da Câma-

ra da Indústria e Comércio de Carnes da Argentina, Miguel Schiaretti, disse que o consumo de carne bovina no país terá uma queda de 25% neste ano. Williams explicou à AE que o governo está negociando um novo acordo de preços com os frigoríficos para baixar o preço da carne. O anúncio seria feito nesta sexta-feira pelo secretário de Comércio Interior, Guillermo Moreno, que restringiu as exportações de carne desde 20 de dezembro. Durante a reunião semanal da sexta-feira passada que o secretário manteve com os representantes da indústria, Moreno avisou que as exportações continuarão restritas por mais três meses, até que a oferta doméstica seja normalizada. O novo acordo incluiria uma nova divisão de categorias dos cortes de carne, segundo a qualidade de cada um, e valores fixos Segundo a imprensa local, os cortes serão divididos em segmentos de “consumo massivo”, “selecionado” e “premium”. Conforme explicou ao jornal “La Nación” a representante da Câmara Empresarial de Desenvolvimento Argentino e Países do Sudeste Asiático, Yolanda Durán, “a carne de consumo massivo está destinada a satisfazer as necessidades dos consumidores de menor poder aquisitivo, enquanto a selecionada está orientada à classe média, e a premium é para a classe A”. Schiaretti acredita que o acordo não vai funcionar “porque não há carne para manter o nível de consumo interno”. Em 2009, a indústria argentina abateu 17 milhões de cabeças, e as estimativas são de que em 2010 o abate será de 13 milhões a 14 milhões. Com esses números, Schiaretti diz que o consumo per capita vai cair dos 73 quilos para 60, neste ano, um volume ainda alto se for comparado com o consumo de 45 quilos nos EUA e de 38 quilos no Brasil.


economia

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte| 5

[ IMÓVEIS ] Unidades habitacionais que pipocaram no Rio Grande do Norte com a “invasão” do turismo internacional e do

capital estrangeiro no Estado ganham cada vez mais a adesão de brasileiros e poderão ter o brilho renovado com a Copa

Apart-hotéis esperam novo fôlego ALEX REGIS

RENATA MOURA Repórter de economia

MUDANÇAS

ol, mar e a possibilidade de lucrar numa região “barata” e em expansão trouxeram uma enxurrada de estrangeiros ao Nordeste e ao Rio Grande do Norte em meados desta década e, com eles, uma forte onda de investimentos no rentável segmento dos apart-hotéis. Com a oferta de serviços agregados e de largo potencial de retorno para os investidores, esse tipo de empreendimento se proliferou, esmoreceu com o declínio do turismo internacional e com a crise financeira no mundo, mas poderá ganhar novo ânimo com a Copa de 2014 no Brasil. E o melhor, despertando cada vez mais o apetite dos brasileiros. Entre as cidades-sede dos jogos e candidatas a se beneficiar dessa retomada está Natal, capital do Rio Grande do Norte. Só nos últimos três anos, a cidade teve 5.462 unidades habitacionais caracterizadas exclusivamente como apart-hotéis aprovadas pela prefeitura. O pico dos licenciamentos ocorreu em 2008, quando o total de unidades com alvarás expedidos cresceu 241,27% sobre o ano anterior. Reunidos no estudo “Apart-Hotel: uma nova tendência em Natal?”, os números mostram “a nítida valorização desses empreendimentos”, de acordo com o autor e professor de Políticas e Tendências Econômicas da Faculdade de Natal (FAL), Otomar Lopes Cardoso Junior. Mas apontam também o resfriamento desse nicho do mercado ao revelar que, em 2009, o número de unidades licenciadas caiu 29,47% em relação a 2008. Grande impulso para o segmento, o turismo internacional foi uma das razões para fazê-lo decair. Foi com a “invasão” dos estrangeiros e principalmente europeus no Nordeste que determinados segmentos do setor imobiliário ganharam força no Rio Grande do Norte. No caso específico dos apart-hotéis, os projetos mais robustos começaram a pipocar em meados de 2005, época em que o Euro valia cerca de R$ 3,60 ou 32% a mais do que hoje, de acordo com dados do Banco Central,

S

Ponta Negra, principal polo de atração de turistas em Natal, é o principal ponto de concentração desse tipo de empreendimento

e em que o fluxo de estrangeiros no estado ia além dos 110 mil, representando mais de 24% do total que passava pelo Nordeste. O público consumidor batendo à porta e a força da moeda que trazia no bolso foram os ganchos que o mercado precisava para lançar os projetos. “A presença dos turistas animou as construtoras. Trouxe oportunidades de venda de segunda residência”, diz o diretor para a área Imobiliária do Sindicato da Indústria da Construção Civil do estado, Raimundo Nonato Maia.

com bandeira internacional e administração séria) como ativo gerador de renda é duplamente interessante, pois tem a solidez da aplicação imobiliária e a rentabilidade acima de outras aplicações”, diz ainda ela, explicando o que tanto atraiu e ainda atrai consumidores a esse tipo de empreendimento. De natureza mista, residencial com características hoteleiras, apart-hotéis como o Quality oferecem serviços “básicos” como arrumação, segurança, recepção e estacionamento com manobrista. Serviços extras, como lavanderia e restaurante, também estão disponíveis. “Os básicos estão incluídos na taxa de condomínio, que gira em torno de R$ 700. Os extras, verdadeiros facilitadores, são pagos pelos moradores de acordo com uma tabela pré-estabelecida”, explica o gerente geral do Quality, Atílio Camargo. Do total de unidades existentes no empreendimento, 130 são operadas como pool, uma associação dos proprietários que permite a exploração da atividade locatícia através de uma empresa hoteleira. No Quality, o serviço vem sendo administrado pela Atlantica Hotels International.

VALORIZADO Em Ponta Negra, o Quality Suítes Natal foi um dos símbolos do segmento que emergiram nesse período. O sinuoso edifício de 180 apartamentos representou um investimento de mais de R$ 20 milhões da Delphi Engenharia e atingiu mais de 100% de valorização durante a construção, diz a presidente da construtora, Cintya Patrício. “O alvo eram investidores. O empreendimento foi totalmente vendido antes da inauguração”, afirma. “A opção de investimento em uma unidade de flat (desde que

Onde estão distribuídas as unidades habitacionais licenciadas entre 2007 e 2009 em Natal Unidades por Bairros

235

Petrópolis

132

601

Lagoa Nova

Tirol

205

Capim Macio

668

Candelária

3.533

5.462

Ponta Negra

Total

Neópolis Evolução Com forte presença de turistas,Ponta Negra se tornou principal pólo desse tipo de empreedimento

2.737 1.724

1.923 1.617

802

Total de unidades (Natal) Ponta Negra

192 2007

A aquisição de apart-hotéis ou flats para locação foi e continua sendo uma rentável opção de investimento. A curitibana Aparecida Bernardete Nunes, de 50 anos, nove dos quais morando em Natal, que o diga. Dona de quatro flats em Natal – dois deles com previsão de entrega para dezembro deste ano - ela pagou R$ 150 mil por cada unidade, na planta, e, nas que recebeu, tem conseguido diárias em torno de R$ 100, o que, em uma semana, lhe rende o mesmo que recebe em um mês pelo aluguel de uma casa em Ponta Negra. “É uma renda mais rápida”, diz ela, que pretende vender os dois que tem no Rio de Janeiro e em Curitiba para comprar mais três apart-hotéis em Natal, nos próximos três anos. Incluir a unidade dentro do pool hoteleiro também tem sido sinônimo de retorno para os in-

vestidores no segmento. “Quem assina contrato de adesão compartilha dos dividendos que a locação do conjunto de apartamentos propiciar, de acordo com sua fração ideal e estando com o apartamento locado ou não”, explica Atílio Camargo, do Quality Suítes Natal. Segundo o executivo, em Taguatinga, cidade satélite de Brasília, empreendimentos como esse têm oferecido de 1,8% a 2% de lucratividade anual frente ao dinheiro aplicado em banco, já deduzidas despesas condominiais e impostos, exceto imposto de renda. “Em Natal, isso flutua um pouco, porque tem alta, baixa estação, mas a expectativa do investidor é sempre ter rendimento maior que o da caderneta de poupança e tem se conseguido 1% ou mais do valor de mercado de negócio”. Num apartamento, por exemplo, de 20 metros quadrados, que foi comprado por R$ 65 mil e hoje está vale pouco mais de R$ 100 mil, mobiliado, se for distribuído 0.8 ao mês ao dono, isso rende R$ 800/mês e quase R$ 10 mil/ano.

Mercado está aberto para brasileiros

A GEOGRAFIA DOS APART-HOTÉIS

88

Projetos são rentáveis para os investidores

Considerando,entre outros fatores, os efeitos da crise financeira mundial em setores como a construção civil, no primeiro quadrimestre de 2009,a prefeitura de Natal definiu regras para que empresas com projetos que não foram viabilizados economicamente como flats pudessem executá-los como residenciais.“Foi um meio de estimular nosso mercado,de viabilizar projetos que estavam parados por falta de financiamento, já que a taxa de financiamento para empreendimentos residenciais é muito mais barata,e de voltar a movimentar uma grande parcela da construção civil no município”, explica o secretário adjunto de Licenciamento e Fiscalização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), Daniel Nicolau Pinheiro. O decreto 8.688 permitiu aos empreendedores requererem a alteração na classificação do uso do empreendimento do tipo HotelResidência ou similar para fins residenciais,uma possibilidade aberta para obras iniciadas ou não e para projetos ainda em análise nos órgãos do município,excetuando-se os situados nas Zonas de Proteção Ambiental não regulamentadas,na Área Especial de Interesse Social da Vila de Ponta Negra e Zona Especial de Interesse Turístico – 4,instituídas pela Lei Complementar nº 082/2007. O prazo para protocolar o requerimento da alteração na Semurb terminou em 30 de dezembro do ano passado. “O impacto foi o de começarem as obras que estavam paradas”,observa Pinheiro,acrescentando,sem números,que a medida gerou grande procura por parte dos empreendedores.Segundo a Semurb,entre as empresas que pediram a mudança de uso estão Moura Dubeux,Colmeia,Capuche, Montana,G5 e Metro Quadrado.A Colmeia aproveitou a oportunidade para transformar em residenciais dois projetos.“A intenção é oferecer às pessoas mais facilidade para financiar”,diz o gerente geral da filial Natal da construtora,Raimundo Nonato Maia.“

2008

Fontes:Estudo "Apart-Hotel:Uma nova tendência em Natal?"/Prefeitura de Natal/Semurb

2009

A debandada dos estrangeiros e a crise internacional forçaram o segmento de apart-hotéis a se realinhar no estado e abriram as portas do setor para o público nacional. “Essas turbulências afastaram de certa forma a especulação que houve em alguns empreendimentos. Os preços caíram”, afirma o diretor do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci RN), Paulo Pinheiro. De acordo com ele, a diária de um flat que chegou a custar R$ 500, em Ponta Negra, hoje chega à metade. “Apartamentos que foram vendidos a R$ 6 mil o metro quadrado não são repassados mais por esse preço. Saem por R$ 3,5 mil, R$ 4 mil”, continua. O consultor imobiliário para o Mercado Internacional da Abreu Imóveis, João Hernandes, observa, no entanto, que se o investimento foi feito por estrangeiro o empreendimento continua com perspectiva de ganho. “Ele comprou quando o Euro estava a R$ 3 ou mais. Na hora de converter continua lucrando”. Os especialistas são unânimes em prever que a exposição que a Copa de 2014 trará ao país e às cidades-sede dos jogos, como Natal, traz perspectivas favoráveis a esse tipo de empreendimento. “As empresas continuam na expectativa de retorno dos investimentos estrangeiros. Seria prematuro para o mercado abandonar essa tendência agora considerando a propaganda gratuita que teremos da cidade nos próximos anos”, observa Otomar Lopes Cardoso Ju-

ELISA WLSIE

Atílio Camargo, do Quality Natal: pool tem sido bom negócio

nior, da Faculdade de Natal. Na visão de Hernandes, a Copa vai voltar a movimentar esse mercado, dinamizando a ocupação das unidades e impulsionando a conclusão de alguns empreendimentos que estão em “stand by”. “Vamos ter uma revitalização desse mercado, mas temos muito dever de casa a fazer para conseguir isso, com investimentos em áreas como infraestrutura e segurança, que são as que atraem ou afastam o turista”, frisa o consultor. Raimundo Nonato Maia, do Sinduscon, concorda que o mundial de futebol pode servir de reforço ao segmento, mas diz que esse tipo de projeto não deverá

continuar despertando tanto interesse das construtoras. “o problema é que, sem característica exclusivamente residencial o prazo de financiamento é menor e o juro maior. A tendência é que cada vez mais sejam construídos apartamentos menores, com características residencias e mais acesso aos bancos”, opina. Mas, pelo menos para aluguéis, a perspectiva é de que a demanda continue grande. De acordo com a gerente de Locação da Abreu Imóveis, Socorro Brasil, serviços agregados, mas, em primeiro lugar, segurança, são atrativos que chamam cada vez mais a atenção para esse tipo de empreendimento.


economia 6

Natal | Rio Grande do Norte |Domingo | 21 de fevereiro de 2010 RODRIGO SENA

[ TAXAS ] Boas perspectivas de expansão

devem blindar Brasil das variações do dólar

Juros nos EUA não devem alterar câmbio no Brasil ão Paulo (AE) - A boa perspectiva de expansão do Brasil para os próximos cinco anos, que para o Itaú Unibanco deve atingir uma taxa média de crescimento de 4,5% a 5% com inflação sob controle, é o principal fator que deve blindar o País de alterações sensíveis na taxa de câmbio nos próximos dois anos provocadas por uma gradual mudança da política monetária nos EUA, avaliou o economista do banco, Roberto Prado. Para ele, o aumento da taxa de redesconto nos EUA de 0,25% para 0,75% adotado ontem é um reflexo da incipiente melhora nas condições de liquidez no sistema financeiro norteamericano. Mas a evolução leve do nível de atividade norteamericano, ressalta Prado, só deve estimular o Federal Reserve a aumentar os juros básicos em dois pontos porcentuais em 2011, o que pode moderar a propensão de investidores de alterar suas carteiras de ativos nos próximos trimestres. Deste modo, o fluxo de capitais para o País não está seriamente ameaçado em um horizonte de 24 meses. O Itaú Unibanco estima que a cotação do real deve atingir a média de R$ 1,80 em 2010 e R$ 1,81 no ano que vem. No próximo mês de dezembro, a taxa deve chegar a R$ 1,78 e alcançar R$

S

Cenário favorável de avanço da economia nacional deve levar o investimento estrangeiro direto a atingir US$ 41 bilhões neste ano

1,81 um ano depois. De acordo com Prado, o crescimento do PIB dos EUA em 2,8% e 2,2% neste ano e em 2011, respectivamente, com taxa de desemprego de 10% em 2010 e 9,5% nos 12 meses seguintes, indica uma leve evolução da demanda agregada naquele país no período. Sendo assim, o Fed deve manter os juros básicos estáveis entre 0 e 0,25% em 2010 e só alterá-los no próximo ano, quando devem atingir uma taxa entre 2% e 2,25%. Em contrapartida, o Brasil estará registrando no ano que vem um incremento do PIB de 6%, marca que deve alcançar 4,9% em 2011, projeta o Itaú Unibanco. “O bom desempenho do nível de atividade do Brasil deve manter o ingresso de investimentos de longo prazo, com destaque para os diretos estrangeiros, que devem colaborar para financiar o déficit de transações correntes”, comentou. Na opinião de Prado, o cenário favorável de avanço da economia nacional nos próximos anos deve levar o investimento estrangeiro direto (IED) a atingir US$ 41 bilhões neste ano e US$ 63 bilhões em 2011. Esta evolução estaria relacionada com o avanço da Formação Bruta de Capital Fixo motivada por empreendimentos estruturais, como alguns relacionados ao pré-sal e Copa do Mundo de 2014.


natal

MOTOBOY

José Barreto, do Sindicato, fala sobre os riscos da profissão.

TEMPO HOJE

TÁBUA DE MARÉS

FEIRAS LIVRES

Nublado com pancadas de chuvas Max.: 30º CO Min.: 26ºCO

Preamar 08h51 -1.9- 21h24 -1.8 Baixa-mar 02h09 -0.7- 14h51 -0.8

Panorama: hoje 332 bancas/196 feirantes Planalto 186 bancas/97 feirantes

BALNEABILIDADE Impróprias Mãe Luíza Pium Pirangi do Norte Redinha

FASES DA LUA Crescente: Hoje Cheia: 28/02 Nascer do sol: 5h21 Pôr do sol: 17h19

Editora: Yara Okubo e-mail: Yokubos@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 21 de fevereiro de 2010

Patrícia da Rocha Costa, 34, é uma das vítimas do acidente com fogos de artifício e há 18 dias enfrenta dores por todo o corpo. Ela sonha em ficar boa logo e retornar para a sua família e voltar a fazer coisas simples

[ BOA SAÚDE ]

Vítima luta para sobreviver no HWG FOTOS:MARCELO BARROSO

ROBERTA TRINDADE Repórter

o quarto amplo, pintado com cores claras, a porta entreaberta e a luz acesa. De longe é possível avistar uma mulher deitada em um dos leitos. Patrícia da Rocha Costa, 34 é uma das vítimas do acidente com fogos de artifício ocorrido em Boa Saúde, na terça-feira (2). Há 18 dias, a mulher está internada na enfermaria de número três, no leito 145 do Hospital Walfredo Gurgel. Parte do rosto de Patrícia está com curativo e 90% do corpo enfaixado devido à queimadura que sofreu durante o acidente. No braço direito, o soro é trocado todas as vezes que o tubo está próximo de chegar ao fim. Patrícia não tem ideia de quando vai receber alta, mas sabe que ainda terá que passar por várias cirurgias de enxerto. Todos os dias é feito um novo curativo nos ferimentos e para isso, Patrícia tem que ser anestesiada, caso contrário, não aguentaria a dor insuportável. Entre as dificuldades, o momento do banho também é um terror para a dona-de-casa. “É difícil demais. Não consigo sequer dizer o que estou sentindo”. Os segundos, minutos, horas e dias vão passando lentamente, mas parecem intermináveis longe da casa onde Patrícia mora com o marido e a filha de 13 anos, em Maretas, município de Serrinha. Se a saúde não está boa, a mente também não anda nada bem. Patrícia presenciou há dez dias, a morte de Maria das Dores de Oliveira do Nascimento, 45. Maria também teve 90% do corpo queimado durante a festa da padroeira de Nossa Senhora da Boa Saú-

MEMÓRIA

N

Terça-feira (2),à noite, durante a festa em homenagem a padroeira da cidade,Nossa Senhora da Boa Saúde,no momento dos fogos de artificio,um dos foguetes falhou no ar e explodiu no público.Cerca de 40 pessoas ficaram feridas.

“ Patrícia da Rocha Costa teve 90% do corpo queimado no acidente ocorrido com fogos de artifício,durante a festa da padroeira de Boa Saúde

de e faleceu devido à gravidade dos ferimentos. “Ela estava na cama do meu lado. Uma noite começou a passar mal. Gemia e pedia para eu ajudá-la. Foi a noite inteira assim”, lembra Patrícia. A paciente se recorda que uma enfermeira ficou durante toda a madrugada ao lado de Maria. “Nem assim teve jeito. De manhãzinha ela parou de gemer e tombou a cabeça para o lado. Estava morta”. Depois da morte de Maria das Dores, a saúde de Patrícia piorou. Ela, que já sentava na cama e andava pelos corredores do hospital regrediu e agora permanece deitada, levemente inclinada. Não consegue mais andar. Diante da situação, Patrícia tem

Menino acidentado ainda precisa passar por cirurgia Igor Rodrigues tem apenas 10 anos, porém, já passou por uma experiência nada satisfatória. Ele, também foi vítima do acidente com fogos de artifício. Para passar o tempo no hospital brinca na brinquedoteca. Tímido, Igor fala pouco. Diz que não está sentindo dores nos braços e pernas (onde foram as queimaduras) e que deseja voltar logo para casa. “Quero ir embora”, sorri discretamente. O garotinho ainda terá que passar por uma cirurgia, no pé, nos próximos dias. Infelizmente, este não é o único problema que Igor terá pela frente. A avó do menino é Maria das Dores que também estava internada no hospital e que faleceu. “Ele não sabe que a avó morreu. O médico disse que não é prudente falar agora. Pode ser pior”, afirma Francisco Rodrigues da Silva, 47 avô de Igor. De acordo com Francisco, o garoto será criado por ele. “Eu vou cuidar do meu neto. Dar estudo e, principalmente, mostrar o que é certo e errado, nesta vida”. O mecânico recebe por semana R$ 100 e garante que mesmo com pouco dinheiro e sem a ajuda da avó e da mãe do menino vai poder sustentar o garoto. “Ele não quer voltar para a mãe. Eu tenho braços e pernas para lutar”. Sobre os dias que estão passando no hospital, Francisco explica que não tem o que reclamar.

Igor Rodrigues, 10 anos

“Somos bem atendidos aqui. Não nos falta nada”. INVESTIGAÇÃO O delegado Petrus Antonnios, titular da Delegacia Regional de São Paulo do Potengi e que preside o inquérito policial onde se apura a causa do acidente afirma que na próxima quarta-feira irá colher o depoimento de oito testemunhas e que já foram ouvidas 12 pessoas de um total de 30. O delegado ainda aguarda o resultado do laudo do Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) para juntar aos autos e adiantar as investigações. Petrus explica que não ouviu os representantes da empresa I. M. Pinheiro (empresa responsável pela queima de fogos). “Ainda estou ouvindo testemunhas e vítimas”

sido assistida por uma psicóloga. “Não tenho medo de estar no mesmo quarto em que Maria faleceu, mas não esqueço do momento de vê-la morrendo”. A dona-de-casa não lembra como sofreu o acidente, diz que se recorda apenas que soltavam os fogos. “Olhei para cima e pensei que aqueles fogos eram perigosos. Depois disso, acordei no hospital”. É na unidade hospitalar que Patrícia deve permanecer ainda um longo período. No corpo da vítima há pigmentos de pólvoras que restaram dos fogos de artifício. “Me disseram que eu fiquei só de calcinha porque minha roupa toda queimou e que corria pelas ruas pedindo socorro. Não lembro de nada disso”.

Sonhos de uma mulher que teve a vida paralisada Mesmo com o corpo todo enfaixado, Patrícia acredita que, muito em breve, poderá voltar para casa. A dona-de-casa tem alguns sonhos que pretende realizar, assim que puder estar ao lado da família. “Quero fazer um jantar especial com carne assada e macaxeira. Dá água na boca”. Mas, este não é o principal desejo da paciente. “Quero poder varrer meu terreiro, tomar banho sozinha, matar a saudade do meu pai, do meu marido e da minha filha”.

E tem mais: “Também quero ir nas casas das minhas amigas para “jogar conversa fora” e assistir televisão. Aqui no hospital tem TV, mas não pega muito bem”. Se, para a maioria da população andar pode parecer um ato normal do ser humano para Patrícia caminhar representa muito. “Imagine, quando eu puder caminhar novamente pelas ruas do lugar onde moro. Sentir o vento batendo em meu rosto. A sensação será maravilhosa. Não vejo a hora deste dia chegar”.

Me disseram que eu fiquei só de calcinha porque minha roupa toda queimou e que corria pelas ruas pedindo socorro”

Quero poder varrer meu terreiro, tomar banho sozinha, matar a saudade do meu pai, do meu marido e da minha filha”

A sensação será maravilhosa. Não vejo a hora deste dia chegar” PATRÍCIA DA ROCHA COSTA paciente

ELISA ELSIE

PÁGINA S 3 E 4


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

Radiografia do comportamento do motorista em Natal mostra porque as leis são tão ignoradas e as consequências disso no cotidiano da cidade – irritação, pressa e muitos acidentes nos principais corredores [ TRÂNSITO ]

Da infração ao acidente, um pulo MARCELO HOLLANDA Repórter

xcesso de velocidade, estacionamento irregular, ultrapassagem de sinal vermelho, uso de celular à direção. Estas são as principais e mais corriqueiras razões de multas no trânsito de Natal, segundo a Secretaria de Mobilidade Urbana, antiga STTU. Mas nem de perto essas infrações retratam o ambiente de imprudência e irresponsabilidade dos motoristas no trânsito, cuja frota cresce a uma taxa de 11% ao ano. De um total de 131.654 autuações registradas no trânsito da capital em 2009, 24.499 foram lavradas pelos “amarelinhos” da Prefeitura. “E olha que são apenas 70 agentes para fiscalizar 280 mil veículos”, admira-se o próprio secretário-adjunto da Semob, Haroldo Maia. Segundo Luís Antônio de Albuquerque Lopes, coordenador de Habilitação do Detran-RN, portam hoje carteira de motorista em Natal 327.294 pessoas de um total de 528.241 em todo o estado (dados até sexta-feira,19 de fevereiro). A frota estimada em Natal é de 285.243 veículos, de acordo com o setor de estatística do Detran-RN. Nessa conta, esclarece Luís Antônio, não estão os donos de habilitações antigas (aquelas sem foto do condutor), que correspondem aproximadamente a mais 30 mil. Em 2009, o Detran-RN expediu um total de 170 mil habilitações (só em Natal 98.486). Para se ter uma ideia do crescimento geométrico desses indicadores, em 2007 foram emitidas 133.164 carteiras e, em 2008, 146 mil. Embora a fiscalização nos âmbitos estadual e federal tenham

E

E olha que são apenas 70 agentes para fiscalizar 280 mil veículos” HAROLDO MAIA secretário-adjunto da Semob

obtido números positivos, considerando o crescimento acelerado da frota, o problema está muito longe de ser resolvido. O coronel Ricardo Albuquerque, comandante do policiamento rodoviário estadual, explica que as “colisões posteriores” (por trás) lideram a tipologia dos acidentes de trânsito mais comuns na capital. Quem anda nas principais avenidas já se habituou a ver pequenos “engavetamentos” a todo o instante. Na verdade, eles acontecem quase que diariamente, sinalizando para a principal imprudência do motorista: a pressa. É justamente essa impaciência no trânsito uma das maiores causas de multas. “Pode reparar, os acidentes mais comuns ou acontecem perto da residência ou do trabalho do motorista”, lembra o coronel Albuquerque. “É a tal da pressa!” - acrescenta. Segundo o coordenador de Habilitação do Detran-RN, Luís Antônio Albuquerque Lopes, neste momento 1.119 motoristas atingiram ou ultrapassaram os 20 pontos na carteira e 153 pessoas cumprem o período de suspensão de suas habilitações – em tese, estão fora das ruas. Segundo o inspetor Roberto Cabral, chefe do núcleo de comunicação social da Polícia Rodoviária Federal do RN, em 2009 a PRF registrou 12 mil infrações ao longo da BR 101, tanto no Litoral Sul quanto no Litoral Norte. “A grande maioria por excesso de velocidade”, lamenta. “A imprudência dos motoristas continua sendo o maior problema”, acrescenta o inspetor.

O futuro ao ônibus pertence

NÚMEROS NO RIO GRANDE DO NORTE Veja abaixo a quantidade de carteiras e veículos existentes no Estado

327.294

Número de carteiras de habilitação só em Natal,até a última sexta-feira da semana passada

1.119

Número de motoristas natalenses que atingiram ou ultrapassaram os 20 pontos na carteira

153

pessoas cumprem o período de suspensão de suas habilitações e,em tese,estão fora das ruas

98.486

Habilitações foram expedidas pelo Detran-RN em 2009

INFRAÇÕES MAIS COMUNS

1

Transitar em velocidade superior à máxima permitida para o local

2

Avançar o sinal vermelho do semáforo ou o da parada obrigatória

3

Parar o veiculo sobre a faixa de pedestres na mudança de sinalluminoso

4

Dirigir o veículo utilizandose de fones nos ouvidos conectados a aparelhagem sonora ou de telefone celular.

Mais carros,mais infrações e as mesmas ruas Há muitos anos não há registro da construção de uma nova via importante de escoamento de tráfego em Natal. As que existem são as mesmas: Salgado Filho, Bernardo Vieira, Mor Gouveia, Jaguarari, Alexandrino de Alencar, Integração e João Medeiros Filho. Em compensação, no ritmo da propaganda de uma montadora, que se gaba de produzir um novo carro a cada 70 segundos, a capital potiguar já abriga uma frota próxima aos 330 mil veículos. Pode ser mais quando esta reportagem ganhar as ruas. São dois mil novos automóveis em circulação todos os meses – 10 km de carros enfileirados se a soma levar em consideração quatro metros de cumprimento em média por veículo, seja carro de passeio, utilitário ou caminhão. O resultado físico do aumento progressivo da frota versus os estáticos espaços urbanos produz um resultado final ainda mais desastroso quando se adiciona outro dado à equação: o despreparo

do motorista. Ele está presente em todas as vias públicas, mas pode ser melhor percebido nas áreas de lentidão, quando muitos motoristas executam manobras arriscadas para ganhar tempo. Segundo o secretário-adjunto da Semob, Haroldo Maia, um dos pontos que mais irritam os motoristas é o trecho da Avenida Hermes da Fonseca, entre Alexandrino de Alencar e Antônio Basílio. “As três faixas da Alexandrino viram duas até a Antônio Basílio”, explica. Na próxima terça-feira (23) o Ministério Público Estadual realiza uma audiência pública para debater o corte de 42 árvores da Alexandrino até a Bernardo Vieira, onde, no ano passado, um galho gigantesco desabou, fechando uma das pistas nas proximidades do Cefet. No lote de árvores estão algarobas, cuja derrubada promete ascender a ira dos ambientalistas. “Na verdade - esclarece Haroldo Maia - para alargar o espaço ali a proposta é reposicionar as árvores, trocando as existentes por no-

vas de três metros de altura”. Sem afastar o canteiro naquela área, garante o secretário-adjunto, o entupimento daquela artéria será rápido e irreversível. Só no cruzamento da Salgado Filho com a Alexandrino, entre às sete da manhã às 19 horas de um dia qualquer da semana, a Semob calcula um volume médio transitando por ali de 62.300 veículos. No trecho que vai da Alexandrino até a Bernardo Vieira, 45 mil carros transitam entre às sete da manhã às 19 horas. Dentro desse imenso conjunto de artérias, sinais evidentes de infarto estendem-se também ao final da Avenida Bernardo Vieira, no sentido da ponte do Igapó. O funil para quem sai de manhã e volta à noite para a Zona Norte tem a promessa de melhorias com o chamado PAC da mobilidade da Copa. Enquanto isso, o futuro imediato (leia-se a partir do segundo semestre) indica muita poeira com as obras a serem abertas no sistema viário de Natal.

Na verdade para alargar o espaço ali a proposta é reposicionar as árvores, trocando as existentes por novas de três metros”

As três faixas da Alexandrino de Alencar viram duas até a Antônio Basílio” HAROLDO MAIA secretário-adjunto

ALEX RÉGIS

Excesso de velocidade ainda é um dos principais motivos das multas registradas em Natal, o que mostra a imprudência do motorista

Resolver os problemas de trânsito de Natal é, antes de tudo, entender que o futuro pertence não aos automóveis, mas ao sistema de transporte de massa – ônibus e trens. Para o secretário adjunto da Semob, Haroldo Maia, corredores de ônibus tão criticados por motoristas em Natal, como o da Bernardo Vieira, tenderão a se expandir, privilegiando a maioria da população, cujo dinheiro remunera a operação das empresas. “É injusto ver o Governo Federal subsidiando o diesel de alguns setores e não dando absolutamente nada para o transporte de massa”, desabafa Haroldo Maia. Segundo o coronel Ricardo Albuquerque, comandante do policiamento rodoviário estadual, a duplicação no número de bafômetros de 70 para 132 tem contribuído para flagrar mais motoristas alcoolizados – embora não diminua a presença deles no trânsito. Mesmo assim, neste Carnaval, o número de acidentes registrados nas vias de sua jurisdição caiu em cinco notificações do Carnaval de 2009 para o de 2010 (de 110 para 105). “Considerando o crescimento acelerado da frota, esse número é até uma vitória!”, avalia Albuquerque.

Fique de olho na pontuação Todo motorista que no período de doze meses acumular vinte pontos ou mais poderá ter sua carteira de habilitação suspensa por um período de um a doze meses. Também poderá ter a carteira suspensa o motorista que for o autor de infrações gravíssimas (sete pontos) como, por exemplo, transitar sobre calçada. Segundo o Novo Código de Trânsito, as penalidades são variadas, vão desde advertência por escrito, multa, apreensão do veículo, suspensão da Carteira Nacional de Habilitação, cassação da Permissão para Dirigir, frequência obrigatória no curso de reciclagem e suspensão do direito de dirigir (artigo 256 e seus incisos CTB). A infração qualificada de “Gravíssima” pela autoridade de trânsito impõe a perda de sete pontos na carteira; “Grave”, 5 pontos; “Média”, quatro pontos e “Leve”, três pontos. Cabe recurso. Com 20 pontos, o motorista tem a carteira suspensa. Nesse caso, o motorista fica proibido de dirigir por determinado tempo, sua carteira fica apreendida e ele é obrigado a passar por curso de reciclagem. Se o infrator for primário, a punição pode durar de um mês a um ano. Em caso de reincidência, de seis meses a dois anos. Os pontos caducam 12 meses após a infração ser cometida. Dirigir com a carteira de habilitação suspensa ou cassada pode produzir pena de seis meses a um ano de prisão. Participar de “pegas” pode dar de seis meses a dois anos. E dirigir sem a Carteira de Habilitação, pena (teoricamente) de seis meses a um ano ou multa. Deixar de reduzir a velocidade nas proximidades de escolas, hospitais, estações de embarque e desembarque de passageiros, logradouros estreitos ou onde haja grande movimentação ou concentração de pessoas pode dar (teoricamente) detenção de seis meses a um ano ou multa.


natal

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3 ELISA ELSIE

[ PROFISSÃO ] Hoje Natal tem 548 motoboys

sindicalizados e o número não para de crescer

Profissão está regulamentada, mas dificuldade ainda existe ELLEN RODRIGUES Repórter

história de Dário Silva ilustra apenas um dos conflitos enfrentados diariamente por quem é motoentregador em Natal: a violência nas ruas. Há cinco anos ele foi vítima pela segunda vez de um assalto a mão armada. Dário se virou de costas para o assaltante, este pensou que ele iria revidar e atirou três vezes, atingindo a barriga e pernas do motociclista, que acabou ficando paraplégico. Mesmo sendo um serviço essencial a diversos setores, a profissão de “motoboy”, como é conhecida, ainda parece ser bastante desprestigiada. Se de um lado está o cliente que espera agilidade nas entregas e as comissões que levam a uma corrida no trânsito que pode custar caro, do outro se encontra muitas vezes o empregador que não reconhece alguns dos direitos da categoria. Principalmente com a aprovação da lei federal 12.009, de julho de 2009. “Temos que recorrer à Justiça para que muitas empresas reconheçam nossos direitos”, diz o presidente do Sindicato da categoria no RN, José Barreto. Não há estatísticas concretas de quantas pessoas no Rio Grande do Norte atuam na profissão, mas de acordo com o Sindicato dos Motoentregadores do Estado, só em Natal são uma média de dois mil motociclistas. A exposição permanente ao sol e à chuva, a violência e a pressa no trânsito para dar conta dos pedidos e a falta de reconhecimento dos direitos por parte dos empregadores engrossam a lista de dificuldades enfrentadas no diaa-dia em cima da moto. “Antes de regulamentar a profissão, o sindicato não tinha força, a lei fortaleceu”, comemora Barreto. Hoje Natal tem 548 motoboys sindicalizados, e um cadastro realizado atualmente já agregou mais de 100 novos filiados. “São pessoas que não contribuíam e agora fazem questão, depois que assinamos a convenção coletiva de trabalho, de 2009. O documento garantiu à categoria um

A

salário diferenciado de R$540 e outros benefícios. Porém, José Barreto relata que há um longo caminho de conquistas a ser percorrido: assinar a carteira de trabalho e pagar o aluguel das motos, gasolina e tickets alimentação são problemas comuns. “As empresas não querem reconhecer o Sindicato, é uma grande dificuldade porque os trabalhadores se filiam, levamos a cópia da ficha para a empresa descontar a mensalidade e eles dizem que não. O maior trabalho é esse, colocar na Justiça, empresa por empresa”, comenta. Na opinião de José Barreto, to-

Temos que recorrer à Justiça para que muitas empresas reconheçam nossos direitos” JOSÉ BARRETO sindicalista

Cada um trabalha a quantidade de horas que quer, mas quem tem mais disposição ganha mais” GIDAILTON FRANÇA cooperado

da a sociedade é responsável pelo bom andamento da profissão. “O cliente que pede a pizza ou o medicamento, quem atende o celular sem atenção no trânsito e os próprios motoboys que não querem fazer o curso de capacitação ou não percebem o “ponto cego” do motorista”, diz. Para o ex-motoentregador Dário, a superação do trauma de ficar sem andar e poder dirigir uma moto veio com o tempo. Hoje ele tem uma vida diferente: conseguiu se aposentar por invalidez, abriu um comércio e virou paratleta de halterofilismo.

Cooperativas atraem atenção dos motoboys Uma alternativa aos motoboys que não querem atuar como empregados são as cooperativas. Em Natal já existem três que atuam no ramo e fazem entregas, inclusive, para o interior do Rio Grande do Norte e estados vizinhos. Só a Unimotos tem hoje 53 motoqueiros para as entregas, que são realizadas de domingo a domingo, das 7 horas da manhã às 23 horas. Os cooperados relatam que o dia a dia em cima da moto também é cheio de histórias inusitadas. “É comum ligarem de motel pedindo para a gente comprar mais cerveja e levar no quarto. Até já me convidaram a entrar”, relata um motoentregador que não quis se identificar. “Os xingamentos acontecem às vezes”, relata Gidailton França, que está há dez anos na profissão. O ramo de cooperativas, segundo os entrevistados, tem suas vantagens, como uma renda mensal acima do que é pago pelas empresas privadas e horários flexíveis. “Cada um trabalha a quantidade de horas que quer, mas quem tem mais disposição, obviamente ganha mais”, diz Gidailton. Segundo ele, os meses de melhor

rendimento são novembro e dezembro, além do inverno, quando as pessoas ficam menos propensas a sair de casa. Por outro lado, os dois primeiros meses do ano são sempre de movimento fraco. Pela convenção salarial de 2009, os motoentregadores com vínculo empregatício têm direito a, além do salário diferenciado de R4540, receber por mês, R$ 200 reais referentes ao aluguel da moto e, a cada 30 quilômetros, um litro de combustível, além dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI´s), como capa de chuva, lucas, etc. O cooperado que trabalha uma média de oito horas por dia consegue em um bom mês fazer R$1 mil, mas a desvantagem diz respeito aos direitos trabalhistas, uma vez que no sistema de cooperativa, ganhos e prejuízos são rateados, e não há vínculo de empregado e empregador. “Como não temos férias, por exemplo, cabe a cada um guardar uma parte do salário para poder parar um mês e descansar”, explicou Gidailton. [CONTINUA NA PÁGINA 4]

O motociclista Dário Silva ficou paraplégico depois de ser baleado durante um assalto. Depois de superar o trauma virou paratleta


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

[ PROFISSÃO ] A lei determina que para atuar como motoentregador é preciso ter, no mínimo, 21 anos e pelo menos dois anos de habilitação para a motocicleta

Lei apresenta uma nova perspectiva aos motoboys ELISA ELSIE

Lei 12.009/2009 traz uma nova perspectiva aos profissionais em transportes de passageiros, “mototaxistas”, em entrega de mercadorias e serviço comunitário de rua, e “motoboys”, que usam a motocicleta. “Somos acusados de cometer infrações, de sermos imprudentes, mas não há pessoas no interior que andam sem capacete e chegam na capital acidentados”, critica o presidente do Sindicato da categoria RN, José Barreto. “Aí eles acionam o seguro DPVAT e essa prática encarece o valor do seguro”, complementa. A lei determina que para atuar na profissão é preciso ter, no mínimo, 21 anos e pelo menos dois anos de habilitação para moto. As orientações dizem respeito ainda às regras de segurança dos serviços de transporte remunerado, seja mercadorias em motocicletas, motonetas ou moto-frete. “Antes, quem pagava um consórcio de motocicleta e era garçom, por exemplo, se ficava desempregado, ia para a profissão”, explica Barreto. “Mas lutamos para ter a placa vermelha e baixar o valor do seguro aos credenciados”. As estatísticas sobre motociclistas envolvidos em acidentes de trânsito são um alerta a mais para a necessidade de profissionalizar o serviço. Para se ter uma ideia, em 2009

o Hospital Walfredo Gurgel recebeu 441 pacientes vítimas de colisões de motos com automóveis, 421 por colisões de moto com moto e outras 4.130 ocorrências de queda de moto. “Sempre deixo o motociclista apressado passar na minha frente. Caso aconteça algo, apenas um se acidenta”, diz o motorista “Lico”. Uma das lutas do Sindicato é conscientizar os motociclistas sobre a importância de realizar um

[ PARCERIA ]

[ UERN ] A XVI edição do Encontro de Pesquisa e Extensão, da Universidade

A

Assinado convênio entre a UnP e Saúde UnP e a Secretaria Estadual da Saúde Pública(Sesap) firmaram um convênio de cooperação técnica, no último dia 18. O acordo consolida uma parceria entre as duas instituições para desenvolver práticas no ensino, na pesquisa e na extensão. Segundo as normas estabelecidas no convênio, a Sesap ficará responsável por oferecer a estrutura física para que os estudantes da UnP desenvolvam projetos de pesquisa, que tenham o objetivo de melhorar os serviços da rede de saúde oferecidos à população. Durante a assinatura do convênio, a reitora da UnP, professora Sâmela Gomes, explicou que “quando a gente tem metas, independente de ser uma instituição pública ou privada, tem-se um modelo de gestão mais focado. Desta forma é possível se trabalhar melhor as necessidades da rede de saúde, da população, bem como exercer a missão da UnP que é formar futuros profissionais da saúde para a realidade da rede, que é o maior empregador destes”, enfatizou a reitora. Além da reitora Sâmela Gomes, o evento contou com a presença do secretário estadual de saúde em exercício, João Albérico, da diretora da Escola da Saúde da UnP, Aparecida França, e do professor Ion de Andrade. O secretário João Albérico discorreu sobre a relevância do acordo. “Esse convênio é importante não só para a Sesap e a UnP, mas para o Rio Grande do Norte. Na medida que uma universidade privada faz parceria com órgãos públicos, só tende a melhorar a qualidade dos serviços. Essa parceria da UnP com os hospitais e laboratórios em todas as unidades da rede pública de saúde vai trazer muito frutos benéficos para a nossa população, para nossos estudantes e para os nossos pacientes, penso que é esse o caminho do desenvolvimento”.

A

Sindicato luta para conseguir a capacitação dos motoentregadores que atuam no RN

curso de capacitação. “O curso de capacitação é obrigatório por lei, mas hoje apenas 140 filiados conseguiram realizar. Às vezes, a rejeição é maior porque quando marcamos as aulas, o empregador muda o horário do serviço, e dificulta a presença”, comenta. Hoje o curso é oferecido por uma empresa que revene motocicleta em Natal e ainda pela PM. “Observamos que quem fez o curso não tem se envolvido em aci-

dentes como acusado, mas como vítima. É difícil conscientizar, mas batemos sempre nessa tecla”. Promoções que envolvem desconto a partir do tempo de entrega do produto também são combatidas. “Não concordamos com o trabalhador correndo no trânsito. Houve um caso de uma pizzaria que fez uma promoção que se a entrega não chegasse em 40 minutos o cliente não precisaria pagar, é medíocre, um absurdo”.

do Estado, acontecerá em parceria com a Reunião Regional da SBPC

Inscrições para o Encope irigido para gestores de ciência e tecnologia, professores, pesquisadores, estudantes de graduação e profissionais de diversas áreas, o Encope abordará questões cruciais para o desenvolvimento sustentável do semi-árido com o tema: “Água e desenvolvimento no semi-árido”. Segundo o Pró-Reitor Adjunto de Pesquisa e Pós-Graduação, professor Wogel Oliveira, a SBPC

D

realiza anualmente seus encontros regionais e anuais. “A cidade de Mossoró foi escolhida para sediar a Reunião Regional da SBPC, evento esse que antecede a Reunião Nacional da SBPC que ocorrerá em Natal”, frisa. “A escolha do local e data foi definida em reunião da Diretoria da SBPC e representantes da UERN e UFERSA em Mossoró. Foi a partir dessa primeira reunião

que começamos a pensar na parceria do ENCOPE e SBPC”, comenta. Durante o evento serão realizadas conferências e mesas-redondas com a participação de pesquisadores renomados. Paralelamente serão realizados 50 minicursos ministrados por professores da UERN e UFERSA e apresentação de trabalhos científicos, ressalta.


natal

Domingo | 21 de fevereiro de 2010 ➾ www.tribunadonorte.com.br ➾ tnonline@tribunadonorte.com.br ➾ twitter.com/tribunadonorte

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

5

tn online Fred Carvalho - fredcarvalho@tribunadonorte.com.br FOTOS:DIVULGAÇÃO

Sexo virtual Após a recente venda do poker.org, por US$ 1 milhão, outro domínio famoso — mas do grupo dos “.com” — deve ir a leilão daqui a um mês em Nova Iorque: o sex.com. De acordo com o “TechCrunch”, o motivo do leilão é a falta de pagamento de dívidas e de cumprimento das obrigações

Briga de gigantes dos atuais donos. O Elliot’s Blog divulgou que o leilão está marcado para 18 de março nos escritórios Windels Marx Lane & Mittendorf. Para participar, é preciso estar preparado, pois o escritório exige um cheque no valor certificado de US$ 1 milhão para a oferta inicial.

O ataque da Microsoft ao Google, o líder entre os serviços de buscas online, poderá avançar consideravelmente agora que as autoridades regulatórias europeias e norte-americanas liberaram a parceria de buscas entre a companhia e o Yahoo. O acordo

Proteção

37 O usuário do Twitter

tem, em média, 39 anos, enquanto o do LinkedIn tem 44, o do Facebook, 38 e do MySpace, 31. A conclusão é de estudo feito pelo site de tecnologia Royal Pingdom, que pesquisou a média de idade de usuários em em 19 redes sociais, incluindo Facebook, LinkedIn, MySpace, Twitter, Slashdot, Reddit, Digg, Delicious, StumbleUpon, FriendFeed, Last.fm, Friendster, LiveJournal, Hi5, Tagged, Ning, Xanga, Classmates.com, Bebo. No geral, segundo a pesquisa, o usuário típico dessas redes sociais tem, em média, 37 anos.

de 10 anos, assinado em julho, representa o maior esforço da Microsoft para estabelecer um negócio online capaz de enfrentar o Google, em uma área na qual a Microsoft sofreu prejuízos de cinco bilhões de dólares nos últimos quatro anos.

Tiger simulador de golfe instalado em um iate luxuoso impressiona. É fabricado pela Sports Coach System, companhia inglesa fundada em 1992 e líder no segmento, além de ser a única que produz, internamente, tanto o software quanto o hardware de seus simuladores. A tecnologia utilizada neste simulador é altamente sofisticada, tornando-o exclusivo mundialmente. O software utiliza a tecnologia GPS (sistema de posicionamento global), o que significa a criação da melhor simulação possível de um jogo de golfe nos campos mais famosos. Só não repete as peripécias extraconjugais do americano Tiger Woods.

O

O jargão dos computadores, uma cultura burocrática e publicidade pouco imaginativa estão desencorajando os usuários de Internet de aprenderem como se proteger online. Diante de termos confusos, muitos dos quase dois bilhões de usuários mundiais de Internet concluem que a segurança é assunto para “especialistas” e não assumem a responsabilida-

de por manter a segurança de seu trechinho pessoal de ciberespaço —um erro que pode custar muito caro. Foi essa a mensagem de especialistas em computação que se reuniram esta semana a fim de descobrir como proteger os usuários de computadores contra o crescente problema dos roubos, fraudes, vandalismos, abusos e espionagem online.

Agilidade O acesso a sites por meio de smartphones cresceu 600% entre dezembro de 2008 e dezembro de 2009, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Bango, que coletou dados de 50 milhões de usuários. Em termos de tempo de aces-

Naquela mesa O Noteput é uma mesa musical interativa com notas tangíveis, que combina três sentidos – audição, visão e tato – para tornar o estudo de notação musical mais fácil e atraente para crianças e alunos de todas as idades. Desenvolvida pela dupla Jürgen Graef e Jonas Heuer, a mesa funciona como uma partitura em branco, na qual o usuário pode criar – e tocar – a música que quiser. Para isso, basta selecionar as notas e posicioná-las na mesa para que, em seguida, o respectivo som seja reproduzido pelo equipamento.

so, o estudo mostrou que os internautas agora gastam em média 3 minutos e 21 segundos em cada página da web acessada por um smartphone, enquanto no ano anterior o tempo gasto era de 1 minuto e 30 segundos.

Navegando na frente

Blu-ray Dois dos maiores fabricantes do mundo, a Sony e a Panasonic, anunciaram esta semana o lançamento de seus primeiros Blu-ray players compatíveis com discos 3D. De início, os produtos estarão

à venda - até o final de fevereiro - somente no mercado japonês. A Panasonic foi além, apresentando também, num evento de tecnologia em Tóquio, uma linha de gravadores Blu-ray.

[ ARTIGO ]

A HP divulgou na quarta-feira (17) resultado trimestral melhor que o esperado com fortes vendas de servidores e recuperação de seu negócio de impressoras. Além disso, a empresa elevou suas previsões para 2010. Maior empresa de tecnologia do mundo, a HP teve lucro líquido de US$ 2,3 bilhões em seu primeiro trimestre fiscal, que terminou em 31 de janeiro, ou US$ 0,96 por ação. Isso se compara ao ganho de US$ 1,9 bilhão, ou US$ 0,75 por ação, um ano antes.

[ SELEÇÃO ] Estão sendo oferecidas 30

vagas distribuídas na sede e nos núcleos

Um detetive à francesa MARCELO ALVES DIAS DE SOUZA Procurador da República Mestre em Direito pela PUC/SP Doutorando em Direito pelo King’s College London - KCL

ue me perdoem os fãs de Edgar Allan Poe (18091849) e de seu detetive Auguste Dupain, mas, para mim, o detetive mais “à francesa” que a ficção policial já produziu foi o inconfundível Comissário Jules Maigret, pela pena do escritor belga (nascido em Liège e de língua francesa) Georges Simenon (1903-1989). Reconheço, claro, a vanguardia e a engenhosa capacidade de desvendar crimes e mistérios do protagonista de “The Murders in the Rue Morgue”, “The Purloined Letter” e “The Mystery of Marie Roget”. Mas cheguei a essa conclusão ao assistir, durante este mês de fevereiro (e mesmo no carnaval, quando do necessário descanso da folia), no canal de TV por assinatura Eurochannel, a alguns filmes (especialmente produzidos para a televisão) em homenagem à personagem criada por Simenon, com o ator Bruno Crémer (1929) no papel principal. Aliás, merece especial registro a interpretação de Bruno Crémer, realçando com perfeição as peculiaridades de Maigret, seu jeito ao mesmo tempo taciturno e compreensivo, sua empatia pelo ser humano (até os mais bizarros tipos) e sua queda pelo cachimbo. Georges Simenon e o Comissário Maigret são, de fato, personalidades interessantíssimas. Simenon, primeiro de tudo, foi um escritor de uma fecundidade ímpar, publicando centenas de romances/novelas, utilizando inúmeros pseudônimos ou com seu nome verdadeiro. Com certeza,

Q

está entre os cinco escritores de língua francesa mais traduzidos no mundo todo. Boêmio, de vida faustosa, foi tido por uns como colaborador dos nazistas quando da ocupação alemã em França, na Segunda Guerra Mundial. Para outros, era um aproveitador ou mesmo um indiferente, que nunca denunciou ninguém, mas também nunca se engajou na resistência. De todas as criações de Simenon, foi o Comissário Maigret, sem dúvida, a personagem que o consagrou. Foram, no total, 103 “Maigrets”, sendo 75 romances/novelas e 28 contos, iniDe todas as criações de ciando-se a longa série Simenon, foi o com “Maigret Pietr-leLetton”, em 1931, para Comissário Maigret, sem terminar com “Maigret dúvida, a personagem et Monsieur Charles”, em que o consagrou. Foram 1972. É dito que Simenon não estudava os num total 103 Maigrets, procedimentos da polisendo 75 cia judiciária francesa romances/novelas” para os seus Maigrets, muito embora tivesse certa experiência nesse campo, pois trabalhou como reum herói definitivamente hupórter forense na juventude. Sua mano, para quem, às vezes, não abordagem é essencialmente lihá culpados nem inocentes, terária, com Maigret absorvenapenas culpas a serem expiadas. do a atmosfera do local do criO fato é que Simenon foi um me, as peculiaridades das conconhecedor da vida, em especial dutas dos envolvidos e buscanda vida parisiense (embora aldo entender a psicologia dos guns dos seus melhores enredos suspeitos e criminosos. Maigret se passem na província), com - definido pelo seu criador coseus cafés, brasseries, bistrôs e mo um homem grande, que cocomércios menos recomendáme e bebe muito e segue seus veis, já que também amante de suspeitos pacientemente - é um mulheres de vida mais fácil ou detetive com um senso de jusdifícil. Era aí onde ele encontratiça peculiar, eventualmente enva suas personagens, sejam elas cobrindo a verdade. Maigret é respeitáveis damas da socieda-

de ou mesmo a gente pobre da rua. Segundo um livro extremamente interessante, “Writes in Paris” (Counterpoint/Berkeley, 2008), de David Burke, que explora a Paris habitada pelas mais diversas personalidades literárias, são 77 os títulos protagonizados por Maigret ambientados em Paris. Simenon é, assim, um dos grandes exploradores da Cidade Luz. De Montmartre a Montparnasse, das residências burguesas aos subúrbios da classe trabalhadora, poucas esquinas de Paris não foram objeto do escrutínio de seu Maigret. Para aqueles ligados ao direito e amantes de Paris, há, por fim, uma curiosidade especial. É numa das alas do Palais de Justice, em Paris, precisamente no número 36 do Quai des Orfèvres, que está o quartel-general da Polícia Judiciária do inspetor Maigret, “la mansion”, como chama a personagem. Uma placa ali apostada, aliás, reconhece a fama que o detetive de Simenon trouxe para o endereço, fama essa que, de tão sedimentada no imaginário dos leitores, a ele faz com que sejam endereçadas muitas correspondências cujo destinatário não é outro senão o Comissário Maigret. Em tempos como os nossos, em que viajar de avião, mesmo para o exterior, se tornou mais barato, será que não a vale pena ir a Paris e pagar uma visita ao local? Para visitar o Palais de Justice - um dos mais belos edifícios de Paris, com sua linda fachada e o seu Salão dos Passos Perdidos (Salle des Pas Perdus) - certamente que sim. Penso que também ao número 36 do Quai des Orfèvres, em seguida. Afinal, quem sabe, não esbarramos com o Comissário Maigret por ali?

ALEX RÉGIS

Paulo Linhares fala sobre a importância do processo seletivo

Defensoria Pública do RN abre processo seletivo Defensoria Pública do RN iniciou o processo seletivo para contratação de estagiários do curso graduação em Direito. Estão sendo oferecidas um total de 30 vagas distribuídas na sede e nos núcleos de Mossoró, Caicó, Ceará-Mirim, Pau dos Ferros, Nova Cruz, Assu e Parnamirim. Os interessados devem realizar a inscrição no período de 22de fevereiro a 8 de março no horário de 8h às 12h. Poderá participar do Teste Seletivo o estudante que estiver comprovadamente cursando o 3º, 4º ou 5º. ano, ou semestre equivalente, do Curso de Bacharelado em Direito. A bolsa mensal de complementação educacional decorrente do Estágio é de 01 (um) salário mínimo, não originando nenhuma espécie de vínculo empregatício entre o estagiário e a Defensoria Pública do Estado. O Teste Seletivo, consiste na aplicação de uma prova objetiva, contendo 60 questões de múltipla escolha, sobre conhecimentos jurídicos (direito constitucional, direito civil, direito processual civil, direito penal e processual penal, estatuto da

A

criança e do adolescente e legislação institucional). No ato da inscrição, o candidato deverá, obrigatoriamente, apresentar: a) declaração comprovando estar regularmente matriculado no 3º, 4º. ou 5º. ano, ou semestres equivalentes, do curso de Bacharelado em Direito mantido por estabelecimento de ensino oficialmente reconhecido pelo MEC; b) cópias do RG e CPF; c) duas fotografias 3x4, recentes; d) comprovante de pagamento da taxa de inscrição, mediante depósito identificado com número do CPF do candidato, em original ou fotocópia autenticada; d) instrumento procuratório com firma reconhecida em cartório, na hipótese de inscrição realizada por terceiro-outorgado. Para o Defensor Geral Paulo Linhares, a seleção irá possibilitar escolher pessoas mais vocacionadas e ao mesmo tempo, viabilizar para estas, o conhecimento de como é a prática em um órgão efervescente e dinâmico. Mais informações podem ser adquiridas no Edital de n. 001/2010 publicado no Diário Oficial do Estado do dia 05 de fevereiro de 2010.


natal 6

Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 21 de fevereiro de 2010 C.COSTA/JORNAL DE FATO

[ SAÚDE ] Função do SAMU ficou descaracterizada

devido aos chamados sem urgência

O Samu foi criado para atender os casos de urgência, mas em Mossoró, os chamados nem sempre atendem esse requisito

SAMU quer acabar com atendimentos sem urgência MAGNOS ALVES Jornal de Fato

Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Mossoró está querendo acabar com os atendimentos em chamadas em que o solicitante do serviço não se encontra em estado de urgência. Quer acabar ainda com o transporte de pessoas para hospitais particulares e para planos privados de saúde. Uma representação já foi apresentada na Promotoria Pública da Saúde de Mossoró, e a diretoria do SAMU aguarda uma convocação do promotor Guglielmo Marconi para analisar a questão. O diretor técnico do SAMU, Lenilson Marinho, justificou que a medida se tornou necessária a partir do momento que a missão do SAMU passou a ser descaracterizada. “O SAMU foi criado para atender os casos de urgência, mas, em Mossoró, à população solicita nossos serviços para tudo no mundo”, explicou. Lenilson contou que muitos casos são até engraçados de tão bisonho, como o do homem que ligou dizendo que estava com dor de cabeça por que tinha brigado com a esposa e queria ser atendido, ou ainda um mais recente do homem que ligou após o carnaval dizendo que queria receber atendimento, pois estava exausto. “À população liga por

O

tudo. Basta uma dor de dente ou dor de cabeça que chamam o SAMU, distorcendo a nossa missão”, lamentou. Outra reclamação é com relação ao transporte de pessoas para receberem atendimentos em hospitais particulares ou em planos privados de saúde. “Muita gente liga solicitando simplesmente o serviço de transporte. Ou seja, um atendimento realmente de urgência pode deixar de ser feito por que a ambulância pode estar ocupada transportando uma pessoa para um hospital particular”, observou. Para Lenilson, é preciso fazer um trabalho educativo com á população para que eles passem a entender a verdadeira missão do SAMU, melhorando assim o desempenho de seus serviços. O promotor da saúde de Mossoró, Guglielmo Marconi, confirmou que recebeu a representação do SAMU e que solicitou mais informações. Ele disse que ainda não deu um posicionamento por que a representação com dados complementares chegou na quinta-feira, véspera de carnaval. Além disso, o Guglielmo ainda está respondendo pela promotoria também do município de Baraúna. “Vou precisar de um tempo para estudar a representação para tomar decisão, mas acredito que não próxima semana já terei uma posição”, declarou o promotor.

NÚMEROS DO SAMU EM MOSSORÓ Veja abaixo os registros de atendimentos realizados pelo Samu

12 mil

07

01

22

03

18

01

21

atendimentos por ano

ambulância UTI

ambulâncias básicas

ambulância delta,que atende a zona rural

enfermeiros

auxiliares de enfermagem

socorristas

médicos,sem contar com o coordenador geral

Equipamentos precisam ser melhorados e modernizados Os equipamentos do SAMU em Mossoró precisam ser melhorados. Lenilson Lima informou que os serviços de manutenção dos equipamentos precisam ser melhorados e também que as ambulâncias estão um pouco sucateadas. Lenilson disse que a Prefeitura de Mossoró tem um projeto pronto para melhorar a estrutura do órgão, “mas que não saiu do papel ainda por conta dos diversos cortes no orçamento do Município”. Hoje, são cinco ambulâncias, incluindo uma UTI e outra delta para atendimento á zona rural. Enquanto os equipamentos deixam a desejar, o corpo de profissionais é o suficiente para atender a demanda, afirmou Lenilson. O SAMU em Mossoró conta com 69 profissionais, entre médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e socorristas. Lenilson comentou a ausência

do equipamento de Tele-Eletrocardiografia Digital no SAMU de Mossoró. Ele disse que esse equipamento não é tão importante e serve apenas para a leitura do eletrocardiograma. Na opinião de Lenilson, o investimento nesse equipamento poderia ser dispensando se existisse A formação dos médicos através do curso chamado ACLS (Advance Cardiologic Life Support), que ensina a fazer a leitura do eletrocardiograma. “Seria muito mais barato e os médicos seriam bem mais preparados”, salientou. Lenilson observou que o Hospital Regional Tarcísio Maia já teve tele-eletro, nas a mortalidade não foi diminuída. “Volto a repetir: o que diminui mesmo a mortalidade é a formação continuada dos profissionais de saúde”, concluiu


natal

3X4

Jorge André Avancini, consultor, fala sobre a importância do marketing. PÁGINA 9

TEMPO HOJE

TÁBUA DE MARÉS

FEIRAS LIVRES

Nublado com pancadas de chuvas Max.: 30º CO Min.: 26ºCO

Preamar 08h51 -1.9- 21h24 -1.8 Baixa-mar 02h09 -0.7- 14h51 -0.8

Panorama: hoje 332 bancas/196 feirantes Planalto 186 bancas/97 feirantes

BALNEABILIDADE Impróprias Mãe Luíza Pium Pirangi do Norte Redinha

FASES DA LUA Crescente: Hoje Cheia: 28/02 Nascer do sol: 5h21 Pôr do sol: 17h19

Editora: Yara Okubo e-mail: Yokubos@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 21 de fevereiro de 2010

Para comemorar a data, uma campanha de arrecadação de recursos para a construção do prédio oficial, a partir da capela consagrada à Nossa Senhora da Assunção, está sendo feita com a venda de bilhetes da loteria federal [ NOVA CISTER ]

Mosteiro vai completar um ano SARA VASCONCELOS Repórter

iferente dos monastérios medievais ou mesmo do cenário descrito pelo italiano Umberto Eco, no clássico “O nome da Rosa” (1980), o Mosteiro Nova Cister, localizado às margens da BR-101, em Emaús, Parnamirim, chama atenção pela simplicidade. À entrada, o silêncio perturbado apenas pelo vento que remexe a folhagem das inúmeras cajazeiras que povoam o extenso pátio, dá mostras do tipo de vida que se leva ali. Enclausurados em ambiente onde tudo é coletivo, treze histórias, de origens e motivos diferentes, se cruzam para escrever um capítulo de crescimento espiritual, pautado no paradoxo de recolhimento em comunidade. Em maio, o Mosteiro completa um ano de criação em terras potiguares, sob a coordenação dos padres Bento Antunes Filho e Thiago Marques e do irmão Plácido Araújo, oriundos do mosteiro cisterciense de São José do Rio Pardo, no interior de São Paulo. Para comemorar a data, uma campanha de arrecadação de recursos para a construção do prédio oficial, a partir da capela con-

D

sagrada à Nossa Senhora da Assunção, está sendo feita com a venda de bilhetes da loteria federal para sorteio de R$ 5 mil, no dia 8 de maio. Os alojamentos adaptados na casa cedida pelo Convento das Irmãs de Nossa Senhora das Neves, abriga, além dos coordenadores, quatro noviços e seis postulantes, que escolheram mudar de vida na ordem católica do Cister, baseada nos ensinamentos de São Bento. Como na obra literária que ganhou as telas de cinema na década de 1980, os chamados “monges brancos” - em referência à cor dos hábitos - mantêm uma rotina regrada de orações. As atividades começam cedo para os religiosos. Antes mesmo do desjejum, às 5h30, duas das sete orações diárias obrigatórias, previstas no código de diretrizes canônicas - o Ofício das leituras (oração da manhã) e a Laudes - são rezadas. As orações de meditação cumprem rituais do dia, determinada pelas horas descritas em italiano – Terça (9h), Sexta (12h), Noa (15h), Vésperas (17h30) e Oração da Noite (21h) – além de missas e cânticos. Mas nem só de reza vive o monge, a formação intelectual passa

ALEX RÉGIS

Momento de oração no Mosteiro Nova Cister, localizado às margens da BR-101, em Emaús

por aulas de latim; italiano; da história monástica e da formação da igreja católica; as regras e vida de São Bento, padroeiro da Ordem; e

o catecismo da Igreja Católica. O aprendizado e a fé são permeados pelos afazeres domésticos, de uma casa sem mulheres. Cada

religioso é responsável por uma tarefa, há o irmão cozinheiro, o irmão jardineiro, o irmão lavador, e assim por diante, de acordo

com cada função. A maior parte dos integrantes da comunidade aprende os “dotes” após o ingresso na casa. O padre Bento Antunes Filho enfatiza que só há um critério, segundo São Bento, para ser monge: buscar verdadeiramente a Deus. “Nisto está o desvencilhar, despojar-se de si para seguir somente a Deus. Por isso, ao contrário dos padres, a vida do monge é no mosteiro e não vagueando. É difícil porque se trata de obedecer a uma conversão diária”, explica o padre. Ele lembra ainda que, sempre que necessário, os irmãos saem do clausuro, para cumprir o lema da congregação de “oração e trabalho e sentir com a Igreja”. Desta forma, as tarefas são divididas de acordo com as necessidades da casa e da arquidiocese, que pode designar padres para assumir ou dar suporte em paróquias, ministrar palestas em encontros ou fazer confissões. Há ainda, os irmãos que são responsáveis por atender a população em retiros espirituais coletivos ou individuais. “Seguimos uma rotina de ruptura com o mundo exterior e de cumprimento dos votos de pobreza, castidade e conversão dos hábitos”, frisa o coordenador do mosteiro.


8 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

Apesar do estilo de vida moderno, com maior abertura sexual e poder aquisitivo, o número de jovens que procuram a vida vocacionada, surpreende os religiosos. Em nove meses, são dez candidatos à vida de recolhimento [ NOVA CISTER ]

Vocacionados enfrentam três estágios ara se tornar monge, os vocacionados passam por três estágios, onde são instruídos e avaliados. O postulamento, compreende o estágio inicial de seis meses a um ano, onde há uma inserção na vida religiosa e quebra de laços afetivos e materiais. Após esse período, os “aprovados” passam a ser noviços, durante mais um ano. A avaliação culmina com os primeiros votos de pobreza, castidade e conversão diária, que poderão ou não ser renovados ao fim de três anos. Os votos solenes e definitivos atribuem o título de monge e a troca de nome. Segundo a tradição monástica, ao ser aceito o monge pode sugerir três nomes de santo, que será aprovado pelos superiores de acordo com as semelhanças. Apesar do estilo de vida moderno, com maior abertura sexual e poder aquisitivo, o número de jovens que procuram a vida vocacionada surpreende os coordenadores de Nova Cister. Em nove meses, são dez “candidatos” à vida de recolhimento. Ao contrário do livro italiano, a “conspiração” para o fortalecimento do mosteiro vem da religiosidade do povo nordestino, segundo o padre Bento. O “segredo” por sua vez, destaca o monge, está em conseguir responder em Deus os anseios destas vidas.

FOTOS:ALEX RÉGIS

P

NOVA VIDA Apesar das diferentes motivações, o impacto da reclusão é compartilhada entre todos. Entrar na vida monástica implica em ruptura com o mundo exterior e de cumprimento dos votos de pobreza, castidade e conversão dos hábitos. Assim como as orações e ensinamentos comunitários, a comida, vestes e livros são divididos por todos. Na casa, mantida integralmente por doações e campanhas de arrecadação de donativo, a cartilha reza que “todos são donos de nada”. O desprendimento é lição diária. Monge há 21 anos, o padre Thiago Marques, 53, registrado Odair Marques, lembra da reviravolta que a vida deu, quando decidiu se isolar para servir a Deus. Filho de família católica, aos 28

Os votos solenes e definitivos atribuem o título de monge e permitem a troca de nome. Podem ser sugeridos três nomes de santo

Assim como as orações,a comida e vestes são divididas por todos

anos, após desfrutar da carreira de jogador profissional de futebol em clubes paulistas (Araçatuba F. C., 15 de Piricicaba e na equipe juvenil do Santos F.C.) conseguir independência financeira, atuando como enfermeiro, na Santa Casa de Misericórdia, e se preparar para casar, o “chamado” veio por meio da música.

O gosto pelo canto gregoriano dos monges foi o primeiro “aceno” de Deus. O primeiro contato com um religioso veio com a profissão. “Ia aplicar uma injeção numa velha senhora, quando vi sua filha. Uma monja, vestida de hábito preto, com um jeito diferente de encarar o mundo, me despertou o interesse por esse tipo de vi-

da. Como alguém pode ser feliz trancado? Anos depois, terminei o noivado de um ano, conheci o Mosteiro de Itaporanga (SP) e me permiti conhecer a resposta àquela pergunta”, lembra. “A vocação pode vir a qualquer tempo, cada conversão é uma história diferente, cada página constrói o livro”, acrescenta. Dos três votos assumidos pelo religioso, o da obediência é o mais difícil de seguir, segundo o padre. Abrir mão do conforto e da independência financeira para se contentar com “providência divina” é tarefa aprendida dia-a-dia. “Eu tinha carro, apartamento, usava roupas de grife e passei a viver de esmola. Tive que pedir para comprar uma calça ou substituir a camisa, comer o que tinha a mesa, isso tudo lembrando que tinha sobrando em casa. E ainda ser obediente para ouvir um não. Isso é o deixar ser modelado por Deus”, afirma o sacerdote que hoje ganha muitos presentes e tem guardaroupas “considerável”.

HISTÓRIA A origem remonta a fundação da Abadia de Cister,na comunidade de Saint-Nicolas-lès-Cisteaux, Borgonha,em 1089,por Roberto de Champagne,que com outros dois monges,deixaram a congregação monástica de Cluny,para formar a Ordem de Cister e retomar a observância a antiga regra beneditina. Por sua organização e autoridade,a Ordem tem papel importante na história religiosa do século XII.Além do papel social que desempenha até a revolução francesa,a Ordem exerce grande influência no plano intelectual e econômico,assim como no campo das artes e da espiritualidade,que se destaca no mentor espiritual Bernardo de Claraval (1090-1153). Embora sigam a regra de São Bento, os monges cistercienses não são propriamente considerados beneditinos.A vida dos religiosos combina o eremitismo,próprio da vida monástica e os despojamentos

Distanciamento da família é o mais difícil Para o irmão Plácido, o distanciamento da família foi o difícil de aceitar. O convívio diário foi substituído por rápidos período de férias anuais. Natalense mudou-se ainda adolescente com a família para Porto Ferreiro, no interior de São Paulo, onde conheceu a vida de reclusão. “Trabalhava num escritório de contabilidade quando resolvi me lançar em Deus. Entrei no Mosteiro em 1995 e sofria com a saudade da família. São laços muito fortes que você é obrigado a deixar, para fazer crescer a família. Os vínculos afetivos e materiais são substituídos, mas não sem dor”, observa o monge, que traz nos documentos o nome de Aldo Jean Silva de Araújo. Para o noviço Bonifácio, registrado como Evandro Andrade de Oliveira, 33, a vocação veio fácil, em meio as brincadeiras. Desde criança, costumava brincar de “missa” com os vizinhos, arrumando altares, cantando e imitando rituais das celebrações dominicais, em Mossoró. Há um ano no Mosteiro, ele não abandonou o sonho de infância. “Apesar das dificuldades, espero seguir as pegadas de São Bento e me tornar padre”, disse o então responsável pelos jardins da Nova Cister. Para dar seu sim, o rondoniense Fábio Júnior, de Jiparaná, cruzou 5.080 quilômetros e há uma semana faz parte da família cisterciense, em Parnamirim. Ao contrário do ar de tristeza e de vida fechada que pensava encontrar no clausuro, o postulante a monge disse ter encontrado liberdade. “É difícil explicar como o silêncio , o recolhimento e o nãoconvívio com o mundo pode trazer sensação de libertação. Mas é assim que me sinto. Abri mão dos meus sonhos, para fazer realidade o sonho de Deus para minha vida e quando estou mais fechado é que sou livre”, disse o ex-professor de filosofia, que deixou para trás estabilidade e alegria de uma família de classe média.

[ ABASTECIMENTO ] A Companhia de Águas e Esgotos do RN vem realizando

campanhas educativas para diminuir o índice de ligações fraudulentas

Caern reduz ligação clandestina Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) continua a luta para diminuir as ligações clandestinas em Mossoró. Há tempos a empresa vem realizando campanhas educativas a fim de orientar a população sobre as implicações legais que recaem sobre os que realizam fraude na rede de abastecimento de água. Os resultados já começam aparecer. Nos últimos quatro anos, o índice de desligamentos clandestinos caiu de 20%, em 2005, para 13% no ano passado. Hoje, a empresa tem na cidade mais de 69.300 cadastros. Mesmo que a queda seja gradual, o percentual de clandestinos ainda é considerado elevado. Para o diretor regional da empresa, José Ronaldo, não basta uma campanha pontual. “É necessário um trabalho intensivo e constante de educação da população”, diz ele. Para este inicio de ano, a atenção da Caern se volta para a região litorânea do Rio Grande do Norte. No entanto, medidas semelhantes já foram adotadas em Mossoró quando, em 2008, a companhia entrou com uma ação junto ao Ministério Publico para, em parceria, diminuir os altos índices de clandestinidade no município. De acordo com o diretor regional da CAERN, José Ronaldo, a ação resultou em uma diminuição significativa dos números de ligações clandestinas. “Tivemos clientes

A

NÚMEROS

20%

das ligações,em 2004,eram clandestinas

69 mil cadastramentos existem na companhia em Mossoró

72

horas é o prazo máximo para regularizar o débito

que nos procuraram pra se regularizar. Isso porque fizemos uma ampla divulgação das implicações as quais o consumidor estava sujeito, caso fosse diagnosticado a fraude”, ressalta o diretor. De lá para cá, os cuidados e fiscalização continuaram com a aquisição do Geofone. O equipamento serve para diagnosticar as regiões na qual há irregularidade no abastecimento. Conforme o gestor, o equipamento funciona como um estetoscópio para superfície. “Se houver um vazamento ou mesmo uma distribuição irregular, ele detecta”.

O foco da campanha realizada há dois anos tomou como exemplo a Rua Lopes Trovão, no bairro Doze Anos, além de algumas outras comunidades da redondeza. Cada morador recebeu uma notificação alertando os infratores que poderiam ser penalizados administrativamente, com multa e vedação das saídas dos esgotos, podendo ainda serem interpelados civil e criminalmente. A pessoa notificada tem o prazo de até 72 horas a fim de proceder a regularização do seu débito para arquivamento do processo. Ela deve comparecer ao escritório da Caern com o auto de infração que foi lavrado, apresentar a regularização dos problemas apresentados e apresentar ao atendente comercial o comprovante de pagamento da dívida. Do contrário, irá responder pela infração. A empresa defende que a ligação clandestina de água deve ser combatida porque o abastecimento deve chegar a todos de forma igualitária. Uma vez que as ligações clandestinas de esgotos contribuem para poluir o meio ambiente e provocar vazamentos de esgotos. A exemplo do que aconteceu na rua Lopes Trovão onde os moradores se recusavam a fazer a ligação de esgoto na rede da Caern, o Ministério Público vem tomando as providências com base na legislação. A prática ilegal é prevista como poluição ambiental.


natal

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

3porquatro

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

9

POR ANNA RUTH DANTAS

JORGE AVANCINI

DIRETOR DE MARKETING DO INTERNACIONAL,JORGE REVELA QUE O TIME ARRECADA HOJE MAIS DE R$ 3 MILHÕES MENSALMENTE,COM A CONTRIBUIÇÃO DOS ASSOCIADOS. E EXPLICA QUE OS CLUBES BRASILEIROS ESTÃO MAIS CIENTES DA IMPORTÂNCIA DE SE FAZER O MARKETING PARA SE ALCANÇAR OS OBJETIVOS

“Os clubes estão acordando” FOTOS:DIVULGAÇÃO

Como mobilizar o torcedor a contribuir com o time? Primeiramente apelar para a historia e tradição de conquistas do clube, depois oferecer um plano atrativo de benefícios para aqueles que se associarem com promoções constantes e muitas vantagens para o mesmo. Também é importante mostrar transparência e mostrar ao associado como o seu dinheiro (mensalidade) está sendo aplicado no clube e o retorno que o mesmo esta oportunizando em infra estrutura, conforto, segurança do estadio e a montagem de equipes competitivas. Não é complicado se falar em contribuir com time de futebol em um momento onde as pessoas têm finanças bastante limitadas? Acredito que não. Os valores hoje cobrados pelo Internacional são muito acessíveis e adequados ao padrão salarial do Rio Grande do Sul, hoje temos duas modalidades de sócios; a modalidade que paga de R$ 55,00 mensal e que tem direito a entrar em todos os jogos sem pagar ingresso e seu lugar está sempre disponível e a modalidade de R$ 22,00 mensais que tem o direito de comprar o ingresso com 50% de desconto. Além disso, esses sócios recebem uma série de vantagens oferecidas pelo clube, tais como a revista do clube, direito a participar de todas as promoções do clube, concorrer a sorteios, etc., ou seja, eles têm sempre prioridade em tudo que fazemos. Qual o principal argumento usado para incentivar as contribuições? A primeira e sem dúvida a mais forte é a de mantermos equipes competitivas e vencedoras, depois segue outros argumentos como; manutenção do patrimônio, ser o maior clube das Américas em quadro social, mexer e provocar a rivalidade dos outros clubes que não possuem um quadro social de numero elevado, estimular a auto-estima do torcedor e outras, mas veja bem, nada disso faz sentido se não tivermos transparência na gestão e mostrar os resultados tanto de campo como nas outras áreas do clube. Até que ponto o desempenho do time em um campeonato influencia para contribuição financeira do torcedor? Veja, no passado a relação era direta, ou seja, se o clube vai bem nos campeonatos que disputava seus cofres ficavam cheios pela contribuição e participação do torcedor, se tinham maus resultados abandonavam o clube até o mesmo melhorar sua performance de campo. Muitos clubes no Brasil ainda sofrem deste mal. Nós aqui no Inter temos trabalhado forte para separar os resultados de campo dos resultado gerais do clube. Tentamos mostrar ao sócio que sua participação deve ser tanto na hora boa como na hora ruim, que o sócio de resultado só prejudica o clube e que todos têm que pensar no médio e longo prazo, afinal só podemos ter equipes vencedoras e competitivas com projetos de longo prazo. O maior exemplo disso é Benfica de Portugal, que hoje tem mais de 170 mil sócios em seu quadro social e faz mais de 10 anos que não ganha nenhum campeonato importan-

começam a ver a importância da mesma e os resultados que esta área traz para o clube. O Inter, São Paulo e Cruzeiro foram os primeiros clubes a valorizarem e dar importância ao marketing, agora estão sendo seguidos pelo Corinthians, Flamengo, Grêmio, Atlético do Paraná, Palmeiras e outros clubes. Temos um caminho enorme a ser percorrido para estarmos no mesmo patamar de importância que é dado ao marketing na Europa e nos Estados Unidos. O senhor virá ministrar palestra em um Estado (RN) onde os times passam por constantes dificuldades.Como alavancar uma campanha de sócio-torcedor em pequenos times? Fica difícil dar algum parecer, pois não conheço a realidade do Rio Grande do Norte, lamentavelmente este é um dos poucos Estados da Federação que ainda não conheço, terei a oportunidade de conhecer agora. Sei que os clubes daí têm tradição e são grandes equipes com grandes torcidas, mas mesmo assim precisaria conhecer melhor a realidade dos clubes locais e como pensam seus torcedores, com certeza ao final de minha passagem aí em Natal poderei emitir algumas recomendações.

Detalhes

P

ara as campanhas de novos sócios dos clubes de futebol surtirem efeitos, é preciso atentar não apenas para as promoções, mas também focar na história de tradição e conquistas do clube. Alavancar colaboradores exige expor a transparência no emprego dos recursos pagos pelos associados. A estratégia de campanha para o clube de futebol é dada por Jorge André Avancini, diretor de marketing do Internacional, time gaúcho que hoje arrecada mais de R$ 3 milhões mensalmente com a contribuição dos associados. “Hoje temos duas modalidades de sócios: a modalidade que paga de R$ 55,00 mensal e que tem direito a entrar em todos os jogos sem pagar ingresso e seu lugar está sempre disponível, e a modalidade de R$ 22,00 mensais que tem o direito de comprar o ingresso com 50% de desconto”, comenta Jorge, que estará em Natal no próximo dia 1º de março, ministrando o seminário “Case S. C. Internacional - Vivenciando uma Paixão”, onde abordará a campanha realizada pelo Internacional para arregimentar novos sócios. O evento acontecerá no auditório da FAL. Ele avalia que só agora os clubes brasileiros começaram a acordar para importância do marketing. Primeiro, vieram o Internacional, São Paulo e Cruzeiro. Em seguida, na mesma estratégia de buscar o sócio-torcedor, chegaram o Flamengo e Atlético do Paraná, entre outros. Mas, qual o principal argumento usado para incentivar as contribuições? “A primeira e sem dúvida a mais forte é a de mantermos equipes competitivas e vencedoras, depois segue outros argumentos como manutenção do patrimônio, ser o maior clube das Américas em quadro social, mexer e provocar a rivalidade dos outros clubes que não possuem um quadro social de número elevado, estimular a autoestima do torcedor e outras. Mas, veja bem: nada disso faz sentido se não tivermos transparência na gestão e mostrar os resultados tanto de campo como nas outras áreas do clube”, responde, de pronto, Jorge Avancini. O convidado de hoje do 3 por 4 é um expert em marketing, um professor que, nessa entrevista, dá uma verdadeira aula para jogadores, clubes e torcedores. Com vocês, Jorge Avancini:

Temos um caminho enorme a ser percorrido para estarmos no mesmo patamar de importância que é dado ao marketing na Europa e nos EUA.”

te, isso prova o valor do seu sócio que aposta no clube como um todo e não somente em resultados. O que o senhor trouxe dos departamentos de marketing das empresas onde atuou para implantar no Internacional?

As experiências que tive em outras organizações foram e são fundamentais para meu dia a dia no clube, vários pontos que apreendi ao longo de mais de 20 anos vivenciado em multinacionais me ajudam hoje, tais como: foco em resultado, trabalhar com planejamento de curto, médio e longo prazo, avaliação constante dos fluxos e processos de cada área, ter habilidade nas relações internas, tanto no convívio do dia a dia, como para a negociação de novos projetos, treinamento e capacitação dos subordinados e valorização dos mesmos por atingir metas. Qual o diferencial do marketing instalado em uma empresa privada e em um time de futebol?

Jorge André Avancini é natural de Porto Alegre (RS),consultor empresarial,administrador de empresas formado pela Faculdade Porto-Alegrense,com mestrado em Marketing pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ).Atuou como executivo nas áreas Comercial e Marketing das seguintes empresas: Correios-ECT,Souza Cruz S/A,PepsiCola do Brasil S/A,Vonpar Coca-Cola S/A,Unimed Porto Alegre e Di Solle Cutelaria Ltda.Lecionou a cadeira de Promoção de Vendas e Merchandising,para os cursos de Publicidade e Propaganda das Universidades Ulbra e Unisinos. Atualmente é professor regular da ESPM/POA,para as cadeiras de Trade Marketing e Promoção de Vendas I, no curso de Publicidade e Propaganda. Avancini integrou a comissão organizadora e foi um dos idealizadores do Projeto do Centenário do Inter,sendo um dos articuladores do projeto“100 Anos – 100 Mil Sócios”,que prevê a expansão do quadro social do clube.

Esse é o ponto que talvez pese em muito para vocês do Nordeste. Os clubes do centro do país têm mais força e presença de marca que os clubes locais.”

Enorme, diria quase que abissal esta diferença. Os clubes no Brasil só agora estão acordando para a importância do marketing. Até pouco tempo esta área não era valorizada. Ainda sua importância está colocada em segundo plano, mas aos poucos alguns clubes

O pequeno clube concorre com o grande clube no “sócio torcedor”? Ou seja, o torcedor tem apenas uma “ajuda” mensal a oferecer:opta pelo grande time ou pela equipe local? Esse é o ponto que talvez pese em muito para vocês do Nordeste. Os clubes do centro do pais têm mais força e presença de marca que os clubes locais, muitos torcem pelos clubes de fora e não apóiam os times locais. Como montar equipes fortes se as mesmas não recebem o apoio de seu torcedor? Veja um exemplo, em novembro último fui convidado para fazer uma palestra em Macapá, no decorrer da palestra me fizeram a mesma pergunta que me foi feita agora por você. Na época (em Macapá) fiquei sabendo que alguns anos antes o Flamengo do Rio de Janeiro foi fazer um jogo pela Copa do Brasil com o Ipiranga, um dos maiores clubes do Amapá, qual foi a surpresa, no dia do jogo o estádio estava repleto de torcedores com a camisa do Flamengo e vaiando o time do Ipiranga. Dessa forma você não consegue fazer nada se não houver uma mudança de comportamento do torcedor. No Sul não existe esta possibilidade ou você é Inter ou Grêmio ou não torce para nenhum outro time. É possível, mesmo em pequenos clubes, desenvolver a política dos produtos licenciados? Com certeza e deve fazê-lo. Essa é uma área que possibilita boas fontes de receita, mas veja bem, se não tiver torcedores aptos e desejosos para consumir a marca do clube aí fica muito difícil.

Perfil O melhor negócio: aquele que atinge o resultado esperado. Uma boa estratégia de marketing: planejar,planejar, planejar... Plano: o mais criativo

Qual o segmento de empresa mais difícil para se desenvolver um marketing? Não existe. Cada segmento tem suas características e nós marqueteiros devemos saber e conhecer a fundo a realidade dos mercados e culturas que pretendemos atender. Sem conhecimento não tem como fazer qualquer tipo de trabalho.


natal

10 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

Eliana Lima elianalima@tribunadonorte.com.br JOAONETOFOTOS.COM

» PROBLEMA... A intransigência do Ministério Público e o desespero da Secretaria de Saúde em cumprir a determinação, resultaram numa morte ainda desconhecida da população. A vítima: uma criança, entre 6 e 7 anos. O MP imprimiu multa diária de R$ 1 mil ao secretário George Antunes (pessoa física) por cada maca nos corredores do Hospital Walfredo Gurgel. Com todos os leitos além da capacidade, essa criança, que chegou ao HWG passando muito mal, em uma ambulância, não foi atendida - semana passada. A recusa também aconteceu em outros três hospitais que a ambulância seguiu, por causa do problema das macas. O resultado foi o mais triste impossível: sem atendimento, a morte.

A inteligência pode ser tão clara como o sol, mas pode ser tão fria como a neve” Do saudoso D.Nivaldo Monte, em ‘A Dor e a Arte’, livro ‘A Dor – Sentinela da Vida’

JOAONETOFOTOS.COM

Um partidón paquerador de plantão, com muita experiência no ramo, manda anotar: ‘love is in the air’. Algo nunca imaginado antes na história da capital dos magosenamorados...

» ALONE

» BELAS

» NAMORADINHOS

Por falar em partidón, e em ar, o circuito solteirón-separadón ganhou mais um integrante. Trata-se do ex-vereador Renato Dantas. É o partidón-air, pelas aeronaves (duas) que têm para fretar.

Toda apaixonadinha, Milena Martins retira a ‘maisena’no namoradóns Pedro Barreto, em ritmo de carnaval

» NOVO TEMPO

Em pose-modelo para as lentes de João Neto, nos mares do norte: Larissa Lopes e Bruna Faraj

JOAONETOFOTOS.COM

JOAONETOFOTOS.COM

» ...MAIOR Para se ter ideia, o Walfredo Gurgel dispõe de 300 leitos, e anteontem estavam internados 315 pacientes. Ou seja, não adianta o Ministério Público proibir macas nos corredores. Deve-se, por exemplo, montar uma força-tarefa para tratar o câncer metastático direto na base: os municípios. Como os municípios recebem recursos para aplicar na saúde, mas muitos descumprem, acarretam na superlotação dos hospitais estaduais, principalmente o Walfredo Gurgel, que deveria receber apenas casos graves e de urgência, mas vive à beira de um colapso porque prefeituras não oferecem atendimento ambulatorial eficiente à população, perpetrando o parasitismo à vista grossa. O governo pode construir um super pronto-socorro, rigorosamente bem equipado... que a superlotação continuará – isto, diga-se, se não aumentar o número de doentes. Assim será enquanto MP e Justiça não tomarem as providências necessárias: fiscalizar a destinação dos recursos da saúde, fazer as prefeituras cumprirem a lei...

» ENCARGO Conversando com médicos sobre a situação calamitosa na área da saúde pública, disseram a Abelhinha que pelas definições do SUS, o Estado não tem a obrigação de manter hospital, mas sim ajudar na manutenção. Hospital é responsabilidade dos municípios. Por esses e tantos outros motivos (interferências políticas, por exemplo) que médicos vêm recusando convites para assumir a Secretaria de Saúde.

» MAIS Por falar em situações graves na área da saúde, o inacreditável acontece na Unicat, que recebe cerca de R$ 100 milhões por ano para compra de medicamentos. Até hoje, tudo por lá é manual. Não existe otimização via informática, porque não existe computador. Depois de muitos anos, agora é que aparelhos foram licitados... maaasss... esqueceram as impressoras, que, à insistência, chegarão também. Só dá para imaginar que diante de quantidades gigantescas de medicamentos em controle manual facilita muitas perdas...

» SININHOS

Depois de muito esperar, a boa notícia: a direção da Uern já prepara a inauguração do Complexo Cultural, na Zona Norte, onde foi a Penitenciária João Chaves. Será dia 27 de março, ainda em tempo da governadora Wilma entregar a obra - pelo menos parte. O campus ainda fica na sede provisória, em Neópolis, até o ano que vem, mas as obras estão avançadas. O complexo será um espaço de educação, interação com a sociedade e a arte.

» TODOS JUNTOS Governador-mineiro-bonitónbon-vivant, Aécio Neves convidou a governadora Wilma para participar da cerimônia de transferência da sede do Governo do Estado para a Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, dia 4 de março. Ocasião de comemoração ao centenário do nascimento de Tancredo Neves. Após a solenidade, almoço no Palácio da Liberdade.

» SUSPIROS No carnaval dos chiques do litoral Norte, Rodrigo Capistrano e Renata Araújo se entregam à paixão

» WALLY? Há um ano, a prefeita Micarla de Sousa anunciava como solução para o turismo na capital dos magos-hospitaleiros, a contratação do consultor baiano Paulo Gaudenzi. Em palestra no seminário promovido pela Secretaria de Turismo, com o tema ‘Natal a caminho da economia das experiências’, Gaudenzi encheu a alma da ‘gente’ de muitas esperanças e sonhos. Entre suas propostas de transformação, disse que a capital-potengi seria a “cidade das emoções” e que estavam “a caminho de fazer de Natal a primeira capital brasileira a entrar na era da economia das experiências e na sociedade dos sonhos”... Bom... um ano se passou e não se ouviu ou se ouve falar em Paulo Gaudenzi, nem muito menos nas fantásticas transformações que a ‘gente’ tanto vislumbrou... A ‘gente’ só pode imaginar das duas, uma: ou ele não recebeu e desistiu, ou não soube fazer o que tanto prometeu...

» SININHOS Nos mares do Norte, os belinhos Heitor Dias e Natália Fernandes JOAONETOFOTOS.COM

» Natal será palco do 1º Fórum dos Secretários Estaduais de Ciências e Tecnologia e encontro dos presidentes das Fundações de Apoio à Pesquisa,dias 25 e 26 próximos,no Pirâmide Natal Resort & Convention.

» Começa amanhã o ano letivo da UFRN para os 33 mil alunos da instituição aproximadamente 25 mil matriculados na graduação -, na praça cívica do campus, com recepção dos 6.302 calouros.A festa começará às 16h,com declamação de poesias de Rodrigo Bico e o agito da Orquestra de Frevo.Às 18h,abertura oficial pelo reitor Ivonildo Rêgo,o diretor do CCET,Jasiel Martins,e a representante do DCE,Rafaeli Sabrina.

» PENSANDO FUTURO Uma brincadeira típica dos atuais carnavais que é um perigo: o uso de spray de espuma. Somente em Pirangi, durante o carnaval, a Abelhinha contou dois incidentes e um quase acidente, envolvendo crianças. Primeiro: um adulto desceu o tapa numa criança que lhe jogou espuma. O outro, ainda pior: uma jovem que voltava da Banda das Virgens pela beira-mar com o namorado, foi abordada por várias crianças brincando de jogar espuma (vale salientar que eles estavam em clima de carnaval, pois estavam a caráter). A jovem partiu para cima das crianças e, ao alcançar uma, puxou pelo cabelo e a jogou no meio da rua, que sofreu uma pancada na cabeça. Indignados, veranistas e amigos que estavam na varanda de uma casa correram para abordar a adolescente e socorrer a criança. A adolescente, então, falou que era menor de idade e ninguém podia tocar nela nem ser presa - sabia de alguns direitos, mas esqueceu completamente de colocá-los em prática. Além de desconhecer conceitos básicos como respeito, educação e controle emocional. É bom repensar nessa espuma (chatinha, cá pra nós) no carnaval do próximo ano.

COLMEIA

» A UnP e a Secretaria

» CONFETE Fantasiados no carnaval-chique de Jacumã, os casadónsbacanas Tereza Josefina e Fernandinho Rezende

Estadual da Saúde firmaram convênio de cooperação técnica para práticas em ensino,pesquisa e extensão. COLABORAÇÃO DE ANNA CLÁUDIA COSTA


Domingo | 21 de fevereiro de 2010

natal

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

11

[ DIÁRIO DE BORDO ]

Mais um carnaval que passou DIVULGAÇÃO

NELSON MATTOS FILHO velejador-avoante1@yahoo.com

or causa de uma irritante, insistente e dolorida hérnia de disco cervical, estamos obrigados a ficar ancorados no Iate Clube do Natal mais tempo do que pretendíamos. Como já falei no artigo anterior, são as doenças do corpo de quem não podemos fugir nunca, apenas esfriar a cabeça e fazer o dever de casa na esperança de que o corpo volte a funcionar nos conformes. Principalmente para a gente que vive a vida a bordo de um veleiro, a saúde é mais do que essencial. Mas, a verdade é que quem tem essa vida meio nômade, navegando em busca de sonhos, aventuras, ilhas perdidas, conhecimentos, culturas e muita sede de um mundo em paz, livre e justo, não é qualquer hérniazinha escambichada que faz com que a vida fique estagnada. Ainda mais quando clarins, tambores, cuícas e apitos anunciam a chegada do Carnaval e todo seu reinado de alegria. Foi assim que fechamos as gaiutas e vigias do Avoante e ganhamos o mundo em busca de um Carnaval que batia em nossa porta. Pegamos o rumo das estradas do litoral do Rio Grande do Norte, no sentido das praias do norte. Fazia muito tempo que não tomávamos esse rumo, mesmo tendo uma casa na praia de EnxúQueimado/RN, e ainda mais num

P

período sob as ordens e encantos de Momo e sua bela rainha. Não sei se essa vida náutica deixou a gente mais exigente, ou se ficamos mais chatos com certas coisas, mas até o Rei do Carnaval e toda sua expansiva e alegre forma avantajada, sucumbiu aos apelos do politicamente correto e perdeu seu apelo mais alegre e engraçado, a cativante gordura, elementar para o Rei dos excessos dos prazeres da vida. Mudou a cara alegre do Car-

naval e até as Colombinas e Pierrôs já não se atrevem a sair às ruas. Voltemos ao nosso corso carnavalesco pelos recantos litorâneos da terra de Poti. A primeira parada foi na praia de Pititinga para sentir toda a beleza ingênua de uma praia e confirmar que o mar continua cobrando a parte que o homem quis abocanhar na sua sanha invasora. Pititinga, retirando os escombros indecentes da invasão do ho-

mem, é um cartão postal de beleza e tranquilidade. Por lá, não sei se pela cobrança do mar ou se por medo do homem, ainda existe paz e tranquilidade pairando no ar. Uma inocente leveza nos visitantes, veranistas e caiçaras. Chegamos lá na manhã do Sábado de Carnaval e saímos ainda com o sol alto de uma tarde que prometia muita chuva. Se minha avaliação da praia não prevaleceu durante o Carnaval à culpa não é da bela

Pititinga, mas de um mundo que pulsa e transpira incerteza, ilegalidade e indiferença. De lá, seguimos no rumo da praia de Enxú-Queimado e seu encantado e belo coqueiral. Sempre gostei de Enxú-Queimado, foi lá que descobri um mundo de pessoas boas, leais, cordiais e de extremo calor humano. Mas, nesse Carnaval, a praia de nome exótico e cativante me pareceu sem identidade e sem as características da ou-

trora vilazinha de pescadores. Os sons que se expandiam no ar, os escombros abandonados na bela beira mar, a latada de um palco de aspecto duvidoso e com bandas se apresentando com repertório tão igual, que mais parecia um CD. Uma noite mal dormida e a alvorada com sons saídos da má educação de porta malas escrachados e sem o mínimo controle da ordem pública, foi à gota d’água para fazer o rumo de volta. Sei que tudo isso não foi, nem nunca será, típico da bela Enxú-Queimado, mas da nova ordem nacional que faz populações inteiras reféns de uma minoria sem Leis. O Carnaval seguia seu rumo e nós também na lembrança das antigas bandinhas de um passado recente. A estrada de volta estava triste, mas livre e sem excessos. O que será que se passava na bela Pititinga? O que seria da antiga vilazinha selvagem de Enxú-Queimado? Para onde ir agora? Fugimos do litoral e fomos em busca das águas doces da Lagoa do Bomfim. Lá, onde ficamos, não havia Carnaval, apenas os ecos que saiam de uma televisão que, vez em quando, batucava sons de uma festa muito longe dali. Lá os ventos traziam urros de um leão que não vi a cara, porém muito presente naquela aragem. Lá fora era Carnaval, mas a natureza não dava sinais de sua presença. Por onde tocava o clarim? Por onde andava o Rei Momo? Acho que preciso velejar!


12

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 21 de fevereiro de 2010


esportes

HOJE NA TV

RÁDIO GLOBO NATAL

16h – Paulista: Palmeiras x São Paulo, Band 17h - Campeonato Carioca: Vasco x Botafogo, Globo

06h - Esporte em debate 16h - ABC x Alecrim 21h - Resumo Final

CURIOSIDADES A primeira Taça Guanabara decidida por Vasco e Botafogo foi em 1965,quando os cruzmaltinos venceram pelo placar de 2 a 0.

DICAS Continua hoje na praia de Ponta Negra,o primeiro torneio de futvôlei da temporada de 2010.

ENTREVISTA

Polêmico,Felipe Augusto aponta falcatruas no futebol e taxa dirigentes de patifes. PÁGINA 2

NÚMERO 313 é o número total de confrontos entreVasco e Botafogo.São 138 vitórias vascaínas.

Editor: Vicente Estevam (Interino) e-mail: esporte@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 21 de fevereiro de 2010

Com a missão de perseguir o América e manter a curta distância em relação ao adversário, com vista a levar a decisão do título para um jogo extra, o Alvinegro encara o Alecrim que promete surpresa no Frasqueirão

[ CAMPEONATO ESTADUAL ]

ABC tenta derrubar o único invicto ma vitória para continuar firme na briga pelo título do primeiro turno e conquistar uma das metas traçadas pela diretoria do ABC para 2010: conquistar uma vaga na Copa do Brasil do próximo ano. É com esse objetivo que o time abcedista entra em campo às 17h de hoje para enfrentar o Alecrim no clássico realizado no estádio Frasqueirão, em Natal, válido pela 8ª rodada do Campeonato Estadual 2010. A missão, porém, não será fácil. O Alecrim é o único invicto da competição e está apenas a dois pontos do vice-líder ABC – 13 contra 11 do alviverde. A favor dele, o time abcedista tem o bom retrospecto no Frasqueirão. Até o momento, foram duas vitórias e um empate jogando diante de sua torcida. A favor dele, também, os reforços ganhos pelo técnico Didi Duarte na última sexta-feira, com o retorno de David e Jaime a equipe, após cumprirem suspensão automática, e as regularizações dos zagueiros Alex Figueiredo e Robson e do volante Clebertong, que agora inscritos na Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e já podem estrear. Além da rivalidade entre os dois times de Natal, o jogo de hoje será também a partida entre o melhor ataque contra a melhor defesa. O ABC, que já marcou 14 gols neste ano e está junto ao América como os atacantes mais efetivos, enfrenta a equipe menos vazada, o Alecrim, que também sofreu a mesma quantidade de gols que o alvirrubro também da Capital do Estado. Um dos responsáveis pela ofensividade, o atacante João Paulo, artilheiro do Estadual com seis gols, acredita em um bom resultado contra o Alecrim para continuar firme na disputa pelo Estadual. “O time está se mostrando bem e vai recuperando a moral. Precisamos de uma vitória diante do Alecrim, que é um adversário qualificado, para não deixar o América se distanciar na liderança”, afirmou o jogador. A conquista de um dos turnos do Estadual é um dos objetivos traçados pela nova diretoria do ABC para 2010. Os dirigentes esperam conquistar isso para chegar a Co-

U

pa do Brasil de 2010. “Nosso objetivo neste ano é também voltar a Série B, conquistar o Estadual e sanar as dívidas do clube”, afirmou o presidente Rubens Guilherme. Alecrim desfalcado para jogo no Frasqueirão O técnico do Alecrim e extreinador das categorias de base do ABC, Wassil Mendes, terá problemas para o jogo contra o ABC, hoje, no estádio Frasqueirão, em Natal. Na partida válida pela 8ª rodada do Estadual, o treinador alviverde não poderá contar com o volante Ewerton e o zagueiro Josué, suspensos pela expulsão contra o Potyguar de Currais Novos na última rodada, e o atacante Bruno Potiguar, que recebeu o terceiro amarelo e também vai cumprir suspensão. Além desses que já são desfalques certos, o Alecrim pode também não contar com o zagueiro Jonatha, que levou uma cotovelada na última partida e precisou de sete pontos no supercílio, e com o lateral-esquerdo Nego – um dos destaques e artilheiro do time no campeonato – que sofre de um problema muscular. Além deles, o atacante Felipe Moreira pode ser também desfalque. O jogador ainda se recupera de uma infecção intestinal que o tirou do jogo contra o Potyguar. O Alecrim precisa da vitória para continuar vivo na briga por uma vaga na final do primeiro turno do Campeonato Estadual. Perdendo a invencibilidade diante do ABC, o alviverde ficaria matematicamente fora da disputa pelo título. FICHA TÉCNICA ABC ALECRIM Welligton;Edson, Thiago Garça,Leonardo e Renatinho; David,Marquinhos Mossoró,Jaime e Andre;João Paulo e Ricardo Costa.Técnico: Didi Duarte.

Rodrigo Mineiro; Ivsson,Fagner e Maceió;Carioca, João Paulo,Henrique e Wescley;Torona e Williams. Técnico:Wassil Mendes.

Árbitro: Lenilson de Lima vai apitar Auxiliares: Lorival Candido das Flores e Josimar Lira. Hora: 17 horas Estádio: Frasqueirão

Corintíans tem problemas para o clássico do Seridó A vitória sobre o Centenário na rodada passada se foi boa para alavancar a campanha do Corintíans, trouxe problemas para o treinador Pedrinho Albuquerque que está enfrentando problemas para montar a equipe que hoje faz o clássico do Seridó contra o Potyguar de Currais Novos. A partida está marcada para às 17 horas no estádio Marizão e o Galo tem que vencer para se manter próximos dos líderes do primeiro tuno e tentar uma vaga na possível decisão do turno, que só acontecerá se a diferença entre o primeiro e o segundo colocado for inferior a três pontos ao final da fase. Para o confronto, o técnico Pedrinho perdeu pelo menos três jogadores titulares. O Goleiro David tomou o terceiro cartão amarelo, o zagueiro Marcão que foi expulso e o atacante Wilson que sofreu uma contusão no joelho. Porém

os problemas não param por ai, já que o atacante Mazinho sofreu uma pancada no joelho e é duvida para a partida, assim como o meia Betinho que reclama de fortes dores no tornozelo. Na sexta colocação e com oito pontos ganhos, o Potyguar não tem mais chance de disputar o título, mas nem por isso pretende facilitar a vida dos corintianos. A meta do treinador Neto Matias é melhorar o entrosamento do grupo para a partida de volta, contra o Paysandu, válida pela fase de volta da Copa do Brasil e que está marcada para o próxima quarta-feira. No complemento da rodada, O Potiguar de Mossoró recebe o Santa Cruz, no estádio Edgarzão e o Centenário r4ecebe o ASSU no estádio ( de Janeiro, em Pau dos Ferros. Nos dois casos, as equipes também apenas cumprem tabela.


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

esportes

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

ENTREVISTA/FELIPE AUGUSTO/PRESIDENTE DO SINDICATO DOS JOGADORES PROFISSIONAIS DO RN

“Os dirigentes são uns patifes” FOTOS:JÚNIOR SANTOS

Como anda a relação do advogado Felipe Augusto com os clubes? Elas são explosivas e chegam até a acusá-lo de tentar convencer os atletas a colocarem os clubes na Justiça. Jamais fui a CT do América ou de qualquer clube buscar cliente. Eles é que me procuram, os jogadores já chegam em Natal sabendo quem eu sou da luta que tenho para defender os direitos deles. O jogador de futebol é desinformado com quanto aos direitos dele em relação aos clubes? São desinformados sim, a maioria deles não sabem nada em relação aos direitos. Quais são as práticas mais cruéis em termos contratuais? Os clubes daqui estão com uma praxe reprovável de obrigar o atleta a assinar um documento de rescisão contratual no ato da assinatura do contrato. Isso aconteceu com o América e já estou com dois casos autorizados a ingressar com uma ação judicial para tentar inverter essa rescisão. Essa prática é ilegal? Lógico que é. Você usa o seu poder de superioridade na relação patrão x empregado a se submeter aquele tipo de vexame. Se o atleta não aceitar assinar, não consegue o contrato. Como é que o jogador deve agir diante disso? Na iminência de ter o contrato negado, ele deve assinar, mas sabendo que quando for demitido poderá buscar os seus direitos na Justiça, onde o advogado tentará desfazer essa prática abusiva. No caso de Hércules e Diogo, ambos do América, já estou autorizado a tentar reverter essa prática nefasta na Justiça Trabalhista. Teve alguma peculiaridade no caso desse dois jogadores do América? No caso de Diogo e Hércules foi apresenta a rescisão deles e depois de 26 dias é que foi apresentado o contrato. O problema nesta caso é que para os olhos da lei, dá a impressão que os atletas foram quem pediram demissão. Ele perde o resto do contrato pela metade e mais a cláusula penal, que está sendo discutida, mas que eu entendo que é devida ao jogador. Além disso, existe também o Fundo de Garantia. Existem outros tipos de ilegalidades como prática comum nos clubes? Uma das práticas mais comuns e que continuam a fazer é assinar a carteira de trabalho com o valor diferente do salário que realmente é pago ao atletas. Para estes casos eu indico que os atletas recebam o pagamento e façam o depósito bancário para que se constituam num meio de prova no momento de se ingressar com uma ação trabalhista. Os clubes costumam se defender alegando que fazem isso porque a parcela maior do salário é paga em direito de imagem.Isso não é legal? Direito de imagem também é salário, é uma forma de fraudar. Do jeito que eles estão fazendo é uma clássica fraude ao contrato de trabalho, o ordenamento jurídico vigente não prestigia esse tipo de procedimento. Direito de arena? Também é salário. Tudo isso deve constar então na carteira de trabalho? Tem que está tudo registrado, tudo que o atleta percebe de luvas, bicho, esse mal fadado direito de arena, o próprio salário, a verba in natura para quem recebe auxílio aluguel. Tudo isso é salário, o pior é que os clubes sequer assinam as carteiras dos seus profissionais, que configura outra fraude. Como advogado e presidente do Sindicato dos atletas

A lei que regula o trabalho de atleta profissional de futebol, é clara. Diz que os contratos e distratos devem ser assinados de próprio punho pelos jogadores. No caso do América, isso não ocorreu.”

O atleta só é patrimônio do clube quando está no auge e rendendo bem. Quando machuca, vai para o INSS e passa a receber o salário registrado em carteira, que é bem pequeno.”

eu invoco os órgãos competentes a realizar uma grande fiscalização nos nossos clubes. Por tratar-se de contrato especiais com prazo determinado, eles são obrigados a assinar a entrada e a saída dos seus empregados e não reter o documento dos profissionais. Esse procedimento acarreta algum tipo de ilegalidade? Ele assina a entrada, deixa no clube sem dar sequer um recibo ao jogador, quando o atleta vai buscar e

FELIPE GURGEL repórter de Esportes

P

residente do Sindicato dos Atletas Profissionais do Rio Grande do Norte, o advogado Felipe Augusto disse estar atento às várias irregularidades que estão em andamento dentro dos clubes e do futebol potiguar. Ele protesta contra o fato da Federação NorteRiograndense de Futebol estar permitindo o início de partidas sem a presença de ambulâncias no estádio e denuncia que em jogos realizados entre clubes do interior, sequer há a presença de um médico em campo, uma condição essencial para realização de uma partida de futebol. Em tom desafiador, o advogado também denuncia a relação promíscua entre os dirigentes e os empresários de futebol, que arrancam dinheiro do atleta usando os mais diversos tipos de expediente. Denuncia a diretoria do América de prática irregular, ao obrigar seus jogadores a assinar um documento de rescisão de contrato em branco, no ato da assinatura do contrato de trabalho e diz estar preparando duas ações judiciais em favor de Hércules e Diogo, ressaltando inclusive que houve a falsificação da assinatura dos atletas no documento de rescisão. Mas as polêmicas não param por aí.

se não aceitar o que lhe foi proposto, os dirigentes retem o documento do atleta e depois dizem que o jogador simplesmente não apresentou a carteira de trabalho ao clube. Como deveria ser esse procedimento de acordo com a lei trabalhista? O jogador teria de entregar a carteira, receber um recibo do clube e 48 horas depois ir pegar o documento já assinado pelo clube. Esse procedimento deve ser participado com os demais colegas, pois caso seja necessária uma tutela juridicional eles possam falar a favor ou até contra o companheiro. É assim que tem que ser. Como é que se resolve isso,basta o clube querer se profissionalizar mais? Deveria fazer isso, mas os nossos clubes ainda estão naquela de fazer o jogador assinar contrato com uma rescisão em branco, isso é uma tremenda sacanagem. Isso vai contra a CLT, o clube não pode fazer um contrato com um jogador e esse por não jogar bem ele mandar embora. Mas,isso não seria como uma espécie de justa causa, uma defesa dos clubes neste mercado lou-

co do futebol? Não isso não é motivo de justa-causa, só os motivos relacionados no artigo 482: ato de improbidade, embriaguez, abandono de emprego e outros, menos má produção. O risco neste caso é do patrão, do clube, da empresa de um modo geral. Pode ser do atleta em caso de embriagues, indisciplina. Neste caso tem que se buscar a justiça para que essa prática seja tornada unilateral por culpa exclusiva do empregador, jamais do atleta. Se ele provar que assinou a rescisão forçada, sob algum tipo de ameaça, a mesma será caracterizada como coercitiva. Tem mais algo que não costuma vazar para a imprensa? A lei que regula o trabalho de atleta profissional de futebol é clara. Diz que os contratos e distratos devem ser assinadas de próprio punho pelos jogadores. No caso do América isso não ocorreu. Eu tenho os contratos de Diogo e vou provar que o meu cliente não assinou a rescisão e que a assinatura dele foi fraudada por um rapaz chamado Glauco. Vou provar que essa rescisão assinada no dia 29 de janeiro foi ilegal. Mas, isso também não é muita ignorância dos jogadores,não? É. Também não seria um pouco de má-fé dos ditos empresários do futebol? O problema do empresário hoje é que eles se fazem de dirigente. É por isso que eu não tenho um atleta empregado em clube algum. Eu não posso defender os interesses do meu atleta e do clube ao mesmo tempo, o empresário depende do clube. Tem vários em-

presários atuando em Natal que não gostam de mim, porque ele joga o rapaz no clube, recebe o dinheiro do clube, divide com o dirigente na grande maioria das vezes e depois quando o atleta e jogado para fora do clube eles ficam procurando encaixá-los em outro lugar para evitar futuras ações trabalhistas. Mover ações trabalhistas contra os clubes,não fecham as portas para os atletas? E vai ficar sem receber? Arturzinho entrou com uma ação contra o América e depois esse mesmo América foi atrás dele. Tem outros tantos casos de jogadores que foram recontratados depois de acionarem os clubes judicialmente. Isso é comum no futebol. No futebol do RN tem vários casos. O que você acha da classe dirigente dos clubes potiguares? Com as exceções de praxe, a maioria é formada por patifes. Usam a imprensa para promoção pessoal, os clubes para roubar e os atletas para afogar os seus recalques por não ter conseguido um dia se tornar um jogador profissional. Isso é o que eu acho. Você se arriscaria dizer nomes? Eu cito o nome de um como injustiçado, Judas Tadeu. O ABC em que pese as injustiças sofridas por Judas, ele não errou por irresponsabilidade, mas por amar demais. Eu acho que ele não caiu na real ainda e não entendeu que a razão deve ser maior que a paixão. Por causa disso, o ABC só vai começar a pagar as dívidas de 2009, de forma mais efetiva, a partir de abril. O que foi pago até aqui foi besteira. Eles tem a mim como o cão tem a cruz. Eu já fui obrigado

a deixar o Machadão num camburão da PM porque os torcedores não entendem que as dívidas dos clubes são feitas pelos próprios dirigentes. A relação clube x atleta continua sendo brutal? O atleta só é patrimônio do clube quando está no auge e rendendo bem. Quando machuca vai para o INSS e passa a receber o salário registrado em carteira, que é bem pequeno. Ai é um tal de gente passar fome e se desesperar, existem vários atletas nessa situação. Ben-Hur que ganhava R$ 16 mil no ABC, hoje recebe mil reais do INSS e mais uma quantia de quatro ou cinco mil por fora, está sendo muito injustiçado e é contra isso que eu brigo. Ben-Hur manifestou o interesse de colocar o ABC na Justiça? Não, eu apenas o orientei e espero que deem um jeito na situação dele, para que depois o atleta não venha a ficar como o maior prejudicado nessa história. Prejudicado Ben-Hur já está. Neste caso o melhor é haver uma negociação, quando não se paga apenas o que está na carteira e nem aquilo que foi acertado com o atleta. Os dirigentes daqui não podem ser encarados como dirigentes. Como ex-presidente, como você vê a atuação do Tribunal de Justiça Desportiva no Rio Grande do Norte? O TJD precisa passar por uma grande faxina. Depois que saí, constatei que o órgão é uma grande fonte de arrecadação de dinheiro. Isso tudo passa pelo enorme jogo de interesse que circula pelos seus pares, com raríssimas exceções, como o doutor Francisco Honório, Mirocem Ferreira Lima, Raimundo Nonato Fernandes e José Gomes da Costa. O Tribunal precisa ser comandado por pessoas desse nível. A qualidade do Tribunal está muito baixa. Existe uma insegurança jurídica muito grande. O mandato de presidente do TJD tem a duração de um ano. Você passou apenas seis meses. Qual foi o motivo da sua saída? Minha saída se deu pelo simples fato de que comecei a notar que os julgamentos eram cartas marcadas. Decidi deixar a presidência no dia em que um dirigente ligou para mim às 7h, dizendo que o julgamento estava empatado. Como meu voto seria o decisivo, ele me ligou pedindo minha “ajuda”. Isso, o julgamento iria acontecer só a tarde. Foi aí que percebi que não valia a pena continuar como presidente do Tribunal.


esportes

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

3

[ PAULISTÃO ] Enfrentando uma crise técnica e sem dinheiro para investir em grandes nomes, o Palmeiras aposta no conhecimento do novo técnico para motivar o grupo

Apito Final EVERALDO LOPES - elopes@tribunadonorte.com.br

Um jejum que dura 23 anos então jovem torcedor do Alecrim FC, que pela última vez que viu o Verdão sagrar-se campeão estadual, no mínimo hoje já é um quarentão, quem sabe sendo até avô. Foi no quase distante 1986 que o Alecrim FC colocou as últimas faixas de campeões nos seus jogadores. Foi num 17 de agosto, no Machadão, ao empatar sem gol com o ABC o “Periquito” festejou o bicampeonato 85/86 tendo Ferdinando Teixeira como treinador. Na época, era um jovem treinador de apenas 39 anos. Do seu elenco campeão, muitos ainda estão aí como testemunhas da festa do bi. A equipe laureada foi esta: César Etcheverry, Saraiva, Lúcio Sabiá, Ronaldo e Soares, Doca, Odilon e Didi Duarte, Curió, Baíca e Edmo, tendo como árbitro o hoje analista da Globo, César Virgílio.

O

Um jejum (2)

Um jejum (3)

Do time que pisou o gramado do Machadão, César hoje é um microempresário em Natal, Lúcio Sabiá faleceu há três anos, em Fortaleza, terminando sua história como porteiro do estádio presidente Vargas. O ala Soares é treinador de futebol, atualmente sem clube, o meiocampista Edmo é o combativo jornalista esportivo Edmo Sinedino, exDiário de Natal, hoje titular de um dos blogs mais visitados na área esportiva, é também analista de televisão.

Porém, a maior curiosidade reside no fato de, no último campeonato conquistado pelo Alecrim FC, em 1986 lá estava o meiocampista e grande ídolo da torcida alecrinense, Didi Duarte jogando ao lado de outro cracaço, Odilon. Talvez nem Didi lembre mais desse detalhe. Anos antes, Didi havia ganho outro Estadual, dessa vez como jogador americano. Didi tem também seu nome perpetuado como autor do gol mais rápido feito no Machadão, em 1981, aos 35 segundos de jogo.

Gol relâmpago Foi numa ABC x América dia 17/04/81 que Djair Duarte – o Didi Duarte fez o gol mais rápido no ainda estádio Castelão. O goleiro do ABC era Caetano, dada a largada da partida, a bola foi adiantada para Didi, quando ele viu Caetano adian-

tado, arriscou o chute de longa distância, dando sorte porque a bola encobriu o goleiro. O lance só não está no Guinness porque a equipe da TV- U ainda não havia iniciado a transmissão da partida (em p/b, ainda na época.)

Liberação A imprensa mossoroense estava esperando por todo o dia de ontem a liberação do estádio “Leonardo Nogueira”, que se encontra interditado há algumas semanas, com enorme pre-

juízo para a Liga e os dois clubes que participam do Estadual. Pelo que se diz, o problema é que, a cada vistoria, surge uma falha a mais, impossibilitando a liberação.

INGRESSOS NOS SACOLÕES O ABC informa a seus torcedores, que o clube está disponibilizando mais cinco pontos de venda de ingressos para o clássico ABC x Alecrim, logo mais à tarde. Nas cinco lojas “O Sacolão” (Norte Shopping, Centrro – av. Rio Branco, centro da cidade, Sacolão Alecrim, Sacolão lagoa Nova e Capim Macio).

Chance O mossoroense Antônio Rivelino, um da turma da nova safra 2010, vai ter sua primeira oportunidade neste domingo, sendo o árbitro central do jogo Centenário x ASSU, no estádio “9 de janei-

ro”, em Pau dos Ferros. É um bom teste porque as duas equipes não têm mais chance neste primeiro turno, facilitando o trabalho de todo trio. Até agora, Rivelino vinha atuando como árbitro reserva.

Ano negro Dirigentes, torcedores e até mesmo a imprensa reconhecem que a temporada 2010 tem sido ingrata demais para o futebol mossoroense. Além da campanha sofrível do Potiguar e apenas razoável do Baraúnas, a inter-

dição do estádio “Leonardo Nogueira” tem sido um duro golpe para os dois clubes, com faturamento zero em termos de estádio. Os deslocamentos para outras praças aumentam os gastos.

Agora, o São José Agora (2) Cumprindo o penúltimo compromisso do turno, ontem diante do Baraúnas, o América se volta agora para a Copa do Brasil. Na quarta-feira, enfrenta o São José/Macapá. A delegação segue nesta segunda-feira às 14h30 pela TAM, com chegada prevista para meia noite.

Jornais de Macapá anunciam que o São José teme enfrentar o América porque o clube potiguar está há mais tempo em atividade e em plena disputa do Estadual/RN, enquanto o time local somente agora faz seus coletivos, sendo notório o atraso com que iniciou a preparação.

LIÇÃO Não passou despercebida a excelente atuação do árbitro Lourival Saraiva no jogo ABC x Potiguar. Discreto, bom preparo físico, sério, Saraiva calou a boca dos que previam se enrolasse diante dos comentários nada agradáveis de Poti Júnior. LIÇÃO (2) Serviu também para colocar um ponto final nesses comentários dias antes da partida, até mesmo como forma de intimidação. É difícil acreditar que um árbitro (até mesmo de bola de peladas) solte foguetão quando um clube adversário perde. Vou fazer como o coleguinha Dionísio Outeda. Calma, Poti, calma...

Contra a crise, Verdão vai atrás da vitória no clássico ão Paulo (GP) - A solução encontrada pela diretoria do Palmeiras para apagar o ‘incêndio’ no clube foi demitir Muricy Ramalho e contratar Antônio Carlos. Porém, a crise só diminuirá em caso de vitória no clássico contra o tranquilo São Paulo, que, apesar de pensar no rival, já vive o clima da Copa Libertadores da América. Hoje, às 17 horas, o Verdão conhecerá a influência da troca de comando no desempenho dos atletas. Porém, uma eventual derrota no Palestra Itália certamente aumentará ainda mais o tumulto nos bastidores. E o elenco está ciente da responsabilidade. “É o momento de o Palmeiras levantar a cabeça, porque temos um clássico pela frente. Na última partida, vivemos uma noite difícil em que ninguém estava inspirado em campo”, avisa o volante Edinho, lembrando da derrota para o São Caetano, que custou o emprego de Muricy. Alheio à crise alviverde, o Tricolor luta pela vitória para tentar chegar à zona de classificação do Campeonato Paulista e aumentar a boa fase contra o rival. A última derrota para o Verdão aconteceu na semifinal do Estadual de 2008. De lá para cá, os rivais se enfrentaram cinco vezes, com três empates e dois triunfos sãopaulinos. Apesar da vantagem, a ordem no grupo tricolor é ignorar a situação desconfortável do oponente. “O Muricy é mais antigo de profissão (que o Antônio Carlos), mas é natural que toda mudança traga alguma alteração no pensamento, pois cada jogador quer seu espaço. Mas, independentemente disso, jogar no Parque Antártica é difícil por si só”, analisa o capitão Rogério Ceni. A partir da chegada de Antônio Carlos, o Palmeiras espera, pelo menos, recuperar o eficiente futebol apresentado durante grande parte do Campeonato Brasileiro do ano passado, quando liderou a competição por 19 rodadas.

JOSÉ PATRÍCIO/AE

Embalado, Santos quer manter liderança

S

Antônio Carlos trabalhou para corrigir as principais falhas do time WANDER ROBERTO/VIPCOMM

Com uma boa perfomance no Paulistão,Washington está animado

A diretoria acredita que a nova comissão técnica terá a oportunidade de alcançar as principais colocações no Estadual e um bom resultado na Copa do Brasil. “No futebol, sabemos que não há muito tempo, mas entendemos que era momento de tomar uma decisão porque ainda há tempo para conseguirmos algo positivo lá na frente”, explica o vice de futebol Gilberto Cipullo. Contudo, Antônio Carlos vai entrar em uma verdadeira fogueira no clássico do Palestra Itália. Ele assumiu o time no treino de sexta-feira à tarde, portanto quase não pôde realizar modificações.

[ ATLETISMO ] Brasileiro veio ao país para fugir

FICHA TÉCNICA

MIRASSOL

SÃO PAULO

SANTOS

Marcos;Figueroa, Léo,Danilo e Wendel; Pierre,Edinho,Márcio Araújo e Cleiton Xavier;Diego Souza e Robert.Técnico: Antônio Carlos Zago

Rogério Ceni;Renato Silva,Xandão e Miranda;Cicinho, Jean,Hernanes,Cléber Santana e Jorge Wagner;Marcelinho Paraíba e Washington.Técnico: Ricardo Gomes

Árbitro:Rodrigo Martins Cintra Assistentes:João Bourgalber Nobre Chaves e Giulliano Neri Colisse Horário:17 horas (de Brasília) Estádio:Palestra Itália

Saudades, faz técnico de Jardel apressar volta

CAMPEONATO PAULISTA Monte Azul x Rio Claro Palmeiras x São Paulo Barueri x Santo André Mirassol x Santos Bragantino x Botafogo São Caetano x Mogi Mirim

F

Renê;Anderson Luis, Amarildo,Bruno Perone e Felipe Soares; Diogo Orlando,Gérson,Alex Silva e Éder; Lins e Evando Técnico:Pintado

Felipe;Pará,Edu Dracena,Durval e Léo;Rodrigo Mancha,Arouca,Wesley e Marquinhos;Robinho e André Técnico:Dorival Júnior

Árbitro:Fabio de Jesus Volpato Mendes Assistentes:Felippe Cirillo Penteado e Tércio Roberto Thomson Nogueira Horário:17h Estádio:José Maria de Campos Maia

JOGOS PELO BRASIL CAMPEONATO CARIOCA Vasco x Botafogo

britânico, que treinou o recordista mundial do salto triplo, Jonathan Edwards - 18,29 metros, obtidos em 1995. “O melhor inverno (temporada indoor) que Jadel já teve foi em 2006, no Mundial de Moscou (quando o brasileiro foi vicecampeão). Acredito que hoje ele esteja tão bem ou até melhor”. E Stanley não se refere apenas à parte física. “Ele também está mentalmente mais forte. Mais centrado, sabe?” Jadel, como bem se sabe, não foge da polêmica. Em recente entrevista à Agência Estado, acusou membros da comunidade atlética de perseguição, após a suspensão do auxílio financeiro pago aos que vivem fora do País. Stanley, que recebe dinheiro da CBAt para treinar o brasileiro, não entra na polêmica. Fala, apenas, da pouco conhecida vida de Jadel na Inglaterra. “Ele vive de maneira frugal. É de casa para o treino. Mas nos damos muito bem. Afortunadamente, compartilharmos mais risadas do que lágrimas”. Mostra-se também impressionado com outra habilidade do saltador. “Quando começamos a trabalhar, ele mal sabia o inglês. Hoje, além de se comunicar perfeitamente, fala espanhol e italiano. E entende um pouco de russo e japonês”.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS

do rigoroso inverno inglês e trabalhar melhor

oram apenas três semanas no Brasil. Duas em Maringá e a outra em São Paulo. E Peter Stanley, de 56 anos, técnico de Jadel Gregório há quase cinco, só pensa em voltar. “Da próxima vez, trago a minha mulher!”, avisou. Impressionado com o sabor das frutas (“Adorei o limão e o abacaxi”) e com o tamanho da caótica capital paulista, Peter veio ao País pela primeira vez, entre o fim de janeiro e o começo de fevereiro, para fugir das dificuldades impostas pelo clima tipicamente britânico. A neve que caía inclemente em Gateshead, cidade de 78 mil habitantes onde vivem ele e Jadel, atrapalhava o deslocamento para os treinos - consequentemente, a programação do triplista. Jadel passou por dificuldades nos dois últimos anos, embora tenha chegado às finais dos Jogos de Pequim/2008 (terminou em 6.º) e do Mundial de Berlim/2009 (foi o 8.º). Agora, o triplista de 29 anos tenta retomar o caminho de 2007, ano em que bateu o recorde sul-americano (17,90m) e foi vice-campeão mundial. Jadel quer, finalmente, alcançar os 18 metros. Stanley dá risada quando o brasileiro pede que ele não fale em números. “Posso apenas fazer uma comparação”, disse o

Líder absoluto do Campeonato Paulista, com 22 pontos ganhos, quatro pontos a mais que o segundo colocado (Botafogo-SP), o Santos busca aumentar a sua série invicta no torneio. O Peixe, que acumula seis vitórias seguidas na competição, busca o seu sétimo triunfo consecutivo, diante do Mirassol, hoje, às 17h, no Estádio José Maria de Campos Maia (Maião). Mas, para este confronto, válido pela décima rodada do Paulistão, o técnico Dorival Júnior terá problemas para montar a equipe que encara o Leão da Alta Araraquarense. Isto porque, o meia Paulo Henrique e o atacante Neymar receberam o terceiro cartão amarelo na goleada sobre o Bragantino, por 6 a 3, na última rodada, e cumprem suspensão automática neste domingo. Sem Ganso e Neymar, o treinador pode modificar, inclusive, o esquema tático do Peixe contra o Mirassol. Marquinhos, recuperado de um corte no supercílio, sofrido na vitória sobre o Rio Claro, deve ocupar a posição de Paulo Henrique.

CAMPEONATO MINEIRO Caldense x Uberlândia Uberaba x América-TO América x Villa Nova

Democrata x Ipatinga CAMPEONATO GAÚCHO Inter x Novo Hamburgo CAMPEONATO PARANAENSE Operário x Toledo Coritiba x Paraná Nacional x Atlético CAMPEONATO PERNAMBUCANO Salgueiro x Santa Cruz Central x Sete de Setembro Vera Cruz x Cabense Araripina x Vitória

INTERNACIONAL

DIVULGAÇÃO DOS NOMES PARA A LIBERTADORES SAI NESTA SEGUNDA-FEIRA A tarde no Beira-Rio foi de reviravoltas. Primeiro, o Inter comunicou que não divulgaria a lista de inscritos para a disputa da Libertadores. Depois, a direção conseguiu modificar a situação, anunciando que a lista seria divulgada após o treino. Porém, tudo voltou para o começo e a relação de jogadores que disputarão a primeira fase do torneio sairá somente na segunda-feira. O imbróglio está relacionado ao recém contratado Pato Abbondanzieri. O goleiro chegou na quinta-feira, a direção agilizou o máximo que pôde para a sua regularização. Segundo os dirigentes está tudo certo, porém, eles não querem correr nenhum tipo de risco. Sua estria diante do Emelec está garantida.


esportes

4 | Natal Rio Grande do Norte |Domingo| 21 de fevereiro de 2010

[ CAMPEONATO CARIOCA ] Depois de ser goleado no primeiro clássico,

Botafogo vai tentar a revanche hoje em cima da equipe Cruzmaltina

Marcos Lopes lopesrn@hotmail.com

Fórmula quase perfeita ão existe melhor sistema de disputas para o futebol do que os pontos corridos. Foi a partir da adoção desse sistema que a CBF conseguiu ordenar o Campeonato Brasileiro nas duas principais divisões e deve fazer o mesmo com a Série C a partir do ano que vem. Com pontos corridos não existem distorções e prevalece a justiça, premiando sempre a equipe mais competente. No futebol potiguar, a federação encontrou um meio termo que pelo menos busca a proximidade com a justiça na disputa na medida em que se o primeiro colocado abrir uma diferença de mais de três pontos em relação ao segundo, garante a conquista do turno sem e necessidade de disputas. Eu particularmente defendo uma competição disputada essencialmente por pontos corridos sem a necessidade de finais e com todos jogando contra todos. Somou mais pontos é campeão e fim de papo. A FNF preferiu abrir a possibilidade de garantir os tradicionais jogos entre primeiro e segundo para decisão de turno, desde que o primeiro colocado não abra aquela diferença superior a três pontos, mas mesmo assim a competição sob o ponto de vista da disputa pelo título está interessante nesta reta final. O que não está agradando é o nível técnico da competição e eu já abordei o assunto aqui mesmo, mas o acirramento da disputa está agradando, até porque o campeão do turno já garante uma vaga na Copa do Brasil do ano que vem, que é uma competição que pode ser extremamente importante pelo aspecto financeiro. A formula de disputa do Estadual se aproxima daquilo que eu considero como ideal, pontos corridos com todos jogando contra todos, e disputado por no máximo oito equipes. Teríamos a partir daí um campeonato enxuto e com certeza fortalecido do ponto de vista técnico.

N

COPA DO BRASIL O América viaja nesta segunda-feira para Macapá – eu viajo terça – para a primeira partida contra o São José, que até a ultima sextafeira não tinha nenhum jogador regularizado no BID da CBF. O time amapaense começou a trabalhar no dia 16 e mesmo reconhecendo que o futebol é cheio de surpresas, o América viaja como favorito para eliminar o jogo da volta. Precisa vencer o Tricolor do Laguinho por uma diferença de dois ou mais gols. O jogo é no sexagenário estádio Glicério Marques.

ALECRIM É PEDRA NO SAPATO Já faz tempo que o Alecrim se transformou na pedra no sapato do ABC. Neste domingo, o time Verde vai para o Frasqueirão em um confronto direto com o alvinegro, tentando manter a condição de único time invicto na competição. O Alecrim, assim como o ABC e o Corintians estão brigando diretamente por uma vaga na final deste primeiro turno. É um clássico mas ainda assim eu acredito que o ABC leve uma ligeira vantagem sobre o Alecrim, mas não será um jogo fácil. O Verdão se transformou até agora em um exímio exterminador de treinadores. Te cuida Didi Duarte!

Fim de jogo, fim de papo EMERSON DO AMARAL

ARBITRAGEM E MAIS ARBITRAGEM O Vice-Presidente do ABC, Poti Júnior aproveitou os dias que antecederam a partida contra o Potiguar de Mossoró e sapecou uma pressão explícita sobre o árbitro Leandro Saraiva Dantas – que fez uma ótima arbitragem – afirmando ter recebido informações que Leandro é torcedor do América. Achei um exagero de Poti Júnior. Leandro Saraiva Dantas apitou bem porque é um bom árbitro. O cartola desperdiçou uma grande oportunidade de ficar calado. Aliás ainda sobre arbitragem, eu penso que o TJD bem que poderia instaurar um inquérito para apurar tantas denúncias e reclamações sobre as arbitragens no Estadual. Chamar os dirigentes, cobrar explicações e até apresentações de provas sobre possíveis erros de arbitragem. O que não pode é a cada rodada da competição um árbitro ser tirado para bode expiatório.

Pedro Albuquerque assumiu o Corintians e colocou o Galo na briga por uma vaga para a final do turno. Pedrinho foi campeão estadual com o Corintians em 2001 e autor da famosa frase:“meu time não joga com a bunda na parede”.

Clima de Revanche na decisão da Taça Guanabara SÁTIRO SODRÉ/AGIF/AE

campeão da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca, será conhecido hoje, às 17h, quando Vasco e Botafogo se enfrentam no Maracanã, no Rio de Janeiro. O Cruzmaltino, que eliminou nos pênaltis o Fluminense nas semifinais, após empate sem gols no tempo normal, chega mais credenciado, pois fez a melhor campanha da fase de classificação, quando massacrou o próprio Glorioso por 6 a 0. Além disso o time de São Januário tem melhores valores individuais que o rival. Se o Vasco se agarra no presente, a principal aposta do Botafogo é o histórico, seja recente ou mais antigo. O Glorioso jamais perdeu uma decisão para o Cruzmaltino e na última vez que se enfrentaram em uma final de Taça Guanabara, os botafoguenses fizeram 1 a 0, em 1997, gol do exzagueiro Gonçalves. Além disso, o desempenho do Botafogo, que luta pelo bicampeonato, tem sido impressionante. Ele esteve presente nas últimas nove finais consecutivas possíveis do estado, contando Taça Guanabara, Taça Rio e o próprio Estadual. Nas semifinais deste ano o Alvinegro eliminou o Flamengo com um triunfo, de virada, por 2 a 1. O equilíbrio nas credenciais das duas equipes deixa seus treinadores bem confiantes. Tanto o vascaíno Vágner Mancini, como o botafoguense Joel Santana, apostam que deixam o Maracanã com o título hoje.

O

FICHA TÉCNICA VASCO BOTAFOGO Fernando Prass,Elder Granja,Fernando,Titi e Márcio Careca;Nilton, Souza,Léo Gago e Carlos Alberto; Philippe Coutinho e Dodô Técnico:Vágner Mancini

Jéfferson,Fahel, Antônio Carlos e Fábio Ferreira; Alessandro,Leandro Guerreiro,Eduardo, Lucio Flavio e Marcelo Cordeiro; Herrera e Loco Abreu Técnico: Joel Santana

Estádio:Maracanã,no Rio de Janeiro (RJ) Horário:17h Árbitro:Marcelo de Lima Henrique (RJ) Assistentes:Dibert Pedrosa (RJ) e Ricardo Maurício de Almeida (RJ)

Loco Abreu é a esperança dos botafoguenses para vencer o Vasco MARCELO SADIO/AGIF/AE

Artilheiro do campeonato, Dodô pretende marcar com ex-clube

“Clássico da Paz “ é marcado por goleadas dos dois lados Vasco e Botafogo travam o clássico mais pacífico do futebol carioca. Isso porque suas torcidas raramente entram em conflito, o que já levou o jogo a ser denominado o “Clássico da Paz” em homenagem à paz que reina no estádio e proximidades quando os dois times se defrontam. Dentro de campo, a história é um pouco diferente porque é um confronto marcado por grandes goleadas como aconteceu recentemtente no turno quando o Vasco aplicou 6 a 0 no rival. Só nos últimos três jogos entre as duas equipes foram marcados 15 gols. No confronto entre os dois clubes, o Vasco leva uma boa vantagem. Eles se enfrentam desde 1923 e disputaram 313 partidas entre compromissos oficiais e amistosos. O clube de São Januário obteve 138 vitórias contra 81 do Bo-

tafogo e 90 empates. Os vascaínos marcaram 501 gols e sofreram 419. Os dois clubes decidiram a primeira Taça Guanabara em 1965 que terminou com a vitória cruzmaltina por 2 a 0. O primeiro confronto entre Botafogo e Vasco ocorreu em 22 de abril de 1923, em General Severiano, válido pelo Campeonato Carioca daquele ano. A partida terminou 3 x 1 para o Vasco, com gols de Mingote, Paschoal e Cecy. Nilo descontou. A maior goleada do Botafogo sobre o Vasco foi por 5 a 0 e ocorreu no dia 11 de junho de 1988, em General Severiano, partida válida por competição nacional. Em 29 de abril de 2001, no Maracanã, o Vasco fez 7 x 0, com três gols de Juninho Paulista e dois de Romário, além dos de Pedrinho e Euller, em partida válida pelo Campeonato Carioca.

FLUMINENSE

FLAMENGO

DALTON E MAICON NA EXPECTATIVA DE VOLTAR

NOVO UNIFORME CAUSA POLÊMICA

Se preparando para a estreia na Copa do Brasil, na próxima quarta-feira, contra o Confiança, em Sergipe, o Fluminense segue treinando no estádio da Portuguesa carioca, na Ilha do Governandor. Nesta sexta-feira, as boas notícias ficaram por conta da volta aos gramados do zagueiro Dalton e do atacante Maicon. Ambos somente deram voltas no campo, mas têm chance de atuar na semana que vem. Dentro de campo, o técnico Cuca fez muitas alterações na equipe durante o treinamento.

Flamengo apresentou nesta sexta-feira seu novo uniforme, com o escudo da Confederação Brasileira de Futebol CBF) e a inscrição hexacampeão brasileiro no peito, o que gerou polêmica. A diretoria do Sport avisou que vai processar a Olympikus, empresa fabricante do material esportivo do clube carioca, por causa desses dizeres na camisa. Os dirigentes alegam que o Flamengo é penta e não hexacampeão nacional, pois a CBF considera o Sport o vencedor do título brasileiro de 1987 e não o clube carioca.


A REVISTA DA TV É UM SUPLEMENTO DA TRIBUNA DO NORTE. NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE.

Jovens repórteres (com o locutor Milton Leite, à esquerda) ganham o cobiçado posto de correspondentes internacionais no SporTV.

Iniciante em novelas,mas experiente no cinema,Nanda Costa cresce no folhetim das 21h com a ambiciosa garçonete Soraia,que agora tenta conquistar Maradona.

Depois de quase dois anos longe das novelas, Priscila Fantin, a Nara de “Tempos modernos”, conta por que hoje prefere as coadjuvantes.

[ PÁGINA 5 ]

[ PÁGINA 12 ]

[ PÁGINA 3 ]

revista da tv Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 21 de fevereiro de 2010

O C I D É M O Ã T PLAN ANCO R B O C E EM JAL T S VIDA’ E A V R E E U V I Q V A DE ‘ TORES H A N S I O C O O Ã M QUEM S DE LUCIANA, A M E CUIDA DE 6 A PÁGINAS

8


Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

revista da tv

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

TERÇA

QUARTA

QUINTA

Nanda simula um enjoo quando Antônio volta para o quarto e sorri ao ver a preocupação do pai. Bruno e Samira decidem pensar juntos para resolver as diferenças entre eles. Cristiana tenta conversar com Bernardo e ele reclama dela se negar a assumir o namoro deles. Nanda simula um desmaio e o médico decide mantê-la no hospital. Victor vai ao hopsital visitar Nanda e se aproveita da tristeza de Cris para beijá-la.

Cristiana empurra Victor e percebe que Bernardo viu o beijo. Bernardo diz a Cristiana que ela tem se decidir para que possa acreditar nos sentimentos dela. Valentina fica furiosa por não conseguir falar com Lucca. Zuleide diz que vai investir em shows de humor e rock para aumentar o faturamento do Rocket. Victor insinua a Bernardo que Cristiana não o beijou sem vontade.

Cristiana diz que não pode assumir o namoro e Bernardo vai embora furioso. Alê e Rafael interrompem a briga de Valentina e Lucca, que reage indignado ao ataque da ex-namorada. Bernardo conta para Beto que Cristiana não vai assumir o namoro deles até Nanda melhorar. Bia e Tati ouvem e decidem fazer uma visita para a irmã de Cris. Nanda ignora Cris e simula um desmaio.

Todos se surpreendem com a carta e Rose liga para Juvenal para saber o que aconteceu com Gustavo. Roberto compra a passagem para Buenos Aires em nome de Gustavo e liga para Glória avisando da viagem. Bené desdenha Taís, que fica arrasada ao vê-lo conversa com Patrícia. Uma advogada informa a Rose que Gustavo transferiu a casa para outra pessoa: Verônica entra na mansão, avisa que é a nova dona e expulsa a ex-faxineira.

Dr. Walter confirma a notificação e Rose constata que Verônica está com Gustavo. Davi e Sofia chegam em casa e ouvem a discussão entre Pedro, Débora e Leda. Severo fala com Adalgisa que pretende dar um golpe em Bené. Nuno providencia os documentos para Waldemar reaver sua casa. Rose e Alcino vão ao local indicado por Domenico e encontram as alianças de casamento que estavam com Gustavo. Gustavo percebe que está na mansão.

Verônica diz a Gustavo que quer ganhar a aposta que fez com Alcino. Roberto avisa Verônica sobre as alianças. A vilã sai de casa e mostra para Gustavo que ele está preso. Julieta e Ferdinando veem Domenico sair da casa de Rose e estranham o interesse dele por Gustavo. Glória sai escondida com Roberto para fotografar para a Aromas. Verônica diz que Gustavo precisa voltar a ser como antes, mas ele se recusa.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

Ricardo acode Verônica, que está em choque. Verônica parte para cima de Diogo. Ricardo pede que a noiva se acalme, mas ela diz não se importar com os investidores, que ficam espantados. Verônica grita e Vera pede que Ricardo a controle. Adriano se diverte. Ariosto aparece no salão e Magdalena cobra a separação. Vera diz que pretende fazer uma reunião com todos e diz ainda que pretende destituir Verônica do cargo o mais rápido possível.

Vera quer que Ricardo destitua Verônica e que o filho assuma a presidência novamente. Rodrigo não acredita que isso seja possível. Márcia e Douglas ficam surpresos com o depoimento do garçom do bar em que Verônica estava antes da morte de Mariana. Bárbara termina relacionamento com Clemente. Diogo incentiva Cíntia a assumir o cargo de presidente. Vera e Ricardo chegam a um impasse, já que ela quer Rodrigo na presidência e ele, Adriano.

Vera e Ricardo decidem adiar a reunião para que Cíntia decida quem assumirá a presidência. Verônica diz que o homem que estava com ela na mesa era apenas mais um que a abordava como de costume. Márcia e Douglas acreditam. Ricardo conta para Ariosto que Cíntia é quem irá decidir e pede que ela escolha Adriano para ficar ao seu lado. Rodrigo insiste e Vera acaba aceitando se encontrar com Olga.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO

Lucas joga granada e mais vidros da casa estouram. Tony manda Felipe e Domi pegarem mais armas. Bruno liga para a chácara e Rudi atende. Bruno diz a Caló que se Tony não lhe atender, todo mundo morre. Rudi sai para chamar Tony. Lucas atira e acerta Felipe. Felipe morre. Domi mira e acerta o peito de Lucas. Lucas morre sorrindo. O tiroteio cessa. Paulo conta a todos que Felipe morreu. As mulheres choram.

Bruno assiste à entrevista que Fernanda dá e fica tenso ao saber que ela pode estar grávida. Bruno manda Baruel descobrir se Fernanda está ou não grávida. Fernanda revela a Tony que se envolveu com Jurací e Armando. A atriz revela que quando descobriu que estava grávida de Armando, resolveu abortar. Fotógrafo bate foto de Tony com a mão na barriga de Fernanda. Tony corre atrás do fotógrafo, mas não o alcança.

Paulo conta a Tony que acha que Khalid é o Guri e Laila, sua ajudante. Tony revela a Paulo que Fernanda pode estar grávida. Bruno manda Neide descobrir em qual hotel Fernanda está hospedada. Caló pede pra Paulo ligar para Bruno e avisar que os Castellamare vão acabar com ele. A sós com Fernanda, Bruno exige que ela tire a roupa para descobrir se a gravidez dela é falsa.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO

SEGUNDA

SEXTA

SÁBADO

Inter TV/Cabugi – Canal 11

MALHAÇÃO ID Cristiana se desespera ao ver Nanda desacordada e Bernardo a ampara. Maria Cláudia e Alê planejam o próximo encontro deles. Lucca vai falar com Valentina e se aborrece quando ela reafirma que o relacionamento deles acabou. Cristiana não se anima com Bernardo por se sentir culpada pelo acidente de Nanda. Samira diz a Juju que acha Bruno muito impulsivo e que duvida da vontade dele de se converter.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO

Inter TV/Cabugi – Canal 11

CAMA DE GATO Gustavo consegue fugir e Verônica o segue com Jair. Pedro fica eufórico com a notícia da gravidez de Débora e a pede em casamento. Verônica e Jair perseguem Gustavo, que sofre um acidente e é retirado do carro pela vilã. Verônica leva o ex-marido para uma cabana abandonada. Glória disfarça o ciúme ao ver Nuno e Heloísa. Verônica obriga Gustavo a escrever uma carta para Rose. Cleusa pega a carta com Roberto e a coloca na suíte de Rose.

Rose, Davi, Ferdinando e Julieta enfrentam Verônica. Roberto fica nervoso ao saber que terá que se apresentar como novo diretor em uma reunião com executivos da Aromas. Domenico avisa Rose que a polícia está indo até a mansão para resgatar Gustavo e Verônica ouve a conversa. A polícia invade o quarto onde Gustavo está e Rose corre até ele. Verônica chega em seguida.

Gustavo confirma a versão de Verônica e Rose não entende. Roberto chega em casa e fica atordoado ao ver Waldemar acompanhado por Nuno, Dirce, Paquito e Loló. Alcino convida todos da Aromas para o casamento de Débora e Pedro. Duda troca o CD com a música de entrada de Débora e todos riem. Roberto avisa Rose sobre Verônica e diz que vai levá-la até Glória.

Inter TV/Cabugi – Canal 11

TEMPOS MODERNOS

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

Inter TV/Cabugi – Canal 11

VIVER A VIDA

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

Potengi – Canal 3

BELA, A FEIA Ricardo pede que Verônica faça um DVD com as propagandas mais significativas da agência. Dias depois, Verônica entrega o DVD para Ricardo. Rodrigo faz uma visita surpresa para Vera e Bela se esconde. Diogo troca o DVD certo por sua montagem. Começa a apresentação e ninguém entende nada ao ver o troféu “Vagabunda, analfabeta e ralé”. Ricardo fica furioso. Verônica se descontrola e grita.

PODER PARALELO TV Tropical – Canal 8

2

Lígia e Eduardo chegam a São Paulo. Fernanda conta a história do filme que vai gravar a Tony. Tony fala pra Rudi que a barriga da Fernanda não é postiça. Tony diz a Rudi que vai ver a filmagem para saber se Fernanda está ou não grávida de verdade. Rudi fala pra Tony que quer se livrar do Bruno. Tony diz a Fernanda que não faz sentido ela carregar uma barriga postiça o tempo todo. Ela afirma que faz isso pela personagem.


revista da tv

riscila Fantin já questionou sua trajetória profissional várias vezes. Acostumada a interpretar protagonistas ou antagonistas desde de sua estreia na TV, em “Malhação” (1999), a atriz assume que enfrentava crises ao fim de quase toda novela em que atuava. Depois de dar um tempo do vídeo — ela apareceu pela última vez em “Sete pecados”, exibida até o início de 2008 —, decidiu fazer análise. Hoje, aos 27 anos, completados na última quinta-feira, ela encara a carreira de nova forma. Em cartaz no Teatro do Leblon com a peça “A marca do Zorro”, Priscila, em dose dupla no ar, com a reprise de “Alma gêmea” e a exibição de “Tempos modernos”, explica nesta entrevista à Revista da TV por que precisou mudar de atitude no trabalho e pediu para interpretar um papel de menos destaque na atual novela das 19h. Na trama de Bosco Brasil, ela faz a dançarina Nara Nolasco, que disputa com a mocinha Nelinha (Fernanda Vasconcellos) o amor de Zeca (Thiago Rodrigues).

Você voltou agora num papel de menos destaque depois de ficar quase dois anos sem fazer novelas.Foi uma decisão sua?

Nara tem o tamanho ideal para esse momento em que também estou no teatro. Agora posso elaborar mais e me dedicar com cautela ao papel. Esse é o grande prazer. Por não gravar tanto posso fazer a cena inteira, não preciso ficar no automático. Nara é uma dançarina super para cima. Mas é traída pelo namorado, fica com o orgulho ferido, parte para cima e vai cobrar satisfação. Não chega a ser vilã. Foi isso que te motivou a voltar às novelas?

Uma protagonista exige muito e minha relação com o trabalho mudou. Não sei como seria fazer um papel principal nesta minha nova configuração. Explique melhor essa configuração.

O trabalho para mim sempre esteve em primeiro lugar e foi assim durante dez anos. Notei o desgaste que isso gerou e não dava mais para ser assim. Sempre sentia um vazio enorme após uma novela. Eu me entregava demais aos personagens. Quando chegava ao fim passava o ano seguinte tentando me recuperar. Perdia a identidade e sofria muito para me achar de novo. Esse desconforto me fez repensar a carreira várias vezes. Isso significa que a sua entrega era tão grande que você se misturava aos personagens?

Eu me confundia sempre com o personagem. Era como se eu desse vazão a um determinado aspecto da minha personalidade com o qual normalmente eu preferia não conviver. Claro que sempre mantive a minha essência acima de tudo, mas passei a me divertir e a sofrer também com os personagens. Era uma coisa sem medida, mas estou aprendendo a dosar. Isso sempre aconteceu?

Foi todo um aprendizado na marra. A

Tatiana da “Malhação” tinha um universo parecido com o meu. Aos 19 fui fazer a Maria de “Esperança” e falei: “Não dou conta, não sei trabalhar com a emoção”. Mas confiei no Luiz Fernando Carvalho (diretor) e me joguei. Cheguei a sonhar em italiano e foi a primeira vez em que vivi uma pessoa totalmente diferente de mim. Maria engravidou, teve filho, sentiu a dor do parto... Era para eu ficar 18 capítulos e fiz a novela até o final. Ali me descobri como atriz, mas segui por um caminho de me entregar demais aos papéis. Mas foi o seu entusiasmo pelo trabalho que te fez continuar? Como superou essas crises?

Começava a novela com a certeza de que amava aquilo. Durante o processo era consumida por me entregar demais. Passava a não ter só prazer com aquilo e o questionamento vinha de novo. Depois de “Sete pecados” tirei um ano sabático da TV e fui morar em São Paulo para fazer a peça “Vergonha dos pés” (estreia de Priscila no teatro). No ano passado fiquei três meses em Paris. Estudei francês e fiz um curso de edição de vídeos. E estou fazendo análise há nove meses. A primeira crise veio na época de “Esperança”?

Na verdade foi ainda em “Malhação”, mas por outros motivos. Queria trabalhar com Publicidade, na parte de criação. Nunca fui de assistir a TV e não tinha vontade de ser atriz. Era uma criança que jogava bola na rua. Achava que não iria me acostumar com essa vida (de fama) quando vim para o Rio ser atriz. Vivia num ambiente mais familiar e conservador e foi bem assustador vir para cá. O que foi mais difícil na mudança de Belo Horizonte para o Rio de Janeiro?

O simples fato de ter vindo morar no Rio já foi um baque. E isso aconteceu na mesma

época em que apareci na TV. Sempre gostei da minha liberdade de andar na rua e pegar ônibus. E como você virou atriz?

Sou baiana, mas fiquei lá só até os 4 meses. Morei dos 6 aos 16 anos em Belo Horizonte e tenho o jeito mais reservado do mineiro. Eu fazia fotos publicitárias porque era muito tímida e essa era uma forma de ser outra pessoa. A Globo fez uma busca de novos talentos e fui chamada para um teste depois que uma produtora viu uma foto minha numa agência. O convite para “Malhação” veio no período em que fazia um intercâmbio nos Estados Unidos. Relutei por quatro semanas até aceitar. Você ensaiou “A marca do Zorro”durante meses.O que foi mais difícil?

Tivemos uma preparação física grande. Treinamos esgrima (Priscila participa de cinco lutas durante o espetáculo), treinamento de parkour e dança flamenca. Mas o mais difícil foi encontrar o tom da peça. No começo eram duas horas mais dramáticas, num ritmo mais lento. Foram feitos alguns ajustes depois e tive que seguir com esse universo sofrido da personagem (a mocinha Esperança), mas dar uma leveza, uma comicidade ao que era dramático por natureza. E a exposição da sua vida particular? Isso ainda te incomoda?

Já me incomodou quando falavam alguma coisa que não era verdadeira. Isso era muito grave para mim. Lembro que na época de “Sete pecados” me arrumaram uns cinco namorados. Senti isso muito forte quando comecei na carreira. De repente eu estava sendo cobrada por várias coisas, tinha que dar satisfação da minha vida. Mas aprendi a lidar com isso.

FÁBIO ROSSI

P

ideal

ZEAN BRAVO

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte 3

Do tamanho

Domingo | 21 de fevereiro de 2010


4

revista da tv

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

»TEMPORADA DE NOVIDADES

Apesar de já estar em contagem regressiva, “Ugly Betty”(Sony) continua rendendo bons momentos,graças a America Ferrera.

Semana coalhada de estreias.Hoje,chegam a nova temporada de “Monk”(às 21h,no Universal) e a comédia inédita “Royal pains”(às 20h,no Sony,na foto).Amanhã,vêm safras fresquinhas de “Brothers & sisters”(às 23h,no Universal) e “Private practice”(às 22h,no Sony).Na terça,às 22h,a Fox volta a exibir “Lie to me”.

SERIAIS

Mesmo divulgada,a reprise do episódio duplo de “Lost”(AXN),na terça,no lugar do inédito, pegou muita gente de surpresa.

TÉLIO NAVEGA - TOM LEÃO - VALQUÍRIA DAHER

DIVULGAÇÃO

» PARA A AGENDA

Anote no caderninho:em março, estreiam no Brasil “NCIS:Los Angeles”(dia 3,no A&E),a primorosa terceira temporada de “Dexter”(dia 13,no FX) e a oitava leva de “24 horas”(na Fox, ainda sem data certa).

NOTÍCIAS DO ‘FRONT’ O canal americano CW renovou as séries “The vampire diaries”, “Gossip Girl”e “Supernatural”.O destino de “Melrose Place”,“One Tree Hill”,“Life unexpected”e “Smallville”permanece incerto.

FLASHFORWARD

Mais uma safra de enigmas

A

esta altura, todo fã de seriados que se preze já ouviu falar de “FlashForward”. Anunciada como sucessora de “Lost” e envolta em hype, a série de mistério chega ao Brasil esta semana com o pé mais ao nível do chão. Passado o frisson inicial e depois de enfrentar alguns problemas, a produção estreia nesta terça, às 22h, no AXN. As comparações com a trama de J.J. Abrams se devem, principalmente, ao roteiro enigmático. Em vez do acidente da Oceanic, a série começa com uma catástrofe em escala global: um desmaio que acomete toda a população mundial por dois minutos e 17 segundos. Durante a epidemia de inconsciência, cada

pessoa tem uma visão que parece refletir o que será sua vida dali a seis meses. No eletrizante primeiro episódio, o agente do FBI Mark Benford (Joseph Fiennes) começa a investigar o fenômeno. Ele parte do seu próprio delírio premonitório, onde viu de relance informações sobre o caso num mural. Enquanto isso, tem que lidar com uma questão pessoal: quando estava desacordada, sua mulher, a médica Olivia (Sonia Walger), enxergou seu futuro com outro homem. Outros personagens intrigados por suas visões incluem a agente Janis (Christine Woods), uma lésbica que ao que tudo parece ficará grávida; e

Aaron Stark (Brian F. O’Byrne), um amigo de Benford que revê sua filha tida como morta no blackout. Quem mais sofre é Demetri, parceiro do protagonista, que não se lembra de sua premonição. Será que ele morrerá em seis meses? “FlashForward” começou com elogios da crítica e audiência de 12,4 milhões de pessoas. Depois de desdobramentos considerados duvidosos, parte do público se desinteressou. A crise se agravou quando dois dos criadores da série, David Goyer e Marc Guggenheim, abandonaram a produção. Agora é hora de os brasileiros descobrirem se todo o hype foi ou não justificado.

E AGORA,VAI? Alex O’Loughlin (foto) será o protagonista do badalado remake de “Havaí 5-0”. O galã já foi escalado pela CBS para duas outras séries:“Moonlight”e “Three rivers”. Ambas terminaram na primeira temporada.

HOWARD NO ESCRITÓRIO O protagonista de “Numb3rs”, David Krumholtz,foi escalado para protagonizar o piloto de uma nova série produzida por Ron Howard e passada num escritório.O roteiro é de Brent Forrester,de “The office”.

BIGELOW NA TV Kathryn Bigelow (“Guerra ao terror”) vai dirigir e produzir o piloto de “The miraculous year”, nova série da HBO sobre um compositor da Broadway.


Domingo | 21 de fevereiro de 2010

revista da tv

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

5

FOTOS FÁBIO ROSSI

Time de novos repórteres esportivos do SporTV: vários destinos pelo mundo

ZEAN BRAVO

praia, o chope no final da tarde com os amigos e outros programas concorridos da estação ficaram em último plano na vida de 11 jovens jornalistas neste começo de ano. Mas não seria exagero afirmar que o verão de 2010, ainda em curso, será inesquecível para o grupo. Selecionado através do processo seletivo Passaporte SporTV, lançado no ano passado, o time de repórteres passou boa parte do mês de janeiro e do começo de fevereiro em um treinamento intensivo para assumir os cobiçados postos de novos correspondentes internacionais do canal. — Quando lançamos a campanha para anunciar o processo seletivo, nosso pessoal do marketing criou um slogan dizendo que esse é o emprego dos sonhos — diz Raul Costa Jr, diretor executivo do SporTV, um entusiasta da nova leva de aprendizes. — Propus uma renovação de talentos logo que cheguei ao canal, em março. Esse grupo está preparado para várias situações. Eles são dotados de conhecimentos gerais, não só esportivos. A oportunidade de atuar como correspondente internacional já no início da carreira de um jornalista é rara. Para honrar a função, os novos repórteres do canal passaram por diferentes etapas de aprendizado, que englobou produção, edição e gravação da própria reportagem. Uma das orientações seguia uma tendência cada vez mais em voga entre os profissionais esportivos da TV: serem os mais naturais e informais que puderem diante das câmeras. — Sempre quis ser correspondente inter-

A

Enviados e s p e c i a i s SporTV reforça seu time com 11 novos repórteres selecionados para atuar como correspondentes internacionais nacional cobrindo esporte, mas será um desafio grande. Vamos viajar sozinhos, sem equipe. Nós mesmos vamos filmar, atuar como repórteres, editar e gerar as imagens para o canal — afirma o carioca Miguel Yen, que irá para os Estados Unidos e também cobrirá eventos esportivos no México. A seleção dos jornalistas recém-formados teve início em julho de 2009. Os 11 escolhidos saíram de uma lista de 100 mil candidatos. Com idades entre 23 e 30 anos, os repórteres vieram de diferentes cantos do Brasil. No grupo, há gente do Rio de Janeiro, de São Paulo, da Bahia, do Paraná, do Sergipe, de Santa Catarina, do Rio Grande do Sul e de Minas Gerais. Dois deles atuarão como repórteres na redação do canal na capital carioca. Os outros nove já começaram a viajar para destinos diferentes, como Estados Unidos, Espanha, Coréia do Sul e Líbia. Alguns já começam a dar a cara no vídeo a partir desta semana. — Esse intensivo pelo qual o grupo passou foi mesmo exaustivo. A maior parte dos selecionados já tinha experiência em jor-

Miguel Yen filma e entrevista Rodrigo Albornoz durante treinamento

nais impressos e tivemos que reforçar bastante a parte do texto para a TV, que é diferente — explica Laura Rejane, chefe de reportagem do canal que acompanhou o grupo durante todo o processo. O treinamento também serviu para aproximar os novatos dos profissionais do canal e da TV Globo. Jornalistas experientes como Marcos Uchôa, Tadeu Schmidt e Fátima Bernardes conversaram com os recém-formados durante os workshops promovidos pelo SporTV. O novo grupo também ficou íntimo de uma série de equipamentos definido pelo canal como kit correspondente (com notebook, câmera, cabos e acessórios). Contratada inicialmente até o final da Copa do Mundo, a turma de novos correspondentes não cobrirá os jogos da África do Sul. Mas mostrará o movimento em torno do evento em diferentes cantos.

Palavra de ordem: versatilidade Quando se fala em nova linguagem do jornalismo esportivo,um bom exemplo que pode inspirar a turma do SporTV é Thiago Leifert,há um ano editor-chefe e apresentador do“Globo esporte”em São Paulo.O jornalista,que já passou pelo SporTV, é cria da TV Vanguarda,de São José dos Campos.Apesar de não ter sido correspondente,Leifert cobriu grandes eventos esportivos,como a mais recente Olimpíada,realizada na China.— Eu teria me inscrito neste projeto dos correspondentes do SporTV na minha época — conta Leifert,de 29 anos.— O canal está atrás de versatilidade.Por isso o repórter aprende a dirigir,ser câmera e precisa ter esse conhecimento mais técnico. Leifert não só trouxe a sua informalidade para o“Globo esporte”como também impôs o seu perfil como modelo do atual jornalista esportivo na televisão,ao abolir o teleprompter.— A gente ouve vários depoimentos de gente que não gostava de esporte ou futebol,mas com isso passou a assistir ao telejornal.


ionel Fischer, Patrícia Carvalho-Oliveira, Arieta Corrêa e Cristina Flores não têm vergonha alguma em revelar que estão dando um duro danado para interpretar seus personagens diante das quatro câmeras do set de “Viver a vida”. Lionel não cansa de pedir dicas a Lilia Cabral para o seu dr. Moretti; Patrícia teve apenas dois dias para criar sua Larissa; Arieta confessa que errou ao carregar nas tintas dramáticas de Laura; e Cristina lê o roteiro integral de todas as cenas para entrar no clima. Veteranos no teatro, eles se consideram novatos na TV e não ligam de ser coadjuvantes no plantão médico do folhetim. Pelo contrário, correm atrás para mostrar que “papel pequeno” é uma questão de ponto de vista. — Para quem tem formação teatral, não existem pequenos papéis. Isso de se preocupar com o tamanho das personagens, e até com a quantidade de falas, é fruto da vaidade que a televisão cultiva e estimula — afirma o autor Manoel Carlos, que não abre mão da escolha do elenco em todos os seus trabalhos. — Quando dou um papel a alguém de teatro, ator ou atriz, esse alguém nunca me pergunta se o papel é grande, mas se o papel é bom, se dará a ele oportunidade de mostrar um bom trabalho. Eles nunca misturam tamanho com qualidade. Maneco vai além na definição do quarteto que interpreta personagens fundamentais para a recuperação de Luciana (Alinne Moraes): — São excelentes profissionais, mais dedicados ao teatro do que à televisão. Além de talento, todos têm formação cultural sólida e cultivam uma rara disciplina. Sempre se saem muito bem. Afinal, sabemos que o teatro é o pai e a mãe da arte de representar — explica o autor. Indicada duas vezes ao Prêmio Shell na categoria de Melhor Atriz — por “Memória afetiva de um amor esquecido” (2009) e por “Dilacerado” (2005) —, Cristina Flores não pensa em deixar o teatro de lado, imagina, mas quer investir mais fichas na carreira televisiva. — Quero continuar na TV, estou focada nisso. Desejo engatar “Viver a vida” com outro trabalho. Sou apaixonada por interpretação e a televisão tem um potencial muito grande. Acho fantástica essa novela que fala em superação no Brasil em 2010 — comenta a atriz carioca, de 34 anos, que iniciou a carreira com Antônio Abujamra, na companhia Os Fodidos Privilegiados, e depois fundou o grupo Os Dezequilibrados com o diretor Ivan Sugahara. Em sua estreia nas novelas, como a enfermeira Vitória, Cristina contracena com um amigo dos palcos, Mateus Solano, que se divide entre o médico Miguel e o arquiteto Jorge. — Somos grandes amigos. Fizemos juntos a peça “Últimos remorsos antes do esquecimento”, de Jean-Luc Lagarce. O Mateus era mais novinho, magrinho — lembra a atriz. O intérprete do chefe da tropa de elite vestida de branco, Lionel Fischer, conhece Mateus Solano de carnavais muito mais remotos. O ator e também crítico teatral já foi professor do galã. — No intervalo das gravações falo: “Mateus, você me deve a vida... Não faz graça não” — diverte-se o ator, de 60 anos, enquanto fala sobre as dicas que recebe do aluno aplicado. — Peço realmente ajuda, pois não entendo nada de televisão. A Lilia Cabral e o José Mayer (que vive Marcos) também foram bárbaros comigo. Curioso que, de 1989 para cá, já fiz milhões de críticas sobre peças de todos eles. No início das gravações ficou um clima entre o crítico e os atores, mas fiz questão de

L

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

Veteranos nos palcos,atores que integram a equipe médica de ‘Viver a vida’defendem seus pequenos papéis como gente grande

JOANA DALE

revista da tv

branco

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

Trupe de

6

quebrar logo essa barreira pedindo ajuda. A história de Lionel Fischer, na TV, não é assim tão recente. Ele fez, entre outras participações, Fernando, o cafetão de Capitu (Giovanna Antonelli) em “Laços de família” (2000). De lá para cá, ele se aprimorou no ramo da medicina, interpretando cinco médicos até ganhar o papel de dr. Moretti: Já fui obstetra, ginecologista, cirurgião geral, neurocirurgião e psiquiatra. Só da Gabriela Duarte, fui médico duas vezes. Mas depois do dr. Moretti, que é um tradicional personagem de Maneco em todas as suas novelas, não quero mais saber de vestir o jaleco branco. Quero fazer outras coisas, como uma bicha louca! Se depender de Manoel Carlos, no entanto, outros tipos

Patrícia Carvalho-Oliveira: preparou Alinne e Taís

sérios virão por aí: O Lionel tem uma cara nobre, ideal para médicos, diplomatas, juízes. É um ator seguro, que estimula seus colegas de cena. E ele é um homem de teatro completo — diz o autor. Cria de Antunes Filho, a paulista Arieta Corrêa, de 32 anos, já trabalhou ao lado do diretor Gerald Thomas e atualmente tem feito elogiados espetáculos com Felipe Hirsh, como a peça “Não sobre o amor”, que vai reestrear no circuito carioca ainda este ano. — Eu sou teatro-cabeça. Muita gente vem me perguntar: “Como assim você está fazendo novela?”. A vida me direcionou para teatro, mas quero aprender TV — explica Arieta, que em 1996 fez seu primeiro trabalho na telinha,


Domingo | 21 de fevereiro de 2010

revista da tv

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

7

FOTOS DE ANA BRANCO

Lionel Fischer: deu aula de teatro para Mateus Solano

Arieta Correa:foi a empregada Chiquita em “Rei do Gado”

Cristina Flores: indicada duas vezes ao Prêmio Shell

como a empregada do Senador Caxias, a Chiquita, em “Rei do Gado”. — Eu era virgem, tinha 19 anos. Brinco que perdi a virgindade na televisão com o Carlos Vereza. A atriz diz que, desta vez, começou errando com Laura. Será esse o motivo para que Vitória, enfermeira da noite, tenha aparecido mais do que Laura, nos capítulos mais recentes de “Viver a vida”? Polêmicas à parte, o fato é que Maneco afirma que as duas continuam se revezando ao lado de Luciana. — Eu sei que comecei equivocada. Falei: “Meu Deus, é drama, não posso sorrir”. Mas é justamente essa contradição que a história pede. Reconheço totalmente meu erro. E o que eu fiz? Fui tomar sol... Tô com marquinha de biquíni pela primeira vez na vida! Hoje estou

vivendo a vida e, nas minhas últimas cenas, a Laura já está com mais esperança. Quem tem esperança para dar e vender é a fisioterapeuta Larissa, a personagem de Patrícia Carvalho-Oliveira. Escalada para entrar na trama aos 45 minutos do segundo tempo, ela cavou a sua estreia na TV pelas beiradas. Explica-se: Patrícia foi a preparadora de elenco responsável pela elaboração dos personagens de Alinne Moraes, Taís Araújo, Mateus Solano e Aparecida Petrowky. — O Jayme Monjardim (diretor da novela) me fez o convite numa segunda-feira e na quarta eu já estava gravando. Fiquei meses preparando todo mundo e tive apenas dois dias para entrar em cena como a fisioterapeuta.

O Jayme disse que eu seria a atriz ideal para o papel pois já estava fazendo o trabalho corporal com a Alinne desde abril do ano passado — lembra a atriz carioca de 35 anos, que começou a carreira como bailarina, aos 15. Quando resolveu fazer teatro, Patrícia se matriculou no curso do Tablado. Além de projetos solo, trabalhou com Domingos Oliveira e com a companhia Atores de Laura. Um dos seus xodós é o monólogo “Passaporte 8574”, que em 2006 recebeu uma bela crítica de... Lionel Fischer. — Foi por isso que ele me convidou para fazer parte da equipe médica dele — conclui, aos risos. [LEIA MAIS NA PÁGINA 8]


8

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

o lado do chafariz do Parque Lage, no cenário montado ao ar livre pela equipe de produção de “Viver a vida”, a fisioterapeuta Cristina Kurthy observa tudo de longe. No intervalo da gravação, ela se aprochega. Gesticulando, conversa com Alinne Moraes e com Patrícia Carvalho-Oliveira — a paciente Luciana e a fisioterapeuta Larissa — dando dicas de como fazer o movimento da trava do cotovelo para a modelo (que está com o tríceps anulado) ficar sentada sozinha. O exercício, que representa mais um passo na recuperação da jovem, é bastante complexo. E Manoel Carlos, o autor, faz questão que essas cenas sigam à risca os procedimentos da vida real. — Qualquer assunto que se coloque em uma novela das oito é de extrema importância, ainda mais quando o que está sendo refletido é a realidade de um hospital. Portanto, a pesquisa de texto é extremamente criteriosa, contamos com profissionais sérios, referências em suas áreas — explica a pesquisadora Marina Torres. Especialista em atendimento a pacientes com lesão medular, Cristina Kurthy é apenas uma integrante do time de profissionais que prestam consultoria para o elenco que veste jaleco branco. — Montei a equipe de médicos para atender Luciana com a ajuda do Dr. Paulo Niemeyer, neurocirurgião referência. Toda a pesquisa de texto para o dr. Moretti (personagem de Lionel Fischer), neurocirurgião da trama, é feita com base no trabalho do Dr. Paulo. Há também um fisiatra que acompanha a Luciana na trama, dr. Alexandre (Caetano O’Maihlan). Para seu personagem, estamos em contato com o dr. Luis Catanhede. No set, há uma médica, dra. Tereza Cristina, que trabalha com outros profissionais. Ao lado da produção de arte, eles ajudam na composição do ambiente e nas

A

revista da tv

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

?

Posso tirar uma

dúvida ANA BRANCO

Especialistas em lesão medular prestam consultoria a elenco que ‘cuida’de Luciana

Cristina Kurthy e Rachel Araújo observam Patrícia e Alinne

ações dos atores — enumera Mariana. Já as enfermeiras Laura (Arieta Correa) e Vitória (Cristina Flores) fizeram laboratório por conta própria. Cristina, por exemplo, visitou o Hospital do Fundão. — Lá conheci uma enfermeira chamada

Marinalva, que tem espírito de guerreira. Ela é muito determinada, feliz. Então entrei numa de construir esse tipo. Aprendi que, enquanto o médico cuida da doença, a enfermeira cuida da pessoa — diz Cristina. O trabalho de Cristina Kurthy, da Holoclí-

nica, dobrou após Luciana receber alta hospitalar. Além da consultoria básica de cada dia, a fisioterapeuta desenvolve um programa completo de exercícios em forma de roteiro que é adaptado pela equipe de dramaturgia. — Uma cena simples como “Larissa coloca a mão na escápula e faz um movimento de abdução” precisa de tradução para os leigos. Por isso, em todas as cenas em que há exercícios, ponho a Rachel Araújo, uma de minhas assistentes, de plantão no set — explica Cristina. — Eu fico na criação e Rachel garante a execução nas gravações diárias. Após o ensaio da cena, a atriz Patrícia Carvalho-Oliveira troca figurinhas com Cristina: Eu não largaria a minha paciente... — comenta Patrícia, sobre uma escorregada de Luciana. — Eu também não — opina Cristina, que é só elogios para a atuação de Patrícia. — Vários colegas me perguntam se ela não é fisioterapeuta de verdade. Patrícia tem pegada de fisioterapeuta. Ainda no Parque Lage, ao lado da jornalista tetraplégica Flávia Cintra, que presta consultoria para Alinne Moraes, Cristina explica que além de passar dicas técnicas a Patrícia, ela também ensina como funciona o papel psicológico da fisioterapeuta. — Após um acidente como o da Luciana o paciente sofre uma mudança muito brusca e a família se desestrutura junto. É com o fisioterapeuta que todos criam uma íntima rede de segurança. — Eu sou amiga da minha fisioterapeuta até hoje — diz Flávia, enquanto observa a cena com Cristina. — Essa trava do cotovelo era fundamental para dar uma esclarecida. Ass pessoas acham que tetraplégica só mexe o pescoço... Outra coisa: estou louca para ver a a sexualidade da Luciana. — Eu também! Já estou fazendo insinuações nos roteiros — responde Cristina, animada.

TV GLOBO/MÁRCIO DE SOUZA

TV GLOBO/JOÃO MIGUEL JÚNIOR

Doutores em sedução

O’Maihla foi protagonista na Band: repercussão agora é maior

Caetano O’Maihlan deixa escapar uma risada e entrega a cantada que escutou dia desses na academia:“Queria um doutor desse lá em casa!”.O paulistano,de 29 anos, passou a ouvir gracinhas desse tipo — e em vários outros lugares,até no metrô —,desde que entrou em“Viver a vida”para interpretar o fisiatra Alexandre,médico da equipe que atende Luciana (Alinne Moraes).Ele não está só.O gaúcho Rafael Seig foi outro que ganhou mais espaço na trama das 21h agora,depois que o seu personagem,Neto, tornou-se neurologista da mocinha do horário nobre no lugar de Miguel (Mateus Solano). — O médico acaba sendo,de uma certa maneira,uma espécie de herói que chega com aquele jaleco branco e tem o poder da cura.Isso corresponde ao arquétipo do galã — palpita O’Maihlan. O ator integra o cenário hospitalar da novela, mas tem trama própria:é o atual namorado

da médica Ellen (Daniele Suzuki),que mais usa Alexandre para deixar seu ex,Ricardo (Max Fercondini,outro bonitão do núcleo), enciumado. — É bacana para o personagem circular.Outro dia a Isabel (Adriana Birolli) deu em cima dele.Acho interessante essa possibilidade que o Maneco criou.Gosto de viver o lado profissional do doutor,mas essas interferências da vida pessoal também são boas.Alexandre e Ricardo são como dois galos no galinheiro.— diz O’Maihlan,que em 2008 protagonizou a novela“Água na boca”, da Band.— Nunca estive tão exposto.A novela das oito da Globo é o topo da mídia. Apesar de ser galã do horário nobre, O’Maihlan,que já foi modelo,com passagens por Paris e Nova York (onde também trabalhou como garçom),ainda circula de ônibus pela cidade e pega van para gravar no Projac.— Sempre me sustentei como ator,mas tive que fazer

concessões — pontua. Tanto o paulistano quanto o gaúcho Rafael Sieg integram a Companhia Teatro Íntimo e pretendem voltar aos palcos em breve no espetáculo“Cidade das mariposas”.Vindo do interior do Rio Grande do Sul,Sieg já passou pela oficina de atores da Globo em 2008 e fez pequenas participações em produções da emissora antes do papel em“Viver a vida”. — Vim para o Rio um tempo atrás e cheguei a trabalhar numa locadora e a dar aula de teatro para me manter — enumera Sieg,de 30 anos. Agora,Neto começa a despertar o interesse da retraída Mia (Paloma Bernardi),que ainda é virgem.— No começo da novela eu era só o amigo do Miguel.Agora o Neto passou a trocar olhares com a Mia.Estou torcendo muito para esse romance dar certo — entrega o ator,que ao contrário de O’Maihlan não ouviu nenhuma cantada na rua.— Ainda não fui reconhecido. [Zean Bravo]

Rafael Sieg: romance de Neto e Mia (Paloma Bernardi) vai decolar


revista da tv

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

Programação de tv InterTV Cabugi/Globo -11 05:50-Santa Missa 06:50-Sagrado 07:00-Globo Comunidade 07:30-Pequenas Empresas 08:00-Globo Rural 08:55-Auto Esporte 09:30-Esporte Espetacular 12:30-A Turma do Didi 13:05-Temperatura Máxima:Super Escola de heróis 14:58-Globo Notícia 15:01-Domingão do Faustão 16:50-Futebol 2009 19:00-Domingão do Faustão 20:45-Fantástico 23:10-Big Brother Brasil 10 23:55-Domingo Maior:Apostando a vida 01:33-Flash Big Brother Brasil 10 01:39-Sessão de Gala:O americano tranquilo 03:15-Corujão FOTOS:DIVULGAÇÃO

00:15-DOC TV IV — Sou negro não sei sambar 01:15-Programa de Cinema:“Meu Brasil”

TV Mult tv/Rede TV! - 17 06:00-Ultrafarma 08:00-Igreja Universal do Reino de Deus 08:30-Avanti Midia 09:30-Pé na Estrada 10:00-Interligado 10:30-Pague Menos 11:45-Programa Carlos Cunha Show 12:00-Médico de Alma e Corpos 13:00-Tempo de Avivamento 13:30-Avanti Midia 14:00-Auto Mais 14:45-Caçadores de Aventuras 15:15-Transição 15:45-Olhar Digital 16:15-Interligado 17:25-Planeta Turismo 18:15-Ritmo Brasil 18:45-Bola na Rede 21:00-Pânico na TV 23:30-Dr.Hollywood 00:15-É Notícia 01:15-A Hora e a Vez da Pequena Empresa 02:00-Igreja da Graça Nosso Lar 04:00-Super Papo

TV Potengi/Bandeirantes - 3

Domingo no Cinema: No embalo do amor

07:00-Mundo Real 07:30-Vida e Missão 08:00-Posso Crer no Amanhã 08:30-A programar 08:45-TV Jam 09:00-A Glamourosa 09:30-Multirio 10:00-A Programar 10:30-Brasil Caminhoneiro 11:00-Rota Sertaneja 12:00-Caçador de Relíquias 13:00-Uma Escolinha Muito Louca 14:00-Band Esporte Clube 16:30-Futebol 2010 — Campeonato Carioca: Final 19:00-Terceiro Tempo 21:00-Vídeo News 21:30-Domingo no Cinema: No embalo do amor 23:25-De Olho na Copa 23:30-Canal Livre 00:30-Deles & Delas 01:30-Liliana Rodriguez 02:00-Show Mix 02:30-Espaço Vida Vitoriosa

Programação de filmes HOJE SUPER ESCOLA DE HERÓIS Com Kurt Russell, Kelly Preston, Michael Angarano. Lex Luthor é o paraninfo. Evocando o gibi “Astro City”, de Kurt Busiek, o longa-metragem faz a crônica da adolescência do garotão Will Stronghold (Michael Angarano), cuja vida seria simples se ele não carregasse nos genes o DNA de um casal de vigilantes: Comandante (Kurt Russell) e Super Jato (Kelly Preston). Levado para um colégio para jovens superdotados, Stronghold aprende que grandes poderes trazem grandes responsabilidades. Aventura. INTER TV/CABUGI, 13h05m. CHUVA NEGRA Com Michael Douglas, Andy Garcia, Ken Takakura. Shimeji em cubos. Berço de gemas do cinema de ação, a década de 1980 foi sacudida por esta discussão cultural sobre ética, honra e preconceito étnico. Acusado de corrupção, o tira Nick (Michael Douglas, perfeito) tem que ir até o Japão para escoltar o psicótico Sato (Yusaku

HOWARD, O SUPER-HERÓI Com Ed Gale, Lea Thompson, Jeffrey Jones, Tim Robbins. Bala Quen-quen. Criado nas HQs em 1973, por Steve Gerber e Val Mayerik, o pato Howard seduziu a imaginação do diretor George Lucas (“Star Wars”). Lucas farejou lucro nos quadrinhos da ave alienígena que tenta sobreviver na Terra. Interpretado por vários atores com nanismo, em especial Ed Gale, Howard luta para voltar a seu mundo, impedindo que forças das trevas destruam nossa realidade. Aventura. TELECINE CULT, 11h35m. POLAROIDES URBANAS Jaguatirica em pele de gata manhosa. Marília Pêra vive Magali, o vértice mais ingênuo do poliédrico Brasil pintado por Falabella, no qual Arlete Salles brilha na pele de Lise Delamare, uma veterana atriz de teatro. A fotografia é de Gustavo Hadba. INTER TV/CABUGI, 2h10m.

06:00-Via Legal 06:30-Brasil Eleitor 07:00-Palavras de Vida 08:00-A Santa Missa 09:00-Viola Minha Viola 10:00-A Turma do Pererê 10:30-Poko 11:00-Castelo Rá Tim Bum 11:30-Janela Janelinha 12:00-ABZ do Ziraldo 12:45-Curta Criança 13:00-Os Heróis da Praia 13:30-Papo de Mãe 14:30-Cultura Ponto a Ponto 15:00-Stadium 16:00-Assim que Funciona 16:30-Expedições 17:00-Ver TV 18:00-De Lá Pra Cá 18:30-América Latina Tal Como Somos 19:00-Som na Rural 20:00-Conexão Roberto D’Ávila 21:00-Esportvisão 22:30-Arte com Sérgio Britto 23:15-Curta Brasil

06:00-Chaves — Séries 07:00-Pesca Alternativa 08:00-Vrum 08:30-Ganhe Mais Dinheiro Com Jequiti 09:00-Domingo Animado 11:00-Domingo Legal 14:45-Eliana 19:00-Roda Roda Jequiti 19:45-Programa Silvio Santos 00:00-Pegadinhas Picantes 00:30-Harper’s Island — O Mistério da Ilha 01:00-Arquivo Morto — Série 03:00-Nip/Tuck (Estética) — Série 04:00-Jornal do SBT

TV Tropical/Record - 8 08:00-Record Kids 09:30-Domingo de Prêmios 10:00-Record Kids 11:15-Domingo Aventura:A programar 12:30-Tudo é Possível 17:00-Domingo Espetacular 20:30-Programa do Gugu 00:00-Jogos Olímpicos de Inverno — Vancouver 2010 01:00-Programação Iurd

CRUZADA Com Orlando Bloom, Jeremy Irons, Eva Green, Edward Norton. Montantes e cimitarras. Ridley Scott narra aqui a saga do jovem ferreiro Balian (Orlando Bloom), que se transforma em um dos cavaleiros mais importantes na luta dos cruzados para defender Jerusalém em plena Idade Média. Um detalhe: o rei Baldwin IV, sempre escondido sob uma máscara que encobre sua face leprosa, é vivido por Edward Norton. Épico. INTER TV/CABUGI, 22h35m.

TERÇA-FEIRA QUEM SOU EU? Com Jackie Chan, Ed Nelson, Mirai Yamamoto. O saltimbanco trapalhão. Espécie de Renato Aragão versão yakisoba, Chan imprime leveza a esta produção lançada no Brasil em 1999, em um circuito popular — o filme lotou o extinto Art Norte Shopping, lá em Del Castilho. Na trama, Chan é um agente que perde a memória após sofrer um acidente de helicóptero. O próprio Jackie escreveu e dirigiu o longa. Aventura. INTER TV/CABUGI, 23h10m.

9

Rodrigo Fonseca

Matsuda), um mafioso da Yakuza, capturado nos EUA. Uma vez em seu país de origem, Sato foge e, de quebra, elimina Charlie (Andy Garcia), o parceiro de Nick. A morte dele é um convite para que o policial deflagre uma cruzada de vingança que Ridley Scott filma como ninguém. Seu principal acerto foi a escalação do holandês Jan de Bont, que dirigiria “Velocidade máxima” em 1994, como diretor de fotografia. Policial. TELECINE CULT, 19h40m.

ce de dados. Reza a lenda que a carreira de William “Billy” George Zane Jr. foi para o ralo depois que ele assumiu sua homossexualidade na semana em que “O Fantasma” estava sendo lançado. O filme fracassou e ele acabou relegado a telefilmes como esta produção classe BBB. Aqui, Zane é um misterioso apostador que ajuda o motorista Sonny (Sean Carrigan) a escapar de assassinos. Mas sua boa ação tem um preço. Thriller. INTER TV/CABUGI, 23h55m.

NO EMBALO DO AMOR Com Taye Diggs, Sanaa Lathan, Mos Def, Queen Latifah. Açúcar mascavo. Colegas desde a infância, o executivo da indústria fonográfica Dre (Taye Diggs) e a jornalista Sidney (Sanaa Lathan), ambos comprometidos afetivamente, são obrigados a passar a limpo suas noções de fidelidade e de querer quando percebem algo mais do que amizade correndo por suas veias. Comédia romântica. POTENGI, 21h. APOSTANDO A VIDA Com Sean Carrigan, Corrine Van Ryck, Billy Zane. Lan-

O AMERICANO TRANQUILO Com Michael Caine, Brendan Fraser, Rade Serbedzija. Carvão vira diamante. Escrito pelo inglês Henry Graham Greene (19041991) e publicado em 1955, “The quiet american” foi filmado pela primeira vez em 1957, por Joseph L. Mankiewicz, com Audie Murphy e Michael Redgrave. Nesta nova versão, Michael Caine tem uma interpretação memorável, que lhe valeu uma indicação ao Oscar. Caine encarna Thomas Fowler, um correspondente da imprensa britânica na Saigon de 1952. Thriller. INTER TV/CABUGI,1h30m.

Amigo Oculto com Robert De Niro, Dakota Fanning

Dakota Fanning, Famke Janssen. Agora, só no Natal. Martin Scorsese anda discutindo com o mais consagrado de seus atores-assinatura, Robert De Niro, a adaptação do romance “I heard you paint houses”, sobre um matador de aluguel aposentado. O viúvo Callaway (De Niro, na voz melíflua de Hélio Ribeiro) se desespera ao perceber que sua filha, Emily (Dakota, dublada por Ana Elena), passou a agir de modo estranho ao criar um amigo imaginário. Neste momento, De Niro filma “Meet the Fockers sequel”, com Ben Stiller. Thriller. INTER TV/CABUGI, 23h.

AMANHÃ

TV Ponta Negra/SBT -13 TV Universitária/Cultura - 5

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

SEXTA-FEIRA FACA DE DOIS GUMES Com Paulo José, Flávio Galvão, Paulo Goulart, José Lewgoy. Corte seco. Bissexta nas telas, a literatura de Fernando Sabino (1923-2004) rendeu a Murilo Salles um exercício primoroso pelas veredas policiais da sordidez. A trama narra as sequelas de um crime passional: ao saber que sua mulher tem um caso com seu melhor amigo, o advogado Jorge Bragança (Paulo José) elimina os dois. Cabe a Bragança encobrir os rastos de seu pecado. Thriller. CANAL BRASIL, 2h25m.

QUARTA-FEIRA CAÇADA AO OUTUBRO VERMELHO Com Sean Connery, Alec Baldwin, Sam Neill, Scott Glenn. Ganhador do Oscar de efeitos sonoras, o filme traz uma interpretação memorável de Sean Connery como Marko Ramius, capitão do mais poderoso submarino de guerra da extinta União Soviética. Em 1984, em plena Guerra Fria, Ramius tenta aportar a embarcação em águas americanas. Seria um pedido de asilo político ou um clamor de ataque? Para investigar as reais intenções do condecorado militar soviético, a CIA escala seu mais astuto agente, Jack Ryan (Alec Baldwin, perfeito), para ser uma espécie de babá de Ramius. Thriller. MEGAPIX, 19h25m.

QUINTA-FEIRA AMIGO OCULTO Com Robert De Niro,

CHEQUE EM BRANCO Com Brian Bonsall, Miguel Ferrer, James Rebhorn. Borrachudo. A Disney faturou uma grana bonita (US$ 30 milhões) com esta produção despretensiosa. Ao atropelar o adolescente Preston Waters (Brian Bonsall), o criminoso Quigley (o ótimo Miguel Ferrer) dá a ele um cheque assinado sem especificar o valor. O guri abusa e põe nele o valor US$ 1 milhão, gastando mundos, torrando fundos e atraindo o perigo. Comédia. INTER TV/CABUGI, 16h.

SÁBADO ORQUESTRA DOS MENINOS Com Murilo Rosa, Priscila Fantin, Othon Bastos. Tubas, atabaques e pistons. Melhor filme de Paulo Thiago, diretor de “Coisa mais linda”, esta produção é fruto de fatos verídicos, de requintes hitchcockianos. Nos anos 1990, o maestro Mozart Vieira foi acusado de sequestro e pedofilia ao ter irritado políticos de Pernambuco com seu projeto de inclusão pela música. “Orquestra...” se estrutura a partir da precisão da montagem de Natara Ney, que, cheia de elipses, evita redundâncias. Na trama, registrada na fotografia taquicárdica de Guy Gonçalves, nada é mastigado para o espectador. O que o roteiro não explicita, a emoção responde, catalisada por Murilo Rosa, que se reinventa no papel de Mozart. Drama. CANAL BRASIL, 23h.


10 Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

revista da tv

Domingo | 21 de fevereiro de 2010 DIVULGAÇÃO/CARLOS ALVES

COLUNA DO

Clube do Assinante

Benício em ação e duas de suas criações

Promoções e descontos renovados a cada domingo

REPRODUÇÃO

DIVULGAÇÃO

Promoções válidas de domingo (21/02/10) a sábado (27/02/10), limitadas às quantidades em estoque, somente para assinantes da TRIBUNA.

Mestre dos

A New Vision oferece variedade e qualidade em lentes de contato e produtos para higienização e limpeza. Lá, você encontra as opções descartáveis e permanentes, com ou sem grau, etc. Esta semana, a New Vision – Lentes de Contato oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante TN, nas lentes coloridas permanentes, com ou sem grau da linha Optima Natural Look. Rua Princesa Isabel ( Cidade Alta ) e Shopping Midway Mall Tel.: 3222.2843/ 3222.4800

50% à vista (dinheiro) nas lentes coloridas permanentes com ou sem grau da DIVULGAÇÃO

linha Optima Natural Look.

Big Blue Parque Aquático O Big Blue Parque Aquático oferece segurança e diversão em um só lugar. A poucos quilômetros de Natal, em frente a praia de Búzios. Lá, você dispõe de piscinas, toboáguas, monitoramento para a criançada, restaurante, etc. Esta semana, o Big Blue Parque Aquático oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, na entrada do parque, no limite de até 5 pessoas por assinante. Av. Brigadeiro Paulo Salema, s/n, Praia de Búzios Tel.: 3239.2118

50% à vista (dinheiro) na entrada do parque, no limite de até 5 pessoas por assinante.

■ As promoções publicadas na Coluna do Clube do Assinante são exclusivas para assinantes da TRIBUNA DO NORTE, PESSOAS FÍSICAS. ■ Desconto não acumulativo. ■ Para ter direito à promoção,o assinante deverá apresentar a carteira do Clube e a Identidade no ato da compra. ■ Contatosparacredenciamento:Depto.deMarketing.Tel.4006-6100,R.6262. ■ e- mail.mkttn@terra.com.br; clubetribuna@digizap.com.br

cartazes GUSTAVO LEITÃO

e você frequentou as salas de cinema nos últimos 40 anos, é bem provável que tenha se deparado com um ou mais desenhos de José Luiz Benício. Autor de mais de 300 cartazes de filmes nacionais desde os anos 1970, o desenhista é o tema do documentário “Benício — O mestre das pin-ups”, que o Canal Brasil exibe hoje, às 18h, dentro do programa “Retratos brasileiros”. Obcecado por mulheres voluptuosas e fatais, o gaúcho Benício, de 73 anos, criou algumas das imagens mais marcantes dos cartazes do cinema brasileiro. Saiu da sua prancheta, por exemplo, a sinuosa Sonia Braga, entre José Wilker e Mauro Mendonça, do pôster de “Dona Flor e seus dois maridos” (1976). Ou a jovem Vera Fischer, nua, de pernas trançadas, da pornochanchada “A Superfêmea” (1973). Dirigido pelos irmãos Eduardo e João Calvet, o documentário recorre a depoimentos do ilustrador Walmir Amaral e do jornalista Heitor Pitombo para recriar a trajetória de Benício, que também aparece em uma entrevista em seu escritório. Dividido em capítulos, o filme fala das diversas facetas da carreira do desenhista, que, depois de pensar em ser pianista, ingressou em uma agência de publicida-

S

Autor de mais de 300 cartazes de filmes nacionais,o desenhista é o tema do do cumentário que o Canal Brasil exibe hoje de de Porto Alegre aos 16 anos. A produção para o cinema ocupa grande parte do programa. No auge das comédias eróticas brasileiras, nos anos 70, o talento para as formas femininas fez o ilustrador virar xodó da indústria. O realismo do seu traço também o consagrou entre produtores como Luiz Carlos Barreto e Renato Aragão — só para Os Trapalhões, foram cerca de 30 cartazes. Benício conta que era procurado próximo ao lançamento dos filmes e tinha que trabalhar a partir de stills, fotografias tiradas durante as filmagens, que reinterpretava em guache. Muitas vezes, não chegava a ver os longas. — Sou um cinéfilo preguiçoso e a maioria das pornochanchadas não me interessava — conta o ilustrador, que viu o trabalho para o cinema lentamente minguar nos últimos anos. — Desde que a mídia eletrônica se consagrou, ficou mais barato

REPRODUÇÃO

New Vision - Lentes de Contato

e rápido para os produtores fazer os cartazes com o computador. Além da ligação com o cinema, o documentário também destaca seu trabalho para editoras de pocket books. Na década de 50, quando trabalhava para a Rio Gráfica, ele criou capas para uma série de livros de sucesso com a espiã Giselle, assinada pelo jornalista David Nasser. Hoje, a literatura também perdeu terreno no seu trabalho. — Agora recebo muitas encomendas de revistas para ilustrar reportagens — conta.


revista da tv

Domingo | 21 de fevereiro de 2010

»I WANNA ROCK!

O programa especial“VH1 Storytellers:Kid Rock” apresenta um panorama da carreira do cantor desde o início,em 1999,até o lançamento de seu último álbum,em 2007.No ar sexta-feira,às 23h.

»SÓ O MELHOR

O canal A&E exibe os melhores episódios da terceira temporada da série “Numb3rs”antes da estreia da nova fase,em março.No ar nesta quarta-feira,às 19h.

A S E M A N A N A T V PA G A

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte 11

»TAPETE VERMELHO

O E! Entertainment apresenta “E! Special events — from the red carpet:2010 BAFTA awards”, terça-feira,às 19h,com os destaques do tapete vermelho do “Oscar inglês”.

OLÍVIA MENDONÇA

FOTOS:DIVULGAÇÃO

»MAIS UMA Nova queridinha do mundo pop a cantora Ke$ha é a atração de amanhã,às 21h45m,na MTV.A jovem canta quatro canções:“Tik tok”, “Blah blah blah”,“Dinosaur”e “Party at a rich dude’s house”.

»‘BLAIM CANADA’ Oprah Winfrey recebe Celine Dion em seu programa,quinta-feira,às 20h,no GNT.A cantora conta detalhes de seu novo documentário e interpreta alguns de seus sucessos.

»JE T’AIME

A

proveitando o gancho da recente visita de Beyoncé ao Brasil, o Multishow exibe amanhã, às 23h20m, um show da cantora em Las Vegas. A apresentação “I am…Yours an intimate performance at Wynn Las Vegas” é a mesma que ela trouxe ao país este mês e conta com a participação do grupo Destiny’s Child, além de outras surpresas. O evento foi realizado no teatro Encore e as gravações duraram quatro dias. Além do show, o especial mostra também a biografia de Beyoncé e imagens exclusivas dos bastidores da turnê. No repertório, hits como “Single ladies”, “If I were a boy”, “Halo”, “Sweet dreams” e “That’s why you’re beautiful”.

»DE VOLTA AO MAR Bob Esponja,o herói de animação preferido da garotada,está de volta ao Nickelodeon a partir de amanhã,às 17h30m,com novos episódios em sua sétima temporada.São cinco aventuras inéditas,uma em cada dia da semana, que trazem Lula Molusco,Seu Sirigueijo,Plankton e toda a turma da Fenda do Biquíni.

Por ocasião do aniversário de 19 anos de morte de Serge Gainsbourg,o TV5 Monde dedica um programa especial ao cantor francês. O “Acoustic”trará nove músicas do exmarido de Jane Birkin revisitadas pelos cantores da nova geração de seu país.No ar sábado,às 12h.

»PISANTE DE RESPEITO O GNT exibe nesta quarta-feira,às 21h,o documentário “Paixão por tênis”, que comenta a importância dessa peça para o guardaroupa contemporâneo.O especial mostra a história da fabricação do calçado criado para a prática de esportes,os avanços tecnológicos e até as novidades no design dos tênis.

MÚSICA

Canções de sexo no Canal Brasil exo e música popular brasileira são uma mistura frutífera. Para o pesquisador Rodrigo Faour, então... Depois de escrever o best-seller “História sexual da MPB” (Record), em 2006, que se desdobrou dois anos depois no programa de rádio “Sexo MPB”, ele estreia no Canal Brasil, de quarta para quinta-feira, à meia noite, um programa com o mesmo tema: a presença insistente “daquilo” nas criações de letristas e compositores nacionais. Dividido em seis episódios, exibidos sempre na madrugada de quarta, “História sexual da MPB” parte de entrevistas com músicos para mostrar como mudou, ao longo dos tempos, a relação do cancioneiro verde-e-amarelo com suas obsessões: o amor e a luxúria. Os tópicos vão desde o machismo dos primórdios até a sexualidade escancarada do funk, passando pelas letras de duplo sentido, a dor de cotovelo e a androginia. — Tentei misturar humor e conteúdo, criar um trabalho moderno, agradável, que também possa fazer pensar — define Faour. A divisão de episódios do programa, que já tem uma segunda temporada garantida, é semelhante à do livro. A lista de 32 entrevistados, em grande parte, também é coincidente. Mas a série conta com um trunfo fundamental: a possibilidade de mostrar os próprios protagonistas contando suas histórias. Entre esses ídolos, estão Ivan Lins, Erasmo Carlos, Eduardo Dussek, Alcione, Wando, Tito Madi e Ney Matogrosso. Caetano Veloso e Gilberto Gil, que não puderam falar com Faour durante a produção do livro, toparam ser entrevistados para a série. A musa do funk picante Waleska Popozuda foi convocada para falar sobre transgressão.

S

DIVULGAÇÃO/DÉBORA 70

»TUDO É RELATIVO Albert Einstein é tema de um especial exclusivo que o The History Channel exibe amanhã,às 21h.O programa revela a trajetória pessoal e profissional do cientista,entre os anos 1914 e 1919.Apesar de sua principal teoria,a da relatividade,ter sido exposta em 1905,foi apenas em 1911 que ele conseguiu comprová-la,por meio de um eclipse solar.

Rodrigo Faour com Ney Matogrosso: 32 entrevistas para a série


Revista da tv 12

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 21 de fevereiro de 2010 ANA BRANCO

Nanda: infância em Paraty e prêmio no cinema como adolescente grávida

OLÍVIA MENDONÇA

uem vê Soraia saracoteando pelas ruas de Búzios em “Viver a vida” pode ter uma ideia do que era a vida de Nanda Costa até ela se mudar para São Paulo, aos 14 anos, para tentar a vida como atriz. Não que ela seja atiradinha como sua personagem da trama de Manoel Carlos. A semelhança é que, natural de Paraty, Nanda está acostumada ao dia a dia de um balneário. Foi em sua terra natal que ela cismou que um dia seria alguém na profissão. Hoje, quando volta para ver a família, a cidade fica em polvorosa. Como as visitas de Helena (Taís Araújo) à pousada da mãe em Búzios? — Deve ser bem por aí mesmo — divertese a atriz. — Agora o pessoal já se acostumou, mas quando estreei na televisão, até o padeiro da cidade fez uma fornada de pães inspirada em “Cobras & lagartos”. Naquela época, todo mundo já cobrava: “Quero te ver na novela das oito!”. Até chegar ao horário nobre, Nanda enfileirou papéis no cinema e personagens secundários na televisão. Nas novelas, sua trajetória começou em 2006, quando foi convidada pelo diretor Wolf Maya para interpretar a sensual Madá de “Cobras & lagartos”. Mas seu divisor de águas na TV só veio dois anos mais tarde, com o programa “Por toda a minha vida”, em que ela viveu a cantora Dolores Du-

Q

Com pinta de veterana ran. Agora, é a vez de uma personagem sua ganhar espaço na trama das 21h. Soraia, que aparecia pouco, está botando suas manguinhas de fora com a ida de Dora (Giovanna Antonelli) para o Rio de Janeiro. Aos poucos, a ambiciosa garçonete vai se aproximar de Garcia (Mario José Paz) e buscar um lugar no coração do argentino. Aos 23 anos, Nanda já ostenta uma carreira cinematográfica de respeito. Com seis longas no currículo, ela atribui a reviravolta de sua personagem em “Viver a vida”, em parte, a seu desempenho

Iniciante em novelas, mas experiente no cinema, Nanda Costa cresce no folhetim das 21h com a ambiciosa garçonete Soraia, que agora tenta conquistar Maradona

na telona. No fim do ano passado, com a novela já começada, Nanda recebeu o prêmio de melhor atriz no Festival do Rio pela protagonista de “Sonhos roubados”, uma adolescente de periferia que engravida aos 16 anos. — Acho até que meus colegas de elenco começaram a reparar em mim. Antes era só a menina que interpreta a prima da Dora. Por isso que eu não acredito em papéis menores. Meu personagem na novela era pequeno, mas me entreguei de coração — empolga-se a atriz, convocada para o papel de-

pois que a diretora Sandra Werneck a viu como Dalva. Seu crescimento da trama tem se refletido nos passeios diários que a atriz dá por Copacabana, bairro onde mora. Nem adianta o chapéu e óculos escuros: ela agora é popular. — Muita gente vem falar do meu pai na trama,o Onofre (Cláudio Jaborandy), falam do lance dela com o Garcia. Acho graça, não estou acostumada ainda — conta atriz, que jura não ter o menor talento para ser celebridade. — Gosto de me preservar, de manter minha intimidade. Até porque quero que as pessoas me vejam no cinema ou na TV e acreditem que eu sou aquele personagem. Hoje o trabalho é tanto que ela mal tem tempo de se dedicar a outra coisa senão a carreira. Os amigos, espalhados entre Paraty, São Paulo e Rio, são sagrados, e ocupam todo o tempo livre de Nanda. — Não sou do tipo baladeira. Gosto de chamar o pessoal para ir em casa, toco violão, percussão, alguém lê poesia, acho mais divertido — enumera a atriz. — Na real, eu me divirto é trabalhando mesmo. A gente vive várias vidas, acumula muita bagagem... Isso somado à minha história, de ter começado a me virar sozinha desde muito cedo, me dá outra dimensão das coisas. Quando chego para fazer um teste eles sempre esperam uma menina por conta da minha idade, mas eu sou madura.

Tribuna do Norte - 21/02/2010  

ENTREVISTA EXEMPLAR DO ASSINANTE SAÚ DE COLUNAS SUCESSÃO ESTADUAL ENTREVISTAS SUCESSÃO PRESIDENCIAL Petistas aproveitam Congresso Nacional d...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you