Page 1

» OS CLASSIFICADOS DA TN CIRCULAM HOJE COM 2.804 ANÚNCIOS E 16 PÁGINAS

FUNDADOR: ALUÍZIO ALVES - 1921 - 2006

Ano 63 • Número 126 • Domingo, 18 de agosto de 2013

SUSTENTABILIDADE NA INDÚSTRIA Graça Foster, da Petrobras (D) e Izabella Teixeira, do Meio Ambiente (E), vão estar no seminário, amanhã, a partir das 8h, na Fiern. « ECONOMIA 8 »

INICIA AVENTURA DE NEYMAR COMO ESTRELA DO BARCELONA

AMÉRICA VIVE UM DILEMA ENTRE DOIS ESTÁDIOS

Neymar faz hoje, pelo Barcelona, sua primeira partida oficial. Jogo começa às 14h. « ESPORTES 3 »

Seguir no Barrettão ou voltar ao Nazarenão. Este é o dilema do América na Série B. « ESPORTES 1 »

Obra irregular receberá multa sem aviso-prévio « PREVENÇÃO » O Conselho Federal de Engenharia e Agronomia mudou as regras sobre a fiscalização na

construção civil, extinguindo a necessidade da “notificação preventiva” e abertura de “prazos de adequações” para obras que não têm ARTs (Anotações de Responsabilidade Técnica). Uma nova resolução, em vigor há duas semanas, estabelece que o fiscal tem poder para aplicar multas imediatas às obras nessas condições. Na Semurb, o déficit para atender aos pedidos de alvarás é de 15 pofissionais . « NATAL 1 E 2 »

revista da tv

A reforma mais demorada

ALEX RÉGIS

As novas comédias que vêm por aí

tn família

Cresce procura por dieta detox, baseada em alimentos orgânicos, crus e frescos, capaz de eliminar as toxinas do organismo. « TN FAMÍLIA 1 E 3 »

DIAS PARA A COPA

“Esquecido” pela família, Francisco Domingos está há 48 anos no Hospital João Machado. Ele é um dos sobreviventes do tempo em que tratamento mental era sinônimo de isolamento. A reforma psiquiátrica propõe, há 12 anos, acabar com as internações prolongadas, mas ainda está longe de se tornar realidade. « NATAL 5 E 6 »

natal

76

FALE CONOSCO: PABX: Redação:

A pouco mais de um ano das eleições de 2014, os partidos e lideranças articulam possíveis composições e dialogam sem rodeios. São poucos, entre os nomes lembrados para o Governo, quem assume a condição de candidato. Mas, pelo menos nove nomes reúnem condições para a disputa. « PÁGINAS 3 E 4 »

esportes

colunistas

Um chef potiguar no Obra da Ribeira será concluída em setembro circuito de Miami

Natal recebe atletas dos Jogos da Amizade

Woden Madruga

Este é o prazo que a Capuche adotou para finalizar o readequamento sanitário. Dias 24 e 25, a Semob fará interdição no fluxo de saída da av. Rio Branco. « PÁG. 7 »

Colégio organiza competição que movimenta cerca de mil jovens do RN, Ceará e Paraíba. Disputas envolvem nove modalidades. « ESPORTES 6 »

geral

TOTAL DE PÁGINAS DESTA EDIÇÃO: páginas

« MAIS MÉDICOS » Médicos extras vão reforçar programa de saúde familiar

« POLÍTICA » Eleição tem nove nomes em condições para o Governo

Dieta para limpar o organismo de toxinas

298

Em crescimento nos últimos cinco anos - somente em faturamento, a alta foi de 33% no RN e 17,5% no Brasil - a terceirização de mão de obra espera pela regulamentação que tramita no Congresso. Para o juiz do Trabalho, Zéu Palmeira, o projeto vai reproduzir um modelo “predatório e precário” das condições de trabalho. « ECONOMIA 1, 3, 4 E 5 »

Gestores públicos dos municípios que receberão os 45 médicos brasileiros e estrangeiros do programa federal esperam normalizar, com esse reforço, o atendimento do Programa Saúde da Família. No interior, a dificuldade é fazer com que os médicos do PSF cumpram as 40 horas semanais. « NATAL 7 E 8 »

Sucessos da TV, como Crô (Fina Estampa), “Os Caras de Pau” e “Tapas & Beijos” estão cotados para longas-metragens na tela grande. « TV REVISTA 6 E 7 »

faltam

« TRABALHO » Lei que regula terceirização de mão de obra é alvo de críticas

Assinaturas: 4006-6100 Venda avulsa: 4006-6113 Comercial:

4006-6111 Classificados: 4006-6103 Circulação: 4006-6173 Reclamações:

4006-6161 4006-6103 4006-6111

Da Cidade da Esperança, zona Oeste de Natal, para Miami, Costa Leste dos EUA, a trajetória de muito trabalho e sucesso do chef Carlos Silva. « NATAL 9 »

SITE: www.tribunadonorte.com.br REDAÇÃO (pauta): pauta@tribunadonorte.com.br

NO FACEBOOK

facebook.com/tribunarn

Das gavetas de 1970, notícias de Dailor Varela e a saudade do mar. « PÁGINA 2 »

Gaudêncio Torquato

A disputa sucessória antecipada dá o tom da arena política. « PÁGINA 7 »

NO TWITTER

@tribunadonorte

PREÇO DESTA EDIÇÃO:

R$ 2,50


2

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

Jornal de WM WODEN MADRUGA [ woden@terra.com.br ]

No tempo de Dailor

olto às gavetas que guardam papéis desarrumados e de outras eras. Cartas, bilhetes, recibos, cobranças, recortes de jornais, artigos, crônicas, jornais inteiros, às vezes. Há anos, lá se vão mais de 40, tento colocá-los em ordem. Sem sucesso. Esta semana, num envelope de papel madeira já encardido, encontrei, entre outras cartas, uma do poeta Dailor Varela. Não está datada, mas foi escrita no andar da década de 1970, quando ele vivia em São Paulo, fazendo jornalismo e literatura. Natalense, nascido em Goiânia (GO), em 1945, Dailor morreu ano passado (15 de abril, um domingo), aos 67 anos.

V

Começou no jornalismo aqui na TRIBUNADONORTE,meadosdos anos 60, andava aí pelos vintanos e já era poeta, acho que engajado no movimento do Poema Processo, invenção de Moacy Cirne, Nei Leandro de Castro, Anchieta Fernandes, Falves Silva, por aí. Nos anos setenta se mandou para São Paulo. Foi repórter da Folha de S. Paulo e da revista Veja. Da capital paulista se enfiou pelo interior e armou sua tenda na cidade de Monteiro Lobato. Fazendojornalismo(umjornalaqui, outro acolá) e poesia pelas aldeias do Vale do Paraíba. Acho que sua última paragem foi em São José dos Campos. Saudades. Eis a carta: “Woden amigo, Vou mandando aí alguns exemplares do ‘Vale’ pra você dar uma olhada.Comojátefalei,mudeidecasa. Estou no ‘Vale’, como editor regional. O jornal circula em toda a região do Vale do Paraíba. O jornal AGORA,ondeeutrabalhava,fechou depoisemuitairresponsabilidadefinanceira. Mais um que fecha. E a abertura? Está cada vez mais difícil a barra para nós jornalistas neste país. Mas como eu acho que sei um poucooofício,afinaltôcomquase15 anosdebatalha,vougarantindooleite de Maíra e meu vinho chileno. Como te falei, se pintar alguma coisa aí na velha TN de guerra, me dê um alô. Quem sabe a gente volta a trabalhar junto. Por enquanto ficou aqui, tomando vinho pela madrugada (pra acalmar o pavor do frio) e ouvindo “Saudades do Brasil” de Elis, a oitava maravilha do MPB. A sétima maravilha é Caetano, ainda.

O ‘Vale’ tem uma estrutura muito sólida, organizada. O que já é uma vantagem. O Mino Carta me disse uma vez que “o repórter vive a reboque das condições técnicas que o jornal oferece”. Falô e disse. Porque isso de idealismo profissional já era. Como disse outro amigo, o Gualberto, poeta existencialista, o jornalista é um “peão da notícia”. Um peão de luxo, já que estamos num país onde comer carne e tomar vinho é um privilégio. Mas eu estou interessado em alimentar o privilégio. E o ‘Vale’ está me garantindo aqui e agora. Tenho sonhado muito com o mar. E por isso fiz até um poema. Sonhei que estava indo pra Redinha bater um papo com Sanderson, o único gordo em que confio neste país. Confio e amo. Um sonho muito estranho e bonito. Estou escrevendo um novo livro de poemas, com calma. Enquanto isso sábado que vem, dentro das festas de aniversário da cidade, vão aqui homenagear os poetas da cidade. Imagine que vão dar uma espécie de pergaminho pros poetas. E eu estou no meio disso. Vou receber o meu pergaminho de poeta. Você já imaginou, amigo WM? Quem diria! Esta vida cultural me cansa. Eu só quero um beijo de Maíra e ouvir pela décima vez Elis cantando “Canção da América” de Milton. Estou lendo com emoção NAVEGOS de Zila Mamede. Uma beleza. Todo bonito. Como tudo que Zila faz. Uma mulher de “olhos vegetais”. Abração amigo/antigo Dailor”

opinião

Justiça humana no Vaticano CLÁUDIO DELL'ORTO desembargador, presidente da Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro

o editar o Motu Proprio que alterou o Código Penal do Vaticano, o papa Francisco promoveu um dos maiores avanços da história da Igreja Católica Apostólica Romana. A medida, contemplando a aplicação de penas em casos de crimes contra crianças e adolescentes, tortura e lavagem de dinheiro, reduz sensivelmente a defasagem cronológica do sistema jurídico da Santa Sé. Tal anacronismo era tão enfático que a própria comunicação oficial das medidas, feita pela Rádio do Vaticano, salienta que as novas leis alinham-se aos seguintes pactos internacionais: a Declaração Universal dos Direitos Humanos, de 1948; as Convenções de Genebra de 1949, contra os crimes de guerra; a Convenção Internacional de 1965 sobre a eliminação de todas as formas de discriminação racial; a Convenção de 1984

A

Brum

contra a tortura e outras penas ou tratamentos cruéis, desumanos ou degradantes; e a Convenção de 1989 sobre os direitos da criança e seus protocolos facultativos de 2000. Ou seja, adequa-se o Vaticano a normas e princípios implantados há muito tempo na maioria dos países ocidentais. Ao efetivar as mudanças às vésperas de sua visita ao Brasil, o Sumo Pontífice ratifica perante o mundo a sua disposição de combater, com a justiça dos homens, os problemas que têm afetado a Igreja nas últimas décadas e suscitado dúvidas quanto à sua coerência na aplicação de cânones religiosos. Ao ignorar no plano do direito as numerosas denúncias de pedofilia e de desmandos e desvios de recursos em seu banco oficial, o Vaticano comprometeu perante muitos a sua credibilidade como porta voz do Evangelho. Especialistas acreditam que muitos católicos romanos migraram para outras igrejas cristãs em razão desses problemas mundanos que ganharam repercussão midiática.

A tipificação dos delitos de tortura e lavagem de dinheiro e a definição clara dos tipos de crimes contra crianças e adolescentes, incluindo o tráfico humano, prostituição, violência e atos sexuais, prática e divulgação de pornografia, ganham relevo porque revelam a busca de uma jurisdição penal mais eficiente num ambiente que deveria ser marcado exclusivamente pela religiosidade. Reconhece-se a necessidade da justiça humana para assegurar um ministério religioso de maior credibilidade perante os fiéis. Outro aspecto importante do Motu Proprio foi a extinção da sentença de prisão perpétua, considerada inútil e desumana pelo pontífice. Adota-se um regime semelhante ao do Brasil, com pena máxima de 30 anos, como aqui, ou de 35 anos de privação de liberdade. O novo código também inclui dispositivos específicos para crimes contra a humanidade, abrangendo o genocídio e a segregação racial. As medidas inovadoras, que entram em vigor em 1º de setembro, serão aplicáveis, como tra-

Cartas

[ www.rabiscosdobrum.zip.net ]

Violência (1)

Muito se sabe, mas pouco se faz para evitar a matança de jovens. A política não aplicada pelos governantes quando ignoram os sinais de socorro de qualquer sociedade cria situações de desfragmentação da base que é a família que, por sua vez, delega a educação à escola, que delega à sociedade, que exclui o indivíduo de seus direitos constitucionais e a própria sociedade cria mecanismos de eliminação dos indivíduos excluídos. luger@oi.com.br

Violência (2)

Aluízio Furtado Numa outra pasta, outra carta. Esta de Aluízio Furtado de Mendonça, jornalista, contista, acadêmico, advogado, natalense há muito tempo radicado no Recife, onde exerce intensa atividade intelectual (publicou livros, fundou revistas culturais, foi editor do suplemento literário do Jornal do Commercio) e sempre antenado com as coisas de Natal. A carta, postada no Recife, é datada de 8 de outubro de 1982: “Meu bom amigo Woden: Agradeço-lhe a gentileza de publicação do artigo anterior, de que tomei conhecimento através de Alvamar (o irmão mais velho de que falo na crônica que lhe remeto agora).

Agora, nesse segundo trabalho, falo de outras coisas de minha vida, que também me são muito caras, inesquecíveis. O mar, o velho mar de Hemingway, o eterno mar de todos nós! É um mundo rico e poderoso esse que se aloja assim no nosso passado, caminhando com a gente vida afora! Você sabe muito bem dessas coisas. Que coisa fabulosa é tudo isso, meu querido amigo. Sobretudo quando a gente já começa a divisar o fim da estrada, como eu. Muito obrigado por tudo, Woden. Conte com o seu amigo de todas as horas. Um grande abraço, Aluízio”

Em tempo Aluízio Furtado escreveu um “Em tempo” à carta, mais extenso do que a própria carta: “Em tempo: Devo ir aí dentro de poucos dias, terça-feira próxima, talvez, para combinar detalhes sobre iniciativas culturais que estão em estudo, ligadas à nossa Academia, mas com repercussões aí no Rio Grande do Norte. Estamos programando uma reunião conjunta com a Academia Norte-Riograndense de Letras, para começo de dezembro. Possivelmente haverá lançamento de livros, conferência de um escritor daí, e o teatrólogo Reinado Oliveira, encerrando as solenidades, encenaria a sua parte na peça “A CEIA DOS CARDEAIS”, que foi um êxito absoluto aqui no Recife. Os contatos já foram inicialmente mantidos com Onofre Lopes e Veríssimo de Melo, recentemente, quando estive aí. Já está em fase de conclusão, com uma gráfica daqui, a impressão do primeiro número de nossa revista, incluindo colaborações de companheiros da Região. E gostaríamos de contar com a presença de você, de Sanderson, de Veríssimo, de Américo, de Alvamar, de Onofre, de Diógenes – de todo o nosso pessoal daí de Natal, logo nesse primeiro número. Aí, espero conversar com vocês sobre isso, brevemente. Se Deus quiser! Outro grande abraço, Aluízio”

Empresa Jornalística Tribuna do Norte Av. Tavares de Lira, 101 - Ribeira - Natal/RN CEP: 59010-200 Fone: (PABX) 4006-6100 Fax: (0xx84) 4006-6124 Endereço eletrônico: www.tribunadonorte.com.br

Diretor Presidente: Henrique Eduardo Alves Superintendente: José Roberto Cavalcanti Diretor Adm. e Operações: Ricardo Luiz de V. Alves Diretor Financeiro: Agnelo Alves Filho Diretor de Redação: Carlos Peixoto cpeditor@tribunadonorte.com.br Gerente Comercial: Eliane Rocha Gerente de Marketing: Andréia Barandas Gerente de Circulação: Thales Vilar

dição do Estado pontifício, sob a égide do princípio da personalidade, não apenas no território do pequeno Estado incrustado na cidade de Roma, como também em todo o mundo. Isso significa que um padre que cometa um dos crimes previstos dentro de qualquer estabelecimento da Igreja, em qualquer país, estará sujeito, também, ao julgamento e punição pelo sistema judiciário do Vaticano. Assim, além da incidência do Direito Penal do país onde a infração for cometida, opera-se a incidência da legislação do Vaticano, conforme a possibilidade concreta de exercício da jurisdição. Aumenta-se a possibilidade sancionatória, considerando-se qual dos Estados soberanos puder capturar o criminoso. Ao adotar esse avanço legal, a Igreja revitaliza-se perante seus membros, valoriza-se institucionalmente e no âmbito das relações multilaterais e ratifica um conceito universal pétreo: em quaisquer circunstâncias, mesmo que servindo a Deus, os homens não podem viver sem Justiça.

Literatura e ensino jurídico EDILSON PEREIRA NOBRE JÚNIOR juiz federal

ão bem conhecidas as rivalidades entre Eça de Queiroz e Machado de Assis, porventura provocadas pela disputa da posição de primazia no âmbito do realismo literário na língua portuguesa. Amostra expressiva disso se encontra na crítica que Machado publicou em O Cruzeiro, nos dias 16 e 30 de abril de 1878, aos romances O crime do padre Amaro e O Primo Basílio. Quanto ao primeiro, tachouo como imitação do romance de Emile Zola, La faute de l’abbé Mouret. Já quanto ao outro, afirma que se o autor intentou legar no seu livro algum ensinamento, ou mesmo demonstrar alguma tese, falhara na intenção, salvo se é possível supor como tese ou ensinamento o seguinte: “A boa escolha dos fâmulos é uma condição de paz no adultério”. Nada mais ácido poderia resultar de uma pena de ouro. Os dois escritores, mesmo involuntariamente, convergiram num ponto: o do repúdio à fancaria literária. Assim se tem em Machado na série de críticas Aquarelas, publicada em O Espelho, durante os meses de setembro e outubro de 1859. Por sua vez, é de se recordar Eça de Queiroz que, quando de suas Cartas da Inglaterra, aludiu à literatura de Natal que inundara os lares ingle-

S

Classificados Redação Fax Venda Avulsa Assinatura Natal Reclamações Natal ASSINATURA Mensal (à vista) Semestral (à vista) Anual (à vista)

4006-6161 4006-6113 4006-6124 4006-6100 4006-6111 4006-6111 R$ 43,00 R$ 258,00 R$ 516,00

ses da década de 1870, apresentada mediante extraordinários volumes dourados, em encadernações decorativas como fachadas de catedrais, mas que, pelo seu conteúdo, mais serviam para complemento da mobília do que para educar o espírito, não poupando da sua avaliação severa nem mesmo romance publicado pelo Lord Beaconsfield (Disraeli), Primeiro-Ministro favorito da Rainha Vitória. Lancei-me a essas recordações porque, na atualidade, muito me preocupa os rumos a que tem sido conduzido o ensino da ciência jurídica. Contando o território nacional por volta de um mil e trezentos cursos jurídicos espalhados em sua imensidão, todo um alicerce teórico elaborado desde a instalação das primeiras faculdades de Direito, ocorrida há cento e oitenta e cinco anos, vem sendo desprezado. É fato inconteste que grande parcela dos estudantes conclui o seu curso sem, nem ao menos, conhecer os autores que, com profundidade, esmeraram-se em realmente descortinar a essência dos institutos jurídicos, não obstante, em muitos casos, os seus professores se esforçarem em vão por uma opção contrária. Parece terem sido relegadas ao completo abandono as lições de Pontes de Miranda, San Tiago Dantas, Serpa Lopes, Oswaldo Aranha Bandeira de Mello, Sea-

PREÇO DO EXEMPLAR Rio Grande do Norte 3ª a Sábado Domingo Outro Estado 3ª a Sábado Domingo

bra Fagundes, Ruy Cirne Lima, dentre outros, para nos restringir às províncias do direito civil e do administrativo e a autores nacionais. É como se, num paralelo com a ciência política, fosse relegado ao esquecimento o pensamento de Aristóteles, Platão, Maquiavel, Hobbes etc. O mais lamentável é que essa opção é feita em favor dos livros de resumo, de direito descomplicado, de direito sistematizado, de direito sistematizado e descomplicado, e quejandos, mas, providos, sem exceção, de encadernação e apresentação gráfica impecável. Com isso, o ensino jurídico perde – e muito – o seu norte, pois, na busca da compreensão da essência dos seus institutos, não se pode substituir o “porquê” pelo “como”. O retorno aos clássicos – cujas lições nunca se apagam e que servem, inclusive e principalmente, para uma melhor solução dos problemas da atualidade – é um imperativo, pois, conforme afirmou Ítalo Calvino em sua introdução ao livro “Por que ler os clássicos”, que, dentre suas múltiplas características, tais livros exercem uma notável influência ao leitor, sendo toda releitura de um clássico uma leitura de descoberta como a primeira, bem assim por o clássico também constituir um livro que nunca terminou de dizer aquilo que tinha para afirmar.

Interessante perceber que, enquanto os dados assustam a qualquer um, o diagnóstico continua apontado para o alvo errado. O que temos é um problema de base: que é a total desvalorização das famílias, sejam elas de qualquer composição. Hoje, homens e mulheres são mais irresponsáveis no que se refere ao peso que é colocar uma criança no mundo. Além disso, os pais não têm mais autoridade para "educar" os filhos, impondo-lhes limites, e os poucos que ainda têm são recriminados pelos órgãos de proteção à infância. marcosarauju@hotmail.com

Violência (3) Absurdo dos absurdos! Irresponsabilidade do Estado, deixando sua população exposta à criminalidade juvenil (e dos que usam essa "brecha" para conseguir menores que assumam a culpa). A população parece que está acostumada a isso, ninguém protesta, ninguém exige uma atitude. Esta é a razão de tantos assassinatos, a inoperância do Estado. sidartagaut@gmail.com

Violência (4) O papa Francisco disse no Brasil, com muita propriedade, que estamos entrando numa era em que o dinheiro vale mais do que qualquer valor familiar. E a luta pelo dinheiro será a desgraça da humanidade. Precisamos formar cidadãos para poder melhorar o mundo no próximo século. marilourdesg@hotmail.com

Cartas para esta coluna deverão ter no máximo 40 linhas para cada leitor e endereçadas para a seção Coluna do Leitor - Fone: 4006-6100 FAX: 4006-61224 - Redação/Tribuna do Norte. Email - tribuna@digizap.com.br

FILIADO AO

R$ 1,50 R$ 2,50

FILIADO AO INSTITUTO VERIFICADOR DE CIRCULAÇÃO

R$ 2,00 R$ 3,20

REPRESENTANTE NACIONAL – Pereira de Souza & Cia Ltda: Rio de Janeiro : (O21)2544-3070 – São Paulo: (011) 3259-6111

FILIADO À ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS

REDE CABUGI DE COMUNICAÇÃO TRIBUNA DO NORTE 4006-6100 Rádio Globo/Cabugi (AM) Natal 4006-6180 104 (FM) Parnamirim 3272-3737 Rádio Difusora de Mossoró (AM) 3316-3181/2181/3317-6167 Rádio Cabugi do Seridó (AM) J. do Seridó 3472-2759 Rádio Baixa Verde (AM)J. Câmara 3262-2498 Pereira de Souza(SP) 11/3259-6111 Pereira de Souza(RJ) 21/2544-3070


política

Notas & Comentários [colunanotas@tribunadonorte.com.br ]

Minirreforma a jato

s lideranças partidárias no Senado estão de acordo e convencidos de que é possível elaborar um conjunto de mudanças nas regras atuais e conseguir aprovação no Congresso para realizar uma “pequena reforma eleitoral”, ainda este ano, com validade para o pleito de 2014. A ideia foi debatida, na semana passada, em reunião dos senadores José Agripino (DEM-RN), Wellington Dias (PT-PI) e Romero Jucá (PMDB-RR) com o presidente do Senado, Renan Calheiros. Romero Jucá, que é 2º vice-presidente da Casa, ficou encarregado de elaborar um texto base para a minirreforma, levando em conta os diversos projetos sobre o tema já em tramitação. O objetivo principal será reduzir o custo das campanhas, tornando-as mais baratas, e também tornar mais claras algumas regras eleitorais. O texto inicial será debatido internamente por todos os partidos e, depois, votado na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), seguindo ao Plenário e depois à Câmara. O cronograma avaliado pelo grupo é bem apertado. Jucá apresentaria o texto base ainda este mês, o Senado votaria em seguida e a Câmara votaria em setembro. Isso porque qualquer mudança em regras eleitorais terá de virar lei, no mínimo, um ano antes do pleito de 2014 para que seja válida. A “minirreforma eleitoral” também promoveria a diminuição do prazo das campanhas, mudança das convenções partidárias de julho para junho, proibição de placas, faixas e “envelopamento” de automóveis. Não haveria mudanças nas regras de tempo de TV dos partidos. Falta só combinar com “os russos”, como diria o mestre Garrincha.

A

Boa parte da corrupção administrativa é provocada pela corrupção eleitoral. É preciso combater a segunda para atingir a primeira.” Do presidente da OAB, Marcos Vinícius Coêlho, se posicionando contra o financiamento de campanhas por empresas privadas, durante debate na Câmara dos Deputados.

Ação... O Congresso Nacional realiza na terça-feira (20) sessão conjunta para exame de vetos presidenciais. A sessão começará às 19h, no Plenário da Câmara, e tratará de vetos recentes da presidenta Dilma Rousseff a assuntos considerados polêmicos. Entre eles, a Lei do

Ato Médico; as mudanças nas regras de partilha do Fundo de Participação dos Estados (FPE); e a extinção da multa adicional de 10% sobre o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que é paga pelas empresas em caso de demissão sem justa causa.

...e reação O Governo já avisou ao Congresso que irá apelar ao

Supremo Tribunal Federal (STF), dependendo do resultado da votação. Em entrevista à Agência Brasil, no dia 13, a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, disse que o Executivo pretende evitar ao máximo a “judicialização” de matérias, mas alertou para o fato de que o Governo apelará ao Supremo Tribunal Federal (STF) se houver a derrubada dos vetos.

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

Partidos articulam alianças para eleição de 2014 no RN « RUMO A 2014 » Principais lideranças potiguares já discutem o pleito do próximo ano, mas por enquanto o que existe é muita especulação

RODRIGO SENA

MARIA DA GUIA DANTAS E ANNA RUTH DANTAS repórteres

pouco mais de um ano da eleição de 2014 e os partidos e principais lideranças do Rio Grande do Norte já articulam possíveis composições, testam nomes para liderar uma chapa majoritária e dialogam sem rodeios. A ordem – pelo menos na maioria dos casos – é deixar as conversas no campo interno e não vazar sobre o cenário provisório que se desenha. Mas, os comentários nos bastidores da política e as apostas do público relacionam pelo menos nove nomes com condições de disputa. No PMDB, são pelo menos três candidatos em potencial – Garibaldi Filho, Henrique Alves e Walter Alves; um no DEM – a governadora Rosalba Ciarlini, candidata natural à reeleição; um no PSD – o vice-governador Robinson Faria; um no PDT – o prefeito de Natal, Carlos Eduardo; e um no PSB, a vice-prefeita da capital, Wilma de Faria. Fora dos círculos partidários, são citados e/ou lembrados por quem considera que a hora é de uma liderança com insuspeita capacidade de gestão os empresários Marcelo Alecrim e Flávio Rocha. O primeiro tem sido alvo de “sondagens”. O segundo foi recentemente lembrado pelo ex-senador Fernando Bezerra. As costuras com vistas ao pleito do próximo ano estão sendo cuidadosamente alinhavadas em segredo, mas toda regra tem exceção. O vice-gover-

A

Campanha eleitoral do próximo ano termina no dia da votação, marcado para 5 de outubro

nador. Robinson Faria não esconde, há muito tempo, o intento de concorrer à chefia do Executivo estadual e tem dito em várias ocasiões que não há recuo neste projeto. A convicção do vice é tanta que para o PSD dialogar sobre composição em 2014 um pré-requisito é sumário: aceitá-lo na condição de pré-candidato do grupo. A postura do vice-governador contrasta a das demais lideranças.

Aliados

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, disse sexta-feira (16) que “ainda não está na hora de definir nomes para a sucessão estadual em 2014”. “O ideal seria que todos os partidos deixassem pa-

Projeto de Lei de autoria da deputada Larissa Rosado (PSB) propõe a gratuidade do transporte coletivo urbano nos dias de realização de pleitos eleitorais no Rio Grande do Norte. A parlamentar justifica que como o voto no Brasil é obrigatório,

o eleitor deve comparecer ao local da eleição munido de seus documentos e dentro do horário estabelecido, arcando com a despesa do transporte em dia que, a rigor, não teria esse tipo de custo, já que a eleição ocorre sempre aos domingos.

Aeroporto A procuradora da República, Caroline Maciel, se reu-

niu ontem com o superintendente da Infraero no RN, Usiel Paulo Vieira, para cobrar melhorias estruturais no Aeroporto Internacional Augusto Severo. Nos últimos meses, os usuários do aeroporto têm enfrentado dificuldades com a existência de goteiras e a má conservação dos fingers (pontes que ligam as salas de embarque às aeronaves). Na tentativa de resolver os problemas, o MPF/RN cobrou soluções ao superintendente. “Resolveremos o problema das goteiras em 60 dias”, garantiu Usiel Vieira.

CPI na próxima semana A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a exploração do trabalho infantil no país deve ser oficialmente instalada já nos próximos dias. A autora da CPI é a deputada federal Sandra Rosado (PSB-RN) que diz “conhecer de perto a realidade de famílias pobres que são levadas a colocar seus filhos no trabalho de lavoura e carvoeiras no Nordeste”. “A pobreza é muito grande, mas o pior é a desinformação. Eu sei, porque vejo. Não li apenas em nenhum lugar. A criança na escola traz mais futuro para essas famílias, do que se ausentando para trabalhar”, disse.

Oposição

O grupo da oposição ao Governo estadual tem, além do PSD do vice-governador, o prefeito Carlos Eduardo. Mas o chefe do Exe-

cutivo municipal, costumeiramente, tem se recusado a falar em eleição no ano que antecede o pleito. Foi assim em 2007, quando em 2008 ocorreria a eleição para sucedê-lo na Prefeitura. E tem sido assim, agora. O pedetista, no entanto, é lembrado como possível candidato, ainda que Robinson Faria conte com o apoio dele. A oposição também conta com a ex-governadora e atual vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria. O nome de Wilma é lembrado muito mais pelos correligionários do PSB do que por ela própria ou por qualquer outro partido aliado. A intenção dela oficialmente - é concorrer a uma das vagas na Câmara Federal. Mas, talvez, também ao Senado... ou ao Governo.

Cientista Político e professor da UFRN ALEX RÉGIS

uma Corte internacional que não esteja submetida ao seu próprio Estado. A população contrária a esse tipo de julgamento soma 24% e os demais são indiferentes ou não souberam responder. No Brasil, onde o Ibope Inteligência ouviu 2.002 pessoas, 49% da população aprova essa ideia, 33% são contra e 10% indiferentes.

Gratuidade

ra tratar de eleição em 2014”. Essa tese tem prevalecido. A própria governadora Rosalba Ciarlini, que apesar do desgaste da administração estadual é considerada uma candidata natural à reeleição, tem afirmado de forma categórica que não pode atestar se disputará a campanha ou não. Henrique, que junto a Garibaldi Filho e Walter Alves, se firmam na condição de possíveis candidatos pelo PMDB, são rápidos e precisos ao serem questionados sobre “possibilidades”: “especulações”, dizem eles.

BATE-PAPO Antônio Spinelli

Julgamento internacional Pesquisa do Ibope Inteligência, em parceria com a Worldwide Independent Network of Market Research (WIN), realizada em 55 países com 56.625 entrevistados, mostra que cerca de quatro, em cada dez pessoas no mundo (46%), são favoráveis que líderes mundiais acusados de violarem os direitos humanos sejam julgados por

3

“É cedo para desenhar o quadro eleitoral no RN” « AVALIAÇÃO » Professor de Ciências Políticas da UFRN ressalta desgaste da classe política As articulações dos principais partidos do Rio Grande do Norte foram analisadas pelo professor da UFRN. Veja a seguir: Como se desenha o quadro eleitoral de 2014?

De certa foram está muito cedo ainda para se desenhar o quadro eleitoral, falta mais de um ano para as eleições. É possível dizer que há tendências. Coisas que já estão definidas. E é difícil (as tendências) que se reverta. Uma delas é a reeleição da governadora (Rosalba Ciarlini) que é praticamente impossível. Acho impossível que ela reverta o quadro de desgaste. Ao longo do período da sua gestão (o quadro) só se acentuou. As medidas que ela toma, ao invés de contribuírem para superar o

desgaste exercem o efeito contrário. A tentativa de ajuste no orçamento (ocorrido nas últimas semanas) terminou criando imbróglio com outros Poderes. As categorias de servidores estão fazendo pressão. O desastre governamental é muito grande, dificilmente ela seria reeleita, talvez nem se apresente como candidata e fica difícil para o partido dela (o DEM) manter o governo do Estado. Não sei qual seria uma candidatura do DEM, a não ser o próprio senador José Agripino. Como o senhor avalia os pré-candidatos de hoje?

O Robinson Faria se apresenta como pré-candidato. Até agora foi o único que sinalizou nessa direção. Tem a vice-prefeita Wil-

ma de Faria que diz não ser candidata, mas deixa claro que se for convocada aceita a candidatura e diz que as ruas estão chamando. Tudo indica que o desejo dela (Wilma de Faria) é grande. O deputado Henrique Eduardo Alves é um eterno candidato a governador do Estado. Vejo os três com grandes dificuldades. Acho difícil que Robinson consiga articular um arco de aliança, uma coalizão partidária que viabilize sua candidatura. A ex-governadora Wilma enfrenta a mesma dificuldade, até porque o governo não foi um grande governo. A adminitração dela não chegou a ser o desastre que está sendo o de Rosalba, mas ela (Wilma de Faria) não terminou bem. Tanto foi assim que ela (Wilma) não conseguiu se eleger senadora. Veja que Garibaldi Filho e José Agripino, renunciando ao Governo, conseguiram chegar ao Senado. Wilma, não. Ela saiu desgastada. Já Robinson Faria tem dificuldade de articular. É um político que nunca enfrentou uma eleição majoritária. Quanto ao deputado Henrique, ele goza de grande prestígio nacional. Mas o poder que ele representa está sendo extremamente mal visto pela população. Ele é presidente desse poder e como presidente não foi capaz de conduzir a Câmara e dar resposta ativa à reivindicação e manifestação colocada. (Henrique Eduardo) Não acolheu as manifestações e trabalhou para esvaziar a proposta de plebiscito. E isso vai ter repercussão eleitoral nas pretensões dele. Mas por outro lado não vejo nenhum nome que possa a essas alturas estar despontando. A não ser provavelmente o do prefeito Carlos Eduardo, que no cenário desértico de nomes fortes poderia surgir como eventual alterna-

tiva. Mas me parece que ele está seriamente empenhado em conduzir o seu mandato até o fim. Como se porta o PT neste cenário com a candidatura ao Senado da deputada federal Fátima Bezerra?

O nome da deputada Fátima aparece como mais forte para o Senado a essa altura. A deputada Fátima consegue ficar acima do naufrágio que está acometendo a classe política, apesar de toda tempestade, dos movimentos, manifestações que pegaram a todos de surpresa e colocam reivindicações amplas. Nacionalmente, apesar

Na medida em que há desgaste das lideranças mais tradicionais, pode surgir (um nome novo), só não sei quem é.” do desgaste da presidente Dilma, você percebe que ela (Dilma Rousseff) começa a se recuperar do desgaste e o nome do ex-presidente Lula continua muito forte. No cenário posto no Rio Grande do Norte tem espaço para um nome novo na política?

Na medida em que há desgaste das lideranças mais tradicionais, pode surgir (um nome novo), só não sei quem é.

+

PÁGINA 4

Lideranças evitam comentar nomes


4

política

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

Lideranças evitam comentar nomes «ESTRATÉGIA » Partidos já dispõem de potenciais pré-candidatos para a disputa eleitoral. No entanto, a

mais um ano do pleito, preferem ser cautelosos e não expor estratégias realizadas junto a legendas aliadas

1 s líderes políticos potiguares ainda se mostram cautelosos sobre o pleito de 2014. A presidente estadual do PSB, Wilma de Faria, não assume a pretensão de disputar o Governo do Estado, mas admite que poderá integrar a chapa majoritária (para o Governo ou Senado). Ela disse que não tem “nada desenhado” para o próximo ano. “É muito cedo. Não há essa preocupação, como presidente do partido, de definir nomes”, analisou. A presidente do PSB disse estar empenhada em discutir a “calamidade que o Estado está vivendo”. “Os serviços essenciais não funcionam, o governo está em uma situação difícil. Hoje há uma guerra entre os Poderes (Executivo e Legislativo)”, ressaltou. O presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Ricado Motta (PMN), é ponderado ao falar sobre o pleito 2014. Ele não assume nem mesmo a candidatura à reeleição. “O momento é de crise. Há muitos temas da ordem do dia do nosso Estado em discussão e seria até um desrespeito à população, neste momento, discutir eleições 2014. Os debates em torno das eleições deverão ocorrer no momento próprio, no próximo ano”, afirmou o presidente da Assembleia Legislativa. A governadora Rosalba Ciarlini evita falar sobre o pleito 2014. Através da Assessoria de Imprensa ela afirmou que está preocupada com os problemas do Estado. A chefe do Executivo disse que só discutirá “2014 em 2014”.

9

O

PT

A deputada Fátima Bezerra, principal liderança do Partido dos Trabalhadores no Rio Grande do Norte, é reticente ao ser questionada se defende candidatura própria do PT ao Executivo. “O PT do RN, nos encontros regionais que estão sendo realizados, e nas conversas com aliados, tem expressado que nossa meta é ampliar a presença na Assembleia Legislativa, manter a vaga na Câmara Federal, e nos inserirmos na chapa majoritária”, analisou. A deputada federal voltou a afirmar que o projeto é ser candidata a reeleição, mas alimenta o desejo de disputar o Senado. “Tenho recebido da população manifestações crescentes de incentivo e apoio a tese de disputar o Senado. Se for a decisão do meu partido e dos partidos aliados, analisaremos com muita responsabilidade essa possibilidade”, completou. Ao avaliar as interferências das alianças nacionais no cenário local, a líder petistas diz que só há uma restrição: se coligar com o DEM, do senador José Agripino Maia, e o PSDB, do suplente de deputado federal Rogério Marinho. “Considerando que o principal projeto em disputa nas eleições de 2014 é o projeto de país, é evidente que a aliança nacional tem influência no processo local. Porém, é exatamente pelo projeto nacional que aqui o limite se impõe. Ou seja, a oposição ao consórcio DEM/PSDB é o nosso limite”, afirmou.

2

8 3

1. ROSALBA CIARLINI DEM, médica, prefeita de Mossoró por três mandatos, senadora por quatro anos. É a governadora do Rio Grande do Norte.

7

4

6. MARCELO ALECRIM sem partido, empresário do ramo de combustíveis.

2. CARLOS EDUARDO PDT, advogado, prefeito de Natal pela terceira vez. Foi deputado estadual por um mandato. 3. WILMA DE FARIA PSB, professora, governadora por duas ocasiões, três vezes prefeita de Natal, foi deputada constituinte. É viceprefeita de Natal. 4. GARIBALDI FILHO PMDB, jornalista, governador por duas ocasiões, senador por três mandatos, foi prefeito de Natal e três vezes deputado estadual. É ministro da Previdência.

5. FLÁVIO ROCHA sem partido, empresário da indústria de moda. Foi político potiguar na década de 90.

5 6

7. HENRIQUE EDUARDO PMDB, advogado e empresário, deputado federal eleito por 11 vezes É o presidente da Câmara Federal. 8. WALTER ALVES PMDB, empresário, cumpre o segundo mandato de deputado estadual. 9. ROBINSON FARIA PSD, empresário, foi deputado estadual por seis vezes. É vicegovernador do RN.

PSD e PSB querem frente de oposição

O vice-governador Robinson Faria confirmou que está trabalhando para se viabilizar ao Executivo estadual e acredita que a vice-prefeita de Natal Wilma de Faria, presidente estadual do PSB, não entrará em choque com o seu projeto. Lembrando a reunião da última sexta-feira, envolvendo os diretórios do PSB e PSD, Robinson Faria disse que ouviu a vice-prefeita de Natal desmentir que planeje disputar o Governo. “Ela (Wilma de Faria) está tendo o nome lembrado para o Senado. O PSD hoje tem o projeto de candidatura majoritária e lá na frente a viabilidade vai nascer da arrumação. O tempo vai se encarregar de arrumar”, afirmou o vice-governador. Ele defende uma grande aliança de todos os partidos de oposição ao Governo Rosalba Ciarlini, PSB, PSD, PT, PDT, PC do B e PPS. Ao destacar essa união, Robinson Faria lembrou que estratégia semelhante ocorreu em 2010, quando toda oposição se uniu em torno do nome de Rosalba Ciarlini, então candidata pelo DEM. Robinson Faria confirmou que a partir de agora PSB e PSD farão encontros regionais coletivos para discutir os problemas do Estado. “Vamos caminhar juntos”, completou.

PMDB aguarda pesquisa para definir nomes

Os principais líderes do PMDB, o ministro da Previdência Garibaldi Filho e o deputado federal Henrique Eduardo Alves, aguardam a realização da pesquisa eleitoral qualitativa, que será feita no próximo mês, para começar as definições sobre 2014. Questionado se o PMDB lançará candidato próprio ao Governo, o ministro disse que esse é “um sentimento que percebe dos partidários”. Indagado sobre quais os nomes que o PMDB poderia colocar para a disputa ao Governo, ele foi taxativo: “Apelam para o nome de Walter (Alves, deputado), mas continuo achando que ele é muito moço”, respondeu. O ministro Garibaldi Filho foi contundente ao responder se aceitaria ser candidato ao Governo: “estou fora”. Presidente da Câmara dos Deputados e do PMDB potiguar, o deputado Henrique Alves disse que o partido está muito pressionado pelas bases e poderá chegar a 2014 sem uma estratégia. “Assim sendo vamos realizar, em setembro, uma pesquisa por todo Estado. Será uma pesquisa qualitativa para sentir os anseios e as percepções dos potiguares”, frisou. Ele afirmou que de posse dos resultados da pesquisa, o PMDB promoverá uma reunião em novembro para debater a estratégia.


especial

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

5


6

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

geral

Reinício de obras da av. Omar O’Grady é adiado « PROLONGAMENTO » De acordo com o diretor do DER, Demétrio Torres, as obras foram suspensas devido às chuvas e serão retomadas esta semana reinício das obras do prolongamento da avenida Omar O’Grady, mais conhecida como Prudente de Morais, no Pitimbu, será retomado esta semana. Pelo menos essa é a previsão do diretor geral do Departamento de Estradas e Rodagens (DER) do Rio Grande do Norte, Demétrio Torres. Ele afirmou neste sábado (17) que os serviços no local não puderam ter a continuidade desde que foram paralisados por causa das chuvas. O titular do DER havia dito à TRIBUNA DO NORTE, em outra ocasião, que o prazo para que a estrutura seja finalmente entregue à população é de mais um mês, a partir da retomada dos serviços. Ele frisou que amanhã (segundafeira) poderá dar mais detalhes sobre o projeto. “Estaremos reiniciando esses dias”, garantiu. A obra se encontra paralisada desde que o período chuvoso se estabeleceu em Natal. Demétrio Torres havia informado, ainda, que não podia assegurar sequer o reinício dos serviços para o dia 15 - embora esta fosse a previsão - porque estes dependiam da melhoria do tempo. “Sei que a população já está impaciente por causa do atraso, mas tivemos problemas com as chuvas”, explicou. Não chove em Natal há pelo menos uma semana. Enquanto a nova estrada que vai ligar a Prudente de Morais à BR-101 não fica pronta, parte da via continua sendo utilizada por pedestres para a prática da caminhada. O trânsito de veículos – antes constante no local – foi reduzido com a colocação de manilhas em alguns pontos. Mas ainda há motoristas que se arriscam a transitar no local. A última promessa do Governo do Estado apontava que a obra estaria pronta em meados de junho. O que não aconteceu. “Estávamos utilizando um determinado material para construir uma camada da pista. A água prejudicou o serviço e agora estamos usando outro material, a brita, para refazer es-

FOTOS: JOÃO MARIA ALVES

O

A obra está paralisada desde o início das chuvas. Foram colocados obstáculos para evitar tráfego

saltantes utilizam o espaço para cometer crimes. À noite, o local se torna ainda mais perigo devido à falta de iluminação e sinalização adequada. “Eu já perdi as esperanças de ver essa avenida pronta. Acho que só no próximo governo é que devem terminar”, diz a dona de casa Ivone Damasceno, 62 anos.

Memória

Nova estrada vai ligar a av. Prudente de Morais à BR 101

sa camada. Acredito que em vinte dias, tudo estará pronto”, afirmou Demétrio Torres em entrevista à TRIBUNA DO NORTE publicada na edição do dia 31 de maio. Os moradores de Cidade Satélite reclamam da lentidão das obras. Alguns trechos da construção já estão apresentado sinais de vandalismo e abandono. Há relatos também de que as-

NÚMERO

R$ 59 milhões é o custo corrigido da obra na av. Omar O’Grady, que vai ligar a av. Prudente de Morais à BR 101.

A obra do prolongamento da avenida Omar O’Grady se arrasta desde 2007. De lá para cá, várias paralisações frustaram os inúmeros prazos para a conclusão das obras. A expectativa do DER/RN é a de que a via desafogue o trânsito na BR-101 no trecho entre Natal e Parnamirim. A primeira licitação da obra foi de R$ 27 milhões, no entanto o valor não contemplava a construção de duas passagens de nível – sobre as avenidas Caiapós e Tamanduateí, em Cidade Satélite. Com a inserção desses dois equipamentos, somada às correções anuais do orçamento original, o custo passou para algo em torno de R$ 59 milhões.

Egito estuda dissolução da Irmandade Muçulmana « PRIMAVERA » O anúncio veio depois de forças de segurança desfazerem

acampamentos de manifestantes que pediam reintegração do ex-presidente airo - Autoridades egípcias estão considerando a possibilidade de banir a Irmandade Muçulmana, afirmou hoje um porta-voz do governo, num gesto que mais uma vez deixaria à margem da lei um grupo que estava no poder há apenas pouco mais de um mês. O anúncio veio depois de forças de segurança desfazerem na última quarta-feira dois acampamentos de manifestantes que pediam a reintegração do presidente Mohammed Morsi, um líder da Irmandade que foi deposto num golpe de Estado em 3 de julho. Conflitos entre policiais e simpatizantes de Morsi causaram quase 800 mortes no Egito nos últimos dias, 173 das quais apenas nas últimas 24 horas. O porta-voz do gabinete egípcio, Sherif Shawki, informou que o primeiro-ministro Hazem el-Beblawi, que lidera o atual governo apoiado por mili-

C

LÍDER DA AL-QAEDA É PRESO Cairo - Um irmão do líder da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahri, foi preso no Egito neste sábado, informou um oficial de segurança. Segundo o oficial, Mohammed al-Zawahri, líder de um grupo ultraconservador conhecido como jihadistas salafistas, foi detido em um posto de controle na cidade de Giza, que é separada da capital Cairo pelo rio Nilo. Al-Zawahri é aliado do ex-presidente egípcio Mohammed Morsi, o islamita que foi derrubado do poder em 3 de julho. Conflitos entre simpatizantes de Morsi e forças de segurança deixaram pelo menos 173 mortos e 1.330 feridos em todo o Egito nas últimas 24 horas, segundo os números mais recentes do governo. Uma coalizão liderada pela Irmandade Muçulmana, da qual Morsi é integrante, convocou uma semana de protestos, em desafio ao recente estado de emergência declarado por Cairo. Os islâmicos prometem não recuar até derrubarem o governo instalado pelos militares. Conflitos continuam hoje perto de uma mesquita no centro do Cairo, onde centenas de seguidores de Morsi se refugiaram durante a madrugada. Há relatos de que ocorreram intensos tiroteios entre policiais e islâmicos que se encontram na mesquita. Fonte: Associated Press.

tares, atribuiu ao Ministério da Solidariedade Social a tarefa de

estudar formas legais de dissolver o grupo. Shawki não deu

mais detalhes sobre a iniciativa. Fundada em 1928, a Irmandade Muçulmana chegou ao poder há um ano, quando Morsi foi eleito na primeira votação livre do país. A eleição ocorreu após a derrubada do ex-ditador Hosni Mubarak por um levante popular, em 2011. O grupo fundamentalista islâmico foi proscrito durante a maior parte da sua história de 80 anos e submetido a sanções durante o governo de Mubarak. Desde a deposição de Morsi, seguidores da Irmandade vêm intensificando os enfrentamentos com forças da nova liderança. Os islâmicos convocaram uma semana de protestos contra o governo, em desafio ao estado de emergência recentemente declarado no país. Fonte: Associated Press.

+

PÁGINA 13 Egito está à beira do precipício


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

geral

Gaudêncio Torquato [gaudenciotorquato@tribunadonorte.com.br ]

A mesmice, o balcão de trocas e o imponderável

Um sentimento de mesmice invade a alma nacional. A luta política, que se trava na arena do processo sucessório muito antecipado, é a teatralização de uma velha guerra que exibe perfis já conhecidos, bordões gastos e quase nenhum elemento de diferenciação. Para se ter uma ideia, o slogan central das principais pré-candidaturas está centrado na “fazeção”: fazer mais e melhor. Tanto a presidente Dilma Rousseff quanto o governador Eduardo Campos trabalham nessa direção discursiva. O repertório de denúncias começa a ser reaberto, a lembrar, com mais de ano de antecedência, as conhecidas querelas entre o principal partido da situação, o PT, e o principal partido da oposição, o PSDB. Mensalão contra Trensalão. Ao contrário do que seria de esperar, a sociedade parece esgotada. Não se anima com esta bateria de denúncias recíprocas. Há uma razão para tanto: a repetição cansativa de escândalos embrutece a sensibilidade, como se uma pesada camada de chumbo passasse a cobrir os nossos corpos. O governo federal enfrenta contrariedade em sua própria base. É reativo, perdeu o comando da ação. A presidente ainda não se convenceu da necessidade de mudar o time que faz articulação política. Os governadores mais se assemelham a dândis na escuridão. Aguardam, com expectativa, as pesquisas para saber se deverão continuar a surfar na onda governista ou a preparar o barco para novas travessias. Estão à mercê das pressões de suas populações.

Procura-se um bode expiatório para a crise. Tucanos estão sob a mira do PT. Tudo vai depender dos resultados das investigações sobre o affaire dos trens” Já os parlamentares, tanto deputados quanto senadores, esperam que a presidente mude seu comportamento ante o Parlamento. Hora de cobrar as emendas para as bases. É bem verdade que o balcão das trocas foi aberto, mas talvez a moeda sonante ainda seja escassa para enfrentar uma semana decisiva: a que vai decidir sobre a derrubada dos vetos presidenciais. Há quatro vetos que podem ser derrubados, o que significaria, nesse momento, mais uma tsunami de dissabores para a presidente Dilma. A disputa sucessória antecipada dá o tom. Pré-candidatos correm atrás de apoio dos partidos, inclusive o tucano José Serra, que começa a por obstáculos no caminho do correligionário Aécio Neves, já consagrado como o nome tucano a entrar no páreo de 2014. Fala-se de tudo e com todos. Mas conceitos e programas ficam a desejar. As oposições não encontraram rumo. Dilma, apesar da ojeriza que parece conservar sobre a classe política, continua como franca favorita, apesar de se saber que os opositores, hoje, somariam mais de 50% das intenções de voto. Ela teria algo como 40%. Segundo turno na certa. Claro, se a disputa contar com Dilma, Aécio, Serra, Marina e Eduardo Campos. O que será difícil, levando-se em consideração que Lula ainda tem poder de influência sobre o governador pernambucano e Serra poderá recuar e vir a se candidatar a senador pelo PSDB. E não a presidente da República pelo PPS. Procura-se um bode expiatório para a crise. Tucanos estão sob a mira do PT. Tudo vai depender dos resultados das investigações sobre o affaire dos trens. Que se espraia por algumas capitais do país, não se restringindo a São Paulo. Mas o governo federal também é foco das pressões. O fato é que é refém de três ameaças que podem influenciar o processo eleitoral: o baixo crescimento do país, a volta da inflação e o cofre apertado para socorrer Estados e municípios. Constata-se, ainda, que a tecnocracia é responsável pela imprevisibilidade e improvisação do Governo, pela departamentalização da eficácia econômica e pelo desprezo ao cinturão político. As obras da Copa continuam atrasadas. As obras do PAC, essas, então, estão fora do calendário. Já na frente política, a articulação é frágil. Na esfera geren-

cial, portanto, aquilo que era mais forte e visível na índole da presidente – a capacidade gerencial – se esgarça. Infelizmente, a eficiência e a eficácia organizacional são precárias e acabam prejudicando o manejo político e econômico. O resultado aí está: a baixa capacidade de governo, o que comprova a tese muito difundida de que os dirigentes latino-americanos, apesar de qualidades pessoais, têm dificuldades de lidar com a complexidade das máquinas. A pior gestão é aquela que consome o capital político do governante sem alcançar os resultados anunciados e perseguidos e isso ocorre por mau manejo técnico. Os políticos, por sua vez, aproveitam-se das circunstâncias para tirar proveito. A crise passa a ser oportunidade para aumentar o capital. E continuam a não ouvir o eco das ruas. Parecem anestesiados. Não sentem o cheiro de povo, não ouvem o grito rouco das ruas. Hibernam em densa e fria camada de gelo. E por que tanta insensibilidade? Por acharem que o povo esquecerá rapidamente suas demandas. O fato é que a democracia representativa no Brasil vive aguda crise. Os quadros são velhos. A renovação se dá de maneira muito limitada. Os partidos, todos, se amalgamaram. Não há mais diferenciais entre as siglas, com exceção dos partidos que militam nos extremos do arco ideológico. Diante dessa moldura quebrada, o que fazer? O olho social está vendo o nada.E a sociedade se distancia cada vez mais da política. No Judiciário, o clima é de guerra. Nunca se viu em toda a história do Poder Judiciário cena tão deprimente com as ásperas palavras trocadas entre o presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, e seu colega Ricardo Lewandovski. Chamar um ministro da mais alta Corte do País de chicaneiro é a mais visível demonstração de que a lama toma conta de todos os espaços institucionais. Vamos aguardar os próximos acontecimentos. Muita água há de rolar carregando novas correntes. Como rugiu Zaratustra, o profeta de Nietzsche: ”não apenas a razão dos milênios - também a sua loucura rompe em nós. É perigoso ser herdeiro. Ainda lutamos, passo a passo, com o gigante chamado acaso”. Nunca fomos tão cercados pela imponderabilidade. 2014 é um oceano de interrogações.

Gaudêncio Torquato, jornalista, professor titular da USP, consultor político e de comunicação Twitter@gaudtorquato

7

Semob fará interdição no final da av. Rio Branco « TRÁFEGO » Devido à obra da Capuche, na Ribeira, ruas alternativas serão sinalizadas para fluxo de carros e transportes coletivos serviço de adequamento sanitário que é realizado há mais de três meses na Ribeira, no cruzamento das avenidas General Cordeiro de Farias e Rio Branco, atrapalha o trânsito tanto para quem trafega no sentido Ribeira-Centro, quanto no sentido Petrópolis-Ribeira. De acordo com Carlos Eugênio, inspetor de trânsito da Semob, durante a próxima etapa da obra, nos dias 24 e 25, o fluxo de saída da Rio Branco ficará comprometido e, por isso, será feito uma nova rota para os ônibus. No sentido Ribeira, a Semob estuda algumas alternativas. Uma delas é o tráfego pela rua Ferro Cardoso, seguindo pela Silva Jardim, para transportes coletivos. Já carros de passeio poderiam seguir pela rua General Felinto Elízio. Outro percurso seria ao sair da Rio Branco, os transportes coletivos entrarem na General Cordeiro de Farias para ter acesso à rua Doutor Barata ou à Duque de Caxias, ambas funcionariam temporariamente na contramão. Após sair da contramão, o percurso normal será retomado na altura da rua Silva Jardim. As mudanças seriam efetuadas neste fim de semana, mas, segundo Carlos Eugênio, para haver tempo suficiente para organização do tráfego, aviso às empresas de ônibus e organização de efetivo de trânsito, foram adiadas para o fim de semana seguinte. Leonardo Assis, diretor técnico de engenharia da Capuche, afirma que o prazo máximo para encerramento das obras é entre o fim de agosto e a primeira semana de setembro. Em relação ao andamento do serviço, Assis afirma que, após concluir o calçamento e recapeamento no trecho na lateral da Igreja Bom Jesus, será feito serviço na travessia da avenida Rio Branco, que deve durar um fim de semana, e a última etapa, na General Cordeiro de Farias. Até a primeira semana de setembro, prazo que a construtora Capuche, responsável pela obra, adotou para finalizar o serviço, os motoristas podem utilizar pelo menos um dos trajetos sugeridos pela Semob, para desviar do congestionamento, que é a do tráfego pela rua Ferro Cardoso, seguindo pela Silva Jardim.

O

Tráfego na Ribeira Interdição ocorrerá dias 24 e 25 de agosto e tráfego para a Ribeira será por ruas alternativas Rua

Silva

Jard

im

RIBEIRA Praça Sen. João Câmara

e Rua Th Praça Cap. José da Penha

Apenas carros de passeio

Av.

Gen

Rua Gen. Felinto Elízio

otônio

. Fa

ria

Freire Rua Ferro Cardoso

Rua Miramar

s

Orla/praia do Meio

Ribeira

MAGNUS NASCIMENTO

Rua General Felinto Elízio será uma das alternativas para quem vai de Petrópolis à Ribeira

No entanto, uma alternativa para quem vem do sentido Petrópolis-Ribeira, na avenida General Cordeiro de Farias, pode entrar na rua General Felinto Elizio (primeira à esquerda após a avenida Deodoro da Fonseca), seguir até a frente da sede do Departamento Nacional de O-

bras Contra a Seca (Dnocs), na rua Silva Jardim, onde entrará à esquerda para chegar à avenida Duque de Caxias. Nos trajetos sugeridos, todas as ruas possuem tráfego em mão dupla, mas algumas delas sofrem com grande número de veículos estacionados próximo às calça-

das, diminuindo o espaço de trânsito. Do percurso, apenas a Silva Jardim tem o trecho correspondente ao primeiro quarteirão asfaltado. No restante da rua, muitos carros parados junto às calçadas formam um corredor onde apenas um carro passa por vez em cada sentido.

Judiciário realiza descarte « DEPÓSITO » CDs e DVDs piratas, armas brancas e máquinas de caçaníqueis foram destruídos na manhã de sábado no pátio da Urbana proximadamente 30 mil CDs e DVDs piratas foram destruídos na manhã deste sábado, 17, no pátio da Urbana. Além dos itens de reprodução áudio-visual falsificados, materiais oriundos de apreensões policiais e sob a tutela judicial como malas de viagens, máquinas caca-níqueis, fitas VHS e cassetes, também foram destroçados. A ação coordenada pelo Poder Judiciário do Rio Grande do Norte destruiu, ainda, 50 máquinas caça-niqueis apreendidas durante o fechamento de bingos clandestinos, principalmente em Natal, e 60 armas brancas (facas, canivetes e facões) que faziam parte de processos judiciais concluídos. Alguns dos itens destruídos estavam guardados no Depósito Judicial do Fórum Miguel Seabra Fagundes há uma década. De acordo com o assessor jurídico do Fórum Miguel Seabra Fagundes, Carlos Henrique dos Santos, a ação tem como objeti-

ADRIANO ABREU

A

Objetos destruídos estavam sob tutela judicial

vo desafogar o Depósito do Poder Judiciário, que não dispõe de espaço suficiente para acomodar todos os itens apreendidos em operações policiais ou integrantes de processos judiciais. “A principal missão da ação é abrir mais espaço no Depósito Judicial para que

possa receber mais bens nas futuras ações e processos”, comentou. O traslado dos itens do Depósito Judicial para o pátio da Sede da Urbana, nas Quintas, foi acompanhado por soldados da Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam), da Polícia Militar.

A destruição dos produtos foi assistida por dois oficiais de Justiça, que avaliavam o trabalho e conferiam o estado final dos destroços. O que sobrava dos itens era diretamente despejado numa caçamba para traslado imediato ao Aterro Sanitário, em Ceará-Mirim, para que não corresse o risco de ser “reciclado” por alguém. Neste ano, esta foi a segunda que o Poder Judiciário realizou a destruição de produtos apreendidos. Além desta ação, foram realizados leilões de itens em bom estado de conservação e ainda a doação de parte de tais produtos para instituições de caridade e cooperativas de recicladores de lixo. Conforme explicado por Carlos Henrique dos Santos, o valor dos produtos destruídos não poderia ser estimado em decorrência da falsificação e do baixo custo de produção. O Poder Judiciário aguarda a entrega, pela Polícia Civil, de uma listagem dos veículos e motocicletas apreendidos e que poderão ir à leilão.


8

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

geral

Lojistas discutem inovação e tendências em Mossoró « CONVENÇÃO » Estes foram temas discutidos durante a XVI Convenção Estadual do Comércio Lojista do Rio Grande do Norte, encerrada ontem Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Norte (FCDL-RN) e a CDL Mossoró encerram ontem a XVI Convenção Estadual do Comércio Lojista do Rio Grande do Norte. O tema desta edição foi “Curtindo Tendências. Inovando Serviço”. A Convenção foi realizada nos dias 16 e 17 de agosto, na cidade de Mossoró. Com o apoio das demais Câmaras de Dirigentes Lojistas do RN, o evento reuniu nomes da política, do empresariado e do entretenimento com reconhecimento nacional. Além de ser um encontro para debates e discussões acerca do panorama econômico do estado e do país. Entre os palestrantes estiveram Cassiano Arruda (jornalista), Rodrigo Pimentel (Tropa de Elite), Angela Hirata (Havaianas), Kléber Nóbrega (especializado em Serviços), Angelina Basílio (Rosas de Ouro), Fred Alecrim (consultor), André Macêdo (tributarista) e Astênio Araújo (consultor). A abertura do evento, na última quinta-feira, foi marcada pelas palavras do Presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Mossoró, Alexandrino Lima

« ECONOMIA »

No futuro, euro e yuan dividirão forças com dólar A era de domínio do dólar está acabando, avalia professor de Berkeley

FRED VERAS

A

POR GUILHERME WALTENBERG AE

era de domínio do dólar sobre o sistema financeiro global está chegando ao fim. No lugar de uma economia orientada por apenas uma moeda, deve surgir um ambiente multipolar, orientado por três moedas: dólar, euro e yuan. Essa é a visão do professor de Economia e Ciências Políticas da Universidade da Califórnia em Berkeley Barry Eichengreen. Segundo ele, essas são as únicas moedas que possuem liquidez, escala e estabilidade, requisitos que, a seu ver, são necessários para tornarem-se globais. “Hoje em dia, os Estados Unidos, a Europa e a China são os únicos locais no mundo que atendem a esses quesitos”, avaliou. Eichengreen, que proferiu palestra na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP na semana passada, avaliou que no período que o dólar tornou-se referência no mercado internacional, logo após o fim da Segunda Guerra Mundial, as situações tanto do mundo como dos Estados Unidos eram outras. “Na época, os Estados Unidos representavam cerca de 50% do PIB

A

Governadora Rosalba foi presença no encontro “Curtindo Tendências. Inovando Serviço”

e do Presidente da Federação do Comércio do Rio Grande do Norte, Marcelo Rosado, que destacaram os 50 anos da entidade e a importância dela para o desenvolvimento do comércio e de Mossoró. Alexandrino aproveitou a noite para homenagear os ex-presidentes da CDL Mossoró

que começaram a história da entidade e do movimento lojista na capital do oeste. O presidente da Confederação Nacional do Comércio Lojista (CNDL) Roque Pellizzaro, destacou que a Convenção do Rio Grande do Norte serve de referência para as convenções nacio-

nais devido a grade dos palestrantes e a força do movimento lojista do RN na Confederação. O evento contou com a parceria do Governo do Estado do RN, Prefeitura de Mossoró, Governo Federal, Banco do Nordeste, Fiern, Sebrae-RN,Fecomércio-RN, Sesc e Senac.

global. Hoje, é algo em torno de 25%”, comparou. Ele citou, no entanto, que hoje em dia a moeda norte-americana ainda mantém um certo domínio, representando 85% das transações em moeda do mundo e 62% das divisas. Apesar de a Europa ainda enfrentar consequências da crise econômica global que atingiu o mundo em 2008, Eichengreen se disse otimista sobre a manutenção da zona do euro. “É mais caro desconstruir a zona do euro que reconstruí-la”, avaliou. Segundo ele, qualquer tentativa de desmantelamento da zona do euro poderia dar origem ao que ele chamou de “mãe de todas as crises financeiras”. “O que me deixa otimista é que nos últimos 50 anos, sempre que a Europa se viu em uma crise, ela optou por se integrar ainda mais ao invés de tentar se fechar.” Segundo o professor, a probabilidade de quebra na zona do euro nos próximos cinco anos é de apenas 15% e a chance de essa década ser “perdida” para a região em termos de crescimento econômico é de 70%. Por outro lado, a China, apesar da redução no ritmo de crescimento, está buscando internacionalizar cada vez mais sua moeda. “Eles estão fazendo progresso nessa internacionalização”, disse. “Gosto de fazer a provocação de que, tal como a Europa, a Ásia está indo em direção a ter uma moeda única, mas essa moeda será o renminbi (yuan)”, disse.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

geral GERALDO MAGELA

Solução sobre aumento de recursos sai até final de agosto

Movimento quer 10% da receita bruta para saúde

« SAÚDE » Grupo costura acordo com o governo sobre regras de vinculação de recursos federais para financiar o SUS

B

rasília - O senador Humberto Costa (PT-PE) trabalha com tempo determinado para a conclusão de um acordo com o governo sobre nova regra de vinculação de recursos federais para a área da saúde. Para o relator da comissão temporária que estuda o assunto no Senado, não deve passar deste mês de agosto o desfecho dos entendimentos que, segundo suas estimativas, podem levar no médio prazo a um incremento de mais de R$ 45 bilhões para o setor. “Se houver um acordo, iremos em seguida apresentar à comissão um relatório que refletirá esse resultado. Se não houver, então vamos partir para uma proposta dentro do nosso entendimento do que seja necessário para o setor”, adianta. As negociações se intensificaram desde a semana passada, quando se reuniu pela primeira vez grupo de trabalho formado pelo Executivo, com participação de quatro ministérios, parlamentares das duas Casas do Congresso, inclusive Humberto Costa, mais representantes do Movimento Nacional em Defesa da Saúde Pública - Saúde+10. Nesta segunda-feira ocorrerá nova rodada de discussões.

Humberto descarta a ideia de que a criação do grupo de trabalho possa ser mera estratégia para arrastar por mais tempo o debate sobre a vinculação de recursos, tema que mobiliza as organizações ligadas ao setor há pelo menos duas décadas. O senador disse que, além de reconhecer que o financiamento atual é insuficiente, o governo tem “plena consciência” de que essa é uma demanda da população e de que projeto com esse fim vai ser de qualquer forma aprovado. “Então, não há hipótese de o assunto ser empurrado com a barriga. Senão, aqui se vota e tchau!” alertou, em entrevista a Agência Senado. Inicialmente o movimento social pela saúde pretendia vincular ao setor uma fatia mínima de recursos correspondente a 10% do produto interno bruto (PIB), o que significaria contar com pelo menos R$ 400 bilhões por ano para financiar as ações e serviços. Depois, abrandou para a proposta que envolve o mesmo percentual, mas aplicado sobre a receita corrente bruta (RCB) anual. Em 2013, isso representaria investir mais de R$ 129 bilhões ao ano, caso a vinculação ocorresse imediatamente, com base no percentual cheio.

9

Humberto Costa integra grupo de trabalho que analisa propostas de financiamento da Saúde

Gasto mínimo pode subir para 18,5% Brasília – Humberto Costa observa que a segunda solução em debate leva em conta a vinculação de um percentual não sobre as receitas brutas, mas a receita corrente líquida (RCL). Por esse conceito, são deduzidos da base bruta, principalmente, aqueles valores transferidos aos estados e municípios por determinação constitucional ou legal. O relator da comissão temporária - que tem como presidente o senador Vital do Rêgo (PMDBPB) - prefere a segunda alternativa. Porém, como a base de cálculo ficará menor pelo conceito de RCL, Humberto Costa defende a aplicação de um percentual de vinculação mais elevado, de 18,5%. Em 2014, por um ou outro critério, os recursos extras ficariam praticamente empatados nos R$ 45 bilhões comentados. Ao lon-

NÚMEROS

R$ 123 bilhões é o valor que viria para a saúde caso fosse aprovado projeto do Saúde + 10

15% da receita corrente líquida é quanto os municípios destinam para a Saúde

go do tempo, porém, ocorreria um distanciamento entre os montantes projetados, com evolução menos significativa para o cálculo

com base na RCL. Em 2020, por exemplo, os recursos para o setor chegariam a mais de R$ 314 bilhões, com base em 10% da RCB. Com a aplicação de 18,5% da RCL, o montante cairia para pouco mais de R$ 303 bilhões. Para o relator, apesar de tudo, os investimentos no setor vão ficar mais assegurados com base no conceito de receita líquida. Isso porque, conforme explica, hoje não existe definição clara do que realmente seja a receita bruta. Assim, ele teme que no futuro possa haver uma “interpretação subjetiva” de governos da ocasião que possa levar a uma redução das aplicações. “Portanto, melhor que seja algo que tenha uma definição clara e que não possa no futuro ser objeto de questionamentos judiciais”, observou.”

A favor da vinculação de 10% da receita bruta para o setor, o Movimento Saúde +10 desembarcou representantes em Brasília durante a semana. Um dos objetivos foi fazer a entrega aos presidentes do Senado Federal, Renan Calheiros, e da Câmara, Henrique Alves, de um projeto de iniciativa popular tratando da proposta. Os organizadores conquistaram mais de 2 milhões de assinaturas para o projeto em todo o país. O movimentou acrescentou à sua denominação original a marca Saúde+10 para lembrar a 12ª Conferência Nacional de Saúde, realizada em 2003 e considerada um marco nas discussões sobre a saúde pública. Participam entidades como a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Conselho Nacional de Secretários de Saúde, Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, centrais sindicais e organizações populares. A regra de vinculação em debate deverá substituir aquela que foi mantida pelo Congresso, no ano passado, com a aprovação de lei complementar que regulamentou a Emenda Constitucional 29. Depois de longo debate, quando já se falava na adoção de percentual sobre o PIB ou sobre as receitas, o governo fez valer sua vontade e preservou o cálculo que já vigorava: aplicação do montante do ano anterior somado à variação nominal do PIB. Como antes, os estados ficaram obrigados a aplicar 12% da arrecadação de impostos, e os municípios, 15%. Mas não está em questão agora obrigar a União a investir imediatamente a totalidade dos recursos pela nova regra de vinculação.


10

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

Cláudio Humberto [ ch@claudiohumberto.com.br - www.claudiohumberto.com.br]

Visita de Kerry O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, não conseguiu superar no Brasil o desgaste provocado pela revelação de que o governo Barack Obama monitorava comunicações eletrônicas de brasileiros, por meio de centrais de rádio. Mas para garantir sua segurança, na visita a Brasília, a embaixada norte-americana pediu e obteve do governo brasileiro 22 frequências de rádio que foram usadas durante 48 horas.

A solução está num ‘pré-sal’ muito maior, que é o PIB” Senador Cristovam Buarque (PDT-DF) defendendo mais recursos para Educação

Anatel boazinha

Besteirol

As estações de rádio amavelmente cedidas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) dispensam o uso de telefones celulares.

Como hipopótamo em loja de cristais, John Kerry disse em Brasília que os EUA espionaram “para o bem do Brasil”. E nem foi expulso do País.

Nós pagamos, eles não Para ter acesso à radiofrequência, o brasileiro precisa pagar pelo uso. Mas, desde 2004, estrangeiros são isentos de qualquer taxa.

Parar por quê? Além das frequências móveis, os EUA mantêm 43 estações fixas em quatro estados brasileiros, que estão autorizadas até junho de 2019.

Mal-estar no CNJ Alvo de críticas após acusar o ministro Ricardo Lewandowski de fazer “chicana jurídica”, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, andou se estranhando também com integrantes do Conselho

Nacional de Justiça, que preside. Na última reunião, ele se recusou a colocar na pauta de votações, sem explicações, propostas de consenso elaboradas por conselheiros que estavam no último dia de mandato.

Desprestígio

Bicho vai pegar

Dentre as propostas está a do conselheiro José Lúcio Munhoz, que por um ano estudou formas de aprimorar concursos para a magistratura.

Membros do CNJ reclamam que Barbosa conduz as sessões à mão de ferro e temem “climão” com a entrada dos conselheiros “linha dura”.

Expectativa Com o quórum mínimo prejudicado, o CNJ terá de esperar a posse dos novos integrantes para retomar os trabalhos, talvez no próximo dia 10.

Cobrança Familiares dos 16 mortos do acidente aéreo de julho de 2011 no Recife reclamam indenizações devidas por Vicente Rodrigues, dono da Noar, cuja carroça aérea se espatifou a cem metros da praia de Boa Viagem.

Flerte

Perdeu

Com medo de perder o mandato, o deputado Romário (PSB-RJ) cogita rasgar acordo com PR para desembarcar no Partido Solidariedade, que está sendo criado pelo dono da Força Sindical, Paulo Pereira (PDT-SP)

Membros do PSB avaliam que o governador e presidenciável Eduardo Campos (PE) comeu mosca ao entregar de mão beijada o DEM, e seus dois minutos de tempo de TV, ao senador Aécio Neves (PSDBMG).

‘Feio é perder’

Nas últimas

Absolvido no julgamento do mensalão, Paulo Rocha (PT) negocia apoio ao filho do senador ficha-suja Jader Barbalho (PMDB), Helder, ao governo do Pará, sob a condição de sair candidato ao Senado.

Na corrida para criar o partido Rede Sustentabilidade, a ex-senadora Marina Silva admitiu a amigos que a “missão é quase impossível”. Até agora, ela sequer conseguiu os acórdãos necessários de nove estados.

Ministro não pode Se o governo é de todos, o ministro Gilberto Carvalho perdeu a chance de calar-se: em declaração ao Blog do Dirceu defendeu “que se faça justiça, revertendo algumas sentenças” no julgamento do mensalão.

Dividindo desgaste O deputado Domingos Sávio (PSDB-MG) defende a criação da CPI do Metrô, mas para investigar contratos do governo federal com Siemens e Alstom, acusadas de cartel para ganhar concorrências no Brasil.

Contra-ataque Um grupo de civis e militares organiza em Belo Horizonte a fundação, em setembro, do Foro Brasil, para “enfrentar” o Foro São Paulo, “que ameaça a comunização e anarquização do Brasil por maus brasileiros”.

Pensando bem... ...o problema não é o ministro Joaquim Barbosa falar em “chicana”. É se depois vem “xi, cana”.

geral

Supremo agiliza votos para evitar desgastes « MENSALÃO » Ritmo acelerado que marcou as duas primeiras sessões de julgamento de recursos dá sinais de que calendário preocupa ministros

GERVÁSIO BAPTISTA/SCO/STF

B

rasília (AE) - A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) fez um acordo tácito para agilizar o julgamento do mensalão, retomado na quarta-feira passada, para uma segunda etapa, com análise dos recursos dos condenados. Em conversas reservadas, os integrantes da Corte admitem pelo menos duas razões para não postergar o julgamento até 2014: o desgaste interno que a Ação Penal 470 provocou no tribunal, com discussões acima do tom e troca de acusações entre ministros, e as cobranças da opinião pública explícitas após as manifestações de junho por um Judiciário mais ágil e punições a acusados de corrupção. O ritmo acelerado que marcou as duas primeiras sessões de julgamento dos recursos, interrompido na quinta-feira (15), pela discussão áspera entre o presidente da Corte, Joaquim Barbosa, e o revisor do processo, Ricardo Lewandowski, dá sinais de que o calendário passou a ditar os votos e os debates em plenário e pode interferir na decisão da Corte sobre a possibilidade de novo julgamento para 11 dos réus (que apresentaram os embargos infringentes). Porém, a Corte ainda se divide sobre esta possibilidade. O embate entre Barbosa e Lewandowski na segunda fase do julgamento comprova como o STF está polarizado e tenso, pois o julgamento envolve diretamente questões políticas. Na quarta-feira, após o mal-estar provocado por Barbosa, o ministro Marco Aurélio lamentou o episódio que para ele gera descrédito da instituição. "É ruim em termo de credibilidade da instituição. É ruim em termo de entendimento que deve haver no colegiado. Nós não podemos deixar que a discussão descambe para o campo pessoal", afirmou o experiente ministro aos jornalistas. O receio de jogar o fim do julgamento para 2014 e virar alvo de críticas da população quase nunca é verbalizado pelos ministros, mas ficou evidente no julgamento do deputado Natan Donadon (sem partido-RO). O parlamentar foi condenado por peculato e formação de quadrilha e está preso desde 28 de junho. Os ministros diziam que a

Ministros estão preocupados com repercussão negativa de embates entre Barbosa e Lewandowski

É ruim em termo de credibilidade da instituição. É ruim em termo de entendimento que deve haver no colegiado” MARCO AURÉLIO MELLO Ministro do STF

demora na conclusão do caso poderia levar para as portas do tribunal as manifestações de rua que, naquele momento, voltavam-se principalmente contra o Congresso e o governo. O receio agora é o mesmo, como admitiram discretamente alguns ministros ao Estado. Sintoma dessa pressa na conclusão do caso foi a declaração do ministro Gilmar Mendes. Ao dizer que os recursos movidos por advogados são meramente protelatórios, Mendes antecipa a possibilidade de execução das penas ao final do julgamento dos primeiros embargos. Seria a primeira vez que o tribunal determinaria a prisão imediata de um condenado após o julgamento do recurso inicial. Alguns ministros dizem que essa tese "não vai colar" - expressão usada por um deles. Ao longo das sessões, a discrição de alguns ministros é outra evidência do cansaço do tribunal e da tentativa de celeridade. Se na primeira fase do julgamento os votos foram mais longos, agora, alguns ministros, como Cármen Lúcia e Rosa We-

ber, resume suas posições à expressão lacônica "com o relator".

Causas urgentes A sobrevida da ação penal do mensalão traz outra consequência que alguns ministros afirmam ser deletéria: causas urgentes aguardam o fim deste processo para serem julgadas. Dentre elas, a discussão sobre o pagamento parcelado de precatórios, declarado inconstitucional pelo STF e que travou o pagamento das dívidas da Fazenda Pública reconhecidas judicialmente. Outro processo que precisa de definição rápida é o pagamento dos royalties de petróleo. Nesse rito acelerado, cujo desafio é combinar agilidade com qualidade, como repete insistentemente o ministro Marco Aurélio Mello, as reclamações partem dos advogados dos condenados. Já na primeira sessão, na quarta-feira, alguns deles jogaram a toalha. Afirmavam abertamente que o tribunal já deu mostras de que nada alterará de substancial no acórdão, mesmo reconhecendo erros.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

geral

11

»ENTREVISTA » EUGÊNIO BUCCI PROFESSOR

‘Junho, o mês que não acaba nunca’ « PROTESTOS » Diretor do curso de pós-graduação em Jornalismo da Escola Superior de Propaganda e Marketing analisa as manifestações que levaram milhões de pessoas às ruas de todo o Brasil FERNANDO FRAZÃO

dital (IHU Unisinos) Compreender as manifestações que iniciaram em junho no Brasil, e que permanecem com menos vigor dois meses depois, requer “um fio de interpretação”, diz o jornalista Eugênio Bucci à IHU On-Line, em entrevista concedida por telefone. Para ele, a compreensão deste fenômeno está na “ordem das linguagens”, ou seja, “não há um denominador comum, uma categoria única em todos esses protestos. Eles se parecem muito na forma, mas são muito diversos nos conteúdos”. Por um lado, acentua, há a presença de “pitboys”, sem nenhuma formação cultura e, por outro, “reivindicações mais socializantes, mais de esquerda, de tal maneira que o corte político ou ideológico não explica bem o que acontece”. Na interpretação do jornalista, a linguagem das manifestações aponta “para uma incapacidade do aparelho do Estado e da administração pública de responder no tempo devido e com a eficiência necessária às demandas sociais”. E explica: “Como o Estado, em diversos países, parece não dispor de mecanismos de fluxos capazes de receber, processar e responder reclamos sociais, ele se enrijece, envelhece rapidamente, e a dinâmica da vida social entra em confronto com ele. Trata-se de um confronto de formas, não de conteúdo”. Na entrevista a seguir, concedida por telefone, Bucci comenta a ação dos Black Blocs, e ressalta que, independente da opinião acerca dos atos anarquistas, é fundamental “entender por que isso acontece, como acontece, e o que tais ações querem nos dizer. (...) Quando digo que existe um sentido social com essa ‘quebradeira’, as pessoas consideram que estou apoiando a ‘quebradeira’. Não estou apoiando, mas estou preocupado em entender o que isso quer dizer”. Eugênio Bucci é professor doutor da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo – USP, e diretor do curso de Pós-Graduação em Jornalismo com Ênfase em Direção Editorial da Escola Superior de Propaganda e Marketing - ESPM. Escreve quinzenalmente no jornal O Estado de S. Paulo, e também é colunista quinzenal da Revista Época. Confira a entrevista.

ì

A

O senhor diz que as manifestações de junho não acabaram. O que isso significa do ponto de vista político e social? Que cenário vislumbra? Fiz até um trocadilho com o livro do Zuenir Ventura. Ele escreveu o livro 1968 - O ano que não terminou, e eu disse que agora ele teria de escrever um livro intitulado Junho de 2013 - O mês que não acaba de jeito nenhum. As manifestações acabaram sendo chamadas de jornadas de junho, manifestações de junho, mas a ironia da história é que elas avançaram pelo mês de julho e já estão avançando no mês de agosto. Em alguns sentidos há um sinal de arrefecimento, porque o número de manifestantes é menor, algumas manifestações se desdobraram em acampamentos, os quais depois também esvaziaram. Outras ações geraram manifestações mais violentas, as quais também espantaram os manifestantes pacíficos. Mas o fato é que parece que também no Brasil, a exemplo de outros países, a onda de protestos é mais persistente do que se esperava,

QUEM “Eugênio Bucci, professor doutor da Escola de Comunicações e Artes da USP e diretor do curso de Pós-Graduação em Jornalismo da Escola Superior de Propaganda e Marketing - ESPM

do à cúpula e à inteligência da polícia, levantando a suspeita de que há pessoas pagas para promover a baderna, ou seja, pessoas ligadas ao próprio aparelho de repressão do Estado. Se quisermos entender o que é essa face mais truculenta das manifestações, é preciso tentar subdividi-la. A categoria vândalos, nesse sentido, é insuficiente para entender o que acontece.

DIVULGAÇÃO

então esse barulho ainda vai ficar conosco por algum tempo.

O Estado ficou lento demais, há um confronto de temporalidade que é claríssimo, e o ritmo de fluxo das informações, das ideias, das interações na vida social na era digital encontra uma muralha quando se aproxima do Estado”

Ao avaliar as manifestações, o senhor menciona que elas apontam para a ordem das linguagens. Pode nos explicar essa ideia? Sim, vou explicar algo que ainda não publiquei com todas as letras como vou dizer agora. Mas, cada vez mais me parece ser esse o fio de interpretação que nós temos de explorar. As manifestações, não só no Brasil, mas no mundo inteiro, trazem vertentes ideológicas, às vezes antagônicas: em alguns lugares elas surgiram contra ditaduras, em outros, surgiram contra regimes democraticamente eleitos, em alguns lugares se opuseram a governos de esquerda, em outros, a governos de direita. Então não há um denominador comum, uma categoria única em todos esses protestos. Eles se parecem muito na forma, mas são muito diversos nos conteúdos. No Brasil, as reclamações também são diversas: os médicos se manifestaram, membros do Ministério Público se manifestaram, ou seja, as manifestações têm a presença do que chamei de “pitboy”, sem nenhuma formação cultural, e têm também, de outro lado, algumas reivindicações mais socializantes, mais de esquerda, de tal maneira que o corte político ou ideológico não explica bem o que acontece. É aí que eu lanço a hipótese: há um caráter de manifestação cultural em que a linguagem, nessas manifestações, aponta para uma incapacidade do aparelho do Estado e da administração pública de responder no tempo devido e com a eficiência necessária às demandas sociais. Como o Estado, em diversos países, parece não dispor de mecanismos de fluxos capazes de receber, processar e responder reclamos sociais, ele se enrijece, envelhece rapidamente, e a dinâmica da vida social entra em confronto com ele. Tratase de um confronto de formas, não de conteúdo. Ou seja, o Es-

tado ficou lento demais, há um confronto de temporalidade que é claríssimo, e o ritmo de fluxo das informações, das ideias, das interações na vida social na era digital encontra uma muralha quando se aproximam do Estado. Então, isso impõe ao Estado, aos ritos, aos processos, aos mecanismos de representação, e de deliberação próprios do Estado, uma modernização urgente e muito veloz. É nesse sentido que digo que o impasse colocado é o impasse da ordem das linguagens da temporalidade. Em que consiste essa modernização? Vou mencionar alguns exemplos: tornar mais ágeis os processos decisórios no Estado, tornar mais abertos os canais pelos quais os cidadãos podem participar e opinar, seja através de consultas públicas, formas de participação no orçamento, sistemas de plebiscitos, de referendos. Tudo isso precisa ser mais rápido. Hoje a pessoa escolhe o filme que vai passar na televisão dela, paga imposto de renda pela internet e não tem como participar de uma votação que vai acontecer no Congresso Nacional; então isso precisa ser revisto. Como vê a ação dos Black Bloc nas manifestações? Qual é o limite entre manifestações e atos anarquistas? Nós temos de tratar isso em dois planos - e algumas pessoas têm muita dificuldade de entender o que eu vou dizer. O primeiro e menos importante é a nossa opinião e a nossa concordância ou discordância com as práticas do Black Bloc. Se alguém me perguntar: “Eugênio, você é a favor de levar umas pedras na manifestação e quebrar vidros de agências bancarias?” Eu vou responder que sou contra, que não concordo com tais atitudes, porque elas só esvaziam as manifestações, porque são agressões gratuitas. O segundo e mais importante plano é entender por que isso acontece, como acontece, e o que tais ações querem nos dizer. Es-

se segundo debate normalmente é confundido com o primeiro. Quando digo que existe um sentido social com essa “quebradeira”, as pessoas consideram que estou apoiando a “quebradeira”. Não estou apoiando, mas estou preocupado em entender o que isso quer dizer. Vejo nas manifestações, por exemplo, gente que não quer quebrar as agências bancárias, mas não reage contra aqueles que estão quebrando as agências. E as agências não são o melhor exemplo. O melhor exemplo são as repartições públicas, as sedes do poder executivo, que foram alvejadas. Então, há uma atitude de muitos membros das manifestações que não se dirige para reprimir o quebra-quebra. Em alguns casos as pessoas se afastam, mas não querem reprimir. Como é possível que essas manifestações, então, abriguem pessoas que querem promover o quebraquebra com alvos precisos, que são os símbolos do poder político econômico? O que está acontecendo? Essa é a pergunta que deve ser feita. Ou seja, o que quer dizer, no plano da linguagem, esse tipo de explosão de violência? Contra o que essa violência surge? O que isso significa? Mas essas perguntas não têm nada a ver em aceitar ou referendar aqueles que promovem a “quebradeira”. Mas temos de aceitar que existe um ódio social, uma indignação muito grande. Essa é a primeira consideração a ser feita no sentido de entender o que está acontecendo. Além disso, podemos subdividir os que promovem o quebra-quebra em pelo menos três grupos importantes. Um seria o dos anarquistas, e aí há uma discussão se eles são de direita ou de esquerda. Para alguns, eles são de direita porque acabam fazendo a contrapropaganda das manifestações. O segundo grupo engloba pessoas do crime, e aí me refiro a pessoas ligadas ao tráfico, às milícias, ladrões comuns, criminosos, que são vistos quebrando lojas longe das manifestações. E um terceiro grupo mais complicado, mas que já começa a aparecer, está liga-

É possível falar no surgimento de uma mídia alternativa por conta das manifestações? Está surgindo uma diversidade de formas novas de imprensa. Ligadas a manifestações ou não, há explosão de novas formas de jornalismo por causa das novas tecnologias. Podemos até dizer que essas manifestações resultam também, mas não apenas isso, novas formas de interação da comunicação social. Então, essa ligação existe e, sem dúvida, vem muita coisa nova por aí. Mídia Ninja é um exemplo a mais. Particularmente, gosto da Mídia Ninja, sou simpático a essa expressão que apareceu. Entretanto, acho que eles precisam estar em um site fora do Facebook. Estão surgindo novos formatos de informação, de circulação de ideias pelas redes sociais, pelas redes interconectadas, pela internet, vinculadas direta ou indiretamente à distância ou mais próximo com movimentos culturais, sociais etc. A Mídia Ninja se apresenta como produtora de jornalismo independente e pediu financiamento público. É possível fazer jornalismo independente assim? A polêmica que surgiu no programa Roda Viva não diz respeito ao financiamento da Mídia Ninja, mas ao financiamento de outro movimento, que é o Fora do Eixo, e que tem uma ligação com a Mídia Ninja. E aí a questão é muito simples: quem recebe financiamento público, qualquer que seja a entidade, o movimento, a organização, precisa prestar conta minuciosamente e de forma muito transparente. Se a entidade recebeu dois reais de um apoio público para uma passagem de ônibus, precisa informar o dia em que comprou a passagem com esse dinheiro. A Mídia Ninja não é financiada assim. Ela tem ligação com as pessoas que fazem parte do Fora do Eixo. Agora, pode se ter um jornalismo independente financiado pelo dinheiro público? Em termos, isso é possível. Vamos lembrar que o jornalismo da BBC é financiado com uma taxa cobrada nos lares com televisão por força da lei. Portanto, embora esse dinheiro vá diretamente para o caixa da BBC, ele é assegurado pela autoridade pública. O jornalismo da BBC é independente, talvez seja o mais independente do mundo.


12

quadrantes

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

JOSÉ ARNO GALVÃO [ ADVOGADO ]

Cultivar as lembranças

Q

uando comecei a colaborar na “Tribuna”, escreví uma série sob o título de “lembranças”, o que não deixava de refletir a motivação maior que me levou a enfrentar o desafio que era inteiramente novo para mim. Escrever aqueles artigos logo deixou de ser um simples exercício de memória, para significar algo mais profundo. Ao remexer nas lembranças da infância e da juventude, eu não restaurava o passado, nem buscava lá refugiar-me. Como disse em certa ocasião, ao rememorar as coisas que já se foram, ao lembrar o passado, eu o estou revivendo, pois esse passado mora em mim. Assim, eu faço com que ele se faça presente, sem alhear-me dos fatos de agora. Nenhum saudosismo, somente saudade. Não quero substituir o presente pelo passado. Quero apenas fazer com que este

continue vivo enquanto eu também estiver. É admitir que guardo na lembrança os momentos que vivi ou que presenciei, as pessoas com quem convivi e que foram importantes ao longo da minha vida. Mesmo os jovens, gostam de relembrar fatos passados. Por que negar que tenho saudade das vagabundagens que, menino, fazia pelas propriedades do Pernambuquinho e das Cabeceiras, lá em Tibáu do Sul, a que se chegava depois de horas de viagem? Na literatura potiguar temos um excelente exemplo desse estilo, na “Província Submersa”, do macaibense Octacílio Alecrim. Mas, o modelo maior ainda é a obra de Marcel Proust, “Em busca do tempo perdido”. Essa última, inicialmente concebida em dois volumes terminou com sete. E ele não conseguiu terminá-la. É um

desafio penetrar nas lembranças do autor, encantar-se com suas descrições e desabafos Longe de mim a pretensão de sequer imitar tais autores. Minha intenção, como disse, é apenas de revisitar o passado, fazendo com que ele, que continua vivendo em mim, reapareça em toda sua magia, sem que, com isso, eu perca contato com as realidades do dia a dia. E para isso, nem é necessário que aquele lugar específico, aquele fato ou aquelas pessoas tenham tido um papel determinante no passado: basta que o integrem. Dentre os lugares por onde passei menino, um deixou uma lembrança que o papel por ele desempenhado talvez não justifique. Trata-se de Patané, um povoado situado a meio caminho entre as cidades de Arez e de Senador Geordino Avelino. É ali que está situada a ilha do

Flamengo, pequena porção de terra desabitada, a respeito da qual, diz a tradição, os holandeses, soldados com uma roupa encarnada, teriam cavado um túnel que a ligava à igreja deArez. Aliás, a respeitodessa mesma igreja, à qual estão anexadas as antigas instalações de um convento, aonde passei de certa feita cerca de quinze dias, no ano mesmo em que entrei para o Seminário deSão Pedro, no período quenós chamávamos de “seminário ferial”. A respeito da igreja e de seu convento abandonado, corria a lenda da assombração que ali aparecia de um frade sem cabeça. Os veteranos faziam questão de mostrar aos novatos o poço escuro onde o frade costumava refugiar-se... Mas, voltando a Patané, era esseumlugardepassagem,eraalique, indo para Tibau, deixava a cabine do misto para tomar a canoa com

que Crispim nos esperava à margem da lagoa. Na volta, a operação inversa: deixava a canoa, entrava no caminhão e toca para Natal. De certa feita, almoçando na casa de Vaneska por ocasião do Natal, pusme a contar essa história, sob o olhar de confirmação de um dos assistentes, Engenio Pacelli, marido de Gracinha. A certa altura, não me contive e interpelei-o: “O que você sabe disso?” E a resposta: “Eu sou neto de Joca Matos.” Ora, Joca Matos era não só o dono da caminhão que constituía o único meio de comunicação entre aquelas comunidades e a capital do Estado, como era também o dono da ilha do Flamengo. Pois bem. Recentemente, Eugenio nos convidou para revisitar Patané, convite que prontamente aceitei. E lá fomos na companhia de Joris e Candice, Vanya e Cláudio, além de Heloysa, minha neta. Em Patané, nos alojamos do “Bar da Ilha”, que deve seu nome ao fato de ficar exatamente de frente para a ilha do Flamengo, em tal situa-

MARCELO N. R. DANTAS [ DES.FEDERAL ]

NELSON PATRIOTA [ ESCRITOR ]

A Paris que Américo viveu com paixão

Três coincidências?

D

izemquebestsellernãoéliteratura.Euachoque depende. Há bestsellers e bestsellers. Quem há de negar a qualidade de um O Nome da Rosa, deUmbertoEco,oudeOsPilaresdaTerra,deKenFollet? Entre nós, Jorge Amado era bestseller. E, na minha opinião, Mar Morto, Gabriela e Capitães da Areia — para ficar só em três títulos —, estão entre os melhores livros da produção brasileira contemporânea. Houve um autor bestseller chamado Morris Langlo West, que nasceu 1916 e morreu em 1999, era australiano, e passou muito tempo num seminário mas não se ordenou. Começou a ascender no mercado editorial na segunda metade da década de 50 do século passado, em especial com O Advogado do Diabo, de 1959. Um enredo intrigante, cujo protagonista, Blaise Meredith, é um sacerdote que, por determinação da Santa Madre, vai investigar se o servo de Deus Giacomo Nerone merece a glória dos altares. Aí o promotor da fé começa a reavaliar sua própria vida. Um livraço. A partir de então, os lançamentos de West se tornam fenômenos de vendagem, sendo traduzidos para mais de 25 línguas, figurando 10 vezes na cobiçada listademaisvendidosdoNewYorkTimes,metadedas quais em primeiro lugar, e alcançando vendas mundiais de cerca de 60 milhões de exemplares. West escreveu muito, sobre vários temas, com o próprio nomeousobpseudônimoscomoJulianMorriseMichael East. Produziu, além de dezenas de romances, peças de teatro e até séries de rádio em seu país. Mas o que lhe deu fama internacional, principalmente, foram os livros ambientados no Vaticano. Praticamente todos eles foram traduzidos aqui no Brasil. Seu maior estouro de fama e tiragem foi As Sandálias do Pescador, que agora em 2013 completa 50 anos. Quiçá inspirado pelos novos tempos que o então Papa João XXIII estava trazendo para a Igreja, West criou uma personagem, o cardeal ucraniano Kiril Lakota, que se tornava chefe da Igreja. O romance foi um sucesso sem precedentes, e gerou, cinco anos depois, um filme maravilhoso, com o mesmo título, estrelado pelo inesquecível Anthony Quinn, ao lado de monstros sagrados da atuação como Laurence Olivier e John Gielgud. Naquele tempo — de papas italianos havia séculos —, disseram que a estória era muito boa, mas inverossímil: imaginar um pontífice eslavo, oriundo de um país comunista, então... Pois apenas 15 anos depois, em 1978, elege-se papa o eslavo Karol Wojtila, da polônia comunista. A coincidência foi grande demais. Até nos nomes: de Kiril para Karol só mudam duas vogais! Como se isso não fosse bastante, exatamente em 1981, ano em que João Paulo II era vítima de um atentado que quase lhe tira a vida, West escreve Os Fantoches de Deus, onde um papa europeu não-italiano — na ficção, o francês Jean-Marie Barette, ou Gregório XVII, sucessor de Kiril — renuncia ao pontificado e vai se recolher num convento. Um livro excelente, e muito espiritual. Comentários da época: agora o autor perdeu a mão de vez. Não está vendo que papa nenhum vai renunciar?! Sabia-se de dois ou três precedentes, o último dos quais na Idade Média, mas isso jamais iria acontecer nos dias de hoje. Pois bem: o sucessor de Karol, o europeu não-italiano Joseph Alois Razinger, ou Bento XVI, como se sabe, renunciou este ano ao sólio de Pedro e foi morar num convento. Claro que outros detalhes são inteiramente diferentes. Mas foi uma segunda coincidência notável! E, em 1998, no último livro que publicou em vida, Eminência, West conta a história de um argentino, ainda por cima, um ítalo-argentino, Luca Rossini, que se alça ao trono papal! Novamente, e agora com o portenho Jorge Bergoglio tornando-se o papa Francisco, vimos a terceira incrível coincidência acontecer. Dizem que uma vez é acaso, duas é coincidência, mas três... Resta um último livro de West sobre papas: O Milagre de Lázaro, de 1990. No final dele, o papa da trama, Leão XIV, é morto pela bala de um terrorista ao rezaramissa,logoapósanunciarumaprofundareformanacúriaromana.Então,érezarparaqueessaquarta ficção não se torne também... coincidência!

ção que, dependendo do ângulo de visão, nem se percebe a linha separando-a da terra firme. Foi uma oportunidade excelente de reviver os fatos do passado, de apreciar a visão magnífica proporcionada pela Lagoa de Guaraíras, essa porção de água invadida pelo mar que, na época colonial, abastecia de pescado a cidade do Recife, como registrado por cronistas holandeses, época em que Arez era chamada, também, de Guaraíras. E de lamentar o fato de não ter sido preservado o sistema de comporta que evitava a salinização da lagoa de Papari, integrante do mesmo complexo que formava o antigo estuário dos rios Trairi, Araraí e Jacu. E oportunidade, também, ressentir o sabor da tainha preparada com leite de coco e de um excelente ensopado de siri, especialidades da culinária daquela região, que parece estar sendo redescoberta. Na realidade, a saudade não ficou morta: agora que o lugar e as coisas de lá foram relembrados, aguardam uma nova visita.

F

CLÁUDIO EMERENCIANO [ PROFESSOR DA UFRN]

Entre sonho e realidade

O

pensamento coletivo, os sonhos e as espeos sonhos dos que pugnavam por liberdade. ranças que dão substância à alma de uma Uma das grandes expressões da cultura em nação. A concepção do mundo e da vida Portugal no século XX foi António Gedeão, sinôpredominante em cada sociedade. Desde as mais nimo de Rómulo Vasco da Gama de Carvalho. Poeprimitivas aos países integrantes dessa “aldeia ta, historiador, ensaísta e professor, Antônio Geglobal” nos nossos dias. O ideal comum e os deão era do Partido Comunista. Ele e outros anseios individuais se manifestam, esintelectuais do seu partido, como José Sapecialmente, no universo sentimenramago (Nobel da literatura) e escritotal de um povo. Assim o gênio de res de outras correntes ideológicas, Anatole France dizia que não há esresistiram heroicamente ao fascispírito nacional sem a esperança. A mo. Sua biografia me foi gentilmenvontade que transcende à espera e te remetida por uma das pessoas ao desejo. É determinação e fé em que dignificam a sua geração, por alcançar, concreta e coletivamente, sua cultura e inquebrantável coerênuma aspiração de mudança na realicia política, o advogado e professor Judade social e, por desdobramento, no liano Siqueira, filho do fraternal amiâmbito da vida de cada um. É a utogo do meu pai e do meu padrinho José pia real, ou seja, a possibilidade de Assim o gênio de Ivo Cavalcanti, escritor, poeta, profesconversão do sonho em realidade. Anatole France sor, médico, licenciado em letras e baTorna viável e perceptível – dizia dizia que não há charel em Direito, membro da AcadeJohn Locke (pensador inglês) – a feespírito nacional mia de Letras, Esmeraldo Siqueira. Julicidade antes sonhada. sem a esperança. A liano me enviou ainda a versão original A efervescência cultural antecipa vontade que da “Pedra Filosofal” (de António Geou expressa um processo de mudantranscende à deão), anteriormente transcrita por ça. De avanços sociais, políticos, éti- espera e ao desejo. mim incompletamente. O poema, cancos e morais. Honoré de Balzac, o É determinação e fé tado por Carlos do Carmo em 1969 e decriador do romance moderno, em sua em alcançar, pois por Manuel Freire, é atemporal re“Comédia Humana”, deu vida a quaconcreta e flexão da dicotomia entre o sonho e a se treze mil personagens. Legou o coletivamente, uma realidade em certas circunstâncias hismais completo painel cultural e psiaspiração de tóricas: “Eles não sabem que o sonho é cológico do seu tempo. Ressaltou a mudança na uma constante da vida, tão correta e demagnitude do amor. O amor nos conrealidade social e, finida como outra coisa qualquer/ coduz a Deus. Realiza a identidade enpor mo esta pedra cinzenta em que me sentre a criatura e o Criador, enquanto desdobramento, no to e descanso/ como este ribeiro mana fé e a esperança são elos entre a “Ciâmbito da vida de so em serenos sobressaltos, como estes dade de Deus” e a “Cidade dos Ho- cada um. É a utopia pinheiros altos que em verde e ouro se mens”. Visão original de Santo Agosreal, ou seja, a agitam, como estas aves que gritam em tinho. O sonho, ante qualquer conpossibilidade de bebedeiras de azuis/ Eles não sabem juntura, em todos os tempos, fermen- conversão do sonho que o sonho é vinho, é espuma, é ferta novos sonhos, que se renovam ou em realidade. mento, bichinho álacre e sedento, de se repetem como contraponto ao cerTorna viável e focinho pontiagudo, que fossa através ceamento das liberdades. Se não é perceptível – dizia de tudo num perpétuo movimento/ Epossível vivenciar uma realidade corJohn Locke les não sabem que o sonho é tela, é cor, respondente aos desejos individuais (pensador inglês) – é pincel, base, fuste, capitel, arco em ou às aspirações coletivas, mesmo asa felicidade antes ogiva vitral, pináculo de catedral, consim o homem extravasa na literatusonhada. traponto, sinfonia, máscara grega, mara e nas artes o seu “mundo” perdigia, que é retorta de alquimista, mapa do ou desejado. No Brasil, durante o do mundo distante, rosa dos ventos, Inautoritarismo, inúmeras foram as manifestações fante, caravela quinhentista, que é cabo da Boa dessa natureza. Um dos exemplos notáveis foi “A Esperança, ouro, canela, marfim, florete de esbanda” (1966) de Chico Buarque de Holanda, que padachim, Colombina e Arlequim, passarola voaevoca, em letra e música, os valores mais ternos dora, para-raios, locomotiva, barco de proa fesda brasilidade: “Estava à toa na vida/ O meu amor tiva, alto-forno, geradora, cisão do átomo, radar, me chamou/ Pra ver a banda passar/ Cantando ultrassom, televisão, desembarque em foguetão coisas de amor”. No final Chico retorna à realina superfície lunar/ Eles não sabem, nem sonham, dade que o cercava: “Mas para meu desencanto/ que o sonho comanda a vida, que sempre que um O que era doce acabou/ Tudo tomou seu lugar/ homem sonha o mundo pula e avança/ como boDepois que a banda passou/ E cada qual no seu la colorida entre as mãos de uma criança”. – Quem canto/ Em cada canto uma dor/ Depois da bansão “eles”? – Os que, no autoritarismo ou na deda passar/ Cantando coisas de amor”. Outras canmocracia, inviabilizam a junção entre sonho e reações, como “Disparada”, também realimentaram lidade.

az, este mês, 55 anos que o escritor Américo de Oliveira Costa proferiu uma palestra no auditório da Aliança Francesa de Natal dando conta da viagem que fizera a Paris no período de 12 de junho a 16 de julho de 1958. A fala de Américo, feita no idioma de Voltaire, permanece inédita em português, como a exigir que alguma instituição, algum mecenas, se encarregue de traduzila para o nosso idioma, fazendo justiça ao valioso testemunho dado pelo grande francófono macauense sobre a lendária capital francesa. Américo não tem pudor em se jactar de seu pleno conhecimento da Cidade Luz naquilo que ela tem de referencial, vale dizer, seus monumentos, praças, igrejas, cafés, mausoléus, bulevares etc. E evoca uma boa razão para tal: “esse projeto (de conhecer Paris) eu o trazia comigo desde minha adolescência e se fortaleceu ainda mais quando atingi meus 18-20 anos. Todavia, foi só na idade adulta que eu pude descobrir a doce terra de França e que meus sonhos enfim se realizaram” (tradução livre nossa, como as demais que se seguem neste artigo). Mas o diz sem pesar, evocando a seu favor um dos seus escritores preferidos, Stendhal, e sua definição de felicidade: “poder concretizar os sonhos de juventude mesmo que seja na idade avançada”. A felicidade de Américo não se restringiu, todavia, a realizar um sonho de juventude na idade madura; melhor foi poder descrevê-la em minúcias aos seus muitos alunos, amigos e leitores de seus livros que devem ter lotado o auditório da Aliança Francesa naquela ocasião. Como não reconhecer-lhe o direito de regozijar-se prazerosamente com ter esquadrinhado ruas e avenidas parisienses a expensas da Aliança Francesa, cuja representação natalense ajudou a fundar? Vale lembrar ainda que Américo integrara o antigo Comitê da França Livre em Natal, durante os estertores da Segunda Guerra, e nessa mesma cidade foi Cônsul Honorário da França. Em suma, em questões gaulesas, ninguém estava mais qualificado do que ele. Não sabemos dizer o que mais impressionou Américo nesse tour longamente sonhado, porque quase poderíamos afirmar, concluída a leitura de “Images et itinéraires de Paris” (título de sua palestra), que tudo lhe foi superlativo, como que ratificando suas inúmeras admirações pela França. E se tudo parece se resumir a Paris é porque, como Américo frisa, seus compromissos eram exclusivamente com essa cidade, não havendo praticamente quaisquer obrigações sociais a cumprir. Nesse cenário, ele pôde emoldurar sua viagem numa frase que demarca à perfeição seu âmbito e alcance: “Minha estada (“séjour”) em Paris seria um diálogo entre um viajante inquieto e uma cidade perturbadora”. E complementa: “Paris era para mim um ser humano que implicava tato, delicadeza, ternura, espontaneidade para poder vivê-la”. Para garantir o sucesso dessa empresa, Américo diz que se deixou guiar exclusivamente por seu instinto de neófito informado. E justifica: “o instinto tem seu saber”. Américo quer se referir, naturalmente, à “flânerie”, essa arte tão francesa de andar sem destino certo por uma cidade, entregando-se aos apelos da paisagem, como Baudelaire, grande “flâneur”, a descreve no soneto “À une Passante”. Américo descobre, nesse tour parisiense, que a “flânerie” se reveste de uma aura quase mítica; ela se lhe revela nada menos do que “a oitava maravilha do mundo, ou a primeira”. Sob esse ponto de vista, portanto, Américo se ateve ao seu conhecimento instintivo de uma cidade que aprendera a admirar desde a juventude e à qual daria outras provas de amor ainda mais superlativas, como se pode ler em seu monumental livro “A Biblioteca e seus Habitantes”. A esse respeito, o “Itinerário de Paris” foi a senha que lhe permitiu adentrar o primeiro vestíbulo daquela obra.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

geral

13

Egito está à beira do precipício « PRIMAVERA ÁRABE » País está mais polarizado desde que os islamitas chegaram ao poder com a eleição de Mohammed Morsi na esteira da revolta popular que derrubou a ditadura Hosni Mubarak HASSAN AMMAR/AE

HAMZA HENDAWI Associated Press

C

airo (AE) - Numa velocidade surpreendente, o Egito passou da condição de país em crise para a de um país em risco real de ingressar num ciclo prolongado de violência ou até mesmo em guerra civil. O Egito vem se tornando uma nação cada vez mais polarizada desde que os islamitas chegaram ao poder na esteira da revolta popular que derrubou a ditadura de Hosni Mubarak no início de 2011. As divisões em relação a temas potencialmente explosivos como identidade, direitos dos cristãos e de outras minorias e valores democráticos nunca foram tão grandes. A Irmandade Muçulmana e seus aliados radicais estavam em uma das pontas da disputa de poder, com os seculares, os liberais, os muçulmanos moderados e os cristãos na outra. A desconfiança aumentou depois de Mohammed Morsi, primeiro presidente democraticamente eleito da história do Egito, ter sido deposto em um golpe militar em 3 de julho. No entanto, será a sangrenta repressão policial aos protestos pela restauração da democracia que acabará lembrada como o momento crucial do que deveria ter sido apenas um impasse político. “A fagulha da guerra civil está acesa”, escreveu o colunista e escritor islamita Fahmy Howeidy na edição de quintafeira do jornal independente AlShorouk. “A nação está à beira do abismo.” Ao mesmo tempo, a mídia estatal rotula a Irmandade Muçulmana e seus aliados como “terroristas” e o clamor por uma ação ainda mais contundente contra os islamitas é crescente entre os simpatizantes das Forças Armadas. A brutal repressão aos manifestantes acampados em duas praças do Cairo na quarta-feira deixou centenas de mortos, mas derivou em dezenas de ações retaliatórias que se espalharam da capital para outras partes do país e tiveram como alvo delegacias e prédios do governo, numa demonstração da capacidade de ação dos islamitas. O governo, em resposta, autorizou a polícia a usar munição real e força letal contra quem atacasse as forças de segurança ou edifícios governamentais. Apesar de a comunidade internacional ter denunciado o uso excessivo da força pela polícia no desmantelamento de dois acampamentos de manifes-

Após o massacre de quarta-feira, partidários do presidente deposto Mohammed Morsi realizam protesto contra o regime militar que comanda o Egito

O exército e a polícia vão agir com rigor e as pessoas comuns vão apoiar a repressão à Irmandade Muçulmana" GAMAL EID Ativista dos Direitos Humanos

tantes contrários ao golpe, a campanha das Forças Armadas contra a Irmandade Muçulmana goza de apoio entre amplos setores da sociedade egípcia. Apesar de a maior parte da população ser muçulmana, muitos se opõem aos radicais islâmicos. Para muitos observadores, não existe dúvida de que a maioria da população vai apoiar a repressão à Irmandade Muçulmana e a seus aliados mais radicais. “O exército e a polícia vão agir com rigor e as pessoas comuns vão apoiar”, observou Gamal Eid, advogado e ativista pela defesa dos direitos humanos. Milhões de egípcios saíram às ruas nos dias que antecederam o golpe militar de 3 de julho contra Morsi. Essas pessoas exigiam a renúncia do primeiro presidente democraticamente eleito da história do país por uma série de razões. Além de considerar que Morsi queria concentrar o poder em seu favor e no da Irmandade Muçulmana, à qual é filiado, grande parte da população estava insatisfeita com o andamento das reformas sociais e econômicas e com as disputas públicas da presidência com o judiciário, a mídia, o exército e a polícia.

Os protestos transformaram-se em grandes celebrações no dia em que Morsi foi deposto e uma multidão foi às ruas em 26 de julho em resposta ao chamado do general Abdel-Fattah el-Sissi, líder do golpe, para uma manifestação de apoio às ações para combater “a violência e o terrorismo potencial”. Nas semanas que se seguiram ao golpe, o exército e a polícia foram atrás de integrantes da Irmandade Muçulmana e de outros grupos radicais islâmicos. Dezenas de pessoas foram presas, inclusive importantes líderes dessas associações. Enquanto isso, a tevê estatal e os jornais estão repletos de comentários, colunas e reportagens dominados pelo sentimento contra a Irmandade Muçulmana, muitas vezes caracterizando os grupos islâmicos como “inimigos do povo” e recorrendo ao fervor nacionalista ao caracterizá-los como organizações violentas que receberiam ajuda externa em segredo para agir contra o Egito e que veriam o país apenas como parte de uma grande nação muçulmana que transcenderia fronteiras territoriais.

Nobel da Paz é acusado de trair a causa egípcia A reação à renúncia do vicepresidente Mohamed ElBaradei em protesto contra a violência dá uma ideia do sentimento contrário à Irmandade Muçulmana no Egito. Prêmio Nobel da Paz, ElBaradei renunciou sob a alegação de que não queria ser responsabilizado pelo derramamento de sangue. “Lamento que quem esteja se beneficiando sejam os proponentes da violência e do terror e os grupos mais extremistas. Vocês vão se lembrar das minhas palavras”, escreveu ele em sua carta de renúncia. Em resposta, o Tamarod, grupo de jovens responsável por organizar os protestos que antecederam o golpe militar contra Morsi, acusou ElBaradei de “fugir de suas responsabilidades em um momento no qual seus serviços são necessários”. Num editorial estampado em primeira página, o jornal estatal Al-Akhbar acusou ElBaradei de “traição”. Até mesmo os grupos mais moderados de oposição liderados por ElBaradei nos

últimos meses lamentaram a decisão. O Tamarod, enquanto isso, diante da convocação dos protestos da Irmandade Muçulmana em desafio ao estado de emergência decretado na quartafeira, conclamou a formação de comitês populares para “impedir os islamitas de cometerem atos de violência” durante suas manifestações. O resultado disso pôde ser visto apenas dois dias depois, quando populares contrários à Irmandade Muçulmana atacaram os manifestantes no Cairo e em diversas outras cidades, deflagrando confrontos e tiroteios que deixaram mais algumas dezenas de mortos pelo caminho. “Certamente existe a possibilidade de uma guerra civil”, comentou Michael W. Hanna, especialista em Egito da Century Foundation, com sede em Nova Yorl. “Será terrível, com assassinatos e ataques suicidas, mas não necessariamente uma nova Síria ou um novo Iraque.”


14

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

geral


TELEFONES ÚTEIS

DÓLAR COMERCIAL

EURO TURISMO

Receita: 3220-2200 Procon Estadual: 3232-6869 Procon Municipal: 3232-9050 DRT RN: 3220-2000

Compra: R$ 2,3910 Venda: R$ 2,3920

Compra: R$ 3,0370 Venda: R$ 3,3070

DÓLAR TURISMO

LIBRA ESTERLINA

Compra: R$ 2,2500 Venda: R$ 2,5000

Compra: R$ 3,7414 Venda: R$ 3,7452

O PRESIDENTE DA EMBRATUR, FLÁVIO DINO, ANALISA O QUE A COPA TRARÁ PARA O TURISMO. PÁGINA 7

NA TN ONLINE Ministério Público da União abre inscrições para concurso. blog.tribunadonorte.com.br/tnconcursos/

economia Editora: Renata Moura [ renatamoura@tribunadonorte.com.br ]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo, 18 de agosto de 2013

TRABALHO Os dois lados da terceirização ALBERTO LEANDRO

Projeto de lei que está em discussão na Câmara dos Deputados e que, segundo empresas da área, pode aumentar o fôlego do setor, é criticado por sindicalistas e na Justiça do Trabalho. O temor é de que haja precarização no emprego e problemas na área de fiscalização

A

vança na Câmara de Deputados um projeto de lei que promete regulamentar a terceirização e mudar – outra vez - o mundo do trabalho. A proposta, que foi apresentada inicialmente em 2004, esteve para ser votada nesta semana, mas foi retirada da pauta. Enquanto o texto volta a ser discutido pelos deputados, o setor avança sem regulamentação. Há dúvidas com relação ao modelo adotado pelas prestadoras de serviços terceirizados. Para as centrais sindicais, o projeto suprime direitos. Para os empresários e sindicatos patronais, o projeto os assegura. Enquanto não se chega a um consenso, o número de ações trabalhistas na Justiça do Trabalho cresce. Segundo o juiz do trabalho Zéu Palmeira Sobrinho, titular da 1ª Vara do Trabalho de Natal e autor do livro ‘Terceirização e Reestruturação Produtiva’, o número de ações na Justiça do Trabalho saltou de um milhão para três milhões, desde a década de 90, no Brasil. O crescimento, segundo ele, foi puxado pelo avanço das empresas que prestam serviços terceirizados no país.

+

PAGINA 3 Terceirização no RN cresce acima da média nacional

Trabalhador terceirizado em hospital de Natal: Terceirizações estão no centro dos debates


2

economia

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto 2013

Negócios &Finanças

O futuro das Cidades

VICENTE NETO [ vneto@tribunadonorte.com.br]

FRANCISCO DE SALES MATOS advogado e Professor da UFRN

Mais um ano de seca Com chuvas irregulares tanto no tempo como no espaço, o Rio Grande do Norte caminha para mais um ano de seca, apesar de uma intensidade menor que a registrada no ano passado. Essa pelo menos é a conclusão de quem analisa os dados coletados ao longo do ano pela Empresa de Pesquisa Agropecuária (Emparn), responsável pelo monitoramento dos 197 pluviômetros espalhados por todos os municípios do RN. O inverno só termina oficialmente no final de agosto, mas os dados preliminares mostram um quadro preocupante, especialmente no sertão, onde os reservatórios estão secos e mais de 1 milhão de habitantes enfrentam ou enfrentarão problemas de abastecimento até o início da estação chuvosa de 2014. Dos 167 municípios, o ano foi considerado muito seco em 74 e seco em 44, segundo uma escala elaborada pela Emparn levando em conta o histórico de chuvas em cada município ou microrregião do Estado. Em outros 20 as chuvas ficaram dentro da normalidade e em apenas dois – Martins e Monte Alegre – elas atingiram o patamar “muito chuvoso”. No Seridó Oriental, Serra de Santana e Borborema Potiguar o ano foi “muito seco”. Entre os

municípios com menor volume de chuvas estão Mossoró e Baraúna. Este ano foram registradas chuvas acumuladas acima de mil milímetros em apenas nove municípios do Rio Grande do Norte, dos quais apenas um – Martins – no semiárido. No ano passado, o ano foi “seco” ou “muito seco” em 90% dos municípios. Em 2011, ano de inverno regular, foram 61 municípios acima de mil. Veja no gráfico abaixo como foi a distribuição de chuvas no RN este ano.

Inverno no RN Municípios com maior e menor volume de chuvas em 2013 MAIOR VOLUME Natal (UFRN)

1.414,5

Canguaretama

1.384,7

Nísia Floresta

1.280

Baía Formosa

1.272,9

Sen. Georgino Avelino

1.174,6

Parnamirim

1.169,3

Macaíba

1.104,1

São Gonçalo

1.092

Martins

1.056,4

MENOR VOLUME Santa Cruz Pedro Velho Currais Novos Gov. Dix-sept Rosado Caiçara do Norte Santana do Seridó Caicó* Lajes Triunfo Potiguar Bodó

52,6 70,4 72,8 74,5 95 113,7 324,9 115,8 119,7 132,3

ANÁLISE CLIMÁTICA - 2013

44,3%

44,3%

sem informações

Muito seco

1,2% Chuvoso

26,3%

11,98%

Seco

Normal

CHUVAS ACUMULADAS 89,2%

Porcentual de municípios na categoria Seco ou Muito Seco

70,3%

66,4%

37,7%

2007

3,6%

1,2%

2008

2009

5,9% 2010

(*) Média de quatros pluviômetros

2011

2012

2013 Fonte: Emparn

Hortifrúti Tomate, farinha de mandioca e macaxeira, vilões do processo inflacionário de junho para cá, estão com preços estabilizados na Ceasa. O tomate abaixo de R$ 1 no atacado, enquanto o quilo da macaxeira permanecia na casa de R$ 1,05 e a farinha fina, tipo 1, a R$ 41,90 o fardo de dez quilos.

Sebrae O Conselho Deliberativo do Sebrae/RN se reúne na próxima quinta-feira em Mossoró. Os conselheiros vão apreciar o relatório de gestão do primeiro semestre e depois fazem uma visita ao porto-ilha de Areia Branca.

Habitação O Programa Minha Casa Minha Vida contratou, no primeiro semestre deste ano, R$ 28,5 bilhões, beneficiando 1,5 milhão de pessoas com 378,9 mil unidades habitacionais.

Deste valor, 58% foram destinados a famílias com renda de até três salários mínimos. Os dados compõem o resultado do balanço semestral da Caixa Econômica Federal.

Hino Pague Meu Dinheiro, música de Nando Cordel pode virar hino dos pequenos fornecedores que se articulam para pressionar o governo do Estado a quitar a dívida que chega a R$ 20 milhões. Uma das estrofes diz: “Ficou tudo acer-

tado, o negócio foi fechado na maior satisfação / Passou um dia, outro dia, 20 dias / Eu fiquei de agonia, você não apareceu / Oh! Meu amigo, eu sou um chefe de família / Tenho um filho e duas filha, vem trazer o que é meu.”

D

entre as leituras que empreendi ultimamente uma me prendeu efetivamente a atenção. Trata-se de uma obra intitulada “O Futuro das Cidades”, de autoria de Júlio Moreno, publicada pela Editora SENACSão Paulo. O assunto, apesar de voltado para os nossos mais imediatos interesses, não me parece receber a devida atenção, nem nossa, enquanto coletividade, nem do Estado, enquanto promotor do bem comum e da harmonia social. Mas, consoante a obra referenciada, as transformações urbanísticas ocorridas nos últimos tempos, no Brasil e no mundo, marcaram indelevelmente a afirmação das cidades. Pelos cálculos do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (UN – Habitat), tomando como referência o ano de 2007, a população urbana do mundo superou o número de habitantes das zonas rurais. Nos Estados Unidos, a população urbana ultrapassou a rural ainda nos idos de 1910, e no Brasil, tal fenômeno ocorreu no início da década de 70. Particularmente, no Rio Grande do Norte, na atua-

lidade esse fenômeno já ruma para os 80%. A exceção fica com os municípios da Serra de Santana, onde por volta de 60% dos habitantes ainda residem e resistem no meio rural. Diz a obra referenciada que as cidades entram no século XXI em condições de extraordinário privilégio. Fontes de energia, materiais e técnicas de construção, meio de comunicação e entretenimento, recursos da medicina, facilidades do comércio, automóvel, utensílios domésticos, informática, etc. tudo isto ajudou a tornar as cidades o espaço preferido pela humanidade para viver. Assim, elas cresceram a ponto de fundir-se com outras, gerando o fenômeno tecnicamente denominado conurbação, e esse fenômeno tem naturalmente um componente que preocupa e é bem conhecido de todos: o crescimento desordenado e a desumanização, como se constata a partir da parte periférica das regiões metropolitanas brasileiras. Diante desse quadro, as autoridades públicas precisam atuar compativelmente. Planejamento é a palavra de ordem, mas lamentavelmente não é o que se constata. A demagogia da qual se utilizam habilmente os políticos,

É preciso ter em mente que um novo pensamento político há de se voltar para um modelo sustentável. Sem essa consciência a tendência é o agravamento do caos” em sua grande maioria, lhes permitem prometer durante as campanhas políticas e não realizar quando chegam ao poder. Mas, temos culpa no cartório. E, assim, o caos da mobilidade, da anarquia ocupacional dos espaços fundiários, das barreiras arquitetônicas, do comprometimento dos espaços de luz e de vida das cidades, vão paulatinamente se instaurando, afrontando a dignidade da pessoa humana. De qualquer sorte, tenhamos em mente como dizem os que trabalharam o “Futuro das Cidades” que a go-

vernabilidade das cidades é um grande problema, mas não é justo atribuir às autoridades e suas equipes de planejamento toda a culpa pelas mazelas urbanas. Enfim, o desafio das cidades é de todos nós. O fato, dizem, é que vivemos a emergência de novos modos de vida e, consequentemente de novas formas de aglomeração urbana, em virtude de fenômenos como a exaustão da economia industrial, a globalização financeira, a diversidade cultural, a transformação da composição familiar e os avanços da tecnologia da informação. Por isso, é preciso que tenhamos em mente que um novo pensamento político há de se voltar para um modelo sustentável de cidade. Sem essa consciência a tendência é o agravamento do caos. Com efeito, como bem asseverou o ex-prefeito de Bogotá, Enrique Peñalosa, “a tarefa não é simplesmente criar uma cidade que funciona com eficiência. É criar um ambiente onde a maioria das pessoas possam ser tão felizes quanto possível. Felicidade é difícil de definir e impossível de medir, mas em última instancia é para onde todos os esforços, coletivo ou individual, devem ser objetivados.” Portanto, há luz no fim do túnel para o futuro das cidades.

Que venha a tecnologia SEMIO TIMENI SEGUNDO Mestre em administração, consultor e coach

H

enry Ford II, neto do Henry mais famoso, foi durante 35 anos o líder maior da montadora fundada por seu avô. Durante sua gestão como presidente a companhia se tornou uma das maiores empresas do mundo na área automotiva. Conta a lenda que HF2, como era conhecido, circulava na década de 1960 entre os robôs recém implantados numa fábrica da Ford em Detroit na companhia de um líder sindical com quem ele mantinha ótimas relações. Bonachão, HF2 passeava entre os corredores enquanto explicava as vantagens daquelas máquinas revolucionárias, que substituíam centenas de homens e podiam trabalhar 24 horas por dia. Brincalhão, provoca o amigo: — Como vocês farão para convencer os robôs a pagarem taxas sindicais? E ouve a resposta: — Acho que você deveria pensar como vai fazer para convencer os robôs a comprarem seus automóveis!

Passados mais de 50 anos deste caso, e com um avanço estupendo na tecnologia, vemos cada vez mais atividades serem automatizadas, e cada vez mais pessoas serem substituídas por máquinas. E o que o futuro nos reserva? Com certeza, mais tecnologia, mais automação e mais funções deixando de existir. E isto é ruim ou é bom? Depende, principalmente, como vamos encarar o fato de que as pessoas precisam trabalhar para poder comprar carros, roupas, comidas, enfim, adquirir tudo aquilo que as máquinas vão produzir. Porque de nada adiantará tanta tecnologia se vivermos num país – ou em um planeta? – incapaz de gerar emprego para os milhões de jovens que entram no mercado de trabalho ano a ano, só para ficar em um exemplo. Muitos consultores e especialistas em antecipar o futuro reconhecem a dificuldade de se prever o que vai acontecer no mundo dos negócios num prazo maior que 5 anos. Mas a sua maioria é unânime em apontar que a saída passa pela Educação. Comparando com a seleção natural na Biologia, somente a Educação tem o poder de ajudar o ser

humano a adaptar-se aos novos tempos no mundo dos negócios. E, mais do que isto, as empresas no futuro terão que se preocupar fortemente com os componentes de inclusão socioeconômica. O que quero dizer? Deixe-me dar um exemplo: atualmente nos Estados Unidos se discute o processo de regularização de milhões de imigrantes ilegais e seus familiares. Por que? Entre diversos motivos, um atinge diretamente a capacidade de crescimento da economia. Em estados como a Florida, a falta de mão de obra pa-

ra exercer determinadas funções já é uma realidade. Muitas empresas simplesmente não conseguem contratar funcionários, porque estes não tem documentação. Ou ainda muitos jovens, que imigraram com seus pais, e receberam educação formal – é a lei naquele estado – não podem ingressar em universidades porque não tem documentos. Nunca tiveram. É como se não existissem. Assim, grandes empresas americanas estão contribuindo fortemente para a educação destes jovens, estruturando ensino de qualidade enquanto os poderes discutem leis para autorizar a legalização. Inclusive Educação Empreendedora, base fundamental na criação de negócios prósperos e sadios, como aqueles que utilizarão a tecnologia no futuro! Estão, em outras palavras, plantando a mais rica das sementes: a educação no seio dos jovens! Porque de nada adianta a tecnologia se não tivermos gente empreendedora para gerar emprego e renda! Assim, que venha a tecnologia! Mas que cada um de nós estejamos atentos que robô não compra carro! Pense nisso. Bom trabalho! Sucesso!

ses a nomeação dos prefeitos. A mesma lei determinava a criação, em cada Estado, de um Departamento Administrativo, com atribuições, entre outras, de aprovar os projetos de orçamento do Estado e dos Municípios, bem como de fiscalizar sua execução, somente com a Constituição de 18 de setembro de 1946, voltando o Poder Executivo a elaborar o projeto de lei do orçamento e encaminhar para discussão e votação nas casas legislativas, com a possibilidade de emendas. Atribuindo especial relevância ao orçamento, a Constituição de 1967 incorporou novos princípios e regras aos processos de elaboração e fiscalização orçamentárias, porém retirou prerrogativas do Legislativo para iniciativa de leis ou emendas que criassem ou aumentassem despesas, o que foi mantido na Constituição de 1969. Finalmente, na Constituição de 1988 o tema mereceu grande atenção, visto como símbolo de prerrogativas parlamentares perdidas durante o período autoritário, embora ainda não se tornado impositivo como de há muito reclamado. A partir daí, entre-

tanto, algumas novidades foram sendo incorporadas, como a gestão orçamentária participativa praticada inicialmente de forma voluntária e depois tornada obrigatória pelo Estatuto da Cidade. Finalmente está-se agora diante desta grande novidade que haverá de ter lugar reservado na história política e administrativa brasileira que é o orçamento impositivo. Em conseqüente desta Proposta de Constitucional as emendas parlamentares incluídas no Projeto de Lei do Orçamento Anual elaborado pelo Poder Executivo deixarão de ser meramente formais para tornar-se em disposições rígidas das normas constitucionais, que não podem deixar de ser cumpridas, como ocorre atualmente. Dessa forma o Congresso Nacional adquire mais um reforço de sua autonomia, o que se espera seja reproduzido nos Estados e Distrito Federal e nos Municípios, onde as emendas parlamentares praticamente inexistem, sendo forçoso reconhecer a elogiável e decisiva atuação do Deputado Henrique Eduardo Alves nessa conquista.

Muitos consultores e especialistas em antecipar o futuro reconhecem a dificuldade de se prever o que vai acontecer no mundo dos negócios num prazo maior que 5 anos"

Orçamento impositivo ALCIMAR DE ALMEIDA SILVA Consultor Fiscal e Tributário.

A

inda que se trate de alteração parcial, a Proposta de Emenda Constitucional tornando obrigatória a aplicação das verbas alocadas na Lei Orçamentária Anual da União decorrentes de emendas – que certamente será adotada também nos Estados, no Distrito Federal e nos Municípios – não deixa de representar significativo avanço na administração das finanças públicas. Constitui-se mesmo na maior inovação após a Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000), somando-se às poucas adotadas após a chegada de Dom João VI ao Brasil, quando foram criados o tesouro e o regime de contabilidade, aperfeiçoado na Constituição Imperial de 1824, com a qual surgem as primeiras exigências na elaboração de orçamentos formais por parte das instituições imperiais. Após veio a Lei de 14 de dezembro de 1827, considerada por muitos como a primeira lei de orçamento do Brasil, frustrada

diante dos deficientes mecanismos arrecadadores, das dificuldades nas comunicações e de certos conflitos com normas legais oriundas do período colonial. Daí porque, inclusive, outros, que não são poucos, consideram como o primeiro orçamento brasileiro o aprovado pelo Decreto Legislativo de 15 de dezembro de 1830 fixando a despesa e orçando a receita das antigas províncias para o exercício de 1.º de julho de 1831 a 30 de junho de 1832. Seguiu-lhe a Constituição de 1891, com importante alteração na distribuição das competências em relação ao orçamento, passando sua elaboração a ser privativa do Congresso Nacional, assim como a tomada de contas do Executivo. Com a Constituição outorgada em 16 de julho de 1934 o orçamento ocupou uma seção própria, o que viria a se repetir no Estado Novo com a Constituição de 1937, e, em 1939 – suprimida a autonomia dos Estados e Municípios – transferiu-se ao Presidente da República a prerrogativa de nomear os governadores estaduais (interventores) e a es-


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto 2013

economia

3

Terceirizações crescem mais no RN « TRABALHO » Entre 2006 e 2012, o total de trabalhadores terceirizados no país subiu 5%, enquanto no RN

avançou 11,11%. O Estado também registrou crescimento quase duas vezes maior no número de empresas

ALEX REGIS

ANDRIELLE MENDES Repórter

atrícia Marinho é gerente de uma das maiores prestadoras de serviços terceirizados do estado. O grupo gerenciado por ela começou com dois funcionários e hoje conta com 12 mil no Nordeste e no Sudeste. O crescimento da empresa, que atua há 35 anos no mercado, ilustra o avanço da terceirização no Rio Grande do Norte e no Brasil. Entre 2006 e 2012, o número de trabalhadores terceirizados no país subiu 5%. já no RN, o salto foi de 11,11% - mais do que o dobro. O estado também registrou um crescimento quase duas vezes superior no número de empresas prestadoras de serviços. Enquanto o total de empresas subiu 16,3% no Brasil, no Rio Grande do Norte avançou 22%. O Rio Grande do Norte é um dos estados onde a terceirização mais avançou. O setor no estado tem crescido numa velocidade quase duas vezes superior à registrada em todo o país, de acordo com levantamento realizado pela Federação Nacional das Empresas de Serviços e Limpeza Ambiental (Febrac) à pedido da TRIBUNA DO NORTE.

P

O setor de vigilância é um dos que mais fornecem mão de obra terceirizada: Empresas esperam mais crescimento, na esteira de projeto de lei ainda em discussão

Sindicatos temem que proposta suprima direitos

Terceirização O setor avança no país e no Estado Números da terceirização*

Faturamento por região - 2012

Mudanças Mudanças que estão a caminho podem impulsionar ainda mais esse crescimento. A Câmara de deputados discute neste momento um projeto de lei que promete regulamentar a terceirização e criar regras para as empresas prestadoras de serviços terceirizados no Brasil. A proposta que seria apreciada nesta semana teve a votação adiada para o dia 3 de setembro. As centrais sindicais discordaram do relatório apresentado pelo relator, o deputado Arthur Oliveira Maia (PMDB/BA), à Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, e conseguiram postergar a data. A proposta ainda precisará passar pelo Senado para virar lei. Mas ainda não há data para que isso ocorra. Para os empresários, o projeto - que amplia a área de atuação das terceirizadas, ao permitir que se terceirize não só ‘atividades-meio’, como vigilância, limpeza e conservação, mas ‘atividades-fim’, que são consideradas a essência da empresa que contrata o serviço – pode alavancar ainda mais o crescimento do setor. Já há empresas planejando novos investimentos, de olho na aprovação do projeto de lei. No Rio Grande do Norte, a chegada de novas empresas no RN - sobretudo as que atuam no setor de energias renováveis - ajuda a explicar a expansão dos números. A análise é do presidente do Sindicato Patronal das Empresas Prestadoras de Serviços de Mão de Obra do RN e diretor de Relações Institucionais da Federação Nacional das Empresas de Serviços e Limpeza Ambiental, Edmílson Pereira. Segundo dados do Sindicato Patronal das Empresas Prestadoras de Serviços de Mão de Obra (Sindprest/RN), há pelo menos 50 empresas prestadoras de serviços terceirizados e cerca de 20 mil trabalhadores terceirizados no RN. O faturamento anual do setor chega a R$ 600 milhões. Edmílson, a exemplo dos representantes de outros sindicatos patronais, defende a aprovação do projeto de lei, que foi apresentado em 2004 e até hoje é discutido pelo Congresso. O texto, no entanto, admite Edmílson, é polêmico.

Faturamento anual do setor

Brasil

Rio G. do Norte

R$ 32 bilhões

R$ 600 milhões

10 milhões

20 mil

12 mil

cerca de 50

Número de trabalhadores terceirizados Número de empresas que prestam serviço de mão de obra

Centro-Oeste cerca de R$ 2,9 bilhões

Crescimento do setor - 2006/2012 Faturamento anual do setor

Brasil

Rio G. do Norte

+17,5%

+33%

+5%

+11,11%

+16,3%

+22%

Número de trabalhadores terceirizados Número de empresas que prestam serviço de mão de obra

Nordeste cerca de R$ 4,1 bilhões

Norte cerca de R$ 1 bilhão

Sudeste cerca de R$ 18,9 bilhões

Sul cerca de R$ 5,1 bilhões

Setores que mais terceirizam no Brasil e no RN Vigilância Limpeza Conservação

Perfil dos trabalhadores terceirizados O que prevê o projeto de lei nº 4.330/04

Recebem, em média, 27,1% menos do que os outros trabalhadores;

Regulamentação da terceirização

Permanecem menos tempo no trabalho, cerca 2,6 anos

61,1%

Regulação do contrato de prestação de serviços

53,4%

Liberação da terceirização das 'atividades-fim', aquelas que são inerentes à atividade econômica da contratante

possuem ensino médio ou formação superior

trabalham em empresas com mais de 100 empregados

*O levantamento da Febrac considera a seguinte amostra: empresas de asseio e conservação, serviços de limpeza em geral de edifícios, imóveis e jardins, limpeza urbana, preservação ambiental, medições, e os serviços de hospitalidade terceirizados em geral, incluindo-se todas as atividades descritas na cartilha de orientação a tomadores de serviços, quais sejam – porteiros e vigias em geral, inclusive de condomínios e edifícios, faxineiros ou serventes, limpadores de caixas d’água, trabalhadores braçais, ascensoristas, copeiros, capineiros, dedetizadores, limpadores de vidros, manobristas, garagistas, operadores de carga, auxiliares de jardinagem, contínuos ou office-boys, faxineiros de limpeza técnica industrial, recepcionistas ou atendentes e outros serviços terceirizados similares. Fonte: Febrac / Sindicato Patronal das Empresas Prestadoras de Serviços de Mão de Obra do RN (Sindprest/RN) / empresas / projeto de lei nº 4.330/04

As centrais sindicais são contra o projeto. A razão, segundo elas, é simples. Para os sindicatos dos trabalhadores, a proposta que avança no Congresso após oito anos de discussão suprime diretos e abre caminho para a precarização das condições de trabalho. Francisco Benedito é presidente do Sindicato Intermunicipal dos Vigilantes do Rio Grande do Norte (Sindisegur) e se diz preocupado com o avanço da proposta. “Estou muito preocupado. E não só eu. O Ministério Público do Trabalho também. Regulamentar a terceirização não significa garantir os direitos dos trabalhadores terceirizados”. Segundo Benedito, há muitos relatos de empresas que ‘fecham do dia para noite sem pagar os direitos rescisórios dos empregados no estado’. “As empresas simplesmente desaparecem”. Fernando Lucena, vereador e presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza no estado do RN (Sindlimp/RN), pensa parecido. Ele classifica a terceirização no Brasil como uma ‘escravidão disfarçada’ e afirma que regulamentar o setor, como propõe o projeto de lei, é cometer ‘um crime contra o trabalhador’. Os terceirizados, segundo estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), recebem, em média, 27,1% menos do que os trabalhadores ‘tipicamente contratados’, permanecem menos tempo contratados e não gozam dos mesmos direitos. Para Melquisedec Moreira, supervisor técnico do DieeseRN, a proposta que avança no

Congresso abre caminho para uma ‘virtual reforma sindical à revelia de mudanças constitucionais’. O texto, que recebeu parecer favorável do relator, pode, segundo Melquisedec, criar duas categorias de trabalhadores: “os amparados pela legislação e por acordos e convenções coletivas” e os “trabalhadores precarizados, cujos direitos se limitarão aos patamares mínimos previstos na Consolidação das Leis do Trabalho”, legislação que rege as relações de trabalho. Segundo Fernando Lucena, do Sindlimp, há pelo menos mil processos abertos na Justiça do Trabalho do RN por trabalhadores terceirizados ligados ao sindicato. Só do escritório Fernandes Silveira Advogados & Associados, um dos que cuidam dos casos do sindicato, são 158 processos coletivos do Sindlimp em desfavor as empresas de terceirização de serviços de asseio conservação e limpeza urbana. A terceirização, segundo George Arthur Fernandes Silveira, sócio diretor do escritório, poderia ser um importante ferramenta de gestão se fosse executada de maneira correta. “Mas não é bem o que acontece. Muitas das empresas que surgem não prezam em prestar serviços satisfatórios, não propiciam a devida instrumentalização para seus funcionários, nem respeitam as legislações trabalhistas vigentes”.

+

PAGINA 5 Autor do projeto diz que intenção é acabar com “mão de obra precária” JÚNIOR SANTOS

ì O QUE A terceirização é uma prática que permite que uma empresa transfira a terceiros a realização de atividades antes realizadas integralmente por ela

PORQUE Há várias razões para se terceirizar. Redução de custos e ganhos em produtividade são apontados como algumas delas

Muitas empresas que surgem não prezam em prestar serviços satisfatórios, não propiciam a devida instrumentalização para seus funcionários” GEORGE FERNANDES SILVEIRA Advogado

Fernando Lucena, presidente do Sindlimp: Terceirização é uma “escravidão disfarçada”


4

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

economia

Vantagens da lei dividem opiniões « TERCEIRIZAÇÕES » Especialistas temem a precarização do mercado de trabalho, com a possível expansão das terceirizações. Há carência de pessoal, para fiscalização, na Superintendência regional do trabalho

P

ara Zéu Palmeira Sobrinho, que é mestre e doutor em Ciências Sociais, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, e coordenador do grupo de estudos em Seguridade, Previdência e Trabalho na UFRN, ‘o projeto de lei não traz nenhum avanço’. “Há dois tipos de terceirização: a reestruturante, que tem como base a especialização e a inovação, e a predatória. No Brasil, estamos assistindo o avanço de uma terceirização predatória, que visa somente a redução dos custos, o desmantelamento da organização dos trabalhadores, e não garante direitos. É esse o tipo de terceirização que a lei vai amparar”, afirma Zéu, que também é juiz do Trabalho em Natal. Segundo o especialista, um dos efeitos mais ‘nefastos’ da terceirização predatória é o rebaixamento dos salários. “Como o modelo visa a redução dos custos por parte dos contratantes, ele não admite isonomia (igualdade) entre os salários dos trabalhadores efetivos da contratante e os da contratada. Por isso, digo que não há avanço. Avanço haveria se o trabalhador da contratante tivesse os mesmos direitos dos trabalhadores da contratada”, argumenta. Para o juiz, o projeto fere o valor social do trabalho e é contrário ao que está na Constituição. “O princípio do valor social do trabalho diz que o trabalho deve ser o meio que vai permitir uma existência digna do cidadão. Como a terceirização precariza o trabalho, ela fere esse

ALEX REGIS

EMANUEL AMARAL

princípio. Pelo menos 80% das empresas que prestam serviços terceirizados e respondem processos na Justiça do Trabalho, são acionadas pelos trabalhadores porque não pagaram aviso prévio, 13º, férias, horas extras”. O magistrado acredita que a aprovação do projeto, caso nenhuma alteração seja feita, pode aumentar o número de ações trabalhistas e dificultar ainda mais a fiscalização por parte do Ministério do Trabalho e Emprego. “Sabemos que a fiscalização não chega nas pequenas empresas. Se fiscalizar as terceirizadas já está difícil, imagine se o número aumentar de forma expressiva. É mais fácil ir numa Guararapes, que tem mais de dez mil funcionários, do que ir numa pequena. A fiscalização nas pequenas empresas praticamente inexiste”. Francisco Fernandes Lobo, chefe do setor de Inspeção do Trabalho da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego no RN, reconhece a dificuldade. Segundo ele, são 43 auditores fiscais para inspecionar todas as empresas do Rio Grande do Norte. Deste total, apenas dez fiscalizam as que prestam serviços terceirizados no estado. “O número de auditores é muito pequeno. Precisaríamos de, no mínimo, o dobro de fiscais. Em virtude disso, temos que filtrar as demandas. Não dá para atender tudo”. Lobo evita entrar no mérito do projeto, mas reconhece: “se a proposta for aprovada e o número de empresas do setor subir muito, vai ser difícil fiscalizar as empresas e monitorar as condições de trabalho”.

Zeu Palmeira Sobrinho: Projeto estimula terceirização ‘predatória’

Edmílson Pereira: Empresas com qualificação são mantidas

Setor registra expansão de investimentos no RN Os empresários, que prestam serviços terceirizados e empregam mais de 20 mil pessoas no Rio Grande do Norte, negam que a intenção da proposta seja referendar um modelo que precariza as condições de trabalho. Para Edmílson Pereira, que é dono de duas prestadoras de serviços de mão de obra no RN – a Interfort e a SS Empreendimentos – só permanecerão no mercado após a aprovação do projeto as empresas que tiverem qualificação técnica e financeira. Edmílson, que também é presidente do Sindicato Patronal das Empresas Prestadoras de Serviços de Mão de Obra do RN, reconhece que muitas empresas tem

fechado sem pagar as verbas rescisórias dos trabalhadores, mas afirma que nem todas as empresas do setor agem dessa forma. “Seria uma insensatez não buscar um entendimento. Não há riscos de precarização. Os direitos dos trabalhadores estarão garantidos”, afirma Edmílson, que hoje conta com três mil funcionários e não descarta novas contratações, caso o projeto seja aprovado. “Estou me preparando para isso”. Patrícia Marinho, gerente da Adlim, empresa que há 35 anos atua nesse ramo, também se prepara para ampliar os investimentos. “Vamos investir ainda mais em qualificação de mão de obra. Já atuamos em quase todo nor-

deste, e em São Paulo. Estamos buscando novos negócios para aumentar o número de funcionários”, informou. Segundo ela, a regulamentação do setor não intensificará a precarização das condições de trabalho. “O projeto de lei nº 4.330/04, na verdade, traz vantagens. Com este projeto, a concorrência acontecerá de igual para igual, pois a legislação trabalhista e o recolhimento dos tributos serão cumpridos obrigatoriamente pelas empresas”, afirma. Outro empresário que defende a mesma opinião é José Maria Lopes de Freitas, diretor da JF Locação de Mão de Obra. José Maria abriu a empresa apenas com

dois funcionários e hoje já conta com 100. Ele também acredita que a regulamentação da terceirização trará vantagens. “Estou no mercado há 12 anos e vi muitas empresas fecharem em menos de seis meses deixando os trabalhadores desamparados e obrigando-os a entrar na Justiça. Mas posso garantir que não são todos que fazem isso. Eu mesmo assinei a carteira de todos os meus funcionários. O projeto traz segurança para o empresário, já que regulamentará o nosso setor”.

+

PAGINA 5

Autor do projeto diz que intenção é acabar com “mão de obra precária”


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

economia

5

»ENTREVISTA » SANDRO MABEL

DEPUTADO FEDERAL (PMDB-GO) E AUTOR DO PROJETO DE LEI QUE REGULAMENTA A TERCEIRIZAÇÃO ANTÔNIOCRUZ/ABR

“A intenção é acabar com a mão de obra precária” A

utor do projeto de lei que regulamenta a terceirização, o deputado federal Sandro Mabel (PMDB-GO) defende que o projeto de lei que define regras para o setor não tem desvantagens para o trabalhador. A proposta, segundo ele, obrigará a contratante a fiscalizar se todos os direitos trabalhistas, como FGTS e INSS, estão sendo pagos pela terceirizada. Caso isso não aconteça, a própria empresa terá que arcar com todas as despesas. Isso, diz Mabel, garante que os trabalhadores “não ficarão a mercê da própria sorte”. Está em discussão no Congresso o projeto de lei que trata da terceirização. Para o deputado, quais as vantagens e desvantagens da terceirização? Em primeiro lugar, o projeto de proteção ao trabalhador terceirizado não tem desvantagens para o trabalhador. Este é um marco nas relações trabalhistas, uma vez que, não existe nenhuma legislação que proteja os terceirizados. Hoje, apenas a súmula 331 do TST faz esse papel. A proposta contribuirá decisivamente para acabar com a irresponsabilidade de muitas empresas prestadoras de serviço que des-

respeitam os direitos dos seus empregados. Como isso será possível? Simples, o projeto estabelece exigências de capital e de caução (ou seguro) por parte das contratadas. A contratante será obrigada a fiscalizar se todos os direitos trabalhistas, como FGTS e INSS, estão sendo pagos pela terceirizada. Caso isso não aconteça, a própria empresa terá que arcar com todas as despesas. Garantindo assim, que os trabalhadores não ficarão “a mercê” da própria sorte, em casos de falência ou de abandono do contrato. Só isso já afasta da terceirização uma série de empresas inidôneas. Além disso, os trabalhadores terão a equiparação dos direitos básicos dos terceirizados, como tíquete alimentação e vale transporte, com os efetivados. Por que não se consegue chegar a um consenso com relação a proposta? O impasse maior é com as Centrais Sindicais. O PL 4.330 foi proposto em 2004, mas ainda permanece em discussão no Congresso. Qual a razão para essa demora? Este é um tema que requer um pouco mais de atenção e precisava

ser aprimorado. Durante todos esses anos discutimos, debatemos vários pontos para chegar a um acordo. Mas acredito que, agora, o texto está muito bom. O relator, deputado Arthur Maia (PMDB/BA) fez um bom trabalho. O projeto deverá ser votado em setembro (com o adiamento). Quais os passos seguintes? Se for aprovado na Comissão de Constituição e Justiça e não houver recurso, para votação em plenário, ele segue para apreciação no Senado. Caso vá para plenário, é preciso aprovar o texto final, para depois seguir para o Senado. Em quanto tempo o projeto poderá virá lei? Há chances de ele ser arquivado? Não sabemos ao certo quando isso deverá acontecer. Depende da aprovação na CCJ. Mas, com certeza, ele não será arquivado. Um dos setores que mais defendem a regulamentação da terceirização é a indústria, que perde competitividade e, num contexto geral, já produz menos. A terceirização pode reduzir os custos de produção e tornar a indústria nacional mais

A proposta contribuirá decisivamente para acabar com a irresponsabilidade de muitas empresas prestadoras de serviço que desrespeitam os direitos dos seus empregados”

competitiva, na sua opinião? A terceirização é uma tendência mundial que objetiva ganhos de especialidade, qualidade, eficiência, produtividade e competitividade. Tudo isso gera riqueza para o país, que por sua vez, cria maiores oportunidades de emprego. Os gastos serão iguais. O que melhora é a segurança jurídica. Estima-se que existam mais de 10 milhões de trabalhadores terceirizados no país atualmente. Esse número poderia ser maior se existissem regras mais claras e maior segurança para quem terceiriza? Com certeza. As relações de trabalho são dinâmicas. As empresas precisam cada vez mais de profis-

sionais capazes de prestar serviços especializados que, muitas vezes, são sazonais, transitórios ou específicos. Por isso, não justifica têlos em seu quadro permanente. A falta de normas claras traz insegurança e desproteção para o trabalhador e para empresa. A aprovação do PL 4.330 poderia ampliar o número de trabalhadores terceirizados no país? Não tem como fazer uma previsão de quanto e em quanto tempo. Na sua opinião, haveria risco de precarização do trabalho com a aprovação do projeto de lei? Não. Jamais. A intenção desse projeto é justamente acabar com a mão de obra precária.


6

economia

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

Abrindo a porteira LUIZ ANTÔNIO FELIPE [ laf@tribunadonorte.com.br]

Rebanho escondido? Em muitos reservatórios d’água no interior, pequenos e médios, principalmente no Oeste potiguar, não se observa a presença de rebanhos, nem mesmo de poucos animais bovinos. Segundo um pecuarista, é um forte sinal de que houve uma venda ou morte por conta da seca. Agora, a Secretaria Estadual da Agricultura, da Pecuária e da Pesca do RN está finalizando a recontagem do rebanho bovino do Estado, através da análise da quantidade de vacinas vendidas para controle da aftosa. De acordo com o Instituto de Defesa Agropecuária do RN (Idiarn), os resultados preliminares da pesquisa mostram números surpreendentes até mesmo para o mais esperançoso dos analistas. O Idiarn contabilizou venda de 970 mil unidades da vacina no RN durante a última campanha de vacinação, em junho.

DESACORDO A contagem pode chegar a mais 1 milhão de cabeças de gado bovino no RN. Se houve uma venda excessiva e mortes por conta da seca, onde estão os rebanhos e por que tanta vacina comprada? Há uma desconfiança de que produtores rurais estariam comprando vacinas apenas para ter direito a se cadastrar no programa de distribuição de milho subsidiado da Conab, que é exigido com a aplicação da vacina.

Reciclagem

Paralisação

O Rio Grande do Norte destina 48 toneladas de embalagens vazias de defensivos agrícolas. A quantidade de embalagens destinada, pelo Sistema Campo Limpo, é 53% maior que a do mesmo período de 2012, resultado que gera benefícios ao meio ambiente. O estudo realizado pelo inpEV aponta que, nos primeiros sete meses de 2013, já foram retiradas do meio ambiente mais de 25 mil toneladas do material em todo o país. Resultado 9% maior do que o índice obtido no ano anterior.

Os fiscais federais agropecuários entraram em greve desde sexta-feira (16). A categoria denuncia caos administrativo e ocupação política dos cargos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, após a indicação do advogado Rodrigo Figueiredo para a Secretaria de Defesa Agropecuária e o anúncio dos cortes de orçamento da pasta. Essa paralisação prolongada porderá prejudicar os embarques de produtos agropecuários do RN.

Política no campo A presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), senadora Kátia Abreu (PSD-TO), estaria enfrentando uma rebelião silenciosa no Congresso Nacional liderada por deputados e senadores da Frente Parlamentar da Agropecuária, a FPA, representação que faz o lobby dos ruralistas em Brasília. A queixa é quanto ao adesismo de

Kátia ao governo da presidente Dilma Rousseff. O que, na visão da FPA, tem prejudicado o avanço das reivindicações do setor no Legislativo e no Executivo. Os parlamentares passaram a buscar apoio das federações estaduais de agricultura e a pensar em montar uma chapa de oposição a Kátia nas próximas eleições da CNA, em setembro de 2014.

EXPOSIÇÃO Começa hoje e vai até o dia 25, a ExpoGenética, uma mostra de zebuínos provados pelos principais programas de Melhoramento Genético do Brasil. A exposição será realizada pela ABCZ (Associação Brasileira dos Criadores de Zebu), no Parque Fernando Costa, em Uberaba/MG. O PMGZ (Programa de Melhoramento Genético de Zebuínos ), após completa reestruturação, atingiu em julho de 2013 um número importante: mais de mil 1.000 criadores participantes.

1

A Receita Federal disponibilizará amanhã (19), em sua página na Internet, o programa de computador para Declaração do Imposto Territorial Rural (ITR). O Diário Oficial da União publicou sexta-feira a instrução normativa que aprova o programa de computador destinado ao preenchimento da declaração. Para fazer a operação, o proprietário rural terá que instalar também no computador um outro aplicativo conhecido como máquina virtual Java (JVM), na versão 1.6.0 ou superior. A data final para a entrega é 30 de setembro.

2

Da mesma forma como a importação de camarão pode trazer doenças para o Brasil, os produtores afirmam que liberar a importação de banana do Equador pode trazer novas pragas e doenças para o Brasil. A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) apoia a reivindicação e, por meio da Comissão Nacional de Fruticultura, irá coordenar e promover o diálogo sobre a polêmica questão junto ao Governo, produtores e o Congresso Nacional.

3

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgou novo relatório de oferta e demanda. O departamento aumentou a projeção para a safra nova de trigo mundial, de 697,8 milhões de toneladas para 705,38 milhões de toneladas. Os estoques finais globais foram estimados em 172,99 milhões de toneladas, um ligeiro aumento em relação ao mês de anterior, de 172,38 milhões de toneladas. A produção da safra nova norte-americana foi projetada em 57,53 milhões de toneladas.

ETANOL O duto inaugurado no dia 12 passado pela presidenta Dilma Rousseff, em Ribeirão Preto/SP, que vai levar etanol da indústria para as capitais pode baratear o preço do produto. Com 206 quilômetros de extensão, o primeiro trecho do Sistema Logístico de Etanol Ribeirão Preto-Paulínia escoará etanol pronto para o consumidor final e permitirá a coleta de etanol dos centros produtores, principalmente de Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

TECNOLOGIA O álcool de bagaço de cana será realidade no País a partir de 2014, com as empresas Raízen, Odebrecht, Petrobras e CTC já com projetos em desenvolvendo. A principal aposta para aumentar a oferta de etanol no país, o etanol celulósico – combustível produzido a partir do bagaço, folhas, cascas e outros resíduos da produção de cana-de-açúcar, foi a estrela do Ethanol Summit, encontro realizado em São Paulo, até a última quintafeira. A expectativa do setor é que o etanol de segunda geração aumente a produção nacional desse combustível em mais de 50%, sem necessidade de expansão da área de plantação.

Assentamentos vão ‘entrar’ no Minha Casa Minha Vida « HABITAÇÃO » Neste primeiro momento, deverão ser contempladas com reforma ou construção 7.296 famílias, moradoras de 104 assentamentos ALEX REGIS

A

Superintendência do Incra no Rio Grande do Norte entregou à Caixa Econômica Federal a relação com os nomes dos primeiros projetos de assentamentos (PAs) a serem contemplados com o Programa Minha, Casa Minha Vida Rural (MCMVR) no Estado. A reunião ocorreu na sede local do banco, em Natal (RN), e contou com representantes da autarquia agrária, instituição financeira e entidades civis organizadoras do processo. Na próxima semana, este mesmo documento será entregue ao Banco do Brasil. Neste primeiro momento, no Rio Grande do Norte deverão ser contempladas com reforma ou construção de casas 7.296 famílias moradoras de 104 assentamentos, distribuídas em sete Territórios da Cidadania. A primeira relação de famílias assentadas aptas a acessarem o MCMVR priorizou os assentamentos criados há mais de dez anos e que já estavam com reforma agrária programada pelo Incra/RN em 2013 e 2014. No total, para esta fase inicial, o Incra deverá investir mais de R$ 125 milhões na construção e reforma de unidades habitacionais em áreas de reforma agrária. O investimento por família será de R$ 28,5 mil para

Incra deverá investir R$ 125 milhões na construção e reforma de moradias em assentamentos

construção e R$ 17,2 mil para reforma das moradias.

Pagamento As famílias beneficiadas pagarão apenas 4% do valor financiado, em quatro parcelas anuais. O aumento de R$ 15 mil para R$ 28,50 mil foi comemorado pelas famílias assentadas que terão suas casas construídas nesta etapa. Desde fevereiro de 2013, o Programa MCMVR passou a financiar a construção e reforma de moradias para famílias de

agricultores rurais assentados. O programa será operacionalizado da seguinte forma: a Caixa e o Banco do Brasil receberão os projetos habitacionais para análise, aprovação e posterior liberação de recursos, elaborados pela entidade organizadora. Tal entidade é responsável não só pelo projeto, como também pela execução das obras e mobilização das famílias beneficiadas. No Rio Grande do Norte, as entidades organizadoras do MCMVR receberam treinamento técnico, tiveram

acesso às regras do programa e puderam tirar suas dúvidas com servidores das duas instituições financeiras nos últimos dois meses, em reuniões organizadas pelo Incra. Grande parte já está finalizando a elaboração dos primeiros projetos de reforma de moradias, que deverão ser entregues até a próxima semana. De acordo com a expectativa do superintendente regional do Incra/RN, Valmir Alves, as primeiras reformas deverão ser iniciadas nos próximos 60 dias.

Leilão será realizado dia 31 « CAPRINOVINOCULTURA » Certame que será realizado em Gravatá (PE) pretende reunir criadores de caprinos e ovinos a partir das 17h

O

Concurso Marrã do Futuro 2013 e o Leilão Caroatá 2013 serão realizados no dia 31 de agosto (sábado), em Gravatá. O leilão começa às 17h. No ano passado, o filho de Luiz Felipe Brennand, Cornélio Jatobá Brennand, ficou à frente dos eventos ao lado do veterinário Álvaro Borba. Luiz Felipe criou o Rebanho Caroatá em 1998, com caprinos Boer e ovinos Santa Inês e Dorper de alta genética. Além de Cornélio, Carlos Eugênio Brennand e Francisco Oliveira (Rebanho Alto do Cruzeiro) e Marcelo Tavares de Melo (FTI) estão na promoção do

Leilão Caroatá. “Embora alguns mercados de criadores estejam se refazendo da grande estiagem sofrida pelo Nordeste em 2012 e início deste ano, os criadores de caprinos e ovinos mostram a força da sobrevivência dos animais, com sua adaptabilidade em manterse forte num mercado que cada vez mais busca seus benefícios de saúde, já que oferecem uma das carnes mais saudáveis para consumo”, afirma Cornélio Brennand. Nesta edição, permanece a oferta de Bovinos Sindi, que possui dupla aptidão, para corte e

produção de leite. A raça, originária do Paquistão, adapta-se bem às condições de clima tropical. Em 2010 e 2012 o Rebanho Caroatá ganhou o Concurso Leiteiro da Expo Nacional Natal 2011 nas categorias novilha e vaca jovem, e foi o segundo melhor criador nacinal em 2012. Além disso, foi o segundo melhor criador e expositor na Expo Nordestina Recife 2011 e melhor criador e expositor da Expoagro Recife 2012.

Fêmeas O Concurso Marrã do Futuro 2013, que acontece paralelo ao Leilão Caroatá, vai premiar as

melhores fêmeas das raças Boer, Santa Inês e Dorper, prenhas ou com crias ao pé. Será realizado no mesmo dia do Leilão, só que pela manhã, a partir das 9h. O julgamento será feito em duas categorias por raça: de 12 a 15 meses e de 15 a 18 meses. Serão premiados quatro animais por categoria nas raças Boer, Santa Inês e Dorper. Entre as duas marrãs classificadas em primeiro lugar, serão escolhidas a Marrã do Futuro 2013 e a Reservada Marrã de cada raça. Inscrições podem ser feitas pela internet, no site www.caroata.com.br.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

economia

7

»ENTREVISTA » FLÁVIO DINO PRESIDENTE DA EMBRATUR

FOTOS:MARCELO CASAL

ANDRIELLE MENDES Repórter

studo recente da Embratur, autarquia especial do Ministério do Turismo responsável pela promoção dos destinos turísticos brasileiros no mercado internacional, mostrou que Natal receberá durante a Copa de 2014 205.556 turistas brasileiros que gastarão juntos cerca de R$ 847,3 milhões. Apesar do montante, Natal será a cidade-sede da Copa onde os turistas brasileiros menos gastarão. O valor foi estipulado com base em pesquisas realizadas pela Embratur durante a Copa do Mundo de 2010 na África do Sul e a Copa das Confederações realizada este ano no Brasil. O número de turistas estrangeiros que visitarão a capital em decorrência do Mundial de futebol ainda não foi estimado pela Embratur. Nos últimos anos, o fluxo de estrangeiros despencou no estadp. Flávio Dino, presidente da Embratur, evita apontar as ‘fraquezas’ de Natal como destino turístico e se limita a afirmar que “a cidade terá de investir mais fortemente em um mercado ainda pouco explorado que é dos países vizinhos do Mercosul, como Argentina, Chile e Uruguai”, se quiser trazer os turistas de volta. “O esforço que o governo federal e os governos locais estão fazendo de realizar a Copa do Mundo em 12 cidades-sede tem justamente esse objetivo”. Esse foi um dos temas abordados a seguir, em entrevista concedida por e-mail à TRIBUNA DO NORTE.

E

Estudo da Embratur aponta que os gastos dos turistas durante a Copa de 2014 deverão somar R$ 25,2 bilhões e superar os gastos públicos para a realização do evento. Como os economistas da Embratur chegaram a esse valor? A Embratur realizou uma pesquisa de opinião detalhada com os estrangeiros que foram à África do Sul para ver a Copa do Mundo de 2010. A partir desses dados, traçamos um perfil médio do turista da Copa. Na edição da Copa das Confederações, este ano, aqui no Brasil, também realizamos pesquisa com estrangeiros e pudemos confirmar que o perfil mantém um padrão. O gasto desse turista é, em média, de R$ 11 mil por viagem, com duração de cerca de dez dias, conhecendo, em média, dois destinos turísticos, além da cidade em que ele assiste ao jogo. A FGV e o Ministério do Turismo estimam em 600 mil o número de estrangeiros que devem vir ao Brasil durante os 30 dias da Copa. Sendo assim, fizemos uma estimativa, com base no período médio de estadia e valor médio de gastos no país – que incluem estadia, alimentação e deslocamento no país. Assim, chegamos ao valor de R$ 25,2 bilhões de impacto direto durante os 30 dias de jogos. Esse valor não considera o impacto indireto positivo que ocorre na economia das cidades. Como se trata de uma projeção, o valor pode não ser atingido, correto? Existe a possibilidade de o valor gasto pelos turistas durante o evento ser inferior e não cobrir nem de longe os gastos públicos para a realização do evento? Qual seria o impacto disso? Todas as estimativas feitas anteriormente, pela Embratur acabaram sendo superadas positivamente, dada a grande demanda pelos eventos. Tenho convicção que o mesmo ocorrerá novamente em relação à Copa do Mundo. A respeito de sua dúvida, se o ganho não cobrir os gastos públicos, primeiro, digo que essa possibilidade não existe. Em segundo lugar, mesmo que ela

‘A Copa é aposta para expansão no mercado internacional’ « TURISMO » O presidente da Embratur, Flávio Dino, analisa o mercado de turismo e a perspectiva de crescimento com a Copa do Mundo em 2014

ì

Quais as expectativas da Embratur com relação a Copa do Mundo em 2014? Pode-se dizer, tranquilamente, que a Copa do Mundo 2014 é a principal aposta do Brasil no aumento da participação do país no mercado internacional de turismo. Hoje, nós captamos menos de 1% dos turistas internacionais. É muito pouco para um país com a nossa dimensão e com a diversidade de produtos turísticos que temos. A Copa do Mundo é uma chance única de difundir a imagem de nosso país, de diversificar a imagem que os estrangeiros têm de nós, de apresentar a diversidade de cidades, paisagens e culturas que tem o Brasil.

QUEM Desde junho de 2011,Flávio Dino é o presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo)

CARREIRA Advogado e professor de Direito, Flávio Dino é ex-deputado federal. Juiz federal por 12 anos,exerceu os cargos de secretário-geral do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) e assessor da presidência do Supremo Tribunal Federal (STF).Em 2006,se filiou ao Partido Comunista do Brasil (PCdoB) após abandonar a magistratura e se candidatar a uma vaga na Câmara dos Deputados. Eleito deputado federal como quarto mais votado do Maranhão, se destacou como um dos principais nomes da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC),a principal comissão da Câmara dos Deputados.Em 2010,foi eleito um dos parlamentares mais influentes do Brasil pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) e eleito por quatro anos consecutivos,um dos melhores parlamentares do país pelo site Congresso em Foco.

ACADEMIA Bacharel em Direito e mestre em Direito Público pela Universidade Federal de Pernambuco.

Estimamos em 600 mil o número de estrangeiros que devem vir ao Brasil durante os 30 dias da Copa”

geiros. A Embratur acredita que um evento como a Copa terá força suficiente para reverter essa curva e trazer os estrangeiros de volta nas próximas temporadas? A Copa entra justamente nesse ponto. Pesquisa realizada por nós na Copa do Mundo 2010 mostrou que a maior parte dos turistas só sabia citar São Paulo e Rio de Janeiro como cidades brasileiras. A maior parte das outras cidades ainda é pouco conhecida no exterior. O esforço que o governo federal e os governos locais estão fazendo de realizar a Copa do Mundo em 12 cidades-sede tem justamente esse objetivo: fazer o Brasil mais conhecido em toda sua diversidade. Por isso, a Copa é tão importante para Natal.

existisse, não faria sentido. Dois de cada três reais investidos “na Copa”, na realidade, são para melhorar a mobilidade tanto dos turistas do megaevento quanto dos turistas que queremos receber depois, nacionais e internacionais, e dos próprios cidadãos que moram nessas 12 cidades-sedes. Portanto, mesmo que existisse a possibilidade do evento Copa não cobrir o gasto das obras, isso não retiraria a necessidade delas. O estudo aponta, entre outras coisas, que Natal deverá ser a cidade-sede onde os turistas menos gastarão. Qual a razão disso? Por que os turistas gastarão menos na capital potiguar? Além disso, que avaliação a Embratur faz de Natal como destino turístico, em termos de infraestrutura, divulgação e preço? Tanto Natal como todo o Rio Grande do Norte têm uma força espetacular para o turismo nacional. Possui belezas naturais únicas, como Pipa, as dunas, Ponta

Negra e São Miguel do Gostoso. E tem um diferencial importantíssimo: é nosso destino turístico mais próximo do continente europeu, que é um dos maiores polos emissores de turistas no mundo. No entanto, dada a conjuntura econômica deste momento, na Europa, naturalmente, houve uma redução de viagens naquele continente. O turismo tem uma característica de ser o último produto a entrar na cesta de consumo de uma família e o primeiro a sair. Em momentos de crise econômica, a primeira coisa que uma família corta são as viagens. Portanto, Natal terá de investir mais fortemente em um mercado ainda pouco explorado que é dos países vizinhos do Mercosul, como Argentina, Chile e Uruguai. O número de visitantes desses países ao Rio Grande do Norte está crescendo, ano a ano. Mas temos de continuar investindo para atrai-los. Natal tem registrado uma queda agressiva no fluxo de turistas, sobretudo estran-

Que ações de divulgação a Embratur tem desenvolvido com vistas a atrair mais turistas para o país? Para divulgar o Brasil como destino turístico durante a Copa do Mundo de 2014, a Embratur criou o Goal to Brasil, uma ação de promoção das 12 cidades-sede. A primeira etapa do evento foi finalizada em maio deste ano, e formou mais 3 mil agentes de viagem operadores de turismo “Especialistas em Brasil” , e apresentou detalhes do país para mais de 350 jornalistas de 14 países prioritários para a Embratur. Em cada Goal to Brasil, uma cidade-sede possuiu um espaço maior para mostrar como riqueza de detalhes, seus atrativos turísticos. A cidade de Natal foi destaque na edição de Milão, pela tradição de viagem dos italianos ao Rio Grande do Norte. Que outras ações deverão ser desenvolvidas até a Copa? Agora em setembro, a Embratur vai retomar o Goal to Brasil. Até o final do ano serão mais

três edições do evento. Recentemente, a Embratur lançou um edital no valor de R$ 3 milhões para impulsionar a promoção das festas juninas, que acontecem na mesma época que o Brasil sediará a Copa do Mundo de Futebol. Em 2012, o valor investido pela Embratur em ações de fortalecimento da imagem na região Nordeste foi de aproximadamente R$ 21 milhões. Segundo a Embratur, Natal receberá durante a Copa 205.556 turistas brasileiros que gastarão, em média, R$ 412,10 por dia, o que dará R$ 847.334.394. E os turistas estrangeiros? Quantos virão? E quanto gastarão (por dia e o total)? Ainda não é possível saber como será a movimentação dos turistas estrangeiros durante a Copa. Isso dependerá de quais equipes jogarão em cada cidade. Obviamente, países com maior proximidade ou conectividade aérea maior enviarão mais turistas que outros com baixa conexão. Falta menos de um ano para a Copa. O tempo é curto para que estados como o RN, que investem pouco em divulgação e não aproveitaram oportunidades como a Copa das Confederações, para tentar fisgar novos visitantes? Em primeiro lugar, é preciso ter claro que a Copa das Confederações é um evento teste para a Copa do Mundo de 2014, voltado principalmente ao público local. Assim foi em todas as suas edições nas últimas décadas. Não é um evento que atrai público estrangeiro em caráter massivo. Mesmo com essas características, a Copa das Confederações movimentou R$ 740 milhões na cadeia do turismo brasileiro. No quesito visibilidade, a final da Copa das Confederações 2013 bateu o recorde de público televisivo da competição, segundo dados divulgados pela Fifa. Os efeitos da Copa do Mundo serão diferentes? Para a Copa do Mundo são esperados 600 mil turistas estrangeiros, portanto, um impacto 30 vezes maior que a Copa das Confederações. Os recursos movimentados e a exposição serão bem maiores. Tanto Natal como destinos próximos, como Pipa, irão lucrar com a captação de turistas. Mas o principal ganho será a longo prazo. Neste período, os olhos do mundo estarão voltados para Brasil. Essa será a oportunidade de mostrar o que Brasil tem para oferecer.


8

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

economia »ENTREVISTA » MARIA DAS GRAÇAS FOSTER PRESIDENTE DA PETROBRAS

WILSON DIAS/ABR

“A produção no RN reflete o declínio natural”

A produção acumulada do pré-sal alcançou 226 milhões de barris de óleo equivalente (petróleo e gás) em julho, considerando as Bacias de Campos e Santos. Os maiores desafios tecnológicos do pré-sal, como as características das rochas-reservatório, a perfuração na camada de sal e a produção em grandes profundidades já foram superados. A Petrobras atingiu, em maio, a marca de 322 mil barris de petróleo produzidos por dia no pré-sal, em profundidades que ultrapassam os 5.600 metros.

« MOTORES » A presidente da Petrobras,

Graça Foster, faz palestra com o tema: “A Petrobras na era da sustentabilidade” SARA VASCONCELOS repórter

A

produção total (petróleo e gás natural) da Petrobras no Brasil, em junho, atingiu a média de 2 milhões 378 mil barris de óleo equivalente por dia, volume 4,8% acima do produzido em maio. No Rio Grande do Norte, a produção em declínio tem sido alvo de intervenções para retomada da produção em campos maduros. “Nosso compromisso é manter a atividade exploratória nas concessões vigentes, buscando a incorporação de reservas e produção”, assegura a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster. Primeira mulher a comandar a Petrobras, ela assumiu o desafio de, a partir de 2014, levar a produção de petróleo no Brasil a atingir a autossuficiência volumétrica. “A Petrobras na era da sustentabilidade” é o tema da palestra ministrada por Graça Foster durante o Seminário Motores do Desenvolvimento, que acontece nesta segunda-feira, dia 19, a partir das 8h, no auditório Albano Franco, na casa da Indústria (Fiern). O evento terá palestra também da ministra do meio ambiente, Izabella Teixeira, do meteorologista Luiz Carlos Molion, entre outros. O Projeto Motores do Desenvolvimento do Rio Grande do Norte, realizado pela TRIBUNA DO NORTE, Salamanca Capital Investments, Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern), Sistema Fecomércio/RN, Assembleia Legislativa e com patrocínio do CTGAS-ER e Petrobras. Confira a entrevista.

O prognóstico para 2013 não era favorável para a Petrobras. Gostaria de saber como a senhora avalia a primeira metade do ano, se foi realmente de dificuldades e quais foram as principais, além de saber quais são as projeções para o segundo semestre e para 2014. Serão anos de crescimento ou de desaceleração? Em que áreas e por quê? Já superamos muitos dos de-

ì QUEM Maria das Graças Foster – É presidente da Petrobras, formada em engenharia química, mestre em Engenharia de Fluidos e pós-graduada em Engenharia Nuclear pela UFRJ. Entrou na Petrobras como estagiária, aos 24 anos. Em 2010, foi eleita a diretora executiva mais poderosa da América Latina no setor de Gás e Energia da empresa. Desde 2012, passou a ser a primeira mulher a comandar a Petrobras

safios previstos para 2013! Três plataformas iniciaram produção no primeiro semestre, outras quatro vão começar a produzir até o final do ano. No primeiro semestre crescemos a produção no pré-sal, superando a marca dos 322 mil barris diários em maio. Batemos sucessivos recordes também na área de refino, atingindo em julho o recorde mensal de processamento de petróleo em nossas refinarias no Brasil, com carga média processada de 2,139 milhões de barris de petróleo por dia. O compromisso número 1 da Petrobras é com o aumento da produção de petróleo. O Plano de Negócios e Gestão 2013-2017 estabelece como meta a produção de 3 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed) em 2016, 3,4 milhões boed em 2017 e 5,2 milhões boed em 2020. Estamos no caminho certo para cumprir as metas estabelecidas. Como a senhora avalia o ritmo de crescimento da produção, está dentro da expectativa? Por que? O ritmo de produção está de acordo com a previsão estabelecida em nosso Plano de Negócios e Gestão, que prevê a manutenção, em 2013, da mesma meta do ano anterior, com uma margem de segurança de 2% para mais ou para menos.

No RN, a produção em terra e reservas vem caindo ao longo do tempo. A Petrobras vem investindo em perfuração de novos poços, na injeção de água e vapor, mas não há grande crescimento da produção - que levou um tombo nos últimos anos. Há alguma estratégia para acelerar a recuperação? A curva de produção dos últimos anos no RN reflete o declínio natural da maioria dos campos da região, que começaram a produzir em 1976. Para reverter este quadro, continuamos investindo em exploração e produção na Bacia Potiguar, com vistas à otimização da produção e perfuração de novos poços. Na região de Mossoró, estão sendo implantados os projetos de Desenvolvimento Integrado dos Pólos de Riacho da Forquilha e Livramento e o desenvolvimento complementar do campo de Canto do Amaro. No ativo de produção de Alto do Rodrigues os projetos são para Adensamento de Malha no campo de Serra, Adensamento de Malha para 70 metros e Injeção de Vapor nos campos de Estreito e Alto do Rodrigues. Em julho inauguramos a ampliação do sistema de injeção de água em Canto do Amaro, para aumentar o fator de recuperação e reverter o declínio da produção. A Petrobras já investiu, desde 2007, US$ 774 milhões nesse projeto. Como resultado, esse campo atingiu, em junho, a produção de 22 mil barris por dia. Cerca de 70% desse volume devese à implantação do projeto. Lançamos, também, o projeto de um oleoduto com 100 km de extensão, ligando o campo de Canto do Amaro à Unidade de Tratamento e Processamento de Fluidos, em Guamaré. Com investimentos de US$ 187 milhões, e passando por oito municípios do RN, deverá iniciar operação em 2014. É possível o Estado retomar a produção que teve nos tempos áureos? Todos os esforços da Petrobras no Rio Grande do Norte são direcionados para elevar a produção de petróleo e gás. Historicamente a Companhia investe, no estado, cer-

A tecnologia para exploração do pré-sal é suficiente para garantir segurança ambiental? Estamos produzindo com segurança operacional e ambiental no pré-sal, utilizando as melhores tecnologias disponíveis e aplicando toda a nossa experiência em operação em águas profundas.

ção ao Rio Grande do Norte.

A curva de produção dos últimos anos no RN reflete o declínio natural da maioria dos campos da região, que começaram a produzir em 1976”

ca de US$ 800 milhões por ano, e os custos operacionais estão em torno de US$ 1 bilhão por ano. Nosso compromisso é manter a atividade exploratória nas concessões vigentes, buscando a incorporação de reservas e produção. Para isso, avaliamos continuamente nossa carteira de projetos. Atualmente a produção de óleo se mantém estável, em torno de 70 mil barris por dia, o que só é possível devido ao direcionamento estratégico que a Companhia tem adotado em rela-

O Brasil perdeu o status de autossuficiência em petróleo. A senhora citou projeção de 5,2 milhões de barris/dia, até 2020. Esse é o prazo e volume para retomar a autossuficiência? A partir daí é possível abrir mão da importação de petróleo? Por quê? O Brasil atingiu a autossuficiência em petróleo em 2006: a produção de petróleo no País equiparou-se ao volume de derivados consumidos à época. Entre 2007 e 2012, no entanto, a demanda por derivados cresceu 4,9% ao ano no Brasil, contra um crescimento de 3,4% ao ano na produção de petróleo. A partir de 2014, a produção de petróleo no Brasil voltará a atingir a autossuficiência volumétrica, ou seja, volumes iguais de petróleo produzido e de derivados consumidos, contando a produção estimada da Petrobras, parceiros e terceiros. O Brasil, no entanto, nunca foi autossuficiente em derivados. Em relação à exploração do pré-sal, quanto já foi retirado, qual a projeção? Já há tecnologia compatível e mão de obra qualificada para operar nessa nova fase de exploração?

Como está hoje a produção de biocombustível? O que há de projeções e quais áreas deverão receber maior aporte de investimentos? A capacidade de produção de biodiesel é de 821 milhões de litros por ano, em cinco usinas, das quais três são próprias (Candeias, na Bahia; Quixadá, no Ceará; e Montes Claros, em Minas Gerais) e duas em associação (Marialva, no Paraná; e Passo fundo, no Rio Grande do Sul). Na produção de etanol a Petrobras participa em 10 usinas, situadas em Minas Gerais, São Paulo e Goiás, e em uma unidade em Moçambique, na África. As usinas com participação da Petrobras tem capacidade anual para produzir 1,3 bilhão de litros de etanol. No PNG 2013 – 2017, a previsão de investimentos em produção de biocombustíveis é de US$ 2,9 bilhões, a maior parcela em etanol. Como a Petrobras tem tratado o passivo ambiental? Como atingir um nível de segurança para evitar vazamentos, como o ocorrido no litoral paulista no início do ano? A Petrobras vem apresentando um melhor desempenho, comparado às demais empresas integradas de petróleo, conforme demonstra o comportamento dos vazamentos nos últimos anos. Tanto o volume total vazado quanto o relativizado pela produção de petróleo vem se situando em níveis melhores do que a média da indústria de óleo e gás internacional. Na última década, a Companhia adotou um conjunto de iniciativas para identificar e eliminar riscos operacionais em todas as instalações. Em 2012, criamos um grupo de trabalho para identificar as melhores práticas para cumprir esse objetivo. O Plano Vazamento Zero, como é chamado, está sendo implementado nas áreas de negócio e em empresas subsidiárias.


TÁBUA DE MARÉS

NO FACEBOOK

Preamar 01h53-2.2 - 14h36-2.2 Baixa-mar 07h58-0.3 - 20h17-0.3

Curta e compartilhe charge de Brum.

facebook.com/tribunarn

FASES DA LUA Hoje: Crescente 20/08: Cheia

JAIR FARIAS, DIRETOR TÉCNICO DO JOÃO MACHADO, FALA DO ATENDIMENTO PSIQUIÁTRICO NO RN • PÁGINAS 5 E 6

NA TN ONLINE

Confira galeria de imagens das ruas de Natal.

tribunadonorte.com.br

natal Editora: Cledivânia Pereira [cledivania@tribunadonorte.com.br ]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 18 de agosto de 2013

Obras irregulares serão autuadas « CONSTRUÇÕES » Uma nova resolução do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia alterou as regras sobre a fiscalização na construção civil. A mudança dá ao agente fiscal a competência imediata para, até, multar VALDIR JULIÃO Repórter

O

Conselho Federal de Engenharia e Agronomia alterou as regras sobre a fiscalização na construção civil. Com a mudança, foi extinta a necessidade da “notificação preventiva” e abertura de “prazos de adequações” para obras com algum tipo de irregularidade, especialmente as que não possuem equipe técnica qualificada. Uma nova resolução entrou em vigor há duas semanas e dá ao agente fiscal a competência imediata para a lavratura do auto de infração e indicação das penalidades contra quem for flagrado executando obras irregularmente. O presidente do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea-RN), Modesto Ferreira dos Santos Filho, disse que a resolução 1.047/2013 do Confea – extinguindo a notificação preventiva ‘acaba com o jeitinho brasileiro’. “O povo não aceita mais isso e traz mais segurança para a sociedade ter um responsável técnico pela obra”, argumentou. A nova resolução do Confea, datada de 28 de de maio deste ano, mas só publicada na edição de 4 de julho do Diário Oficial da União (D.O.U), “veio para fazer essa modificação e dar caráter regulatório à lei 5.194 ”, explica.

Para Modesto, essa decisão tomada pelo Confea vai trazer uma maior ”conscientização coletiva e preventiva para a sociedade” e para os próprios profissionais da área da construção civil, que “não vão deixar de fazer as suas ARTs (Anotação de Responsabilidade Técnica), para não sofrerem uma autuação direta por uma infração”.

Mudança Os artigos revogados pela nova resolução permitiam que, após a notificação, o infrator prestasse informações julgadas necessárias ou tomasse providências para regularização da situação no prazo de dez dias, contados da data do recebimento da notificação. O Confea também revogou o artigo que estabelecia que, esgotado o prazo concedido ao notificado sem que a situação tivesse sido regularizada, competia à Gerência de Fiscalização determinar a lavratura do auto de infração e indicar a penalidade. “O leigo que faz uma obra, sem consultar um profissional habilitado, e sabedor que não vai ter tempo para regularizar situação irregular, vai correr o risco de pagar de multa”, finalizou.

+

PÁGINA 2

Semurb tem deficit de 15 fiscais MAGNUS NASCIMENTO

Presidente do Crea do Rio Grande do Norte, Modesto Ferreira dos Santos


2

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

Semurb tem deficit de 15 fiscais « CONSTRUÇÃO » A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo tem atualmente 38 fiscais que

monitoram construções em Natal, mas apenas 20 estão atuando em virtude de férias e licenças médicas JOÃO MARIA ALVES

O

secretário municipal adjunto de Fiscalização e Licenciamento Daniel Nicolau Pinheiro diz que a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) necessita, pelo menos, de mais 15 fiscais para atender a demanda de requerimentos de alvarás para liberação de obras e habite-se por parte da construção civil em Natal. Daniel Pinheiro afirma que a Semurb tem 38 fiscais, mas em virtude de férias, licenças e outras demandas, atuam pouco mais de 20 na inspeção de obras. “É impossível manter um fiscal por obra”, disse ele, para confirmar que apesar do quadro reduzido de recursos humanos todo dia útil sai uma equipe de fiscais para as ruas, a partir de um cronograma de trabalho ou que também vão atrás de obras irregulares denunciadas pela população. “No caminho, se o fiscal vir alguma outra obra suspeita ou com indício de irregularidade, ele também fiscaliza”, afirmou. Pinheiro concorda com a posição do Crea, de que a melhor prevenção é a presença de um profissional habilitado e qualificado dentro de uma obra - “se houver algum problema, tem-se a quem responsabilizar”. Segundo Pinheiro, o engenheiro responsável que atua, diretamente na obra, tem em mãos uma caderno de ocorrência, “que tem de ser preenchido diariamente com tudo o que ocorre dentro do canteiros de obras”. É esse engenheiro, acrescentou Pinheiro, que tem de apresentar toda a documentação do projeto/obra à Semurb por ocasião dos pedidos de liberação dos alvarás de construção, que legalmente tem de ser expedido dentro de 30 dias: “As licenças e todos os projetos arquitetônico e executivo, nem que sejam as cópias, têm de estar na obra, senão para na hora”. O secretário adjunto da Semob também acha que a revogação de parte da resolução 1.008/2004 do Confea, vai trazer mais rigor para quem não cumprir com as obrigações legais: “Antes era mais cômodo, agora já vai pagar multa, não fica isento pela infração”. Para ele, a extinção da “notificação preventiva” no âmbito da fiscalização do CreaRN “é uma norma que vai ajudar e auxiliar na prevenção de obras irregulares”, que possam trazer riscos à segurança da população.

Com a nova resolução, construções com irregularidade de documento ou de falta de responsável técnico especializado não terão mais advertência prévia

Responsável técnico é exigência Na ânsia pelo menor preço, fator que decide, principalmente, na hora da compra, o adquirente esquece de olhar coisas que são importantes” CARLOS LUIZ CAVALCANTI O diretor de Comunicação e Marketing do Sinduscon

Além das instituições que fiscalizam o exercício profissional e do órgão público fiscalizador da aplicação do Código de Obras do Município, o ouvidor do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-RN), Eunélio Silva, disse que a melhor prevenção contra obras irregulares e eventuais sinistros, “é um projeto construtivo bem elaborado”. Eunélio Silva disse que qualquer empreendimento em construção, seja qual for o seu tamanho, corre o risco de passar por algum sinistro, como os recentes desmoronamentos de prédios em Natal e em Parnamirim, “porque não tinham nenhum

projeto ou profissional habilitado e qualificado” para a acompanhamento das obras. Para Silva, outra coisa importante é o projeto executivo, mas por questões econômicas, constrói-se sem ter o profissional habilitado, como foi o caso do desabamento, no dia 25 de março deste ano, de um flat de quatro andares em construção na rua Estrela do Mar, no conjunto residencial Alagamar, em Ponta Negra, zona Sul de Natal. A construtora proprietária da obra não tinha registro no Crea e nem tinha Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) de algum profissional da constru-

ção civil. Mesma coisa ocorreu, segundo Silva, com o o desabamento de uma casa em demolição nas Quintas e de um primeiro andar em construção na casa de número 50 da rua Itajá, em Nova Parnamirim, cujo proprietário chegou a receber uma notificação em 25 de abril, porque não havia requerido nenhuma ART ao Crea. Para Silva, o importante de um empreendimento contar com um responsável técnico, “é porque ele é o primeiro a fiscalizar tudo o que acontece dentro da obra, é isso que dá a garantia do serviço”. JOÃO MARIA ALVES

Antes era mais cômodo, agora já vai pagar multa, não fica isento pela infração” DANIEL NICOLAU PINHEIRO Secretário-adjunto da Semurb

O secretário municipal adjunto de Fiscalização e Licenciamento, Daniel Nicolau Pinheiro JOÃO MARIA ALVES

Arquidiocese pede vistoria nas igrejas

Igreja de São Bartolomeu, na Vila Paraíso, desabou

Em função do desabamento da Igreja de São Bartolomeu, na Vila Paraíso, a Arquidiocese de Natal orientou às paróquias sob a sua jurisdição, inclusive no interior, para que realizem uma vistoria técnica e enviem num prazo de 60 dias um relatório circunstanciado sobre a situação dos prédios de cada uma das 95 igrejas. O vigário geral da Arquidiocese de Natal, padre Edilson Soares Nobre, disse que a orientação é para que cada pároco busque meios próprios ou fora do paróquia para realizar o trabalho de vistoria. Ele adiantou que informalmente já tem ouvido de alguns padres, que de uma maneira geral, as igrejas não têm problemas na estrutura física. Padre Edilson Nobre disse, ainda, que em relação à Paróquia de Santo Antonio de Pádua,

a qual está subordinada à igreja de São Bartolomeu, foi realizado um trabalho preventivo na igreja de Santa Clara, com a retirada de um forro para evitar o que ocorresse desabamento do teto como ocorreu com a igreja de São Bartolomeu no dia 6 de julho. O coordenador municipal da Defesa Civil, Jeoás Nascimento, também informou que a interdição preventiva feita em julho em dez igrejas da Zona Norte foram levantadas, nos dias 29 e 30 do mesmo mês, depois que a vistoria mostrou que não havia risco de acidentes para os fiéis católicos. “Nós demos um prazo de 90 dias para a Igreja informar sobre algumas providências que foram pedidas”, disse ele. Já os fiéis católicos que frequentavam a Igreja de São Bartolomeu, estão em campanha e

sua reconstrução na Vila Paraíso, cuja festa de padroeiro começa nesta sexta-feira (16). A festa ocorrerá no terreno onde existia o templo católico, comemorativa também dos 30 anos de sua criação. A campanha pode receber doações em dinheiro através de uma conta poupança, aberta especificamente para este fim, na agência do Banco do Brasil, nº 2878-9; conta poupança nº 9280-0, variação 51. Ao mesmo tempo, a comunidade e a pastoral da Comunicação estão divulgando a campanha “São Bartolomeu #tamujunto”, através da internet, visando realizar outras formas de ações pela reconstrução da Igreja. Serviço Informações pelos telefones 3615-2881 e 8897-1416.

Falta de estrutura emperra liberação de licenças O diretor de Comunicação e Marketing do Sindicato das Empresas de Construção Civil (Sinduscon), Carlos Luiz Cavalcanti de Lima, disse que quase 100% das empreiteiras associadas “já trabalham há mais de uma década” com programas de qualidade técnica e de processo construtivo: “Também incorporamos uma cultura de qualidade, de higiene e limpeza no canteiro de obras, que tem reflexo na redução de acidentes”. Carlos Luiz Cavalcanti disse, ainda, que há alguns anos não se imaginava em Natal trabalhar projetos de alvenaria e faixadas de prédios, a fim de evitar fissuras e infiltrações prediais - “coisas que que causam um mal estar visual” -, mas que podiam causar acidentes com o desprendimento de material. Para Cavalcanti, a prevenção contra riscos de acidentes, como o de desabamentos de prédios, também passa pela contratação de profissional qualificado e habilitação. Por isso, ele diz que na hora de se adquirir um imóvel, o cliente primeiro precisa “saber de quem é o DNA” daquela obra, para então não comprar um apartamento ou casa que depois lhe tragam problemas. “Na ânsia pelo menor preço, fator que decide, principalmente, na hora da compra, o adquirente esquece de olhar coisas que são importantes”, disse ele. Cavalcanti também afirmou que a liberação de alvarás na Semurb estão demorando de dois a três meses para sair, mas atualmente, acrescentou, não traz tanto problema: “Melhorou um pouco, porque diminuiu a quantidade de projetos”, continuou. Hoje, segundo Cavalcanti, o mercado está construindo com projetos encaminhados há três anos. “Muitas obras estão em fase final e de acabamento”, declarou. O Sinduscon tem publicado periodicamente em jornais da capital, inclusive na TRIBUNA DO NORTE, uma coluna em que divulga os índices de preços ao consumidor. Entre janeiro e dezembro de 2011, a Semurb liberou 332 “habite-se” para imóveis habitacionais e comerciais já concluídos para uso e 245 alvarás de construção. Mas numa comparação entre os meses de janeiro a junho de 2012 e 2013, os dados mostram, realmente, que houve uma diminuição do ritmo construtivo em Natal, passando-se de 1.141 habite-se para 834 e de 3.380 alvarás de construção para apenas 496.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

natal

3

FOTOS: KARLA LARISSA

De norte a sul no reino de Oz As aventuras do casal potiguar, Karla e Fred, pelo continente-ilha, banhado por diversos mares e com quase 75% do seu território formado por deserto

Entre os mais famosos pontos turísticos da Austrália, sem dúvida, estão os 12 Apóstolos, que são colunas de arenito de até 45 metros de altura, esculpidas pelo vento e pelas ondas

KARLA LARISSA especial para a TRIBUNA DO NORTE

A

Austrália é um país único, uma verdadeira terra de Oz, como é apelidada. Um continente-ilha, banhado por diversos mares, com uma fauna e flora exclusivas e quase 75% do seu território formado por deserto. Um oriente que se parece com o ocidente, mas o mesmo tempo é tão incomum. Até a língua do país, que é o inglês, é falado de uma forma totalmente peculiar, cheio de gírias com sotaque bem marcado, e dizem que é um dos mais difíceis de se compreender. Por tudo isso, viajar pela Austrália é vivenciar experiências que jamais seriam possíveis em qualquer outro país. E uma viagem apenas não é suficiente diante da imensidão deste, que é o sexto maior país do Mundo. Em nossos 30 dias em Oz, viajamos de norte a sul pela costa Leste, não necessariamente nesta ordem, e estivemos em três dos seis estados. Nas últimas duas semanas, estivemos em algumas das paisagens mais deslumbrantes do país e fizemos uma imersão cultural.

Viajar pela Austrália é vivenciar experiências que jamais seriam possíveis em qualquer outro país. E uma viagem apenas não é suficiente diante da imensidão deste, que é o sexto maior país do mundo”

Casal potiguar Fred Santos e Karla Larissa estão na Austrália

Whitsundays e Whitehaven Em Arlie Beach, quase 1.800 km ao norte de Sydney, embarcamos em um veleiro para uma viagem de três dias pelo arquipélago de Whitsundays. Ao todo são 74 ilhas tropicais localizadas no coração da Grande Barreira de Coral Australiana. A barreira de corais tem impressionantes 2.300 km de comprimento e vai desde o nordeste da Austrália até PapuaNova Guiné. E em sua imensidão abriga mais de 1.600 espécies de peixes, seis das sete espécies de tartarugas marinhas existentes no mundo, 30 espécies de baleias e golfinhos, milhares de espécies de moluscos, centenas de espécies de arraias e tubarões, além, é claro, de uma variedade incrível de corais. Na última hora desisti de fazer o mergulho de cilindro, que Fred fez com o restante do grupo. Mas só com snorkell foi possível ver inúmeras espécies desses animais. Um mundo inteirinho e colorido debaixo d´água.

Whitehaven é considerada por muitos viajantes uma das praias mais bonitas do mundo

Por ser inverno, era temporada de migração de baleias. E durante os três dias, vimos várias, assim como muitos golfinhos. Mas o mais impressionante aconteceu no último dia. Nós fomos a primeira dupla a descer do barco para fazer um passeio de caiaque no mar, quando quase fomos atropelados por uma baleia macho que se exibia por perto e acabou vindo em nossa direção. Nunca remamos tão rápido. Um susto e tanto! Mas foi lindo de ver. Além dos corais, a grande atração de Whitsundays é Whi-

tehaven Beach. Considerada por muitos viajantes, uma das praias mais bonitas do mundo, Whitehaven tem 7 km de extensão, mar turquesa e uma areia inacreditavelmente branca, formada por 98% sílica pura. Devido a movimentação da areia fina e da maré, Whitehaven está em constante modificação e a cada dia apresenta um cenário único. A praia é extremamente preservada, pois está inserida em um parque nacional e as visitas são restritas. Tudo isso faz de Whitehaven um verdadeiro paraíso na terra.

PRÓXIMA PARADA Depois de um mês de Austrália, a nossa Volta ao Mundo continua nos Estados Unidos da América, onde passaremos 30 dias, viajando pelo Oeste de país. Praias da California, Las Vegas, Grand Canyon e outros parques nacionais estão no nosso préroteiro. Na viagem da Austrália para os Estados Unidos, literalmente, voltaremos no tempo. E ao invés, das atuais 13 horas a frente do Brasil, estaremos 4 horas a menos do fuso horário de Brasília. Vamos ver o Tio Sam nos reserva.

Melbourne é a capital cultural da Austrália

Rodovia costeira é passeio obrigatório para turistas

Do nordeste, voamos para o extremo sul do país. E trocamos os 20 e poucos graus de Arlie Beach pelo frio de Melbourne, que neste período registra temperaturas mínimas de um dígito. Melbourne tem a segunda maior região metropolitana do país e é considerada a capital cultural da Austrália. É em Melbourne que tudo acontece, grandes eventos esportivos, como o Grande Prêmio de Fórmula 1 da Austrália, e inúmeros eventos culturais o ano todo. A cidade tem o charme de ter os bondinhos elétricos como principal meio de transporte e não lhe faltam teatros, parques e praças, que têm sempre espetáculos em cartaz, musicais, telão exibindo filmes, feirinhas de artesanatos e muitos artistas de rua. Aos domingos, são realizados vários eventos às margens do Rio Yarra. Melbourne também é famosa pelos cafés e restaurantes, que oferecem a boa gastronomia dos quatro cantos do mundo. E não é só isso, Melbourne também é uma cidade de praias, que não são bonitas como as de Sydney, é verdade, têm água gelada e águas-vivas, mas mesmo assim valem o passeio. A mais famosa delas é a praia de St Kilda, com muitos restaurantes e cafés. É nesta praia onde fica o centenário Luna Park, um parque de diversão como os de antigamente, com brinquedos tradicionais e onde cada atração é paga separadamente. Em St Kilda também é possível apreciar o pôr do sol no mar e acompanhar a volta para casa dos pinguins, o que infelizmente não podemos ver, pois justo nessa época o píer onde eles desembarcam todo final de tarde, estava fechado para obras. De St Kilda dá para fazer uma caminhada de 1h30 até a praia de Brighton, onde ficam as famosas casinhas (de banho) coloridas à beira mar, que estão sempre presentes nos cartões postais da Austrália. Conhecer Melbourne exige tempo para passear com calma pelas ruas da cidade e para driblar seu clima instável, em que uma hora faz sol, outra hora faz chuva, mas sempre (no inverno) faz frio. Muito frio!!

Um passeio obrigatório para quem visita Melbourne é a Great Ocean Road. A rodovia foi construída no início do século 20, inspirada na Highway 01 americana, na California, e é considerada uma das mais cênicas rodovias costeiras do mundo. Ao todo, são 243 km de extensão, que vão desde a cidade de Torquay a Warrnambool, ambas no estado de Victoria, cujo Melbourne é a capital. A rodovia reúne ao longo de todo seu percurso, paisagens espetaculares com praias, falésias, florestas tropicais e incríveis formações rochosas. Ao longo da Great Ocean Road é imprescindível fazer várias paradas para apreciar verdadeiras obras da natureza. A mais famosa delas, sem dúvida, são os 12 Apóstolos, que são colunas de arenito de até 45 metros de altura, esculpidas pelo vento e pelas ondas. Hoje restam apenas oito colunas, que juntas, formam um cenário impressionante de deixar qualquer um boquiaberto. Para quem desejar, a formação também pode ser vista do alto em um passeio de helicóptero. Outros pontos imperdíveis da rodovia e não menos famosos são o Loch Ard Gorge, uma linda praia que teria sido cenário do naufrágio mais famoso da Austrália, e a London Bridge, uma formação rochosa, que formava uma ponte natural até 1990, quando uma parte desabou. Além das paisagens, os animais também fazem parte das atrações da Great Ocean Road. Em alguns pontos é possível ver koalas, cangurus baleias, golfinhos e dizem que até ornintorrincos.

Melbourne também é famosa pelos cafés e restaurantes, que oferecem a boa gastronomia dos quatro cantos do mundo”


4

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

« ARTIGO »

Poder Judiciário

Precedentes no sistema judicial americano (I)

ANELLY MEDEIROS [ anellymedeiros@hotmail.com ]

MARCELO ALVES DIAS DE SOUZA

Concurso Ministério Público da União As inscrições para o 8º concurso público para os cargos de analista e técnico do Ministério Público da União vão até o dia 25 de agosto. Estão sendo oferecidas 262 vagas para os cargos de analista e técnico do MPU. As vagas disponibilizadas são para analista, nas especialidades de Arquivologia, Biblioteconomia, Comunicação Social, Educação, Estatística, Finanças e Controle, Gestão Pública, Planejamento e Orçamento, Clínica Médica, Psiquiatria, Antropologia, Arquitetura, Contabilidade, Economia, Engenharia Agronômica, Engenharia Ambiental, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia Florestal, Engenharia de Segurança do Trabalho, Engenharia Mecânica, Engenharia Sanitária, Geografia, Medicina do Trabalho, Oceanografia, Enfermagem, Odontologia, Psicologia, Serviço Social, Desenvolvimento de Sistemas e Suporte e Infraestrutura, com salário de R$ 7.506,54. No caso das vagas para técnico do MPU são da área de atividade apoio técnico-administrativo, nas especialidades de Tecnologia da Informação, Enfermagem e Saúde Bucal, com salário de R$ 4.575,15. O certame está sendo organizado pelo Centro de Seleção e Promoção de Eventos da Universidade de Brasília – Cespe/UnB. Informações: http://www.cespe.unb.br/concursos/MPU_13_2/ ou pelo tel (61) 3448-0100.

É ruim em termos de credibilidade da instituição. É ruim em termos de entendimento que deve haver no colegiado. Nós não podemos deixar que a discussão descambe para o campo pessoal” Entendimento do ministro Marco Aurélio sobre o discussão acalorada entre o presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, e o vice Ricardo Lewandowski, durante julgamento dos recursos do mensalão na última quinta-feira.

Juiz federal mantém padre afastado A decisão do juiz federal Ivan Lira de Carvalho, em relação a um capelão afastado pela igreja católica em 2011, chamou à atenção do noticiário nacional. O capelão da Aeronáutica, exonerado do cargo após anunciar ao bispo de que era pai de um adolescente de 16 anos, entrou na Justiça para tentar voltar ao trabalho na condição de major capelão. O padre alegou que o nascimento do seu filho ocorreu antes do seu ingresso nos quadros da Aeronáutica. Para o juiz, o padre não tinha

os requisitos básicos para ser capelão, como tal não poderia permanecer no exercício dessa função na Aeronáutica. “Há de se considerar que o demandante, na condição de Padre da Igreja Católica e de Capelão Militar, deve se subordinar às normas do Direito Canônico, no que tange ao exercício da atividade pastoral, conforme dispõe o artigo IX do Acordo entre a Santa Sé e a República Federativa do Brasil sobre assistência religiosa às Forças Armadas”, observou o magistrado.

TJRN desembarca em Parnamirim A desembargadora Zeneide Bezerra não para. Na próxima sexta-feira, ela leva a Parnamirim o projeto “Justiça na Praça”. Há quatro meses que a magistrada se reúne com a Secretária de Educação, Vandilma Oliveira, e equipe para

garantir mais um sucesso do projeto no município. A secretária de Assistência Social, Ana Michele, confirmou 239 casamentos. Mais de 200 pessoas estão trabalhando, diretamente, nesta edição do “Justiça na Praça”.

Novo desembargador é paraibano O juiz da 1ª Vara de Sucessões da Comarca da Natal, Gilson Barbosa de Albuquerque, deverá ser anunciado como o novo desembargador do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte até o final deste mês. Gilson foi o único candidato a se inscrever para concorrer à vaga de desembargador, aberta com a aposentadoria compulsória do desembargador Osvaldo Soares da Cruz. A escolha do

paraibano, de 64 anos, é dada como certa, já que não existe nenhuma rejeição ao nome dele no tribunal. Nos próximos 15 dias, segue o trâmite normal que é o levantamento da ficha funcional do futuro desembargador junto ao Departamento de Recursos Humanos do TJ, para conferir se existe algum fato que desabone a sua conduta, durante os 31 anos de carreira no RN.

Defensores públicos A juíza da 2ª Vara da Fazenda Pública, Francimar Dias Araújo da Silva, concedeu liminar autorizando à Defensoria Pública do RN a publicação das decisões no Diário Oficial, sem ter que passar pelo crivo do Executivo. O pedido foi feito pela Defensora Geral, Jeanne Karenina Santiago. Para o presidente da

Associação dos DPRN, Francisco de Paula Leite, esse é mais um passo rumo ao cumprimento integral dos mandamentos da Constituição Federal que defere à Defensoria Pública identidade própria. “Essa medida foi necessária, diante da falta de diálogo com o executivo estadual”, esclareceu o presidente.

Revista de Jurisprudência A revista de Jurisprudência publicado pelo Tribunal de Justiça do RN trará artigos científicos também de advogados, professores de direito e promotores de Justiça. Os interessados em enviar seus artigos têm até o dia 30 de setembro para encaminhar os trabalhos no endereço eletrônico revistajuristjrn@tjrn.jus.br. A previsão é que a publicação esteja disponibilizada no site do TJRN no mês de dezembro.

procurador regional da República

J

á faz mais de um ano que escrevi, aqui, a pedido de uma (querida) amiga advogada, sobre a doutrina dos precedentes obrigatórios no direito dos Estados Unidos da América (vide a crônica “Os precedentes americanos”). Lembro muito bem haver dito que nos EUA os precedentes devem ser seguidos porque, no interesse da sociedade, o Direito deve ser estável e uniforme. Levando em consideração a organização judiciária norteamericana, completei dizendo que, em linhas gerais, os precedentes estabelecidos pelos tribunais superiores são seguidos pelos tribunais inferiores da mesma “jurisdição” (e juízes, por óbvio), assim como os tribunais, embora não se considerem estritamente obrigados a tanto, seguem os seus próprios precedentes. Os precedentes da Suprema Corte americana, em se tratando de decisões versando sobre direito federal, são seguidos por todos os demais tribunais. E que, para além dos precedentes ditos vinculantes, existem aqueles meramente persuasivos, como, por exemplo, os precedentes de tribunais de mesma hierarquia daquele que há de proferir a decisão. Entretanto, confesso que, infelizmente, a coisa não é tão simples assim. É um pouco mais

complicada essa relação, como quase todas as relações (e eu hoje sei disso muito bem) entre os precedentes e o sistema judicial norte-americano. Isso, sobretudo, por dois aspectos (sendo o primeiro, certamente, o mais importante): a estrutura dual da organização judicial americana, com um complexo sistema de tribunais federais e vários (e também complexos) sistemas judiciais estaduais; e a enorme quantidade de precedentes existentes (sobretudo se comparamos, por exemplo, com a Inglaterra, o berço da “theory of precedents”). Quanto ao primeiro aspecto (o mais relevante, como já dito), para se ter uma ideia, nos Estados Unidos da América trabalham, lado a lado, o sistema judicial federal (Federal Court System) e os diversos sistemas judiciais estaduais (State Court Systems). O Federal Court System, tão somente, é formado: (i) pela U. S. Supreme Court, sediada na capital do país, Washington DC, sendo composta por um presidente (Chief Justice) e mais oito ministros (Justices); (ii) pelas U.S. (Circuit) Courts of Appeal ou Tribunais Federais de Apelação; (iii) e pelas U.S. District Courts, o primeiro grau de jurisdição da Justiça Federal americana, havendo pelo menos um em cada estado da Federação. Quanto às Justiças Estaduais (State Court Systems), cada estado, em prin-

Os precedentes da Suprema Corte americana, em se tratando de decisões versando sobre direito federal, são seguidos por todos os demais tribunais” cípio, tem seu próprio sistema de tribunais. Entretanto, no geral, os sistemas judiciais estaduais são organizados hierarquicamente da seguinte forma: (i) com uma Court of Ultimate Appelation, possuindo todos os estados, por determinação da Constituição ou de lei estadual esse Tribunal Supremo no ápice de suas organizações judiciárias. Denominada geralmente de Supreme Court ou Supreme Court of Appeals, no que tange à interpretação da Constituição e da legislação do respectivo estado, ela tem a última palavra; (ii) cerca da metade dos estados possuem tribunais de apelação intermediários, as Intermediate Appellate Courts, com competência em regra recursal; em ordem decrescente na hierarquia, correspondendo ao primeiro grau de jurisdição, estão (iii) as Trial Courts of General Jurisdicion e (iv) as Trial Courts

of Inferior Jurisdition (estas para as questões mais triviais, correspondendo, mais ou menos, aos nossos juizados especiais). Há, assim, problemas específicos que devem ser enfrentados, como o valor do precedente de um tribunal federal para os outros tribunais federais, o valor do precedente de um tribunal federal para os tribunais estaduais, o valor de um precedente de um tribunal estadual dentro do seu próprio sistema, o valor de um precedente de um tribunal estadual para os tribunais federais e o valor de um precedente de um tribunal estadual de um estado em relação aos tribunais de outros estados. Uma norma que imponha generalizações para estas e outras questões, mas que também atenda às exceções ou retrações, somente pode ser encontrada se o estudo do assunto for sistematizado. A sistematização que proponho é a seguinte: a) a vinculação vertical ao precedente dentro do sistema judicial federal; b) a vinculação vertical ao precedente dentro um sistema judicial estadual; c) a vinculação dos tribunais americanos aos seus próprios precedentes; d) a inter-relação entre o sistema judicial federal e os sistemas judiciais estaduais; e) e a interrelação entre os vários sistemas judiciais estaduais. E tudo isso veremos, passo a passo, nas duas semanas seguintes.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

natal

5

Reforma polêmica e demorada « SAÚDE » A Reforma Psiquiátrica do SUS foi iniciada há 12 anos, mas ainda não de forma integral. A proposta é mudar o modelo de tratamento: no lugar do isolamento, o convívio com a família e a comunidade FOTOS: ALEX RÉGIS

RICARDO ARAÚJO

DESAFIOS

repórter

F

rancisco Domingos, 65 anos, aposentado. A primeira frase desta reportagem não terá sentido algum caso você não leia esta reportagem até o final. Chico Domingos é o paciente com transtornos mentais mais antigo internado do Hospital Psiquiátrico João Machado, onde fixou residência desde os 17 anos de idade. Há quase 50 anos “esquecido”, ou simplesmente abandonado pela família, o expescador se transformou num referencial da própria história do Hospital Colônia, fundado em 1957. Além de compor os 3% da população brasileira que sofre com transtornos mentais severos e persistentes, Chico espera, há 12 anos, a aplicabilidade integral da Reforma Psiquiátrica do Sistema Único de Saúde (SUS), que lhe tiraria do isolamento e o reintegraria à sociedade. A “devolução” de Chico Domingos e dos outros doze colegas de confinamento ao convívio social se transformou numa batalha que envolve uma complexa teia de Assistência Médica e Social, cuja viabilidade divide opiniões país afora. Há os que dizem que a Reforma Psiquiátrica é o melhor caminho. Outros afirmam que não há como extinguir os Hospitais Psiquiátricos sem a garantia do atendimento de alta complexidade dispensado aos pacientes em tais unidades. Afora a discussão em torno do tema, assim como nas demais áreas da Administração Pública, a reformulação dos modais de atendimento psiquiátrico no país rompe anos e não é aplicada conforme descrita na Lei Federal 10.216 de 2001. Historicamente, os transtornos mentais são marginalizados e tratados com preconceito. “No passado, as doenças mentais eram tratadas de forma excludente. Há um temor histórico por quem é portador de uma doença mental”, afirma o diretor técnico no Hospital João Machado, o psiquiatra Jair Farias. Ela aponta que mesmo com a evolução da Psiquiatria ao longo de 60 anos de história, a sociedade ainda age com preconceito em relação aos pacientes com transtornos mentais. “A própria doença tira a pessoa do senso do equilíbrio. O problema é cultural e sempre existiram os modelos excludentes de tratamento”, relembra.

A principal mudança proposta pela Reforma é quanto ao modelo de tratamento: no lugar do isolamento, o convívio social

ì ENTENDA O que é Reforma Psiquiátrica à É a ampla mudança do atendimento público em Saúde Mental, que garante o acesso da população aos serviços e o respeito a seus direitos e liberdade; Significa a mudança do modelo de tratamento: no lugar do isolamento, o convívio com a família e a comunidade;

à

O atendimento é feito em Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), Residências Terapêuticas, Ambulatórios, Hospitais Gerais, Centros de Convivência;

à

No Hospital Psiquiátrico João Machado, alguns pacientes estão reclusos há mais de 50 anos

O próprio Hospital Psiquiátrico João Machado, inaugurado no final da década de 1950, deixava os pacientes para lá encaminhados longe do convívio social. Isto porque, o bairro do Tirol, naqueles idos, era composto basicamente por grandes lotes de áreas verdes e poucas habitações. “Só vinha aqui quem tinha negócio”, recorda o psiquiatra. Os anos se passaram e o conhecido Hospital Colônia chegou a internar até 700 pacientes na década de 1980, enquanto as doenças mentais ainda eram tabus para a Medicina. Com o avanço da indústria farmacêutica e das pesquisas médicas, que descobriram a origem de parte

dos transtornos mentais durante os anos 90, as unidades psiquiátricas começaram a ser esvaziadas com o advento de drogas específicas para o tratamento de doenças mentais, sobretudo os antipsicóticos clorpromazina e haloperidol. Chico Domingos assistiu, ao seu modo, a passagem de todos os episódios acima elencados. Sofreu intervenções mecânicas, como a eletroconvulsoterapia, tentou fugir. Seus braços fortes, que antes agitavam grades e portões de ferro da unidade hospitalar em busca da liberdade, hoje definham, em decorrência de doenças degenerativas. Sua fala é incompreensível e sua locomo-

ção só é possível através de uma cadeira de rodas. Chico deixou de ser um “doido de pedras” e passou a ser um paciente com transtornos mentais. Ganhou dignidade desde que sua doença mental passou a ser pesquisada e tecnicamente tratada. Mas não reconquistou a família. O que Francisco Domingos, 65 anos, aposentado, vislumbra, porém, é uma saída para o imbróglio que envolve a Saúde Mental no Brasil e, sobretudo, a volta ao seio familiar. “O Hospital vem trabalhando na reinserção dos pacientes na sociedade, mas muitos perderam o contato familiar. O que é lamentável”, pontua o psiquiatra Jair Farias.

As internações, quando necessárias, são feitas em hospitais gerais ou nos Caps/24 horas. Os hospitais psiquiátricos de grande porte vão sendo progressivamente substituídos.

à

Fonte: Ministério da Saúde

+

PAGINA 6 Saúde pública não tem estrutura

A Política Nacional de Saúde Mental tem como objetivos e desafios que, quando postos em prática, irão modificar o atendimento psiquiátrico no país. O Governo Federal quer reduzir, de forma pactuada e programada, os leitos psiquiátricos de baixa qualidade. Além disso, qualificar, expandir e fortalecer a rede extrahospitalar formada pelos Centros de Atenção Psicossocial (Caps), Serviços Residenciais Terapêuticos (SRTs) e Unidades Psiquiátricas em Hospitais Gerais (UPHG). Atualmente, alguns hospitais gerais se negam a receber pacientes psiquiátricos afirmando que não possuem expertise para tratá-los caso um psiquiatra não fique de prontidão. Estima-se, ainda, a inclusão das ações da saúde mental na atenção básica, implementação uma política de atenção integral voltada a usuários de álcool e outras drogas, implantação do programa “De Volta Para Casa”. Este último integra os programas do Governo Federal nos quais o beneficiado recebe uma “bolsa” para manter o tratamento e não precisar recorrer às unidades de saúde diuturnamente. A Política Nacional de Saúde Mental contempla a garantia ao tratamento digno e de qualidade ao louco infrator (superar o modelo de assistência centrado no Manicômio Judiciário). Entretanto, existem muitos desafios a serem superados. Dentre eles estão: fortalecimento de políticas de saúde voltadas para grupos de pessoas com transtornos mentais de alta prevalência e baixa cobertura assistencial; consolidação e ampliação de uma rede de atenção de base comunitária e territorial promotora da reintegração social e da cidadania; implementação de uma política de saúde mental eficaz no atendimento às pessoas que sofrem com a crise social, a violência e desemprego. E, talvez o mais complexo: aumentar recursos do orçamento anual do SUS para a Saúde Mental.


6

natal

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

Reforma esbarra na falta de estrutura de saúde pública

ALEX RÉGIS

« PSIQUIATRIA » A debatida Reforma Psiquiátrica

no Brasil prevê melhor estruturação e ampliação das unidades dos Centros de Apoio Psicossocial

D

entro da Reforma Psiquiátrica, o Governo Federal prevê a ampliação do Centros de Apoio Psicossocial (Caps). Em Natal, de acordo com a coordenador do Núcleo de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde, Marluce de Melo Ribeiro, existem unidades em funcionamento. Duas delas atendem pacientes envolvidos com drogas e álcool e outra é específica para crianças e adolescentes. Assim como os demais serviços da Rede Pública de Saúde, os Caps apresentam problemas de funcionamento. O da zona Norte, por exemplo, o único para a região mais populosa da capital, opera parcialmente. “Nós pedimos mais profissionais à Prefeitura de Natal. Muitos saíram e estamos com deficiência no quadro”, pontuou Marluce de Melo Ribeiro. Ela acredita, porém, que a situação irá mudar com a decretação de Estado de Emergência na Saúde Municipal. Além disso, a Secretaria Municipal de Saúde garantiu o repasse de R$ 21,3 mi-

ì QUEM Reforma Psiquiátrica no Brasil

O QUE Prevê, entre outras medidas, a ampliação do Centros de Apoio Psicossocial (Caps)

lhões do Governo Federal para ser utilizado dentro da ações do Programa Federal “Crack, é possível vencer”. A perspectiva é de que parte da verba seja utilizada para a ampliação dos Caps, principalmente na zona Norte. “A rede precisa ser melhorada, precisa de mais recursos humanos, de insumos”, confirma. Atualmente, aproximadamente 3.500 pessoas são assistidas pelos Caps espalhados por Natal. A maioria delas são portadoras de transtornos como esquizofrenia, síndrome do

pânico grave, depressão grave e/ou transtorno obsessivo compulsivo grave. Nos Caps, os pacientes são atendidos por uma equipe multiprofissional, formada por psiquiatras, psicólogos, enfermeiros, farmacêuticos, terapeutas, arte educadores e professores de educação física. Apesar da melhoria no sistema disponibilizado nos Caps em Natal, ainda faltam medicamentos de uso controlado. De acordo com a psicóloga Ana Aparecida Rocha, os Caps são uma importante evolução no tratamento psiquiátrico no Brasil. Em Natal, o primeiro foi instalado há 19 anos. “No passado, só existia o manicômio, o isolamento, o eletrochoque. Os Caps revolucionaram o tratamento”, relembra. Ela diz que, a partir do advento de tais unidades, a loucura passou a ser percebida e tratada de uma forma diferente. “Há uma pessoa, um sujeito com desejos e vontades por trás da doença”, afirma. Ela lamenta, porém, que a sociedade ainda não enxergue o que é posto pela Reforma Psiquiátrica.

Atendimento psiquiátrico no Brasil é deficiente e posição final sobre reforma parece longe do fim


TÁBUA DE MARÉS

NO FACEBOOK

Preamar 01h53-2.2 - 14h36-2.2 Baixa-mar 07h58-0.3 - 20h17-0.3

Curta e compartilhe charge de Brum.

facebook.com/tribunarn

FASES DA LUA Hoje: Crescente 20/08: Cheia

CARLOS AUGUSTO ALMEIDA: SAIU DA CIDADE DA ESPERANÇA PARA SE FIRMAR NOS EUA • PÁGINA 9

NA TN ONLINE

Confira galeria de imagens com fotos da semana.

tribunadonorte.com.br

natal Editora: Cledivânia Pereira [cledivania@tribunadonorte.com.br ]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 18 de agosto de 2013

“Mais Médicos” vai reforçar PSF « SAÚDE » Gestores dos municípios que receberão médicos no novo programa do Governo Federal não acreditam em grandes melhorias na Saúde. A expectativa maior é quanto à melhoria do Programa de Atenção Básica ROBERTO LUCENA repórter

D

ezesseis municípios do Rio Grande do Norte, incluindo a capital, vão receber, a partir do próximo mês, 43 médicos vinculados ao “Programa Mais Médicos”. Teoricamente, um dos objetivos do Ministério da Saúde (MS) é ampliar o número de profissionais nas regiões carentes do país. Na prática, os gestores da saúde pública esperam que o efeito imediato do programa lançado recentemente seja a melhoria em outra ação do Governo Federal lançada há quase 20 anos, o Programa Saúde da Família (PSF). De acordo com secretários municipais de Saúde, o principal problema no PSF é o não cumprimento da carga horária exigida aos médicos. O MS preconiza 40 horas semanais divididas em cinco dias. No entanto, não há dedicação exclusiva ao programa. Os médicos não comparecem todos os dias às unidades de saúde e as equipes acabam ficando incompletas. Um mesmo médico, aliás, pode estar ligado a vários PSFs em diferentes municípios. A contratação dos profissionais pelo “Mais Médicos” pode mudar essa realidade. É o que espera a secretária de Saúde do município de Bom Jesus, a 46 quilômetros de Natal, Maria da Salete Cunha. “Os médicos simplesmente não querem cumprir o horário. A gente acaba ficando sem ter o que fazer. Além deles não cumprirem todas as horas, falta médico que queira o PSF. Com o ‘Mais Médicos’, haverá uma mudança nesse cenário porque o médico terá dedicação exclusiva”, teoriza. Bom Jesus é um dos 16 municípios potiguares que vai receber os profissionais. Atualmente, o município conta com quatro equipes do PSF – três na zona urbana e uma na zona rural. Na cidade, existe ainda um hospital/maternidade sob administração municipal. Na última quinta-feira, havia médicos apenas em duas das cinco unidades de saúde. O hospital é bem equipado, mas a permanência de médicos no local gera custos muito altos. Para a diretora da unidade, o cooperativismo dos médicos atrapalha a tentativa de levar atendimento à população. “É muito oneroso para o Município. Os médicos cobram um preço e não há negociação. É aquele valor e pronto.

Os médicos fazem uma espécie de cartel que dificulta a contratação”, diz. O plantão de 24 horas na unidade não sai por menos de R$ 1 mil, em dias da semana, e R$ 1,2 mil nos fins de semana. Por causa disso, o Hospital Maternidade Severina Azevedo de Oliveira não conta com médicos nas terças e quintas. De tão corriqueira, a prática dos médicos não cumprirem a carga horária exigida pelo PSF já se incorporou à rotina das equipes e população dos municípios. Desse modo, os calendários fixados nas unidades de saúde já avisam os dias em que não há atendimento médico. Os demais profissionais – enfermeiras, dentistas e agentes de saúde – recebem a população. Antes das 10h, na última quinta-feira, o médico responsável por uma das equipes do PSF em Serra Caiada, a 66 quilômetros de Natal, já havia ido embora do posto de saúde. Em outro posto, não havia médico. No primeiro, uma das atendentes afirmou que o profissional teria realizado, no intervalo de menos de duas horas, 35 atendimentos. No outro, o dia era de atendimento exclusivo às mulheres. “Hoje é dia de realizar preventivo. O atendimento médico ocorre amanhã”, avisa a enfermeira Jaqueline Almeida. Serra Caiada vai receber um médico dentro do “Programa Mais Médicos”. Segundo a coordenadora do PSF no município, Maélia do Nascimento, a dificuldade em coordenar o trabalho está relacionada à contratação de médicos. “É muito complicado. Eles exigem um valor e não aceitam todas as condições. Com o ‘Mais Médicos’ temos a esperança desses problemas serem sanados”, coloca. A médica selecionada através do programa para trabalhar em Serra Caiada já atua no município. Ela faz parte do PSF e é exemplo de que, como “Mais Médicos”, haverá uma pequena mudança. O número de profissionais continuará o mesmo, mas a dedicação passará a ser, teoricamente, exclusiva. “É isso que esperamos. Que haja essa dedicação e não precisamos ficar procurados médicos em todo lugar”, afirma Maélia.

+

PÁGINA 8 Atendimento no interior é precário


8

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

Médicos não encontrarão melhorias « SAÚDE » Até 2014, a União promete investir R$ 15 bilhões na expansão e na melhoria da rede pública de saúde de todo o Brasil. Mas até setembro, quando os médicos começam a trabalhar, as mudanças não serão realidade ADRIANO ABREU

D

Das 101 cidades inscritas, 16 serão atendidas no RN

eacordocomoMinistérioda Saúde, o “Programa Mais Médicos” faz parte de um pacto de melhoria do atendimentoaosusuáriosdoSUS.Umdosobjetivos é acelerar os investimentos em infraestrutura nos hospitais e unidades de saúde. Até 2014, o Governo Federal promete investir R$ 15 bilhões na expansão e na melhoria da rede pública de saúde de todo o Brasil. Mas até setembro, quandoosmédicoscomeçamatrabalhar,asmudançasnãoserãorealidade. Em alguns municípios potiguares, os profissionais vão se deparar com estrutura deficitária e, mesmo na capital do Estado, algumas unidades indicadas para receber os médicos correm o risco de sequer estarem abertas.

Natal Dos 43 médicos indicados para o RN, a maior parte, 17, ficará em Natal. De acordo com o titular da secretaria Municipal de Saúde (SMS), Cipriano Maia, os médicos serão alocados em equipes do PSF e unidades de saúde básica localizadas em bairros como Felipe Camarão, Lagoa Azul, Pajuçara e Jardim Progresso. O secretário esperar reabrir as unidades de Soledade I, Bela Vista e Nova Natal para que possam receber os profissionais. “A prioridade é concluir as reformas e retomar os atendimentos”, afirma. Ainda segundo o secretário, somente na atenção básica o déficit de profissionais é superior a 50 médicos. O gestor informou ainda que até o fim deste ano será realizado um concurso público para o setor.

Serra Caiada Em Serra Caiada o cenário da saúde não é animador. Uma das unidadesdesaúdefuncionademaneira improvisada numa casa alugada.Osfuncionárioseusuáriosreclamam que falta privacidade para realizar alguns exames e o espaço é limitado. Perto dali, um exemplo do mau uso dos recursos públicos. Há três anos, foi dado início a construção de unidade básica de saúde, mas há mais de um ano, a obra está parada. “A obra começou na gestão passada e parece que

Em Serra Caiada, um dos municípios beneficiados com o programa federal, a presença de médicos é inconstante nas unidades de saúde

ì O QUE O Mais Médicos tem como objetivo acelerar os investimentos em infraestrutura nos hospitais e unidades de saúde e ampliar o número de médicos nas regiões carentes do país, como os municípios do interior e as periferias das grandes cidades

teveproblemascomapapelada.Estáparadaagora,nãoseidizerquandoretomam”,disseMaéliadoNascimento, coordenadora dos PSFs no município. No local, não há placas indicando quando a obra será entregue nem o valor do investimento. Moradores vizinhos dizem que,ànoite,oespaçoéocupadopor marginais. O prédio está abandonado.

Bom Jesus Em Bom Jesus, o médico João FelipeRosasfazpartedeumaequipedePSFdesde2010.Elecontaque

há certa facilidade em conseguir exameslaboratoriaisnomunicípio. “Osexamesbásicossãofeitosdeforma digna”, sublinha. Para ele, outros detalhes acabam interferindo no atendimentos aos pacientes. “Temos que ter cuidado com o tipo de medicamento que é prescrito. Alguns não vão ter condições de cumprir o tratamento”, avalia. O profissional questiona a possível resolutividade dos problemas da saúde pública com o “Mais Médicos”. “Em Bom Jesus já temos médicos. Esse programa é bom para cá? Não seria melhor investir na construção de um hospital regional?”.

Monte Alegre No distrito de Sobrado, localizado em Monte Alegre, a 34 quilômetros de Natal, o posto de saúde é modesto. Lá, nem todos os dias tem médico. Apesar de modesto, o espaço recebe pacientes de outros municípios. É o caso da dona de casa Vera Lúcia, 23 anos. Ela está grávida e, na tarde da última quinta-feira, foi ao local para realizar a terceiraconsultadopré-natal.“Até agora não fui atendida pelo médico aqui. Disseram que, com o médico,ésóaúltimaconsulta.Fuiatendida pela enfermeira”, diz.

Mais Médicos Rio Grande do Norte Entenda os números

Municípios contemplados

16

43 total de médicos

25

18

brasileiros

estrangeiros

Municípios Alexandria Bom Jesus Caraúbas Ceará-Mirim Extremoz Ielmo Marinho Lagoa de Pedras Macaíba Monte Alegre Natal Olho D'água dos Borges Porto do Mangue Riacho da Cruz São Miguel do Gostoso Serra Caiada Touros Fonte: Ministério da Saúde

Quantidade de médicos Brasileiros Estrangeiros 1 1 2 1 1 1 4 1 8 1 1 1 1 1

3 4 9 1 1

O Rio Grande do Norte vai receber 18 médicos estrangeiros e mais 25 profissionais brasileiros dentro do “Programa Mais Médicos”, do Governo Federal. A lista com o nome das cidades contempladas nessa primeira fase do programa foi divulgada ontem pelo Ministério da Saúde (MS). Dos 101 municípios potiguares inscritos inicialmente, apenas 16 conseguiram confirmar a participação no programa. O número de médicos também foi reduzido. A demanda original era de 286 profissionais. A maioria dos médicos vai ficar na Região Metropolitana de Natal. Ao todo, 17 médicos – 8 brasileiros e 9 estrangeiros – ficarão na capital. O município de Macaíba receberá 8 médicos e CearáMirim, três. Os municípios selecionados estão habilitados pelo MS a receberem recursos do Programa Nacional de Qualificação da Assistência Farmacêutica (QUALIFAR-SUS). Cada um vai receber R$ 24 mil. O MS ainda não divulgou a nacionalidade dos profissionais estrangeiros que irão atuar no Estado. Antes de atender os pacientes, eles participarão, de 26 de agosto a 13 de setembro, de aulas de avaliação sobre saúde pública brasileira e língua portuguesa, totalizando carga horária de 120 horas. Após a aprovação nesta etapa, começam a atender na segunda quinzena de setembro. Depois de avaliados, os médicos que tiverem sua qualificação atestada receberão um registro profissional provisório. Durante o período de atuação, as prefeituras que receberão esses profissionais serão responsáveis pela alimentação e moradia dos médicos. Os custos com alojamento e alimentação serão pagos pelo Governo Federal. A organização logística do módulo, incluindo recepção aos profissionais, será responsabilidade conjunta dos ministérios da Saúde e da Defesa.


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

natal

3porquatro

9

POR ANNA RUTH DANTAS

« CARLOS AUGUSTO ALMEIDA E SILVA » FOTOS: DIVULGAÇÃO

cedor.Acreditoquesouumapessoa que acredito em cada segundo da minha vida, acredito em pessoas e acredito que sempre haverá um dia melhor amanhã.

Segredo é acordar 5h da manhã e sair para trabalhar” R

elatos de superação. Uma criança filha de um sapateiro,famíliadeoitofilhos,com dificuldade, inclusive, para compraralimentosbásicos.Opaiabandona o lar quando o menino tinha dezanosdeidade.Aentradadomenino no mercado de trabalho foi aos 10 anos como vendedor (vendeudetudolaranjanapraia,sonho de noiva no Alecrim). Aos 18 anos foi ser officeboy. Convidado para trabalhar em uma empresa de hotelaria, desenvolveu sua aptidão para a parte administrativa, onde eraresponsávelpelagestãodecontas, pagamentos. A partir daquele momento, o jovem já começava a mostrar a que vinha. O casamento ocorreu logo cedo, aos 20 anos de idade. Aos 24 anos, ele já estava com quatro filhos. A passagem pelos Estados Unidos para atuar em um hotel de Natal que instalou uma filial no local foi rápida, mas o suficiente para ser feito um convite de outra rede de hotelaria para o rapaz se fixar nos Estados Unidos.Emumprimeiromomentooconvitefoirecusado.Mesesdepois, seria aceito. E lá se foi Carlos Antonio Silva para os Estados Unidos, na companhia, levava a esposa e os quatro filhos. Hoje, Carlos Silva, como é conhecido em Miami, é proprietário de uma rede de restaurantes que fornece, diariamente, 600 refeições. O seu passado, relatado nessa nossa conversa, de forma muito verdadeira e sem subterfúgios, engrandece-o ainda mais. Carlos hoje é um empresário, empreendedor que ainda este ano abrirá o quinto restaurante. Um pai que tem os seus quatro filhos todos enveredando pelo mercado de trabalho com firmes passos que delineiam a carreira de bem sucedida. Conversar com Carlos Silva é um grande aprendizado, de como um jovem de família pobre do Rio GrandedoNorteenveredoueconquistou um especial espaço no mercado de restaurantes em Miami. Escutar o relato desse brasileiro é observar o quanto a garra e ousadiarefletemnadeterminação. Ouvir as suas histórias é viver um pouco da emoção deste natalense que, com simplicidade e carisma, transpôs divisas e venceu. Você está convidado a conhecer e aprender com Carlos Silva:

Como traçar a história da criança humilde do bairro Cidade da Esperança para o empresário de hoje dos Estados Unidos? As memórias que eu tenho são muitopresentes.Eusoudeumafamília muito humilde, meu pai sapateiro, minha mãe costureira. Éramos oito irmãos. Eu me lembroquequandoeutinhacincoanos de idade a gente dividia um espaço na Cidade da Esperança, foi lá que vivi dez anos da minha vida. Foi lá onde conheci a multiplicação dos pães. A maioria das pessoas conhece a multiplicação dos pãeslendoaBíblia,eunão.Conheci a multiplicação dos pães dentro da minha casa, meu pai comprando cinco pães para alimentar oito filhos. E desses cinco pães ele fa-

zia com que chegasse na boca de todos os filhos. A minha vida profissional vem dos dez anos de idade, comecei como vendedor. Vendi de tudo, laranja na praia, sonho de noiva no Alecrim, trabalhei em umamerceariaondechegueiacarregar balaio na feira. Eu me lembro de uma frase onde colocava o balaio na cabeça e gritava “lá vai o homem” era para que as pessoas saíssem da frente e eu pudesses passar.NesseperíodoeutiveoportunidadedeconhecerafamíliaMedeiros Lima aí em Natal, onde fui trabalharnumamercearia.Fuitrabalharcomoajudante.Nessaépocaestavacom14anosdeidade.Foi um períodocurtoporquea pessoa estava para se aposentar. E tinha conhecimento muito grande com o professor Ulisses de Góis. Eu levava compras da mercearia na casa dele. E depois que o dono da mercearia se aposentou, Ulisses deGóisfaloueeuconseguiumtrabalho como officeboy no hotel Samburá. Saí de Natal, fui trabalhar no grupo Othon Bezerra de Melo,hotéisOthon,emRecife.Eu trabalhava na parte da controladoria, como assistente de controle. Depois voltei para Natal, trabalhei em alguns hotéis e em 1986 fuiconvidadoparatrabalharnoVila do Mar, como chefe de escritório. Terminei assumindo a gerência geral do hotel. Trabalhei de 1986 a 1996. O que lhe levou aos Estados Unidos? O que me fez vir para os EstadosUnidosfoiumaentrevistaque fizcomumrapazquetermineicontratando (na época ele ainda trabalhava no hotel Vila do Mar). Era um gaúcho, uma pessoa bem preparada, ele falava quatro idiomas e me solicitava um trabalho de recepcionista no hotel. Foi isso que me abriu a cabeça, se uma pessoa com aquela qualificação, falando quatro idiomas estava me pedindo um trabalho de recepcionista no hotel, pensei o que seria dos meusfilhosamanhã?Seriaomesmo caminho. E lembrei de uma frase do meu pai: “ele disse meu filho continue estudando porque o Brasil é o país do futuro”. Acreditava muito que o Brasil poderia ser a porta do futuro. Nesse momento me dei conta que eu estava fazendo o mesmo discurso para meus filhos. E pensei que não poderia cometer o mesmo erro do meu pai. Nesse período o hotel ViladoMar tinhaconstruídoumafilial em Miami. E fui aos Estados Unidosalgumasvezesparadarsuporte. E fiz amigos, conheci muitaspessoaseteveumbrasileiroque já morava nos Estados Unidos e me fez um convite para gerenciar o hotel em Orlando. Naquela épocanãotiveinteresse.Esnobeienão quis.Quandoteveaquelaentrevista com o gaúcho, eu dei um telefonema e perguntei se a pessoa ainda estava interessada no meu trabalho. Minha responsabilidade não era comigo, era com mais cinco,minhaesposaeosquatrofilhos. E fomos para os Estados Unidos. O senhor falou que seu pai lhe deixou aos 10 anos...

Qual sua meta hoje? Minha meta hoje é um breve regresso a Natal, transformando a casa onde vivi com minha esposa no Jardim América para um centro de apoio as famílias de crianças com câncer em Natal, dando nome a essa casa de Marisleta House. Hoje o senhor já tem quantos restaurantes nos Estados Unidos? Hoje eu tenho quatro localizações em Miami. São quatro restaurantes onde eu vendo comida internacional. Na realidade é um restaurante focado para o corporativo, eu não dependo do público da rua para o meu restaurante. Ou seja, eu estou localizado em um complexodasmaiorescorporaçõesamericanas, como Canon, Sony, L’oreal Paris, Burger King, eu atendo os trabalhadores dessa companhia. Forneço hoje 600 refeições diárias.

Ele deixou a nossa casa aos 10 anos. Ele abandonou minha mãe quando eu tinha 10 anos. Fiquei semcontatodurante35anos.Afamíliaacreditavaqueeletinhafalecido. Ele andou pelo Brasil todo e já no final da sua vida, aos 87 anos, ele volta para Natal, quando eu já estava nos Estados Unidos. Ele reapareceu, buscava uma documentação.Tiveaoportunidadede revê-lo depois de muitos anos, era um vazio muito grande dentro de mim. Eu era muito apegado a ele e tive uma grande decepção. Esse último encontro foi há oito anos. Já com minha mãe, a história era diferente, acho que ela não gostava muito da minha presença. Na vida a gente tem que tomar algumasdecisões,sevocêqueralguma coisa, você tem que renunciar outra.Eurenuncieitodaestruturade família que tinha e dei seguimento a minha família, a qual eu tive com minha falecida esposa (que faleceu há cinco anos, vítima de câncer) e meus quatro filhos. Tentei eu mesmo dar um novo rumo a minha família, uma nova visão de mundo. Conheci minha esposa quando ela tinha 12 anos e eu tinha14anos.Elanãofoiomeuprimeiro amor, foi o meu primeiro e únicoamordaminhavida.Namoramos cinco anos, construímos a nossafamília.Jáomeupaimedeixou a lição de que a gente deveria colocaraenxadanamão,semnunca pedir nada. Qual o sentimento que o senhor tem da sua cidade, Natal? Veja, o sentimento que eu tenho, não de Natal, mas do Brasil, eu imagino uma mãe que pari um filho e não cuida desse filho. Essa mãe não merece o título de mãe. Eu me sinto assim. O mesmo empenhoqueeucoloqueiaquinosEstadosUnidostambémcolocavano Brasil.Aúnicadiferençaéqueaqui nos Estados Unidos eu consegui. A economia ela valoriza isso. No Brasildurantemuitotempoeutrabalhei em troca de uma cesta básica. Não só eu, mas muitos brasileiros que estão no Brasil hoje, desafortunadamente,elestrabalham pela cesta básica. É muito difícil quando a gente não está com o básico atendido. É diferente de pensar um pouco mais na frente. O sentimento do senhor é de conquista? Eu não diria. Sou um lutador, não coloco que é vitória. O que é ser um vencedor? Não existe um limite para se considerar um ven-

ì QUEM É CARLOS AUGUSTO ALMEIDA E SILVA reside nos Estados Unidos há 20 anos. O Restaurante Sams Café foi criado há sete anos. Hoje já são quatro restaurantes e o quinto ele abrirá até o final do ano. Carlos Augusto atua há 35 anos no ramo de “hospitality”. Ao chegar nos Estados Unidos trabalhou em diversas empresas, foi quando decidiu, há sete anos, abrir o Sams Café.

O QUE O que é necessário para vencer nos Estados Unidos: trabalho, trabalho, trabalho

Em que você acredita: em mim

O mesmo empenho que eu coloquei aqui nos Estados Unidos também colocava no Brasil. A única diferença é que aqui nos Estados Unidos eu consegui. A economia ela valoriza isso. No Brasil durante muito tempo eu trabalhei em troca de uma cesta básica”

Se o senhor fornece, com os seus quatro restaurantes, 600 refeições por dia é porque a comida é boa. Qual o segredo do seu tempero? Eu acho que o carisma. A dedicação,apresençarealmentedogestor de estar a todo momento, toda hora. É um conjunto de coisas, não só a comida. Eu ofereço atenção. Principalmente aqui nos Estados Unidosaculturaémuitofria,aspessoas entram em restaurantes e, na maioria das vezes, eles são muito profissionais, são muito técnico. E, por exemplo, eu venho de uma formação da indústria de “hospitality” (dehospitalidade).Parafazersucesso nessa indústria de hospitality se exige duas coisas: humildade e disciplina. Se você tem disciplina e não é humilde você não consegue avançar.Sevocêéhumildeenãotemdisciplina, o resultado seria o mesmo também.Acreditoqueconseguijuntar as duas coisas, sou disciplinado e muito humilde. Acho que essa é a chave do sucesso. O que o senhor busca hoje profissionalmente? Penso em criar, em pouco tempo tipo uma franquia voltada para o mercado, que seria mais uma corporaçãoqueestariaresponsávelpor gerenciar e administrar restaurantescom esseperfil. Vouvender uma marca, um conceito, um padrão de serviço.Issoéexatamenteoquepenso no momento. Apesar de estar muito cansado, é isso que eu gostaria de continuar avançando. Os Estados Unidos hoje continuam residindo no sonho de muitos brasileiros. O que é determinante para um potiguar dar certo nos Estados Unidos? Eu acho que não só nos Estados Unidos, mas em qualquer lugar do mundo: acordar 5 horas da manhã e sair para trabalhar. É arregaçar as mangas e sair para trabalhar sem se importar, realmente, o que está pela frente. Não existe uma fórmula. Existe um desejo, uma vontade, um sonho. Eu trago apenas uma lição para aqueles que são de famílias humildes, são pessoas pobres, que acredite em você mesmo. Não coloque a culpa unicamente no Governo.Saiamparalutar,façamacoisa certa. Não faça o que é mais fácil, porque o que é mais fácil nem sempre é o correto. Procure fazer a coisa correta. Eu penso o seguinte: eu não associo o sucesso nos Estados Unidos. Com o trabalho você consegue dar certo em qualquer parte do mundo. Eu vou aplicar os conceitos da disciplina, da humildade, da honestidade e a disposição de poder ajudar, dividir a experiência de vida. É isso que pratico todos os dias. Se funcionou comigo,podefuncionarcomqualquer pessoa.


10

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

« ELIANA LIMA » elianalima@tribunadonorte.com.br

“O coração da experiência cristã é sermos filhos de Deus e irmãos entre nós” Do Papa Francisco, no Twitter FOTOS JOAONETOFOTOS.COM

Rigidez

1 – DOMINGO...

Silenciosamente, poderes se articulam para organizar informações documentadas que possibilitem pedir, “no momento certo”, o afastamento da governadora Rosalba Ciarlini.

Lindinhos e apaixonadinhos: Juliana e Rilder Chaves

Lupas

3 - ...CASAIS...

Na OAB, existe uma pressão de advogados associados para que a Ordem tome uma posição sobre a caótica situação, sem perspectiva de solução, no governo estadual. Quem sabe, uma das correntes para o impedimento a ser solicitado.

Andressa Araújo e João Carlos

2 - ...DE... Nívia Medeiros e Marcel Tonelly

4 - ...PARA O... Raíssa e Victor Noé

2

1

5 - ...PORTARRETRATO Renalle e Adriano Gurgel

selhado para visitar o RN é de março a agosto.

Posse A intenção da maioria é que decisões sejam tomadas antes da chegada dos milhões do empréstimo com o Banco Mundial. Teme-se o destino do dinheiro, diante da crise que se alastra.

Poder do turismo De 25 a 30 de setembro, os presidentes das ABIHs (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis) vão se reunir em Natal, para traçar metas e expor problemas. Tirarão um dia para passear por Pipa, e outro em Touros.

Vai e volta Somando declarações de crise financeira sem solução e calotes acumulando-se, lupas foram jogadas sobre os gastos de viagens, praticamente semanais, da governadora Rosalba a Brasília, e suas equipes.

Bzzz... E o corazón da bela atriz Mariana Rios, recentemente solteira, palpitou por batimento potiguar. Ele, também belo.

Pressão

Tempos

Sob as lupas, informações divulgadas a cada viagem da governadora a Brasília, desde o início da gestão, que geraram garantias da vinda de milhões de recursos federais. Até o momento, constatações são de viagens inutilizadas, recursos alardeados não vingados. Muitos, não por negação do Governo Dilmais, mas por falta de projetos. No papel.

Por falar em Pipa, seguindo pela estrada que leva a João Pessoa, eis que a Abelhinha de Plantão viu um ônibus parado e passareiros na pista. Entre eles, um conhecido empresário. O ônibus foi parado pela Polícia Rodoviária Federal, que constatou superlotação. Assim, passageiros tiveram que esperar outro coletivo da empresa para seguir viagem.

4

3

Tintins Forma e conteúdo Ao mesmo tempo em que o RN comemora o surgimento de vários estádios de futebol, observa-se um movimento inversamente proporcional no desempenho de nossos times dentro de campo. Todos estão em vias de cair de série no Brasileirão. E a categoria de acesso à elite do nosso futebol, no próximo ano, só teve três times inscritos. E.

Mais Médico Em fevereiro de 2012, o Governo divulgou com pompas que o RN foi “o primeiro Estado do país a implantar, como política pública, o Programa de Telemedicina”, com exames e atendimento feitos por telefonia fixa, celular ou internet. Informou que a Sesap implantou o programa em todos os 167 municípios.

hoje nada. Trata-se de um sistema de considerável custo baixo e beneficiava milhares de potiguares, que agora, além da caótica estrutura da saúde pública, ainda está sem essa ágil assistência.

o que eles – japoneses – vêm fazendo por aqui, com a conivência de ex-funcionários públicos alçados à condição de ‘empresários’, muita gente vai ficar boquiaberta como tem gente esperta e sem ética nesse estado, dispostos a tudo. O Brasil e o RN que se exploda!”.

Em tempo 2

Visão...

O projeto foi aprovado pelo Ministério da Saúde, em convênio com a Secretaria de Saúde do RN, diante da impossibilidade de um cardiologista em cada município do Estado e o eletrocardiograma, geralmente, precisa de cardiologista para ser interpretado. Assim, a Telemedicina é suporte para cobrir locais sem a presença do profissional. Para se ter ideia, no início eram realizados 300 eletrocardiogramas por dia - nove mil procedimentos por mês, com funcionamento 24 horas. É.

Nem tudo está perdido para o RN na chamada imprensa nacional. O Guia Quatro Rodas dedica páginas e fotos belas às belezas potiguares, com destaque para Natal. Trata como cidade das dunas, que na verdade pertencem a Extremoz (Genipabu). Mas fala em trilhas guiadas no Parque das Dunas. Difícil ver uma matéria que citem Lagoa de Jacumã, piscinas naturais de Maracajaú, cajueiro de Pirangi do Norte, etc, em seus municípios.

Em tempo

Menos Médico Pois bem, o governo está inadimplente com o serviço de Telemedicina. Assim, os serviços foram suspensos. Antes do recesso parlamentar, o secretário Luíz Roberto (Saúde), em audiência na Comissão de Saúde, garantiu que seria regularizado imediatamente. Mas até

Opinião Do leitor e comentarista do blog Abelhinha, Paulo César, sobre a apreensão, está semana, de um barco pesqueiro japonês, explorado por empresa brasileira, devido irregularidades: - “No dia que contarem a real história dessa parceria com os japoneses e

...Boa Diz que “Natal é também uma cidade histórica”, com o Forte dos Reis Magos, e reverencia Câmara Cascudo. De Ponta Negra, retrata como “menina dos olhos dos turistas”, “que começa deserta perto da Via Costeira e vai virando um agito só ao chegar na altura do Morro do Careca, símbolo mais fotografado

Dia 23 tem festão no Olimpo, com assinatura do maridón Marino Eugênio e dos filhos Luciano, Ysnara e Lucila Almeida, convite para brindar mais um grito de felicidade da esposa-mãe Beta Almeida, no, claro, Olimpo Recepções, com traje passeio completo.

« COLMEIA » Domingo de parabéns para Miriam de Sousa, Karlley Pandophi, Danusa D’Salles, Alexandre Dias, Sérgio Farias, Ocimar Damásio, Cyrus Benavides.

à

Grito de felicidade nesta segunda para Glayds Fernandes, Vanessa Gurgel, Geraldine Melo, Ritinha Gurgel, Juliska Azevedo, Berenice Capuxú, Kátia Matoso, Sânzia Nelson, Lulu Flor, Robson Coelho.

à

5

Para a criançada, o PittsBurg lançou o PittsKids com o Pittsauro (mascote da rede de lanchonete) de pelúcia.

à

da cidade”.

Roteiro As formas de chegar são de carro locado, táxi ou ônibus, por Fortaleza e João Pessoa.

Sabores De hospedagens, indica hotéis e pousadas em Ponta Negra, Via Costeira e Centro. De restau-

rantes, sugere a churrascaria Fogo & Chama, o francês La Brasserie de La Mer e o tradicional Camarões. De delicinhas típicas, apenas os restaurantes Camarões e Camarões Potiguar, que também estão nas sugestões de roteiros, onde também aparecem o almoço no Mangai e, à noite, os bares de forró no Alto de Ponta Negra. O período acon-

De 20 a 23, acontece o worksohp Influência do Jazz na Improvisação, no Solar Bela Vista, ministrado pelos músicos Diogo Guanabara e Henrique Pachêco.

à

Hoje tem prova objetiva do XI Exame de Ordem em Natal e Mossoró.

à


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

natal

11

« GEORGE AZEVEDO » georgeazevedo@digizap.com.br

Luz na passarela... Ainda é comentário nas grandes rodas o concurso Miss Rio Grande do Norte 2013, que reuniu 25 belas meninas nos salões do Villa Hall, em Natal, onde a representante de Parnamirim, Cristina Alves, foi a grande campeã e vai representar o estado no Miss Brasil 2013, dia 28 de setembro em Belo Horizonte/MG. As fotos são de Canindé Soares e do Estúdio 473 - Anderson Grant / Kássia Fernandes.

Luiz Antônio, Elizabeth Marques, Luiza Ribeiro, Kelly Fonseca e Georgiano Azevedo de olho...

Cristina Alves, rumo ao Miss Brasil!!!

A apresentadora do programa Portfolio, Luiza Ribeiro, na comissão julgadora

Leander Paiva todo bacana com suas queridinhas Nayana Morais (Caraúbas), Jacyara Coelho (Almino Afonso) e Laíse Amorim (Baraúna)

Renata Correia passando a faixa de Miss Elegância RN 2013 para a Miss CearáMirim, Izabelly Brasil

A Miss Natal, Bárbara Elali, e a Miss Parnamirim, Cristina Alves, em momento de “tensão”

Will Vicente num papo com a Miss RN 2013 para o programa Première/TCM

Gabriela Markus, Miss Brasil 2012, e Kelly Fonseca, Miss RN 2012, na passarela

A Miss Jucurutu foi eleita a Miss Simpatia 2013

Suzana Scoth fazendo caras e bocas com a coroa da Miss RN

Salto alto A empresária Sânzia Fernandes festeja o sucesso da novíssima Carmen Steffens, recém-inaugurada no West Shopping com grande balação fashion, inclusive, a presença da estilista Nathi Faria, que deu dicas de looks para a mulherada chique de Mossoró. O Requinte Buffet assinou o serviço. Veja nosso resumo em fotos de Alex Costa e Jefferson Fernandes.

Fátima Santos com Kênia Marques, anunciando o lançamento da V.Hall para o próximo dia 21

Liliana Almeida, Jaynna Ferreira, Roberta Rosado e Tereza Stella. Muitas compras!!!

Ruy Von Augsburg fazendo a festa com Nathi Faria e Lilianne Oliveira

Sânia Paiva, Valéria Santos, Marluce Bezerra e Marina conferindo a nova coleção CS

Pegando pesado Pensando cada vez mais a qualidade de vida, saúde e bem estar dos seus alunos, Mima Adour fecha uma parceria com a nutricionista Kamila Melo, para fazer os atendimentos funcionais na sua Academia Atividade Fitness. Sendo assim, uma junção perfeita da atividade física, junto com alimentação funcional, destoxificação, e claro, acompanhamento personalizado. DAVID TAVARES

Valéria Escóssia com Morgana, Monalisa e Luciana Silva

Rafaela Costa assessorando a empresária Sânzia Fernandes

Nathi Faria em momento GLAM, exibindo a nossa revista na qual foi capa

Luis Henrique Azevedo “tricotando” com Ivaneide Fernandes

Georgiano Azevedo em momento de parceria de Mima Adour com a nutricionista Kamila Melo


12

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

natal DIVULGAÇÃO

NELSON MATTOS FILHO avoante1@gmail.com

ivo no mar, debruço-me diariamente sobre o mar, acordo no mar, converso com o mar, escuto o mar, me calo diante dele, mas não sou capaz de aprender seus segredos. Espanta-me quando escuto alguém declarando conhecê-los. Nessa vida meio nômade a bordo do Avoante sempre me deparo com figuras poliglotas nos assuntos de mar. Digo poliglotas, pois é assim que considero aqueles que acham o mar um mundo domesticável, previsível e racional. Para essa galera de senhores conhecedores, o erro, o medo, ou mesmo a indecisão dos outros não passa de incompetência. Quando me vejo cara a cara com essas figuras irrefutáveis, fico a imaginar até onde vão os delírios criativos da mente humana. Quando tento saber das rotas navegáveis ou mesmo das últimas aventuras dos poliglotas, me vejo obstruído por uma espessa cortina de desfaçatez que demonstra os traçados tortos dos caminhos eminentes para a fuga do falador. E o pior é que esses caminhos de fuga são sempre os mesmos para todos eles. Nas mesas de bate papo em que o poliglota está presente ninguém pode dizer que tal rota é difícil e nem que alguma barra é complicada, pois ele tem sempre a explanação pronta da sua experiência como prova do contrário. O difícil é achar em meio aquele mar de palavras bonitas a prova da verdade. O poliglota do mar é

V

O TAMPA DE CRUSH

um atuário das mais altas esferas do conhecimento e nada escapa da sua tara em denegrir e desmerecer o feito dos outros. Quando ele é convidado para fazer parte de alguma tripulação, nada pode ser decidido sem a sua benção, mesmo que seja apenas para ele engolir em seco e balançar a cabeça, sem que ninguém entenda se é sim ou não. O poliglota nunca enjoa e acha uma aberração algum homem do mar ser atacado por esse mau,

mas basta ele entrar em um barco para o bicho começar a pegar, principalmente em mar aberto. Nesses momentos de prova dos nove ele se recolhe em sete capas e na terceira onda começa o banquete de engodo dos peixes. Sem olhar nos olhos de ninguém, ele apenas resmunga baixinho: “Poxa, isso nunca me aconteceu antes, deve ter sido alguma comida estragada”. Eh! Tem ainda aquele poliglota que se arma com uma patente de

Capitão Amador e sai dando carteiradas de maioral a torto e a direito, e se alguém tiver a coragem de pedir que ele trace uma rota qualquer numa Carta Náutica ai é um deus nos acuda. Já ouvi muitos deles dizendo que não usa Carta de papel e nem se lembra de como usá-las, pois hoje em dia elas estão fora de uso e que ele é o rei da cocada preta em charter plotter. Sabem tudo de equipamentos eletrônicos, mas de mar que é bom, nem o básico.

Um amigo, de larga experiência em viagens de longas distâncias e muitas delas em solitário, disse que certa vez embarcou um desses donos de carteira de Capitão Amador e a certa altura da viagem, depois de um problema a bordo, o cara disparou: “Escute aqui, você tem que me ouvir e fazer o que eu digo, pois hierarquicamente eu sou mais graduado do que você que só tem carteira de Mestre”. Ele respondeu: “Então tá, agora senta ai para dar as ordens que eu vou fa-

zendo do jeito que minha experiência diz que é para ser”. O cara não disse mais nada! Certa vez fui apresentado a um poliglota que se espantou quando soube que eu morava há oito anos a bordo de um veleiro de 33 pés e que durante todo esse tempo estava navegando pela costa do nordeste. Ele me olhou de cima a baixo e disparou: “Mas isso não tem nada demais”. E completou: “Se ainda não saiu do Brasil não tem o que contar”. Olhei para ele e respondi apenas que ele tinha toda razão. O poliglota ficou ali na mesa contado vantagens e a todo instante tentando me instigar a um debate. O máximo que ele conseguiu foi minha certeza em que ele não entendia nada do que estava falando. No dia seguinte fiquei sabendo que o falador nunca havia navegado além dos limites das águas abrigadas e nem havia ultrapassado as fronteiras de mar do seu Estado de origem. Se você acha que é difícil encontrar essas figurinhas carimbadas por ai, basta sentar por dois minutos embaixo de um palhoção de clube náutico e tentar ouvir o eco das palavras soltas ao vento que saem de alguma mesa em volta. O poliglota é sempre o melhor navegador, o melhor pescador, tem a melhor embarcação e seu barco é sempre o mais bem equipado. Não, não tem nada igual. Pois é, o mundo do mar é feito daqueles que fazem, dos que acham que fazem, dos que dizem que fazem e dos que apenas contam histórias.


NO FACEBOOK

Acompanhe a galeria de fotos do jogo Alecrim x Auto Esporte pela Copa Ecohouse. facebook.com/tribunarn

NO RÁDIO

7h - Esportes em Debate 16h - Copa Ecohouse: Alecrim x Auto Esporte/PB www.radioglobonatal.com.br

HOJE NA TV

14h - Barcelona x Levante, ESPN Brasil 18h30 - Brasileirão: Inter x Atlético/MG, Sportv

NEYMAR E MESSI ENTRAM EM AÇÃO CONTRA O LEVANTE NO CAMPEONATO ESPANHOL . Página 3

BLOG DO CIRÍACO

Saiba a avaliação realizada de Itamar Ciríaco sobre as novas contratações do ABC. www.tribunadonorte.com.br/blogdociriaco

esportes Editor: Itamar Ciríaco itamar@tribunadonorte.com.br

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 18 de agosto de 2013

América avalia uma nova mudança « BRASILEIRO – SÉRIE B » Empresário Marcone Barretto já trabalha com a possibilidade de liberar o clube

da multa por quebra contratual, para não atrapalhar a intenção da diretoria de voltar para o Nazarenão

FOTOS: JÚNIOR SANTOS

Construído às pressas para atender às necessidades do América, Barrettão tem falhas estruturais

O

que parecia apenas uma pinimba de torcedores, contra o fato do estádio Barrettão não ter levado sorte ao América. Essa semana ganhou corpo e o assunto do possível volta do América ao estádio Nazarenão, em Goianinha,passou a ser tratado abertamente até por um dos maiores prejudicados com a situação: Marcone Barretto. O empresário revelou ao Blog de Marcos Lopes, no site da Rádio Globo Natal, que foi cientificado pe-

lo presidente americano, Alex Padang, sobre a insatisfação com alguns pontos do estádio de CearáMirim, tendo como um dos focos principais o campo de jogo. Apesar de confirmação do empresário, Alex Padang afirmou que prefere não falar sobre o assunto e não confirma que já esteja negociando o possível retorno ao Nazarenão, com o prefeito de Goianinha Júnior Rocha. Existe um contrato firmado entre o América e o empresário

Marcone Barretto, que expira no final do Estadual de 2014, pelo qual o clube natalense é obrigado a mandar 60% dos seus jogos no Barrettão. Ciente da insatisfação, Marcone Barretto disse que não pretende causar empecilho algum ao clube, estando disposto, inclusive, a dispensar a diretoria americana da multa rescisória, caso a diretoria opte pela troca do Barrettão pelo Nazarenão. “Disse ao Alex (Padang, pre-

Para voltar a mandar jogos no Nazarenão, clube terá de ampliar a capacidade de público do estádio

sidente do América) que ele fique a vontade, não vou atrapalhar e nem vou exigir multa. Reconheço que alguns problemas eu não consegui solucionar, o América reclama muito do gramado e se sair do Barrettão vai ajudar o América que seja assim”, afirmou Marcone Barretto. A questão é que a cidade de Ceará-Mirim não se mostrou atraente e não confirmou o bom mercado de público para o clube, devido a uma série de outros pro-

blemas. “Existem problemas de acesso, problemas que eu tentei, com o apoio deputado estadual Hermano Moraes, solucionar mas não conseguimos. O gramado é um problema que depende apenas de mim, e dentro de mais 15, 20 dias ele vai estar muito bom já que estão proibidos treinos no estádio”, reconheceu o empresário. Como desportistas e deixando de lado os possíveis lucros com a permanência do América atuando em Ceará-Mirim, reforça que

se trocar de estádio será suficiente para evitar que o clube seja rebaixado, ele não pretende impor qualquer tipo de obstáculo. “O estádio que construí com recursos próprios e que ainda não está pronto representa algo em torno de 2% do meu patrimônio e é parte de um projeto maior e não tem problema. Lamento que o América saia, gostaria que ele ficasse em Ceará-Mirim, mas de minha parte não tem problemas”, reforçou.


2

esportes

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto 2013

FOTOS: MAGNUS NASCIMENTO

A primeira turma de alunos peparados especialmente para participar de combates já está trabalhando firme na nova unidade da academia Check Mat. Natal é o terceiro maior polo de lutadores do país

Academia de O

sucesso cada vez maior dos combates de MMA, tem sindo responsável por uma busca cada vez maior às academias de artes marciais. O crescimento se dá por parte dos jovens dispostos a entrar no octógono. Com isso, não para de crescer o número de praticante do Jiu-Jitsu, considerada o tipo de luta mais completo para quem sonha em se tornar um lutador profissional. Pensando justamente nesse público é que Felipe Bezerra, Thiago Barreto e Pablo Aragão se reuniram e trouxeram para Natal todo know-how da franquia da academia Check Mat. O centro é especializado na formação de aluno para desenvolver a carreira como lutador profissional. Para conduzir a formação foram escolhidos justamente três professores potiguares com uma vasta experiência em combates e que interagem diretamente com os alunos, ensinando todos os segredos do jiu-jitsu brasileiro. A escolha pela capital do Rio Grande do Norte foi estratégica, uma vez que Natal é o terceiro maior polo brasileiro de lutadores de jiu-jitsu, perdendo apenas para Manaus e o Rio de Janeiro, considerado o berço do esporte no país. Campeão Mundial em Abu Dhabi na categoria Pena — torneio considerado como um dos mais importantes do mundo e organizado por um xeique dos Emirados Árabes —, Thiago Barreto salienta que sempre era questionado sobre a falta, em Natal, de uma academia voltada a preparar novos atletas para o combate no octógono. Misturando o anseio dos alunos com o convite para abrir a franquia da Check Mat, que reúne 14 dos melhores lutadores de MMA do mundo na atualidade, entre os quais, o mexicano campeão dos pesos-pesados Caim Velasquez, surgiu a oportunidade que ele e seus sócios espera-

Campeões

Formando futuros competidores no RN

Alunos aprendem técnicas para finalizações do combate e treinam exaustivamente, observados pelos professores da academia

Para nós, do jiujítsu, o chão é apenas o início do combate, já que você tem de finalizar seu oponente” THIAGO GALVÃO Professor de Jiu-jítsu

Os treinos são interrompidos com frequência para explicações

vam para plantar a novidade. “O pessoal que sabe que a gente participa de combate internacional, sempre demonstra curiosidade. Muita gente vai para academia apenas no sentido de desenvolver uma técnica de defesa pessoal, mas hoje um grupo muito grande de alunos, entra com vistas a participar de torneios e até lutar profissionalmente mesmo. Então resolvemos aderir essa ideia trazendo a Check Mat para Natal”, afir-

mou Thiago Barreto, que já trabalhava dentro de outro conceito na academia Brasa, também na capital potiguar. A Check Mat abriu as portas há pouco mais de trinta dias, mas já conquistou um número significativo de alunos. A academia foi fundada por três irmãos da família Vieira, brasileiros referência em treinamentos especializado para MMA e que decidiram ensinar os segredos do jiujitsu desenvolvido no Brasil, pa-

Técnicos Thiago Barreto e Thiago Galvão uniram a experiência

ì O QUE Academia Check Mat foi fundada nos Estados Unidos e abriu uma filial em Natal. Ela é voltada diretamente para formação de atletas para o combate

ra os lutadores americanos.

Desenvolvimento Embora tenha sido uma arte criada por monges budistas, com a finalidade de autodefesa na Índia, Thiago Galvão, um dos sócios desse novo empreendimento, explica que a família Gracie praticamente reinventou a luta, ao adaptar a mesma para combates e criar golpes muito mais contundentes para superar os adversários das demais artes. “O jiu-jitsu é considerada a mãe de todas as artes. A família Gracie aperfeiçoou a luta de tal forma que teve um tempo que a modalidade era subdivida em duas: o jiu-jitsu original e aquele desenvolvido no Brasil. O nosso, por ser mais eficiente, acabou dominando o mundo”, explicou Galvão. Segundo Thiago Galvão, que também é um dos professores da arte, a modalidade é considerada a arte marcial mais completa devido a um ponto importante. “Nas demais modalidades de luta o combate geralmente acaba quando o lutador leva seu oponente ao chão. Para nós, praticantes de jiu-jitsu, o chão é apenas o início do combate, já que você tem de derrotar seu oponente por imobilização ou estrangulamento. É uma arte em que você é obrigado a finalizar o combate”, frisa. Mesmo com a meta de trabalhar a formação de novos campeões, a academia Check Mat, que tem a matriz na avenida Nascimento de Castro (antiga Brasas) e montou uma filial em Nova Parnamirim, também recebe alunos que estejam dispostos apenas em aprender as técnicas de defesa ou então manter o prepara físico. “O jiujitsu é uma forma de combate que exige muito a parte aeróbica do seu praticante, fazendo o atleta perder bastante peso”, avisa o professor Galvão.

Thiago Barreto mostra o que aprendeu de forma didática


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

esportes

SAKCHAI LALIT

B

arcelona (Espanha) - Gazeta Press - A temporada 2013/2014 do Campeonato Espanhol será aberta neste fim de semana e com os velhos favoritos de sempre: Barcelona e Real Madrid, ambos só entrando em campo hoje. Em comum, além do favoritismo e de terem trocado de treinador, eles têm brasileiros que sonham em se destacarem para chegarem firmes na Copa do Mundo de 2014. O Barcelona recebe o Levante, no Nou Camp, tentando defender o título e mostrar que sua escola de futebol independe de comando. A saída de Josep Guardiola há duas temporadas e os problemas de saúde de Tito Vilanova geraram desconfianças sobre o futuro de sucesso da equipe, agora sob o comando de Gerardo Martino, um argentino que chega ao clube com o aval de sua grande estrela, Lionel Messi. Mas a grande aposta do Barcelona para desequilibrar atende pelo nome de Neymar. O brasileiro foi contratado a peso de ouro junto ao Santos para formar com Messi uma dupla capaz de brilhar e fazer os torcedores esquecerem as impiedosas goleadas sofridas para o Bayern de Munique na última Liga dos Campeões da Europa. “A nossa expectativa é a melhor possível e espero que o Barcelona possa ter um grande desempenho no Campeonato Espanhol, a começar pela sua estreia. Me perguntam se seremos campeões e isso é muito difícil de responder, mas posso garantir que um time com a nossa qualidade entra na disputa com boas possibilidades”, afirmou Martino. Também hoje, no Estádio Santiago Bernabéu, em Madri, o Real Madrid recebe o Betis no Estádio Santiago Bernabéu, em Madri. Os merengues viram José Mourinho sair no fim da temporada passada e apostaram no italiano Carlo Ancelotti. O lateral Daniel Carvajal, vindo do Bayer Leverkusen, e o volante Asier Illarramendi, que estava na Real Sociedad, são os principais reforços, longe de empolgarem os torcedores. Mas a confiança maior é mesmo Cristiano Ronaldo. Se Neymar sonha em levar o Barcelona ao título, o Real Madrid também tem seu brasileiro sonhador. Colocado em várias especulações e ameaçado até de rescisão de contrato, Kaká sonha em se reerguer sob o comando de Ancelotti, treinador que o conduziu no Milan ao posto de melhor jogador do mundo em 2007. “Posso dizer que estou mais animado do que nunca para ajudar o Real Madrid nesta caminhada. Me preparei muito bem para esta temporada e acredito que posso ser muito útil ao time”, disse Kaká, com contrato até 2015 e longe de ter o carinho de Mourinho. Também hoje o Atlético de Madrid, que corre por fora na luta pelo título, visita o Sevilla disposto a mostrar que há vida sem o atacante colombiano Falcao García, que se transferiu para o Monaco, da França. Os atleticanos, porém, agiram rapidamente e substituíram o ídolo pelo artilheiro David Villa, da seleção espanhola e que agora espera brilhar no Vicente Calderón.

3

Novos OBSTÁCULOS

O atacante Neymar é a principal atração do Campeonato Espanhol, que tem início neste final de semana. Sucesso do craque brasileiro na competição é a principal dúvida e a atração do torneio às vésperas da disputa de uma Copa do Mundo na qual o jogador será um dos mais cobrados pelos torcedores para dar espetáculo NÚMEROS DO CRAQUE » NEYMAR jogos como profissional

291 178 0,61

gols marcados na carreira

de média por jogo

TEMPORADA * Na temporada 2013,Neymar Jr já disputou 41 partidas e converteu 23 tentos,tendo também 15 assistências.

JOGOS DE HOJE 14h Barcelona x Levante 16h Real Madrid x Betis 16h Osasuna x Granada 18h Sevilla x Atlético de Madrid

AMANHÃ 15h Rayo Vallecano x Elche 17h Celta x Espanyol 17h Almería x Villarreal

Amistosos foram para “sentir o clima” Os amistosos preparatórios para a temporada 2013/2014 serviram para mostrar ao mundo o que o Barcelona irá apresentar nesta temporada. Em campo contra o Levante, as equipes iniciam suas caminhadas no Campeonato Espanhol. No Camp Nou o que se espera continuar vendo é um time que tanto encantou o mundo com seu futebol bem jogado e

técnico dos últimos tempos. Lembrando que o visitante nunca venceu no estádio catalão. Só que nesta partida, uma camisa 11 também entra para a história do futebol europeu, mas antes disso para a história do Brasil no clube. Neymar Jr. já jogou pelo Barcelona em quatro partidas, marcou dois gols e deu uma assistência, mas entrar no gramado pa-

ra disputar seu primeiro campeonato em solo europeu será a primeira vez. Inspirado no número de seu manto, que já foi de outros brasileiros no Barça, NJR irá remeter aos bons momentos vividos por Rivaldo e Romário. O treinador Tata Martino irá aguardar os resultados médicos para definir quanto tempo Njr irá jogar.


4

esportes

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

Clássico de opostos em Brasília « BRASILEIRO SÉRIE A » Enquanto o Flamengo vive uma boa fase, sem perder a quatro jogos, o

São Paulo não sabe o que é vitória na competição desde a segunda rodada. Partida começa às 16h

B

rasília (DF) - Gazeta Press - Dois dos maiores vencedores do Campeonato Brasileiro, Flamengo e São Paulo entram em campo hoje em situações totalmente diferentes, no Mané Garrincha, em Brasília. Enquanto os rubro-negros vivem boa fase, sem perder a quatro jogos, os tricolores não sabem o que é vitória na competição desde a segunda rodada. No Flamengo, o pensamento é de aproveitar o mau momento do São Paulo para conquistar os três pontos e encostar nos líderes do Brasileiro. Para isso, o técnico Mano Menezes vai mudar a equipe que empatou no meio de semana com o Goiás. Na zaga, Chicão segue como titular, mas ao lado do chileno Marcos González, que volta após servir a seleção de seu país. Na lateral direita, Léo Moura está lesiona-

WANDER ROBERTO / VIPCOM

FICHA TÉCNICA FLAMENGO SÃO PAULO Felipe, Luiz Antonio, Chicão, González e João Paulo; Cáceres, Elias, André Santos e Gabriel; Hernane e Nixon Técnico: Mano Menezes

Rogério Ceni; Douglas, R.Toloi, Rodrigo Caio e Reinaldo; Wellington, Fabrício, Lucas e Jadson ; Aloísio e Osvaldo Técnico: Paulo Autuori

Estádio: Mané Garrincha, (DF) Horário: 16h Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG) Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG) e Marrubson Melo Freitas (DF)

do e o volante Luiz Antônio será improvisado no setor. Já no ataque, Hernane se mantém ao lado de Nixon mesmo com a recuperação de Marcelo Moreno.

O Flamengo, com 18 pontos na 11ª colocação no início da rodada, vem conseguindo seu objetivo de se distanciar da zona de rebaixamento e conseguir enxergar a classificação para a Copa Libertadores. O momento, inclusive, é propício para projetar voos mais altos. Está sem perder há quatro jogos, sendo que os dois últimos resultados foram positivos: triunfo de 3 a 2 sobre o Fluminense no clássico carioca e empate, fora de casa, com o Goiás por 1 a 1. “Para nós, essa partida contra o São Paulo é fundamental. Teremos duas partidas em casa e temos que aproveitar o momento para subirmos de vez. Vamos pensar exclusivamente no São Paulo, pois sabemos o que representa um triunfo neste domingo”, afirmou o volante Elias.

Em fase ruim, o goleiro Rogério Ceni é o retrato do momento complicado que atravessa o Tricolor

Ponte e Goiás duelam em Campinas

Pedro Neto [ pedron@natal.digi.com.br ]

Otimista, porém realista JÚNIOR SANTOS

Sou daqueles em que o otimismo está sempre em alta. Acredito que tudo dará certo no final. E, por pior que seja a situação continuo acreditando que coisas boas ainda estão por vir. Que a situação vai dar uma “virada”. Isso na vida como num todo. E, com o futebol não poderia ser diferente. Até porque vivo dentro do futebol, e sei que nada é eterno. Nem se apenas de vitórias nem de derrotas. Tudo tem começo, meio e fim. E por pensar assim é que acredito que o ABC vai conseguir dar a volta por cima. É claro que nenhum torcedor gosta de ver o clube nessa situação, entretanto infelizmente aconteceu. Então, agora é trabalhar para que as vitórias voltem a ocorrer. Que os títulos possam novamente acontecer. O torcedor tem todo o direito de protestar. De ficar

chateado. De reclamar nas redes sociais. Até porque no coração do torcedor só existe emoção. A razão passa longe. Então, vamos torcer para que o ABC

possa ficar na série B, agora se cair para série C que tenha dignidade e sabedoria para dar a volta por cima. Afinal, o mundo não vai acabar!

Pingo

Vinícius Pacheco

Pior ano

Contrato como um dos bons reforços do ABC para série B o atacante Pingo ainda não emplacou no alvinegro. Jogador rápido e veloz Pingo não consegue uma sequência boa de jogos. É bem verdade que quando atuava pelo América ele sempre que entrava conseguia incendiar as partidas, todavia no ABC nem isso vem conseguindo. Nas vezes em que atuou como titular Pingo deixou a desejar. Que o atacante consiga reencontrar o seu futebol ainda dentro da série B, até porque o alvinegro está precisando.

Fico sem entender o que se passa com o atacante Vinícius Pacheco. Jogador com passagens por grandes clubes do futebol o meia não consegue render no clube rubro. Vinícius Pacheco já jogou no Flamengo, Paraná, Grêmio, Náutico, entre outros grandes clubes, agora no América ainda não fez uma única boa partida. Que o jogador possa reeditar seu bom futebol, pois o América anda precisando muito de um meia de talento. Até porque Cascata dificilmente cascata aguentará jogar duas partidas seguidas.

Impressiona o péssimo momento do futebol do RN em todas as séries. Sem dúvida alguma é o pior ano dos nossos clubes em campeonatos promovidos pela CBF. ABC e América na zona de rebaixamento da série B. Baraúnas na zona da série C. E, o Potiguar com a pior campanha de todas as séries juntas com apenas 1 ponto marcado em sete jogos disputados. Existem culpados? Ou isso é apenas “coincidência”? O pior de tudo é que a situação só piora. Já imaginaram ano de Copa com Natal sendo uma das sedes, sem o RN na série B?

O trabalho continua

Vanderlei

E o estádio Arena América segue na sua construção. É bem verdade que não no ritmo que o torcedor gostaria, agora é assim mesmo que funciona. Por ser uma grande obra a demora é natural. O presidente José de Vasconcelos da Rocha continua confiante de que já no ano de 2014 será possível o América disputar alguns dos seus jogos no seu estádio. Como o clube rubro firmou uma parceria com o Arena das Dunas para o ano que vem a pressa já não será mais a inimiga da perfeição. Até porque o clube rubro já tem onde jogar em 2014. Mesmo assim, o sentimento da grande maioria dos torcedores americanos é que o estádio deixe de ser um sonho para se tornar uma realidade.

E quem ainda se encontra em Natal é o atacante Vanderlei que veio do Atlético GO para o ABC no início do ano. Alguém ainda lembra dele? Acredito que não! Até porque ele não joga há bastante tempo. Aliás, no alvinegro ele nunca jogou. Digamos que veio passar alguns dias de férias em Natal.

Campinas (SP) - Gazeta Press - Apenas um ponto separa a Ponte Preta, 13ª colocada do Brasileiro, com 15, do Criciúma, 17º e primeiro da zona de rebaixamento. A diferença para o 12º, que é o Goiás, porém, é de três pontos. E é justamente com a intenção de aumentar esta brecha para a parte de baixo da tabela que o clube esmeraldino visita a Macaca hoje, a partir das 16 horas. Os goianos vêm de uma boa sequência e querem aproveitar a fase para conseguir mais uma vitória, desta vez contra um con-

corrente direto. A vitória sobre o Náutico e os empates com Botafogo e Flamengo já fazem alguns atletas pensarem alto. “Nós temos consciência que o time em geral não foi bem contra o Flamengo.Se fôssemos bem, sairíamos com a vitória. Nós vamos buscar esses dois pontos contra a Ponte Preta. Eu quero cada vez crescer mais, lógico que sozinho não vou chegar a lugar nenhum, mas a ideia é colocar o Goiás no lugar dele, colocar o Goiás na Libertadores”, declarou o atacante Walter, que já marcou cinco

gols na Série A. Para o duelo, o técnico Enderson Moreira tem apenas um desfalque. Trata-se do volante David, que levou o terceiro amarelo contra o Rubro-negro carioca e está suspenso. Assim, Dudu Cearense deve ganhar uma vaga no time titular. A Ponte Preta também emplacou uma sequência de três jogos invicta, contra Fluminense, Vasco e Criciúma, mas teve a série quebrada na última rodada, ao ser derrotada pelo Vitória, fora de casa, por 3 a 1.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

esportes

Apito Final VICENTE ESTEVAM - INTERINO jrvicente@tribunadonorte.com.br

Choque entre gestões O primeiro sinal direto da insatisfação gerada pela atitude do ex-presidente, José Maria Barreto de Figueiredo em cobrar e conseguir na Justiça bloquear as rendas do América, visando receber os R$ 207 mil emprestados ao clube durante sua última passagem pela direção do mesmo, em 2010, rompeu os limites da sede social. Eduardo Rocha, que participou do mandato tampão de Figueiredo em 1996, por ocasião da renúncia de Marcos Cavalcante, entrou em choque frontal com ex-parceiro de administração e ressaltou que Zé Maria vem sofrendo lapsos de memória, esquecendo até de documentos assinados. Rocha fez questão de situar a história para dizer que o ex-presidente não participou do acesso americano para série A em 1996 e de nenhum dos grandes momentos do alvirrubro. Eduardo disse que já era presidente na ocasião, bem como conduziu o time por dois anos na divisão de elite até a conquista da Copa do Nordeste em 1998, lembrando que José Maria Barreto nem cargo tinha na diretoria. “Se ele coloca essas conquistas no currículo é devido ao lapso de memória”, alfineta Rocha. Frente a todas as credenciais, Eduardo Rocha salienta nunca ter renunciado a qualquer cargo dentro do clube, e aponta José Maria como o presidente que levou o América à série C, em 2010, mesmo tendo em mão um patrocínio de R$ 1 milhão que o conselheiro Paulinho Freire conseguiu junto ao BMG. Além do rebaixamento, ele reforçou que o ex-presidente também deixou o alvirrubro mergulhado num grande endividamento que até hoje o América tenta pagar. Eduardo fala por ele, não pela diretoria do clube.

Peregrinação Parece ter virado uma visita à Terra Santa. Agora foram os representantes de Ceará e Fortaleza, que acompanhado por políticos bateu às portas do presidente da Caixa Econômica Federal, em Brasília. O pedido foi o mesmo dos demais clubes que visitaram àquela nova terra santa, verba de patrocínio. A CEF, continua com o projeto de investimento no futebol, pode igualar fenômeno visto apenas na Copa União, em 1987, quando a Coca-Cola, que viabilizou a disputa daquela fórmula do Brasileirão, teve o

patrocínio estampado em todas as camisas dos 16 participantes, a exceção do Flamengo que na época ainda era patrocinado pela Lubrax (Petrobras). As verbas para esse tipo de patrocínio estão fechadas na Caixa, só reabrem em 2014. Como o apoio da instituição financeira está sendo visto como tábua de salvação por muitos, as comitivas fazem questão de tirar foto ao lado do presidente da Caixa, juntamente com os políticos que acompanham cada delegação para mostrar que estão se movimentando.

Circuito BB Natal está de volta ao calendário oficial do Circuito Banco do Brasil de Vôlei de Praia. A principal competição das areias no país terá uma temporada repleta de novidades, com um novo formato de disputa, uma arena bem mais moderna e atrativa. Com o novo formato, o vôlei de praia agora terá quatro duplas campeãs brasileiras, sendo duas em cada naipe. O Circuito irá contar com

nove etapas, de onde sairá o campeão. Ao final das nove etapas, haverá um novo campeonato, o “Super Praia”, que definirá as duplas campeãs brasileiras. Jogarão este torneio, em cada naipe, os cinco primeiros do ranking nacional mais três duplas convidadas pela CBV. A primeira etapa do Circuito acontecerá em Recife (PE), Natal vai sediar a 7ª etapa (6 a 9 de fevereiro de 2014).

Natação Tem uma nova fera potiguar dando braçadas rumo ao sonho de estar representando o Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. O jovem Marco Macedo, de 22 anos, se sagrou campeão na prova dos 100 metros borboleta no troféu José Finkel, que reúne os principais atletas da categoria no Rio de Janeiro. O resultado serviu como um grande incentivo ao potiguar e renova as esperanças dos potiguares de ter mais um nome do Estado na disputa de uma Olimpíada, como ocorreu com Magnólia Figueiredo, Vicente Lenílson e Virna Dias.

Leitura O livro “Da Bola de Pito ao Apito Final” do titular desta coluna Everaldo Lopes, foi lançado em 2006, mas ainda hoje tem a venda bastante aquecida. Tanto que ele foi obrigado a reabastecer o estoque da banca de jornal e revista situada no Nordestão, loja da Salgado Filho. A publicação é a única do RN contendo o levantamento histórico do futebol potiguar abrangendo o período de 1915 a 2006. O livro possui 500 páginas de informações e está perto de quebrar a casa dos 2 mil exemplares vendidos.

Contagem A 298 dias para o início da Copa do Mundo de 2014, o estádio Arena das Dunas já está estruturado para receber a arquibancada móvel que aumentará a capacidade de público da nova praça para 42 mil espectadores durante a realização do mundial. A questão agora é saber se o governo do Estado terá condições de vencer a burocracia, lançar o edital e contratar a empresa responsável pelo serviço a ponto de o estádio ser entregue completo no próximo dia 31 de dezembro, como exige a Fifa. Demétrio Torres quer lançar o edital até o final de agosto, mas em se tratando de coisa pública, o prazo está apertado.

« CARTÃO AMARELO »

5

Voltar ao caminho da vitória é objetivo alvinegro « SÉRIE A » O Botafogo empatou seus três últimos jogos, sendo o mais

recente 3 a 3 com o Inter quando levou o gol de empate nos acréscimos OTÁVIO DE SOUZA

S

ão Paulo (SP) - Gazeta Press - Com 26 pontos conquistados, o Botafogo visita a Portuguesa hoje, às 16h, no Canindé, em São Paulo (SP), em busca de uma vitória que lhe garanta terminar o fim de semana, e consequentemente a 15ª rodada do Campeonato Brasileiro, na ponta da tabela de classificação. O Glorioso empatou seus três últimos jogos, sendo o mais recente um 3 a 3 com o Internacional quando levou o gol de empate nos acréscimos do segundo tempo, portanto, a ideia também é reencontrar o caminho das vitórias. Curiosamente a Lusa também levou o empate do Coritiba no fim do jogo do meio de semana, quando o 1 a 1 no Paraná deixou a equipe ainda na zona de rebaixamento, com 13 pontos. Oswaldo de Oliveira, técnico do Botafogo, vem procurando trabalhar junto ao elenco a necessidade de o Alvinegro ser ainda mais firme dentro de campo para não deixar alguns resultados importantes escaparem. O Glorioso levou gol nos acréscimos no clássico com o Flamengo (1 a 1), contra o Atlético-MG (2 a 2) e mais recentemente diante do Internacional. Porém, ele entende que não há motivo para abatimento e quer um time bem aguerrido diante da Portuguesa. “Para alguns jogadores foi difícil quando o time sofreu os gols nos minutos finais, mas isso faz parte do futebol. O mais importante é entender que o Botafogo, na maioria dos jogos, vem conseguindo dominar as ações e se impor. Temos que agir assim sempre”, disse o meia holandês Seedorf.

FICHA TÉCNICA PORTUGUESA BOTAFOGO Lauro, Luis Ricardo, Diego Augusto, Valdomiro e Rogério; Ferdinando, Bruno Henrique, Souza (Correa) e Willian Arão; Neilson e Gilberto Técnico: Guto Ferreira

Jéfferson, Gilberto, Dória, Bolívar e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Gabriel, Seedorf, Lodeiro e Vitinho; Rafael Marques Técnico: Oswaldo de Oliveira

Estádio: Canindé Horário: 16h Árbitro: Alicio Pena Junior (MG) Assistentes: Katiuscia Berger Mendonça (ES) e Bruno Boschilia (PR)

Apesar dos últimos resultados, Seedorf elogia o comportamento e dedicação da equipe nos jogos

Inter tenta reencontrar a vitória

Corinthians recebe o desfalcado Coritiba São Paulo (SP) - A escalada do Corinthians na tabela do Campeonato Brasileiro teve uma pausa no empate com o Fluminense, mas o resultado no Rio de Janeiro não foi considerado ruim pela maioria dos jogadores. Se vencer o Coritiba na partida marcada para as 16h, no Pacaembu, a equipe voltará a se aproximar dos líderes. Conquistar três pontos diante de um adversário que vem derrapando dará ao time do Parque São Jorge —- sexto colocado no início da rodada —- a marca de quatro triunfos e dois empates em seis partidas. E certamente deixará para trás o próprio Coritiba, que, apesar dos tropeços recentes, chegou ao fim de semana em terceiro lugar. “A gente vem em uma sequência legal. O importante é que a gente mantenha a consistência e dê continuidade ao trabalho, que não é só dos 11 jogadores que começam jogando. Estamos bem”, afirmou Ibson, que vem entrando no segundo tempo e agora será titular. O atleta fluminense ficará com a vaga de Guilherme, que sofreu grave lesão muscular. E deverá haver outras alterações em relação à equipe escalada na última quarta-feira. Danilo, limi-

« FURACÃO»

« MACACA »

Atlético-PR quer seguir série invicta

Ponte e Goiás duelam em SP

Curitiba (PR) – Depois de arrancar um empate diante do São Paulo, o Atlético Paranaense quer voltar a vencerno Campeonato Brasileiro 2013 e terá a chance em casa, na Vila Capanema, às 18h30, diante do Criciuma. Se a equipe rubro-negra luta para se manter próxima do G-4, pelo lado catarinense o desafio é se afastar da ZR. O técnico Vagner Mancini, que ainda não perdeu no comando do Rubro-Negro, tirando a equipe da zona de rebaixamento, agora precisa retomar o aproveitamento que vinha conseguindo para buscar outro objetivo: o G-4. Para isso, não contará com o atacante Dellatorre e o ateral Pedro Botelho. Ederson e Jonas são os potenciais substitutos. No caso do primeiro, artilheiro atleticano no Brasileirão, é a chance de se firmar na equipe.

Campinas (SP) - Apenas um ponto separa a Ponte Preta, 13ª colocada do Brasileiro, com 15, do Criciúma, 17º e primeiro da zona de rebaixamento. A diferença para o 12º, que é o Goiás, porém, é de três pontos. E é justamente com a intenção de aumentar esta brecha para a parte de baixo da tabela que o clube esmeraldino visita a Macaca a partir das 16 horas. Os goianos vêm de uma boa sequência e querem aproveitar a fase para conseguir mais uma vitória, desta vez contra um concorrente direto. A vitória sobre o Náutico e os empates com Botafogo e Flamengo já fazem alguns atletas pensarem alto. “Nós temos consciência que o time em geral não foi bem contra o Flamengo.Se fôssemos bem, sairíamos com a vitória. Nós vamos buscar esses dois pontos. Eu quero crescer mais, lógico que sozinho não vou chegar a lugar ”, declarou o atacante Walter.

tado a poucos minutos no Rio por desgaste, e Guerrero, de volta da seleção peruana, terão vaga se não houver problemas físicos. Do outro lado, as limitações são ainda mais preocupantes. O ótimo e desgastado meia Alex ficará fora de mais uma rodada, e o atacante Deivid vai parar por três semanas por causa de uma contusão no joelho esquerdo. A aparentemente interminável lista de atletas com problemas físicos tem ainda Iberbia, William, Junior Urso, Alex, Lincoln, Geraldo e Keirrison.

FICHA TÉCNICA CORINTHIANS CORITIBA Cássio; Edenílson, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf e Ibson; Romarinho, Danilo e Emerson; Guerrero Técnico: Tite

Vanderlei; Victor Ferraz, Leandro Almeida, Chico e Diogo; Sérgio Manoel (Junior Urso), Gil, Robinho e Zé Rafael; Bill e Arthur Técnico: Marquinhos Santos

Estádio: Pacaembu Horário: 16h Árbitro: Péricles Bassols (RJ) Assistentes: Kleber Lucio Gil (SC) e Nadine Schramm Camara Bastos (SC)

Novo Hamburgo (RS) - Apesar do clima positivo por ter arrancado um empate do Botafogo no último minuto no Maracanã, o Internacional vem há quatro rodadas sem vitórias no Brasileirão. É para tentar acabar com essa sequência negativa dentro da competição que o Colorado recebe o Atlético-MG, equipe que acabou, diante do Bahia, com uma série de cinco partidas sem vitórias na competição. Embora tenha o segundo melhor ataque do campeonato, o Internacional é uma das defesas mais vazadas da competição. Com 21 gols levados, só supera, neste quesito, Vasco (23) e Criciúma (25). Para piorar, a zaga titular está fora. Índio segue lesionado e Juan levou o terceiro cartão amarelo contra o Fogão e está suspenso. Ronaldo Alves e Alan devem formar o miolo de defesa diante do campeão da Libertadores. Apesar disso, o técnico Dunga contará com uma volta importante: Forlán, que marcou dois gols no amistoso que terminou com vitória do Uruguai sobre o Japão, por 4 a 2, e formará a dupla com Leandro Damião. Scocco, autor também de dois gols no 3 a 3 com o Botafogo, deve voltar ao banco.


6

esportes

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto 2013

Natal recebe os Jogos da Amizade « ESPORTE ESCOLAR » O colégio CEI da Romualdo Galvão organiza a competição que movimenta cerca de mil atletas do Rio Grande do Norte, Ceará e Paraíba com disputas por medalhas em nove modalidades FOTOS: ADRIANO ABREU

N

atal está sediando, pela primeira vez, os Jogos da Amizade. Essa é a 11ª vez que a disputa é realizada e o colégio CEI, da Romualdo Galvão, ficou responsável pela organização do evento. São quase mil jovens, entre 12 e 17 anos, disputando as modalidades de xadrez, judô, natação, karatê, basquete, futsal, futebol society, handebol e voleibol. Além da praça esportiva do colégio natalense, as provas estão sendo disputadas na UFRN e no complexo Sesi. Fora o CEI, mais quatro escolas de outros estados estão envolvidas nas competições: Motiva, de Campina Grande e João Pessoa, ambas da Paraíba e a Antares e Master, de Fortaleza/CE. “O Colégio CEI sente-se orgulhoso em poder sediar, pela primeira vez, tão importante evento, que, além de espírito competitivo, nos mostra como é bom viver em comunidade e em harmonia, respeitando e competindo com dignidade”, disse, em nota, a direção da escola. Mas, não só os alunos estão se divertindo na competição. Os pais e familiares se fizeram presentes para acompanhar o desempenho dos seus filhos e sobrinho nas partidas. Foi o caso do advogado Gustavo Henrique Costa, de 31 anos, que estava torcendo para o seu sobrinho, Kyle, de 11 anos, que defendia o CEI da

Romualdo Galvão. “É importante acompanhar nesse momento da vida. Nessas horas que a família precisa estar presente”, afirmou. O garoto, que está começando no esporte, é neto do exjogador Véscio, um dos maiores meias da história do América.

Futebol Society Um dos destaques da partida, vencida pelo CEI Romualdo Galvão por 3x2, foi Pedro Henrique. Mesmo com o desempenho, ele achou que poderia ter jogado mais e ter feito pelo menos um gol. “Perdi uma chance no final da partida que não era para perder. Mas, faz parte do jogo”, disse, para, em seguida, como um jogador profissional, “cornetar” o treinador. “É porque eu jogo mais atrás, e não fico muito perto do gol”, disse. Nos dois jogos que o CEI-Romualdo Galvão participou até o momento, venceu os dois. A primeira por 6x0 e segunda por 3x2. Por enquanto, sem gols de Pedro Henrique, que se defende. “Ainda não marquei, mas, já dei passes para dois gols”, revela. Os treinadores das escolas estavam atentos aos seus alunos, sem se descuidar para que eles possam desenvolver suas melhores habilidades técnicas durante as partidas. No entanto, todos destacaram que as cobranças devem ser amenizadas em crianças

Jogadores do CEI da Romualdo Galvão comemoram a vitória e a classificação para a final da categoria Mirim da competição

de 11 anos, uma vez que, o esporte, nessa idade, tem que ser apenas uma forma de diversão e não uma responsabilidade. “Temos crianças muito talentosas na nossa escola e sempre estamos atentos para que elas possam desenvolver o melhor do esporte. Mas, não podemos ficar cobrando competitividade delas. Isso acontece naturalmente, entre elas. Sempre uma vai querer vencer e isso acaba aumentando o nível”, finalizou Rafael Costa, professor de vôlei da escola Antares, do Ceará.

Perdi uma chance no final da partida que não era para perder. Mas, faz parte do jogo” PEDRO HENRIQUE atleta

Pedro Henrique deu passe para um dos gols da sua equipe


revista da

A REVISTA DA TV É UM SUPLEMENTO DA TRIBUNA DO NORTE. NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE.

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 18 de agosto de 2013

+

O ator Klebber Toledo mergulha num ensaio da competição: tímido, o namorado de Marina Ruy Barbosa conta sua trajetória

A 2ª temporada de “Revenge” já deixou claro que os próximos episódios serão ainda mais cheios de intrigas

« PÁGINA 4 »

« PÁGINA 10 »

Da telinha à telona ‘As aventuras de Crô’ e mais uma leva de filmes originados de programas de televisão chegam aos cinemas nos próximos meses « PÁGINAS 6 A 8 »


2

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

Xuxa fará um dueto com o padre Fábio de Melo no show do Criança Esperança que a Globo transmitirá ao vivo, no dia 31. Eles serão acompanhados por um coral formado por crianças da Fundação Xuxa Meneghel.

Vocabulário bilíngue para Totia Meirelles De férias desde que acabou “Salve Jorge”, Totia Meirelles acaba de chegar de Nova York. Ela passou três meses estudando inglês. Agora, sem planos para a TV, se prepara para estrelar “Pippin” no teatro no ano que vem.

Vai fazer um monóçogo no Piauí Fora do ar desde “Balacobaco”, da Record, Antônia Fontenelle ensaia o monólogo “Exagerei no batom”, com texto e direção de Duda Ribeiro. A estreia será no dia 26 de outubro em Teresina, cidade onde ela foi criada.

Fim de ano pertinho de Nazaré Cissa Guimarães viajará para Israel em novembro para gravar um especial de fim de ano do “Viver com fé”, programa com histórias de superação que ela apresenta no GNT. Antes de conhecer Jerusalém, entretanto, a atriz quer entrevistar o rabino Nilton Bonder. MUNIR CHATACK / RECORD

patrícia kogut

Xuxa com coral de pequenas grandes vozes

com Florença Mazza e Ana Luíza Santiago, Clara Passi e Rafaela Santos kogut@globo.com.br

RAPHAEL DIAS/ TV GLOBO

10

Para Sandra Corveloni e Genézio de Barros, por Neide e Amadeu, pais de Linda (Bruna Linzmeyer) em “Amor à vida”, de Walcyr Carrasco. O núcleo é secundário, mas sempre que aparecem, os atores se destacam. O drama do autismo também recebeu um tratamento sensível e o talento dos atores contribuiu muito para o resultado final.

D

Mulher de 30

epois de uma lista comprida de bons serviços prestados às novelas interpretando mocinhas, Carolina Dieckmann voltará

à televisão em “Joia rara” como... outra mocinha. Agora, entretanto, trata-se de uma personagem mais madura que todas as anteriores. Com a Iolanda da DIVULGAÇÃO

Festa na cidade As ruas de Goiás Velho que servirão de locação a “Em família” serão cenografadas pela equipe de produção de arte da novela de Manoel Carlos. Nos primeiros capítulos, com trama ambientada nos anos 1980, haverá uma festa na cidade.

0

Irmãs na ficção Betty Lago e Sônia Lima gravaram juntas na Lagoa cenas de “Pecado mortal”. Na novela de Carlos Lombardi na Record, elas serão as irmãs Stella e Norma. A primeira terá o filho roubado por Donana, vilã interpretada por Jussara Freire.

Para as cenas intermináveis de Valdirene e da exchacrete Márcia, personagens de Tatá Werneck e Elizabeth Savala em “Amor à vida”. O problema da repetição não é novo e está agravado pelo fato de estarem esticando as sequências. A dupla é ótima e está afinadíssima, mas é a mesma praça, o mesmo banco etc.

trama das 18h de Thelma Guedes e Duca Rachid, a atriz transitará da pobreza à extrema riqueza e fará, pela primeira vez, par com atores mais velhos que ela. Namorada de um operário, Mundo (Domingos Montagner), despertará a paixão do poderoso Ernest (José de Abreu). - O pai de Iolanda, um jogador inveterado, a perderá no jogo. Com isso, ela terá que se casar com Ernest e ficará milionária. Mas nunca deixará de amar Mundo. Essa paixão é a sua luz, aquilo que fará com que, mesmo sendo obediente e centrada, ela rompa com as convenções. Diferente de tudo o que eu já fiz, essa personagem tem um peso, uma densidade: mesmo aos 20 e poucos anos (na foto, com o figurino da fase em que é operária), é comportada, íntegra, ponderada. A história é ambientada em dois tempos: começa em 1930 e pula para 1940. Com isso, Carolina realiza o antigo desejo de atuar numa história de época: - Isso quase aconteceu em “Sinhá Moça”, mas acabei indo para outro projeto. Com Iolanda, a atriz segue um ritmo intenso de gravações sob a direção rigorosa de Amora Mautner. Sem sofrimento: - São muitas horas de ensaios, mas estou aprendendo tanto que nem sinto o tempo passar. A Amora tem um jeito de estimular a gente que é sensacional.

Foi modelo, faz roteiro

Às 18h, ele não vale nada. Mas vai virar santo Em “Flor do Caribe”, o ator uruguaio Cesar Troncoso é da máfia. No cinema, ele será um religioso. É de batina que o público vai vê-lo em “O tempo e o vento”, adaptação da obra de Érico Veríssimo dirigida por Jayme Monjardim.

Tarja preta a rodo vira tema de novela Cristianne Fridman vai abordar o uso indiscriminado de remédios controlados em sua nova novela na Record, “Vitória”. A história terá uma personagem viciada em antidepressivos e calmantes. Beth Goulart, vilã em “Vidas em jogo”, é cotada para o papel.

De férias desde o fim de “Balacobaco” e contratado pela Record até 2017, Victor Pecoraro quer investir em cinema. Ele está escrevendo o roteiro de um longa de suspense. Também irá dirigir a história, que gira em torno de um sequestro.

Dado Dolabella como vilão Dado Dolabella, que trabalhou com Fridman em “Chamas da vida”, também está nos planos da autora. Sua ideia é que o ator interprete um dos vilões de “Vitória”. O último papel de Dado em novelas foi em “Máscaras”, de Lauro César Muniz, exibida em 2012.


revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

3

ELIARIA ANDRADE

1 FOTOS DE DIVULGAÇÃO

Moças de fino trato « ESTREIA » ‘O negócio’, série da HBO, mostrará prostitutas de luxo que aderem a técnicas de marketing MARCELLE RIBEIRO

P

rostitutas que poderiam figurar nas páginas da editoria de economia de um jornal. Assim Luca Paiva Mello, um dos roteiristas da série “O negócio”, que estreia hoje, às 21h, na HBO, define as três protagonistas da série: garotas de programa que aprendem técnicas de marketing para alavancar seus lucros no universo do alto luxo paulista. - A série é sobre três jovens lindas e sofisticadas que resolvem fazer uma revolução do setor da economia em que trabalham, que é de necessidade básica e que não usava o conceito de gestão que outros setores da

economia usam. Ela reflete o universo do poder e das mulheres como executivas. Elas se posicionam como uma geração empreendedora - diz Mello. Ao contrário do que a temática promete, o primeiro episódio, com uma hora de duração, tem poucas cenas de sexo. Mostra como Karin (Rafaela Mandelli), uma garota de programa que cobra R$ 300 por hora e está insatisfeita não com a profissão, mas com as estratégias (ou a falta delas) para conseguir clientes, rompe com o seu booker (o popular cafetão) e passa a gerenciar sua carreira sozinha. Conversando com um cliente da amiga e também garota de programa Lu-

2

3 4

1. Vida dupla. Juliana Schalch, Rafaela Mandelli e Michelle Batista formam o trio de sócias 2. Quente. Primeiro episódio mostra poucas cenas de sexo 3. Preparadas. A garota de programa Karin (Rafaela) faz aulas de esgrima 4. Sofisticação. O trio de protagonistas em sua vida luxuosa na capital paulista

na (Juliana Schalch), ela tem a ideia de pesquisar sobre marketing e aplicá-lo à prostituição. Karin terá duas sócias na empresa que montará: Luna é uma universitária não muito dedicada aos estudos que se prostitui sem o conhecimento da família e procura um pretendente rico para se casar. Magali (Michelle Batista) é de uma família que já teve muito dinheiro, mas faliu, e faz sexo em troca de diárias em hotéis luxuosos e jantares chiques. As três circulam com naturalidade pelo universo de luxo paulistano. Na fase de composição das personagens, as atrizes mergulharam no universo da sociedade de alto padrão de São Paulo e, curiosamente, não conversaram com prostitutas da vida real. O pedido foi da direção da série, que não queria que elas caíssem em estereótipos. Já os criadores da atração conversaram com garotas de programa de luxo e tiveram a consultoria de profissionais de marketing para desenvolver o roteiro. - Se queremos representar garotas classe AAA de São Paulo, não valia a pena procurar o estereótipo de garota de programa e frequentar lugares que elas frequentam. As mulheres que representamos são de classe alta, iguais a quaisquer outras. - explica a atriz Michelle. Já Juliana conta que foi buscar inspiração no cinema.- Minha referência foi a personagem de Natalie Portman, do filme “Closer - Perto demais”, porque a minha personagem brinca com a identidade dela - disse a atriz. Já no primeiro episódio, Karin, a fundadora da empresa, testa a sua primeira ideia de marketing para levar mais clientes a uma boate frequentada por garotas de programa com uma promoção entre operadores da bolsa de valores, atrelada ao funcionamento do mercado. Nos episódios seguintes, elas vão encomendar uma pesquisa de opinião a uma consultoria para saber o que os homens buscam nas prostitutas e tentar usar as técnicas de venda casada e reposicionamento de marca. Apesar de seus clientes serem muitas vezes maridos infiéis, elas vão tentar criar um programa de fidelização.


4

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

FOTOS DE PAULA GIOLITO

THAÍS BRITTO

S

exta-feira, 9 de agosto, por volta de 16h. Klebber Toledo e Ivi Pizzott fazem o último ensaio antes da apresentação da coreografia de funk na “Dança dos famosos”, dali a dois dias. Os passinhos estão memorizados, mas na hora da última rodada, já com o figurino, surge um problema. O ator faz cara de dor e para tudo após dar um tipo de mergulho no chão: são as miçangas da blusa que machucam. É um tal de equipe do figurino para cá e para lá a pensar numa solução. Mas, conforme vimos no “Domingão do Faustão” do dia 11, a questão foi resolvida: Klebber e Ivi levaram nota 10 de todos os jurados. Nada mal para o rapazinho que cresceu num sítio entre Nazaré Paulista e Bom Jesus dos Perdões, no interior de São Paulo. - Ele começou um pouco mais tímido e contido. Ficava receoso quando chegava uma coreografia nova. Mas agora já chega cheio de ritmo, mais aberto. Ainda mais no caso do funk, que exige muito de quadril, dá para ver que ele está bem mais solto - elogia Ivi. Klebber está em segundo lugar entre os seis casais que disputam a semifinal da competição hoje. Mas, embora pareça tirar os desafios de letra, diz que sua vida não tem sido fácil. - É muito difícil. É pouquíssimo tempo de ensaio, você precisa decorar a música, a coreografia, sincronizar os passos. E dói. Mesmo para quem pratica esporte, porque aqui a gente trabalha em níveis diferentes: agacha, fica em pé, deita, levanta, segura a parceira no ar... Tudo sorrindo e interpretando. A timidez de interiorano, que Klebber diz conservar de certa forma até hoje, quase o impediu de ser ator. O fato de viver no meio do mato também não ajudava muito: - Sempre tive curiosidade, mas, na minha família mesmo, não tinha muito estímulo cultural. A gente não tinha hábito de assistir a peça de teatro, ir ao cinema. Até porque não tinha por perto. E no interior era aquela coisa mais conservadora, tem que ser médico ou advogado. Eu saí de ca-

« PERFIL »

Apenas um rapaz

Tímido. Klebber conta que, antes de tentar ser ator, foi jogador de vôlei

elogios ao trabalho da atriz em “Amor à vida” e diz que os dois são amigos e parceiros. - Se ela precisa de ajuda para passar o texto, faço com ela. Damos dicas um para o outro - conta o ator, garantindo que não rola ciúme das cenas românticas. Não tem exatamente porque a gente se conheceu trabalhando. E temos um respaldo bom do público. Todo mundo está acostumado a ver casais famosos que ficam, se separam, estão sempre trocando... E a gente tem uma vida normal. E depois da “Dança dos famosos”, nada de férias: - Odeio férias. Gosto de viajar, mas de voltar logo para trabalhar. Fica de bobeira não é a minha. Já tenho novela agendada sim. Tem coisas saindo na internet dizendo que estou na novela do Manoel Carlos... Mas eu mesmo nunca disse nada.

Vindo do interior e sem dinheiro no bolso, Klebber Toledo fala dos treinos para ‘Dança dos famosos’ e do namoro com Marina Ruy Barbosa sa com 15 anos para jogar vôlei. E as coisas não foram exatamente simples para ele: O pessoal olha para mim e acha que tenho carinha de playboy, mas passei por muita coisa. Não ganhava quase nada para jogar, passei fome, fiz bico em vários lugares para me manter. Quando fui morar em São Paulo, dividia apartamento e, como todo mundo passava necessidade, guardava sua comida com cadeado para os outros não pegarem. Logo, Klebber viu que sua altura (1,80m) não seria suficiente para transformá-lo num jogador de vôlei bem-sucedido. E uma tendinite no joelho foi aos poucos o tirando das quadras. Nessa mesma época, um amigo que era modelo o convidou para participar de um concurso numa agência. A partir dali, ele fez cursos de teatro, trabalhou como

modelo e trabalhou em publicidade até pintar a oportunidade de fazer um teste para a Oficina de Atores da Globo, em 2006. - A oficina foi o divisor de águas. Ali eu descobri a real paixão, o amor pelo que eu fazia. E foi quando comecei a acreditar também. Porque, até então, todo mundo te põe mais para baixo do que para cima. Vi, naquele momento, que o mercado me aceitava. Dali em diante, falei: “Não largo mais!”. Em seu terceiro trabalho na emissora, a novela “Morde & assopra”, de 2011, Klebber conheceu Marina Ruy Barbosa, sua namorada até hoje. Ele se derrama em

No ritmo. Klebber e sua parceira na “Dança dos famosos”, Ivi Pizzott, ensaiam passos para a coreografia de funk


revista da

«MALHAÇÃO» Globo 17:30

«FLOR DO CARIBE» «SANGUE BOM» Globo 18:00

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

« NOVELAS »

5

«SARAMANDAIA»

«AMOR À VIDA»

«CHIQUITITAS»

«DONA XEPA»

Renata desiste de contar a verdade para Érico. Affonso Lancaster se aproxima de Mel. Érico afirma a Verônica que não vai se decepcionar com ela. Fabinho consegue entrar na festa de Karmita, mas é expulso por Camilinha.

Ciça liga para Paloma, mas Ninho a intercepta antes que ela diga onde está. Eron e Amarylis fazem uma nova tentativa de fertilização, e Niko se surpreende. Pilar descobre que Félix pagou para Edith voltar para casa. Paulinha confronta Alejandra.

Carol chega ao Raio de Luz e encontra Junior. Meninos e meninas fazem guerra no orfanato. Ao entrar no quarto, Binho joga o travesseiro na cara de Ernestina, que fica toda cheia de pena. Carol entra no quarto e se surpreende com o que vê.

Xepa faz sopa para vender na internet com a ajuda de Benito. Feliciano dá uma mala de dinheiro para Édison e revela que fechou o maior contrato de sua vida. Dafne fica indignada ao ver uma foto sua em um site de acompanhantes.

Érico ouve Renata falar que se demitiu e fica surpreso. Renata se recusa a falar para Érico o motivo de sua demissão. Karmita se oferece para financiar uma agência para Caio. Fabinho vai à mansão de Bárbara.

Michel não resiste a Silvia. Pilar diz a César que, caso confirme que ele tem outra, vai se separar dele. Ignácio chama Valdirene e Márcia para almoçar com sua mãe. Niko presencia a fertilização de Amarylis. Ninho leva Paulinha à praia.

Sofia chama Mili e Mosca para um acordo. Junior estranha como Gabriela age ao lado de Carmen. Após as meninas dormirem, Pata pergunta como Mili chegou ao orfanato, e a menina diz que não conheceu seus pais.

Benito aproveita a festa surpresa de Rosália e a pede em casamento. Rosália briga com Benito por causa do pedido e chora. Esmeraldino ajuda nos preparativos da festa na Vila. Rosália diz a Esmeraldino que está grávida.

Gibão leva um tiro e pede para o irmão levá-lo para casa. Gibão permite que Rochinha entre no quarto para ajudá-lo. O médico avisa à família que Zico melhorou. Carlito fala que Saramandaia venceu, e Zico tenta se levantar da cama.

Caio chama Giane para trabalhar com ele em sua agência. Maurício chama Érico para conversar com Verônica. Bárbara desmascara Verônica na frente de Natan. Natan revela para Érico e Maurício que Verônica é Palmira Valente.

Eudóxia não gosta de Valdirene. Félix diz a Vega o endereço do cartório onde Atílio se casou com Márcia. Atílio decide denunciar Félix. Ninho leva Paulinha à praia e ela tenta pedir socorro em um quiosque.

Junior convida Carol para jantar. Os meninos dizem a Carol que passaram piolho para as meninas. Sofia avisa as chiquititas e os meninos que fará um jantar especial para comemorar a chegada de Mosca, Rafa e Binho.

Pérola descobre o telefone da enfermeira que trabalhava no hospital em que fez seu parto. Rosália diz a Vitor Hugo que está esperando um filho seu. Meg chama Robério até sua casa para uma massagem e deixa Júlio César irritado.

Rochinha termina o curativo em Gibão e se surpreende com suas asas. Laura confirma com Carlito que Vitória é a amante de Zico. Marcina decide pedir Gibão em casamento. Marcina encontra Rosalice no quarto de Gibão.

Érico fica revoltado com Verônica. Damáris obriga Lucindo e Tina a serem servidos por ela. Perácio manda Brenda embora de sua casa. Amora ameaça Fabinho. Verônica pede para conversar com Érico.

Atílio é preso depois de uma denúncia de Félix, e Vega comemora. Ninho fica arrasado por brigar com a filha. César descobre que Félix pode ter superfaturado alguns contratos do hospital e Aline o incentiva a afastar o filho do cargo.

Carol chama Junior para jantar com as crianças. Mili sugere a Sofia que Carol fique para ajudar Ernestina. Carol aceita. Gabi aperta a mão de Junior como se quisesse falar algo. Mosca recebe uma carta de amor.

Lis se choca ao saber que Rosália é filha de Dona Xepa. Vitor Hugo conta a verdade sobre Rosália para Lis. Xepa vai ao salão de Robério mudar o visual. Feliciano convence a enfermeira a mentir para Pérola.

Zico decide se afastar de Vitória. Aristóbulo encontra Risoleta na biblioteca e a chama para sair. Aristóbulo conta aos pais a verdade sobre sua primeira namorada. Fifi vê Bia se hospedar na pensão de Risoleta e avisa Dona Redonda.

Érico se sensibiliza com a explicação de Verônica. Érico e Verônica reatam. Glória se recusa a aceitar Fabinho como neto. Malu pergunta para Amora, na frente dos repórteres, por que ela ameaçou Fabinho.

Félix chora por ser obrigado a sair do hospital. César pede para Eron ocupar o lugar de Félix. Eron e Amarylis dormem juntos. Patrícia pede para Guto sair de seu apartamento. Félix implora que Pilar o ajude a voltar para o hospital.

As chiquititas vão ao quarto dos meninos analisar o bilhete anônimo e descobrem que a letra é de Bia. Gabriela tem uma crise nervosa e passa mal. Junior fica preocupado e leva a irmão a o médico. Carol espera Junior e estranha a demora

Júlio César diz a Vitor que ele deve assumir o filho de Rosália. Graxinha se anima com a hipótese de ser o pai de Gisele. Xepa se descontrola após misturar champanhe com remédio. Feliciano discursa para a Vila do Antigo Bonde.

Gibão decide não aparar as asas e Leocádia se surpreende. Zico diz a Helena que não vai ao casamento de Zélia. Candinha e Tibério se encontram. Zico entrega para Zélia, na porta da igreja, os documentos da impugnação do resultado do plebiscito.

Renata descobre que Érico e Verônica estão juntos. Malu repreende Bento por defender Amora. Fabinho encontra Pixinguinha, e Giane o vê levar o animal para Nestor. Amora e Bento se beijam.

Paloma tenta convencer César a reconsiderar sua decisão sobre Félix. Valentim descobre que Alejandra está no Rio de Janeiro e que vai viajar com Paulinha para o Peru. Paloma e Bruno viajam para o Rio de Janeiro.

Globo 19:00

Globo 21:00

RECORD 20:30

RECORD 22:10

GLOBO 23:00

SEGUNGA-FEIRA Sofia se insinua para Sidney, e Ben fica de olho. Abelardo não deixa Maura convidar Caetano para a festa. Sofia vê Anita e Ben entrarem no salão de Serguei e vai atrás, achando que vai desmascarar o segredo dos dois.

A emissora não divulgou os capítulos

Não há exibição.

TERÇA-FEIRA Além do objeto de Martin que Flaviana precisa para a simpatia, Soraia pega também uma bolsa da mãe do menino. Flaviana recebe uma mensagem de Martin. Sofia decide estudar com Ben. Luciana flagra Sofia dormindo nos braços de Ben. QUARTA-FEIRA Vitor foge quando vê Fábio na quadra, e o professor corre atrás dele. Luciana descobre que Flaviana recebeu a mensagem que deveria ser para Anita e corre para o piquenique. Caetano denuncia Abelardo para Maura. QUINTA-FEIRA Martin destrata Flaviana, que promete se vingar. Martin beija Anita a força e é grosseiro com ela, que foge pela mata. Anita cai num barranco ao fugir de Martin. Ben procura Anita pela estrada. Anita pede socorro a Martin para sair do barranco. SEXTA-FEIRA Ben vê a moto de Martin parada na estrada e entra na mata à procura de Anita. Ben encontra Anita e Martin. Maura finge não perceber o assédio de Dino. Ben consegue soltar Anita e pede para ela pular para sair do barranco. SÁBADO Não há exibição.

Não há exibição.

Não há exibição.

Não há exibição.


6

NATALIA CASTRO

Q

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

uando “Fina estampa” estreou, em 2011, Crodoaldo Valério era apenas o mordomo afetado da vilã Tereza Cristina (Christiane Torloni). Ao longo da novela, ele cresceu. Cheio de maneirismos, expressões bem sacadas e um ar pueril, logo se tornou um dos destaques da trama de Aguinaldo Silva. Ao fim dos 185 capítulos, Crô ficou rico - herdou a fortuna da patroa. Mais que isso. Tamanha popularidade transformou o personagem em estrela de cinema em “As aventuras de Crô”, da Downtown Filmes/Paris, que estreia em 29 de novembro. A transição de Crô para a tela grande é um exemplo de um fenômeno que só progride, tanto aqui quanto lá fora, numa ligação cada vez mais direta entre TV e cinema. Principalmente quando se trata de comédias. O filme de Crô só vem engrossar o caldo de uma lista cheia de estreias para este e os próximos anos. O rol inclui “Meu passado me condena”, derivado da série do Multishow, “Os caras de pau”, “Os normais 3” e “Tapas & beijos”, todos da TV Globo. Não esquecendo os que já foram lançados, como “A grande família - o filme”, “Cilada.com”, “Giovanni Improtta” e “Casseta & Planeta A Taça do Mundo é nossa”. Para Marcio Fraccaroli, diretor-geral da Paris Filmes, os lançamentos não conjeturam uma tendência. Mas, sim, uma oportunidade de mercado. - O brasileiro gosta de comédia, de ir ao cinema com a família para rir - afirma ele. - No cinema podemos contar a história de forma mais bem acabada, os personagens já estão testados, a piada já foi contada e aprovada. Para o cinema nacional, preferimos projetos populares, para pensar neles como um negócio. Conseguimos exibi-los em quase 800 salas - explica Márcio, que lançou, este ano, “Minha mãe é uma peça” e “O concurso”, entre outros. Diretor de “As aventuras de Crô”, Bruno Barreto afirma que à medida que a indústria de entretenimento brasileira cresce, os preconceitos se dissipam.

1

« CAPA »

Num cinema perto de você Sucessos da TV como Crô, de ‘Fina estampa’, ‘Os caras de pau’ e ‘Tapas & beijos’ estão na mira da tela grande, impulsionados pela bilheteria dos filmes de comédia - A imagem está cada vez mais elaborada, as produções, grandiosas. Não tem mais aquela questão de se achar que TV não é arte- decreta. Por isso mesmo, ele conta

que ficou “fascinado” ao se deparar com a figura de Crô na novela. Tanto que a ideia de produzir o filme já estava em seus planos mesmo antes de um retorno positivo do autor Aguinaldo Silva.

- Quando liguei para Aguinaldo, tínhamos as mesmas ideias. O roteiro ficou pronto em um mês - recorda-se, acrescentando que Crô traz um quê do comediante americano Jerry Lewis, sucesso com seus filmes cômicos. Embora veja “com muitas reservas” a adaptação de programas televisivos para o cinema “pois na maioria das vezes eles não acrescentam nada ao que o espectador já viu” -, Aguinaldo explica que Crô se tornou “maior que a vida!” e sobreviveu “à superficialidade do gênero, muitas vezes, descartável”. - Poucos personagens de novela atingem esse tipo de comunicação com o público. Quem vai ao cinema para rever um deles quer saber mais sobre ele, vê-lo de modo mais completo e acabado. É o personagem que ele já conhece, mas cheio de nuances que a novela não permite - avalia o autor, criador também de Giovanni

Improtta e Lili Carabina, cuja biografia da personagem, real e escrita por ele, foi adaptada para o cinema, com Betty Faria. Intérprete de Crô, Serrado acha que, sem o roteiro de Aguinaldo, o filme não teria condições de ser produzido. Caso o texto fosse passado a terceiros, o ator comenta, o personagem correria o risco de se tornar um “híbrido”. - Se sai do contexto fica obsoleto, e o público sente que está sendo enganado. Aguinaldo me conhece e conhece o personagem. Eu preciso dessa troca, é fundamental para mim como artista - argumenta ele, que entre a novela e o filme viveu Tonico Bastos no remake de “Gabriela”, em 2012. - Acho que tem que aproveitar esse timing. Se você deixa para fazer dez anos depois, não tem a mesma força. Me senti à vontade para revisitar o Crô e trabalhei com os mesmos preparadores.

1. Trio. Crô (Serrado) en empregada Ma Moraes) e o mo Baltazar, (Alexa personagens d foram mantido 2. VONTADE. Andréa Beltrão Torres e o o ele empolgados pa filme 3. Em alto-ma Na versão cinem “Meu passado m Miá Mello e Fábi embarcam num 4. Na onda. Com previsão p “Os caras de pa Leandro Hassu Melhem, quer estilo de coméd “Os trapalhões


revista da

ELIÁRIA ANDRADE

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

TV GLOBO/ RENATO ROCHA MIRANDA

2 DIVULGAÇÃO

3

1. Trio. Crô (Serrado) entre a empregada Marilda (Kátia Moraes) e o motorista Baltazar, (Alexandre Nero): personagens da novela foram mantidos no cinema

No caso de “Meu passado me condena”, nos cinemas em 4 de outubro, a equipe permaneceu fiel à da TV. Além do elenco original, com Miá Mello e Fábio Porchat como o casal protagonista, a diretora é a mesma, Júlia Rezende. Embora aponte vantagens como a segurança e a sintonia que a equipe já tem, ela diz que há um cuidado dobrado para evitar a repetição. - Tenho que acreditar que existe um olhar original sobre essa história que ainda não foi explorado - observa. O longa é o début de Julia no cinema. E o primeiro filme brasileiro a ser filmado integralmente em um cruzeiro de verdade. A história mostra a lua de mel da dupla, que se casa um mês após se conhecer. Para se adaptar aos percalços, Julia passou três dias num navio antes do início do trabalho. - Quando você tem 90 minutos para contar uma história, é muito diferente de 24 (o tempo da série na TV). No cinema, há mais tempo para pensar com calma o que queremos fazer. Na TV, os prazos são mais justos - compara ela, já envolvida com a segunda temporada da atração, que estreia no fim de outubro. Enquanto aguardam uma possível volta à grade da Globo, Marcius Melhem e Leandro Hassum relembram “Os caras de pau” no longa que começa a ser rodado no fim de novembro e estreia em julho de 2014. Segundo Marcius, o filme ocupa um filão já explorado pela trupe de “Os trapa-

TV GLOBO/ JOÃO MIGUEL JUNIOR

2. VONTADE. Andréa Beltrão, Fernanda Torres e o o elenco estão empolgados para rodar um filme 3. Em alto-mar. Na versão cinematográfica de “Meu passado me condena”, Miá Mello e Fábio Porchat embarcam num cruzeiro 4. Na onda. Com previsão para 2014, “Os caras de pau”, com Leandro Hassum e Marcius Melhem, quer resgatar o estilo de comédia de “Os trapalhões”

7

4 Quando você tem 90 minutos para contar uma história, é muito diferente de 24 (o tempo da série na TV). No cinema, há mais tempo para pensar com calma o que queremos fazer” JÚLIA REZENDE Diretora

A imagem está cada vez mais elaborada, as produções, grandiosas. Não tem mais aquela questão de se achar que TV não é arte-decreta” BRUNO BARRETO Diretor

lhões”, no que ele classifica como “uma aventura cômica para toda a família”. O ator adianta que, ao contrário do programa de TV, a produção não será calcada em esquetes. A direção é de Felipe Joffily, de “Muita calma nessa hora” e “E aí, comeu?”. Diretor do programa, Márcio Trigo é o supervisor artístico. - Não queríamos que fosse um programa esticado. A entrada do Felipe trouxe um olhar de cinema, mas a presença do Márcio ajuda a manter o DNA da série - ensina Marcius. Segundo o ator, ele e Leandro já haviam recebido várias propostas para atuar em dupla no cinema. Mas não julgavam plausível fazer algo que não fosse “Os caras de pau”: Quando se tem um personagem forte, o público quer vê-lo em outras aventuras. O filme é apenas mais uma vertente. Vertente que, em breve, deve ser explorada pela equipe de “Tapas & beijos”. Vontade não falta, garante o diretor Mauricio Farias: O grupo de artistas que faz o programa está animado com a ideia. Esse desejo é o único indicador que conheço para que qualquer trabalho seja realizado. Autor da série, Claudio Paiva diz que ainda não teve tempo para pensar no roteiro: O espectador pode ver “Tapas & beijos” de graça e sem sair de casa. Para levá-lo ao cinema, temos que oferecer algo novo.

+

PÁGINA 8 José Alvarenga, diretor que já planeja ‘Os normais 3’, diz que longas-metragens permitem situações impensáveis na TV


8

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

Isso dá um filme... FOTOS DE DIVULGAÇÃO

4

1

chendo os cinemas agora - valoriza ele, que, na TV, dirigiu séries como “A diarista”, “Divã”, “Macho man”, “Força tarefa” e “O dentista mascarado”. Alvarenga diz que, embora a tela grande possibilite novas experimentações - algumas até impensáveis na TV - o essencial é saber diferenciar cada mídia para que o filme não seja simplesmente “um episódio mais longo do que é exibido na TV”. - Enquanto o produtor já sabe que há um público testado ali, o diretor precisa ter consistência e ser capaz de separar as linguagens.

O filme trazia esquetes e não dramaturgia. Acho que faltou uma linguagem mais parecida com a do cinema.” PAULO SÉRGIO ALMEIDA diretor

Diferença de linguagem

2

3 1. VENDÁVEL. As aventuras de Rui e Vani já renderam dois filmes. O terceiro já tem roteiro pronto

C

omum nos Estados Unidos, a transição de seriados para o cinema é cada vez mais frequente no Brasil. E, embora não necessariamente um bom programa de TV vire um filmaço, o público parece aprovar o trajeto. Lançado em 2003, “Os normais”, derivado da série homônima estrelada por Fernanda Torres e Luiz Fernando Guimarães, levou 2,9 milhões de espectadores ao cinema. O sucesso rendeu a sequência “Os normais 2 - A noite mais maluca de todas”, seis anos depois, em 2009. A terceira parte do longa já está entre os planos do do diretor José Alvarenga Jr. e dos autores Fernanda Young e Alexandre Machado.

- A gente tem um pré-roteiro escrito, e a história é incrível porque é um falso documentário sobre o que aconteceu com Rui e Vani. Então temos 50 milhões de versões, a linguagem é de documentário e é bem sacado. A questão é conciliar o tempo de todo mundo - adianta Alvarenga. O diretor conta que a ideia inicial de levar as histórias de Rui e Vani para as salas de cinema veio do produtor Bruno Wainer, na época executivo da Downtown Filmes. - Bruno achou que renderia uma boa comédia e quis investir dinheiro no projeto. Se não fizéssemos, ficaríamos culpados. E foi daí que saíram as bases para a nova comédia brasileira, que está en-

2. PROPRIEDADE. José Wilker dirigiu e estrelou Giovanni Improtta, personagem que ganhou vida própria após a novela “Senhora do destino” 3. ALÉM. O filme de “A grande família” aprofundou a história já contada na TV 4. SONHO. Bruno Mazzeo diz que realizou uma vontade ao levar seu “Cilada” para os cinemas. Mas não pensa em uma sequência

Foi esse know how que Alvarenga levou para “Cilada.com”. E deu certo. O filme, de 2011, angariou quase 3 milhões de espectadores. As situações já vividas por Bruno Mazzeo nas seis temporadas da série do Multishow foram esquecidas, e o roteiro, que parte da mesma premissa, priorizou uma história romântica, pouco vista nos 53 episódios. - Alvarenga me segurou em algumas expressões que funcionavam na TV, mas que, na tela grande, poderiam soar exageradas - diz Mazzeo. Segundo o ator , o desejo de levar seu “Cilada” para a TV era antigo. E ganhou força, ele conta, após a produção de “Muita calma nessa hora”, também de sua autoria. Porém, a continuação não está entre os planos do ator/autor, ele avisa. - Estávamos entrando no cinema no mesmo momento em que me desinteressei em continuar fazendo o programa. A maior preocupação é mesmo não deixar parecer um episódio esticado. Isso seria até traição com o público. Lançado em 2007, “A grande família - O filme” foi a segunda maior bilheteria daquele ano, perdendo apenas para “Tropa de elite”. Com roteiro de Claudio Paiva e direção de Mauricio Farias - dupla também por trás de “Tapas & beijos” -, a produção mantém os mesmos personagens do seriado que está há 12 anos no ar. - Quando fizemos o filme, percebemos que num longa-metragem havia a oportunidade de aprofundar uma história que, na TV, não tínhamos tempo suficiente para contar - explica Paiva. Se “Os normais”, “A grande família” e “Cilada” são exemplos bemsucedidos dessa transição, a estreia de “Seus problemas acabaram!!!”, da trupe do Casseta & Planeta, não teve o mesmo êxito. Apesar da cre-

dibilidade dos anos a fio na grade da Globo, o longa dirigido por José Lavigne e exibido em 2006 não agradou a público e crítica. - O filme trazia esquetes e não dramaturgia. Acho que faltou uma linguagem mais parecida com a do cinema. Se você pega uma novela de sucesso e coloca na tela grande, duvido que vá bem. O cinemaéoutramídia-reforçaPauloSérgio Almeida, diretor do site “Filme B” . Almeida acredita na ideia da “confluência de mídias”. Ou seja: não dá mais pensar separadamente. - É uma alimentando a outra. Você pode se utilizar do cinema para testar a TV e viceversa. Ainda mais porque o cinema vive do imediatismo do fim de semana e formar uma marca saindo do zero é muito difícil, principalmente quando se trata de crianças e adolescentes - analisa Paulo Sérgio, que cita o sucesso do canal VIVA. - Há o fator nostalgia, o fator comparativo, a curiosidade.

Profissionais experientes Assim como no caso de Crô, Giovanni Improtta, lançado no início do ano, não caiu em mãos desconhecidas. O longa foi dirigido pelo próprio Wilker, que também estrela a produção. Márcio Fraccaroli, da Paris Filmes, frisa que cinema não é “negócio para amador”. -Às vezes uma grande história fica presa no tempo. Para lançar um filme comercial tem que ser craque. É necessário bom produtor, bom diretor e que os talentos sejam bem escalados - analisa ele, contando que assiste a uma produção cerca de oito vezes antes de lançá-la: - Assim você pode ver onde estão as reações do público. E os espectadores são duros. Se não gostarem do pôster e do trailer, não vão querer ver o filme - constata.


revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

9

TV GLOBO/ALINE MASSUCA

« SANGUE BOM»

Embate Praticamente certo de que Félix está fraudando os contratos do hospital, César resolve investigar o caso e chama o filho para mais uma conversa. Influenciado por Aline, o médico afasta o vilão do seu cargo. Enquanto Félix fica devastado e não consegue segurar as lágrimas, César pede que Eron ocupe o lugar do rapaz.

Um cara sensível No ar na trama das 19h, Josafá Filho espera que a sexualidade de Filipinho, seu personagem, levante discussões sobre o tema NATALIA CASTRO

P

ara Josafá Filho, fama não representa sucesso. Muito menos tem a ver com o “fazer arte”. Se a lição já foi assimilada há tempos pelo rapaz de 28 anos, Filipinho, seu personagem em “Sangue bom”, vem aprendendo na marra. Na trama das 19h, o filho de Rosemere (Malu Mader) e Perácio (Felipe Camargo) saboreou a popularidade instantânea após ficar conhecido na internet com um vídeo em que canta funk. Sob a alcunha de “Famosinho da Casa Verde” - uma referência ao bairro onde Filipinho mora -, ele conhece os dois lados da moeda. Ao mesmo tempo em que sofre bullying por causa da produção, é convidado a participar de um seriado teen e tem que lidar com as muitas namoradas que lhe são arrumadas. Mas, na faixa dos 20 anos, começa a ver que talvez não esteja tão confortável assim na própria pele. - Ele começou como um garoto ingênuo e está virando homem. Essa aproximação do pai está o deixando mais amadurecido. Filipinho está descobrindo a vida afetiva, se descobrindo e se percebendo - analisa Josafá. Entre as tais percepções, está o fato de que sente atração por outros rapazes. Não que Filipinho tenha aceitado a realidade de primeira. Mas, ao saber do real interesse de Peixinho (Julio Oliveira), ele fica cada vez mais instigado. - Acho importante que a novela mostre o quanto ele se sente inadequado. Essa sensibilidade, que mistura um orgulho e uma vergonha, tem que ser dis-

cutida na TV. Eu torço para que ele seja feliz e se encontre no mundo. O fato de ele poder ser gay talvez seja a discussão - espera Josafá, que não sabe se vai rolar o tão comentado beijo gay. - A TV é o reflexo da sociedade. E acho que a sociedade está se transformando. Se ainda não aceita totalmente, pelo menos está mais madura para discutir questões como o casamento gay e o aborto, por exemplo - argumenta. O personagem só vai assumir seus sentimentos nos capítulos previstos para o fim do mês, quando terá uma conversa emocionante com a mãe sobre sua sexualidade. Embora aceite a opção do filho, Rosemere fica com medo que o rapaz sofra ainda mais preconceitos. - Ele é superprotegido pela mãe, jogado no mundo da fama e começa a perceber a maldade. Mas ao mesmo tempo em que você protege, impede que o outro conheça novas realidades - diz o ator. O drama real de Filipinho, conta Josafá, já lhe rendeu uma porção de novas solicitações de amizade no Facebook. O ator também é constantemente parado na rua, por pessoas compadecidas com o bullying sofrido pelo personagem. Hoje, ele faz questão de manter laços com os amigos de infância, a quem costuma receber em sua casa, no Rio. - A máquina da fama pode te engolir se você não tem estrutura - justifica Josafá. Ao contrário do personagem, ele diz nunca ter tido dúvidas sobre o que queria. Aos 10 anos escrevia seus próprios textos e construía cenários com a ajuda do pai, marceneiro, em Franco

Saramandaia Mais do que cuidar do ferimento de Gibão, Rochinha fica fascinado com a particularidade do rapaz em “Saramandaia”, já que nunca havia se deparado com um caso semelhante. Em conversa com Leocádia, o médico pergunta como a rendeira consegue cuidar das asas do filho e como foi capaz de escondê-las durante tanto tempo. Diante das explicações da mãe de Gibão, Rochinha fica maravilhado. A cena vai ao ar na quarta-feira.

Esclarecimentos

da Rocha (SP), onde nasceu. Aos 17, entrou para uma escola de teatro e fez faculdade de dança. Atualmente, além de atuar, tem uma banda performática, a Devas, que mescla música eletrônica, novas mídias, poesia, dança e teatro. - O reconhecimento é bom do ponto de vista financeiro. Mas o olhar econômico nada vale se é vazio de poesia, desejo e sonho. E sou sonhador. Gosto da possibilidade de transformar e causar uma mudança na percepção. É isso que estou fazendo na novela e venho sentindo o retorno - diz ele, que trabalhou também em “Ti ti ti” como o dr. Eduardo. Após fazer um mapa astral, Josafá conta que passou a ligar mais para a astrologia. Agora, por exemplo, sabe que vive um momento de “maturidade artística e pessoal”. E cada vez mais à vontade com quem é. - Estamos sempre em evolução, percebendo os encontros transformadores. Porque você é em relação ao outro - filosofa.

SONHADOR. Josafá faz questão de manter contato com os amigos de infância: medo da “máquina da fama”

Nada como uma boa conversa para esclarecer eventuais mal-entendidos. Nesta semana, em “Chiquititas”, Junior e Carol se encontram no orfanato e engrenam um papo cheio de revelações. Ao contrário do que Carol pensava, Junior garante que não foi ele quem a demitiu do Café Boutique. E a melhor parte: não está namorando Maria Cecilia. Carol fica satisfeita com as novidades e o convida para jantar com os meninos.

O amor está no ar Não que as implicâncias tenham chegado ao fim, mas em “Dona Xepa”, Lis e Édison se rendem ao clima de romance e, no capítulo previsto para ir ao ar na terça-feira, se beijam apaixonadamente. Enquanto o rapaz diz a Benito que está ficando com Lis, a menina é mais intensa: confessa a Cintia que está apaixonada pelo colega de faculdade. Eles voltam a discutir quando Lis descobre que Rosália é filha de Xepa.


10

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

revista da

EM FOCO

COLUNA DO

Clube do assinante Promoções e descontos renovados a cada domingo DIVULGAÇÃO

Promoções válidas de domingo (18/08/13) a sábado (24/08/13), limitadas às quantidades em estoque, somente para assinantes da TRIBUNA.

Café Brigadeiro O Café Brigadeiro é um excelente lugar para reunir-se com os amigos para um lanche. O ambiente é aconchegante, climatizado e com delícias que só comprovando, aliás degustando para entender. Esta semana, o Café Brigadeiro oferecerá um desconto,nas tortas para 20 pessoas de massa mista com um dos sabores (leite condensado, doce de leite ou chocolate). Desconto válido com agendamento e retirada nesta semana. Rua Olinto Meira, 1109, Barro Vermelho Tel.: 3642.1181 à vista (dinheiro) nas tortas para 20 pessoas de massa mista com um dos sabores (leite condensado, doce de leite ou chocolate). Desconto válido com agendamento e retirada nesta semana.

Sombria e dramática

DIVULGAÇÃO

50%

Prime Personal Studio A Prime Personal Studio oferece um trabalho com qualidade e eficiência, desenvolvendo atividades de musculação e treino funcional. Um diferencial é que o studio oferece turmas somente com 6 a 7 pessoas, proporcionando maior atenção ao aluno. Esta semana, a Prime Personal Studio oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, Na 1ª mensalidade em todas as atividades. Desconto válido somente para alunos novatos e de acordo com a disponibilidade de vagas no horário desejado. Rua Raimundo Chaves, 1912, Candelária Tel.: 3086.0040 vista (dinheiro) na 1ª mensalidade em todas as atividades. Desconto válido 50% àsomente para alunos novatos e de acordo com a disponibilidade de vagas no horário desejado. ■As promoções publicadas na Coluna do Clube do Assinante são exclusivas para assinantes da TRIBUNA DO NORTE, PESSOAS FÍSICAS. ■Desconto não acumulativo. ■ Para ter direito à promoção, o assinante deverá apresentar a carteira do Clube e a Identidade no ato da compra. ■Contatos para credenciamento: Depto. de Marketing. Tel. 4006-6100, R. 6262. ■e- mail.mkttn@tribunadonorte.com.br; clube@tribunadonorte.com.br

A

segunda temporada de “Revenge”, no ar desde o último domingo na Globo, logo após o “Fantástico”, já deixou claro que os próximos 21 episódios serão ainda mais cheios de intrigas - e vingança, claro - do que os anteriores. A atriz Emily VanCamp, que encarna a protagonista Emily Thorne, conta um pouco do que está por vir. - A história gira bastante em torno dos esquemas de grandes corpora-

ções. E há muitos, muitos personagens novos - diz a estrela. Emily se refere ao novo inimigo da loura: a empresa Iniciativa, que financia o terrorismo e foi a responsável pelo incidente do voo 197 - e, consequentemente, pelo triste destino do pai da protagonista, que continua com sua sede de vingança contra a família Grayson. Nos Estados Unidos, a série já entra em seu terceiro ano em 29 de setembro. Aqui o canal Sony promete os

novos episódios para o início de outubro. A nova temporada foi apresentada à imprensa num evento do canal ABC, em Los Angeles, no começo do mês. - A segunda temporada é sombria e profunda, com muito drama - adianta Emily, frisando que ética e moral não são prioridades na lista da personagem. - Emily não consegue enxergar nada ao seu redor quando está focada na vingança. E pode acabar indo longe demais.


Liv Brandão e Tatiana Contreiras seriaais@oglobo.com.br

seriais

revista da

SOBE Não se fala de outra coisa: a parte final do 5º ano de “Breaking bad” começou bombando.

Os fãs já veem o desfecho da série nos EUA, mas nem sinal de o AXN começar a temporada aqui.

11

« NATGEO. SEGUNDAS, 22:15 »

Um olhar ficcional sobre a História

M

ichael Hirst não se interessa muito por assuntos contemporâneos. Criador das séries “The Tudors” e “Camelot”, além de roteirista dos filmes “Elizabeth” e “Elizabeth: A era de ouro”, o inglês aposta na ficção histórica outra vez em seu projeto mais recente: é também o homem por trás de “Vikings”, no ar no NatGeo. - Quando estava na escola, as únicas matérias em que eu era bom eram Inglês e História. Acho que uni bem as duas ao construir minha carreira. Acredito que só estudando História é que aprendemos sobre nós mesmos. Eu adoro as séries americanas, mas não aprendo nada sobre o que é ser humano com elas. Além disso, eu já vivo no mundo contemporâneo, acordo todos os dias nesta realidade. Na minha imaginação, quero viver em outros lugares, outros tempos. Seja na Inglaterra dos Tudors, na Escandinávia dos vikings ou na história da China, país sobre o qual devo fazer um próximo projeto - adianta. O gosto de Hirst pela história dos nômades escandinavos data de muitos anos atrás, enquanto pesquisava sobre a vida do rei Alfredo, o Grande, famoso exatamente por ter lutado contra os vikings no século IX. O projeto sobre o rei inglês não foi para frente, mas o conhecimento ficou. Mas Hirst quer que a série, cuja segunda temporada está sendo gravada, vá além da conhecida fama de bárbaros.

Robert Taylor já disse, em entrevistas, que seu objetivo sempre foi “trabalhar o máximo possível, e ser minimamente conhecido”. A segunda parte ficou um pouco mais complicada por conta de “Longmire”. A série, cuja primeira temporada chega ao fim hoje, às 22h, no A&E, já está com seu segundo ano no ar nos Estados Unidos. A voz grave de Taylor, muito famoso na Austrália, onde nasceu, parece ter agradado aos telespectadores. - Todos os xerifes são os mesmos. Mas “Longmire” não é uma série procedural, de ritmo rápido. É sobre estas pessoas e suas jornadas - explica

FOTOS DE DIVULGAÇÃO

Mutimídia Os fãs de “Os Bórgias” vão enfim descobrir como a trama religiosa acaba. Não, a série não foi resgatada depois de cancelada uma temporada antes do previsto, mas o roteiro do telefilme que encerraria a história foi lançado em e-book e já está à venda na Amazon.

Cinema na TV

- Os vikings sempre foram muito malvistos, encarados como vilões. Todo mundo já ouviu falar neles, mas a maioria das pessoas não sabe quem eles foram de verdade. São um povo que não deixou nada escrito sobre eles mesmos. Quem escreveu sobre os vikings foram seus inimigos, os monges cristãos. Tento, na série, corrigir essa visão distorcida que temos deles e mostrar a cultura rica e fascinante que eles tinham - defende o autor. Para isso, Hirst também teve que mudar um pouco seu formato de

A despedida do xerife DESCE

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

o ator, que filosofa: - A série é sobre o que acontece quando a tempestade chega. Há muita espiritualidade nela. Na atração, adaptada da série de livros “Walt Longmire mysteries”, de Craig Johnson, Taylor vive Walt Longmire, o homem da lei de Absaroka County. Sujeito de poucas palavras, Longmire é um viúvo que ainda sofre com a morte da mulher. A pedido da filha, Cady (Cassidy Freeman, de “Smallville”), ele começa a tentar reconstruir sua vida. No elenco ainda está Lou Diamond Phillips, conhecido pelo filme “La bamba”, no qual viveu o músico Ritchie Vallens. - Eu

pesquisa. Em “The Tudors” e “Elizabeth”, por exemplo, havia material demais. E, para “Vikings”, havia pouca coisa. Mas havia algo. Sabemos sobre a história de Ragnar (Lothbrok, o protagonista, vivido por Travis Fimmel) e sua mulher. E eu gosto muito dessa parte da pesquisa, então leio realmente tudo que há disponível. Mas acho que dessa vez tive que ser ainda mais um contador de histórias. Escrevi minha própria saga - observa Hirst. (Thaís Britto)

estava na Austrália quando alguém me mandou um roteiro da série. Gostei da história, que apresenta os personagens conforme se desdobra. Existe um desafio físico, e estar em cena todos os dias é desafiador. Você tem de se manter saudável, focado e pronto para gravar o tempo todo - explica Taylor.

jornada. Robert Taylor é o protagonista de “Longmire”

A atriz Juliette Lewis vai voltar à TV pelas mãos do cineasta M. Night Shyamalan, de “O sexto sentido”. O diretor vai pilotar “Wayward pines”, série adaptada dos best-sellers de Blake Crouch. O elenco ainda vai contar com Matt Dillon e Melissa Leo.

Adeus ao jaleco O Seattle Grace acaba de sofrer mais uma baixa. Agora é a vez de Sandra Oh, que encarnou a Dra. Cristina Yang nas dez temporadas da série, deixar o elenco de “Grey’s anatomy”. A atriz, que já vinha ensaiando uma despedida do jaleco, resolveu buscar novos papéis e desafios profissionais após o encerramento de seu contrato.


Igor Fidalgo igor.fidalgo@oglobo.com.br

o que vem por aí

12

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

Terapia artística

CENA VIRTUAL DEU NA TV E FEZ SUCESSO NA INTERNET VEJA OS VÍDEOS EM oglobo.com.br/revistadatv

A

combinação é inusitada. Mas “No divã do Dr. Kurtzman” (hoje, 21h, Canal Brasil), ficção, terapia e talk-show se misturam sem neuras. Em cena, o diretor e ator Fabio Marcoff encarna o excêntrico dr. Facundo Kurtzman, escritor, filósofo e terapeuta. Com a ajuda de seus auxiliares Matheus Parizi e Bruno Kott - também diretores da atração - ele conduz cada entrevista tal qual uma sessão de terapia, e impõe tarefas insólitas a seus pacientes/convidados. O primeiro no divã é o ator Marcos Caruso, que comenta a descoberta do mundo das artes. Ao longo dos episódios, passam por lá Marina Person, Laerte e Supla, entre outros. FOTOS: DIVULGAÇÃO

Fabio Marcoff e Marcos Caruso: novo programa do Canal Brasil

Em terra de boi... Ninguém entendeu nada, mas pode-se dizer que o recado foi dado. Em um carro de som, integrantes do “Pânico” passaram pela roça de “A fazenda” com gritos de “Sheila chifruda”.

Início do fim Não teve pra ninguém: o primeiro episódio da volta da temporada final de “Breaking bad”, nos EUA, contabilizou mais de cinco milhões de espectadores o maior número da série.

Lugar incomum

Além do que se vê

Situações esdrúxulas, condutas incomuns. Em 12 episódios, “Proibido” (quarta, 21h, Discovery) explora e investiga o que há por trás de casos que fogem do que estamos acostumados a ver. Entre os exemplos mostrados, homens que se fantasiam de animais em Tóquio, um vendedor americano que também é uma múmia e um restaurante japonês especializado em sujeira. Tá bom pra você?

O especial “Star Trek: Segredos do universo” (sexta, 22h, History) mostra os bastidores de “Além da escuridão”, novo filme da saga, dirigido por J.J. Abrams e com Zachary Quinto e Chris Pine (foto). A atração investiga, ainda, fatos científicos explorados na tela.

Faz-me rir

Dá o dinheiro aí O repórter do SporTV pediu que ela repetisse o slogan do canal. A tricampeã do salto com vara Yelena Isinbayeva não se fez de rogada. “Agora me dá o dinheiro”, brincou.

No ar como Sue Sylvester, a treinadora de “Glee”, Jane Lynch é figurinha fácil em filmes e séries de TV - ela era a psicóloga de Charlie em “Two and a half men”). Jane fala de suas inspirações e referências no “Por dentro da comédia” (+Globosat, quinta, às 22h).

‘Os mano, as mina’ Aê, mano: a MTV dedica um dia inteiro ao rap. No “Especial Yo! MTV” (quinta, 0h), a VJ Pathy de Jesus recebe antigos apresentadores do programa e exibe documentários, clipes e shows sobre o tema.


NO FACEBOOK

Conhece a nova Miss RN? Veja o vídeo com os bastidores do ensaio fotográfico de Glam. facebook.com/tribunarn

ASTROLOGIA

CULTURA

PÁGINA 6

PÁGINA 4

Veja como será o seu domingo, de acordo com as previsões de Bia Abramo.

TV paquistanesa lança série em que heroína veste burca e usa livros e canetas como arma.

ACONTECIMENTOS ESTRANHOS PRENDEM A ATENÇÃO NO SUSPENSE “OS ESCOLHIDOS”. PÁGINAS 6 E 7

PAULO COELHO

Coluna traz trechos do livro “A Sabedoria Judaica”, reunidos pelo escritor Arnaldo Niskier. PÁGINA 2

tnfamília Editor: Isaac Ribeiro [tnfamilia@tribunadonorte.com.br]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 18 de agosto de 2013

FOTOS: MAGNUS NASCIMENTO

Eliminando

toxinas ISAAC RIBEIRO repórter

A

tualmente levamos um estilo de vida que pouco favorece à nossa saúde: alimentação com poucas vitaminas e excesso de hormônio, agrotóxicos, corantes, conservantes e aditivos, produtos industrializados, muito sal, açúcar, sódio, gordura, adoçantes, álcool, medicamentos... ufa! O resultado, na maioria das vezes, é um mal funcionamento do organismo e o aparecimento de doenças — algo sempre enfatizado pelos médicos. Mas e como reverter esse quadro? Uma técnica da nutrição funcional e de detoxificação, ou simplesmente detox, vem ganhando adeptos por eliminar as toxinas e restabelecer o equilíbrio do corpo através de uma dieta baseada em alimentos naturais e orgânicos, excluindo qualquer um que seja industrializado. Durante cinco dias, quem decide fazer a detox se submete a um cardápio contendo frutas, verduras, legumes orgânicos, oleaginosas, cereais, leguminosas, sementes, bastante líquido e muitos temperos naturais, como alho, cebola, alecrim, gengibre e ervas frescas. “É importante comer alimentos crus, naturais, frescos e orgânicos; ou seja, comer comida de verdade; arroz, feijão, cereais provenientes da terra, castanhas, principalmente saladas cruas, e tomar muita água”, recomenda a nutricionista Graça Morais, que realiza oficinas de detox periodicamente. “Também deve-se fazer uso de chás de capim cidreira, hortelã, carqueja e boldo.” Por outro lado, não há espaço nenhum para carnes vermelhas, laticínios, soja, glúten, cereais refinados, açúcar, adoçantes, corantes, sal refinado, conservan-

Cresce procura por dieta de detoxificação, ou simplesmente detox, baseada em alimentos orgânicos, crus e frescos, fitoterápicos e suplementos, capaz de eliminar as toxinas do nosso organismo, restabelecendo o equilíbrio nutricional

tes, café, álcool e até mesmo água mineral, por possuir alta concentração de cloro e ter PH elevado. Graça Morais comenta que até o uso de cremes, desodorantes e perfumes deve ser evitado durante a detox. “O consumo frequente desses alimentos industrializados gera processos somatórios, inflamam nossa mucosa intestinal, facilitando a passagem de macromoléculas, prejudicando a absorção de nutrientes e a eliminação de toxinas, causando diversos transtornos no organismo”, esclarece a nutricionista. Ela cita entre os problemas causados por uma alimentação errada gastrite, constipação intestinal (prisão de ventre), dor de barriga, distensão abdominal, gases, enxaqueca, fadiga, artrite reumatóide, ansiedade, depressão, rinite, sinusite. A detox é um programa realmente criterioso e restritivo. Entre seus “detalhes” pode-se citar o fato de os alimentos não poderem ser preparados em utensílios de alumínio, chumbo ou plástico e muito menos no micro-ondas. A comida que se pretende transportar também não pode ser acondicionada em depósitos plásticos. Vale lembrar que a detox não é uma dieta que vise puramente a perda de peso para valorizar o lado estético. A maioria das pessoas que procuram o tratamento possuem alguma doença crônica ou intolerância que imponha restrições ou a conscientização de se ter uma alimentação verdadeiramente saudável. A detox é realizada num período específico, podendo ser repetidas outras vezes, de acordo com a necessidade de cada paciente.

+

PÁGINA 3

Detox tem alimentos saudáveis e saborosos


2

tn família

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

Sobre o Talmud e o Midrash

O

escritor Arnaldo Niskier reuniu num interessante livro, “A Sabedoria Judaica” (Ed. Vozes), algumas histórias, provérbios e reflexões do povo judeu, tiradas do Talmud (uma coleção de 18 volumes, contendo mil anos de discussão entre rabinos e discípulos) e do Midrash (interpretação das Escrituras, com ênfase na ética e na tradição). Aqui vão alguns trechos:

A resposta Certa vez um homem interrogou o rabino Joshua Ben Karechah: - Por que Deus escolheu um espinhal para falar com Moisés? O rabino respondeu: - Se ele tivesse escolhido uma oliveira ou uma amoreira, você teria feito a mesma pergunta. Mas não posso deixá-lo sem uma res-

« PAULO COELHO » A janela e o espelho

posta: por isso digo que Deus escolheu um mísero e pequeno espinhal para ensinar que não há nenhum lugar na terra onde Ele não esteja presente.

Coisas do mundo Uma vez, Rab Huna repreendeu seu filho, Rabbah: - Por que não vais à conferência de Rav Chisda? Dizem que ele fala muito bem. - Por que devo ir? – contestou o filho. – Todas as vezes que o fiz, Rav Chisda falou apenas das coisas deste mundo: das funções do corpo, dos órgãos, da digestão, e de outras coisas ligadas simplesmente ao físico. E o pai disse: - Rav Chisda fala das coisas criadas por Deus e você diz que ele fala de coisas deste mundo? Vai e escuta-o!

Confira algumas histórias, provérbios e reflexões do povo judeu reunidas pelo escritor Arnaldo Niskier no interessante livro “A Sabedoria Judaica”

lhor não mostrar os dentes. APRENDER: aprendi muito com meu mestre, mais com os meus companheiros, e mais ainda com os meus alunos. ÁGUIA: uma águia não caça moscas. BENÇÃO: as bênçãos são bênçãos para quem abençoa, e as maldições são maldições para quem amaldiçoa. CONTEÚDO: não olhes a jarra, mas o que ela contém. Há jarras novas que contêm vinho velho e delicioso, e há jarras velhas que nem sequer contém vinho novo. ELOGIO: quando você vive bastante, é acusado de coisas que nunca fez, e elogiado por virtudes que nunca teve. GERAÇÃO: bem aventurada a geração em que o grande aprende com o pequeno. HONRA: não é o lugar que honra o homem, mas o homem que honra o lugar. CALÚNIA: a língua que calunia mata três pessoas ao mesmo tempo: a que profere a calúnia, a que escuta, e a pessoa sobre a qual se fala.

Um jovem pediu ao rabino um conselho para orientar a sua vida. Este o conduziu até a janela: - O que vês através dos vidros? - Vejo homens passando, e um cego pedindo esmolas na rua. O rabino mostrou-lhe um grande espelho: - E agora, o que vês? - Vejo a mim mesmo. - E já não vês os outros! Repara que a janela e o espelho são ambos feitos de vidro. Mas no espelho – como há uma fina camada de prata – nele enxergas apenas a ti mesmo. Deves comparar-te a estas duas espécies de vidro. Pobre, prestas atenção aos outros e tens compaixão por eles. Coberto de prata – rico – só consegues admirar teu próprio reflexo.

Algumas definições da sabedoria judáica: DENTES: se não podes morder, é me-

MÉDICO E PROFESSOR DA UFRN - BOUCINHAS_JC@HOTMAIL.COM

(PSICÓLOGO)

« JORGE BOUCINHAS »

« BRENO ROSOSTOLATO »

O tão importante sono (3)

Filhos: a quebra de tabus sobre sexo

C

F

onforme prometido, este Artigo aborda o tema da insônia, um problema tão comum nos dias que correm, pois todos podem ser submetidos a tensões incomuns num ou noutro momento, e essas podem dificultar ou impossibilitar o adormecer. Atenção, pois ocorre algo aparentemente bem curioso. Está-se deixando claro que existe uma coisa denominável “insônia imaginária”. Muitas pessoas acreditam, sinceramente, que às vezes não dormiram bem. Estudos de laboratório, entretanto, demonstram como é fácil sentir-se essa impressão de maneira falsa. Dorme-se tempo razoável e julga-se não se o ter feito. Em primeiro lugar, é difícil avaliar o próprio sono. Num dos estudos, algumas pessoas que reclamavam porque não dormiam de todo, concordaram em apertar um botão de campainha toda vez que ouvissem, durante a noite, o som de uma cigarra no laboratório. Essas pessoas foram monitorizadas por meio de um eletrencefalógrafo e, em todos os casos, as ondas cerebrais revelaram que elas estavam realmente dormindo. Havia também microfones que registravam um ligeiro ressonar. Embora a cigarra houvesse tocado diversas vezes, não houve resposta de qualquer das campainhas. Apesar disso, pela manhã, os examinados protestavam que não haviam dormido de todo. Alguns estudos de recomposição de sonhos indicam que, para algumas pessoas, os sonhos tendem a se fundir com a realidade. Ao serem despertadas, depois de um período de sono REM (sonho), essas pessoas muitas vezes afirmaram que apenas estavam divagando acordadaas e não dormiam. O Dr. Julius Segal, do National Mental Health Institute, dos EUA, referiu o interessante caso de um psicólogo que se tinha apresentadoo como voluntário para ser observado num estudo do sono. Quando acordou, na manhã seguinte, exausto, pediu desculpas à equipe de pesquisadores por lhes fornecer um sono tão curto para ser analisado. Seus colegas riram-se e lhe garantiram que poucos haviam dormido tanto quanto ele. Examinando suas seis horas de sono, constataram-se muitos pontos em que os registros das ondas cerebrais acusavam o ritmo alfa de vigília relaxada, sugerindo que ele estivera bem próximo do momento de acordar. Esses momentos de “quase acordar”, achou Segal, podem haver-se fundido, na mente do voluntário, deixando-o convencido de que estivera constantemente desperto. Hoje em dia está claro que muita gente fica

presa ao hábito de tomar comprimidos para dormir porque tem medo de um período passageiro de insônia. O mais sensato a fazer num período assim, sugerem muitos especialistas, é não ficar deitado de olhos abertos e afligindo-se com o fato. Levantar-se, caminhar, ler ou ouvir música. Se a pessoa se ocupar, em vez de lutar para dormir, e depois de meia hora ou de uma hora voltar para a cama, é provável que sinta-se novamente sonolenta. No citado centro médico tem sido feito um trabalho substancial de apoio a pessoas gravemente insones. Os pesquisadores animam-nas a aumentarem gradativamente os níveis de atividade e de exercícios durante o dia, mas sem o fazer antes de deitar. Descobriram que o exercício algumas horas previamente a deitar aumenta o sono, mas, se feito imediatamente antes, tem um efeito excitante. Recomendam também aos pacientes que marquem uma hora certa para se recolherem e insistem que mantenham uma atitude mental descontraída imediatamente antes dela, evitando qualquer atividade mental complexa. Às vezes estas simples sugestões dão resultado suficiente. Quando não, receitam-se remédios de acordo com as dificuldades especificas de dormir. A dificuldade em continuar dormindo indica muitas vezes uma depressão, e para estes pacientes receita-se também uma medicação antidepressiva a ser tomada durante o dia. Na verdade, com a continuação do uso, alguns comprimidos para dormir causam problemas, porque inibem a fase do sonho. As pessoas deles privadas tendem a se tornar irritadiças e ansiosas. E, ao parar seu uso, a insônia pode voltar recrudescida. Há mais auxílios. Não chega a ser uma cura, mas confirmou-se que de fato o leite ajuda, pois contém muito triptófano, precursor natural da serotonina. Se morno, melhor, pois evita gasto energético para seu aquecimento no corpo. Alguns gostam de tomar um drinque, e isso pode colaborar, no entanto o excesso reduz os sonhos, o que não é desejável. Plantas, como maracujá, erva-doce, valeriana, kava-kava, entre outras, podem ajudar aos insones, bem como o fazem os medicamentos homeopáticos (que, no entanto, precisam ter prescrição indivualizada) e a Acupuntura. A Hipnose é outra arma muitas vezes esquecida, mas sempre formidável, para apoiar os que dela precisem. Mas, sempre, tranquilidade e boa orientação são os primeiros passos!

alar sobre sexo com o filho ainda é uma dificuldade para inúmeros pais. Resistência, vergonha, situações constrangedoras e falta de desenvoltura são alguns fatores que impossibilitam os adultos de entrarem em contato com este aspecto nos filhos. Muitos pais, por conta da própria educação, de uma criação rígida e muito reprimida sexualmente, perpetuam esta rigidez e conceitos que deveriam ser quebrados se mantém quase que intocáveis e criam raízes, cada vez mais sedimentadas e petrificadas. Mas acontece que a atual geração não vê mais limites para falar sobre o assunto, pelo contrário, os adolescentes solicitam uma explicação e orientação sobre um assunto que é costumeiro na roda de amigos, faz parte do cotidiano das escolas, das baladas, que a sociedade convive com mais abertura. Falar é necessário e conviver com um mundo sexualizado, que autoriza o jovem a se entregar ao ato, é muito distante ainda da construção que esses adolescentes fazem sobre sexo, prazer e desejo. As lacunas existem e para algumas pessoas são verdadeiras crateras, que crescem e prejudicam a percepção de si e dos outros. Muitos jovens, fechados no próprio mundo, acham nos amigos uma “válvula de escape” sobre suas questões e dúvidas mais íntimas. Sexualidade é constituinte da identidade psíquica e são esses buracos que podem ocasionar distorções e considerações equivocadas sobre sexualidade. O adolescente não possui referência, modelos e tende a se perder em suas próprias escolhas, uma vez que se vê obrigado a trilhar caminhos obscuros por necessidade de aceitação dos outros colegas, do grupo. Busca ser valorizado pelo outro e para tal, se submete à situações conflitantes. A iniciação sexual é a travessia do abismo do desconhecido e rompe com expectativas e idealizações do ato. A ponte construída deve ser elaborada através do conhecimento, em que se desapegam da condição de criança ingênua, da infância e caminha para a vida adulta, de responsabilidades, inserção no mercado de trabalho, autonomia e tomadas de decisões. Os pais e cuidadores devem ser os interlocutores deste momento de desabrochamento na vida dos jovens. Diga-se de passagem, não só sobre sexo, mas os pais devem participar ativamente das transformações dos filhos e são responsáveis por orientá-los sobre a vida sexual, transmitindo segurança e informação. O adolescente sabe como fazer sexo, tem noções de posições, maneiras e conhece minimamente a execução, mas não se atentam ao uso de preservativo, prevenções de doenças, gravidez indesejada e principalmente das implicações

emocionais inerentes ao ato sexual. A educação sexual deve discutir sentimentos, desejos, limites, a percepção do corpo e do prazer. Esta construção a respeito da sexualidade e práticas sexuais inicia-se na infância. Os pais vão se deparar com a famosa fase dos “porquês” e é natural as crianças investigarem sobre a própria existência. numa linguagem acessível à criança, os pais devem ser claros e objetivos, sem a necessidade de explicações detalhadas sobre sexo. Não deixe o filho sem uma resposta. Nada de explicações mágicas ou abstratas, mas seja coerente e concreto. Construa desde este momento um vínculo de confiança e cumplicidade. Mais adiante, já no início da puberdade, a partir dos dez anos, a conversa pode avançar no sentido de explicar mudanças no corpo do pré adolescente como o tom de voz, o crescimento dos pelos, das mamas e do quadril. Falar sobre masturbação e menstruação são igualmente importantes. Para as meninas é apropriado abordar a questão da gravidez e uma visita ao ginecologista pode facilitar a compreensão sobre a primeira menstruação (menarca) e corrimentos. Para os meninos, dúvidas e inseguranças sobre o tamanho do pênis são prontamente esclarecidas com o médico. Os pais devem manter sempre o diálogo e reforçar o discurso de confiança e de acolher a eventuais dificuldades dos filhos. Na adolescência o diálogo deve ser constante, sem ser invasivo e agressivo. Uma boa prática é os pais se colocarem no lugar dos filhos e se remeterem à própria adolescência. Reviver os conflitos do passado ajuda a se posicionarem diante das incertezas dos filhos. Nada de perguntar se “já transou”. Perguntas constrangedoras inibem o adolescente. Seja aberto e não assuma uma postura arbitrária, com imposições, regras rígidas e desconfiança. A velha questão de namorado dormir em casa deve ser discutido e conversado. A proibição sem contextualização é arbitrariedade. Não censure seu filho e lhe dê espaço para se expor, para opinar e escute o que ele tem a dizer. Converse sobre os amigos do filho e procure conhecê-los, bem como os pais deles. A melhor maneira de abordar a iniciação sexual dos filhos é através de exemplos e tentar ilustrar através de outras pessoas situações que respaldem aquilo que está sendo vivido. A relação entre os amigos do filho com os pais deles podem ser boas referências. Os preservativos devem ficar à disposição do jovem. Desta maneira o conceito de sexo seguro é internalizado, o que desmitifica a ideia de imprudência e inconsequência. O sexo não é sujo, podre e ruim. Deve ser entendido como algo natural e gostoso.

« LIBERTAS » Rodas e pedais Caminho pela cidade e sou acompanhado por milhares de carros, que andam devagar, com motoristas que buzinam estressados e desatinados. A pressa do homem encobre a visão da natureza, o canto dos pássaros, a copa e a sombra das árvores, o sol, os olhares dos outros seres humanos, em automóveis ao lado, e dos transeuntes. A pressa acelera a circulação sanguínea, enquanto a velocidade da máquina acusa 10, 15, 20 quilômetros por hora. Ou seja, andando pode-se chegar, em alguns trechos, mais rápido que os possantes carros e imponentes veículos. Trocamos nossas pernas, que recebemos para caminhar vivamente, por rodas de borracha e pedais onde exercitamos o seguir e o parar, freando e acelerando. Automatizamos os movimentos de membros que, milagrosamente, possuímos para nos dar o senso e o sentido da vida. Pelo conforto e em nome da segurança, deixamos de

ir até a padaria, mercado ou escola. Vamos de carro. E todos, ou a maioria, individualmente, repetem o mesmo ritual. Sozinhos, a cada manhã, num automóvel, enchemos as ruas e avenidas tornando-as intransitáveis. Perdemos tempo, paciência e vida. Rever esta ilusão e ignorância encoberta e criada pelo capitalismo, urge. Temos que nos debruçar sobre alternativas coletivas, colaborativas e cooperativas. O transporte solidário e o público são alternativas necessárias, mas que tardam. E caminhar muito e em calçadas decentes com segurança para todos. Boas e saudáveis caminhadas. Jayme Panerai Alves – Jayme@libertas.com.br

Velhice Uma senhora estava de mudança para uma casa de repouso, pois o marido com quem vivera 70 anos havia morrido e ela ficara só... A caminho de sua nova morada, a atendente ia descrevendo o minúsculo quarto inclusive as cortinas de chitão flori-

“A pressa do homem encobre a visão da natureza, o canto dos pássaros, a copa e a sombra das árvores, o sol, os olhares dos outros seres humanos, em automóveis ao lado, e dos transeuntes. A pressa acelera a circulação sanguínea, enquanto a velocidade da máquina acusa 10, 15, 20 quilômetros por hora”

Esta coluna é de responsabilidade da Libertas Comunidade www.libertas.com.br - libertas@libertas.com.br

do que enfeitavam a janela. - Ah, eu adoro essas cortinas - disse ela com entusiasmo. - Mas a senhora ainda nem viu seu quarto... - Nem preciso ver - respondeu ela. - Felicidade é algo que você decide por princípio. - E eu já decidi que vou adorar! É uma decisão que tomo todo dia quando acordo. Posso passar o dia inteiro na cama contando as dificuldades que tenho em certas partes do meu corpo que não funcionam bem, ou posso levantar da cama agradecendo pelas outras partes que ainda me obedecem. Cada dia é um presente. E enquanto meus olhos abrirem, eu vou focalizá-los no novo dia e também nas boas lembranças que eu guardei para esta época da vida. A velhice é como uma conta bancária, você só retira daquilo que você guardou. Portanto, lhe aconselho depositar um monte de alegria e felicidade na sua Conta de Lembranças.

Curso O Departamento de Psicologia da Uni-

versidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) recebe, entre os dias 26 e 30 de agosto, a professora Ana Bloj, da Universidade Nacional de Rosário, na Argentina, para ministrar o curso “Intervenções em Psicologia Educacional nos atuais cenários educativos”. Irá abordar novas tecnologias nos processos de aprendizagem e constituição subjetiva, entre outros temas. www.sistemas.ufrn.br

Casais (Recife) A Trainer internacional Diana Guest (USA), estará no Libertas - dias 25 e 26 de agosto para realizar oficina direcionada aos analistas em Bioenergética. O evento tem como objetivo propiciar aos psicoterapeutas conhecimentos em intervenções psicocorporais que poderão enriquecer o trabalho clínico com casais, tais como: conflitos de poder, negatividade, cooperação, conexão, contenção, apoio e recebimento. Informações: (81) 3268-3311.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

tnfamília

Detox

DEPOIMENTOS “Eu tive uma crise de cálculo renal, em março; já tive três crises, mas a de março foi grande; passei oito horas com dor da pedra nos rins, fui cirurgiado a laser, e aí resolvi fazer uma dieta para não voltar mais a ter crises. A dor do cálculo renal é uma das piores que existem. Pelo ofato de ter gastrite há muito tempo, já vinha com uma reeducação alimentar mas agora resolvi levar mais a sério a questão da alimentação. Antes eu comia muito carne, vísceras, coração, fígado, churrasquinho, coração de galinha; aí junta o ferro disso aí mais o cálcio do leite e mais outras coisas, depois de muitos anos, e eu já tenho predisposição para gerar a pedra no organismo... Agora, nesses quatro meses, estou evitando certas coisas; por exemplo, carne se eu comi duas vezes foi muito. Tenho comido peixe, frango, sardinha. Já perdi 8cm de diâmetro de cintura e 3,5kg, e todas as taxas estão praticamente dentro da normalidade. Estou mais disposto, me sinto mais leve. É justamente isso que é proposto,; fazer uma detox, que é um trabalho de desintoxicação, e depois equilibrar o organismo. Hoje eu substituo o óleo e a manteiga por azeite, macarrão e arroz integrais; tudo é mais saudável. E não sinto falta de nada não. Você vai se acostumando e chega um momento que você passa a gostar de comer daquele jeito”

ì

tem alimentos saudáveis e saborosos Durante cinco dias, quem decide fazer a dieta detoxificante se submete a um cardápio formado por frutas, verduras, legumes orgânicos, oleaginosas, cereais, leguminosas, sementes, bastante líquido e fugir dos alimentos industrializados

A

reportagem do TN Família acompanhou uma oficina de detox em uma clínica de nutrição da cidade, observando a elaboração de um cardápio baseado na eliminação de toxinas. Durante a preparação dos pratos, a nutricionista Graça Morais explica à turma, formada por homens e mulheres, as propriedades desintoxicante de cada alimento utilizado. A oficina foi iniciada por volta das 8h, com a preparação do café da manhã e ingestão de suplementos e fitoterápicos. Em seguida, foi inciado o preparo das receitas, todas à base de alimentos orgânicos, naturais. Ao final, a mesa foi composta pelos seguintes pratos: shake de abacaxi (hortelã, gergelim e pasta de banana verde), carpaccio de abacaxi, torta de legumes com tilápia, salada de folhas verdes (tomate cereja, molho de mel, mostarda e gengibre, lascas de manga e castanhas), torta de legumes com frango orgânico (ou caipira), alho confit (assado no forno) e caponatta (espécie de picles com berinjela, abobrinha, pimentões coloridos, azeitona e azeite). Antes de servir o almoço detoxificante, Graça Morais fez uma explanação sobre a importância de se ter uma alimentação saudável e como alternar, ao longo das refeições diárias, as receitas e sugestões transmitidas. Entre as dicas repassadas para os alunos da oficina sobre a dieta detox, a nutricionista destacou optar pela proteína da tilápia ou do frango que não seja de granja; comer sempre muitas frutas e verduras; usar castanhas; tomar uma mistura de água com gengibre ao longo do dia; preferir sempre ovo caipira e usar mel ou açúcar mascavo como adoçante. Sobre o hábito de tomar açaí, Graça Morais diz ser permitido mas tendo cuidado com granola e outros acompanhamentos. Mas não há um padrão de dieta, já que as prescrições são individualizadas, de acordo com a necessidade de cada pessoa. Certo mesmo é banir qualquer tipo de refrigerante, fumo, bebidas alcoólicas e qualquer alimento industrializados. “Todos os dias o organismo faz uma faxina. Mas se usar um refrigerante ou produtos industrializados essa faxina é interrompida”, comenta a nutricionista. “Tem que comer comida de verdade; a comida da mamãe e da vovó.” Graça Morais considera a alimentação do brasileiro excessivamente industrializada, o que acaba trazendo vários malefícios para a saúde. “Daí a importância da reeducação alimentar, colocando alimentos saudáveis no cardápio cotidiano, que enchem os olhos, dão água na boca, saciam o estômago, mas não estressam o organismo.” Quase todos podem fazer uma dieta detox, exceto pacientes de quimioterapia. Os demais devem ser acompanhados por um nutricionista para que sejam avaliados sinais e sintomas de desequilíbrio nutricional e prescrever, de forma individualizada, fitoterápicos e suplementos.

3

Lázaro Bezerra, 48 anos, professor de Geografia

ì

Nutricionista Graça Morais orienta seus pacientes durante oficina de detox: “Temos que comer comida de verdade”

TOP 10 DETOX Alimentos com propriedades desintoxicantes 1 Abacaxi Diurético, facilita a digestão, especialmente de carnes, e desobstrui o fígado. Pode ser comida como sobremesa ou no lanchinho da tarde. 2 Arroz integral Rico em fibras, faz o intestino funcionar melhor e favorece a eliminação de toxinas, mantendo a pele saudável. Esqueça o arroz branco! Arroz integral ou batata doce como fonte de carboidrato nas principais refeições são ótimas opções. 3 Maçã Suas fibras funcionam como esponja dentro das artérias, ajudando na eliminação do colesterol. Antiácida, a maçã ainda ativa o fígado e dissolve o ácido úrico, que retém líquidos. Também pode servir como lanche intermediário. 4 Melancia Tem propriedade refrescante e diurética, ajudando a limpar o organismo. Uma ótima receita é preparar o suco de melancia com gengibre, outro poderoso desintoxicante 5 Gengibre Estimula a digestão, alivia a prisão de ventre e ativa o metabolismo. Rico em fibras, é usado digestivo e refrescante. Ainda não amo gengibre mas estou me obrigando. Eita alimento poderoso esse! Incluam já!

6 Fibras Aveia, linhaça, cevada e gérmen de trigo melhoram a função intestinal e favorecem a eliminação de toxinas.

10 Suco verde Duas receitas super desintoxicantes. Podem ser consumidos como café da manhã ou lanche intermediário. É só bater os ingredientes no liquidificador ou centrífuga com um pouco de água

SUCO 1 pepino 1 3 talos de aipo 2 folhas de couve 2 punhados de salsinha ca 1 limão pequeno sem cas 1 maçã

SUCO 1 folha média de 2 acelga com o talo 1 maçã com a casca 150ml de água de coco 4 folhas de hortelã

7 Vegetais e proteínas Opte por couve, couve-flor, brócolis e repolho. Esses alimentos são ricos nas vitaminas A e C, e ajudam na proteção do colágeno. Aposte nas proteínas mais saudáveis, como queijo branco, peixes, peito de frango, derivados da soja e leite desnatado. 8 Temperos Use temperos como orégano e alecrim no final das preparações. Essas ervas são antifúngicas e antiparasitárias. E também canela, pois tem ação termogênica entre outros mil benefícios. 9 Chá verde Inclua chás em seu café e lanche da manhã. Beba de preferência o chá verde, pois ele tem efeito diurético, antioxidante e termogênico que ajuda a controlar as calorias dos alimentos ingeridos, dá energia, desincha o abdômen, melhora a digestão e o trânsito intestinal. Alimentos a serem evitados durante a detox: Carne vermelha Frango de granja Leite e todos os seus derivados Embutidos e enlatados Café Margarina Pães feitos com farinha trigo Alimentos enlatados, em caixas, latas e com conservantes e corantes Milho e derivados Farinha branca Fumo e bebidas alcoólicas

“Sou engenheiro agrônomo e sei o que pode e o que não pode ingerir. O engenheiro agrônomo sabe como são produzidos os alimentos e sabe que a maioria, cerca de 99%, tem problema com agrotóxico. Então, antes de vir para cá, já tinha essa preocupação há muito tempo de não ingerir produtos contaminados. Agora, a minha vinda para a nutricionista é mais por uma situação de intolerância à glicose. Estou num estágio pré-diabético, então procurei a nutricionista para fazer uma alimentação mais rigorosa. Já faço há um ano e pouco e tem sido muito positivo. Na primeira consulta que fiz com um endocrinologista, ele quis passar remédio como se eu já fosse diabético, e eu resisti a essa ideia. Mas a nutricionista disse para fazermos uma remodelação na minha alimentação que conseguiríamos baixar as taxas. Faço a dieta junto com exercícios físicos, tanto que até hoje não passei do limite para ser considerado diabético. E a detox é, na verdade, uma semana para se desintoxicar. Depois, volta ao normal.” Jonas Francisco de Sena, 62 anos, engenheiro agrônomo “Achei interessante a oficina porque quando você vai a uma nutricionista, ela te dá um detox pronto, e aqui não; aqui há o cuidado e a preocupação que a gente venha e aprenda a fazer, veja os ingredientes, como adquire, principalmente as coisas orgânicas, que às vezes tem muita dificuldade de achar no mercado. Sem contar que, hoje me dia, a diferença de você consumir um produto orgânico, é saúde pura, é uma questão de você aprender a comer cada vez mais certo. No início do curso foi citada a frase: ‘Você nasce por acaso mas morre sem querer”, nesse intervalo você pode fazer que sua vida seja com uma alimentação mais saudável. E é possível, sim, ter uma comida saudável e saborosa!” Brenda Trizotto, 50 anos, professora

ì

“Estou fazendo um tratamento de saúde. Descobri que estou com intolerância a lactose, frutose e algumas outras doenças como gastrite, e aí procurei a nutricionista para passar uma dieta e fazer um acompanhamento nutricional. E ela me indicou essa oficina de detox para ajudar a desinflamar, desintoxicar. Hoje o dia foi bem produtivo pra aprender novas receitas, pra aprender a melhorar a alimentação mesmo e buscar os alimentos dos nutrientes. A oficina de detox é interessante justamente porque estou com essas inflamações e essas intolerâncias pois vai beneficiar esse lado da saúde mesmo. Eu já vinha fazendo, mas pelo lado estético, mas agora estou vendo pela necessidade da saúde mesmo. Acho que não vale fazer só por estética. Se você puder complementar com para ter saúde é melhor, pois agregada vem a estética.” Joana Barreto, 32 anos, relações públicas

ì


4

tn família

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

JOÃO NETO

Carpe Diem!

E a história do grupo Mamonas Assassinas vai virar musical. A mesma produtora que participou do espetáculo de Tim Maia conseguiu aprovação para captar recursos pela Lei Rouanet para estrear 2014.

MULHERES NO FDS

Vivas antecipados para Gladys, em pose com o muso Fernando Fernandes JOTA OLIVEIRA

Nova geração

Aventura

Todos os vivas para a sobrinha querida, que lá nos EUA/São Francisco completa idade nova nesta segunda-feira

Últimas vagas para a 5ª edição do OFF Prime da Land Rover. A aventura acontece próximo dia 24 e tem como destino a cidade de Baía Formosa. As inscrições, exclusivas para clientes Land Rover, são feitas no site da PG Prime no endereço www.pgprime.co m.br/eventos.

Decoração

Ives Cardoso em pose com a musa Vanessa, aniversariante desta segunda

JOÃO NETO

DANI FONSECA

Com muitas bossas, o convite para a 1ª Mostra artefacto/home.D, que vai unir arquitetura, sofisticação e luxo com 12 dos melhores profissionais de decoração de Natal. A mostra reunirá um mix de trabalhos de Bruna Gosson, Patricia Alves, Naiara Azevedo, Natalia Bezerra, Gracita Lopes, Renato Teles, Mario Araújo, Luiza Saboya, Daniela Othon, Thanmara Bezerra, Marilia Bezerra, Olga Portela, Cypriana Pinheiro e Renata Santa Rosa. Com abertura marcada para o dia 29, Ysnara Almeida pilota lançamento, para convidados, próximo dia 28, na própria artefacto.

Tribalistas

Temática Os Simpsons, a família mais famosa do mundo, estão estampando uma divertida linha especial da Riachuelo.

Talento Em busca do verdadeiro DNA da Moda Potiguar, Ricardo San Martini promove, com seu Artemoda Potiguar, o concurso Novos Potiguares, que acontece entre 19 e 21 de setembro no Palácio Potengi.

A filial Petrópolis do Anninha Cabeleireiros também já conta com os serviços do MariAnninha, para deixar kids e teens be-los.

jotaoliveira@tribunadonorte.com.br

Musical

Vivas para o casal de dez: Luiz Flor e Thuiza. Ele em idade nova amanhã

Jota Oliveira

Tenho! Tenho um único sentido de direção agora: - É para frente que se anda e que se chega a algum lugar. Depois de ficar muito tempo preso ao passado, me ocorreu um desejo de construir um novo futuro. Por isso, deixei de corpo mole e de “chororo”... Com a dor resolvi fazer jogo duro. Olho para frente e enxergo coisas lindas. Vivo cada dia intensamente, com um sorriso nos lábios, de quem já viu tanta coisa negativa e viveu algumas decepções. Hoje não espero das pessoas nada além daquilo que elas possam oferecer. Aprendi a não criar expectativas nem deixar a ingratidão me ofender. Tudo é um estado de espírito e o meu estado atual é o “ótimo”. Já não sonho, realizo, e me afirmo cada dia mais nas minhas possibilidades. Descobri que posso ser tudo o que eu desejar ser. Faço cursos de padeiro a pedreiro, falo até mandarim. E ai de quem ainda sentir pena de mim. Eu sigo meu caminho sem falar mal de ninguém, e se te interessar, fica aqui o meu segredo de plenitude e graça, ame a todos sem distinção, porque a vida é breve e no final de tudo, tudo passa... (Paulo Roberto Gaefke)

JOÃO NETO

Moacir Pinheiro em mimos e vivas para a musa aniversariante Rosali

Em ocasião de amigos com Cristiane Queiroz, Guto Rodrigues, Bianor e Renata Bezerra

Lançam a música nova ‘Joga arroz’, em apoio à regulamentação do casamento igualitário pelo Conselho Nacional de Justiça.

Uma heroína de burca no Paquistão « ANIMAÇÃO » Usando como armas livros e canetas, personagem Jiya, da série televisiva “Burka Avenger”, causa polêmica e esbarra na tradição paquistanesa por usar véu islâmico tal qual a roupa de um ninja

A

super-heroína paquistanesa Jiya tem o rosto e o corpo cobertos por um véu negro, que deixa à mostra apenas os olhos e os dedos das mãos. Mas a protagonista da série de animação Burka Avenger usa essa vestimenta apenas nas cenas de combate, em que luta com seus superpoderes contra o mal no Paquistão. Suas armas são livros e canetas. A ideia é sinalizar que a força desses objetos é maior que a da espada, explica o criador da série, Haroon Rashid. “Queremos mostrar ao espectador que a educação pode resolver muitos problemas”, diz, em entrevista à DW. A série, com 13 episódios de 22 minutos cada, estreou em julho no Paquistão. Ela conta a história da super-heroína e professora Jiya e também de três crianças da cidade imaginária Hawalpur.

VÉU COMO DISFARCE A protagonista veste na verdade um niqab – véu islâmico que, diferentemente da burca, deixa os olhos à mostra. E a decisão de vesti-la assim esbarrou em resistência tanto dentro quanto fora do Paquistão. O véu é tido por muitos como um símbolo da opressão às mulheres. “No Ocidente, a burca tem um caráter simbólico muito forte e, por isso, costuma assustar”, explica Sabine Schiffer, do Instituto de Responsabilidade da Mídia, localizado na Alemanha. “Mas a super-heroína não corresponde ao clichê: ela luta habilidosamente contra a desigualdade.” Em Burka Avenger, o véu remete à roupa de um ninja. “Ela serve apenas para esconder a identidade,

como fazem também outros super-heróis”, justifica Rashid. Além disso, a ideia era dar à série um toque da cultura local. O criador optou propositalmente contra uma vestimenta que remetesse às usadas por personagens como Mulher-Gato e Mulher-Maravilha. Para ele, muitas das super-heroínas ocidentais mostram demais o corpo, transformando as mulheres em objetos sexuais. Burka Avenger aborda assuntos que vão da proteção do meio ambiente até os direitos das minorias. Embora contenha críticas à sociedade paquistanesa, utiliza também uma linguagem divertida e adequada ao universo infantil. Cenas de combate envolvendo brutalidade dão lugar a diálogos leves. Em um dos capítulos, por exemplo, um mágico constrói um robô que deve dominar o mundo. Os planos eram enviar o robô a uma viagem pelo planeta, mas o mágico não consegue um visto de entrada na União Europeia para ele. O primeiro capítulo mostra os conflitos em torno de uma escola, localizada em um povoado, prestes a ser fechada. A heroína de burca, porém, pode evitar que isso aconteça. Trata-se de uma situação familiar entre os paquistaneses. Por serem contra a educação das mulheres, os talibãs fecharam centenas de escolas no país. A história lembra sobretudo o caso de Malala Yousafzai. Em outubro de 2012, extremistas tentaram matar a jovem quando ela voltava da escola para casa. A jovem havia criticado abertamente os talibãs e se engajado em prol da educação das mulheres no país.

Criador da protagonista de “Burka Avenger“ optou por fugir de roupas que lembrassem heroínas ocidentais como a Mulher Maravilha

São Paulo realiza Mostra Mundo Árabe de Cinema A premissa não poderia ser mais atual. Um homem comum compra uma câmera simples e, com ela, passa a filmar as agitações de sua cidade. Com quase nenhuma experiência com tecnologia, mas muita vontade de mostrar ao mundo seu testemunho, filma conflitos e protestos. Com suas imagens, provoca impacto na opinião pública e inicia um debate sobre as iniciativas do poder que, por meio da ação militar e policial, impõe sua ordem e faz, muitas vezes, uso de violência desnecessária. Grosso modo, essa é a linha

geral de “5 Câmeras Quebradas”, filme do palestino Emad Burnet e do israelense Guy Davidi, que integra a Mostra Mundo Árabe de Cinema 2013, que ocorre em São Paulo nesta semana. Mas este também poderia ser o resumo de fatos que vêm ocorrendo em todo o mundo, desde as mobilizações da Primavera Árabe até os protestos que tomaram conta das ruas do Brasil nos últimos meses. Quando, em 2005, Burnet decidiu comprar a primeira câmera queria apenas testemunhar o dia a dia conflituoso de

seu povo, que vive em Bil’in, pequena cidade na Cisjordânia. “Eles diziam que era para proteger um povoado vizinho. Prepararam tudo, tomaram posse. E me vi na obrigação de registrar tudo”, contou Burnet à reportagem, em passagem pela cidade para apresentar nesta quinta seu filme na abertura do festival. “Ainda que não tivesse experiência com cinema, sentia algo forte, que me ligava à câmera e ao poder que ela tem de contar ao mundo a minha realidade”, acrescentou o diretor, que, por seu olhar tão agudo, foi indica-

do para o Oscar de documentário 2013. “O Oscar é o que um diretor mais almeja na vida. Foi muito bom estar lá. Mas não pelo glamour. Importante foi que a partir daí, mais gente, no mundo todo, viu meu filme. E passou a discutir a questão palestina”, declara Burnet, que é casado com uma brasileira e viaja ao País com o filho Jibreel, que hoje tem 8 anos. “Foi a vida dele, como ele ia crescer nesse ambiente conflituoso, que quis mostrar. E é o futuro dele que ainda questiono ao fazer meus novos vídeos.”


tn família

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

5

JOÃO NETO

Fotografia A Aphoto realiza hoje, a partir das 7h, uma “Caminhada Fotográfica” pela ponte Newton Navarro, saindo do Forte dos Reis Magos até o Mercado Público da Redinha, em comemoração ao Dia Mundial da Fotografia.

Reconhecimento Próximo dia 2 de setembro é comemorado o dia do blogueiro do RN. Data que precisa ser comemorada, pois nós, este colunista também faz parte da categoria, representamos os novos tempos da comunicação, que pede mais agilidade, rapidez e é cada vez maior.

Nos sabores da Serra de Martins: advogado Flávio Góis e a mãe Terezinha Góis BOBFLASH

Design: Gabriela Brito Apaixonada por arte ‘desde sempre’, os caminhos de Gabriela Brito não poderiam tomar outro rumo, pois sempre buscou uma profissão onde pudesse explorar esse lado. Como ela mesma afirma, ao entrar na sala de aula da faculdade de Arquitetura, sentiu-se certa da escolha que havia feito. “Para quem gosta de desenho e arte, a arquitetura proporciona essa oportunidade, é uma emoção encontrar aquilo ao seu alcance e conviver com pessoas tão parecidas.” Desde a época de estudo, sempre preferiu a ambientação de pequenos espaços, onde pode dar um toque mais intimista e as escolhas são mais flexíveis. Nesse caminho, abriu a Cena Arquitetônica, em 2011, mas o mercado pedia mais e, no começo deste ano, o arquiteto Carlos Onofre juntou-se a ela para trabalhar os espaços comerciais dando vida a Cena Comercial. Para Gabriela, o natalense está mais receptivo ao arquiteto, antes visto como ‘artigo de luxo’. “Hoje, há mais consciência da importância do

Em tarde de lulus: Ariane, Helena, Paula e Vivi Rocha JOÃO NETO

JOÃO NETO

BRUNO PORPINO

Parabéns! Apagando velinhas com os vivas da coluna, Alexandre Dias, Mirian de Souza, Karlley Pandoffi, Ranier Rocha Nunes, Firmino Moura, Simone Amorim, Patrícia Saraiva, fotografo Aurino Borges, Cyrus Benavides, Antonio Torres e Arethusa Guerra. Nesta segunda, 19, vivas antecipados para a arquiteta Gladys Fernandes, Kátia Matoso, Geraldine Marinho Melo, Valeria Miranda, Sânzia Bezerra Nelson, Luís Arnaud Flor, sobrinha querida que reside no EUA, Sumaya Lima e Silva, Ricardo Tomaz, Robson Coelho, Juíza Berenice Capuxú, Vanessa Gurgel e Rosali Pinheiro.

Procura-se nosso trabalho. Além disso, o mercado potiguar também está amadurecendo”, afirma. Gabriela se considera uma profissional e uma pessoa ‘em progresso’ e esses anos no mercado lhe reforçaram essa ideia. Cita ainda sua mãe, Patrícia Fonseca, como exemplo, pela superação feminina de cuidar do lar e ir para o mercado de trabalho. Seu lema: “Se quer alguma coisa, corra atrás, se você for bom, nunca vai faltar trabalho”.

Com dificuldades de encontrar um jovem para interpretar Pelé nas telonas, a produtora Imagine Entertainment está oferecendo US$1 mil para quem encontrar um moçoilo.

Gente querida desta coluna, casal cirurgião plástico Yuri Afonso e Zandra

De Volta

BOBFLASH

Em recente evento social, Renata Câmara Melo e a filha Sofia Melo Trindade

João Paulo, Dominique e Witame Jr. em tempo de balada

Dose dupla de charme: Ana Virgínia Barbalho e Bruna Faraj

Rafinha Bastos e a Band voltaram às boas. O humorista assinou contrato e retorna as telinhas dentro da equipe do ‘A Liga’. - Para quem não se lembra, sua saída aconteceu por impasse com a ‘isforçada’ Wanessa, que tenta, tenta e não decola como cantora. Agora quer dar uma de Shakira. Pode?!


6

tn família

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 17 de agosto de 2013

LIEGEBARBALHO.COM

Homenagem A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal aprovou por unanimidade na última quarta-feira o projeto de lei que denomina de “Governador Aluízio Alves”, o Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante. O projeto tem como relator o deputado Arthur Oliveira Maia, do PMDB-BA. Ao tomar conhecimento da votação, o deputado Henrique Eduardo Alves afirmou ter ficado muito feliz com a decisão e agradeceu a cada integrante da comissão.

Dep. Henrique Eduardo, condecorado pelo TST, em pose com o presidente João Jorge Rodrigues

Charme e simpatia em dose dupla de Olga Portela Hazbun e Soraya Calafange Hazbun

LIEGEBARBALHO.COM

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, foi agraciado em Brasília com a Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho no grau Grã Cruz. A honraria foi concedida ao deputado federal do Rio Grande do Norte pelos relevantes serviços prestados ao país no exercício de 11 mandatos. Henrique recebeu a comenda do presidente do Tribunal Superior do Trabalho, João Jorge Santos Rodrigues.

Homenagem III O presidente da Assembleia Legislativa do RN, deputado Ricardo Motta foi homenageado com a Medalha do Mérito Bartolomeu Fagundes, conferida pela Maçonaria do Rio Grande do Norte. Entre os agraciados estavam também o deputado estadual Walter Alves e a governadora Rosalba Ciarlini, o consultor geral do Estado, José Marcelo, e a procuradora-adjunta geral do Estado, Magna Letícia. Ticiano Duarte, que foi responsável pelo discurso de saudação, ressaltou que o tio do deputado Ricardo Motta, José Quirino da Motta foi um dos fundadores da Loja há 49 anos.

LIEGEBARBALHO.COM

Maria Célia com o filho Renato Andrade, pioneirismo e atuação no CEI Mirassol

No abraço da Blonde e da mamy Salete, Ravena Penna Lima brindando aniversário

Marluce e Antônio Gentil. O empresário foi homenageado em Brasília pelo TST

Gilson Marcelino com sua querida Cléa. Ele celebrando mudança de idade

JOVINHO

Rodrigo Loureiro no abraço das irmãs Gadelha, Vilneide e Vilaine

As matriarcas, Elita Gosson e Lúcia Chalita em evento social

Touro 21/04 a 20/05 Apele para a sabedoria das cores neste domingo, capaz de dar aquele empurrãozinho no bem estar! Tons de rosa e azuis serão ótimos para você, especialmente para equilibrar sua saúde. Nessa semana, precisará estar no pique para enfrentar as demandas.

Gêmeos 21/05 a 20/06 Domingo de encontros e amores, ótimo para espalhar uma aura de encantamento e positividade ao seu redor. Ao seu lado, muitos problemas parecerão pequenos! Leão é o signo que estará a seu favor hoje, contribuindo para um clima de alegria e brindes à vida.

Leão 22/07 a 22/08 No cenário astral de hoje, a pedida é descansar a mente. Aposte em atitudes saudáveis, arranje um tempinho para cuidar de plantas e estar em conversa consigo mesmo. A próxima semana será exigente com suas reservas de energia. Amores do passado fazem refletir.

Virgem 23/08 a 22/09 Aspectos tensos entre Júpiter e Urano dão o tom tenso dos próximos dias. Previdente e exigente, você pode já se preparar: avise que não irá gastar mais do que pode seu orçamento. Máquinas quebram? Adie conserto pra depois de 23/8. Felicidades no amor.

A empresária e educadora Maria Célia Andrade, diretora do CEI Mirassol, anunciando a implantação de um projeto pioneiro na área de educação alimentar em escolas privadas de Natal. Trata-se do “Cantina saudável”. A iniciativa é voltada para a melhoria da qualidade de vida dos alunos, a partir da introdução de uma alimentação equilibrada com acompanhamento na escola de uma nutricionista.

Libra 23/09 a 22/10 Caminhos abertos para um dia agradável, com muitos papos e conversas interessantes com pessoas próximas. Fique sabendo de novidades por meio de um familiar. E a novidade é boa! Encanto e refinamento. Uma decepção com alguém querido será superada.

Escorpião 23/10 21/11 Se você for objetivo, paciente e não passar recibo de pretensos cutucões e críticas de familiares, seu domingo promete ser animado. Apele para os sorrisos, a constância emocional e abuse dos tons claros e das flores suaves. Sonhos reveladores, anote-os.

Sagitário 22/11 a 21/12 Um domingo para descansar mais, fazer tudo devagar e não se expor a acidentes forçando a barra nos esportes! Também não vale provocar alguém próximo e dar provas de falta de tato com essa pessoa; evitará um transtorno. Clima bom para projetar planos para o futuro.

Daniel Martins de Barros, especialista em Psiquiatria Forense do Hospital das Clínicas de São Paulo, estará em Natal para ministrar palestra durante o Seminário de Psicologia e Psiquiatria Forense. O evento será realizado nos dias 13 e 14 de setembro, no Centro de Eventos do Hotel Parque da Costeira.

★ RUIM ★ ★ REGULAR ★ ★ ★ BOM ★ ★ ★ ★ ÓTIMO ★ ★ ★ ★ ★ EXCELENTE ✩ ESTREIA

Júpiter e Urano em tensão até 23/8: esforço para equilibrar finanças. LUA CHEIA em Aquário: 20/8

Assim como ocorre com Touro, você pode se valer do poder das cores, dos metais e da natureza para se equilibrar. Azul e pérola agirão como escudos contra a má vontade e o olho gordo alheio. Mudanças de humor; deixe sua programação bem flexível e livre.

PIONEIRISMO

« CINEMA »

BÁRBARA ABRAMO

Lua e Marte em ângulo tenso indicam possibilidade de confrontos com familiares se agir com impaciência ou bater o pé em assuntos já resolvidos do passado. Esportes leves e arejamento mental são indicados. Libra é o companheiro perfeito para sonhar com mundos melhores.

O médico potiguar Fernando Lisboa acaba de chegar dos Estados Unidos, onde passou um mês realizando estágio na área da cirurgia do câncer do aparelho digestivo, no renomado Washington MedStar Cancer Hospital, em Washington. Ele acompanhou o trabalho de Paul Sugarbaker, que é uma das autoridades mundiais no procedimento cirúrgico do aparelho digestivo.

PSIQUIATRIA

Willy Saldanha, destaque na direção-geral do Detran/RN

Câncer 21/06 a 21/07

O projeto “O Jovem no Trânsito” foi inscrito no XIII Prêmio Denatran de Educação no Trânsito, concurso nacional que tem o objetivo de incentivar os diversos setores da sociedade a refletirem sobre aspectos relativos à segurança, respeito e a cidadania no trânsito. A iniciativa desenvolvida pelo Detran/RN tem como foco a conscientização de jovens e adolescentes entre 13 e 17 anos, destacando a responsabilidade de não conduzir veículo automotor sem a técnica e autorização legal necessárias.

ESPECIALIZAÇÃO

«HORÓSCOPO » Áries 21/03 a 20/04

» VÁRIAS » TRÂNSITO

Ainda em tempo de enviar nossos votos de pesar para o exgovernador Iberê Ferreira de Souza pelo falecimento da sua esposa, Celina. Os votos também são extensivos para as irmãs Ceição e Cleide Maia e demais familiares. O abraço amigo da coluna.

liegebarbalho@tribunadonorte.com.br

Homenagem II

Rafael Motta com o pai, deputado Ricardo Motta, que faz coro de vivas para o filho vereador

Eternidade

Liege Barbalho

»» Homenagem justa e merecida ao jornalista Aluízio Alves, que foi governador do Rio Grande do Norte, entre 1961 e 1965, deputado constituinte em 1946. Cassado pelo regime militar ainda na década de 60, o grande líder potiguar voltou à vida pública em 1990, quando conquistou nas urnas o mandato de deputado federal. Na sua trajetória também assumiu o cargo ministro de Estado em dois governos: da Administração, no governo José Sarney; e da Integração Nacional, no governo Itamar Franco. Nascido em 11 de agosto de 1921, na cidade de Angicos-RN, Aluízio Alves faleceu em Natal, no dia 6 de maio de 2006.

CANINDÉ SOARES

Capricórnio 22/12 a 20/01 Lua em seu signo arma aspecto tenso com Marte, indicando confrontos e embates com as pessoas — do parceiro aos familiares, passando por amigos, você tende a estar suscetível e subjetivo demais. Esforce-se para aquietar a alma e curtir o lado bom de tudo.

Aquário 21/01 a 19/02 Muito sono? Aproveite pra descansar e ficar na sua, observando mais. Ajude pessoas a montar algo bacana. Portas abertas em casa mostram seu poder de atrair e receber bem as pessoas, com total informalidade. Assim, todos se sentem bem. Noite deve ser calma pra refletir.

Peixes 20/02 a 20/03 Diversão com filhos, amores e parceiro, amigos e familiares — mesmo se você mantiver certa discrição, será chamado a palpitar sobre um tema grave. Faz parte de ser generoso ajudar quem não sabe! No amor, despregue, liberte, solte. Observe o comportamento de seu amor.

PERCY JACKSON E O MAR DE MONSTROS (10 anos, legendado/dublado) Moviecom 1. Sessões (dub) 15h40, 18h, 20h20/Moviecom 6. Sessões (leg) 21h15/Moviecom 6. Sessões (dub) 16h50. Cinemark 2. Sessões (3D/leg) 15h10, 22h10/Cinermark 2. Sessões (3D/dub) 12h40, 17h30, 19h50. Para salvar nosso mundo, Percy seus amigos deverão encontrar o poderoso e mágico Velocino de Ouro. Para isso, eles embarcam em uma perigosa odisseia nas águas nunca navegadas do Mar dos Monstros (conhecido pelos humanos como Triângulo das Bermudas). Direção: Thor Freudenthal. VENDO OU ALUGO (14 anos, nacional) Moviecom 2. Sessões 15h20, 19h20/Cinemark 3. Sessões 19h45 (exceto ter/qui). Bisavó, avó, mãe e filha dividem uma casa luxuosa próxima de uma favela, que elas não podem mais manter. Com a pacificação, na favela, possíveis compradores começam a aparecer, mas, durante uma visita, começa um tiroteio, e todos ficam presos dentro da casa. Direção Betse de Paula. OS ESCOLHIDOS (14 anos, dublado) Moviecom 2. Sessões 17h15, 21h15. Daniel e Lacey levam uma vida pacata no subúrbio, até que seu filho Jesse passa a agir de maneira estranha e

paranormal. A partir daí a vida de todos começa a mudar e uma série de acontecimentos misteriosos passam a fazer parte da rotina da casa. A família terá que lutar pela sua sobrevivência. Direção: Scott Stewart. ✩ OS INSTRUMENTOS MORTAIS – CIDADE

DOS OSSOS (12 anos, dublado) Moviecom 2. Sessões 21h15 (só qua/qui)/Cinemark 5. Sessões 22h20 (só qua/qui) Quando sua mãe Jocelyn é atacada e levada de sua casa em Nova York por um demônio, Clary Fray, uma garota aparentemente normal, sai em sua busca em uma Nova York cheia de demônios, magos, fadas, lobisomens e outros seres fantásticos. Para ajudá-la, Clary conta com os amigos Simon e o caçador de demônios Jace Wayland, mas acaba se envolvendo também em uma complicada paixão. Direção: Harald Zwart. MEU MALVADO FAVORITO 2 (Livre, dublado) Moviecom 3. Sessões 14h15/ Cinemark 3. Sessões 12h50. A mente do crime Gru volta a ter pela frente seu inimigo Victor, enquanto tenta lidar com outro super vilão, El Macho, que possui um filho chamado Machito. A direção é de Pierre Coffin e Chris Renaud, e o roteiro foi escrito por Ken Daurio e Cinco Paul.


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

tnfamília

» LYZ É CIDADÃO »

Nossa Paróquia...

Será realizado o 2º Baile do Pediatra, no La Mouette Recepções no próximo dia 23 de Agosto, as 23h, com a Orquestra Metamorfose.O Baile é aberto as outras classes médicas e afins, a Sociedade de Pediatria não tem fins lucrativos e está precisando angariar fundos para a realização de alguns projetos. Reserva de mesas ma SOPERN3211 4990. A entidade é presidida por Nivaldo sereno de Noronha Júnior

Parabéns para vocês Ranier Rocha Nunes, Alexandre Dias, Karley Pandoffi, José Romualdo Dantas Vitas, Mylene Gondim Alves, Miriam de Sousa... Segunda-feira: Gladys Fernandes, Luiz Arnaud Soares Flor, Sânzia Bezerra Nelson, Ritinha Gurgel, Juleska Azevedo, Welkey Costa, Narjara Medeiros, Venessa Lopes, Sérgio Costa, Berenice Capuxu Roque, Sumaya Lima e Silva Scollet, Kátia Matoso, Geraldine Marinho Melo Dias, Valéria Miranda ...Terça-feira: Candice Motta Azevedo Timeni, Pedro Henrique Tinoco Barreto, Luiza Vilas Boas Farache Moura, Adriana Alves, Lúcia Marinho, Janine Faria, Tércio Flor, Robson Coelho, Sérgio Roberto Freire, Rubens Lemos Filho ...Quarta-feira : Pedro Henrique Gimenez Alves, Adriano Galvão Pereira, Cândido Fagundes Caldas, José Henrique Bittencourt, Marilene Santini, Margô Santarone, Ezequiel Souza Lima, Kelly Barros, Karen Medeiros, Heroaldo (Dunga)e Janaira Bulhões

Lyz e sua muda Luzinete

Lyz com os amigos José Rocha e Nelson Freire

» FOTO LEGENDA » No Café Di Maria ...Manhã de sábado com as escritoras Constância Lima Duarte e Diva Maria Cunha Pereira de Macêdo, autografando Antologia “Escritoras do RGN”.Uma manhã de reencontro de amigos, de imortais e da intelectualidade tupiniquim. NA Casa Café Di Maria com seus sabores e drinks brindando o encontro “DE LETRAS EM PROSA E VERSO”... de Diva e Constância.

Diva Cunha e Constância Duarte

Família Cunha e Melo

hilnethcorreia@tribunadonorte.com.br

Pediatras em festa

Agendado

Em final de tarde Lyz Noga recebeu o título de Cidadão Natalense e registrou emocionado a parceria de sua amada Luzinete, da filha Marilu e da netinha Luiza. Agradeceu aos vereadores Chagas Catarino e George Câmara. A Genivaldo Fernandes, responsável indireto por minha indicação . Registrou a importância do eterno presidente rubro-negro José Rocha com quem começou sua historia musical em Natal no América F. Clube e muito bem lembrou do Governador Cortez Pereira responsável pela volta do Rio de Janeiro a Natal, com a festa do Reencontro. Pois é , sempre estive ao lado do amigo e cantante. Peça importante na nossa música e palcos.Foto (Do Blog de Daltro Emerenciano)

Hilneth Correia

Depois da reforma da Capela de São Judas Tadeu a comunidade de Petrópolis e Tirol une-se na reforma e climatização da Igreja de Santa Terezinha. Em todo o entorno da igreja haverá grades de proteção, não deixando todos expostos e será realizada uma nova pintura. Os serviços tiveram início e precisa contar com todos os que fazem o bairro, principalmente os empresários da região. Os fiéis já estão dando sua contribuição. Teremos Parabéns ! A semana começa com aniversário do nosso pároco Pe. Charles e sem dúvida teremos o “parabéns” com missa festiva às 19:30 e coquetel no salão com griffo de Sônia & Milvia.

Nassaro e Betinha

E lá estava o nosso dep. Mineiro

Mesa pilotada pelo prof. Geraldo Batista

A coleguinha Paula Frassinetti, Alba, Tia Non e Margarida a “velha Redinha”...

« CINEMA »

7

*A banda NX Zero realiza seu show acústico neste domingo, às 18h, no Teatro Riachuelo. A abertura ficará a cargo do músico potiguar André Rangel e banda. O projeto traz músicas novas e grandes sucessos...*O Teatro Riachuelo recebe nesta quarta, às 15h30, o espetáculo “A Pescadora”, que faz parte do projeto “Lendo, pintando e cantando Câmara Cascudo”. O texto é de Celeste Borges. Ysnara Almeida assina convite para a I Mostra Artefacto que vai reunir 12 tops profissionais de decor na cidade. Evento com convite impresso, dia 28 das 18 às 22h

Na Praia de Pipa no RN Começa nesta quinta-feira( 22) e prossegue até domingo o Fest Bossa & Jazz. Evento de música instrumental, do Jazz, do Blues e da Bossa Nova no estado do Rio Grande do Norte e região. As atrações desta edição reúne nomes como:o violonista e compositor argentino/espanhol de World Music, Sebastián Pitré, o cantor e compositor Ivan Lins, cantora e compositora santista Babi Mendes, o compositor, intérprete e norte-americano J.J.; Stanley Jordan, que tem sido um dos mais influentes e reconhecidos músico do chamado “Jazz Moderno”, além do ganhador do Grammy, Peter “Madcat” Ruth é um dos maiores gaitistas de blues do cenário mundial, entre outros nomes. Aplaudir Jussara Figueiredo .. Vale o registro : tudo isto só foi possível devido às Leis de Incentivo à Cultura, Municipal e Estadual em 2010, e Estadual em 2011, 2012 e 2013, e ao patrocínio de empresas como a Oi, através do Projeto Oi Futuro, que pelo 4º ano consecutivo acredita e viabiliza este projeto e a Cosern que, mantendo a tradição de ser a empresa que mais investe na cultura potiguar, torna-se patrocinadora do Fest Bossa & Jazz pelo primeiro ano. “Alô, alô Terezinha”. Com o tema “Discoteca do Chacrinha”, o Grupo de Apoio à Criança com Câncer, GACCRN, promove no sábado, dia 24, na AABB, o Sétimo Brega Solidário, cuja renda servirá de apoio para a manutenção da entidade. A festa tem início a partir das 21h com shows de Dodora Cardoso, Michele Lima, João Ceará, Carlos Alexandre Júnior, Jonas Linhares, Silvana Martins e a DJ Lari Costa.

Os escolhidos: suspense alienígena

★ RUIM ★ ★ REGULAR ★ ★ ★ BOM ★ ★ ★ ★ ÓTIMO ★ ★ ★ ★ ★ EXCELENTE ✩ ESTREIA

CÍRCULO DE FOGO (12 anos, dublado/legendado) Moviecom 3. Sessões (dub) 16h20, 19h, 21h40/ Cinemark 5. Sessões (leg) 22h20 (exceto qua/qui)/Cinemark 6. Sessões 3D/leg) 16h, 21h40/Cinemark 6. Sessões (3D/dub) 13h10, 18h50. Quando legiões de criaturas monstruosas, conhecidas como Kaiju, começaram a emergir do mar, iniciou-se uma guerra que acabaria com milhões de vidas e consumiria recursos da humanidade por anos a fio. Para combater os gigantes Kaiju, um tipo especial de arma foi criado: robôs gigantes, chamados de Jaegers, controlados simultaneamente por dois pilotos que têm suas mentes trancadas em uma ponte neural. Um esquecido expiloto e uma inexperiente aprendiz se juntam para comandar um lendário Jaeger do passado. Juntos, eles representam a última esperança da humanidade contra o apocalipse. Direção Guillermo del Toro. ✩ GENTE GRANDE 2 (12 anos,

dublado/legendado) Moviecom 4. Sessões 14h45, 17h, 19h15, 21h30/Cinemark 1. Sessões (leg) 11h40 (só sab/dom), 14h, 16h20, 18h40, 21h, e 23h20 (sab). Os quatro amigos de infância (Adam Sandler, Chris Rock, Kevin James, David Spade) voltam a se reunir,

anos depois, em um final de semana com suas esposas e filhos. Lenny (Sandler) se mudou com sua família para a pequena cidade onde ele e os amigos cresceram. Mas desta vez são os adultos que irão aprender valiosas lições com seus filhos em um dia cheio de surpresas: o último dia de aula. Direção: Dennis Dugan. O CONCURSO (12 anos, nacional) Moviecom 5. Sessões 14h40, 19h25/Cinemark 4. Sessões 13h, 17h10, 19h20, 21h30, e 23h40 (só sáb) Quatro finalistas para uma vaga de juiz federal se conhecem no credenciamento e ficam amigos. Durante um fim de semana antes da prova, que deveria ser de descanso, situações hilárias e inimagináveis acontecem. Com Danton Melo, Fábio Porchat, Sabrina Sato, Carol Castro, Anderson De Rizz. Direção Pedro Vasconcelos. WOLVERINE: IMORTAL (14 anos, dublado/legendado) Moviecom 5. Sessões (dub) 16h40, 21h25/Cinemark 7. Sessões 13h20, 16h10, 19h, 22h. No segundo episódio da franquia protagonizada pelo herói mutante, o X-man Wolverine viaja ao Japão para treinar com um mestre samurai. Logan, recluso no Japão, encontrará

uma misteriosa figura de seu passado que deixará marcas no herói para sempre. Direção: James Mangold. OS SMURFS 2 (Livre, dublado) Moviecom 6. Sessões (3D) 14h35, 19h10/Moviecom 7. Sessões 14h20, 16h35, 18h50, 21h05/Cinemark 5. Sessões 12h55, 15h20, 17h40, e 20h (exceto qua/qui)/Cinemark 7. Sessões (3D) 11h (só sab/dom). Após fracassar em sua caça aos Smurfs em Nova York, Gargamel partiu para Paris e lá se tornou um sucesso, sendo considerado o maior mágico do mundo. Entretanto, por trás dos shows lotados que faz na Opera está um plano para capturar os pequenos seres azuis. Não demora muito para que Papai Smurf organize uma nova expedição rumo ao mundo real, com o objetivo de resgatar Smurfette das garras do bruxo perverso. Direção Raja Gosnell. ANTES DA MEIA-NOITE (14 anos, legendado) Cinemark 3. Sessões 19h45 (só ter/qui) Depois do último encontro em Paris, Celine e Jesse se encontram novamente por acaso na Grécia. Esse reencontro promete selar para sempre o destino desse casal. Direção: Richard Linklater.

✩ FLORES RARAS (12 anos, nacional)

Cinemark 3. Sessões 14h50, 17h20, 21h50. O Brasil nos anos 50/60 passa por grandes transformações. É quando Elisabeth Bishop (Miranda Otto), poetisa americana, chega para conhecer o Rio de Janeiro e passar alguns dias com Lota de Macedo Soares (Glória Pires) mulher forte e empreendedora da sociedade carioca. Com personalidades à frente de seus tempos, elas estabelecem uma relação pessoal gerando muitas conquistas e perdas, que se refletem até os dias de hoje. Direção Bruno Barreto. ★ ★ ★ MINHA MÃE É UMA PEÇA (12 anos, nacional) Cinemark 4. Sessões 15h. Dona Hermínia (Paulo Gustavo), uma mulher de meia-idade, aposentada e sozinha, tem como preocupação maior procurar o que fazer. Para uma mãe dedicada, a preocupação com os filhos é sempre uma ocupação. Mas os filhos de Dona Hermínia cresceram e agora ela está entediada. Sem um trabalho ou um companheiro, a nada simpática Dona Hermínia passa seu tempo desabafando com a tia idosa, a vizinha fofoqueira e a amiga confidente. Direção: Andre Pellenz.

Filho caçula de uma família norte-americana de classe média começa a ver amigos invisíveis de madrugada pela casa e atribui a eles estranhos acontecimentos. A trama remete a clichês de filmes de suspense, mas a incerteza do que ainda está por vir consegue prender o espectador na poltrona. Na verdade, as coisas não vão nada bem para os Barrets... Daniel está desempregado e Lacey começa a perder clientes em seu emprego de corretor imobiliário. Quando a noite chega, o pequeno Jesse começa a ficar estranho e conversar com quem ele chama de “o homem de areia”, que, segundo a criança, é o responsável pelas esquisitices. A essa altura, o clima de paranormalidade já está instaurado e várias incertezas começam a surgir. Só mais para frente que começam aparecer respostas, pelo menos para quem assiste ao filme. Quem esperava por fantasma, se deparar com a ação dos “cinzas”. Abdução? (I.R)


8

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 18 de agosto de 2013

tnfamília NEWS ::::::::::::::

01: Vestido Patrícia Bonaldi para o Espaço Tereza Tinoco, acessórios Milla costa e Sapatos Carmen Steffens

Em clima de balneário o verão 2014 da Toli vem com tudo. A nova campanha que já começa aparecer traz a atriz Flávia Alessandra como “star” para esta estação. A marca coloca em destaque a tendência geométrica que marca presença na coleção, assim como o Black&White. Outra aposta da Toli é a linha Jeans Cool, com vestidos, saias, tops, calças e blazers em diferentes tons. Confira!

02:Vestido Ellizabeth Marques para Guilhermina,acessórios Milla Costa, e sapato Zefferino para o Espaço Tereza Tinoco 03: Vestido Juraci Lira e acessório Milla Costa 04: Vestido Guilhermina, sapato Zefferino para o Espaço Tereza Tinoco e acessórios Milla Costa

O presidente da rede de fast fashion Riachuelo, Flávio Rocha, anunciou está semana através da sua conta no Instragram uma grande novidade da marca. Vem aí a primeira lojaconceito da marca em um dos endereços mais charmosos do país, a rua Oscar Freire, em São Paulo. A data prevista para a abertura é no final de novembro. E olha, em primeiríssima mão adiantamos que a “label” fará uma grande surpresa: uma parceria quíntupla. Promete!

05:Vestido Tereza Milazi para Guilhermina, sapato Zefferino para o Espaço Tereza Tinoco, e acessórios Milla Costa 06: Vestido André Lima para o Espaço Tereza Tinoco, sapatos Carmen Steffens

MISS GLAM Ela é advogada, modelo, tem 24 anos, 1,73m, e medidas perfeitas... Eis, Cristina Alves a nova Miss Rio Grande do Norte. Eleita recentemente, a nossa Miss já é apontada como uma das favoritas para o título máximo da beleza nacional. Assim sendo, sua responsabilidade só aumenta, tendo em vista também que o nosso estado vem sendo apontado como grande celeiro de belas mulheres. E Cris, como é carinhosamente chamada pelos amigos, sabe muito bem o que tem à fazer. Um dos quesitos que “nossas misses” sempre tiram nota 10, é no guarda roupa e na elegância de se vestir. Ano passado por exemplo, Kelly Fonseca foi considerada a candidata mais bem vestida do Miss Brasil. Sabendo bem disso, fizemos esse ensaio especial para mostrar a linha de vestidos preferida da candidata potiguar: leveza, transparências, sensualidade, e como não poderia deixar de ser brilhos.Brilhos das pedras e paetês bordados manualmente. Curtos médios ou longos. O “dress” das misses tem que ser naquela linha, vestida para arrasar!

O estilista Fause Haten reunirá designer, amigos e formadores de opinião para a abertura da sua exposição inédita “O Maravilhoso Mundo do Dr. F”, onde revelará peças de seu aplaudido desfile da última SPFW. São Marionetes e roupas de alta-costura em miniatura, que serão mostradas pela primeira vez ao público de São Paulo. A abertura foi na quarta-feira, 14, no Morumbi Shopping com a “discotecagem” de Johnny Luxo. A exposição ficará aberta ao público no período de 15 e 25 deste mês. A Maison Tráfego da “mammy” Zoraide Azevedo está com novidades nas suas araras. A coleção verão 2014 do estilista mineiro Victor Dzenk. A loja também se prepara para receber as coleções do verão de Renata Campos e Wagner Kallieno. Show!! A Stalker inicia esta semana seu Mega Bazar. A liquidação especial de meia estação prevê 50% de desconto em várias peças como: calças, bermudas, camisas, meias, sapatos, sandálias e cintos da coleção “Outdoor”. O Bazar Stalker acontece na loja do Mossoró West Shopping e nas do Cidade Jardim, Natal Shopping, Midway, Norte Shopping e CCAB Petrópolis.

Foto: Alex Costa; Direção: George Azevedo Beleza: Nil Barbosa (Sinval de Souza); Modelo: Cristina Alves (Tráfego Models); Styling: equipe Glam Agradecimentos Gabriel Terceiro, Max Almeida, Yasser Daud, Guilhermina, Milla Costa,Tereza Tinoco, Juraci Lira e Carmen Steffens.

Está marcado para o próximo dia 28 de agosto a 42º edição do Senac Moda Informação. O evento, que tem como editor geral Renato Shibukawa, será realizado no Teatro Bradesco, localizado no Bourbon Shopping, em São Paulo. Por lá, os consultores do evento apresentarão as tendências de inverno que movimentarão o varejo de moda em 2014. Imperdivel!

Tribuna do Norte - 18/08/2013  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you