Page 1

» OS CLASSIFICADOS DA TN CIRCULAM HOJE COM 2.722 ANÚNCIOS E 16 PÁGINAS

Ano 63 • Número 084 • Domingo, 30 de junho de 2013

FUNDADOR: ALUÍZIO ALVES - 1921 - 2006

55,2%

De quem é a responsabilidade pelo estado em que se encontra o Brasil e que levou o povo às ruas para protestar?

Das reivindicações apresentadas, qual delas, é a mais prioritária e urgente?

da população da Grande Natal se sentiu representada nas manifestações, apesar de apenas 7,22% ter ido aos protestos de rua

62,4%

16,70%

10,91%

Outros

Passe livre para estudantes

12,84%

Exclusivamente da presidenta Dilma Rousseff

27,68%

3,30%

6,15%

Outros

Não respondeu

Votar nos de sempre

17,36%

20,55%

Não sabe ainda

Discordância com gastos para a Copa

afirmam que estão mais otimistas quanto ao futuro do Brasil e 46,9% disseram que mudaram essa expectativa após as manifestações

Na eleição em 2014, o Sr. vai votar nos candidatos de sempre ou vai adotar novos critérios?

30,34%

Maior controle nos gastos públicos

21,51%

Maior rigor para crimes de corrupção

49,12%

Dos governos Federal, Estadual e Municipal

10,27%

Do poder Judiciário, que não pune com rigor os corruptos

73,19%

Vai adotar novos critérios

Manifestações deixam o natalense mais otimista « EXCLUSIVO » As manifestações populares das últimas semanas mudaram a expectativa quanto ao futuro do Brasil e deverão influir em novos critérios para a escolha de candidatos nas eleições de 2014. Os entrevistados para a pesquisa Certus/TRIBUNA DO NORTE sobre os protestos, querem controle dos gastos públicos, punição rigorosa para corruptos e investimentos em Saúde, Educação e Segurança como prioridades. « PÁGINAS 3 A 5 » JEFFERSON BERNARDES/VIPCOMM

geral

A corrupção como crime hediondo

Lei do Senado torna corrupção um crime hediondo e recebe elogios. Mas, nestes casos, o mais importante é a punição dos culpados. « PÁGINAS 9 E 10 »

colunistas Woden Madruga O Governo e o mau uso da terra pelos projetos de reforma agrária. « PÁGINA 2 »

Eliana Lima Buraco e lixo formam o cenário de Caicó às vésperas da festa de Sant'Ana. « NATAL 10 »

tn família Tão perto, tão distante das redes sociais Consideradas as novas ferramentas da socialização do mundo digitalizado, as redes sociais não têm a unanimidade e há quem viva sem elas. « TN FAMÍLIA 1 E 3 »

« ECONOMIA » Governo quer reaver áreas não ocupadas por indústrias

ARRIMO DE

família A “Família Scolari” tem o paizão Felipão, mas na decisão de hoje às 19h, no Maracanã, contra a favorita Espanha, depende, mais que nunca, da categoria de Neymar para ficar com o título da Copa das Confederações. Os espanhóis apostam na técnica de Iniesta e Cia.

O Governo estadual quer reaver áreas cedidas e não ocupadas nos distritos industrias da área metropolitana de Natal. Novas empresas têm interesse, mas as que estão no local reclamam da falta de infraestrutura. « ECONOMIA 1 E 3 »

« AEROPORTO » Distância entre novo terminal e polo hoteleiro é a maior do NE

A decisão será transmitida ao vivo pela TV Globo e Rádio Globo Natal. Uruguai e Itália também terão transmissão, a partir das 13h « ESPORTES 1 A 4 »

O deslocamento entre o aeroporto de São Gonçalo e a Via Costeira vai demorar, em média, 1h10. Os taxistas ainda não sabem quanto vão cobrar pela viagem. O percurso é o maior entre os aeroportos de capitais do Nordeste . « NATAL 3 »

tv revista Bial, o incitador de discussões na TV Enquanto o debate político e social esquenta pelas ruas e palácios do Brasil, Pedro Bial segue incitando discussões em nova temporada.

e mais Datafolha mostra queda na aprovação de Dilma

« RTV 2 E 3 »

« PÁGINA 6 »

Cratera engole pista na av. João Medeiros Filho « PÁGINA 8 »

Hamilton larga na frente no GP da Inglaterra

faltam

347

DIAS PARA A COPA

76

TOTAL DE PÁGINAS DESTA EDIÇÃO: páginas

FALE CONOSCO: PABX: Redação:

Assinaturas: 4006-6100 Venda avulsa: 4006-6113 Comercial:

4006-6111 Classificados: 4006-6103 Circulação: 4006-6173 Reclamações:

« PÁGINA 8 » 4006-6161 4006-6103 4006-6111

SITE: www.tribunadonorte.com.br REDAÇÃO (pauta): pauta@tribunadonorte.com.br

NO FACEBOOK

facebook.com/tribunarn

NO TWITTER

@tribunadonorte

PREÇO DESTA EDIÇÃO:

R$ 2,50


2

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

Jornal de WM WODEN MADRUGA [ woden@terra.com.br ]

opinião

É a confusão AGNELO ALVES Jornalista

As diferenças no campo

A notícia de que o Governo de Brasília zerou o imposto de importação de feijão de países fora da área do Mercosul coincidiu com a chegada de uma carta do velho Anselmo Saldanha, agricultor e criador de boi nos sertões da Paraíba, fazendo divisa com o Rio Grande do Norte, na qual trata do mau uso da terra pelos projetos do governo na reforma agrária. Terras que deveriam produzir, mas não produzem.

A notícia da importação do feijão, prato base da alimentação do brasileiro, pode ter causado surpresa a muita gente, mas é uma realidade que existe, por mais que pareça estranha, há anos. E aparenta mais estranha ainda quando se sabe que boa parte do feijão preto que é vendido nos supermercados, nas mercearias e nas feiras livres do Brasil vem da China, como está contado na coluna de sexta-feira passada, repercutindo a decisão da Câmara de Comércio Exterior (Camex) zerando o imposto de importação do produto que é de 10%. A eliminação do imposto é - dizem os técnicos do Ministério da Fazenda - para aumentar a oferta do produto e, com isso, aliviar a pressão inflacionária. Há muito tempo que o Brasil importa feijão dos países da América do Sul. Agora, o parceiro mais forte é a China, que representa 31% das compras feitas pelo Brasil lá fora. O arroz, que divide com o feijão e a farinha de mandioca o mesmo espaço na alimentação básica do brasileiro, o prato de todos os dias, também é importado em muita quantidade de países asiáticos (incluindo o Vietnã) e de nossos vizinhos, como a Argentina, o Uruguai e o Paraguai. Também importamos arroz dos Estados Unidos. As importações não ficam apenas na área dos cereais, das leguminosas, das gramíneas. Mesmo sendo o maior exportador de carne bovina do mundo, aqui e acolá o Brasil importa grandes quantidades carne desossadas da Argentina, do Uruguai e também da Austrália, isso sem falar nos cortes de carne de ovinos do Uruguai e da Nova Zelândia. O Brasil dispõe de todas as condições de ser, como acontece como gado bovino, um dos maiores exportadores mundiais de carne de ovinos e caprinos. Mas isso é outra história. Como é outra história – e legítima – a do velho Anselmo Saldanha, lá se vão 87 anos na corcunda (entre secas e invernos), como ele conta na carta postada na Fa-

zenda Timbaúba, no dia 23, véspera de São João com muitas fogueiras pelos terreiros do município de Souza: “Amigo Woden: Vou falar de um assunto que preocupa a classe produtora e também o País: Reforma agrária. A finalidade do assentamento de pessoas no campo é de produzir para o seu sustento, entretanto, a forma como fazem é alistamento de desocupados, recrutado na periferia das cidades que, de terra, só conhecem a das unhas. Como deveria ser a reforma agrária, pacífica e com a finalidade de ocupar a terra para pessoas que queiram realmente trabalhar e produzir nela? Criar uma comissão paritária em todos os municípios, constituída por autoridades, tais como o prefeito, o juiz, o promotor, os vereadores, delegado, padre, o diretor do grupo escolar, etc., que deveriam supervisionar a lista dos futuros assentados, com a obrigação de que, para se alistar, o cidadão tem de apresentar o documento de identidade que comprove ter nascido no município do alistamento. Depois, procurar saber das propriedades expostas à venda e que o Incra possa escolher as melhores para desapropriação e aí faça o assentamento dos alistados, distribuindo os lotes. Que o assentado, recebendo a terra, terá um prazo de cinco anos para tornar produtivo o seu lote. Caso não consiga, devolveria o lote ao Incra que colocaria outro assentado em seu lugar. Entretanto, a reforma agrária que se vê hoje no Brasil, cujo modelo tem outra finalidade, não tem oferecido resultados positivos. São assentamentos improdutivos na sua grande maioria e com o governo gastando milhões de reais. Jogando dinheiro fora. O assentado comprando feijão preto chinês com as “bolsas” de Brasília. Como diria doutor Eloy de Souza, reafirmo “respeitador e criado”. Anselmo Saldanha”

Jacinto Canela de Ferro Por falar em Eloy de Souza, esta semana andei relendo suas Cartas de um desconhecido, assinadas com o pseudônimo de Jacinto Canela de Ferro, e publicadas no jornal “A República”, nos anos de 1914 e 1915. Estas cartas foram selecionadas pelo escritor Raimundo Nonato da Silva e compõem o livro Cartas de um desconhecido, editado pela Fundação José Augusto em 1969, com prefácio e notas do próprio Raimundo Nonato. Destaco trecho de uma carta na qual Eloy de Souza (Jacinto Canela de Ferro) conta de uma conversa sua com o velho Goteira, que era uma espécie de “correio” por terras do Seridó. Do escrito do doutor Eloy faço uma associação com o que pensa o velho Saldanha sobre os desacertos da reforma agrária. Às folhas tantas, es-

creveu Jacinto Canela de Ferro: “Menos chuvoso do que outros sertões, o Seridó pode, graças a perseverança dos seus filhos defender-se contra a calamidade das secas. Possuindo terras agrícolas em pequena quantidade, produz, entretanto, o bastante para suprir as suas próprias necessidades e muitas vezes ainda vender as sobras do seu consumo, a municípios ricos em terras de plantação. A sua habilidade conseguiu fabricar um queijo conhecido hoje em todo o Brasil, assim como da sua atividade resultou a criação de um algodoeiro não só mais resistente como o de melhor qualidade conhecida no País. O velho Goteira é de opinião que o Seridó, pelo que ele tem ouvido contar é um verdadeiro São Paulo.”

Poesia

“Das pedras carrego o intransitável... / Rebelião de ruas em pedras soltas / Homens sob chuvas numa guerra de assoalhos / E eu machucando os pés em tempos de desamor. // Ruas calçadas! / Alma refeita! / Doce é o amor que escorre entre sonhos e alegres falas. / Águas claras que escoam livres por novas calhas.” (Do poema ‘O destino das pedras’, da poeta seridoense Ana de Santana, em seu livro Danaides inventário de signos)

Empresa Jornalística Tribuna do Norte Av. Tavares de Lira, 101 - Ribeira - Natal/RN CEP: 59010-200 Fone: (PABX) 4006-6100 Fax: (0xx84) 4006-6124 Endereço eletrônico: www.tribunadonorte.com.br

Diretor Presidente: Henrique Eduardo Alves Superintendente: José Roberto Cavalcanti Diretor Adm. e Operações: Ricardo Luiz de V. Alves Diretor Financeiro: Agnelo Alves Filho Diretor de Redação: Carlos Peixoto cpeditor@tribunadonorte.com.br Gerente Comercial: Eliane Rocha Gerente de Marketing: Andréia Barandas Gerente de Circulação: Thales Vilar

onstituinte geral ou irrestrita? Constituinte específica para votar à Reforma Política? Que Reforma Política? Diminuir o número de deputados federais, estaduais, vereadores, senadores? Acabar com a reeleição para presidente da República, governadores estaduais, prefeitos municipais? Reduzir os mandatos de presidente, governadores e prefeitos? A confusão está estabelecida nos palácios para enfrentar e satisfazer a outra confusão que emana das ruas que ninguém está entendendo, nem os líderes políticos e nem – imaginem – os doutos. Cada um tem seus medos, seus receios e até suas causas e coisas. De verdade “verdadeira”, a confusão está estabelecida nos palácios. Pior ainda. Ninguém está desconfiando que essa confusão nos palácios com a multiplicidade de interesses, medos, te-

C

Brum

ses, coisas e causas é que desencadeou o maior movimento popular – maior do que o das “Diretas Já” que tinha um só objetivo: o direito do povo eleger seus governantes e representantes na organização política institucional do país. A confusão que exala das ruas de todas as cidades brasileiras tem múltiplas causas. Começou contra o preço das passagens dos transportes coletivos. Somou com os problemas nas áreas da saúde, da educação, da segurança, acrescidos à indignação com a corrupção e a impunidade. Enfim, a insatisfação está generalizada, somada com tudo que é causa e conseqüência de “um tudo” que pode ter um resumo com o nome de “MAZELA”, o despreparo do serviço público. A situação também resulta da má qualidade da representatividade política e vai por aí, numa listagem sem fim. E se a confusão é generalizada, qual é a solução? Antigamente era, supostamente, a in-

tervenção dos golpes militares. Nos tempos mais recentes, os militares, cansados de dar golpes nas instituições e entregar o poder aos civis, implantaram os Atos Institucionais e assumiram, eles próprios, o poder até que o povo irredento foi para as ruas querendo as eleições diretas – “Diretas Já” – em vez do simulacro dos “colégios eleitorais” com os “eleitores” escolhidos a dedo e impostos como “sócios” da Nação. Malogrado pelo Congresso Nacional que desaprovou as “Diretas Já”, o povo voltou às ruas e com Tancredo/Sarney estabeleceu a Constituição de 1988 que vigora atualmente. Por que essa Constituição não pode ser reformada, sequer? Só pelos deputados e senadores? Os políticos da liderança e os doutos não querem. Preferem, então, a confusão? Perigoso, muito perigoso. As manifestações nas ruas brasileiras não param. Antes aumentam no volume e nas reivindicações. Paralisá-las agora, só

violando a Constituição garantidora dos direitos que todos os manifestantes têm como portabandeira legitimamente.

ConfusãoII

Também os manifestantes devem organizar uma agenda com suas reivindicações para não passarem a idéia que também estão confusos. Tudo está muito difuso e, como tal, confuso.

Hoje?

Qual o placar de hoje para Brasil x Espanha? Sem palpite, exceto quanto à vitória da Seleção Brasileira. Lembrai-vos de 1950, quando o Uruguai virou o jogo e venceu, conquistando o Campeonato Mundial em pleno Maracanã.

A pensar

O Data Folha publicou, ontem, uma pesquisa com a queda de 27 pontos, em três semanas, do Governo Dilma Rousseff. Ela caiu de 57 pontos para 30 pontos.

Cartas

[ www.rabiscosdobrum.zip.net ]

Passe livre Interessante que, apesar da proposta vir de políticos da oposição radical, ela continua a ser imoral. Será que estes sábios senhores e senhoras não aprendem que tudo o que se retirar do mercado, ele responde com aumento nos preços de seus produtos? Por que eles não abrem mão de seus altos salários para custear este aumento? Façam isso senhores revolucionários, comecem dando o exemplo. enoquepaulino@gmail.com

Passeata: uma reflexão necessária NEY FIGUEIREDO Consultor Politico.Diretor do CEPACCentro de Pesquisa Análise e Comunicação

ualquer observador mais atento vai concordar que,tendo em vista a quantidade de informações à disposição da presidência da República,a ABIN(Agencia Nacional de Inteligencia),o marqueteiro de Dilma,João Santana e os institutos de pesquisas falharam. Em 13 de junho deste mês o IBOPE revelou que 71% dos entrevistados aprovavam a maneira da presidente Dilma governar.Na ocasião,não foi detectado nenhum descontentamento popular.Falhou a metodologia,as perguntas estavam equivocadas ou não se fez a análise correta dos resultados? Na mesma época dados importantes revelados pelo DataFolha sôbre as instituições não foram levados em consideração:

Q

Plano de melhoria Brasil SP

fundamental 48% 34% médio 36% 42% superior 16% 24%

Av. Paulista 2% 20% 78%

Isto quer dizer que,não obstante os índices de aprovação de Dilma,nenhuma instituição,inclusive a presidência da República, saia bem na foto. É importante prestar atenção em quem eram os manifestantes de rua:a maioria era jóvem e,segundo os institutos de pesquisas,tinham a seguinte escolaridade: Classificados Redação Fax Venda Avulsa Assinatura Natal Reclamações Natal ASSINATURA Mensal (à vista) Semestral (à vista) Anual (à vista)

4006-6161 4006-6113 4006-6124 4006-6100 4006-6111 4006-6111 R$ 43,00 R$ 258,00 R$ 516,00

Prestígio das Instituições Presidência e Ministérios Part.Politicos Cong. Nacional Poder Jud. Forças Ar.

2003/dez.

2013/jun.

51%

19% (-32%)

31%

16% (-15%)

30% 38% 44%

12% (-18%) 20% (-18%) 27% (-27%)

Há 10 anos no poder,o PT e outras agremiações de esquerda afastaram-se das demandas da sociedade,principalmente da juventude.Nas últimas eleições os 20% de eleitores que votaram em branco ou nulo,eram jovens na sua maioria.Quem chegar agora nas manifestações não vai ser bem recebido. Resta saber para onde vamos. Ficou comprovado o impressionante poder da Internet como instrumento de mobilização social,que funciona quando existe um sentimento comum na sociedade sobre os temas a serem defendidos. Tendo em vista que os manifestantes obtiveram vitórias imediata,como a queda da tarifa de ônibus nas grandes cidades,daqui por diante vamos ter maior conscientização da população quanto aos seus direitos,principalmente no que se refere a serviços:transporte público,saúde ,educação,segurança etc...Haverá,sem dúvida,maior transparência no trato da coisa pública.Vai ser exigido pela sociedade um maior combate a corrupção e ao mal uso dos recursos do estado.Está havendo uma consciência,graças ao trabalho persistente dos meios de

PREÇO DO EXEMPLAR Rio Grande do Norte 3ª a Sábado Domingo Outro Estado 3ª a Sábado Domingo

comunicação,inclusive Internet,o quanto o Brasil poderia ter melhorado na qualidade de transportes,estradas,portos,aeroportos,ferrovias nos ultimos 10 ou 15 anos,caso apenas uma parte da brutal carga tributária tivesse sido melhor utilizado pelo poder público.Há uma consciência na sociedade que com o dinheiro arrecadado a mais nos últimos anos poderíamos ter melhorado nossos niveis de educação,saúde,segurança e dotado o país de uma infra-estrutura que possibilitasse o crescimento do PIB em ritmo mais acelerado,diminuindo o absurdo “custo Brasil”. Certamente,teremos impacto no quadro político e econômico.A sucessão passa a ser uma incógnita.Pressionada pelos acontecimentos,Dilma pode optar por mudanças na sua equipe econômica.Veremos o dólar elevar-se para outro patamar,com impactos inevitáveis sobre a inflação.Na outra ponta teremos a taxa de juros subindo na tentativa de conter as pressões inflacionárias.E o povo pode voltar às ruas a qualquer momento,caso não haja uma correção de rumo na forma de conduzir o país.O estopim pode ser qualquer um.,como a não ida para a cadeia dos réus condenados no “mensalão”. As propostas da presidente Dilma,logo após a reunião com governadores e prefeitos,revelaram que ela está meio perdida,não sabendo qual botão apertar.Em nenhum momento os que foram às ruas pediram uma constituinte,idéia prontamente rechaçada pelas melhores cabeças do país,inclusive o vice presidente da República,Michel Temer,que é constitucionalista.

ICMS em voos O governo não tem noção do que faz. Será que eles não pensam que mais voos, mesmo com uma porcentagem menor, vai receber mais? Acho que é mais uma jogada do governo com outros estados, pois sabem que isso acontecendo, o RN vai receber mais turistas, que de certa forma direta ou indiretamente aumenta o retorno, pois as pessoas gastam, compram mais e a economia melhora. O trade turístico perde muito com isso. Agora me diga, o que o governo esta fazendo com o dinheiro arrecadado? Nada! uchoa_melo78@hotmail.com

Voos II A TAM não tem mais nenhum voo direto de Natal para Salvador, por exemplo. Somente a Gol tem e com horários bem limitados. Passagem Natal - Salvador para amanhã 1.886,00. Já Recife - Salvador 301,00. Josean Pierre

ERRATA

LinkedIn Ao contrário do informado na reportagem “Transformamos a Indústria do recrutamento”, publicada no sábado (29), no caderno de economia da TRIBUNA DO NORTE, o número de usuários do LinkedIn no Nordeste é 1,3 milhão e não 22,5 milhões. O número representa 10% do total de usuários no Brasil (13 milhões).

Cartas para esta coluna deverão ter no máximo 40 linhas para cada leitor e endereçadas para a seção Coluna do Leitor - Fone: 4006-6100 FAX: 4006-61224 - Redação/Tribuna do Norte. Email - tribuna@digizap.com.br

FILIADO AO

R$ 1,50 R$ 2,50

FILIADO AO INSTITUTO VERIFICADOR DE CIRCULAÇÃO

R$ 2,00 R$ 3,20

REPRESENTANTE NACIONAL – Pereira de Souza & Cia Ltda: Rio de Janeiro : (O21)2544-3070 – São Paulo: (011) 3259-6111

FILIADO À ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS

REDE CABUGI DE COMUNICAÇÃO TRIBUNA DO NORTE 4006-6100 Rádio Globo/Cabugi (AM) Natal 4006-6180 104 (FM) Parnamirim 3272-3737 Rádio Difusora de Mossoró (AM) 3316-3181/2181/3317-6167 Rádio Cabugi do Seridó (AM) J. do Seridó 3472-2759 Rádio Baixa Verde (AM)J. Câmara 3262-2498 Pereira de Souza(SP) 11/3259-6111 Pereira de Souza(RJ) 21/2544-3070


política

3

Maioria revela otimismo após as manifestações

Notas & Comentários [colunanotas@tribunadonorte.com.br ]

Popularidade cai no NE A popularidade da presidenta Dilma Rousseff caiu mais de 20 pontos em todas regiões do país, inclusive no Nordeste, onde ela sempre teve os índices mais expressivos de avaliação positiva. Entre os nordestinos, despencou de 64% para 40% os que avaliam o governo Dilma Rousseff como “ótimo e bom”. A queda foi na pesquisa divulgada ontem pelo Datafolha em relação a do início do mês feita pelo mesmo instituto.

Reação da oposição

O presidente nacional do DEM, senador José Agripino, divulgou ontem uma análise sobre a pesquisa Datafolha divulgada ontem. “Este é um claro sinal de advertência aos equívocos do PT na forma de governar. É hora de reconhecer os erros e mudar. Acabou o tempo de o governo ser exercido em nome de uma reeleição. A crise impõe que tanto governo quanto oposição não pensem em si próprios, mas sim no futuro do país”, disse os senador.

Reação dos aliados Enquanto a oposição destaca a queda da popularidade da presidenta Dilma Rousseff, aliados do Palácio do Planalto procuram minimizaram os números divulgados pelo Datafolha. Eles atribuem a eventual volatilidade da opinião pública a um “momento de alerta”, resultante das recentes manifestações populares

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

pelo país, informou o portal UOL. Para o presidente do PT, Rui Falcão, Dilma tem índices superiores aos piores momentos registrados durante os governos Lula e Fernando Henrique Cardoso. “A economia vai melhorar no segundo semestre e isso vai ensejar uma recuperação nas próximas pesquisas”, disse. ANTÔNIO CRUZ / ABR

« CERTUS / TRIBUNA DO NORTE » População da Grande Natal quer

mais atenção para os serviços básicos de saúde, educação e segurança s manifestações de rua das últimas semanas, apesar dos transtornos causados e do receio pela ação de vândalos infiltrados nos protestos, são bem vistas pela população. A maioria (87,9%), em Natal e quatro outros municípios adjacentes, sentese “representada” - total ou parcialmente – por quem saiu às ruas e quer prioridade no controle dos gastos públicos com mais atenção para os serviços básicos como saúde, educação e segurança, além de mais rigor para os crimes de corrupção. As manifestações também tiveram o efeito de gerar uma visão mais otimista em relação ao futuro do país, para 62,44%, e vão influir na forma como 63,72% definirá em quem votar nas eleições do próximo ano. Essas são as principais conclusões de pesquisa realizada pela Certus, em parceria com a TRIBUNA DO NORTE, para saber como a população da Grande Natal está vendo os protestos de ruas que, a partir das reivindicações estudantis pela redução no valor das tarifas de ônibus urbanos e passe livre para os estudantes, têm mobilizado milhões de pessoas em todo o país e mu-

A

daram o cenário político e a agenda de governos e do Congresso Nacional. Com amplo apoio da maioria dos entrevistados (veja perfil da amostra na página 4), as duas maiores manifestações em Natal atraíram entre 15 mil pessoas (dia 20/06) e 10 mil (na última sexta-feira). As origens do movimento, entretanto, remontam a mais tempo. Há agosto de 2012, com as passeatas do “Fora Micarla” (ex-prefeita de Natal, afastada pela Justiça) e a “Revolta do Busão”, em maio deste ano, contra o reajuste no valor das tarifas de ônibus. Entre os entrevistados, apenas 7,22% afirmaram já ter participado de alguma das manifestações ocorridas, mas entre os 92,78% que não saíram às ruas, mais da metade (55,23%) disse que se sente “totalmente representada” pelos manifestantes, contra 11,15% que afirmaram “totalmente não representados”. 32,76% disseram que se sentem apenas “parcialmente representados”. O apoio dessa maioria que ficou em casa tende a ser maior entre os com nível de renda familiar acima de três salários mínimos. Parcela de entrevistados

com renda familiar abaixo de três SM e aqueles que ganham mais de 10 salários formam a maioria dos que não se sentem representados nas manifestações.

Mudanças

Os episódios de violência registrados, com ataques a bancos, repartições públicas, saques às lojas e agressões, não foram suficientes para prejudicar uma avaliação positiva das manifestações entre os pesquisados. 46,95% afirmam que os protestos populares e as consequentes reações do governo, anunciando medidas para atender as reivindicações, mudaram a expectativa deles em relação ao futuro do Brasil e 62,44% estão “mais otimistas” quanto a esse futuro. 29,26% consideram que “ainda é cedo” para mudanças de expectativa e 19,58% são cautelosos quanto a uma visão otimista do futuro. Os francamente pessimistas somam 14,45%, enquanto 21,86% não tiveram modificadas as expectativas em relação ao país. O efeito de mudanças provocado pelas manifestações de rua parecem ter impacto maior sobre a visão política dos eleito-

res. Entre os entrevistados, 63,72% afirmaram que os últimos acontecimentos vão mudar a forma como costumavam escolher os candidatos nos quais votavam, enquanto 33,07% disseram que não. Um percentual maior, 73,19%, afirmaram que ao mudar os critérios de escolha dos candidatos “não votarão, em 2014, nos candidatos em que sempre votaram”. 17,36% ainda não se decidiram sobre isso, mas apenas 6,15% admitem que escolherão nos mesmos candidatos nos quais sempre votaram. A decisão de não mudar a escolha dos candidatos, para as próximas eleições, é maior entre as faixas de pesquisados com renda familiar menor (até três salários) e aqueles que ganham acima de oito salários mínimos e, ainda, na faixa etária de 24 a 34 anos. Esses grupos também são os que apresentam percentuais maiores entre os que estão cautelosos ou pessimistas em relação ao futuro do país.

+

PAGINA 4,5 E 6 Sobre pesquisa de opinião pública

Opinião Pública Pesquisa revela avaliação popular sobre manifestações e reivindicações O (a) Sr.(a) participou de algum dos movimentos de rua ocorridos nos últimos dias?

7,22% Sim

92,78% Não

Na reunião ministerial marcada para esta segunda-feira (1), a presidenta Dilma Rousseff vai cobrar da equipe de primeiro escalão “um choque de qualidade no serviço público, depois da onda de protestos pelo país”, informou o G1, portal de notícias da Rede Globo. Dilma Roussef pedirá agilidade na liberação de recursos. “Ela também deve dar um puxão de orelhas nos ministros ao dizer que a urgência da população é maior do que o tempo dos burocratas”, destacou o portal. Ela vai fazer um apelo à sensibilidade da equipe ao ressaltar que o cidadão tem pressa de serviços como saúde, educação e mobilidade urbana. “Será uma chacoalhada na equipe”, resume um interlocutor da presidenta.

Recesso da Assembleia A Assembleia Legislativa entrou em recesso parlamentar na quinta-feira (27) sem apreciar dois projetos apresentados pelo Governo do Estado. Um deles é o que trata da mudança de alíquota que o Poder Executivo repassa para o Fundo Previdenciário, dos atuais 22% para 11%. O outro trata da criação de “taxa de defesa e inspeção animal

(TDIAV)”, decorrente da atuação do Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do RN (Idiarn). O tributo resultará em recolhimento sobre 103 atividades e/ou serviços no setor agropecuário. As matérias parecem não ser consensuais e tramitam nas comissões do Legislativo, apesar do pedido de agilidade por parte do Governo Rosalba.

Retorno em agosto

Os deputados estaduais retomam as sessões plenárias, audiências públicas e reuniões das Comissões Temáticas em 1º de agosto, quando termina o período de recesso parlamentar. As atividades administrativas seguem normalmente, como o funcionamento do Procon Legislativo.

Recesso na Câmara A Câmara Municipal também iniciou na quinta-feira (27) o recesso parlamentar, após votar o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2014. Mas as férias dos vereadores serão mais curtas que as dos deputados. Os parlamentares municipais retomam as atividades na última semana de julho. A intenção é dar início às discussões da licitação do sistema de transportes de Natal.

Honorários

A Ordem dos Advogados do Brasil no Rio Grande Norte fará o lançamento da campanha de valorização dos honorários advocatícios no próxima quarta-feira, às 19h, na sede da entidade, com a presença do vice-presidente do Conselho Federal da OAB, Cláudio Lamachia.

Mesmo que não tenha participado diretamente destes movimentos, como O(a) Sr(a) se sente representado pelos que foram protestar pacificamente nas ruas? 11,15% Totalmente não representado

0,86% NS

32,76% Parcialmente representado

55,23% Totalmente representado

A presidenta propôs a convocação de um plebiscito e anunciou algumas medidas, como mais recursos para áreas do transporte público e contratação de médicos no exterior. O Sr(a) concorda ou discorda que são respostas adequadas às manifestações? Concorda totalmente 35,15% Concorda parcialmente 32,42% Discordo parcialmente 11,24% Discordo totalmente 13,80% NS/NR 7,38%

O que o(a) Sr.(a) achou dos episódios de violência/vandalismo ocorridos durante as manifestações de rua?

Das reivindicações apresentadas pelos manifestantes, qual delas, na sua opinião, é a mais prioritária e urgente?

Responsabilidade de uma minoria 25,84% São compreensíveis 2,25% Condenáveis/inaceitáveis

Passe livre para estudantes 10,91% Discordância com gastos para a Copa 2014 20,55% Legalização do aborto 0,96% Desaprovação da PEC 4,82% Maior rigor para crimes de corrupção 21,51% Maior controle e mais planejamento nos gastos com dinheiro público 30,34% Reforma do sistema político brasileiro 9,31% NS 1,61%

58,59% Inevitáveis no contexto de protesto de rua 11,88% NS 1,44% Na sua opinião, de quem é a MAIOR responsabilidade pelo estado em que se encontra o Brasil e que levou o povo às ruas para protestar? Exclusivamente da presidente Dilma 12,84% Da administração petista dos últimos 10 anos 5,30% De administrações anteriores as do PT 2,73% De todos os governos Federal, Estadual e Municipal 49,12% Do congresso e dos partidos políticos 8,35% Do poder Judiciário, que não pune com rigor os corruptos 10,27% Da sociedade em geral 9,47% NS 1,93% Mais investimento para melhorar a Saúde Baixa prioridade 2,25% Média prioridade 8,99% Alta prioridade 88,28% NS/NR 0,48%

Mais investimento para melhorar a Educação Baixa prioridade 1,77% Média prioridade 10,27% Alta prioridade 87,48% NS/NR 0,48%

Sim 63,72% Não

41,89% Concorda parcialmente 39,33% Discordo parcialmente 8,35% Discordo totalmente 8,67% NS/NR 1,77% Mais investimento para melhorar a Transporte Público Baixa prioridade 4,01% Média prioridade 19,90% Alta prioridade 75,60%

Mais investimento para melhorar a Segurança Publica

Aprovar a Reforma Política

Baixa prioridade 2,73% Média prioridade 10,75% Alta prioridade

Baixa prioridade 9,79% Média prioridade 24,56% Alta prioridade 65,01%

NS/NR 0,48%

NS/NR 0,64%

Punir com mais rigor os crimes de corrupção

Controlar com mais rigor os gastos públicos

Baixa prioridade 5,62% Média prioridade 7,54% Alta prioridade

Baixa prioridade 5,78% Média prioridade 7,38% Alta prioridade

33,07% NS/NR 3,21%

Concorda totalmente

NS/NR 0,48%

86,04%

Estes últimos acontecimentos no Brasil, como a reação do povo contra o estado de coisas do Brasil atual, vai mudar a forma como costumeiramente escolhia os candidatos em quem votava?

Como o(a) Sr(a) ( concorda/discorda ....) com a forma como a Polícia e as Forças de Segurança agiram nos episódios de vandalismo durante as manifestações de rua?

86,04%

86,20% NS/NR 0,64%

NS/NR 0,80%

Fonte: Pesquisa Certus


4

politica

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

População aponta O QUE ELES CONSEGUIRAM que ‘governos são responsáveis % pela insatisfação’ Após as manifestações, houve queda em tarifas de transporte e a derrubada de proposta contra ação do Ministério Público Percentuais dos que apontaram, na pesquisa Certus/TN, o tema com alto grau de prioridade ou defendem que a medida seja adotada de imediato

« OPINIÃO PÚBLICA » Convocação de plebiscito, proposta pela presidenta Dilma Roussef, recebeu apoio de 35,15% a percepção dos ouvidos pela Certus/TN, a responsabilidade pelo estado em que se encontra o Brasil, o que acabou levando o povo às ruas, recai principalmente sobre os governos, mas sobram criticas pessoais à presidenta Dilma Rousseff, para o Judiciário, à sociedade de forma geral, Congresso e partidos políticos e para a atual administração petista e anteriores. A maioria (49,12%) aponta o governo federal, o Estado e as prefeituras como responsáveis pela insatisfação popular, confirmando a prioridade dada a “um maior controle e mais planejamento nos gastos com dinheiro público, maior rigor com os crimes de corrupção e condenação dos gastos com a Copa 2014’ (veja texto abaixo ). Em segundo, vem a opinião de que a responsabilidade é “exclusiva da presidenta Duilma”, com 12,84% das respostas, e também do “poder Judiciário, que não pune com rigor os corruptos”, com 10,27%. A percepção contra a presidenta e o Judiciário é maior na faixa salarial até 8 salários mínimos e entre os que tem até 44 anos de idade, com 2º completo e/ou incompleto. A parcela que fez uma autocritica, atribuindo a responsabilidade pelo estado de coisas como sendo “da sociedade em geral” foi de 9,74%, com maioria dos que tem poder aquisitivo

N

Foram apontados aqueles que a opinião do povo considera os responsáveis mais diretos” Diretor do Instituto Certus

maior, nível universitário e idade acima de 35 anos. O Congresso e os partidos políticos foram apontados por 8,35% e a “administração petista dos últimos 10 anos” por 5,30% dos entrevistados. 2,73% disseram as administrações anteriores ao PT também foram responsáveis. Os percentuais que atribuem as responsabilidades aos governos e à presidenta Dilma Rousseff refletem no baixo apoio dadoas medidas anunciadas pelo poder público. A convocação de uma constituinte e/ou plebiscito para se fazer uma reforma política, proposta pela presidenta, recebeu apoio de 35,15%, enquanto 32,42% afirmaram que concordam apenas parcialmente, 11,24% disccordam parcialmente e 13,80% discordam totalmente da proposta. A reforma política é apontada como “prioritária e urgente” por apenas 9,31% dos entrevistados.

cinco e até oito mínimos. Além dos que têm renda familiar acima de oito e até 10 salários mínimos (13%); e os que declararam mais de dez mínimos (3,21%). Entre os entrevistados, 54% são homens e 46% mulheres. A distribuição por faixa etária é estratificada da seguinte forma: 16 a 24 anos (20,6%), 25 a 34 anos (20,06%), 35 a 44 anos (18,14%), 25 a 59 anos (24,56%) e 60 anos ou mais (17,17%). Na distribuição de frequência dos entrevistados por grau de instrução, a maioria (48,48%) dos declara ter ensino médio. Com ensino superior foram 19,10%, além dos que afirmaram ter ensino fundamental (28,89%), e os que informaram que não sabem nem escrever (3,53%).

Sondagem confirma preocupação com gastos

Independente de faixa etária, grau de instrução ou renda familiar, os entrevistados ouvidos pela pesquisa Certus/Tribuna do Norte elegem como principal reivindicação dos manifestos populares o “maior controle e mais planejamento nos gastos com dinheiro público”. Essa tese se sobrepôs a outras como “maior rigor nos crimes de corrupção”, que apareceu em segundo lugar; e “discordância com os gastos para a Copa 2014”, em terceiro. 30,34% dos ouvidos afirmaram que o principal alvo dos manifestantes é a forma como são utilizados os recursos públicos; 21,51% apostam no descontentamento com as punições aos corruptos; e 20,55% acreditam que as despesas com o mun-

O que falta resolver O projeto sobre crime hediondo ainda precisa ser votado na Câmara e sancionado por Dilma. O texto sobre cassações tem de ser aprovado no Senado e na Câmara, além de sancionado.

dial de futebol está no topo da pauta de reivindicações. O passe livre em transportes coletivos para os estudantes, que motivou o início das manifestações em Natal, apareceu na opinião de 10,91% dos entrevistados; e a reforma do sistema político brasileiro, que está na pauta do Congresso Nacional e do Palácio do Planalto, face as mobilizações, registrou a opinião de 9,31% deles. O Projeto de Emenda à Constituição (PEC) número 37, que retirava o poder de investigação do Ministério Público, aparece como preferência de 4,82% dos entrevistados, enquanto que a legalização do aborto está na preferência de 0,96%. 1,61% dos ouvidos não souberam responder.

DERRUBADA DA PEC 37

O que aconteceu Câmara rejeitou proposta de emenda à Constituição que reduzia os poderes de investigação do Ministério Público.

O que aconteceu Senado aprovou projeto que transforma corrupção em crime hediondo. Na Câmara, comissão aprovou fim do voto secreto para decidir a cassação de outros congressistas.

MARDONI FRANÇA

PERFIL E METODOLOGIA Para a sondagem de opinião pública sobre as recentes manifestações de rua, o Instituto Certus ouviu 623 entrevistados maiores de 16 anos residentes nos municípios de Natal, Parnamirim, Macaíba e São Gonçalo do Amarante e Extremoz. As entrevistas foram domiciliares, com os questionários aplicados em uma amostragem estratificada por sexo, idade, grau de instrução, renda e regiões das cidades. A margem de erro é de 3 pontos percentuais. As entrevistas foram feitas nos dias 27 e 28 de junho de 2013. A estraficação por nível de renda mensal familiar indica que 62,44% ficam na faixa de até três salários mínimos; 18,14%, mais de cinco e até oito mínimos; e 9,79%, mais de

21,5%

4,8%

COMBATE À CORRUPÇÃO

O que pode acontecer Partidos, como o PT, que recomendaram a derrubada do texto ainda querem voltar a discutir regras para investigação.

10,9%

PASSE LIVRE E QUEDA NA TARIFA DE TRANSPORTE

88%

MELHORIAS E

O que aconteceu A Câmara dos Deputado semana passada a dest dos royalties do petróle pública.

Dilma Roussef promete médicos estrangeiros p preenchidas por brasile ampliar a formação e a de profissionais da saúd

O que aconteceu Ao menos 14 capitais reduziram tarifas em até 10%. Em Natal, valor caiu de R$ 2,40 para R$ 2,20. Governo Federal Adiou o reajuste das passagens de ônibus interestaduais.

65% 86% 87%

MELHORIAS NA EDUCAÇÃO

O que aconteceu A Câmara dos Deputados aprovou na semana passada a destinação de 75% dos royalties do petróleo para a saúde pública. O que falta resolver Novas regras ainda precisam ser aprovadas pelo Senado na distribuição de recursos do setor.

SEGURANÇA PÚBLICA

O que aconteceu Este é um dos itens para os quais o Poder Público não anunciou medidas objetivas que atendem reivindicações que foram apresentadas pelos manifestantes nas ruas ou pelas pesquisas de opinião pública.

PELA

O que aconte Dilma defende assembleia con Voltou atrás e a Legislativo e o indicar o que a mudar no siste

O que falta re Se a negociaçã precisará aprov Depois da cons leis com as mu maioria.


EM SAÚDE

A REFORMA POLÍTICA

ceu eu a convocação de uma nstituinte sobre o tema. agora negocia com o Judiciário um plebiscito para a população gostaria de ema político.

esolver o der certo, o Congresso var a realização do plebiscito. sulta, caberá a ele aprovar as danças apoiadas pela

5

‘Atos de vandalismos isolados não prejudicaram a avaliação’

75%

TRANSPORTE DE MELHOR QUALIDADE

O que aconteceu Dilma anunciou investimentos de R$ 50 bilhões no setor. O que falta resolver ainda não há relação de quais projetos serão contemplados com os recursos nem prazo para que isso aconteça.

os aprovou na inação de 25% o para a saúde

u trazer ara vagas não iros, além de especialização de.

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

politica

86%

GASTOS PÚBLICOS

O que aconteceu deputados barraram R$ 43 milhões que seriam destinados para viabilizar serviços de telecomunicações a serem utilizados pela Fifa na Copa. O que está em jogo valor é pequeno se comparado ao total de gastos previstos com obras ligadas ao torneio, de R$ 26 bilhões. Por enquanto não há outras medidas na pauta.

O diretor do Instituto Certus, Mardone França, destaca que a maioria da população apoia o caráter pacífico das manifestações recentes e, por isso, se sente representada pelos que foram às ruas apresentar reivindicações e exigir melhorias em serviços básicos como saúde, transporte e educação, além de pedir mais rigor no controle de gastos públicos e no combate à corrupção. “Isso reforça que, embora seja condenável qualquer ato de depredação do patrimônio público ou privado, o vandalismo foi pontual e insignificante em comparação aos que protestaram de forma ordeira e civilizada”, afirma. Para Mardone França, os 49,21% que responsabilizam os governos federal, estaduais e municipais pela situação atual “refletem um julgamento justo e lúcido do povo em relação àqueles que prometem nas campanhas e, depois que assumem, renegam os anseios” da população. “O povo é sempre sábio nos seus julgamentos”, comenta Mardone França. Ele destaca também que o percentual (12,84%) significativo dos que apontam a presidenta Dilma Rousseff como uma das respon-

sáveis pela situação atual do país. “Na ordem, seguem o Poder Judiciário com 10,27%, que, segundo a opinião dos entrevistados, não pune com rigor os corruptos”, informa Mardone. O Congresso Nacional e os partidos políticos aparecem neste item que avalia a responsabilização com 8,35%. “Ressalte-se, o fato do Congresso e dos partidos políticos aparecem com baixo índice de responsabilização”, observa. Mas ele faz uma ressalva: “Isso não autoriza celebrações, pois o resultado foi manifestado pelos entrevistados no contexto de várias alternativas de respostas e, como se viu, foram apontados, com alto grau de responsabilização, aqueles que, na verdade, a opinião do povo considera os responsáveis mais diretos pelo estado de coisa que atravessa o Brasil”. Mardone França ainda destaca que, em relação às propostas que o Governo Federal apresentou para dar uma resposta aos manifestantes, 67,57% concordam com o plebiscito, a contratação de médicos e os investimentos anunciados em diversas áreas. “Não é desprezível o índice dos que discordam, que chega a 25,04%”, lembra.

MEMÓRIA O principal dia de manifestação em Natal, assim como nas demais capitais dos estados brasileiros, foi 20 de junho, quando a Policia Militar estimou em 15 mil pessoas o público que saiu às ruas em protesto. Mas, desde 2012, alguns jovens demonstravam insatisfação principalmente com os transportes urbanos. Em 10 de maio de 2013 a Prefeitura do Natal anuncia um novo reajuste na tarifa do transporte público. O valor de R$ 2,40 passaria a ser cobrado no dia 18 de maio. O protesto é retomado e a “Revolta do Busão” volta a ocupar as ruas de Natal depois de oito meses sem manifestações. Manifestantes promoveram uma passeata na BR101 e foram dispersados pela Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal. Em junho, também são

desencadeadas revoltas em outras capitais de estados e cidades do interior. Em São Paulo uma manifestação com forte reação policial e agressões contra manifestantes e jornalistas estimulou ainda mais os protestos. No dia 20 de junho, as estimativas indicaram que mais de um milhão de pessoas foram às ruas pelo país. As reivindicações se ampliaram. Além de melhorias no transporte, incluíram também críticas aos gastos com a Copa do Mundo de 2014. Atos de vandalismos, embora a maioria dos manifestantes tenham evitado a destruição, foram registrados em algumas cidades. Na última sexta-feira, houve novos protestos , mas com número menor de manifestantes e sem agressões.

Destruição de prédio público é rejeitada

Saúde pública é alta prioridade para 88,2%

Os entrevistados foram questionados ainda sobre os episódios de violência/vandalismo, ocorridos durante as manifestações de rua, e se concordam com a forma como a Polícia e as forças de segurança agiram nos episódios durante as manifestações. Para 58,59% dos ouvidos, as ações que ensaiaram destruir prédios públicos, estabelecimentos comerciais, entre outros, são “condenáveis e inaceitáveis”; e 25,84% deles creditaram a responsabilidade pelos atos a uma minoria. Por outro lado, 11,88% opinaram que os percalços são “inevitáveis no contexto de protesto de rua”; e 2,25% assinalaram que as depredações são “compreensíveis”. Neste item, 1,44% não souberam responder. Quanto a concordar/discordar da ação de polícia, 41,89% dos entrevistados disseram concordar totalmente com a postura dos atores de segurança, enquanto que 39,33% se posicionaram numa concordância parcial às reprimendas aos manifestantes que agiam de forma truculenta. O percentual dos que discordam completamente da ação das forças de segurança foi de 8,67%, enquanto que 8,35% discordam parcialmente. 1,61% não souberam responder às perguntas e 0,16% não quiseram responder.

A pesquisa da Certus/TN fez um levantamento sobre o grau de importância, segundo os entrevistados, das propostas anunciadas pela presidenta Dilma Rousseff. As respostas foram classificadas em ‘Baixa Prioridade’, ‘Média Prioridade’ e ‘Alta Prioridade’. Nesta análise, os entrevistados consideraram todos os temas expostos como importantes. 88,28% consideraram de alta prioridade a área da saúde, o percentual mais elevado entre todos; enquanto que 87,48% apontaram a mesma consideração para a educação; 86,04% para a segurança pública; 86,03% para a corrupção e os gastos públicos; 75,6% para o transporte público; e 65,01% para a reforma política. Ospercentuaisparamédiaprioridadeforamsensivelmentemenores, o que demonstra que a população dedica atenção especial à situaçãonaqualseencontraoestado(incluindo todas as esferas, da União aos municípios). E neste caso, a formapolíticaestánotopodalistacom 24,56%. Em seguida, aparece o transportepúblicocom19,9%;asegurançapúblicacom10,76%;aeducação com 10,27%; a saúde com 8,98%; e por fim, a corrupção com 7,55%egastospúblicoscom7,39%. A baixa prioridade foi mencionada para a reforma política (9,79%). Enquanto 5,77% destacaramosgastospúblicos;5,62%acorrupção; 4,02% para o transporte; 2,72% para a segurança; 2,25% para a saúde; e 1,76% para a educação.


6

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

geral

Pesquisa aponta queda na aprovação de Dilma « AVALIAÇÃO » Segundo o Datafolha, entre 7 de junho e 28 do mesmo mês, aprovação do Governo caiu de 57% para 30% avaliação da presidente Dilma Rousseff caiu 27% em três semanas. É o que aponta a pesquisa do Instituto Datafolha, finalizada na sextafeira (28) e divulgada ontem. Os números apontam que 30% dos brasileiros aprovam a gestão da petista. A avaliação da gestão como ruim ou péssima subiu significativamente. Segundo o instituto de pesquisa, entre 7 de junho e 28 do mesmo mês, as pessoas que julgavam o Governo Dilma com ótimo ou bom caiu de 57% para 30%, enquanto a avaliação como regular subiu de 33% para 43% e de ruim ou péssimo saltou de 9% para 25%. A queda na avaliação positiva de Dilma foi a maior desde Fernando Collor. A desaprovação do ex-presidente Fernando Collor, entre março e junho de 1990, saiu dos 71% de avaliação positiva para 36%, no momento posterior ao anúncio do “sequestro” da poupança. No caso de Dilma, a aprovação saiu dos 65%, em março, para os atuais 30%, em momento de aumento da inflação e queda do crescimento. A queda mais acentuada ocorreu após as manifestações populares pelo Brasil. Em três semanas, a aprovação do mandato da presidente da República caiu 27%, saindo dos 57% para 30%. Dentro da margem de erro, esta é a pior avaliação do Governo Federal desde que o PT assumiu a gestão, em 2003. Em dezembro de 2005, quando estourou o escândalo do Mensalão, a aprovação do pre-

ANTÔNIO CRUZ / ABR

A

Presidenta Dilma Rousseff não confirma presença na final da Copa das Confederações

NÚMEROS

30% dos brasileiros aprovam a gestão da presidenta

27% foi a queda na avaliação positiva em três semanas

4,717 pessoas, de 196 municípios, foram ouvidas nesta pesquisa

sidente Lula chegou aos 28%, número melhor do que o pior momento de avaliação do Governo de Fernando Henrique Cardoso, seu antecessor, que chegou a ser aprovado por apenas 13% da população, em setembro de 1999. Comparando dados entre março e junho, a avaliação positiva do Governo Dilma caiu dos 47%, em março, para os atuais 30%. No ano, o melhor percentual da avaliação positiva foi de 65%, no dia 20 de março. Em dois dias, o Datafolha ouviu 4.717 pessoas em 196 municípios do Brasil. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

Vaias

As vaias à presidente Dilma Rousseff na abertura da Copa das Confederações, dia 15 de junho, “escaldaram” a petista. Na agenda presidencial de amanhã não está prevista a presença da presidente na final da Copa das Confederações, que será entre Brasil e Espanha e ocorrerá às 19h, no Maracanã. Dilma Rousseff foi convidada oficialmente pela Fifa e o presidente da entidade, Joseph Blatter, já havia dito que não sabia se a petista iria para o evento. “Não sou profeta. Não posso prever”, ironizou Blatter durante entrevista coletiva na sexta-feira passada. RDU BARBOZA

Governo Federal abre canal na internet em busca de aproximação com a juventude que participa dos movimentos sociais

Governo terá ‘canal de diálogo’ nas redes sociais Brasília (AE) - Perplexo com a dimensão das manifestações que tomam conta das ruas do País e as implicações destes protestos para a queda da popularidade da presidenta Dilma Rousseff, o Governo Federal decidiu estabelecer um “canal de diálogo” nas redes sociais para ouvir jovens, informou nesta sextafeira a secretária nacional de Juventude da Secretaria-Geral da Presidência da República, Severine Macedo. As manifestações viraram palco para a reivindicação de uma série de demandas como transporte público, educação e saúde “padrão Fifa”. “Precisamos ampliar e qualificar os espaços de participação e de ouvir a opinião da juventude, e para isso estamos propondo a criação do observatório participativo, que será lançado sem ser na próxima semana, na outra, para que a gente possa ter um canal de diálogo permanente com os jovens, através das re-

des sociais para consultas públicas e aprofundar o conteúdo a cerca dos temas de juventude”, disse Severine. A presidente Dilma Rousseff e os ministros da Educação, Aloizio Mercadante, e da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, receberam na sexta-feira no Palácio do Planalto movimentos ligados à juventude, como União Nacional dos Estudantes (UNE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), Pastoral da Juventude, Central Única dos Trabalhadores (CUT), Marcha das Vadias, Marcha Mundial das Mulheres e Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) As redes sociais têm sido usadas para a mobilização e convocação de protestos. Conforme informou o Estado, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) montou às pressas uma operação para monitorar a internet,

após a dimensão cada vez mais crescente dos protestos. O governo destacou oficiais de inteligência para acompanhar, por meio do Facebook, Twitter, Instagram e WhatsApp, a movimentação dos manifestantes De acordo com Severine, poderão ser discutidas no “observatório participativo” questões como o enfrentamento da violência nas periferias, educação e saúde. “A nossa avaliação é fortalecer cada vez mais esse diálogo da Presidência (da República), da Secretaria-geral (da Presidência) e de todos os ministérios que têm pauta de juventude. Nosso entendimento é que as políticas sociais e universais são as que mais têm feito que a juventude hoje avance, mas suas especificidades precisam ser mais asseguradas. Daremos sequência a esse diálogo pelas redes sociais, mas também com momentos presenciais de elaboração, de acompanhamento e participa-

ção”, detalhou Severine. O observatório servirá para abrir um canal de comunicação com jovens que não necessariamente pertençam a alguma organização social, segundo Severine. “O observatório está aberto pro diálogo parra o jovem que quer opinar, ser consultado, discutir um tema da sua vida, sem necessariamente ter de ser eleito para um espaço de participação. Essa voz dele também será ouvida e sistematizada”, afirmou.

Violência

O presidente do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve), Alessandro Melchior, informou que as lideranças juvenis vão elaborar um relatório a ser entregue a Dilma sobre as violações e repressões ocorridas contra a juventude em todos os Estados, responsabilizando as polícias militares e os governos estaduais.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

geral

Gaudêncio Torquato [gaudenciotorquato@tribunadonorte.com.br ]

O bolsa-cabeça Ufa! Recado dado, pacote providenciado. O recado: a tolerância chegou ao limite. O copo da velha política transbordou. Chega de aceitar a banalização do mal, estampada na fila de criminosos sem punição, corrupção desenfreada, promessas não cumpridas, representantes que pouco representam e governantes que não praticam a governança, por agirem apenas como gerentes ou por serem vistos como galhos da árvore patrimonialista. Velhos presentes continuarão a ser bem aceitos, principalmente aqueles que se destinam a saciar a fome. Exemplo é o Bolsa-Barriga, fruto do programa que abastece o estômago de 40 milhões de pessoas sob o abrigo de 13 milhões de famílias. A mensagem principal do recado é que o ronco da barriga subiu à cachola, abrindo um ciclo de novas percepções. A sociedade clama, agora, por um BolsaCabeça. Essa é a notícia alvissareira que se extrai da movimentação de massas que sacode o país. Fica patente que barriga satisfeita pode, até, cooptar a harmonia social e sustar a indignação por um tempo. Não, porém, por todo o tempo. A inteireza do corpo social requer também uma cabeça capaz de racionalizar, avaliar, exigir, cobrar, portanto, pronta para reescrever sua história. O espetáculo das ruas tem também esse significado. Saciada a fome das margens muito pobres, garantida a inserção de um novo contingente no meio da pirâmide, afloram, agora, as clamadas demandas nas áreas da saúde, educação, transportes públicos e segurança pública. Por que só agora? Se as reivindicações são tão antigas por que deram um susto em gregos e troianos, centrais e suburbanos? Há explicações. A travessia de uma Nação obedece a um processo que envolve grandes movimentos de massa, com efeitos absorvidos pelas instituições, ou revoluções, que acabam rompendo a velha ordem. Avanços sem rupturas na fisionomia democrática ocorrem de maneira lenta e gradual, particularmente no seio de democracias consolidadas. Instituições fortes não desmoronam ante os rebuliços da contemporaneidade. Vejamos o caso brasileiro. Nossa democracia é incipiente. O país dispõe da mais democrática Constituição de sua história, plasmada para acolher uma visão plural da sociedade. Mesmo assim a caminhada brasileira depara-se com muitos desvios. Há buracos ainda não preenchidos pela legislação infraconstitucional, ensejando situações que empurram a Corte Suprema para a esfera política, conforme se constata pela interpretação que oferece sobre matéria de fundo político. Deriva daí a questão sobre a “judicialização da política”. Difunde-se a expressão de que as tensões entre os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, decorrentes de interpenetração de funções, são normais e não ameaçam a normalidade democrática. Seria, até, sinal eloquente da vitalidade de nossa democracia. Não há como negar que a mania de querer esconder o clima tenso faz parte da cultura de contemporização que finca raízes profundas em nossos trópicos. A mania de deixar o dito pelo não dito, de desdizer o que foi dito, de postergar soluções para os problemas, de enfiar a sujeira por baixo do tapete, de não cumprir promessas feitas, toda essa colcha de retalhos mal costurados serve para explicar as manifestações populares. A esfera política se distanciou das ruas. Se o governo federal não registrou sinais de sismo, é porque entendia que a harmonia social estaria preservada pelos bolsões de “barriga saciada”. A explosão pegou de surpresa governos e representantes, a traduzir insatisfação com o status quo. E, por um desses milagres que parecem confirmar a crença de que Deus é um pouqui-

nho brasileiro, projetos de impacto, mofando há tempos nas gavetas, emergem e entram na planilha das decisões. Em menos de uma semana, o Brasil dá um salto de modernidade. Nunca em tão pouco tempo as casas congressuais foram tão produtivas. Até a corrupção (quem diria) adentra o território dos crimes hediondos. O fato é que o país real começa a ser desenhado, mesmo sabendo que há outro, falso, rodeado por castelos de areia. Basta anotar as incongruências. O orçamento de 2010 e 2011 alocou R$ 12 bilhões para o Ministério dos Transportes, enquanto a peça de 2012 contemplou R$ 14 bilhões, recursos que, aliás, não foram usados na totalidade. Retrato da desorganização. E não é que o presidente da empresa de planejamento e logística, Bernardo Figueiredo, confessa que o nosso déficit em rodovias, portos, ferrovias e afins se aproxima de R$ 600 bilhões? Afinal, qual é o território real, o do pequeno orçamento ou o do gigantesco déficit? Dito isto, chegamos ao Bolsa-Cabeça, que está sendo organizado por apressadas providências do Executivo e surpreendentes decisões do Legislativo. Vão arrumar grana para colocar em pé o edifício do Brasil -Verdadeiro? Aprovam royalties do pré-sal para a educação. Bom. Mas as turbas aguentarão sem reclamar uma espera de 6 a 7 anos, prazo calculado para aquela camada de óleo ser capturada? As marés revoltas puxam outras interrogações: para onde o país deve ou quer chegar? Que políticas públicas se fazem necessárias, desde já, para conter a avalanche social? Qual o modelo de governança eficaz e abrangente, capaz de juntar os conjuntos políticos, as forças produtivas e as organizações sociais no entorno de um grande projeto de Nação? Se não houver respostas para estas questões, é arriscado garantir que tudo continuará como d’antes no quartel d’Abrantes. A sociedade organizada tem demonstrado saber usar seus aríetes para furar os bloqueios das fortalezas do poder. O choque do futuro foi anunciado. A névoa moral começa a ser dissipada. E que não haja dúvidas sobre o florescimento de uma nova ordem, que impactará os sistemas político/governamental, as áreas produtivas, os campos profissionais e os espaços sindicais, entre outros. Que se apresentem, logo, saídas largas para o clamor das ruas. Sob pena de ouvirmos o cochicho de Hobbes: “quando nada mais se apresenta, o trunfo é paus”.

Gaudêncio Torquato, jornalista, professor titular da USP, consultor político e de comunicação Twitter@gaudtorquato

7

Manifestação de sexta foi considerada pacífica « PROTESTO » Polícia Militar avaliou como positiva a realização do protesto e a ação da PM. Já comerciantes dizem que setor amargou “grandes prejuízos” manifestação da última sexta-feira (29) foi considerada pacífica, apesar do maior número de pessoas detidas pela Polícia Militar, desde o início dos protestos da #revoltadobusão. Todas as 27 pessoas detidas na manifestação foram liberados na mesma noite, após assinarem um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), de acordo com informações do Comando Geral da Polícia Militar. Os maiores de 18 anos serão julgados pelo Juizado Especial Criminal e provavelmente terão uma pena alternativa. Já os adolescentes apreendidos foram encaminhados para a Delegacia Especializada e os pais foram chamados para levá-los para casa. Nenhum deles tinha ficha criminal. O comandante geral da Polícia Militar, coronel Francisco Araújo, avaliou como positiva a realização do protesto e a ação da PM, que optou por realizar o policiamento ostensivo, em conjunto com agentes da Polícia Civil que acompanham a manifestação. A medida deverá ser mantida para as próximas manifestações. “O movimento é pacífico, as pessoas estão exercendo seus, direitos de forma democrática e continuaremos a intervir e a usar balas de borracha e gás lacrimogênio para conter os infiltrados que tentam denegris o movimento”, afirmou cel. Araújo. O protesto terminou sem nenhum confronto direto entre a polícia em manifestantes. “As pessoas estão mais conscientes na manifestação e cúmplices da Polícia Militar para inibir qualquer intervenção de

EDU BARBOZA

A

População foi às ruas mais uma vez na sexta-feira e provocou fechamento precoce do comércio

vândalos e baderneiros”, disse. As medidas preventivas, explica o comandante, serão realizadas para dissuadir vândalos infiltrados antes que cheguem ás manifestações. Na sexta-feira, a maior parte das detenções ocorreram no entorno da Praça Cívica e na avenida Prudente de Morais, para onde se direcionava o protesto. Com a colaboração dos próprios manifestantes, foram identificadas pessoas que poderiam praticar atos de vandalismo. Uma viatura e um capitão da PM foram atingidos por pedras. Todo o material apreendido como bombas, fogos de artificio, garrafas com combustível, estilingues, bolas de gude e demais artefatos que seriam utilizados em possíveis confrontos com po-

liciais foram levados para a 1ª DP de Cidade Alta e a Delegacia de Plantão Zona Sul.

Comércio

O fechamento precoce dos estabelecimentos comerciais de Petrópolis, Tirol, Ribeira e Cidade Alta, além do shopping Midway Mall, trouxe “grandes prejuízos ao setor”. É o que garante o superintendente da Associação Comercial do Rio Grande do Norte, Adelmo Freire. Para ele, o fechamento do comércio mais cedo ocorreu no pior dia para os lojistas. Por ser fim de mês e uma sexta-feira, o dia da manifestação era considerado um dos mais promissores para o setor. “A sexta-feira já é um dia forte para o comércio e ontem (sexta-feira), por ser fim

de mês e as pessoas estarem com dinheiro no bolso, a tendência era de um dia bastante positivo. Infelizmente, não ocorreu”, disse Adelmo Freire. O balanço sobre os prejuízos ainda não foi realizado e, segundo o superintendente da Associação Comercial, não é interesse das empresas divulgarem os números. Porém, Adelmo Freire acredita que a decisão de fechar o comércio foi acertada. “A polícia fez uma ação muito boa ontem, que evitou atos de vandalismo na maior parte do trajeto da manifestação. Sempre vai haver a preocupação com esse tipo de aglomeração junto ao comércio, mas vamos continuar discutindo formas de minimizar os prejuízos”, finalizou.

Maternidade está no limite « PARTOS » Suspensão de atendimento na Januário Cicco sobrecarrega hospital Santa Catarina, que teve número de partos duplicados número de partos no Hospital Santa Catarina duplicou desde que a Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC) suspendeu o atendimento devido a falta de pediatras. As unidades trabalham em conjunto até a próxima segundafeira, dia 1º, quando a situação na MEJC deverá estar regularizada. A Januário Cicco suspendeu o atendimento na última quartafeira (26). A direção do Hospital informou que, até o dia 15 de julho, a quantidade de médicos da unidade é suficiente para manter os serviços funcionando re-

O

tn família

gularmente. Após reunião entre o diretor da MEJC, Kleber Morais, e a reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Ângela Paiva, realizada na quinta-feira (27), ficou definido que pediatras serão contratados em processo de seleção simplificada. Neste sábado, o Hospital Santa Catarina passou a receber os pacientes para serviço de referência obstétrica de alto risco que precisam da presença de pediatra. Com a falta desse profissional nos plantões da MEJC, a Maternidade Escola está prestando assistência ginecológica,

TODOS OS DOMINGOS NA TRIBUNA DO NORTE

incluindo procedimentos clínicos não relacionados ao nascimento. De acordo com o médico obstetra Valdir Peixoto, o número de parturientes atendidas dobrou no Hospital Santa Catarina nos últimos dias. “A gente trabalha aqui no limite. A média que vinha sendo de sete partos a cada plantão de 12 horas passou a ser entre 10 a 15 partos”, disse. O Santa Catarina dispõe de cinco médicos por plantão Outro problema é o espaço para abrigar as parturientes. “As pacientes chegam e não tem onde ficar, não tem lugar nem pa-

ra sentar e depois do parto, muitas acabam esperando muito tempo na sala de cirurgia”, contou Valdir Peixoto. Na sexta-feira (28), o secretário estadual de Saúde Pública, Luiz Roberto Fonseca, anunciou que o crescimento da demanda e o fechamento do atendimento da Maternidade Municipal Leide Morais contribuiu para os problemas nas duas unidades. Atualmente, 23 pediatras atuam na MEJC, sendo 11 da UFRN e 13 da Funpec, mas Maria da Guia afirma que há necessidade de contratar pelo menos mais 22.


8

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

geral

Chuva abre cratera na zona Norte « TRÁFEGO » Buraco de sete metros causa interdição de parte da avenida João Medeiros Filho, entre Zona Norte-Centro, no caminho da ponte Newton Navarro. Ainda não há previsão para as obras s chuvas que caíram na noite de sexta-feira (28) provocaram a formação de uma cratera na avenida João Medeiros Filho, próximo ao acesso a Moema Tinôco, em frente ao Posto Godeirão, na Zona Norte de Natal. O buraco de cerca de 7 metros de comprimento por 5 metros de largura tomou uma das faixas, no sentido que leva à ponte Newton Navarro, e a via precisou ser interditada, na altura do Posto. Pela manhã, a alternativa encontrada para o tráfego foi realizar o desvio para a outra via, no sentido Centro-Zona Norte, com a pista utilizada no duplo sentido de tráfego. O buraco pegou de surpresa muitas pessoas que se deslocavam para o trabalho no início da manhã deste sábado (29). O engar-

A

rafamento se estendeu por quase 2 quilômetros, segundo o Comando do Policiamento Rodoviário Estadual (CPRE). De acordo com o cabo do CPRE, Aldimar Macedo, o local foi isolado ainda na madrugada do sábado e não houve registro de acidentes no local. “De madrugada foi feita a sinalização e estamos controlando o fluxo”, afirma. Estamos orientando o fluxo Localizada em área de mangue e já no final do entrocamento, próximo a rotatória que dá acesso a Ponte Nova e a praia da Redinha, não há outras rotas de fuga. Quem precisa se deslocar até a Zona Norte, o Comando do Policiamento Rodoviário Estadual (CPRE) orienta o fluxo pela Ponte de Igapó, evitando o congestiona-

mento no acesso pela ponte Newton Navarro. O diretor-geral do Departamento de Estradas e Rodagens (DER-RN), Demétrio Torres, foi informado pela imprensa sobre o incidente ocorrido na João Medeiros Filho e afirmou que só poderia dar um posicionamento sobre a recuperação da via, após avaliação técnica. “Vamos verificar a situação e saber o que pode ser feito no local, não tenho como antes disso anunciar qualquer tipo de obra”. Uma equipe do DER foi enviada ao local para avaliar os danos e quais medidas a serem tomadas. Atéo fechamento dessa edição, não havia previsões para as obras e o problema deve permanecer durante todo o final de semana.

EMANUEL AMARAL

Cratera provoca fechamento de parte da avenida. Polícia Rodoviária orienta fluxo por Igapó

« FÓRMULA 1 »

« VIOLÊNCIA »

Hamilton consegue a pole Jovem morre após para GP da Inglaterra Mercedes terá dois pilotos largando nas primeiras posições. Massa larga na 12ª avorita após os ótimos resultados apresentados nos treinos livres, a Mercedes confirmou o bom desempenho e terá seus dois pilotos largando nas primeiras colocações em Silverstone, no GP da Inglaterra. Neste sábado, Lewis Hamilton foi o mais rápido no classificatório e garantiu a pole ao cravar 1min29s607. A marca também quebrou o recorde do circuito, que até então era de Sebastian Vettel, estabelecido em 2010. Na segunda colocação, ficou Nico

F

Rosberg, 0s452 mais lento do que o companheiro. Vettel e Mark Webber garantiram a Red Bull na terceira e na quarta posição, respectivamente. Enquanto isso, Felipe Massa, mais uma vez, não teve um bom desempenho e largará apenas na 12ª colocação. O brasileiro conseguiu se classificar no sufoco para o Q2, mas não repetiu o feito na sequência e não avançou ao Q3. Anteriormente na 18ª colocação, com o cronometro zerado, ele passou em 14º para avançar. Mais uma vez a falta de domínio do carro ficou evidente e Massa terminou em 12º. Com a marca, essa será a terceira corrida consecutiva em que o piloto da Ferrari não fica entre os dez mais rápidos.

« LIGA MUNDIAL »

França vence e tira invencibilidade do Brasil Após derrota, Seleção brasileira tem chance de se reabilitar com Bulgária dia 5 BRUNO CECCON Gazeta Esportiva

Seleção Brasileira sofreu sua primeira derrota na Liga Mundial na manhã de sábado. No Ginásio do Ibirapuera, a França dominou o time comandado pelo técnico Bernardinho e venceu a partida por 3 sets

A

a 1, com parciais de 29/27, 23/25, 25/22 e 25/19. No jogo da sexta-feira, o Brasil há havia dado sinais de instabilidade ao abrir 2 sets a 0 e ganhar apenas no tiebreak. No dia seguinte, os franceses ignoraram o ginásio praticamente lotado e nem precisaram de cinco sets para devolver o revés. A Seleção Brasileira, integrante do Grupo A da competição, tem a chance de tentar a reabilitação diante de sua torcida. Os próximos confrontos do time nacional serão realizados em Brasília, contra a Bulgária, nos dias 5 e 6 de julho.

assalto em Parnamirim

Polícia Militar registrou dois homicídios na madrugada deste sábado, dia 29. O primeiro ocorreu por volta da 1h, na rua Rio Madeira, em Parque Industrial, Parnamirim. Um jovem identificado por Franklin Rodrigues Duarte, de 19 anos, foi atingido com um disparo de arma de fogo, após assalto. A vítima retornava para casa após uma festa junina, com outras duas pessoas, quando dois adolescentes, aparentando 16 anos, anunciaram o assalto, obrigaram o grupo a se baixar e atiraram. A vítima chegou a ser socorrida e levada pela PM para o Hospital Deoclécio Marques, mas não resistiu aos ferimentos. A diretoria do Alecrim divulgou uma nota lamentando o assassinato do roupeiro do time Franklin do Nascimento. A notícia foi recebida “com indignação e tristeza” pela diretoria, comissão técnica, jogadores e funcionários do Clube. “Mais do que por suas atribuições profissionais, Frank fará falta por tudo o que representava dentro do departamento de futebol. Os dias do Alecrim Futebol Clube ficaram mais tristes”, diz o texto.

A

Mais

Na avenida Capitão-mor Gouveia, em Lagoa Seca, um homem não identificado foi morto com um tiro, no bar Paraíba. A vítima estava no local com amigos, quando um homem desceu de uma moto, disparou contra vítima. Antes de sair do local, uma mulher que estava com o criminoso, ainda arrancou a pochete da vítima.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

geral

Nova lei contra a corrupção recebe elogios de políticos « SENADO » Parlamentares da bancada federal e presidente do TJRN elogiam a lei aprovada pelo Senado que torna a corrupção crime hediondo projeto aprovado pelo Senado Federal que torna hediondo os crime de corrupção repercutiu positivamente entre a classe política e os juristas potiguares. O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte, desembargador João Batista Rebouças, considerou positivo o projeto de lei que torna crime hediondo as punições por corrupção. “É uma forma inibidora de atos de corrupção, as pessoas tentadas a isso irão refletir que a sanção é mais grave. Considerar corrupção crime hediondo é mais contundente contra o infrator”, analisou. O desembargador destacou ainda: “como cidadão e membro do Poder Judiciário sou favorável que o crime de corrupção seja considerado hediondo”. Na bancada federal do Rio Grande do Norte o projeto também recebeu elogios. O senador Paulo Davim (PV) teve a sua proposta, que considerava crime hediondo o desvio de recursos da saúde, apensada ao projeto principal aprovado pelo Senado Federal. “Não sou operador do Direito, mas causa uma indignação por vivenciar dioturnamente as dificuldades na

O

saúde e sabendo que recursos da saúde são desviados”, disse o senador do PV, lembrando que o seu projeto foi apresentado em 2011. Paulo Davim ressalta a responsabilidade de quem desvia recursos da Saúde. “O indivíduos que desvia recursos da

O indivíduo que desvia recursos da saúde e condena milhares à morte ou à doença” PAULO DAVIM Senador - PV/RN

saúde está condenando milhares de pessoas a morte ou a doença. É um crime difuso, onde o criminoso não identifica as vítimas e não dá direito das vítimas se defenderem”, analisou o senador. Paulo Davim considerou o desvio de recursos da saúde como crime bárbaro e repugnante. “Quem desvia recursos da saúde está impedindo a

realização de cirurgia. Na ponta alguém paga pelo dinheiro que foi desviado”, destacou. O deputado federal Felipe Maia (DEM) analisou que qualquer iniciativa que busca combater a corrupção, o desvio de recursos públicos, deve ser apoiado pelo Congresso Nacional. “Assim também como acho que o Congresso deveria se debruçar sobre outras matérias que dizem respeito a economia do dinheiro público”, observou o parlamentar. Ele citou como exemplo de projeto que precisa ser votado no Congresso Nacional é a demora do Poder Público no pagamento de obras. “É uma prática normal no nosso país a demora em pagar as empresas que fazem obras públicas, isso faz com que os empresários embutam no preço valores a mais, já contando que o Poder Público vai demorar a pagar”, disse Felipe Maia. Para o deputado esse fato precisa ser refletido e estudado, se a obra foi fiscalizada, está concluída, há recursos não há porque demorar no repasse. “É um desperdício, se há dinheiro, a obra foi fiscalizada, está concluída e regular, então tem que ser paga”, completou. WALDEMIR BARRETO

Seandor Paulo Davim, do PV potiguar, considera a nova lei contra a corrupção um avanço

“Nestes casos, o mais importante é a punição” O cientista político e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Antonio Spinelli, ressalta que no caso dos crimes de corrupção o mais importante é o cumprimento da lei, a punição. “Não é questão de tornar hediondo ou não. Tornar o crime hediondo vem muito da pressão das manifestações de rua e, portanto, fica (o Congresso) dando respostas um tanto atabalhoadamente”, destacou. Para o professor da UFRN, o mais importante é não oferecer tratamento privilegiado para detentores de mandato. “O mais importante é que parlamentar, juiz, militar de alto coturno sejam considerados cidadãos comuns, como de fato são. Todos devem ser tratados como iguais e o crime de corrupção, com recursos privados ou públicos, seja efetivamente apurado e punido”, disse Antonio Spinelli. O advogado Hindenberg

Dutra analisa que o crime de corrupção, com o projeto aprovado no Senado Federal, ganha um rigor muito maior com relação aos tipos penais. “As condutas que são tidas como crimes hediondos recebem tratamento muito mais rígido, como se tornar inafiançável e não responder em liberdade”, citou. Ele destacou ainda que a inclusão da corrupção no crime hediondo garante um rigor muito maior na punição. “O tratamento mais severo que pode se dar ao tipo penal é qualificar como hediondo, é a forma mais rígida que temos hoje”, disse. Hindenberg Dutra chamou atenção que no momento em que um crime é considerado hediondo ele passa a receber as maiores penas. O advogado observou que vê a mudança aprovada pelo Senado como um reflexo do momento atual, onde o Congresso dá resposta à sociedade. “A aprovação no Senado é no sentido de refletir a comunicação que vem das ruas. O Senado aprovou com esse sentimento popular. A sociedade deixou claro que não tolera mais a corrupção” , completou.

ENTENDA O Senado aprovou a corrupção passiva e ativa como crime hediondo.O projeto de autoria do senador Pedro Taques (PDT- MT) inclui delitos contra a administração pública como crimes hediondos, aumentando suas penas e dificultando a concessão de benefícios para os condenados. O projeto segue agora para apreciação da Câmara dos Deputados.A proposta foi aprovada com emenda do senador José Sarney (PMDBAP) incluindo também o homicídio simples na lista de crimes hediondos. Com a mudança,os condenados pelos crimes citados não terão mais direito a anistia,graça,indulto e livramento mediante de fiança.Também se torna mais rigoroso o acesso a benefícios como livramento condicional e progressão de regime

9


10

geral

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

»ENTREVISTA » LÚCIO VAZ JORNALISTA INVESTIGATIVO

FOTOS: REPRODUÇÃO

“Sentenças contra deputados devem ser cumpridas” « CORRUPÇÃO » Jornalista, autor de livros sobre esquemas

operados por políticos para desvio de verbas públicas, defende mais rigor na aplicação da lei contra envolvidos

corrupção impregnada na política brasileira é uma “herança portuguesa. Mas a República parece que adotou a prática”, crítica Lúcio Vaz à IHU On-Line em entrevista concedida por e-mail. Jornalista investigativo, Vaz comenta os bastidores da política brasileira e explica como a corrupção está enredada na política. “No Congresso, parlamentares recebem doações de empreiteiras que realizaram obras com recursos do Orçamento da União. Na votação do Orçamento, os lobistas dessas empreiteiras pressionam os deputados a apresentar emendas para destinar mais recursos para essas obras. Presidentes da República, governadores, prefeitos também recebem doações dessas empreiteiras. Existe ainda o lobby dos bancos, da indústria do tabaco, dos fabricantes de armas, de remédios, de bebidas, de agrotóxicos, todos grandes doadores. Isso não é sensato, não é sério, não é prudente, para dizer o mínimo”, lamenta. Lúcio Vaz enfatiza que “o mensalão mostrou que estávamos errados, iludidos. (...) Quando escrevi o livro, ainda não havia ocorrido o julgamento. Fiquei surpreso. Não esperava a condenação de José Dirceu. O Supremo avançou mais do que eu imaginava. Mas há casos pendentes, lembrando apenas os que citei no livro Sanguessugas do Brasil. Quero ver o julgamento do caso Gautama e do caso Sanguessugas. Que seja feita justiça”.

A

Em seu livro “Sanguessugas do Brasil” há registrados casos de corrupção de duas décadas. Qual a origem dessa corrupção? Como esse problema começou a corroer a política brasileira? É algo impregnado na história do Brasil? É uma herança portuguesa?

A corrupção do Brasil remonta aos tempos do Império. Dom Pedro I pagava uma espécie de “mensalão” a deputados que integravam a Assembleia Legislativa. A Marquesa de Santos, sua amante, indicava apadrinhados para cargos públicos e liberava mercadorias no Porto de Santos, como relata a escritora Isabel Lustosa. Portanto, o país já nasceu com essa tradição. Trata-se, sem dúvida, de uma herança portuguesa. Mas a República parece que adotou a prática.

A corrupção independe dos partidos políticos?

Como tantos, tive a ilusão, durante décadas, de que o PT seria um partido imune à corrupção. Poderia haver até alguns desvios por parte de seus membros, mas o partido, enquanto instituição, rechaçaria sempre essa prática. O mensalão mostrou que estávamos errados, iludidos. O envolvimento do PT no caso mensalão causou escândalos entre os seguidores do partido. Que apurações fez sobre o caso e como avalia os resultados da investigação e condenação do STF até o momento?

Primeiro, é preciso que as condenações sejam efetivadas. Quem é condenado à prisão deve ser preso. A condenação mostra que a cúpula petista participou desse processo, mais do que isso: institucionalizou a compra de apoio político. Quando escrevi o livro, ainda não havia ocorrido o julgamento. Fiquei surpreso. Não esperava a condenação de José Dirceu. O Supremo avançou mais do que eu imaginava. Mas há casos pendentes, lembrando apenas os que citei no livro “Sanguessugas do Brasil”. Quero ver o julgamento do caso Gautama e do caso Sanguessugas. Que seja feita justiça. Em sua avaliação, por que o caso mensalão foi julgado, enquanto casos mais antigos como o Gautama e o Sanguessugas ainda não foram julgados? Esse caso específico teve muita apelação social?

Não há dúvidas de que o apelo político e social tem influência, acelera o processo. No caso Sanguessugas, ocorreu aquela tradicional flutuação de foro. A operação da PF aconteceu em 2006. Naquele ano, dos 72 parlamentares citados pela CPI, apenas cinco conseguiram se reeleger. Os demais ficaram sem mandato e responderam processo na Justiça Federal. Após quatro anos, cinco deles conseguiram voltar à Câmara dos Deputados, e os processos ainda não haviam sido julgados. Resultado: os processos subiram para o Supremo, que é o foro para deputados federais e senadores. Começou tudo de novo. Eu acho que o Supremo não deveria julgar ações penais,

O Código de Processo Penal permite tantos recursos, tantas chicanas jurídicas, que os processos se arrastam por 10, 15 anos. Muitas vezes, a pena acaba prescrita. O CPP está sendo reformado pelo Congresso, mas parece que a população não percebe a importância dessa reforma”.

mesmo de congressistas. Ou, ainda, que o processo ficasse sempre no órgão em que foi instaurado, independentemente do cargo exercido pelo político em cada momento. O caso Gautama foi deflagrado em 2007. Parte dele está no STJ, porque há um conselheiro de Tribunal de Contas Estadual envolvido. Somente em abril deste ano foi aberto o processo. Até então, o que havia era um inquérito presidido pela ministra Eliana Calmon. O Código de Processo Penal – CPP permite tantos recursos, tantas chicanas jurídicas, que os processos se arrastam por 10, 15 anos. Muitas vezes, a pena acaba prescrita. O CPP está sendo reformado pelo Congresso, mas parece que a população não percebe a importância dessa reforma. Dos doze casos investigados, qual foi mais difícil de investigar e conseguir provas?

O caso sanguessugas foi, talvez, o mais difícil, porque o poder público estava muito fechado. Isso porque já havia uma investigação da Polícia Federal em andamento, ainda no seu início. Eu não sabia. Tive que me deslocar até Rondônia para investigar a compra de ambulâncias em cada prefeitura. Seis meses depois, quando estourou a Operação Sanguessuga, da Polícia Federal, soube que a quadrinha acompanhou a minha movimentação em Rondônia. O chefe do grupo chegou a comentar com um jagunço: “O que você acha de mandar esse cara aí?”. Enfim, foi uma investigação de risco, muito risco. Quais as implicações dos crimes de colarinho branco para a sociedade?

A sociedade precisa acreditar que os criminosos de colarinho branco também vão para a cadeia. Essa punição vai inibir o crime. Infelizmente, isso ainda não acontece na proporção

ì QUEM Jornalista da Folha de S.Paulo,o gaúcho Lúcio Vaz atuou também nos jornais Diário da Manhã,na sucursal do Correio do Povo e no Jornal do Comércio,ambos de Porto Alegre,e integrou ainda a redação de o Correio Braziliense e de O Globo.

LIVROS Como jornalista investigativo,Vaz publicou “Sanguessugas do Brasil”(São Paulo:Geração Editorial,2012),no qual narra 12 casos de corrupção e lobby envolvendo políticos e grupos econômicos e “A ética da malandragem:no submundo do Congresso Nacional”(São Paulo: Geração Editorial,2005).

É preciso que as condenações sejam efetivadas. Quem é condenado à prisão deve ser preso. A condenação mostra que a cúpula petista participou desse processo, mais do que isso: institucionalizou a compra de apoio político.”

necessária. Os políticos que respondem processos no Supremo (mais de uma centena) precisam ser julgados. Se não foram julgados, a corrupção vai se alastrar pelo serviço público e pelas corporações empresariais. A impunidade tem um feito devastador sobre a sociedade. Em sua avaliação, como o tema da corrupção é abordado pela mídia brasileira?

Fico feliz de observar que a mídia dá cada vez mais espaço para isso. Há uma geração jovem muito séria e preparada para a investigação. Há 20 anos, éramos poucos nesse trabalho. Por outro lado, o trabalho jornalístico se baseia, cada vez mais, na apuração da polícia e do Ministério Público. As grandes investigações de campo, demoradas, caras, são cada vez mais escassas. Os jornais estão muito voltados para o factual. Quando estoura um caso novo, normalmente descoberto pela PF, todos vão atrás, investem muito. Mas a imprensa não tem descoberto muitos casos novos.

A sociedade precisa acreditar que os criminosos de colarinho branco também vão para a cadeia. Essa punição (a prisão do deputado Natan Donadon) vai inibir o crime.”


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

geral

11

Governo publicará TUPs

Cláudio Humberto [ ch@claudiohumberto.com.br - www.claudiohumberto.com.br]

« PORTOS » Ministra Gleisi Hoffmann, da Casa Civil, anuncia que até o dia 3 serão publicados novos pedidos de terminais de uso privado

Na Câmara, aposentados marajás Na contramão do tratamento cruel do Estado brasileiro a aposentados e pensionistas, a Câmara dos Deputados revela preocupação com seu quadro de inativos. Em 2009, fez duas consultas ao Tribunal de Contas da União para saber como garantir o pagamento dos salários que ultrapassam o teto constitucional. Hoje, no total, 119 aposentados recebem mais que o teto de R$ 28.059,29 permitidos pela Constituição.

“Dilma quer desviar atenção de problemas” Líder do PSDB, Aloysio Nunes (SP), sobre proposta de plebiscito para reforma política

Governo omisso

Excedente ilegal

O governo deve, desde 2004, a regulamentação do sistema integrado sobre as pensões, proventos e remunerações pagos pela União.

Custa R$ 4,5 milhões por ano só o que é pago a aposentados além do teto, que é o salário de ministro do Supremo Tribunal Federal.

Graças ao povo

Promissores

O deputado Fernando Ferro (PT-PE) comemorou que governo desceu do salto após protestos no país: “Trouxe oxigênio e enxofre também”.

O PR avalia que senadores Blairo Maggi (MT) e Vicentinho Alves (TO) têm maior chance de vitória nas briga pelo governo estadual, em 2014.

Trapalhadas de Dilma A negligência da presidenta Dilma quanto à Copa do Mundo criou para o Brasil problemas de credibilidade e a capacidade de organizar grandes eventos. O Comitê Olímpico Internacional tem enviado obser-

vadores ao Brasil para examinar de perto a situação e quer relatórios semanais sobre os estragos que toda essa confusão causou na capacidade do governo de organizar os Jogos Olímpicos de 2016.

Pesadelo Assessores do Planalto entram em pânico diante da hipótese, cada vez menos remota, de cancelamento da Rio 2016.

Menino de recados Vem pra rua Internet não basta: o Tribunal Regional Federal da 1ª Região vai contratar empresa para fornecer mensageiros, os velhos office-boys.

Visionário o projeto do vereador Antonio Henrique (PTN-CE), criando o “Dia dos Patins”, antes do quebra-pau nas ruas. Facilita para todos.

Mordeu a isca

Lista negra

O Planalto adorou as declarações do senador Aécio Neves (PSDB-MG) criticando o plebiscito sobre reforma política proposto pela presidenta Dilma. A defesa do referendo só faz jus à pecha de “elitista” do partido.

Petistas pedem a cabeça do ministro Paulo Bernardo (Comunicações) após ele ter defendido a condenação dos réus do mensalão e criticado a Lei de Meios, uma das bandeiras do PT para amordaçar a imprensa.

Alvo é Dilma

Olha quem fala

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), disse a correligionários que a enxurrada de protestos no País pega mal para presidenta Dilma. Acha que o desgaste pouco respingará nos governos estaduais.

O deputado José Genoino (PT-SP), mensaleiro condenado, propôs emenda à PEC de Miro Teixeira (PDT-RJ), de uma Assembleia Nacional Revisora em 2015, por plebiscito. Humm... Boa coisa não é.

Borracha no cocoruto Em época de manifestações varrendo o Brasil, faz bem lembrar o craque Sérgio Porto, mais conhecido como Stanislaw Ponte Preta: “A borracha é nossa, mas está na mão do guarda”.

Povo não é besta

Falta credibilidade

Raul Henry (PE) critica seu partido, o PMDB, por ser coadjuvante do PT no desgaste da política brasileira: “O PT nega o mensalão, prioriza o fisiologismo, faz alianças indecentes, e ainda diz que está tudo bem”.

Pacto pela alfabetização contra os crimes no trânsito e pela sustentabilidade depende da gestão eficiente dos agentes políticos e seus partidos. E todos foram reprovados pela população nas ruas.

Diário do Poder A partir desta terça-feira (2), o site claudiohumberto.com.br vai se transformar no Diário do Poder, o mais completo e desassombrado portal de notícias sobre poder, política e bastidores, nestes novos tempos. O endereço: diariodopoder.com.br.

Alô, Marte! Comentário do deputado Cândido Vacarezza (PT-SP) no Twitter, com o país pegando fogo: “preocupante o cenário internacional”.

B

rasília - A chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, afirmou que o governo deve publicar o anúncio do pedido de 40 a 60 Terminais de Uso Privado (TUPs) até quarta-feira, 3. De acordo com Gleisi, até o momento, a administração federal recebeu 123 pedidos de empresas para a instalação de TUPs, mas ainda não concluiu a análise de todos os documentos necessários para autorizar os investimentos. Ela afirmou que a publicação trará a relação de empresas interessadas, com os locais onde os TUPs devem ser instalados e as

cargas que serão movimentadas. Haverá 30 dias para que outras companhias manifestem interesse em movimentar a mesma carga no mesmo local. Nesse caso, a Secretaria de Portos da Presidência da República e a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) analisarão a possibilidade de autorizar todos os pedidos Se houver alguma restrição, o Poder Executivo organizará um processo seletivo público para decidir quem receberá a autorização. De acordo com o ministro dos Portos, Leônidas Cristino, nesse caso, o Executivo terá até seis cri-

térios para definir a escolha. Além dos três conhecidos na Medida Provisória (MP) 595 maior capacidade, menor tarifa e menor tempo para movimentação de carga -, o decreto acrescenta maior valor de investimento, menor contraprestação do poder concedente ou melhor proposta técnica. Esses critérios poderão ser ou não combinados, desde que ao menos um previsto na MP esteja entre eles. Mas, segundo o diretor interino da Antaq Mário Povia, para a seleção de terminais, maior capacidade de movimentação de carga e in-

vestimento faz mais sentido. Esses seis critérios também serão usados para a seleção de arrendamentos em portos públicos e concessões. Povia afirmou que os três novos critérios estabelecidos no decreto “afloraram” após a edição da MP 595. Ele negou que o decreto aumente o poder discricionário da União. “As audiências públicas terão o condão de alterar os estudos para a confecção do edital”, afirmou, ao lembrar que todo processo será auditado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pela Antaq.


12

quadrantes

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

JOSÉ ARNO GALVÃO [ ADVOGADO ]

De comida, ainda

N

o nosso último encontro, Sérgio e Maria do Céu, juntamente com Lúcia e Jean-Paul, voltaram a abordar o tema do uso de leite de coco na culinária da casa de nossos pais, preferência que pode ser explicada pela sua origem praiana. Maria do Céu insistiu em lembrar um prato delicioso preparado por Chica, aquela mesma que tratava meus pais por Padrinho e Madrinha e que chegou lá em casa muito antes da maioria de nós.

O prato a que Maria de Céu refere-se é o coração de boi ao molho de leite de coco, de que fazia Chica, ou Ita, como também a chamávamos, uma variante utilizando o fígado para substituir o coração. A carne era cortada em cubos relativamente grandes, envolvida em um molho grosso, no qual se podia identificar a presença de pimentão, alho, cebola, tomate e, naturalmente, lei de coco. De onde Chica tirou tal receita não tenho como respon-

der, pois ela era analfabeta e tudo que preparava era tirado de sua cabeça, mas que era deliciosa, ah, isso era. E era uma exímia cozinheira, preparando pratos de que ainda hoje a lembrança nos deixa com água na boca. E pior, ninguém consegue reproduzir. É o caso de bife desfiado, submetido a um processo de batidas sucessivas com o fundo de uma garrafa. Já falei diversas vezes do pé de moleque e das minhas buscas infrutíferas para encon-

trar algo pelo menos parecido. Sua habilidade com o leite de coco fazia com que os pratos de peixe, de camarão, de lagosta e de outros frutos do mar fossem intensamente disputados lá em casa; geralmente nada sobrava, principalmente se o peixe ou o caranguejo viessem acompanhados de um pirão na devida forma. E meu pai ainda rebatia com um prato de sopa do caldo do peixe. Sabia ela que Tarcísio e eu gostávamos de bife na hora bem mal passado. E não fazia

por menos, vinha a bandeja com carne para a mesa mas ela ficava na escuta para o aviso “Pode trazer!” E era só jogar a carne do óleo fervente, virar, selando os dois lados e servir. De idade indefinida, supúnhamos fosse contemporânea de Mozart (Moca, pai de Jorge), nunca soubemos com a exatidão seu nome. Sabíamos que era originária do Manimbu, localidade situada logo após as Cabeceiras, lá em Tibáu do Sul. Chegou tão cedo lá em casa que, praticamente perdeu suas raízes, nunca aproveitando integralmente as férias, que interrompia mal começadas. Lembro de sua reação quan-

ROBERTO SERQUIZ [ DIRETOR DA FIERN ]

do de meu primeiro casamento, cuja solenidade civil ocorreu lá em casa presidida pelo Juiz Danilo Simonetti. Em um curto espaço de tempo, haviam casado Maria de Fátima, sua preferida, e Maria do Céu. Era eu o terceiro da série. Fui chegando na cozinha e ela,enxugando os olhos de choro e de revolta, exclamou: “O povo dizia de Padrinho tinha muitos filhos.Tantos tivesse pra essas condenadas levarem.” Parece-me que a habilidade culinária tem algo de genético. Sany tem uma auxiliar, Gelza, sobrinha de Chica, que ainda pode chegar mais perto das habilidades da tia. E eu fico torcendo para aproveitar, também.

NELSON PATRIOTA [ ESCRITOR ]

O discurso da enganação

Diógenes abre o seu Livro das Revelações

LAURENCE BITTENCOURT jornalista

NELSON PATRIOTA

D

Jornalista

iante das manifestações estrondosas do povo nas ruas, a presidente Dilma foi obrigada a se pronunciar. E suas palavras e propostas em conjunto com governadores e prefeitos, me soaram como muito mais um jogo de cena do que propostas realmente concretas. Não me convenceram. Aliás, o Brasil de hoje, de agora, não convence qualquer pessoa razoavelmente antenada. Estou dizendo o “Brasil de hoje” diante dos manifestos e protestos que pegaram todos de surpresa, e em especial a chamada classe politica. Ora, como explicar que “só agora” a presidente fale em 50 bilhões de reais para serem investidos em mobilidade para a Copa do Mundo de futebol? Isso quando a “loucura” do trem bala envolvendo um percurso Campinas-São Paulo-Rio sem o menor propósito, em um país miserável e com tantas carências, poderia ser levada a frente. Como? Só loucura, desperdício e coisas piores. O povo foi às ruas para protestar contra uma “Copa” quando nos falta “cozinha”, “piso”, moradia de qualidade, comida, infraestrutura. E é incrível vermos o “silencio” (estratégico?) de Lula, ele que foi o grande patrocinador da Copa de Futebol, com suas construções mirabolantes e megalômanas através dos estádios de futebol. Claro que a presidente Dilma levou à frente o projeto “Copa do Mundo” por ser do mesmo partido e não poderia ficar contra quem a lançou candidata. Como explicar, por exemplo, sua ida (de Dilma) a São Paulo agora reO povo foi às ruas centemente para se para protestar encontrar com o excontra uma “Copa” presidente Lula quanquando nos falta do deveria ser justa“cozinha”, “piso”, mente o contrário? moradia de Como? Encontro que qualidade, comida, teve também a preinfraestrutura. E é sença do marqueteiro. incrível vermos o Podemos deduzir que “silencio” na cabeça deles o que (estratégico?) de basta nesse país é o Lula, ele que foi o marketing. Para eles o grande marketing é capaz de patrocinador da resolver todos os nosCopa de Futebol, sos graves problemas com suas e contradições. Boa construções cabeça a deles. mirabolantes e Na verdade as coimegalômanas sas nesse país mais através dos surreal parecem semestádios de futebol pre serem resolvidas com propagandas, subestimando a capacidade do povo de perceber o engodo. Como explicar que alguém seja julgado e condenado a 10 anos de prisão e continue solto, dando entrevistas, sendo recebidos por políticos, fazendo palestra como é o caso dos “mensaleiros”? Como? Somos um país surreal. Tais fatos apenas provam de forma cabal o desrespeito para com a justiça, com o Supremo e com as Instituições, além de ser uma desmoralização para com o poder judiciário. O povo foi as ruas por isso, também. Claro que em todo o movimento de massa há sempre começo, meio e fim. Se haverá esgotamento rápido, ou se perdurará é impossível prever. Uma coisa é certa, porém, há de fato um descompasso gritante entre as promessas e ações dos políticos, com as ações e expectativas do povo. As ações dos políticos parecem petrificadas, já as ações da juventude e do povo de um modo geral, demandam urgência. O discurso da classe politica soa pretensão de alienação que parece não mais “colar”. Parece cada vez mais evidente para os jovens um engodo. A enganação de um país que vivia uma “prosperidade” se exauriu na falácia de uma classe média que se tornou média por ganhar 1 mil reais por mês. laurenceleite@bol.com.br

O

CLÁUDIO EMERENCIANO [ PROFESSOR DA UFRN]

Crise: sátira voltaireana? Há homens excepcionais que se devotaram em Leibniz, para quem, qualquer que fosse a circunsperscrutar a condição humana. Desvendá-la na tância, injusta, cruel e desumana, o homem deveamplitude de suas contradições. Dos atos, ideais ria estar satisfeito, pois estaria “no melhor dos e fé que a alçam às dimensões espirituais. Mas mundos possíveis”. Parece ser essa a percepção também as posturas que a rebaixam. Que a denidos “ilustres” atores da crise moral que atinge o grem, nivelando-a ao rastejar dos répteis. A reBrasil. Os brasileiros devem conformar-se? Aceivelação desse universo de contrapontos exibe tar passivamente tudo quanto mina e decompõe paradoxos sociais, eloquentes e indiscusuas instituições democráticas? Por fim, tíveis, entre civilização e selvageria, al“O Ingênuo” é um convicto desmemotruísmo e egoísmo, espírito público riado, que, para “viver melhor”, ese corrupção, liberdade e arbítrio, quece seu passado histórico, como justiça e iniquidade, paz e violênse o presente fosse versão sempre cia, ordem e caos. Os extremos são atualizada dos seus valores e creninfindos. Essas crises evidenciam ças. Aldous Huxley e George Orwell, a indignação de cidadãos comuns, respectivamente autores de “O adanônimos, com o status social, ecomirável mundo novo” e “1984”, advernômico, político e moral predominantiram o mundo para a hipocrisia dos pote em sua nação. Quando eclodem derosos. Ditadores que supunham poem uma democracia, geralmente re“Há homens der modificar a vontade de cada um e sultam em aprimoramento das ins- excepcionais que se todos ao sabor dos seus propósitos. Hitituições. No outro extremo, quando devotaram em tler, Stálin e Mussolini, no século XX, irrompem em sociedades totalitárias, perscrutar a foram os mais primorosos modelos da a erosão é inevitável. Assim acontecondição humana. tipologia “voltaireana”. ceu a partir de 1989 com a derrocaDesvendá-la na Rendo minhas homenagens a quada das ditaduras comunistas no lesamplitude de suas tro saudosos amigos. Políticos de exemte europeu. contradições. Dos plar espírito público e intelectuais de Voltaire (François-Marie Arou- atos, ideais e fé que cultura e visão universais: Aluízio Alet), filósofo, romancista e enciclopea alçam às ves, Odilon Ribeiro Coutinho, Thales dista francês do século XVIII, idendimensões Ramalho e Grimaldi Ribeiro de Paiva. tificou, ampla e profundamente, alespirituais. Mas Periodicamente cada um relia Voltaire tos e baixos do homem e sua vida sotambém as por considerá-lo atualíssimo. Incluo cial. Há quem diga que Honoré de posturas que a dois outros amigos, meus mestres, tamBalzac o tenha sobrepujado em sua rebaixam. Que a bém seus leitores infatigáveis: Améri“Comédia humana” (romances que denigrem, co de Oliveira Costa e Mário Moacir perfilam mais de treze mil personanivelando-a ao Porto. Uma coisa certamente eu lhes gens). Mas Voltaire foi original, gerastejar dos diria: – Nunca tão poucos infelicitaram nial e insuperável na arte de satirizar répteis. A revelação e envergonharam tantos. A crise que e ironizar. Em tantos e tantos dos desse universo de aí está precisa suscitar reflexões e reseus romances e contos, há circuns- contrapontos exibe visão de atitudes em autoridades pútâncias e pessoas incrivelmente separadoxos sociais, blicas no âmbito das três esferas de pomelhantes àquelas que dão forma e eloquentes e der (federal, estadual e municipal), no conteúdo à crise brasileira. Particu- indiscutíveis, entre Judiciário, no Legislativo e no Minislarmente “Micrômegas”, “Cândido civilização e tério Público. ou o otimismo” e “O ingênuo”. Pareselvageria, Recentemente a Comissão de Conscem sátiras dessa ridícula, medíocre, altruísmo e tituição e Justiça da Câmara dos Depuboçal, hipócrita e estúpida conjunegoísmo, espírito tados aprovou um Projeto de Emenda tura brasileira. Infelizmente. público e Constitucional (PEC), submetendo de“Micrômegas” foi inspirado em corrupção, cisões do STF à apreciação do Legisla“Gulliver”, personagem criado pelo liberdade e tivo. Um absurdo e uma felonia. Exisirlandês Jonathan Swift. É um viaarbítrio, justiça e tia isso na União Soviética de Stálin, na jante interplanetário. Procedente de iniquidade, paz e Romênia de Nicolai Causescu e obviauma estrela: Sírio. Um dia chega à violência, ordem e mente em Cuba. Pior: o autor do pareTerra e se defronta com abusos, exocaos” cer foi um deputado do PSDB, cuja ditismos e absurdos de governantes. reção se manteve inerte. Agora o SuQue, deliberadamente, ignoram conpremo julgou uma ação em que se presequências de suas atitudes e maneitendia impedir a tramitação de um prora de ser na vida dos governados. Destacam-se jeto de lei no Congresso Nacional. O STF reconhenessa sátira os magistrados, descomprometidos ceu que não pode intervir no processo legislaticom seus misteres institucionais. Voltaire satirivo. A Constituição é clara: qualquer lei ou emenza assim o que hoje em dia chamam de “sistema da podem ser sustadas em sua vigência, medianpolítico-institucional”. Sua visão não é anárquite arguição de inconstitucionalidade interposta, ca, mas de intolerância com o cinismo e a impudentre outros, pelo Ministério Público, que é o fisnidade desses corruptos e corruptores. “Cândical da fiel observância das leis. Perdemos o bomdo” é sua obra-prima. Sua “vítima” é o filósofo senso?

que um antigo questionário popularizado pelo escritor Marcel Proust, no começo do século passado, em Paris, tem a dizer aos tempos de hoje? Para o poeta Diógenes da Cunha Lima, se ampliado e adaptado, pode revelar as matrizes do afeto e até mesmo o pensamento vivo que está por trás das obras dos escritores. Com esse propósito, ele aplicou a um grupo de poetas, pesquisadores, ensaístas e ficcionistas, um conjunto de indagações cobrindo assuntos pessoais, filosóficos, religiosos e mundanos, na busca de conhecer mais intimamente cada um dos entrevistados. São norte-rio-grandenses como Ana Maria Cascudo, Sônia Fernandes, Paulo de Tarso Correia de Melo, Nilson Patriota, Pedro Vicente Costa Sobrinho, Manoel Onofre Jr., Sílvio Caldas, Nei Leandro de Castro, Murilo Melo Filho, Kerubino Procópio,Ivan Lira de Carvalho; pernambucanos como Edson Nery da Fonseca e José Paulo Cavalcanti Filho, e ainda de outros estados, como Ivo Barroso, Ático Vilas-Boas, Constância Lima Duarte, Marco Lucchesi, totalizando 31 nomes. Nada menos do que 72 questões foram propostas aos entrevistados, abordando coisas como gostos, preferências, fantasias, convicções, intuições e aspirações. Um campo vasto, portanto, para indagações. Umas fáceis de responder, outras, embaraçosas. No primeiro caso, um vasto leque de perguntas que indagam sobre a cor favorita, a comida favorita, a flor preferida, a árvore admirável, um filme, três palavras bonitas etc. No segundo caso, que coincide com a progressão do questionário, o entrevistado tem de dar tratos à bola para se desembaraçar de perguntas como: “solidão é conquista ou derrota?”, “que outro dom Deus poderia de ter dado a você?”, “Quem você gostaria de ser sido?”, “Como você sonha a felicidade?”, entre outras. Ainda assim, a grande maioria dos entrevistados encontrou respostas e argumentos “razoáveis”. E até de forma espirituosa, como responde Ivo Barroso sobre “um ditado popular”: “Para bom entendedor, pingo é letra”, ou Antônio da Cunha Pessoa sobre o tema “um aforismo”: “Viva o paraíso, mas o mais tarde possível”. Um humor sutil embasa a resposta de Kerubino Procópio à questão “qualidade superior em uma mulher”. Sua resposta: “ser do sexo oposto”. Alguns temas, porém, servem para trazer à luz divergências irreconciliáveis entre os entrevistados. É o que acontece com a pergunta: “O computador mudou sua vida?”. Um é taxativo: “Não tenho computador” (Manoel Onofre Jr.). Já a escritora Sônia Fernandes Ferreira generaliza: “muda a vida do mundo”, enquanto Marco Lucchesi contemporiza: “muda. Não muda”. Outros entrevistados imprimem um viés filosófico às suas respostas, como Ivo Barroso descrevendo sua visão de Deus: “O ser humano levado à perfeição”, ou Marco Lucchesi: “só o excesso merece perdão” (sobre “daria indulgência a que falhas humanas?”); há os niilistas, como o faz Antônio da Cunha Pessoa sobre a fé: “Um ato de vontade que não mais me seduz”. Nem falta a resposta paradoxal, como a de Pedro Vicente Costa Sobrinho sobre “o que mais importa a você como profissional?”: “Evitar ser um profissional”. Afora seu diletantismo “naïf”, o jogo de perguntas e respostas que secunda o livro deixa entrever um pouco do espírito de nossa época, marcada pelo predomínio do dissenso acerca de quase tudo que consideramos importante na vida. A íntegra desse trabalho está enfeixada n “O Livro das Revelações” (que, não obstante o eco bíblico, nada tem de apocalíptico), cuja coordenação é do escritor Diógenes da Cunha Lima. Seu lançamento acontecerá nessa segundafeira (1º julho), às 18h, na Academia Norte-riograndense de Letras. Pena que o próprio autor, poeta e frasista consabido, não tenha contribuído com suas próprias respostas às perguntas que fez aos amigos de seleção. Teria sido uma contribuição sugestiva, decerto.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

geral

13

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Imponente, o antigo edifício do hotel cassino se ergue em meio à solidão gelada de Epecuén

Agua invadiu as ruas do antigo balneário, procurado pela semelhança com o Mar Morto

Epecuén

o balneário fantasma

PAUL BYRNE

Vila que era destino turístico da moda para a elite argentina, nas décadas de 1920/1930, foi destruído por inundações e abandonado. Hoje, vem sendo redescoberto por turistas latinos e europeus.

Associated Press

E

PECUÉN, Argentina - Um estranho povoado fantasma permaneceu um quarto de século submerso, mas agora ressurgiu novamente em uma área de terras agricultáveis a sudoeste de Buenos Aires. Epecuén já foi uma concorrida estância turística junto de um lago onde cerca de 1.500 moradores atendiam a 20.000 turistas por temporada. Na era de ouro da Argentina, os mesmos trens que transportavam cereais para o mundo inteiro transportavam os viajantes da capital até os balneários de água salgada deste povoado. O lago era especialmente atraente por conter uma concentração de sal dez vezes maior que a do oceano, o que permite aos banhistas grande flutuabilidade. Os turistas, principalmente os pertencentes à comunidade judaica bonairense, gostavam de flutuar nas águas porque aquilo fazia com que se lembrassem do Mar Morto, em Israel. No entanto, uma forte tempestade seguida de vários invernos especialmente chuvosos no Hemisfério Sul provocaram o transbordamento do lago, em

Ruínas de hotéis, mansões, cassinos e restos de automóveis fazem a atração atual do antigo balneário no sudoeste de Buenos Aires

novembro de 1985. A água superou o muro de contenção e inundou as águas do povoado. A população fugiu levando consigo os poucos pertences que restavam. Poucos dias depois, suas antigas casas ficaram submersas, cober-

tas por quase dez metros de água salgada. Passados quase 30 anos, a água recuou quase em sua totalidade, o que deixou a descoberto um cenário que mais parece apropriado a um filme sobre o fim do mundo.

A aldeia não foi reconstruída, mas agora voltou a ser uma atração turística para as pessoas dispostas a viajar de carro durante pelo menos seis horas, saindo de Buenos Aires, percorrendo estreitas estradas rurais por cerca

de 550 quilômetros. As pessoas visitam Epecuén para observar os restos oxidados de móveis, de automóveis, de casas em ruínas e de eletrodomésticos enferrujados. Sobem escadas que não levam a lugar ne-

ì O QUE Vilarejo argentino que nas décadas de 1920 e 1930 eram um dos mais famosos balneários turísticos da Argentina. Hoje, em ruínas, após desastre ecológico, voltou a chamar atenção.

ONDE No sudoeste de Buenos Aires.

nhum e percorrem o cemitério, onde muitas das tumbas ficaram expostas recentemente. É uma paisagem estranha e apocalíptica, que captura um momento traumático para a posteridade. Depois que a água subiu, um homem se recusou a ir embora. Pablo Novak, hoje com 82 anos, continua a morar nos limites do povoado, onde dá as boas-vindas às pessoas que entram pelas ruas em ruínas. “Quem passa pela região não deixa de entrar aqui. Qualquer pessoa que passe por essa áreas vem observar as ruínas”, afirmou Novak enquanto mostrava à Associated Press o que ainda havia em pé na cidade abandonada. “Há muito potencial em relação ao destino turístico, já que não temos apenas Epecuén, com as ruínas e a natureza. Oferecemos também alternativas”, disse Javier Andrés, diretor de turismo local. Muitos dos moradores antigos de Epecuén fugiram para Carhue, uma cidade vizinha também situada junto ao lago. O local agora está repleto de novos hotéis e saunas para o tratamento da pele com barro e água salgada.


14

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

geral


TELEFONES ÚTEIS

Receita: 3220-2200 Procon Estadual: 3232-6869 Procon Municipal: 3232-9050 DRT RN: 3220-2000

DÓLAR COMERCIAL

EURO TURISMO

Compra: R$ 2,2300 Venda: R$ 2,2310

Compra: R$ 2,8200 Venda: R$ 3,0300

DÓLAR TURISMO

LIBRA ESTERLINA

Compra: R$ 2,1870 Venda: R$ 2,3270

Compra: R$ 3,3931 Venda: R$ 3,3943

EM ARTIGO PARA A TRIBUNA DO NORTE, O DEPUTADO FELIPE MAIA DIZ QUE O BRASIL PERDE ESPAÇO NOS BRICS. PÁGINA2

NA TN ONLINE

Onda de protestos reduze ao menos 15% as vendas do comércio, diz IDV.

blog.tribunadonorte.com.br/mercado/

economia Editora: Renata Moura [ renatamoura@tribunadonorte.com.br ]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 30 de junho de 2013

Governo quer reaver áreas ociosas « DISTRITOS INDUSTRIAIS » A PGE quer reaver áreas que foram cedidas a indústrias, mas não funcionam ou são usadas para outros fins no Estado. O problema vem emperrando a chegada de novas fábricas ao RN ANDRIELLE MENDES repórter

O

Governo do Estado vai retomar as áreas ociosas do Distrito Industrial de Natal, localizado entre Natal, São Gonçalo do Amarante e Extremoz. A Procuradoria-Geral do Estado (PGE) já foi acionada e não descarta a possibilidade de entrar na Justiça para recuperar os terrenos que foram cedidos pelo governo e estão desocupados ou sendo utilizados para outros fins. Sem áreas livres, o Distrito, que abriga empresas como a Guararapes, a Vicunha Têxtil e a Ambev, não recebe novas indústrias há dez anos. A falta de áreas tem atrapalhado a captação de investimentos e impedido a chegada de novas indústrias, segundo o governo. Segundo levantamento da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, há pelo menos 20 empresas aguardando terrenos para instalar fábricas nos distritos industriais do estado. Segundo Miguel Josino, procurador geral do Estado, todas as empresas que receberam terrenos e deixaram de produzir foram notificadas pela Procuradoria. “Elas têm até o dia 12 de julho para se manifestar. Se não devolverem o terreno, serão acionadas na Justiça”, informou o procurador geral. A PGE espera recuperar 26 áreas apenas no Distrito de Natal. O governo não informou o número total de áreas doadas no distrito. O mesmo será feito nos outros distritos sob administração do Estado. “Faltam áreas para atender as empresas que querem se instalar no RN. Não podemos permitir que terrenos que

deveriam ser destinados a instalação de indústrias fiquem ociosos”, justificou o procurador. A Aguatrac, fábrica de tubos para irrigação, deve ser a primeira a se instalar no Distrito Industrial de Natal, após a retomada dos terrenos. A empresa já recebeu sinal verde do governo e se prepara para erguer a fábrica. Ao mesmo tempo que tenta abrir espaço para novas fábricas nos distritos já existentes, o governo do estado cria novos distritos, em parceria com os Municípios, como o de Goianinha, em fase de implantação, e o de Monte Alegre - com assinatura do decreto de criação prevista para o próximo mês.

Deficiências O atual modelo dos distritos industriais do RN, no entanto, é alvo de questionamentos por parte das associações que representam os empresários dos distritos de Natal e de Macaíba. A falta de infraestrutura e a demora na obtenção de licenças ambientais e de ‘habite-se’ são apontados como entraves para a ampliação dos empreendimentos já instalados. No distrito de Natal, também conhecido como distrito de Extremoz, falta pavimentação, iluminação pública, água e coleta de lixo regulares, segurança e transporte público. Nos distritos de Macaíba, há empresários que aguardam há mais de dois anos a renovação da licença de operação, sem a qual não podem continuar operando.

+

PAGINA 3 Falta de infraestrutura limita investimentos. ADRIANO ABREU

Miguel Josino, procurador-geral: Estado poderá ir à Justiça


2

economia

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

Derrapando, Brasil perde espaço nos Brics

Negócios &Finanças

FELIPE MAIA

LUIZ ANTÔNIO FELIPE [ laf@tribunadonorte.com.br]

deputado (DEM-RN)

Movimento x investimento A reação da população brasileira aos serviços oferecidos pelo Poder Público tem várias justificativas e motivos. Um deles está na educação. O Nordeste, por exemplo, tem a pior posição em pesquisa sobre aprendizado. Os resultados da Prova ABC mostram que 86,4% dos alunos do 3º ano do fundamental no Nordeste estão abaixo da média esperada na prova de matemática. Sudeste apresenta melhor índice - 57%. O pior Estado é Alagoas, com 92,1% com aprendizado fora das expectativas. A baixa qualidade da educação brasileira não passa apenas pelo aumento dos recursos. Tem outros motivos mais fortes, garantem especialistas. Um dos gargalos está na gestão.

Serviço A partir de amanhã (1º), os bancos terão que ofertar novos pacotes aos seus clientes. A medida contempla três novos pacotes padronizados de tarifas, com opções para oito serviços como saques, extratos, transferências de recursos, entre outros. O cliente também deve estar atento às discrepâncias nas tarifas bancárias que variam até 103%.

Contabilidade (I)

Contabilidade (II)

O Fórum Internacional da História Contabilística: Portugal - Brasil acontece em julho em Natal. Será organizado pela Academia Norte-Riograndense de Ciências Contábeis do RN, em parceria com o Conselho Regional de Contabilidade do RN, e terá como tema “Contabilidade: Gestão e Cidadania”. O Fórum será realizado no dia 12, a partir das 8h, no Auditório da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras, na Rua Mipibu, 443.

O II Seminário Potiguar de Contabilidade Aplicada ao Setor Público acontecerá nos dia 17 e 18 de julho, no auditório da reitoria da UFRN. Segundo a organização, terá a presença de autoridades federais, estaduais e municipais do setor público. O ex-Ministro da Previdência, Nelson Machado, e o subsecretário de contabilidade da Secretaria do Tesouro Nacional, Gilvan Dantas serão palestrantes.

Semana Enorme expectativa para a semana que está começando. Como vai ser o movimento das ruas? E, na economia, com a alta do dólar e a desconfiança do mercado? Uma bola de cristal para quem gosta de projeções.

Pesquisa internacional A partir de amanhã (1º), até o dia 28, o professor Mario Pereira da Silva do Departamento de Geofísica da UFRN será o único pesquisador brasileiro a compor a equipe do Cruzeiro de Pesquisa Oceanográfica, a bordo do navio oceanográfico N.Oc. Meteor, da Universidade de Kiel, na Alemanha.

dor Individual no Seridó, nos dias 5 e 6 de julho, no Complexo da Ilha de Sant’Ana, em Caicó. A fera acontece na Semana Nacional do Microempreendedor Individual.

1

2

A TOTVS reduziu para zero os juros da sua linha própria de crédito. Os interessados em adquirir softwares e serviços de implantação no valor de R$ 5 a R$ 200 mil podem financiar diretamente com a empresa em até 12 vezes sem juros - a melhor condição do mercado. A nova redução de juros para os financiamentos reforça o objetivo da companhia de acelerar o crescimento de seus clientes, que podem optar por um financiamento sem burocracia e a juros zero.

3

O mix de de lojas do Norte Shopping recebe três novas operações. No setor de moda feminina chegará a Bela Figura com uma loja de 35m². A franquia de fast food, Subway também é aguardada ansiosamente na praça de alimentação e ainda no mesmo piso, a loja On Line brevemente abre 45m² de moda masculina.

Pacote A unidade da Flytour American Express em Natal está com três datas diferentes para quem deseja conhecer o Natal Luz em Gramado (de 15 a 20 de novembro, de 20 a 25 de novembro e no fim de semana do Carnatal, de 5 a 10 de dezembro). O pacote inclui a parte aérea, translado Porto Alegre/Gramado/Porto Alegre, hospedagem (cinco noites) com café da manhã, tour pelo Vale dos Vinhedos, Gramado e Canela, tour alemão em Nova Petrópolis.

Festival Vem aí o 13º Festival de Fondue do Hotel Serrano, uma tradição nas serras potiguares, o evento apresenta a iguaria suíça no melhor clima da cidade de Martins. A abertura está agendada para o dia 6 de julho, no restaurante do próprio hotel. Mais informações sobre os pacotes e formas de pagamentos, na central de atendimento da Rede Sabino Palace (84) 3323-0800 e do hotel Serrano (84) 3391-2299.

Talentos A 4ª edição do Fest Bossa & Jazz será realizado de 22 a 25 de agosto, na praia da Pipa, com patrocínio da Cosern e Oi, através da Lei Câmara Cascudo. Para divulgar e valorizar o trabalho de jovens artistas do estado, a 4ª edição do Fest Bossa & Jazz contará com um segundo palco somente para artistas iniciantes, que estejam desenvolvendo trabalhos musicais nos estilos Jazz, Bossa Nova, Blues ou Música Instrumental e que não tenham lançado trabalho gravado.

Um dos fatores que motivam a nossa preocupação é que, embora tenham experimentado desaceleração no ano passado, os outros países do bloco mostraram dinamismo maior”. brasileira. Em 2012, a China cresceu 7,5%; a Índia 4,5%; a Rússia 3,4% e a África do Sul, 2,6%. Todos esses países registraram um desempenho muito mais expressivo que o brasileiro, que como se sabe foi inferior a 1%. Uma das explicações para esse fiasco do Brasil é o foco da política econômica adotada em nosso país. O governo atual manteve e intensificou a política usada pelo governo Lula após 2008, de fazer ações pontuais na economia para estimular o consumo por intermédio de isenções tributárias e para apoiar alguns grupos econômicos escolhidos, através de financiamento público especial fornecido principalmente pelo BNDES. O investimento brasileiro se manteve baixo em todo o governo atual. Tanto pela incapacidade de executar efetivamente o investimento público planejado, quanto pelas dificuldades e incertezas existentes nos marcos regulatórios, intensificadas por inter-

ferências promovidas nos últimos anos e que afetam o investidor privado. Essas mudanças, bruscas na sua maioria e sem a negociação necessária, afugentaram o investidor. As iniciativas do governo para a área de petróleo e gás, energia e estrutura aeroportuária são exemplos claros dessa tendência que inibe o investimento privado. Um olhar sobre as taxas de investimento da China, Índia e Rússia é revelador: esses países, em 2011, registraram uma taxa de investimento como percentagem do PIB de 54%, 30% e 21%, respectivamente. Todas superiores a taxa de investimento brasileira para o mesmo ano (17%). São números que comprovam a insuficiência da política adotada e que provocam profunda reflexão. Esses países vêm todos de experiências em que o controle do Estado sobre a economia era fundamental e extensivo. Todos caminharam nas últimas décadas para novos paradigmas na política econômica. O desafio brasileiro é obter uma maior eficiência na máquina estatal, que lhe permita efetivamente realizar o que pretende, e, principalmente, abrir espaço para que as empresas privadas possam atuar aproveitando as oportunidades que são imensas, especialmente, para o investimento na infraestrutura, ampliando assim o potencial de nosso desenvolvimento econômico e social. O restabelecimento dessas condições é necessário e urgente para que o Brasil reencontre o caminho do desenvolvimento sustentado e recupere sua importância no cenário mundial.

Vamos discutir a relação?! LUCIANO RAMOS

Parte de Fortaleza e se encerra em Walvis Bay (Namíbia). O objetivo da expedição é implantar no Oceano Atlântico Sul uma série de equipamentos para a aquisição de dados, visando a identificar possíveis variações anuais e decadais do chamado Grande Giro do Atlântico Sul.

Empreendedor O Sebrae fará a Feira do Microempreende-

Cerca de 44,2% da população do Brasil está endividada. Especialistas alertam que os consumidores precisam saber calcular os impactos dos financiamentos. Nos doze meses até março, o indicador estava em 43,9%. O dado vem em uma crescente desde 2005, quando estava no patamar de 18,39%. Se for levar em conta outros endividamentos, mais de 80% da população possui algum valor a ser pago. Dentre as causas do endividamento estão o analfabetismo financeiro.

O

fraco desempenho da economia brasileira, reforçado pela sucessão de indicadores negativos do primeiro semestre, já compromete a posição e influência do Brasil no âmbito dos BRICS. Os efeitos colaterais da política econômica do governo Dilma Rousseff prejudicam e comprometem a atuação de nosso país nesse bloco, em que o Brasil tem buscado um papel de liderança e de foco da expectativa de investidores e empresários. Hoje, o que vemos é a sua perda de importância como destino de capitais e a ascensão de outros players do grupo, como a China, a Rússia e a Índia. Acabo de voltar de uma visita à Rússia, integrando comitiva liderada pelo presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, em que pude avaliar mais de perto o peso e a importância dos BRICS no contexto da economia internacional. No século XXI, a economia mundial tem testemunhado uma mudança muito clara no seu eixo de dinamismo: alguns países que vivem fortes transformações em suas sociedades com a inclusão de parcelas expressivas de sua população no mercado de trabalho e consumo passaram a ser responsáveis por fatias crescentes da produção mundial e também se tornaram âncoras cada vez mais importantes do crescimento da economia global. É nesse contexto que foi formado o BRICS, o grupo de países que inclui o Brasil e é formado também

por China, Índia, Rússia e África do Sul. A aglutinação de tais nações não é aleatória, mas fruto da convergência de seus momentos atuais e potenciais futuros, em que prepondera a incorporação de parte da população que vivia antes em condições mais próximas da pobreza ao mercado de consumo. Em todos esses países enxergamos o fenômeno de nascimento da chamada “nova classe média” que, assim como no Brasil, impulsiona o mercado interno de consumo dos outros parceiros. A diferença é que, hoje, nesses países, predomina a expansão da economia, enquanto no Brasil, há claras evidências de estagnação com o esgotamento da eficácia da política econômica adotada pelo governo atual. Com a crise de 2008, a importância dos BRICS para a economia mundial só aumentou. Estima-se que, entre 2009 e 2012, esses países foram responsáveis por 55% do crescimento econômico global. O Brasil fez parte desse processo, ancorando a preferência e aposta do mercado investidor, espaço que tem perdido no último período. Isso fica claro quando observamos as diferenças entre os países que integram o BRICS, cujos resultados impõem uma reflexão cuidadosa sobre os desafios postos para o desenvolvimento brasileiro. Um dos fatores que devem ser analisados, e que motiva inclusive a nossa preocupação, é que embora tenham experimentado alguma desaceleração no ano passado, os outros países do bloco mostraram um dinamismo muito superior ao da economia

Procurador-Geral do Ministério Público de Contas do RN; Mestre em Direito do Estado.

“Brasil! Mostra a tua cara! Quero ver quem paga pra a gente ficar assim... Brasil! Qual é o teu negócio? Qual o nome do teu sócio? Confia em mim...” (Brasil, Cazuza)

A

s ruas brasileiras, sobretudo as capitais, já viram muita coisa em nossa história recente, mas ultimamente foram surpreendidas com uma grande DR – aquela discussão da relação que as mulheres adoram -, entre o Poder Público, substantivo masculino que é, e a cidadania, com todas as qualidades inerentes à alma feminina. Em terras tupiniquins, este matrimônio sempre esteve desequilibrado em prol do Estado, muitas vezes imposto pela força, até para criar obrigações para o cidadão, sobretudo no que tange a arcar com os custos das decisões tomadas unilateralmente pela Administração Pública. À cidadania, alijada do processo decisório, cabia o nobre papel de pagar os impostos e torcer para em algum momento esta contradança lhe ser menos árida; quem sabe com algum serviço público de qualidade de

“presente”, uma vez que a outra parte resiste em ver isto como sua obrigação neste casamento indissolúvel. Mas toda relação desequilibrada é essencialmente instável, o que haveria de culminar com um freio de arrumação, cujo principal objetivo há de ser a criação de uma via de mão dupla, com a confirmação dos poderes estatais, mas, sobretudo, com a ênfase nos deveres do Poder Público em face da sociedade civil. Infelizmente, ainda não chegamos ao ponto em que o Estado e a sociedade discutam efetivamente os gastos públicos, com exposição clara das prioridades e o retorno que estes darão para o bem comum. Longe estamos da cidade Suíça que, antes de se candidatar para sede dos Jogos Olímpicos de inverno, consultou sua população e terminou por não concorrer à realização deste evento igualmente mundial, tendo em vista a rejeição aferida no plebiscito realizado. A gestão dos recursos públicos no Brasil está muito longe de dar-se desta maneira, fato demonstrado pela decisão de sediar dois eventos grandiosos como a Copa do Mundo e as Olímpiadas, logo após ter realizado o Panamericano de 2007. Se não fomos consultados quanto à opção, igualmente a sociedade não foi ouvida quanto aos R$ 28,1 bilhões que

supostamente serão gastos na Copa do Mundo de futebol – teoricamente, pois a experiência do Panamericano mostra que o valor final pode chegar absurdamente a 10 vezes o valor orçado. À sociedade, restaria o papel de Amélia e achar bonito não ter o que comer, ou ainda não ter transporte descente para se locomover. E mais decisões unilaterais são impostas, como a opção pelo trem bala, pouco pertinente à solução dos problemas de mobilidade urbana, mas que consumirá algo em torno de R$ 40 bilhões, e ainda dizer que isto é resposta à voz das ruas. Mas os tempos de Amélia já se vão longe, o que haverá de amenizar a polaridade desta relação, inicialmente com uma fa-

se de tensão, mas que tende à harmonia do equilíbrio de um casamento necessário entre Estado e sociedade civil. Para tanto, indispensável que haja transparência nos gastos públicos, com plena aplicabilidade da Lei de Acesso a Informação, cuja total implementação encontra resistência em muitos gestores públicos, lentos na percepção de que a relação mudou, pois agora haverá de calcar-se na legitimidade e na confiança, sob pena de mudanças no parceiro responsável por tomar as decisões. Transparentes os gastos públicos, parte-se para o dever do cônjuge que arrecada os tributos justificar os serviços públicos que presta, adequando sua qualidade, por ser esta a razão de ser da sua existência e o mínimo que ele tem de retribuir a quem paga as suas contas e que, ao fim e ao cabo, deveria ser a parte mais forte neste enlace. Assim, ajustados os gastos e os serviços públicos, poderemos alcançar o desenvolvimento econômico e humano com frutos positivos para as duas partes nesta relação. E para não dizer que não falei das flores, recordo que entre as doze sedes da Copa do Mundo de 2014, a cidade do Natal e o estado do Rio Grande do Norte figuram entre os piores em transparência nestes gastos específicos, consoante Instituto Ethos.

todavia, há uma periódica participação de governadores do Nordeste em reuniões do seu Conselho Deliberativo para o debate dos problemas. É a região Nordeste que clama por apoio ao que se precisa na agricultura. O trabalho assistencial da SUDENE foi sempre feito ao lado do Banco do Nordeste, cujos recursos utilizados são do FNE, fundo criado pela Constituição. A decisão da aplicação dos recursos era tomada pelas Carteiras Especializadas. Isso sempre foi competência do BNB. Com relação a essas aplicações de crédito, a presidente Dilma deu, na hora, uma solução favorável aos agricultores endividados, ou seja, refazer as suas dívidas, ou, reformar as aplicações.

Isso ficou sacramentado. Outro ponto importante a ressaltar, é o trabalho feito pelas famílias na denominada “Agricultura Familiar”. É com destaque que se tem anunciado o que é feito nesse trabalho, hoje praticado visivelmente pelas famílias de agricultores no campo. Com esse tipo de agricultura se planta milho, feijão, além de outras hortaliças que são vendidas nas feiras livres e mercados. Para receber e vender essas mercadorias existe, em Natal, um Armazém, inaugurado no Governo de Wilma de Faria, mas que não se tem tomado conhecimento de sua existência. Com isso perde o agricultor e quem trabalha na “Agricultura Familiar”. E de quem é o problema? Isso é por todos sabido.

Ainda não chegamos ao ponto em que o Estado e a sociedade discutam os gastos públicos, com exposição clara das prioridades e o retorno para o bem comum”.

BNB, dívidas e acertos JOÃO LYRA NETO jornalista

C

om as mudanças que vem ocorrendo na área administrativa do Banco do Nordeste, em Natal, não é possível que não se dê uma nova postura assistencial aos agricultores endividados. Não é brinquedo, o que passou o Rio Grande do Norte com a destruição causada pela seca. Tem sido falado e reprisado o que trouxe a presidente Dilma a Natal para mostrar de perto o desejo do Governo em ajudar, da melhor forma, a compra do que for necessário para o trabalho do agricultor. Atuam, pelo que se conhece, 3 ministérios para ajudar nossa agricultu-

ra. Um deles, como é o caso, o Ministério da Integração Nacional, com uma função importante, desde o tempo do Ministro Ciro Gomes, que teve o trabalho de reabrir a SUDENE, fechada por interesses pouco conhecidos. Os artigos 34/18 estavam no rol dos defeitos. Ao mesmo tempo, foi sufocada a SUDAM, ambas condenadas pelo senador Beni Veras, em relatório feito com suas viagens ao Nordeste. Não se sabe dentro das mudanças que já ocorreram, em que área do Nordeste, ela atua, incorporada ao sistema de assistência e com recursos oficiais para atender aos pedidos de governadores. Nesse aspecto, não há uma informação concreta do que faz,


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

economia ADRIANO ABREU

Distrito Industrial em Extremoz: acessos de terra e deficiências na iluminação pública

3

EDU BARBOSA

Macaíba: empresários reclamam da insegurança e dos acessos, sobretudo nos dias de chuva

Infraestrutura limita investimentos « DISTRITOS INDUSTRIAIS » A falta de infraestrutura básica e a demora na obtenção de licenças ambientais

e de 'habite-se' são apontadas como entraves para a ampliação dos empreendimentos instalados no RN

A

falta de infraestrutura básica tem limitado os investimentos nos distritos industriais e afugentado empresários. No distrito industrial de Natal, pelo menos dois empresários já manifestaram interesse em transferir as atividades e fechar as portas. A Datanorte – Companhia de Processamento de Dados do Rio Grande do Norte – que administra 14 galpões industriais dentro do Distrito de Natal - estima que pelo menos nove galpões tenham sido abandonados nos últimos anos. A Companhia, que será extinta pelo governo, vai realizar uma avaliação dos imóveis nos próximos 45 dias para negociar a instalação de novas empresas, segundo Adalberto Pessoa, presidente da companhia. Benedito Dias Júnior, diretor de Engenharia, Projetos e Manutenção da Marinox, que vende bebidas e maquinário para estocar bebidas para todo o Brasil e países como Chile e Bolívia, é um dos que pensam em transferir as atividades para outro estado. Ele diz encontrar dificuldades para expandir os negócios

EDU BARBOSA

Já pensei em sair daqui várias vezes. Queria ampliar a fábrica, mas não há condições para isso. Falta tudo”. RICARDO BEZERRA DE FARIAS diretor da Kadoll Divisions

e reclama da falta de apoio do poder público. “Quero dobrar o tamanho das minhas duas fábricas, mas a Datanorte não me cede novas áreas”, reclama. Ele abriu as duas unidades há oito anos e já dobrou as duas fábricas de tamanho nesse período. Sem espaço para estocar máquinas e bebidas, as unidades têm recusado pedidos. “Isso já ocorreu várias vezes”, relata Benedito. O empresário Ricardo Bezerra de Farias, diretor da Kadoll Divisions, fábrica de móveis com clientes em vários estados do Nordeste, pensa parecido. “Já pensei

José Carlos, assessor da Sterbom: infraestrutura é empecilho

Benedito Dias, diretor da Marinox: falta apoio do poder público

em sair daqui várias vezes. Queria ampliar a fábrica, mas não há condições para isso. Falta tudo”. Ele teve que dispensar, nos últimos cinco anos, 90% do pessoal, e terceirizar praticamente todo o serviço. Em razão disso, noventa por cento do maquinário da Kadoll está ocioso. Ricardo, que também é presidente da Associação dos Empresários do Distrito Industrial de Natal, diz

com três empresas localizadas na mesma área – e tesoureiro da Associação das Empresas do Polo Industrial de Macaíba, José Carlos, revela que a empresa só não investe mais porque falta infraestrutura. “Estamos ampliando a capacidade de nossa fábrica de água mineral de 8 mil litros por dia para 22 mil litros por dia e investindo em todas as empresas do

Estado diz que vai cobrar providências Procurado pela TRIBUNA DO NORTE, o governo do estado disse que a responsabilidade de dotar o entorno dos distritos industriais de infraestrutura é dos Municípios que recebem as fábricas, e afirmou que entrará em contato com os prefeitos para cobrar providências. João Lima, empresário, presidente do Sindicato das Indústrias Têxteis e diretor da Federação das Indústrias do RN, ressalta que o decreto de criação do Centro Industrial Avançado de Macaíba, sob administração do Estado, já previa a pavimentação das ruas e a instalação de postes. A realidade, no entanto, é bem diferente. Boa parte dos acessos é de terra e não há qualquer iluminação pública. Os empresários reclamam da insegurança e das condições dos acessos, sobretudo nos dias de chuva. O secretário Sílvio Torquato, adjunto de Desenvolvimento Econômico, esclarece que a pavimentação e iluminação da área já foram licitadas, mas não detalha nem quando a obra será iniciada nem o prazo de conclusão. A equipe de reportagem tentou contato por telefone com o Departamento Nacional de Infraestrutura dos Transportes (Dnit), responsável pela licitação, para obter mais detalhes sobre a obra, mas não obteve sucesso até o fe-

ADRIANO ABREU

EDU BARBOSA

ter enviado uma série de ofícios para a Prefeitura de São Gonçalo do Amarante e para o governo do estado cobrando providências, mas afirma que não recebeu respostas até o momento.

Macaíba A situação é semelhante à vivenciada pelos empresários dos distritos de Macaíba. O assessor jurídico do grupo Sterbom –

grupo. Se o cenário fosse mais favorável, investiríamos mais. Outros empresários também têm deixado de investir. Sinto que estamos lutando sozinhos”, disse. O diretor de uma das maiores indústrias têxteis do estado, presidente do Sindicato da Indústria Têxtil e diretor da Federação das Indústrias do RN, João Lima, acrescenta: “Só ceder terrenos não basta”.

Distritos industriais Governo tenta fomentar a industrialização no Estado, mas há gargalos. DISTRITOS* IMPLANTADOS NO RN

DISTRITOS EM FASE DE CRIAÇÃO OU IMPLANTAÇÃO

Distrito Industrial de Natal (também conhecido como Distrito de Extremoz)

Distrito de Goianinha

Ano de criação

Ano de criação

2011

Data de operacionalização 1980

Número de empresas

14

indefinida

Número de empresas interessadas Administração

12

Mun. de Goianinha

Administração Governo do Estado Distrito de Monte Alegre

Centro Industrial Avançado de Macaíba (CIA) Ano de criação

Ano de criação 1997

Número de empresas

31

Administração Governo do Estado Distrito Industrial de Macaíba Ano de criação

Torquato, secretário: pavimentação e iluminação foram licitadas

não informado

Para João Lima, diretor da Fiern, ceder terrenos é importante para atrair empresas, mas garantir a infraestrutura básica e programas de incentivos à indústria, como o Proadi e o Progás, também pesa na escolha do investidor. A reportagem procurou o prefeito de Extremoz, Klaus Rêgo, por meio de telefones fixo e celular, mas ele não atendeu nem retornou as ligações. O secretário de administração de Macaíba, José Wilson, também foi procurado, mas não atendeu as ligações feitas para o celular dele.

Data de operacionalização Administração

PROBLEMAS APONTADOS PELAS EMPRESAS INSTALADAS NOS DISTRITOS Falta de pavimentação; Dificuldade de logística;

Ano de criação

1980

Número de empresas não informado Administração Governo do Estado

20

Mun. de Monte Alegre

Administração

Mun. de Macaíba

indefinida

Número de empresas interessadas

Número de empresas não informado

Distrito Industrial de Mossoró

chamento desta edição. Ao mesmo tempo que tenta solucionar os problemas de infraestrutura dos distritos já criados, o governo trabalha na criação do distrito industrial de Monte Alegre. Segundo Sílvio, a legislação que permitirá a criação de mais uma área destinada a abrigar indústrias já está sendo elaborada. Até o momento, 20 empresas manifestaram o interesse em construir fábricas no local. Elas preveem um investimento somado de até R$ 21 milhões e a geração de mil empregos diretos, juntas.

2013

(decreto deverá ser assinado em julho)

Falta de iluminação pública; Fornecimento de água e coleta de lixo irregular** Demora na liberação de licenças ambientais e 'habite-se'.

SEGMENTOS PRESENTES NOS DISTRITOS

Têxtil

Alimentação/ bebidas

Cosméticos

Móveis

*Distritos são áreas destinadas a instalação de fábricas. **Problema apontado por empresários do distrito de Natal, próximo a Extremoz.

Embalagens

Água mineral

Fontes: Sedec / associações / empresas


4

economia

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

Semana para formalizar negócios « EMPREENDEDORES » Semana do Microempreendedor Individual será realizada a partir de amanhã, com oferta de palestras, capacitações, orientações, além de espaço para formalização de empresas DIVULGAÇÃO

Zona Norte terá atendimento no Norte Shopping

AGÊNCIA SEBRAE RN

A

Semana do Microempreendedor Individual (MEI) começa amanhã com atendimentos em diversos pontos do estado. A meta, de acordo com o Serviço de Apoio a Micro e Pequena Empresa no Rio Grande do Norte (Sebrae/RN) é realizar 5.082 atendimentos até o dia 6, no estado. Esta é a 5ª edição do evento. Os atendimentos serão realizados das 8h às 18h. A mobilização tem como objetivo formalizar e capacitar microempreendedores individuais (MEIs) para que possam vender mais, pensar o negócio, adaptarse às necessidades do mercado, preparar seus produtos e serviços para conquistar mais clientes e expandir suas empresas. A Semana acontece simultaneamente em todo o Brasil e visa estimular o desenvolvimento dos negócios de quem está enquadrado nessa categoria jurídica e também trazer para formalidade autônomos que trabalham por conta própria. Para ser um MEI, é necessário faturar no máximo até R$ 60 mil por ano e não ter participação em outra empresa como sócio. Em contrapartida, a pessoa formalizada recebe o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais. Entre as vantagens de estar enquadrado como MEI, estão a inclusão no Simples Nacional e a isenção de tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins,

Evento visa estimular o desenvolvimento dos microempreendedores e a formalização de outros que ainda não são legalizados

IPI e CSLL). O microempreeendedor pagará apenas o valor fixo mensal de, no máximo, R$ 39,90, que será destinado à Previdência Social e ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) ou ao Imposto Sobre Serviço (ISS). Com essas contribuições, o Microempreendedor Individual tem acesso a benefícios como auxílio maternidade, auxílio doença, aposentadoria, entre outros. Durante a Semana do MEI,

que se encerra apenas no dia 6, haverá programação em diversas cidades do interior do Rio Grande do Norte e na capital, onde serão montadas tendas em pontos estratégicos para atender melhor ao público alvo da mobilização.

Alecrim Em Natal, uma estrutura está sendo montada na praça Gentil Ferreira, no Alecrim. No local, haverá espaço para forma-

lização, orientações, palestras e demais capacitações. Nesta edição, serão oferecidos quatro módulos das Oficinas SEI – SEI Vender, SEI Comprar, SEI Planejar e SEI Controlar Meu Dinheiro. Todas gratuitamente para microempreendedores já formalizados. Além disso, no Alecrim, serão promovidas palestras com agentes da Previdência para mostrar as principais vantagens de se tornar um MEI. Também

estão previstas palestras com as principais instituições financeiras que atuam com crédito e financiamentos direcionados a esse público. Estão confirmadas as participações da Caixa, Banco do Brasil, Agência de Fomento do RN (AGN) eBanco do Nordeste do Brasil, que apresentarão seus produtos aos empreendedores. A empresa Cielo vai explica também os benefícios do uso da máquina de cartão de crédito nos micro negócios.

Uma das novidades deste ano é a abertura de um polo de atendimento na zona Norte de Natal. Os atendimentos serão feitos no Norte Shopping, onde, além da programação disponibilizada nos demais postos de atendimento, haverá capacitação do projeto Integra, executado pela Associação Comercial do Rio Grande do Norte, envolvendo cursos na área de gestão. O projeto promoverá palestras em várias áreas, abordando os temas Técnicas de Vendas, Planejamento e Administração Financeira Familiar, A importância de Contabilizar, Encante o seu Cliente e Você é o melhor negócio. “Além de formalizar, queremos levar capacitação para aumentar a competitividades dos empreendimentos que já estão formalizados. A intenção é mobilizar todo o Rio Grande do Norte em prol do empreendedorismo e da formalização”, explica a coordenadora do evento no estado, Ruth Suzana Maia. A mobilização ocorre também no interior, onde estão os escritórios regionais do Sebrae, como é o caso de Assú, Pau dos Ferros e Santa Cruz. No Seridó, será realizada a Feira do Microempreendedor, uma espécie de feira de negócios para aproximar os empreendedores. Já em Mossoró, os atendimentos irão acontecer no escritório do Sebrae e também na Praça da Independência.


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

economia

5 ALEX RÉGIS

RN lidera captação de crédito no plano safra da pesca « INCENTIVO » No Nordeste, o Estado foi o que mais

pegou recursos para o desenvolvimento da atividade. Foram R$ 12 milhões desde outubro de 2012

O

Rio Grande do Norte é o primeiro lugar no Nordeste, e terceiro lugar do Brasil, em números absolutos, no volume de adesões e crédito do Plano Safra da Pesca e Aquicultura, programa do Governo Federal que é desenvolvido pelo Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) em parceria com os Governos Estaduais. Desde o lançamento do projeto, em outubro de 2012, até maio deste ano, foram liberados mais de R$ 12 milhões para os pequenos, médios e grandes pescadores estado, diz o presidente da Confederação Nacional de Pescadores e Aquicultores (CNPA), Abraão Lincoln. O Plano Safra da Pesca e Aquicultura é um programa do Governo Federal em parceria com os Estados para estimular o desenvolvimento do setor por meio de linhas de crédito para o aumento de produção e a geração de emprego e renda. Estão sendo disponibilizados mais de R$ 4 bilhões em crédito e investimentos para fortalecer o setor pesqueiro. Além da ampliação do crédito, com juros menores e prazos estendidos, os beneficiados contam com assistência técnica para melhor aplicação dos recursos em seus projetos. O crédito

é concedido pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Banco do Nordeste, Banco do Brasil, Banco da Amazônia, Caixa Econômica Federal e Cooperativas de crédito. O Plano Safra é destinado a todos os envolvidos nos processos de pesca, exploração, cultivo, conservação, processamento, transporte, comercialização e pesquisa dos recursos pesqueiros. As linhas de crédito são oferecidas a pequenos, médios e grandes pescadores e aquicultores, com benefícios exclusivos para cada tipo de produtor: familiares, cooperativas, pescadoras, jovens, marisqueiras. Os recursos podem ser aplicados na conservação e aquisição de embarcações e equipamentos; beneficiamento ou industrialização; e incremento da produção. Há recursos para despesas posteriores à captura e produção, como armazenamento, seguro, manipulação, preservação, acondicionamento, impostos, fretes e carretos.

Vendas O acesso ao crédito não foi o único motivo de comemoração no Dia Mundial do Pescador, comemorado ontem, diz Lincoln. De acordo com ele, nos últi-

mos dois anos, o pescador brasileiro, em especial do Rio Grande do Norte, vem sendo contemplado com ações e projetos que valorizam a categoria. “Alguns avanços são perceptíveis e refletem-se na ampliação da produção e qualificação dos pescadores”, acrescenta. Além de ser recordista do Brasil no volume de contratações do Plano Safra para pescadores e aquicultores, o RN, diz ele, é líder na venda direta da produção de pescado ao Governo Federal através da Conab. O Rio Grande do Norte está em primeiro lugar no Brasil em aquisição de pescado através do PAA (Programa de Aquisição de Alimentos– Pescado), operado pela Conab. Em 2012, a Companhia adquiriu, em todo o Brasil, 3.610.386 kg de pescado. Deste total, quase 1/3 foi do Rio Grande do Norte (1.036.643 kg). Este volume de pescado representa, em recursos, R$ 5.027.383,70 apurados pelos pescadores potiguares. Em todo o Brasil, o total pago pela Conab pela aquisição de pescado foi de R$ 19.278.479,23. “Esta é mais uma demonstração da força do nosso pescador. E também comprova que estamos aperfeiçoando nossos níveis de organização”, diz Lincoln.

Os incentivos a pesca e aquicultura foram destacados pelo presidente da CNPA, Abraão Lincoln

Produção de tilápia recebe licenças De acordo com o presidente da Confederação Nacional da Pesca, Abraão Lincoln, outra conquista do setor é que foram emitidas as 15 primeiras licenças para produção de tilápia em tanques rede no Rio Grande do Norte, pleito que era aguardado há mais de 10 anos e que beneficia diretamente centenas de pequenos pescadores e aquicultores. As licenças são emitidas pelo Governo do Estado. A barragem de Umari em Upanema, Campo Grande em São Paulo do Potengi e Passagem dos Cavalos, São José do Mipibu recebem os primeiros empreendimentos que funcionarão como projeto piloto para o Estado e todo o Brasil. “Os pescado-

NÚMERO

15 licenças para produção de tilápia em tanques rede foram concedidas no Rio Grande do Norte.

res passaram a ter incentivo, trabalham na legalidade e são tratados como merecem podendo agora ter acesso, inclusive, aos programas de crédito. Antes, sem licenças, não tinham esse direito e eram marginalizados”, justificou Abraão Lincoln, pre-

sidente da CNPA. Natal também ganhará um centro de apoio ao pescador artesanal, no Canto do Mangue, através da parceria entre Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern), Governo do Estado do RN, Confederação (CNPA), Federação e Colônias dos Pescadores de Natal e do RN. O novo prédio da colônia dos pescadores será construído com estrutura de salas para atendimento, auditório, salas de aula e capela, segundo Lincoln. “Será um marco para a nossa pesca artesanal. Um centro exclusivo do pescador, no coração do Canto do Mangue, que tem uma importância para a história da cidade”, destaca.


6

economia

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

Abrindo a porteira

Produção nacional de carne deve crescer 35% até 2023

LUIZ ANTÔNIO FELIPE [ laf@tribunadonorte.com.br]

Seguro x rolagem O seguro obrigatório pode colocar fim a rolagem de dívidas do setor rual. O Brasil dá os primeiros passos para superar à longa tradição de calotes e renegociação de dívidas da agricultura. O governo quer obrigar todos os agricultores que tomam recursos do sistema de crédito rural (com juros controlados de até 5,5% ao ano) a aderirem ao seguro público rural. A medida do Conselho Monetário Nacional passa a valer a partir de 1º de julho de 2014 - início da safra 2014/15. A resolução prevê ações para baixar o custo de operação dos bancos. No caso dos médios agricultores, com renda anual de até R$ 800 mil, o Proagro garante a restituição de até 100% do valor de custeio no limite de R$ 300 mil - que contempla 98% das operações de crédito desse segmento. O custo de contratação do seguro varia entre 1% e 3% sobre o valor da operação.

« OTIMISMO » Crescimento é apontado em relatório do Mapa e,

segundo o Ministério, deve ser puxado pelo aumento do consumo ALEX RÉGIS

Legislação Com o novo código florestal, os donos de imóveis rurais terão de prestar informações sobre suas terras em sistema online. O cadastramento funcionará de forma semelhante à declaração do Imposto de Renda. O produtor acessará um sistema que conta com imagens de satélite e fornecerá três tipos de informações: da propriedade, da localização e do proprietário – como endereço e número de CPF ou CNPJ. O registro é gratuito e obrigatório.

Vacinação

Debate

Pelo calendário oficial do Ministério da Agricultura e Pecuária, acaba hoje (30), o prazo de vacinação contra a febre aftosa no Rio Grande do Norte e, em vários estados do Norte e Nordeste. É importante que o pecuarista leve a um escritório da Emater ou ao Idiarn a nota fiscal para a legalização do procedimento e garantir a Guia de Transporte Animal.

O presidente do Banco do Nordeste (BNB), Ary Joel Lanzarin, disse na reunião com diversos produtores rurais e lideranças do setor na sede da Anorc, que nas comemorações dos 61 anos do BNB, o tema será o semiárido e suas alternativas para se desenvolver. O debate vai acontecer em Fortaleza nos dias 18 e 19 próximos.

Exposição Um fracasso de público e até mesmo de presença de órgãos do Governo do Estado na 40ª Exposição Agropecuária do Seridó, realizada de 21 a 23, em Caicó. Faltou água, faltou luz e o parque estava abandonado. O leilão de animais rendeu mais de R$ 140 mil. A Emparn vendeu 17 lotes de animais que renderam cerca de R$ 92 mil. A próxima exposição será em Coronel Ezequiel, dias 6 e 7 de julho.

Carne de cavalo A Rússia vai comprar de carne de cavalo de dois frigoríficos brasileiros. A expectativa é que este ato aumente as perspectivas de crescimento para o mercado de carne eqüina. O serviço sanitário russo autorizou a exportação de carne equina de dois frigoríficos no Rio Grande do Sul e Paraná. Não há regis-

1

O Iraque quer ampliar as suas compras de itens da cesta básica no Brasil. A intenção dos iraquianos é ampliar as importações de produtos como arroz, açúcar e até óleo de girassol, que fazem parte das 30 milhões de cestas que o governo daquele país distribui todos os anos, conforme informações divulgadas pela assessoria de imprensa da Câmara de Comércio e Indústria Brasil Iraque. O Brasil vende alimentos e importa petróleo dos iraquianos.

2

tro de exportações de carne equina para o mercado russo nos últimos 15 anos. Em 2012, o Brasil exportou 2,3 mil toneladas de carne de equídeo, - US$ 6,7 milhões em vendas para Bélgica (principal comprador, com US$ 4,34 milhões), África do Sul, Espanha, Finlândia, Itália, Japão e Países Baixos.

O Brasil precisa importar cerca de 200 mil toneladas de feijão preto, para atender o consumo doméstico e, para isso, zerou a alíquota de importação. Por que não estimula os assentamentos rurais a produzirem feijão garantindo um preço mínimo? Para a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), solucionar o problema da escassez de feijão, de forma definitiva, depende da adoção de medidas que incentivem a produção nacional, estimada em 2,84 milhões de toneladas na safra 2012/2013. Enquanto a produção nacional tem caído nos últimos anos, o consumo é crescente e está estimado em 3,4 milhões de toneladas em 2013.

3

Além de tratores,

colheitadeiras e outras máquinas sofisticadas no campo, também cresce o segmento de reboque dos tratores, roçadeiras, entre outros. A indústria de implementos projeta 2013 como o melhor ano da história. Em abril, o segmento bateu recorde de faturamento e de número de trabalhadores. A utilização da capacidade instalada de 232 empresas supera 80% e, para atender só os pedidos em carteira, as indústrias levariam 5,33 semanas, prazo quase 50% maior que em 2012.

Lácteos No varejo, considerando todos os produtos pesquisados, houve alta de 0,8% nos preços dos lácteos na primeira quinzena de junho em relação à segunda quinzena de maio. Os queijos ficaram 2,3% mais caros, em média, na comparação com a segunda quinzena de maio. O preço do leite longa vida subiu 1,5% neste período. O litro ficou cotado, em média, em R$2,68. A alta acumulada do leite longa vida em 2013 é de 13,9%.

Leilão Na noite de terça-feira (2), às 21 horas, o Agrocanal transmitirá o Leilão Virtual Top Leite Novilhas, Bezerras e Reprodutores Gir Villefort, com 47 lotes de novilhas e bezerras, além de 1 reprodutor para repasse. No dia 6, o criador une forças com a Uniube para promover o Leilão Guzerá Linhagem Leiteira Uniube & Villefort, com a participação de convidados. Será no Centro de Eventos da ABCZ, às 21 horas, durante a Megaleite, em UberabaMG.

Do total de carne bovina produzida, nos próximos dez anos, 75% ficarão no mercado interno, segundo projeções do Mapa

B

rasília (ABr) – Projeções do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento indicam perspectivas positivas para o agronegócio brasileiro nos próximos dez anos. Além da ampliação das lavouras e do crescimento da produção de grãos, é destaque o aumento da produção de carnes – bovina, suína e aves. Segundo o relatório Projeções do Agronegócio - Brasil 2012/23 a 2022/23, lançado na semana passada, a produção de carnes deverá crescer 35% no período. De acordo com o estudo, o responsável pela expansão será o crescimento do consumo, sobretudo interno. Pelas previsões, em relação aos números deste ano, mais 9,3 milhões de toneladas de carnes serão produzidas no país em dez anos, com o total passando de 26,5 milhões de toneladas para 35,8 milhões de toneladas. Quanto ao consumo de carnes, o relatório projeta aumento de 3,6% ao ano, no período 2013-2023. As carnes fazem parte de uma cesta mais diversificada, que começa a se formar com o aumento de renda das populações, tanto da população mundial quan-

to da população local, disse o coordenador geral de Planejamento Estratégico do Ministério da Agricultura, José Garcia Gasques. “O produto está diretamente relacionado ao aumento da renda: se a renda aumenta, aumenta também o consumo de carne”, explicou Gasques. O relatório do Ministério da Agricultura estima papel importante do mercado interno no aumento da produção de carnes. Pelo estudo, 58,8% da produção de frango serão destinados ao consumo interno no período avaliado. Do total de carne bovina produzida, 75% irão para o mercado interno. Quanto à carne suína, 82,3% serão destinados ao consumo local.

Exportação No que diz respeito à exportação, as projeções indicam aumento de 13,7% a 59,5% para o frango, de 28,9% a 110,5% para a carne bovina e de 29,4% a 87,3% para suína. O relatório diz que os principais compradores deverão ser os Estados Unidos, seguidos de países africanos, da Rússia e do Japão. O relatório vê possibilidade

NÚMEROS

35,8 milhões de toneladas é a quanto deverá chegar a produção de carnes no país, que hoje está em 26,5 milhões de t.

3,6% é a projeção de crescimento para o consumo de carnes no mesmo período, de 2013 a 2023, de acordo com relatório do Mapa.

de crescimento nos demais setores do agronegócio: a produção de grãos deverá passar de 184,2 milhões de toneladas em 2012/13 para 222,3 milhões em 2023, com potencial de produção que pode chegar a 274,8 milhões de toneladas. Isso significa um acréscimo à oferta entre 20,7% e 49,2% na próxima década. A área plantada de grãos deverá expandir-se entre 8,2% e 30,3%, passando de 53 milhões

de hectares em 2013 para 57,3 milhões de hectares em 2023. De acordo com o relatório, no limite extremo, a área plantada iria para 69 milhões de hectares. Já a área total plantada com lavouras deverá passar de 67 milhões de hectares em 2013 para 75,5 milhões em 2023. A expansão está concentrada no crescimento da soja, 6,71 milhões de hectares, e de cana-de-açúcar, 2,2 milhões. O milho também deve ter expansão de área por volta de 1 milhão de hectares. Arroz, mandioca, trigo, feijão e café mantêm-se praticamente sem alteração ou perdem área. “Queremos superar o que está aqui nas projeções”, disse o ministro da Agricultura, Antônio Andrade. Segundo o ministro, o aumento na produção decorre principalmente pelo aumento da produtividade, e não das áreas de cultivo. Isso significa que o produtor está preocupado com a sustentabilidade, o que, para o ministro, é positivo. “Aumentamos pela produtividade, e não pelas novas áreas, isso nos dá uma tranquilidade muito grande”, disse Andrade.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

economia

7

»ENTREVISTA » SÔNIA HESS DE SOUZA PRESIDENTE DA DUDALINA

“Precisamos mesmo é de reformas”

FOTOS:ADRIANO ABREU

ì QUEM Sônia Hess de Souza é presidente da Dudalina desde 2003 e considerada a 6ª no ranking das 10 mulheres de negócios mais poderosas do Brasil, segundo a revista Forbes.

FORMAÇÃO

« CRÍTICA » A presidente da Dudalina diz que, em vez

Administração de Empresas e especialização em Confecção.

de conceder incentivos, o Brasil deveria investir em reformas tributária, política e trabalhista para crescer

CARREIRA Atua no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do Governo Federal, no Conselho Curador da Fundação Dom Cabral, é conselheira e vicepresidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT), presidente do LIDE Mulher (Grupo de Líderes Empresariais), vicepresidente do Conselho Deliberativo da ADVB/SC e Jurada do Prêmio para mulheres empreendedoras da América Latina, promovido pela Cartier Womens´s Initiative Awards na França

ANDRIELLE MENDES repórter

A

Dudalina, maior camisaria da América Latina, vai abrir mais 30 lojas este ano – uma delas no Rio Grande do Norte. A meta, segundo Sônia Hess Souza, presidente da rede, que já conta com 71 unidades espalhadas pelo país, é fechar o ano de 2013 com até 100 lojas. Sônia diz não se intimidar com o crescimento modesto da economia nem com a alta da inflação. “Tem a alta de juros? Vamos cuidar para ter uma eficiência e uma produtividade melhor e precisar menos de capital externo. Vamos olhar o nosso fluxo de caixa. Há várias coisas que se pode fazer. Você só não pode se contaminar com o negativo”. Apontada pela revista Forbes como a sexta mulher mais poderosa do Brasil, Sônia declara não gostar dos incentivos concedidos pelo governo – que ora desoneram e ora oneram – e afirma esperar uma reforma profunda na tributação, na política e nas leis trabalhistas. Esta semana, ela ministrou palestra no 5º Congresso sobre Gestão de Pessoas, da Associação Brasileira de Recursos Humanos no RN (ABRH/RN) e concedeu entrevista à TRIBUNA DO NORTE.

A Dudalina começou com a aquisição de uma loja de secos e molhados e hoje é considerada a maior camisaria da América Latina. Como se deu essa expansão? A Dudalina tem 56 anos e sempre produziu roupa masculina. Em 2010, resolvi fazer um teste e fiz uma coleção de camisas primeiro para mim. Eu pesquiso, eu viajo muito, e nunca vi isso. Aí falei: vou produzir uma camisa para a mulher e fizemos um teste num shopping em Campos do Jordão. Imediatamente já criamos uma coleção. Lançamos em setembro daquele ano, em novembro inauguramos a nossa primeira loja conceito e começamos num projeto de fazer franquias. Inauguramos as duas primeiras franquias em abril de 2011. Daí a gente criou uma loja voltada para os homens. E terminou 2011 com 28 lojas, 2012 com 70 lojas, e esse ano a gente deve terminar talvez com 90 ou 100 lojas. Vamos investir entre R$ 20 milhões e R$ 25 milhões na abertura de lojas esse ano.

O país não tem um plano. E nada do que é anunciado é cumprido. Há coisas tão retrógradas, que eu não gosto nem de falar, porque me revolta. Ao invés de simplificar a vida do empresário para que ele cuide do negócio dele, não”.

Onde essas novas lojas serão abertas? No Brasil todo. Hoje a gente começou uma nova rede com a abertura da primeira loja da marca Individual em Ibirapuera, que é uma nova rede que deve fechar o ano com umas seis lojas. Daí não pergunte quantas mais abriremos porque eu não sei. Vou avançando. Essas novas lojas serão abertas em todo o Brasil, mas se concentrarão em alguma região específica? Não, não. A gente quer até o final desse ano pelo menos uma loja em cada estado brasileiro. Faltam três ou quatro estados. São todas franquias? Não, a maioria é loja própria. Qual seria a proporção? Setenta por cento é de loja própria. Só 30% é franquia. O Nordeste ainda é uma região promissora para se investir? Muito. Nós já temos uma loja aqui em Natal e queremos abrir mais duas, talvez no aeroporto internacional Augusto Severo e outra no Midway também. Em Recife nós temos três lojas, Fortaleza uma loja, Aracaju uma loja, Maceió uma loja, Salvador temos três lojas. A Dudalina tem uma loja no Natal Shopping. Quando deverá abrir as outras lojas? A loja no Midway ainda não está bem desenhada. Nós ainda não iniciamos as negociações, mas provavelmente vamos entrar. Por enquanto, é o aeroporto Augusto Severo. A licitação vai ser na próxima semana. Quanto vocês costumam investir? Investimos de R$ 800 mil a R$ 1 milhão em cada loja nossa, incluindo o estoque.

Conheço empresários estrangeiros que olham para o Brasil e dizem: 'Não vou investir. É tudo muito inseguro, muito complexo”.

Abrindo essas duas novas lojas no RN, ainda há espaço para mais unidades da Dudalina ou das outras marcas? Queremos primeiro consolidá-las, porque tem muito lugar para abrir. O Nordeste já chegou a crescer mais do que o Brasil. Hoje, o ritmo de crescimento é menor. Isso não faz com que o

interesse dos investidores em aportar capital na região diminua? Vale a pena abrir lojas na região. Na verdade, eu acredito que vale a pena abrir lojas em todo o país. Era mais fácil expandir os negócios antigamente ou ficou mais fácil agora? A gente nunca sabe. Qual o melhor momento? É o momento que aconteceu, porque não tem outro, nem outra forma de analisar. Você tinha feito antes? Claro que eu tinha feito se soubesse, mas eu não sabia. O importante é o que eu vou fazer daqui para frente. O futuro é o que importa. O passado vai ser um balizador. Mas o futuro é o que importa. Como a senhora avalia o momento vivido pela Indústria e pelo Varejo? O momento atual exige mais cautela, desperta preocupação? Se a gente for analisar, desde que eu nasci a gente tem que ter cautela, porque vai ter crise. Eu nunca levei isso a sério demais, porque se não você vai sempre adiar as coisas. “Não vou fazer nada, porque o dólar está caro. Ah, não vou fazer nada porque os juros estão altos. Ah, não vou fazer nada, porque tem movimento nas ruas”. Vai sempre ter alguma coisa para atrapalhar. Então, tira tudo isso da frente e vai embora. Mesmo assim, estamos num cenário de baixo crescimento, alta na taxa de juros... Isso acaba, de certa forma, mexendo com os negócios? Não, com os nossos não. Esse cenário não inibiu os nossos investimentos. De forma nenhuma. Nada disso me atrapalha. Tem a alta de juros? Vamos cuidar para ter uma eficiência e uma produtividade melhor e precisar menos de capital externo. Vamos olhar o nosso fluxo de caixa. Há várias coisas que se pode fazer. Você não pode se contaminar

com o negativo. O Governo Federal concedeu alguns benefícios para a indústria, entre eles a desoneração da folha de pagamento – em troca de um percentual sobre o faturamento. Qual o impacto da desoneração nos negócios da Dudalina? Li que a empresa teria aproveitado a ‘folga’ proporcionada pela desoneração para ampliar e capacitar o quadro de pessoal...

Na realidade, o governo dá de uma lado, mas tira do outro. Ele desonerou a folha de pagamento, mas passou a descontar 1% do nosso faturamento. Então, não deu nada. Mas claro que foi incentivo de qualquer forma. Indústria e Varejo carecem de mais incentivos do governo? Eu não gosto dos incentivos do governo. Eu acho que o governo tem sim que fazer uma reforma tributária profunda. Tem que fazer uma reforma política profunda. Uma reforma trabalhista. Quer dizer, tem que fazer uma reforma, mesmo que não seja profunda. Nós temos uma CLT – Consolidação das Leis Trabalhistas – com 50 anos. Parece que a CLT parte do princípio que o empregado é inimigo do empregador. Eu digo que para ser governante desse país e fazer essas reformas tem que ter coragem. Melhor que incentivos pontuais, seriam as reformas tributária, política e trabalhista? Isso. Tem que ter um plano de país, que é uma coisa que a gente não vê. Nunca vi nenhum ministro apresentar um plano ‘Brasil 2025’. 2025 está aí. Fui num fórum de logística e infraestrutura e lá estavam vários ministros. Tudo o que foi apresentado lá tinha como horizonte o ano de 2014. Eu disse: ‘nem empresa consegue crescer, sem um plano de médio e longo prazo’. Nós estamos pensando já em 2016, mas refletindo sobre 2020. O país não tem um plano. E nada do que é anunciado é cumprido. Lembro do ministro

da Fazenda anunciar no ano passado que a economia ia crescer 4%. Eu falei: ‘vai ser menos de 1%’. O pessoal me disse: ‘nossa, Sônia, você é louca’. Não tem clima para o Brasil crescer daquela forma. O país não se estruturou. E esse ano está acontecendo a mesma coisa. Eles tem as métricas para fazer, mas não fazem. Então não adianta desonerar aqui, onerar ali. Hoje, todas as minhas empresas têm mais pessoas na contabilidade do que trabalhando no desenvolvimento de produtos. Todas as empresas. Por que? Porque todo dia tem uma lei nova. É tão absurdo. São coisas tão retrógradas, que eu não gosto nem de falar, porque me revolta muito. Ao invés de simplificar a vida do empresário para que ele cuide do negócio dele, não. Isso desestimula? Não. Isso me deixa revoltada, mas não me desestimula, porque não posso fazer nada para mudar. A senhora acredita que a reforma trabalhista, política, tributária vai sair? Não. Pelo menos, nesse governo. Pode ser que a partir de agora, com esses movimentos, alguma coisa mude. Parece que agora vão resolver tudo. Por falar nos movimentos, os protestos causaram prejuízos ao grupo, já que foi preciso fechar as lojas? Claro que afetou, mas ao mesmo tempo eu acho o movimento legítimo. Detesto vandalismo, mas acho que nós todos iríamos para a rua para dizer: ‘estamos aqui e queremos um país melhor’. Corrupção, violência, custo Brasil. Tudo isso torna o Brasil menos interessante para quem deseja investir? Sem dúvida. Conheço empresários estrangeiros que olham para o Brasil e dizem: ‘não vou investir. É tudo muito inseguro, muito complexo’.


8

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

“Salão” quer fomentar o turismo em Estados do NE « EVENTO » O Salão Rota 101 Nordeste terá palestras e exposições sobre destinos turísticos beneficiados pela duplicação da BR-101

N

atal vai sediar esta semana, entre os dias 4 e 6 de julho, o Salão de Turismo Rota 101 Nordeste, evento que vai reunir quatro estados beneficiados pela duplicação da BR101 – além do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas. O Salão será realizado no Centro de Convenções de Natal, das 16h às 22h, e contará com a participação de operadoras de turismo, redes de hotelaria, entre outros segmentos. O Salão terá espaços para gastronomia, artesanato e cultura dos quatro Estados. Será aberto ao público, mediante preenchimento de cadastro via site (www.rota101nordeste.com.br) ou na secretaria do evento. Com 128 estandes, o evento reúne dez operadoras, redes de hotéis, além de 74 marcas de hotéis dos quatro estados. Diversos destinos da região, sobretudo potiguares, reservaram espaço no evento, como Pipa, Mossoró, Pirangi, Barra do Cunhaú, Santa Cruz, São Miguel do Gostoso, São Gonçalo do Amarante e Extremoz, entre outros. De Pernambuco estarão no Salão, além de Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes, os municípios de Ipojuca (Porto de Galinhas), Maria Farinha e Gravatá. De Alagoas, Maceió e Maragogi e da Paraíba, João Pessoa e Campina Grande. O Salão terá um evento agregado em seu segundo dia (5 de julho, às 15h). Trata-se do Encontro de Prefeitos e Gestores de Turismo dos 57 municípios que integram a Rota 101 Nordeste.

Palestras Às 15h, a presidente da Anseditur (Associação Nacional de Secretários e Dirigentes de Turismo), Cláudia Pessoa, também secretária de Turismo de Maceió, falará sobre as ações de marketing da entidade.

Às 15h30, o secretário de Turismo de Pernambuco, Alberto Feitosa, abordará o tema “Desenvolvimento Econômico de Pernambuco: uma nova fase para o Turismo” Logo depois, às 16h, o empresário, consultor e vereador de Gramado, Jaime Schaunloffel, falará sobre “Turismo de Gramado: antes e depois do Natal Luz”. Ex-vice-prefeito, ex-presidente da Câmara de Vereadores e exsecretário de Desenvolvimento e de Turismo de Gramado, ele é um dos criadores do Natal Luz. No encerramento do evento, às 17h, a palestra abordará as novas diretrizes do Plano de Regionalização do Turismo. Estará a cargo do Ministério do Turismo, que trará a Natal o secretário de Políticas de Turismo, Vinícius Lummertz, e o coordenador de Projetos do MTur, Bernardo Castro. Na festa de encerramento do Salão em Natal, que se realizará no dia 6 de julho, a partir das 22h, será anunciada a cidade que sediará o II Salão. A data já está marcada: 7 a 9 de agosto de 2014. A Rota 101 Nordeste abrange 57 municípios. São 19 no RN, 15 na Paraíba, 16 em Pernambuco e sete em Alagoas. Todos os envolvidos no projeto terão direito a linhas de crédito diferenciadas para investimento em Turismo, assim como a projetos de capacitação do Sebrae, que deverá investir sobretudo na produção associada ao Turismo nos 57 municípios. O Salão de Turismo vem sendo planejado há quase um ano e será um dos “braços” do programa. O Salão é promovido pelos Governos do RN, Paraíba e Pernambuco, além da prefeitura de Maceió e de Natal, é patrocinado pelo Sebrae, pelo Banco do Nordeste e a operadora CVC, e organizado pela Espacial Eventos e Argus Eventos de Turismo. ALEX FERNANDES

Praia de Pipa (RN): ideia é estimular turismo rodoviário regional

economia Empresas perdem R$ 265 bi « VALOR DE MERCADO » Perda foi registrada pela Economática e é relativa ao primeiro semestre do ano. Levantamento considerou 300 companhias

S

ão Paulo (AE) - As empresas brasileiras de capital aberto tiveram uma queda de R$ 265,7 bilhões em valor de mercado neste primeiro semestre ante o fim de 2012. No período, a cifra baixou 11,34%, de R$ 2,344 trilhões para R$ 2,078 trilhões. Os dados foram divulgados pela Economática, que compilou o valor de 300 companhias até a véspera, ou o penúltimo pregão do semestre. Na divisão por empresas, a Cielo apresenta o maior crescimento nominal, de R$ 5,77 bilhões, ao passar de R$ 37,292 bilhões em dezembro do ano passado para R$ 43,066 bilhões em fins deste mês Na variação porcentual, a Cielo avançou 15,48%. Na mesma comparação, a segunda companhia com maior expansão é a BRF, com

R$ 5,257 bilhões, saltando 14,39%, de R$ 36,534 bilhões para R$ 41,791 bilhões. O destaque negativo no ranking é para Vale e Petrobras. A Vale teve uma perda de R$ 71,94 bilhões em valor de mercado, de R$

215,11 bilhões para R$ 143,17 bilhões, o que representa uma queda de 33,44%. O segundo pior desempenho foi da Petrobras, de R$ 254,852 bilhões para R$ 202,580 bilhões, o equivalente a uma perda nominal de R$ 52,272 bilhões

e porcentual de 20,51%. Entre os 22 setores da economia considerados no estudo da Economática, apenas sete cresceram em valor de mercado, com destaque para química, que evoluiu em termos nominais R$ 5,825 bilhões, de R$ 37,106 bilhões para R$ 42,931 bilhões, avanço de 15,70%. Outros setores com desempenho positivo foram o de software e dados, eletroeletrônicos, máquinas industriais, papel e celulose, veículos e peças e minerais não metálicos. O setor com pior desempenho nos seis primeiros meses do ano, na comparação com o semestre anterior, foi o de mineração, que obteve perda de R$ 74,009 bilhões, de R$ 220,998 bilhões para R$ 146,990 bilhões, queda de 33,49%.


TÁBUA DE MARÉS

NO FACEBOOK

Preamar 10h08-2.0 - 22h47-1.9 Baixa-mar 03h38-0.7 - 16h11-0.7

Curta e compartilhe charge de Brum.

facebook.com/tribunarn

FASES DA LUA Hoje: Minguante 08/07: Nova

MDRN: REITORA DA UFRN, ÂNGELA PAIVA, FALA DOS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO • PÁGINA 5

NA TN ONLINE

Confira galeria de imagens com fotos da semana.

tribunadonorte.com.br

natal Editora: Cledivânia Pereira [cledivania@tribunadonorte.com.br ]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 30 de junho de 2013

Natal terá sinalização para turista ver « COPA 2014 » Faltando um ano para a realização da Copa do Mundo de 2014 e com R$ 3,8 milhões assegurados pelo Ministério do Turismo, a Prefeitura do Natal vai abrir licitação para sinalização turística SARA VASCONCELOS repórter

V

er o mundo com “olhos de turistas”, como sugere o escritor Ítalo Calvino, pode não ser tarefa fácil, sem o auxílio de um GPS, se a missão for encontrar algum destino em Natal. Faltando um ano para a realização da Copa do Mundo de 2014 e com R$ 3.814.956,52 assegurados pelo Ministério do Turismo, a Prefeitura do Natal se prepara para abrir a licitação, em 19 de agosto, para a instalação da sinalização turística na capital potiguar. O projeto não contempla informações bilíngues – exigência da FIFA para as cidades-sedes do evento mundial – tem prazo para início em 23 de setembro e conclusão até 30 de março de 2014, sob pena de perda dos recursos. A falta de informações em mais de um idioma é criticada pelo trade turístico e poderá trazer transtornos para circulação dos visitantes durante o evento. O secretário adjunto de Tráfego da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), Walter Pedro, explica que a decisão se deu, ainda na gestão passada, devido aos custos que seriam onerados em mais R$ 1,5 milhão e pela parte operacional, uma vez que a sinalização especial precisaria ser retirada após o evento. “É sem sentido colocar uma sinalização, para depois tirar, quando se pode fazer algo definitivo”, disse. Haveria dificuldades ainda no formato e tamanho das placas, fora do padrão nacional e internacional de sinalização turística. Iria dobrar o número de placas. Para ele, não haverá prejuízos ao turista estrangeiro com a sinalização no idioma nacional. “O próprio Ministério aceitou é um conceito que alguns países usam de manter a língua pátria e o simbolo internacional”, acrescentou. O projeto foi submetido e aprovado pelo Ministério do Turismo, na gestão passada, e que prioriza a sinalização turística permanente, com 100 placas e dez painéis de mensagens variáveis (PMV), nos principais corredores da cidade (ver box). As obras estão à cargo da Semob. O secretário de Turismo de Natal, Fernando Bezerril, admitiu desconhecer o projeto que não chegou a Sectur. E lembrou que, em

janeiro desse ano, houve a discussão para readequação do projeto com implantação de informações que oneraria o projeto, com recursos da Secretaria da Copa. “Hoje a sinalização é insuficiente, mas estamos empreendendo esforços para esta ampliação e não pode ser em apenas um idioma”, disse. Sem a possibilidade de complementação de recursos por parte do MTur que teria orientado a instalação no padrão nacional com os pictogramas (símbolos) em padrão internacional, o coordenador geral da Secopa/Natal, Alexandre Duarte, esclarece que a determinação será seguida. “Há como o visitante se orientar pelos símbolos”, disse. Em vez de uma mídia positiva, a falta da sinalização adequada poderá trazer uma promoção negativa do destino para captação de turistas estrangeiro, que praticamente foi afugentado nos últimos seis anos, segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH/RN), Habib Chalita. “A sinalização turística não é adequada na cidade, mal existe sequer em português hoje. É fundamental ter a sinalização em mais de um idioma”, frisou.

Informações virtuais A instalação de toténs digitais de informações turísticas, com painéis eletrônicos em inglês e português, é parte de um projeto encaminhado pela Secretaria de Turismo do Estado para facilitar o acesso e informação turística na cidade. “Esperamos que seja aprovado para darmos maior visibilidade e promoção à cidade”, disse o secretário de turismo estadual Renato Fernandes. Orçado em R$ 4 milhões, o projeto aguarda a aprovação do Ministério do Turismo. Caso aprovado, a previsão é de instalação de 1 mil totens ao longo dos principais corredores turísticos da cidade. “Serão dadas informações referentes a endereços para hospedagem, restaurantes, pontos turísticos e outras atrações”, explica o engenheiro civil e técnico da Setur, Nicodemus Ferreira. Outro projeto inclui a sinalização (horizontal e vertical) do centro Histórico de Natal.

+

PAGINA 2

Sinalização turística em Natal é falha.


2

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

Sedes de jogos recebem projetos « SINALIZAÇÃO » O Ministério do Turismo afirmou que a instalação de sinalização bilíngue obedece os parâmetros estabelecidos em manual específico pelo Denatran, Embratur e Iphan

O

Ministério do Turismo informou, via assessoria de imprensa, que foram destinados R$ 110,6 milhões para a realização de obras de infraestrutura turística nos 12 municípios que abrigarão os jogos da competição. Os projetos a se-

rem financiados são de implantação de Centros de Atendimento ao Turista (CATs), sinalização turística e obras de acessibilidade nos principais atrativos dos municípios contemplados. Para 2013, a previsão é de mais R$ 84 milhões em investi-

mentos. Os recursos são para a construção, até 2014, de 71 CATs nas 12 cidades-sede, 10 CATs na fronteira com o Mercosul e financiamento de CATs móveis; a instalação de sinalização bilíngue em 20 projetos nas 12 cidades-sede, as obras de aces-

sibilidade contemplam 16 projetos abrangendo os atrativos turísticos das 12 cidades-sede. O MTur afirmou que a instalação de sinalização bilíngue obedece os parâmetros estabelecidos em manual específico pelo Denatran, Embratur e Iphan,

mas não se posicionou sobre quais cidades não implantarão o sistema bilíngue. Todas as obras que serão executadas com recursos do Ministério do Turismo pelas cidades-sede têm início previsto para agosto. A expectativa do

MTur é que os planos executivos sejam entregues ainda em junho pelos tomadores dos contratos – no caso, as prefeituras. Para detalhes sobre o andamento das obras, nas outras capitais, a sugestão foi de consultar os governos locais.

Natal Sinalização turística é falha na capital A TN percorreu dois trechos do Aeroporto Augusto Severo, em Parnamirim, a praia da Redinha, no litoral Norte, e o segundo saindo do Terminal Rodoviário da Cidade da Esperança até a orla da praia de Ponta Negra, Litoral sul da cidade. Veja o que encontramos: Projeto previsto para a Copa 2014

R$ 3.814.956,52 é o recurso do MTur

Praia da Redinha

R$ 305.109,64 é a contrapartida do Município

Somente na Ponte Newton Navarro há informação sobre a praia da Redinha, que se repete mais à frente, na rotatória de acesso a zona Norte

R$ 1,5 milhão 100 placas turísticas 10 painéis de mensagens variáveis (PMV)

23 de setembro é o prazo para início das obras 30 de março de 2014, prazo final para término das obras

Na ladeira do Sol, a placa indica as praias urbanas e litoral Norte

Rodoviária Veja quais pontos receberão a sinalização turística: Placas turísticas Hermes da Fonseca Salgado Filho, Engenheiro Roberto Freire Via Costeira BR-101 Prudente de Moraes Bernardo Vieira Capitão-mor Gouveia Ponte Forte-redinha, Ponte de Igapó e na João Medeiros Filho, estrada da Redinha PMV (Duas por via)

No Terminal Rodoviária de Natal, em Cidade da Esperança, as instalações foram ampliadas e reformadas e contempla a sinalização bilíngue. No guichê de informações, os atendentes só falam português. Um convênio com a Emprotur, segundo o administrador da Sosicam Rodrigo Wanderley, deverá contratar atendentes bilíngues para o período da Copa

Prudente de Moraes Hermes da Fonseca

Na entrada do Hospital Walfredo Gurgel, a placa sinaliza o Pronto-Socorro

No cruzamento da Salgado Filho com a Amintas Barros, a placa indica o Corredor Cultural

Entre o Natal Shopping e o Carrefour placas sinalizam o destino para praias do litoral Sul, estabelecimentos e aeroporto

Salgado Filho Bernardo Vieira Ponte Newton Navarro Recursos do Mtur para as seguintes cidades: Belo Horizonte Brasília Cuiabá Curitiba Fortaleza Manaus Natal Porto Alegre Recife Rio de Janeiro Salvador São Paulo

R$ 5,62 milhões R$ 3,49 milhões R$ 3,31 milhões R$ 8,57 milhões R$ 17,43 milhões R$ 1,84 milhão R$ 17,58 milhões R$ 11,29 milhões R$ 14,97 milhões R$ 17,92 milhões R$ 7,69 milhões R$ 896 mil

Somente nas proximidades do Centro Administrativo e Arena das Dunas, as primeiras placas sinalizam os destinos e aeroporto

Entre o Natal Shopping e o Carrefour placas sinalizam o destino para praias do litoral Sul, estabelecimentos e aeroporto

No viaduto de Ponta Negra há informações sobre os destinos Terminal Rodoviário e pontos no Litoral Norte e Sul

O corredor da avenida Engenheiro Roberto Freire é bem sinalizado, ao longo dos cerca de 8 quilômetros de vias há mais de dez pontos de sinalização Em Neópolis, placas sinalizam o rumo para Ponta Negra e Via Costeira

Aeroporto O turista que desembarca no Aeroporto Augusto Severo não enfrenta dificuldades com a sinalização. Há placas, com informações em português e inglês e atendentes que prestam informações em mais de um idioma

Somente cerca de 3 quilômetros depois, próximo ao Pórtico dos Reis Magos (em frente ao Supermercado Atacadão) uma placa turística identifica o monumento

Mas quando sai da área refrigerada, quem se encontra na cidade pela primeira vez, pode ter dificuldades para se locomover Praia de Ponta Negra


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

natal

3

Aeroporto fica longe do polo turístico « LOGÍSTICA » O Aeroporto de São Gonçalo do Amarante está a 43 quilômetros da Via Costeira, maior distância registrada no Nordeste, entre a estrutura aeroportuária e o polo turístico. Percurso é feito em 71 minutos MAGNUS NASCIMENTO

RICARDO ARAÚJO repórter

BATE-PAPO

A

Karla Motta

dez meses do início das operações do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal, nenhuma das obras de implementação ou readequação de rodovias que darão acesso ao sítio aeroviário foram iniciadas. Os 43 quilômetros que separam a entrada do canteiro de obras do empreendimento da Via Costeira, principal pólo de hospedagem da capital, foram percorridos pela TRIBUNA DO NORTE nesta sexta-feira, 28. Foram necessários 71 minutos para cumprir o trajeto que consta como principal rota de acesso no projeto executivo do Departamento de Estradas de Rodagem do Rio Grande do Norte (DER/RN). O tempo de viagem, a uma velocidade média de 65 quilômetros por hora e com o trânsito fluindo, chega a ser três vezes e meia superior ao necessário para percorrer os 12 quilômetros que separam o Centro de Convenções do Aeroporto Augusto Severo, em Parnamirim. Da Via Costeira ao futuro sítio aeroviário, é necessário cruzar 14 semáforos, quase meia dúzia de faixas de pedestres e ainda reduzir a velocidade, por causa do controle por radar, em pelo menos três pontos. Ressalte-se ainda que o trajeto foi percorrido num horário que não é considerador de pico na zona Norte de Natal, entre às 10h e 13h. Extraídas as condições atuais das vias percorridas para chegar ao município de São Gonçalo do Amarante, uma delas, conhecida como Estrada do Fio, que ainda é coberta por barro, a distância que divide a Via Costeira do futuro aeroporto chega a ser superior aquela entre os dois maiores terminais aeroportuários da cidade de São Paulo - o de Guarulhos, na Região Me-

diretora da Sociedade Brasileira de Logística

“A lógica dos aeroportos é encurtar distâncias” Quais serão os principais desafios logísticos a partir do início da operação do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante?

Obras de acessos ao novo aeroporto ainda não foram iniciadas. Semana passada, a empresa que venceu a licitação desistiu do projeto

tropolitana, e o de Congonhas, na parte central da cidade. Por enquanto, porém, o fator distância não causa uma preocupação relevante nos operadores de turismo potiguares, por exemplo. Contudo, as agências que vendem e recebem turistas do Brasil e do mundo, temem que o quesito logística de transportes, cause uma arranhadura no já combalido destino turístico que é Natal. “A maioria dos nossos clientes compram o que chamamos de combo, que é o traslado aeroporto/hotel/aeroporto e o city tour”, comenta o operador de turismo, Paulo Sérgio Marques. Em termos de logística de cargas, visto que, de acordo com o Consórcio Inframerica, o Aeroporto de São Gonçalo do Amarante será o sétimo maior do mundo em questão de potencial de embarque e desembarque de encomendas, a diretora da Sociedade Brasileira de Logística, Karla Motta, adverte que é necessário planejamento. “O Esta-

do tem dificuldade de se integrar e até obter recursos, porque não consegue dimensionar bem as obras que precisa. A gente fica à mercê do que os outros Estados definem. O potencial do aeroporto poderá ser alavancado ou não por uma mobilização nesse sentido, no sentido de planejar e dar acesso aos produtores, clientes e fornecedores”, destaca.

Número de voos A assessoria de imprensa do Aeroporto Internacional Augusto Severo, em Parnamirim, informou que, diariamente, o terminal recebe até 80 voos. No ano passado, circularam entre os corredores do sítio aeroviário, aproximadamente 2 milhões de passageiros, entre os domésticos e os internacionais. A previsão do Consórcio Inframerica, conforme informações encaminhadas pela assessoria de imprensa, o novo terminal, quando for inaugurado, terá capacidade para 6,2 milhões

de passageiros e será expandido para 11 milhões de passageiros em 2024. A dimensão da área do terreno permitiu a construção da maior e mais robusta pista de pouso do país, com 3 quilômetros de extensão e 60 metros de largura. De acordo com Inframerica, essa particularidade proporciona tranquilidade e segurança às aeronaves Classe F (como o A380), que poderão circular sem restrições na pista. O novo aeroporto terá, em 2014, área do terminal de passageiros de 40.150 metros quadrados e terá capacidade para processar até 10 mil toneladas de carga por ano. Em relação ao tráfego, a concessionária defende que “a criação de vias livres de acesso para o aeroporto vai proporcionar um tempo médio de chegada de 25 minutos, não gerando impacto no trânsito das cidades no entorno e garantindo acesso direto, rápido, sem obstáculos ou interferências do trânsito”. ADRIANO ABREU

Novo aeroporto já está com 43% das obras concluídas O presidente do Conselho de Administração do Consórcio Inframérica, José Antunes Sobrinho, aproveitou a visita do ministro Moreira Franco ao canteiro de obras na semana passada, para apresentar o cronograma atualizado da obra do aeroporto de São Gonçalo do Amarante. Segundo Antunes, 39% da construção já foi concluída. Dos R$ 410 milhões que serão investidos no aeroporto, R$ 151 milhões foram aplicados até maio. Ao todo, 1,2 mil operários trabalham para garantir a conclusão da obra no prazo estabelecido pelo consórcio. Antunes confirmou que a meta é operacionalizar o aeroporto até abril de 2014, quando os voos hoje recepcionados pelo aeroporto Augusto Severo, em Parnamirim, serão transferidos para o aeroporto de São Gonçalo. “Vamos

terminar a tempo”, assegurou. Antunes também anunciou que a área comercial do Consórcio já começou a entrar em contato com companhias aéreas para trazer mais cargas para Natal. Em relação aos acessos ao futuro aeroporto, o ministro Moreira Franco demonstrou preocupação e estimou que a obra pode não ficar pronta a tempo do início da operação do aeroporto, previsto para abril de 2014, caso não seja iniciada em julho. A Queiroz Galvão, empresa que venceu a licitação em 2009 para construir os acessos do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, desistiu de executar a obra. A decisão foi comunicada terça-feira passada pela direção da construtora durante reunião com o chefe da Casa Civil, Carlos Augusto Rosado, e o diretorpresidente do Departamento de

Obra do aeroporto deve ser concluída em abril de 2014

Estradas de Rodagens (DER/RN), Demétrio Torres. Segundo o Governo, a obra, que está orçada em R$ 72,1 milhões, será executada pela segunda colocada na licitação: a EIT Engenharia. Segundo Dorian Carlos, diretor regional da

empresa, a construtora foi consultada e aceitou executar o projeto. O Governo do Estado, no entanto, ainda não fixou uma data para assinar o contrato com a EIT, que deverá mobilizar trabalhadores e máquinas antes de iniciar a construção.

Investimento em logística é fundamental Para o operador de Turismo, Paulo Sérgio Marques, é preciso que a iniciativa privada invista numa infraestrutura de logística que seja atrativa aos clientes de companhias aéreas e das próprias agências de turismo. “O que me preocupa é a atuação das empresas de traslado, através dos receptivos. A tarifa, a partir do Augusto Severo, já é cara”, comenta. Atualmente, existem taxis que fazem a rota Aeroporto/Via Costeira por até R$ 30 com hora marcada. Não existem linhas de ônibus saindo de Pon-

ta Negra ou da Via Costeira com destino ao aeroporto. O mesmo ocorre com o Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, que não dispõe de nenhuma linha de transporte coletivo passando nas proximidades da obra. Os motoristas de taxi consultados para informar quanto custaria uma “corrida” de São Gonçalo do Amarante até a Via Costeira limitaram-se a dizer que “depende” e não detalharam quando cobrariam. “Do Augusto Severo à Ponta Negra, varia de R$ 30 a R$ 45 e ainda dividem

no cartão de crédito”, afirma o operador de Turismo. Um outro ponto que, na avaliação de Paulo Sérgio Marques pode ser desvantajoso, é o caminho percorrido entre o Aeroporto de São Gonçalo do Amarante e a Via Costeira. Ele frisou que não é uma questão preconceituosa e esclareceu que Natal tem, “talvez”, a entrada mais bonita das capitais brasileiras quando o percurso é feito pela BR101/Sul. “Uma entrada limpa e em harmonia soma ponto a uma cidade como Natal”, destaca. Em

cidades como Recife e Salvador, por exemplo, as entradas das cidades são cercadas por comunidades que vivem em condições paupérrimas. Sobre a possibilidade de redução de turistas que escolhem Natal como destino em decorrência da mudança de aeroporto, Paulo Sérgio Marques acredita que isto não será uma prerrogativa. “Não acredito que isto ocorrerá. Eles se adaptarão a isso. Os aeroportos mais longe das capitais é comum nos estados maiores que o nosso”, enfatiza.

ì DISTÂNCIAS A TRIBUNA DO NORTE fez, nessa sexta-feira, 28, os percursos que servirão como rotas de entrada e saída do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, conforme planejamento do Departamento de Estrada de Rodagem (DER/RN). E também percorreu o traçado do Aeroporto Augusto Severo, em Parnamirim, até a Via Costeira, em Natal, principal polo hospedeiro da capital. Trecho Centro de Convençõescanteiro de obras do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante Distância percorrida: 43 quilômetros Trajeto: Via Costeira, Avenida Pres. Café Filho, Avenida João Medeiros Filho, Avenida Tomaz Landim, BR-406 e Estrada do Fio. Semáforos cruzados 14 Tempo de viagem 1h11 Hora de saída 10h21 Hora de chegada 11h32

Nós sabemos que um aeroporto, assim como um porto, é um ponto de transbordo. A lógica dos aeroportos é encurtar distâncias e o tempo de viagem. É preciso levar em consideração o tempo que se leva até chegar ao aeroporto e por quais vias de acesso e a qualidade das estradas. É preciso verificar as projeções da demanda que vai haver para o fluxo de cargas e de passageiros. Hoje, nós temos quantos voos ativos aqui? Qual a previsão de voos ativos no Estado, por exemplo, cinco anos após o início do funcionamento do aeroporto, dez anos após o início, 20 anos após o início do funcionamento? Por que quando se planeja logística, normalmente, o horizonte mínimo trabalhado são vinte anos. São obras caras, que causam um certo transtorno na sua implantação e envolvem muitos recursos e muitos projetos. Daí se faz o dimensionamento da infraestrutura do entorno, das rodovias, das ferrovias, dos outros modos de acesso, a partir daí. A preocupação é o dimensionamento de passageiros, do volume de cargas e a frequência do voos e fazer um planejamento de entorno baseado nisso.

AEROPORTOS O Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal, será o mais distante, comparado com os demais sítios aeroportuários do Nordeste, dos hotéis da Via Costeira. A distância a ser percorrida entre o novo aeroporto e o Centro de Convenções de Natal, por exemplo, é até mesmo superior às distâncias compreendidas entre os aeroportos de Guarulhos, na Grande São Paulo, e o de Congonhas, na região central da capital paulista.

Trecho Canteiro de obras do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante-BR-304 através da RN-160, que liga São Gonçalo do Amarante até Macaíba Distância percorrida: 14 quilômetros Trajeto: estrada de barro que liga o canteiro de obras à lateral da Prefeitura de São Gonçalo do Amarante, trecho urbano da cidade e RN-160 Semáforos cruzados 1 Tempo de viagem 25min Hora de saída 11h32 Hora de chegada 11h57

Aeroporto do Recife/PE Praia de Boa Viagem 2,5 quilômetros 6 minutos de percurso

Trecho Aeroporto Augusto Severo, em Parnamirim-Centro de Convenções, na Via Costeira, em Natal Distância percorrida: 12 quilômetros Trajeto: BR-101/Sul, Avenida Engenheiro Roberto Freire e Via Costeira Semáforos cruzados 9 Tempo de viagem 20min Hora de Saída 12h06 Hora de Chegada 12h26

Aeroporto de Salvador/BA Pelourinho/Barra 29,6 quilômetros 40 minutos de percurso

Aeroporto de Teresina/PI Centro 4,8 quilômetros 11 minutos de percurso Aeroporto de São Luís/MA Centro 10,7 quilômetros 21 minutos de percurso Aeroporto de Fortaleza/CE Meireles 11,6 quilômetros 18 minutos de percurso Aeroporto de João Pessoa/PB Cabo Branco 23,3 quilômetros 24 minutos de percurso Aeroporto de Maceió/AL Centro 23,7 quilômetros 33 minutos de percurso

Aeroporto de São Gonçalo do Amarante/RN Via Costeira 43 quilômetros 71 minutos de percurso (no trajeto atual, sem duplicação de pistas e abertura das que estão previstas no projeto do DER/RN). Aeroporto de Guarulhos/SP – Aeroporto de Congonhas/SP 38,1 quilômetros 43 minutos de percurso sem engarrafamento


4

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

« ARTIGO »

Poder Judiciário

“A era da incerteza”

ANELLY MEDEIROS [ anellymedeiros@hotmail.com ]

MARCELO ALVES DIAS DE SOUZA DIVULGAÇÃO

procurador regional da República

“A

Simplicidade A posse do novo desembargador do TJRN, Glauber Rêgo, teve a simplicidade como marca. Foi uma solenidade rápida, na própria presidência da Casa. Certo de que não iria discursar, Glauber mudou de ideia a caminho do tribunal. Dentro do carro, digitou o discurso no próprio celular, que o utilizou para fazer a leitura. Ele chegou acompanhado da mulher Fabíola Torquato e dos filhos. “O TJRN é grande e seus componentes estão prontos para enfrentar qualquer desafio”, reforçando que o cidadão já deu demonstrações que deseja “menos fala” e mais ação. “Há 27 anos que eu aspiro compor esta Corte e, hoje, assumo uma grande responsabilidade”, conclui o Glauber. Para o presidente do TJRN, Aderson Silvino, a Corte ganha com a juventude do novo desembargador, que tem características reconhecidas nos 15 anos em que representou a OAB/RN.

Aposentadoria forçada Depois de um ano, o Conselho Nacional de Justiça determinou a aplicação da pena de aposentadoria compulsória dos desembargadores Osvaldo Cruz e Rafael Godeiro. Os dois ex-presidentes do TJRN são acusados de participar de esquema que desviou R$ 14,195 milhões destinados ao pagamento de precatórios. O relator conselheiro Jorge Hélio

apresentou seu voto fundamentado em 142 páginas. “O que me parece nítido é que, ainda que afastemos a hipótese de participação consciente e motivada no esquema, restam duas hipóteses: o desembargador assinou os cheques sem o mínimo de cautela ou assinava cheques em branco, preenchidos depois”, explicou o conselheiro Jorge Hélio.

era da incerteza” (“The Age of Uncertainty”, 1977) é o título de um livro do economista e escritor canadense/estadunidense John Kenneth Galbraith (1908-2006). É o resultado, no papel, de uma série de TV produzida pela BBC (e apresentada pelo próprio Galbraith) na década de 1970. Publicado entre nós conjuntamente pela Pioneira e pela UNB, “A era da incerteza” nos conta, como o seu subtítulo diz, a “história das ideias econômicas e suas consequências”. Não obstante a aridez do tema, ele é um dos livros mais bem escritos (notadamente irônico) e de mais leve leitura que já tive em mãos. Em tom de manifesto, recomendo sua leitura imediata. Instrução atemporal e prazer garantidos. Quer melhor? E, se não bastasse isso, o título “A era da incerteza” (e boa parte do conteúdo do livro também) define, com irônica perfeição, o momento que presenciamos no Brasil. Manifestações e protestos - alguns pacíficos; outros, nem tanto - pelo país afora. Tentativas por parte das autoridades, muitas atabalhoadas, de dar resposta às “reivindicações” dos manifestantes (que, afora dois ou três pontos, não se sabe precisamente quais são). Uma sensação geral de insatisfação (mais visível na clas-

se média). E, para alguns mais exaltados, uma “oportunidade” de “revolução” à esquerda ou à direita. Revolução, palavra fácil na boca de alguns, mas de difícil execução (seja ela política ou não). Revolução, que muitas vezes sabemos onde começa, mas não sabemos onde termina. Revolução, que frequentemente termina ou se confunde com anarquia e baderna. Será que estamos à beirada de uma delas? “A era da incerteza” nos aponta três condições indispensáveis a uma revolução política. Primeiramente, deve haver líderes decididos, que saibam o que querem, o que é muito raro. Homens que, mesmo sabendo que têm tudo a ganhar e tudo a perder, vão em frente. No nosso caso, a classe média está nas ruas, o que seria um ponto a favor da tal “revolução”, já que estas, a história mostra, são feitas por homens da classe média. Mas não identificamos os verdadeiros líderes. Na classe política, talvez todos queiram ganhar, mas não enxergamos um só que esteja disposto a arriscar perder. Falta-nos um Lenin (18701924) com a barba solta e o olhar penetrante (Lenin que, de resto, como quase todos os verdadeiros revolucionários, vinha da classe média). Falta-nos o olhar ameaçador de um Trotsky (1879-1940). E falta-nos, graças a Deus, alguém que,

Talvez o Governo consiga ser ainda mais incompetente no gerenciamento da situação, com ideias ainda mais tresloucadas do que a da ‘Constituinte exclusiva’”

quando fale, o país marche. Em segundo lugar, são necessários seguidores disciplinados, que acatem e executem ordens sem muita discussão. Não parece ser o caso entre nós, seja pelo temperamento do brasileiro, seja por desorganização simplemente, seja porque tem muito baderneiro (para não dizer marginal) infiltrado na coisa. As pseudo-revoluções dão muita oportunidade para a tagarelice aproveitadora (antigamente em comícios e reuniões; hoje no twitter, facebook e assemelhados), para a vagabundagem e para o vandalismo. E, acima de tudo, diz Galbraith na sua “era da incerteza”, o lado a ser derrubado “deve ser fraco. Toda revolução bem sucedida é como um pontapé numa porta já podre. A violência das revoluções é a violência de

homens que arremetem contra o vácuo”. Foi assim, ele completa, “na Revolução Francesa. Foi assim na Revolução Russa de 1917. Assim também foi na Revolução Chinesa após a Segunda Guerra Mundial”. Essas três condições, ao que tudo indica, felizmente, não estão presentes entre nós. Mas, por estes dias, nesta “nossa era de incertezas”, de repente, tudo pode acontecer. Talvez o Governo consiga ser ainda mais incompetente no gerenciamento da situação, com ideias ainda mais tresloucadas do que a da “Constituinte exclusiva” em meio à crise geral ou a do “plebiscito enrolação”, do que se poderia esperar da seleção de quadros por simples filiação a movimentos e sindicatos, e, via de consequência, soçobre por pura inaptidão. Afinal, nesse meio, inteligência e bom senso são indesejados. São ameaças àqueles que não os têm. Em assim ocorrendo, será que estaremos diante de uma porta tão apodrecida que qualquer um poderá se fazer líder e assumir o poder? Galbraith conta que, ainda no começo da Revolução Russa de 1917, um operário mais exaltado gritou a um dos supostos líderes: “Toma o poder, FDP, quando te é dada a oportunidade!”. Sinceramente, espero que essa admoestação não seja endereçada por aqui.

Aposentadoria II Com essa decisão, Rafael Godeiro, que já estava aposentado por idade, agora fica proibido de exercer a advocacia e de exercer cargos em comissão. A perda definitiva do cargo do desembargador Rafael está nas mãos do juiz Armando Pontes. O relator do procedimento isentou a desembargadora Judite Nunes, mas ainda existe investigação, contra ela, na Corregedoria Geral de Justiça. No caso de Osvaldo Cruz, abre-se uma nova vaga por antiguidade. O mais antigo da lista é o juiz Gilson Barbosa de Albuquerque, da 1ª Vara de Sucessões de Natal. O Tribunal aguarda a notificação do Conselho Nacional de Justiça para abrir processo de vacância. DIVULGAÇÃO

Plebiscito A opinião do advogado Eduardo Nobre sobre o plebiscito segue o mesmo entendimento de muitos juristas brasileiros. No início da semana, em entrevista ao jornalista Diógenes Dantas, ele se posicionou contrário à iniciativa da presidente Dilma, por entender que o plebiscito é desnecessário. “Isso só deve acontecer, quando se vai elaborar uma nova Carta Política”, disse o advogado que é sub-procurador da República aposentado. Para Eduardo Nobre, a tão esperada reforma política pode ser feita através de um Projeto de Emenda Constitucional. “A convocação de uma Constituinte só seria necessária se houvesse a necessidade de se propor a mudança no regime, o que não é o caso”.

Deputados aprovam PEC A Assembleia Legislativa aprovou o Projeto de Emenda Constitucional de autoria do deputado Fernando Mineiro (PT) que trata da Defensoria Pública do Estado. A emenda visa dotar a instituição “de um aparato legislativo constitucional, adequado aos princípios constitucionais mais relevantes, de modo

a concretizar os direitos e garantias fundamentais do cidadão, especialmente os mais necessitados”. Em outras palavras: Com a mudança na Constituição do Estado, fica permitida a Defensoria propor diretamente à Assembleia Legislativa a alteração das leis que tratam sobre a Defensoria Pública.

Defensores comemoram decisão Para o presidente da Associação dos Defensores Públicos, Francisco Sobrinho, a aprovação da PEC foi um avanço importantíssimo. “A Associação trabalhou muito para aprovar o projeto. Com isso, garantimos autonomia para a instituição propor leis de interesse da Defensoria, sem depender do Executivo”, afirmou o presidente. Com a lei aprovada, a Defensoria Pública do RN passa a ter os mesmos poderes legislativos do Ministério Público, Tribunal de Justiça e Tribunal de Contas.

autos & motores

TODAS AS SEXTAS NA

TRIBUNA DO NORTE


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

natal

5

»ENTREVISTA » ÂNGELA PAIVA REITORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

ALEX RÉGIS

“Precisamos dar apoio a todos os níveis de educação” « MOTORES DO DESENVOLVIMENTO » Educação básica e

profissional é o tema da 17ª edição do projeto. Seminário ocorrerá no próximo dia 8 de julho, no Praiamar Hotel

melhoria da qualidade da educação de base vai repercutir diretamente na ponta: no ensino superior. A afirmação é da reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Ângela Maria Paiva Cruz, que em entrevista à TRIBUNA DO NORTE pontua esforços em capacitar os alunos que ingressam na instituição com defasagem no aprendizado, bem como na formação superior e continuada dos educadores que atuam na rede pública de ensino.“A preocupação da universidade não é apenas com o ensino superior, é com o todo”, disse”, afirma. Educação básica e profissional é o tema tratado na 17ª edição do Projeto Motores do Desenvolvimento do Rio Grande do Norte realizado pela TRIBUNA DO NORTE, UFRN, Sistema Fecomércio/RN, Sistema Fiern e Salamanca Capital Investments, com patrocínio do Governo do Estado, Assembléia Legislativa, Cosern e Banco do Brasil. O Seminárioserá realizado no próximo dia 8 de junho, no Praiamar Natal Hotel & Convention, em Ponta Negra, às 8h, com as presenças do secretário executivo do Ministério da Educação, José Henrique Paim, do deputado federal Gabriel Chalita, entre outros. Confira a entrevista.

A

tro lado, houve expansão de oferta de vagas nas universidades e a criação do sistema de cotas para egressos da escola pública. E a Universidade precisa dar apoio, com cursos de nivelamento e políticas de permanência. Como a senhora avalia a qualificação dos professores e o que tem sido feito nesse sentido?

Temos grandes avanços na formação de educadores infantis, a partir do trabalho feito no Núcleo de Educação Infantil (NEI), com cursos de especialização para todo o Nordeste. Em paralelo, abrimos o mestrado profissional em matemática, em convênio com a Secretaria Estadual de Educação (SEEC), com pólo em Caicó e participação efe-

A educação de base é uma preocupação da Universidade?

A preocupação da universidade não é apenas com o ensino superior, é com o todo. Temos trabalhado internamente com a oferta desde o ensino infantil, fundamental, médio, técnico, à distância e superior de boa qualidade, cerca de 15 mil matrículas, além dos projetos para qualificar e ampliar a educação básica seja no setor público ou privado. As pessoas são altamente capacitada, mas o financiamento do MEC é muito voltado para o superior e temos o apoio da Secretaria de Educação Tecnológica para apoiar a educação básica, tecnológica e infantil. A melhoria da qualidade nos outros níveis de ensino vai repercutir diretamente na ponta, na graduação e pós graduação. Vivemos há muitos anos uma educação básica de baixa qualidade em todo país, indicadores como o Ideb comprovam isso. Por ou-

tiva dos professores da área. Temos também o mestrado acadêmico em ciências naturais e agora a UFRN vai coordenar o mestrado profissional em Letras, para professores de língua portuguesa que estão em salas de aula da rede pública. O pólo é em Currais Novos mas a coordenação será feita em rede, formada por 41 cursos em todo país. Como atrair e garantir a permanência de alunos para licenciatura?

Para qualificar também as licenciaturas participamos de programas nacionais, voltados à valorização do professor que já está em sala de aula e para os estudantes das licenciaturas. Para que esses permaneçam da melhor forma no curso, conciliando conhecimento teórico à prática e com oportunidade de elaborar e executar projetos e sobretudo terem condições para se dedicar a essa fase, o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência, o PIBID, concede bolsas aos alunos, financiadas pela Capes. Hoje temos cerca de 500 alunos bolsistas que recebem para desenvolver projetos de melhoria de ensino junto às escolas, com a supervisão da universidade e da escola. Outro, é o Programa de Licenciatura Internacional (PLI) que permite aos nossos alunos se candidatarem para fazer metade do curso aqui e a outra metade em Portugal, com dois diplomas, ao final, validados em cada um dos países. Estudos do MEC mostram que os cursos de licenciatura são mais buscados por egressos da rede pública e com maior defasagem educacional. Esse perfil permanece, influencia na formação do professor?

A lei de cotas induz as famílias a creditarem e candidatarem os filhos a uma universidade, um ensino superior, a uma mudança de qualidade de vida”

Ainda é forte a presença de egressos da rede pública de ensino, mas tem mudado na questão de repercussão quando chegam ao mercado, às salas de aula, não se traz tanto o ranço do sistema da rede pública. A mudança se deve a quê?

Egressos da rede pública tem maior participação nos cursos de alta demanda, com as políticas de inclusão, antes mesmo da lei de cotas, a UFRN vem com o argumento de inclusão e a isen-

ção da taxa de inscrição. E os dados mostram que eles se nivelam no decorrer do curso com os alunos que chegam da rede privada. Seja por receber o apoio da universidade, com políticas de permanência ou mesmo por motivação própria, do quanto ele busca suprir as defasagens educacionais da vida escolar pregressa. Entre aqueles que participam desses programas ou tiveram incentivo do argumento de inclusão para entrar na faculdade, alguns sequer tinham a convicção de seguirem a carreira de professor, apesar de estarem nas licenciaturas, saem certos que são e atuaram como professor. Presenciamos algo difícil de ver na última colação de grau, entre bacharéis e licenciados, ver os últimos recebendo a láurea, ou seja, um apoio e assistência para entrar e permanecer na faculdade pode dar excelentes resultados. Acreditamos que a lei de cotas induz as famílias a creditarem e candidatarem os filhos a uma universidade, um ensino superior, a uma mudança de qualidade de vida. Quais os resultados do programa de formação continuada dos professores da rede pública do Estado, que é coordenada pela UFRN?

Esse é um projeto de longos anos. Com base em relatos da Secretaria de Educação, a avaliação é positiva. Houve uma melhoria na qualificação. Em muitas escolas há professores com mestrados, especializações na área que atuam. Há a renovação necessária. E isso incentiva para uma nova atualização acadêmica, até pela transformações e avanço da velocidade da informação é preciso uma atualização científica e tecnológica.

Como o MDRN pode contribuir para esse debate?

Queremos, nessa perspectiva da temática do Motores, colocar na pauta do desenvolvimento do estado, a educação como o principal vetor de crescimento social e econômica. Enquanto instituição de ensino superior também temos vários desafios, bem como as próprias escolas. Estas precisam rever o modelo de gestão das escolas para gerenciar os projetos pedagógicos com mais critérios. Entendo que o professor é gestor de projetos de vidas, da mesma forma que as escolas precisam de gestão de projetos de formação de pessoas, com metas bem definidas. Para a escola ser um espaço atraente é preciso gestão de políticas públicas, projetos pedagógicos atraentes, infraestrutura, motivar o professor, o aluno e o gestor, passando também pela questão do financiamento. Há diagnósticos de que o salário não motiva os professores, a valorização é ainda um grande desafio para a rede pública e provada, o salário que não motiva o professor para atrativo se qualificar continuamente e se dedicar plenamente aquela atividade. O piso nacional é um piso, mas muito distante do que deve ser para determinar essa qualidade. Defendemos os 100% dos royalties do pré-sal para aplicação na educação básica. À medida que educação num país é forte, outras políticas, como saúde, segurança, precisariam de menos investimentos. É preciso uma distribuição de renda mais equitativa, não podemos dar por satisfeito um país que em metade do seu território tem 40% da população com ensino superior e, na outra metade, somente 15% tem aces-

so a educação superior, isso é perpetuar as desigualdades sociais muito fortes. A UFRN é um dos principais ofertantes de cursos do Pronatec. Qual avaliação e resultados?

Hoje na Escola Agrícola de Jundiaí há um número bastante significativo, cerca de 20 mil estudantes em cerca de 30 municípios. O Metrópole Digital tem mais 2,4 mil vagas pelo Pronatec. A Escola de Música, 400 alunos em cursos técnicos, inclusive com uma unidade funcionando em Cruzeta. Alguns desses alunos vinham pra Natal. A Escola de Enfermagem deve chegar a 3,5 mil no Pronatec. Temos a maior oferta no Estado, atendendo a demanda identificada pela Secretaria Estadual de Educação. Enquanto universidade percebe a procura maior por cursos técnicos?

Entendemos que universidade pode dar essa contribuição no ensino técnico e tecnológico e não podemos abrir mão desse papel. As graduações tecnológicas, com duração de 2 a 3 anos, para alguns arranjos produtivos esse formato dá a resposta necessárias, assim como os mestrados profissionais para aqueles profissionais que já estão no mercado mas que precisam de uma qualificação. Mas o que queremos investir e expandir como força é o ensino superior. O ensino tecnológico é importante pela empregabilidade imediata para todos os setores da economia. Mas não podemos pensar que só a formação técnica será suficiente para permanecer no emprego e desempenhar a função com a qualidade e exigência do mundo de hoje.


6

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

natal

Senac abre vagas para novos cursos de idiomas « OPORTUNIDADE » As matrículas são para os cursos de inglês, francês, italiano, espanhol e alemão, em Natal, Parnamirim, Macaíba e Mossoró Senac anuncia abertura de matrícula para os cursos de inglês, francês, italiano, espanhol e alemão, nos municípios de Natal, Parnamirim, Macaíba e Mossoró. Há mais de 12 anos oferecendo cursos de idiomas no Rio Grande do Norte, a instituição é referência na área. Somente em 2012, foram contabilizadas mais de 8.500 matriculas no segmento. Segundo o diretor regional do Senac/RN, Helder Cavalcanti, a instituição tem percebido uma crescente demanda de alunos, desde adolescentes até universitários e profissionais que já estão no mercado. “Esse é um caminho sem volta. A Copa de 2014, por exemplo, surge como uma excelente oportunidade de inserção profissional para quem domina outros idiomas”, avalia. No segundo semestre de 2012, o Senac e a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio RN), através do seu Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio,

O

realizaram pesquisa com o objetivo de aferir a percepção da população natalense em relação à Copa 2014. Cerca de 75% dos entrevistados afirmaram querer investir em algum curso de capacitação até o mundial de futebol. Entre o percentual que disse querer se qualificar, 54,4% buscarão dominar as línguas estrangeiras, especialmente o inglês. O Senac oferta cursos em diversos níveis, desde o básico ao avançado, com cursos para diferentes perfis: adolescentes, estudantes universitários, empresários, dentre outros. Os testes de nivelamento, que identifica o nível de conhecimento do aluno em determinado idioma, ocorre nas unidades do Senac de Natal e Grande Natal, no período de 15 a 26 de julho. Já as aulas, têm início a partir do dia 29 do mesmo mês. Outras informações sobre os cursos de idiomas do Senac podem ser obtidas pelo telefone: (84) 4005-1000 ou através do site www.rn.senac.br.

« HOJE »

« NATAL »

Caern suspende abastecimento para os bairros da zona Norte

Vacinação antirrábica, em postos volantes

A

O

Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) informa que o fornecimento de água será interrompido hoje, dia 30, para todos os bairros da zona Norte de Natal. A interrupção é decorrente da suspensão no fornecimento de energia elétrica pela Cosern, atingindo os serviços de tratamento realizados na Estação de Tratamento de Água ETA, localizada em Extremoz. A Cosern informou que vai desligar a rede para realizar serviços de ampliação, melhorias e manutenção, no período das 7h30 às 12h30 do domingo. Segundo o chefe da Unidade de Abastecimento da Zona Norte, Man Cheng, o fornecimento de água será normalizado em até 72 horas após a reativação da rede elétrica pela Cosern. Outras informações podem ser obtidas através dos telefones 32324360 (Atendimento ao Público da Zona Norte) ou ainda, ligando gratuitamente para os números 115 ou 08000840195 que atende todos os dias durante 24 horas.

Centro de Controle de Zoonoses de Natal (CCZ) continua realizando a vacinação antirrábica para cães e gatos, com postos volantes nas regiões dos cinco Distritos Sanitários de Natal. A vacina que é indicada para cães e gatos a partir dos três meses de idade, não tem contra indicação, é gratuita, disponibilizada durante o ano no CCZ e nas campanhas da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A ação é realizada com um posto volante montado, das 8h às 12h e das 14h às 17h, em datas préagendadas e mobilizadas na área de vacinação, para que a população tome conhecimento e levem seus animais para a imunização. Segundo o chefe da Divisão de Controle da Raiva e outras Epizootias do CCZ, Canindé Carlota, até o último dia 27, foram vacinados nos Distritos Sanitários Leste e Norte, cerca de 550 animais. A vacinação com postos volantes segue até a campanha nacional que acontece de 14 de agosto a 14 de setembro, Dia “D” da vacinação antirrábica.


TEMPO HOJE

NO FACEBOOK

Máx.: 29ºC Mín.: 23ºC Instável com possibilidade de chuva.

Curta e comparilhe charge de Brum.

facebook.com/tribunarn

TÁBUA DE MARÉS

Preamar 10h08-2.0 - 22h47-1.9 Baixa-mar 03h38-0.7 - 16h11-0.7

ENTREVISTA: MÁRIO AUGUSTO CARVALHO, DIRETOR DA TAP, FALA DE TURISMO • PÁGINA 9

NA TN ONLINE

Confira galeria de imagens da semana.

tribunadonorte.com.br

natal Editora: Margareth Grilo [margareth@tribunadonorte.com.br ]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 30 de junho de 2013

DPs do RN: Depósitos de Problemas « SEGURANÇA » O Rio Grande do Norte conta com apenas 12 delegacias que fazem plantões das 18h às 8h e nos fins de semanas. E essas poucas unidades que funcionam nos plantões sofrem com a falta de pessoal e equipamentos RAFAEL BARBOSA repórter

O

Rio Grande do Norte dispõe somente de 12 delegacias, sendo duas na capital, que funcionam em regime de plantão. Elas precisam dar conta das ocorrências dos 167 municípios do estado, no entanto apenas em Natal e Mossoró essas DPs têm equipes específicas. Para as demais cidades, as Delegacias Regionais (DPRs) são as responsáveis pelo serviço oferecido fora do horário comercial de segunda a sexta-feira, atuando com o próprio efetivo. Nos finais de semana, elas contam com auxílio de profissionais lotados em delegacias distritais localizadas dentro de sua área cobertura, que não recebem por esse trabalho extra. O problema se agrava ainda mais quando esses delegados respondem por DPs de mais de um município. Há casos em que eles acumulam o trabalho em até 11 delegacias. Com equipes defasadas e insuficientes para a demanda de ocorrências, as Delegacias de Plantão das zonas Sul e Norte de Natal são um “quebra-galho” para a população durante as madrugadas e os finais de semana e refletem o problema de todo o RN. A reportagem da TRIBUNA DO NORTE acompanhou por uma noite os profissionais das duas DPs e pôde constatar a dificuldade encontrada pelos agentes e delegados da Polícia Civil para o desempenho de seu trabalho. O acompanhamento começou às 18h, na Plantão Zona Sul. Em um dia incomum no que diz respeito à quantidade de crimes cometidos, segundo os agentes, até as 6h da manhã do dia seguinte havia-se feito 25 registros, entre Boletins de Ocorrência e Termos Circunstanciados. Um número considerado baixo. Foram três assaltos a transporte coletivos, atendimento mais recorrente durante as noites. Houve também um homicídio, além de registro de agressão e roubos. O caso do assassinato denota a falta de infraestrutura. A equipe do plantão era composta por oito agentes, dois escrivães e um delegado. No momento em que foi preciso deslocar parte do pessoal para Ponta Negra, às 20h, para que se fizesse a averiguação do local do crime de execução, a DP ficou com quatro

Delegacias RN Conheça a estrutura da Polícia Civil à A Polícia Civil possui 1.484 servidores, entre delegados, escrivães e agentes; à Delegado-geral quer, no mínimo, mais 742 servidores para dar conta das investigações; à Dez delegacias funcionam em regime de plantão em todo o Estado; à Somente Natal e Mossoró possuem equipe específica para as DPs de Plantão; à Delegados chegam a acumular trabalho de até 11 delegacias.

policiais para atender toda a demanda. A Plantão Zona Sul é responsável pelos registros de ocorrências das zona Sul, Leste, Oeste da capital, além das cidades de Nísia Floresta e Parnamirim, na região metropolitana. O relato de um dos agentes, que não quis se identificar, bem como o restante dos homens que trabalhavam naquela noite, dá conta de que em dias nos quais acontecem muitos crimes o prédio da DP fica pequeno para a quantidade de gente que aguarda em pé ou sentada nas três cadeiras da antessala do local onde são feitos os BOs. “Isso aqui fica parecendo o Walfredo”, comparou, referindo-se ao maior hospital do Estado. Dois computadores são utilizados para os registros. “Em casos mais constrangedores, como agressões e estupros, é complicado. Quem está na sala escuta tudo o que a vítima nos relata”, contou outro agente. Enquanto a TN esteve na DP Sul, por volta das 22h, uma mulher chegou para prestar queixa sobre uma agressão sofrida e precisou dizer na frente de todos o motivo da ida à delegacia, enquanto chorava. A Plantão Zona Sul fica ao lado do Centro de Detenção Provisória de Candelária, na avenida Prudente de Morais. Sem iluminação e placa indicativa, a DP é comumente confundida pelos usuários com o CDP recorridas vezes, como presenciou a reportagem.

+

PAGINA 8 Plantão da Zona Norte não tem rotina diferente.


8

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

Falta estrutura para investigações « SEGURANÇA » Um dos principais problemas relatados pelos policiais que trabalham nas Delegacias de Plantão do Rio Grande do Norte é a falta de equipamentos ou manutenção adequada

P

ara não conhecermos somente a realidade de uma das delegacias de Plantão, decidimos atravessar a ponta e seguir até o conjunto Panatis, para saber da Zona Norte. Chegamos às 23h e nos deparamos com uma estrutura semelhante. Naquela noite eram cinco agentes e um delegado de plantão. Foram 23 BOs registrados até as 3h, entre homicídio, roubos e um estupro de vulnerável. A maior reclamação entre os policiais e o bacharel que comandava a equipe, que também preferiram resguardar a identidade, é relativa a uma discussão que perdura entre as partas de Segurança e Defesa Social e Justiça e Cidadania. A custódia de presos por parte da Polícia Civil. Eram três homens e uma mulher encarcerados e um adolescente apreendido até o amanhecer. Os agentes relataram que quase todos os dias têm resistência por parte dos CDPs para o recebimento das pessoas detidas. “Precisamos acionar a Delegacia da Grande Natal - DPGran – para que ela exerça pressão e eles os recebam”, reclamou um agente. Outro problema recorrente nas duas delegacias, ainda de acordo com os agentes da polícia, é o da manutenção dos equipamentos. Já por volta das 4h da manhã, a equipe de reportagem presenciou os policiais da Plantão Zona Norte chegaram na DP do lado Sul para pedir auxílio dos colegas na impressão de alguns documentos. A impressora havia quebrado. Para o Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Rio Grande do Norte (Sinpol/RN), as delegacias de plantão funcionam como “bolsões de registros de ocorrência”. Djair Oliveira, presidente do Sinpol, reclamou da falta de possibilidade de investigação por parte dessas DPs, por conta da falta de estrutura de trabalho. “Como não há mais delegacias pela cidade para se prestar queixa, as plantões acabam servindo somente para isso”, explicou. “É preciso esperar até o outro

MAGNUS NASCIMENTO

ì QUEM Natal possui apenas duas delegacias que fazem plantões das 18h às 8h e durante os fins de semana.

O QUE Segundo policiais que trabalham nos plantões policiais das delegacias de Natal, a estrutura é deficitária para desenvolver o trabalho de investigação.

dia, quando as informações chegam à delegacia distrital que responde pelo lugar onde aconteceu o crime, para que se dê início às apurações”, criticou. A delegada Ana Cláudia Saraiva Gomes, presidente Associação dos Delegados de Polícia Civil, concorda com Oliveira. Ela acrescenta que há um projeto na Adepol que prevê a criação de mais duas Dps de Plantão, para que se possa desafogar o trabalho dos policiais. “Elas funcionariam junto com uma Divisão de Homicídios, para que os profissionais pudessem fazer os registro sem se preocupar com o local de crime em casos de assassinatos”, detalhou Ana Cláudia. O delegado-geral, Ricardo Sérgio Costa Oliveira, voltou a afirmar que a Polícia Civil trabalha com um efetivo inferior ao necessário para que se tenha um resultado satisfatório. Em matéria publicada nesta semana na TRIBUNA, Ricardo Sérgio disse que precisa de pelo menos 50% a mais do que o efetivo disponível atualmente para dar conta das investigações de crimes que ocorrem no estado. A Sesed foi procurada par falar sobre o assunto mas nem o titular da pasta, nem o secretário-adjunto atenderam os celulares.

Além da falta de infraestrutura e equipamentos, as delegacias de polícia do RN trabalham com baixo número de policiais civis

95% dos homicídios não são desvendados De acordo com órgãos fiscalizadores da Segurança Pública estadual, em torno de 95% dos homicídios não são desvendados, por falta de provas técnicas. Um levantamento recente feito pelo Conselho Estadual de Direitos Humanos comprovou que dos 444 homicídios ocorridos em Natal ao longo de 2012, somente 22 deles foram elucidados, um percentual de 4,95% do total. Somente nos primeiros quatro meses deste ano, 471 pessoas assassinadas no Rio Grande do Norte. Além da vertiginosa escalada da violência, o primeiro Diagnóstico da Perícia

Criminal no Brasil, elaborado ao longo de 2012 e publicado em fevereiro deste ano pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), posiciona o instituto técnico de perícia potiguar entre os de pior estrutura humana e material dentre todos os avaliados em todo o país. No texto da apresentação do Diagnóstico, assinado pela titular da Senasp, Regina Miki, a perícia é apontada como um “fator fundamental para realização de investigações inteligentes e profissionais, que resultem na identificação do criminoso e na produção de

provas que possibilitem sua condenação”. Para isto, porém, Regina Miki defende o “reconhecimento da importância do investimento” na perícia. No Estado potiguar, porém, os dados refletem uma realidade divergente. Aqui, a média é de 1,51 peritos por habitante, segundo dados do relatório da Senasp. Com duas Unidades de Criminalística, sendo uma em Natal e outra em Mossoró, os 48 peritos criminais que atuam no Instituto Técnico e Científico de Polícia (Itep/RN), se dividem entre as respectivas

Como não há mais delegacias pela cidade para se prestar queixa, as plantões acabam servindo somente para isso” DJAIR OLIVEIRA presidente do Sinpol


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

natal

3porquatro

9

POR ANNA RUTH DANTAS

« MÁRIO AUGUSTO CARVALHO » FOTOS: EDU BARBOZA

ì QUE É O português Mário Augusto Carvalho, que atua há 35 anos na aviação, tem formação acadêmica em Marketing, Administração e Direito. Iniciou suas atividades na aviação comercial em 1972, com passagem na Canadian Airlines no Brasil e na Vasp Internacional. Hoje é diretor internacional da Tap, companhia aérea portuguesa.

Natal não pode desperdiçar a vinda da Copa” O

português Mário Augusto Carvalho, diretora para América Latina da Tap, tem uma estreita relação com o Nordeste e uma participação importante no mercado de turismo da região. Ainda trabalhando na extinta Vasp ele começou a prospectar o mercado nordestino para o turista europeu. Uma aposta, há 20 anos, que surgiu como alternativa ao Rio de Janeiro, principal destino da época e que enfrentava (como ainda enfrenta) problemas de segurança. Aposta feita, aposta ganha. O projeto Nordeste deu certo. Mas, hoje, as preocupações são mais intensas, principalmente com o vender desse destino. Com a autoridade de quem é diretor de uma grande companhia aérea européia, Mário Carvalho observa que é preciso vender o destino especificamente para o cliente final. A mensagem é uma lição direta para Natal, que chegou a ter cinco vôos semanais regulares da Tap e hoje tem apenas três. E o português ainda alerta para um grande problema brasileiro: a qualidade dos serviços. Paga-se caro por um serviço ruim, sentencia Mário Carvalho. O diretor da Tap, que recentemente esteve em Natal para receber o título de cidadão natalense conferido por proposição do vereador Júlio Protásio, é o convidado do 3 por 4. O senhor tem mais de três décadas atuando no mercado de turismo. O que foi determinante para essa sobrevivência e chegar ao cargo de diretor da Tap?

Na realidade eu tive a sorte de trabalhar em diversos mercados e diversas companhias, na verdade. Eu comecei na Tap quando tinha aproximadamente 20 anos, em São Paulo. Na Tap eu trabalhei em São Paulo mesmo. Depois fui para o interior de São Paulo, em Campinas, e posteriormente eu fui para Argentina, daí eu fui para o Canadá. São sempre mercados que vão lhe puxando muito. Enquanto o mercado brasileiro tem suas características, os outros têm algumas diferentes. Na verdade, os mercados são muito parecidos, mas cada um tem suas peculiaridades. Então eu trabalhei nesses três mercados na Tap, no Brasil, Argentina e Canadá. Mas no Canadá eu saí da Tap, pedi demissão, voltei para o Brasil e fui trabalhar em uma empresa canadense que não existe mais. Nessa empresa eu era baseado no Rio de Janeiro e em São Paulo. Depois eu fui para Vasp. Lá (na Vasp) trabalhei sempre na área internacional, nos mercados exteriores. Baseado em São Paulo eu fiz o mundo todo, praticamente, Estados Unidos, Ásia, Europa. E posteriormente fui ficar baseado em Bruxelas, na Bélgica. De lá começamos a colocar voos para o Nordeste até porque na altura o Rio de Janeiro ainda era o mais conhecido, mas passava por uma fase mui-

to complicada de insegurança. Então, o povo europeu não queria vir muito para o Brasil que era o Rio de Janeiro. E aí criamos esse produto que é o Nordeste. E estamos falando de 20 anos atrás. O nosso projeto era o europeu vir diretamente para o Nordeste, sem passar pelo Rio de Janeiro. O senhor criou o produto chamado Nordeste no mercado europeu. O que lhe motivou a isso?

Justamente por causa da imagem que o Rio de Janeiro tinha. No Nordeste não havia violência. Era uma coisa que o operador, o agente de viagem não conhecia bem o Nordeste. Aí nós começamos a trazer os operadores para o Nordeste. Isso eu ainda fiz quando estava trabalhando na Vasp. Hoje como o senhor vê esse produto Nordeste, com o problema da insegurança? O senhor teme pela inviabilidade desse produto para o turismo internacional?

Não. Acho que não. Se as autoridades responsáveis pelo turismo nos Estados ou o próprio Governo Federal começarem a ter uma atitude mais proativa, mais de investimento na divulgação do produto, o Nordeste tem tudo para ser um dos melhores destinos do mundo. Tem é que melhorar muita coisa e divulgar mais o Nordeste. As pessoas, os turistas, não gostam de ver sujeira e nem pobreza. Ele quer alguma coisa mais limpa. É preciso melhorar a qualidade o serviço. Que as pessoas que atuam no segmento falem línguas, pelo menos inglês. O que o Nordeste precisa é melhorar a qualidade do serviço. O que eu tenho dito muito é que praia todo mundo tem. existem muitas praias no mundo. Se você atrair apenas pelo sol e pelo mar não resolve. Precisa ter mais serviço, agregar ao produto. Nesse contexto que o senhor relata agora, como se enquadra a cidade de Natal neste momento?

Neste momento acho que nos últimos anos Natal tem perdido muito tráfico aéreo. Isso não só devido a esse pouco investimento em relação a divulgação do destino, mas também por conta de uma crise econômica na Europa forte. Claro que a Europa vai se recuperar, disso eu não tenho dúvida. Então é um momento, até oportunizando os eventos mundiais que o Brasil vai sediar, Natal é uma das sedes da Copa (Copa do Mundo de 2014). Mas isso (a Copa, os eventos mundiais que o Brasil vai sediar) precisa ser usado como vitrine, como alavanca para criar a vontade do turista vir para Natal. Isso não pode ser desperdiçado. Mas só que o turista não pode vir só para Copa. Ela (a Copa) é apenas o motivo. A Copa são 15 dias ou um mês. E o que acontecerá no resto do ano? O senhor fala em divulgação.

Neste foco, como tornar, como fazer uma divulgação efetiva e eficiente do turismo?

Acho que precisa atingir o público final. O que tem sido feito nos últimos anos é falar só com agente de viagem ou só com operador. Tem que partir para o público consumidor. Precisa ser mostrado o que Natal tem, quais são as atrações e convencê-lo (o cliente final) a pedir para o agente de viagem a programar uma viagem para Natal. Comparando o mercado brasileiro com o de outros países da América do Sul, onde o senhor atua, qual a principal distinção do mercado brasileiro? O que há de fator mais delicado neste nosso mercado?

Eu diria que o serviço. A qualidade do serviço realmente preocupa. É preciso melhorar a qualidade do serviço. O Brasil é considerado caro, por conta do câmbio, mas a qualidade, o preço essa história de dizer que o Brasil é caro, digo que é caro face o serviço que presta. Com essa falta de qualidade do serviço o Brasil fica mais caro ainda. Se o serviço é ruim e você ainda paga caro. Agora se você paga caro e tem um ótimo serviço fica mais barato. É por aí. Os outros países têm uma atividade tão específica no sentido de atrair é mais o habitante que sai daqui para ir para Europa. Como o senhor avalia a peculiaridade do Brasil, onde tem um preço mais baixo viajar para outro país do que fazer o turismo nacional?

Isso é por conta do câmbio e do custo Brasil. Na sua visão, isso (o custo do turismo internacional ser mais ba-

E ì BATE VOLTA Se o senhor tivesse que apostar, em qual destino apostaria? Não é questão de aposta, é questão de estratégia de cobrir o país. Hoje temos voos de Porto Alegre até Fortaleza e Natal, mas falta o Norte.

A Copa faz milagre? Não acredito. Faz um milagre como vitrine. O Brasil estará na vitrine do mundo, cabe a nós aproveitarmos esse momento para divulgarmos mais os nossos atrativos.

rato do que o turismo nacional) é maléfico?

Acho que é sim. Você tem economias como a de Natal, que vive praticamente o turismo, tem toda uma cadeia. Se não atentar para esses detalhes, se não dedicar atenção aos serviços, não se dedicar a criar atrações, a pessoa que vem para cá por causa do mar e sol se está chovendo faz o que? Vai para o shopping? O Europeu não vem para ver shopping. O que esperar da Tap nos próximos anos?

A Tap é uma empresa que está há mais de 40 anos no Nordeste, em Natal está há 14 anos se não estou enganado. Já tivemos mais vôos semanais para Natal. Hoje temos três vôos, chegamos a ter cinco vôos. E obviamente uma transportadora, como é o nosso caso, vive de ter passageiros. Se a demanda, se o trade todo, o Governo aumenta a demanda do europeu para vir para cá, mais vôos colocaremos. A médio prazo corremos o risco, com essa queda no número de passageiros, da Tap reduzir ainda mais o número de voos?

Se a demanda aparecer vamos colocar mais. Mas não há planejamento sobre isso neste momento.

A Copa são 15 dias ou um mês. E o que acontecerá no resto do ano?”

Depois de três décadas no mercado de turismo, qual o planejamento profissional do senhor?

Continuar nessa batida, nessa linha. Operamos em dez cidades do Brasil e o país ainda não está todo coberto. É um continente e acho que ainda há espaço no futuro próximo de crescer mais alguns destinos no Brasil.


10

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

« ELIANA LIMA » elianalima@tribunadonorte.com.br

“Se todo animal inspira ternura, o que houve, então, com os homens ?” Bem versejava João Guimarães Rosa

FOTOS JOAONETOFOTOS.COM

Pensando...

Bichinhos

Servidores do Detran e Emater, liderados pelo Sindicato dos Servidores Públicos da Administração Indireta (Sinai), protestaram esta semana nas dependências da Secretaria de Administração. Em greve, reivindicam a implantação do Plano de Cargos e Salários. Não digerem mais as desculpas do Governo de que faltam recursos financeiros, aliado à propalada situação frente à Lei de Responsabilidade Fiscal, etc.

Médicos veterinários, Fábio e Fabrício Marinho preparam para inaugurar, nos próximos 60 dias, na av. Xavier da Silveira, em Natal, um moderno hospital veterinário. Na Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquita Filha (UNESP), Fábio defendeu tese em oftalmologia de pequenos animais. Já Fabrício, em cardiologia de pequenos animais, e parte para doutorado na mesma especialidade. O projeto de ambientação é da arquiteta Olga Portela.

...Bem Maaasss...esses servidores lembram que só este ano o Governo Rosa(do) já concedeu reajuste à Polícia Militar, médicos, professores (piso nacional da categoria) e autorizou uma reordenção na carreira dos Auditores Fiscais, que repercutiu em melhoria nos salários dos mesmos.

Borbulhante

1 1 – DOMINGO...

Mais

André Cunha

Enquanto isso, na Datanorte - empresa em fase de extinção desde a gestão Garibaldi Filho , de acordo com a ata da Assembléia Geral Extraordinária, dia 12 de março, publicada no na edição do DOE dia 9 de maio, foi deliberada a equiparação da remuneração do Diretor Presidente (Adalberto Pessoa) com o cargo equivalente na Empresa Gestora do RN (EMGERN). Essa, não se sabe onde fica, o que faz e quem são os seus gestores.

Bem Consoante aos diretores Financeiro, Imobiliário e Patrimonial, os salários destes passam a equivaler a 90% da nova remuneração do Diretor Presidente, sendo também reajustados os cargos de Chefe de Gabiente e Coordandor Jurídico, que foram equiparados à remuneração dos cargos equivalentes na Secretaria de Administração. Ou seja, contraria o discurso de falta de recursos.

2 - ... PORTARETRATOS Jair Alecrim

3 - ...DE GUAPOS...

Matheus Bulhões

5 - ...BEMNASCIDOS

gine com os incautos clientes...

E agora?

Em tempo

onde fica e quem compõe essa EMGERN, e por que os seus bons salários?

Foi assim que o prefeito Roberto Germano recebeu a cidade. Mas, não conseguiu reverter. Ao contrário do que sempre acontece em tempos de promessas. Tempos de campanha. Se é que entendem.

Um pote de mel para quem responder. E um pote de mel para o Ministério Público saber.

Olho vivo Todo cuidado é pouco na hora de instalação e manutenção de ar-condicionado Split. O cano deve ser de cobre, mais resistente a calor, frio, etc. Ocorre que estão cobrando como cobre e instalando canos de alumínio. Foi o que constatou uma famosa arquiteta após o serviço em seu escritório. Se fazem isso com profissional da área tarimbada, ima-

Dante Araujo

3

A propósito 3... O que faz,

Dou-lhe uma

Por falar em espocar, a Bossa Nova já recebeu muitas homenagens ao redor do mundo. A mais recente veio em forma de vinho espumante. A família Hermann, proprietária da importadora Decanter, resolveu elogiar o grande movimento da música popular brasileira, produzindo uma linha de espumantes chamada Bossa, dos preferidos da Abelhinha, com quatro rótulos: Brut, Brut Rosé, Demi-Sec e Moscatel.

4 - ... PARTIDÓNS...

se benefício caro à diretoria da Datanorte?

A propósito 2... Por que es-

Borbulhar

Victor Potiguar

Os tradicionais festejos de Sant´Ana em Caicó se aproximam e a cidade está suja, como nunca antes na história. Buraco e lixo nos quatro cantos, reclama a população. Recentemente o exvereador Almir Filho entregou o cargo de secretário de Obras. Assumiu o vereador Teixeira. Mas, contudo, a prefeitura não dispõe de condições necessárias que a infraestrutura exige. Tipo máquinas, pessoal, etc e mais.

A propósito... Por que a Datanorte ainda não foi extinta de vez?

2

Gardel Depois de apoiar a candidatura do colega Glauber Rêgo para a vaga de desembargador no Tribunal de Justiça, a advogada Priscila Fonseca seguiu com o maridón Marcelo Barreto para dias de férias na terra do tango: Argentina.

Bareta Os interessados de plantão estão indóceis. Com o partidón que

resolveu namorar. Uma mulher. Inconformados, já o chamam de Félix de Jaleco. E por ele, a mulher de um político arde de desejos. Novos tempos.

Ora! - “É caso único de reversão”, reclama um dos seus ex-amantes.

Tom

4

Birra E um togado, revoltado com o fim do caso com um policial, quer condená-lo.

E a linha reserva do Bossa recebeu o nome de Lírica, referência ao fato de que na poesia lírica, o poeta fala diretamente ao leitor, representando os sentimentos, estado de espírito e percepções dele ou dela. Ou seja: poesia engarrafada.

« COLMEIA » à Domingo com grito de felicidade para Carlos Mariz Duarte, Diógenes da Cunha Lima Neto, Larissa Dantas, Laélio Ferreira, Dudu Machado (secretário Esporte), Valdyr Negreiros.

Estetoscópio E um advogado bem-sucedido está apaixonado por uma diretora. Paixão avassaladora. São Miguel do Gostoso e Pipa são os paraísos escolhidos para o amor. Louco amor.

à Neste 1º de julho, o coro de parabéns vai para Etiene Lima (Fiern), Luciana Toscano, Nelma Nascimento, jornalista Célia Freire, Hemetério Gurgel, Gariba Freitas.

Aventuras Bareta está demais em suas lupas sobre amores escondidos. Captou também as traquinagens de uma advogada. O maridón acorda cedo. Ela, tarde. Enquanto ele sai para ver o produto de trabalho, a bela caminha com o colega. Não necessariamente de Natal.

à A Flytour lançou pacotes para o réveillon em Paris.

Oxe! Tá bom, Bareta, de ficar espreitando a vida extra das pessoas. Vá cuidar do patrimônio. Público.

Novidades do mundo das borbulhas. A uva Prosecco, que muitos pensar ser nome de espumante, mudou de nome. Agora se chama- Glera. Nem gostei muito da mudança. Bom, Prosecco agora é o lugar, a denominação de origem. Conclusão, prosecco somente importado da itália, como o excelente Bedin Extra Brut, que em Natal é vendido pela Vinhedos. Cremoso na boca, com suas borbulhas finas. Delicioso e sofisticado.

5

à Dia 6 tem a edição potiguar do Baile do Sapuca, no Espaço Volks, ao som de Leandro Sapucahy, anfitrião da festa, com a sua banda Sapucapeta. Mais Carrossel de Emoções, bloco de funk de sucesso do Rio de Janeiro; a dupla Tiago e Santafé e o DJ Léo Cury, de São Paulo. Ingressos à venda na loja Limits (Midway) e com comissários.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

natal

11

« GEORGE AZEVEDO » georgeazevedo@digizap.com.br

MISS MOSSORÓ & GLAM A noite de 6 de julho será de muito glamour na Terra de Santa Luzia com o concurso Miss Mossoró 2013 e o lançamento da GLAM Nº 13, que vai rolar nos salões do Requinte Buffet com assinatura da Master Produções e Eventos e coordenação de Georgiano Azevedo. São 15 belas meninas na disputa para representar a cidade no Miss Rio Grande do Norte 2013, que acontecerá dia 8 de agosto no Villa Hall, em Natal. A grande novidade é a participação de Giannini e Thábata, que vão cantar para os convidados numa versão acústicas. A duplinha é recheio de um ensaio nas páginas da GLAM Mossoró e nada mais justo do que não se apresentar nessa noite glamourosa. Não é mesmo?!?!? Hycaroo Mendonça é quem está cuidando da coreografia. E as aulas de passarela estão sendo ministradas pela ex-Miss Mossoró, Jyokonda Rocha. Tudo no Studio de Dança Clézia Barreto. O internauta vai poder eleger uma finalistas através de votação no site Trafegando.com. Enquanto isso, conheça as candidatas e seus respectivos bairro.

01 – Giovanna Rangel (Santa Delmira) 02 – Stefanne Gomes (Aeroporto) 03 – Elaine Cunha (Planalto 13 de Maio) 04 – Laíse Amorim (Costa e Silva) 05 – Bruna Fernandes (Boa Vista) 06 – Claralee Faustino (Abolição III) 07 – Elba Lima (Doze Anos) 08 – Amanda Ramos (Centro) 09 – Tatyane Freitas (Ilha de Santa Luzia) 10- Priscila Pinheiro (Santo Antônio) 11 – Indianara Ferraz (Nova Betânia) 12 – Jacyara Coelho (Vingt Rosado) 13 – Luana Medeiros (Alto de São Manoel) 14 – Cinthya Costa (Bom Jardim) 15 – Elis Feitosa (Alto do Sumaré)

MARCELO BENTO

Lídia Telles, miss Mossoró 2013, com as candidatas Priscila, Bruna, Jacyara, Elis, Elba, Stefanne, Cynthia e Elaine (da esquerda para a direita, em pé). Luana, Indianara, Giovana, Tatyanne, Claralee, Laise e Amanda (sentadas)

ÊEE SAUDADES!!! A 17ª edição do Mossoró Cidade Junina se despede com gostinho de quero mais... Foram grandes atrações na Estação das Artes Eliseu Ventania, de 13 a 29 de julho, como, Luan Santana, Paula Fernandes, Elba Ramalho, Garota Safada, Aviões do Forró e muito mais. Hoje, a festança chega ao seu último dia, com shows na Cidadela, apresentação do Chuva de Bala no País de Mossoró e outras programações paralelas. Agora, vamos relembrar bons momentos do Camarote Skol UnP.

O colunista pau-ferrense Clístenes Carlos num close com o lutador Rony Jason

Lilian Martins e Leo Junior. A TCM arrasou na transmissão ao vivo!!!

Igor Caldas e Ramony Carlos, circulando

Tárcio Garcia com Helô e Jonas Queiroz, os poderosos do Forró dos 3

Gustavo Rosado, secretário de Cultura, com Paula Fernandes

Amanda Ramos e Bruna Andrade. Lindas e poderosas

Rafael Maia e sua fofa, Karen Praxedes

Elba Ramalho arrastou multidão

Armstrong Pinto e sua queridinha Juliana Dantas

Patrick Fernandes e lindinha Ingrid


12

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

natal DIVULGAÇÃO

NELSON MATTOS FILHO avoante1@gmail.com

S

e me perguntam qual o motivo de meu encantamento com a Baía de Camamu confesso que fico sem uma resposta precisa, pois tudo ali me fascina. Não me canso de falar daquele pedacinho de paraíso, mas hoje tenho um motivo especial, porém, carregado de tristeza. Quem acompanha esse Diário do Avoante deve estar familiarizado com uma Senhora que sempre citei como um dos pilares do farol que norteia o Avoante por aquelas bandas. De fala mansa, andar mais do que devagar e olhar brilhante que a tudo observava. Foi por ela que um famoso aviador escritor, vindo lá das bandas da França, perdeu o rumo do tempo e passou alguns meses com seu avião pousado na Ilha do Campinho e depois, sem se fazer de rogado e gostando do que viu, fez do local uma de suas paradas técnicas. Saint-Exupéry é seu nome e Onília sua paixão. Quem chegava a Ilha do Campinho e escutava aquela história, contada na maior tranquilidade do mundo, era tentado a duvidar e até a achar que era uma fantasia barata de alguma impostora em busca de fama. Mas eu mesmo nunca me dei o desprazer de desacreditar, pois sou um saudosista inveterado e amante de histórias simples como a vida. Aquela era uma história tão bela quanto instigante, porém, cheia de fatos concretos e que até os dias de hoje exala perfume entre as arvores daque-

VIVA! A BAÍA DE CAMAMU TEM UM ANJO

le lugar. Tudo ainda está lá fazendo parte da paisagem: A casinha do aviador, o que restou do campo de pouso e até as arvores onde ele descansou ao relento. Para mim, nenhum relato da passagem de Saint-Exupéry no Brasil está completa se não tiver referências a Onília Ventura. Como também era inconcebível velejar naquele mundo de natureza sem conhecê-la. As referências bibliográficas ainda podem ser feitas, mas conhecer, entrevistar e sentar naquela varanda

de paz, as margens das águas mágicas da Baía de Camamu, para um delicioso bate-papo com Dona Onília não pode mais. Ela que tantas vezes fez parte desse Diário e pelas minhas palavras carinhosas levou alguns leitores a ter o sonho de conhecê-la. Ela que naquele caminhar suave e macio me fazia entender outros sentidos para a vida. Ela que num lampejo de olhar sempre anunciava a nossa chegada, mesmo quando estavamos a algumas milhas da ancoragem. Ela que a todos acolhia

com o coração enorme e os braços abertos a um abraço. Ela que um dia recebeu a visita da filha do aviador escritor, para noticiar a sua morte e querendo saber se era verdade que ele havia tido um filho com ela, e ela apenas desejou que ele estivesse com Deus, informando também que nunca teve filho e que o aviador apenas enamorou com ela e nada mais, pois não estava pronta. Na parte do "não estava pronta" é melhor a gente achar graça do que duvidar. Ela agora é apenas um anjo.

Para mim a Baía de Camamu nunca mais será a mesma. Vai faltar aquela voz macia e aquele caminhar a passos lentos sobre a trilha entre a sua casa e a casa de sua irmã Aurora. A sua casinha amarela, lambendo as águas, espero que perdure por muitos anos sobre a paisagem, pois ali moram os arquivos de uma história. Vai ser difícil olhar para a sombra da varandinha e não mais avistar sua presença. Não sei como vou continuar sentando sob aquela varanda ventilada apenas para olhar o

mundo e sentir a pulsação da natureza. Juro que não sei. Na última vez que estive em Camamu fiz tudo para não ir vêla na casa de sua sobrinha. Sabia de seu estado debilitado, mas meu coração não queria ter aquela prova. Quando levantei âncora olhei para a casinha amarela com um aperto no fundo da alma, pois tinha certeza que nunca mais veria a sua moradora. Poderia ter feito à última foto. Poderia ter dado um último abraço. Poderia ter dado um último adeus. Poderia ter feito um monte de coisas, mas apenas escutei os relatos de Lucia, que foi visitá-la, e me calei. Onília Ventura se foi do mesmo modo como viveu a vida: Suave, tranquila e sorrindo. Desembarcou do barco da vida por que quis e por ter vivido em paz uma idade indefinida. Coisa que ninguém e nem ela mesmo sabia ao certo. Simplesmente deixou de comer, de beber água e de querer ajuda para tal. Para ela estava bom e ponto final. Onília, você que tantas vezes frequentou esse Diário, saiba que nunca viraremos a página de sua vida. Você faz parte de nossa história a bordo do Avoante e por isso sempre será lembrada com alegria e carinho. Vá em paz minha amiga, conselheira e professora de um modo de vida que nunca imaginei que pudesse existir. Vá em paz e lá do seu novo cantinho, continue olhando e zelando por aquele pedacinho de paraíso chamado Ilha do Campinho.


esportes Editor: Itamar Ciríaco- itamar@tribunadonorte.com.br

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 30 de junho de 2013 WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

Defesa espanhola de olho no ataque dos brasileiros

é EM ALTA

MARCELO MACHADO

Jesus Navas Apesar de ser reserva na seleção da espanha, o jogador fez o gol que levou o seu time para a final contra o Brasil, na disputa de pênaltis

é EM BAIXA

WANDER ROBERTO/VIPCOMM

Daniel Alves Ala brasileiro não conseguiu, ainda, ter uma atuação convincente e está bem abaixo do outro ala da Seleção, Marcelo

8 Confrontos foram registrados na história entre a Seleção Brasileira e a Espanha, com vantagem para o Brasil, que venceu quatro jogos

152 mil pessoas assistiram, ao último duelo entre brasileiros e espanhóis, no estádio Maracanã em 1950. Neste jogo deu Brasil: 6 a 1

79 mil lugares é o público máximo que o Maracanã pode receber na atualidade, após a sucessão de reformas sofridas pelo estádio carioca

P FIQUE DE OLHO

EDU ANDRADE/ESTADÃO CONTEÚDO

Bernard O atacante brasileiro entrou durante o jogo contra o Uruguai e “incendiou” a partida. Felipão pode escalá-lo mais uma vez hoje

Apesar da qualidade de Marcelo, Neymar, Fred e Oscar, o conjunto da seleção espanhola deixa o favoritismo nas mãos dos visitantes

a zebra somos nós

Brasil experimenta gosto de não ser o favorito a uma conquista em final contra a Espanha, mesmo com a partida sendo disputada no Maracanã, no Rio de Janeiro, com apoio de 79 mil torcedores

R

io de Janeiro (RJ) - Gazeta Press - A Seleção Brasileira vai decidir neste domingo o título da Copa das Confederações, a partir das 19h (de Brasília), contra a Espanha no Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ). Se a final era a mais esperada por todos, colocou o Brasil em uma situação que poucos esperavam. Há cerca de dez anos, nibguém ousaria colocar o time canarinho como zebra em um jogo dfecisivo, ainda mais em sua própria casa. Mas este é o cenário que foi desenhado para essa finalíssima. Nos últimos anos a Espanha se tornou a grande força do futebol internacional. Conquistou as duas últimas Eurocopas e é ganhou a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. O escalada espanhola aconteceu em um momento de queda do futebol canarinho, que não conseguiu passar das quartas de final nos dois

últimos Mundiais. O último feito brasileiro foi justamente em 2009, quando conquistou a Copa das Confederações em uma decisão contra os Estados Unidos. Apesar desta realidade, os espanhós sabem que terão problemas pela frente. “Estávamos em quatro campeões do mundo e agora restam dois. O Brasil tem cinco mundiais e três títulos da Copa das Confederações. Vamos jogar no Maracanã, com a torcida local e isso nos empolga. Por mais títulos que tenham conquistado, os jogadores estão animados por jogar no Maracanã”, disse Vicente del Bosque, técnico da Espanha, lembrando que as semifinais envolveram quatro campeões do mundo. A Fúria eliminou a Itália nos pênaltis, após empate sem gols. Já a Seleção Brasileira despachou o Uruguai com um triunfo por 2 a 1. Luiz Felipe Scolari, técnico da Seleção Brasileira, também res-

Nem sempre foi assim, e a Espanha já sofreu goleada

peita os espanhóis, mas acredita que o fator campo pode fazer a diferença mais uma vez. “Serão setenta mil pessoas no Maracanã, com sessenta e nove mim e quinhentas torcendo pela Seleção Brasileira, gritando a cada jogada e cantando o Hino Nacional bem alegres e vibrantes, mostrando que o Brasil joga em casa e é muito forte nessas condições. Claro que respeito a Espanha, que é uma grande seleção, mas podemos ganhar sem sombras de dúvidas”, disse Felipão. Os jogadores brasileiros concordam que o apoio da torcida vai ser fundamental, mas entendem que o equilíbrio da partida vai exigir um alto grau de concentração. “Não podemos pensar em errar, pois contra a Espanha se isso acontece a derrota é quase certa. Temos que nos impor em campo, não permitir que eles toquem a bola como gostam de fazer e controlem as ações. Temos que dominar a par-

FICHA TÉCNICA BRASIL ESPANHA

A final da Copa das Confederações hoje não será a primeira vez que Brasil e Espanha se enfrentarão no Maracanã. O Maior do Mundo, como é carinhosamente chamado o estádio carioca, recebeu em 1950 um histórico confronto entre brasileiros e espanhóis pela fase final da Copa do Mundo. A Fúria não tem boas lembranças daquele dia em que os canarinhos, inspirados golearam por 6 a 1. A partida ficou marcada pelo grito de mais de 152 mil brasileiros que cantavam “Touradas em Madri”, uma marchinha de Carnaval do compositor Braguinha, que inclusive estava presen-

te ao confronto. Com dois gols de Chico, dois de Ademir, um de Jair e um Zizinho, o Brasil arrasou os europeus, mas três dias depois perdeu o título, em casa, ao cair por 2 a 1 para o Uruguai. Aquela partida foi a segunda entre brasileiros e espanhóis em Copas do Mundo. Na primeira, em 1934, na Itália, a Espanha venceu por 3 a 1, eliminando os brasileiros. Em Mundiais também aconteceram jogos em 1962, com vitória brasileira por 2 a 1 no Chile, em 1978, quando a Argentina foi palco de um 0 a 0, e, por fim, em 1986, quando na sua estreia o Brasil ganhou por 1 a 0.

Julio César, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho, Oscar e Hulk; Neymar e Fred Técnico: Luiz Felipe Scolari

Casillas, Arbeloa, Piqué, Sergio Ramos e Alba; Busquets, Xavi e Iniesta; Pedro, David Silva e Fernando Torres Técnico: Vicente Del Bosque

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ) Horário: 19h(de Brasília) Árbitro: não divulgado pela organização

No histórico dos confrontos s vantagem é brasileira. Ambos se enfrentaram oito vezes, com quatro triunfos brasileiros.

tida, colocar o nosso ritmo e escolher o melhor momento para decidirmos o jogo, sem corrermos grandes riscos. Acredito em um grande jogo e espero que a Seleção Brasileira esteja em um grande dia”, disse o atacante Fred. Os espanhóis, porém, se mostram prontos para qualquer arma que a Seleção Brasileira venha a usar, até porque ter esse adversário na final não chega a surpreender. O mundo esperava esse duelo. “Todo o mundo esperava e queria que a final da Copa das Confederações fosse entre Espanha e Brasil. Afinal, as duas seleções mereceram e vai ser muito bonito para todos os jogadores atuar no Maracanã. Somos conscientes que, desde que ganhamos a Eurocopa duas vezes e a Copa do Mundo, para todas as seleções é especial enfrentar a Espanha. Não duvido que também seja para os brasileiros, mas isso é algo recíproco”, afirmou Casillas.

A seleção espanhola é famosa pelo meio-de-campo envolvente, com os craques Xavi e Iniesta, mas quem vem chamando a atenção na disputa da Copa das Confederações é a dupla de zaga formada por Piqué e Sergio Ramos. Os dois foram perfeitos em suas cobranças de pênalti diante da Itália, na semifinal de quinta-feira, e agora terão a missão de parar o ataque brasileiro com Neymar, Fred e Hulk na final de hoje, no Maracanã. “Com certeza, será uma partida histórica não só no nível pessoal, mas também como seleção. Para quem gosta de futebol, vai ser o jogo mais esperado, um espetáculo, e deve causar alegrias para todas as pessoas. É um privilégio total poder participar desta disputa”, afirmou Sergio Ramos, defensor do Real Madrid, que na primeira fase da Copa das Confederações foi eleito o jogador com o melhor índice técnico da competição. Ao contrário do que muitos imaginam, ele não está olhando para a decisão com o Brasil com algum receio por jogar diante da torcida adversária. Sergio Ramos lembra, aliás, que em todos os jogos da competição a Espanha ouviu vaias das arquibancadas. “O ambiente no estádio é normal, com gente que canta contra uma seleção favorita como a nossa. Se a Copa fosse disputada na Espanha, os espanhóis cantariam contra o Brasil ou algo parecido Quando o jogador entra em campo, ele só quer saber da partida. Para mim é até bom, gosto desse ambiente no estádio”, avisou o zagueiro. Tanto Sergio Ramos quanto Piqué vão tentar anular o poder ofensivo do Brasil na final deste domingo no Maracanã. Mas, por enquanto, os dois só querem saber de descansar, depois de uma partida complicada contra a Itália, no calor de Fortaleza, que terminou em disputa de pênaltis após 120 minutos de bola rolando “O desgaste físico foi muito grande e a prorrogação aumentou ainda mais o esforço dos jogadores. Precisamos descansar e nos recuperar bem, comer bem, e nos prepararmos da melhor maneira para fazermos uma boa final. Conhecemos bem todos os jogadores da seleção brasileira e temos que tomar muito cuidado. Não podemos dar espaço”, disse o zagueiro do Real Madrid. Para Piqué, que deve ter na tribuna do Maracanã o apoio de sua mulher, a cantora colombiana Shakira, o segredo é poupar energias.


2

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

esportes

filho teu não foge à luta

Final no Maracanã será “uma das melhores da história”, diz o atacante da Seleção Brasileira, Neymar sobre jogo de hoje contra a Espanha JEFFERSON BERNARDES/VIPCOMM

R

Governo aponta erro da Fifa nas comunicações

é EM ALTA Fred Apesar de não ter marcado nos primeiros jogos, Fred se recuperou e chega à final como destaque VIPCOMM

Rio (Agência Estado) - Ao contrário do que costumava acontecer até então na preparação para a Copa do Mundo, com a Fifa criticando e cobrando o governo federal - como o polêmico caso do “chute no traseiro” defendido pelo secretário-geral Jérôme Valcke -, agora foi a vez do ministério das Comunicações subir o tom contra a entidade que controla o futebol mundial. O secretário executivo da pasta, Cezar Alvarez, fez críticas ao planejamento da Fifa para a Copa das Confederações em relação à telecomunicação. O ministério fez reunião de balanço com a Fifa nesta semana em Belo Horizonte. “A Fifa fez uma avaliação bastante positiva do nosso trabalho, mas fizemos uma avaliação bastante crítica de algumas necessidades, como os tempos em que a Fifa nos dava informação, que pode ter prejudicado nosso trabalho”, afirmou Cesar Alvarez, o segundo nome do ministério, abaixo só do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Ele também deu um alerta para a Copa do Mundo: “O tempo para os chamados ‘key locations’ (locais chave) tem de ser muito bem antecipado”. Na semana passada, Cesar Alvarez havia reconhecido que o sistema 4G, uma das exigências da Fifa, não estava funcionando 100% nos seis estádios da Copa das Confederações do Brasil.

é

io (Agência Estado) - A final da Copa das Confederações de 2013 irá colocar a melhor seleção do momento, por ser a atual bicampeã europeia e campeã mundial, diante do futebol que é dono do recorde de cinco títulos mundiais e que ainda jogará em casa. Espanha e Brasil se enfrentam hoje, às 19 horas, no Maracanã, naquela que poderá ser uma das “melhores partidas da história”. Pelo menos foi o que garantiu o atacante Neymar, principal esperança brasileira na busca pelo quarto título do torneio. “São dois estilos parecidos, por gostarem de jogar. Equipes que não ficam muito atrás, saem para o jogo, gostam de atacar. Então, vai ser uma das melhores partidas da história. Sabemos que podemos cravar nosso nome no futebol brasileiro e mundial, sabemos da importância dessa partida. Precisa ter coração, ir até o limite, usar a inteligência. Vai ser uma partida que vai ficar para o resto da minha vida”, disse Neymar. Apesar de o Brasil ser considerado o “País do futebol”, é a Espanha que tem dominado o cenário atualmente. Com um estilo de troca de passes e valorização da posse de bola, montou uma seleção que já é considerada uma das melhores em todos os tempos Neymar sabe disso e admite que os adversários são os melhores do mundo na atualidade, mas garante que o time brasileiro tem condições de superá-los. “Temos que jogar futebol, não podemos ter medo de nada. Vamos enfrentar os melhores do mundo, mas temos grandes jogadores e somos a seleção brasileira. O respeito e a admiração por eles são grandes, mas dentro de campo nosso futebol é bonito, e confiamos muito um no outro para que possamos fazer um grande jogo e saiamos campeões”, comentou o atacante de apenas 21 anos, recém-contratado pelo Barcelona, time que forma a base dessa supercampeã seleção espanhola. “Temos que ter o respeito, mas dentro de campo temos que nos impor.” Para superar o envolvente futebol espanhol, o Brasil terá que mostrar um grande desempenho em campo, mas conta também com a força das arquibancadas. Antes descrentes, os torcedores brasileiros abraçaram a seleção nesta Copa das Confederações e o apoio tem contagiado e incentivado os jogadores. “O que mostrarmos em campo, o torcedor responde do lado de fora. Com o entrosamento, o treinamento, encontramos um grupo maravilhoso fora de campo, melhor ainda dentro de campo, e isso deixa nossa equipe cada vez mais forte. E nessa competição a torcida tem sido o 12º jogador. A força deles em todas as partidas nos incentivou até a final. Domingo esperamos que seja assim também”, afirmou Neymar, o grande craque dessa nova seleção brasileira. Se fora de campo a expectativa é que a torcida dê show, dentro dele é o próprio Neymar que carrega o peso de ser a maior esperança da seleção. O atacante, no entanto, não quer saber de levar essa responsabilidade sozinho. “A responsabilidade é de todo mundo. Não trabalhei sozinho aqui, isso é um grupo. Temos grandes jogadores”, apontou o camisa 10 do time do Brasil.

EM BAIXA Fernando Torres Atacante era incógnita, começou bem, mas vem sendo substituído durante as partidas e hoje é dúvida na Espanha

Seleção encara europeus pela 1ª vez numa final

3 títulos de Copa das Confederações tem a Seleção Brasileira, que pode ser a primeira a conquistar, por três vezes consecutivas, o torneio

21 anos tem o craque da Seleção Brasileira Neymar. Apesar de jovem, o atleta já é o principal líder e esperança do time comandado por Felipão

Neymar chegou à Copa das Confederações em baixa, mas se recuperou e virou o craque do time

Fábregas pode ser surpresa espanhola Dois jogadores titulares e importantes para o esquema tático do técnico Vicente del Bosque, o meia Cesc Fábregas e o atacante Roberto Soldado, não enfrentaram a Itália, na semifinal de quinta-feira, por estarem se recuperando de lesão. E a expectativa agora é se terão condições de estar à disposição para a decisão deste domingo contra o Brasil. Quando não pôde contar com eles, o treinador optou por David Silva e Fernando Torres. ADALBERTO MARQUES/ESTADÃO CONTEÚDO

Fábregas vive a expectativa de ser escalado como titular

Os dois jogadores acabaram ficando fora da semifinal por causa de um desconforto muscular. Agora, ao que tudo indica, apenas Fábregas terá condições de jogo diante do Brasil no Maracanã. Soldado começou a Copa das Confederações como titular, mas viu a sombra de Fernando Torres crescer principalmente após o centroavante do Chelsea marcar quatro gols contra o Taiti - depois, ele ainda balançou as redes mais uma vez, diante da Nigéria.

Soldado marcou na estreia contra o Uruguai e depois foi questionado por desperdiçar boas oportunidades contra a Nigéria. Acabou sofrendo um edema muscular e a recuperação para esse tipo de lesão é um pouco demorada. Como a partida já será realizada neste domingo, no Maracanã, dificilmente o jogador poderá se recuperar a tempo. Pela lógica, Fernando Torres, o artilheiro da competição, deve ser mantido no time. WAGNER CARMO/ESTADÃO CONTEÚDO

Andres Iniesta é considerado o verdadeiro “maestro” do time

Rio de Janeiro (RJ) - Gazeta Press - A Seleção Brasileira busca hoje, na final contra a Espanha, o quarto título de sua história na Copa das Confederações. Mesmo assim essa final vai proporcionar uma situação inédita para os canarinhos. Pela primeira vez o Brasil vai decidir o caneco contra um europeu. Os espanhóis jamais ergueram a taça e sequer a decidiram. O ano de 1997 marcou o primeiro título da Seleção Brasileira. Naquela ocasião o time dirigido por Zagallo não teve dificuldades para humilhar a Austrália na decisão, com uma sonora goleada de 6 a 0. O volante e capitão Dunga fazia parte do grupo, que ficou marcado por ter raspado os cabelos. Ronaldo e Romário brilharam na final, marcando três gols cada um. Em 2005, na Alemanha. A Seleção Brasileira, comandada por Carlos Alberto Parreira, teve um início complicado, mas viu Adriano brilhar nas semifinais, na vitória de 3 a 2 sobre os anfitriões. Na decisão um show canarinho, com direito a goleada de 4 a 1 sobre a rival Argentina. A última edição, em 2009, foi disputada na África do Sul. A tão esperada final entre Brasil e Espanha não aconteceu, uma vez que os espanhóis ficaram pelo meio do caminh. Na grande decisão os Ianques deram um susto nos brasileiros, fazendo 2 a 0 no primeiro tempo. Porém, na volta para o intervalo o time comandado por Dunga conseguiu uma incrível: 3 a 2.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

esportes

Confronto

azul

é EM ALTA Oscar Tabárez O técnico do Uruguai chegou questionado ao Brasil devido a campanha ruim nas Eliminatórias, mas deixa o País fortalecido

Ítália e Uruguai entram em campo no calor das 13h, no estádio da Fonte Nova, em Salvador, pela disputa de terceiro lugar da Copa das Confederações. Ambas as seleções temem o desgaste EDSON RUIZ/ESTADÃO CONTEÚDO

S

28 graus, com uma sensação térmica ainda maior é a expectativa de temperatura na hora do jogo entre Itália e Uruguai, na Fonte Nova, em Salvador

13 horas terá início a partida, privilegiando a transmissão de TV para os países asiáticos, principais compradores dos pacotes da Fifa

é

alvador (BA) - Gazeta Press - Derrotados nas semifinais as seleções de Uruguai e Itália voltam a campo às 13h (de Brasília), na Arena Fonte Nova, em Salvador (BA), para decidirem o terceiro lugar da Copa das Confederações. O prêmio de consolação servirá como brinde a duas equipes que lutaram até o último minuto para estarem na final deste domingo, que será disputada entre Brasil e Espanha. Os italianos seguraram os espanhóis nos noventa minutos e na prorrogação, em um empate sem gols de tirar o fôlego. Mas caíram na disputa de pênaltis. Já os uruguaios perderam por 2 a 1 para os brasileiros, com muita luta. A entrega das duas equipes em campo ao longo da Copa das Confederações torna o jogo deste domingo atraente, mesmo sem valer título. E empenho não vai faltar na visão de Oscar Tabárez, técnico do Uruguai. “Vamos encarar essa disputa de terceiro lugar com a seriedade que ela merece. Fizemos uma campanha de luta e entrega e não queremos deixar a competição com uma derrota. Vamos lutar muito pelo triunfo para voltarmos para casa com a certeza de que fizemos o que estava ao nosso alcance pelo Uruguai”, disse Tabárez. Cesare Prandelli, técnico da Itália, pensa de maneira parecida. “Nós não queríamos estar neste jogo e sim no Maracanã, brigando pelo título contra a Seleção Brasileira. Mas infelizmente isso não foi possível e perdemos nos pênaltis. Mas queremos deixar a competição pela porta da frente, mostrando que a nossa equipe tinha condições de ir bem mais longe do que foi. E a melhor maneira de convencer a todos disso é saindo do torneio com uma vitória bem bonita”, afirmou Cesare Prandelli. As duas equipes deverão manter para este compromisso as bases que participaram dos confrontos de semifinais, embora, por conta das desgastantes partidas não estejam descartadas algumas substituições para preservar alguns atletas que estejam com fadiga muscular. Caso a partida deste domingo termine empatada no tempo regulamentar, acontecerá uma prorrogação de trinta minutos. Persistindo a igualdade o vencedor será conhecido nas cobranças de pênaltis. Itália e Uruguai jamais sentiram o gostinho de participar de uma decisão de Copa das Confederações.

EM BAIXA Buffon Estrela da seleção italiana perderá a condição de titular devido ao desgaste sofrido nas partidas anteriores da competição

O atacante Fórlan, destaque do Internacional/RS é a principal estrela uruguaia na competição

Vamos encarar essa disputa de terceiro lugar com a seriedade que ela merece” OSCAR TABÁREZ Técnico do Uruguai

FICHA TÉCNICA URUGUAI ITÁLIA Muslera, Maxi Pereira, Godin, Lugano e Cáceres; Alvaro Gonzalez, Arévalo e Cristian Rodriguez; Cavani, Forlán e Suaréz Técnico: Oscar Tabaréz

Buffon, Maggio, Chiellini, Barzagli (Montolivo) e Bonucci; De Rossi, Marchisio (Aquilani), Pirlo e Candreva; Giaccherini e Gilardino (Giovinco) Técnico: Cesare Prandelli

Estádio: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA) Horário: 13h(de Brasília) Árbitro: não divulgado pela organização

Nós não queríamos estar neste jogo e sim no Maracanã, brigando pelo título” CESARE PRANDELLI Técnico

Uruguai aposta no repouso Um dos destaques do Uruguai, o atacante Luís Suárez reconhece que o repouso pode ser um importante aliado na partida contra a Itália, mas não enxerga tanta vantagem assim. “Com certeza os italianos tiveram um desgaste físico maior, mas creio que eles são uma equipe acostumada a jogar grandes partidas e estarão preparados, mesmo com o calor”, comentou. A menção ao calor se refere ao horário do confronto: a decisão do terceiro lugar será o único jogo da Copa das Confederações a ser disputado às 13 horas, no horário local. A previsão do tempo para Salvador é de sol, com 28ºC de temperatura. Apesar das dificuldades, o zagueiro Diego Godín garante que o Uruguai está concentrado em vencer a partida. “A Itália é uma seleção histórica do futebol e vem também em um bom momento. Temos muita vontade de ganhar este jogo e vamos dar o máximo em campo para consegui-lo”, avisou o defensor. Segundo ele, o terceiro lugar fecharia em grande estilo o mês de junho que os uruguaios tiveram. “Foi um ótimo período para nós e seria um prêmio pela Copa América que conquistamos na Argentina. Também ganhamos da Venezuela pelas Eliminatórias e fizemos uma boa partida no amistoso contra a França”, concluiu Godín.

3

Italianos temem o cansaço Os jogadores da Itália estão fisicamente destroçados após a eliminação para a Espanha e, por causa disso, o técnico Cesare Prandelli vai optar por uma equipe de mais fôlego para encarar o Uruguai na disputa do terceiro lugar, hoje, na Arena Fonte Nova, em Salvador. O comandante já definiu que o meia Pirlo e o zagueiro Barzagli ganharão um descanso até pela dificuldade em se recuperarem a tempo. “Gastamos muita energia e agora precisamos nos recuperar para disputar mais esse jogo importante”, afirmou o lateral-direito Maggio, do Napoli. Três jogadores importantes serão avaliados neste sábado para ver se têm condições de entrar em campo, mas é bem provável que eles também fiquem fora: o zagueiro Chiellini e os volantes De Rossi e Marchisio. Prandelli também deve poupar o goleiro Buffon para dar chance de Marchetti atuar pela primeira vez na Copa das Confederações. Além desses problemas, o técnico já sabe que não pode contar com o goleiro reserva Sirigu, machucado, e com Abate e Balotelli, que se contundiram e já estão na Itália. Outro atleta que não teve chance de entrar em campo é o zagueiro Astori. Ele também deve ganhar a vaga de titular e fazer sua estreia. Com isso, o comandante da Azzurra vai optar por um time mais descansado, até porque o confronto será disputado às 13 horas. “Vamos com vontade de terminar a competição da melhor forma possível. Queremos o terceiro lugar”, contou o zagueiro Bonucci. Pesando todos os fatores, Prandelli deve entrar em campo com uma formação diferente da utilizada contra a Espanha, quando escalou três zagueiros e povoou o meio de campo com seis atletas. Diante do Uruguai, é mais provável que o time europeu utilize uma linha de quatro na defesa, com três jogadores no meio e três atacantes, A formação deve ser Marchetti; Maggio, Bonucci, Astori e De Sciglio; Aquilani, Candreva e Montolivo; Cerci, Gilardino e El Shaarawy.


4

esportes

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

MAGNUS NASCIMENTO

Índio Oliveira deixou o América e retornou para Rondônia sem avisar a direção do clube

JUNIOR SANTOS

Romarinho, grande aposta do ABC, parece ter desistido de seguir carreira como jogador de futebol

Carreira FELIPE GURGEL Repórter

O

que leva uma jovem promessa do futebol largar tudo e abandonar o clube em que joga? È o que anda se perguntando os torcedores de ABC e América, nos casos do meio campo Índio Oliveira, do alvirrubro e do atacante Romarinho, do alvinegro. No primeiro caso, o jovem jogador americano teve uma carreira meteórica. Em 2011, chegou ao clube para um período de testes no sub-20, depois da aprovação do diretor de futebol, Carlos Moura Dourado. O técnico, naquela ocasião, era Flávio Araújo e, depois de acompanhar um treino das categorias de base, chamou Oliveira para participar de alguns treinos entre os profissionais. Com a saída de Araújo, no início de 2012 e a chegada de Roberto Fernandes, atual treinador rubro, o garoto perdeu espaço. Mas, nessa temporada, recebeu a grande chance: se firmou entre os titulares e foi importante para que o América chegasse até a final do campeonato potiguar, marcando gols decisivos, como os dois diante do Alecrim, na última rodada da segunda fase e também na decisão do campeonato, perdido para o Potiguar de Mossoró, nos pênaltis. Mas, se dentro de campo as coisas pareciam caminhar para um futuro promissor, fora das quatro linhas os problemas disciplinares de Índio Oliveira se acumulavam: falta aos treinos, pouca disposição durante os treinamentos e, o estopim para toda briga atual: abandonou o clube e retornou a sua cidade Natal, Guajará-Mirim, em Rondônia. Antes disso, ele tinha sido devolvido ao sub-20, pelo excesso de problemas disciplinares no elenco profissional. A decisão do jogador pegou todos do América de surpresa, principalmente o gerente de futebol, Carlos Moura. “Foi uma tremenda coincidência. Eu estava no aeroporto com Paulinho Freire, quando vimos o Índio Oliveira na sala de embarque. Perguntei o que estava acontecendo e ele me disse que tinha pedido dispensa para resolver problemas particulares em casa. Até agora, ainda não se reapresentou”, revela Moura. O encontro aconteceu no dia 21 de junho e era para ele ter se reapresentado no último dia 24. O técnico Roberto Fernan-

no lixo

Enquanto centenas de meninos tentam uma chance nos clubes de Natal, Índio Oliveira e Romarinho, por vontade própria, abandonam ABC e América JUNIOR SANTOS

Psicólogo dá conselhos aos jogadores

Jovens da base do ABC jogam no lixo as velhas chuteiras após receberem material novo. Cena reflete bem o que acontece em clubes

des também se mostrou surpreso com a decisão do jogador em deixar o clube sem avisar e aconselha a jovem promessa. “Ele está perdido. É um jogador que tem qualidade e estava treinando entre os profissionais. Espero que ele pense sobre o que quer da vida para conseguir recuperar esse tempo”, disse Fernandes. O jogador explicou a situação, disse que estava sem ver sua mãe desde o início do ano passado e que a saudade falou mais alto. Reconheceu o erro de não ter avisado ao clube, mas, afirmou que se apresenta na próxima quarta-feira. Resta saber se, depois desse “sumiço”, o América ainda conta com o jogador para o restante da temporada. O presidente do América, Alex Padang, afirmou que, quando o jogador retornar, quem vai resolver a situação é o diretor de futebol Carlos Moura Dourado, encarregado de definir o futuro de Índio Oliveira no clube.

Já o caso de Romarinho, no ABC, é diferente de Índio Oliveira. O jogador alvinegro fez fama depois que um vídeo seu, em um jogo contra o América, pelo estadual sub-17 da temporada passada, virou sensação entre a torcida. No vídeo, Romarinho faz gols e jogadas que empolgam qualquer torcedor. Prevendo um assédio forte de empresários, a direção abecedista decidiu assinar contrato profissional com o atleta, para não perder a jovem promessa precocemente. Se na internet o atacante se mostrava uma grande promessa, entre os profissionais o desempenho não foi dos melhores. Mas, os problemas extra-campo, assim como Índio Oliveira, se acumulavam. Romarinho faltava aos treinos, não se empenhava nas atividades. No início da temporada, o então técnico do ABC, Givanildo Oliveira, conversou com Erandyr Montenegro, responsável pelas categorias de base do clube, para

saber sobre a situação do atacante. “O Givanildo veio me perguntar e disse que queria utilizar o Romarinho. E eu disse que ele podia usar o garoto, que era acima da média. Mas, não sei o que aconteceu, não sei o que ele pensa para a vida dele, que não quer nada com o futebol. Não tem postura de profissional e mostra que não soube aproveitar a chance que teve nas mãos”, revela Montenegro. Assim como Índio Oliveira, Romarinho deixou o clube há duas semanas, afirmando que precisava resolver problemas familiares em Ceará-Mirim, cidade onde mora sua família e até o momento não se apresentou. “Não tenho mais pena do Romarinho. Ele nunca vai poder dizer que o ABC virou as costas para ele. O que aconteceu foi, justamente, o contrário. Tenho pena é da mãe dele, que olha para o filho como se fosse a sua última chance de redenção na vida. Isso que me deixa triste”, afirma Erandyr.

Ele está perdido. É um jogador que tem qualidade e estava treinando entre os profissionais” ROBERTO FERNANDES Técnico do América

Técnicos afirmam que tentaram ajudar os jovens Com o “sumiço” dos dois jogadores, tanto ABC, quanto América trataram de dar explicações aos seus torcedores. No caso abecedista, Erandyr Montenegro afirmou que o clube tentou de todas as formas recuperar Romarinho, mas, que por decisão do próprio atleta, isso para ser impossível no atual momento. “Tudo que poderia ser feito pelo clube, foi feito. Demos apoio psicológico, financeiro,

mas o Romarinho não fez por onde ou não quer mesmo nada com o futebol. Givanildo Oliveira pensou em até alugar um apartamento perto do Frasqueirão, para facilitar a vida dele, mas, nem isso ele quis. Preferia pagar táxi de Ceará-Mirim para vir treinar. Só por isso a gente nota como ele não estava preocupado com o futuro”, revela Montenegro. O mesmo pode se dizer de

Índio Oliveira. De acordo com Severo Júnior, atualmente auxiliar de Roberto Fernandes na equipe principal, mas, que até a temporada passada estava envolvido com as bases americanas, não foi por falta de conversa com Índio Oliveira deixou o clube. E também, nem por questões financeiras. “Sempre conversei com o Índio, mostrando que ele tinha potencial, que poderia ser negociado, caso fizes-

se uma boa série B. Além disso, o clube disponibilizou psicólogos para o atleta. Ele nunca deu trabalho, mas, também nunca se portou como profissional. E, pelo que eu saiba, o reajuste salarial dele não seria dado apenas pelo desempenho dentro de campo e sim, pelo comportamento extra-campo. Por isso que ele reclama o aumento salarial, sem fazer o que foi combinado”, finaliza Dias.

Isso acaba mexendo com o psicológico dos atletas, que, acabam acreditando nessas promessas” EMERSON SOARES Psicólogo

A postura de Índio Oliveira e Romarinho não são exceções no mundo do futebol. De acordo com o psicólogo Émerson Soares, que trabalha diretamente com psicologia esportiva, vários fatores contribuem para que jovens como eles, que tem um futuro brilhante pela frente, decidam abandonar o esporte. Mas, segundo Soares, o principal fator que pode atrapalhar a carreira de um jogador que está iniciando no profissionalismo são promessas falsas. “O que podemos ver, nos casos de Índio Oliveira e Romarinho, é que existem pessoas mexendo com a cabeça deles. São promessas de fama e dinheiro, que nem sempre são cumpridas. Isso acaba mexendo com o psicológico dos atletas, que, por serem jovens e de classes menos favorecidas da sociedade, acabam acreditando nessas promessas, já que sonham em dar uma vida melhor para seus familiares”, revela o psicólogo. O fato de não poder mais jogar futebol ou não alcançar o sonho desejado, atrapalha a vida de jovens promessas, como o meia atacante Gabriel e o meio campo Rodriguinho, ambos do ABC, que não conseguiram o reconhecimento dos torcedores e tiveram que deixar o clube para conseguir o sucesso em outro estado. O caso mais emblemático é o de Rodriguinho. Ele surgiu como grande promessa, mas, depois de problemas extra campo e críticas da torcida, abandonou o futebol e foi jogar futsal. Depois, retornou aos gramados, mas, longe de Natal. Primeiro, no Bragantino/SP e desde 2011 defende o América/MG, onde é o camisa 10. O lateral Eduardo Igor, de 26 anos, com passagens pelo América e Alecrim, por problemas médicos, acabou deixando o futebol e, logo em seguida, acabou perdendo a vida sem conseguir realizar seu sonho, que era dar uma condição de vida melhor para sua mãe. “Infelizmente, os adolescentes só pensam no futebol e nada mais. Seria interessante e importante que eles pudessem continuar os estudos para que, caso não conseguissem seguir no esporte, tivessem outra ocupação, para evitar problemas no futuro”, afirma Émerson Soares. “O Neymar tem todo um staff para cuidar da carreira. O pai dele gerencia tudo, impedindo que o filho seja enganado. Aqui, o que se vê é justamento o contrário”, finalizou.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

esportes

Apito Final EVERALDO LOPES [ elopes@tribunadonorte.com.br ]

Fifa isola Copa A Fifa divulgou uma pesquisa com a informação de que, 71% da população brasileira apóiam a realização da Copa-2014. Foi uma forma de rebater os protestos nas ruas com manifestações contra o Mundial. O presidente da Fifa, Joseph Blatter, afirmou que o futebol desempenhou uma parte positiva na emoção das pessoas, em meio aos protestos. Já o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, disse que não há relação entre as passeatas com a competição. -A Competição está sendo realizada em uma situação de questões social e protestos, que a imprensa batizou como “gritos da rua”. Mas, finalmente, o futebol desempenhou sua parte positiva de dar emoção. Quando dizemos que o futebol conecta pessoas, são pessoas no estádio. Talvez, infelizmente, não conecte pessoas nas ruas. Sim, foi uma boa competição. E ficaremos felizes de voltar no próximo ano”, discursou o dirigente suíço”, disse. Sua declaração ocorreu logo após reunião entre o COL (Comitê Organizador Local), Fifa e o Ministério do Esporte sobre a organização da Copa das Confederações. “Os jogos ocorreram no Brasil em meio a grandes manifestações pelas ruas, frisa Blatter. A começar por São Paulo, aonde não houve jogos. Houve quem tentasse relacionar as manifestações com a realização da Copa das Confederações e a própria Copa 2014. Em São Paulo, o que houve foi questões de transporte, saúde e educação, disse o ministro.

Bola volta a rolar Depois de 33 dias preenchidos com os jogos da Copa das Confederações, o Campeonato Brasileiro tem continuidade, e o Brasileirão retoma seu ritmo normal, com jogos às quartas, quintas feiras e domingos. Para refrescar a memória do torcedor, eis os jogos que vão dar

continuidade à série “A”: no dia 06/07 três jogos: Flamengo x Coritiba, Atlético/MG x Criciúma e Portuguesa x Cruzeiro. No dia 07, os jogos restantes: São Paulo x Santos, Bahia x Corinthians, Inter x Vasco, Goiás x Vitória, Botafogo x Fluminense e Náutico x Ponte Preta.

Bola volta (2) O grupo do alto reúne Coritiba (11 pts), Vitória/BA e Botafogo com 10, e Flu 9 pontos. Em baixo, na zona da morte, correm risco a Ponte Preta com 3 pontos, Náutico e Atlético Mineiro 4 e Goiás 5, sendo que Flamengo, Atlético/PR, Santos e Goiás também têm cinco pontos, porém estão mais acima devido o melhor saldo de gols. Na série “A” o clima é tão difícil que tem nada menos de seis clubes com saldo negativo, sendo um deles o Goiás, adversário do ABC na C. Brasil.

Índio dá notícia Finalmente, o polêmico jogador americano, que atende pela alcunha de Índio Oliveira, dá notícia, embora controvertidas. Inicialmente, disse que estava aborrecido porque seu salário é pequeno demais. Agora,

diz a Carlos Moura que o problema da viagem às pressas deveu-se a problemas do seu irmão com a genitora (dele e de Índio), e que está de retorno ao clube, esperando que o presidente Padang releve seu caso.

Osso duro de roer

Osso duro (2)

Basta citar três dados sobre a seleção da Espanha, para que dê logo um friozinho no corpo. Além de ser uma seleção campeã mundial, ostenta também o título de bicampeã europeia, e – anote aí torcedor, a Espanha não perde uma partida oficial desde 12 de novembro de 2011, quando perdeu para a Inglaterra, por 1x0.

Daquele jogo até hoje, já se passaram 19 vitórias, sendo a última justamente a de quartafeira, quando derrotou a Itália na cobrança de penalidades máximas. É bem verdade que, muitos anos atrás – precisamente 63 anos, no Mundial no B rasil, a seleção canarinho venceu de goleada. Só que, praticamente tudo mudou daquele tempo pra cá.

Última conquistados Em 1997 o Brasil foi o campeão da Copa das Confederações, um dos raros títulos mundiais da Seleção “Canarinho” fora a Copa do Mundo. E a última partida foi de goleada: Brasil 6x0 Austrália, gols de Ronaldinho “Fenômeno” (3) e Romário (3), sendo esta a formação brasileira: Dida, Cafu, Aldair, Júnior Baiano e Roberto Carlos, Dunga, Leonardo e Juninho Paulista, Ronaldinho Fenômeno, Romário e Denilson . Técnico, Zagallo.

Floca A Escola Estadual “Floriano Cavalcanti”, também conhecida como FLOCA, realiza neste domingo na sede da própria escola, em Mirassol a tradicional festa junina, com a animação e bom gosto tradicionais.

« CARTÃO AMARELO »

5

Padang já prepara sua despedida da presidência « AMÉRICA » Dirigente reforça que não tentará a reeleição e aponta Paulinho Freire e Hermano Morais como candidatos fortes ao cargo MAGNUS NASCIMENTO

O

América já deve começar a preparar o pleito para substituição do presidente Alex Padang. O dirigente disse que não pretende mais continuar no cargo a partir de dezembro e que o pleito eleitoral deve ser organizado em outubro. Ele disse que já cumpriu a sua parte e que não adianta surgirem apelos para uma reeleição, uma vez que necessita de tempo para gerenciar seus negócios e cuidar da família. “O América me consome muito tempo. Quando decidi aceitar o desafio foi porque me preparei para isso, vivo o clube de forma intensa e venho me desgastando muito nos últimos dois anos”, ressaltou Padang. Segundo o dirigente o clube possui bons nomes para tocar o trabalho que foi iniciado na atual administração, ele destacou Paulinho Freire e Hermano Marais como as duas melhores opções, mas ressalta que dentro do conselho deliberativo, o América possui muito mais nomes com potencial para assumir o cargo. “Paulinho Freire é quem está acompanhando minha administração de mais perto. Acho que agora ele está com tempo e que seria um excelente nome para assumir a presidência. Sei que isso é um sonho de todo torcedor americano e acredito ser uma boa oportunidade. Ele co-

Presidente Alex Padang confessa estar cansado e acha que chegou o momento de passar o cargo

nhece e discute comigo todos os planos que tempos para transformar o nosso clube, queremos um América moderno e que se sustente das próprias receitas”, frisou Alex Padang, lançando a candidatura do amigo. “Devemos lembrar também que Hermano Morais teve uma gestão curta mais de muita importância para o clube. Ele é outro excelente nome e na verdade

foi Hermano quem plantou a semente dessa administração que temos hoje”, destacou. Alex Padang apontou os dois pontos que mais pesaram para o seu desgaste emocional: o fato de o América estar sendo obrigado a jogar fora de Natal e a negociação do contrato para o clube passar a mandar os seus jogos na Arena das Dunas. “É muito difícil se manter um

time tendo a obrigação de jogar sempre fora de casa. As receitas são muito a quem do que deveriam e isso nos obriga a fazer certos malabarismos para fechar as contas no final do mês. Justamente por isso, não esperava enfrentar tanta dificuldade para assinar o contrato com a Arena das Dunas, mas graças a Deus essa parte já está quase superada”, disse o presidente americano.

« JIU-JITSU »

« SURFE »

Romulo está perdendo a luta contra falta de apoio

Fabrício Rocha comemora novo resultado expressivo

Atleta potiguar que acumula 101 títulos, se diz desolado com a falta de patrocínio

Surfista conquistou a quarta colocação no Circuito Oaklei, disputado no Rio

M

estre e faixa preta da Academia Kioto da Cidade da Esperança e com 101 títulos registrados na confederação de Jiu-jitsu, o atleta Romualdo dos Santos Martins (Romulo), 33 anos, que se mostra difícil de se bater dentro do tatame, vem perdendo a batalha contra o seu adversário mais forte dentro do RN: a fal-

ta de patrocínio. De dezembro para cá, o atleta conquistou 8 títulos regionais, mas está perdendo a oportunidade oportunidade de participar de competições nacionais e internacionais, justamente por falta de apoio financeiro. “Perdi a oportunidade de disputa o Mundial de Jiu-Jitsu em São Paulo e o Sul-americano, me Salvador na Bahia, porque não tive como arranjar dinheiro para viajar. Isso desanima muito ao atleta, todas as portas costumam ficar fechadas, a Secretaria de Esporte alega não ter verbas” reclama.

O

garoto Felipe Rocha, uma das novas sensações do surfe potiguar, segue acumulando bons resultados pelo Brasil. Dessa vez ele comemora a conquista da quarta colocação no Circuito Oakley, realizado na Praia da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Foi essa competição, inclusive, que projetou o nome do potiguar na-

cionalmente no ano passado, pela forma que viajou — apenas com dinheiro da passagem — e conquista da primeira colocação nessa mesma etapa. A colocação foi comemorada por Fabrício e pelo seu pai, Alexandre Rocha, pelo fato do garoto de 8 anos, ter disputado uma categoria bem acima de sua idade, tendo de enfrentar surfista de até 10 anos. “Foi muito boa essa participação, mostra que Fabrício está evoluindo e temos mesmo de comemorar, pois nessa faixa etária a diferença de um ou dois anos pesa muito”, frisou Alexandre.


6

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

esportes

Circuito Potiguar abre as inscrições « TÊNIS » A competição pretende reunir atletas de toda a Região Nordeste, mas também tem como alvo os iniciantes na modalidade. Infraestrutura montada deve atrair até mesmo os familiares dos jogadores EDUARDO OLIVEIRA

A

maior competição de tênis já realizada no Rio Grande do Norte. Assim estão pensando os organizadores do Circuito Potiguar Cyrela Plano&Plano de Tênis, evento que será realizado em três etapas, com somatório de pontos, e que elegerá o principal tenista do Rio Grande do Norte nas mais diversas categorias. A primeira etapa está marcada para acontecer entre os dias 19 e 28 de julho, no Aeroclube. A segunda será em setembro. E a última, e decisiva, será em novembro. “Essa competição tem um diferencial importante, que é justamente privilegiar todas as categorias possíveis. Temos cinco classes diferentes e divisão por idades, além das duplas, categorias femininas e uma extra que criamos para os iniciantes sentirem o gostinho de disputar uma competição”, explica Aristides Barcellos, presidente da FPT, Federação Potiguar de Tênis. A expectativa da organização é receber aproximadamente 400 atletas nesta primeira etapa. “Desde janeiro que estamos construindo esse evento. Estamos cuidando de todos os detalhes para que os atletas recebam a melhor estrutura. Desde o momento da inscrição, que pode ser feita on line pelo site, passando pelo momento em que ele receberá seu kit com camiseta, toalhinha, squeeze e outros

As quadras do Aeroclube estarão abertas para jogadores profissionais e também para os iniciantes na modalidade aqui no Estado

brindes, até as disputas em quadras, que serão extremamente bem preparadas para oferecer as melhores condições de jogo”, diz Gabriel Negreiros, da Fábrica de Esportes, empresa que organiza a competição. Os atletas também receberão atenção especial dos alunos do curso de Educação Física e Fisioterapia da Uni-RN, que fará ações específicas durante a competição. A Unimed Natal também acompanhará com sua infra-estrutura os atletas que

participarão do torneio. Todos os jogos serão disputados no Aeroclube do Rio Grande do Norte, que disponibilizará oito quadras oficiais para os jogos. Outro detalhe importante diz respeito à premiação. São mais de 15 mil reais em prêmios para os atletas da primeira classe, o que tem atraído diversos competidores de outros Estados. “Queremos reunir os melhores tenistas do Nordeste e uma boa premiação é essencial. Modificamos

até o sistema de premiação para atender melhor os campeões de cada etapa. O primeiro colocado leva um bônus de R$1.600,00. O segundo lugar fica com R$800. Os outros dois semi-finalistas levam R$400,00 para casa”, explica Aristides Barcellos. As inscrições já podem ser feitas na sede da Federação Potiguar de Tênis ou pelo site www.circuitopotiguardetenis.com.br - onde os atletas poderão preencher sua ficha, selecionar a categoria e efe-

tuar o pagamento. As taxas são de R$60,00 para os adultos e R$50,00 para o infanto-juvenil. O atleta também pode optar pela compra casada das três etapas, que custará R$ 150,00. É importante lembrar que as vagas são limitadas, já que o torneio reúne uma série de características que limitam uma maior quantidade de vagas.

Ação social Durante a realização do Circui-

to Potiguar Cyrela Plano&Plano de Tênis estão marcadas para acontecer uma série de atividades envolvendo os alunos da rede municipal e estadual de ensino. O objetivo é promover a modalidade, que carrega o estigma de ser esporte de elite. Serão oficinas e aulas demonstrativas de tênis com a participação dos professores do clube. “Os alunos poderão utilizar toda a infra-estrutura do clube e nossos professores ministrarão as aulas. A ideia é ampliar essa ideia e que no futuro nós criemos bolsas e que empresários possam ajudar no processo e fomentar ainda mais as atividades e o número de crianças atendidas. Vale lembrar que o Aeroclube hoje é um dos poucos espaços na cidade com boas áreas para prática de esportes e precisamos valorizar isso”, disse Fábio Macedo, presidente do Aeroclube. O Circuito Potiguar Cyrela Plano&Plano de Tênis será organizado pela Usina Comunicação e Fábrica de Esportes e Eventos, em parceria com o Aeroclube do Rio Grande do Norte e a chancela da Federação Potiguar de Tênis. O Evento tem o patrocínio principal da Cyrela Plano&Plano. A Unimed Natal, Toyolex (concessionária Toyota de Natal), UNI-RN e Prefeitura do Natal, além dos apoios da Santa Fé Suplementos, Natal Cap, Jovem Pan e Tretorn, completam a lista de fomentadores do evento.


revista da

A REVISTA DA TV É UM SUPLEMENTO DA TRIBUNA DO NORTE. NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE.

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 30 de junho de 2013

Legião estrangeira Presentes em ‘Flor do Caribe’ e em outras produções nacionais, atores do exterior contam como é viver e trabalhar no Brasil « PÁGINAS 6 E 7 »

+

Ator que vive Norman Bates, em série inspirada no filme “Psicose”, conta como incorporou o assassino

‘Na moral’ e o atual momento político e social que esquenta no Brasil, Bial segue incitando discussões

« PÁGINA 11 »

« PÁGINAS 2 E 3 »


2

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

TV GLOBO/ JOÃO MIGUEL JÚNIOR

« ESTREIA »

Na ordem do dia Enquanto o debate político e social esquenta no Brasil, Pedro Bial segue incitando discussões na nova temporada do ‘Na moral’ THAÍS BRITTO

N

um momento em que a população brasileira sai às ruas para reivindicar direitos em protestos e manifestações, uma palavra não sai da ordem do dia: debate. Pedro Bial não podia estar mais feliz com o timing da estreia da segunda temporada do “Na moral”, o que ele chama de “coincidência histórica maravilhosa”. De volta à grade da Glo-

bo nesta quinta, às 23h55m, o programa idealizado pelo jornalista segue jogando luz sobre assuntos polêmicos ao contrapor os muitos pontos de vista atrelados a cada um deles. - Vários dos valores e questões morais que abordamos na primeira temporada, no ano passado, estão presentes nas ruas e nos cartazes das manifestações de agora. Há uma discussão grande sobre valores: a questão da corrupção, por

exemplo, é central - destaca Bial. O apresentador chama a atenção para outra coincidência que coloca no mesmo trilho o “Na moral” e o atual momento político do Brasil. Antes mesmo de eclodirem as manifestações, a equipe da atração estava determinada a escrever um episódio sobre corrupção. Mas, para dar nova abordagem ao assunto, decidiram que o tema seria honestidade: - Recuperamos um “Você decide” de 1992 que jogava um dilema para o público, justamente testando a honestidade tanto do personagem quanto de quem votava de casa. O resultado, na época, foi polêmico e controverso. E uma das coisas que marcou o ano de 1992 foram os caras pintadas. Agora, de novo, os jovens estão protestando. Claro que é outro movimento, com outras características e objetivos. Mas pela primeira vez em 21 anos o povo está nas ruas. Veio a calhar. Outros dois temas já estão engatilhados. Na estreia, nesta quinta, Bial recebe convidados para falar sobre “o fim da guerra das drogas” e os novos caminhos que vêm sendo levantados ao redor do mundo para enfrentar o problema. O ex-presidente Fernando Henrique Cardo-

Debate. Pedro Bial celebra a “coincidência histórica maravilhosa” de estrear o novo ano do programa em meio às discussões efervescentes no Brasil

so, conhecido militante da descriminalização, estará no estúdio ao lado da atriz Fernanda Montenegro e do músico Marcelo D2. O segundo episódio, que já foi gravado, fala sobre a mercantilização do corpo, abordando o tema sob as mais diversas óticas - do tráfico de órgãos ao leilão da virgindade. O humorista Marcelo Adnet, a cantora Valesca Popozuda e o economista Sérgio Besserman entram no debate. Ter uma frente de programas gravados, aliás, é uma das novidades deste segundo ano. Uma mudança que dá mais tranquilidade à equipe, segundo Bial. Haverá ainda outras pequenas alterações, ele conta: Vamos caprichar mais ainda técnica e artisticamente. É o tipo de coisa mínima que ninguém percebe, como abaixar o telão em 20cm e acrescentar mais duas câmeras, mas dá ao espectador a sensação de que a coisa está mais bem acabada. E estrear com uma frente mínima de programas gravados também deve refletir na edição, que terá mais tempo.

+

PAGINA 3 Debates em pauta: cura gay, intolerância religiosa, PEC 37 entre outros.


revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

3

TV GLOBO/ JOÃO MIGUEL JÚNIOR

so. Mas, como todo mundo, tenho medo dos elefantes brancos. Quero, sim, saber o que estão fazendo do nosso dinheiro”. Pec 37 “Acho muito estranho um poder querer cercear o outro que o está investigando. Os três poderes existem para isso, para haver uma desconfiança mútua. Esse é o motor da democracia. A discussão é sadia para a gente lembrar como é que funciona isso tudo”. Ciberativismo “É preciso ir com calma. Acho que há uma embriaguez de uma geração que se mobiliza através das redes sociais e acha bárbara a capacidade de mobilização que oferecem. Mas eles não estão inventando a roda. Fui repórter em 1989 quando nem celular havia, quanto mais internet, e a mobilização era incrível. No boca a boca, em três horas, se juntavam 6 mil pessoas. Esta é uma novidade que pode ser muito útil e muito chata, como todo ativismo”.

No quesito música, o convidado que aparecia como DJ agora vai interpretar ao vivo canções relacionadas ao tema. Bial destaca, por exemplo, a performance de Gaby Amarantos. A cantora sai de seu registro extravagante para cantar Noel Rosa, no formato voz e violão, no episódio sobre honestidade, que deve ser o terceiro a ir ao ar. Mas algumas das características do “Na moral” seguem intactas: o cenário, xodó de Bial e da equipe, foi mantido. Assim como a edição rápida e frenética, que foi alvo de algumas críticas no ano passado. - Eu concordo com as críticas ao primeiro episódio, cuja edição não foi muito feliz e passou uma certa aflição ao público. Mas depois acho que a gente acertou. O ritmo é esse mesmo. O programa não se propõe a esgotar os assuntos. Não é nem da natureza do veículo o aprofundamento num nível acadêmico. Se terminar com um gosto de quero mais, se a discussão continuar em casa, que ótimo. Pluralidade, ritmo e agilidade, esse é nosso compromisso acredita o jornalista. Outra coisa que não mudou é que

Bial não se furta a emitir suas próprias opiniões durante a discussão. Ou pontos de vista, como ele prefere chamar. Para entrar no clima da reflexão proposta pelo programa, convidamos o apresentador a falar sobre dez temas polêmicos que são alvo de discussão constante no Brasil e no mundo contemporâneo. E Bial não fugiu de nenhuma pergunta, coerente com o objetivo mais básico do “Na moral”: dar voz a todo mundo. - Quando começamos a pensar o programa, queríamos lidar com assuntos de forma mais plural, sem seguir a velha máxima do jornalismo de ouvir os dois lados. Queríamos ouvir o maior número de lados possível - decreta. Descriminalização da maconha “Acho que já é hora de pensar não só na descriminalização da maconha, mas também dos usuários de quaisquer drogas. Não é um problema de polícia, é de saúde pública”. Passe livre “Acho uma distopia. Lamento, mas discordo dessa bandeira. Não

como apresentador, mas como cidadão contribuinte, acho que não é por aí”. Cura gay “Há que se respeitar quem acha isso uma patologia; há que se respeitar a ignorância dos outros. Mas dentro da esfera a que ela pertence. É um ponto de vista religioso. A moral social está acima das morais religiosas”. Redução da maioridade penal “Tem que ser discutida, sim, mas não como uma solução para os problemas que originaram a discussão. Há países desenvolvidos com grau de desigualdade social mais baixo e que têm um limite mínimo de maioridade penal. A discussão é importante, mas não dá para achar que vai ser a solução”. Copa do mundo no Brasil “Vai ser bom. Acho demagógico o discurso de dizer que com o dinheiro que se constrói um estádio dava para fazer hospitais e escolas. São dinheiros diferentes, gente. Dá para fazer tudo. Isso que é escandalo-

À venda? No segundo episódio, Bial recebe Valesca Popozuda e Marcelo Adnet para falar sobre os efeitos da mercantilização do corpo

Cotas em universidades “Acho que era uma experiência inevitável, precisávamos passar por isso. Só espero que a gente precise não dela em caráter permanente”. Privacidade na internet “Edward Snowden (ex-funcionário da CIA que vazou informações do governo americano) confirmou tudo que já desconfiávamos. Acho que essa privacidade já tinha sido devassada há muito tempo, mas era com fins comerciais, na tentativa de nos oferecer produtos, serviços. Só não sabíamos que as informações também eram do interesse do serviço de inteligência. É horrível pensar que a gente vive num mundo assim. Acho um belo serviço para todos nós que tenha vindo à tona”. Intolerância religiosa “É a história da humanidade. Quase todas as guerras foram provocadas por isso. Quem diria que no século XXI a gente estaria com isso tão vivo e aceso. É daquelas bombas que a gente só desarma falando sobre, estimulando o debate da maneira mais ampla possível. Enquanto ficar nos cochichos, segue sendo uma ameaça”.


4

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

Adriano Garib vai aproveitar as quatro semanas de intervalo que terá na “Dança dos famosos” para ir ao Chile com o filho, Gabriel. O ator, que saiu de “Salve Jorge” direto para o quadro do “Domingão”, vai esquiar.

Escritora fará as vezes de cupido na TV A atração que Thalita Rebouças terá no Multishow será uma versão moderna do “Namoro na TV”, criado por Silvio Santos há mais de 40 anos. A escritora vai formar casais de adolescentes no estúdio, diante da plateia.

Cada praça com a sua preferência “Luciana by night”, de Luciana Gimenez, foi a segunda atração da RedeTV! mais assistida em São Paulo (de 10 a 16/06). No Rio, não figura entre os mais vistos. Já o “Mega senha”, de Marcelo de Carvalho, está entre os favoritos nas duas praças.

Passarada de verdade e com aval do Ibama

LUIZA PESSOA

Mais de 80 aves compõem a loja de pássaros de João Gibão, personagem de Sergio Guizé em “Saramandaia”. A equipe de produção de arte da novela das 23h também aluga, em uma loja especializada e registrada no Ibama, 30 pássaros exóticos para o cenário.

patrícia kogut

Baladão, forró, rock e diversão na neve

com Florença Mazza e Ana Luiza Santiago, Clara Passi e rafaela Santos kogut@globo.com.br

CAMILLA MAIA

10

Para o par formado por Thiago Fragoso e Marcello Antony em “Amor à vida”, novela de Walcyr Carrasco com direção-geral de Mauro Mendonça Filho (núcleo de Wolf Maya). Os atores compuseram muito bem os personagens, fugindo da caricatura. Além disso, a caracterização de Thiago está especialmente inspirada.

Temperaturas elevadas

É

na sala aquecida a 42 graus de uma academia da Barra da Tijuca que Bárbara Paz alivia a tensão antes de entrar em cena como a Edith de “Amor à vida”, novela no ar às 21h, na Globo. Praticante da bikram ioga, uma sequência de posturas e exercícios respiratórios feita em altas temperaturas, a atriz sua o maiô antes de seguir para os estúdios do Projac. - Na primeira vez que pratiquei, em Londres, chorei por não conseguir executar os movimentos. Mas insisti - explica Bárbara, que é adepta da modalidade há cerca de dois meses e quer abrir, ainda este ano, um estúdio em sociedade com uma amiga. - Depois que termino a série de posturas vou gravar mais leve, é uma desintoxicação. Na história de Walcyr Carrasco, a atriz vive

uma estilista casada com o vilão Félix (Mateus Solano). Ex-prostituta, tem um passado nebuloso de onde, adianta a atriz, virão grandes surpresas: Ela pode ser a chave da história, pois sabe tudo que o marido fez. As pessoas brincam dizendo que vou me meter em encrenca por acobertá-lo. Há pouco mais de um mês no ar, Bárbara já elegeu sua cena favorita até o momento: aquela em que Edith descobriu a traição do marido. - A briga entre eles depois do flagrante ficou verdadeira. Drama é meu terreno na TV. Emoção não é problema, difícil é fazer rir. Edith passou por uma situação horrível, mas o amor supera tanta coisa... Nem sei como reagiria se fosse comigo. Encararia obstáculos por uma relação, apesar de não ser submissa como ela -

DIVULGAÇÃO

Lado a lado com o ídolo Lucas Oliver foi escolhido para interpretar o Menino Maluquinho em “ABZ do Ziraldo”, programa da TV Brasil. O menino é fã do escritor e cartunista e, ano passado, foi à Bienal só para conseguir um autógrafo dele.

Popularidade Cleo Pires foi reconhecida nas ruas de Cabo Verde por causa das novelas da Globo exibidas por lá. A atriz, embaixadora das águas da Unesco, passou quatro dias na Ilha de Santiago e se encontrou com a ministra da Educação do país, que a levou a quatro escolas.

0

Para “Cabeça no jogo”, da ESPN Brasil. Sem recursos, cinco comentaristas tiram leite de pedra para transmitir - sem qualquer imagem do campo - os jogos do Brasil na Copa das Confederações. Eles narram a partida, cantam, chamam o repórter que está nos arredores do estádio e se animam: “Olha o David Luiz”. Olhar como, cara pálida?

afirma Bárbara, em sua terceira novela na Globo (ela fez “Morde & assopra”, também de Walcyr Carrasco, e “Viver a vida”, de Manoel Carlos, ambas contracenando com Solano). Ao contrário de sua personagem, ela conta que mantém uma relação “tranquila” com o cineasta argentino Hector Babenco. Há quase seis anos juntos, a atriz diz que “se sente casada”. Bárbara, que ganhou fama depois de vencer o reality show “Casa dos artistas”, no SBT, em 2001, diz não se incomodar quando as pessoas se referem ao programa: Faz parte da minha história e nunca vão esquecer. Mas, antes de participar, eu já fazia teatro há muito tempo, tinha uma carreira e era bem conhecida em São Paulo. Veja mais fotos em patriciakogut.com.

Meta é a cidade grande

Ator relembra hobby da adolescência Humberto Martins participou do documentário “Praça do skate”, que conta a história da primeira pista para manobras da América Latina, inaugurada em 1976, em Nova Iguaçu. Ele passou a juventude na cidade e ia muito ao local.

Nova trama, mesmos sobrados A equipe de “Joia rara” aproveitou grande parte da estrutura de “Lado a lado” em uma das duas cidades cenográficas da novela, cuja história vai se passar no Rio dos anos 1930 e 1940. O Centro da cidade já estava pronto. Foram feitos um cortiço e uma fábrica.

Paloma Bernardi e Nando Cunha, ambos do elenco da novela “Salve Jorge”, estão rodando juntos, no Espírito Santo, “Lascados”, longa de Vitor Mafra. No filme, ela será Cenilde, moça namoradeira que sonha sair da cidade onde mora, no interior.

Ary Coslov dirige peça Com o fim do trabalho em “Guerra dos sexos”, novela de Silvio de Abreu que foi ao ar antes de “Sangue bom”, o diretor Ary Coslov se dedica ao teatro. Ele comandará “Fish & chips”, espetáculo de Tereza Briggs-Novaes com Bruno Ferrari, Marcelo Escorel e Zaira Zambelli.


revista da

«MALHAÇÃO» Globo 17:30

«FLOR DO CARIBE» «SANGUE BOM» Globo 18:00

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

« NOVELAS »

Globo 19:00

«AMOR À VIDA» Globo 21:00

«CARROSSEL» RECORD 20:30

5

«DONA XEPA»

«SARAMANDAIA»

RECORD 22:10

GLOBO 23:00

SEGUNGA-FEIRA Sal se preocupa com Luana. Fatinha e Bruno se entendem. Rita e Ju organizam a festa de despedida de solteira de Fatinha, enquanto Nélio e Rasta combinam os detalhes da de Bruno. Lia fica decepcionada com o encontro de Vitor e Sal.

Cassiano desconfia de que Ester esteja sendo ameaçada por Alberto. Isabel marca um encontro com Ester. Dionísio despede Doralice, após acusá-la pelo roubo do relógio. Ester fica surpresa ao entrar na república dos tenentes.

Fabinho orienta Malu a salvar o vídeo com as confissões. Malu revela à mãe que gravou suas confissões. Damáris surpreende a família com seu novo comportamento. Fabinho ameaça Amora para que ela se case com ele.

Ninho discute com Bruno, e Paulinha diz que não gosta mais dele. Atílio é examinado. Pilar entra na sala de César na hora em que Aline está seduzindo o médico. Thales se emociona com Nicole. Patrícia se declara para Michel.

Alberto fica surpreso por Jorge adotar um cão abandonado em vez de comprar um filhote de raça. O riquinho batiza sua cachorra como Maria Antonieta. Maria Joaquina se recusa a brincar com Jorge. Olívia recontrata Firmino.

Xepa fica envergonhada ao se apresentar na faculdade de Édison. Os sequestradores ligam para Pérola e pedem dinheiro em troca da libertação de François. Rosália fica nervosa ao receber uma carta registrada destinada a seu pai.

Gibão tem uma visão com Vitória e avisa Zélia. Vitória encontra o celular de Zico. Candinha afirma que a guerra entre os Rosado e os Vilar não acabou. Marcina pede para dormir com Gibão. Risoleta beija Aristóbulo dentro de uma cova.

Cassiano resolve tirar Samuca da casa de Alberto. Ester avisa a Alberto que Samuca ficará sob a proteção de Cassiano. Ester confronta Dionísio e comunica que foi ela quem pegou o relógio que pertence a sua família.

Amora não cede à chantagem. Pedrinho aparece e Charlene se emociona. Wilson contrata Érico para fazer a publicidade do Kim Park. Amora diz a Plínio, na frente de Fabinho, que ele queria obrigá-la a se casar com ele.

Félix manda Maciel armar outro acidente contra Atílio. Niko se incomoda ao ouvir Eron e Amarilys se divertindo. Paulinha e Paloma recebem alta do hospital. Félix desconfia de que Aline seja a amante de César.

Helena agradece a Olívia por ter aceitado Firmino de volta. A mãe de Jorge tem medo de que o riquinho seja assaltado pelos novos amigos da Escola Mundial. O menino mostra aos amigos as pipas que ganhou de seu pai e dá uma de presente a Mário.

Rosália se irrita com a presença de Camila. Pérola pede a Feliciano 100 mil reais com urgência. Édison conta a Cíntia que Xepa é sua mãe. Camila fala com a feirante sobre a carta de Esmeraldino e diz aos amigos que Xepa pode perder a casa.

Risoleta percebe que ficou ferida com a queda e perde os sentidos. Cazuza, Aparadeira e Leocádia flagram Gibão e Marcina dormindo juntos. Carlito tenta seduzir Laura, mas leva um fora. Pedro descobre que Romildo não foi preso e avisa Zélia.

Dionísio passa mal e Alberto pede socorro a Guiomar. Guiomar leva Dionísio ao hospital. Samuca entrega a Cassiano a carta de amor que Ester lhe escreveu. Lino viaja ao Rio com Carol, à procura de Maria Adília.

Bárbara tenta se reconciliar com Natan. Wilson comemora o divórcio. Plínio fica abalado com o que descobre sobre Fabinho. Caio diz que Giane poderia ser modelo. Fabinho divulga as fotos que tirou de Amora e de Bento.

Paloma sofre ao admitir que ama Bruno. Perséfone conta a Glauce que Joana a questionou sobre o prontuário de Luana. Amarilys pede para Laerte usar seus óvulos na fertilização do filho de Eron e Niko. Alejandra manipula Ninho.

Jorge ganha uma bola do pai e vai jogar com os amigos. Ao chutar a bola, o riquinho quebra a janela de sua casa. Rosana pergunta ao filho quem quebrou a janela, e ele culpa Mário e Daniel, que se espantam com a mentira do garoto.

Pérola se aproxima dos bandidos que sequestraram François para entregar o dinheiro do resgate. Tentando ajudar Xepa, Dorivaldo encontra um documento do terreno de Esmeraldino e surpreende a feirante.

Aristóbulo marca um encontro com Risoleta na pensão. Carlito dá dinheiro a Romildo para que ele deixe a cidade. Gibão tem uma visão com Dona Redonda. Pedro conta para Lua que a irmã sumiu. Vitória revela a Cleide que Zico é pai de Zélia.

Zuleika diz a Guiomar que Doralice sumiu. Taís rompe com Mantovani. Samuca planeja um encontro de Cassiano com Ester. Cassiano beija Ester. Alberto vai até a casa de Samuel e avisa que Dionísio quer falar com ele.

Filipinho cumprimenta Irene. Odila conta a Plínio o que sabe sobre Fabinho. Lara beija Maurício. Bento consola Malu. Bento fica incomodado ao ver Giane conversando com Caio. Sueli Pedrosa mostra as fotos de Fabinho. Malu beija Bento.

Bruno garante a Ordália que contará a Paloma que Paulinha não é sua filha biológica. Joana conta a Perséfone que acredita que Glauce tenha cometido um grave erro no hospital. Leila conta seu plano para Félix, que promete ajudá-la.

As crianças se reúnem na casa abandonada para pôr em prática o plano de fazer com que Helena dê aula para o quarto ano. Alberto aconselha Jorge a pedir desculpa aos amigos, e o menino diz que não irá fazer isso. Maria Antonieta foge de casa.

Rosália toma o documento de Dorivaldo e o impede de falar. Édison estranha o comportamento da irmã, que rasga o papel, assustando Xepa. A feirante descobre que Rosália mentiu o nome para François e revela à filha que perdeu a casa.

Zélia discute com Lua, e Vitória tenta amenizar a situação. Risoleta fica ansiosa pela chegada do professor. Aristóbulo se aproxima do carro de Joel e cai desacordado com a explosão da bomba.

Juliano diz a Quirino que vai atrás de Doralice. Carol e Lino se beijam. Ester simula se desculpar com Dionísio. Doralice se refugia em um monastério. Lino e Carol vão à Feira de São Cristóvão à procura de Maria Adília.

Malu se afasta de Bento. Malu conta para Amora que beijou Bento. Giane vai à casa de Bento e o beija enquanto dorme. Silvério vê uma foto de Glória numa revista e diz a Salma que é a mulher que deixou Bento na rodoviária.

Paloma conta para Bruno que Paulinha é sua filha. Félix vê Márcia e teme ser reconhecido. Félix convence Thales a aceitar o plano de Leila. Ordália conta que mentiu sobre Paulinha, e Denizard a condena.

Os alunos esperam ansiosos por Helena fora da escola. A professora diz a Olívia que gostaria de dar aula para o quarto ano. A diretora não concorda, e as crianças ficam tristes. Jorge procura Maria Antonieta, mas não a encontra.

Xepa diz que a dívida da casa está em 60 mil reais e pede ajuda a Rosália. Dorivaldo decide averiguar as posses de Esmeraldino, mas a menina garante que vai resolver a questão da casa e deixa a mãe preocupada.

A emissora não divulgou o capítulo.

Dionísio e Alberto planejam se vingar de Samuel. Carol incentiva Lino a tocar sanfona na Feira de São Cristóvão. Maria Adília se emociona com a apresentação de Lino.

Salma descobre que Bento é filho de Wilson. Silvério e Salma procuram Glória, que se aterroriza ao vê-los. Perácio se declara a Rosemere. Glória explica porque deixou Bento.

Silvia orienta Bruno e Ordália a negar o que fizeram no caso de Paulinha. Paloma proíbe Bruno de ver sua filha. Rogério tenta animar Nicole. Glauce é chamada para esclarecer o nascimento de Paulinha.

Não há exibição.

Não há exibição.

TERÇA-FEIRA Fatinha descobre que Robson contratou uma contorcionista para a despedida de solteiro de Bruno. Fatinha toma o lugar da garota e a deixa trancada no hostel. Bruno fica constrangido com o bolo e se surpreende ao ver Fatinha saindo dele. QUARTA-FEIRA Chega o dia do casamento de Bruno e Fatinha. Vitor decide ir à delegacia para saber notícias de Luana. Thales leva Fatinha para a igreja, mas o vestido da menina rasga e o padre a impede de entrar na igreja. QUINTA-FEIRA A emissora não divulgou o capítulo.

SEXTA-FEIRA Último capítulo.

SÁBADO Não há exibição.

Não há exibição.


6

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

FOTOS DE CAMILLA MAIA

« CAPA »

Tipo importação Atores estrangeiros, em destaque em ‘Flor do Caribe’ e em outras produções brasileiras, elogiam o mercado nacional NATALIA CASTRO

O

sotaque de alguns pode até causar um estranhamento. Mas quem se liga na programação da TV, com certeza, já se acostumou à presença cada vez mais frequente de estrangeiros em produções nacionais. Não é preciso muito esforço para lembrar de uma série de nomes como os dos portugueses Ricardo Pereira, Nuno Lopes, Paulo Rocha e Maria João, do argentino Mário José Paz, de “Viver a vida” (2009), e do americano Lucas Babin, de “América” (2005). Em cena, atualmente, há vários exemplos. Em “Flor do Caribe”, trama das 18h, o diretor de núcleo, Jayme Monjardim, importou quatro atores: a argentina Moro Anghileri, a espanhola Martha Nieto, o franco-argentino JeanPierre Noher e o uruguaio César Troncoso. Na próxima temporada de “Malhação”, que estreia dia 8, a novidade é o congolês Blaise Musipere, que vai viver um imigrante haitiano. Para a série de ficção “A menina sem qualidades”, da MTV, o diretor Felipe Hirsch escalou os argentinos, Inés Efron e Javier Drolas. - A presença de atores estrangeiros não é uma regra. Depende da trama, se há necessidade ou não. No caso de “Flor do Caribe”, os que convidei têm muita experiência no cinema - justifica Jayme. Leonardo Nogueira, diretor-geral da trama das 18h, diz que o quarteto é “incrível”: - Eles são ótimos, falam com todo mundo e brincam o tempo todo. São pessoas simples, que não ligam para a fama. Outro dia, César foi ao estúdio apenas para observar. Ciente de que as novelas refletem a diversidade cultural brasileira, o uruguaio César acha que, com atores estrangeiros, é mais fácil que as produções atinjam,

Quando recebi o primeiro e-mail do Jayme Monjardim não acreditei muito que a proposta daria certo. Achei que seria difícil vir para cá com toda a família.” MORO ANGHILERI atriz

também, o público latino-americano. - O Brasil recebe pessoas de todos os cantos. Esse intercâmbio é natural- diz ele, que não vê grandes diferenças na forma de se realizar. - O método de trabalho é o mesmo, o que muda é o dinheiro que se investe. Para os atores, estar numa novela brasileira traz a oportunidade de visibilidade. Além de novas maneiras de se encarar o trabalho. - Na Argentina se faz muita ficção, mas o mercado é muito menor. Somos 40 milhões contra 200 daqui. É tudo cinco vezes maior. Há possibilidades de orçamento que não cabem em outros países- avalia Noher. Para o diretor Felipe Hirsch, a participação de estrangeiros precisa se justificar pela trama: - Temos excelentes atores. Mas é claro que se tivermos coproduções ou algo que justifique a ideia do roteiro, pode ser uma ótima oportunidade.

EXPERIÊNCIA. Moro veio para o Brasil com a família especialmente para participar da novela.

Papel por encomenda Aos 36 anos, Moro Anghileri tem uma carreira consolidada na Argentina, onde nasceu. Foi sua participação no longa “O passado”, de Hector Babenco, que chamou a atenção do diretor de “Flor do Caribe”. - Quando recebi o primeiro e-mail do Jayme Monjardim não acreditei muito que a proposta daria certo. Achei que seria difícil vir para cá com a toda a família (o marido e um filho de 4 anos) - afirma ela que, diante da insistência do diretor, cedeu: Mudei a minha agenda e antecipei os trabalhos. Achei que valeria. Em Ipanema com o marido e a filha,

Moro não tem hábito de ver TV - nem possui o aparelho em casa. Mas diz que sempre conheceu a fama das novelas. Como na Argentina a produção de novelas é frequente, as brasileiras não passam muito. Vi algo de “El clon” (versão espanhola de “O clone”) por causa da publicidade - diz. Mesmo com aulas frequentes de português, Moro reconhece que atuar em outro idioma é um desafio. Por isso, se mantém concentrada no trabalho. - Se a gente esquece uma palavra, atrapalha todo o resto.


revista da

OS DE CAMILLA MAIA

Nascido na República do Congo, há 28 anos, Blaise Musipere chegou ao Paraná em 2008 apenas para um intercâmbio em Economia, mas a vontade de ficar no país prevaleceu. Blaise, então, investiu na carreira de modelo, o que o levou à interpretação. Após trabalhos em publicidade, ele fez testes e, no dia 8, estreia na TV como o haitiano Frédéric, na nova temporada de “Malhação”. - Nunca pensei em seguir a profissão e hoje sou um ator global. A ficha ainda não caiu - diz ele, num português misturado com o francês, sua língua natal. Para ele, estar na TV brasileira é chance de representar sua terra: Quero ser visto no meu país. Para se familiarizar com o idioma, que acha difícil, Blaise tem visto novelas e já decorou as canções do rei Roberto Carlos. - Além de as músicas serem lindas, ele canta um português de fácil compreensão.

Pode-se dizer que Jean-Pierre Noher é um veterano das novelas nacionais. O ator, que nasceu em Paris, mas mora em Buenos Aires desde os 4 anos, está em sua quarta trama - já atuou em “A favorita”, “Viver a vida” e “Avenida Brasil”. Há cinco anos no país, Noher chegou à TV pelo cinema. Mais precisamente em 2000, quando participou do festival de Gramado com o longa “Um amor de Borges”. - Fui conhecendo um e outro, e os convites foram surgindo. De repente, a Globo liga e chama você para entrar nesse mundo maravilhoso da dramaturgia brasileira - desmancha-se. Apaixonado pelo Rio, Noher diz que seu mercado de trabalho, hoje, é o Mercosul. Por isso, apesar do bom português, faz questão de manter o sotaque. - Me chamam para papéis estrangeiros. Eu claramente tenho sotaque e acho um charme - diz ele - Entrar no Projac é como entrar no Maracanã. Eu me sinto defendendo o ator argentino e nosso jeito de trabalhar. Para o ator, a maior diferença entre as televisões brasileira e argentina é a forma como o público as encara. - No Brasil, amam ficção e chamam os atore s pelo nome do personagem. Na Argentina, não existe isso. Eu sou Jean-Pierre Noher e pronto - compara ele. Fã de João Gilberto e Caetano Veloso, Noher já se considera um carioca: adora samba e não dispensa uma ida à Lapa, onde vê shows no Circo Voador. Seu único porém é a saudade da família. - A rotina pode ser muito solitária. Depois de gravar, você chega em casa e ainda tem que decorar texto. Encontrei em César um amigo.

dução de brasileiras não e “El clon” clone”) por iz. entes de ece que atuar esafio. Por trada no ma palavra,

7

Na língua do rei

Como no Maracanã

ver TV - nem sa. Mas diz fama das

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

Em bom português

Do cinema para a tv

Em nome do amor

Embora esteja em sua primeira novela, César Troncoso não é tão desconhecido assim do público brasileiro: no cinema, atuou em filmes como “O banheiro do papa”, “Faroeste caboclo” e “O tempo e o vento”, dirigido por Jayme Monjardim. Foi devido ao trabalho neste último, ainda inédito, que o uruguaio recebeu o convite de Jayme para migrar para a TV. Conheço a qualidade das obras daqui. O Brasil é uma oportunidade, e a Globo mais ainda - avalia. Para participar da novela, César deixou a mulher e a filha de 14 anos no Uruguai, para onde volta sempre que pode. A família também vem visitá-lo. - Em Montevidéu temos uma orla e praias, não tão grandes como as daqui. Agora mesmo, o clima está parecido. Mas o Rio é muito mais lindo, os morros são um diferencial maravilhoso elogia ele, dizendo que a família ficou “maravilhada” com a cidade. - Adoraria ficar aqui, mas é difícil morar num país e trabalhar em outro.

No país há 12 anos, a espanhola Martha Nieto veio acompanhar o marido brasileiro. Estudante de Comunicação, decidiu seguir a carreira de atriz após se formar em Cinema na UFF. Fez cursos na Escola de Teatro Martins Pena e na CAL. Antes do papel em “Flor do Caribe”, conta que o sotaque foi alvo de preconceito.- Estava num grupo e íamos encenar “Chiquinha Gonzaga”. Alguém falou: ‘Mas e como a gente faz com a Martha?’ Me senti de outro planeta - relembra a atriz que, no entanto, preferiu mudar seu foco. - Vi que poderia usar o sotaque a meu favor, como ferramenta. Na trama das 18h, ela diz se sentir em casa com os colegas de núcleo. - Por mais que sejamos de origens diferentes, a latinidade nos aproxima - analisa ela, em bom portunhol. - O português tem uns fonemas bem complicadinhos. Mãe de três filhos brasileiros, Martha, de 39 anos, afirma que já se adaptou ao Rio. Contudo, revela que adoraria participar de uma trama em sua terra natal. - Queria muito atuar na Espanha, mas o setor passa por um momento difícil - lamenta.

Ano que vem, Ricardo Pereira completa dez anos de Brasil. O ator, que possui uma carreira bemsucedida em Portugal, onde nasceu, veio para participar de “Como uma onda”, em 2004. E não parou. Em breve começa a gravar sua nona novela, “Joia rara”, próxima trama das 18h. Quando vim para cá estava numa boa fase lá fora. Mas os convites começaram a surgir, e sou contratado da Globo há muito tempo - afirma. - A forma de trabalhar é bem semelhante , a maior diferença é a capacidade da Globo de produzir. A visibilidade que ela traz e a possibilidade de trabalhar para uma plateia tão vasta e crítica - explica ele, que continua participando de produções na Europa. De tão adaptado ao Brasil, o ator conta que fez do Rio sua base. É na cidade que mora com a mulher, Francisca Pinto, e o filho, Vicente, nascido aqui. - Nossa filha, que está para chegar, deve nascer por aqui também - avisa. Para não se limitar a papéis de estrangeiro, Ricardo decidiu eliminar de vez o sotaque em cena. Há três anos, faz sessões de fonoaudiologia: Acredito que tenha sido o primeiro a pensar nisso. Foi importante abrir o leque. Para ele, esse intercâmbio na dramaturgia só traz benefícios para o ator, já que carreira é constituída pelas “vivências”. - Já morei em oito países e foi importante conhecer outras realidades. A troca cultural é válida. E sou apenas mais um querendo estreitar os laços - empolga-se.

1


8

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

DIVULGAÇÃO/KELLY FUZARO

« PROGRAMAÇÃO »

‘Ainda estamos aqui’ Diretor da MTV, Zico Góes comenta as mudanças e demissões do canal, que segue no ar TATIANA CONTREIRAS

D

iretor de programação da MTV, Zico Góes diz que, nos últimos dois anos, já se acostumou a ouvir todo tipo de boato sobre o alardeado fim do canal. A última onda de comentários veio neste mês, com a demissão de 70 funcionários - entre eles três VJs: Chay Suede, Juliano Enrico e PC Siqueira. Parte do grupo Abril, que vem

passando por uma reestruturação, a emissora paulista, no entanto, segue no ar. Talvez não tão firme, ou nem tão forte. Mas Zico diz que o show continua. Com uma equipe menor e menos recursos, o desafio, agora, é aprender a trabalhar de outra forma. Pelo menos até dezembro, a MTV tem programação garantida, afirma o diretor. - Enxugamos os processos. A ordem era economizar e achar um no-

vo tamanho, então reduzimos o da MTV. Vamos deixar de fazer alguns programas e, ao mesmo tempo, vamos fazer de outra maneira. Estamos aproveitando para replanejar e aprender a trabalhar de uma maneira diferente - explica Zico. A maioria dos VJs, diz o diretor, continua na casa. Titi Muller, que chorou ao vivo ao se despedir do “Acesso MTV” (um dos programas cortados da grade, junto com “Hora do Chay” e “MTV sem vergonha”, cujas temporadas terminaram e não foram renovadas), volta ao ar em agosto com uma edição especial do “Mochilão” gravada em Santa Catarina. Na quinta-feira, às 22h, o canal estreia episódios inéditos de “Hermes e Renato”. No dia 8, Daniel Furlan apresenta “O último programa do mundo”, dirigido pelo agora ex-VJ Juliano Enrico, que fará trabalhos de roteiro e direção para o canal, mas como freelancer. Os dois ainda estrelam a série de ficção “Overdose” (no ar em agosto), fruto de um edital de incentivo patrocinado pela Rio Filme em parceria com MTV. - Vamos fazer menos coisas por-

ECONOMIA. Zico diz que a ordem era enxugar os processos: “Reduzimos o tamanho da MTV”

que tem menos gente para fazer. Será uma TV mais concentrada. No ar, a percepção é de que a MTV está bem, obrigado. Mas nos bastidores e na realidade o corte foi grande. A gente já trabalhava com o que dava, e sempre fomos conhecidos como uma TV que produz barato, porque entendemos que algumas coisas são desperdício e que temos muita gente jovem e talentosa. Agora temos tudo isso, mas menos jovens, já que alguns foram mandados embora - lamenta Zico. No entanto, ele diz, a crise aponta novos caminhos. O canal vai investir ainda mais em produções independentes e em parcerias nos moldes de atrações patrocinadas como o “Perua MTV Intense”, atualmente no ar, e o “MTV Sports Cup Noodles”, que estreia em 9 de agosto - e está “aberto a qualquer outro cliente, de qualquer espécie, dentro da nossa expertise”, conta Zico: - Quanto mais esses programas aparecerem, melhor, porque salvam a lavoura: temos programas e ainda temos dinheiro. É um outro acordo comercial, não é um dinheiro que sai da nossa produção. A questão do licenciamento da emissora (hoje, a Abril paga royalties à Viacom, detentora da marca MTV, para poder usar o nome do canal) também não está definida “Abril e Viacom têm que resolver isso entre eles. Se modificarem esse status, não sei de nada”, desconversa Zico -, assim como o futuro do Video Music Brasil, premiação anual dos melhores da música. Mas o pior, acredita o diretor, já passou. - Nossa sorte é que temos pouca coisa para fazer até o fim do ano. Boa parte da programação é de produções independentes. Não vamos ter buracos para preencher. Compramos uma série gringa da revista “Vice”, de documentários de meia hora, sobre o mundo jovem e política, bem atual. E no fim do ano vemos o que vamos fazer - conta Zico. Agora, ele diz, “a barca não pega mais ninguém”: - É ir até o fim com o que temos aqui. Estou passando pelo constrangimento de ter que produzir com menos recursos, mas parece que ficamos ainda mais criativos e ousados. Somos como uma lagartixa, de quem cortam o rabo e ele cresce de novo. A MTV está longe de acabar. Está difícil, mas ainda estamos aqui.


revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

Thaís Britto revistadatv@oglobo.com.br

Filmes de hoje

FOTOS DE DIVULGAÇÃO

Fique de olho Além de “X-Men: Primeira classe”, o Telecine Action programou uma maratona de superheróis para hoje: “Quarteto fantástico” (11:45), “X-Men origens: Wolverine” (15:50), “O incrível Hulk” (17:50), “Thor” (19:50) e “Capitão América: O primeiro vingador” (22:00).

9

Xingu Telecine Pipoca, 11h05 (Brasil, 2012). De Cao Hamburguer. Drama. O longa narra a saga dos irmãos Villas-Boas que, de jovens querendo aventura na expedição RoncadorXingu, viraram símbolos da luta pelos direitos dos índios no Brasil.

Grease - nos tempos da brilhantina Cyrus. Marisa Tomei e John C. Reilly vão precisar lidar com o filho dela

Xingu. Caio Blat, Felipe e Camargo e João Miguel são os irmãos Villas-Boas

Laranja mecânica Max 22h35 (EUA/Reino unido, 1971). De Stanleykubrick. Drama. Malcolm McDowell dá vida aqui a um dos mais icônicos personagens do cinema. Num futuro indeterminado, Alex DeLarge é o líder de uma gangue de jovens que ouve Beethoven, toma leite o tempo inteiro e sai pelas ruas praticando o que chamam de ultraviolência: estupros, roubos e espancamentos. Mas, capturado durante um assalto, ele será submetido a um polêmico tratamento experimental. A crítica social em diversos níveis é apenas um dos trunfos do filme, inspirado no livro homônimo de Anthony Burgess. Sempre bom lembrar: não é para menores de 18 anos.

TCM, 13h00 (EUA, 1978). de randal kleiser. Musical. Os jovenzinhos John Travolta e Olivia Newton-John dão vida ao casal Danny e Sandy, que vive um amor de férias e volta a se encontrar na escola, na volta às aulas. Músicas fofas, coreografias de grupo e uma visão quase lúdica da juventude dos anos 1950 dão o tom deste que já virou um clássico entre os filmes musicais.

X-Men: primeira classe Telecine Action, 13h30 (EUA, 2011). de matthew vaughn. Aventura. A trama vai aos anos 1960 para mostrar o início da amizade de Charles Xavier (James McAvoy) e Erik Lehnsherr, o Magneto (Michael Fassbender) e a criação da escola para mutantes idealizada pelos dois.

Cyrus

Laranja mecânica. Malcolm McDowell é o protagonista Alex DeLarge, que vai de delinquente ultraviolento a vítima de tratamento psiquiátrico radical

Globo, 01h45 (EUA, 2010). de Jay Duplass e Mark Duplass. Drama. Cyrus (Jonah Hill) é um rapaz de 21 anos que tem uma relação muito próxima com a mãe, Molly (Marisa Tomei). As coisas ficam complicadas quando ela começa a namorar John (John C. Reilly).

PROGRAMAÇÃO TV Brasil 06:30-Sustentáculos 07:00-Palavras de vida 08:00-Santa missa 09:00-Viola, minha miola 10:15-O Brasil tem disso 11:30-A mansão maluca do professor Ambrósio 11:45-Contos de Tatonka 11:55-A mansão maluca do professor Ambrósio 12:00-ABZ do Ziraldo 12:30-Vila Sésamo 13:00-Dango balango 13:30-Batatinhas 13:35-TV Piá 14:00-Anabel 14:15-Carrapatos e catapultas 14:30-Batatinhas 14:35-Meu amigãozão 14:45-Cocoricó na cidade 15:00-Escola pra cachorro 15:15-Batatinhas 15:20-Tromba trem 15:30-Catalendas 15:40-Batatinhas 15:45-Senha verde 16:00-Papo de mãe 17:00-Shamwari 18:30-O corpo virtual 19:00-América Latina tal como somos

20:00-Conexão Roberto D'Avila 21:00-No mundo da bola 22:00-Nova África 22:30-Soy loco por ti cinema - "Los lunes al sol" 00:30-Curta TV 01:00-Doc TV Latino América 02:00-No mundo da bola 03:00-Doc TV: "Viagem" 04:00-Telecursos tecendo o saber 04:30-Telecurso ensino médio 04:45-Telecurso ensino fundamental 05:00-Telecurso Tec

Globo

05:20-Sagrado 05:30-Santa missa 06:35-Globo comunidade 07:05-Pequenas empresas 07:40-Globo rural 08:35-Fórmula 1 - GP da Inglaterra 10:40-Auto esporte 11:00-Esporte espetacular 12:50-Copa das Confederações 15:10-Domingão do Faustão 18:30-Copa das Confederações 21:00-Fantástico 23:25-Revenge 00:15-Domingo maior: "Dupla implacável" 01:45-Sessão de gala: "Cyrus" 03:10-Corujão

Rede TV

06:00-Ultrafarma 08:00-Igreja Universal 10:00-Campeonato Paulista sub 20: Corinthians x Juventus 12:00-Deus, médico dos médicos 13:00-Super bike 13:30-Concessionário 14:00-Igreja do evangelho 14:30-Voz da verdade 14:45-Concessionário 15:15-A hora e a vez da pequena empresa 15:30-Superpapo 15:45-Concessionário 16:15-Transição 16:45-Concessionário 17:00-Galinha morta 17:15-Pague menos 17:45-Video mania 18:30-Ritmo Brasil 19:00-O último passageiro 20:30-Te peguei 21:30-Teste de fidelidade 23:30-Dr. Hollywood 00:30-É notícia 01:30-Bola na rede 02:30-Super papo

03:00-Igreja da Graça - Nosso lar

Band

06:00-Igreja Mundial 06:50-Popeye 07:00-Profetizando vida 07:30-Exerça sua fé 08:00-Igreja Batista da Barra 09:00-A informar 09:30-Baixada cap 10:30-Mackenzie em movimento 10:45-Infomercial 11:45-Verdade e vida 12:00-Band mania 12:40-Copa das confederações 14:50-Band esporte club 17:00-Band mania 18:40-Copa das confederações 21:00-Pânico na Band 00:00-Canal livre 01:00-Madrugada de vida nova 02:00-Show mix 02:25-Família Soprano 03:25-O encantador de cães 03:50-Popcorn TV 04:00-Igreja mundial

SBT

05:15-Jornal da semana 06:30-Pesca alternativa 07:30-Brasil caminhoneiro 08:00-Aventura selvagem 08:30-Vrum 09:00-Chaves 11:00-Domingo legal 15:00-Eliana 19:00-Roda a roda Jequiti 19:45-Sorteio da Tele Sena 20:00-Programa Silvio Santos 00:00-De frente com Gabi 01:00-True blood 02:00-O mentalista 03:00-Rizzoli & Isles

Record

06:30-Desenhos bíblicos 08:00-Domingo de prêmios 08:30-Desenhos bíblicos 09:00-Record kids 13:00-Tudo a ver 15:30-O melhor do Brasil 19:30-Domingo espetacular 23:15-Tela máxima 01:15-IURD


10

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

COLUNA DO

Clube do assinante Promoções e descontos renovados a cada domingo DIVULGAÇÃO

Promoções válidas de domingo (30/06/13) a sábado (06/07/13), limitadas às quantidades em estoque, somente para assinantes da TRIBUNA.

revista da

seriais

Liv Brandão e Tatiana Contreiras seriaais@oglobo.com.br

Billy Crystal ensaia sua volta à TV DIVULGAÇÃO

Stamp Service A Stamp Service transforma suas ideias e lembranças em presentes. Lá, você irá encontrar vários modelos: são camisas, canecas, travesseiros, agendas, cadernos, caixas, cubos em mdf, chaveiros, squeeze, tudo personalizado de acordo com a sugestão do cliente. Esta semana, a Stamp Service oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, nos cubos em MDF 10 x 10. Av. Amintas Barros, 3585, Center Oito, loja 08, Lagoa Nova Tel.: 3231.1050 à vista (dinheiro) nos cubos em MDF 10 x 10

DIVULGAÇÃO

50%

Antes de se consagrar no cinema, Billy Crystal fez algumas aparições em séries. Tanto que seu primeiro papel marcante foi o de Jodie Dallas, em “Soap” (1977), um dos primeiros personagens gays da TV americana. Agora, quase 40 anos depois, Crystal volta a investir num projeto televisivo. Por encomenda do canal FX, o astro se prepara para rodar o piloto da sitcom “The comedians”. Baseada numa série sueca homônima, a trama de 30 minutos apresenta Crystal como um humorista famoso que reluta em dividir a cena de um programa, ao estilo de “Saturday night live”, com um artista mais jovem e ousado. Se aprovado, o projeto que tem como produtores e roteiristas Larry Charles, de “Seinfeld”, Matt Nix, de “Burn notice”, e Ben Wexler, de “Community”, deve ir ao ar entre 2014 e 2015. - Eu não estava em busca de algo na TV até que essa produtora, chamada Fabrik, me procurou. Eles são suecos, e eu nunca tinha pensado na Suécia como um país de gente engraçada. Não digo isso de uma maneira ruim, mas é que eu simplesmente não fazia ideia. E achei tudo tão inteligen-

Big Blue Parque Aquático O Big Blue é um espaço para diversão e lazer para toda a família. São piscinas, toboáguas que fazem a alegria da criançada, além de restaurante, salão de jogos, etc. Todo o parque conta com um excelente atendimento, salva-vidas, tudo para sua segurança. Divirta-se com tranquilidade! Esta semana, o Big Blue Parque Aquático oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, na entrada do parque, no limite de até 5 pessoas por assinante. Av. Brigadeiro Paulo Salema, s/n, Praia de Búzios Tel.: 3239.2118

“Scandal” (Sony) começou bem. Em tempos politizados, a atração caiu bem na grade de programação.

vista (dinheiro) na entrada do parque, no limite de até 5 pessoas por 50% àassinante. ■As promoções publicadas na Coluna do Clube do Assinante são exclusivas para assinantes da TRIBUNA DO NORTE, PESSOAS FÍSICAS. ■Desconto não acumulativo. ■ Para ter direito à promoção, o assinante deverá apresentar a carteira do Clube e a Identidade no ato da compra. ■Contatos para credenciamento: Depto. de Marketing. Tel. 4006-6100, R. 6262. ■e- mail.mkttn@tribunadonorte.com.br; clube@tribunadonorte.com.br

Já cancelada, “Jane by design” estreia quarta, às 21h, no Sony Spin. Qual a graça?

Novo projeto. Ator diz que interpreta uma versão de si mesmo em “The comedians”

te que resolvi me arriscar - explica Crystal, em entrevista durante a divulgação do longa de animação “Universidade Monstros”, em que ele interpreta Mike Wazowski, em cartaz nos cinemas. Crystal, que além do filme e do piloto da série ainda se prepara para estrear um espetáculo na Broadway e lançar um livro sobre o envelhecimento, repassan-

do momentos de sua carreira (“Este vai ser um dos meus anos mais atribulados”, diz), parece mesmo empolgado com a ideia da série: Eu interpreto uma versão de mim mesmo, é divertido. “The comedians” é praticamente um documentário muito inteligente sobre o processo de fazer um programa de TV com esses dois caras. Eles têm que trabalhar juntos e não se gostam, não concordam em nada e têm que dar um jeito de fazer algo engraçado. Agora estamos tentando achar o coprotagonista perfeito. A empolgação com a TV é, no entanto, inversamente proporcional à demonstrada pelo cinema, meio com que é mais identificado: além de estrelar “Harry & Sally”e “Máfia no divã”, Crystal apresentou a cerimônia do Oscar nove vezes: Do jeito que o negócio do cinema está, fica cada vez mais difícil. Fui ver “Homem de ferro 3” dia desses e foram quase 30 minutos de trailers! Isso me deixou de mau humor, foi até difícil curtir o filme. Todos os trailers e filmes são iguais. Quantas vezes a Terra pode explodir? E a Casa Branca ser destruída? Isso é horrível. Eu me pergunto: onde está a poesia?


revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

11

PAULA GIOLITO

« SÉRIE »

Psicose adolescente Conhecido por viver bons meninos no cinema quando criança, Freddie Highmore conta como é interpretar um assassino em ‘Bates Motel’, estreia do Universal Channel TATIANA CONTREIRAS

N

em todo mundo sabe o que quer fazer da vida aos 21 anos, e Freddie Highmore diz, sem demonstrar qualquer tipo de culpa, que é uma dessas pessoas. No entanto, o rapaz, que ainda vive com os pais, estuda Línguas na renomada Universidade de Cambridge, no Reino Unido, já pensa em seus rumos profissionais para depois da formatura. Mas sua rotina não é exatamente como a dos colegas de sala de aula. Nas horas vagas, Freddie agora encarna, na TV, um dos personagens mais icônicos do cinema: Norman Bates, o assassino de “Psicose”, filme dirigido por Alfred Hitchcock em 1960. Em “Bates Motel”, série que estreia na quinta-feira, às 22h, no Uni-

versal Channel, o jovem ator personifica a versão adolescente de Norman - um papel bastante denso para quem se tornou conhecido pela imagem de garotinho prodígio em longas-metragens como “Em busca da Terra do Nunca”, de 2004, e “A fantástica fábrica de chocolates”, de 2005. - Dizem que fazer essa transição de ator mirim para ator adulto é complicado. Mas isso permite que você se reinvente e interprete diferentes papéis. Você não pode ser estigmatizado como uma criança de 10 anos para sempre. Não dá para ser a mesma coisa o tempo todo, porque você cresceu - diz o ator. Freddie (que, na verdade, chama-se Alfred Thomas) veio ao Brasil lançar a série. Ficou impressionado com o inverno carioca - “Se

no frio é assim, o verão deve ser brilhante” -, arriscou algumas palavras em espanhol, língua que estuda na universidade, além de árabe, e pediu desculpas por não falar português. Fora de cena, ele diz, é apenas um jovem comum. Atuar ao lado de nomes como Johnny Depp e Robin Williams, como ele já fez no cinema, é apenas um dos muitos caminhos que o ator acredita que pode seguir: - Nunca tive muita certeza do que queria fazer pelo resto da minha vida. Dizer “quero fazer isso para sempre” é um grande passo que ainda não dei. Quando você é criança, perguntam “o que quer ser quando crescer?”, como se você tivesse que escolher entre uma coisa e outra. Conheço pessoas de 50, 60 anos que não sabiam o que fazer da vida aos 21. Não é que não goste de atuar. Mas percebi que posso fazer várias coisas. Foi assim que “Bates Motel” surgiu na vida do ator: em meio a várias coisas. Com Carlton Cuse, um dos produtores e autores de “Lost,” à frente, “Bates Motel” volta seu olhar para a formação do jovem Norman Bates e sua relação de codependência - por vezes quase incestuosa, mas de forma apenas sugerida - com a mãe, Norma, vivida por Vera Farmiga (de filmes como “Amor sem escalas”). Depois da traumática morte do pai, Norman muda de ares com ela, que compra um motel e passa a administrar o negócio sozinha. Surgem, ainda, personagens que não existiam no universo de “Psicose”,

Estudos O ator tenta manter uma rotina normal e frequenta a Universidade de Cambridge.

Cena Ao lado de Vera Farmiga, sua mãe em cena: Norman e Norma têm relação de codependência.

como Dylan (Max Thieriot), filho de Norma com outro homem. - O mais interessante é que todo mundo sabe como essa história acaba, por causa do filme: a mamãe morre. É um desafio enorme ter a sombra do desfecho da série desde o começo dela. Em outras atrações, você não sabe como tudo vai terminar. Mas, ainda assim, muita gente tem esperança de que tudo termine bem para Norman. Quis fazê-lo de forma crível. A coisa boa de interpretá-lo é que estou seguro e garantido até o final, enquanto todos os outros podem morrer. É ótimo interpretar um assassino - brinca Freddie, com um forte sotaque britânico. Além de Dylan, o meio-irmão de Norman, outros personagens foram criados exclusivamente para a série. É o caso de Emma (Olivia Cooke), que sofre de fibrose cística, e Bradley (Nicola Peltz). De uma maneira ou de outra, ambas acabam se envolvendo com o protagonista que, ao longo dos 10 episódios da primeira temporada - a segunda já está confirmada - acaba mostrando alguns transtornos de personalidade relacionados a sua relação com a mãe. Freddie classifica a série como um “thriller psicológico”. Para as gravações que duraram quatro meses em Vancouver, no Canadá, a produção reconstruiu o cenário do emblemático hotel, originalmente situado nos estúdios da Universal, em Los Angeles, nos Estados Unidos. “Depois de três dias sem chover, o lugar fedia”, confessa o ator, que conta que se esmerou para criar em cena sutilezas e maneirismos levemente inspirados na atuação de Anthony Perkins, que deu vida a Norman Bates no cinema - o filme, aliás, foi visto por Freddie aos 14 anos de idade. - Norman vive sob a influência da mãe, às vezes chega a falar com a voz dela. Eu e Vera trabalhamos juntos para encontrar um tom que nós dois pudéssemos usar. - explica o rapaz: - Quando me vi com a roupa e o cabelo do personagem e vi o letreiro do Bates Motel, senti a responsabilidade. Temos que manter a consistência. O ritmo é mais rápido que o do cinema, e todo dia você grava cenas muito importantes. Fiquei surpreso ao ver que é possível criar algo bom em pouco tempo.


Igor Fidalgo igor.fidalgo@oglobo.com.br

o que vem por aí

12

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

Senhores empenhados

CENA VIRTUAL DEU NA TV E FEZ SUCESSO NA INTERNET VEJA OS VÍDEOS EM oglobo.com.br/revistadatv

S

érie de maior audiência do History, “Trato feito” (terça, 21h) chega à quarta temporada prometendo mais histórias mirabolantes testemunhadas - e protagonizadas - pelos rapazes da família Harrison, donos da Gold and Silver Pawn Shop, mais famosa loja de penhores de Las Vegas. O sucesso deles é tanto que originou um spin-off: “Trato feito Luisiana” estreia sua terceira temporada no mesmo dia (terça, 22h), mostrando o cotidiano de Jimmie “Big Daddy” Deramus. Ao lado do irmão Johnnie e da filha Tammie, ele administra a Silver Dollar Pawn. FOTOS: DIVULGAÇÃO

Gafe australiana Um grupo de apresentadores da TV australiana falava sobre o Brasil, e eis que surge a dúvida: “No Brasil se fala espanhol ou italiano?”. Aula de geografia neles!

Olha o tubarão Causou polêmica na Rússia a propaganda criada por uma marca de absorvente envolvendo mar e tubarões. Por aqui, rimos alto! Só faltou a trilha de John Williams.

Aqui é escambo

Visual renovado

No mesmo clima do intercâmbio de mercadorias, mas com uma pegada um pouco diferente, “Barter kings” (A&E, sexta, 22h) leva ao ar sua segunda temporada. Steve McHugh e Antonio Palazzola vão ganhar, já no primeiro episódio, um terceiro elemento para adquirir os mais variados tipos de produto sem usar dinheiro - só as trocas.

Tudo novo no “TV Xuxa” a partir de sábado (Globo, 14h45m). Em especial de férias, a atração ganha novo cenário e investe na música: nomes consagrados tocam ao vivo com novatos. Na estreia, Thiaguinho, Luan Santana, Gaby Amarantos e banda P9.

Fora do sofá

Galvão calado! Todo mundo tem seu dia de ficar no vácuo ao vivo, até Galvão Bueno. William Bonner não o deixou falar no “Jornal Nacional”, mas Galvão levou na esportiva.

Mais do que diversão, a estreia do Discovery Kids promete incentivar os pequenos a se mexer. Em “Tree fu Tom” (amanhã, 13h30m), Tom executa uma sequência de movimentos para se transformar em superherói.

Atacando de... No ar a partir de hoje, “Batalha de DJs” (Multishow, 23h15m) vai escolher o melhor DJ amador do Brasil. Os competidores serão orientados por Maestro Billy e Camilo Rocha (foto).


NO FACEBOOK

ASTROLOGIA

COLUNA SOCIAL

PÁGINA 6

PÁGINAS 4,5,6 E 7

Junho termina com lua minguante em Áries, inaugurando reflexões.

Assista ao trailer do filme “Homem de Aço”, as novas aventuras do Super Homem facebook.com/tribunarn

Confira as novas dos bastidores da sociedade natalense com nossos colunistas socias

CANSEI DE SER SEXY LANÇA SEU QUARTO DISCO, MAIS ELETRÔNICO E CALIFORNIANO• PÁGINA 6 E 7

tnfamília Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 30 de junho de 2013

Editor: Isaac Ribeiro [tnfamilia@tribunadonorte.com.br]

Não

Curto

ì

ISAAC RIBEIRO

O QUÊ

m tempos de incentivo à inclusão digital e de grandes mobilizações através das redes sociais — da primavera árabe a revolta do busão — há quem não dê a mínima para esse tipo de site — Facebook, Twitter, Instagram, Tumblr, Google +, LinkedIn, seja qual for, nenhuma delas atrai. Para alguns, estar fora das redes sociais é estar obsoleto, fora de seu tempo, alheio a informações e ao que está acontecendo no mundo. Para outros, não ter perfil nos sites de relacionamento é estar livre de bisbilhoteiros de plantão, provocações, insinuações e bobagens pueris comuns de algumas postagens. Porém, mais próximo de um pôr-de-sol não virtual. Mas a verdade é que hoje parece que meio mundo está verdadeiramente ligado a sites como o Facebook, seja o cidadão comum, instituições, entidades e empresas. Essas últimas, chegam até mesmo a avaliar candidatos a vagas de emprego através de seus perfis nas redes. E o Brasil lidera o crescimento de usuários no Face... Para o departamento de Recursos Humanos de algumas empresas, a ausência de perfil nesses sites de relacionamento pode indicar que o candidato violou alguma regra e foi excluído, ou então quer esconder alguma informação relevante ou é mesmo anti-social.

Repórter

Apesar de toda a difusão e de ter se tornado quase obrigatórias para os mais jovens, há quem não seja adepto e nem goste das redes sociais. Comportamento é analisado por especialistas

+

PÁGINA 3 Falta de privacidade é argumento recorrente

E

Facebook, Twitter, Instagram, LinkdeIn, não importa qual seja a rede social, tem gente que não dá a mínima e prefere não ter perfil virtual em nenhuma delas — mesmo em época de incentivo à inclusão digital e a grandes mobilizações sociais O mestre em Psicologia e professor universitário Rafael Figueiró entende, porém, que tais critérios de avaliação baseados em redes sociais são passíveis de falhas. “Acredito que o fato de eu participar de uma comunidade e de dizer que eu odeio acordar cedo não significa que eu não tenha disciplina para, por exemplo, acordar às cinco da manhã e encarar um trabalho, se eu estiver precisando, querendo ou desejando muito” De acordo com uma pesquisa recente, realizada pela Serasa Experian, através da ferramenta Hitwise, as redes sociais mais acessadas no Brasil são: Facebook (66,54%), YouTube (18,48%), Orkut (2,20%), ask.fm (2,10%), Yahoo Answers Brasil (1,80%), Twitter (1,75%), Badoo (1,05%), Bate-papo UOL (0,84%), Google + (0,78%) e Windows Live Home (0,57%). A bancária Luciana Bezerra de Medeiros não possui perfil em nenhuma rede social; e diz não sentir falta nenhuma delas. “Nunca me interessei muito. Até ligar a televisão é difícil para mim, pois quando chego do trabalho, no pouco tempo que tenho, vou fazer algo que gosto muito, que é ler um livro.” Ela, porém, diz não ser do tipo militante do contra, daqueles que pilham os usuários de redes sociais. “Uma amiga minha até já me mostrou e achei bem legal. Não tenho hoje, mas quem sabe amanhã mesmo posso fazer...” #ficaadica.

PAULO COELHO

Coluna deste domingo transcreve ensinamentos de duas histórias zen. PÁGINA 2


2

tn família

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

« PAULO COELHO » Duas histórias da tradição zen O gosto e a língua

U

m mestre zen descansava com seu discípulo. A certa altura, tirou um melão do seu alforje, dividiu-o em dois, e ambos começaram a comê-lo. No meio da refeição, o discípulo comentou: - Meu sábio mestre, sei que tudo que o senhor faz tem um sentido. Dividir este melão comigo talvez seja um sinal de que tem algo a me ensinar. O mestre continuou a comer em silêncio. - Pelo seu silêncio, entendo a pergunta oculta – insistiu o discípulo. – E deve ser a seguinte: o gosto que

estou experimentando ao comer esta deliciosa fruta está em que lugar: no melão ou na minha língua? O mestre não disse nada. O discípulo, entusiasmado, prosseguiu: - E como tudo na vida tem um sentido, eu penso que estou perto da resposta a esta pergunta: o gosto é um ato de amor e interdependência entre os dois, porque sem o melão não haveria um objeto de prazer, e sem a língua... - Basta! – disse o mestre. – Os mais tolos são aqueles que se julgam os mais inteligentes, e buscam uma interpretação para tudo! O melão é gostoso, isto é suficiente, e deixe-me comê-lo em paz!

Ryokan e o ladrão

Gosta de histórias e contos baseados na tradição zen? Hoje, a coluna fala de um mestre que divide um melão na refeição com seu discípulo; e outros ensinamentos do mestre Ryokan

Ryokan era incapaz de fazer acusações. Embora fosse um grande mestre do zen budismo, jamais se julgou melhor que os outros. Um de seus discípulos pediu que conversasse com o irmão salteador, que aterrorizava a cidade. Ryokan foi até a casa do bandido, e passou a noite inteira com ele. Não trocaram uma só palavra. De manhã, o salteador ajudou Ryokan a atar suas sandálias. Ao fazer isto, as lágrimas do homem começaram a lavar seus pés. - Nunca tive a companhia de um sábio - disse, entre soluços. – Só de outros salteadores como eu, ou de policiais interessados em me condenar. Se Ryokan passou uma noite comigo, é porque ainda va-

lho alguma coisa. E a partir deste dia, este homem nunca mais cometeu um crime.

El Grego e a luz Numa agradável tarde de primavera, um amigo foi visitar o pintor El Greco. Para sua surpresa, encontrou-o em seu atelier, com todas as cortinas fechadas. Greco trabalhava num quadro que tinha como tema central a Virgem Maria, usando apenas uma vela para iluminar o ambiente. Surpreso, o amigo comentou: - Sempre ouvi dizer que os pintores gostam do sol para escolher direito as cores que vão usar. Por que você não abre as cortinas? - Agora não – respondeu El Greco. – Perturbaria o fogo brilhante da inspiração que está incendiando minha alma, e enchendo de luz tudo a minha volta.

MÉDICO E PROFESSOR DA UFRN - BOUCINHAS_JC@HOTMAIL.COM

(PSICODERMATOLOGISTA) RITAURSULA@IG.COM.BR

« JORGE BOUCINHAS »

« RITA DE C.M. MEDEIROS HOMET MIR »

Aumentando o “bumbum”

O

desejo de tornar mais “polpudo” o apêndice corporal indicado pelo apodo “bumbum” foi uma característica estética cultural em muitas povos e varou o tempo. Querer apresentá-lo aumentado (nádegas bem avantajadas) evoca o imaginário da fertilidade e da procriação, quiçá sendo um apelo instintivo. Apesar disto, até há relativamente pouco tempo as únicas alternativas para o aumento da região glútea eram a injeção de gordura do próprio organismo e o implante de prótese de silicone. A autolipoenxertia (injeção da própria gordura) consiste, inicialmente, em uma lipoaspiração nas zonas onde há maior acúmulo da mesma, como culotes e barriga. Depois, ela é purificada e implantada. O enxerto é feito sempre com uma quantidade maior do que o necessário, pois cerca de um terço do material já é absorvido pelo organismo num prazo de três meses. A recuperação leva 15 dias e, durante este tempo, fica interditado deitar-se de costas e deve-se evitar ao máximo sentar. O formato definitivo só será conhecido após algum tempo, em geral após 8 meses. Não há riscos com futuras injeções e o resultado é bastante próximo ao natural. O tratamento é feito com anestesia local, sem internação, voltando-se para as atividades normais rapidamente. Não há cortes nem cicatrizes. O procedimento varia de quarenta minutos a hora e meia, dependendo do volume injetado. As próteses apresentam volumes e formas variadas e são implantadas através de uma incisão no sulco entre os glúteos, acima do cóccix, sendo colocadas por baixo do músculo grande glúteo, que as protege. O tempo de internação costuma ser de dois dias e por quinze dias a paciente deverá deitar-se de lado ou de barriga para baixo. Após este período aconselha-se o retorno gradativo às atividades normais, deixando os exercícios físicos somente para depois de dois meses. Passado este tempo, a ginástica localizada poderá ser iniciada, com benefícios adicionais. É importante saber que fica proibido aplicar injeções no bumbum, em decorrência do risco de perfuração bem como se o medicamento for injetado na prótese não produzirá efeito. Mais recentemente começou a difundir-se a injeção de materiais biocompatíveis (que não causam reação no corpo), o que muito facilitou ser alcançado o objetivo de aumento de volume sem maiores problemas. Os materiais mais utilizados têm sido o silicone líquido, o polimetilmetacrila-

Pulsão de vida e contos de fadas (3)

to (PMMA) e a poliamida. O implante do primeiro, o silicone, é, hoje em dia, técnica proibida no Brasil devido aos problemas ocorridos quando da injeção inadvertida de silicone industrial por leigos, a qual provocou muitos casos de necrose local e até de morte do paciente, além do problema apresentado pela freqüência com que o material migra para fora da zona de colocação (em alguns casos tem chegado aos tornozelos e ao dorso dos pés!). O implante de PMMA é permitido, porém tem custos muito elevados. Por outro lado, como o PMMA é aplicado diretamente no músculo, acaba fazendo parte deste tecido, não impedindo a prática do exercício físico. Pode ser usado a partir do fim do crescimento físico, desde que não haja infecção local. O preenchimento é feito com um gel com micro-esferas não absorvíveis pelo organismo. O médico injeta a quantidade necessária para aumentar ou corrigir imperfeições e, em seguida, modela o local. A substância leva, em média, de 3 semanas a um mês para adequar-se completamente. O procedimento pode ser feito de uma só vez ou em etapas, com anestesia local, sem internação, voltando para as atividades normais rapidamente. A aplicação em etapas permite ao esculápio e à paciente uma previsão mais aproximada dos resultados. Essa técnica de fato melhora a estética glútea e vem apresentando resultados muito satisfatórios. As atividades físicas mais pesadas podem ser retomadas após uma a duas semanas. Antes disso, deve-se evitar pressão contínua na região, como ficar sentado por muitas horas. Não há riscos com injeções e o resultado é mui natural. O aumento dos glúteos com a injeção da outra substância, a poliamida, é também técnica ambulatorial simples e que, apesar de possuir riscos de infecção (com tratamento mais fácil que o implante de prótese), apresenta recuperação rápida, maior conforto do paciente e um aspecto natural ao olhar, bem como sua consistência ao toque aproxima-se do natural. Pode ser facilmente retirada através de aspiração, trata-se de um implante permanente que não migra do local onde foi aplicada, e não provoca reações alérgicas ou carcinogênicas. Está, porém, contra-indicada em pacientes diabéticos ou que apresentem doenças como Artrite Reumatóide, Lúpus Eritematoso e Esclerose Múltipla. Felizes estes tempos, em que se pode escolher o corpo que se deseja!

N

o último artigo fiz uma introclamando: Você dançará com esses sadução a terapia através dos patos vermelhos até que fique como contos de fadas. Escolhemos uma alma penada, como um fantas“ Os Sapatinhos Vesrmelhos”, conma, até que sua pele pareça suspento de Hans Christian Andersen, o sa dos ossos. Dançará de porta em qual baseou-se, como a maioria dos porta por todas as aldeias, baterá três contos, em antigas histórias. Transcrevezes em cada porta e quando as pesví, literalmente, uma versão soas virem que é você, temegermânica-magiar, narrada rão que o seu destino se abapela Dra. Clarissa Pinkola Esta sobre elas. Dancem,sapatés ( terapeuta junguiana ). “A menina implorou tos,dancem ! Nos próximos artigos idenmisericórdia, mas os A menina implorou misetificaremos” as terras espirisapatos a leveram ricórdia, mas os sapatos a letuais da Mulher Selvagem ( ou embora. Ainda dançava veram embora. Ainda dançamulher livre de preconceitos quando voltou à sua va quando voltou à sua casa e que lhe roubam a vida ) que, casa e viu pessoas de viu pessoas de luto. A velha sedurante o curso da história, foluto. A velha senhora nhora que a havia abrigado esram saqueadas ou queimadas, que a havia abrigado tava morta. Mesmo assim, ela com seus refúgios destruidos estava morta. Mesmo passou dançando, porque não e seus ciclos naturais transforassim, ela passou podia evitá-lo. Exausta, entrou mados à força em ritmos artidançando, porque não numa floresta, onde morava ficiais para Agradar aos outros podia evitá-lo. Exausta, o carrasco da cidade. “ Por fa“. ( Mulheres que correm com entrou numa floresta, vor, corte fora meus sapatos os lobos, de Clarissa Pinkola onde morava o carrasco para me livrar deste destino Estés ). Continuemos o conto da cidade. “ Por favor, horrível !” Mas os sapatos esiniciado no artigo passado: corte fora meus sapatos tavam grudados na pele dos Não muito tempo depois, para me livrar deste pés.” Não posso continuar asa velha senhora caiu de cama, destino horrível !” Mas sim , corte-me, então, os pés! doente. A menina entrou no os sapatos estavam E foi o que fez o carrasco. Com quarto, olhou os sapatos, sengrudados na pele dos isso, dançando, os pés desapatiu um desejo tão forte e, na pés.” Não posso receram floresta adentro. certeza de que não lhe fariam continuar assim, A menina era, agora, uma mal nenhum, os pegou e os corte-me, então, os pés! pobre aleijada e teve que descalçou. Neste mesmo momenE foi o que fez o cobrir um jeito de sobreviver to, ela foi dominada por um carrasco. Com isso, no mundo trabalhando como irresistível desejo de dançar. dançando, os pés criada. E nunca mais ansiou Saiu dançando porta afora, desapareceram floresta por sapatos vermelhos. Em dando giros e mais giros, e lá adentro.” nosso próximo artigo, se o bom se foi, estrada afora e, curioDeus assim o permitir, sob um so, os SAPATOS pareciam ter angulo junguiano, interpretavida própria; ela queria girar remos toda essa “HAMBRE para a direita e os sapatos giravam para a esDEL ALMA “, para não cairmos nos “ alçapões querda; ela queria dançar em círculos e eis que da vida.” os sapatos teimavam em ir em linha reta e asFeliz domingo a todos. Faço, hoje, também, sim penetrou na floresta soturna e sombria. minha homenagem ao meu primeiro namoraAli, encostado em uma árvore estava o velho do e meu eterno amor, Papai querido, que essoldado que disse: Puxa, que belas sapatilhas colheu o dia 12 de Junho, há dois anos, para ! ser mais uma estrela no céu. Apavorada, a menina tentou tirar os sapatos, mas foi impossível. E dançou a noite inteira, amanheceu e ela dançava sem parar. Finalmente, entrou no adro de uma igreja e ali, um espirito guardião impediu-lhe a entrada, pro-

« LIBERTAS » Ambiente cooperativo As organizações, que percebem o valor de se criar um ambiente de trabalho amistoso, naturalmente, estarão contribuindo na promoção da saúde individual e institucional. Para isto, é necessário que as pessoas e os diferentes grupos invistam tempo e energia para desenvolver uma sintonia e harmonia em suas relações. O clima deve ser predominantemente cooperativo, funcionando como um organismo, a exemplo do corpo humano em que há uma interação e um trabalho conjunto entre os órgãos, células, tecidos. Todos os sistemas: cerebral, neurológico, bioquímico, muscular, emocional funcionam integrados em busca do equilíbrio em direção à manutenção da vida. Nas organizações, de qualquer natureza, as pessoas se sentem bem, quando existe espaço para as trocas e para a expressão dos pensamentos e sentimentos. O trabalho passa a ser enriquecido pelo que há de mais precioso no mundo - a convivência hu-

mana. Para tanto, os gestores necessitam acessar seus corações para imprimirem uma comunicação empática, que possibilite a todas as pessoas compreender o verdadeiro valor das relações humanas. Jayme Panerai Alves – Jayme@libertas.com.br

Reflexos Umreiconstruiuumpalácio cujas paredes eram revestidas de milhões de espelhos. Entrar nesse palácio era maravilhoso. Você podia ver seu rosto em milhões de espelhos à sua volta; milhões de você à sua volta. Por acaso, um cão entrou ali. Olhou em torno e ficou muitíssimo assustado — milhões de cães! Ficou tão apavorado que esqueceu completamente da porta por onde entrara. Naturalmente, com milhões de cães à volta — a morte era certa. E começou a latir — e milhões de cães começaram a latir. Ficou agressivo — e milhões de cães ficaram agressivos. E se atirou contra as paredes. Pela manhã, foi encontrado morto. E não havia ninguém, exceto o próprio cão.

“Nas organizações, de qualquer natureza, as pessoas se sentem bem, quando existe espaço para as trocas e para a expressão dos pensamentos e sentimentos. O trabalho passa a ser enriquecido pelo que há de mais precioso no mundo - a convivência humana.”

Esta coluna é de responsabilidade da Libertas Comunidade www.libertas.com.br - libertas@libertas.com.br

Saúde - Recife

Quero saber

“As pessoas são as principais responsáveis pelo nível de saúde; é necessária uma tomada de consciência”. A sabedoria do corpo e os pilares da saúde é o tema do próximo seminário da Formação Holística de Base que tem como facilitador o psicoterapeuta em Análise Bioenergética, Jayme Panerai Alves e acontecerá nos dias 02 e 03 de agosto. Informações e inscrições: 81 3244.2742 – 9725.1415.

Faço parte de um grupo de estudo sobre cultura de paz e confesso que tenho sentido um aperto e medo, diante de tanta violência no Brasil e em outras parte do mundo. Como fazer para contribuir para paz e ao mesmo tempo ser engajada socialmente? Marta

Especialização Libertas em parceria com a Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública abre inscrições para a especialização em Gestão de risco a desastres e intervenções psicocorporais. O curso tem como objetivo capacitar os profissionais das várias áreas do conhecimento para atuarem na prevenção de riscos e/ou na gestão, intervenção e ações emergenciais. Inscrições e informações: 81 3268.3311/3596.

Resposta Prezada Marta, A paz está dentro de cada pessoa. Temos que mantê-la acessa e contribuir, nos juntando aos movimentos de cidadania, afirmando com criatividade a cultura de paz. Para tal, se faz necessário manter a serenidade, através de práticas meditativas, respiração e atenção plena. Manter ações pacíficas em todas as situações individuais e coletivas. Atenciosamente, Grace Wanderley de Barros Correia – Psicóloga Clínica - CRP 02/0279


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

tnfamília

Falta de privacidade

M

uitas pessoas usam as mais variadas desculpas para justificar sua ausência nas redes sociais. Uma suposta falta de privacidade está entre as principais. Parece até que todos vão saber realmente o que você está fazendo naquele exato momento ou para onde vai e com quem. Só que cada um controla sua própria privacidade nas redes, pois elas oferecem mecanismos para isso. “Você tem a possibilidade de criar filtros para que algumas pessoas não vejam o que você está postando. Na verdade, quem fala em falta de privacidade não conhece esses recursos”, diz Glebe Duarte, diretor de estratégias para a internet. Outro argumento contestado por Glebe é o de falta de tempo para ficar nas redes, que prefere o contato pessoal ou que a internet deixa a pessoa menos sociável. Mas para ele, há um quê de verdade nos argumentos já que algumas pessoas realmente deixam de dar atenção a amigos e familiares quando mergulham de vez no mundo virtual. “É comum ver pessoas nos bares, conversando com os amigos na mesa e usando as redes para papear com outras pessoas. E existe gente que tem medo de ficar assim”, comenta o especialista em redes sociais. Com relação às recentes manifestações públicas realizadas pelo País, a maioria combinada pelas redes sociais, e com o mínimo de ruído na mensagem, Glebe acredita terem sido a prova do poder de mobilização e de

Redes sociais não são a “última maravilha” Não integrar nenhuma rede social nos dias de hoje implica em ter uma relação diferente do que parece estar estabelecido para uma boa parcela da nossa sociedade conectada. São outros valores, outros olhares — já que para muitos pode ser mais comum ver uma foto do pôr do sol postada do que vivenciá-lo num fim de tarde qualquer. Na opinião do professor de Psicologia, Rafael Figueiró, doutorando em Psicologia Social, há milhares de pessoas que não estão nenhum pouco preocupados em ser curtidos ou conhecidos. “Eu inclusive tenho muita dificuldade porque, pelo fato de ser professor muitas pessoas, alunos, vão me adicionando e acaba que eu não posso publicar determinadas coisas que são pessoais. Eu saí recentemente do Facebook, pois eu acho que não é um espaço que eu possa me mostrar de fato”, relata Figueiró. Para Rafael, quem está fora das redes sociais tem um tipo de vida mais intenso, com outras expectativas e novas formas de experiências. “Acho que existem coisas que precisam ser desmistificadas dentro desse processo de que as redes sociais é a última maravilha do mundo.” Ele diz estar achando muito mais interessantes pessoas que não têm investido em redes sociais — exceto as que precisam delas para trabalhar, por exemplo. “Pessoas que, de repente, optam por uma conversa, por uma visita e um café ao invés de um bate-papo no Facebook. Alguns amigos meus já têm optado por isso; por ter um outro tipo de relação com o mundo, de fato”, Rafael Figueiró acredita ainda que para uma grande parcela da sociedade o Facebook e outras ferramentas são apenas mais um meio de se comunicar.

BATE-PAPO Antonino Condorelli comunicólogo

Quanto mais consciência, mais responsabilidade

é argumento recorrente

Alguns psicólogos e chefes de Departamento de Recursos Humanos de empresas dizem desconfiar de quem não tem perfil em rede social. Como você analisa esse comportamento nos dias de hoje?

Fato de algumas pessoas alegarem não querer que os outros fiquem sabendo detalhes de sua vida, como justificativa para não ter perfil nas redes sociais, reflete desconhecimento de filtros e outras ferramentas FOTOS: DIVULGAÇÃO

Rafael Figueiró, mestre em Psicologia

alcance desses sites. “E quem não está nas redes percebeu que elas são um espaço para entender o que está acontecendo e também para ser ouvido. Quem não usa e viu toda essa funcionalidade, percebeu um mundo do qual não participa.” E a tendência é que os fora das redes fiquem cada vez mais alheios às novidades engendradas virtualmente, sejam comportamentais ou de mobilizações sociais. Para Glebe Duarte é improvável um recuo nesse novo parâmetro de interação. Pode até haver mudanças, migrações ou o fechamento de determinados sites, mas essa nova forma, o método, não acabará.

Glebe Duarte: estratégias para internet

Antonino Condorelli, pesquisador

comprar um, nunca foi um frequentador muito assíduo do mundo virtual. “Quando começou essa febre pelas redes sociais, não achei que era a maior coisa do mundo não. Não que não seja, mas, além de não gostar, não tenho tempo para empancar minha vida nessa história não”, argumenta Lisboa. Na sua opinião, colocam muita besteiras e coisas sem utilidade nas redes. “Escrevem muita bobagem. Um artista dorme mal e no outro dia coloca isso na rede para milhões de pessoas saberem que ele não dormiu bem”, comenta o ex-funcionário público. Mas o tom muda quando o assunto é mobilização social a-

“Desde que o homem é homem, ele tem uma necessidade muito grande de se comunicar. E as redes têm-se mostrado importante nisso. Se Facebook, Twitter, Instagram vão acabar, não dá para dizer exatamente. O que não vai mudar é a necessidade de uma comunicação mais abrangente, eficiente e sem fronteiras”, pontifica Glebe.

Depoimentos O funcionário público aposentado, Antônio Lisboa da Costa, 56 anos, é daqueles que nunca deram muita bola para a internet, muito menos para redes sociais. Nem sempre teve computador em casa e, depois de

través das redes. Lisboa diz concordar desde que seja para reivindicar nossos direitos. Ele, porém, faz questão de enfatizar ser contra o vandalismo. Já o advogado Jordan Santiago, 34 anos, diz não sentir a menor falta de redes sociais em seu dia a dia, pois não vê vantagem nenhuma nelas — nem funcional, nem pessoal. “Sou de um tempo em que não existia nada disso e pautei minha vida nisso, pois me acostumei a viver sem as redes. Só tenho celular porque eu preciso e faz falta”, argumenta ele. “Sei onde moram todos os meus amigo, e quando quero falar com eles, falo por telefone.”

Redes sociais Conheça alguns números sobre as redes mais utilizadas pelos brasileiros

4,9 horas

90,8%

Redes sociais mais utilizadas no Brasil (dados de abril/2013)

mensais gastamos nesses sites.

dos internautas brasileiros acessam as redes sociais.

0,84%

18,48%

Bate-papo UOL

YouTube

60%

1,75% Twitter

dos internautas brasileiros se inscreveram em alguma rede social nos últimos três meses. As redes que mais ganharam novos usuários foram:

27,5%

0,78%

27% Facebook

2,10%

0,57%

9,4%

Ask.fm

Windows Live Home

2,20% Orkut

1,80%

1,05%

Yahoo Answers Brasil

SITES COM MAIS USUÁRIOS

Badoo

FREQUÊNCIA DE USO

41% 34,3% 31,7% 56%

69% 73%

21,7%

75%

88,9%

94% MULHERES X HOMENS

COMPRAS

ACESSO

68,5%

41%

usam aplicativos para acessar – o uso dobrou de 2011 para 2012.

pesquisam nas redes sociais antes de comprar.

2 a cada 3

dão feedback para as marcas via redes sociais.

Ebuddy

35% Tweetdeck

31,9% Hootsuite

54%

seguem empresas no Twitter.

58,7%

dos acessos das redes sociais são de mulheres.

Fontes: Hitwise / Serasa Experian / comScore

74%

Desconfio dessa desconfiança: as redes sociais não contribuíram apenas para democratizar a comunicação, mas para implantar um controle social, uma vigilância (tanto de cima pra baixo, como horizontal: de todos para todos) em níveis nunca antes conhecidos. A ênfase na “transparência” por parte das grandes corporações que concentram os meios de acesso às redes sociais (a autêntica cruzada pela transparência de Mark Zuckerberg, o criador do Facebook, é o exemplo mais emblemático) é muito suspeita, pois a transparência que defendem me parece de todo unilateral: transparência total com relação às informações pessoais, as preferências, os gostos, os comportamentos, etc. dos indivíduos comuns, que se tornam assim totalmente monitoráveis, controláveis, mas opacidade (legitimada em nome da “segurança”) para toda forma de poder constituídos (governos, empresas, etc.). É o oposto do que reivindicam, entre outros, movimentos como o cypherpunk (um de cujos fundadores é Julian Assange, o criador de WikiLeaks): privacidade para os cidadãos, transparência para os poderosos. Me identifico muito mais com esse último princípio e, entre os poderosos, incluo os dirigentes de empresas. Um marco regulatório da internet se torna uma urgência cada vez mais premente e acredito que um tema importante a ser colocado nessa discussão deva ser a criação de mecanismos legais que proíbam que o que funcionários de empresas publicam em seus perfis pessoais nas redes sociais possa ser usado por essas mesmas empresas por quaisquer motivos. Isso coibiria a vigilância da vida privada e as invasões de privacidade às quais muitas empresas estão submetendo cada vez mais seus funcionários.

Google+

66,54% 11,8%

3

“curtem” empresas no Facebook.

11,4%

56%

usam celular ou smartphones para acessar o Facebook.

70%

usam desktops.

60%

notebooks.

Para você, qual a importância de estar conectado a alguma rede social?

A conexão encerra potenciais gigantescos: a multiplicação das redes de relação pessoais, novos processos de identificação, o acesso a novas culturas e novas maneiras de ser e de viver, a troca horizontal com o outro, a expansão da experiência do mundo do sujeito, a construção conjunta de conhecimento, a criação colaborativa, novas possibilidades de mobilização social e política. Mas precisamos estar conscientes também dos riscos: as redes sociais não eliminaram do universo digital antigos problemas e perigos do mundo offline; ao lado da democratização e horizontalização da comunicação continuam processos de comunicação vertical, exclusões e inclusões arbitrárias definidas por dinâmicas de capital ou de poder, vigilância e controle social, repressão, o uso das possibilidades de mobilização que as redes favorecem para disseminar campanhas de ódio, incitar à violência, etc. Quanto mais consciência tivermos desses riscos, mais responsabilidade desenvolveremos na construção de nossas interações digitais. Você se considera um ativista/mobilizador de redes sociais?

Nem mais nem menos do que o é, hoje, qualquer indivíduo conectado e com presença nas redes sociais.


4

tnfamília

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

Carpe Diem!

Pensamentos Sob a coordenação de Diógenes da Cunha Lima, será lançado amanhã, na Academia NorteRiograndense de Letras, às 18h, o “Livro das Revelações – Matrizes do Afeto – o pensamento vivo de escritores”, que reúne o ponto de vista de autores potiguares sobre diversas questões e temas amplos.

O amor nos dá vida O amor se faz presente quando a ausência é mais forte. O amor se faz mais próximo, quando a distância aumenta. O amor se faz mais carinhoso, quando estamos mais carentes. O amor se faz mais gentil, quando estamos nervosos. O amor não cobra nada além do próprio

Humor

O comodoro e empresário Marcilio Carrilho confirma, para o dia 13 de julho, a tradicional festa junina “São Pedro a bordo”, que ocorre anualmente no Iate Clube. Animando o público, as atrações Fernando Farias e Messias Paraguai. Reservas na secretaria do clube.

Exibição Valério Fonseca convida para a pré-estréia do seu longa “Remar é...”, próximo dia 10 de julho, às 18h30, no Museu Arte Moderna do RJ. O filme mostra o dia-a-dia do remo carioca e suas histórias.

Na rede O vídeo de uma brasileira, que mora em Los Angeles, explicando por que não virá a Copa do Mundo no Brasil está bombando na net. O maior motivo?! O superfaturamento das obras. Confira no nosso blog.

ARQUIVO PESSOAL

Vivas antecipados para a querida Lu Toscano, em nova primavera amanhã

O aniversariante Carlos Duarte (Piru) com a amada Luciana Medeiros

ARQUIVO PESSOAL

jotaoliveira@tribunadonorte.com.br

A bordo

(Paulo Roberto Gaefke)

JOÃO NETO

Jota Oliveira

O humorista Evandro Santo, o Christian Pior do Pânico na Band, apresenta seu stand up comedy no Teatro Riachuelo, dia 21 de julho, às 19h. “Eu Mexxxmo!” reúne mo- mentos cômicos e situações engraçadas que passamos no dia a dia.

amor. O amor torce, comemora, vibra e apoia. O amor nos faz tão grandes, mesmo sendo tão pequenos, o amor edifica um lar, constrói pontes e une nações.O amor é tão poderoso, que se esconde na humildade dos sentimentos. E para quem ainda não sabe o

que é o amor, a vida fica meio vazia, parece que falta um pedaço. O amor nos completa e nos dá um sentido, cria laço. O amor é a própria vida, nosso destino, como brinquedo desejado pelo menino. Que você se encha de amor, e amando-se, possa amar sem medidas, com felicidade, além do próprio tempo, pela eternidade.

Abraços e cumprimentos para o jornalista/ advogado Hemetério Gurgel, rasgando folhinha nesta segunda

JOÃO NETO

Os Diógenes da Cunha Lima, pai e filho, em recente evento social

CANINDÉ SOARES JOÃO NETO

Habib Chalita e Cláudio Porpino em dia de lançamentos

Gente de dez: Marcos Aranha/Olguinha em noite festiva

Mais eletrônico e californiano « MÚSICA » Em “Planta”, primeiro disco sem a participação do produtor e multi-instrumentista Adriano

Cintra, banda Cansei de Ser Sexy mostra-se mais colaborativa nas composições e mais diversa na sonoridade

O

quarto disco da banda paulistana é o primeiro sem o produtor e multi-instrumentista Adriano Cintra. “Planta” nasceu sob o sol da Califórnia e tem produção do guitarrista do TV on the Radio, David Sitek. Parece que foi ontem, mas o divertido grupo paulistano Cansei de Ser Sexy, ou CSS, como são conhecidos no exterior, está completando uma década. Um momento de balanço e reflexão para uma banda que começou como uma brincadeira e chegou onde nenhuma outra banda independente brasileira havia chegado. O disco de estreia, lançado internacionalmente em 2006, transformou o Cansei de Ser Sexy na banda do momento. Em 2007, eles romperam com o então empresário e terminaram o ano cheios de dívidas. O resultado foi o disco Donkey, feito na estrada, que mostrava um rock mais raivoso e cheio de energia. A banda voltou para São Paulo e passou meses trabalhando em seu terceiro disco, La Liberación, que foi lançado em 2011. No final do mesmo ano, o baixista e produtor Adriano Cintra saiu da banda de maneira conturbada, deixando o futuro do CSS incerto. Hoje, como um quarteto, integrado apenas por mulheres, a banda lança seu quarto disco, Planta. “As pessoas estavam esperando um disco cheio de raiva. Queríamos falar de coisas maiores do que aqueles momentos do passado. Para mim, Planta é um disco meio hippie, que fala da natureza e do sol”, declarou a guitarrista Luiza Sá à DW Brasil.

Liberação e ruptura Olhando para trás, a guitarrista disse que o processo de concep-

DIVULGAÇÃO

ção dos discos é sempre não premeditado. “No primeiro disco, não tínhamos consciência de nada. O Donkey aconteceu numa época de loucura. Eu acho que o La Liberación era um disco pop na cabeça do Adriano, mas ele tem muitas misturas. Fizemos muitas músicas e talvez não tenhamos acertado tanto na escolha, mas não temos arrependimentos. Foi um presságio de que as coisas estavam mudando”, disse. A grande mudança no CSS aconteceu quando Cintra deixou, de maneira conturbada, o grupo. “As coisas não estavam funcionando muito bem. Ele tinha parado de fazer turnê e já estava um pouco desligado. Quando ele falou que ia sair, foi um choque, mas não uma grande surpresa porque sabíamos que ele não estava feliz”, explicou. No dia da saída de Cintra, as demais integrantes decidiram continuar a banda, terminar os compromissos assumidos e começar um novo disco, de forma conjunta e do zero. “Não queria fazer o disco em São Paulo, queria um lugar novo, onde não tínhamos nenhuma história. Estar num lugar, fazer algo e viver aquilo. Foi uma coisa de instinto: eu sugeri Los Angeles e todo mundo topou na hora.” Um novo lugar, uma nova formação e um novo método de trabalho trouxeram algumas aflições e mudaram a dinâmica da banda. “Quando você está criando, há sempre momentos de dúvida. O que mudou é que o Adriano era muito rápido e talentoso. O processo era diferente. Em Planta, a composição foi mais colaborativa.” Para Luiza, o processo passou a fazer todo o sentido quando elas conheceram David Sitek, produtor do disco.

Quarto disco das paulistanas do Cansei de Ser Sexy tem produção assinada por David Sitek

Crescendo de diferentes maneiras Sitek é guitarrista da banda TV on the Radio e produtor de artistas como Santigold, Scarlett Johansson e Yeah Yeah Yeahs. Ele viu um show do CSS no final de

2011 e entrou em contato, em busca de colaborações. A banda conheceu o produtor em Los Angeles, quando grande parte das músicas de Planta já estavam compostas. “Desde o primeiro dia foi fácil e divertido. Depois que trabalha-

mos nas primeiras músicas, ele disse que queria produzir o disco todo”, disse a guitarrista. O produtor estava com a agenda cheia, mas sempre que tinha um tempo livre chamava as meninas em sua casa, e assim Planta foi nascendo, o primeiro disco da banda sem a pro-

dução de Cintra. O encontro abriu as portas para elas experimentarem com outros estilos. “Quando estávamos com algumas músicas prontas, decidimos que queríamos dar um ar mais eletrônico e dançante ao disco, com teclados e sintetizadores”, disse Sá. Apesar de ser guiados por sintetizadores, Planta é um disco pop com influências que vão do punk ao hip hop. Dynamite tem levada punk pop e participação de Hannah Blilie, baterista do Gossip. Frankie Goes to North Hollywood é um hip hop eletrônico, com uma divertida letra em inglês e português. O refrão de Into de Sun remete a New Order. Hangover é um dub tropical cheio de barulhinhos pop e um refrão ensolarado. A música é uma parceria com Tim Armstrong, da banda punk Rancid. O nome do disco nasceu quando elas fotografavam a capa, a primeira com a cara da banda. “A referência foram retratos de Richard Avedon. Queríamos algo que juntava a gente, como galhos de uma planta. A Carol [Parra, guitarrista da banda] sugeriu o nome enquanto fazíamos umas fotos segurando uns vasos de planta”, contou Sá. Agora, a banda quer cair na estrada e compartilhar todo esse processo com o público. “Nós nos divertimos fazendo algo em que acreditamos. Estamos muito realizadas e queremos dividir isso com o público. Olhando agora, vendo como chegamos e saímos de Los Angeles, foi um triunfo pessoal e profissional para todas nós”, concluiu a guitarrista. Planta mostra um novo Cansei de Ser Sexy, que pode até crescer disforme, mas cresce com força, unidade e criatividade.


tnfamília JOÃO NETO

JOÃO NETO

Inauguração

Celebrando a vida, Milena/ Cassiano Bezerra

Fãs da Fred Perry podem aproveitar. A marca acaba de inaugurar sua primeira loja própria na América Latina, em SP. Nos planos, o lançamento de uma camiseta especial para a Copa do Mundo.

Suely Silveira e Hermano Morais em circulada pelos salões natalenses

Telonas O mercado do cinema está de olho na biografia que Luiza Brunet está escrevendo. Com lançamento marcado para setembro, ela já estaria se reunindo com produtores interessados na história. Isis Valverde seria a cotada para o papel.

Afiada Conhecido por suas frases polêmicas e por não poupar ninguém em seus comentários, Karl Lagerfeld ganhou um livro reunindo suas melhores citações. Além disso, o famoso estilista é figura de um novo jogo, onde o participante tenta arrancar seus óculos.

5

JOÃO NETO

Casal de Dez: Cristina/ Anchieta Pinto

Comentários

JOÃO NETO

Direito Em comemoração a São João, Thiago Dantas/Manuela

Exemplo Adepta das enormes e ultrapesadas bolsas, Victoria Beckham pode estar causando graves problemas a quem tenta copiar seu estilo. Tanto que a estilista teve o nome ligado a uma lesão causada pelo uso dos acessórios.

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

JOÃO NETO

Faiçal Abou Chacra/Maira curtindo o pôr do sol da cidade

JOÃO NETO

A descontração de Wanda Fernandes/ Evilásio Jr. na junina de dez!

Lucila Almeida, potiguar, formada em direito pela UFRN, há quase dois anos reside na Itália, trabalha como pesquisadora para Inter-American Development Bank em Florença e acaba de ingressar no doutorado no Instituto Universitário Europeu, após concluir o mestrado no próprio instituto de pesquisa da União Europeia. A Jovem fica por mais três anos no continente estudando as mudanças do direito privado na União Europeia e nos Estados Membros, em especial as relações privadas no setor energético, estabelecidas a partir da legislação europeia. As vindas a Natal, para visitar a família orgulhosa, ocorrem duas vezes ao ano, em agosto e nas festas de fim de ano, nesse meio tempo as redes sociais facilitam o contato diário e driblam a saudade. Para Lucila, a admissão no doutorado da EUI é resultado de um trabalho de longo prazo e sua porta de acesso ao Banco Interamericano de Desenvolvimento aconteceu com o mestrado acadêmico na Direito GV de São Paulo sobre a Petrobrás. Em razão dos bons resultados no BID, recomendaram uma segunda pesquisa sobre biocombustíveis, dessa vez financiada pelo Governo Finlandês e daí então, surgiu o doutorado financiado pelo Conselho de Pesquisa Europeu. Para a jovem advogada, cuja previsão de regresso à terra natal é daqui uns três anos, a oportunidade é única. “Estou encantada. A EUI é o maior centro de pesquisa de excelência na área de pesquisa em ciências humanas da Europa e um dos maiores do mundo, o que torna o instituto um ambiente riquíssimo para se aprender como fazer reformas institucionais. Espero usar dessa experiência adquirida aqui para aplicar no Brasil”, finaliza Lucila Almeida, ao acrescentar que a família está tão satisfeita quanto ela.

Os do Facebook agora poderão ser acompanhados de fotos. A novidade foi anunciada nessa semana e esta disponível apenas para poucos usuários.

Inspiração A nova coleção de alta joalheria da Chanel foi inspirada nos leões e na cidade de Veneza. As peças são um resgate a uma fase difícil da vida da criadora da Maison, Coco.

Parabéns!!! O nosso abraço de felicitações para Carlos Mariz Duarte (Pirú) que hoje amanhece em idade nova. Também trocando de idade Eduardo Machado. Nesta segunda, 01, vivas antecipados para Luciana Saldanha Toscano, jornalista e advogado, o Sabor e Saber, Hemetério Gurgel, também press Célia Freire, Nelma Nascimento e Gariba.


6

tn família

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

» MAIS FLASHES DO FEIJÃO SOCIETY »

Bodas

O Iate Clube de Natal promoverá no próximo dia 13 o seu “São Pedro a Bordo”. Tendo como Comodoro o empresário Marcílio Carrilho, o espaço mantém a tradição na promoção e alusão das festas juninas. O evento contará com animação dos forrozeiros Fernando Farias e Messias Paraguai, além das tradicionais quadrilhas juninas e comidas típicas. O São Pedro do Iate Clube já faz parte do calendário dos festejos juninos da capital potiguar.

Publicação A bioquímica Gioconda Rodrigues Leão teve sua tese de doutorado, intitulada “Análise do gene HFE C282Y, H63D e S65D em pacientes com hiperferritinemia do Nordeste do Brasil”, aceita para publicação internacional no Journal of Clinical Laboratory Analysis. O renomado periódico divulga importantes trabalhos na área de análises clínicas laboratoriais. A publicação estará disponível em breve para consultas no http://onlinelibrary.wile y.com/jornal

Congresso A psicóloga Kátia Nogueira, especialista em neuropsicologia pelo Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo, integrante da equipe profissional da Clínica Ami Personali, participa do 9° Congresso Mundial sobre Cérebro, Comportamento e Emoções, que acontece no Centro de Convenções Frei Caneca, na capital paulista. Com encerramento hoje, o evento reúne especialistas nacionais e internacionais em neurociências, neurologia, psiquiatria e psicologia.

Presenças de Leandro, Francisco Ramos e Kelly

Gabriela Miranda Sá e Witami Gomes

Anna Ruth Dantas e Marcos Lima

Touro 21/04 a 20/05 Domingo de lua minguante! Ótimo para repensar atitudes e escolhas, pois permitirá um tempo de reflexão e até a liberdade para rever posições mais duras. Você pode se sentir mais sensível e apreensivo. Diminua a programação, medite, isole-se um pouco.

Gêmeos 21/05 a 20/06 Depois de um período de confrontos, chega o momento de iniciar o balanço crítico destes dias de revolta e muita criatividade. Neste domingo, a minguante lunar funciona bem em sua alma. Descanse, sonhe, reavalie vitórias e descompassos. Seja original.

Leão 22/07 a 22/08 De hoje até a lua nova, em 8/7, há um tempo bom para autocríticas. Período em que você verá direitinho o que deve ou não manter entre suas metas e crenças. Um movimento para dentro de si para buscar raízes. Menos ação impensada e mais reflexão!

Virgem 23/08 a 22/09 Lua e Urano em contato tenso no seu setor financeiro emitem sinal vermelho para gastos impulsivos com engenhocas tecnológicas. Adie, aguarde. Além disso, a lua minguante em Áries coloca na devida dimensão a ideia de uma viagem ou de um curso internacional. Crenças serão revistas.

Discrição de Luzi e Lauro Bezerra

» DESTAQUES NA ÁREA DA SAÚDE »

Arnóbio Pacheco

Libra 23/09 a 22/10 Atritos e choques elétricos com o parceiro hoje, libriano! Há um misto de necessidade de colo com vontade de ser livre. Solte! Vá passear com os amigos, durma até tarde, vá ao cinema, não exija nada. Lua minguante favorece cortes e liberação.

Escorpião 23/10 21/11 Se tem alguém que você tem que cortar da sua lista de preferidos do coração, pode começar a estudar quais são eles a partir de hoje. A minguante lunar prevalece sobre as ligações eventuais, quer fidelidade e constância para você sonhar alto. Lua e Urano abalam seu sistema nervoso.

Sagitário 22/11 a 21/12 Domingo bom para você arriscar um programa diferente com seu amor. Algo diferente do comum, e que acorde o romance entre vocês. Também no cenário astral há a lua minguante em Áries —são sete dias para cuidar dos filhos e dos amores com ardor.

Gioconda Rodrigues Leão

« CINEMA » ★ RUIM ★ ★ REGULAR ★ ★ ★ BOM ★ ★ ★ ★ ÓTIMO ★ ★ ★ ★ ★ EXCELENTE ✩ ESTREIA

Junho termina com lua minguante em Áries, inaugurando período de reflexão que dura até 8/7

Como ocorre toda vez que a Lua muda de fase, você pode ficar mais sensível, ligado no que já tomou forma e naquilo que apenas foi sugerido como sonho no coração da Terra. Para um domingo proveitoso, some arte com emoção. Cinema e aconchego são essenciais.

Flávio Marinho em pose com sua Jurema

Simpatia de Gilson Marcelino e Cléa

Kátia Nogueira

Câncer 21/06 a 21/07

Ana Cláudia Souza e Romildo Júnior

O cirurgião plástico Américo Martins com a anfitriã

BÁRBARA ABRAMO

Clima tenso neste domingo com o contato entre Lua e Urano, que se dá em seu signo. Ainda bem que a vibração da lua minguante age como um freio a manifestações de impaciência que poderiam criar problemas a você. Preserve-se e não se estresse.

Silas, Larissa, Leonardo Barbalho e Lilian Dantas

Luciano Kleiber e Ana Paula

«HORÓSCOPO » Áries 21/03 a 20/04

FOTOS: JOVINHO/LIEGEBARBALHO.COM

Psoríase O médico dermatologista Arnóbio Pacheco está em Paris, onde participa do Congresso Mundial de Psoríase. O encontro reúne especialistas de vários países no Palais des Congrès. A participação do Dr. Arnóbio no evento é de grande relevância, já que ele é coordenador do projeto de extensão da UFRN no tratamento de formas graves de psoríase.

liegebarbalho@tribunadonorte.com.br

São Pedro

Lélia, Zélia Pinheiro, Graziela e Bosco Pinheiro

Liege Barbalho

Com convite assinado pelos filhos Marcelo, Larissa, Márcio, Marcos e Vanessa, o casal Ronaldo Mello e Marília Borges Mello brindará, no próximo sábado, 40 anos de união matrimonial. A família inicia a celebração com missa em Ação de Graças, na Igreja Bom Jesus das Dores. Após a cerimônia, Ronaldo e Marília receberão os convidados no Versailles Recepções de Cidade Jardim, na comemoração das “Bodas de Rubi”.

Capricórnio 22/12 a 20/01 Amor e relacionamento no foco da minguante lunar de hoje —até 8/7 dedique-se a sentir e entender o que você quer, e o que pode ter. Um desdobramento de afeto pode acontecer se você sentir que pisa em terreno firme. Quem pode privar da sua intimidade merece seus encantos.

Aquário 21/01 a 19/02 Uma das luas minguantes mais promissoras ocorre hoje. Associada à vanguarda e à novidade, pede que se engaje em algo novo para encontrar soluções diferentes das batidas, tanto no campo do trabalho quanto da saúde e das relações com os subalternos.

Peixes 20/02 a 20/03 É ótimo nadar em águas conhecidas, mas a minguante lunar arrastará você para correntezas novas, onde a água borbulha e ferve! E é desta fervura que virá a resposta de como sair do comum e superar entraves e contradições com filhos, amores etc. Apostará mais em si mesmo.

eee MINHA MÃE É UMA PEÇA (12 anos, nacional) Moviecom 1. Sessões 13h40, 15h35, 17h30, 19h30 e 21h30 / Cinemark 3. Sessões 12h50, 17h20, 19h30, 21h40 e 0h (sáb) / Cinemark 6. Sessões 11h40, 13h50, 15h50, 17h50, 19h50, 21h50 (sáb) e 23h50 (sáb) Dona Hermínia (Paulo Gustavo), uma mulher de meia-idade, aposen-tada e sozinha, tem como preocupação maior procurar o que fazer. Para uma mãe dedicada, a preocupação com os filhos é sempre uma ocupação. Mas os filhos de Dona Hermínia cresceram e agora ela está entediada. Sem um trabalho ou um companheiro, a nada simpática Dona Hermínia passa seu tempo desabafando com a tia idosa, a vizinha fofoqueira e a amiga confi-dente. Direção: Andre Pellenz ✩ TODO MUNDO EM PÂNICO 5 (14 anos, dublado) Moviecom 2. Sessões 13h55, 15h50, 17h50, 19h50 e 21h50 / Cinemark 4. Sessões 12h10, 14h20, 16h20, 18h30, 20h40 e 23h (sáb) Três dançarinos, um veterano e duas novatas, que também são me-lhores amigas, disputam o papel principal de uma nova produção, dirigida por um diretor arrogante e ditador. Direção: Malcolm D. Lee

eee DEPOIS DA TERRA (12 anos, dublado e legendado) Moviecom 3. Sessões (leg) 17h15 e 21h35 / Cinemark 1. Sessão (dub) 21h10 Um pouso forçado deixa o adolescente Kitai Raige (Jaden Smith) e

seu lendário pai Cypher (Will Smith) encalhados na Terra, mil anos depois que eventos cataclísmicos forçaram a humanidade a fugir. Com Cypher gravemente ferido, Kitai deve embarcar em uma perigosa jornada para pedir ajuda, enfrentando terreno desconhecido, evoluídas espécies animais que agora dominam o planeta, e uma implacável criatura alienígena que escapou durante o acidente. Pai e filho devem aprender a trabalhar juntos e confiar um no outro se quiserem alguma chance de voltar para casa. Direção: M. Night Shyamalan eee ee STAR TREK - ALÉM DA ESCURIDÃO (12 anos, dublado) Moviecom 3. Sessão 14h30 Quando a tripulação da Enterprise é chamada de volta para casa, eles descobrem que uma força de terror incontrolável, de dentro de sua própria organização, detonou a frota e tudo aquilo que ela representa, deixando nosso mundo em situação de crise. Tendo contas pessoais a ajustar, o Capitão Kirk lidera uma caçada humana em um mundo em zona de guerra para capturar um homem que é por si só uma arma de destruição em massa. Na medida em que nossos heróis são lançados em um jogo de xadrez épico de vida ou morte, o amor será contestado, amizades serão rompidas e sacrifícios terão que ser feitos pela única família que Kirk ainda possui: sua tripulação. Direção: J.J. Abrams


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

tnfamília Potiguares na Corte: STF em festa...

Batizado na serra Os avós Leisia/Ivanilson Araújo, reúnem a família na casa da Serra de Santana, para em pleno São Pedro batizarem a pequena Ana Rosa, filha dos queridos Savana/Val Barbosa. A cerimonia na praça Santa Aninha, tendo como padrinhos os tios Luanda/Israel Nunes.

Milho As queridas Sônia e Mílvia, não foge a tradição junina e como todos os anos, montou um cardápio para lá de especial com comidinhas da época que marcam o período. Podem encher a boca d´´agua com canjica, pamonha, e outros quitutes que compõem o delicioso menu junino.

hilnethcorreia@tribunadonorte.com.br

Hilneth Correia

A posse, nesta quarta-feira (26) do advogado e jurista Luís Roberto Barroso como ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), foi top, comandada pelo ministro Joaquim Barbosa, presidente do STF, foi prestigiada por autoridades dos três poderes. Também da solenidade os presidentes do Senado, Renan JOÃO NETO Calheiros, e da Câmara Federal, MINISTRO Luiz Roberto Barroso com o casal Procurador-geral do Estado, Miguel Josino e o Henrique Alves, o ministro da Francisco Nunes-Maria ex-presidente da OAB Nacional, Ophir Cavalcanti Justiça, José Eduardo Cardozo, Ministro da Previdência JOÃO NETO Garibaldi Filho,ministros Baobá aposentados do STF, presidentes Amanhã, dia 1º de julho, de tribunais, nosso Procurador ás 18h, na Academia Geral Miguel Josino, advogados Norte-rio-grandense de tops Antenor Madruga Letras, o lançamento de (FELDENS & MADRUGA) e “O Livro das Revelações” Estefânia Viveiros. Na posse no – Matrizes do Afeto: O Supremo, ele foi aplaudidissimo por mais de quatro minutos. Pensamento Vivo de Todos ficaram emocionados... Escritores” – pilotado Ele sempre foi advogado, pelo poeta Diógenes da Estefânia Viveiros e os Ministro Garibaldi Filho, Pombinhos apaixonados no procurador do Estado RJ, Cunha Lima. colegas Marcelo Galvão, Nunes-Maria, Tereza Barroso, arraiá: Rafael Motta e Priscila professor universitário da federal Eduardo Roriz e Bartô Renier e Rogéria Cavalcanti do RIO, pareceristas, autor de mais de 15 livros, advogado de OBFLASH grandes e famosas causas no Supremo. É uma pessoa admirada por todos e a sua indicação foi muito bem recepcionada pela comunidade jurídica. À noite, o Ministro Barroso recebeu os cumprimentos dos advogados, Ministros e magistrados de todo o Brasil, e diversas autoridades, Presidente DESPEDIDAS EM COLÔNIA - dos meus queridos da OAB Nacional, Ministros do Fátima-Marek Mann NO FLORE – com Márcia Carrilho STF e do STJ. A recepção, foi regada de coquetel e mais tarde servido o jantar aos convidados no espaço Porto Victória que fica às margens do lago Paranoá em Bsb. Na festa a banda de roque era formada por juizes do RS, conhecida por “judgues”. A decoração com flores brancas e orquídeas. Uma das presenças queridas da família BARROSO era do nosso procurador Francisco NunesMEUS AFILHADOS - em Sant Cloud com Alfredo No arraiá da família Motta, as irmãs Suzana, Maria com o filho Renier e Mandolfo-Maristela e Matteo Marta e Têca Rogéria, seus afilhados de casamento. Na noite de terçafeira o Ministro Barroso e sua Tereza com os filhos Luma e Bernardo receberam amigos em sua casa. Presenças: a família potiguar Francisco Nunes e o Mestre Diogo Figueiredo, um dos maiores juristas do Brasil. Registramos com exclusividade pelas lentes de Raphael Correia. Francisco Nunes, Renier, constitucionalista dos mais famosos prof. José Afonso da Silva e Raphael Correia

Amanhã vamos festejar os amigos Hemetério Gurgel/Marizinha. Ele em idade nova

Torcida Hoje estaremos todos em vibrações para nosso amado Brasil, o esquente será na casa de Alcina Holanda. Vamos torcer que a taça de 2014 será nossa.

Quarta é dia de parabéns para o meu advogado Frederico Mesquita, que ganha mimos da musa Cris Leite

« CINEMA » ★ RUIM ★ ★ REGULAR ★ ★ ★ BOM ★ ★ ★ ★ ÓTIMO ★ ★ ★ ★ ★ EXCELENTE ✩ ESTREIA

★★ SE BEBER NÃO CASE! 3 (14 anos, dublado e legendado) Moviecom 3. Sessão (dub) 19h25 / Cinemark 7. Sessão (leg) 22h10 Desta vez, não há casamento nem despedida de solteiro. Então, nada poderia dar errado, certo? Mas quando o Bando de Lobos cai na estrada, tudo pode acontecer. Direção: Todd Phillips ★★★ GUERRA MUNDIAL Z (14 anos, dublado e legendado) Moviecom 4. Sessões 14h15, 16h45, 19h15 e 21h45 / Moviecom 6. Sessão (dub) (3D) 16h40 / Moviecom 6. Sessão (leg) (3D) 21h30 / Cinemark 2. Sessões (leg) (3D) 16h40 e 21h45 / Cinemark 2. Sessões (dub) (3D) 11h20 (sáb e dom), 14h e 19h10 / Cinemark 5. Sessões (leg) 13h, 15h40, 18h20, 20h50 e 23h40 (sáb) A história gira em torno do funcionário das Nações Unidas Gerry Lane (Brad Pitt), que atravessa o mundo em uma corrida contra o tempo para deter uma pandemia que está derrotando exércitos e governos e ameaçando dizimar a própria humanidade. Direção: Marc Forster ★★★ UNIVERSIDADE MONSTROS (Livre, dublado)

Moviecom 5. Sessões 13h50, 16h10, 18h30 e 20h50 / Moviecom 6. Sessões (3D) 14h20 e 19h10 / Cinemark 1. Sessões 11h10 (sáb e dom), 13h40, 16h10 e 18h40 (exceto ter e qui) / Cinemark 7. Sessões (3D) 12h, 14h30, 17h10 e 19h40 Mike Wazowski e James P. Sulli-van são uma dupla inseparável, mas nem sempre foi assim. Desde o momento em que esses dois monstros incompatíveis se conheceram, eles não se suportam. Universidade Monstros revela o segredo de como Mike e Sulley superaram suas diferenças e se tornaram melhores amigos. Direção: Dan Scanlon ✩ AMOR É TUDO O QUE VOCÊ PRECISA Cinemark 1. Sessão 18h40 (ter e qui) Duas famílias muito diferentes encontram-se em uma casa de campo na Itália para festejar um grande casamento, planejado nos mínimos detalhes. Mas nada ocorre como esperado... Em meios aos preparativos da grande festa, muita confusão, encontros, desencontros e grandes revelações. É uma história sobre um grupo de pessoas em busca de amor, de paixão e felicidade, sobre o ciúme e solidão. Antes de

tudo, é uma história sobre ter a coragem de mudar a sua vida mesmo quando você acha que é tarde demais. Direção: Susanne Bier ★★★ ODEIO O DIA DOS NAMO-RADOS (14 anos, nacional) Cinemark 3. Sessão 15h Débora (Heloísa Pérrisé), uma publicitária que privilegia a carreira em detrimento da vida afetiva, precisa aprovar uma importante campanha cujo cliente é o seu exnamorado Heitor (Daniel Boaventura), que ela dispensou de forma humilhante. Com a ajuda do amigo Gilberto (Marcelo Saback), Débora repensa sua relação amorosa com o ex, enquanto passa por situações hilárias. Direção: Roberto Santucci ✩ O HOMEM DE AÇO (3D) Cinemark 7. Sessão 22h10 (sáb) Um jovem descobre que tem poderes extraordinários e que não é do planeta Terra. Então, ele viaja para descobrir suas origens e o que veio fazer aqui. Mas o herói que tem dentro de si deve se mostrar para que ele salve o mundo da aniquilação e torne-se o símbolo da esperança para toda a humanidade. Direção: Zack Snyder

As filhas Dodora e Dadaça fazem moldura para Vanice Chaves Alves que muda de idade

7

Encerrando temporada 1-Das andanças pelo Velho Mundo alguns registros. Meu agradecimento a Marci Gaymu responsável pelo convite de viagem e com quem dividi a experiência da minha 1ª Bienal de Veneza, Marci foi fundamental, auxiliando nas matérias que assinei para a nossa TN, sobre o que vimos no movimento mundial das artes. Pena, que ela tenha passado mal desde Veneza e retornado a Paris, onde está em tratamento médico com problemas de embolia e colocação de marcapasso. 2-Meu agradecimento aos amigos Matteo MelchiondaSemirames (Nena) que mais uma vez me acolheram em Milão, me proporcionando andanças por Monza (onde fomos muito bem recebidos por Vicky-Genaro)e Firenze ...TEMPORADA dos sonhos com a minha mana Fátima Mann na Alemanha Romântica nas margens do Reno...EM Paris (com Marci em tratamento de saúde) fui acolhida no “Quartier Latin” no studio de Márcia Carrilho, o pedaço mais chique de Paris, onde me senti a própria parisiense...POR FIM meus afilhados Maristela (Azevedo) com Alfredo Mandolfo e o filho Matteo. Adorei conhecer e ser recepcionada pelo francês/carioca François Da Costa (amigo de Márcia Carrilho e da minha amiga Hilde). Me proporcionou uma bela noite parisiense. 3-ANTECIPEI – Com a instabilidade do clima europeu o evento de GRANDES ESCULTORES de Sintra foi transferido para 13 de julho, desta forma era impossível permanecer mais tempo ausente da cidade. E assim voltei!

» PARABÉNS » Vamos festejar hoje o médico Agamenon Queiroz Caldas, José Eduardo, Carlos Mariz Duarte. Amanhã dia 1, começando a semana com parabéns a promotora Nelma Nascimento, Edmar Germano, Hemetério Fernandes Gurgel, Fernando Garibaldi de Freitas, José de Anchieta Pereira Pinto, Luciana Toscano, Célia Maria Freire. Terça dia 2 Francisco José da Silva, Hugo Célio Borges de Lima, José Hermínio Arcoverde, Yasha Emerenciano Barros, Celina Maria Marinho Ramos, Branquinha Pedrosa, Tereza Melo, Marina Barreto, Adriana Sá. Quarta dia 3 Ronaldo Rezende, Nilma Dias Arruda Câmara, Fernando Amaral, Jurema Pignataro, Nize Medeiros, Sanderson Negreiros, Arnaldo Bezerra Filho, Vanice Chaves Alves, João Bezerra Júnior, Laura Helena Pinheiro, Carlos Frederico Mesquita, Terezinha de Jesus Menezes Cruz, Carlos Peixoto.

Ele está de volta: Super Homem DIVULGAÇÃO

Nascido em Krypton, o pequeno Kal-El viveu pouco tempo em seu planeta natal. Percebendo que o planeta estava prestes a entrar em colapso, seu pai (Russell Crowe) o envia ainda bebê em uma nave espacial, rumo ao planeta Terra. Ao chegar ele é criado por Jonathan (Kevin Costner) e Martha Kent (Diane Lane), que passam a chamá-lo de Clark. Com o tempo ele demonstra ter uma força descomunal, o que amedronta seus pais. Eles pedem que ele jamais demonstre seus poderes, mesmo em situações de emergência, já que nem todos conseguirão compreendê-lo por ser diferente das demais pessoas. Ao crescer, Clark (Henry Cavill) se torna uma pessoa isolada e frustrada. Em meio aos seus problemas emocionais, ele resolve usar seus poderes para ajudar a humanidade e se torna o Super-Homem.


8

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 30 de junho de 2013

tnfamília

Vestido Yolla, sapato Santa Lolla e brincos Sol Bijoux Vestido Yolla usado com um colar da Rosana Bernardes para Tereza Tinôco

Vestido Guilhermina e brincos Sol Bijoux Vestido Tereza Tinôco, brincos da Sol Bijoux e sapato Santa Lolla

Vestido Guilhermina e brincos Rosana Bernardes para Tereza Tinôco

A DAMA DE PRETO Quem resiste a um vestido de cor preta? Acreditamos que toda mulher de bom senso tenha um bom “pretinho” no seu guarda- roupa. Se for sexy e longo, melhor ainda. Nesse inverno 2013, os vestidos negros ganharam mais “glamour” e requinte com a utilização de tecidos nobres como musseline, tafetá, gaze e até mesmo tules. Muitos aparecem com referências “barrocas” e aplicação de bordados, perolas, pedras e afins.

Ficha Técnica Direção de Moda: George Azevedo Foto: Luciano Azevedo Beleza: Nil Barbosa (Sinval de Souza) Modelo: Joana Costa (Tráfego Models) Stylist:Weuquens Queiroz Looks: Guilhermina e Tereza Tinôco na Afonso Pena,Yolla na Campos Sales e Sol Bijoux Deluxe no Midway Mall.

GIOVANNA HACKRADT

news ::::::::::::::::::::::::::: Nos preparativo para o Miss Rio Grande do Norte, acontece no próximo dia 06 de julho, sob a batuta de Georgiano Azevedo o Miss Mossoró 2013. O concurso que acontecerá nos salões do Requinte Buffet contará com a participação de 15 belas mulheres usando looks da Estrela Viva, Maison Elegance e Romance Brasil. Na ocasião, que será eleita a candidata do município para participar da etapa estadual acontecerá também o lançamento da 14ª edição da revista Glam. Todo esse evento leva assinatura da Master Produções e Eventos. Sob a batuta do jornalista Toinho Silveira encerra-se hoje a 4ª Feira de Artes e Antiguidade de Petrópolis. O evento que está rolando na Praça das Flores conta com exposições variadas de consagrados artistas do Rio Grande do Norte. Vale à pena conferir!

Vestido Tereza Tinôco usado com brincos da Sol Bijoux

Sânzia Fernandes, parceira da GLAM, anuncia para o mês de agosto a inauguração da nova Carmen Steffens no West Shopping Mossoró. A novidade chega à cidade em formato Concept Store que é uma novidade das franquias da marca. A Maison Tráfego da mamy Zoraide Azevedo está com um

super bazar das peças de coleções passadas de marcas como: Victor Dzenk, Renata Campos, Estrela Viva, entre outras. Tudo com descontos que podem chegar até 60%. Passa lá e garanta o seu! Diego Pereira anuncia para segunda quinzena de julho o lançamento da segunda edição da Revista Casa RN. A publicação tem a Miss Natal 2013, Bárbara Elali, como cover girl da edição com direito a um editorial surpreendente com looks by Valéria Gurgel e fotos de assinadas pela fotógrafa Giovanna Hackradt. Ainda na edição, Kelly Fonseca, Miss Rio Grande do Norte, em um editorial de lingerie de tirar o fôlego e também o “Casar Indica”, índice com sugestões das melhores empresas de serviços para festas e eventos. Show!! Mesmo chegando à reta final dos festejo junino as lojas Avohai continua no clima de festa. São inúmeras as opções de combinações cheias de bom gosto e estilo. Para comemorar este período a grife feminina potiguar preparou uma super oferta. É o “ALAVOHAI, AVOHAIÊ”. Na compra de duas peças em qualquer uma das lojas, você ganha uma terceira peça. Se joga!! 27/06/2013 - 18:14:23pág. 1

Enfim o lançamento da Glam inverno! A revista traz, pela primeira vez, uma convidada especialíssima na capa: a estilista Nthália Faria. E chega chegando na próxima quarta-feira, 03, na Rio Center Mega Store. Na ocasião, vai rolar coquetel by Renata Motta entre 19h e 21h e ainda um “super” desfile com a coleção Day By Day by Nathi Faria. Sobre a Glam a revista será distribuída gratuitamente na banca Cidade do Sol e distribuição no nosso Glam móvel.

Tribuna do Norte - 30/06/2013