Issuu on Google+

Em Macau, o 25 de Abril ...chegou em Maio!

PÁgs 14 a 19

澳 門 論 壇 日 報

10 Patacas

Director José rocha Dinis | Director Editorial executivo Sérgio Terra | Nº 4013 | quarta-feira, 25 de Abril de 2012

Mais velocidade para processo penal O Conselho Executivo deu luz verde a uma proposta de lei que tem como objectivo tornar mais céleres os processos penais, sem afectar os direitos e garantias dos sujeitos intervenientes. Algumas das alterações principais prendem-

se com a atribuição à polícia do poder de aplicação de termo de identidade e residência. É ainda criado o processo simplificado. Já os prazos para a prisão preventiva não foram mexidos. Pág 5

ATFPM denuncia “viciação” no processo de auscultação sobre reforma política Pág 2 Reforço de subsídios para Forças de Segurança custa 40 milhões por ano Pág 4 Mulher suspeita de usar a filha menor para transportar droga

Pág 6

Segurança alimentar prevê fecho de portas para infractores

Pág 7

Associação de taxistas antecipa desistências nas novas licenças

Planeamento urbanístico ganha forma seis anos depois

PÁG 3

Casinos filipinos ambicionam 10% do mercado de Macau em 2016

Construtoras chinesas batem recorde de contratos no exterior

A indústria do jogo das Filipinas deverá absorver em 2016 entre 8% a 10% das receitas geradas pelo mercado de Macau, previu Willy Ocier, vice-presidente da Belle Corp., empresa que decidiu apostar no projecto “Pagcor Entertainment City” em desenvolvimento na zona da baía de Manila. “O mercado de Macau vale actualmente 35 mil milhões de dólares e atingirá cerca de 50 mil milhões em 2016, se tudo correr bem”, antecipou o mesmo responsável, em declarações citadas pelo site “Rappler”. Ocier acredita que os casinos filipinos irão beneficiar do aumento de turistas oriundos de toda a Ásia e das melhorias promovidas ao nível das infra-estruturas.

Empresas de construção chinesas conseguiram em 2011 contratos internacionais que superaram pela primeira vez os 100 mil milhões de dólares, indica um relatório da Associação dos Empreiteiros Internacionais da China divulgado no 3.º Fórum Internacional sobre Investimento e Construção de Infra-estruturas, a decorrer em Macau. As construtoras chinesas assinaram novos contratos no valor de 142,3 mil milhões de dólares, dos quais foram concretizados 103,4 mil milhões. Apesar do recorde do valor global, “devido a circunstâncias negativas do mercado nos projectos internacionais, a taxa de crescimento anual de novos contratos foi de apenas 5,9%, menos 0,6 em relação a 2010”, indica o documento.

Pág 11


local

(...) “Estamos a fazer uma das propostas mais audazes, propondo mais quatro e cortando quatro. Isto porque em Macau muitos dos deputados exercem em regime de part-time, a maioria dos quais são empresários” (...) – Pereira Coutinho

(...) “Não compreendo como é que se pode recolher opiniões na rua e considerá-las válidas, porque uma pessoa pode assinar mais do que uma vez num período de horas” (...) - Idem

PEREIRA COUTINHO ACUSA GOVERNO DE FALTA DE ÉTICA

“Processo de auscultação está viciado” A ATFPM deu ontem a conhecer o resultado das opiniões recolhidas sobre a reforma política. Segundo a associação, a maioria dos inquiridos pretende manter o mesmo número de deputados, mas com mais quatro eleitos pela via directa em detrimento dos nomeados. Pereira Coutinho questionou ainda o processo de auscultação promovido pelo Governo, considerando que pecou pela falta de ética pedro andré santos

C

omeçou a 16 de Março e terminou na segundafeira a recolha de opiniões sobre a reforma política efectuada pela Associação dos Trabalhadores da Função Pública (ATFPM). No total, de acordo com dados da associação, foram consultadas mais de dez mil pessoas, tendo a maioria – em percentagem não especificada - defendido a manutenção dos 29 deputados mas com o aumento de quatro eleitos pela via directa e diminuição de quatro nomeados pelo Chefe do Executivo. A maioria dos entrevistados defendeu também o aumento de 300 para 600 membros da Comissão Eleitoral para a escolha do Chefe Executivo, referem ainda os mesmos dados divulgados pela ATFPM. De acordo com a ATFPM, os entrevistados consideram que a fórmula “2+2”, apresentada pelo Governo na segunda fase da auscultação pública, “é contra a democracia” e um

exemplo de “retrocesso social”. “Estamos a fazer uma das propostas mais audazes, propondo mais quatro e cortando quatro. Isto porque em Macau muitos dos deputados exercem em regime de part-time, a maioria dos quais são empresários”, disse Pereira Coutinho, sublinhando a importância de haver um “empenho total” ao serviço da população. “Não queremos o aumento do número total de deputados. Somente 29, mas eleitos de uma forma diferente”, acrescentou o deputado e presidente da direcção da ATFPM. O líder da ATFPM voltou ainda a lançar críticas à forma como a consulta pública do Governo foi organizada, defendendo a realização de um novo referendo. “Neste momento posso dizer abertamente que o processo de auscultação está viciado. Não compreendo como é que se pode recolher opiniões na rua e considerálas válidas porque uma pessoa pode assinar mais do que uma vez num período de horas”, afirmou o deputado, recordando ainda auscultações feitas

anteriormente que contaram com opiniões de trabalhadores não residentes e até de turistas. Pereira Coutinho sublinhou a importância da “certificação das pessoas” que participam, apontando o dedo ao Governo por falta de ética. “Questionei a forma de fazer a consulta pública. Se uma pessoa for abordada na rua e assinar com uma rúbrica, como é que é identificável essa pessoa? Esta consulta está viciada à partida, vamos ver o que o Governo vai

fazer em relação à certificação das pessoas”, referiu. Em relação aos resultados obtidos pela ATFPM no processo de recolha de opiniões, o mesmo responsável afirmou que houve uma consulta através de palestras, telefone, email, facebook e pessoalmente através de presença na sede da associação. Questionado sobre a veracidade desses mesmos dados, Pereira Coutinho sublinhou que todos os participantes foram confirmados através de contacto telefónico, não ha-

vendo possibilidade da mesma pessoa emitir mais do que uma opinião. “Limitamo-nos a cumprir o dever de colaborar com o Governo na auscultação e cumprimos a missão de saber quantas pessoas aderem à nossa proposta, sabendo que é a melhor”, disse Pereira Coutinho, ao sublinhar que não está em causa uma “corrida”, mas a intenção de “saber exactamente” qual é a posição da sociedade relativamente à democracia.

ADVERTE O ECONOMISTA ALBANO MARTINS

Inflação subiu oito vezes em dois anos O valor da inflação em Macau subiu mais de oito vezes entre Março de 2010 e o mesmo mês do corrente ano, refere o economista Albano Martins, que antecipa uma continuidade da tendência em alta ao longo de 2012

A

taxa de inflação apurada em Macau em Março de 2012 é 1,65 vezes superior ao valor do mês homólogo de 2011 ou 8,27 vezes superior aos dados de Março de 2010, disse ontem à agência Lusa o economista Albano Martins. Albano Martins explica que a taxa de inflação em Março de 2010 era inferior a um por cento (0,74 por cento) – e desde então “cresceu ininterruptamente”, fixando-se nos 3,69 por cento em Março de 2011 e em 6,12 por cento em Março de 2012. “Isto significa que o valor da inflação, de Março de 2010 para Março de 2012, subiu 8,27 vezes ou, por ou-

Subida de 727% na taxa de inflação, desde Março de 2010, é “muito preocupante” para a economia, alerta Albano Martins

tras palavras, 727 por cento, o que é muito preocupante para qualquer economia”, considerou.

O economista traça também um cenário pouco optimista para a subida de preços em Macau - uma cidade que importa a quase totalidade dos bens que consume - prevendo um valor entre os 5,4 por cento e os 6,8 por cento para todo o ano de 2012. “E estou a falar de um cenário moderado”, salientou Albano Martins. Na segunda-feira, os Serviços de Estatística e Censos indicaram que o índice de preços no consumidor cresceu 6,12 por cento nos 12 meses terminados em Março relativamente aos 12 meses anteriores e 6,22 por cento em comparação com o mesmo mês de 2011. Relativamente a Março do ano passado, as subidas mais expressivas incidiram nas “bebidas alcoólicas e tabaco” (mais 27,94 por cento), “produtos alimentares e bebidas não alcoólicas” (mais 9,50 por cento) e “produtos e serviços diversos” (mais 8,35 por cento). Em sentido inverso, só a secção “comunicações” registou uma descida de 6,51 por cento dos preços.

jornal tribuna de macau Propriedade: Tribuna de Macau, Empresa Jor­na­lística e Editorial, S.A.R.L. • Administração: José Rocha Dinis • Director: José Rocha Dinis Director Editorial Executivo: Sérgio Terra • Grande Repórter: Raquel Carvalho • Redacção: Fátima Almeida, Helder Almeida, Pedro André Santos e Viviana Chan • Colaboradores: José Luís Sales Marques, Miguel Senna Fernandes, Rogério P. D. Luz (S. Paulo) e Rui Rey • Colunistas: Albano Martins, António Aresta, António Ribeiro Martins, Daniel Carlier, Henrique Manhão, João Guedes, Jorge Rangel, Jorge Silva, Luis Machado e Luíz de Oliveira Dias • Grafismo: Suzana Tôrres • Serviços Administrativos e Publicidade: Joana Chói (jtmpublicidade@yahoo.com e jtmagenda@ yahoo.com) • Agências: Serviços Noticiosos da Lusa e Xinhua Impressão: Tipografia Welfare, Ltd • Administração, Direcção e Redacção: Calçada do Tronco Velho, Edifício Dr. Caetano Soares, Nos4, 4A, 4B - Macau • Caixa Postal (P.O. Box): 3003 • Telefone: (853) 28378057 • Fax: (853) 28337305 • Email: jtmagenda@yahoo.com (serviço geral) pág 02 quarta-feira, 25 de Abril de 2012 jornal tribuna de macau


“Ainda temos falta de peritos e especialistas em planeamento urbano” - Wong Chan Tong, chefe do gabinete do Secretário para os Transportes e Obras Públicas

local

“A lei não é o planeamento urbanístico em si. O que queremos definir é que possíveis planos Macau pode ter, de modo a orientarmos o nosso trabalho” - idem

PROCESSO DE CONSULTA PÚBLICA COMEÇA HOJE

Lei do planeamento urbanístico este ano Os princípios orientadores da Lei de Planeamento Urbanístico entram hoje em consulta pública. Quem estiver interessado, pode apresentar as suas opiniões até ao dia oito de Junho. De acordo com as previsões do Governo, o diploma será votado pelo Hemiciclo ainda este ano, contudo não há uma data para que o Plano Director e os Planos de Pormenor avancem raquel carvalho

E

xistirão apenas duas sessões de auscultação, uma no dia 5 e outra a 19 de Maio, mas o texto sobre as ideias gerais da Lei do Planeamento Urbanístico estará disponível para consulta pública durante os próximos 45 dias. Regras mais claras, um Conselho de Planeamento Urbanístico e uma Comissão Interdepartamental são algumas das linhas mestras. A proposta de lei prevê ainda a criação do Plano Director e de Planos de Pormenor, contudo estes surgirão somente após a aprovação do diploma. De acordo com o Governo, a proposta deve ser votada na Assembleia Legislativa ainda este ano. Têm sido muitas as vozes a sublinharem a premência do articulado que já está em preparação desde 2006. Este diploma, cujos princípios orientadores são agora dados a conhecer, estabelece o nascimento de um Plano Director e de Planos de Pormenor. O primeiro define aspectos como a estrutura espacial da região, a disposição das infra-estruturas públicas, a classificação e qualificação dos solos ou medidas que se articulem com a política de Salvaguarda do Património Cultural. Já as funções dos Planos de Pormenor passam, por exemplo, pela imposição de condicionamentos de edificação ou o estabelecimento da finalidade do uso dos solos na zona de planeamento. No entanto, ainda não existe uma data para que estes avancem. “A lei não é o planeamento urbanístico em si. O que queremos definir é que possíveis planos Macau pode ter, de modo a orientarmos o nosso trabalho”, esclareceu o chefe do gabinete do Secretário para os Transportes e Obras Públicas, Wong Chan Tong. Segundo explicou, o Plano Director será “um plano legal com eficácia jurídica. E só poderá acontecer depois de termos a

“Os planos urbanísticos publicados não poderão ser alterados arbitrariamente” – Lau Si Io, Secretário para os Transportes e Obras Públicas lei”. “Vamos envidar esforços para apresentar a proposta ainda este ano. Quanto aos diplomas complementares e regulamentos administrativos, esses serão devidamente apresentados ao Chefe do Executivo”, rematou. REGRAS TRANSPARENTES. Apesar da incerteza temporal, ficam garantias: “os planos urbanísticos publicados não poderão ser alterados arbitrariamente”, assegurou o próprio Secretário para os Transportes e Obras Públicas, Lau Si Io. “A fim de permitir que os planos urbanísticos acompanhem o desenvolvimento socioeconómico, o Plano Director deve ser objecto de revisão passados cinco anos, a contar da data da sua entrada em vigor”, pode ler-se no texto de consulta. Já os Planos de Pormenor “podem” ser revistos decorrido o mesmo período temporal. O diploma estabelece ainda que a alteração do Plano Director deve sempre ser precedida de uma auscultação pública não inferior a 60 dias e da audição do Conselho de Planeamento Urbanístico. Ao mesmo tempo, a lei prevê que existam alterações dos Planos de Pormenor, por exemplo em caso de “necessidade de implementação ou de alteração dos planos de gestão do ‘Centro Histórico de Macau’” ou quando esteja em causa a “concretização de projectos no âmbito do reordenamento dos bairros antigos”. A complementaridade entre este articulado e a Lei de Salvaguarda do Património - já na Assembleia Legislativa – é óbvia, admitiu Wong Chan Tong. No entanto, o mesmo responsável considera que “não têm de ser aprovadas simultaneamente”. De acordo com o diploma, a elaboração de planos urbanísticos terá de ser coordenada por urbanistas que possuam, pelo menos, cinco anos de experiência profissional. UMA COMISSÃO E UM CONSELHO. A criação de uma Comissão Interdepartamental à qual caberá participar na elaboração, revisão e alteração dos planos urbanísticos é outro dos passos que o Executivo da RAEM tenciona dar. Esta será composta por representantes dos serviços públicos com atribuições relacionadas com o planeamento urbanístico, “devendo a mesma apresentar parecer depois da conclusão dos trabalhos”.

É também a esta Comissão Interdepartamental que compete “acompanhar e avaliar de forma contínua a aplicação e implementação dos planos urbanísticos”. À semelhança do que acontece com a Lei de Salvaguarda do Património Cultural, será também criado um Conselho de Planeamento Urbanístico. Segundo explica o diploma, este organismo abrange várias áreas, tais como “arquitectura, cultura, paisagem, ecologia, transportes e engenharia”. É à partida um “órgão consultivo”, tendo como função “proceder à discussão das matérias importantes do planeamento urbanístico”, bem como “emitir e submeter um parecer ao Governo”. Antes da elaboração, revisão e alteração dos planos urbanísticos, o Conselho de Planeamento Urbanístico deverá ser ouvido. Wong Chan Tong acredita que este vai ser um “órgão muito importante para fazer o estudo e planeamento, e também para ouvir a população”. Com o “desenvolvimento dos trabalhos” e com uma maior maturidade, é possível que este Conselho ganhe mesmo “poder de decisão”, admite o representante do Executivo. A intenção é que o órgão tenha uma composição ecléctica: “académicos, especialistas e outras personalidades de reconhecido mérito no domínio do planeamento urbanístico e em outras áreas com ele relacionadas”. A quantidade de elementos da Administração Pública deve ser inferior a metade do número total, com o mandato das mesmas individualidades a ser de dois anos, renovável uma vez por período igual. O diploma inclui ainda a hipótese de na dependência do Conselho serem criados “grupos especializados para o estudo e acompanhamento de questões específicas”. Além disso, pode “contratar fora da RAEM peritos qualificados nas áreas de planeamento urbanístico, conservação de património cultural, protecção do ambiente ecológico, transporte, construção civil e hidrografia para a prestação de assessoria nas matérias importantes no planeamento urbanístico”. Segundo indica o texto de consulta, “os membros do Conselho e dos grupos especializados estão sujeitos ao regime de impedimentos”. EXPROPRIAÇÃO POR CAUSA PÚBLI-

CA. Com o novo diploma fica ainda prevista a expropriação efectuada pelo Governo por causa de utilidade pública, algo que vai ao encontro da Lei no.º12/92/M, de 17 de Agosto. A Administração pode ainda “expropriar, parcelarmente, as áreas necessárias à execução dos Planos de Pormenor que estiverem em causa”. Sem apontar valores, o texto disponível para consulta indica apenas a existência de multas caso ocorram infracções administrativas, tal como o embargo e demolição de obras. Simultaneamente, estão também previstas “garantias dos particulares”. Nesse âmbito, o Governo prevê a existência de indemnizações, cujo montante será calculado segundo a “diferença entre o valor do solo antes e depois das restrições provocadas pelos planos urbanísticos”, atendendo aos “diplomas legais vigentes em matéria de expropriação”. Wong Chan Tong deixou, porém, uma garantia: “vamos optar por um processo de transparência”. OS GRANDES PROBLEMAS. Os resultados de um “estudo do sistema de planeamento urbanístico de Macau”, realizado pelo Executivo da RAEM em colaboração com duas instituições de Guangdong e já concluído em Novembro de 2010, foi revelado ontem. Entre os principais problemas do território, destaca-se uma “tipologia de planeamento imperfeita, relações lógicas pouco coerentes e baixa hierarquia no ordenamento jurídico”. Por outro lado, há “falta de clareza no processo do planeamento urbanístico e de protecção em termos do regime na participação pública”. Isto para além de “procedimentos de autorização pouco claros” e “falta de clareza no regime de alteração do planeamento e nas políticas de apoio”. O chefe do Gabinete do Secretário para os Transportes e Obras Públicas lembrou que Macau está numa “fase inicial” nesta área, embora a proposta esteja a ser elaborada há já quatro anos. “Ainda temos falta de peritos e especialistas em planeamento urbano”, argumentou. O texto em consulta não é a proposta em si. “Extraímos as partes mais importantes da lei” para que “o público melhor possa compreender o conteúdo”, explicou Wong Chan Tong. As duas únicas sessões de auscultação acontecem no próximo dia 5 de Maio e depois a 19 do mesmo mês. Ambas no edifício da Direcção de Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes, localizado na Estrada de D. Maria II. Após este período, o diploma sofrerá uma nova revisão para depois entrar em processo legislativo.

jornal tribuna de macau quarta-feira, 25 de Abril de 2012 pág 03


GUANGDONG “EXPLICA” CEPA. Responsáveis da Província de Guangdong estarão amanhã em Macau para explicar as novas medidas preferenciais do Suplemento VIII ao CEPA. Durante a sessão, a realizar no World Trade Center, serão ainda abordadas as políticas de apoio de Guangdong às pequenas e médias empresas de Macau estabelecidas na província vizinha.

local

PRIMEIRO CASO DE ENTEROVÍRUS 71. Os Serviços de Saúde registaram o primeiro caso de infecção colectiva por enterovírus EV71, na creche “O Coelhinho” da Associação das Mulheres. Das 10 crianças com sintomas, duas foram infectadas pelo enterovírus 71, mas acabaram todas por recuperar. As autoridades ordenaram uma evicção escolar até hoje, para travar a propagação da doença.

PROPOSTA PREVÊ ENCARGO ANUAL DE 40 MILHÕES

Forças de Segurança vão ter mais subsídios Desporto junta mais de 300 guardas prisionais

O Executivo de Macau propôs legislação sobre subsídios de risco para as Forças e Serviços de Segurança locais, que representará um encargo anual de 40 milhões de patacas, foi ontem anunciado

A RAEM acolhe até amanhã o 6º Encontro Desportivo de Guardas Prisionais de Guangdong, Hong Kong e Macau, uma iniciativa que tem por objectivo reforçar as relações entre as instituições dos três territórios, divulgar a cultura desportiva e promover o treino do pessoal que desempenha funções penitenciárias. Organizada pelo Estabelecimento Prisional de Macau, a edição deste ano também conta com a participação especial de uma equipa da Direcção dos Serviços Prisionais de Singapura e uma visita de estudo de uma delegação da Autoridade Prisional de Pequim. Mais de 300 atletas de Guangdong, Hong Kong, Macau e Singapura vão cumprir um programa desportivo composto por sete modalidades: tiro, tracção à corda, futebol, basquetebol, badminton, atletismo e bowling. O evento foi ontem inaugurado no Centro Desportivo Olímpico da Taipa, numa cerimónia presidida pelo Secretário para a Segurança, Cheong Kuoc Vá.

proposta de Lei, que será entregue à Assembleia Legislativa, avança a criação de dois novos tipos de subsídio e aumentos em outros, para “atrair o pessoal qualificado” e para compensar dificuldades e riscos derivados do exercício de algumas funções, anunciou o porta-voz do Conselho Executivo, Leong Heng Teng. Em causa está a criação para a Polícia Judiciária do abono de alimentação - do qual já beneficiam a Polícia de Segurança Pública, Corpo de Bombeiros, Corpo de Guardas Prisionais e Serviços de Alfândega - e de novos subsídios de especialidade para as forças de Segurança. Vão ser estabelecidos subsídios de especialidade para os “negociadores” da Polícia Judiciária, no valor de 3.100 patacas e para os condutores de veículos especiais no valor de 620 patacas. Os agentes de investigação criminal que recorram ao uso de viatura própria vão usufruir de um apoio acessório mensal de 4.340 patacas.

A

O diploma propõe também a actualização de outras remunerações acessórias, num total de seis, entre as quais a do subsídio de risco de mergulhador (Serviços de Alfândega), que passará para 4.340 patacas. Os subsídios para elementos do grupo de operações especiais e de desactivação de engenhos explosivos, por exemplo, sobem para 7.440 patacas.

Lembrando que a maior parte dos valores em questão não sofre alterações há mais de 10 anos, o Governo considerou que, face ao desenvolvimento sócio-económico da RAEM e consequente aumento da procura de recursos humanos, tornava-se necessário rever os subsídios já existentes e criar novas subvenções, até porque algumas valências operacionais envolvem “especial penosidade” e “risco acrescido”.

ANÚNCIO

ANÚNCIO

[ N.º 107/2012 ]

[ N.º 113/2012 ]

Para os devidos efeitos vimos por este meio notificar os representantes dos agregados familiares do concurso de habitação económica abaixo indicados, no uso da competência delegada pela alínea 19) do n.º 3 do Despacho n.º 09/IH/2012, publicado no Boletim Oficial da RAEM, n.º 13, II Série, de 28 de Março de 2012 e nos termos do n.º 2 do artigo 72.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro: Nome LOK TIT HONG YUAN FENGXIA IEONG UN KEI LEI KUONG WA NIP I TENG

Subsídio de risco de mergulhador passará para 4.340 patacas

N.º do boletim de candidatura 1139 1292 15211 16278 29166

Por causa dos representantes dos agregados familiares acima mencionados não comparecerem neste Instituto para a escolha de habitação após a emissão da segunda convocação, as respectivas candidaturas serão excluídas na lista geral, de acordo com os termos da alínea 2) do n.º 5 do artigo 60.º da Lei n.º 10/2011 (Lei da habitação económica) e alínea a) do artigo 14.º do Regulamento de Acesso à Compra de Habitações Construídas no Regime de Contrato de Desenvolvimento para a Habitação, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 26/95/M, de 26 de Junho, revisto pelo Regulamento Administrativo n.º 25/2002. Tendo este Instituto publicado um anúncio na imprensa de língua chinesa e língua portuguesa, no dia 21 de Março de 2012, a solicitar aos interessados acima mencionados para apresentarem por escrito as suas contestações pelos factos acima referidos no prazo de 10 (dez) dias a contar da data de publicação do referido anúncio, mas não fizeram a entrega das suas contestações dentro do prazo indicado, assim como da decisão do despacho do signatário, exarado na Informação n.º 0998/DAHP/DAH/2012, as respectivas candidaturas foram excluídas da lista geral de espera. E nos termos das alínea b) do n.º 2 do artigo 145.º, n.º 1 do artigo 154.º, n.º 1 do artigo 155.º e n.º 1 do artigo 157.º do Código do Procedimento Administrativo, cabem recurso hierárquico necessário da respectiva decisão administrativa, ao Presidente deste Instituto, no prazo de 30 (trinta) dias a contar da data de publicação do presente anúncio, o recurso hierárquico tem efeito suspensivo. O Chefe do Departamento de Assuntos de Habitação Pública, Cheang Sek Lam 20 de Abril de 2012

pág 04 quarta-feira, 25 de Abril de 2012 jornal tribuna de macau

Para os devidos efeitos vimos por este meio notificar os representantes dos agregados familiares da lista de candidatos a habitação social abaixo indicados, no uso da competência delegada pela alínea 16) do n.º 3 do Despacho n.º 09/IH/2012, publicado no Boletim Oficial da RAEM, n.º 13, II Série, de 28 de Março de 2012 e nos termos do n.º 2 do artigo 72.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro: Nome Wong Ka Man Hoi Long Chai Fong Soi Sam

N.º do boletim de candidatura 5008558 5025596 5046567*

Após as verificações deste Instituto, notamos que os elementos dos agregados familiares de candidatos a habitação social acima mencionados são elementos que figurem nos boletins de candidatura de outros agregados familiares, aos quais este Instituto já tenha autorizado a aquisição de habitação construída em regime de contratos de desenvolvimento para a habitação nos termos do Decreto-Lei n.º 13/93/M, de 12 de Abril, pelo que não reúnem os requisitos exigidos para a candidatura, nos termos da alínea 3) do n.º 4 do artigo 3.º do Regulamento Administrativo n.º 25/2009 (Atribuição, Arrendamento e Administração de Habitação Social). Tendo este Instituto publicado um anúncio na imprensa de língua chinesa e língua portuguesa, no dia 23 de Março de 2012, a solicitar aos interessados acima mencionados para apresentarem por escrito as suas contestações pelos factos acima referidos no prazo de 10 (dez) dias a contar da data de publicação do referido anúncio, mas não fizeram a entrega das suas contestações dentro do prazo indicado. Nos termos dos artigo 46.º do Regulamento Administrativo n.º 25/2009 e artigo 5.º, n.º 2 do artigo 9.º e alínea 2) do artigo 11.º do Regulamento de Candidatura para Atribuição de Habitação Social, aprovado pelo Despacho do Chefe do Executivo n.º 296/2009, assim como do despacho do signatário, exarado na Informação n.º 1017/DAHP/DAH/2012, as respectivas candidaturas foram excluídas da lista geral de espera. *Simultaneamente, foi cessado a concessão de abono de residência por o agregado familiar beneficiário ter sido excluido da lista geral de espera, de acordo com os termos da alinea 1) do n.º 1 do artigo 8.º do Regulamento Administrativo n.º 23/2008 (Plano Provisório de Atribuição de Abono de Residência a Agregados Familiares da Lista de Candidatos a Habitação Social). E nos termos das alínea b) do n.º 2 do artigo 145.º, n.º 1 do artigo 154.º, n.º 1 do artigo 155.º e n.º 1 do artigo 157.º do Código do Procedimento Administrativo, cabem recurso hierárquico necessário da respectiva decisão administrativa, ao Presidente deste Instituto, no prazo de 30 (trinta) dias a contar da data de publicação do presente anúncio, o recurso hierárquico tem efeito suspensivo. O Chefe do Departamento de Assuntos de Habitação Pública, Cheang Sek Lam 20 de Abril de 2012


NOMURA RECOMENDA ACÇÕES DA GALAXY. As acções da Galaxy foram consideradas a melhor opção de investimento entre as operadoras de jogo de Macau pelos analistas da Nomura, noticiou a Macau Business. A consultora elevou o preço alvo das acções da Galaxy em 20%, para 29 dólares de Hong Kong.

local

NOVE APARTAMENTOS RENDEM 144 MILHÕES. O fundo Macau Property Opportunities vendeu nove apartamentos no One Central pelo valor total de 144,4 milhões de dólares de Hong Kong. A empresa continua a deter 13 fracções habitacionais no complexo residencial de luxo.

PROPOSTA DE LEI APRovADA PELO CONSELHO EXECUTIVO VAI SEGUIR PARA AL

Mais velocidade para processo penal O objectivo, segundo o Governo, é tornar mais céleres os processos penais, sem afectar, contudo, os direitos e garantias dos sujeitos processuais. Algumas das alterações principais prendemse com a atribuição à polícia do poder de aplicação de termo de identidade e residência e a criação do processo simplificado. Já os prazos para a prisão preventiva não foram mexidos, ao contrário dos prazos para recursos HELDER ALMEIDA

A

proposta de lei que vai alterar o Código de Processo Penal (CPP), apresentada ontem em Conselho Executivo, vai dar competências aos órgãos de polícia criminal para, durante a fase de inquérito, poderem aplicar a medida de coacção de termo de identidade e residência. Ao nível dos processos especiais, é criado ainda o processo simplificado, que tem o objectivo de tornar mais célere o julgamento de casos simples e menos graves que não se enquadrem no processo sumário. A proposta vai seguir para a Assembleia Legislativa para ser debatida pelos deputados. Em relação à prisão preventiva, o subdirector dos Serviços de Reforma Jurídica e do Direito Internacional, Chan Hin Chi, assegurou que “não há nenhuma alteração”. Deixou ainda a garantia de que a aceleração dos procedimentos processuais “não vai lesar os direitos e garantias dos intervenientes”. A partir do momento que a nova legislação seja aprovada, passam a existir três tipos de processos: sumário e sumaríssimo, que agora surgem alterados, e simplificado. Este novo tipo de processo vai passar a abranger crimes puníveis com pena de prisão não superior a três anos (ainda que com pena de multa ou só com pena de multa) e “existência de provas simples e evidentes de que resultem indícios suficientes de se ter verificado o crime e de quem foi o seu agente”, segundo se lê no documento de apresen-

Direitos e garantias dos sujeitos processuais vão ser garantidos, diz o Executivo

tação da proposta de lei e de acordo com o que foi explicado por Chan Hin Chi. Mas o que são provas simples e evidentes? Segundo o novo texto, quando “o agente [infractor] tenha sido detido em flagrante delito, mas o julgamento não possa efectuar-se sob a forma de processo sumário” e a prova seja essencialmente documental e assente em testemunhas presenciais com versão uniforme dos factos. “É um processo especial e temos de reunir cumulativamente estes requisitos”, apontou Chan Hin Chi. Já o processo sumaríssimo vai passar a abranger crimes puníveis com pena de prisão de limite máximo não superior a três anos, dependentes de acusação particular (desde que com a concordância do assistente), quando o Ministério Público (MP) entenda que para um arguido em determinado caso deva ser aplicada pena ou medida de segurança não privativas da liberdade. Ou quando o MP requer ao juiz de instrução criminal que a aplicação da pena ou medida de de segurança não

privativa da liberdade tenha lugar em processo sumaríssimo. A principal alteração ao processo sumário visa alargar o âmbito de aplicação. Assim, é proposta a eliminação da restrição segundo a qual não pode haver processo sumário quando a detenção em flagrante delito tiver sido feita por outra pessoa. Segundo dados oficiais, no ano passado foram julgados de forma sumária 976 processos penais. TERMO DE IDENTIDADE E RESIDÊNCIA NÃO FOI CONSENSUAL. Quanto à extensão do termo de identidade e residência, Chan Hin Chi adiantou que é justificável porque em certas investigações é necessária a sua aplicação por parte da polícia. Mas confirmou que foi uma decisão “em que algumas entidades concordaram e outras não”. Também houve mexidas no regime de recursos. Com o objectivo de evitar a rejeição imediata, é proposto que, no caso de se considerar que o recurso não está completo, o recorrente possa completar

as conclusões formuladas no prazo de 10 dias. O relator vê ainda aumentadas as suas competências decisórias (vai poder proferir decisão sumária após exame preliminar de certas matérias), a conferência vai ver reduzidas as matérias a apreciar e vão ser diminuídos os casos de julgamento do recurso em audiência. A nova lei passa a consagrar expressamente os limites temporais para a busca domiciliária. Se agora, uma autoridade pode proceder a uma busca entre o nascer e o pôr-do-sol, depois da aprovação, o período entre as 21:00 e as 06:00 é interdito a quaisquer buscas domiciliárias. Todas as audiências vão passar também a ser gravadas, independentemente de requerimento por parte do Ministério Público, do defensor ou do advogado do assistente. Deve passar, ainda, a estar consagrada, expressamente, a exigência da fundamentação da sentença pelo juiz. Deste modo, deve passar a ser incluído “um exame crítico das provas que serviram para formar a convicção do tribunal”. Outras alterações visam tornar em processos urgentes aqueles em que intervierem arguidos não residentes e alargar o âmbito da assistência obrigatória do defensor aos cegos e menores. Há prazos processuais alterados, neste caso de 10 para 20 dias. Isto acontece quando o lesado quiser deduzir em processo penal um pedido de indeminização civil, ou alguém contra quem esse pedido tiver sido deduzido queira recorrer. E para os interessados poderem ter mais tempo para preparar um recurso, é proposto também um aumento do prazo de 10 para 20 dias. Os autos devem passar a estar disponíveis para consulta, para os sujeitos processuais, mediante o fornecimento de uma cópia na secretaria do tribunal a quem o requerer. Na ausência do arguido, o regime de julgamento é simplificado: no máximo, vai poder haver dois adiamentos. E em caso de falta de algum dos assistentes, a parte civil, as testemunhas ou peritos, desde que o arguido esteja presente, a audiência não é adiada, mesmo que essa presença seja “indispensável à boa decisão da causa”. O actual CPP entrou em vigor a 1 de Abril de 1997.

PROPOSTA DEFINE PRINCÍPIOS REGULADORES PARA ACIDENTES AERONÁUTICOS

Investigar sem responsabilizar O Conselho Executivo aprovou uma proposta de lei que define os princípios reguladores da investigação de acidentes e incidentes aeronáuticos. O diploma dá ênfase à prevenção e exclui “qualquer responsabilização”

A

proposta de lei da “Investigação de Acidentes e Incidentes Aeronáuticos e da Protecção da Informação de Segurança Aérea” tem como pano de fundo a aplicação à RAEM da Convenção sobre a Aviação Civil Internacional, assinada em Chicago a 7 de Dezembro de 1944. Segundo salientou o Conselho Executivo, no quadro dessa Convenção, Macau assumiu “numerosas obrigações destinadas a garantir a segurança operacional da aviação civil”, uma das quais “consiste na obrigatoriedade de investigação de acidentes e incidentes aeronáuticos” ocorridos no território com a “finalidade exclusiva de os prevenir”. Nesse sentido, o Conselho Executivo sublinha que

“a investigação levada a cabo nos termos desta proposta de lei não visa qualquer responsabilização mas exclusivamente a prevenção de acidentes e incidentes aeronáuticos”. No fundo, o diploma vai estabelecer “princípios reguladores da investigação” de acidentes e incidentes aeronáuticos, da responsabilidade da RAEM, bem como princípios que garantam a protecção da informação da segurança aérea. Nos termos da proposta, todos os acidentes e incidentes ocorridos com qualquer tipo de aeronave na RAEM ou no espaço aéreo sob a sua jurisdição devem ser obrigatoriamente notificados à Autoridade de Aviação Civil.

Além de alguns aspectos técnicos sobre a investigação, o documento prevê ainda, como atribuições da Autoridade de Aviação Civil, a promoção de estudos e propostas de medidas de prevenção que visem reduzir a sinistralidade aeronáutica, a elaboração e divulgação de relatórios técnicos sobre acidentes e incidentes e a participação em actividades desenvolvidas a nível de organizações internacionais neste domínio. Na proposta está consagrado o princípio da confidencialidade na recolha e tratamento da informação de segurança aérea. O diploma deverá entrar em vigor 120 dias após a data da sua publicação. jornal tribuna de macau quarta-feira, 25 de Abril de 2012 pág 05


FURTO RENDEU MAIS DE MEIO MILHÃO. Um furto a uma residência, na Taipa, lesou um residente de Macau entre 560 e 600 mil patacas, em dinheiro e objectos. O assalto ocorreu durante o dia quando a vítima estava a trabalhar, suspeitando as autoridades que a porta terá sido arrombada.

local

EMPREGADA DESAPARECEU COM O DINHEIRO. Uma residente do território acabou por ter uma surpresa bastante desagradável ao verificar, quando chegou a casa, que tinham sido levadas 42 mil patacas. O dinheiro terá sido roubado pela empregada, uma mulher de origem vietnamita, que também já tinha desaparecido quando a vítima voltou ao apartamento.

MULHER DETIDA POR SUSPEITA DE TRÁFICO DE ESTUPEFACIENTES

Usava a filha para transportar droga Uma mulher e um homem foram detidos no âmbito de uma investigação das autoridades que visou o combate ao tráfico de droga. A filha da detida, ainda menor de idade, terá feito várias transportes de droga, segundo a polícia PEDRO ANDRÉ SANTOS

É

mais um caso de droga que levou à detenção de duas pessoas com a particularidade de não ter sido encontrado qualquer estupefaciente, mas apenas diversos utensílios habitualmente utilizados no consumo. Há duas semanas os agentes da Polícia Judiciária (PJ) receberam informações de que uma mulher andaria a vender droga na zona norte da cidade. Após algum tempo em patrulha e investigações, acabaram por encontrar um homem suspeito no local. Uma revista ao indivíduo, de 38 anos, não detectou qualquer droga, mas levou à descoberta de três seringas. Após o habitual interrogatório, o homem terá confessado o paradeiro da mulher que a polícia procurava. Na habitação da suspeita foi feita nova busca e acabaram por ser encontrados mais utensílios para o consumo de droga, nomeadamente 38 pequenos tubos e outra parafernália. Da droga, no entanto, nem sinal.

Porém, a filha da suspeita terá dito às autoridades que transportou várias vezes droga a pedido da mãe, recebendo 80 patacas por cada distribuição. Como se trata de uma menor, a jovem foi entregue a assistentes sociais, enquanto que a mãe ficou a cargo das autoridades por suspeita de tráfico de estupefacientes. Outros três casos de droga foram revelados pelas autoridades. O primeiro surgiu no decorrer de uma operação anticrime da PJ realizada na segunda-feira que detectou um indivíduo suspeito na zona do Iao Ho. Como estava bastante nervoso, foi revistado pelos agentes, tendo sido encontrados na sua posse 20 comprimidos de midazolam e heroína com um total de 1,19 gramas, e ainda uma seringa. O indivíduo, de 55 anos, terá confessado que comprou a droga umas horas antes em Zhuhai a troco de 300 renminbis. Igualmente na segunda-feira foi detido um jovem residente do território de 26 anos. O indivíduo suscitou as suspeitas das autoridades porque estava a conduzir o

Corpo de recém-nascido encontrado na água O corpo de um bebé recém-nascido foi encontrado ontem de manhã na água perto da estátua de Kuan Iam, na zona do NAPE. O alerta foi dado à Polícia de Segurança Pública por um residente que passava no local e viu o corpo do bebé, ainda com o cordão umbilical. A causa da morte está ainda a ser investigada.

Autoridades encontraram diversa parafernália para o consumo de droga

automóvel muito devagar, revelando sérias dificuldades em seguir a direito. Os agentes realizaram um teste de alcoolemia que foi negativo, mas como tinha pó branco no nariz foi-lhe pedido que realizasse análises no hospital que acusaram “ketamina”. Foi-lhe aplicada uma pena de três meses de prisão. Durante a madrugada e no decorrer de mais uma operação anticrime, desta vez na Areia Preta, os agentes da PJ encontraram outro indivíduo que aparentava estar muito nervoso face à proximidade das autoridades, tendo sido encontrado na sua posse um saco com 1,21 gramas de “ketamina”. COMO GASTAR UM MILHÃO EM TRÊS DIAS. Noutro caso revelado pelas autoridades, um homem da China Continental terá sido sequestrado depois de ter gasto um milhão de dólares de Hong Kong

de dois indivíduos que lhe terão emprestado o dinheiro para jogar no casino. Segundo terá contado, o indivíduo foi abordado pelos dois homens que se ofereceram para lhe emprestar o dinheiro para jogar, cobrando-lhe 10 por cento em juros por cada aposta feita. O “vício” despertou na quinta-feira, mas no domingo o dinheiro já tinha “desaparecido” nas mesas de jogo. Como não tinha meios para pagar, acabou por ficar retido contra a sua vontade num quarto de um hotel situado na Taipa. Foi “incentivado” a ligar aos familiares para pedir que lhe transferissem dinheiro para pagar a dívida, mas em vez disso denunciou o caso ao irmão que posteriormente contactou as autoridades. A polícia acabou por se deslocar ao local e colocar um ponto final no sequestro.

RESIDENTES DE MACAU PEDEM COMPENSAÇÕES A GUANGDONG

Insatisfeitos com fim das “duas matrículas” A suspensão da política “uma casa, duas matrículas” surpreendeu as empresas imobiliárias de Zhuhai, mas também alguns residentes de Macau que compraram casas na cidade vizinha e que agora exigem “compensações justas” ao Governo de Guangdong viviana chan

N

a semana passada, as autoridades da Província de Guangdong decidiram, de forma repentina e algo inesperada, suspender a política de oferta de duas matrículas aos residentes de Macau que adquirissem fracções habitacionais em Zhuhai. A decisão surgiu na sequência de uma série de medidas implementadas nos últimos meses com o objectivo de estancar a escalada de preços das habitações no Interior da China, mas não deixou de surpreender vendedores e compradores. De acordo com o Jornal do Cidadão, vários compradores residentes de Macau que pagaram as casas adquiridas em Zhuhai mas não chegaram a receber a prometida matrícula, já fundaram uma associação com o intuito de defender os seus interesses nesta matéria. O grupo pretende unir esforços para solicitar às autoridades de Macau que alertem as entidades competentes do Continente para o problema. O objectivo final é exigir ao Governo de Guangdong o pagamento de compensações pelo fim abrupto da referida política de incentivo. Por sua vez, as empresas imobiliárias de Zhuhai temem que, apesar dos residentes de Macau não figurarem pág 06 quarta-feira, 25 de Abril de 2012 jornal tribuna de macau

Política “uma casa, duas matrículas” seduziu vários residentes de Macau, mas alguns não chegaram a beneficiar totalmente das medidas de incentivo

como os principais compradores, a suspensão da política “uma casa, duas matrículas” provoque a perda de um número significativo de potenciais clientes, numa altura em que o mercado dá sinais de menor actividade. Em Outubro do ano transacto, o JTM esteve em Zhuhai, onde vários agentes imobiliários reconheceram que a política agora suspensa contribuiu para o “boom” do sector, atraindo residentes de Macau, Hong Kong, Taiwan e outras pessoas com passaportes estrangeiros. Tudo porque os clientes podiam pedir uma matrícula de carro para circulação no Interior da China, desde que comprassem

casas em primeira mão em Zhuhai, por valores iguais ou superiores a um milhão de renminbis, pagos de uma só vez. Anteriormente, apenas poderiam obter licenças de matrículas para circular nas estradas do Interior da China as empresas com capitais externos que tivessem investido determinado montante no país. Nos últimos meses, as autoridades de Zhuhai estão também a apertar o cerco aos transportes ilegais na cidade, tendo detectado alguns carros privados, com duas matrículas, em situações irregulares quando se deslocavam de ou para Macau.


PAGAR ÁGUA COM MACAU PASS. Os clientes da Macau Water deverão poder começar a usar o cartão “Macau Pass” para pagar as contas da água a partir do próximo mês. Para tal, será instalada uma máquina de auto-pagamento no Centro de Clientes da Macau Water.

local

TROÇO DE TÚNEL DE KÁ HÓ CUSTA 128 MILHÕES. O consórcio Min Da-Top Builders-Tong Lei vai receber do Governo 128,4 milhões de patacas pela construção do troço exterior sul (zona 1) do túnel de Ká Hó. Segundo um despacho do Executivo, o pagamento será feito em três anos.

PROPOSTA DE LEI JÁ ESTÁ NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Segurança alimentar prevê fecho de portas Os estabelecimentos que produzam ou comercializem produtos alimentares nocivos poderão vir a receber ordem de encerramento, temporário ou definitivo. Esta possibilidade faz parte das penas acessórias inscritas na proposta de lei de segurança alimentar que já deu entrada na Assembleia Legislativa sérgio terra

O

encerramento definitivo dos estabelecimentos é uma das penas acessórias previstas na proposta de lei de segurança alimentar para punir a prática do crime de produção e comercialização de géneros alimentícios nocivos, independentemente de estarem em causa pessoas singulares ou colectivas. Outra possibilidade preconizada pelo diploma passa pelo fecho dos estabelecimentos infractores por um período compreendido entre um mês e um ano. De acordo com a proposta, cujo conteúdo integral já foi disponibilizado pela Assembleia Legislativa depois de ter sido apresentado em traços gerais pelo Conselho Executivo na semana passada, as penas acessórias incluem ainda a proibição do exercício de certas profissões ou actividades por um período de um a três anos, bem como a privação do direito de participação em ajustes directos, concursos públicos, feiras e mercados, também durante o mesmo intervalo temporal. A lista das penas acessórias, que podem ser aplicadas de forma isolada ou cumulativa, abarca também a privação do direito à atribuição de subsídios ou benefícios pelas entidades públicas, durante um a três anos. Por outro lado, o documento aponta

as multas (entre 250 e 15.000 patacas diárias até um máximo de 600 dias) e a dissolução judicial como as penas principais aplicáveis às pessoas colectivas que venham a cometer o crime de produção e comercialização de géneros alimentícios nocivos. Ainda no domínio da responsabilidade penal, são descritos os produtos nocivos que poderão originar penas de prisão até cinco anos ou de multa até 600 dias, em casos de risco para a integridade física de outrem. Neste âmbito inserem-se, entre outros, os produtos que contenham matériaprima não alimentar ou substância química que não seja aditivo alimentar, géneros alimentícios rejeitados ou fora do prazo de validade ou que tenham microrganismos patogénicos, resíduos de pesticida ou de

medicamento veterinário, metais pesados, substâncias radioactivas ou outras prejudiciais à saúde humana. Para os casos de negligência foi fixada uma moldura que vai da pena de prisão até um ano ou multa até 120 dias. O Executivo da RAEM propõe igualmente a aplicação de multas de 50 mil a 600 mil patacas para as infracções administrativas, mesmo que não representem perigo para a integridade física das pessoas, bem como multas de 20 mil a 250 mil patacas para os produtores e entidades que vendam produtos que não respeitem os requisitos de higiene. Para as infracções administrativas foram ainda propostas sanções acessórias, nomeadamente a interdição do exercício da respectiva actividade e o fecho

do estabelecimento, por um período variável entre seis meses e dois anos. Caso sejam aplicadas sanções acessórias, as entidades públicas competentes podem determinar a caducidade das licenças de exploração dos estabelecimentos em questão. CRITÉRIOS DE SEGURANÇA ALIMENTAR. Conforme tinha sido referido pelo Conselho Executivo, os critérios de segurança alimentar terão de ser aprovados por despacho do Chefe do Executivo, mediante proposta do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), no entanto, o documento submetido à apreciação dos deputados já deixa algumas pistas sobre a matéria, nomeadamente no que se refere à abrangência desses princípios. Nesse sentido, os critérios deverão abarcar as normas relativas aos teores máximos de microrganismos patogénicos e outras substâncias nocivas, os tipos de aditivos alimentares e os limites da sua utilização, bem como os requisitos relacionados com ingredientes nutritivos dos géneros alimentícios destinados exclusivamente a bebés, crianças ou grupos específicos. Outros aspectos também destacados no diploma visam ainda os requisitos de higiene e qualidade na produção e venda de produtos alimentares. Recorde-se que esta proposta de lei pretende concentrar no IACM as competências em matéria da segurança alimentar e perspectiva a criação de um Centro de Segurança Alimentar. Sob a alçada do IACM, este centro assumirá funções de supervisão e gestão da segurança alimentar e deverá incluir na sua estrutura 20 fiscais, aos quais será confiada a missão de fiscalizar os locais ou estabelecimentos que produzem e vendem produtos alimentares. Caso seja aprovado, o diploma agora encaminhado para a Assembleia Legislativa entrará em vigor 90 dias após a data da sua publicação.

GOVERNO promete terminar proposta este ano

Lei do erro médico prestes a sair da gaveta Depois de alguns anos de indefinições, a proposta de lei do erro médico deverá ficar pronta ainda este ano, de acordo com o Governo. No âmbito do diploma está prevista a constituição de uma comissão de peritagem

O

Executivo de Macau garantiu ontem que pretende concluir a proposta de lei do erro médico até ao final do ano, selando uma promessa antiga, mas repetida nas Linhas de Acção Governativa para 2012 por Chui Sai On. Além da garantia, dada numa reunião da 3.ª Comissão Permanente da Assembleia Legislativa e transmitida pelo deputado Cheang Chi Keong, que preside ao núcleo, o Governo disponibilizou informações sobre os princípios orientadores do diploma, em fase de produção. “Vai ser criado um regime de responsabilidade por erro médico culposo”, adiantou Cheang Chi Keong, ao indicar que “há vários trabalhos a desenvolver como se-

jam a criação de uma comissão de peritagem” que deve “ter aceitabilidade e credibilidade”. Apesar de o Executivo planear concluir o diploma até ao final do ano, Cheang Chi Keong mostrou reservas quanto ao tempo que todo o processo legislativo vai demorar, afirmando ter “receio” de que não esteja fechado no final desta legislatura, “mesmo faltando meio ano”. A 3.ª Comissão Permanente da AL foi incumbida de proceder a um estudo para a elaboração da lei do Erro Médico, em Abril de 2011, pelo presidente do Hemiciclo, Lau Cheok Va, na sequência de uma petição apresentada por cidadãos. Cheang Chi Keong enfatizou a importância do diploma por vi-

sar, por um lado, “proteger os direitos dos pacientes contra lesões ou danos” e, por outro, “reforçar direitos da instituição prestadora de serviços e evitar a inacção médica por receio de erro”. Os Serviços de Saúde de Macau foram responsabilizados em quatro casos de erro médico nos últimos 11 anos, tendo 22 queixas chegado a tribunal, de acordo com dados facultados pelo director, Lei Chin Ion, em Outubro do ano passado. Na mesma altura, os Serviços de Saúde sublinharam que não tinham desistido de elaborar uma Lei do Erro Médico, apesar de considerarem que as vítimas já estão protegidas pela legislação. “De facto, o indivíduo que sofre de tratamento injusto ou é prejudicado é protegido pela legislação de Macau, e os residentes podem recorrer à acção através do processo civil ou penal”, referiu o organismo, em comunicado. De acordo com os Serviços de Saúde,

Proposta visa a criação de “um regime de responsabilidade por erro médico culposo”

as alegadas vítimas “podem apresentar reclamação”, que será avaliada por profissionais de saúde e juristas, e eventualmente tam-

bém por peritos da vizinha Hong Kong ou do interior da China, consoante o caso. JTM/Lusa

jornal tribuna de macau quarta-feira, 25 de Abril de 2012 pág 07


publicidade BALANÇO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011

SÍNTESE DO RELATÓRIO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO RELATIVO AO ANO DE 2011

2011 MOP

Activo Não Corrente Imobilizações corpóreas Contrato de sub-concessão Investimentos em subsidiárias Imobilizações c/ adiantamentos Pagamentos antecipados e depósitos de garantia e caução

983,298,242 4,785,006,388 25,816,361,711 19,933,538 37,217,666 31,641,817,545

Activo Corrente Existências Clientes e outros devedores Crédito sobre accionista Créditos sobre sociedades participadas Créditos sobre associadas Créditos sobre sociedades relacionadas Depósitos bancários de disponibilidade restrita Caixa e depósitos bancários

17,928,054 2,427,860,671 58,428 2,698,915,925 472,023,418 1,258,571 7,358,705,506 12,976,750,573

Passivo Corrente Fornecedores e outros credores Empréstimos bancários caucionados Dívida a sociedade mãe Dívida a sociedade participada Dívidas a associadas Dívidas a sociedades relacionadas

3,663,227,111 2,000 813,793,422 457,435,128 7,284,453 4,941,742,114 8,035,008,459 39,676,826,004

Activo Corrente Liquido Activo Total menos Passivo Corrente Passivo Não Corrente Empréstimo bancário caucionado, líquido de enc. financeiros diferidos Outros passivos não correntes Impostos diferidos Dívida a sociedade-mãe Dívida a associada

8,131,432,407 23,747,002 114,432,657 22,796,405,973 31,066,018,039 8,610,807,965

Activo Total Líquido Capital Próprio Capital social Prémios de emissão de acções Reservas por integração de activos corpóreos Resultados transitados Lucro do exercício

1,000,000,000 2,246,427,000 1,846,557,698 (937,902,675) 4,455,725,942 8,610,807,965

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS REFERENTE AO PERÍODO DE 1 DE JANEIRO A 31 DE DEZEMBRO 2011

Receitas de Jogo Imposto especial de jogo e taxas pagas ao Governo de Macau Outros proveitos Despesas de marketing e promoção Despesas operacionais e administrativas Amortização do contrato de subconcessão Custos financeiros Lucro antes dos impostos Impostos Lucro do exercício

2011 MOP 39,558,961,306 (15,615,331,205) 23,943,630,101 101,613,923 (14,184,639,770) (4,159,096,705) (456,810,443) (797,833,656) 4,446,863,450 8,862,492 4,455,725,942

Relatório de Auditor Independente sobre Demonstrações Financeiras Resumidas Para os accionistas da Melco Crown Jogos (Macau), S.A. (sociedade por acções de responsabilidade limitada, registada em Macau) Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras da Melco Crown Jogos (Macau), S.A. relativas ao ano de 2011, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 29 de Fevereiro de 2012, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo. As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2011, a demonstração de resultados, a demonstração de alteracões no capital próprio e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas. As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas a que acima se faz referência. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas. Para a melhor compreensão da posição financeira da Melco Crown Jogos (Macau), S.A. e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria. Quin Va Auditor de Contas Deloitte Touche Tohmatsu – Sociedade de Auditores Macau, 29 de Fevereiro de 2012

pág 08 quarta-feira, 25 de Abril de 2012 jornal tribuna de macau

MELCO CROWN JOGOS (MACAU), S.A., (a “Sociedade” ou “Melco Crown Jogos”) (incialmente denominada Melco PBL Entertainment (Macau) S.A. e subsequentemente Melco PBL Jogos (Macau) S.A.), é uma sociedade comercial constituída em Macau, a 10 de Maio de 2006. O objecto social actual da Sociedade é a exploração de jogos de fortuna e azar ou outros jogos em casino. 1. Financiamento Em 30 de Junho de 2011 celebrámos um contrato de alteração ao Empréstimo para Financiamento do Projecto “City of Dreams” chamado “Empréstimo para Financiamento 2011”, nos termos de um contrato de alteração datado de 22 de Junho de 2011 assinado pelo facility agent, o security agent, a Sociedade e algumas das subsidiárias dos grupo que são garantes nos termos Empréstimo para Financiamento do Projecto “City of Dreams”. Este contrato de alteração reduziu o montante do empréstimo para financiamento de 1.75 biliões de dólares norte-americanos para 9.36 biliões de dólares de Hong Kong (aproximadamente 1.2 biliões de dólares norte-americanos) e alterou a estrutura do fianciamento de modo a que o empréstimo para financiamento a prazo contemplado no Empréstimo para Financiamento do Projecto “City of Dreams” que era anteriormente era no montante de 1.5 biliões de dólares americanos foi reduzido para 6.24 biliões de dólares de Hong Kong (aproximadamente 800 milhões de dólares americanos) (depois denominado o “Empréstimo para Financiamento a Prazo 2011”), e o empréstimo para financiamento renovável contemplado no Empréstimo para Financiamento do Projecto “City of Dreams” que era anteriormente era no montante de 250 milhões de dólares americanos foi aumentado para 3.12 biliões de dólares de Hong Kong (aproximadamente 400 milhões de dólares americanos) (depois denominado o “Empréstimo para Financiamento Renovável 2011”). O Empréstimo para Financiamento 2011 igualmente reduziu e eliminou algumas restrições que eram impostas à nossa actividade nos termos de restrições contratuais originariamente impostas, aumentou a data do vencimento final das obrigações de pagamento e permitiu que a sociedade MPEL (Delaware) LLC, uma entidade subsidiária detida a 100% pela Sociedade, fosse retirada do grupo dos mutuários nos termos do Empréstimo para Financiamento do Projecto “City of Dreams”. O grupo dos mutuários é integrado pela Sociedade e certas subsidiárias da nossa sociedade mãe que estão definidas como garantes nos termos do Empréstimo para Financiamento 2011. Utilização do empréstimo a prazo Já foram utilizados na totalidade os montantes disponibilizados nos termos do Empréstimo para Financiamento a Prazo 2011 e, até 31 de Dezembro de 2011, tinham sido utilizados igualmente 1.65 biliões de dólares de Hong Kong (212.5 milhões de dólares americanos) ao abrigo Empréstimo para Financiamento Renovável 2011. Pagamento O Empréstimo para Financiamento a Prazo 2011 será reembolsado nos termos de um calendário de amortização, em prestações trimensais, com início a 30 de Setembro de 2013. 2. Os nossos empreendimentos (A) Clubes “Mocha” Os Clubes Mocha iniciaram operações em Setembro de 2003 e expandiram a sua actividade durante 2011 a 9 diferentes espaços, com um total aproximado de 1.800 máquinas automáticas. Os clubes compreendem a maior área de máquinas de jogo electrónicas em Macau, não considerada casino, com uma localização privilegiada, em locais com grande afluência de pessoas e em hotéis de três, quatro e cinco estrelas. Cada Clube Mocha disponibiliza uma atmosfera relaxante onde são disponibilizadas diversas mesas electrónicas, sem croupiers. Os Clubes Mocha estão equipados com a mais actual tecnologia no que respeita ás máquinas de automáticas e inclui máquinas de jogo individuais com uma variedade de jogos, incluindo jackpot progressivo e máquinas de jogos colectivos em que os respectivos jogadores poderão competir entre si, na roleta electrónica, bacará e sicbo, um jogo de dados tradicionalmente chinês. Em Setembro de 2011, a Sociedade abriu o seu nono Clube Mocha, no Centro de Convenções e Entretenimento/Torre de Macau (“Torre de Macau”), que oferece 260 máquinas automáticas e mesas de jogo electrónicas, numa área aproximadamente de 21.500 pés quadrados no rés-do-chão e segundo andar da Torre de Macau. Até ao final do ano 2011, os Clubes Mocha operaram em 9 diferentes espaços, ora arrendados, ora sub-arrendados ou propriedade das suas subsidiárias, com um total superior a 1.800 máquinas automáticas em funcionamento. No final do ano de 2011 os Clubes Mocha tinham aproximadamente um total de 1.847 máquinas automáticas. (B) O Altira Macau Altira Macau, relacionada com o sector do jogo e entretenimento, reforça as demais marcas da Sociedade relativas ao sector do jogo e hospitalidade, reconhecidas e respeitadas a nível global. O rebranding de Crown Macau para Altira Macau foi a última fase no processo de reposicionamento estratégico da Sociedade, que teve o seu início em Agosto de 2007. No portfolio da Sociedade, no que respeita às diferenciadas ofertas no sector do jogo e entretenimento, o Altira focalizou-se em proporcionar aos seus clientes os asiáticos programas de Rolling Chips, proporcionando um ambiente de jogo único. A marca Altira reflecte o compromisso assumido pela Sociedade em proporcionar aos seus clientes programas de Rolling Chips comummente utilizados na Ásia, com o propósito de criar benefícios no jogo e serviços personalizados que vão ao encontro das especiais necessidades dos jogadores em Macau e cativar o mercado do jogo de alta gama. Hotel Altira juntamente com o casino Altira formam o Altira Macau, que proporciona a experiência de um resort de Hotel de luxo de primeira e Casino, oferecendo entretenimento de primeira, instalações elegantes, serviço de alta qualidade e uma elegante decoração, tendo em vista exceder o habitual padrão do hotel de 5 estrelas em Macau e cativar fundamentalmente o mercado do jogo de alta gama. O edifício dispõe de uma torre de 38 andares, incluindo cerca de 173.000 pés quadrados de área de jogo, onde se encontram cerca de 200 mesas de jogo, para além de um luxuoso hotel de 5 estrelas com 216 quartos de luxo, incluindo 24 suites e 8 vilas. Altira Macau e o Altira SPA foram seleccionados pela revista Forbes pelo terceiro ano consecutivo com a atribuição de cinco estrelas para 2011. Esta prestigiosa selecção reconhece os excepcionais serviços do Altira e as comodidades dos mesmos, que os caracterizam como dos melhores do mundo. (C) Taipa Square Localizado no centro da ilha da Taipa, o Casino Taipa Square ocupa 3 andares do Hotel Taipa Square. O Casino que, inicialmente, estava vocacionado tanto para o sector VIP como para o sector de mass-market, passou, a partir de 26 de Setembro de 2008, a estar vocacionado apenas para o sector de mass-market. Actualmente, o Casino ocupa 2 andares apenas no Hotel Taipa Square e oferece 31 mesas de jogo para mass-market. (D) O City of Dreams O City of Dreams está localizado em duas parcelas de terra adjacentes no Cotai, Macau, com uma área total de casino de 420,000 pés quadrados, com aproximadamente 425 mesas de jogo e 1.401 máquinas automáticas. A propriedade inclui dois hotéis: Crown Towers e o Hard Rock Hotel. O Crown Towers é composto por aproximadamente 300 quartos de luxo, incluindo 33 high roller villas. O Hard Rock Hotel tem aproximadamente 300 quartos. O hotel Grand Hyatt Macau, propriedade de uma nossa subsidiária, é gerido pelo Hyatt of Macau Ltd., tem aproximadamente 800 quartos e está em funcionamento no City of Dreams. A propriedade tem cerca de 20 restaurantes e bares, com estabelecimentos de comidas e bebidas de toda a China, bem como salas de conferência e de banquetes.

Adicionalmente ao casino, hotel e restaurantes, o City of Dreams oferece um espectáculo de multimédia no teatro em forma de Dome denominado “the Bubble”, localizado no espaço de comércio denominado “Boulevard”, bem como, o maior espectáculo aquático “The House of Dancing Water”, com cerca de 2.000 lugares. Em Abril de 2011 abriu no complexo City of Dreams o clube nocturno Cubic com aproximadamente 26.210 pés quadrados de espaço para de entretenimento. O City of Dreams foi seleccionado como o “Best Casino VIP Room” e o “Best Casino Interior Design”, pelo International Gaming Awards em 2011, que lhe atribuiu o lugar de excelência no design no sector dos casinos. 3. Projectos em desenvolvimento (A) City of Dreams A próxima fase de desenvolvimento do City of Dreams está numa fase preliminar sem qualquer planeamento a nível de projecto design, capital a adjudicar, aquisição de terras, agendamento de construção ou orçamento. (B) A Macau Studio City Em 11 de Março de 2007, a Melco Crown Jogos celebrou um contrato de prestação de serviços com a New Cotai Entertainment e a New Cotai Entertainment, LLC (entidades relativamente às quais a nossa sociedade mãe adquiriu controlo de 60% do capital em Julho de 2011), nos termos do qual a Melco Crown Jogos irá operar as áreas de jogo no Macau Studio City. O Macau Studio City está projectado para ser um empreendimento de larga escala, tipo “resort”, que integrará entertenimento, lojas e jogo, a ser desenvolvido no Cotai. e, de acordo com os termos deste contrato de prestação de serviços, a Melco Crown Jogos reterá uma percentagem das receitas brutas resultantes das actividades do casino. A Studio City International está a atingir a sua última fase nos planos de design, ao mesmo tempo que, junto do governo de Macau, diligencia por obter as aprovações necessárias para o projecto Studio City. Para além de estar a utilizar o seu capital corrente, a nossa afiliada encontra-se a avaliar projectos de financiamento para o Studio City, incluindo empréstimo bancário e outras obrigações financeiras. O Studio City foi projectado como um resort integrado que integrará entertenimento, lojas e jogo, a ser desenvolvido no Cotai, com variada oferta na área de jogo, hotéis de quatro e cinco estrelas, e diversos estabelecimentos de entretenimento, lojas e restauração, com vista a atraír um leque variado de clientes, focalizado sobretudo no segmento “mass market” com origem na Ásia, especialmente na China.. A preparação do local para o projecto Studio City está completa e a construção espera-se por um período de 36 meses desde o seu início, que actualmente se prevê na primeira metade de 2012, sujeito às necessárias aprovações governamentais e de financiamento. 4. Análise global O rendimento líquido da sociedade relacionado com jogo corresponde a aproximadamente USD$ 4,94 mil milhões, correspondendo a um aumento de 43,8% relativamente a 2010. A Sociedade gerou um EBITDA de USD$ 764,1 milhões, que comparativamente com o ano anterior representa um acréscimo de 87,9%. O lucro gerado pelas mesas de jogo VIP correspondeu a USD$ 3,82 mil milhões, representando um aumento de 42,5% comparativamente com o ano de 2010 e as receitas brutas aumentaram para US$130 mil milhões, correspondendo a um acréscimo de 41,3% relativamente ao ano anterior. As apostas no mass market aumentaram em cerca de 44,5%, para USD$ 3,52 mil milhões e a percentagem de ganhos (antes da realização de descontos ou pagamento de comissões) foi de 23,13%, o que corresponde a um aumento de 2,5% relativamente ao ano anterior. As máquinas automáticas geraram cerca de USD$ 5,0 mil milhões, que representam um aumento de 12,8% relativamente a 2010. O valor de ganho por máquina por dia corresponde a USD$ 240, que representa um acréscimo de 17,1% comparativamente a 2010. Atento o supra, 2011 foi um ano próspero para a Sociedade com o desempenho favorável do Altira Macau, o City of Dreams como destino de entretenimento e lazer, não obstante ter aumentado a concorrência no mercado. PARECER DO FISCAL ÚNICO da Sociedade MELCO CROWN JOGOS (MACAU), S.A., em inglês MELCO CROWN GAMING (MACAU) LIMITED, elaborado nos termos e para os efeitos do Código Comercial e demais disposições legais aplicáveis. 1. Foram-me presentes, o Balanço e a Demonstração de Resultados, da referida sociedade, relativos ao exercício iniciado em 1 de Janeiro e findo em 31 de Dezembro de 2011, documentação que examinei, tendo obtido da Administração todas as informações que solicitei. 2. As demonstrações financeiras em causa são acompanhadas do Relatório dos Auditores Externos Deloitte Touche Tohmatsu – Sociedade de Auditores, em que se declara que as mesmas representam de forma verdadeira e apropriada a situação financeira da sociedade em 31 de Dezembro de 2011 e, também, do Relatório do Conselho de Administração, onde está devidamente sumarizada a actividade da sociedade durante o referido período. 3. Nesta conformidade, dou aos Senhores accionistas um parecer favorável à aprovação dos - Balanço e Demonstração de Resultados da Sociedade em 31 de Dezembro de 2011 - Relatório Anual do Conselho de Administração - Relatório dos Auditores Externos Macau, 29 de Fevereiro de 2012 O fiscal único, José da Guia Rodrigues dos Santos Auditor de Contas Alvará n. 0078 Lista dos accionistas qualificados, detentores de valor igual ou superior a 5% do capital social da Melco Crown Jogos (Macau), S.A. (a “Sociedade”), bem como dos nomes dos titulares dos órgãos sociais da Sociedade 1) Accionistas qualificados, detentores de valor igual ou superior a 5% do capital social da Sociedade: • Ho, Lawrence Yau Lung (que também usa e é conhecido por Lawrence Ho) – 10%; • MPEL Investments Limited – 89,99%; 2) Titulares dos órgãos sociais da Sociedade: A. Membros do Conselho de Administração da Sociedade I. Grupo A: • James Douglas Packer; e • Rowen Bruce Craigie. II. Grupo B: • Ho, Lawrence Yau Lung (que também usa e é conhecido por Lawrence Ho, ou 何猷龍); • Chung, Yuk Man (que também usa e é conhecido por Clarence Chung, ou 鍾玉文); • Chan Ying Tat (que também usa e é conhecido por Ted Chan, ou c) até 14 de Janeiro de 2011, data em que foi nomeada em sua substituição, por deliberação da Assembleia Geral dessa data: i. Janelle Maree Campbell. B. Fiscal Único da Sociedade: O Fiscal Único da Sociedade para o exercício de 2011 foi José da Guia Rodrigues dos Santos. C. Secretário da Sociedade O Secretário da Sociedade para o exercício de 2011 foi Francisco Pinto Fraústo de Mascarenhas Gaivão.


publicidade

jornal tribuna de macau quarta-feira, 25 de Abril de 2012 pรกg 09


FUNDO PARA CIÊNCIAS DISTRIBUI 1,6 MILHÕES. O total do apoio concedido pelo Fundo para o Desenvolvimento das Ciências e da Tecnologia no primeiro trimestre de 2012 ascendeu a 1,6 milhões de patacas. O valor mais elevado (326 mil patacas) foi para a Fundação Universidade de Ciência e Tecnologia, com vista à realização de seminários na área da medicina chinesa.

Dia internacional “aproxima” museus da população Os museus da RAEM vão assinalar este ano o seu dia internacional com uma feira na praça do Leal Senado, com diversas actividades para atrair a população, anunciaram ontem os promotores da iniciativa. Ao longo do mês de Maio e além do dia internacional dos museus, em que serão gratuitos, os espaços museológicos do território poderão ser visitados gratuitamente em diferentes dias, acrescentaram em conferência de imprensa. Os museus do Vinho e do Grande Prémio vão continuar a ser gratuitos, no âmbito da promoção turística de Macau. Em 2011, os dois espaços receberam, cada um, perto de 150.000 visitantes. No âmbito do dia internacional dos museus vão realizar-se dois seminários, um destinado aos profissionais do sector e um outro para a população, com o objectivo de despertar a curiosidade pelo conhecimento, promover e sensibilizar para a importância dos museus nas cidades e sociedades contemporâneas. Os diversos museus da cidade como o do Vinho, do Grande Prémio, Marítimo, de Macau, Casa de Chá, das Comunicações, dos Bombeiros, da Ciência ou o de Arte vão lançar este ano várias actividades para promover o contacto com os jovens, estudantes e famílias.

local

OMEGA ABRIU SÉTIMA LOJA. A fabricante de relógios Omega inaugurou uma loja no centro comercial “Macau Square”, elevando para sete o número total de estabelecimentos que opera no território. Para celebrar a abertura, a loja apresenta artigos de colecção dedicados a James Bond.

RECITAL JUNTA BEI DAO, GARY SNYDER E 11 POETAS LOCAIS

Poesia “invade” Albergue O Albergue SCM será hoje palco de uma sessão dedicada à poesia, com a participação de Bei Dao, Gary Snyder e mais de uma dezena de autores locais

N

o Espelho do Mar” é o título do recital de poesia que terá como principais protagonistas Bei Dao e Gary Snyder. Com início agendado para as 18:30 horas de hoje, o evento levará ainda ao Albergue SCM /ALBcreativeLAB 11 poetas de Macau: Cristopher Kelen, Fernando Sales Lopes, Han Lili, Huang Li Hai, Agnes Vong, Jiang Haitao, Manuel Pinho, Hilda Tan, Yao Feng, Susana Un e Lu Weiping. No total, irão apresentar 24 poemas durante uma sessão que será aberta ao público. Bei Dao (pseudónimo de Zhao Zhenkai) nasceu em Pequim em 1949 e os seus primeiros ofícios incluíram construção civil, editor e escritor freelancer. Segundo o Albergue SCM, em 1978, Bei Dao fundou com Mang Ke o Hoje (JinTian), o primeiro jornal literário não oficial da China desde 1949, tornando-se o editor chefe desde então. Desde 1987 que vive e ensina na Europa e EUA. O seu trabalho inclui traduções em mais de 30 línguas, diversos volumes de poesia, bem como “Waves”, uma colecção de pequenas histórias e quatro colecções dissertativas: “Blue House”, “Midnight’s Gate”, “The Rose of Time” e “Green Lamp”.

Bei Dao e Gary Snyder estarão hoje no Albergue

Ao longo dos anos, Bei Dao foi galardoado com inúmeros prémios e distinções, incluindo a sua designação como membro honorário da Academia Americana de Artes e Letras. Actualmente é professor de Humanidades na Universidade Chinesa de Hong Kong, região onde vive. Por sua vez, Gary Snyder é considerado um dos mais importantes poetas americanos contemporâneos. Nascido em São Francisco em 1930, Snyder publicou 16 livros de prosa e poesia, incluindo, entre outros, “No Nature: New and Selected

Poems” (1993), obra finalista do “National Book Award”; “Axe Handles” (1983), que recebeu um “American Book Award” ou “Turtle Island” (1974), que lhe rendeu um prémio Pulitzer de poesia. No currículo de Snyder constam ainda um “American Academy of Arts and Letters Award”, o Prémio “Bollingen”, uma “Guggenheim Foundation Fellowship”, o Prémio “Bess Hokin”, o “Robert Kirsch Lifetime Achievement Award” do Los Angeles Times, e o “Shelley Memorial Award”.

Canadian Health Clinic AVISO [ N.º 304/2012 ] Avisam-se os arrendatários e seus herdeiros abaixo mencionados que os objectos existentes nas fracções abaixo mencionadas foram, temporariamente, guardados pelo Instituto de Habitação: Ung Heong

– 3º andar sala nº 310, do Edifício D. Julieta Nobre de Carvalho C, sito na Avenida Artur Tamagnini Barbosa, em Macau; Chan Chong Man – 9º andar sala nº 916, do Edifício D. Julieta Nobre de Carvalho C, sito na Avenida Artur Tamagnini Barbosa, em Macau; Pao Wa – 4º andar sala N, do Bloco 1, do Edifício Lei Tat, sito na Avenida Artur Tamagnini Barbosa, em Macau; Chan Kai Chiu – 9º andar sala C1, do Edifício Cheng Chong, da Habitação Social da Ilha Verde, sito na Estrada Nova da Ilha Verde, em Macau; Leong Chi Weng – 8º andar sala 08(H) quarto B, do Bloco 2, do Edifício Sun Star Plaza, sito na Avenida do Hipodromo, em Macau; Si Tou Man Him – 4º andar sala 01(A) quarto A, do Bloco 2, do Edifício Sun Star Plaza, sito na Avenida do Hipodromo, em Macau; Lao Seac Meng – 13º andar sala R, do Edifício Fai Fu, da Habitação Social do Fai Chi Kei, sito na Rua de Fai Chi Kei, em Macau; Ip Sao Cheong – 9º andar sala AH, do Edifício Fai Fu, da Habitação Social do Fai Chi Kei, sito na Rua de Fai Chi Kei, em Macau. Caso queiram reclamar os referidos objectos, deverão dirigir-se à Divisão de Fiscalização Habitacional do IH, sita no nº 102 da Travessa Norte do Patane, no prazo de 30 dias, a contar da publicação do presente aviso. Se não reclamarem os objectos acima mencionados dentro do prazo estabelecido, o IH tratará, como melhor entender, os mesmos. Macau, aos 20 de Abril de 2012. A Vice Presidente, Kuoc Vai Han

pág 10 quarta-feira, 25 de Abril de 2012 jornal tribuna de macau

Services

General Practice, Chiropractic, Physical & Rehabilitation Therapy, Custom Orthotics, Aromatherapy

For Appointment

[ O ] SHAPE

Chiropak School bag [ X ] SHAPE

Tel: 28335035

Fax: 28335036

Monday toFriday: Friday: 9:309:30 am -pm 1:00 pmpm / 3:00 Monday to am - 1:00 / 2:30 - 6:30pm pm- 7:30 pm Saturday: am - am 2:00- pm Saturday: 9:309:30 2:00 pm

Av. Almeida Ribeiro, Nº 99, Edifício Comercial Nam Wah, 6º andar, Sala 608, Macau

ICQ dental team is a group of dental specialists with internationally recognized qualifications. We provide all range of dental services: − Oral examination and radiology investigation − Oral and Dental implant Surgery − Restorative and Cosmetic Dentistry – Endodontic Treatment − Children Dentistry − Periodontal Treatment − Orthodontic Treatment − Emergency Treatment We are committed to deliver high quality dental services with personalized care. We ensure the highest level of infection control.

Website: www.icqoral.com Facebook: www.facebook.com/icqoral Consultation by Appointment Office hour: Mon to Sun 10:30 - 19:30 Close on Tue and Public Holiday Tel: (853)28373266

Fax: (853)28356483

Rm. 1907, 19/F, AIA Tower, Nºs. 251A-301, Avenida Commercial de Macau (opposite to New Yaohan and Grand Emperor Hotel)


MELCO APOIOU 40 PROJECTOS DE BENEFICÊNCIA. A Melco International Development anunciou ontem que prestou apoio a mais de 40 projectos de beneficência ao longo de 2011. Segundo a empresa, as actividades em causa visaram cerca de 24.000 crianças, jovens e respectivas famílias, além de portadores de deficiências.

local

GALAXY RENDE 1,1 MIL MILHÕES A INVESTIDOR. Um investidor institucional do grupo Galaxy vendeu 50 milhões de acções da empresa, num negócio avaliado em cerca de 1,1 mil milhões de patacas. A operação foi revelada pela Reuters, que não identificou o investidor.

PRESIDENTE DA PRINCIPAL ASSOCIAÇÃO DO SECTOR “EXPLICA” PREÇOS ELEVADOS

Desistências à vista nas licenças de táxis O concurso para a distribuição de 200 novos alvarás de exploração de táxis atingiu valores muito elevados porque alguns concorrentes terão apresentado mais do que uma proposta com nomes diferentes, considera o presidente da principal associação do sector. Em declarações ao JTM, Tony Kuok antecipa mesmo eventuais desistências por parte de grupos de candidatos que conquistaram mais do que uma licença viviana chan

O

líder da Associação de Mútuo Auxílio de Condutores de Táxi de Macau acredita que alguns residentes que ganharam o direito à concessão das novas licenças de táxis acabarão por desistir dos alvarás. “Na altura do concurso para a distribuição de 150 licenças, houve mais de 10 desistências”, recordou Tony Kuok, em declarações ao JTM. O concurso referido pelo dirigente associativo remonta ao final de 2007, sendo que os 150 alvarás foram atribuídos por um total de 129,5 milhões de patacas. O concurso atraiu 663 propostas, com o valor das vencedoras a variar entre 1,05 milhões de patacas e 800.001 patacas. Este ano, os números dos candidatos e dos montantes envolvidos atingiram patamares ainda mais elevados. Uma fonte da Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT) revelou ao JTM que os valores das propostas vencedoras do concurso para os 200 alvarás variam entre 830.689 e 1.150.110 patacas. No grupo dos eleitos encontram-se 23 residentes que propuseram mais do que um milhão de patacas para a compra de uma licença váli-

Valores de 23 propostas presentes ao concurso para 200 novos táxis excederam um milhão de patacas

da por oito anos. Porém, Tony Kuok acredita que as contas não são tão lineares como, à primeira vista, podem parecer. Tudo porque, segundo explicou, alguns concorrentes poderão ter feito acordos por forma a apresentarem propostas diferentes e com nomes distintos, não sendo assim de estranhar que aqueles que conquistaram duas licenças acabem por desistir de uma delas, naturalmente a que apresentar o preço mais elevado. Esta estratégia poderá, aliás, ajudar a explicar o facto da DSAT ter recebido 2.172 propostas, um número muito superior ao esperado, sobretudo depois das dúvidas e críticas que o concurso

suscitou junto dos taxistas. Tony Kuok entende, por isso, que o preço mínimo das propostas vencedoras deverá diminuir, caso se confirmem algumas desistências. De resto, para o mesmo responsável, os valores das propostas não se coadunam com a realidade do sector no território, porque será muito difícil obter lucros com licenças adquiridas por mais de um milhão de patacas. O líder da Associação de Mútuo Auxílio de Condutores de Táxi de Macau sublinhou mesmo que, além da aquisição da licença, as despesas da exploração dos novos táxis serão muito elevadas quando forem adicionados os gastos resultantes da compra das via-

tura e da respectiva manutenção diária, sendo que neste capítulo a factura pode disparar para quase o dobro dos valores actuais. Apesar de tudo, Tony Kuok não acredita que as grandes empresas tenham assumido um papel activo neste novo concurso. Segundo o jornal “Ou Mun”, alguns taxistas suspeitam que alguns patrões ou proprietários das viaturas terão comprado muitas licenças para servirem os respectivos clientes VIP, mas o presidente da associação acha que isso é “quase impossível”, porque “os comerciantes fazem sempre bem os cálculos”. “Mesmo que isso possa agradar aos clientes VIP, não vale a pena perder dinheiro só nos táxis”, sustentou. MOTORES...POUCO ECOLÓGICOS. Depois dos taxistas se terem queixado de alguns requisitos de carácter ambiental impostos pelo Governo no âmbito do concurso para a distribuição dos novos táxis, Tony Kuok também aponta o dedo às autoridades, mas por entender que algumas normas até serão pouco ecológicas. “Os actuais táxis têm todos uma cilindragem de 2.000cc, mas se esta fosse inferior poderia ajudar muito os taxistas em termos de consumo de combustíveis”, disse. O caderno de encargos do concurso público estabelecia que os novos táxis devem ter lotação de quatro passageiros (excluindo o condutor) e cilindragem igual ou superior a dois litros (2.000 c.c.), para além de corresponderem à norma EURO IV de emissões poluentes. Para Tony Kuok, o problema que motivou as críticas dos taxistas não está na norma europeia, mas na cilindragem que é vista como muito alta, o que tem reflexos negativos ao nível da emissão de gases e consumo de combustível. Segundo a DSAT, as 200 novas licenças serão atribuídas por fases, entre os meses de Junho e Novembro.

ACADÉMICO DIZ QUE MACAU ENFRENTA UM “PARADOXO”

Diversificação só quando o jogo “falhar” Macau só vai sentir “urgência” em diversificar a economia e procurar alternativas aos casinos quando a concorrência aumentar e o jogo deixar de ser tão rentável, disse à agência Lusa, um académico especialista em actividades recreativas

O

modelo dos casinos funcionou tão bem em Macau que as pessoas não se preocuparam em arranjar alternativas para o desenvolvimento económico, e quando sentirem essa urgência pode ser demasiado tarde”, afirmou Greg Richards, investigador em Estudos do Lazer na Universidade de Tilburg, na Holanda, à margem de uma palestra no território sobre criatividade e turismo. Para o investigador, até que

se assista ao desenvolvimento de casinos noutros destinos, o modelo base de desenvolvimento da RAEM “não deverá mudar muito”, porque “enquanto os turistas continuarem a vir, ninguém vai pensar estrategicamente”. Com vários trabalhos publicados sobre turismo cultural e criativo, incluindo em Macau, onde iniciou um trabalho sobre a imagem do destino turístico em 2005, Greg Richards vincou que o território enfrenta o “paradoxo de ter conseguido che-

gar a uma posição tão boa”. “Os casinos proporcionaram grandes receitas e impulsionaram a economia de uma forma tremenda, ao ponto de quase não haver desemprego. O problema é que perante uma monocultura tão acentuada, Macau não se pode dar ao luxo de o modelo dos casinos falhar”, afirmou. Greg Richards defendeu que “independentemente de os casinos falharem ou não, é importante ter essa flexibilidade e dar alternativas às pessoas, porque nem todos querem acabar a trabalhar como croupiers”. Ao comparar Macau e o Dubai, por serem ambos territórios pequenos e limitados em recursos, o académico considerou que

o destino dos Emirados Árabes Unidos deve servir de exemplo à RAEM. “Como sabem que o seu principal recurso - o petróleo - está a acabar, investiram milhões no desenvolvimento do turismo de lazer e eventos. Macau precisa de ter a abordagem que o Dubai teve, que é a de pensar: ‘estamos bem agora, mas conseguimos ver problemas no horizonte e temos os recursos que podemos investir para procurar soluções alternativas’”, acrescentou. Com investigação feita no desenvolvimento sustentável e reabilitação urbana, Greg Richards realçou ainda que Macau deve pensar a preservação do património como um todo. “Pode-se proteger os locais

considerados património mundial, mas ao construírem-se edifícios enormes ao lado, isso vai inevitavelmente perturbar a atmosfera de todo o local”, afirmou. “Macau é um destino muito interessante. (?) Tem potencial, mas tem de ser pensado de forma mais estratégica, e em termos de expansão com a China Continental, no sentido de ganhar espaço para o desenvolvimento”, observou. Para Greg Richards, só assim Macau conseguirá atingir a “massa crítica” e diversidade de produtos turísticos de que carece para se afirmar como destino internacional e aumentar a estada média dos turistas. JTM/Lusa

jornal tribuna de macau quarta-feira, 25 de Abril de 2012 pág 11


publicidade Venetian Macau, S.A. Balanço consolidado (Todos os montantes são apresentados em milhões de MOP) ACTIVOS Activos não correntes Propriedade em desenvolvimento Direitos sobre terrenos concessionados, líquidos Propriedades e equipamentos, líquidos Activos intangíveis, líquidos Custos financeiros diferidos, líquidos Instrumentos financeiros derivados Outros activos, líquidos Pré-pagamentos e outras dívidas comerciais a receber, líquidos Total de activos não correntes

Demonstração dos fluxos de caixa consolidados (Todos os montantes são apresentados em milhões de MOP)

31 de Dezembro de 2011 3,096 3,408 47,561 55 894 1 416 74 55,505

----------------------------------

Activos correntes Existências Pré-pagamentos e outras dívidas comerciais a receber, líquidos Fundos cativos e equivalentes de caixa Caixa e equivalentes de caixa Total de activos correntes

84 4,457 28 17,884 22,453

----------------------------------

Activos totais

77,958

CAPITAL PRÓPRIO Capital e reservas atribuíveis aos detentores do capital da Sociedade Capital social Contribuições de capital Reserva legal Reservas para opções sobre acções Reserva de conversão cambial Resultados acumulados transitados Interesses não controlados Total do capital próprio

200 3,003 51 350 1 15,804 19,409 (171) 19,238 ----------------------------------

166 35,731 35,897 ----------------------------------

Passivos correntes Dívidas comerciais a pagar e outras Dívidendos a pagar Passivos por impostos sobre o rendimento correntes Empréstimos Total de passivos correntes Passivos totais

12,927 9,610 3 283 22,823 ---------------------------------58,720

----------------------------------

Total de capital próprio e passivos

77,958

Passivos correntes, líquidos

(370)

Total dos activos menos passivos correntes

55,135

Demonstração dos resultados consolidados (Todos os montantes são apresentados em milhões de MOP) Réditos Casino Outras receitas

Exercício findo em 31 de Dezembro de 2011 41,885 5,075

Deduzido de: descontos e abatimentos

46,960 (7,697)

Réditos líquidos Imposto sobre jogos Existências consumidas Custos com o pessoal Depreciações e amortizações Comissões de agência/promotores de jogos Outras despesas

39,263 (16,598) (390) (4,189) (2,091) (2,079) (4,153)

Lucro operacional

9,763

Rendimento de juros Gastos com juros, líquido de montantes capitalizados Perda pela alteração ou amortização antecipada da dívida

58 (577) (178)

Resultados antes de impostos Imposto sobre o rendimento

9,066 (3)

Resultado do exercício

9,063

Atribuíveis a: Detentores do capital da Sociedade Interesses não controlados

pág 12 quarta-feira, 25 de Abril de 2012 jornal tribuna de macau

9,127 (64) 9,063

10,936 (2)

Fluxo líquido gerado pelas actividades operacionais

10,934

Fluxos de caixa de actividades de investimento Diminuição dos fundos cativos e equivalentes de caixa Aquisições de propriedades e equipamentos Aquisições de activos intangíveis Recebimentos pela alienação de propriedades e equipamentos Recebimento de juros

6,208 (6,259) (35) 43 58

O The Venetian Macao possui igualmente uma arena com 15 mil lugares, The CotaiArena, que já recebeu vários eventos desportivos e de entretenimento, bem como um teatro com 1.800 lugares.

Fluxo líquido gerado pelas actividades de investimento

15

Fluxos de caixa de actividades de financiamento Recebimentos de empréstimos Reembolsos de empréstimos Reembolsos de títulos a pagar à holding intermédiaria Adiantamentos recebidos da holding intermediária Reembolsos de adiantamentos da holding intermédiaria Reembolsos de passivos de locação financeira Pagamentos de custos financeiros diferidos Pagamentos de juros

25,683 (22,826) (136) 214 (1,943) (3) (691) (1,330)

Em Agosto de 2008 abrimos o Plaza Macao, adjacente e ligado ao The Venetian Macao, no empreendimento do Cotai Strip. Acreditamos que o Plaza Macao complementa o The Venetian Macao, proporcionando uma experiência de resort e hotel de luxo de cinco estrelas aos nossos clientes de topo. O Plaza Macao consiste no Hotel Four Seasons, com 360 suites e gerido pela cadeia hoteleira Four Seasons, o Plaza Casino (incluindo as mansões Paiza), The Shoppes at Four Seasons, vários restaurantes e bares, um centro de fitness, piscina e spa, assim como instalações para conferências, banquetes e outras instalações de apoio sob a nossa gestão. Em Julho de 2009, concluímos as nossas mansões Paiza ultra-exclusivas no Plaza Macao. Estas mansões foram concebidas individualmente e estão disponíveis apenas por convite.

Fluxo líquido utilizado em actividades de financiamento

(1,032)

Variação de caixa e de equivalentes de caixa Caixa e equivalentes de caixa no início do exercício Efeito cambial sobre caixa e equivalentes de caixa Caixa e equivalentes de caixa no fim do exercício Informação adicional sobre fluxos de caixa: Variações em acréscimos e valores a pagar de construções Atividades de investimento e de financiamento sem fluxos de caixa: Custos com opções com acções capitalizados Conversão em capital de títulos a pagar à empresa holding intermediária

PASSIVOS Passivos não correntes Dívidas comerciais a pagar e outras Empréstimos Total de passivos não correntes

Fluxo de caixa das actividades operacionais Fluxo gerado pelas operações Imposto sobre o rendimento pago

Exercício findo em 31 de Dezembro de 2011

O The Venetian Macao dispõe igualmente de um centro de convenções e de um complexo de salas de reuniões com cerca de 1,2 milhões de pés quadrados. Estas instalações disponibilizam um espaço flexível e amplo que pode ser configurado para salas de reuniões pequenas, médias ou grandes e/ou receber eventos multimédia de grande escala ou feiras profissionais. Os eventos na área do MICE (“Meetings Incentives Conventions and Exhibitions”) ocorrem normalmente durante a semana, atraindo movimento durante a parte da semana em que os hotéis e os casinos em Macau apresentam uma procura mais baixa em relação aos fins-de-semana e feriados, quando as taxas de alojamento e ocupação se encontram normalmente no pico, devido às viagens de lazer. Recebemos 46 feiras profissionais, atraindo mais de 890 mil visitantes e 470 grupos empresariais, com cerca de 103 mil representantes em 2011.

Incorporação no valor nominal de juros de títulos a pagar a empresas relacionadas

9,917 7,978 (11) 17,884

O Plaza Macao

Em 31 de Dezembro de 2011, o Plaza Casino compreendia cerca de 91.000 pés quadrados de espaço para jogos, com 170 mesas de jogo e 176 slot machines, ou máquinas de jogos similares, e incluía salas VIP exclusivas para jogadores VIP e de topo. O Plaza Macao foi especificamente concebido para proporcionar uma experiência íntima de luxo aos clientes de topo, com serviços e produtos especiais, tais como as mansões exclusivas Paiza. Durante o exercício findo em 31 de Dezembro de 2011, o Plaza Macao recebeu, no total, cerca de 4,6 milhões de visitantes. Parcer do Órgão de Fiscalização Relativo ao ano Fiscal de 2011

534

De acordo com o estabelecido no Código Comercial, apresento o relatório do fiscal único relativo ao ano findo em 31 de Dezembro de 2011.

5

Acompanhei durante o exercício a actividade do conselho de administração da Venetian Macau, S.A. O trabalho de supervisão incluiu o inquérito ao conselho de administração da sociedade, procedimentos analiticos aplicados à informação contabilística que me foi apresentada e outros procedimentos que considerei necessários em face das circunstâncias.

1,004 22

Bases de preparação As demonstrações financeiras consolidadas do Grupo foram preparadas de acordo com as Normas de Relato Financeiro emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau ao abrigo do Regulamento Administrativo n.º 25/2005 de 9 de Dezembro de 2005 (“MFRS”). As demonstrações financeiras foram preparadas de acordo com a convenção do custo histórico, modificado pela reavaliação dos instrumentos financeiros derivados. Em 31 de Dezembro de 2011, o Grupo detinha passivos circulantes líquidos de 370,4 milhões de MOP e um compromisso de capital significativo de 10,66 mil milhões de MOP. Com base nos orçamentos de fluxos de caixa preparados internamente, a Sands China Ltd., na sua qualidade de holding intermediária do Grupo, tem a intenção de disponibilizar apoio financeiro ao Grupo, para que este cumpra as suas obrigações quando estas se vencerem. O Grupo celebrou um acordo de crédito a 22 de Setembro de 2011, disponibilizando até 3,70 mil milhões de dólares (USD) para financiar o desenvolvimento, construção e conclusão de algumas das componentes do Sands Cotai Central. Em 31 de Dezembro de 2011, o Grupo apresentava uma capacidade de endividamento disponível, ao abrigo desta linha de crédito, de USD500 milhões. Consequentemente, as demonstrações financeiras consolidadas foram preparadas de acordo com o princípio da continuidade das operações, o que pressupõe, entre outras coisas, a realização de activos e o cumprimento dos passivos como e quando estes se vencerem. Relatório do Conselho de Administração

A Venetian Macau, S.A. (a “Sociedade”) e as suas subsidiárias (colectivamente, o “Grupo”) operam o maior conjunto de resorts integrados de Macau. Com mais de 3.400 quartos de hotel, 70 restaurantes, 1,2 milhões de pés quadrados de áreas de comércio, 1,2 milhões de pés quadrados de salas de reuniões, dois teatros permanentes, uma arena com 15 mil lugares e o maior casino do mundo, o Grupo encontra-se numa posição única para ser um importante impulsionador da diversificação económica de Macau nos próximos anos. Destaques Financeiros As receitas líquidas ascenderam a 39,26 mil milhões de MOP para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2011, um aumento de 6,03 mil milhões de MOP, ou 18,1%, em comparação com os 33,23 mil milhões de MOP para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2010. As despesas operacionais foram de 29,50 mil milhões de MOP para o exercício findo a 31 de Dezembro de 2011, um aumento de 2,58 mil milhões de MOP, ou 9,6%, em comparação com os 26,92 mil milhões de MOP para o exercício findo a 31 de Dezembro de 2010. O lucro atribuível aos accionistas da Sociedade para o exercício findo a 31 de Dezembro de 2011 foi de 9,13 mil milhões de MOP, um aumento de 3,75 mil milhões de MOP, ou 69,7%, em comparação com os 5,38 mil milhões de MOP para o exercício findo a 31 de Dezembro de 2010. O Sands Macao Abrimos o Sands Macao em Maio de 2004. O Sands Macao foi o primeiro casino ao estilo de Las Vegas em Macau e inclui, actualmente, um conjunto de áreas de jogo para o mercado de massas, jogadores VIP e de topo, assim como zonas de entretenimento e restauração. O Sands Macao situa-se na península de Macau, junto ao Novo Terminal Marítimo, num terreno na zona portuária localizado entre o posto fronteiriço de Gongbei e o coração do bairro financeiro de Macau. Esta localização permite que o Sands Macao tenha acesso a uma grande base de clientes, em especial aos cerca de 11 milhões de visitantes que chegaram a Macau por via marítima ao Terminal Temporário da Taipa (TTFT), ao porto interior ou ao Novo Terminal Marítimo de Macau em 2011, de acordo com as estatísticas da DSEC (Direcção de Serviços de Estatística e Censos). Durante o exercício findo a 31 de Dezembro de 2011, o Sands Macao recebeu, no total, cerca de 6,9 milhões de visitantes. Em 31 de Dezembro de 2011, o Sands Macao tinha 289 suites, dotadas de modernas e luxuosas comodidades e decoradas com um estilizado revestimento de madeira escura e mobiliário de elevada qualidade. Estes quartos encontram-se essencialmente disponíveis para os nossos jogadores de topo ou VIP, normalmente num regime gratuito. Em 31 de Dezembro de 2011, o Sands Macao tinha igualmente cerca de 197.000 pés quadrados de espaço para jogos e tinha 415 mesas de jogo e 1.084 slot machines. Para além das instalações para jogos e alojamento hoteleiro, o Sands Macao tem igualmente restaurantes, spa, zonas de entretenimento e outras comodidades. Os locais de refeição apresentam uma cozinha regional popular e incluem um restaurante cantonês e uma sofisticada steakhouse ao estilo ocidental. O Venetian Macao Em Agosto de 2007, abrimos o The Venetian Macao, a principal propriedade do nosso empreendimento no Cotai Strip, localizado a cerca de três quilómetros do TTFT, na Ilha da Taipa em Macau. Em 31 de Dezembro de 2011, o The Venetian Macao tinha cerca de 534.000 pés quadrados de áreas de jogo e casino espalhadas por salas VIP exclusivas e um amplo piso de jogos destinado ao mercado de massas. Em 31 de Dezembro de 2011, o The Venetian Macao apresentava 550 mesas de jogo e 1.956 slot machines. O piso de jogos destinado ao mercado de massas está dividido em quatro áreas concebidas de modo único: Red Dragon, Golden Fish, Phoenix e Imperial House. O The Venetian Macao, com uma temática semelhante à do The Venetian Las Vegas, apresenta reproduções de muitos locais famosos em Veneza, Itália, incluindo a Praça de S. Marcos, a Torre do Campanário e o Palácio dos Doges. Durante o exercício findo em 31 de Dezembro de 2011, o The Venetian Macao recebeu, no total, cerca de 26,4 milhões de visitantes. Para além das instalações para jogos, o The Venetian Macao possui uma torre com um hotel de cinco estrelas de 39 pisos e mais de 2.900 suites. O The Venetian Macao disponibiliza igualmente uma vasta selecção de comodidades e opções de entretenimento, que vão ao encontro dos interesses dos clientes do mercado de massas, incluindo famílias, destinando-se também aos jogadores VIP e de topo, com serviços e produtos especiais, como o Paiza Club. O The Venetian Macao possui cerca de 1 milhão de pés quadrados de áreas de comércio e de restauração no Grand Canal Shoppes, com cerca de 310 lojas e mais de 50 restaurantes, incluindo um “food court” (praça de alimentação).

Baseado nos resultados do meu trabalho de supervisão, relato o seguinte: 1. Obtive toda a informação e explicações que considerei necessárias. 2. Na minha opinião, as demonstrações financeiras anuais da sociedade foram adequadamente preparadas aplicando os princípios contabilísticos adequados às circunstâncias e apresentam de forma verdadeira e apropriada a posição financeira da sociedade em 31 de Dezembro de 2011 e os resultados das suas operações para o exercício findo naquela data. 3. Em minha opinião, o relatório do conselho de administração está correcto e completo, e apresenta a situação económica da sociedade, assim como a evolução dos negócios ao longo do ano, de forma concisa e clara. 4. Não tomei conhecimento de qualquer acto irregular ou ilegal durante o exercício. Recomendo, por isso, aos sócios que aprovem, na Assembleia Geral Ordinária, as demonstrações financeiras, o relatório do conselho de administração e a proposta de aplicação dos resultados do exercício findo em 31 de Dezembro de 2011. Macau, 28 de Fevereiro de 2012 O Fiscal Único, Wu Chun Sang Auditor Registado Relatório do auditor independente sobre as demonstrações financeiras consolidadas resumidas Para os Accionistas da Venetian Macau S.A. (Sociedade anónima constituída em Macau) As demonstrações financeiras consolidadas resumidas anexas da Venetian Macau S.A. e das suas subsidiárias (o “Grupo”) referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2011 resultam das demonstrações financeiras consolidadas auditadas do Grupo referentes ao exercício findo naquela data. Estas demonstrações financeiras consolidadas resumidas, as quais compreendem o balanço consolidado em 31 de Dezembro de 2011, a demonstração dos resultados consolidada e a demonstração consolidada de fluxos de caixa do exercício findo naquela data, são da responsabilidade do Conselho de Administração. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente endereçada a V. Exas, enquanto accionistas, sobre se as demonstrações financeiras consolidadas resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras consolidadas auditadas, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório. Auditámos as demonstrações financeiras consolidadas do Grupo referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2011 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras consolidadas, no relatório 3 de Abril de 2012. As demonstrações financeiras consolidadas auditadas compreendem o balanço consolidado em 31 de Dezembro de 2011, a demonstração dos resultados consolidada, a demonstração consolidada de alterações no capital próprio e a demonstração consolidada de fluxos de caixa do exercício findo naquela data, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras consolidadas resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras consolidadas auditadas. Para uma melhor compreensão da posição financeira do Grupo e dos resultados das suas operações, e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras consolidadas resumidas devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras consolidadas auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente. Cheung Pui Peng, Grace Auditor de contas PricewaterhouseCoopers Macau, 3 de Abril de 2012 Lista dos accionistas qualificados, detentores de 5% ou mais do capital social da Venetian Macau, S.A., durante o ano de 2011 1. Venetian Venture Development Intermediate Limited – 89,995% 2. António Ferreira – 10% Lista dos membros dos órgãos sociais da Venetian Macau, S.A., durante o ano de 2011 Assembleia Geral a) Venetian Venture Development Intermediate Limited b) António Ferreira c) Steven Craig Jacobs Conselho de Administração a) António Ferreira (Administrador-Delegado) b) Robert Glen Goldstein c) Edward Matthew Tracy d) David Ross Sisk e) Toh Hup Hock Secretário Ricardo José Garcia dos Santos e Silva, que também usa o nome profissional abreviado Ricardo Silva Fiscal Único Wu Chun Sang


publicidade GALAXY CASINO, S.A. GALAXY CASINO, S.A. 2011 RELATÓRIO OPERACIONAL

GALAXY CASINO, S.A. DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS CONSOLIDADOS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011

Proveitos de jogo brutos

Ganhos do jogo líquidos excluídos por acordo com Prestadores de Serviços Outros proveitos Total proveitos

Outros ganhos, líquidos

Imposto especial sobre o jogo e outros impostos relacionados ao Governo de Macau Comissões e subsídios para contrapartes do jogo Custos com o pessoal

Rendas – terrenos e edifícios

Depreciações e amortizações

Outras despesas operacionais Custos financeiros

Resultados antes de imposto Imposto sobre os lucros Resultado líquido

JOGO E ENTRETENIMENTO

2011 MOP’000

42,933,311 (3,347,667)

1,215,163 ----------------40,800,807 11,661

(15,570,350) (15,443,814) (3,023,010) (10,115)

(1,121,564) (2,018,613)

(318,669) ----------------3,306,333

(342) ----------------3,305,991 ==========

GALAXY CASINO, S.A. BALANÇO CONSOLIDADO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 ACTIVO Activos não-correntes Propriedades, edifícios e equipamentos Direitos sobre terrenos concessionados Activos intangíveis Recebimentos de locações financeiras Outros activos não-correntes Cauções e outros valores a receber Activos correntes Existências Outros devedores e pagamentos adiantados Dívidas de accionistas Dívidas de partes relacionadas Dívidas de empresas subsidiárias Outros equivalentes de caixa Caixa e depósitos bancários

Total do Activo

CAPITAL PRÓPRIO Capital social Reservas Contribuição da empresa-mãe Total do Capital Próprio PASSIVO Passivos não-correntes Empréstimos Empréstimos de accionistas Instrumentos financeiros derivados Retenções a pagar Passivos correntes Outros credores e acréscimos Dívidas a empresas subsidiárias Dívidas a partes relacionadas Empréstimos Total do Passivo Total do Passivo e do Capital Próprio

2011 MOP’000 17,164,848 2,260,313 125,244 35,150 65,062 31,935 ----------------19,682,552 ----------------51,787 895,414 24,575 28,176 44,595 1,275,719 5,382,330 ----------------7,702,596 ----------------27,385,148 ----------------2011 MOP’000 951,900 5,528,020 3,944,900 ----------------10,424,820 ----------------6,590,838 1,614,010 65,380 160,663 ----------------8,430,891 ----------------8,445,796 5,174 2,617 75,850 ----------------8,529,437 ----------------16,960,328 ----------------27,385,148 -----------------

GALAXY CASINO, S.A. DEMONSTRAÇÃO CONSOLIDADA DE FLUXOS DE CAIXA DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011

Actividades operacionais Fluxos de caixa das operações Imposto Complementar pago Pagamento de custos financeiros Fluxo líquido gerado pelas operações Actividades de investimento Aquisição de propriedades, edifícios e equipamento Aquisição de activos intangíveis Recebimentos da venda de propriedades, edifícios e equipamento Adições de direitos sobre terrenos concessionados Recebimento de juros Diminuição dos recebimentos de locação financeira Fluxo utilizado pelas actividades de investimento Actividades de financiamento Empréstimos dos accionistas Levantamento de empréstimos bancários Pagamento da dívida ao accionista Pagamento de capital de locações financeiras Fluxo líquido gerado pelas actividades de financiamento Variação de caixa e seus equivalentes Caixa e seus equivalentes no início do exercício Efeito das diferenças cambiais Caixa e seus equivalentes no final do exercício

Visão global do mercado do jogo em Macau O mercado do jogo em Macau registou um ano de forte crescimento. As receitas totais do jogo atingiram o valor de MOP268 mil milhões, representando um crescimento anual de 42% (2010: MOP189 mil milhões). O número total de visitantes durante o ano cresceu 12% para 28 milhões, com a proporção de visitantes oriundos da China Continental a aumentar de 53% para 58%. O mercado do jogo VIP continua a ser o maior segmento das receitas do jogo. Durante o ano, as receitas cresceram a um ritmo saudável de 45% chegando a atingir MOP196.1 mil milhões (2010: MOP135.7 mil milhões). O Baccarat VIP é dominante na indústria de jogo em Macau, contabilizando 73% das receitas totais do jogo em 2011. O mercado de massas também registou um crescimento substancial durante o ano com as receitas a atingirem MOP60.4 mil milhões, um aumento de 37% em relação ao ano de 2010. A taxa de crescimento foi um factor encorajador no segundo semestre, com as receitas a atingirem MOP32.9 mil milhões, contra o segundo semestre de 2010, cujas receitas foram de MOP23.4 mil milhões: um aumento de quase 41%. A inauguração do Galaxy MacauTM aconteceu na altura certa, porquanto permitiu à Galaxy Casino, S.A. (“GCSA”) retirar vantagens das oportunidades num mercado de jogo de massa em crescimento. O desenvolvimento de projectos de infra estruturas em Macau e na China Continental, tais como a expansão dos postos fronteiriços nas Portas de Cerco (concluída em 2011) e em Zhuhai (concluída em 2012), e a construção de Redes de Caminhos de Ferro de Alta Velocidade na China, irá melhorar as acessibilidades e por conseguinte aumentar o número de visitantes. A forte aceleração que sustenta Macau irá provavelmente continuar durante os próximos anos devido a uma série de outros novos projectos previstos, incluindo projectos de desenvolvimento em Hengqin, a ponte que liga Hong Kong-Zhuhai-Macau, com data de conclusão em 2016, e a rede de Metro Ligeiro de Macau, que ligará a Península de Macau à Taipa e ao COTAI, prevista para 2015-2016. O mercado do jogo electrónico representa 4% das receitas totais do jogo. O jogo electrónico registou um forte crescimento em 2011, com as receitas a aumentarem 33% para MOP11.4 mil milhões, contra receitas de MOP8.7 mil milhões em 2010. Este contínuo crescimento de receitas e número de visitantes, contra um abrandamento no crescimento económico na China, é testemunho de que Macau continua a ser um destino de diversão e turismo atractivo. Acreditamos que a abertura do Galaxy MacauTM diversificou a nossa oferta em Macau, trouxe um aumento de número de visitantes ao COTAI e, por conseguinte, estimulou a procura na indústria de resort. Galaxy MacauTM Sucesso na Finalização e Inauguração O resort integrado Galaxy MacauTM, que ocupa uma área de 550.000 metros quadrados, inaugurado em 15 de Maio de 2011, foi aclamado internacionalmente. A sua ideia, desenho e execução têm sido muito bem recebidas pelos seus clientes, investidores e pela indústria, que têm apreciado a sua filosofia de “Classe mundial, coração asiático”. O sucesso até a data reflecte o planeamento meticuloso, capacidades operacionais e experimentais da GCSA. Inaugurado há apenas sete meses e meio, o Galaxy MacauTM tem recebido reconhecimento significativo, nomeadamente: The World’s Best Casino/Integrated Resort 2011 no International Gaming Awards, prémio de 2011 Best Integrated Resort no Top Travel Awards em Pequim, em Dezembro último, prémio de Novo Hotel do Ano no 2011 Travel Weekly China Travel & Meeting Industry Awards, Five-Star Diamond Award no The American Academy of Hospitality Sciences e Annual Hotel Space Award do 9° (2011) Modern Decoration International Media Award Committee. Sendo o primeiro verdadeiro resort integrado de Macau, o Galaxy MacauTM oferece várias actividades e amenidades inovadoras, o que o torna o mais completo resort para turismo em Macau: • Três hotéis de 5 estrelas de marca Asiática oferecendo qualidade de luxo com aproximadamente 2.200 quartos, suites e vilas: o Banyan Tree Macau, o Hotel Okura Macau e o Hotel Galaxy; • O Grand Resort Deck com 52.000 metros quadrados que inclui a maior piscina de ondas sky-top, com 350 toneladas de areia branca; • O prestigiado e premiado spa do Banyan Tree que oferece uma miríade de tratamentos de beleza e terapias asiáticas; • O China Rouge, inspirado nos cabarets de Xangai dos anos 1920 e 1930, desenhado pelo mundialmente famoso arquitecto de Hong Kong Alan Chan; • O primeiro complexo de cinemas com 9 salas com tecnologia 3D em Macau, inaugurado no 4.° trimestre de 2011, com a estreia mundial do filme Flying Swords of Dragon, em 3D, realizado pelo realizador Tsui Hark; • O Fortune Diamond – uma pedra preciosa de três metros que nasce por detrás da cascata de água, na entrada principal; • O Wishing Crystals – um espectáculo com interacção de várias pedras preciosas dispostas na entrada principal; • O Galaxy Laserama – um dos maiores espectáculos de laser no mundo, com espectáculos oito vezes por noite, sempre diferentes; • Aproximadamente 450 mesas de jogo e mais de 1.300 máquinas electrónicas; e • Mais de 50 espaços de restauração. A GCSA tem procurado criar uma verdadeira experiência asiática para os seus clientes e sente-se bastante honrada por ser reconhecida mundialmente pelos operadores da indústria. Resultados Financeiros e Operacionais Todos os segmentos de negócio do Galaxy MacauTM tiveram um desempenho bastante positivo nos sete meses e meio desde a sua inauguração e a GCSA está a trabalhar no sentido de atingir um grau de eficiência ainda maior com a maturação da propriedade. Em termos de resultados financeiros, as receitas no período, desde a inauguração, foram de 16.9 mil milhões, com EBITDA Ajustada de MOP2.7 mil milhões para uma margem de 16%. Resultados de Mercado de VIP O Galaxy MacauTM teve um forte desempenho no mercado de crescimento acentuado VIP. O volume anual total de circulação de fichas foi de MOP391 mil milhões que se traduziu em receitas de MOP12.6 mil milhões. Foram adicionadas, no segundo semestre do ano, três novas salas VIP o que trouxe o número total de salas para dez. Jogo de Massas As receitas de jogo de massas, desde a inauguração, foram de MOP2.9 mil milhões. As receitas, no último trimestre do ano, tiveram um acréscimo de 31%, comparativamente com o trimestre anterior para MOP1.4 mil milhões, significativamente superior ao crescimento médio do mercado que foi de 10%. Jogos Electrónicos

2011 MOP'000 6,432,671 (342) (376,663) ----------------6,055,666 ----------------(4,469,188) (93,525) 9,965 (416,440) 3,902 10,741 ----------------(4,954,545) ----------------1,614,010 2,322,650 (940,053) (5,367) ----------------2,991,240 ----------------4,092,361 2,565,700 (12) ----------------6,658,049 -----------------

As receitas do jogo electrónico do Galaxy MacauTM foram de MOP664 milhões. Extra-Jogo As receitas extra-jogo totalizaram MOP718 milhões. O número de quartos de hotel aumentou aproximadamente de 1.400, aquando da inauguração do Galaxy MacauTM, para sensivelmente 2.200 quartos no final do ano. A taxa de ocupação dos quartos atingiu um resultado impressionante de 90%. A abertura do complexo de cinemas 3D, em Dezembro, que recebeu excelentes recomendações por parte dos clientes e da comunidade em geral, veio a ter um papel importante nas vendas do comércio adjacente ao complexo, nomeadamente na restauração. As estruturas do Grand Resort Deck tiveram um enorme sucesso, com cerca de 3.500 utilizadores por dia, durante os meses de verão, nomeadamente na piscina de ondas. Desenvolvimento da Propriedade A abertura do Galaxy MacauTM foi um enorme sucesso para a GCSA, para os seus clientes e para Macau. No entanto, trata-se apenas a primeira fase de um resort com várias fases de desenvolvimento. As fases adicionais têm uma área aproximada de 1.5 milhões de metros quadrados, totalizando um desenvolvimento de cerca de 2 milhões de metros quadrados. O planeamento da próxima fase do Galaxy MacauTM tem tido um progresso considerável e será anunciada oportunamente. Após a sua conclusão, a propriedade expandida terá mais ofertas levando a um maior atracção e maior competitividade do Galaxy MacauTM. Hotel StarWorld e Casino O Hotel StarWorld & Casino (StarWorld), a nossa propriedade principal na Península de Macau, teve um desempenho excepcionaldurante o ano e terminou 2011 com o 14.° trimestre consecutivo de crescimento EBITDA Ajustada, com o recorde de MOP3.1 mil milhões de EBITDA Ajustada para o ano. Tendo em ponderação o ano inteiro, as receitas aumentaram 36% para MOP23.2 mil milhões. Foi gerado um acréscimo de 45% durante o ano, para um EBITDA Ajustada de aproximadamente MOP3.1 mil milhões. Este aumento significativo foi justificado pelo aumento das receitas do jogo, pelo controlo apertado de custos e por taxas de ganho normalizadas.

A EBITDA Ajustada de 2011, de MOP3.1 mil milhões, resultou num ROI anual de 86%. O StarWorld, uma vez mais, consolidou a sua posição enquanto um dos casinos com a maior taxa de retorno no mundo. Realmente significativo é o facto de as receitas no segundo semestre de 2011 terem crescido 25% para MOP12.9 mil milhões contra MOP10.3 mil milhões no primeiro semestre. Estes números demonstram que a abertura do Galaxy MacauTM não teve qualquer efeito negativo nas operações do Starworld Galaxy MacauTM. Pelo contrário, o negócio do StarWorld tem tido um aumento significativo, provando que ambos os casinos são complementares, com infra-estruturas de transportes partilhadas, e que a marca Galaxy MacauTM está a crescer com força. Resultados do Jogo VIP O desempenho do jogo VIP do StarWorld foi muito forte, alcançando um volume recorde da circulação de fichas de MOP684 mil milhões (2010: MOP530 mil milhões). Tal teve como resultado receitas de MOP20.8 mil milhões, comparado com MOP15.3 mil milhões em 2010. O StarWorld aproveita de uma das maiores fatias de mercado VIP em Macau. Jogo de Massas As receitas de jogo de massas para o ano foram de MOP1.8 mil milhões. As receitas do último trimestre do ano tiveram um aumento de 15% comparativamente com o trimestre anterior para o valor de MOP0.5 mil milhões, significativamente acima do valor de crescimento de mercado que foi de 10%. O desempenho excepcional pode ser atribuído à sua excelente localização no centro do jogo, prestação de excelentes serviços, oferta de um produto atractivo especialmente concebido para o mercado asiático, e a sua capacidade em aproveitar os clientes do jogo de massa do Galaxy MacauTM, através da gestão de transportes entre os dois casinos. Os dois casinos complementam-se muito bem entre si e esperamos que o StarWorld beneficie ainda mais com a consolidação da reputação do Galaxy MacauTM. Jogos Electrónicos Os Jogos Electrónicos no Starworld tiveram receitas de MOP248 milhões para o ano, um crescimento de 16% em relação ao ano de 2010, aumento que foi largamente obtido através de melhoramentos nos equipamentos electrónicos reflectindo as benfeitorias realizadas no 3.° andar do Jogo de Massas. Extra-Jogo As receitas extra-jogo do StarWorld aumentaram de MOP324 milhões em 2010 para MOP371 milhões em 2011, um aumento de 14%. A taxa de ocupação dos quartos do ano atingiu quase a capacidade máxima, com uma taxa de ocupação média de 98%. Estas estatísticas não têm paralelo e demonstram que o StarWorld está a ultrapassar os demais hotéis de 5 estrelas de Macau. Prémios O StarWorld é um dos mais distinguidos e populares casino de Macau e tem reforçado esta posição com a atribuição de vários prémios, tendo recebido, pelo quinto ano consecutivo, o prémio Five-Star Diamond em Macau; prémio de Best Service Hotel e Best Consumer Satisfaction Hotel na Golden Horse Award of China Hotel; prémio de Top Ten Glamorous Hotels of China na China Hotel Starlight Awards e Top Ten China Charming Hotel na Continental Diamond Awards de World Hotel Association (China). “City Clubs” Os City Clubs providenciam um serviço especializado a clientes VIP seleccionados. Esta área continua a ter uma contribuição valiosa para a GCSA. No ano em revista gerou receitas EBITDA Ajustada de MOP188 milhões, um crescimento de 16% em relação ao ano anterior. A GCSA vai continuar a gerir com prudência os negócios para garantir ganhos sustentados. Lista dos titulares dos órgãos da sociedade — 31 de Dezembro de 2011 Conselho de Administração: Lui Che Woo Joaquim Jorge Perestrelo Neto Valente Lui Yiu Tung Francis Lui Lawrence Yiunam Cheng Yee Sing Philip Anthony Thomas Christopher Carter

Presidente Administrador Delegado Administrador Administrador Administrador Administrador

Fiscal Único: Chan Yuk Ying (representante da CSC & Associados-Sociedade de Auditors) Secretária: Até 18/9/2011: Yen Ling Shan Desde 19/9/2011: Seatwo King Lai Bess Lista dos principais accionistas em 2011 Canton Treasure Group Ltd. — 89.9999% Joaquim Jorge Perestrelo Neto Valente — 10% Para: Accionistas da Galaxy Casino, S.A. Parecer e relatório anual de Fiscal Único sobre o exercício de 2011 Tendo o Fiscal Único apreciado e analisado as Demonstrações Financeiras do Exercício de 2011 elaboradas pelo Conselho de Administração da vossa Sociedade, assim como o Relatório do Auditor Independente, PricewaterhouseCoopers, incluindo a verificação do registo de contas bancárias e de caixa, a lista dos principais activos do referente período, bem como os livros da Sociedade, é minha opinião que: 1. As Demonstrações Financeiras de 2011 foram devidamente elaboradas conforme as Normas de Relato Financeiro, reflectindo as actividades e situação financeira da Sociedade; 2. Proponho aprovar o Relatório do Conselho de Administração; 3. Proponho aprovar o Relatório do Auditor Independente. Macau, 21 de Março de 2012. O Fiscal Único CSC & Associados-Sociedade de Auditors (Representado por Auditora Chan Yuk Ying) RELATÓRIO DO AUDITOR INDEPENDENTE SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS PARA OS ACCIONISTAS DA GALAXY CASINO, S.A. (Sociedade anónima constituída em Macau) As demonstrações financeiras resumidas anexas da Galaxy Casino, S.A. (a “Sociedade”) e das suas subsidiárias (no seu conjunto, o “Grupo”) referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2011 resultam das demonstrações financeiras auditadas do Grupo referentes ao exercício findo naquela data. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço consolidado em 31 de Dezembro de 2011, a demonstração dos resultados consolidada e a demonstração consolidada de fluxos de caixa do exercício findo naquela data, são da responsabilidade do Conselho de Administração da Sociedade. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente endereçada a V. Exas, enquanto accionistas, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório. Auditámos as demonstrações financeiras da Sociedade e do Grupo referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2011 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras, no relatório de 15 de Março de 2012. As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço individual e consolidado da Sociedade em 31 de Dezembro de 2011, e a demonstração dos resultados consolidada, a demonstração consolidada de alterações no capital próprio e a demonstração consolidada de fluxos de caixa do exercício findo naquela data, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas. Para uma melhor compreensão da posição financeira do Grupo e dos resultados das suas operações, e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente. Hoi Iok Kei Auditor de contas PricewaterhouseCoopers Macau, 15 de Março de 2012

jornal tribuna de macau quarta-feira, 25 de Abril de 2012 pág 13


“O que os jornais não contavam era que em Portugal tinha havido um golpe de Estado, mas ninguém ficou admirado. As notícias nacionais e internacionais, aceites para publicação pela comissão de censura local, eram apenas as enviadas pela ANI e a Lusitânia e tinham mais de uma semana de atraso.”

Em Macau, o 25 josé rocha dinis

E Terminal Marítimo do Porto Exterior Espaços a Ceder para Comércio e Publicidade Áreas: Desde 65 a 2,600 pés quadrados Tipos de Utilização: Agências de Viagens / Estabelecimento de Comidas / Recordações/ Retalhos Publicidade Áreas: De 3 x 5 pés ou de 28 x 5 pés Termo de Cedência: Negociável Os interessados poderão contatar por e-mail: shpgdept@macau.ctm.net, por telephone: 28726111, por correio: Terminal Marítimo do Porto Exterior, sala 1099, Piso-1, Macau. E ainda em pessoa para esclarecimentos e visita aos espaços acima mencionados. (Guardamos Sigilo) pág 14

m Macau, o dia 25 de Abril de 1974 amanheceu quente e húmido, “talvez com mais sol que o habitual”, recordam os contemporâneos. Rui de Mascarenhas “atracção nacional e vedeta internacional” era o homem do dia em Macau. Cantava no festival “Abril em Portugal” com o patrocínio do Hong Kong Hilton Hotel, British American Tobacco e Vinhos do Porto “Ferreirinha”. O serviço de cozinha “tipicamente portuguesa” mais o espectáculo custava 25 patacas - 105 escudos ao câmbio da altura. “OS SEGREDOS DE UM VENDEDOR DE PORTA À PORTA” era, para maiores de 17 anos, o filme mais sugestivo dos quatro “teatros” que, em Macau, exibiam cinema em sessões quase contínuas. Os restantes filmes, todos de produção de Hong Kong, falavam de “O caso” e de “Quatro Verdadeiros Amigos”. UM DIA CHEIO DE PERIPÉCIAS Os jornais do dia seguinte mostraram que o 25 de Abril foi um dia cheio de peripécias. O “Notícias de Macau” dava conta que uma interna de 16 anos, fugira do Asilo de S. Francisco Xavier das Irmãs Canossianas, em Mong Há, desconhecendo-se o seu paradeiro. Já o comerciante Lim Fu Shou queixava-se à PSP de lhe terem roubado o carro “Honda” e o recheio que consistia, segundo a queixa, “em 44 garrafas de vinho do porto, três de vinho “Rosé”, quatro de “Coca-Cola”, um transístor de marca “Phillips” e dois baldes de plástico. A “Gazeta Macaense”, por outro lado destacava que o carro de outro comerciante, Luís Bonifácio Fão, não estava onde o tinha deixado na noite anterior e cautelosamente “presumia que tivesse sido furtado”. O que os jornais não contavam era que em Portugal tinha havido um golpe de Estado, mas ninguém ficou admirado. As notícias nacionais e inter-

nacionais, aceites para publicação pela comissão de censura local, eram apenas as enviadas pela ANI e a Lusitânia e tinham mais de uma semana de atraso. Os responsáveis pelos dois jornais de língua portuguesa de Macau só muito mais tarde souberam que as agências não lhes tinham enviado trabalhos nesse dia. Assim, o “Notícias de Macau” publicava um trabalho do “cronista parla-

quarta-feira, 25 de abril de 20


espec al

“Ao fim da tarde, a rádio de Hong Kong, que transmitia o noticiário da BBC, falou do golpe em Portugal” recordou o arquitecto José Maneiras, na altura já “do reviralho”, como então se dizia, ou mesmo o Comendador Morais Alves, das fileiras do regime, que recordou ainda que “foi o Pedrinho Lobo que me avisou das notícias”

FOTOs ARQUIVO

25 de abril sempre

Em meados da década de 70 do século XX, Macau era um território algo “adormecido”

de Abril... chegou em Maio! do controlo pelos golpistas do Terreiro do Paço, de que o Governo “estava em fuga”, mas também que “ainda havia bolsas de resistência nos quartéis”. Apressou-se a telefonar a outro “do contra” – o arquitecto Francisco Figueira(5) – mas este não acreditou às primeiras. E com boas razões. O “REVIRALHO” IA REUNINDO Vizinha da grande China onde imperava Mao Tse-tung, a população portuguesa não sentia a “asfixia” do regime como em Portugal. A PIDE/ DGS não existia, ainda que se soubesse de “uns bufos mais ou menos encartados”. A censura era feita pelo Gabinete do Governador mais por “inerência de funções”, embora também não houvesse nada para censurar pois a informação já vinha controlada de Lisboa. Macau servia mesmo de “refúgio” para uns velhos republicanos (Damião Rodrigues(6) e Vivaldo da Rosa) ou recém-saídos das lutas estudantis como Neto Valente, Francisco Figueira, etc. Na pacatez que então se vivia, estes e mais uns tantos portugueses, naturais

A 23 de Abril o Governador Nobre de Carvalho salientou que “vendavais

mentar”, Haendel de Oliveira(1), datado de 17 de Abril, sobre o magno problema das “Transplantações-um problema técnica e moralmente delicado”, em que se elogiava que “pertinente observação se nos afigura ser a que ontem fez a deputada pelo Estado da Índia Drª Teresa Lobo (...) sobre transplantações de tecidos ou órgãos de pessoas vivas”(2). Mas toda a gente já sabia o que se estava a passar. “Ao fim da tarde, a

012 jornal tribuna de macau

rádio de Hong Kong, que transmitia o noticiário da BBC, falou do golpe em Portugal” recordou o arquitecto José Maneiras, na altura já “do reviralho”, como então se dizia, ou mesmo o Comendador Morais Alves(3), das fileiras do regime, que recordou ainda que “foi o Pedrinho Lobo(4) que me avisou das notícias”. José Maneiras diz que “as primeiras notícias foram confusas”. Falavam

procelosos fustigam a Nação portuguesa que continua a ser alvo de uma cabala internacional visando, em especial, a nossa política ultramarina acerca da qual se fazem afirmações falsas e caluniosas”.

*

ou radicados em Macau, iam reunindo no café, falando do que se dizia e sabia da vida portuguesa e da governação local “tudo com muito cuidado”. Nas Forças Armadas em serviço em Macau também sopravam “novos ventos” por força da vinda de oficiais mais novos. Rocha Vieira era então Chefe do Estado Maior do Quartel General e pela “província” encontravamse os capitães Pinto Ferreira e Ghira, o 1º tenente Ramalho e os comandantes Guerra da Mata e Catarino Salgado. Em 1974, os oposicionistas tinham ganho novo alento. Spínola publicara “Portugal e o Futuro” e era já indisfarçável a dissidência no interior do regime. José Maneiras, recém-regressado de Portugal, onde se licenciara em Arquitectura, trouxera as entrelinhas duns recortes dos jornais “República”, “Diário de Lisboa” e “Expresso” e a convicção de que “a coisa estava para breve”. Aumentaram os telefonemas para Lisboa que na altura podiam demorar cinco ou mais horas a efectivar-se. Quando se soube do 16 de Março, os anti-situacionistas viram justificado o optimismo. A casa de Francisco Figueira (o “solteiro geográfico” do grupo) serviu então, de base, para se “viverem” as peripécias do “golpe das Caldas”, em longas noites passadas “a vodka e cigarros tentando apanhar a BBC ou a Voz da América”. Duas semanas depois, porém, o ânimo já tinha definhado. O regime parecia são como um pêro, os “golpistas tinham sido detidos ou transferidos e Spínola e Costa Gomes não davam de si”. “Estava já tudo conformado e a 1 de Abril, resolvi pregar uma peta ao Figueira”, conta José Maneiras. Com o pano de fundo dos receios de um golpe de extrema-direita, “contei-lhe que tinha ouvido as notícias de um golpe em Portugal e tinha sido formado um novo Governo com o Rapazote(7) como presidente do Conselho, o Kaulza(8) para a Defesa e um outro “ultra” para o Ultramar.

continua na página seguinte pág 15


“Macau servia mesmo de “refúgio” para uns velhos republicanos (Damião Rodrigues e Vivaldo da Rosa) ou recémsaídos das lutas estudantis como Neto Valente, Francisco Figueira, etc.”

espec al

“Na pacatez que então se vivia, estes e mais uns tantos portugueses, naturais ou radicados em Macau, iam reunindo no café, falando do que se dizia e sabia da vida portuguesa e da governação local “tudo com muito cuidado”.

25 de abril sempre continuado da página anterior Relembra Maneiras que a reacção de Francisco Figueira foi tão violenta “nunca mais ponho os pés em Portugal e vou-me embora de Macau” - que teve de lhe explicar que era “brincadeira do Dia das Mentiras”. Por isso quando, em 25 de Abril lhe contou o que estava a passar em Portugal, foi difícil fazê-lo acreditar que desta vez era a sério. GOVERNADOR FALA À PROVÍNCIA O então Governador general Nobre de Carvalho, também estava confuso, pois os acontecimentos precipitavamse a um ritmo e com um “conteúdo” a que a então “Província” não estava habituada. Já com muitos anos em Macau, Nobre de Carvalho acabara, a 23 de Abril de falar na sessão de abertura da Assembleia Legislativa, de que era, também presidente(9). O Governador salientara, então que “vendavais procelosos fustigam a Nação portuguesa que continua a ser alvo de uma cabala internacional visando, em especial, a nossa política ultramarina acerca da qual se fazem afirmações falsas e caluniosas”. Nobre de Carvalho prosseguiu que “o venerando Chefe do Estado Senhor Almirante Américo Thomaz, evidenciando, como sempre, o seu espírito firme e calmo continua dando ao País um alto exemplo de trabalho, dedicação e espírito de sacrifício” e que “sob a sua égide, prossegue o Governo Central, chefiado pelo Professor Marcello Caetano – esse clarividente estadista, homem de pensamento e acção – que atenta e devotadamente dirige a política geral do País, onde é já bem evidente a profunda transformação para melhor, operada em todos os sectores da vida nacional, como consequência de uma acentuada melhoria económica e da aceleração da politica social”. TELEGRAMA APROVADO POR “ACLAMAÇÃO” Foi um discurso grande – o “Notícias de Macau” deu-lhe as primeiras páginas e interiores de três dias seguidos (com a mesma manchete, para não destoar), discurso que terá agradado muito à Assembleia pois o vogal Henrique de Senna Fernandes entendeu caber-lhe “em nome da Assembleia Legislativa, felicitar, em primeiro lugar, Vossa Excelência, Senhor Presidente, pelo realismo com que se referiu à hora grave que a Nação atravessa”. Diz o “Notícias de Macau” que o orador, “certo de reflectir a vontade dos vogais daquela Assembleia”, propôs que fosse enviado ao ministro do Ultramar um telegrama onde se lhe solicita que “se digne transmitir Sua Excelência Presidente do Conselho Professor Doutor Marcello Caetano rendido preito respeitosa admiração grato reconhecimento desta Assembleia (...) e expressa seu inteiro apoio política ultramarina que define o rumo melhor serve superiores interesses nacionais e que impõe nesta hora grave país atravessa a maior coesão todos os portugueses”. O texto foi aprovado “por aclamação” e combinada nova reunião para dia 29.

“A 29 de Abril, José Maneiras começa um discurso na Assembleia, lendo na íntegra o poema “NO MEU PAÍS HÁ UMA PALAVRA PROIBIDA” de Manuel Alegre, puxando “de uma folha de papel que clandestinamente guardava, com enternecido carinho”.

SILÊNCIO NO PALÁCIO Enquanto a informação portuguesa local “desconhecia” o que se passava em Portugal, as rádios e televisões de Hong Kong iam acrescentando pormenores, a partir de certa altura já com imagens dos acontecimentos. Aos olhos de todos era claro que o movimento vencera e que Spínola era a primeira figura de proa. “Abrimos o champagne, festejámos o fim do anterior regime, mas não ficámos muito convencidos de que alguma coisa iria mudar em Macau”, disse-nos um dos elementos do grupo anti-situacionista. A oficialidade mais nova - onde António de Spínola era “herói” - tentava levar o Governador Nobre de Carvalho a “ligar-se” ao novo regime, enquanto o então comandante militar, Mesquita Borges(10), o tentava convencer do contrário. O Governador hesitava. Pretendia que “a nova ordem política anunciada, salvo em alguns aspectos, em pouco irá afectar a vida político-administrativa desta terra”, e justificava que “em Macau, a excelente convivência e a mútua compreensão entre cidadãos de diferentes etnias, credos, ideologias e culturas já revelava à evidência uma forma de pensar e de viver, diferenciada, digamos assim, sob certos aspectos das restantes regiões do território nacional”. A pressão, e as dúvidas, eram tantas que a 30 de Abril, decidiu-se a enviar um telegrama ao ministro do Ultramar a solicitar instruções. O ministro Rebello de Sousa(11) já não governava há quatro dias, mas os jornais de Macau ainda lhe atribuíram a resposta a informar Nobre de Carvalho sobre a sua manutenção no cargo. Possivelmente foi confusão. Como entre as primeiras leis da Junta de Salvação Nacional, a 29 de Abril se contava uma que exonerava “das suas funções os Governadores Gerais de Angola e Moçambique”, depreendia-se que o de Macau, entre outros, se mantinha. Assim se explica, aliás, que a 30 de Abril, Nobre de Carvalho agradecesse directamente a Spínola a confiança da Junta e lhe manifestasse o apoio. PRIMEIRAS NOTÍCIAS SURGEM A 27 Finalmente nos jornais do dia 27 de Abril aparecem as primeiras notícias

pág 16 quarta-feira, 25 de Abril de 2012 jornal tribuna de macau

sobre o “Movimento das Forças Armadas”. Ainda visado pela Censura, o “Notícias de Macau” anunciava que “o General Spínola foi proclamado Chefe do Portugal Novo”, mas adiantava que “continua a aguardar-se a revelação dos nomes dos principais responsáveis pelo MFA e as declarações que então deverão ser feitas por aqueles sobre quem recairão as pesadas e honrosas responsabilidades de governar a Nação”. Comentava candidamente “que mudem os sistemas políticos será sempre secundário, pois o que importa é que os governantes de ontem, de hoje e de amanhã, sejam verdadeiros portugueses, pois isso é sobretudo e sobre todos o que interessa”. Só a importância desta notícia retirou a quarta parte do discurso do Governador para a parte debaixo do jornal. Ao lado, Dutra Faria, director executivo da ANI escreve sobre “Miterrand, o inquietante”, “o socialista que se apresenta como candidato das esquerdas, apoiado pelos comunistas”... “GOLPE DE RINS” QUASE GENERALIZADO No dia 29 de Abril, a Assembleia Legislativa de Macau dá um verdadeiro “golpe de rins” que nem todos aceitarão. Antes da Ordem do Dia, Nobre de

Carvalho (depois de saber que se mantinha como Governador) afirma que “trata-se de uma oportunidade única aquela que agora é proporcionada a toda a Nação Portuguesa, graças à iniciativa de um punhado de cidadãos e oxalá o país compreenda a importância de tal facto e comprove, pelo seu espírito cívico, que merece uma remodelação da vida portuguesa uma nova ordem politica, nos moldes que foram anunciados pela Junta de Salvação Nacional”. Na mesma sessão, o vogal Carlos Assumpção acentua o “indefectível fervor patriótico e a doação total à causa pública que animam os ilustres homens de armas que compõem a Junta”, o vogal Ho Yin(12) acha que a continuação do Governador Nobre de Carvalho é “motivo de júbilo para esta Província” e o vogal Humberto Rodrigues(13) destaca a presença na Junta de Salvação Nacional do general Jaime Silvério Marques, ex-Governador de Macau, o que é “motivo de grande júbilo e de fé e de esperança no novo regime de que em boa hora faz parte, designadamente no engrandecimento de Macau”. José Maneiras, também vogal da Assembleia Legislativa, estava noutra. “Desafecto ao antigo regime, com o qual nunca me identifiquei ideologicamente e sem disso fazer segredo) conscientemente desenquadrado de todas as suas formações e estruturas politicas e sem me deixar seduzir por posições confortáveis que me poderiam advir, tudo a bem da coerência dos


“O Governador hesitava. Pretendia que “a nova ordem política anunciada, salvo em alguns aspectos, em pouco irá afectar a vida político-administrativa desta terra”, e a 30 de Abril, decidiu-se a enviar um telegrama ao ministro do Ultramar a solicitar instruções.”

espec al

“O ministro Rebello de Sousa já não governava há quatro dias, mas os jornais de Macau ainda lhe atribuíram a resposta a informar Nobre de Carvalho sobre a sua manutenção no cargo.”

25 de abril sempre

princípios que me norteiam (...) afirmo a minha adesão aos princípios estabelecidos para a edificação de um Portugal Novo, solidamente alicerçado nos mais sagrados ideais da democracia”, relata o “Notícias de Macau”. E começa um discurso na Assembleia, lendo na íntegra o poema “NO MEU PAÍS HÁ UMA PALAVRA PROIBIDA” de Manuel Alegre, puxando “de uma folha de papel que clandestinamente guardava, com enternecido carinho”. A certa altura surge a ideia (as fontes não determinam por parte de quem) de enviar à Junta de Salvação Nacional um telegrama de apoio. A professora Graciette Batalha(14), vogal da Assembleia já falecida recusa-se a assinar. Em livro de memórias, publicado nos finais da década de 80, Graciette Batalha recorda a sua posição contra a incoerência de uma Assembleia que, uns dias antes, tinha enviado a Thomaz e Caetano, um telegrama de idêntico teor. O Leal Senado de Macau, “como lídimo representante da população da cidade de Macau e atentas às suas honrosas e gloriosas tradições de lealdade à Pátria” e a Câmara Municipal das Ilhas enviaram moções de apoio “aos princípios e objectivos” da Junta, e, em especial, pela manutenção do Governador. Nobre de Carvalho, mais descansado quanto ao seu futuro próximo, recebia D Duarte Pio de Bragança, príncipe da Beira, de passagem por Macau, e diversas individualidades, entre as quais o Intendente Pires Estrela “acompanhado de alguns funcionários mais categorizados dos serviços de Administração Civil”, segundo o “Notícias de Macau”.

termos entusiásticos e enérgicos manifestou a esperança que da referida revolução saísse uma sociedade mais digna e mais livre”. Segundo o relato deste jornal – o evento passou só chegou ao “Notícias de Macau” a 3 de Maio – foi decidido enviar “um telegrama à Junta da Salvação Nacional e a um jornal de Lisboa, manifestando a adesão dos democratas portugueses de Macau aos correlegionários de Portugal”, eleita uma comissão coordenadora “para orientar as futuras reuniões e elaborar os estatutos da organização a criar” e sugerido pelo comandante Guerra da Mata “que nas próximas reuniões se convidassem senhoras que estivessem integradas no movimento democrático em Portugal”. Foram mais de três dezenas os fundadores do CDM. Das assinaturas dos telegramas ficaram para a história os nomes de Vivaldo da Rosa, José Fernandes, Martins Dias, Dias Brito, Manuel Gomes Eusébio, Herculano Estorninho, Damião Rodrigues, Adolfo Aboim, Roçadas Ramalho, Francisco Figueira, Jorge Saraiva Parracho, José Celestino Silva Maneiras, Palmiro Augusto Estorninho, Fernando Augusto Batalha da Silva, Geraldo Maria Lopes do Rosário, Jorge Neto Valente, Valdemar Gamaral Garcia, Augusto António Catarino Salgado, Armindo Costa, António Júlio Estácio, Mário Fernandes Ribeiro, António Manuel Vieira Pinto Ferreira, Anízio Rómulo Luiz, Manuel Palha Calado, Alfredo Ghira, António Vicente Gracias, Tarcísio Luz, e Francisco Arnaldo Mendes Joaquim Silvério Guerra Mata. Nasceu assim a primeira Associação Cívica de Macau, que assinaria depois um protocolo de cooperação com o Partido Socialista que teve uma enorme importância na resolução de questões do funcionalismo públicos antes de 1999 e que ainda hoje se mantém. O CDM é hoje a única associação de cariz política devidamente registada na RAEM.

CDM NASCE NO “FAT SIU LAU” Os desafectos do regime não estavam dispostos a deixar tudo na mesma. Às 18 horas de 30 de Abril, no restaurante “Fat Siu lau”, na popular “Rua da Felicidade” nascia o CDM – Centro Democrático de Macau, tendo com o fundadores “médicos, advogados, engenheiros, arquitectos, oficiais da Armada e do Exército, funcionários públicos e de instituições privadas”. À reunião-jantar presidiu o Dr Vivaldo Eurico Modesto da Rosa que, segundo o relato da “Gazeta Macaense”, “historiou os antecedentes da revolução e condenou o regime do governo deposto e em

CENSURA ACABOU A 3 DE MAIO

“Cinco dias depois do 25 de Abril, na pacatez dos meados da década de 70 nasceu a primeira Associação Cívica de Macau, que é hoje a única associação de cariz política devidamente registada na RAEM.”

A “Gazeta Macaense”, que tinha Leonel Borralho como principal animador (o director era o arquitecto Pereira Chan, mas apenas para cumprir a lei de Imprensa de então que obrigava a ter um licenciado como director) apercebeu-se que “DA JUNTA MILITAR, DE 7, 3 ESTIVERAM EM MACAU” e como

jornal tribuna de macau quarta-feira, 25 de Abril de 2012 pág 17


“Os desafectos do regime não estavam dispostos a deixar tudo na mesma. Às 18 horas de 30 de Abril, no restaurante “Fat Siu Lau”, na popular “Rua da Felicidade” nascia o CDM – Centro Democrático de Macau”

espec al

“Assim, só a partir de 4 de Maio de 1974, os jornais portugueses de Macau deixaram de inserir o “Visado pela Censura”.

25 de abril sempre

continuado da página anterior Leonel era presidente do Hóquei Clube de Macau, então com jogadores integrados na selecção nacional portuguesa, resolveu mandar dois telegramas ao general Spínola. Um a saudá-lo “nesta hora histórica e quando os hoquistas macaenses se integram na selecção nacional pela primeira vez” e outro pedindo a extensão a Macau da “abolição da censura prévia, dando como fiador sua integridade jornalista General Jaime Silvério Marques”. Coincidência ou não, nesse mesmo dia, o major Henrique Lajes Ribeiro(15), na qualidade de chefe da Repartição do Gabinete do Governador reuniu com os directores e representantes dos jornais portugueses locais para “em nome de Sua Exª o Governador, como representante da Junta de Salvação Nacional, lhe dar conhecimento de que fora abolida nesta Província, a censura à Imprensa”. Diz o “Notícias de Macau” que foi depois apresentada “uma comissão in loco” (sic) constituída por dois militares, o capitão-tenente Catarino Salgado e o capitão Estrela Soares. Assim, só a partir de 4 de Maio de 1974, os jornais portugueses de Macau deixaram de inserir o “Visado pela

Censura”. Nesse dia são abundantes as notícias de Lisboa: dá-se conta do comício do 1º de Maio e da participação de Mário Soares e Álvaro Cunhal; do regresso do exílio de Fernando Piteira Santos e Manuel Alegre; da suspensão de sete funcionários da Emissora Nacional, entre os quais o Dr Clemente Rogeiro, presidente da Direcção vitalício; a custódia militar a que ficou confinado o ex-deputado Cazal Ribeiro; a mudança do nome do Ministério das Corporações para Ministério do Trabalho “por vontade dos sindicatos” e “tendo sido ocupadas as suas instalações pelo Exército”. Que a “Província” estava, apesar de tudo, muito longe de Portugal, prova-o essa edição do “Notícias de Macau” quando insere um trabalho de António Maria Zorro, director da ANI para o Ultramar subordinado ao título “a praga do esbanjamento” em que protestava contra o dinheiro gasto pela população no Entrudo. Vinha datada de Lisboa, Abril, 23, e foi a última peça da ANI a ser publicada em Macau... *Este texto resulta de um trabalho inicialmente publicado pela “Tribuna de Macau” por ocasião da passagem do 20.º aniversá-

pág 18 quarta-feira, 25 de Abril de 2012 jornal tribuna de macau

rio do 25 de Abril. O texto recebeu algumas notas explicativas sobre figuras menos conhecidas dos leitores que então não estavam em Macau, até porque já passaram várias décadas dos acontecimentos.

NOTAS 1. Nos meados dos anos 80 foi director do Gabinete de Comunicação Social de Macau no tempo do consulado Almeida e Costa; 2. A existência de um deputado pelo Estado da índia que tinha sido anexado pela União Indiana nos anos 60 era uma das ficções do regime anterior em Portugal; 3. O Comendador Morais Alves foi uma importante figura de Macau, onde desempenhou variadíssimos cargos com grande competência. A sua morte foi muito sentida nas variadas comunidades de Macau, onde gozava de grande prestígio; 4. Pedro Lobo foi uma figura da comunidade macaense com relevantes serviços na área da hotelaria e turismo; 5. Francisco Figueira haveria de ficar na história da vida pública de Macau pela defesa do património que nas décadas de 70 a 90 esteve “sob fogo” dos interesses dos promotores imobiliários; 6. Pai de José Manuel Rodrigues, advogado e actual presidente da APIM;

7. António Gonçalves Rapazote, foi ministro do Interior entre 1968 e 1973, responsável directo pela PIDE. Era considerado um dos “duros” do regime; 8. O general Kaulza de Arriaga ficou conhecido pelas campanhas militares em Moçambique. Era tido como um dos duros do regime desde que em 1961 contribuiu para desmontar o fracassado golpe de Estado de 1961; 9. Em 1974 já se chamava Assembleia Legislativa, mas não tem nada a ver com a AL criada pela Estatuto Orgânico de Macau. Tinha funções meramente consultivas e era composto por vogais escolhidos pelo Governador, que presidia; 10. Engenheiro. Mais tarde foi deputado eleito na Assembleia Legislativa; 11. Pai do ex-líder do PSD e actual comentador político Marcelo Rebelo de Sousa. Foi Governador Geral em Moçambique; 12. Pai de Edmund Ho, primeiro Chefe do Executivo da RAEM. Foi o líder da comunidade chinesa de Macau durante décadas; 13. Engenheiro. Responsável durante décadas pela firma H. Rodrigues que ainda hoje tem porta aberta na Nam Van, perto do BNU; 14. Docente do ensino secundário, Graciette Batalha foi a maior investigadora do “patuá”; 15. Nos anos 90 foi secretário-adjunto para a Segurança do Governador Rocha Vieira;


“Já no século XIX houve várias crises económicas e financeiras (...) não podemos prever o futuro e talvez o futuro seja melhor” - Fernando Gomes

espec al

“A qualidade dos políticos é que é má, não a qualidade do sistema do sistema político. Temos de nos perguntar se andámos a escolher os políticos mais diligentes. Se calhar não!” – Fernando Simões

25 de abril sempre O SIGNIFICADO DA REVOLUÇÃO HOJE A PARTIR DE MACAU

Entre a desilusão e a esperança A Revolução do 25 de Abril e o seu significado hoje, num contexto em que Portugal vive em crise, é analisada por um arquitecto, uma advogada, um médico e um professor universitário. Com idades, passados e presentes diferentes, tocam em dois pólos: o desânimo actual e a confiança num futuro melhor. Mas que não fiquem dúvidas, todos defendem que Portugal está melhor do que a 24 de Abril de 1974, quando a Revolução ainda não se tinha feito à estrada helder almeida

E

ntre a desilusão pelo que ainda não se cumpriu e a esperança pelo que ainda há-de vir. A Revolução é quase quarentona e num período especialmente crítico para Portugal, nunca como agora se discutiu a data que marca a entrada do País na liberdade. Qual o significado que é atribuído ao 25 de Abril, pela geração mais velha, mas também pela mais nova? Com olhos de Macau, algumas das personalidades da terra, ou que cá estão, reflectem essa dualidade de visões: desilusão e esperança. Há 38 anos o mote era a democratização, a descolonização e o desenvolvimento. Carlos Marreiros, na altura a acabar o 7º ano (actualmente o 12º) decide mudar de rumo e ir ver a revolução na rua. Em vez de ir estudar para os EUA, escolhe Portugal. E não se arrepende. Agora recorda: “colectivamente, sonhámos com um Portugal melhor”. Hoje vê que os três D’s não foram completamente cumpridos. “A descolonização processou-se, com todos os seus erros, mas todos esses territórios são autónomos, a democracia atingiu-se, mas o desenvolvimento ainda fica aquém”. Porém, lembra que “hoje em dia há uma sociedade mais igualitária: antes do 25 de Abril, o filho do lavrador seria lavrador, hoje isso pode não acontecer, pode tornar-se engenheiro ou latifundiário”. O problema é que “ainda se está aquém”, diz o arquitecto. O cenário actual é descrito de “complicado, até “negro”, mas defende acima de tudo que a Revolução “valeu a pena e tem que continuar a valer, até porque o país cresceu e isso nota-se a vários níveis”, a começar no próprio português, “mais culto e mundividente”.

Amélia António “Os caminhos escolhidos não parecem ter sido os melhores e isso é desmoralizador” A FRUSTRAÇÃO DA GERAÇÃO MAIS NOVA. Há 38 anos, Amélia António também estava em Portugal. Viveu o

Todos os anos, o desfile na Avenida da Liberdade, em Lisboa, relembra os ideais de Abril

período da Revolução “com alma e coração” e, aos 29 anos, tinha “a cabeça cheia de ideias e esperança”. Assegura que “não morreram”. Mas a fria realidade faz transparecer “uma grande desilusão, talvez tristeza” em relação ao estado a que o País chegou. “Muitos sentem hoje que muitos dos progressos, do ponto de vista social e da democracia, pararam e até voltaram atrás”. Vê, principalmente na “geração mais nova, uma certa maior frustração e desilusão, por falta de perspectivas de bem estar” e admite que esta realidade possa ofuscar “as oportunidades criadas pelo 25 de Abril, num país que estava totalmente desfasado” da realidade internacional. Recorda os sonhos e ideais que então havia para notar que muito desse património “foi desbaratado”. “Chegámos ao ponto a que chegámos e isso é duro”, admite. E é “triste” também. “Pertenço à geração que viveu os sonhos todos e vejo hoje em dia as pessoas a perderem qualidade de vida, nomeadamente os reformados, em que há situações gravíssimas, de pessoas de idade a ter de escolher entre comer ou comprar medicamentos!”. De facto, “os caminhos escolhidos não parecem ter sido os melhores e isso é desmoralizador”. Amélia António, agora presidente da Casa de Portugal em Macau, aponta os dinheiros que a Europa atribuiu ao País, na década de 90, e que foram “utilizados de forma não criteriosa”. Já na altura era criticado e notado, mas confiou-se e deixou-se andar. “Também houve pessoas a desinteressarem-se muito tempo pela coisa pública”. Ainda assim, “o mais importante de tudo é não aceitar o espírito de derrota que paira”. Lembra que Portugal já

atravessou grandes crises “e sempre deu a volta” e prefere continuar a confiar no “mensagem de esperança que o 25 de Abril trouxe e que não se pode deixar morrer”.

Carlos Marreiros “Hoje em dia há uma sociedade mais igualitária (...) mas ainda se está aquém” “TALVEZ O FUTURO SEJA MELHOR”. Fernando Gomes também prefere enfatizar um futuro melhor. “Não nos devemos focalizar no aspecto económico e social”, defende o presidente do Conselho das Comunidades Portuguesas. “Já no século XIX houve várias crises económicas e financeiras”, lembra, para afirmar depois: “não podemos prever o futuro e talvez o futuro seja melhor”. As revoluções “levam tempo a alcançar um equilíbrio” e “nós ainda estamos em evolução”, refere o médico. Facto é que “houve um amadurecimento

democrático”. Fernando Simões ainda não era nascido quando a Revolução estalou. “Pertenço à geração pós 25 de Abril, mas em que essa memória ainda está muito viva”, conta este professor de 31 anos da Faculdade de Direito da Universidade de Macau. Sente a “insatisfação” no País mas recusa que se “culpe uma Revolução” por isso. “A qualidade dos políticos é que é má, não a qualidade do sistema do sistema político. Temos de nos perguntar se andámos a escolher os políticos mais diligentes. Se calhar não!”. E lembra que a bola também está do lado dos eleitores. “Fomos nós que os escolhemos e não podemos lavar as mãos”. Constatando a actual crise económica e financeira, o docente, que se diz “moderadamente optimista”, salvaguarda que “Portugal não é um caso isolado”, na cena internacional, e que o grande problema do país é a “crise estrutural”. Carlos Marreiros também zurze na classe política. “Portugal é dirigido há muitos anos por políticos incapazes, incompetentes, e cabe a um dos portugueses agora fazer a sua revolução: votando e responsabilizando os seus políticos”. E chama a atenção: “podemos olhar para a China, que com uma revolução radical, com tantas mortes, um país tão complexo, conseguiu impor-se, porque é que Portugal também não o há-de conseguir? Por causa do seu tamanho? Se a dimensão de Portugal é menor e a população também, não pode ser mais difícil! Vejase então o que era a Finlândia, em 1917, e em como se conseguiu transformar num país próspero rapidamente!”. É o último “D” que, mal ou bem, falta concretizar mais a fundo, como sublinha. O “D” de desenvolvimento.

jornal tribuna de macau quarta-feira, 25 de Abril de 2012 pág 19


volta ao MUND

actual

SUDÃO NORTE DECLAROU GUERRA AO SUL. O Presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, afirmou ontem em Pequim que o regime de Cartum “declarou guerra” ao seu país. A China é um aliado de longa data do Sudão.

ANGOLA

O ministro do Interior angolano, Sebastião Martins, chegou a Pequim ONTEM à tarde (hora local), primeira etapa de uma visita cinco dias à China, disse fonte diplomática à agência Lusa. Sebastião Martins visitará na quinta-feira a cidade de Shenyang, no nordeste da China, regressando no dia seguinte à capital chinesa, onde terá os principais contactos políticos.

TIMOR-LESTE

A ministra da Justiça de Timor-Leste, Lúcia Lobato, começou ontem a ser julgada pelo Tribunal Distrital de Díli por alegados crimes de corrupção, abuso de poder e falsificação de documentos. O julgamento estava inicialmente previsto para começar a 23 de Maio, mas foi antecipado, depois de o Parlamento ter suspenso a ministra de funções no passado mês de Março. No final da sessão, a ministra da Justiça recusou prestar declarações à imprensa.

COREIA DO NORTE

O presidente da China, Hu Jintao, garantiu que a amizade com a Coreia do Norte continua a ser a linha de aCtuação do Partido Comunista Chinês, no final de um encontro com uma delegação norte-coreana em Pequim. De acordo com a agência Xinhua, Hu Jintao também manifestou, no final do encontro a sua confiança na nova liderança de Pyongyang.

COREIA DO SUL

Os investidores europeus retiraram da Coreia do Sul, no ano passado, fundos num total de 13.841 milhões de euros, essencialmente devido à crise na zona euro, informou ontem o Banco da Coreia. Só em investimento de capital, os europeus contribuíram para uma saída do mercado sul-coreano de 8.290 milhões de euros.

JAPÃO

A Agência de Segurança Nuclear do Japão vai pedir às operadoras de quatro centrais nucleares para reverem os seus estudos sobre o impacto de eventuais sismos sobre as suas instalações, informou ontem a cadeia de televisão NHK. Os pedidos abrangem uma central em Hokkaido, no norte, duas na província de Fukui, no centro, e outra em Shimane, no sudoeste, regiões onde, segundo as autoridades japonesas, se verificou um incremento da actividade sísmica depois do terramoto de 11 de Março de 2011, seguido de tsunami.

ISRAEL

O Primeiro-Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, declarou ontem que o actual regime iraniano, à semelhança da Alemanha nazi, tem o desejo de “aniquilar milhões de judeus”. “É certo que não desejam executar em nome de uma raça superior, mas em nome de um culto, de uma religião superior. No entanto, o desejo de aniquilar milhões de judeus é claro”, disse Netanyahu à rádio pública numa das entrevistas que tradicionalmente é concedida em vésperas do Dia da Independência.

FRANÇA

“Abriu a caça” ao eleitorado de Marine Le Pen Os dois candidatos à Presidência reagiram ao resultado histórico de Marine Le Pen na primeira volta com as cautelas típicas de caçadores em busca da presa (os 17,9% de votos obtidos pela dirigente da Frente Nacional), ao mesmo tempo que a maioria dos dirigentes europeus despertava sobressaltada com a subida eleitoral da extrema- direita albano matos

U

m porta- voz de Durão Barroso lembrou mesmo o apelo dirigido aos dirigentes europeus para “não cederem à tentação dos discursos populistas”. A situação não é, porém, tão preocupante como em 2002, quando Jean-Marie le Pen, o pai de Marine, conseguiu qualificar-se para a segunda volta. Nesse ano, Durão Barroso, então primeiro-ministro de Portugal, enviou o embaixador em Paris, António Monteiro, ao derradeiro comício de Jacques Chirac, onde se sentou na primeira fila, ao lado de representantes de vários Governos europeus. Nessas eleições, até as organizações de esquerda aconselhavam em cartazes e manifestações: “Votez l’escroc [Chirac] contre

le facho [Le Pen].” Desta vez, uma baixa abstenção e uma razoável concentração de votos não permitiram que Marine passasse à segunda volta. Os seus quase 18% tornam-se, porém, perigosos para os europeus mas irresistíveis para Hollande e Sarkozy. Daí que, nas primeiras reacções aos resultados da primeira volta, tenham tido o cuidado de diabolizar a candidata da FN, enquanto diziam compreender as preocupações do seu eleitorado. Neste e nos apoiantes do centrista François Bayrou ( 9,13%) está a reserva de votos necessária à vitória na noite de 6 de maio, já que a esmagadora maioria do eleitorado de Jean- Luc Mélenchon (11,11%) está prometida a Hollande pelo próprio candidato da Frente de

Esquerda. “Há eleitores que podem ter optado por esse voto [em Le Pen] por raiva. É esses que eu quero ouvir”, disse Hollande. E o Presidente-recandidato foi mais longe: “É preciso respeitar o voto dos eleitores, o nosso dever é entendê-lo. Há esse voto de crise que duplicou de uma eleição para outra e é a esse voto de crise que é preciso dar uma resposta.” Sarkozy parece bem colocado para captar grande parte desse voto. As sondagens garantem-lhe 60% do eleitorado de Le Pen, contra 18% para Hollande e 22% para a abstenção. Essa relação de forças não bastaria para assegurar a reeleição do Presidente. Mas a boa notícia para Sarkozy é que, na última sondagem antes da primeira volta (dia 19), apenas

45% dos eleitores de Le Pen estavam dispostos a transferir o voto para ele na segunda volta, enquanto 33% admitiam votar Hollande. A própria Marine Le Pen já disse que não irá fazer nenhum apelo ao voto quando discursar, como habitualmente, na festa da Frente Nacional no dia 1 de Maio (festeja Joana d’ Arc, como contraponto ao Primeiro de Maio convocado pelos sindicatos). Resta a Sarkozy tentar anular a sensação de “traição” de que falam os dirigentes da FN) e carregar nas teclas “malditas” para os dirigentes europeus, como reforçar fronteiras e pôr Schengen em causa. A Hollande basta-lhe não perder a cabeça, manter-se tranquilo e não cometer nenhum erro fatal até 6 de Maio. JTM/DN

GUINÉ-BISSAU

PAIGC quer conhecer “cérebro” do golpe O partido no Governo até 12 de Abril aceita diálogo com golpistas desde que seja com o “verdadeiro líder”. União Africana debate situação na Guiné-Bissau

O

PAIGC aceita dialogar com o Comando Militar, desde que seja apresentado o verdadeiro líder do golpe de Estado do passado dia 12 de Abril”, afirmou ontem Augusto Olivais, secretário nacional do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), no poder até ao golpe militar. Os militares tomaram o poder invocando o impasse em torno das eleições presidenciais de 18 de Março e da passagem à segunda volta do candidato do PAIGC, Gomes Júnior, e do PRS, Kumba Ialá, com este a recusar-se a participar na segunda volta, alegando irregularidades. Com a detenção dos principais dirigentes do PAIGC, Augusto Olivais é quem

se tem assumido como “condutor” do partido. Ontem recebeu uma delegação do Movimento Nacional da Sociedade Civil, a quem informou da disponibilidade do diálogo, desde que os golpistas apresentem o seu líder. “Desde que o Comando Militar nos apresente o rosto do golpe, estamos disponíveis para conversar. O PAIGC não pode falar com um porta-voz”, disse Olivais, referindo-se ao tenente-coronel Daba Na Walna, que tem falado em nome dos golpistas. “Já é altura de os autores do golpe dizerem ao Mundo quem é o fulano que está a dirigir esta coisa toda. Que nos mostrem o rosto de quem está por detrás desta coisa, para que a Guiné e o Mundo possam saber quem ele é, assim sim poderemos dialogar”, sublinhou Augusto Olivais. A situação guineense está a ser debatida numa reunião da União Africana (UA) a decorrer em Adis Abeba, na Etiópia. Se-

pág 20 quarta-feira, 25 de Abril de 2012 jornal tribuna de macau

gundo o encarregado das questões de paz e segurança da UA, do encontro devem sair uma série de recomendações para uma solução rápida, justa e duradoura” não só na Guiné-Bissau como no Mali, onde também ocorreu um golpe militar. À partida para Adis Abeba, o ministro dos Negócios Estrangeiros angolano, Georges Chicoti, afirmou que o objectivo “é encontrar mecanismos para a implementação das resoluções tomadas sobre a situação na Guiné-Bissau”, nomeadamente da CPLP e da própria UA, além das recomendações do Conselho de Segurança das Nações Unidas. “Os guineenses têm que aceitar a força de interposição, que não é uma intervenção militar nos termos que pensam, mas sim uma força que deve poder ajudar os militares a voltarem para as casernas e a dar garantias ao Governo civil de que ambos podem voltar a trabalhar juntos”, disse Chicoti. JTM/DN


TRABALHADORES PORTUGUESES SÃO DOS MAIS BARATOS. Entre os 17 países da zona euro, só em três é que os trabalhadores são mais baratos do que em Portugal. Segundo os dados publicados ontem pelo Eurostat, os portugueses são dos que custam menos às empresas por cada hora trabalhada.

actual

DENUNCIADA DISCRIMINAÇÃO DE MUÇULMANOS. A Amnistia Internacional alertou ontem para um aumento da discriminação dos muçulmanos na Europa, especialmente ao nível do trabalho e da educação, num relatório divulgado em Londres.

PORTUGAL

MP investiga buraco nas contas públicas da Madeira No processo de investigação do Departamento Central de Investigação e Acção Penal ( DCIAP) às contas da Madeira, existem suspeitas de falsificação de documentos, corrupção, associação criminosa, fraude fiscal e branqueamento de capitais, apurou o DN junto de fonte policial lília bernardes

A

operação no terreno, para a qual foram mobilizados 25 militares da Brigada Fiscal da GNR, sediada no DCIAP, iniciou-se pelas 09.00 de segunda feira (16 em Macau) nas instalações da exSecretaria Regional do Equipamento Social, responsável pelas obras públicas, e onde funcionam vários departamentos, como as empresa Estradas da Madeira e Investimentos Habitacionais da região autónoma. Toda a manhã funcionários foram proibidos de sair do edifício ou contactar com o exterior, enquanto decorriam as diligências de busca e apreensão de documentos – as quais vão prolongar-se por uma semana, tal como confirmou o comunicado do DCIAP.

Militar da GNR guarda no Funchal antigo edifício da Secretaria Regional do Equipamento Social

Estas diligências estão relacionadas com a abertura de um inquérito-crime sobre a dívida oculta da Madeira, anunciado pelo Procurador-Geral da República, Pinto Monteiro, em Setembro do ano passado, para averiguar “eventuais ilícitos penais”. Alberto João Jardim reagiu à situação através de vários comunicados. Primeiro, questionou “o aparato”

montado junto ao edifício. Depois interrogou-se com a legalidade da participação da GNR nas buscas; por fim, mandou abrir um inquérito no sentido de apurar se houve qualquer situação que indicie “sequestro”, bem como da existência ou não de mandato judicial . Em Outubro de 2011, Alberto João Jardim e outros membros do Governo foram

“A prioridade de Portugal deve ser apoiar as PME” O representante da Comissão Europeia, Normund Popens esteve em Lisboa para falar de “especialização inteligente”. Um novo conceito que condicionará a atribuição de fundos estruturais no próximo orçamento comunitário e que significará a concentração de investimento em menos projectos.

C

omo é que o conceito de “especialização inteligente” se aplica a Portugal? -Temos de olhar para isto como parte do desenvolvimento económico europeu. Quando olhamos para as nossas vantagens no mercado global, indústrias simples – onde a Europa era competitiva há alguns anos – já não são tão relevantes para o crescimento. -Como por exemplo? -Muitas indústrias, como a têxtil, construção naval, etc., que eram tradicionalmente fortes na Europa deixaram de o ser. A Europa tem de encontrar soluções. É importante para a Europa inovar. É aqui que está a sua força. Os recursos humanos são muito bons. São pessoas com qualificações elevadas que podem produzir inovação. Todos os países têm programas dedicados a inovação. Mas como não há uma visão estratégica, estas medidas têm sido muito caóticas. Não são colocadas num contexto de desenvolvimento económico. Se olharmos para programas de transportes e ambiente, é relativamente fácil construir estradas ou caminhos de ferro. Para inovar é preciso ser criativo. Perceber o que vai de facto dar uma contribuição para o crescimento económico em vez de apostar em projectos que apenas dão uma ilusão de inovação. -É aí que entra a “especialização inteligente”? -Alguns Estados membros têm dificuldades em desenhar planos de inovação. Por isso criámos este conceito, que basicamente significa que, se vamos investir, é preciso fazê-lo de uma forma inteligente. Perceber os pontos fortes e fracos do seu país e região e não apostar em áreas onde nunca será excelente. -Em que errou Portugal nos últimos anos e no que deve agora apostar?

-Portugal é que tem de decidir em que é que vai investir. Sim, podemos dar aconselhamento. No que diz respeito a fundos estruturais, nós favorecemos o apoio a pequenas e médias empresas (PME). Temos de ver se em Portugal há PME que precisem de ser apoiadas para serem competitivas no mercado global. -O apoio financeiro é o mais importante? -Sim, isso é importante. E temos instrumentos para isso. Primeiro queremos ver o que Portugal quer apoiar, mas achamos que é preciso apoiar mais a inovação nas PME. O desenvolvimento de PME mais inovadoras deve ser a forma de avançar. -Mas não estamos a falar de mais dinheiro, certo? -Estamos essencialmente a falar do próximo período (orçamento da UE 2014 a 2020). Para o próximo período, temos de ter a certeza que estes fundos são investidos e têm impacto no crescimento dos Estados membros. Vemos que alguns programas não têm um objectivo claro no que diz respeito ao impacto na economia ou um enquadramento no desenvolvimento do país. A forma como se dispersam os recursos faz com que o impacto seja mínimo. É preciso concentrar os recursos. -Estamos a falar de gastar dinheiro em investimento, num período dominado por medidas de austeridade. É possível conciliar as duas? -É com essa questão que os países europeus se estão a deparar. Ao reduzir a despesa pública, também se reduz o investimento em inovação e o apoio às PME, porque não se pode mexer nas pensões ou no sistema público de saúde. Por isso é que este conceito de especialização inteligente é importante. Se há poucos recursos, tem de ser inteligente e usá-los da forma mais correcta. Instituições como o FMI têm aconselhado a Europa a reduzir o ritmo de austeridade. -A redução do défice e da dívida devem continuar a ser a prioridade europeia? -Sim. Não há outra opção. Quando se tem um défice orçamental, isso significa que o país está sempre a pedir dinheiro emprestado. Já não faz sentido. Vimos que em alguns estados membros isso fugiu de controlo e colocou mesmo em risco a zona euro. JTM/DN

alvo de uma queixa-crime apresentada por dirigentes do Partido Nova Democracia (PND), na qual se incluía, ainda, o líder parlamentar do PSD/M, Jaime Ramos. A queixa apontava a participação de membros de uma alegada “élite do poder” da Madeira no processo de ocultação de dívida. Três meses antes tinha sido noticiada pela primeira vez a derrapagem do défice da Madeira com impacto nas contas nacionais. Em Setembro já estava apurada uma dívida oculta de 1,6 mil milhões de euros, colocando a dívida da região autónoma no patamar dos 6,5 mil milhões. Inicialmente, Jardim negou a existência dessa dívida “escondida”, para logo reconhecer que, afinal, não tinha sido totalmente transparente com o Estado, para não ser prejudicado pelo Governo PS e pela lei de Finanças Regionais, que podia aplicar sanções à Madeira caso o Governo aumentasse a dívida pública. “Não era aconselhável [ dizer que havia dívida], porque eles ainda nos tiravam mais dinheiro se andássemos a mostrar o jogo todo ao Governo socialista, que não era sério, e nós estávamos em estado de necessidade e, por isso, agimos em legítima defesa”, justificou. JTM/DN

Breves CDS quer travar corte de apoios As Regiões Ultraperiféricas da União Europeia ( RUP), entre as quais se incluem os Açores e a Madeira, deverão receber menos 587 milhões de euros – uma redução de 47% – durante o quadro comunitário de apoio (QCA), que irá vigorar entre 2014 e 2020. Nuno Melo do CDS denuncia um “golpe” para as ilhas de Portugal, Espanha e França, se for aprovada a proposta do comissário europeu para a Política Regional, Johannes Hahn. “As RUP são pior tratadas que as regiões nórdicas de baixa densidade da UE”, concluiu o deputado europeu, que disse não compreender como é que a referida proposta “retira dinheiro” de regiões com menores capacidades e liquidez, como é o caso dos Açores e da Madeira.

Pobres têm de “aceder à saúde” O presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social, D. Jorge Ortiga, avisou que os mais carenciados não podem “perder a possibilidade de acesso aos cuidados de saúde de que necessitam e de adquirir os medicamentos que lhes podem ser indispensáveis”. Numa mensagem deixada para o 24. º Encontro Nacional da Pastoral da Saúde, o arcebispo de Braga lembrou que a comunidade e os próprios responsáveis pelas paróquias não podem “alhear-se, mas devem organizar-se para responder a este flagelo social”.

Gaia pode acolher Es.Col.A Despejado por ordem da Câmara do Porto da antiga escola primária da Fontinha, o movimento Es. Col. A. vê agora a possibilidade de lhe ser oferecido um espaço pela autarquia de Vila Nova de Gaia. O município liderado por Luís Filipe Menezes ainda vai analisar a proposta que partiu de um vereador do PS, na oposição que defende a hipótese de ser disponibilizado um local no eixo Centro HistóricoAfurada com vista à instalação do projecto. jornal tribuna de macau quarta-feira, 25 de Abril de 2012 pág 21


OLHANENSE AGRAVA CRISE DA ACADÉMICA. A Académica perdeu com o Olhanense por 1-0, em Coimbra, na 27ª jornada da Liga de futebol, somando assim o 15º jogo consecutivo sem vencer. A “Briosa” segue na 14ª posição, com 23 pontos, apenas dois acima da zona de despromoção.

desporto

Russos querem Raúl Meireles. Mais um emblema a mostrar interesse em Raul Meireles, desta feita os milionários russos do Anzhi. A imprensa russa associa o nome do antigo jogador do FC Porto ao clube, mas o jogador tem sido igualmente apontado como alvo do Real Madrid, Juventus e Paris SG.

SPORTING

“Sá Pinto poderá ser um novo Mourinho” Antigo presidente da Real Sociedad recorda tempos do treinador leonino no clube carlos nogueira

R

icardo Sá Pinto tem apenas dois meses e nove dias de carreira como técnico principal de uma equipa profissional, mas Luís Uranga, antigo presidente da Real Sociedad, aposta que “está a nascer um grande treinador”. O antigo dirigente, responsável pela contratação do antigo avançado ao Sporting em 1997, vai mais longe no seu vaticínio. “Tem todas as condições para triunfar. Pode ser um novo Mourinho ou um novo Guardiola”, disse ao DN, com uma gargalhada à mistura. Ainda assim, encontra alguns pontos em comum com o Special One. “Está mais próximo de Mourinho por causa do temperamento. Ricardo tam-

bém tem personalidade forte e muitas ‘ganas’”, frisou. Uranga recorda a passagem de Sá Pinto pela Real Sociedad como “muito positiva”. Mas não esquece “o primeiro ano muito complicado”. Nessa altura o exavançado não pôde representar a Real Sociedad devido a uma suspensão por ter agredido o seleccionador Artur Jorge. “Só por isso conseguimos contratá-lo a um bom preço”, reconheceu, lembrando que os advogados do clube “ainda tentaram reduzir a pena, mas não foi possível”. “Imagine o que sentia um jovem, que treinava muito bem e ao fim de semana ia para a bancada.” Sá Pinto tinha 25 anos e passou um ano sem competir. “Foi muito duro em termos psicológicos”, recordou, garantindo que Sá nunca pensou desistir: “Esteve sempre

determinado em ajudar o clube. Eu e o treinador procuramos manter a chama dele acesa.” Desses tempos nasceu uma grande amizade. “O Ricardo provou aqui que era um grande futebolista, com um carácter muito forte e um grande coração. Foram dois anos óptimos, mas em 2000 decidiu deixar o clube”, frisou, explicando como tudo se processou: “Tínhamos ofertas semelhantes do Bordéus e do Sporting, mas dissenos logo que queria voltar ao clube do coração.” Luis Uranga revelou ao DN que fala regularmente com Sá Pinto. “Ligou-me para dizer que ia ser adjunto do Leiria. Desejei-lhe sorte, mas estava convencido que ele acabaria por chegar a técnico principal”, revelou, admitindo que ficou “surpreendido por ter sido tão depressa”. “Assim que soube que ele ia treinar o Sporting corri para o telefone e quando se soube que ia defrontar o Athletic voltei a telefonar-lhe.”

O ex-presidente promete uma visita ao hotel de Bilbau onde o Sporting vai ficar. “Vamos beber um café e colocar a conversa em dia”, disse. Sobre o duelo com o rival da sua Real Sociedad,

expressa um desejo: “Como se diz aqui em Espanha: ‘Salga el sol por Antequera e sea lo que Dios quiera’.” Que é como quem diz, seja o que Deus quiser... JTM/DN

BENFICA

Escolhido o sucessor de Gaitán Patito Rodriguez do Independiente sabe do interesse das águias e já deu o OK à transferência que poderá rondar os sete milhões de euros gonçalo lopes

P

atito Rodriguez, nº 10 do Independiente da Argentina, é o escolhido para fazer face à saída de Nicolas Gaitán no final da temporada. O jogador de 21 anos já sabe do interesse dos encarnados e deu o sim à transferência. O avançado, sabe o DN, foi proposto aos encarnados por um dos olheiros que o Benfica tem na América do Sul e Jorge Jesus, treinador das águias, deu o seu aval à contratação. O clube da Luz também já abordou o Independiente e o negócio tem pernas para andar até ao final da época. O emblema argentino começou por

Patito tem 21 anos e é visto como um dos jogadores de futuro na Argentina

pedir 10 milhões de euros pela transferência, mas os encarnados acreditam que o negócio poderá fazer-se por uma verba na

ordem dos sete milhões. Franco Jara, avançado do Benfica emprestado ao Granada de Espanha, poderá

ser uma peça fundamental neste negócio já que, segundo informações recolhidas, é um desejo do Independiente para a próxima temporada, pelo que poderá existir uma troca. Por Patito também já houve abordagens por parte da Roma e do Marselha, de Itália e França, respectivamente, mas o futebolista parece mais inclinado a viajar para Portugal. Liverpool segue Nolito. O espanhol Nolito, entretanto, foi associado aos ingleses do Liverpool. Os reds seguem o ex-jogador do Barcelona desde os seus tempos no clube catalão e poderão avançar com uma proposta de 15 milhões de euros pelo jogador. O seu empresário admite sondagens. “Fui contactado por alguns intermediários que perguntaram por Nolito, querem saber como está a sua situação. Dizem que há clubes interessados, mas não recebi nada de concreto, são apenas sondagens”, disse Óscar Fonte à TSF. JTM/DN

UNIÃO DE LEIRIA

Três salários ou caos na Liga Plantel entregou pré-aviso de greve para o jogo de domingo com o Feirense. Caso o clube se retire da competição pode lançar caos na classificação do campeonato

O

plantel da União de Leiria entregou um préaviso de greve ao jogo da jornada 28 da Liga com o Feirense. Os jogadores asseguram o normal desenrolar dos treinos, mas mantêm a intenção de só comparecer ao jogo de domingo caso três dos quatro meses de salários em atraso sejam regularizados até à véspera dos três últimos encontros: Feirense, Benfica e Nacional. Joaquim Evangelista, presidente do Sindicato de Jogadores, considera que o anúncio do pré-aviso de greve terá “impacto” nas contas finais de um campeonato cuja verdade desportiva pode estar em causa. Pois pág 22 quarta-feira, 25 de Abril de 2012 jornal tribuna de macau

se a União de Leiria incorrer em falta de comparência nas três jornadas que restam, só o clube será penalizado com derrota, descida e multa. Mas se o clube comunicar à Liga que desiste do campeonato, será desclassificado e pode haver uma revolução na tabela classificativa, porque, neste caso, os resultados dos jogos em que a União de Leiria participou no campeonato seriam considerados nulos. “Obviamente que vai haver um impacto na competição e a própria integridade das competições está em causa, mas compete ao presidente da Liga minimizar o problema”, explicou o presidente do Sindicato de Jogadores.

Já Mário Figueiredo, presidente da Liga, salientou que o problema afecta vários clubes. “Temos estado a trabalhar sobre formas de poder ultrapassar as dificuldades que os clubes estão a atravessar”, começou por dizer o presidente da Liga, à margem de um encontro com a Associação de Ligas Europeias, em Lisboa. “Temos um modelo que ultrapassa os standards mínimos e médios ao nível do licenciamento dos clubes a nível mundial no que diz respeito à sua própria responsabilidade financeira, pois estes têm de entregar duas vezes por ano certidões de que têm os salários em dia”, disse. JTM/DN


Juventus negoceia Van Persie. A Juventus está em conversações com o agente de Robin Van Persie, do Arsenal, para que ele represente a “vecchia signora” na próxima temporada. O emblema de Turim está prestes a conquistar o “scudetto”, devendo marcar presença na Liga dos Campeões da próxima temporada.

desporto

LIGA DOS CAMPEÕES

Real Madrid enfrenta “besta negra”

Pepe interessa ao United. O Manchester United está interessado em contratar Pepe ao Real Madrid. A imprensa inglesa garante que os “red devils” se preparam para apresentar uma proposta ao emblema merengue.

remates em portugal

O Real Madrid procura hoje o acesso à final da Liga dos Campeões mas para isso terá que vencer o Bayern de Munique dado que os alemães trazem uma vantagem da primeira mão (2-1)

Análise de Fernando Gomes*

pedro andré santos

“O Pinto da Costa não vai deixar fugir o campeonato”

A

par do Barcelona o Bayern de Munique deve ser das equipas europeias que mais dores de cabeça têm dado a José Mourinho. Na Alemanha, na primeira mão das meias-finais da Liga dos Campeões, o clube bávaro venceu por 2-1, somando a oitava vitória em nove jogos no seu estádio frente aos “merengues” em partidas da competição. O jogo desta noite, contudo, é realizado em Espanha e o técnico português espera com certeza um outro desfecho. Depois de afastar a “mala-pata” das vitórias no terreno do Barcelona, Mourinho espera agora eliminar a “besta-negra” que tem sido o Bayern de Munique. A vantagem dos alemães é curta (2-1), e um golo apenas dos “blancos” será suficiente para garantir o acesso à final. Se na primeira mão o Real Madrid parecia mais do que satisfeito com o empate, o golo marcado ao cair do pano do ponta-de-lança Gomez veio trazer toda a justiça ao marcador dado que foram os bávaros que controlaram as operações durante a maior parte do encontro. O Real parte como favorito, até pela moral trazida do embate em “Camp Nou” que garantiu praticamente o título, só que o Bayern de Munique tem também uma palavra a dizer e está na frente na eliminatória, tendo a aliciante extra de poder jogar o

Bayern parte em vantagem após vencer na Alemanha por 2-1

derradeiro encontro perante os seus adeptos dado que a final está marcada para a Arena de Munique. Se na Alemanha foi o Bayern que entrou a todo o gás enquanto o Real ficava na expectativa de olho no contra-ataque, hoje espera-se uma inversão de papéis. Os alemães perderam a corrida no campeonato para o Dortmund e apostam tudo na “Champions”, mas será muito improvável que os “merengues” não façam qualquer golo nesta partida, o que “obriga” a equipa orientada por Jupp Heynckes a ser atrevida na frente para tentar marcar um golo que poderá ser crucial para as suas pretensões.

No primeiro embate frente aos germânicos, Cristiano Ronaldo, apesar de ter feito a assistência para o golo “merengue”, esteve muito apagado, mas voltou a ser decisivo no último fim-desemana na partida do campeonato frente ao Barcelona. Resta saber como é que o extremo português irá surgir nesta partida decisiva, se aparecerá apenas em alguns momentos, ou se volta a “carregar” a equipa como tantas vezes o fez nesta temporada. Esta partida, recorde-se, terá transmissão em directo na TDM Sport a partir das 02h40.

O arraial dos campeões no coração dos Pirenéus Clube da comunidade portuguesa sagrou-se pela primeira vez campeão do Principado. Emigrantes fizeram festa nunca vista sérgio pires

A

mil quilómetros de Portugal, no coração dos Pirenéus, a alma lusa faz-se ecoar ao som de bombos e cânticos de incentivo vindos das bancadas. Domingo foi dia de arraial minhoto em Andorra-a-Velha. Nunca o Estádio Comunal de Aixovall havia assistido a uma enchente assim: quase um milhar de portugueses fizeram a festa pela conquista do Lusitanos, que pela primeira vez se sagrou campeão da I Divisão de futebol de Andorra. O clube da comunidade portuguesa, fundado em 1999, subiu a pulso no amador futebol andorrano. Depois de nas últimas duas épocas ter conseguido chegar à pré-eliminatória da Liga Europa, concretizou agora o sonho de vencer um campeonato, uma conquista suada até ao último minuto da última jornada e com três outras equipas à espreita. “Já tinha ganho um campeonato pelo Santa Coloma [clube com melhor palmarés em Andorra, com seis títulos], mas não há comparação com aquilo que vivemos no domingo. Uma festa portuguesa, com mais de 700 pessoas na bancada. Até o hino cantámos”, conta ao DN o lateral-direito Leonel Maciel, contabilista que trabalha para o Governo de Andorra e que há seis anos trocou Viana do Castelo pelo Principado encrustado entre Espanha e França. A comunidade portuguesa é quem dinamiza o futebol num país mais ligado aos desportos de neve. Não é portanto de estranhar que nos jogos do Lusitanos (a equipa tem 16 jogadores portugueses) haja sempre mais gente a assistir do que no dos seus adversários. “Qualquer jogador em Andorra quer vir jogar para o Lusitanos. Só aqui jogam com a bancada cheia e centenas de pessoas a assistir. Nos jogos dos outros, há dois ou três gatos pinga-

Lusitanos tem 16 jogadores portugueses

dos…”, salienta António Cerqueira, 57 anos, presidente da direcção desde 2006 e dono de um restaurante português em Andorra, onde está emigrado há 28 anos. Para ele, o Lusitano vai passar a ser crónico candidato ao título em Andorra, já que o clube conseguiu subir de patamar nos últimos anos com os encaixes financeiros das participações na UEFA e com a ajuda da La Posa, uma empresa de construção portuguesa: “Sempre disse aos responsáveis dos outros clubes que, no dia em que nós entrássemos nas competições europeias, eles iam começar a ter problemas… As verbas da UEFA fizeram com que o nosso orçamento aumentasse de 28 mil euros para mais de 150 mil.” “Nunca pensei em ser campeão aqui. É uma afronta para os andorranos, que não gostam muito dos portugueses”, conta Luís Reis, penafidelense que há sete anos foi para Andorra trabalhar como cristaleiro e que é o extremo-esquerdo: “Seria um sonho encontrar uma equipa portuguesa na Liga Europa, mas é muito difícil porque para isso teríamos de passar as duas pré-eliminatórias...” JTM/DN

(...) “O campeonato está entregue. Não vai depender do Benfica e o Porto tem tido uma eficácia bastante estável. O problema não é o Benfica recuperar mas sim o Porto perder pontos e nos últimos jogos tem gerido bem os resultados. Jogar na Madeira frente ao Marítimo na próxima jornada é sempre difícil, o resultado será um empate ou uma vitória do Porto pela margem mínima” (...) (...) “O Pinto da Costa não vai deixar fugir o campeonato. Já tem o bolo feito, só falta pôr os morangos. É o ‘treinador-sombra’ do Futebol Clube do Porto” (...) (...) “A Liga tem sido muito interessante com Porto, Benfica e Sporting de Braga a estarem no primeiro lugar. Na luta pela Liga dos Campeões não vejo o Braga a deixar fugir o lugar, apesar de ser matematicamente possível. O Sporting costuma ter dois jogos maus consecutivos, mas não perde há várias partidas e isso mostra alguma coisa. Se for à final da Liga Europa vai poupar jogadores contra o Porto de certeza e por isso acho que vai perder” (...) (...) “A época do Sporting surpreendeu-me pela positiva mas fora da liga portuguesa. No campeonato começou bem mas depois não se encontrou. A mudança de treinador veio incutir um espírito diferente mas também acho que teve alguma sorte” (...) (...) “O Braga tem sido a equipa sensação dos últimos anos mas é ainda um ‘grande pequeno’. Faltam-lhe suplentes à altura do resto da equipa, nota-se que quando tem jogadores lesionados ou castigados perde na qualidade do jogo. Mas conseguiu intrometerse nos primeiros lugares e está de parabéns” (...) (...) “Mais clubes podem tornar a liga mais competitiva, mas acho que vão haver surpresas. O Leiria está em falência mas não é o único. Na Madeira, com o controlo das finanças, também vai ser diferente. Os clubes recebem milhões e os trabalhadores da função pública têm cortes salariais, como é isto possível?” (...) *médico

jornal tribuna de macau quarta-feira, 25 de Abril de 2012 pág 23


Dito

Algumas das propostas de Hollande - como a diminuição da idade da reforma dos franceses para os 60 anos - serão postas em causa, não pela Europa, mas pela realidade dos números.

opinião

António Costa in “Diário Económico”

Há 20 anos tribuna

In “Jornal de Macau” e “Tribuna de Macau” 25/04/1992

GUIMARÃES APRESENTOU AEROPORTO EM LISBOA O presidente da Autoridade de Aviação Civil de Macau Jorge Guimarães, estimou que em 1996, no primeiro ano de exploração do Aeroporto de Macau, o movimento de passageiros será da ordem dos 2,2 milhões, estando previsto que este “tráfego” ascenda a quatro milhões no ano 2000. A afirmação foi proferida na Missão de Macau, durante um colóquio sobre o aeroporto do território, coordenado pelo secretário-adjunto para os Transportes e Obras Públicas, José Manuel Machado. O investimento, com conclusão prevista para 30 de Junho de 1995, está orçamentado em 120 milhões de contos, a cargo de uma empresa privada, a CAM- Companhia do Aeroporto de Macau – em regime de concessão de 25 anos, prorrogável por dois períodos de 10 anos, cada. A pista do Aeroporto, foi também revelado, terá 3335 metros permitindo o acesso a voos directos para a Europa e os estados Unidos. Das várias questões levantadas pelos participantes no colóquio, em que se destacavam entre outros, Tomás Taveira, Francisco Sousa Tavares, Jorge Coelho. Adriano Moreira e altos responsáveis da Interfina e Construções Técnicas (empresas com interesses em Macau), foi abordada a possibilidade de ligação ferroviária a Zhuhai, por sua vez ligada a Cantão.

Mário Soares

Austeridade ou Crescimento? A

Europa interroga-se. Era inevitável. O sistema político-social está a mudar, quanto ao futuro próximo. Entre austeridade e os cortes inaceitáveis e extremamente dolorosos para as populações, sobretudo as mais desfavorecidas, que são, por todo o lado, as grandes vítimas - e em que a classe média, pela primeira vez, está também a sofrer enormemente -, a necessidade do crescimento económico e da luta contra o flagelo do desemprego crescente começa a tornar-se evidente. Os europeus advertidos (não falo dos dirigentes) parecem finalmente não hesitar. A austeridade conduzir-nos-á ao caos. O doutor Draghi, presidente do Banco Central Europeu, foi talvez o primeiro a perceber a necessidade de fazer injectar dinheiro no circuito económico. E por duas vezes desviou um bilião de dólares para dar oxigénio às instituições financeiras europeias em grandes dificuldades. Mas, reconheça-se, foi sol de pouca dura. A Espanha e a Itália tornaram-se, de repente, os Estados europeus em maiores dificuldades. E - imagine-se - os economistas europeus e americanos, por mais ortodoxos que sejam, já o reconhecem: o pior está para vir. Pensemos no que se vai passar na França, independentemente dos resultados das eleições presidenciais. E agora - pasme-se - na Holanda! Na verdade, as coisas são o que são. A pobreza, que está a atingir o nível da miséria em países com economias fortes, como a Itália e a Espanha - e, para mais, Estados católicos -, está a dar lugar, muito significativamente, a pessoas que se suicidam, dada a situação trágica em que se encontram, falidas e sem dinheiro para comer e dar de comer aos filhos. Nos últimos três meses, 146 000 empresas fecharam as suas portas em Itália. 91% dos italianos chegam ao fim do mês sem dinheiro. O primeiro--ministro Monti falou do custo das vidas perante a crise. Mas a Espanha não está melhor e não deixará de gritar o mesmo.

“As pessoas estão a aprender, à custa própria, que a austeridade, por si só, nos leva a cada vez maiores dificuldades. Que é preciso mudar de sistema, para salvar o euro e a União Europeia. (...)”. Que fazer? Para além das pessoas que se suicidam na Itália em cada dia, um pequeno empresário e um trabalhador - em Portugal começa a surgir o mesmo fenómeno -, há também a crescente criminalidade, que começa a ser outra manifestação de desespero. É que quando os dirigentes desprezam as pessoas - e só querem saber dos cortes e do dinheiro -, pedindo sacrifícios sem compreender as tragédias que daí resultam, avolumando as desigualdades, só há um caminho, honestamente: a revolta. Atenção, pois, ao que se está a fabricar, inconscientemente. O desespero é mau conselheiro... As pessoas estão a aprender, à custa própria, que a austeridade, por si só, nos leva a cada vez maiores dificuldades. Que é preciso mudar de sistema, para salvar o euro e a União Europeia. Como disseram Jacques Delors e Helmut Schmidt, o antigo chanceler alemão, de 93 anos, ou o projecto europeu se desarticula - bem como o euro - e os Estados europeus entram em decadência, todos; ou terá de haver, in extremis, uma mudança de paradigma e de sistema de desenvolvimento. *Extracto do artigo semanal no “Diario de Notícias” JTM/DN

Governo da Região Administrativa Especial de Macau A SAAM irá realizar obras de manutenção na rede de abastecimento durante o período abaixo indicado, pelo que o abastecimento de água será interrompido nos locais abaixo indicados: Data da Interrupção: 2012/4/26 Quinta-feira Horário da Interrupção: Entre as 09.30 e as 13.30 Local da Obra: Hotel Holiday Inn (Rua de Pequim) Locais Afectados: Nº 82, Rua de Pequim, Hotel Holiday Inn & Nº 75C, Rua de Xangai I Pou Kok Todas as residências & lojas Local de Abastecimento Temporário: Nº 136, Rua de Pequim HIDRANTE Nº. 1248 Linha Aberta de Informação: 28220088 Atenção: O abastecimento de água será restabelecido a qualquer momento, dependendo do progresso dos trabalhos A SAAM irá afixar este aviso nas portas dos locais onde o abastecimento de água será interrompido, antes das 17.30 do dia que precede a interrupção do abastecimento, no sentido de confirmar o período de interrupção. Pedimos desculpas por qualquer inconveniente causado!

Serviços de Saúde AVISO

Concurso Público Nº 16/P/2012 Faz-se público que, por despacho do Exmo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 10 de Abril de 2012, se encontra aberto o Concurso Público para «Fornecimento e Instalação de Um Sistema Automático de Preparação de Amostra com PCR em Tempo Real para Patologia Molecular aos Serviços de Saúde», cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos que se encontram à disposição dos interessados desde o dia 25 de Abril de 2012, todos os dias úteis, das 9:00 às 13:00 horas e das 14:30 às 17:30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato, sita na Cave 1 do Centro Hospitalar Conde de S. Januário, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de $32,00 (trinta e duas patacas), a título de custo das respectivas fotocópias ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet no website dos S.S. (www.ssm.gov.mo). As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17:45 horas do dia 23 de Maio de 2012. O acto público deste concurso terá lugar em 24 de Maio de 2012, pelas 10:00 horas na sala do «Museu» situada no r/c do Edifício da Administração dos Serviços de Saúde junto ao C.H.C.S.J. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de $ 30 000,00 (trinta mil patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde, aos 17 de Abril de 2012. O Director dos Serviços, Lei Chin Ion

pág 24 quarta-feira, 25 de Abril de 2012 jornal tribuna de macau

Direcção dos Serviços de Estatística e Censos

AvisO Faz-se público que, por despacho do Ex.mo Senhor Secretário para a Economia e Finanças, de 28 de Março de 2012, e nos termos definidos na Lei n.º 14/2009 (Regime das carreiras dos trabalhadores dos serviços públicos) e no Regulamento Administrativo n.º 23/2011 (Recrutamento, selecção, e formação para efeitos de acesso dos trabalhadores dos serviços públicos), se acham abertos os concursos comuns, de ingressos externos, com prestação de provas, para o preenchimento dos seguintes lugares: A) Cinco estagiários com vista ao preenchimento de lugares de técnico de estatística de 2.ª classe, 1.º escalão, da carreira de regime especial, na área de estatística; B) Sete lugares de agente de censos e inquéritos de 2.ª classe, 1.º escalão, do grupo de pessoal técnico de apoio. O aviso do concurso encontra-se publicado no Boletim Oficial da RAEM, n.º 17, II Série, de 25 de Abril de 2012, e no website destes Serviços (www.dsec.gov.mo). Para mais informações, dirija-se por favor à Divisão Administrativa e Financeira da Direcção dos Serviços de Estatística e Censos, sita na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.º 411-417, Edifício Dynasty Plaza, 17.º andar, durante o horário de expediente. Direcção dos Serviços de Estatística e Censos, aos 19 de Abril de 2012. A Directora, Kong Pek Fong


“(...) Acaso serão frívolos os canadianos, os escoceses e a maioria dos espanhóis e republicanamente austeros os governos dos senhores Sócrates, Papandreus e Berlusconi, entre vários outros que, com os seus luxos, nos atiraram política e socialmente para os lixos dos lixos?” - Luiz de Oliveira Dias

opinião

postais das ilhas

“O Génova será sempre de Gianni Brera e dos garotos de cinco anos. Mas fica aquele amargo de boca, e não estou só a pensar no Génova, por ver amores belos e inexplicados tão facilmente abusados por gente rasteira.” - Ferreira Fernandes

Luiz Oliveira Dias*

Este elefante incomodou pouca gente U

m amigo meu e antigo colega da Faculdade na altura nosso embaixador em Cuba, contou-me que, indo um dia de Havana para Madrid (em Executiva) num voo da Ibéria, pouco depois de o avião levantar, ouviu o comandante anunciar: “Señoras y Señores Passajeros – tiengo el gusto de informar que viaja con nosotros en 1ª classe el Sr. Jose Luiz Rodriguez Zapatero, Secretario General del Partido Socialista Obrero de España, que sigue muy bien y acaba de tomar su segunda copa de champagne”… palmas de alguns e gargalhadas e assobios da maior parte, quase todos espanhóis. Há deslizes – distracções? tentações? – que podem custar caro... Não, porém, no caso, do Sr. Zapatero que, depois de regressar de Cuba dum Congresso dos Partidos Socialistas e Trabalhistas dos países ibero-americanos foi nomeado pelo seu Rei Presidente do Governo espanhol. Funções que, tal como José Sócrates, tão incompetentemente exerceu que deixou o seu pais na situação dramática em que está hoje. E ninguém, na Espanha como em Portugal, se lembrou de gritar pela queda do regime. Há dias, detonou em Espanha um pequeno escândalo (desprovido,

aliás, de qualquer relevância política) que os meios da esquerda, quer democrática quer radical, logo tentaram transformar num cataclismo político que aproveitaram para exigir a queda da Monarquia. É claro que o Rei D. Juan Carlos errou. Desde logo com o Rei, por ter saído do seu país numa situação quase trágica para se ir divertir numa caçada em África; e como homem casado por, ao que consta, “aí se ter encontrado” com uma senhora alemã que, por mais princesa que seja (e é) não passa de sua amante. Mal viu, porém, a justa indignação que provocou, logo se apressou a pedir desculpas públicas. Só quem conhece o orgulho espanhol e, especialmente, dos Borbons, pode imaginar o esforço que lhe terá custado… E pronto. A história terminou aqui pois, como cantava Carlos do Carmo nos seus tempos áureos, “por morrer uma andorinha / não acaba a Primavera”. E teria terminado mesmo, pelo menos em Espanha, se alguns comentadores falaciosos não continuassem a aproveitar o facto para continuarem a bater em D. Juan Carlos e – imaginem! - para reclamar a queda da Monarquia. Um dos seus comentadores mais

um ponto é tudo

críticos e mais maniqueístas chegou ao ponto de afirmar que o tiro com que D Juan Carlos matou um elefante “talvez” não tenha derrubado só um elefante como terá ajudado a dissipar os preconceitos que ainda explicam o absurdo (!) de manter monarquias hereditárias em estados de direito”; acabando o seu artigo por recomendar que, “contra esta frivolidade monárquica, um pouco de austeridade republicana será uma bênção para a Espanha”. O que para eles significa que as Monarquias constituem um “absurdo”, caso, pelos vistos, entre outras, as mais avançadas democracias do mundo com a do Reino Unido, do Canadá, da Austrália e da Nova Zelândia, dos países escandinavos, da própria Bélgica, da Holanda, do Luxemburgo e da Espanha, onde construíram os mais sólidos e mais exemplares Estados de Direito. E, por tabela, que os ingleses, os suecos, noruegueses, espanhóis, etc, são, politicamente, um bando de retrógrados absurdamente preconceituosos. E que “história” é essa da “frivolidade monárquica e da austeridade republicana?”. Acaso serão frívolos os canadianos, os escoceses e a maioria dos espanhóis e repu-

blicanamente austeros os governos dos senhores Sócrates, Papandreus e Berlusconi, entre vários outros que, com os seus luxos, nos atiraram política e socialmente para os lixos dos lixos? Se há que lembrar ao Rei que “noblesse oblige” - quer dizer que a nobreza, sobretudo a das funções, sempre e muito responsabiliza, também há que recordar aos maldicentes que, à luz da História (e não de ranços antiquados), foi a Monarquia que impediu a fragmentação da Espanha na tal Federação das Repúblicas Socialistas Ibéricas (entre os quais a Portuguesa!) pretendida pelo desnacionalizado Comité de Orão. E que foi este seu Rei quem assegurou – com a competente colaboração dum grande Primeiro Ministro monárquico, Adolfo Suarez, o êxito do processo de democratização do seu país. E, ainda, que não foi por absurdo ou frivolidade que, muito democraticamente, em referendo nacional, a grande maioria dos espanhóis exigiu a mudança da República (que os precipitara na Guerra Civil) pela Monarquia, que transformou a Espanha num dos mais progressivos e democráticos Estados de Direito da Europa. *Docente. Anterior presidente do Instituto Politécnico de Macau.

Ferreira Fernandes

O desamor dos patifes à camisola M

(1919-1992). Brera fez a carreira toda em Milão - onde ele inventou a palavra “libero”, que daria a volta ao mundo dos estádios -, mas não se apaixonou por nenhum dos dois colossos da cidade, Milan ou Inter. O futebol tem fidelidades estranhas e o homem que com a caneta fazia equipas campeãs europeias só tinha olhos para uma camisola, a azul e vermelha do Génova, que da última vez que ganhou o campeonato italiano, em 1924, ele tinha cinco anos. No domingo passado, o Génova estava a

perder em casa por 4 a 1, e nas bancadas quiseram que ele começasse a perder a honra. Dezenas de imbecis invadiram o campo e obrigaram os jogadores a tirar a camisola. Alguns dos jogadores choravam. Não deviam, o Génova será sempre de Gianni Brera e dos garotos de cinco anos. Mas fica aquele amargo de boca, e não estou só a pensar no Génova, por ver amores belos e inexplicados tão facilmente abusados por gente rasteira. JTM/DN

Cartoon

ilão tem também o seu Coliseu, mais recente, mandado construir por Napoleão. O circo de Buffalo Bill, quando andou pela Europa, exibiu lá a tristeza de Touro Sentado e a pontaria de Calamity Jane. Mais de um século depois, em 2007, desdobrou-se ali a maior camisola de futebol do mundo, 5280 m2, numa daquelas parvoíces para recorde do Guinness. No entanto, havia como que poesia na exibição gigantesca de uma camisola de futebol na arena que agora se chama Gianni Brera, em homenagem ao maior jornalista de futebol italiano

JTM/DN jornal tribuna de macau quarta-feira, 25 de Abril de 2012 pág 25


SCHWARZENEGGER EM EXCESSO DE VELOCIDADE. Arnold Schwarzenegger foi interceptado pela polícia por conduzir acima do limite de velocidade, avançou o site TMZ. O caso ocorreu em Beverly Hills, mas depois de falar com as autoridades, o actor seguiu viagem escapando a uma multa.

diferenças entre nós Viviana Chan

Tulou, as casas dos Hakka

O povo Hakka é um grupo étnico conhecido pelas suas características especiais e por integrar várias personalidades famosas da sociedade chinesa. Mas, também se destaca pelos Tulou, edifícios feitos à base de terra que se tornaram obras-primas da arquitectura. Este tipo de casas está localizado nas regiões montanhosas do sudoeste da Província de Fujian, no litoral sudeste da China. Habitados pelos Hakkas, os Tulou foram construídos essencialmente entre os séculos XII e XX e, por norma, são edifícios grandes, de três a cinco andares, com paredes densas de terra, fortificados e construídos com formas rectangulares ou circulares. Os Hakka (palavra que significa “visitante”) pertencem à etnia Han (maioritária na China) que antigamente vivia nas regiões norte e central do país. Para evitar as guerras e a fome, os antecedentes dos Hakka começaram a mudar-se para o sul da China no século IV. Durante mais de mil anos, realizaram cinco grandes migrações. No século XIII, os migrantes começaram a estabelecer-se nas montanhas de Fujian. Para se defenderem das tribos inimigos e habitantes hostis, os Hakka construíram residências grandes e defensivas que, hoje em dia, são os chamados Tulou. No interior dos Tulou, grandes comunidades, geralmente da mesma família e com o mesmo sobrenome, podiam viver em segurança. Os Tulou de configuração redonda são os que melhor representam as residências do povo Hakka. Vistos do alto, os Tulou circulares parecem cogumelos na terra ou extraterrestres vindos do céu. Um complexo pode alojar até 80 famílias. Num círculo de quatro andares, o primeiro andar é formado pela cozinha e cantina, o segundo pelo armazém, enquanto que as pessoas dormem nos terceiro e quarto pisos. Os Tulou não têm apenas uma função residencial, mas também defensiva. Aliás, vistos do exterior, parecem castelos, com uma estrutura muito sólida, pronta para resistir a ataques externos. Feitas de lama e argila, as paredes são preparadas de uma forma especial para garantir longevidade. Construir um Tulou tão grande requer muito trabalho humano e uma grande quantidade de materiais. A parede periférica é formada por terra compactada, misturada com pedra, bambu e madeira. Além de serem muito fortes, os prédios têm boa ventilação, iluminação e resistência ao vento. Por isso, são quentes no Inverno e frios no Verão.

lazer

SEQUESTRO DE NATASCHA KAMPUSCH EM FILME. A actriz irlandesa Antonia Campbell-Hughes vai encarnar a personagem Natascha Kampusch no filme “3096”, uma produção sobre os seis anos de sequestro da jovem austríaca. O filme é baseado na autobiografia de Kampusch.

Angelina Jolie avalia pobreza de refugiados Actriz estreou-se como enviada do ACNUR e deixa família nas ilhas Galápagos fernanda mira

A

17 de Abril, o português António Guterres escolheu Angelina Jolie para enviada especial do ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) e, passados apenas quatro dias, a actriz partiu para o terreno. A escolha recaiu na avaliação das condições em que se encontram os refugiados colombianos no Equador. Segundo dados da ONU, estão cerca de 56 mil pessoas desalojadas devido à violência de grupos armados, do exército colombiano e de diversos bandos de criminosos. De papel e caneta na mão, Jolie efectuou um levantamento na região fronteiriça de Barranca Bermeja e Providencia, na província de Sucumbíos, a 180 quilómetros de Quito (capital do Equador). Tal como é seu hábito nestas deslocações humanitárias (e já fez mais de 40 via-

Angelina Jolie ouviu os colombianos que fugiram para o Equador

gens a vários pontos do planeta), a actriz, de 36 anos, vestiu uma roupa preta, muito discreta, deixando para trás o visual glamoroso e que fazem dela uma referência do star system. No sábado, tomou contacto com as condições de “pobreza extrema” em que vivem os refugiados de Lago Agrio, situação agravada pelo facto de muitos deles

viverem em casas localizadas em terrenos contaminados. Jolie fez, ainda, questão de localizar uma mulher de nome Marianera, refugiada com quem havia falado nas suas anteriores viagens como embaixadora da Boa Vontade, em 2002 e 2010, e que há 12 anos fugiu da Colômbia após um dos seus filhos ter sido assassinado. Para além do contacto com a dura realidade dos refugiados, a actriz teve um encontro formal com o ministro dos Negócios Estrangeiros do Equador, Ricardo Patino, com o intuito de o sensibilizar para as péssimas condições em que vivem os emigrantes colombianos. A viagem de Angelina Jolie começou num ambiente bem diferente, pois a actriz e a família – Brad Pitt e os seus filhos – estiveram instalados num resort de luxo nas ilhas Galápagos a celebrar o anúncio de casamento do par de Hollywood. JTM/DN

Modelo diz que teve noite escaldante com Cowell Alicia Douvall revelou ao jornal “The Sun” que manteve uma escaldante relação de seis meses com Simon Cowell, membro do júri do concurso “X Factor”. A modelo de 32 anos disse que resolveu falar sobre a vida privada de Cowell, de 52 anos, porque se sentiu injustiçada ao não figurar na sua biografia. Douvall adiantou que conheceu Cowell em 2001 no bar de um hotel e que, após o terceiro ou quarto encontro, acabaram por ter relações sexuais “11 vezes numa só noite”. Segundo a modelo, Cowell gostava de fazer de juiz após cada acto sexual, dando notas à performance da companheira.

Comportamento de Rihanna está a preocupar o pai O pai de Rihanna está com medo que o futuro da filha venha a ser igual ao da cantora Whitney Houston, que morreu afogada numa banheira em Fevereiro, depois de consumir cocaína. “Espero que ela seja inteligente o suficiente para não seguir esse caminho”, afirmou Ronald Fenty, quando viu umas fotos de Rihanna junto a um pó branco que se suspeita ser cocaína. Um fã de Rihanna também mostrou a sua preocupação através do Twitter: “Amo a música dela, mas não o seu estilo de vida. Espero que ela se controle, antes de ter o funeral na TV como a Whitney Houston”, escreveu. Rihanna respondeu de forma seca: “Sou louca e não pretendo ser outra coisa”.

Julio Iglesias sabe que é avô pela imprensa Julio Iglesias e Chábeli cortaram relações no final de 2011, depois do cantor ter cortado a mesada à filha mais velha e esta não ter aceitado bem a medida. Por isso, o cantor só ficou a saber da existência da neta, Sofia, agora com três meses, um mês e meio depois do seu nascimento e através da imprensa. “Fiquei muito zangado”, confessou durante uma entrevista à revista espanhola Hola.

pág 26 quarta-feira, 25 de Abril de 2012 jornal tribuna de macau

Ex-“Sereia” quer trocar a moda pela psicanálise A modelo Gabriela Paganini já venceu os concursos “Musa Espírito Santo” e “Sereias 2008”, protagonizou ensaios sensuais para várias revistas brasileiras e participou em inúmeros desfiles nacionais e internacionais, mas aos 26 anos começa a pensar numa mudança de carreira. Segundo a imprensa brasileira, Gabriela assumiu o compromisso de estudar bastante ao longo deste ano, porque quer deixar a vida de modelo para ser psicanalista. Pelo meio, não dispensa o exercício físico diário, embora não se considere uma mulher sexy.


Tdm sport 02:40

Real Madrid vs Bayern Munich

Roteiro

tdm

13:01 TDM News (Rep.) 13:30 Jornal das 24h 14:45 RTPi DIRECTO 17:00 Sessão Solene 25 de Abril (RTPi Directo) 19:00 Crónica do Século - Dois anos de abalaram Portugal (RTPi Directo) 20:00 Geração 25 de Abril 20:30 Telejornal 21:00 Montra do Lilau 21:20 Longe de Abril 22:15 Passione 23:00 TDM News 23:35 Resumo Liga dos Campeões 23:50 Quando Troveja 01:15 Telejornal (Rep.) 01:45 RTPi DIRECTO

30 ESPN

12:00 Nextgen Series 2012 Semifinal #1 - Liverpool vs. Ajax 14:00 Usbc Queens Bowling 16:00 (LIVE) Asean Basketball League 2012 - San Miguel Beerman vs. Singapore Slingers 18:00 FINA Aquatics World 2012 18:30 (Delay) Baseball Tonight International

2012 19:30 (LIVE) Sportscenter Asia 2012 20:00 Chang World of Football 20:30 The Contenders - England vs

21:00 Euro Beach Soccer League Superfinal - Spain vs. Romania 22:00 Sportscenter Asia 2012 22:30 Asean Basketball League 2012 - San Miguel Beerman vs. Singapore Slingers

31 Star Sports

13:00 Laureus Spirit Of Sport 13:30 Golf Focus 2012 14:00 V8 Supercars Championship Series 2012 16:00 Volvo China Open Day 4 19:00 European Le Mans Series 2012 20:00 Volvo China Open - Highlights Day 4 21:00 FIA World Touring Car Championship 2012 21:30 (LIVE) Score Tonight 2012 22:00 Mobil 1 The Grid 2012 22:30 Smash 2012 23:00 Masters Tournament 2012 Day 3 Highlights

40 FOX movies

11:55 The A-Team 13:55 Day Watch 16:05 Killers 17:45 Man Of The House 19:30 True Justice 21:00 Enron 23:00 The Resident 00:30 Black Hawk Down

41 HBO

12:00 Dinner For Schmucks 13:50 Eat Pray Love 16:10 Nanny Mcphee & The Big Bang 18:10 The Lovely Bones 20:20 Young Guns II 22:00 Country

Strong 23:55 The Client List

42 Cinemax

12:15 Escape From Atlantis 14:00 Arachnophobia 16:00 Invasion Of The Body Snatchers 17:30 Deep Red 19:00 Best Of The Best 4 20:30 The Guardian 22:00 The Town 00:00 Christine

43 MGM

12:15 A Rage in Harlem 14:00 Samaritan 16:00 Midnight Sting 17:45 Sibling Rivalry 19:15 Men at Work 21:00 Hidden Agenda 23:00 The Madness of King George

50 Discovery

13:00 On The Case 14:00 Man, Woman, Wild 15:00 River Monsters With Jeremy Wade 16:00 Gold Rush 17:00 Swords 2 18:00 How It’s Made 18:30 How Do They Do It 19:00 Rampage! 20:00 Lobstermen 21:00 Storm Chasers Behind The Storms 2011 22:00 Penn & Teller Tell A Lie 23:00 Lord Of The Fleas 23:30 Dirty Money 00:00 Storm Chasers Behind The Storms 2011

51 NGC

12:30 Dog Whisperer 13:25 Plastiki 14:20 Classified: Terror 15:15 Rock Stars 16:10 Beyond The Cosmos 17:05 Don’t Tell My Mother 18:00 Most Amazing Moments 19:00 Departures 20:00 Food Lover’s Guide To The Planet 21:00 Rock Stars 22:00 Beyond The Cosmos 23:00 Naked Science 00:00 Rock Stars

54 History

13:00 Modern Marvels 14:00 The Stoned Ages 16:00 Battlefield 17:00 Top Shot 18:00 Pawn Stars 18:30 Kings Of Restoration 19:00 The Pickers 20:00 Ancients Behaving Badly 21:00 Brad Meltzer’s Decoded 22:00 Ancient Aliens 23:00 The Universe 00:00 The

Simmons 17:00 Private Chefs Of Beverly Hills 18:00

Storage Wars 18:30 Airline USA 19:00 Psychic Kids

20:00 Gene Simmons 21:00 One Born Every Minute 23:00 Psychic Kids 00:00 I Survived

62 axn

13:00 Blue Bloods 13:55 Wipeout 14:50 NCIS: Los Angeles 15:45 The Amazing Race 16:35 Wipeout 17:25 CSI: Ny 18:15 Wipeout 19:10 CSI: Crime Scene Investigation 20:05 Cash Cab Asia 21:05 CSI: Ny 22:55 101 Ways To Leave A Game Show 23:50 Cash Cab Asia 00:50 CSI: Ny

63 Star World

12:10 Revenge 13:05 Glee 14:55 Greek 15:50 Masterchef Australia 17:10 Model Specials 18:05 Revenge 19:00 Raising Hope 19:30 Friends With Benefits 20:00 America’s Next Top Model 20:55 Got To Dance UK 21:50 Model Specials 22:45 Parenthood 23:40 America’s Next Top Model 00:35 Got To Dance UK

13:00 I Survived 14:00 Psychic Kids 15:00 Gene

23:00

28822866

The Resident

www.macaucabletv.com

cinema

CINETEATRO S1 Battleship

THEATER 9

S2 Titanic 3D

theater DIRECTORS Cl 2 (6*)

14:30 • 16:45 • 19:15 • 21:30 18:30

TORRE DE MACAU

Wrath of the Titans 3D 14:30 • 16:30 • 19:30 • 21:30

GALAXY theater DIRECTORS Cl 2 Man on a Ledge 14:10

THEATER 9* (7)

Battleship - 14:00 • 16:30 • 19:00 • 19:30* • 21:30 • 22:00*

theater DIRECTORS Cl 1* (8) A Simple Life -14:30* • 20:05 • 22:20

theater 8 Mirror Mirror 13:50 • 18:00

The Lorax - 16:00

Wrath of the Titans 3D 16:05 • 22:40*

theater DIRECTORS Cl 1 (6*) Love in the Buff 14:15* • 21:50 • 00:40*

theater GRAND THEATER (6*) Titanic 3D 14:00 • 17:30 • 19:05* • 21:00

theater 6 The Hunger Games - 16:25

theater DIRECTORS CLUB 1 3D Sex & Zen: Extreme Ecstasy 00:05

82 RTPi

07:00 Jornal Das 24 Horas 08:00 2010 08:45 Balanço & Contas 09:30 Gostos E Sabores (Rep.) 10:00 Praça Da Alegria (Rep.) 12:30 Repórter África 13:00 Euronews 14:00 Telejornal Madeira 14:36 Com Ciência 15:04 O Lugar Da História- Retratos De Uma Revolução 16:00 Bom Dia Portugal 16:30 Assembleia Da República: Sessão Solene 25 De Abril 19:02 Ler +, Ler Melhor 19:16 Viagem Ao Centro Da Minha Terravieira Do Minho 20:00 Jornal Da Tarde 21:17 O Preço Certo 22:05 5 Minutos Num Instante 22:12 O País Em Memória 25 De ABril - Salgueiro Maia 22:44 Portugal No Coração 01:00 Portugal Em Directo

Highland Towers Disaster

55 Biography Channel

fox movies

A programação é da responsabilidade das estações emissoras

Clube Militar de Macau

Avenida da Praia Grande, 975, Macau Tel: 28714000 Telefones Úteis Número de Socorro 999 Bombeiros 28 572 222 PJ (Linha aberta) 993 PJ (Piquete) 28 557 775 PSP 28 573 333 Serviços de Alfândega 28 559 944 Centro Hospitalar Conde S. Januário 28 313 731 Hospital Kiang Wu 28 371 333 CCAC 28 326 300 IACM 28 387 333 DST 28 882 184 Aeroporto 88 982 873/74 Táxi (Amarelo) 28 519 519 Táxi (Preto) 28 939 939 Água - Avarias 28 990 992 Telecomunicações - Avarias 28 220 088 Electricidade - Avarias 28 339 922 Directel 28 517 520 Rádio Macau 28 568 333

anima Sociedade Protectora dos Animais Sociedade de Macau Sociedade Protectora Protectora dos Animais Telefone: dos Animais de Macau de Macau 28715732 63018939 fax: 28715732 //63018939 Telefone: fax: 28703224

jornal tribuna de macau quarta-feira, 25 de Abril de 2012 pág 27


jornal tribuna de macau www.jtm.com.mo Administração, Direcção e Redacção: Calçada do Tronco Velho, Edifício Dr. Caetano Soares, Nos4, 4A, 4B - Macau Caixa Postal (P.O. Box): 3003 Tel.: (853) 28378057 Fax: (853) 28337305 • Email: jtmagenda@yahoo.com e jtmpublicidade@yahoo.com

en passant José Rocha Dinis

Luta

Passaram quase 40 anos e ainda hoje não nos entendemos: cada um “reclama” o seu 25 de Abril, nele mitificando tudo o que gostaria que tivesse acontecido. Nunca chegaremos a acordo. Com diferentes pontos de vista no ponto de partida, é impossível alcançarmos consenso no ponto de chegada. Não sei, contudo, se precisamos desse consenso. Afinal, como dizia o poeta, “o Mundo pula e avança”. E, pode afiançar-se, avança com tal rapidez que, em política, não há propostas fechadas”, tudo está, cada vez mais em aberto. Mas o 25 de Abril, que não resolveu o D do Desenvolvimento, permite-nos entrar na vida pública de Portugal atribuindo-nos a cidadania plena que o anterior regime nos negava. É pouco, eu sei. Mas, por hoje, dia 25 de Abril de 2012, para mim chega-me. Amanhã a luta continua.

última

tempo

fonte: serviços meteorológicos e geofísicos www.smg.gov.mo

hoje

amanhã 22 C 270C 0

20 C 280C 0

câmbios - indicativos

fonte: bnu

Pataca Compra US Dólar 7.94 EURO 10.46 yuan (rpc) 1.219

Venda 8.04 10.59 1.280

Museu do Oriente expõe “Máscaras da Ásia” em Pequim O Museu do Oriente, de Lisboa, apresentou ontem em Pequim, pela primeira vez, parte da sua singular colecção de máscaras asiáticas, numa iniciativa assumida também como “uma prova de partilha e amizade” entre Portugal e a China. “Somos duas nações muito antigas, com um conhecimento mútuo e uma partilha de saberes de muitos séculos”, disse Mário Brandão, do Conselho de Curadores da Fundação Oriente, na abertura da exposição “Mascaras da Ásia”, num museu da capital chinesa. A exposição reúne cerca de 250 máscaras de sete países (China, Índia, Sri Lanka, Tailândia, Indonésia, Coreia e Japão), usadas sobretudo em rituais religiosos. Trata-se de uma parte de uma colecção da 12.000 peças de arte tradicional asiática, considerada das maiores e mais importantes do género na Europa: “Um pequeno mas brilhante tesouro”, realçou Mário Brandão. A exposição, apoiada pela Embaixada de Portugal na China e a Fundação Macau, insere-se no acordo de cooperação entre a Fundação Oriente e a China Internacional Culture Association, instituição tutelada pelo Ministério da Cultura chinês. Depois de terem sido apresentadas em Macau e na Tailândia, as “Máscaras da Ásia” estarão patentes em Pequim até 6 de Maio, regressando a seguir ao Museu do Oriente, em Lisboa.

GENERAL ACUSA CHÁVEZ DE USAR DOENÇA COMO ESTRATÉGIA O general reformado António Rivero afirmou ontem que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, usa a sua saúde como parte de uma estratégia para vencer as eleições presidenciais, previstas para 7 de Outubro. Após nove dias de tratamento em Cuba, Chávez anunciou que regressa quinta-feira à Venezuela. “Deverei estar lá, em Caracas, se Deus quiser, a 26 de Abril. Mas haverá uma nova sessão de radioterapia, é preciso continuar o tratamento e os exames, explicou o Presidente numa conversa telefónica com um programa da televisão venezuelana, após uma semana de silêncio. “Os rumores da doença do Presidente da República (Hugo Chávez) são produto de uma estratégia de inteligência política, que trata de promover o mandatário, para ganhar as eleições presidenciais”, disse. António Rivero foi cinco anos director da Proteção Civil durante o governo do Presidente Hugo Chávez, passando para as fileiras da oposição depois de denunciar uma alegada cubanização das Forças Armadas Venezuelanas. “Pode estar doente, mas duvido da gravidade, o exagero é ao extremo, enganando o povo”, disse o general aos jornalistas. “Enquanto não houver um relatório médico da parte de (Hugo) Chávez, continuarei acreditando que é uma farsa do governo, a luta (da oposição) é contra o regime, que de maneira imprópria actua contra os venezuelanos, usando a sua doença”, frisou.

A MÉDICA DO CHELSEA QUE ENCANTA NO FUTEBOL Desde que se sentou pela primeira vez no banco do Chelsea, Eva Carneiro tornou-se um fenómeno de popularidade que ultrapassa as fronteiras do Reino Unido. Foi “brindada” com assobios das bancadas na sua estreia no banco do Chelsea (14 de agosto) durante todo o jogo com o Soke City, no arranque da Premier League. Mas não foram assobios de desagrado, mas uma expressão do contentamento dos adeptos por verem pela primeira vez uma mulher pisar o relvado de um “jogo de homens”. Eva Carneiro, que o jornal “The Sun” rotulou como “musa da Premier League”, é a médica da equipa principal do Chelsea que rapidamente se tornou num fenómeno de popularidade em Inglaterra... e não só. De nacionalidade britânica (nascida em Gibraltar com origens andaluzes), Eva Carneiro estudou em Inglaterra, Escócia e Austrália, tendo-se especializado em Medicina Desportiva em 2006. Foi a responsável pela saúde da selecção feminina inglesa de futebol e fez parte da comitiva britânica que participou nos Jogos Olímpicos de Pequim. Em Fevereiro de 2009 foi contratada pelo Chelsea para trabalhar com as camadas jovens e as reservas do clube londrino e no verão passado, uma falha burocrática catapultou-a para o estrelato. Ainda André Villas Boas estava à frente dos destinos do Chelsea quando o novo chefe do departamento médico do clube, o espanhol Paco Biosca, viu-se impedido de se sentar no banco, durante os jogos por não ter os seus papéis em ordem. Eva foi assim delegada médica da equipa principal no jogo de abertura da Premier League e o êxito foi tal que nunca mais deixou de acompanhar a equipa. A jovem médica é uma pessoa reservada, não dá entrevistas e pouco se conhece da sua vida pessoal. No Facebook tornou-se um fenómeno de popularidade e tem quase tantos seguidores como os jogadores Hilário ou Paulo Ferreira, por exemplo.

TIMOCHENKO EM GREVE DE FOME CONTRA “REPRESSÃO” A ex-primeira-ministra ucraniana está em greve de fome há cinco dias para protestar contra a “repressão política” no seu país, anunciou ontem o seu advogado. Figura da oposição e ex-primeira-ministra em 2005 e entre 2007 e 2010, Júlia Timochenko iniciou na passada sexta-feira uma greve de fome em protesto contra “a repressão política” na Ucrânia, disse à AFP o seu advogado, Sergui Vlassenko. Actualmente a cumprir uma pena de prisão de sete anos por abuso de poder, Timochenko decidiu fazer greve de fome “por tempo ilimitado”, explicou o jurista. Detida em Agosto de 2011, Júlia Timochenko, de 51 anos, foi condenada em Outubro num julgamento vivamente criticado pela União Europeia e Estados Unidos, que o consideraram uma forma de perseguição política. Timochenko, derrotada nas presidenciais ucranianas de 2010, classifica a actuação dos tribunais como uma vingança pessoal do actual Presidente Viktor Ianoukovitch, seu adversário político A dirigente oposicionista está a ser julgada Tribuna de Macau 25.5X4 cm.pdf desde 1 4/10/122005. 2:58 PM num segundo processo em que incorre numa pena de 12 anos de prisão.

Miguel Portas não resistiu à doença O eurodeputado e fundador do Bloco de Esquerda, Miguel Portas, faleceu ontem por volta das 18:00 no Hospital ZNA Middelheim, em Antuérpia, vítima de doença prolongada. A Assembleia Municipal de Lisboa homenageouo ontem com um minuto de silêncio. Emocionado, o líder da bancada do BE na Assembleia Municipal, Joao Bau, informou os restantes deputados de que, “depois de dois anos a lutar contra o cancro [do pulmão], chegou ao fim da sua luta”, de acordo com a Lusa. “O Miguel encarava a doença como mais um combate na vida dele. Falava dela sem drama, com aquela lucidez que o caracterizava, como se a morte naturalmente sucedesse à vida. E nós achávamos que aquele era um combate como outros que ele podia encarar e que podia vencer. O facto de ter morrido assim de repente deixounos a todos tolhidos”, disse, citado pela TVI Fernando Rosas, fundador do BE. Nasceu em Lisboa a 1 de Maio de 1958. Economista, foi jornalista muitos anos.

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

pág 28 quarta-feira, 25 de Abril de 2012 jornal tribuna de macau

fecho desta edição jtm - 03:30horas


JTM 25-04-2012