Issuu on Google+

Associações de migrantes querem salário mínimo e mais justiça social

Consumidores de Macau aumentam confiança no desempenho da economia

Pág 4

澳 門 論 壇 日 報

Pág 5

10 Patacas

Director José rocha Dinis | Director Editorial executivo Sérgio Terra | Nº 3947 | segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

MONJARDINO CONFIRMA SAÍDA DA ESCOLA MAS GARANTE APOIOS PONTUAIS

EPM tranquila sem Fundação Oriente O presidente da Fundação Oriente, Carlos Monjardino confirmou o fim do apoio regular à Escola Portuguesa. Em entrevista ao JTM, assegura, porém, que a qualidade das actividades que a instituição organiza no território não será abalada, mesmo com a

Comunidade guineense na RAEM torce pela paz em Bissau

Pág 6

Rocha Vieira justifica ida para a EDP com ligação a Macau

Pág 7

crise que assola Portugal, porque Macau é “incontornável”. Sales Marques, administrador da Fundação da EPM, reitera que esta saída não compromete o futuro da escola, atendendo ao apoio da RAEM. Págs 2 e 3

Polícia brasileira diz que Duarte Lima esperou pela noite para matar Págs 12 e 13

Passageiros no Aeroporto caíram 26,5% desde 2007 O Aeroporto Internacional de Macau foi utilizado por 4.045.014 passageiros em 2011, o que representa uma quebra de apenas 0,83 por cento relativamente aos 4.078.836 contabilizados em 2010, acentuando no entanto a tendência decrescente dos últimos cinco anos. De acordo com dados revelados no “site” do Aeroporto, o movimento de passageiros no ano passado foi inferior em 26,5 por cento ao apurado em 2007, o último ano em que se verificou um crescimento, com o total a ascender então a 5.498.878. Apesar de tudo, e comparativamente a 2010, a infra-estrutura registou aumentos no número de passageiros desde Junho até ao final do ano. No segmento da carga, a quebra anual foi mais expressiva (24,3 por cento), com o volume de mercadorias processadas a atingir 39.523.054 toneladas. Já o movimento de aeronaves cresceu de 37.148 em 2010 para 38.946 no ano passado, indicam ainda os mesmos dados estatísticos.

UM “TUFÃO” VARREU O CAMPO DEMOCRATA

Povo de Taiwan votou pela estabilidade

centrais

JOSÉ ROCHA DINIS Em Taipé


local

(...) “Vai haver mudanças nos estatutos da escola, que vão ter de ser adaptados a esta nova situação [saída da Fundação Oriente]” (...) – Sales Marques

(...) “Acaba por haver um acréscimo de responsabilidade porque a escola fica com maior obrigação perante a população de Macau e, por outro lado, pode funcionar como um agente de maior importância no desenvolvimento dos laços entre Macau e Portugal” (...) – idem

MUDANÇAS NA ESCOLA PORTUGUESA

Primeiro passo: mudar os estatutos A saída da Fundação Oriente da estrutura da Escola Portuguesa de Macau não é surpresa uma vez que estava anunciada há algum tempo. O Governo da RAEM acaba por substituir a instituição liderada por Carlos Monjardino. O administrador da Fundação da escola, Sales Marques, acredita que a posição da instituição de ensino até sai reforçada

E

ra algo que já se sabia que ia acontecer mas as declarações, na sextafeira, de Carlos Monjardino (ver entrevista na página 3) vêm pôr uma pedra sobre o assunto: a Fundação Oriente (FO) sai este ano da EPM. “Vai haver mudanças nos estatutos da escola, que vão ter de ser adaptados a esta nova situação”, explica ao JTM o administrador e porta-voz da Fundação da EPM, José Sales Marques. A participação do Ministério da Educação e da FO no financiamento do défice da escola está inscrita nos estatutos. Enquanto o Ministério se compromete com 51 por cento da dívida, que costuma andar na ordem dos 34 milhões de patacas, a FO tinha os outros 49 por cento, que agora ficariam, teoricamente sem cobertura. Porém, “há um entendimento extra estatutos, entre o Governo português e o de Macau, de que após a saída da FO seria a RAEM a providenciar o financiamento” dos 49 porcento do défice. E na prática, este acordo já funciona: para o ano lectivo 2010/2011, o Executivo, atra-

Governo da RAEM participa financeiramente na EPM mas tal não deverá ficar inscrito nos estatutos, explica Sales Marques

vés da Fundação Macau, concedeu 8,7 milhões de patacas, montante que corresponde à quota da FO. Para o ano lectivo de 2011/2012 “o valor é muito semelhante”, revela Sales Marques, afirmando que qualquer diferença nesse montante não é significativa. Porém, como “o Governo de Macau não quer participar na gestão da escola” esta

Prejuízos em 2011 e 2012 A Fundação Oriente vai fechar as contas relativas a 2011 com prejuízo. Citado pela Rádio Macau, Carlos Monjardino escusou-se a avançar valores porque as contas ainda não estão todas encerradas, mas afirmou que o prejuízo é certo para o ano passado, bem como já é esperado também para 2012. Dez mil euros foi o valor do prejuízo da FO em 2010, que no ano passado e neste devem ser agravados pela crise. “Não há nenhuma fundação que não tenha tido problemas com o que se passa nos mercados financeiros”, referiu. Por outro lado, o presidente da Fundação Oriente confirmou a intenção de transferir a sede para perto do Museu do Oriente, em Alcântara e de vender o edifício da rua da Salitre, que segundo o mesmo deve valer 15 milhões de euros.

entidade não pode ser inscrita nos estatutos, “que não precisam de dizer a quem pertence o financiamento do défice”, esclarece o mesmo responsável. “Hipoteticamente, esta questão do défice não precisa de estar nos estatutos”. Certo é que, tal como este administrador já tinha referido no ano passado ao JTM, se não fosse o apoio da RAEM “a escola cairia completamente”, uma vez que “abrir-se-ia um buraco financeiro completamente impossível de cobrir com as condições que existem à partida”. ESCOLA PODE CRESCER MAIS NO FUTURO. Mas fica a EPM numa situação mais frágil? Sales Marques acredita que não. “Acaba por haver um acréscimo de responsabilidade porque a escola fica com maior obrigação perante a população de Macau e, por outro lado, pode funcionar como um agente de maior importância no desenvolvimento dos laços entre Macau e Portugal”. Sales Marques

acredita mesmo que desta forma a escola pode, no futuro, crescer mais. Mas esta forma de financiamento não é a ideal. Explica o porta-voz da EPM que “pagar o défice nunca é solução, pois assim não há futuro para aumento de investimentos uma vez que estamos sempre apertados”, referindo que o projecto deveria ter sido “perspectivado de uma outra forma”. No fundo, “houve falta de visão”. Por isso, sugere a criação de um fundo para o investimento da escola, isso sim “excelente”. A saída da Fundação liderada por Carlos Monjardino “não é uma surpresa”, mas “seria excelente se continuasse a haver esse financiamento”, que agora pode continuar, via FO, através da atribuição de bolsas de estudo a alunos carenciados, segundo afirmou o próprio Carlos Monjardino. Em 2010, a instituição entregou à escola 200 mil euros (um pouco mais de dois milhões de patacas). Para além da participação do Ministério da Educação de Portugal e do Governo de Macau, a EPM obtém receitas através das propinas, que acabam por não chegar para a maior parte das despesas, até porque “os preços praticados estão abaixo de outras escolas internacionais em Macau”. As propinas aprovadas para este ano lectivo indicam um valor de 19.700 patacas por aluno do primeiro ciclo, sendo que os do 2º ciclo têm de desembolsar 20.940 patacas e os do 3º ciclo 24.500 patacas (sem contar com os apoios aos alunos mais carenciados, possuidores de BIR). MACAU GARANTIU APOIO PARA ESCOLA EM LISBOA. Em Novembro, numa visita do Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Cheong U, a Lisboa, o ministro da Educação, Nuno Crato, agradeceu o apoio da RAEM à EPM. Segundo uma nota oficial, foram propostas algumas medidas por Macau que visavam melhorar o funcionamento da escola portuguesa. Cheong U reiterou que a RAEM continuaria a apoiar o estabelecimento de ensino. Mas nem a Secretaria para os Assuntos Sociais e Cultura, nem o próprio ministro da Educação, na altura contactado pelo JTM, quiseram avançar mais pormenores do encontro. H.A.

ESCOLA PORTUGUESA EM NÚMEROS Despesas de funcionamento para 2011/2012: 34 milhões de patacas Apoio da RAEM: 8,7 milhões de patacas Receitas próprias geradas pela EPM: 17 milhões de patacas Professores: 45 Alunos: 450 jornal tribuna de macau Propriedade: Tribuna de Macau, Empresa Jor­na­lística e Editorial, S.A.R.L. • Administração: José Rocha Dinis • Director: José Rocha Dinis Director Editorial Executivo: Sérgio Terra • Grande Repórter: Raquel Carvalho • Redacção: Fátima Almeida, Paulo Barbosa e Viviana Chan • Colaboradores: José Luís Sales Marques, Miguel Senna Fernandes, Rogério P. D. Luz (S. Paulo) e Rui Rey • Colunistas: Albano Martins, António Aresta, António Ribeiro Martins, Daniel Carlier, Henrique Manhão, João Guedes, Jorge Rangel, Jorge Silva, José Simões Morais, Luis Machado e Luíz de Oliveira Dias • Grafismo: Suzana Tôrres • Serviços Administrativos e Publicidade: Joana Chói (jtmpublicidade@yahoo.com e jtmagenda@yahoo.com) • Agências: Serviços Noticiosos da Lusa e Xinhua Impressão: Tipografia Welfare, Ltd • Administração, Direcção e Redacção: Calçada do Tronco Velho, Edifício Dr. Caetano Soares, Nos4, 4A, 4B - Macau • Caixa Postal (P.O. Box): 3003 • Telefone: (853) 28378057 • Fax: (853) 28337305 • Email: jtmagenda@yahoo.com (serviço geral) pág 02 segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 jornal tribuna de macau


(...) “Não podemos estar cá da mesma maneira como estávamos antes, porque as prioridades do Governo da RAEM são diferentes das dos governos anteriores do tempo da administração portuguesa” (...) – Carlos Monjardino

local

(...) “O compromisso [com a EPM] termina este ano e depois esporadicamente contribuiremos para acções da escola, como por exemplo se for necessário dar bolsas para alunos mais carenciados” (...) - Idem

CARLOS MONJARDINO PRETENDE APOSTAR NA INTERLIGAÇÃO DE DELEGAÇÕES

“A importância de Macau é incontornável” A qualidade das actividades que a Fundação Oriente organiza no território não sairá tremida, garante o presidente da instituição, embora a crise obrigue a uma maior contenção. E uma coisa é certa: Macau continuará a assumir um papel crucial no seio da Fundação Oriente. A ideia é desenhar uma maior interligação entre delegações, com a RAEM a assumir lugar de destaque. Em entrevista ao JTM, à margem da exposição “Máscaras da Ásia”, inaugurada sexta-feira na Casa Garden, o presidente da Fundação Oriente fala ainda do fim do apoio regular à EPM e do sucesso do IPOR raquel carvalho

Q

ue tipo de aposta será feita este ano em Macau? - Há uma programação cultural basicamente em duas frentes. A organização de exposições é uma delas, onde temos sempre uma componente chinesa e uma portuguesa. Já temos duas marcadas para os próximos tempos. Se calhar vamos ter uma terceira com um pintor português, cujo nome prefiro não avançar. Estas mostras de pintura vão ter lugar na Casa Garden e depois existirão outras iniciativas, como por exemplo um concerto [Ver Caixa]. Paralelamente, continuamos com as nossas iniciativas locais, sempre a olhar para o Instituto Português do Oriente (IPOR). Continua a ser uma aposta interessante. Não é por ter sido criado pela Fundação Oriente (FO), mas sim porque na prática é importante para o território. Já provou ser e penso que continuará durante alguns anos. - O IPOR está a confrontar-se com falta de espaço, devido ao aumento do número de alunos. A FO pretende fazer algo a esse respeito? - A FO não pode fazer grande coisa, porque nós não temos um espaço para dar ao IPOR. Julgo que seria importante encontrar uma solução na Escola Portuguesa de Macau (EPM), como penso já estar a ser feito. - No entanto, o IPOR já disse que essa não é a solução ideal, porque terá de pagar pelas salas... - Sendo assim, se tem que pagar, não é a solução ideal... mas julgo que poderá encontrar com o Governo de Macau uma solução que permita dar os cursos num sítio sem ter que pagar. Penso que a questão será resolvida com a EPM ou de outro modo, porque não é uma fantasia, corresponde sim a uma necessidade. Não se pode deixar de olhar para o IPOR como um braço importante da cultura portuguesa aqui e com um número de alunos já bastante razoável. - Foi divulgado recentemente que a EPM acabou por receber mais dinheiro do que alguns esperavam e até do que o próprio IPOR em 2010. Porquê? - Como referiu, isso é com base em 2010. Em 2011 já não foi assim. Nós temos um compromisso com a EPM que acaba este ano. O assunto foi tratado entre mim

e o ministro da Educação português, recentemente. Trata-se de uma escola pública, não há razão nenhuma para que nós, sendo uma entidade privada, financiemos a instituição para sempre. Em 2011, até porque há uma parte do subsídio que não foi pago no ano passado e que será pago este ano, o montante atribuído à EPM que surgirá no relatório é menor. - Exactamente o que é que ficou acordado com o Ministério da Educação? - O compromisso termina este ano e depois esporadicamente contribuiremos para acções da escola, como por exemplo se for necessário dar bolsas a alunos mais carenciados. Agora subsidiar uma escola, acho que já subsidiamos tempo demais, 12 ou 13 anos. - Quais são as previsões para a distribuição do dinheiro da FO durante este ano? - Para o IPOR já há uma ideia, mas ainda não é precisa, porque depende do apoio conferido pelo Governo de Macau. Na EPM temos um montante fixo que damos independentemente do apoio do ministério português ou do Governo de Macau. Em relação ao IPOR, é mais difícil saber quanto é que vai custar em 2012. Temos uma ideia, mas como lhe disse, depende da participação do Governo local. - Prevê que os apoios para 2012 sejam superiores ao do ano anterior? - Não. Prevejo que o IPOR começará a ter, a partir deste ano, cada vez menos custos, porque há um maior equilíbrio entre as propinas e o número de alunos já é significativo. Mas as despesas ainda vão ser superiores às receitas e, por isso, há ali um saldo que terá de ser colmatado pelos associados do IPOR – seja o Ministério dos Negócios Estrangeiros, através do Instituto Camões, nós e os outros associados mais pequenos. Penso que os valores devem rondar os dos últimos anos. Se houver mudanças, talvez seja para um bocadinho menos. Agora existe obviamente uma política de contenção de todos os ministérios de Portugal, por isso o Ministério dos Negócios Estrangeiros também deverá ser um deles. - E para a Casa Garden? - Julgo que não será muito diferente do que foi em 2011. Haverá, porventura, até mais coisas a passarem-se aqui, mas também já temos instituições com quem partilhamos essas acções e os respectivos custos. - Isto significa que a crise que se vive

em Portugal não irá afectar o investimento da FO em Macau? - Afecta, se formos a fazer contas ao dinheiro que se gasta em Macau, mas não em termos do número de acções que vamos ter aqui, porque há coisas que serão em conjunto com outras instituições. Vamos tentar manter o mesmo nível e até alcançar um patamar superior. - Actualmente, qual é o papel de Macau no desenvolvimento estratégico da FO? - Nós temos delegações em Macau, Timor e Goa. Existem vários níveis de importância entre as delegações e esta, como é óbvio, é de longe a mais importante. Vamos tentar fazer uma coisa que é coordenar as outras duas delegações em conjunto com Macau. Haver uma maior relação entre Macau-Timor-Goa, isto a partir da RAEM. A importância de Macau é incontornável, a FO tem as suas raízes aqui e portanto continuará sempre a apoiar a região. Agora, quando me perguntam quais os motivos pelos quais fazemos menos coisas ou coisas diferentes…a resposta é evidente. As pessoas às vezes esquecem-se que em 1999 houve uma coisa chamada “handover”. Não podemos estar cá da mesma maneira como estávamos antes, porque as prioridades do Governo da RAEM são diferentes das dos governos anteriores do tempo da administração portuguesa. Há coisas que naturalmente já não podemos fazer muito, nomeadamente na esfera social. Antes apostávamos bastante nisso, mas o Governo de Macau acha – e bem – que deve assumir esse papel, até porque tem condições para o fazer. Agora há coisas que ainda podemos fazer, na parte cultural, certamente. E nessa área temos de apostar mais e não noutras que já não fazem mais sentido nesta conjuntura. Certamente que teremos espaço para continuar a fazer este intercâmbio de culturas,

ao nível de exposições, concertos, edições. E, portanto, vamos continuar. Agora numa altura de crise, que existe não só em Portugal, temos de contar melhor os tostões. É o remédio para minimizar a situação delicada em que vamos estar no futuro. E, por isso, é que temos que usar parcerias. As pessoas não estavam muito habituadas e nós também não, mas agora toda a gente faz parcerias, porque é a única maneira para fazer coisas actualmente. - De que modo é que essa aproximação entre as delegações da FO deve acontecer? - A FO não pode ter delegações divorciadas. A de Macau é a maior, mas as outras são pequenas. No entanto, por vezes, há falta de contacto entre os delegados, sobretudo relativamente às acções que são feitas aqui e que podiam passar, por exemplo, por Goa. Mas infelizmente as coisas acabam por funcionar na base do orçamento e do plano de actividades de cada um. É preciso ter em conta mais o plano de actividades das outras também para ver se têm acções que podem ser comuns às três, embora em Timor a nossa acção seja mais social do que cultural. Portanto, deve haver uma maior interdependência e entrosamento entre os lugares a partir de Macau. - O Museu do Oriente também entra na equação? - Sim, cada vez mais. A tendência é que colecções do museu sejam expostas em museus de Macau. Temos várias colecções que podemos trazer até cá. A ideia é ter quatro ou cinco exposições que estejam prontas para sair de Portugal e andem a circular pelo mundo. É um modo de dar a conhecer as culturas chinesa e asiática no geral. Por exemplo, estamos a planear fazer em Portugal, no mês de Outubro, uma exposição de cartazes políticos da China, que pretendemos também apresentar em Macau este ano ainda ou no próximo.

“Deolinda” podem vir a Macau Ainda não é certo, mas as negociações estão a decorrer. O grupo português “Deolinda” pode dar um concerto em Macau, no final do próximo mês, revelou ao JTM, Carlos Monjardino. O presidente da Fundação Oriente assume uma posição cautelosa, explicando que ainda falta acertar agulhas. “Muito provavelmente terá lugar no fim de Fevereiro, no grande auditório do Centro Cultural de Macau, mas ainda estamos a organizá-lo. Ainda não temos tudo perfeitamente acordado”. Os “Deolinda” nasceram em 2006, lançando entretanto para o top de vendas português um par de álbuns: “Canção ao Lado” e “Dois Selos e Um Carimbo”. R.C. jornal tribuna de macau segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 pág 03


COMBUSTíVEIS MAIS CAROS. Os preços dos combustíveis em Macau registaram ontem nova subida, a segunda em apenas duas semanas. Um litro de gasóleo passou a custar 12,99 patacas, mais 16 avos do que o valor anterior. No caso da gasolina com e sem chumbo, a nova tabela aponta para 12,12 e 12,02 patacas por litro, respectivamente.

CARITAS APELA À VENDA DE ROUPAS USADAS. A Caritas exortou as empresas a aderirem à venda de roupas em segunda mão recolhidas pela instituição. Segundo o secretário-geral da Caritas, Paul Pun, as empresas poderiam ajudar os carenciados através da oferta simbólica das suas lojas como espaço de venda.

local

Breves Usou 336 cartões falsos em duas “lojas fantasmas” Entre Novembro de 2011 e Janeiro deste ano, um residente de 40 anos “conseguiu fazer 530 transacções em duas lojas fantasmas que estabeleceu com a ajuda de outros indivíduos actualmente em fuga, usando 336 cartões de crédito estrangeiros falsificados e obteve mais de 3,5 milhões de patacas em dinheiro”, indicou o Ministério Público (MP), acrescentando que o caso foi denunciado por um banco no dia 10 do corrente mês. Segundo o MP, o delegado do Procurador titular do processo considerou haver fortes indícios do crime de passagem de moeda falsa, pelo que promoveu e viu ser aceite pelo juiz a aplicação ao suspeito das medidas de apresentação periódica às autoridades competentes e proibição de ausência do território.

Gás natural chegará às habitações de Seac Pai Van As habitações públicas de Seac Pai Van já deverão dispor de gás natural, avançou o director do Gabinete para o Desenvolvimento do Sector Energético (GDSE), Arnaldo dos Santos. O Governo está a negociar com a empresa Nam Kwong para proceder à importação de gás natural. O objectivo é que no prazo de cinco anos todo o território possa usufruir deste serviço. De acordo com o plano traçado o gás natural será instalado primeiro no COTAI, de onde se estenderá até à Península.

Passagem pedonal vai custar mais de 11 milhões de patacas Treze empresas concorreram à construção de uma passagem superior pedonal na Estrada Coronel Nicolau de Mesquita, na Taipa, apresentando propostas que variam entre 11,3 e 14,9 milhões de patacas. Com um prazo previsto de 205 a 210 dias, a empreitada permitirá ligações com a habitação económica do Lote TN27 na Taipa e o Jardim do Lago, bem como com o trilho pedonal do Parque Suburbano da Taipa Grande. O Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas prevê que a obra possa vir a criar cerca de 30 postos de trabalho.

Banco Weng Hang concorda com garantia de depósitos A criação de um regime de garantia de depósitos tem o apoio do director do banco Weng Hang, Lee Tak Lim. Em declarações aos jornalistas no final da cerimónia que assinalou os 75 anos do banco Wing Hang, que tem o Weng Hang como sucursal em Macau, Lee Tak Lim recordou que a ideia de criar aquele regime “veio com a crise financeira”. “A partir dessa altura, vários governos começaram a considerar necessária a introdução de um sistema de garantia bancária para dar uma sensação de segurança aos pequenos depositantes”, disse, citado pela Rádio Macau. A proposta de lei sobre o Regime de Garantia de Depósitos prevê a criação de um fundo que vai contar com uma dotação inicial do Governo de 150 milhões de patacas, mas os bancos locais - excepto as instituições ‘offshore’ –, também ficam obrigados a uma contribuição anual sobre o total dos depósitos garantidos.

Queda do 15º andar causa morte de cidadão da RPC Um homem do Continente chinês morreu na sequência da queda do 15º andar de um edifício da Rua de Xangai, no qual se encontrava com dois homens e uma mulher, que confessou estar a prostituir-se. Apesar de referir que houve uma disputa, a mulher alegou não saber dos motivos que alegadamente levaram o indivíduo a saltar. Quando a polícia se deslocou ao local, verificou que a mulher e os dois homens são todos residentes da China Continental. A Polícia Judiciária está a investigar o caso. pág 04 segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 jornal tribuna de macau

Cerca de 800 pessoas celebraram o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado

ASSOCIAÇÕES REJEITAM DISCRIMINAÇÃO E PEDEM MAIS JUSTIÇA SOCIAL

Migrantes querem salário mínimo Sem discriminar nacionalidade ou categoria de emprego. O salário mínimo deve ser uma realidade para todos os trabalhadores da RAEM, defendem a Missão para os Trabalhadores Migrantes e a Associação dos Trabalhadores Indonésios em Macau. As instituições que lutam pelos direitos dos migrantes apelam à união com os locais para que todos usufruam dos frutos do trabalho. Em Macau celebrou-se ontem o 98º Dia Mundial do Migrante e do Refugiado, unindo várias culturas fátima almeida

P

elo palco passaram as diversas culturas do território, juntas pela mesma causa: a união. Em Macau cerca de 800 pessoas participaram nas comemorações do 98º Dia Mundial do Migrante e do Refugiado, que decorreram entre o último domingo e ontem. Novas lutas e ainda a discriminação. Porém, parece estar provado que a “unidade e afirmação pelos direitos traz resultados”, reconhece a Missão para os Trabalhadores Migrantes (MFMW, na sigla inglesa), associação sediada em Hong Kong. Por isso, a luta das associações que defendem os direitos dos trabalhadores imigrantes continua a ser a não discriminação. Numa altura em que o Governo de Macau se prepara para estudar a atribuição do salário mínimo, a MFMW apela à união para que tal objectivo venha a ser uma realidade para todos os trabalhadores. “Devemo-nos unir com os trabalhadores locais na defesa de um salário mínimo para todos, incluindo todas as empregadas domésticas”, salienta Cynthia Tellez. Para a responsável da MFMW, esta é uma oportunidade para assegurar que todos consigam “ganhar salários decentes e beneficiar das contribuições que têm feito para a economia de Macau”. “Isto implica conseguir apoio dos locais enquanto lhes damos também o nosso apoio. Todos deviam partilhar os frutos do nossos trabalho”, mencionou, recorrendo aos números. “Mesmo que o Governo disponibilize um subsídio de 3.200 patacas a cada residente solteiro que precise de assistência em Macau, o Executivo tem cerca de 246,8 mil milhões de reservas internacionais”. Pelo que temos “apelar a um salário mínimo”, sustenta Cynthia Tellez, evidenciando os valores salariais praticados em Macau. No terceiro trimestre do ano passado, “46,3% dos trabalhadores residentes ganhavam menos de 10.000 patacas, enquanto 24.700 trabalhadores, ou seja 7,4% da população, auferiam menos de 3.500 patacas mensais”, realçou Cynthia Tellez, num comunicado enviado a este jornal. Os valores pagos às empregadas domésticas ainda são mais baixos, uma vez que “recebem em média 3.000 patacas”. Também a presidente da Associação dos Trabalhadores Indonésios Imigrantes em Macau (ATKI, na sigla indonésia) concorda com a criação de um salário míni-

mo para todos os trabalhadores do território, sem discriminar as categorias de trabalho. “Devia ser atribuído a todos os trabalhadores. O salário mínimo não deveria ser apenas para os trabalhadores [do sector da limpeza e da segurança] cujos trabalhos são adjudicados pelo Governo. Os outros trabalhadores - locais e migrantes -deviam estar incluídos”, defendeu Indarti, sem olhar a nacionalidades. “Todos têm o direito a trabalhar. Nós não nos importamos que haja empregadas domésticas provenientes da China. Só não se pode ser discriminatório e têm de ser assegurados os direitos de todos”, reforçou, em declarações ao JTM. Sem mencionar valores, Indarti reconhece que um salário mínimo seria sempre “melhor do que as cerca de 2.000 patacas que as empregadas domésticas recebem e com as quais já é difícil suportar os encargos, sobretudo numa altura em que os preços estão tão altos”. CONHECER AS CONDIÇÕES DOS MIGRANTES. É porém a possibilidade de perderem as parcas cerca de 3.000 patacas que já auferem por mês, que aflige muitos dos trabalhadores migrantes em Macau. Assim que um contrato é cessado com alegada “justa causa” por parte do empregador ou quando o empregado decide sem fundamento legal terminar com a relação contratual, os trabalhadores não residentes ficam obrigados a deixar o território por seis meses. “Este é o maior nosso problema. Assim não conseguimos continuar a apoiar os nossos filhos na escola nem as nossas famílias”, lamenta Indarti. O facto de o Governo estar a rever esta regra é para Cynthia Tellez, um resultado conseguido “pela posição firme e coerente”, sobre este aspecto da Lei dos Trabalhadores Não Residentes, desde 2009, quando ainda era um projecto de lei. Porém, há aspectos negativos que continuam a prejudicar os trabalhadores migrantes. A questão central, refere Cynthia Tellez, é o trabalhador continuar a ter que abandonar Macau quando o empregador alega “justa causa” na rescisão do contrato, bem como quando o trabalhador não consegue provar que se despediu por justa causa. Isto porque, é “difícil provar estas situações”. “Nesses casos apenas o empregador e a empregada sabem o que aconteceu. Como é que vamos provar? Precisamos que o Governo veja melhor as condições dos migrantes e não acredite apenas no que os patrões dizem”, evidencia Indarti, apelando a mais compreensão e conhecimento sobre as várias situações que acontecem. Ao mesmo tempo, os dias permitidos para permanecer em Macau após o termino do contrato também não são suficientes. Os trabalhadores vêem-se impossibilitados até de apresentar queixas contra os empregadores que lhes devem dinheiro. A não extensão da permanência dos trabalhadores tem sido criticada pelo Organização Mundial de Trabalho, recorda Cynthia Tellez. Confiantes que a “união e a afirmação” conseguem operar mudanças para melhor, durante a comemoração do Dia Mundial dos Migrantes e Refugiados, trabalhadores provenientes da Índia, Indonésia, Filipinas, Myanmar, mostraram o “lado mais bonito” da sua cultura, numa festa que também contou a participação de residentes locais.


SJM SATISFEITA COM RESULTADOS DE JANEIRO. O director executivo da SJM, Ambrose So, manifestou-se satisfeito com as receitas registadas pelos casinos na primeira metade de Janeiro, embora não tenha avançado números. Ambrose So reiterou que a empresa acredita que 2012 será mais um ano de prosperidade no sector.

local

50% DOS QUARTOS ECONÓMICOS NA “NET”. Cerca de 50 por cento dos 1.450 quartos dos hotéis de duas estrelas ou pensões já podem ser reservados através da internet, estima a Direcção dos Serviços de Turismo. Este ano deverá ser criado um “site” com informações sobre os hotéis económicos em Macau.

INDICA ESTUDO DA UNIVERSIDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MACAU

Há mais confiança no consumo Os dados do último estudo sobre a confiança no consumo mostram que voltou a haver mais confiança no último trimestre. Macau está mesmo à frente de outras regiões no que à confiança na economia local diz respeito viviana chan

A

sociedade do território voltou a ter mais confiança no consumo, indicou um estudo divulgado pelo Instituto de Desenvolvimento

GRAU DE CONFIANÇA POR ÁREAS

Economia 113,48 pontos +7,57 por cento Emprego 119,5 pontos +3,97 por cento Preços dos produtos 57,73 pontos +12,36 por cento Qualidade de vida 95,45 pontos +5,06 por cento Habitação 59,81 pontos +7,32 por cento Investimento em acções 75,55 pontos -2.01 por cento * Percentagens indicam variações face ao terceiro trimestre de 2011

Sustentável (IDS) da Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau (UCTM), que teve em conta entrevistas realizadas a mais de mil residentes da RAEM em Dezembro. O resultado do estudo foi divulgado na sexta-feira e mostra que o índice de confiança do consumo dos residentes de Macau em geral, no quarto trimestre do ano passado, subiu para 86,92 pontos, o que significa um aumento de 5,26%, em comparação com o trimestre anterior (82,58). O índice, contudo, é subjectivo porque apenas demonstra a opinião dos entrevistados quanto aos diferentes tipos de consumo. Especificamente, no período em análise, o índice de confiança na economia, no emprego, nos preços dos produtos, na qualidade da vida, na habitação e no investimento em acções ficou marcado por uma subida. Para a economia local, o índice da confiança de Macau mediu 113,48 pontos, representando uma maior confiança entre todas as zonas estudadas. A confiança no emprego, numa tendência de subida, registou 119,5 pontos no índice e que acaba por obter o melhor resultado entre os outros índices no trimestre em análise, revelando 3,97% de aumento em relação ao trimestre anterior. O melhor índice de confiança no emprego também demonstrou, na visão do IDS, que o mercado de trabalho mantém-se num bom nível no território, o que está de acordo com a taxa de desemprego, que tem vindo a diminuir. Os inquiridos da faixa etária mais baixa revelaram uma confiança mais elevada, especialmente aqueles com uma idade entre os 18 e os 19 anos. “Os estudantes têm comentários positivos ao mercado de trabalho”, está escrito no relatório, citado pela imprensa chinesa. Pelo contrário, os inquiridos com uma idade entre os 50 e os 59 anos são os que revelam menos confiança no mercado de trabalho. Por outro lado, o índice da confiança dos preços dos produtos, estabilizou nos 57,73 pontos, uma subida de 12,36%, o que mostra que os residentes vol-

REVISÃO DO SISTEMA POLÍTICO

Chui Sai On admite alargar auscultações Várias vozes têm reclamado mais sessões para a população em geral dar a opinião sobre a mudança que está a ser planeada a nível do sistema político. Chefe do Executivo mostra que está atento

O

Governo pode alargar o período de auscultação do público em geral no que à reforma política diz respeito, admitiu o Chefe do Executivo, Chui Sai On, à chegada a Macau, no sábado, após uma visita à União Europeia. “Porque sei que as pessoas estão a exigir mais consultas públicas para dizerem o que pensam”, disse citado pela Rádio Macau, “vamos ponderar os diferentes ângulos da questão e todas as posições manifestadas”. Têm sido várias as vozes que se têm levantado contra o facto das oito sessões de auscultação reservadas para recolher opiniões sobre a reforma do sistema político, apenas uma ser dedicada a ouvir a população em geral. Quanto a esta sessão, que vai decorrer na quartafeira, entre as 20:00 e as 21:30, no Instituto Politécnico de Macau (IPM), as inscrições terminam hoje. Tal como nas outras sessões, cada pessoa pode fazer-se ouvir durante cinco minutos. Se bem que a Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública lembra que, caso a participação seja muito elevada, pode haver quem não possa falar, tendo de deixar a opinião por escrito numa caixa que vai ser colocada à saída do auditório. Hoje à noite, pelas 20:00, no IPM, decorre a 6ª sessão, que vai auscultar os representantes das asso-

Chui Sai On garante que vai ponderar todas as posições sobre o processo de revisão

ciações de engenharia, tecnologia e planeamento, bem como os vogais dos órgãos consultivos na área dos transportes e obras públicas. Amanhã, à mesma hora e no mesmo local, são ouvidas as associações de serviços sociais, cultura, educação, desporto e medicina, entre outros, e os vogais dos órgãos consultivos na área de assuntos sociais e cultura.

Emprego foi a área que os residentes de Macau apontaram como sendo aquela em que têm mais confiança

taram a ter mais confiança no combate à inflação. Já o índice da confiança na qualidade de vida subiu para 95,45 pontos, um aumento de 5,06%. Enquanto o índice da confiança no compra da habitação subiu também 7,32%, para 58,81 pontos. O investimento em acções, pelo contrário baixou para os 75,55 pontos, o que significa uma diminuição de 2,01% comparativamente ao terceiro trimestre de 2011. O estudo sobre a confiança no consumo foi iniciado em 2008 através de uma cooperação entre seis instituições de ensino superior localizadas no Interior da China, nas Regiões Administrativas Especiais e em Taiwan.

“Invasão” de excursões em Novembro Em Novembro, chegaram a Macau 767.208 visitantes, através de viagens turísticas organizadas pelas agências de viagens, número que traduz um aumento de 70,3% face ao período homólogo de 2010, indicam dados oficiais. De acordo com os Serviços de Estatística e Censos, para o aumento contribuiu o crescimento do número de visitantes oriundos do interior da China que cresceu 79% para 574.212 indivíduos. Os excursionistas de Taiwan (45.522), Hong Kong (35.659) e Coreia do Sul (27.453) que escolheram Macau como destino também aumentaram de forma significativa em Novembro ao subir 131,9%, 64,5% e 103,3%, respectivamente. Nos primeiros 11 meses de 2011 chegaram a Macau mais de 6,5 milhões de visitantes através de viagens turísticas organizadas pelas agências de viagem, número que “ultrapassou” os 5,7 milhões de visitantes que entraram em 2010 por esta via, tendo-se registado um crescimento de 24,7% face a igual período de 2010. Em Novembro, existiam 22.335 quartos disponíveis nos hotéis e pensões do território, valor que traduz um aumento de 11,3% ou 2.276 quartos em termos anuais, com os quartos das unidades hoteleiras de cinco estrelas a deterem uma quota de 63,5%. Durante o mesmo mês registaram-se 780.641 hóspedes em Macau, isto é, mais 18,7% relativamente a Novembro de 2010. Os principais mercados da indústria hoteleira foram o Interior da China e Hong Kong que representaram, respectivamente, 55,4 e 17% do total. Ao nível da permanência dos hóspedes manteve-se a média de 1,5 noites - idêntica à de Novembro de 2010. A taxa de ocupação média dos hotéis e das pensões foi de 88,4% nesse mês, expandindo-se 5,7 pontos em termos anuais. Nos primeiros onze meses do ano passado, mais de 7,7 milhões de alojaram-se nos hotéis e pensões, mais 10,9% do que em igual período de 2010. A taxa de ocupação média alcançou os 83,6% aumentando 4,5 pontos percentuais. jornal tribuna de macau segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 pág 05


EXCURSÕES MAIS CARAS NO ANO NOVO CHINÊS. O custo das excursões a realizar no período do Ano Novo Chinês aumentou entre 20 a 40%, com os destinos da Europa a gerarem maior interesse do que os asiáticos, noticiou o jornal “Ou Mun”. Porém, a vontade de viajar dos residentes de Macau não apresenta quebras, referiu o presidente da Associação de Viagens.

local

TUNG SIN TONG ACUSADA DE OCUPAÇÃO ILEGAL. Uma mulher, representante de uma loja de materiais de madeira, acusou a Tung Sin Tong de estar a ocupar ilegalmente um terreno na Avenida do Almirante Lacerda. A dona da loja, de apelido Yung, alegou que a Associação Tung Sin Tong, fundada em 1852, terá falsificado a assinatura do seu bisavó para ocupar o terreno.

HOMENAGEM A PRESIDENTE FALECIDO OCORREU NO CONSULADO LOCAL

Macau torce por paz na Guiné-Bissau O Presidente guineense Malam Bacai Sanhá faleceu na semana passada. Macau decidiu render homenagem a um líder “conciliador”, que “tentou impulsionar o desenvolvimento do país”. O Consulado Honorário da Guiné-Bissau em Macau abriu portas a todos os que quiseram lamentar a perda e deixou votos para que o país siga um trilho pacífico raquel carvalho

É

pela paz que todos torcem e pelo crescimento saudável de um país que tem muito para dar. O Consulado Honorário da Guiné-Bissau em Macau recebeu na sexta-feira mais de uma dezena de pessoas que quis prestar homenagem ao presidente falecido. Jonh Lo Seng Chung, cônsul honorário no território, recorda ao JTM os feitos de Malam Bacai Sanhá e partilha expectativas quanto ao futuro daquela nação africana. Do ponto de vista político, o representante em Macau espera que tudo decorra dentro da lei, sem sobressaltos - como a tentativa de golpe de estado em finais de Dezembro. “A Lei prevê que ocorram eleições nos próximos 90 dias, enquanto isso o presidente da Assembleia Nacional assume a liderança”, lembra o Cônsul Honorário da Guiné-Bissau no território. O importante, sublinha, “é que haja paz. É o que mais desejamos. Há poucas semanas, existiram movimentações no sentido de um golpe. Espero que isso não aconteça novamente”. Por outro lado, John Lo Seng Chung torce para que o “país cresça e a economia se desenvolva”. Quanto ao nome que irá assumir a presidência do país, o empresário chinês não

Cônsul honorário da Guiné-Bissau em Macau promoveu homenagem a Malam Bacai Sanhá

faz qualquer aposta. No entanto, defende que deve ser alguém, “à semelhança do anterior presidente, com carácter forte e uma imagem segura que inspire confiança à população”. O cônsul honorário recorda que Malam Bacai Sanha “fez o melhor que pôde. Especialmente no que toca às relações com o Médio Oriente, algo muito importante para o crescimento da Guiné”. Do ponto de vista global, acrescenta, “foi um líder pacificador. Fez com que a imagem do país melhorasse e país tornou-se mais estável”. CRESCIMENTO DO PAÍS. O potencial da Guiné-Bissau é enorme, garante John Lo Seng Chung. “A última vez que estive na Guiné foi em Outubro. Nessa altura, encontrei muitos investidores estrangeiros interessados. Uma vez que há uma crise económica mundial, a Guiné apresenta condições atrac-

tivas. Mas para que isso se concretize, a estabilização do país é importante”. Apesar das perspectivas de desenvolvimento, aquela é uma nação carente de muitas infra-estruturas e serviços. Na última visita, John Lo Seng Chung levou consigo equipamentos médicos. Mas há muito a fazer. “Na verdade, a Guiné-Bissau ainda precisa de tudo. Precisa de mais investimentos do estrangeiro, de mais postos de trabalho, de especialistas do exterior”. A relação do actual cônsul honorário com a Guiné-Bissau começou ao bater da transferência de soberania. “Antes disso, já conhecia alguns guineenses em Macau, já tinha algumas relações”. Nessa altura, recorda, “a economia de Macau não era muito boa”. Por isso, decidiu explorar outros horizontes, longínquos mas tentadores. “Os

TRIBUNAL JUDICIAL DE BASE Juízo de Pequenas Causas Cíveis

ANÚNCIO

ICQ dental team is a group of dental specialists with internationally recognized qualifications. We provide all range of dental services: − Oral examination and radiology investigation − Restorative and Cosmetic Dentistry − Children Dentistry − Orthodontic Treatment − Oral and Dental implant Surgery – Endodontic Treatment − Periodontal Treatment − Emergency Treatment We are committed to deliver high quality dental services with personalized care. We ensure the highest level of infection control.

Website:www.icqoral.com

Consultation by appointment: Mon to Sat: 10:30am - 7:30pm Sun: 10:30am - 2:00pm Tue and public holidays: closed

Tel: 28373266 Fax: 28356483 Email: appoint@icqoral.com Avenida da Praia Grande, Nº 665, Edifício Great Will, 2º Andar A

pág 06 segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 jornal tribuna de macau

Cumprimento de Obrigações Pecuniárias nº PC1-11-0426-COP Juízo de Pequenas Causas Cíveis Autor: BANCO NACIONAL ULTRAMARINO, S.A., com sede em Macau, na Avenida Almeida Ribeiro, n.º 22. Réu: CRISPIN VILLAFLOR CUNANAN, com a última residência conhecida em Macau, em Ha Wai Kai, Pátio de Hong Fat, n.º 12, Edifício Yan Fat, 5.º andar “A”, ora ausente em parte incerta. FAZ-SE SABER que nos autos, Juízo e Tribunal acima referidos, correm éditos de TRINTA (30) DIAS, contados da data da publicação do anúncio, citando o Réu CRISPIN VILLAFLOR CUNANAN, acima identificado, para querendo, no prazo de quinze (15) dias, findo o dos éditos, contestar, sob pena de, não a fazendo, prosseguindo os autos os seus ulteriores termos à sua revelia. O pedido formulado pelo Autor consiste na condenação do Réu a pagar a dívida, as despesas e os juros de mora na quantia de MOP$18.178,79 (Dezoito mil, cento e setenta e oito patacas e setenta e nove avos), a que acrescem os juros que se forem vencendo, à taxa de juros convencionais, após a propositura da acção e até integral pagamento, o respectivo imposto de selo que sobre os mesmos incide e, ainda, as custas e condigna procuradoria. Tudo como melhor consta do duplicado da petição inicial, que se encontra nesta Secretaria do Juízo de Pequenas Causas Cíveis à disposição do citado. Para constar se lavrou este e outros de igual teor, que serão fixados nos lugares designados pela Lei. R.A.E.M., aos 15 de Dezembro de 2011. O Juiz, Chan Chi Weng A Escrivã Judicial Auxiliar, Lei Veng Si

“JTM” - 16 de Janeiro de 2012

primeiros três anos na Guiné-Bissau não correram muito bem, depois de 2005 tudo começou a melhorar. Hoje em dia, posso dizer que sou um homem de sorte”. As ideias do cônsul e empresário para aquela nação africana são muitas. Uma delas começará a avançar já este ano: um projecto hoteleiro. As relações entre Macau e a GuinéBissau têm vindo a intensificar-se, analisa John Lo Seng Chung. Hoje em dia, tanto o território como a República Popular da China compram “madeira” à Guiné-Bissau, no sentido inverso vendem “vários produtos”. Aos olhos do empresário, o país pode desenvolver-se através da “pesca e da exportação de castanha de caju”, alimento em que já é o sexto produtor mundial. UM “AMIGO SINCERO”. O próprio Presidente chinês, Hu Jintao, já manifestou o seu pesar pela morte de Malam Bacai Sanhá, anunciou a agência noticiosa oficial chinesa Xinhua (Nova China), cuja informação foi reproduzida pela Lusa. “Lamentamos a perda de um amigo sincero”, escreveu numa mensagem enviada ao presidente interino da Guiné-Bissau, Raimundo Pereira. Malam Bacai Sanhá “valorizou” as relações com a China e “empenhou-se na salvaguarda da estabilidade e unidade nacionais e na promoção do desenvolvimento económico” da Guiné, acrescentou Hu Jintao. Recorde-se que Malam Bacai Sanhá tomou posse em 2009, falecendo aos 69 anos num hospital militar em Paris na segunda-feira, durante o terceiro ano de mandato. A cerimónia fúnebre dedicada ao homem que era considerado por alguns um “partidário da paz e da conciliação nacional” decorreu ontem. A Guiné-Bissau era uma colónia portuguesa, tendo atingido a independência em 1973. Desde então, o país tem vivido entre diversas convulsões políticas e militares.

New Fong Yee Investimentos, S.A. Registo: 38621(SO)

Sob a AP.7/28122011, foi registada a dissolução e extinção pelo encerramento de liquidação. Macau, 13 de Janeiro de 2012.

Nunca abandone o seu animal de estimação * Contacto da Anima: 63018939 (KIKO) * Ajude-nos a Ajudá-los


local

(...) “A razão porque pensaram em mim é bem visível. A minha ligação a Macau, à China, e o facto de há 20 anos falar da importância da China para Portugal” (...) – Rocha Vieira

(...) “As pessoas valem pelo que valem, o facto de pertencerem a um partido não podem ser uma menorização” (...) - Idem

Rocha Vieira justifica ida para a EDP com ligação A MACAU

Portugal perde-se com “coisas muito pequenas” O antigo Governador de Macau Rocha Vieira disse que nunca foi contactado pelo Governo para integrar o Conselho de Supervisão da EDP mas apenas por accionistas privados e justificou a sua escolha pela ligação a Macau e à China

N

ão falei com o Governo, as únicas pessoas com quem falei foram unicamente com o elemento que coordenava os accionistas privados e com o presidente da Three Gorges”, disse Rocha Vieira, em Lisboa, à margem da apresentação do calendário de eventos da LIDE Portugal. Rocha Vieira adiantou que foi Vasco Mello, do Grupo José de Mello, o coordenador dos accionistas privados neste processo. Quanto ao presidente da chinesa “Three Gorges”, que recentemente adquiriu os 21,35 por cento da participação do Estado na EDP, o Governador de Macau entre 1991 e 1999 afirmou que Cao Guangjing lhe pediu que “estivesse no Conselho de Supervisão como elemento independente”. Relativamente às motivações para integrar este órgão social da EDP, Rocha Vieira afirmou de início que essa pergunta não merecia resposta, mas acabou por referir a sua ligação àquela região asiática. “A razão porque pensaram em mim é bem visível. A minha ligação a Macau, à China, e o facto de há 20 anos falar da importância da China para Portugal”, disse Rocha Vieira. Já sobre Eduardo Catroga, Rocha Vieira disse que não teve nada a ver com a sua nomeação mas que lhe pareceu “extremamente bem” já que é “um gestor com muita experiência”. Rocha Vieira afirmou ainda que Portugal se perde com “coisas muito pequenas” e desvalorizou o facto de os escolhidos serem personalidades ligadas ao PSD. “As pessoas valem pelo que valem, o facto de pertencerem a um partido não podem ser uma menorização”, afirmou. Os nomes adiantados para o Conselho de Supervisão da EDP têm sido alvo de críticas, com o secretáriogeral do PS, António José Seguro, a afirmar a semana passada que revelam “apropriação por parte das clientelas dos partidos do Governo” de cargos públicos. O Primeiro-Ministro já negou qualquer interferência do Governo nas recentes escolhas para os órgãos da

Rocha Vieira assegura que não falou com o Governo sobre as nomeações para a EDP

EDP. “Gostava de esclarecer, porque o não pude fazer pessoalmente ainda, que o Governo não interferiu nem directa nem indirectamente nas escolhas que os accionistas privados da EDP fizeram para o futuro Conselho Geral e de Supervisão ou para o Conselho de Administração”, afirmou Passos Coelho, acrescentando que fez saber à “Three Gorges”, que “ninguém, mas ninguém, se poderia apresentar alegando o patrocínio do Governo para qualquer lugar”. Eduardo Catroga, Celeste Cardona Paulo Teixeira Pinto, Rocha Vieira, Braga de Macedo e Ilídio Pinho são alguns dos nomes propostos à Assembleia Geral de Accionistas para integrar o Conselho de Supervisão da EDP. “LÓGICA” DE MACAU COM UMA EXCEPÇÃO. Eduardo Catroga também já comentou as nomeações dizendo que os nomes escolhidos para o conselho geral e de supervisão da EDP “têm lógica”, pelo facto dos investidores chineses terem escolhido pessoas com envol-

vimento a Macau e caras que conheciam. “Fique muito agradado com a lista. Porque a lista tinha lógica. Do ponto de vista dos chineses, além deles estavam a pôr caras que eles já conhecessem. Foi esse o critério”, assegurou, em entrevista ao semanário Expresso. “Rocha Vieira tem todo o sentido - Macau, eles conhecem. Ilídio Pinto foi por causa de Macau, ainda por cima é accionista da EDP com um por cento”, acrescentou. Eduardo Catroga só não sabe explicar as razões que levaram à escolha de Celeste Cardona, ex-ministra do CDS, para o Conselho de Supervisão da EDP. “Não sei. Isso aí, não faço comentários, nem sei como se passou. Não sei se existe lógica. Nos outros encontrei lógica”, afirmou o antigo ministro de Cavaco. Na mesma entrevista, Catroga diz desconhecer ainda o seu vencimento, no novo cargo na EDP: “Não sei qual será a minha remuneração, é fixada pela Comissão de Vencimentos, a eleger pelos accionistas”.

EMPRESA PROMETE RESPOSTA “VIGOROSA” A ACÇÃO JUDICIAL

Wynn contesta acusação “absurda” de Okada A acção judicial de Kazuo Okada contra a Wynn Resorts é “absurda”, garantiu a empresa, que acusou o empresário nipónico de “implicar a companhia em projectos que esta tinha decidido evitar”, designadamente nas Filipinas

A

Wynn Resorts promete responder “vigorosamente” ao processo judicial interposto pelo seu antigo vicepresidente que reclama acesso aos registos financeiros da empresa para saber de que modo foram utilizados os fundos que investiu, estando ainda em causa donativos à Universidade de Macau. Em comunicado, a empresa liderada por Steve Wynn classificou mesmo a acção judicial de que é alvo de “absurda e sem mérito”. “Trata-se de uma tentativa do Sr. Okada, que foi destituído do cargo de vice-presidente em Outubro de 2011, para

desviar a atenção de uma disputa entre ele e o conselho de administração da Wynn Resorts relacionada com a sua decisão de competir directamente com a companhia através da prossecução de um projecto nas Filipinas, apesar das repetidas advertências do conselho”, indica o comunicado da Wynn Resorts, divulgado a partir da sede da empresa, em Las Vegas. A operadora do jogo refere ainda que Okada abusou da sua posição na Wynn Resorts para “implicar a companhia em projectos que esta tinha decidido evitar”. Com a acção interposta num tribunal do Condado de Clark, no Estado do Nevada, Kazuo Okada pretende que a Wynn Resorts “abra o livro” sobre como usou os 380 milhões de dólares (cerca de três mil milhões de patacas) que o empresário diz ter investido em 2002 na operadora. Alegadamente, Okada terá solicitado o acesso aos registos contabilísticos da Wynn por quatro vezes, mas sem sucesso. “Não só o pedido foi sumariamente negado, como, surpreendentemente, a Wynn

Resorts pediu provas de que tenha ocorrido sequer o investimento de 30 milhões de dólares”, indica Okada no processo. A acção interposta por Kazuo Okada visa o esclarecimento do investimento alegadamente feito em 2002, para financiar as “diligências necessárias” em Macau, e um segundo pagamento de 90 milhões de dólares para “financiar outros elementos da empresa de Macau”, segundo o “South China Morning Post”. O processo contempla também o donativo de mil milhões de dólares de Hong Kong à Fundação de Desenvolvimento da Universidade de Macau, calendarizado em várias tranches até 2022, ano em que expira a licença do casino da Wynn na região. Em Maio de 2011, o presidente da Wynn Resorts, Steve Wynn, entregou um cheque de 200 milhões de patacas à Fundação de Desenvolvimento da Universidade de Macau para aplicação no departamento de Economia e Gestão da Ásia-Pacífico, e manifestou a intenção de continuar o fi-

nanciamento do mesmo com um donativo anual de 80 milhões de patacas, nos próximos 11 anos. Okada mostrou a sua objecção relativamente a este donativo “que parece não ter precedentes nos anais da universidade”, refere ainda o processo. O magnata japonês de 69 anos, residente em Hong Kong, estabeleceu uma sociedade com Steve Wynn há mais de uma década. Com 20 por cento do capital da Wynn Resorts, o empresário nipónico detém actualmente o dobro da participação do presidente e director-executivo do grupo, Steve Wynn, que ficou com uma quota de 10 por cento em 2010, após ter cedido metade do seu capital na empresa à ex-mulher Elaine Wynn, na sequência de divórcio. Apesar da reacção veemente da empresa, as acções da Wynn Resorts caíram mais de cinco por cento na Bolsa de Nova Iorque, na sexta-feira. Em Hong Kong, a Wynn Macau também sofreu uma desvalorização de 4,1 por cento.

jornal tribuna de macau segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 pág 07


PREVENÇÃO contra INCÊNDIOS NO ANO LUNAR. O Corpo de Bombeiros está a realizar uma série de actividades de sensibilização sobre a prevenção contra incêndios nas zonas do Campo, Conselheiro Ferreira de Almeida, Cheok Chai Un e Sam Pá Mun. A iniciativa é motivada pela aproximação do Ano Novo Lunar.

local

DIA DE DESPORTO COM BOA ADESÃO. O “Dia de Desporto para Todos”, realizado sábado na Zona de Lazer dos Edifícios Weng Kin e Weng Hoi do Fai Chi Kei, voltou a contar com “grande apoio” do público, frisou o Instituto do Desporto, destacando a participação de jovens acompanhados dos encarregados de educação.

RESULTADOS DA 2ª JORNADA DO CAMPEONATO DE FUTEBOL DE MACAU

Ka I e Monte Carlo na liderança A equipa treinada por José Clér obteve uma vitória esmagadora frente ao Hong Ngai, por 10-0 e conta com novo reforço. Treinador do Monte Carlo assume luta pelo primeiro lugar

A

s vitórias deste fim-de-semana do Ka I e do Monte Carlo estabeleceram estas equipas no primeiro lugar do campeonato da I Divisão de Futebol de Macau. Ambas têm seis pontos. O Benfica marcou passo frente ao Lam Ieng e não foi além do empate, enquanto o FC Porto voltou a perder, classificando-se no final da tabela. A vitória mais expressiva da 2ª jornada pertenceu ao Ka I, que levou de vencida o Hong Ngai por dez golos sem resposta. O mais recente reforço, Gustavo, foi o responsável por quatro dos golos. “A equipa trabalhou bem mas ainda é preciso fazer alguns acertos”, disse ao JTM o treinador do Ka I, José Clér, que admitiu que espera mais reforços. “Espero que até sexta-feira tenha mais um jogador para o meio-campo”, que já está em vista. Candidato a renovar o título de campeão, o técnico põe água na fervura e diz que “ainda é muito cedo”. A fazer sombra ao campeão está o Monte Carlo, treinado por Paulo Bento e que acumulou a segunda vitória, agora frente ao Kuan Tai, por três bolas a zero. Assumindo que vai “lutar pelo primeiro lugar”, Paulo Bento referiu que o entrosamento da equipa “é o possível neste momento” e lamenta a falta de espaços para treinar. “Vamos treinando conforme o possível. Ora no campo de sete do Dom Bosco, ora noutros locais. Mas há equipas que têm mais facilidades”, lamentou.

Classificação à 2ª jornada Ka I Monte Carlo Benfica Lam Ieng Polícia Lam Pak Sub-23 FC Porto Hong Ngai Kuan Tai

6 pontos 6 pontos 4 pontos 4 pontos 3 pontos 3 pontos 3 pontos 0 pontos 0 pontos 0 pontos

Direcção dos Serviços de Finanças

Aviso COBRANÇA DA CONTRIBUIÇÃO ESPECIAL 1. Faço saber que, o prazo de concessão por arrendamento do terrenos da RAEM abaixo indicados, encontra-se terminado, e, que de acordo com o artigo 3.° da Lei nº. 8/91/M de 29 de Julho, conjugado com o artigo 2.° e o artigo 4.° da Portaria n.º 219/93/M, de 2 de Agosto, foi o mesmo automaticamente renovado por um período de dez anos a contar da data do seu termo, pelo que, deverão os interessados proceder ao pagamento da contribuição especial liquidada pela Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes. Localização do terrenos: - Rua da Ribeiro do Patane, nºs 183 a 183F (Edifício Iao Vai); - Estrada da Vitória, nº 28D (Edifício Varic Garden). 2. Agradecemos aos contribuintes que, no prazo de 30 dias após a recepção da notificação do pagamento, ou, até 31/01/2012, se dirijam ao Núcleo da Contribuição Predial e Renda, situado no rés-do-chão do Edifício Finanças, ao Centro de Serviços da RAEM, ou, ao Centro de Atendimento da Taipa, para levantamento da guia de pagamento M/B, destinada ao respectivo pagamento nas Recebedorias dos referidos locais. 3. Na falta de pagamento da contribuição no prazo estipulado, proceder -se-á à cobrança coerciva da dívida, de acordo com o disposto no artigo 6.° da Portaria acima mencionada. Aos, 28 de Dezembro de 2011. A Directora dos Serviços de Finanças, Vitória da Conceição

pág 08 segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 jornal tribuna de macau

Monte Carlo (de branco) pressionou forte o adversário

FC Porto ainda empatou o jogo mas não resistiu à pressão

Colocando a pressão do lado do Ka I e do Benfica para esta temporada, “por causa dos grandes investimentos que fizeram, não só com estrangeiros como com jogadores da região”, Paulo Bento explica que a táctica da equipa que dirige passa mais pela formação de valores. Mais dificuldades sentiu o Benfica, frente ao Lam Ieng, que não foi além de um empate a zero. “Quem viu a partida constatou que dominámos, mas a outra equipa remeteu-se ao empate e só destruiu jogo e nesse aspecto jogaram bem”, apontou Rui Cardoso ao JTM. “Não pode haver desânimo quando a equipa jogou futebol e tentou fazer os possíveis por ganhar”. Já o FC Porto voltou a perder, deste vez por 2-1, frente aos Sub-23. Segundo o técnico dos dragões, Daniel Pinto, “a equipa ainda não está na melhor forma”, uma vez que foram “dois erros infantis que ditaram a derrota”. Segundo referiu, deveria ter havido “mais concentração” dos seus jogadores. Agora, há que recuperar do prejuízo, “continuar a acreditar e, principalmente, treinar com muito afinco”. “Espero que ninguém falte aos treinos e há um ou dois jogadores com posições chave que faltaram”, apontou. O plantel do Porto também ainda não está fechado e na véspera do jogo contra com os Sub-23 chegou à equipa

Alex, um médio que veio do Brasil mas que já foi jogador do Ka I. No jogo que fechou a jornada, ontem à tarde, o Lam Pak venceu a Polícia por 2-0. PRÓXIMA JORNADA. O embate entre o Ka I e o Benfica, na sexta-feira à noite, marca a 3ª jornada. Rui Cardoso sacode a pressão para cima do Ka I, que detém o título. “Não tenho nenhuma pistola apontada à cabeça para ser campeão”, sublinhou o técnico dos encarnados. “Respeitamos o Ka I como respeitamos os outros, mas a minha equipa só pode ter uma mentalidade: ganhar”, resume. Assumindo que pode ser um jogo grande em Macau, José Clér só pede que haja “fair play e competitividade”. Outro jogo de interesse é o que coloca frente-a-frente FC Porto e Monte Carlo, logo a abrir a jornada, na quintafeira. “O Porto está obrigado a ganhar, porque vem de duas derrotas”, considera Paulo Bento, que espera um adversário “muito ofensivo porque vai correr atrás do adversário”. Aliás, os cuidados nunca são demais e o técnico do Monte Carlo sabe que o FC Porto “ainda é uma equipa em construção”. Na 3ª jornada, há ainda o embate entre o Lam Ieng e os Sub-23, a Polícia e o Hong Ngai e o Lam Pak e o Kuan Tai. H.A.

Direcção dos Serviços de Turismo

ANÚNCIO

Mandado de Notificação Nº 11/AI/2012

--Atendendo à gravidade para o interesse público e não sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se a infractora SISWATI que, na sequência do Auto de Notícia n.º 15/DI-AI/2011, de 25.02.2011, levantado pela DST, por prestação ilegal de alojamento da fracção autónoma situada na Rua do Almirante Costa Cabral, n° 65, Edf. Fong Seng, 3° andar B, bem como por despacho do signatário de 12.01.2012, exarado no Relatório n.º 11/DI/2012, de 04.01.2012, foi determinado a aplicação de uma multa de $200.000,00 (duzentas mil patacas), e ordenado a cessação imediata da prestação ilegal de alojamento no prédio ou da fracção autónoma em causa, nos termos do n.º 1 do artigo 10.º e n.º 1 do artigo 15.°, todos da Lei n.º 3/2010. --O pagamento voluntário da multa deve ser efectuado no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, de acordo com o n.° 1 do artigo 16.° dos Lei n.° 3/2010, findo o qual será cobrada coercivamente através da Repartição de Execuções Fiscais, nos termos do n.° 2 do artigo 16.° do mesmo diploma. --Da presente decisão cabe recurso contencioso para o Tribunal Administrativo, a interpor no prazo de 60 dias, conforme estipulado na alínea b) do n.° 2 do artigo 25.° do Código do Processo Administrativo Contencioso, aprovado pelo Decreto -Lei n.° 110/99/M, de 13 de Dezembro e no artigo 20.° da Lei n.° 3/2010. --Haverá lugar à execução imediata de decisão caso esta não seja impugnada. --O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.ºs 335-341, Edifício “Centro Hotline”, 18° andar, Macau. --Direcção dos Serviços de Turismo, em Macau, aos 12 de Janeiro de 2012 O Director dos Serviços, João Manuel Costa Antunes

Nos termos do n.º 2 do artigo 21.º da Lei do Recenseamento Eleitoral (Lei n.º 12/2000), com a redacção dada pela Lei n.º 9/2008, a Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública vai expor os cadernos de recenseamento, a partir do dia 16 de Janeiro (2ª feira), no local abaixo indicado e por um período de dez dias, para efeitos de consulta e reclamação dos interessados. Data e horário: De 16 a 25 de Janeiro, incluindo sábado, domingo e feriados. (Das 9H00 às 18H00, ininterruptamente). Local: Rua do Campo, n.º 162, Edifício Administração Pública, r/c. Para qualquer informação adicional, queiram contactar os SAFP através da sua linha aberta (88668866 e 89871704) ou consultar o website do Recenseamento Eleitoral: www.re.gov.mo. O Director dos SAFP, José Chu 16 de Janeiro de 2012


MAIS DE 250 MIL RECENSEADOS. A 31 de Dezembro de 2011, estavam recenseadas em Macau 25.1542 pessoas singulares, uma subida anual de 0,43%. Até ao dia 25, os SAFP vão expor os cadernos de recenseamento eleitoral, onde constam 712 pessoas colectivas. Segundo os SAFP, foram suspensas as inscrições de 65 pessoas colectivas e canceladas 196.

local

APURADA EQUIPA QUE VAI REPRESENTAR MACAU NA FINAL INTERNACIONAL

Trio feminino vence em simulador de gestão

REABERTO CENTRO DE ABRIGO. O Centro de Abrigo de Inverno do Instituto de Acção Social, localizado na Ilha Verde, reabriu ontem à tarde, devido às previsões de descida gradual da temperatura. No Centro são fornecidos edredões, arroz cozido, bebidas e massa instantânea às pessoas necessitadas.

VOX POPuli

Foi uma equipa totalmente feminina a vencedora da competição “Gestão Global”. As estudantes da Universidade de Ciência e Tecnologia mostraram-se mais ágeis na hora de colocar uma empresa a funcionar e vão representar Macau na final mundial, que decorre em Abril na Ucrânia raquel carvalho

A

luta acontece num campo “online”, mas o adversário não é um sistema automatizado. São outros cérebros que do lado de lá dos ecrãs e através das teclas dos computadores gizam estratégias. A entrega dos prémios à equipa vencedora da competição “Gestão Global” ocorreu na sexta-feira. Três alunas da Universidade de Ciência e Tecnologia viajam até à Ucrânia para se debaterem com os vencedores de todos os países e regiões participantes, já em Abril. Esta é uma competição aberta a todos os interessados. “Por exemplo, em Portugal existem equipas de estudantes, equipas de gestor e algumas mistas. Não fazemos qualquer distinção”, explica João Silva de Assis Ferreira, gestor da “Simuladores e Modelos de Gestão”. O sucesso do jogo, nascido na década de 80, reflecte-se na quantidade crescente de países envolvidos, hoje em dia, cerca de 40. Segundo o CEO da empresa que organiza a competição, Pedro Alves Costa, “o número de equipas tem crescido sempre de ano para ano”. A participação em Macau e Hong Kong também atingiu nesta edição números nunca antes vistos. Da RAEM apresentaram-se 220 equipas, na sua grande maioria compostas por estudantes, e da RAEHK 230. A “Ursa”, nome do trio vencedor a nível local, conquistou o direito de ir até à final, depois de passar pelas diversas eliminatórias desde Outubro do ano passado. As jovens, em declarações ao JTM, dizem que a experiência já compensou. “Aprendi muito com os outros participantes. Fomos fazendo perguntas, pesquisas e muito trabalho de equipa”, descreve Li Jing Yi, 21 anos. Este foi um momento marcante, que irá ter repercussões na vida profissional, acreditam. “Contactámos com a realidade com a qual nos defrontaremos quando termi-

dennis tam (Visitante do Continente) Alunas da UCTM venceram fase local do Jogo de Gestão Global

narmos o curso e ganhámos conhecimento dos aspectos em que temos de trabalhar mais”, acrescenta Yimao Yao, 21 anos. Como é a primeira vez da equipa na competição, as três jovens, todas no segundo ano da licenciatura de Turismo na Universidade de Ciência e Tecnologia, preferem não alimentar grandes expectativas. “Vamos tentar dar o nosso melhor”, diz Yimao Yao. Quanto a resultados, “não importa. Termos chegado à final já é óptimo”, corrobora Huang Ying, 20 anos. Neste simulador de estratégia e gestão, as equipas assumem a direcção-geral de uma empresa industrial, tendo que comandar a produção e distribuição de produtos. Qualquer passo em falso pode impulsionar o sucesso da equipa do lado. A tendência é para que o jogo se torne cada vez mais complexo. De acordo com João de Assis Ferreira, no próximo ano, os participantes vão confrontar-se num “novo simulador”. “Vamos introduzir cerca de 16 novas decisões, alguns departamentos serão mais detalhados. Pretendemos dar mais atenção às questões ambientais, responsabilidade social, formação (treino dos funcionários)… E ainda introduziremos a possibilidade de fazer ‘outsorcing’”. As quatro áreas fundamentais de acção continuarão a ser: “marketing, produção, recursos humanos e finanças”.

CONCERTOS INSERIDOS NO FESTIVAL LITERÁRIO DE MACAU

Música sem fronteiras Entre 3 e 4 de Fevereiro vai decorrer em Macau um festival de música que conta com bandas locais como “Turtle Giant” e os gémeos Soler. Portugal, Brasil, Cabo Verde e Cantão também trazem os seus ritmos ao pavilhão do Fórum

S

ão letras para todos os domínios. Entre 3 e 4 de Fevereiro vai decorrer um festival de música, no âmbito do Festival Literário de Macau, “Script Road”. O evento contará com bandas locais como a Turtle Giant, constituída pelos irmãos Fredji e Beto Ritchie e a voz “distinta” de António Conceição Júnior, conhecido como o Monstro, e a Soler, o grupo dos músicos gémeos nascidos em Macau. Segundo a organização do evento, também vão marcar presença no pavilhão do Fórum, o português David Santos, músico que participou na banda sonora do filme “José e Pilar”. O projecto musical de David Santos, mais conhecido por “noiserv”, tem vindo a afirmar-se como um dos mais criativos e estimulantes entre os

que surgiram em Portugal na última década. Já de Cabo-Verde chegará a voz de Nancy Vieira, apontada como “a nova Cesária Évora”. Durante o espectáculo irá interpretar e recordar alguns dos clássicos da diva, recentemente falecida. Ainda na senda da Lusofonia serão ouvidos os ritmos urbanos e do “reggae” com Andreia Dacal, que virá do Brasil. O primeiro dia de concertos ficará reservado para os “Turtle Giant”, uma das bandas do território mais conhecidas internacionalmente, e para os YFM – Yue Fei Men, banda de electrónica sediada em Cantão. O grupo foi aclamado por Quentin Tarantino, após actuação no Festival de Música Electrónica, na Grande Muralha da China,

em 2002. A banda Soler, formada pelos gémeos Julio e Dino Acconci, também actuará no dia 3 de Fevereiro. A banda tem composto em diferentes línguas, como Inglês, Português, Mandarim, Cantonês e Italiano. No segundo dia, destacam-se os países da lusofonia: Portugal, Brasil e Cabo Verde. O primeiro concerto de cada dia começa as 20h e os bilhetes, que custam 280 patacas, estão à venda nas redes Kong Seng e na Livraria Portuguesa. De acordo com Ricardo Pinto, director do Festival Literário de Macau, que trará ao território ainda escritores, este evento congrega a música e o cinema porque são artes que também têm uma forte componente literária.

“Mistura de culturas e Jogo tornam Macau especial” -Antes de visitar Macau já tinha ouvido falar muito desta cidade? -Fiz uma pesquisa na internet, mas também já tinha referências de Macau através dos materiais escolares sobre História. Macau tem uma ligação íntima com Hong Kong e essa relação também me estimulou a visitar esta cidade. Além disso, a criação dos vistos individuais facilitou as viagens a Macau e Hong Kong. Sei que jogar em Macau é legal, por isso, também quis satisfazer essa curiosidade. -Qual é a impressão que tem desta cidade? -Macau é uma cidade muito limpa, em termos dos locais públicos. Gostei também muito da arquitectura, que revela uma mistura de estilos. Depois de passar a fronteira, notei logo diferenças entre os dois lados. Relativamente a Zhuhai, Macau possui características muito próprias. Acho que é esta mistura de culturas que torna Macau especial, além do jogo. -O que acha do jogo? -A actividade do jogo faz bem a esta terra. Os casinos tornaram-se uma marca de Macau e isso pode atrair mais turistas. Mas, por outro lado, o jogo pode influenciar muito a sociedade e os próprios turistas podem causar impacto negativo ou positivo na vida dos residentes. Por exemplo, há sempre ligações entre o jogo e a agiotagem ou a prostituição, entre outras coisas. Esses aspectos podem trazer consequências negativas. -Do que gosta mais em Macau? -Aprecio bastante a gastronomia. Como Macau é um porto, pode importar mais produtos alimentares e com boa qualidade, como, por exemplo, peixes do norte da Europa ou do Japão. Nesse aspecto, a China Continental está muito limitada por vários factores, incluindo geográficos. A gastronomia de Macau é muito satisfatória. V.C. jornal tribuna de macau segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 pág 09


VITÓRIA DE MA ABRE “NOVAS OPORTUNIDADES”. A vitória de Ma Ying-jeou nas eleições presidenciais de Taiwan poderá trazer novas oportunidades para o desenvolvimento pacífico das relações” com Pequim, salientou a agência oficial chinesa Xinhua num editorial intitulado “A voz da China”, exortando todos os taiwaneses a apoiarem essa melhoria das relações.

RELAÇÕES NO CAMINHO “CORRECTO”. O desenvolvimento pacífico das relações entre Taiwan e Pequim, durante o primeiro mandato do Presidente formosino Ma Ying-jeou, é o “caminho correcto”, afirmou o Gabinete para os Assuntos de Taiwan do Conselho Estatal da China, num comunicado divulgado após a reeleição de Ma. O Gabinete sublinhou que deseja “unir as mãos com Taiwan”, embora rejeitando propostas de “independência” da ilha.

espec

UM “TUFÃO” VARREU O CAMPO DEMOCRATA

Povo de Taiwan votou pela estabilidade O Presidente Ma Ying-jeou venceu folgadamente as eleições presidenciais em Taiwan, obtendo 51,6 por cento dos votos, contra 45,6 por cento da candidata democrata Tsai Ing-wan. O terceiro candidato, líder do “People First Party”, James Soong recolheu apenas 2,77 por cento dos votos. “Taiwan votou na estabilidade”, ouviu-se. A China e os Estados Unidos agradecem, pois o que menos desejam é “tempestades” no estreito da Formosa

JOSÉ ROCHA DINIS Em Taipé

N

os últimos tempos, os “media” internacionais e de Taipé tinhamnos prometido um “tufão” sobre Taiwan neste Sábado de eleições presidenciais e legislativas. A anterior vantagem do Presidente Ma Ying-jeou nas sondagens estava a desaparecer e as eleições presidenciais iam ser disputadas “taco a taco” até aos últimos minutos. A candidata do Partido Democrata Progressivo (PDP), Tsai Ing-wan, pareceu acreditar nestas previsões. Admitindo que em termos de legislativas, o Kuomintang mantivesse a maioria, a candidata presidencial convenceu-se da possibilidade de ser a primeira mulher a ocupar o alto cargo no arquipélago e “dramatizou” o discurso. Os resultados vieram contradizê-la, mas não foi a única a enganar-se. O “olho do tufão” Os Serviços Meteorológicos de Taiwan tinham prometido um dia de chuva, fazendo crer que poderia reduzir a afluência às urnas, o que, tudo fazia crer, prejudicaria a

candidatura do Presidente Ma. “Parece que estamos sob o olho de um tufão, a grande acalmia antes da tempestade”, confidenciava-nos Joe Hu, tradutor que nos serviu de motorista durante todo o dia. Afinal, o resultado foi inverso. Não só as pessoas decidiram deslocar-se às mesas de voto, logo na abertura, como o bom tempo, mesmo com o sol a raiar, fez com que a afluência continuasse regular durante todo o dia. Percebia-se que quanto maior fosse a afluência, melhor seria para o KMT. O “tufão”, na realidade, só chegou após as 20 horas quando já estava tudo resolvido e Ma Ying-jeou e a esposa Christine Chou, que com ele rivaliza em popularidade nas fileiras do KMT, enfrentaram uma forte chuvada para agradecer aos seus milhares de adeptos. Foi um “tufão bom” para as fileiras do poder, e que só não constituiu surpresa pois a vitória do Presidente Ma começara a desenhar-se logo às 16 horas. “Ma Yeung-jeou significa a estabilidade nas relações com Pequim e isso é mais importante para Taiwan que a responsabilidade do Governo na crise económica, pois a crise está em todo o mundo mesmo nos Estados Unidos”, comentou-nos Joe, que assumiu ter votado no KMT. Guia profissional e tradutor nas horas vagas, com duas filhas adolescentes e uma forte descrença no papel internacional dos Estados Unidos mesmo no apoio a Taipé, Joe Ho, cujos pais vieram da China Continental mas nasceu na ilha, acredita que “em relação a Pequim, o importante é manter o status-quo e não fazer provocações pois só o tempo ajudará a resolver o problema”. Como já se percebeu, Joe não gosta da oratória do Partido Democrático Progressista contra a China. “Ser país independente, só por ser independente, não tem interesse. Eu sou chinês, mas chinês de Taiwan, logo diferente dos chineses da China, ainda que mantenha o mesmo tronco de origem. O que desejo é viver em liberdade, que lutem contra a corrupção e aumentem o nível de vida da população”, disse-nos, salientando que “eu já não estarei vivo, mas admito que a China e Taiwan, um dia, possam vir a estar ligados com o

A entrada de Christine Chou na campanha ao lado do marido foi considerada relevante pág 10

sistema da União Europeia”. De qualquer modo, considera que a situação económica nem está muito má. “Sem os nossos mercados tradicionais como os EUA e a Europa, a consolidação do mercado chinês feita pelo Governo nos últimos anos, ajudou os empresários de

Taiwan, e logo a população”, frisou, explicando que “a abertura aos turistas através dos voos directos foi muito importante para o turismo e sectores que lhe estão associados”. Surpresa democrata Foi a candidata Tsai Ing-wan a ex-

Derrota de Tsai Ing-wan fez derramar muitas lágrimas

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 jor


cial

PARABÉNS DE WASHINGTON. A Casa Branca e o Departamento de Estado dos EUA felicitaram Ma pela reeleição. Em comunicado, o Governo norte-americano disse que a paz no Estreito de Taiwan, entre a ilha e a China Continental, assume “profunda importância para os Estados Unidos”. Uma porta-voz do Departamento de Estado norte-americano elogiou a eleição de Ma Ying-jeou, sublinhando que foi “livre e justa”. O comunicado da Casa Branca classificou mesmo Taiwan como “uma das grandes histórias de êxito na Ásia”

pressar a sua surpresa pela diferença dos resultados eleitorais. Logo numa primeira declaração ao canal de TV “SET”, a advogada de 55 anos de idade disse que “estamos realmente surpreendidos, pois deveremos perder entre 600 a 700 mil votos” e reconheceu que, realmente, “este resultado está para além de tudo o que podíamos imaginar”. Desde as primeiras projecções, aliás, que as imagens televisivas vindas do seu quartel-general, mostravam a desilusão do campo democrata. Constituída na sua grande parte por gente nova, a audiência mostrava-se acabrunhada com muitas lágrimas a correr pelas caras. Tsai tinha apostado forte na convicção de que o Povo de Taiwan desejava castigar os últimos quatro anos de governação de Ma, preferia uma política mais clara em relação a Pequim e desejava ver rostos novos na hierarquia. A resposta ficou-se nos seis milhões, 93 mil e 578 votos, 600 mil votos a mais que o candidato democrata tinha recebido em 2008, mas longe dos recolhidos por Ma. Nos últimos tempos, por outro lado, o campo democrata levantou “a lebre” da possibilidade da compra de votos pelos KMT. Na noite eleitoral, o tamanho da derrota não sugeria muitas suspeitas. “Aceitamos a decisão do povo e damos os parabéns ao Presidente Ma, disse Tsai numa breve declaração, em que concluiu “pedimos as maiores desculpas aos nossos apoiantes, por esta derrota”. Na realidade, ao fim da noite, o mapa de Taiwan era uma mancha azul do KMT, no norte e centro, com o verde democrata a fixar apenas o centro-sul, em redor da segunda cidade do pais, Kaoshiung, e apenas um distrito ganho no norte – Yilan, perto da Hualien, que tanto impressionou os navegadores portugueses que ali chegaram e que à ilha deram o nome de Formosa. O amarelo de Soong não aparecia em parte alguma, pois foi derrotado em toda a linha. Soong e o macaco Outro dos mitos pré-eleitorais agora desfeito, foi a possibilidade do terceiro candidato, James Soong, vindo das fileiras do Kuomintang, com quem aliás, está ligado em termos de coligação governativa, poder retirar votos indispensáveis à reeleição de Ma, como sucedera em 2000, da primeira vez que foi eleito um Presidente democrata. No dia anterior ao acto eleitoral, ainda James Soong negava que a sua participação pudesse retirar votos a Ma e declarava que “concorria para ganhar”. Em relação ao primeiro ponto tinha razão: a sua votação em nada influiu a reeleição de Ma ou os bons resultados do Kuomintang que agora ficou mais livre na coligação com o seu “People First Party” que praticamente “desapareceu” do mapa eleitoral, ficando apenas com três lugares, um dos quais dos aborígenes. E a dúvida persiste: como pôde um político tão experiente como James Soong cometer um erro de avaliação destes, que alienou as possibilidades do partido continuar, no futuro, na coligação governativa. O sábio Joe Ho (acertou em todas as previsões que fez quatro horas antes do fecho das urnas) tem como explicação a fábula do macaco e do político. “Quando cai de uma árvore, o macaco continua a ser macaco; já o político, quando cai do galho, ninguém o reconhece como político...” Para Joe, o tradutor nas horas vagas que nos serviu de motorista durante o dia de Sábado, a longa carreira política de Soong obrigava-o a ir às urnas, mesmo que para perder. Foi o que aconteceu...

rnal tribuna de macau

MILHARES EM “TURISMO ELEITORAL”. Milhares de cidadãos da China Continental viajaram para Taiwan ávidos por verem como iria funcionar o processo eleitoral, noticiou a agência Reuters. “Esta campanha é algo que nunca seria permitido na China”, constatou à agência um turista de Chongqing.

À margem Um Parlamento diferente - I

Dada a reforma aprovada pelo anterior “Yuan Legislativo”, já se sabia que a partir destas eleições haveria um Parlamento diferente. O Kuomintang, contudo, manteve a maioria absoluta, obtendo 56,64 por cento dos votos, traduzido num total de 64 deputados, menos 17 que em 2008. O Partido Democrático Progressista conseguiu 40 lugares, mais 13 que anteriormente, quedando-se nove para pequenos partidos e independentes, entre os quais três para o “People First Party” até agora liderado por James Soong.

Um Parlamento diferente - II

No dia seguinte aos resultados, os analistas procuravam perceber as razões da dimensão da derrota democrata. “Embora a candidata Tsai tenha conseguido firmar uma imagem de moderada e pragmática, quantos votantes terão acreditado que as relações com a China não iriam ser mais tensas?”, perguntava em jeito de explicação, Liao Da-chi, um académico de Kaoshiung, a zona onde Tsai conseguiu melhores resultados. “Ontem dormi bem e estou confiante”, disse Tsai no dia da votação

Um Parlamento diferente - III

Outros analistas destacam que, nas últimas semanas, o PDP exagerou na dramatização da campanha daí resultando uma bipolarização que fez desaparecer James Soong, com ganhos para o Kuomintang. Eric Yu, da Universidade Nacional de Chengchi assinalava, por outro lado, que a candidata Tsai Ing-wen não tinha conseguido dissociar-se completamente da governação democrata de Chen Shui-bian que se encontra na prisão.

Um Parlamento diferente - IV

Mesmo assim, muitos são os que consideram que Tsai fez uma boa campanha e teve bons resultados. “Nunca é fácil ganhar quando se está na oposição e o PDP conseguiu retirar mais de 800 mil votos ao KMT, castigando as suas politicas económicas”, frisou outro académico de Chengchi Chen Fang-ming, citado pelo “Taipei Times”.

Lição para Macau - I

Como contar milhares de votos com transparência e rapidez, é um desafio que se coloca a todas as Administrações. Em Taiwan, o desafio é gigantesco uma vez que o universo eleitoral era de mais de 18 milhões e esperava-se uma afluência elevada. A verdade é que a Comissão Eleitoral de Taiwan se saiu muito bem. Com as urnas a encerrarem às 16 horas, os resultados foram aparecendo regularmente nos ecrãs de televisão e menos de quatro horas depois já se conhecia a votação de seis milhões, sensivelmente a metade dos votos Três horas depois do fecho expressos. Pouco depois das 22 horas estavam contados todos os votos.

já não havia quaisquer dúvidas

Lição para Macau - II

A votação foi manual e a contagem feita boletim, por boletim; também não se pode falar de internet rápida (os últimos dados revelados pelo “China Post” assinalavam que, em termos de velocidade de net, Taiwan está três vezes atrasada em relação a países desenvolvidos), pelo que não foi pela informática que os resultados chegaram mais depressa a Taipé. Ao que nos disseram, a rapidez que já existiu na anterior eleição deve-se à divisão dos eleitores, por milhares de mesas, coisa que em Macau é impossível. Mas talvez nas próximas eleições legislativas em Macau, os resultados possam aparecer mais cedo.

Contagem dos votos foi manual

Lição para Macau - III

Uma coisa que pode fazer-se é os resultados surgirem, de imediato, na televisão (no canal chinês, naturalmente). O facto das pessoas poderem acompanhar os resultados, voto por voto, revela a capacidade da Administração, para além de uma prova de total transparência do acto eleitoral. Vamos tentar?

Jornais pouco pluralistas

Os que conhecem os “jornais” em língua inglesa de Taiwan sabem que os campos políticos são muto bem demarcados: o “China Post” apoia descaradamente o Kuomintang, enquanto que o “Taipei Times” está do lado dos democratas. É assim há décadas. Desta vez, contudo, notam-se melhorias no profissionalismo dos jornais, ainda que moderadas. Melhorias moderadas...

Grande noite da TVBS

Já em relação às estações de televisão, o problema é maior. São todas privadas e em língua chinesa, preferindo a quantidade informativa à qualidade. A TVBS, ligada à TVB de Hong Kong, contudo, fez uma grande maratona eleitoral, com os mais sofisticados meios e presença em todo o país, anunciando à boca das urnas uma sondagem que dava a vitória ao Presidente Ma. Com resultados menores do que veio Apoiantes das candidaturas a suceder, mas correctos, em termos relativos com a candidata da oposição.

estiveram de olhos postos nas televisões

Segurança discreta

Nos últimos tempos havia um notório alarme nas hostes governativas sobre a possibilidade de algum incidente armado poder tirar brilho à campanha e acto eleitoral. Na capital, o dia das eleições foi calmo, havendo uma segurança discreta que não criava problemas à livre circulação das pessoas. Junto das mesas de voto, havia polícias e membros do “staff” oficial que se mostraram muito atenciosos com os estrangeiros que iam ver. Escolas serviram para a votação

J.R.D. pág 11


MERKEL ESPERA VER GRÉCIA A CRESCER. A chanceler alemã insistiu ontem que a Grécia pode voltar ao crescimento económico se seguir um comportamento de austeridade. As reformas “nunca têm efeitos imediatos e necessitam de algum tempo antes de os seus efeitos serem sentidos e devem ser implementadas com veemência, claro”, referiu Angela Merkel, em entrevista a uma rádio alemã.

actual

ONU AVISA AL-ASSAD. O secretário-geral da ONU pediu ontem ao Presidente sírio, Bashar al-Assad, para “parar de matar” os seus cidadãos, sublinhando que todos os dirigentes que usam a força “perdem-se”. “A repressão não leva a nada”, disse Ban Ki-moon.

Polícia brasileira diz que Lima esperou pela noite para matar Duarte Lima encontrou-se, alegadamente, com Rosalina Ribeiro a 7 de Dezembro de 2009 e terá esperado que anoitecesse para cometer o homicídio – esta é uma das conclusões dos investigadores brasileiros que constam no relatório policial a que o DN teve acesso CARLOS DIOGO SANTOS*

P

ara os investigadores brasileiros, o encontro de Duarte Lima com a sua cliente é a resposta para quase todas as questões. No relatório de investigação a que o DN teve acesso na íntegra, a versão de Duarte Lima quanto a este assunto é considerada uma das principais mentiras e revela como ele, não tendo nada para fazer no Rio, fez a sua cliente esperar até que escurecesse para depois a mandar descer e tornar mais difícil o “trabalho” das câmaras de videovigilância e até das possíveis testemunhas oculares. Em entrevista ao DN, fonte policial, explicou: “É uma conclusão com muita lógica, algo essencial ao nosso trabalho.” No dia 7 de Dezembro de 2009, dia do crime, Rosalina Ribeiro passou todo o dia em casa à espera de um contacto do seu advogado português Domingos Duarte Lima, que já estaria no Rio de Janeiro desde o dia anterior e sem nada para fazer. Duarte Lima disse, em declarações à polícia, que foi a vítima quem marcou para as 20.00 o encontro de ambos no restaurante Alcaparra’s. Porém, em conversas com as suas amigas, a vítima assegurou estar impossibilitada de sair de casa, por estar à espera dele.

Neste relatório, que está prestes a ser enviado para Portugal, os investigadores não duvidam de que tudo foi premeditado por Duarte Lima: “Ora, Rosalina não tinha compromisso para aquele dia, conforme foi dito para as suas amigas, permanecendo em casa, todo o tempo, a espera de um contacto telefónico. Por sua vez, Duarte Lima não tinha nenhum compromisso no Rio de Janeiro, segundo declarara.” Dada a disponibilidade de Rosalina, para estar o dia todo à espera, os brasileiros concluem que a versão de Lima não corresponde à verdade. Isto porque enquanto a vítima esperava a chegada ou o telefonema do seu advogado, ele andava a passear pela cidade esperando, alegadamente, que ela ficasse desocupada: “O único compromisso naquele dia no Rio de Janeiro seria especificamente o encontro com Rosalina. Por outro lado, conforme demonstra a quebra de sigilo de dados telefónicos, Duarte Lima perambulou ou passeou pela zona sul do Rio de Janeiro por todo o dia, inclusive estando às 16.20 em frente do prédio onde residia Rosalina (...)”, pode ler-se no documento. Uma coisa é certa: foi Duarte Lima que se encontrou com a sua cliente naquela noite e as conversas telefónicas comprovam-no. A geolocalização do aparelho, pedida pelos investigadores, mostra que, de facto, ele estaria muito próximo da casa da vítima. AO TELEFONE. Apesar dos vários e-mails enviados pelos polícias brasileiros, Duarte Lima só terá falado uma vez por telefone, 40 dias após o crime. Algo que acabou por ser fundamental para a sua acusação. Uma hora de poucas respostas e muito nervosismo foi o suficiente para chamar a atenção do comissário da Divisão de

Homicídios, Aurílio Nascimento. “O comportamento e as perguntas de Duarte Lima surpreendem. (…) Era de se esperar uma total colaboração com a polícia e não o referido questionamento”, salientam. Os investigadores revelam muitas dessas recusas, ao longo de 65 páginas: “Questionado sobre qual o exacto ponto combinado para o encontro, Duarte Lima desconversa e diz que Rosalina o viu chegar.” Algo que para a Divisão de Homicídio diz que foge à lógica: “O encontro se deu por acaso? Pelo que afirma Duarte Lima, sim. Por outro lado não é crível que naquela localidade (...) a vítima fosse identificar o motorista de um veículo, face à pouca luminosidade, e certamente as limitações visuais da vítima, que possuía 74 anos e usava óculos.” O ENCONTRO. Segundo o testemunho de Duarte Lima, reuniram-se num café de uma rua paralela à da casa de Rosalina, num local onde o estacionamento é muito fácil. Sobre isto os investigadores lembram que, naquela zona, qualquer lugar de estacionamento é um “achado” e dizem ser pouco crível que duas pessoas habituadas ao “luxo” se tenham reunido numa “lanchonete”. Poucos minutos depois o crime acontece. Duarte Lima diz ter deixado Rosalina perto de uma mulher interessada numa fazenda propriedade do espólio de Tomé Feteira, de nome Gisele, em Maricá. Mas a polícia descobriu que não existe Gisele e que Lima não entrou sequer em Maricá. PERÍCIAS. À entrada de Maricá, Duarte Lima foi apanhado às 21.38 por um radar a 99 km/ h e, passada uma hora, foi de novo captado em excesso de velocidade no sentido contrário. Além de a primeira multa mostrar que Lima não iria fazer a curva de

Relatório de investigação aponta Duarte Lima como uma pessoa arrogante, que sofre de amnésia e que nunca colaborou. Polícia aponta o dinheiro como o móbil do crime

90 graus para entrar em Maricá. “Seria uma manobra brusca e arriscada”, sustenta o documento. Por outro lado, daquele sítio ao local onde estaria a Gisele são apenas cinco minutos, o que, tendo em conta que Duarte Lima diz só lá ter ficado um minuto, impossibilita que o regresso só acontecesse uma hora mais tarde, como revela um outro radar. Os investigadores testaram no terreno esta hipótese e concluíram que para fazer o trajecto de ida e volta até ao local do crime, partindo do radar, é cerca de uma hora. JTM/DN

os protagonistas duarte lima O advogado suspeito Ligado a casos polémicos em Portugal, Lima preferiu o silêncio e nem mesmo à polícia abriu o jogo sobre o dia da morte de Rosalina. Foi acusado no Brasil mas só foi detido em Portugal por burla ao BPN.

ROSALINA RIBEIRO Vítima

GISELE Mulher-mistério

MARIA ALCINA Amiga de Rosalina

Segundo Lima, terá sido a mulher com quem ele deixou Rosalina. A polícia diz que não existe.

É uma portuguesa emigrada no Brasil, onde é fadista. Era uma grande amiga de Rosalina Ribeiro.

NORMANDO VENTURA Advogado da vítima Era o advogado brasileiro de Rosalina e acompanhou o caso desde o homicídio.

Foi durante anos companheira de Tomé Feteira. Travava batalhas judiciais devido à herança milionária.

L. TOMÉ FETEIRA Milionário Construiu um império. Antes de morrer, indicou Lima como advogado de confiança.

pág 12 segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 jornal tribuna de macau

FELIPE ETTORE Delegado da polícia Foi desde o início o delegado Felipe Ettore que comandou as investigações à morte de Rosalina.

OLÍMPIA FETEIRA Filha do milionário Admitiu sempre que as relações com Rosalina não eram boas. Colaborou com a polícia e acusa Lima.

JOÃO COSTA RIBEIRO FILHO Advogado de Lima É um advogado muito conhecido no Brasil que trabalha para casos complexos.

ARLINDO GUEDES Empresário Explorava areia em propriedade da família Feteira. Queria comprar a posição de Rosalina na herança.


SUU KYI SAÚDA REFORMAS. O ministro francês dos Negócios Estrangeiros, Alain Juppé, encontrou-se ontem com a líder da oposição birmanesa, Aung San Suu Kyi, que saudou as reformas em curso no seu país. Suu Kyi recebeu de Juppé as insígnias de comendadora da Legião de Honra pela “coragem política com que lutou pela democracia e liberdade na Birmânia”.

actual

DESCONTAR “PONTES” NAS FÉRIAS. O Governo português dá às empresas a possibilidade de encerrarem nas “pontes”, sendo estes dias descontados no total anual de férias, sem que seja necessária a autorização do trabalhador, de acordo com a proposta enviada aos parceiros sociais.

Informador ajudou investigações

cronologia de um crime

Desde o início que os brasileiros contam com a ajuda informal de elementos da PJ e de uma pessoa próxima de Duarte Lima que se chegou a encontrar com os investigadores em Paris

• O homicídio de Rosalina Ribeiro ocorreu em Dezembro de 2009, mas só se tornou público em Portugal ao fim de seis meses, depois de ter sido noticiado num jornal electrónico brasileiro.

carlos diogo santos*

A

o longo de todos estes meses de investigações, a polícia brasileira tentou aprofundar ao máximo todos os seus conhecimentos acerca do conhecido (em Portugal) ex-deputado, Domingos Duarte Lima. Pediram informações a pessoas próximas de Lima, leram muito, assistiram a vários programas de televisão portugueses, mas houve também quem os procurasse... O DN sabe que a Delegacia de Homicídios teve desde o início uma colaboração extra. Um informador, uma pessoa próxima de Duarte Lima, que se encontrou em Dezembro do ano passado por três vezes com um dos investigadores em Paris, França. Na altura, o elemento da Polícia Civil havia planeado uma viagem de lazer a essa cidade e juntou o útil ao agradável. Tudo porque essa “fonte” estava em Portugal e não pretendia nem podia, por motivos pessoais, deslocar-se ao Brasil; por outro lado, a polícia brasileira também não poderia vir a Portugal cumprir uma espécie de diligência. Confrontada pelo DN, fonte da Polícia Civil do Rio confirmou estas trocas de informações e garantiu que se trata de “uma situação normal, uma vez que o principal suspeito estava num outro país e precisavam de mais informações”. O DN sabe ainda que apesar de o homem não ter se-

quer sido citado no relatório de investigação, teve um papel fulcral, uma vez que, de modo informal, acompanhava tudo o que acontecia em Portugal e informava a Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro. Esta pessoa, que alegadamente conhece muito bem Domingos Duarte Lima, colaborou desde os primeiros meses de investigação e, segundo uma fonte policial daquele país, “tratava-se de uma fonte muito credível”. O encontro terá acontecido meses após a Polícia Judiciária portuguesa se ter deslocado ao Rio de Janeiro, numa diligência informal, e mostra como os brasileiros estiveram sempre atentos ao que se passava deste lado do Atlântico. A primeira troca de informações foi exactamente quando a PJ decidiu enviar um elemento ao Brasil para se inteirar das circunstâncias em que o crime aconteceu e das provas que os investigadores da Polícia Civil j á haviam recolhido. Além do informador, desde este primeiro contacto com a PJ que as duas forças policiais terão comunicado de forma permanente. Os brasileiros sempre souberam de todos os passos de Duarte Lima em território nacional, quer pelas congéneres portuguesas quer através do já referido informador, e por isso nunca terá existido o receio de uma eventual fuga ao longo destes dois anos. Essa colaboração foi quase sempre evidente. Logo após as buscas a casa de Duarte Lima, no âmbito das alegadas burlas ao BPN (e que acabaram com a prisão preventiva do ex-deputado), os brasileiros tiveram conhecimento de tudo aquilo que a polícia judiciária apreendeu. Souberam inclusivamente que houve papéis relativos ao processo do homicídio de Rosalina Ribeiro que foram encontrados na casa do Algarve. JTM/DN

Livros para combater solidão O ex-deputado do PSD acorda cedo e passa o dia a ler e a escrever. Só o filho é visita assídua luís fontes*

D

uarte Lima, detido desde 17 de Novembro no Estabelecimento Prisional da Polícia Judiciária (EPPJ), em Lisboa, pouco confraterniza com os restantes detidos. Leva uma vida isolada na sua cela de dois por quatro metros. A sua vida é marcada pelo ritmo da prisão. As portas da cela onde está preso o ex-deputado abrem pelas oito da manhã. Duarte Lima não se levanta tarde, mas sai pouco do cubículo a que a Justiça o confinou preventivamente. É ali que passa horas a ler e a tirar apontamentos. Meia hora depois da abertura da porta da cela, dirige-se ao refeitório para tomar o pequeno-almoço. Durante a manhã, apesar de estar autorizado a ir para a zona de convívio raras vezes o faz. Prefere isolar-se. “Está numa cela, sozinho, e passa o tempo a ler e a escrever. Não convive com os outros, mas é educado e responde sempre aos cumprimentos”, conta fonte dos serviços prisionais. Na cela, o antigo deputado do PSD tem apenas uma televisão, uma secretária, uma cama e uma pequena casa de banho. É-lhe interdita a utilização de computadores. Apesar de poder ver televisão, pouco a liga. A leitura agrada-lhe mais é conhecido no EPPJ pelo facto de caminhar sempre com um livro debaixo do braço. Duarte Lima toma o seu almoço sempre na cela e não no refeitório. Foi o próprio advogado/recluso quem o solicitou. Um pedido a que a direcção da cadeia acedeu. As visitas que diariamente têm

Filho é a única visita de Duarte Lima

lugar, entre as 14.00 e as 17.00, são poucas para Duarte Lima. Além dos advogados Germano Marques da Silva e Raul Soares da Veiga, que o representam nos processos de fraude e homicídio, só o filho Pedro Lima, co-arguido no processo BPN, o visita assiduamente. Não há memória de amigos da política irem vê-lo. Os advogados têm salas próprias para prepararem com recato as defesas com o seu cliente. O filho Pedro Lima, depois de passar pelo processo de revista pelos guardas prisionais, sobe ao parlatório onde fala com o pai numa sala com mesas para vários reclusos. Pedro Lima também passou uma noite detido no EPPJ – na mesma cela que o pai – e só foi libertado mediante uma caução de meio milhão de euros que terá saído da conta de Duarte Lima. É o filho quem lhe leva livros, roupa e os medicamentos para controlar o colesterol e hipertensão.

No dia em que Duarte Lima fez 56 anos (20 de Novembro), Pedro foi a sua única visita. Levou-lhe num saco, além de roupa, alguma comida, que também teve de ser verificada pelos serviços prisionais. A mulher de Duarte Lima, Paula Gonçalves, de 47 anos, nunca foi visitá-lo à cadeia. Facto a que não será alheio o processo de divórcio que está a correr. Quanto à leucemia, doença que o antigo deputado do PSD venceu, os serviços prisionais pediram informações ao seu médico particular e a vigilância médica está a ser conduzida pelos clínicos que dão consultas no EPPJ. Poucas vezes o ex-deputado aproveita o recreio. Quando o faz, não se mistura com os outros detidos. O antigo deputado também não exerce nenhum tipo de trabalho na cadeia nem se ofereceu ( como fez Vale e Azevedo e Braga Gonçalves) para ajudar, por exemplo, na organização na biblioteca. Música é outra das actividades que não pratica nem ajuda a divulgar. Beneficia, contudo, de um pequeno privilégio: frequenta um bar reservado aos “faxinas” (reclusos com actividade laboral) que fica situado nos sectores seis e sete. Não “desce” ao nível dos reclusos dos sectores um e dois (que acolhe os presos considerados mais complicados). “É um espaço com mais qualidade, mais arrumado e com menos confusão”, explica a fonte. Também aí as conversas com outros reclusos são poucas. Outro local que o antigo deputado e líder da bancada parlamentar do PSD frequenta é a biblioteca. Os livros são os seus únicos companheiros de solidão. JTM/DN

7 DE DEZEMBRO DE 2009 Rosalina Ribeiro é assassinada com dois tiros – um no peito e outro na cabeça – e o seu corpo abandonado num local isolado, junto a uma estrada em Saquarema, a 90 quilómetros do Rio de Janeiro. 8 DE DEZEMBRO DE 2009 O cadáver de Rosalina Ribeiro é encontrado pela filha de uma moradora perto do local do crime que na noite anterior ouviu dois disparos de arma de fogo. Não havia qualquer identificação. 9 DE DEZEMBRO DE 2009 Enquanto o corpo de Rosalina é levado para uma morgue e autopsiado, uma das suas amigas vai a casa dela – preocupada pela falta de resposta aos telefonemas – e encontra apenas as suas malas. 10 DE DEZEMBRO DE 2009 O advogado de Rosalina no Brasil, Normando Marques, apresenta queixa pelo seu desaparecimento. Antes, telefonara para vários hospitais e morgues e visionara o sistema vídeo do prédio onde ela vivia. 12 DE DEZEMBRO DE 2009 Duarte Lima envia um fax à polícia brasileira relatando o seu último encontro com ela e alegando que a deixou junto de uma mulher, de nome Gisele, em Maricá. Nunca esta mulher foi identificada por alguém. 19 DE DEZEMBRO DE 2009 O cadáver de Rosalina é identificado. As autoridades concluem tratar-se da mulher que dias antes deixara o seu apartamento, arranjada e com uma pasta de documentos na mão, para não mais voltar. 22 DE DEZEMBRO DE 2009 O funeral de Rosalina realiza-se no Cemitério de São João Batista, em Botafogo. O advogado Duarte Lima ainda pondera ir, mas não comparece. Aliás, desde então, não terá voltado ao Brasil. 21 DE SETEMBRO DE 2010 As autoridades brasileiras enviam ao Ministério Público português uma carta rogatória com 193 perguntas dirigidas a Duarte Lima. A diligência foi efectuada pela PJ, mas Lima não respondeu a nada. 29 DE OUTUBRO DE 2010 A polícia brasileira recebe um retrato-robô da misteriosa Gisele, que terá sido enviado por Duarte Lima. O suspeito não diz onde foi feito o retrato da mulher com quem supostamente terá deixado Rosalina. 20 DE OUTUBRO DE 2011 O inquérito é enviado pela Delegacia de Homicídios para o MP do Rio. Nesta altura, já Felipe Ettore tinha indiciado Lima como autor do crime – o que corresponde à qualidade de arguido em Portugal. 27 DE OUTUBRO DE 2011 O Ministério Público brasileiro pede a prisão preventiva do ex-deputado. O MP brasileiro admite transferir o processo para Portugal. Lima é detido a 17 de Novembro em Portugal, acusado de burlas ao BPN. jornal tribuna de macau segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 pág 13


CAHILL NO CHELSEA POR OITO MILHÕES. O Chelsea chegou finalmente a acordo com o Bolton para a transferência do defesa central Gary Cahill, a troco de oito milhões de euros. Por sua vez o brasileiro Alex, dos “blues”, foi vendido ao QPR por quatro milhões.

desporto

RIVALDO VAI JOGAR EM ANGOLA. O avançado brasileiro Rivaldo, campeão mundial em 2002 e eleito melhor jogador do mundo em 1999, assinou um contrato de um ano com o Kabuscorp, vice-campeão de Angola de futebol. Rivaldo garantiu que a opção não se deveu a contrapartidas financeiras, mas por Angola ter o português como língua oficial.

LIGA INGLESA

LIGA ESPANHOLA

O Manchester United chegou à liderança provisória da Liga Inglesa de futebol, ao vencer o Bolton, com o “reformado” Paul Scholes a brilhar

O menino do treinador português que senta Higuaín voltou a ser determinante ao marcar golo do triunfo a cinco minutos do fim

Scholes até já marca Aposta em Callejon deu vitória

O

s “red devils” venceram por 3-0 em Old Trafford e passam a somar 48 pontos, os mesmos do Manchester City, que no final da 21ª jornada pode voltar a isolar-se caso vença hoje na visita ao Wigan (último classificado). O United teve Nani a titular e também Paul Scholes. Actualmente com 37 anos, Scholes já tinha deixado de jogar e estava a treinar os escalões de formação do clube, mas Ferguson apelou ao regresso do futebolista para a Taça frente ao City (triunfo por 3-2) e no sábado voltou a apostar nele. O médio foi influente e abriu caminho à vitória dos “red devils”, com o primeiro golo aos 45 minutos, o seu 103º na Primeira Liga, muitos meses depois do último, apontado em Agosto de 2010. Foi já sem Nani e Scholes em campo que a equipa chegou ao segundo, por Danny Welbeck (74 minutos), num lance em que se lesionaria, e ao terceiro, por Michael Carrick (83), num jogo em que

Rooney falhou também uma grande penalidade (22). O Chelsea também venceu em casa o Sunderland pela margem mínima (golo de Frank Lampard aos 13 minutos). Com Bosingwa e Raul Meireles a titulares, o Chelsea ganhou ligeira pontual para o Tottenham, estando agora a “apenas” seis pontos do terceiro lugar dos “Spurs”, que consentiram um empate (1-1) em casa com o Wolverhampton (16º). O Arsenal (quinto) pode aproximar-se do Chelsea e voltar a ficar a um ponto, caso vença na visita ao Swansea, num jogo que se realizou após o fecho desta edição. Destaque também para o Liverpool (sexto), que não conseguiu mais do que um nulo em casa frente ao Stoke City (oitavo). O Blackburn (17º) venceu em casa o Fulham (14º), por 3-1, e conseguiu sair da zona de descida. Ontem à noite, o Newcastle bateu em casa o Queen’s Park Rangers por 1-0.

gonçalo lopes

O

Real Madrid venceu em casa do Maiorca por 2-1. Os merengues, no entanto, sofreram bastante para trazer os três pontos daquela ilha espanhola e só a cinco minutos do fim marcaram o golo do precioso triunfo. Foi o “menino” Callejon, como Mourinho o trata, que garantiu mais uma vez a vitória, justificando os muitos minutos que o treinador português lhe tem dado em detrimento, por exemplo, do argentino Higuaín. A jogar em casa, o Maiorca do português Nunes, que ficou no banco, mas que na semana passada recolheu rasgados elogios da imprensa espanhola (no sábado o El Pais dedicou-lhe uma página), a equipa insular foi sempre mais perigosa no primeiro tempo e chegou à vantagem aos 39’ por intermédio do avançado israelita Hemad. A perder o Real Madrid entrou bem mais pressionante no segundo tempo, mas a equipa da capital espanhola só espevitou a sério quando Mourinho fez entrar Fábio Coentrão e Kaká aos 60 minutos. Aí o Maiorca jogava só em contra- ataque e os merengues procuraram pelo menos o empate. Conseguiram-no aos 72’, por Higuaín e com quase 20 minutos para jogar foram atrás da vitória, que acabaram por conquistar a cinco minutos do fim quando Callejon desferiu um remate violento dentro da área, garantindo mais três pontos para os merengues, que esperam pelo resultado do Barcelona-Bétis (disputou-se após o fecho desta edição), sendo que de momento têm mais oito pontos que os grandes rivais à conquista do título em Espanha.

Merengues fizeram a festa a cinco minutos do fim

Com os portugueses Postiga e Ruben Micael a titulares (Meira não foi opção), e ainda o ex-benfiquista Roberto na baliza, o Saragoça continua sem vencer e, em casa, não foi além de um empate com o Getafe (1-1). Caso o Racing Santader vença em Osasuna, o Saragoça, último classificado, ficará a nove pontos da zona de permanência da Primeira Liga. Destaque também para nova derrota caseira do Granada, com Carlos Martins e Franco Jara, emprestados pelo Benfica, a fazerem parte do onze escolhido pelo treinador. A equipa da casa nunca conseguiu superiorizar-se ao Rayo Vallecano e esteve a perder por 2- 0, com Rico, cobiçado pelo Benfica, a fazer o golo de honra para o Granada aos 87’..

JTM/DN

Bem vinda a apresentação de opiniões sobre o desenvolvimento do sistema político de Macau O Governo da RAEM, que tem vindo a auscultar com a devida atenção as opiniões da população sobre o desenvolvimento político, vai continuar a auscultar, de forma ampla e aprofundada, as opiniões dos diversos sectores. Seja bem vinda a apresentação das opiniões dos cidadãos e dos diversos sectores da sociedade, até 31 de Janeiro de 2012, sobre as duas questões que se seguem:

Haverá necessidade de rever a metodologia para a constituição da Assembleia Legislativa em 2013 e a metodologia para a escolha do Chefe do Executivo em 2014? Se for necessário alterar a metodologia para a constituição da Assembleia Legislativa em 2013 e a metodologia para a escolha do Chefe do Executivo em 2014, quais serão os princípios a defender com firmeza? E como será feita a revisão?

Meios para a apresentação de opiniões: Website: www.cdm.gov.mo Fax: 8987 0789,8987 1017 Por correios ou entregar pessoalmente para: Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública (Rua do Campo, n.° 162, Edifício Administração Pública, r/c, Macau) Direcção dos Serviços da Reforma Jurídica e do Direito Internacional (Alameda Dr. Carlos d’Assumpção, n.° 398, Edifício CNAC, 6.° andar, Macau)

Telefone: 8866 8866

pág 14 segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 jornal tribuna de macau


10º TRIUNFO DE PETERHANSEL NO DAKAR. Cyril Despres venceu o rali Dakar pela quarta vez e Stéphane Peterhansel festejou o 10º triunfo, quarto nos automóveis. O terceiro lugar de Hélder Rodrigues e mais dois “top10” nos carros, por Carlos Sousa (7º) e Ricardo Leal dos Santos (8º), é o saldo final dos portugueses.

desporto

TELMA MONTEIRO CONQUISTA PRATA. A judoca Telma Monteiro conquistou a medalha de prata no Masters de Almaty, no Cazaquistão. Telma Monteiro perdeu na final com a japonesa Kaori Matsumoto, a incontestável líder Mundial na categoria de -57kg.

LIGA PORTUGUESA

Cruzes de canhotos nas costas dos sadinos Líder Benfica não acusou o golo inicial do V. Setúbal e completa a primeira volta sem derrotas, pela primeira vez desde 1984 joão rosado

C

om três golos em vinte minutos (o último a 60 segundos do intervalo), o Benfica deu a volta ao marcador e cimentou a liderança da primeira liga portuguesa, lançando também Cardozo para o topo dos artilheiros. Aliás, os canhotos encarnados (chegaram a estar seis em campo antes da entrada de Saviola!) obrigaram os sadinos a carregar todas as cruzes de um jogo que até começou com o golo de Neca. Consciente que a equipa do Benfica estava privada de uma referência no meio-campo defensivo (Javi García), Bruno Ribeiro apostou num 4x4x2 que visava explorar o espaço nas costas de Emerson. Jorge Gonçalves, logo aos 6’, “inventou” o primeiro golo da partida tirando partido da pouca eficácia revelada pela defesa da casa sempre que denunciava apenas três unidades. Ter Javi García no meio de Luisão e de Garay é

Cardozo isolou-se na liderança dos marcadores (11), com dois golos na vitória encarnada

completamente distinto de um cenário com Matic ladeado por Luisão e Jardel, o que foi completamente assumido e bem explorado pelos vitorianos. JESUS COPIA BOM EXEMPLO. Com dificuldades no capítulo da construção, o Benfica viu-se forçado a fazer uma r��plica do sistema apresentado pelo opositor, ou seja, Jorge Jesus “corrigiu” a distância enorme entre Matic e Witsel e fez a equipa evoluir para um 4x4x2 clássico. Sem Aimar e com Gaitán no banco, a subida no terreno de Matic como que “empurrou” mais Witsel para zonas de decisão, cabendo ao belga a “descoberta” de Nolito na jogada que proporcionou o empate. A partir do momento em que sofreu o tento da igualdade, Bruno Ribeiro, outra vez num assomo de audácia, substituiu Bruno Gallo pelo brasileiro Claudio Pitbull e tentou dar outra acutilância ao corredor esquerdo, sob o intuito de fazer com Maxi Pereira aquilo que tinha sido desencadeado junto de Emerson. A verdade é que a passagem de Rafael Lopes para o corredor esquerdo (Pitbull posicionou-se no corredor central, ao lado de Neca) de nada serviu ao Vitória, pelo contrário, convidou o Benfica a atacar mais e a aproveitar o recuo dos forasteiros. JTM/DN

Senegalês contratado e peruano na mira

A figura do jogo

Alioune Cissé, defesa-central senegalês de 18 anos que actua no Desportivo de Chaves, vai fazer parte dos quadros do Benfica já na próxima temporada. O atleta pertencia, na época passada, aos quadros do Étoile Lusitana, clube que curiosamente é treinado pelo português Norton de Matos, que deverá orientar a equipa B do Benfica na próxima época. Cissé junta-se assim aos jovens Nelson Semedo e Manuel Liz, contratados ao Sintrense, e a Djaniny, comprado à União de Leiria, na lista de potenciais jogadores a fazerem parte da segunda linha das águias na próxima temporada. Entretanto, o avançado peruano Raul Ruidíaz está livre e pode chegar à Luz nos próximos dias, assegura a imprensa do Peru. O jogador era também apontado ao Sporting de Braga, mas os encarnados terão apresentado uma melhor proposta para garantir este internacional peruano de 21 anos que rescindiu contrato com o Universitario de Deportes por ordenados em atraso.

Rodrigo Machado revelou-se uma grande dor de cabeça para Tengarrinha. Para resumir, o espanhol “fez” de Aimar, como, de resto, se viu no lance do segundo golo do mortífero Cardozo. Além da assistência para o 3-1, o nº 19 espalhou classe técnica em muitas outras jogadas, a maior parte delas a alta velocidade.

James desfez a muralha A classe de James Rodriguez foi decisiva para o FC Porto “arrombar” a estrutura defensiva do Rio Ave, pois o colombiano marcou os dois golos (2-0) do triunfo na 15.ª jornada da Liga portuguesa de futebol

D

e regresso à titularidade, a promessa colombiana inaugurou o marcador aos 42 minutos, quando a equipa não criava perigo, e sentenciou aos 80 quando a tranquilidade tardava: os campeões nacionais continuam assim a dois pontos do Benfica. Com este triunfo, os “dragões” estabeleceram um novo recorde do clube de 54 desafios sem perder na Liga (quase dois anos), ficando a apenas dois de igualar o máximo do Benfica. O FC Porto mostrou vontade de marcar cedo e provocou um jogo de sentido único, mas a verdade é que, sem espaços, não conseguia criar desequilíbrios na área e limitava-se a remates de meia distância, sem perigo. Numa altura em que a equipa já perdia gás, Rolando (23 minutos) surgiu no lugar do ponta de lança, mas não conseguiu o desvio e a bola acabou nas mãos de Huanderson. Sem uma referência aérea na área e manietado pela reforçada e bem organizada estrutura defensiva do Rio Ave - os forasteiros eram inofensivos no ataque - os “dragões” dominavam, mas sem perigo. Aos 32, Hulk saiu lesionado e foi substituído por Kléber. De acordo com

James bisou na vitória portista

o departamento de comunicação do FC Porto, o avançado brasileiro sofreu uma mialgia na coxa esquerda sem gravidade. O Rio Ave mostrou-se finalmente aos 37 minutos, com Kelvin (emprestado pelos portistas) a rematar para defesa aplicada de Hélton. Com as linhas muito juntas, o Rio Ave parecia inviolável, mas os planos dos vila-condenses ruíram na classe de James: aos 42 minutos, o colombiano fugiu a Tiago Pinto

e, com pouco ângulo, atirou com calma ao segundo poste, fora do alcance de Huanderson (1-0). Kléber (44 minutos) ainda surgiu isolado na cara do guarda-redes, mas foi-lhe assinalado, mal, fora de jogo. O FC Porto voltou ao jogo a pressionar bastante mais e com outra determinação: logo no primeiro ataque Huanderson brilhou ao negar o golo a Cristian Rodriguez. Na resposta, Yazalde surgiu isolado, mas “passou” a bola a Helton quando tinha tudo para empatar. Apesar do susto, os “dragões” estavam mais intensos e Huanderson (57 minutos) voltou a brilhar ao evitar o segundo golo de James, antes de Belluschi (59) quase enganar o guarda-redes (esperava o cruzamento), mas errou o alvo. O desafio ficou decidido aos 80 em novo golo de James - nesta altura actuava a “10” - que evitou um defesa e atirou cruzado (2-0). Já em período de descontos, o central Rolando deixou o FC Porto a jogar com menos um jogador, ao ver o cartão vermelho directo por derrubar João Tomás, quando este seguia isolado. JTM/Lusa

Presidente da Liga insiste no alargamento O novo presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Mário Figueiredo, anunciou o objectivo de alargar o campeonato principal a 18 clubes, desafiando ainda o Governo a rever a lei que impede os patrocínios das empresas de apostas desportivas. Em plena tomada de posse, pouco depois de ter sido anunciado como sucessor de Fernando Gomes no cargo – e sexto presidente do organismo -, o advogado apelou ainda à “união de todos” na implementação de “um modelo novo” no futebol português. O alargamento da Liga principal a 18 clubes foi imediatamente assumido por Mário Figueiredo, que prometeu “procurar dar andamento” ao processo, dando a entender que é para implementar já na próxima temporada. Mas foi no capítulo da proibição da publicidade das empresas de apostas desportivas “online”, em território nacional, que centrou grande parte do seu discurso de indigitação. “Os sucessivos governos, desde 2005, têm que explicar ao mundo do futebol por que razão o Real Madrid, o Lyon, a Federação Internacional de Basquetebol e outros podem recorrer a patrocínios de apostas desportivas e nós não o podemos fazer”, desafiou Mário Figueiredo. O novo presidente da Liga lançou, desse modo, o repto ao actual Governo: “O ministro da tutela [Miguel Relvas, Adjunto e dos Assuntos Parlamentares] é um reformista e tem aqui uma enorme oportunidade para demonstrar que também o é no desporto”.

jornal tribuna de macau segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 pág 15


Dito

(...) “Há uma verdade elementar que nunca deveremos esquecer: o interesse chinês em Portugal não se expressa sobretudo pelo território nacional mas pela projecção externa que a nossa geopolítica permitiu e consolidou. A nossa força reside nas nossas geografia e presença histórica e cultural no Mundo! Curiosamente, o nosso presente ainda vive muito à custa do nosso passado!” (...)

Ângelo Correia in “Correio da Manhã”

opinião

Há 20 anos falar de nós

In “Jornal de Macau” e “Tribuna de Macau” 16/01/1992

hong kong promove imobiliário de macau O mercado imobiliário residencial de Macau está a entrar num período de consolidação, após crescentes aumentos de preços nos últimos seis meses provocados pela migração a República Popular da China. O desenvolvimento da economia do território e de diversos projectos infraestruturais, como o novo aeroporto, provocaram uma subida de 30 por cento nos preços, de acord com o jornal “south china mourning post”. Para 1992, os investidores no mercado imobilário local preveêm um aumento de 15 por cento dos preços. Os investidores de Hong Kong contribuiram para o êxito de Macau, adquirindo apartamentos de dimensões médias para investimentos, e casas de férias ou descanso. Investidores imobiliários da colónia britânica esperam um crescimento estável dos sectores residencial e comercial nos próximos 12 meses, com os maiores aumentos nos preços dos escritórios. Uma das áreas priviligiadas vai ser o aterro de Sun Hau On, na Ilha da Taipa, estando previstos na zina novos complexos industriais, residenciaias e comerciais. Na sequeência do êxito da primeira fgrande expposição sobre Macau em Hong Kong, e Novembro os organizadores da “Wealth Trade Group” realizaram im segundo certaime no passado fim-desemana. mini-planetário está dispovível em macau Os serviços de Educação apresentaram o mini-planetário “Starlab”, um equipamento didáctico para a parendizagem de matérias relacionadas com a astronomia. O equipamento adquirido pelo centro pedagógico didáctico (CAPD), poderá ser aproveitado para a aprendizagem de temas de geografia e outras disciplinas, além de actividades teatrais, em diversos graus de ensino, desde os primeiros anos de escolaridade até ao últimos anos do ensino básico. O planetário “Starlab”, orçado em 176 mil patacas, é de fácil montagem, podendo ser utilizado em diversos establecimentos de ensino e tem capacidade para alojar entre 20 e 30 assistentes. Este mês, o CAPD organizou sessões de formação para 90 professores sobre as potencialidades pedagógicas e lúdicas do “Starlab” sob a direcção de Máximo Ferreira, do departamento de física da faculdade de ciências da Universidade de Lisboa. O CAPD, que assegurará a formação de docentes interessados em futura u tilização do “Starlab”, disponibilizará o equipamentos para todas as escolas de Macau.

Jorge A. H. Rangel*

A poesia na pintura de Pedro Barreiros “Nos seus quadros sobre Li Bai, Pedro Barreiros, pela sua sensibilidade e entendimento pessoal, leva-nos até ao poeta, prolonga pela imaginação, pelo traço do pincel e pela cor, o movimento do poema e, imersos na sua pintura, deixa-nos caminhar serenos pela grande poesia de um dos maiores poetas não só da China mas de toda a literatura universal”.

J

António Graça de Abreu, no catálogo de exposição

á tinha tido a oportunidade de apreciar trabalhos artísticos de Pedro Barreiros em diversas exposições, mas esta, inaugurada em Outubro e ainda patente na Delegação Económica e Comercial de Macau em Lisboa, agradou-me muito especialmente, pela qualidade alcançada e pela forma subtil e visualmente atraente como o autor conseguiu traduzir poemas clássicos chineses em pintura, interpretando com o pincel e transpondo admiravelmente para a tela o melhor da expressão de grandes mestres da literatura. Olhar atentamente para cada um dos quadros e poder ler, ali mesmo, as respectivas frases poéticas foi, de facto, um exercício gratificante. “Nostalgia”, “Em viagem”, “Canções para peónias”, “Ressentimento da Primavera”, “A rosa vermelha”, “Canção das águas verdes”, “A orquídea solitária”, “Solidão”, “No pico dos Cinco Anciãos”, “Bebendo ao luar”, “Ode à Primavera”, “A cascata de Lushan”, “Na laguna das flores de lótus”, “A lua sobre o rio do Leste”, “A velha lua” e “Na montanha num dia de Verão” contam-se entre as obras expostas. Desde a sua primeira mostra individual, em 1974, que Pedro Barreiros vem revelando este talento, tocado pela conhecida máxima de Leonardo da Vinci “a poesia é a pintura que se ouve; a pintura é a poesia que se vê”. Assim, Camilo Pessanha, Fernando Pessoa, Cesário Verde e Frederico Garcia Lorca foram por ele interpretados em trabalhos que produziu e apresentou em sucessivas mostras muito apreciadas. E agora Li Bai (701-762) e Wang Wei (699759), depois de, em 2004, ter feito uma exposição subordinada ao tema “HaiKai, Poesia Japonesa” e outra, em 2006, intitulada “A Pintura é a Poesia que se vê”, ambas em Lisboa. Ele próprio explicou esta relação que tão bem soube estabelecer entre a poesia e a pintura: A Pintura e a Poesia “Desde muito cedo como, penso, todas as crianças, comecei a desenhar e a pintar. Nos primeiros anos do Liceu conheci um pintor chinês que tinha vindo decorar as salas do Restaurante Macau, o primeiro, uma linda moradia na esquina da Barata Salgueiro com a Avenida da Liberdade. Fascinado a vê-lo pintar, aprendi com ele a desenhar com o pincel, e foram em estilo chinês os meus primeiros trabalhos de pintura...

pág 16 segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 jornal tribuna de macau

(...)”Ganhando as formas e as cores definitivas, a frase poética está, enfim, transformada em frase pictórica — a pintura está feita no meu espírito” (...) – Pedro Barreiros Em 1961 fiz a capa do livro do meu pai (Danilo Barreiros) ’O Testamento de Camilo Pessanha’, assinando-a com o meu sinete chinês —‘Pa-Pei-Tak’. Tinha nascido aqui a minha primeira ligação pintura e poesia. Pela voz da minha mãe ouvi as primeiras rimas da Clepsydra. Interiorizei-as, decorei os poemas quase todos, sentindo permanentemente o seu ritmo em longos passeios a pé por Lisboa. Leonardo da Vinci, no seu Tratado da Pintura, que começou a escrever em Florença em 1508, faz uma comparação crítica das duas artes dizendo: ‘A poesia é a pintura que se ouve; a pintura é a poesia que se vê’. Esta reflexão de uma das maiores e decerto a mais versátil figura do Renascimento foi muito marcante para mim desde que a li numa edição espanhola do tratado de 1956, comprada na Livraria Ecléctica, que ficava aqui perto na esquina da Calçada do Combro com a Travessa André Valente a alguns metros da casa em que morreu o poeta Bocage. Através daquela fórmula proposta pelo génio criador, pintor, escultor, arquitecto e inventor, comecei a ler e a ouvir a poesia em termos diferentes do que até aí. Passei a ver a poesia em forma de pintura. As frases poéticas passaram a entrarme nos ouvidos e, simultaneamente, de forma fluída, a aparecer-me no espírito projec-

ções plásticas correspondentes às mesmas. Este processo de tradução de poesia em pintura não é, porém, instantâneo, obedece a uma depuração gradual, a uma elaboração interior. Os quadros poéticos iniciam-se como que em manchas matizadas em movimento, um tanto disformes e imprecisas, quer na forma, quer na cor. As frases vão rebuscar imagens de vivências, antigas ou recentes, dos cenários envolventes — vão procurar nos ficheiros da memória experiências próprias que se misturam com as dos sons da poesia. Há pois, uma amálgama de imagens interpenetrando-se, em que cada elemento do poema vai procurar o seu lugar. As imagens vão chegando ao ciclorama em que se inscrevem com um determinado ritmo — o ritmo do poema ou resultante da repetição incessante da mesma frase num único verso do poema. Cada imagem, quando surge, parece assumir a importância do todo. A cada instante, cada motivo é o central, à volta do qual gravitam, em movimentos síncronos, cada vez mais lentos, até que tudo, de repente, se suspende num arranjo harmonioso final. Ganhando as formas e as cores definitivas, a frase poética está, enfim, transformada em frase pictórica — a pintura está feita no meu espírito. O resto é simples: transportá-la para a tela, para a madeira, para o papel, usando tintas de óleo, ʻgouachesʼ, aguarelas, lápis de cor...” Médico, pintor, escritor Como referiu, no catálogo da exposição, António Graça de Abreu, um dos maiores divulgadores da cultura chinesa em Portugal e tradutor daqueles clássicos (“Poemas de Li Bai”, 1996, e “Poemas de Wang Wei”, 1993, Instituto Cultural de Macau), “Pedro Barreiros, médico, pintor, escritor, conduz em si a marca indelével de ter nascido em Macau” e é “um cidadão singular num, tantas vezes exagerado mas único, encontro de civilizações e culturas que tem Macau por porto de desembarque e estância de abrigo”. Foram a sua ligação íntima a Macau, a educação familiar e a sua apurada sensibilidade que o levaram, naturalmente, a interessar-se ainda mais pela cultura chinesa. “Pedro Barreiros, homem também das palavras, e de palavra, sensível diante da grande poesia chinesa, descobriu Li Bai (701-762) ou Li Po, talvez o maior de todos os poetas dos quarenta séculos de poesia chinesa. Agarrou nos seus pincéis, nos tubos de cor e decidiu recriar no papel, na tela, duas dezenas de poemas de Li Bai”. Esta temática foi também objecto da palestra (“Arte Médica, Arte Poética e Artes Plásticas”) que proferiu na Praia da Vitória (Terceira, Açores), em Outubro de 2010, e repetiu em Macau, em Abril de 2011. *Presidente do Instituto Internaciona de Macau. Escreve às 2.as feiras.


(...) “Aquilo que Jardim podia ter feito melhor, e aí falhou, teria sido construir menos piscinas e pavilhões e ter combatido de forma mais tenaz a pobreza rural e do interior. Essa é tão visível quanto o desenvolvimento citadino” (...) - João Marcelino

opinião

tribuna

(...) “Os donos dos restaurantes e cafés que não faliram devido à falta de clientela investiram nos sistemas de extracção do fumo que as autoridades prescreveram, fiscalizaram e aprovaram. Passados quatro anos, descobrem que o dinheiro gasto só pagou o divertimento dos fanáticos. Agora, os fanáticos querem mais” (...) - Alberto Gonçalves

João Marcelino*

O teste à coragem de Jardim 1

. Pela primeira vez na sua longa carreira política, Alberto João Jardim está perante um problema sério: deixou de haver dinheiro para continuar a estimular o desenvolvimento da Madeira acima das possibilidades, quer da região quer do País. A história tem 34 anos e várias dezenas de eleições ganhas, quase todas por maioria absoluta. Ao longo desse tempo, o presidente do Governo Regional da Madeira utilizou a sua combatividade política para retirar a ilha de um estado de desenvolvimento ancestral. Pode dizer-se muita coisa do homem - sobretudo que é o mais acabado exemplo de demagogo, na linha de Hugo Chávez, por exemplo - mas não se pode dizer que o político não tenha feito obra, lutando contra a insularidade e o velho centralismo da capital. Qualquer português que conheça a região sabe que a paisagem madeirense era, em 1974, equivalente à de

Trás-os-Montes e passou, na actualidade, a poder comparar-se a qualquer uma logo a seguir a Lisboa. O Funchal demonstra um cuidado, e uma qualidade de vida para quem tem dinheiro, equivalente a Sintra ou Cascais. Aquilo que Jardim podia ter feito melhor, e aí falhou, teria sido construir menos piscinas e pavilhões e ter combatido de forma mais tenaz a pobreza rural e do interior. Essa é tão visível quanto o desenvolvimento citadino.

2

. O ciclo em que o presidente do Governo Regional promoveu um desenvolvimento assente nas obras públicas, que foram a felicidade de muita gente, terminou agora perante o descalabro do endividamento geral do País que a Madeira conseguiu, infelizmente, vencer aos pontos. Depois do aeroporto, das vias rápidas, dos túneis e pontes que rasgaram a direito por entre a orografia da região, fica a impossibilidade de prosseguir

tribuna

Época de caça U

3

. Alberto João Jardim está numa encruzilhada, e daí que, como sempre no passado em alturas de aflição, que nunca foram tantas, comecem a surgir as vozes que advogam o separatismo da região, como desafio à necessidade de austeridade. Esta é a oportunidade para o governante fazer prova de vida. O melhor serviço que ele neste momento pode prestar à região não é bater-se por um tempo que tão cedo não volta - será reconhecer os limites, falar verdade aos madeirenses sem subterfúgios e ser ele o agente da mu-

dança. Coragem, neste momento, é resistir a ser um instrumento de todos aqueles que durante três décadas aproveitaram as suas políticas para retirar benefícios próprios. Alberto João Jardim pode optar, pela enésima vez, pelo caminho da chantagem perante o Continente, abrigandose atrás da ignorância, do medo ou da ganância nunca satisfeita; mas também tem ao seu alcance promover-se à condição do estadista à altura da História que sabe reconhecer os limites e ajudar o País. Só tem de escolher. A polémica sobre algumas nomeações do Governo é um sinal de amadurecimento democrático. Há, hoje, mais atenção da cidadania e mais necessidade de ouvir explicações. Ainda bem. *Director do Diário de Notícis JTM/DN

Alberto Gonçalves*

vício à porta de estabelecimentos privados e edifícios públicos. Não só são um perigo como devem passar a ser um alvo, perseguido, capturado e exibido em jaulas sem cinzeiro. É verdade que também apareceram espectadores avessos ao reforço da proibição do tabaco, embora apenas na medida em que preferem prevenir outras doenças e proibir outras calamidades: os automóveis, as gorduras, os fritos, a exposição solar, etc. Sem vestígios de ironia, a moderadora do programa achou “engraçado” (cito) que o debate de uma interdição seja capaz de inspirar resmas de interdições adicionais. Desde que se impeça alguém de fazer alguma coisa, estamos todos de acordo. Todos, incluindo os responsáveis pelo estudo que motivou o referido “fórum”. O estudo, realizado pela Faculdade de Medicina de Lisboa e financiado pela Direcção-Geral da Saúde, não passa de uma rajada de simpáticas “recomendações”: proibido fumar nos restaurantes e afins que se mantiveram espaços de fumadores; proibido fumar nos restaurantes e afins que criaram espaços parciais para fumadores; proibido fumar no exterior (no exterior!) dos restaurantes e afins; proibido atender em restaurantes e afins indivíduos que fumaram um cigarro

nas seis horas anteriores. A última “recomendação” é invenção minha. Porém, é provável que em breve venha a ser lei, já que o gozo da caça está no processo, não na perdiz estufada: estes avanços civilizacionais acontecem por fases para permitir que o prazer de subjugar o próximo se repita periódica e redobradamente. Conforme nos explicaram à época, as normas impostas em 2008 removiam os fumadores do contacto com os cidadãos inocentes e resolviam o problema. Conforme se previa, as normas não pretendiam resolver problema nenhum. Resignados à intromissão brutal na propriedade que julgavam pertencer-lhes, os donos dos restaurantes e cafés que não faliram devido à falta de clientela investiram nos sistemas de extracção do fumo que as autoridades prescreveram, fiscalizaram e aprovaram. Passados quatro anos, descobrem que o dinheiro gasto só pagou o divertimento dos fanáticos. Agora, os fanáticos querem mais. Vão sempre querer mais. Por definição, os fanáticos são assim, são imensos e, dado que não pecam, nunca morrem. *Extracto do artigo semanal JTM/DN

Cartoon

m destes dias, não me perguntem porquê, violei uma das regras essenciais da decência e liguei o televisor durante a manhã, para cúmulo sintonizado num canal nacional. Pior ainda, fiquei a ver. O programa em causa consistia num “fórum” dedicado ao eventual agravamento das restrições ao tabaco, com moderadora e convidados em estúdio e espectadores ao telefone. A maioria destes escorria ódio. O ódio não era endereçado aos responsáveis pela crise económica ou a estações televisivas que preenchem a programação com intervenções de gente não remunerada: era endereçado aos fumadores. Segundo percebi, esta subespécie ocupa o topo na lista das criaturas repugnantes, imediatamente antes da lampreia e do peixe bolha. Não só desrespeitam os demais como os sujeitam, por pura crueldade, aos malefícios do fumo. Não só arruínam a saúde própria e alheia como se revelam esteticamente nocivos, ao praticarem o seu imundo

essa estratégia porque agora já não há crédito externo capaz de fazer surgir o milagroso dinheiro. Nesta encruzilhada, pode dizer-se que a fria convicção de Vítor Gaspar, o técnico, abateu o homem habituado a insultar presidentes da República e primeiros-ministros, até ao limite de ganhar o estatuto de inimputável político.

JTM/DN jornal tribuna de macau segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 pág 17


NOVO ÁLBUM DE MADONNA JÁ TEM NOME. M.D.N.A. é o título do 12º álbum de Madonna. “Gimme All Your Luvin”, o primeiro single do disco, será lançado a 7 de Fevereiro. O tema vai contar com as colaborações da norte-americana Nicki Minaj e da cantora M.I.A., nascida no Sri Lanka.

Especificidades Suzana Tôrres

Filas para o autocarro... o que é isso? Ouvi dizer que serviam para ordenar e estabelecer prioridades, pelo menos na minha terra (leia-se Portugal) foi esta a prática que me transmitiram e todos (ou quase todos) assim o fazíamos... Que cambada de meninos nós saímos. Aqui, e é neste momento que chega a maldita especificidade, funciona de uma forma bastante peculiar. Juntamos dois ditos populares pela ordem que os nomeio e chegamos à fórmula necessária para sobreviver nesta modalidade olímpica: “juntos venceremos” e “todos ao molho e fé em Deus”... Um verdadeiro “wrestling” urbano capaz de fazer em pedacinhos qualquer lutador de sumo! Para além de requerer experiência e algumas horas de simulador, as variantes deste acto desafiam todas e quaisquer probabilidades pensáveis e imaginárias da Lei Universal. Na verdade, caro leitor, se não tem espírito de Conan (e não me refiro ao homem rã) ou de Aquiles (e neste caso proteja fervorosamente o seu calcanhar) não se meta em aventuras! Se é este o seu caso, inicie a aventura usando os transportes nocturnos e aos poucos, consoante a coragem e a determinação vão sendo ganhas, avance no sentido dos ponteiros do relógio. Quando o fizer e ao chegar a esta fase há que ter atenção a certos pormenores, que neste caso, o podem poupar em visitas ao Conde de São Januário, já para não falar nos cabelos brancos. Verifique sempre antes de se dirigir ao ringue se: 1. Tomou um Xanax 15 minutos antes da partida. 2. Se durante esse tempo, colocou na aparelhagem Richard Clayderman. 3. Calçou as suas botas da tropa (mais tarde irá agradecer esta ideia). 4. Se traz qualquer equipamento de prevenção anti-queda. 5. Para os senhores, no bolso de trás, uma pistola “taser”. 6. Para as senhoras, na mala, o spray pimenta. 7. Para ambos, um terço (não precisam de ser religiosos, mas não vá um dos seus adversários ser e passa a ter um aliado). 8. Uma garrafa de vodka, para no momento em que aviste o autocarro, dar uns valentes golos... Em segundos juntar-se-á ao Xanax e passará a ter super poderes (se não os sentir de imediato é porque está anestesiado, o que não deixa de ser uma vantagem em campo). 9. Saia sempre com o pé direito (se é esquerdino, não é este o momento para se sentir especial e faça exactamente o mesmo). 10. Tudo o resto já é mariquice e se sente que não é suficiente, é porque ainda não deve saltar de nível... Mantenha-se por mais uns meses nas carreiras nocturnas. Para os restantes, está na hora. Força é hoje o seu dia!

lazer

“THE ARTIST” VENCE QUATRO PRÉMIOS. O filme francês “The Artist” foi distinguido com quatro “Critics Choice Award, prémios atribuídos pelos críticos de cinema nos EUA, incluindo para Melhor Filme e Melhor Realizador. Entre os vencedores está ainda George Clooney, distinguido com o Prémio de Melhor Actor pela sua interpretação em “The Descendants”.

Angelina Jolie abre o coração sobre os filhos

Maddox cuida dela, Pax é rebelde, Zahara ama cavalos, Knox gosta de espadas, Vivi pinta as unhas e Shiloh é teimosa filomena araújo

A

ngelina Jolie, de 36 anos, revelou, pela primeira vez, algumas das características dos seis filhos e como são todos diferentes e, ao mesmo tempo, todos iguais. Em entrevista à edição norte americana da revista Marie Claire, diz que a filha mais nova, Vivienne Marcheline, de três anos, “gosta de apanhar flores no jardim e de as colocar no cabelo. Adora pintar as unhas e coleccionar animais de peluche. Gosta de comprar roupa cor-de-rosa e ver filmes de princesas.” Já o gémeo, Knox, “é um homenzinho. Muito físico e rude. Ama dinossauros e espadas”. Quanto a Maddox, 10 anos, Angelina Jolie fez uma curiosa revelação: “Ele realmente toma conta de mim. Costuma

segurar-me na mão e perguntar-me: ‘Estás cansada? É por isso que estás aborrecida?’.” Sobre Zahara, sete anos, a celebridade de Hollywood, diz ter uma nova paixão: “Começou agora a aprender a andar a cavalo. Acho que ela encontrou a sua vocação.” Já Pax, oito anos, é “muito rebelde. Mas tem um grande, grande coração. É como os punkrockers, que quando os conseguimos conhecer percebemos que são muito amorosos e inofensivos. Ao mesmo tempo, sei que ele vai meter-se em todo o género de sarilhos.” Por fim, Shiloh, 5 anos, está a aprender a andar de bicicleta. “Ela não quer a ajuda do pai, só quer andar. É a combinação de nós dois... teimosa”, confessou, exprimindo o desejo de ter mais filhos: “É muito gratificante ter uma família amorosa.” JTM/DN

Anthony aconselha J-Lo a procurar psiquiatra

Brooklyn detesta rótulo de WAG A esposa do tenista norteamericano Andy Roddick confessou que detesta que lhe chamem “WAG”, sigla criada pelos “media” britânicos para designar as mulheres e namoradas de desportistas. “É um título estranho, pois isso é o que um cão faz com a cauda”, criticou Brooklyn Decker, modelo americana que brilhou nas páginas da “Sports Illustrated Swimsuit” e está prestes a estrear-se no cinema, com um papel no filme “Battleship”.

P.S. - Atenção, todos estes tópicos são meras cábulas de ajuda, mas em nada garantem o sucesso e a total segurança da prática... pág 18 segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 jornal tribuna de macau

Marc Anthony terá aconselhado a ex-mulher, Jennifer Lopez, a procurar tratamento psiquiátrico, por acreditar que ela é “incapaz de ficar sozinha”, necessitando de ter sempre um homem ao seu lado. Segundo os “media” norte-americanos, o ex-casal não se entende e, sempre que se encontra para falar sobre os filhos gémeos, a conversa acaba em discussão. Após o divórcio, a cantora iniciou uma relação com o dançarino Casper Smart. Anthony namora com a modelo venezuelana Shannon De Lima.

Lohan intimada a pagar 93 mil dólares em impostos A actriz Lindsay Lohan, de 25 anos, foi intimada a pagar ao Estado americano 93 mil dólares, verba que diz respeito a impostos por liquidar em 2009. Caso não pague, o Estado já a informou de que vai confiscarlhe os bens, sejam casas, carros ou contas bancárias.

Londres recusa extraditar Sarah Ferguson O Ministério do Interior britânico garante que a duquesa de York não será extraditada para a Turquia por causa de um documentário de televisão. A Turquia solicitou a extradição de Sarah Ferguson pela acusação de “violar a lei na obtenção de imagens e violar a privacidade de cinco crianças” durante a realização do documentário em 2008. As acusações acarretam uma pena de até 22 anos e meio de prisão. Ferguson fingiu estar interessada em fazer doações e infiltrou-se em orfanatos públicos da Turquia e Roménia, acompanhada por uma câmara oculta, para registar as más condições dos centros de reabilitação para crianças com deficiência mental. O documentário, feito para o programa “Tonight”, do canal ITV, mostrava crianças amarradas a camas, e crianças deficientes a serem negligenciadas por funcionários sobrecarregados.


Roteiro

HBO 22:00

You Don’t Know Jack tdm 13:00 13:30 14:30 16:05 17:30 18:00 18:30 19:30 20:30 21:00 22:00 23:00 23:30 00:00 00:30

TDM News (Rep.) Jornal das 24h RTPi DIRECTO FC Porto – Rio Ave (Rep.) That 70’s Show Música Movimento (Rep.) Contraponto (Rep.) Amanhecer Telejornal TDM Desporto Passione TDM News Portugueses sem Fronteiras Telejornal (Rep.) RTPi DIRECTO

30 ESPN 13:30 14:00 14:30 15:30 17:30 19:30 20:00 20:30 21:00 22:00 22:30 23:00 23:30

Argentina Chile Peru Dakar Rally 2012 Weekly Highlights Spirit Of London World Cup of Trick Shots Big Ten Basketball 2011/12 Nebraska vs. Wisconsin Len European Short Course Swimming Championships (LIVE) Sportscenter Asia 2012 Monday Night Verdict Personal Achievement Argentina Chile Peru Dakar Rally 2012 Weekly Highlights Sportscenter Asia 2012 Monday Night Verdict Personal Achievement Innsbruck Winter Yog 2012

31 Star Sports 08:00 (LIVE) Australian Open 2012 Men’s / Women’s 1st Round 20:00 Motorsports@Petronas 2011 20:30 Mundialito De Clubes - Vasco De Gama vs Boca Juniors 21:30 (LIVE) Score Tonight 2012 22:00 When The Games Begin 22:30 (Delay) Australian Open 2012 Day #1 Highlights 23:30 Australian Open 2012 Men’s / Women’s 1st Round

40 FOX movies 12:00 13:45 15:30 16:55 19:00 20:00 23:00 00:35

Bewitched The Switch Kung Pow: Enter The Fist Tron: Legacy Golden Globes 2012 Red Carpet Awards Fever The One The Grudge 3

41 HBO 12:00 14:00 15:45 18:00 20:15 22:00 00:10

Burlesque Did You Hear About The Morgans? Free Willy Sabrina (1995) Secret Window You Don’T Know Jack Curb Your Enthusiasm

42 Cinemax 13:00 14:30 16:00 17:20 18:45 20:15 22:00 23:45

Mad Max The Road Warrior The Beast From 20,000 Fathoms Earth Vs. The Flying Saucers Witchblade Boardwalk Empire The Beast The Final Destination

43 MGM 12:15 14:00 15:30 17:00 19:00 21:00 23:00 00:45

High Spirits Consuming Passions Chattahoochee Thunderbolt and Lightfoot Eye of the Needle Marie: A True Story Dressed to Kill New York New York

50 Discovery 13:00 14:00 15:00 16:00 17:00 18:00 18:30

Crimes That Shook The World 2 Curiosity: How Evil Are You? Most Evil Treasure Quest Deadliest Catch 2 How It’s Made How Do They Do It

19:00 20:00 21:00 22:00 23:00 00:00

Dirty Jobs Howe & Howe Tech Swamp Loggers Coal Swords: Life On The Line Swamp Loggers

51 NGC 13:25 14:20 15:15 16:10 17:05 18:00 19:00 20:00 21:00 22:00 00:00

Faking China Dive Detectives Sea Patrol The Indestructibles Shark Men Britain’s Greatest Machines With Chris Barrie Caught In The Act Inside Sea Patrol Apocalypse: The Rise of Hitler Sea Patrol

54 History 13:00 14:00 16:00 17:00 18:00 19:00 20:00 21:00 22:00 22:55 23:23 00:00

America: The Story Of The U.S. The Stoned Ages Hidden Cities Swamp People Modern Marvels The Universe Ice Road Truckers Pawn Stars The Pickers Kings Of Restoration Pawn Stars The Pickers

55 Biography Channel 13:00 14:00 15:00 17:00 18:00 18:30 19:00 20:00 22:00 23:00 00:00

Intervention I Survived Elizabeth Taylor Private Sessions Sell This House The Locator I Survived Storage Wars Al Pacino I Survived Intervention

CINEMAX

Hawaii Five-O Numb3Rs The Amazing Race Damages Blue Bloods Masters Of Illusion Hawaii Five-O Caught On Camera Top Chef Csi: Miami Hawaii Five-0 Blue Bloods Hawaii Five-0

63 Star World 12:10 13:05 14:55 15:25 17:15 18:10 19:05 19:30 20:00 21:50 22:45 23:40 00:05

Switched At Birth American Idol Highlights DC Cupcakes Desperate Housewives The Bachelor Hell’s Kitchen How I Met Your Mother DC Cupcakes American Idol Highlights Dancing With The Stars 90210 How I Met Your Mother American Idol Highlights

82 RTPi 18:00 18:35 19:00 19:28 20:00 20:59 21:54 22:39 23:15 00:00 01:16 02:13 02:41 05:00

28822866

The Final Destination

62 AXN 13:05 14:00 14:55 15:45 16:35 17:25 18:15 19:15 20:10 21:05 22:00 22:55 23:50

Serviço de atendimento a clientes

23:45

Telejornal Madeira Gostos E Sabores Magazine Eua Contacto Radar De Negócios Bom Dia Portugal O Elo Mais Fraco Resistirei Linha Da Frente Pai À Força Jornal Da Tarde O Preço Certo Magazine Eua Contacto Portugal No Coração Portugal Em Directo

A programação é da responsabilidade das estações emissoras

www.macaucabletv.com cinema

CINETEATRO S1 THE AWAKENING

14:30 • 16:30 • 19:30 • 21:30

S2 THE darkest hour 3d

14:30 • 16:30 • 19:30 • 21:30

theater 6

The TWILIGHT SAGA - Breaking Dawn (part 1) 11:40 • 22:15

theater 6 (9*)

S3 NEW YEAR’S EVE 14:30 • 16:45 • 19:15

Mission Impossible: - Ghost Protocol 13:55 • 16:50* • 19:20*

TORRE DE MACAU

theater 8

GALAXY theater GRAND THEATER (7*)

theater 8

The Girl with the Dragon Tattoo 14:30 • 17:30 • 21:00

THE darkest hour 3d 13:55* • 16:10 • 18:05* • 20:30 • 22:15*

sherlock holmes - A Game of Shadows 11:40 • 19:20 • 21:50 WE BOUGHT A ZOO 17:00

theater GRAND THEATER (7*)

theater director club 1

theater 6 (8*)

theater DIRECTORS CLUB 2

the great magician 13:40 • 15:40* • 18:00 • 19:50* • 22:20 The Girl with the Dragon Tattoo 14:05* • 16:25 • 19:20 • 21:50 (9)

NEW YEAR’S EVE 11:40 • 16:15

3D SEX & ZEN: EXTEME ECSTASY 00:30

Clube Militar de Macau

Avenida da Praia Grande, 975, Macau Tel: 28714000 Telefones Úteis Número de Socorro 999 Bombeiros 28 572 222 PJ (Linha aberta) 993 PJ (Piquete) 28 557 775 PSP 28 573 333 Serviços de Alfândega 28 559 944 Centro Hospitalar Conde S. Januário 28 313 731 Hospital Kiang Wu 28 371 333 CCAC 28 326 300 IACM 28 387 333 DST 28 882 184 Aeroporto 88982873/74 Táxi (Amarelo) 28 519 519 Táxi (Preto) 28 939 939 Água - Avarias 2990 992 Telecomunicações - Avarias 28220088 Electricidade - Avarias 28 339 922 Directel 28 517 520 Rádio Macau 28 568 333

anima Sociedade Protectora dos Animais Sociedade de Macau Sociedade Protectora Protectora dos Animais Telefone: dos Animais de Macau de Macau 28715732 63018939 fax: 28715732 //63018939 Telefone: fax: 28703224

jornal tribuna de macau segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 pág 19


jornal tribuna de macau www.jtm.com.mo Administração, Direcção e Redacção: Calçada do Tronco Velho, Edifício Dr. Caetano Soares, Nos4, 4A, 4B - Macau Caixa Postal (P.O. Box): 3003 Tel.: (853) 28378057 Fax: (853) 28337305 • Email: jtmagenda@yahoo.com e jtmpublicidade@yahoo.com

última

tempo

fonte: serviços meteorológicos e geofísicos www.smg.gov.mo

hoje

amanhã 130C 170C

150C 120C

câmbios - indicativos

fonte: bnu

Pataca Compra Venda US Dólar 7.95 8.05 EURO 10.11 10.24 yuan (rpc) 1.222 1.279

Manobra arriscada de saudação pode estar na origem de naufrágio U ma manobra arriscada realizada pelos cruzeiros que visitam a ilha de Giglio que passam muito perto de terra e lançam foguetes de saudação, terá estado na origem do desastre do Costa Concórdia, que naufragou na noite de sexta-feira. Os funcionários e testemunhas, citados pela AP, disseram ontem que é normal os navios cruzeiros fazerem uma saudação aos habitantes da ilha muito perto de terra, o que é uma manobra arriscada para um navio de 114,5 mil toneladas. O navio afundou depois de bater num recife de apenas 300 metros de profundidade depois de passar muito próximo da ilha de Giglio, na Toscânia, na sua rota para Savona, no norte da Itália. Até ontem à noite, havia registo de cinco mortos, 40 feridos, entre os quais dois portugueses, e 15 desaparecidos. O ministro da Defesa italiano,

Giampaolo Di Paola, um antigo almirante da marinha italiana, disse que houve

“INDIGNADOS” PROTESTAM NO VATICANO Algumas dezenas de “indignados” de vários países europeus, como Espanha e França, manifestaram-se na praça de São Pedro, no Vaticano, gritando frases contra a Igreja católica e o Papa. “Igreja corrupta”, “Papa criminoso”, “Liberdade” e “Não à violência” foram algumas das frases entoadas pelos manifestantes, que se concentraram numa zona da praça que fica em frente das janelas dos aposentos de Bento XVI. “O Vaticano deve pagar os impostos como todo o mundo” gritaram ainda os manifestantes, numa referência às excepções fiscais que beneficiam os imóveis da Santa Sé em redor do Vaticano. Elementos da polícia acabaram por controlar o protesto, com registo de alguns momentos de tensão, e três jovens foram detidos para identificação.

“um erro humano brutal”, em comentários para a televisão RAI3. “Navios de

tais dimensões não podem navegar perto do litoral onde se sabe existirem rochas” disse o ministro. Algumas testemunhas disseram que o navio fez um espetáculo para a população local ao passar por um local denominado ‘inchino’, com os seus pavimentos superiores iluminados por tochas e com muita luz e com passageiros sentados para jantar. Francesco Verusio, procurador-geral da região da Toscana, disse que o comandante do navio “não deveria ter chegado tão próximo da ilha”. O comandante está atualmente detido sob acusação de homicídio múltiplo e por ter abandonado o navio antes de todos os passageiros estarem a salvo. O procurador-geral disse que o comandante se tinha “aproximado de Giglio de forma muito estranha”, o que levou o navio a “bater numa rocha e adornar para o lado esquerdo”.

BRITÂNICA COM DUAS VAGINAS PERDEU VIRGINDADE DUAS VEZES Uma mulher de 27 anos revelou num programa de televisão britânico que sofre de uma rara malformação, mas que sempre aceitou o problema. Hazel Jones foi diagnosticada com “uterus didelphys” quando tinha 18 anos, depois do primeiro namorado reparar em algo “diferente”. Esta condição, que é muito rara, implica que tenha dois úteros, dois colos do útero e duas vaginas separadas. “Quando descobri o que tinha disse a toda a gente! Pensei que era espectacular. É claramente um desbloqueador de conversa nas festas. E se as mulheres quiserem ver, não me importo de mostrar, não é algo que me deixe embaraçada”, disse no programa “The Morning” da ITV1. De facto, Hazel Jones já posou para a revista pornográfica “Bizarre” e costuma visitar clubes de sexo com o namorado, revelou ao jornal “The Sun”. Na televisão brincou com a situação dizendo que o namorado é um sortudo: “A maioria dos homens têm direito a uma para o resto da vida. O meu namorado tem direito a duas”. Hazel contou ainda como teve que perder a virgindade duas vezes e que tem que ter cuidado quando quiser engravidar.

ver vídeo na edição online do jtm www.jtm.com.mo

Ladrão exigiu 200 pastéis de navalha em punho

MÉDICOS DEIXAM CAIR CORAÇÃO PARA TRANSPLANTE

Maestro interrompe concerto por causa de telemóvel

Um homem de 27 anos, des e m p re g a d o , entrou numa pastelaria de Aveiro e, sob a ameaça de uma navalha, exigiu aos funcionários que lhe entregassem 200 pastéis e o dinheiro da caixa, na altura apenas 50 Euros. De acordo com o Comando Distrital de Polícia de Aveiro, o suspeito acabou por ser interceptado e detido numa rua da cidade. Do roubo resultaram ferimentos ligeiros em dois funcionários que, no entanto, não necessitaram td12_JTM_banner4.pdf 1 6/15/11 3:11 PM de tratamento hospitalar.

Uma equipa médica de transplantes deixou cair um coração no chão na Cidade do México. A caixa térmica caiu depois do helicóptero ter aterrado no hospital e o seu conteúdo foi parar ao chão, ainda que protegido. Os funcionários do hospital recuperaram o coração e a cirurgia acabou por se realizar com sucesso. O coração do dador foi transportado de helicóptero da cidade de Leon para a capital do país, a 450 quilómetros de distância, numa “manobra rápida e de precisão”, nas palavras das autoridades locais.

Foi a primeira vez na história que a orquestra de Nova Iorque parou a meio de uma actuação. A culpa foi de um espectador que não desligou o telemóvel. O incidente aconteceu quando a orquestra de Nova Iorque estava a tocar a Nona Sinfonia de Gustav Mahler. Mesmo ali, na primeira fila, o iPhone de um sexagenário começou a tocar. O maestro Alan Gilbert ainda deu tempo que o proprietário do aparelho o desligasse mas como isso não aconteceu acabou por mandar os músicos pararem de tocar e interrompeu o concerto. Depois, pediu ao espectador que desligasse o telemóvel, mas a demora em reagir levou a que a restante audiência começasse a assobiar. O homem já se desculpou e assumiu estar envergonhado.

ver vídeo na edição online do jtm www.jtm.com.mo

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

pág 20 segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 jornal tribuna de macau

fecho desta edição jtm - 01:30horas


JTM 16-01-2012