Issuu on Google+

Sede da APOMAC abre portas a exposições de artistas locais

Comunidade macaense carrega pedaços de Oriente onde quer que esteja Pág 5

澳 門 論 壇 日 報

Director José rocha Dinis | Director Editorial executivo Sérgio Terra | Nº 3982 | quinta-feira, 08 de março de 2012

Pág 7

10 Patacas

Destinos desiguais na “outra metade do céu” • Histórias de mulheres que aprenderam a vencer sozinhas • Elas ocupam 305 lugares de chefia na Função Pública em Macau • As 150 mais poderosas do mundo Págs 2 a 4 e CENTRAIS

Prédio em Toi San sem risco de queda, assegura DSSOPT

Familiares de idosa atropelada recorrem ao Ministério Público

Uma comissão de vistoria da Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes (DSSOPT) considerou que o prédio no bairro social de Toi San que os moradores temem que esteja em risco de queda, não apresenta problemas estruturais. Porém, segundo foi referido numa nota de imprensa, há partes que carecem de manutenção e reparação. Entretanto, técnicos da Universidade de Macau vão instalar instrumentos de monitorização da inclinação do edifício para recolher dados duas vezes por semana. De igual forma, a segurança dos edifícios vizinhos vai ser testada. Por outro lado, o Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas encomendou um outro estudo ao Laboratório de Engenharia Civil.

Sete familiares da idosa atropelada com gravidade por um autocarro da Reolian recorreram ontem aos serviços de consulta jurídica do Ministério Público (MP), para obterem pormenores de como avançarem com um processo judicial e com um pedido de indemnização. De acordo com uma nota de imprensa daquele órgão judicial, o acidente pode ser enquadrado no crime de ofensa à integridade física por negligência, que depende de queixa uma vez que é um crime semi-público. Só após o ofendido, ou representante legal, manifestar a vontade da efectivação de responsabilidade penal, o MP procederá a inquérito criminal. Agora a família poderá requerer apoio judiciário para avançar com o caso.

Melco acusada de aceitar dinheiro desviado de firma de advogados Pág 9 Mitt Romney venceu seis estados mas Obama é que tem ganho Pág 12 Japão agradece apoio da RAEM às vítimas do sismo e tsunami

última


(...) “Sempre tive o sonho de ter um filho. Como estava a ficar mais velha casei com esse homem que me foi apresentado em Macau” (...) – senhora Kong

local

(...) “Vinha de uma terra simples e não conhecia coisas más, nunca tinha pensado que uma mulher precisava de ser independente e continuar com o seu emprego” (...) – Lee

MULHERES ENSINADAS PELA TRADIÇÃO APRENDERAM A VENCER SOZINHAS

Relatos de destinos (des)iguais Lou, Kong e Lee pertencem a gerações diferentes, mas unidas por laços culturais, que custam a quebrar. Se Lou teve um casamento arranjado durante Revolução Cultural, sem violência, Lee e Kong viveram matrimónios marcados pela brutalidade. As suas vidas cruzaram-se em Macau. No dia Internacional da Mulher, o JTM revela histórias de violência, de coragem para acabar com a dor e superar a morte quando se cresceu a pensar que um enlace é para sempre. O passado e o presente, as tempestades e bonanças de quem teve força para continuar sem o casamento, contra o que lhes fizeram crer que seria o destino fátima almeidA viviana chan

A

té aos 15 anos, o mundo da senhora Kong era do tamanho de uma terra tão pequena que nem tinha nome que possamos conhecer. Mais parecia que o casario frágil apareceu nas encostas, trazido por mãos vazias, sem respostas para os sonhos. Há 29 anos, nas montanhas da província de Guangxi ser mulher era um mistério. Os trabalhos domésticos já estavam restritos ao sexo feminino, sem questões, e Kong tinha apenas a ideia que “a mulher era para casar um dia”. Abandonar a escola antes de concluir o 9º ano foi como perder o seu maior desejo. Ainda que tenha adiado o matrimónio até aos 33 anos, o facto de lhe ensinarem que a mulher era para casar um dia, inevitavelmente, fê-la temer que os irmãos pudessem ser maridos incapazes de escrever caracteres. Trocou o seu sonho pelo da família. Foi solidária e partiu para a multidão. Hoje tem 44 anos. A senhora Lou é quase 20 anos mais velha e a Revolução Cultural entrou-lhe na adolescência sem licença. Os estudos também ficaram para trás com a mesma dificuldade que enfrentava o trabalho no campo, que abria as portas muito antes do sol trazer os dias. Chegou a sonhar que podia ser “cantora, actriz, apesar de ser mulher”, mas a miséria da aldeia dizia-lhe: “esses sonhos não cabem nesta realidade”. Casou com um colega da primária, aos 21 anos, sem paixão, mas não deixou o trabalho, obrigatório por 0,2 yuans. Palha a palha vendia um fardo de 50 quilos todos os dias. O rosto de Lee (nome fictício) é ainda o espelho da juventude, e faz crer que a sua história poderia ser diferente, mas os olhos vão acumulando pequenas gotas de água que não escorregam logo ao princípio das palavras. Teve o mesmo destino que Kong depois de partir de Henan. Casou, mas movida por um amor que desapareceu nos vícios do marido, sem conseguir conquistar um lar de abraços para sempre. Até quebrar o silêncio cinco anos depois, de a tradição, o medo, mas sobretudo a vontade de ter um pai para a filha, a impedirem de

(...) “Não tinha sonhos em relação ao casamento porque já tinha assistido a muitas experiências domésticas e vi muitas famílias separadas” (...) – senhora Kong

contar as marcas no corpo. O JTM falou com três mulheres de gerações diferentes, mas ainda ligadas pelos fios da tradição. Lou, Lee e Kong não temeram o destino até terem de se soltar de cárceres impostos pelo tempo. Gritar por liberdade. NADAR ATÉ À LIBERDADE Andou a pé dez horas até chegar ao cais, onde partiria o barco que a levava da terra. Só depois de mais 48 horas a navegar em incertezas chegaria à província de Guangdong. O choque foi tremendo, como se nada do que vira até então fosse capaz de acompanhar a realidade. “Só quando cheguei é que vi pela primeira vez cenouras, tomates, aqueles produtos alimentares mais básicos. Antes não sabia o que eram sequer. Na aldeia não usávamos fogão, era só lenha”, recorda a senhora Kong, usando os dedos para contar as travessias, como se a mão fosse um livro cheio de capítulos. Saída da escola teve de se habituar a novos mecanismos. Mas não precisava de matemática para trabalhar na fábrica de motores de ventoinhas em Shiqi e ganhar 28 renminbis. Um desastre fê-la arriscar a vida para contrariar a necessidade. “Surgiu uma oportunidade. Conheci um homem que me ajudou quando tive um acidente de carro e ficou a saber que eu tinha dificuldades financeiras. Indicou-me um emprego em Macau. Na altura aqui conseguia ganhar 500 dólares de Hong Kong ao invés de 28”, relatou. “Tinha dois irmãos para cuidar”, repete, como que assumindo que fossem os homens da casa a prosseguir os estudos. A proposta incluía entrar no território sem cruzar a fronteira. Com ajuda dos colegas de trabalho, Kong conseguiu mais de 2.000 renminbis e partiu a nado de Wanzai – pelo que se lembra da geografia antiga. A água que lhe escorria pelo rosto não a impedia de ver uma terra ainda mais diferente. Quase um susto aos 18 anos. “O primeiro obstáculo foi a língua. Depois não conhecia as coisas modernas. Na minha casa só comíamos arroz uma vez por semana, de resto eram batatas doces, alimentos mais fáceis de cultivar”, comparou.

No primeiro emprego como doméstica em casa de uma família, a complexidade repetiu-se. “Não sabia como trabalhar com os eletrodomésticos nem com determinados utensílios e não conseguia falar a língua, aprendi depois com os programas de televisão”, desabafa a mulher com um sotaque hoje perfeito que não deixaria adivinhar a sua história. O desconhecimento do ritmo a que evoluem as fronteiras fê-la cair na injustiça. Apesar das dificuldades, a estrada que ficou para trás estava a apagar-se, como se não houvesse mais terra ou mar que se ligasse Macau. A morte do irmão mais velho agravou a necessidade. “Não havia caminho para regressar. Não podia voltar atrás, para aquela pobreza”, reforçou. “Uma vez trabalhei a cuidar de um bebé de nove meses e à noite, quando chorou, os pais gritaram muito comigo e trataram-me mal. Pensaram que eu demorei muito a pegar no bebé e incomodei-lhes o sonho”, descreve Kong a quem a vontade de ser mãe levou a casar. Já tinha 33 anos quando voou para a boda longe de ideais. O namoro não chegou a três meses. O amor ausente em pleno Verão culminaria na assinatura dos papéis em Outubro e a festa aconteceria em Xangai já no frio de Dezembro, quando se deslocou à terra do marido não pelo medo do fado de ficar sozinha. “Sempre tive o sonho de ter um filho. Como estava a ficar mais velha casei com esse homem que me foi apresentado em Macau”, contou. As páginas duras que já escrevera não a fizeram pingar pela paixão, mas nunca pensou que o homem que se confessou apaixonado lhe desse uma bofetada 15 dias depois de ter o primeiro rebento. “Na tradição chinesa, as mulheres durante o primeiro mês após o parto devem repousar e comer bons alimentos, mas mesmo durante esse mês bateu-me”, relembra. Com o segundo rebento não foi diferente. O pesadelo começava e só na altura do divórcio conseguiu perceber que, quando se conheceram, tinha vindo a Macau para jogar. Teve força para levar em frente uma separação com dois filhos nos braços, o mais novo com pouco mais de quatro anos. “Não tinha sonhos em rela-

ção ao casamento porque já tinha assistido a muitas experiências domésticas e vi muitas famílias separadas. Claro que há a tendência para pensar que é para sempre, mas quando há problemas temos de enfrentálos”, disse com coragem. Divorciou-se em 2008 sem aceitar mais desculpas pedidas de joelhos, que sempre se desfaziam numa força desumana. Ainda aguentou pelos filhos, mas conseguiu libertar-se pela mesma razão. “Acho que é melhor que não assistam às disputas entre pais e esta foi a solução que encontrei para libertar os dois lados”, assentiu, ciente que há quem ainda se veja na obrigação de viver no pesadelo. “Há muitas mulheres que não conseguem. A condição básica deve ser a independência económica”, nota. A DOR NÃO É PARA SEMPRE Lee aguentou cinco anos. Só durante uma discussão em que os móveis serviam de armas contra si teve coragem de ligar para a polícia. “Vi a minha filha a chorar num canto e percebi que se não o afastasse podia morrer pela violência”, recorda com um tom baixo como se quisesse arrecadar o passado num baú. Quando se conheceram, Lee já tinha deixado Henan para trabalhar em Zhuhai num salão de beleza. “Depois de um ano de casamento mudou muito, começou a tratar-me mal”. Menina nascida também numa terra muito pobre nunca lhe faltou carinho ao ponto de não se preocupar com o que o mundo concebia fora de portas da aldeia. O que sabia sobre ser mulher via-o nas novelas até que aos 18 anos partiu. “Estudei até ao nono ano e nunca me preocupei com nada, porque os meus pais me tratavam muito bem”. A mudança para uma “cidade grande” fê-la confiar no marido e a solidão afastava-se. “Nunca tinha pensado que me sentia sozinha aqui, confiava nele e acreditava que conseguia cuidar bem de nós”, expressou a mulher de 29 anos. De repente vemos a mão rondar a cabeça como se recordasse de algumas pancadas, mas as suas mãos só conseguem ser suaves. Chegam depois as palavras. “Reparei que eu e a minha filha podíamos sair magoadas pelos maus hábitos do meu marido”, que bebia e jogava, confessou. Lee ainda tentou fugir para casa dos pais, mas quando chegou não teve coragem de contar o seu sofrimento. “Disse-lhes apenas que os fui visitar. O meu marido ligoume”. E tudo se repetiu. “O stress vinha da família. Tinha vergonha. Não sabia como contar que seria uma mãe solteira... iria ser discriminada”, reconheceu. “Nunca contei a ninguém que me batia, mas cheguei a conversar com ele sobre a situação do divórcio. Reagiu mal, a chamar-me nomes”. A visão de que um casamento é para sempre, mesmo debaixo de farpas, foi destruída pelo medo de que, mais do que o amor, a vida não subsistisse à violência. “A minha maior razão para aguentar foi não tirar o pai à minha filha, mas depois tomei consciência que se continuasse ela sofreria de uma forma pior”, disse. A polícia perguntou-lhe se queria seguir com o caso e aceitou, mas quando o processo chegou ao tribunal Lee desistiu.

jornal tribuna de macau Propriedade: Tribuna de Macau, Empresa Jor­na­lística e Editorial, S.A.R.L. • Administração: José Rocha Dinis • Director: José Rocha Dinis Director Editorial Executivo: Sérgio Terra • Grande Repórter: Raquel Carvalho • Redacção: Fátima Almeida, Helder Almeida, Pedro André Santos e Viviana Chan • Colaboradores: José Luís Sales Marques, Miguel Senna Fernandes, Rogério P. D. Luz (S. Paulo) e Rui Rey • Colunistas: Albano Martins, António Aresta, António Ribeiro Martins, Daniel Carlier, Henrique Manhão, João Guedes, Jorge Rangel, Jorge Silva, Luis Machado e Luíz de Oliveira Dias • Grafismo: Suzana Tôrres • Serviços Administrativos e Publicidade: Joana Chói (jtmpublicidade@yahoo.com e jtmagenda@yahoo.com) • Agências: Serviços Noticiosos da Lusa e Xinhua Impressão: Tipografia Welfare, Ltd • Administração, Direcção e Redacção: Calçada do Tronco Velho, Edifício Dr. Caetano Soares, Nos4, 4A, 4B - Macau • Caixa Postal (P.O. Box): 3003 • Telefone: (853) 28378057 • Fax: (853) 28337305 • Email: jtmagenda@yahoo.com (serviço geral) pág 02 quinta-feira, 08 de março de 2012 jornal tribuna de macau


(...) “Quando o meu marido morreu não sabia como havia de continuar, pensei que também poderia morrer, mas naquela altura o nosso filho mais novo tinha 11 anos e precisava que cuidasse dele” (...) – senhora Lou

local

(...) “O que agora sei sobre o amor é que não pode magoar, se assim for não é amor” (...) – Lee

(...) “O mais importante é que se consiga ter autonomia financeira. Como quero apoiar o meu filho tenho de trabalhar muito” (...) – senhora Lou

Muitas mulheres recorrem ao centro de Apoio Familiar da Associação Geral das Mulheres Só queria um lar com protecção para si e para a filha, o qual chegou a encontrar com a ajuda dos trabalhadores sociais. “Consegui ser alojada num centro, encontrei uma solução e assim percebi que podia continuar a minha vida sem estar dependente de um marido”, notou. Lee fala menos porque as feridas rasgaram-lhe uma pele mais jovem e as crenças foram abaladas de repente, sem suporte. “Vinha de uma terra simples e não conhecia coisas más, nunca tinha pensado que uma mulher precisava de ser independente e continuar o com o seu emprego”. “O que agora sei sobre o amor é que não pode magoar, se assim for não é amor”. UM CASAMENTO NA REVOLUÇÃO O pai da senhora Lou cantava ópera. Apesar das dificuldades conseguiu uma espécie de gira-discos em segunda mão e a música chegou a ser paixão para se imaginar nos palcos. “Quando era pequena tinha sonhos de ser actriz”, confessa indo a um passado longínquo. Andar na escola já era uma sorte, mas que não duraria muito. Aos 15 anos a mãe pediu-lhe para trabalhar e o aviso que não frequentaria mais as aulas foi enviado por carta. “Não senti nada [quando vi que não podia concretizar o que pensava]. Nasci numa família muito pobre, os meus pais não tinham tempo para entender esses sonhos. Mas, a minha mãe perguntava-me sempre se estava tudo bem comigo”, relembra. Era a filha mais velha e “tinha de ajudar a criar” os irmãos. Apesar dos trabalhos serem cansativos nos subúrbios de

Jiangmen, sentia-se feliz porque não tinha de se preocupar com nada. “Fazia as coisas sem pensar”. A equipa que trabalhava no campo com a senhora Lou, menina na altura da Revolução Cultural, tinha cerca de 300 pessoas e a maioria não tinha sequer escola. “Eu já tinha quase o 9º ano, sentiame feliz. Fui convidada para ser contabilista”, relata. Depois do casamento, quando tinha cerca de 20 anos, continuou o trabalho. Em meados da década de 60, a Revolução Cultural, tornou-se “oficial” tinha a senhora Lou por volta de 15 anos e seguiu os destinos de Mao Tsé-tung – a juventude foi mobilizada para trabalhar pelos ideais do Partido Comunista. Lou não descreve muito essa época. Apanhada na surpresa de ainda ser adolescente reparava que os quotidianos eram iguais. “Não sentia diferença entre a minha vida e das outras pessoas, porque sempre vivi naquele ambiente pobre”, descreveu. A senhora Lou foi a única, das mulheres com quem conversámos, que teve um casamento arranjado, mas sem marcas de violência. “O meu marido também vivia na minha aldeia e era de uma família que tinha mais rendimentos do que a nossa, porque o pai dele trabalhava em Hong Kong e mandava uma remessa. De resto, nós só tínhamos o que o Partido dava”, mencionou, confessando que quando os pais lhe falaram que teria de casar não tinha noção do que seria dar esse passo. “O meu marido foi meu colega na primária. Ele disse que gostou de mim, porque já me conhecia. Como isso aconteceu, os

pais dele aceitaram. Eu nem gostava nem deixava de gostar. Havia poucos namoros na altura porque as pessoas tinham vergonha”, realça, mostrando alguma desilusão. “Senti-me triste porque não queria sair de casa dos meus pais. Quando saísse já não podia voltar e nem sabia como era a casa do meu marido”, notou. Depois encontrou uma mesa mais farta, mas o trabalho aumentou. Além das jornadas no campo teve de lidar com os afazeres domésticos. Só quando a revolução terminou, em 76, pôde deixar a terra. O marido foi ter com o pai a Hong Kong, mas Lou só conseguiu chegar a Macau em 1983 e por cá permaneceu. Apesar da distância que mantiveram, Lou diz ter tido um casamento feliz. “Tratava-me de uma forma muito simples. Gostou de sempre de mim e respeitou-me”, afirmou. “Vivia em Hong Kong e vinha-me visitar aos sábados. Não estávamos assim tão separados, já que quando vivia na aldeia e ele estava fora não nos víamos tantas vezes”, referiu como quem se apaixonou com o tempo. A dois a vida foi mais fácil. “Quando o meu marido morreu não sabia como havia de continuar, pensei que também poderia morrer, mas naquela altura o nosso filho mais novo tinha 11 anos e precisava que cuidasse dele”, desabafou, encontrando força no seu rebento que hoje estuda Cinema em Taiwan. “O meu marido partiu muito cedo [há 11 anos] não pudemos envelhecer juntos. No início nem tinha confiança em mim. Podia sorrir em frente às pessoas, mas em casa...”, suspira. Nos primeiros três anos após o falecimento do marido nem sequer saiu do seu lar, pois temia que as pessoas fizessem perguntas. Os sentimentos misturavam-se, atormentava-a a solidão e a vergonha de o perder para sempre. “Mesmo nas visitas à minha terra, onde estão os meus outros cinco filhos, continuava a dizer que estava connosco”. Lou mantém a simplicidade, mas aumentou a garra. Não pôde desistir. Precisava de trabalhar, não para recuperar o conforto mas para ter a certeza que o filho podia ter uma vida segura. “Trabalhei numa empresa de limpezas. O meu filho também poupa muito. Durante um semestre é capaz de não comer uma fruta. E trata-me muito bem”, confidencia com uma ponta de sorriso. Apesar de o sentido de uma família sem “pai” a afligir foi-se conseguindo libertar da dor de uma perda, que diz nunca esquecer, através das actividades da Associação Geral das Mulheres, onde nos

partilha a sua história. “Conhecia várias famílias na mesma situação, em 2005. Relatos diferentes que ainda conseguiam ser mais tristes”, disse, não tecendo planos e recolhendo apenas uma certeza. “Não quero mais ninguém na minha vida, já tenho filhos e casa na nossa terra”, confessou a mulher que nunca perdeu a vontade de estudar e até o inglês lhe entrou no currículo quando chegou a Macau. NAS NOSSAS MÃOS Aos 62 anos, mesmo que Lou não tenha conseguido cumprir os sonhos da juventude e ter sido actriz de ópera o seu menino não perdeu o sentido das artes e as telas são um refúgio perfeito para o sucesso. Com uma ausência sentida no coração e na organização da vida vê o papel da mulher sob outro prisma. “O mais importante é que se consiga ter autonomia financeira. Como quero apoiar o meu filho tenho de trabalhar muito”. Não parece duvidar que a sociedade está a mudar. Há mais “oportunidades de emprego” e os casamentos já não são pela força dos pais, acredita. Lee até hoje “não percebeu como uma relação” pode magoar assim. A estudar contabilidade na escola profissional só quer concluir o curso e prosseguir uma vida em que volte a encontrar a paz. Sabe que ainda há desigualdades entre sexos, mas mesmo depois de ter sentido o peso da tradição não olha para o que lhe aconteceu como se fosse um reflexo disso. “A tradição pode tirar abertura e optimismo, mas neste caso não posso avaliar assim”. Falamos antes em actos desumanos, sem género. É quando chega ao futuro que as lágrimas começam a cair. Será difícil voltar a confiar em alguém. Não duvida, porém, que “é importante manter a independência”. Depois, “o destino ninguém sabe”. Kong pouco se queixa. Ter conseguido fugir à pobreza valeu a pena pela família. Não se inibe de falar do divórcio, que acabou com o sofrimento. Habituada a ser independente, desde cedo temeu apenas pelo sustento dos filhos, mas encontrou soluções com apoios governamentais e associativos. O trabalho também nunca lhe meteu medo. Ainda que haja “muitas diferenças” entre os sexos sobretudo nos trabalhos domésticos, a ideia que tinha do que poderia ser uma mulher mudou muito. “Agora já há muitas na política e antes não se viam”, confessou a mulher que nunca parou de estudar. As linhas que traçou nunca se vão encolher de vergonha. É uma história grande e a liberdade “foi a melhor opção”.

jornal tribuna de macau quinta-feira, 08 de março de 2012 pág 03


REFORÇADA COMISSÃO DAS MULHERES. A Comissão Consultiva para os Assuntos das Mulheres passou a ter 35 membros, mais cinco do que anteriormente, com a entrada em vigor, na terça-feira, da revisão do regulamento administrativo sobre aquele órgão de consulta do Governo. O secretariado também vai trabalhar a tempo inteiro, segundo anunciou o Conselho Executivo.

local

MULHERES EM FESTIVAL DESPORTIVO. O Instituto do Desporto e a Associação Geral das Mulheres organizam nos próximos dias 24 e 25 mais um “Festival Desportivo das Mulheres de Macau”. O programa abre, no dia 24, com um seminário na Doca dos Pescadores e fecha com jogos recreativos e desportivos no Pavilhão do Tap Seac.

DADOS DA FUNÇÃO PÚBLICA

Elas mandam em 305 lugares Na RAEM, as mulheres constituem mais de metade da população. Porém, os cargos de chefia e direcção ainda não lhes são entregues na mesma proporção em relação aos homens. Ao nível do Governo, nos 86 serviços contados pelo JTM, mandam 15 mulheres. Incluindo os vários departamentos, o total chega a 305

Números no feminino:

52% de mulheres em relação ao total da população 170.200 mulheres pertencem à população activa mais de 60% nas profissões ligadas a actividades financeiras e trabalhos não qualificados

helder almeida

N

a administração pública da RAEM 305 mulheres exercem cargos de chefia ou direcção, segundo dados avançados ao JTM pelos Serviços de Administração e Função Pública. Este é um número que corresponde a 30% do total do efectivo feminino, que se cifra em 9.634 mulheres. Apesar de solicitados, não foram enviados em tempo útil, pelo mesmo serviço, os dados sobre o total de homens nas mesmas funções de chefia, números que também não estão disponíveis nas estatísticas oficiais já publicadas. Mas se as contas se restringirem ao Governo, tudo fica mais facilitado: há uma mulher, neste caso Florinda Chan, que é Secretária para a Administração e Justiça e com quem o JTM tentou contactar várias vezes, mas sem sucesso. Na Assembleia Legislativa, sentam-se quatras deputadas: Kwan Tsui Hang, Angela Leong, Melinda Chan e Ho Sio Kam e destas apenas a primeira preside a comissões (está na 1ª Comissão Permanente e na Comissão de Acompanhamento para os Assuntos de Terras e Concessões Públicas). Nos tempos recentes, salientou-se ainda Susana Chou, que foi presidente da Assembleia Legislativa. Ainda ao nível do Governo, segundo os dados disponíveis, 15 mulheres surgem à frente das chefias de gabinete (dos Secretários e outros) e direcções dos principais servi-

A Secretária Florinda Chan é a única mulher entre os principais titulares de cargos públicos

ços. Equivalem a 17% do pessoal com cargos de chefia e direcção, em 86 serviços considerados mais importantes. Apenas a título de exemplo, ao nível das chefias de gabinetes dos Secretários, Grace Cheong está com a Administração e a Justiça, Laren Lok com a Economia e Finanças e Cecília Cheung com os Assuntos Sociais e Cultura. Apesar das mulheres serem minoritárias nos cargos de poder, a população de Macau até é maioritariamente feminina. De acordo com as últimas estatísticas demográficas, referentes ao final de 2011, dos 557.400 habitantes de Macau, mais de metade são mulheres: 289.300. Destas, 167.500 (58%) estavam empregadas. O escalão etário entre

os 35 e os 44 anos é onde se situa a maior fatia: 46.900 mulheres. Elas são mais do que eles em actividades relacionadas com o comércio e actividades domésticas, alojamento e restaurantes, actividades financeiras, educação, saúde e acção social e actividades de serviços colectivos, sociais e pessoais. Por profissão, em 2011, as mulheres ficam claramente a perder enquanto membros de órgãos legislativos, quadros superiores da administração pública e de outras associações, directores e quadros dirigentes de empresas: são 32% do total (ou seja, 6.300 de um total de 19.500). Dominam, por outro lado, em empregos administrativos (são 63% de 91.500) e em trabalhos não qualificados (são 69% de 55.600). Um outro pormenor curioso, nas Linhas de Acção Governativa para 2012, as mulheres foram especialmente visadas duas vezes: quando se sublinha a necessidade de incentivar políticas de “apoio ao emprego das mulheres”, numa questão relacionada com o emprego doméstico, e o aumento da protecção das mulheres vítimas de violência doméstica.

MULHERES SÃO MAIS MAS GANHAM MENOS

Disparidade de salários e cargos no jogo A principal indústria de Macau ainda discrimina o sexo feminino, dado que as mulheres, apesar de representarem mais de metade da mão de obra, mantêm-se arredadas de posições elevadas e ganham menos, sobretudo nos cargos de chefia

D

ados da Direcção dos Serviços de Estatística e Censos indicam que, no final de Junho de 2011, encontravam-se ao serviço do sector do jogo 47.321 trabalhadores, dos quais mais de metade, ou 52,4%, eram do sexo feminino. Contudo, apenas quatro em cada dez directores ou quadros dirigentes eram mulheres - 492 contra um total de 821 homens. Não só há menos mulheres no topo como elas ganham, em média, menos 17,4% comparativamente aos colegas do sexo masculino. O salário médio de directores e quadros dirigentes das empresas (excluindo os subsídios de férias e Natal, os prémios de fim de ano - 13.º mês - e as participações nos lucros e similares) fixou-se em 46.970 patacas. Porém, enquanto os homens auferiam uma média de 50.240 patacas, as mulheres não foram além das 41.500 patacas. Ou seja: as mulheres ganhavam, em média, menos 8.740 patacas do que os homens, apesar de desempenharem exactamente a mesma função. Os dados oficiais - recolhidos junto de 13 empresas do sector de lotarias e outros jogos de aposta e excluindo os promotores e colaboradores de jogos - mostram que

a diferença entre géneros está patente em praticamente todas as categorias profissionais, ainda que a discrepância seja mais evidente nos cargos mais próximos do topo da hierarquia. Em termos globais, por exemplo, a remuneração média na indústria do jogo dos trabalhadores a tempo inteiro (excluindo os subsídios de férias e Natal, os prémios de fim de ano - 13.º mês -, bem como as participações nos lucros e similares) fixouse, no final de Junho, em 16.460 patacas. Mas os homens, apesar de em menor número, ganhavam, em média, mais 910 patacas do que elas, uma diferença na ordem dos 5,4%. Embora domine o universo global em número, o sexo feminino tem menos representatividade não só no topo (directores e quadros dirigentes), mas também nos níveis imediatamente inferiores. Além disso, as que lá chegaram também recebem menos do que os seus pares. A título de exemplo, no final de Junho de 2011, exerciam funções de “especialistas das profissões intelectuais e científicas” 208 homens contra 58 mulheres, com a diferença entre géneros no sector do jogo a ser transversal ao patamar relativo aos técni-

cos e profissionais de nível intermédio (930 homens contra 682 mulheres). Em ambos os casos, elas recebiam menos ao final do mês. No caso das profissões intelectuais e científicas, a discrepância entre géneros a nível salarial é mesmo superior a 10.500 patacas, diferença que, em termos percentuais, corresponde a 28,5%. Os homens perdem hegemonia para as mulheres neste nível, na medida em que os empregos administrativos (em que se inclui os ‘croupiers’) são “dominados” por elas que eram, no final de Junho, 20.247,

contra os 15.376 homens. Mas só em termos de número, já que, no final do mês, os homens levavam para casa 16.840 patacas e elas menos 330 patacas, o equivalente a menos 3,5%. Já na subcategoria de ‘croupiers’, são elas quem mais dá cartas, mas neste caso não apenas em termos numéricos. Além de serem mais (12.024 contra 8.792 homens) auferiam mais, com um vencimento médio de 14.620 patacas ligeiramente superior (mais 140 patacas) ao dos seus pares do sexo masculino. JTM/Lusa

CONHEÇA AS FIGURAS MAIS PODEROSAS NA “OUTRA METADE DO CÉU” - nas CENTRAIS pág 04 quinta-feira, 08 de março de 2012 jornal tribuna de macau


SEGURANÇA NO TRABALHO COM CERTIFICAÇÃO. A DSAL e a Universidade de Macau vão organizar mais um curso de certificação para “encarregados de segurança no trabalho da construção civil”. Além de um certificado, os formandos receberão um subsídio de 2.500 patacas, pago pela DSAL. Com a duração de 150 horas, o curso será ministrado entre Março e Novembro e visa reforçar a prevenção nas obras.

local

TAM CAUTELOSO SOBRE SUBIDA NO JOGO. As receitas brutas do jogo deverão atingir este ano um crescimento de apenas um dígito alto ou dois baixos, estimou o Secretário para a Economia e Finanças, citado pelo jornal “Ou Mun”. O jogo cresceu 42% em 2011 e 28% nos primeiros dois meses do corrente ano.

Francisco Manhão, Carlos Marreiros, Jorge Fão e vários membros da APOMAC após a apresentação do desenho

SEDE DA APOMAC QUER EXPOR OBRAS DE ARTISTAS DE MACAU

De portas abertas para a arte Carlos Marreiros ofereceu uma serigrafia feita a partir de um desenho de 2004, que descreve as várias idades de Macau, cujo epicentro é o Largo do Senado, onde figura um “triângulo aristotélico da justiça” helder almeida

E

ram paredes vazias que agora se disponibilizam a acolher as obras de arte de todos aqueles que procurem um espaço para expor, sejam portugueses ou chineses. Fica na sede da Associação dos Aposentados, Reformados e Pensionistas de Macau (APOMAC) e foi ontem inaugurado. O arquitecto Carlos Marreiros ofereceu uma serigrafia de Macau, de edição limitada, em que o território surge sob a luz de uma “cidade de justiça”. Para Jorge Fão, presidente da assembleia-geral, aquele “era um espaço vazio que se quis aproveitar”. Nesta medida, optou-se por abrir as portas do edifício da associação, que “é muito frequentado”, a todos os artistas que queiram expor. E o limite é apenas um: o espaço disponível. Foi neste contexto que Jorge Fão convidou Carlos Marreiros para oferecer a primeira obra, num local que se pretende dinâmico. Intitulada “Cidade de Justiça”, a serigrafia é feita a partir de um quadro original feito por encomenda por João

Nuno Riquito. “A cidade de justiça resulta de conversas, tertúlias, entre três pessoas: o João Nuno Riquito, o Luís Sá Cunha e eu. Tomei muitos apontamentos em guardanapos de mesa e depois passei meses a fazê-lo. Foi aqui em Macau, era ele [Riquito] professor de direito, na altura em que era também consultor numa firma de advogados”. Mas que cidade é essa? “Se formos à praça do Senado, vemos um triângulo. No topo está a Igreja de São Domingos, em baixo, na base, temos o Senado, do lado esquerdo, onde está o turismo, e onde antigamente funcionava alfândega chinesa, e do lado direito temos a Santa Casa da Misericórdia. E a teoria do Nuno Riquito é que este equilíbrio tem tudo a ver com o direito enquanto forma de justiça aristotélica”. Desta forma, “no topo da pirâmide temos deus, representado pela igreja, na base temos o senado, que trabalha para o povo, do lado esquerdo o poder efectivo, na altura e mesmo agora, a China, representado pela alfândega, e do lado direito a Santa Casa, ou seja, a base, o povo, que trabalha para deus através do poder, do governo. Este trabalho é bem feito e deus retribui fazendo benfeitoria”. E nessa Macau, cujo epicentro está no Senado, situa-se um “triângulo aristotélico da justiça”. Paralelamente, “ao longo do desenho acontecem várias coisas: as várias idades de uma cidade, da fortificação de Macau aos pagodes e templos chineses, passando pela arquitectura barroca e neoclássica, até à arquitectura dos nossos dias”. O Rio das Pérolas está sempre presente, bem como o encontro de cul-

Pormenor da serigrafia na qual se destaca o Largo do Senado, onde figura um “triângulo aristotélico da justiça”

turas. “A cidade que se mescla entre o ocidente e o oriente, entre o moderno e o antigo, o erudito e o vernáculo e onde a tolerância é o ponto fulcral”, como explica Marreiros. Mas porquê este desenho para a sede da APOMAC? Porque “os meus desenhos são mais locais e numa casa como esta, julgo que ser-se mais localista, contando historietas de Macau, fazia mais sentido”, responde o arquitecto.

GARANTIU ANA PAULA LABORINHO À RÁDIO MACAU

Instituto Camões mantém aposta na RAEM A crise em Portugal vai reflectirse na contribuição do Instituto Camões para o IPOR, mas a aposta em Macau será mantida e até “consolidada”, garantiu Ana Paula Laborinho, em declarações à Rádio Macau

F

icámos muito agradados, por um lado, pelo bom desempenho que houve em relação ao Centro de Língua Portuguesa, ao número de alunos, às receitas. Naturalmente não vou esconder que estamos num momento particularmente difícil em Portugal e que essa diminuição dos nossos meios também se irá reflectir na contribuição associativa do Instituto Camões para o IPOR. Mas estamos a procurar fazê-lo sem que isso ponha em causa os projectos maiores e sem impedimento de um outro aspecto que cada vez é mais relevante e que é o mecenato e a capacidade de uma intervenção maior de empresas e outros parceiros nestes projectos”, afirmou

Ana Paula Laborinho à Rádio Macau. Sublinhando que a conjuntura difícil não irá traduzir-se necessariamente num orçamento mais reduzido, a presidente do Instituto Camões (IC) recordou que a contribuição para o IPOR é a maior entre os centros culturais portugueses que a instituição tem espalhados pelo mundo. “Isso quer dizer que a nossa aposta em Macau é uma aposta que se mantém e que nós queremos, até, que possa ser consolidada. O que temos é de encontrar outras parcerias, temos de encontrar formas de também fazer participar empresas portuguesas”, defendeu. Ana Paula Laborinho não avançou o valor do orçamento do IPOR para 2012, mas sublinhou que ainda é um número redondo e significativo, até porque o valor de receitas do IPOR continua a aumentar, conforme avançou o JTM. “Tivemos este ano há uma previsão - de cerca de 600 mil euros de receitas, o que é muito significativo. [...] Mas isso não impede que tenhamos também de continuar a ter uma participação activa no IPOR e é isso que iremos fazer”, adiantou.

Relativamente à comparticipação do Estado português, Ana Paula Laborinho disse que o valor ultrapassou os 160 mil euros (mais de um milhão e meio de patacas), só para a gestão do IPOR. Recorde-se que, na semana passada, o director do IPOR, Rui Rocha, revelou ao JTM que a instituição que lidera obteve um lucro de 537 mil patacas no ano passado,

facto que vai permitir aos contribuintes associativos participarem com menos 15 por cento no orçamento de 2012. Rui Rocha adiantou ainda quem, para o segundo semestre (do ano lectivo 2011/12) estão previstos 2.050 alunos nos cursos de língua portuguesa, mais 110 do que no semestre passado. Pela primeira vez, foi superada a barreira dos 2.000 estudantes. No âmbito de actuação cultural, o IC deseja um reforço de parcerias, sobretudo, com o Instituto Cultural de Macau. “O que nós desejamos é que essas parcerias possam alargar àquilo que são parceiros naturais - para além das universidades, do Politécnico -, que possam também alargarse a outras instituições. E falo claramente do Instituto Cultural da RAEM, com o qual queremos desenvolver parcerias, não só em Macau, mas também em Portugal”, afirmou Ana Paula Laborinho, dando como exemplo a exposição do arquitecto Carlos Marreiros, que está prevista para este ano no Instituto Camões, numa parceria com o Instituto Cultural.

jornal tribuna de macau quinta-feira, 08 de março de 2012 pág 05


UMA VÍTIMA DE INALAÇÃO DE GASES AINDA EM COMA. Duas mulheres continuavam ontem em estado grave, uma das quais em coma, depois de terem inalado gases desconhecidos na véspera. O caso afectou ainda um homem e uma criança de um ano, mas ambos já tiveram alta.

Breves Condutores acusam Reolian de pressão Alguns condutores da Reolian asseguraram ontem que estão a ser alvos de pressão por parte da empresa. Segundo a TDM, os condutores afirmam que a falta de calma nas estradas deve-se à quantidade de voltas que a companhia lhes exige. Em reacção, a Reolian garantiu que nunca repreendeu os funcionários por não completarem o número de rotas pré-definidas, acrescentando que os condutores estão conscientes da situação de trânsito no território. O deputado Ung Choi Kun expressou também a sua revolta pelo número de acidentes registados, pedindo ao Governo que reformule o sistema de serviços de autocarros.

Mais de 40 nomeações para Conselho Económico Mais de quatro dezenas de personalidades integram uma lista de membros do Conselho para o Desenvolvimento Económico, ontem nomeados pelo Chefe do Executivo. Os directores dos Serviços de Economia e de Turismo e o presidente do Conselho de Administração da Autoridade Monetária representam a Administração num órgão que conta ainda com a presença de elementos da Associação Comercial (Vong Kok Seng) e Federação das Associações dos Operários (Wong Kuai Leng). A lista inclui ainda Filipe Santos, Stanley Ho, Ambrose So, David Chow, Ng Fok, Leong Kam Chun, Eric Yeung, Patrick Huen, Ho Man Cheong, Ng Lap Seng, Ma Iao Hang e os deputados Kou Hoi In, Tsui Wai Kwan, Vítor Cheung Lup Kwan e Fong Chi Keong, entre outros. O Conselho foi criado em Janeiro de 2007.

PME’s “desconfiam” da Ilha da Montanha Stanley Au não acredita que a Ilha da Montanha possa “oferecer quaisquer oportunidades significativas às pequenas e médias empresas de Macau (PME’s) nos próximos cinco anos”. “Para ser honesto, podemos esquecer a Ilha da Montanha nos próximos 10 anos”, frisou o presidente da associação das PME’s, em entrevista à edição de Março da revista Macau Business. Stanley Au voltou ainda a apelar ao Governo para que preste mais apoio às PME’s, até porque muitas empresas estão a ser penalizadas pelo forte aumento do valor das rendas das lojas e escritórios nos últimos três anos.

TDM desiste da concessão de terreno na Taipa A TDM-Teledifusão de Macau comunicou a desistência da concessão, por arrendamento, de um terreno situado na Taipa, no aterro da Baía do Pac On, com a área de 1.504 metros quadrados. De acordo com um despacho do Secretário para os Transportes e Obras Públicas, ontem publicado no Boletim Oficial da RAEM, o terreno será revertido à posse da RAEM, para integrar o seu domínio privado, e tem um valor atribuído de 12,37 milhões de patacas.

pág 06 quinta-feira, 08 de março de 2012 jornal tribuna de macau

local

DESACONSELHADO USO DE PRODUTO DE EMAGRECIMENTO. Os Serviços de Saúde apelaram ontem à população para não consumir o produto “The Extreme-thin Fat Burning Bomb”, destinado ao emagrecimento. O alerta foi motivado pelo facto do produto incluir sibutramina, um inibidor de apetite que pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares.

QUATRO RESIDENTES FORAM DETIDOS

Droga de mão em mão Um veículo foi interceptado durante uma operação “stop”, tendo sido encontradas várias quantidades de “ketamina” em cada um dos passageiros. O condutor, que alegadamente tinha comprado a droga, foi o único que não chegou a consumir a substância pedro andré santos

M

ais uma operação “stop”, mais detidos por posse de “ketamina”. Desta vez a acção das autoridades foi realizada na madrugada de ontem na Avenida de Amizade, onde foi mandado parar um veículo com quatro pessoas. Na posse do condutor foi encontrado um saco com 5,34 gramas de “ketamina”. Os passageiros tinham todos notas com a droga, totalizando cerca de 5 gramas. Segundo terá contado o condutor, a droga foi adquirida quando chegou a Macau juntamente com um amigo, vindos de Zhuhai, tendo encontrado outro amigo numa paragem de táxi que lhe vendeu a “ketamina” a troco de mil dólares de Hong Kong. O passageiro consumiu uma parte e guardou o resto numa nota. Os dois amigos continuaram a viagem e foram encontrar-se com outro que entrou no carro. Foi contemplado também com uma parte de “ketamina”, que consumiu e guardou o restante, também numa nota. Nova paragem para apanharem o terceiro passa-

Tentou extorquir a ex-namorada A Polícia Judiciária deteve um homem suspeito de ter extorquido à ex-namorada 80 mil patacas a troco de fotografias e um vídeo erótico que tinham feito durante a relação. A vítima tem 25 anos e foi namorada do suspeito entre 2009 e 2010. Durante a relação tiraram mais de 50 fotografias eróticas e fizeram um vídeo. Findo o relacionamento, o homem usou as imagens para chantagear a ex-namorada. Primeiro terá exigido a devolução de todos os presentes que lhe tinha dado, avaliados entre 20 e 30 mil patacas, e depois dinheiro. A vitima denunciou o caso à polícia, e quando combinaram um encontro na zona dos Três Candeeiros foi detido por agentes.

Condutor tinha um saco com 5 gramas de “ketamina”

geiro, e mais uma “rodada” de “ketamina” para o novo tripulante, que acabou por guardar o resto numa nota. Pouco depois, porém, a paragem foi a última já que acabaram por ser interceptados pelas autoridades que descobriram a droga. Análises feitas posteriormente no hospital revelaram que todos os tripulantes, com a excepção do condutor, tinham consumido a droga, confirmando assim a história que tinha sido contada. Os detidos são todos residentes de Macau e têm cerca de 30 anos. COZINHEIRO HONESTO. Dois agentes detectaram um homem que tinha caído do seu motociclo, e quando o abordaram para saber o que se tinha passado ele terá dito que se tinha despistado porque tinha bebido demasiado antes de conduzir. Um teste de alcoolemia acabou por confirmar a versão do residente de Macau, cozinheiro de profissão, acusando 1,76 gramas de álcool por litro no sangue.

CANTOR DE HONG KONG NO BANCO DOS RÉUS

Acusado de agredir médico será julgado dois anos depois Um cantor de Hong Kong que foi acusado pelo Ministério Público de ter agredido um médico do hospital S. Januário, em Janeiro de 2010, vai a julgamento no próximo mês

O

julgamento do caso de alegada agressão a um médico do hospital público, no dia 2 de Janeiro de 2010, está marcado para o próximo mês de Abril no Tribunal Judicial de Base, anunciou ontem o Ministério Público (MP), organismo que deduziu acusação contra o arguido em Julho de 2010. O arguido é um cantor de apelido Kong e 34 anos de idade que nasceu em Hong Kong mas passou muitos anos em Macau. De acordo com um comunicado do MP, o arguido agrediu um médico na sala de urgência do Hospital Conde de São Januário, por suspeita

de que “terá molestado sexualmente a sua namorada que se apresentava no hospital na companhia de familiares e amigos devido a dores abdominais”. “Sem ter ligado à proibição do pessoal do hospital, Kong entrou muitas vezes na sala de diagnóstico sem permissão e teve acesa discussão com o médico, que acabou por ser agredido e ferido”, sofrendo mesmo uma fractura do osso na face, refere ainda o organismo, acrescentando que “o médico, o Hospital C. S. Januário e a Associação dos Médicos do Hospital Público de Macau querem apu-

rar a responsabilidade criminal do infractor”. Após a análise do caso e das provas obtidas, o delegado do Procurador titular do processo considerou haver fortes indícios dos crimes de intrusão em lugares com acesso vedado ao público e de ofensa qualificada à integridade física, pelo que foi deduzida a acusação contra o arguido. Em Agosto de 2010, após ter sido conhecida a decisão do MP, a agência responsável pela gestão da carreira do cantor descreveu o incidente como um “mal entendido”, lembrando que Kong não foi preso.


ORDEM PARA RECOLHER ANTIBIÓTICO. Os Serviços de Saúde solicitaram aos importadores e exportadores a recolha e suspensão do fornecimento do antibiótico “Ospexin” (500mg e 250mg), depois do laboratório “Sandoz” ter admitido não ser capaz de evitar que o medicamento fique húmido. Tal facto poderá, por isso, “influenciar a estabilidade do medicamento”.

local

CINCO DETIDOS POR ENTRADA ILEGAL. As autoridades locais detiveram quatro pessoas do Continente que tentaram entrar ilegalmente em Macau, bem como um indivíduo que as transportou numa sampana, junto à Avenida Panorâmica do Lago Sai Van. Os detidos declararam que a viagem tinha fins meramente turísticos.

ISABEL PINTO APRESENTA AMANHÃ OBRA SOBRE COMUNIDADE MACAENSE EM PORTUGAL

“Há sempre um bocadinho de Oriente presente” Chegou a Portugal com um vazio no peito. Pensou que tal como ela, também os macaenses que abandonaram Macau depois da transição terão sentido a ausência da terra longínqua. Isabel Pinto estudou o tema e concluiu que a comunidade macaense onde quer que esteja carrega pedaços de Oriente. Mesmo distantes, mantêm a cultura viva, garante. A investigação culminou num livro, que é apresentado amanhã, pelas 18h, no auditório do Instituto Cultural raquel carvalho

E

nfermeira de profissão, pisou Macau pela primeira vez na década de 80. Não pensou que conseguiria ficar nem um ano, muito menos 18. Construiu uma vida, casou-se com um macaense, regressou a Portugal em 2001. E eis que uma enorme fenda se abriu no peito. “Tive que voltar a integrarme na sociedade portuguesa”, conta Isabel Maria Rijo Correia Pinto. Esse sentimento levou-a a colocar uma outra questão: “E como será para os macaenses?”. Fez a tese de doutoramento sobre o tema, que tomou a forma de livro no ano passado. A apresentação da obra “A Comunidade Macaense em Portugal: alguns aspectos do seu comportamento cultural” acontece amanhã, pelas 18h, no auditório do Instituto Cultural. Foi a profissão que a empurrou para a primeira pesquisa que realizou sobre macaenses. Isabel Pinto aproximava-se do final dos anos 90, altura em que estava a fazer um mestrado sobre relações interculturais, quando se apercebeu que existiam grandes diferenças entre os costumes das mulheres chineses e portuguesas no que toca ao nascimento. “Julguei interessante perceber qual seria o comportamento das mulheres macaenses nessa situação”, conta a investigadora, em entrevista ao JTM. A dissertação de mestrado sobre “O Comportamento Cultural dos Macaenses perante o Nascimento” acabaria por ser publicada já Isabel Pinto estava a viver em Portugal. Apanhou o avião de regresso em 2001 e deixou para trás 18 anos de Macau. “Quando cheguei, a minha experiência de integração na sociedade portuguesa não foi fácil...senti algumas dificuldades.” E esse foi um ponto de partida para “pensar novamente nos macaenses e reflectir sobre o modo como se integraram”, conta Isabel Pinto. “Questioneime também sobre o que eles conservariam das suas raízes, da sua cultura, da sua parte oriental. Achei que isso dava um bom tema de investigação”. Iniciou-se então num doutoramento em Estudos Asiáticos. Depois de 50 inquéritos a macaenses e uma entrevista ao presidente da Casa de Portugal em Macau, Isabel Pinto constatou que “os macaenses que estão em Portugal conservam tudo o que podem da sua cultura.” E tudo é sinónimo de, por exemplo, “hábitos alimentares”, bem como o “modo de falar, com mistura de palavras em cantonense, português e inglês.” Há ainda a presença da música e das palavras presas em papel. “Todos têm os CD’s macaenses que existem, e também música oriental, bem como livros macaenses, literatura oriental, da China e de outros locais da Ásia.” A bagagem cultural reflecte-se igualmente na decoração da casa e também no vestuário. “A decoração da casa tem muitas influências orientais. Quase todos possuem móveis chineses. E o modo como se vestem também é diferente, sobretudo em casa. Usam nomeadamente os minapes e as camisas com coche...”, descreve Isabel Pinto. A distância leva, porém, a riscar algumas festividades do calendário. “Em Macau festejavam tudo, tanto chinesas como portuguesas, em Portugal restringem-se às portuguesas, talvez com a excepção do Ano Novo Chinês, que ainda é celebrado por muitos.” Mesmo que algo se tenha perdido, a investigadora nota que “em todos os aspectos da vida há sempre

qualquer coisa oriental. Há sempre um bocadinho de Oriente presente. Em alguns aspectos mais, noutros menos, mas a cultura – tanto quanto lhes é possível – é preservada.” O QUE DIZEM DE PORTUGAL. A grande maioria dos macaenses ouvidos por Isabel Rijo sentem-se, hoje em dia, integrados na sociedade portuguesa. “Gostam de viver em Portugal, pelo clima, o espaço, as casas maiores... Apesar de apontarem algumas diferenças também encontram muitas vantagens.” No entanto, “sentem saudades de muita coisa. A comida é a primeira coisa que referem, depois o ambiente e alguns também falam nos cheiros das ruas de Macau.” Os portugueses não escapam à avaliação dos ma-

caenses, divididos entre bem-estar e saudades. “Reconhecem nos portugueses alguns defeitos, como a mesquinhez e a inveja.” Aquilo que menos gostam em Portugal é o facto de “possuírem menos poder económico, terem de fazer coisas que não faziam antes, não terem tantas empregadas domésticas, bem como haver menos tempo livre.” Quase todos os macaenses que residem em Portugal possuem curso superior e trabalham no sector dos transportes. Trata-se, no entanto, de uma comunidade algo envelhecida. “A maioria possui mais de 40 anos, embora também existam alguns na faixa dos 30 anos. E os que têm 20 anos já não foram inseridos no meu estudo, porque não nasceram em Macau.” Este fenómeno acontece, uma vez que “já não há o cruzamento que existia entre homens portugueses e mulheres asiáticas. E os jovens macaenses já não vão estudar para Portugal como iam no passado, muitos preferem ir para outros países.” Sinais dos tempos, diz Isabel Pinto. “É fruto da época, digamos assim, já que a conjuntura financeira em Portugal não é tão boa.” Aqueles com quem conversou são quase todos casados com uma pessoa de etnia portuguesa. Contudo, “isso não faz com que tenham esquecido as suas origens”, garante a investigadora. “Continuam a preservar a sua cultura, de uma forma muito forte, embora se sintam integrados em Portugal.” Além disso, “têm interesse e vontade de transmitir essa cultura aos seus filhos. E tentam fazê-lo dentro do possível.” Isabel Pinto não tem dúvidas de que “a comunidade está viva e tem uma cultura bem conservada.” A investigadora não sabe, porém, se tudo estará assim “daqui a 10 ou 20 anos.” Mas certo é que quase todos continuam a visitar Macau com “frequência, geralmente de três em três anos para o encontro dos macaenses.” Em Portugal, os encontros entre membros da comunidade ocorrem sobretudo em núcleos reduzidos. “Há pequenos grupos que se encontram com alguma regularidade. O sentimento de pertença existe. Sentem que pertencem a Macau, que gostam do mesmos pratos...embora possam estar demasiado distantes para se encontrarem com muita frequência”, esclarece Isabel Pinto. Porto, arredores de Coimbra e sobretudo a capital são as zonas do país onde se concentram mais macaenses. Já entre a população portuguesa, os macaenses acabam por “passar despercebidos.” Isto porque existe “um grande desconhecimento sobre a cultura macaense. O facto de falarem português faz com que os portugueses assumam que o contexto cultural é igual”, observa a investigadora. VOLTAR A CASA. Para Isabel Pinto, o regresso que acontece agora é o primeiro desde 2001. Nunca mais pisou o território. Porém, aquilo que encontrou sooulhe a casa. “Às vezes tenho a sensação de que ainda cá vivo, que fui de férias e cheguei agora. Senti isso quando estava a chegar de ‘jetfoil’. Estava sentada na sala de espera e a sensação é a de que ia voltar a casa. Nunca pensei que isso me acontecesse”, confessa. A cidade mudou muito, mas a investigadora tem encontrado muitos vestígios familiares. “A casa onde vivemos perto do Hospital S. Januário ainda existe, o trajecto até ao Leal Senado também se mantém... de resto, noto que Macau tem mais pessoas, mais prédios, algumas ruas ganharam um ambiente mais chinês.” Embora continue ligada à terra que repousa no Sul da China, Isabel Pinto não pensa voltar a viver de modo permanente em Macau. No entanto, deseja continuar a estudar sobre os filhos da terra. “Gostava de investigar sobre as comunidades macaenses noutros pontos do mundo. Seria muito abrangente e não muito fácil de concretizar. Vamos ver se consigo tempo e apoio para fazer essa investigação”, revela. Antes do novo desafio, Isabel Pinto apresenta amanhã o resultado de cinco anos de investigação. Ivo Carneiro de Sousa, vice-reitor para a investigação da Universidade de São José, fará a introdução à obra. Após o lançamento, segue-se a palestra intitulada “Dinâmicas e Estratégias Interculturais: o exemplo macaense.” jornal tribuna de macau quinta-feira, 08 de março de 2012 pág 07


publicidade

pรกg 08 quinta-feira, 08 de marรงo de 2012 jornal tribuna de macau


RENOVADA NOMEAÇÃO DE VICE-PRESIDENTE DO IACM. O Chefe do Executivo renovou, por dois anos, a nomeação de Lo Veng Tak, como vicepresidente do Conselho de Administração do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais. A renovação vigora a partir de 3 de Março.

local

SHUN TAK ADIA OPERAÇÃO BOLSISTA. A Shun Tak adiou na terça-feira, por dois dias e pela segunda vez este mês, o lançamento de uma oferta de direitos sobre acções na Bolsa de Hong Kong, alegando que precisa de mais tempo para definir “uma base de atribuição mais justa e equitativa”. A Shun Tak pretende angariar pelo menos 1,65 mil milhões de dólares de Hong Kong através desta operação.

ESCRITÓRIO DE ADVOGADOS FOI LESADO POR EX-SÓCIO VICIADO NO JOGO

Melco acusada de aceitar dinheiro desviado A filial de uma firma internacional de advogados fundada por Bill Gates (pai), em Hong Kong, intentou uma acção contra a Melco Crown, denunciando ter conhecimento de que elevadas somas de dinheiro apostadas no casino resultavam de apropriação indevida

O

escritório de advocacia, K&L Gates, alega ter despendido cerca de 200 milhões de dólares de Hong Kong em restituições, depois de um antigo sócio se ter alegadamente apropriado de dinheiro de clientes da empresa para financiar o seu hábito de jogar em Macau. Com efeito, e por considerar que o casino, da propriedade da Melco Crown, estava ciente de que os fundos tinham sido apropriados de forma indevida, decidiu intentar uma acção também contra o espaço de jogo. A K&L Gates indica que o antigo funcionário Navin Kumar Aggarwal “escreveu uma carta em jeito de confissão”, depois de se ter demitido em Junho último, onde dizia: “Eu não sei que ‘diabo’ entrou em mim”. No início da semana, a empresa deu entrada num tribunal de Hong Kong com uma acção contra a Melco Crown, que gere os casinos “City of Dreams” e “Altira”. O escritório de advogados aguarda agora uma ordem judicial que lhe permita descobrir que quantidade de dinheiro da empresa equivale aos fundos que Navin Kumar Aggarwal terá desviado, os seus ganhos líquidos, ou ambos, de modo a que a Melco Crown pague o que o antigo sócio deve. Quatro clientes foram recompensados num valor total de 117 milhões de dólares de Hong Kong, segundo a acção que foi intentada e onde se lê ainda, de acordo com a edição de ontem do jornal “South China Morning Post”, que Navin Kumar Aggarwal se apropriou de milhões de dólares de depósitos de garantia de clientes, incluindo os quatro já ressarcidos pela firma. Navin Kumar Aggarwal, que se tornou sócio em 2000, deixou a empresa em Junho último, foi subsequentemente acusado de crimes de roubo e de falsificação, que, alegadamente, ocorreram entre Janeiro e Julho de 2010. Inicialmente, o montante em causa era de 16,6 milhões de dólares de Hong Kong, mas, mais tarde, o valor em jogo foi revisto em alta pelo Ministério Público para 780 milhões.

K&L Gates diz que ex-sócio transferiu mais de 30 milhões de dólares de Hong Kong de contas de clientes para a Melco Crown

No processo, a K&L Gates indica ainda que Navin Kumar Aggarwal transferiu, pelo menos, 34 milhões de dólares de Hong Kong de contas de clientes para a Melco, tendo apostado em casinos esse dinheiro e outros fundos. Ainda, de acordo com o escritório de advogados, o antigo funcionário teve prejuízos líquidos de pelo menos 9,9 milhões de dólares de Hong Kong. A K&L Gates sustenta que a Melco recebeu o dinheiro apropriado de forma indevida, sabendo que não tinha direito para o fazer, dado que o capital não pertencia a Navin Kumar Aggarwal e que este tinha um historial de mau jogador, entre outros. A empresa diz ter uma confissão que Aggarwal enviou para o seu parceiro na Ásia, David Tang, quando abandonou a firma. “Caro David, lamento imenso tudo o que aconteceu. Não tenho a certeza se isso é possível, mas eu realmente espero que a firma possa sobreviver a tudo isto causado por mim. Sei a gravidade do crime cometido. Não consigo viver com isto”, diz a carta, citada pelo jornal de Hong Kong. “Lamento imenso que tu e os outros tenham de enfrentar tudo isto e limpar esta confusão. O dinheiro que roubei foi usado para pagar as minhas perdas no jogo que acumulei ao longo dos anos”, lê-se na carta. Uma breve audiência está marcada para o dia 2 de Abril. JTM/Lusa

Campanha turística junta 18 províncias do Continente “Tour Feliz e Saudável 2012” é o lema de uma acção promocional na área do turismo ontem lançada em Macau por 18 províncias do Continente chinês. Para Costa Antunes, a iniciativa mostra que Macau poderá funcionar como “plataforma multi-destinos”

D

ezoito províncias do interior da China lançaram ontem em Macau uma “operação de charme” na tentativa de atrair mais residentes e turistas do território, numa actividade promocional “patrocinada” pela Administração Nacional do Turismo da China. A iniciativa, de carácter promocional, que teve como palco o Largo do Senado contou com a presença do vicepresidente da autoridade do Turismo da China, Du Jiang, que chefiou uma comitiva composta por representantes dos 18 destinos que se estão a promover junto dos residentes e turistas que visitam Macau. A actividade promocional que coloca a tónica no turismo de qualidade no interior da China vai ser realizada, de seguida, na vizinha região de Hong Kong.

Breves SSM refutam acusações ao hospital Kiang Wu Os Serviços de Saúde consideraram ontem que as queixas feitas contra o Hospital Kiang Wu por um casal, no âmbito de um caso de alegado mau tratamento do seu filho, que contraiu gripe B, devem-se sobretudo a “problemas de comunicação entre as duas partes” e a “ideias erróneas dos queixosos sobre o diagnóstico e tratamento da gripe sazonal e a respectiva prevenção e controlo”. Após uma análise preliminar, o organismo concluiu que a gestão do caso está “correspondente aos critérios”, não tendo sido verificadas situações como “o diagnóstico errado e a violação de orientações para a respectiva prevenção e controlo”.

Macau já acolheu 50 docentes da Universidade Tsinghua A Universidade Tsinghua, em Pequim, destacou 50 especialistas e académicos, ao longo dos anos, para exercerem funções de docentes em Macau, revelou o reitor da instituição, Chen Jining, durante uma visita do Chefe do Executivo da RAEM às instalações daquele estabelecimento de ensino. Na ocasião, Chui Sai On encontrou-se com mais de 20 alunos de Macau que estão a estudar na Universidade Tsinghua. No âmbito da visita, o chefe do Gabinete do Chefe do Executivo, Alexis Tam, disse esperar que o novo centro de estudos Hong KongMacau da Universidade Tsinghua, criado este ano, possa formar mais quadros qualificados para a RAEM. Ontem, Chui Sai On também visitou a Fundação Soong Ching Ling e teve um encontro com o director da Administração Geral do Desporto da China, Liu Peng.

Rádio ONU ouve Hélder Fernando sobre língua portuguesa A língua portuguesa em Macau foi o tema central de uma entrevista concedida pelo jornalista Hélder Fernando à Rádio ONU, órgão que tem um acordo de cooperação com o Jornal Tribuna de Macau. Na entrevista concedida a Joyce Pina, jornalista que viveu vários anos em Macau, o profissional da Rádio Macau falou do que entende ser a língua materna e dos vários falares com influência da língua portuguesa no mundo. A entrevista pode ser acompanha na internet, através do endereço: www.unmultimedia.org/radio/ portuguese/2012/03/a-lingua-portuguesa-emmacau.

Instituto Cultural vai restaurar 60 relíquias este ano

De acordo com o director dos Serviços de Turismo, João Manuel Costa Antunes, estão a ser facultadas informações sobre as 18 províncias em causa e dados mais detalhados sobre as várias cidades para que haja “realmente uma maior comunicação e melhor informação sobre os destinos do interior

da China” que se abriu há 30 anos ao turismo. “Entendemos que isto é que é o turismo, uma actividade nos dois sentidos”, realçou Costa Antunes, ao apontar que Macau poderá servir como uma “plataforma multi-destinos”. JTM/Lusa

O Instituto Cultural vai restaurar pelo menos 60 relíquias este ano, entre elas vários templos. O anuncio foi feito ontem por Ung Vai Meng durante uma cerimónia em Hac Sa. O presidente do Instituto Cultural referiu que a restauração dos templos, o seu significado e respectiva promoção histórica, são algumas das prioridades do organismo para este ano. O trabalho deverá ser feito com a ajuda do Governo e coordenado por grupos locais. No total serão 70 projectos de restauro e manutenção, afirmou Ung Vai Meng em declarações à TDM. jornal tribuna de macau quinta-feira, 08 de março de 2012 pág 09


LITUÂNIA LIDERA LISTA DE PAÍSES COM MULHERES EXECUTIVAS. A maioria dos cargos de topo nos países europeus é ocupado por homens, revela um estudo da empresa de consultoria Mercer, que coloca Portugal no 19º lugar, com uma percentagem de 27%, numa lista liderada pela Lituânia. A média europeia é de 29% de mulheres nos cargos de administração ou gestão. Dos 34 países analisados, a Lituânia tem uma distribuição mais equitativa de cargos executivos (44% são mulheres), seguida da Bulgária (43%) e da Federação Russa (40%).

NA

NO

Conquistar o poder quando não se usa fato e gravata

É alto o preço a pagar por querer dar uma notícia ao mundo

POLÍTICA

RESERVAS : 28365977

FAÇA JÁ A SUA RESERVA

Zico

Inspiração, talento e muita dedicação

jornalismo

Directora do Fundo Monetário Internacional ( FMI), cargo no qual substituiu o polémico Dominique Strauss- Kahn, a francesa Christine Lagarde, de 56 anos, é, de acordo com a Forbes, a nona mulher mais poderosa do mundo. Numa lista mista, com homens e mulheres poderosos, Lagarde ficaria no 39.º lugar. Para chegar onde chegou, é claro que tem também de ser uma mulher sem medo. A advogada foi ministra da Agricultura e Pescas e, depois, das Finanças, Indústria e Emprego, travando difíceis lutas em França até se tornar, em Junho, a primeira mulher a liderar o FMI. “Odeio dizer que há uma forma feminina e outra masculina de lidar com o poder. Penso que todos temos uma parte feminina e outra masculina”, disse numa entrevista em 2009. As estatísticas dizem-nos que ainda há poucas mulheres nos cargos de topo nas instituições políticas, mas sobretudo financeiras. Em muitos casos, estas mulheres são as primeiras. É o caso de Dilma Roussef, a Presidente do Brasil, de Cristina Kirchner, Presidente da Argentina, ou de Angela Merkel, chanceler alemã, ou ainda de Helle Thorning-Schmidt, Chefe do Governo na Dinamarca. Mas o caminho foi mais duro para Fawzia Koofi, a primeira mulher vice-presidente do parlamento num país tão conservador como o Afeganistão.

As jornalistas não são activistas mas quantas vezes dar notícias é já, por si só, um ato de coragem? Foi isto que todos pensaram, a 22 de Fevereiro, quando se soube da morte de Marie Colvin, em Homs. A americana de 56 anos era uma das mais conhecidas e respeitadas correspondentes de guerra. Uma mulher sem medo, segundo a Newsweek. Como Pariza Hafezi, a responsável pela delegação da Reuters no Irão. Um trabalho que lhe valeu o Prémio Coragem no Jornalismo atribuído pela Associação Internacional de Mulheres nos Media. Como Faezeh Hashemi, iraniana e fundadora do jornal Zan. Como Lara Logan, a correspondente da CBS que esteve na linha da frente no Afeganistão e no Iraque, mas não foi na guerra que foi maltratada. Foi no Cairo, durante os tumultos aquando da queda de Mubarak, que acabou por ser atacada e violada.

Yoani Sanchez Cuba

As fig

pod “o

Começaram revo empresas e ao to outras mulheres preconceitos, cri mulheres sem m Sem medo de se Stas são apenas a Hoje é o seu dia.

angelina jolie EUA

Re

Estamos a falar de jazz, mas também do nosso buffet. A VOZ E O TALENTO FAZEM DELE UMA EXCELENTE COMPANHIA PARA O SEU JANTAR. NÃO PERCA ESTE SÁBADO MAIS UM DELICIOSO BUFFET CHEIO DE RITMO. Situado junto às Ruínas de São Paulo, este é um espaço onde irá encontrar o que de melhor tem Portugal. Aberto todos os dias das 10:00 às 19:00 horas e aos sábados das 10:00 às 23:00 horas, com serviços de “petiscos” tradicionais e provas de vinhos, queijos e enchidos temperados com fado, a música da alma portuguesa. VENHA RECORDAR A QUE SABE PORTUGAL

pág 10

Dilma Rousseff Brasil

Meryl Streep

quinta-feira, 08 de m


especial

guras mais

derosas outra metade do céu” na

oluções, abriram escolas, lançaram discos, chegaram ao topo de opo de países – foras as primeiras, desbravaram caminhos para s. E estão a transformar o mundo. Lentamente. Enfrentando iticas e muitas resistências. A revista “Newsweek” elegeu 150 medo. Sem medo de serem diferentes. Sem medo de represálias. e fazerem ouvir: De Cabul a Copenhaga. De Detroit a Pequim. algumas das mulheres corajosas que fazem o mundo avançar. . Maria João Caetano

Christine Lagarde França

Kristen Wiig EUA

NO

NAS

NO

Mostrar coragem com luvas de boxe ou de raquete na mão

Chegar ao topo a cantar, a representar, a escrever ou a realizar

Diferentes maneiras de lutar pelos direitos das mulheres

A tenista norte-americana Serena Williams já venceu 13 torneios do Grande Slam e, embora esteja a atravessar um período de lesões que a têm afastado dos courts, se há algo que sabemos sobre Serena é que ela não desiste facilmente. Aos 31 anos tenciona participar nos Jogos Olímpicos ao lado de Andy Roddick. Não são muitas as desportistas que aparecem na lista da Newsweek, mas entre elas há duas tenistas: além de Serena, Na Li, a chinesa que se recusou a integrar o programa nacional de desporto. Sozinha, sem apoio mas com liberdade para escolher o treinador e os destinos da sua carreira, Li Na acabou por no ano passado vencer em Roland-Garros. Foi a primeira asiática a consegui-lo. Verdadeiras lutadoras são Hetal Dave, a única lutadora de sumo na Índia, e Claressa Shields, a pugilista americana de 16 anos.

Campeã de vendas, elogiada pela sua voz única, Adele é um exemplo e uma inspiração para mulheres em todo o mundo. Porque, aos 23 anos, não teve um percurso fácil, porque a sua carreira não se baseia no facilitismo e na imagem, e porque, chegada ao topo, tem sabido usar o seu poder mediático para defender algumas causas. Mas não é a única. Meryl Streep é a actriz mais nomeada para os Óscares (ganhou este ano, com a sua interpretação de Margaret Thatcher). Angelina Jolie usa a fama para defender as suas causas, por exemplo sendo uma das vozes dos refugiados nas Nações Unidas. Kristen Wiig, actriz e argumentista, é a comediante por trás do sucesso do filme “Bridesmaid”. São percursos muito diferentes, mas todas elas estão entre as mulheres que não temem ser diferentes e lutar por aquilo em que acreditam. Outros casos nesta lista: a realizadora e documentarista iraniana Tanaz Eshaghian; a escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie; a popular apresentadora de televisão americana Oprah Winfrey; ou a cantora de ópera russa Anna Netrebko. A lista não ficaria completa sem a polémica Lady Gaga que, mais do que cantora, é uma performer que se afirma tanto através de uma música como de um vestido ou de uma sessão de fotos.

No ano passado, o Prémio Nobel da Paz foi atribuído a três mulheres: Ellen Johnson Sirleaf, Leymah Gbowee (ambas da Libéria) e Tawakkul Karman (Iémen), pelo modo como cada uma tem lutado “pela segurança das mulheres e pelo seu direito à participação plena na construção de uma sociedade pacífica”. Sem surpresa, estas três mulheres estão na lista da Newsweek. Aliás, se a primeira é Presidente da Libéria, as outras são activistas, uma “categoria” que compõe o mais importante grupo entre as 150 mulheres “sem medo”. Há as activistas políticas, como Yoani Sánchez, a bloguer cubana que, em 2008, foi considerada uma das pessoas mais influentes do mundo com o seu blogue Geração Y. Ou como Aung San Suu Kyi, libertada em 2010 após 15 anos de prisão e galardoada com o Nobel da Paz, que é o principal exemplo da luta contra a ditadura na Birmânia. Ou a queniana Wahu Kaara. E há as inúmeras activistas pelos direitos das mulheres. Como Samira Ibrahim, a egípcia de 25 anos que, apesar de ter estado presa e ter sido torturada, afirma: “Não abdicarei dos meus direitos como mulher nem como ser humano.” Na lista encontramos também grupos de mulheres que lutam contra a discriminação: a Brigada Rosa, na Índia, e as Avós da Praça de Maio, na Argentina, são exemplos. JTM/DN

desporto

ARTES

lara logan África do Sul

Li Na China

ADELE eino Unido

reep EUA

25% DAS MULHERES NA EUROPA EM RISCO DE POBREZA. Uma em cada quatro (24,5%) mulheres europeias está em risco de pobreza, um valor superior ao dos homens (22,3%). De acordo com o gabinete de estatísticas da UE, a tendência verifica-se em todos os Estados-membros, incluindo Portugal, que supera a média europeia em ambos os sexos: 25,8% das mulheres está em risco de pobreza, ao passo que 24,8% dos homens estão em igual situação. O número total de mulheres europeias em risco de pobreza é de 62 milhões, de acordo com números de 2010, citados pelo Eurostat. Já nos homens, são 54 milhões os europeus em risco de pobreza.

ACTIVISMO

Tawakkul Karman Iémen

angela merkel Alemanha

março de 2012 jornal tribuna de macau

Serena Williams EUA

Claressa Shields EUA

Aung San Suu Kyi Birmânia

pág 11


volta ao MUND CHINA

O ministro de Recursos Humanos e Segurança Social da China, Yin Weimin, afirmou ontem que a situação geral do emprego no país está estável, mas ainda enfrenta uma pressão considerável. Durante uma conferência de imprensa da sessão anual da Assembleia Nacional Popular, Yin disse que a China precisa de criar em 2012 postos de trabalho para 25 milhões de habitantes nas cidades e 10 milhões nas zonas rurais.

RÚSSIA

O Presidente eleito da Rússia, Vladimir Putin, convidou ontem o magnata russo Mikhail Prokhorov, que ficou em terceiro lugar nas presidenciais de domingo, a participar no seu novo governo. “Mikhail Dimitrievich (Prokhorov) é uma pessoa séria, um bom empresário. Em princípio, poderia ser útil ao governo, se quiser”, declarou Putin, citado pelas agências russas. Putin pediu ainda à oposição russa que “ouça a voz do povo”, em alusão à recusa desta em reconhecer os resultados eleitorais.

ÍNDIA

Um jornalista indiano que colabora com a imprensa iraniana foi detido por suspeita de envolvimento no atentado contra um veículo diplomático israelita que causou quatro feridos em Fevereiro em Nova Deli, informou a polícia indiana. O detido, Syed Mohammed Kazmi, de 50 anos, terá estado em contacto com os autores materiais do ataque.

NORUEGA

Behring Breivik foi ontem formalmente acusado pelo Ministério Público norueguês de dois actos de terror e de 77 homicídios premeditados, segundo a imprensa norueguesa. A acusação contém 119 nomes, entre mortos e feridos com gravidade. Breivik cometeu a 22 de Julho um atentado à bomba contra um edifício governamental em Oslo, tendo seguido para a ilha de Utøya, onde matou 68 pessoas, num acampamento de jovens do Partido Trabalhista.

IRÃO

O chefe do Conselho Nacional de Segurança de Israel, Yaacov Amidror, felicitou a retoma do diálogo das Nações Unidas com o Irão sobre o seu programa nuclear, mas alerta para a possibilidade de fracasso. “Estou muito satisfeito com a retoma das negociações entre o Irão e as grandes potências, sobretudo se resultar no abandono pelo Irão do seu programa nuclear, mas devemos prepararmo-nos para o seu fracasso”, afirmou Amidror em declarações à rádio pública israelita.

AFEGANISTÃO

Seis Soldados britânicos estão desaparecidos depois de o veículo blindado em que viajavam ter sido atingido por uma explosão, indicou ontem o Ministério da Defesa do Reino Unido. O referido ministério está a tentar estabelecer as circunstâncias da explosão e o paradeiro dos seis militares britânicos, que patrulhavam a província de Helmand, no sul do Afeganistão.

actual

CADÁVERES DE ESTRANGEIROS ENCONTRADOS EM HOMS. As autoridades sírias afirmam ter descoberto no bairro de Baba Amr, em Homs, vários cadáveres de estrangeiros, incluindo o de um europeu suspeito de dirigir os rebeldes sírios, noticiou ontem a imprensa síria.

EUA

Romney venceu seis estados mas Obama é que tem ganho O ex-governador de Massachusetts Mitt Romney ganhou no Alasca, Ohio, Idaho, Virgínia, Vermont e Massachusetts, mas as sondagens salientam que a “luta” republicana tem ajudado o Presidente Obama

M

itt Romney foi o grande vencedor na superterçafeira, quando estavam em disputa 437 delegados à convenção nacional republicana de Tampa (Florida), um quarto do total em disputa. Os candidatos precisam de 1144 para alcançar a a nomeação e Romney tem agora 356, contra os 157 de Santorum. Mas apesar da vitória, o milionário Romney não convenceu por completo. No estado do Ohio, um dos mais importantes e disputados, a sua vitória foi “por um fio”: 38% contra 37% de Santorum. “Ganhámos no Oeste, Centro-Oeste e Sul e estamos prontos para ganhar em todo o país”, afirmou o exsenador da Pensilvânia. A Geórgia era o Estado em que estavam em jogo mais delegados (76) e destoou, dando a vitória a Newt Gingrich, que ali tem raízes pessoais e políticas. É a segunda conquista do antigo líder da Câmara dos Representantes, depois da vizinha Carolina do Sul. Nos outros estados, Gingricht teve votações irrisórias, o mesmo acontecendo a Ron Paul. Com as vitórias para os três principais candidatos, a superterça-feira voltou a mostrar a profunda divisão dentro do eleitorado republicano, a oito meses das presidenciais. No total, desde Janeiro, Romney venceu em 13 estados, Santorum em seis e Gringrich em dois. Na sequência dos resultados, contem conhecidos, nenhum dos quatros candidatos afirmou desistir. Rick Santo-

rum que ganhou Dakota do Norte, Tennessee e Oklahoma, anunciou mesmo preparar-se para disputar a nomeação até ao fim. Analistas ouvidos pela CNN durante a noite de superterça-feira avançaram com dados de sondagens que mostram que a “luta” pela nomeação republicana tem ajudado o Presidente Barack Obama a subir nas intenções de votos. “No meio dos ataques entre os candidatos republicanos, o único que aparece a tratar dos graves problemas do país é Obama”, salientou um dos membros do painel da CNN, perante o assentimento geral dos outros.

SÍRIA

Vaga de refugiados para o Líbano ACNUR fala em duas mil pessoas que atravessaram a fronteira desde o fim de semana. Exército bombardeou ponte na véspera da chegada da representante da ONU patrícia viegas

A

s forças fiéis a Bachar al-Assad bombardearam, esta terça- feira, uma ponte junto a Qousseir, na província de Homs, utilizada pelos refugiados sírios, nomeadamente feridos, que fogem para o Líbano”, indicou ontem à AFP Rami Abdel Rahmane, líder do Observatório sírio dos Direitos do Homem, precisando que a referida ponte ficava muito perto da fronteira entre os dois países. E precisou: “As autoridades tentam fechar todos os acessos entre o Líbano e a Síria, nomeadamente na região de Qousseir e Tall Kalakh.” Ambas ficam na zona de Homs. O jornal britânico Telegraph refere que a ponte ficava na aldeia de Rableh, a três quilómetros da fronteira libanesa. E é a mesma que, na semana passada, serviu para retirar de Homs a jornalista francesa ferida Edith Bouvier, disse Hadi Abdallah, um aCtivista sírio, citado pelo mesmo jornal. “A ponte foi atingida por disparos de artilharia. E agora já não pode ser utilizada”, acrescentou o responsável, que falou por telefone, a partir da capital libanesa, Beirute.

O ACNUR alertou que, durante o fim de semana, distribuiu com os seus parceiros junto à fronteira comida e ajuda aos sírios que vinham em fuga de Homs. E situou o número em pelo menos duas mil pessoas. Uma portavoz da agência das Nações Unidas que é liderada pelo ex-primeiro- ministro português António Guterres indicou ainda que “há muitas mais centenas de refugiados” no vale de Bekaa no Líbano. O ACNUR diz que desde o início da revolta contra o regime de Assad, a 15 de Março de 2011, 7 058 já se registaram

pág 12 quinta-feira, 08 de março de 2012 jornal tribuna de macau

no Líbano. Os refugiados que chegam ao norte do Líbano levam como única bagagem a roupa que têm vestida no corpo, vivem em condições miseráveis e são albergados por famílias libanesas ou abrigamse em escolas abandonadas. A televisão, refere a AFP, é a única via que têm para saberem notícias da sua cidade e do seu país. A Cruz vermelha tem feito o que pode para ajudar as populações de Homs, onde nem os feridos internados no hospital parecem conseguir escapar às barbaridades dos fiéis ao regime de Assad. A responsável pelas operações humanitárias da ONU chegou ontem à Síria para fazer um levantamento das necessidades no terreno. Valerie Amos deverá também preparar a visita de Kofi Annan, ex-secretário-geral da ONU, enviado especial das Nações Unidas e da Liga Árabe que é esperado sexta-feira na Síria. A França avisou já que espera que Amos tenha acesso incondicional a todas as partes do país e não seja obrigada a ficar só na zona de Damasco. Aí ainda é Assad quem mais ordena. Citado pela agência oficial Sana, o chefe do Estado sírio insistiu na mesma tecla: “O povo sírio provou a sua capacidade para defender a pátria e construir uma nova Síria com a sua determinação para continuar as reformas paralelamente à luta contra o terrorismo apoiado pelo estrangeiro.” JTM/DN


OITO EMPRESAS PORTUGUESAS À CONQUISTA DE XANGAI. Oito empresas portuguesas de calçado e vestuário participam na feira internacional de moda iniciada ontem em Xangai, na maior representação do género na “capital económica da China”, destinada a atrair a nova classe média local.

actual

CINCO CHINESES ENTRE OS 83 HOMENS MAIS RICOS DO MUNDO. Cinco chineses, quatro dos quais de Hong Kong, têm uma fortuna superior a 10 mil milhões de dólares, figurando entre os 83 homens mais ricos do planeta, segundo um estudo divulgado ontem na imprensa chinesa.

PORTUGAL

Vacas magras deram superpoderes às Finanças A ninguém surpreenderá que no actual momento em que o País vive o Ministério das Finanças seja o mais importante do Governo e o seu titular, neste caso Vítor Gaspar, um governante com superpoderes, desde logo sendo ministro de Estado e das Finanças EDUARDA FROMMHOLD

A

inda antes do pedido de ajuda externa, o Governo de José Sócrates já tinha aprovado um reforço de poderes do ministro das Finanças, então Teixeira dos Santos, nomeadamente no controlo da admissão de funcionários públicos – a famosa regra da redução de dois funcionários por cada nova contratação – e utilização de saldos de entidades públicas, incluindo cortes nos gastos com viaturas e comunicações. Estas três medidas faziam parte do decreto que estabelecia as normas de execução do Orçamento do Estado para 2010. Aliás, o próprio decreto-lei que aprovava a lei orgânica do Ministério das Finanças, no final de 2006 já introduzia alterações que iam no mesmo sentido – dar mais poderes ao Ministério das Finanças –, entre elas um reforço da função fiscalizadora da Inspeção-Geral de Finanças. A lei orgânica que lhe sucedeu com o Governo de Pedro Passos Coelho, em Dezembro de 2011, já com o País sob o programa de ajustamento da troika, é explícita quanto a ser o Ministério das Finanças incumbido de prosseguir “a missão de definir e conduzir a política financeira do Estado e as políticas da administração pública, agora reforçadas pela extensão do controlo e fiscalização sobre as autarquias locais e em áreas cruciais ligadas à gestão de recursos hu-

manos da administração pública”. Também no que se refere à recente polémica sobre a quem cabe o quê na questão dos fundos de Bruxelas enquadradas no Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), a mesma lei já previa, na alínea c, do número 2 do artigo 25. º , que “o Ministério das Finanças actua ainda em articulação com o membro do Governo responsável pelas áreas da economia e do emprego, quanto à definição de orientações, acompanhamento, avaliação e controlo global da gestão e execução dos investimentos financiados por fundos europeus, no âmbito da política de coesão, e em articulação com os membros do Governo responsáveis pelas respectivas estruturas de gestão”. Quanto às contratações do Ministério da Educação terem de passar pela aprovação do titular das Finanças, como noticiou a comunicação social, fonte do Ministério das Finanças alertou para o facto de o mesmo estar previsto em um despacho conjunto dos ministros da Educação e das Finanças de 2007, daí não resultando, portanto, nenhum poder acrescido para Vítor Gaspar.

Não é de admirar que, com o fantasma do défice como pano de fundo e sendo a prioridade o saneamento das contas públicas sob o olhar atento da troika, tudo o que implique mais despesa e gestão de dinheiros passe pelo crivo das Finanças. O reforço dos poderes de Vítor Gaspar foi mesmo defendido pelo seu antecessor, Teixeira dos Santos, quando da aprovação do Orçamento para 2012, “condição necessária mas não suficiente para que o País ultrapasse a crise”, na sua opinião. “É fundamental reforçar os instrumentos de acompanhamento, controlo e de correcção no âmbito da execução orçamental e para isso acho fundamental reforçar os poderes do Ministério das Finanças neste domínio”, afirmava o anterior ministro em Dezembro de 2011. Também o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, já tinha defendido, cerca de um mês antes, o reforço das funções do ministro das Finanças, Vítor Gaspar, que na sua opinião tem de ter poder “sobre todas as entidades com impacto imediato ou potencial nas contas”, para evitar surpresas na execução orçamental. Na óbvia função de conceber e executar a política fiscal, talvez o ato mais arrojado de Vítor Gaspar tenha sido a criação do imposto extraordinário equivalente a 50% do subsídio de Natal em 2011 e o corte ou eliminação dos subsídios de férias e de Natal dos funcionários públicos e pensionistas em 2012, além do exigido pela troika. Com o cumprimento das metas do défice por mira, também não espanta que o ministro tenha uma palavra a dizer nas despesas de acção social e que a negociação sobre a transferência dos fundos de pensões da banca não tenha dispensado a sua coordenação. JTM/DN

Peregrinos de Santiago preferem Portugal

Agridem os técnicos do rendimento social

Caminho. 22 mil crentes usaram a rota portuguesa em 2011 em direcção a Compostela

Famílias a quem foi retirado o subsídio nos últimos meses começaram a ameaçar e vandalizar veículos dos profissionais roberto dores

FILIPA AMBRÓSIO DE SOUSA

O

H

á o lado da fé, claro, e depois há também a mística deste percurso: as aldeias são fantásticas, os sítios igualmente. É uma experiência que mesmo para quem tenha menos fé ganha sempre alguma coisa”, explica Diogo Palhinha, 31 anos, que percorreu já por duas vezes o caminho português de peregrinação até Santiago de Compostela. O número de peregrinos que passaram por Portugal rumo à cidade espanhola quase duplicou entre 2009 e 2011, consagrando o itinerário português como aquele que actualmente regista um maior aumento de procura. Segundo o que a Associação Espaço Jacobeus (AEJ) avançou à Agência Ecclesia, “foram 22 062 os peregrinos que seguiram este itinerário” durante 2011, entre os quais 6048 portugueses, 8196 espanhóis e 2557 alemães. Uma experiência cuja apoteose é a chegada ao destino, conta Diogo. “E depois há a chegada a Santiago: passamos de uma paisagem e experiência rurais para uma zona histórica com pessoas de todo o mundo. É muito bom, mesmo”, explica . “A primeira vez que fui foi em 1998, mas dessa vez tinha partido o dedo do pé e tive de ir de carro e o resto do grupo de bicicleta. Na segunda, já fiz o percurso a pé, durante quatro dias.”

Contactado pelo DN, o presidente da Associação dos Amigos do Caminho Português de Santiago, João de Abreu Lima, avança que de Agosto de 2010 a Março deste ano passou 497 credenciais para os peregrinos poderem optar por esse percurso. “Apesar de não termos números anteriores a estes, claramente que é uma grande subida, apesar dos pedidos que nos são feitos serem apenas representativos e não serem dados totais”, explica o responsável. “Este caminho vive à custa do voluntariado e temos uma óptima estrutura em termos de segurança, de comodidade e óptimos estabelecimentos”, diz a mesma fonte. O ponto de partida “mais escolhido” de entre os caminhos portugueses, no ano passado, foi a região do Porto, com perto de sete mil peregrinos, entre os quais cerca de dois mil representantes nacionais. Ponte de Lima, Lisboa, Braga e Chaves são as outras cidades preferidas para iniciar a peregrinação. JTM/DN

s cerca de 50 técnicos das equipas que acompanham os beneficiários do rendimento social de inserção (RSI) em Setúbal dizem que estão a trabalhar num clima de terror. Segundo denunciaram os próprios psicólogos, sociólogos e assistentes sociais, são várias as famílias a quem foi retirado o subsídio nos últimos meses que começaram a ameaçar, a agredir e a vandalizar as viaturas dos profissionais. Contactada pela DN, a Segurança Social garante estar a avaliar a situação. Ontem, foi a própria Equipa Multidisciplinar de Apoio ao Tribunal (EMAT) que aconselhou uma das instituições da cidade que presta este serviço a não abrir portas, ficando os funcionários barricados no seu interior. A Segurança Social tinha retirado os cinco filhos a um casal problemático, a quem recentemente fora cortado o RSI e que já havia mesmo agredido um professor, pelo que as autoridades receavam represálias. “Não somos nós que retiramos as crianças, mas como fazemos domicílios para ajudar na reinserção é a nós que conhecem e pensam que a decisão é nossa”, diz uma psicóloga. Reclamando anonimato, os técnicos relataram ao DN que já são raros os colegas que não sentiram na pele “todo o tipo” de ameaças e intimidação quando vão avaliar as famílias a casa. Há mesmo quem ponha

armas à vista, avisando que sabe onde o profissional mora e até a escola que os filhos frequentam. Recentemente, um técnico foi agredido à chapada, mas um dos últimos episódios foi o de uma família que no dia em que soube que iria perder o RSI perseguiu os carros e destruiu viaturas das equipas multidisciplinares, havendo elementos que deixaram de usar os seus automóveis. Por exemplo, enquanto na Associação Cristã e Mocidade foi preciso chamar a polícia seis vezes num mês face aos focos e conflito sempre que o RSI foi retirado a alguém, na Associação Batista Shalom sabe-se quem é o indivíduo que destrói os carros da instituição, mas ainda não houve flagrante delito. “Nós temos de fazer um trabalho imparcial, mas não temos segurança nenhuma junto de pessoas que vêem o RSI como salário adquirido”, lamentam. Os técnicos dizem que há cada vez mais medo sempre que é preciso deslocar uma equipa às casas de algumas pessoas que se sabe não terem condições para receber o RSI, porque nada fazem pela sua reintegração. As equipas já se queixaram à Segurança Social em Setúbal, que lhes disse apenas para continuarem, podendo os casos “mais perigosos” ser tratados no edifício do centro regional. “O problema é que eles continuam a saber quem somos”, resume uma socióloga. JTM/DN

jornal tribuna de macau quinta-feira, 08 de março de 2012 pág 13


CHELSEA VENCE NA TAÇA DE INGLATERRA. Raul Meireles e Mata marcaram na vitória por 2-0 do Chelsea no terreno do Birmingham, em jogo em atraso dos oitavos de final da Taça de Inglaterra de futebol. Na próxima fase o Chelsea, agora comandado interinamente por Roberto Di Matteo, terá pela frente o Leicester City, da segunda divisão.

desporto

MARSELHA MAIS LONGE DA LIGA DOS CAMPEÕES. O Marselha desperdiçou a oportunidade de se aproximar dos lugares da frente do campeonato francês de futebol e do acesso à Liga dos Campeões, ao perder no terreno do Evian-Thonon, por 2-0.

O “plano” de Villas-Boas para o Inter Imprensa italiana já projecta “onze” do português. Fernando prioritário, mas há mais gonçalo lopes

E

m Itália não há dúvidas: André Villas-Boas será o novo treinador do Inter de Milão na próxima temporada. E mais: o ex-treinador do FC Porto poderá recrutar vários jogadores aos azuis-e-brancos, com o médio Fernando à cabeça. Segundo o jornal Tuttosport, André Villas-Boas tem tudo apalavrado com o Inter para a nova temporada. “A informação que temos é que está escolhido. Também por isso, Moratti não está muito interessado em encontrar já um substituto imediato para Ranieri”, começou por dizer ao DN Andrea Berzatti, jornalista do Tuttosport, revelando também o interesse em Fernando: “Já no ano passado tentaram a sua contratação, e com a chegada de Villas-Boas essa hipótese é ainda mais séria. Eles querem o jogador, mas também dependerá do novo treinador, que acreditamos ser o português”, referiu. Apesar de Massimo Moratti, presidente do clube, ter referido que tudo não passava de “boatos”, durante terça-

Fernando poderá reencontrar Villas-Boas na próxima época

feira surgiram notícias também sobre o interesse em mais cinco jogadores dos azuis-e-brancos. Guarin, que está emprestado aos “nerazurri”, Alvaro Pereira, Cristián Rodríguez, James Rodríguez e Hulk são os nomes apontados pela imprensa transalpina como prováveis reforços dos italianos. Este interesse, contudo, adivinha-se complicado de

concretizar, muito devido à frágil situação económica por que passa o clube de Milão. De todos estes, Cristián Rodíguez, que termina contrato no final da temporada, e Guarín, com opção de compra de 11 milhões de euros, parecem ser os mais “credíveis”. Os restantes parecem quase impossíveis dado que, por Fernando e Alvaro Pereira, a SAD portista não admite propostas abaixo dos 20 milhões de euros por cada, enquanto James Rodríguez tem uma cláusula de 45 milhões e Hulk de 100. Por este último, refira-se, também em Itália a Juventus está entre os interessados. A cláusula de 100 milhões parece, no entanto, assustar a “vechia signora”, que só estaria disposta a chegar aos 30 milhões pelo brasileiro. HIPÓTESE ROMA NEGADA. Entretanto, na terça-feira foi veiculado um alegado encontro entre André VillasBoas e a Roma. O empresário do treinador português, no entanto, desmentiu tal contacto. “Estou em Londres com o André e não tivemos qualquer contacto com a Roma. Ele ainda está a reflectir no que aconteceu no Chelsea e, definitivamente, não quer pensar em mais nada. Não sei qual é a origem dessa notícia, sendo certo que respeitamos uma grande equipa e um grande clube como a Roma”, salientou Carlos Gonçalves. JTM/DN

Recorde de técnicos estrangeiros na China A Super Liga chinesa começa no próximo sábado com um número recorde de técnicos estrangeiros, entre os quais os portugueses Jaime Pacheco e Nelo Vingada, que estão à frente do Beijing GuoAn e do Dalian Shide, respectivamente

P

ela primeira vez desde que a China autorizou a profissionalização do futebol, há 20 anos, apenas três das 16 equipas que disputam a prova são orientadas por locais e, num caso destacado pela imprensa oficial, a equipa técnica estrangeira ganha 40 vezes mais do que um treinador chinês. O caso diz respeito ao francês Jean Tigana e adjuntos, contratados pelo Xangai Shenhua por três milhões de euros. Este ano, o Xangai Shenhua já contratou também o ex-internacional francês Nicolas Anelka e, segundo o jornal China Daily, está a tentar contratar Didier Drogba. Mas a equipa considerada mais rica é o Guangzhou Evergrande, que na época passada ganhou a Super Liga, com uma vantagem de 15 pontos sobre o segundo classificado, o Beijing GuoAn, orientado por Jaime Pacheco. O presidente e proprietário do Guangzhou Evergrande, Xu Jiayin, é um dos empresários mais ricos da China, com uma fortuna estimada em 43 mil milhões de yuan (5,18 mil milhões de euros).

No primeiro jogo da Super Liga de 2012, o Beijing GuoAn recebe o Guangzhou R&F, que ascendeu este ano à primeira divisão, e o Dalian Shide também joga em casa, frente ao Changchun. É a segunda temporada consecutiva de Jaime Pacheco e Nelo Vingada na China, mas, no segundo caso, a experiência só começou no Verão passado, quando o Dalian Shide corria o risco de descer à segunda divisão. Sob a direção de Nelo Vingada, o Dalian Shide evitou a despromoção e, entretanto, Jaime Pacheco foi considerado “o treinador do ano” na China pelo mais importante semanário desportivo do país. Apesar de ter herdado uma equipa desfalcada dos seus melhores jogadores e desmoralizada pelo modesto quinto lugar alcançado na época anterior, o antigo treinador do Boavista conseguiu elevar o Beijing GuoAn ao segundo lugar da tabela e qualificar-se para a Liga dos Campeões Asiáticos. JTM/Lusa

TRIBUNAL JUDICIAL DE BASE Juízo Cível ANÚNCIO

ICQ dental team is a group of dental specialists with internationally recognized qualifications. We provide all range of dental services: − Oral examination and radiology investigation − Restorative and Cosmetic Dentistry − Children Dentistry − Orthodontic Treatment − Oral and Dental implant Surgery – Endodontic Treatment − Periodontal Treatment − Emergency Treatment We are committed to deliver high quality dental services with personalized care. We ensure the highest level of infection control.

Website:www.icqoral.com

Consultation by appointment:

Acção Ordinária nº CV1-12-0011-CAO

Autores: Wong, Sandy San Yee, casada, residente em Hong Kong, Flat C, 6/F, Block 3, Phoenix Court, 39 Kennedy Road, Mid Levels. Réus: 1º - Herdeiros desconhecidos de Chong Si ou Cheong San Kei e Cheong Lok I; 2º - demais Interessados incertos. Faz-se saber que, por esta Secção, correm éditos de Trinta Dias, contados da segunda e última publicação este anúncio, citando os Réus acima identificados, para no prazo de Trinta dias, decorrido que sejam os dos éditos, contestarem a Acção Ordinária, cujo pedido resumidamente consiste em: Ser a autora declarada para todos os legais efeitos, designadamente para efeitos de registo, única e plena proprietária do prédio urbano sito em Macau, Taipa, na Rua dos Clérigos, antigos nºs 37 e 37-A, actualmente com o nº 42, descrito na Conservatória do Registo Predial de Macau sob o nº 8977, a fls. 294 do Livro B25, inscrito na Matriz Predial Urbana sob o artigo 40407-00, por aquisição orginária por usucapião, nos termos e ao abrigo do disposto nos artºs 1212º e ss., 1221º, 1179º e 1180º do Código Civio. Tudo como melhor consta da petição inicial, cujo duplicado se encontra nesta secretaria à disposição do citando. A intervenção do citando no autos implica a constituição de advogado - art 74º do C.P.C. de Macau. R.A.E.M., aos 29 de Fevereiro de 2012. A Juiz de Direito, Kan Cheng Ha A Escrivã Judicial Principal, Ana Capelo

Mon to Sat: 10:30am - 7:30pm Sun: 10:30am - 2:00pm Tue and public holidays: closed

Tel: 28373266 Fax: 28356483 Email: appoint@icqoral.com Avenida da Praia Grande, Nº 665, Edifício Great Will, 2º Andar A

pág 14 quinta-feira, 08 de março de 2012 jornal tribuna de macau

1° Juízo Cível

2ª Vez

“JTM” - 8 de Março de 2012

TRIBUNAL JUDICIAL DE BASE Juízo Cível ANÚNCIO

Execução Ordinária nº CV2-11-0001-CEO

2° Juízo Cível

Exequente: BANCO NACIONAL ULTRAMARINO, SA, com sede em Macau, na Avenida Almeida Ribeiro, n.º 22 Executado: lun Kai Cheong (袁繼祥), masculino, de nacionalidade chinesa, com última residência conhecida em Macau, no Pátio do Cordeiro, n.º 10, rés-do-chão, ora ausente em parte incerta. Correm éditos de trinta (30) dias, a contar da segunda e última publicação do anúncio, citando o executado acima identificado, para no prazo de vinte (20) dias, decorrido que seja o dos éditos, pagar ao exequente a quantia de MOP39.521,96 (trinta e nove mil, quinhentas e vinte e uma patacas e noventa e seis avos), e os acréscimos legais ou, no mesmo prazo, nomear bens à penhora suficientes para o pagamento da quantia exequenda, ou no mesmo prazo, deduzir oposição por embargos ou nomear bens à penhora, sob pena de, não o fazendo, ser devolvido ao exequente o direito de nomeação de bens à penhora, seguindo o processo os ulteriores termos até final à sua revelia. Tudo conforme melhor consta do duplicado da petição inicial que neste 2.º Juízo se encontra à sua disposição e que poderá ser levantado nesta Secretaria Judicial nas horas normais de expediente. Foram lavrados o presente edital e dois duplicados, com o mesmo teor, afixados no lugar determinado pela lei. Macau, 19 de Julho de 2011. A Juiz, Cheong Un Mei O Oficial de Justiça, Cheong Io Wa

2ª Vez

“JTM” - 8 de Março de 2012


MANUEL CAJUDA COLOCOU LUGAR À DISPOSIÇÃO. Manuel Cajuda colocou o lugar à disposição no comando da União de Leiria, aguardando-se ainda uma decisão da SAD. Segundo Mário Cruz, presidente do clube, Cajuda e restantes técnicos “puseram o lugar à disposição sem exigências”, mas “não houve aceitação da SAD até ao momento”.

AZERBAIJÃO E GEÓRGIA QUEREM ORGANIZAÇÃO DO EURO2020. O Azerbaijão e a Geórgia pretendem candidatar-se a uma organização conjunta ao Europeu 2020 de futebol, revelou ontem o presidente georgiano Mikheil Saakashvili.

desporto

LIGA DOS CAMPEÕES

Benfica com 20 milhões nos cofres Terceira presença entre os oito finalistas na era moderna da prova milionária carlos nogueira

S

eis anos depois, o Benfica voltou a garantir um lugar entre as oito melhores equipas da Europa, dando um pontapé certeiro numa crise que começara precisamente com a derrota por 3-2 frente ao Zenit na primeira mão destes oitavos de final da Liga dos Campeões, há três semanas, na Rússia. Desde aí, a equipa somou três derrotas e um empate e, mais do que isso, deitou pela janela cinco pontos de vantagem na Liga portuguesa, onde está agora a três pon-

tos do FC Porto. Só que o que começou com o Zenit parece ter terminado com o Zenit. O Benfica retomou o caminho das vitórias – a última tinha sido a 11 de Fevereiro com o Nacional – e garantiu mais 4,1 milhões de euros na Champions, totalizando agora 20 milhões nesta caminhada europeia que se iniciou a 27 de Julho, na Luz, com uma vitória por 2-0 sobre o Trabzonspor. A vitória permite desde já a Jorge Jesus igualar o feito do holandês Ronald Koeman na época 2005/06, em que depois de eliminar o campeão europeu Li-

Arsenal ainda sonhou O Arsenal precisava de um autêntico milagre para atingir os quartos de final, depois de ter sido goleado em Itália, por 4-0, mas ao intervalo os adeptos dos “gunners” acreditavam que tal era possível. Logo aos sete minutos, o defesa francês Koscielny inaugurou o marcador, com o checo Rosicky e o holandês Van Persie, na marcação de uma grande penalidade, a recolocarem o Arsenal no caminho da fase seguinte. Contudo, na segunda parte os londrinos não conseguiram igualar a eliminatória, com o capitão Van Persie a desperdiçar ainda uma grande oportunidade, ao tentar um “chapéu” já na pequena área, permitindo a defesa a Abbiati. O sorteio da próxima ronda será efectuado a 16 de Março, em Nyon. A primeira mão dos quartos de final está marcada para 27 e 28 de Março e a segunda para 3 e 4 de Abril.

verpool, com uma fantástica vitória por 2- 0 em Anfield, não conseguiu ultrapassar o Barcelona de Ronaldinho Gaúcho, Deco, Eto’o e companhia nos quartos de final. Esta é a 15. ª vez na sua história que o Benfica alcança esta fase da prova – mas a terceira apenas nesta moderna e milionária era da Liga dos Campeões. Nas duas ocasiões anteriores, a equipa da Luz foi sempre eliminada nesta fase, primeiro em 1995 diante do AC Milan, era então Artur Jorge o treinador, e em 2006 frente ao Barça. O 197. º jogo do Benfica na Taça/ Liga dos Campeões, disputado na Luz frente ao Zenit, foi perfeito para Jorge Jesus, que pode orgulhar-se de ser o treinador do Benfica com mais jogos europeus (40), deixando o sueco Sven-Goran Eriksson para trás. E, com as duas partidas que irá disputar nos quartos de final, tem já garantido que irá igualar o registo de Jaime Pacheco, que à frente do Boavista disputou 42 desafios internacionais, recorde em Portugal no comando de uma só equipa. Além disso, Rodrigo recebeu uma bela prenda pelo seu 21. º aniversário,

Nélson Oliveira estreou-se a marcar na “Champions”

e Nélson Oliveira, outra joia da coroa encarnada, teve um baptismo de sonho na UEFA ao marcar o seu primeiro golo e logo na mítica Liga dos Campeões, a maior montra do futebol europeu. JTM/DN

LIGA EUROPA

“Leões” contra as probabilidades O Sporting joga hoje em casa frente ao Manchester City na primeira mão dos oitavos de final da Liga Europa. A equipa inglesa é claramente favorita e um dos principais candidatos a vencer a competição, mas os “leões” jogam em casa e terão certamente uma palavra a dizer pedro andré santos

O

lhando para as equipas em competição, excluindo talvez o Manchester United, dificilmente o Sporting teria um adversário mais complicado do que o Manchester City para os oitavos de final. De resto, os “leões” já sabiam que iam defrontar os “citizens” ou o Futebol Clube do Porto nesta ronda caso eliminassem os polacos do Légia. Infelizmente o duelo entre equipas portuguesas não se concretizou, cabendo ao Sporting tentar “vingar” os “dragões” que acabaram por sofrer

Carriço celebra uma vitória, um cenário que a equipa espera repetir esta noite

duas derrotas frente aos ingleses. A troca de Domingos por Ricardo Sá Pinto pouco ou nada tem trazido em termos de melhorias ao Sporting, mas a “raça” do novo treinador poderá vir a ser decisiva para arrancar um resultado positivo na recepção ao líder

da liga inglesa. Mas para conseguir vencer esta partida a equipa verde-e-branca terá que realizar uma exibição a roçar a perfeição, esperando ainda que o adversário esteja em dia não. O principal problema estará com certeza na defesa leonina, debilitada face à ausência de Onyewu, com Polga fora de forma e Xandão a realizar exibições com alguns altos e baixos. Como se não bastasse, na frente do City estão jogadores com grande poderio ofensivo, como Aguero, Balotelli ou Dzeko, que raramente falham uma oportunidade em frente à baliza. Também no meio-campo se sentirá a ausência de Rinaudo que tanta falta tem feito no “miolo” do terreno. Carriço, que o tem substituído, está claramente alguns furos abaixo do argentino. Um empate poderá deixar ainda tudo em aberto para o jogo da segunda mão, mas a jogar em casa o Sporting não poderá procurar outro resultado que não seja a vitória, pelo menos se tiver pretensões de seguir em frente na competição. A partida, recorde-se, terá transmissão na TDM a partir das 2h.

SELECÇÃO PORTUGUESA

“Não há prémios carreira para o Euro 2012” Paulo Bento, seleccionador nacional, adoptará critério de justiça para fazer convocatória final para o Euro 2012

P

aulo Bento explicou que não irá premiar jogadores quando tiver de escolher os atletas que irão representar Portugal na fase final do Euro 2012, que terá palco na Polónia e na Ucrânia. “Prémio carreira é algo que não se justifica. Os treinadores não têm de fazer esse tipo de acções. Têm, sim, de tentar ser o mais justos possível. Entendo que em

determinados momentos alguns jogadores se possam sentir injustiçados, mas eu procuro fazer o melhor para a selecção nacional”, sublinhou Paulo Bento. Palavras do treinador português durante a cerimónia de assinatura do protocolo com a Câmara Municipal de Óbidos, local onde a selecção portuguesa irá estagiar, de 21 de Maio a 2 de Junho, na preparação para a presença no Europeu de futebol.

Paulo Bento admitiu, de resto, que tem a convocatória para o Europeu já praticamente definida na mente. “O grupo tem mantido a estabilidade. Não faz sentido que a dois meses da prova sofra grandes alterações. O grupo não está fechado, claro, continua em aberto. Vamos continuar a observar jogadores, claro, para compor o grupo, mas a estabilidade irá continuar”, co-

mentou o selecionador. Fernando Gomes, presidente da FPF, definiu Óbidos como “a capital do futebol português”. “A selecção nacional volta a um local que bem conhece. Um local que foi uma referência, onde foi muito feliz, em vésperas do Euro 2004, e onde terá excelentes condições para preparar, da melhor forma, a fase final do Euro 2012”, afirmou. Entretanto, foram anuncia-

dos dois desafios de carácter particular que a selecção portuguesa irá cumprir antes do início do Europeu na Polónia e na Ucrânia. No dia 2 de Junho, ainda sem hora determinada, Portugal jogará com a Turquia no Estádio da Luz. Antes, no dia 26 de Maio, medirá forças no Estádio Magalhães Pessoa, em Leiria, com a congénere da Macedónia. JTM/Lusa

jornal tribuna de macau quinta-feira, 08 de março de 2012 pág 15


Dito

... “É que nem todos são filhos de deputados com negócios a sugar os cofres públicos”

opinião

Vanessa Amaro in “Hoje Macau”

Há 20 anos In “Jornal de Macau” e “Tribuna de Macau” Fernando de Pádua*

08/03/1992

concurso para a etar começa hoje O concurso público internacional para a concepção, construção e exploração da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) da península de Macau abre hoje até 1 de Junho. A abertura das propostas concorrentes será efectuada em 2 de Junho. O concurso integra duas partes, das quais a primeira refere-se aos projectos e execução das instalações e a segunda à concessão para exploração da ETAR de Macau. A primeira fase inclui ainda a bombagem e a conduta de transporte de lamas até ao local onde, posteriormente, virá a ser construída a ETAR da Ilha da Taipa (o concurso público para aquele processo já se encontra em preparação), na qual serão tratadas as respectivas lamas. A ETAR da península de Macau destinase ao tratamento das águas e respectivo lançamento ao mar. De acordo com o gabinete do secretário-adjunto para os Transportes e Obras Públicas, a ETAR, à semelhança do que acontece nas estações de tratamento situadas em meios urbanos, terá um impacto ambiental quase nulo.

Os nossos conselhos sobre actividade física 1. A vida sedentária prejudica a saúde e facilita o aparecimento de muitas doenças. 2. Por outro lado a actividade física diária contribui para a melhoria da saúde, tanto física como mental, e reduz os riscos das doenças já estabelecidas: hipertensão arterial, doença coronária, insuficiência vascular cerebral, diabetes (do adulto), osteoporose, obesidade, doença pulmonar crónica, alguns reumatismos e até alguns cancros, e ainda melhora o colesterol. A actividade física reduz também os triglicéridos (outra gordura do sangue que pode facilitar doenças), e tem um efeito calmante e revigorante, contribuindo para reduzir a ansiedade e para uma sensação de bem-estar. 3. A vida diária convida permanentemente à inactividade física, de tal forma que o sedentarismo se tornou o factor de risco mais prevalente para as doenças que dependem de estilos de vida pouco saudáveis. 4. Devemos incluir a actividade física diária nos nossos tempos livres – pelo menos uma marcha a pé de 30 a 60 minutos –, de forma adequada para a idade e a condição clínica de cada um. 5. Cada um de nós deve usar também a sua própria imaginação e o seu gosto pessoal para introduzir mais actividade física no dia-a-dia: • Descer dos transportes na paragem anterior, ou parar o carro mais longe do em-

MCS – SERVIÇOS DE CATERING DE MACAU, S.A. (com sede em Macau, na Avenida de Wai Long, s/nº, Aeroporto Internacional de Macau, Edifício “Catering”, Taipa, registada na Conservatória dos Registos Comercial e de Bens Móveis sob o nº 10278)

CONVOCATÓRIA Nos termos e para efeitos do disposto no artigo 14º dos Estatutos é convocada a Assembleia-geral da sociedade “MCS – Serviços de Catering de Macau, S.A.” para, em sessão ordinária, reunir no próximo dia 30 de Março de 2012, pelas 15:00, no Mandarin Room, Hotel Lisboa, em Macau, com a seguinte ordem de trabalhos: 1. Apreciação e deliberação do Relatório, Balanço e Contas do Conselho de Administração e Parecer do Conselho Fiscal relativos ao exercício de 2011; 2. Apreciação e deliberação da proposta do Conselho de Administração relativa à distribuição de lucros; 3. Renovação do mandato do auditor; e 4. Outros assuntos de interesse social. Macau, 8 de Março de dois mil e doze. O Vice-presidente da Mesa da Assembleia-geral, António Ferreira

pág 16 quinta-feira, 08 de março de 2012 jornal tribuna de macau

prego • Subir as escadas (ou pelo menos alguns andares) em vez de usar o elevador • Jardinar • Dançar • Saltar à corda (mesmo sem corda…) • Passear o cão • Inscrever-se como sócio “militante” no ginásio ou clube desportivo mais próximo da sua residência ou do local de trabalho • Praticar regularmente pelo menos uma modalidade desportiva. 6. A actividade física diária deve iniciarse na infância, continuar na adolescência, mantê-la na vida adulta, incluindo no local de trabalho (não abandonar as amizades, e as actividades em grupo, ao constituir família) e levar a família para todos os recreios no exterior. Se entretanto tiver parado alguns anos, ou tiver engordado, não recomece o exercício físico, mesmo que gradualmente, sem ouvir o seu médico e fazer um exame ao coração (check-up). Depois da reforma (quando mais do que nunca a actividade física é necessária, e o conselho do seu médico também), poderá gozar uma velhice saudável. 7. A existência de uma doença crónica, inclusive do coração, não contra-indica a actividade física; pelo contrário torna-se muitas vezes acompanhante obrigatório dos outros tratamentos. É preciso contudo vigilância médica e doses adequadas, com programas combinando exercício e dieta.

8. Um conselho simples: para que a sua actividade física não seja excessiva procure não ultrapassar o nível em que pode continuar falando sem sentir dificuldade em respirar (sem “perder o fôlego”). Também pode verificar se a sua frequência cardíaca (pulsações por minuto) não excede 220 menos a sua idade (Ex: se tem 50 anos não deve ultrapassar os 220-50, ou seja, 170 por minuto). Se porventura sentir falta de ar, palpitações anormais, dor ou aperto a meio do peito, ou sensação de desmaio durante a actividade, consulte o seu médico! 9. Antes de terminar, relembro-lhe que, se introduzir uma qualquer actividade física razoável e salutar na vida de todos os dias, vai ser-lhe mais fácil acrescentar outros benefícios: • Manter uma alimentação equilibrada e inteligente • Reduzir ou parar de fumar • Consumir pouco álcool • Lidar com o stress, • Controlar a tensão arterial, a diabetes, o peso e o colesterol! Seja qual for a sua idade – jovem, trabalhador activo, ou menos jovem e reformado – vai sentir-se melhor, com mais saúde e mais bem-estar: activo e com qualidade de vida! *Professor Catedrático. Fundador do MOSCEP Movimento Mundial Saúde e Coração em Português

Banco Delta ásia, s.a.

Companhia de Seguros Delta ásia, s.a.

Convocatória

Convocatória

É convocada, nos termos legais e estatuários, para reunir em sessão ordinária, no dia 30 de Março de 2012, pelas 14:00 horas (sexta-feira), no Centro Administrativo do Banco Delta Ásia, no Largo de Santo Agostinho, em Macau, a Assembleia Geral do Banco Delta ásia, s.a., em chinês 滙業銀行股份有限 公司,e em inglês Delta Asia Bank Limited, registado na Conservatória dos Registos Comercial e de Bens Móveis de Macau sob o nº 457(SO), com o capital social de MOP210.000.000,00 com a seguinte ordem de trabalhos:

É convocada, nos termos legais e estatuários, para reunir em sessão ordinária, no dia 30 de Março de 2012, pelas 12:30 horas (sexta-feira), no Centro Administrativo do Banco Delta Ásia, no Largo de Santo Agostinho, em Macau, a Assembleia Geral da Companhia de Seguros Delta ásia S.A., em chinês 滙業保險股份有限公司,e em inglês Delta Asia Insurance Limited, registada na Conservatória dos Rgistos Comercial e de Bens Móveis de Macau sob o nº 1932(SO), com o capital social de MOP30.000.000,00 com a seguinte ordem de trabalhos:

1. Apreciação e deliberação sobre o balanço, a conta de ganhos e perdas e o relatório da adminstração, acompanhados do parecer do Conselho Fiscal e relatório dos auditores; 2. Eleição dos membros dos órgãos sociais; 3. Nomeação de auditores; 4. Determinação dos honorários dos membros do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal; e 5. Outros assuntos de interesse social. Nos termos das disposições legais aplicáveis, encontram-se na sede da sociedade, para consulta dos accionistas, o relatório, balanço e contas do Conselho de Administração, o parecer do Conselho Fiscal e o relatório dos auditores. Macau, aos 29 dias de Fevereiro de dois mil e doze. Pelo Presidente da Mesa da Assembleia Geral, Au Chong Kit, Stanley

1. Apreciação e deliberação sobre o balanço, a conta de ganhos e perdas e o relatório da adminstração, acompanhados do parecer do Conselho Fiscal e relatório dos auditores; 2. Eleição dos membros dos órgãos sociais; 3. Nomeação de auditores; 4. Determinação dos honorários dos membros do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal; e 5. Outros assuntos de interesse social. Nos termos das disposições legais aplicáveis, encontram-se na sede da sociedade, para consulta dos accionistas, o relatório, balanço e contas do Conselho de Administração, o parecer do Conselho Fiscal e o relatório dos auditores. Macau, aos 29 dias de Fevereiro de dois mil e doze. Pelo Presidente da Mesa da Assembleia Geral, Au Chong Kit, Stanley


(...) “Enquanto os democratas de Hong Kong revelam uma idoneidade política claramente superior à dos seus colegas de Macau, justamente por aqui o cenário mete algum medo, tal o modo como defendem algumas das suas posições” (...) - Jorge Silva

opinião

um outro olhar

(...) “A União Europeia retirou o vídeo e pediu desculpa. Para a próxima que se faça simbolizar por um hipócrita a bater no peito, ‘mea culpa, mea culpa...’ (...) – Ferreira Fernandes

Jorge Silva*

Uma situação normal 1

. Os dados já estão lançados e não vale a pena chorar no molhado - a escolha de Chefe do Executivo ou a eleição de deputados por via directa não encerram grandes surpresas, pois a última palavra pertenceu, tal como estava previsto, a Pequim. A visita a semana passada de dirigentes do governo central a Macau serviu, apenas, para carimbar um processo que, à partida, estava decidido. O que, realmente, é novo e constitui alguma surpresa é a diferenciação entre os calendários político-eleitorais de Hong Kong e Macau. No caso da RAEHK, o governo central fez cedências e aceitou um alargamento do método de escolha até à eleição directa para Chefe do Executivo por volta de 2020, algo que, agora, foi totalmente omisso em relação a Macau. Leonel Alves foi muito claro quando disse que não será nesta geração que um Chefe do Executivo será eleito pela população. Certamente, mas porquê esta

Se Henry Tang, condenado pela opinião pública nas sondagens, for o escolhido por um restrito e pouco representativo Colégio Eleitoral, Hong Kong ficará ingovernável, tantas são as dúvidas sobre o seu carácter e sinceridade política. distinção entre as duas regiões, sabendo todos nós que o aluno pior comportado, aos olhos de Pequim, sempre foi Hong Kong? Afinal, onde decorreram e decorrem, amiúde, manifestações de rua a favor de mais democracia no sistema político e contra o peso de Pequim? Em Hong Kong ou em Macau? Claro que em Hong Kong. Macau sempre foi um local onde a agitação política e a opinião pública praticamente não existem, o que adensa a decisão tomada por Pequim. Podemos, no entanto, avançar para algumas conjecturas ou teorias da conspiração, todas elas vão desembocar na qualidade ou calibre dos chamados democratas da terra.

um ponto é tudo

Enquanto os democratas de Hong Kong revelam uma idoneidade política claramente superior à dos seus colegas de Macau, justamente por aqui o cenário mete algum medo, tal o modo como defendem algumas das suas posições. Mas a democracia tem os seus custos e é preciso saber enfrentálos. Infelizmente, Pequim não pensa assim, o que está de acordo com um sistema político assente no totalitarismo do partido único. Só que nós pensávamos, ingenuamente, que o chavão do segundo sistema afinal existia em toda a sua plenitude...

2

. É por essas e por outras, que o sistema favorecido por Pequim

nem sempre funciona da melhor forma. Veja-se o caso de Hong Kong onde uma classe política anda pelas ruas de amargura, mergulhada em escândalos devido ao tal conluio com o grande capital patriótico que se julga acima do julgamento popular. E, na verdade, assim é, quem não precisa de se sujeitar a eleições livres e democráticas pode sempre continuar no poder ou nos seus corredores, desde que seja ou esteja abençoado por uma entidade mais acima... O que é um duplo erro. Se Henry Tang, condenado pela opinião pública nas sondagens, for o escolhido por um restrito e pouco representativo Colégio Eleitoral, Hong Kong ficará ingovernável, tantas são as dúvidas sobre o seu carácter e sinceridade política. Será isto que o governo central quer? *Jornalista

Ferreira Fernandes

União ‘Peço Desculpa’ Europeia A

bermos em segundos. No vídeo, saltaram, à volta da Europa, um tipo com gestos de kung fu, era a Ásia, um sultão com cimitarra, o árabe, e um negro a dançar capoeira, esse, uma conjugação de África e das Américas. Os três estavam muito mexidos à volta da Europa, que, embora parecendo calma, estava manifestamente numa alhada. Que fez ela? Multiplicou-se, várias iguais a si própria, e fez um círculo como o da bandeira da União Europeia. Os três remexidos acalmaram e sentaram-se a dialogar com a mulher branca. A Europa unida (27

países, e com mais na fila) fica fortalecida sem precisar de andar a distribuir bofetadas - era a mensagem do vídeo. Mas houve quem protestasse: ela era “racista e imperialista”. A União Europeia retirou o vídeo e pediu desculpa. Para a próxima que se faça simbolizar por um hipócrita a bater no peito, “mea culpa, mea culpa...” Mas, sobretudo, não o ponham louro, que pode parecer demasiado arrogante. JTM/DN

Cartoon

Comissão Europeia fez um vídeo de propaganda, uma mensagem em segundos. Dá jeito usar símbolos quando se conta tão condensado. Um símbolo é um significante em forma de coisa que representa algo de abstracto. No vídeo, a Europa fez-se representar por uma mulher branca. Também podia ter escolhido aquele ministro alemão da Economia que é de origem vietnamita ou um escritor inglês de origem indiana ou um qualquer futebolista francês negro, mas era um vídeo curto. Dava jeito um símbolo imediato para perce-

JTM/DN jornal tribuna de macau quinta-feira, 08 de março de 2012 pág 17


ESTILISTA ACUSADO DE EXPLORAÇÃO. Alexander Wang foi processado por 30 funcionários de uma fábrica que confecciona as suas roupas na Broadway. Segundo o “New York Post”, os queixosos dizem ter sido obrigados pelo estilista e o irmão a trabalhar em condições de escravidão, durante 16 horas ou mais, sem descanso ou pagamento extra, tendo sido alojados num quarto de 20m2 sem janelas e ventilação.

COCHES NA RUA ... E O RESTO Fátima Almeida

Bachmann de Thomas Bernhard Thomas Bernhard gostava muito de Bachmann por ser uma mulher “muito inteligente”. E questionava “É estranho, não é?”. Tinha a ideia que a “maioria das vezes as mulheres são tontas, mas aceitáveis”, atenção, e “de vez em quando inteligentes também”, mas isso é “mais raro”, afirmava. Começava sempre por discordar com ele, mas acabava os textos a assentir com a cabeça como se as palavras arrancassem razão. Afinal nem sequer havia um sinal evidente de comparação entre os sexos ali, era apenas a imaginação de que a História tinha sido cruel (?). Cresci sem acreditar que as diferenças podiam ser ditadas pelo tamanho do cabelo, a cor dos lábios ou contornos do corpo, porque em criança sempre conseguia vencê-lo no braço de ferro ainda que nas montanhas da Europa os lares fossem isso, duas divisões distintas, para sonhos que se queriam iguais, a colidir. Chegavam sempre as histórias de casamentos amaldiçoados quando as velhas de preto se colocavam no centro do cruzeiro – com as caras mais duras que a cruz em cimento - à conversa e eram apenas histórias que não cabiam na realidade, apenas na aldeia, acreditava, com fúria. Todos reprovavam o rosto negro, que escondia colado ao ombro, mas além das palavras e julgamento, sem juiz ou sentença, nada mudava na aldeia - continuava como se os lares fossem isso, duas divisões distintas, para sonhos que se queriam iguais, a colidir. Era impossível não agarrar nas palavras de Bernhard e pensar sair pelo orifício fechado – o centro do cruzeiro estava cheio de vergonha, mas Bachmann “viveu muito, conheceu muitas sociedades, de cima a baixo, como eu, e isso dá-nos uma certa visão das coisas”, continuava o texto e as diferenças suprimiam-se na possibilidade de a diferença estar numa oportunidade, numa vontade de partir, ainda que haja destinos impossíveis de mudar. “É-se sempre apenas o produto final do que se fez, experimentou e viu. Quanto mais intensamente se olhou uma coisa, tanto mais, logicamente, essa coisa se afasta. Ver mais significa fugir para mais longe”. Continuou a frase na minha cabeça e regressou nitidamente no início desta semana quando me disse a mulher que estava agradecida pelo seu destino, por ter agarrado na liberdade depois de ver que o homem que a abraçou, sem querer, a poderia ver morrer, sem culpas, ainda que houvesse salvação depois do parto. Porque arriscou a vida para se salvar da pobreza – daquelas em que só há um prato de arroz por semana e os irmãos precisavam de saber ler caracteres porque o sonho de alguém que aprende a casar é ter quem ainda saiba ler caracteres.

lazer

MORREU O COMPOSITOR DE “MARY POPPINS”. O norteamericano Robert Sherman, responsável pelas canções de diversos filmes da Walt Disney, como “Mary Poppins”, morreu em Londres aos 86 anos. Robert e Richard eram conhecidos como os “irmãos Sherman” e em 1976 tiveram direito a uma estrela no Passeio da Fama em Hollywood.

Piqué tornou Shakira numa fã do futebol Shakira admitiu que, antes de namorar com Piqué, não era fã de futebol, mas hoje não perde um jogo do Barcelona

É

complicado viver com um futebolista, mas também não deve ser fácil ser namorado de uma artista! A verdade é que entendo que é uma carreira difícil, que exige dedicação, compromisso, disciplina e trabalho de equipa, que é muito diferente do que faço. Eu não tenho que dar satisfações a ninguém, mas um jogador de futebol é como um soldado, e tem grandes responsabilidades dentro do campo e fora dele. Isso fez-me entender e apoiar o Gerard em tudo o que seja preciso”, explicou Shakira, em entrevista ao site da FIFA. A viver em Barcelona, cidade natal de Gerard Piqué, Shakira contou que cresceu numa cultura muito futebolística. “Os meus irmãos eram e são mui-

to fanáticos, o meu pai nunca foi tanto. Claro que agora, que tem um ‘genro’

jogador, se mostra muito mais interessado”, afirmou. A cantora colombiana, que deu voz à música oficial do Mundial de Futebol da África do Sul, “Waka Waka”, confessou ainda que, antes de namorar com o defesa do Barcelona, não assistia a jogos de futebol na televisão. “Agora, sim, vejo uma partida até ao fim. Vejo os jogos até quando o Gerard não joga. Gosto de aprender, sou curiosa”. Foi no Mundial de Futebol 2010 que Shakira e Piqué se conheceram e apaixonaram, fazendo com que a paixão futebolística da colombiana aumentasse. “Agora em casa o futebol é o tema principal, tenho a impressão que me persegue por todos os lados e que não consigo escapar”, admitiu.

Madonna pedida em casamento Madonna está a ponderar se aceita ou não a proposta de casamento feita pelo namorado, de 24 anos, no início deste ano. A cantora de 53 anos já foi casada duas vezes. De acordo com o jornal “Daily Mail”, o bailarino francês Brahim Zaibat pediu a estrela pop em casamento há três semanas no Centro de Cabala em Nova Iorque.

Rihanna não gosta de estar solteira Apesar dos rumores relacionados com a controversa relação com Chris Brown, Rihanna voltou a garantir que está solteira, embora tenha admitido que gostaria de encontrar alguém “cool, divertido e cómico”. “Sim, estou solteira. Não é algo de que goste muito. A vida de solteira não é o que dizem”, disse a cantora no “Jonathan Ross Show”.

Miss Bahamas faz corar príncipe Harry Beleza na agenda diária de Anna Semenovich Depois de ter sido considerada a patinadora mais sexy de sempre, Anna Semenovich deixou as pistas de gelo mas não parou de “derreter” os russos, agora como cantora, actriz e modelo. Aos 31 anos de idade, Anna confessa que se preocupa todos os dias com a beleza, convicta de que os tratamentos estéticos são “absolutamente lógicos e justificáveis”.

pág 18 quinta-feira, 08 de março de 2012 jornal tribuna de macau

O príncipe Harry não conseguiu esconder o embaraço quando ficou frente a frente à Miss Bahamas, Anastagia Pierre, depois da jovem de 23 anos ter dito aos media que tinha a certeza que ia haver “química no encontro” e que se ia “apaixonar por ele”. O contacto visual da Miss foi bastante incisivo e Harry, talvez apanhado de surpresa, corou.


tdm 02:00

Sporting vs Manchester City tdm 13:00 13:30 14:30 18:20 19:00 19:30 20:30 21:00 21:30 22:15 23:00 23:35 23:45 00:40 01:10 01:30 01:40 02:00

TDM News - Repetição Jornal das 24h RTPi DIRECTO Lost Sr.4 Montra do Lilau (Repetição) Amanhecer Telejornal TDM Talk Show Castle Passione TDM News Resumo Liga dos Campeões Herman 2012 Reportagem Sic Telejornal (Repetição) RTPi DIRECTO Retrospectivas Sporting - Manchester City

Roteiro

40 FOX movies 12:00 13:45 15:30 17:35 19:20 21:00 22:55

41 HBO 12:00 13:35 15:00 16:00 17:15 18:40 20:05 22:00 23:50

30 ESPN 12:30 16:30 19:30 20:00 20:30 21:00 22:00 22:30

US Figure Skating Cham. European Top 12 Semifinals & Finals (LIVE) Sportscenter Asia 2012 ABL 2012 Weekly H/L Global Football 2011 Mundialito De Clubes - Seattle Sounders vs Sporting Sportscenter Asia 2012 European Top 12 Semifinals & Finals

13:00 13:30 14:00 15:00 16:00 18:00 19:00 21:00 21:30 22:00

Mobil 1 The Grid 2012 Smash 2012 Australia Ironwoman Champs Isps Handa New Zealand Women’s Open Highlights Wimbledon Lawn Tennis Ladies Singles Final Billie Jean King FA Cup 2011/12 Tottenham Hotspur vs. Stevenage Total Rugby (LIVE) Score Tonight 2012 Wimbledon Classic Matches 1978

31 Star Sports

Stone Damage 21 The Family Stone Nowhere Boy The Road The Way Back

Planes, Trains & Automobiles Yogi Bear Luck Open Season 3 Beethoven Beethoven’S 2Nd Panic Room Boardwalk Empire The American

42 Cinemax 12:30 14:30 16:00 17:25 19:00 20:30 22:00 23:40

Blown Away The Goods 20 Million Miles To Earth Merrill’S Marauders Critters 4 XIII Faster Tank Girl

43 MGM 12:00 14:00 15:30 17:30 19:00 21:00 23:30

Eureka Troll Audrey Rose Diary of a Hitman Sunday Bloody Sunday F.I.S.T A Passage to India

50 Discovery 13:00 14:00 14:30 15:00 16:00 17:00 18:00

I (Almost) Got Away With It Rebuilding Japan Eye On Malaysia River Monsters Dinosaur Revolution Deadliest Catch Everything You Need To Know

18:30 19:00 20:00 21:00 21:30 22:00 23:00 00:00 00:30

How Do They Do It Man Made Marvels Deadliest Catch Rebuilding Japan Eye On Malaysia American Chopper Sons Of Guns Rebuilding Japan Eye On Malaysia

51 NGC 12:30 13:25 14:20 15:15 16:10 17:05 18:00 19:00 20:00 21:00 22:00 00:00

Inside Chasing Earthquakes Alaska State Troopers Japan’s Tsunami Seconds From Disaster Inside Dog Whisperer Secrets Of The Cross Mumbai Mega Flood Witness Seconds From Disaster Witness

54 History 13:00 14:00 16:00 17:00 18:00 18:30 19:00 20:00 21:00 23:00 00:00

Modern Marvels The Stoned Ages Ancient Aliens The Universe Pawn Stars Kings Of Restoration The Pickers UFO Hunters Ice Road Truckers Top Shot Pawn Stars

55 Biography Channel 14:00 15:00 17:00 18:00 18:30 19:00 20:00 21:00 22:00 23:00

Aftermath With William Shatner One Born Every Minute The Jacksons Storage Wars Airline USA Aftermath With William Shatner The Quon Dynasty Private Chefs Of Beverly Hills Celebrity Close Calls Aftermath With William Shatner

hbo

22:00

00:00 Hoarders

Justified Wipeout Ncis: Los Angeles The Amazing Race Asia The Challenger Muaythai, Csi: Crime Scene Investigation Wipeout Csi: Ny Wipeout Canada Csi: Crime Scene Investigation Chaos The Firm Wipeout Canada The Challenger Muaythai

CINETEATRO S1 Safe House

theater DIRECTORS Cl 2* (6)

S2 John Carter 3D

theater 6 (9*)

14:30 • 16:30 • 19:30 • 21:30 14:15 • 16:45 • 19:15 • 21:45

TORRE DE MACAU

Underworld Awakening (3D) 14:30 • 16:30 • 19:30 • 21:30

Best of How I Met Your Mother Beauty and the Geek Australia Traffic Light Ugly Betty Best of How I Met Your Mother American Idol Model Specials Best of How I Met Your Mother American Idol

Safe House 12:35 • 15:40* • 22:35*

Underworld: Awakening In 3D 12:30* • 14:00 • 18:10 • 22:20

theater 9

The Iron Lady 14:00 • 16:00 • 18:00 • 20:00 • 22:00 • 00:05

GALAXY theater 7* (8)

Love 12:30 • 15:15 • 19:35 • 22:15*

theater GRAND THEATER

John Carter in 3D 14:40 • 17:10 • 19:40 • 22:10 • 00:40

theater DIRECTORS Cl 1* (7) This Means War 12:45 • 15:00* • 19:35*

63 Star World 12:10 13:05 14:55 15:25 17:10 18:00 21:50 22:45 23:40

www.macaucabletv.com cinema

62 axn 13:00 13:55 14:50 15:45 16:40 17:30 18:20 19:15 20:10 21:05 22:00 22:55 23:50 00:45

28822866

Boardwalk Empire

theater GRAND THEATER* (8)

Ghost Rider: Spirit of Vengeance 3D 12:45* • 13:20 • 17:40 • 22:00 • 23:50

theater 6 e 7*

Hugo in 3D 13:30* • 15:45 • 17:55* • 19:55

theater DIRECTORS CLUB 2

theater 7

3d Sex & Zen: Exteme Ecstasy 00:30

The Artist 15:55 • 20:15

Clube Militar de Macau

Avenida da Praia Grande, 975, Macau Tel: 28714000

82 RTPi 18:00 18:38 19:01 20:00 21:00 21:53 22:49 23:20 00:00 01:15 02:06 02:36 02:52 05:00

Telejornal Madeira Histórias Que A Vida Conta Poplusa Bom Dia Portugal O Elo Mais Fraco Resistirei Moda Portugal 2 Os Compadres Jornal Da Tarde O Preço Certo Com Ciência(R/) Surf Total Portugal No Coração Portugal Em Directo

A programação é da responsabilidade das estações emissoras

Telefones Úteis Número de Socorro 999 Bombeiros 28 572 222 PJ (Linha aberta) 993 PJ (Piquete) 28 557 775 PSP 28 573 333 Serviços de Alfândega 28 559 944 Centro Hospitalar Conde S. Januário 28 313 731 Hospital Kiang Wu 28 371 333 CCAC 28 326 300 IACM 28 387 333 DST 28 882 184 Aeroporto 88 982 873/74 Táxi (Amarelo) 28 519 519 Táxi (Preto) 28 939 939 Água - Avarias 28 990 992 Telecomunicações - Avarias 28 220 088 Electricidade - Avarias 28 339 922 Directel 28 517 520 Rádio Macau 28 568 333

anima Sociedade Protectora dos Animais Sociedade de Macau Sociedade Protectora Protectora dos Animais Telefone: dos Animais de Macau de Macau 28715732 63018939 fax: 28715732 //63018939 Telefone: fax: 28703224

Anúncio

ANÚNCIO [ N.º 59/2012 ]

Concurso Público sobre o Arrendamento do Centro Comercial do Lago

Para os devidos efeitos, vimos por este meio notificar os representantes dos agregados familiares de candidatura para aquisição de habitação económica abaixo indicados, nos termos do n.º 2 do artigo 72.° do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro:

Faz-se público que, por deliberação do Conselho de Administração do IACM, tomada em sessão de 24 de Fevereiro de 2012, se acha aberto o concurso público para o Arrendamento do Centro Comercial do Lago, sito no r/c da Zona B do Edf. do Lago, Terreno n.º TN27, Taipa. Os interessados poderão obter, durante o horário normal do expediente, o Programa do Concurso e o Caderno de Encargos no Núcleo de Expediente e Arquivo do IACM, sito na Avenida de Almeida Ribeiro n.º 163, r/c. O prazo para a entrega das propostas termina às 17,00 horas do dia 10 de Abril de 2012. Os concorrentes ou quem os represente devem entregar as suas propostas e documentos no Núcleo de Expediente e Arquivo do IACM, bem como prestar uma caução provisória no valor de MOP100 000,00 (cem mil patacas) na Tesouraria da Divisão de Contabilidade e Assuntos Financeiros do IACM, sita na Avenida de Almeida Ribeiro n.º 163, r/c, Macau, por depósito em dinheiro, cheque ou garantia bancária, em nome do “Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais”. A renda mínima mensal que propõe, será no valor de MOP50 000.00 (cinquenta mil patacas). A data de abertura das propostas terá lugar no dia 11 de Abril de 2012, pelas 10H00, na Divisão de Formação e Documentação, sita na Avenida da Praia Grande n.º 804, Edf. China Plaza, 6º andar. No dia 15 de Março de 2012, pelas 10H00, na Rua da Ponte Negra n.º 75K, Bairro Social da Taipa, Centro de Prestação de Serviços ao Público das Ilhas, decorrerá uma sessão de esclarecimento, seguida de uma visita in loco. Aos 02 de Março de 2012. O Vice-Presidente do Conselho de Administração Lo Veng Tak www.iacm.gov.mo

Nome

Fong Tin soi Iao Ieng Chi* Lei Kin Teng* Lei Sio Fun

N.º do boletim de candidatura 64483 60119 24412 60010

Nome

Loi Iong Kuong* Si Kam Hang Sio Ka Chong

N.º do boletim de candidatura 22551 28233 29876

Após as verificações deste Instituto, notamos que os elementos dos agregados familiares de candidatura para aquisição de habitação económica acima mencionados são proprietários de fracções autónomas com finalidade habitacional na Região Administrativa Especial de Macau, pelo que, estes não cumprem o disposto da alínea 1) do nº 3 do artigo 14º da Lei nº 10/2011. Tendo este Instituto publicado um anúncio na imprensa de língua chinesa e língua portuguesa, no dia 12 de Janeiro de 2012, a solicitar aos interessados acima mencionados para apresentarem por escrito as suas contestações pelos factos acima referidos no prazo de 10 (dez) dias a contar da data de publicação do referido anúncio, entretanto não fizeram a entrega das suas contestações. De acordo com as competências delegadas nos termos da alínea 10) do nº 1 do Despacho nº 32/IH/2011, publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau nº 32, II Série, de 10 de Agosto de 2011, do nº 1 do artigo 16º do Regulamento de acesso à compra de habitações construídas no regime de contrato de desenvolvimento para a habitação, aprovado pelo Decreto-Lei nº 26/95/M, 26 de Junho, revisto pelo Regulamento Administrativo nº 25/2002 e com a decisão do despacho do signatário, exarado na Informação nº 558/DAHP/DAH/2012, os elementos dos agregados familiares foram retirados dos agregados familiares, por não reunirem os requisitos para aquisição de habitação económica, e os novos agregados familiares são reordenados na lista do concurso, caso a nova pontuação seja inferior à inicial. * Simultaneamente, com a diminuição dos elementos nos boletins acima mencionados, o número dos elementos remanescentes não se preenche o disposto de aquisição de fogo com tipologia de T3 nos locais seleccionados, e sendo cancelada a classificação na lista geral de espera de T3 e reordenado na mesma lista de T2, de acordo com o Anexo III do Decreto-Lei nº 26/95/M, revisto pelo Regulamento Adminstrativo nº 5/2004. E nos termos do artigo 3° do Despacho nº 32/IH/2011 e do artigo 155º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei nº 57/99/M, de 11 de Outubro, cabem recursos hierárquicos necessários da respectiva decisão administrativa, ao Presidente deste Instituto, no prazo de 30 (trinta) dias a contar da data de publicação do presente anúncio, os recursos hierárquicos têm efeitos suspensivos. O Chefe do Departamento de Assuntos de Habitação Pública, Cheang Sek Lam 5 de Março de 2012

jornal tribuna de macau quinta-feira, 08 de março de 2012 pág 19


jornal tribuna de macau www.jtm.com.mo Administração, Direcção e Redacção: Calçada do Tronco Velho, Edifício Dr. Caetano Soares, Nos4, 4A, 4B - Macau Caixa Postal (P.O. Box): 3003 Tel.: (853) 28378057 Fax: (853) 28337305 • Email: jtmagenda@yahoo.com e jtmpublicidade@yahoo.com

última

en passant José Rocha Dinis

Obama

As primárias republicanas nos Estados Unidos têm sido um regabofe, que promete continuar em face dos resultados inconclusivos da “superterça-feira” que, como aliás já se esperava, não clarificaram nada. A profunda divisão das elites republicanas alastrou ao eleitorado que surge dividido como o fiambre: “às fatias”. Num ambiente de enorme indiferença, aparece o mundo rural por contraposição ao urbano, os mais velhos contra os mais novos e os grupos religiosos, maiores ou menores, todos uns contra os outros. Naturalmente que Barack Obama esfrega as mãos de contente. Os candidatos republicanos fazem o “trabalho sujo” que estaria reservado à sua campanha, atiram para a abstenção e confusão ideológica ainda mais filiados e simpatizantes republicanos. Numa coisa tem que se aplaudir os republicanos. Com os milhões que têm gasto nas televisões a dizer mal uns dos outros e no “arrebanhar” de voluntários para as campanhas para “animarem a malta”, contribuem de forma significativa para menos desemprego e a recuperação económico-financeira. O que significa que também aqui ajudam Obama...

tempo

fonte: serviços meteorológicos e geofísicos www.smg.gov.mo

hoje

amanhã 16 C 190C 0

16 C 190C 0

câmbios - indicativos Pataca Compra US Dólar 7.95 EURO 10.44 yuan (rpc) 1.225

fonte: bnu

Venda 8.05 10.57 1.280

JAPÃO AGRADECE APOIO DE MACAU ÀS VÍTIMAS DO SISMO E TSUNAMI O cônsul-geral do Japão em Hong Kong, Yuji Kumamaru, esteve ontem em Macau para apresentar a reconstrução das zonas destruídas pelo forte sismo de 11 de Março do ano passado e para agradecer todo o apoio prestado pela RAEM. Um ano após o desastre, do qual ainda hoje se sentem as consequências, nomeadamente devido à libertação de radioactividade de uma central em Fukushima, este responsável diplomático também aproveitou a ocasião para promover o turismo no seu país, que sofreu uma queda abrupta após o desastre natural e nuclear. Ainda assim, o diplomata referiu que, desde Outubro do ano passado, o número de turistas da RAEM voltou a estar mais ou menos ao mesmo nível de antes do sismo. Por outro lado, Yuji Kumamaru apelou à confiança nos produtos alimentares importados do Japão. Explicando que o volume de importações também sofreu uma descida – o que foi “compreensível”, segundo disse - a partir do Verão de 2011 as compras de Macau ao país do sol nascente começaram, contudo, a voltar ao caminho normal. A maior parte das doações internacionais têm sido gastas, de acordo com o cônsul - na construção de um centro de evacuação temporário. O próximo passo das autoridades locais é alojar as pessoas afectadas em casas permanentes, um objectivo que “está próximo de ser alcançado”. De Macau seguiram mais de quatro milhões dólares de Hong Kong, dinheiro que foi transferido através de Cruz Vermelha. Perante uma pergunta sobre uma polémica recente à volta da negação do Massacre de Nanquim, por parte do presidente da câmara da cidade japonesa de Nagoya, o diplomata deu uma resposta... diplomática, dizendo que é essa é uma questão que deve ser resolvida entre os governos chinês e japonês. Mas expressou o desejo de que a polémica não esteja a melindrar os turistas chineses em visitar o Japão. V.C.

EX-CHEFE DA POLÍCIA DE CHONGQING CONSIDERADO “TRAIDOR DA PÁTRIA”

AKIHITO NO HOSPITAL COM LÍQUIDO NOS PULMÕES

O popular chefe da polícia que protagonizou no mês passado um dos episódios mais intrigantes da opaca política chinesa, Wang Lijun, foi considerado “traidor à Pátria”, anunciou ontem o South China Morning Post. O veredicto foi comunicado pelo secretário-geral do Partido Comunista Chinês (PCC) e presidente da República, Hu Jintao, num encontro realizado no fim de semana com militantes que participam na sessão anual da Conferência Política Consultiva do Povo Chinês, disse o jornal. Wang Lijun, de 52 anos, antigo chefe da polícia e vice-presidente do governo municipal de Chongqing, sudoeste da China, foi colocado “sob investigação” depois de passar um dia no consulado dos EUA em Chengdu, onde terá pedido asilo político. O Governo norte-americano confirmou a ida do responsável chinês ao consulado, um gesto bastante insólito para um funcionário daquela categoria, mas não se pronunciou sobre o eventual pedido de asilo, referindo apenas que Wang Lijun “saíu do edifício de livre vontade”. O caso passou-se a 6 de Fevereiro, três dias depois de ter sido anunciado o afastamento de Wang Lijun da direcção da polícia de Chongqing por “razões de saúde”.

O imperador do Japão, Akihito, deu ontem entrada no hospital da Casa Imperial para que lhe seja drenado líquido dos pulmões, situação detectada após uma operação de ‘bypass’ coronário a que foi submetido em Fevereiro. O imperador, de 78 anos, teve alta no domingo do Hospital Universitário de Tóquio após uma cirurgia e realizou na terça-feira uma sessão de raios-X que permitiu detectar líquido nos seus pulmões. De acordo com a agência da Casa Imperial, Akihito não tem comido como era esperado e tem tido problemas em respirar. A equipa de médicos que tem tratado o imperador deu conta de algumas complicações derivadas da cirurgia cardíaca a que Akihito foi submetido a 18 de Fevereiro e informou que a drenagem do líquido dos seus pulmões deverá demorar várias semanas, sem requerer internamento. Mas tal não afectará a sua vida quotidiana.

BiN LADEN TERÁ SIDO CREMADO NOS EUA

SARKOZY DIZ QUE HÁ DEMASIADOS ESTRANGEIROS

A empresa de análise de informação norte-americana Stratfor acredita que o corpo do líder da Al-Qaeda não foi sepultado no mar, como revelou Washington, mas levado para os EUA para serem feitos testes e depois cremado. A informação faz parte de um dos quase três milhões de emails da Statfor (conhecida como a “sombra da CIA”), alegadamente obtidos pelo grupo de piratas informáticos Anonymous, e divulgados pela WikiLeaks. Fred Burton, vice-presidente da Stratfor, escreveu um email a um colega às 5:51 de 2 de Maio de 2010, o dia em que Osama Bin Laden foi morto por uma equipa especial de marines em Abbottabad, no Paquistão: “Corpo com destino a Dover, DE [Delaware] num avião da CIA. Depois, directo ao Instituto de Patologia das Forças Armadas em Bethesda.” Mais cedo tinha escrito: “Alegadamente, levámos o corpo. Graças a Deus.” Contudo, na última comunicação sobre o tema, enviada ao responsável máximo da Stratford, George Friedman, às 15:10, escreve: “Já dorme com os peixes...”

O Presidente francês, Nicolas Sarkozy, candidato à sua sucessão nas eleições presidenciais, disse que “há demasiados estrangeiros” em França e prometeu reduzir os imigrantes que entram anualmente no país. “O nosso sistema de integração funciona cada vez pior, porque temos demasiados estrangeiros no nosso território”, afirmou Sarkozy, durante uma entrevista à noite na estação de televisão France 2. Na ocasião prometeu ainda que, se fosse eleito nas eleições presidenciais de Abril e Maio, dividiria por dois o número de imigrantes acolhidos cada ano. “Considero que, para relançar as boas condições de integração, é preciso dividir por dois o número de pessoas que recebemos, isto é, passar de 180 mil a cem mil”, propôs. Sarkozy, cujo pai era um imigrante húngaro, anunciou ainda que pretende modificar as condições necessárias para que os imigrantes tenham acesso ao rendimento mínimo. Será preciso que estejam há dez anos em França e tenham trabalhado no mínimo cinco anos, para terem direito à ajuda do Estado francês. “Quero que a França continue a ser um país aberto, porque essa é a tradição da França. Mas não quero uma imigração que seja fundada no desejo de receber os rendimentos sociais”, porque em França “há um sistema de protecção social mais favorável que nos nossos vizinhos”, explicou. Sarkozy surge nas sondagens atrás do candidato socialista François Hollande, tendo optado nos últimos dias por regressar ao tema da imigração e da segurança, que lhe garantiram a vitória em 2007.

pág 20 quinta-feira, 08 de março de 2012 jornal tribuna de macau

fecho desta edição jtm - 02:20horas


JTM 08--03-2012