Page 1

Região Norte de BH, Confins, Jaboticatubas, Lagoa Santa, Pedro Leopoldo, Santa Luiza e Vespasiano www.tribunabh.com / issuu.com/tribucity

Ano 1 - N. 2 - RMBH - 30, JANEIRO, 2014

BRT/Move de BH vai começar a funcionar Arquivo Trib

epois de 32 meses de obras o BRT/Move da Prefeitura de Belo Horizonte vai começar a operar. A Empresa de Transportes e Trânsito e a PBH marcaram a data de 15 de fevereiro para inaugurar o corredor da Avenida Cristiano Machado, passando pelas avenidas Santos Dumont e Paraná. Inicialmente começam a circular pouco mais de 40 ônibus, pois a entrega dos 90 ônibus, metade deles articulados, desse corredor ainda está atrasada. A Previsão é que em pleno funcionamento o Move vai retirar outros 250 coletivos da ave-

D

nida, aliviando significativamente o trânsito na região. O sistema é composto por veículos maiores e mais confortáveis, que irão circular em faixas exclusivas, livres de congestionamento, entre a Estação de Integração (EI) do São Gabriel até as estações da área central da cidade. Não haverá filas, já que os passageiros validam seus cartões ou comprar passagens nas estações e não mais dentro dos ônibus. O acesso será em nível, sem degraus, como num metrô, o que vai agilizar o embarque e o desembarque. Detalhes na página 3.

Argentina na Cidade do Galo - Página 4 O problema do marca-passo - Página 8 Catedral Cristo Rei avança -

Página 10 O belo-horizontino ainda tem que percorrer um longo caminho para poder usufruir de todo o sistema de transporte rápido por ônibus

Conheça a história do Serro - Página 11

texto moderno da vida diária.Centro Budista Maitreya é um membro da Nova Tradição Kadampa (NKT) Internacional, aberto a todos os interessados e curiosos em cultivar seu potencial para paz e felicidade, por meio de ensinamentos claros, meditações guiadas e preces.

O ano de 2014 começou com grande inspiração e alegria para todos os mineiros. Pela primeira vez no Brasil, a monja budista Gen-la Dekyong esteve aqui, entre nós, para apresentar práticas que vão melhorar a qualidade de vida no Ano Novo, por meio da meditação e do cultivo à paz interior. O Tribuna esteve no evento. Belo Horizonte recebeu a professora, internacionalmente re- conhecida por seus ensinamentos práticos e extremamente acessíveis. Gen-La ministrou a palestra “Sabe- doria do Budismo Moderno”, no Auditório da Fundação Getúlio

Vargas, promovida pelo Centro Budista Kadampa Maitreya. Gen-la Kelsang Dekyong apresentou de maneira prática como aplicar os fundamentos budistas na vida diária para desenvolver uma mente clara e pacífica. “Essa sabedoria nos ajudará a cumprir nossas metas de ano novo e realizar as mudanças que tanto queremos em nossas vidas”, afirma. Ordenada monja budista, Gen-la Dekyong, é diretora espiritual da Nova Tradição Kadampa e discípula do Venerável Geshe Kelsang Gyatso, fundador da NKT, há mais de 30 anos. Dedica sua vida

a ajudar os outros por meio dos ensinamentos do budismo moderno observados tanto em seus ensinamentos inspiradores quanto em seu exemplo pessoal. “Ela possui uma grande habilidade em tornar acessíveis os ensinamentos de Buda e aplicá-los em nossa vida quotidiana. Somos privilegiados de recebê-la no Brasil”, afirma Vanda Pereira, professora resi- dente do Centro Budista Maitreya. O Budismo Kadampa Moderno considera os ensinamentos de Buda como conselhos pessoais e os colocam em prática no con-

Fotos: Arquivo Trib

BH recebeu monja budista


2 OPINIÃO

Tribuna Vetor Norte • RMBH-MG • Edição 02 • 28, dezembro, 2013 a 30, janeiro, 2014

Brigada pelo bem S do Vetor Norte

A eleição em Minas Arquivo/Trib

Por Guilherme Nunes Avelar – Advogado

jornal Tribuna Vetor Norte chega à sua segunda edição e já se mostra um importante e invulgar veículo de manifestação firme e sincera pelas demandas dessa progressista região. O conjunto de matérias veiculadas no primeiro número revelou sua sintonia com a população local, sem mácula alguma, e isso pelo simples fato de que o compromisso do jornal é apenas com essa região e seu povo, sem medo de criticar ou de elogiar, fazendo-o com honestidade e independência. Exatamente por causa disso, o Tribuna Vetor Norte convida os empresários da região Metropolitana Norte de Belo Horizonte ou que tenham interesses nela a abraçarem a causa de um jornal que pretende ser o porta-voz regional, anunciando nele e vinculando sua marca de bem com uma Tribuna autêntica. Não são poucas as folhas midiáticas por aí, mas quase todas estão a reboque de interesses imediatos de políticos, grupos ou personalidades aventureiras. O Tribuna Vetor Norte, ao contrário, só se irmana com a causa da região e de seu povo, lutando, com total independência e sem propósitos subalternos, por essa causa. Senhores empresários: aliem-se nessa brigada do bem, juntem seu nome de sucesso a uma empreitada altaneira. Unidos faremos muito pela região do Vetor Norte de Belo Horizonte.

O

Rumo ao Norte onde os velhos paradigmas da política brasileira não têm vez Por Marcus Salomão* Vetor Norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte tem driblado o pessimismo que ronda a economia nacional, quase que guiado por uma ‘mão invisível’ a região vem encarando uma nova perspectiva de futuro, da qual os investimentos privados juntamente com os do Estado se mostraram de extrema importância para o então sonho desenvolvimentista da região. Apesar de nuanças meio incertas em opiniões do público de como devam ser feitos os processos para chegar a esse fim, parece que a população, em sua maioria, tem recebido de forma entusiástica a mudança para o que se pode chamar de um novo paradigma econômico e

O

político para a região. A agenda mais liberal do governo de Minas Gerais parece ter-se definido como um novo padrão para o progresso do Vetor Norte, deixando de lado conceitos já ultrapassados como a inibição da iniciativa privada no processo de desenvolvimento social e econômico. A quebra dos velhos paradigmas tem-se mostrado um sucesso, acarretando em uma maior liberdade econômica responsável pelo florescimento de novas oportunidades para aqueles que antes pareciam ser penalizados pelo esquecimento do Estado. Entretanto, oportunidades e responsabilidades são igualmente importantes, o planejamento urbano por parte do Estado e dos municípios que serão direta-

mente beneficiados por essa mudança deveria estar sob intenso debate com técnicos da área. Apesar de não esperar um planejamento ‘a lá Paris’ por parte dos profissionais do Estado já que os mesmos parecem sofrer de uma intensa falta de senso estético, ao menos deveria o Estado e os municípios, em comum acordo, sentarem à mesa e traçar um padrão de planejamento para toda a região afetada pela mudança tão repentina de realidade. Sabe-se que anos de omissão por parte do Poder Público resultou no cenário caótico e insustentável das nossas cidades, o rápido crescimento econômico atrai pessoas de todas as regiões do Brasil, como já vem ocorrendo nas obras do Aeroporto internacional

em maiores surpresas, o cenário da disputa regional em Minas vai se confirmando, apesar de as eleições estarem ainda relativamente longe. Pelo campo da situação local, o candidato a governador deve ser mesmo o ex-prefeito de Belo Horizonte e ex-ministro das Comunicações, Pimenta da Veiga, tendo por companheiro de chapa o presidente da Assembleia Legislativa, Dinis Pinheiro. O jogo de cena com uma aparente disputa entre Pimenta da Veiga e Marcus Pestana não convence e, ao que tudo indica, serve apenas para manter o quadro na mídia. De certa forma, essa possibilidade serve como acerto de contas entre Aécio Neves e Pimenta da Veiga, quando este apoiou aquele para a sucessão belo-horizontina, apesar de o hoje senador ser, à época, um novato na política. Tratou-se de uma aventura que colheu os piores resultados possíveis, pois o tucano ficou em quarto lugar, atrás de Patrus Ananias (PT), Maurício Campos (PFL) e Sérgio Ferrara (PMDB). Para quem estava disputando a permanência de uma administração bem avaliada na ocasião (primeiro com o próprio Pimenta à frente e, depois, com Eduardo Azeredo), o resultado não poderia ser mais pífio. Pois bem, 22 anos depois, Aécio, agora um político de primeiro grandeza, foi resgatar um Pimenta da Veiga totalmente afastado das lides políticas para ser candidato ao governo estadual, posto que ele tentou alcançar em 1990, numa disputa também marcada por retumbante fracasso. Em interessante inversão de fatores, eles voltam a brincar de articulações muito parecidas com o antigo “dedaço” dos coronéis, da velha política criticada pelo PSDB, e que igualmente lembra a forma pela

Tancredo Neves, uma migração massiva pede por seriedade e compromisso para com aqueles que já habitam tais regiões e a aqueles que estão por vir, ignorando tal responsabilidade o progresso do Vetor Norte pode, portanto se tornar em seu pior pesadelo, basta olhar para qualquer metrópole brasileira, e ver o que um dia serviu como espaço promissor hoje

qual o PT nacional tem feito suas escolhas, sob a batuta imperial de Lula. Dois partidos ditos modernos, uma prática tão tacanha! Voltando à disputa mineira, deverá compor a chapa majoritária tucana o governador Antônio Anastasia, lutando pela única vaga no Senado. Talvez seja essa a disputa com resultado menos imprevisível, dada a força natural de quem está no poder, em administração aceita como satisfatória e a reboque de uma inédita candidatura presidencial mineira nas duas décadas antecedentes. Pelo lado da oposição regional, também não haverá surpresas: Fernando Pimentel terá, finalmente, sua chance de chegar ao Palácio “governatorial”, alvo por ele pretendido quatro anos atrás. Dificilmente o PMDB não dará o candidato a vice, ainda que venha fazendo suas eternas ameaças de candidatura própria. Ao Senado, muito provavelmente se dará a vaga a algum partido nanico, para compor a aliança, ou se indicará alguém para o sacrifício, já que, repito, é cenário difícil de crer que Anastasia perca a vaga. O quadro está aí e, digamos a verdade, nada de interessante paira para nós, eleitores, condenados a escolher entre opções pouco ou nada convincentes.

mais parece um cenário pós Guerra. Para evitar ser mais um exemplo desse mesmo passado sombrio, as políticas de planejamento urbano devem ser esquematizadas e elaboradas com a seriedade que delas exigem, e quando postas em pratica, fiscalizadas de forma responsável por parte do poder público. Portanto, a mudança de paradigma

TRIBUNA VETOR NORTE Ano I - N. 2 – Dezembro, 2013/Janeiro, 2014 EDITORES: Eugênio Luiz Oliveira - R. Prof. MG 03478 JP Luiz Lucas Martins - R. Prof. MG 02485 JP FOTOGRAFIA: Santos Filho COLABORADORES: Carlos Felipe, Francisco Jr., Guilherme Nunes Avelar e Marcus Salomão REDAÇÃO: Rua Irmãos Kennedy, 114/06 Cidade Nova - Belo Horizonte - M. Gerais 31170-130 - Telefax: (31) 3484 0480, (31) 9955 8447 e (31) 8491 7780. E-MAIL DA REDAÇÃO: vetornorte@tribunabh.com, www.tribunabh.com, Twitter: @tribunabh e Edição Digital: www.issuu.com/tribunavetornorte CIRCULAÇÃO: O Tribuna Vetor Norte será distribuído, numa primeira fase, junto aos comerciantes e moradores de parte da Região Norte de Belo Horizonte, na região da Pampulha e

econômico para a região é muito bem vinda, trouxe não apenas o beneficio da iniciativa privada e de uma economia mais próspera para a região, como trouxe também a ideia do Estado como um ente fiscalizador do presente e planejador do futuro para o tão sonhado progresso do Vetor Norte. (*) Marcus Vinicius Gonçalves Salomão é estudante em Lagoa Santa/MG

nos municípios de Confins, Jaboticatubas, Lagoa Santa e Vespasiano; terá como base de partida o bairro Cidade Nova, devido ao principal eixo de ligação com a região norte de Belo Horizonte, a Linha Verde. PERIODICIDADE: 28, dezembro, 2013 a 30, janeiro, 2014. O TRIBUNA VETOR NORTE é uma publicação da Logos Editora Ltda., registrada na JUCEMG sob o nº 3120431497 - CNPJ 25.712.977/000162. Inscrição Estadual nº 62.881.449.00-81 e Inscrição Municipal: 0108809/001-7 v v v Este jornal foi editado seguindo a Nova Ortografia da Língua Portuguesa. v v v Os artigos assinados não espelham, necessariamente, a opinião do jornal, sendo de inteira responsabilidade de seus autores.


Tribuna Vetor Norte • RMBH-MG • Edição 02 • 28, dezembro, 2013 a 30, janeiro, 2014

TRÂNSITO 3

MOBILIDADE URBANA Move começa a operar em fevereiro Fotos: Arquivo Trib

Prefeitura e a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) estão em contagem regressiva para a inauguração do Move, sistema de transporte coletivo por ônibus da Capital mineira. A data agendada para a inauguração é 15 de fevereiro. A PBH e as empresas concessionárias correm contra o relógio para concretizar esta inauguração. Quem olha o canteiro de obras da Av. Cristiano Machado, pensa que o tempo é curto demais, mas quando se sabe que esta inauguração era para ter acontecido em janeiro de 2013 – as obras começaram em junho de 2011 e já consumiram mais de R$ 850 milhões –, vê que já se passou da hora de o sistema começar a funcionar. As empresas selecionadas para operar o sistema na Cristiano Machado, passando pelas avenidas Santos Dumont e

A

Paraná, na área central, já receberam parte da frota e têm treinado motoristas e agentes de bordo em ônibus especialmente construídos para esse sistema, cada um com 19 metros de comprimento e capacidade para 140 passageiros. O Objetivo de Prefeitura é retirar mais de 70 linhas de ônibus simples da Cristiano Machado e do centro, desafogando o trânsito nessas regiões. O BRT (Bus Rapid Estações do Move da Av. Cristiano Machado Transit, na sigla em in- estão prontas para receber os passageiros glês) da Cristiano Machado vai circular por um corredor exclusivo para o transporte coletivo. Terá 7 km de extensão, ligando a Estação de Integração (EI) São Gabriel ao centro da cidade, com passageiros embarcando e desembargando em nível – como em um metrô – em 10 estações instaladas ao longo do percurso. As linhas inicialmente programadas para operar poderão transportar até 300 mil passagei- Quando concluído sistema poderá retirar ros por dia, em 90 mais de 70 linhas da Cristiano Machado ônibus. Quando concluído o sistema terá 200 ônibus articulados com ar-condicionado e outros 232 simples, tipo Padron. Nas estações Painéis eletrônicos avisarão os usuários sobre a chegada dos próximos ônibus. O passageiro somente ficará dentro da estação depois de adquirir a passagem, também como num metrô, acelerando o embarque e reduzindo o tempo de viagem. Os ônibus vão circular em pistas exclusivas sem disputar espaço com outros veículos, serão munidos de computador de bordo com GPS e terão suas posições controladas por um

Centro de Controle e Monitoramento, passando em intervalos reduzidos. Agora, resta aguardar para ver se o sistema funcionará como projetado. Mão Inglesa na Av. Silviano Brandão A BHTRANS informa que, em função da implantação do Move, a partir de 10h de quinta-feira, dia 9 de janeiro/2014, será implantada a inversão de mão na Avenida Silviano Brandão, no trecho entre a Rua Capuraque e Avenida Cristiano Machado, com a circulação de veículos pela esquerda e o tráfego oposto pela direita, como numa “mão inglesa”.


4 COPA 2014

Tribuna Vetor Norte • RMBH-MG • Edição 02 • 28, dezembro, 2013 a 30, janeiro, 2014

Argentina na Cidade do Galo Sabella adianta os detalhes da preparação Foto: Secom-MG

técnico da Seleção da Argentina, A l e j a n d ro Sabella, explica que uma equipe técnica da Federação Argentina de Futebol (AFA), estará em Vespasiano, no Vetor Norte, para acertar detalhes relativos à acomodação na “Cidade do Galo”, Centro de Treinamento do Clube Atlético Mineiro. Minas Gerais será a casa de três equipes sul-americanas durante a Copa de 2014: Argentina, Chile e Uruguai. Os chilenos escolheram a Toca da Raposa II, do Cruzeiro, na Pampulha; e o Uruguai vai ficar em Sete Lagoas. Sabella adiantou que a seleção argentina vai chegar a Vespasiano no dia 9 de junho. Eles estreiam no Mundial no dia 15 de junho contra a Bósnia, no Maracanã. Depois, será a vez de jogar no Mineirão,

O

O técnico Alejandro Sabella, da Seleção Argentina, vistoriou a Cidade do Galo, em Vespasiano

contra o Irã, no dia 21. A equipe encerra a fase de grupos contra a Nigéria, em Porto Alegre, no dia 25. “Os deslocamentos eram nossa maior preocupação. O Brasil é quase um continente, muito extenso de Norte a Sul, o que significa que as viagens podem ser muito cansativas, não somente

em função das distâncias, mas também pelas mudanças de temperatura. Ter ficado no grupo “F” foi muito bom porque tanto o Rio, quanto Porto Alegre são cidades mais próximas”, revelou. Quanto à permanência da equipe no CT do Galo, o técnico argentino reiterou a es-

colha “acertada” da equipe. “Depois do sorteio na Costa do Sauípe, nossa comissão técnica visitou hotéis no Rio e depois em Porto Alegre. Agora estamos aqui, que é o local onde vamos passar a maior parte do tempo. Focamos mais em quartos, restaurante e outras instalações para saber

que tipo de adaptação teremos que fazer, mas serão mínimas. A Cidade do Galo é um dos melhores CTs do Brasil, então não tivemos dúvida e escolhemos aqui”, frisou. Segundo ele, a delegação argentina terá cerca de 50 pessoas. O técnico argentino está ciente que o craque Messi será bastante assediado, mas adiantou que vai atender as demandas de imprensa e fãs na medida do possível. “Sabemos que Messi será muito procurado, talvez mais que os demais, mas vamos sim permitir que ele fale com todos. Mas ele terá que trabalhar muito também, descansar, estar com seus companheiros de time, enfim, seu maior trabalho aqui será o de jogar”, disse. Com relação aos treinos, Sabella explicou que haverá dias abertos para a imprensa, outros com

restrições para gravação de imagem da equipe. “Tem um treino que será obrigatório para a imprensa, mas também haverá outro em que os jornalistas poderão gravar ou os 15 primeiros minutos ou os 15 últimos. Vai depender também das viagens que faremos. Somente no dia saberemos quais jogadores falarão com os jornalistas”, explicou. Comida - Sobre os hábitos gastronômicos de sua equipe, o técnico garantiu que a comida mineira fará parte do cardápio do time. “Nós comemos mais carne de boi e vaca e menos porco e peixe, mas vamos incluir a carne suína no cardápio, que é bastante saudável. Acho que traremos um cozinheiro conosco. A churrasqueira que tem aqui no CT será bastante usada, com certeza”, finalizou Alejandro Sabella.

Gramado do Mineirão tem tratamento especial Foto: Secom-MG

Controle contra a violência

Sylvio Coutinho/Minas Arena Divulgação

reocupados em garantir a segurança na Copa do Mundo da Fifa2014, os ministérios do Esporte e da Justiça discutiram o modelo adotado em megaeventos esportivos, como a Copa das Confederações, realiCCO do Mineirão controla 364 zada no Brasil em câmeras de segurança do estádio 2013. Estão previstas a integração de áreas de inteligência das forças de segurança, a elaboração de um guia de procedimentos e instalação de estruturas e equipamentos, como centros de comando e controle e câmeras. O novo Mineirão já adota esse modelo. Além do complexo, o Mineirão conta com o Centro de Controle de Operações (CCO), onde são monitoradas as 364 câmeras de vigilância, a iluminação, alarmes, telão, ar-condi- cionado e sistema de tecnologia de informação. Nos dias de partidas trabalham no CCO oficiais da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, policiais civis e autoridades da Minas Arena responsáveis pela segurança do estádio. Nos 32 jogos já realizados no novo Mineirão, mais de 16.800 pessoas, entre seguranças privados, orientadores de público e bombeiros civis trabalharam no estádio. A arquitetura de segurança com vários órgãos reunidos em um mesmo espaço reduziu muito a violência nos estádios, de acordo com o comandante de policiamento especializado de Minas Gerais, coronel Antônio de Carvalho. “A atuação conjunta é preponderante”, disse. “O atendimento ao público tem hoje uma excelência que não existia antes. Os torcedores passam mais rápido pela catraca, os portadores de necessidades especiais são recebidos com mais qualidade. A mesclagem entre segurança privada, stewards, facilitadores e policiais militares melhorou muito a segurança e a tranquilidade do torcedor no estádio”, informou o coronel Carvalho.

P Segundo a Minas Arena, o MIneirão, palco da Copa do Mundo em BH, terá cuidados especiais para suportar a carga de jogos em 2014

m dezembro de 2013 a bola parou de rolar no Mineirão. Este é o momento ideal para se cuidar com carinho de um dos palcos da Copa do Mundo Fifa2014. Com a pausa no calendário de futebol profissional no Brasil, o gramado do estádio recebeu tratamento especial para suportar o número de partidas da temporada de futebol 2014 que serão realizadas no Mineirão – o primeiro jogo será entre o Cruzeiro e a URT, de Patos de Minas, domingo, 26 de janeiro de 2014, pelo Campeonato Mineiro. Depois, termos seis jogos oficiais da Copa do Mundo. Do início do tratamento, iniciado no 12 de dezembro de 2013, até o primeiro jogo em 2014, o gramado do Mineirão terá ‘descansado’ 35 dias.

E

A equipe responsável pelo tratamento inicialmente retirou todo o material morto da grama – raízes, estolões e tecido de folhas – que naturalmente aparecem durante o ano. Em seguida houve a descompactação do solo. A etapa seguinte é a aeração, fase em que o gramado fica coberto de areia. Nessa fase do tratamento do gramado, serão utilizados 50 metros cúbicos de areia. Segundo a equipe responsável, o gramado do Mineirão estará pronto para receber os jogos desta temporada. “Será um verdadeiro tapete, no qual craques do futebol mineiro, brasileiro e mundial pisarão em 2014, sobretudo com os duelos da Copa do Mundo”, comemoram.


Tribuna Vetor Norte • RMBH-MG • Edição 02 • 28, dezembro, 2013 a 30, janeiro, 2014

EDUCAÇÃO 5

Aposta no diálogo É a proposta de trabalho do segundo mandato do presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais Arquivo Trib

atual presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais, Emiro Barbini, foi reeleito para mais um mandato (2014/2016) da maior entidade representativa das escolas privadas de Minas Gerais. Barbini é sócio-proprietário do colégio M2, de Lagoa Santa. Formado em Matemática, Física e Pedagogia, com MBA em Administração Estratégica, foi professor, coordenador, supervisor e diretor do Colégio Santo Agostinho, diretor do Colégio Magnum Cidade Nova, sócio-diretor do Colégio Magnum Buritis e fundador e diretor da faculdade INED/Pitágoras. Tem dois artigos publicados pelo IMEP e recebeu da Câmara Municipal de

O

Emiro Barbini, reeleito para a presidência do Sinep-MG

Belo Horizonte, honra ao mérito em educação. No SINEP/MG, foi Diretor Administrativo e Diretor Financeiro por dois mandatos. Em entrevista, Emiro Barbini conta as expectativas para mais um mandato no SINEP/MG.

Quais serão as características da atual gestão? - Qualquer sindicato de escolas particulares do Brasil tem o dever de defender os interesses da escola particular e ficar sempre atento aos projetos de lei e medidas

que possam interferir na gestão e no funcionamento das próprias instituições. Outro ponto importante tem sido, nas convenções coletivas de trabalho, desenvolver um trabalho de estratégia para separar as negociações por segmentos. Trata-se de um processo, mas é preciso compreender que os interesses de uma escola de Educação Infantil são muito diferentes dos interesses de instituições de Ensino Superior. É uma questão até de sobrevivência destas próprias escolas. Vamos dar continuidade à primeira gestão, sempre conciliadora e aberta ao diálogo. Conseguimos ter nossa sede própria, ampla, moderna, onde pudemos oferecer centenas de cursos, palestras e atividades que propor-

cionaram integração e aperfeiçoamento da própria gestão escolar. E como se dá o diálogo do SINEP/MG com os outros setores da sociedade? - O diálogo sempre é a melhor solução para solucionar os problemas e encontrar uma solução que seja melhor para todos. É importante perceber que se a escola vai bem, vai bem o funcionário e o professor que trabalha nela. Os diretores devem saber da responsabilidade e da importância da escola particular mineira. Muitas famílias dependem dela. Muitos empregos diretos e indiretos são gerados pela escola particular. Nosso segmento hoje representa uma das maiores fatias do PIB do estado. É uma responsabilidade muito grande. É fundamen-

tal um bom relacionamento com todas as entidades que envolvem a educação. Nossa maneira de agir sempre será serena, tranquila, com competência. Esta serenidade estará presente nas negociações da Convenção Coletiva de Trabalho? - Vai ser prioridade. Nós acreditamos que através do diálogo é que é possível o entendimento. Não vamos prejudicar nem professores nem funcionários. Qualquer diretor sabe que sua maior joia dentro da escola é um grupo de professores motivados. A Convenção Coletiva vai partir de muita persistência. Poderá ser dura, poderá haver atritos. Mas nunca perderá o diálogo. Agiremos com firmeza e suavidade.


6 EM TEMPO

Tribuna Vetor Norte • RMBH-MG • Edição 02 • 28, dezembro, 2013 a 30, janeiro, 2014

Vale a Pena Conferir

Fotos: Arquivo Trib

Emiro Barbini, do Sinep-MG é Cidadão Honorário de Lagoa Santa professor e empresário Emiro Barbini fechou o ano de 2013 com chave de ouro. Por sua destacada gestão na presidência do Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (SINEP-MG) foi reeleito para um novo mandato à frente da reconhecida Instituição. Também em concorrida solenidade, recebeu o Título de Cidadão Honorário da cidade de Lagoa Santa, através de iniciativa do Vereador Robertinho, que enalteceu a atuação de Emiro Barbini junto à comunidade Lagoassantense. Assim como em nosso Estado e em Belo Horizonte, em Lagoa Santa também se vê o profissionalismo e talento de Emiro Barbini, que levou, mais uma vez, o seu Colégio M2 a ser o primeiro do ENEM no Vetor Norte. Parabéns Emiro Barbini.

O

Emiro Barbini recebe do presidente da Câmara Municipal, vereador Robertinho, o título de Cidadão Honorário de Lagoa Santa

O que se faz do menor?

O presidente reeleito do SINEP-MG, Emiro Barbini, junto a sua dinâmica diretoria Por Carlos Felipe Horta Jornalista, escritor Uma pesquisa realizada em Brasília, mas que, segundo os próprios pesquisadores e autoridades ouvidas, acontece em todo o Brasil, nos deixa com o coração na mão e, inconscientemente, fazendo uma pergunta: o que está sendo feito com o menor do Brasil. O resultado é doloroso, ao afirmar que 32.6% de todos os crimes praticados no País têm a participação de menores, quase um terço. Quais as razões, provavelmente todo mundo saiba. Impedido de trabalhar em razão do Estatuto do Menor e do Adolescente e sem

escolas ou locais onde possa ficar a maior parte do tempo, em segurança ou se desenvolvendo, cultural e socialmente, o menor vem sendo presa fácil de traficantes e todos os tipos de bandidos que fazem dele o “mula” ideal para distribuir as drogas ou praticar os crimes. Ele é apenas “apreendido”, para usar o jargão legal, mas por não existir também locais de reeducação, logo é colocado em liberdade. A impunidade o leva de novo à prática de delitos, ainda mais que ele ganha “algum” e se torna também viciado. Se “apreendido” novamente, é só falar “o de menor” e pronto, Daí a pouco, nova soltura, numa espiral repetitiva e dolorosa, o “de menor” daí a pouco será um bandido adulto e bem treinado para praticar seus crimes. Todos nós sabemos disso, mas parece que as autoridades se negam a enxergar esta realidade e nem mesmo se movimentar para ajuda pais e famílias que tentam, às vezes desesperadamente, tirar os filhos do caminho que estão seguindo. A pesquisa de Brasília, que nenhum jornal de Belo Horizonte deu hoje, foi apresentada na televisão ontem. Os dados são, no mínimo, estarrecedores. Vamos continuar calados?


8 SAÚDE

Tribuna Vetor Norte • RMBH-MG • Edição 02 • 28, dezembro, 2013 a 30, janeiro, 2014

Brasil: um país com alta defasagem em implantes de marca-passos cardíacos Por Dra. Luciana Alves* Os marca-passos fazem parte da vida de quase 300 mil brasileiros. Entretanto, deveríamos ter muito mais marca-passos implantados e os pacientes que deles necessitam, vivendo plenamente e com qualidade de vida. Segundo a Organização Mundial de Saúde (2010), as despesas totais com saúde em relação ao Produto Interno Bruto - PIB, o Brasil investe em saúde apenas 8,4% do total do PIB, ficando atrás de

Cuba e Alemanha (10,4%), e Portugal e Argentina (10%). Quando analisados os percentuais das despesas do Governo com saúde em relação aos gastos totais, o Brasil investe

irrisórios 5,4% ficando atrás da Alemanha (18,2%), Uruguai (17,4%), Portugal (15,4%), Cuba (14,5%) e Argentina (13,9%). Em relação ao número de marca-pas-

sos implantados quando comparado com a Europa, em proporção por milhão de habitantes, dados de 2010, revelaram que para que o Brasil alcançasse a média, o número de implantes/1000.000 habitantes, que foi de 170 deveria ser quase cinco vezes maior (815/1000.000 habitantes). Para ter noção dessa defasagem, a proporção de implantes por milhão de habitantes na Polônia é de 712, Espanha 729, Portugal 745, França 1.006, Itália 1.091, Alemanha 1.252.

E o baixo número de implantes não é por falta de necessidade. Não raro são noticiados casos na mídia, e existem muitos mais casos não noticiados de pacientes que estão à espera por um marca-passo cardíaco na fila do SUS. Infelizmente também não temos acesso ao

número de óbitos pela demora no implante de marcapasso, ou troca por desgaste da bateria. E sabe por que não sabemos quantos pacientes morrem por falta da chegada do aparelho? Porque não existe um CID (Código Internacional de Doenças) para Negligência.

Fonte: Population Reference Bureau - 2010 World Population Datasheet - EHRA White Book, 2010 - Organização Mundial da Saúde. World Health Report 2010 (*) Dra. Luciana Alves é PhD, fundadora e Líder de PACEMAKERusers.com Acesse o site: www.pacemakerusers.com ou então por www.meumarcapasso.com.br Facebook – PACEMAKERusers - https://www.facebook.com/pacemakerusersdotcom Contato: contato@pacemakerusers.com

Um Feliz SER HUMANO Novo! Arquivo/Trib

2014! Ano Novo! Vida Nova! Planos, desejos e promessas de fazer diferente, fazer o novo Francisco Jr. primeiro passo para essa jornada se chama AUTOCONHECIMENTO. Devemos mergulhar fundo em nós mesmos para descobrir nossas forças e medos. Conhecer a forma como agimos para repetir e aprimorar nossos acertos e corrigir as rotas para fazermos diferente aquilo que não nos conduziu à realização de nossos projetos.

O

Autoconhecimento está fundamentalmente ligado a uma profunda reflexão sobre seu atual momento de vida, suas expectativas, vontades, motivações, medos, barreiras e limitações. É um grande encontro com suas crenças e valores. Passa pelo auto perdão e pela ressignificação de tudo aquilo que não saiu como planejado, mas que possui algo a te acrescentar. Praticando nossas virtudes, potenciali-

zando nossas forças, focando no positivo e enxergando intenções positivas em tudo aquilo que nos acontece, nos livramos das amarras do mal e partimos para um caminho de evolução que beneficiará a você e a todos em sua volta, família, trabalho e sociedade. Defina metas, pratique o foco, reconheça seus valores e não se desgrude deles. Sem dúvidas, essa é a trilha do seu sucesso. Essa “EGOTRIP” é

seu ponto de partida para um ano novo re-

pleto de conquistas e realizações.

francisco@uppercoaching.com.br www.uppercoaching.com.br


Tribuna Vetor Norte • RMBH-MG • Edição 02 • 28, dezembro, 2013 a 30, janeiro, 2014

9


10 IGREJA

Tribuna Vetor Norte • RMBH-MG • Edição 02 • 28, dezembro, 2013 a 30, janeiro, 2014

Avança a construção da Catedral Cristo Rei

Foto: Reprodução

Obras da maior Catedral de Belo Horizonte foram iniciadas em 5 de novembro de 2013. Depois de edificada, Catedral poderá receber até 20 mil fiéis ao mesmo tempo

A

Arqui‐ diocese de Belo Hori‐ zonte propõe que o espaço da Catedral Cristo Rei seja “um grande coração de serviços”, favorecendo o forta‐ lecimento de uma igreja que sirva mais às pessoas, principal‐ mente os pobres e ca‐ rentes. A Catedral terá área construída de 16 mil metros qua‐ drados, em terreno de 22 mil metros qua‐ drados. Está locali‐ zada no Vetor Norte da Capital mineira, no bairro Juliana. O projeto é do arquiteto Oscar Niemeyer, e, quando concluída, a

Catedral Cristo Rei será a maior igreja católica da Capital mineira

Catedral terá duas torres e uma cúpula. O espaço terá capaci‐ dade para receber mais de 20 mil fiéis ao mesmo tempo. A primeira etapa de construção terá duração de cinco meses, quando serão

realizadas terraplena‐ gens e contenção do terreno. O projeto prevê três pavimentos compondo uma grande praça para apresentações artísti‐ cas e altar externo para missas campais. Proposta da Igreja é

promover o desen‐ volvimento humano das comunidades mais pobres e fortale‐ cer o compromisso com a solidariedade, em todos os 28 muni‐ cípios que integram a Arquidiocese de Belo Horizonte.

A Arquidiocese está recebendo doa‐ ções para a constru‐ ção da Catedral Cristo Rei, e já conta‐ biliza que esta cam‐ panha tenha arrecadado, até o final de dezembro, 40 mil sacos de cimen‐

tos. A meta a ser al‐ cançada é 90 mil sacos, que serão utili‐ zados na atual fase das obras. Mais informações sobre doações de saco de cimento: veja anún‐ cio na página 6 desta edição.


Tribuna Vetor Norte • RMBH-MG • Edição 02 • 28, dezembro, 2013 a 30, janeiro, 2014

11


CIDADES

Tribuna Vetor Norte • RMBH-MG • Edição 02 • 28, dezembro, 2013 a 30, janeiro, 2014

Escadaria da Igreja de Santa Rita, no topo do morro - Foto: gildazio fernandes

Ibituruí, Minas do Serro do Frio, Arraial do Ribeirão, Vila do Príncipe do Serro Frio... Por Félix Tolentino* erro foi a 5ª cidade erguida no Estado de Minas Gerais. Fundada em 1702, foi elevada a categoria de Vila em 1714 com o nome de Vila do Príncipe. Em 1720 tornou-se seda da Comarca do Serro Frio. Teve o período de auge da produção do ouro no século XVIII. Com a decadência da mineração veio o ciclo da economia agrícola com produção de cana-de-açúcar, cachaça, gado e queijo. Citada por viajantes como Saint Hilaire, que aqui passaram no século XIX, pela sua beleza e singular disposição urbana em forma de anfiteatro, o Serro preservou-se através dos tempos mantendo grande parte de seus belos casarões compondo importante acervo da arquitetura colonial mineira. Sede de uma das quatro Comarcas da Capitania das Minas Gerais, a antiga Vila do Príncipe do Serro Frio, hoje cidade do Serro, ainda guarda as características das vilas setecentistas mineiras, tanto no traçado de suas ruas, quanto na originalidade de seu casario. PATRIMÔNIO CULTURAL - O rico patrimônio configura-se como o principal atrativo turístico da cidade de Serro, que inclui importantes igrejas e casarios, além do artesanato e manifestações culturais, o que lhe valeu ser a primeira cidade do Brasil tombada como Patrimônio Histórico Nacional o que aconteceu no ano de 1938. Com forte identificação com as regiões Norte de Minas e Jequitinhonha, possui cerca de 21 mil habitantes (censo 2010), espalhados em área de 1.217,813 quilômetros quadrados.

S

Recentemente, o Queijo do Serro, conhecido em todo o Brasil pelo seu paladar, teve o seu modo de fazer – trazido no século XVIII, por portugueses vindos da Serra da Estrela em Portugal – reconhecido como patrimônio imaterial do Estado de Minas Gerais – o primeiro registro de patrimônio imaterial do Estado (2002). Em 2008, foi registrado como patrimônio nacional. OCUPAÇÃO – No final do século VXll, como todo arraial minerador teve o inicio de seu processo de ocupação ao longo dos cursos d’água, Córregos do Lucas e Quatro Vinténs devido aos achados de ouro nos veios destes. No bairro chamado “Praia” foi onde se implantou a primeira povoação, logo denominada Arraial das Lavras Velhas, substituindo o nome indígena de Ibituruí (Terra de cerração fria). De um lado, surgiu a Casa de Fundição (1720), e do outro, a Cadeia (1735). Alguns mineradores enriquecidos casaram se com índias ou escravas, e resolveram se estabelecer de vez na região. Procurando lugares mais adequados, seguiram as curvas de nível. O surgimento de capelas e igrejas se deu em função da religiosidade daqueles que por aqui chegaram. Surgiram, então, os dois primeiros templos: Capela da Purificação (Demolida segundo a lenda por ter sido construída com doações de uma negra) e a igreja principal, dedicada a Santo Antônio (Atual Matriz), voltada para as principais áreas auríferas. Várias irmandades e confrarias (Grupos religiosos) se formaram. Logo, o povoado chamou a atenção da administração da Província (Vila Rica). Em 1714, foi elevada a categoria de Vila, com o

SERRO Casarões coloniais, paisagem típica do Serro Foto: gildazio fernandes

nome de Vila do Príncipe, sede da Comarca de Serro do Frio, criada em 1720. Em contraposição ao Arraial de Baixo, a nova área de ocupação passou a se chamar Arraial de Cima. Esta recebeu os funcionários administrativos, onde se ergueram casarões assobradados, em estilo colonial português. Instalou-se a Casa de Câmara (Em frente à Matriz). E surgiu a Rua do Corte, onde se instalou o serviço de corte. Em 1838, foi elevada a categoria de Cidade. Permaneceu como centro de interesses jurídico e administrativo da região. Devido à topografia acidentada, a cidade não pôde receber a estrada de ferro, que foi desviada para Curvelo. Sem boas estradas para comunicação, encerrou seu período de apogeu. Porém, foi a cidade que mais preservou a história de sua formação. Em 1938, a cidade era um livro aberto, contava visual e claramente a saga dos ban-

deirantes, a formação de Minas Gerais e o ciclo econômico do ouro no Brasil. Por isso foi a primeira cidade brasileira a receber o Título de Patrimônio Nacional. ATRATIVOS – Destaque para o Centro Histórico, com sua Rua Direita, ligando o Bairro Praia (Inicio da povoação) e Largo do Pelourinho ao Largo da Cavalhada (Atual Praça João Pinheiro). As Igrejas sofreram uma mudança de estilo e localização em relação as demais igrejas mineiras. A maioria se encontra em encostas (Matozinhos) e topos de morros (Matriz e Santa Rita). Adotaram o estilo Rococó, possuindo em seus interiores vários painéis e figuras, com cores vivas, tons avermelhados. Geralmente peças em madeiras com folha de ouro. – Fragmentos retirados do livro Barroco 16 – 2ª edição – Fundação João Pinheiro; IPHAN. (*) Félix é o presidente da AASER – Associação dos Amigos do Serro.

Tribuna Vetor Norte ed02  

BRT Move vai começar a operar

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you