Page 1

Ano III - Edição N. 36 - Belo Horizonte, de 25 de setembro a 22 de outubro de 2010 Santos Filho

Segurança na Cidade Nova sob suspense Moradores da Cidade Nova andam apreensivos com a possibilidade do projeto “Rede de Vizinhos Protegidos” estar indo água abaixo. Depois de várias reuniões com crescente participação da comunidade – última reunião lotou a Igreja de Santa Luzia – o projeto foi oficialmente implantado pelo Comando da 23 Cia. da Polícia Militar. Mais de 450 moradores do bairro adquiriram as placas, in-

Em 15 de março deste ano, centenas de pessoas compareceram à reunião da formalização da Rede de Vizinhos Protegidos, realizada na Igreja de Santa Luzia da Cidade Nova, e se mostravam entusiasmadas com o projeto

Santos Filho

Enchentes anunciadas no bairro Palmares

Meteorologistas anunciam inundações no córrego Cachoeirinha, no Palmares

OPINIÃO

Liberdade de imprensa e de expressão

Feira dos Produtores renovada nos 60 anos de atividades

Página 2

Automóveis:

Coluna 4 Tempos

Página 4

Debate eleitoral no Colégio Batista Página 11

Show Vip Coluna do Joly Página 12

A importância do oficio do professor Página 14

Universo abre campus para a família Página 15

Reforma da Feira dos Produtores da Cidade Nova visa atrair novos clientes

A Feira dos Produtores da Cidade Nova está recebendo reformas para atender melhor a sua crescente clientela. São melhorias físicas, estruturais, de relacionamento entre os comerciantes e o grande público consumidor. As obras estão a pleno vapor com vistas para a Copa do Mundo de 2014, porque a região Nordeste será um dos pólos deste evento internacional. Página 10

Depois de uma seca de quase 90 dias, Belo Horizonte deverá receber uma carga pesada de chuvas. Segundo previsões de meteorologistas, as previsões de enchentes e inundações na capital podem atingir 82 áreas em diversos bairros da cidade. Sete dessas áreas estão na região Nordeste de BH. Um caso crônico é o córrego Cachoeirinha, que corre em canal descoberto na Avenida Bernardo Vasconcelos, no bairro Palmares. Por ser estreito e pouco profundo, o canal não suporta qualquer chuva mais forte. O leito do córrego canalizado sempre transborda carregando águas sujas e entulhos de todos os tipos, levando riscos de doenças contagiosas graves aos moradores locais. Apesar das promessas da Prefeitura no ano passado, quando a região sofreu inundações, esse quadro não será modificado em 2010, pois nenhuma ação concreta está em andamento. A população somente poderá contar com a providencial ajuda dos céus e o apoio de alguma placa indicativa da PBH, de que aquele local é passível de enchentes. Página 9

formando que havia na região uma parceria da comunidade com as forças de segurança pública. Entretanto, inexplicavelmente, a integração com a PM não aconteceu. Enquanto isso, criminosos agem com desenvoltura no bairro. A mais recente ação aconteceu em garagem de prédio, quando vários carros de moradores foram completamente depenados. Mais detalhe na página 3

NOVIDADES Beleza e culinária

Bambuterapia no salão

Região da Cidade Nova atraí cada vez mais novos empreendimentos. A partir de outubro, o salão Rodrigo Oliveira Coiffeur, oferece serviços de estética facial e corporal, incluindo massagens redutora e relaxante, drenagem linfática, pedras quentes e bambuterapia. Página 4

Quem gosta da boa cozinha japonesa, poderá conferir o Teriyaki Sushi, inaugurado há um mês. O restaurante vai destacar a apresentação dos pratos associados ao seu agradável sabor e na preparação de drinks especiais à base do saquê, uma cachaça de arroz. Página 9

PBH abandona parque no Nova Floresta

Sem assistência da PBH a cerca do Parque Ismael Fábrecas não resistiu

Apesar do empenho da comunidade, o Parque Ismael Fábregas, no Nova Floresta, continua abandonado pela Prefeitura de Belo Horizonte. Depois de muito esforço

o espaço verde e de Lazer foi cercado, mas a falta de apoio do município facilitou ações de vândalos que colocaram a cerca no chão. Veja mais na página 6


TRIBUNA - BH

2

Opinião Belo Horizonte, de 25 de setembro a 22 de outubro de 2010 - Edição N. 36

Liberdade de imprensa e de expressão A imprensa tem lado? Deveria ter. O lado da verdade, mas não é o que temos no Brasil neste momento, pelo menos em se tratando da chamada grande imprensa. As redações estão interferindo de forma contundente nas eleições de 2010, buscando moldar um candidato para mudar, na marra, o voto do eleitor. Qual o objetivo? Derrotar o mais popular presidente da República dos últimos 50 anos, Luís Inácio Lula da Silva. A grande imprensa passou boa parte de 2009 dizendo que Lula não emplacaria um sucessor ao Palácio do Planalto. Isso porque todas as opções petistas caíram como um

castelo de cartas, entre elas a confiável candidatura, para o mercado, de Antônio Palocci; devido ao envolvimento obscuro do ex-ministro na quebra do sigilo do caseiro. Outro fato que tranqüilizava a imprensa era o elevado índice nas pesquisas de opinião do candidato tucano, José Serra. Mas, desde o início do ano a candidatura Dilma começou a ser vista pelo eleitor como a continuidade do governo atual, e seus índices de aceitação dispararam. A sinalização desta eleição ser decidida ainda no primeiro turno acendeu a luz vermelha nas redações. De repente, de forma pouco usual na história do

Por Lucas Martins - Jornalista

jornalismo brasileiro, boa parte dos grandes jornais e revistas, com vigorosos auxílios da mídia eletrônica, adotam uma mesma linha editorial: Dilma é o atraso, a ditadura chavista e precisava ser combatida com todas as armas, mesmo que para isso fosse necessário escamotear a verdade. Atualmente, o mote nas grandes redações é transformar copos de água em tempestades. Tudo deve ser levado aos limites extremos. Valem todas as manchetes, mesmo sem as devidas apurações dos casos. Há queixas de Lula contra a imprensa. Ah, o governo quer acabar com a liberdade de imprensa. Mas afinal o que é essa tal

O amor é a plenitude da lei Pe. João de Deus Dantas - Pároco da Igreja de Santa Luzia da Cidade Nova

‘Não pensem que eu vim abolir as leis e os projetos. Não vim abolir, mas dar-lhes pleno cumprimento’ (Mt5, 17). Segundo os ensinamentos do Divino Mestre sempre vamos encontrar certo antagonismo entre a lei e a revelação Divina. No mundo consumista dos nossos dias a palavra amor costuma ser deturpada, fugindo do seu verdadeiro significado, qual seja engrandecer a vida respeitando seus semelhantes. A presença da lei sentido, quando se procura conservar a dignidade humana. Pois a vida é sempre valor maior. Tal verdade encontra-se dentro de nós de forma intuitiva. Somos tomados de uma profunda tristeza quando surgem verdadeiros monstros destruindo a vida das pessoas. É o que podemos caracterizar como ‘A pedagogia da crueldade’. E resta

nos perguntar: _Como pode existir tanta maldade? Entre uma lei positiva, um simples regulamento e o espírito de caridade devemos destacar o Amor como o caminho mais seguro. No tempo de Jesus as autoridades costumam ter uma concepção muito legalista sentindo-se seguros simplesmente, com o cumprimento da lei pela lei. O mestre de Nazaré percebera que e faltava o mais importante que é a vivencia da caridade. Aplicando essa preciosa lição ao longo da nossa vida, podemos experimentar uma realidade: termos rigorosos na observância da lei, mas, vazios do verdadeiro espírito de caridade. Quando deixamos crescer em nós o senso da caridade fraterna por vezes é imperativa necessidade de valorizar menos os princípios da lei_sobretudo, quando, injusta - em

Como diz o filósofo e professor de teologia, Willians Moreira: “Qual a compreensão que temos do que seja liberdade e qual é o

nível de nossa liberdade em face desta compreensão? Tem gente que passa a vida toda como escravo de ideias e das amarras culturais. Outros, constroem novos rumos para suas vidas e são livres”. Volto ao início: Nessas eleições a mídia deve ter lado. Sim! Desde que mostre isso com todas as letras e cores, ao mesmo tempo em que deve preservar a verdade dos fatos. À mídia cabe, simplesmente, reportar de forma imparcial, verdadeira e transparente os fatos; sem manipulação ou meias palavras, mesmo que determinados fatos desagradem sua classe social e seus proprietários. E viva a sabedoria do eleitor.

“Efeito teflon” Por Guilherme Nunes Avelar - Advogado

favor das circunstancias contratas que nos pedem uma atitude mais humana, por quanto à caridade supera alei. A razão primária para o surgimento das leis é o perigo das decisões arbitrárias, dos comportamentos escuros, de crimes que destroem a vida gerando tristeza e consternação. Como a sociedade pode se tornar mais humana? Quando cresce em cada um a consciência dos valores fundamentais. O ideal cristão é que o outro nunca seja meu adversário, mas fiel companheiro de caminhada. Quando a presença do outro significa perigo para nós, é porque algo de errado está acontecendo. Somos chamados, em qualquer situação, a priorizar o amor: pois o amor é a plenitude da lei.

Reportagem: Júlio Emílio Tentaterra – Reg. Prof. MG 02.845 JP Fotografia: Santos Filho Colaboradores: Fernando Lanza, Fernando Joly, Guilherme Avelar, Luciana Sampaio, Pe. João de Deus Dantas e Rodrigo Denúbila.

Telefax: (31) 3484 0480 e (31) 9955 8447. Email Redação: tribunabh@gmail.com Site: www.tribunadacidade.xpg.com.br O jornal Tribuna da Cidade Nova é uma publicação da Logos Editora Ltda., registrado no Cartório Jero Oliva, arquivada naquela Serventia em 12/09/2007, no Registro nº 1.143, no Livro A. Logos Editora Ltda. Registrada na JUCEMG sob o nº 3120431497 CNPJ 25.712.977/0001-62. Insc. Estadual nº 62.881.449.00-81.

cas de revistas, padarias, postos de combustíveis, lojas e empresas dos bairros Cidade Nova, Silveira, Nova Floresta, e partes da Renascença, Ipiranga, União e adjacên­cias.

Redação: Rua Dr. Júlio Otaviano Ferreira, 913 - Cidade Nova - Belo Horizonte - Minas Gerais - CEP: 31170-200

Circulação: O jornal é distribuído de casa em casa, na Paróquia de Santa Luzia, na Feira dos Produtores da Cidade Nova, ban-

Os artigos assinados não espelham, necessariamente, a opinião do jornal, sendo de inteira responsabilidade de seus autores.

EDIÇÃO N. 36 Editores: Lucas Martins - Reg. Prof. MG 02485 JP Eugênio Oliveira - Reg. Prof. MG 03478 JP

liberdade. Todo bom jornalista sabe que não existe liberdade de imprensa, mas sim liberdade do dono da imprensa. Nenhum jornalista tem o privilégio de expressar impunemente a sua opinião, se ela não agradar ao dono da mídia. O presidente pode ser enxovalhado pela mídia e obrigado a ficar caladinho, triste como gado a caminho do matadouro? Afinal, a livre expressão do pensamento – um direito de todos os cidadãos – não deveria ser total e inexoravelmente respeitada?

Periodicidade: 25 de setembro a 22 de outubro de 2010 Impressão: Sempre Editora Esta edição foi editada seguindo a Nova Ortografia da Língua Portuguesa

Alguém, de certa feita, disse, a respeito de presidente anterior, que ele se caracterizava por ter “efeito teflon”: nenhuma crítica, nenhum questionamento, sobre eventuais problemas em seu governo (por má gestão ou por acusação de corrupção), “pegava” nele, como as panelas revestidas internamente de teflon, para tornarem-nas isentas de gordura. O atual presidente, muito mais eficiente na arte da prestidigitação política (caracterizada por se dizer uma coisa para esconder outra), mostrou-se ainda mais refratário às críticas e questionamentos que seu antecessor. E olha que o atual (des)governo merece muito mais críticas e questionamentos, em virtude dos exemplos aos borbotões de roubalheira, incompetência, preguiça e outros que tais. Acusações envolvendo diretamente o Palácio e sua família - como o tráfico de influência milionário praticado por seu filho ou as despesas nababescas pagas pela mesma empresa favorecida pelo filho em favor da irmã em Paris - quedaram em sepulcral silêncio, com imprensa, Ministério Público, Controladoria e oposição em conveniente (e conivente) silêncio. Como não existe nada sem preço, esse mal protetor ao presidente deu cria: estamos assistindo (não assustados, pois seguramente ainda iremos saber de muito mais...) ao “espetáculo do crescimento” da maracutaia, agora envolvendo o filho da ex-ministra da Casa Civil, assessora direta da candidata oficial, em reedição também milionária de tráfico de influência. A igualar esses casos, a cachimônia de sempre: silêncio dos órgãos públicos de controle, uma reação oposicionista de ocasião, um desinteresse doentio do governo em efetivamente descobrir algo e uma opinião pública sem opinião alguma! Tal como as reiteradas invasões da privacidade das pessoas (até de um simplérrimo caseiro o governo quebrou o sigilo fiscal), também essa crise, apagadas as luzes eleitorais, cairá no esquecimento. Para mudar isso, baterei de novo em minha insistente tecla: o Judiciário tem que ser aperfeiçoado, por iniciativa própria (sem depender das iniciativas do governo, que nem quer pensar em melhorias nisso), para ser ágil e severo, e a sociedade tem que sair de sua acomodação de jibóia e passar a efetivamente dizer o que pensa e impor seus desejos, com cobranças diuturnas e não apenas pedidos em época de eleição. Aí, e só aí, o Brasil começará a mudar; até lá, muda o nome do ocupante do Palácio, mas a bagunça é a mesma e a desfaçatez de fingir que nada sabe, idem!


Cidade Nova/Segurança Belo Horizonte, de 25 de setembro a 22 de outubro de 2010 - Edição N. 36

3

TRIBUNA - BH

Rede de Vizinhos da Cidade Nova. Porque parou? Santos Filho

Por Júlio Emílio Tentaterra

diz. Sônia Fabris acrescenta que os moradores não precisam temer nenhuma retaliação por parte dos bandidos, “porque estariam anônimos”. O que será que está acontecendo? Será que os moradores perderam a confiança no projeto?

Comunidade realizou várias reuniões com a PM antes de implantar a Rede de Vizinhos Protegidos na Cidade Nova

A

recente parceria, no início deste ano, entre a Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) e a comunidade da Cidade Nova, com o apoio da associação de moradores Ação Social Cidade Nova e do jornal Tribuna da Cidade Nova, formalizou o projeto Rede de Vizinhos Protegidos no bairro. A parceria visava a diminuição dos índices de criminalidade na região, além de estimular a autoproteção e a solidariedade entre os vizinhos. A Rede de Vizinhos Protegidos da Cidade Nova passou por provas de fogo nos últimos meses, em várias ocorrências policiais, de modo muito especial e lamentável quanto a um

recente crime de roubo. Há poucos dias, na madrugada, bandidos invadiram com a maior tranquilidade a garagem de um prédio e depenaram cinco veículos. Foram roubando estepes, rodas, pneus, aparelhos de som e até volantes. Um verdadeiro absurdo, um atentado aos cidadãos de bem que pagam seus impostos em dia e merecem um mínimo de proteção. Inacreditavelmente o edifício também integra a Rede de Vizinhos, mas pelo jeito abandonado pela polícia. Outra tentativa de assalto ocorreu na Rua Irmãos Kennedy, em um condomínio integrante da mesma Rede de Vizinhos, que não foi consumado porque

os larápios se assustaram com veículo que passava pela rua. Há, ainda, relato de um seqüestro relâmpago, com bandidos acuados pela polícia no salão de festas Casa do Sol, na Av. José Cândido da Silveira. Para a coordenadora do projeto Rede de Vizinhos Protegidos na comunidade, Sônia Fabris, nos dois primeiros casos os moradores não acionaram a Polícia Militar através dos meios apropriados. “O certo seria telefonar diretamente para a 23ª Cia BPM, que imediatamente acionaria pelo rádio uma viatura que estivesse perto do local”. A coordenadora pondera que “a placa em frente ao imóvel não faz nada sozinha. Somos nós que acionamos a polícia”,

“A Rede de Vizinhos protegidos da Cidade Nova em sua primeira etapa teve a adesão de 450 integrantes e para a segunda já existe uma lista de 100 novas adesões cadastradas com a possibilidade de aumento”, declara com entusiasmo Sônia Fabris. Ela só lamenta que os integrantes da Rede ainda não estejam familiarizados com suas novas funções. É preciso mais contatos e mais reuniões instrutivas. A Rede precisa fortalecer a interação entre seus integrantes, agilizar as participações dos moradores e harmonizar a vizinhança. Posição oficial da PM – “A solidariedade entre os moradores é a mola mestra que impulsiona o projeto. No sistema, os moradores são uma espécie de câmeras vivas, devem ser devidamente orientados pela PM e adotar estratégias para se protegerem. A proposta é fazer com que a população utilize táticas pró ativas para tirar a oportunidade da ação do criminoso”.

A 23ª Cia informa que na região da Cidade Nova e União circulam cinco viaturas: Patrulha de Atendimento Comunitário (PAC), Patrulha de Prevenção Ativa (PPA), Grupo Tático (GT) e Patrulha Escolar. Todas elas têm funções específicas para combater o crime. Mesmo com provável inoperância da Rede de Vizinhos Protegidos na Cidade Nova, a PM preconiza a criação de outras redes: a Rede de Verificação e a de Vigilância Mútua. “As pessoas se organizam com o objetivo de coibir as ações dos criminosos, repassando informações de qualquer atitude suspeita, imediatamente para a PM, por meio de celulares, que ficam com coordenadores de turnos de serviços, no sistema durante 24 horas, pelo 190 ou pelo DisqueDenúncia 181”. Como está não pode ficar – Nossa reportagem se dirigiu várias vezes ao Comando da Companhia da PM para obter índices de ocorrências policiais e alguma manifestação sobre a Rede de Vizinhos na região, mas não obteve sucesso. Alegaram seguidas reuniões. Esperamos, então, alguma manifestação do Comando Geral da Polícia Militar de Minas Gerais para nossos atentos leitores.


TRIBUNA - BH

4

Geral Belo Horizonte, de 25 de setembro a 22 de outubro de 2010 - Edição N. 36

Novidades no Salão Rodrigo Oliveira Coiffeur Serviços de estética corporal e facial completam atendimento no Salão

Por Waldemar Pedro Filho - Psicólogo e Antigomobilista

no Google ou outro buscador e não deixe de visitar: noticias.terra.com.br/Salao_2010 Compressão: Do primeiro Salão em 1960 para hoje, a indústria automobilística do Brasil foi do consumo obrigatório de “lixo” da substituição de tecnologia dos países de primeiro mundo, a ser hoje muito mais que um mero montador de veículos semiprontos ou desmontados como nos anos 50 e 60, especialmente. Ainda não temos realizado o sonho de um carro nacional acessível, como tentou o João Amaral Gurgel, pai da montadora de mesmo nome e pioneira na busca de soluções genuinamente nacionais. Continuamos a pagar royalties a americanos, europeus, japoneses , coreanos, franceses e por ai vai...

Explosão: A nova abertura dos portos brasileiros aos importados feita pelo polêmico Sr. Collor, nos legou entretanto, o que poderemos ver e utilizar dependendo do orçamento de cada um é claro. São tantas as marcas e opções que eu mesmo tenho dificuldades de identificar o carro que esta ali na minha frente, em nossas congestionadas ruas de BH. É muito difícil hoje definir uma compra. A fidelidade à marca em minha opinião já morreu há muito tempo. Não se fazem mais consumidores como meu pai que comprava qualquer carro, desde que fosse um Chevrolet. E enquanto viveu esta foi a sua prática e guardo na garagem duas perolas desde seu amor a marca: um Chevrolet Styleline Deluxe 1952 e um Chevrolet Opala Cupê Deluxo 1977, ambos condecorados com a desejada placa preta. Descarga: O Salão do Automóvel serve também para fazer a cabeça do consumidor brasileiro e torná-lo mais exigente quando a qualidade do produto e a segurança que ele oferece. Não basta ser bonito, tem que ser seguro. Air Bags; ABS e outras letrinhas famosas que vão indicando sobretudo segurança para os ocupantes do veículo e usuários das vias, precisam entrar na lista de itens de série desde já. A lei obriga que em 2014 todo carro vendido no Brasil tenha ABS e Air Bag, mas precisamos pressionar como consumidores e reclamar pela falta destes itens e se for o caso atravessar a rua e comprar no concorrente.

O Salão Rodrigo Oliveira Coiffeur, no bairro União, em Belo Horizonte, está ainda melhor. A partir deste mês, o salão passa a oferecer serviços de estética facial e corporal, incluindo massagem redutora, massagem relaxante, massagem para Esteticista Verônica Barros aplicando a técnica da Bambuterapia idosos, drenagem linfática (pré e pós-operatório), pedras quentes, bambuterapia, hidratação corporal, limpeza de pele, hidratação facial, peeling, depilação masculina e feminina, entre outros serviços. Rodrigo Oliveira negociou com a conceituada esteticista Verônica Barros e trouxe os serviços para o salão. “O trabalho da Verônica irá agregar valor ao salão. Iremos oferecer o que há de melhor na área de estética”, afirma o proprietário.

Divulgação

Admissão: A 26ª edição do Salão do Automóvel em São Paulo de 27/10 a 07/11/2010 comemora os 50 anos de realização do evento de modo poderoso, com a exibição de mais de 42 marcas de veículos com presença na Europa, Américas, Ásia. São cerca de 450 automóveis para encher os olhos dos visitantes e aficionados. Visitar o salão é uma maratona que exige paciência e bom humor, pois a multidão que lota o Anhembi faz dali um verdadeiro parque de diversões. Algumas montadoras franqueiam o acesso aos veículos, mas as marcas mais caras mantém firme o isolamento. Se puder não vá no final de semana e se for chegue o mais cedo possível, pois afinal o evento é em São Paulo a terra mundial da fila. Para saber mais digite Salão do Automóvel

Verônica Barros já trabalhou em conceituados salões de Belo Horizonte, com forte atuação nos bairros Carmo e Sion, na Zona Sul da capital. Ela foi uma das primeiras profissionais a trabalhar com a bambuterapia na cidade. A esteticista explica que a técnica é baseada nos princípios da terapia chinesa. “É uma massagem com bambu, que representa força, beleza, leveza e flexibilidade para os chineses”, afirma. A massagem pode ser do tipo redutora ou relaxante. A Bambuterapia redutora, com finalidade estética, é indicada para pessoas com idade entre 20 a 50 anos. “Rolamos o bambu por todo o corpo, com movimentos rápidos, intensos e repetitivos. Os óleos ou cremes redutores auxiliam no processo. O resultado é a queima de gorduras localizadas, redução das celulites e estruturação a silhueta”, explica. Segundo ela, o resultado é até 10% mais eficaz que a massagem redutora com as mãos. As regiões do corpo mais atingidas são glúteo, perna e até panturrilha. Já a Bambuterapia relaxante, com fins terapêuticos, trabalha o corpo e a mente, além de ter poder energizante. É indicada para pessoas de todas as idades. “Recebo muitas mulheres com mais de 50 anos. Essa técnica permite a dispersão das zonas de tensão, o amaciamento do tecido muscular, a dinamização da circulação sanguínea e linfática, além de proporcionar relaxamento do corpo e da mente”, explica a especialista. O salão funciona na Rua Alberto Cintra, 58 – Bairro Cidade Nova. Telefone: (31) 3227 0177. Site: www.rodrigooliveiracoiffeur.com.br


TRIBUNA - BH

6

Nova Floresta Belo Horizonte, de 25 de setembro a 22 de outubro de 2010 - Edição N. 36

Santos Filho

Parque Ismael Fábregas à deriva

Descaso das autoridades municipais com área pública no Nova Floresta irrita moradores

N

ão bastasse a demora para a construção de uma simples guarita para garantir o mínimo de segurança à própria estrutura e àqueles que por ali transitam, o Parque Ismael Fábregas, como muito outros, é um verdadeiro estado de abandono.

Mesmo com o empenho da Associação dos Moradores dos Bairros Nova Floresta e Silveira (ACOBANFS), do Tribuna da Cidade Nova e da comunidade, ainda faltam ações de algum agente da Prefeitura para zelar pelo local. Na verda-

de, todo o espaço que, depois de muita reclamação dos moradores, foi cercado, está pouco cuidado. O espaço público ainda é denominado parque, graças à presença de corajosos cidadãos dos bairros Nova Floresta e Silveira, que ainda teimam em utilizar a área para suas horas de lazer. “A Polícia Militar também deveria estar por lá, diariamente, para coibir a ação de marginais e drogados”, reclamam moradores. O local é aprazível e poderia ser melhor utilizado caso fosse verdadeiramente cuidado. Lá está a mais antiga pista para skate de Belo Horizonte, conhecida como ‘Praça do Bowl’. Ela existe desde a década de 1980, e já revelou skatistas para uma cidade que descobria aos poucos este esporte radical. É de se lamentar que um espaço público, importante, esteja caindo aos pedaços, entregue ao abandono e aos marginais, impedindo a presença dos cidadãos de bem, pois falta o mínimo conforto e segurança. Com a palavra a PM e a PBH.

O Rotary Club de Belo Horizonte Cidade Nova Convida você: A participar dos projetos sociais em que está envolvido (até o final de 2010) Dia das Crianças – início de outubro Beneficiário: Escolinha Sociedade São Vicente de Paulo – Cidade Ozanan Número de crianças: cerca de 100 (de 7 a 12 anos de idade) Doações: brinquedos/ balas / bombons/ biscoitos Natal dos Catadores de Materiais Recicláveis – Parceria com a Sociedade Santa Zita Beneficiários: Catadores E Famílias Número de famílias inscritas: cerca de 500 Doações: cestas básicas (alimentos não perecíveis) Para as crianças: brinquedos/ balas / bombons /biscoitos R evita l i z ação de B ib l iotecas da Comunidade Beneficiários: Parque Ecológico e Cultural Prof. Marcos Mazzoni / Escola SSVP – Cidade Ozanan Doações: livros infantis - didáticos - literatura / estantes para livros Pedimos a todos que puderem colaborar com doações dos itens acima discriminados, por favor se comuniquem o mais depressa possível com o Rotary Club Cidade Nova Por meio do nosso email: rotaryclubbhcidadenova@ googlegroups.com, ou pelos telefones: (31) 3486-9360 (Clara) ou 9808-9809 (Ângela)


Região Nordeste Belo Horizonte, de 25 de setembro a 22 de outubro de 2010 - Edição N. 36

9

TRIBUNA - BH

Caos anunciado na Avenida Bernardo Vasconcelos s institutos de Meteorologia já anunciam para outubro o início da temporada de chuvas para toda a região Sudeste do Brasil. Belo Horizonte está inserida na rota dessas águas. As previsões de enchentes e inundações estão espalhadas por todos os quadrantes da cidade, tanto em áreas populares, quanto nobres. São 82 pontos identificados pelos técnicos da Prefeitura e sete estão na região Nordeste, que poderão provocar os tradicionais estragos, acidentes graves e dores de cabeça aos moradores. Um caso crônico é o córrego Cachoeirinha, que corre em canal descoberto na Avenida Bernardo Vasconcelos, no bairro Palmares. Por ser estreito e pouco profundo, o canal não suporta qualquer chuva mais forte. O leito do córrego canalizado transborda carregando águas sujas e entulhos de todos os tipos, levando riscos de doenças contagiosas graves aos moradores locais.

Esse quadro não será modificado em 2010, apesar das promessas feitas pela Prefeitura de Belo Horizonte depois das inundações ocorridas nos últimos anos. Nenhuma ação concreta está em andamento por parte dos órgãos municipais. A população, até agora, pode contar apenas com o apoio de alguma placa indicativa da PBH de que aquele local é passível de enchentes e com a providencial ajuda dos céus. Segundo a Gerência de Comunicação Social da Regional Nordeste, a solução definitiva não chegará tão cedo, pois a Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) ainda não apresentou nenhum projeto para conter as águas das chuvas na região. Em 2009, duas possibilidades de obras estavam em estudos pela Sudecap: a construção de bacias alternativas ao longo da Avenida Bernardo Vasconcelos para conter a vazão das águas ou refazer e ampliar o leito do canal do córrego Cachoeirinha.

Córrego Cachoeirinha, na Av. Bernardo Vasconcelos, não recebeu obras da PBH e inundações como as de 2009 podem se repetir nos próximos meses

O início dos estudos técnicos estava marcado para o início do primeiro semestre deste ano. Em funcionamento estão algumas soluções paliativas, como a criação do Núcleo de Alerta de Chuvas (NAC), uma par-

ceria entre a Prefeitura, o comércio e os moradores; a remoção de lixo e entulhos de dentro do córrego, além da desobstrução das bocas de lobo. As reuniões entre os moradores e a PBH somente poderão ser atendidas em outra época.

Algumas alternativas para a comunidade local: comprar algum barco, se segurar ou boiar nas placas indicativas de enchentes da PBH, ou esperar as próximas eleições e cobrar de fato alguma providência por parte de nossas autoridades.

Região da Cidade Nova ganha novo restaurante de culinária japonesa

O Teriyaki Sushi Lounge Bar, inaugurado há um mês na Cidade Nova, é um restaurante de culinária japonesa, tendência mundial atual, que se destaca pela bonita apresentação dos pratos associado ao seu agradável sabor. Está situado à Rua Flor de Guambé, 12, esquina com Rua Alberto Cintra, uma das portas de acesso do nosso bairro.

Divulgação

O

Santos Filho

Por Júlio Emílio Tentaterra

Cardápio clássico, em sistema “a la carte”, preparado com produtos frescos e de qualidade superior. A casa possui, também, ampla variedade de bebidas, incluindo cervejas especiais e drinks preparados à base de sakê. A casa segue a tendência dos melhores restaurantes orientais, com um ambiente aconchegante, moderno e elegante, a decoração possui como tons predominantes o vermelho e preto, valorizada por uma iluminação indireta, ressaltando os trabalhos feitos em vidro, espelho, granito e madeira. Roberto Noronha Neto e um prato da culinária japonesa do Teriyaki Sushi, da Cidade Nova

Como promoção de inauguração o Teriyaki Sushi Lounge Bar oferece, de segunda a sexta-feira, até às 21 horas, rodada dupla de caipisakê, delicioso drink preparado à base de sakê com frutas da estação.


TRIBUNA - BH 10

Feira dos Produtores Belo Horizonte, de 25 de setembro a 22 de outubro de 2010 - Edição N. 36

FEIRA DOS PRODUTORES: CADA DIA MELHOR

60 anos de festas e bons serviços

Fachada externa da Feira dos Produtores está sendo totalmente revitalizada. Melhorias visam o conforto da clientela e atrair o turista da Copa de 2014

O

utubro tem festa na Feira dos Produtores da região da Cidade Nova. São dois dias de festejos especiais: a comemoração pelo aniversário de 60 anos de criação da Feira dos Produtores e a comemoração ao sagrado dia das Crianças. Estão programadas recreações infantis, atividades variadas tanto para crianças como para adultos. A segu-

rança é total para todos os divertimentos. Surpresas mais que agradáveis serão oferecidas aos presentes. A festança está marcada para sábado, dia 16, de 8h às 18 horas e para o domingo, dia 17, de 8h às 13 horas. Todas as informações através do telefone: (31) 3482 1444. A entrada é mais que franca!

Justa homenagem à Feira dos Produtores Divulgação

Arquivo TCN

Arquivo TCN

Melhorias e conforto para o cliente

Obras externas na Feira dos Produtores da Cidade Nova estão bem adiantadas

Desde 1981, atendendo a região da Cidade Nova, a Feira dos Produtores está recebendo reformas para atender melhor a sua crescente clientela. São melhorias físicas, estruturais e de relacionamento entre os comerciantes e o grande público consumidor. As obras estão a pleno vapor com vistas para a Copa do Mundo de 2014, porque a região Nordeste será um dos polos deste evento internacional. “Estamos executando um projeto para atender nossa clientela hoje e os de 2014. São obras para longo prazo. Não queremos ficar de fora desse evento internacional”, garante Luciene Leite Cunha, diretora administrativa da Feira dos Produtores. “Uma cara nova para a Feira, mais conforto, mais atrativa e mais receptiva para os clientes. No futuro queremos a inclusão da Feira como ponto turístico da capital. Desde a gestão da última diretoria estamos trabalhando junto a Belotur para implantar este projeto”, complementa a diretora. Novidades estão a caminho no quesito aprendizagem continuada. Foi firmada a parceria entre os comerciantes e o Sebrae-MG para a preparação técnica dos funcionários e feirantes, visando absorver os fluxos de turistas da Copa de 2014. Os resultados serão observados de imediato pelos clientes amigos. O entusiasmo é positivo, porque “as obras são feitas com recursos próprios, sem nenhum recurso do poder público. Por isso, a nossa reforma é feita por etapas, com cautela, precaução, sabedoria e criatividade”, finaliza a diretora Luciene Leite Cunha.

O presidente Luiz Edmundo discursa na Câmara Municipal na sessão solene em homenagem aos 60 anos da Feira dos Produtores

Pelos seus 60 anos, a Feira dos Produtores recebeu justa homenagem na Câmara dos Vereadores de Belo Horizonte, no dia 21 de setembro. Foi o diploma de Honra ao Mérito para todos os feirantes. José Edmundo Silva, atual presidente da Feira dos Produtores, em seu discurso de agradecimento ao Legislativo Municipal, ressaltou os benefícios da Feira dos Produtores e os serviços ali prestados aos belo-horizontinos, como abastecimentos de produtos alimentí-

cios e hortigranjeiros, entre outros. O presidente José Edmundo destacou que o crescimento da Feira deve-se a união de seus comerciantes. “Cada um faz a sua parte, luta pelo seu interesse e todos lutam pelo interesse comum a todos. Por isso a homenagem é justa. Quero agradecer aos vereadores de Belo Horizonte com muito orgulho e também a todos os colegas que fazem da Feira dos Produtores um ótimo lugar apara trabalhar”, concluiu.


Seu Bairro/Eleições Belo Horizonte, de 25 de setembro a 22 de outubro de 2010 - Edição N. 36

Santos Filho

Primeiro local previsto para a passarela São Judas obrigou o corte de várias árvores; depois mudaram repentinamente a localização da passarela. Agora, vão construir novas rampas de acesso. Total falta de planejamento do bom uso de recursos públicos

Novas obras devem piorar ainda mais o trânsito na região

A

Avenida Cristiano Machado continua sofrendo modificações, depois de integrar a via expressa Linha Verde, que liga o centro de Belo Horizonte ao Aeroporto Internacional de Confins. O trânsito nesta via é intenso e muitas vezes caótico, principalmente nos horários de picos pela manhã e à noite. A novidade agora é a supressão de semáforos e a implantação de seis novas passarelas. Segundo os técnicos, o objetivo é o diminuir para 20 minutos o tempo entre o centro da capital até Confins. As novas obras anunciadas pela Secretaria de estado de Transportes e Obras Públicas de Minas Gerais (Setop) têm previsão de investimento de R$ 19 milhões com o prazo de conclusão para julho de

2011. A Linha Verde, quando de sua implantação em 2006, foi orçada em R$ 270 milhões, mas os constantes aditivos faz com este orçamento já tenha ultrapassado a casa dos R$ 500 milhões. Desta vez serão construídas seis novas passarelas no trecho. Quatro estão programadas para serem implantadas nos cruzamentos das ruas Guabirobas, Jaguaruba, Gilson Bretas e Alberto Cintra. Outras duas serão próximas ao Anel Rodoviário para facilitar o trânsito entre os bairros 1º de Maio, Suzana, Palmares, Maria Virgínia e São Paulo. A construção da passarela em frente à Feira dos Produtores continua a passos de tartaruga. Da mesma forma, serão construídas rampas e escadas de acesso às passarelas para

Nesta nova reforma na Linha Verde, na influência da Av. Cristiano Machado, serão removidos 14 semáforos da avenida. Está programado, ainda, a construção de sete mil metros de gradis em toda extensão da Cristiano Machado e a interdição da pista exclusiva para ônibus no sentido bairro-centro, entre os cruzamento com a Rua Alberto Cintra até a rotatória da estação São Gabriel, do Metrô. A Setop informa que o trânsito na região deve ser normalizado apenas às vésperas do Natal deste ano.

Debate com os candidatos ao governo de Minas no Colégio Batista Mineiro Divulgação

Linha Verde

ligação à Igreja São Judas Tadeu, ao Minas Shopping, ao Ouro Minas e a Via 710. No caso da Passarela São Judas, o equipamento estava inicialmente previsto para ficar em frente ao comércio da Av. Cristiano Machado, na divisa dos bairros Sagrada Família e Nova Floresta, próximo à Av. José Cândido da Silveira. Por este motivo os responsáveis pela Linha Verde colocaram abaixo sete árvores frondosas, restando no local apenas os tocos. Como os pedestres se recusavam a caminhar quase duzentos metros para utilizar a passarela, a BHTrans optou por manter dois semáforos no local, visando proteger os pedestres de graves acidentes de trânsito. Agora constroem as rampas de acesso, junto aos pontos de ônibus do local.

11 TRIBUNA - BH

Os alunos da 2ª e 3ª Séries do Ensino Médio do Colégio Batista Mineiro receberam, nessa quinta-feira, 02 de setembro, os candidatos ao Governo do Estado e ao Legislativo Estadual e Federal para um debate. Durante duas horas, os alunos do Colégio Batista, educadores, comunidade local e imprensa puderam conhecer as propostas de governo e apresentar as demandas de Minas Gerais. Para governador, todos os candidatos ao Executivo foram convidados, mas o debate teve a participação de Fábio Bezerra (PCB), José Fernando Aparecido (PV), Patrus Ananias (PT), vice

de Hélio Costa (PMDB) e Vanessa Portugal (PSTU). O debate foi dividido em quatro blocos, quando os candidatos puderam apresentar suas propostas, realizar perguntas aos candidatos opositores e responder às perguntas dos estudantes. Jovens Cidadãos – As perguntas apresentadas aos candidatos foram elaboradas pelos alunos e divididas por temas e candidatos. Para o estudante Henrique Marques, da 2ª Série do Ensino Médio, o debate permitiu estabelecer uma relação eleitor/candidato. “ O momento do debate possibilitou também desfazer a imagem que a mídia nos passa dos candidatos. “Conhecemos realmente se o candidato se impõe pela retórica ou pelas propostas”, pontuou Henrique. Para Ana Carla, também da 2ª Série do Ensino Médio, os encontros são sempre boas oportunidades para debater ideias e confrontar as propostas dentro do limite do que é realizável. Estudos sobre formação partidária no Brasil, ideologias, participação política e organização do Estado foram realizados nas aulas de História, Filosofia, Geografia e Sociologia. O Debate no Colégio Batista Mineiro foi organizado pelos professores de História, Carlos Manoel e Vany Borges, e Elair Dias, de Sociologia. O Tribunal Regional Eleitoral (TREMG), em parceria com o Colégio Batista, emitiu títulos de eleitor para os estudantes na idade legal.


TRIBUNA - BH 12

Sociedade Belo Horizonte, de 25 de setembro a 22 de outubro de 2010 - Edição N. 36

Acerte seu público alvo, anuncie no jornal do bairro Contato: (31) 3484-0480 e 9955-8447


Universo Belo Horizonte, de 25 de setembro a 22 de outubro de 2010 - Edição N. 36

13 TRIBUNA - BH

Apresentação de trabalhos Científicos é aberta à comunidade Divulgação

na manutenção da sua cultura e costumes. A visita à aldeia foi precedida por uma pesquisa realizada pelos discentes sobre as diferentes tribos existentes em Minas Gerais.

Trabalho “Reconhecer a diversidade cultural” levou professor e estudantes da Universo à aldeia Pataxó, em Carmésia-MG

N

os dias 28 e 29 de outubro, quinta e sextafeira, de 18h30 às 22h acontece na UNIVERSO-BH a VIII Semana de Extensão. Ao todo serão apresentados 19 trabalhos nas áreas de saúde e humanas. Segundo a Diretora Acadêmica, professora Carla Kirilos, a participação do estudante neste tipo de atividade é importante por iniciar o aluno na pesquisa. “Ele começa de fato a entender o que é levantar hipóteses, checar resultados, aplicar as ideias, enfim, é a oportunidade de aplicar na prática aquilo

que se aprende na teoria, mas pesquisando, inferindo, concluindo”, explica. As apresentações são abertas à comunidade. O público do evento poderá conferir a apresentação de trabalhos como “Relato do intercâmbio cultural com aldeia indígena pataxó” do professor Antônio Augusto Matias e dos alunos Thais de Oliveira Madureira e Waldir de Paula. O relato irá abordar a visita de cerca de 30 alunos dos cursos de Serviço Social, Direito, Comunicação

Social e Enfermagem nos dias 15 e 16 de maio de 2010 a aldeia Pataxó, localizada no município de Carmésia, em Minas Gerais. A viagem integrou as atividades das disciplinas Antropologia Cultural, História e Filosofia, ministradas pelos professores Antônio Augusto Nogueira Matias e Francesco Napoli. Juntos os docentes elaboraram o projeto “Reconhecer a diversidade cultural” que resultou na viagem à aldeia. Um dos objetivos do projeto, segundo o professor Antônio Augusto, é ser solidário à causa indígena

Serão apresentadas também as seguintes pesquisas: Interdisciplinaridade: A Atuação da Enfermagem e da Fisioterapia na Promoção da qualidade de vida (QV) em pacientes com Alzheimer dos alunos Fagner José de Castro, Silvana Tofani e da professora. Lucinete Duarte dos Santos; Guarda Compartilhada da aluna Cristiana Maria e Pereira Miranda; Nível de Satisfação Corporal das Funcionárias da Universo de Belo Horizonte da professora Vilma Fernandes Carvalho e da aluna Flaviane Cristina de Souza Silva; Percepção da Imagem Corporal e Indicadores Antropométricos de alunas do Curso de Pedagogia da UNIVERSOBH da professora Vilma Fernandes Carvalho e da aluna Flaviane Cristina de Souza Silva; Projeto de Extensão Acadêmica – Orientação Jurídica à comunidade carente da Vila Pinho – região do Barreiro - BH do professor Sebastião Francisco dos Santos; Aplicabilidade da Vitimologia no Direito Penal Brasileiro

do aluno Fernando Wesley Gotelip Florenzano, Administração, Globalização e Competitividade do professor Francesco Napoli e alunos; Cultura Brasileira e Culturas Administrativas do professor Francesco Napoli, Direitos dos trabalhadores no Brasil, da professora Sirlene Ferreira e Paes e da aluna Sofia Alves de Freitas; Adoção de Crianças Portadoras do Vírus HIV/AIDS da aluna Maria Cristina Iacomini Pereira; Filosofia para a Criança Segundo Lipman da aluna Wanessa Lima de Sousa; A Humana Docência na Educação de Deficientes Visuais da aluna Michelle Duarte da Costa Faria; O Projeto Universo de Amigos e sua Implementação da professora Andressa Silmara Alves Carvalho Rios, A Importância da Supervisão de Estágio para a Formação do Profissional Assistente Social da aluna Áurea Maria Simões Velloso; Promoção de Saúde na Terceira Idade: A Comunidade Inserida no Cuidado dos professores Daniel Augusto Vieira de Moura e Lucinete Duarte dos Santos; Alice no País da Linguagem da professora Ângela de Castro Abi Sáber e Suporte Textual e Formas de Leitura também da professora Ângela de Castro Abi Sáber.

Jovem aluna de Enfermagem é exemplo de superação s histórias de sucesso e superação merecem ser contadas. Muitos alunos da UNIVERSO-BH são protagonistas de trajetórias brilhantes e exemplares. Este é o caso da recém-formada Fabiana Cardoso Pereira Russo, do Curso de Enfermagem, uma jovem de apenas 21 anos, mas já com uma história para contar. Atualmente, a discente é professora

de Práticas de Enfermagem e revisora de apostilas do curso técnico e coordenadora de eventos do Centro em Formação de Enfermagem de Minas Gerais – CEFEMG. Este sucesso acadêmico e profissional tem por trás uma história de superação. Mãe aos 17 anos, Fabiana agregou muito cedo a rotina de mãe e dona de casa com os estu-

dos. “Nunca tive nenhuma reprovação”, orgulha-se. Com o apoio do marido que a ajuda nas tarefas de domésticas, a jovem passou em quatro vestibulares e escolheu a UNIVERSO-BH, após visitar o campus-BH. Os planos para o futuro indicam um caminho claro para a estudante. “Quero continuar lecionando. Pretendo fazer pós em Docência na UNI-

VERSO”, planeja. As qualidades da aluna são ressaltadas pela professora Adriana Martinez. A docente é preceptora de Fabiana na Unidade Básica de Saúde no bairro Vila Maria na região Nordeste de Belo Horizonte. ”Ela é um ser humano muito especial de coragem, guerreira, competente, determinada, carismática, enfim vitoriosa”.

Arquivo TCN

A

Aluna de Enfermagem e sua Preceptora, Adriana

Mande suas críticas e sugestões para o e-mail: comunicacao@bh.universo.edu.br


TRIBUNA - BH 14

Universo Belo Horizonte, de 25 de setembro a 22 de outubro de 2010 - Edição N. 36

Arquivo TCN

Diretora Acadêmica ressalta a importância do oficio do professor

Segundo a docente educar é um ato de humanizar os indivíduos

Professora Carla Kirilos: Ser professor e ser completamente comprometido com o seu trabalho

N

o dia 16 de outubro é comemorado o dia do professor. Abaixo, segue uma entrevista com a Diretora Acadêmica da UNIVERSO-BH, a pedagoga, Carla Kirilos. Os desafios e os prazeres deste ofício são abordados pela docente: Neste mês dos professores, os docentes têm muito a comemorar ou ainda a situação do professor não é favorável? – Os tempos para a Educação nunca parecem ser bons, e talvez muitas vezes realmente não sejam, entretanto acreditamos que não podemos sempre continuar esperando que as condições sociais, políticas, econômicas e culturais estejam a nosso favor. O modo como ensinamos

é uma expressão de como somos, de como vemos a realidade, e como nos relacionamos com ela. Ninguém visita o mundo pela mão de alguém que desconhece o caminho, que escolhe sempre a mesma rota e que não transforma qualquer trajeto em aventura. Portanto, quem faz ou não a situação do professor ser favorável é ele mesmo, pois como pode transmitir paixão e curiosidade para aprender quem não está disposto a vivê-lo na primeira pessoa? Qual o maior desafio para os professores atualmente em geral e especificamente para o docente de universidade? – Sempre respondo a isso da mesma maneira. O maior desafio aos professores, independente do nível em que lecionam, é se conscientizarem de que educar é humanizar; é crer e confiar no ser humano, e é estar disposto, permanentemente a engrandecer em cada um dos seus alunos, a globalidade das suas potencialidades, isto é, au-

mentar neles o potencial de inteligência, de sensibilidade, de solidariedade e de ternura que se esconde em sua individualidade. Assim, se educar é humanizar, nós educadores somos, na realidade, criadores de humanidade. A relação aluno/professor mudou muito no decorrer das últimas décadas? Qual a sua avaliação sobre isso? Entendo que o problema não é a mudança, mas a ausência dela. O século XXI tem diante de si alguns desafios intelectuais e éticos de tal magnitude e diversidade que o exercício mais arriscado ao qual estamos sendo chamados, a grande revolução que devemos enfrentar é MUDAR NOSSA MENTALIDADE. Mudar a forma pela qual interpretamos, lemos e nos relacionamos com um mundo em constante mudança. A escola, os desafios, as linguagens, a forma e os conteúdos envelheceram.

Para ser educador é importante outras duas dimensões inseparáveis em torno das quais gira o ser professor: a felicidade pessoal e a felicidade profissional

Curso de Pedagogia é estrelado pelo Guia do Estudante O curso de Pedagogia da UNIVERSO/Belo Horizonte foi avaliado e estrelado pelo Guia do Estudante, publicação

da Editora Abril que destaca os melhores cursos universitários do Brasil. A classificação faz parte da edição Guia do Estudante

Hoje a sala de aula nos pede mais imaginação, estratégias e profissionalismo, no entanto muitos professores continuam esperando que algo venha de cima para baixo ao invés de colocarem em marcha a esperança. Para crescer é preciso desaprender, desapegar, inovar e avançar. A incerteza e a realidade do mundo atual nos obrigam a trocar uma pedagogia feita de respostas por uma pedagogia interrogativa, uma pedagogia do mistério. Uma forma de aprendizagem na qual ao menos duas das atitudes que todo aluno deve interiorizar em sua vida acadêmica e social sejam a curiosidade e a incerteza. É esta opção educativa que nos leva a falar de adultos de qualidade, que sirvam de modelo e referência na hora de escolher quem queremos ser, o que queremos fazer e como queremos viver. O que é necessário para ser um bom professor? – Quem me dera existisse uma receita! Para mim alguns itens são essenciais:- Ser consciente do tempo histórico e vital que nos coube compartilhar com nossos alunos; – Assumir periodicamente o questionamento sobre o porquê de continuar fazendo nosso trabalho e o porquê de o fazermos de um determinado modo; – Ser movido e alimentado constantemente por curiosidade e paixão pelos mistérios do mundo e pelos seres humanos. E que essa paixão seja

sempre uma paixão ética; – Ser completamente comprometido com o seu trabalho. Qual o conselho você daria para a pessoa que quer se tornar um professor universitário? – As contradições da teoria educativa com a realidade que os professores vivem são cada vez mais evidentes e algumas começaram a entrar na categoria do inevitável. Contudo, e evitando qualquer proximidade com o pessimismo, não devemos renunciar, pelo menos, ao espírito de utilidade e serviço aos outros que nos invade quando começamos a lecionar. Insisto em algo que já me referi; grande parte do poder para transformar a realidade educativa e continuar desfrutando o educar está nas mãos dos professores. Além disso, creio que para ser educador é importante outras duas dimensões inseparáveis em torno das quais gira o ser professor: a felicidade pessoal e a felicidade profissional. Por que você optou por ser professora? – Ainda estudante secundarista li um poema do escritor espanhol Caballero Bonald que em síntese dizia o seguinte: “somos o tempo que nos resta.” Neste dia tive a convicção que queria passar pela vida deixando um legado, uma marca que pudesse influenciar muitas gerações e que não desperdiçasse o tempo. Não tive dúvidas: escolhi ser professora.

Profissões Vestibular 2011 (www.guiadoestudante.com.br ), que passa a circular nas bancas a partir do dia 5 de outubro de 2010.

Mande suas críticas e sugestões para o e-mail: comunicacao@bh.universo.edu.br


Universo Belo Horizonte, de 25 de setembro a 22 de outubro de 2010 - Edição N. 36

15 TRIBUNA - BH

Outubro é o mês do III UNIVERSO em Família

A universidade abre as portas e realiza diversas atividades para toda a comunidade acadêmica

N

o dia 30 de outubro, sábado, a UNIVERSO-BH promove no período de 9h às 13 h, no campus-BH o III UNIVERSO em Família. A previsão é o evento reunir mais de 2.500 pessoas entre alunos, professores e comunidade em geral. De acordo com o Diretor Geral, Ricardo a ação tem como foco promover diversas atividades culturais, debates, orientações e recreação.

Para a aluna Valéria Paschoal a iniciativa é enriquecedora tanto no enfoque acadêmico quanto social. “Promovemos atividades importantes para a comunidade. En-

Divulgação

A diversidade de temas entre as oficinas ofertadas é uma característica do evento. Em 2009, “A u t o - m a q u i a g e m ” , “Depressão”, “Estresse”, “TPM”, e “Elaboração do Currículo” foram alguns dos temas abordados. As oficinas são propostas pelos docentes do campus. A recreação acontece no campus esportivo, onde são realizados jogos e brincadeiras como cama elástica, pula-pula, pingue-pongue, entre outros. Pessoas de todas as idades se divertem, orientados por instrutores, entre eles, professores e estudantes de Educação Física.

Campus-BH será preparado para receber o III Universo em Família

quanto alunos é muito enriquecedor, muita gente não conhece a realidade das pessoas e essa é uma oportunidade de ter contato”, ressalta. O sucesso do evento deve-se a mobilização de toda a comunidade acadêmica. De acordo com a professora e his-

Nova Gestora

A

professora Rosemary Pouças (foto) assumiu a gestão de Desportos da UNIVERSOBH. Agora, a docente é responsável pelo Curso de Educação Física.

toriadora, Sirlene Paes, uma das formas de divulgação do projeto em 2009 foi a distribuição de panfletos na região. A discente do 6º período de Serviço Social, Valéria Paschoal, ajudou na organização. Panfletou para os moradores da região e, juntamente com outras alunas, e com o

Errata

do jornal de Agosto

A

Atleta Mônica Oliveira foi guia de uma atleta na “Maratona Pão de Açúcar”, no Rio de Janeiro, por gerir o curso de Educação Física da Universidade.

apoio de docentes de direito e da professora Sirlene Paes, produziu uma Cartilha sobre Direitos Trabalhistas. “Elaboramos esse material com o formato da carteira de tra-

balho contendo artigos da Lei trabalhista”, explica. A publicação das atividades de 2010 será publicada em meados de outubro no site: www.universo.edu. br, link notícias.

As Publicações vinculadas a Pró-Reitoria de PósGraduação e Pesquisa, a partir de agora estarão disponíveis no Portal de PUBLICAÇÕES UNIVERSO no link http://revista.universo.edu.br Cadernos de Estudos e Pesquisas (http://revista.universo.edu.br/index.php/1studospesquisa2).

Direito em Construção (http://revista.universo.edu.br/index.php/1direitoconstrucao3).

Revista de Estudos Jurídicos (http://revista.universo.edu.br/index.php/4pesquisa3).

Revista Eletrônica de Trabalhos Acadêmicos (http://revista.universo.edu.br/index.php/1reta2).

Acessem !

Mande suas críticas e sugestões para o e-mail: comunicacao@bh.universo.edu.br


Tribuna da Cidade Nova Ed36  

A notícia do seu bairro em primeiro lugar

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you