Page 26

zap //

Gisele ambrosio e os vistos americanos

Contatos: 001 (310) 923-0733 ou (310) 736-4076 email: info@giseleambrosiolaw.com www.giseleambrosiolaw.com

26 | TRIBO SKATE junho/2014

arquivo PessoaL

Gisele e Leticia.

guiLherme Puff

Como você começou a trabalhar com a comunidade skatista nos EUA? Sempre tive afinidade com essa turma. Na verdade, algumas das minhas melhores amigas em Los Angeles eram skatistas profissionais quando eram mais jovens. As minhas amigas começaram a me apresentar aos seus outros amigos e assim eu comecei a ajudar o pessoal com os vistos. Eu sempre me identifiquei com a cultura e com o jeito de ser dos skatistas. Você trabalha com skatistas, artistas e bandas de música também, certo? Você já levou algum skatista conhecido ou banda famosa para os EUA? Sim. Eu tive a oportunidade de ajudar vários skatistas renomados como Leticia Bufoni, Felipe Gustavo, Kelvin Hoefler, entre outros. E bandas, também, como Brothers of Brazil, formada pelo Supla e João Suplicy. Quais os tipos de vistos que existem para um skatista? Os vistos para atleta são os tipos O e P. Para qualificar para o visto O, o cara precisa mostrar um grande destaque dentro do seu esporte. Para isso,  pedimos provas de que ele já venceu várias competições (nacionais ou internacionais); provas de presença na mídia (jornalismo e publicidade); provas de contratos anteriores com patrocinadores de nome; provas de participação em eventos de grande porte; cartas de recomendação de outros atletas renomados ou entidades; provas que o atleta já serviu como juiz em competições, etc. Com este visto ele pode participar de competições, tours, campanhas publicitárias, etc. Muito importante notar que o atleta precisa de um patrocinador ou um agente aqui nos EUA que queira o trazer para trabalhar através do visto O.  E para quem ainda não tiver grande destaque dentro do esporte? Se você ainda não tiver um grande destaque dentro do seu esporte, talvez você se qualifique para o visto P. Esse visto serve para indivíduos ou times que estejam vindo para participar de um evento importante. O visto P tem requerimentos mais leves do que o visto O. Por exemplo: o visto P requer um certo destaque do atleta, como participação em competições internacionais (mesmo que seja só na América do Sul), coloção superior em campeonatos, participação passada (ou presente) em algum time de grande porte, carta de recomendação de outros atletas renomados, carta da entidade ao qual você é afiliado. Se o skater estiver vindo com um time, o que conta é a reputação do time, e não somente a reputação individual do cara. Para conseguir este visto, o atleta ou time também necessita de um patrocinador americano para assinar o pedido do visto. Qual a duração desses vistos? Inicialmente o visto O é concedido por no máximo 3 anos, geralmente de acordo com a duração do contrato com o patrocinador americano. O visto P tem a duração inicial de no máximo 1 ano, geralmente de acordo com a duração do evento ou competição para o qual o atleta está vindo participar. É importante saber que existe a possibilidade de se pedir uma extensão nos dois tipos de visto se o patrocinador do atleta provar que continua precisando dele aqui nos EUA. Os dois tipos de vistos também permitem ao patrocinador peticionar o green card para o atleta. E para quem é muito famoso, muda alguma coisa? Se você já for realmente  reconhecido pelas suas habilidades dentro do seu esporte, talvez se qualifique sozinho para fazer a petição direta do green card, sem ter que passar por um visto e sem a necessidade de ter um patrocinador assinando os papeis por você. E se eu  não quero  morar nem trabalhar nos EUA, que outro tipo de visto eu posso pedir? Se você não está vindo para viver nem trabalhar nos EUA, mas apenas para participar de alguma competição ou se encontrar com algum possível patrocinador, o visto B-1 (de negócios) pode ser o suficiente. O problema de visto é que ele tem muitas limitações, pois só te permite ficar dentro dos EUA por 6 meses e não te permite trabalhar, nem receber salário. A exceção é que se você participar de uma competição e ganhar, você pode ficar com o prêmio.  Se eu tiver somente um visto de turista e trabalhar/competir dentro dos EUA, o que acontece? Quando você entra nos EUA com um visto de turista (visto B-2), você geralmente recebe uma permissão de 6 meses para ficar aqui dentro. Durante esse tempo, você não tem permissão para trabalhar nem para receber nenhum tipo de compensação (seja isso salário ou prêmio de competição). Se por algum motivo você for pego pela Imigração fazendo alguma dessas coisas, você pode ser deportado e banido de voltar aos EUA por um longo tempo.

ana PauLa negrão

Há algum tempo a Ana Paula nos comenta sobre a advogada que tem ajudado a skatistas e músicos a resolverem suas situações de vistos de trabalho nos Estados Unidos. Muitos têm chances reais de atuar como profissionais em território americano, recebendo por seus trabalhos de maneira segura e oficial. Casos como os dos campeões mundiais Kelvin Hoefler e Leticia Bufoni que hoje têm seu Work Visa e podem entrar e sair do país a qualquer hora, recebem seus salários e premiações com os devidos impostos pagos. Gisele Ambrosio é o nome desta profissional, uma brasileira que conhece o caminho das pedras para quem quer estar legal nos EUA, aproveitando as oportunidades que surgirem. (Gyrão)

Errata Na última edição, a 223, erramos duas legendas na pauta do Gian. Na foto de abertura a manobra é de switch e na sequência omitimos o shovit no meio do combo de manobras. Pedimos desculpas, afinal errar é humano e corrigi-lo é animal!

Profile for Revista Tribo Skate

Tribo Skate Edição 224  

Tribo Skate Edição 224

Tribo Skate Edição 224  

Tribo Skate Edição 224

Advertisement