Page 14

Técnica. Este artigo transpõe as principais ideias transmitidas no workshop TREVL “Roadbook para escrever um artigo de viagem” no Touratech Travel Event de 2014, em Avis. Siga o QRCode para aceder à apresentação.

História deViagem como escrever a sua

“When you enter into an experience with the intention of writing about it, you tend to travel the world more creatively and observe it more thoughtfully.” @ Rolf Potts, “Marco Polo didn’t go there”

E

ste artigo serve para ajudar quem quer encontrar melhores formas de contar a sua história de viagem. Para nós na TREVL é importante que o saibamos fazer de forma cativante, empolgante e que incite o leitor a partir. Mas não termina aí: queremos contagiar e acordar o contador de histórias que há dentro de cada viajante de moto. A capacidade de conseguir contar uma boa história aprende-se como muitas outras técnicas. Mas não há receitas nem caminhos fáceis. Como na viagem, cada um terá de fazer o seu e perceber o que resulta consigo. O que reunimos neste artigo reflecte

o que connosco funciona, a vários níveis. As palavras acima do viajante e escritor Rolf Potts não nos atrevemos a traduzir. Mas acreditamos ter interiorizado bem a sua essência: quando sabemos de antemão que vamos escrever sobre uma experiência, isso encoraja-nos a ser mais atentos, curiosos e intensificar a vivência. Para que consigamos maximizar as probabilidades do artigo de viagem sair bem escrito, temos de começar o trabalho ainda antes de partir e repensar algumas das coisas que nos propomos a fazer durante a própria viagem e experiência. É fácil esquecermo-nos do nomes dos locais e pessoas que encontramos, dos pormenores. Dentro do capacete

enquanto viajamos são muitas as ideias fantásticas: ângulos frescos de abordar a história, sensações únicas que marcam aqueles momentos. Chegamos a imaginar como seria a frase e sorrimos por nos parecer perfeita. Mas se não tomarmos nota, palavras leva-as o vento. Ao regressar, a disciplina anterior permite-nos colher alguns frutos, mas o trabalho não termina aí. O que vos apresentamos são boas práticas que podem melhorar os resultados, e quanto melhores forem, melhor a TREVL é e a comunidade de viajantes de moto.

L e i a!

É importante ler escritores concei tuad e aprende-se mui os to a ler os mestres. Es ta selecção de livros é focada no ensino da escrita de viagen s.

14

Começa por ser um livro de histórias de viagem. Até aqui tudo normal. Mas Rolf aproveita e vai partilhando connosco dicas e técnicas que utilizou, não só no processo de escrita como também na recolha durante a viagem.

Desta selecção, este é o mais focado em ensinar como escrever boas histórias de viagem para vários objectivos. Muito bem estruturado e com as ideias bem arrumadas, é um manual ideal para quem quer começar.

Este livro fala sobre como manter um diário de viagem e como esse esforço combina bem com a intensificação da experiência e a preparação de livros ou artigos de viagem.

“Marco Polo didn’t go there”, Rolf Potts

“Travel Writing, Lonely Planet’s guide to”, Don George

“Writing away”, Lavinia Spalding

Manual editorial TREVL do Autor-Viajante  

Orientações editoriais para os autores-viajantes da "TREVL - de moto pelo mundo".

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you