Page 1

Campinas fevereiro 2012

Assaltos a ônibus caem 31,5%

Ano 10 N0 118

Queda de mais de 31% no número de assaltos deixa a população mais tranquila

s concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas registraram 352 assaltos dentro de seus ônibus no ano passado. Este número representa uma queda de 31,5% em relação aos

A

514 assaltos ocorridos em 2010. Os dados mostram uma queda de 162 assaltos entre um ano e outro. A situação fica ainda mais animadora se levarmos em consideração que, dos 352 assaltos de 2011, apenas 150 ocorreram no segundo semestre.

Assim como nos anos anteriores, a região do Ouro Verde e DIC IV foi a que sofreu o maior número de assaltos: 137. Já a região do Campo Grande e Nova Aparecida registrou 103 ocorrências. Pág. 7

Estudantes já podem fazer cadastro do BU Escolar processo é válido para estudantes que desejam obter desconto de 60% em relação à tarifa vigente. Além dos mais de 15 mil alunos que participaram da antecipação, feita no ano passado, a Transurc espera atender mais 45 mil beneficiários neste ano letivo. Pág. 6

O

Pense verde! Recicle a informação: passe este jornal para outro leitor. Recicle o papel: não jogue este impresso em vias públicas.

Já estão abertas as inscrições para o Programa Escolas nas Garagens Pág.12


Fatos e boatos o dia 31 de dezembro, após o temporal que deixou grande parte do centro de Campinas sem energia elétrica por algumas horas, os servidores da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) pararam de funcionar. A pane na rede elétrica da CPFL causou uma série de problemas que acabaram corrompendo diversos arquivos do banco de dados da associação, o que, por fim, tirou o sistema de venda de passes do ar na manhã desse sábado. Aliás, era o último dia para que os usuários que utilizam o Bilhete Único pudessem comprar créditos no preço de R$ 2,85, pois, de acordo com o decreto municipal, a partir da

N

zero hora do dia 1º de janeiro a tarifa em Campinas passaria a custar R$ 3,00. O incidente levou uma empresa de comunicação sediada em Campinas a levantar suspeitas de que a Transurc tinha forjado uma situação para não vender os créditos para aqueles usuários que os quisessem comprar e, durante todo aquele dia e no dia seguinte, muitos usuários e pessoas que não usam ônibus fizeram severas críticas à associação, sem saber realmente o que havia acontecido. A Transurc foi fundada em agosto de 1987 e, nesses quase 25 anos de existência, ela vem procurando aperfeiçoar os serviços que presta à população. Se, nesse quase um quarto de século, ela nunca tomou

nenhum tipo de atitude que impedisse qualquer cliente de ter acesso aos seus serviços e sempre incentivou as pessoas a utilizarem o Bilhete Único, por que ela faria isso agora? Sabemos que construir uma reputação demanda tempo, ações planejadas e corretas. Também temos a exata noção de que qualquer atitude impensada ou planejada, mas que trouxesse prejuízos aos usuários e à comunidade em geral, teria efeitos danosos e devastadores. Mas também sabemos que algumas pessoas, seja por ignorância ou máfé, acabam fazendo juízo de valor e prejulgando os outros sem o menor pudor. Infelizmente, no Brasil muitas pessoas costumam fazer crítica apenas pela crítica e não medem as consequências se o que fazem e divulgam tem fundamento. O tempo acabou mostrando àqueles que fizeram críticas infundadas que a

Transurc não premeditou a parada no sistema apenas para deixar de vender créditos por algumas horas naquele sábado. A Transurc foi uma das primeiras a sugerir, para não causar prejuízos maiores aos seus clientes, que o valor antigo da tarifa fosse mantido até que o sistema de vendas fosse restabelecido. E, quando o sistema voltou a funcionar, a Transurc continuou vendendo os créditos com o valor antigo por mais de um dia, arcando com o prejuízo, para não tirar dos usuários o direito à compra. O episódio, finalmente, ainda serve como uma lição para todos: antes de fazer críticas é preciso levar em consideração a conduta e o perfil, seja das pessoas seja das organizações empresariais. Fazer críticas sem ter as informações e os dados corretos só nos levará a um julgamento inconsistente e, em muitos casos, irreparável.

Malabaristas urbanos Artistas de rua e pedestres viram verdadeiros malabaristas em meio ao crescente número de automóveis na cidade de Campinas.

Um oferecimento:

Conselho Editorial: Belarmino da Ascenção Marta Júnior, Joubert Beluomini, José Roberto Felício, Hélio Bortolotto Júnior, Armando Corrêa Damaceno, Ennio Viegas de Oliveira Paes Júnior, Allex Villaça, Sergio Finatti, Laércio Reis e Regina Abelio Coordenação e edição: Paulo Barddal e Euro Dante

Textos: Euro Dante Projeto gráfico: Ricardo Cruzeiro Fotos: Nelson Chinalia Revisão: Marco Antonio Storani Editoração: Euro Dante Jornalista responsável: Paulo Barddal (MTb 20.856) Visite nosso site: www.transurc.com.br

Redação: Rua 11 de Agosto, 757, Centro. CEP 13013-101, Campinas, SP Telefone para contato: (19) 3731-2600 Publicação mensal para distribuição gratuita entre clientes e colaboradores da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc). T iragem: 50 mil exemplares Impressão: GrafCorp


Campinas, fevereiro de 2012

3 EDUCAÇÃO

A tradição que faz a diferença O Mercado e Açougue São João traz, há mais de 20 anos aos consumidores do Jardim São Gabriel, preço baixo, bom atendimento e muita variedade de produtos e serviços. O estabelecimento faz parte da Rede Credenciada da Transurc há cerca de um ano e, nesse período, teve um aumento significativo no número de clientes que, além de buscar os melhores produtos e preços, frequentam o local para efetuar a recarga do Bilhete Único. O Mercado e Açougue São João fica na Rua Francisco de Paula Lima, 433, no Jardim São Gabriel. O horário de funcionamento

vai das 6h45 às 19h30 de segunda a sábado. Aos domingos, o mercado fica aberto das 6h45 às 13h30. A Rede Credenciada conta com mais de 300 equipamentos distribuídos por Campinas. A relação completa dos locais onde é possível recarregar o Bilhete Único pode ser encontrada no Guia da Rede Credenciada ou então no site da Transurc (www.transurc.com.br). Os comerciantes que desejam se credenciar devem entrar em contato com o Departamento Comercial da Transurc pelo telefone (19) 3731-2642, ou pelo email comercial@transurc.com.br.

Amplo horário de funcionamento e atendimento especializado são os diferenciais


RTIG

De meio ambiente, ética e etiqueta Nei Alberto Pies

" Elogios aos atendentes Eu gostei muito do atendimento que tive para tirar o meu documento. Apesar de ter demorado um pouco, valeu a pena esperar. A moça que me atendeu era muito atenciosa, simpática e educada. A mesma coisa acontece quando coloco passe no meu Bilhete Único: o atendimento é rápido e prático. Eliana C. França de Souza

Qualidade do transporte Acho muito engraçado quando leio ou ouço reclamações sobre o transporte em Campinas. Já usei os coletivos de várias cidades da região e acho que a frota daqui é muito melhor e mais adaptada do que as outras. Além disso, fiquei muito chocado ao saber que, mesmo tendo um saldo de mais de R$ 13 milhões para receber do Poder Público, as empresas conseguem manter o sistema funcionando. Hermes Aurélio Souza

FALE CONOSCO! Envie comentários, críticas e sugestões para o jornal O Coletivo: Rua 11 de Agosto, 757, Centro. CEP 13013-101. Ou envie e-mail para jornal@transurc.com.br.

... a crise é terminal porque todos nós, mas particularmente o capitalismo, encostamos nos limites da Terra. Ocupamos depredando todo o planeta, desfazendo seu sutil equilíbrio e exaurindo excessivamente seus bens e serviços a ponto de ele não conseguir, sozinho, repor o que lhe foi sequestrado” (Confúcio). Estamos diante de uma crise ambiental real. O mundo inteiro se conscientiza e se mobiliza em defesa da sobrevivência planetária. A diferença está entre os que pregam a ética e os que pregam a etiqueta como formas de colaborar com a sobrevida do planeta, entre quem se dispõe a promover mudanças na organização econômica e social e entre aqueles que buscam compensar o planeta com “atitudes politicamente corretas”. O que muda é se assumimos compromissos a partir das nossas ações humanas no planeta ou se estamos preocupados somente com o status social que recomenda “dosar” e qualificar nosso consumo como mais sustentável. O fundamento das diferenças acima descritas está alicerçado em conceitos bem distintos, historicamente construídos pelo ser humano a partir de suas relações com a natureza e com o mundo: o conceito de sustentabilidade e o conceito de interdependência. "Sustentável" provém do latim sustentare (sustentar; defender; favorecer, apoiar; conservar, cuidar). Já interdependência “é um conceito que rege as relações entre os indivíduos em que um único indivíduo é capaz de, por meio de seus atos, causar efeitos positivos e/ou negativos em toda a sociedade. Ao mesmo tempo, esse mesmo indivíduo, por sua vez, é influenciado pelo todo. Com isso, é possível dizer que todas as pessoas e coisas que rodeiam a vida dos seres humanos estão interligadas e afetam a vida de todos de forma significativa” (Wikipédia). Arriscamos afirmar que o conceito de sustentabilidade nasceu no Ocidente, ao passo que o conceito de interdependência nasceu no mundo oriental. Que o conceito de sustentabilidade está associado à necessidade de compensar o já destruído; que o conceito de interdependência está associado a um

modo de vida e de relação entre os indivíduos e os seres vivos. Que a tentativa de transformar ética em etiqueta nada mais é do que apequenar a responsabilidade que o ser humano tem diante do “clamor” e do sofrimento do planeta. A ética diante da vida e do planeta inscrevese no compromisso com a vida no seu conjunto, seja ela a própria vida da gente e/ou a vida dos demais seres vivos. A ética do cuidado, proposta por Boff, está embasada em quatro princípios fundamentais: o amor universal e incondicional, o cuidado, a solidariedade universal e a capacidade e a vontade de perdoar. Estes princípios ensejam mudança de posturas e comportamentos do ser humano com relação à natureza e ao mundo, tornando o mundo mais do que sustentável: interdependente; onde os seres vivos possam ser considerados na relação de um para com o outro sem juízos de valor ou de importância. A mudança que devemos fazer implica resignificar a relação conosco mesmos, com a natureza e com o mundo. O exercício de reciclar algo que descartamos é pedagógico, uma vez que nos faz repensar a nossa existência diante dos demais seres vivos. Como escreveu Leonardo Boff, ao falar de ethos, palavra que dá origem à ética: “Na casa cada coisa tem seu lugar e os que nela habitam devem ordenar seus comportamentos para que todos possam se sentir bem”. Hoje a casa não é apenas a casa individual de cada pessoa, é também a cidade, o estado e o planeta Terra como casa comum. Sejamos, pois, responsáveis pela vida que compartilhamos juntos. Se não há compromisso com a vida, só há etiqueta. Nei Alberto Pies é professor e ativista dos direitos humanos.


Campinas, fevereiro de 2012

5

Fim de sacolas plásticas afeta bolso do povo Júlia Tomaz consumidor que se julga consciente pode não ter muita coisa para comemorar com o fim da distribuição gratuita das sacolinhas plásticas nos supermercados paulistas. “As sacolinhas distribuídas hoje representam um custo para os supermercados, e esse valor já é repassado aos consumidores. Se a economia que eles farão a partir de agora for repassada ao cliente por meio de descontos nos produtos, então há alguma vantagem para quem compra. Mas se isso não ocorrer, e de forma imediata, o resultado será que o setor vai reduzir custos e aumentar o lucro, já que além das sacolas reutilizáveis os clientes terão de comprar mais sacos de lixo”, avaliou Cândido Ferreira da Silva Filho, professor de Economia da Pontíficia Universidade Católica (PUC) de Campinas.

O

A maioria da população reutiliza as sacolinhas para colocar o lixo, uma maneira barata e eficiente de descarte. Sem essa opção, é provável que haja o descarte inadequado, já que será preciso comprar sacos de lixo, uma despesa que nem todos estão dispostos a fazer. É uma alternativa eficiente em curto prazo e barata para o poder público, mas não garante a redução de uso do plástico em outros meios ou formas. “Se os estabelecimentos estão pensando no meio ambiente, deveriam começar com uma conscientização massiva da sociedade, redução do plástico em todas

Sacolinhas plásticas: proibição gera revolta dos consumidores

as formas em que ele é utilizado”, concluiu Cayo Vinícius, estudante de Relações Públicas e consumidor. Portanto, vale prezar pelo consumo consciente de embalagens, pensando no meio ambiente, quando você está fazendo compras.

Experiência é trunfo da lavanderia A Caprichosa

Capricho, também, ao dar o VT para seus colaboradores

Poucas são as empresas que conseguem se manter por 64 anos como referência em seu ramo de atuação. Este é o caso de A Caprichosa Lavanderia. Situada no coração do bairro Cambuí, a empresa presta serviços de lavanderia doméstica com muita qualidade, fato que é comprovado pela satisfação e pelo crescente número de clientes que utilizam seus serviços. Especialista em limpar roupas, tapetes e afins, a empresa também capricha na hora de garantir um transporte de qualidade para seus colaboradores. Todos recebem o Bilhete Único Vale-Transporte, que dá

mais facilidade, praticidade e segurança tanto para o usuário quanto para o empresário. A Caprichosa Lavanderia fica na esquina das ruas Sampaio Peixoto e Santo Antônio, no Cambuí. Seu horário de funcionamento vai das 8h às 18h30 de segunda a sextafeira, e das 8h às 12h nos sábados. Se você é empresário e também deseja dar esse benefício para seus funcionários, preencha o formulário de intenção no site www.transurc.com.br ou agende a visita de nossos representantes pelo telefone (19) 3731-2642 ou pelo e-mail comercial@transurc.com.br.


BENEFÍCIO

Estudantes de Campinas já podem fazer o cadastro do Bilhete Único Escolar Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) já começou a recolher o formulário Atestado de Matrícula para Aquisição de Passe Escolar. O recolhimento marca mais uma etapa do processo de cadastramento escolar e, a partir da entrega do formulário por parte dos estudantes interessados em obter o benefício do desconto de 60% em relação à tarifa vigente, a Transurc tem prazo legal de até 15 dias para verificar a documentação, emitir a Carteira de Frequência e o cartão Bilhete Único Escolar para os alunos que ainda não o possuem. “No final do ano passado, fizemos o adiantamento de 15 mil cadastros de estudantes que já tinham o Passe Escolar e iriam utilizá-lo no ano letivo de 2012. A Transurc espera receber mais 45 mil pedidos do benefício até o final deste ano letivo”, afirma Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da associação. Como existe um prazo para que a documentação seja analisada, Barddal

A

Alunos na sede da Transurc para fazer cadastro do Bilhete Único Escolar

recomenda aos estudantes que façam o processo de cadastramento o mais breve possível. O primeiro passo para obter o benefício é retirar e preencher o formulário Atestado de Matrícula para Aquisição de Passe Escolar. Ele está disponível desde o dia 9 nos postos de venda localizados na sede, nos terminais Central, Barão Geraldo, Ouro Verde e Campo Grande, além do site www.transurc.com.br. O horário de atendimento em todos os postos é das 8 às 17 horas, de segunda a sexta-feira. “Após o preenchimento, o interessado

deverá ir até a escola onde está matriculado, colher um carimbo e a assinatura do responsável pelo estabelecimento de ensino e anexar os documentos solicitados”, explica Barddal. O processo de cadastramento é destinado aos estudantes do Ensino Fundamental, Médio e Técnico que residam a mais de um quilômetro da escola onde estudam e que desejam obter o benefício pela primeira vez, ou pelos alunos que não participaram da antecipação do cadastramento realizada pela associação neste final de ano.

COMO PROCEDER O formulário preenchido pelo estudante, assinado pelo responsável da escola, deve ser entregue na sede da Transurc ou em um dos postos localizados nos terminais onde o aluno retirou o formulário. “O estudante deve anexar original e cópia de um comprovante de residência recente (dos últimos seis meses) e da Cédula de Identidade ou Certidão de Nascimento (para menores de 14 anos que não têm a carteira de identidade)”, diz Barddal.

A Transurc realizará a checagem dos dados e, em 15 dias, o usuário deve retornar ao local em que entregou o formulário para retirar a Caderneta de Frequência. A caderneta é o documento que garante que o estudante continua matriculado na escola. Mensalmente, o aluno apresenta a caderneta na escola que é carimbada e assinada pelo diretor. Esse procedimento é imprescindível para que o estudante possa continuar comprando o Passe Escolar com

60% de desconto e serve para coibir fraudes. Se for a primeira vez que o estudante está se cadastrando, ele receberá um protocolo para que compareça à sede da Transurc para tirar uma fotografia que será impressa no cartão Bilhete Único Escolar. Na primeira compra do ano, o usuário paga uma taxa de cadastramento no valor de duas tarifas vigentes. O benefício é válido somente aos alunos que residam e estudem em Campinas.


Campinas, fevereiro de 2012

7 VIOLÊNCIA

Assaltos nos ônibus diminuem 31,5% s concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas registraram 352 assaltos dentro de seus ônibus no ano passado. Este número representa uma queda de 31,5% em relação aos 514 assaltos ocorridos em 2010. “Ficamos contentes em divulgar para a população esta queda, que foi uma das principais responsáveis por garantir o menor número de assaltos a ônibus dos últimos cinco anos”, afirma Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc. Os dados sobre assaltos, que foram divulgados pelas empresas no dia 17 de janeiro de 2012, mostram uma queda de 162 assaltos entre um ano e outro. “Vale reforçar que a própria população ajudou a derrubar esta estatística. O uso do Bilhete Único diminui o fluxo de dinheiro que circula dentro dos ônibus e desencoraja a ação dos bandidos. É por isso que a gente insiste em que seja criado um valor maior para o pagamento em dinheiro, o que ajudaria ainda mais a derrubar essa estatística”, explica o diretor. A situação fica ainda mais animadora se levarmos em consideração que, dos 352 assaltos de 2011, apenas 150 ocorreram no segundo semestre. “Esperamos que esta tendência de queda continue em 2012. Em 2006, quando foi implantado o BU, cerca de 38% dos passageiros pagavam suas viagens com dinheiro. Em 2011, esta média caiu para cerca de 21%. Ou seja, de cada dez usuários, dois ainda mantêm esse hábito”, comenta Barddal. Situação crônica Assim como nos anos anteriores, a região do Ouro Verde e DIC IV foi a que sofreu o maior número de assaltos: 137. Já a região do Campo Grande e Nova Aparecida registrou 103 ocorrências. “É importante dizer que os assaltos só vão acabar quando reduzirmos ainda mais o dinheiro dentro dos coletivos. Para isso acontecer, a Transurc tem como proposta concreta uma tarifa com valor diferenciado para quem usa cartão e para aqueles que pagam em dinheiro”, completa Barddal.

A

Uso do Bilhete Único diminui dinheiro circulante nos ônibus e desestimula a ação dos assaltantes


Palavras Cruzadas Diretas Como o Sol funciona O Sol aquece nosso planeta todos os dias, fornecendo a luz que nos possibilita enxergar e que é absolutamente necessária para a existência de vida na Terra. Pelo fato de vermos o Sol todos os dias, a tendência é achá-lo comum e não lhe darmos o devido valor. Mas, se pensarmos bem, surgem várias dúvidas: Se o Sol está no vácuo do espaço, como ele queima? O Sol é como as outras estrelas? Qual é o tamanho do Sol? Quando ele vai deixar de queimar? As respostas a estas perguntas são o que faz do Sol algo tão interessante! O Sol é uma estrela, como todas as outras que vemos no céu à noite. A diferença é a distância. As outras estão a anos-luz de distância, ao passo que o Sol está apenas a 8 minutos-luz de distância (milhares de vezes mais próximo). Oficialmente, o Sol é classificado como uma estrela do tipo G2 com base na sua temperatura e nos comprimentos de onda ou no espectro de luz que emite. Ele é uma estrela "média", é apenas uma entre bilhões que orbitam o centro da nossa galáxia. O Sol está "queimando" há mais de 4,5 bilhões de anos, e deve continuar por mais alguns bilhões (estima-se mais 10 bilhões). É composto de uma grande quantidade de gás, principalmente hidrogênio e hélio. Por ser tão grande, sua gravidade é imensa, o suficiente para a força gravitacional segurar todo aquele hidrogênio e hélio (e para manter todos os planetas nas órbitas à sua volta). O Sol não "queima" como um pedaço de madeira queimaria. Na verdade, ele é um reator gigante. Ele é feito de gás e não possui uma superfície sólida, como a Terra. No entanto, tem uma estrutura definida em três zonas principais: o centro ou núcleo, a zona radiativa e a zona conectiva. Fonte: http://www.hsw.uol.com.br/


Campinas, fevereiro de 2012

9 C U LT U R A

Terminais viram ponto de leitura projeto “Leitura, a melhor viagem” disponibiliza um acervo de livros nos terminais urbanos e na Rodoviária. Os livros podem ser emprestados por todos, sem qualquer burocracia, inscrições, taxas ou anotações. Com isso, a população pode aproveitar os deslocamentos com o transporte público coletivo para fazer uma viagem ao conhecimento. São mais de 120 mil títulos que o usuário do transporte pode levar para casa, ler e devolver quando quiser, em qualquer um dos terminais da cidade. O projeto tem como objetivo garantir o livre acesso à leitura, utilizando os terminais urbanos, que são pontos de passagem, para facilitar a retirada e entrega dos livros. O acervo do “Leitura, a melhor viagem” foi construído a partir de doações de empresas e da população e oferece toda a diversidade de leitura que qualquer cidadão pode buscar. São livros educativos, coleções de histórias infantis e de artes,

O

Nova rodoviária também conta com acervo de livros que podem ser emprestados

além de títulos de língua estrangeira, ficção, política, filosofia e romances. O único compromisso do usuário é garantir a rotatividade dos livros, fazendo a devolução, uma vez que a circulação dos títulos é que permite o acesso de todos. A reposição dos livros acontece

semanalmente e o projeto sempre depende de doações do público. As doações em pequenas quantidades podem ser feitas nos próprios terminais, podendo ser entregues aos agentes da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec).


35.054 MACC sedia exposição "Lugares" Museu de Arte Contemporânea de Campinas “José Pancetti” (Macc) recebe a exposição “Lugares”. A mostra conta com a participação do coletivo paulistano “Terça ou Quarta”, formado pelos artistas Felipe Góes, Fernanda Izar e Jeff Chies, foi aberta dia 20 de janeiro e permanecerá até o dia 20 de fevereiro. A entrada é gratuita. O grupo tem como procedimento criativo manter uma produção individual e uma intensa discussão coletiva sobre os caminhos que o trabalho de cada um vem trilhando, segundo seus integrantes. “Acreditamos que colocar em questão sua própria produção, suas abordagens teóricas e práticas sobre a pintura, são componentes fundamentais de suas trajetórias”,

é o total de passageiros que poderiam ser embarcados somente sentados, se lotássemos todos os 993 ônibus das concessionárias de transporte coletivo. A quantidade é mais do que suficiente para encher 144 salas de cinema.

O

Exposição tem entrada gratuita e ficará no MACC até o dia 20 de fevereiro

explica a equipe do coletivo “Terça ou Quarta”. O Museu de Arte Contemporânea de Campinas “José Pancetti” fica aberto à visitação de terça a sexta,

O pensamento positivo pode vir naturalmente para alguns, mas também pode ser aprendido e cultivado; mude seus pensamentos e você mudará seu mundo. Norman Vicent Peale (1898-1993), escritor estadunidense

das 9h às 17h, aos sábados das 9h às 16h e aos domingos e feriados das 9hs às 13h. Está localizado na Rua Benjamin Constant, 1633, ao lado do Paço Municipal.

Erros são, no final das contas, fundamentos da verdade. Se um homem não sabe o que uma coisa é, já é um avanço do conhecimento saber o que ela não é. Carl Jung (1875-1961), psiquiatra suíço


Campinas, fevereiro de 2012

11

Saúde inclui nova vacina contra a pólio no calendário de rotina

Brasil está se preparando para a erradicação mundial da pólio. Neste ano, o país amplia o Calendário Básico de Vacinação da Criança com a introdução da vacina injetável contra pólio, feita com vírus inativado. A nova Vacina Inativada Pólio (VIP) será utilizada no calendário de rotina, em paralelo com a campanha nacional de imunização, esta realizada com as duas gotinhas da vacina oral. A injetável, no entanto, só será aplicada para as crianças que

O

estão iniciando o calendário de vacinação. A enfermeira sanitarista da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa), Brigina Kemp, explica que a introdução no Brasil da vacina, com vírus inativado, ocorre nos países que já erradicaram a doença. A Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), no entanto, recomenda que os países das Américas continuem utilizando a vacina oral, com vírus atenuado (VOP), até a erradicação mundial da poliomielite, o que garante

uma proteção de grupo. O vírus ainda circula em 25 países. De acordo com Brigina, o vírus vivo atenuado da vacina Sabin é administrado por via oral e a defesa dá-se inicialmente na mucosa digestiva, o que permite a eliminação fecal de alguns vírus não destruídos, o que é útil em populações nas quais se está tentando erradicar a poliomielite, pois há disseminação fecal do vírus atenuado que serve para imunizar outros indivíduos. O Brasil utilizará um esquema sequencial, com as duas vacinas, aproveitando as vantagens de cada uma, mantendo, assim, o país livre da poliomielite. A VIP será aplicada aos 2 e aos 4 meses de idade e a vacina oral será utilizada aos 6 meses e nos reforços aos 15 meses e aos 5 anos de idade. A enfermeira da Covisa esclarece que a Vacina Inativada Pólio (VIP), injetável, é mais segura quanto ao risco de provocar a pólio vacinal. Segundo ela, “é importante ressaltar que em mais de 20 anos de vacinação,

tanto de rotina quanto nas campanhas, com a Vacina Sabin Oral, em Campinas, nunca foi registrado nenhum caso de pólio vacinal”. Agenda A VIP será introduzida no calendário básico a partir do segundo semestre deste ano. As campanhas anuais contra poliomielite também serão modificadas a partir de 2012. Na primeira etapa – a ser realizada em 16 de junho – tudo continua como antes: todas as crianças menores de 5 anos receberão uma dose de VOP, independente de terem sido vacinadas anteriormente. Na segunda etapa – que ocorrerá em agosto – todas as crianças menores de 5 anos devem comparecer aos postos de saúde, levando o Cartão de Vacinação. A caderneta será avaliada para a atualização das vacinas que estiverem em atraso.


Campinas, fevereiro de 2012

12

Já estão abertas as inscrições para passeios do Escolas nas Garagens

Ônibus do passeio espera o embarque dos alunos na porta da escola

setor de Marketing da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) já abriu as inscrições para os passeios do Programa Escolas nas Garagens de 2012. s Os responsáveis pelas escolas públicas estaduais e municipais de Campinas que desejam participar desta experiência inesquecível devem entrar em contato pelo telefone (19) 3731-2643 ou pelo email marketing@transurc.com.br. O número de turmas de 4ª série que participarão do passeio deverá ser informado. Na semana em que o passeio for realizado, a Transurc entrará em contato com a escola e solicitará o envio da lista de alunos, das autorizações dos pais ou responsáveis e do nome dos acompanhantes adultos (um para cada grupo de 15 crianças). Em 2011 – o programa teve mais um ano de sucesso absoluto. Com o preenchimento praticamente total

O

de todos os horários disponíveis para os passeios, 11.200 alunos de 92 escolas dos 4os anos do Ensino Fundamental de escolas estaduais e municipais de Campinas puderam desfrutar momentos de lazer e muita informação. “Os 350 passeios realizados em 2011 possibilitaram viagens de conhecimento e diversão para esses alunos. Muitos mal conheciam o próprio bairro no qual moram e, por meio do passeio, puderam conhecer a história dos principais pontos da cidade”, explica Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc. O programa – existe desde 2004 e é uma iniciativa da Transurc e de suas concessionárias associadas. Desde o início, já participaram mais de 72 mil crianças. No passeio, que acontece todos os dias nos períodos da manhã e da tarde, os alunos recebem informações sobre cidadania e preservação ambiental, além de visitar pontos

históricos da cidade. No Centro, as crianças tomam um lanche na Choperia Giovannetti. Depois, vão até uma das garagens das concessionárias, onde conhecem a rotina do sistema e o processo de manutenção dos veículos. Em seguida, assistem a uma peça de teatro e participam de um concurso de pintura, cujo vencedor ganha, além de destaque no jornal O Coletivo, um passeio na mariafumaça para ele e a família. O trem circula entre as cidades de Campinas e Jaguariúna e o prêmio é uma cortesia da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF). Ao final do passeio, no retorno à escola, os alunos recebem um kit escolar com caneta, régua, adesivos, cadernos e um livro com temática educativa, cortesia da Fundação Educar-DPaschoal, parceira do programa, que ainda tem o apoio da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec).

O Coletivo edição 118  

Jornal "O Coletivo" edição n° 118, fevereiro/2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you