Issuu on Google+

Campinas outubro 2011

Ano 10 N0 114

Itajaí e Onicamp investem mais de R$ 4,7 mi em novos ônibus

Quatro dos novos carros da Onicamp estacionados no pátio da garagem

s empresas Onicamp Transporte Coletivo e Itajaí Transportes Coletivos, concessionárias do transporte

A

coletivo urbano de Campinas, investiram mais de R$ 4,7 milhões na aquisição de 20 novos ônibus para renovar parte de suas frotas. Todos os veículos contam com

elevador lateral, poltronas acolchoadas, piso paviflex e assentos preferenciais demarcados para idosos, obesos, deficientes e gestantes. Pág. 12

Expresso BU volta para a Moraes Salles Expresso Bilhete Único, microônibus adesivado da Transurc que permite ao usuário fazer o cadastro para o Bilhete Único Comum, a recarga e a consulta desse tipo de cartão, voltou a ficar estacionado na Avenida Moraes Salles, em frente da sede da Guarda Municipal de Campinas. O veículo deverá ficar no local até o final do ano. Pág. 3

O

Pense verde! Recicle a informação: passe este jornal para outro leitor. Recicle o papel: não jogue este impresso em vias públicas.

Escolas nas Garagens ensina e cativa alunos Págs. 6 e 7


Mais investimentos em comodidade e segurança Onicamp Transporte Coletivo e a Itajaí Transportes Coletivos, concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas e associadas da Transurc, renovaram parte de suas frotas com a aquisição de 20 novos ônibus. Mais do que o investimento conjunto de cerca de R$ 4,7 milhões, com esses novos veículos Campinas passa a contar com 40% da sua frota operante no sistema convencional em veículos adaptados ao transporte de pessoas portadoras de necessidades especiais. Hoje, Campinas é uma das cidades brasileiras com um dos maiores índices de veículos acessíveis no transporte coletivo urbano. Sabe-se que a

A

meta a ser atingida, até por força de legislação federal vigente, é que a totalidade da frota seja acessível até 2014. É evidente que, quando isso acontecer, embora muitas pessoas ainda dirijam críticas ao setor, vai ficar muito claro que o problema da falta de acessibilidade permanecerá em vários outros setores, sejam eles em prédios públicos, privados, nas próprias calçadas da cidade e em muitos outros lugares. Quando se discursa sobre acessibilidade é importante notar que várias ações precisam ser adotadas ao mesmo tempo. Não adianta as empresas responsáveis pelo transporte urbano, por exemplo, fazerem a parte

delas se o restante dos envolvidos, seja do Poder Público ou da iniciativa privada, se omitir. É importante salientar que Campinas, além dos ônibus convencionais que fazem as mais diversas linhas, ainda conta com o Programa de Acessibilidade Inclusiva (PAI), também mantido pelas concessionárias associadas à Transurc, e em parceria com a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec). Novos ônibus, renovação e ampliação de frota significam, em síntese, mais qualidade para o transporte urbano de Campinas. Mais comodidade e segurança para os usuários e também para os funcionários das empresas.

Na mesma praça... Por mais estranho que possa parecer, esta praça, em plena região central da cidade, se tornou o local de repouso destes cidadãos.

Um oferecimento:

Conselho Editorial: Belarmino da Ascenção Marta Júnior, Joubert Beluomini, José Roberto Felício, Hélio Bortolotto Júnior, Armando Corrêa Damaceno, Ennio Viegas de Oliveira Paes Júnior, Allex Villaça, Sergio Finatti, Laércio Reis e Regina Abelio Coordenação e edição: Paulo Barddal e Euro Dante

Textos: Euro Dante Projeto gráfico: Ricardo Cruzeiro Fotos: Nelson Chinalia Revisão: Marco Antonio Storani Editoração: Euro Dante Jornalista responsável: Paulo Barddal (MTb 20.856) Visite nosso site: www.transurc.com.br

Redação: Rua 11 de Agosto, 757, Centro. CEP 13013-101, Campinas, SP Telefone para contato: (19) 3731-2600 Publicação mensal para distribuição gratuita entre clientes e colaboradores da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc). T iragem: 50 mil exemplares Impressão: GrafCorp


Campinas, outubro de 2011

3 COMODIDADE

Expresso BU muda para a Moraes Salles Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) informa que o Expresso Bilhete Único passou a ficar estacionado na Avenida Moraes Salles, em frente da sede da Guarda Municipal de Campinas, a partir de terça-feira (27 de setembro). “O micro-ônibus adesivado da associação permite ao usuário fazer o cadastro para o Bilhete Único Comum, a recarga e a consulta desse tipo de cartão de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas. Além disso, o Bilhete Único é feito na hora. Hoje, não existe qualquer tipo de burocracia para fazer o Bilhete Único Comum”, explica Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc. O cadastro é realizado sem qualquer custo, a emissão do BU é feita na hora e a própria recarga, que pode ser feita com o valor que o cliente desejar, é possível em mais de 300 pontos da Rede de Representantes Credenciados da Transurc, além dos terminais e do Poupatempo Centro.

A

Veículo estacionado na frente da sede da Guarda Municipal

Comodidade – o Expresso Bilhete Único foi criado pela Transurc para oferecer mais comodidade e facilidade de acesso para os usuários do transporte coletivo urbano de Campinas que ainda pagam suas viagens com dinheiro. Como fazer – para efetuar o cadastro, o interessado precisa levar a Carteira Nacional de Habilitação ou a Carteira de Identidade (RG) e o CPF.

Além disso, quem utiliza o Bilhete Único pode recuperar os créditos em caso de perda, roubo, furto ou inutilização do cartão. Basta entrar em contato com a Transurc pelo 0800 014 02 04, pedir o bloqueio do cartão original e solicitar a emissão de uma segunda via. O saldo do cartão antigo será automaticamente transferido para o novo.

Ótica traz serviços e boa visão A Ótica Beatriz tem como slogan: “A serviço da boa visão”, mas, além das lentes e armações nacionais e importadas, traz qualidade e garantia de seus produtos, e ainda uma gama de serviços que inclui recarga de celulares, cópias e emissão de 2ª via de contas. O estabelecimento também faz parte da Rede de Representantes Credenciados da Transurc e, por isso, oferece aos usuários do transporte coletivo uma ótima opção para recarga do Bilhete Único na região do Parque Valença I. A Ótica Beatriz fica na Rua Waldemar Padovani, 85, sala 2, no bairro Parque Valença I. O horário de

funcionamento vai das 8h às 18, de segunda a sexta, e das 8h às 14h30 aos sábados. A Transurc conta com uma rede de mais de 300 Representantes Credenciados que ficam espalhados por toda a cidade. A relação completa dos locais onde é possível recarregar o Bilhete Único pode ser encontrada no Guia de Representantes Credenciados ou então no site www.transurc.com.br. Os comerciantes que desejam se credenciar devem entrar em contato com o Departamento Comercial da Transurc pelo telefone (19) 3731-2642 ou pelo e-mail comercial@transurc.com.br.


RTIG

As armadilhas do entusiasmo Narciso Machado

Novo posto de venda no Ouro Verde Realmente ficou muito bonito o novo posto de venda da Transurc no Terminal Ouro Verde. Além disso, a possibilidade de comprar créditos sem entrar no terminal traz ainda mais méritos para o novo local. Carlos Alberto de Paiva Santos, aposentado

Som alto nos ônibus Estou bastante contente com a iniciativa da Transurc de fazer uma campanha de conscientização que foca nas pessoas que ouvem músicas altas nos ônibus. Além de ser muito irritante, esta prática fere a individualidade de cada um. Nem discuto o tipo de música que geralmente é ouvido em volume alto, até porque esta prática violenta nossos tímpanos independentemente de estarem ouvindo ópera, jazz, samba ou funk. Isabela Brito C. de Almeida, universitária

FALE CONOSCO! Envie comentários, críticas e sugestões para o jornal O Coletivo: Rua 11 de Agosto, 757, Centro. CEP 13013-101. Ou envie e-mail para jornal@transurc.com.br.

entusiasmo tem um papel muito importante no mundo dos negócios, assim como acontece nos esportes, na política, em praticamente todas as atividades. Ele é a mola propulsora que leva a uma melhor canalização e utilização adequada da energia do indivíduo ou do grupo, à criatividade, ao sucesso. Porém, como quase tudo na vida, ele tem seu lado negativo e, com grande frequência, pode ser observado na raiz de grandes fracassos. A sabedoria popular generalizou a crença na eficácia do pensamento positivo. Mas o mundo insiste em lançar-nos diante da realidade. Evite o entusiasmo e o pensamento positivo antes de tomar a decisão. Frequentemente, as pessoas se entusiasmam com a ideia de abrir um novo negócio, lançar um novo produto, tentar uma alternativa diferente de administração. Esse entusiasmo as faz cegas para os pontos negativos da decisão, tendem a idealizar tudo e tornam-se pouco realistas. O resultado pode ser desastroso. Para tomar uma boa decisão, devemos lançar mão daquilo que tivermos de melhor em matéria de análise e julgamento lógico-racional; o entusiasmo aí costuma atrapalhar. Depois de tomada a decisão racional e lógica, exequível e viável, cultive o entusiasmo e o pensamento positivo. Se antes da decisão o entusiasmo atrapalhava, nesse momento ele se torna essencial. Se vamos agir individualmente ou em grupo, no momento em que a decisão for tomada é hora de enchermo-nos de entusiasmo, pois ele dirige bem a ação e levanos a contagiar os outros, influenciá-los, a ter um desempenho excelente naquilo que vamos fazer. A raiz etimológica de entusiasmo quer dizer “Deus no corpo”: por meio dele tornamonos mais eficientes. Cuidado com o entusiasmo coletivo. Se vamos

O

tomar uma decisão em grupo é mais fácil haver cegueira decorrente de entusiasmo, em determinadas circunstâncias. Os membros do grupo costumam apoiar-se uns aos outros e chegar a ilusões que o indivíduo isolado poderia evitar. Ao analisar uma ideia, o grupo tem de usar uma metodologia adequada que impeça os efeitos negativos do entusiasmo. Uma boa alternativa é desenvolver a ideia com detalhes, depois buscar todos os pontos positivos e, num terceiro momento, levantar todos os seus pontos negativos e refletir sobre eles. Colocar entusiasmo nas coisas certas. As tarefas criativas e inovadoras não acontecem sem entusiasmo; na verdade, ele é uma das molas da criação. Em contrapartida, entusiasmo na área financeira (por exemplo, no investimento em ações) pode ser desastroso. Há áreas e tarefas em que a análise fria e racional deve preponderar. Enfim, o entusiasmo é uma faca de dois gumes e o segredo do sucesso é aprender a usá-la bem. A observação cuidadosa, a análise de casos reais, a atenção dirigida ao assunto são os melhores caminhos para aprendermos a utilizar bem essa arma. Narciso Machado é comunicador e consultor estrategista nas áreas de motivação, vendas, atendimento, marketing, grupos de trabalho, criatividade e qualidade de vida.


Campinas, outubro de 2011

5

Código Florestal mobiliza entidades ambientais Júlia Tomaz

N

o dia 21 de setembro, vários estados do país se mobilizaram e participaram do movimento “Vigília permanente pelo Código Florestal”, (http://www.florestafazadiferenca.org.br), que foi coordenado pelo Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável, e teve a participação de vários artistas que apoiam a causa. A mobilização fez com que, por 72 horas seguidas, internautas de todo o Brasil e entidades de variados segmentos sociais se unissem em uma vigília pela internet. Com isso, cerca de 24 milhões de usuários da rede social Twitter acompanharam o movimento e se uniram pela hashtag #florestafazadiferenca, mostrando o já conhecido poder das redes sociais. Sendo assim, os ativistas dos direitos ambientais lutam para que haja uma

discussão maior das propostas formuladas pela Confederação Nacional da Agricultura e aprovada pela Câmara dos Deputados (PLC nº 30/2011), para a aprovação de leis que garantam a preservação e o uso sustentável das florestas, a recuperação das áreas que já foram desmatadas, o real reconhecimento dos que promovem ideias sustentáveis, assim como estabelecer metas para acabar de vez com o desmatamento. As florestas e outras formas de vegetação garantem a biodiversidade, estabilidade do clima, melhora na qualidade do ar e da água e, de acordo com os organizadores, os atos foram feitos com o

objetivo de alertar a sociedade para que esses bens sejam protegidos. O Código Florestal – instituído no ano de 1965, é uma das leis ambientais mais importantes do país, todavia é evidente a necessidade de uma atualização, já que, segundo a entidade ambiental WWF (World Wildlife Fund), o Brasil é o segundo país mais desmatado do mundo, logo atrás da China.

Produtora vê praticidade no Bilhete Único VT

Suely confirma facilidade de fazer a compra dos créditos pela internet

A HS Produções tem 8 anos de experiência em Campinas no mercado de produção de vídeos, com destaque para os vídeos comerciais. A empresa, que fica na Rua Gonçalves Cesar, 416, no bairro Jardim Guanabara, atende seus clientes em horário comercial e oferece qualidade e confiabilidade nos serviços. E é pensando na qualidade e na confiabilidade do transporte de seus 20 funcionários que os responsáveis pela HS fazem, todos os meses, a recarga do Bilhete Único Vale-

Transporte de seus colaboradores. “Fazemos tudo pela internet, que é um meio mais prático e rápido de adquirir os créditos”, explica Suely Massumoto, contadora da HS Produções. Se você é empresário e também deseja dar esse benefício para seus funcionários, preencha o formulário de intenção no site www.transurc.com.br ou agende a visita de nossos representantes pelo telefone (19) 3731-2642 ou pelo email comercial@transurc.com.br.


Campinas, outubro de 2011

7

Uma viagem de conhecimento e muita diversão Fotos: Nelson Chinalia

Euro Dante pequeno Gabriel Cristian da Silva, de apenas 10 anos, não conseguia disfarçar a ansiedade enquanto esperava para participar do Programa Escolas nas Garagens. O aluno da 4ª série C da Escola Estadual Campo Grande II não desgrudou os olhos da janela da sala até ver o ônibus amarelo estacionar no pátio. Bastaram, então, apenas um salto da carteira e alguns passos apressados em direção da porta de entrada. “Atenção, todos precisam usar o crachá e o colete de identificação até o final do passeio”, alertou João Ernesto Fernandez Rodriguez, arteeducador que acompanha os alunos no passeio. Mas Gabriel não é o único a ficar esperando pela data agendada pela escola. Todos os dias do ano letivo, duas vezes ao dia, desde abril de 2004, quando o programa foi criado e implantado pela Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), a rotina de levar informação e cultura aos alunos dos 4ºs anos do Ensino Fundamental das escolas municipais e estaduais de Campinas se repete. Mais de 80 mil pequenos Gabriéis, Marias, Anas e Paulos já tiveram a oportunidade de participar dessa ação de responsabilidade social, que também tem como objetivos entreter e divertir os participantes. O modelo desenvolvido em Campinas foi copiado por outras cidades brasileiras como, por exemplo, Guarulhos, o segundo maior município do Estado de São Paulo. E bem na porta do ônibus, esperando pela garotada está João. Com um sorriso aberto no rosto, todo vestido com roupas coloridas e

O

Gabriel faz sinal de positivo após sair do ônibus: missão cumprida

caracterizado quase como um palhaço para dar as orientações aos pequenos antes de a viagem de lazer e conhecimento começar no grande ônibus amarelo, que chama a atenção de todos por onde passa. “Muito mais do que um simples passeio pelas ruas da cidade, o programa mostra às crianças campineiras a importância do transporte coletivo para a cidade e valoriza pontos históricos, como a Catedral Metropolitana e o Monumento a Carlos Gomes, além de personalidades que transformaram Campinas em uma referência para o Brasil”, afirma Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc. Depois de entrar no grande ônibus amarelo,

os olhos de Gabriel se espicharam na longitude da Avenida John Boyd Dunlop. Seu caminho rotineiro no dia a dia agora representava mais conhecimento: “Os nomes de ruas e avenidas da cidade homenageiam pessoas ilustres. Não é diferente nesta avenida em que estamos passando. Dunlop foi um inventor escocês que fez os primeiros modelos de pneus da História”, revelou João. De quebra, Gabriel aprendeu que estava passando pela avenida mais extensa da cidade. A ideia do Programa Escolas nas Garagens é contribuir para o crescimento e para a formação desses alunos por meio da interação

com a cidade na qual eles vivem, por isso a Transurc preparou um ônibus adaptado e todo adesivado com os motivos do projeto que vai até a escola para buscar as crianças e transportá-las até a região central de Campinas, onde tomam um lanche e conhecem o Marco Zero, o túmulo do maestro Carlos Gomes e o prédio do Jockey Club Campineiro, entre outros pontos turísticos, para depois levá-las até a garagem de uma das empresas concessionárias do transporte coletivo. “Durante o trajeto, damos explicações sobre pontos da cidade pelos quais essas crianças passam todos os dias, mas que muitas vezes não têm consciência de sua importância cultural e histórica”, explica o arte-educador. De repente João para de conversar com as crianças, pega uma grande caixa nas mãos, retira pequenos pacotes de dentro e passa a distribuí-los a cada um com a devida explicação: “São óculos de proteção que deverão ser usados assim que descermos do ônibus e não podem ser retirados em momento algum enquanto estivermos na garagem”. Pronto, a notícia foi suficiente para gerar um burburinho dentro do veículo, afinal ninguém ali conhecia uma garagem de ônibus por dentro. Enquanto circulam por todos os setores da empresa, eles conhecem a função de cada funcionário e são instruídos para manterem os ônibus limpos e coibirem o vandalismo. “As crianças desta idade são verdadeiras multiplicadoras daquilo que aprendem. Além de levarem estas lições para toda a vida, elas certamente passarão adiante para seus

João aponta os caminhos dentro da garagem; abaixo, alunos passam pelo Monumento a Carlos Gomes

amiguinhos, pais e familiares”, comenta Marly Padula, pedagoga. O passeio se completa com um teatrinho educativo que conta com a participação dos próprios alunos e com o Concurso de Pintura do Businho (mascote do Programa Escolas nas Garagens) que premia o aluno destaque do mês com um passeio de maria-fumaça.

Como não poderia deixar de ser, Gabriel se mostrou bastante interessado nas explicações e fez questão de participar do teatrinho: “Sabe, pai, nós não podemos escrever nem riscar a parte de trás dos bancos dos ônibus”, explica ele enquanto aponta para outro aluno que fazia o papel de seu pai. Vale lembrar que a maioria desses alunos, por ser oriunda de famílias com poucos recursos, tem pouca oportunidade de passear e conhecer outros locais além do próprio bairro no qual moram. “Recebo muitos agradecimentos dos alunos ao final do dia e posso perceber o brilho nos olhos de muitos deles. É extremamente gratificante poder levar um pouco de cultura e conhecimento a essa garotada”, completou o arte-educador João. O sorriso e o sinal de positivo foram sinais de que Gabriel saiu muito contente e satisfeito do passeio. Ou seja: o Programa Escolas nas Garagens conseguiu, mais uma vez, atingir seus objetivos e contribuir para a transformação da realidade deste pequeno campineiro.


Palavras Cruzadas Diretas Montanhasrussas À primeira vista, uma montanha-russa é parecida com um trem de passageiros: ela consiste de uma série de vagões conectados que se movem sobre trilhos. Mas, ao contrário de um trem de passageiros, ela não possui motor ou fonte de energia própria. Na maioria dos percursos, a montanha-russa é movida apenas pelas forças de inércia e da gravidade. A única aplicação de energia ocorre bem no início da viagem, quando o trem é puxado para cima da primeira colina (chamada colina de elevação). O propósito dessa ascensão inicial é propiciar um certo acúmulo de energia potencial. O conceito de energia potencial, geralmente chamada de energia de posição, é bem simples: à medida que o vagão sobe, aumenta a distância em que a força da gravidade irá puxá-lo para baixo. Quando você começa a descer a primeira elevação, a gravidade faz com que toda a energia potencial armazenada seja convertida em energia cinética. A gravidade aplica uma força descendente constante sobre os vagões. Os trilhos da montanha-russa servem para direcionar essa força; eles controlam a maneira como os vagões descem. Se os trilhos inclinam-se para baixo, a gravidade atrai a frente do vagão em direção ao chão, acelerando-o. Se os trilhos inclinam-se para cima, a gravidade aplica uma força descendente sobre a traseira do vagão, desacelerando-o. Na maioria das montanhas-russas, as colinas diminuem em altura ao longo do trajeto. Isso é necessário porque o acúmulo total de energia na colina de elevação é perdido gradualmente em decorrência do atrito entre o trem e os trilhos, bem como entre o trem e o ar. Ao chegar ao final da viagem, a reserva de energia potencial está quase esgotada. Nesse ponto, o trem pode parar ou seguir para a colina de elevação para mais uma volta. Fonte: http://www.hsw.uol.com.br/


Campinas, outubro de 2011

9

Concurso premia alunos da rede pública de ensino de Campinas segunda edição do Concurso “Minha Família na Escola” contou com a participação de mais de oito mil alunos de 62 escolas do sistema público de ensino. Ao todo 12 alunos foram premiados. Promovido pelo Compromisso Campinas pela Educação (CCE), a iniciativa tem como objetivo premiar os estudantes autores das melhores redações dos 5ºs e 9ºs anos das redes municipal e estadual de Campinas e incentivar as habilidades de escrita e leitura dos alunos. Segundo o coordenador executivo do CCE, Luiz Eduardo Drouet, os textos produzidos refletiram o esforço dos estudantes, que compreenderam o objetivo do tema proposto. “A intenção é aproximar toda a família do ambiente escolar para que ele seja cada vez mais produtivo. Uma educação de qualidade depende do esforço conjunto de todos, pais, escola e sociedade”, afirma. Os primeiros colocados ganharam um laptop e um pacote turístico com dois acompanhantes. Os segundos e terceiros colocados receberam um iPod Nano de 8GB cada. Os vencedores ainda indicarão

A

5º Ano Municipal

seus professores preferidos, que serão premiados com uma viagem com acompanhante para as cidades históricas de Minas Gerais. A Transurc – Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas – integra o núcleo de ignição

OS VENCEDORES

Luiz Eduardo Drouet posa para foto com vencedores do concurso

do CCE e, por isso, investe financeiramente todos os meses para garantir que crianças e jovens da cidade tenham garantido seu direito de acesso a um ensino de qualidade.

9º Ano Municipal

1º Tamires Cristina de A. Miranda 2º Vitória Soares Santana 3º Roney Eberton Alves Pereira

1º Ana Paula Garcia da Silva 2º Thalia Souza de Oliveira 3º Michel José da Silva

5º Ano Estadual

9º Ano Estadual

1º Jasmim Helena Oliveira 2º Isabelle Assis Reolon Torres 3º Eny Heloisa da Silva Avelino

1º Júlia Rachel Santos de Almeida 2º Davi Borges M. da Silva 3º Lucas da Costa Araújo


173.734 foi o número de viagens realizadas por veículos adaptados do sistema de transporte coletivo urbano de Campinas em setembro deste ano.

Dia das Crianças tem programação especial ara celebrar o Dia das Crianças, o Shopping Valinhos, em parceria com uma loja de brinquedos, preparou um espaço especial. Brinquedos de diversos fabricantes, como “Pula Pirata”, “Cara Maluca”, “Hospital dos Bichinhos”, “Fogão Casinha Flor” e “Pic Nic Princesa”, ficarão disponíveis no segundo piso do open mall entre os dias 5 e 12 de outubro. O espaço contará também com uma cama elástica e uma piscina de bolinhas. Os ingressos serão gratuitos e deverão ser retirados no próprio shopping. A intenção é agradar ao público frequentador do shopping, mostrando que periodicamente haverá programação especial com eventos e atrações diferenciadas destinadas aos seus clientes. “O espaço especial foi criado pois muitos dos pais trazem seus filhos quando vêm às compras, e essa será uma forma de possibilitar momentos

P

Não espere por uma crise para descobrir o que é importante em sua vida. Platão (428-348 a.C.), filósofo grego

Evento do ano passado reuniu dezenas de crianças que se amontoaram no chão do próprio shopping

agradáveis a todos”, ressalta Ailton Dolenc, superintendente do Shopping Valinhos.

Perder tempo em aprender coisas que não interessam priva-nos de descobrir coisas interessantes.

Carlos Drummond de Andrade (1902-1987), poeta brasileiro

A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida.

Vinicius de Moraes (1913-1980), compositor brasileiro


Campinas, outubro de 2011

11

Aprenda a ter uma boa noite de sono om a vida moderna, crescem as reclamações de dificuldades para dormir. A pessoa deita na cama e não consegue pegar no sono, mesmo cansada. Ou dorme, mas acorda várias vezes durante a noite. E algo ainda mais comum é a privação de sono, ou seja, quem não dorme o suficiente, por excesso de trabalho ou estudo. O professor de medicina e biologia do sono, Marco Túlio de Mello, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), explica os problemas que a falta de uma boa noite de descanso pode causar, e dá dicas para repousar bem e ter mais disposição.

C

Para dormir bem: - Mantenha um horário regular para deitar e acordar; - Só vá para o quarto na hora de dormir; - Evite o consumo de bebida alcoólica próximo da hora de deitar; - Não abuse de chás, café e refrigerantes durante a noite; - Faça atividades relaxantes e repousantes após o jantar; - Ao deitar, apague qualquer aparelho que emita luz (como lâmpadas, abajur ou televisão).


Campinas, outubro de 2011

12

Itajaí e Onicamp investem mais de R$ 4,7 milhões em renovação de frota s empresas Onicamp Transporte Coletivo e Itajaí Transportes Coletivos, concessionárias do transporte coletivo urbano de Campinas, renovaram parte de suas frotas com a aquisição de 20 novos ônibus. “As concessionárias associadas à Transurc continuam investindo em suas frotas e esse investimento, em última instância, reverte em benefício ao usuário. Frota renovada significa mais comodidade e segurança para os passageiros”, lembra Paulo Barddal, diretor de Comunicação e Marketing da Transurc. A Itajaí, que opera na área 2 (vermelha) da cidade, investiu R$ 2,58 milhões na compra de 12 ônibus de 3 portas, totalmente adaptados, chassis Volkswagen 17230 EOD com câmbio V-Tronic automatizado e carroceria Mascarello Gran Via, com

A

elevador lateral, poltronas acolchoadas, piso paviflex e assentos preferenciais demarcados para idosos, obesos, deficientes e gestantes. A empresa investiu, também, R$ 904 mil reais na aquisição de dois novos ônibus articulados, de piso baixo total, chassis Volvo B9Salf com câmbio automático e carroceria Induscar Mondego, com poltronas acolchoadas, piso paviflex e assentos preferenciais demarcados para idosos, obesos, deficientes e gestantes. Já a Onicamp, que opera na área 4 (azulescuro), investiu R$ 1,29 milhão na compra de 6 ônibus de 3 portas, totalmente adaptados, chassis Volkswagen 17230 EOD com câmbio V-Tronic automatizado e carroceria Mascarello Gran Via, com elevador lateral, poltronas acolchoadas, piso paviflex e assentos preferenciais demarcados para idosos, obesos, deficientes e gestantes. Detalhe dos assentos amarelos, próprios para gestantes e idosos


O Coletivo edição 114