Page 1

AVATAR

Uma Árvore no Limbo

Você não entende o que digo mas isso não é importante Medo, fraqueza, Oh, tudo bem, estamos vivos ! Ou virtuais. Até que se aproxime o “grande dia” e arranquem de nossos peitos Pensamentos de psicopatas treinados

Que flores serão estas na árvore à frente ? Não sei nem a cor . Roxa ? Lilás ? Magenta ? Sei que ela está bela Exuberante. Alheia ao limbo E à humanidade. E nem todas as flores Desabrocharam ainda. Os guarulhenses não se interessam Por esta árvore desconhecida E solitária. Apenas eu, há tempos A contemplo e assimilo Como o órgão sexual desta rua Que ainda me dá esperanças.

Tom R. Antonio A Benjamin,124 Frei Gaspar –MG- 39840.000 TomZine – poesia e afins

Insonia Sua expressão é nervosa Na boca entreaberta o gosto do beijo que nunca esqueceu Olhares intrigantes Lembranças de erros passados Vontade de sair sem rumo Talvez encontre o sono perdido Os amigos, quase todos, fizeram escolhas duvidosas Saudades da inocencia que ficou em algum ponto da estrada Saudade do ingênuo “ eu te amo” sussurado ao pé do ouvido Perfume de homem mais velho pode tornar-se até sufocante Aventuras de adolescente Quer ser a dona do mundo Esqueceu que ainda é uma menina carente insone e ansiosa Fica a mente vagando pela madrugada Maria da Paz

R. José Batoni, 83 - Jd São José Amparo- SP – 13901.164

Rynaldo Papoy

R 15, nº 333 – Guarulhos– SP 07084.220 – br.geocities.com/rynaldop

Romantismo Seremos ainda românticos e entraremos na densa mata, em busca de flores de prata, de aéreos, invisíveis cânticos... ...E tão românticos seremos, de tão magoado romantismo, que as folhas dos galhos supremos que se desprenderem no abismo, pousarão na nossa memória - secas borboletas caídas e choraremos sua história, - resumo de todas as vidas.

Ano 1— Nº 11

INFORMATIVO DE POESIA

PROFISSÃO DE FÉ Imito o ourives quando escrevo imito o amor Com que ele, em ouro, o alto relevo Faz de uma flor Por isso, corre por servir-me Sobre o papel A pena, como em prata firme, Corre o cinzel : Torce, aprimora, alteia, lima a frase ; e enfim No verso de ouro engasta a rima como um rubim Quero que a estrofe cristalina dobrada ao jeito do ourives, saia da oficina SEM UM DEFEITO Porque o escrever – tanta perícia TANTO REQUER Que ofício tal.. nem há notícia de outro qualquer

Cecília Meireles

OLAVO BILAC Página 8

VERSOS LIVRES


Editorial Mais uns meses, mais um Versos. Mãe é mãe. Quem disse mãe amorosa, cometeu um pleonasmo. Agradeço a correspondência que tem segurado o meu equilíbrio pessoal e incentivado minha autoestima. Grato pela esperança e sensibilidade. Acredito que os fanzines , as publicações alternativas de maneira geral estão criando um novo projeto de poesia para o Brasil, um movimento literário ,nascendo do underground . Nesta edição, além dos novos poetas - novas vozes - ainda ecoam palavras de autores consagrados. E ainda Pedro Kilkerry (1885-1917) redescoberto pela vanguarda concretista, que nunca teve um livro publicado. Versos Livres : aves inquietas em céus cinzentos. E a beleza de Cameron Diaz pairando sobre nós.

Amante Da Solidão Você entrou no meu coração como um punhal que fatalmente corta as minhas veias envenenadas por seu amor Deixe-me chorar por você no meu mundo de silêncio Nada mais me importa chores também por mim se sentir a noite muito vazia Procurei em vão por um lugar aonde o seu amor não pudesse mais me tocar. Mas continuo te amando.... Oh, solidão dos meus dias ! Marcela Vieira R. Gotaru Suzuki, 131 – Taboão da Serra- SP 06765.140 – fanzine Lady

Of The Flowers Página 2

INFORMATIVO PARA DIVULGAÇÃO DA POESIA ANO 1 - GUARULHOS - SP EDITOR - Antonio Luiz Lopes ( Touché ) CORRESPONDÊNCIA - R. Francisco Antunes, 687 Vila Augusta - Guarulhos - CEP 07040 010

Aceitamos colaboração, independente de solicitação . Acuse o recebimento para envio de novos exemplares . MANDE SELOS, DÊ UMA FORÇA ! DISTRIBUIÇÃO GRATUÍTA

Vias da Noite Há um poema que vem pela noite (no breu da qual ´stou fera submersa) à noite atravessa, resume, implora noctívaga flora . Reata minh`alma dispersa, antes do meu corpo a pele um raio tocar de Aurora... Esse grito, qual cuíca que se fere ? É a nossa Cyber Era que chora é meu poeminha que cessa Sammis Reachers

R. Joaquim Sales Lima, 60 – São Gonçalo – RJ – 24755.230

Noite às vezes a noite me faz sentir uma criança desobediente que foge de seu lar algumas noites sinto o corpo suando colado numa cadeira de um boteco qualquer ou num táxi apertado rodando por avenidas vazias algumas noites mais se parecem com um dia inacabado Renata Paccola Rua Cafelandia, 53 São Paulo – 01255.030 – SP

VERSOS LIVRES

Perfeição O conhecimento é a solução e aquele que o alcançar desfrutará no devido curso do tempo o verdadeiro eu que está dentro dele mesmo. Devemos buscar o conhecimento e a perfeição por conseguinte. Isso é tudo ! É compreensível por compreender mesmo depois de muitos nascimentos Não haverá mais dificuldades e o mundo será todo feito de arranjos Porque está içado sua bandeira ? quando não podemos criar nada, apenas transformar coisas Tudo é suficiente ! mas sofremos devido a ignorância e o egoísmo do nosso coração. Sérgio Saggard ( em A Teia ) R.Porto do Moinho, 441 – Centro Bayeux – PB- 58307.000

MENSAGEIRO Que sentimento inverso e vivo ! Mesmo depois de tantos desencantos logro encontrar mais encantos como se este viver não fosse efemero... Mais o círculo do infinito é certo que não vivo sem palavras elas me são sagradas demais e como se tivessem vida própria me espantam o ser embriagado de versos e de histórias que não acabam mas permanecem suspensas no ar e no espírito . Na calma destes dias tão estranhos cheios e embelezados da emoção E aventura de ser poeta delineados de reflexões e ponderações que nos fazem mais existentes Qual Deus este que nos desperta ? ! que nos cria como criadores ?! Qual formoso e belo é o seu trabalho ?! Depois de tantas batalhas da vida conforta-me o mundo dos livros nas tardes ensolaradas Resignado em mim EMERSON O. DA SILVA

Aproxime-se : me vire daquele jeito, a pretexto de me amar Estimulado, leviano cheio de artimanhas Vem. Aproveita e explora ! Só de imaginar ,tenho ímpetos de balbuciar seu nome Aproveita a vulnerabilidade só requer......ternura Prometo envolvê –lo delicadamente . Quero fixar meus olhos nos teus olhos e entregar-me para mais uma descoberta . Anda Tira logo a coberta. Ou entra em baixo do cobertor

R. V. Francisco E. Pinheiro,14 Jd 31 de Março – Cubatão –SP

Minha rua tem drogados que batem à minha porta São garotas com crianças e são garotos perdidos Ás vezes lhes dou uma grana com um mesmo conselho antigo Pedem socorro com o olhar são famintos de esperança isso é o que mais importa ! Isso eu não posso dar ...

Touché

Cecília Fidelli, ANO 1— Nº 11

Página 7


Felicidade Desde o ínicio do nosso namoro não temos segredo , eu sei tudo que você faz , você sabe todos os meus passos. Por isso vivemos em paz .porque existe confiança entre nós . Eu tenho muita sorte, pois você é essencial nas minhas fantasias e na minha vida sentimental. Com a sua maturidade e também muito carinho tornará então real o meu sonho de amor... E nesta data especial da nossa privacidade me sentirei amada no aconchego dos seus braços meu querido anjo da guarda.. Então, com tanta felicidade compartilharemos os melhores momentos da história desse nosso primeiro e eterno sentimento Adriana Ribeiro Vieira R. Pedro Souza, 262 – Partenon Poá – RS – 91520.130 Varanda com pérgula depois da chuva pesada Pérolas goteando

Abrindo a Janela do Coração Abro a janela e vejo o mundo Pessoas que passam lá fora O homem carregando o seu fardo A mulher desolada e sem rumo O menino que chora sem pão Vejo a ausência de amor Vejo a solidão. Vejo faltar o perdão Vejo as guerras, as lutas Desagregação .Fecho a janela Abro o meu coração ao Pai Eterno E a Ele peço por todos (meninos, homens, mulheres) eu peço Amor, eu peço Paz eu peço Luz. Abro novamente AMANTE DAS LETRAS

Não te importas com os homens que dormem comigo; mas morres de ciúme dos versos que faço pra eles...

Humberto Del Maestro CP 45006 – LaranjeirasSerra-ES – 29165.250 Coluna Literatura e Arte

Leila Miccolís http://www.blocosonline.com.br

DIABOLIQUE Quando estou contigo me sinto perigosa, um vulcão delirante prestes a explodir num coração insano capaz de fazer surgir as mais estranhas criaturas venenosas. Uma mulher atrevida um tanto diabólica que sussurra palavras obscenas e ardilosas. Ela chega devagar toda vez que te toco, deixa-me te sentir desse jeito meio infernal que quer mais é cravar as garras em você, tornar-te uma preza nada convencional, escrever em tua alma os delírios do prazer como um animal felino e louco, te morder. Lembre-se de nossos beijos amassados, sou capaz de sentir o teu quente hálito que me faz perder os sentidos e a razão, em fúria, entregar-me ao instinto e emoção. E assim, surge ela, a perversa Diabolique, um tanto ousada, derruba-te num só golpe. Diabolique, a profana, e suas mãos santas. Exploram extasiadas teu corpo em chamas, numa vontade lasciva sorvida em cada gota, de beber o teu desejo, torturando-te de prazer

VERSOS LIVRES

Efêmero nosso amor glacial Outrora a paixão ígnea Púrpura, transformou Nossos corações gípseos em bibelôs Na estante da sala de qualquer casa de qualquer pessoa Jeferson Francisco Venturato

Av Brasil, 2306 – apto 3 – 1º and. Ed Montevideo – Centro – 88370 – 000-SC

Tu Mordida Inexperta em tu Embestida púbera Que me hicieste mal Cuando te desesperaste

Ela baila em teu corpo em ritmos alucinados como uma serpente de instintos malvados. E ainda ecoa a tua súplica desesperada, gemidos entrecortados numa voz abafada saía entre beijos ardentes cheios de desejos para que pudesses sentir o prazer máximo.

Sin racionar no hay poesia ..

E ela sempre te leva ao limite do suportável para então explodirem num gozo diabólico. Cíntia Melo, Salvador. cintia-melo@uol.com.br

Bogota, 2466 ( 1406 ) Buenos Aires – República Argentina

BALALAICA

(como um balido abala a balada do baile de gala) com um balido abala abala (com balido) (a gala do baile) louca a bala laica

Maiakovski (tradução Augusto de Campos) Página 6

Outorga

ANO 1— Nº 11

Rolando Revagliatti

Agora só existimos os dois Tu e eu, lua e rio Risos de almas nuas Molhadas de prata doce Ivone Webber R Graciema Formollo,598 Caxias do Sul – RS –95054.150

Fanzine EntreAmigos. Página 3


Espelho, amigo verdadeiro, Tu refletes as minhas rugas, os meus cabelos brancos, os meus olhos míopes e cansados. Espelho, amigo verdadeiro Mestre do realismo exato e minucioso, Obrigado, obrigado ! Mas se fosses mágico penetrarias até o fundo desse homem triste, descobririas o menino que sustenta esse homem, o menino que não quer morrer, que não morrerá senão comigo, o menino que todos os anos na véspera do Natal pensa ainda em por os seus chinelinhos atrás da Porta

Encontro teus olhos E deixo mãos estendidas Para o amanhecer Pés tingidos pelo orvalho Silêncio e sinceridade Espalho flores. Se fores espelho, Refletirás meus melhores afetos

Vilmar José Matter R. Emílio Frederico Buhrer,1020(fds) Elizabeth – Ijui – RS – 98 700.000

Manuel Bandeira

Mãe, Sempre Mãe Mãe de dia, mãe de noite Mãe de todas as horas Mãe que vem, mãe que ficaMãe que vai embora Abençoadas por Deus As que seus filhos adoram Todos os anos em Maio nesse dia comemora Toda a mãe é afilhada da Virgem Nossa Senhora Ai, seu eu pudesse ter a minha mãe viva, agora Geraldo Kemp R. Gustavo Barroso, 33 – Pq Peruche 02539-030 – SP – SP www.geraldokemp.hpg.com.br

VIAJANTE

O Minuto da Virada

Versos de Natal

Prantos Mergulhei na piscina Das lembranças amargas E fui parar no mais profundo dos mundos Estava morto ! Estava vivo ! Estava sufocado Nas tristezas do meu pranto Nas alegrias de meu riso ! Estava lá ! Estava aqui Em prantos a chorar ! ...

Cião R. Poltronieri, 141 – João Aldo Nassif – JaguariúnaSP – 13820-000

Você já sentiu a magia daquele minuto da virada ? Do ano novo que inicia, deixando a alma renovada ? Ao som de fogos e folia achamos que a partir daquele dia, do ano que se inicia, o que era tudo ontem, hoje não é nada.... Mas, na verdade só é mais um dia, que logo se inicia trazendo a realidade de uma longa e dura jornada ! Então vamos fazer que cada minuto de vida seja de renovação e alegria e tenha a magia daquele minuto de virada ! Vicente Spina , em A Teia – R Poltronieri, 141 – Joao Aldo NassifJaguariuna- SP – 13 820.000

Sertão Rio mas o meu riso é um rio que não corre mais Rio meu riso estio de margens áridas e paisagens pálidas Rio meu riso extinto seco : sertão J.J. Macedo Guarulhos-SP

Carta Para Uma Mãe (para minha mãe, Dulcinéa) Como toda carta lugar comum para mãe, se pede a benção este filho que há tanto não lhe escreve e que andou tanto sem ir a lugar nenhum hoje finalmente se atreve a escrever-lhe mãe, sabendo com certeza que teve sua benção e seu perdão, pois bem conhece o seu bondoso coração. Poderia ,mãe, faze-lo em prosa e não em verso, pois existe preceito adverso , que diz não haver rima para mãe. Mas eu a negar tal regra hoje me atrevo, e, nesta carta que te escrevo, rimo seu nome com amor, dor, espinho e rosa e até mesmo – quem diria ? Até com Virgem Maria ! Penso no sofrimento que por mim passou... nas noites que me embalou... tudo isso rima com você E o filho ingrato, que há muito não vê e que parece de você ter-se esquecido, de repente, mãe, escreve enfraquecido... cansado de lutar, quase vencido. Daqui, de longe, mãe, vejo-a tão feliz, lendo esta carta. Seus cabelos embranquecidos envolvem seu rosto doce e sofrido como uma auréola, neste instante.. E você chora e ri, e até canta... Por isso, mãe ,você é palavra de rima farta que rima com ternura e amor... Rima com santa ! Zaidan R. Dom Helvécio, nº 75 – 1º B.João XXIII CEP 29.230.000 – Anchieta – ES

Eu me sinto tolo como um viajante pela sua casa

Pássaro sem asa Rei da covardia E se guardo tanto essas emoções nessa caldeira fria É que arde o medo onde o amor ardia A mansidão do peito trazendo o respeito que eu queria tanto derrubar de vez. prá ser seu talvez... Mas o viajante é talvez covarde ou talvez seja tarde prá gritar que arde no maior ardor a paixão contida retraída e nua correndo na sala ao te ver deitada ao te ver calada ao te ver cansada ao te ver nua... Talvez esperando desse viajante algo que ele espera também receber e quebrar as cercas em que insistimos tanto em nos defender.. canção gravada por Ney Matogrosso

TherezaTinoco Horas Ígneas Eu sorvo o haxixe do estio E evolve um cheiro, bestial Ao solo quente, como o cio De um chacal... Distensas, rebrilham sobre Um verdor, flamâncias de asa.. Circula um vapor de cobre Os montes – de cinza e brasa. Pedro Kilkerry (1885-1917) redescoberto pela vanguarda concretista,

Concurso Municipal de Poesia

Página 4

VERSOS LIVRES

ANO 1— Nº 11

Página 5

Versos onze  

Edição 11 da publicação alternativa Versos Livres, editado em Guarulhos/SP. Poesia, crônicas e informações culturais

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you