Page 1


Mesmo que o mundo acabe! Quem nunca ouviu uma profecia sobre o fim do mundo? São muitas e influenciam (pouco ou muito) a vida de todos nós. Já foram desastres naturais, sobrenaturais, ‘Nostradamus’, e a mais próxima de “acontecer” é a dos Maias. Mas o que são profecias se não datas marcadas para grandes mudanças? Aliás, mesmo que o mundo que conhecemos não acabe em 21 de dezembro de 2012, as transformações modificam a forma como vivemos, trabalhamos e consumimos, ou seja, um mundo acaba todo dia para outro nascer. Por isso, o TOP of MIND Universitário – produzido pela JR Consultoria, empresa júnior da UFPR – realiza desde 2003 pesquisas para entender as necessidades e desejos de jovens que estão construindo essas mudanças. Ser TOP não significa apenas ser lembrado. TOP é ser o melhor, proporcionar e incentivar mudanças e, acima de tudo, renascer sempre, para acompanhar uma geração que inova diariamente. É nesse espírito de renovação e inovação que surge uma revista para um jovem conectado, multidisciplinar e empreendedor do próprio futuro. Uma revista que

foi realizada com muito esforço e dedicação por uma equipe apaixonada pelo que faz, a Revista TOP. E tudo isso só se tornou realidade graças aos nossos Patrocinadores (Bacelar Eventos, Unimed Curitiba e Condor) e Apoiadores (DataCenso, Universidade Federal do Paraná, Lince Criativa, Spaipa e Esal Flores), que além de serem TOPs nos mais diversos segmentos, acreditam no poder de transformação dos jovens, capazes de impedir até mesmo o fim do mundo. Nesta edição, você vai conhecer os escritórios para compartilhar sonhos de empresas, descobrir intercâmbios diferentes, experimentar comidas para fugir do miojo e descobrir dicas para dar uma geral no apê. Além de uma entrevista com o criador do Comoeumesintoquando, Marcelo Cidral, um concurso que elegeu a Miss e Mister Universitário e muito mais. Boa leitura!

Samoel Brondi Marques Gerente do Projeto TOP of MIND Universitário 2012


Expediente Gerente de Projeto: Samoel Brondi Marques

Coordenação editorial: Higor Lambach

Equipe TOP of MIND Universitário: Carolina Fregolente Karimata, Luísa Paiva, Maíra Luísa Santos Polegato, Olívia Pirola Krüger, Rafaela Pasa Reisdorfer

Reportagem: Jornalismo Júnior USP Design Editorial: Lince Criativa


As habilidades são diferentes e, por consequência, as belezas também. Caras malhados, nerds ou barbudos. Mulheres siliconadas, cabeças ou moderninhas. Para cada curso existe um ou vários estereótipos, que, muitas vezes, condizem com a realidade. Aliás, a infinidade de diferentes belezas e estilos apimenta os relacionamentos e enriquece as trocas. Ficou com vontade de procurar o “boy magia” ou a gata dos sonhos? Então, saiba onde encontrar e quais são os principais tipões.

Comunicação Social Jornalistas, relações públicas e publicitários fazem parte do curso. Falastrões, extrovertidos e modernos, os comunicadores conquistam as garotas pelas piadas criativas. A maioria tem pensamento moderno, cabeça aberta e tatuagens pelo corpo. Já as comunicadores são por si só, televisivas. Algumas têm cabelos modernos, outras mais tradicionais. Entretanto, todas seduzem pela inteligência e o equilíbrio entre moderninhas e conservadoras.

Fotos por Ana Gabriela Fioravanti

Direito Focados na carreira, eles descansam o terno só nos fins de semana. Cabelo curto e penteado, barba feita e alinhada é pura perfeição. As meninas também não saem do terninho e rabo de cavalo. Dedicados e muito antenados no mercado, eles sempre sabem como fazer um bom negócio.


Agronomia Com calças justas, cintos grandes e botas, os intitulados “agroboys” e “agrogirls” tiram suspiros de todos. Ainda mais se vierem acompanhados de um ‘r’ mais forte. Cuidadosos e generosos, eles preservam o meio ambiente e têm um zelo enorme pelos animais. Como são, na sua maioria, vindos do interior, preservam as raízes de casar e ter filhos.

Medicina Conhecedores do corpo como ninguém, os estudantes de carreiras biológicas são excelente partido. Mas, como tudo não são rosas, alguns estudam demais e acabam com pouco tempo para se envolver em relacionamentos. Mesmo assim, a beleza dos corpos destes estudantes é uma coisa extraordinária.

Ciências Sociais

Alguns costumam dizer que são bichos grilos, porque não se cuidam muito e têm certa tendência ao socialismo. Em uma coisa todas concordam: a barba deles enlouquece cada mulher. As meninas conquistam pela inteligência e simplicidade. Além disso, são ambientalmente conscientes socialmente engajadas.

Engenharia Na maioria homens, eles são muito inteligentes e habilidosos. Podem até não convencer muito pelo papo, mas compensam na pegada e trato com as meninas. Aliás, o mito de só ter menina feia nesta área é mentira. Além de espertas, as engenheiras, matemáticas e físicas são independentes e não têm medo de dar o pontapé inicial nas relações que querem. Ou seja, elas não têm medo de ser feliz.


Uma amiga a inscreveu no concurso. Para manter e cuidar do corpão, Ilana pratica tênis toda semana. Quem quiser conquistar a gata precisa ser amigo e mandar bem nas piadas. Já que, para ela, o cara precisa ser engraçado.

Ilana Moro Idade: 19 anos Curso: Administração – UFPR – 2º período Cor: azul Comida: culinária japonesa Música: Eclética, mas ouve mais rap e indie. Time: Coritiba

Com tantos perfis de beldades, a revista TOP decidiu eleger a Miss e o Mister Universitário 2012 de Curitiba. Foram mais de 60 boys magias e 61 gatas inscritos. Um time de experts em beleza foi convocado para selecionar os finalistas para votação online: Jakeline Oliveira (Miss Brasil 2012), Marly Minatti (Proprietária do Salão Marly), Marcos Slavieiro (Colunista Social) e Danilo D’Avila (Empresário de Misses).

12


Sem saber quem o inscreveu, o galã malha todo dia durante uma hora. Além de bater uma bolinha com os amigos e praticar MotoCross. Mesmo sendo radical, o cara é conquistado por meninas de jeitinho carinhoso.

Ricardo Bertoga Idade: 22 anos Curso: Administração – UP – trancou. Cor: preto Comida: pizza Música: Eclético, mas ouve um sertanejão. Time: Atlético Paranaense

Em um total de mais de 2500 votos, os eleitos foram Ilana Moro, 19, Miss Universitária 2012 com 768 votos e Ricardo Bortega, 22, Mister Universitário com 338 votos. A dupla ganhou para duas pessoas almoço no Armazém e jantar na churrascaria Batel Grill. Além de um photoshoot com alunos do Centro Europeu e cortesias no Salão Marly.

13


O mais novo sucesso de uma princesinha Disney, o single chiclete de um malfadado canadense, a primeira música da mais recente ‘boyband’ formada em programas de TV ingleses. Funk, pagode, sertanejo universitário. “Eu sou maduro demais, culto demais, superior demais para escutar esse tipo de música. Na verdade, eu nem considero isso música.” Isso é o que você clama. Mas será que o seu iPod concorda com esse discurso? Seja porque o refrão fica grudado no seu subconsciente e a única forma de parar de cantarola-lo é escutando-o, seja porque o ritmo é legal, seja porque você simplesmente gosta da música. Ainda que consiga listar os motivos perfeitamente racionais e justificáveis pelos quais não deveria fazer isso, você faz: o download do arquivo foi concluído. O plug-in que mostra a música

que você está escutando no msn, desativado. E que o prazer culpado comece.Ainda que você saiba porque não deveria ouvir certa música, ela, como qualquer outra arte, não é explicada e justificada por argumentos racionais ou listas de prós e contras. “Música é sentimento, é momento, é memória. Às vezes nem estamos muito ligados em uma, mas acabamos escutando-a em um momento tão marcante da nossa vida, que ela acaba ficando com a gente para sempre”, afirma Mamê, vocalista do grupo baiano Batom na Cueca.

15


Se for assim, então por que aquelas músicas que você diz desprezar estão naquela pasta do seu computador junto com as fotos do almoço de família do Natal de 2007? Kennedy Lui, vocalista da banda paulista Zebra Zebra, admite uma pérola musical que seu player esconde (mesmo sabendo que seus amigos vão “detoná-lo” por isso): “Tenho um iPod de 1 Gb só. Então tento ser bem seletivo. Mas tem uma música que já sobreviveu algumas vezes às minhas trocas de playlists: Miley Cyrus - Party in The U.S.A.”. Ainda que não tenha medo de assumir a presença da última rebelde de boutique saída da Disneylândia entre suas faixas eleitas, ele entende porque nem todos fazem o mesmo. “As coisas acontecem na sociedade numa velocidade muito maior do que antigamente. Tudo é mais rápido, inclusive o julgamento que as pessoas fazem de você. As pessoas temem isso, então não exibem a verdade toda”, diz Kennedy.

16

“Por exemplo: se eu falar que gosto dessa música da Miley Cyrus as pessoas vão achar que eu gosto do trabalho todo dela. Isso não é verdade. Já ouvi outras músicas e não gostei, mas gosto dessa música especificamente. No meu caso, ainda corro o risco de as pessoas ligarem o fato de eu gostar dessa música com o trabalho da minha banda. Resumindo: as pessoas não expõem aquilo que pode gerar um julgamento negativo sobre suas escolhas”, completa. Além disso, não é incomum uma pessoa se autocensurar quanto suas escolhas musicais. “Tem gente que se acha adulta demais para ouvir determinado tipo de música, deixando então de escutá-las ou comentá-las com alguém. Isso é uma bobeira”, afirma Mamê.


Esse tipo de restrição musical fica um pouco deslocada em um país tropical, abençoado por Deus, bonito por natureza e absolutamente multicultural. “Não existe área restrita no meu iPod. Ouço de tudo. Mesmo. Não faço discriminação de nenhum gênero. Me considero eclética nesse sentido”, afirma a cantora e atriz Marjorie Estiano. “Minha formação musical sempre foi bastante diversificada. Minha familia é muito brasileira: mãe baiana, pai paranaense, irmã paulista, vó mineira. E o consumo de música em casa seguia esse conceito”, enfatiza. Mas ignorar os preconceitos musicais seja eles seu ou de outros, não deve se restringir às fronteiras tupiniquins. Mia Wicthoff, vocalista da banda paranaense CW7, por exemplo, diz ouvir Country Internacional, ainda que não tenha nada a ver com o estilo de música que a sua banda faz. “Eu adoro muito! É um tipo de música que as pessoas não imaginam que eu escuto!”. O seu playlist não tem a obrigação de provar nada pra ninguém. Música tem que ser diversão. E se o que te diverte é uma música que tem um refrão composto por aproximadamente três palavras, quem pode te censurar? “Acho que isso [a vergonha de assumir que se gosta de determinada música] pode ser porque a letra é alguma coisa sem sentido, ou o instrumental não é o ‘da moda’. Mas se gosta, tem que assumir que gosta mesmo, independente do que as pessoas vão achar”, afirma Mia.

17


Na Aldeia Coworking, um dos escritórios coletivos de Curitiba, programadores, designers, consultores, uma empresa de bike-entrega e até oceanógrafos sentam lado a lado. A ideia surgiu e espalhou-se em 2011 entre autônomos e empresas compactas. Para o proprietário da empresa Eco Bike Courier, os atrativos vão além do baixo custo – entre R$ 55 e R$600. “Escolhi trabalhar no estilo coworking pela redução de gastos, mas, principalmente, pela estrutura de networking. Isso dá mais visibilidade e possibilita novas experiências”, conta. Para Ricardo Dória, criador do escritório Aldeia, em um ambiente colaborativo, a chance de agregar mais ao desenvolvimento da empresa e pessoal está nos convites e dicas inesperadas.

“Todos os dias, empresas geram demandas e conseguem fornecedores aqui mesmo. Assim, uma empresa é, ao mesmo tempo, cliente e fornecedor. A geração de ideias e negócios é constante. Isso economiza tempo e, consequentemente, dinheiro”, diz Ricardo Dória.

22


23


Com a troca como chave do coworking, cozinha, vestiário, bibliotecas, salas coletivas e para reuniões criam um ambiente único para os usuários que têm como características receber feedbacks imediatos e construir o próprio espaço. Rafaela Giuliano, criador do método ApreciATO, é mais um das empresas de um homem só que indica o espaço parar trabalhar. “Como trabalho sozinho, eu preciso da dinâmica de uma empresa grande com diversidade de pessoas. Eu preciso consumir isso para render. Se eu trabalhasse em casa, perderia este contato. Aqui, eu tenho contato com quase 50 empresas diferentes todos os dias”, conclui. Para Ricardo, o coworking também é sustentável, porque otimiza o espaço e tempo. “Se cada empresa daqui tivesse uma sala ou escritório, o uso de energia e água seria maior. O compartilhamento é uma das chaves para a sustentabilidade”, afirma.


Segundo Renata Aquino, co-fundadora do HUB Curitiba, outro espaço corporativo compartilhado, o coworking também é muito utilizado por profissionais da economia criativa. “Percebemos que os projetos têm uma preocupação com o social e ambiental. Além disso, eles precisam de muitas ideias novas e criativas. Por isso, o coworking é a saída para essas empresas e projetos de inovação. Já que as respostas e soluções são construídas por todos a cada minuto”. Para quem tem uma ideia de negócio, os escritórios compartilhados são uma ferramenta para alavancar a empresa. “Para quem não tem muito capital inicial para investir, o coworking representa muita economia e pode ser fundamental para o sucesso e crescimento da empresa”, conta Ricardo. Os empresários e irmãos Jason Moreira e John Moreira criaram uma rede social dos sonhos. A Dreabe reúne sonhadores e realizadores de sonhos. O projeto ganhou forma na colaboração. “Um dos principais atrativos para trabalharmos em coworking é o baixo custo e, com certeza, a rede”, afirma Jason. Eduardo Filipe Marques é engenheiro civil e, atualmente, traduz do português para o inglês, páginas da Dreabe. “Em escritório com diferentes empresas, a facilidade de fazer negócios aumenta muito, além de como profissional ter acesso a cursos e desenvolvimento de habilidades diferentes”, incentiva.


Já faz um tempo que programas de intercâmbio deixaram de ser um sonho distante e reservado apenas a quem tem muito dinheiro. Hoje, existem pacotes de preços variados, com durações flexíveis e infinitos destinos. Lugares antes impensáveis para fazer um programa de intercâmbio estão se tornando mais viáveis e procurados. Ir para um país que foge aos destinos comumente visitados, como Estados Unidos e Canadá têm suas vantagens.

Maria Fernanda Costa, que já fez intercâmbios para o Canadá e Taiwan, conta que a experiência no país asiático ensinou-a lidar com situações inusitadas, respeitar culturas completamente diferentes e crescer como ser humano. “A diferença de cultura e de idioma com certeza é o maior problema, mas ele varia de acordo com a forma que você lida com ele. Eu encarei esse problema como uma diversão!”, diz ela. Viver em um país tão diferente do Brasil faz com que o intercambista desenvolva qualidades muito procuradas pelo mercado de trabalho, como espírito independente, flexibilidade para lidar com pessoas e problemas, além de calma e respeito no tratamento de tudo que é diferente. Isso sem contar a aprendizagem de um idioma que foge do inglês/espanhol.

O mandarim não foi uma barreira para que Maria tivesse uma boa relação com sua família. “Minha segunda família, com a qual eu fiquei mais tempo, não falava nada de inglês! Parece assustador, mas acho que foi essencial para aprender o mandarim e me fez criar um laço com a minha host family que nenhuma outra situação criaria.” A possibilidade de se comunicar apenas em mandarim foi importante para que ela se expressasse melhor. “Na minha entrevista para seleção do intercâmbio, eles me perguntaram: ‘se você fosse um leão e não pudesse rugir como você faria para se comunicar? ’. Acho que usei isso de inspiração durante o meu intercâmbio”.

29


Muitos daqueles que escolhem países exóticos como destino optam por fazer um programa relacionado ao trabalho voluntário. Além de conhecer o país e a cultura, é possível ajudar a melhorar a vida dos moradores e fazer uma imersão maior no modo de vida local. O intercâmbio voluntário cresceu tanto que a AIESEC, maior organização mundial de estudantes, faz esse tipo de programa, mais conhecido como Cidadão Global. Sua finalidade é tentar provocar um impacto positivo no local de destino, diferente de outro modelo disponível pela organização, o Talentos Globais, no qual o viajante estagia em alguma empresa. Arthur Fioravante Chiba, diretor de intercâmbios sociais para estudantes da AIESEC, conta que o programa Cidadão Global divide-se em cinco modalidades: Gestão, Ambiental, Direitos Humanos, Saúde e Cultural-Educacional. Dentre elas, a mais procurada é o Cidadão Global Cultural. “Os intercambistas vão para escolas públicas, particulares ou para acampamentos, ensinar sobre a cultura de seu país ou ensinar alguma língua, com destaque para o inglês e para o espanhol”. Dessa forma, a AIESEC consegue unir duas tendências atuais - o trabalho voluntário e o intercâmbio para lugares que fogem do comum. Segundo Arthur, os lugares mais procurados são: China, países da América Latina, especialmente Chile, Argentina, Uruguai e Colômbia, Índia, países africanos e do leste europeu em geral, principalmente Polônia e Ucrânia. Ele diz também que, no meio de 2012, a organização conseguiu uma marca histórica de 20 mil intercâmbios realizados no período de um ano, no mundo inteiro. “No caso do Brasil, que é um dos países destaques, este número chega a cerca de 3 mil intercâmbios por ano”.

30


Thaís Rossi foi para as Ilhas Maurício, na África, pela AIESEC e conta como foi fazer esse tipo de trabalho. “A experiência foi ótima, conheci pessoas maravilhosas e tive a oportunidade de ajudar e aprender com uma instituição que cuidava de crianças especiais, com algum tipo de deficiência mental. Acho que aprendi muito mais com elas do que ensinei”. Ela conta também que escolheu tal destino pela abrangência cultural. “É uma vivência que eu não iria ter em um intercâmbio convencional. Eu comia comida chinesa enquanto via um festival hinduísta ao lado de uma mesquita ouvindo as pessoas conversando em francês! Onde mais eu iria ter tudo isso junto?”.

O intercâmbio de Thaís durou aproximadamente dois meses e, segundo ela, as acomodações eram simples e boas. Em sua casa tinha água todos os dias, algo que nem todos os intercambistas possuíam. “Alguns amigos moravam em 20 pessoas, numa casa em que acabava a água todo dia às sete horas da manhã!”. Ela conta ainda que a relação com a internet mudou conforme o tempo foi passando. Como na casa em que estava não havia acesso à rede, Thaís tinha que caminhar meia hora para utilizar o sinal wi-fi de um supermercado – que nem sempre funcionava. “Mas depois da primeira semana desencanamos total da internet”.

Mesmo com essas dificuldades, Thaís conta que a educação maurícia é bastante forte. “Todo mundo na ilha fala no mínimo duas línguas. O idioma local é o creole, uma espécie de francês, mas todas as pessoas falavam inglês.” Além da educação, outro aspecto de destaque apontado por ela é a convivência pacífica entre diversas etnias e religiões.


Já Felipe Balotin Pinto decidiu passar um ano no Zimbábue, país africano. Assim como Maria Fernanda, que foi para Taiwan, Felipe viajou por meio da organização Rotary, que também presta serviços voluntários. O trabalho do Rotary é tão reconhecido que a ONG foi nomeada membro permanente da Organização das Nações Unidas (ONU). Felipe decidiu que não queria ir para um lugar “convencional”. “Queria ter uma experiência diferente em um país sobre o qual eu não tivesse nenhum ‘pré-conceito’.”, diz ele. Houve a possibilidade de ir para a Índia, mas ele estava decidido: “Eu passaria o próximo ano no coração da África.” O Zimbábue é uma antiga colônia britânica e seus habitantes falam inglês, o que facilitou a adaptação de Felipe. Mesmo assim, ele quis aprender o shona, idioma local, para se sentir mais próximo das pessoas. Durante o período que passou no país, Felipe viveu com três famílias e foi muito bem acolhido. “Minhas famílias me tratavam como um filho”. Mas ele também passou por algumas dificuldades. Em 2008, ano em que esteve no país, o Zimbábue enfrentou o ápice de uma das crises econômicas mais graves de sua história. O intercambista chegou a encontrar as prateleiras dos supermercados vazias. Além de não haver energia elétrica nem água encanada. “Talvez a maior lição que eu carrego é quanto ao valor dado às coisas que estão constantemente ao meu redor. No dia-adia, elas parecem muito naturais quando, na realidade, não o são”. ”E todas as estórias deste ano diferente estão compiladas, esperando uma publicação”

O que fica? Participar de um programa de intercâmbio é o sonho de muitos e fazer isso em um país fora do comum potencializa o impacto da experiência. Os que escolheram esse tipo de programa concordam que ele muda bastante a forma de enxergar o mundo. É algo único, que deixa marcas para o resto da vida. As palavras de Felipe descrevem uma vontade que fica nos intercambistas. “Não consigo pensar na vida sem a possibilidade de viajar, fazer novos amigos, conhecer diferentes lugares e, neste processo, me conhecer melhor”.

32


Não sabe o nome do quer procurar, mas tem a foto? A Google criou uma ferramenta para facilitar e tornar mais rápida a pesquisa de informações e imagens. Ano passado, a empresa divulgou mais uma novidade no seu sistema de busca. Um mecanismo de pesquisa por meio de imagens, que traz páginas com textos e imagens semelhantes à solicitada. O dispositivo, antes só disponível em smartphones, agora pode ser usado de qualquer computador comum. Basta carregar uma imagem no campo de busca, clicando no ícone de câmera ao lado da caixa de pesquisa tradicional do Google Imagens, copiar o link correspondente ao endereço ou ainda arrastar a imagem de alguma página na internet. O Google analisa os dados e tenta comparar com tudo o que há banco de imagens e textos da internet. Esse tipo de busca é útil para identificar algum lugar, pessoa, produto ou objeto desconhecido, mas os usuários destinam diversas funções a essa ferramenta. Sofia Soares, que se auto intitula “googlemaníaca”, e Fabio Manzano, “assíduo googlador” conheceram essa ferramenta ao notarem o ícone de uma câmera fotográfica ao lado da caixa de busca do Google Imagens, então foram conferir a novidade.

36


“Uso a busca de texto relacionado a uma imagem, especialmente quando é alguma obra de arte que eu quero saber um pouco mais, ou quero ter mais certeza da produção, ano, etc.” afirma Sofia, que costuma se interessar mais pelas páginas com textos relacionados à imagem inserida no campo de busca. Já Fabio, além de utilizar a busca a partir da imagem para refinar a pesquisa após tê-la feito da forma tradicional, aplica uma função bem diferente a essa ferramenta. Ele a utiliza como um dicionário, buscando as imagens das palavras - como páginas de livros ou revistas - em outras línguas, ao invés de buscar a simples tradução, que geralmente vem numa forma literal.

Para os navegadores Chrome e Firefox, foi criada uma extensão, que pode ser obtida por meio de download A Google disponibiliza esse tipo de busca em mais de 40 idiomas, incluindo o portu- no próprio site da Google e que permite esse tipo de guês do Brasil. É possível também traduzir busca apenas clicando com textos por meio de fotografias. Você tira o botão direto do mouse. uma foto de algum texto, uma página de O link da página de busca livro, de revista, e encaminha a imagem. é images.google.com. Para Sofia acredita que essa novidade, em breve, quem quiser saber mais, há será tão utilizada quanto a busca tradicio- vídeos explicativos e instinal do Google, mas Fábio se considera mais tucionais da Google, disponíveis no site do buscador conservador, e acredita que a forma convencional, ainda seja a melhor. “A pesquisa ou em hospedeiros, como o YouTube. Os vídeos estão de imagens por imagens pode até ser algo bacaninha, algo novo, mas nada vai substi- em inglês, mas há legendas tuir a pesquisa por texto, bem mais rápida e em português. simples.”

38


Sabe aquela cara ou atitude típica de quando algo diferente ou normal acontece no dia a dia ou vida? Pois é, Marcelo Cidral provou que você pode ser diferente de todo mundo, mas muito parecido com todos. O criador do tumblr comoeumesintoquando - 2º lugar no mundo em acessos com médias de 150 a 170 mil visitantes diários - falou com a Revista TOP sobre o microblog e as possibilidades de fazer algo simples um grande sucesso.

Revista Top: Como surgiu a ideia do CEMSQ? Marcelo Cidral: Eu levei alguns meses para tirar a ideia do papel e, finalmente,

tive tempo pra criar o Tumblr, em abril deste ano, na casa da minha mãe em Blumenau, em uma noite de tédio. Quando criei o blog não escolhi a plataforma Tumblr pensando em qualquer potencial de viralização, já que jamais imaginei que tudo isso pudesse acontecer. Escolhi o Tumblr porque era a plataforma que eu tinha mais experiência, além de ser simples e dinâmica. Não tenho paciência para mexer no Wordpress ou no Blogger por preguiça minha mesmo. Hoje, concordo que o reblog do Tumblr é muito eficiente, apesar de mais de 80% do meu tráfego vir do Facebook e do Twitter. Acho que a razão do sucesso é que não existia até então nada em português ou brasileiro, com situações e dramas da nossa realidade.

RT: Qual é o número de acessos do tumblr? MC: Nos últimos 30 dias (julho), tivemos 4,2 milhões de visitantes únicos e 19,2

milhões de páginas visualizadas. No total, estamos com 6,4 milhões de visitantes e 30,3 milhões de visualizações. O CEMQ já bateu a marca de 900 mil visitantes únicos no último mês (julho), que garante a posição de terceiro Tumblr mais visto globalmente.


RT: E está ganhando dinheiro com ele? Já dá para pedir as contas no trabalho? MC: Hoje, trabalho como redator em uma agência digital de publicidade em São Paulo e adoro meu emprego. Não sei até quando dura o sucesso do CEMQ, então não posso me apegar muito a ele. Além disso, ele é um supercase para o meu portfólio, que pode me garantir uma posição bacana em qualquer agência de social media que queira me contratar no futuro. Acho que as empresas ainda não enxergaram o potencial e o alcance do Tumblr. Ele possibilita inúmeras possibilidades criativas, uma forma de expressão como se fosse uma terapia. Fiz posts citando empresas por vontade própria que fizeram sucesso, com mais de 5 mil shares no Facebook. Mas não quero encher o espaço de ações porque considero isso invasivo para quem acessa.

RT: Você tem tumblr favoritos? Quais são suas influências? MC: Não tenho favoritos. Costumo visitar alguns blogs. Gosto de alguns

tumblrs gringos parecidos com o CEMSQ. Acesso muito para ter referências de imagem e curto blogs de comportamento como o Refinery29, o TrendCoffee, o Don´t Skip e o Pick Up The Headphones.

RT: Você postou um e-mail recebido por um visitante com câncer que voltou a comer depois que saiu do hospital MC: Foi o feedback mais bacana! O CEMQ pode desaparecer do mapa, mas ele fez uma pessoa rir e superar alguma barra. Isso que é o mais importante. RT: As pessoas são tão diferentes e iguais ao mesmo tempo? MC: Sim, porque cada um passa por inúmeras situações todos os dias e reage

de uma forma diferente. Só que com o CEMQ, as pessoas percebem que embora possam curtir tantas coisas e serem tantas coisas diferentes, acabam compartilhando sentimentos iguais. Talvez, essa seja a razão dos gifs traduzirem tão bem tantas pessoas.

41


Ao mesmo tempo em que viver sozinho é bom para muitas coisas, o sozinho também implica em não ter ninguém para lavar a roupa, regar plantas ou fazer uma comidinha. O tempo é curto e a habilidade pouca. Assim, fazer o mercado quase se resume a comprar miojos.

Nos primeiros meses, até que é tranquilo. Só que chega uma hora que não dá mais. Para quebrar o teu galho, a chef de cozinha do Centro Europeu, Iracema Bertoco deu algumas dicas e receitas para quem quer fugir do miojo.


Ingredientes: -3 ovos: que todo mundo têm em casa; -1 cenoura ralada ou 1 tomate picado. -Azeitonas picadas: um vidro é ótimo porque dura muito tempo na geladeira sem estragar -50 gramas de queijo parmesão Dê uma boa vasculhada na geladeira e coloque qualquer restinho de presunto, calabresa ou bacon para dar aquela sustância. Modo de preparo: Bata tudo em um recipiente e despeje em uma frigideira com pouco óleo em fogo baixo. Com auxílio de outra frigideira ou panela, vire a omelete. Segredos : Segundo a chef Iracema, o grande segredo para que a omelete não grude, queime ou vire um mexido na frigideira, que deve ser antiaderente. Aliás, esse deve ser um utensílio para se investir caso você ainda não tenha. “A omelete é uma boa opção para quando bate aquela fome, porque é gostosa, fácil, rápida e suja apenas um prato.”


Ingredientes: -1/2 xícara de arroz arbóreo: diferente do arroz normal, essa variedade cresce na panela, rende mais e é mais saboroso. -1/2 cebola: quem não gosta de cebola, pode utilizar outro tempero. -200 gramas de carne seca comprada em travessas no supermercado. Esse ingrediente pode ser substituído pelo que você tem casa também como um peito de frango que você desfie. -1 tomate seco: dá para trocar por tomate fresco ou azeitona. -2 colheres de manteiga -1 copo de vinho branco seco. -100 gramas de queijo parmesão -1 litro de caldo de legumes: você pode cozinhar verduras em água e utilizar a água da fervura ou utilizar os tabletes vendidos industriais prontos. Modo de preparo: Refogue a cebola na manteiga e depois refogue o arroz. Em seguida, despeje o vinho. Isso faz soltar o amido do arroz. Refogue mais um pouco e acrescente uma concha de caldo de legumes para cozinhar o arroz. Não pare de mexer. Com o fogo médio, continue a mexer e colocar conchas de caldo de legumes até que o arroz esteja transparente por fora e no meio duro (Al dente). Assim que chegar a esse ponto, coloque a carne seca e o tomate seco. Desligue o fogo e termine com o queijo parmesão e a manteiga para dar brilho e o toque final ao prato. Segredos: Não só para o risoto, mas para qualquer receita, a chef Iracema avisa que o sal deve ser colocado no último momento da preparação dos alimentos. “Como os outros ingredientes podem ter sal é importante esperar a última fase do preparo para provar e salgar”. Bem no tempo da fome, o risoto é preparado em no máximo 20 minutos e rende muito, além de servir muito bem de almoço, jantar ou naquele finzinho de tarde depois de vários xeroxes. Aliás, se houver mais de um no apartamento, uma vez um faz a comida e o outro lava a louça e vice-versa. Na república, pode até ter escala, assim como na limpeza, para a cozinha.


-Deixar o feijão de um dia para outro na água, acelera o cozimento, por consequência, economiza gás. -Para cozinhar brócolis e verduras mais fácil, basta colocá-los em sacos de assa-fácil (vendidos em supermercados) e levar ao microondas, em potência alta, por 30 segundos. Mexa e programe por mais 30 segundos. Pronto, a salada está cozida.

Pode até dar preguiça de cozinhar, mas com o tempo, a prática vai se revelando e os dotes culinários aparecem. “O tempo de cozinhar é um momento de relaxar e se concentrar no que está fazendo. É tirar um momento para você”, conta Iracema. Além de ser saudável para a mente, largar o miojo é bom para a saúde, porque os sachês de macarrão instantâneo contêm altas quantidades de sódio. Já imaginou impressionar os pais quando eles vierem visitar o apartamento? Imagine a cara deles quando sentirem aquele perfume de comida fresca sendo preparada? Agora não tem mais desculpa, o jeito é colocar a barriga no fogão.


O

bter o reconhecimento do mercado, receber um bom salário, ganhar a confiança do chefe e conquistar uma grande promoção. Essas são as principais aspirações de qualquer profissional no mercado de trabalho, seja ele um novato ou um veterano no quesito carreira. Boa parte dessas conquistas está relacionada ao ambiente de trabalho e às posições tomadas pelas empresas frente a seus funcionários. Mas, ao contrário do que muitos pensam, o papel das melhores empresas não se limita a garantir o bom salário do empregado e conceder as merecidas férias de fim de ano. Essa gama de atribuições e os seus respectivos cumprimentos são pontos importantes na hora de definir em qual empresa deve-se buscar uma vaga.

52

Você já ouviu falar em FGTS ou INSS? Essas são siglas de algumas das muitas obrigações que as empresas são responsáveis por coordenar. Além das famosas férias remuneradas, com trinta dias de descanso concedidos a cada ciclo de um ano de trabalho do empregado, toda empresa deve cumprir as principais recomendações previstas na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), tais como o desconto de 8% do salário bruto para o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), um depósito que ampara o trabalhador no caso de desligamento da empresa sem justa causa, e o desconto para o INSS, que varia de 7% a 11% do salário de acordo com a faixa salarial, valor a ser considerado para a futura aposentadoria do trabalhador.


Quem está à procura do emprego deve fica atento se a empresa fornece outros benefícios, tais como vale-transporte, vale-refeição, seguro de vida e assistência médica, que pode se estender aos filhos e cônjuge. Existe ainda a famosa PLR (Participação dos Lucros e Resultados), na qual cada funcionário tem direito a receber uma parcela dos lucros obtidos pela empresa como compensação do seu trabalho e esforço para atingir as metas. Vale lembrar que muitas dessas responsabilidades não contribuem para diferenciar as empresas medianas das melhores corporações. Existem empresas que vão além da sua responsabilidade e, investindo em melhores estruturas e benefícios, buscam um melhor desempenho

de seus funcionários durante o expediente. Podemos citar como exemplo desses investimentos: livre utilização de clubes, grêmios recreativos, academias e espaços para eventos, todos custeados pela empresa e com uma participação financeira simbólica do funcionário. Há também o acordo de planos odontológicos por valores irrisórios, a promoção de campeonatos desportivos entre os setores da empresa e até convênio com outras empresas que possibilitam ao funcionário adquirir produtos de uma corporação parceira por um menor preço. Tudo isso conta pontos positivos para a empresa melhorar sua imagem de mercado.

53


Para muitas pessoas o estágio é o primeiro contato da carreira com o mundo corporativo. Tudo é muito novo, o ritmo está longe de ser aquele das provas semestrais da faculdade e a responsabilidade aumenta progressivamente ao passo que o estagiário vai desenvolvendo seu trabalho. Mas o candidato a estagiário deve ficar atento também para qual empresa ele busca uma vaga, de modo a escolher uma boa oportunidade. Em muitos ambientes de trabalho, o estagiário é apenas mais um funcionário dentre os outros, se destacando apenas por ser mais lucrativo para a empresa. Já que não usufrui do pagamento dos direitos trabalhistas e ganha um salário inferior para muitas vezes desempenhar as mesmas funções que os demais. Mas existem empresas que enxergam no estagiário um importante colaborador do futuro, e depositam nele uma série de investimentos para aprimorar os conhecimentos adquiridos em sua formação, além de cumprirem rigorosamente as leis de estágio. Em entrevista, o técnico eletrônico Gabriel Silva, que estagiou em uma transnacional do ramo de energia em São Paulo durante nove meses, conta que sua rotina de trabalho era bem densa, mas seus superiores sempre respeitavam seus horários e limitações. “Eu trabalhava das 8 da manhã às 3 da tarde, com uma hora para almoço. Todo dia eu sempre aprendia coisas novas com relação aos processos e métodos de atividade da empresa. Às vezes o trabalho era mais puxado, era correria o dia todo, mas todas as vezes que precisava sair mais cedo porque tinha prova, não encontrava grandes problemas para ser dispensado”. Gabriel ainda conta que no pequeno período que ficou estagiando, suas responsabilidades cresceram exponencialmente e sua participação nos assuntos da fábrica era cada dia mais incentivada. “Amadureci muito naquele ambiente. Meu chefe me incentivava a participar das reuniões de planejamento, fazia perguntas e procurava estar acompanhando sempre de perto a minha evolução nas atividades. Nos meses finais, cheguei a ficar responsável por apresentar o setor em que trabalhava para os novos funcionários da fábrica”. Seja no estágio ou no próprio trabalho, a melhor empresa para se trabalhar é aquela em que o funcionário se sente motivado e desafiado a crescer na carreira, enxergando oportunidades novas a todo o momento, e aquela que permite ao empregado conciliar o ritmo intenso do mercado de trabalho com o bem estar e a descontração.

54


Um exemplo de projeto estrutural famoso pelos seus bons resultados é o da empresa Google em Zurique, na Suíça, eleita a melhor empresa do setor de Tecnologia da Informação e Telecomunicações para se trabalhar em 2010. Lá, os funcionários utilizam um escorregador para descer ao andar da cafeteria e desfrutar de generosos e saborosos pratos típicos do local, queimam as calorias adquiridas pelas refeições no ginásio esportivo, têm direito a sessões de massagens por um preço muito menor do que o convencional, e livram-se do stress do dia-a-dia em uma das várias salas de jogos, que possuem comida e bebida gratuitas e o acesso ocorre por um cano onde os funcionários escorregam. Tudo isso vem acompanhado da liberdade de horário que os empregados possuem para trabalhar. Cada funcionário tem a autonomia de fazer seu horário de expediente, desde que cumpra os prazos dos clientes. Existem ainda diversos espaços para relaxamento, e uma biblioteca com muitos exemplares e uma lareira virtual.

1 – Google 2 – Caterpillar 3 – Kimberly – Clark 4 – Laboratório Sabin 5 – Gazin

6 – Magazine Luiza 7 – SAS 8 – Ticket 9 – Jw Marriot Rio de Janeiro 10 – Accor


58


Para as meninas, a boa notícia é que se pode aproveitar muito do closet de inverno! O brilho ainda continua com força total. Peças metalizadas e trabalhadas no paetê, assim como as estamparias, principalmente, as geométricas e o xadrez, serão tendência. Ainda veremos muita pele com as transparências, croppeds e o comprimento mini. O verão está super charmoso com os tons pastel e bem colorido com o neon em pauta. Para os meninos, o sportwear continua forte. Alguns podem torcer o nariz, mas os tons suaves virão com tudo! Verde menta, rosa e amarelo claro são grandes apostas. A alfaiataria também é tendência.

Que tal ver isto na prática? Duas blogueiras de Curitiba mostram suas apostas. Confiram os looks de Manoella Taques e Yannih Tsushima.

59


-O centenário do Titanic é comemorado com uma edição em 3D – destaque para o peitinho de Rose (Kate Winslet). -Fátima Bernardes é substituída por Patrícia Poeta no Jornal Nacional. -Mulheres Ricas vira febre nacional e o ‘hello’ está em todo lugar. -Messi ganha a Bola de Ouro da Fifa e Neymar fica com o prêmio por gol mais bonito.

-Wando morre aos 66 anos. Leva com ele todas as calcinhas nacionais. -Bruno Senna ganha chance de correr na fórmula 1. -Whitney Houston é encontrada morta aos 48 anos e todos cantam enlouquecidamente “I will Always love you”. -“O artista” vence o Oscar como melhor filme, mas quem ganhou a cena foi o cãozinho da produção.

64

- Rafinha chora no programa “De frente com Gabi”. Rafinha foi processado por fazer uma piada com o filho de Wanessa Camargo, ainda em gestação. -“Para nossa alegria” é o hit da web com dezenas de paródias.

-O Facebook adquire o Instagram, aplicativo para smartphones que funciona como uma rede social de imagens. O valor não foi divulgado por Zuckerberg, mas, em comunicado oficial, a companhia informou que desembolsou US$ 1 bilhão (aproximadamente R$ 1,81 bilhão) na operação. Aliás, no mesmo mês, Sonia Abrão, 53 anos, postou uma foto de maiô no Instagram.


-Xuxa abre o coração e diz ter sido estuprada. -Fotos de Carolina Dieckmann inundam a internet. A atriz disse ter sido roubada e o Google tirou os links das imagens da busca. -Começa a maior greve das Universidades e Institutos Federais do País. Polícia Federal e Correios são outras categorias que aderem greves.

-O Senado paraguaio aprovou o impeachment do presidente do país, Fernando Lugo. -O Rio +20 ficou no discurso sem soluções práticas.

65


-As Olímpiadas começam no fim do mês e o evento reúne milhares de voluntários. No Brasil, o voluntariado para Copa 2014 obteve mais de 130 mil inscritos. Inscrições para Olímpiadas 2016 devem começar dois anos antes da competição no Rio de Janeiro.

-Começa o julgamento do Mensalão, maior escândalo de corrupção. Desta vez, os juízes condenam mesmo os envolvidos no esquema.

-O Iphone 5 é lançado – sem muitas novid des – mas ainda cria fila enormes nas loja da fabricante Apple. -Neva na Serra Catarinense em pleno iníc da Primavera -Gangnam Style, do coreano PSY, vira h Latino consegue quebrar o barato geral c uma versão brasileira da música. -Hebe Camargo morre aos 83 anos em ca A apresentadora lutava contra um cânce sofreu uma parada cardíaca.

- Carminha matou Max - Gustavo Fruet é eleito o novo prefeito de Curitiba - Ocorre o evento de premiação das marcas TOP of MIND Universitário.


daas

cio

hit e com

asa. er e

- VocĂŞ recebeu essa revista - Forum de Marcas e Ideias no campus botanico da UFPR.

- FIM DO MUNDO.

67


Já imaginou servir um Spaguetti ao Crudo para namorado (a) ou uma visita que queria impressionar? É o nome é difícil e bonito, mas não se engane. A preparação é tão mel na chupeta, que não tem chance de errar. Confira as dicas do chef Beto Madolosso para conquistar alguém pela boca do jeito mais rápido e eficiente. por Beto Madalosso


Ingredientes: -manjeric達o -tomate -azeite de oliva -queijo ralado -Spaguetti

Modo de preparo: Corte em cubinhos pequenos o tomate. Frite-o no azeite de oliva bem quente. O cozimento do Spaguetti deve ser em torno de 15 minutos. O ponto 辿 sempre al dente. Quando a massa estiver pronta. Coloque o macarr達o no molho. Sirva com pequenas folhas de manjeric達o e queijo ralado.


Revista TOP 2012  

Revista TOP 2012 - Projeto Top of Mind Universitário

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you