Issuu on Google+

Idade MĂŠdia


Idade Média: período de transição e de transformações A Idade Média compreende o milênio entre os séculos V e XV, aproximadamente, desde a queda do Império Romano até o Renascimento. Teodora e sua corte - Mosaico, séc. VI d.C. San Vitale, Ravena http://www.starnews2001.com.br/bizantino/teodora.jpg

Justiniano e sua corte - Mosaico, séc. VI d.C. - San. Vital e, Ravena http://www.starnews2001.com.br/bizantino/justinian.jpg ,

Considerada pelos renascentistas como período obscuro e decadente – Período das Trevas - só em meados do século XIX a Idade Média passou a ser entendida como uma etapa necessária e importante da história da civilização ocidental, quando a Europa passou por lentas mudanças econômicas e políticas que, na verdade, prepararam o caminho para a modernidade.


Época essencialmente masculina e da grande renúncia ao corpo. “A religião fornecia molduras onde os indivíduos se encaixavam” Aoron Gourevitch, 2002

A sociedade medieval, dominada pelo clero e pela nobreza, fundamentou-se no Teocentrismo (Deus como centro de todas as coisas) por isso, a Igreja exerceu forte influência no comportamento das pessoas - tanto no campo moral como nos relacionamentos interpessoais,assim como na vida familiar e na forma de pensar e de se vestir. Uma das demandas da Idade Media foi a subjugação do corpo pela religião, interessada em redimí-lo para que a alma, contida nele, pudesse encontrar a redenção. A mulher se encontrava em plena desvantagem em relação ao homem, por ser vista mais como mercadoria agregada aos bens de seu senhor. A Idade Média é essencialmente masculina.

Madona de Cimabue http://www.temperaworkshop.com/artists/madonna-3.jpg

Somente a vida nos conventos oferecia à mulher da época um lugar de importância e proteção. Poucas foram as mulheres que se destacaram nessa época.


O clero era detentor do saber e da cultura

Iluminura do séc. XV - cena de aula na Universidade http://www.ricardocosta.com/pub/images/advogados_arquivos/imag3.JPG

Na Idade Média, grande parte das pessoas não sabia ler nem escrever, mesmo as que pertenciam à nobreza, sendo que o clero era o detentor do saber e da cultura. Os responsáveis pelas escolas eram os monges e os padres. Durante o século XIII, as cidades voltaram a ser importantes na Europa, fato que estimulou a vida intelectual. Por esse motivo, esse foi também o século do triunfo de uma nova instituição - a Universidade.

Modelo de escola medieval http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/opombo/hfe/momentos/modelos/images/index2.jpg


Arte serva da Igreja “O corpo é a abominável vestimenta da alma" Papa Gregório I- 540 d.C. a 604 d.C.

Como o foco da Arte Medieval era a salvação e a vida eterna, isso incentivou o desinteresse pela representação realista do mundo e das pessoas. O simbolismo tornou-se a marca da Arte. O nu ficou proibido e os ideais de beleza, as proporções harmoniosas greco-romanas e o equilíbrio entre o corpo e a mente desapareceram. Os artistas medievais, geralmente, anônimos, tinham o interesse voltado para a alma e a religião e estavam dispostos a difundir os dogmas divinos através da arte.

O Grande Arquiteto http://www.umbraum.com/constrarq.1.gif

A arte tornou-se serva da igreja: os mosaicos, os vitrais e afrescos retratavam a vida dos santos e de Jesus, didaticamente dispostos em “quadrinhos”, uma forma de ensinar as histórias sagradas aos fiéis analfabetos.


Características principais da Arte As características principais da pintura medieval foram: uso da frontalidade e bidimensionalidade (duas dimensões) nas figuras humanas, cores chapadas e composição simétrica sem uso da perspectiva. Para o fundo dos quadros usava-se o dourado ou texturas de adorno. iluminura do Cristo Entronizado – artista anônimo

A perspectiva era apenas sugerida através da justaposição de imagens em tamanhos diferentes, dessa forma, a de maior importância ocupava o centro e o lugar de destaque. Somente a partir de Giotto, no século XIII (trecento) os primeiros indícios de uso da perspectiva serão encontrados, assim como a aplicação de certo realismo nas figuras e abolição da frontalidade.

Adoração - Giotto http://www.christusrex.org/www1/francis/ABI-adorazione-l.jpg


Vitrais – luz e cor no cenário da oração “(...) a Arte deve fazer pelo analfabeto o a escrita faz por quem sabe ler!”

que

Papa Gregório I (540 d.C. — 604 d.C.)

Foi no período Gótico, na Europa (séc. XII e XV), que o vitral teve a sua maior expressão. Alguns historiadores afirmam que esta técnica já era conhecida no Oriente Médio, séculos antes. As enormes aberturas das janelas das igrejas góticas permitiram que fossem usados inúmeros vidros coloridos, unidos com fios de chumbo, de forma a filtrar luz natural para o interior das Rosácea e vitrais da Catedral de Chartres catedrais. http://1.bp.blogspot.com/_-7PMImBoyLQ/Rhfc4U8uZFI/AAAAAAAAAD4/EUDEGeOv9BI/s400/chartres_vitral.jpg


Arquitetura com novo conceito estrutural A arquitetura medieval gótica se alonga, verticalmente, em direção ao céu, iluminada pela luz colorida dos vitrais, que torna a atmosfera do ambiente propenso à oração e à espiritualidade. Novos conceitos estruturais surgem, impulsionados pelas novas plantas e alturas das igrejas, projetadas pelos seus arquitetos.

Igreja de Notre Dame de Paris – séc XII http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:NotreDameDeParis.jpg

As esculturas, quase sempre representando personagens bíblicas e figuras de santos, perderam nessa época sua importância particular, para servir de adorno às catedrais, sendo amalgamadas às estruturas destas.


Musica monódica e religiosa “Poucas vezes o Homem teve a sua existência tão marcada pela espiritualidade quanto na Idade Média, e poucas vezes foi tão feliz ao tentar imprimir na arte os sinais do invisível”

A música na Idade Média, produzida por quase mil anos, foi ,predominantemente, religiosa, monódica (a uma voz) e anônima. http://www.spectrumgothic.com.br/images/musi ca/medieval01.jpg

A notação musical até o ano 1000 permanecia alfabética e neumática, sendo os neumas, sinais escritos ,horizontalmente, acima do texto religioso, para indicar de forma vaga o movimento ascendente ou descendente das melodias . Somente no século XI o monge beneditino Guido d‘Arezzo (990-1050), consegue sistematizar a notação musical, através de notas musicais distribuídas em um pentagrama - permitindo a elaboração de partituras , assim como impulsionar o surgimento da polifonia. No século XIII (já prérenascimento) as músicas passam a ter autoria.

http://4.bp.blogspot.com/_0vVKT_iqTC8/SG2KQCU85uI/A AAAAAAADFo/aoZJ9long2g/s400/musicamedievalC.jpg


Teatro e dança Como as demais Artes, a dança também teve papel importante na Idade Média para a Igreja; ainda hoje se nota traços dançantes em sua liturgia. Dança de roda séc XV http://www.attambur.com/Imagens/Estremadura/Dancas/Roda2DancaDeRoda.jpg

As danças populares foram combatidas pela Igreja devido ao seu conteúdo pagão, ficando desta forma o teatro, a dança e os artistas, marginalizados. Com o passar do tempo, os atores e dançarinos que faziam espetáculos nas feiras, começaram a ser imitados pelos nobres, transformando danças populares em danças da corte. Essas artes não tinham caráter profissional, sendo vistas apenas como atividades recreativas.

Dança e música XIV século http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/2/20/40svaghi,suono_e_ballo,Taccuino_Sanitatis,_Casanatense_4182.jpg



Arte na Idade Média