Issuu on Google+

Publicação da Fraternidade de Aliança- Toca de Assis- Janeiro de 2012

Revista

TOCART

de

ATUALIDADE

POLUIÇÃO SONORA: FALTA DE RESPEITO COM O PRÓXIMO!

AssiS

ARQUITETURA, VITRAIS, PINTURA: É DEUS QUEM INSPIRA OS CORAÇÕES DOS ARTISTAS Pág.12

Pág.11

Foto: Dreamstime.com

SAIBA COMO DEVEMOS REAGIR DIANTE DO CLIMA GENERALIZADO SOBRE O FIM DOS TEMPOS Págs. 8 e 9


Editorial

Índice Formação

.............................4 Aconteceu!

5................................ Toca em Retalhos ...............................7 Toca e Qualidade de Vida 10...............................

Amada família TOCA DE ASSIS, Paz e bem! Mês de janeiro, Ano Novo. Queremos começar este novo ano nos entregando a Nossa Senhora na invocação do título que ela muito gosta de ser chamada: Mãe de Deus! Recordamos que dias atrás comemoramos o Natal de Jesus e dia primeiro de janeiro temos a solenidade da Mãe de Deus. Natal de Jesus e da Mãe de Deus. Imaginemos Nossa Senhora embalando em seus abraços o Neném Jesus... Oh que cena! Quanta ternura, bondade, amor... O céu desceu e habitou entre nós e está nos braços da Virgem Maria! Possamos nós, neste novo ano, entregarmos a Nossa senhora tudo que temos e somos – sonhos, projetos, metas, lutas... Tudo para a glória do céu que está em seus braços. É nesse colo maternal da grande Mãe de Deus que queremos, a cada dia deste novo ano, aprender a conhecer, amar e servir está Glória do Céu que é o próprio Jesus. Jesus Neném, pequeno e frágil. Jesus Sacramentado, pequeno e frágil. Deus veio. Deus vem a nós. Acolhamos o Verbo da Vida. Acolhamos o Alimento de Vida eterna. Tal Verdade nos pede amor... Santo mês de janeiro, santo ano novo a todos!!! Nossa senhora, MÃE DE DEUS – Rogai por nós!

Toca na Atualidade ................................11

Expediente

TocArt 12........................... Toca Kids .............................14 Toca Loja 15........................

Fraternidade de Aliança Toca de Assis CNPJ: 02019254 /0001-87 www.tocadeassis.org.br

SAV- Serviço de Animação Vocacional Masculino- vocacionalmasc@tocadeassis.org.br Feminino- vocacionalfem@tocadeassis.org.br

Coordenação de Comunicação: Ir. Xavier Maria da Eterna Sabedoria Editor chefe: Ir. Tarcísio de Jesus Hóstia de Amor Jornalistas: Gabriela Saldanha e Janaína do Amaral Projeto gráfico: Gabriela Saldanha e Janaína do Amaral Diagramação: Gabriela Saldanha e Janaína do Amaral Marketing: Andressa Von Ah Revisão ortográfica: Luciana Marcolino Impressão e tiragem: 10.000

Revista Toca de Assis Publicação mensal da Fraternidade Toca de Assis Presidente: Ir. Gabriel do Verbo de Deus Vice: Ir. Maria dos Anjos do Mistério da Cruz

Colaboradores nesta edição: Dom Eurico Veloso; Pe. Rogério; Irmão Josafá (Cosme Velho-RJ); Pe. Demétrio Gomes (Niterói-RJ); Márcia M. Pala de Lima; Dom Aluíso Oppermann; IrmãoTarcísio (Ministro)e Jânio Garcia.

Central São José Rua Amador Bueno, 30, Vila Industrial Campinas- SP. CEP: 13035-030 benfeitoria@tocadeassis.or.br


Foto: Reprodução

Toca para a Igreja

Novo ano, vida

nova!

Há muitas maneiras de celebrar o ano novo. Em alguns países, lançam-se foguetes e bombas em volta da casa para afugentar os maus espíritos e, dentro dela, prepara-se um grande banquete. É realmente grande porque há mais comida do que aquela que podem comer os moradores da casa e seus familiares e convidados. Sua abundância deseja ser sinal da fartura que o ano novo trará. Nós, católicos, também desejamos iniciar a ano repleto de bênçãos. Daí a festa. “Ano novo, vida nova”, é como costumamos dizer. Mas, precisamos pensar: como será a nossa vida ao longo deste ano? O dia primeiro de janeiro é dia de

vontade. Quem se compromete com Ele se torna promotor da paz e construtor de uma sociedade nova, de irmãos e de irmãs. O grande e saudoso Servo de Deus João Paulo II, falando à juventude do Equador, em 1985, afirmou que “se sonhamos com um amanhã diferente, precisamos derrubar as coisas que nos prejudicam de construir o novo.” Que estas palavras sejam um alerta, não somente para os jovens, mas para todos os homens e mulheres de bem, em todo o mundo, porque acreditamos que todos nós queremos construir um mundo melhor para todos, num grande esforço em conjunto, para que a paz e a justiça se estabeleçam no Brasil e no mundo. Só assim poderemos dizer realmente, com todas as letras: “ano novo, vida nova". Ano novo e vida sempre nova em Jesus Cristo que está sempre no meio de nós e que ilumina a nossa caminhada para uma vida reta e santa, conforme o projeto de Deus!

festa e de transmitir votos de paz e de esperança. Como fazer com que isso não seja um simples e tímido desejo? Sempre constatamos que o resto do ano são guerras, ódio, violência, exploração e mortes, sem se esquecer das disputas de poder, inveja, calúnia e difamação pelo mero prazer de ver o irmão na berlinda. Há mais de um bilhão e quinhentos milhões de pobres no mundo. A data é comemorada também como o Dia Mundial da Paz. Em nosso país, são muitas as expectativas no campo social, político, econômico etc. Deus quer que nosso país seja repleto de sua bênção, nação plenamente fraterna e justa, pois esse é o projeto divino. Ele sempre se mostrou solidário com os anseios do seu povo, coroando de êxito suas lutas. Mas é, em Jesus Cristo, que essa solidariedade tomou forma definitiva. E é por meio d'Ele, nascido de Maria, que podemos ter a certeza de que o futuro será melhor. Entretanto, não bastam votos e boas intenções. A proposta de Jesus é exigente e envolve todas as pessoas de boa

Dom Eurico dos Santos Veloso

Arcebispo Emérito de Juiz de Fora-MG

Mãe da Igreja Terço da Divina Providência Inicia-se: Em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo. Reza-se o Credo;

Final: Vinde Maria, chegou o momento, valei-nos agora e em todo tormento. Mãe da providência prestai-me auxílio nos sofrimentos da terra e do exílio, mostrai-nos que sois Mãe de amor e de bondade agora que é grande a necessidade. Amém! Janeiro/ 2012

Foto: Reprodução

Contas grandes: Nossa Senhora Mãe da Divina Providência,Providenciai. Contas pequenas: Deus provê Deus proverá, Sua misericórdia não faltará.

Em 02 de Janeiro a Igreja celebra o dia de Nossa Senhora Mãe da Divina Providência! 3


Foto: commons.wikimedia.org

Formação Concílios da Igreja Una e Santa Um concílio é uma reunião de todos os bispos cristãos para discutir os rumos da Igreja Cristã quanto sua doutrina e disciplina. Tais encontros eram convocados no primeiro milênio por iniciativa do Imperador vigente que via na unidade da fé um pressuposto para a unidade do Império. Geralmente foram celebrados no Oriente, com escassa participação ocidental. A presença dos legados papais garantia a ecumenicidade do Concílio, como também a autoridade do mesmo dependia da ratificação de Roma. A assinatura do Imperador tornava as decisões conciliares obrigatórias no Império. Saiba quais foram as decisões tomadas nos Concílios da Igreja no primeiro milênio: 1)Nicéia (325 d.C.): Condenou Ario e formulou o Credo niceno. Definiu que o Verbo, Jesus, é Deus verdadeiro, gerado de Deus verdadeiro, e tem a mesma substância do Pai; 2)Constantinopolitano I (381 d.C.): Reafirmou o Credo niceno e condenou Apolinário. Proclamou que o Espírito Santo procede do Pai e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado; 3)Éfeso (431 d.C.): Condenou Nestório e aprovou as Cartas de Cirilo. Maria é Mãe de Deus (Theotokos); 4)Calcedônia (451 d.C.): Condenou Êutiques e formulou uma profissão de fé cristológica: Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem, tem uma só pessoa (divina) em duas naturezas (divina e humana), sem divisão nem sepa4

ração. Da não aceitação das decisões conciliares surgiram as Igrejas “monofisitas”. Elas afirmam que em Jesus há uma única natureza; 5)Constantinopolitano II (553 d.C.): Condenou os “Três Capítulos” (escritos filo-nestorianos) e rejeitou o origenismo. Sublinhou a unidade da Pessoa do Verbo encarnado; 6)Constantinopolitano III (680681 d.C.): Condenou o monotelismo, reafirmando as duas naturezas da única Pessoa de Cristo, para afirmar a existência, Nele, de suas vontades (divina e humana); 7)Nicéia II (787 d.C.): Condenou o iconoclasmo (proibição do culto às imagens), justificando o culto das imagens (ícone), naturalmente culto de honra e não de adoração. Foi um grande problema na vida da Igreja oriental;

8)Constantinopolitano IV (869870 d.C.): Condenou Fócio, patriarca de Constantinopla. Decisão não aceita pelos ortodoxos, pois viram nessa atitude de Roma uma intromissão ilegítima na vida de outro Patriarcado. Os sete primeiros Concílios ecumênicos detêm uma autoridade própria por representarem a vida da Igreja una e indivisa do primeiro milênio. Falarei dos seguintes Concílios, ou seja, os do segundo milênio (medievais e da era moderna) na próxima edição. Fiquem com Deus. Paz e Bem! Pe. Rogério Cofundador da Toca de Assis, Assessor Eclesiástico Janeiro/ 2012


Aconteceu! Queridos leitores, no final do ano passado a casa de Missão da Toca de Recife teve a grande alegria de conhecer o trabalho da Obra de Maria. Trocaram experiências falando do serviço prestado à população em situação de rua e receberam um grande presente: uma cortesia para o Circo Alegrai-vos, que é um Circo Católico administrado pela Obra de Maria de Recife. Todos da Missão foram muito bem recebidos! Eles viveram momentos de muita alegria e descontração junto dos nossos “irmãos de rua”! Em nome de toda a Toca, agradecemos a Obra de Maria que nos proporcionou este dia de verdadeira convivência fraternidade para os nossos irmãos.

Liturgia Mitos litúrgicos *Mito 1: “A Presença de Jesus na Palavra é tão completa como na Eucaristia” Não é. Afirmar que a presença de Nosso Senhor na Palavra é tão completa como na Hóstia consagrada significa uma dessas duas coisas: afirmar que Nosso Senhor se transubstancia na Palavra (aí fazemos o que, comemos a Bíblia e o Lecionário?), ou negar a Presença Substancial de Nosso Senhor na Hóstia Consagrada, o que atenta conta o Mistério central da fé católica, pois a Eucaristia é “fonte e ápice da vida cristã” (Lumen Gentium, n.11); *Mito 2: “A Eucaristia é para ser comida e não para ser adorada” É para ser adorada, sim! De facto, na Eucaristia, o Filho de Deus vem ao nosso encontro e deseja unir-Se conosco; a adoração eucarística é apenas o prolongamento visível da celebração eucarística, a qual, em si mesma, é o maior ato de adoração da Igreja: receber a Eucaristia significa colocar-se em atitude de adoração d’Aquele que comungamos.Dizer que a Eucaristia não é para ser adorada implica em negar a que a Hóstia Consagrada é o Corpo de Nosso Senhor, ou pensar que Deus não é digno de adoração… *Mito 3: “Na consagração deve-se estar em pé” Na Consagração os fiéis devem estar de joelhos, em sinal de adoração. Quanto a isso a lei da Santa Igreja é clara em afirmar na Instrução Geral no Missal Romano (n. 43), que determina que os fiéis estejam “de joelhos durante a consagração, exceto se razões de saúde, a estreiteza do lugar, o grande número dos presentes ou outros motivos razoáveis a isso obstarem. Aqueles, porém, que não estão de joelhos durante a consagração, fazem uma inclinação profunda enquanto o sacerdote genuflecte após a consagração.”

Janeiro/ 2012

Fonte: www.prebiteros.com.br 5


Oração

Pelos Sacerdotes

Coração da Toca

“Eu encontrei um Amor perfeito...”

(Oração indulgenciada por S. Pio X em 03/03/1905) Ó Jesus, Pontífice Eterno, Divino Sacrificador, Vós que, no Vosso incomparável amor, deixastes sair do Vosso Sagrado Coração o sacerdócio cristão, dignai-Vos derramar, nos Vossos sacerdotes, as ondas vivificantes do Amor infinito. Vivei neles, transformai-os em Vós, tornai-os, pela Vossa graça, instrumentos de Vossas Misericórdias. Atuai neles e por eles, e fazei que, revestidos inteiramente de Vós pela fiel imitação de Vossas adoráveis virtudes, operem, em Vosso nome e pela força de Vosso espírito, as obras que Vós mesmo realizastes para a salvação do mundo. Divino Redentor das almas, vede como é grande a multidão dos que dormem ainda nas trevas do erro; contai o número dessas ovelhas infiéis que ladeiam os precipícios; considerai a multidão dos pobres, dos famintos, dos ignorantes e dos fracos que gemem ao abandono. Voltai para nós por intermédio dos Vossos sacerdotes. Revivei neles; atuai por eles, e passai de novo através do mundo, ensinando, perdoando, consolando, sacrificando, e reatando os laços sagrados do amor entre o Coração de Deus e o coração humano. Amém. Do livro «O Sagrado Coração e o Sacerdócio», de Madre Luísa 6 Margarida Claret de La Touche.

Testemunho do Irmão Josafá

Sou natural do interior de São Paulo. De uma cidade pequena chamada Guarani D’Oeste. Sou de uma família simples de trabalhadores braçais (roça). Fui criado em um ambiente católico. Desde pequeno, minha mãe me levava às Missas. Sempre estava presente na igreja: participava do coral, da catequese... Era amigo do padre e o admirava. Quando eu tinha doze anos, houve uma reforma na igreja, e o pároco, entendia de pintura, chamou-me para ajudá-lo no serviço. Lembro-me que ele fez uma ornamentação em volta do sacrário, que ainda hoje é embutido na parede, pediu-me para que desse alguns retoques. Estava com o pincel na mão, quando comecei a ouvir uma voz que dizia: “Vem trabalhar para mim.” Aquela voz me inquietou e contei para o padre o que acontecera. Mais tarde, comecei a fazer acompanhamento vocacional, mas desisti. Afastei-me da Igreja. Andei por caminhos opostos à vontade de Deus, mas sempre O sentia nos momentos de perigo. Ele sempre intervia, livrando-me do mal. Mudei para Santa Barbara D’Oeste, onde fui morar com minha irmã, e, ali, conheci a RCC (Renovação Carismática Católica) e comecei a freqüentar os grupos de oração. Deus colocou muitos amigos em minha vida. Amigos que me apoiaram e me ajudaram. E o chamado tornou a arder em meu peito. Procurei varias ordens religiosas, institutos de vida consagrada, mas nenhum me preenchia. Até que meus amigos me falaram da Toca de Assis, um modo franciscano de viver. Senti-me atraído sem conhecê-la. A primeira casa que eu conheci foi a Casa Mãe em Campinas, onde apresentaram a capela na qual o Santíssimo estava exposto. Caí no choro e a mesma voz falou em meu coração dizendo: “Agora você me encontrou.” E, pela graça de Jesus Eucarístico, estou aqui, há oito anos que estou no Instituto, trabalhando para Aquele que me chamou e cuidando daqueles que não tem ninguém. Ir. Josafá Maria de Jesus Eucarístico fpss 6

Janeiro/ 2012


a c To em Retalhos Uma vida de lutas e superações

Testemunho de Maurício Costa

Meu nome é Mauricio Meireles da Costa, nasci na cidade de Boa Esperança - RJ, no dia 19, onde vivi até a minha adolescência e aprendi os ofícios de mecânico e motorista com um mecânico que era meu amigo. Mudando para o Rio de Janeiro, exerci a profissão e também trabalhei em obras da construção civil como pedreiro. Não me casei, mas tive duas filhas (a Neide e a Nerilda) que há muito tempo não as vejo (desde quando me decidi separar da mulher com a qual morava). Bebia muito, fiquei desempregado e fui morar na rua onde me sustentava com aquilo que me davam.Cheguei a dormir no meio do mato, debaixo de árvores e marquises, em meio a “malandros”, mas nunca agredido. Recordo-me de quando vinham me trazer alimentos durante a noite. Fui recolhido das ruas pela assistência social do Rio de Janeiro e encaminhado para a Toca de Assis lá em Madureira. Até então, era algo desconhecido para mim. Hoje, com 85 anos, ainda moro no Rio de Janeiro, na casa do Cosme Velho. Sou feliz por tudo que o bom Deus me concedeu. Sou grato por todos aqueles que estão perto de mim. Tanto os Irmãos e as Irmãs como os leigos que, com muito carinho, se tornaram a minha família. E minha alegria é poder participar das Missas e saber que posso me encontrar com o bom Deus que me ama e sempre me amará.

PTOCA EM AÇÃO

Foi com imenso júbilo que, no dia 02 de abril de 2011, nasceu o mais recente filho da Fraternidade Toca de Assis na cidade do Rio de Janeiro: a Missão Santo Antônio. Situada aos pés do Cristo Redentor, no bairro Cosme Velho, na Ladeira do Ascurra, nº. 186. A Celebração Eucarística foi presidida por nosso estimado Dom Antônio Augusto e cocelebrada por Padre Henrique Diegues (Pároco da Igreja São Judas Tadeu). A Celebração iniciou-se com a entronização do Santíssimo Sacramento e a adoração perpétua a Jesus Sacramentado. Assim, a cidade do Rio Janeiro atraiu ainda mais corações adoradores em torno do “Nosso Único bem Indispensável, Jesus Sacramentado”. Foi um dia que ficará pra sempre marcado em nossos corações. Com o andar dos fatos percebeJaneiro/ 2012

“Calem-se as palavras, e falem as obras” Santo Antônio de Pádua

mos que muito mais que um presente, essa missão se tornava, dentro de nossos corações, expressão concreta do carinho de Deus ao povo carioca. A adoração ao Santíssimo Sacramento (fonte peculiar dessa obra e ardor que nos move ao encontro dos mais pobres) acontece todos os dias e também é aberta aos fiéis, para que, juntos, possamos somar forças e tornar Jesus Sacramentado mais conhecido e amado e contamos, ainda, com a imensa satisfação de poder acolher 35 irmãos. Estamos mais que realizados: estamos surpreendidos com esse novo de Deus em nossa história. Estendemos, aqui, nossa mão para contar com vossa ajuda, para que possamos estruturar, segundo o coração de Deus, essa grande manifestação de seu amor a cada um de nós. Queremos, sobretudo, convidá-

-lo prezado leitor, a participar conosco das Celebrações Eucarísticas que acontecem todos os domingos às 10:30. Permita-se ser contagiado pelo Seu Amor, que tem transbordado em nossas vidas, e, principalmente, nessa nova missão. Agradecemos de coração a todos que já se fazem um conosco. E, aos demais, contamos com a sua visita. Santo Antônio de Pádua, rogai por nós! CASA SANTO ANTÔNIO Ladeira do Ascurra ,186Cosme Velho -Rio de Janeiro -RJ,CEP: 22.241-320 FONE: (21)2137-7912 E-mail: rjcosmevelho@ irmaos.tocadeassis.org.br Conta Bancária : Bradesco Ag 0468-5 CC: 0197498-0 7


Reportagem especial

2012 e o fim do mundo: Qual deve ser nossa atitude ?

Iniciamos o ano de 2012. Ano frequentemente presente nos últimos meses na grande mídia (páginas web, redes sociais, e inclusive nas telas de cinema), especialmente por conta de supostas profecias que preveriam o fim do mundo para os seus dias. A esta data se chegou através de um complexo emaranhado de conjecturas que levariam a crer que o fim dos tempos coincidiria com o fim do calendário Maia, ou seja, em dezembro deste ano. Afinal, há real motivo para nos preocuparmos? Em primeiro lugar, há que se dizer que tais supostas profecias não constituem novidades na história da humanidade. Ao longo dos séculos foram muitos

os pseudo-profetas que alardearam um fim do mundo iminente gerando grande inquietação entre os mais crédulos. Perderíamos a conta se fôssemos averiguar quantas vezes o “mundo já acabou”. Na própria época em que o Senhor estava em carne mortal em meio a nós já existiam tais conjecturas. Sua resposta? “Daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos que estão no céu, nem o Filho, senão o Pai” (Mc 13,32). Um cristão não deve preocupar-se com estas supostas previsões, pois, o mesmo Senhor, que nos revelou todo o necessário para nossa salvação e felicidade, quis preservar no mistério de Deus o dia e a hora em que este mundo teria fim. Como afirma o Catecismo (cfr. n. 65), em

Cristo o Pai nos disse tudo. Não haverá outra revelação além desta. E o grande Doutor místico espanhol, São João da Cruz, afirmava em sua “Subida ao Monte Carmelo”: «Ao dar-nos, como nos deu, o seu Filho, que é a sua Palavra - e não tem outra – [Deus] disse-nos tudo ao mesmo tempo e de uma só vez nesta Palavra única e já nada mais tem para dizer. [...] Porque o que antes disse parcialmente pelos profetas, revelou-o totalmente, dando-nos o Todo que é o seu Filho. E por isso, quem agora quisesse consultar a Deus ou pedir-Lhe alguma visão ou revelação, não só cometeria um disparate, mas faria agravo a Deus, por não pôr os olhos totalmente em Cristo e buscar fora d'Ele outra realidade ou novidade. » O Magistério da Igreja, seguindo os passos de seu Fundador, decretou em 1516, no V Concílio de Latrão: “Mandamos a todos os que estão, ou futuramente estarão, incumbidos da pregação, que de modo nenhum presumam afirmar ou apregoar determinado juízo. Com efeito, a Verdade diz: “Não toca a vós ter conhecimento


dos tempos e momentos que o Pai fixou por Sua própria autoridade”. Consta que os que até hoje ousaram afirmar tais coisas mentiram e, por causa deles, não pouco sofreu a autoridade daqueles que pregam com retidão. Ninguém ouse predizer o futuro apelando para a Sagrada Escritura, nem afirmar o que quer que seja, como se o tivesse recebido do Espírito Santo ou de revelação particular, nem ouse apoiar-se sobre conjecturas vãs ou despropositadas. Cada qual deve, segundo o preceito divino, pregar o Evangelho a toda criatura, aprender a detestar o vício, recomendar e ensinar a prática das virtudes, a paz e a caridade mútua, tão recomendada por nosso Redentor.” Sabemos, pela fé, que este mundo não é definitivo, e cremos, como rezamos frequentemente no Símbolo Apostólico, que o Senhor voltará glorioso para julgar vivos e mortos. E qual deve ser nossa atitude enquanto Ele não aparece em Sua glória? É o próprio Senhor quem nos responde: “Vigiai, pois, porque não

sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor” (Mt 24,42). Essa deve ser, portanto, a nossa atitude: a de espera. É justamente por isso que o fim do mundo jamais deverá surpreender a um fiel cristão, que não pode temer nem a vida, nem a morte. Para ele, o fim do mundo não será uma surpresa, pois ele o espera. Espera ansiosamente o encontro definitivo com o Senhor de sua vida, a alegria sem fim, fruto da contemplação face a face do Amado de nossas almas. Os primeiros cristãos, nossos pais na fé, desejavam ardentemente essa vinda do Senhor ao suplicarem: “Vem, Senhor Jesus!”(cfr. Ap 22,20). A esperança cristã, no entanto, não nos faz desentendermos das coisas desta terra. Ao contrário, pelo fato de esperarmos novos céus e nova terra, trabalhamos intensamente para estarmos preparados para este dia. Frente à consciência de que este mundo - tal qual conhecemos - não durará

“Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor”

para sempre, somos interpelados a aproveitar ao máximo cada segundo que a paciência de Deus nos concede, para nos convertermos à Sua santa vontade. Na realização livre dos planos que Deus sonhou desde sempre para cada um de nós está a nossa felicidade, e, em definitiva, é só isso que importa: querer o querer de Deus. Certa vez os amigos de um jovem santo - alguns dizem que foi São Luiz Gonzaga perguntavam entre si o que fariam se soubessem que o mundo acabaria naquele exato momento. As respostas foram muitas: um buscaria confessar-se o quanto antes, outro procuraria reconciliar-se com os seus familiares, etc. A resposta do santo? “Continuaria jogando, como estou fazendo agora”. Essa tranquilidade é consequencia de saber-se em cada momento na vontade de Deus. Quem nela está não se preocupa se o mundo terminará hoje ou amanhã, pois em cada momento está preparado, esperando ansiosamente o encontro definitivo com seu Senhor. Pe. Demétrio Gomes

Diretor do Instituto Filosófico e Teológico do Seminário Arquidiocesano São José de Niterói


Toca e Qualidade de Vida

Feliz

Ano Novo!

Foto: Sxc.hu

É HORA DE PLANEJAR!

Seja bem vindo 2012, trazendo a esperança de um novo ciclo. É hora de renovar, de florescer e de viver novamente um ano todinho. Que a chegada de 2012 represente a passagem para renovação, ampliando os olhares, os gestos e o coração, criando novas realizações, revigorando os sentimentos e assumindo novas atitudes. Não importa se você ache que a virada do ano seja apenas uma virada de calendário. O que vale é o significado da época que pode ser simbolizado pela renovação da vida, dos planos e das intenções. Use a entrada do ano para visualizar novas oportunidades trazendo para si o que a vida tem de melhor. Ou seja, refaça o compromisso consigo mesmo nas diversas áreas de sua vida (profissional, familiar, afetiva, saúde e outras que queira). Visualize o que deseja. Acredite que somos capazes de realizarmos os nossos planos em sintonia com algo maior que é o mistério da vida na terra. Uma boa ideia é colocar no papel o que desejamos realizar no ano que se inicia. Para isto, reserve um momento consigo mesmo num lugar tranquilo, ore de coração aberto e peça a Deus a iluminação e a inspiração. Pense com muito carinho em tudo que deseja alterar, mudar, criar e realizar. Depois desse momento de oração é hora de escrever e de planejar. 10

Crie a sua própria forma de escrita que pode ser por áreas, por itens... Coloque sonhos, projetos, mudanças de comportamento. Para as pessoas que têm a facilidade de imaginar estratégias de ação, façam uma coluna de novas ações que promovam a realização do que desejam. Seja feliz em 2012! Da sua maneira! Do seu jeito! E, acima de tudo, acredite no seu potencial de ser sujeito de sua própria história. O ano inicia como uma folha em branco e agora é a sua vez. Com certeza, você terá uma surpresa ao verificar que aquilo que foi planejado realmente ocorreu. Siga em paz! Feliz 2012! Márcia Maria Pala de Lima Assistente Social Janeiro/ 2012


Toca na atualidade Fotos: WP Clipart Public Domain

Sons, ruídos, alto-falantes...

Os mais provectos em anos se lembram da trajetória ruidosa do “radinho de pilha”, nos anos ‘50’. Foi uma inovação tão emocionante que, de repente, o mundo podia entrar em nossa casa, no ônibus, nos salões, sem a menor cerimônia. Até, inicialmente, não se revestia de qualquer conotação caipira, pois seu uso era geral, chegando a aparentar modernidade. Haja paciência. No ônibus tinha-se a obrigação, forçada, de ouvir a irradiação de um jogo de futebol que não nos interessava. Nas rodas de conversa, tudo ia bem até comparecer alguém com um radinho cujas pilhas estavam novas em folha. Felizmente, a civilidade ultrapassou esse tempo. Essa vaidade fútil foi abandonada. Mas curiosamente, permaneceram outros lances que se opõem a uma convivência civilizada. Ainda se esquece o que Cristo ensinou sobre a caridade. “Não faças aos outros o que não queres que te façam” (Lc 6, 31). Continuam os apitaços no trânsito, os cavalos-de-pau nas madrugadas, as festinhas até o raiar do dia, as propagandas sonoras sem critério, os automóveis com um som de potência continental... Janeiro/ 2012

O pior de tudo é o som propagado por certos clubes, boates e similares. Seus ruídos inúteis e prepotentes têm a capacidade de manter acordados bairros inteiros, e de desvalorizar todos os seus imóveis. Ainda bem que as igrejas, por um bom tempo, ficaram livres de reclamações do povo, por terem restringido o uso do som ao estritamente necessário. O que ajudou sobremaneira a diminuir os incômodos sonoros, foram as emissoras de rádio e de televisão, que avocaram a si a maior parte das propagandas e dos avisos. Neste caso, a sintonia é livre, e não há perturbação do ambiente. Os governantes mostraram interesse em debelar a poluição sonora. Fizeram leis restritivas. A truculência sonora foi desestimulada. Mas, os problemas continuam nesta área: tendo alvará, há licença oficial para incomodar meio mundo. E o que é pior: os próprios poderosos infringem as leis restritivas que são feitas e agem como se elas não existissem. Existe circunstâncias em que devemos ter boa dose de

tolerância. Uma é quando as crianças fazem os seus alaridos alegres. O barulho faz bem para elas... E também para nós. A outra é com as extravagâncias dos jovens. Aí a tolerância deve ir, pelo menos, até certo ponto. Eles expressam sua insegurança. Deixemo-los, numa atitude de compreensão, esperando seu amadurecimento.

Dom Aloísio R. Oppermann SCJ Arcebispo de Uberaba- MG

11


TocArte

Fazendo bela a história e as histórias

“A beleza da matéria é proporcional ao espírito que a penetra.” Michel Quoist

F

iquei estupefato quando me dei conta que estava diante da Pietà, esculpida por Michelangelo em 1499. Ela está na entrada da Basílica de São Pedro, e é a primeira coisa que vemos ao entrar na Igreja. Parei aí por quase meia hora olhando aquela perfeição toda nos traços, nas veias, nos rostos do Cristo morto e da Virgem que o ampara. É realmente impressionante a riqueza artística que se vê na Igreja Católica, resultado de todos esses séculos de peregrinação. São grandes escultores, pintores, arquitetos... Grandes nomes que deixaram sua contribuição à história. Homens que impressionaram e impressionam o mundo com uma beleza ímpar. Sou particularmente fã das obras de um pintor francês do século XIX chamado Willian Adolph Bouguereau. Quando vi pela primeira vez uma obra dele chamada Pietá, de 1876. Foi amor à primeira vista. A partir daí, comecei a me interessar mais por pintura e por desenho. As obras de Bouguereau são fascinantes. A luminosidade dos quadros, a delicadeza dos traços, a singeleza. Neste quadro da Pietà, a gente pode se perder por horas simplesmente contemplando a beleza dos traços do corpo de Cristo, e a profunda tristeza do olhar da Virgem Maria. Hoje, muitos artistas fazer arte sacra e dizem que arte não depende de fé e intimidade com Deus. E o resulta-

do nem sempre é o melhor. de cultura. Galpões que chamamos de Desculpem-me os grandes arquiIgrejas, caixotes brancos com tetos modernos que revolucionaram a lembrança de uma cruz e a com o concreto armado, mas nós presimulação de um altar. Cores cisamos de mais. As grandes catedrais misturadas e ferros retorcidos da antiguidade, verdadeiros livros esque tentamos ver aí Nossa Senhora ou critos de pedra, são um testemunho de São José. E querem que a gente reze que é possível realizar grandes obras aí. Se a beleza das coisas nos eleva a para a glória de Deus e, que ao mesmo Deus e nos auxilia em nossa oração, tempo, sejam capazes de elevar o espícomo podemos extrair inspiração de rito daqueles que nelas entram. Aí se algumas “simulações de arte sacra” ? respira o sagrado, pois tudo nos leva . A modernidade nos trouxe boas coi- a isso. Por isso fica aqui minha homesas, mais reprimiu muito da criativida- nagem aos grandes mestres da escultude dos artistas. ra, da pintura, da arte de fazer vitrais, É difícil ver que muitos católicos do desenho e da arquitetura. Rezasentem um imenso vazio quando vão mos para que surjam novos homens e a algumas igrejas. Uma falta profun- mulheres cheios de dons e cheios do da de beleza que eleva a Deus. E isso Espirito Santo para continuar presennão se alcança só com dinheiro, mas, teando a Igreja com essa beleza que também, com um pouco mais de cria- brota do coração de Deus. Ir. Tarcísio tividade, e, acima de tudo, experiência de Deus por parte de quem executa a Para esse mês chamada “arte sacra”. tenho duas Os artistas que pintam e desenham precisam de duas coisas. A dicas: primeira delas é o espaço, para que A primeira é que demonstrem mais a sua arte. Não você busque na adianta nada termos bons artistas internet as obras católicos que não possuem espaço dos grandes em sua própria Igreja. A segunda mestres como coisa: precisam de aperfeiçoamenMiquelangelo, to. Não se considerem mestres, Rafaello, Boumas busquem o aperfeiçoamento guereau, Giotto de seus dons. É preciso impressioe tantos outros. nar as atuais gerações com a beleza Vai ser nosso passeio pela história dessa arte e conduzi-las a Deus por da arte. A segunda dica é um filme meio das pinturas, desenhos e esculchamado “As cinco pessoas que você turas. Continuemos embelezando a encontra no céu”. Não tem muito a história, para que as futuras geraver com o texto deste mês, mais é um ções não olhem para nós e reconhe- ótimo filme que vai te fazer pensar um çam o esvaziamento que vivemos pouco mais no sentido da vida.


Mural da

Renovação dos VotosRegião São Pio

são s i M ife c e R irco C no

Renovação dos VotosQuito-Equador

Gravação Musical Toca de Assis TV Século 21

Renovação dos VotosSanta Catarina de Senna


Pandora Escola de Artes

A hist贸ria de Clara

14

Janeiro/ 2012


Camisetas R$ 29,00 “Subo ao altar de Deus que é a alegria da minha juventude!”

Nova coleção de camisetas “Como seria feliz se não fizesse o que me manda meu Senhor ?”

@tocaloja

A Toca de Assis é uma Fraternidade religiosa com espiritualidade franciscana. Nosso Carisma é a adoração ao Santíssimo Sacramento e o cuidado aos pequeninos do Senhor, os pobres moradores de rua. Ao adquirir os produtos da Toca, você contribui para a manutenção desta Obra. Entre em contato no horário comercial pelo telefone: (19) 3342-7522 ou visite nossa Loja virtual:

www.tocaloja.org.br

Janeiro/ 2012

15


Eu ajudo a

Benfeitoria Seja Seja um um Amigo Amigo da da Toca Toca ee receba receba nossa nossa Revista Revista todo todo mês! mês!

Querido benfeitor,

Agradecemos por sua contribuição mensal para a Toca de Assis! Que juntos possamos levar o amor a tantos irmãos que estão nas ruas. Ser um benfeitor é ser amor, presença e esperança para aqueles que não tem.! Ser um benfeitor é assumir um compromisso com essa obra de Deus. AJUDE A TOCA DE ASSIS A CUIDAR DE JESUS NOS POBRES!

Contato: Benfeitoria- Central São José - Vila Industrial,Campinas-SP

Tel: (19) 2121-6408 benfeitoria@tocadeassis.org.br Horário de atentimento: de segunda à sexta,das 13hs às 16hs.

Faça sua contribuição! Ela será destinada a casa da Toca mais próxima de você!

“É maior alegria dar que receber” At. 20,35


7-revista-janeiro-2012