Page 1

Publicação da Fraternidade de Aliança- Toca de Assis- Agosto de 2011

Revista de

AssiS

um chamado do Alto

Vocação:


Editorial

Índice

No mês de agosto a Igreja enfoca de modo especial as vocações, o que foi proposto pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) desde 1983. A cada Domingo é destacado um tipo de vocação: Vocação Formação: Sacerdotal e Diaconal, Matrimonial, vocação à vida Consagrada, ministéMatrimônio rios e serviços na comunidade. no desígnio Sabemos, porém que o chamado maior e comum a todos os batizados de Deus é o chamado à SANTIDADE. É importante neste mês refletirmos como ........................4 temos respondido a este principal chamado, pois toda convocação, ainda mais vinda de Deus, merece uma resposta! O mundo nos faz muitos apelos, nos oferece muitos caminhos, mas Deus na riqueza de seu amor, Toca em Palavras nos chama à felicidade plena e nos oferece os meios para que possamos atingi-la. Neste mês vamos juntos, através do conteúdo da Revista, aprofundar5................................. mos o sentido da diversidade das vocações, presente de Deus para nós e enriquecimento para a Igreja! +Com a Virgem Maria aprendamos a dar nossa resposta, que é construída no sim de cada dia! Toca e Qualidade “Eis-me aqui! Faça-se!” Unidos em Cristo, de Vida Ir. Maria dos Anjos do Mistério da Cruz

................................7 Toca em Retalhos 10................................ Toca na atualidade ................................11

Amigos da Toca Querido benfeitor, este espaço agora é seu! Envie sua carta para o endereço no expediente abaixo ou para o e-mail: comunicacaocentral@tocadeassis.org.br. Escreva sugestões, receitas, orações... o que quiser! A melhor será publicada na edição do mês! Fique com Deus! Esclarecemos que as revistas são distribuídas aos benfeitores da Toca de Assis. Saiba mais na pág. 15

TocArt 12............................... Toca Kids ...............................14 Toca Loja 16..............................

Expediente Fraternidade de Aliança Toca de Assis CNPJ: 02019254 /0001-87 www.tocadeassis.org.br

Central São José Rua Amador Bueno, 30, Vila Industrial Campinas- SP. CEP: 13035-030 benfeitoria@tocadeassis.or.br Revista Toca de Assis Publicação mensal da Fraternidade Toca de Assis Presidente: Ir. Gabriel do Verbo de Deus Vice: Ir. Maria dos Anjos do Mistério da Cruz Coordenação de comunicação: Ir. Xavier Maria da Eterna Sabedoria

Jornalista responsável: Inaiana Vicentin - MTB 52194 / Cleide Elizeu Jornalistas auxiliares: Gabriela Saldanha e Janaína do Amaral Projeto gráfico: Gabriela Saldanha e Janaína do Amaral Diagramação: Gabriela Saldanha e Janaína do Amaral Impressão e tiragem: 10.000 Colaboradores nesta edição: Ir. Francisco da Cruz, Ir. Tarcísio de Jesus Hóstia de Amor, Jânio Garcia


Toca para a Igreja Mensagem do Papa sobre as vocações No 48.º Dia Mundial de Oração pelas Vocações (15 de maio de 2011), Bento XVI nos convidou a refletir sobre o tema: “Propor as vocações na Igreja local”. Há sessenta anos, o Venerável Papa Pio XII instituiu a Pontifícia Obra para as Vocações Sacerdotais. Depois, em muitas dioceses, foram fundadas pelos Bispos obras semelhantes, animadas por sacerdotes e leigos, correspondendo ao convite do Bom Pastor, quando, “ao ver as multidões, encheu-Se de compaixão por elas, por andarem fatigadas e abatidas como ovelhas sem pastor” e disse: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi, pois, ao dono da messe que mande trabalhadores para a sua messe” (Mt 9, 36-38). A arte de promover e cuidar das vocações encontra um luminoso ponto de referência nas páginas do Evangelho, onde Jesus chama os seus discípulos para O seguir e educa-os com amor e solicitude. Objeto particular da nossa atenção é o modo como Jesus chamou os

seus mais íntimos colaboradores a anunciar o Reino de Deus (cf. Lc 10, 9). Para começar, vê-se claramente que o primeiro ato foi a oração por eles: antes de os chamar, Jesus passou a noite sozinho, em oração, à escuta da vontade do Pai (cf. Lc 6, 12), numa elevação interior acima das coisas de todos os dias. A vocação dos discípulos nasce, precisamente, no diálogo íntimo de Jesus com o Pai. As vocações ao ministério sacerdotal e à vida consagrada são fruto, primariamente, de um contato constante com o Deus vivo e de uma oração insistente que se eleva ao “Dono da messe” quer nas comunidades paroquiais, quer nas famílias cristãs, quer nos cenáculos vocacionais. É preciso que cada Igreja local se torne cada vez mais sensível e atenta à pastoral vocacional, educando a nível familiar, paroquial e associativo, sobretudo os adolescentes e os jovens – como Jesus fez com os discípulos – para maturarem uma amizade genuína e afetuosa com o

Mãe da Igreja

Agosto/ 2011

BENEDICTUS PP. XVI

Oração à N. Sra. da Assunção

Divulgação

Em 15 de agosto comemora-se o dia de N. Sra. da Assunção

Senhor, cultivada na oração pessoal e litúrgica; para aprenderem a escuta atenta e frutuosa da Palavra de Deus, através de uma familiaridade crescente com as Sagradas Escrituras; para compreenderem que entrar na vontade de Deus não aniquila nem destrói a pessoa, mas permite descobrir e seguir a verdade mais profunda de si mesmos; para viverem a gratuidade e a fraternidade nas relações com os outros, porque só abrindo-se ao amor de Deus é que se encontra a verdadeira alegria e a plena realização das próprias aspirações. “Propor as vocações na Igreja local”significa ter a coragem de indicar, através de uma pastoral vocacional atenta e adequada, este caminho exigente do seguimento de Cristo, que, rico de sentido, é capaz de envolver toda a vida.

"Ó dulcíssima soberana, Rainha dos Anjos, bem sabemos que, miseráveis pecadores, não éramos dignos de vos possuir neste vale de lágrimas, mas sabemos também que a vossa grandeza não vos faz esquecer a nossa miséria e, no meio de tanta glória, a vossa compaixão, longe de diminuir, aumenta cada vez mais para conosco. Do alto desse trono em que reinas sobre todos os anjos e santos, volvei para nós os vossos olhos misericordiosos; vede quantas tempestades e mil perigos estaremos, sem cessar, expostos até o fim de nossa vida! Pelos merecimentos de vossa bendita morte obtende-nos o aumento da fé, da confiança e da santa perseverança na amizade de Deus, para que possamos, um dia, ir beijar os vossos pés e unir as nossas vozes às dos espíritos celestes, para louvar e cantar as vossas glórias eternamente no céu. Amém." 3


Formação Exortação Apostólica Familiares Consortio

Matrimônio no desígnio de Deus Vocação da pessoa humana na sua totalidade ao amor

O homem imagem de Deus Amor

Deus criou o homem à sua imagem e semelhança: chamando-o à existência por amor, chamou-o ao mesmo tempo ao amor. Deus inscreve na humanidade do homem e da mulher a vocação, e, assim, a capacidade e a responsabilidade do amor e da comunhão. O amor é, portanto, a fundamental e originária vocação do ser humano. Enquanto espírito encarnado, isto é, alma que se exprime no corpo informado por um espírito imortal, o homem é chamado ao amor nesta sua totalidade unificada. O amor abraça também o corpo humano e o corpo torna-se participante do amor espiritual. A Revelação cristã conhece dois modos específicos de realizar a vocação da pessoa humana na sua totalidade ao amor: o Matrimônio e a Virgindade. Quer um quer outro, na sua respectiva forma própria, são uma concretização da verdade mais profunda do homem, do seu “ser à imagem de Deus”. Por conseqüência a sexualidade, mediante a qual o homem e a mulher se doam um ao outro com os atos próprios e exclusivos dos esposos, não é em absoluto algo puramente biológico, mas diz respeito ao núcleo íntimo da pessoa humana como tal. Esta realiza-se de maneira verdadeiramente humana, somente se é parte integral do amor com o qual homem e mulher se empenham totalmente um para com o outro até à morte. A doação física total seria falsa se não fosse sinal e fruto da doação pessoal total, na qual toda a pessoa, mesmo na sua dimensão temporal, está presente. Esta totalidade, pedida pelo amor conjugal, corresponde também às exigências de uma fecundidade responsável, que, orientada como está para a geração de um ser humano, supera, por sua própria natureza, a ordem puramente biológica, e abarca um conjunto de valores pessoais, para cujo crescimento harmonioso é necessário o estável e concorde contributo dos pais. O “lugar” único, que torna possível esta doação segundo a sua verdade total, é o matrimônio, ou seja, o pacto de amor conjugal ou escolha consciente e livre, com a qual o homem e a mulher recebem a comunidade íntima de vida e de amor, querida pelo próprio Deus, que só a esta luz manifesta o seu verdadeiro significado. A instituição matrimonial não é uma ingerência indevida da sociedade ou da autoridade, nem a imposição extrínseca de uma forma, mas uma exigência interior do pacto de amor conjugal que publicamente se afirma como único e exclusivo, para que seja vivida assim a plena fidelidade ao desígnio de Deus Criador. Longe de mortificar a liberdade da pessoa, esta fidelidade põe-na em segurança em relação ao subjetivismo e relativismo, fá-la participante da Sabedoria Criadora.

O matrimônio e a comunhão entre Deus e os homens

A comunhão de amor entre Deus e os homens, conteúdo fundamental da Revelação e da experiência de fé de Israel, encontra uma sua significativa expressão na aliança nupcial, que se instaura entre o homem e a mulher. É por isto que a palavra central da Revelação, “Deus ama o seu povo”, é também pronunciada através das palavras vivas e concretas com que o homem e a mulher se declaram o seu amor conjugal. O seu vínculo de amor torna-se a imagem e o símbolo da Aliança que une Deus e o seu povo. E o mesmo pecado, que pode ferir o pacto conjugal, torna-se imagem da infidelidade do povo para com o seu Deus: a idolatria é prostituição, a infidelidade é adultério, a desobediência à lei é abandono do amor nupcial para com o Senhor. Mas a infidelidade de Israel não destrói a fidelidade eterna do Senhor e, portanto, o amor sempre fiel de Deus põe-se como exemplar das relações do amor fiel que devem existir entre os esposos. Fonte: www.vatican.va

4

Agosto/ 2011


Toca em Palavras Vocação à santidade Se eu perguntasse: “Amado Jesus, como posso ser santo nos dias de hoje?” Acredito que Jesus diria: “Ame!”. Mas amar de que maneira?... Se continuasse o diálogo perceberia a natural distância entre o entendimento da Verdade encarnada que é Cristo e da minha vida ritmada pelas solicitudes do mundo. Uma distância entre eu e Cristo? Talvez aparentemente não, mas na prática dos fatos, vejo no meu relógio o tempo me distanciando de Jesus e de mim mesmo. Será está minha realidade? Tenho tantas necessidades: É minha família, amizades, filhos, estudos, compras, dívidas, reuniões, doenças, carro, viagens, dinheiro, medos, remédios... um copo d´agua por favor...Veja, o mundo é real e eu posso tocá-lo, vê-lo e senti-lo...A minha vida é uma loucura no concreto deste mundo, é nesse turbilhão que sou CHAMADO A SANTIDADE. Elevemos a consciência da loucura deste mundo para a loucura do AMOR DE DEUS. “Deus amou tanto o mundo que deu seu próprio Filho em resgate do mundo”. Sabemos que essa verdade não nos isenta do mundo, onde sou cercado e experimento tensões, decepções, frustrações, sofrimentos, carências, perdas e fracassos... Embora somando também todas as realidades boas, não deixa de ser um drama humano com seus altos e baixos, tristezas e alegrias, derrotas e vitórias. Bem vindo à vida humana! Você é igual a todas. Você é gente... Bendito foi o dia em que “o Verbo se fez carne e habitou entre nós”. Como se Deus dissesse: “Eu sou gente, eu sou homem!”. Desta maneira sou recriado em Jesus, onde Ele torna-se a minha Verdade mais profunda, a profundidade de minha profundidade que é Cristo. Ele é a Verdade de encontro, de integração e de felicidade do homem. Tudo vem d´Ele, criado n´Ele e para Ele. ELE É O CENTRO DO UNIVERSO E O CENTRO DE CADA PESSOA. Sermos santos hoje é acolhermos o chamado de colocarmos Cristo no Centro de nossa vida. Diz Bento XVI: “Poderiam ser mencionados muitos problemas que existem na atualidade e que é preciso resolver, mas todos eles só podem ser resolvidos quando se coloca Deus no centro, quando Deus volta a ser visível no mundo”. Colocar Deus no centro é voltar para o centro de mim mesmo.Voltar ao centro é o chamado de SANTIDADE HOJE. É a falta de Cristo que causa o caos dentro de nós e fora de nós, é a falta de Cristo que causa a morte dentro de nós e fora de nós. Em outras palavras, vai dizer o Beato João Paulo II: “O mundo desfalece e morre, a humanidade inquieta e cega, a juventude destroçada. Tudo pela falta de Cristo”. E para ouvirmos e atendermos o chamado a santidade, não tem outro meio, é preciso a oração. Santo Agostinho diz: “A paz é a serenidade na ordem”. É preciso ordenar a nossa desordem. Seja eu leigo, solteiro, casado, consagrado, sacerdote, vou priorizar o meu necessário encontro com Deus. Ensina-nos o Papa Bento XVI: “A oração e o contato com Deus são agora mais necessários e também mais naturais e evidentes que antes”. A tua verdade mais profunda é Cristo... O excesso do fazer provoca anemia do ser, distanciando da única verdade que pode fazer o homem feliz: Cristo! É dessa maneira que brota como uma fonte de água viva a vocação a santidade. A vida perde toda sua motivação, quando não há um pólo de atração, um destino, uma vocação: SER SANTO!VIVER O AMOR! O tempo, a vida, a escolha é de cada um... Mas, o que falta é CRISTO! Ir. Gabriel do Verbo de Deus Agosto/ 2011

Liturgia A participação dos fiéis leigos na celebração da Eucaristia

37.] Todos os fiéis, libertados dos seus pecados e incorporados na Igreja pelo Batismo, estão habilitados para o culto da religião cristã pelo carácter que lhes foi impresso, a fim de que, em virtude do seu sacerdócio real, perseverando na oração e louvando a Deus , se ofereçam a si próprios como vítima viva, santa, agradável a Deus e provada em todas as suas ações, dêem por toda a parte testemunho de Cristo e dêem a quem o pedir razão da esperança da vida eterna que os habita. Portanto, também a participação dos fiéis leigos na celebração da Eucaristia e dos outros ritos da Igreja não pode reduzir-se a uma mera presença, para mais passiva, mas deve considerar-se um exercício verdadeiro da fé e da dignidade batismal. 42.] É necessário compreender que a Igreja não se reúne por vontade humana, mas é convocada por Deus no Espírito Santo, e responde pela fé à sua vocação gratuita. A comunidade que se reúne para a celebração da Eucaristia necessita absolutamente de um Sacerdote ordenado que a ela presida para poder ser verdadeiramente assembleia eucarística. Por outro lado, a comunidade não está em condições de, por si só, se dar a si própria o ministro ordenado. É absolutamente necessária a vontade comum de evitar toda a ambiguidade nesta matéria e remediar as dificuldades surgidas nos últimos anos. Portanto, usemse com todo o cuidado locuções como "comunidade celebrante" ou "assembleia celebrante". Instrução Redemptionis Sacramentum,Capitulo II 5


Oração Vocacional Senhor da Messe e Pastor do rebanho, faze ressoar em nossos ouvidos teu forte e suave convite: "Vem e Segue-me"! Derrama sobre nós o teu Espírito, que Ele nos dê sabedoria para ver o caminho e generosidade para seguir tua voz. Senhor, que a Messe não se perca por falta de operários. Desperta nossas comunidades para a Missão. Ensina nossa vida a ser serviço. Fortalece os que desejam dedicar-se ao Reino na diversidade dos ministérios e carismas. Senhor, que o Rebanho não pereça por falta de Pastores. Sustenta a fidelidade de nossos bispos, padres, diáconos, religiosos, religiosas e ministros leigos e leigas. Dá perseverança a todos os vocacionados. Desperta o coração de nossos jovens para o ministério pastoral em tua Igreja. Senhor da Messe e Pastor do Rebanho, chama-nos para o serviço de teu povo. Maria, Mãe da Igreja, modelo dos servidores do Evangelho, ajuda-nos a responder SIM. Amém. 6

Coração da Toca “Antes que no seio fosses formado, Eu já te conhecia; Antes de teu nascimento, Eu já te havia consagrado...”

Arquivo Toca de Assis

(Jr 1,5)

A história de Irmão Francisco da Cruz Nasci no interior do Amazonas, cidade de Ipixuna, há vinte e quatro anos atrás. E, logo aí, meus pais já foram levados a entender que Deus me consagrou pra Ele. Nasci muito doente, os médicos alertaram meus pais para o risco de eu não sobreviver. Foi então que minha mãe fez uma aliança com Deus. Se Deus me poupasse da morte, ela me consagraria a Deus e a Seu serviço e, ainda, como era devota de Francisco de Assis, me daria o nome de Francisco. O milagre aconteceu, mas minha mãe só veio a me contar isso quando eu já era postulante no Instituto. O certo é que cresci tendo no coração sempre o desejo de ajudar os que mais precisavam não como filantropia, mas pelo espírito do amor a Deus, pelo outro ser imagem e semelhança d’Ele. Desde a mais tenra idade queria ser consagrado. Primeiro, com doze anos queria ser padre, mas, fui vetado por meus pais. E então, como um surto de adolescente, me desviei e comecei a deixar a Igreja de lado. Revoltado, queria ser um adolescente como os outros que “curtiam a vida”, longe da Vida. Mas Deus aproveitava de tudo para me ensinar que o mundo era cansativo, passageiro. Então, em

2001 conheci a Toca de Assis pelo programa “Toca para a Igreja’’. Logo depois, meu pároco fez uma experiência e entrou pra Fraternidade consagrando- se Ir. Melquisedeque. Ele era quem me falava como era viver na Toca, as adorações, pastorais e toda radicalidade do Carisma. Mas meu pai não aceitava minha vocação e não permitiu que eu entrasse pra Fraternidade até fazer dezoito anos e poder decidir, livremente, pelo que Deus desejava de mim. Minha mãe me apoiava, mas sabia que iria sofrer com a distância. Entre o período de descoberta da vocação até poder entrar pra Fraternidade de Aliança Toca de Assis, fui conhecendo outros institutos e comunidades. Vivendo experiências fortes como o namoro e a vida na família, porém nada me preenchia. Eu só queria viver o que Deus havia preparado desde toda eternidade, descobrir o meu eu de verdade. Em 2005 entrei pra Fraternidade e fui morar no Rio de Janeiro. Fui vivendo então as experiências fortes da Toca e me apaixonando cada vez mais por este Carisma espetacular, descobrindo dia a dia quem sou aos olhos de Deus e a minha realização pessoal. Agosto/ 2011


Toca e Qualidade de Vida

Deus nos chama a servir em todo lugar Deus, ao criar o homem e a mulher, de alguma forma deixou gravado em nosso coração um anseio, uma vontade, uma busca pelo transcendente. Isso porque somos filhos do Altíssimo, feitos para percorrermos o caminho que nos levará até o céu. E esse caminho de graça e realizações é o que chamamos de vocação divina, onde a forma de vida escolhida (religiosa, celibatária ou matrimonial) é vivida puramente por amor. E esse amor é desinteressado, pois sai de dentro do coração, da alma, e produz uma paz verdadeira, porque provêm do cumprimento da vontade de Deus. Podemos, então dizer que este é um amor-doação. Mas além deste chamado primeiro, feito pelo Pai, Ele também nos chama a servir no mundo através da vocação humana. È claro que nossos olhos devem estar voltados para o Alto, contudo nossos pés estão no chão. A santidade também pode (e deve) ser vivida no nosso dia-a-dia não só em

casa ou dentro da família, mas também no ambiente de trabalho e no convívio dos colegas de profissão. A vocação humana é aquela em que a pessoa se sente feliz e realizada: em ser médico, advogado, professor, lavrador, mecânico... etc. Trabalha naquilo, por que gosta. Se a pessoa precisa trabalhar naquilo, mas não gosta, dizemos que ela não tem aquela vocação. E como é difícil decidir o que fazer. Quem é que nunca se perguntou: “O que eu vou ser quando crescer?” São tantas as opções, e é preciso pensar bem na hora da decisão. Essa fase é vivida de forma mais intensa na juventude, na faixa dos 18 aos 20 anos. È a época em que muitos pensam no futuro profissional através do vestibular. E como disse, a decisão não é tomada de uma hora pra outra. Além de se auto avaliar a fim de descobrir suas aptidões “naturais” (cantar, escrever, fazer contas, construir...), uma boa dica são as orientações vocacionais. Esse tipo de atividade ou teste

como é conhecido, não tem a pretensão de determinar o que você DEVE fazer, mas ajudam a delimitar a área de atuação mais favorável do indivíduo. A orientação vocacional é um processo de autodescoberta do jovem, que se sente perdido e sem norte. Para os casos mais sérios, aconselha-se não só o teste em si, mas o acompanhamento com um psicólogo, pois os testes são padronizados, mas, as pessoas são diferentes. Passada a etapa de escolha e decisão, e para aqueles que já estão no mercado de trabalho, devemos sempre nos recordar da mensagem que Santa Teresinha nos deixa a respeito não só da vocação divina mas que se encaixa também a humana: “A nós o trabalho, a Jesus o sucesso!”. Seja onde for, varrendo a rua ou numa grande empresa, lutemos para trabalhar com honestidade e retidão. Desta forma também atenderemos a vontade de Deus em nossa vida. Gabriela Saldanha

Confira alguns sites que oferecem serviço de orientação vocacional on-line:

www.oportaldosestudantes.com.br/testevoc.asp www.colegio24horas.com.br/ogloboestagio/teste.asp www.carlosmartins.com.br/testevocacional.htm Agosto/ 2011

7


Reportagem especial Mais que um simples chamado...

Gabriela Saldanha

Você já se perguntou: “O que será que Deus quer de mim?”, ou então: “Qual é a minha vocação?”. Tais questionamentos são essenciais na vida de qualquer pessoa, pois, de forma implícita, pretendem como fim último saciar o desejo presente no coração de toda humanidade: “Ser feliz!”. Ninguém quer ser triste, e a vocação é a via mais perfeita que Deus nos deu para sermos plenamente felizes! A palavra vocação vem do verbo latim vocare que quer dizer chamar. “Deus ama e justamente porque ama, ele chama...” Assim escreve o Pe. Amedeo Cencini, escritor da área de formação religiosa e orientação vocacional. Uma vez que por nos amar o Senhor nos chama, faz-se extremamente necessário que manifestemos nossa gratidão por tão grande amor através da resposta a esse chamado do Alto. Hoje, a Igreja tem t r a balhado de forma mais ampla o tema, reconhecendo tam-

bém a importância da vocação laical, ou seja, daqueles que não são religiosos e nem sacerdotes. Isso nos leva a uma consciência de que nossa primeira vocação, nosso primeiro chamado é à vida (a existência) e o segundo é à Santidade, pois, nascidos no Amor vivemos para o amor e para amar. Chamados a este amor, somos conduzidos de uma forma específica para melhor manifestá-lo ao mundo. A essa forma específica dá-se o nome de ‘estado de vida’, que pode ser: Sacerdotal (uma vocação particularmente masculina); Matrimonial, o Celibato e Celibato Consagrado (que é a Vida Religiosa, ou Vida Consagrada por meio dos conselhos evangélicos de pobreza, castidade e obediência). Agosto é considerado o mês das vocações devido as reflexões que a CNBB nos convida a fazer neste tempo. No primeiro domingo comemora-se o ‘dia do padre’ em memória a São João Maria Vianney, patrono dos sacerdotes. No segundo, temos o ‘dia dos pais’, onde é possível refletir também sobre a família e o matrimônio. Então se propôs que refletíssemos a vocação religiosa no terceiro e a vocação leiga no último domingo do mês (considerado o ‘dia do catequista’). A Fraternidade de Aliança Toca de Assis possui, desde os primeiros anos da obra, a PV (Pastoral Vocacional, como era conhecida antigamente). Hoje, após algumas mudanças e melhorias, em seus dois Institu-

tos (Masculino e Feminino) há o Serviço de Animação Vocacional (SAV) dos Filhos e Filhas d a Pobreza do Santíssimo Sacramento. “A Igreja sempre se preocupou em promover e conservar as vocações, e nós não poderíamos deixar de fazer o mesmo, pois devemos acolher com atenção e escuta todos que buscam discernir este dom tão precioso que Deus nos dá: nossa vocação”, diz Ir. Isaías Maria, um dos orientadores do SAV Masculino. “Nosso trabalho é acompanhar e orientar os jovens que ‘batem às portas’ do nosso Instituto, buscando discernir a vontade de Deus em suas vidas.” O primeiro retiro vocacional aconteceu em 1997 (três anos depois do ‘nascimento’ da Toca), pois já era grande a procura e o interesse por essa nova forma de vida. Como sabemos, essa busca pela felicidade move homens e mulheres do mundo todo. “De todos os benefícios que recebi do Senhor, o maior deles é a minha vocação!” um dia disse Santa Clara de Assis, e a exemplo dela, muitas jovens procuraram o SAV Feminino da Toca, que trabalha de forma semelhante aos Irmãos, porém é voltado exclusivamente às mulheres. “Existe hoje a necessidade de despertar nas jovens esse desejo, levando-as a questionarem-se a respeito da Vida Consagrada, pois muitas temem dar esse passo”, explicam. “Muito mais do que promover vocações para nós, trabalhamos principalmente para a Igreja. O importante é levar os candidatos ao co-


nhecimento maduro da vontade de Deus em sua vida, independentemente se sua resposta seja para o os Institutos ou não” declara Ir. Isaías. E a interesse é grande! A faixa etária daqueles que os procuram vai de 15 a 35 anos aproximadamente (mas nada impede que pessoas de outra idade não possam fazer o mesmo). O primeiro passo é fazer o cadastro vocacional através do site www.tocadeassis.org.br ou entrar em contato com o Instituto específico por e-mail, carta ou telefone, para que a partir daí, enviem a ficha vocacional a ser preenchida. Assim que possível, separadamente, os Institutos promovem os retiros vocacionais (que acontecem geralmente no começo e no fim do ano) onde os (as) jovens vivem um período de 15 dias de experiência vocacional, podendo ‘beber’ mais da vida cotidiana dos ‘toqueiros’ (as) junto ao apostolado e vida de oração. Durante estes dias também são proporcionadas palestras formativas e motivacionais sobre vocação, além do Santo Sacrifício da Missa celebrado pelos sacerdotes. Após o período de discernimento vocacional, tanto o (a) jovem quanto o acompanhador (a), chegam a um consenso de que ele(a) está apto (a) à dar uma resposta livre, consciente e madura ao chamado de Deus. Assim, ele (a) é admitido (a) no Instituto, onde passa a vivenciar a etapa formativa do chamado aspirantado em uma das casas fraternas (espalhadas pelo Brasil) destinada à experiência deste tempo. “Como aspirante, o jovem passa a experimentar de forma mais concreta o nosso carisma e espiritualidade, além de outras formações próprias para o tempo em que está vivendo” conta o Irmão.

“A vocação é a via mais perfeita que Deus nos deu para sermos plenamente felizes”

Por questões estruturais, o SAV Feminino existe em Campinas, Belo Horizonte e Fortaleza, prestando o acompanhamento a jovens de todo Brasil (endereços no rodapé da pág. 11). No caso dos Irmãos, o núcleo fica somente em Campinas (acompanhando também os rapazes de todo país) mas há também um religioso da missão todas as obras de Deus no mundo, mas em Quito (Equador), responsável sabei fixar o olhar sobre aquelas realiem acompanhar os jovens de ou- dades que jamais terão ocaso. O terceiro tros países, mais especificamente milênio aguarda a contribuição da fé e de língua castelhana. A parte femi- da inventiva de uma multidão de jovens nina também conta com uma Irmã consagrados, para que o mundo se torne mais sereno e capaz de acolher a Deus, e nesta missão. É possível conhecer um pouco nele, todos os seus filhos e filhas.”(Vita mais de perto a realidade dos SAV’s Consecrata nº106.). Falar em vocação é falar de algo através dos Blogs. Há vídeos, fobem íntimo do homem. É fatos, testemunhos, agenda, questionamentos como “É preciso ser freira lar de seu mistério maior, e nisso num convento para ser santa?” ou ainda se esconde sua felicidade e rea“Por que temos que seguir nossa voca- lização como pessoa. As Irmãs completam:“Quando encontro e resção?”... O eterno Papa João Paulo II, hoje pondo a minha vocação, ao meu chaBeato da Igreja, querido e amado mado, meu coração descansa em Deus, por milhares de fiéis no mundo assim,me vejo amada(o) por esse Deus todo, tinha um cuidado e também que me chama a segui-lo em algo que Ele um amor muito grande pela juven- mesmo reservou para mim. Todos temos tude. Em um de seus livros chama- um chamado, precisamos estar atentos em do Exortação Apostólica Pós-Si- ouvi-lo!”. nodal - Vita Consecrata, deixa a seguinte mensagem: Veja as dicas e to me nota: “A vós jovens eu digo...Se sen- Livros: Quando Deus chama- (Pe.Amedeo Cencini), Ed Paulinas; tirdes o chamado do Senhor, não Vocação: de.saf io de Amor (Pe. Jonas Abib); o recuseis! Entrai antes, corajo- A vocação expli cada por João Paulo II. samente nas grandes correntes de Filme: Celebração do santidade, que foram iniciadas s Anjos: a História de Dorothy Day por santas e santos insignes no seguimento de Cristo. Cultivai Blogs: http://tocavocacionalirmao s.blogsos anseios típicos da vossa idade, pot.com/ (Masculino) mas aderi prontamente ao proje- http://tocavocacio nalirmas.blogspot.co m/ to de Deus sobre vós, se ele vos (Feminino) convida a procurar a santidade na vida consagrada. Admirai


a c To em Retalhos “ Gratidão, porque através da Toca de Assis Deus não desistiu de mim!

Vencedor!

O testemunho de Antônio Estevão Souza

Paranaense, 48 anos. Antônio a partir de 1999, quando se separou da esposa, conheceu bem a realidade das ruas: frio, fome, abandono, humilhações, sujeição a vícios e tantas situações que levam o homem a esquecer de sua dignidade humana. Passou algumas vezes pela Toca de Assis em Curitiba-PR, sendo acolhido logo que abriu a missão. Também ” morou na missão de Blumenau- SC. Mas recaía muitas vezes no vício do alcoolismo e voltou novamente para as ruas. Em Outubro de 2009, os Irmãos faziam uma pastoral de rua com os leigos da missão e o reencontraram. Estava muito mal, quase não andava e sentia muitas dores. Após os devidos cuidados médicos, foi levado para a Casa da Fraternidade em Curitiba, onde foi acolhido novamente. “Naquele dia tomei uma decisão de lutar por minha vida”, diz ele. Aos poucos foi voltando o contato com sua família, com seu filho de vinte um anos, sua mãe e suas irmãs, aos quais havia perdido os vínculos. Recuperando sua documentação logo manifestou o desejo de ter um trabalho que lhe gerasse uma renda capaz de ajudá-lo a recomeçar. Sempre atento às necessidades da casa, buscava ajudar no que podia. Em uma parceria com a PUC-PR, Antônio e mais três acolhidos foram entrevistados e empregados. Passando pela fase de experiência, foi conquistando espaço. Após alguns meses no serviço e acompanhamento religioso e técnico, conseguiu alugar uma casa e já se prepara para financiar a sua própria. Hoje, após alguns meses que saiu da Toca, Antônio diz: “Sinto gratidão porque Deus, através da Toca, não desistiu de mim. Não sei onde estaria se os Irmãos, os leigos e a Roberta (uma de nossas assistentes sociais) não tivessem me ajudado!”. Toda a família Toca de Assis, acolhidos, leigos e religiosos da missão de Curitiba, se alegra imensamente com o testemunho do Antônio e dos demais acolhidos que nesta missão foram reinseridos na sociedade e que voltaram para a família. São muitos os casos e testemunhos. É uma graça maravilhosa vê-los ser reinseridos, felizes e seguros do amor de Deus e do valor que cada um possui. A reinserção na missão Curitiba é uma conquista da Toca. Jesus Sacramentado, nosso Deus Amado! Ir. Francisco

PTOCA EM AÇÃO

Voluntariado em Curitiba: A missão é ajudar!

A missão da Casa Fraterna de Aliança São José, em Curitiba-PR, possui hoje apenas quatro religiosos. Eles acolhem 20 pessoas e dão alívio a mais de 70 por semana que estão em situação de rua.“A missão é exigente e, sozinhos não conseguimos!. Foi necessário juntar forças.” conta Ir. Francisco. Além das parcerias, como a Ação Social do Paraná (cujo presidente é o próprio Arcebispo de Curitiba), os leigos são essenciais. “Através do serviço que cada um presta e do voluntariado, a missão acontece de fato. Várias áreas são organizadas com os voluntários, desde os pequenos até grandes serviços, sendo todos de grande importância.”, frisa o Irmão. Há leigos que atuam na área de eventos, promovendo meios para ajudar na capacitação de recursos. Outros que trabalham a terapia ocupacional. Alguns ajudam na área de serviços gerais e cozinha. Existe aqueles que vão para pastoral de rua junto dos religiosos, e que oferecem tempo e bens como o automóvel, por exemplo, a fim de buscar doações. Tem quem cuida do bazar de usados e leigos que atuam na área de entretenimento. Voluntários que fazem atividades fisioterápicas e novas comunidades que colaboram com a Toca. É muita gente boa reunida!“Em nome da Toca, nossa gratidão mais profunda e orações, para que Deus Sacramento os torne mais felizes e santos!”. 10

Agosto/ 2011


Toca na atualidade Meio ambiente: O que devemos fazer? Em 1971, na Carta Apostólica Octogésima adveniens, volta a advertir para as consequências dramáticas provocadas pela atividade humana: “De um momento para o outro, o homem toma consciência dela: por motivo de uma exploração inconsiderada da natureza, começa a correr o risco de destruí-la e de vir a ser, também ele, vítima dessa degradação. Não só o ambiente material já se torna uma ameaça permanente – poluições e resíduos, novas doenças, poder destruidor absoluto – é o mesmo quadro humano que o homem não consegue dominar, criando assim, para o dia de amanhã um ambiente global, que poderá tornar-se insuportável. Problema social de envergadura, este, que diz respeito à inteira família humana... O cristão deve voltar-se para estas percepções novas, para assumir a responsabilidade, juntamente com os outros homens, por um destino, na realidade, já comum”. João Paulo II aborda em diferentes momentos a questão ecológica:

“Entre os sinais positivos do presente é preciso registrar, ainda, uma maior consciência dos limites dos recursos disponíveis, a necessidade de respeitar a integridade e os ritmos da natureza e de tê-los em conta na programação do desenvolvimento, em vez de sacrificá-los a certas concessões demagógicas. É, afinal, aquilo que se chama hoje com o termo preocupação ecológica”. Mais adiante insiste no limite do domínio humano sobre a criação: “O domínio conferido ao homem pelo Criador não é um poder absoluto, nem se pode falar de liberdade de ‘usar e abusar’, ou de dispor das coisas com bem lhe agrada. A limitação imposta pelo mesmo Criador, desde o princípio, é expressa simbolicamente com a proibição de ‘comer o fruto da árvore’ (cf. Gn 2,16-17)”... “Uma justa concepção do desenvolvimento não pode prescindir do respeito pelos seres que formam a natureza visível...

Nós fazemos nossa parte: as noviças de Limeira se uniram no “Projeto reciclagem!”

Não se pode fazer, impunemente, uso das diversas categorias de seres, vivo ou inanimado – animais, plantas, elementos naturais – a bel prazer, segundo as próprias necessidades econômicas” . O desenvolvimento deve ser condicionado às possibilidades de renovação dos recursos naturais. Deve basear-se “na constatação mais urgente das limitações dos recursos naturais, alguns dos quais não renováveis. Usá-los como se fossem inesgotáveis, com domínio absoluto, põe seriamente em perigo sua disponibilidade não só para a geração presente, mas, sobretudo, para as futuras gerações” . Ecologia nos Documentos da Igreja

Serviço de Animação VocacionalFilhos e Filhas da Pobreza do Santíssimo Sacramento SAV -Masculino R. 24 de maio, 768, Vila Industrial Campinas/SP - CEP: 13.035-020 Fone: (19) 3325-4735 ou 4733 vocacionalmasc@tocadeassis.org.br Agosto/ 2011

SAV – Feminino R. Regente Feijó, 381, Centro Campinas/SP - CEP: 13013-052 Fone: (19) 3326-6686 vocacionalfem@tocadeassis.org.br 11


TocArte

Olhando por outro ângulo

A

os artistas, independente do tipo de arte que façam, Deus capacitou com uma incrível sensibilidade para captar o que muitas pessoas desconsiderariam em um primeiro olhar. A capacidade de olhar algo que a primeira vista é feio, e ver a beleza de traços que fogem aos padrões “normais” de beleza. Algumas pessoas conseguem transcender ao real imposto pela sociedade, e pela sua arte manifestam o real escondido. É uma beleza as vezes contemplada quase que só por Deus, que vê as coisas como realmente são, sem os condicionamentos humanos com os quais avaliamos e julgamos as pessoas e as coisas. Quero citar aqui dois exemplos que expressam bem essa ideia. O fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, conhecido mundialmente pela beleza de suas fotografias, consegue extrair de cenários adversos, belíssimas fotografias que encantam e nos fazem contemplar a beleza escondida naquilo que a primeira vista nos desgostaria. Gosto de uma foto que ele fez em 1984 em um campo de refugiados da Etiópia, que mostra uma mãe amamentando seu filho. A foto nos passa um sentimento tão forte, que seríamos capazes de gastar vários minutos observando-a. É realmente impressionante a beleza que ele conseguiu captar, seja pela iluminação, seja pela expressão, em um momento que nos parece desolador. Outro exemplo nos revelam os escritos da Beata Tereza de Calcutá. Em uma oração, ela nos apresenta como se Jesus elogiasse suas rugas, dizendo conhecer cada uma delas e as suas histórias. Dificilmente na nossa sociedade moderna alguém vai valorizar uma pessoa com o rosto marcado pela experiência dos anos. No mundo das plásticas, homens e mulheres preferem deformar-se a valorizar sua história e experiência. Numa entrevista, a atriz Fernanda Monte Negro respondeu ao ser perguntado por que não tinha feito nenhuma plástica, ao que

ela respondeu: “Minhas rugas me deram papéis, que nenhuma plástica daria. Me orgulho dos oitenta anos que tenho e cada ruga me lembra uma experiência de vida”. Nós, artistas ou não, somos chamados a um novo olhar da realidade. Às vezes nos habituamos com aquela mesma rotina de todos os dias. Isso torna nossa vida viciada, sem abertura a criatividade. Experimente andar pela outra calçada quando for à padaria, e perceba que as mesmas coisas parecem ser diferentes simplesmente porque você as olha por outro ângulo. Um problema nunca tem só uma solução. Talvez o que falta é olhar o mesmo problema com outra ótica. Testemunho minha experiência pessoal, ao escrever os musicais que produzi. Quando montava “Francisco” para o Tocão de 2007, me preocupei de mostrar um São Francisco um pouco diferente do que todos estavam acostumados a ver. Então o musical tinha que ser empolgante, mais tinha que ter uns “pitacos” de novidade. Na cena da estigmatização poe exemplo, a moldura de toda a cena é uma chuva. Quando ele faz a experiência do crucificado, busquei transmitir isso em uma sena de intimidade. Então ele se aproxima do Cristo e beija suas chagas. E o Cristo o abraça. Neste momento do musical, os instrumentos fazem orações alternadas como se sentissem o momento. Termino desafiando você a um novo olhar da sua própria realidade. Se Deus nos olha livre de condições, porque nós não podemos nos olhar e olhar quem está ao nosso lado livre destas condições ? Ir. Tarcísio

Minha dica para este mês é o musical “Francisco” da Toca de Assis. Vale a pena conferir esse que foi um marco na história do Tocarte. O DVD foi relançado no aniversário da Toca deste ano, e você pode adquiri-lo pela nossa loja virtual.


Mural da

Missa e Festa Junina8 anos da Toca de Limeira-SP

Festa Junina- Casa Fraterna de Aliança São JoséCuritiba -PR

SAVMasculino e Feminino

Agenda Kairós especial Toca de Assis na Canção Nova:

“ Na Santa Pobreza como Clara e Francisco”

Data: 13 e 14 de Agosto Local: Cachoeira Paulista- SP Participações especiais:

Katiane Silva e Nazaré Araújo

A Toca estará na:

Jornada Mundial da Juventude Data: 16 a 21 de Agosto Local: Madri, Espanha


A vocação de São Francisco

14

Agosto/ 2011


Benfeitoria

Querido benfeitor, Agradecemos por sua contribuição mensal para a Toca de Assis! Que juntos possamos levar o amor a tantos irmãos que estão nas ruas. Ser um benfeitor é ser amor, presença e esperança para aqueles que não tem.! Ser um benfeitor é assumir um compromisso com essa obra de Deus. AJUDE A TOCA DE ASSIS A CUIDAR DE JESUS NOS POBRES!

Faça sua contribuição! Ela será destinada a casa da Toca mais próxima de você! Agosto/ 2011

“É maior alegria dar que receber” At. 20,35

15


DVD'S Musicais R$ 18,00 cada

Camiseta infantilR$ 20,00

Camiseta femininaR$ 27,00

MoletonR$ 59,00

@tocaloja A Toca de Assis é uma Fraternidade religiosa com espiritualidade franciscana. Nosso Carisma é a adoração ao Santíssimo Sacramento e o cuidado aos pequeninos do Senhor, os pobres moradores de rua. Ao adquirir os produtos da Toca, você contribui para a manutenção desta obra.Visite nossa Loja virtual:

www.tocaloja.org.br O amor de Deus é manifestado através de cada colaboração!

2-revista-agosto-2011  

um chamado do Alto de A ssi S Revista Publicação da Fraternidade de Aliança- Toca de Assis- Agosto de 2011