Page 1

Publicação da Fraternidade de Aliança- Toca de Assis- Novembro de 2012

ATUALIDADE

Revista de

AssiS

EM MEIO A UM MUNDO “DESCOBERTO”, CONHEÇA A BELEZA EXISTENTE NA MULHER MODESTA!

QUALIDADE DE VIDA VOCÊ SABE O QUE É DISLEXIA?

SANTOS EM TERRAS BRASILEIRAS

HISTÓRIAS DE ALEGRIAS, LUTAS E SOFRIMENTO! TESTEMUNHOS NACIONAIS DO AMOR POR CRISTO E PELA FÉ CATÓLICA!


ÍNDICE

4

FORMAÇÃO

5

TOCA EM PALAVRAS

8

ARTIGO ESPECIAL

10

TOCA E QUALIDADE DE VIDA

Lembrete: já estamos próximos do Natal! Ajude-nos a montar os “kits higienes” para os nossos acolhidos e acolhidas! Na contracapa da Revista, você encontrará mais informações sobre o que é necessário para contribuir nessa campanha!

11

Ótima leitura a todos! Fiquem com Deus e Maria Santíssima. Até a próxima!

TOCA NA ATUALIDADE

12

Fraternidade de Aliança Toca de Assis CNPJ: 02019254/0001-87 www.tocadeassis.org.br Central São José Rua Amador Bueno, 45, Vila Industrial Campinas/SP. CEP: 13035-030 benfeitoria@tocadeassis.org.br Fone: (19) 3886-7086

TOCARTE

14 TOCA KIDS

SAV- Serviço de Animação Vocavional vocacionalmasc@tocadeassis.org.br vocacionalfem@tocadeassis.org.br

15

Revista Toca de Assis Publicação mensal e interna da Fraternidade Presidente: Ir. Gabriel do Verbo de Deus Vice: Ir. Maria dos Anjos do Mistério da Cruz

TOCA LOJA

2

P

EDITORIAL

az e Bem! A Revista Toca de Assis de novembro vem recheada de artigos para toda a família! Dom Airton José dos Santos, Arcebispo Metropolitano de Campinas-SP, faz uma belíssima reflexão sobre o Evangelho de Matheus na Toca para a Igreja! Toca em Palavras traz um pouco da realidade vivida por nós, aqui na Central São José! Leonardo também fala sobre a importância dos leigos e benfeitores em nossa Fraternidade. Desta vez, é a Irmã Rosa de Santa Maria quem nos conta sua história de vida na coluna Coração da Toca. Ela vive na Missão Sacramento de Amor, em Anápolis-GO, apresentada na Toca em Ação. O nosso Artigo Especial deste mês traz seis lindas histórias. Beata Dulce dos Pobres e outros brasileiros que testemunharam seu amor por Deus e são exemplos de santidade! “Não entendo nada!” Essa é a fala do seu filho?! Qualidade de vida fala sobre as dificuldades com a aprendizagem. A editoria Toca na atualidade discute um assunto polêmico: como ser uma mulher modesta num mundo cada vez mais vulgar?! A blogueira Aline Rocha esclarece essa dúvida vivida por cerca de 99% das mulheres católicas! Novembro tem Toca Fest em Curitiba-PR! Veja os detalhes na coluna Tocarte, que fala também da junção “arte e fé”! Toca Kids tem Thisco que explica para as crianças o que é a comunhão dos santos!

Novembro/ 2012

Redação Central São José

EXPEDIENTE Departamento de Captação de recursos: Cláudia Moraes, Gabriela Saldanha, Fernando Zanin, Leonardo Souza, Maria do Carmo Pereira. Editor chefe: Ir. Tarcísio de Jesus Jornalista: Gabriela Saldanha Projeto gráfico: Gabriela Saldanha Diagramação: Gabriela Saldanha Revisão ortográfica: Luciana Marcolino Impressão e tiragem: 10.000 exemplares Colaboradores nesta edição: Dom Airton José dos Santos; Irmã Perpétua; Leonardo de Souza; Irmã Rosa de Santa Maria; Missão Sacramento de Amor de Anápolis-GO; Claudia Moraes; Aline Rocha Taddei Brodbeck; Irmão Tarcísio; Jânio Garcia.


“Eis que eu vos envio como ovelhas no meio de lobos”

C

Homilia referente ao Evangelho de Mt 10, 16-23

omo discípulos, muitas vezes, nos sentimos atormentados, e queremos ficar tranquilos. E é claro, e até mesmo natural, procuremos aquilo que é mais tranquilo, mais aprazível; aquilo que não é tão exigente, tão questionador em nossas vidas. É natural procuremos um ambiente calmo... Contudo, nós fomos chamados à santidade. Fomos chamados para sermos instrumentos de Deus no mundo e canais da Graça e do Amor de Deus para todos. Se for assim, significa que devemos viver com calma e isso implica, às vezes, em sofrimento, em incompreensão, em um caminho um pouco estreito demais. Mas, é por isso que Deus nos dá força, e, é somente Ele que pode nos capacitar para continuarmos fazendo nosso caminho. E, é assim, também, que nós sentimos a exigência do Evangelho. Nós não podemos ficar esmorecidos ou nos sentindo como quem está sendo fustigado a todo momento. Nós contamos com a Graça de Deus, e como diz o apostolo São Paulo: “É a Graça de Deus que nos basta!”. É ela que nos fortalece e que nos dá a capacidade. Por isso, nós não podemos esmorecer. Não podemos deixar o mal caminhar ao nosso lado. Nós temos que afastar o mal do nosso dia a dia, do nosso modo de ser. Assim, não podemos deixar que ele se acostume conosco e para que nós não nos acostumemos com ele. O mundo que está diante de nós, muitas vezes, nos propõe exatamente isso: “Pra que viver em conflito? Vamos em paz também com o mal!”. Mas, como é que nós podemos viver em paz com o mal? Nós devemos lutar contra ele! Não podemos fazer acordo com o mal! O Evangelho hoje nos diz: “Aqueles que são os discípulos de Cristo, os que creem em Cristo, serão perseguidos!”. O salário que nós podemos receber deste mundo, o Evangelho vai nos dizer em outro trecho, é a perseguição, incompreensão, sofrimento... Mas diante de Deus, cem vezes mais aquilo que nós já temos. A vida que nós vivemos no dia a dia, isso tudo é passageiro! Nós não vivemos para este mundo! Nós vivemos para Deus, neste mundo! Não podemos nos contentar com os dias em que nós vivemos. Não podemos nos contentar com esses anos que nós temos ou que nós ainda teremos. Procuremos viver antecipando a glória de Deus para a nossa vida e para a vida das pessoas que nos cercam. Assim é que seremos verdadeiramente irmãos. É assim que devemos reverenciar a Deus como nosso Pai, amar a Deus sobre todas as coisas e amar as pessoas ao nosso lado.

TOCA PARA A IGREJA

O Amor de Deus, o Amor cristão, este amor que nós tanto procuramos, não é um sentimento! O sentimento passa... Às vezes, se vai... E, às vezes, “nos perdemos”. Então, muito sentimento talvez nos impeça de encontrarmos, verdadeiramente, o Amor de Deus. O Amor de Deus é uma experiência... Eu procuro entrar na experiência com Deus e em Deus e, somente fazendo essa experiência, é que nós conseguiremos amar nossos irmãos verdadeiramente, sem sentimento. Amar mesmo... A ponto de entregar a vida pelo outro. Só é capaz de entregar a vida pelo outro, aquele que ama. Mas, o Amor de Jesus, não aquele que o mundo ensina, ama a ponto de Se colocar em seu lugar e dar a vida por você. É este o testemunho que nós temos que dar. É o testemunho em que nós temos que nos preparar a cada dia e sermos luz no mundo diante da escuridão das trevas que o mundo vive. Nós temos que ser essa luz radiante. Luz que possa iluminar os caminhos. “Contra fatos, não existem argumentos!” Se existe uma luz brilhante na escuridão e alguém requer essa luz, quem é que está errado? A luz que brilha ou a pessoa que requer a luz? E, na maioria das vezes, nós invertemos. Temos que ser luz! Quando alguém nos renega, nós nos apagamos. Quando alguém coloca questões que se tornam perseguições, se tornam injúrias, se tornam maus tratos, nós nos apagamos (escondemos a nossa luz). E é este medo que o discípulo de Cristo não pode ter. E, é, aí, diante do sofrimento, da perseguição, que essa luz tem que se levantar ainda mais alto e brilhar mais forte ainda. Por isso, meus irmãos, nós queremos nessa Eucaristia, colocar nossa esperança em Jesus Cristo. Tiremos do nosso coração tudo o que almeja a realização pessoal... Coloquemos Jesus Cristo diante dos nossos olhos. Que todo o nosso trabalho, a nossa ação, a nossa reflexão, as decisões, as propostas, as atividades, sejam para que Jesus Cristo apareça, para que Ele seja conhecido. Assim, nós estaremos nos fortalecendo, nos ajudando mutuamente, fazendo Dom Airton José dos Santos aquilo que é a vontade de Deus Arcebispo Metropolitano de em nosso meio!

Nossa Senhora da Divina Providência

Campinas/SP

MÃE DA IGREJA

Ó Nossa Senhora, Mãe da Divina Providência, a quem amamos tão ternamente, dignai-vos continuar a dar-nos as provas de vossa proteção materna. Socorrei-nos em todas as nossas necessidades, e, em particular, concedei a este vosso devoto que na sua aflição a vós recorre, a graça de... (pedir a graça) Consolai-nos em todas as nossas penas e, depois de nos terdes ajudado durante esta vida, assisti-nos na hora de nossa morte. Amém! Nossa Senhora, Mãe da Divina Providência, rogai por nós! Em 19 de novembro a Igreja celebra o dia de Nossa Senhora da Divina Providência! 3 Novembro/ 2012


A FORMAÇÃO

A Entrega Definitiva

entrega total e definitiva é fruto de pequenas ofertas em cada dia. É um caminho no qual nos descobrimos e, ao nos descobrirmos, encontramos dentro de nós um amor mais forte que todos os outros amores. Somos impulsionadas a uma resposta de amor, já que o sentido de tudo está na pessoa de Cristo, que nos amou primeiro e se entregou totalmente na cruz. Ao longo do caminho, percebemos que alguém caminha conosco e que é este alguém que nos concede graças para superarmos as dificuldades. Este alguém, escolhe se ofertar, ao sair de si, e acontece a transformação que se dá diante da presença do Esposo, o Santíssimo Sacramento. “Eis o lugar do nosso repouso. Para sempre queremos ficar aqui. Esse é o lugar que preferimos”. Quantos nos interrogam o motivo pelo qual decidimos deixar tudo? A resposta, dada de muitas maneiras, se resume em: “Tudo, deixamos pais, mães, casas, riquezas, posses para ganharmos tudo em Jesus Cristo. Nele, encontramos esse Amor. Para alguns, Deus pede uma pastoral... Para outros, a evangelização... E ainda temos os que intercedem, aqueles que ajudam os pobres...”. São trabalhos louváveis e que agradam a Deus. Mas, para nós, Deus pediu tudo. E só podemos realizar essa entrega de forma definitiva, se preferirmos a Cristo, nosso Amor Eucarístico. Percebermos que, apesar da nossa frágil condição, primeiro fomos escolhidas e depois escolhemos. Jesus conhece muito bem a nossa condição humana. Ele assumiu a nossa condição de humanos, se encarnou e se fez homem feito nós em tudo, menos no pecado. Neste mistério, encontramos um amor que foge, 4

Novembro/ 2012

muitas vezes, à nossa compreensão. Através da vida de Jesus. encontramos um sim tão generoso à vontade do Pai que supera toda justiça. Ele nos sempre nos concede mais do que aquilo que pedimos, sempre nos surpreende, se adianta. E, quando levados pela aparência, pensamos tudo ter acabado na cruz, Ele vence a morte e continua sua entrega total no sacramento do Altar. Temos a sua presença diante dos nossos olhos e dentro de nós.

Quem é este Deus para nos amar assim?!”...

A Ele, entregamos tudo e fazemos a experiência dos “cem vezes mais”... A vida do Esposo é o modelo que devemos imitar. Por isso, às portas dessa entrega definitiva, pedimos as luzes do Espírito Santo. Que essa luz nos conduza a este Amor e que esse Amor seja sempre crescente. Amor por Cristo e por sua Igreja. Que possamos ser colaboradoras da construção do Reino dos Céus neste mundo. Lembremo-nos daquela que em tudo agradou o Senhor: Maria foi um assombro de fortaleza no Calvário devido a sua fidelidade nas pequenas coisas de cada dia. Avante, queridas irmãs! Aquele que nos deu a vocação, também nos concede os meios para concretizá-la. E, que possamos de todo o coração dizer como Sta. Clara: “De todos os benefícios que de Ti recebi, ó Senhor, o maior deles é minha vocação ”. Filhas da Pobreza do Santíssimo Sacramento da Missão Sacramento de Amor de Maricá-RJ.


“Até aqui TOCA EM PALAVRAS nos ajudou o Senhor” 1 Sm 7,12.

V

ivemos em um mundo cada vez mais competitivo, cada vez mais dinâmico, cada vez mais individualista. Cada dia que passa, somos desafiados a superar nossos próprios limites seja profissional, pessoal ou familiar. Para cada um desses limites, nos é pedido uma resposta rápida e eficaz que nos faz tomar decisões que são para a vida toda. Às vezes, pode nos parecer estranho e nos perguntarmos: “Como fazer isso ou aquilo?”. Isso, porque estamos tão acostumados a atropelar as etapas e irmos logo para o fazer. Neste mês de novembro, começamos mais um desafio na nossa caminhada dentro da Fraternidade Toca de Assis: fazermos o Natal dos Pobres. Como é desafiador querer planejar, preparar e realizar tal tarefa! Estávamos numa sexta-feira, final de um expediente de uma semana cheia de trabalhos e desafios, quando nos chega a correspondência em três grandes caixas. Essas caixas tinham, para nossa surpresa, sabonetes, cremes, batons e maquiagem de primeira qualidade! Logo, vimos, aí, a Divina Providência, batendo, mais uma vez, à nossa porta, quebrando toda a correria, todo atropelo e pedindo licença pra entrar em nossa vida tão apressada. Ela surge de forma sutil, assim como o Amor de Deus em nossos corações. Surge sem fazer alarde, mas nos transforma inteiramente, de dentro pra fora. Sabíamos que começava a Providência de Deus no que diz respeito ao Natal dos Pobres. Que, em nossas casas, os pobres receberiam o melhor que Deus lhes tinha preparado. Contamos sempre com a boa vontade de pessoas como essa senhora (e ela sabe quem é, pois ligamos na mesma hora em que as caixas chegaram para agradecer) para realizarmos a Providência na vida dos pobres. E, pedimos que, para quem puder contribuir com este Natal, entrar em contato com a Casa Fraterna mais próxima de sua residência ou conosco aqui na Central São José. Porque “até aqui nos ajudou o Senhor”! Ajude você também a fazermos um Natal simples, porém bonito e inesquecível na vida daqueles Leonardo de Souza a quem o próprio Senhor Jesus se igualou benfeitoria@tocadeassis.org.br Depto. de Captação de Recursos numa manjedoura. Central São José- Campinas/SP Paz e Bem!

LITURGIA Oraçâo da Coleta “Que minha oração suba até Vós como a fumaça do incenso, que minhas mãos estendidas para Vós, sejam como a oferenda da tarde.” (Sl 141,2). Nas edições anteriores, aprendemos um pouco mais sobre a “introdução” da Liturgia Eucarística, que termina com a Oração da Coleta. O que seria isso na Santa Missa? Esta oração é de suma importância, porque o sacerdote recolhe todas as intenções dos fiéis presentes, das intenções lidas, e aquelas que ele traz consigo e oferece ao Pai, fazendo o que o próprio Senhor Jesus nos ensinou nas Sagradas Escrituras: “O que vocês pedirem em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se vocês pedirem qualquer coisa em meu nome, eu o farei.” (Jo 14,13-14). Eis o motivo das Orações Litúrgicas começarem com um pedido a Deus Pai e terminarem “por Nosso Senhor Jesus Cristo na unidade do Espírito Santo”. Como já disse em outras edições, a Santa Missa é o mais alto grau de adoração, louvor e também de pedidos ao Pai por meio de seu Filho, Jesus. Outra coisa fundamental é lembrar que a Oração da Coleta feita pelo coração é muito mais salutar que aquelas lidas durante as intenções. Muitos perdem até mesmo a paz e toda a participação do Santo Sacrifício da Missa porque alguém leu o nome errado ou esqueceu-o durante a leitura. O mais importante é que Deus sabe de todas as intenções antes mesmo de nós, e ainda, o que é melhor: para nós. (cf. Sl 139). Peçamos aos Santos Anjos a graça de viver intensamente esse momento único e que tenhamos grandes frutos para a nossa alma. Novembro/ 2012

5


ORAÇÃO

CORAÇÃO DA TOCA

Oração da Providência Santíssima

eu nome é Irmã Rosa de Santa Maria e moro na missão Sacramento de Amor em Anápolis, Goiás. Sou natural de Moreira Sales, uma pequena cidade do Paraná. Morei até os 18 anos no sítio com a minha família; meu pai, agricultor, trabalhava com o bicho-da-seda. Fui criada e educada num ambiente religioso muito simples no qual desde cedo aprendi os bons costumes de uma família cristã. Meu sonho de criança era ser professora. Cresci, fiz magistério, trabalhei com crianças de rua. Senti o chamado para vida religiosa quando ainda era criança. Era um sábado, o dia em que minha mãe limpava a Igreja... Fiquei em casa neste dia e comecei a ler a Bíblia na parte do Evangelho da Paixão de Jesus. Enquanto lia, senti o Amor de Deus de uma maneira muito intensa e, compreendi, naquela hora, que Jesus havia sofrido tudo aquilo por mim, por amor. No mesmo instante, disse pra Jesus que queria retribuir esse amor, entregando também toda a minha vida para Ele. Eu nem sabia o que era ser freira, só queria encontrar uma forma de viver exclusivamente para Ele. Um dia, achei, nas coisas da minha mãe, um livrinho que tinha a foto de uma freira: era Santa Faustina. Foi a primeira freira que eu vi! Chamou-me a atenção porque o dia em que ela morreu era o dia do meu aniversário. Este livro falava da revelação que Jesus fez a Santa Faustina, da sua Misericórdia. Dizia que Ele não negaria nada a quem, às três horas da tarde, meditando na Sua Paixão, pedisse alguma coisa. Então foi isso o que eu fiz no dia seguinte, diante de uma imagem do Sagrado Coração. Após ter rezado o Terço da Misericórdia, pedi a Jesus que queria ser freira. Consagrar toda minha vida em gratidão. Desde então, falava pra minha mãe que queria ser freira e ela sempre demonstrava que não gostava. Quando terminei meus estudos, mudamos para Campinas-SP. Levava uma vida normal: trabalhava, estudava tinha meus sonhos. Entretanto, dentro de mim, o apelo de Deus sempre foi muito forte. Um dia, ao sair da Basílica de Nossa Senhora do Carmo, depois de passar um tempo diante do Sacrário perguntando pra Jesus o que Ele queria que eu fizesse, me deparei com alguns jovens vestidos de marrom, cuidando dos pobres. Na mesma hora, tive a resposta: É isso! É assim que eu quero viver! Quero

Providência Santíssima, do Eterno Onipotente e

misericordiosíssimo

Deus, que tudo tendes providenciado e providenciareis para o nosso bem, providenciai em todas as nossas necessidades, assim creio, assim espero, seja sempre feita a vossa Santíssma vontade. Amém.

6

Novembro/ 2012

M

“No sacrá

ser como eles! Cuidar dos pobres, viver com os pobres, ser pobre com os pobres... Não tinha dúvidas que era o lugar que Deus havia escolhido para mim. Fui procurar saber e conhecer quem eram aquelas pessoas... Descobri que eram a “Toca de Assis”. Ninguém da minha família aceitou, e usaram de todos os meios para impedir... Depois de um ano de acompanhamento vocacional, e de várias tentativas de diálogo familiar, não me restando mais nada a fazer (a não ser me abandonar nas mãos de Deus), saí de casa e disse pra Jesus: “Venho sem nada porque agora o Senhor é meu tudo!”. Fui para o retiro vocacional e, admitida, tinha como minha primeira missão Nossa Senhora Mãe dos Pobres em Soro-

caba. Depois desse processo doloroso para minha família, com a graça de Deus, hoje eles são muito felizes por terem uma filha consagrada. Por terem dado um fruto para Igreja cuja semente eles mesmos semearam. Alguns anos, após a minha admissão no Instituto, minha mãe me confidenciou que teve uma gravidez de risco e tinha muito medo de me perder. Quando nasci, quase morri e, não restando mais nada a fazer, ela disse pra Nossa Senhora: “Toma ela pra Senhora, pois eu não posso fazer mais nada”. E ela me disse: “Está vendo... Ela tomou mesmo você pra ela”. Após de um ano de missão, quando tinha descoberto de fato que aqui era o lugar que Deus havia feito para mim, (em que aprendia cada dia com os pobres e fazia tantas


ário do vosso coração...” experiências de Jesus através deles), senti novamente um outro chamado: Jesus me pedia para lhe entregar algo muito precioso. Outrora foi a minha família... E, dessa vez, Jesus me pedia para Lhe entregar o tesouro da Igreja e do meu coração: os pobres. Jesus me chamava para estar somente com Ele “o Pobre dos pobres”. No começo não entendia, porque eu nunca havia imaginado viver na clausura, não sentia atração pela vida contemplativa. O meu desejo era estar com os pobres. Jesus havia me chamado através deles. Depois fui entendendo... Era a oferta que Jesus me pedia: “já que a vida contemplativa consiste numa oblação total de si”. Hoje sou muito feliz em ter sido agraciada com esse carisma tão lindo e em poder vivê-lo

com todo Instituto. Na Sacramento de Amor, continuo amando e cuidando dos pobres no silêncio e clausura da vida contemplativa, entregando a minha vida pela Igreja, pelos sacerdotes e por todo o Instituto “...As irmãs da vida contemplativa, por meio da comunhão espiritual e da oração, vivenciam, com todo o Instituto o carisma e apoiam o apostolado junto aos pobres” (Const. art. 71.) E, assim, vou aprendendo pelo menos um pouquinho o que é ser Filha da Pobreza do Santíssimo Sacramento. “Porque alimentadas por Ele, queremos nos assemelhar à Sua pobreza eucarística”. Olhar Jesus no véu do sacramento e contemplar Nele “o Pobre por excelência”, é saber que toda a nossa vida está escondida nesse mistério de Amor. “... pois morrestes e a vossa vida está escondida com Cristo, em Deus .” Cl 3, 3.

Testemunho da Irmã Rosa de Santa Maria, da Missão Sacramento de Amor em Anápolis-GO

Missão Sacremento de TOCA EM AÇÃO Amor em Anápolis-GO

N

o Instituto das Filhas da Pobreza do Santíssimo Sacramento temos três casas contemplativas localizadas localizadas em Palmas-TO, Anápolis-GO e Maricá-RJ. No dia 20 de fevereiro de 2012, completamos 11 anos de existência. Tendo essa forma de vida nascida dentro do Instituto, para ele e para a Igreja, a vida contemplativa e a vida ativa formam uma Unidade Institucional. Costumamos chamar de “vida ativa” os religiosos e religiosas que exercem um apostolado social e de “vida contemplativa” os que exercem o apostolado da oração. No entanto, tais designações não limitam o caráter contemplativo de toda a vida consagrada. As irmãs denominadas de “vida ativa” também, em certo sentido, são contemplativas, e e vice-versa. A vida contemplativa é ativa na Igreja por imitar Jesus no monte, rezando. A oração é, propriamente, sua forma de apostolado. Geralmente, nos perguntam o que fazemos na “Sacramento de Amor”. Nós seguimos uma rotina em que há o equilíbrio e a alternância entre: trabalho, oração, momentos de convivência fraterna, atividades comunitárias e descanso. O motivo pelo qual a vida contemplativa é cada vez mais mal compreendida se baseia no fato de a sociedade caminhar para a valorização de uma eficiente produtividade, e nossa forma de vida não favorece uma percepção sensível de presença e atuação. Para melhor explicitar nossa função, citamos um artigo do nosso Diretório: “Impelidas pelo Amor Eucarístico que as chama ao oferecimento de si mesmas, que as Irmãs busquem orientar-se à restauração e salvação das almas

em Cristo, especialmente dos mais pobres e sofredores deste mundo e à intercessão contínua pela Igreja especialmente para a santificação dos sacerdotes e por todo o Instituto.” (cf. Art. 55 e cf. Const. art. 71) Consagramos nossa existência para a Igreja. Vivemos para a Igreja. Ausentamos-nos de atividades sociais por uma vocação de Deus, que nos chamou a testemunhar a primazia do Seu Amor. Vivemos um pouco mais reservadas e, por isso mesmo, não exercemos apostolado nas ruas. Segue um documento da Igreja que explica o motivo dessa renúncia: “A clausura constitui no seu aspecto concreto, uma maneira particular de estar com o Senhor, de partilhar ‘o aniquilamento de Cristo através de uma pobreza radical que se exprime na renúncia não só às coisas, mas também ao espaço, aos contatos, a tantos bens da criação’ unindo-se ao fecundo silêncio do Verbo na cruz...” (VS 3). E ainda: “Apesar da urgente necessidade de apostolado ativo, aqueles chamados à vida contemplativa conservam sempre lugar preeminente no Corpo místico de Cristo... De fato, oferecem a Deus exímio sacrifício de louvor e, produzindo frutos abundantíssimos de santidade, são uma honra e um exemplo para o Povo de Deus que faz crescer com misteriosa fecundidade”. (DCVR 25) Tendo Ele como única fonte de todo verdadeiro apostolado, podemos oferecê-Lo aos outros, como também cada qual faz na sua vocação particular. As religiosas ativas O oferecem pelas obras de misericórdia; os sacerdotes pelos sacramentos e pregação; os leigos no seu apostolado cotidiano como fermento na massa... A diversidade das vocações na Igreja está ordenada para todo o Corpo Místico. Assim como sabemos que a vocação dos sacerdotes nos lembram e ensinam a viver o sacerdócio comum dos fiéis, a vida contemplativa tem a função de lembrar a todos a natureza contemplativa da Igreja e o chamado de todos os fieis àquele misterioso encontro com Deus. E esse misterioso encontro com Deus é a oração. Novembro/ 2012

7


ARTIGO ESPECIAL

SANTOS EM TER

Beata Dulce dos Pobres M

aria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes, nasceu em Salvador-BA em 26 de maio de 1914 e morreu em Salvador-BA em 13 de março de 1992. Mais conhecida como Irmã Dulce, Beata Dulce dos Pobres ou Bem-Aventurada Dulce dos Pobres, tendo recebido o epíteto de “o anjo bom da Bahia”. Irmã Dulce notabilizou-se por suas obras de caridade e de assistência aos pobres e necessitados. Quando criança, Maria Rita, filha de D. Dulce Maria de Souza Brito Lopes Pontes e do Dr. Augusto Lopes Pontes (dentista e professor da Universidade Federal da Bahia, UFBA), costumava rezar muito e pedia “sinais” a Santo Antônio, pois queria saber se deveria seguir a vida religiosa ou casar. Desde os treze anos de idade, depois de visitar áreas carentes, acompanhada por uma tia, ela começou a manifestar o desejo de se dedicar à vida religiosa. Começou a ajudar mendigos, enfermos e desvalidos. Nessa mesma idade, foi recusada pelo Convento de Santa Clara do Desterro, em Salvador, por ser jovem demais, voltando a estudar. Com o consentimento da família e o apoio de sua irmã, Dulcinha, foi transformando a casa da família num centro de atendimento a pessoas necessitadas. Em 8 de fevereiro de 1933, logo após se formar professora primária, Maria Rita entrou para a Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, na cidade de São Cristóvão, em Sergipe-SE. Em 15 de agosto de 1934, após seis meses de noviciado, ela fez sua profissão de fé e votos perpétuos, tomando o hábito de freira e recebendo o nome de Irmã Dulce, em homenagem a sua mãe. Em seguida, voltou a Salvador. Sua primeira missão como religiosa foi ensinar em um colégio mantido pela sua congregação, na Cidade Baixa. Também dava assistência às comunidades pobres da região onde viria a concentrar as principais atividades das Obras Sociais Irmã Dulce. Em 1936, com apenas 22 anos, fundou, com Frei Hildebrando Kruthaup, a União Operária São Francisco, primeiro movimento cristão operário da Bahia. No ano seguinte, sempre com Frei Hildebrando, criou o Círculo Operário da Bahia, mantido com a arrecadação de três cinemas que ambos haviam construído através de doações. Tinham como finalidade a difusão das cooperativas, a promoção cultural e social dos operários e a defesa dos seus direitos. Em maio de 1939, Irmã Dulce inaugurou o Colégio Santo Antônio, voltado para os operários e seus filhos. No mesmo ano, para abrigar doentes que recolhia nas ruas, Irmã Dulce invadiu cinco casas na Ilha dos Ratos. Depois de ser expulsa do lugar, teve que peregrinar durante uma década, instalando os doentes em vários lugares, até transformar em albergue o galinheiro do Convento de Santo Antônio, que mais tarde deu origem ao Hospital Santo Antônio, centro de um complexo médico, social e educacional que continua atendendo aos pobres. Mesmo com a saúde frágil, a Irmã Dulce construiu e manteve uma das maiores e mais respeitadas instituições filantrópicas do país. Em 1988, foi indicada para o Prêmio Nobel da Paz, pelo então presidente do Brasil José Sarney, com o apoio da rainha Silvia da Suécia. Em 2000 foi distinguida pelo papa João Paulo II com o título de Serva de Deus. O processo de beatificação da Irmã Dulce tramitou na Congregação das Causas dos Santos do Vaticano. Durante mais de cinquenta anos de entrega total a caridade e amor ao próximo, em 11 de novembro de 1990 Irmã Dulce começou a apresentar problemas respiratórios, sendo internada no Hospital Português da Bahia, depois transferida à UTI do Hospital Aliança e finalmente ao Hospital Santo Antônio. Em 20 de outubro de 1991, recebe no convento, em seu leito de morte, a visita do Papa João Paulo II para receber a bênção e extrema-unção. O “anjo bom da Bahia” morreu em seu quarto, de causas naturais, aos 77 anos. Seu corpo foi sepultado no alto do Santo Cristo, na Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia e depois transferido para a Capela do Hospital Santo Antônio, centro das Obras Assistenciais Irmã Dulce. A 21 de janeiro de 2009, a Congregação para as Causas dos Santos do Vaticano anunciou o voto favorável que reconhece Irmã Dulce como venerável. A 3 de abril de 2009, o papa Bento XVI aprovou o decreto de reconhecimento de suas virtudes heroicas. No dia 9 de junho de 2010 o corpo da Irmã Dulce foi desenterrado, exumado, velado e sepultado pela segunda vez, sendo este o último estágio do processo de beatificação. No dia 27 de outubro de 2010, foi anunciada pelo cardeal arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Geraldo Majella Agnelo, em coletiva de imprensa realizada na sede das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid) a beatificação, última etapa antes da canonização, da religiosa Irmã Dulce, tornando-a a primeira beata (ou bem-aventurada) da Bahia. O anúncio foi sucedido pelo decreto em 10 de dezembro de 2010 e aconteceu após o reconhecimento de um milagre pela intercessão da religiosa na recuperação de uma mulher sergipana, que havia sido desenganada pelos médicos após sofrer uma hemorragia durante o parto. No dia 22 de maio de 2011, Irmã Dulce foi beatificada em Salvador, e passou a ser reconhecida como Bem Aventurada Dulce dos Pobres. A Solene Eucaristia de Beatificação foi presidida pelo enviado especial do Papa Bento XVI, Dom Geraldo Majella Agnelo, arcebispo emérito de Salvador.


RRAS BRASILEIRAS F

Santo Antônio de Sant’Anna Galvão

rei Galvão nasceu em 1739, na cidade de Guaratinguetá-SP. Aos 21 anos, renunciou à boa-vida para entrar no noviciado franciscano, na Vila de Macacu-RJ. Em 1762, foi ordenado sacerdote e enviado ao Convento de São Francisco em São Paulo. Em 09 de novembro de 1766, fez seus votos perpétuos. Em 1770, foi confiado a ele o cargo de Confessor de um Recolhimento, onde encontrou a Irmã Helena Maria do Espírito Santo e com ela fundou no dia 02 de fevereiro de 1774 o Recolhimento da Luz. Em 1811, Frei Galvão fundou o Recolhimento de Santa Clara em Sorocaba, São Paulo e permaneceu por lá durante onze meses. Faleceu em 23 de dezembro de 1822 e foi sepultado na Igreja do Recolhimento da Luz que ele mesmo construiu.Após a morte de Frei Galvão, as irmãs dos Recolhimentos fundados por ele continuaram confeccionando e distribuindo as pílulas milagrosas e em 1990 aconteceu o primeiro milagre. Em 08 de abril de 1997, o Frei foi beatificado pelo Vaticano, tornando-se o primeiro beato brasileiro. Após a confirmação do segundo milagre, o Papa Bento XVI reconheceu Frei Galvão como santo em 16 de dezembro de 2006.

¬

N

Beata Martir Irmã Lindalva

N

o dia 29 de janeiro de 1991, Irmã Lindalva é enviada para Salvador, onde trabalharou no Abrigo Dom Pedro II. Em janeiro de 1993, devido a uma recomendação, o abrigo teve que acolher entre os anciãos Augusto da Silva Peixoto, de 46 anos, que não tinha direito de ser interno, em virtude de sua idade. Ele passou a assediar Ir. Lindalva. A religiosa, com medo, procurou afastar-se o mais que pode de Augusto. Narrou a situação a outras irmãs e intensificou sua vida de oração. Seu amor aos idosos a mantiveram no abrigo, e chegou a confidenciar a uma coirmã: “Prefiro que meu sangue seja derramado do que afastar-me daqui”. No dia 9 de abril, Sexta-Feira Santa, Irmã Lindalva participou da Via-Sacra, na paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem. Ao regressar, serviu o café da manhã aos idosos, como de costume. A irmã (ocupada com o serviço) não percebeu que Augusto se aproximava. Foi surpreendida com um toque no ombro. Ao virar-se, recebeu os golpes que lhe tiraram a vida. Os médicos legistas identificaram 44 perfurações no corpo da religiosa. Imediatamente seu assassinato foi identificado pela comunidade católica como martírio. A cerimônia de beatificação de Irmã Lindalva reuniu, em Salvador, no dia 02 de dezembro de 2007, 25 mil fiéis.

Mártires do Rio Grande do Norte

o dia 16 de julho de 1645, os holandeses que ocupavam o nordeste do Brasil, chegaram a Cunhaú, no Rio Grande do Norte, onde residiam vários colonos ao redor do Engenho, ocupados no plantio da cana-de-açúcar. Era um domingo. Na hora da missa, 69 pessoas se reuniram na capela de Nossa Senhora das Candeias. A capela foi cercada e invadida por soldados e índios que trucidaram a todos que aí estavam, inclusive o Pároco Pe. André de Soveral que celebrava a missa. Não opuseram resistência aos agressores e entregaram piedosamente suas almas ao Criador. Aterrorizados com o acontecimento de Cunhaú, muitos moradores de Natal pediram asilo no Forte dos Reis Magos ou se refugiaram em abrigos improvisados. No dia 3 de outubro, foram levados para as margens do Rio Uruaçu, onde os aguardavam índios e soldados holandeses armados. Eram cerca de 80 pessoas. Os holandeses, de religião calvinista, trouxeram um pastor protestante para demovê-los de sua fé católica. Todos resistiram a esta tentativa e foram barbaramente sacrificados. Entre eles estava Mateus Moreira que, ao lhe ser arrancado o coração pelas costas, morreu exclamando: "Louvado seja o Santíssimo Sacramento". pequena Francisca de Paula de Jesus, que nasceu no Distrito de Santo Antônio do Rio das MorNhá Chica Ainda tes em São João Del Rey -MG chegou em Baependi, MG. Em 1818, com apenas 10 anos de idade, a

mãe de Nhá Chica faleceu deixando-a e a seu irmão Teotônio, então com 12 anos. Órfãos, cresceram sob os cuidados e a proteção de Nossa Senhora, que pouco a pouco foi conquistando o coração de Nhá Chica. Esta, a chamava carinhosamente de “Minha Sinhá”. Nhá Chica soube administrar muito bem e fazer prosperar a herança espiritual que recebera da mãe. Nunca se casou. Foi toda do Senhor. Se dava bem com os pobres, ricos e com os mais necessitados. Nhá Chica era analfabeta. Desejava somente ler as Escrituras Sagradas, mas alguém as lia para ela. Compôs uma Novena à Nossa Senhora da Conceição e em Sua honra, construiu, ao lado de sua casa, uma Igrejinha, onde venerava uma pequena Imagem de Nossa Senhora da Conceição que era de sua mãe e, diante da qual, rezava piedosamente para todos aqueles que a ela se recomendavam. A Venerável, morreu no dia 14 de junho de 1895, estando com 87 anos de idade, mas foi sepultada somente no dia 18, no interior da Capela por ela construída. As pessoas que ali estiveram sentiram exalar-se de seu corpo um misterioso perfume de rosas durante os quatro dias de seu velório. No dia 8 de junho de 2010, no Vaticano, deram parecer favorável às virtudes da Serva de Deus Nhá Chica, e no dia 14 de janeiro de 2011, Papa Bento XVI aprovou as suas virtudes heroicas. Este foi mais um passo em direção à beatificação. ¬Aguarda-se agora que o Santo Papa Bento XVI promulgue o decreto da Beatificação de Nhá Chica.


TOCA E QUALIDADE DE VIDA

Dificuldades de

P

aprendizagem? e z m

Até que ponto estamos preparados para lidar com diferenças?

ara nós, pais, uma fase de nossos filhos que exige muita atenção é a idade escolar. Tanto mais no fim de ano letivo, quando se intensificam as provas e os trabalhos. E depois de tanto esforço, alguns ainda recebem a noticia da reprovação de seus pequenos. Noticia essa um tanto quanto difícil de ser digerida por toda a família (especialmente pela criança reprovada). Os primeiros anos de vida escolar são decisivos e, particularmente, perturbadores quando algo não se encaixa como esperávamos. Nesse período é que surge algo que, às vezes, pode vir a se tornar um drama familiar por muitos anos: as dificuldades de aprendizagem. E, como agravante, hoje, existe o advento da comunicação extremamente rápida e eficaz. Em que é possível a derrubada de ditadores através das redes sociais, o surgimento de campanhas e celebridades instantânea. É inconcebível que nossas escolas (públicas e privadas), ainda conheçam pouco sobre esse assunto, já que não se trata de algo assim tão novo. Assunto esse que vem sendo estudado há várias décadas por universidades e pesquisadores pelo mundo. Falo sobre as dificuldades de aprendizagem tais como a Dislexia e o TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade). Geralmente, quando nos tornamos pais, temos a tendência de imaginar um filho perfeito. Na maioria dos casos,

as crianças com esse tipo de dificuldade são tratadas pelos próprios pais, professores e colegas como preguiçosas e “burras”. Entretanto, podemos estar diante de alguém que tem um limite real e precisa ter sua individualidade respeiA Dislexia é um transtorno genético tada e aceita. Caso contrário, essa atitude e, muitas vezes, hereditário. A partir do negativa pode gerar sofrimentos psíquidiagnóstico da minha filha, descobrimos cos intensos, como a depressão, a baixa que meu marido, também é disléxico. autoestima, etc. Para ele, foi bom a descoberta e, com O TDAH atinge de 3 a 5% das crianisso, o porquê de tanta dificuldade na ças em todo o mundo e parece ser um pouco mais frequente em populaDislexia da leitura, ções urbanas. E, sea dificuldade na área Caracteriza-se por um tam res guramente, de 15% ssoas disléxicas ap en escrita e soletração. Pe ípio do inc pr (o a 25% da populaão do som à letra dificuldades na associaç lexia, dis A s. tumam trocar letra ção mundial é disléalfabeto); também cos o o nd lve a visual, envo xica. Mas, a maioria contudo, é um problem cérebro, sendo comum no a rit nunca é diagnostiprocessamento da esc eita com a cada e convive com também confundir a dir acial. esquerda no sentido esp estigmas por toda a Brasileira de Dislexia vida. Vamos presuSaiba mais: Associação g.br http://www.dislexia.or mir então, por alto,

*

que em uma classe escolar com 30 alunos cerca de 4 ou 5 deles podem ter algum desses problemas. Considero isso assustador devido à falta de preparo em lidar com as diferenças. Nós, seres humanos, temos, como padrão, repararmos somente o visível (o superficial) e não buscamos a causa real de tal situação. Tenho uma filha disléxica. Foram muitos anos de luta e dezenas de médicos, (brigas com professores que, infelizmente, maltratavam-na) até conseguirmos um diagTDAH: nóstico seguro e É um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que fechado.Mesmo aparece na infância e acompanh a o indivíduo por toda a no meio médisua vida. Ele se caracteriza por sint omas de desatenção, co, encontramos inquietude e impulsividade. falta de conheSaiba mais: Associação brasileira do déficit de atenção cimento sobre o http://www.abda.org.br assunto.

*

10

Novembro/ 2012

vida escolar. Ele abandonou os estudos precocemente. Conquanto, para minha filha há a esperança de ela conseguir ser tratada com dignidade e superar as dificuldades já que poderá trabalhá-las de forma correta. Se você é pai/mãe ou professor de uma criança que apresente alguma dificuldade, procure saber mais sobre o assunto. Entretanto, tenha a cautela de não generalizar. Há outros tipos de problemas, alguns até emocionais, que podem gerar dificuldades de aprendizagem. Portanto, a informação é o primeiro passo para superar o problema! Claudia Moraes claudia@tocaloja.org.br Depto. de Captação de Recursos Central São José- Campinas/SP


TOCA NA ATUALIDADE

Algumas palavras sobre modéstia e recato

O

“Não deixa, pois, o jeito de nos vestirmos, de ser um verdadeiro apostolado silencioso...”

s profetas, os doutores da Igreja, os Padres, e todos os santos sempre aconselharam os fiéis a se vestirem com pudor e modéstia. O modo como nos vestimos é um reflexo de nossa vida íntima. O exterior reflete o exterior, diz o adágio. O modo como nos vestimos, nossa aparência, o tipo de vestuário que utilizamos, são como mensagens que enviamos aos outros, dando informações preciosas a nosso respeito: nossas intenções, nossas particularidades, nossas crenças mais profundas, nosso estilo de vida. O recato no vestir é, pois, uma mensagem poderosa que mandamos a todos: somos sérios, consideramos importante a castidade, queremos agradar a Deus, e consideramos que o corpo não deve ficar tão exposto. Não deixa, pois, o jeito de nos vestirmos, de ser um verdadeiro apostolado silencioso, influenciando a todos, e mostrando princípios importantíssimos que informam o ser humano. E se esse recato vai acompanhado da beleza das vestes e da elegância, isso é mais benéfico ainda, pois estamos deixando bem claro que se pode ser modesto, ter pudor, sem parecer uma “Maria-mijona”, pode-se ter recado e amor pela castidade exterior, sem que tenhamos um aspecto “apagado”. Evidentemente, não há um código católico de vestimenta. E isso nem seria possível, pois a Igreja trabalha com princípios, não com listas de “pode” e “não pode”. As circunstâncias nos fazem aplicar os princípios do pudor aos casos concretos. Claro que não há aqui qualquer relativismo: a moral é absoluta, o pudor é objetivo. Mas a aplicação desse pudor varia conforme a cultura, o tipo de evento, a combinação entre as roupas, o corpo da mulher que o veste, e até mesmo, a “postura” e o temperamento da pessoa. Igualmente evidente, todavia, que algumas roupas são, em geral, imodestas. Shorts muito curtos, minissaias, decotes profundos, blusas que não cobrem a barriga, calças justíssimas sem a devida cobertura, transparências indevidas, não são adequadas à mulher recatada. Não há um código, repetimos, nem uma lista. Mas a aplicação dos princípios à realidade concreta nos diz isso. É uma conclusão inevitável: certas roupas podem ser pudicas ou não conforme as circunstâncias, porém outras na maioria das vezes (ou na totalidade) são imodestas. O melhor critério para esse discernimento é a formação da consciência e a diária pergunta, diante do espelho: “Será que agrado a Deus com essa roupa?” Enfim, é bom perceber que nem toda roupa imodesta é esteticamente feia, e nem toda roupa modesta é sempre bela e elegante. É possível, assim, ser imodesta e brega, imodesta mas esteticamente bonita e na moda, bem como modesta e brega, e modesta com elegância. No conflito entre a modéstia e a imodéstia, deve aquela sempre prevalecer, ainda que a custas de parecer brega, embora o ideal seja a busca de conjugar a modéstia com o vestir contemporâneo: noutros termos, ser recatada mas Aline Rocha Taddei Brodbeck na moda, preservar o pudor porém Advogada e blogueira: http://www.feminaonline.blogspot.com/ mantendo a elegância. facebook.com/femina.moda.elegancia

Novembro/ 2012

11


TOCARTE

N

ecessário! A junção da fé com a arte tem provado sua eficácia no campo da evangelização, principalmente dos jovens. Aliás, arte e cultura são partes fundamentais da vida de qualquer pessoa. Quem não gosta de ouvir uma boa música ou assistir a um bom filme? Nós respiramos arte todos os dias. Ela nos atrai mesmo que não percebamos. Quando você para diante de um comercial ou um cartaz, aquelas cores e movimentos foram projetados para atrair sua atenção. E funciona! Somos atraidos pelo belo, pois ele nos remete à essência de nosso ser. O “Belo” é Deus, e por mais que a beleza das coisas não esteja devotada a Ele, elas nos remetem ao nosso Criador. Ouvir uma boa música, bem executada e harmoniosa, nos faz alcançar um grau de interioridade que muitas vezes desconhecemos. Às vezes, gosto de ir a concertos de música clássica, para “higienizar o interior” (culturalmente falando). Usar de criatividade para proporcionar uma bela arte que primeiro conquiste as pessoas e depois lhes comunique a fé, deveria ser o lema de vida de todo artista católico. Como necessitamos de arte de qualidade! Aos cantores católicos, faço três perguntas: *Seus shows não atraem mais ninguém?; *Sua mensagem já parece desbotada e sem brilho?; *Você acha que chegou no limite do dom que Deus te deu? É hora de se reinventar! Deixe o palco e assuma o lugar de espectador de seu próprio show. Se pergunte: “Esse show é o quê eu quero ver? O que falta?”. Não tenha medo de ousar. Se desapegue de seus velhos conceitos e se coloque no lugar de verdadeiro instrumento nas mãos de Deus. Deixe de lado o orgulho de se achar uma estrela insubstituível. É Deus quem tem que brilhar, mas Ele quer que você chame atenção para que as pessoas, olhando para você, encontrem-No.

Um encontro de

Arte&Fé

Levanto, mais uma vez, minha bandeira: melhores cenários, melhores figurinos, melhores shows para alcançarmos mais pessoas para o melhor de todos os deuses. Se a arte fora da Igreja é tão boa, é porque aqui dentro ela pode ser melhor. Mudando de assunto… Logo no início deste mês, dia 03, acontece em Curitiba um evento da Toca que promove o encontro da arte com a fé. O Toca Fest, nasceu de uma experiência boa que já fizemos anteriormente. Agora, vai para Curitiba com a proposta de reunir boa música, dança, teatro... Tudo isso regado pela experiência de fé, levando os participantes a apreciarem boa cultura, e, ao mesmo tempo, receberem a comunicação da nossa obra na cidade de Curitiba. Além disso, tomam conhecimento de nossos projetos futuros para missão. Na internet, foram vários questionamentos sobre estender o evento a outras cidades, tais como São Paulo, Rio e Brasília. Quem sabe não será a primeira de várias experiências semelhantes?! O “Toca Fest Curitiba” contará com uma grade de apresentações dinâmicas e bem desenhadas. E mais: teremos presenças especiais como as cantoras católicas Nazaré Araújo e Katiane Silva. O evento reunirá algumas “jóias” que fizeram a história do Tocarte: Gabriela Carvalho, Maria Elisa Neder e Flávio Calixto. Além das músicas e danças, o evento conta com algumas encenações que foram preparadas ao estilo Tocarte e que também terão alguns convidados. Para os curitibanos, será uma boa oportunidade de se encontrar com a Toca num evento de arte e fé. Para os que são de outras cidades, faço votos de que participem. E quem sabe, o Toca Fest não tenha outras edições: “Toca Fest Rio de Janeiro”, “Toca Fest São Paulo”, “Toca Fest Fortaleza”…

Para este mês, minha sugestão de filme é “Homens e Deuses”. Faça a pipoca, reúna a família e boa sessão! Irmão Tarcísio, FPSS ministrosp@fpss.org.br


Missão Sacramento de Amor de Anápolis-GO

Natal dos Pobres Rio de Janeiro 2011

Mural da

Em 2012, venha para o... 7° Natal da Toca no Rio de Janeiro Dia 16 de dezembro, a partir das 07h00! Para mais informações: TEL:(21) 2137-3223 TEL:(21) 2611-2736 OBS: As outras missões também realizarão este evento! Entre em nosso site e encontre os contatos!


Dia de todos os santos

Pandora Escola de Artes

Comemorado no dia 1ยบ de novembro!

14

Novembro/ 2012


Valor total

Qtde.

CPF:

Complemento: CEP: Telefone com.: ( ) RG: e-mail:

Cidade: Telefone cel.: ( )

Descrição do produto

Nº: UF:

Tamanho

A Toca de Assis é uma Fraternidade de religiosos, leigos e sacerdotes com espiritualidade franciscana. Nosso Carisma é a adoração ao Santíssimo Sacramento e o cuidado aos pequeninos do Senhor, os pobres em situação de rua. Ao adquirir os produtos da Toca, você contribui para a manutenção desta Obra. Entre em contato no horário comercial pelo telefone: (19) 3886-7086 ou visite nossa Loja virtual:

Nome completo: Endereço: Bairro: Telefone res.: ( ) FAX: ( )

Curta nossa página no Facebook

Ficha de pedido

*

Siga-nos no Twitter: @tocaloja

Preencha e envie-nos para nosso FAX (19) 3886-7086 ou pelo Correio. Rua Amador Bueno, 45, Vila Industrial - Campinas/SP. CEP: 13035-030 ATENÇÃO! Preencha TODOS os campos para validar e agilizar seu pedido

A

nova coleção de camisetas da Toca de Assis tem como inspiração o "C ântico das criaturas" de São Francisco de Assis , este belo hino de louvor ao Senhor por sua criação tão perfeita e bela. Além disso temos também o início do resga te de camisetas antigas da Toc a, totalmente repaginada s, em cada coleção será lançada uma nova camiseta "Retrô" . Confira essas e outras no vidades em nossa Loja Virtual!

www.tocaloja.org.br

Novembro/ 2012

15


Eu ajudo a Toca! Kit higiene masculino

Kit higiene feminino Neste mês, nós estamos arrecadando doações de alguns itens que irão compor o “Kit higiene” de nossos acolhidos e acolhidas das missões Toca de Assis de todo o Brasil! Os Kit’s serão distribuídos como presentes no“Natal dos Pobres”. Entre em contato com Toca mais próxima de você e nos ajude nesta campanha! Paz e Bem!

Faça sua contribuição!

Ela será destinada a casa da Toca mais próxima de você!

“É maior alegria dar que receber.” Atos 20,35

17-revista-novembro-2012  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you