Page 1

Publicação da Fraternidade de Aliança- Toca de Assis- Abril de 2012

Revista de

AssiS

QUALIDADE DE VIDA SAÚDE PÚBLICA: UM DIREITO DE TODOS!

TOCA EM PALAVRAS O PODER DO AMOR!

“TINHA UMA PEDRA...”

‘NO MEIO DO CAMINHO’ DE MUITA GENTE:

segundo dados do Ministério da Saúde, só no Brasil há cerca de 600 mil usuários e dependentes do CRACK!


ÍNDICE

5

TOCA EM PALAVRAS

7

TOCA EM RETALHOS

8

ARTIGO ESPECIAL

10

TOCA E QUALIDADE DE VIDA

11

TOCA NA ATUALIDADE

Amados Irmãos e Irmãs em Cristo e Família Toca de Assis. O Senhor ressuscitou verdadeiramente! Aleluia! É com imensa alegria que neste mês de abril celebramos um dos mais sublimes mistérios da Santa Igreja: o Mistério da Redenção! Eis que Jesus veio ao mundo para que todos tenham vida e a tenham plenamente! Vivemos em um mundo tão conturbado, tão cheio de conflitos, tensões e paradigmas. Mas, os cristãos devem levantar os olhos e a voz e gritar a este mundo, àqueles que não têm mais esperança e que se encontram desanimados, desiludidos, ”vivos”, mas quase “mortos”: Nosso Deus Vive! Não se encontra mais em um túmulo! Diferente de tantos outros grandes líderes onde encontramos em seus túmulos a inscrição: aqui jaz ...” Ao contrário, podemos contemplar o grande mistério da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo, profundo Mistério da nossa fé! Pelo Augusto Sacramento da Eucaristia, diante da presença real do Senhor Sacramentado, podemos gritar ao mundo de um modo diferente: “Aqui vive o Autor da VIDA e consumador da nossa fé! Por intercessão de Santa Catarina de Senna, doutora da Igreja e nossa patrona, celebrada em 29 de abril, possamos mergulhar na profundidade do Amor do Deus Encarnado, que deu a Sua vida para que Nele tivéssemos vida, e vida em plenitude! É o que desejamos a todos... Santa, Feliz e “Perpétua” Páscoa! Abram os corações a este Deus Vivo! E tenham VIDA! Irmã Maria dos Anjos

12

EXPEDIENTE

TOCART

Fraternidade de Aliança Toca de Assis CNPJ: 02019254 /0001-87 www.tocadeassis.org.br

14

Central São José Rua Amador Bueno, 30, Vila Industrial Campinas- SP. CEP: 13035-030 benfeitoria@tocadeassis.or.br

TOCA KIDS

SAV- Serviço de Animação Vocacional Masculino-vocacionalmasc@tocadeassis. org.br Feminino-vocacionalfem@tocadeassis. org.br

15

Revista Toca de Assis Publicação mensal da Fraternidade Toca de Assis Presidente: Ir. Gabriel do Verbo de Deus Vice: Ir. Maria dos Anjos do Mistério da Cruz

TOCA LOJA

2

EDITORIAL

Abril/ 2012

Coordenação de Comunicação: Ir. Xavier Maria da Eterna Sabedoria Editor chefe: Ir. Tarcísio de Jesus Jornalistas: Gabriela Saldanha Projeto gráfico: Gabriela Saldanha e Janaína do Amaral Diagramação: Gabriela Saldanha Marketing: Andressa Von Ah Revisão ortográfica: Luciana Marcolino Impressão e tiragem: 10.000 Colaboradores nesta edição: Irmã Maria dos Anjos (Ministra Geral); Dom Eurico dos Santos Veloso; irmã Verônica Maria; Irmã Perpétua; Irmão Vicente de Paulo e Radamés Guarienti Sippert (Missão de Sete Lgoas- MG; Márcia Maria Pala de Lima; Dom Aloísio Roque Oppermann; Irmão Tarcísio e Jânio Garcia.


TOCA PARA A IGREJA

Jesus ressuscitado manifesta-se na Eucaristia

Cativados pela Palavra de Jesus, os discípulos convidam-No para que seja hóspede deles: “Fica conosco, pois já é tarde e a noite vem chegando!” Aqui, é preciso ir além da simples constatação de que, como em diversos lugares do mundo, na Palestina, a noite cai depressa. O pedido dos discípulos é o próprio apelo da comunidade cristã. De fato, quem sairia prejudicado pela noite que se aproximava: Jesus ou os discípulos? Estes, apesar de terem uma casa onde ficar, acabariam privados da luz, que é Jesus. Nesse sentido, o apelo dos discípulos está bem próximo de outra invocação das primeiras comunidades: “Vem, Senhor Jesus!” Jesus aceita o convite, em solidariedade à comunidade. De fato, de hóspede, passa a ser dono da casa, o anfitrião, pois é Ele quem lhes dá o pão: “Sentou-se à mesa com os dois, tomou o pão, abençoou-o, depois partiu e o dava a eles.” Temos neste versículo, os termos técnicos que indicam a Eucaristia. É o segundo instrumento que leva à fé em Jesus ressuscitado: a partilha, a comunicação da vida. E é, também, o momento decisivo, porque os olhos dos discípulos se abrem e eles reconhecem Jesus nesses dois meios fundamentais: a Sagrada Escritura e a Eucaristia. Daí em diante, é supérflua a presença física de Jesus. Ele desaparece porque a comunidade possui os dois sacramentos da presença Dele: Sua Palavra e Seu gesto de partilha. Basta viver isso para sentir a presença do Cristo vivo em nosso meio. Presente pela sua Palavra, presente pela Eucaristia, Sacrifício tornando presente, o Sacrifício do Calvário e repetindo a Última Ceia, Eucaristia-Comunhão, para nosso alimento espiritual; Eucaristia-Presença, para nossos encontros,nossos colóquios , nossa adoração. Dom Eurico dos Santos Veloso, Arcebispo Emérito de Juiz de Fora, MG

MÃE DA IGREJA

Nossa Senhora do Bom Conselho Gloriosíssima Virgem Maria, escolhida pelo eterno Conselho para Mãe do Verbo Humanado, tesoureira das divinas graças e advogada dos pecadores, eu, o mais indigno dos vossos servos, a vós recorro para que me sejais guia e conselheira neste vale de lágrimas. Alcançai-me, pelo preciosíssimo sangue do vosso divino Filho, o perdão dos meus pecados, a salvação da minha alma e os meios necessários para obtê-la. Alcançai também para a Santa Igreja o triunfo sobre os seus inimigos e a propagação do reino de Jesus Cristo em todo o mundo. Amém. Em 26 de Abril a Igreja celebra o dia de Nossa Senhora da Anunciação! Abril/ 2012

3


FORMAÇÃO .hu ww.sxc

Foto: w

Páscoa, seu real sentido Vivenciamos os mistérios da vida de Cristo

Páscoa (do hebraico Pessach) significa passagem. É uma grande festa cristã para nós, é a maior e a mais importante festa. Reunimo-nos como povo de Deus para celebrarmos a Ressurreição de Jesus Cristo, Sua vitória sobre a morte e Sua passagem transformadora em nossa vida. O Tempo Pascal compreende cinquenta dias a partir do domingo da Ressurreição até o domingo de Pentecostes, vividos e celebrados com grande júbilo, como se fosse um só e único dia festivo, como um grande domingo. A Páscoa é o centro do Ano Litúrgico e de toda a vida da Igreja. Celebrá-la é celebrar a obra da redenção humana e da glorificação de Deus que Cristo realizou quando, morrendo, destruiu a morte; e ressuscitando, renovou a nossa vida. Foi com a intenção de celebrar a Páscoa de Cristo que, desde os primórdios do Cristianismo, os cristãos foram organizando esta bela festa. Mas a partir de muitas propagandas midiáticas e de muitos outros costumes da nossa sociedade, vemos, sem dúvidas, que essa bela intenção foi se perdendo. Para muitos a Páscoa virou sinônimo de um "feriadão" ao lado de muitos outros feriadões, com o único objetivo de quebrar a monotonia da vida; com intenções e modos que não expressam os reais valores e sentidos da grande festa que é a Páscoa. Em muitas casas, a Páscoa é vivida de forma paganizada e estragada pelas bebidas e orgias desse mundo, sem um mínimo de senso religioso ou moral; ou como um mero folclore, um mero tempo para viajar, comer chocolates e descansar de suas fadigas. Assim, um tempo que nasceu para construir laços familiares e renovar a nossa sociedade “De abraço esmagante, de com valores perenes, acaba não atingindo o seu objeausência torturante. De noiIsso, para nós, deve ser tivo. As confraternizações, os alimentos específicos e te e luz é feito esse amor!...” motivo de grande júbilo e aleA ressureição de nosso Se- gria! O refrão da música Abramuitos outros costumes são importantes e nos ajudam nhor Jesus Cristo é uma gran- ço Eterno, interpretada pelo a celebrar a Páscoa, mas não podem nos desviar do seu de legado, herança de espe- conjunto Missionário Shalom, principal e essencial sentido. Hoje, temos uma geração rança que Ele nos deixou. consegue colocar em palavras que não entende nada do verdadeiro sentido da Páscoa, Jesus venceu a morte por um sentimento profundo do mas devemos celebrá-la bem – nós que não nos fechaamor aos seus e também nos coração humano. tornou vencedores com Ele. “De abraço esmaganmos às suas origens e sabemos que ela é mais do que Como disse a Nicodemos, te: esse abraço amoroso de um "feriadão"; é uma "grande semana" na qual vivenprecisamos nascer novamen- Deus por nós nos dá uma ciamos os mistérios da vida de Cristo e os mistérios da te da água do Espírito para noção de intensidade de Seu nossa própria vida. Todos nós cristãos devemos, hoje, entrarmos no Reino do Céu. imenso amor. ...de ausência Através do sacramento do Ba- torturante: essa ausência é nos comprometer em nos mantermos fiéis às nossas tismo, Ele nos concede essa a saudade de Deus que toda origens e celebrarmos o sentido original, belo e prooportunidade de nascermos alma humana sente, mesfundo da nossa maravilhosa festa, que é a celebração novamente. Também nos dei- mo aquelas mais distantes e da Ressurreição do Senhor. Que nossas boas obras e xou o sacramento da Recon- descrentes. De noite e luz é nossas vozes, em cada canto das nossas cidades, posciliação, onde, a cada confis- feito esse amor!”: as noites são, nos deixamos lavar pela escuras dessa vida, os mosam levar a alegria do Ressuscitado; sobretudo aos poSua misericórdia e nascemos mentos difíceis, os sofrimenbres, doentes, distanciados e a todas as pessoas, pois de novo. Deixou-nos a Euca- tos e as dores que são ilumisão amadas pelo Pai. ristia, Seu Corpo e seu San- nadas por essa luz que vem Irradiemos ao nosso redor a esperança e a certeza da gue, alimento que sustenta a Daquele que passou por todo nossa alma e nos dá a vida sofrimento, angústia e dores. presença de Cristo Ressuscitado. Que se encha nosso eterna. Pelo Seu sofrimento, Daquele que vivia no abraço olhar de luz, como os das mulheres que viram o sepulda Sua Paixão, Nosso Senhor do Pai, mas por Amor, desceu cro vazio e o Filho de Deus ressuscitado (Mt 28). Que Jesus Cristo não só venceu a e se fez carne. Sofreu a noite possamos também nós, numa só fé, exclamar como morte e ressuscitou, mas nos da angústia, sentiu a ausência elas “o Senhor Ressuscitou, aleluia”. deixou os sacramentos para do Pai na Cruz, mas, em Sua que possamos com Ele, todos Ressureição nos deu a luz da Pe Geraldinho - Com. Canção Nova

Morte e Ressu rreiçã o

4

Abril/ 2012

os dias renascermos novamente na água do Espírito.

esperança e abriu o céu para nós. Irmã Verônica Maria


Foto: www.sxc.hu

TOCA EM PALAVRAS

O poder do Amor!

Quando nascemos, temos uma única certeza: um dia iremos morrer! Há tantos tipos de vida como tantos tipos de morte. Há vidas enriquecidas, por se fazerem dom de si ao outro. Há outras vidas que pensam serem tão ricas, que vivem tão cheias de si e para si, esquecidas da existência do próximo, que se tornam miseráveis, mesquinhas... Aos poucos, essas vidas vão se tornando morte. Também, é verdade, há tantos que vivem como mortos, e, outros, que no luto de morte, conseguem transmitir a luz e o sabor da vida! Há, ainda, a morte dos incrédulos. Para eles, tudo acaba aqui. Então, a morte se torna perda eterna. Para nós, cristãos, a morte não é perda... Ela é a passagem para a vida eterna. Essa é a morte dos que creem. Existem mortes que são consequências de vícios, violência, fome, doenças... Existem pessoas que vivem construindo o Reino de Deus, que semeiam o bem, levam a paz, a fé, a caridade. Essas pessoas vivem na terra em missão, mas visando sua verdadeira pátria que é o céu. A vida de Jesus na terra foi cumprir a vontade do Pai. Foi amar num amor desmedido! A sua morte foi uma morte real, sofrida, mas fecunda. A morte que se deu numa entrega total “Minha vida ninguém toma, eu a dou livremente!”. A morte de Jesus deu-nos a vida, nos salvou, pagou por nossos pecados, nos amou até o fim. “Ninguém tem maior amor do que quem dá a vida pelos amigos!”. E nessa total entrega, o Amor venceu morte! Ele ressuscitou! O sepulcro está vazio porque Ele vive! “Não vos espanteis! Procurai Jesus de Nazaré, o crucificado, não está aqui, ressuscitou!” Mc 16,6. Precisamos, que nessa Quaresma, aprendamos a viver a vida de Jesus nas coisas simples do dia a dia (a renúncia da nossa vontade, ceder o lugar, o esquecer o nosso cansaço e ser descanso do outro)... Encontrar nessas mortes escondidas e ofertadas, a verdadeira vida e ressurreição. Se vivermos bem essas mortes, chegaremos bem à Páscoa, numa renovada esperança. Assim como Maria Madalena, Pedro, João e os discípulos de Emaús, teremos visto, ouvido e experimentado a Deus. E, todos os dias, esse mistério de amor vem até nós, através da Santa Missa, e se estende quando Adoramos Nosso Senhor (seja no Sacrário ou no ostensório). Porque temos essa certeza: Ele vive! Acreditamos que quem Nele crê ressuscitará e terá a vida eterna, pois, “ se o Amor é mais forte que a morte, quem morre amando não pode morrer!”.

Irmã Perpétua

LITURGIA

Missas Votivas

Cuida-se de uma série de formulários, que poderão ser usados nos dias livres, nas férias do Tempo Comum em que não ocorram Solenidades, festas ou memórias obrigatórias, para favorecer e promover a piedade dos fiéis. Tais esquemas de Missas celebram algum mistério do Senhor, ou a Virgem Santíssima, ou um anjo, ou um santo, ou um conjunto de santos. Constam tradicionalmente no Missal Romano desde a Idade Média. É bastante recomendado que sejam celebradas, de acordo com o que foi explicado acima em relação às Missas para diversas necessidades: evitar a repetição do Próprio do Domingo precedente (ainda que as leituras sejam específicas para cada dia, de acordo com os lecionários feriais, um ponto muitíssimo positivo da reforma litúrgica). Há uma tradição de aplicar cada dia da semana a um tema, de modo a termos, nos dias livres, celebrações distintas com Missas votivas segundo seus formulários especiais: na segunda-feira, é costume celebrar Missa pelos defuntos; na terça, comemorar os santos anjos da guarda; na quarta, São José; na quinta, a Santíssima Eucaristia ou o Preciosíssimo Sangue de Cristo; na sexta, a Paixão do Senhor e Sua Cruz; no sábado, a Virgem Maria. Também é hábito que, na primeira sexta-feira de cada mês, se celebre uma Missa em honra do Sagrado Coração de Jesus. Claro que esses formulários de Missa votiva só podem ser utilizados, regra geral, nos dias livres – muito embora a intenção de comemorar cada santo ou mistério como os acima possa se fazer presente mesmo em uma Missa não-votiva. As Missas votivas têm seu Próprio (orações e prefácio e, eventualmente, leituras) e sua cor litúrgica. Fonte: cancaonova.com5 Abril/ 2012


ORAÇÃO

CORAÇÃO DA TOCA “A minha alma engrandece eglorifica ao Senhor”- Lc 1

Oração a São Rafael pelos doentes Ficai conosco, ó Arcanjo São Rafael, chamado ´medicina de Deus´. Afasta para longe de nós as doenças do corpo e da alma e trazei saúde às nossas mentes. São Rafael, glorioso Arcanjo, medicina de Deus, eu vos chamo e invoco, para que cureis toda a cegueira e todas as enfermidades da minha alma, e me ajudeis a fugir dos pecados, que causam tantos males. Amém. Glorioso São Rafael, rogai por nós! DO LIVRO "OS ANJOS" do Prof. Felipe de Aquino 6

Abril/ 2012

Sou mato-grossense e tenho 21 anos. Minha vida é prova da ação de Deus! Minha mãe teve uma complicada gestação, com risco altíssimo de aborto espontâneo logo no inicio. Porém, ela entregou-me, desde então, a Nossa Senhora, que aceitou a oferta e pude viver! Nasci e morei até os 14 anos no interior, numa pequena cidade chamada Canarana. Tive uma vida simples e feliz. Sai de casa em 2005 para cursar o ensino médio e técnico em Agropecuária num colégio agrícola (CEFET), no sistema de internato na Serra de São Vicente, a 80 km de Cuiabá. Por Misericórdia fui preservado de muitos males mundanos. Vivi a falta de sentido existencial distante do Amor de Deus, aliado a um enganoso envolvimento em práticas da doutrina espírita. Isso levou-me a um início de quadro depressivo, pois eu não tinha um sentido mais profundo... Conheci mais de perto meu catequista de crisma, Marcelo Ramos (hoje seminarista), estudante da mesma turma que a minha. Vi aí um jovem diferente, servo da RCC, que foi esclarecendo minhas inúmeras dúvidas. Entretanto, mesmo eu sendo catequizando insistia em querer participar do espiritismo. Foi então que a Palavra de Deus, cortante e penetrante, invadiu minha história. O Marcelo, leu para mim Apocalipse 3: “seja frio, ou seja, quente, o morno eu vomito”. E, que choque! Agora, precisava escolher em ser de Cristo ou rejeitá-Lo. Não dava para misturar água e óleo. Então, contrito, decidi ser verdadeiramente cristão. E me encantou ver quanto a Igreja é jovem e bela, encontrei aí minha alegria que nunca mais perdi. Depois participei de um retiro conduzido pela Comunidade Luz da Vida de Goiânia – GO. Diante de tudo que lá pude ouvir nos testemunhos e viver nos momentos de oração, compreendi que Deus me amava profundamente me esperava ansiosamente... Minha vida, sonhos, desejos e valores foram se orientando para Ele. Afinal, encontrei o sentido de tudo. No colégio, depois de uma Vigília de Adoração, nasceu nosso grupo de jovens, no qual vivemos fortes experiências com Deus. Passei a ter um desejo escondido de seguir a Jesus mais de perto, mas não sabia como. Participávamos de retiros na Canção Nova de Cuiabá e, em um deles, em junho de 2007, foi com Padre Roberto Lettieri. Então, durante uma Adoração por ele conduzida, na qual ele proclamava que Deus chamava alguns jovens dali. E, exatamente no momento em que pedi a Deus uma confirmação, se era a mim que Ele chamava, o Padre apontou para meu rosto fazendo sinal com a mão para que eu tudo deixasse. Agora, não tinha mais dúvidas: o Altíssimo me chamava e pedia minha vida inteiramente consagrada. Terminei a terceira série do ensino médio e colei grau, iniciei o acompanhamento vocacional, que durou 2 intensos anos. Foi um tempo difícil e de muitas provações familiares e no trabalho. Nesta época, consegui um emprego como - recepcionista de hotel. E, por causa da distância das casas da Toca, fiz com muito custo e ajuda de amigos, algumas viagens para retiros vocacionais e experiências. Cada vez mais, recebia fortes confirmações de minha vocação. Pude crescer neste precioso e sofrido tempo, até ser acolhido, em setembro de 2009, em um período de grande reestruturação do qual me alegro em viver. Morei em Curitiba (como aspirante) e em Porto Alegre (como postulante). Há oito meses, resido em Sete Lagoas. Sou muito feliz em viver este Carisma. Sou feliz em amar e servir. Em ver como Deus nos forma em cada experiência com Ele no Altar, nos Pequenos (e quantos já passaram por minha vida), na intensa vida fraterna – que tanto me sustenta - e na formação que recebemos, da qual colho inúmeros frutos. De fato, a Virgem Santíssima me separou desde o ventre materno. Nasci no dia em que a Igreja proclama seu Magnificat, é meu desejo reparar as ofensas contra seu Imaculado Coração. Ser-lhe fiel, apesar de minha fraqueza. Ofertar-me a Ela movido de gratidão, sabendo que é justo que tudo oferte, diante de tanto Amor que recebi, e Ela, me formará um consagrado ao gosto de Jesus. Vivo, para que, como ela cantou seu Magnificat pelo Mistério da Igreja quando nasci, Ela o cante no dia de minha morte este que, em minha opinião, é o maior Hino de Adoração, afinal, foi composto pela Mãe de Deus... “Sou todo Vosso, ó Virgem Maria, e, tudo o que possuo, é Vosso.” Testemunho do religioso, Abril/ 2012 6 Radamés Guarienti Sippert


TOCA EM RETALHOS

Deus habita nos pequenos para estar no meio de nós!

Este é um dos tesouros da Missão de Sete Lagoas: Wanderson dos Santos, carinhosamente chamado de “Tatá” (por gostar de bater fortemente as portas da casa...). Acolhido desde 2002, ele marca a vida de muitos religiosos e leigos que por aqui passam. Teve complicações em seu desenvolvimento e possui demência acentuada. Andava no centro da cidade em meio aos esgotos e comendo de tudo. Por gostar muito de carros e tentar abri-los, apanhava muito por pensarem que estava roubando. Apesar de sua aparência forte, nem de longe é agressivo. Pelo contrário, é muito carinhoso. Não fala, mas produz sons peculiares que nos permitem ver se está feliz ou bravo. Fica o dia inteiro atrás de algum religioso ou acolhido que lhe dê atenção e carinho. Se não encontra ninguém, sobretudo em momentos de oração, partilha e formação dos religiosos, faz de tudo para chamar a atenção, valendo-lhe o famoso apelido. Contemplando nele a presença de Cristo, vemos Este que não se cansa de, insistentemente, nos buscar para que tenhamos uma vida de intimidade com Deus. Wanderson marcou e marca a história de muitos. Exige grande cuidado, atenção, carinho e amor... E, é, aqui, o instrumento de Deus mais eficiente para fazer os religiosos exercitarem a virtude da paciência! Vemos em sua vida o grande cuidado de Deus, encaminhando-o até aqui. Assim, ele pode ter uma vida mais digna e ser amado, não por aquilo que possa ter ou oferecer, mas por ser o que é: Filho Amado de Deus. Testemunho do acolhido, Wanderson dos Santos

Missão de Sete Lagoasr/MG:

TOCA EM AÇÃO

um desejo do Beato João Paulo II

Há 13 anos, a Toca de Assis esta presente em Sete Lagoas. Nesta cidade, podemos perceber as maravilhas de Deus Sacramento, que se manifesta neste belo Carisma que toca a muitos. Nossa missão nasceu a partir de uma conversa do nosso Bispo Emérito Dom Jose Lima com o amado Beato João Paulo II. O Beato João Paulo II aconselhou-o a abrir uma casa que cuidasse dos pobres mais pobres. A partir daí, Dom José fez um pedido ao nosso instituto, para que abríssemos uma casa. Nessa mesma época, alguns jovens, já conhecendo o carisma, tinham iniciado um trabalho de Pastoral de Rua na cidade e outros haviam entrado no Instituto dos Filhos e das Filhas da Pobreza. Em 1999, é aberta a primeira casa para o acolhimento dos pobres. Mais tarde, com o total apoio de Dom José, é comprada uma pequena casa em um grande lote e tiveram início as construções para adequá-la às nossas necessidades. E, atualmente, podemos aliviar o sofrimento de 20 ex-moradores de rua, dando a eles a dignidade que a rua lhes tirou. Nossa casa tem dado apoio aos irmãos “trecheiros” que passam por aqui e necessitam de um descanso. Fazemos também

nossas pastorais em Belo Horizonte, onde existe uma maior demanda. Vamos com os Irmãos, Irmãs e leigos da Toca, e comunidades irmãs, somando forças para, juntos, aliviarmos o sofrimento destes pequeninos e, principalmente, levamos, aos seus corações, a esperança e o Amor de Deus. Buscamos, também, levar a beleza deste carisma aos leigos. No primeiro sábado de cada mês, temos o Santo Sacrifício em honra da Virgem de Fátima. Depois, temos o Cenáculo em nossa casa, com a devoção dos primeiros sábados. No segundo sábado de cada mês, temos o Cenáculo nas praças públicas. Já no terceiro sábado, a Sublime Hora Fraterna e a convivência. Aos domingos, alguns deles assumem horários de adoração e, conforme agendamento, rezamos o Cenáculo semanal nas famílias.Também, em Sete Lagoas, há uma das casas de formação de postulantado dos Filhos da Pobreza. Nessa casa, proporcionamos aos formandos a experiência com este Carisma. Carisma esse que continua a encantar os jovens a anunciarem o Reino Eucarístico e a proclamar que dos pobres é o Reino dos Céus. Contamos, ainda, com grande ajuda da saúde pública, através das

pessoas que ali trabalham, e se sensibilizam com esta causa nobre. Nossa gratidão a Deus Sacramento por nos sustentar a cada dia nestes anos, por colocar tantos corações generosos para serem canais de Sua Providência. Nossa gratidão a Dom José Lima que ouviu o conselho do nosso saudoso Beato João Paulo II. Nossa gratidão a Dom Guilherme Porto, atual bispo, pelo seu apoio constante. A todos os sacerdotes, pelo auxílio. E, aos nossos tesouros - os acolhidos - o nosso muito obrigado. Que a intercessão da Virgem de Fátima, São José, de nossos Santos Patronos e do Beato João Paulo II, nos sustente sempre, para que, juntos, possamos anunciar ao mundo que Jesus está vivo e é o Santíssimo Sacramento que nos alimenta e nos leva aos pequeninos.

Abril/ 2012

7


artigo especial

“No meio do caminho

tinha uma pedra!”

D

ção, personalidade, convívio...). Se assim o fizermos, veremos também que inúmeras são as causas que levaram “aquelas” pessoas a encontrarem nas drogas um refúgio. Dentre tantos tipos, as mais conhecidas são a maconha e a cocaína (na categoria das “naturais”); o êxtase e o LSD (feitos em laboratório). Contudo, há um ranking de popularidade ascendente que torna o crack uma das drogas mais notórias da América Latina. É impressionante como, só no Brasil, o número de usuários saltou de 380 mil (em 2005) para praticamente o dobro, atingindo 600 mil dependentes no ano passado. Na década de 1960, nos Estados Unidos, a cocaína era considerada como a “droga dos ricos”, por custar caro. Por esse motivo, a criação de uma “droga mais acessível” era gritante! É certo que (por mais baixo e sujo que pareça) havia muitos interesses políticos e governamentais para que isso acontecesse. Segundo o jornalista e pesquisador norte-americano Ney Jansen, na década de1980, jovens dos bairros pobres de South Central de Los Angeles, Califórnia, foram devastados pelo crack. Em 18.08.1960, o jornal local San José Mercury News publicou uma série de artigos sobre como a droga se apoderou daquele território, do qual destaco um parágrafo: “(...) Além de destruir as sedes, prender e assassinar os militantes Panteras Negras (partido radical de esquerda), a CIA e o FBI passarão, em associação com narcotraficantes da América Latina (a base do atual governo colombiano), a despejar Mais que um “subproduto”, o crack é uma forma imtoneladas de cocaína, maconha e heroína nos bairros negros, visando pura de cocaína. Ele é preparado a partir da extração a desarticulação política, levando à dissolução de uma substância alcaloide da planta Erythroxylon do Partido.” coca. Chamada benzoilmetilecgonina, esse alcaloide Entenderam o absurdo? Mais uma é retirado das folhas da planta, dando origem a uma vez, os altos cargos públicos se utilipasta: o sulfato de cocaína. A pasta misturada com zaram do poder a eles concedido (pelo bicarbonato de sódio forma a base do crack, mas a povo) para garantir seus interesses droga tem pelo menos 10 substâncias diferentes em (financeiros) particulares às custas da sua composição, como por exemplo: talco, sacarosaúde da camada mais pobre dos Esse, glicose, amido, farinha, e outros “pós brancos”. tados Unidos. E não demorou muito Geralmente é fumado em cachimbos mas pode tampara que o vício se espalhasse, tomanbém ser apenas aspirado. O nome deriva do verbo do conta, também, do território brasileiro. “to crack”, que, em inglês, significa quebrar, devido Cerca de cinco vezes mais potente aos pequenos estalidos produzidos pelos cristais (as que a cocaína, e relativamente mais pedras) ao serem queimados, como se quebrassem.

rogas: hoje em dia, já se tornou um assunto comum e sem novidades. Concorda comigo? Bom, a meu ver, pelo menos, é assim. A todo o momento, ouvimos falar sobre usuários aqui, traficantes ali, vítimas em tal lugar... Notícias de um mundo “tão, tão distante”. Mas, ao mesmo tempo em que tais informações parecem existir longe da realidade em que vivo, é só eu olhar para o outro lado da rua (e aqui a colocação não entra como metáfora) para quase tocar algo em que pensava estar afastada. Para enxergarmos, basta “estourar a bolha” em que nós mesmos resolvemos viver (por inúmeros motivos: educa-

O que é o crack?


barato, o crack tem sido cada vez mais utilizado, e não somente por pessoas de baixo poder aquisitivo ou carcerários, como há alguns anos. Ele está, hoje, presente em todas as classes sociais e em diversas cidades do país. Foi-se o tempo em que apenas o centro da cidade de São Paulo era nomeado como Cracolândia (onde, com o passar dos anos se desenvolveu um intenso tráfico de drogas, p e r m e a do por prostituição e violência). Atualmente, a “boca do lixo” pode ser encontrada também no Rio de Janeiro, Salvador, Maceió, Pernambuco, (etc), não só nos centros urbanos, mas também nas áreas rurais. Como foi dito, esse mal atinge brutalmente toda a América Latina. É difícil admitir, mas, cabe a nós, como sociedade, reverter essa situação. Alguns religiosos da Toca, puderam entrar em contato e, até mesmo, conviver com pessoas dependentes do crack. Irmão Paulo, guardião da Missão que havia em Bogotá (Colombia), disse que a região chamada El Bronze é pior que a Cracolândia de São Paulo. “É chocante. As pessoas ali, vivem como animais jogados na sarjeta!”. Irmão Salatiel, que também esteve na mesma Missão, disse que não há mesmo como diferenciar uma pessoa de um cachorro. Cenas como corpos sendo jogados no lixo e usuários agonizando no chão em meio a ratazanas eram corriqueiras. “Eu vi um casal vindo em minha direção, com os olhos vermelhos e arregalados como se fossem zumbis. Eles empurravam um carrinho de criança, daqueles que meninas têm quando pequena, mas dentro não levavam uma boneca, e sim bebê de verdade!”, conta ele como sendo essa a imagem mais impressionante que guarda do local. Em dezembro de 2011, o governo federal lançou um conjunto de ações para o combate ao crack. O programa “Crack, é possível vencer” conta com a criação de 49 Centros de Referência em Crack e Outras Drogas e com investimento de R$ 4 bilhões numa parceria entre União, Estados e Municípios. Ele deverá aumentar a oferta de tratamento de saúde aos usuários de drogas, além de combater o tráfico e as organizações criminosas. Denominando a dependência do crack como uma epidemia, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse que “o crack se tornou uma grande ferida social pela capacidade de desestruturar famílias, ambientes sociais”. Estima-se que até 2014, por meio do “Crack, é possível vencer”, mais de R$ 2,1 bilhões sejam investidos nos cuidados aos usuários da droga. Sendo mais de R$ 560 milhões ainda esse ano. Além dessa ação, movimentos como “Crack – Tire esta pedra do seu caminho” têm atraído muitas pessoas em todo o país para fazerem passeatas, protestos e eventos contra essa droga. Por mais que queiramos colocar “a poeira” debaixo do tapete, o crack (e as outras drogas) existe assim como o vício e também todo o mal social que ele

ia

imíd

s: wik

Foto

efeitos e consequências O crack é considerado uma droga com potencial dependógino muito alto, isso porque ele faz com que a dopamina (neurotransmissor), responsável por provocar sensações de prazer, euforia e excitação, permaneça por mais tempo no organismo. Se estiver em altas concentrações, tem a capacidade de provocar sintomas paranoicos. Depois do resultado, resta a depressão. Assim, para obter esse prazer, o indivíduo tende a utilizar a droga com maior frequência e quantidade, já que o organismo vai se tornando tolerante a ela. Os neurônios vão sendo destruídos, e a memória, concentração e autocontrole são nitidamente prejudicados. O comportamento violento é um traço típico dos usuários de crack, já que fazem de tudo (grande envolvimento com a criminalidade) para sempre ter as pedras em mãos. Ao contrário da cocaína (que é inalada em pó e tem um efeito que dura de 30 a 40 minutos), a fumaça produzida pela queima da pedra de crack chega ao sistema nervoso central em 10 segundos, devido ao fato de a área de absorção pulmonar ser grande e seu efeito dura de 5 a 10 minutos. A velocidade de entrada é muito rápida. O efeito é intenso, porém mais efêmero. acarreta. Fingir que nada acontece em nossa volta é burrice. Culpar os outros é perda de tempo. Ficar parado é atitude de hipócrita. Não tenhamos medo. É hora de agir: “porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação” 2º Timóteo 1:7. Que Deus nos abençõe e nos encoraje para lutarmos em mais um dos combate de nossa vida: a luta contra as drogas! Gabriela Saldanha

Abril/ 2012

9


TOCA E QUALIDADE DE VIDA

Saúde pública: um direito de todos! Ter Saúde é uma dádiva conquistada a cada dia. Você já pensou na importância de ter saúde, tendo um corpo que funciona perfeitamente? Acredito que sim, pois viver com saúde é algo que não tem preço. Todavia, para termos uma boa saúde, precisamos de atenção nas ações que promovem este bem-estar. Quando falamos de saúde, estamos falando o que a Organização Mundial da Saúde (OMS) define como saúde: estado de completo bem-estar físico, mental e social, e, não apenas, a ausência de doença. Podemos complementar que saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental, emocional e espiritual. Considerando que o ser humano é composto dos planos físico, mental, emocional, espiritual, ter consciência dessa integração, é conceber a abundância da prosperidade, da alegria e do bem-estar. Em nossa vida diária, muitas vezes, “entramos no automático”. Passamos a

agir, sem pensarmos no que estamos sentindo, imbuídos, muitas vezes, de padrões preestabelecidos por uma sociedade capitalista e consumista. O que acontece que muitos de nós aparentemos acordados, podemos estar pensando, sentindo, outra coisa, e em outra época, sem ter consciência do aqui e agora. Acontece é que, muitos de nós, aparentemente acordados, podemos pensar e sentir outras coisas (relacionadas à uma outra época), sem termos consciência do “aqui e do agora”. Este comportamento, acarreta vários vícios de postura, que repetimos todos os dias, trazendo complicações, bloqueios e dificuldades na prática de uma vida saudável. Dessa forma, é de suma importância, estarmos cada vez mais conscientes dos nossos atos, pensamentos e sentimentos. Observe o seu corpo... Veja a sintonia dos movimentos e da sua consciência; perceba que este corpo fala, sente e se emociona. Isto é o fluxo da vida! Temos que

Dia 7 de Abril é o dia Mundial da Saúde! O assunto, de suma importância, é o tema da Campanha da Fraternidade deste ano!

10

Abril/ 2012

exercitá-lo para que este corpo funcione harmoniosamente. Somos o que pensamos e o que realizamos de forma construtiva e harmônica.Na roda da vida, na ciranda do dia a dia, é possível recomeçarmos. Para que isto ocorra, é necessário abrirmos o coração e conectar-se com o pensar e sentir, ou seja, com a mente e a emoção. A sustentação da vida é a interligação desses planos e como estruturamos o corpo, a mente, a emoção e o espírito perante a realidade como expressão cotidiana. E, neste percurso, nos tornamos indivíduos em evolução. Lembre-se da música da Leila Pinheiro – Serra do Luar: “Viver é afinar o instrumento (de dentro), De dentro prá fora, De fora prá dentro. A toda hora, todo momento. Tudo é uma questão de manter A mente quieta. A espinha ereta E o coração tranquilo”. Márcia Maria pala de Lima Assistente Social


Foto: www.sxc.hu

TOCA NA ATUALIDADE

Boate na Sexta-feira da Paixão

Não se trata mais de caso isolado. Acontece aqui, no sul de Minas, no interior de São Paulo... O respeito que os antigos tinham pela Sexta-feira Santa, parece que ficou em nossa retaguarda. Isso de não gritar nesse dia, de não haver buzinadas de carro, fazer um rigoroso jejum, abster-se de carnes (com exceção da de peixe), acompanhar a procissão do Senhor Morto, parece que não tocam mais a alma do homem e da mulher modernos. Tudo foi engolido pela secularização e alcunhado de folclore.

Como pode alguém, no grande feriado religioso, ficar sem freqüentar nenhum ofício religioso, sem ler nada das Escrituras, desprezar o jejum, esquecer a morte de Jesus, e ainda sentir-se bem?

A maioria acompanha o feriadão, mas é um corpo sem alma. A maior parte da sociedade vive no tédio completo, não sabendo como se ocupar. A bacalhoada ainda resiste, mas pouco lembra um dia de sacrifício. Confesso que estou perplexo. Não faltaram cidades que, em plena Sexta-feira da Paixão, abriram as boates, e um ruidoso baile, sufocando qualquer sentimento religioso, se estendeu até os albores do Sábado Santo (que os desavisados insistem em chamar de “sábado de aleluia”). Quem organizou tal programa? Quem o frequentou? Numa primeira avaliação, fica a impressão de que foi tudo gente nossa. Diante disso vem a pergunta: o que está acontecendo? Uma primeira resposta poderia insinuar que a população está caminhando para uma silenciosa apostasia da fé. Aos poucos, sem ruído, os valores religiosos iriam se apagando e entrando outras convicções, que não condizem com os

compromissos cristãos. Pode até ser uma tendência, mas ela ainda não se materializou. Não é a explicação certa. O mais provável, é que a ausência de oração e de espírito de sacrifício na Sexta-feira Maior, abre um vácuo ocupacional. A natureza humana tem horror ao vazio. Como pode alguém, no grande feriado religioso, ficar sem frequentar nenhum ofício religioso, sem ler nada das Escrituras, desprezar o jejum, esquecer a morte de Jesus, e ainda sentir-se bem? Na falta de uma ocupação séria, e de oração, qualquer “distração” é bem-vinda. Não queremos perseguir essas extravagâncias na Paixão de Jesus, que não respeitam o luto pela morte do Senhor. A solução é procurar viver melhor o sentido da morte do Salvador. Tenho a certeza de que tal atitude vai encher o coração de Santa Inspiração. Dom Aloísio Roque Oppermann, SCJ Arcebispo de Uberaba, MG

Abril/ 2012

11


TOCARTE

Um Cristo para a TV N

este mês de abril, belíssimo por ser quase todo feito de Páscoa, por ter aquele clima gostoso do outono... E, também, por ser meu mês especial, gostaria de partilhar com vocês uma experiência singular que favorecerá a todos. No mês de agosto do ano passado, realizamos um evento e, para ele, preparamos um show belíssimo que não pode ir ao ar através da TV. Para esse show, que confesso não ter sido fácil para produzir, faltava um personagem que não podia ser qualquer um. Perdoem-me pelo “qualquer um”. Esse personagem seria Jesus, no qual o personagem deveria representar durante três músicas, do alto da cruz. Pensei em muitos amigos e conhecidos, mas nenhum parecia se encaixar bem para o papel. Aqui quero abrir um parêntese para dizer que todas as vezes que produzi algo que trazia a figura de Jesus, a pessoa que o representava tinha que ter algo realmente marcante. Todos se tornaram meus grandes amigos (Junior, Vini e Willian). Para esse show, não poderia ser diferente. Queria um detalhe que em especial fosse marcante em quem representasse Jesus: o olhar. Então, me lembrei do Kiki, um amigo de São Carlos, que conheci há alguns anos.

E, não é que deu muito certo?! No final do ano, gravamos o mesmo show na TV Século XXI. Quando me dei conta, um pequeno tumulto se formou na porta onde eu estava caracterizando o Kiki. Entraram alguns funcionários da TV, com câmeras, tirando fotos e fazendo um milhão de perguntas para ele. Aquele show, que tinha grandes destaques, virou o show do Kiki. Quando gravamos as cenas dele, tudo mais parou. Enfim, o convenceram a ser o novo Jesus da TV. E ele aceitou! Uma coisa faz o Kiki diferente, e isso cativou o pessoal da TV: Ele não é ator, ele é simples, é divertido, é especial, é o Kiki. Querem dar até outro nome pra ele, pois Kiki não é muito artístico. Para mim, sempre será o Kiki... E, quando, vocês o virem na TV vão se lembrar: “Esse é o Kiki que o Irmão Tarcísio falou”. Deixando todas as bajulações de lado, quero expressar aqui minha imensa alegria por ter podido ser um canal deste presente para todos os que assistem a TV Século XXI. Aos meus amigos, Jesus de outras ocasiões, meu obrigado por ter me ajudado a chegar mais perto de Jesus. Irmão Tarcísio

Minha indicação deste mês é o filme “Alguém para dividir os sonhos”. Liberado de um hospital psiquiátrico, o ingênuo e bondoso Mattew (Matt Dillon) é obrigado a passar a noite no abrigo de indigentes chamado Fort Washington. Lá, conhece Jerry (Danny Glover), um veterano do Vietnã que perdeu emprego e família. Nasce uma grande amizade entre os dois. Eles, tentam ganhar a vida de uma maneira digna, valendo-se do bom humor para conseguir uns trocados limpando para-brisas nas ruas de Nova York. Assim, vão juntando dinheiro para começarem uma nova vida.


Pastoral de rua dos leigos em Natal/RN!

Mural da de u e l i b u J ons. M ! o r u O io AuxĂŞnc s lve A a t s o C


Pandora Escola de Artes

Santo Ant么nio e os Peixes

14

Abril/ 2012


Camiseta Jovens ≠ como Clara e Francisco MASCULINA

Livro Padre Pio Pe. Gabriele Amorth.

Uma história contada por alguém que fez parte dela, um de seus filhos espirituais, que por mais de 26 anos presenciou e testemunhou muitos dos acontecimentos que narram a vida deste que R$ 29,00 foi um dos maiores santos da Igreja Católica. São curiosidades, particularidades e, acima de tudo, fatos inéditos sobre o capuchinho. A obra literária também apresenta diversas fotografias, desde a infância até a última Missa celebrada pelo santo na véspera de sua morte. Temas: Biografia, Literatura estrangeira Ficha técnica PADRE PIO Breve história de um santo Autor: Pe. Gabriele Amorth Copyright: Palavra & Prece Editora Formato: 14 x 21 cm Número de páginas: 156 Formato: ISBN: 85-7763-009-9

R$ 29,00

Camiseta Jovens ≠ como Clara e Francisco FEMININA R$ 29,00 Curta nossa página no Facebook

@tocaloja

A Toca de Assis é uma Fraternidade religiosa com espiritualidade franciscana. Nosso Carisma é a adoração ao Santíssimo Sacramento e o cuidado aos pequeninos do Senhor, os pobres moradores de rua. Ao adquirir os produtos da Toca, você contribui para a manutenção desta Obra. Entre em contato no horário comercial pelo telefone: (19) 3342-7522 ou visite nossa Loja virtual:

www.tocaloja.org.br

Abril/ 2012

15


Eu Eu ajudo aa ajudo Toca! Toca! Querido benfeitor,

Agradecemos por sua contribuição mensal para a Toca de Assis! Que juntos possamos levar o amor a tantos irmãos que estão nas ruas. Ser um benfeitor é ser amor, presença e esperança para aqueles que não tem! Ser um benfeitor é assumir um compromisso com essa obra de Deus.

Faça sua contribuição! Ela será destinada a casa da Toca mais próxima de você!

Ajude aa Toca Toca Ajude de Assis Assis aa de cuidar de de cuidar Jesus nos nos Jesus pobres! pobres! Contato: Benfeitoria Central São José Vila Industrial,Campinas-SP Tel: (19) 2121-6408 benfeitoria@tocadeassis.org.br

“É maior alegria dar que receber” At. 20,35

Horário de atentimento: de segunda à sexta, das 08hs às 16hs.

10-revista-abril-2012  

de A ssi S ‘NO MEIO DO CAMINHO’ DE MUITA GENTE: segundo dados do Ministério O PODER DO AMOR! SAÚDE PÚBLICA: UM DIREITO DE TODOS! da Saúde, s...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you