Issuu on Google+

Portf贸lio francisca falc茫o

ARQUITECTURA

1


Formação académica 2010 – conclusão do mestrado integrado em arquitectura, pela faculdadede arquitectura da universidade técnica de lisboa,commédiafinalde valores. 2010 – desenvolvimento da tese de mestrado integrado, intitulada projectar com o lugar – a reabilitação do palácio dasobras novas, orientada pelo arquitecto amílcargilepires, comclassificaçãofinalde17 valores 2008/2009– programa intercâmbiona universidade presbiteriana mackenzie, em são paulo, brasil. 2005– entrada na faculdadede arquitectura da universidade técnica delisboa, commédiade18,2 valores 2005– conclusãodo curso geral de artes na escola secundária do restelo, commédiafinalde17 valores

CURRICULUM VITAE

Informação adicional 2010 – interrail realizado no verão onde foram visitadas cidades como berlim, praga, viena, budapeste, bratislava, zagreb, dubrovnik, ljubjlianae munique. 2009– viagem realizada à américado sul: brasil, argentina, perú echile 2008 – participação nas conferências de paulo mendes da rocha e siza vieira para a trienal de arquitectura de lisboa – participação na organização datrienal dearquitectura delisboa – participação no “origamiworkshop”, orientado pelo prof. joaquimtondela – ciclo de cinema organizado pela faculdade de arquitectura de lisboa e pela cinemateca , coordenado pelo arq. josé neves

Experiência Profissional 2010 – promotora no rock in rio 2010 – promotora na moda lisboa 2009 – beone, promotora da bpe lipton. 2009 – promotora na moda lisboa 2008– promotora na feira de viagens, fil 2007/ 2008– promotora no estoril open

Informação pessoal Nome maria francisca romão de bastos falcão

Morada rua olga morais sarmento nº 7 caselas lisboa

Aptidões e competências pessoaii língua materna

Outras línguas Inglês Espanhol

português compreensão oral escrita boa boa boa boa

telefone /telmóvel expressão oral boa média

expressão escrita boa média

21 3019824 96 5716353

Correio electrónico tisca_falcao@hotmail.com

Nacionalidade

Aptidões e competências informáticas bonsconhecimentos de ferramentas informáticas: autocad, office (word, excel e powerpoint), adobe photoshop, rhinoceros, skechtup utilizaçãode internet (web e email) sistema operativo windows e mac

portuguesa

Data de nascimento 2 de março de 1987

Estado civil solteira

2007 – viagem de visita de estudo aos estados unidos da américa (chicago, pittsburg, milwaukee e nova iorque), organizada pela faculdade de arquitectura da universidade técnica de lisboa, onde se estudaram obras de arquitectura moderna de arquitectos como mies van der rohe, frank lloyd wright, rem koolhas e santiago calatrava ( casa da cascata, farnsworth house, prairy houses, milwaukee art museum, illinois institute of technologies, ientre outras) 2005/2006– curso intensivo dedesenho e pintura, orientado pelo prof. joão moreno 2005– curso intensivo deinglêsem st. julians, malta,pela ef –education first, tendo concluídoonível 4/5 . 2003 / 2007 – acções de voluntariado para o banco alimentar contra a fome e remodelação de instituição de criançasdesfavorecidas .

Carta de condução Categoria B

Desportos praticados classe de representação de dança moderna no belenenses durante 5 anos. frequento ginásio.

Interesses Arquitectura, Fotografia, Desenho, Pintura, Moda, Dançar, Viajar, Cinema e Leitura.

Outras Informações Em processo de aquisição de nacionalidade Angolana

2

3


ÍNDICE

4

6

10

18

24

14

30 5


UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA _3º ANO_2º SEMESTRE

HABITAÇÃO COLECTIVA

a realização de um edifício de habitação colectiva no interior de quarteirão no areeiro conduziu à manipulação do mesmo de modo a que trouxesse uma mais valia para um espaço já habitado.

AREEIRO

a forma do edifício garante que a exposição solar de todos os apartamentos esteja em equilíbrio e cria três espaços exteriores distintos: um mais público que está relacionado com a entrada principal do terreno (a), outro mais fechado e com vegetação intensa (b) e um terceiro de convívio, numa cota mais baixa, onde se encontra o comercioeserviços(c). o edifício é formado por três troços. para o terreno ser totalmente permeável e criar uma maior privacidade dos apartamentos, no piso térreo existem apenas as entradas, sendo que os apartamentos se encontram nos pisos superiores e o comércio e serviços no piso inferior. B existem dois tipos de apartamentos, funcionando ambos em duplex., o que permite tirar partido de uma ventilação transversal e criar-se pé direito duplona zonada sala.

6

A C

PLANTAIMPLANTAÇÃO

7


PISO4

PISO3 TIPOLOGIA 2

SECÇÃOCORTELONGITUDINAL

PISO2

PISO1

8

CORTETRANSVERSAL

TIPOLOGIA 1

ALÇADO SUl

ALÇADO SUL CORTETRANSVERSAL

ALÇADO NORTE

9


EQUIPAMENTO COLECTIVO EDIFÍCIO-PONTE ESCOLADETEATRO ESCOLADEARTES SÃO PAULO

FACULDADE PRESBITERIANA MACKENZIE_4º ANO_1º SEMESTRE

a escolha do terreno em questão, um vale na grota do bexiga, em são paulo, recaiu sobre as possibilidades que este permitia, por ter um declive acentuado e diversas áreas degradadas. assim, este edifício de equipamento funciona, para além de pólo cultural, como ponte para facilitar a travessia deumladoaooutrodovale. deste modo foram criados dois blocos de betão unidos por um grande envidraçado apaoiado numa estrutura metálica em treliça. Num dos blocos criou-se uma escola de artes e no outro uma escola de teatro (desenvolvido). a ponte é o espaço público que tem a função de ligação das duas escolas, onde podem decorrer exposições ou performances. no desenvolvimento da escola de teatro, o principal objectivo foi quebrar a estaticidade do edifício com a introdução de uma grande forma curva no seu interior. a escola desenvolve-se em4pisos. na entrada existe o acesso ao auditório (que pode ser aberto para o exterior), nos pisos intermédios encontram-se as salasdeensaioebalnearioseno piso superior existem as salas administrativas e a zona do restaurante onde se faz a ligaçãocom aescola deartes.

10

PLANTAIMPLANTAÇÃO

11


4

2

8

9 3

13

17 15

18

20

11

7

6

1

12

10

22

16 10 12

5

14

15

17

19

21

PLANTA 1átrio/recepção 2cafetaria 3bengaleiro 4isfeminuno 5ismasculino 6auditório 8balneáriofeminino 9balneáriomasculino 10estúdios 11varanda

12

ALÇADO SUL

PLANTA 1

PLANTA 2

12 Salasdeconvívio 13isfeminino 14ismasculino 15estúdios 16varanda 17gabinetes administrativos 18isfeminino 19ismasculino 20dispensa 21cozinha 22sala derefeições

CORTELONGITUDINAL

PLANTA4

PLANTA3

CORTETRANSVERSAL

CORTETRANSVERSAL

13


EQUIPAMENTO COLECTIVO EDIFÍCIODEHABITAÇÃO SÃOPAULO FACULDADE PRESBITERIANA MACKENZIE_4º ANO_2º SEMESTRE

14

ALÇADO SUL

na área do bexiga, em são paulo, o presente edifício de habitação representa um apoio ao projecto de equipamento realizado no semestre anterior., criando-se na mesma zona um pólo cultural e habitacional aproveitando os terrenos vizinhos, foi criado um edifício com blocos distintos e com três tipos de casas: para famílias (1) , para casais(2)eparaestudantes(3). o principal objectivo do projecto era promover um espaço permeável, aproveitando o grande desnível da área para criar diferentes patamares com espaços públicos e espaços verdes. deste modo, apenas se encontram em contacto com o solo os pisos destinadosacomércioeserviços. As fahadas pretendem-se simples, mas ao mesmo tempo dinâmicas. Desse modo criou-se a ideia das caixas de betão vidradas em duas faces opostas e encaixadas num entrelaçado de pilares e vigas metálicasaparentes,sendoque as caixas avançam em alguns casos e recuam noutros, criando-se assim essadinâmica.

PLANTAIMPLANTAÇÃO

15


A ESTRUTURA É PARTE INTEGRANTE DA PELE DO EDIFÍCIO – MÓDULO DE BETÃO QUE ENCAIXA EM ESTRUTURA METÁLICAENTRELAÇADA.

1a

1b

1a

1b

2

3

PLANTAGERAL

16

CORTETRANSVERSAL

2

3

ESQUIÇOS

ALÇADO OESTE

ALÇADO NORTE

17


REABILITAÇÃO CENTRO DE ARTES DA MEMÓRIA STA IRIA DA AZÓIA QUIN TA DE VALFLORES

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA_5º ANO_1º SEMESTRE_PROJECTO

18

a valorização da quinta de valflores estava sujeito, para além da recuperação do palácio, à criação de outros espaços que complementassem o que já existe, de modo a criar-se um centro artístico. dos eixos principais do terreno surgiu a ideia de muro que se eleva sobre a paisagem, sem que essa imposição seja excessiva e que limita áreas e permite tapar as vistas menos qualificadas que existem na envolvência. o aqueduto e o palácio ganham protagonismo no todo e funcionam como elementos regradores dos outrosespaços. estando o palácio destinado à parte de exposição e divulgação, através da criação de um museu, salas de exposição e biblioteca, o restante espaço estava livre para se desenvolver os outros espaços. de um modo sucinto, na parte de ensino inclui-se as salas de dança, de música, os ateliers , sala de reuniões e gabinetes; da parte administrativa fazem parte os gabinetes coordenadores, o gabinete do director e sala de reuniões; o auditório é acompanhado de foier, espaço bastidor e arrecadação; no restaurante existe cozinha, sala de refeições, esplanada e bar e a habitação é composta por quatro residências t2. a criação dos espaços exteriores teve em conta a época em que nasceu a quinta, séc. xvi, nomeadamente as quintas de recreio, distinguindo assim os vários espaços que a complementam.

PLANTAIMPLANTAÇÃO

19


PLANTA1

20

ALÇADO NORTE

PLANTA2

CORTE LONGITUDINAL CORTETRANSVERSAL 21 Cortelongitudinal


PLANTAESCOLA–ZONAADMINISTRATIVA ERECEPÇÃO

PLANTARESTAURANTE PLANTAAUDITÓRIO

PLANTAPALÁCIOPISO0

PLANTAESCOLA–ZONADEAULAS

PLANTAAPARTAMENTO

22

CORTE TRANSVERSAL

PORMENOR CONSTRUTIVO

PLANTAPALÁCIOPISO1

CORTE LONGITUDINAL

23


REQUALIFICAÇÃO URBANA BAIRRO DO ZAMBUJAL UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA_5º ANO_CONSERVAÇÃO, RESTAURO E REABILITAÇÃO

24

a valorização do espaço em questão criação de um novo espaço de recreio e lazer no bairrodozambujal. criação de um percurso pedonal alternativo, em contacto com os espaços verdes, oferecendo uma alternativa ao percurso existente juntoà circulaçãorodoviária. trata-se de um percurso verde que relaciona o parque urbano do zambujal e o acesso à zona habitacional. criação de percursos permitindo diferentestiposdevivências ligações directas do interior e exteriordoquarteirão vias destinadas à circulação de bicicletas Criação de uma estrutura linear que garanta percursos de ligação entre os diversos núcleos que se pretendamintegrar; dotar esses percursos de uma paisagem urbana variada e facilmentememorável; concentração das massas edificadas de forma a garantir a preservação das zonas verdes comoparteintegrantedoplano; previsão de espaços urbanos ruas, praças, interior de quarteirões, galerias - que favoreçam o incremento da vida comunitáriadoaglomerado; distribuição do equipamento gerador da vida urbana ao longo das linhas de força que constituem a estrutura urbana prevista. PLANTAIMPLANTAÇÃO

25


DIVERSIDADE DE ESPAÇOS

CRIAÇÃO DE PERCURSOS PERMITINDO DIFERENTES TIPOS DEVIVÊNCIAS PERCURSOS SINUOSOS USUFRUIÇÃO ESPAÇO

DE DO

LIGAÇÕES DIRECTAS DO INTERIOR E EXTERIOR DO QUARTEIRÃO VIAS DESTINADAS À CIRCULAÇÃO DE BICICLETAS

26

CORTETRANSVERSAL

PERCURSOS

ESPAÇOSDE ESTAR, LAZERE RECREIO

Caminhos pedonais

Betão Deck

Via para bicicletas

Betão

Zonas ajardinadas

Relvado Canteiros Vegetação rasteira Árvores

Espaços impermeáveis Revestimento em Deck Revestimento em Lajetas de Betão

Passadeiras desníveladas Betão Mesas e cadeiras Madeira Água

Lagos

CORTETRANSVERSAL

27


ÁRVORES

ARBUSTOS

VEGETAÇÃO

MATERIAIS

PAVIMENTO

DRENAGEM

LANCIS

selecção de árvores e arbustos resistentes:  necessidade depoucarega  baixamanutenção  nãorequeremmuitoscuidados

LANCIL RECTO NORMAL 1000 X 190 X 150 X 120 VISTA DE TOPO

articulação de árvores de folha caducaepersistente: CHORISIA SPECIOSA

TIPUANA TIPU

BAUHINIA PURPUREA

TEUCRIUM FRUTICANS

LAVANDULA STOECHAS

 no inverno permanece alguma folhagem contribuindo para a qualidade estética, não oferecendodemasiadasombra  no verão, o jardim apresenta grandes zonas de sombra, cobrindo-se de um agradável lequedecores

28

LAJETAS DE BETÃO

DECK

LANCIL RECTO RAMPA 1000 x 250 x 400 x 120

TEUCRIUM FRUTICANS

LAVANDULA STOECHAS

29 CORTETRANSVERSAL


REABILITAÇÃO POUSADA PALÁCIO DAS OBRAS NOVAS AZAMBUJA

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA__TESE FINAL DE MESTRADO

a intervenção pretende tornar o espaçonumapousadaepôremevidência as qualidades arquitectónicas do conjunto. a ampliação lê-se como uma intervenção que se assume como uma continuidade, evidenciando um natural diálogo com a preexistência e com a envolvente. para além das características arquitectónicas do espaço, também as experiências que se pretendem numa ocupação futura do lugar, vão ao encontro do passado. por ser um espaço dotado de características que seligam ànatureza,foimoteparaoseu desenvolvimento a recriação dos ambientespitorescos,deinspiraçãoreal e rural da época em que o palácio surgiu, mas que responda às necessidades crescentes da sociedade moderna. algumas características dessa relação passam pelo contacto com o meio ambiente proporcionado também por actividades ligadas à natureza, como excursões pela mata e pelos percursos ecológicos, a equitação campestre e desportos relacionados com o rio, sendo uma forte intenção que a disposição da pousadapossapermitirarelaçãocomo canal. o projecto é composto por estruturas interligadas entre si, como se tratasse de uma única estrutura massiva. a vontade de se criar uma intervenção interligada, mas por contraste, rompe com a estrutura „paladiana‟ existente. o resultado é uma superfície com diferentes direcções na fachada fornecendo ao bloco dinâmica e uma imagemexpressiva.

PLANTAIMPLANTAÇÃO

30

31


32

33


34

35


36

PLANTAPALÁCIO–ÁREADOSQUARTOS

QUARTOSEMDUPLEX--PISO1

QUARTOSSIMPLESSINGULARECASAL

QUARTOSEMDUPLEX--PISO1

37


DESENHO DE FIGURA HUMANA

os presentes desenhos e pinturas foram realizados nas aulas de modelonu,realizadasnadisciplinade desenho na faculdade de arquitectura de Lisboa, orientadas pela professora maria João Durão e pelo professor manuel Mello. Outros foram realizados durante o curso de desenho e pintura, orientado pelo professor João Morenoeoutrosdurante ostempos livres.

1 Modelo feminina sentada Pastel seco sobre papel 2 modelo feminina deitada Pastel seco sobre papel

4

3 modelo feminina cruzando as pernas no ar Pastel seco sobre papel

1

6 5

4 prazer de vénus Óleo sobre tela 5 as três irmãs Carvão sobre papel 6 culturas Aguarela sobre tela 7 modelo nu masculino Caneta sobre papel

2

7

38

3

39


Portfólio de Arquitectura