Page 1


2

RTV|08-09|2008


EDITORIAL

Foto: Douglas Moreira

3a CONFERÊNCIA TÉCNICA REVISTA TINTAS & VERNIZES Para o fechamento desta edição estávamos aguardando a realização da nossa 3ª Conferência Técnica Revista Tintas & Vernizes que aconteceu no início de setembro, na Faculdade de Engenharia Industrial (FEI). O evento repetiu o sucesso dos dois anteriores com palestras que atraíram alunos que, futuramente, poderão estar nas indústrias de tintas ajudando no crescimento do setor. Os temas negro-de-fumo e promotores de adesão são enfatizados em duas matérias especiais, nas quais novos produtos são destacados. Também fizemos uma entrevista exclusiva com George Hamilton, presidente global da Dow Coating Solutions, que nos recebeu com muita simpatia nas instalações da Dow em São Paulo (SP). Informações importantes sobre a nova estratégia de atuação da empresa no mercado de tintas foram reveladas. Outra reportagem retrata os 30 anos da Carbono Química, empresa nacional de forte expressão no segmento de solventes, que desponta principalmente com desenvolvimentos sustentáveis que reduzem os impactos ambientais. Os vencedores do Prêmio Oxiteno de Qualidade em Logística 2007/2008 são divulgados nas próximas páginas; assim como o artigo enviado pela Metroval que procura despertar as empresas para a evolução tecnológica dos instrumentos para medição. A seção Atualidades faz um resumo de algumas notícias importantes e eventos ocorridos recentemente. Não deixe de ler. Boa Leitura!

COMUNICADO A Morrell Editora Técnica decidiu no início do ano de 2007 adotar o uso de papel reciclado em toda a impressão da revista Tintas & Vernizes. Foi uma iniciativa bastante ousada, já que era pioneira, e por incrível que pareça, mais onerosa. Entretanto, o leitor pôde notar que a Tintas & Vernizes voltou a ser impressa em papel couchê fosco. Tivemos que deixar de lado o uso do papel reciclado - uma tendência mundial - pois, infelizmente, o Brasil ainda não tem tecnologia de ponta para uma boa impressão com este tipo de material. Como veículo voltado para o setor de tintas, nos preocupamos com o conteúdo editorial, com o aspecto visual e gráfico, e o alto padrão de qualidade, como temos priorizado, sempre, nestes 49 anos de atuação. Agradecemos a compreensão de todos.

RTV|08-09|2008

3


CONTEÚDO

CONFERÊNCIA TÉCNICA Revista Tintas & Vernizes promove palestras na FEI 08

13 28

31 41

ESTRATÉGIA PREMIAÇÃO

FUNDADOR

DIRETOR PRESIDENTE

PROMOTORES DE ADESÃO soluções base água são destaques 20

45 48

NEGRO-DE-FUMO TRAJETÓRIA

HOMERO BELLINTANI

infotintas.com.br

F. L. MORRELL

revista virtual:

18-03-1927 23-10-2001

tintasevernizes.com.br

FRANCIS LOUIS MORRELL JÚNIOR

DIRETORA EXECUTIVA

FRANCELY MORRELL

ATUALIDADES

site:

26-04-1919 02-02-1992

DIRETOR COMERCIAL

ARTIGO

DISPENSADA

DA EMISSÃO DE DOCUMENTAÇÃO FISCAL ,

CONFORME PEDIDO DE REGIME ESPECIAL

PROJETO GRÁFICO

KINTHOS CRIAÇÃO E DESIGN ME

PUBLICIDADE

CARLOS A. CUNHA

CAPA

FOTO GENTILMENTE CEDIDA PELA EASTMAN

responsabilidade de seus autores, não

COLABORADORES

GABRIELA LOZASSO (MTB. 26.667)

representando, necessariamente, os da revista.

MÁRCIA SÍLVIA ITO

“TINTAS & VERNIZES” É MARCA REGISTRADA PELA MORRELL EDITORA TÉCNICA DESDE 1959 E SUA SEM AUTORIZAÇÃO, É VEDADA EM QUALQUER FORMA .

EDIÇÃO BIMESTRAL

ANO 49 | Nº 238 | 08-09/2008

PROTOCOLO Nº

2.346/91

DE

04/07/91

As opiniões dos artigos assinados são de inteira

UTILIZAÇÃO ,

CORREÇÃO

Rua Filomena Parmigiani Fiorda, 140 Santo Amaro - Cep: 04756-130 - São Paulo/SP Fone: (011) 5645-0505 - Fax: (011) 5645-0509 revista@tintasevernizes.com.br | CNPJ 44.365.260/0001-36

4

RTV|08-09|2008

Na revista Tintas & Vernizes, edição junho/julho nº 237, pág. 63, foi publicada uma foto com erro na legenda. Os nomes e cargos corretos das pessoas da foto ao lado são: engº Jorge Fejfar, diretor comercial da ATA Tensoativos, e Janice Fejfar, diretora administrativa.


NOTA DE ESCLARECIMENTO

Há exatos 49 anos, em uma conversa com o Sr. Orlando

Vernizes da Abrafati. Porém, na época, tendo em vista os direitos

Lavieiro Ferraiuolo, então presidente do Sitivesp - Sindicato

que recaem sobre o nome da revista editada desde 1959 pela

da Indústria de Tintas e Vernizes do Estado de São Paulo -

Morrell Editora Técnica Ltda., os herdeiros do saudoso Morrell

surgiu, pelas mãos de nosso saudoso Morrell, a revista Tintas

e que hoje, com o mesmo empenho e dedicação, dirigem a

& Vernizes.

editora por ele fundada, solicitaram a Abrafati que o “&” (“e” comercial) fosse retirado do título do livro e substituído pelo

Ferraiuolo expôs a Morrell a necessidade do setor de tintas

“e” (vogal), posto que, como dito, a expressão Tintas & Vernizes

contar com uma literatura que os orientasse e os informasse

representa uma marca registrada no INPI e difundida há 35

sobre novas tecnologias, novos produtos, fatos e acontecimentos

anos. A solicitação teve como simples objetivo evitar qualquer

relevantes, além de artigos visando o constante aprimoramento

tipo de confusão junto ao mercado e salvaguardar anos de

da parte técnica e laboratorial das indústrias.

trabalho para consolidação de uma MARCA extremamente respeitada no meio.

A Tintas & Vernizes foi então lançada em outubro de 1959 e foi aplaudida por todos, não se restringindo apenas a circular

Infelizmente a Morrell jamais obteve um retorno satisfatório e,

no mercado paulista e, sim nacionalmente, passando a ser

depois de 14 anos de tentativas, sempre com o intuito de proteger

leitura obrigatória de quem fazia parte do mercado de tintas

a MARCA que por direito lhe pertence, foi obrigada a se socorrer

passando, a cada ano, a ser mais e mais requisitada dentro dos

do Judiciário para defesa de seus legítimos interesses.

laboratórios e departamentos comerciais das indústrias do setor. O impasse criado, com certeza, não é benéfico para a Tintas Durante todos estes anos de trabalho e árdua dedicação inteiramente voltados ao mercado de tintas e vernizes, a Tintas

& Vernizes, para a Abrafati e, principalmente, para o setor de tintas e vernizes brasileiro.

& Vernizes vem divulgando notícias e novidades do setor, promovendo e informando tecnicamente as indústrias de tinta

Por isso nós, da Tintas & Vernizes, perguntamos:

de nosso país, tornando-se, deste modo, uma publicação de peso e respeitada por todos.

Será que um simples “e” vale todo esse desgaste, que poderia ter sido resolvido 14 anos atrás, ou há pouco mais de 2

A Tintas & Vernizes sempre apoiou todas as ações que visam a melhoria e aperfeiçoamento da indústria tinteira e seus

anos, quando o nosso pedido foi reiterado, por ocasião do lançamento da 3ª edição do livro?

técnicos, tanto que é a única publicação do setor a dar ampla cobertura a todas as edições do Congresso Internacional de

Contamos com o apoio e compreensão de todos, na certeza

Tintas, desde a sua 1ª edição, evento este que, como é do

de que solucionaremos esse problema da melhor forma possível.

conhecimento de todos, é promovido pela Abrafati. O mesmo apoio ocorreu por ocasião do lançamento do livro Tintas &

Francis Louis Morrell Júnior e Francely Morrell

RTV|08-09|2008

5


NOTA ACLARATORIA Hace exactamente 49 años, a partir de una charla con el Sr. Orlando Lavieiro Ferraiuolo, entonces presidente del Sitivesp - Sindicato de la Industria de Pinturas y Barnices del Estado de São Paulo - surgió, por las manos de nuestro inolvidable Morrell, la revista Tintas & Vernizes. Ferraiuolo expuso a Morrell la necesidad del sector de pinturas contar con una literatura que los orientase y los informase sobre nuevas tecnologías, nuevos productos, hechos y acontecimientos relevantes, además de artículos buscando el constante perfeccionamiento del área técnica y de laboratorio de las industrias. Tintas & Vernizes fue entonces lanzada en octubre de 1959 y fue aplaudida por todos, no restringiéndose solamente a circular en el mercado del estado de São Paulo, sino nacionalmente, pasando a ser lectura obligatoria de quien formaba parte del mercado de pinturas, pasando a cada año, a ser más y más solicitada dentro de los laboratorios y departamentos comerciales de las industrias del sector. Durante todos estos años de trabajo y ardua dedicación enteramente dirigidos al mercado de pinturas y barnices, Tintas & Vernizes ha venido divulgando noticias y novedades del sector, promoviendo e informando técnicamente las industrias de pintura de Brasil, convirtiéndose, de esta manera, en una publicación de peso y respetada por todos. Tintas & Vernizes siempre apoyó todas las acciones que buscan la mejoría y perfeccionamiento de la industria de pinturas y sus técnicos, tanto que es la única publicación del sector a dar amplia cobertura a todas las ediciones del Congreso Internacional de Pinturas, desde su 1ª edición, evento éste que, como es del conocimiento de todos, es promovido por la Abrafati. El mismo apoyo se dio en la ocasión del lanzamiento del libro Tintas & Vernizes de la Abrafati. Sin embargo, en la época, teniendo en vista los derechos que recaen sobre el nombre de la revista editada desde 1959 por Morrell Editora Técnica Ltda., los herederos del inolvidable Morrell y que hoy, con el mismo empeño y dedicación dirigen la editora por él fundada, solicitaron a Abrafati que el “&” (“y” comercial) fuese retirado del título del libro y sustituido por el “y”, puesto que, como se ha dicho, la expresión Tintas & Vernizes representa una marca registrada en el INPI y difundida hace 35 años. La solicitud tuvo como objetivo simplemente evitar cualquier tipo de confusión en el mercado y salvaguardar años de trabajo para consolidación de una MARCA extremamente respetada en el medio. Infelizmente Morrell jamás obtuvo una respuesta satisfactoria, y después de 14 años de tentativas, siempre con la finalidad de proteger la MARCA que por derecho le pertenece, fue obligada a recorrer al Judiciario para la defensa de sus legítimos intereses. El obstáculo creado seguramente no es benéfico para Tintas & Vernizes, para la Abrafati, y principalmente para el sector de pinturas y barnices brasileño. Por eso nosotros, de Tintas & Vernizes, preguntamos: ¿Será que una simple “y” vale todo este desgaste, que podría haber sido resuelto hace 14 años, o hace poco más de 2 años, cuando nuestro pedido fue reiterado, en la ocasión del lanzamiento de la 3ª edición del libro? Contamos con el apoyo y comprensión de todos, con la certeza de que solucionaremos este problema de la mejor forma posible. Francis Louis Morrell Júnior y Francely Morrell

EXPLANATORY NOTE Exactly 49 years ago, from a conversation with Mr. Orlando Lavieiro Ferraiuolo, then president of Sitivesp – Syndicate of the de Paint and Varnish Industry of São Paulo State - came up by the hands of our unforgettable Morrell, the Tintas & Vernizes magazine. Ferraiuolo showed to Morrell the need of the paint industry of having a literature that oriented and informed them about the new technologies, new products, relevant facts and events, besides articles aiming at the constant improvement of the technical and laboratorial areas of the industries. Then, Tintas & Vernizes was launched in October 1959 and was applauded by everybody, and the circulation of the magazine was not restricted to the market of São Paulo state only, but also all around the country, becoming obligatory reading to those who made part of the paint market, being, year after year, more and more required in the laboratories and commercial departments of the industries of the sector. During all these years of work and arduous dedication totally focused on the paint and varnish market, Tintas & Vernizes has been publicizing news and novelties of the sector, promoting and informing technically the paint industries of our country, thus becoming an influent publishing respected by everybody. Tintas & Vernizes has always supported all the activities that aim at the improvement and evolution of the paint industry and their technicians, so much that is the only publication of the sector to has covered widely all of the editions of the International Paint Congress, since its first edition, and everybody knows that this event is promoted by Abrafati. The same support was given in the occasion of the launching of the Abrafati’s book Tintas & Vernizes. But this time, considering the rights that fall on the name of the magazine issued since 1959 by Morrell Editora Técnica Ltda., the heirs of the unforgettable Morrell and whose today, drive the publishing firm founded by him, with the same determination and dedication, requested to Abrafati the removal of the “&” (“and”) from the title of the book and was replaced by “and”, since, as it was told above, the expression Tintas & Vernizes represents a trade mark registered in the INPI - National Institute of Industrial Property - and spread since 35 years ago. The objective of te request was simply to avoid any kind of confusion in the market and to safeguard years of work for the consolidation of a MARK extremely respected in the industry. Unfortunately Morrell Editora did not have a satisfactory return, and after 14 years of attempts, always with the purpose of protecting the MARK that by right belongs to them, Morrell Editora has been obliged to turn to the Judiciary for the defense of their legitimate interests. The impasse created, certainly is not benefic to Tintas & Vernizes nor to Abrafati, and mainly to the Brazilian paint and varnish industry. That’s why we at Tintas & Vernizes, ask: Will it perhaps be that a simple “and” worth all this deterioration, which could have been solved 14 years ago, or in a little over two years ago, when our request was reiterated, in the occasion of the launching of the 3rd edition of the book? We count on the support and understanding of all of you, and we are quite sure that we will solve this problem in the best way possible. Francis Louis Morrell Júnior e Francely Morrell

6

RTV|08-09|2008


RTV|08-09|2008

7


CONFERÊNCIA

REVISTA TINTAS & VERNIZES PROMOVE PALESTRAS NA FEI A Faculdade de Engenharia Industrial sediou pela segunda vez a Conferência Técnica Revista Tintas & Vernizes, atraindo o interesse dos alunos de 4º e 5º anos para o mercado de tintas pós a revista Tintas & Vernizes promover em abril deste ano a 2ª Conferência Técnica nas dependências das Faculdades Oswaldo Cruz, no dia 2 de setembro foi a vez da Faculdade de Engenharia Industrial (FEI) sediar a 3ª Conferência Técnica Revista Tintas & Vernizes que contou com patrocínio da Rhodia Poliamida e Especialidades, Eastman do Brasil, Columbian Chemicals do Brasil, Oxiteno, Carbono Química e Lanxess; além do apoio da Bandeirante Brazmo e realização da Morrell Editora. As palestras aconteceram no audi-

A

8

RTV|08-09|2008

tório Valentin dos Santos Diniz do Centro Universitário da FEI, em São Bernardo do Campo (SP), mesmo local onde aconteceu a 1ª edição do evento. Direcionada a um público bem específico - alguns dos principais fornecedores de matérias-primas para o segmento de tintas, aos alunos de 4º e 5º ano dos cursos de engenharia química e aos químicos formuladores de tintas do Brasil - esta terceira edição repetiu o mesmo sucesso das anteriores com a presença, em média, de mais de 120 participantes. Com o objetivo de informar e atualizar os químicos e profissionais das áreas

de tintas e vernizes, química e petroquímica; e de atingir os alunos de 4º e 5º anos abastecendo-os com informações importantes para o futuro; as palestras sempre voltadas ao setor de tintas e vernizes - destacaram temas de grande interesse e, em várias apresentações, foram citadas alternativas para amenizar impactos ambientais. Os assuntos abordados facilitam a comunicação entre a indústria fornecedora de matérias-primas e seus consumidores, além de mostrar aos alunos que pretendem ingressar no mercado, todas as oportunidades que o segmento de tintas pode oferecer.


RTV|08-09|2008

9


CONFERÊNCIA

“Desmitificando o VOC” O objetivo foi discutir o conceito de Compostos Orgânicos Voláteis (VOC´s) sob uma nova ótica, onde o próprio conceito é ampliado, através da introdução de novos critérios. Entre os tópicos foram apresentados os impactos do VOC na atmosfera, porque e como controlá-los. Palestrante: Sérgio Martins, especialista em Desenvolvimento e Aplicações para os mercados de adesivos, couro, mineração, tintas e vernizes da Rhodia Poliamida e Especialidades.

“Ésteres de Celulose para revestimentos: princípios básicos de escolha e desempenho” Durante a apresentação foram abordados os principais parâmetros para a escolha de um éster de celulose adequado para as mais diversas aplicações. Estes insumos (ésteres de celulose), de acordo com os ácidos usados durante o processo de esterificação, podem ser o CA (acetato de celulose), CAP (aceto propionato de celulose) e o CAB (aceto butirato de celulose). Palestrante: Renan Marcel Urenhiuki, representante de Desenvolvimento Técnico para o segmento de tintas da Eastman do Brasil para América Latina.

“Negro-de-Fumo: Mais próximo do que você imagina” A idéia foi apresentar o negro-de-fumo desde a sua forma de produção até as suas características principais, correlacionando a sua aplicação neste segmento e as propriedades finais da tinta, de forma a auxiliar os estudantes e químicos na escolha do tipo de negro-de-fumo ideal à sua aplicação. Palestrante: Roberto Galdi, coordenador de Serviços Técnicos para América do Sul, e responsável pelo laboratório de Desenvolvimento de Aplicações do negro-de-fumo em tintas, plásticos e borracha, bem como assistência técnica aos clientes da Columbian Chemicals.

10 RTV|08-09|2008


CONFERÊNCIA

“Solventes Oxigenados: Conceitos, Critérios de Escolha e Aplicações” O objetivo foi apresentar os solventes oxigenados, a partir de uma introdução conceitual de solventes em geral contemplando a origem, definições, características e propriedades, os critérios de escolha e as principais aplicações nos diversos segmentos de mercado de tintas e vernizes, considerando aspectos ambientais e tendências tecnológicas do setor. Palestrante: Adriano Sales de Oliveira, assistente técnico sendo pesquisador responsável em Fluídos Funcionais e Tintas e Vernizes, da Oxiteno (uma empresa do Grupo Ultra).

“MetilCicloHexano – Uma Real Alternativa aos Solventes Aromáticos” O MetilCicloHexano vem se apresentando como uma alternativa viável para vários processos de produção que envolvem a utilização do tolueno e do xileno, tendo em vista suas características físico-químicas. A intenção foi apresentar esta alternativa, bem como outras que estão sendo avaliadas em âmbito internacional, e promover a busca por soluções que tenham como característica a baixa emissão de VOC. Palestrante: Hugo Wizenberg, consultor da Carbono Química na área de Engenharia.

“Resinas de Intercâmbio Iônico: Um Mundo de Aplicações” Esta linha de produto é utilizada não somente para desmineralização de água (para o qual foi primordialmente desenvolvido), mas também para beneficiamento de alimentos, tratamento de efluentes, hidrometalurgia, galvanoplastia e como catalisadores em certas reações químicas. Palestrante: Klaus Axthelm, gerente da Divisão de Resinas de Intercâmbio Iônico, da Lanxess.

RTV|08-09|2008

11


CONFERENCIA

Revista Tintas & Vernizes organiza ponencias en la FEI Después de que la revista Tintas & Vernizes promovió en abril de este año la 2ª Conferencia Técnica en las dependencias de las Facultades Oswaldo Cruz, el 2 de septiembre fue le tocó a la Facultad de Ingeniaría Industrial (FEI) ser la sede de la 3ª Conferencia Técnica Revista Tintas & Vernizes, que contó con el patrocinio de Rhodia Poliamida e Especialidades, Eastman do Brasil, Columbian Chemicals do Brasil, Oxiteno, Carbono Química y Lanxess; además del apoyo de Bandeirante Brazmo y realización de Morrell Editora. Las ponencias se celebraron en el auditorio Valentin dos Santos Diniz, del Centro Universitario de la FEI, en São Bernardo do Campo (SP), donde se realizó la 1ª edición del evento. Orientada a un público muy específico, algunos de los principales proveedores de materias primas para la industria de pinturas, los alumnos de 4º y 5º años de los cursos de ingeniería química y químicos formuladores de pinturas de Brasil, esta tercera edición repitió el mismo éxito de las anteriores con la presencia de más de 120 participantes. Con el objetivo de informar y actualizar a los químicos y profesionales de las áreas de pinturas y barnices, química y petroquímica, y de llegar a los alumnos de 4º y 5º años proporcionándoles informaciones importantes para el futuro, las ponencias - siempre enfocadas al sector de pinturas y barnices - destacaran temas de gran interés, y en varias presentaciones, se mencionaron alternativas para amenizar el impacto ambiental. Ponencias de la 3ª Conferencia Técnica Tintas & Vernizes “Desmitificando el VOC” (por Sérgio Martins, de Rhodia Poliamida e Especialidades); “Ésteres de Celulosa para revestimientos: principios básicos de selección y desempeño” (Renan Urenhiuki, de Eastman do Brasil); “Negro de Humo: Más cerca de lo que usted se imagina” (Roberto Galdi, de Columbian Chemicals); “Solventes Oxigenados: Conceptos, Criterios de Selección y Aplicaciones” (Adriano Sales Oliveira, de Oxiteno, empresa del Grupo Ultra); “Metil-ciclo-hexano – Una Real Alternativa a los Solventes Aromáticos (Hugo Wizenberg, de Carbono Química) y “Resinas de Intercambio Iónico: Un Mundo de Aplicaciones” (Klaus Axtheim, de Lanxess).

12 RTV|08-09|2008

CONFERENCE

Tintas & Vernizes promotes lectures at FEI After Tintas & Vernizes magazine promoted in April this year the 2nd Technical Conference at Faculdades Oswaldo Cruz, in September 2nd was held at Faculdade de Engenharia Industrial (Industrial Engineering College FEI), the 3rd Tintas & Vernizes Magazine Technical Conference, which was sponsored by Rhodia Poliamida e Especialidades, Eastman do Brasil, Columbian Chemicals do Brasil, Oxiteno, Carbono Química and Lanxess; besides the support of Bandeirante Brazmo and production by Morrell Editora. The lectures were carried out at the Valentin dos Santos Diniz auditorium, in the FEI Universitary Center, in São Bernardo do Campo (SP), the same place where the 1st edition of the event was carried out. Intended to a very specific audience – some of the top raw materials suppliers for the paint industry, the students of chemistry of the chemical engineering courses and the paint formulator chemists of Brazil this third edition had the same success of the two previous with the presence of more than 120 participants. With the objective of informing and updating the chemists and professionals of the paints and varnishes, chemical and petrochemical industries; and achieving the students of chemistry providing them with important information for the future, the lectures - always oriented to the paint and varnish sector - highlighted very interesting topics, and in several presentations, were mentioned alternatives to reduce environmental impact. Lectures of the 3rd Tintas & Vernizes Magazine Technical Conference “Demystifying the VOC” (by Sérgio Martins, from Polyamide and Specialties Rhodia), “Cellulose esters for coatings: basic choice principles and performance” (Renan Urenhiuki, Eastman do Brasil), “Carbon Black: “Closer than you imagine” (Roberto Galdi, from Columbian Chemicals); “Oxygenated Solvents: Concepts, Choice Criteria and Applications” (Adriano Sales Oliveira, from Oxiteno – an Ultra Group company); “Methyl-cyclehexane – A Real Alternative to the Aromatic Solvents (Hugo Wizenberg, Carbono Química) and “Ionic Exchange Resins: A World of Applications” (Klaus Axtheim, from Lanxess).


ESTRATÉGIA

DOW COATING SOLUTIONS: nova unidade de negócio para tintas da Dow o início deste ano, a Dow Coating Solution entrou em atividade como uma nova unidade de negócio dentro da empresa Dow, dedicada especificamente para atender o segmento de tintas e vernizes. Em sua visita ao Brasil, George Hamilton, presidente global da Dow Coating Solutions, apresentou detalhes desta recente estratégia que envolve um dos setores de maior importância para a Dow. Em entrevista exclusiva à revista Tintas & Vernizes, ele revela informações que justificam o novo modelo e a diferenciação que passa a ser projetada aos clientes.

N

Tintas & Vernizes: A criação da Dow Coating Solutions reflete uma mudança radical de estratégia para atender o

mercado de tintas, logicamente visando melhorias. Então, vem a pergunta básica, por que foi deixado de lado o modelo anterior e criada esta nova unidade de negócio? George Hamilton, presidente global da Dow Coating Solutions: Como uma das maiores fornecedoras de insumos químicos, a Dow possui uma ampla variedade de produtos para a indústria – como materiais para epóxi, solventes oxigenados, espessantes celulósicos, entre outros –, e muitos clientes nos diziam que era cada vez mais difícil fazer negócio com a Dow, principalmente devido a esta enorme variedade de produtos. O modelo anterior não permitia que o cliente fosse tratado de uma forma holística pela companhia. Já neste modelo atual de negócio que é a Dow Coating Solutions - unidade que integra todas as áreas de revestimentos -

RTV|08-09|2008

13


ESTRATÉGIA

LAURO BELMONTE E GEORGE HAMILTON diretor América Latina da Dow Coating Solutions e presidente global da Dow Coating Solutions

oferecemos facilidades de negócios e o comprometimento de entender melhor as tendências e necessidades deste mercado. Desta forma, atualizamos nossas pesquisas e desenvolvimentos, e atingimos o objetivo de agregar valor e oferecer soluções químicas inovadoras aos clientes. Nós queremos ajudá-los a se diferenciar no mercado e seremos muito mais flexíveis. T&V: Com esta nova unidade e com a compra da Rohm and Haas haverá um incremento de produtos para o setor de tintas. Alguns produtos novos já podem ser revelados? Hamilton: É difícil falar de novos produtos no momento. Mas diante do portfólio e da posição de liderança da Rohm and Haas na área de construção civil, vemos que possuímos um grande potencial de soluções para a divisão de coatings. Como a maioria dos nossos clientes dedica-se a vários segmentos do setor de tintas – arquitetônicas, marítimas, industriais, revestimentos de proteção, embalagens, etc – esta aquisição irá fortalecer o nosso relacionamento e teremos todas as soluções que necessitam. A Rohm and Haas tem uma marca fantástica e a combinação das duas empresas vai resultar numa intensa identificação e 14 RTV|08-09|2008

criação de produtos. Então, fiquem ligados que virão novidades! T&V: Poderia falar um pouco sobre os pilares que envolvem o trabalho da Dow Coating Solutions? Hamilton: Trabalhamos simultaneamente identificando as necessidades para melhorar custo e aumentar desempenho. Buscamos também soluções para reduzir os compostos voláteis e tóxicos, assim como matérias-primas provenientes de fontes renováveis. Melhorar nas tintas a resistência a intempéries, impurezas, e a UV (ultravioleta) também é parte de nosso trabalho e notamos que o setor deseja melhorias na produtividade. Uma construtora, por exemplo, ficará muito satisfeita se puder executar a pintura de um substrato mais rapidamente. O desenvolvimento de tintas “inteligentes” é outra abordagem. A Dow Coating Solutions vai facilitar a vida dos formuladores e oferecer soluções que eles desejam. T&V: A Dow Coating Solutions segue os mesmos moldes em todas as partes do mundo ou no Brasil o trabalho se diferencia em algum aspecto?


Hamilton: A Dow Coating Solutions é um negócio global, mas certamente, irá variar dependendo da região, porque as tendências e necessidades são diferentes de um país para outro. Apesar disso, a estratégia e os pilares são iguais em todas as partes do mundo, entretanto, é importante compreender as diferenças e aproveitar as oportunidades de crescimento em cada um. A América Latina, por exemplo, é muito importante para a Dow e acreditamos que existirá uma grande expansão aqui. T&V: Com a criação da Dow Coating Solutions, houve contratação de pessoas? Hamilton: A Dow Coating Solutions montou uma equipe de pessoas apaixonadas por aquilo que fazem. A maior parte veio da própria Dow. A empresa é conhecida por ter grandes talentos, tanto na área comercial como na técnica. Acho que o ponto forte é estarmos focamos exclusivamente no setor de tintas e vernizes com pessoas talentosas e dedicadas. Queremos dar respostas imediatas para os clientes. T&V: Com a Dow Coating Solutions, qual a expectativa de crescimento da empresa dentro de sua atuação no segmento de tintas? Existe esta projeção mesmo diante da volatilidade da atual economia? Hamilton: Podemos crescer mais que o setor de tintas e cresceremos, porque teremos mais negócios com os clientes. Entender a rotina e ver o que é atrativo para eles são componentes que permitirão um aumento adicional. Se o mercado da América Latina apresenta de 5% a 6% de crescimento, buscaremos acréscimo de no mínimo 2%. Eu e o Lauro Belmonte, diretor América Latina Dow Coating Solutions, já implantamos um modelo de negócio deste tipo na indústria automotiva e sabemos que ele funciona. T&V: Quando os clientes passarão a sentir e conferir de perto o trabalho promovido pela Dow Coating Solutions? Hamilton: O desafio de desenvolver o modelo começou no 1º trimestre de 2007. No mesmo período deste ano, com a unidade criada, já obtivemos respostas positivas dos clientes. Eles são realistas e reconhecem que uma mudança deste tipo não é imediata. O cliente também está atento aos detalhes – ele nota quanto tempo o vendedor leva para dar uma resposta; como a empresa resolve sua solicitação; etc – e já consegue fazer a comparação do modelo atual em relação ao passado. A nossa linguagem mudou. Antes falávamos de produtos, hoje falamos quais são as necessidades dos clientes e onde precisamos melhorar. É uma longa jornada, mas todos irão perceber que agora a Dow é diferente. RTV|08-09|2008

15


ESTRATEGIA

Dow Coating Solutions: nueva unidad de negocio para pinturas de Dow inicios de este año, Dow Coating Solution entró en actividad como una nueva unidad de negocio dentro de la empresa Dow, dedicada específicamente para atender a la industria de pinturas y barnices. En su visita al Brasil, George Hamilton, presidente global de Dow Coating Solutions, presentó detalles de esta reciente estrategia que involucra uno de los sectores de mayor importancia para Dow. En entrevista exclusiva a la revista Tintas & Vernizes, revela informaciones que justifican el nuevo modelo y la diferenciación que se proyecta a los clientes.

A

de Rohm and Haas en el área de construcción civil, vemos que contamos con un gran potencial de soluciones para la división de coatings. Como la mayoría de nuestros clientes se dedica a varios segmentos de la industria de pinturas – arquitectónicas, marítimas, industriales, revestimientos de protección, embalajes, etcétera. Esta adquisición fortalecerá nuestra relación y tendremos todas las soluciones que necesitan. Rohm and Haas tiene una marca fantástica y la combinación de las dos empresas va a resultar en una intensa identificación y creación de productos. ¡Así que, estén atentos, porque habrá novedades!

Tintas & Vernizes: La creación de Dow Coating Solutions refleja un cambio radical de estrategia para atender al mercado de pinturas, lógicamente buscando mejorías. Entonces, viene la pregunta básica, ¿por qué se dejó de lado el modelo anterior y se creó esta nueva unidad de negocio? George Hamilton, presidente global de Dow Coating Solutions: Como una de las mayores proveedoras de insumos químicos, Dow cuenta con una amplia variedad de productos para la industria, como materiales para epoxi, solventes oxigenados y espesantes de celulosa, entre otros, y muchos clientes nos decían que era cada vez más difícil hacer negocios con la Dow, principalmente debido a esta enorme variedad de productos. El modelo anterior no permitía que el cliente fuese tratado de una forma holística por la compañía. Ya en este modelo actual de negocio que es la Dow Coating Solutions - unidad que integra todas las áreas de revestimientos - ofrecemos facilidades de negocios y el comprometimiento de entender mejor las tendencias y necesidades de este mercado. De esta forma, actualizamos nuestras investigaciones y desarrollos, y alcanzamos el objetivo de agregar valor y ofrecer soluciones químicas innovadoras a los clientes. Queremos ayudarlos a diferenciarse en el mercado y seremos mucho más flexibles.

T&V: ¿Podría hablar un poco sobre los pilares que sustentan el trabajo de Dow Coating Solutions? Hamilton: Trabajamos simultáneamente identificando las necesidades para mejorar costos y aumentar el desempeño. Buscamos también soluciones para reducir los compuestos volátiles y tóxicos, así como materias primas provenientes de fuentes renovables. Mejorar en las pinturas la resistencia a la intemperie, impurezas, y a rayos UV (ultravioleta) también forma parte de nuestro trabajo y notamos que el sector desea mejorías en la productividad. Una constructora, por ejemplo, se quedará muy satisfecha si pudiese ejecutar la pintura de un sustrato más rápidamente. El desarrollo de pinturas “inteligentes” es otro abordaje. Dow Coating Solutions va a facilitarle la vida a los formuladores y les ofrecerá las soluciones que éstos deseen.

T&V: Con esta nueva unidad y con la compra de Rohm and Haas, habrá un incremento de productos para el sector de pinturas. ¿Ya se pueden revelar algunos nuevos productos? Hamilton: Es difícil hablar de nuevos productos en este momento. Pero ante el portafolio y de la posición de liderazgo 16 RTV|08-09|2008

T&V: ¿Dow Coating Solutions sigue los mismos moldes en todas partes del mundo, o en Brasil el trabajo se diferencia en algún aspecto? Hamilton: Dow Coating Solutions es un negocio global, pero seguramente variará dependiendo de la región, porque las tendencias y necesidades son diferentes de un país a otro. A pesar de eso, la estrategia y los pilares son iguales en todas partes del mundo, sin embargo, es importante comprender las diferencias y aprovechar las oportunidades de crecimiento en cada uno de ellos. América Latina, por ejemplo, es muy importante para Dow y creemos que existirá una gran expansión aquí.


ESTRATEGIA

T&V: Con la creación de Dow Coating Solutions, ¿hubo contratación de personas? Hamilton: Dow Coating Solutions montó un equipo de personas apasionadas por lo que hacen. La mayor parte vino de la propia Dow. La empresa es conocida por tener grandes talentos, tanto en el área comercial como en la técnica. Creo que el punto fuerte es que estamos enfocados exclusivamente en el sector de pinturas y barnices con personas talentosas y dedicadas. Queremos dar respuestas inmediatas para los clientes. T&V: Con la Dow Coating Solutions, ¿cuál es la expectativa de crecimiento de la empresa dentro de su actuación en el segmento de pinturas? ¿Existe esta proyección a pesar de la volatilidad de la actual economía? Hamilton: Podemos crecer más que el sector de pinturas, y creceremos, porque tendremos más negocios con los clientes. Entender la rutina y ver lo que es atractivo para ellos son componentes que permitirán un aumento adicional. Si el mercado de América Latina presenta de un crecimiento del 5% al 6%, buscaremos un aumento de por lo menos 2%.

Lauro Belmonte, director América Latina Dow Coating Solutions, y yo, ya implantamos un modelo de negocio de este tipo en la industria automovilística y sabemos que funciona. T&V: ¿Cuándo los clientes empezarán a sentir y conocer el trabajo promovido por Dow Coating Solutions? Hamilton: El resto de desarrollar el modelo comenzó el 1º trimestre de 2007. En el mismo período de este año, con la unidad creada, ya obtuvimos respuestas positivas de los clientes. Ellos son realistas y reconocen que un cambio de este tipo no es inmediato. El cliente también está atento a los detalles, nota cuánto tiempo lleva el vendedor para dar una respuesta; como la empresa resuelve su solicitud, etcétera. Y ya puede hacer una comparación del modelo actual con relación al anterior. Nuestro lenguaje cambió. Antes hablábamos de productos, hoy hablamos de cuáles son las necesidades de los clientes y dónde necesitamos mejorar. Es una larga jornada, pero todos van a percibir que ahora la Dow es diferente.

RTV|08-09|2008

17


STRATEGY

Dow Coating Solutions: new business unit for Dow paints n the beginning of this year, Dow Coating Solutions started activities as a new business unit inside the Dow company, intended specifically to serve the paints and varnishes industry. In his visit to Brazil, George Hamilton, Dow Coating Solutions Global President, presented details of this recent strategy that involves one of the most important sectors to Dow. In an exclusive interview to Tintas & Vernizes magazine, he reveals information that justify the new model and the differentiation that began to be projected to the customers.

I

Tintas & Vernizes: The creation of Dow Coating Solutions reflects a radical change of strategy to serve the paint market, logically aiming at improvements. Then, the basic question comes up, why the previous model was set aside and this new business unit was created? George Hamilton, Dow Coating Solutions Global President: As one of the largest suppliers of chemical inputs, Dow has a wide range of products for the industry – as materials for epoxy, oxygenated solvents, cellulose thickeners, among others –, and many customers told us that it was more and more difficult to make business with Dow, mainly due to this great variety of products. The previous model did not allow the company to treat the customer in a holistic way. Now with the current business model that is Dow Coating Solutions - a unit which gathers all of the coatings sectors – we offer business facilities and the commitment to understand better the trends and needs of this market. Thus, we updated our researches and developments, and we reached the objective of adding value and offering innovative chemical solutions to the customers. We want help them to stand out in the market and we will be much more flexible. T&V: With this new unit and with the acquisition of Rohm and Haas, there will have an increase in the number of products for the paint sector, could you reveal already some of these new products? Hamilton: It is difficult to speak about new products

18 RTV|08-09|2008

at this moment. But in face of the Rohm and Haas portfolio and leadership position in the civil construction market, we notice that we have a great potential of solutions for the coating division. As most of our customers works in several sectors of the paint industry – architectonics, maritime, industrials, protection coatings, packaging, etc. – this acquisition will strengthen our relationship and we will have all the solutions that they need. Rohm and Haas has a fantastic brand and the combination of these two companies will result in a strong identification and creation of products. Then, stay in tune that novelties will come! T&V: Can you tell us a little about the pillars that involve the work of Dow Coating Solutions? Hamilton: We work simultaneously identifying the needs of improving the cost and performance. We also look for solutions to reduce the volatile and toxic compounds, as well as raw materials from renewable sources. Improving the paints, the weathering, impurities, and the UV (ultraviolet) resistance is also part of our work and we observe that the sector desires improvements in the productivity. A construction company, for instance, will be very satisfied if can carry out more quickly the painting of a substrate. The development of “intelligent” paints is another approach. Dow Coating Solutions will make easier the life of the formulators and offer the solutions that they wish. T&V: Dow Coating Solutions follows the same standards all around the world, or in Brazil the work it is different in any aspect? Hamilton: Dow Coating Solutions is a global business, but certainly will change depending of the region, because the trends and needs are different from one country to another. Despite this, the strategy and the pillars are the same all around the world; however, it is important to understand the differences and to take advantage of the opportunities of growth in each of the country.


Latin America, for instance, is very important to Dow and we believe that there will have a big expansion here. T&V: With the creation of Dow Coating Solutions, there were more people contracted? Hamilton: Dow Coating Solutions set a team that is in love with what they do. Most of them came from Dow. The company is acknowledged by having big talents, as in the commercial as in technical sectors. I think that the strength is that we are focused exclusively on the paint and varnish sector with talented and dedicated people. We want provide immediate answers to the customers. T&V: With Dow Coating Solutions, which is the growth expectation of the company with its performance in the paint segment? Is there this projection, even in face of the volatility of the current situation of the economy? Hamilton: We can grow above the paint industry and this will happen because we have more businesses with the customers. Understanding their routine and seeing what is attractive to them are components that will allow an additional increase. If the Latin American market grows from 5% to 6%, we will try to increase at least 2%. Lauro Belmonte, Dow Coating Solutions for Latin America Director, and I, have already implemented a business model of this type in the automotive industry and we know that it works. T&V: When the customers will know the work promoted by Dow Coating Solutions? Hamilton: The challenge of developing the model began in the first quarter of 2007. In the same period this year, with the unit created, we already had a positive feedback from the customers. They are realistic and acknowledge that a change like this is not immediate. The customer also pays attention to the details – they observe how much time the salesman spends to give an answer; how the company solves their request; etc. – and even can compare the current model regarding to old one. Our language has changed. Before we spoke of products, now we speak which are the needs of our customers and where we need to improve. It is a long way, but everybody will notice that Dow is now different.

RTV|08-09|2008

19


foto: Divulgação Eastman

PROMOTORES DE ADESÃO

PROMOTORES DE ADESÃO: soluções base água são destaques os últimos anos, o grande desenvolvimento dos promotores de adesão está relacionado à forte variação de substratos e a exigência das indústrias, que estão cada vez mais em busca de alternativas específicas para suas aplicações e para melhorar a performance e qualidade dos revestimentos. Os produtos com base em sistemas clorados são predominantes, porém a tecnologia de silanos também atua neste universo. Enquanto os poliolefínicos clorados despontam principalmente em substratos plásticos; os silanos ajudam na adesão ao metal.

N

E uma nova tecnologia entra em cena patenteada pela BYK Chemie que, recentemente, iniciou sua participação no mercado de promotores. Os detalhes seguem ao longo desta reportagem. Dentro de todo este contexto, o que se nota e até impressiona é a tendência do uso de promotores de aderência base água. A oferta de sistemas aquosos vem crescendo de forma acentuada na América Latina, impulsionada pela Europa e Estados Unidos; e como empresas globais, os fabricantes destes aditivos para adesão estão trazendo ao mercado nacional seus novos desenvolvimentos, sendo a maioria base água.

A Adexim-Comexim disponibiliza os promotores de aderência através de sua representada Worlee Chemie – Alemanha, que como novidade oferece para o mercado brasileiro os sistemas base água, já que entende que o país está entrando agora com estudos base água, enquanto que na Europa já existe uma predominância deste sistema.

A Eastman é pioneira na área de promotores de adesão, sendo hoje uma das três principais provedoras mundiais de tecnologia neste segmento. Esta posição de vanguarda vem da década de 70, quando as montadoras norte-americanas começaram a produzir carros com materiais mais leves, como plástico, detectando-se a necessidade de novos promotores de aderência.

20 RTV|08-09|2008


PROMOTORES DE ADESÃO

Hoje, a Eastman continua surpreendendo o mercado com soluções inovadoras globais e específicas na tecnologia de poliolefínicos e tem investido muito em produtos para sistemas aquosos. Nesse sentido, apresenta o novo promotor de aderência base água com alta performance: Eastman Advantis™ 510W. Livre de halogênios e AFEO (alquilfenoletoxilado), ele foi projetado para substratos de polipropileno modificado, sendo ideal para ser aplicado, por exemplo, em pára-choques que apresentem design mais complexo. “Este produto foi desenvolvido inicialmente para o mercado automotivo, mas notamos que tem uma grande flexibilidade para outras aplicações, como nas áreas de polietilenos, nylon e building construction onde foi testado e aprovado”, acrescenta o representante de desenvolvimento técnico para o segmento de tintas, da Eastman do Brasil para a América Latina, Renan Marcel Urenhiuki. Segundo Urenhiuki e o gerente de desenvolvimento de mercados para América Latina, Marcos Basso, o Eastman Advantis™ 510W proporciona excelente latitude de formulação com numerosas resinas e revestimentos de fundo à base de água. Em testes de laboratório, o produto mostrou adesão robusta

FERNANDO DE VINCENZO, MARCOS BASSO e RENAN MARCEL URENHIUKI representantes da Eastman

utilizando uma variedade de aplicações de revestimentos de superfícies comerciais. Demonstra acentuada resistência duran-

RTV|08-09|2008

21


PROMOTORES DE ADESÃO

te o teste de jato d’água de alta pressão, mesmo após exposto a intempéries, umidade, calor e envelhecimento. “O promotor de adesão Eastman Advantis™ 510W marca o começo de uma série e proporcionará uma vantagem distinta em relação a produtos alternativos para os fabricantes de revestimentos que têm como alvo as aplicações automotivas em plásticos,” diz Basso. No Brasil, a Eastman destaca-se pela sua estrutura técnica e comercial. A eficiência de seu suporte local reflete sua expansão no país. Conforme revela o gerente de negócios coatings, Fernando de Vincenzo, de 2007 para 2008 a empresa, no Brasil, cresceu 45% na área de promotores de aderência, e a divisão de coatings obteve aumento superior a 70% no mesmo período. Para Vincenzo, o objetivo é continuar crescendo acima da média do mercado.

proporciona hidrofugância. Outra linha é a Protectosil®, voltada para a construção civil. De acordo com Beatriz, é um aditivo que serve como promotor de adesão protetor de fachadas, já que ajuda a tinta a aderir no substrato. A Evonik também conta com as Resinas de Adesão. Elas não são principais na tinta, mas segundo Renato Stoicov, product manager - Tego Coating Additives & Specialty Resins, uma pequena adição já facilita a adesão em substratos como plástico e metal galvanizados. A área de tintas de impressão para embalagens plásticas e metálicas é uma das principais consumidoras destas resinas. A linha é composta das Resinas de Adesão para base solventes: LTW (para substratos mais flexíveis); LTH (resina mais dura para substratos menos flexíveis); LTW B; e Resina de Adesão 2440

BEATRIZ ZAKI

AURÉLIO NAZARÉ ROCHA

coordenadora de negócios - silanos, da Evonik

gerente geral da BYK Chemie

Recentemente, a Evonik lançou uma linha de silanos base água: a Dynasylan® Hydrosil que confere adesão química, e outra série que é a Dynasylan® Sivo que utiliza a tecnologia Sol Gel (zero de VOC´s). Segundo a coordenadora de negócios – silanos, engª Beatriz Zaki, a família Sivo é voltada para o tratamento de metais e, em seu processo, não é formado o filme evitando assim a alteração da característica do substrato. A série se compõe de quatro produtos que visam proteger o metal da corrosão: o Dynasylan® Sivo 110 é a base e pode ser utilizado como aditivo; o Dynasylan® Sivo 111 é o neutralizador que irá regular o Ph do Sivo 110; o Dynasylan® Sivo 112 vai gerar oleofugância e hidrofugância (tratamento para a superfície ficar protegida da água e óleo); e o Dynasylan® Sivo 113 que 22 RTV|08-09|2008

(possui aprovação da FDA [Food and Drug Administration], sendo muito utilizada em embalagens metálicas, inclusive de alimentos). Além destas, oferece ainda as versões EP 3350 que é específica para sistemas UV; e a mais recente de todas - a EPDS 1300 - indicada para tintas base água. É recente a participação da BYK Chemie no mercado de promotores de adesão. Em meados do ano passado, a empresa decidiu desenvolver uma nova tecnologia nesta área para suprir determinadas necessidades dos clientes. “Notamos que este setor precisava de promotores de adesão que não causassem às tintas nenhum “efeito colateral”. Então, resolvemos buscar novas soluções com a finalidade de atender aquilo que o clien-


te deseja, ou seja, promotores de adesão que não alterem a estabilidade e propriedades mecânicas da tinta. Hoje, temos dois produtos, mas estamos estudando outras moléculas para, futuramente, incrementar a linha”, explica o gerente geral da BYK Chemie, Aurélio Nazaré Rocha. A BYK Chemie entra neste segmento com uma tecnologia única e já patenteada por ela. Basicamente, a empresa fez uma copolimerização entre duas tecnologias poliméricas, tanto na umectação de pigmentos – dos seus aditivos dispersantes/umectantes, como na parte de surfactantes. A partir daí, apresenta dois aditivos promotores de adesão: o BYK 4500 e o BYK 4510. O primeiro é específico para sistemas base água e deve ser aplicado obrigatoriamente em substratos que já foram pintados e onde existam restos de tinta. Isso significa que este produto é eficaz

HÉLIO FERREIRA consultor técnico da D’Altomare Química

quando se deseja fazer uma repintura ou reaplicação, seja na madeira, no metal, no plástico, entre outros. Já o BYK 4510 é indicado para tintas reativas base solventes (poliuretanos, tintas curadas à estufa, etc) e seu substrato tem que ser metálico. A D’Altomare Química, através de sua representada Dow Corning, também oferece promotores de adesão. A linha destaca produtos como o DCZ 6020 e 6040 que são os mais usados pelo mercado nacional para dar melhor adesão a superfícies como vidro, alumínio, aço, cerâmicas e metais; maior compatibilidade entre o pigmento e a resina; além de estabilização da dispersão dos pigmentos. Ao ser utilizados como aditivos ou primers, atuam como ponte entre o polímero e o substrato. RTV|08-09|2008

23


PROMOTORES DE ADHESIÓN

foto: Divulgação Eastman

PROMOTORES DE ADHESIÓN: soluciones de base agua se destacan n los últimos años, el gran desarrollo de los promotores de adhesión se ha relacionado a la fuerte variación de sustratos y a la exigencia de las industrias, que están cada vez más a la búsqueda de alternativas específicas para sus aplicaciones y para mejorar el desempeño y calidad de los revestimientos. Los productos basados en sistemas clorados predominan, pero la tecnología de silanos también actúa en este universo. Mientras los productos de poliolefina clorados despuntan principalmente en sustratos plásticos, los silanos ayudan en la adhesión al metal.

E

Y una nueva tecnología entra en escena, patentada por BYK Chemie que, recientemente, inició su participación en el mercado de promotores. Los detalles siguen a lo largo de este reportaje. Dentro de todo este contexto, lo que se nota, e inclusive impresiona, es la tendencia al uso de promotores de adherencia de base agua. La oferta de sistemas acuosos ha venido creciendo de forma acentuada en América Latina, impulsada por Europa y Estados Unidos; y como empresas globales, los fabricantes de estos aditivos para adhesión están trayendo al mercado brasileño sus nuevos desarrollos, siendo la mayoría de base agua.

Adexim-Comexim ofrece los promotores de adhesión a través de la empresa que representa Worlee Chemie, de Alemania, que como novedad pone a disposición del mercado brasileño los sistemas de base agua, ya que entiende que el país está comenzando ahora a desarrollar estudios de sistemas base agua, mientras que en Europa ya existe una predominancia de este sistema.

acuosos. En este sentido, presenta el nuevo promotor de adherencia de base agua con alto desempeño: Eastman Advantis™ 510W. Libre de halógenos y AFEO (alquilfenoletoxilado), el producto fue producido para substratos de polipropileno modificado, siendo ideal para ser aplicado, por ejemplo, en parachoques con design más complejo. “Este producto fue desarrollado inicialmente para el mercado automovilístico, pero notamos que tiene gran flexibilidad para otras aplicaciones, como en las áreas de polietilenos, nylon y building construction, donde fue probado y aprobado”, agrega el representante de desarrollo técnico para el segmento de pinturas de Eastman do Brasil para América Latina, Renan Marcel Urenhiuki.

Eastman es pionera en el área de promotores de adhesión, siendo actualmente una de las tres principales proveedoras mundiales de tecnología en esta industria. Hoy, la compañía continúa sorprendiendo el mercado con soluciones globales y específicas en la tecnología de productos de poliolefina y ha invertido mucho en productos para sistemas 24 RTV|08-09|2008


PROMOTORES DE ADHESIÓN

Según Urenhiuki y el gerente de desarrollo de mercados para América Latina, Marcos Basso, el Eastman Advantis™ 510W proporciona excelente capacidad de formulación con numerosas resinas y revestimientos de fondo a base de agua. En pruebas de laboratorio, el producto mostró adhesión robusta utilizando una variedad de aplicaciones de revestimientos de superficies comerciales. Demuestra acentuada resistencia durante la prueba de chorro de agua de alta presión, inclusive después de expuesto a intemperies, humedad, calor y envejecimiento. “El promotor de adhesión Eastman Advantis™ 510W marca el comienzo de una serie y proporcionará una ventaja distinta con relación a productos alternativos para los fabricantes de revestimientos que tienen como objetivo las aplicaciones automovilísticas en plásticos,” dice Basso. En Brasil, Eastman se destaca por su estructura técnica y comercial. La eficiencia de su soporte local refleja su expansión en el país. Conforme revela el gerente de negocios coatings, Fernando de Vincenzo, de 2007 para 2008 la empresa creció en Brasil un 45% en el área de promotores de adherencia, y la división de coatings obtuvo un aumento superior al 70% en el mismo período. Para Vincenzo, el objetivo es continuar creciendo más que el promedio del mercado. Recientemente, Evonik lanzó al mercado una línea de silanos de base agua: la Dynasylan® Hydrosil, que proporciona adhesión química, y una otra serie, que es la Dynasylan® Sivo, que utiliza la tecnología Sol Gel (cero VOC). Según la coordinadora de negocios – silanos, Ing. Beatriz Zaki, la familia Sivo se destina al tratamiento de metales, y en su proceso no se forma película, evitando de esta forma la alteración de la característica del sustrato. La serie se compone de cuatro productos que buscan proteger el metal de la corrosión: el Dynasylan® Sivo 110 es la base, y se puede utilizar como aditivo; el Dynasylan® Sivo 111 es el neutralizador que regula el pH del Sivo 110; el Dynasylan® Sivo 112 genera oleofugancia e hidrofugancia (tratamiento para proteger la superficie del agua y del aceite); y el Dynasylan® Sivo 113, que proporciona hidrofugancia. Otra línea de Evonik es la Protectosil®, destinada a la construcción civil. De acuerdo con Beatriz, es un aditivo que sirve como promotor de adhesión protector de fachadas, ya que ayuda a que la pintura se adhiera en el sustrato. Evonik también cuenta con las Resinas de Adhesión. No son elementos principales en la pintura, pero según Renato Stoicov, product manager - Tego Coating Additives & Specialty Resins, una pequeña cantidad agregada ya facilita la adhesión en sustratos como plástico y metales galvanizados. El área de

tintas de impresión para embalajes plásticos y metálicos es una de las principales consumidoras de estas resinas. La línea se compone de las Resinas de Adhesión para bases solventes: LTW (para sustratos más flexibles); LTH (resina más dura para sustratos menos flexibles); LTW B, y Resina de Adhesión 2440 (aprobada por la FDA [Food and Drug Administration], siendo muy utilizada en envases metálicos, inclusive para alimentos). Además de éstas, ofrece también las versiones EP 3350, que es específica para sistemas UV, y la más reciente de todas, la EPDS 1300, indicada para pinturas de base agua. Es reciente la participación de BYK Chemie en el mercado de promotores de adhesión. A mediados del año pasado, la empresa decidió desarrollar una nueva tecnología en esta área para satisfacer determinadas necesidades de los clientes. “Notamos que este sector se necesitaban promotores de adhesión que no causasen ningún “efecto colateral” en las pinturas. Entonces decidimos buscar nuevas soluciones, con la finalidad de atender aquello que el cliente desea, o sea, promotores de adhesión que no alteren la estabilidad y propiedades mecánicas de la pintura. Actualmente tenemos dos productos, pero estamos estudiando otras moléculas para, en lo futuro, incrementar la línea”, explica Aurélio Nazaré Rocha, gerente general de BYK Chemie. BYK Chemie entra en este mercado con una tecnología única y ya patentada por la empresa, que básicamente hizo una copolimerización entre dos tecnologías poliméricas, tanto en la humectación de pigmentos de sus aditivos dispersantes/ humectantes, así como en el sector de surfactantes. A partir de ahí, la empresa presenta dos aditivos promotores de adhesión: el BYK 4500 y el BYK 4510. El primero es específico para sistemas de base agua y se debe aplicar obligatoriamente en sustratos que ya fueron pintados y donde existan restos de pintura. Esto significa que este producto es eficaz cuando se desea hacer un repintado o reaplicación, ya sea en madera, en metal, o en plástico, entre otros. Por su parte, el BYK 4510 es indicado para pinturas reactivas con base de solventes (poliuretanos, pinturas curadas al horno, etc.) y su sustrato tiene que ser metálico. D’Altomare Química, a través de su empresa representada Dow Corning, también ofrece promotores de adhesión. La línea destaca productos como el DCZ 6020 y 6040, que son los más usados por el mercado nacional para dar mejor adhesión a superficies como vidrio, aluminio, acero, cerámicas y metales; mayor compatibilidad entre el pigmento y la resina; además de estabilización de la dispersión de los pigmentos. Al ser utilizados como aditivos o primers, actúan como puente entre el polímero y el sustrato. RTV|08-09|2008

25


ADHESION PROMOTERS

foto: Divulgação Eastman

ADHESION PROMOTERS: water-based solutions highlight n the last few years, the big development of the adhesion promoters is related to the strong variation of substrates and the requirement of the industries, which are more and more in search of specific alternatives for their applications and for improving the performance and quality of the coatings. The products based on chlorinated systems predominate, but the silane technology also works in this universe. While the chlorinated polyolefin products stand out mainly on plastic substrates; the silanes help in the adhesion to the metal.

And a new technology, patented by BYK Chemie, enters the scene that recently began its participation in the market of promoters. Learn the details in this report. Within this context, which can be noticed and even is impressive is the trend for the use of water-based adhesion promoters. The offering of water-based systems is growing intensely in Latin America, leveraged by Europe and the United States; and as global companies, the manufacturers of these adhesion additives are bringing to the Brazilian market their new developments, being most of them based on water.

Adexim-Comexim distributes the adhesion promoters through its represented company Worlee Chemie, from Germany, which offers as a novelty to the Brazilian market the water-based systems, since Adexim-Comexim understands that the country is now making studies on water-based systems, while in Europe these systems are already predominant.

Eastman introduces the new water-based high-performance adhesion promoter: Eastman Advantis™ 510W. Free of halogens and AFEO (alkylphenolethoxylate), the product is intended for modified polypropylene substrates, is ideal to be applied, for example, on car bumpers that present more complex design. “This product was developed initially for the automobile industry, but we noted that it is highly flexible for other applications, as in the polyethylene, nylon and building construction sectors, in which it was tested and approved,” adds the Eastman do Brasil for Latin America technical development representative for the paint industry, Renan Marcel Urenhiuki. According to Urenhiuki and Marcos Basso, market development manager for Latin America,the Eastman Advantis™510W provides excellent formulation

I

Eastman is pioneer in the market of adhesion promoters, and today is one of the three main global suppliers of technology in this sector. Currently, the company gets one more time by surprise the market with global and specific solutions in the polyolefin technology and has invested very much in products for water-based systems. In this sense, 26 RTV|08-09|2008


ADHESION PROMOTERS

latitude, with several water-based resins and primer coatings. In laboratory tests, the adhesion capacity of the product was robust, using a variety of commercial surface coating applications. It shows accentuated resistance during the high pressure water jet test, even after exposed to weather, moisture, heat and aging. “The Eastman Advantis™510W adhesion promoter marks the beginning of a series which will provide a different advantage with relation to alternative products for coating manufacturers whose objective is to reach the automotive applications in plastics,” says Basso. In Brazil, Eastman stands out by its technical and commercial structure. The efficiency of its local support reflects its expansion in the country. As Fernando de Vincenzo, the coatings business manager reveals, from 2007 to 2008 the company grew 45% in Brazilin the market of adhesion promoters, and the coatings division had an increase higher to 70% in the same period. For Vincenzo, the objective is to keep growing above the average of the market. Recently, Evonik launched a line of water-based silanes: the Dynasylan® Hydrosil, that provides chemical adhesion, and one other series, that is the Dynasylan® Sivo that uses the Sol Gel technology (VOC-free). According to the business coordinator – silanes, engineer Beatriz Zaki, the Sivo family is intended for the treatment of metals and, in its process, there is not film formation, thus avoiding the alteration of the substrate’s characteristic. The series comprises four products that aim at protecting the metal from corrosion: the Dynasylan® Sivo 110 is the base and can be used as additive; the Dynasylan® Sivo 111 is the neutralizer that will regulate the pH of the Sivo 110; the Dynasylan® Sivo 112 will make the product to treat the surface to be protected against water and oil, and the Dynasylan® Sivo 113, that provides hydrofugance. Another line is the Protectosil®, intended for the civil construction. According to Beatriz, it is an additive that serves as adhesion promoter for protection of façades, since it helps the paint to adhere on the substrate. Evonik has also the Adhesion Resins. They are not the main component of the paint, but according to Renato Stoicov, product manager - Tego Coating Additives & Specialty Resins, a small amount added is already enough to ease the adhesion on substrates as plastic and galvanized metals. The sector of printing inks for plastics and metal packaging is one of the main consumer markets of these resins.

The line comprises the solvent-based Adhesion Resins: LTW (for more flexible substrates); LTH (a harder resin for less flexible substrates); LTW B, and Adhesion Resin 2440 (FDA approved, is widely used in metal packaging, including for foods). Besides those products, the company also distributes the EP 3350 version, that is specific for UV systems; and the most recent of all of the versions, the EPDS 1300, recommended for water-based paints. The participation of BYK Chemie in the adhesion promoter market is recent. In the middle of the last year, the company decided to develop a new technology in this sector aiming at supplying certain needs of the consumers. “We observed that this market needed adhesion promoters that did not cause any ‘collateral effect’ to the paints. Then, we decide to look for new solutions with the objective of meeting the customer’s demands, that is, adhesion promoters that do not change the stability and mechanical proprieties of the paint. Nowadays, we have two products, but we are studying other molecules in order to increase the line in future,” explains Aurélio Nazaré Rocha, BYK Chemie general manager. BYK Chemie gets into this market with a unique technology already patented by BYK. Basically, the company did a copolymerization between two polymer technologies, as in the humectation of pigments – of its dispersing/ moisture additives, as in the surfacting agents. Then, the company presents two adhesion promoter additives: the BYK 4500 and the BYK 4510. The use of the first of them is specific for water-based systems and must be applied on substrates that has been already painted and where there are paint remainders. This means that this product is efficient when you wish to repaint or to reapply, either on wood, metal, or plastic, among others. Now the BYK 4510 is intended for reactive paints based on solvents (polyurethanes, oven-cured paints, etc.) and its substrate has to be metallic. D’Altomare Química, through its represented company Dow Corning, also offers adhesion promoters. The line highlights products as the DCZ 6020 and 6040 that are the most used by the Brazilian market to provide a better adhesion to surfaces as glass, aluminum, steel, ceramics and metals; higher compatibility between pigment and resin; besides the stabilization of the pigment dispersion. Used as additives or primers, they work as a bridge between the polymer and the substrate. RTV|08-09|2008

27


PREMIAÇÃO

QUALIDADE PREMIADA PELA OXITENO Empresa elege os melhores fornecedores de 2007-2008 no 6º Prêmio de Qualidade em Logística

m seleto grupo de fornecedores reuniu-se na sexta edição do Prêmio Oxiteno de Qualidade em Logística, realizado no Conselho Regional de Química, em São Paulo. O evento visa reconhecer publicamente as empresas que mais se destacaram no fornecimento de serviços entre abril de 2007 e março de 2008 e que contribuíram, por meio de sua excelência operacional, para melhorar a logística e transporte dos produtos Oxiteno no Brasil e exterior. No total, mais de 30 fornecedores concorreram ao prêmio e seis foram reconhecidos como os melhores do ano: Log-in (categoria Armadores), Bulkhaul (categoria Operador de Isotanques), Indaiá Log Internacional (categoria Operador Logístico em Comércio Exterior), Transportadora Ultracargo (categoria Flexibilidade), Transportadora José Herculano (categoria Excelência em Segurança), Transportadora Cavalinho (categoria

U

28 RTV|08-09|2008

Qualidade na Entrega - Granel). Não houve vencedor na categoria Qualidade na Entrega – Embalados. A escolha dos vencedores foi efetuada com base em critérios como avaliação de desempenho trimestral do fornecedor; registros de não-conformidades reais e potenciais; feedbacks de clientes e pesquisa junto às unidades industriais Oxiteno. A CERIMÔNIA No início da cerimônia de premiação, o diretor comercial da Oxiteno, Rubens Marcilio, apresentou dados sobre o desempenho da empresa no último ano. O volume total de vendas atingiu 621 mil toneladas em 2007, 30% destinadas à exportação. O diretor também falou dos investimentos em pesquisa e desenvolvimento e da estratégia de crescimento da Oxiteno,


PREMIAÇÃO

baseada no incremento da capacidade produtiva e na internacionalização dos seus negócios. Citou como exemplos a compra da Canamex, no México, e da Arch Andina, na Venezuela, e a abertura de escritórios comerciais na Argentina e Estados Unidos para venda e distribuição de produtos. Marcilio finalizou seu discurso ressaltando que a Oxiteno busca constantemente “o equilíbrio entre tradição petroquímica e desenvolvimento sustentável”. Na seqüência, os participantes assistiram a palestra “A busca da qualidade e a excelência em serviço através das pessoas” proferida pelo Prof. Gretz, um dos mais renomados consultores em RH, eleito Palestrante do Ano no Top of Mind e autor de 10 livros sobre gestão de pessoas. Durante a cerimônia, o gerente de supply chain da Oxiteno, André Luis Polo, apresentou números referentes a logística e transporte em 2007. No total, foram efetuadas 45 mil viagens no mercado doméstico, o equivalente a 125 por dia. Foram 27 milhões de quilômetros rodados, com grande concentração de carga granel; 265 processos de importação; e 944 isotanques embarcados para os cinco continentes. Após a divulgação dos vencedores, os convidados - entre

RUBENS MARCILIO diretor comercial da Oxiteno

eles alguns clientes - participaram de um coquetel oferecido pela Oxiteno. O Prêmio Oxiteno Qualidade em Logística é realizado anualmente. A Oxiteno acredita que a avaliação de desempenho dos prestadores de serviços é um componente essencial para que seus produtos cheguem ao mercado com qualidade, agilidade e segurança. Mais do que um reconhecimento, a premiação demonstra a preocupação e o compromisso da empresa com seus clientes e consumidores.

RTV|08-09|2008

29


PREMIACIÓN

Calidad premiada por Oxiteno Un selecto grupo de proveedores se reunió en la sexta edición del Premio Oxiteno de Calidad en Logística, realizado en el Consejo Regional de Química, en São Paulo (SP). El evento busca reconocer públicamente las empresas que más se destacaron en la prestación de servicios entre abril de 2007 y marzo de 2008, y que contribuyeron, por medio de su excelencia operacional, para mejorar la logística y transporte de los productos Oxiteno en Brasil y el exterior. En total, más de 30 proveedores compitieron por el premio y seis fueron reconocidos como los mejores del año: Log-in (categoría Armadores), Bulkhaul (categoría Operador de Isotanques), Indaiá Log Internacional (categoría Operador Logístico en Comercio Exterior), Transportadora Ultracargo (categoría Flexibilidad), Transportadora José Herculano (categoría Excelencia en Seguridad), Transportadora Cavalinho (categoría Calidad en la Entrega - Granel). No hubo vencedor en la categoría Calidad en la Entrega – Envasados. La elección de los vencedores se efectuó con base en criterios tales como evaluación de desempeño trimestral del proveedor; registros de no conformidades reales y potenciales; feedbacks de clientes y encuesta a las unidades industriales Oxiteno. Al inicio de la ceremonia de premiación, el director comercial de Oxiteno, Rubens Marcilio, presentó datos sobre el desempeño de la empresa el año pasado. El volumen total de ventas alcanzó 621 mil toneladas en 2007, 30% de ellas destinadas a la exportación. El director también habló de las inversiones en investigación y desarrollo y de la estrategia de crecimiento de Oxiteno, basada en el incremento de la capacidad productiva y en la internacionalización de sus negocios. Durante la ceremonia, André Luis Polo, gerente de supply chain de Oxiteno, presentó números referentes a la logística y transporte en 2007. En total se efectuaron 45 mil viajes en el mercado doméstico, el equivalente a 125 por día. Fueron 27 millones de kilómetros rodados, con gran concentración de cargas a granel; 265 procesos de importación, y 944 isotanques embarcados para los cinco continentes. El Premio Oxiteno Calidad en Logística se realiza anualmente. Oxiteno cree que la evaluación de desempeño de los prestadores de servicios es un componente esencial para que sus productos lleguen al mercado con calidad, agilidad y seguridad.

30 RTV|08-09|2008

AWARDING

Oxiteno awards quality A select group of suppliers gathered in the sixth edition of the Oxiteno Award of Quality in Logistics, held at the Regional Chemistry Council, in São Paulo (SP). The event aims at acknowledging publicly the most outstanding companies in the providing of services from April 2007 to March 2008, and which contributed, through their operational excellence, to improve the logistics and transportation of the Oxiteno products in Brazil and abroad. In total, more than 30 suppliers competed for the award and six of them were acknowledged as the best of the year: Log-in (Shipowners category), Bulkhaul (Isotank Operator category), Indaiá Log Internacional (Foreign Trade Logistics Operator category), Transportadora Ultracargo (Flexibility category), Transportadora José Herculano (Excellence in Security category), Transportadora Cavalinho (Quality in Bulk Delivery category). There category Quality in Packaged Delivery was empty. The winners were elected based on criteria as quarterly performance evaluations of the supplier; registrations of actual and potential non-compliances; customer’s feedback and survey in the Oxiteno industrial units. In the beginning of the awarding ceremony, the business director of Oxiteno, Rubens Marcilio, showed data about the performance of the company in the last year. The total mount of sales reached 621 thousand tons in 2007, 30% for exportation. The director also spoke about the investments in research and development and about the growth strategy of Oxiteno, based on the increase of the production capacity and the internationalization of its businesses. During the ceremony, the supply chain manager of Oxiteno, André Luis Polo, showed numbers related to the logistics and transport in 2007. In total, there were carried out 45 thousand trips in the domestic market, equivalent to 125 per day. There were 27 million of kilometers run, mostly for bulk loads; 265 importation processes; and 944 isotanks shipped to five continents. The Oxiteno Award of Quality in Logistics is held annually. Oxiteno believes that the performance evaluation of the service providers is an essential component so that its products arrive to the market with quality, agility and security.


NEGRO-DE-FUMO

NEGRO-DE-FUMO NEGRO-DE-FUMO: PERTO DE TODOS ode-se dizer que a maioria dos materiais que estão no nosso cotidiano e têm a tonalidade preta, deve ter em sua composição um pouco de negro-de-fumo, insumo obtido pela queima controlada de hidrocarbonetos gasosos ou líquidos. Esta matéria-prima surgiu em tempos remotos. Na China, o negro-de-fumo era desenvolvido pela queima de óleo em lamparinas (processo Lampblack) e com a fuligem se preparava a tinta preta. O material se difundiu pelo mundo caracterizado como carga de reforço em borrachas e pelo seu alto poder de tingimento. Hoje, o processo de fornalha é usado mundialmente na produção de negro-de-fumo e é muito utilizado, respectivamente, em borrachas (como carga de reforço), depois em tintas de impressão (como pigmento); também em tintas automotivas, construção civil, industriais; em plásticos (concentrados pretos, tubos, fios, cabos, etc); e aplicações negras em adesivos; tonners; e selantes. Também é empregado na matização de outras cores, com o objetivo de atingir determinada tonalidade que esteja sendo desenvolvida.

P

Por ser formulado de minúsculas partículas, é um material na forma de pó extremamente fino, entretanto, há empresas que o fornecem disperso em água. É largamente utilizado na indústria de tintas na versão em pó para ajudar na dispersão. Normalmente, sua partícula varia de 8 a 100 nm (nanômetros), e quanto maior o poder de tingimento, menor é o tamanho de sua partícula. A demanda brasileira de negro-de-fumo é hoje da ordem de 400 mil toneladas/ano. Deste volume, aproximadamente 12 mil ton/ano são para aplicação “não-borracha”, onde se destacam tintas, tintas de impressão e plásticos. Segundo avaliação dos grandes players do mercado instalados no Brasil, o aumento nas vendas da indústria automobilística do país em 2007, refletiu positivamente nos volumes de negro-de-fumo para esse segmento, com evolução de dois dígitos. Considerando o panorama para 2008, os especialistas arriscam dizer que, apesar do câmbio desfavorável para exportação, o mercado deve apresentar crescimento com a prospecção de bons resultados.

RTV|08-09|2008

31


NEGRO-DE-FUMO

A Cabot é um dos grandes destaques mundiais na produção de negro-de-fumo, e a única fabricante com três plantas na América do Sul: em Mauá (Brasil); Campana (Argentina) e Cartagena (Colômbia).

necessidades de cada aplicação de cliente para, desta forma, oferecer soluções específicas que possam agregar valor ao produto final destacando um desempenho diferenciado, sem esquecer os desafios do mercado de tintas com relação ao crescimento sustentável. “Estamos num segmento altamente dependente da variação especulativa do preço do petróleo, mas fazemos de maneira contínua nossa lição de casa para mantermos nossa competitividade e serviço, seja através de um atendimento direto, ou por meio de nossos distribuidores que são a extensão de nossa força de vendas. Nossa preocupação não é somente técnica, mas também, com a formação e a informação das pessoas. Por isso, sempre oferecemos aos parceiros e suas famílias, palestras de diversos temas o que chamamos de Cabot Plus e Workshop de Jovens Talentos. Serve para ajudá-los a oxigenar as idéias e adotar um melhor estilo de vida”, esclarece Léa.

LÉA SGAI gerente de marketing e serviços técnicos da Cabot

A empresa tem uma vasta linha de negros-de-fumo para atender a necessidade de cada formulação. Entre as muitas opções estão os de graus condutivos (Vulcan XC72), com aprovação alimentícia FDA (Food and Drug Administration), com cura UV (Mogul E) e os de alto poder de tingimento (Monarch 1300, Monarch 1400 e Emperor), mais indicados para a indústria automotiva. Nos próximos meses, será lançado um grau especialmente desenhado para a América Latina, com uma flexibilidade de uso em diversos sistemas e distintas formulações, apresentando um desempenho balanceado com relação à intensidade do preto, subtom azulado, poder de tingimento e viscosidade. “Estamos sempre investindo em otimizações produtivas e logísticas para atender as necessidades de nossos clientes em cada segmento de mercado”, garante Léa Sgai, gerente de marketing e serviços técnicos – América Latina. Segundo ela, a capacidade produtiva da Cabot na região é de 250 mil toneladas por ano para todos os mercados. Entretanto, o setor de tintas utiliza muitos produtos que são produzidos somente nas unidades fabris dos Estados Unidos e Europa, que são mais especializadas. A executiva conta que os Centros de Pesquisa e Desenvolvimento localizados nesses dois continentes (EUA e Europa) recebem constantes investimentos que visam compreender as

32 RTV|08-09|2008

DOUGLAS SILVA ARAUJO e ROBERTO GALDI representantes da Columbian Chemicals

A Columbian Chemicals tem posição destacada no mercado brasileiro e mundial de negro-de-fumo. Recentemente, inaugurou uma fábrica em Camaçari (BA) com capacidade para 75 mil toneladas/ano do insumo, a qual, de acordo com Douglas Silva Araujo, coordenador de vendas ICB - da Columbian Chemicals Brasil, é a mais moderna unidade de negro-de-fumo do mundo. Somando suas duas instalações, de Cubatão (SP) e de Camaçari (BA), hoje a empresa possui capacidade de produção de 270 mil ton/ano no país. “Buscamos nos destacar na qualidade de nossos produtos e serviços - técnico e comercial - e na garantia de fornecimento. Dispomos, em nossa planta de Cubatão,


NEGRO-DE-FUMO

do SACL (South America Center Laboratory) - um avançado complexo de laboratórios para análise e desenvolvimento do uso do negro-de-fumo nos sistemas líquidos (tintas de todos os segmentos), plástico e borracha”, explica o coordenador de vendas. Segundo Araujo, o mais recente produto da Columbian é o CD-7031 para aplicações que requeiram contato indireto com alimentos. Este é o primeiro negro-de-fumo nacional com características técnicas que atendem as normas para embalagens “food contact”, indicado para tintas flexográficas e rotogravuras. Cabe ressaltar que, em junho deste ano, o engº Ronaldo Silva Duarte e o engº José Carlos Dreux, assumiram respectivamente a presidência e a vice-presidência de vendas e logística da Columbian Chemicals para a América do Sul. “Com isso, novas ações estão sendo tomadas para implantar uma forma inovadora de relacionamento com os clientes e parceiros, a fim de consolidarmos nossa posição de liderança no mercado, que oportunamente serão anunciadas”, avisa Araujo. A novidade da Evonik em negro-de-fumo é a linha InxelTM

ANA PAULA REZENDE gerente de produto da Evonik

de preparações de pigmentos livres de pó e de fácil dispersão. InxelTM pode ser incorporado diretamente no solvente ou em uma mistura resina/solvente, utilizando-se apenas um misturador com disco dispersor, diminuindo ou até mesmo eliminando a etapa de moagem, refletindo diretamente nos custos

RTV|08-09|2008

33


NEGRO-DE-FUMO

são importantes para os fabricantes de tintas (aditivos, agentes tixotrópicos, resinas sintéticas, promotores de adesão, monômeros, agentes fosqueantes, entre outros); e para complementar a nossa linha atuamos como representantes e distribuidores da Kronos Worldwide, Inc., fabricante de pigmentos dióxido de titânio.

CAMILA PECERINI

A Sintequímica comercializa negro-de-fumo na forma de dispersão aquosa, atuando principalmente com as indústrias têxtil, tintas imobiliárias e tintas gráficas. A empresa garante que fornece o produto com um rígido controle de qualidade por um custo bastante competitivo. “Trabalhamos constantemente para que ele esteja cada vez mais de acordo com as necessidades de nossos clientes. Assim, hoje ofertamos diferentes soluções para mercados específicos. Por exemplo, a dispersão para tintas imobiliárias é mais

coordenadora de negócios da Evonik

de fabricação. Segundo a gerente de produto, Ana Paula Rezende, e a coordenadora de negócios, Camila Pecerini, as principais vantagens do produto são: não há necessidade de moer o pigmento; significativa redução no tempo de moagem; excelente estabilização do pigmento, resultando em elevada intensidade de cor; manuseio livre de pós – dust-free; livre de solventes; fácil dosagem; ótima solubilidade em solventes comuns (não aquosos); e o fato de ser compatível com grande parte das resinas utilizadas em sistemas base solvente. “Atualmente, temos o InxelTM Black baseado em pigmentos negro-de-fumo, e está planejado o lançamento de outras cores no futuro”, revelam as executivas. Para o mercado de borracha, a Evonik fornece produtos fabricados em sua planta localizada em Paulínia (SP), que possui capacidade instalada de aproximadamente 100.000 ton/ano. Para os demais segmentos, onde está incluso o setor de tintas, a companhia fornece os pigmentos negros-de-fumo produzidos na Europa, principalmente na Alemanha. Grande parte deste fornecimento é através do Centro de Distribuição, instalado em Guarulhos (SP). Uma pequena parte é realizada via importação direta de alguns clientes. Em ambos os casos, a Evonik está envolvida e faz todo o contato com a origem, atuando como um “facilitador” entre o cliente localizado no Brasil e a planta fornecedora de material. Para Ana Paula e Camila, um aspecto de diferenciação da Evonik para o mercado de tintas é o fornecimento de materiais via Centro de Distribuição próprio. “Atendemos diretamente clientes que compram quantidades inferiores a um palete, oferecemos outras matérias-primas produzidas pela Evonik que 34 RTV|08-09|2008

MARCELO AMARAL LEITE DE MACEDO diretor comercial da Sintequímica

concentrada e leva matérias-primas diferenciadas com relação à dispersão feita para a indústria de tintas gráficas. Isso porque o negro-de-fumo tem forte tendência a flocular em diferentes bases, e a dispersão deve estar de acordo com a base do cliente para que este problema seja evitado”, explica o diretor comercial, Marcelo Amaral Leite de Macedo. Segundo ele, em 2007 a Sintequímica registrou crescimento de 30% na venda das dispersões de negro-de-fumo e, neste ano, está em fase de expansão para aumentar sua capacidade produtiva total.


RTV|08-09|2008

35


NEGRO DE HUMO

NEGRO DE HUMO: CERCA DE TODOS e puede decir que la mayoría de los materiales que están en nuestro cotidiano y que son de color negro, debe tener en su composición un poco de negro de humo, un insumo obtenido a través de la quema controlada de hidrocarburos gaseosos o líquidos. Esta materia prima surgió en tiempos remotos. En China, el negro de humo se obtenía por la quema de aceite en mecheros (proceso Lampblack) y con el hollín se preparaba la pintura negra. El material se difundió por el mundo caracterizado como carga de refuerzo en cauchos y por su alto poder de teñido. Actualmente, el proceso de horneado es usado mundialmente en la producción de negro de humo y es muy utilizado, respectivamente, en cauchos (como carga de refuerzo), después en tintas de impresión (como pigmento); también en pinturas automovilísticas, construcción civil, industriales; en plásticos (concentrados negros, tubos, alambres, cables, etc.); y aplicaciones negras en adhesivos; tonners; y selladores. También se emplea en la matización de otros colores, con el objetivo de alcanzar determinada tonalidad que se esté desarrollando.

S

Por ser formulado de partículas minúsculas, es un material en polvo extremadamente fino, sin embargo, existen empresas que lo distribuyen disperso en agua. Se utiliza ampliamente en la industria de pinturas en forma de polvo para ayudar en la dispersión. Normalmente, su partícula varía de 8 a 100 nm (nanómetros), y cuanto mayor el poder de teñido, menor es el tamaño de su partícula. La demanda brasileña de negro de humo es hoy del orden de 400 mil toneladas/año. De este volumen, aproximadamente 12 mil ton/año son para aplicación “no-caucho”, donde se destacan pinturas, tintas de impresión y plásticos. Según evaluación de los grandes players del mercado instalados en Brasil, el aumento en las ventas de la industria automovilística del país en 2007 se reflejó positivamente en los volúmenes de negro de humo para este segmento, con una evolución de dos dígitos. Considerando el panorama para 2008, los especialistas arriesgan a decir que, a pesar de la tasa de cambio desfavorable para la exportación, el mercado debe presentar crecimiento, con la prospección de buenos resultados.

Cabot es una de las grandes empresas destacadas en la producción de negro de humo en el mundo, y la única fabricante con tres plantas en América del Sur: en Mauá (Brasil); Campana (Argentina) y Cartagena (Colombia). La empresa tiene una vasta línea de negros de humo para atender la necesidad de cada formulación. Entre las muchas opciones están los de grados conductivos (Vulcan XC72), con aprobación alimenticia del FDA (Food and Drug Administration), con curado UV (Mogul E) y los de alto poder de teñido (Monarch 1300, Monarch 1400 y Emperor), más indicados para la industria automovilística. En los próximos meses será lanzado un grado diseñado especialmente para América Latina, con una flexibilidad de uso para diversos sistemas y formulaciones, presentando un desempeño balanceado con relación a la intensidad del negro, matiz

azulado, poder de teñido y viscosidad. “Estamos siempre invirtiendo en optimizaciones productivas y logísticas para atender las necesidades de nuestros clientes”, garantiza Léa Sgai, gerente de mercadeo y servicios técnicos – América Latina. Según ella, la capacidad productiva de Cabot en la región es de 250 mil toneladas por año para todos los mercados. Sin embargo, el sector de pinturas utiliza muchos productos que son producidos solamente en las unidades fabriles de los Estados Unidos y Europa, que son más especializadas. Los Centros de Investigación y Desarrollo localizados en estos dos continentes (EE.UU. y Europa) reciben inversiones constantes que buscan comprender las necesidades de cada cliente para, de esta forma, ofrecer soluciones específicas que puedan agregarle valor al producto final, destacando un desempeño diferenciado, sin olvidarse de los desafíos del

36 RTV|08-09|2008


NEGRO DE HUMO

mercado de pinturas con relación al crecimiento sustentable. “Estamos en un sector altamente dependiente de la variación especulativa del precio del petróleo, pero hacemos de manera continua nuestro deber para que nos mantengamos en nuestra competitividad y servicio, ya sea a través de una atención directa, o por medio de nuestros distribuidores, que son la extensión de nuestra fuerza de ventas. Nuestra preocupación no es solamente técnica, sino también, con la formación y la información de las personas. Por eso, siempre ofrecemos a los socios y sus familias, ponencias de diversos temas lo que llamamos de Cabot Plus y Workshop de Jóvenes Talentos. Sirve para ayudarlos a oxigenar las ideas y adoptar un mejor estilo de vida”, explica Léa. Columbian Chemicals se encuentra en una posición destacada dentro del mercado brasileño y mundial de negro de humo. Recientemente inauguró una fábrica en Camaçari (BA), con capacidad para 75 mil toneladas/año del insumo, la cual, de acuerdo con Douglas Silva Araujo, coordinador de ventas ICB, de Columbian Chemicals Brasil, es la más moderna unidad de negro de humo del mundo.

Sumando sus dos instalaciones, de Cubatão (SP) y de Camaçari (BA), la empresa cuenta actualmente con una capacidad de producción de 270 mil ton/año en el país. “Buscamos destacarnos en la calidad de nuestros productos y servicios - técnico y comercial - y en la garantía del suministro. En nuestra planta de Cubatão disponemos del SACL (South America Center Laboratory), un avanzado complejo de laboratorios para el análisis y desarrollo del uso del negro de humo en los sistemas líquidos (pinturas de todos los segmentos), plástico y caucho”, explica el coordinador de ventas. Según Araujo, el más reciente producto de Columbian es el CD-7031, para aplicaciones que requieran contacto indirecto con alimentos. Éste es el primer negro de humo brasileño con características técnicas que atienden a las normas para embalajes “food contact”, indicado para tintas flexográficas y rotograbados. Cabe destacar que en junio de este año, el Ing. Ronaldo Silva Duarte y el Ing. José Carlos Dreux, asumieron respectivamente la presidencia y la vicepresidencia de ventas y logística de Columbian Chemicals para América del Sur. “Con eso, se están realizando nuevas acciones, que oportunamente serán

RTV|08-09|2008

37


NEGRO DE HUMO

anunciadas, para implementar una forma innovadora de relación con los clientes y socios, con el fin de consolidar nuestra posición de liderazgo en el mercado”, advierte Araujo. La novedad de Evonik en negro de humo es la línea InxelTM de preparaciones de pigmentos libres de polvo y de fácil dispersión. InxelTM se puede incorporar directamente en el solvente o en una mezcla resina/solvente, utilizando apenas un mezclador con disco dispersor, disminuyendo o inclusive eliminando la etapa de molido, lo cual se refleja directamente en los costos de fabricación. Según Ana Paula Rezende, gerente de producto, y la coordinadora de negocios, Camila Pecerini, una de las principales ventajas del producto, es que no hay necesidad de moler el pigmento; además de otras ventajas, como la significativa reducción en el tiempo de molido, excelente estabilización del pig-

el cliente localizado en Brasil y la planta proveedora del material. Para Ana Paula y Camila, un aspecto de diferenciación de Evonik para el mercado de pinturas es el suministro de materiales a través de su propio Centro de Distribución. “Atendemos directamente a clientes que compran cantidades inferiores a un pallet, ofrecemos otras materias primas producidas por Evonik que son importantes para los fabricantes de pinturas (aditivos, agentes tixotrópicos, resinas sintéticas, promotores de adhesión, monómeros, agentes opacantes, entre otros); y para complementar nuestra línea, actuamos como representantes y distribuidores de Kronos Worldwide, Inc., fabricante de pigmentos de dióxido de titanio. Sintequímica comercializa negro de humo en dispersión acuosa, utilizado principalmente con las industrias textil, de

“Estamos en un sector altamente dependiente de la variación especulativa del precio del petróleo, pero hacemos de manera continua nuestro deber para que nos mantengamos en nuestra competitividad y servicio, ya sea a través de una atención directa, o por medio de nuestros distribuidores, que son la extensión de nuestra fuerza de ventas”. Léa Sgai mento, resultando en una elevada intensidad de color, manejo libre de polvos – dust-free, es libre de solventes, de fácil dosificación, óptima solubilidad en solventes comunes (no acuosos), y el hecho de ser compatible con gran parte de las resinas utilizadas en sistemas de base solvente. Para el mercado de caucho, Evonik distribuye productos fabricados en su planta localizada en Paulínia (SP), que tiene capacidad instalada de aproximadamente 100,000 ton/año. Para los demás segmentos, donde se incluye el sector de pinturas, la compañía distribuye los pigmentos negros de humo producidos en Europa, principalmente en Alemania. Gran parte de esta distribución es a través del Centro de Distribución, instalado en Guarulhos (SP). Una pequeña parte es realizada vía importación directa de algunos clientes. En ambos los casos, Evonik participa directamente y hace todo el contacto con el origen, actuando como un “facilitador” entre

38 RTV|08-09|2008

pinturas inmobiliarias y tintas gráficas. La empresa garantiza que distribuye el producto con un rígido control de calidad a un costo bastante competitivo. “Trabajamos constantemente para que el producto esté cada vez más de acuerdo con las necesidades de nuestros clientes. Así, hoy ofrecemos diferentes soluciones para mercados específicos. Por ejemplo, la dispersión para pinturas inmobiliarias es más concentrada y utiliza materias primas diferenciadas con relación a la dispersión hecha para la industria de tintas gráficas. Esto se debe a que el negro de humo tiene fuerte tendencia a flocular en diferentes bases, y la dispersión debe estar de acuerdo con la base del cliente para que este problema se evite”, explica el director comercial Marcelo Amaral Leite de Macedo. Según él, en 2007 Sintequímica registró un crecimiento del 30% en la venta de las dispersiones de negro de humo, y este año está en fase de expansión para aumentar su capacidad productiva total.


CARBON BLACK

CARBON BLACK: CLOSE TO EVERYBODY t can be said that the practically all of the materials we find in our daily life and are black-colored, must have a little carbon black in their composition. This is an input obtained by the controlled burning of gassy or liquid hydrocarbons. This raw material came up in ancient times. In China, the carbon black was developed through the burning of oil in lamps (Lampblack process) and with the soot the black paint was prepared. The material spread around the world characterized as reinforcement load in rubbers and due to its high coloring power. Today, the furnace process is used around the world in the production of carbon black and it is widely used, respectively, in rubbers (as reinforcement load), in printing inks (as pigment); also in automotive, civil construction and industrial paints; in plastics (black concentrates, pipes, wires, cables, etc); and black applications in adhesives; tonners and sealants. It is also applied on the blending of other colors, with the objective of achieving a specific

shade that is in development. As it is formed by tiny particles, it is a extremely fine powder, however, there are companies that supply it as a water dispersion. It is widely used in the paint industry in powder to help in the dispersion. Its particles typically ranges from 8 to 100 nm (nanometers), and the bigger the tinting power, the smaller the size of the particle. Today the Brazilian demand of carbon black is around 400 thousand tons/year. From this amount, approximately 12 thousand tons/year are for “no-rubber” applications, where the paints, printing inks and plastics standout. According to the evaluation of big market players installed in Brazil, the sales growth in 2007 of the car industry in the country reflected positively on the carbon black sales for this sector, with a two-digit increase. Considering the 2008 panorama, the specialists dare to say that, despite the unfavorable exchange rate for exportation, the market must grow with the prospecting of good results.

Cabot is one of the largest global highlights in the production of carbon black, and the only manufacturer with three plants in South America: in Mauá (Brazil); Campana (Argentina) and Cartagena (Colombia). The company has a wide line of carbon black to meet the needs of each formulation. Among the many options are the ones of conductive grade (Vulcan XC72), with food approval by FDA, with UV curing (Mogul E) and the ones of high tinting power (Monarch 1300, Monarch 1400 and Emperor), more appropriate for the car industry. In the next months, a grade designed specially for Latin America will be launched, which is flexible to be used in several systems and different formulations. Such grade features a balanced performance regarding the black intensity, bluish nuance, tinting power and viscosity. “We are always investing on optimizing production and logistics in order to meet the needs of our customers,” assures Léa Sgai, marketing and technical service manager – Latin America. According to her, the production capacity of Cabot in the region is 250 thousand tons per year for all the

markets. However, the paint industry uses many products produced only in the manufacturing units of the United States and Europe, which are more specialized. The Research & Development Centers in those two continents (USA and Europe) receive constant investments that aim at understanding the needs of each customer, thus offering specific solutions that can add value to the end product highlighting a differentiated performance, without forgetting the challenges of the paint market related to the sustainable growth. “We develop in an industry that depends highly on the speculative variation of the oil price, but we don’t stop doing our job of keeping our competitiveness and service, either through a direct service or through our distributors which are the extension of our sales force. Our concern is not only technical, but also with the formation and information of people. Thus, we always provide to our partners and their families lectures about several topics, which we call Cabot Plus and Workshop de Jovens Talentos (Young Talents Workshop). It helps to invigorate the

I

RTV|08-09|2008

39


CARBON BLACK

ideas and adopt a better lifestyle,” explains Léa. Columbian Chemicals has an outstanding position in the Brazilian and global carbon black markets. Recently, the company inaugurated a factory in Camaçari (BA), with production capacity of 75 thousand tons/year of the input, which, in accordance with Douglas Silva Araujo, Columbian Chemicals Brasil ICB sales coordinator, the plant is the most modern carbon black unit in the world. Adding up its two factories, Cubatão (SP) and Camaçari (BA), nowadays the production capacity of the company in the country is 270 thousand ton/year. “We try to stand out with the quality of our products and technical and commercial services and with the supplying assurance. We have in our plant the SACL - South America Center Laboratory - an advanced complex of laboratories for analysis and development of the use of carbon black in liquid systems (paints for all sectors), plastic and rubber”, explains the sales coordinator. According to Araujo, the most recent product of Columbian is the CD-7031, for applications that require indirect contact with foods. This is the first Brazilian carbon black with technical characteristics that meet the “food contact” standards for packages, appointed for flexography and rotogravure inks. It’s worth mentioning that, in June this year, engineer Ronaldo Silva Duarte and engineer José Carlos Dreux, assumed the sales and logistics presidency and the vice-presidency of Columbian Chemicals for South America respectively. “Thus, new measures, which opportunely will be announced, are being taken to implement an innovative form of relationship with the customers and partners, in order to consolidate our leadership position in the market,” advises Araujo. The novelty of Evonik in carbon black is the InxelTM line of powder free preparations and easy-dispersion pigments. InxelTM can be added directly in the solvent or in a resin/ solvent mixture, using a mixer with dispersion disk only, reducing or even eliminating the grinding stage, which reflects directly on the manufacturing costs. According to Ana Paula Rezende and Camila Pecerini, product manager and business coordinator respectively, one of the main advantages of the product is that it is not necessary to mill the pigment; among other advantages as the significant reduction in grinding time; excellent stabilization of the pigment, resulting on a higher color intensity; dustfree handling; the product is solvent free; easy dosing; 40 RTV|08-09|2008

excellent solubility in common solvents (non-aqueous); and the fact of being compatible with most of the resins used in solvent-based systems. For the rubber market, Evonik supplies products manufactured in its plant located in Paulínia (SP), with an installed capacity of 100,000 tons/year approximately. For the other sectors, which include the paint industry, the company distributes the carbon black pigments produced in Europe, mainly in Germany. Most of this supplying is carried out through the Distribution Center of the company, in Guarulhos (SP). A small part is distributed through direct importation by some customers. In both cases, Evonik is directly involved and makes all the contact with the origin, working as a “facilitator” between the customer located in Brazil and the material supplier plant. For Ana Paula and Camila, one differentiation aspect of Evonik for the paint market is the supplying of materials through the own Distribution Center of the company. “We serve directly customers that purchase quantities lower to one pallet, we offer other raw materials produced by Evonik, which are important for the paint manufacturers (additives, thyrotrophic agents, synthetic resins, adhesion promoters, monomers, opaquing agents, among others); and in order to complement our line we represent and distribute the Kronos Worldwide, Inc. products, a company manufacturer of titanium dioxide pigments. Sintequímica commercializes carbon black in aqueous dispersion, which is used mainly in the textile, architectural paint and printing ink industries. The company assures that distributes the product with a strict quality control at a very competitive cost. “We work constantly so that the product complies more and more with the needs of our customers. Thus, we offer today different solutions for specific markets. For instance, the dispersion for the architectural paints is more concentrated and differentiated raw materials are used with relation to the dispersion used by the printing ink industry. This is because the carbon black tends strongly to flocculate in different bases, and the dispersion must be in accordance with the base of the customer, so that this problem is avoided”, explains the business director Marcelo Amaral Leite de Macedo. According to him, in 2007 the Sintequímica sales of carbon black dispersions reached a 30% growth, and this year the company is in expansion phase aiming at increasing its total production capacity.


TRAJETÓRIA

Carbono Química completa 30 ANOS A empresa segue com forte destaque na distribuição de solventes no Brasil, e começa a investir também no desenvolvimento e pesquisa de produtos sustentáveis de marca própria, criando mais um capítulo de projeção em sua trajetória Carbono Química completa 30 anos de existência como uma das principais distribuidoras de produtos químicos e solventes hidrocarbonetos do Brasil. Empresa genuinamente nacional e comandada por Vera Gabriel, uma das poucas mulheres a ocupar este cargo no setor, a companhia tem sede em São Bernardo do Campo (ABC paulista) e outras duas unidades - uma em Ribeirão Preto (SP) e outra em Campina Grande do Sul (PR). Em 1978, a empresa iniciou suas atividades em Diadema (SP), desodorizando querosene e em 1990, com a desregula-

A

mentação do setor, passou a atuar na distribuição de solventes. Em 2001, transferiu sua base para São Bernardo do Campo (SP) onde opera até os dias de hoje. Esta mudança materializou a melhoria em logística, a diversificação em produtos e a responsabilidade de ter um atendimento cada vez mais eficiente. Hoje, além do Cor Business em distribuição, a Carbono investe também no desenvolvimento e pesquisa de solventes sustentáveis, adquiridos de terceiros e de produção própria. Exemplos destes últimos são os complexos organometálicos (secantes); finishing de resinas epóxi; produtos à base

RTV|08-09|2008

41


TRAJETÓRIA

de nitrocelulose e ésteres de origem vegetal. No que diz respeito ao grupo de solventes sustentáveis, cabe salientar que, recentemente, a companhia reforçou seu compromisso socioambiental e passou a distribuir algumas linhas da Total Fluidos, subsidiária do grupo francês Total. Com esta iniciativa a expectativa é ampliar de 3% a 5% o faturamento da empresa. Já homologado, o portfólio de produtos inclui as séries Hidroseal (óleos minerais brancos), Hidrosol (solventes alifáticos leves) e Ketrul (solventes hidrogenados), além do N-Heptano e Metilciclohexano (MCH). A distribuição já atende as restrições impostas por agências reguladoras na Europa e Estados Unidos, tendo em vista o baixo teor ou a ausência de aromáticos nestes materiais. Pela parceria, a Carbono passa a distribuir as linhas para clientes do setor secundário nos mais diferentes pontos do país. 42 RTV|08-09|2008

“A demanda por estes solventes não pára de crescer pela própria evolução da legislação no exterior e a auto-regulação dos mercados no Brasil”, avalia Vera. Segundo ela, “para serem considerados sustentáveis, os solventes atendem a requisitos e características como baixo odor, baixo teor ou isenção de aromáticos, baixa emissão de VOC, balanço energético, biodegradabilidade e origem em fontes renováveis”, complementa. O acordo com a Total é parte do amplo projeto da empresa em ampliar seus negócios com foco em produtos de maior valor agregado. Desta forma, busca assegurar resultados positivos sob todos os aspectos - econômico, social e ambiental – e, conseqüentemente, atingir a sustentabilidade do seu negócio. Contudo, o leque de produtos contempla outras matériasprimas, tais como: aditivos para combustíveis e para tintas; catalisadores e aceleradores para resinas epóxi; pigmentos; sílicas; fotoiniciadores; insumos para o mercado agroquímico,


TRAJETÓRIA

para lubrificantes, resinas epóxi e plastificantes; solventes hidrocarbônicos, alifáticos, aromáticos, oxigenados e sistemas solventes. VALORES E INVESTIMENTOS A Carbono possui três unidades de negócios – a Sudeste, localizada em São Bernardo do Campo (SP); a Sul, em Campina Grande do Sul (PR); e a Oeste, na cidade de Ribeirão Preto (SP). Atendendo a diversos segmentos de mercado, a empresa atua no setor de tintas, adesivos, colas, selantes, resinas, insumos para agroquímicos, para combustíveis e lubrificantes, plásticos e borrachas e outros. O segmento sucroalcooleiro é foco de um trabalho mais específico do complexo Oeste, assim como, a filial Sul direciona suas ações para o setor da indústria calçadista, curtumes e tintas. Como distribuidora, está presente em todo o território nacional e América Latina, atendendo a mais de 2.800 clientes. Comercializa, anualmente, 70 mil m³/tonelada de produtos e possui capacidade de armazenar um total de 2.875 m3 de material a granel e 2.100 toneladas de produtos embalados. Seus sistemas de gestão informatizados como ERP, CRM e BI, garantem a criação de uma base de segurança e eficiência. A companhia constrói uma ponte de aproximação com seus clientes e fornecedores, comercializando produtos e prestando serviços com qualidade, contando para tal com laboratórios de controle de qualidade e aplicações com equipamentos de última geração; frota própria e contratada (parceiros certificados); bem como uma estrutura gerencial capacitada para atender mercados específicos, além de parcerias com traders internacionais na busca por soluções inovadoras e competitivas. A Carbono Engenharia, empresa constituída recentemente, surge da matu-

ração atingida no processo de distribuição de produtos químicos aliada à capacitação de seus colaboradores internos. Sua atuação está voltada para as áreas de desenvolvimento e otimização de processos (melhoria de rentabilidade e redução de perdas), projetos de plantas fabris, além da industrialização de produtos próprios e a reciclagem de resíduos. Todo plano de desenvolvimento da empresa tem na responsabilidade socioambiental a ferramenta estratégica que permeia a atividade empresarial da Carbono. Diversas são as ações nas quais o compromisso com a sustentabilidade é manifestado. Dentre elas, destaque para sua participação na elaboração da norma internacional de Responsabilidade Social, a ISO 26000, trabalho este que vem sendo realizado há dois anos em conjunto com outras empresas, todas associadas e lideradas no processo pelo Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social. Ainda com foco na sustentabilidade do seu negócio, a Carbono Química apresenta ao mercado sua linha de Solventes Sustentáveis, composta por produtos que apresentam características que os qualificam como ambientalmente amigáveis, tais como, baixa toxicidade, baixo teor de aromáticos, biodegradabilidade, balanço energético positivo, fontes renováveis e outras. Quanto a novos investimentos, a segunda maior distribuidora de solventes do Brasil acaba de injetar US$ 2,1 milhões na implantação de um software de gestão empresarial - o JD Edwards adquirido da Oracle -, e na expansão da filial de Ribeirão Preto, cujas instalações passaram para uma área de 17 mil m². Estas ações contínuas e a forma dinâmica de tratar seus negócios estão sintetizadas no slogan criado para a comemoração de seus 30 anos de existência: “Investindo e Acreditando há 30 anos”. RTV|08-09|2008

43


TRAYECTORIA

Carbono Química cumple 30 años Carbono Química cumple 30 años de existencia como una de las principales distribuidoras de productos químicos y solventes de hidrocarburos de Brasil. Empresa genuinamente nacional y comandada por Vera Gabriel, una de las pocas mujeres a ocupar este cargo en el sector, la compañía tiene sede en São Bernardo do Campo (en la Gran São Paulo) y otras dos unidades, una en Ribeirão Preto (SP) y otra en Campina Grande do Sul (PR). En 1978, la empresa inició sus actividades en Diadema (SP), desodorizando queroseno y en 1990, con la desregulación del sector, pasó a atrabajar en la distribución de solventes. En 2001 transfirió su base para São Bernardo do Campo (SP), donde opera hasta los días de hoy. Este cambio, materializó la mejoría en logística, la diversificación en productos y la responsabilidad de tener una atención cada vez más eficiente. Actualmente, además del Core Business en distribución, Carbono invierte también en el desarrollo e investigación de solventes sostenibles, adquiridos de terceros y de producción propia. La empresa cuenta con tres unidades de negocios: la Sudeste, localizada en São Bernardo do Campo (SP); la Sur, en Campina Grande do Sul (PR), y la Oeste, en la ciudad de Ribeirão Preto (SP). Atendiendo a diversos segmentos de mercado, la empresa actúa en el sector de pinturas, adhesivos, colas, selladores, resinas, insumos para agroquímicos, para combustibles y lubricantes, plásticos y cauchos y otros. El segmento de azúcar y alcohol es el objetivo de un trabajo más específico del complejo Oeste, así como, la filial Sur orienta sus actividades al segmento de la industria del calzado, curtidurías y pinturas. Todavía enfocada en la sustentabilidad de su negocio, Carbono Química presenta al mercado su línea de Solventes Sostenibles, compuesta por productos que presentan características que los califican como ambientalmente amigables. Con relación a nuevas inversiones, la segunda mayor distribuidora de solventes de Brasil acaba de inyectar 2.1 millones de dólares en la implementación de un software de gestión empresarial, el JD Edwards, adquirido de Oracle, y en la expansión de la filial de Ribeirão Preto, cuyas instalaciones ocupan ahora un área de 17 mil m². Estas acciones continuas están sintetizadas en el slogan creado para la celebración de sus 30 años de existencia: “Invirtiendo y Creyendo desde hace 30 años”.

44 RTV|08-09|2008

PATH

Carbono Química is 30 years old Carbono Química celebrates its 30 anniversary as one of the main distributors of chemical products and hydrocarbon solvents in Brazil. A genuinely Brazilian company and directed by Vera Gabriel, one of the few women to hold this position in the industry, the company’s headquarters are in São Bernardo do Campo (in The Greater São Paulo) and has two other units, one in Ribeirão Preto (SP) and other in Campina Grande do Sul (PR). In 1978, the company began its activities in Diadema (SP), deodorizing kerosene, and in 1990, with the deregulation of the sector, Carbono Química started distributing solvents. In 2001, moved to São Bernardo do Campo (SP) where operates until today. This change materialized the improvement in logistics, the diversification of products and the responsibility of having a more and more efficient service. Today, besides the Core Business in distribution, Carbono invests also in the development and research of sustainable solvents, acquired from third parties and from own production. The company has three business units: the Southeast, placed in São Bernardo do Campo (SP); the South, in Campina Grande do Sul (PR), and the West, in Ribeirão Preto city (SP). Serving several market sectors, the company satisfies the needs of sector as paints, adhesives, glues, sealants, resins, inputs for agrochemicals, fuels and lubricants, plastics and rubbers and others. The sugar and alcohol industry is the focuses of a more specific work of the West complex, as well as, the South branch guides its activities to the shoe, tannery and paint industries. Still focused on the sustainability of its business, Carbono Química introduces to the market its Sustainable Solvents line, composed by products with features that qualify them as environmentally friendly. Regarding the new investments, the second largest distributor of solvents in Brazil has just injected US$ 2.1 million in the deployment of enterprise management software, the JD Edwards, acquired from Oracle, and in the expansion of the Ribeirão Preto branch, which installations now cover a 17 thousand square meters area. These continuous actions are synthesized in the slogan created for the celebration of these 30 years of existence: “Investing and Believing since 30 years ago.”


ARTIGO

Metroval destaca a importância da modernização dos sistemas de medição (*) Tiago Camocardi esde os primórdios das civilizações era comum a prática de comércio entre os povos, com isso, a evolução dos sistemas e unidades de medida que norteassem essas negociações, se tornou imprescindível e ocorreu naturalmente. Com o passar do tempo o homem criou instrumentos para realizar medições de diversos tipos, inclusive as que tratam das relações de compra e venda de mercadorias. A indústria de tintas e vernizes não é diferente, os produtos são comercializados e produzidos, principalmente, através de medidas de massa e volume e, hoje, se utilizam vários equipa-

D

também os benefícios financeiros dessas inovações, o que podemos classificar como uma falha imperdoável, pois em um mercado competitivo como o atual, deixar de melhorar qualidade e diminuir custos é quase suicídio. BENEFÍCIOS QUE GARANTEM MAIOR COMPETITIVIDADE Dois pontos do processo onde podemos claramente obter uma grande melhora utilizando sistemas de medição mais precisos são: na mistura dos fluidos empregados na fabricação das tintas e vernizes, e também no envase das emba-

É importante ressaltar que não há um sistema com erro “0”, pois pelos conceitos de Metrologia não existe medição perfeita. mentos para fazer esse trabalho. A evolução tecnológica atual nos coloca em um patamar de excelência se comparado com os sistemas mais primitivos. Há algumas décadas os instrumentos disponíveis eram limitados e com grandes percentuais de desvios (erros). Por incrível que pareça, muitas empresas não avaliam esse progresso e continuam a realizar essas medições através de conceitos antigos, assim desperdiçam uma grande chance de melhorar a qualidade de seu produto e reduzir perdas em seu processo, conseqüentemente perdem

lagens de venda do produto final. Muitas empresas ainda usam balanças ou medidores de vazão tipo magnético para fazer essas medições e determinar as quantidades a serem dosadas ou envasadas. Esses equipamentos normalmente trabalham com faixas de desvio de 0,5% a 1% de sua capacidade máxima (fundo de escala), ou se um equipamento tem capacidade máxima de 100 kg, a medição feita por ele pode variar, na melhor das hipóteses, 500 g independente do valor que está se medindo. Em um processo de dosagem varia-

RTV|08-09|2008

45


ções desse nível, certamente, causam perdas financeiras e também de qualidade no produto final. No envase, esses desvios se tornam ainda mais críticos, pois trata-se de produto acabado, que possui um valor agregado alto e por isso a medição é muito mais crítica. Se considerarmos que uma fábrica produza 25 tambores de 200 kg por dia, teremos um resultado de 500 peças por mês. Se forem pesados em uma balança de 500 kg o desvio nessa medição estará na faixa de 2,5 kg por tambor (0,5% de 500 kg), o que totaliza 1.250 kg e se tivermos uma balança com capacidade superior (o que ocorre com muita freqüência) esse desvio será maior. Se ainda inserirmos nesse cenário, o fato de 46 RTV|08-09|2008

que essas pesagens são normalmente realizadas de forma manual o que certamente incorre em mais perdas para o processo, com tranqüilidade podemos projetar nesse exemplo um desperdício de mais de 2,0 toneladas por mês de produto final. Outro ponto a ser observado é a medição de diversas embalagens em uma mesma balança, pois se pesarmos uma peça de 50 kg em um equipamento de 500 kg, o percentual de desvio se torna extremamente alto. A Metroval, uma empresa especializada no controle de fluidos, desenvolve sistemas de dosagem e envase dimensionados para seus clientes. O principal diferencial de suas soluções é o uso de medidores de vazão que não precisam de condições especiais de instalação possibilitando a criação de sistemas compactos e de alta exatidão para esses pontos do processo. Além dessa característica, esses sistemas utilizam bicos de enchimento com fechamento em duplo estágio, que além de aumentar a precisão, facilitam a operação. Do ponto de vista legal, os medidores de vazão utilizados nesses sistemas possuem aprovação de modelo pelo Inmetro, ou seja, essa certificação garante que o equipamento tenha as características metrológicas necessárias para realizar operações de transferência de custódia ou medições fiscais. Esses sistemas são semi-automáticos e trabalham com faixa de desvio de 0,2% do valor medido e repetitividade de 0,05%, isto é, se envasarmos um tambor de 200 kg, serão desviados 400 g por unidade e não mais 2,5 kg e, além disso, o desvio pode ser previsto e reduzido. Outro beneficio é que alterando o tipo da embalagem a precisão da medição se mantém, o que garante confiabilidade e as perdas do processo serão reduzidas. É importante ressaltar que não há um sistema com erro “0”, pois pelos conceitos de Metrologia não existe medição perfeita. No entanto, se possuímos um sistema de alta exatidão e repetitivo é possível reduzir essas perdas a níveis extremamente menores que os atuais. A modernização dos sistemas de medição é algo que as empresas do segmento deveriam considerar de uma forma pragmática, pois os benefícios são inúmeros e fáceis de identificar. Atualmente, é preciso inovar para se diferenciar no mercado, e é isso que a Metroval vem fazendo ao longo dos 20 anos de existência. (*) Gerente comercial Rio/São Paulo da Metroval


ARTÍCULO

ARTICLE

Metroval destaca la importancia de la modernización de los sistemas de medición

Metroval highlights the importance of modernizing the measuring systems

(*) Tiago Camocardi

(*) Tiago Camocardi

Desde el surgimiento de las civilizaciones era común la práctica del comercio entre los pueblos, con eso, la evolución de los sistemas y unidades de medida que orientasen estas negociaciones se volvió imprescindible y ocurrió naturalmente. Con el paso, del tiempo el hombre creó instrumentos para realizar mediciones de diversos tipos, inclusive las que tratan de las relaciones de compra y venta de mercancías. La industria de pinturas y barnices no es diferente, los productos son comercializados y producidos, principalmente, a través de medidas de masa y volumen, y actualmente se utilizan varios equipos para hacer este trabajo. La evolución tecnológica actual nos coloca en un nivel de excelencia, en comparación con los sistemas más primitivos. Por increíble que parezca, muchas empresas no evalúan este progreso y continúan realizando estas mediciones a través de conceptos antiguos, desperdiciando así, una gran oportunidad de mejorar la calidad de su producto y reducir las pérdidas en su proceso. Beneficios que garantizan mayor competitividad Dos puntos donde podemos claramente obtener una gran mejora utilizando sistemas de medición más precisos son: en la mezcla de los fluidos empleados en la fabricación de las pinturas y barnices, y también en el envasado del producto final para la venta. Metroval, una empresa especializada en el control de fluidos, desarrolla sistemas de dosificación y envases dimensionados para sus clientes. La principal diferencia de sus soluciones es el uso de medidores de flujo que no necesitan condiciones especiales de instalación, haciendo posible la creación de sistemas compactos y de alta exactitud para estos puntos del proceso. Además de esa característica, estos sistemas utilizan boquillas de llenado con cierre en dos etapas, que además de aumentar la precisión, facilitan la operación. Desde el punto de vista legal, los medidores de flujo utilizados en estos sistemas cuentan con la aprobación de modelo del Inmetro, Instituto Nacional de Metrología, Normalización y Calidad Industrial. Es importante resaltar que no hay un sistema con error “cero”, pues por los conceptos de Metrología, no existe la medición perfecta. Sin embargo, se tenemos un sistema de alta precisión y repetitivo, es posible reducir estas pérdidas a niveles mucho menores que los actuales. (*) Gerente comercial Rio/São Paulo de Metroval

Since the beginnings of the civilizations, the practice of commerce was common among peoples, thus, the evolution of the systems and measurement units that guided those negotiations became essential and happened naturally. Over the years, the man has created several types of measuring instruments, even those regarding the purchase and sale of merchandises. The paint and varnish industry is not different, the products are commercialized and produced mainly trough the mass and volume measures, and today several equipment to make this work are used. The current technological evolution puts us in a level of excellence if compared with the more primitive systems. It is incredible that many companies do not assess this progress and continue carrying out those measures through old concepts, thus they waste a great chance of improving the quality of their products and reducing losses in their processes. Benefits that assure more competitiveness Two points where we can clearly obtain a great improvement using more accurate measuring systems are in the mixture of the fluids used in the paint and varnish manufacturing, and also in the filling of packages for the sale of end products. Metroval, a company specialized on fluid control, develops dosing systems and filling dimensioned for the customers. The main difference of the solutions provided is the use of flow meters that do not need special installation conditions, making possible to create compact systems with high accuracy for those points of the process. Besides this feature, those systems use filling nozzles with double stage closing, which besides increasing the accuracy, make easier the operation. From the legal point of view, the flow meters used in those systems have their model approved by Inmetro, the Brazilian Institute of Metrology, Standardization and Industrial Quality. It is important to emphasize that there is no system with “zero” error, since by the concepts of Metrology, there is no perfect measurement. However, if we have a high accuracy and repetitiveness system, it is possible to reduce the losses to levels extremely lower than the current. (*) Metroval Rio/São Paulo Business manager

RTV|08-09|2008

47


ATUALIDADES Software CAPPMIX é voltado especificamente para a indústria de tintas A AutoCAPP desenvolveu um software – o CAPPMIX – especificamente para o mercado de tintas. Disponível para todos os fabricantes do setor, o sistema fornece praticamente todas as informações que a grande maioria das empresas necessita. Segundo Fernando Luiz Oliboni, diretor da AutoCAPP, o berço do CAPPMIX foi a indústria de tintas e o primeiro módulo criado foi o de Produção, por isso, ele afirma que a inclusão de outros módulos foi muito fácil e, atualmente, qualquer modificação solicitada por

dos grandes benefícios no uso de um sistema específico de gestão

clientes é feita de forma rápida, simples, direta.

na indústria de tintas é a rastreabilidade e o controle de todos os

O diretor também conta que alguns clientes, que já tiveram contato com outros softwares, acharam o sistema mais fácil e sim-

elementos que participam do processo produtivo. “Esse fato leva, com certeza, a um ganho de tempo e produtividade”, acrescenta.

ples de operar, além de ser acessível financeiramente e ter qualida-

Hoje, o CAPPMIX conta com mais de 40 usuários em todo Brasil

de de suporte técnico oferecido pela AutoCAPP. O suporte forneci-

e a grande novidade para 2008/2009 será a apresentação de uma

do pela empresa é online durante todo horário comercial e dedica-

versão do sistema que promete ser muito mais abrangente. A nova

do aos usuários do CAPPMIX via MSN, e-mail, fone ou qualquer

e terceira versão terá os módulos financeiro, contabilidade, recursos

outro canal disponível para o cliente.

humanos, entre outros, além de um módulo de integração entre re-

“Existem muitos outros softwares de gestão no mercado que são genéricos quanto à aplicabilidade, ou seja, servem vários tipos

presentantes/assistentes técnicos via palm top para pedidos ou parecer de testes de produtos.

de indústrias químicas, incluindo a de tintas, mas isso os torna bu-

A nova versão também terá um módulo que pode ser usado em

rocráticos, de difícil operação, causam confusões e acabam por

conjunto com o CAPPMIX ou separadamente que se chama CF -

não terem as características que o segmento de tintas exige. Por

“Cálculo de Fórmulas”. Trata-se de uma ferramenta extremamente

isso é muito importante que o software seja específico para o setor

importante durante o processo de montagem de uma fórmula, pois

de tintas”, opina Oliboni.

além de mostrar os custos envolvidos em uma versão de fórmula,

Conforme destaca o diretor, a AutoCAPP tem a linguagem do cliente e pode oferecer um apoio direto e produtivo. Para ele, um

Wacker Polymer Systems anuncia o aumento de preços para a sua linha de resinas sólidas Vinnol® e Vinnapas®

permitirá verificar os parâmetros de formulação tais como: teor de sólidos, PVC, CPVC e outros...

Além disso, segundo a empresa, este ajuste de preços é necessário para ajudar a compensar os custos significativamente crescentes de energia e transporte. A Wacker Polymers produz resinas sólidas, dispersões e pós dispersáveis de polímeros em plantas nos Estados Unidos, Alemanha

A partir de 15 de setembro de 2008, a Wacker Polymer Systems

e Coréia do Sul.

implementou um aumento de preços de até 10%, ou como os con-

Ela vende os seus produtos com as marcas registradas

tratos permitirem, em todos os seus produtos de resinas sólidas

Vinnapas®, Vinnol® Airflex®, Vinac®, Flexbond®, Flexcryl®, e Vinnex®

®

vendidos com as marcas Vinnol e Vinnapas comercializados na

para indústrias que vão de revestimentos industriais, adesivos, com-

região das Américas.

postos, embalagens e tintas de impressão, tintas e revestimentos,

®

Esta ação obedece ao persistente aumento no custo de matériasprimas essenciais.

48 RTV|08-09|2008

além de elementos utilizados em produtos aplicados em edifícios e construção, papel, carpetes e têxteis.


AT U A L I D A D E S da Ipiranga e da Lubrizol, afinal, queremos participar dos projetos junto com os clientes”, disse Abrantes. O evento aconteceu no mês de agosto no Caesar Business Paulista, em São Paulo (SP), e contou com a presença de Jeff Norris, technical market manager, da Lubrizol Advanced Materials USA – Performance Coatings Group, que ministrou uma palestra técnica sobre tecnologias e benefícios dos hiperdispersantes Solsperse®. Segundo Norris, a Lubrizol oferece para o segmento de tintas a linha Solsperse® de hiperdispersantes de pigmentos com diferenciações caracterizadas na melhora da estabilidade da dispersão, da cor, produtividade e custos. São produtos com propriedades que permitem aumentar o teor de pigmento no concentrado, favorecendo

Ipiranga Química passa a distribuir os hiperdispersantes da Lubrizol

o poder tintorial e, no caso dos inorgânicos, melhoram o poder de cobertura. Em setembro, chega ao mercado o Solsperse® X300 para siste-

A Ipiranga Química realizou mais um encontro do Projeto Sinergia, desta vez para reforçar a parceria exclusiva com a Lubrizol na

mas UV (ultravioleta) e, em outubro, está previsto o lançamento do hiperdispersante para embalagens, o Solsperse® 72700.

linha de hiperdispersantes para tintas. Para o diretor superintenden-

“Já existe uma excelente sinergia entre as empresas com a

te da Ipiranga Química, Fernando Abrantes, isso mostra o compro-

intenção de ajudar o cliente a obter produtos melhores, através de

metimento da empresa com o setor de tintas e seus clientes, e o

processos bem-sucedidos”, comenta Norris.

compromisso em colaborar, prover soluções e levar estratégias com-

Ao final da palestra, foi apresentado um filme feito no laboratório

petitivas. “Essa parceria com a Lubrizol é só o começo, pois outros

da Ipiranga Química, no Centro de Distribuição em Guarulhos (SP),

produtos também serão incrementados. Queremos ser um acelera-

que exemplificou de forma muito objetiva o comparativo de uma for-

dor no processo de soluções, sempre com toda a confiabilidade.

mulação de tinta com o uso do produto Solsperse® e outra isenta do

Todos terão a garantia permanente e assistência técnica por parte

hiperdispersante.

Minérios Ouro Branco inova setor de vendas O setor de vendas da Minérios Ouro Branco passa a atuar em

desenvolvimento, possibi-

duas divisões: Aditivos Minerais & Fibras; Pigmentos & Especiali-

litando um apoio técnico

dades Químicas.

mais apurado para cada

De acordo com o diretor comercial José Carlos Bartholi, a

setor.

principal razão desta reestruturação foi o crescimento do portfólio

Em 2007, a Minérios

da Ouro Branco nos últimos dois anos, em especial na linha de

Ouro Branco registrou

pigmentos e de aditivos minerais. “O próprio aumento do volume de

crescimento de 20% nas

negócios no setor tradicional da empresa - o de aditivos minerais -

vendas, com forte salto

também nos impulsionou a tal decisão. O conjunto de tais fatores

na área de Pigmentos & Especialidades Químicas que superou os

pedia maior foco e especialização”, acrescenta Bartholi.

35% de crescimento.

O executivo conta que, anteriormente, o departamento de vendas

Este ano, o diretor comercial acredita que ocorrerá um resultado

era único para todas as linhas de produtos, entretanto, mesmo com

igual ou um pouco superior ao de 2007, com destaque para os

a segmentação anunciada, ambos os setores trabalharão de forma

segmentos de Fibras (envolve celulose moída para fins tixotrópicos

integrada, pois são interdependentes.

nas tintas e pigmentos) e de Especialidades (que na Ouro Branco

Com a iniciativa, a empresa intensificou a contratação de profissionais e investiu em equipamentos de controle de qualidade e

comporta CMC (carbóxi metil celulose), estearatos, sílicas coloidais e precipitadas e resinas).

RTV|08-09|2008

49


ATUALIDADES Faltam poucos meses para a indústria brasileira se adequar ao REACH A indústria brasileira tem menos de quatro meses para registrar

Diante da situação, três entidades industriais – Confederação

junto à União Européia (UE) os produtos destinados a exportação

Nacional da Indústria (CNI), Associação Brasileira da Indústria Quí-

que contenham substâncias químicas. A partir de 1º de dezembro

mica (Abiquim) e Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) - se uniram

deste ano, o bloco europeu fechará as portas para a entrada dos

para organizar uma programação que começou no dia 19 de agosto,

itens que não estiverem registrados. A exigência atinge exportações

em São Paulo (SP), para alertar o pólo industrial brasileiro sobre a

a partir de uma tonelada ao ano, mas poderá abranger quantidades

necessidade de conhecer e implantar o REACH, sigla em inglês para

inferiores.

Regulamento para Registro, Avaliação, Autorização e Restrição de

O quadro é nebuloso para a indústria nacional porque não há levantamento que mostre quantos empreendimentos já estão se

Produtos Químicos, que estabelece a legislação para substâncias químicas da União Européia.

adaptando para cumprir esta regulamentação, o que se constitui

Além deste encontro, que foi organizado na sede da Federação

em uma ameaça ao desempenho da balança comercial nos próximos

das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), serão promovidos

anos.

outros cursos regionais voltados para técnicos das indústrias, cujos produtos têm elementos químicos em sua composição. O REACH entrou em vigor há mais de um ano, em junho de 2007. A Abiquim foi uma das pioneiras a estudar a questão e orientar seus associados. A CNI e o Ibram se juntaram àquela instituição numa tentativa de disseminar as regras em todo o país. O objetivo oficial do regulamento REACH é a preservação do meio ambiente e da saúde humana e animal. A nova lei estabeleceu um prazo de seis meses (de 1º de junho a 1º de dezembro de 2008) para a efetivação da fase conhecida como pré-registro. Depois, terá início o período de registro, que será feito em um singular processo de compartilhamento de dados e dos custos decorrentes por todos que produzem ou comercializam uma mesma substância na EU e que tenham feito o pré-registro da mesma. O registro é obrigatório para substâncias químicas exportadas para a EU; produtos de preparações químicas (misturas ou soluções compostas de dois ou mais elementos); artigos (objeto que durante a produção recebeu uma forma especial); metal; aço e ligas metálicas. Poucas substâncias estão isentas do regulamento e entre elas

PAULO CAMILO VARGAS PENNA, MARCELO KÓS e NICIA MOURÃO

estão os produtos medicinais, aditivos para alimentos e polímeros

diretor presidente do Ibram; diretor executivo de Assuntos Industriais e Regulatórios da Abiquim; coordenadora da Comissão de Regulamentação e Gestão de Produtos da Abiquim

– entretanto, neste caso cabe salientar que os monômeros de polímeros estão submetidos ao registro.

50 RTV|08-09|2008


Foto: Angeluci Figueiredo

AT U A L I D A D E S BASF completa 30 anos de atividades no Pólo Petroquímico de Camaçari A unidade da BASF em Camaçari (BA) está comemorando 30 anos. O Pólo Petroquímico de Camaçari, que também iniciou suas atividades em 1978, partilha desta mesma comemoração. Inaugurada em 1981, essa fábrica produz metilaminas e dimetilformamida, utilizadas principalmente na fabricação de produtos químicos agrícolas, petroquímicos, têxteis e farmacêuticos. Passou por várias adaptações e modernizações em seus processos e, em 2001, por uma ampliação de 30%, o que elevou a capacidade produtiva de 10 mil para 13 mil toneladas por ano. “A produção é exportada para toda a América do Sul, com destaque

por tubulação de fornecedores, como a Braskem, Fafen (Petrobras),

para a Argentina, Colômbia e Peru, e Estados Unidos”, diz Sérgio

Air Products e Copenor. “Nosso site é todo automatizado, semelhan-

Calmon, gerente da planta de Camaçari.

te às outras duas unidades de produção de metilaminas da BASF,

De acordo com Calmon, o maior desafio foi a mudança na tecnologia do processo de produção, ocorrido em junho de 1997. “A

uma na Alemanha e a mais nova, inaugurada em 2005, em Nanjin, na China”, explica Calmon.

unidade foi projetada originalmente para produzir um mix de produtos,

O Pólo Petroquímico de Camaçari, que fica a aproximadamente

porém, devido a uma necessidade do mercado, tivemos que ajustar

50 quilômetros de Salvador, gera cerca de 20 mil empregos diretos

a tecnologia. Foi uma fase de grandes mudanças, principalmente na

em suas 60 empresas, entre produtivas e de serviços. A BASF foi

maneira de operá-la, mas que valeu a pena”.

uma das primeiras a se instalar nessa região, que no princípio era

A fábrica de Camaçari faz parte de um complexo integrado de fábricas, onde as empresas recebem e mandam matérias-primas

voltada para a petroquímica, mas hoje já tem indústrias que fabricam diversos tipos de produtos.

RTV|08-09|2008

51


ATUALIDADES Dow é premiada por desempenho ambiental na Bahia Em mais um importante passo no sentido de definir altos padrões de sustentabilidade, a Dow conquistou o inédito Prêmio FIEB de Desempenho Ambiental, na Bahia. A premiação, organizada pela Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), veio na categoria Gestão Ambiental, devido aos significativos resultados obtidos nas plantas de cloro-soda, em Aratu, e da mineração, em Vera Cruz. O prêmio visa destacar as indústrias que implantaram atividades que contribuíram para melhorar a qualidade ambiental, com reflexos na otimização de processos produtivos e na qualidade de vida de trabalhadores e comunidades. Dezesseis empresas concorreram a premiação em diferentes categorias.

“Sabemos que sustentabilidade começa na nossa casa e sempre

Usando metodologia Six Sgma, a Dow diminuiu em 20% o

teremos muito trabalho a fazer, para tornar a empresa melhor em

consumo de água nas unidades e em 3% o gasto de energia elétrica

termos de saúde, segurança e meio ambiente. Mas essa é apenas

– quantidade capaz de iluminar uma cidade de quase três mil

uma parte do caminho que buscamos. Estamos muito orgulhosos

habitantes por um período de um ano. Além disso, a companhia,

de receber essa premiação, que reforça que o foco em sustenta-

que já atendia a legislação ambiental brasileira, conseguiu reduzir a

bilidade da Dow está no caminho certo”, afirma o líder das plantas

emissão de fibra de amianto.

de cloro-soda e da mineração, Hierônimo Albuquerque.

Solventes movimentam R$ 3 bi no Brasil em 2008

está diretamente ligado à capacidade de engajamento de toda a cadeia produtiva nos termos da sustentabilidade. “O nosso desafio é manter a perenidade do negócio solventes

O mercado de solventes hidrocarbônicos derivados de petróleo

em um ambiente extremamente competitivo”, afirmou a presidente,

deve fechar o ano de 2008 com um movimento de vendas em torno

acrescentando que a cadeia de distribuição está consciente do

de 3 bilhões de reais. A informação foi dada no dia 2 de setembro

seu papel de agente do desenvolvimento industrial.

por Vera Gabriel, presidente do Sindsolv (Sindicato Nacional do

O evento reuniu 100 empresários e representantes de entida-

Comércio Atacadista de Solventes de Petróleo), ao abrir o 1º Sim-

des do setor, além de órgãos governamentais que regulam a atividade

pósio da Cadeia Produtiva de Solventes, organizado pelo sindicato.

de distribuição de solventes no país.

Segundo Vera Gabriel, o potencial de crescimento desse mercado

O Simpósio foi aberto com palestra do cientista social e político Sérgio Abranches, que mostrou um panorama global das necessidades de todas as pessoas se engajarem no desenvolvimento sustentável do planeta. O tema sustentabilidade também esteve presente nos diversos painéis de debates do encontro. Os solventes hidrocarbônicos são produtos indispensáveis para várias áreas industriais e aplicados principalmente na produção de tintas e vernizes, plásticos, borracha, adesivos, defensivos agrícolas, entre outros. O Sindsolv é a única entidade representativa do setor, que busca a melhoria das condições comerciais do segmento, a padronização técnica das empresas

VERA GABRIEL presidente do Sindsolv

52 RTV|08-09|2008

que atuam neste campo e a defesa, junto aos órgãos governamentais, de posições que conduzam ao aperfeiçoamento da atividade.


ACTUALIDADES CURRENT AFFAIRS Software CAPPMIX se destina específicamente

created was the Production module, so he states that including other

para la industria de pinturas

modules was very easy and, currently, any modification requested by the customers is done quickly, in simple and direct manner.

AutoCAPP desarrolló un software, el CAPPMIX, específicamente

The company provides online support in business hours

para el mercado de pinturas. Disponible para todos los fabricantes

and dedicated support to the CAPPMIX users via MSN, e-mail,

del sector, el sistema proporciona prácticamente todas las informa-

telephone or any other channel available for the customer.

ciones que la gran mayoría de las empresas necesita.

“There are a lot of other management software in the market

Según Fernando Luiz Oliboni, director de AutoCAPP, el CAPPMIX

which are generic regarding applicability, that is, they serve for

nació en la industria de pinturas y el primer módulo creado fue el de

several types of chemical industries, including the paint sector,

Producción, por eso, él afirma que la inclusión de otros módulos fue

but this turns them bureaucratic, with difficult operation, causing

muy fácil, y actualmente, cualquier modificación solicitada por clientes

confusions and in the end they don’t have the characteristics that

se hace de forma rápida, simple y directa.

the paint industry requires. That’s why it is very important the

El soporte proporcionado por la empresa es online durante todo el horario laboral y dedicado a los usuarios del CAPPMIX vía MSN, e-mail, teléfono o cualquier otro canal disponible para el cliente. “Existen muchos otros programas de gestión en el mercado que

software is specific for the paint sector”, tells Oliboni. Today, the CAPPMIX has more than 40 users all around Brazil and the great news for 2008/2009 will be the introduction of a version of the system that promises to be much more

son genéricos con relación a la aplicabilidad, o sea, sirven para va-

comprehensive. The new and third version will include the financial,

rios tipos de industrias químicas, incluyendo la de pinturas, pero

accountancy and human resources modules, among others, besides

eso los vuelve burocráticos, de difícil operación, causan confusiones

an integration module between representatives/ technical assistants

y acaban por no tener las características que el sector de pinturas

via palm top for the requirement of product tests reports.

exige. Por eso es muy importante que el software sea específico

The new version will also have a module that can be used

para el sector de pinturas”, opina Oliboni. Actualmente, el CAPPMIX cuenta con más de 40 usuarios en todo Brasil y la gran novedad para 2008/2009 será la presentación de una versión del sistema que promete ser mucho más extenso. La nueva y tercera versión incluirá los módulos financiero, de contabilidad y de recursos humanos, entre otros, además de un módulo de integración entre representantes/asistentes técnicos vía palm top para pedidos o certificados de pruebas de productos. La nueva versión también tendrá un módulo que se podrá usar en conjunto con el CAPPMIX, o separadamente, que se llama CF, “Cálculo de Fórmulas”. Se trata de una herramienta extremamente importante durante el proceso de creación de una fórmula, pues además de mostrar los costos involucrados en una versión de fórmula, permitirá verificar los parámetros de formulación tales como contenido de sólidos, PVC y CPVC, entre otros. The CAPPMIX Software is intended specifically for the paint industry AutoCAPP developed the CAPPMIX, software intended specifically for the paint market. Available to all manufacturers of the sector, the system provides practically all the information that most of the companies need. According to Fernando Luiz Oliboni, director of AutoCAPP, the CAPPMIX was born in the paint industry and the first module RTV|08-09|2008

53


ACTUALIDADES CURRENT AFFAIRS together with the CAPPMIX or in separate called CF - “Cálculo de

elements used in products applied in buildings and construction,

Fórmulas” (Formula Calculation). It is an extremely important tool for

paper, carpet and textiles.

the process of creating a formula, because besides showing the costs involved in a formula version, will allow to verify the formulation

Ipiranga Química ahora distribuye los hiperdispersantes de Lubrizol

parameters such as: solid contents, PVC and CPVC, among others. Ipiranga Química realizó un nuevo encuentro del Proyecto SiWacker Polymer Systems anuncia aumento de precios

nergia, de esta vez para reforzar la alianza exclusiva con Lubrizol en

para su línea de resinas sólidas Vinnol® y Vinnapas®

la línea de hiperdispersantes para pinturas. Para el director superintendente de Ipiranga Química, Fernando Abrantes, esto muestra

A partir del 15 de septiembre de 2008, Wacker Polymer Systems

el comprometimiento de la empresa con el sector de pinturas y sus

implementó un aumento de precios de hasta un 10%, o hasta donde

clientes, y el compromiso en colaborar, proporcionar soluciones y

los contratos lo permitan, en todos sus productos de resinas sólidas

llevar estrategias competitivas. “Esta alianza con Lubrizol es sólo el

®

®

vendidos con las marcas Vinnol y Vinnapas , comercializados en la

comienzo, pues otros productos también serán incrementados.

región de las Américas.

Queremos ser un acelerador en el proceso de soluciones, siempre

Esta medida obedece al persistente aumento en el costo de materias primas esenciales.

con toda la confiabilidad. Todos tendrán la garantía permanente y asistencia técnica por parte de Ipiranga y de Lubrizol, al final, que-

Además, según la empresa, este ajuste de precios es necesario

remos participar en los proyectos con los clientes”, dijo Abrantes.

para ayudar a compensar los costos significativamente crecientes

El evento se celebró en el mes de agosto, en el Caesar Business

de energía y transporte. Wacker Polymers produce resinas sólidas,

Paulista, en São Paulo (SP), y contó con la presencia de Jeff Norris,

dispersiones y polvos dispersables de polímeros en plantas en los

technical market manager, de Lubrizol Advanced Materials USA –

Estados Unidos, Alemania y Corea del Sur.

Performance Coatings Group, quien dio una conferencia técnica sobre

La empresa vende sus productos con las marcas registradas ®

®

®

®

®

®

tecnologías y beneficios de los hiperdispersantes Solsperse®.

®

Según Norris, Lubrizol ofrece para el segmento de pinturas la

para industrias que van desde revestimientos industriales, adhesivos,

línea Solsperse® de hiperdispersantes de pigmentos, con diferen-

compuestos, embalajes y tintas de impresión, pinturas y revesti-

ciaciones caracterizadas en la mejora de la estabilidad de la disper-

mientos, hasta elementos utilizados en productos aplicados en edi-

sión, del color, de la productividad y los costos. Son productos con

ficios y construcción, papel, alfombras y textiles.

propiedades que permiten aumentar el contenido de pigmento en el

Vinnapas , Vinnol Airflex , Vinac , Flexbond , Flexcryl , y Vinnex

concentrado, favoreciendo el poder de coloración y, en el caso de Wacker Polymer Systems announces a price increase

los inorgánicos, mejoran el poder de cobertura.

for its Vinnol® and Vinnapas® solid resins lines

En septiembre llega al mercado el Solsperse® X300, para sistemas UV (ultravioleta), y para octubre, está previsto el lanzamiento del hiperdispersante para embalajes, el Solsperse® 72700.

Wacker Polymer Systems incresead, from September 15th, 2008, up to 10%, or as the contracts allow, the price

“Ya existe una excelente sinergia entre las empresas con la

of all its solid resin products sold under the Vinnol® and Vinnapas®

intención de ayudar al cliente a obtener productos mejores, a través

brands, commercialized in the Americas region.

de procesos muy exitosos”, comenta Norris.

This measure is driven by the growing cost increase

Al final de la conferencia, presentaron una película hecha en el

of essential raw materials.

laboratorio de Ipiranga Química, en el Centro de Distribución en

Besides, according to the company, this price adjustment

Guarulhos (SP), que ejemplificó de forma muy objetiva la comparación

is necessary to help offset the significantly rising energy

de una formulación de pintura con el uso del producto Solsperse®, y

and transport costs. Wacker Polymers produces solid resins,

otra exenta del hiperdispersante.

polymer dispersions and dispersible powders at sites in United States, Germany and South Korea.

Ipiranga Química distributes ®

The company sells its products under the Vinnapas®, Vinnol

the hyper-dispersants by Lubrizol

Airflex®, Vinac®, Flexbond®, Flexcryl®, and Vinnex® trademarks to industries ranging from industrial coatings, adhesives, composites, packaging and inks, paints and coatings, besides 54 RTV|08-09|2008

Ipiranga Química carried out another meeting of the Synergy Project, this time with the purpose of strengthening the exclusive


ACTUALIDADES CURRENT AFFAIRS partnership with Lubrizol for the line of hyper-dispersants for

cisión. El conjunto de tales factores pedía un mayor enfoque y espe-

paints. For Fernando Abrantes, Ipiranga Química Superintendent

cialización”, agrega Bartholi.

Director, this shows the commitment of the company with the

El ejecutivo cuenta que, anteriormente, el departamento de ven-

paint sector and its customers, and the commitment to

tas era único para todas las líneas de productos, sin embargo, aún

collaborate, to provide solutions and to bring competitive

con la segmentación anunciada, ambos los sectores trabajarán de

strategies. “This partnership with Lubrizol is only the beginning,

forma integrada, pues son interdependientes.

because other products will also be added. We want to be an

Con la iniciativa, la empresa intensificó la contratación de pro-

accelerator in the solution process, always in a reliable way.

fesionales e invirtió en equipos de control de calidad y desarrollo,

All the customers will have permanent guarantee and technical

posibilitando un apoyo técnico más preciso para cada sector.

assistance by Ipiranga and Lubrizol, since we want to participate in the projects together with the customers”, said Abrantes. The event was held in August at Caesar Business Paulista, in São Paulo (SP), and they were present Jeff Norris, Lubrizol

En 2007, las ventasde Minérios Ouro Branco registraron un crecimiento del 20%, con fuerte salto en el área de Pigmentos & Especialidades Químicas, que superó los 35% de crecimiento. Este año, el director comercial cree que ocurrirá un resultado

Advanced Materials USA – Performance Coatings Group Technical

igual o un poco superior al de 2007, destacándose los segmentos

Market Manager, who gave a technical lecture about technologies

de Fibras (involucra celulosa molida para fines tixotrópicos en las

and benefits of the Solsperse® hyper-dispersants.

pinturas y pigmentos) y de Especialidades (que en Ouro Branco com-

According to Norris, Lubrizol offers to the paint industry the Solsperse® line of hyper-dispersants of pigments with

prende CMC (carboxilmetil celulosa), estearatos, sílices coloidales y precipitados y resinas).

characteristics as dispersion stability, color, productiveness and cost improvements. They are products with properties

Minérios Ouro Branco innovates the sales department

that allow increasing the content of pigment in the concentrate, leveraging the dying capability, and in the case of inorganic products, improving the coating capability.

The sales department of Minérios Ouro Branco was divided into two sectors: Mineral Additives & Fibers, and Pigments &

In September comes to the market the Solsperse® X300

Chemical Specialties. According to the commercial director

for UV systems and, the launching of the hyper-dispersant

José Carlos Bartholi, the main reason of this re-structure

for packaging, the Solsperse® 72700 is scheduled by October.

was the portfolio expansion of Ouro Branco in the

“There is already an excellent synergy between the companies

last two years, especially in the pigment and additive

with the intention of helping the customer to obtain better

mineral lines. “The increase of the business volume itself

products through successful processes,” comments Norris.

in the traditional sector of the company - the one of mineral

At the end of the lecture was showed a film made in the Ipiranga Química laboratory, at the Distribution Center in

additives – also led us to such decision. The set of such factors demanded a greater focus and specialization”, adds Bartholi.

Guarulhos (SP), which showed in a very objective way a

The executive tells that, before, the sales department

®

was unique for all of the product lines, however, even with

comparison of a paint formulation using the Solsperse

product, and another one without the hyper-dispersant.

the division announced, both sectors will work in an integrated fashion, since they are interdependent.

Minérios Ouro Branco innova sector de ventas

With the initiative, the company hired more professionals and invested in quality control equipments and development, making

El sector de ventas de Minérios Ouro Branco actúa ahora en dos divisiones: Aditivos Minerales & Fibras e Pigmentos & Especialidades Químicas. De acuerdo con el director comercial José Carlos Bartholi, el

possible a more accurate technical support for each sector. In 2007, Minérios Ouro Branco sales registered a 20% growth, with sharp rise in the Pigments & Chemical Specialties sector that surpassed the 35% growth.

principal motivo de esta reestructuración fue el crecimiento de la

The business director believes that this year the company will

cartera de productos de Ouro Branco en los últimos dos años, en

get result similar or a little higher than the 2007 result, standing

especial en la línea de pigmentos y de aditivos minerales. “El propio

out the sectors: Fibers (comprises ground cellulose for

aumento del volumen de negocios en el sector tradicional de la

thyrotrophic purposes in the paint and pigment industry) and

empresa - el de aditivos minerales - también nos impulsó a esta de-

Specialties (which in Ouro Branco comprises CMC (carboxyl methyl RTV|08-09|2008

55


ACTUALIDADES CURRENT AFFAIRS cellulose), stearates, colloidal and precipitated silicas and resins).

before the European Union (EU) of the products that contain chemical substances intended for exportation. From December

Faltan pocos meses para que la

1st of this year, the European block will close the doors to the

industria brasileña se adecue al REACH

entrance of the products that are not registered. The demand affects exportations from one ton per year, but may include lower

La industria brasileña tiene menos de cuatro meses para regis-

amounts.

trar ante la Unión Europea (UE) los productos destinados a expor-

The situation is nebulous for the Brazilian industry because

tación que contengan substancias químicas. A partir del 1º de di-

there is not a survey that shows how many companies are already

ciembre de este año, el bloque europeo cerrará las puertas para la

adapting themselves to comply with this regulation, which puts in

entrada de los productos que no estén registrados. La exigencia

risk the performance of the trade balance for the next years.

alcanza exportaciones a partir de una tonelada al año, pero podrá abarcar cantidades inferiores. El cuadro es nebuloso para la industria nacional, porque no hay un

In face of this situation, three industry bodies – National Industry Confederation (CNI), Brazilian Chemical Industry Association (Abiquim) and the Brazilian Mining Institute (Ibram) -

levantamiento que muestre cuántas empresas ya se están adaptando

gathered to organize a schedule that began in August 19th, in São

para cumplir con esta reglamentación, lo que constituye una amenaza

Paulo (SP), to alert the Brazilian industrial complex about the need

al desempeño de la balanza comercial en los próximos años.

of knowing and deploying the REACH, acronym in English for the

Ante esta situación, tres entidades industriales – Confederación

Regulation for Registration, Evaluation and Authorization of

Nacional de la Industria (CNI), Asociación Brasileña de la Industria

Chemical Products, which sets forth the legislation for chemical

Química (Abiquim) y el Instituto Brasileño de Minería (Ibram) - se

substances in the European Union.

unieron para organizar una programación que empezó el 19 de agos-

Besides the meeting, which was organized in the headquarters

to, en São Paulo (SP), para alertar al complejo industrial brasileño

of the Federation of Industries of the State of Sao Paulo (Fiesp),

sobre la necesidad de conocer e implementar el REACH, sigla en

other regional courses will be promoted, intended for the

inglés para Reglamento para Registro, Evaluación, Autorización y

technicians of the industries whose products have chemical

Restricción de Productos Químicos, que establece la legislación para

elements in their composition.

substancias químicas de la Unión Europea.

The REACH came into effect more than one year ago, in June,

Además de este encuentro, que fue organizado en la sede de la

2007. Abiquim was one of the pioneers to study the subject and

Federación de las Industrias del Estado de São Paulo (Fiesp), serán rea-

to guide its members. CNI and Ibram joined with the intention of

lizados otros cursos regionales destinados a técnicos de las industrias

spreading the rules all around the country.

cuyos productos contienen elementos químicos en su composición. O REACH entró en vigor hace más de un año, en junio de 2007. La Abiquim fue una de las pioneras a estudiar la cuestión y orientar

The official objective of the REACH regulation is to preserve the environment and the human and animal health. The new law sets forth a term of six months (from June 1st to

a sus asociados. La CNI y el Ibram se juntaron a aquella institución

December 1st, 2008) to carry out the phase known as pre-

en una tentativa de difundir las reglas en todo el país.

registration. After this, will begin the registration period, which

El objetivo oficial del reglamento REACH es la preservación del

will be done in a singular process of data and cost sharing,

medio ambiente y de la salud humana y animal. La nueva ley estableció

resulting from everybody that produce or commercialize the same

un plazo de seis meses (del 1º de junio al 1º de diciembre de 2008)

substance in the EU and that have registered previously.

para efectuar la fase conocida como prerregistro. Después, se iniciará el período de registro, que se hará dentro de un singular proceso

BASF cumple 30 años de actividades

de compartimiento de datos y de los costos resultantes por parte

en el Polo Petroquímico de Camaçari

de todos los que producen o comercializan una misma sustancia dentro de la UE y que la hayan registrado previamente.

La unidad de BASF en Camaçari (BA) está celebrando 30 años. El Polo Petroquímico de Camaçari, que también inició sus actividades

There’s only a few months left for the Brazilian industry to adequate to REACH

en 1978, comparte esta misma celebración. Inaugurada en 1981, esta fábrica produce metilaminas y dimetilformamida, utilizadas principalmente en la fabricación de productos

The Brazilian industry has less than four months to register 56 RTV|08-09|2008

químicos agrícolas, petroquímicos, textiles y farmacéuticos.


ACTUALIDADES CURRENT AFFAIRS Ha pasado por varias adaptaciones y modernizaciones en sus

but worth it”.

procesos, y en 2001, tuvo una ampliación del 30%, lo cual elevó la

The Camaçari plant makes part of an integrated complex

capacidad productiva de 10 mil para 13 mil toneladas por año. “La

of factories, where the companies receive and send raw materials

producción es exportada para toda América del Sur, destacándose

by pipelines from suppliers as Braskem, Fafen (Petrobras),

Argentina, Colombia y Perú, además de los Estados Unidos”, dice

Air Products and Copenor. “Our site is completely automated,

Sérgio Calmon, gerente de la planta de Camaçari.

similar to the two other BASF’s methylamine production units,

De acuerdo con Calmon, el mayor desafío fue el cambio en la tecnología del proceso de producción, ocurrido en junio de 1997. “La unidad fue proyectada originalmente para producir un mix de

one in Germany and the newest one, inaugurated in 2005, in Nanjin, China,” explains Calmon. The Camaçari Petrochemical Complex, located at

productos, sin embargo, debido a una necesidad del mercado, tuvi-

approximately 50 kilometers from Salvador, the capital

mos que ajustar la tecnología. Fue una fase de grandes cambios,

of the state, generates around 20 thousand direct employments

principalmente en la manera de operarla, pero que valió la pena”.

in its 60 production and service companies. BASF was one

La fábrica de Camaçari forma parte de un complejo integrado

of the first companies to establish in this region, which in the

de fábricas, donde las empresas reciben y mandan materias primas

beginning was focused on petrochemical products, but today

por tuberías de proveedores como Braskem, Fafen (Petrobras), Air

there are manufacturing industries of several types of products.

Products y Copenor. “Nuestra planta es totalmente automatizada, semejante a las otras dos unidades de producción de metilaminas

Solventes producen una derrama

de BASF, una en Alemania y la más nueva, inaugurada en 2005, en

de R$ 3,000 mi en Brasil en 2008

Nanjin, en China”, explica Calmon. El Polo Petroquímico de Camaçari, que se localiza a aproxima-

El mercado de solventes de hidrocarburos derivados de petróleo

damente 50 kilómetros de Salvador, genera alrededor de 20 mil

debe concluir el año de 2008 con una derrama de ventas de alrededor

empleos directos en sus 60 empresas, entre productivas y de ser-

de los 3,000 millones de reales. La información fue dada el 2 de

vicios. BASF fue una de las primeras a instalarse en esta región,

septiembre por Vera Gabriel, presidente del Sindsolv (Sindicato Nacio-

que al principio era orientada para la industria petroquímica, pero

nal del Comercio Mayorista de Solventes de Petróleo), al inaugurar

hoy cuenta con industrias que fabrican diversos tipos de productos.

el 1º Simposio de la Cadena Productiva de Solventes, organizado por el sindicato.

BASF celebrates 30 years of activities in Camaçari Petrochemical Complex

Según Vera Gabriel, el potencial de crecimiento de este mercado está directamente relacionado a la capacidad de comprometimiento de toda la cadena productiva en términos de la sustentabilidad.

The BASF unit in Camaçari (BA) is celebrating 30 years

“Nuestro desafío es mantener la perennidad del negocio de sol-

of age. The Camaçari Petrochemical Complex, which also

ventes en un ambiente extremamente competitivo”, afirmó la presi-

started activities in 1978, shares the celebration.

dente, agregando que la cadena de distribución está consciente de

Inaugurated in 1981, this plant produces methylamines and dimethylformamide, used mainly in the manufacturing of agrochemical, petrochemical, textile and pharmaceutical products. The factory has undergone several enhancements and modernizations in its processes, and in 2001, had a 30% expansion,

su papel de agente del desarrollo industrial. El evento reunió 100 empresarios y representantes de entidades del sector, además de agencias gubernamentales que regulan la actividad de distribución de solventes en el país. El Simposio fue inaugurado con una ponencia del científico social

which increased the production capacity from 10 to 13 thousand tons

y político Sérgio Abranches, que mostró un panorama global de la

per year. “The production is exported to all South America, with

necesidad de que todas las personas se comprometan en el desarrollo

highlight to Argentina, Colombia and Peru, besides the United

sustentable del planeta. El tema sustentabilidad también estuvo pre-

States,” says Sérgio Calmon, Camaçari’s plant manager.

sente en los diversos paneles de debates del encuentro.

According to Calmon, the great challenge was the change of

Los solventes de hidrocarburos son productos indispensables

technology in the production process, carried out in June, 1997.

para varias áreas industriales y se aplican principalmente en la pro-

“The unit was projected originally to produce a mix of products,

ducción de pinturas y barnices, plásticos, caucho, adhesivos y pestici-

but, due to a need of the market, we had to adjust the technology.

das, entre otros. El Sindsolv es la única entidad representativa del

It was a phase of big changes, mainly in the way of operation,

sector, y busca la mejoría de las condiciones comerciales del ramo, RTV|08-09|2008

57


ACTUALIDADES CURRENT AFFAIRS la estandardización técnica de las empresas que actúan en este

vidades que contribuyeron para mejorar la calidad ambiental, con

campo y la defensa, ante las agencias gubernamentales, de posicio-

reflejos en la optimización de procesos productivos y en la calidad

nes que conduzcan al perfeccionamiento de la actividad.

de vida de trabajadores y comunidades. Dieciséis empresas compitieron al premio en diferentes categorías.

Solvents turn over R$ 3 bi in Brazil in 2008

Usando la metodología Six Sgma, Dow disminuyó en un 20% el consumo de agua en las unidades y en un 3% el gasto de energía

The market of oil derivatived hydrocarbon solvents may end

eléctrica, cantidad suficiente para iluminar una ciudad de casi tres

this year with a turnover of around 3 billion reals. The information

mil habitantes por un período de un año. Además, la empresa, que

was spread in September 2nd by Vera Gabriel, president of the

ya cumplía con la legislación ambiental brasileña, consiguió reducir

Sindsolv (Brazilian Syndicate of Wholesale Commerce of Oil

la emisión de fibra de amianto.

Solvents), in the opening of the 1st Solvent Production Chain Symposium, organized by Sindsolv. According to Vera Gabriel, the growth potential of this

“Sabemos que la sustentabilidad empieza en nuestra casa y siempre tendremos mucho trabajo que hacer, para hacer que la empresa sea mejor en términos de salud, seguridad y medio am-

market is directly linked to the commitment capacity of the

biente. Pero ésta es apenas una parte del camino que buscamos.

whole production chain in terms of sustainability.

Estamos muy orgullosos de recibir este premio, que refuerza que el

“Our challenge is to keep perennial the solvent business

enfoque en sustentabilidad de Dow está en el camino correcto”,

in an extremely competitive environment,” declared the president,

afirma el líder de las plantas de cloro sosa y la de minería, Hierônimo

who added that the distribution chain is aware of its role

Albuquerque.

of industrial development agent. The event gathered 100 entrepreneurs and representatives

Dow is awarded for environmental performance in Bahia

of bodies of the sector, besides governmental agencies that rule the distribution activity of solvents in Brazil. The Symposium was opened with a lecture about the social

In one more important step aiming at defining high sustainability standards, Dow won the new FIEB Award

and political scientist Sérgio Abranches, who showed a global

of Environmental Performance, in the state of Bahia. The

panorama of the needs that all the people commit themselves in

awarding, organized by Federation of the Industries of Bahia

the sustainable development of the planet. The issue sustainability

State (FIEB), was given for the category Environmental

was also present in the several debate panels of the meeting.

Management, due to the significant results obtained in the

The hydrocarbon solvents are products essential for several fields of the industry and applied mainly in the production of paints

chlorine soda plant, in Aratu, and the mining plant, in Vera Cruz. The award aims at highlighting the industry that implanted

and varnishes, plastics, rubber, adhesives and pesticides, among

activities that contributed to improve the environmental quality,

others. The Sindsolv is the only body that represents the industry,

with reflexes in the optimization of the production processes and

and looks for the improvement of the commercial conditions of the

in the life quality of workers and communities. Sixteen companies

sector, the technical standardization of the companies that

competed for the award in different categories.

develop in this field and the defense before the governmental organs, of positions that lead to the improvement of the activity.

Using the Six Sigma methodology, Dow got a 20% reduction in water consumption in the units and 3% in the energy consumption, a quantity enough to light a city of about three

Dow es premiada por desempeño ambiental en Bahia

thousand inhabitants during a period of one year. Besides, the company, which already complies with the Brazilian environmental

En otro importante paso en el camino de definir altos estándares de sustentabilidad, Dow conquistó el inédito Premio FIEB de Desem-

law, managed to reduce the emission of asbestos fiber. “We know that sustainability starts at our own home and we

peño Ambiental, en Bahia. El premio, organizado por la Federación

have always a lot of work to have done in order to make the

de las Industrias del Estado de Bahia (FIEB), fue otorgado en la

company better in terms of health, security and environment. But

categoría Gestión Ambiental, debido a los significativos resultados

this is only a part of the way that we look for. We are very proud

obtenidos en las plantas de cloro sosa, en Aratu, y en la de minería,

of receiving this award, which reinforces that the Dow’s focus on

en Vera Cruz.

sustainability is on the right way,” states the leader of the

El premio busca destacar las industrias que implementaron acti58 RTV|08-09|2008

chlorine-soda and mining plants, Hierônimo Albuquerque.


RTV|08-09|2008

59


60 RTV|08-09|2008

Tintas & Vernizes #238  

Edição Agosto/Setembro de 2009

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you