Page 1

BOLA NO

Baixe um leitor de QR code em seu celular e fotografe o código abaixo

BARBANTE.com Distribuição gratuita - Venda proibida

O semanário do futebol

Ed. Nº30 - Ano I - Belo Horizonte - 9 a 15 de dezembro de 2013

Compartilhe informação, passe esse jornal para outro leitor

não jogue este impresso em via pública

Campo de batalha

O BolanoBarbante discute a violência no futebol, cujo triste ranking de mortes é liderado pelo Brasil

6

América

Atlético

Cruzeiro

História

Diretoria confirma que o clube fará pré-temporada no CT Lanna Drumond

Torcedores começam contagem regressiva para os jogos do Mundial

Craque do Brasileirão, Éverton Ribeiro é assediado por grandes clubes

Conhecido como ‘Divino’, Ademir da Guia é o maior ídolo do Palmeiras

3

4

5

11


BolanoBarbante.com - Ed. 30 - Ano I - Belo Horizonte - 9 a 15 de dezembro de 2013

2

Contra-ataque Leovegildo Leal - leoleal@bolanobarbante.com

Sobre festas e selvas Editorial

U

Caro leitor,

N

ovamente o BolanoBarbante aborda o tema da violência entre torcedores brasileiros. Mais uma vez, sem sermos repetitivos, o assunto volta a ser pauta na mídia esportiva. Cenas de pura selvageria, covardia, barbárie e desumanização. Vidas estão se perdendo no espaço que deveria ser lugar da confraternização, da alegria e, ainda mais, um espaço lúdico. Mas não é assim que as autoridades brasileiras entendem a coisa. Para eles, não importa uma morte a mais ou a menos. Senão, não teríamos a impressão de estar vendo o mesmo filme se repetir. E repetir outra vez e outra e assim por diante. Os dados são alarmantes e colocam o Brasil na triste liderança do ranking da violência no futebol. Revolta e indignação são sentimentos comuns a quem gosta de futebol e acompanha o esporte de perto. Por um lado, choramos a ineficiência e ineficácia das autoridades. Por outro, as lágrimas homenageiam as muitas vidas que se perdem onde só existe (ou existiria) espaço para a alegria e comemoração. Não podemos mais aceitar isso, e cabe, também a nós, uma conscientização do nosso lugar na sociedade.

bante, temos insistido em tal necessidade, mas ao que parece estamos pregando no deserto. No caso do domingo (1), indícios sólidos apontam na direção de que a batalha campal foi motivada por interesses financeiros mesquinhos e ilegítimos, como o monopólio da venda de produtos ligados à marca Cruzeiro. Do poder público – em todas as instâncias geopolíticas e poderes – nada mais se pode esperar. Na realidade, há mais de meio século o poder público no Brasil está firme e definitivamente convencido de que o funcionamento do tal “mercado” dará conta, por si, de superar todas as misérias do país. Ironicamente, em outras palavras, foi uma disputa mercadológica que provocou a guerra do domingo (1). Festa como confraternização? Não, na cabeça de governantes e dirigentes esportivos esta ideia está fora de cogitação. Para estes homens e mulheres, o princípio ético maior é a selvageria do mercado. O reino das selvas, que é onde o Brasil vai parar se não acordar a tempo.

ma festa é uma reunião de pessoas para, juntas, comemorarem um acontecimento que lhes é grato e marca suas vidas. Uma festa é sempre e basicamente uma comemoração, ou seja, uma ação coletiva para criar e/ou preservar a memória de um evento de significação positiva na existência de um grupo social, seja este uma nação inteira, seja uma torcida de um time de futebol. E assim foi até poucos anos atrás no Brasil e no mundo. Domingo, 1º de dezembro, a festa pública de comemoração do título nacional do Cruzeiro foi abortada em razão de um violento e generalizado confronto entre facções das chamadas torcidas organizadas do próprio time. Pela segunda vez no campeonato, bandos opositores que se dizem torcedores cruzeirenses prejudicam o time, já que neste mesmo Brasileirão haviam causado à equipe uma penalização de perda de mando de campo afinal contornada por meios pouco éticos, como também apontamos neste espaço. Não sei exatamente por que razão os meios de comunicação de massa, especialmente em seus espaços e veículos dedicados ao esporte, não partem para uma denúncia séria e continuada destas tais torcidas organizadas enquanto grupos estruturados em torno de objetivos em que o futebol não passa de mero pretexto. Covardia? Oportunismo? Burrice? Descompromisso para com os verdadeiros torcedores? Nós, aqui do BolanoBar-

De primeira – Feito o sorteio dos jogos da Copa, a Seleção Brasileira até que deu sorte em não cair no grupo do carrasco Uruguai, que, anotem aí, tem o melhor ataque entre todos os times: Cavani e Suarez. Talvez não sejam os melhores atacantes individualmente, mas formam a melhor dupla de ataque.

Expediente Diretor de Marketing, Projeto Gráfico e Diagramação Tiago Haddad 15.374/MG-JP

Diretor de Redação e Editor Responsável Ramon Lopes 14.361/MG-JP

Redator Tiago Haddad

Repórteres Daniel Ottoni 15.729/MG-JP

Guilherme Guimarães 16.054/MG-JP

Colaboradores Matheus Franchini Ruy Viana

Impresso em papel jornal pela Sempre Editora

Distribuição gratuita Contatos Comercial: Flávio Francelino - 8646-3190 flavio@bolanobarbante.com Redação: 3262-1580 redacao@bolanobarbante.com Publicidade: 3262-1583 publicidade@bolanobarbante.com Rua Ministro Orozimbo Nonato, 102 - Torre A Sala 2204 - Vila da Serra - Nova Lima/MG

Acesse nosso site

Curta nossa página no Facebook

Baixe um leitor de QR Code em seu celular para ler os códigos ao lado.

BOLA NO

BARBANTE.com


BolanoBarbante.com - Ed. 30 - Ano I - Belo Horizonte - 9 a 15 de dezembro de 2013

3

Pré-temporada no Lanna Drumond Diretoria preferiu trabalhar a próxima temporada no próprio centro de treinamento, entre os dias 8 e 18 de janeiro

O

América fez um Campeonato Brasileiro da Série-B de forma irregular, contudo, ainda conseguiu brigar pelo acesso até a última rodada, apesar de não ter conseguido atingir o seu objetivo. Já pensando no próximo ano, o Gerente de Futebol do Coelho, Flávio Lopes, declarou que o alviverde fará a sua pré-temporada no CT Lanna Drumond. De acordo com o diretor, o elenco se apresenta no dia 3 de janeiro e as atividades serão realizadas do dia 8 ao dia 18 do mesmo mês. “Agradecemos aos outros centros que se dispuseram a receber o América nesta primeira etapa de treinamentos. Mas optamos por permanecer em Belo Horizonte e realizar os trabalhos em nosso CT, já que ele atende às nossas principais necessidades. Já com relação à hospedagem, fizemos uma parceria com o Hotel Ímpar Suítes Cida-

foto: AFC/Oficial

de Nova”, explicou o diretor. O técnico Silas ficou satisfeito com a decisão da diretoria do Coelho em ficar na capital. “O América hoje tem um Centro de Treinamentos que poucos clubes do Brasil têm e é por isso que optamos por treinar aqui. Temos toda a aparelhagem que precisamos” afirmou. De Olho no futuro Em ascensão na equipe, o jovem zagueiro Anderson foi promovido ao time principal. Antes das merecidas férias, o defensor fez um balanço de sua carreira profissional. “Este ano foi de alternâncias. Peguei metade do ano em Portugal, depois voltei e fui reintegrado ao elenco profissional. Mas aí desci para a base para disputar duas competições e voltei novamente para o profissional. Praticamente foi isso. Um ano de mudanças”, disse Anderson.


BolanoBarbante.com - Ed. 30 - Ano I - Belo Horizonte - 9 a 15 de dezembro de 2013

4

#PartiuMarrocos foto: Eduardo Zanetti

Atleticanos prometem invadir o Marrocos para apoiar a inédita disputa do Galo no Mundial de Clubes

A

emoção e ansiedade já tomam conta da torcida atleticana, que não vê a hora da estreia do Galo na Copa do Mundo de Clubes da Fifa, no Marrocos. O time preto e branco buscará, em solo africano, “honrar o nome de Minas”. Para fazer bonito pelos gramados marroquinos e vencer as partidas, os jogadores alvinegros contarão com o forte apoio da “Massa”. De acordo com apurações de agências internacionais e jornais locais do Marrocos, metade dos ingressos para o Mundial Interclubes (cerca de 150 mil bilhetes) já foram vendidos. Desses, 10 mil para cidadãos brasileiros, o que indica uma boa presença de atleticanos em terras marroquinas. Contando os dias No grupo de fanáticos que já sonham com o título de campeão do mundo do Galo, dois amigos: o fotógrafo Mateus Baranowski e seu xará, o publicitário Matheus Lacerda. A saga dos amigos, que começa em Belo Horizonte, passa pela cidade paulista de Guarulhos, Lisboa, em Portugal até Casablanca, no Marrocos, começa no dia 15 de dezembro. “Não vamos para fazer turismo. Estamos indo para uma batalha, para uma guerra, no bom sentido, claro. Como faço aniversário no dia 26 de dezembro, quero de presente o título do Galo”, afirma Baranowski, que detalhou como surgiu a ideia de torcer de perto pelo Atlético no Mundial. “Certo dia, o Lacerda começou a falar de viajarmos ao Marrocos. A

pilha que ele colocou foi tão grande, que começamos a comprar tudo, passagem de ida, de volta, ingressos para os jogos, reservar hotel. Tudo pelo Galo, por amor ao Atlético”, disse cheio de expectativas. Para viajar, Baranowski e Lacerda optaram por não contar com a ajuda de agências de turismo. E economizaram, uma vez que, cada um gastou, aproximadamente, R$ 3.500. Incluindo valor da passagem de ida e volta, mais os ingressos dos dois jogos do Atlético, no dia 18 de dezembro, contra o vencedor do duelo entre o Raja Casablanca-MAR e o Monterrey-MEX, e no dia 21, na final ou disputa pelo terceiro lugar. Dicas importantes Amante da fotografia, Mateus Baranowski vai aproveitar a viagem para registrar detalhes da arquitetura local e da diferente cultura marroquina, muito mais do que simples “Are Babas e Inshalás” mostrados em uma novela da TV Globo. “Quero fazer um trabalho legal, tirar fotos das paisagens, das construções, dos pontos turísticos. E, claro, da massa do Galo, que dominará ruas, avenidas e os estádios de Marrakesh”, disse Mateus. Jornalista especializado em turismo, o carioca Rayne Arouca, da família do volante Arouca, hoje jogador do Santos, dá umas dicas sobre fotografias no Marrocos. Ele passou, recentemente, 11 dias trabalhando no Marrocos. “Quem gosta de fotografar tudo o que vê, precisa de cuidados. Se quiser fazer uma foto dos nativos, peça. Em várias partes do Marro-

cos o povo local é retraído quanto a isso. Pedindo, eles deixam que tirem fotos, mas é preciso pagar. Sempre pague, caso contrário, você pode ter problemas”, conta. Recepção calorosa De acordo com Rayne, que também fala do tratamento dado pelos marroquinos aos brasileiros, o mínimo que os nativos cobram por uma

foto são 10 dirhams (moeda local). Valor equivalente a quase R$ 3. “Os marroquinos são apaixonados pelo Brasil e recebem muito bem os turistas brasileiros. Recomendo usar algum símbolo do Brasil na roupa ou em bandeiras. Por lá, escuta-se muito músicas sertanejas, hits de Michel Teló, Gusttavo Lima e até antigas canções da Xuxa”, conta.

R10 volta em grande estilo O Atlético recebeu o Vitória, no Independência, em jogo que marcou a volta de Ronaldinho Gaúcho. Em tarde inspirada do craque, a partida acabou empatada em 2 a 2, depois do Galo começar em desvantagem no placar. O duelo começou movimentado e o rubro-negro baiano, que lutava pelo G4, abriu a contagem, depois que Marquinho fez levantamento na área e a bola passou por todo mundo, indo morrer no fundo do gol. Em seguida, foi a vez de Maxi Biancucchi aproveitar o rebote de Victor e ampliar. Com a desvantagem no marcador, o Galo conseguiu diminuir. Ronaldinho cobrou linda falta, sem chances para Wilson. Já na segunda etapa, Neto Berola entrou em velocidade na área e foi derrubado pelo zagueiro Luiz Gustavo. Na cobrança, o craque

R10 deslocou o goleiro e deu números finais ao jogo. FICHA TÉCNICA ATLÉTICO 2 X 2 VITÓRIA Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG) Data: 08 de dezembro de 2013, domingo Horário: 17h (de Brasília) Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR) Assistentes: Rogério Pablos Zanardo (SP) e Bruno Salgado Rizo (SP) Cartões amarelos: (Atlético) Ronaldinho, Marcos Rocha (Vitória) Escudero, Luiz Gustavo Gols: Atlético: Ronaldinho, aos 48 minutos do primeiro tempo; Ronaldinho, aos 44 minutos do segundo tempo; Vitória: Marquinhos, aos três e Maxi Biancucchi aos seis minutos do primeiro tempo ATLÉTICO: Victor; Marcos Rocha, Gilberto Silva, Réver e Lucas Cândido; Pierre, Leandro Donizete (Alecsandro), Luan (Neto Berola) e Ronaldinho; Fernandinho (Rosinei) e Jô Técnico: Cuca VITÓRIA: Wilson; Ayrton, Kadu, Renato Santos (Luiz Gustavo) e Juan; Marcelo (Danilo Tarracha), Cáceres e Escudero e Marquinhos; Maxi Biancucchi (Willian Henrique) e Dinei Técnico: Ney Franco


BolanoBarbante.com - Ed. 30 - Ano I - Belo Horizonte - 9 a 15 de dezembro de 2013

5

Na mira dos gringos Éverton Ribeiro é alvo de grandes clubes da Inglaterra e Portugal para a próxima janela de transferências

foto: Juliana Flister/Textual

T

écnica, velocidade, dribles rápidos e muita habilidade, essas são as características principais de Éverton Ribeiro, meia do Cruzeiro, eleito “Craque do Brasileirão”, e que já desperta o interesse de grandes equipes no cenário internacional. Clubes tradicionais da Europa como o Manchester United e o Liverpool, ambos da Inglaterra, além do Porto, de Portugal, desejam contar com a astúcia de Éverton Ribeiro na próxima temporada. No entanto, a diretoria do Cruzeiro sabe que por uma boa oferta a saída pode acontecer, desde que se tenha em mãos a possibilidade de reposição à altura. “O Cruzeiro conseguiu capitalizar algumas situações de renda. Há perspectiva de manutenção. Não podemos é ser irresponsáveis, porque não somos donos do Cruzeiro. Trabalhamos e administramos o clube. O Cruzeiro precisa se equilibrar. Caso esse equilíbrio aconteça com uma venda, o Cruzeiro tem de fazer e fará. O problema não é vender, é não repor à altura”, afirmou o diretor de futebol Alexandre Mattos. Encantando os Europeus E não é difícil apontar o que fez os “gringos” se encantarem pelo atual camisa 17 da Raposa. No Campeonato Brasileiro, Éverton Ribeiro foi o maior “garçom”, dando 11 assistências para os companheiros marcarem gols. Além disso, foi o “dançarino” mais competente, com seu gingado e 92 dribles cer-

tos, desconcertantes para qualquer adversário. Mesmo não sendo sua maior característica, o meia fez sete gols, alguns deles pinturas de um verdadeiro artista da bola. Como os tentos assinalados diante do Bahia, no primeiro turno, e contra o Santos, na Vila Belmiro, na segunda metade do Brasileirão. Mesmo não sendo no Campeonato Brasileiro, Éverton Ribeiro ainda fez o que, para muitos, foi a jogada mais bonita do ano no futebol nacional. Lance que valeu placa no Mineirão. Nas oitavas de final da Copa do Brasil, um chapéu maravilhoso no lateral flamenguista Luiz Antônio, dentro da área, terminou com um potente chute e

um “fuzilamento” ao gol de Felipe. Obra prima, digna de craque. Pelo que tem sido publicado em sites e jornais de grande prestígio na Europa, as equipes do Velho Continente ofereceriam ao Cruzeiro, aproximadamente, 8,5 milhões de Euros pelos 60% dos direitos econômicos de Éverton Ribeiro, parte que cabe ao time estrelado – os outros 40% pertencem ao empresário Robson Ferreira. “Se o Cruzeiro recebeu propostas há três, quatro, cinco meses maiores do que aquilo que está sendo especulado, chega a ser ridículo falar uma coisa dessas. Que por menos (de R$ 10 milhões de euros) o Cruzeiro aceitaria vender o seu

jogador”, criticou o dirigente. Sonho inglês Recentemente, Éverton Ribeiro admitiu ter o sonho de vestir, um dia, a camisa do Manchester United. E o empresário Robson Ferreira publicou nota afirmando ter conversado com representantes dos Red Devil’s. “O Cruzeiro escolherá a hora de vender, para quem e como vender. O que posso dizer é que os dirigentes precisam ser responsáveis. Não somos proprietários do Cruzeiro, apenas administramos o clube. Quando entendermos que a proposta for boa, vamos analisar se faremos ou não o negócio”, salientou Mattos.

Jogo de campeões termina empatado O jogo no Maracanã reuniu os campeões do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil. O Cruzeiro entrou em campo com os reservas, mas mesmo assim conseguiu arrancar o empate por 1 a 1 diante do Flamengo, no jogo que marcou o fim da temporada para ambas as equipes. O goleiro César, que fazia sua estreia na competição, foi o grande destaque do jogo, fazendo pequenos milagres, que salvaram o rubro-negro da derrota. Com o resultado, o Cruzeiro chegou ao terceiro jogo consecutivo sem vitória e encerra sua participação com 76 pontos, enquanto o Flamengo conquistou 49 pontos. O jogo no Maracanã começou bastante movimentado, com as duas equipes procurando a vantagem. Nos primeiros dez minutos, o Flamengo dominou totalmente, criando boas

chances de abrir a contagem. Não demorou muito e o Urubu pulou na frente, após cruzamento da direita do jovem Nixon, que o artilheiro Hernane cabeceou sem chances para Rafael. A bola ainda bateu na trave do arqueiro celeste, antes de morrer no fundo do gol. Com a desvantagem no marcador, a Raposa se lançou ao ataque e criou boa jogada. Júlio Baptista lançou Luan, que em velocidade chutou firme, para boa defesa de César. Cinco minutos mais tarde, foi a vez de Léo chutar e o arqueiro do Flamengo fazer mais uma ótima defesa. Já na segunda etapa, enfim o Cruzeiro chegou ao empate, depois que Souza levou a bola para a entrada da área e acertou um lindo chute, sem chances para César: 1 a 1, placar final.

FICHA TÉCNICA FLAMENGO 1 X 1 CRUZEIRO Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ) Data: 7 de dezembro de 2013 (Sábado) Horário: 19 horas (de Brasília) Árbitro: Paulo Henrique Godoy Bezerra (SC) Assistentes: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Celso Barbosa de Oliveira (SP) Cartão Amarelo: Leonardo Moura, Luiz Antonio (Flamengo); Vinicius Araújo, Bruno Rodrigo (Cruzeiro) Cartão Vermelho: Carlos Eduardo (Flamengo); Everton (Cruzeiro) Gols: FLAMENGO: Hernane aos 13 minutos do primeiro tempo; CRUZEIRO: Souza aos 18 minutos do segundo tempo FLAMENGO: César, Leonardo Moura, Marcos González, Samir (Chicão) e André Santos; Amaral (Diego Silva), Luiz Antonio e Carlos Eduardo; Nixon, Paulinho (Bruninho) e Hernane Técnico: Jayme de Almeida CRUZEIRO: Rafael; Mayke, Léo , Bruno Rodrigo e Everton; Leandro Guerreiro (Elber), Tinga (Lucas Silva), Souza e Júlio Baptista; Luan e Vinicius Araújo Técnico: Marcelo Oliveira


BolanoBarbante.com - Ed. 30 - Ano I - Belo Horizonte - 9 a 15 de dezembro de 2013

6

Especial

Campeão em Brasil lidera o negativo ranking de óbitos, à frente de Itália e Argentina

N

o último domingo (8), torcedores de Atlético-PR e Vasco se enfrentaram na Arena Joinville e protagonizaram tristes cenas de violência, onde três torcedores foram em coma para o hospital. Outra confusão aconteceu ainda no início do mês, no domingo do dia 1º de dezembro, após o jogo entre Cruzeiro e Bahia, do lado de fora do Mineirão. As fortes cenas chocaram e rodaram o mundo. Ao mesmo tempo, foi ‘apenas’ mais uma das lamentáveis imagens de vandalismo que já marcaram, há muitos anos, a ação de torcidas organizadas de vários clubes do país. A discussão sobre o assunto torna-se inevitável, assim como a busca por alternativas para solucionar o problema, que gera dor, revolta e poucas soluções efetivas. Não é à toa que o Brasil é o país com maior índice de mortos envolvendo briga de torcidas. Boa parte dos integrantes de organizadas se travestem de torcedores para ir aos estádios com propósitos bem diferentes dos ligados ao esporte, como torcer e se divertir. “As práticas de violência observadas não são exclusivas do futebol. Elas acontecem também neste meio esporte, mas não são privativas da modalidade”, mostra o sociólogo Maurício Murad, ao BolanoBarbante. Murad é autor de obras conceituadas sobre o assunto, além de professor e pesquisador em Sociologia dos Esportes no mestrado da Universo-RJ. Somente em 2012, foram 23 mortes, um recorde na história do país. Entre 1999 e 2008, Murad realizou um estudo, que apontou para um total de 42 mortes, uma média de 4,2 por ano, fazendo do Brasil o país mais violento quando o assunto é morte em estádios, à frente de outros fortes concorrentes, como Itália e Argentina. Em 2013, já foram registradas 13 mortes (dados até agosto), um número que deve ficar abaixo do ano anterior, mas, ainda assim, é alarmante. “Alguns fatores ajudam a explicar estes números. De forma macrossocial, podemos apontar o tráfico e o consumo de drogas e bebidas alcoólicas. Na micro, podemos apontar o despreparo da polícia em ambientes de multidão, baixa qualidade das revistas nos estádios e o não monitoramento dos setores agressivos das organizadas”, detalha o sociólogo. Ainda sobre os motivos que fazem os res-

Vivemos um momento de culto à violência. A prática de lutas cresceu muito. Mas muita gente não sabe deixar isso dentro das academias e acha que tem de praticar isso na rua. É só ver o perfil dos brigões e se descobrirá que praticamente todos fazem algum tipo de luta

Alexandre Simões - jornalista

foto: Heuler Andrey/AGIF

ponsáveis agir de forma desinibida, o editor de esportes do jornal Hoje em Dia, Alexandre Simões, tem uma opinião bem definida. “Vivemos um momento de culto à violência. A prática de lutas cresceu muito. Mas muita gente não sabe deixar isso dentro das academias e acha que tem de praticar isso na rua. É só ver o perfil dos brigões e se descobrirá que praticamente todos fazem algum tipo de luta”, comenta ao BolanoBarbante. Memórias ingratas Casos que não saem da memória de torcedores e de quem acompanha de perto o futebol sobram e podem ser citados em uma sequência que impressiona. Os motivos e as situações são diversos, mas as consequências são similares, com mortos, feridos, quase nenhuma punição e um sentimento de que ainda falta muito para vermos tal quadro se acabar.

As práticas de violência observadas não são exclusivas do futebol. Elas acontecem também neste meio esporte, mas não são privativas da modalidade Maurício Murad - sociólogo

Um dos mais recentes aconteceu na cidade boliviana de Oruro, quando membros da torcida organizada do Corinthians lançaram um sinalizador em direção à torcida do San Jose, time da casa. O objeto atingiu o olho do jovem Kevin Spada, que não resistiu aos ferimentos e acabou falecendo. Era a primeira vez que Spada comparecia a um estádio de futebol e o primeiro caso de morte no esporte no país, o que deu um tom ainda mais dramático ao incidente. Pouca revista e outros casos A proibição de sinalizadores em jogos dentro do Brasil foi logo confirmada pelas autoridades, mas somente na teoria. Uma equipe da ESPN Brasil, poucos dias depois, conseguiu entrar no Maracanã com o artefato, sem dificuldades. Tal fato deixa claro o desleixo dos responsáveis pela segurança dos torcedores. Um dos casos mais marcantes aconteceu em 1995, após decisão da Taça São Paulo de Futebol Júnior. Torcedores de Palmeiras e São Paulo invadiram o gramado do Pacaembu, que virou um verdadeiro campo de guerra. Uma batalha envolvendo torcedores, paus e pedras se formou e terminou com uma pancadaria generalizada, com o saldo de 102 feridos e um morto, de apenas 16 anos. Se formos buscar na memória, casos não faltarão. Ainda neste ano, torcedores de Flamengo e Corinthians entraram em conflito nas arquibancadas do estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Torcedor é removido em estado grave após pancadaria

Estatístic Em 10 anos do estudo de Maurício Murad (1999 a 2008), o Brasil acumulou uma média de 4,2 óbitos por ano

Apenas em 2009 foram registrados 9 mortes de torcedores no futebol

De 2011 para 2012 as mortes no futebol caíram de 20 para 17 torcedores no ano, número ainda considerado alto

Nos cinco a estudo, de mort passou p

Em número cedores morrera tebol au para 12

Até de 201 registrad mortes dores


BolanoBarbante.com - Ed. 30 - Ano I - Belo Horizonte - 9 a 15 de dezembro de 2013

7

Especial

em mortes A dificuldade das autoridades em enfrentar o problema agrava a situação

A

lternativas e exemplos não faltam para diminuir a violência nos estádios de futebol do Brasil. O melhor deles, talvez, seja o que aconteceu após a chamada tragédia de Heysel, em Bruxelas. Torcedores dos finalistas Juventus e Liverpool, da Copa dos Campeões de 1989, envolveram-se em uma grande confusão, que terminou com 38 mortos e 254 feridos. Ali foi a gota d´água para uma mudança drástica na segurança e organização do futebol inglês, tido hoje como um grande exemplo de punição aos transgressores da lei. “É possível realizar treinamento específico das polícias no trabalho de segurança com multidões, além de infiltração policial e interceptação telefônica e eletrônica, duas formas que a lei permite que sejam realizadas como serviço de inteligência e prevenção”, indica Murad.

a nas arquibancadas do jogo entre Atlético-PR e Vasco

ca brutal

últimos anos do a média tes anual para 5,6

2010, o o de tors que am no fuumentou

agosto 13 foram das 13 de torce-

O número de mortes só aumentou, e nos dois últimos anos do estudo a média foi de 7 óbitos por ano

fim das organizadas não resolve Acabar de vez com as badernas é tarefa considerada praticamente impossível. Uma das opções que sempre são citadas e debatidas é a extinção das torcidas organizadas, uma vez que a grande parte das ocorrências envolvem as principais agremiações dos grandes clubes brasileiros.

As torcidas que causam problemas são uma ou duas. Supondo que o Cruzeiro possua 50 organizadas e duas causam problema, por que as outras 48 devem ser banidas?

Thiéres Firmino - torcedor No ano de 2011 o Brasil viu os tristes dados quase dobrar, sendo vitimados 20 torcedores

Casos recentes de brigas de torcidas aconteceram no jogo do Cruzeiro contra o Bahia e entre Atlético-PR e Vasco

“A extinção está longe de ser a solução. É não se enfrentar o problema. Até porque, não há ilegalidade no fato de um grupo de pessoas se unir para torcer por um time. Não vejo as organizadas como o ‘câncer’, mas também não se pode desvincular delas os casos mais graves de violência no futebol”, opina Alexandre Simões. Para Thiéres Firmino, da torcida Fanati-Cruz, uma maioria pagaria pelos erros de poucos, caso a extinção fosse confirmada. “Qualquer clube grande possui dezenas de torcidas organizadas e, via de regra, as únicas que causam problemas são uma ou duas, as maiores. Supondo que o Cruzeiro, por exemplo, possua em torno de 50 organizadas em todo o estado e duas delas vêm causando problema, por que todas as outras 48 devem ser banidas? Não vejo sentido nisso”, protesta Firmino ao BolanoBarbante. A briga entre Máfia Azul e Pavilhão Independente chegou a gerar uma petição online para o fim das duas torcidas. A iniciativa foi de um torcedor cruzeirense. Até o fechamento do jornal, somava mais de onze mil assinaturas.

Em relação ao episódio após a entrega da taça de campeão brasileiro ao Cruzeiro, mostra-se presente uma situação não muito comum: a briga entre torcedores do mesmo clube, que decidem resolver questões de poder, espaço, entre outros fatores, da forma mais brutal possível. “Este episódio é ainda mais preocupante. Normalmente, eles possuem relações diretas com a luta pelo poder interno e com setores criminosos fora das torcidas, incluindo aí o tráfico de drogas”, relata Murad. Ineficiência das autoridades Mesmo com as diversas reincidências, os tumultos não cansam de se repetir, muito por culpa das autoridades. “O principal fator é a impunidade, que acontece em quase todos os setores do país. Mas poderíamos ter mais vontade política para aplicar as leis existentes. Nossas autoridades são omissas. Temos uma legislação boa neste sentido, mas a inoperância das forças de segurança chega a ser algo assustador”, lamenta Murad. Para Alexandre Simões, é muito possível controlar e punir os mal feitores. “É preciso tirar os torcedores violentos dos estádios com punições progressivas. Primeiro, se apresentar numa delegacia nos dias de jogos do seu time. Se ele seguir dando problema, precisa ser preso. Rixa é crime, agressão é crime, é só usar a lei. A polícia sabe quem são os brigões”, indica. Segundo ele, o exemplo do Cruzeiro é apenas mais um entre alguns outros já ocorridos. “No Cruzeiro é mais recente, mas Flamengo (Raça e Jovem Fla), Atlético-PR (Fanáticos e Ultras), São Paulo (Independente e Dragões da Real), Palmeiras (Mancha e TUP) também têm rivalidades dentro da torcida. Nesse mundo das organizadas, o poder vem da força. E eles se acham acima do clube. Por isso, os confrontos”, pontua. Murad apresenta outra possível solução do problema. “Poderia ser construído um plano estratégico nacional, adequando-o às culturas locais. Um plano de curto, médio e longo prazos, com medidas integradas de repressão, prevenção e educação”, afrima.

O principal fator é a impunidade. Mas poderíamos ter mais vontade política para aplicar as leis existentes. Nossas autoridades são omissas. Temos uma legislação boa neste sentido, mas a inoperância das forças de segurança chega a ser algo assustador

Maurício Murad - sociólogo


BolanoBarbante.com - Ed. 30 - Ano I - Belo Horizonte - 9 a 15 de dezembro de 2013

8

nacional

Bayern aplica goleada histórica Mesmo jogando fora de casa e sem Robben, a equipe comandada por Pep Guardiola venceu fácil o Werder Bremen Inglês

Manchester United segue em má fase

O

gigante Manchester United vive uma péssima fase no Campeonato Inglês e no último sábado (7), mesmo jogando no Old Trafford, acabou derrotado por 1 a 0 para o Newcastle. O United não perdia duas partidas seguidas em casa na competição desde a temporada 2001/2002. O resultado fez com que a equipe treinada por David Moyes ocupe a modesta nona colocação da competição nacional. O primeiro tempo foi fraco tecnicamente, com as equipes abusando de cruzamentos, sem muito sucesso. Com Van Persie em dia não tão inspirado, o Manchester não conseguia ameaçar efetivamente a meta do goleiro Krul. Pelo Newcastle, Cabaye e Remy foram os que deram mais trabalho à meta dos Diabos Vermelhos. O Newcastle voltou melhor

para a segunda etapa e chegou ao gol aos 15 minutos, após falha de Evra. Sissoko avançou pela direita e rolou com capricho para Cabaye finalizar para as redes. O Liverpool se aproveitou dos tropeços de seus concorrentes diretos, fez a lição de casa contra o West Ham e assumiu a vice-liderança da Premier League. A equipe vermelha venceu em Anfield por 4 a 1 e ultrapassou na tabela o Chelsea - que levou um gol no fim e perdeu para o Stoke, por 3 a 2 - e o Manchester City que não passou do 1 a 1 diante do Southampton. Com os resultados, o Liverpool alcançou 30 pontos, superando o Chelsea no saldo de gols. O City foi a 29 e aparece na quarta colocação. Já o Arsenal recebeu o Everton no Emirates Stadium e ficou no empate por 1 a 1.

Espanhol

Messi deve voltar em janeiro

O

argentino Lionel Messi já demonstrou uma evolução na recuperação de sua lesão e pode voltar aos gramados com a camisa 10 do Barcelona no próximo mês de janeiro. No sábado (7), o argentino realizou um exame de ressonância magnética da região do bíceps femoral da perna esquerda e o resultado indicou que a cicatrização da ruptura do músculo está bem desenvolvida. No centro de treinamentos da seleção Albiceleste, Messi já até arriscou alguns chutes fortes. O craque continuará em Buenos Aires após uma visita à sua família em Rosário. Para colaborar com a recuperação, um médico e um preparador físico do clube azul-grená irão acompanhar o jogador para a avaliação da lesão. A volta de Messi aos gramados

tem data prevista para o dia 11 de janeiro, quando o Barça enfrenta o Atlético de Madri, no estádio Vicente Calderón. No início do ano de 2014, o argentino já deve retornar ao Barça para voltar a treinar com seus companheiros. Já no Real, o destaque é o português Cristiano Ronaldo, que ganhou uma estátua da própria imagem no Museu de Cera de Madri. O jogador dos merengues se mostrou satisfeito com a homenagem. “Para mim é um prazer ter meu boneco, é quase igual a mim”, disse Cristiano no evento de lançamento na parte exterior do museu. Os artistas começaram a escultura em maio deste ano pelas medidas do atleta. O boneco de CR7 fica na Espanha, mesmo assim, o atacante solicitou que a imagem fosse construída com a camisa da seleção de Portugal.

Alemão

Bávaros goleiam por 7 a 0

O

Bayern de Munique entrou em campo sem o holandês Arjen Robben, que sofreu uma lesão e, inclusive, está de fora da disputa do Mundial de Clubes. Contudo, mesmo com o desfalque, os bávaros não tomaram conhecimento e aplicaram uma sonora goleada por 7 a 0 no Werder Bremen. O destaque da partida foi o francês Frank Ribéry, que marcou duas vezes. Já os outros tentos foram anotados por Van Buyten, Mandzukic, Müller, Götze, além de um gol contra do zagueiro Mulongoti. Com o resultado, o Bayern de Munique dispara na ponta com 41 pontos. Já o Bayer Leverkusen recebeu o Borussia Dortmund e triunfou, pelo placar de 1 a 0, em partida válida pela 15ª rodada do Campeonato Alemão. O gol da vitó-

ria visitante foi marcado por Son, aos 17 minutos da primeira etapa. Com o resultado, os comandados de Sami Hyypia chegam aos 37 pontos, seguindo na vice-liderança. Por sua vez, os mandantes figuram no terceiro posto, com 31 somados. Agora, a diferença dos vitoriosos para o Bayern de Munique, primeiro colocado, é de apenas quatro pontos. Em outro jogo do Alemão, o Borussia Monchengladbach conquistou uma grande vitória sobre o Schalke 04 por 2 a 1. Com o triunfo, o Gladbach se solidifica cada vez mais na zona da Liga dos Campeões em quarto lugar com 31 pontos. Já a derrota custou caro para os azuis, pois em quinto lugar, estão agora sete pontos atrás do quarto colocado e podem perder mais posições com o decorrer da rodada.

Italiano

Roma derruba Fiorentina

P

ela 15ª rodada do Campeonato Italiano, o Roma recebeu a Fiorentina neste domingo (8), às 9h30 (de Brasília), em busca de uma aproximação com o líder da competição, a Juventus. Jogando em casa, o time da capital chegou ao objetivo final e derrotou os adversários por 2 a 1. Com sede de vitória, o Roma iniciou a partida pressionando os visitantes. O primeiro gol não tardou. Aos 7 minutos do primeiro tempo, Gervinho executou boa jogada individual dentro da pequena área, cruzou rasteiro para Maicon e o brasileiro mandou a bola para o fundo das redes para abrir o placar no estádio Olímpico de Roma. A Fiorentina decidiu responder e, aos 29 da etapa inicial, a partida ficou igual. Tomovic executou bela jogada na área, o late-

ral cruzou para Vargas e o peruano chutou com convicção para o fundo do gol. Já o Milan, voltou a provar que ainda não engrenou nesta temporada. Na tarde deste sábado (7), o time só empatou com o Livorno, por 2 a 2. Mas o resultado poderia ser muito pior, não fosse Mario Balotelli, que marcou dois gols e evitou nova derrota no Campeonato Italiano. Quem também empatou foi o Napoli, que ficou no 3 a 3 com a Udinese. Por outro lado, a Juventus venceu o Bologna por 2 a 0 e alcançou o oitavo triunfo consecutivo no Calcio, depois dos gols de Vidale Chiellini. Na próxima rodada da competição, a Velha Senhora recebe o Sassuolo no sábado, 14 de dezembro, às 17h45 (de Brasília), no Juventus Stadium.


BolanoBarbante.com - Ed. 30 - Ano I - Belo Horizonte - 9 a 15 de dezembro de 2013

9

Nacional

Grêmio e Furacão estão na Libertadores Tricolor gaúcho e Atlético-PR se garantiram na competição continental e Botafogo torce contra a Ponte Preta

O

Cruzeiro já tinha conquistado o título do Brasileirão com quatro rodadas de antecedência e fechou a sua participação com um empate por 1 a 1 contra o Flamengo, no Maracanã. Contudo, a briga no G4 continuou firme até o apito final da última rodada. Nesta disputa incessante, o Grêmio foi o primeiro a se dar bem, mesmo empatando sem gols contra a Portuguesa, no Canindé. Com o resultado, o tricolor gaúcho alcançou os 65 pontos e se garantiu na Copa Libertadores da América da próxima temporada com o vice-campeonato. Em seguida, foi a vez do Atlético-PR se garantir na competição continental, depois de bater o Vasco por 5 a 1. Apesar da felicidade dos jogadores do Furacão, a partida ficou marcada por mais um ato de violência entre as torcidas. Ainda no primeiro tempo, torcedores rivais se enfrentaram nas arqui-

bancadas e três pessoas saíram em estado de coma para o hospital. O Botafogo, precisava vencer e conseguiu, depois de bater o Criciúma por 3 a 0. Apesar do triunfo, ainda torce para o Lanús vencer a Ponte Preta na final da Sul-americana. Rebaixamento Mesmo vencendo o Bahia, de virada, por 2 a 1, o Fluminense acabou sendo despromovido para a Série-B, após o Coritiba confirmar a vitória sobre o São Paulo. Outro time do Rio que caiu foi o Vasco, que disputará mais uma vez o campeonato que dá acesso à elite. Além dos dois times cariocas, Ponte Preta e Náutico já haviam confirmado a volta para a Série-B do Campeonato Brasileiro. O Timbu, que fez uma campanha pífia, acabou empatando contra o Corinthians, na última rodada, enquanto a Macaca empatou com o Inter por 0 a 0.

TABELA BRASILEIRÃO - SÉRIE A 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20

TIMES Cruzeiro Grêmio Atlético-PR Botafogo Vitória Goiás Santos Atlético São Paulo Corinthians Flamengo Portuguesa Coritiba Bahia Internacional Criciúma Fluminense Vasco Ponte Preta Náutico

P 76 65 64 61 59 59 57 57 50 50 49 48 48 48 48 46 46 44 37 20

J 38 38 38 38 38 38 38 38 38 38 38 38 38 38 38 38 38 38 38 38

V 23 18 18 17 16 16 15 15 14 11 12 12 12 12 11 13 12 11 9 5

P Pontos J Jogos V Vitórias E Empates D Derrotas

E D 8 7 9 11 10 10 11 10 11 11 11 11 11 12 12 11 16 8 10 17 13 13 14 12 14 12 12 14 12 15 18 7 10 16 16 11 10 19 28 5 Libertadores Rebaixamento

Participantes da Copa já conhecem os adversários O

sorteio da Copa do Mundo foi realizado na última sexta-feira (06), na Costa do Sauípe. A cerimônia de abertura teve a apresentação de vários artistas brasileiros, como também a participação de algumas personalidades. Posteriormente, a presidente Dilma Rousseff discursou na abertura do evento. Quando de fato começou a definição dos grupos das seleções que

disputarão o Mundial, foi chamado ao palco Cafu (Brasil), Hierro (Espanha), Zidane (França), Cannavaro (Itália), Matthäus (Alemanha), Ghiggia (Uruguai), Geoff Hurst (Inglaterra) e Mario Kempes (Argentina), para que fossem auxiliares do sorteio. O primeiro passo foi separar as seleções que eram cabeças de chave: Brasil, Alemanha, Argentina, Bél-

gica, Colômbia, Espanha, Suíça e Uruguai. Com isso, os potes começaram a ser abertos. Ao final da cerimônia, o grupo A ficou definido com Brasil, Croácia e México. Espanha, Holanda, Chile e Austrália foram designados para o Grupo B. Já o Grupo C é formado por Colômbia, Grécia, Costa do Marfim e Japão. Uruguai, Costa Rica, Inglaterra e Itália estão no Grupo D, enquan-

to Suíça, Equador, França e Honduras fazem parte do Grupo E. Por outro lado, Argentina, Bósnia, Irã e Nigéria complementam o Grupo F. No Grupo G, as quatro seleções sorteadas foram Alemanha, Portugal, Gana e Estados Unidos. E por último, no Grupo H, Bélgica, Argélia, Rússia e Coréia do Sul completam os 32 participantes da Copa do Mundo de 2014.


Bate bola com o torcedor

BolanoBarbante.com - Ed. 30 - Ano I - Belo Horizonte - 9 a 15 de dezembro de 2013

10

Quer ver sua opinião publicada aqui? A seção está aberta a críticas e sugestões, sempre bem-vindas. Envie e-mail para redacao@bolanobarbante.com, assunto “Carta do leitor”, ou correspondência para Rua Ministro Orozimbo Nonato, 102, Sala 2204, Torre A - Vila da Serra - Nova Lima/MG - CEP:34.000-000

Carta do leitor

Felipe Faria

Em resposta à sugestão de Leovegildo na coluna da edição 29 do BolanoBarbante, segue minha seleção do Brasileirão. Goleiro: Fábio (Cruzeiro). Apesar de o Cruzeiro ganhar fácil este Brasileirão, sempre que foi preciso ele resolveu debaixo das traves, mostrando que um grande time começa por um grande arqueiro. Laterais: Alex Telles (Grêmio) e Luis Ricardo (Portuguesa). Apesar da carência de laterais temos a revelação Alex Telles, que foi bastante regular. Zagueiros: Dedé (Cruzeiro) e Réver (Atlético). Volantes: Lucas Silva e Nílton (Cruzeiro). Dupla que

Respondendo à coluna do Leovegildo, na edição 29, coloco minha opinião sobre a seleção dos craques do Brasileirão 2013. Concordo com a escalação de Victor no gol, realmente ele foi um grande goleiro nesse ano, mas devemos lembrar que atuou muito melhor na Libertadores que no Brasileiro, mas ainda assim eu o escalaria para

Os CONCURSOS de BELEZA são populares em todo o mundo. De fato, a sua era de ouro já passou, quando MILHÕES de espectadores se reuniam em casa em frente às TVs para verem as belas MODELOS desfilarem em trajes de banho e exibirem talentos escolhidos por elas mesmas. Hoje esses eventos ainda acontecem tal qual como antes, mas o apelo POPULAR, ao menos no BRASIL, não é mais o mesmo. Em concursos como o Miss UNIVERSO, as regras de participação exigem da candidata beleza e ELEGÂNCIA constantes, boa postura, INTELIGÊNCIA e não ser casada ou divorciada, além de permanecer SOLTEIRA durante o reinado de MISS. Para chegar ao topo, é preciso passar pelas ETAPAS municipal, estadual, nacional e, por fim, pela competição internacional. Nas eliminatórias, as CANDIDATAS são avaliadas em roupas de banho, vestes TÍPICAS e trajes de gala. Depois, as FINALISTAS, eliminadas a cada etapa, devem responder a uma pergunta dos JURADOS, que irão votar e definir a vencedora. Hoje, com a presença da internet e a força das redes sociais, o público também pode opinar em algumas das COMPETIÇÕES. A N

I

F

P Q R W M O D E

W N D P M B Q Y

S

A

E

L

E G A N C

K M H D Y

Z

T

Ç

S U

T

J

S

I

I

L

B C K

S

I

F

R

R

T D N E

T

S D G V M T

K

E

R

Q D P

R

Ç N A M

I

Z A

P

C

S

I

G

S N Z

S

Ç N C C

Ç N U

P G N P D V B

A O G U E G E

Y U V

R

I

Y G F

P

S I

S O W E N

L

A R

P

P O M A

E

L M

R A

S

I

P D D

J

H V

C M T I

Ç

L

E

L

V

I

J

H K G

X

E H A R

E

X

S

C U Z

R

K

P Õ P

T

B A N E

Y

S

K

E N N

E

L

Z M A

S M C

R A K Q E

A Y

L

E

C W Z

F O

O O Ç N M S

S

X

S

C V K

B

X B

Y Ç

R

Ç A A

S O D A R U

J

E Q A Z A R

E

L O S

C

C Ç B

E

E

P

T U Z

L

J

A D P

G N T

R U Y Õ Ç

I

B

L O S

A V X

O D O B C O N Q P O P U

A W T Q S O M M A Q R P

Z

I

S

I

T

I A 25

do mAis fAmoso

dos mágicos

1á2gi8nas p

edição de luxo

Solução

L

D E A

I

L O S

M I L H Õ E S

L O S

L A R

T

I N T E L I G E N C I A

nAs BAncAs e livrAriAs

S

As melhores AventurAs

E

Parabéns ao BolanoBarbante pela qualidade e pela irreverência do seu conteúdo. Sempre gosto de acompanhar o futebol de perto e jamais tinha visto uma cobertura do esporte na perspectiva que vocês fazem. Ao ler a matéria “O polêmico hábito de se jogar” fiquei assusta-

do porque jamais imaginei a mídia tratando do assunto da forma que vocês abordaram. Sempre vejo comentaristas vangloriando as “maladragens” dos jogadores brasileiros que sabem titubear o juiz e cavar a falta, algo que sempre me irritou por ser totalmente anti-desportivo. Muito bom o jornal e o site.

Concursos de miss

S A P A T E

Daniel Nonato

” ” ”

minha seleção. Jamais escalaria Marcos Rocha, pois ele não é um lateral completo e muitas vezes não volta na marcação. Além disso, ele nunca me passou segurança. Em seu lugar colocaria o Ceará. Também não gostei do Dagoberto, que jogou pouco no campeonato. Em seu lugar chamaria Maxi Biancucchi (Vitória) ou o Hernane (Flamengo). No resto, concordo com todos.

© Revistas COQUETEL 2013

Procure e marque, no diagrama de letras, as palavras em destaque no texto.

A T S I L A N I F M O E L E G A N C I C O O C P O P U S M A S R P N B R A S O E E T D S V M T I A R I I D P Z U S N Ç A I E C S U Õ T C L N E A A E O S S S B C S O D A R U J A R I

“ “

Duílio Diniz

dominou o meio do campeão brasileiro. Lucas Silva, inclusive, na minha opinião, também leva a revelação do Brasileirão, disputando com Marcelo. Meias: Ganso (São Paulo) e Éverton Ribeiro (Cruzeiro). Praticamente dois jogadores que podem bater cabeça no meio, mas são geniais. Ataque: Marcelo (Atlético-PR) e Tardelli (Atlético). Marcelo é completo, sabe fazer gols, jogar pelas pontas e é jovem promessa. Tardelli vem jogando muito nessa reta final e merece sim uma vaga na Seleção Brasileira. Técnico: Marcelo Oliveira (Cruzeiro) Essa, sim, seria minha seleção.

CAÇA-PALAVRAS

www.coquetel.com.br


BolanoBarbante.com - Ed. 30 - Ano I - Belo Horizonte - 9 a 15 de dezembro de 2013

11

história

O mestre Divino Fotos: site pessoal ademir da guia

O armador foi o maior ídolo do Palmeiras e um dos grandes nomes do futebol brasileiro de todos os tempos

A

demir da Guia foi um dos gigantes do futebol brasileiro. Armador, cansou de encantar a torcida do Palmeiras, clube que defendeu por longos e inesquecíveis 16 anos. Sua categoria era admirada até por torcedores rivais. Os mais velhos lembram das jogadas com grande admiração, deixando clara uma nostalgia de um tempo bom que não volta mais. Não foi à toa que Ademir ganhou, na sua época de jogador, o apelido de ‘Divino’. Os cabelos louros o identificavam facilmente em campo. Mas, não mais do que seu futebol vistoso e imponente. Ademir esteve em Belo Horizonte a convite de torcedores palmeirenses que residem na capital. Juntos, eles acompanharam um dos jogos do time paulistano pela série B ao lado do maior ídolo do clube. “Mesmo na segunda divisão, sentimos o entusiasmo da torcida. Agora, é pensar no ano que vem, espero que o Palmeiras esteja bem. A torcida vai marcar presença, tenho certeza. É muito bom sentir esse carinho de perto, até de moças e jovens que não me viram jogar”, comemora o ex-jogador. Ciente dos problemas financeiros do Palmeiras, o ídolo mostra confiança em um 2014 com resultados positivos dentro da elite do futebol nacional. Para ele, será um ano de reestruturação. “Será preciso testar o time no Paulista e ver quais são as carências. O problema é que hoje as contratações são muito caras. O jogador brasileiro tem preferido ir para

o exterior muitas vezes”, lamenta, mostrando a diferença que existe de hoje para sua época, quando todos os craques do futebol brasileiro atuavam por times do país. Ademir também falou da permanência de Gilson Kleina, técnico elogiado pelo ídolo. “Eu sempre acreditei que o técnico campeão tem que continuar. Mas precisamos saber o que se passa na cabeça do diretor (José Carlos) Brunoro”. Ausente da seleção Uma das maiores decepções na carreira de ‘Divino’ foi ter atuado pouco pela Seleção Brasileira. Mesmo desfilando seu talento pelos campos do Brasil, as convocações para o escrete canarinho foram

poucas, apenas 14. Sua contribuição para o time verde-amarelo poderia ter sido muito maior que um único jogo na Copa do Mundo de 1974, na Alemanha, quando atuou no último jogo, na disputa de 3º lugar contra a Polônia. “Eu não tive chance na Seleção. Quando o Zagallo me tirou e colocou o Mirandinha, que era o centroavante, ele colocou pra ganhar o jogo, mas acabou perdendo a partida. Mas foi um presente de Deus eu ter participado e ter entrado no último jogo. Nunca critiquei o Zagallo, só acho que eu merecia jogar mais. Mas grandes jogadores ficaram de fora da seleção, o Dirceu Lopes é apenas um deles”, recorda Ademir. A qualidade e o talento parecem que estão no sangue. Ademir era

filho de outro gênio do futebol brasileiro, o zagueiro Domingos da Guia. A responsabilidade de manter a tradição da família agora está com o filho de Ademir, conhecido como Ademirzinho. “Ele está bem, mas já está com 23 anos. O problema dele é que ele jogou muito salão, falta um pouco de noção de posicionamento. Eu falo com ele, mas o pai, nestas horas, faz pouca diferença”, comenta. Sobre a pressão que o filho pode sentir por carregar um sobrenome de tanto peso, Ademir desconversa. “Isso não acontece comigo. Para mim, foi muito mais difícil. Futebol é um jogo coletivo e você precisa ter um colega que dê um passe legal e jogue bem”, finaliza.

Filho do zagueiro brasileiro Domingos da Guia, Ademir (71) chegou a atuar como centroavante no início da carreira


BolanoBarbante.com - Ed. 30 - Ano I - Belo Horizonte - 9 a 15 de dezembro de 2013

12

Notasno

Barbante Fórmula 1

Soares é o Vettel recebe melhor tenista taça

S

ebastian Vettel finalmente poderá acrescentar, de fato, o quarto título mundial da Formula 1 a sua estante. Na noite da última sexta-feira (6), duas semanas após o fim da temporada de 2013, o piloto alemão foi condecorado com a taça de campeão do mundo no ano. Desde o momento em que foi matematicamente definido como o tetracampeão da categoria, no GP da Índia, em outubro, já se passaram quase dois meses.

Basquete

nderson Varejão deu mostras de que pode voltar aos bom tempos. Maior reboteiro da última temporada da NBA até sofrer uma lesão que o tirou das quadras por um longo período, o brasileiro finalmente teve uma atuação digna de seus melhores momentos no maior basquete do mundo. No último sábado (7), em confronto diante do Los Angeles Clippers, o brasileiro pegou incríveis 17 rebotes e ajudou o Cleveland Ca-

O

A

pós a ótima temporada de 2013, Bruno Soares recebeu nesta última terça-feira (3) o Prêmio Sport Life, dado pela revista de mesmo nome, eleito como o melhor tenista brasileiro do ano. Bruno Soares superou nomes como Marcelo Melo, Thomaz Bellucci, Teliana Pereira e Beatriz Maia. A parceria do mineiro com o austríaco Alexander Peya encerrou o ano como a segunda colocada do ranking mundial de duplas. O brasileiro venceu seis tor-

neios em 2013, com destaque para o Masters 1000 do Canadá. Também foi finalista de mais cinco eventos, entre eles o Aberto dos Estados Unidos. “É muito gratificante ter esse tipo de reconhecimento no Brasil após um ano de muito esforço, que foi recompensado pelos nossos resultados”, afirmou Soares. No dia 17 de dezembro, Soares receberá pela segunda vez consecutiva o Prêmio Brasil Olímpico, organizado pelo (COB).

Cavaliers vencem os Clippers com bela apresentação de Varejão

A

Atletismo

A entrega foi feita em um evento organizado pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo), em Paris, na França. Após receber o troféu das mãos do presidente reeleito da entidade, Jean Todt, Vettel explicou que o sucesso da Red Bull nas últimas quatro temporadas vem da paixão que todos os membros da equipe têm pelo automobilismo, além da motivação de trabalhar duro para criar um carro vencedor.

Tênis

valiers a vencer por 88 a 82, na Quicken Loans Arena. Além de ter se destacado na tábua, Varejão ainda deu uma assistência e anotou seis pontos. Tudo isto, em quase 23 minutos, tempo em que ficou dentro de quadra – muito inferior aos quase 45 minutos de Tristan Thompson e Kyrie Irving, por exemplo. O número de rebotes deste sábado, aliás, foi o melhor do pivô brasileiro em toda a temporada. Nos 19 jogos anteriores, o máximo que o cabeludo

Israel vence a Gonzaguinha

brasileiro Israel dos Anjos finalmente conseguiu vencer a Corrida Sargento Gonzaguinha. Na manhã deste domingo (8), o soldado da Polícia Militar acabou com seu histórico de vice-campeonatos na prova e conquistou a 47ª edição do evento, realizada em São Paulo. Israel, seis vezes vice-campeão, comandou o ritmo da prova, andando na frente desde os primeiros 15km do evento, e cruzou a linha de chegada com o tempo

de 46min58s, seguido por Sérgio Celestino da Silva, segundo colocado, e o queniano Francis Kiplagat Lagat, que fechou o pódio. A Gonzaguinha é considerada uma das principais provas de preparação para a Corrida Internacional de São Silvestre. “Esse é um teste que vale 100%, foi o último rápido antes da prova porque a altimetria é muito diferente, a Gonzaguinha é bem mais plana do que a São Silvestre”, analisou Israel.

havia conseguido foram 13, nos duelos contra o Denver Nuggets, em 4 de dezembro, e Charlotte Bobcats, no dia 15 de novembro. De resto, um jogo com dez, outro com 11, e um último com 12 rebotes haviam sido os melhores do brasileiro. Spurs perdem No outro jogo envolvendo um brasileiro na noite de sábado, duas das melhores equipes da NBA estiveram em quadra. De

um lado, o San Antonio Spurs, de Tiago Splitter, que somava 15 vitórias e apenas três derrotas. De outro, o renovado Indiana Pacers, líder do Leste com 17 triunfos em 19 jogos. No fim, melhor para a franquia de Indianápolis, que venceu por 111 a 100 em pleno AT&T Center. O pivô Tiago Splitter começou a partida como titular, mas permaneceu apenas nove minutos em quadra, para depois dar lugar ao experiente Boris Diaw.

Despedida com título N

ão poderia ser diferente. Na despedida de uma das duplas mais vencedoras da história do vôlei de praia brasileiro, um título. Neste domingo (8), Alison e Emanuel encerraram sua gloriosa parceria com a conquista da etapa de São José (SC) do Circuito Brasileiro. A final foi diante de Jorge e Pedro Solberg, que acabaram superados por 2 sets a 1, de virada, com parciais de 17/21, 21/19 e 15/10. Esta foi a última partida de

Vôlei

Alison e Emanuel do mesmo lado da quadra. Há duas semanas, ambos anunciaram o fim da dupla, que agora seguirá caminhos diferentes. O Mamute deve formar dupla com Bruno Schmidt, enquanto Emanuel tem tudo para se juntar exatamente a Pedro Solberg, rival derrotado na decisão deste domingo. Os dois, no entanto, separam-se na liderança do ranking nacional, já que, além de São José, conquistaram as etapas de Recife e Guarujá.

BolanoBarbante 30ª edição  

O semanário do futebol