Issuu on Google+

BOLA NO

Baixe um leitor de QR code em seu celular e fotografe o código abaixo

BARBANTE.com Distribuição gratuita - Venda proibida

O semanário do futebol

Ed. Nº2 - Ano I - Belo Horizonte - 27 de maio a 2 de junho de 2013

Compartilhe informação, passe esse jornal para outro leitor

não jogue este impresso em via pública

Foto:Washington Alves / VipCommm

Estreia arrasadora 5x0

Cruzeiro inicia o Campeonato Brasileiro a todo vapor com direito a goleada de mão cheia

5

Atlético

Foto: Divulgação

A história do mito da camisa 10 9

Galo tropeça na estreia do Brasileirão e perde para o Coritiba por 2 a 1 no Couto Pereira. Agora o foco é o Tijuana pela Libertadores

Foto: Site oficial do Coritiba

4

América Foto: Tiago Haddad

Entrevista: Jair Bala, o maior craque da história do América

Foto: Flickr oficial do Santos

12

Neymar jogará ao lado de Messi 10

Clube busca levantar o caixa com renda do Independência e Shopping Boulevard para equilibrar suas finanças

Foto: Leonardo Fonseca

3


BolanoBarbante.com - Ed. 2 - Ano I - Belo Horizonte - 27 de maio a 2 de junho de 2013

2 2

Contra-ataque

Onde estão os craques? N

Editorial Caro leitor,

E

stamos nas ruas novamente com nossa segunda edição. Primeiramente, precisamos agradecer a todos que estão nessa empreitada para fazer do BolanoBarbante um verdadeiro referencial quando o assunto é futebol. Muito obrigado mesmo! Nossa primeira edição foi um sucesso. Elogios não faltaram e a receptividade de todos foi muito boa. Distribuimos na imprensa e nos grandes jornais de Belo Horizonte, e também dos colegas jornalistas recebemos os parabéns. Ficamos felizes com a repercussão e buscaremos sempre manter nosso nível de qualidade. Não é tarefa simples fazer um jornal por semana. Desde elaborar as pautas, buscar a informação correta, definir as reportagens e reunir tudo em 12 páginas exige muito suor e dedicação para que tudo saia dentro do planejado. Felizmente, conseguimos. E assim chegamos a mais uma edição feita sob medida para o torcedor mineiro. Aproveite bem a leitura e até a próxima segunda-feira.

eymar já fechou as malas e chamou o táxi para levá-lo ao aeroporto. O Campeonato Brasileiro começa e uma pergunta já se impõe: onde estão os craques no nosso futebol? Aqui no país é que não estão. Pode-se até lembrar de algum nome mais festejado pela mídia – como Ronaldinho Gaúcho –, mas será sempre um nome distante daquela unanimidade que faz atleticano elogiar cruzeirense, flamenguista elogiar vascaíno, palmeirense elogiar corintiano. E vice-versa. Falo de gente como Dirceu Lopes, Reinaldo, Zico, Cerezo, Roberto Dinamite, Romário, Sócrates, Rivaldo. O fato é que faltam craques no Brasil de hoje, jogadores que façam presente todo o potencial de magia e beleza que tem este jogo chamado futebol. Além de qualidade, falta quantidade. Não faz muito tempo, qualquer dos principais times dos grandes centros futebolísticos do país – São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Porto Alegre – trazia em seu elenco um mínimo de dois ou três craques por temporada. Já no campeonato nacional que se inicia... Fred é um bom, ótimo, jogador de futebol, titular da seleção do meu ponto de vista, mas não é craque. Seedorf já não é mais craque, mesmo que entre os melhores em atividade por aqui. Talvez possamos

fazer um corte em 2002/2003, com aqueles times do Santos, do Cruzeiro e do Vasco, em que brilharam os (então) craques Robinho e Diego, Alex e Dracena, Romário e Juninho Pernambucano. A partir daí, poucos nomes isolados, como Ronaldo Nazário e Kaká, que logo, logo, eram abduzidos pelos grandes clubes europeus. E aqui está o xis do problema: os bons jogadores estão deixando o país cada vez mais jovens. É preciso dar um jeito nisso, o que sabemos não ser tarefa fácil. Entre os obstáculos, o maior deles, a progressiva mercantilização do esporte em nível mundial, o que, por sua vez, expressa uma onda de mercantilização da própria vida em geral. É neste nível, acreditamos, que o problema deve ser pensado. E solucionado. Até lá? Bem, até lá continuarei vendo jogos estrelados por craques ou pernas-de-pau. Porque poucas coisas neste mundo são melhores que futebol. Mesmo que futebol sem craques. De primeira – Até quando os técnicos brasileiros vão continuar treinando seus atacantes na difícil arte de perder gols? Leovegildo Leal - leoleal@bolanobarbante.com

Expediente Diretor de Marketing, Projeto gráfico e Diagramação Tiago Haddad 15.374/ MG -JP

Diretor de Redação e Editor Responsável Ramon Lopes 14.361/ MG -JP

Repórteres Guilherme Guimarães 16.054/ MG -JP

Leonardo Fonseca 11.557/ MG -JP

Tiago Nagib 12.328/ MG -JP

20 mil exemplares

Impresso em papel jornal pela Sempre Editora

Distribuição Gratuita Contatos Redação: 3262-1580 redacao@bolanobarbante.com Publicidade: 3262-1583 publicidade@bolanobarbante.com Rua Ministro Orozimbo Nonato, 102 - Torre A Sala 2204 - Vila da Serra - Nova Lima/MG

Erramos Na edição passada, página 4, na foto do time do Atlético campeão em 1971, os jogadores agachados são: Ronaldo, Humberto Ramos, Dario, Lola e Romeu. Na página 6, a palavra Pacaembu não tem acentuação gráfica. Na página 8, no segundo parágrafo, onde se lê “já que o clube também disputou a Série-C do campeonato pela primeira vez em 1986, quando a equipe foi rebaixada no ano de 1986...”, leia “já que o clube também disputou a Série-C do campeonato pela primeira vez em 1987, quando a equipe foi rebaixada no ano de 1986”. Ainda na página 8, no gráfico, no ano de 1998 o América disputou a Série-A do Brasileiro, e não a Série-B como publicado.


BolanoBarbante.com - Ed. 2 - Ano I - Belo Horizonte - 27 de maio a 2 de junho de 2013

3

Foto: Gustavo Theza

Levantando o caixa

Shopping e Independência representam importante fonte de renda para o Coelho equilibrar os cofres

Estreou mal O

América não começou bem no Brasileirão da Série-B. Jogando no interior paulista, contra o Guaratinguetá, o Coelho até teve as melhores chances, contudo, acabou sendo derrotado pelo placar de 1 a 0, no Estádio Dario Leite. A partida começou com os americanos mostrando um melhor futebol e também um maior volume de jogo, criando as melhores oportunidades do confronto. O Coelho não contou com todos os reforços que a diretoria trouxe para a disputa da divisão de acesso do Brasileirão. A estreia acabou prejudicada depois que Jonatas Belusso arriscou de fora da área e o goleiro Neneca se atrapalhou, vendo a bola morrer no fundo do gol. Após o gol, a equipe de Paulo Comelli criou ainda mais duas oportunidades para empatar, com Fábio Júnior e Sérgio Motta, mas a situação ficou ainda mais difícil quando o lateral Danilo acabou recebendo o cartão vermelho e a derrota não pode ser evitada. Estiveram presentes em Guaratinguetá 1.146 pagantes, para uma renda de R$13.330.

O

América começa a disputa do Brasileirão da Série-B com o objetivo de voltar para a elite do futebol Brasileiro. Sabemos que as cifras do esporte mais apaixonante do mundo são exorbitantes e os clubes que não tem grande cota de TV precisam de outros investimentos para montar uma equipe que consiga sobressair sobre as dificuldades e equilibrar os cofres do clube. Desta forma, a cúpula do Coelho vem mudando a cara da administração deste clube centenário, tentando reviver os bons momentos do América, que já figurou várias vezes nas principais competições do país. Um dos empreendimentos que geram receita atualmente é o estádio Independência, que passou por uma modernização em torno de R$125 milhões e o clube tem

direito a 5% da renda bruta em todos os eventos. Outra fonte de renda do América é o shopping Boulevard, que criou uma nova realidade para os americanos, já que depois de uma operação com empreendedores, a diretoria negociou uma parte do terreno para uma rede de supermercados e recebe um valor fixo de locação. Além disso, o clube embolsa um percentual do faturamento bruto deste empreendimento. Juntos, shopping e estádio, rendem aos cofres americanos R$160 mil por mês, somando R$1,92 milhão. Também é de propriedade do América o CT de Santa Luzia, o Três Barras e o clube da Pampulha. Esses dois, segundo a diretoria americana, serão transformados em fontes de receitas para futuros projetos do clube.

Segundo levantamento da Pluri Consultoria, o elenco do América entre os times que disputam a divisão de acesso para a elite do futebol ocupa a 9ª posição, com um valor de mercador que ronda em torno de R$26,3 milhões. Para que o Coelho cumpra seus objetivos na atual temporada, a cúpula americana deve anunciar ainda mais dois reforços. “Ainda podem chegar mais dois ou três reforços”, afirmou o assessor de imprensa do América, Carlos Cruz. “Estamos para inaugurar o Centro de Excelência em Saúde, academia de fisioterapia, salas de palestras. O campo novo, no CT Lanna Drumond terá o mesmo piso do Independência, além de estar sendo construído uma nova arquibancada para 500 pessoas. Essas metas serão finalizadas em 2014”, esclarece Cruz.


BolanoBarbante.com - Ed. 2 - Ano I - Belo Horizonte - 27 de maio a 2 de junho de 2013

Foto: Site oficial do Coritiba

4

Revés na estreia

Coxa vira o jogo e derruba o Galo no último minuto com o gol de Arthur. Alvinegro agora mira a Libertadores

O

Atlético não conseguiu manter a escrita de dez anos estreando sem derrotas no Campeonato Brasileiro e acabou saindo do Couto Pereira com um revés por 2 a 1 para o Coritiba. Agora, o Galo esquece a competição nacional e foca suas energias na Copa Libertadores da América, quando enfrenta o Tijuana, na partida que vale vaga na semifinal da competição. O Coxa começou com uma maior posse de bola, tentando valer o seu mando de campo, contudo, o Alvinegro estava bem postado em campo e procurava uma oportunidade para contragolpear os anfitriões. A primeira chegada com perigo foi da equipe de Cuca, após troca de passes envolventes em que a bola sobrou para Luan, porém o meia não conseguiu concluir como queria e perdeu uma ótima chance de inaugurar o marcador. Em outra oportunidade, o vo-

lante Josué roubou a bola e criou uma boa jogada de ataque. Na finalização, Diego Tardelli chutou, mas a bola bateu na zaga do Coxa e se perdeu pela linha de fundo, contabilizando mais uma boa chance desperdiçada. A segunda etapa teve mais emoções que a primeira e antes dos cinco minutos a torcida atleticana comemorou. Diego Tardelli cobrou falta e a bola foi morrer no fundo do gol do goleiro Vanderlei. Porém, a comemoração não durou muito e o Coritiba empatou com Deivid. O atacante acertou uma bela cabeçada e deixou tudo igual. Quando parecia que o jogo ia terminar empatado, o Galo acabou sendo castigado novamente, após belo cruzamento de Lincoln da esquerda. Arthur não perdoou e fuzilou o goleiro Victor, para a alegria da torcida Coxa-Branca, que lotou o Couto Pereira na estreia do time no Campeonato Brasileiro.

Leia mais notícias do Galo no nosso site Este QR Code te levará direto para a página do Atlético em

BOLA NO

BARBANTE.com Baixe um leitor de QR Code em seu celular para ler o código acima

Semifinais da Libertadores à vista

A

grama sintética foi o obstáculo do Galo no México, porém, o bom futebol da temporada salvou a equipe, que trouxe uma boa vantagem para Belo Horizonte. Na coletiva, Cuca disse que “o resultado foi maravilhoso, jogo muito difícil, não é fácil se adaptar aqui ao gramado e eles sabem, jogam em função do gramado”. Ronaldinho Gaúcho também comentou sobre a importância do resultado para o time, “representa muito, fazer dois gols na casa do adversário, dá mais confiança”. segundo jogo O confronto da próxima quinta-feira, no Horto, será a

segunda partida oficial do Galo contra mexicanos. Para passar para a semifinais da Libertadores, o Atlético precisa de um empate sem gols ou até mesmo uma igualdade por 1 a 1 para conseguir o seu objetivo. Uma repetição do placar do estádio Caliente levaria a decisão para a disputa de pênaltis, sendo que qualquer empate por mais de dois gols dará a classificação para o Tijuana. O empate conquistado no final do jogo na última quinta-feira, fez com que o Altético continue invcto em terras mexicanas, isto porque analisando os confrontos incluindo amistosos, o Galo conseguiu em seis jogos vencer três e empatar outros três.

Caminho para o título


BolanoBarbante.com - Ed. 2 - Ano I - Belo Horizonte - 27 de maio a 2 de junho de 2013

Aula de futebol

Foto: Washington Alves / VipComm

5

Cruzeiro dá show no Independência e se mostra como forte candidato ao título do Brasileirão 2013

O

Cruzeiro não tomou conhecimento do Goiás e atropelou o Esmeraldino por 5 a 0 na estreia do Campeonato Brasileiro, no Independência. Adversário que costuma sempre complicar a equipe estrelada, desta vez os goianos não conseguiram segurar a pressão celeste e sofreram a quarta derrota consecutiva para a Raposa. A partida começou bastante movimentada com a equipe de Marcelo Oliveira sufocando o Goiás no seu campo de defesa. O primeiro tento não demorou a sair, depois de cobrança de falta, Diego Souza pegou a sobra e não perdoou. O segundo também foi rápido, após escanteio cobrado por Dagoberto, que Bruno Rodrigo subiu mais que a defesa e ampliou: 2 a 0. Em um ritmo alucinante, o Cruzeiro chegou ao terceiro tento através de Nilton, após nova cabeçada certeira para o gol de Harlei. Antes do fim da primeira etapa, Borges chutou da entrada da área e fez o quarto.

Na segunda etapa, o Cruzeiro conseguiu marcar mais um, mesmo sem apertar o Goiás. Após cruzamento certeiro, Nilton novamente subiu mais alto que o setor defensivo do adversário e testou para o fundo das redes: 5 a 0, placar final. Recuperação celeste Os dois últimos anos do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro não foram bons, pois só escapou do rebaixamento na reta final. Este ano, para tentar apagar a má impressão deixada nas temporadas de 2011 e 2012, a diretoria celeste gastou cerca de R$ 27 milhões com contratações. Dentre elas o “Mito” Dedé, que custou aos cofres do clube cerca de R$ 14 milhões e é uma das esperanças para resolver os problemas defensivos da equipe. Já no setor ofensivo, destaque para Dagoberto, Everton Ribeiro e Ricardo Goulart, que juntos, custaram mais de R$ 12 milhões e apresentaram bom desempenho no Campeonato Mineiro.

Próximo confronto *

*

*

Fonte: Futpédia

*Dados contabilizados a partir do Brasileirão de 1971

na arena do Jacaré Com o Mineirão fechado para os últimos testes antes da Copa das Confederações, o Cruzeiro estreou no Campeonato Brasileiro no Independência, contra o Goiás. E os dois próximos jogos da Raposa em casa, será na acanhada Arena do Jacaré. “Jogar no Mineirão é sempre melhor. Os grandes jogos devem ser jogados em estádios, não só de bom gramado, mas estádios grandes, para que se tenha bons públicos. Assim, as partidas se tornam mais competitivas, acirradas no quesito da parte técnica”, avalia o técnico Marcelo Oliveira. Em Sete Lagoas, o Cruzeiro terá pela frente dois adversários complicados, Corinthians e Internacional. “Seria Cruzeiro versus Internacional e Corinthians em qualquer circunstância, qualquer lugar. Partidas muito difíceis, pois são dois grandes concorrentes ao título Brasileiro”, afirmou o comandante celeste. O Cruzeiro não joga na Arena do

Jacaré há mais de um ano. O último jogo aconteceu no dia 5 de maio do ano passado, na derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR sendo eliminado da Copa do Brasil. Ausência do Mineirão Segundo o zagueiro Bruno Rodrigo, o time “está acostumado com o Mineirão, acostumado com o gramado, o tamanho do campo. É dar o nosso melhor para que os resultados venham e que os outros estádios também se tornem nossa casa”. A pausa de jogos no Mineirão devido à Copa das Confederações servirá para “esfriar” os ânimos da diretoria do Cruzeiro e da Minas Arena, empresa parceira da Raposa e que tem o papel de gerenciar o Gigante da Pampulha. A relação das partes ficou estremecida, após a diretoria estrelada cobrar satisfações da concessionária, responsável por, dentre outros fatores, tocar o hino do Atlético ao fim do duelo decisivo do Campeonato Mineiro.

Leia mais notícias do Cruzeiro no nosso site Este QR Code te levará direto para a página do Cruzeiro em

BOLA NO

BARBANTE.com Baixe um leitor de QR Code em seu celular para ler o código acima


BolanoBarbante.com - Ed. 2 - Ano I - Belo Horizonte - 27 de maio a 2 de junho de 2013

Brasileirão 2013

6

O

fase foi o São Paulo, que conseguiu triunfar em cima da Ponte Preta por 2 a 0, com gols de Lúcio e Jadson. Já Santos e Flamengo ficaram em um empate sem gols, em um jogo que marcou a despedida de Neymar e não teve muita graça e poucas oportunidades de gol. No Heriberto Hulse, o Criciúma fez valer o seu mando de campo e conseguiu também vencer na estreia da competição, depois da vitória por 3 a 1 sobre o Bahia. Os gols dos catarinenses foram marcados por Matheus Ferraz, João Vitor e Lins, enquanto os baianos fizeram seu gol de honra através do volante Diones. Na partida das 18h30, o Fluminense com reservas venceu o Atlético-PR por 2 a 1 com gols marcados por Samuel e Rafael Sóbis, enquanto Manoel descontou para o Furacão. Já o Cruzeiro não tomou conhecimento do Goiás e venceu o Goiás por 5 a 0, na primeira goleada do campeonato. Os tentos da Raposa foram marcados por Nilton(2), Bruno Rodrigo, Borges e Diego Souza. Por outro lado, o Atlético não foi bem em sua estreia e saiu do Couto Pereira com um revés de 2 a 1 para Coritiba. Os gols da partida foram marcados por Deivid e Arthur para os anfitriões, enquanto Tardelli fez o gol do Galo.

Campeonato Brasileiro começou neste final de semana e muitos clubes conseguiram a sua primeira vitória na competição. Mesmo diante da desconfiança da torcida, o Vasco da Gama bateu a Portuguesa por 1 a 0, com um gol de Carlos Tenório, no estádio de São Januário. Outro clube grande que fez sua primeira partida foi o Internacional, que foi até a Bahia para enfrentar o Vitória e arrancou um empate por 2 a 2. Os gols do confronto foram marcados por Maxi Biancucchi e Gabriel para os anfitriões, enquanto Fred e Forlán fizeram os tentos do Colorado. Já no confronto que fechou a primeira rodada do sábado, o primeiro clássico do campeonato foi no Pacaembu, onde se enfrentaram Corinthians e Botafogo. O Glorioso ate começou melhor e abriu o marcador através de Rafael Marques, em um jogo que teve a boa atuação do holandês Seedorf. Porém, o Timão empatou na cabeçada de Paulinho: final, 1 a 1. Rodada do domingo No complemento desta primeira rodada o Grêmio conquistou os primeiros três pontos, depois de bater o Náutico por 2 a 0 no Alfredo Jaconi. Os gols do Tricolor foram marcados por Zé Roberto e Elano. Outro que foi a campo para espantar a má

Arte: Matheus Franchini

Foi dada a

Próximos confrontos da Série-A 2ª Rodada - Quarta-feira

X

15h00 Local: Érton Queiroz, Curitiba - PR

Transmissão

29/05

X

19h30 Local: Raulino de Oliveira, Volta Redonda - RJ Transmissão

Transmissão

X

19h30 Local: Morumbi, São Paulo - SP Transmissão

TV aberta

TV fechada

X

Pay-per-view

X

21h00 Local: Mário Heleno, Juiz de Fora - MG

21h00 Local: Pituaçu, Salvador - BA

Transmissão

Transmissão

Próximos confrontos da Série-B 28/05

2ª Rodada - Terça-feira

X

15h00 Local: Érton Queiroz, Curitiba - PR

Transmissão

X

19h30 Local: Ressacada, Florianópolis - SC Transmissão

Transmissão

X

19h30 Local: Presidente Vargas(CE), Fortaleza - CE Transmissão

TV aberta

X

19h30 Local: Manoel Barreto, CearaMirim - RN Transmissão

TV fechada

Pay-per-view

X

19h30 Local: Ilha do Retiro, Recife - PE Transmissão


BolanoBarbante.com - Ed. 2 - Ano I - Belo Horizonte - 27 de maio a 2 de junho de 2013

7

a largada

Série-B mais disputada O

um dos clubes favoritos ao título que vai disputar a Série-B começou com o pé direito. O Verdão encarou o Atlético-GO no Novelli Junior e saiu com os três pontos, depois de vencer os goianienses pelo placar mínimo de 1 a 0, após o gol de Tiago Real , mesmo jogando muito mal durante os 90 minutos. Para completar a rodada, o ABC enfrentou o Paraná e saiu com uma bela vitória como visitante, depois de ter batido a equipe potiguar pelo placar de 2 a 0, em pleno Almeidão. Outro que também perdeu na primeira partida do campeonato foi o América, que viajou até o interior paulista para enfrentar o Guaratinguetá e acabou sendo derrotado pelo placar de 1 a 0, mesmo tendo criado as melhores chances do confronto. Para se reestabelecer na Série-B, o América volta a campo na próxima terça-feira, quando encara o Figueirense diante de sua torcida, no Independência. O América precisa vencer para não se distanciar do pelotão que fica na parte de cima da tabela de classificação.

Brasileirão da Série-B começou nesta sexta-feira e a disputa para uma vaga na elite do futebol vai esquentar. Na primeira rodada da divisão de acesso foram contabilizados apenas três empates sendo que São Caetano e Ceará foram os únicos que terminaram empatados sem gols. Oeste e Avaí ficaram no 1 a 1, assim como Paysandu e Asa. A goleada ficou por conta da Chapecoense, que não tomou conhecimento do Boa Esporte e aplicou sonoros 4 a 1, mesmo jogando em Varginha, para o desespero da torcida boveta. Jogos do sábado Já no sábado o Figueirense fez o dever de casa no Orlando Scarpelli e saiu vitorioso por 3 a 2 sobre o América-RN, enquanto o Joinville também conseguiu triunfar na estreia, vencendo o Bragantino pelo placar de 3 a 0. Outro que não deu bobeira jogando como anfitrião foi o Icasa, que bateu o Sport pelo placar de 2 a 1. Assim como o Figueira, o Palmeiras,

Próximos confrontos da Série-A 2ª Rodada - Quarta-feira 29/05

X

X

30/05

X

21h00 Local: Aflitos, Recife - PE

21h00 Local: Serra Dourada, Goiania - GO

19h30 Local: Centenário, Caxias do Sul - RS

Transmissão

Transmissão

Transmissão

09/06

X

18h30 Local: Arena do Jacaré, Sete Lagoas - MG Transmissão

12/06

X

22h00 Local: Canindé, São Paulo - SP Transmissão

Próximos confrontos da Série-B 2ª Rodada - Terça-feira

X

21h50 Local: Coaracy Fonseca, Arapiraca - AL Transmissão

28/05

X

21h50 Local: Independência, Belo Horizonte - MG Transmissão

X

21h50 Local: Colosso da Lagoa, Erechim RS Transmissão

X

21h50 Local: Serra Dourada, Goiania - GO Transmissão

X

21h50 Local: Nabi Abi Chedid, Bragança Paulista - SP Transmissão


BolanoBarbante.com - Ed. 2 - Ano I - Belo Horizonte - 27 de maio a 2 de junho de 2013

8

estádios

Longe de casa

Foto: Leonardo Fonseca

Foto: Portal da Copa / ME

Fifa manda times de BH disputar partidas como mandante no interior do estado

Mineirão e Independência ficarão fechados para os últimos testes antes da Copa das Confederações

A Fifa exigiu que o Mineirão e o Independência sejam fechados para testes antes do inicio da Copa das Confederações. Ambos são palco de partidas e campo de treinamento respectivamente. A entidade alega que o intuito é preservar os gramados e poupar as infraestruturas dos estádios de quaisquer imprevistos. Assim, Cruzeiro, Atlético e América jogarão parte do início do Campeonato Brasileiro na Arena do Jacaré em Sete Lagoas, a 74 quilômetos da capital e devem perder em público e renda. Neste domingo, a Raposa já estreou no Independência, fora de sua habitual casa, o Mineirão, fechado desde a última quarta-feira. Após sua estreia no Brasileirão, a equipe celeste disputará dois jogos como mandante na Arena do Jacaré. Em Sete Lagoas, a Raposa terá confrontos difíceis contra Corinthians, pela 4ª rodada e o Internacional pela 5ª, campeões paulista e gaúcho de 2013. Já o Atlético ainda joga no Inde-

pendência a 2ª partida das quartas de final da Copa Libertadores contra o Tijuana, do México e também o jogo válido pela 3ª rodada do Brasileirão contra o São Paulo. Em Sete Lagoas, o Galo disputará apenas um jogo, contra o Grêmio, válido pela 2ª rodada do Brasileiro, mas postergado para o dia 12 de junho em função do jogo de volta contra os mexicanos nesta quinta-feira. Por sua vez, o América, assim como o Atlético, jogará um jogo fora da capital mineira, contra o Oeste, do estado de São Paulo, pela 5ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série-B no dia 7 do próximo mês. Segundo as assessorias da Minas Arena e Arena Independência, empresas que controlam, respectivamente, Mineirão e Independência, o fechamento dos estádios antes do início da Copa das Confederações era uma exigência da Fifa. No caso do Independência, até o dia 2 de junho haverão jogos regularmente, para então fechá-lo para a Fifa.

Público total do Mineiro

Fonte: Federação Mineira de Futebol

Clubes perderão público e receita Em 2013 com a rebertura do Mineirão e com o Independência já em operação desde abril do ano passado, os clubes de Belo Horizonte viram suas receitas dispararem com o aumento de público, somado a elevação do valor dos ingressos. Neste ano, os grandes times de Minas retornaram a Belo Horizonte em grande estilo, com Independência e Mineirão cheios. Tanto que o Campeonato Mineiro de 2013 teve a melhor média de público entre todos os estaduais do Brasil, com 6.451 pessoas por jogo, contra 6.271 do Paulista, na 2ª posição, e também do Carioca com 2.428, figurando na 10ª posição. Com uma realidade bem distinta de 2012, quando os times da capital mandavam seus jogos na Arena do Jacaré, neste ano, o público das três equipes da capital aumentou significativamente, assim como suas receitas. Com ingresso a partir de R$ 60 no Mineirão e R$ 40 no In-

dependência, contra os R$ 20 cobrados em média na Arena do Jacaré no ano de 2012 a diferença é exorbitante. Somados o aumento de público e a receita gerada entre os três principais clubes do estado com vendas de ingressos, houve um aumento de quase 500%. De R$2.981.644 o número saltou R$ 14.247.470 em arrecadações. De volta ao gigante da Pampulha, a média de público do Cruzeiro no Mineiro aumentou quase 4 vezes em 2013, subindo para cerca de 23 mil espectadores, contra apenas 6 mil em 2012. Já o Atlético, que obteve a melhor média de público no último ano, também saltou de aproximadamente 8 mil pessoas por jogo em 2012, para superar os 19 mil este ano. O América viu seu público e renda aumentarem desde o ano passado significativamente, quase dobrando o número de expectadores e receita em seus jogos.


BolanoBarbante.com - Ed. 2 - Ano I - Belo Horizonte - 27 de maio a 2 de junho de 2013

9

história

A mítica Foto: Site da CBF

camisa 10

Em festa comemorativa da Copa do Mundo de 1958 na Suécia, Pelé encontra com os jogadores que participaram da partida que o consagrou o mito da camisa 10 e se estendeu por todo o planeta

A

camisa 10 normalmente costuma ser a do craque do time, daquele jogador de armação, habilidoso, que encanta a torcida com seus lances mágicos. Vários atletas como Maradona, Zico, Platini entre tantos outros usaram o mítico número, que tem um peso muito grande nos dias atuais. Contudo, você sabe quando começou a história de associar o melhor jogador do elenco com esta camisa? O início se deu antes da Copa do mundo de 1958, na Suécia, quando a Fifa solicitou às delegações que enviassem a numeração da camisa de seus jogadores, po-

rém, os dirigentes do Brasil esqueceram deste pedido da entidade e quando chegaram ao saguão do hotel foram surpreendidos por um agente da Fifa, que esperava a lista com os números. Como não havia uma numeração pré-definida e ninguém conseguia entrar em um consenso sobre qual número cada atleta iria usar, o emissário resolveu fazer um sorteio, baseando-se nas bagagens dos jogadores, que estavam amontoadas no hotel. A primeira mala escolhida foi de Castillo e, portanto, o goleiro acabou ficando com a camisa 1. Na sequência, o sorteado foi Bellini, que ficou com a camisa

número 2, assim como Didi saiu com a 6 e Garrincha com a 11. O 10º escolhido Ao longo dos sorteios, os Deuses do futebol resolveram brindar um menino de 17 anos com a camisa 10, conhecido como Pelé e que iria arrebentar na Copa do Mundo de 58. Naquela época, a numeração era uma novidade para a disputa da competição e os números das camisas não indicavam a sua posição, como é feito hoje, e muito menos existia alguma definição para distinguir o craque do time. Na Copa, Pelé se destacou fazendo boas jogadas e realmente

encantando o mundo com sua elegância dentro do campo. O então camisa 10 foi o artilheiro da seleção na competição e juntamente com Vavá e Garrincha conquistaram a primeira Copa do Mundo para o Brasil, depois de bater os suecos, anfitriões do torneio, pelo placar de 5 a 2. Os gols do Brasil foram marcados por Vavá aos 9’ e 32’; Pelé 55’ e 89’ e Zagallo, que deixou o dele aos 68’. Já os suecos descontaram com Liedholm e Simonsson aos 4’ e 80’ respectivamente. Depois do título, a camisa 10 passou a ser usada pelo jogador mais habilidoso da equipe.

Craques da camisa 10 Zico: Campeão Copa Libertadores e Campeonato Mundial em 1981 pelo Flamengo.

Roberto Dinamite: Campeão Campeonato Brasileiro de 1974 e eleito craque da competição

Maradona: Campeão da Copa do Mundo em 1986. Bicampeão Italiano em 1987/90. Campeão da Copa da UEFA em 1989.

Rivellino: Campeão da Copa do Mundo de 1970 e torneio RioSão Paulo em 1966

Ademir da Guia: Pentacampeão do Campeonato Brasileiro pelo Palmeiras 1967*/69, 1972 e 1973

Dirceu Lopes: Campeão da Taça Brasil em 1966 e Taça Libertadores da América em 1976.

Messi: Hexacampeão Espanhol em 2005/06/09/10/11/13. Campeão da Liga dos Campeões em 2006/09/11. Campeão Mundial 2009/11.

Zidane: Campeão da Liga dos Campeões em 2002, Bicampeão Italiano 1997/98 e Campeão Mundial em 2002.

Matthäus: Heptacampeão do Alemão 1985/86/87/94/97/99, 2000. Campeão Italiano em 1989 e Campeão da Copa do Mundo em 1990.

Platini: Bicampeão do Campeonato Italiano 1984 e 86. Campeão da Liga dos Campeões em 1985. Campeão da Eurocopa em 1984.

*Em 1967 o Palmeiras foi considerado campeão nacional por duas vezes. Venceu a Taça Brasil e o Torneio Roberto Gomes Pedrosa.


10

BolanoBarbante.com - Ed. 2 - Ano I - Belo Horizonte - 27 de maio a 2 de junho de 2013

internacional

Neymar inaugura janela de transferências E ainda a troca de cadeiras no futebol europeu com o fim da temporada 2012/13

N

eymar é a mais nova contratação do Barcelona, que fechou o contrato na última sexta (26) com o garoto santista. A badalada negociação do craque foi estimada em 28 milhões de EUR segundo o jornal Folha de São Paulo. Com o fim da temporada, abre-se o período da janela de transferências. Como não podia ser diferente, no momento há muitas especulações. Os clubes europeus não estão pensando em poupar esforços para reforçar os seus elencos, e o craque Neymar foi a primeira das transações de peso da atual janela de trasnferências. Dança das cadeiras Também agitadas são as notícias de transferências do futebol europeu que estão fora das quatro linhas com as saídas de grandes técnicos, já que uma troca de cadeiras deve acontecer entre Real Madrid, Chelsea e Paris Saint German. O primeiro a sair de seu clube foi agora ex-técnico do Real Madrid, José Mourinho, que foi dispensado em comum acordo com o clube, fato que foi comemorado por muitos madrilenhos. O destino mais provável do português é o Chelsea, até o momento dirigido pelo espanhol Rafa Benítez, que é dado como provável futuro técnico do PSG. Já o treinador do time francês, o italiano Carlo Ancelotti, já anunciou sua saída da equipe parisiense e tem grandes chances de assumir a vaga do agora ex-técnico da equipe do Santiago Bernabéu. Para o Real Madrid ainda há um plano B, caso não consiga trazer Ancelotti. A opção seria o técnico alemão Jupp Heyneckes do Bayer de Munique, que cedeu seu lugar na

equipe bávara para Pep Guardiola. Outro comandante que trocou de time foi o chileno Manuel Pellegrini, que deixou o Málaga e assumiu o Manchester City, depois da dispensa de Roberto Mancini. Destino dos jogadores Entre os jogadores é sabido da saída do lateral Fábio Coentrão do Real Madrid. O português está insatisfeito no Bernabéu e já foi sondado pelo Chelsea, em um negócio que rondaria 18 milhões de EUR. Outro clube que estaria interessado no atleta é o PSG. Segundo o jornal espanhol “Marca”, o presidente do Real, Florentino Pérez, já teria dado a ordem de vendê-lo, mesmo que seja por menos do que foi comprado. Caso realmente deixe a equipe espanhola por este valor, o Real o venderia com 12 milhões de EUR de prejuízo, já que o comprou frente ao Benfica por 30 milhões de EUR, há um ano atrás. Por outro lado, o campeão francês e badalado pelos petrodólares árabes, quer o atacante inglês

Wayne Rooney e estaria disposto a pagar até 40 milhões de libras, cerca de € 50 milhões segundo meios ingleses. O clube de Paris ainda trabalha com as possibilidades de pagar € 25 milhões pelo meia argentino Di Maria, do Real Madri e ainda estuda a eventual contratação do craque português Cristiano Ronaldo. Já o atacante uruguaio Edson Cavani do Napoli, artilheiro do Calcio italiano, avaliado entre € 30 e € 35 milhões pode ser alvo de equipes inglesas. Caso Mourinho feche com o Chelsea, ele já estaria interessado no jogador, m a s teria d e

disputá-lo ainda com Manchester City e Real Madrid, que este que pode vir a vender o centroavante Higuaín, para a Juventus. O problema neste caso é que a Juve dispões de € 22 milhões, enquanto o Real quer ao menos € 30 milhões. Fim da novela No Brasil, terminou a novela Neymar, com o Santos aceitando a oferta do Barcelona, após negar € 18 milhões por 55% de seu passe que o clube detém. O craque santista já estaria cansado das especulações envolvendo sua possível transação. O astro argentino Lionel Messi já aprovou a chegada de Neymar. Ainda sem confirmação oficial, o argentino Carlos Tevez, do Manchester City, tem sido sondado por equipes francesas para jogar em terras gaulesas. Segundo a revista France Football, após uma tentativa frustrada do PSG, o Mônaco tenta no momento a negociação de Tevez. Inclusive, o atleta já disse que seu sonho é voltar para o Boca, mas como é quase impossível hoje, o jogador declara que Mônaco é uma grande equipe e que portanto não haveria problemas em mudar para a Riviera Francesa.

Foto: Rafael Ribeiro / CBF

Mercado da bola


BolanoBarbante.com - Ed. 2 - Ano I - Belo Horizonte - 27 de maio a 2 de junho de 2013

11

Liga dos campeões

Cinco vezes Bayern Os bávaros conquistaram o pentacampeonato após ser vice por dois anos consecutivos

O

Bayern de Munique conquistou a Liga dos Campeões da Europa pela quinta vez (1974,1975,1976, 2001 e 2013) e disputará o Mundial de clubes, depois de bater o arquirrival Borussia Dortmund pelo placar de 2 a 1, em Wembley. O jogo foi bastante movimentado e com muitas emoções, sendo decidido no último minuto da partida, quando o atacante holandês Robben penetrou na zaga aurinegra e tocou na saída do goleiro Weindenfeller, que viu a bola morrer de mansinho no fundo do gol. A vitória na Liga dos Campeões serviu para mostrar ao mundo a força do futebol Alemão, já que Borussia Dortmund e Bayern de Munique haviam derrotados francos favoritos ao título da Liga dos Campeões, como é o caso da semifinal da competição, quando os bávaros atropelaram o Barcelona, sem a menor cerimônia, enquanto o Aurinegro não tomou conhecimento do todo poderoso Real Madri. O craque O título do Bayern de Munique teve grande destaque para Robben, pois além de fazer o gol da vitória nos últimos minutos, o atacante holandês foi quem deu o passe no primeiro gol dos bávaros, marcado por Mandžukić. Seu úni-

co trabalho foi empurrar para o gol vazio, sem chances para o goleiro Weindenfeller, que não pode fazer nada a não ser observar a bola ir para dentro de seu gol, depois de um belo cruzamento do atacante. Com a conquista da Liga, o Bayern de Munique se juntou a mais dois clubes que já estão classificados para o Mundial de clubes no Marrocos, que será de 11 a 21 de dezembro. Além dos alemães, estão classificados o Monterrey, que venceu o Santos Laguna na final da Copa dos Campeões da CONCACAF e também o Auckland, que conquistou a Copa dos Campeões da Oceania dia 19 de maio, após derrotar o Waitakere United na final. O campeão da Libertadores também entrará na disputa pelo título, e Atlético e Fluminense são os possíveis representantes brasileiros.

onato Alemão), que os bávaros haviam ganho com sobra. Outra marca alcançada no triunfo em Wembley foi a do treinador Jupp Heynckes, que se juntou a uma galeria seleta de treinadores que conquistaram a Liga dos Campeões por dois clubes diferentes. Antes de dirigir o clube de Munique, o técnico havia conquistado a competição na temporada 97-98 quando o Real Madri derrotou a Juventus na decisão do torneio. A galeria de treinadores ainda conta com Ernst Happel, que venceu a Liga com o Feyenoord em 1970 e com o Hamburgo em 1983; Hitzfeld vencedor com o Borussia Dortmund em 1997 e o Bayern de Munique em 2001, além do português José Mourinho, que triunfou em 2004 com o Porto e com a Internazionale de Milão em 2010.

Recorde Os alemães do Bayern de Munique além de conquistarem a quinta Liga dos Campeões de sua história, também vem batendo muitos recordes, como é o caso após a conquista deste sábado, uma vez que é a primeira vez na história da Alemanha, que um clube ganha em uma mesma temporada o título europeu e também a Bundesliga (Campe-

Duelo histórico O confronto entre Bayern de Munique e Borussia Dortmund realizaram um jogo histórico na final da Liga dos Campeões, pelo fato de duas equipes da Alemanha nunca disputarem a final da competição. Além disso, o confronto nos leva a um importante fato histórico alemão, relativo à Guerra Franco-Prussiana no ano de 1870. Isto porque se formos pegar

a etimologia do nome Borussia vemos que é a tradução livre em latim para a palavra Prússia. Na época do conflito contra o império francês, a Prússia recebeu apoio da então Confederação da Alemanha do Norte, que era formado pelos estados de Baden, Württemberg e Baviera. O último, aliás, região que está situada a capital Munique, cidade do atual vencedor da Liga dos Campeões, Bayern. Novos ares Depois da conquista do título da Liga dos Campeões e do Campeonato Alemão uma nova era futebolística deve começar no Bayern de Munique, isto porque o atual treinador Jupp Heynckes já anunciou que vai deixar o futebol profissional depois do encerramento da temporada. Para o lugar do alemão foi contratado o famoso técnico Pepe Guardiola, que levou seu antigo clube, o Barcelona, a jogar o melhor futebol do mundo, além de ter conquistado tudo que disputou. O primeiro reforço do novo treinador do Bayern foi o excelente jogador alemão e que atuava pelo arquirrival Borussia Dortmund, Mario Gotze. Além disso, Guardiola estaria também em contratar Marco Reus e Lewandowski, ambos do Aurinegro.


Entrevista

“Roubei o milésimo gol do Pelé”

Foto: Tiago Haddad

2 12

BolanoBarbante.com - Ed. 2 - Ano I - Belo Horizonte - 27 de maio a 2 de junho de 2013

Jair Félix da Silva nasceu em Cachoeiro do Itapemirim em 10 de maio de 1943. Do pai, Zózimo Félix da Silva herdou a arte de jogar bola e tornou-se para muitos o maior craque de todos os tempos do América. Esbanjando simpatia e saúde aos 70 anos de idade, Jair Bala conta ao BolanoBarbante um pouco de sua história. Por que o apelido Jair Bala? Quem te batizou? Tinha um amigo que trabalhava no Flamengo e que gostava demais de mim, era igual meu pai. Um dia eu fui buscar meu bicho [premiação paga em dinheiro após as partidas] e este amigo tinha comprado uma arma do massagista. Quando cheguei na sala, ele tirou a arma da gaveta e disse: “você quer bicho moleque?”, brincando. Quando abaixou o revolver, apertou o gatilho sem querer e a bala ricocheteou no chão e atingiu minha perna. Eu desmaiei e fui levado para o hospital. Quando recebi alta fui para a Seleção Juniores Carioca, depois para o Botafogo. Lá tinha o Jair Ventura [Jairzinho]. Então, quando o Gérson gritava Jair, ai nós dois olhávamos e ele dizia, não, o da bala e ficou Jair Bala. O que passou por sua cabeça quando você substituiu Pelé, justamente quando ele fez o milésimo gol? Quando você é jogador profissional acaba se acostumando em estar ao lado de outros craques. Portanto, eu era mais um no elenco. Isso para mim era uma situação normal, eu não pensei em alguma coisa. No jogo anterior é que era para o Pelé fazer o milésimo, na Bahia. No lance, todo mundo achou que eu ia tabelar com ele, porém, eu invadi a área e marquei o gol. Na verdade eu roubei o milésimo gol dele (Risos). Depois disso que nós fomos para o Rio de Janeiro e ele fez o milésimo gol [contra o Vasco]. Quais as principais dificuldades dos atletas antes de encerrar a carreira? Você se preparou para pendurar as chuteiras? Eu me preparei pelo seguinte, sofri uma contusão no joelho e fui jogar no Bahia. Lá, eu continuava a sentir dores e acabei indo para o Paysandu e no clube eu comecei a perceber que quando eu girava meu joelho doía demais. Daí em diante eu vi que era hora de parar, pois eu já não dava mais contar de jogar bem. Como surgiu a Associação de ex-jogadores do América e como funciona este trabalho? Surgiu quando nós perdemos o Zuca, que jogou no América. Para mim, o maior jogador do Coelho de todos os tempos. Na volta do ve-

lório dele, estava eu e o Toledo [falecido e pai do Toledinho do Alterosa Esporte] e estávamos conversando sobre o fato de encontrarmos apenas em situações desagradáveis. Foi então que surgiu a ideia de montar uma associação. Daí em diante formamos a diretoria e a coisa deu certo. Se não me engano, a única associação de jogadores do mundo é a do América. Conte-nos sobre a sua carreira como treinador. Quais as dificuldades enfrentadas? Como é a transição de jogador de futebol para treinador? Você tem que observar o que aprendeu com os outros treinadores. É preciso saber que as mudanças existem. O futebol que eu jogava é um, o que é jogado hoje é outra. As dificuldades eram muitas, igual é hoje. É muito difícil concorrer com Cruzeiro, Atlético e outros clubes grandes do Brasil. Qual o Campeonato que você conquistou que traz as melhores lembranças?Qual o título mais importante para você? Como técnico a conquista do Campeonato Brasileiro da Série-D. Mas como jogador não resta dúvida que foi o Campeonato Mineiro de 1971, quando o América foi campeão invicto e eu fui artilheiro da competição, além de marcar 4 gols de bicicleta, inclusive, o gol do título foi de bicicleta. Você acredita que a expansão do futebol no Brasil vai facilitar a ascensão dos clubes menores ou até mesmo aqueles em má situação financeira? Acho que não, a tendência é acabar, porque não dá pra competir com os grandes clubes. Veja que eles dão R$ 60 milhões para o Corinthians e Flamengo, mas apenas três para o América. Portanto, é uma disparidade muito grande, que não contribui para o clube pequeno. Qual o gol mais bonito de sua carreira? Com toda a certeza foi esse contra o Uberlândia, em 71, o gol do título de bicicleta. Como é para você ser considerado o maior craque do América? Uma felicidade muito grande pelo reconhecimento da torcida do América. Eu sempre me

dei muito bem com a torcida americana. Portanto eu sou América mesmo, apaixonado. Me emociono quando falam do Coelho. Quando você saiu do Botafogo, qual o principal motivo de você ter escolhido o América? O Mineirão. Na época, São Paulo, Internacional e Grêmio me queriam, mas o Biju, diretor do América, que já havia me acompanhado no Flamengo foi lá e me perguntou se eu queria ir para o Coelho. Quais os ingredientes de um grande jogador? Eu não sou saudosista, mas no meu tempo tinha dez craques e um para quebrar o galho. Hoje são 10 para quebrar galho para um craque. Portanto, você não precisa ser craque, desde que seu empresário seja craque está tudo bem. No meu tempo mesmo tinham jogadores que realmente jogavam bola. Hoje você tem jogadores medianos com bons empresários e em grandes clubes. Na Seleção mesmo tinha o primeiro escalão, que era formado por Garrincha e Pelé e o segundo escalão onde eu estava. Mas para você ter uma ideia, existiam de dez a 15 jogadores bons para cada posição. Era difícil até ser lembrado para a convocação. Como você se sente por ser personagem de algumas crônicas de Nelson Rodrigues, Roberto Drummond e Fernando Brant? Poxa, uma alegria muito profunda de ver Nelson Rodigues, Fernando Brant falando de mim. Certa vez, minha filha, ainda pequena, estudava no Colégio Santo Antônio, e a professora estava lendo “O Menino sem pátria” e minha filha reconheceu e disse: “olha é o meu pai” e acabou se emocionando. Então eu fico muito lisonjeado com este tipo de coisa. Como você se sente com 70 anos recém completados? Sinceramente eu sinto o peso da idade, mas eu sou alegre, vivo rindo. Levo a vida assim. A única coisa que me entristece é o joelho [olhando para o joelho e a bengala que ele usa], mas o resto está tudo bem, saúde boa, família também. Tenho minha esposa, meus filhos, minha família. Então me sinto ótimo.


BolanoBarbante.com