Issuu on Google+

O Trabalhador Gráfico Diretor Responsável: Gidalvo G. Silva

ANO 1 - NÚMERO 9 - MAIO 2013

www.stig.org.br

Tiragem: 20.000 exemplares

Destaque do Primeiro de Maio: COMBATE À INFLAÇÃO

O presidente do Sindicato dos Gráficos de São Paulo, Gidalvo Gonçalves Silva e grande parte da diretoria do STIG/SP marcaram presença ao evento de Primeiro de Maio deste ano, na Praça Campo de Bagatelle, representando toda a nossa categoria. Além deles, vários outros sindicalistas filiados à Força Sindical, políticos e artistas subiram ao palco. Gidalvo G. Silva apoiou o discurso de Paulo Pereira da Silva, que anunciou uma campanha para que os salários sejam reajustados automaticamente toda vez que a inflação alcançar 3%. Companheiro gráfico, Guilherme da Silva Franco, da empresa Vereda, recebe seu automóvel Hyundai zero km, sorteado no 1º de Maio de 2013, pela Força Sindical

Também foi cobrado do governo Federal o atendimento imediato às reivindicações dos trabalhadores, como o fim do fator previdenciário e redução de jornada. Segundo a Polícia Militar, cerca de um milhão de pessoas participaram da Festa do Trabalhador. Foram mais de 10 atrações musicais e houve sorteio de 19 carros importados.


EDITORIAL:

1º de maio exige respeito aos direitos do Trabalhador H

AÇÃO: “REINTEGRAÇÃO NA SPIRAL: STIG FAZENDO VALER O DIREITO TRABALHISTA ”

portas das empresas, nas campanhas salariais, nas assembleias ou outros movimentos, pela criação de novos empregos e de qualidade, pela extensão da proteção social, pela promoção e fortalecimento do diálogo sindical, pelos cursos profissionalizantes, pela redução de jornada, enfim, pelo respeito aos princípios e direitos fundamentais no trabalho. Enquanto isso, o Brasil vai caminhando, conduzido pela mão de uma presidente que faz vistas grossas às condições degradantes e subumanas de trabalho. A corda rompe-se sempre pelo lado mais fraco e nunca pelo lado A trabalhadora gráfica Josiane mais justo, nesse caso, para o lado Rosa da Silva foi admitida a títudos trabalhadores! lo de experiência pela empresa Gidalvo Gonçalves Silva SPIRAL DO BRASIL LTDA, e após um mês de serviço, descobriu esPresidente STIG/SP tar gestante. Comunicou o fato a chefia, que por sua vez rompeu o A presidente Dilma Roussef está fugindo da sua contrato de experiência. Josiane obrigação. É o momento de se implantar a desoneração R. Silva foi demitida sumariamente no dia seguinte. fiscal no país. A carga tributária sobre o trabalho no Brasil A companheira procurou o deé uma das mais altas do mundo. partamento jurídico do STIG/SP e relatou o ocorrido. Uma notificação foi enviada para a SPIRAL para COMPROMISSO: que tomasse providências quanto à reintegração da funcionária. Em reunião com o advogado do sindicato, Dr. Everton Santos, a empresa alegou não concordar com a estabilidade gestante no contrato de experiência e manteve a demissão. Na sequência o STIG/SP ingresCompanheiros (as), nossos diretosou com Ação de Reintegração da res de base têm um papel imporempregada, sustentando que a tante e, por isso são capazes de Estabilidade Gestante é garantida representar fielmente a categoria constitucionalmente. gráfica, como um porta-voz das Atendendo ao pedido da Liminar suas necessidades, interesses e dú- seus colegas, provê-los de informade Antecipação de Tutela, o Juiz da vidas. Tudo isso com credibilidade, ções de interesse geral e participar 73ª Vara, entendeu estarem prepois têm a legitimidade necessá- das discussões que definem as atusentes aos requisitos para atenria. São agentes transformadores, ações do Sindicato são maneiras dimento do pedido e determinou comprometidos, e assumem res- democráticas de contribuir para a a reintegração de Josiane Rosa da ponsabilidades participando das tão desejada transformação social, Silva , em 19 de abril de 2013. discussões, a fim de contribuir para ou seja, são a referência do SindicaA profissional gráfica foi acompao sucesso do trabalho no qual estão to frente à categoria. Representam nhada pelo advogado e por vários envolvidos. Os diretores de base o STIG/SP dentro de cada local de diretores do STIG/SP durante seu sabem que retratar os anseios de trabalho, todos os dias! restabelecimento na empresa! 2

oje, ao invés do mercado de trabalho realizar social e financeiramente as pessoas, está, pelo contrário, se tornando fonte de alienação, de exploração, frustrando e destruindo os sonhos dos brasileiros. A falta de oportunidade, a ameaça da inflação, todas as formas de desemprego, aumento dos vínculos vulneráveis, queda dos rendimentos reais e concentração da renda colocam o trabalhador em um grande e doloroso embaraço: submeter-se às condições exploradoras ou ficar no desemprego. É assim que funciona a famosa “lei do mercado patronal” que além de tudo, impõe salários reduzidos. Seguindo na contra mão o STIG/SP luta permanentemente, seja nas

ATUAÇÃO E AMPARO: DIRETORES DE BASE NO SEU DIA A DIA


UNIÃO:

COMPANHEIRISMO STIG/SP: SOLIDARIEDADE TOTAL AOS JORNALISTAS!

PERFIL:

O Sindicato dos Gráficos de São Paulo vem, através da presente nota, repudiar a demissão de 30 jornalistas do Jornal Estado de São Paulo. O Sindicato rejeita também a postura da empresa que agiu com desrespeito ao não negociar previamente com a entidade condições mais dignas para a dispensa coletiva, acenando com uma proposta indigna aos profissionais do setor. Somos incondicionalmente solidários a esses companheiros (as) que sempre tiveram papel fundamental na luta pela informação e formação de opinião dos brasileiros através de suas matérias éticas a serviço da sociedade. No último mês de abril, numa clara

demonstração apoio, o presidente do STIG/SP, Gidalvo Gonçalves Silva esteve presente em audiência no TRT, que determinou o pagamento de dois salários nominais aos trabalhadores a título de rescisão e o pagamento pela empresa de seis meses do plano de saúde. Além disso, acertou-se também que estas condições estarão garantidas para qualquer jornalista que venha a ser demitido pela empresa nos próximos 60 dias subsequentes ao acordo. O STIG/SP deixa claro que está disposto em auxiliar os companheiros da imprensa no que for preciso e necessário bem como prosseguir lado a lado com a organização dos jornalistas!

UM LÍDER SINDICAL À FRENTE DE SEU TEMPO!

NELSON DA SILVA

Diretor Executivo do STIG/SP, casado. Trabalhador da Imprensa Oficial do Estado S/A

D

ono de uma personalida- proporcionados pela valorização de carismática, ele vive financeira de seu trabalho é mais sempre muito bem apre- feliz, saudável e produtiva, consentado, nunca descuida da saúde sequentemente vive melhor, com física e mental e principalmente igualdade de oportunidade e de da higiene pessoal. Gosta da mo- tratamento. Respeita o passado sindical dernidade, da tecnologia avancomo parte da hisçada e acredita no tória e o usa como potencial dos jovens trabalhadores. “O dirigente sindical tem referência, porém, aposta num sindicaSeu principal obque possuir argumentos, lismo moderno e de jetivo enquanto sinconhecer a realidade, resultados. dicalista é lutar e Recomenda curdiscutir conjuntura, conquistar não só sos de aperfeiçoapor um ambiente entender de economia mento, qualificade trabalho digno e de política. A grande ção, capacitação proe salutar, mas pela ferramenta de um fissional e sindical. extensão desse bem sindicato é a educação, Defende a imediata estar também denrecuperação do prétro dos lares. pois ela te dá visão do Costuma dizer futuro. O sindicalista tem dio da entidade e da Colônia de Férias, que se a pessoa tem que estar tão ou mais bem como a moderqualidade de vida, informado do que os nização e informasalários dignos, laempresários!” tização de todos os zer, casa própria ensetores. tre outros direitos

É a favor de parcerias e convênios com empresas privadas ou públicas que se interessam na promoção de cursos de idioma e informática gratuita para a categoria e dependentes. Admira o Deputado Federal e sindicalista Paulo Pereira da Silva, de quem é amigo, pois acredita que ele representa fielmente a luta operária. Aprova também a bandeira de luta do senador Paulo Paim. “Ele também é um dos poucos políticos que representa a classe trabalhadora com legitimidade”, concluiu. Apoia a política adotada pelo presidente do STIG/SP, Gidalvo Gonçalves Silva, que vem através da sua administração mostrando lealdade aos trabalhadores e fez com que o número de associados aumentasse consideravelmente. Esse é o verdadeiro papel do sindicalista. Valorizar e avançar sempre! 3


STIG/SP NO PRIMEIRO DE MA

Diretoria do STIG/SP presente na cerimônia de entrega dos prêmios aos ganhadores dos carros no Primeiro de Maio. Abaixo à direita, Paulinho da Força parabeniza o trabalhador gráfico, Guilherme S. Franco.

4


AIO/2013: PRESENÇA E LUTA! DESABAFO DE UMA TRABALHADORA GRÁFICA!

Primeiro de Maio, FESTA, LUTA ou LUTO? LUTO: por todos aqueles que não podem comemorar, pois ainda não conquistaram um emprego e amanhecem o dia em filas atrás de uma vaga e o que é pior: sem a mínima perspectiva... LUTO: por aqueles que injustamente perderam seu trabalho e como consequência, sua casa, sua família e sua dignidade... LUTO: por todas aquelas crianças filhos de desempregados que sentem fome e sede e que então, acabam trabalhando com drogas... LUTO: por todos aqueles que não têm salário compatível com as contas a pagar, não pelo licenciamento de seus veículos importados ou cartão de crédito internacional, mas para pagar o feijão do mercado, o pão, o remédio e a condução precária... LUTA: porque o progresso deveria trazer riqueza, mas nesse país, as coisas são diferentes: novas máquinas, novas tecnologias, porém sem trabalhadores qualificados para manejá-las e a rotatividade é uma certeza! LUTA: porque o Brasil, infelizmente, não aposta na educação e na profissionalização de seus filhos, e o resultado de tudo isso é que não estamos conseguindo chegar onde realmente deveríamos: ou seja, ser uma das maiores e mais respeitadas profissões do mundo! LUTA: porque precisamos de ânimo, de vontade política e sindical... Precisamos de pessoas compromissadas... Chega de omissão! Sabemos que muitos de nós optamos por ser gráficos por amor, por ideal, por vocação e assim, queremos valorização! FESTA: bem... FESTA é só para descontrair mesmo, afinal, somos trabalhadores e não máquinas. Temos direito ao lazer, ao entretenimento e sonhar com os sorteios de carros, motos e casas. Enfim, a esperança é algo que move o ser humano e nunca pode ser perdida. Festa do Dia Internacional do Trabalhador dura apenas um dia... A labuta árdua nos espera ao longo do ano! Vamos nos unir ao STIG/SP, dar as mãos e lembrar que nosso sindicato é uma das maiores e mais fortes instituições do País. Vamos tirar a nossa categoria do rebaixamento e do marasmo. A hora é essa... A hora é agora! Sem o STIG/SP a nossa categoria não avança! Ester Araújo, profissional gráfica há mais de 50 anos. 5


SOCIAL:

DIRETORIA ARRECADA ALIMENTOS E FAZ DOAÇÃO PARA ASSOCIAÇÃO DE IDOSOS!

“Alimentos não perecíveis arrecadados através de doações das associadas e participantes do Seminário do Dia Internacional das Mulheres, foram entregues a cerca de 20 velhinhos carentes da Associação Beneficente Caminho da Vida!” Durante o Seminário do Dia Internacional das Mulheres, no último mês de março, o nosso Sindicato arrecadou cerca de 200 quilos de alimentos não perecíveis. Aproximadamente 40 quilos de feijão, 37 quilos de açúcar, 30 quilos de arroz entre outros produtos, foram doados pelas profissionais gráficas participantes do evento. Segundo a secretária-geral, Elisângela Oliveira, mais do que auxiliar os trabalhos sociais do STIG/SP, a atividade permitiu

uma união maior entre as companheiras do setor. O diretor social, Daniel Gouveia foi designado para fazer a entrega dos alimentos à Associação e ficou impressionado pelo núme-

ro de idosos que foram ajudados. “Realmente essas pessoas precisam de ajuda, porém, a alimentícia é essencial”. A indicação do lar de velhinhos foi do Presidente do STIG/SP Gidalvo Gonçalves Silva.

“Eu conheço a associação há anos e sei dos anseios e necessidades. A iniciativa é mais do que uma ação social realizada pelo Sindicato, trata-se de ajuda humanitária propriamente dita”, completou.

SOBRE A ASSOCIAÇÃO

RESGATE:

A Associação Beneficente de amparo ao idoso carente “CAMINHO DA VIDA,” é uma entidade de cunho totalmente filantrópico e que vive de doações. Foi fundada em 1997 por um grupo de amigos, exclusivamente para o amparo de idosos carentes e que não tenham família. Mantem-se com grande dificuldade, pois, não conta com ajuda governamental de nenhuma espécie. A casa funciona 24 horas por dia e por esse motivo tem gran-

6

des despesas com funcionários e encargos sociais. O único recurso vem de um bazar localizado junto ao asilo e de festas promovidas mensalmente.

SE VOCÊ ESTIVER DISPOSTO EM AJUDAR ATRAVÉS DE QUALQUER DOAÇÃO, BASTA ANOTAR O CONTATO ABAIXO: Tefefone de contato: 27487811. Nosso site: www.abaiccaminhodavida.com.br

SINDICATO RECUPERA CARROS OFICIAIS APREENDIDOS NA ADMINISTRAÇÃO PASSADA! Mais dois veículos apreendidos pela polícia na gestão passada, por falta de pagamento e documentos atrasados, foram recuperados neste ano. Apesar desse fato desalentador e superando todas as adversidades o STIG/SP tem conseguindo, de forma alternativa, resgatar a frota de veículos. Um “Corsa” ano 2009 e uma “Perua Kombi” ano 2004 já estão em poder da entidade. Mais um grande empenho da nova diretoria! Os veículos serão utilizados na distribuição de jornais, no apoio às inúmeras mobilizações e negociações regionais. Uma frota bem cuidada é garantia de aproximação entre o diretor de base e a categoria!

Administração levada a sério: dois veículos já recuperados


SAÚDE:

NÃO COLOQUE SUA SAÚDE EM RISCO, CONHEÇA OS FATORES PREJUDICIAIS! 4 Ergonômicos

São as diversas situações (máquinas, equipamentos e ferramentas) ou condições e organização de trabalho que ocorrem no ambiente laboral devido a presença de agentes que conforme sua natureza, concentração, intensidade e tempo de exposição, podem causar danos à segurança e à saúde dos trabalhadores. São classificados como: Físicos, químicos, biológicos, ergonômicos e de acidentes.

1 Físicos 1 Físicos

São considerados como agentes: o ruído, a vibração, a umidade, as radiações ionizantes e não ionizantes, e temperatura extrema (frio e calor). Vários autores citam o ruído como o principal agente de risco na Indústria Gráfica. Este ocorre principalmente nas etapas de impressão e pós-impressão, devido à utilização de máquinas rotativas e dobradeiras. O ruído é definido como um som indesejável e nocivo à saúde dos trabalhadores, podendo ocasionar, além de alterações auditivas, distúrbios de equilíbrio, do sono, psicológico, social, bem como alterações nos sistemas circulatórios digestivos e reprodutor.

“Estudos realizados apontam que a exposição do trabalhador à radiação na Indústria Gráfica está relacionada apenas à radiação não ionizante na forma ultravioleta, utilizada no processo de sensibilização de filmes, telas, chapas e nas atividades de soldagem elétrica (manutenção).”

A radiação não ionizante (radiofrequências, micro-ondas, infravermelho, visível e ultravioleta) é aquela que não possui capacidade de ionizar e emitir partículas. As possíveis consequências no organismo, devido à exposição sem proteção adequada, são queimaduras, lesões nos olhos, na pele e em outros órgãos.

2 Químicos 2 Químicos

São considerados como agentes: poeiras, fumos, gases, vapores, neblinas e produtos químicos em geral. Estes agentes penetram no organismo do trabalhador pelas vias cutânea, digestiva e respiratória. Na Indústria Gráfica, os produtos químicos utilizados são: fixadores, reveladores, reparadores, tintas e solventes orgânicos (diluentes de tintas e limpeza de equipamentos). Dependendo do produto químico utilizado, sua manipulação, a concentração no ambiente e o tempo de exposição do trabalhador, podem ocorrer sintomas como cefaléia, tontura, irritação ocular, problemas de pele pelo contato, episódios depressivos e outros relacionados ao sistema nervoso.

3 Biológicos 3 Biológicos

Os agentes biológicos são: vírus, bactérias, fungos, protozoários e parasitas. Segundo a OIT, na Indústria Gráfica os trabalhadores estão expostos aos agentes biológicos em duas situações: instalações antigas, que podem estar infestadas por roedores e insetos, entre outros; contato com tintas utilizadas para impressão, as quais contêm, em sua formulação, componentes que funcionam como nutrientes para o crescimento de micro-organismos. Além disso, a presença de sistemas de ar condicionado, divisórias de madeira, equipamentos e plantas que podem conter poeira, fungos e ácaros, quando não são limpos adequadamente e com regularidade, causam alergias e problemas respiratórios.

Referem-se à adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores e se relacionam diretamente à organização do trabalho, ao ambiente laboral e ao trabalhador. A organização do trabalho vincula-se com o ritmo da produção, o processo de trabalho, o trabalho em turnos, a ausência de pausas e a realização de horas extras. O ambiente laboral está relacionado ao piso e à via de circulação irregular, à iluminação inadequada, à temperatura desconfortável, à existência de vibração, ruído, poeira, produto químico e outros. Em relação ao trabalhador, estão envolvidos os aspectos pessoais (idade, sexo, estado civil, escolaridade, atividade física, tabagismo e antropometria), psicossociais (percepções de sobrecarga, trabalhos monótonos, controle limitado das funções e pouco apoio social no trabalho) e biomecânicos (postura inadequada, uso de força excessiva e repetição de movimentos). De forma geral, a presença desses agentes podem contribuir para o aparecimento de algumas características desfavoráveis nas condições de trabalho, causando tensão psicológica, ansiedade e depressão, fadiga visual, lesão ocular, lacrimejamento, dores de cabeça, fadiga, dor muscular e distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho. A maioria dos especialistas atesta que, na Indústria Gráfica, é difícil generalizar os problemas ergonômicos, pois cada empresa apresenta um aspecto diferente da outra. Porém, alguns relatam que as empresas de pequeno porte apresentam aspectos em comum, como transporte manual de cargas e trabalho contínuo em pé, e que, nas de maior porte, o ritmo de trabalho é intenso e com expedientes noturnos. Fonte: MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO INDÚSTRIA GRÁFICA ( Fiesp,Senai,Irs,Sesi) 7


• Por Reynaldo Moises Sim, esses são três itens importantes que somam nosso comportamento enquanto sindicalistas. Diariamente os diretores de base juntamente com a diretoria executiva devem expressar e praticar o exercício de amparo, proteção e respeito entre os próprios companheiros bem como estendê-lo aos funcionários do STIG/SP, principalmente nesse momento tão importante que é a gestão que estamos participando. Devemos proceder, sendo um guarda costas do outro, e juntos, diretoria e associados, lutarmos por um bem comum, ou seja, melhor desempenho do sindicato em toda e qualquer situação. Fomos eleitos para fazermos a diferença, e por isso, a necessidade de sermos um só em prol do trabalho sindical. Por essa razão solicito a todos os diretores de base para terem atitudes equilibradas ao se referir uns aos outros e essencialmente aos funcionários dessa instituição, pois antes de sermos diretores, também somos empregados de empresas gráficas. O autoritarismo, a prepotência, a incapacidade de ouvir e absorver opiniões divergentes jogam por terra o discurso que defendemos diariamente nas portas das empresas. Assim, nossas decisões devem ser tomadas com inteligência e fundamentação e não na base da impulsividade, vaidade e diferença pessoal. Muitas vezes aceitar que errou e que tomou uma posição inadequada, é a postura mais ajustada: mostra maturidade, decência, senso de convívio e evita que a pessoa seja estigmatizada como mentirosa, principalmente se esse erro foi em público. Rótulo é um “ranço” muito difícil de ser apagado! Todo mundo erra, ninguém é cem por cento acerto o tempo todo. Porém, reconhecer o erro é uma de-

monstração de dignidade e sabedoria e quem não se curva só reforça que possui uma personalidade ardilosa, baseada na má-fé e na péssima índole. Pessoas com essa natureza acabam no isolamento e nem se dão conta! Lembrem-se: O pacifista mundial William Soto Santiago, tem nos mostrado a importância da fala positiva. Segundo ele, o homem possui algo que ainda não avaliou plenamente: O PODER DA PALAVRA FALADA. Esse pacifista mundial e presidente do “Movimento Ativista da Paz”, tem cerca de 40 milhões de seguidores pelo mundo e defende o seguinte comportamento:

“SOMOS DONOS DA PALVARA GUARDADA E ESCRAVO DA PALAVRA FALADA” Portanto companheiros (as), uma equipe pronta para fazer essa imensa máquina, que é o STIG/SP, defender os interesses do trabalhador gráfico e funcionar em prol de um bem comum, tem que estar preparada, unida e principalmente abrandada. Ninguém ganha nada no grito, pelo contrário, muito se perde principalmente quem grita! Tal prática para disseminar o medo e inibir as manifestações legítimas de quem quer que seja dentro do nosso sindicato, jamais será aceita pela diretoria do STIG/ SP que ao contrário, está sempre em disposição de lutar por um ambiente onde se perpetua uma relação salutar de trabalho. Se cada diretor for capaz de se colocar no lugar da outra pessoa, fica mais fácil demostrar inteligência e equilíbrio postural diante de uma situação de contrariedade. Vamos juntos trilhar em prol da manutenção da nossa categoria, da nossa diretoria, dos funcionários e da nossa responsabilidade de diretores de base! Reynaldo Moises Primeiro Secretário do Conselho Consultivo/ Diretoria de Base

O Trabalhador Gráfico SEDE SOCIAL:

Rua da Figueira, 233 Parque D. Pedro II - SP Fone (011) 3311-4040

www.stig.org.br SUBSEDE LAPA:

Rua Domingos Rodrigues ,164 Alto da Lapa - Cep: 05075-000 Fone: (011) 2339-8799

subsedelapa@stig.org.br

Presidente: Gidalvo Gonçalves Silva Vice-Presidente: Augusto A. Barros Neto Secretária Geral: Elisângela de Oliveira Diretor Social: Daniel de Gouveia Tesoureiro–geral : Nilson do Carmo Pereira Tesoureiro-adjunto: Alex Fábio de Souza Patez Secretário–adjunto: Nelson da Silva Jornalista Responsável: Marli Romão - MTb: 19.577 Diagramação: Jaime Alves Feitosa

Todas as imagens/fotos, usadas nesta edição, foram autorizadas pelos envolvidos.

DIRETORIA EXECUTIVA EFETIVA

CURSOS:

INFORMÁTICA, INGLÊS e ESPANHOL

Companheiros (as)

SENAI:

Já foram formadas as salas do Curso do SENAI. Fiquem atentos para não perder essa oportunidade. A educação e a qualificação profissional são as chaves para se conseguir uma boa colocação no mercado de trabalho. Entre em contato com o STIG/SP pelo telefone (011) 3311-4040 e fale com os diretores Daniel Gouveia e Elisângela Oliveira.

Aqui no sindicato esses cursos continuam a todo vapor. Basta fazer sua matrícula. É o STIG/SP valorizando sua categoria!

CONFIRA

Horários: TERÇA: das 15 às 17 horas e das 18 às 20 horas QUINTA: das 15 às 17 horas e das 18 às 20 horas SÁBADO: das 09 às 11 horas das 11 às 13 horas e das 14 às 16 horas Atendimento: Terça: das 12 às 20 horas Quinta: das 12 às 20 horas Sábado: das 09 às 13 horas (Com Vera )

FUTEBOL STIG/SP: EQUIPES PROMETEM FORTES EMOÇÕES PARA 2013!

ESPORTE:

ARTIGO:

Respeito, Fidelidade e Equilíbrio

O campeonato deste ano virá com novidades: nosso objetivo é integrar os companheiros para que tenham entretenimento, saúde, lazer, esporte e diversão. Já contamos com várias equipes bem treinadas técnica e fisicamente, prontas para o enfrentamento esportivo no campo do CMTC Clube. Com um evento bem administrado, campo de futebol digno de grandes jogos, torcida bem instalada, estacionamento garantido, além de outros privilégios, o trabalhador fica feliz e tranquilo para participar das atividades. Não fique de fora dessa grande celebração de amizade da categoria. Com a sua participação teremos um belo e acirradíssimo espetáculo esportivo. Para esclarecer todas as dúvidas, as equipes podem contar com o diretor social Daniel Gouveia, (Foto), que é o responsável direto pela coordenação desse evento.

Basta ligar para o sindicato em horário comercial ou ligar no celular (11) 9 5766-4193 Lembre-se: o campeonato inicia em 02 de junho e termina em 04 de agosto. Até lá!


05_