Page 1


NA SUÉCIA, O BRASIL É CAMPEÃO! A Copa do Mundo FIFA de 1958 foi a edição da Copa do Mundo de Futebol. Sediada na Suécia, a competição ocorreu entre 8 de junho e 29 de junho envolvendo dezesseis seleções nacionais qualificadas para participar desta edição do campeonato, sendo 12 delas europeias (Suécia, Alemanha Ocidental, Áustria, França, Tchecoslováquia, Hungria, União Soviética, Iugoslávia, Inglaterra, Irlanda do Norte, Escócia, País de Gales) e 4 americanas (Argentina, Brasil, México e Paraguai). Após chegar perto

da conquista nas edições de 1938 (3º lugar) e de 1950 (vicecampeonato), a seleção brasileira montou para o campeonato mundial na Suécia um esquema que primava pela organização, comparado à completa bagunça dos anos anteriores. O esquema tático do técnico brasileiro Vicente Feola fazia com que Zagallo atacasse e recuasse para marcar no meiocampo, dando origem ao 4-3-3. A seleção embarcou em 24 de maio e realizou duas partidas amistosas na Itália: em Florença contra a Fiorentina (4-0) e Internazionale (4-0).

POSTER COPA DO MUNDO 1958


Estreando contra uma seleção europeia, agora era a Áustria. O Brasil não mostrou o seu melhor futebol, mas com qualidade e organização conseguiu a vitória por 3×0. Na segunda rodada, o único empate, um 0 a 0 contra a Inglaterra – o primeiro jogo sem gols da história das Copas. Na terceira partida contra a União Soviética, agora com Pelé e Garrincha na frente só foi preciso três minutos. Uma bola na trave, dois chutes bem defendidos pelo lendário goleiro Yashin e um gol de Vavá. Logo depois, Vavá marcaria mais um. Na quartas de final contra o País de Gales, o jogo mais complicado,

O sistema defensivo britânico sempre foi o grande destaque, mas Pelé conseguiu grande jogada com direito a chapéu e marcou o gol que iria garantir ao Brasil no mínimo o quarto lugar. A França, adversária das semifinais, era apontada como uma das melhores seleções da Copa. Tinha um ataque fantástico, comandado pelo artilheiro Just Fontaine. E Pelé novamente acabou com o jogo, com três gols, a seleção venceu por 5×2. Contra a dona da casa, a Suécia, o Brasil entrou em campo com uniforme azul. Com apenas 4’, a Suécia encontrou seu primeiro gol. Quatro

minutos depois, Vavá empatou e aos 32’, o mesmo Vavá conseguiu a virada. Melhor em campo, o Brasil continuou infernizando a defesa sueca. Pelé marcou o terceiro gol logo no começo do segundo tempo. Zagallo, aos 23min, fez o quarto gol. Simonsson ainda descontou, mas Pelé fez mais um e deu números finais à partida: 5 a 2. Enfim o Brasil era campeão da Copa do Mundo. Pelé chorava como uma criança, assim como todos os jogadores. Na volta olímpica, os jogadores foram aplaudidos pela torcida sueca.

"Vamos lá, acabou a moleza, vamos encher esses gringos de gols" Didi reage após a seleção brasileira sofrer o primeiro gol da Suécia na final da Copa.


sem pelé, brilha mané! brasil é bicampeão A Copa do Mundo FIFA de 1962 foi a sétima edição da Copa do Mundo de Futebol. Sediada no Chile, a competição ocorreu entre 30 de maio até 17 de junho envolvendo dezesseis seleções. Na Copa do Chile houve um novo recorde de inscrições. Cinqüenta e seis países se inscreveram para disputar as 14 vagas do Mundial. O Brasil, como país campeão, e o Chile, como anfitrião, estavam automaticamente classificados. Com uma seleção mantida após o título de 1958. O Brasil buscava o bicampeonato, apesar da troca de Vicente Feola por Aymoré Moreira no

comando técnico, dos 11 jogadores que atuaram na final anterior, 9 estavam na equipe que estreou no dia 30 de maio de 1962, contra o México: Gilmar, Djalma Santos, Nílton Santos, Zito, Garrincha, Didi, Vavá, Pelé e Zagallo. O Brasil dependeu de outro craque para levantar pela segunda vez o troféu de campeão mundial: Mané Garrincha. Com dribles desconcertantes, irreverência, cruzamentos precisos e chutes poderosos, o "gênio das pernas tortas" encantou os chilenos e foi considerado o melhor jogador do torneio.

POSTER COPA DO MUNDO 1962


No primeiro jogo contra o México, o ataque Garrincha, Pelé, Vavá e Zagallo não conseguia ultrapassar. Na etapa final, Zagallo aproveitou cruzamento de Garrincha aos 11min e abriu o placar. Aos 28min, o mesmo Zagallo passou para Pelé, que driblou o zagueiro Sepúlveda e fechou o placar da vitória por 2 a 0. Na partida seguinte, contra a Tchecoslováquia, o elenco brasileiro sofreu um duro golpe: Pelé se machucou e foi obrigado a abandonar o torneio. O jogo terminou 0 a 0 e, além da perda de seu principal jogador, o Brasil teve que lutar contra o desânimo. Amarildo estreou no lugar de Pelé contra

a Espanha, e não se intimidou com a responsabilidade. Foram dele os dois gols da vitória brasileira por 2 a 1. O jogo ficou lembrado por uma ajuda do árbitro - Primeiro, ele não marcou pênalti claro de Nílton Santos em Collar - esperto, o lateral deu um passo para fora da área após cometer a falta e enganou o juiz. Na sequência do lance, Peiró acertou uma bela bicicleta. Mas Bustamante anulou o que seria o segundo gol espanhol. A partir das quartas de final, quem brilhou e decidiu foi a estrela de Garrincha. No jogo das quartas de final, contra a Inglaterra, Garrincha foi o grande destaque, marcou duas vezes e a seleção venceu por 3×1. Na semifinal,

Mané continuou liderando o ataque brasileiro contra o Chile. Marcou os dois primeiros, Vavá os outros dois, e o Brasil goleou o Chile por 4 a 2. Na final ou éramos bicampeões ou perderíamos esta segunda conquista. Contra a Tchecoslováquia seria mais um grande jogo. Logo aos 15’, Kadabra fez linda jogada e marcou o primeiro gol da final. Mesmo com o gol, a seleção brasileira seguia ‘’ligado’’ na partida, dois minutos depois, Amarildo – o substituto de Pelé – empatou a partida. Em seguida, Zito virou o placar, de cabeça. E aos 33’, goleiro tcheco Schrojf falhou e Vavá matou o jogo.

"De que planeta veio Garrincha?" Manchete do jornal chileno "El Mercurio" questiona a 'origem' do Mané Garrincha


A JULES RIMET É NOSSA! É TRICAMPEÃO! Começarei do fim desta vez, como é bom escrever sobre mais um título brasileiro! Em 1970, a taça Jules Rimet foi nossa para sempre, ou melhor, até roubarem e a derreterem. A Copa do Mundo FIFA de 1970 foi a nona edição da Copa do Mundo de Futebol. Sediada na México, a competição ocorreu entre 31 de maio e 21 de junho envolvendo dezesseis seleções classificadas sendo elas: 9 delas europeias (União Soviética, Bélgica, Itália, Suécia, Inglaterra, Romênia, Tchecoslováquia, Alemanha Ocidental e Bulgária), 5 americanas (México, El Salvador, Uruguai,

Brasil e Peru), 1 asiática (Israel) e 1 africana (Marrocos). Seriam seis jogos novamente, mas novamente, o amadorismo foi deixado de lado e houve uma boa preparação. Após o fracasso na Copa passada, Zagallo após demissão, foi recolocado no cargo e comandaria o Brasil em 1970. A comissão técnica, pela primeira vez, contava com uma equipe completa, com preparador físico, médico e massagista. Um minucioso trabalho de aclimatação, prática inédita até então, deixou os jogadores em condições de suportar a e o calor.

POSTER COPA DO MUNDO 1970


A estreia contra a Tchecoslováquia foi complicada, após sair perdendo o Brasil conseguiu a virada. Pelé e Jairzinho (duas vezes) viraram o placar para 4 a 1. Neste jogo, um dos lances mais incríveis da história dos mundiais aconteceu: Pelé chutou do meio do campo na tentativa de encobrir o goleiro Viktor, mas a bola passou a centímetros da trave tcheca. Brasil e Inglaterra fizeram um duelo à altura de suas tradições na segunda rodada. A seleção brasileira não contou com Gérson, contundido, e só conseguiu o gol no segundo tempo: Tostão driblou quatro adversários e tocou para Pelé, que passou para Jairzinho garantir a suada vitória. Novamente, Pelé ficaria lembrado para sempre, mas agora com a ajuda de Gordon Banks, em forte cabeceio no canto baixo e

milagrosamente, Gordon Banks conseguiu a defesa mais bonita da história do futebol. O Brasil não teve Rivellino e Gérson contra a Romênia. Pelé, de falta, e Jairzinho deram a vantagem por 2 a 0 na metade do primeiro tempo. Os romenos diminuíram com Dumitrache e seguiram em busca do empate. Porém, Pelé fez o terceiro e tranquilizou a equipe, que ainda levaria mais um, de Dembrowki (3 a 2). Nas quartas de final, o Brasil deu show e o Peru foi goleado por 4 a 2. Na semifinal, o Uruguai saiu na frente, mas cedeu o empate em grande jogada de Clodoaldo e levou a virada no segundo tempo, com gols de Jairzinho e Rivellino. Com o placar de 3×1, o Brasil chegava a mais

uma final. Na final, Brasil e Itália disputariam quem ficaria com a posse definitiva da Jules Rimet. A seleção europeia começou melhor levando perigo ao gol de Felix. O Brasil se recuperou e marcou o primeiro em lindo cruzamento de Rivellino e cabeceio de Pelé! Brasil 1×0! A festa brasileira no estádio estava fantástica. Porém, poucos minutos depois, Felix saiu errado, confundiu-se com a zaga e Boninsegna empatou. No segundo tempo, a seleção voltou com tudo, Pelé desperdiçou grande chance. Logo após, Gérson limpou e conseguiu lindo chute no canto esquerdo do goleiro italiano. Brasil na frente novamente! A Itália estava abalada, Pelé ajeitou para Jairzinho marcar e fechar o caixão europeu. Aos 42’, Pelé passa para Carlos Alberto marcou um dos gols mais memoráveis da história das Copas do Mundo. Brasil 4×1 Itália!! Somos tricampeões do mundo!

"Seremos os primeiros a chegar e os últimos a irem embora." Técnico Zagallo, sobre o período de preparação da seleção no México


A JULES RIMET É NOSSA! É TRICAMPEÃO! Depois da trágica Copa de 1990, o Brasil do técnico Parreira chegava como azarão para o mundial dos Estados Unidos, em 1994. Taxado de time retranqueiro, a dupla Bebeto e Romário resolveu a Copa e ganhou o tetra – eternizado na voz de Galvão Bueno – tão esperado.

POSTER COPA DO MUNDO 1994


As duas primeiras partidas na competição foram vitórias seguras e sem grandes estardalhaços. 2 a 0 na Rússica, gols de Romário e Raí, que viria a ser reserva no resto do mundial, e o segundo jogo outra vitória tranquila. 3 a 0 sobre Camarões, gols de Romário, Márcio Santos e Bebeto. Já classificada, a seleção enfrentou a Suécia e teve, até então, sua pior partida no torneio. Empate com os suecos e Romário marcando o gol de empate da seleção canarinho. As oitavas-de-final foi contra os donos da casa, os Estados Unidos. A partida ocorreu exatamente no dia 4 de Julho, data da independência dos EUA. O jogo ficou marcado pela cotovelada do lateral direito Leonardo em Tab Ramos, deixando o Brasil com um a menos e dificultando a classificação. Mas a dupla

Romário e Bebeto estava afiada e o baixinho tocou para Bebeto marcar gol e comemorar com o famoso “embala neném”. Contra a Holanda, o Brasil fez sua melhor apresentação no torneio. Abriu 2 a 0 logo no início da partida, com Romário e Bebeto. Mas a equipe deixou os holandeses empatarem e o criticado lateral esquerdo Branco acertou um chutaço (que Romário desviou por milímetro) em cobrança de falta para garantir a vitória e classificação às semifinais do torneio. Na semifinal, de novo a Suécia no caminho. Desta vez um jogo mais tranquilo com o Brasil dominando, mas sem pôr a bola na rede. O time do técnico Parreira acabou vencendo pelo placar mínimo de 1 a 0

com um gol inusitado: Romário de cabeça. O Brasil chegava à final do torneio. A final contra a Itália era a reedição da final de 1970 após 24 anos. A decisão consagraria a primeira seleção a se tornar tetracampeã mundial. Na partida, o Brasil buscou o ataque a todo instante, mas a bola teimava em não entrar e Pagliuca ainda contou com a sorte em lance que a bola “beijo a trave” e ele beijo, literalmente, a bola após o lance. Depois de 120 minutos de futebol sem gols, a Copa do Mundo seria decidida pela primeira vez em cobranças de pênaltis. Nas cobranças Taffarel defendeu uma e viu Baresi e Baggio, melhores jogadores italianos, chutarem para fora.

"Senna, aceleramos juntos. O tetra é nosso"

Faixa exibida pelos campeões em menção ao maior piloto da história do Brasil que morreu naquele ano.


A JULES RIMET É NOSSA! É TRICAMPEÃO! A Copa do Mundo FIFA de 2002 foi a décima sétima edição da Copa do Mundo de Futebol. Sediada na Coréia do Sul e Japão, a competição ocorreu entre 31 de maio e 30 de junho com trinta e dois participantes. O Brasil vindo da decepção de 1998 e buscava o quinto título. O Brasil preparavase de forma desastrosa após a eliminação para Honduras na Copa América de 2001. Luiz Felipe Scolari assumia a seleção. Suada, a vaga só veio na última rodada, graças a uma vitória contra a Venezuela por 3×0 com dois gols de Luizão.

Scolari começou a reconstruir a equipe. Sem grandes esperanças de ver o Brasil conquistar o título. O técnico apostou na recuperação de Ronaldo e Rivaldo, que vinham de graves contusões, manteve suas convicções até o fim e foi recompensado.

POSTER COPA DO MUNDO 1970


O primeiro jogo diante da Turquia, foi duro. Os europeus saíram na frente, mas Ronaldo conseguiu o empate que já era considerado um grande resultado. Quando o 1 a 1 parecia assegurado, Luizão cavou um pênalti (havia sido derrubado de forma duvidosa fora da área), que Rivaldo converteu. Nas outras duas partidas da primeira fase, duas vitórias fáceis, como já era de se esperar. 4×0 diante da China e 5×2 contra a Costa Rica com direito a gol de bicicleta de Edmílson. Nas oitavas de final, o adversário era a Bélgica, segunda colocada do grupo H. O Brasil quase saiu perdendo após Wilmots marcar de cabeça para a equipe europeia, porém o árbitro jamaicano anulou equivocadamente o gol. Passado o susto,

Rivaldo fez um golaço e Ronaldo, completando contra-ataque, fechou a complicada vitória por 2 a 0. Nas quartas de final, outro jogo que ficou para a história de todos brasileiros. O nome do craque que brilhou é Ronaldinho Gaúcho. Contra a Inglaterra, mais um jogo duro e complicado. Os ingleses aproveitaram uma falha de Lúcio e abriram o placar no início do jogo. Já nos acréscimos do primeiro tempo, Ronaldinho fez grande jogada individual e serviu Rivaldo, que bateu de primeira e empatou. Na segunda etapa – o gol que todos lembram – de muito longe, o goleiro Seaman adiantou-se na cobrança de falta e Ronaldinho bateu com perfeição para marcar. A Turquia voltou a cruzar o caminho

brasileiro na semifinal. O jogo foi novamente muito complicado, porém Ronaldo, novamente ele, inspirado na Copa do Mundo daquele ano, marcou de bico e selou a classificação. Na final, a Alemanha estava no caminho do Brasil. O jogo nervoso seguiu até os 22min do segundo tempo, quando Ronaldo roubou a bola e serviu Rivaldo. Kahn não segurou o chute do meia, e a bola sobrou limpa para o Fenômeno fazer 1 a 0. Logo depois, Ronaldo marcou o segundo e definiu o pentacampeonato do Brasil. Coube ao capitão Cafu, único jogador a disputar três finais consecutivas em Copas, a honra de levantar a taça do pentacampeonato brasileiro.

"O Cafu já vinha me alertando que o goleiro deles jogava adiantado. Eu chutei no gol e fui feliz" Ronaldinho Gaúcho, sobre seu gol contra a Inglaterra

Anteprojeto As Copas do Brasil  

Anteprojeto da história das Copas que o Brasil saiu vencedor.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you