__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

Foto: Rodrigo Andrade

REVISTA

EDIÇÃO 4 | ANO 2018

Ortopedia Pediátrica trauma de alta energia Segundo Curso da OTC Brasil no país foi realizado em Belém com apoio da SBOT-PA

Simpósio contou com participação de grandes especialistas

Gestão 2018 Apoio da SBOT-PA foi fundamental em congressos nacionais


TIME DE ALTA PERFORMANCE EM ORTOPEDIA

A TROPA DE ELITE DA ORTOPEDIA NA REGIÃO.

Mas além de tudo isso, o Porto Dias tem o Time de Alta Performance em Ortopedia (TAPO), uma equipe de profissionais da mais alta qualificação, respeitada até pela concorrência. Coisa de hospital de primeiro mundo. Coisa de quem está na elite da saúde na região.

Porto Dias

EMERGÊNCIA

24 h

Diretora Técnica – Dra. Marcia Milene Ribeiro Ferreira CRM-PA 6928

Ninguém é referência por acaso. O Porto Dias é o único hospital de alta complexidade do Norte que atende urgências e emergências 24 horas com cirurgiões, clínicos, ressonância magnética e tomografia computadorizada. É o único da região equipado com o sistema “Da Vinci”, uma revolução na cirurgia robótica.

www.hpd.com.br


SUMÁRIO

44

MÃOS EM AÇÃO

Simpósio de Trauma de Alta Energia

42 + sbot pará

6

5

BELÉM 400 ANOS

posse

EDITORIAL

10

PREPARAÇÃO PARA O CÍRIO

REUNIÃO CLÍNICA

12

CÍRIO 2016

52

MEMBROS SUPERIORES

14

NATAL SOLIDÁRIO

54

16

ONCOLOGIA

DOUTORES SOBANIA CARROSSEL

20

OMBRO E COTOVELO CIRURGIA DO JOELHO

PRESIDENTES

20

FÓRUM SBOT 2016 EM FORTALEZA

22

IV FÓRUM NACIONAL DAS REGIONAIS

58

24

DEFESA PROFISSIONAL

59

26

REGIONALIZAÇÃO

28

Jornada do joelho e cotovelo ............................... 30 HOMENAGENS PÓSTUMAS 62

30

Círio de Nazaré ........................................................ 42 ORTOPEDISTA HOMENAGEADO 2016 63

32

56

40

XIX Congresso Médico Amazônico ...................... 24

60

Fogos de Artifício .................................................... 26 XXI CONCAN ............................................................. 36 Simpósio Residentes ............................................. 46

COMUNICAÇÃO 2016 da SBC .................................64 4º Curso Intinerante 50

38

MENSAGENS ESPECIAIS

CARNAVAL SEM TRAUMAS

40

ORTOPEDISTAS DO PARÁ TITULARES DA SBOT

32

57

Editorial ....................................................................... 5

AGENDA

RECONSTRUÇÃO E ALONGAMENTO ÓSSEO

50

16

cbcoc

CLUBE DO PÉ

simpósio de ortopedia pediátrica

46

+ sbot pará

PEC

1º PEDALA HOL

cboo

CONGRESSO MÉDICO AMAZÔNICO

6

curso sbot-pa

POSSE DA DIRETORIA 2016

50º CBOT ................................................................... 52

33

EVENTOS 2016 Natal dos Amigos Solidários 2018 ......................67 54 Mensagens Especiais ............................................ 56

68

Ortopedista Homenageado 2018 ......................... 57

Lista dos Membros Titulares ............................... 58

69

EXPEDIENTE expediente Editor-chefe da quarta edição: Luciano Barboza / Diretoria SBOT-PA 2018 Produção editorial: Levant Multimídia & Tecnologia Projeto gráfico e edição de arte: Levant Multimídia & Tecnologia Reportagem: Cecília Lobão e Lissa de Alexandria Fotos: Helena Farias, Paulo Favacho, Rodrigo Andrade e Elizeu Pureza Edição: Cecília Lobão Diagramação: Leonardo Macedo e Daniela Botelho Foto de Capa: Parque Estadual do Utinga


Editorial título

A

ssumir a presidência da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia - Regional Pará (SBOT-PA) foi um grande desafio devido a enorme responsabilidade inerente ao cargo e pela excelência de gestão mantida pelos meus antecessores. Sempre gostei de desafios e inicio o ano com a certeza de grandes realizações no mandato. Um dos pilares mais importantes da SBOT-PA, a educação continuada, foi um dos carros-chefe da nossa gestão. Demos início às reuniões clínicas mensais com temas importantes para o exercício profissional da ortopedia, abrindo o ciclo de reuniões com o tema “Fratura Exposta” e finalizando com o tema “Osteomielite”. Durante o ano, foram realizados diversos cursos dentre os quais podemos destacar o Curso de Microcirurgia em conjunto com a Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão (SBCM) regional Norte e Nordeste, o Simpósio de Trauma de Alta Energia (OTC-BRASIL) e o 4º Curso Itinerante da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Coluna (SBC), dentre outros. Também tivemos a oportunidade de contribuir para a realização de dois grandes congressos brasileiros de sub-especialidades: o XI Congresso Brasileiro de Oncologia Ortopédica e o XII Congresso Brasileiro de Ombro e Cotovelo, com grandes nomes da nossa ortopedia e professores estrangeiros. Bem como, em novembro, a diretoria participou ativamente do 50º Congresso Brasileiro de Ortopedia e Traumatologia (CBOT). Em relação às Campanhas Nacionais envolvendo nossa diretoria, residentes e estudantes de medicina em ações conjuntas à população, dentre as quais podemos destacar: ‘Ação preventiva contra fogos de artificio’; o treinamento de voluntários da Casa de

Plácido no período do Círio de Nazaré. Nessa época foi realizada também uma doação de alimentos para esta instituição. Em relação à defesa profissional lutamos em prol da categoria em busca de melhores condições de trabalho e na negociação dos honorários médicos com os planos de saúde. Quanto à responsabilidade social da nossa entidade, em dezembro, novamente apoiamos a campanha do Natal dos Amigos Solidários, desta vez na comunidade de Santa Maria do Pará, com a realização de atendimento médico à população carente, distribuição de medicamentos e cestas básicas, entre outras atividades. E para finalizar, gostaria de falar sobre o projeto “Seja um Membro Titular da SBOT” que foi proposto no começo da minha gestão, em parceria com a SBOT Nacional, para auxiliar ortopedistas ainda não titulados pela SBOT a obterem o título de especialista da sociedade. Atualmente, estou muito feliz por contar com dois colegas que irão prestar a prova de título este ano. Foi um ano de muito trabalho, situações difíceis, mas também de muitas alegrias. Deixo a presidência com a certeza do dever cumprido e que meu sucessor irá continuar o trabalho. Muito Obrigado a todos!

Luciano Barboza

Presidente da SBOT PARÁ 2018.

REVISTA SBOT - PA 2018 • 5


POSSE DIRETORIA 2018 SOCIEDADE PARAENSE DE ORTOPEDIA APRESENTA PLANEJAMENTO DE NOVA GESTÃO

L

uciano Elias Barboza assumiu a direção da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – Regional Pará no dia 27 de janeiro de 2018, em cerimônia realizada para membros da entidade de classe e convidados, em Belém. O cargo foi repassado

por Reginaldo Moura, momento no qual, pela primeira vez, utilizou-se um Fêmur de ouro para representar a transição de gestão. Apesar da saída do cargo de presidente, Reginaldo Moura permaneceu na Diretoria 2018 como diretor de integração.

Confira abaixo os nomes que formam a Diretoria SBOT-PARÁ 2018, que pela primeira vez inclui uma mulher em sua composição:

Diretoria 2018 Presidente LUCIANO ELIAS BARBOZA Vice-presidente HILMAR TADEU DA SILVA FERREIRA JUNIOR Primeiro Secretário IVALDO ÂNGELO CINTRA JÚNIOR Segundo Secretário JOÃO ALBERTO RAMOS MARADEI Primeiro tesoureiro EDMILSON BRABO FARIAS Segundo tesoureiro NICODEMOS VAZ DA SILVA JÚNIOR Diretor de marketing FÁBIO SANTANA DE OLIVEIRA BRUNO BRASIL DO COUTO

6 • REVISTA SBOT - PA 2018

Diretor científico RUI SÉRGIO MONTEIRO DE BARROS Diretor de ensino e treinamento JEAN KLAY SANTOS MACHADO MARCUS AURÉLIO PRETTI Diretor de integração FERNANDO BRASIL DO COUTO FILHO REGINALDO MAURÍCIO RIOS DE MOURA Diretor(a) de defesa profissional MAGALI SOARES DE ARAÚJO CARLOS ALPHEU MELLO R. JÚNIOR Delegado Oeste do Pará EMMANUEL SILVA Delegado Nordeste do Pará MAURÍCIO AYRES DE OLIVEIRA


POSSE DIRETORIA 2018

Dr. Jean Klay Machado

Dr. Hilmar Tadeu, Dr. Luciano Barboza e Dr. Reginaldo Moura

Dr. Bruno Brasil

Dr. Edmilson Farias

Dr. Carlos Alpheu

Dr. Fábio Santana

Dr. Magali Araújo

Dr. Mauricio Ayres

Dr. Ivaldo Cintra Junior

Dr. Rui Barros e esposa

Dr. Luciano Barboza e esposa

Dr. Luiz Henrique e esposa

REVISTA SBOT - PA 2018 • 7


POSSE DIRETORIA 2018 SOCIEDADE PARAENSE DE ORTOPEDIA APRESENTA PLANEJAMENTO DE NOVA GESTÃO

N

a ocasião, Luciano Barboza apresentou o planejamento da regional para o novo ano. Além das já tradicionais reuniões clínicas, que visam a atualização de estudantes da área da saúde e de profissionais, a SBOT Pará apoiou eventos de grande porte como XI Congresso Brasileiro de Oncologia Ortopédica, que foi realizado pela primeira vez no estado do Pará, e o XII Congresso Brasileiro de Cirurgia do Ombro e Cotovelo, os quais trouxeram profissionais de renome internacional para falar de suas especialidades na capital paraense. Ações de responsabilidade social e relacionadas à defesa

Dr. Reginaldo, e esposa, Dr. Rui Barros e Dr. Luciano Barboza

8 • REVISTA SBOT - PA 2018

profissional também integraram o planejamento 2018 da Sociedade paraense. A cerimônia de posse ainda homenageou o Dr. Rui Barros com a placa “Destaque da Ortopedia 2017” por toda sua contribuição prática e acadêmica à comunidade médica. Os candidatos ao comando da SBOT PARÁ para o ano de 2019, representados pelo médico ortopedista Hilmar Tadeu, apresentaram suas propostas para o ano seguinte e foram eleitos por unanimidade na noite do dia 27.

Dr. Rui Barros e família

Dra. Marcela Machado e Dr. Jean Klay Machado


POSSE DIRETORIA 2018

Dr. Hilmar Tadeu

Dr. Luciano Barboza e Dr. Bruno Brasil

Comissão organizadora da festa de posse

Doutores Marcus Preti, Reginaldo Moura, Luciano Barboza e Heribert Pidner Neto

Diretores da SBOTPA com membros da LATOPA

Dr. Marcus Preti e Dr. Hilmar Tadeu

Residentes em Ortopedia e Traumatologia

Dr. Hilmar e esposa, Dr. Reginaldo e esposa, Dra. Marcela Machado e Dr. Jean Klay, Dr. Marcelo Krause, Dr. Antonio Dias e Dra. Adriana Dias

Doutores Marcus Preti, Reginaldo Moura, Luciano Barboza e Hilmar Tadeu

Dr. Reginaldo Moura e Dr. Luciano Barboza

REVISTA SBOT - PA 2018 • 9


Simulado RESIDENTES SE PREPARAM PARA O TEOT

P

elo 4º ano consecutivo, a SBOT-PA realizou simulado para residentes dos serviços de residência em Ortopedia e Traumatologia do Hospital Porto Dias e do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência. Residentes do primeiro e segundo ano participaram como ouvintes, já como um preparo prévio para a prova de título. Os residentes do último ano tiveram de treinar o que aprenderam durante a residência controlando tempo e nervosismo. “Os dois primeiros anos são mais tranquilos, pois estamos ali como ouvintes, mas no terceiro ano estamos ali, naquele simulado, para alcançar o próximo da perfeição. Considero mesmo como se fosse um rito de passagem, quando se percebe que a prova de título está chegando”, disse residente do

10 • REVISTA SBOT - PA 2018

último ano do Serviço de Residência do Porto Dias, Maurício Camara. Para o residente Edicarlos Araújo, do Serviço do Hospital Metropolitano, o simulado é uma vitória para os serviços. “O simulado é de extrema importância porque nos dá uma noção muito grande de como vai ser a prova de título e conseguimos observar como está nossa preparação, e ter essa oportunidade aqui é uma vitória porque nem todos os serviços têm, e é algo que traz um conhecimento a mais para quem faz a residência aqui e para quem vem realizar o simulado em Belém”. O maranhense Fernandes Junior realizou sua graduação na capital paraense e optou por fazer residência em Santa Catarina. Ele voltou à capital para fazer sua preparação final. “Fiz a faculdade aqui


Simulado em Belém e quando busquei a residência, fui atrás de algo parecido com o Serviço daqui e então optei por fazer a revisão final em Belém. E foi bom para ver como vai ser e até para controlarmos tempo e outros fatores como o nervosismo”, explicou Fernandes. O simulado teve como professor convidado, o ortopedista de Recife, Marcelo Krause. Para ele, os residentes estão bem preparados. “O simulado contemplou todas as fases da prova de título e achei os residentes muito bem preparados. Ter esta preparação antes do certame final é muito interessante, pois eles passam por todas as etapas, a discussão de casos

clínicos, habilidades, exames físicos, atitudes, se concentram, tudo bem próximo de como será. É uma atitude louvável da regional”, parabenizou. Para o presidente da SBOT-PA, Luciano Barboza, o simulado representa o momento de avaliar residentes e o trabalho feito durante a residência. “O nosso principal objetivo é avaliar os três anos que temos trabalhado para dar condições ao residente de fazer um trabalho sério junto à população e passar na prova do título; mas também de avaliar o que podemos melhorar enquanto ensino para eles”.

REVISTA SBOT - PA 2018 • 11


REUNIÃO CLÍNICA – MARÇO PROGNÓSTICO BEM REALIZADO PODE MUDAR DIAGNÓSTICO DO PACIENTE

O

prognóstico na sala de emergência é fundamental, principalmente em se tratando de fratura exposta. A questão foi bem enfatizada na Reunião Clínica do mês de março, realizada pela SBOT-PA no auditório da Unimed Estação Saúde. Os palestrantes concordaram que cuidados tomados logo na chegada do paciente podem mudar o diagnóstico do paciente. De acordo Dr. Jean Klay Machado, princípios como profilaxia do tétano em fratura exposta, por exemplo, é importantíssimo e qualquer médico deve saber. “Tíbia e ossos da mão são as áreas mais afetadas quando se trata de fratura exposta, então é necessário esse cuidado, mas se a fratura for na pelve, ela não está menos sujeita a riscos, a fratura ainda é exposta mesmo sendo em cavidades”, detalhou. O especialista lembra ainda que além de um bom prognóstico, outros fatores determinam o futuro do paciente. “Não importa quanto tempo a fratura está lá, o que define o sucesso do tratamento é a conduta adotada e o tipo de fratura. Mas fratura exposta tratada é fratura exposta fixada”, informou. O tema foi debatido também pela infectologista, Paula Miranda, que abordou uso de antibiótico nos diferentes graus de fratura. “A ferida deve apresentar-se seca ao final, caso contrário, é

12 • REVISTA SBOT - PA 2018

considerada infectada, tendo de passar por nova limpeza cirúrgica. Apenas mudar o antibiótico não basta, o tratamento deve ser ajustado de acordo com o resultado de culturas”, ressalta Paula. Em casos de tratamentos de infecções agudas, a avaliação clínica deve ser diária com a conferência de sinais vitais, da ferida, e devem ser feitos exames laboratoriais; à medida que o quadro for evoluindo, os exames podem ficar mais espaçados e, assim, é possível avaliar a alta do paciente. Ainda sobre a atuação em fraturas expostas, o cirurgião plástico, Fabiel Vendramin, diferenciou enxertos e retalhos utilizados nesses casos. “Enxerto é o tecido retirado de um local do corpo e transferido para outro, sem manter conexões vasculares, tendo sua nutrição dependente do local receptor. Já o retalho é um segmento de tecido nutrido por um pedículo próprio”, explicou. Nesses tratamentos, o cirurgião plástico deve cobrir o máximo possível o osso, mas sem tensão excessiva, e pensar em outras opções caso tenha problemas com a primeira escolha no tratamento. “O cirurgião deve ter conhecimento geral e específico do retalho que vai realizar, e também saber evitar, reconhecer e tratar as complicações que podem ocorrer”, finalizou Vendramin.


REUNIÃO CLÍNICA – abril SÍNDROMES DOLOROSAS DO QUADRIL ADULTO É TEMA DA REUNIÃO CLÍNICA DE ABRIL

D

or miosfascial ao nível do quadril e dor glútea profunda foram os assuntos debatidos na Reunião Clínica do mês de abril da SBOT-PA, realizada no auditório da Unimed Estação Saúde, em Belém. A reumatologista Carolina Kahwage e o ortopedista Fábio Moriya foram os palestrantes. A falta de achados em exames que comprovem alterações, faz da dor miofascial ter alto índice de mal diagnósticos. De acordo com Carolina Kawage, na prática, somente história clínica, um exame físico cuidadoso, incluindo palpação e exame funcional, são capazes de identificar a Síndrome Dolorosa de Glúteo Máximo, Médio e Piriforme. A reumatologista ainda falou sobre a fisiopatologia da formação dos pontos gatilhos e repercussão no tecido muscular, assim como alteração da biomecânica prejudicada nestes casos. As formas de tratamento com modalidades físicas, anti-inflamatórios, liberação miofascial, alongamento e mudança de maus hábitos posturais também foram pontuados pela especialista. Com relação à Síndrome da dor Glútea Profunda, Fábio Moriya disse que as causas são multifatoriais, mas as duas principais são as bandas fibrovasculares e compressão do nervo relacionado com os músculos rotadores externos do quadril, que podem incluir o músculo piriforme. A anatomia local e as condições patológicas que causam dores, podem confundir os especialistas.

14 • REVISTA SBOT - PA 2018

De acordo com o ortopedista, os testes terapêuticos podem ser realizados para esclarecer o diagnóstico e a imagem de ressonância magnética é, atualmente, o exame de escolha e pode influenciar o diagnóstico e o tratamento desses pacientes. Para discutir o assunto, o também ortopedista, Hermes Feitosa, apresentou um caso debatido pelos médicos Jonny Fabricio, Luciano Barboza, Rogério Gomide e Ricardo Bezerra, pelo fisioterapeuta, João Venâncio, e pelos dois palestrantes.


+ sbot pará cboo é realizado pela primeira vez no Norte do país

N

os dias 19, 20 e 21 de abril, Belém do Pará recebeu o XI Congresso Brasileiro de Oncologia Ortopédica (CBOO). O evento, promovido pela Associação Brasileira de Oncologia Ortopédica (ABOO), foi realizado no Hangar – Centro de Convenções da Amazônia e recebeu mais de 300 participantes. O CBOO é o mais importante evento da especialidade no país e levou nomes renomados internacionalmente: Akihiko Takeuchi (Japão), Henk van de Meent (Holanda), Valerae Lewis (Estados Unidos), Mark Scarborough (Estados Unidos) e Adesegun Abudu (Inglaterra). “O Congresso foi um sucesso. Tivemos recorde de participantes e conseguimos trazer cinco convidados internacionais, o que elevou muito o

16 • REVISTA SBOT - PA 2018

nível das palestras, juntamente com as referências nacionais, e essa qualidade técnica é sempre pauta da ABOO. Além disto, avaliamos os novos membros da Associação através de prova escrita e oral e o desempenho foi ótimo, o que significa que os nossos centros formadores estão fazendo um excelente trabalho dentro da nossa especialidade. O treinamento relacionado ao tipo de tumor que trabalhamos é extremamente complexo e longo, então a boa preparação dos novos profissionais é importantíssima”, disse o presidente da ABOO, André Mathias Baptista. O evento contou com cinco palestras nacionais, nove internacionais, mesas redondas modernas com discussões de casos, cross fires com defesas de técnicas, temas livres e exposição de pôsteres.


cboo

No XI CBOO foram apresentadas novas técnicas e apresentado o Protocolo Parity, já adotado no Brasil. O Dr. Elio Consentino, presidente de Honra do Congresso, foi homenageado no evento com uma placa de homenagem pelos serviços prestados à especialidade; e o Dr. Olavo Pires de Camargo recebeu o prêmio que leva o nome de se pai, Dr. Flávio Pires de Camargo, pela grande atuação na Oncologia Ortopédica.

“Realizar esse evento aqui em Belém era um sonho meu e a minha sensação é de dever cumprido. O apoio da ABOO, dos parceiros e patrocinadores foi fundamental para o sucesso e qualidade técnica do XI CBOO”, finalizou o presidente do Congresso, Fernando Brasil.

REVISTA SBOT - PA 2018 • 17


cboo

18 • REVISTA SBOT - PA 2018


cboo

REVISTA SBOT - PA 2018 • 19


Vídeo Microcirurgia É TEMA DE CURSO DA SBOT-PA

A

SBOT-PA realizou o I Curso de Microcirurgia SBOT-PA, o VII Curso Teórico Prático de Microcirurgia Experimental LCE – UEPA e o Curso de Microcirurgia da Regional Norte Nordeste da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão. O curso foi dividido em dois módulos. Nos dias 27 e 28 de abril, no auditório da Unimed Estação Saúde, foi realizada a parte teórica da programação que contou com a participação: Prof. Dr. Teng Hsiang Wei, Prof. Gustavo Bispo e Prof. Dr. Samuel Ribak.

20 • REVISTA SBOT - PA 2018

Para o professor convidado, Dr. Samuel Ribak, representante da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão (SBCM), a realização de eventos como o que a SBOT-PA realizou é muito importante para a popularização e reconhecimento da especialidade. “Nesse curso nós vimos a possibilidade de se fazer a microcirurgia sem o uso de microscópio, com vídeo microcirurgia. Uma técnica super interessante que está sendo desenvolvida e que precisa ser difundida em outros centros, como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte”, afirmou o professor.


O coordenador do evento foi o Dr. Rui Barros, ortopedista especialista em mão e um dos pioneiros da vídeo microcirurgia. “Essa é uma linha de pesquisa desenvolvida no Laboratório de Cirurgia Experimental da Universidade do Estado do Pará, coordenada por mim, em que tenta substituir o microscópio cirúrgico por um sistema de vídeo de baixo custo. Nosso papel aqui é despertar o interesse e estimular os estudantes de medicina a caminharem por esse ramo da microcirurgia que é tão carente na Região Norte”, explicou o prof. Dr. Rui Barros.

Nos dias 5 e 6 de maio, foi realizado o segundo momento da programação que contou com a parte prática do curso. A atividade foi realizada no Laboratório de Cirurgia Experimental da UEPA. Os participantes puderam praticar a realização de suturas por meio da vídeo microcirurgia. “A experiência foi excelente. O vídeo é um recurso que além de ampliar o campo de visão do cirurgião, permite que quem está acompanhando também participe e visualize aquilo que está acontecendo no campo cirúrgico”, concluiu o Dr. Paulo Braga, participante do curso prático que foi realizado na programação.

REVISTA SBOT - PA 2018 • 21


REUNIÃO CLÍNICA – junho REUNIÃO CLÍNICA DEBATE FRATURA E LUXAÇÃO DO JOELHO

A

s fraturas e luxação do joelho foi o tema escolhido para a Reunião Clínica da SBOTPA realizada no dia 07 de junho, no auditório do Hospital Adventista de Belém. O ortopedista Dr. Hilmar Tadeu e o cirurgião vascular Dr. Adenauer Góes Junior foram os palestrantes convidados. Para a primeira aula, Dr. Hilmar Tadeu falou sobre o atendimento inicial que deve ser feito no paciente que chega ao pronto socorro com algum quadro de fratura ou luxação no joelho. No segundo momento, o Dr. Adenauer Góes Jr. abordou as lesões vasculares traumáticas nas luxações e fratura do joelho, qual deve ser a conduta e o processo para diagnóstico. Ele ressaltou a importância da relação do cirurgião com o ortopedista neste momento. Para discutir o assunto, o também ortopedista, Dr. Ivaldo Cintra, expôs um caso clínico que foi debatido pelos palestrantes e também pelos médicos Dr. Jean Klay, Dr. Luís Henrique, Dr. Nicodemos Vaz e pelo fisioterapeuta, João Venâncio.

22 • REVISTA SBOT - PA 2018


Trav. Nove de Janeiro, 210 sala 705. Bairro Sรฃo Brรกs. CEP:66.060-585 (91)3229-0434 | 98425-6364

administrativo@biotechsaude.com.br

www.biothecsaude.com.br


+ sbot pará DIRETORES DA SBOT-PA PARTICIPAM DO XIX CONGRESSO MÉDICO AMAZÔNICO

E

ntre os dias 23 e 25 de junho, foi realizado o XIX Congresso Médico Amazônico, com o tema ‘Saúde, Inovação Científica e Qualidade de Vida’. O evento possui grande representatividade na área médica por reunir boa parte das especialidades da saúde com a presença de renomados especialistas. No dia 24/6, a especialidade de Ortopedia e Traumatologia foi um dos destaques da programação. Membros da diretoria da SBOT-PA participaram de diversas atividades ao longo do dia.

24 • REVISTA SBOT - PA 2018


xix congresso médico amazônico

REVISTA SBOT - PA 2018 • 25


fogos de artifício SBOT-PA realiza ação preventiva contra acidentes com fogos de artifício

C

om o objetivo de alertar a população sobre os danos que o manuseio inadequado dos fogos de artifício pode causar, a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – Regional Pará (SBOTPA) realizou no dia 17 de junho uma ação educativa. O cenário escolhido foi a concentração do tradicional arrastão do Arraial do Pavulagem, evento cultural que ocorre todos os domingos de junho e que reúne centenas de pessoas pelas ruas de Belém. A diretoria da SBOT-PA, juntamente com residentes de ortopedia e com a liga acadêmica de traumatologia e ortopedia do Pará, distribuiu material educativo elaborado pelo CFM, pela SBCM e pela

26 • REVISTA SBOT - PA 2018

SBOT com orientações sobre os cuidados para usar e comprar esse tipo de explosivo, além dos primeiros atendimentos que devem ser feitos para quem se ferir. Neste período do ano, com os festejos juninos e os jogos da Copa do Mundo, é bastante comum soltar fogos de artifício, por isso todo cuidado é pouco, conforme ressalta o presidente da SBOTPA, Dr. Luciano Barboza. “Aproveitamos este evento cultural tradicional em nossa cidade para divulgar esta campanha muito importante para quem gosta de soltar fogos de artifício. Nosso papel é orientar as pessoas para evitar acidentes que tragam um dano físico grave”, explicou Barboza.


REVISTA SBOT - PA 2018 • 27


REUNIÃO CLÍNICA – junho ACIDENTES DE TRÂNSITO SÃO AS MAIORES CAUSAS DE FRATURA NO PILÃO TIBIAL

A

ntes de iniciar o mês das férias escolares, a diretoria da SBOT-PA realizou mais uma edição da sua Reunião Clínica, no dia 28 de junho, no auditório do Hospital Adventista de Belém. Dessa vez, a temática escolhida foi ‘Fraturas do Pilão Tibial’. A programação contou com palestras do ortopedista Dr. Milton Alencar e do Anestesiologista Dr. Mauro Araujo. Em sua aula, Dr. Milton fez um apanhado histórico sobre o conceito da fratura de pilão, afirmando que, atualmente, a maioria das fraturas é causada por acidentes de trânsito. O especialista também ressaltou a importância da classificação da fratura para definir qual o tratamento será utilizado. “O tratamento pode ser cirúrgico ou conservador, sendo que este último traz resultados insatisfatórios e está reservado apenas a pacientes que não vão suportar o tratamento cirúrgico”, afirmou Dr. Milton. Para o Dr. Mauro Araujo, ter o controle total sob o paciente contribui para que ele volte à vida social o mais rápido possível. Para isso, é preciso identificar o perfil do paciente, saber se ele tem quadros álgicos de difícil controle; se teve dor crônica antes da cirurgia; se o paciente tem algum quadro emocional, como depressão ou ansiedade; se há uso crônico de opióides, entre outros. Em seguida, finalizando a programação, o ortopedista Dr. Fabio Santana apresentou alguns

28 • REVISTA SBOT - PA 2018

casos clínicos para serem debatidos. Participaram da discussão os ortopedistas Dr. Milton Alencar, Dr. Éverton Barbosa, Dr. Carlos Soares, o anestesista e terapeuta da dor, Dr. Mauro Araujo, e o fisioterapeuta Dr. Thiago Araujo.


+ sbot pará MEMBROS DA SBOT-PA PARTICIPAM DE JORNADA DE CIRURGIA DO JOELHO

O

s ortopedistas Heribert Pidner, Erick Nunes, Hilmar Tadeu, João Alberto Maradei e Jean Klay, sendo os três últimos diretores da SBOT-PA, participaram nos dias 29 e 30 de junho da 6ª Jornada de Cirurgia do Joelho da SBCJ Regionais Norte e Centro Oeste, realizada em Manaus.

O evento foi uma oportunidade para debater, através de mesas redondas, o que há de melhor e de inovação em cirurgias do joelho, aprimorando o conhecimento e visando a qualidade e o melhor resultado para o paciente.

REVISTA SBOT - PA 2018 • 29


+ sbot pará Belém é cidade sede do XII CBCOC

A

cidade de Belém recebeu, pela primeira vez, o XII Congresso Brasileiro de Cirurgia de Ombro e Cotovelo (CBCOC) e o III Congresso Brasileiro de Reabilitação de Ombro e Cotovelo (CBROC), realizados no período de 23 a 25 de agosto, no Hangar Centro de Convenções da Amazônia. O evento reuniu médicos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais e profissionais da área da saúde interessados no assunto. O maior evento voltado à área possibilitou a troca de ideias entre especialistas do país e do exterior. O

30 • REVISTA SBOT - PA 2018

presidente do XII CBCOC foi o ortopedista, diretor da SBOT-PA, Dr. Jean Klay Machado, e a presidente do III CBROC foi a fisioterapeuta, Dra. Marcella Machado. A programação científica do XII CBCOC contou com uma conferência internacional logo no primeiro dia de evento, palestras com renomados especialistas nacionais e internacionais, além dos diversos cursos ministrados ao longo dos três dias. A SBOT-PA foi uma das apoiadoras dos Congressos. Diretores da entidade também participaram da programação técnica e social dos eventos.


cbcoc

REVISTA SBOT - PA 2018 • 31


+ sbot parรก

32 โ€ข REVISTA SBOT - PA 2018


cbcoc

REVISTA SBOT - PA 2018 • 33


+ sbot pará XXI CONGRESSO BRASILEIRO DE CANCEROLOGIA

B

elém recebeu, entre os dias 29 e 31 de agosto, o XXI Congresso Brasileiro de Cancerologia. Dentre os temas abordados no evento, a Oncologia Ortopédica teve destaque. O módulo foi coordenado pelo ortopedista e membro da SBOTPA, Dr. Fernando Brasil. Para debater o assunto, foram convidados os membros da Associação Brasileiro de Oncologia Ortopédica: Dr. André Mathias Baptista, Dr. Alex Guedes, Dr. Edgard Engel e o Dr. Maurício Etchebehere.

36 • REVISTA SBOT - PA 2018


REUNIÃO CLÍNICA – setembro ONCOLOGIA ORTOPÉDICA É TEMA DE REUNIÃO CLÍNICA

A

SBOT-PA retomou a sua agenda de eventos para o segundo semestre com a realização da sua tradicional Reunião Clínica, no dia 27/09. O tema escolhido foi Oncologia Ortopédica. A aula principal foi ministrada pelo ortopedista oncológico, Dr. Fernando Brasil, que abordou o tema ‘Diagnóstico Diferencial dos Tumores Ósseos Malignos’. Durante a sua apresentação, o especialista abordou os tipos de tumores malignos: Osteossarcoma, Tumor de Ewing, Condrossarcoma, Mieloma Múltiplo e Metástases Ósseas. Dr. Fernando Brasil falou sobre as características, o tratamento e os procedimentos cirúrgicos, quando há, para cada tipo de tumor. Os casos clínicos discutidos com a plateia ficaram sob o comando do Dr. Luiz Cláudio Campelo e dos debatedores Dr. José Haroldo Mendes e Dr. Wagner Barbosa, além do Dr. Fernando Brasil.

REVISTA SBOT - PA 2018 • 37


+ sbot pará SBOT-PA PROMOVE SIMPÓSIO DE ORTOPEDIA PEDIÁTRICA

A

SBOT PARÁ realizou no dia 6 de outubro, no auditório do Hospital Porto Dias, o Simpósio de Ortopedia Pediátrica. O evento reuniu dezenas de pessoas que tiveram a oportunidade de assistir as palestras dos ortopedistas Dr. Alexandre Lourenço, Dr. Chang Chia Po, e da fisioterapeuta Dra. Vanessa Oliveira. Dentre os temas abordados pelo Dr. Alexandre Lourenço, destaca-se os casos de crianças que nascem com o chamado Pé Torto Congênito, uma má formação congênita bastante comum, de acordo com o ortopedista. “A cada mil nascimento, uma criança vai ter pé torto congênito. É mais comum em meninos do que em meninas, e 50% das vezes ele é bilateral. É uma

38 • REVISTA SBOT - PA 2018

deformidade que muitas vezes é diagnosticada no prénatal, então desde antes o nascimento a família recebe orientações. Mas o pé torto, se não tiver associada a nenhuma outra alteração, é facilmente tratada com o Método Ponseti”, explicou o ortopedista, Dr. Alexandre Lourenço. As deformidades angulares nos membros inferiores das crianças, também bastante comuns, são corrigidas, em sua maioria, sozinhas conforme o desenvolvimento dos pacientes, como explica Dr. Chang. “Tem que se entender que 95% das crianças com perna em X ou em tesoura, que chamamos de Joelho Valgo, vai corrigir sozinha, geralmente até os 6 anos. Muitas vezes não precisa de tratamento. O problema que 5% dos casos podem persistir até


simpósio de ortopedia pediátrica

a vida adulta. Vale lembrar que essas crianças não podem engordar, pois pode piorar a deformidade”, comentou. A fisioterapeuta, Dra. Vanessa Oliveira, explica que a reabilitação com crianças merece um pouco mais de atenção e paciência, pois muitas não entendem a importância do tratamento. “A chave do sucesso da reabilitação realmente são os pais. Eles primeiro tem que compreender o que a equipe de profissionais precisa, aderir as nossas orientações e ao tratamento, e saber o que fazer com a criança em casa. Porque a criança fica uma hora com os profissionais de reabilitação e fica 23 horas

com os pais. Então tudo que a gente fizer na terapia, tem que ser enfatizado no ambiente caseiro”, explicou a especialista. O Simpósio de Ortopedia Pediátrica faz parte do calendário de eventos planejado pela SBOT-PA e é uma forma de divulgar a especialidade entre os estudantes e os residentes em ortopedia, conforme comentou o presidente da SBOT-PA, Dr. Luciano Barboza. “Mais um evento realizado com sucesso pela nossa Regional. Esse simpósio em particular, sobre ortopedia pediátrica, contribui para a divulgação dessa subespecialidade muito importante para todos”.

REVISTA SBOT - PA 2018 • 39


título

2

O

círio de nazaré Casa de Plácido recebe doações da SBOT-PA

período do Círio de Nazaré, uma das maiores manifestações religiosas do mundo, contagia a todos que estão em Belém, capital do Pará. O clima é de fé, solidariedade e fraternidade. E contagiados por essa mistura de sentimentos, em mais um ano, a diretoria da SBOT-PA realizou sua ação social na Casa de Plácido. O local dá assistência aos romeiros vindos do interior do estado, alguns deles vem andando e outros de bicicleta. Na Casa de Plácido, essas pessoas recebem atendimento médico e alimentação. E para manter esse atendimento todos os anos, a Pastoral da Acolhida conta com doações e o apoio voluntário de profissionais da saúde.

40 • REVISTA SBOT - PA 2018

No dia 12 de outubro, membros da diretoria da SBOT-PA, com o apoio de um grupo de residentes, foram até a Casa de Plácido realizar a doação de 300 Kgs de frutas, material para mobilização e curativos, e de medicamentos. Além das doações, no último dia 23/9, a SBOT-PA realizou o treinamento dos voluntários da equipe de saúde dando orientações sobre como fazer curativos e mobilizações. A ação na Casa de Plácido no período do Círio de Nazaré já faz parte dos eventos sociais que a SBOT-PA realiza anualmente.


REVISTA SBOT - PA 2018 • 41


+ sbot pará OTC BRASIL E SBOT-PA REALIZAM SIMPÓSIO DE TRAUMA DE ALTA ENERGIA

A

cidade de Belém foi escolhida pela OTC Brasil para a realização do Simpósio sobre Trauma de Alta Energia. O evento contou com o apoio da SBOT-PA e foi realizado no dia 20 de outubro, no auditório do Hospital Porto Dias. A programação teve a participação de especialistas locais e como convidados nacionais os ortopedistas Luiz Fernando Cocco e José Paulo Gabbi. A atividade teve número recorde de inscritos, com quase 200 participantes. Este é o segundo curso promovido pela OTC Brasil e o primeiro na Região Norte. “O objetivo da OTC é trocar experiências. Esse curso visa formação, discussão de casos e mostrar experiência do que estamos fazendo em

42 • REVISTA SBOT - PA 2018

outros serviços relacionados ao tratamento em Trauma de Alta Energia. O curso traz qualidade de informação técnica e científica”, explicou Dr. Luiz Fernando Cocco. Para o vice-presidente da OTC Brasil, Dr. Jean Klay Machado, a fundação tem como uma de suas visões ampliar o conhecimento referente ao trauma, melhorando cada vez mais o atendimento à população. “O que a gente quer é poder levar à população um atendimento de mais qualidade, para que as vítimas de trauma realmente sejam bem atendidas. Hoje o nosso país vive uma endemia, nós temos um alto índice de pacientes vítimas de acidentes graves que precisam de um tratamento adequado” finalizou Dr. Jean Klay.


Simpรณsio de Trauma de Alta Energia

REVISTA SBOT - PA 2018 โ€ข 43


+ sbot pará SBOT-PA E MERCK PROMOVEM SIMPÓSIO PARA OS RESIDENTES

A

SBOT PARÁ e a Merck promoveram o Simpósio sobre Dor Neuropática e Vias de Acesso, realizado no dia 27 de outubro. A programação contou a participação de especialistas locais. A parceria faz parte do projeto da Merck Academy, em que apoia em várias cidades brasileiras eventos voltados para a promoção do conhecimento. “Estamos completando mais um evento, desta vez com o grande apoio da Merck. Este simpósio foi mais focado nos nossos

44 • REVISTA SBOT - PA 2018

residentes, principalmente por ser um assunto muito importante para eles. Tivemos a grata ajuda dos nossos especialistas que foram convidados a compartilhar o seu conhecimento com os participantes do evento. A SBOT-PA sempre teve esta preocupação de levar o conhecimento científico para a formação dos nossos futuros ortopedistas”, concluiu o presidente da SBOT-PA, Luciano Barboza.


Simpรณsio sobre Dor Neuropรกtica e Vias de Acesso

REVISTA SBOT - PA 2018 โ€ข 45


REUNIÃO CLÍNICA – novembro REUNIÃO CLÍNICA ENCERRA AS ATIVIDADES CIENTÍFICAS DE 2018 DA SBOT-PA

E

ncerrando sua programação de atividades, a SBOT-PA realizou Reunião Clínica com o tema Osteomielite. A atividade foi promovida no dia 29/11, na Unimed Estação Saúde, e teve a coordenação do Dr. Marcus Preti. A aula principal abordou atualizações sobre Osteomielite e foi ministrada pelo ortopedista Maurício Alves, que abordou suas classificações, como identificá-la, entre outros pontos. O caso clínico foi apresentado pelo Dr. Marcus Preti e debatido pelos especialistas da mesa redonda: Dr. Hilmar Tadeu, Dr. Marcos Damasceno, Dr. Carlos Soares, Dr. Maurício Alves e pelo fisioterapeuta, Dr. Eduardo Eberhardt. Encerrando a programação, foram feitos sorteios aos participantes. Ao final, o presidente da SBOT-PA, Dr. Luciano Barboza, fez um discurso em que ressaltou as ações realizadas ao longo do ano, focando sempre na educação continuada.

46 • REVISTA SBOT - PA 2018


comunicação 2018

E

m 2018, a comunicação da SBOT-PA realizou a cobertura dos eventos da entidade com a TV SBOT, entrevistando participantes, palestrantes e organizadores, produziu matérias e conteúdos para o site, além de gerenciar o site e as redes sociais da entidade. Tudo com o objetivo de divulgar as ações de educação continuada e sociais da Regional para os membros da SBOT, residentes, acadêmicos, profissionais da área e sociedade em geral. O perfil do Facebook encerrou o ano com 2.819 amigos e 450 atualizações. O Instagram conquistou novos seguidores ao longo do ano, atingindo 1.786 seguidores e realizando 400 postagens. No total, foram criadas 400 peças e produzidos 16 vídeos ao longo do ano. Na imprensa, a SBOT-PA conquistou 53 inserções entre mídias impressas, rádio, TV e web.

s amigo 2.819

es lizaçõ

ua 450 at

1.786 seguid

ores s

ídeo

400

ns

16 v

tage

pos

400 peças rções

53 inse

NOS SIGA NO INSTAGRAM, ADICIONE NOSSO PERFIL E ACESSE NOSSO SITE @sbotpara /sbotpara.sbotpara www.sbotpara.com.br


+ sbot pará SBOT-PA APOIA A REALIZAÇÃO DO 4º CURSO ITINERANTE DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE COLUNA

A

Sociedade Brasileira de Coluna, com o apoio da SBOT-PA, promoveu o 4º Curso Itinerante da SBC, no dia 1 de novembro, na UnimedEstação Saúde. O tema abordado neste módulo do curso foi ‘Endoscopia de Coluna’. A programação contou com os convidados nacionais, o ortopedista, Dr. João Bergamashi, e o

48 • REVISTA SBOT - PA 2018

neurocirurgião, Dr. Marcus Serra. Além, também, da participação do fisioterapeuta, Dr. Thiago Araújo, e do anestesista, Dr. Antonio Jorge. A coordenação do evento ficou por conta dos ortopedistas, Bruno Brasil e Marcelo Brito, ambos membros da SBOT-PA e da SBC.


4ยบ Curso Itinerante da Sociedade Brasileira de Coluna

REVISTA SBOT - PA 2018 โ€ข 49


+ sbot pará DIRETORIA DA SBOT-PA PARTICIPA DO 50º CONGRESSO BRASILEIRO DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA

D

iretores e membros da SBOT-PA marcaram presença na 50ª edição do Congresso Brasileiro de Ortopedia e Traumatologia, que ocorreu no período de 15 a 17 de novembro, no Rio de Janeiro. O evento é reconhecido nacional e internacionalmente por reunir grandes e importantes nomes da ortopedia brasileira. A programação científica do congresso é bastante vasta, abrangendo todas as subespecialidades da Ortopedia, cursos pré-congresso sobre Fisioterapia, Método Ponseti entre outros temas, workshops, simpósios satélites e cursos práticos.

50 • REVISTA SBOT - PA 2018


50ยบ cbot

REVISTA SBOT - PA 2018 โ€ข 51


título natal dos amigos solidários 2018

3

SBOT-PA participa do Natal dos Amigos Solidários 2018

A

diretoria da SBOT–PA participou por mais um ano da ação do Natal dos Amigos Solidários. A edição 2018 foi realizada na comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no município de Santa Maria do Pará. Cerca de 300 voluntários doaram à comunidade solidariedade, atenção e carinho. Foi um dia inteiro de ajuda e amor ao próximo. Uma das maiores contribuições para a comunidade foi a construção de um Centro Comunitário, com cozinha compartilhada. Boa parte da doação partiu da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Ombro e Cotovelo – SBCOC. Além disso, também foi feita a instalação de um parquinho para as crianças de até

12 anos. Agora as crianças possuem um lugar com infraestrutura adequada para diversão, abandonando de vez o lixão que fica nas proximidades. A comunidade contou também com mais de 700 atendimentos da área da saúde, divididos entre nove especialidades médicas, fisioterapia, fonoaudiologia, serviço social, psicologia e orientações jurídicas. Para alegrar a meninada, foi realizado um momento de recreação com a presença das turmas do Tio Dedé, Tio Palito e Teatro do Chaves. Além de contação de histórias e brinquedos infláveis, regado a muitas guloseimas. Confira a seguir os números da ação Natal dos Amigos Solidários 2018:

30 óculos de grau

fornecidos com supervisão oftalmológica

34 exames de

ultrassonografia

Centenas de caixas de medicamentos com receitas

350 orientações odontológicas

80 cortes de cabelo 254 cestas básicas mais de 300 exames laboratoriais colhidos 52 • REVISTA SBOT - PA 2018

250 frangos congelados 25 atendimentos veterinários

8 caixas com roupas, sapatos e bolsas


REVISTA SBOT - PA 2018 • 53


MENSAGENS ESPECIAIS O desafio de presidir a SBOT é grande, pois estamos falando de uma sociedade de 14 mil membros que buscam apoio constante de quem quer crescer e desenvolver as melhores práticas médicas em ortopedia e traumatologia em nosso país. As comissões de Ensino e Treinamento, Educação continuada, bem como todas as demais que compõe nossa Sociedade, trabalham arduamente durante todo o ano em prol da nossa especialidade. Nossa meta é fazer a SBOT unida, forte e para todos. Temos representantes de cada região do país participando das decisões na SBOT nacional e com muito prazer temos o Dr. Jean Klay na diretoria executiva, responsável pela comunicação e marketing da sociedade. Atualmente, o maior anseio do sócio SBOT é a valorização profissional, que nossa diretoria priorizará na luta pela valorização profissional do Ortopedista, que será nosso maior e mais forte pilar, com o projeto de criação de consensos em ortopedia e traumatologia, que será um legado para todos nós. A regional do Pará está de parabéns pela iniciativa e por tudo o que tem realizado. Dr. Moisés Cohen Presidente SBOT 2019 Prezados colegas paraenses, abro esta mensagem com desejos de muita paz, otimismo com fé na vida, no trabalho e em Deus, para mais um ano que se inicia. Conheço a grandeza e o profissionalismo dos precursores da ortopedia no estado e vi surgindo pouco a pouco, novas e pujantes lideranças, muito bem sedimentadas em conhecimento científico, ética e acima de tudo, de crença na capacidade de se construir uma sociedade unida e forte. A ortopedia do Pará passou a ser reconhecida ao longo do tempo como uma referência nacional, um exemplo de integração pela ciência e uma escola de atividades socioeducativas e de integração com a população, como nenhuma regional conseguiu fazer até hoje. Parabéns colegas, continuem nos orgulhando pela medicina que vocês exercem e sejam cada vez mais uma estrela brilhante na ortopedia brasileira. Dr. Glaydson Gomes Godinho Primeiro Vice-Presidente 2019 e Presidente-Eleito SBOT 2020 “É com muito entusiasmo e promessa de dedicação que assumo a presidência da nossa Regional. A responsabilidade é grande porque a SBOT-PA obteve crescimento exponencial nos anos anteriores, sendo sua atuação reconhecida nacionalmente graças ao empenho do Presidentes precedentes. Juntamente com toda diretoria, espero em 2019 dar continuidade nos projetos de educação continuada, que terá seu ápice no Congresso Paraense de Ortopedia e Traumatologia e nas ações de responsabilidade social, visando sempre melhorar a qualidade no atendimento à população.” Dr. Hilmar Tadeu da Silva Ferreira Junior Presidente SBOT - PA 2019 54 • REVISTA SBOT - PA 2018

Caros colegas paraenses, o Congresso Brasileiro de Ombro e Cotovelo realizado em agosto de 2018, representou o maior congresso nacional da especialidade. Mais de 1000 congressistas presentes de todo o território nacional. O evento, presidido pelo Dr Jean Klay Machado e com total apoio da SBOT – Pará, contou com uma grade científica muito bem elaborada e com temas atualizados, mesas redondas e discussões do maior nível. O Hangar foi um dos pontos altos, com uma sala de palestras inovadora, com o que mais moderno de tecnologia possa existir. A Sbcoc agradece imensamente o apoio da SBOT Para e tem certeza que muitos eventos estão por vir. Feliz 2019!! Dr. Benno Ejnisman Presidente SBCOC 2018 Fiquei extremamente contente quando Belém do Pará ganhou a eleição para ser a sede do Congresso Brasileiro de Oncologia Ortopédica, especificamente na nossa gestão 2017/2018. Mas o que eu não sabia era que as expectativas ficariam muito aquém da realidade do meeting em si e do acolhimento que tivemos nessa cidade maravilhosa e cheia de carisma. Agradeço a todos os membros da regional SBOT do Pará, em especial ao Dr. Fernando Brasil, idealizador e realizador do Congresso e de suas atividades sociais, que foram espetaculares e de altíssimo padrão. Além do recorde de inscritos, o CBOO de 2018 certamente também foi um recorde de aprovação! Obrigado a todos os ortopedistas paraenses, que nos acolhem tão bem em todas as oportunidades que temos o privilégio de os visitar! Dr. André Mathias Baptista Presidente da ABOO


ORTOPEDISTA HOMENAGEADO 2018

D

esde a infância Antônio Carlos Correia Dias sonhava em ser médico. Até que em 1981, passou no vestibular para a faculdade de medicina da Universidade Federal do Pará, onde ao longo dos anos sempre buscou fazer estágios, principalmente na área de traumatologia. Formou-se em 1986 e no mesmo ano foi para Campinas (SP) fazer residência médica, concluindo-a no final de 1989. Além do dom para a medicina, Dr. Antônio Dias sempre teve o espírito empreendedor. Assim que terminou a residência, comprou o seu artroscópio e um aparelho de Raio X para por em sua clínica de fisioterapia, anexa ao seu consultório. Em 1993, retornou à Belém, e com o espírito empreendedor cada vez mais forte, iniciou a construção da Clínica Porto Dias. A primeira unidade do empreendimento foi inaugurada em 1995, na Avenida Almirante Barroso, com um pequeno centro cirúrgico e 16 leitos. Com o aumento da complexidade dos casos atendidos, em 1998 foi inaugurado o Hospital Porto Dias. Atualmente, o Hospital Porto Dias possui 340 leitos operacionais sendo certificado ONA 3 , Canadense e JCI, tornando-se referência em tratamentos de alta complexidade, com uma estrutura moderna, equipamentos de alta tecnologia e profissionais qualificados. Além do Hospital, fazem parte do grupo empresarial mais quatro unidades de diagnósticos. Casado com Adriana desde 1989, possui três filhos: Diogo, Ariadne e Letícia. E um neto, Antônio.

MENSAGEM DA FAMÍLIA Compromisso com o melhor resultado é um predicado justo para definir o Dr. Antônio Dias. Desde sua aprovação em medicina na Universidade Federal do Pará, passando pelos anos iniciais de sua carreira quando demonstrava um comprometimento inconfundível com o bem estar de seus pacientes, até a atitude de empreender em um Hospital de Alta Complexidade que rompeu com o paradigma da qualidade dos serviços de saúde em nossa região, o Dr. Antônio mostrou obstinação implacável. Conviver com ele e seu grau de exigência pra assumir os mesmos compromissos é desafiador e tonificante. Sua trajetória estará sempre marcada na história da ortopedia e da medicina paraense. Sua família tem muito orgulho disso tudo.

REVISTA SBOT - PA 2018 • 55


lista dos membros titulares sbot-pa Adriana Kirzner Pires Adriano Ughini Alaor Florencio da Silva Alberto Elias Albuquerque da Silva Alcyr de Morrison Faria Aleno Fabiano Homobono de Pinho Alex Afonso Fernandes Rendeiro Alexandre Maru de Araujo Anthony Messias Nascimento Silva Antonio Carlos Correia Dias Antonio Fernando Ferreira Anaissi Antonio Osiris Assis de Souza Bruno Brasil do Couto Bruno Vieira Pinto da Silva Carlos Alpheu Mello Rodrigues Jr. Carlos Arthur Oliveira da Costa Carlos Augusto Costa Soares Celso Ruben Martins Leao Claudia Rocha Caldas Cleobery Braga da Silva Custodio Maciel Mendes Junior Dante Bernardes Giubilei Diego Araujo Reis Douglas Lobato Lopes Neto Edgler de Almeida Olympio Edicarlos André Cavalcante De Araújo Edinaldo Narciso de Matos Edmilson Brabo Farias Elson Fagner Holanda de Lima Emmanuel Silva Erica do Socorro Silva de Souza Franco Eric de Souza Teixeira Erick Ferreira Nunes Erik Silva de Menezes Eron Dantas Alves Ferreira Eros Dantas Alves Ferreira

Evandro Passos Formoso de Moraes Everton José de Oliveira Barbosa Fabio Luis Estrela Bessa Fabio Luiz Brazileiro Paixao Fabio Santana de Oliveira Fabio Vidal Moriya Fabrício Guimarães Santos Fernando Brasil do Couto Filho Fernando Paulo Goncalves Lima Fernando William Figueiredo da Rosa Flavio Moreira Viana De Rezende George Kalif Lima Giovanni Gustavo Gomes Barros Gladson Ricardo Santos da Silva Guilherme Lins de Vasconcelos Chaves Neto Gustavo da Silveira Vargens Hedivaldo Monteiro de Freitas Helio de X. e Oliveira Goes Heribert Pidner Neto Hermes da Silva Feitosa Júnior Hideraldo Monteiro de Freitas Hilmar Tadeu da Silva Ferreira Júnior Irealvo de Jesus Ferreira Brito Irian Nylander Bitencourt Dias Isnard Alves Ferreira Junior Ivaldo Angelo Cintra Junior Jader Augusto de Castro Sales Janeilson Roberto Mattos Jean Klay Santos Machado Joao Alberto Maradei Cardoso Pereira Joao Alberto Ramos Maradei Pereira João Carlos Rufino e Silva Junior Joao Henrique Dias Apolinario Joaquim Bentes Gomes da Silva Joaquim Pereira Ramos Fonte: Cadastro Nacional da SBOT

56 • REVISTA SBOT - PA 2018


lista dos membros titulares sbot-pa Jonny Fabricio Moreira Lima Jorge Luis Martins de Oliveira Jose Bernardo Rufino de Mattos Jose Eduardo Pereira da Costa Jose Geraldo Soares Lima Jose Goncalves de Alcantara Jose Haroldo Mendes da Silva Jose Matos de Aguiar Jose Silverio Nunes da Fonseca Junior Damacena Santos Kalil Antonio Kzan Pereira Leonard Cabral Gonçalves De Oliveira Lorena Tocantins Murta Costa Luciano Elias Barboza Lucio Weber Rabelo Luis Fernando Rebelo Pontes Luiz Claudio Campelo Barbosa Luiz Gonzaga Lima de Araujo Luiz Henrique Barros Costa Magali Soares de Araujo Marcelo Botelho Soares de Brito Marcelo Picchi Mesquita de Oliveira Marcia Maradei Pereira Tuma Martins Marcio Oliveira Penna de Carvalho Marco Antonio Leão Damasceno Marcos Vinicius Soares dos Santos Marco Túlio De Souza e Souza Marcus Aurelio Preti Mário Ewerthon Maia de Assis Marlon Rodrigues Alves Maurício Ayres de Oliveira Milena Oliveira Silva Cruz Milton Alencar Vieira Junior Milton Cesar Lobato de Souza Mirton Cesar Fernandes Inda Moyses Mauricio Hamoy

Nelson Narata Filho Ney Acatauassú Ferreira Nicodemos Vaz da Silva Junior Osvaldo Monteiro Pereira Paulo Eugenio Santos Cecim Paulo Henrique Nascimento Pires Paulo Oliveira Braga Paulo Satoshi Koyama Rafael Rodrigues Frazão Raul Cruz Boettger Reginaldo Mauricio Rios de Moura Ricardo Antonio Rodrigues Ribeiro Ricardo Wagner Bezerra Filho Roberto Ferreira da Cunha Rodrigo Carvalho Santos Rodrigo da Rocha Pereira Rodrigo Lima Gomes Rogerio Alberto Campos Rogério Filizzola Gomide Rolando Molina Alvaro Roque Sales de Andrade Junior Rubens Boettger Rui Sergio Monteiro de Barros Sami Gobbi Fayad Silvia Ramos Maradei Pereira Takuo Koyama Tarcizio Rodrigues Franzosi Victor Joaquim Façanha Ramos Wagner de Oliveira Barbosa Wagner Vieira Sampaio Walter Kenji Tsuchiyama Koyama Wellington Luis Fagundes Braun Wilton Néri Pereira Júnior Yontob Hamoy

Fonte: Cadastro Nacional da SBOT

REVISTA SBOT - PA 2018 • 57


NOVOS MEMBROS

TITULARES

Os residentes do último ano dos Serviços de Residência Médica em Ortopedia e Traumatologia da Universidade do Estado do Pará/Hospital Porto Dias, coordenado por Rui Barros e Jean Klay Machado; do Hospital Metropolitano, coordenado por Luciano Barboza e Fernando William; e do serviço de Santarém, supervisionado por Eros Dantas Alves Ferreira e coordenado por Paulo Henrique Pires, foram aprovados no 47° Exame para Obtenção de Título de Especialistas em Ortopedia e Traumatologia da B Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT. BELÉM

Adilson Góes Rodrigues Junior

Edicarlos André Cavalcante de Araújo

Gustavo da Silveira Vargens

Mauricio da Camara Ferreira

SANTARÉM

João Carlos Rufino e Silva Júnior

Erik Silva de Menezes


Profile for Thiago Flexa

REVISTA SBOT 2019  

REVISTA SBOT 2019  

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded