Page 1

Moda+Cultura

#1 


Olhe para o futuro Pense Senac




Editorial O nome “Mod” se refere a modernidade, modismo, uma analogia ao movimento Mod que nasceu na Inglaterra nos anos 50/60, e tantos outros movimentos e tendências que influenciaram época com seu modo de vida e de se vestir. Freqüentadores de bares e restaurantes, cinema, galerias de moda e musica, feiras de arte, museus e etc, das grandes cidades consomem e influenciam a moda nesses locais, a Revista MOD é destinada a esse público que gosta de moda “alternativa, ou seja, que faz seu próprio estilo, criando e revivendo novas tendências de moda e design. O foco da revista é ter uma troca recíproca de informações e idéias para consolidar a revista como um ponto de referencia entre os consumidores de moda “alternativa”. Não é um publico grande mas fiel, que esta sempre procurando coisas novas e diferentes, tendo um pouco como filosofia de vida de que ser diferente do cotidiano, estar informado e conhecer novas tendências pelo mundo que poucos conhecem, ser o primeiro a saber e lançar moda no seu meio social, ser uma pessoa “descolada” em outras palavras. Essa revista foi idealizada e produzida pelos alunos do curso técnico em produção gráfica do Senac como trabalho de conclusão do módulo Produção Editorial, no ano do 2006. Contamos com você leitor para ajudar a construir essa revista. Boa leitura!




Editor: Qui-Gon Jinn Diretor Operacional: Chanceler Valorum Coordenação: Lorenzo Baer, Sérgio Nicodemo, LéiaAndrade, Aislan Baer, Tatiane Cornetti Projeto gráfico/ Direção de Arte/ Diagramação/ Produção Gráfica Bruno Camino, Marina Ordrini, Marlos Brasil, Thiago de C. Marques Repórter: Chewbacca de Kashyyyk

Colaboraram nessa edição: Bruno Camino, Marina Ordrini, Marlos Brasil, Thiago de C. Marques Financeiro: Darth Vader Publicidade: Lando Calrissian Secretaria: Penélope Charmosa Impresso por: Gráfica Bandeirantes S/A Expedição: Estúdio MOD Distribuição: SENAC Scipião

Rua das Galaxias, s/n Bairro do Infinito Theed / Naboo



Essa revista foi idealizada e produzida pelos alunos do curso técnico em produção gráfica do Senac como trabalho de conclusão do módulo Produção Editorial, no ano do 2006.

Expediente

Gerente de negócios: Sebastião Bernardes de Souza Prata (Grande Otelo)


Ă?ndice 07

18

08

20

10

16

22

22 


g n i p m

u J e h T n o i t a r e n Ge 


Para Tramar Todas OBJETOS E ROUPAS TRAMANDO falar na moda argentina. Com estilo urbano e moderno, suas roupas fazem sucesso também em Nova York e Tóquio, cidades escolhidas a dedo para abrigar as lojas internacionais.

S

e você ainda não ouviu falar, atenção. Com impressionante força estética, a Tramando é talvez a melhor descoberta fashion de Buenos Aires. Basta passar pela grande porta de vidro e entrar na bela loja, numa casa de três andares na rua Rodriguez Peña, para sentir a vibração da turma que trabalha por lá. Criatividade é a palavra de ordem. E a boa música dá o ritmo. Nos dois pisos superiores, funciona o ateliê com uma afinada equipe de criação. No epicentro da história toda está o estilista Martín Churba, que há dez anos vem dando o que

O que torna o projeto especial é a incansável busca por materiais inéditos e exclusivos, sempre lançando mão das mais novas tecnologias. Assinados pelo designer Patricio Lix Klett, os incríveis objetos feitos com uma especialíssima trama de coloridos tecidos reciclados já valem a visita. São tapetes, almofadas, cadernos, vasos de flores, luminárias, deliciosos pufes gigantes e até pantufas. P.S.: No site dá para ver alguns itens e não deixe de espiar as roupas da coleção de verão, inspirada nas cores do estilo boliviano. TRAMANDO: RUA RODRIGUEZ PEÑA, 1973, RECOLETA. TEL. 54 11 4811-0465. WWW.TRAMANDO.COM




O campo da moda é esse conjunto de interesses que coloca os diversos grupos em cena e estabelece as regras para as relações possíveis entre eles. Ele não se limita, portanto, aos desfiles realizados duas vezes ao ano e que aparecem na mídia como as novas tendências de moda; não se limita aos editoriais das revistas especializadas no assunto; não se limita à ação dos consultores de moda junto às empresas; não se limita à linguagem publicitária utilizada para a venda dos produtos. Assistir aos desfiles de moda realizados durante um determinado ano, por exemplo, e crer que ali, vendo todas aquelas roupas, é possível falar sobre o campo da moda, é uma postura tão pretensiosa quanto ingênua. O termo estilo, empregado de cinco maneiras diferentes nesse texto, é bastante representativo disso. Em primeiro lugar, porque demonstra que, apesar de ser um termo comum, tem diferentes significados em função de quem está falando ou da situação em que está sendo empregado. E em segundo lugar, porque põe à disposição do observador a série de equívocos e tensões envolvidas em seu emprego. Exatamente, o que isso quer dizer? O significado do termo é sempre expressivo de um determinado sentido. Na demanda de legitimação, em que a roupa deve expressar a indissociação entre o indivíduo e uma posição social privilegiada, estilo significa estilo de vida: são todos os símbolos que rodeiam o indivíduo e conferem força e sentido à indissociação



social pretendida. Há também um uso específico, próprio dos estilistas, para uma determinada postura estética: estabelece-se uma indissociação entre o indivíduo e uma visão de caráter artístico do mundo. Na demanda de compensação, em que a roupa não deve exibir os traços de uma posição social, que se caracteriza por ser desprivilegiada e contingencial, estilo é tudo aquilo a que pode ser dado ênfase e destaque enquanto uma qualidade particular do indivíduo. Na demanda de compensaçãoantecipada, em que a roupa é vista como objeto depositário de um certo poder de distinção, e obviamente de vendagem, estilo é a atribuição conferida a toda roupa animada, que possui, sabe-se lá o porquê, qualidades humanas (ou supra-humanas, talvez). Na demanda de sistematização, em que a roupa deve expressar critérios racionais de estética, estilo é toda capacidade individual de aplicação das regras estipuladas para esse bom gosto. Esse uso múltiplo do termo estilo demonstra que são valores e expectativas diferentes em relação ao uso da roupa que constituem propriamente o campo da moda.





Blythe Then in 1997, a friend introduced Gina Garan to Blythe, thinking that Gina looked like the doll.

10

Manufactured by Kenner in 1972, the original Blythe was designed by Marvin Glass & Associates, one of the world’s foremost toy design studios. When the Toy Industry Hall of Fame was established in 1984, Marvin Glass was in the first group inducted (which coincidently also included Merrrill L. Hassenfeld of Hasbro, Inc.), ten years after his death. Kenner was bought out by Tonka Toys, which in turn was bought out by Hasbro in the mid-1980s. And that is how Hasbro has come to own the Blythe property. In 1972, children found the large eyes that changed from green to pink to blue to orange with the pull of the drawstring at the back of Blythe’s head a bit on the scary side. Blythe was produced for only one year, but it is now apparent that she was ahead of her time. For many years, Blythe was a curiosity that only doll collectors were interested in. Then in 1997, a friend introduced


Gina Garan to Blythe, thinking that Gina looked like the doll. Gina had just been given an old camera and she needed to test it. Her first photos using that camera were of Blythe. Gina, who works as a video and TV producer, started carrying at least one of her Blythes wherever she went on her travels around the world and took many photos. In December 1999, at the opening of an exhibition for the CWC International artists in Soho, New York, Gina showed her photos to Junko Wong. Junko took these photos to Parco and made a presentation for an exhibition and as a “virtual model” for Parco’s innovative sales promotions. In the summer of 2000, This is Blythe, photos by Gina Garan, was published by Chronicle Books. The

11


12

$350. Blythe continued as Parco’s “image girl” through the spring and into the summer of 2001. The price for vintage Blythes jumped to thousands of dollars U.S. on eBay. Even the Neo-Blythes are sold for up to four times their retail price on the Yahoo auction site in Japan. In June 2001, the first of the Neo-Blythes - produced by CWC and manufactured by Takara - went on the market. The launch of the neo-Blythes was in conjunction with a photo exhibition by Gina Garan. Gina made the trip from New York for the launch and exhibition. The Parco Limited Edition (1000 dolls), sold out in less than an hour, was followed by the Mondrian, and then Rosie Red, Holly Wood, All Gold In One, Kozy Kape Inspired,

Aztec Arrival Inspired, Sunday Best, and in conjunction with the first year anniversary of the neo-Blythes in Japan, Miss Anniversary Blythe. The first year anniversary was marked by a series of Blythe events in Tokyo, which included an exhibition and charity fashion show at the Spiral Hall in Aoyama and exhibitions at the Rocket and CWC Galleries, and at IMS in Fukuoka, Kyushu. The exhibition featured photos by Gina Garan and dolls styled by artists, fashion designers, and Blythe fans. The fashion show featured couture for Blythe by such internationally known designers as: Issey Miyake, Chisato Tsumori, and Hysteric Glamour.


13


14


Since the June 2002 events, Blythe dolls feature the “excellent body.” Bohemian Beat went on sale on July 31. Asian Butterfly and Piccadilly Dolly followed in early autumn, 2002 with Skate Date and Rouge Noir at the end of 2002. Dolls in 2003 include Cinnamon Girl, Excellent Hollywood, Bohemian Beats Again, Tea For Two, Disco Boogie, Cherry Berry, and Love Mission (Kuen Kuen), Courtney Tez by Nike, Fruits Punch. On December 20, 2003 Superior Skate and Very Inspired by Pow Wow Poncho debuted out at the Blythe Cool Mod exhibition at Printemps Department Store in Ginza. These two dolls were the first “Superior Blythe” dolls made from a new mold which is based on a 3-D laser scan of a vintage Blythe. All the Blythe dolls after Superior Skate are the “superior” dolls. In January 2004, Velvet Minuet and Silver Snow were released, and in March: I Love You, It’s True, and Sunday’s Very Best. In April , Over the Stripes Happy Everyday, a limited edition of 3000 was sold by lottery. Lounging Lovely came out in May. The 3rd Anniversary Blythe, Art Attack, a limited edition of 2004 dolls, was featured at Spiral Hall sold to lottery winners. Paradis by Mono Comme Ca, another limited edition of 3000, was also sold by lottery in June with French Trench a Blythe Shop exclusive. 15


É interessante ver como cada vez mais empresas dos mais diversos setores criam ações que incluem o mundo da moda quase como uma estratégia. Sim, a moda se tornou assunto estratégico principalmente para as marcas que se posicionam como “atitude”. Isso demonstra não apenas a força de um setor, mas a sua importância estratégica no fortalecimento de outras marcas e hoje conseguimos perceber isso principalmente no setor de tecnologia, mais precisamente a telefonia celular. É a TIM patrocinando em Sampa, a Oi no Rio, a Motorola fazendo lançamentos nesses

eventos e fazendo produtos “de moda”. Acho ótimo tudo isso porque moda é dia-a-dia e celular também, assim como tantos outros produtos que talvez ainda não tenham notado que o “mundo da moda” é uma ótima oportunidade para divulgação de produtos e fortalecimento de marcas e até mesmo estratégias de posicionamento.

É um projeto linkado ao mundo dos blogs, onde pessoas de diversas área ( formadores de opinião e não necessariamente blogueiros) foram selecionadas e ganhararam um aparelho para selecionarem momentos e imagens de eventos de moda ou que de alguma maneira estão inseridos no universo.

16


17


O New L

ook d

ov erã o2

Moda masculina, vestidos curtíssimos e cores fluorescentes devem animar o verão

18

Fim do São Paulo Fashion Week, 48 coleções apresentadas, de muitas das principais marcas do país. E a maior temporada de desfiles do Brasil desenha a cara - e o corpo - da moda do próximo verão, quando ele chegar lá para o final do ano. Normalmente protagonistas dos melhores momentos fashion, as coleções femininas desta vez perderam espaço, para, pasmem, as roupas masculinas. São elas o grande destaque desta edição do evento, apontando o que estaria se configurando como um novo rumo do vestir dos homens. Este “new look” é proposto por estilistas e marcas como Alex-

andre Herchcovitch, Cavalera, Ellus e Maxime Perelmuter. O eles que têm em comum: modelagem mais longe do corpo, que permite uma imagem bem masculina mesmo quando há profusão de cores e estampas raramente usadas com alguma frequência pelos moçoilos, ou quando o trabalho artesanal de rendas e bordados aparece enfeitando as peças que ainda assim ficam bem “machas”. Tudo isso apareceu para os homens. E ainda mais. A combinação de paletó com bermuda é aposta certa até para os mais convencionais. E para quem reclama e reclama que a moda masculina é sempre

0 07

igual, chata e sem graça, há até possibilidades de um vestido, usado com muito bom humor por cima da calça e feito na verdade da junção de duas peças diferentes: uma saia pregueada com uma camiseta de malha. Para os interessados, é de Alexandre Herchcovitch a idéia. Aos que torceram o nariz para as invenções masculinas, um aviso: o verão 2007 não foi feito para os tímidos ou discretos. A começar pelas cores. Elas são vibrantes, muitas vezes fluorescentes, em tons de laranja, amarelo e pink e também primárias, no vermelho, ama-


relo, verde, azul. E para os que já acharam um exagero, tem mais: um vestidinho amarelo ou uma blusa laranja vão cair bem, mas a idéia mesmo é das peças multicoloridas, com tudo misturado nma peça só. Quanto aos comprimentos, outro escândalo. Serão curtíssimos. Saias, vestidos e shorts ficarão muito acima do joelho. Para compensar, as formas são amplas, soltas no corpo. O que quer dizer muitos vestidinhos trapézio, saias larguinhas e rodadas. No caso dos shortinhos, eles aparecem folgados, mas também em versões mais justinhas. A onça, que no inverno não apareceu muito, volta tanto nas cores originais como mais divertida nos tons vibrantes e fluorescentes que devem animar o verão. As estampas do verão exaltam a natureza brasileira. Muitas coleções trazem peças com estampas de

paisagem do Rio de Janeiro, jardins de Burle Marx ao Amazonas. A maioria das grifes que se apresentou no SPFW mostraram peças com listras na vertical, horizontal, diagonal, largas e estreitas, nas mais diversas cores e peças. O xadrez -estampa antes exclusiva do inverno- está presente com os grafismos e suas Macaquinhos, salopetes e jardineiras, que andavam escondidos há varias temporadas, também voltarão com tudo. As bermudas continuam no calor e são uma alternativa mais composta aos shorts e minissaias. A moda praia que se viu nas passarelas traz muitos biquínis no modelo tradicional de lacinhos, de modelagem pequena tanto nos tops quanto nas tangas. Mas para as mais discretas, as calcinhas tipo sunga ¿maiores e menos

cavadas- permanecem, assim como os sutiãs estilo frente única com bojo mais comprido que vai afinando na altura do pescoço. Esse modelo é um dos que mais valorizam o busto. Nada de fio dental! Os maiôs e biquínis trazem estampas de paisagens ou listras. Alguns se arriscam no xadrez. Os estilistas também apostam na renda e em peças lisas. Todas as cores são permitidas na moda praia na próxima estação.

19


A história da velha e boa

>>> Fundada em 1962, numa época em que a Augusta era o principal point de compras da cidade, antes do grande boom dos shopping centers (o primeiro grande shopping da cidade, o Iguatemi, foi inaugurado em 27 de novembro de 1966), a galeria ainda é hoje uma referência no mundo da moda. >>> Já na década de 80, a Ouro Fino era o maior centro de roupas para dança e para ginástica de São Paulo, pois ali pertinho funcionava o Ballet Stagium, na própria rua Augusta, além de várias academias espalhadas pela região (era a febre da aeróbica, lembra?).

Galeria Ouro Fino Com 110 lojas e uma circulação de até 1.200 pessoas aos sábados, a galeria Ouro Fino fica nos Jardins, no número 2690 da rua Augusta, entre a alameda Lorena e a rua Oscar Freire. Nos seus primórdios, o perfil da galeria era de lojas luxuosas dirigidas a uma clientela sofisticada. Nos anos 70, a grande atração era a loja Blow Up, onde havia roupas do estilo da grife Bibba, que marcou época e influencia estilistas até hoje, com um estilo ao mesmo tempo clássico, despojado e super-feminino. Muitos dos nomes que hoje ocupam a galeria, como Heitor Werneck, da Escola de

Galeria Ouro Fino - 42 anos de história no coração fashion de São Paulo 20

Divinos, a grife Laundry, as lingeries da Thais Gusmão, as botas e sapatos da Zowie e muitos outras marcas promissores, expõem no Mercado Mundo Mix - cujo escritório também funcionou na Ouro Fino. Outro sonho para os frequentadores são as lojas de acessórios. Lá há desde pierc-


ings até as meigas sandálias de plástico da Melissa (Santa do Cabaré). Mas se você for muito saudosista, não tem problema: confira os simpáticos itens do tempo da vovó no brechó “Passado Presente”. Mas hype mesmo são as lojas Slam, Complexo B, Theodora, de Rita Wainer, e AMP (A Mulher do Padre). Essas duas últimas desfilam suas criações na Semana de Moda - Casa de Criadores e são points de modernos e produtores de moda. Ir até a Ouro Fino é um verdadeiro mergulho nas novidades da moda mas é também, acima de tudo, um programa que concilia consumo, lazer e cultura, num ambiente por onde desfilam as mais diversas tendências, tanto na moda como na música. Na galeria, é possível encontrar os mais recentes lançamentos da música eletrônica nas lojas de discos (em vinil ou cds). Dá também pra ficar por ali e assistir às apresentações semanais de djs no cybercafé Espaço BEC (Brasilian Eletronic Comunity), às sextas-feiras, das 18h às 20h. Além disso, você encontra flyers de muitas festas, casas noturnas e shows espalhados pelas lojas ou no “Thelles Trance Bus & Ticket Party”, um escritório especializado em eventos, no segundo andar. A galeria oferece também outros serviços, como salão de beleza e oficina de alfaiataria, também no segundo andar. No piso Roof, no quarto

andar da galeria, você pode conferir exposições de artes plásticas ou desfrutar da sensacional vista da rua Augusta na varanda da cobertura - os banheiros são super-simpáticos - o papel de parede vale por uma exposição de fotografia... As escadas rolantes servem até o segundo andar mas os lojistas estão se mobilizando para que elas cheguem até o Roof, onde pretendem promover mais eventos. Por enquanto, há as escadas ou elevadores que dão acesso a todos andares da Ouro Fino. Dá pra circular à vontade - em todos os sentidos! Não se acanhe....

A Ouro Fino é um verdadeiro mergulho nas novidades da moda, mas é também, acima de tudo, um programa que concilia consumo, lazer e cultura, num ambiente por onde desfilam as mais diversas tendências, tanto na moda como na música.

Loja masculina Uranio - Investindo sempre em novas ttecnologias

Rhythm Records loja especializada em vinil e material para DJ’s

21


Entrevista >>> Carol Francisco da Alter Ego

A publicitária Carol Francisco trabalhou 5 anos como designer e há 1 ano montou a Alter Ego, uma marca de camisetas com estampas cujos temas são filmes, músicas e poesia. O trabalho dela foge do óbvio e segue a máxima: “Porque camiseta também é cultura”. Na Alter Ego é possível encontrar camisetas com estampas de filmes do David Linch, poemas de Fernando Pessoa, por exemplo. A inexperiência com o trabalho em confecção fez Carol procurar diversos cursos antes de abrir o primeiro ponto de venda que fica no Shopping Vila Lobos, em São Paulo. As camisetas custam entre R$ 50 a R$ 60 e as estampas são limitadas. Nessa entrevista a empresária conta um pouco de como é ser uma camiseteira. Por que optou por abrir um negócio na área de camisetas? Eu já desenhava minhas próprias camisetas comprava uma camiseta lisa e inventava em cima. Na faculdade, surgiu a idéia de, com mais uns amigos, montarmos um negócio só com camisetas diferentes, alguma coisa mais cultural ou mais personalizada. Morei em NY e lá a gente tem muito mais opções quando o assunto é moda, diferente daqui. Achei que valia a pena tentar, por ser um segmento da moda com tão pouca gente (ou ninguém, 22

além do povo que vende camiseta na praça da República) atuando. Meus amigos seguiram pra outros caminhos, mas eu me empolguei e levei a idéia pra frente. Como foi abrir a Alter Ego? Não conhecia nada a respeito de confecção. O problema era que eu queria fazer camisetas diferentes do basicão, alguma coisa com tecido mais refinado ou com uma modelagem mais feminina e moderna. E isso você não acha pra vender no lojão do Brás - o negócio era fazer eu mesma. Me matricuei num curso de gerenciamento de confecções, pra ganhar uma noção mínima do que me esperava. Depois acionei minha rede de contatos e fui atrás de outros cursos pertinentes, de costureira, de estamparia. Para ter uma idéia, a amiga de uma amiga me arrumou o contato com a dona da grife onde a Maria Rita comprou roupinhas para o bebê dela. Liguei na maior cara de pau e pedi pra ela me dar umas dicas, porque eu estava abrindo o meu negócio e tal. Ela me indicou um curso no Sebrae que fez a maior diferença na hora do planejamento do negócio.


Quem cria as estampas? Eu mesma. Antes de entrar pra área de moda, trabalhei 5 anos como designer. Você se inspira em filmes, artes, ícones pops, geralmente. Como transformar um ícone numa estampa sem cair no óbvio, como vocês fazem? Esse é o segredo, não? Mas é muito simples: é só não se deixar levar pelo óbvio! Temos coleções fixas, de cinema, música e literatura. Isso significa que sempre temos camisetas com estampas relacionadas a esses temas. Mas uma vez ou outra, também fazemos temas diferentes, como a de surf (“surfaholic”), a de mangá ou a mais nova, de biologia. Normalmente recebemos estampas novas uma vez por semana, ou a cada 10 dias no máximo.

abaixo dessa faixa também, mas por enquanto ainda não são a maioria. Como é a modelagem, o tamanho e os tecidos? Você tem uma preocupação especial nesse sentido? Há algum diferencial? Temos uma preocupação total com o conforto e com o caimento das peças. Temos 3 modelos diferentes de babylook: com decote em V, decote redondo e fechadinha, sem decote. A camiseta masculina também é mais moderninha, com a manga e a barra um pouco mais curtas que o normal. Fabricamos todas as nossas peças, desde o tecido até a estampa e a costura. As camisetas são feitas em Viscolycra, que é um tecido super macio e leve. Uma delícia de usar.

Além de camisetas, vocês fazem outros produtos? Se não, tem planos para isso? Por enquanto, só camisetas. Estamos começando agora com a linha infantil, 100% algodão. Temos muitos pedidos por outras peças, mas é algo que fica meio difícil num quiosque. Por enquanto, provavelmente vamos continuar só com as camisetas

Porque escolheram um lagartinho como logo da marca? O mascote, na verdade, é um camaleão (tudo bem, até hoje só uma pessoa descobriu isso!). Escolhemos o camaleão por ser um animal que muda e se adapta, assim como o alter ego de cada um.

No site está: “um grupo de amigos publicitários começou a reparar na crescente falta de interesse dos jovens por assuntos de cultura em geral”. Como o publico alvo recebeu a marca? No começo achamos que nosso público principal seria o povo na faixa dos 15-25 anos. Agora, sabemos que são as pessoas de 25 a 40 anos as que mais se interessam pelo conceito Alter Ego. Temos clientes

Carol - Estamos negociando pontos de venda com outros shoppings em São Paulo e temos propostas do Rio, Salvador e Belo Horizonte.

MOD - Quais os planos da marca?

loja da Alter Ego no Shopping Villa Lobos

23


Entrevista >>> Fernanda Cardoso

da banda Cansei de Ser Sexy

Dona de um estilo que ela define como “sexy e arrojado”, ela pode ser encontrada nas baladas descoladas de São Paulo sempre com uma roupa cheia de graça e muitas pulseiras no braço.

Por trás de um artista de sucesso sempre tem um produtor competente em ação. Sempre nos bastidores, eles são responsáveis pelo bom funcionamento técnico e as vezes até emocional do cantor, ou da banda. No caso do Cansei de Ser Sexy, os músicos brasileiros mais queridos do mundinho da moda, essa pessoa é a Fernanda Cardoso. Ela também faz aparições no programa Trama Virtual que vai ao ar pelo Multishow. Nessa entrevista via msn a Fê falou um pouco sobre sua moda.

24

moda ou de comportamento, como os que passam na GNT. Vejo às vezes algumas revistas e sites. Sou super consumista. Adoro andar em feirinhas, entrar em brechós e lojas. Demora escolhendo a roupa que vai sair? Às vezes. Depende do meu humor, da minha TPM, do lugar que eu vou. Tem muitas variantes, mas normalmente eu penso durante o banho.

Você se preocupa com o que veste? Não sei se me preocupo. Vestir pra mim é uma diversão. Eu me divirto com as roupas, os acessórios, os sapatos. Gosto de tentar combinações diferentes. Acho que é um lance meio de criança, tipo brinca de brincar de boneca.

Você curte um estilo 80’s. O que te atrai na moda dessa década? Com o que você se identifica? Acho que tudo da moda dessa época é divertido. O colorido, a mistura de texturas, estampas. É até meio brega. Gosto dessa liberdade pra combinar as coisas. Você fica confortável sem perder a feminilidade. Eu acho super sexy...de verdade!

Onde busca informações para se inspirar nas suas produções? Não costumo buscar informações, é intuitivo. A influência mais forte mesmo vem do dia a dia. Gosto de ver filmes, novos e antigos, e reparar no figurino, de programas de TV que falem de

Quais são suas referências dessa época? Madonna em “Procura-se Susan Desesperadamente”, os filmes do John Hughes (“De Volta para o Futuro”, “Blade Runner”); Viúva Porcina; Franja repicada; Atari; Polainas; Tenis Iate. São tantas coisas legais.


Já que curte os 80´s que está em pleno revival, o que você acha da moda que é oferecida nas lojas hoje? Tem muitas lojas bacanas, mas acho que os preços são surreais. Muito caros! Não rola comprar as coisas em loja de shopping. Você tem que ir a outlet, brechó, feirinhas de rua, como a Benedito Calixto e a do Bexiga, Tem que garimpar mesmo. Às vezes a gente não tem muita paciência pra isso. É legal quando você dá sorte e encontra alguma coisa por acaso.

(Foxxx) e a Ira gostam mesmo de moda. A Ira trabalhava com o Herchcovitch e a Love já trabalhou na Triton e com o Caio Gobbi. Você sentiu alguma influencia explícita ? Tinha alguma coisa que você não usava antes e depois do CSS passou a usar? Camiseta só usava feminina, mais justinha, mas agora eu prefiro as grandes, tipo uma P ou M masculina. Tenho e compro várias, velhas e novas.

Falando em preços surreais. Qual seu objeto de desejo de moda e sua grife favorita? Vejo coisas incríveis da D&G, Gucci, Prada; do Alexandre Herchcovitch. Acho que eu queria uma Patricia Field na minha vida. Adoro as roupas da Carrie do Sex and the City. Tem um monte de gente que diz que ela é brega, mas eu adoro.Ah! Queria muito que o Le Cheval ou Le Coq voltassem. Ia me fazer feliz!

Perdeu o medo de não ser feminina? Acho que sim. Aprendi a usar peças não necessariamente femininas: calça larga e camiseta. Isso não tira a nossa feminilidade. Estou de calça larga, camiseta e tênis, mas sem estar desleixada ou masculina. Tudo tem que ser bem dosado e de acordo com o seu estilo e seu tipo de corpo, mas não existe regra.

Tem alguma peça de roupa ou acessório que você tenha mania de comprar? Vestidos e Pulseiras. Sou maníaca por pulseiras. Tenho um montão, de todos os tipos. Tudo começou porque achei umas pulseiras que eram da minha mãe. Vestido eu adoro. Principalmente estes que a gente acha em brechó e que no cabide parecem horríveis, mas quando você veste ficam ótimos.

Depende do dia, mas tenho um estilo um pouco anos 80, sexy e arrojado.

Como você define seu estilo?

Capa do último CD da banda

Trabalhar com o Cansei de Ser Sexy, que é uma banda que veio do mundo da moda te influenciou o seu estilo de alguma maneira? Acho que todo mundo que você convive te influencia de alguma maneira. Elas são minhas amigas também, por isso a influência é quase inevitável. Vejo uma coisa interessante, uma combinação diferente. Cada uma tem um estilo. Na verdade só Love 25


Broche herchcovitch R$ 62 11 5562 3985

26

Sun Glass Moderninho R$ 120 www.chillibeans.com.


Meninas tambem usam gravatas a partir de R$ 10 gravataria paulista 11 8569 9856

Pisante Personalizado a partir de US$ 62 www.aconverse.com

Camiseteria a partir de R$ 50 www.camisetereia.com.br Bolsa Giovanna Shoes R$ 120 www.giovannashoes. com

27


Chill Out Artístico Galeria On line

É

sempre bom saber o que de mais bacana anda circulando por aí. E se o assunto for arte, o site The Canvas Lounge é uma boa fonte de inspiração. Como o próprio nome sugere, trata-se de uma galeria virtual de trabalhos de artistas selecionados por uma turma de ingleses apaixonada por arte. Só entra gente talentosa - mesmo. O visual é simples, mas bem bolado. Tem o desenho de uma sala e, conforme você clica, aparece acima do sofá um quadro com a imagem escolhida (quem dera que na vida real tudo se resolvesse assim, hein?). É divertido e dá para ter noção de como a obra ficaria em casa. O site tem um pouco de tudo: fotografias, pinturas, gratifes... Tudo à venda, dividido em oito catgorias: organic, urban, erotic, texture, legends, abstract, landscapes e weird and wonderful. Além do tamanho, dá para escolher a impressão em tela ou perspex (uma espécie de acrílico). Quem tiver uma fotografia que adora também pode encomendar um quadro personalizado. Atenção: eles estão sempre em busca de novos talentos. Vai arriscar?

WWW.THECANVASLOUNGE.CO.UK

Site do filme sobre Pin-up dos anos 50

B

ettie Page foi a pin-up que incendiou o imaginário masculino nos anos 50, em poses para lá de provocantes em revistas e calendários. Agora, virou ícone pop e inspirou a cineasta Mary Harron a escrever e dirigir o longametragem “The Notorious Bettie Page”, recém-lançado nos Estados Unidos. Protagonizado pela atriz Gretchen Mol, o filme mostra a figura cool e polêmica de Bettie. Enquanto não estréia por aqui, fãs incondicionais - e certamente saudosos, podem deleitar-se com o excelente site, parte da estratégia de divulgação. Todo mundo que acessar o site, além de assistir a cenas divertidíssimas, vai adorar as reproduções dos ingressos dos shows da época e as incríveis fotos de musa de tempos atrás. Dica rápida: a deliciosa trilha sonora, com clima de cabaré, é imperdível! Para não perder nenhum minuto e acessar já! Divirta-se! WWW.THENOTORIOUSBETTIEPAGE.COM

Cu

lt u r a

28

Notória Bettie Page


29


São Paulo também é lazer São Paulo oferece opções compras q podem ser muito prazerosas pra quem gosta de garimpar coisas novas e diferentes, confira e boas compras: COMPRAS EM SÃO PAULO *comércio atacadista de roupas, cama mesa e banho - Rua José Paulino, Rua Oriente e Rua Maria Marcolina *comércio atacadista de eletro-eletrônicos - Rua Santa Efigênia *comércio atacadista de utilidades, tecidos, cama, mesa e banho, eletro-eletrônicos - Rua 25 de Março boutiques e comércio varejista de primeira categoria - Jardins, Alameda Lorena, Ruas Augusta e Oscar Freire lustres - Rua da Consolação *móveis - Rua Teodoro Sampaio e Shopping D&D *decoração - Rua Gabriel Monteiro da Silva *assessórios para automóveis - Rua Duque de Caxias veículos importados - Av. Cidade Jardim *ferramentas e equipamentos - Rua Florêncio de Abreu marcenaria e afins - Rua do

30

FEIRAS DE ARTE, ARTESANATO e ANTIGUIDADES *República das Artes - Domingos das 7h00 às 17h00. Imediações da Praça da República com acesso pela Estação República do Metrô *Espaço Tiradentes - Domingos das 9h00 às 17h00. Av. Tiradentes, entre a Rua Bandeirantes e o Parque da Luz, abrange a Praça Cel. Fernando Prestes. *Benedito Calixto - . Aos sábados das 9h00 às 19h00. Praça Benedito Calixto, Pinheiros (entre as ruas Teodoro Sampaio e Cardeal Arcoverde) - Tel.: 3064-8894 *Bixiga - Sábados e Domingos das 8h00 às 18h00 - Praça Dom Orione - Bixiga *Butantã - Domingo do mês, das 10h00 às 18h00 - Praça Elis Regina - Butantã *Cultural Paulista - Aos Domingos, das 14h00 às 21h00 Shopping Center Paulista - Rua 13 de Maio, 194 *Embu das Artes - Aos Sábados e Domingos, durante todo o dia. Acesso pela rodovia Régis Bittencourt ( BR 116), Km 26. Tel.: 494-6565 *Feira da Liberdade - Artesanatos e alimentação. Domingos, das 10h00 às 19h00. Pça da Liberdade

*Feira de Moema - Quartas, Sábados e Domingos, das 9h00 às 17h00. Pça Nossa Senhora Aparecida *Feira de Santana - Quartas, Sábados e Domingos, das 9h00 às 17h00. Pça heróis da FEB - Rua do Lazer. *Osasco Plaza Shopping - Aos Domingos e Feriados, das 12h00 às 20h00. Rua Flórida Beltramo, 150 Tel.: 705-5500 *Shopping Center Chic - Aos Domingos e feriados, das 12h00 às 20h00. Rua Antônio de Barros, 400 - Tatuapé *Shopping Center Jardim Sul Aos Domingos e feriados, das 12h00 às 20h00. Av. Giovanni Gronchi, 5819. Tel.: 844-1000 *Shopping Iguatemi - Aos Domingos, das 10h00 às 19h00. Av. Brigadeiro Faria Lima, 1191 Tel.: 816-6116 *Shopping Market Place Aos Domingos, das 13h00 às 20h00. Av. das Nações Unidas, 22.450 - Morumbi *Shopping West Plaza - Aos Domingos e feriados, das 14h00 às 21h00. Av. Francisco Matarazzo, s/n.º Tel.: 262-9400 *Vão Livre do Masp - Aos Domingos, das 11h00 às 17h00. MASP - Av. Paulista, 1578. Tel.: 251-5644

mais informações em: WWW.VIVASAMPA.COM.BR


Tóquio Pop Art YOSHITOMO NARA

V

ocê começa a ver as imagens de Yoshitomo Nara - um dos artistas contemporâneos mais conceituados do Japão - e está lá um simpático cachorrinho. Em seguida, uma graciosa menininha. Tudo muito fofo. Porém, preste atenção: vira e mexe, a personagem tem um olhar malicioso ou está segurando uma faca (mas com toda delicadeza, não se assuste). O trabalho de Nara é assim: oscila entre o sonho e a realidade; a agressividade e a doçura; a cultura pop e a erudita. Desde que começou a desenhar, em 1984, já fez mais de 40 individuais mundo afora. Suas esculturas, pinturas e desenhos já freqü entaram endereços badalados como Colette (Paris), Moma (Nova York), Stephen Friedman Gallery (Londres) e Hara Museum of Art (Tóquio). E também vivem nas páginas de publicações como The New York Times, ID e Vogue

Itália. Mais: estampam livros, camisetas, capas de CD, relógios... Nara sempre cria doces animais e meninas com cabeça grande e olhar expressivo. Às vezes estão de olhos fechados, como as sonâmbulas, totalmente mergulhadas num mundo particular e fantástico. Um bocado desconcertantes, mas sempre encantadoras. A inspiração vem do punk rock, mangás, grafite e, sobretudo, das lembranças da infância, vivida em Aomori, no interior do Japão, cercado paisagens rurais e bichos. Como sabemos, nada neste mundo é à toa. Não deixe de conhecer. Você vai se deliciar com as imagens criativas e cheias de contrastes. Para virar fã.

C ul

tura

WWW.BLUMANDPOE.COM 31


32

Life’s Good


Revista Mod  

Projeto Grafico para o Curso de Produção gráfica do SENAC

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you