Issuu on Google+

FORMAÇÃO PARA COORDENADORES EJC - 2012 Com este trabalho pretendemos expor, de maneira questionadora e dinâmica do que é ser COORDENADOR na vivência dos círculos. Há necessidade de desenvolver uma pedagogia de formação integral que conquiste e envolva os jovens num itinerário que os leve ao amadurecimento na fé, tendo em conta as diferentes realidades e ambientes juvenis, “indo ao encontro dos jovens onde eles estão”. “Os grupos de jovens são um instrumento pedagógico de educação na fé. O pequeno grupo, como instrumento de evangelização, foi um dos instrumentos pedagógicos usados por Jesus ao convocar e formar seu grupo de doze apóstolos” (Doc. 85 CNBB, 142 e151). Ao Participarmos do Encontro de Jovens com Cristo somos convidados a experimentar um encontro pessoal com Jesus Cristo, o que não significa que esse encontro se limite somente aos três dias. Após esse momento, assumimos uma proposta de continuidade a partir das reuniões domiciliares de círculos, provenientes do compromisso formado no Pós Encontro, sob tema o que é o EJC, tendo como ponto importante em sua definição ser “serviço escola da Igreja” Dessa forma, fomos convidados a ser formadores. Recordando o tema do ultimo Encontro de nossa Paróquia “que andeis de modo digno a vocação a que fostes chamado”, quem assume o trabalho de coordenar não precisa se assustar! As vezes nos assustamos diante da responsabilidade, mas não se esqueça: ninguém nasce pronto! Vamos nos “fazendo” dia após dia. Por isso, se você assume tal coisa, é com ela que você vai apreender, aprendemos a coordenar, coordenando. Não deixe, porém, de realizar as coisas de forma participativa e evangélica. Além do mais, a Evangelização do jovem é missão de toda a Igreja, em que devemos cooperar segundo as próprias condições e vocação. Assim, devemos nos propor a ajudar um a o outro nessa caminhada de evangelização, de forma a sermos guiados a luz de uma boa Espiritualidade, dividindo-se em quatro pontos importantes: Oração, em que nos comunicamos com Deus; Doação, no serviço ao irmão; Humildade, atividade fundamental para se colher o reino de Deus, cuja construção se faz através do Espírito da pobreza, da disponibilidade e da confiança na vida divina; e Alegria, não se trata aqui do extravasamento do vazio. Alegrias provêm de outra fonte. É espiritual. É a comunicação da paz interior, nascida da certeza da vitória do bem e experimentada no encontro, na partilha, na doação e na comunhão com Deus. Assim, o trabalho de formação é conjunto, nunca podendo ser desprezado ou simplesmente não “dar ouvidos” a experiências anteriores, de modo que auxiliar é construir junto: “Pois, como em um só corpo temos muitos membros e cada um dos nossos membros tem diferente função, assim nós, embora sejamos muitos, formamos um só corpo em Cristo, e cada um de nós é membro um do outro” (Rom 12, 4-5). Que juntos nessa formação, possamos construir alguns dos elementos básicos desse processo de desenvolvimento formativo, para aqueles de desejam acompanhar e ser acompanhado.


A ARTE DE COORDENAR O QUE É COORDENAR? Se alguém nos perguntasse O QUE É COORDENAR, que resposta nós apresentaríamos à questão? O QUE É SER LIDER? O QUE ENTENDEMOS POR COORDENAR? COORDENAR É? • Dispor segundo certa ordem e método; • Organizar, arranjar • Orientar, dirigir o trabalho de uma equipe; • Ligar, associar, interligar... COORDENAR é dispor as coisas de tal modo que tenham ordem. O técnico de futebol que não coordena seu time já sabe o que o guarda: DERROTA! Já pensou se ele mandasse todos para o campo e cada um fizesse o que bem entendesse? Todo líder tem que atuar em três dimensões: gerenciar, liderar e conhecer o assunto. Gerenciar não é o mesmo que liderar. Gerenciar implica coordenar, medir e incentivar os esforços da equipe; enquanto liderar se refere à orientação das pessoas - ouvir, observar e influenciar os membros e a dinâmica da equipe. Implica fazer os membros se sentirem valorizados. Além desses, um dos maiores desafios do líder é contribuir com sua experiência e conhecimento técnico, sem inibir a ação do grupo. No EJC ou em qualquer outro serviço, eclesial ou não, é preciso haver COORDENAÇÃO (não estou falando de chefe, “cacique” ou semelhantes). COORDENAR, isso se faz por meio de alguém que assume esse papel. O coordenador que não leva o povo à PARTICIPAÇÃO e à VIDA DE COMUNIDADE não está exercendo bem a sua função. Fazer tudo – enquanto os outros espiam apenas – não é o caminho. Cuidado! Não é por aí! COORDENAR é uma ARTE porque:  Tenho de me educar no trabalho com os outros;  Tenho de distribuir todos os serviços;  Tenho de ajudar cada um a assumir seu trabalho;  Tenho de estar atento ao todo para que tudo funcione;  Tenho de fazer as coisas caminharem bem. Alguns pontos essenciais:  Toda coordenação tem de ter VIDA! Não é razão, é ação;  Toda coordenação é para que o EVANGELHO seja bem anunciado;  Quem assume o papel de coordenar tem de ser cheio de FÉ; VIDA, EVANGELHO E FÉ SÃO SUSTENTÁCULOS DA EVANGELIZAÇÃO. A fé nasce da escuta da Palavra de Deus, do Deus que nos fala. Assim sendo, o anúncio do evangelho não é algo que se faz na base do “ferro e fogo”. É vida na nossa vida. Quem coordena não precisa ser santo ainda, mas desejar, sim! Pode acontecer que uma comunidade ou um grupo não ande bem. Aqui é preciso analisar bem os motivos que estão “emperrando” o desenvolvimento da comunidade ou do grupo. Qual o primeiro passo a ser dado? Jogar a culpa nos outros? Quem está à frente de uma comunidade ou de um grupo deve fazer um exercício de conversão: analisar para ver se não é falha em seu modo de coordenar. O primeiro passo a ser dado, antes de mais nada, é o da análise pessoal. Em primeiro lugar precisamos olhar para nós mesmos.


“Tenho medo de lhe dizer quem sou porque, se eu lhe disser quem sou, você pode não gostar e isso é tudo o que tenho.” John Powell PARA QUEM COORDENA É PRECISO: • • •

Saber o que se quer com determinada ação evangelizadora; Como ela será desenvolvida; Onde se quer chegar (que resultado se espera). Tudo isso se faz envolvendo as pessoas no mesmo objetivo. DADOS NECESSÁRIOS PARA UM BOM ANDAMENTO DE UMA EQUIPE

• •

• •

• •

• • • • •

Em uma equipe de alta performance, nunca se ouvirá alguém dizer: eu fiz minha parte. Uma equipe de alta performance não se interessa pela ação, e sim pelo seu resultado, portanto, quando uma ação não esta dando o resultado esperado, precisa ser repensada, revista, para que realmente se obtenha o objetivo desejado Numa equipe de alta performance, seus integrantes aceitam cobranças. Os membros de uma equipe de alta performance, exibem uma marca: o orgulho de pertencer àquela equipe. A derrota de uma equipe, é a derrota de todos seus componentes Quando há limitações de recursos ou mesmo de talento e técnica em uma equipe, só existe uma possibilidade de sucesso: o time se superar em força e união. Numa equipe de alta performance não há lugar para picuinhas O ELOGIO Elogiar ajuda o outro se sentir admirado Elogiar é admirar a capacidade do outro, o que o torna mais autoconfiante. Elogiar faz o outro se sentir importante e cria a consciência de pertencer a um grupo. Elogiar é aplaudir A CONFIANÇA Numa equipe em que as pessoas tem o foco na capacidade dos outros, todos se sentem mais confiantes em arriscar.

• • •

Numa equipe, há comunicação verdadeira, as opiniões divergentes são estimuladas de forma sadia, existe confiança mutua entre os seus membros. É muito importante trabalhar em um lugar que todos confiam uns nos outros e lutam por suas metas e são amigos. A COMPETÊNCIA As raízes de nossa competência profissional, estão fincadas em nossa empresa. A competência de uma equipe, é o orgulho maior de uma empresa. A competência de uma equipe, demonstra a riqueza de caráter de seus ocupantes e o grau de estabilidade de sua empresa. O AGRADECIMENTO Sempre que puder, se unam para compartilhar aquilo que todos fizeram juntos, tecendo agradecimentos e elogios mútuos, para expressar o orgulho de estar na mesma equipe e na mesma empresa O Assessor JESUS CRISTO


Não existem agradecimentos nem homenagens. Trabalha-se no EJC com espírito de doação, anônimo, sem esperar recompensa. O agradecimento será feito somente a Deus por ter dado a oportunidade de “servir”. Somos apenas “instrumentos nas mãos de Deus”. O pagamento e a recompensa virão de Deus. “Vós, jovens, não sois apenas o futuro da Igreja e da humanidade, como uma espécie de fuga do presente. Pelo contrario: vós sois o presente jovem da Igreja e da humanidade. Sois seu rosto jovem. A Igreja precisa de vós, como jovens, para manifestar ao mundo o rosto de Jesus Cristo, que se desenha na comunidade cristã. Sem o rosto jovem, a Igreja se apresentaria desfigurada”. Papa Bento XVI Características para um bom coordenador             

Ter fé viva na Palavra de Deus e na sua missão; Ter muita espiritualidade. Rezar muito intensificar a ida aos sacramentos, a Missa buscando estar em estado de graça; Intensificar a sua espiritualidade; A Bíblia, o joelho em terra a cada dia serão diretrizes mais certas para um bom coordenador. Não temas a ser escolhido. Confie em Deus. Ele suprirá seus anseios e necessidades. Deus nos quer a prova para nos provar; Procurar cooperação NÃO COMPETIÇÃO, não tomar partido. Acompanhar o progresso, a evolução do grupo; Tratar o outro com PACIENCIA, procurar aceita-lo como ele é, não esquecendo que TODOS somos DIFERENTES. Respeitar os horários das Reuniões Ame-se confie em si mesmo, em sua família ajude a criar um ambiente de AMOR e PAZ ao seu redor. Procure Resolver os problemas com calma, aprenda com situações difíceis, buscando em tudo seu lado positivo. Partilhe seus sentimentos com SINCERIDADE, dizendo o que você pensa e OVINDO o que os outros tem a dizer. Respeite as pessoas que passam diferente de você, pois as diferenças são verdadeiras riquezas para cada um do grupo. DE BONS EXEMPLOS, pois a melhor palavra é o nosso jeito de ser. PEÇA DESCULPAS quando ofender alguém e PERDOE DE CORAÇÃO quando se sentir ofendido, pois, O PERDÃO é o maior gesto de AMOR que demonstramos. Todo jovem e casal coordenador ao começar qualquer tarefa, deve se preparar, se organizar e se colocar nas mãos de Deus para que seja ELE que dirija tudo.“A dimensão do serviço, é para ajudar a renovar o Reino de Deus na Igreja, não para o engrandecimento da pessoa(EU), mas aperfeiçoar o serviço ao irmão” ( Pe. Alfonso Pastore). Gostariamos de agradecer a todos que fizeram, fazem e farão parte da história da EJC, este trabalho deve a colaboração de Pe. Francisco Gabriel CSsR, Pe. Jeová Ribeiro, Rodrigo Sady, Jonas Borges, Vinicius Gabriel e Thiago Barros, com apoio da Equipe Dirigente de 2012.


FORMCOORD