Issuu on Google+


Lumion é um software de renderização para a área de arquitetura, urbanismo e afins que, diferente de outros softwares, que trabalham apenas com a imagem final, é um renderizador em tempo real.

Conhecido pela sua dinamicidade e interface de fácil entendimento, ele ganhou muito espaço no cotidiano dos estudantes (e profissionais) de arquitetura e urbanismo.

Em um curso onde corremos contra o tempo, infelizmente não podemos nos dar ao luxo de fazer uma imagem de várias horas. Porém, não pense que o lumion, por ser mais rápido, gerará imagens ruims, pelo contrário, a sua vantagem está justamente no questiso qualidade x tempo.


Ao abrir o lumion, sua tela inicial será essa. Provavelmente ele não estará em português. Para alterar, basta clicar na bandeira que estiver e selecionar o idioma de sua preferência. Há quatro abas iniciais, Novo, Exemplos, Carregar Cena e Carregar Cena e Modelos. A aba na imagem é a Novo, e é onde você escolhe o tipo de paisagem que irá ter no seu projeto. A paisagem é alterável, então não precisa obrigatoriamente seguir até o fim o modelo de paisagem selecionado. Mais embaixo, no canto inferior direito, clicando na engrenagem você é redirecionado para a aba de configurações


A aba em questão, Exemplos, possui alguns modelos já prontos para poder ser usado e estudado. Pode-se usar para aprender um pouco sobre configuração de materiais e uso de efeitos na hora de renderizar.

Já a aba Carregar Cena, serve para carregar um modelo carregado por você no lumion, facilitando o acesso a modelos antigos.


ĂĄrvore e grama de alta qualidade no editor liga/desliga o uso de tablet

#NĂŁoSeiComoFunciona

liga/desliga o comando de orbitar invertido terreno de alta qualidade no editor limitar as texturas para 512x512 pixels #MenorQualidadeDasTexturas silenciar o som (somente no editor)

Qualidade do editor. Quanto mais, melhor (e consequentemente mais devagar) #DicaDoDudu+Thi _ use o editor com qualidade baixa (tecla F1) na hora de colocar objetos, e alta qualidade (tecla F4) na hora de configurar materiais


Quem já jogou jogos em primeira pessoa, como counter-strike, entenderá como faz para se movimentar. Existem três formas de se movimentar, pelas teclas do alfabeto, pelas setinhas e pelo mouse. Um modo não anula o outro, pelo contrário, o ideal é usar o mouse e o teclado ao mesmo tempo para se movimentar. /

- frente

- sobe

/

- trás

- desce

/

- esquerda

- velocidade lenta #TemQueSegurar

/

- direita - orbita ao redor de um ponto fixo

além desses, não se esqueça do mouse! click! click!

clique, segure e gire! loucamente!

Bem, esse é o local onde ocorre toda a “modelagem” e edição. No lado esquerdo da tela, os 4 quadradinhos são, respectivamente, Clima, Paisagem, Materiais e Objetos. No canto inferior direito, a pessoinha trabalhando é esse local da imagem, se chama Criar. A câmera se chama... Câmera! E é o local para fazer os renders. O filminho embaixo da câmera se chama... Filme! E é para fazer filmagens. Embaixo do filme é um local que se chama MyLumion. A ideia é renderizar várias imagens e poder compartilhá-las com um cliente, por exemplo. Funciona como um “Google Street View”, mas do seu projeto. Embaixo, a engrenagem que já conhecemos, e no lado esquerdo, o botão de play, que se chama Jogar. É como se todas as barras de ferramentas sumissem e você jogasse mesmo. Ah, o disquete! Clicando nele você irá basicamente para a tela inicial, poderá salvar o seu modelo, carregar uma nova cena etc.

clima paisagem materiais objetos


A sessão Clima serve para, claro, mexer no clima, porém de uma maneira bem simples. Mexe-se apenas na direção do sol, altura, quantidade de nuvens e quantidade de brilho do sol. É importante frizar que na hora de fazer o render, é possível adicionar os mesmos efeitos, mas com mais opções de alteração.

1

2

#DicaDoDudu+Thi

não gaste tempo mexendo nessa parte, pois na hora do render você irá mudar (e configurar de uma maneira bem melhor e mais avançada)

3 4

direção do sol 1_

Aqui se define a direção do sol. Como isso pode me ser útil? Para algo que fazemos em absolutamente todos os projetos: estudo de insolação!

altura do sol 2_

A altura do sol é usada para testes bem básicos de como ficaria o seu projeto de dia e à noite. Para a colocação de iluminação no modelo, muda-se para a noite para ter noção e fazer os ajustes necessários. Além disso, caímos mais uma vez no estudo de insolação. quantidade de nuvem 3_

A quantidade de nuvem, como falamos na #DicaDoDudu+Thi, não precisa ser levada muito a fundo, pois não possui um local de configuração. Veremos posteriormente como fazer isso nos efeitos!

4 q_uantidade de brilho A quantidade de brilho é... a quantidade de brilho. Infelizmente não temos mais nada a acrescentar aqui ._.


A paisagem é responsável por criar todo o entorno topográfico do projeto. Caso queira uma superfície montanhosa, plana, de textura diferente, um oceano (sério), você está no lugar certo.

aumenta diminuir

suavizar instabilidade nivelar

o primeiro item diz respeito ao relevo. Pode-se criar montanhas, assim como nivelar e outras opções.

O item Água não é bem o melhor a se usar, pois ele é retângulo que você ajusta o seu tamanho e sua altura. Para criação de “muitas águas”, o ideal é que se use o próximo item, o Oceano. Caso queira uma diversidade de águas, o Água é o ideal.


A ferramenta do oceano é uma das mais legais (na minha opinião). Apenas clicando na bolinha com o traço (famoso botão de ligar), o oceano aparece. Além de ser muito bem feito e bonito, é fácil de se configurar. Intensidade, turbidez, direção do vento... Até a cor do mar. Incrível, né? #PuxaSaco

A pintura é bem simples, apenas clicar na textura desejada e pintar! Há as três barras que ajustam o tamanho do pincel, a velocidade e a escala da textura. Para ajustar, basta clicar e ir arrastando. Mais texturas estão disponiveis nas setinhas.


A ferramenta de Terreno é muito parecida com a de Altura. Porém, aqui não se mexe nem se cria uma montanha, apenas clicando no botão circulado você cria essa cadeia de montanhas. Ao clicar no botão circulado, cria-se uma montanha bemmm grandinha! Se não quiser mais nada, aperte no botão circulado para deixar tudo plano novamente.

Sem dúvidas um dos pontos fortes do lumion é a possibilidade de grama 3D. Com apenas um clique, se liga e se ajusta de acordo com o tamanho da folha, altura e a variação da grama. Infelizmente só é possível um tipo de grama para ficar em 3D, ou seja, se você tiver mais de um tipo de grama no seu projeto, apenas um tipo ficará dessa forma.


#DicaDoDudu+Thi

Aperte F1 antes de imoprtar para deixar com baixa resolução, isso fará ir mais rápido

Antes de passarmos para a edição de materiais, precisamos importar o modelo. Clicando no botão Objetos, segue-se a ordem da imagem a seguir para importar o modelo desejado. O Lumion é compatível com os modeladores em geral, mas se por acaso não tiver como importar, basta entrar no programa de modelagem usado e exportar o modelo como Obj file (.obj) ou Collada (.dae). Clicando então no arquivo, basta colocá-lo no lugar desejado.

Ufa, finalmente chegamos nos materiais! A regra para um bom render é: boas texturas e configurações condizentes com o material. Bem, vemos então que quando clicamos no botão Materiais, podemos ir selecionando as texturas que estão no arquivo original. Clicando em uma textura, a opção Biblioteca de Materiais aparecerá, e você poderá escolher, dentre as várias opções que o lumion já dá, a sua de preferência. E as texturas do lumion são muito boas!


Tem-se as abas de Natureza, Interior, Exterior e Padrão. Cada uma tem sua especialidade e uma boa diversidade de texturas prontas para serem usadas.

Clicando duas vezes na textura você acessará a opção de configurar o material. A colorização é, claro, a cor. Aumentando a colorização uma opção de cor aparecerá. Se você escolher, por exemplo, o vermelho, quanto mais colorização, mais vermelho o material ficará. O lustro quer dizer a quantidade de brilho (lembra do lustra móveis? então...), então quanto mais, com mais brilho ele ficará. Se menos, menos brilho. O relevo diz respeito ao... relevo do material. É importante sempre aumentar e diminuir para ver a diferença que dá. Um material com bastante relevo, em geral, é mais realista, pois apresenta uma textura que não é totalmente plana. A escala, mais uma vez, fala sobre escala da textura. Mais escala, maior a textura e consequentemente uma menor qualidade dela. A opção Mais proporciona outras opções. Clicando no Avançado tem-se essa aba de Emissivo, Saturação e Especular. Se quiser um material que emita luz, aumente o Emissivo e veja a diferença.

criar mapa normal - mapa bump


Os objetos são uma das partes mais fundamentais, pois compõem o cenário que fará a composição com o modelo principal. São 8 opções, Natureza, Transporte, Som, Efeitos, Interior, Pessoas e Animais, Exterior e Luzes e Objetos Especiais.

Clicando em uma opção e no local para selecionar objeto, uma nova janela abrirá com todos os modelos disponíveis da opção desejada.

Na tela com os objetos, basta explorar a grande variedade de vegetações e selecionar a desejada. Infelizmente a tela fica um pouco cortada (ainda não sei como resolver isso). #sorry


Colocando o objeto desejado, pode-se alterar a coloração dele, clicando no lápis, em seguida clicano na bolinha branca (que ficará azul) e a opção de configuração aparecerá.

Há também a opção de se colocar objetos em massa, o que facilita muito a colocaçao de um grande número de objetos. Clcicando na barrinha deitada, clique e você conseguirá definir até onde o objeto irá. Clique no ponto final e uma nova janela aparecerá.


É possível colocar mais de um tipo de objeto, no caso da imagem, uma maior variedade de árvores, o que dá um ar mais realista. Apenas clique no para adicionar mais objetos. Aumentando o número de itens, aumenta-se a quantidade. A opção “deslocamento aleatório da linha” faz os objetos se deslocarem lateralmente, não ficando perfeitamnte alinhados.

+

Tais comandos se repetem para as diversas opções de objetos. Continuem explorando!


Oba, hora de renderizar! O primeiro passo é saber onde fazer, certo? Ali naquela câmera, clique e será redirecionado para a tela da imagem abaixo. Na estrelinha com o + é onde se aplicam os efeitos na imagem, que não deixará ele parecendo the sims #amo.

Clicando no Novo Efeito, a janela com os efeitos estará disponível. Falarei sobre as mais usadas nos renders. Na ordem: Sol, Sombra, Rastros, Água, Iluminação Global, Reflexão, Estudo de Insolação, Lua e Gerador de Outono. Mais importantes: Sol, Sombra, Iluminação Global e Reflexão


O filtro Sol possui 4 opções, Altura, Rotação, Brilho e Tamanho do sol. Sempre coloque o sol para favorecer ao máximo o seu projeto. Procure por uma posição mais baixa do sol, quase no pôr-do-sol. A rotação também, buscando favorecer através das sombras.

A sombra é um fator importante, pois dá o detalhe da profundidade no render. O lumion 6 possui a opção omnishadow, que é uma sombra mais forte. Basicamente muda-se apenas ela. Aperte F4 para deixar a qualidade máxima da imagem e verá diferença ao diminuir/aumentar.


A iluminação global é responsável por dar aquela sombrinha chique que às vezes passa batido. Faça o teste, coloque iluminação, adicione o efeito e aperte no ON para desativar e ver a diferença.

Para adicionar IG das luzes, clique na lâmpada da opção e depois na lâmpada do projeto para “ligá-la”. Aumentando a quantidade de IG, aumentará a luminosidade da lâmpada selecionada.


A reflexão é bem simples de se configurar. Há o Editar, Redução de Cintilação e Limiar de reflexão (não precisa mudar, mas aumente e diminua para entender o que é). A qualidade de visualização vai variar de acordo com as configurações de seu computador. O lumion 6 possui o speedray reflections, e sempre deixe-o ligado antes de fazer o render (antes não tem problema). Clicando no editar, você será redirecionado para uma nova tela.

Já na janela do Editar, tem-se apenas duas opções: ou clicar no + ou na setinha que redicionará a tela anterior. Clicando no +, você selecionará planos que irão refletir com maior eficiência. Não precisa ser necessariamente apenas vidro, inclusive é comum aplicar no plano do chão, por exemplo.


As nuvens possuem basicamente duas configurações para se mexer, nuvens baixas e nuvens altas. As nuvens baixas são essas nuvens bem definicas, onde se vê a forma característica dela.

A nuvem alta é a nuvem mais esfumaçada, indefinida.


A perspectiva com 2 pontos de fuga é usada para se deixar a perspectiva um pouco mais perpendicular em relação ao terreno. Percebe-se na foto que com o ponto de fuga desligado, a perspectiva tende a “entortar”. Com o efeito ligado, fica-se “paralelo”. Mas nem sempre é o ideal!


O efeito de isopor é interessante e bem fácil de se usar. Aumentando-se a difusão, mais branco e com textura de isopor o modelo fica (e com menos sombras). Diminuindo-se o Redução de Ruído, mais granulado ficará o modelo.

A distância focal é um parâmetro em que 0 é distorcido e 300 é paralelo. O olho humano funciona com a distância focal de aproximadamente 22mm. Recomenda-se trabalhar por volta dessa faixa para se obter um maior realismo na cena.


O laboratório analógico de cores tem por objetivo adicionar filtro no render. Às vezes naquele momento intenso de entrega de projeto, sem ter tempo de passar no photoshop (não deixe pra última hora, pufavorzinho), pode te quebrar o galho.

O hyperlight funciona como um reforço para a iluminação do ambiente. É fácil de se ativar, basta clicar na opção On e ajustar a quantidade que deseja. Não existe um número fixo que ficará bom, apenas se verá a diferença testando na hora do render. #faça o render no menor tamanho para não demorar muito.


Bem, é isso! O propósito desta apostila não é aprofundar em renders chiques no lumion, e sim em ensinar o básico para que se consiga caminhar sozinho no software. Esperamos que dê para ajudar.



Apostila básica de Lumion - Núcleo de Projetos - UFOP