Page 1

REFLEXÕES FINAIS DE LPTIC Opinião Pessoal acerca da Unidade Curricular LPTIC

Escola Superior de Educação de Setúbal - IPS Licenciatura Educação Básica


REFLEXÃO FINAL – LPTIC DISCENTE – FÁBIO MACHUQUEIRO

Terminado que está, mais um semestre, é altura de realização a minha reflexão crítica acerca deste Unidade Curricular, de Língua Portuguesa e Tecnologias de Informação e Comunicação, ou LPTIC, como é usualmente denominada pela maioria dos estudantes. Relativamente a esta Unidade Curricular, tenho alguns aspetos positivos e negativos a destacar, que gostaria de criticar construtivamente, sempre com o objetivo de melhorar cada vez mais, esta UC, que considero desde já de enorme importância. Lecionada conjuntamente pelo professor Tiago Falcoeiras e pela professora Rosário Rodrigues, concordo plenamente na forma como são abordadas as aulas, numa perspetiva de complementar a prática com a teoria. Por norma, em todas as aulas do Professor Tiago Falcoeiras, abordávamos conceitos, definições, temas e atividades que se prendiam com a língua Portuguesa e a sua inserção neste mundo das novas tecnologias. Aprendemos de que forma este mundo em constante desenvolvimento pode ser aplicado ao ensino da Língua Portuguesa, sobretudo em faixas etárias mais precoces, uma vez que serão as crianças o nosso público-alvo. As aulas por norma, relatavam assuntos bastante interessantes, que por vezes podiam apenas perder o interesse, devido à banalidade dos mesmos, pois a tecnologia é um assunto cada vez mais recorrente, não só nas escolas, mas em qualquer lugar. Contudo, foi bastante interessante abordar temas como a interligação entre a TV, a tecnologia e a criança, percebendo que com o avançar das tecnologias, a televisão é cada vez mais uma ferramenta pedagógica para qualquer professor/educador, e chegar ao final de uma Unidade Curricular com esta ideia, parecendo-me ser esta uma das “missões” da UC, o saldo torna-se claramente positivo. Seguidamente, poderei falar da vertente mais prática da Professora Rosário. Desde já quero salientar, que sou completamente de acordo com a postura dinâmica de interajuda da professora Rosário, no sentido de estar sempre apta e disponível a tirar duvidas e a corrigir no terreno, erros práticos que dávamos na construção das atividades, concretamente as duas que desenvolvemos com maior ênfase o Jclic e o Photostory. Foi realmente uma pena, a UC ter sofrido o revés de perder um dos seus docentes, na fase final devido a um infortúnio, pelo simples fato de que a UC está bem articulada desta forma, e o estudante neste tipo de UC sente falta desta articulação, de complementar a teoria, com a prática. Relativamente às atividades em si, posso salientar que gostei bastante de experimentar o PhotoStory, porque não conhecia este editor da Microsoft, achando contudo que é claramente limitado, mas perfeitamente adequado se o tivermos em conta como ferramenta pedagógica para o público infantil. O Jclic é bastante bom como ideia, e funciona, não podemos dizer que não


funciona. Contudo, vejo o JClic como um ponto negativo para mim. Não como programa perfeitamente ajustado à idade, porque isso é indiscutível, dando para fazer jogos muito engraçados, dinâmicos e ricos ao nível da aprendizagem da própria Língua Portuguesa, bastando para isso ter criatividade e imaginação. Mas sim, porque é um programa que contem muitos erros, não é 100% fiável para um estudante, para ser visto como uma ferramenta de avaliação. Enquanto estudante, temos variadíssimos trabalhos e perder os dados e o trabalho realizado, pelas falhas, erros ou lacunas de um software, é complicado, porque é tempo perdido de trabalho, que em certas fases de um semestre um estudante pode não ter. É apenas por este ponto de vista, pois de resto, penso ser uma ferramenta deveras intuitiva. Destaco para terminar ainda o TuxPaint, pois um editor de imagens para crianças, é sempre uma grande ajuda para qualquer professor, sobretudo pela sua interface gráfica, capaz de chamar a atenção. Quero ainda salientar alguns pontos ao longo do semestre. A palestra sobre segurança na Internet, foi bastante dinâmica, dando para participar e avaliar diversos assuntos tabus. Pessoalmente é sempre um tema que me agrada. Destacar ainda negativamente a incoerência que existiu, na minha opinião em termos de horários. E não penso que aqui a culpa seja dos docentes. Passo a explicar. Quando fica definido um horário, seja de saída ou intervalo, por toda a turma, penso que os discentes deveriam respeitar esse mesmo horário. Eu sempre que cheguei sempre atrasado, justifiquei-me com o/a docente, sempre que achei necessário. Contudo, se cada discente começa a sair e entrar na aula quando lhe apetecer, vai causar dúvidas aos outros discentes sobre os reais timings das aulas. Quando e hora de ir ao intervalo? Havia intervalo? Este foi uma das minhas principais questões, que me deparei, porque a determinada altura, deixei de me aperceber se existia ou não. Em suma, penso que a Unidade Curricular é bastante pertinente, tendo gostado bastante das temáticas e até do apoio prestado pelos docentes. Aprendi “coisas” novas, bastante uteis para o futuro, deixando apenas o conselho de se apostar mais no risco e no desafio. Programas e atividades mais desafiantes, que acompanhem a evolução da tecnologia e não sejam tão limitados, pois pessoalmente, o que me motiva é o que ainda não existe ou ainda não foi feito.


REFLEXÃO FINAL – LPTIC DISCENTE – JOÃO BABARRA

O meu balanço sobre a Unidade Curricular Língua Portuguesa e Tecnologias da Informação e Comunicação, lecionada pelos docentes Mª Rosário Rodrigues e Tiago Falcoeiras, recai sobre todo o trabalhado realizado ao longo do semestre. As minhas expectativas em relação à UC, eram elevadas, pois cada vez mais o recurso às tecnologias é importante na sociedade, algo que atualmente já se considera indispensável e aqui poderia conhecer novas ferramentas, que até então não tinha utilizado. Hoje em dia e futuramente, sei que como futuro profissional da educação acredito que tenho de motivar/incentivar as crianças a utilizarem este tipo de ferramentas pois estas têm contacto cada vez mais cedo com as tecnologias, e ir ao encontro dos seus interesses para mantê-las mais ativas/dinâmicas utilizando instrumentos que me ajudem a fazê-lo. A parte mais teórica lecionada pelo professor Tiago Falcoeiras foi adequada para entender alguns conceitos relacionados com as TIC e entender a sua contribuição para a aprendizagem das crianças. A parte mais prática lecionada pela docente Maria do Rosário Rodrigues também foi importante, pois fiquei a conhecer muitas ferramentas, disponíveis na internet e gratuitas, que podemos abordar junto das crianças. Adquiri uma nova perspetiva em relação ao uso das TIC no ensino e como estas, quando são bem escolhidas pelo professor/educador, podem contribuir para a aprendizagem e desenvolvimento das crianças. As ferramentas apresentadas por ambos os docentes são importantes para desenvolver a Língua Portuguesa, mas não só, pois são ferramentas que podem ser utilizadas para trabalhar vários conteúdos. De todas as ferramentas que conhecemos na parte mais prática da UC gostei muito de explorar o programa Photostory, pois, apesar das dúvidas iniciais que tive juntamente com o meu colega Fábio que iriamos abordar no nosso trabalho, todo o restante processo até obter o produto final é muito motivante e engraçado, devido á perceção de como o trabalho se vai desenvolvendo e ficando agradável e interessante. No entanto, penso que os outros programas, como o Jclic também são muito interessantes para as crianças explorarem e utilizarem no seu quotidiano. Por outro lado, na parte mais teórica achei bastante útil falar da importância da televisão, porque é um aparelho que a grande maioria para não dizer todas as crianças possuem em casa, é uma boa ferramenta, que por vezes não damos tanta importância como se calhar devíamos, pois esta dá para


explorar diversos conteúdos a partir de programas televisivos do interesse das crianças. Como pontos negativos não encontro nenhum a salientar a nível dos conteúdos abordados na UC, encontro um sim em termos de horário, penso que as aulas se poderiam tornar mais produtivas senão fossem tão espaçadas, passando de um bloco por semana e dividi-lo em dois. De um modo geral, fiquei agradado com a UC, porque apesar de ter boas expectativas sobre esta, conseguiu mostrar-me várias ferramentas que podem ser utilizadas em contexto educativo e como podem ser bastante úteis no ensino-aprendizagem.


Reflexão final lptic  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you