Issuu on Google+

ANS - n.° 40694-5 Endereço para devolução: Rua Maria José, n° 1-71 - Centro - Bauru - SP 17015-440

Ano VIII/n°20/junho de 2009

15 anos Mais Saúde para a Família Policial Militar Bauru


2

Geral

Bauru

Acesse o site da Apas

O site da Apas oferece diversos serviços aos associados. Além de acessar informações sobre a associação, também é possível obter segunda via de boleto bancário e de extrato de repasses, solicitar segunda via das credenciais Apas e Unimed e ainda atualizar o endereço para correspondência. O site disponibiliza também versões digitais do Manual do Usuário e Guia Médico, das Revistas da Apas e do Estatuto da entidade. Visite o site da Apas e confira: www.apasbauru.com.br Diretoria Presidente: Cel Ref PM João Baptista de Campos Lima Vice-presidente: Ten.Cel. Res. PM Osmani dos S. Almeida 1º Diretor Secretário: 1º Ten Res. PM Luiz Aparecido Leonel dos Santos 2º Diretor Secretário: Cap Res PM Jovercy Bergamaschi 1º Diretor Financeiro: 1º Ten Res PM José Francisco Escoura 2º Diretor Financeiro: 1 º Ten PM Paulo Cesar Cingano 1º Diretor de Com. Social: Cap. Res. Aldamir Salvatico 2º Diretor de Com. Social: Cap PM Mario Donizete dos Santos Diretor de Patrimônio: 2º Ten Res PM Marinalvo M. Pereira 1º Suplente: Major Res PM Vilson da Silva Marques 2º Suplente: Cb Fem PM Heloisa Helena de Anchieta 3º Suplente: 2º Ten Res PM Antonio Carlos F. dos Santos 4º Suplente: Ten Cel Res PM João Batista de Sousa Jornalista responsável: Inês Ferreira - MTB 026623 Fones: 14 - 3879-0290 - 3016-6314

Apas parabeniza o novo Comandante Geral da PM Uma cerimônia realizada na Academia de Polícia Militar do Barro Branco, no último dia 15 de abril, marcou a posse do Comandante Geral da Polícia Militar (PM), Coronel Álvaro Batista Camilo. Após a cerimônia, no Quartel do Comando Geral, o Coronel Camilo se reuniu com representantes das associações de classes da PM, para fazer uma adequação nas linhas de atuação. Na reunião, os representantes expuseram suas solicitações para o novo Comandante. O coronel explicou aos presentes que seus objetivos de comando são: transmitir a sensação de segurança, manter o controle da criminalidade, incrementar o combate ao crime organizado, continuar o processo de modernização da PMESP, valorizar o policial militar e continuar o processo de depuração interna. Na ocasião também tomaram posse o Coronel Danilo Antão Fernandes no cargo de Subcomandante Geral, o Coronel Vicente Antonio Mariano Ferraz no cargo de Chefe de Gabinete do Comando Geral, o Coronel Davi Nelson Rosolen no cargo de Corregedor da Polícia Militar, o Coronel Marco Antonio Augusto como Subchefe Estado Maior e o Coronel Admir Gervásio Moreira no cargo do Comando de Policiamento Metropolitano. A Apas Bauru felicita o coronel Camilo e sua equipe, e deseja à todos sucesso no comando da PM.

Equiparação salarial entre PMs é aprovada na CCJ Foi aprovado na Comissão de Cidadania e Justiça (CCJ), o Projeto de Emenda Constitucional nº 300 (PEC 300), que prevê a equiparação salarial das demais Polícias Militares com a Polícia Militar de Brasília. O projeto tramita na Câmara Federal, e agora passará pela avaliação de outras comissões antes de ser deliberado em plenário. Participe do abaixo-assinado a favor da PEC 300, procure a Apas ou a Credmil. Apas- Bauru Rua Maria José, 1-71 - Vila Atinópolis Bauru - SP CEP 17015-440 Telefones: (14) 3214-5700 Fax (14) 3214-5701 Filial Lins Rua Marechal Vasques, 236 Vila América - Lins – SP CEP 16400-145 Fone/Fax (14) 3522-7000 3522-7067

Fale conosco: www.apasbauru.com.br


Bauru

Editorial

A injustiça do INSS para com as Apas Todos prestadores de serviço do país têm por obrigação recolher o imposto devido ao INSS. Quando as Apas estavam nascendo, a obrigação de recolher o imposto de serviço ao INSS era dos médicos que atendiam pela cooperativa Unimed. Porém, a força política dos médicos falou mais alto e essa obrigação passou a ser de responsabilidade da cooperativa a quem eles, médicos, eram associados, no caso a Unimed. A Unimed mais forte ainda, através de seus representantes no Congresso, que são muitos, conseguiu transferir essa obrigação de recolher o percentual que é devido pelos médicos, para os tomadores de serviço de saúde: que somos nós, a Apas. Em razão disso, todos os planos que se servem das Unimeds, passaram a ser devedores do INSS, devendo recolher a importância correspondente a 15% sobre os honorários médicos. Como não podia deixar de acontecer, diante de tamanha aberração, propusemos uma ação na Justiça questionando essa cobrança. Aguardamos uma decisão a respeito há mais de 10 anos. Ainda com o recurso por nós impetrado aguardando julgamento, fomos surpreendidos, no último mês de março, por uma notificação da Receita Federal, determinando o recolhimento do valor devido nos últimos 5 anos sob pena de sermos incluídos no cadastro de inadimplente da união(CADIN) o que impediria o exercício das atividades da nossa associação. Desde o início da pendência, sobre quem seria o devedor de fato para com o fisco, preventivamente, sabedores que somos da força política da classe médica, passamos a reservar os valores correspondentes à possível cobrança. Por causa da nossa providência não tivemos grandes problemas em cumprir com a intimação, e já recolhemos, em juízo, o correspondente ao ano de 2005 a importância de R$ 306.703,92. Alem desse recolhimento feito no último mês de abril, relativo ao ano de 2005, estamos providenciando o depósito, em juízo, dos valores devidos dos anos de 2006, 2007 e 2008. Os depósitos serão feitos nos próximos meses, ainda este ano. Os valores deverão ser aproximadamente os mesmos de 2005. Para nossa agradável surpresa, o Supremo Tribunal Federal sancionou uma súmula vinculante, a qual prevê que a decadência prescricional caísse de 10 para 5 anos. Dessa forma foram perdoados os devedores para com o fisco com mais de 5 anos e por essa feliz iniciativa economizamos os valores relativos aos anos de 2001,2002, 2003 e 2004. Quando falamos em injustiça, nos referimos ao fato de que o mesmo órgão que nos deveria dar assistência e não o faz, nos taxa como se fôssemos uma empresa altamente rentável, ignorando que o nascimento das Apas foi em razão do total abandono a que fomos relegados pelos órgãos públicos no atendimento à saúde de nossas famílias. Nascemos e vivemos sem dever qualquer favor aos órgãos públicos e nos mantemos única e exclusivamente à custa da contribuição da família policial militar.

João Baptista de Campos Lima Diretor Presidente

3


4

Nossa história

Bauru

Apas – 15 anos levando sua saúde a sério

Fotos: Aceituno Jr.

A saúde é um direito de todos e dever do Estado, preceitua a Constituição da República de 1988. Mesmo sendo um dever do Estado, nem sempre os cidadãos têm a sua disposição o atendimento que merecem. Quando os serviços públicos falham é preciso criar uma alternativa para preencher a lacuna. Foi por esse motivo que, há 15 anos, a Apas (Associação Policial de Assistência à Saúde) de Bauru foi criada.


Nossa história

Bauru

5

Da necessidade surgiu a Apas Na década de 90, policiais militares não suportavam mais conviver com a precariedade do atendimento de saúde. Nessa época, internações e exames complementares eram feitos somente pelo SUS (Sistema Único de Saúde). A situação piorou quando a Cruz Azul, que prestava assistência à categoria, começou a apresentar problemas técnicos e financeiros cancelando atendimentos. Movidos pela necessidade de oferecer atendimento de saúde às famílias dos policiais que se encontravam em completo abandono, um grupo de voluntários decidiu socorrer os companheiros por meio de uma associação civil sem fins econômicos. A primeira assembléia realizada pelo grupo foi na Instituição Toledo de Ensino (ITE) de Bauru e presidida pelo oficial mais antigo que estava presente no local, o Coronel da Reserva PM João Baptista de Campos Lima. Na ocasião foi escolhido, por aclamação, o primeiro presidente da entidade, o Coronel da PM Eurides Monteiro da Silva. A ele coube a árdua tarefa de organizar a forma de funcionamento da associação. Economista e conhecedor dos problemas que os policias militares enfrentavam, ele organizou a primeira diretoria com a seguinte composição: Vice-presidente: Capitão PM Manoel Messias de Mello; 1º Tesoureiro: 1º Sargento PM Moíses Danilo Cavalini; 2º Tesoureiro: 1º Sargento Reformado PM Genésio Gonçalves; 1º Secretário: Subtenente PM Gonçalo Branco Neto; 2º Secretário: 1º Tenente Reserva PM Nelson da Silva Ferreira; Diretor de Patrimônio: Capitão PM Nicanor Ribeiro de Camargo Neto; 1º Relações Públicas: 1º Tenente PM Silvio Orti; 2º Relações Públicas: 1º Sargento João Francisco Ferreira.

Primeira instalação da Apas- Bauru, Base Sul na Praça Portugal

Após muitos esforços, no dia 10 de julho de 1994 a Apas nasceu oficialmente, tendo como sede o prédio da PM localizado na Praça Portugal, em Bauru, onde atualmente funciona a Base Comunitária Sul. A associação nasceu com princípios e objetivos bem distintos: a de se tornar uma operadora de saúde com padrão técnico-profissional elevado e de credibilidade. O começo não foi fácil. Mas já no início, a Apas contou com a confiança de 2.500 associados que pagaram pelo plano de saúde durante três meses sem usá-lo, respeitando a carência de um serviço de assistência à saúde que acabara de ser criado. Isso é credibilidade! O crescimento foi inevitável. Em 1995 a Associação conseguiu adquirir sua primeira sede própria, localizada na Rua Benjamim Constant, no bairro Higienópolis. Desde então a entidade passou a crescer aceleradamente. Em 1997, a Apas inaugurou sua subsede na cidade de Lins para atender a demanda daquela região, que contava com cerca de 2.400 usuários. No mesmo ano, permutou o primeiro imóvel mudando sua sede para a Rua Maria José nº 1-71, cujas instalações acabaram ficando pequenas por causa do crescimento do número de associados. Em 1999 foram entregues as obras de ampliação do prédio localizado na esquina da rua Maria José com a rua Rodrigo Romeiro, onde atualmente funciona a associação.


Prédio da Rua Maria José, 1-61 (2002)

1ª Diretoria 1995-1996

A Apas conta com mais de 10 mil associados, presentes em 24 municípios do interior paulista e com representação em sete cidades Sempre com a preocupação de oferecer aos associados modernas instalações e ambiente confortável, em 2002 a associação adquiriu o imóvel de nº 1-61 da rua Maria José, onde construiu um novo prédio que foi anexado ao anterior . Em 2003, a associação passou a abrigar no térreo de seu prédio, a farmácia da AFAM (Associação de Fundo de Auxílio Mútuo dos Policiais Militares do Estado de São Paulo). A farmácia comercializa medicamentos com descontos de até 28% aos associados da Apas, e de 58% para os que também são associados do AFAM. No piso superior do prédio, atualmente funciona o Departamento de Análise de Contas Médicas, que é da maior importância na fiscalização das faturas apresentadas pelos prestadores. Em resposta a confiança depositada por seus associados a Apas sempre trabalhou, sem medir esforços, para contratar serviços médico-hospitalares de qualidade a fim de oferecer uma ampla variedade de profissionais, clínicas, laboratórios e hospitais credenciados diretos. Atualmente a Apas conta com 51 clínicas especializadas, mais de 100 médicos, 9 laboratórios de análises clínicas, 14 hospitais, além dos recursos disponíveis através dos contratos mantidos com as Unimed de: Bauru, Jaú, Lençóis Paulista, Lins, Assistência Médico-Hospitalar São Lucas, Hospital das Clínicas - Unesp Botucatu e Instituto de Moléstias Cardiovasculares de São José do Rio Preto (IMC), formando uma estrutura de atendimento com mais de 1.000 profissionais disponíveis, além de programa de medicina preventiva altamente desenvolvido. Hoje a Apas tem com mais de 10 mil associados, presentes em 24 municípios do interior paulista e com representação em sete cidades. Em 2000 a associação foi reconhecida e declarada de “Utilidade Pública” pela Lei Municipal nº 4587. Em 20 de janeiro de 2007 a Apas deu mais um salto de qualidade inaugurando o prédio-próprio da filial de Lins, concebido nos mesmos padrões arquitetônicos da sede de Bauru. Com a Lei nº 9656/98, que regulamentou os planos de saúde, a Apas efetuou seu registro junto à ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), que a fiscaliza e a controla efetivamente, impondo metas e determinações para o seu funcionamento. Outra grande conquista foi à publicação da Autorização de Funcionamento da Associação, emitida pela Agência em 16 de março de 2007, sendo a primeira Apas no Estado a conseguir tal autorização.

Reunião das Apas, 1998

Entrega das obras de ampliação da sede -1999


Bauru

A Apas não visa lucro, mas o bem estar de quem procura atendimento de saúde humanizado e de qualidade Prédio da filial da Apas, em Lins (2007)

Para trabalhar adequadamente e em consonância com a legislação da ANS, a associação desenvolve diversas ações que compõe um programa de qualidade e excelência. Essas ações abrangem todos os setores da associação, do administrativo ao relacionamento com o associado.

Prédio da 1ª sede da filial de Lins

Nestes 15 anos, a Apas cresceu e aprendeu a administrar diversos tipos de problemas. Cada solução aperfeiçoou ainda mais o funcionamento e o atendimento. Isso também permitiu investimentos em programas preventivos de saúde e ações que minimizam os custos dos procedimentos médicos oferecidos aos associados. Sempre atenta às necessidades dos associados, a Apas tem a preocupação constante de não se tornar apenas uma empresa prestadora de serviços, mas que também contribua com a qualidade de vida dos associados. Afinal, a Apas não visa lucro, mas o bem estar de quem procura um atendimento de saúde humanizado e de qualidade. Não podemos esquecer que, nestes 15 anos, a consolidação da Apas como empresa de saúde se deve ao trabalho voluntário de pessoas que dirigem a associação com seriedade e honestidade. São anos de dedicação sem perder a visão do futuro, sempre buscando a melhor forma de garantir mais saúde para a família policial militar. O aniversário é da Apas, mas quem merece os parabéns são os associados, por terem escolhido e acreditado em seus diretores que dirigiram e dirige essa empresa para atendimento da saúde da família policial militar.


8

Viva Mais

Bauru

O futuro começa agora Oferecer novas alternativas de atendimento que facilitem o diagnóstico precoce de doenças e investir em programas que promovam a qualidade de vida. Estas são as ações da Apas para crescer com segurança, modernidade e em conformidade com as necessidades dos associados.

Associados da Apas que participam do programa Viva Mais, na Clínica Long Life

Para a Apas, é necessário investir em novos programas de saúde para que, no futuro, a empresa e os associados não sejam surpreendidos por mudanças que inviabilizem a qualidade do atendimento. Uma das preocupações da entidade é estar preparada para a alteração do perfil do associado gerada pelo aumento da expectativa de vida. O envelhecimento rápido da população é uma realidade e requer uma nova postura das operadoras de planos de saúde. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que a expectativa de vida dos brasileiros está entre as mais altas do mundo, com uma média de 73 anos. Diante dessa nova realidade, a Apas concluiu que prevenir não é o suficiente, é preciso investir em programas de envelhecimento ativo e que melhorem a saúde, a participação e a segurança de seus associados mais idosos. Isso também significa diminuição de custos com as doenças provocadas pela idade e qualidade de vida para o associado. Por isso, a busca pela qualidade de vida tornou-se fundamental para a Apas e o planejamento futuro, considerando essa mudança de perfil, uma necessidade. A Apas está crescendo atenta a essas projeções. Um exemplo disso é o programa Viva Mais, ainda em fase experimental, desenvolvido em parceria com o médico Lilson Long de Oliveira, que já beneficia diretamente 45 associados. Alguns que apresentavam risco de vida obtiveram melhoras significativas e estão vivendo mais e melhor.

O programa consiste no monitoramento domiciliar, feito por uma equipe multidisciplinar, e em atividades físicas realizadas na própria clínica. Sabedora de que o aumento da demanda de idosos refletirá diretamente na forma de atendimento, a Apas não ignora os reflexos que essa mudança causará em toda a sua estrutura. Por isso, começou a investir na promoção de programas que incluam atividades físicas e terapêuticas que possam interferir no processo de envelhecimento melhorando não só a saúde funcional, mas efetivamente a qualidade de vida de indivíduos idosos. “O programa não é somente um método preventivo que visa à diminuição de gastos com os problemas de saúde das pessoas com mais de 60 anos. É uma nova forma de atender as necessidades de pacientes que precisam de atenção especial, de atendimento multidisciplinar e que querem melhorar sua qualidade de vida”, diz o médico. Uma das peculiaridades do Viva Mais é que, dependendo da necessidade, não é o paciente que vai até a clínica, mas o médico e sua equipe que vão à casa do paciente. Essa facilidade de acesso ao tratamento médico e aos profissionais da saúde tem um valor inestimável para pessoas como a dona-de-casa Margarida Orni de Souza, 70 anos. Ela é cadeirante há cerca de 10 anos, por causa de sequelas deixadas por um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e recebe cuidados da filha e do marido, o policial militar aposentado Odair Joaquim Maia de Souza, 65 anos. Ele também tem problemas de saúde e já passou por duas cirurgias cardíacas. “Participamos do programa desde que ele teve início. Antes dependíamos dos outros para marcar consultas, ir ao consultório, para fazer os exames. Minha esposa era internada constantemente e tudo era muito difícil. Agora, recebemos o tratamento em casa. É uma maravilha”, afirma o aposentado.


Bauru

Adeus tristeza O programa não para por aí. Alguns pacientes, além do atendimento domiciliar, participam de atividades físicas desenvolvidas na Clínica Long Life. Todas as quartas-feiras os pacientes que integram o programa se reúnem, no período das 9h às 11 horas. O encontro é uma festa. Nesse período, o isolamento comum nessa idade, fica bem longe da clínica e prevalece a interação do grupo. As duas horas são preenchidas por exercícios físicos acompanhados de um terapeuta, café da manhã, terapia ocupacional e exercícios para memória que incluem brincadeiras e jogos. “Antes eu e meu marido vivíamos isolados. Depois que comecei participar do programa tudo mudou, e para melhor”, afirma Jurema Ferreira, 68 anos que participa do programa com o marido, João Franchin, 81 anos. “Se eu pudesse teria começado mais cedo. Estou mais disposto, sinto menos dores e invisto mais em cuidados com minha saúde”, diz João. Acolhimento O acolhimento do grupo faz uma grande diferença na vida dessas pessoas. O contato com pessoas da mesma idade e que também buscam qualidade de vida, em alguns casos, serve até como remédio para depressão. Foi o que ocorreu com Zilda Vieira de Andrade, 65 anos. “Era deprimida. Agora me sinto reanimada. Amo vir aqui. Fiz novos amigos, minha saúde esta melhor. Eu era muito caseira, agora tenho prazer em sair e passear. Estou vendo a vida de uma maneira diferente”, afirma Zilda. O casal José Candido e Helena Vieira, 75 e 73 anos, respectivamente, compartilham da mesma experiência. Eles afirmam que a qualidade de vida do casal melhorou significativamente depois que passaram a participar do programa.

Viva Mais

9

Da esquerda para a direita, Aldamir Salvatico, Cel. Res. PM João Baptista de Campos Lima, diretor de Comunicação e presidente da Apas, respectivamente, e o médico geriatra Lilson Long de Oliveira.

“Quase não saíamos de casa e agora não perdemos uma quarta-feira”, diz José. Cheia de energia e alegria a presença da dona-de-casa Cezira de Carvalho Galhardo, 60 anos, no grupo faz a diferença. Ela decidiu buscar uma vida mais saudável depois que tomou conhecimento do programa durante o tratamento da mãe Carmem Grande de Carvalho, 94 anos. Gostou tanto que acabou participando. Além de frequentar as reuniões todas as quartasfeiras ela frequenta assiduamente a academia da clínica, duas vezes por semana. “Mudou tudo em minha vida. Acho o programa excelente. Sou recebida com muito carinho. Aqui é minha segunda família”, diz ela. O programa Viva Mais ainda está no começo. A meta é atingir mais pessoas, inclusive as com menos de 60 anos. A Apas acredita que com isso está garantindo o futuro saudável dos associados e contribuindo com uma vida mais feliz.


10

Seu plano de saúde

Bauru

Desconto de 2% para Assistência Médica CBPM

Ressarcimento ao SUS pelos Planos de Saúde

O assunto referente aos descontos para a assistência médico-hospitalar e odontológica é muito vasto e complexo, não permitindo que em poucas linhas se esclareça todos os pontos que ainda, apesar dos longos anos de sua existência, muitos contribuintes não conseguiram assimilar. Com isso, há ações judiciais movidas contra a CBPM pleiteando a cessação dos descontos, sob várias alegações. Há algumas julgadas favoráveis aos autores, e muitas outras, improcedentes, já que não existe jurisprudência pacífica sobre o assunto. Tem-se que considerar que o regime de assistência médicohospitalar e odontológico, nos moldes atuais, foi criado pela Lei 452 de 2 de outubro de 1974, com a finalidade de atendimento aos dependentes e pensionistas dos militares do Estado. Não se trata de um plano de saúde convencional e sim de um sistema solidário em que todos os policiais militares ativos e inativos e pensionistas contribuem, compulsoriamente, com os percentuais de 2% (policiais militares) e 1% (pensionistas), descontados em folha de pagamento, a favor da CBPM. Não há um valor fixo de contribuição por posto ou graduação e proporcional ao número de dependentes: a base de cálculo é o total dos vencimentos, proventos ou pensão recebidos. A CBPM remete à CRAZ o valor correspondente à AMHO (Assistência Médica-Hospitalar-Odontológica) e esta repassa uma parte desse valor às APAS, proporcionalmente ao número de contribuintes, sem diferenciar entre o Coronel e o Soldado. (Fonte: Informativo CBPM, de jan-mar /08)

Recomendamos aos associados da Apas que evite ao máximo a utilização dos recursos do SUS, para qualquer atendimento, desde uma simples consulta. Esclarecemos que essa solicitação se faz necessária, por causa do posicionamento do Ministério da Saúde (DATASUS) que agora está filtrando e cruzando todas as informações com os dados de nossos usuários existentes junto a ANS pelo SISREL (Sistema de Ressarcimento Eletrônico ao SUS). Além disso, o Ministério da Saúde está notificando as operadoras sobre seus atos nos processos administrativos de ressarcimento, bem como enviando imediatamente a cobrança relativa aos recolhimentos dos valores devidos a título de ressarcimento ao Sistema Único de Saúde. O SISREL foi implantado a partir do dia 29 de junho de 2009, quando entra em vigor a Instrução Normativa – IN n.º 37. A partir dessa data, a gestão das contas de usuários a serem cobradas das Operadoras de Planos de Saúde será feita por meio digital, sobre as quais será aplicado a Tabela TUNEP, que tem valores superiores aos praticados pelo seu plano junto à rede credenciada/contratada. Isso tornará os custos muito mais onerosos para as Apas, b em como, o repasse de co-participação aos associados que se utilizam deste expediente. Para garantir o recebimento de correspondências e a comunicação entre a Apas e seus associados, é necessário que estes mantenham seus dados cadastrais, principalmente, endereço e telefones atualizados.

Mantenha seu endereço atualizado junto à Apas

Você pode atualizar seu endereço através dos seguintes canais: * Site: www.apasbauru.com.br - Serviços - Atualização de Endereço * E-mail: cadastro1@apasbauru.com.br * Telefone: (14) 3214-5700 – ramal: 219 ou 3214-5709 * Pessoalmente na Apas: * Bauru - Rua Maria José nº 1-71,Vila Altinópolis, ou * Lins - Rua Marechal Vasques nº 236, Vila América*


Bauru

Lins

11

Coopmil inaugura posto de atendimento no prédio da filial da Apas em Lins A cooperativa manifestou a intenção de instalar uma farmácia conveniada à cooperativa com finalidade de praticar preços especiais aos associados Apas e cooperados da Coopmil. Foi inaugurado, no último dia 25 de junho, nas dependências da filial da Apas, em Lins, o novo posto de atendimento da Coopmil (Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Policiais Militares. A solenidade contou com a presença do presidente da Coopmil Cap. Res. PM Hélio Lourenço Camilli, que estava acompanhado de sua diretoria, funcionários, autoridades da sociedade de Lins, entre outros. Também participaram do evento o Cel João Baptista de Campos Lima e diretores da Apas-Bauru. A solenidade iniciou com o descerramento de uma placa comemorativa. Segundo a diretoria da Apas, a parceria entre a associação e a Coopmil é muito bem vinda porque atende a família policial

Ten. Moises Danilo Cavalini (Apas), Cel. João Baptista de Campos Lima (Apas), Cel. Hélio Lourenço Camilli (Coopmil), Vania Maria Zagretti (Apas), Padre Denisar Cirilo da Costa e Cap. Aldamir Salvatico (Apas)

militar da região de Lins, tornando realidade os anseios da comunidade local, que há tempos aguardava a inauguração de um posto de atendimento da cooperativa, na cidade. Ainda segundo os diretores, trata-se de um empreendimento que nasceu coroado de sucesso, pois já nos primeiros dias de funcionamento teve uma grande procura por adesões da pujante cooperativa, repetindo o que ocorreu em Bauru e consolidando sua presença em 30 localidades, entre a região metropolitana de São Paulo e o interior paulista. A sede da cooperativa está localizada em São Paulo. Durante a inauguração, a diretoria da Coopmil vistoriou uma sala onde a cooperativa manifestou a intenção de instalar uma farmácia conveniada à cooperativa com finalidade de praticar preços especiais aos associados Apas e cooperados da Coopmil. O cerimonial de inauguração foi concluído com as bênçãos das instalações pelo Padre Denisar Cirilo Costa, da Paróquia São Benedito.


12

Espaço do Associado

Bauru

Sua opinião é muito importante A Apas realiza periodicamente uma pesquisa, sem identificação, que apura o grau de satisfação de seus usuários. Nessa pesquisa é consultada a opinião do associado sobre o atendimento oferecido em todos os setores, desde o balcão até a gerência. O consultado emite seu parecer (mau, bom ou ótimo) manifestando seu grau de satisfação para com a associação. Isso para a Apas é muito útil, pois a finalidade da entidade é atender cada vez melhor o associado, corrigindo as falhas que são apontadas. A liberdade de expressão nessa pesquisa é total. Tanto é que em um dos folhetos da pesquisa um associado escreveu o seguinte: “Nós não temos aumento, mas a Apas não sabe disso, pois sempre aumenta”. Ledo engano companheiro. A respeito dessa manifestação, que a associação recebeu de bom grado e que demonstra a confiança que nela é depositada, gostaríamos de esclarecer que: - todos nós, associados e diretores, sentimos no bolso esses reajustes; - todos nós gostaríamos que não houvesse “aumento” de contribuição. Porém, os reajustes (aumentos) aplicados são calculados pela Agência Nacional de Saúde (ANS) com base na alteração dos preços dos produtos médicos – desde os preços das inter-

nações hospitalares até os tratamentos ambulatoriais, passando pelas consultas médicas, cirurgias em geral, material cirúrgico, exames de laboratório, próteses etc; A Apas não tem fins lucrativos e seus diretores não tem qualquer remuneração sob qualquer título. A associação é enquadrada como todos os outros Planos de Saúde e é regida pelas mesmas normas dos demais planos que são comerciais e altamente rentáveis. Alguém talvez desconheça que a Apas está depositando em juízo o imposto supostamente devido ao INSS, imposto este que as UNIMEDs deveriam ter pagado, mas que por força política, conseguiram transferir para os tomadores de seus serviços (Apas) o ônus desse pagamento. No último mês de maio, a Apas foi intimada a recolher o imposto devido correspondente ao ano de 2005. Está sendo contestado na Justiça o direito de não pagar o que foi imputado injustamente a associação. Vale esclarecer que o valor correspondente ao ano de 2005, que já foi depositado em juízo, resultou na importância de R$ 306.703,92. Ainda falta o fisco calcular os anos de 2006, 2007 e 2008. O ano de 2009 está sendo recolhido judicialmente, mensalmente, para evitar multas e correções. O valor desse depósito corresponde a 15% do faturamento bruto da Apas. Por essas razões, amigo e companheiro que se manifestou sinceramente, concordamos com você. No entanto, a Apas não pode deixar de aplicar os detestáveis “aumentos” calculados pela ANS. Se não o fizesse, em pouco tempo, o feitiço viraria contra o feiticeiro e a falta de reajuste tornaria a Apas inadimplente. Consequentemente, a associação teria que fechar suas portas, voltando ao tempo da CRUZ AZUL quando esta fingia que nos dava atendimento e nós, pela formação disciplinar, fingíamos que estávamos satisfeitos.


Bauru

Prevenção

13

As possibilidades de um encontro com a qualidade em nossa vida A psicóloga Talita Cafeo Alves dá algumas dicas para melhorar a qualidade de vida, que segundo ela, começa com nossa maneira de pensar, de como enxergamos e sentimos o mundo. A psicóloga explica que nos dias atuais é comum nos sentirmos estressados, ansiosos, cansados ou desanimados em algum momento de nossas vidas. Mas quando começamos a perceber prejuízos em nossas atividades diárias, em nossos relacionamentos, sono ou apetite, precisamos ficar atentos e investigar as verdadeiras causas de nossos conflitos e se necessário buscar ajuda de um profissional para um acompanhamento psicoterápico. “A felicidade é um estado íntimo, assim, só depende de nós proporcionarmos qualidade às nossas vidas, que ocorrerá através de pequenas mudanças para aliviar o estresse e nos fazer viver melhor”, diz a psicóloga. Vejamos algumas possibilidades que poderão nos ajudar nesse processo: 1 -Tome consciência de suas atividades. Assim, poderá se organizar e priorizar aquilo que realmente tem valor para você. 2 -Reserve um tempo para você. Busque realizar algo que lhe dê prazer; uma caminhada, uma boa leitura ou quem sabe cuidar do jardim. 3 -Tome cuidado com o lixo mental. O passado já foi e o

futuro não existe ainda, o planejamento é necessário, mas se conseguir manter sua consciência no presente evitará preocupações desnecessárias. 4 -Faça o bem. Quando percebemos que não somos o centro do universo, exigimos menos da vida, diminuímos nossa insatisfação e nossos problemas se tornam menores. 5 -Prática de exercício físico, alimentação saudável e meditação. Somos um todo, já que corpo, mente e alma estão interligados, inevitavelmente um afetará o outro. 6 -Procure encontrar suas qualidades interiores adormecidas, estar atento às oportunidades que a vida lhe traz para esse crescimento interior, assim com bom-humor e esperança será mais fácil lidar com as situações do dia-a-dia sem ficarmos doentes, consequentemente descobriremos a alegria de viver com qualidade, e isso, fará toda a diferença.


14

Prestando Contas

Bauru

Resumo dos números da Apas em 2008 Números de usuários em 31 de dezembro de 2008 = 10.083

DESPESAS MÉDICO-HOSPITALARES DETALHAMENTO DAS DESPESAS 2008

Número de Eventos

Valor Líquido das Despesas

Consultas médicas Exames complementares Terapias Internações hospitalares Atendimentos ambulatoriais Demais despesas

48.287 117.326 27.144 1.366 1.928 8.093

R$ R$ R$ R$ R$ R$

1.833.774,84 2.527.882,47 367.543,72 3.825.356,10 525.028,10 187.783,51

TOTAIS

204.144

R$

9.267.368,74

Despesas Médico-Hospitalares

Prevenção odontológica......................................... 797 atendimentos.............. valor R$

11.783,29

Empréstimo de materiais ortopédicos....................54 (muletas, cadeiras de rodas/banh, andadores)


Bauru

EstatĂ­sticas financeiras da Apas

Prestando Contas

15


Impresso Especial 1.74.18.0438-5 DR/SPI ASSOCIAÇÃO POLICIAL DE ASSIST. A SAUDE DE BAURU

CORREIOS

´´´

´´´

´´´´

DEVOLUÇÃO GARANTIDA

´´´ CORREIOS´´´

Bauru

16


Revista APAS BAURU - Junho de 2009