Issuu on Google+

Miss & Mister Mirim USA 2011 – Etapa Boston

destaca talento de jovens brasileiros Pág: 18

Brazilian Times Ano 005 - Edição 007 - Dezembro 2011

Magazine

Free

Musa BT Flashes relembra início da carreira e faz planos para o futuro

Anna Layza Pág: 29

Como falar para o seu filho que ele é indocumentado? Pág: 08

Entenda como funciona a imigração ilegal Pág: 06 Padre realiza visitas à brasileiros presos esperando por deportação Pág: 10


AD


BRAZILIAN TIMES

Nota da Edição E nossa singela 7ª edição vai para todas as nossas revistas pelas já incontáveis publicações!

N

os “finalmentes”, como costumava dizer nosso mui amigo “Odorico Paraquaçu” personagem representada pelo ator Paulo Gracindo, em uma novela, cujo nome a memória nos falha, mas que alguns detalhes permanecem, queremos apresentar com singeleza e modéstia, a revista Brazilian Times Magazine de número 07. Retardada, mas molhada de muito suor, de muita perseverança, e vontade de existir. Prevista para “Quando Setembro Vier” de 2010, chega hoje às bancas, depois do “Cinco de Maio”, cuja independência política dos “hermanos” mexicanos, se comemora. Quiça a nossa! Foi uma trajetória difícil, como difícil tem sido a vida dos nossos “hermanos” e aqui, se encaixam também nós, os “brasucas”. Não só a economia tá ruim, como também a política voltada indiscriminadamente contra nós, os imigrantes. “La migra” como os “hermanos” de língua espanhola a chama, ou “A mimi” como apelidamos nós, os brasileiros, a Imigração americana de hoje, mudou de ruim para pior e usa o logo “ICE” que simboliza: se vai de frio ao gelo, não degela, enquanto esquenta, na calada das noites frias, a busca inconsistentes, até porque inconseqüente, dos trabalhadores imigrantes, desta já a atormentada vida de imigrante deste país. Aliado a isto tudo, um mercado complicado, de uma economia que lentamente se recupera, ainda que tardia, e disso não temos dúvida nenhuma, porque torcemos apesar das conseqüências por melhoras para todos, sem exceção, sem exclusão, sem confusão. E Nesta aliteração quando se ventura na impressão de mais uma revista ou magazine, embora que, retardada, sublime nos aparece. E só por força de vontade, jamais de cobiça, mas com garra, perseverança e muito mais que isso: “um sonho meu, nosso e porque não também, seu? De todos, de muitos que sem a ambição alvissareira querem apenas oferecer, o que de útil, pode-se e deve-se produzir para o nosso público, a comunidade. Prolixo ou não, nestes primeiros parágrafos, nossa intenção é “ao se matar a cobra, mostrar o pau”, afinal estamos tontos, estonteados até, de ver, promessas e mais promessas dos que assanhadamente dizem que vão fazer algo, mas tropeçam nos primeiros empecilhos, deixando tudo à mercê do chamado “toma lá e dá cá”. Não realizam, somente insinuam, pois as realizações ficam no vácuo, e como tal se evaporam. Não existem, embora coexistam deixando no ar uma fumaça de desilusão. Disso vem o dissabor da improdutividade que só não nos invalidam e emudecem a capacidade de uma maioria que luta e trabalha em função da coletividade. Precisamos depredar os anseios das particularidades. Sem parcerias, sem coligações, sem coletivismo, nos afundamos no obsoleto das coisas impalpáveis, quando na realidade se deveriam cobiçar as coisas realisticamente, reais. Por isso, examinem a sua revista Brazilian Times

04

Magazine de no. 07, e vejam se não é um negócio concretizado ou apenas uma promessa não cumprida? E levou meses para se concretizar. Imaginem vocês agora, uma revista como as que circulam por ai, semanal, quinzenal ou mensalmente para o deleite de todos. Imaginem os obstáculos vencidos pelos seus idealizadores. A eles, a áurea da vitória muito bem merecida, pois sobrepuseram a todos os obstáculos, inerentes a este ofício. A eles as nossas congratulações, pelo empenho empenhado, a favor de nossa cultura, de nossa língua, de nossos hábitos, de nossa informação e formação passadas, da atual realidade, vivida num contexto, onde a história, das vidas vividas, ficou registrada em suas páginas. Prolixo ou não, também neste parágrafo que se segue nossa intenção é de chamar a atenção para as nossas revistas ou magazines brasileiras publicadas aqui nos Estados Unidos, em particular na Costa Leste. Podemos exemplificar sem sobra de dúvida ou medo de errar que todas enfrentam o mesmo dilema, e as dificuldades se abundam. Nenhum negativismo advém de nosso pensamento, mas, contudo devemos analisar os obstáculos oriundos de certos empreendimentos direcionados para a comunidade. Jornais e revistas se prestam ao desenvolvimento dos vários setores que alicerçam uma comunidade, principalmente o cultural e o educacional, mas de todos os empreendimentos são os menos financeiramente favorecidos. Até porque na maioria dos orçamentos empresariais, se vê o grande diferencial, quando as verbas destinadas à imprensa, ficam na escala final. Mesmo assim, vale ressaltar, sem exemplificar, as inúmeras publicações de revistas como modelos a serem seguidos. Todas, sem citar nomes, e cada uma com suas peculiaridades, e editoriais de cunho social comunitários, entrelaçado de artigos de interesses comuns a todos. Rasa a intenção de agradar só a alguns, mas senão a todos. Um conteúdo merecedor de todos os elogios, pela curta existência, ainda de nossa comunidade. Certamente que chegaram para ficar, apesar da precariedade do mercado financeiro, que acreditamos está e vai melhorar. Não obstante a tenacidade de seus fundadores e idealizadores, que com muito sabor de desejo conseguem levar tais veículo aos seus inúmeros leitores. E isto nos deixa hoje, um exemplo a que seguimos, porquanto tamanha capacidade e perseverança, os editores nossas revistas conseguem transmitir. O ditado é comum, até bíblico “nem só de pão vive o homem”, mas de sua essência de saber viver, sem perceber. Uma recompensa interna só imaginada pelos seus idealizadores, mas sentida pelos que conseguem fazer de seus trabalhos, um motivo para servir a toda uma comunidade. E voltando aos “finalmentes” desta curta Nota desta revista, nos regojizar por esta 7ª trajetória. E às demais revistas pelas já incontáveis publicações!

Founded in August / 1988 The most circulated Brazilian Newspaper in the USA Fone: (617) 625-5559 www.braziliantimes.com E-mail: (opinião/opinion) op@braziliantimes.com (redação/newsroom) news@braziliantimes.com (anúncio/marketing) ad@braziliantimes.com EDIRSON PAIVA Publisher STAFF NEWS EDIRSON PAIVA JR. Editor MARCELO ZICKER Assistant Editor WOLFGANG TOMICH Feature Editor MARCELO TELES Graphic Designer Director REPORTER Gilvan Sergipe - General News REGIONAL OFFICES Somerville/MA Cristina Paiva Regional Managing Editor Phone: (617) 666-0864 New York/NY Maristela Monticeli Regional Managing Editor Newark/NJ Edilton Santos Regional Managing Editor Brazil Luciano sodré Regional Managing Editor Bridgeport/CT Mara Palmieri Newark/NJ Cláudia Cascardo Regional Managing Editor Contributing Writers Maurício Mendes (Massachusetts) Terezinha Tarcitando (Brazil) Marketing Department Liliane Paiva - Director Adairton Teixeira Maria Betania Costa Graphic Designer Vanessa Rodrigues Events Coordinator Julia Vale Circulation Directors Cristiane Paiva / Luis Carlos MAILING ADDRESS P.O.Box 447- Somerville (MA) 02143 MAIN OFFICE 311 Broadway, 2nd Fl. Somerville, MA- 02145 Fax: (617) 684-0069

Os artigos asssinados e/ou colunas e cartas, são de responsabilidade de seus autores e não refletem, necessariamente, a opinião deste jornal. O Brazilian Times não é responsável pelo conteúdo dos mesmos. Signed articles, columns and letters do not necessarily reflect the views of the newspaper or its publishers. The Brazilian Times accepts no responsibility for their content.

Brazilian TimesMagazine


Entenda a imigração ilegal Por Luciano Sodré

Hoje, quando se fala em atravessar a fronteira, é bom que o imigrante tenha conhecimento de que existem outros perigos: a)

Sequestradores – Alguns agem por conta própria, pois os imigrantes que atravessam a fronteira estão vulneráveis e todos sabem que as famílias no Brasil fazem qualquer coisa para salvá-los. Outros fazem parte da mesma quadrilha di agenciador no Brasil, pois depois que a fiscalização na fronteira aumentou por parte das tropas estadunidenses e militantes anti-imigrantes, o caminho encontrado pelos coiotes foi abrir meios de ganhar mais dinheiro. Com isso eles cobram para te levar, contratam por baixo do pano sequestrados e depois ganham com o seqüestro.

No mês de agosto o mundo ficou chocado com o assassinato de 72 pessoas na região de Tamaulipas, no México. Eram todos imigrantes tentando atravessar a fronteira

b)

c)

d)

06

Traficantes – O trafico na fronteira ficou comum, pois o local é uma rota fácil de fazer a droga chegar aos Estados Unidos, sem a devida fiscalização. Por isso os grupos de traficantes resolveram adotar as cidades fronteiriças no México como pontos de apoio para o envio do produto. Os grupos estão numa constante luta pelo domínio de mais território e isso tem gerado muitas mortes. Um dos pontos mais comuns utilizados pelos traficantes e interceptar grupos de imigrantes e tentar conseguir dinheiro para fortalecer a milícia ou forçar as pessoas a aderirem ao grupo para trabalhar como capangas. Existem, também, as suspeitas de que alguns agenciadores no Brasil têm contato com os líderes do narcotráfico nestas áreas e recebem para dar informações sobre os grupos que estão enviado.

para buscar uma vida mais digna nos Estados Unidos. Entre as vítimas foram identificados dois brasileiros, ambos de Minas Gerais. Nos dois últimos anos o perigo de atravessar a fronteira ficou maior e o agenciador no Brasil pode não

Policiais – A corrupção existe na polícia mexicana, principalmente nas mais próximas da fronteira nunca foi segredo para ninguém. Mas desde 2008 que isso ficou mais intenso, pois os policiais que não fazem parte dos grupos de traficantes optam por cobrar propinas dos imigrantes para deixá-los seguir.

apenas estar negociando uma

Guatemala – Depois que as exigências para brasileiros entrarem no México ficaram mais rigorosas, os traficantes de pessoas abriram uma rota pela Guatemala. Com isso os perigos aumentaram, pois a caminhada se torna mais longa e a região tem uma criminalidade assustadora.

as autoridades estão alertando

simples travessia, mas também o sequestro dos brasileiros para obter mais dinheiro. Diante disso para o fato de que atravessar a fronteira, atualmente, não se resume em fome, sede, caminhada pelo deserto ou nadar por um rio de correntezas fortes.

Brazilian TimesMagazine


A imigração funciona assim: 6

· Após completar a jornada da travessia, o imigrante é levado para uma casa de apoio, já dentro dos Estados Unidos, onde ele recebe comida e toma banho. Deste ponto ele é despachado para a cidade destino, previamente combinado com o agenciador.

4

· Em seguida outra pessoa surge e distribui mochilas. As malas de viagens ficam no hotel. O imigrante deve levar apenas a roupa do corpo e a mochila servirá para carregar água e comida (pão ou bolacha). Após a distribuição, ele é colocado em um carro com outros imigrantes que também farão a travessia. O destino agora é o mesmo, independente quem chegou no México ou na Guatemala – todos seguem para as cidades fronteiriças na fronteira dos Estados Unidos.

5

Existem vários pontos na fronteira que são utilizados pelos coiotes: a caminhada pelo deserto, normalmente na região de Sonora; travessia de carro ou a pé, maior parte segue pela região de chihuahua; travessia a nado, maior parte pela região de Tamaulipas

3

Depois de liberado, em São Paulo, o imigrante segue para a cidade que o receberá, ou no México ou na Guatemala. Ao chegar, ele é recebido por uma pessoa do esquema que o leva ou para um hotel ou para uma casa. Existem hotéis que fazem parte do grupo e já possuem estrutura para receber estas pessoas que ficam hospedadas pouco menos de um dia. Este ponto serve apenas para que o imigrante se alimente, tome um banho e descanse um pouco.

2

O imigrante é encaminhado para um aeroporto na cidade de São Paulo, principal ponto de envio de brasileiros para a Guatemala e México. Lá eles ficam esperando autorização de embarque. Normalmente as passagens são compradas poucos dias antes do embarque. Isso porque existe nos dois países grupos de coiotes levando outros imigrantes até a fronteira e o grupo que espera no Brasil só poderá ser liberado depois que o que está na travessia termine a jornada. A estadia em São Paulo pode demorar de cinco dias a um mês e durante a espera o imigrante é acomodado em pequenos hotéis, tudo custeado pelos agenciadores.

Brazilian TimesMagazine

1

O imigrante procura um agenciador no Brasil e faz o acordo sobre a quantia a ser pago para a viagem. Normalmente este valor gira entre $16 a $24 mil. Alguns pagam parte deste valor ainda no Brasil e o restante pagam depois que entram nos Estados Unidos, de forma parcelada com juros acrescidos.

07


Para a psicóloga, os pais que trabalham demais e não tem tempo para se dedicar aos filhos, devem tomar alguma providência extrema. ' Mudem de emprego, mas não esqueçam de suas crianças' aconselha Gerlane.

Como falar para o seu filho que ele é indocumentado? B

Uma das grandes dificuldades na educação dos filhos entre os imigrantes brasileiros, é situá-los quanto à sua situação migratória. Um tema que mexe com a confiança, orgulho, auto-estima, esperança e que incide diretamente nas relações sociais das crianças brasileiras nos EUA. Para falar sobre esse tema polêmico, entrevistamos a psicóloga e mestre em Saúde Mental, Gerlane Lopes Ferreira Cardoso, que salienta para a importância de estar presente desde cedo na criação de seus filhos

Por Marcelo Zicker

razilian Times - Existe um momento certo de dizer a um filho que ele é ilegal no país em que ele vive ? Quais os principais cuidados que os pais devem ter no momento de conscientizar o filho acerca da sua situação ? Gerlane - Neste contexto, os filhos não podem pensar que são americanos, ou que tem os mesmo direitos que eles, pois é importante que eles assumam e formem sua identidade, dizendo para si mesmos - “nós” somos imigrantes – além da capacidade de ir crescendo e se adequando à realidade do seu dia-a-dia, incorporando um pensamento mais positivo e otimista. Porém, não existe uma idade certa para dizer ao filho que ele vive ilegalmente num país estranho , pois quando a criança brasileira começa a estudar aqui nos EUA, ela aprende o idioma com facilidade e fluência, mas logo começa a perceber que os pais falam outro idioma e tem dificuldade de aprender o inglês , o que já gera a reflexão, o questionamento. O momento certo é no cotidiano, com os pais percebendo

08

seus filhos em todos os sentidos e tentando o diálogo de forma mais direta, falando com uma linguagem simples de acordo com a idade, mas sempre de uma forma “positiva”, preparando seu filho para enfrentar as barreiras “migratórias” de uma forma mais esperançosa.

BT - Um outro panorama comum entre as famílias é o conflito entre os filhos que nasceram no país, e aqueles que vieram ilegalmente e continuam nessa situação. Como os pais devem proceder para evitar que haja uma certa animosidade entre eles causada pelo fato de um ser legal e o outro não ? Como isso pode ser trabalhando na instrução dos filhos ? Gerlane - Na socialização complexa dessa bipolaridade ( filhos: um legal e outro ilegal), dentro de uma mesma família podem haver conflitos e tensões familiares e sociopsicológicas, raramente bem resolvidas e que terminam muitas vezes com a

Brazilian TimesMagazine


rejeição dos pais. No geral, eles irão à escola interagindo com outros imigrantes e americanos , no entanto fazem parte de um fluxo diferente em relação ao seu estado migratório. De repente, o filho ilegal começa a perceber que não tem o mesmo direito que o irmão legal, que não pode desfrutar das mesmas coisas, que não poderá entrar na faculdade como seu irmão ou ter um emprego melhor. Tudo isso pode gerar uma baixa alto-estima, complexo de inferioridade, uma falta de pespectiva para o futuro, entre outros. Os pais devem trabalhar de forma otimista e realista com seu filho, por mais que a lei atue de forma a fomentar essa animosidade, a família não deve de maneira nenhuma fazer essa diferenciação entre eles, devendo receber a mesma atenção, carinho, amor e respeito. BT - Pelo fato da maioria dos imigrantes trabalhar muitas horas por semana existe, em muitos casos, um vácuo de tempo e dedicação aos filhos. Como os imigrantes podem associar a alta carga de trabalho com a educação de suas crianças ? Gerlane - Eu não diria um vácuo, mas sim um abismo! Neste mundo globalizado, onde os valores da família tem perdido importância cada vez mais, os pais não investem o tempo necessário na qualidade dos seus filhos, e a maioria nem mesmo está preocupada em dedicar tempo para isso. Infelizmente, não fazem o menor esforço, muitas vezes eles tem atitudes egoístas, estão mais preocupados com o “TER” um carro novo, uma TV plasma 50”, uma casa ou fazenda no Brasil, do que com o “SER” - filhos felizes porque se sentem amados pelos pais, emocionamente equilibrados, preparados para enfrentar as dificuldades da vida sem que tenham que recorrer a bebidas e drogas. Tempo para os filhos nesta sociedade consumista em que vivemos e estamos inseridos, é uma coisa rara. Estas crianças tem temores, inquietações, angústia por se sentirem abandonadas pelos pais, dúvidas, ansiedades, pequenas/grandes crises existenciais, e que são originadas por situações que, pela pouca idade, não compreendem ou que os pais não explicam. Para elas, fica difícil de entender porque passam oito ou mais horas longe dos pais, ou porque um dia o pai senta na frente da TV e brinca com ela alguns minutos e no dia seguinte fala – 'Sai daí menino(a)...' . A situação dos jovens não é muito diferente, pois chegam da escola e ali passam horas no seu quarto na internet, no vídeo-game ou escrevendo mensagens pelo celular, e gerando, como consequência, o isolamento social, isto é, cada um em seu mundo. Não existe caminho para associar a alta carga de trabalho com o tempo de dedicação aos filhos, enquanto não tivermos pais preocupados, e os valores materiais estiverem em primeiro lugar, ao invés dos valores familiares. Os pais precisam diminuir sua carga horária e dedicar mais tempo com sua família. E isso deve acontecer enquanto as crianças ainda estão pequenas, pois se não, eles não vão querer a sua companhia quando tiverem jovens e adultos, justamente pelo fato de nunca terem tido essa intimidade em casa. Meu conselho mais objetivo é : Se você não tiver tempo de cuidar de seus filhos, mude de emprego.

Brazilian TimesMagazine

BT - Como educar os filhos para lidarem com potenciais momentos de discriminação racial e étnica? Como eles devem agir em uma situação como essa ? Gerlane - Todos nós, imigrantes, por um momento ou outro teremos que enfrentar discriminação racial ou étnica. Primeiramente, temos de nos conscientizar de que somos imigrantes numa terra alheia, temos direitos como qualquer outra pessoa, mas não somos daqui e nunca seremos de fato `americanos`, porque mesmo os que nasceram aqui com pais imigrantes, são também discriminados. Se participarmos nesta jornada com os filhos, vivendo suas frustrações, discriminações, medos, batalhas, e também vitórias, conquistas, podemos dar a eles forças para sustentar estas barreiras, vivendo a realidade e não a fantasia, aceitando a idéia de que somos imigrantes numa terra alheia. Se tiverem tempo necessário, como família saberão como agir, mas se não, irão se sentir ameaçados, sentirão ódio, revolta, diminuição da auto-estima, sensação de enclausuramento. A distância e a saudade da família, a pressão quanto a incerteza de uma data certa para retornar, a sobrecarga de responsabilidade e outros fatores, fazem parte dos desafios emocionais dos imigrantes, que podem gerar estresse, nervosismo, insônias e irritabilidade, e até mesmo a depressão. Alguns sinais mais comuns de depressão são: perder interesse em atividades rotineiras, deixar de se preocupar com sua própria aparência, perder peso ( ou ganhar peso), sentir cansado e fraco o tempo todo, sentir-se inútil, sentir tristeza durante a maior parte do dia, sentir dificuldade em tomar decisões, ter pensamentos frequentes de morte ou suicídio. A melhor coisa é procurar ajuda familiar, e dependendo da gravidade da discriminação, ajuda legal com advogados. Desde cedo, devemos viver como a família unida, e ajudar uns aos outros, assim teremos raízes para sustentar as tempestades da vida.

Ms. Gerlane Lopes Ferreira Cardoso é graduada em Licenciatura em Psicologia pela Centro Universitário de João Pessoa Unipe, Psicologia Clínica pelo Centro Universitário de João Pessoa Unipe, mestrado em Clínica e Saúde Mental pela Universitat Oberta de Catalunya/ Instituto de Neurociencias y Salud Mental de Barcelona. Membro da The American Psychological Association. Membro do Científico do 11º Congresso Virtual de Psiquiatria (Interpsiquis 2010). Colaboradora do Jornal Brazilian Times USA na página Psiquiatria em Foco, Colaboradora da Revista Bate Papo. Conselheira do Programa Novo Tempo na Radio 650 A.M. Framingham, Massachusetts, USA.

09


SOLIDARIEDADE

Padre realiza visitas a brasileiros presos esperando pela deportação em Boston – MA

Sensibilizado com o problema, que afeta milhares de famílias brasileiras em Massachusetts, o Padre Ademir, da paróquia Santo Antônio em Somerville – MA, está empenhado em levar palavras de conforto a brasileiros que esperam a deportação em penitenciárias do estado Por Marcelo Zicker

A

pós toda a polêmica envolvendo a notícia de que existiria um ponto de blitz fixo em New Hampshire, na altura da Rota 3 com a cidade de Woodstock, e da recente batida do ICE na cidade de Kingston – MA, que terminou com 4 presos e 6 autuações para a Côrte, a comunidade brasileira se encontra apreensiva com o ostensivo trabalho da Imigração em capturar indocumentados. Sensibilizado com o problema, que afeta milhares de famílias em Massachusetts, um padre de Somerville está empenhado em atuar para

10

levar palavras de conforto a brasileiros que se encontram presos em penitenciárias do estado. O padre Ademir, da paróquia de Santo Antônio, iniciou no no início deste semestre, uma série de visitas a brasileiros dentro dos presídios. “ Após ouvir de muitos fiéis da paróquia o desabafo por ter um ente querido preso esperando pela deportação, e perceber que os testemunhos estavam se tornando cada vez mais constantes, resolvi fazer algo para levar esperança para essas pessoas, que aguardam ansiosas por um futuro incerto” revela o padre, que começará visitando os brasileiros uma vez por semana.” Eles estão esperando a deportação, sem saber quando vão ser soltos para reencontrar com os familiares. É um momento de muita agonia, eles precisam de palavras de conforto, de fé, de saber que o melhor estar por vir” revela Padre Ademir. Entre dramas e relatos de desesperança, o Padre foi surpreendido com o bom tratamento oferecido aos brasileiros na prisão. “ Apesar da demora em realizar o processo de deportação, eles não são mantidos em condições precárias. Ficam num andar diferente de prisioneiros que cumprem pena por crimes graves, e tem direito a conversar com a família e amigos 3 vezes ao dia. A minha conversa com um deles durou 40 minutos e poderia ter durado mais se quiséssemos” revela. Segundo Padre Ademir porém, a surpresa com o bom tratamento das pessoas que esperam deportação, não diminui a dor de ter uma família

Brazilian TimesMagazine


desmantelada por semanas e até meses. “ Conversei com um rapaz que está quase um mês esperando para voltar para o Brasil. A família perde o chão, o norte, abala toda uma estrutura, que é muito preocupante. É preciso que os EUA atue com mais rapidez no procedimento desses processos, estamos falando de famílias inteiras abaladas por um caso como esse. Infelizmente, não vale pagar um advogado para acelerar a situação, então os brasileiros muitas vezes tem que conviver com a boa vontade das autoridades americanas para fazer o trâmite de deportação” salienta o Padre, que se comove ainda mais com o fato de muitas mulheres não poderem visitar o s m a r i d o s p e l a indocumentação. “ Eles afirmam que se pode receber visitas, mas esquecem que a maioria das esposas são também indocumentadas e não podem comparecer ao local com segurança. Muitos também sofrem de doenças como pressão alta e depressão, e estão correndo risco de vida lá dentro, a pressão psicológica é muito grande” completa. A primeira visita ocorreu no Suffolk County Jail, ao sul de Boston, mas o padre pretende estender as visitas para outras penitenciárias e conscientizar mais brasileiros desse drama. “ É preciso explicar para eles que não é o fim do mundo, e que eles não cometeram nenhum crime grave, tudo não passa de um procedimento do ICE para lidar com as deportações. O governo Obama já deportou mais que o governo anterior no mesmo período, então não é de se espantar tal situação” afirma ele, fazendo referência à cota mínima de 400.000 deportações para 2010.

Brazilian TimesMagazine

Padre tem 18 anos de serviços prestados à comunidade om praticamente 18 anos dedicados a comunidade brasileira e ao Apostolado Brasileiro, Padre Ademir lembra com carinho das primeiras impressões quando chegou. “ Ainda lembro a primeira reunião do Apostolado Brasileiro aqui em Boston com a presença do Cardeal Law. O primeiro dia era frio e tudo era novidade. E hoje volto com muita alegria para trabalhar nesta comunidade brasileira de Santo Antônio de Pádua, em Somerville. A história da minha vocação, no entanto, começou há muito tempo, na família. Como muitos padres do sul do Brasil, também eu sou descendente de italianos. Meus antepassados vieram de Cremona, norte da Itália. No mesmo barco deixaram a Itália 13 irmãos, e se estabeleceram no Rio Grande do Sul. Na família, hoje a terceira geração, somos 5 irmãos e uma irmã” contou ele, ao site Apostolado Brasileiro. “ Passei um breve período de tempo em Toronto, no Canadá, depois em Johnston, Rhode Island, e em seguida fui trabalhar com os portugueses e brasileiros na Arquidiocese de Washington DC, em setembro de 2003. Passei 10 anos maravilhosos, apesar de servir duas comunidades totalmente diferentes: portugueses e brasileiros. Ali constatei o que é uma cultura: costumes, tradições e jeitos diferentes de fazer as coisas. Além de ser a capital, Washington é uma cidade muito turística e importante. É o centro político, administrativo e militar da América. Há muitos museus nos quais se pode entrar gratuitamente, além das organizações internacionais (Banco Mundial, FMI, OEA), embaixadas e representações diplomáticas do mundo todo. Para quem não conhece, vale a pena ver” continua o relato de sua história. Foi quando ele começou a sua trajetória no lado leste, residindo em New York. “Depois, fui a Mount Vernon, New York. Também ali, a paróquia Nossa Senhora da Vitória era composta essencialmente por poçoscaldenses, de Minas Gerais, e uma pequena comunidade americana. A comunidade é bastante dinâmica e a cada dois meses o Consulado Brasileiro prestava serviço aos brasileiros de toda a região. Na cidade, além da prefeitura, havia alguns restaurantes brasileiros” conta.

C

11


Viva com saúde

Por Marcelo Tessari

SURPRESAS AGRADÁVEIS Você sabe o que é supreender-se todos os dias com seu aprimoramento? Perceber em si próprio novidades, habilidades, funções, alguma coisa interessante ou bonita a seu respeito? Não é vaidade, delírio ou loucura. É o fato de estar satisfeito consigo mesmo e encantado com a vida!

E

ste encanto sobre a vida é o resultado de viver uma vida plena. E a vida plena se conquista quando se vive conforme suas legítimas convicções em direção à realização de seus próprios sonhos.

Estas conquistas são fáceis? Podem ser fáceis. Tudo depende de você. Se você sabe quanto lhe custou este estado de felicidade, você vai defendê-lo proporcionalmente ao custo que teve. Hábitos saudáveis e amigos positivos sempre colaboram para alcançar esta plenitude. Eu encontrei aos 23 anos de idade o Método DeRose, em 1997, quando ainda estava no final do período de mestrado em Engenharia Civil na conceituada Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. E desde então tenho aprendido muito. O Método DeRose conta com um amplo leque de técnicas que podem ser classificados como hábitos saudáveis, mas é muito mais do que simplesmente isso. Este método mostra ao praticante como utilizar suas Marcelo Tessari habilidades, como usar seus 5 sentidos para que as informações do exterior sejam Ex-engenheiro civil com grau melhor captadas. Só isso amplia as possibilidades de seu cotidiano, de sua vida e de mestrado, Marcelo iniciou porque não dizer de seu futuro (veja o quadro - Aprimore sua qualidade de sua prática do Método vida). DeRose em Porto Alegre em 1997. Formou-se instrutor Como se não bastasse o que se aprende na prática destas poderosas desta Cultura no ano de 2000 técnicas, as escolas e instituições do Método DeRose criam um ambiente e, em sua escola em Porto clean: sem fumo, álcool ou drogas, com pessoas inteligentes, cultas, Alegre, ensinou a empresários e atletas e outras pessoas que viajadas. Assim você tem contato com pessoas dinâmicas, otimistas, alegres querem explorar o melhor de e tem a chance de ser impulsionado e de poder impulsionar suas vidas. É si mesmo. Em 2008, um convívio muito rico e construtivo! mudou-se para New York, onde fundou o Desta forma, com hábitos saudáveis e com um ambiente com DeRose Method amigos positivos, a cultura do Método DeRose proporciona que Studio in SoHo você se surpreenda todos os dias com seu aprimoramento! (www.derose method.us) dar De 8 a 10 de outubro, New York vai sediar o evento DeRose cursos e formar Culture in New York 2010. Este evento vai reunir professores e instrutores. praticantes do Método DeRose de todo o mundo para 3 dias de workshops, exposição de fotos, vídeos, apresentação musicais e mantras, além das belíssimas coreografias do Método DeRose. Participe através do www.derosemethod.us/derose-culture .

12

Brazilian TimesMagazine


Em noite de gala, brasileiros celebram a comunidade Da

A

conteceu no dia 05 de novembro, na cidade de East Boston, em Massachusetts, um dos eventos de gala mais tradicionais dos Estados Unidos. O X Baile de Gala & Jantar, promovido pela Brazilian Community Heritage Foundation, prestou uma homenagem a algumas personalidades que participaram e participam d a f o r m a ç ã o e desenvolvimento da

Redação

comunidade brasileira nos EUA. Os homenageados receberam o troféu “Brazilian-American Hall Of Fame Trophy”. Além disso, o evento forneceu um certificado de participação para todos aqueles que estiveram presentes. Para abrir a noite, foi convidada a Guarda de Honra da Polícia de Framingham, que entrou com as bandeiras dos Estados Unidos e do Brasil.

A N B T

Depois os hinos dos referidos países foram interpretados na voz da cantora Sandra Ferreira. Durante o evento, várias atrações musicais e culturais entreteram os presentes bem como o violonista clássico Heryck Almeida, o solista Ary Mendes, a cantora Rosângela, com uma voz deslumbrante e uma das revelações musicais neste ano, Gegê e Agenor e seus Românticos, que fazem

parte da história musical da comunidade brasileira nos EUA, e o cantor caboverdiano Nenas, que é gerenciado pela produtora Marina Lisita. A apresentação do evento ficou por conta do competente Frilei Brás e da talentosa Shariane Hiller. Ambos são respeitados por estarem entre os melhores mestres-de-cerimônias brasileiros do país. A animação da festa foi comandada pelo DJ André,

profissional gabaritado e que sempre apresenta um repertório variado cheio de novidades. As pessoas que foram ao evento caminharam sobre um tapete vermelho no Hall de entrada, acompanhados por fotógrafos, cinegrafistas e com todo um aparato da mídia local. Os organizadores fizeram com que cada um se sentisse uma pessoa importante e participativa dentro da

comunidade. Desta forma todos puderam ter uma lembrança para levar para casa. Um mural com um breve histórico de algumas personalidades também foi exposto para que todos pudessem conhecer um pouco mais sobre quem fez e faz acontecer na comunidade. O restaurante Braza Grill de Everett – MA, foi responsável pelo coquetel e o elogiado jantar da noite.

O evento contou com atrações musicais e a apresentação da Guarda de Honra da Polícia de Framingham – MA, que abriu a noite

Brazilian TimesMagazine

13


Confira mais flashes do X Baile de Gala & Jantar

O

X Baile de Gala & Jantar, promovido pela Brazilian Community Heritage Foundation, recebeu seus convidados no sรกbado(05), para um momento que ficarรก na histรณria da comunidade brasileira nos EUA. O evento de Gala homenageou personagens

14

Brazilian TimesMagazine


Brazilian TimesMagazine

15


Os homenageados do Baile de Gala, que receberam o trofĂŠu

'Brazilian-American Hall Of Fame Trophy'

all photos by Lexus Studios by Paulo Pacheco

16

Brazilian TimesMagazine


A

O empresário Alfredo e o radialista Manoel Lino

O homenageado Alfredo Melo

O violonista Heryc encantou a todos

O empresário Ader Carreiro (d) com o deputado João Leitec

18

conteceu na noite de sábado (09), a noite de gala do futebol brasileiro em Massachusetts, nos Estados Unidos. Dezenas de jogadores e incentivadores do esportes foram homenageados em um evento realizado pela Classic Productions em parceria com o jornal Brazilian Times e o empresário Ader Carreiro (Brazil Legal). Além das pessoas que receberam suas homenagens, estavam presentes o deputado João Leite (ex-goleiro do Atlético Mineiro), Elzo Coelho (craque da seleção brasileira na Copa de 86) e Joãozinho “Bailarino” (ídolo do Cruzeiro). Os três fizeram uso da palavra para elogiar a organização do evento e congratular os homenageados. O vicepresidente de desenvolvimento de negócios do New England Revolution, Craig Tornberger, também falou da importância da festa para a comunidade desportista de M a s s a c h u s e t t s . “A comunidade brasileira é maravilhosa e eu amo trabalhar com ela e este ano teremos um jogo importante, entre Estados Unidos e Espanha”, fala salientando que no próximo ano tentará trazer a seleção brasileira n o v a m e n t e a Massachusetts. Durante a cerimônia de entrega dos prêmios, foi oferecido aos presentes um jantar e logo em seguida a noite foi animada pela banda Vira e Mexe e pelo DJ André.

“Craques da Bola” homenageia o futebol brasileiro em Massachusetts

Alguns dos jogadores homenageados da noite

Da esq. p/ dir.: Elzo Coelho, Manoel Lino, Deputado João Leite e Dodô Mendes

O apresentador do evento, Friley, ladeado pelo deputado João Leite e Craig Tornberger (Revolution)

Da esq. p/ dir.: Roberto Aragão (responsável pela vinda do ex-jogador Elzo), Tony Silva, Elzo Coelho, João Leite, Jamário e Mateus

O ex-craque Joãozinho “Bailarinho” e a modelo Rosângela

Craig Tornberger, vice-presidente de desenvolvimento de negócios do New England Revolution, durante seu pronuniamento incentivando o evento

O casal “Massa”, Roberto e Mara Rúbia

Brazilian TimesMagazine


Três craques reunidos: João Leite (e), seguido por Geferson Elizeu e Elzo Coelho

O jogador André, estrela no Safira

Rodrigo (e) seguido por Martineli, Ader e Jean

O radialista e empresário Manoel Lino assinado a bola que foi entregue para Ader

Brazilian TimesMagazine

Marcos Meireles acompanhado da esposa

O empresário Ader carreiro e o homenageado Murilo

Da esq. p/ Dir.: Dodô Mendes, Joãzinho, Julinho, Tino, Ader, Leli, Mateuis, Joe, e Mateuzinho

O cabo verdiano Tino e sua esposa ladeando o empresário Ader Carreiro

Um trio de craques: Julinho e Leli ladeando o empresário Ader

Da esquerda para direita, os homenageados Alfredo, Murilo e Roberto

O deputado e ex-craque João Leite ladeado pelo empresário Adilon e Jander do Consulado Brasileiro (d)

19


Miss & Mister Mirim USA 2011 – Etapa Boston

destaca talento de jovens brasileiros Da Redação

A N B T

N

o sábado(03) os jovens participantes do Miss & Mister Mirim USA 2011, encantaram a todos com um show de estilo, talento artístico e simpatia. A edição 2011 do concurso Miss & Mister Mirim USA – Etapa Boston lotou o salão do Madonna Queens Shrine Ball Room, em East BostonMassachusetts, e recebeu os convidados com uma decoração de balões e enfeites que enfeitaram a grande festa que se sucedeu. O confortável e bonito salão do Madonna Queens Shrine Ball Room foi escolhido para a edição 2011 do Miss & Mister Mirim USA devido ao grande número de pessoas esperadas para o evento. “A recepção do salão é surpreendente, o serviço de buffet é saboroso, e as mães puderam desfrutar de uma reunião social agradável, enquanto as crianças se divertiam em segurança”, diz Júlia Vale, da comissão organizadora. O evento contou com diferentes entradas e desfiles. A primeira foi o 'Esporte', a segunda 'Criatividade em Fantasia' e a terceira e última foi de 'Glamour (Vestido de Gala)'. No concurso, a torcida foi de extrema importância. A vencedora ganhou um super 'book' digital e impresso da Lexus Studios. Todos os demais participantes, mesmo não vencendo, terão seu prêmio também. A Lexus Studios dará 50% de desconto em um ensaio fotográfico e ainda poderão ser direcionados a agências de modelos. A produção do evento contou com a coordenação de Júlia Pacheco, do cabeleireiro Mario de Paula, assistência de Paula Pacheco, maquiagem por Flávia Leal e fotografias pela equipe da Lexus Studios. Durante a festa, também foi sorteado um IPAD II, através de uma rifa que reverteu fundos para a Fundação BRAPPAS, sem fins lucrativos.

A torcida por Maria Eduarda

20

Miss Mirim: Kelry Pires ( a dir)

1a Princesa Mirim - Ashley Caldas ( ao centro)

Mister Mirim Junior: Luca Drummond

Miss Mirim Popularidade 2011 - Juliann Furbino

Miss Mirim Junior: Thalia Chaves

Brazilian TimesMagazine


A edição 2011 do Miss & Mister Mirim USA – Etapa Boston lotou o salão do Madonna Queen Shrine Ball Room, em East Boston, com um show de requinte e sofisticação

2a Princesa Teen: Barbara Souza 1a Princesa Teen: Maite Cezario ( a dir) Miss Teen: Bianca Aires ( a esq)

2a Princ. Mirim Jr: Carolina Medeiros 1a Princ. Mirim Jr: Stephanie Aguiar ( a esq)

2o Príncipe Mister Mirim: Cristopher Despinoza

2a Princesa Mirim: Rayssa Lima

1o Príncipe Mister Mirim: Victor Drummond Mister Mirim: Mathew Correa

O Miss & Mister Mirim USA, promovido pela Classic Productions & Events, já se tornou tradicional em Massachusetts, revelando talentos e a simpatia dos jovens brasileiros. Brazilian TimesMagazine

21


Mineira é eleita Miss Brasil 2011 de Boston A

mineira de Conselheiro Pena, Amanda de Oliveira, 18 anos, foi a grande vencedora do maior concurso da beleza brasileira em Massachusetts. Na noite de sábado (22), cercada de muito glamour, ela recebeu a faixa de Miss Brasil USA Boston e representará o estado na etapa final, que acontece em New York, entre os dias 17 e 21 de novembro. O evento que aconteceu na cidade de East Boston, já se tornou uma tradição nos Estados Unidos, quando o assunto é promover a beleza da mulher brasileira no exterior. O Miss Brasil USA serve como vitrine e algumas modelos que participaram deste eventos, em anos anteriores, ganharam destaque tanto nos Estados Unidos, quanto no Brasil. Entre elas Sasckya Porto, que já figurou entre as 10 modelos mais bem pagas no mundo, e Natália Guimarães, Miss Universo em 2007. Ela já participou de outros eventos de beleza e sua paixão sempre foi as passarelas. Entre os concursos em que esta bela mineira esteve presente, estão o Miss Latino USA, que reúne uma representante de cada país nos Estados Unidos. A Miss Brasil deste ano é sinônimo de perseverança e que as pessoas não devem desistir jamais dos seus sonhos. Se as derrotas fossem empecilho na vida desta mineira determinada, ela jamais seria a Miss Brasil USA Boston deste ano. Amanda participou, aos 14 anos de idade, do Miss Brasil USA Mirim, em Connecticut, ficando com o segundo lugar. No ano

seguinte, ela disputou novamente a etapa de CT e não venceu. Amanda conta que estas derrotas serviram como ensinamento e a fizeram aperfeiçoar ainda mais suas apresentações. Em 2009 e 2010, ela participou do Miss Brasil USA Boston e nestes dois anos não conseguiu ficar com o titulo. A recompensa por tanta luta veio este ano com a faixa de a brasileira mais linda de Massachusetts e o direito de representar o estado em New York. Antes de entrar na passarela, ela estava bastante nervosa, mas tinha algo que lhe dizia que seria a grande estrela da noite. “Recebi apoio dos meus pais, meu namorado, amigos e muitas pessoas estavam torcendo por mim”, fala com ressaltando que “a luta não foi em vão. Para a Miss Brasil USA Boston 2011, o título foi a coroação de anos de luta e sonhos. O rapper Big D, que apesar de ser norte-americano, tem um pé no Brasil, fez um show que animou a galera. Com suas músicas irreverentes e agitadas, ele colocou todo mundo para dançar. Destaque também para o cantor Thiago que fez um show inesquecível. ETAPA NACIONAL Ao ser indagada sobre a etapa nacional, Amanda brinca que a “ficha ainda não caiu e primeiro ela quer curtir o titulo de Miss Brasil em Boston”. Mas esta semana ela iniciará os preparativos para representar bem Massachusetts em New York. Para isso, ela fará horas de academia, terá uma alimentação balanceada com acompanhada por nutricionista e tratamentos de pele.

Miss Simpatia, Stephany Coelho

22

Brazilian Times Magazine


A 2ª Princesa Carolina da Silva ladeada pelo fotógrafo Paulo Pacheco e a Modelo Anna Layza

A 1ª Princesa Melyssa Azevedo durante o desfile de gala

A miss Brazil 2011, Amanda Oliveira recebe um I-Pad, da Miss Brazil 2010, Andressa Morais e o fotógrafo Paulo Pacheco, da Lexus Studios que doou o prêmio Eleitas de Boston Miss Brasil USA Boston Amanda de Oliveira 1ª Princesa Melyssa Azeredo 2ª Princesa Carolina da Silva Miss Simpatia Stephany Coelho Miss Popularidade Ana Izabel Rosso

Brazilian TimesMagazine

A Miss Popularidade, Ana Rosso

A Miss Brasil Amanda de Oliveira durante o desfile com trajes de banho 23


Flashes do Miss Brasil USA Etapa Boston

Andrea Brainner da AK Fashion e a ativista Ana Franco fizeram parte do corpo de jurados do evento

O cantor Thiago Cabral convidado especial do evento, cantou muito e deixou o público maravilhado

As candidatas Carolina, Melyssa e Yasmin durante o evento

O apresentador Friley com o fotógrafo Paulo Pacheco e cabeleireiro do Miss Brasil USA, Mario de Paula, ladeam a vencedora do evento: Amanda de Oliveira.

- A Miss Brasil USA Boston 2010, Andressa Morais, entregando os prêmios para a Miss Brasil USA 2011, Amanda de Oliveira 24

Algumas das belas candidatas que participaram o Miss Brasil-USA, 2011

Brazilian TimesMagazine


Miss Brasil USA 2011: Fernanda Samaia – Califórnia

F

Etapa nacional do Miss Brasil - USA celebra a beleza da mulher brasileira nos Estados Unidos

oi realizado no último sábado (12), a 19ª edição do Miss Brasil USA – Etapa Nacional em New Jersey, que contou com a presença de diversas personalidades da comunidade e colocou nas passarelas as maiores representantes da beleza brasileira em terras norte-americanas. O título ficou com Fernanda Samaia, representando o estado da California. A candidata por Massachusetts, Amanda de Oliveira, ficou em terceiro lugar, com a faixa de

Miss Simpatia: Sofia Milanesi - Flórida

segunda princesa. Na ocasião, estiveram presentes também celebridades como os empresários João de Mattos e Edilberto Mendes, os atores Guilherme Winter, Heloisa Alves e Deisiree de Oliveira, da Rede Globo e capa da Playboy do mês de novembro. O ex-jogador de futebol Vampeta também esteve na festa. O presidente do concurso, Cacá Santos, afirma que o sucesso da edição desse ano, dará motivação para fazer que no ano que vem, a vigésima edição do concurso fique na história da comunidade. Toda cobertura fotográfica da final e dias que precederam a festa, estão gratuitamente no Facebook de Paulo Pacheco da Lexus Studios.

Miss Imprensa: Bethania Tavares - Connecticut Fotos por Lexus Studios Fotógrafo Oficial Miss Brasil USA Paulo Pacheco Fotógrafos da Lexus Studios Eddy e Alessandro da Luz Hair Design por Mario DePaula

2ª princesa: Amanda de Oliveira - Massachusetts

Brazilian TimesMagazine

1ª Princesa: Gabriella Bicalho – Georgia

25


Os homenageados do evento do empreendedor/2011

Encontro de brasileiros empreendedores é sucesso em Newark – NJ O organizador do evento, Paulo Ramos, e o apresentador da noite, Sebastian de Sousa

A cantora Vera de Oliveira cantou os hinos Americano e Brasileiro

Paulo Ramos e sua esposa, Maria Célia

26

N

a sext a-feir a, dia 2 de dezembro, em Newark – NJ, aconteceu o I Encontro de Brasileiros Empreendedores no Exterior/2011, uma realização CEBRAIS (Centro Brasileiro de Integração Social) que reuniu empresários, autoridades e membro da comunidade e que premiou destaques empresariais com a "Placa do Empreendedor'', pela contribuição dos mesmos à comunidade brasileira dos EUA. O evento contou com o cantor O cantor Tiago Dias foi um dos destaques da noite Roberto Trevisan, que já teve algumas participações em novelas da Rede empreendedor foram: Sr. Edirson Paiva do Jornal Globo, o destaque brasileiro Tiago Dias, o cantor Brazilian Times, Delson de Lima (Delson Dewelry), internacional português Clemente, além da contra Sr Aluisio Athayde da Confiança Moving, Pr. Nelson Vera Oliveira, que emocionou o público com o hino Varela de Oliveira, Neuza Oliveira ( Tutti Fruit ), Americano e Brasileiro. Os homenageados que Antonio Seabra do Grupo Seabra. estiveram presentes para entrega da placa do O evento contou com a

O conselheiro-geral do consulado de NY, Pedro Ortega Terra

presença da empresa Dynamic Investiments, uns dos patrocinadores do evento através do Sr. Andre Comini, que prestigiou a iniciativa. Um destaque foi a presença da empresa Parymudo que fez com que o ambiente ficasse magnífico com a decoradora Miriam e sua equipe. O conselheiro-geral do setor Comercial do consulado do Brasil em New York, palestrou na noite do evento na gestão empreendedora e desejando sucesso no próximo evento.

Brazilian Times Magazine


Desejamos a toda Comunidade Brasileira e a todos os nossos clientes Natal Abençoado e um Ano Novo repleto de realizações!

ESTES SÃO OS VOTOS DO ESCRITÓRIO DE ADVOGADOS JOYCE & ASSOCIATES, P.C.

“JOYCE & ASSOCIATES MEETING THE WORLD'S IMMIGRATION NEEDS” www.joyceassociates.com 205 Portland Street,3Rd Floor. Boston, MA 02114 Tel: (617)523-1500 - Fax: (617)523-2400


Estava escrito...

Anna Layza

sinônimo de determinação e conquista!

Medidas de uma Musa os padrões de medidas são utilizados nos EUA

Altura: 5.10'' Peso: 125lb Waist/Hips: 28/38 Busto: 34B

C

omo na vida nada acontece por acaso, assim foi na vida da Musa BT Flashes, Anna Layza, a oportunidade chegou trazida pelo destino. Tudo começou quando ela foi convidada por uma agência de modelos, com sede em Belo Horizonte, Minas Gerais. Os diretores da empresa a chamaram para fazer alguns testes no intuito de ser feito uma análise quanto aos potenciais da bela mineira para o campo da moda. E não deu outra! Aquela pequena menina de oito anos de idade já estava a caminho do seu primeiro book fotográfico e dentro de uma importante agência. Foi então que ela iniciou sua carreira como modelo. Participou de cursos de passarela, comportamento na área de moda, teatro, a maquiagem e outras que a ajudaram obter mais experiência no campo em que estava ingressando.

Brazilian TimesMagazine

27


Musa BT Flashes relembra início da carreira e faz planos para o futuro Por Luciano Sodré

O

primeiro desfile aconteceu quando ela tinha nove anos e até os dias atuais ela lembra-se de cada detalhe, da emoção sentida na época e do nervosismo que acabou se tornando uma conquista. Mesmo pequena, Layza conta que estava bastante confiante e era realmente aquilo que ela queria para sua vida. Mas para chegar até onde chegou, Layza conta que teve um apoio muito importante – o de sua mãe. Dona Zulma teve um papel muito importante na vida pessoal e profissional da Musa BT Flashes. “Ela sempre esteve ao meu lado em todos os momentos e sempre me incentivou a seguir meus sonhos e lutar para torná-los realidade”, explica a modelo. Os irmãos também deram total incentivo, a não ser o paizão que, por ciúmes, não curtia muito a idéia, afinal ela era a filha mais nova e qualquer pai quer proteger sua filha do mundo. Mas quando ele viu que Anna Layza tinha jeito para a coisa acabou cedendo e hoje é um grande incentivador. No início da carreira, Layza desfilou para lojas de roupas conhecidas em Belo Horizonte. Como toda modelo, “a casa é sempre o primeiro palco para o mundo”. Ainda em sua cidade de nascimento (BH), ela participou de concursos de beleza e sempre despontou entre as primeiras colocadas. 28

“Fico triste porque minha mãe, a maior incentivadora, não está aqui para ver as minhas conquistas. Mas ela está torcendo por mim, lá no Brasil”

Brazilian TimesMagazine


“sou uma pessoa de personalidade forte, sincera e que sabe o que quer”

Brazilian TimesMagazine

Aos 16 anos de idade ela se mudou para os Estados Unidos e como toda imigrante, no início, trabalhou em diversas áreas até se estabilizar e conhecer os costumes deste povo. Ela pensava que o sonho de ser modelo poderia ter ficado para trás até que ficou sabendo do Musa da Copa, evento promovido pela organização do Miss Brasil USA nacional. O sonho de menina reacendeu e seu primeiro passo foi procurar os organizadores e fazer sua inscrição. Novamente mais uma conquista na vida desta mineirinha lutadora – foi eleita a Musa da Copa 2010. Com isso vieram junto ensaios fotográficos, capas de revistas, matéria sem jornais, etc. Aos poucos, ela foi se tornando conhecida e respeitada no mercado da moda em Massachusetts, estado onde veio morar com o marido Fernando Barros, que já atuava como músico nas noites brasileiras. Mas este título aconteceu quatro anos depois dela já estar morando nos Estados Unidos. Como sempre foi uma mulher interessada pelo mundo fashion, Layza começou estudar mais sobre o assunto, conhecer fotógrafos, maquiadoras, diretores de agência e firmar uma base para conseguir uma carreira sólida e de sucesso. Pouco tempo depois, ela se inscreveu para participar do Musa BT Flashes, promovido pelo jornalista e colunista social, Luciano Sodré. O evento, realizado em parceria com o jornal Brazilian Times foi para comemorar o segundo prêmio de “O melhor colunista dos EUA”, entregue pelo Press Award. Layza disputou o título com mais nove candidatas e conseguiu ser eleita a primeira Musa BT Flashes. Vencer este concurso mostrou que os planos de ser uma grande modelo não está mais distante. Os interessados podem entrar em contato com a modelo para trabalhos como modelo, ela faz campanhas fotográficas, desfiles de passarela e tudo relacionado ao campo da moda. Também está a disposição para contratos com agências. O telefone do seu empresário é (774) 287-4229. 29



Revista Brazilian Times - Dezembro