Page 7

Maio de 2014 mais expostos ao contato com grande mudança climática. Essa enfermidade precisa ter uma atenção especial, já que a mesma pode evoluir para um quadro de pneumonia.

Saiba tudo sobre gripe em cães.

C

om a chegada do inverno e climas mais frios e úmidos, ao contrário do que muitos pensam, os cães, assim como os seres humanos, podem contrair gripe. Essa virose, que pode ser conhecida por traqueobronquite infecciosa canina (o qual é conhecido como H3N8 – transmitida pelo ar ) ou simplesmente gripe canina, é uma patologia encontrada principalmente em cães que vivem ao relento. Essa enfermidade ocorre devido a três agentes, sendo dois vírus extremamente contagiosos que se chamam Parainfluienza e Adenovirus e uma bactéria de nome Bordetella que é classificada como uma zoonose (doença transmitida do animal para o ser humano). Essa doença ocorre principalmente quando há uma queda brusca na temperatura do meio onde o cão vive. A gripe canina acomete animais de diferentes raças e idades. A alimentação e o manejo do animal irão colaborar muito para que o animal tenha um bom sistema imunológico, acarretando uma barreira contra a entrada do vírus da gripe. Os animais que mais são encontrados com a virose são os cães de rua, que ficam

Sintomas Os sintomas da gripe canina se assemelham muito aos dos seres humanos. O vírus se mantém incubado de 2 a 5 dias no organismo do animal, vindo a ser sintomática no sexto dia após a exposição. Os principais sintomas da doença são: Corrimento nasal intenso; desidratação; olhos lacrimejando intermitentemente; pode apresentar ou não vermelhidão nos olhos; espirros; tosse seca; anorexia (perda do apetite); febre; fraqueza; depressão; respiração rápida e superficial. Como dito anteriormente, os animais que estão com deficiência no seu sistema imune são os mais susceptíveis para contrair a gripe canina. Nos cães idosos e nos cães filhotes tem que haver um manejo correto para prevenir a virose.

Tratamento

O tratamento da Tosse dos Canis será indicado de acordo com os sintomas, o agente

Jamais medique ou tome qualquer atitude sem a consulta de um veterinário causador e o nível de desenvolvimento da doença no animal. Portanto, ao notar qualquer sinal que possa indicar a presença do problema em seu pet, é fundamental que uma consulta a um médico veterinário seja marcada – garantindo que ele seja diagnosticado e tratado o mais rápido possível

CANTINHO PET

JORNAL DAS TULIPAS e, ainda, impedindo que ele transmita a complicação para outros animais. Na grande maioria das vezes, um profissional consegue definir o diagnóstico da doença somente com o exame clínico,

to, deve ficar por, pelo menos, sete dias em repouso; evitando atividades muito agitadas e qualquer tipo de exercício. O ambiente em que o animal vive também deve ser livre de fatores que possam potencializar

já podendo indicar o tratamento mais correto. No entanto, casos mais graves da Tosse dos Canis podem se apresentar de maneira bastante similar com os sintomas do início da Cinomose e, nestas situações, exames laboratoriais podem ser requisitados para que seja possível a diferenciação do quadro com clareza. Antibióticos, anti-inflamatórios e anti-tussígenos são alguns dos medicamentos mais recomendados para a cura da doença, e xaropes também podem ser indicados para diminuir os sintomas dos cães, aliviando a tosse seca e constante que é típica do problema. A reposição de fluidos e inalações também podem ser recomendadas nos casos em que o animal fica desidratado em função da doença, e uma série de cuidados especiais também são necessários para garantir que a complicação não se espalhe ainda mais e o seu pet se recupere de maneira adequada. O cachorro acometido pela Traqueobronquite Infecciosa Canina, quando em tratamen-

os sintomas da doença, como poeira, fumaça, umidade e frio – sendo recomendado que o pet conte com uma casinha própria, para que possa relaxar durante esse período de recuperação. O consumo de líquidos deve ser bem observado, e os ca-

chorros em tratamento devem ser bastante hidratados, consumindo água por muitas vezes ao dia. Evitar o estresse no ambiente de vida do cão também é importante, e os donos do pet acometido pela Tosse dos Canis devem dar preferência às coleiras peitorais – evitando as mais tradicionais (que são presas ao pescoço do animal) para não causar mais desconforto. Boa parte dos animais contaminados com a Tosse dos Canis não desenvolvem sintomas muito graves e, nestes casos, nenhum tratamento específico é recomendado; já que, na maioria das vezes, os poucos e leves sintomas do problema deixam de se manifestar no cão após cerca de 15 dias.

Prevenção

A prevenção dessa doença é basicamente praticar o manejo correto dos animais. Evitar ao máximo que o cão fique na chuva sem nenhum abrigo, expor o animal a ventos fortes,

7

como também, a local com a temperatura bem baixa, ex: ar condicionado. Um animal que apresenta qualquer tipo de conduta anormal deve ser separado dos demais animais, evitando assim, uma disseminação da doença. Jamais medique ou tome qualquer atitude sem a consulta de um médico veterinário. Como qualquer doença, quanto mais rápido for diagnosticado, mais chance o animal tem de ter um prognóstico bom, consequentemente uma melhora do quadro. “Matéria extraída d revista eletrônica portaldodog.com.br) “ George Augusto von Schmalz Portella de Macedo (Acadêmico de Medicina Veterinária)

Jornal da Tulipas  
Jornal da Tulipas  

Orgão de divulgação do Bairro Jardim Tulipas e Região - Jundiai - SP

Advertisement