Page 1

thales motta

trabalhos selecionados


interesses

histórico

música / fotografia / viagens / cobras matemática / pesquisa / modelagem aeronaves / streamline moderne / fractais

2015 - presente faculdade de arquitetura e urbanismo - ufrj

habilidades

thales a. da motta 26. dez.1997 rio de janeiro / rj. bra (21) 980 786 704 motta.thales@hotmail.com thales.vsco.co

experiência

▓▓▓▓▓▓░░░░

adobe photoshop

▓▓▓▓▓▓▓▓░░

adobe illustrator

▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓

pacote office

▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓

sketchup

▓▓▓▓▓▓▓▓▓░

v-ray

▓▓▓▓▓▓▓▓▓░

autocad

▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓

café

nativo

2012 - 2014 cap - unigranrio

português / bra

fluente

inglês / eua

básico

espanhol / esp

básico

francês / fra

2016 - 2017 concepção da forma arquitetônica II - fau monitor 2018 gráfica digital - fau monitor 2018 inflável ex.vazio (penique productions) - fau participação no workshop •

méritos 2015 / 2015 / 2015 / 2017 / 2017 fotografias - VSCO grid fotos destacadas no VSCO selects 2016 concepção da forma arquitetônica II - fau trabalho exposto - melhores trabalhos 2017 ateliê integrado - fau trabalho exposto - melhores trabalhos


projetos de arquitetura • modelagem e renderização • fotografia •


cobertura

3º pavimento

2º pavimento

térreo

traçado regulador

pavilhão a partir dum traçado regulador autoral / 2015


projetos de arquitetura • seleção de trabalhos acadêmicos • desenvolvidos por mim. •


casa refúgio projeto desenvolvido para o curso de concepção da forma arquitetônica II primeiro projeto formal de arquitetura da faculdade, consiste numa casa para professor visitante na parte da ilha do fundão conhecida como ilha de bom jesus; bairro calmo onde está o lote, ao lado da igreja de bom jesus da coluna a concepção partiu da metafórica queda dum bloco maciço sobre o lote, setorizado de forma que os ambientes se desenvolvam lateralmente à uma circulação que timidamente se abre para a rua, englobando toda a longitudinalidade da casa. dividida em dois pavimentos, o acesso fica no pavimento superior junto das áreas de convivência, como sala de estar, escritório, pátios e cozinha. o quarto e suas dependências estão localizados no pavimento inferior. o layout foi pensado de forma totalmente livre, mantendo apenas externamente uma estética encerrada: existem apenas quatro paredes internas entre ambientes, sendo duas do lavabo e duas do banheiro privado; todos os outros ambientes foram trabalhados de forma integrada. a cozinha é ladeada por dois pátios com generosas portas de correr que, se abertas, formam um imenso ambiente integrado cujo interior e exterior se misturam perfeitamente. a sala de estar, com um vão para o pavimento inferior, permite um pé direito aumentado que reforça a integração entre ambientes, mesmo estando a cama protegida abaixo da laje dos olhares de cima. a sala ainda recebe esquadrias de dupla altura que emolduram a descida do lote até a baía de guanabara.

ba

nh cl eiro os et

qu a

autor thales motta programa residencial local ilha do bom jesus, rio de janeiro ano 2016

rto

sa l

a

ci rc pá ul ti aç o ão co z

in ha

es lav cr ab itó o rio

tio

lacrada por fora, a casa só se permite abrir para onde há quietude, seja o mar ou a vegetação ao lado; olhando da rua não se distinguem ambientes, mantendo uma privacidade ímpar e admitindo, por fim, sua essência de casa-refúgio.

a nd

ra va


cobertura

planta superior

planta inferior


s

in d r ja

residência estudantil na praia vermelha projeto desenvolvido para o ateliê integrado I um dos passos iniciais para a concepção do projeto foi a tentativa de reconstrução das relações habitante-comunidade, que antes soava distante e verticalizada, como numa hierarquia separatista; como se um muro impedisse tais conexões. esta tal reconstrução se dará pela quebra ideológica do muro. o projeto visa uma arquitetura simples voltada para o uso coletivo: partir duma forma modernista racionalista - o edifício fita - e trazer para ela um caráter público e social, atípico do movimento. esta operação se dá de forma tal a construir relação entre o alojado e as comunidades estudantil e do entorno residencial. assim, a obra se torna tão importante para estudantes externos à ela quanto para os que nela habitam.

s çõe

a

ul c r i c

assim, o edifício fita cai praticamente centralizado no lote criando uma área pública, à frente, e uma área semi-pública, atrás. porém este volume rígido se dissolve em duas aberturas principais - um pátio interno e um auditório semi-enterrado abaixo dum pilotis - e três secundárias - áreas de convivência interna. estes rasgos dão ao prédio mais transparência, ainda na intenção de ressignificar o muro. os dois blocos de apartamentos, separados pelo pátio, se unem por passarelas ao ar livre para que se possibilitem relações visuais efêmeras, mas diárias entre quem habita e quem circula no entorno da rua lauro müller e do campus da UFRJ.

s

ia c n ê

os espaços livres se compõe a partir do uso de mobiliário modelado a partir dos materiais de entulho que, metaforicamente, vem da quebra do edifício-muro. em adição, possui espaços públicos de atividades que estão diretamente ligados ao alojamento e seus habitantes, como a pista de skate que ultrapassa subterraneamente o limite entre dentro e fora, dissolvendo-o. por fim existe a horta comunitária, concebida para ser um ponto de conexão entre os alojados e os moradores da região.

v

vi n o c

s

res

id

ia c n ê

autores mellyssa monteiro e thales motta programa social, residencial local botafogo, rio de janeiro ano 2017


cober

tura

reserv

atório

s

terraç

o

4º pav

imento

3º pav

imento

cor t circ e pela u ver laçã tica o l cor

2º pav

te p

elo

imento

pát

io

cor t sal e pelo ã con o de viv ênc i

térreo

a

subss

olo


prancha-sĂ­ntese apresentada / 5,34m x 1,62m


*scola de APoio [edagógico projeto desenvolvido para o curso de conforto ambiental II o programa exigido descreve uma escola com apenas duas salas de aula, café, acervo, casa para um vigilante, dentre outras dependências. o passo inicial foi quebrar o volume inicial em fita num ângulo para que as salas de aula estivessem protegidas do sol em seus horários de uso. essa proteção é fortalecida pela divisão deste volume maciço em dois: obteve-se, assim, um pseudo-bloco linear frontal, que sedia a casa do vigilante, vestiários, café, entrada e secretaria, além dos dois pátios, que serve como proteção visual e térmica para o segundo pseudo-bloco, linear e recuado, que sedia as salas de aula, banheiros, refeitório, acervo e midiateca. os dois são costurados pelo corredor que passa entre eles, este que teve seu teto rebaixado para que fossem abertas venezianas que facilitam a ventilação cruzada nos blocos. o projeto segue linhas do art déco, tendendo ao streamline moderne; linhas ininterruptas envolvem todo o complexo através das marquises projetadas um metro e meio além das fachadas para sombreá-las, criando também um ambiente de deambulação arrematado pelas colunas regularmente posicionadas. quinas duras foram substituídas por curvas mais suaves. de frente, o observador tem a impressão de que o edifício se estende ao infinito para os lados, tanto pela sua angulação quanto pelas linhas de força.

autores raquel cavalcante, thales motta programa educacional local genérico ano 2018


0

02

0,

0,015

0°

45,0

0

10

0, 0, 0

10

detalhe dos brises / 1:2

0

02

0,

0,015

45,0

0°


b

d

a c

planta baixa / 1:200

corte ab / 1:200

corte cd / 1:200


complexo educacional da ribeira

cob

projeto desenvolvido para o curso de projeto arquitetônico III o contexto histórico do bairro da ribeira proporciona ao projeto uma abertura crítica além do pensamento pedagógico que se espera. o entorno passou por privatizações que limitaram a vivência com a baía e excluíram o morador de seu próprio habitat. logo, a premissa básica do edifício se tornou promover uma troca constante entre morador-projeto. a elaboração do programa desse projeto em particular conta com um centro cultural, reforma da praça iaiá garcia e terminal rodoviário e reativação das barcas, além da escola, já que este é o ponto nodal e foco.

aul

as

aud

itór

2

a concepção formal parte de um bloco simples, que se divide entre o caráter pedagógico-cultural e se desenvolve seguindo as necessidades verificadas: pátios, biblioteca, quadra e instalações no subsolo, salas e estruturas formais no térreo e 1º pav. os andares são conectados por rampas que contam com um hall de convivência a cada meio pavimento.

adm

inis

T

o terreno, onde anteriormente se localizava um depósito de estaleiro, escava a baía e torna todo o seu subsolo de uso público aos finais de semana, dispondo de todos os equipamentos de uma instituição de ensino que a comunidade possa utilizar. para a proteção das salas, foi concebido um painel de formas geométricas, que filtra a luz, permite a passagem de ventilação e oferece um caráter lúdico para as crianças. a disposição de algumas salas segue um layout mais livre, divididas apenas por estantes pivotantes com isolamento acústico. esses permitem uma maior transparência de espaços para a criança, que necessita de estímulos externos em seus primeiros contatos com o ambiente escolar.

traç

ão

exp

osiç

SS

aul

as

qua

dra

autores mellyssa monteiro, thales motta programa educacional, cultural, social local ribeira, rio de janeiro ano 2018

SS bibliot ec

a•

escola •

centro cultural •

aberto ao público • •

io •

ões

••

teatr

o••

circulação vertical


planta de situação - praça iaiá garcia e complexo educacional


estudo de fachada / world trade center desenho autoral minoru yamasaki / 1973


• modelagem e renderização • entendo que se compreende • melhor a arquitetura observando e redesenhando seus elementos. a seguir, ensaios sobre edifícios existentes.


fau-ufrj

jorge machado moreira / 1961 / rj. bra


apple store - village mall

equipe de arquitetura da apple / 2014 / rj. bra


veer tower south - lobby / helmut jahn francisco gonzalez pulido / 2010 / nv. eua

spaceship earth / gordon hoopes / 1982 / fl. eua

vdara

/ rafael vinoly / 2009 / nv. eua

world trade center / minoru yamasaki emery roth & sons / 1971 / ny. eua


new york state pavillion

phillip johnson / 1964 / ny. eua


veer towers

helmut jahn + francisco gonzalez pulido / 2010 / nv. eua


escola panamericana de arte e design autoral / 2017


• • fotografia • fotos retiradas do vsco grid. é constante minha perseguição por uma estética solitária, pacífica, simulando a vida num mundo inabitado.


amantikir school garden / 2013 / mg. bra destacada no VSCO selects

uerj / 2017 / rj. bra destacada no VSCO selects


museu da chácara do céu / 2016 / rj. bra

edifício cardeal leme / 2018 / rj. bra


outubro. 2018 / rio de janeiro

thales motta / portfolio  
thales motta / portfolio  
Advertisement