Issuu on Google+

Encontro XV da Rede CDI Edição 01 - DEZEMBRO de 2013

Rede CDI co-cria

nova visão Conheça o processo de modelagem de produto utilizado e os resultados gerados coletivamente


carta de boas vindas! Itaipava, 05 de novembro de 2013 Caros Amigos da Rede CDI, Sejam bem-vindos ao XV Encontro da Rede CDI. Estamos muito felizes em compartilhar os próximos dias de celebração, reflexão e ação para aquilo que nos move. Serão três dias com agenda preparada para nos debruçarmos sobre nossa causa, impacto e eficiência. Aproveitamos para expressar nossa profunda gratidão a todos os que somaram esforços para a construção dessa semana. A Chamada Criativa, a Pesquisa sobre os temas em pauta, assim como nossas interações para construção da agenda dos próximos dias, já nos permitem celebrar o surgimento de um olhar mais diverso e esperançoso para o futuro e seus desafios. Por um lado, o cenário de constante mobilidade social e tecnológica nos exige avaliação de nosso trabalho e impacto. A partir de nossa ficção social, como podemos resgatar nossa relevância e atratividade, mantendo nossa essência e identidade? De outro lado, os desafios do setor social permanecem. A cada dia, somos desafiados a fazer mais, melhor e com menos. Como nossa metodologia e os eixos de sustentabilidade - técnica, social, comunicação e financeira, podem fortalecer nosso trabalho? Esperamos que nestes três dias possamos, juntos, encontrar caminhos para estas respostas confirmando que o conhecimento, a visão e a realização não estão em nós, mas, sim, entre nós. Grande abraço,

CDI Matriz


editorial É com imensa alegria que lançamos a revista online do XV Encontro da Rede CDI! Preparamos essa edição especial com o objetivo de compartilhar tudo o que foi realizado durante o evento e que teve como grande resultado a co-criação de uma nova visão para a nossa organização. Apoiados por um processo de facilitação, que compreendia roteiros, dinâmicas, cumprimento de etapas e construções do individual para o coletivo, realizamos esse incrível trabalho junto com a nossa Rede. E ainda tivemos a oportunidade de descobrir alguns talentos que iam de “decoradoras de saladas” a engenheiros de pontes suspensas! Esperamos que você também curta essa leitura!

+ índice como chegamos.......................................................................................04 ouvindo a Rede CDI.................................................................................08 momento atual..........................................................................................10 nosso lugar no mundo..............................................................................11 modelagem de produto.............................................................................12 encerramento............................................................................................14 entretenimento..........................................................................................16


como chegamos

O XV Encontro da Rede CDI ocorreu de 06 a 08 de novembro na cidade de Itaipava/RJ e teve como objetivo este ano responder a seguinte pergunta: “O que nos move?”. Com a participação de representantes de 16 escritórios regio-

4

nais, entre nacionais e internacionais, realizamos, na noite do dia 05, um caloroso coquetel de boas vindas com direito a um “Parabéns pra você” e bolo para a aniversariante Silvia do Regional Santa Catarina.


Durante o coquetel de abertura convidamos a todos para compartilharem e decorarem o “varal de boas-vindas” com uma mensagem de celebração descrevendo alguma realização do regional em 2013. Acesse aqui para ver as outras fotos do nosso varal online de celebrações. “Celebrar mais um encontro da Rede CDI: novos olhares, novas oportunidades, tecnologia social” e “Amadurecimento de equipes” foram celebrações de 2013

Confira abaixo as fotos de alguns representantes dos nossos Regionais que estiveram presentes no XV Encontro da Rede CDI:

Expectativas para o XV Encontro Rede CDI - Reflexión del futuro; - Vivências e trocas em Rede para nos aproximar; - Troca de experiências em Rede entre educadores; - Construção da identidade de Rede CDI e colaboração;

Marcel e Thiago (Matriz) e Luiza (CDI Inglaterra)

Vanderlan e Quimico (CDI Goiás)

- Discutir como podemos reduzir a diversidade dos projetos e aumentar a profundidade das ações; - Identificar el valor agregado que tiene la causa de CDI en marco actual del desarrollo tecnológico regional; - Novas estrategias para incrementar eficiencia a CDI; - Entender como, de fato, o evento

Gloria (CDI Colômbia), Zandra, Marylin e Jeanella (CDI Venezuela).

Carla, Vanete e Jailson (CDI Espírito Santos)

vai permitir que trabalhemos em Rede; - Intercâmbio de experiências; - Focar em atender a diversidade; - Mais ação e menos discurso; - Aplicar as boas práticas; - Novas ideias/caminhos para a Causa CDI (Definir, Fortalecer e Defender); - Entender melhor a Rede CDI;

Mary Hellen e Laura (CDI Paraná)

Kellen (CDI Campinas/MS) e Alcyr (CDI Pará)

- Compartilhar conhecimento.


como chegamos

No 1º dia do Encontro, envolvidos no clima de celebração, iniciamos com uma apresentação de abertura da Diretoria do CDI – representada por Rodrigo Baggio (Fundador e Presidente), Elaine Pinheiro (Diretora de Cultura Organizacional) e Marcelo Fukayama (Diretor Executivo) – trazendo as principais conquistas e destaques do ano: • Frentes de atuação 2012-2013: elevar horizonte de sustentabilidade, produtizar CDI, fortalecer área de gestão de projetos e implementar gestão de pessoas. • Cumprimento do nosso compromisso no Encontro de 2012 em criar meios de envolver os regionais nas iniciativas da Rede-Matriz: a renovação do Conselho, atividade do comitê de formação e acompanhamento, grupo de trabalho CDI Escola, expansão de projetos da matriz para outros regionais. Também celebramos as conquistas e eventos realizados em parceria com os regionais internacionais: inauguração do CDI Portugal, expansão Superatec-CDI Venezuela, CDI Apps For Good e o Global Impact Awards. • Participação no “Skoll Social Entrepreneurs Challenge”, ainda em curso durante o XV Encontro, mas que agora já podemos celebrar o 3º lugar, dentre as 57 ONGs de todo o mundo que foram selecionadas.

6


O que nos move? Marcando presença no 1º dia do XV Encontro da

Outra variável importante na opinião de Ana Toni é

Rede CDI, Ana Toni* palestrou por mais de uma hora

a respeito da arrecadação de recursos como instru-

a respeito da Causa de organizações do Terceiro

mento de engajamento. O que as organizações bem

Setor e compartilhou um pouco sobre a sua larga

sucedidas na captação de pessoa física oferecem é

experiência atuando em ONGs internacionalmente

uma experiência para quem está engajado. Ofere-

reconhecidas.

cem a possibilidade de você poder em uma roda de

“Como uma organização consegue ser relevan-

amigos, falar de coisas que não falaria se não esti-

te por tantos anos?”. Segundo Ana, não há recei-

vesse fazendo parte dessa organização. É preciso

ta. Buscar e manter a Causa relevante ao longo do

ter uma Comunicação Segmentada, ou seja, usar

tempo certamente não é fácil, uma vez que ela pre-

outras linguagens para conseguir chegar até pesso-

cisa ter reconhecimento público e “ressonância na

as que nunca pensaram, nem se abriram para aque-

sociedade”. E medir esse reconhecimento pode ser

le tema.

sim uma forma de identificar o seu impacto. “A gente

Da mesma forma é necessário manter o pique in-

conta. E são mais casos do que dados”. Quanto mais

terno e a animação da Equipe, o que significa sem-

relevância você tem, mais o financiador confiará no

pre se questionar: estamos fazendo o melhor? É tra-

trabalho realizado.

zer novos desafios: podemos fazer melhor? E para

E para ser reconhecido é preciso ter uma “iden-

fazer o que é o melhor para a Causa: o que vamos

tidade forte” e com consistência, seja ela na tática,

realizar? Dar o salto de qualidade nessa Causa é,

metodologia, atuação ou foco. “A palavra consistên-

talvez, chegar até a última aldeia da Amazônia para

cia é diferente de foco. O foco do Greenpeace é a

levar a inclusão digital?

questão ambiental. Para ser uma organização com

Na opinião de Ana, ter consciência do risco sim,

consistência, tem que ter ação direta, não importa a

porém sem medo: “Se você não tem apetite pra ris-

área da questão ambiental”.

co, é muito difícil engajar os outros”.

Em seguida, foi a vez dos escritórios Regionais realizarem a sua apresentação para os demais participantes, construindo painéis com desenhos que representassem as suas fortalezas e fraquezas e também as suas conquistas, como por exemplo, projetos sociais e outras iniciativas locais que foram desenvolvidas nesse ano. Acesse aqui para ver os outros painés!

Painel do CDI Comunidade JAM representando a região de Paraná no XV Encontro

7


ouvindo a Rede CDI Com o objetivo de conhecer as diversas visões sobre o CDI, envolvemos regionais e colaboradores em uma pesquisa, realizada previamente ao Encontro, a respeito de alguns temas que seriam abordados no evento: Causa, Eficiência e Impacto Social. Paralelamente, nosso grupo de Formação e Acompanhamento, que ao longo de 2013 reuniu-se mensalmente com representantes de diversos Regionais para discussões e trocas de experiências, também liderou duas pesquisas envolvendo nossos Educadores e Educandos sobre o curso de Informática e Cidadania! Abaixo destacamos apenas dois pontos de cada pesquisa, porém, é possível acessar toda a sistematização do material aqui. Sobre Causa, Eficiência e Impacto Social:

Formação (34%) e Trabalho em Rede (14%), entretanto, este último se destaca como o principal apoio esperado (44%) para melhorar a aplicação da metodologia, seguido por Relação com a instituição do CDI Comunidade (26%) e Formação e Acompanhamento (8%). Sobre o curso de Informática e Cidadania com os Educadores: 1) Qual a importância de “discussões” dentro de um curso para seus educandos? Dar a oportunidade de conversar sobre temas tabus em outros ambientes de suas rotinas: o jovem aprende a lidar com diferentes opiniões, podendo expressar a sua opinião e sistematizar os fatos que lhe são relevantes sempre que o tema for abordado, conscientizando-o e desenvolvendo seu senso crítico como cidadão.

1) Quais são os fatores que fortalecem a relação en-

2) O que realmente transforma alguém dentro de um

tre CDI Comunidade e Regional?

CDI Comunidade?

Sendo possível escolher mais do que uma respos-

A metodologia do CDI, que é muito diferente de ou-

ta, tivemos como as três mais votadas: Metodolo-

tros cursos, ajuda na promoção de conversas em

gia (80%), Formação pedagógica dos educadores

grupo, desenvolvendo a sociabilidade do público do

(71%) e montagem e manutenção de laboratórios

CDI Comunidade e criando rede de amigos e pos-

de informática (51%).

síveis colegas de projetos, que buscam a transfor-

2) Qual é o apoio pedagógico oferecido pelo Regio-

mação social positiva dentro do contexto que estão

nal para o desenvolvimento da metodologia e qual

inseridos.

é o apoio que poderia ser oferecido para facilitar o trabalho do educador? Do apoio oferecido estão: Acompanhamento (52%),

Sobre o curso de Informática e Cidadania com os Educandos: 1) Já participou de algum curso com debates e me-

novas formas de aplicação da Metodologia CDI No painel Metodologia, trouxemos 3 escritórios Internacionais que possuem diferentes aplicações da Metodologia do CDI em seus locais de atuação (Portugal, Venezuela e Colômbia). A apresentação visava apontar as adaptações realizadas para o sucesso da implantação e os resultados diferenciados que foram alcançados. Conheça mais aqui sobre essas boas práticas na Rede CDI!

8


CHAMADA CRIATIVA Outro “mergulho na Rede” foi a Chamada Criativa que conseguiu gerar a real aproximação com a nossa Rede, fazendo-nos redescobrir realidades e lugares de todo o Brasil. A convocação foi feita para que as pessoas nos contarem “O que é fazer parte do CDI?”, através de materiais criativos (ilustrações, poemas, vídeos), gerou mais de 198 incríveis respostas. Veja os nossos ganhadores!

“É ser uma via de mão dupla entre aprender e ensinar, passando e recebendo conhecimento, transformando e sendo transformado em cidadão”.

“É fazer a diferença e acreditar que o mundo precisa de ações simples para mudar e transformar realidades através da sistematização de ideias”.

Joel dos Santos Mariano, 33 anos CDI Rio de Janeiro/CIEE

CDI Comunidade Solar Bezerra de Meneces. Rio de Janeiro (RJ) Confira aqui todos os textos e imagens da Chamada Criativa. Para assistir os vídeos, entre em contato!

Simaura Costa, 30 anos CDI Bahia/Morrinhos

todologia parecido com este?

formador, tendo como característica principal a habi-

A grande maioria (87%) nunca participou de cursos

lidade de replicar o aprendizado e conhecimento que

com metodologia equivalente. A prática percebida é a

lhe foi passado. Ainda assim, foi notada uma porcen-

de cursos desenvolvidos apenas para as ferramentas

tagem expressiva de pessoas que não se entendem

técnicas.

como agente de transformação, ou, que aplicam esse

2) Você se vê como agente transformador? Por quê?

conceito para um critério pessoal de potencialidade

Novamente, a maioria se entende como agente trans-

de mudar sua própria vida.

“1 história e diversos olhares” No “painel de histórias” contamos com a participação de 4 representantes de iniciativas inspirado-

a missão de “vestir” um óculos diferente enquanto observador daquela história:

ras na Rede CDI: a Educação Inclusiva em escolas

Perspectivas a serem analisadas: propósito, prin-

colombianas; a chegada do Sistema B no Brasil em

cipais momentos, Práticas de Rede, Erros e apren-

busca da valorização de empresas preocupadas

dizados, Historias inspiradoras, Principais atores do

com o impacto social e não com o lucro como fim;

projeto e seus papéis, Meio de Comunicação e inte-

a criação de aplicativos para celular visando a mo-

ração com a Rede e Desafios futuros.

bilização e melhoria em comunidades londrinas; e

Após o término da narrativa, os observadores

a integração de formações tecnológica, humana e

contavam para o grupo sobre o que mais havia lhe

laboral para a transformação social na Venezuela.

chamado atenção dentro da perspectiva observada.

O objetivo da atividade era mostrar como pode-

Em seguida, novos grupos se formavam, reunindo

mos aprender mais com outras experiências através

os observadores com os mesmos óculos/temas para

do “olhar dirigido” na recepção de uma informação.

que fosse debatido sobre a sinergia entre histórias e

A dinâmica ocorreu com a formação voluntária

destacados os elementos que poderiam nos inspirar,

de quatro grandes grupos. Cada participante tinha

encerrando com uma rodada final de apresentações.

9


momento atual Aproveitando a “arrumação de malas” na semana anterior ao evento, enviamos um e-mail com o pedido para que todos trouxessem um presente para a Rede CDI. E a pergunta que inspiraria a busca deste objeto foi: “O que eu trago para contribuir para o fortalecimento da nossa Rede?”. Assim, no primeiro dia, pedimos para que cada um nos apresentasse esse objeto que traduzia alguma habilidade ou experiência do participante. Após essa apresentação, foi proposto o desafio de construir literalmente uma ponte utilizando aqueles mesmos objetos que possuíam as mais diversas formas, pesos e tamanhos. À primeira vista, essa diversidade encontrada na Rede parecia dificultar nosso trabalho, inviabilizando a maneira como nos conectaríamos para a construção dessa ponte. Frente a esta dificuldade e mesmo não sendo um objeto trazido por alguém do grupo, decidiu-se usar a fita crepe, justamente com o objetivo de grudar, firmar e unir a todos. Ao final da construção da ponte fizemos uma discussão para identificarmos as relações daquela atividade com a nossa realidade. A primeira similaridade foi a inclusão de um

10

elemento (a fita crepe), que uniria todos os nossos talentos em prol de um objetivo, o que na realidade parece ser uma necessidade muito presente e que de alguma forma está traduzida na pergunta sobre “O que nos move?” Precisaríamos identificar qual seria essa cola, linha (in) visível que nos ligaria? Outra reflexão foi sobre a ponte que ilustrou o momento atual de transição e a oportunidade de trazer, do passado, todas as fortalezas e os ativos conquistados pela organização, e, no presente, as habilidades de cada um dos integrantes da Rede. O resultado desta combinação é o que nos levará a um futuro de sucesso. Veja no mosaico de fotos todos os “presentes” que recebemos!


nosso lugar no mundo

“Onde meus talentos e paixões encontram as necessidades do mundo, lá está o meu lugar.” (Aristóteles)

Ponte construída, tarefa cumprida. E partimos para uma nova história, que começou com a frase inspiração de Aristóteles para iniciarmos o exercício de reflexão, de releitura da visão do CDI, considerando nossa atual conjuntura política, econômica, social e tecnológica. Inicialmente, cada participante refletiu sozinho sobre o que considerava como os seus talentos, paixões e as necessidades do mundo. Em seguida, coletivamente, resultando em três grandes grupos para a criação de uma nova visão do CDI, o nosso lugar no mundo. Este foi traduzido pela elaboração de três frases pensadas, articuladas, negociadas e consentidas de acordo com os seguintes elementos: o problema negligenciado no mundo, a oportunidade de nossa atuação para resolvê-lo e qual solução inovadora seria criada para tal. No dia seguinte, vivemos o momento da decisão com a eleição sociocrática, na qual cada representante votou em uma cédula a sua frase predileta e, após uma rodada de justificativas a respeito da escolha de cada um, finalizou-se com a troca de votos de quem tivesse sido convencido pelos argumentos anteriores. E assim a nova visão do CDI foi escolhida:

ERAR OS EMPOD “NÓS IREM OLOGIA O DA TECN PARA O US ORCIDADÃ, F DE FORMA TECH A REDE DE MANDO UM IZAM QUE MOBIL ATIVISTAS DES COMUNIDA M GLOAM E AGE QUE PENS

A metáfora da ponte, simbolizando a transição do passado para o futuro, o encontro do “nosso lugar no mundo”

Assertividade é... Na palestra “Rede e Assertividade” com Gustavo Bonafé da Kailo conhecemos mais a respeito de como ser mais Rede ajuda na qualidade das relações, permitindo e convidando para o protagonismo no momento necessário. Independente da existência de hierarquias e centralizações, preserva-se a autonomia de cada um dos nós e todos são igualmente importantes.


modelagem de produto “NÓS IREMOS EMPODERAR PARA O USO DA TECNOLOGIA DE FORMA CIDADÃ, FORMANDO UMA REDE DE TECH-ATIVISTAS QUE MOBILIZAM COMUNIDADES QUE PENSAM E AGEM GLOCALMENTE”

Visão

(Frase) Problema + Oportunidade + Solução

Oportunidades e Diferenciais Árvore de Problemas

Árvore de Soluções

Solução (visão Coletiva)

Modelo de Negócio

Rede e Canal Conteúdo e Metodologia

Com nossa nova visão construída e escolhida, iniciamos a criação do novo produto para a Rede CDI. Para isso, os participantes foram novamente divididos em grupos com o objetivo de definir as oportunidades e diferenciais que a Rede possui para resolver o problema mencionado na frase escolhida.

to

Me

a

gi dolo

Diversidade de públicos

12

Visão inovadora

rep

uta

ção

criativid

ade

experiência

alianças com

capacidade de mobilizar

alcance da Rede CDI

global partnerships

organizações comunitárias


Novas tecnologias emergentes Em seguida, construímos a “árvore de problemas”, identificando causas e sintomas e, por fim, transformamos aquela primeira em uma “árvore de soluções”, relacionando respectivamente com os meios e fins. O objetivo dessa atividade era a de definir o DNA da solução proposta pelo produto com base em quatro perspectivas: solução, meio (como), fim (resultado), recursos tecnológicos utilizados e público-alvo. Sistematizamos os resultados de todos os grupos em uma única solução que “direcionasse” a modelagem.

Segundo dados divulgados recentemente, a venda de smartphones cresceu 20% no 3º trimestre deste ano com a inserção de mais 10,4 milhões de novos aparelhos no mercado. A previsão é de que em 2013 sejam registrados 270 milhões de linhas de celulares ativas no Brasil. Os dados impressionam ainda mais quando pensamos que o País hoje conta com um pouco mais de 190 milhões de brasileiros e que, nos últimos 12 meses, foi registrado crescimento de 86% na venda de celulares e 120% na de tablets, dentro de um contexto global de recesso econômico. Fica claro que a migração crescente e ininterrupta para as plataformas móveis já se mostra como uma tendência mundial, não só brasileira. No entanto, permanecem ainda os desafios para a inclusão digital, principalmente, quando se tratam de países, cujas economias chamamos de subdesenvolvidas e em desenvolvimento, como o Brasil.

A partir deste ponto, começamos a modelar o produto segundo três perspectivas: Rede e Canal, Modelo de Negócio e Conteúdo e Metodologia, ainda divididos em grupos e seguindo roteiros de trabalho, que ao final do dia foram formatados para a devolutiva dos primeiros resultados da modelagem de produto. No terceiro e último dia seguimos para a etapa de “refinamento” com a definição do foco de atuação do trabalho, de critérios para a aplicação das soluções e o planejamento de ações para 2014. Os painéis de refinamento trataram de questões como: Inovação (como responder às constantes mudanças tecnológicas no mundo), Metodologia (como aplicar de forma efetiva e quais os principais elementos de boas práticas), Formação em Rede (como realizar uma aprendizagem coletiva) e Tech Ativismo (o que é, quais as práticas de reconhecimento e de formação de tech ativistas). Sem esquecer nesse processo, a co-criação de indicadores voltados para o novo produto. Acesse aqui o resultado final da modelagem e todo o processo que foi utilizado para a construção do novo produto da Rede CDI.

Como avaliamos nosso impacto social? O painel “avaliação de resultados e impacto” trou-

internacionais que fazem uso dessas diferentes for-

xe para os participantes do evento uma reflexão a

mas de avaliação para medir o seu impacto na so-

respeito dos conceitos de “output” (produto resultado

ciedade.

de uma ação) e “outcome” (mudanças ou benefícios que acontecem), além de exemplos de organizações

Quer saber mais sobre este assunto e “Tecnologias emergentes”? Acesse aqui !


encerramento

Ao final do último dia, em cerimônia de encerramento, realizamos a desmontagem da ponte com os participantes retomando os seus objetos e levando suas habilidades de volta para seus Regionais, e, deixando para a Rede os seus compromissos para 2014. Este foi, sem dúvida, um momento muito especial, pois foi com muita alegria que vimos compromissos e mais compromissos surgirem, em meio a tantas palavras de carinho, determinação e esperança sobre o resultado alcançado naqueles três dias de intenso trabalho. Para 2014, nosso compromisso como facilitador desse processo é continuar criando formas de envolver a todos na construção deste produto, de melhorar processos e rotinas que sigam

14

nos unindo de onde quer que estejamos. E como Michelangelo, que quando questionado sobre como era capaz de esculpir anjos tão lindos a partir de pedra bruta, respondia: “Em cada bloco de mármore vejo uma estátua; vejo-a tão claramente como se estivesse na minha frente, moldada e perfeita na pose e no efeito. Tenho apenas de desbastar as paredes brutas que aprisionam a adorável aparição para revelá-la a outros olhos como os meus já a veem”. Nós também encontramos a pedra da qual, em 2014, libertaremos uma rede de Techativistas que, empoderados pelo uso da tecnologia de forma cidadã, mobilizarão comunidades que pensam e agem glocalmente.


carta de agradecimento Caros Amigos e Participantes do XV Encontro da Rede CDI, Esperamos que todos tenham retornado bem aos seus lares e que as lembranças do que vivemos juntos sirvam para nos manter próximos, ainda que não geograficamente. E com imensa alegria que escrevemos esta mensagem de agradecimento a vocês. Alegria, por podermos celebrar juntos a restauração de nossos laços, seja no preparo de um jantar, cheio de afeto e cuidado, seja descobrindo juntos a pedra bruta. Como Michelangelo, que via na pedra bruta um anjo a ser libertado, cada um de nós se permitiu a sonhar, ousar, acreditar, celebrar, dando-nos novamente a chance de ser mais Rede. Durante os três dias em que estivemos juntos, colocamos coração e alma para encontrar o que nos move - e encontramos! Por isso, estamos aqui para agradecê-los porque somente juntos, poderíamos redescobrir nosso lugar no mundo. Foi a nossa presença que nos possibilitou resgatar nossas paixões, nossos talentos e colocá-los a serviço das necessidades do mundo. E será essa mesma presença que nos conduzirá ao caminho e direção que encontramos. Em 2014, nós iremos empoderar pessoas de forma cidadã, formando em rede tec-ativistas que atuam em comunidades que pensam e agem glocalmente! Um grande abraço,

CDI Matriz

15


entretenimento

16

FESTA bar & viol達o + Jantar GOURMET


“Gostaria de dividir algumas palavras sobre a atividade de hoje à noite. Particularmente, gosto de etimologia por ter a chance de alcançar no real sentido das palavras o seu significado. Conta a história que às vésperas da Revolução Francesa, em uma França doente e famita, um empreendedor começou a oferecer em seu espaço alimentos. Em pouco tempo, ele colocou uma placa ao lado de fora do local dizendo: “Vinde a mim aqueles que têm fome e eu os restaurarei.” Cerca de 20 anos depois o conceito de restaurantes explodiu pela Europa. Não é a toa que a maioria de nossas lembranças pessoais de felicidade e família está envolvida com comida ou restaurantes. Através dos alimentos temos energia para nos restaurar e seguir em frente. Não é a toa que a atividade de hoje tem a ver com isso. Estamos aqui, onde vamos nos alimentar e nos restaurar para os próximos dois dias, que serão tão produtivos quanto este. E seguiremos refletindo sobre o que nos move, nos apaixona, nos conecta e nos une como Rede. Bom apetite!”

Veja aqui todas as fotos! E confira o vídeo do XV Encontro da Rede CDI!

17


XV Encontro Rede CDI