Issuu on Google+

Fazer o bem

Nosso Bairro - 57_bkp_Layout 1 21/03/14 18:07 Page 14

Capa

Por Thais Barcellos Fotos Divulgação

faz bem! S

VOLUNTARIADO AJUDA A EXERCITAR A SOLIDARIEDADE E A EMPATIA COM OS SEMELHANTES

14

Março’2014

er voluntário é o dom de fazer-se disponível para ajudar os outros sem receber nenhum retorno financeiro. Sentimentos como empatia e altruísmo fazem com que as pessoas que abraçam o voluntariado como causa doem horas, dias ou mesmo boa parte de suas vidas à missão de prestar serviços que acrescentam um pouco de alegria ou suprem as necessidades mais urgentes do próximo. o filósofo raymundo Dantas explica que a solidariedade e a vontade de ajudar o outro tem um contexto histórico amplo, cuja origem está nos povos antigos. “os budistas, judeus e os povos ancestrais já tinham essa vontade de ajudar o próximo, porém Jesus Cristo trouxe uma mensagem diferente da que se havia escutado antes. Jesus Cristo mandou amar os inimigos. amar os amigos é fácil, mas amar e ajudar os inimigos é algo complexo”.


Nosso Bairro - 57_bkp_Layout 1 21/03/14 18:07 Page 15

ainda de acordo com o filósofo, a vontade de ser útil e ajudar o próximo é intrínseca à natureza humana. “Nós fomos feitos para o amor, então, ser solidário é algo que está dentro da nossa própria essência. Às vezes, a sociedade não permite que a gente desenvolva isso, às vezes ela exige o contrário, mas como é uma coisa além da genética, termina sempre aparecendo. um grupo sempre consegue ultrapassar as limitações culturais e históricas e exercitar esse dom”. raymundo afirma ainda que pesquisas mostram que a Bahia é um dos estados que mais possui voluntários no Brasil. “a Bahia tem obras fantásticas, como as obras Sociais Irmã Dulce e a Santa Casa de Misericórdia, que existe desde Thomé de Souza; além do trabalho dos espíritas, que é muito bonito e muito vasto aqui”, enumera.

Compromisso

o voluntariado é um serviço que abrange diversas áreas de atuação, desde ir a hospitais, cuidar de crianças, visitar asilos de idosos, recolher animais nas ruas, até oferecer aulas gratuitas. Quando uma pessoa dispõe do seu tempo em prol de outra, é necessário que haja um compromisso. Não é porque o trabalho é sem remuneração que pode ser feito na hora e no dia que alguém quiser e bem entender. Muitos contam com aquele trabalho e ficam aguardando para que ele aconteça. Para evitar frustrações, antes de se voluntariar a um projeto ou instituição, é essencial confirmar a disponibilidade para abraçar a causa. Com o passar dos anos e com a necessidade, o trabalho voluntário foi se modificando. o que antes era feito de forma amadora, passou a se profissionalizar. a Santa Casa de Misericórdia é um exemplo de instituição que possui cursos de preparo específico para pessoas que desejam trabalhar como voluntárias. “Trabalhar em ambiente hospitalar, com crianças doentes ou idosos em asilos exige habilidades próprias. a preparação psicológica é necessária para saber lidar com situações adversas”, conclui raymundo Dantas.

Saiba a diferença entre assistencialismo, serviço social e voluntariado:

assistencialismo, serviço social e voluntariado possuem um bem comum: oferecer algum tempo, por menor que seja, para pensar e agir em prol de melhorias para a sociedade. Mas, apesar de parecerem a mesma coisa, possuem características diferentes.

a assistente social Cláudia Correia explica que o serviço social tem a função de elaborar, executar e avaliar planos, programas e projetos que atendam às demandas sociais, viabilizando o acesso do cidadão aos serviços e direitos previstos em lei e inseridos nas diversas políticas públicas setoriais, como assistência e previdência social, saúde, habitação, geração de emprego e renda e outras.

ainda de acordo com Cláudia, o voluntariado é uma ação promovida por leigos, sem formação acadêmica específica, baseada na solidariedade, que visa prestar apoio a pessoas, grupos, comunidades ou organizações sociais públicas ou privadas destinadas à prestação de serviços educacionais, de saúde ou outros que atendam às necessidades humanas. “o voluntariado não envolve o vínculo empregatício formal, realiza-se de forma espontânea e informal, sem normas ou controles explícitos, sendo orientado por profissionais em algumas oNGs, ou sem supervisão, em outras. o projeto amigo da Escola, patrocinado pela Fundação roberto Marinho, vinculada à rede Globo de Televisão, é um exemplo de ação social baseada no voluntariado”, explica.

Já o assistencialismo é um modelo de trabalho social baseado em ações pontuais para atender situações de carência de pessoas, grupos ou comunidades, sem que haja planejamento, diagnóstico, controle de impactos ou dos resultados obtidos. as campanhas para arrecadação de donativos para vítimas de grandes tragédias naturais, como terremotos e temporais, por exemplo, são ações de assistencialismo.

Março’2014

15


Nosso Bairro - 57_bkp_Layout 1 21/03/14 18:07 Page 16

Capa

Conheça alguns cursos de formação de voluntários

atualmente, para ser voluntário não basta apenas sentir vontade de ajudar o próximo. alguns trabalhos são delicados e exigem um preparo inicial. Muitas instituições oferecem cursos gratuitos para quem quer se voluntariar:

>>Santa Casa de Misericórdia

De acordo com a psicóloga e coordenadora de voluntariado da Santa Casa de Misericórdia da Bahia, ana Cristina Matos, a vontade de ajudar o próximo nasce dentro de cada um e se fortalece no decorrer do tempo. “No dia a dia, percebemos que a motivação vem de vários fatores: da religião, da vontade de ser útil para a sociedade, do desejo de aprender algo novo, melhorar o currículo, aproveitar o tempo se sentindo útil – em caso de aposentadoria – e em última instância, mas que acontece bastante, é o desejo de atuar na área da saúde com pacientes enfermos, principalmente crianças com câncer”. o que determina se a pessoa tem o perfil para ser voluntário é a vontade de ajudar, comprometimento e disponibilidade de horário. Tem de haver essas características para que o trabalho ajude e acrescente pontos positivos tanto na vida do voluntário, quanto na vida de quem é beneficiado. a psicóloga explica como é feita a avaliação psicológica de quem deseja se voluntariar: “Dentro do nosso processo de seleção fazemos entrevistas individuais e em grupo, além de vivências terapêuticas para entender a motivação e a disponibilidade do candidato em se voluntariar. Toda essa avaliação já é realizada desde o momento em que a pessoa nos procura, porque entendemos que esse trabalho deve ser bom para a instituição e para a pessoa que o realiza”. l

16

Março’2014

a Santa Casa de Misericórdia da Bahia oferece cursos que são ministrados por voluntários externos e profissionais da própria instituição, para que os candidatos estejam preparados para entrar em ação. as aulas iniciais contemplam a formação básica, com módulos sobre voluntariado e a instituição onde se deseja atuar. após essa etapa, o voluntário pode escolher cursos específicos, como:

3 Contadores de Histórias - Quem deseja contar histórias para crianças hospitalizadas deve fazer esse curso para se informar sobre quais histórias contar, como contar e como tratar as crianças.

3 Ouvidores de Histórias - São aquelas pessoas que estão dispostas a ouvir histórias de pessoas idosas. Nesse caso eles são treinados para saber lidar com esse público, ter paciência e a psicologia para ouvir e conversar de forma tranquila.

3 Doulas - São aquelas que ficam ao lado da parturiente antes, durante e depois de dar à luz. Elas acompanham as futuras mães, fazem massagens para aliviar dores, conversam, ajudam na locomoção e, durante o parto, ficam ao lado daquelas que não possuem acompanhante. Pessoas que estejam dispostas a colaborar e participar desse momento tão importante na vida de muitas mulheres serão treinadas para saber lidar com as pacientes, agir no momento de dores, contrações e insegurança.

Serviço: Setor de voluntariado da SCMBa Endereço: av. Joana angélica, 79, Nazaré Telefone: (71) 2203-9655

>>Apae

a associação de Pais e amigos dos Excepcionais (apae) oferece cursos de informação e orientação para pessoas que desejam ser voluntárias. Esse curso ocorre uma vez por ano e nele são apresentados os objetivos da entidade, bem como mostrado como funciona administrativamente cada centro de resultados e o núcleo de apoio da instituição. Serviço: Coordenação de Voluntários da apae Email: voluntariado@apaesalvador.org.br

>>Pela internet

3 o Portal Voluntários em ação (www.voluntariosonline.org.br) tem o objetivo de ser um elo entre pessoas dispostas a exercer o voluntariado e oNGs que precisam de ajuda. Na página, é possível ter acesso a organizações e dicas de como ser voluntário, além de cursos. É possível também cadastrar pessoa física ou instituição para encontrar voluntários ou locais onde prestar serviços. 3 o Padrinhos Nota 10 (www.padrinhosnota10.com.br) tem o objetivo de melhorar a divulgação na internet do trabalho voluntário de outras instituições sociais, principalmente as ligadas a crianças e adolescentes. No site são disponibilizados os contatos de instituições de várias partes do Brasil, com informações sobre a necessidade de voluntários e doações.


Nosso Bairro - 57_bkp_Layout 1 21/03/14 18:07 Page 18

Lições do beija-flor Capa

Por Thais Barcellos Fotos Alvenir Jr.

C

SALVADOR SE DESTACA COM PROJETOS BEM SUCEDIDOS DE VOLUNTARIADO onta uma dessas lendas antigas orientais, que um dia ocorreu um incêndio na floresta e enquanto todos os animais fugiam apavorados, um pequeno beija-flor ia e voltava da beira do rio para o local do fogo, carregando gotas de água no bico. ao ser perguntado por outro animal por que se sacrificava daquela forma, o beija-flor respondeu: “Estou fazendo a minha parte”. Em Salvador, além das entidades mais conhecidas do grande público, como as obras Sociais Irmã Dulce ou a Santa Casa de Misericórdia, outros grupos demonstram que em questão de voluntariado, seguem as lições do beija-flor. o Dentistas do Bem é o principal projeto da Turma do Bem, que conta com voluntários espalhados por todo Brasil, em dez países da américa Latina e em Portugal. Pela iniciativa, cirurgiões-dentistas atendem de forma voluntária, em seu consultório, crianças e jovens de baixa renda, entre 11 e 17 anos, dando a elas tratamento odontológico gratuito até que completem 18 anos. os pacientes são selecionados por grau de necessidade, o que é determinado por uma triagem realizada em escolas da rede pública ou instituições sociais. Jovens e crianças com problemas bucais graves, os mais carentes e próximos do primeiro emprego têm prioridade no atendimento. Leonardo Costa, um dos coordenadores do Dentistas do Bem de Salvador, descobriu o projeto por meio do programa Caldeirão do Huck, da rede Globo, e por já atender em seu próprio consultório pessoas carentes próximas e da família, ele resolveu tam-

18

Março’2014

bém se inscrever no projeto. “a minha maior motivação é saber que posso ajudar um desconhecido através da profissão que tanto amo e saber que graças ao meu trabalho esse jovem terá um futuro melhor”. Para o dentista, oferecer um serviço tão importante para a autoestima e a alegria de um jovem é muito gratificante. Ele afirma que muitos pacientes se emocionam por ter a oportunidade de ter um sorriso bonito e saudável.

Anjos da Enfermagem

o projeto foi criado em 2003 pela estudante Jakeline Duarte, após ler o livro Terapia do amor, que retrata a vida do médico norte-americano Hunter adams. a jovem se sentiu motivada a fazer um trabalho que levasse alegria e humanização da saúde às crianças com câncer. Juntamente com um grupo de voluntários, começou o trabalho na região do Cariri, no sul do Ceará. Em 2004, foi fundado o Instituto anjos da Enfermagem e atualmente, o programa está em 20 estados, que trabalham em parceria com universidades e instituições hospitalares. a iniciativa é apoiada pelo Conselho Federal de Enfermagem. a coordenadora em Salvador, Taís Calasans, descobriu o projeto através de uma das edições do Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem. Pouco depois, os anjos da Enfermagem chegaram à Bahia através do Conselho regional de Enfermagem (CorEN-Ba) e Taís foi convidada pelo

curso de Enfermagem da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, onde é professora, para coordenar o trabalho aqui. “Como já conhecia o trabalho e me identifico com o programa, pois acredito na humanização da assistência e amo trabalhar com crianças, sendo a pediatria a minha área de atuação na enfermagem, aceitei imediatamente, e hoje agradeço ter os anjos na minha vida”.


a enfermeira se diz muito feliz em ser voluntária e acrescenta que ver os anjos em ação é algo “bárbaro”. Ela também gosta de participar das campanhas de arrecadação de alimentos, material de higiene e brinquedos, além de acompanhar as visitas às crianças nos hospitais e nas casas de apoio. “Engrandece os nossos corações ver a alegria das crianças e a transformação do sofrimento em felicidade. além de ver os nossos estudantes, que amadurecem pessoalmente e profissionalmente, como entram no programa e como saem diferentes”, afirma Taís. Para a coordenadora, voluntário é aquele que trabalha por vontade própria e sem fins lucrativos e se sente muito gratificado em realizar esse trabalho. “acho que eu sou quem mais lucra com tanta coisa que recebo em troca, em forma de um olhar, uma palavra de carinho. Vejo a esperança através do sorriso das crianças, esse sorriso nos nutre e alimenta. Essas crianças me fazem acreditar na vida”, filosofa. a seleção de estudantes para os anjos da Enfermagem é feita através de uma inscrição que tem um limite de 50 alunos por vez. os inscritos participam de atividades lúdicas, oficinas de arte, música, teatro e outras avaliações com um instrutor da coordenação nacional. Depois, oito voluntários são escolhidos para permanecer por um ano em atividade, até a próxima seleção. Já como anjos da Enfermagem, os voluntários iniciam as visitas semanais aos hospitais conveniados, com acompanhamento dos coordenadores locais. Também são visitadas outras instituições, como casas de apoio, escolas, orfanatos e ambulatórios, onde ocorrem atividades educativas e lúdicas. l

A minha maior motivação é saber que posso ajudar um desconhecido através da profissão que tanto amo e saber que graças ao meu trabalho esse jovem terá um futuro melhor Leonardo Costa, dentista

Serviço:

Nosso Bairro - 57_bkp_Layout 1 21/03/14 18:07 Page 19

>>os jovens que desejam um tratamento dos Dentistas do Bem devem entrar em contato pelo site http://turmadobem.org.br/br/dentistado-bem/ e preencher uma ficha solicitando a visita de avaliação e inserção na lista. Já os profissionais que querem atender gratuitamente jovens e crianças que necessitam de tratamento, podem preencher o formulário, assinar e encaminhar (digitalizado por e-mail, fax ou pelos Correios) para dentistadobem@tdb.org.br ou no endereço: rua Sousa ramos, 311 – Vila Mariana – São Paulo – SP. CEP: 04120080. Telefone: (11) 5084-7276 / Fax: (11) 5084-1399. >>Núcleo anjos da Enfermagem - Bahia Endereço: rua General Labatut, 05 Barris - Salvador/Ba Telefone: (71) 2104-3888 / Fax: (71) 3329-3062 www.anjosdaenfermagem.org.br

Entidades que precisam de voluntários e doações: >> Lar Irmã Maria Luiza Entidade filantrópica sem fins lucrativos, fundada em setembro de 1989 pela religiosa pernambucana Cícera Soares Santos. atende idosos carentes e atualmente possui três casas usadas como abrigo na região da Cidade Baixa, onde são atendidos 91 idosos. Sobrevive de doações. Endereço da sede: rua do Imperador, nº 61 - Mares. Telefone: (71) 3314-2885 Contas: Banco do Brasil agência: 0904/0 - C/C.251.722 / Bradesco agência: 3602/1 - C/C. 282/8

>> ABPA - a associação Brasileira Protetora dos animais (aBPa-Ba) foi fundada em 1939. a entidade é mantenedora do abrigo São Francisco de assis, localizado em Paripe, onde vivem cerca de 500 animais resgatados das ruas de Salvador, vítimas de maus tratos ou abandono. após receberem os devidos cuidados, os animais são colocados para adoção. a entidade é mantida exclusivamente por doações de associados e simpatizantes da causa animal, não recebendo qualquer ajuda governamental. Telefone: (71) 3408-3181 contato@abpabahia.org.br

Março’2014

19


Fazer o bem, faz bem - NB PLBUS