Page 1

Ano 2 - Edição nº 020

Lençóis Paulista, Junho de 2012

Aposentado precisa correr para receber atrasados Quem ganhou revisão acima de R$ 37.320 precisa dar entrada nos precatórios ou abrir mão da diferença. Por Diário de São Paulo – Juca Guimarães

Quem ganhou revisão acima de R$ 37.320 precisa dar entrada nos precatórios ou abrir mão da diferença. Os aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que ganharam a ação de revisão do benefício e têm mais de R$ 37.320 em atrasados (diferença referente aos últimos cinco anos) para receber precisam fazer o pedido de precatórios até o dia 1 de julho para receber o dinheiro antes. Os pedidos formalizados até o dia 1 serão pagos no início do ano que vem. Se o cadastramento do precatório for feito a partir do dia 2 de julho, o crédito será incluído no lote programado para o primeiro semestre de 2014. O segurado também pode abrir mão da diferença entre o valor dos atrasados e o teto de R$ 37.320 para receber antes. De acordo com o TRF-3 (Tribunal Federal

da 3 Região), responsável pelos processos de revisão julgados em São Paulo e Mato Grosso do Sul, o pedido pode ser feito por meio eletrônico no site www.trf3.jus.br. O formulário eletrônico é o Ofício Requisitório de Precatórios, que deve ser preenchido pelo advogado do segurado, com os dados da sentença. O pagamento dos atrasados só é liberado após o processo receber uma sentença definitiva (tramitado em julgado) sem nenhuma outra chance de recurso para o INSS. O cadastramento do precatório gera um número de protocolo que pode ser usado para conferir se o pagamento está confirmado. Entre janeiro e abril, de acordo com os dados divulgados pelo tribunal, 447 aposentados fizeram o pedido de pagamento por meio de precatório. Nos quatro primeiros meses de aposentadorias no TRF-3. quitou 129.273 precatórios. A maioria, 287 aposentados, do ano, foram finalizados Reduzindo Filas Menos que em 2010, quancadastrou o pedido em abril. 31.498 processos de revisão No ano passado, a Justiça do foram pagos 152.885.


02 Jornal dos Aposentados

Lençóis Paulista, Junho de 2012

Refletindo

Vista cansada

Aniversariantes de Junho Aparecido Ribeiro 08 de Junho Getulino Araújo 10 de Junho

Otto Lara Resende

A

cho que foi o Hemingway quem disse que olhava cada coisa à sua volta como se a visse pela última vez. Pela última ou pela primeira vez? Pela primeira vez foi outro escritor quem disse. Essa idéia de olhar pela última vez tem algo de deprimente. Olhar de despedida, de quem não crê que a vida continua, não admira que o Hemingway tenha acabado como acabou. Se eu morrer, morre comigo um certo modo de ver, disse o poeta. Um poeta é só isto: um

certo modo de ver. O diabo é que, de tanto ver, a gente banaliza o olhar. Vê não-vendo. Experimente ver pela primeira vez o que você vê todo dia, sem ver. Parece fácil, mas não é. O que nos cerca, o que nos é familiar, já não desperta curiosidade. O campo visual da nossa rotina é como um vazio. Você sai todo dia, por exemplo, pela mesma porta. Se alguém lhe perguntar o que é que você vê no seu caminho, você não sabe. De tanto ver, você não vê. Sei de um profissional que passou 32 anos a fio pelo mesmo hall do prédio do

Editora Responsável: Gutierres e Pedroso LTDA - ME CNPJ: 06.978.171/0001-76 *IE: 416.097.962.116 Rua: Ignácio Anselmo, 1167 - Centro - Lençóis Paulista SP - CEP: 18682-040 Fone: (14) 3264-1393 - e-mail associação: contato@aposentadoslp.com.br

seu escritório. Lá estava sempre, pontualíssimo, o mesmo porteiro. Dava-lhe bom-dia e às vezes lhe passava um recado ou uma correspondência. Um dia o porteiro cometeu a descortesia de falecer. Como era ele? Sua cara? Sua voz? Como se vestia? Não fazia a mínima idéia. Em 32 anos, nunca o viu. Para ser notado, o porteiro teve que morrer. Se um dia no seu lugar estivesse uma girafa, cumprindo o rito, pode ser também que ninguém desse por sua ausência. O hábito suja os olhos e lhes baixa a

voltagem. Mas há sempre o que ver. Gente, coisas, bichos. E vemos? Não, não vemos. Uma criança vê o que o adulto não vê. Tem olhos atentos e limpos para o espetáculo do mundo. O poeta é capaz de ver pela primeira vez o que, de fato, ninguém vê. Há pai que nunca viu o próprio filho. Marido que nunca viu a própria mulher, isso existe às pampas. Nossos olhos se gastam no dia-a-dia, opacos. É por aí que se instala no coração o monstro da indiferença. Otto Lara Resende

Jornalista responsável: Luiz Storino MTB 3367 Impressão: Gráfica Jornal da Cidade de Bauru SP Tiragem: 10.000 exemplares Circulação: Lençóis Paulista SP Distribuição: Sandro Rogério Maciel Entregas - ME - CNPJ: 11.478.699/0001-16

Artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, podendo corresponder ou não à opinião deste jornal.

“Existe somente uma idade para a gente ser feliz, somente uma época na vida de cada pessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia bastante para realizá-las a despeito de todas as dificuldades e obstáculos. Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo, nem culpa de sentir prazer. Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida, a nossa própria imagem e semelhança e vestir-se com todas as cores e experimentar todos os sabores e entregar-se a todos os amores sem preconceito nem pudor. Tempo de entusiasmo e coragem em que todo o desafio é mais um convite à luta que a gente enfrenta com toda disposição de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO, e quantas vezes for preciso. Essa idade tão fugaz na vida da gente chama-se PRESENTE e tem a duração do instante que passa”.


Lençóis Paulista, Junho de 2012

Jornal dos Aposentados

Aapilpr

03

Os idosos na sociedade brasileira

O

perfil demográfico modificou-se nas últimas décadas, principalmente em decorrência do aumento da longevidade e da redução das taxas de mortalidade. Passamos de uma sociedade jovem a uma comunidade preocupada com políticas públicas voltadas ao tema envelhecimento. Segundo o último censo demográfico do IBGE, a quantidade de pessoas com idade acima de 60 anos no Brasil é de mais de 20 milhões (10,8% da população). Estimativas mostram que em 2012 estaremos na sexta posição entre os países com maior número de idosos, com mais de 30 milhões nessa faixa etária – o que irá representar, em tese, 13% do total demográfico brasileiro. O idoso tem grande importância na economia brasileira. O IBGE, por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD), iden-

tificou que pessoas com mais de 60 anos arcam com, ao menos, metade da despesa familiar em 53% dos lares brasileiros. Não

só os idosos, mas todos os indivíduos economicamente ativos devem praticar o consumo responsável. Mas existem situações

em que o controle foge das mãos do indivíduo, que acaba se vendo em desamparo financeiro. Pensando nisto, foi desenvolvido o crédi-

to consignado em folha de pagamento, inicialmente voltado aos aposentados e pensionistas do INSS e hoje estendido a todos.

A sociedade necessita encarar a realidade do envelhecimento partindo para um novo comportamento, estabelecendo um elo entre as gerações. Como as parcelas do crédito consignado são descontadas na folha de pagamento do aposentado ou pensionista, o risco da operação é reduzido, com taxas menores que em outras modalidades de empréstimo. O idoso está numa fase da vida em que deve colher os frutos de seus esforços, o que não significa que deva negar auxílio aos seus filhos e entes queridos. Contudo, deve diferenciar a ajuda da exploração. Por vezes, o ido-

so acaba cedendo aos apelos das gerações mais novas em troca de afeto e consideração. Devido a situações de abuso financeiro, psicológico, moral e até físico, o Governo Federal elaborou o Estatuto do Idoso (Lei 10.701/03), visando sacramentar o que pondera o artigo 230 da Constituição: “a família, a sociedade e o Estado devem amparar as pessoas idosas, oferecendo-lhes bem-estar e dignidade, além de garan-

tia do direito à vida”. Atualmente, pautados no Estatuto, os idosos estão se reunindo em sindicatos, grupos e ONGs. A partir do Estatuto, ações discriminatórias contra as pessoas idosas, tais como desdenhar, humilhar e menosprezar, foram tipificadas como crime. Também não se pode impedir ou dificultar o acesso do idoso às operações bancárias e aos meios de transporte. Caso alguma dessas situações ocorra, o idoso deverá

procurar as autoridades policiais e o Ministério Público. Há também os Conselhos do Idoso, a exemplo da Confederação Brasileira dos Aposentados e Pensionistas (COBAP), que promove ações em defesa dos interesses e direitos do segmento. Porém, oito anos após a criação do Estatuto, a maioria dos princípios e direitos previstos ainda não faz parte do cotidiano dos idosos. Muitos sofrem com o isolamento, o precon-

ceito e a falta de carinho da família. A sociedade necessita encarar a realidade do envelhecimento partindo para um novo comportamento, estabelecendo um elo entre as gerações. Artigo de Josepha Britto Representante da COBAP no Conselho Nacional da Previdência e Carolina Rabelo - Coordenadora de Estudos e Pesquisas na Associação Brasileira de Bancos - ABBC


04 Jornal dos Aposentados

Saúde

Lençóis Paulista, Junho de 2012

Você conhece o mal de Alzheimer? Dr. Freitas Junior

O

Mal de Alzheimer, Doença de Alzheimer , (DA) ou somente Alzheimer é uma doença degenerativa atualmente incurável, porém passiva de tratamento que retarda o declínio cognitivo, controlando as alterações de comportamento e tratando os diversos sintomas, melhorando de forma significativa a qualidade de vida do portador e consequentemente de sua família. Pesquisas apontam como a principal causa de demência em pessoas com mais de 60 anos no Brasil, atingindo cerca 1% dos idosos entre 65 e 70 anos, aumentando sua prevalência conforme o aumento da idade sendo de 6% aos 70, 30% aos 80 anos e mais de 60% depois dos 90 anos. Estima-se que no mundo haja cerca de 25 milhões de portadores de Alzheimer, com aproximadamente 1 milhão de casos só no Brasil. A manifestação dos sintomas é diferente para cada portador sendo estas manifestações classificadas em quatro estágios ou fases, onde no primeiro estágio os sintomas podem ser confundidos com problemas da idade como a diminuição das memória de curto prazo e semântica ou mesmo de stress cotidiano. Os sintomas do segundo estágio são caracterizados pelo inicio do declínio das faculdades mentais

com destaque para a dificuldade em reconhecer e identificar objetos (agnosia) e de executar alguns movimentos (apraxia). Já nos sintomas do terceiro e quarto estágios as dificuldades vão se agravando ao ponto de comprometer a independência do portador, atingindo da mesma forma a capacidade de formar frases mais complexas, de ler e escrever, além da memória de longo prazo entre outros. Atualmente contamos com diversas formas de tratamentos que variam desde terapias medicamentosas com destaque para os anti-inflamatórios até a tera-

pia ocupacional com a realização de atividades que estimulam o raciocínio como Palavras cruzadas, tocar instrumentos musicais ou mesmo a socialização regular. Confira a seguir 10 dicas valiosas no combate aos mal que atinge tantos homens e mulheres em nosso pais e no mundo: 1 Use o relógio de pulso no braço oposto ao que você esta acostumado, desta forma você obriga seu cérebro a realizar duas ações. 2 Escovem os dentes com a mão esquerda, se for destro, ou com a direita, se for canhoto estimulando o hemisfério oposto do seu cérebro. 

sível lugares novos com novas pessoas forçando sua memória a armazenar novas informações. 9 Divirta-se com jogos de tabuleiro, Quebra-cabeças, palavras cruzadas, Vídeo Game, Internet e outras atividades que estimulem o raciocínio, a criatividade, resolução de problemas e enigmas. 10 Interajam com outras pessoas através de atividades físicas, culturais ou intelectuais. Com estas dicas certamente você estará adotando práticas que podem evitar diversos tipos de agravos à saúde que são consequências da nossa longa cainhada pela estrada da vida... Saúde a todos nós! É o que desejo neste 1 artigo que escrevo para esta publicação fantástica, direcionado a este publico que 4 Vista-se de olhos fechados se sombra de dúvidas é o maior obrigando seu cérebro a imaginar merecedor de nosso respeito e admiração. como você esta ficando. 5 Estimule sempre todos os Dr. Freitas Junior sentidos, coma coisas diferentes, CRBM:20000 Biomédico experimente novos perfumes, ouça novos ritmos musicais, assis- Esteta e Patologista Clínico Membro da Sociedade ta mais filmes e ou peças teatrais Brasileira de Biomedicina e note a diferença das texturas Estética dos objetos ao seu redor sempre. 6 Veja fotos de cabeça para baiDiretor xo forçando a reorganização das consultivo imagens pelo cérebro. do Instituto 7 sempre que possível veja as Brasileiro de horas num espelho, pois assim Biomedicina você terá de fazer a conversão - INB das posições mentalmente. 8 Conheça sempre que pos-


Lençóis Paulista, Junho de 2012

Jornal dos Aposentados

Jurídico

05

Aposentadoria Por Mérito Por Diário de São Paulo

O que de fato deve ser considerado para a concessão da aposentadoria é a vida inteira que o profissional dedicou ao trabalho, é a aposentadoria por mérito

O

que de fato deve ser considerado para a concessão da aposentadoria é a vida inteira que o profissional dedicou ao trabalho, é a aposentadoria por mérito – essa a síntese do conceito que acaba de ser exposto pelo presidente do CRPS (Conselho de Recursos da Previdência Social), Manoel Dantas. O que já existe continua valendo. Ou seja: quem contribui para a Previdência deve ter respeitado o seu direito de se aposentar no tempo legal. Mas quem não contribui também é um trabalhador e não tem culpa se seus patrões não fizeram os devidos descontos mensais em seus salários. Existem no Brasil, segundo contagem oficial, cerca de 6 milhões de empregadas domésticas que trabalham por décadas sem ter sequer a carteira profissional assinada por suas patroas. Cabe ressalvar, aqui, que uma porcentagem

pequena desses 6 milhões são homens, e que são homens também uma parcela pequena dos patrões. São, na realidade, trabalhadoras (e trabalhadores) que jamais contribuíram para a Previdência. Mesmo nas grandes cidades e capitais, muitos desses profissionais nem sabem que, descontando para a Previdência, poderão se aposentar quando forem mais velhos. Fica desse registro – oficial, ressalte-se –, também, a informação de que existe uma imensa legião de profissionais, no Brasil, que não têm como provar o tempo de serviço. Aqueles que não contribuem, mas têm a carteira profissional assinada, conseguem provar que trabalharam pelo tempo necessário para aposentadoria. Basta levar a carteira assinada aos guichês da Previdência e terão calculado o tempo de serviço, podendo assim aposentar-se, conforme

acaba de demonstrar muito oportunamente o presidente do CRPS, Manoel Dantas. Nos países mais desenvolvidos, como se sabe, a função de empregada doméstica não existe. Quem precisa de uma cozinheira contrata uma cozinheira, valendo o mesmo para a faxineira, a lavadeira e assim por diante. De modo geral, são diaristas, que exercem seu ofício em diferentes residências. O Brasil é um dos raros países

do mundo que mantém a função de empregada doméstica em moldes que lembram o que existiu por aqui nos tempos da escravidão. Vem daí esse absurdo de tanta gente que trabalha a vida inteira sem carteira profissional assinada e, na velhice, não pode se aposentar. Em pleno século 21, a dura realidade das empregadas domésticas (e empregados domésticos) se repete entre

outros profissionais de baixa qualificação, que são igualmente explorados por seus patrões e patroas, como se fossem escravos. Assim, por mais óbvio que pareça o conceito divulgado pelo presidente do CRPS, é muito importante que todos o conheçam. Melhor ainda será se patrões e patroas sem escrúpulos tomarem o cuidado de, pelo menos, assinar a carteira de seus empregados.


06 Jornal dos Aposentados

Para viver melhor

Lençóis Paulista, Junho de 2012

O amor não tem idade

Juliana Justo Borin

T

odos sabem que o amor traz muitos benefícios ao ser humano: psíquicos, físicos, sociais, dentre outros. Mesmo conscientes disso, alguns acreditam que amar é apenas para pessoas jovens, que somente essas devem amar, mas na realidade se esquecem

que o amor não tem idade, o amor não é somente um sentimento, mas uma decisão. Muitos casais, depois de anos de convivência ou depois da viuvez, desistem do amor, se acomodam com a solidão da falta do companheiro ou se queixam do cônjuge que está ao seu lado, olhando apenas os seus defeitos. Já os solitários, também

precisam se dar uma chance de serem felizes novamente, pois sempre é bom ter uma boa companhia para compartilhar dos momentos agradáveis e ruins da vida. Quando digo que o amor é uma decisão, quero dizer que é preciso se lembrar de como é bom amar, se recordar daquilo que atraiu um companheiro ao outro, olhar suas qualidades e tecer elogios, pois isso forta-

lece o relacionamento. Pesquisas mostram que quando se está amando, a probabilidade de alguém ser atingido, por exemplo, por um resfriado, é bem menor. Além disso, traz melhoramento no controle do estresse e da pressão sanguínea. Portanto, decida-se por amar, pois trará benefícios não somente a você, mas a todos que estão ao seu lado.

Juliana Justo Borin Psicóloga CRP: 6-103149

Atendimentos: Plantão Psicológico na Paróquia Cristo Ressuscitado todas as quartas-feiras, das 14h às 15h (gratuito) e no consultório particular agendar pelos fones:32641393 ou 91416591 ou 97943535, na R: Ignácio Anselmo, 1163.


Lençóis Paulista, Junho de 2012

Culinária

Jornal dos Aposentados

07

Ensopado de Feijão Branco com Linguiça Fonte: tudogostoso.uol.com.br

Ingredientes: • 500 g de Feijão Branco • 1 Peito de Frango grande (com osso, cortado em pedaços pequenos) • 300 g de Linguiça Defumada (cortada em rodelas grossas) • 1/4 xícara (chá) de Azeite • 2 dentes de Alho (picadinhos, socados) • 1 cebola média (picadinha) • 4 talos de salsão (cortados em pedaços pequenos) • 2 colheres (sopa) de Salsinha (picadinha) • Orégano, Alho, Cebola, Sal (para tempero do frango) • Pimenta-do-Reino (à gosto)

Modo de Preparo:

Tempere o frango com alho, cebola, orégano, sal Reserve. Coloque o feijão branco de molho em bastante água fervente (com 3 cm acima de sua superfície) e deixe descansar por 30 minutos. Em uma panela grande, aqueça o azeite. Em seguida, doure bem os pedaços de frango. Junte a linguiça e deixe dourar ligeiramente. Adicione o alho e a cebola e refogue até murchar. Acrescente o salsão, o feijão branco com a água em que ficou de molho e tempere à gosto. Cozinhe em fogo médio, com a panela semitampada, por 40 a 50 minutos, até o grão ficar macio, mexendo de vez em quando Se necessário, coloque mais água. Adicione a salsinha e sirva quente.


08 Jornal dos Aposentados

Lençóis Paulista, Junho de 2012

Dicas

Doença de Parkinson Dicas às pessoas que possuem a doença, para estimular os movimentos

Fonte: Associação Brasil Parkinson

E

studos mostram que cerca de 200 mil pessoas com mais de 60 anos no Brasil são portadores do Mal de Parkinson, doença neurológica que compromete os movimentos, causando tremores, rigidez muscular, lentidão de movimentos, alterações de fala e escrita. Se

não diagnosticado precocemente e tratado adequadamente, o Mal de Parkinson pode se tornar uma doença incapacitante. 1. Deixe o caminho livre de obstáculos em casa (tapetes, fios elétricos, entre outros), o treino para ultrapassá-los deve

ser aplicado somente em ambiente terapêutico; 2. Utilize copos de plástico, barbeador elétrico e outros itens domésticos que evitem com que se machuque ao executar alguma tarefa; 3. Estimule sua independência! Faça tarefas de

casa que não gerem risco à sua saúde, mas que o faça sentir necessário no ambiente familiar; 4. Dê ritmo e separe as atividades do dia-a-dia em etapas como, por exemplo, sentar e levantar de um sofá ao toque de “1,2,3 levante”, “1,2,3 vamos andar”, “1,2,3

vamos nos sentar”; 5. Estimule os músculos faciais utilizando canudo na bebida; 6. Aproveite o tempo em que está sob a ação da medicação para o Parkinson para caminhar um pouco e realizar outras tarefas que lhe dão prazer.

ornal dos Aposentados - Edição 20 - Junho de 2012.  

ornal dos Aposentados - Edição 20 - Junho de 2012.