Page 1

O 2015 # - JANEIR RO 2014 NOVEMB | L SI A R B

1

,00 6 | R$ 20


#barbarella

#givenchy

#jeffkoons

#dolce&gabbana

#barbie

#giuseppezanotti

#ysl #commedesgarรงons

#johnlennon

#501levis

#lacoste

#gracejones

#karllagerfeld

#JeanPaulGaultier

2


QUADRO DE INSPIRAÇÃO #pop

#andywarhol

#tóquio

#nikepedrolourenço

#denim

#googleglass

#moschinoiphonecase

#rihanna

#voguejapão #moschino

recorte, cole, inspire-se #husseinchalayan

3


4


EDITORIAL

Amira Cantanheide apresenta

Por Tavinho Costa | Edição Mário Araujo | Styling Kaio Assunção | Make Raul Melo | Cenário 3D Fred Meyer

A Gucci trouxe na temporada passada o sportswear para os holofotes. O barulho foi tão grande que o mundo da moda passou a olhar de maneira diferente para as peças antes consideradas menores. Diálogo lançado, agora é o momento ideal para se olhar os tecidos, os designs e, por que não, o futuro. Se o amanhã da moda é feito pela evolução das formas e dos materiais, é no mundo dos esportes que eles são mais trabalhados e estudados; tudo em nome do melhor desempenho e perfeição!

5


Pág. Anterior: Casaco Minha Avó Tinha, top Vitorino Campos, saia Triya, meias American Apparel (em todas as fotos), sandálias Vitorino Campos e colares Pandora (em todas as fotos). Camiseta À la Garçonne, casaco Skazi, shorts Colcci e sandálias Vitorino Campos.

6


Casaco Minha Avรณ Tinha, top Coven, shorts Uma, calรงa TopShop para Adidas, meias American Apparel (em todas as fotos) e sandรกlias Triton.

7


Casaco Minha Av贸 Tinha, camiseta Adidas, saia Maria Fil贸 e sand谩lias Oh, Boy!.

8


Top Coca-Cola Jeans, camiseta Hering, casaco Skazi, calรงa e sandรกlias Triton.

9


Casaco acervo, camiseta Juliana Gevaerd, saia Vitorino Campos e sandรกlias Triton.

10


Top Coven, casaco The North Face, calça Hering e tênis Topshop

11


Casaco Skazi, top Coven, camiseta À la Garçonne, calça Espaço Fashion, tênis Topshop.

12


Top e tĂŞnis Nike, jaqueta The North Face e saia Colcci.

13


Casaco Wagner Kallieno, top e shorts Vitorino Campos, calça Adidas e tênis Converse (look da capa).

14

REALIZAÇÃO Fotografia: Tavinho Costa Assistentes de fotografia: Fernando Lima e Romulo dos Santos Concepção e edição: Mário Araujo Edição de moda e styling: Kaio Assunção Make: Raul Melo @ Capa MGT Design 3D (Cenário): Fred Meyer Design gráfico (Capa e editorial): Fernando Tucunduva Modelo: Amira Cantanheide @ Elo Management Tratamento de imagens: Image Touch Locação: Estúdio Bertram (São Paulo/SP) Agradecimento especial: Giuliana Cruz


15


Novos hábitos Como será o comércio no futuro? Por Rafael Vita

A internet fez uma grade revolução na vida das pessoas mudando do modo como elas se relacionam com os indivíduos e se comportam em sociedade. Quem poderia imaginar que em 2015 seria possível fazer praticamente tudo por meio de um smartphone? Como não poderia ser diferente, essa mudança de hábitos atingiu o varejo em cheio e aos poucos, principalmente nos países emergentes, como o Brasil, vem transformando a forma com que os indivíduos se relacionam com o comércio e como o comércio se transforma para atingir as novas necessidades. “Há anos, comprar pela internet era algo superousado, uma verdadeira façanha, hoje em dia as pessoas compram de vendedores do outro lado do mundo sem nunca terem visto a sua cara”, destaca recente relatório sobre o comércio eletrônico da Business Insider. Tal feito deve-se em muito a websites como eBay e Amazon, que criaram plataformas confiáveis nas quais existe uma segurança na operação e o consumidor pode confiar 100% no seu interlocutor, pois, caso haja algo errado, a plataforma se responsabiliza pelos eventuais problemas e chega até mesmo a devolver o dinheiro pago pelo produto.

e inverno, ganharam mais duas estações (resort e cruise), fazendo com que as marcas passassem a oferecer quatro coleções ao ano. Algumas vezes seis. Sempre buscando atrair os consumidores para as lojas... Nessa revolução também surge um novo formador de opinião: o blogueiro, que alimenta esse desejo de compra imediato. É ele quem passa a dar as novidades, testá-las, analisá-las e quase sempre guia o consumidor para a compra. O blogueiro acaba extrapolando o ambiente online e ocupando o lugar de celebridades e modelos em campanhas para promoção de produtos e marcas.

A revolução da revolução Mesmo o comércio eletrônico sendo a bola da vez, grande sites como eBay, Dafiti, Amazon, entre outros, já perceberam que não basta vender, mas que é preciso oferecer ao consumidor uma experiência de compra, algo muito comum nas lojas físicas.

Localmente, os sites de comércio eletrônico se multiplicaram dando um novo instrumento ao jovem empreendedor: criar sua própria loja com custos bem mais baixos do que um estabelecimento físico. Com isso, os preços se tornaram muito mais atrativos, sem contar o alcance, muito maior.

Para isso, o eBay apostou no recém-lançado Collections, no qual os artigos do gigante website são agrupados por paixões (categorias). Com isso o consumidor resgata o hábito de ver o que existe na loja contando com a possibilidade de dar um like e guardar a opção de compra para depois. Na maioria das vezes, a vontade passa e ele nunca compra, mas caso persista, o produto está ali reservado.

Com a possibilidade de se comprar a qualquer hora e em qualquer lugar, o comportamento de compra foi alterado, fazendo com que toda a cadeia produtiva mudasse. As coleções que eram antes verão

Outra ação bastante exitosa do eBay foram os window-shops. Gigantes vitrines digitais nas quais o consumidor pode pesquisar e comprar seu produto. Em ação realizada

16


Foto: Divulgação

MATERIA DE CAPA

em Nova York com a Kate Spade, o consumidor escolhia a peça em um monitor gigante instalado na frente da loja como vitrine e só entrava no estabelecimento para retirar o produto comprado. A Dafiti, outra gigante do comércio eletrônico, também aposta em soluções off-line para solidificar sua parceria com os consumidores. A multimarcas lançou a revista Dafiti em papel, na qual as principais tendências da temporada são organizadas de forma que fique mais fácil para o consumidor fazer as suas compras na loja virtual. Além disso, a marca bombardeia quase diariamente o e-mail dos consumidores com promoções e cupons de desconto e, com isso, faz-se lembrada constantemente.

O desafio Nos Estados Unidos as empresas já estudam como poderão manter um crescimento forte e rentável uma vez que as leis do país permitem que o consumidor tenha alguns direitos

que prejudicam o comércio eletrônico, como a devolução de produtos. Quando isso acontece, os custos são do vendedor. Então, para evitar uma compra frustrada, o consumidor acaba comprando, em vestuário, por exemplo, peças de três numerações. Fica com uma e acaba devolvendo as outras duas fazendo com que a empresa arque com os custos dessa devolução. O comércio eletrônico é algo bastante novo e ainda haverá muito a se errar para acertar. Quem ficar de fora, fica para trás. Não adianta esperar o modelo perfeito para aplicar posteriormente, pois esse modelo está em constante evolução e nunca será perfeito, mas sempre adaptável e ajustável! Com seu crescimento, lojas físicas fecham, shoppings desaparecem e a cidade ganha novos espaços que poderão ser áreas de comunhão de uma vida em sociedade. As transformações são bem-vindas, desde que elas sejam apoiadas por um crescimento econômico sadio e sustentável.

17


QUEM SOMOS

Amira Cantanheide Há um mês em São Paulo, a new face de São Luís, Maranhão, mostra que tem o brilho e a determinação necessários para seguir seu grande sonho de se tornar uma top internacional. No segmento desde os 15 anos em sua cidade natal, participando de pequenos concursos e realizando trabalhos locais, Amira não tem medo das câmeras e está pronta para sua primeira temporada nacional. Go girl!!!

Raul Melo Um dos grandes nomes da maquiagem nacional, Raul Melo não brinca em serviço e traz sempre uma imagem de moda fresca e autoral para seus trabalhos. Há mais de dez anos no mercado, colabora com as principais revista e marcas do país, além de trabalhos publicitários e parcerias com marcas de beleza.

Fred Meyer Arquiteto e urbanista, apaixonado por computadores, nunca exerceu a profissão. Viciado em design e direção de arte, trabalha há 15 anos em frente ao computador tentando juntar o melhor de cada um dos mundos.

Kaio Assunção Um dos nomes promissores do styling nacional, Kaio colabora com as revistas mais importantes do país, como Vogue e Marie Claire, além de produzir desfiles e campanhas para as marcas mais badaladas. Silencioso nos trabalhos, faz com que as imagens que cria ecoem e falem por si só.

Bruno Legítimo 26 anos, formado Publicitário pela Universidade Metodista. Aos 17, começou a trabalhar com criação e descobriu que tinha uma vocação para ilustrações. Desde lá, vem desenhando o seu mundo em papéis espalhados por aí.

Roberto Maxwell Documentarista, jornalista, fotógrafo, produtor de TV, tradutor, viajante... Roberto Maxwell tem o bicho-carpinteiro! Decidiu converter a ansiedade em projetos de vídeos, fotos e livro a mancheia. Carioca sem nenhuma convicção, radicado no Japão por afinidade, vende, compra, aluga ou troca sonhos na Terra do Sol Nascente desde 2005. robertomaxwell.info

Nádia Pontes Formada em jornalismo pela Unesp, trabalhou em rádio, jornal e TV. Com passagens pelo SBT e afiliada da Rede Globo, descobriu a adrenalina da reportagem em produção de matérias investigativas. A virada foi durante a produção e edição de um documetário sobre mudanças climáticas, premiado no Brasil. Há cinco anos na Alemanha na Deutsche Welle Brasil, atuou como repórter até ajudar a fundar o Futurando, programa de ciências e sustentabilidade exibido no Brasil pelo Canal Futura, TV Brasil, entre outros parceiros. O programa também é exibido em Moçambique e pode ser visto na internet.

Os de sempre

Mário Araujo

Tavinho Costa

Jornalista

Fotógrafo

Mariana Eller

Fernando Tucunduva

Débora Donadel

Rafael Vita

Lívia Andrade

Vivi Haydu

Ana Clara Garmendia Fotógrafa

Para conhecer mais detalhes sobre a equipe da TEXTIL MODA, visite: facebook.com/textilmodamagazine

Designer

Economista

18

Designer

Jornalista

Jornalista e Revisora

Publisher


19


CARTA DOS EDITORES

Não poderíamos ter um tema mais oportuno para esta edição que futuro. Com as eleições presidenciais recém-acontecidas e a reeleição da presidente Dilma Rousseff, todos discutem o futuro do país e pedem a atenção da presidente para um planejamento econômico sustentável no qual o Brasil possa crescer e a indústria tenha condições de se manter firme e forte, como no Japão, onde fomos buscar muitas das inspirações que guiaram nosso trabalho. Foi no bairro de Harajuku, em Tóquio, que vimos que o futuro é agora e que as camadas são a forma mais divertida de se vestir e brincar com as roupas. Foi lá também que surgiu nossa inspiração para a capa, na qual retratamos a tendência do momento, o sportswear, com styling futurista japonês, e para o editorial de beleza, com nossos toyarts exclusivos praticando esportes, afinal, o verão está aí. Falando em verão, preparamos um superguia com a cobertura de toda a temporada verão 2015, que durou mais de cinco meses entre o seu start em São Paulo e o encerramento em Paris. Foto: Tavinho Costa para TEXTIL MODA #1

Fechando com chave de ouro, um perfil interessantíssimo da Lectra, a empresa francesa que desenvolve soluções para o segmento têxtil! É isso! Boa leitura!!! Mário Araujo e Mariana Eller

#6 2 4 16 18 20 22 23 24 25 26 27 28 30

Quadro de inspiração Editorial | Futuro Matéria de capa | Novos hábitos Quem somos Carta dos Editores Trend | Vicunha Trend | Alexander Wang + H&M Trend | Denim, Covolan Trend | Ana Clara Garmendia Trend | Emana, Rhodia Trend | Pesquisa de consumo Materiais | Moda praia Trend | Rosset

20

31 Aposta | Gianfranco Briceño 35 Moda de rua | @ Harajuku 46 Let’s talk about | Roupa do futuro 48 Tec | Lectra 50 Ponto de venda | Desigual @ Tóquio 52 Cartela de cores | Hora do treino 58 Entrevista | Rodrigo Oliveira 66 Design | Hotel Mondrian @ Miami 68 Travel | Tulum @ México 70 Verão 2015 71 Verão 2015 | SPFW

72 73 74 75 76 78 79 80 81 82

Verão 2015 | Minas Trend Verão 2015 | Fashion Rio Verão 2015 | Casa de Criadores Verão 2015 | Raio X Verão 2015 | Semana Moda Masculina Verão 2015 | NYFW Verão 2015 | LFW Verão 2015 | MFW Verão 2015 | PFW Guia da Textil


Seleção de tecidos baseados nos princípios do fitness: flexibilidade, resistência, variedade, agilidade, recuperação e intensidade. Uma oferta de tecidos com ampla diversificação de cores, aspectos e acabamentos. Denims direcionados ao mercado masculino, tendo o conforto e a flexibilidade como principais características.

Acompanhe o melhor do denim em: facebook.com/tavexbrasil @tavexbr www.vimeo.com/tavexsa

21


Por Mário Araujo

Uniforme do streetwear, o denim alcançou status high fashion na última temporada de moda internacional, mostrando que é sim um tecido sofisticado e que pode ser também supertecnológico. Atenta a todas as manifestações do setor, a Vicunha traz três novidades bastantes interessantes para o verão 2016, todas com foco em tecnologia e inovação. Confira! Perfect Fit Composta por denins de alta performance e grande flexibilidade, o Perfect Fit preza pelo toque ultramacio e aparência sofisticada, garantindo uma gama de produtos versáteis para qualquer tipo de indivíduo e estilo de vida. Compõe a linha de tecidos: Sofia, Sofia Dark, Nicole, Gisele, Gisele Dark e Beverly.

True Denim Reinterpretação moderna do denim original, valoriza o aspecto raw e destaca os efeitos vintage do denim reafirmando a volta do autêntico, original e com história para contar. Os artigos dessa linha são Bergen, Portman, Scott, Jon e Gregory.

(R) Evolution A cor original de seus tecidos se transforma de acordo com o grau de desgaste químico dos processos de lavanderia, criando visuais autênticos e modernos. Isso proporciona diversas possibilidades criativas para o uso do material.

MAIS MAGRO Grande novidade da Vicunha para o verão 2016 é o Emana Slim. Nele, toda a tecnologia do Emana (matéria na página 26) está no brim. Assim como o denim Emana® Linea, o tecido também pode ser muito bem explorado em lavanderia, permitindo diversos efeitos e cores sem alteração de suas propriedades. Para saber de todas as novidades da Vicunha, acesse: vipreview.com.br facebook.com/vipreview @vipreview

22

Fotos: Vicunha

Vicunha traz para o verão 2016 opções de denins funcionais e sofisticados

Movimento

TREND


Foto: H&M

TREND

UN STOPPABLE Alexander Wang assina coleção para a H&M Por Rafael Vita

Um dos designers mais badalados do momento, Alexander Wang, não para, emendando um projeto atrás de outro. Se já não fosse o bastante tocar a sua marca, que apresenta suas coleções na New York Fashion Week, e comandar a direção criativa da icônica Balenciaga, que participa da Semana de Moda de Paris, Wang consegue arrumar tempo para projetos paralelos, como assinar a coleção que a gigante fast fashion H&M faz anualmente com um designer de grande projeção internacional. Só para ilustrar, Versace, Lanvin, Stella Mccartney e Karl Lagerfeld já ocuparam esse posto.

Para a colaboração, Alexander Wang explorou sabiamente o trend do sportswear trazendo para a passarela uma coleção de peças de ginástica (e com essa vibe) que transitam facilmente da academia para os hotspots mais badalados. Certamente os “moletons” de neoprene virarão hit. Como já faz parte da tradição da iniciativa, uma grande apresentação foi armada em Nova York para o lançamento. Um exército de top models, que contou com Karlie Kloss, Isabeli Fontana, Joan Smalls, Carol Trentini, entre outras, desfilou os produtos da linha, que contou com peças masculinas e femininas, além de acessórios. A coleção completa chega às lojas da fast fashion ao redor do planeta no dia 06 de novembro.

23


TREND

Confira os principais lançamentos para o verão 2015 da Covolan Por Rafael Vita | Foto Divulgação

time

SUMMER São várias as opções que a Covolan apresenta para o verão 2015, todas alinhadas ao que mais existe de moderno e atual em termos de jeanswear. Com forte apelo sustentável, já que economiza 40% de água em seu processo de lavagem e conta com 75% de otimização no tingimento, a linha Genius Denim vem com três novidades: o Ibiza, blue intenso com 3% de elastano, o Glossy, que pode ser usado tanto do lado direito como do avesso, pois possui trama tinta em preto, e o Mundial, com elastano e tingimento diferenciado. Já para quem procura elasticidade, a nova linha de tecidos com tingimento ultraintenso, o 30 Deep, com 3% de elastano, e o Dark Blue, com 2% de elastano, podem agradar bastante uma vez que possuem alta elasticidade e cores mais intensas.

Clássicos Sempre presentes nas coleções da Covolan, os tecidos rígidos (sem elastano) são sempre boas opções para a confecção de shorts e bermudas. 24

Atualizando o já existente portfólio da marca, somam-se o Valverde, o Córdoba, o Tijuana (construção maquinetada) e o Chambray (leve e com caimento perfeito para camisas, vestidos, peças leves em geral - masculinas, femininas e infantis). Os resinados também continuam fortes, destaque para o Resin (resina transparente) e o Gloss (preto mate).

Trend Alert Destaque das passarelas internacionais, a estamparia vem forte no denim. Opções no avesso do tecido, onde os puídos e detonados são evidenciados pelas cores da estampa, proporcionam um visual único e colorido (Nobel Estampado). Pensando nos dias mais quentes, a Covolan traz uma extensa linha de tecidos mais leves nos quais foram trabalhadas estampas com diferentes aplicações em pigmento, corrosão ou multicoloridas. Como no Brasil as cores são o foco do verão, os tecidos com trama de fio tinto colorido Málaga e Valência cumprem essa função no portfólio, com opções variadas junto dos tingimentos índigos.


TREND

muito mais que um clique Ana Clara Garmendia, a badalada jornalista e fotógrafa de street style brasileira radicada em Paris, colaboradora de grandes publicações internacionais e nacionais, como Vogue, Glamour e TEXTIL MODA, faz um balanço do momento em que a moda está passando e resume esse cenário em uma imagem. Confira! Por Mário Araújo | Foto Ana Clara Garmendia O que é moda para você hoje? A moda vive um momento particular. Histórico até. Saturada de ser usada, a palavra se perde. Estado de putrefação. É meio forte dizer isso, mas quem sempre a amou passa a se cansar dela e olhar para outros movimentos que também são moda, mas não a moda do vestir. Estar na moda hoje é ser extremamente cafona. Mas, para mim, moda é você olhar a natureza e achar que é dela que virão as novas mensagens e os novos códigos. Moda é o movimento de street art que explodiu pelo mundo. Acompanhando a última temporada internacional o que desponta? Desponta o não estou nem aí para a moda. Uma explosão de mensagens que avisam que algo deve ser feito. Estão todos loucos, perdidos no meio de seus egos. Passada a catástrofe e a fadiga virão os clarões. Acredito na aparição (ou reaparição, quem sabe a volta triunfal de Galliano na Margiela) de um grande criador que possa nos fazer sonhar de novo. Porque o fast fashion no alto prêt-à-porter é muito cansativo e até vergonhoso.

A moda está fora de moda? Totalmente. Nos meus posts tenho menos da metade de likes na foto de uma vitrine de uma loja branchée de Paris do que em uma imagem do dia amanhecendo na cidade. Paris é… Uma cidade maravilhosa infestada de turistas mas que, mesmo assim, consegue dar uma esperança de que ela sobreviverá. E a gente também. É luz, é cor e é também um lugar onde ser polido é a base da convivência entre as pessoas. Os brasileiros deveriam vir para cá e aprender a tratar todos com igualdade. Para uma pessoa que ama moda, o que ela precisa fazer antes de morrer? Aprender que a roupa cara não é exatamente a mais bonita. Deixar de valorizar as marcas e valorizar o que é bem-feito.

Que personalidade representa a moda hoje? Os mercenários.

Ser chique é… Ser educado. Olhar no olho das pessoas quando fala com elas e jamais falar em valores e viagens caras na frente de quem quer que seja.

Que peça de roupa deve fazer sucesso nos próximos meses? A saia-mídi de couro plissada.

Para acompanhar seus passos, acesse: Instagram: anagarmendia Site: anaclaragarmendia.com.br

25


TREND

funcional Por Mário Araujo

Cada vez mais os tecidos procuram, além de vestir com estilo, trazer versatilidade e mobilidade. O fio Emana, da Rhodia, vai além. Fio inteligente, de poliamida 6.6 (nylon), o Emana® alia ciência e tecnologia para inovar o clássico jeans e proporcionar uma sensação única de conforto e bem-estar. Os minerais bioativos inseridos no fio interagem com o calor do corpo e estimulam a microcirculação sanguínea, promovendo cuidados especiais à pele. Esse estímulo promove benefícios, como: • redução dos sinais da celulite • aumento da elasticidade da pele • melhora da firmeza e a suavidade da pele

26

Foto: Rhodia

Além de vestir, Emana, da Rhodia, traz uma série de benefícios ao corpo

O fio Emana® cuida da pele no simples vestir do jeans, sem que a mulher precise mudar sua rotina. É só usar uma peça com esta tecnologia por 6 horas diárias durante 30 dias consecutivos para sentir a redução dos sinais da celulite e garantir uma pele linda. Além do atestado Rhodia de qualidade, a ciência de Emana® é baseada na tecnologia de infravermelho longo e comprovada através de testes em laboratório independente. E suas propriedades não saem nas lavagens, permanecendo por toda a vida útil do produto. Além do Denim, o fio Emana® ainda pode ser encontrado para malhas, lingerie e roupas esportivas.


Foto: Divulgação

TREND

NÚMEROS

reais

Campanha Celebrating Monogram da Louis Vuitton

Duas pesquisas revelam hábitos dos consumidores na hora de comprar e interagir com as marcas Por Rafael Vita | Foto Divulgação

1 MERCADO DE LUXO A pesquisa anual da consultoria Bain & Company em parceria com a associação italiana Fondazione Altagamma revelou que o crescimento das marcas de luxo desacelerou em 2014, mas que isso não pode ser visto como um fator negativo, pois faz parte do crescimento sustentável das empresas. O estudo destacou que as empresas precisam começar a prestar a atenção não apenas onde está vendendo mais, mas em quem está comprando seus produtos, para poder guiar suas ações mais estrategicamente.

A pesquisa também revelou que pela primeira vez desde 2007 houve uma mudança nos artigos de couro mais vendidos pelas marcas de luxo. Os sapatos substituíram as bolsas na categoria de best-sellers, devido ao preço mais acessível. Também houve um crescimento considerável na venda de prêt-à-porter. Outro dado interessante da pesquisa é que lojas multimarcas têm desempenho pior em vendas que monomarcas.

2 Engajamento digital O Instituto Ipsos divulgou uma pesquisa focada no engajamento de consumidores por marcas no Facebook. Entre os países da América Latina, os brasileiros são os que mais interagem com os posts das marcas: 67% dos usuários têm o hábito de curtir, comentar ou compartilhar conteúdos postados pelas labels na plataforma. Na sequência estão os mexicanos (52%) seguidos pelos colombianos (48%) e argentinos (47%). A pesquisa ainda revelou que mais de 50% dos entrevistados na maioria dos países se sentem influenciados por marcas e amigos.

27


Filhas de Gaia

AgĂŞncia Fotosite

Adriana Degreas

28


MATERIAIS

Lenny

Salinas

Amapô

Sereias Sofisticação é a palavra que define atualmente os tecidos utilizados na moda praia brasileira e os processos pelos quais eles passam, sempre com precisão e alta tecnologia graças às constantes pesquisas e evoluções têxteis. Destacamos aqui alguns exemplos que são a cara do verão 2015! Por Rafael Vita

29


3 2 4

1

5

Fotos: Divulgação

TREND

6

moda praia VERÃO Por Rafael Vita

Rosset adianta com exclusividade para a TEXTIL MODA os macrotemas que guiarão o desenvolvimento dos tecidos de moda praia para o verão 2016. Reunidos em seis grupos, eles se complementam entre si, garantindo uma coleção forte e sofisticada. São eles: 1 Afropolitan Um olhar para a exuberância da arte africana, que tem um lado minimalista, com formas limpas e cores sofisticadas, expressada, principalmente, em esculturas de madeira e nos tecidos. A cartela de cor vem forte, composta por tons terrosos que ganham vida misturados aos vibrantes amarelos, laranjas, azuis e verdes. 2 Organic O olhar microscópico para elementos da natureza guiam as criações dessa coleção incorporando detalhes sutis e sofisticados da forma das pétalas, da pele dos animais, dos troncos das árvores, das pedras... Como resultado: manchados quase aquarelados. Predominam os verdes, com pequenas porções de rosas, laranjas e roxos.

30

2016

Coleção orgânica e vibrante da Rosset traz sofisticação ao beachwear 3 Nômade A mobilidade proporcionada pela tecnologia tornou possivél fazer de tudo estando em qualquer lugar, inclusive trabalhar. Com a liberdade para ir aonde estiver com vontade, os viajantes preferem destinos mais exóticos nos quais a riqueza de diferentes culturas inspira e traz uma conexão maior com a terra e os diferentes estilos de vida em uma explosão de cores vibrantes. 4 Metamodern O metamodernismo busca transcender as escolas anteriores e propõe que se crie algo novo por meio de opostos. A assimetria na modelagem é um ponto forte assim como o bloco de cores, que resulta em silhuetas marcadas pelo aspecto gráfico da simplicidade geométrica. A modernidade da mistura está entre os neutros (branco, cinza e preto) mesclados aos coloridos intensos com apenas um toque vibrante de amarelo.

5 Alegoria Um olhar para as riquezas naturais e culturais que caracterizam o estilo tropical brasileiro. Hábitos dos portugueses, indígenas, africanos e imigrantes se mesclaram em uma identidade plural, colorida e divertida. O Brasil se destaca por sua beleza e sensualidade, presente no modo particular do povo se expressar e se adornar. Tudo isso é representado em uma combinação de cores alegres e efusivas. 6 Surface Nos últimos anos os designers têm simplificado a forma para priorizar outros elementos estéticos, como cor, textura e detalhes que se destacam muito mais em silhuetas mais limpas. A transparência, aliada à textura, também é um ponto forte na moda praia que pode ser usada em detalhes vazados nas peças, na lateral da calcinha ou sobre o busto, além de inteiramente em saídas de praia.


APOSTA

gianfranco BRICEテ前

31


32


33


7 perguntas para Gianfranco Briceño Por Mário Araujo 1 Quando e como começou a sua história com fotografia? Tudo começou quando eu fazia faculdade de Publicidade na PUC-Minas. No começo do curso eu tinha muito tempo livre e ficava horas e horas no laboratório de fotografia da faculdade aprendendo a revelar filmes e fazendo ampliações. Acabou virando uma paixão. Virei monitor do laboratório, depois fui assistente de uma fotógrafa por alguns anos, até seguir carreira solo. 2 Por que fotografar corpos? Mais do que corpos, eu gosto é de fotografar gente; e acho que foi por isso que fui para a moda. Fotografo moda há mais de dez anos e fazer nus, tanto masculinos quanto femininos, está dentro desse pacote. 3 Qual a origem do Snaps Fanzine? Comecei a fotografar meninos, amigos, modelos nus já tem um tempo. Todo mundo sempre me perguntava o que ia fazer com esse material. Um dia resolvi que queria criar algo inédito para fazer uma pequena publicação, que inicialmente teria uma tiragem bem pequena e que eu mesmo iria custear e distribuir entre alguns amigos. Mas o projeto foi tomando formas maiores, outros acabamentos, senti que existia um vazio de publicações do tipo aqui no Brasil, e deixei o projeto mais encorpado e ao mesmo tempo mais caro. 4 Qual a maior dificuldade desse projeto? É financeira, basicamente! Imprimir um fanzine de 60 pági-

34

nas em offset, com cuidado, num papel legal, é caro. Tanto o Snaps #1, como o #2, foram viabilizados por crowdfunding. Então foram as pessoas que queriam um exemplar em casa que investiram no projeto para ele se tornar realidade. E isso é bem incrível! 5 Você acredita que o financiamento coletivo seja uma possibilidade viável para jovens criadores se lançarem no mercado? Sim, com certeza. É difícil você achar alguma editora ou empresa grande que queira bancar seu projeto só porque ele é legal. O financiamento coletivo está aí para aqueles que têm um projeto bacana pronto para se tornar viável, mas não tem os fundos necessários para fazê-lo. 6 O que mais se destaca em seu trabalho? A naturalidade das fotos. Não sou de mandar meus modelos fazerem poses estranhas ou algo que não tenha a ver com a história que estou fotografando. Não sou um fotógrafo de grandes parafernálias. Gosto muito de utilizar a luz ambiente, por exemplo. Tem muito a ver com a linguagem que eu quero passar nas imagens. 7 O que sonha/planeja para o futuro? Gostaria muito que o Snaps Fanzine fosse um projeto mais sólido, encorpado, com mais páginas e uma periodicidade mais definida. Estou trabalhando nisso. Para conhecer mais sobre o projeto Snaps Fanzine, acesse: facebook.com/snapszine


MODA DE RUA

Do you know

how to layer? As ruas de Harajuku, em Tóquio, no Japão, são o termômetro ideal para pinçar as principais tendências das próximas estações. Avant-garde, a juventude japonesa sabe como ninguém brincar com camadas e criar looks únicos e exclusivos que, desdobrados, funcionam, com forte apelo fashion, em qualquer cidade do globo. Por Roberto Maxwell | Edição Mário Araujo

35


36


37


38


39


40


41


42


43


44


s t n i r top p Den

im & C

olou

eDr rs C

o

Peça um corte ao seu representante e comprove.

TECIDOS TOP PARA COLEÇÕES TOP www.cedro.com.br

45


Por Nádia Pontes

Fotos: Divulgação

A roupa do futuro não vai apenas proteger o corpo e ditar moda. Sensores, placas eletrônicas flexíveis e outras inovações farão parte de tecidos inteligentes e comporão peças que se comunicam

MULTIFUNÇÕES Em um futuro próximo, jaquetas autolimpantes, roupas que detectam toxinas ou até mesmo que contam com um sistema de navegação integrado poderão compor o guarda-roupa de qualquer pessoa. Por enquanto, essas peças só são encontradas nos cabides de laboratórios de alta tecnologia – como protótipos –, mas essa realidade não está muito distante. O TexLab, em Berlim, é uma dessas “confecções futurísticas“ que brincam com a arte de fazer roupas. O centro é parte do Instituto Fraunhofer para Fiabilidade e Microintegração (IZM, na sigla em alemão). O laboratório, especializado em sistemas e circuitos eletrônicos, é um dos líderes no desenvolvimento de tecidos inteligentes, a matéria-prima para compor roupas que “leem” o corpo e se comunicam.

46

Foi do laboratório berlinense que saiu a Sporty Superheroe, jaqueta inteligente vencedora do cobiçado prêmio Red Dot Design, um dos mais concorridos do mundo. A peça emite luzes que respondem ao movimento do ciclista – quanto mais rápido ele pedala, maior é a intensidade da iluminação. A Superheroe uniu design, moda e tecnologia e tem uma aplicação: aumentar a segurança. Os sensores escondidos na costura medem a velocidade e os movimentos do corpo e transformam essa informação em luz. Na parte da frente, as lâmpadas são brancas, atrás, vermelhas. A mesma lógica dos faróis de um carro. E como vivemos na era digital, a jaqueta tem um bolso especial para o smartphone: quando o aparelho recebe uma chamada ou mensagem, o ciclista visualiza tudo num display da peça.


LET’S TALK ABOUT

A criação é do designer austríaco Wolfgang Langeder, voltada para um público urbano nômade, como ele mesmo define. Como a realização do projeto parecia complexa demais, Wolfgang bateu à porta do Instituto Fraunhofer. Aos poucos, os cientistas foram “equipando” a jaqueta. Ela ganhou um sistema microeletrônico integrado, 64 lâmpadas de LED, sensores, um botão de liga e desliga e uma pequena bateria. Todos esses equipamentos são quase imperceptíveis no design da roupa. O sistema eletrônico desaparece na costura, as placas são flexíveis como o próprio tecido. Um dos maiores desafios foi integrar os módulos, extremamente sensíveis, à peça de roupa comum. Mas a engenharia venceu: “A base do sistema eletrônico da jaqueta é um semicondutor elástico sobre um material parecido com uma folha flexível termoplástica, desenvolvida aqui mesmo no instituto”, detalha Christian Dils, pesquisador do TexLab. Um detalhe atraente: a jaqueta inteligente pode ser lavada na máquina. A bateria que alimenta o sistema eletrônico também pode ser trocada. O produto está pronto para ser comercializado, mas ainda não está à venda. “Eu mesmo vou confeccionar as peças. Estou finalizando algumas parcerias e a produção começa em 2014”, destaca Wolfgang.

Chips em prol da saúde A camiseta esportiva FitnessSHIRT, outro produto do TexLab, chega ao mercado no final do ano. A roupa mede sinais fisiológicos como respiração, pulso e alterações nos batimentos cardíacos. De novo, a eletrônica explica

a mágica: a camiseta conta com eletrodos integrados que capturam a atividade cardíaca, uma fita elástica na parte superior da roupa detecta o movimento do peito ao respirar. Uma espécie de “caixinha” atada à camiseta – e que é removível – digitaliza os dados recebidos e calcula os outros parâmetros, como pulso e respiração. As informações são transmitidas para um smartphone ou computador e, mais tarde, podem ajudar a avaliar funções como desempenho, esforço ou ainda a carga de estresse do usuário da roupa. A camiseta inteligente não é apropriada apenas para atletas iniciantes ou de alta performance. Segundo os cientistas do projeto, a peça é indicada também para idosos que vivem sozinhos ou pacientes que precisam de um acompanhamento médico, como aqueles que sofreram uma cirurgia ou estão em situação de risco. Projetos semelhantes ocupam laboratórios de alta tecnologia em várias partes do mundo. Em Grenoble, na França, o CEA-Lati, instituto de tecnologia, aprimora uma camiseta que monitora a perda de água do corpo. A peça tem sensores que medem o suor e as concentrações de potássio, cálcio e sódio do líquido expelido. O objetivo é manter o dono da camiseta informado, em tempo real, sobre as suas condições e recomendar a quantidade e qual tipo de líquido deve ser ingerido depois da prática esportiva. Originalmente, a camiseta criada pelos franceses foi pensada para trabalhadores, para ajudá-los a vencer o

estresse e a fadiga no dia a dia dessas profissões. A roupa inteligente poderia ser usada em ações de resgate durante um incêndio, por exemplo. Os sensores no uniforme coletariam os dados e os enviariam para um computador, uma equipe do lado de fora acompanharia os sinais vitais do bombeiro e a sua perda de líquido. E a tecnologia ajudaria a preservar a vida do profissional.

Sol para vestir Que tal um vestido feito com placas solares flexíveis? Enquanto você passeia ao ar livre, a roupa aproveita os raios de sol e produz eletricidade. A ideia é de um grupo de holandeses que reúne designers e engenheiros, batizado de Solar Fiber (Fibra Solar). Alguns protótipos confeccionados pelo grupo estão expostos em museus e exibições que discutem o futuro na Holanda. O cachecol solar, por exemplo, tem uma placa solar e um display que indica a quantidade de eletricidade gerada em tempo real. A ideia inovadora e o design das peças renderam, inclusive, um convite para um desfile na Semana da Moda de Amsterdã. O grupo apresentou uma jaqueta feita com fibras solares e um vestido do mesmo material “A nossa paixão é promover a sustentabilidade pela inovação. Acreditamos que a nossa ideia, um tecido de fibra fotovoltaica flexível, pode fazer a diferença no mundo. Ideias assim não podem ficar escondidas nas prateleiras de institutos de pesquisa, mas precisam ser usadas na vida cotidiana”, defende o grupo.

47


TEC Sede da Lectra em Bordeaux

Com metade de sua população com idade abaixo dos 30 anos, o Brasil tem atraído gigantes do fast fashion, como a espanhola Zara e a inglesa Topshop. Mas o cenário não é para amadores e o custo Brasil (alta taxa de impostos, elevados custos trabalhistas, etc.) é um desafio para as indústrias têxteis que se instalam no país. Num mundo cada dia mais veloz e competitivo, as empresas nacionais apostam em inovação e qualidade para driblar concorrentes como a China. As confecções brasileiras têm buscado auxílio tecnológico para responder à procura constante de seus clientes por novidades. Esta demanda levou a Lectra, companhia parisiense de tecnologia para a indústria fashion, a desembarcar no Brasil há 20 anos. “Nosso público alvo são todas as empresas que acreditam na tecnologia para melhorar os seus níveis de qualidade, produtividade, economia e flexibilidade”, diz Adriana Papavero, diretora da Lectra América do Sul. Em passagem pelo Brasil, em agosto deste ano, Stacey Charbin, diretora corporativa de Fashion Market da Lectra, ressaltou os desafios do mercado brasileiro. “São 26 mil indústrias, a maioria pequenas e 757 de médio porte”, disse. “Há muita diversidade, o que exige um grande envolvimento para acompanhar a demanda”, completou. Neste contexto, a Lectra oferece soluções integradas que automatizam, modernizam e aceleram todo processo de produção, desde a criação do produto, passando pelo desenvolvimento até a sala de corte.

O leque de serviços ofertados é grande. O Brasil já utiliza a solução para criação e design Kaledo; as soluções de modelagem avançada Modaris e Modaris Expert 3D; a solução de encaixe Diamino e a solução Vector para corte de tecidos. Estas ferramentas podem ser integradas numa única plataforma colaborativa, a Lectra Fashion Platform. Dessa forma, cada departamento envolvido recebe dados de todas outras etapas do processo. “Essa integração promove o intercâmbio em tempo real de informações, que permite a empresa prever e controlar os custos, possibilitando uma avaliação rápida de cenários de produção”, explica Adriana. Outra solução que tem recebido atenção do mercado é a Product Lifecycle Management (PLM), que é usada para gerenciamento do ciclo de vida dos produtos.

Mais agilidade Focada no segmento de jeans wear para adultos, a Handara utiliza boa parte das ferramentas da Lectra. “Trabalhamos com o Kaledo para o desenho de croquis, Modaris para a equipe de modelagem, Diamino para o encaixe e Vector, máquina de corte automática”, diz Gislene Sousa, coordenadora de estilo da Handara Jeans Wear. A empresa cearense investiu R$ 1 milhão nas soluções da Lectra em 2012. “Os equipamentos agilizaram a produção: um corte que antes fazíamos em uma hora, hoje reduzimos para 15 minutos”, explica Gislene. A economia de tempo é fundamental para a Handara, que trabalha com lançamentos mensais seguindo o modelo de

inovar para sobreviver

Empresas brasileiras de confecção apostam na tecnologia da francesa Lectra para se destacarem num mercado cada dia mais competitivo Por Lívia Andrade

48


Outro cliente da Lectra é o Grupo Kyly, uma empresa catarinense direcionada aos segmentos de moda infantil e teen. Com um faturamento de R$ 238 milhões em 2013, a Kyly há dez anos utiliza a linha quase completa da Lectra: Modaris, Diamino, Máquinas de Corte e OptPlan, um sistema de risco com análise de eficiência automática do enfesto. As ferramentas da Lectra agilizam o dia a dia da empresa catarinense, que trabalha quatro coleções por ano. “Tenho um ganho de produtividade que é difícil de mensurar ao comparar com o sistema tradicional de modelar. Há uma economia de tempo e de matéria-prima”, diz Antônio Lopes de Oliveira Neto, gerente de processo de criação e inovação do Grupo Kyly.

Soluções personalizadas A Lectra oferece soluções de acordo com a demanda do

cliente. “Nossos especialistas fazem uma análise dos processos atuais para saber qual a necessidade específica da empresa e, a partir disso, sugerem as tecnologias que mais se adequam às características e objetivos do negócio”, diz Adriana. Cada projeto tem um valor específico, que é definido a partir do que será realizado. Uma vez fechado o contrato, a Lectra treina os profissionais que estarão envolvidos nos processos. “É uma mudança gradativa do modelo de produção, por isso mantemos um canal permanente de acompanhamento e consultoria após a instalação das soluções”, diz Adriana. Um exemplo de solução personalizada foi a máquina que calcula o aproveitamento máximo de couro que a Lectra desenvolveu para a Louis Vuitton. A empresa parisiense de tecnologia para indústria têxtil desembolsou €20 milhões no processo de desenvolvimento do equipamento, fundamental para baixar o custo da matéria-prima da Louis Vuitton, marca conhecida por suas bolsas de couros exóticos. A Lectra tem como lema “otimizar processos sem perder a qualidade do manual”. No ano passado, as operações globais renderam um faturamento de €203 milhões, mas a empresa vislumbra ainda um grande potencial de crescimento.

49

Foto: Lectra

fast fashion. Estes lançamentos são agrupados em cinco coleções: Alto Verão (dezembro, janeiro e fevereiro), Outono/Inverno (março, abril, maio e junho), Férias (julho), Primavera/Verão (agosto e setembro) e Final de Ano (outubro e novembro). “Estamos satisfeitos, o maquinário está dando bons resultados. Nossa máquina de corte às vezes fica até ociosa, mas vale à pena”, diz a coordenadora de estilo da Handara, empresa que faturou R$ 150 milhões no ano passado.


PONTO DE VENDA

Desigual conquista o oriente com suas cores fortes e design easygoing Por Mário Araujo | Fotos Desigual

No coração de Harajuku, em Tóquio, Japão, desde dezembro de 2012, em um prédio de cinco andares, três de lojas, todo branco e com as tradicionais mandalas supercoloridas estampadas na fachada, a Desigual, grife moderninha de Barcelona, Espanha, causa frisson com suas ações de guerrilhas arrojadas e com um ponto de venda que mais parece um apartamento descolado que uma loja em si. A direção criativa da marca, em conversa com a TEXTIL MODA, contou que a ideia da Desigual é transformar a experiência de compra fazendo com que a moda dialogue com outros segmentos, como arte e tecnologia. Assim, “a experiência de ‘comprar’ se transforma em algo muito maior, reforçando a nossa proposta de vestir pessoas, não corpos”. Para complementar, os tradicionais vendedores foram substituídos por personal shoppers, que trazem para o consumidor japonês superexigente informação de moda e consultoria personalizada. Dividida em feminino, masculino, infantil, acessórios e calçados, a Desigual Harajuku é um verdadeiro oásis para os amantes de cores e estampas!

50


51


Hora do TREINO

Contrariando os tons neutros que são característicos do inverno, a Rosset ilumina a cartela de cor fitness 2015 com tons vibrantes que trazem a energia necessária para os exercícios nos dias mais frios. Com isso, ninguém ficará parado, vide os nossos hiperativos toyarts atletas! Vem com a gente conhecer as novas cores e os produtos de beleza mais bacanas do momento Por Bruno Legítimo (ilustração) e Adams (design gráfico) | Edição Mário Araujo

52


CARTELA DE CORES

Fotos: Divulgação

Sombra em bastão (Stylo Eyeshadow) Jade Shore (37), Chanel, e duo lápis para os olhos e brilho labial Beijos Tentadores, ambos da coleção Intense Sereias Urbanas, O Boticário.

53


Batom 447 En Vogue, Rouge Coco Shine, Chanel, rímel 37 Lime Light, Inimitable Waterproof, da Chanel, lápis de olho, Maybelline, e escova, Tangle Teeze.

Casaco Minha Avó Tinha, top Coven, shorts Uma, calça TopShop para Adidas, meias American Apparel (em todas as fotos) e sandálias Triton.

54


Sombra 89 Vision Illusion D’Ombre, Chanel, Duo Fragance Glow Citric Rose e blush Fabulous natural, Tropical Colors, Make B.

55


Ă“leo de limpeza, Karl Lagerfeld para Shu Uemura, perfume Oh! Lola, Marc Jacobs, e sombra Ombre Essentielle, Chanel.

56


Batons 95 Viva, Rouge Coco Shine, Chanel, e Acid Pink, Tropical Colors, Make B. Esmaltes Exotic Green, Tropical Colors, Make B, 657 AzurĂŠ, Le Vernis, Chanel, Caju, Torcida Brasil, Maria Helena Misturinhas, e Yellow Umbrella, Sephora Collection.

57


58

Fotos: Divulgação


ENTREVISTA

rodrigo OLIVEIRA O jovem chefe responsável pela dupla de restaurantes mais comentados da capital paulista, o Mocotó e o Esquina Mocotó, conversa abertamente com a TEXTIL MODA após a sua participação singular no MAD, o maior festival da gastronomia mundial, e mostra que a cozinha tem muito a ensinar para a moda, principalmente, como ganhar o mundo e se manter original e autoral, mantendo qualidade e praticando preços justos. Receita para ser estudada e copiada. Por Mário Araujo

Como surgiu o interesse pela cozinha? Num primeiro momento, no ambiente doméstico. A cozinha sempre foi o centro da nossa casa, onde tudo passava, por onde todos transitavam. Minha mãe reinava absoluta naquele cenário mágico. Mas, por outro lado, meu pai cuidava das panelas em nosso pequeno empório, que ficava defronte onde hoje é o Mocotó. Aí eu via suas mãos cortando, picando, trabalhando as panelas, num ritual de concen-

tração e atenção que me dizia muito mais do que minha cabeça de menino poderia entender. Naquela época acho que nascia meu interesse, pela desenvoltura de minha mãe, pela atenção de meu pai. Ambos, cada um no seu espaço, faziam parte de um processo alquímico que maravilhava minha cabeça de menino. Diferente de muitos chefes, você optou por fazer o tradicional com sabor único (no Mocotó)

e ficou conhecido por isso. Trabalhar com a culinária tradicional, que pode ser a do dia a dia, é mais complicado que seguir um caminho gourmet? Eu penso que o grande desafio é seguir no seu caminho, procurando entendê-lo, conhecer suas raízes, suas implicações – sem ceder à tentação fácil de modismos e desvios na rota. Como diz Eduardo Galeano, o caminho se faz no caminhar. É isso que procuro fazer, trilhar a rota escrita por meus ante-

59


passados, procurando fazer cada dia melhor, pois o que eles me deixaram – e de certa forma a cozinha autêntica brasileira – é um campo tão vasto que mesmo que vivesse várias vezes não esgotaria seu perímetro. Como você definiria o Esquina? Uma versão gourmet do Mocotó? Um laboratório para testar receitas e formas? O Esquina é uma janela aberta para o mundo. Lá temos a liberdade de ousar um pouco mais, caminhar um pouco mais além, partindo, claro, das bases que praticamos há mais de 40 anos no Mocotó. Não utilizamos essa diferenciação, pois acreditamos que o que fazemos é – para utilizar o termo gourmet – de igual qualidade nos dois restaurantes, tanto no preparo, na seleção do produto, como na elaboração, enfim, tudo segue o mesmo rigor. O Esquina Mocotó, portanto, é um espaço mais aberto às influências de “outros sertões”, do que vejo pelo mundo, nestas muitas viagens que temos feito, no que aprendo de outros colegas… E, respondendo à parte final da pergunta, temos um outro espaço, que é o Engenho Mocotó, este sim, um laboratório onde testamos nossas receitas, treinamos nossos meninos, conversamos sobre produtos e produtores, enfim, uma cozinha-usina, onde borbulham, além de nossos caldos, as ideias e inquietações de todo o nosso pessoal. Na moda a gente diz que com o básico a marca ganha dinheiro, porque produz em quantidade, e com o fashion ela ganha movimento, exposição de marca e prestígio, na sua gastronomia

60

acontece algo parecido? Eu adoraria que fosse assim! Mas as coisas não seguem esta receita, infelizmente… O Mocotó é um restaurante saudável como negócio porque tem um giro alto e um custo sob rigoroso controle, além de praticar uma política de preço justo. O Esquina, como filhotinho, ainda vai precisar de tempo para fazer frente a todo investimento, que não foi pouco! Mas ambos nos fornecem muita satisfação, aprovação de nossos comensais e, claro, exposição de marca e prestígio na mídia. O Mocotó fez os gourmets da capital se locomoverem do eixo Jardins-Itaim-Pinheiros para a zona norte, algo pouco comum na capital em São Paulo. Existe a chance do Mocotó/Esquina se render à zona sul? Ou expandir para outras capitais? Outros países? Olha, esta é uma pergunta frequente e vou responder a você o que tenho dito a todos: ainda temos muito o que fazer aqui, no nosso chão. Muito trabalho por desenvolver, muita coisa a aprender… A empresária Elisabeth Arden tem uma frase de que gosto muito que diz “repetiton makes reputation”. Ainda temos muito o que repetir, reaprender, para garantir nossa reputação. Depois, quem sabe… Grifes como a Osklen trabalham muito o tão famoso DNA da marca, que nada mais é que o conceito que guia todas as ações da empresa, seja coleção, publicidade, comunicação, projetos arquitetônicos etc. Qual seria

o DNA que o difere de qualquer outro restaurante de comida brasileira? Eu não sei dizer, acho que nosso mote de fazer cada dia melhor o que melhor sabemos fazer pode ser uma boa pista. Procuramos fazer um trabalho ético, sustentável e inclusivo, e isso vale para tudo – da comida às relações com nossos colaboradores, produtores, vizinhança, governo… Sabemos de nossa importância para muitas pessoas que dependem de nossas ações e que podemos fazer mais do que uma cadeia produtiva, uma corrente de vida e alegria... Na moda, as coleções dão um gás novo às marcas. Como você vê a mudança de cardápio constante de alguns restaurantes? É a tentativa de dar certo ou é um mal necessário para atrair público e a atenção da imprensa? Acho que um pouco de tudo. Às vezes o que motiva pode ser a dificuldade com algum produto ou produtor ou uma questão sazonal mesmo ou a descoberta e o encanto com algum produto novo… Mudar não é um problema, mas penso que tem que ser feito com critério, cuidado e segurança. As pessoas que frequentam um restaurante buscam um referencial de sabor que não pode ser frustrado. Quanto a imprensa contribui hoje para o sucesso de um restaurante? Quanto é importante para o seu? A imprensa tem um papel importante nisso tudo, ela pode ajudar a chamar atenção voltando os holofotes sobre


2

Dadinhos de tapioca com queijo de coalho (1) e Bai茫o de dois (2) do restaurante Mocot贸.

1

4 Nhoca, nhoque feito de mandioca e povilho (3) e Tutano assado no osso (4), pratos do Esquina Mocot贸.

3

61


Espaço do Esquina Mocotó. Foto de Rogério Voltan.

62


um determinado restaurante ou chef, mas se o lugar não emanar luz própria não permanece brilhando. Pra nós, a imprensa tem sido um importante parceiro neste sentido e o que buscamos é mostrar que este sucesso não é apenas do Chefe principal que sobe no palco, mas de toda uma equipe que faz o dia a dia deste espetáculo. Cada vez mais surgem festivais gastronômicos ao redor do mundo. Eles são uma espécie de fashion week onde chefes mostram suas criações para uma empresa especializada gigantesca. Qual é o objetivo de participar desse tipo de festival? Qual o retorno que ele traz para o negócio? Estivemos recentemente no MAD, na Dinamarca, um dos mais importantes encontros desse tipo na atualidade, onde colegas nossos, sob a curadoria de Alex Atala, brilharam muito – e isso cozinhando para verdadeiros mitos do mundo da gastronomia. Ao final de nosso trabalho, recebi um lindo email de René Redzepi, chef do Noma, o número 1 do mundo e criador do MAD, dizendo que éramos os verdadeiros embaixadores da cultura brasileira. Isso vale mais que muitos prêmios! E isso, acho, é o maior ganho que temos em participar de eventos desse porte. A cultura brasileira é maior e mais importante que nossos nomes e negócios. Fazer parte desse trabalho é mais do que uma missão, é um privilégio. Qual o próximo passo para a sua cozinha? Onde você quer levá-la? (falando aqui em termos de culinária)

Temos vários planos para nossos restaurantes, uma longa pesquisa de produtos, técnicas e processos nos quais, talvez, o Esquina será a ponta de lança. No Mocotó, também vamos, como brinco aqui, “crescer pra baixo” com a inauguração de um novo espaço para acolhimento de nossa fila, a Pracinha Mocotó, novas áreas de produção interna, que incluem até uma padaria própria para nosso uso, uma horta orgânica, um novo bar, enfim, muita coisa e muito trabalho pela frente. Existe alguma pessoa que você gostaria que provasse a sua comida? Se sim, por quê? Chico Buarque. Por quê? Porque ele ainda não veio ao Mocotó (risos). Mas falando sério, porque eu acho que ele concentra na sua receita o que o Brasil tem de melhor e isso numa média e constância de qualidade que é o sonho de qualquer criador. O Chico é uma espécie de receita de tudo o que mais prezo: compromisso com seu ofício, com sua consciência, consistência e coerência, enfim, os ingredientes que fazem qualquer vida e qualquer trabalho valerem a pena. Isso sem falar no inexplicável talento e voltagem poética. E ainda tem mais um detalhe: ele é “o” artista para a Ligia, minha mulher, que já o interpretou em espetáculos teatrais. Em uma entrevista recente você comentou que gosta muito de fazer brunchs. Qual seria um cardápio perfeito? É verdade. Um dos projetos do Esquina Mocotó começava como um lugar para este tipo de refeição. Ainda não aban-

donei a ideia por completo. Acho que o que chamamos de café da manhã genericamente no Brasil é uma das mais ricas, saborosas e inspiradoras refeições do dia. É quando você ainda não engatou uma segunda, que sua cabeça está livre dos problemas do dia, pelos ruídos, interrupções… É um momento mágico, em que se pode reunir sua família, inspirar fundo, comer de forma leve e divertida… Meu cardápio ideal inclui tapioca, cuscuz, que minhas filhas adoram, ovos, pão fresco e natural, algo doce, como compotas, mas o ingrediente essencial é sentar e olhar os olhos de minhas filhas e minha Ligia, que faz tudo isso e também meu dia valer a pena. Você vê alguma relação entre moda e gastronomia? Em ambos os campos vivemos de fornecer respostas a desejos e necessidades. As pessoas precisam comer para viver e se vestir para viver em sociedade. Mas o que elas buscam, tanto numa roupa quanto num restaurante, no meu modo de entender, é muito mais do que isso. São desejos não expressos, que incluem coisas como bem-estar, aconchego, conforto… Se você souber usar bem suas ferramentas, estará fornecendo essas coisas tão intangíveis, mas tão fundamentais para a felicidade cotidiana. Gastronomia segue tendência? Sem dúvida. E aí temos dois lados: um negativo que diz respeito a modismos mesmo, montagens extravagantes, repetições sem imaginação, cópias de cópias e por aí vai. E outra positiva que é o uso de produtos orgânicos, sus-

63


tentáveis, socialmente responsáveis, redução de níveis de sódio, lactose etc. A melhor maneira de identificar uma tendência “do bem” na gastronomia é conferir com as melhores tendências da sociedade de modo geral. Você pode se perguntar: é natural? É orgânico? Respeita o homem e o ambiente? É socialmente justo? E aí, começa a ter mais do que uma tendência – um caminho. Acho que vale para a gastronomia, para a moda, para tudo. Como surgiu e o que foi desenvolvido na parceria com a KLM? Fomos procurados pela empresa que trouxe um ingrediente fundamental pra gente: um desafio. O de colocar em prática o que produzimos aqui todos os dias, considerando dificuldades e especificidades próprias do mundo deles. A ideia de “levar nossa cozinha para os ares” brilhou os olhos de todo nosso pessoal. A partir daí, foi

64

um aprendizado maravilhoso, com o pessoal incrível das cozinhas de Guarulhos, superação de desafios, enfim, uma bela aventura. O melhor de tudo foi quando embarcamos, eu, Ligia e as crianças agora para a Holanda para ver nosso trabalho nas alturas. E a KLM, preciso registrar, é uma empresa de excelência, que busca sempre fazer o melhor, e isso nos uniu bastante. Parcerias como essa são importantes para o business hoje? Existem outras a caminho? Acho que essas parcerias servem, principalmente, de inspiração para todos. Para o pessoal envolvido, para os públicos que elas atingem... Quando você junta marcas com os mesmos valores tende a fazer algo importante e inspirador. Nós somos consultados com alguma frequência e estamos estudando com carinho – e juízo! – esses novos desafios.


65


Seguindo o ditado “menos é mais”, o Mondrian em Miami Beach, Flórida, se firma como um dos mais descolados hotspots da cidade americana. Com projeto arquitetônico assinado pelo holandês Marcel Wonders, o hotel abriga em suas dependências além dos apartamentos (os quartos são na verdade mini flats), bares, restaurante, spa e uma das piscinas mais disputadas da Biscayne Bay.

O FUTURO É

branco Hotel Mondrian em Miami Beach mostra que design arrojado também pode ser muito funcional Por Mário Araujo, de Miami

Entrada

Minimalista, o branco é a cor que predomina na decoração dos espaços, tendo as outras cores como contraponto dramático. No amplo hall, por exemplo, a escada preta dita o tom, assim como os sinos dourados na entrada e próximo ao bar. Nos quartos, papéis de parede, azulejos, carpetes etc. têm essa responsabilidade em uma versão bem artsy. Além do branco permanente que traz um ar superfuturista ao hotel, uma boneca com feições orientais parece acompanhar você desde a entrada até os quartos – ela está sempre flutuando sob um fundo infinito. Móveis assinados por designers como Philippe Starck também ajudam nesse sentido.

Piscina

Para entender melhor do que estamos falando, venha dar uma voltinha com a gente!

Recepção

Bar Lobby

Sinos dourados dão as boas-vindas na entrada do hotel, seguidos pela cabeça de boneca e uma recepção repleta de pratos brancos, que, iluminados por trás, possuem uma textura bastante interessante. A escada preta dá o tom dramático ao hall branco. Ela também tem a função de separar virtualmente o bar da área do restaurante. A piscina do Mondrian, que conta com música alta todos os dias até às 3h da manhã, é um dos hotspots da cidade. Tapetes persas dão o tom da decoração que é completada por móveis brancos.

66

Escada

Fotos gigantes de cavalos criam um ambiente surrealista nos elevadores do prédio.


DESIGN

Banheiro

Fotos: Divulgação

Sala do quarto

Spa

Quarto

Um corredor sombrio leva o hospede até seu quarto. Para a surpresa geral, o quarto é um apartamento, com sala, cozinha, quarto e banheiro, além de uma incrível varanda. Assim como todo o hotel, a decoração é minimalista e caprichada nos detalhes, tanto como se pode ver nos azulejos da cozinha, no chuveiro de cristais do banheiro, no tapete torto da sala e do quarto e nas peças de Philippe Starck, como nas cadeiras da varanda.

Cozinha do quarto

67


PARAÍSO ENCANTADO

Com águas turquesas e vibe natureba, Tulum é o local ideal para se desintoxicar das grandes cidades com charme e estilo Texto e fotos Rafael Vita, de Tulum

Há algumas temporadas, a cidade de Tulum, na Riviera Maia, no México, atrai uma legião de fashionistas em busca de sombra e água fresca. Não é para menos, a pequena vila próxima a Cancún (120 km), um dos destinos mais visitados do país, tem tudo que esses clientes tão especiais buscam – exclusividade e excentricidade. Erguida a partir das ruinas conhecidas como Tulum, uma antiga cidade maia muralhada – as ruínas continuam lá e são incríveis –, os 20 km de praias que compõe o destino reúnem pequenas pousadas, lojas, bares... Tudo segue uma pegada eco-friendly, com centros de yoga e comidinhas orgânicas. A Índia é o grande referencial e povoa tanto a decoração como os menus de vários dos muitos restaurantes que oferecem opções supersimples e saudáveis a preços iguais aos dos mais badalados hotspots de Nova York. Falando em preços, nada em Tulum é barato, mas isso não parece ser um problema para os descolados habitués, como a modelo Cara Delevingne, o cantor e ator Jared Leto, as atrizes Reese Witherspoon e Cameron Diaz, entre tantas outras celebridades, que marcam presença verão depois de verão fazendo com que o “balneário” fique cada vez mais bombado. Papaya Playa Hotel

68


TRAVEL

Caravana Montaecristo

Com um design orgânico e peças fabricadas em materiais naturais, sem muita adição de produtos químicos, a Caravana é uma daquelas lojinhas você tem vontade de levar tudo, mesmo sem saber direito onde vai usar peças tão soltas e fluidas. Na boutique, há de tudo um pouco, de roupas a objetos de decoração e acessórios. caravanamontaecristo.com

La Troupe

Outra marca descoladinha com loja em Tulum destaca-se por ter todos os produtos feitos à mão. São vestidos, bolsas, batas, etc. A maior parte das peças são em algodão cru com bordados que lembram o artesanato local, mas estão longe de possuir cara de lembrancinha de feira hippie. latroupe.com.mx

Gitano

São muitos os cafés/bares fofos que ficam na estrada (aka avenida principal do pueblado para os turistas) logo depois dos prédios à beira mar. O Gitano é um deles, com djs comandando um lounge delícia, as mesinhas em espaço aberto são iluminadas por velas. Ótimos drinks de mezcal e comidinhas típicas da região com uma pegada gourmet fazem a alegria dos visitantes. gitanotulum.mx

Zona Arqueológica de Tulum

Encontrado no século 19 completamente abandonado, o sítio arqueológico de Tulum, antiga fortificação ou cidade mercante maia, pode ter sido construída entre os séculos 12 e 15. Alguns prédios ainda estão lá. Sem contar a vista para o mar turquesa do Caribe, que é incrível. Destaque para as centenas de iguanas que habitam a localidade e vêm até a mão do visitante para comer flores de hibiscos.

Papaya Playa Hotel

Formado por 80 cabanas construídas em madeira, que podem ter vista para o mar ou não, o design hotel é ideal para aquele viajante que quer relaxar e se distanciar um pouco do que está acontecendo no mundo. Com spa, tratamentos de beleza, aulas de yoga etc. Além isso, o complexo conta com um incrível restaurante que tem como a assinatura uma cozinha maia e mexicana com ingredientes locais e sazonais. papayaplayaproject.com

69


VERÃO 2015

15

20 70

stage Foto: back da le sfi de do Givenchy

Foto: Givenchy

o ã r e V

o apresentaçã a primeira e tr en l es a n es io rnac de cinco m lendário inte ca o d Com um gap io íc e in d o gran São Paulo e esco e com nacional em vem forte, fr 5 01 2 tecido o o rã m rk, o ve ge co em Nova Yo denim emer O . 70 19 m moda ascu dos anos semanas de influência as E e a. u d q ra o tes d da tempo e importan “must have” mais fortes o tã es traz um e u A q D am E X TIL MO T a lina confirm , as in ág s naciopróximas p as passarela n r o h el nunca. Nas m e as lou d erá povoar to do que ro certeza, dev guia comple m co e, u q e !!! acionais m a gente nais e intern . Vem co es es m s o xim lojas nos pró


VERÃO 2015 - SPFW

O start do verão 2015 foi dado em São Paulo no dia 31 de março. Durante os cinco dias do evento, algumas das marcas mais importantes do país mostraram as suas criações. Como o cenário econômico atual pede, nada de muita ousadia ou loucurinha fashion, que já foi a marca do evento com grifes superconceituais explorando conceitos de vanguarda, mas uma moda comercial fresca, que deve agradar aos consumidores e, de certa forma, inspirar marcas menores em todo o país. De tudo o que foi apresentado, deve aparecer com força:

são paulo

Oportunidade

Tramas: Animale (acima) Saia: Alexandre Herchcovitch (abaixo)

Metalizado: Forum (acima) Florais: Patricia Motta (abaixo)

Maxi brincos: Lolitta (acima) Casaco: Pedro Lourenço (abaixo)

Fotos: Agência Fotosite

Transparência: Vitorino Campos (acima) Denim: Lilly Sarti

Assim como já acontece mundo afora e é bastante saudável para eventos de grande porte, a SPFW está abrindo terreno para marcas que dialogam com moda usarem essa plataforma poderosa que é o evento. Lilica Ripilica e Melissa apresentaram suas coleções no evento.

Para pensar Enquanto as grandes cidades do mundo como Nova York, Paris, Milão e Londres fazem das semanas de moda um acontecimento para promover a cidade, São Paulo cada vez mais exclui e diminui o poder da mesma para catapultar a imagem da capital paulista. A SPFW pede eventos paralelos e um calendário cultural que possa complementar a maratona de desfiles e fazer da semana um verdadeiro acontecimento fashion. 71


VERÃO 2015 - MINAS TREND

Cada vez mais forte, o Minas Trend pode não ter a quantidade de desfiles do SPFW, nem a bossa do Fashion Rio, mas com certeza é o evento mais original e ousado do Brasil no momento. Sabiamente, apostou em um formato plural, como o mundo atual pede, misturando apresentações, com palestras, rodadas de negócios etc. Assim, há espaço para todos. O bom resultado já chamou atenção das grandes semanas de moda, que vez ou outra levam estilistas de seu line up para outras bandas. Ammis

belo horizonte

Mabel Magalhães

Plural

Faven

GIG

Anne est Folle

Solta o som Mary Design

Vivaz

Áurea Prates

Fabiana Milazzo

Lucas Nascimento

Para quem gosta de show, o Minas Trend é parada obrigatória. Logo na abertura, um grande desfile é montado com peças de vários estilistas para dar as boas-vindas aos participantes do evento. A ideia é bastante interessante, pois supre a vontade de desfile daqueles que estão no evento com outros objetivos, deixando as apresentações mais técnicas apenas para os interessados no assunto.

Fotos: Agência Fotosite

72


VERÃO 2015 - FASHION RIO

Bordados: Victor Dzenk

Denim: Espaço Fashion

Se moda também é reflexo de um comportamento, no Fashion Rio ela se apresenta na sua melhor forma e muito alinhada aos moradores da cidade maravilhosa. Lá faz calor, muito! Então a montação tem que ser sob medida e seguir o caráter easygoing da localidade que já virou material de exportação do Brasil e garantia de sucesso de muitas marcas nacionais. Bastante comercial e estampada, como esperada, a semana de moda carioca trouxe tudo aquilo que a gente já conhece e de que gosta muito. Veja os destaques:

Fotos: Agência Fotosite

rio de janeiro

Florais: TNG

Tops: Osklen

Sem salto: Filhas de Gaia

Midi: Alessa

Pantalona cropped: Cantão

73


Fotos: Agência Fotosite

VERÃO 2015 - CASA DE CRIADORES

Ap 401

Weider Silvério

Luiz Leite

Juss

Nosotros

Gustavo Carvalho

Rober Dognani

Igor Dadona

Um dos poucos eventos destinados a jovens designers no Brasil, a Casa de Criadores se mantém fiel como incubadora para os novos talentos. Em sua 35ª edição, tomou a Galeria Prestes Maia no centro de São Paulo, mostrando que moda tem que se integrar à cidade porque é uma das formas mais fortes de expressão do ser humano. Como um evento tão vital como esse não vive sem patrocinadores e apoiadores, destacamos aqui quem fez parte dessa edição. Patrocinadores: Cravo & Canela, Lectra, Phebo Maquiagem e Senac. Apoio institucional: Abit, Apex Brasil, Museu da Cidade, Governo do Estado de São Paulo, Prefeitura de São Paulo e Texbrasil. Outros apoiadores: Associação Fernanda Bianchini, Chilli Beans, Laramara e Vicunha. Confira aqui o que mais chamou a nossa atenção.

74

Alê Brito

Jadson Ranieri

Danilo Costa

Gefferson Vila Nova

são paulo

Trendt

Felipe Fanaia


VERÃO 2015

Cabelo: o ar descuidado do cabelo, do tipo lavou e saiu, dá um ar fresco e bastante jovem, mostrando que é possível ser rebelde sem ser desalinhado.

TON SUR TON: a composição de azuis, além de dar unidade ao look, deixa-o mais composto. A camisa, que poderia ser branca, não briga com as demais peças da composição.

Hit das passarelas masculinas verão 2015, o denim passou de “calça jeans” a tecido nobre e superbadalado. As mais diferentes versões do tecido e acabamentos foram mostradas nas passarelas de Londres, Milão e Paris. Aqui, a gente disseca um dos looks da apresentação da Dior Homme por Kris Van Assche na cidade luz. Confira!

OUTFIT: o costume ganha novo material, o denim. Paletó e calça sofrem diferentes lavagens e tornam-se produtos distintos. O acabamento fica por conta da estamparia, que dá unidade ao conjunto.

Por Mário Araujo

Foto: Divulgação

CALçAS: mais claras que o paletó, trazem um ar retrô e cool. Na Dior Homme, os modelos não são tão justos, mas também não são folgados, seguindo as proporções de uma calça social elegante. A barra dobrada revela uma meia branca, chamando a atenção para o calçado. SNEAKERS: nos pés, tênis. O calçado que vem se tornando cada vez mais fashion depois de cruzar a passarela de alta-costura da Chanel parece ter chegado ao masculino. Aqui, funciona bastante!

75

75


VERÃO 2015 - SEMANA DE MODA MASCULINA

londres, milão e paris

Nunca a Semana de Moda Masculina fez tanto barulho no

Brasil como na última temporada verão 2015, que aconteceu em julho. Muitos desfiles foram comentados à exaustão e muito se falou dos looks de influência feminina ou que facilmente poderiam ir para o guarda-roupa das mulheres. A TEXTIL MODA deu uma varrida geral nos arquivos, e estudou look por look e selecionou aqueles que acredita que falam por si só. Também, para não perder o costume, fez uma listinha das principais tendências, confira:

76

Christophe Lemaire

Valentino

Saint Laurent

Prada

Ermenegildo Zegna

Moschino

Junya Watanabe

Issey Miyake

Dior Homme

Fotos: Divulgação

Walter Van Beirendonck


Christopher Kane

Burberry

Christopher Kane

Craig Green

4 coleções masculinas para buscar inspiração para o feminino • J. W. Anderson • Jil Sander • Valentino • Alexander McQueen

Trend alert Londres • branco • amarelo • suéteres listrados • calças amplas • denim

Givenchy

J.W. Anderson

Louis Vuitton

Fotos: Divulgação

Dolce Gabbana

Milão • creme como a cor do verão • todos os tons de azul • color block • denim • silhuetas mais amplas Paris • casacos em cores vibrantes • tênis branco • denim • calças de pijama • macacão • estampas gráficas marcantes

MSGM

Raf Simons

Valentino

Versace

77


VERÃO 2015 - NYFW

nova york

de Nova York deu início ao calendário internacional fashion que se estenderia por todo o mês com apresentações nas principais capitais do mundo. Como Movimento: Rodarte

grande tema ou mood que permeou as apresentações, estava os Estados Unidos. Grande parte dos estilistas olharam para o próprio país e trouxeram a sua interpretação do american way of life. Como sempre, infinitas New rave: Marc by Marc Jacobs

foram as apresentações, de marcas gigantes a novos players. A seguir, vontades que se mostraram fortes na primeira das grandes semanas internacionais.

Sobreposição de longos: Victoria Beckham

Anos 1990: Michael Kors

Fotos: Divulgação

American way: Oscar de la Renta

No dia 04 de setembro a Semana de Moda

Cintura alta + cropped: Alexander Wang

Casacos leves: Peter Som

Camurça: Jason W

Franjas: Proenza Schouler

Osklen nas américas A grife carioca que pulou a SPFW e só apresentou no Rio de Janeiro uma coleção cápsula chamada de Osklen Praia levou à NYFW uma coleção forte, com DNA brasileiro e bastante estampada. O masculino, que é carro chefe da marca, ficou de fora dessa apresentação que busca posicionar a grife entre os grandes nomes internacionais.

78

Osklen


VERÃO 2015 - LONDON FASHION WEEK

Roksanda

Preen

Paul Smith

Mary Katrantzou

Joseph

Antonio Berardi

J. W. Anderson

Jonathan Saunders

Hunter Original

Erdem

Christopher Kane

Burberry

londres

A Semana de Moda de Londres é um pouco parecida com a

Fotos: Divulgação

Casa de Criadores. É a prima pobre das fashions weeks e fica espremida entre as grandonas que comandam o jogo, mas é lá que jovens designers e estilistas mais criativos têm espaço para mostrar suas criações sem serem muito julgados pelo mercado. A edição verão 2015 não foi diferente! Confira nossa seleção:

79


VERÃO 2015 - MILAN FASHION WEEK

milão

1970 mood: Gucci

Metalizados: Fausto Puglisi 1970 mood: Pucci

Denim: Gucci

Denim: Fendi

Cintos: Salvatore Ferragamo

Brilhos: Versace

Amarrações: Sportmax

Denim: Prada

Fotos: Divulgação

80

Mais uma vez a Gucci dita o mood da temporada italiana. A marca conseguiu de forma impressionante resumir em seu desfile todas as tendências da temporada. Feito incrível, uma vez que ela é a grande marca do primeiro dia de shows. Estava em seu desfile a tão inspiradora década de 1970, o denim, o sexy, as amarrações... Milão essa temporada deixou um pouco toda a sua formalidade e seu DNA festa e foi mais casual. Vem com a gente dar uma olhada nas principais vontades.


VERÃO 2015 - PARIS FASHION WEEK

Colarinhos altos: Dior

Vazados: Balenciaga

Florais retrô: Céline

Optical prints: Balmain

Fotos: Divulgação

1960 mood: Loewe

Retrô: Lanvin

1970 mood: Louis Vuitton

Denim: Chloé

Lenço: Givenchy

Rendas: Valentino

paris A cidade luz está mais na moda que nunca. A dança das cadeiras dos grandes estilistas deu um fôlego novo à moda de Paris, tornando-a o destino mais fashion do circuito internacional, além de ser a última parada. Aqui, todos querem saber o que Chanel, Dior, Louis Vuitton, Givenchy, Lanvin, Balenciaga, entre tantas outras grandes grifes vão colocar na passarela. Durante as semanas de moda, Paris literalmente é uma festa!

81


EXPEDIENTE | Edição 6 – Nov 2014 – Jan 2015 A TEXTIL MODA é uma publicação da R. da Silva Haydu & Cia. Ltda. Inscr. Est. 104.888.210.114. CNPJ/MF 60.941.143/0001-20. Projeto Editorial: Mário Araujo Projeto Gráfico: Mariana Eller Presidente executivo: Ricardo da Silva Haydu Diretora de redação: Clementina A. B. Haydu (MTB 0065072/SP) Editor chefe: Mário Araujo Editora de Arte: Mariana Eller Editor de Arte: Fernando Tucunduva Revisão: Débora Donadel

MODA

guia da Textil

Adidas (11) 5546–3700 À la Garçonne (11) 2364-3280 American Apparel (11) 3894-3888 Coca-Cola Jeans (47) 3247-3024 Colcci (47) 3247-3000 Converse converseallstar.com.br Coven (31) 3273-5055 Espaço Fashion (11) 5181-2334 Forum (47) 3390-5504 Hering 0800 473 114 Juliana Gevaerd (11) 3891-1396 Maria Filó (11) 3031-3225 Minha Avó Tinha (11) 3801-4124 Nike (11) 3068-0044 Vitorino Campos (71) 3234-4196 Triya

82

(11) 3032-7133 Pandora (11) 3033-9917 Oh, Boy! (11) 3062-0533 Skazi (31) 3314-1050

Representantes Comerciais Europa – International Communications Inc. Andre Jamar 21 rue Renkin – 4.800 – Verviers – Belgium +32 87 22 53 85 andrejamar@aol.com Ásia – Buildwell Int. Co. Ltd. 120, Huludun, 2nd St., Fongyuan, Taichung Hsien – Taiwan 42086 – R.O.C. +886 4 2512 2372 Coreia – Jes Media International 6th Fl., Donhye-Bldg. – 47-16, Myungil-Dong Kandong – Gu – Seoul 134-070 +882 481 3411/3 Argentina – Ecodesul Av. Corrientes, 3849, Piso 14º OF.A. Buenos Aires, Argentina + 54 1 49 2154 Órgão Oficial das entidades

The North Face (27) 2127-4792 TopShop (11) 3152-6002 Triton (11) 3085-9089 Uma (11) 2476-7060

BELEZA

Chanel 0800 646 4064 M.A.C 0800 892 1695 Maybelline 0800 727 5626 O Boticário 0800 413011 Sephora Collection (21) 3543-5949 Shu Uemura shuuemura-usa.com Tangle Teezer (21) 3543-5949

Redação e Administração Rua Albuquerque Lins, 635, 4º andar, Santa Cecília São Paulo – SP – Brasil – 01230-001 +55 11 3661 5500 textil.moda@revistatextil.com.br www.revistatextil.com.br Publicação trimestral com circulação dirigida às confecções, tecelagens, malharias, beneficiadoras, varejo em geral, universidades e escolas de moda, além dos interessados em informação de qualidade. Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem, necessariamente, a filosofia da revista. A reprodução total ou parcial das matérias desta revista depende de prévia autorização da Editora. Redação Releases, comentários sobre o conteúdo editorial, sugestões e críticas. textil.moda@revistatextil.com.br Publicidade Anuncie na TEXTIL MODA e fale diretamente com o leitor mais qualificado do setor têxtil e varejista. revistatextil@revistatextil.com.br Assinaturas Para assinar a TEXTIL Moda ou outras publicações da editora: assinatura@revistatextil.com.br


83


behype.com.br

COLEÇÃO PLATINUM Intense Blue - renovação da tradição | Turquoise Dye - inovação e exclusividade 84

TEXTIL MODA # 6  

TEXTIL MODA # 6 - Brazilian Fashion Magazine - The inspirational Magazine - A place where designers, retailers, opinion leaders, consumers,...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you