Page 1

NÊSPERAS DE BORBA

» página 6

Publicação quinzenal I Propriedade: Mediaborba, Lda. I Director: David Guégués

INAUGURAÇÃO DAS PISCINAS DESCOBERTAS DE SOUSEL » página 3

Ano XIX I Nº. 499 I 27 de junho de 2013 I Preço (IVA incluído): 0,50 euros I terrasbrancas@net.sapo.pt

NÚCLEO MUSEOLÓGICO DA ALFAIA AGRÍCOLA REABRE EM NOVAS INSTALAÇÕES

» pág. 2

MUNICÍPIO DE BORBA PRETENDE VALORIZAR O CAMPO DA BATALHA DE MONTES CLAROS » pág. 6

ENCONTRO DE POETAS POPULARES EM BORBA

» pág. 7


2

Ano XIX I Nº. 499 I 27 de junho de 2013

» Editorial Uníssono » David Guégués Ao longo da história universal, por diversas vezes, Portugal contribui-o, duma forma bem palpável, para alterações a nível social que se repercutiram até aos dias de hoje. Atualmente, também a nível mundial, carecemos que se implementem novas regras e se desenvolvam, na prática, uma nova ordem de valores, pois, somente o que manda e coordena toda a vida no planeta é uma única força, já que, esta, comeu, digeriu e defecou todos os valores positivos que, durante milénios, foram, pelo menos, um objetivo da humanidade, ou seja, tão somente, viver e ser feliz nesta curta passagem. O dito mandante, senhor onipotente, não mais é que o poder monetário, seja qual for a sua cor ou forma (dinheiro, das mais variadas cores e formas, diamantes, de sangue ou não, ou, qualquer arma seja qual for a sua natureza) e, chegou ao cumulo, de ser uníssono tanto de Deus como do Diabo. Sempre há que fazer uma revolução, a nível moral (inexistente nesta altura), com força e urgentemente.

NÚCLEO MUSEOLÓGICO DA ALFAIA AGRÍCOLA REABRE EM NOVAS INSTALAÇÕES

III EDIÇÃO DO «FESTIVAL TERRAS DO ENDOVÉLICO» Nesta terceira edição do «Festival Terras a obra «O Tempo dos Deuses – A Nova Carta do Endovélico», a decorrer de 5 a 7 de Julho, Arqueológica do Alandroal», (dia 6 às 12h30), e o Alandroal vai recuar 2000 anos no tempo também o projecto do «Centro de Interpretação e o interior do Castelo da sede do Concelho, do Endóvelico”, no (dia 7 às 12h00), que a recentemente requalificado, servirá de cenário Autarquia pretende construir em Terena e que constituirá o futuro Museu a recriações históricas dedicado a esta divindade com a cor, os sons e pré-romana. a animação de alguns Visitas guiadas momentos marcantes à Rocha da Mina e da vida na “Lusitânia a S. Miguel da Mota, Romana nos Tempos do completam um programa Endovélico”. onde a cultura, a ciência, a Assim logo no dia gastronomia e as tradições 5 de Julho pelas 22h, locais se misturam com o também no Castelo, está imaginário do Endovélico, prevista a estreia do num dos momentos mais documentário “Por Terras fortes da afirmação da do Endovélico”, do famoso identidade cultural do realizador José Meireles, Concelho. dedicado ao património Destaque ainda para arqueológico, cultural e o concerto do fadista etnográfico do concelho, “Camané”, no sábado à projecto financiado por noite, a decorrer no interior fundos comunitários e do castelo (entrada livre). com o apoio da Entidade Para mais informações pode consultar a página Regional de Turismo do Alentejo. Ao longo dos três dias irá ainda decorrer, no de internet do Município de Alandroal, em www. Fórum Cultural Transfronteiriço do Alandroal, o cm-alandroal.pt ou, em alternativa, utilizar os Congresso Científico «Por Terras do Endovélico telefones 268 440 040 e 268 440 045. – Território e Cultura, Caminhos da Identidade» que irá juntar investigadores nacionais e internacionais e todos os interessados na temática. Em paralelo com o Congresso e também no Forúm Cultural Fernando Esteves Lameira Transfronteiriço, é apresentada uma exposição de peças originais do espólio do Endovélico, AGRADECIMENTO encontradas em S. Miguel da Mota (Terena) as quais integram neste A família agradece muito reconhecidamente a todas as pessoas momento as colecções do Museu que se dignaram acompanhar o funeral ou que de qualquer forma Nacional de Arqueologia, parceiro manifestaram o seu pesar. do Município neste Evento. No decorrer do Congresso e com entrada aberta a todos os Pedimos desculpa pelo lapso no número anterior, no qual o interessados será apresentada nome estava incorreto.

Abriu no passado dia 25 de junho as “Reservas Visitáveis” do Núcleo Museológico da Alfaia Agrícola ao público num pavilhão junto aos antigos Silos da EPAC, em Estremoz. Há cerca de nove anos que o Núcleo Museológico da Alfaia Agrícola, encerrou por motivos de segurança. Após um vasto programa de intervenção, com uma conservação curativa, restauro e limpeza profunda, o acervo vai abrir novamente, para que os Estremocenses e demais visitantes possam fruir de uma das mais interessantes e relevantes coleções do antigo mundo rural existentes no nosso País. A dimensão do acervo do Núcleo Museológico da Alfaia Agrícola e a exiguidade do espaço atual, exigiram uma nova abordagem metodológica de apresentação das coleções existentes. Na impossibilidade de recriar ambientes de trabalho agrícola, que seria a solução ideal, optou-se por concretizar a ideia de uma “Reserva Visitável”. Assim, o espaço foi ocupado pelas peças de uma forma sistemática, por tipologias organizadas em categorias e subcategorias, com as respetivas denominações. Este princípio de apresentação, além de uma melhor arrumação, permite essencialmente observar as diferenças entre peças da mesma categoria, subcategoria, denominação e função, ajudando igualmente a compreender a sua evolução técnica e histórica.     O acervo ainda não se encontra totalmente recuperado, havendo ainda muito trabalho a ser desenvolvido, mas este será efetuado ao longo dos próximos meses, dando-se, assim, continuidade ao estudo e catalogação das peças. As visitas poderão realizar-se de terça a sábado, com entrada gratuita, das 09h00/12h30 e das 14h00/17h30. A partir de setembro, com o início do novo ano escolar, será possível realizar visitas guiadas, com marcação prévia nos Serviços Educativos do Museu Municipal, através do número de SEDE: Av. do Povo, 48 a 52 - 7150 BORBA – Telefs.: 268894218 – 268894644 – Fax: 268894644 borba@creditoagricola.pt telefone 268339219 ou email animacao.museu@cm-estremoz.pt. DELEGAÇÃO: Rua Combatentes Ultramar, 30 – Telef./Fax: 268801493 RIO DE MOINHOS


Ano XIX I Nº. 499 I 27 de junho de 2013

3

SUNSET POOL PARTY EM ESTREMOZ EDITAL ------- Jerónimo João Pereira Cavaco, Presidente da Assembleia Municipal de Borba, torna público, que nos termos do nº 1 do art.º 49 da Lei 169/99 de 18 de Setembro, (alterada pela Lei nº 5-A/2002, de 11 de Janeiro), terá lugar no Salão da Casa do Povo de Santiago Rio de Moinhos, uma Sessão Ordinária da Assembleia Municipal, pelas 21.00 horas do dia 28 de junho de 2013.

------Para conhecimento geral se pública o presente edital e outros de igual teor que vão ser afixados nos lugares públicos do costume-----------------------------------------

Borba, 17 de junho de 2013 O Presidente da Assembleia Municipal (Dr. Jerónimo João Pereira Cavaco)

Praça da República - 7150-249 Borba I Telef.: 268 891 630 I Fax: 268 894 806 I www.cm-borba.pt I gap@cm-borba.pt

INAUGURAÇÃO DAS PISCINAS DESCOBERTAS DE SOUSEL A inauguração das piscinas descobertas de Sousel, agendada para a tarde de 22 de Julho, ficou assinalada com a atuação da fanfarra dos bombeiros voluntários de Sousel e do grupo de dança “Crazy Dance” , para além de demonstrações de classes de natação. As piscinas descobertas de Sousel, eram desde há muito tempo, uma aspiração dos Souselenses. Foi mais uma obra realizada no Concelho, cujo objetivo, além de ser uma área de Lazer, pretende ser também uma resposta à ocupação e fixação de pessoas no Verão, criando assim um local de divertimento, aprazível para quem dele usufrui. O projeto apresenta uma área de intervenção de 4.455m2 e contempla duas piscinas, uma para adultos e outra para crianças, num total de 442m2 de espelho de água, envolvidos por áreas relvadas com sombreamento. Largas dezenas de pessoas marcaram presença na inauguração, que aproveitaram um dos dias mais quentes, deste começo de verão, para se refrescarem. O Presidente Armando Varela, também ele não fugiu à regra e inaugurou a piscina com um mergulho inesperado, que causou muito boa disposição ao autarca, bem como a todos os que assistiam. Sousel é assim o último dos 15 Concelhos do Alto Alentejo, a proporcionar aos seus munícipes, um espaço mais fresco para os dias cálidos que marcam o verão Alentejano.

As piscinas exteriores do Parque Desportivo Municipal de Estremoz vão abrir ao público, no próximo dia 30 de junho, pelas 10h00, dando assim início à época balnear do verão de 2013. Integrada nesta reabertura, irá realizar-se uma Sunset Pool Party, das 15h00 às 22h00, que contará com a animação musical dos DJ Silver Soul, Gonçalo F., Foksen e Santy, bem como com atividades lúdicas e recreativas, designadamente, insufláveis infantis, um Torneio de Futebol de Praia 3X3 (inscrições 964108247) e uma aula de Bodycombat realizada pelo ginásio Point Fit (18h00). Esta iniciativa é uma organização da Câmara Municipal de Estremoz e de Cara Linda Produções.

MARCHAS POPULARES EM ESTREMOZ Vão realizar-se no próximo dia 29 de junho, pelas 21h30, as Marchas Populares em Estremoz, no Bairro dos Casais de Santa Maria. Nesta iniciativa popular vão participar os seguintes grupos: - Marcha Juvenil do Município de Estremoz: “Estremoz tem mais encanto”; - Marcha “Ginarte/Academia Sénior”; - Marcha “Traquinas”; - Marcha “Tänzer”; - Marcha da Sociedade Filarmónica Luzitana; - Marcha de S. Miguel de Machede; - Marcha da Azaruja. O desfile irá começar junto às Portas de Santa Catarina e os marchantes seguirão para o Bairro dos Casais de Santa Maria, local onde cada grupo apresentará a sua atuação. Esta iniciativa é uma organização da Junta de Freguesia de Santa Maria – Estremoz, com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz.


4

Ano XIX I Nº. 499 I 27 de junho de 2013

» Opinião

SEM CULPA FORMADA

Joaquim Henrique Coimbra Rodrigo

Era uma vez um país que nasceu do «condado portucalense» que mais tarde registou no mapamundo este nobre e eterno país, Portugal! Séculos depois (o poeta só podia estar a fingir!) disse ser «um jardim à beira mar plantado» deixando na mensagem «que muito do seu sal, são lágrimas de Portugal…» Foram muitos os príncipes, os reis, as rainhas que governaram ou desgovernaram esta Pátria, que foi de Camões, que foi de Pessoa que foi sobretudo de um Povo que tinha um fado na sua génesis que os poetas perpetuam e, a voz de Amália levou a todos os cantos do mundo…? Mas como a terra é esférica, tudo pode não ter passado de uma epopeia de fantasia e, a grandeza de outrora vista de agora, nos parece de uma outra dimensão, obra de outros deuses, de outras e deusas, enfim de outros homens, de outro Povo. Heresia patriótica ou simplesmente delírio provocado pela febre de tanta mediocridade! Sim porque isto de ser medíocre dá febre e não existe antipirético que a faça descer. Ao longo destes mais de 800 anos de uma história feita de grandezas e misérias, a nação criada por Afonso Henriques, sofreu golpes profundos no seu orgulho, na sua dignidade: períodos de fome, períodos de guerras, períodos ostentação e riqueza, períodos a fingir que éramos «Pátria de aquém e alem mar», e sobretudo a fantasia de sermos um Império muito para além do mar. África a servir de almofada financeira para alimentar um tesouro nacional da nossa sempre débil economia nacional. Da Monarquia à Republica vai um passo, aonde se mudam as moscas mas a «merda» parece continuar …Nasce o Estado Novo e o sonho do Império que outrora foi de marinheiros por mares nunca antes navegados, é agora uma lança a direccionar ao coração da África para explorar os nativos do continente aparentemente pobre mas que tem nas entranhas muito tesouro cobiçado… O comando da nau que talvez um Velho do Restelo que por capricho do destino, coube ao anónimo professor universitário António Oliveira Salazar que ao contrario de um outro, não veio do Canadá, mas sim de Santa Comba Dão e, nem tão pouco evocou «divida de gratidão» para com o Povo que aclama «o melhor Povo do mundo». O primeiro jurou salvar a economia do país com o «orgulhosamente sós» e contra ventos e marés -justiça lhe seja feita – cumpriu a palavra! Dirão alguns e não serão poucos, criminosamente pois sacrificou filhos desta nação nobre e valente, regando com o seu sangue os terrenos em terras alheias…Para mim que todas guerras são injustas mas que algumas se servem delas para dar corpo ao sonho, afirmam convictamente que são aqui «iluminados de Deus» e as classificam de «santas»!!!! Mentiras piedosas que a Igreja quase sempre abençoa com a sua falsa agua benta…. Mas este é outro rosário. O segundo que me faz lembrar o desenho animado Um fantasma chamado Gasparzinho quando resolve aparecer, ressuscita muitos fantasmas que andam por pairando a brincar às escondidas, não com as criancinhas, mas sim com os homens que labutam árdua mente não para viver, mas sim para sobreviver!

Veio de longe. De humanismo aparenta nada saber… Tecnocrata nas teorias da ciência económica vai aplicando receitas de austeridade em doses impiedosas mas pior que isso selectivas: tirar aos pobres para dar aos ricos porque o fantasma capitalista segredou – lhe ao ouvido que esta é uma nação de gente malandra, improdutiva e que ganha salários «ronaldescos». Teimoso que nem mulas daquelas que os meus avós usavam na lavoura que nunca seguiam ao rego, porque tal como as bestas, parece trazer do Canadá um entre olhos que não o deixa olhar para os lados e, a visão quando no é global ou é doença ou pura miopia cerebral. Não sendo esta Nação uma monarquia, tem palácios; num deles mora alguém que o Povo também num período febril (que nos tira a lucidez e nos faz delirar), elegeu o Presidente no qual depositou a confiança e a esperança que este cumprisse e fizesse cumprir a Constituição da Republica. Não esperava este Povo que outro professor viesse ressuscitar do baú da história a figura Bíblica Pilatos, o Governador da Judeia. Quando Pilatos que tinha nas mãos o destino de Jesus e, para ser politicamente correcto (já esta figura existia naquele tempo), pensou ardilosamente em colocar frente a frente ao julgamento do Povo, um inocente e um bandido bem conhecido e perigoso (Barrabás); convencido estava que o Povo lhe iria facilitar a tarefa… Porém tudo aconteceu ao contraio e, o Povo gritou para se crucificar o Inocente e soltar o criminoso!!!! Temendo agitação e por covardia politica mandou trazer bacia e toalha e proferiu as palavras que ficaram para a historia dos que tem medo do Povo: -Lavo daqui as minhas mãos …. Eis aqui o homem! Aníbal Cavaco e Silva o professor eleito Presidente sem bacia, nem toalha mas que perante o calvário do Povo que caminha penosamente para a crucificação final, limita-se do alto da sua postura altiva e cínica a lamentar, sem nunca actuar …O Povo sem culpa formada, vai morrer no alto da sua cruz que ao contraio de Jesus, nunca lhe perdoará! Entretanto os «príncipes» que de perfeitos nada tem, que nada sabem de Alcácer Quibir, vão morrer por cá e talvez, de vez acabem com a lenda de El-Rei – D. Sebastião que já nos faz sonhar e sofrer sem sentido algum. A liberdade e a dignidade que já passou por aqui mas que o fantasma Gasparzinho teima em fechar no cofre da sua infinita vaidade que em falsa humildade vai confessando que erra que se farta mas mesmo assim têm como Barrabás, a indulgência do Presidente. Mas o futuro que vai chegar, ninguém duvide, acaba com o circo e não vai haver coelhos a sair de cartolas, nem fantasmas a sair dos túmulos porque a palhaçada tem que ter um epílogo. Afinal nenhuma nação pode ser feliz se os filhos têm fome e sofrem a humilhação que lhe tira a dignidade. Já agora para que fique claro, adoro magia, adoro o circo e sobretudo adoro os palhaços, os autênticos os que nos fazem pelo menos sorrir…

EDITAL A Câmara Municipal de Borba, reunida ordinariamente em 19 de junho de 2013, pelas 10.00 horas, no Salão Nobre do Município, estando presentes os Senhores vereadores, Humberto Luís Russo Ratado, Hugo Alexandre Godinho Mendanha, Rosa Maria Basílio Véstia e Joaquim José Serra Silva, sob a presidência do Senhor Ângelo João Guarda Verdades de Sá, e em conformidade com o nº.4 do artigo 92º da Lei nº.169/99 de 18 de Setembro na nova redação dada pela Lei nº.5-A/2002, de 11 de Janeiro, torna público que foram tomadas as seguintes deliberações relativamente aos pontos abaixo indicados: Ponto 1. Período de antes da Ordem do Dia Proposta de alteração à Ordem do Dia – Deliberado por unanimidade incluir o seguinte ponto “Pedido de autorização de Contratação de Serviços em Regime de Tarefa” Ponto 2. Ordem do Dia Ponto 2.2 – Ratificação de Proposta de Fixação de Preços para entradas nas Piscinas Municipais Descobertas na Época Balnear 2013 – Deliberado, por unanimidade ratificar a referida proposta de preços Ponto 2.3 – Remessa dos seguintes Projetos de Regulamento, para aprovação da Assembleia Municipal, depois de decorrido o período de discussão pública: a) Projeto de Regulamento de Publicidade do Município de Borba – Deliberado, por maioria submeter o referido Projeto de Regulamento à aprovação da Assembleia Municipal, e posteriormente enviá-lo para publicação. b) Projeto de Regulamento de Horário de Funcionamento dos Estabelecimentos Comercias e de Prestação de Serviços do Município de Borba – Deliberado, por maioria submeter o referido Projeto de Regulamento à aprovação da Assembleia Municipal, e posteriormente enviálo para publicação. c) Projeto de Regulamento de Ocupação do Espaço Público do Município de Borba – Deliberado, por maioria submeter o referido Projeto de Regulamento à aprovação da Assembleia Municipal, e posteriormente enviá-lo para publicação. Ponto 2.4 – Remessa de Proposta de Alteração à Tabela de Taxas Administrativas e Urbanísticas do Município de Borba, para aprovação da Assembleia Municipal, depois de decorrido o período de discussão pública – Deliberado, por maioria remeter a referida alteração à aprovação da Assembleia Municipal, para posteriormente ser enviada para publicação. Ponto 2.5 – Proposta da 1ª Revisão ao Orçamento da Receita, 1ª Revisão ao Orçamento da Despesa e 1ª Revisão ao Plano de Atividades Municipal – Deliberado, por maioria submeter a referida proposta à aprovação da Assembleia Municipal Ponto 2.6 – Venda de Lotes Habitacionais destinados a Habitação Própria e Permanente de Jovens: a) Abertura de Concurso Limitado – Deliberado, por unanimidade aprovar a abertura do respetivo concurso b) Nomeação da Comissão de Avaliação das Candidaturas – Deliberado por unanimidade, nomear a seguinte comissão de avaliação: - Ana Cristina Veríssimo Alves – Técnica Superior - Aldina Vitória Bilro Vinhas do Maio – Coordenadora Técnica - Maria de Fátima Barriga Negra dos Santos – Assistente Técnica Ponto 2.7 – Ratificação de Contrato de Financiamento celebrado entre a Autoridade de Gestão do Programa Operacional do Alentejo e o Município de Borba – Deliberado, por unanimidade ratificar o referido contrato de financiamento Ponto 2.8 – Indemnização ao rendeiro da Fração F do prédio urbano, sito na Rua Silveira Fernandes, nº.9 – Deliberado, por maioria, indemnizar o rendeiro, pelo termo do contrato em 2.325,00€ Ponto 2.9 – Aprovação de Protocolo de Cooperação a estabelecer entre o Município de Borba e a Fundação Batalha de Aljubarrota, com vista à Valorização do Campo de Batalha de Montes Claros – Deliberado, por unanimidade, aprovar o referido Protocolo. Ponto 2.10 – Aprovação de Protocolo de Colaboração a estabelecer entre o Município de Borba e o CEVALOR - Deliberado, por unanimidade aprovar o referido Protocolo. Ponto 2.11 – Cedência de exploração do restaurante sito no Jardim Municipal: a) Aprovação das Regras gerais para a cedência de exploração – Deliberado, por unanimidade aprovar as respetivas regras b) Abertura de Procedimento - Deliberado, por unanimidade aprovar a abertura do referido procedimento Ponto 2.12 – Pedido de autorização de contratação de serviços em regime de tarefa – Deliberado, por maioria, autorizar a contratação de serviços em regime de tarefa, pelo período de 3 meses. Para conhecimento geral se publica o presente edital e outros de igual teor que vão ser afixados nos lugares do costume. Borba, 19 de junho de 2013 O Presidente da Câmara (Dr. Ângelo João Guarda Verdades de Sá) Praça da República - 7150-249 Borba I Telef.: 268 891 630 I Fax: 268 894 806 I www.cm-borba.pt I gap@cm-borba.pt


Ano XIX I Nº. 499 I 27 de junho de 2013

5

» Unidade de Cuidados da Comunidade de Borba

O FENÓMENO REAL QUE É O BULLYING Unidade de Cuidados na Comunidade de Borba, Teresa Pontes dos Santos (Psicóloga - OPP nº2396) O bullying é um comportamento lesivo, com nomes” e insultar se encaixam nesta categoria. são mais propensos a ter poucos amigos, baixa um padrão repetitivo e crónico, de alguém que Ocorrem quando o bully ofende a vítima de auto-estima, ter falta de empatia com os pares, sente satisfação em magoar as pessoas que forma repetida e grave, provocando-lhe grande desenvolver ansiedade e queixas de dores de considera serem mais fracas, para poder assim sofrimento a nível psicológico. É um tipo de mau cabeça e barriga, decair ao nível do rendimento construir a sua própria noção de poder. De outra trato que a longo prazo pode causar grandes escolar e ter depressão. forma, podemos acrescentar que é um termo de danos às suas vítimas. Em terceiro lugar temos Tal como já referido anteriormente, o bullying origem inglesa, que descreve atos de violência os maus tratos relacionais que usualmente são pode ter consequências a longo prazo. Pessoas física ou psicológica, intencionais e repetidos, mais frequentes entre as raparigas mas também adultas que sofreram maus tratos na escola são praticados por um indivíduo (“bully”) ou grupos se alastram aos rapazes. O objectivo deste tipo de muito mais propensas a depressão e também têm de indivíduos, com o objetivo de intimidar ou violência é a exclusão social. Se for feito de forma mais probabilidade de continuar a desempenhar continuada, este tipo de abuso é provavelmente papel de vítima ao longo da vida, sofrendo maus agredir a vítima. Praticar bullying é diferente de lutar, pois a luta aquele que provoca mais lesões na vítima e a tratos no trabalho, nas relações amorosas, em resulta de um conflito que se agrava e é normal, mais longo prazo. família ou no seu local de residência. Relativamente às caraterísticas das vítimas sendo que já o bullying não é normal. Mas os maus tratos não têm que No bullying podemos englobar três tipos de e dos agressores, podemos afirmar que em obrigatoriamente ter um final traumático. Se os violência/maus tratos. Em primeiro lugar temos relação a outras crianças é provável que os alvos de agressões receberem a ajuda necessária os maus tratos físicos, que são os mais fáceis de agressores (aqueles que praticam o bulliyng) para ultrapassar os seus problemas podem identificar e ocorrem quando há um contato físico sejam mais agressivos, populares, demonstrem mesmo adquirir a capacidade de se tornarem agressivo sobre a vítima, deixando-lhe assim falta de empatia, tenham elevada auto-estima, mais empáticos com os problemas alheios e até marcas físicas, mas também psicológicas. É o faltem às aulas, desistam da escola e, tenham podem desenvolver o seu potencial de serem tipo de violência mais falado. Em segundo lugar amigos/as agressivos/as. Já por parte das vítimas, pessoas bem sucedidas. Mas, para lá chegar, temos os maus tratos verbais em que “chamar aqueles ou aquelas que são alvo de opressão primeiro há que ultrapassar a crise e desenvolver

amor próprio e auto-confiança reais. Há imensos exemplos de pessoas famosas e influentes na sociedade que foram vítimas de bullying, mas que por terem tido a ajuda necessária, conseguiram superar e vencer na vida. Os sinais de alerta que nos podem fazer suspeitar que alguém está a ser vítima de bullying são, irritabilidade por tudo e por nada, afastamento/isolamento dos amigos e da família, tristeza constante e prolongada no tempo, no caso de ser estudante haver uma quebra no rendimento escolar, acessos de raiva ou mudanças repentinas de humor, medos excessivos e, usar roupa larga para esconder marcas físicas. Não há que ter medo de falar ou denunciar o bullying e não é um assunto que está apenas na moda. Deve ser levado a sério e bem identificado. Uma comunicação saudável entre todos os elementos de uma comunidade é fundamental para identificar e agir adequadamente em relação ao real fenómeno do bullying.

ENTIDADE REGIONAL DE TURISMO LANÇA CAMPANHA “365 DIAS DE EMOÇÃO” A Turismo do Alentejo, ERT lançou no passado dia 25 de Junho, duas campanhas de marketing operacional “Alentejo 365 Dias de Emoção” e “Ribatejo 365 Dias de Emoção” cujo objectivo é promover a oferta ao nível da animação turística do destino Alentejo e do Ribatejo. Inspiradas nas emoções / experiências que os turistas podem vivenciar nos dois territórios, as campanhas comunicam os múltiplos produtos que podem ser fruídos ao longo de todo o ano, dinamizadas pelos agentes e empresas de animação.  Num momento em que a sociedade dos sonhos e das experiências é factor determinante para a promoção turística, para a Turismo do Alentejo é fundamental

que o mercado conheça a multiplicidade de actividades turísticas que existem nas duas regiões durante os 365 dias do ano, cuja singularidade e excelência tem potencial para atrair e satisfazer as motivações de vários segmentos. Com um conceito que aposta em 12 categorias que variam entre aventuras marítimas, momentos de adrenalina ou passeios na natureza - a campanha tem como principal suporte uma Agenda de Emoções,

onde os turistas podem encontrar informações sobre as actividades e o modo como devem proceder à sua reserva. O guia vai estar disponível nas unidades de alojamento e nos postos de turismo. De modo a despertar o interesse dos potenciais visitantes, a campanha contempla ainda uma raspadinha, através da qual é possível ganhar algumas das muitas aventuras que as duas regiões têm para oferecer.

MUNICÍPIO DE ESTREMOZ RECEBEU COMITIVA DE INVESTIDORES O Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, Luís Mourinha, recebeu no passado dia 19 uma comitiva constituída por representantes das Embaixadas de Angola, Moçambique e República Popular da Chinaem Portugal, e por representantes da Câmara do Comércio e Industria Luso Chinesa,  da Agência para o Investimento eComércio Externo de Portugal, da Associação Industrial Portuguesa,da SPI e, ainda, da Revista Invest e do Jornal Vida Económica, com o objetivo de promover novas redes de cooperação e estreitar parcerias e contactos. A comitiva, que está desde ontem de visita aos municípios alentejanos que integram a Rede Corredor Azul, foi recebida no Restaurante “A Cadeia Quinhentista”, onde decorreu um almoço, com apresentação das potencialidades do concelho de Estremoz, com vista à captação de investimento no território, tendo sido dada especial ênfase ao projeto da Zona Industrial de Arcos. Esta iniciativa foi promovida pela Rede Urbana Corredor Azul, constituída pelos municípios de Arraiolos, Borba, Elvas, Estremoz, Évora, Montemor-o-Novo, Vendas Novas, Vila Viçosa, Santiago do Cacém e Sines, estando

integrada no projeto “PROMOINVEST – Rede de Promoção Empresarial” da Rede Corredor Azul, liderado pelo Município de Vendas Novas e sendo apoiada pelo Programa Operacional Regional do Alentejo – InAlentejo.

A nova campanha “Alentejo 365 Dias de Emoção” vai ser também promovida através do site www.visitalentejo.pt – que terá informações actualizadas permanentemente - e de uma campanha de publicidade na televisão, imprensa escrita, rádio e internet, com aposta forte nas redes socais.  Está ainda prevista a edição de um Jornal de Emoções de distribuição gratuita, onde o público vai ter acesso, entre outras novidades, às aventuras experienciadas por várias figuras públicas, como os Embaixadores do Alentejo que se associaram à campanha, disponibilizando-se para viver e partilhar a diversidade e a qualidade da animação turística da região.


6

Ano XIX I Nº. 499 I 27 de junho de 2013

MUNICÍPIO DE BORBA PRETENDE VALORIZAR O CAMPO DA BATALHA DE MONTES CLAROS O Município de Borba e a Fundação Batalha de Aljubarrota vão assinar um protocolo de cooperação com o objetivo de valorizar o campo da Batalha de Montes Claros. Há vários anos que as duas entidades têm mantido conversações quanto à importância histórica e cultural da Batalha de Montes Claros, que ocorreu a 17 de junho de 1665. Pretendese, assim, aumentar o conhecimento sobre a importância da Batalha, criando condições que potenciem o aumento de visitantes no campo da Batalha de Montes Claros e no concelho de Borba, cientes do crescente interesse que se tem verificado, um pouco por toda a Europa, pelo estudo e conhecimento da forma como decorreram batalhas decisivas para o curso da História. Em perspetiva, estará também a criação de um Centro de Interpretação da Batalha de Montes Claros, que deverá dispor de um elevado grau de qualidade na vertente histórica, científica e didática, de forma a dignificar adequadamente o seu valor histórico. A Secretaria de Estado da Cultura classificou o

campo da batalha como Monumento Nacional em dezembro de 2012. No local foi mandado edificar pelo Príncipe Regente D. Pedro o Padrão de Montes Claros, uma coluna em mármore para assinalar uma das mais importantes batalhas da história de Portugal. Passando neste local a estratégica estrada entre Vila Viçosa e Estremoz, o Marquês de Caracena tentou impedir que as tropas portuguesas acudissem Vila Viçosa, onde os espanhóis pretendiam destruir o Palácio dos Duques de Bragança, símbolo da nova dinastia. As tropas portuguesas, comandadas pelo Marquês de Marialva e pelo Conde das Galveias conseguiram o feito de derrotarem o mais poderoso exército da Europa, mostrando ao Mundo que uma reconquista de Portugal por Espanha seria uma tarefa dispendiosa, demorada e mesmo impossível. Graças a esta batalha, a paz entre os dois países foi assinada em 1668, iniciando uma nova era de prosperidade, otimismo e riqueza para Portugal.

1º TORNEIO DE FUTEBOL 7 “HUMBERTO FRADE” O Sport Clube Borbense, em parceria com o Grupo União de Veteranos Borbenses e o Município de Borba, vão promover o 1º Torneio de Futebol 7 - “Humberto Frade”. O Torneio terá início a 8 de Julho próximo, vai decorrer no Campo de Futebol 7 (relvado sintético) do Parque Desportivo de Borba, e as inscrições estão abertas até dia 5 de Julho, através do e-mail scborbense@ gmail.com ou pelo número  965 383 914, para os escalões de Veteranos, Seniores, Juvenis, Iniciados, Infantis e Benjamins. A presente iniciativa tem a particularidade de pretender homenagear um Grande Senhor que muito tem dado, em especial, à formação (camadas jovens) do SC Borbense, o Senhor Humberto Frade. Assim, e de forma a homenagearmos convenientemente esta personagem incontornável da história do nosso clube, solicitamos que dentro das vossas possibilidades,

promovam/divulguem e acompanhem este Torneio que decorrerá ao longo do próximo mês de Julho, no Municipal de Borba.

NÊSPERAS DE BORBA Afinal os fenómenos da natureza não são só no Entroncamento, como podem ver o tamanho das nêsperas produzidas no quintal do senhor

Manuel Pormezinha, são, para além do calibre, dum sabor bem característico e doce. Será que poderá ser um potencial para a nossa zona?


Ano XIX I Nº. 499 I 27 de junho de 2013

7

ENCONTRO DE POETAS COMEÇA AGORA A ROTA DO MÁRMORE 2013 POPULARES EM BORBA

Na véspera da celebração nacional do nosso mais elevado Poeta, realizou-se em Borba, no Pavilhão de Eventos desta jovem cidade transtagana, o Encontro de Poetas Populares. A organização pertenceu ao Centro de Cultura e Desporto da Freguesia Matriz e recebeu o apoio da Juntas de Freguesia de Matriz e de S. Bartolomeu e da edilidade borbense. Durante a manhã, foram os poetas recebidos no Salão Nobre dos Paços do Concelho pelo Presidente do Município, que soube significar, com entusiasmo, o valor da iniciativa, e elevar quem se dedica a tão nobre causa. Após a sessão de boas vindas, seguiram os poetas convidados para uma visita às instalações da Santa Casa da Misericórdia – Lar da Terceira

Idade e Infantário – onde foram recebidos pela Mesa Administrativa, que a todos dedicou cuidada atenção. Já no Pavilhão de Eventos, e após o almoçoconvivio, deu-se início ao espectáculo, tendo os poetas subido ao palco, para apresentarem as suas criações poéticas e receberem os diplomas de participação, lembranças e justos aplausos. Foi um espectáculo de rara beleza, simplicidade e emoção, entremeado de apontamentos musicais e por todos vivido com muita alegria. Cantou-se ao desafio, com aquele picaresco de algumas quadras que a todos animou, mostrando como a Poesia pode ser irmã gémea da Alegria. Foi uma Festa bonita!

A cultura nasce do usufruto sustentável dos diferentes patrimónios que constituem uma comunidade. Este usufruto resulta num acréscimo da educação patrimonial, ambiental, técnica e científica. E com isto, vem a participação cívica e a necessidade de intervenção, a imaginação e a criatividade. É com base neste pressuposto que nasceu a Rota do Mármore do Anticlinal de Estremoz. Criada pelo CECHAP, a Rota do Mármore pretende promover os patrimónios da região alentejana tendo como ponto de partida o seu recurso endógeno mais abundante: o mármore. A região de Borba, Estremoz e Vila Viçosa compõe o Anticlinal de Estremoz, uma das mais antigas e produtivas superfícies de extracção de rochas ornamentais em Portugal. As actividades relacionadas com esta pedra têm um grande peso na economia destes concelhos e empregam boa parte da população. Conhecido pela sua qualidade e beleza, o mármore alentejano está presente em abundância no património arquitéctónico, histórico e artístico da região. Mas também no resto do país e em todo o mundo, o que torna este recurso um digno embaixador de Portugal e do Alentejo. O mundo do mármore é um recurso inestimável que temos à nossa disposição para o desenvolvimento económico e social - e

também cultural - dos concelhos de Borba, Estremoz e Vila Viçosa. Com a Rota do Mármore do Anticlinal de Estremozlançamos, assim, um desafio: estudar, salvaguardar e cuidar do nosso património endógeno, para que o possamos explorar sensatamente como recurso turístico da região e enquanto meio para o conhecimento da nossa história. A Rota do Mármore consiste em visitas guiadas por historiadores ao mundo do mármore nos concelhos de Borba, Estremoz e Vila Viçosa em interligação com a história, a cultura, a arte, a arquitectura, a paisagem, a gastronomia e outros patrimónios desta região. Adaptada a vários públicos-alvo, a Rota divide-se em três percursos diferentes, coincidentes com os três concelhos abrangidos. Cada percurso tem a duração de um dia e acontece nos meses de Verão. Fazem parte da Rota visitas a pedreiras e a unidades de transformação de mármore. A Rota conta com três pólos dinamizadores dos percursos: o Centro de Ciência Viva, em Estremoz (inclui uma exposição sobre a geologia e a exploração do mármore na região), o CEVALOR, em Borba (um centro de inovação técnica e de dinamização económica do sector das rochas ornamentais), e o Museu do Mármore, em Vila Viçosa, único no país.


8

Ano XIX I Nº. 499 I 27 de junho de 2013

DESPORTO, SAÚDE E BEM-ESTAR A FORÇA DE “BRAÇO DADO” COM A CORRIDA Caros Leitores o artigo desta edição é sobre a importância do fortalecimento muscular para os corredores. Assim, quando nos referimos a treinos para atletas de Meio Fundo e Fundo, estamos a incluir todos os chamados corredores, quer sejam amadores ou profissionais. O treino desportivo não faz parte apenas da sociedade moderna, já na antiguidade se treinava quer militarmente quer para as olimpíadas. Com o passar dos anos as olimpíadas ganharam tamanha importância que com a procura de melhores resultados houve a necessidade de sistematização dos treinos, de forma a melhorar o rendimento dos homens, muitas das vezes apenas por uma questão de supremacia racial. No atletismo a força é uma capacidade física fundamental na grande maioria das disciplinas, em qualquer movimento, por mais simples que seja é necessária força muscular para ser executado. É com base neste princípio que os corredores deverão ter em conta o treino de força. A Força, segundo Castelo et al (2000) é toda a causa capaz de modificar o estado de repouso ou de movimento de um corpo, traduzido por um vector. Para Hall (1993), um impulso ou uma tracção agindo sobre um corpo. Se a impulsão ou a tracção for suficientemente grande, poderá alterar o estado do movimento do corpo, sem considerar se o corpo esta parado, a uma velocidade constante (…) ou a uma velocidade variável. Em suma, a força é a capacidade neuromuscular de gerar tensões capazes de, através do encurtamento ou alongamento dos músculos, vencer ou suportar resistências internas e/ou externas. (Santos, 2009) No Atletismo, a força é uma capacidade física fundamental na grande maioria das disciplinas do atletismo, pois, para além da enorme importância que tem nos lançamentos ou nos saltos (principalmente durante a chamada), influência decisivamente outra capacidade física fundamental no atletismo, a velocidade. (Abrantes, 2006) Vários estudos indicam que o treino de força tem uma grande importância em atletas de MFF, de forma a manter um estilo de corrida estável durante esforços de corrida intensos. A falta de reforço muscular em corredores tem sido identificado como um dos factores

para o aparecimento de lesões. Outros autores como Saunders (2004) citado por Colaço (2005), relacionam ainda os níveis de força dos atletas de MFF com a economia de corrida, reforçando ainda mais a sua importância, visto que esta pode ser uma importante via para permitir que os músculos utilizem mais energia elástica e reduzam a quantidade de energia desperdiçada em acções forçadas de travagem durante o apoio. Neste sentido, justifica-se cada vez mais dar atenção a este tipo de treino. Assim, seguidamente descrevemos alguns dos treinos utilizados por treinadores: - Treino de Força Geral (TFG) O treino de força geral, segundo Abrantes

utilizado sendo uma das melhores formas de melhorar os níveis de força dos atletas, com particularidade de podermos reforçar a musculatura das pernas em situação específica de corrida, Colaço (2006). Garcia (2005), sugere o trabalho da força na sua vertente de resistência sob a forma de rampas, ou atrás de sucessões de saltos a subir. - Treino em Diferentes Pisos (TDP) Moniz Pereira, segundo Paiva (1995), afirmava que a musculação natural do corredor era conseguida quer com treino de rampas quer com a variação de pisos a utilizar em corrida continua. Assim, podemos considerar que estes tipos de piso como asfalto, relva, areia, terra

(2006), um treino mais generalizado, vem mostrar a importância de se conseguir dotar os atletas de uma força geral e de um fortalecimento de todos os grupos musculares, salientando as seguintes razões: desenvolvimento harmonioso da massa muscular (…); reforçar as articulações; desenvolver a força resistente e a capacidade de trabalho; prevenir lesões; reforçar os grupos musculares de suporte e o desenvolvimento de uma atitude de corrida mais alta, mais estável e mais sólida; melhorar a consistência e a estabilidade na execução dos gestos técnicos. Assim podemos incluir vários tipos de treino de força geral como treino de circuito; preparação física geral; exercícios isométricos; treino com cargas adicionais; multisaltos e multilançamentos. Todos eles têm o mesmo objectivo, “desenvolvimento harmonioso da massa muscular (…), da força resistente e capacidade de trabalho”. - Treino de Rampas (TR) O treino de rampas é frequentemente

batida ou até mesmo a passadeira. Os treinos em asfalto, terra batida ou passadeira são mais “agressivos” para as o sistema articular, já segundo Utsch (2009), o treino na areia pode ser utilizado na melhoria da potência muscular dos membros inferiores, assim como o treino na relva, além de ser uma superfície menos agressiva ao sistema ósteomúsculo-articular. - Treino Funcional e de Instabilidade (TFI) Alguns treinadores já incluem treinos do fitness no planeamento do treino dos seus atletas, este transfer deve-se a que o treino de força deixa de ser apenas para desenvolver os músculos, passando a pensar neles como uma ferramenta de trabalho, ou seja tornálos mais funcionais. Treino funcional e treino proprioceptivo ou de instabilidade, são os mais utilizados pelos treinadores de MFF. Segundo Heredia (2009), é compreendido a partir de uma abordagem simples com base no desenvolvimento de movimentos integrados e

usando conjuntos de exercícios multiplanares envolvendo estabilização, aceleração e desaceleração com a intenção de melhorar a capacidade do movimento, a força do core e a eficiência neuromuscular. Assim, a justificação para este tipo de treino é fundamentada numa maior utilização para as actividades diárias e para exercícios ou actividades “naturais”. Segundo Pereira (2008) referindo os autores (MCGINNIS, 2002; GRAY, 1995), os proprioceptores respondem aos estímulos próprios aos tecidos, especialmente aos relacionados ao sistema locomotor. Esses receptores estão relacionados com a detecção do movimento, das forças mecânicas e da posição (GUYTON e HALL, 2006; GRAY, 1995). O treino proprioceptivo estimula a contracção dos músculos, movimento das articulações e mudanças na posição do corpo ou das suas partes. Logo, são essenciais para a coordenação dos músculos, para a contracção muscular e para a manutenção do equilíbrio (GRAY, 1995). Assim e, salientando alguns materiais utilizados nestes tipos de treino podemos referir: o TRX, desenvolvido pelos SEAL’s proporciona um treino de suspensão aproveitando a gravidade e o peso do corpo, permitindo desenvolver a força, flexibilidade, equilíbrio e estabilidade do core simultaneamente http://www. trxtraining.com (2011); o ViPR é o mais recente instrumento de treino funcional, que combina a programação de um treino de força tradicional, com as vantagens do treino integrado. Este último é responsável pela elevação do movimento humano. O ViPR utiliza os 4 pilares do movimento humano: Proporcionando assim melhoria da qualidade de vida e na relação corpo-função- movimento. Permite: levantar, carregar, arrastar, enrolar, lançar, bater, etc. Integra-se facilmente com outros equipamentos, como o BOSU, TRX, etc. http://www.viprfit.com (2011); o BOSU é a metade de uma bola com base estável e plana, que permite um treino versátil para melhorar o equilíbrio, a estabilidade do core e propriocepção.Com o BOSU podemos trabalhar sentados, em pé, ajoelhado ou a saltar. Qualquer exercício que se realize no solo pode ser praticado no BOSU, tornando-o mais difícil, divertido e eficaz. http://www.bosu. com (2011).

Susana Alves - Mestranda em Exercício e Bem-Estar – Exercício, Nutrição e Saúde (ULHT) | Fernando Alves - Mestrando em Treino Desportivo – Alto Rendimento (ULHT) Caro(a) leitor(a) ajude-nos a enriquecer este espaço e coloque-nos as suas duvidas acerca de Exercícios, Treino, etc... tudo o que esteja relacionado com Atividade Física e Desporto, para o e-mail fjsalves@hotmail.com


Ano XIX I Nº. 499 I 27 de junho de 2013

9

HERDADE DAS SERVAS TRAZEM (QUATRO MEDALHAS DE) OURO PARA O ALENTEJO No espaço de quinze dias, foram quatro as medalhas de ouro que os vinhos da Herdade das Servas | Serrano Mira - Sociedade Vinícola, S.A. (produtor de Estremoz) trouxeram para o Alentejo. Os néctares contemplados foram os recentemente lançados ‘Herdade das Servas Vinhas Velhas tinto 2009’ e ‘Herdade das Servas Colheita Seleccionada tinto 2010’. Do Canadá veio uma medalha de ouro para o ‘Herdade das Servas Colheita Seleccionada tinto 2010’, atribuída na competição internacional ‘Sélections Mondiales de Vins 2013’ (20.ª edição). Este vinho foi também distinguido com ouro no ‘Concurso Vinhos de Portugal 2013’. O ‘Herdade das Servas Vinhas Velhas tinto 2009’ não viajou para o concurso do Canadá – uma vez que é um vinho com uma produção bastante reduzida e que, por isso, não estará neste mercado – mas foi testado e atestado, a nível internacional, em França, donde veio com uma medalha de ouro, ou melhor, o troféu ‘Citadelles D’Or’, atribuído na 13.ª edição do concurso mundial ‘Les Citadelles du Vin’. No nosso país arrecadou a medalha de ouro no ‘Concurso Vinhos de Portugal 2013’ (antigo ‘Concurso Nacional de Vinhos’). São ambos vinhos de terroir que integram o patamar de “topos de gama” da Herdade das

Servas, sendo o ‘Vinhas Velhas’ o ex-libris da empresa. Esta colheita, 2009, é apenas a segunda lançada no mercado (a primeira foi 2005), devido à procura da excelência exigida para a produção desta referência. O ‘Herdade das Servas Vinhas Velhas tinto 2009’ (Alicante Bouschet, Touriga Nacional e Aragonez) é um vinho de cor violeta escuro, aroma a frutos pretos bem maduros, sugerindo compotas integradas com algumas especiarias e envolvendo notas florais. No paladar apresenta um sabor intenso, complexo e aveludado, com taninos redondos e robustos que lhe garantem uma boa longevidade: evolução positiva durante 13 a 15 anos, se conservado em local fresco, escuro e a garrafa deitada. O ‘Herdade das Servas Colheita Seleccionada tinto 2010’ (Touriga Nacional, Alicante Bouschet, Syrah e Trincadeira) apresenta-se com uma cor rubi escura, aromas profundos com nuances de frutos muito maduros. Um néctar complexo, num conjunto bem estruturado de final agradável e persistente, que prevê uma evolução positiva durante cinco a sete anos, se conservado em local fresco e escuro e garrafa deitada.

REGUENGOS DE MONSARAZ RECEBE CAMPEONATOS REGIONAIS DE NATAÇÃO Os campeonatos regionais de natação nos escalões de infantis, juvenis e absolutos vão decorrer nos dias 29 e 30 de junho, entre as 9h e as 19h, nas Piscinas Municipais Victor Martelo, em Reguengos de Monsaraz. Mais de uma centena de nadadores masculinos e femininos vão disputar várias provas na piscina olímpica (50m/8 pistas) nos estilos mariposa, livres, bruços e costas. Os campeonatos regionais de natação são organizados pela Associação de Natação do Alentejo e pelo Município de Reguengos de Monsaraz.

CURIOSIDADE: Normas e Instruções para Árbitros de Futebol 11 12.11 - Na falta dos árbitros assistentes, o árbitro, em primeira instância deve procurar substitutos entre indivíduos da sua confiança que se encontrarem na assistência, de preferência oficiais. a) Não sendo possível substituir nos termos indicados, os árbitros assistentes faltosos, o árbitro então deve proceder do seguinte modo: 1. Se faltar apenas um árbitro assistente, escolherá por sorteio, qual o Clube a cujo delegado caberá o encargo de recrutar um substituto. 2. Se faltarem os dois árbitros assistentes, entregará a cada delegado o encargo de escolher um substituto cada. b) Para o recrutamento referido no “n.º 1º e 2º”, da alínea “a”, os delegados deverão seguir o

critério preconizado nas alíneas “12.8 - a) e b)”, tendo em atenção o disposto nas alíneas “12.9 e 12.10”. 12.12 - Se no decurso de um jogo, um árbitro assistente não puder continuar em ação, ou por impossibilidade física ou por ter sido expulso pelo árbitro, proceder-se-á à sua substituição em conformidade com a alínea “12.11”. 12.13 - Em nenhum caso o árbitro poderá dar início ao jogo sem que a equipa de arbitragem se encontre completa. Do mesmo modo, o jogo não poderá prosseguir se, em qualquer momento, se verificar algum dos casos referidos na alínea “12.12”, e não for possível a substituição. 12.14 - No caso de o árbitro ter interrompido o jogo em consequência de decisão sua tomada ao abrigo das Leis do jogo, nenhum árbitro oficial poderá substitui-lo na direção do jogo. QUESTÃO 54: Um dos jogadores suplentes entrou em campo sem autorização e começou a dirigir impropérios ao árbitro. Este interrompeu o jogo e exibiu-lhe o cartão vermelho, mas o jogador continuava vociferando, negando-se a sair. Perante esta situação o que deverá fazer o árbitro? R – O árbitro deverá recorrer á intervenção do capitão de equipa e se necessário ao delegado ao jogo da respetiva equipa. Se a intervenção referida sair frustrada, o árbitro dará o jogo por terminado. Para remeter alguma questão ou situação que gostava de ver esclarecida, basta enviar um email para godinho_vipi@hotmail.com.


10

Ano XIX I Nº. 499 I 27 de junho de 2013

A

rúbrica da

Sofia

MIGRAÇÃO & GLOBALIZAÇÃO Muitos são os que procuram a sua “sorte” no mundo laboral fora da nossa cidade e do nosso país. O desemprego em Portugal a par dos baixos salários, leva os jovens qualificados à procura de melhores condições fora das fronteiras portuguesas. Em contexto de escassez de emprego e de acordo com os papéis sociais, verifica-se que estes acabam por ser dominantes e existe maior facilidade das mulheres serem excluídas do mercado de emprego do que os homens. A globalização dos mercados de trabalho e financeiros proporcionou novas motivações e novos meios para as migrações. De certa forma, os processos de migração estão atualmente vinculados à globalização. A migração implica a criação de novos empregos e a perda de outros. No entanto, é de salientar que estas perdas e ganhos não têm necessariamente de ocorrer nos mesmos sectores de atividade económica, nem nas mesmas regiões. A realidade migratória é muito dinâmica. Segundo dados da PORDATA (Base de Dados de Portugal Contemporâneo, foi organizada pela Fundação Francisco Manuel dos Santos), em 2012, é possível identificar 121 418 emigrantes. Portugal sempre foi e ainda o é, um país de emigração. Os portugueses emigram para outros países, em busca de melhores condições de vida, nomeadamente no campo da saúde, habitação e proteção social. Em muitos casos a mão-deobra portuguesa tinha baixas qualificações e

os emigrantes acabavam por desempenhar tarefas que a população nacional dos países que os acolhiam, não tinha muito interesse em desempenhar. Hoje em dia, o que acontece é precisamente a emigração de jovens qualificados. Alguns teóricos desde os anos oitenta têm desenvolvido a ideia de segmentação do

com regimes contratuais precários, não estando associado a sistemas de proteção social (Campos e Canavezes, 2007). Portugal é um país com elevadas taxas de desemprego (atualmente ultrapassa os 15%, segundo a PORDATA), salários baixos, custo de vida elevado e as empresas portuguesas

território, recatado, no sudoeste europeu? De acordo com a mesma base de dados, estima-se que em 2011, embora seja um valor provisório, residissem no nosso país cerca de 434 708 indivíduos estrangeiros com estatuto legal de residente. Com exceção da Oceânia estes indivíduos são oriundos de todos os Continentes, destacando-se uma maior afluência ao nosso país de indivíduos vindos da Europa (177 528), nomeadamente da Ucrânia e da Roménia. Seguidamente surge a Améria com um valor de 103 993 imigrantes, vindos maioritariamente do Brasil (111 285). De África chegam 103 993 indivíduos, provenientes sobretudo de Cabo Verde e Angola. Por fim, do Continente asiático chega um número mais reduzido, 32 700 imigrantes, com a sua maioritária origem chinesa. Que buscam estes jovens oriundos dos “quatro cantos do Mundo”, que os portugueses não encontram? Referências: CAMPOS, Luís; CANAVEZES, Sara (2007). Introdução à Globalização. Inst. Bento Jesus Caraça. Pg. 60 PORDATA - Base de Dados de Portugal Contemporâneo (site: http://www.pordata.pt)

mercado de trabalho, com o predomínio de dois grandes segmentos, superior e inferior. O segmento superior é constituído por empregos qualificados, bem remunerados e com sistemas de proteção social. Por outro lado, o segmento inferior caracteriza-se por ser pouco qualificado e

têm dificuldade em inovar, não são criativas. Estes fatores, e outros, fazem com que os jovens portugueses se tenham de deslocar para outros países. No entanto, o que leva semelhante proporção de pessoas a procurarem emprego no nosso

RUAS FLORIDAS EM REDONDO 2013 De 3 a 11 de agosto, Redondo volta a colocarse entre os destinos mais procurados por ocasião das Ruas Floridas que cumprem este ano a sua XIII edição. Com uma reputação já consagrada quer a nível regional quer a nível nacional muito por força do reconhecimento dos milhares de visitantes, este ano o certame oferece 43 ruas engalanadas com temas diversos em paralelo com um programa onde a música, o teatro, animação de rua e o artesanato, entre outros, não poderiam faltar. A inauguração, que terá lugar no próprio dia 3, será o ponto de partida para que Redondo dê a conhecer os temas escolhidos para cada uma das suas ruas. Da intemporalidade de” Branca de Neve” à atualidade do “Futebol”, da universalidade dos Saberes e Sabores de Outras Gentes, às particularidades das “Janelas do Alentejo” muitos são argumentos que transformam Redondo numa espécie de País das Maravilhas onde, claro, Alice e outros, também não podiam faltar. Para além da beleza contagiante das diversas ruas, as Ruas Floridas 2013 oferecem

em complemento um programa diversificado e multidisciplinar que pretende ir ao encontro de locais e visitantes. No que à música diz respeito, o concerto dos Amor Electro, protagoniza o primeiro dia das festividades antecedendo noites dedicadas ao Canto Alentejano, DJS, Fado, Jazz e Bandas de Garagem. Cabe às músicas do mundo levadas a palco pelos UXU CALHUS o concerto de encerramento. O teatro e a animação de rua, por sua vez, manifestam-se em diversas ocasiões com especial destaque para as marionetas e as artes circenses. A terminar, atividades desportivas como a 2ª Maratona BTT Ruas Floridas, o Torneio de Ténis e o Concurso de Pesca Desportiva prometem “dar movimento” ao programa. De forma a enaltecer não só a beleza intrínseca das Ruas Floridas mas também todo o programa cultural um pouco por todo o pais, no dia 4 as Ruas Floridas de Redondo serão o tema central de uma transmissão em direto do programa Portugal em Festa, na Sic.

Sofia Alexandra Dias sofia.sociologia@hotmail.com Finalista de 1.º ciclo do Curso de Sociologia na Universidade de Évora


Ano XIX I Nº. 499 I 27 de junho de 2013

Na cozinha com ...

» Ocorrências Guarda Nacional Republicana

BAIRRO DA FARRAPA (EM OLIVENÇA)

Bairro da Farrapa em Olivença, por gente orgulhosa habitado, Bairro de Povo por sua nascença com trabalho duro alicerçado!

ROLO DE CARNE ASSADA

11

Ocorrências nos concelhos de Estremoz, Borba, Arraiolos, Mora e Vimieiro. No período de 10 a 23 de junho de 2013.

Em toda a "Vila" está tua presença!

Acidentes de Trânsito – Neste período ocorreram: 2 em Borba,

O suor dos teus filhos derramado

1 em Estremoz, 1 em Mora e 3 em Arraiolos dos quais resultaram

em bem mais lugares do que se pensa

danos materiais nos veículos e quatro feridos ligeiros.

está por toda Olivença espalhado...

Incêndios – deflagrou incêndio, por razões desconhecidas, na

Em dias e noites de fero labor,

Quinta das Sesmarias, freguesia de Brotas, em Mora, tendo ardido

usando seus braços e em comunhão

0,225 ha de pasto; deflagrou incêndio, na Herdade da Sarseira,

operários te ergueram com amor.

freguesia de Sabogueiro, em Arraiolos, causado por uma faúlha de uma rebarbadora, tendo ardido 4,5 ha de pasto e arvoredo.

Alguns, de longe, logo p'lo coração se sentiram unidos no seu labor

Furtos – furto de alfaias agrícolas, em Estremoz, de valor não

à nova terra que lhes dava seu Pão!!

indicado; furto de cabo de cobre, em Estremoz, no valor de 778,00

Estremoz, 31 de Janeiro de 2013

euros; furto de 350 m de fio de alumínio e 20 cancelas de ferro,

Carlos Eduardo da Cruz Luna

em Mora, no valor de 5.600,00 euros; furto de 250 lt de gasóleo agrícola em depósito, em Mora, no valor de 225,00 euros; furto de

À MINHA ESPOSA

cabo de cobre, em Mora, no valor de 165,00 euros; furto de metais

Três sílabas tem teu nome, Maria, nome tão simples mas em ti repleto dum amor profundo que cada dia faz de mim um ser humano completo! Sem ti o que fazer não saberia, e, crê-me, sentir-me-ia abjeto se nem por uma vez, por cobardia, confessasse a todos o meu afeto. Sei que muitas vezes já te fiz chorar, até mereci que me desprezasses em momentos que me custa recordar... Mas sei, contudo, que se me deixasses, em farrapos me verias definhar como se lá no fundo me matasses.... Estremoz, 19 de Junho de 2013 Carlos Eduardo da Cruz Luna

não preciosos, em Arraiolos, no valor de 1.300,00 euros; furto em Ingredientes: 700g - Carne picada (vaca); Alho picado - qb; Cebola picada - qb; Um raminho de salsa; Um fiozinho de azeite; Clara de um ovo; Sal e pimenta - qb Pão ralado - qb Preparação: Num pirex não muito largo coloca se a carne picada, junta se o alho, a cebola e a salsa e tempera se com o sal e a pimenta. Com a mão envolve se tudo com carne. Depois de tudo bem misturado deita se um fiozinho de azeito a gosto e envolve se. Adiciona se a clara de ovo e mistura se. Por fim coloca o preparado num tabuleiro e com as mãos molda se o rolo de carne. Polvilha se com pão ralado e vai ao forno. Nota: O ovo pode adicionar-se inteiro, eu só coloco a clara, para o tornar o prato mais saudável. No tabuleiro, quando o rolo vai ao forno deito uma pinga de água para não queimar e por cima do rolo de carne, quando vai ao forno deito mais um fiozinho de azeite para não ficar muito seco. Acompanha muito bem com salada mista e arroz branco.

[PROPRIETÁRIO E EDITOR] MediaBorba - Sociedade de Comunicação Social, Unipessoal, Lda. Rua Fernão Penteado, 20 I 7150-128 Borba I NIPC: 505 680 386 [ADMINISTRAÇÃO E REDACÇÃO] Rua Fernão Penteado, 20 I 7150-128 Borba I Telefone: 268 894 580 I Fax: 268 890 677 [DIRECTOR] David Guégués [RESPONSÁVEL DE MARKETING E PUBLICIDADE] Noélia Alves [REDACÇÃO] Joaquim Trincheiras [PAGINAÇÃO] Luis Mendeiros [COLABORADORES] João Azaruja, Manuel Esteves, Tomé Leitão, Joaquim Coimbra, Sandra Caeiro, Centro de Saúde Borba, ELI de Vila Viçosa e Borba e Sofia Alexandra Dias [PUBLICIDADE] Telefone: 268 894 580 I Fax: 268 890 677 I E-mail: terrasbrancas@net.sapo.pt [TIRAGEM] 3000 Exemplares [REGISTO DE IMPRENSA] n.º 117749 [DEPOSITO LEGAL] n.º 290807/09 [IMPRESSÃO] FIG-Indústrias Gráficas, S.A. I Rua Adriano Lucas - 3020-265 COIMBRA Telef. 239 499 922 I Fax: 239 499 981 I e-mail: fig@fig.pt

Membro da

edifício comercial, em Arraiolos, de valor não indicado. Outras denúncias – Posto de Borba: 1 crime de ameaças, 1 crime de ofensas à integridade física simples, 1 crime de violência doméstica; Posto de Estremoz: 1 crime de violência doméstica; Posto de Pavia: 1 crime de subtração de menor; Posto de Mora: 2 crimes de injúrias, 2 crimes de violência doméstica, 2 crimes de ameaças; Posto de Arraiolos: 1 crime de incêndio florestal, 2 crimes de dano. Outro – Cidadã portuguesa de 65 anos, tentou suicídio por meio de enforcamento, na freguesia de Igrejinha, em Arraiolos, tendo sido conduzida para o Hospital de Évora pelo INEM. Cidadão português de 51 anos, suicidou-se por meio de afogamento, na freguesia de Rio de Moinhos, em Borba. Posto de Borba, elaborou auto de denuncia contra cidadão português, maior de idade, por crime de condução de veículo automóvel, sem habilitação legal.


12

Ano XIX I Nº. 499 I 27 de junho de 2013

» Agenda Cinema

Teatro/Música Estremoz – As Barcas – Fim de Estação (alunos da Licenciatura em Teatro da Universidade de Évora) 3 e 4 de julho, quarta e quinta-feira, Teatro Bernardim Ribeiro, às 21h30. Numa estação psiquiátrica, os seus utentes servemse de um velho texto para, como que num ritual diário, jogarem com as suas visões apocalípticas e assim digerirem melhor a sua triste realidade. Esta é a história de duas irmãs “loucas” que assumem a liderança entre os pacientes e, com a sua complacência, se entretêm a julgá-los. A turma do 2º Ano da Licenciatura em Teatro, do Departamento de Artes Cénicas da Universidade de Évora, integrada na unidade curricular “Projeto Gil Vicente”, apresenta um espetáculo baseado nos Autos das Barcas de Gil Vicente e em excertos de outros autores.

Estremoz – Teatro Bernardim Ribeiro Lawrence da Arábia (M/12) 28 de junho – 21h30 Realização: David Lean Com: Peter O’Toole, Alec Guinness, Anthony Quinn, Jack Hawkins, Omar Sharif, Claude Rains, Anthony Quayle, José Ferrer, Arthur Kennedy, Donald Wolfit, Zia Mohyeddin, I. S. Johar, Gamil Ratib, Michel Ray, John Dimech Estremoz – Teatro Bernardim Ribeiro EPIC – O Reino Secreto (M/6) 30 de junho – 16h00 Realização: Chris Wedge Vozes: Ricardo Sá, Susana Sá, Fernando Alvim, Rui Reininho, António Vaz Mendes, Ivo Bastos, Jorge Mota (I), Pedro Mendonça, Rui Oliveira

Estremoz – Romeu e Julieta – Companhia de Dança Contemporânea de Évora 6 de julho, sábado, Teatro Bernardim Ribeiro, às 21h30. O incognoscível, onde invoco das profundezas da minha alma as visões e memórias que estão para além do visível e do verbal, a dança no seu lado mais lúdico e sensorial, a música de Prokofiev, particularmente a obra “Romeu e Julieta”. O mundo enigmático das emoções, que juntou os dois personagens, assim como o amor incompreendido e impendido por terceiros, onde muitos de nós encontramos identificação. Foquei-me na sincronicidade no encontro, no desencontro, no baile, nas famílias antagónicas, na cena do balcão (noite de amor), no desgosto, e no final na cripta, apoiei-me em simbolismos para decifrar e ajudar na trama. Onde um dos símbolos mais marcantes é a Rosa, e que a sua beleza jamais feneça: “quanto mais a desabrochada rosa se desfolhar sob a ação do tempo, ao menos que a tenra herdeira possa perdurar na sua saudade”.

Reguengos de Monsaraz – Auditório Municipal A Ressaca – parte III (M/12) 30 de junho – 16h30 e 21h30 Realização: Todd Phillips Com: Bradley Cooper, Ed Helms; Zach Galifianakis, Justin Bartha, Ken Jong, Mike Tyson

Redondo – Auditório do Centro Cultural de Redondo Assalto à Casa Branca (M/16) 30 de junho – 21h30 Realização: Antoine Fugua Com: Gerard Butler, Aaron Eckhart, Morgan Freeman

Estremoz – Teatro Bernardim Ribeiro A Ressaca – parte III (M/12) 5 de julho – 21h30 Realização: Todd Phillips Com: Bradley Cooper, Ed Helms; Zach Galifianakis, Justin Bartha, Ken Jong, Mike Tyson

Diversos Borba – Gerações + 3 de julho, quarta-feira, às 10h30. Piquenique – concentração junto à sede da ADMC. Alandroal – VII Edição do Torneio de Futebol de Praia De 12 de julho a 31 de agosto, na aldeia da Venda. As emoções fortes estão de volta à aldeia da Venda, a partir do próximo dia 12 de julho, com o início de mais uma edição do Torneio de Futebol de Praia. As inscrições para esta edição, a VII, decorrem até dia 28 de junho e estão limitadas a 16 equipas.

Estremoz – Concerto de Encerramento de Final de Ano Letivo (Sociedade Filarmónica Artística Estremocense – União) 7 de julho, domingo, Teatro Bernardim Ribeiro, às 16h00. Um concerto com duas partes distintas onde, na primeira, será apresentado o trabalho realizado nas diferentes classes instrumentais, e na segunda será apresentado o projeto “Banda Conjunta CCE”, projeto que se desenvolveu ao longo do ano letivo e consiste na criação de uma Banda Juvenil Conjunta, formada por alunos das Bandas Juvenis das Escolas de Musica das Bandas de Cabrela, S. Pedro do Corval e de Estremoz (União).

Exposições Estremoz – Uma década de incorporações: Artes Plásticas II Até 30 de junho, Sala de Exposições Temporárias do Museu Municipal. Segunda parte da mostra que pretende apresentar aos Estremocenses e demais visitantes, trabalhos de artes plásticas, desta feita nas vertentes da fotografia e escultura, que foram nos últimos 10 anos incorporados nas coleções do Museu Municipal. As peças agora dadas a conhecer, foram exclusivamente doadas pelos autores das mesmas. Estremoz – Exposição de Jorge Cecílio – Serralharia Artística Até 7 de julho, no posto de Turismo de Estremoz. Francisco Jorge Almada Cecílio, mais conhecido por Mestre Jorge Cecílio, nasceu em 1954. Com apenas 16 anos, começou por aprender o ofício de Serralheiro, como aprendiz de Mestre Saraiva, tendo permanecido na sua oficina durante 5 anos. Após esse tempo, foi trabalhar para Veiros e mais tarde para outra firma, em Estremoz. Em 1984 comprou um terreno em Estremoz onde, até hoje, se encontram as suas instalações. Quando iniciou a sua atividade fazia grades, portões, janelas, peças de artesanato à forja, etc. Neste momento, dedica-se a 100% ao artesanato em ferro.

Terras brancas 499  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you