Page 17

CAUSAS DO ERRO

Muitos e diversos são os pontos de vista que existem sobre este assunto, por isso, limitar-me- -ei, em primeiro lugar, ao que a experiência me tem ensinado e, em segundo lugar, aos conhecimentos que adquiri fundamentalmente em leituras.

Entre as causas que considero gerarem maior número de slips ou errors incluo: •

interferência da língua materna nos planos vocabular, gramatical e fonético (desemployed  What's that? Is a plane  manager);

tradução da língua materna para a língua alvo quando o aluno desconhece a estrutura que quer comunicar (who wants to practice sport, do it);

esquecimento momentâneo (temporary blank) da estrutura ou regra, que gera um slip (He maked a mistake);

falta de atenção e de concentração, que também gera slips e lapses;

falta de cuidado ou desleixo muitas vezes associado a falta de motivação;

cansaço, pressa, distracção;

maior atenção dada ao conteúdo em detrimento da forma, mais patente na oralidade;

aventureirismo ou única forma de transmitir uma mensagem, de comunicar, sabendo à partida que o que se vai dizer não está correcto. Revela uma necessidade de ir mais além do que se sabe na tentativa de exprimir algo mais que o normal e provoca o que Edge designa de attempts, ou seja, incursões em áreas desconhecidas, que se traduzem em estruturas incorrectas e/ou sentidos poucos claros.

De todas elas, creio que a que mais regularmente contribui, entre nós, para a ocorrência do erro é a interferência da língua materna, evidente a todos os níveis  fonético, vocabular e gramatical. Poucas devem ser as aulas em que não há um ou mais erros a ela atribuidos.

16

Reflexões sobre a problemática do erro  

Trabalho pesquisado e escrito em 1995, mas só agora (Out10) publicado por mim

Advertisement