Page 1

Ano 17

Número 168

OUTUBRO ROSA! ABRACE ESSA CAUSA VOCÊ TAMBÉM

• Outubro 2016

Distribuição

G r at u i tA


2 TM

ed.168

AGENDE-SE INSTITUTO PRANA Curso de Cura Prânica Nivel II 12/13 novembro Nivel III 15 novembro Meditações Corações Gemeos aberta 5as 19:30, Sab 17:00 Meditações Tematicas (restrito) 3as 19:30 Meditações Arháticas (restrito) 2as a partir das 20:00 Tel:4141 8737 atividades@institutoprana.com.br www.institutoprana.com.br ANNA MARIA ORMONDE Curso de Taro 1º Sábado de cada mês – Tels: 3577-2134 www.vivendotaro.com.br IJEP EM BRASÍLIA Inscrições do Curso 2017 Pós-graduação lato-sensu: Psicologia Junguiana Psicossomática Arteterapia e Expressões Criativas DAC Dependências,Abusos e Comp. www.ijep.com.br

AGENDE-SE

AGENDE-SE

ESCOLA GNÓSTICA DO DF ​Segundas-feiras às 20h: ​ Exercícios de Runas e Medita​ç​ão​​.​ ​Terças-feiras às 20h: Curso d​ e Introdução à Gnose. Quartas-feiras às 20h: ​Exercícios de Mantras e Meditação. ​Curso de Introdução à Gnose EPS 714/914, Edifício Talento, sala 430, . (61) 98205-4995 gnosedf@gmail.com SUMMIT LIGHTHOUSE DO BR Programação setembro “Ritual Sagrado Domingo das 10:30 ÀS 12:00 “Vigiai Comigo- Serviço de Cura 4feira das 13:00 ÀS 15:00 João e Glória: 98436-8833 Nanci: 98468-0082 mestres.ascensos@gmail.com ESTUDOS DE APOMETRIA Fevereiro de 2016 / Duração:12 meses Curso livre gratuito Inf.: 61 98127.3453 - Marco Antonio 98147-4892 - Muriel

AGENDE-SE

UNIPAZ Formação Holística em BSB de agosto de 2016 a julho de 2018 Formação em Terapia da Inteireza Inf.: 3380-2069 eventos@unipazdf.org.br ASSOCIAÇÃO GNÓSTICA DE BSB Workshop I Ching – Filosofia e Oráculo, A Milenar Sabedoria Chinesa. 15 do outubro, sábado, das 09h00 às 12h30 e dàs 14h00 às 17h30. Curso de Gnose – Início 22 de outubro, aos sábados das15h00 às 17h00. Todas as 6as feiras das 19h00 às 20h00 Cursos práticos e contínuos de Tarot Egípcio – Entrada Franca. 1ª Jornada de Video-Conferências Internacionais Gnósticas: O Natal em diversas Culturas. Entrada franca. 26 de novembro, sábado, das 09h00 às 13h15 na sede da AGB. Programas completos e informações: 703 norte bl F lj 17 W3 em frente a Disbrave. 98116-1446 www.gnosebrasilia.org.br

AGENDE-SE

CURSO DE THETAHEALING DNA BÁSICO 14 a 16 de outubro Sexta 18 às 21,30 sábado e domingo de 9 às 18,30 Inf.: 61-99125-2403 Joélia Andrade joeliaandrade@gmail.com EQSM TREINAMENTOS Workshop de ENEAGRAMA 08,09 e 10 de novembro. carga horário 12horas, das 19 às 22h59. Treinamento Vivencial: A Viagem Carga horária: 35 horas (imersão) Dias: 21, 22 e 23 de novembro utilização das ferramentas da PNL, Eneagrama, Constelações, Psicanálise, Psicologia Inscrições: (061) 41030243 adm@euquerosermelhor.com.br www.euquerosermelhor.com.br TARÔT - NUMEROLOGIA Tarot com Marcia Godoy Inf.: 99555-4416 THETAHEALING EM BRASÍLIA 5 de novembro de 2016 4003.3065 - numero nacional thetahealing.com.br


ed.168

EDITORIAL

O C

editorial desse mês faz alusão ao OUTUBRO ROSA, e ao DIA DAS CRIANÇAS.

âncer de mama é um assunto muito sério, e a campanha outubro rosa é para conscientizar as pessoas de todo o mundo sobre a importância de se cuidar e fazer exames para descobrir a doença no seu estado inicial: quanto mais cedo maior a chance de cura completa. Samantha Jones é uma mulher fortíssima, muito decidida, que embora já passasse dos 40 anos, não se consultava regularmente. Ela só descobriu o câncer quando quis fazer uma cirurgia para aumentar os seios e o médico descobriu o nódulo. É importante lembrar que o auto-exame não é mais o método principal para descobrir o câncer, porque quando os nódulos já estão perceptíveis ao tato, a doença já está num estado mais avançado. Então, como descobrir precocemente? Para mulheres com mais de 40 anos, é importante fazer mamografia todo ano! O histórico familiar deve ser levado em conta, e se algum parente já teve câncer de mama ou de ovários na sua família, você deve começar a fazer exames preventivos 10 anos antes da idade que ele tinha ao descobrir o câncer. Para mulheres jovens, a mamografia não é tão eficiente, porque a glândula mamária ainda é muito densa, atrapalhando a imagem. O que fazer então? Ultra-som das mamas todo ano, é o que eu faço desde os 25! Se a Samantha tivesse feito isso, teria descoberto mais cedo, e provavelmente não teria passado por quimioterapia. Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais.” (Art. 5º. Estatuto da Criança e do Adolescente) Prostituição Infantil e Pedofilia Fome e desnutrição Trabalho Infantil Analfabetismo Vítimas da violência e guerra Acidentes graves e mortes Doenças e Mortalidade Infantil Todos esse itens são apresentados anualmente pela UNICF. Mas está claro que os políticos não estão nem ai para isso porque não são com eles, mas fazem sim parte da vida deles pois muito do que vemos vem dos próprios eleitores deles.

Assim sendo só nos resta pedir a DIVINA MÃE que nos ajude...

TM 3

Arte Terapia

A Arte Terapia fundamentada na Psicologia Analítica ocupa-se em decifrar as imagens simbólicas que surgem durante o processo psíquico de criação. A arte na visão de Jung não tinha valor estético em si...

Os olhos são a janela da Alma

Hoje, através da Microsemiótica Irídea, com a análise da Banda do Sistema Nervoso Autônomo (BSNA), do limbo e da Borda Pupilar Interna (OPI), pode-se revelar segredos, choques e abalos vividos...

Quando o personagem é maior que a pessoa

Todos temos uma identidade própria que está ligada às raízes de nossa descendência. Quando as circunstâncias da vida nos leva a interpretar papéis carregados de lutas emocionais, ...

Estilos de personalidade,

Imagine receber em mãos um mapa de sua personalidade, com os caminhos que ela percorre, as armadilhas e os tesouros que ela oferece. E a partir disto trilhar um caminho para a sua felicidade, para sua liberdade.

O que é Haloterapia

A Haloterapia consiste na saturação do ambiente de uma sala ou cabine com partículas de sal ionizado (0.5-15 mg/m3), o que permite à pessoa estar exposta e respirar essas mesmas partículas de sal.

A Flor da Vida Editora MARCO ANTONIO TABET GOME$

CNPJ 06.772.164/0001-13 SCLRN. 715 bl G - ent 57 - sl 203 - Brasília - DF

www.terceiromilenionline.com.br terceiromilenionline@gmail.com Editor

MARCO ANTONIO TABET GOME$ (61) 3447-1807 • 98127-3453

Distribuição gratuita em 480 locais de Brasília e 80 na Chapada dos Veadeiros Alto Paraiso - São Jorge Assinantes em todo pais

Os artigos aqui editados são de inteira responsabilidade dos seus autores.

O que aconteceu conosco?

Se pararmos para pensar e analisar o que está acontecendo conosco, veremos que a vida que estamos levando não é natural nem feliz.Nem sequer sabemos mais o que comer, o que faz mal,..

PARTICIPE - INFORME-SE UMA ONG A SERVIÇO DA VIDA

98127-3453


A L I M E N T A ÇÃ O

E

SAÚDE

4 TM

ed.168

O Que Aconteceu Conosco? O câncer de intestino

S

e pararmos para pensar e analisar o que está acontecendo conosco, veremos que a vida que estamos levando não é natural nem feliz.Nem sequer sabemos mais o que comer, o que faz mal, o que devemos ou não comprar para a alimentação das nossas famílias. Há uma verdadeira guerra de informação, a cada dia uma novidade, que se seguirmos sem avaliar bem, nos levará para uma montanha russa que não temos a menor idéia de onde vai dar. Nunca se tomou tanto remédio para o estômago e para facilitar a digestão. Nunca tanta gente desenvolveu intolerâncias alimentares. Quase todo mundo faz uso diário dos ditos "zóis";: Omeprazol, Pantoprazol, Isomeprazol etc, e agora estão descobrindo que esses medicamentos são muito perigosos quando tomados por um longo período de tempo. O que fazer então? A vida se tornou uma correria sem fim nem sentido. Nós corremos sem parar para ir aonde? Conseguir o quê? Até a nossa alimentação tem que ser feita rapidamente, não há mais tempo para curtir os temperos, e é nesse momento que entram os realçadores de sabor, como o glutamato monos sódico, que todos sabem que faz muito mal, há até uma condição conhecida como Síndrome do Restaurante Chinês, porque nesses restaurantes ele é muito usado e várias pessoas passam mal. Nessa mesmo categoria, a da pressa, entra o pão nosso de cada dia, cheio de aditivos químicos para acelerar a fermentação e o crescimento, o que, além de causar danos à nossa saúde, ainda não é conseguido completamente e o pão vai terminar de fermentar dentro de nós, causando o efeito de barriga estufada, tão comum hoje em dia. O glúten virou então o maior vilão da história. Claro que existem as pessoas que são celíacas e também as que são realmente intolerantes ao glúten, eu mesma sou uma delas. Mas será que somos todos intolerantes a ele como agora está parecendo? A maior parte de nós teve uma infância feliz, comendo os

pães e os bolos da casa da vovó (que além de deliciosos tinham o componente primordial, o amor) sem sentir nada, e agora, de repente, não podemos mais comer o nosso pão de cada dia. Não será por causa dessa mesma pressa além dos aditivos químicos? Porque o pão faz parte da história da humanidade, mas a maneira de prepará-lo era bem diferente: a massa do pão era preparada sem produtos químicos, sem máquinas, ao modo ancestral. O fermento usado era o natural, formado a partir da mistura dos grãos à água, e a massa também muito sovada. A farinha de trigo usada era moída em moinhos de pedra e não em máquinas, que hoje em dia a transformam em uma espécie de talco. O pão feito da maneira antiga, com fermentação natural, tem que ter várias horas de descanso e depois disso ainda ficar na geladeira por mais 24 horas. Dessa forma, segundo o padeiro Fabrício Brito, "o longo processo de fermentação quebra a maior parte da cadeia do glúten e destrói a maior parte dos carboidratos". Assim, para muitas pessoas sensíveis ao glúten, o pão feito "como antigamente" pode se tornar um grande alívio por poderem comê-lo sem ficar com a "barriga de glúten", tão incômoda e dolorosa. Por tudo isso, voltando ao início, penso que devemos fazer um esforço em direção a uma vida mais natural e tranqüila, onde os verdadeiros valores do amor, da família, da paz e da amizade valem mais do que as aparências e os bens materiais, que, é claro, são importantes mas não podem ficar em primeiro lugar, sob pena de perdermos o rumo da nossa felicidade! Elizabeth Anastasia R. Serejo

É o único tumor possível de se prevenir a partir da descoberta de um pólipo benigno De acordo com a Estimativa para 2016/2017 do Instituto Nacional do Câncer - INCA, haverá, aproximadamente, 600 mil novos casos de câncer no Brasil. Desses, cerca de 40 mil pessoas terão cânceres de intestino. Esse é o segundo tipo de câncer que mais acomete as mulheres, perdendo apenas para o de mama, e é o terceiro mais incidente entre os homens, depois do câncer de próstata e de pulmão.  O câncer do intestino é possível de ser evitado, mas, se descoberto tardiamente, pode ser fatal. “Quase metade dos pacientes com esse câncer morre em cinco anos após tratamento. Quando diagnosticado em estágio inicial, a sobrevida é considerada boa e ultrapassa 70%”, afirma o coloproctologista do Hospital Santa Marta e Titular da Sociedade Brasileira de Coloproctologia, Dr. Edvaldo Lima.  Geralmente, o câncer no intestino grosso começa sempre como uma lesão benigna, o pólipo, que vai evoluindo lentamente até se transformar em tumor maligno. Segundo o médico, a lesão pode ser identificada durante o processo denominado “rastreamento”, que é um conjunto de atitudes que permite identificar pólipos ou câncer no intestino de forma precoce, ou seja, em tempo de curar. Entre os exames realizados, o mais utilizado é a colonoscopia. De acordo com o coloproctologista da clínica Digestive, Dr. Edson Lustosa Machado, “o uso da colonoscopia na medicina como meio de diagnóstico está bem consolidado, e os bons resultados como meio terapêutico nas ressecções de pólipos estão bem padronizados”. Os médicos afirmam que o exame tem se mostrado eficaz na prevenção do câncer colorretal. “A colonoscopia é, sem dúvida, o melhor exame para o diagnóstico da doença, pois, por meio dele, são detectadas e extirpadas precocemente as lesões que podem se transformar em câncer”, explica Dr. Edvaldo Lima. Sintomas do câncer de intestino: •Sangramento ao defecar ou sangue nas fezes; •Mudanças no ritmo de funcionamento intestinal (diarreia e constipação alternados); •Vontade frequente de ir ao banheiro; •Sensação de gases ou distensão; •Dor ou desconforto abdominal ou anal; •Fraqueza; •Anemia; •Perda de peso sem causa aparente.  A colonoscopia é indicada para: •Todos os indivíduos a partir dos 50 anos. •Pessoas com histórico familiar de câncer de intestino, ovário, endométrio, mama e tireoide. O rastreamento deve ser iniciado aos 40 anos ou 10 anos antes do familiar com doença mais precoce. •Quem completar 7-10 anos de tratamento da doença inflamatória intestinal (retocolite ou doença de Crohn). •Pessoas com sintomas intestinais devem fazer de imediato.  Assessoria de Marketing e Comunicação do Hospital Santa Marta. Vanessa Sezini:


ed.168

TM 5

A BOA SAÚDE DO SEU CÓLON A

Com um cólon livre de toxinas.

higiene interna ou limpeza intestinal é uma prática usada desde o princípio dos tempos como um dos meios mais preciosos para conservar a boa saúde, e tem sido cada vez mais negligenciada nos tempos modernos. Todas as medicinas tradicionais antigas (China, Índia, Egito, países do Oriente Médio, Grécia, Polinésia, América do Norte e do Sul etc.) preconizavam a limpeza do intestino com um pouco de água, a fim de assegurar um bom funcionamento para todo o organismo e evitar as doenças agudas ou crônicas. Em todas as medicinas ancestrais, as lavagens intestinais também eram usadas como terapia útil para combater as doenças quando elas já tinham se estabelecido, quaisquer que fossem seus nomes. Infelizmente, o desenvolvimento da medicina química sintomática moderna levou a preferir o recurso dos medicamentos de uso interno ou injetável em lugar de medidas de higiene, como a lavagem intestinal. Hoje, quando alguém passa mal, quase sempre opta por comprar pílulas na farmácia, em vez de realizar sessões de hidrocolonterapia para limpar seu cólon (intestino grosso). No entanto, todos os naturopatas, médicos e terapeutas partidários dos métodos naturais, em todas as épocas da história, reconheceram a importância de uma boa higiene do intestino. Se a função do intestino delgado é absorver os alimentos de que nosso corpo necessita, a do intestino grosso é, junto com a pele, os rins e os pulmões, colocar para fora do corpo os detritos e as toxinas. Quando ele está cheio e não se esvazia completamente, matérias tóxicas ficam nele estagnadas e irritam suas finas paredes. A flora intestinal é alterada e logo as substancias tóxicas que deveriam ter sido eliminadas são de novo absorvidas

pelas paredes fragilizadas do intestino envenenando todo o organismo. O estado do cólon depende da qualidade e da quantidade dos alimentos ingeridos. Quando são digeridos e assimilados, sobram substâncias, celulose e excrementos (variáveis segundo a natureza dos alimentos), que são eliminados passando através dele. Se não se consegue evacuar essas matérias fecais num curto prazo, elas irritam suas paredes provocando problemas (constipação, diarréia, colite...) e, com o tempo, afetam outros órgãos de duas maneiras. Por um lado, pela via sanguínea: o sangue carregado de toxinas as deposita no seu caminho em diferentes lugares do corpo. Por outro, por via reflexa: as toxinas se alojam em certas partes do intestino grosso, atrapalhando assim o funcionamento do órgão correspondente àquela parte. A maioria das doenças é conseqüência de um mau

funcionamento do intestino. É o que ocorre com a maioria dos moradores dos países civilizados que comem principalmente alimentos refinados e carentes de fibras alimentares, e criam assim problemas para o funcionamento intestinal. As fibras vegetais agem como uma daquelas vassouras usadas para limpar chaminés que fazem uma faxina no intestino. Para todos os que sofrem de prisão de ventre (uma das doenças mais freqüentes no ocidente) é importante, junto com uma mudança de hábitos alimentares, aprender a usar a técnica das lavagens intestinais e da colonterapia a fim de assegurar uma boa eliminação e livrar-se de todos esses mal-estares, sintomas e doenças que envenenam a vida de tantos dos nossos contemporâneos. Algumas pessoas, em razão de preconceitos, têm medo de que uma lavagem intestinal possa destruir a flora intestinal ou deixar o intestino preguiçoso. Na verdade, é preciso ficar claro que jogar água no cólon não apresenta nenhum perigo. A higiene intestinal é antes de tudo uma experiência para ser feita, uma experiência cujos efeitos benéficos são múltiplos, rápidos e extraordinários. É comum que dores desapareçam em alguns minutos após uma lavagem intestinal e que a estimulação de todas as funções do corpo que dela decorre proporcione um admirável bem-estar. Tudo isso se explica não só pela limpeza intestinal, como também pelo efeito reflexológico produzido pela água que circula no intestino. Dr. Christian Tal Schaller “Como ter mais saúde com um cólon livre de txinas”


C O R P O

E

M E N T E

6 TM

A

ed.168

A ler g i a : H omeo pat i a n o reequ i l í br i o or g â n i co

lergia é um fenômeno de hipersensibilidade do organismo a determinado elemento que o sistema imunológico recebe como estranho. A palavra alergia vem do grego “alergein” que significa “agir diferente”. Denomina-se antígeno qualquer substancia capaz de provocar reação alérgica ou auto-imune, por ser estranha ao organismo afetado. A reação antígeno/anticorpo, responsável pelos estados alérgicos – qualquer substancia estranha ao organismo pode ser capaz de provocar a reação alérgica, com manifestações químicas a nível de pele (eczema, urticária) ou respiratório (rinites, asma), nas pessoas susceptíveis ou seja, com o terreno alérgico. As causas são as mais variadas: alimentares, fungos, pólen, frio, calor, picadas de insetos, medicamentos, etc. Cada pessoa tem a sua causa desencadeante. O fator genético tem grande importância, favorecendo os fenômenos alérgicos numa mesma família. Os mecanismos de imunidade orgânica são complexos e atualmente melhor estudados pela imunobiologia, pela genética molecular e também pelo homeopata, que enfatiza a questão do “terreno” do ser humano. As inúmeras alergias acometem de 20 a 30% da população de grandes cidades, ela é responsável por quase metade dos atendimentos do homeopata. Em relação as alergias a posição da homeopatia é bastante clara e efetiva, a nível de tratamento preventivo e curativo de “terreno”, equilibrando a pessoa, reforçando seu substrato imunológico e auxiliando o organismo a obter maior resistência natural aos agentes agressores.

O papel do homeopata é antes de tudo educacional e busca em 1ª lugar afastar as causas e não apenas combater os efeitos. E isso não se dá apenas afastando certos alimentos e produtos de limpeza que podem desencadear alergia e diminuindo a presença de pó, poeira e ácaros do ambiente em que o alérgico vive e sim em de-sensibilizar o indivíduo alérgico. A abordagem homeopática ao tratamento das alergias é novamente baseada no conceito de que os sintomas são o esforço do corpo para corrigir um desequilíbrio do sistema. Em vez de controlar ou suprimir os sintomas, o tratamento homeopático utiliza micro doses de uma substancia individualmente escolhida, com capacidade de provocar sintomas semelhantes aqueles apresentados pela pessoa alérgica. Existem medicamentos homeopáticos utilizados para os ataques agudos da alergia e outros para o estado subjacente da doença crônica, o medicamento agudo pode ser eficaz na diminuição dos sintomas alérgicos, mas geralmente não previne o aparecimento desses sintomas no futuro. Já o medicamento para o estado crônico é capaz de reduzir a freqüência ou a intensidade do quadro alérgico e pode curar o indivíduo. É necessário um bom acompanhamento pelo médico homeopata, pois a cura não é imediata, podem ocorrer crises que necessitarão de assistência profissional, mas os resultados são muito satisfatórios e certamente o tratamento homeopático melhora o nível geral de saúde do indivíduo. Liane Beringhs lianeberinghs@terra.com.br

Ervas de uso em problemas renais

Estigma de milho - Zea mays, L. O milho contém em seu cabelo ou estigma, sais de cálcio e potássio, glúcide, estereoma e ceras que o tornam diurético e colagogo (estimulante da secreção biliar). Excelente contra problemas renais, inclusive cálculos. A maneira mais simples de utilização é em forma de chás, por decocção dos estigmas. Cavalinha - Equisetum arvense Diurético, mineralizante, depurativo e fortificante dos rins. Contra pressão alta, e demais infecções do aparelho urinário e moléstias de pele. Frutas: Abacaxi: favorece a diurese, ajuda a queimar gordura, sacia a sede, é expectorante. Uva ursi - Arctostaphylos Anti-séptico, diurético, contra cálculos renais e problemas do aparelho urinário. Dieta do abacaxi Esta dieta é de apenas 1 dia, mas deve ser repetidas com intervalos regulares, em geral de 1 semana, até que seus objetivos sejam atingidos. A quantidade ingerida em cada refeição fica a critério do doente. É indicada tanto para a fase aguda da litíase renal (cálculos), como para prevenir a recorrência dos cálculos. Tem grande eficácia no tratamento da obesidade resistente, da pressão alta, na prevenção das crises de gota, e no reumatismo crônico. Sua ação diurética é muito boa, servindo também como recurso auxiliar nos tratamentos das infecções urinárias em geral.


ed.168

TM 7

TERMOGRAFIA TÉCNICA NÃO INVASIVA, INDOLOR E 100% SEGURA

O

princípio da termografia é simples. As variações da temperatura corporal são analisadas em busca de anomalias, como doenças, lesões e até mesmo tumores. As imagens são captadas rapidamente, de maneira indolor e sem uso de contraste. Isso torna o exame completamente livre de contraindicações para idosos, crianças e mulheres gestantes podem fazê-lo sem preocupações. O calor gerado pelo corpo humano é um dos cinco sentidos vitais do organismo, assim como pulso, pressão arterial, respiração e dor. Quando existe algo errado, é muito provável que esse mal funcionamento provoque variações atípicas na temperatura corporal. É como uma máquina que aquece demais quando está desregulada. No câncer, por exemplo, as células do tumor têm um metabolismo diferente das células saudáveis. Elas precisam de mais nutrientes para fazer a doença crescer. Essa necessidade é suprida pelos vasos sanguíneos, que tornam-se mais dilatados e mais ativos. Isso gera uma marca térmica, evidenciada pela termografia. “Uma das grandes vertentes desse exame é a detecção do câncer de mama”, afirma o médico Marcos Leal Brioschi, presidente da Abraterm (Associação Brasileira de Termografia). Esse é o câncer mais comum entre mulheres no Brasil, com quase 53 mil novos casos por ano, segundo estimativa do INCA (Instituto Nacional do Câncer). Assim como o câncer, muitas doenças e diversos tipos de lesões musculares apresentam variações anormais de temperatura no corpo humano. Esse tem sido o grande trunfo da termografia no combate às dores crônicas, provocadas por doenças não diag-

nosticadas. “Cerca de 86% dos pacientes com dores crônicas não apresentam alterações nos exames tradicionais de imagem, como radiografias, tomografias e ressonâncias magnéticas; exatamente ao contrário do que observamos com a termografia”, revela Brioschi. Por isso, o exame tem se tornado um aliado importante em muitas situações. No meio esportivo, a termografia é usada para diagnosticar rapidamente lesões musculares e possibilitar um tratamento mais preciso. O exame identifica problemas nos tendões, contraturas musculares e lesões ortopédicas em geral. Fora do esporte, o exame também se mostra bem versátil. Doenças como fibromialgia, artrites,disfunções vasculares, disfunções da glândula tireoide, inflamações nas artérias carótidas, enxaqueca, diabetes e muitas outras são possíveis de serem identificadas na primeira tentativa, mesmo em momentos ainda iniciais da doença. Como funciona o equipamento? Um equipamento especial, com sensores de infravermelho, consegue captar e interpretar a temperatura do organismo. É como uma foto- grafia de alta resolução das mínimas variações de calor. A técnica é indolor, sem contato com o paciente durante o procedimento ou necessidade de usar qualquer tipo de contraste.

O mapa da temperatura corporal revela anomalias na forma como o corpo gera calor. Especialistas no procedimento analisam os resultados para emissão do laudo que, associado a uma avaliação clínica, pode chegar ao diagnóstico de diversos problemas. Apesar dos benefícios, a termografia ainda é um procedimento novo e, por isso, recomenda-se a realização do outros exames para fechar a maioria dos diagnósticos. Assim, o exame é tido como uma técnica de apoio com bons resultados, especialmente para casos em que há dificuldade na busca pela origem da dor crônica. O exame já está disponível em alguns hospitais do país, como o Hospital Nove de Julho o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, e aqui em Brasília na Clinica Ortomolecular - UNICORDIS Origem do exame A técnica foi inicialmente desenvolvida para fins militares, no início dos anos 1950. Buscava-se uma forma de identificar o inimigo pela emissão de calor de seus corpos. Os sistemas de imagens por infravermelho tinham o objetivo de facilitar o deslocamento de soldados à noite. Era a primeira ferramenta de visão noturna. Poucos anos depois, em 1957, a técnica foi adaptada à medicina. O físico canadense Ray Lawson descobriu haver diferenças na temperatura entre tecido sadio e tecido com tumor, quando investigava um caso de câncer de mama.


S A Ú D E

E

B E L E Z A

8 TM

ed.168

O que é Haloterapia É uma terapia complementar 100% natural que utiliza o sal como único e principal elemento. A Haloterapia consiste na saturação do ambiente de uma sala ou cabine com partículas de sal ionizado (0.5-15 mg/m3), o que permite à pessoa estar exposta e respirar essas mesmas partículas de sal. É um dos métodos mais eficazes para prevenir, complementar tratamentos e reabilitar doenças respiratórias removendo obstruções, tornando mais fácil a respiração. É também indicada para fumantes e desportistas. Como funciona a Haloterapia As salas de haloterapia reproduzem um ambiente natural que se assemelha a uma caverna de sal, onde, paredes, teto e chão são totalmente cobertos com várias camadas de sal. A sala é um espaço seco, estéril e hermético, cuja variação da temperatura oscila entre 18° e 24° com umidade de 45% a 60%, e possui um aparelho micronizador que dispersa no ar micro partículas de sal, que virão por sua vez inaladas pelos pacientes acomodados confortavelmente. A sala possui música ambiente relaxante e luzes de cromoterapia, o que permite aos pacientes a possibilidade de ler um livro ou simplesmente repousar durante o tempo da sessão, com duração de 45 minutos. Ao término o aparelho se desliga automaticamente acendendo as luzes dentro da sala. A História da Haloterapia A popularidade da terapia com sal apareceu no século XIX (1843), quando foi observado que os trabalhadores das minas de sal polonesas tinham menos problemas respiratórios que o restante da população. Na década de 1990, alguns cientistas tentaram reproduzir as mesmas condições em grutas artificiais, que resultaram posteriormente em muitos

espaços clínicos para asmáticos nos seguintes países: Alemanha, Suíça, Hungria, Bulgária e na extinta Iugoslávia. Esta progressão constante do tratamento levou a testes científicos com resultados bastante positivos. Foi neste momento que se estabeleceu o primeiro Centro Haloterápico na Polônia, na cidade de Velicko, para complementar os outros tratamentos e dar alívio a várias doenças do aparelho respiratório, especialmente a asma. O potencial do sal foi observado igualmente no final da segunda guerra mundial, nas minas de sal, local onde as pessoas habitualmente se abrigavam dos bombardeios. A Haloterapia tem sido reconhecida como uma terapia complementar e 100% natural ao alívio de sintomas e problemas respiratórios tais como: asma, bronquite, tosse de fumante, fibrose cística, enfisema, amigdalite, otites, faringite, tosse, rinite, sinusite, gripes, constipações e assim como repetidas infecções virais. A Haloterapia é indicada também no alívio de doenças dermatológicas tais como a dermatose, eczema e psoríase. Em nível de saúde

psicológica com o stress, ansiedade e depressão. A Haloterapia tem efeitos benéficos por estar em um ambiente acolhedor, seguro e relaxante. Haloterapia e a Ciência A investigação científica sobre a eficácia do sal começou em 1968, sendo oficialmente aprovada no hospital de doenças alérgicas na cidade de Solotvino, Ucrânia ocidental, onde o tratamento e a pesquisa foram realizados. Na antiga União Soviética, juntaram-se vários investigadores para desenvolver terapias que evitassem os custos e os efeitos secundários das terapias à base de medicamentos químicos (convencionais), chegando a ser elaborado um plano público de saúde pelo então governo da época. Em consequência dos resultados das pesquisas, foi estabelecido o novo método muito eficaz de terapia complementar para a asma que se baseia numa sala especial, construída com sal, onde o mesmo é disperso continuamente no ar para que os pacientes o respirem. Vários estudos clínicos demonstraram que as partículas de sal podem ajudar a reduzir a inflamação respiratória; absorção de edema (inchaço) causado pelo fluído nos tecidos e pode ajudar a desbloquear a área dos brônquios. O sal, por ser um anticéptico e anti-inflamatório natural, limpa as vias respiratórias e remove obstruções tornando mais fácil a respiração. O processo terapêutico é bom para o sistema nervoso, devido à saturação do ambiente com íons negativos. Um estudo finlandês descobriu que os pulmões dos pacientes ficavam menos propensos às típicas reações alérgicas. Chegando à conclusão que uma sala de sal é uma medicina complementar muito útil e eficaz.


ed.168

O especialista em alergias, Dr. Robert Boyle, do Imperial College, afirma que tem utilizado a Haloterapia como terapia complementar em pacientes com fibrose cística com bons resultados. Segundo ele: “A concentração salina é usada em crianças com fibrose cística de muco fino. Quando inalada, ajuda a liberar as secreções

mais facilmente”. O uso correto da Haloterapia pode de 70% a 80% dos casos, conduzir à regressão significativa da doença. A doença deixa de se manifestar continuamente, podendo inclusive o paciente deixar progressivamente de ter necessidade de usar diariamente medicamentos alopáticos (cortisona, esteroides, etc.), que produzem efeitos secundários e nocivos para o organismo humano. Deste modo melhora extraordinariamente a qualidade de vida, porém deve sempre estar sob supervisão do médico. A Haloterapia promove efeitos de alívio e bem-estar sentidos pelos pacientes já nas primeiras sessões da terapia. Este efeito se verifica em pelo menos 65% dos pacientes. Os tratamentos com medicamentos, alopáticos, além de mais caros, produzem efeitos secundários nocivos ao organismo humano (desenvolvendo resistência), deixando gradualmente o medicamento de fazer efeito, levando à substituição por outro. O que não acontece com a Haloterapia, que ajudará no melhor desempenho do medicamento receitado pelos médicos. N° da autorização para o funcionamento de clinicas de haloterapia na Zona Euro Diretiva Europeia CE93/42EEC (equipamento biomédico complementar). Reconhecido Health Canada e CSA Sistema Sanitário da Inglaterra desde de 1 de abril de 2014 Salus Naturalis www.salusnaturalis.com.br

TM 9

O Magnésio Mágico P

ara quatro males incuráveis e a maioria dos outros O Cloreto de magnésio foi uma descoberta fulminante da década de 1980, pouco difundida. Não é remédio, mas sim alimento essencial para a vida, a ponto de animais novos, bem tratados mas sem magnésio, morrerem todos em um mês. O magnésio controla 18 minerais e tem aproximadamente 300 funções. O SEGREDO DO MAGNÉSIO – É indispensável conhecê-lo. Todos nós nascemos de uma única célula, que se multiplica, até a idade adulta, em cerca de 100 trilhões de células variadas, que nos dão calor e energia. Enfileiradas, dariam uma volta ao mundo, ou mais. CÉLULA SADIA – Cada célula tem no seu interior um pequeno núcleo, tido como sede da vida, com toda a programação da primeira célula. O núcleo consiste de enorme conjunto de átomos, em forma de rede espiralada, onde aqui e ali há um átomo de magnésio, tipo“borrachinha” - este é o segredo! Tais células são flexíveis e ativas, como o corpo todo. Na formação das novas células, o magnésio escolhe as substâncias programadas, todas de origem animal, como único material de construção, ao menos até os 6 anos de idade, para dar acabamento ao cérebro e evitar deficiência mental. Assim, cada célula sabe e segue o programa da primeira célula, sem faltar um cabelo sequer. Nos adultos, a célula-mãe se desfaz, para evitar o“gigantismo”. O magnésio constrói as células. CÉLULA DOENTE – Se faltar magnésio na formação das células, invade seu lugar o cálcio, tipo“pedrinha”. Tais células vão perdendo flexi-

bilidade e atividade, e todo o corpo endurece, envelhece e se cansa à toa. Aí, o “diabo está solto”... O cálcio mata pelo menos 80% por doenças como calcificações, artrites, ciáticas incuráveis, câncer, infartos - umas 6 mil doenças. Umas são de doer e gemer. Outras são de morrer, no duro! Mas agora temos... A MAGIA – Basta devolver o magnésio que falta, e ele vai direto aos núcleos chutar fora as pedrinhas, o cálcio invasor, e retoma seu lugar como “borrachinha”. Assim, o corpo endurecido volta aos poucos a ser flexível e ativo, pois o magnésio é o restaurador das células. O magnésio, com seus 18 minerais ajudantes, vai patrulhando até os últimos becos do corpo, limpa as arteriazinhas... O magnésio chega lá! REFINADOS – Então o bom Deus esqueceu do magnésio nos alimentos? Não! Ele entregou o domínio da natureza perfeita ao homem racional. A culpa é do próprio homem, obcecado por paixões de ganância, gula, vaidade... O industrial visa a lucros e refina, retira o“sujinho” dos grãos de arroz e do trigo, o melaço escuro do açúcar. Do sal marinho, rejeita o magnésio, que umedece o iodo, e mais 20 sais salubérrimos. Gaba-se do “progresso”, dos “alimentos brancos”... Desses 4 alimentos básicos, os mais consumidos no mundo, vende a bom preço esses restinhos “sujos” ao gado, para a sua saúde. Logo, sabe o que faz! No entanto, reserva para si o restante “bagaço branco” e, doente, corre à farmácia, pagando o cêntuplo por drogas ineficazes. Assim, o homem“fatura” nada menos que 50% das mortes por câncer... PadreBenoJoséSchorr1 Prof.defísica,químicaebiologia

A respiração como Caminho de cura “Durante alguns meses, foram dois tipos de suplício; a dor de ouvido que persistia e a falta de solução para combater o mal. Em conversa com amigos, me foi indicada uma dentista. Uma dentista, imagine! Mas, afinal, diante dos relatos a respeito da profissional, doutora Rozângela, lá fui eu para mais uma consulta. Depois de narrar o que se passava comigo, a doutora Rozângela começou a fazer alguns testes e identificou problemas de respiração, além de problema de mordida. Ao final da consulta, ela me recomendou mais algumas sessões e o uso de uma placa na arcada superior, para dormir. O tratamento continuaria em casa, pressionando a ponta da língua no céu da boca. Em pouco tempo, com esse exercício e o uso contínuo da placa, observei que a dor não aparecia com tanta frequência. Tornou-se esparsa até desaparecer por completo. Posteriormente indiquei o tratamento para um conhecido que roncava muito e sentia dores de cabeça. Ele me relatou, mais tarde,

que os roncos e as dores de cabeça haviam desaparecido. Foi assim que me conscientizei de que tratamentos alternativos podem ser úteis ao nosso organismo, liberando-nos de drogas que, em muitos casos, tem efeitos desastrosos.” Estes são trechos do depoimento de Patrícia para o Livros A CURA PELO AR, LÍNGUA E DENTES, da dentista Rozângela Auxiliadora Candido. Além de depoimentos e outras informações, a dentista descreve no livro, com detalhes, a técnica para melhor respirar. Ela cita uma placa de acrílico confeccionada por ela mesma, para ao dormir, melhorar as disfunções da oclusão e facilitar o posicionamento da língua no palato, proporcionando a respiração correta. A intenção da autora é mostrar como uma prática relativamente simples de respiração correta, pode proporcionar bem estar e ser via de acesso para melhora e/ou cura de boca e olhos secos, rinite, bronquite, roncos, apneia, dores de cabeça, insônia, distúrbios nos ouvidos e outras disfunções do corpo.


C O R P O

E

M E N T E

10 TM

ed.168

OS PENSAMENTOS E ENSINAMENTOS DE P.R.SARKAR

A

Consciência Suprema é o refúgio de todas as entidades, é a única entidade que não requer nenhum refúgio para manter a Sua existência. Esta cidade de Patna está inserida no estado de Bihar. Bihar está dentro da Índia. A Índia está inserida na Ásia. A Ásia está dentro deste planeta. Este planeta está dentro deste sistema solar. Este sistema solar está dentro da Consciência Infinita. Logo, ninguém abriga a Consciência Infinita. Ela não depende de nenhum abrigo. A Sua existência não depende da compaixão de nenhuma outra entidade. A Consciência Suprema existe em você assim como o óleo existe na semente. Esmague a semente através da prática espiritual (sádhana) e você realizará a Consciência Suprema; separe a mente da Consciência e você verá que a resplandecência da Consciência Suprema ilumina todo o seu ser interior. Ela está em você como a manteiga existe no leite: revolva a si mesmo e Ela aparecerá do seu interior. Revire a sua mente através da prática espiritual e a Consciência Infinita aparecerá como a manteiga surge do leite. Ele é como um rio subterrâneo em você. Remova as areias da mente, e você encontrará “águas claras e frescas” dentro de si. A Consciência Suprema ocultou-se em sua mente. Ela está escondida atrás da cortina de seu “eu”. Você não precisa ir às montanhas dos Himalaias para descobrir aquilo que está oculto no seu próprio “eu”. Será que alguém precisa de um espelho para ver um bracelete no próprio pulso? Portanto, o Ser Supremo está dentro de você. Há apenas a necessidade de remover o véu do ego. Temos que remover completamente este ego, este “sentimento de eu”. Todos os problemas, todas as incompreensões, todas as relações envolvendo respeito ou desrespeito estão conectadas a esse “eu”. Quando alguém discorda de você, você o processa

na Justiça. Por que você se preocupa tanto? Só para vingar seu ego. Todos os problemas e frustrações ocorrem somente por causa do ego individual. O fato é que mesmo após entregar tudo a Deus, o arquiinimigo “eu” permanecerá. Você dirá: “Eu entreguei tudo a Deus”. – Eu, eu, eu! Meu amigo, entregue esse “eu” também a Deus e somente aí a sua entrega será completa. Todos os problemas ocorrem por causa desse “eu”. Ora, quando é que uma pessoa sente que deve amar o Ser Supremo? É quando ela se liberta de sentimentos egoístas. Entretanto, alguém dirá: “Dizem que Deus é misericordioso, mas eu sou desafortunado por não receber Sua graça”. Existem muitas pessoas que falam assim. Mas vocês sabem, meus filhos, vocês sabem, minhas filhas, não há parcialidade n’Ele. Ele distribui a Sua graça divina para todos. Ele existe para toda e qualquer criatura, mas uns sentem a sua graça, enquanto outros, não. Qual é a razão? Há uma chuva de graça divina. Mas suponha que você esteja segurando um guarda-chuva acima da sua cabeça. Será que você ficará encharcado pela chuva? Ah, não. Aquele que quer desfrutar dessa chuva

de bem-aventurança deve remover o guarda-chuva do ego de cima de sua cabeça, e será então encharcado pela chuva divina. Assim, um aspirante espiritual, um iogue, deve livrar-se de todos os sentimentos egoístas. E, no momento seguinte, ele estará na proximidade da Entidade Suprema. TORNANDO-SE UM COM O SER SUPREMO Em termos simples, o que temos a fazer é voltar para a casa de onde viemos. Todos nós viemos da Entidade Suprema, do Núcleo do universo. Temos que retornar ao mesmo destino. A criança brincou por campos distantes durante todo o dia, e agora que anoitece, ela volta para casa. Ela pensa que seus pais já devem ter chegado a casa: “Deixem-me voltar para casa e sentar perto deles”. Quando se está cansado deste mundo e das coisas mundanas, anseia-se por voltar à espiritualidade – seu lar. E qual é o nosso domicílio permanente, nosso lar? A Consciência Suprema. A prática espiritual (sádhana), portanto, é o processo de voltar para casa. É uma tarefa simples. Não requer erudição, conhecimento, faculdade intelectual, nem sermões longos e tediosos. Quando um conhecedor da verdade imerge no Ser Supremo, o senso de existência individual se perde, e ele alcança a unidade com a Entidade Suprema, tornando-se Supremo. A prática espiritual é o meio para a expansão da alma, não para a sua aniquilação; logo, a imersão no Ser Supremo (samádhi) não significa suicídio, mas transcendência. Aquele que conhece a Consciência Suprema torna-se Supremo, pois a entidade individual assume a mesma forma do seu objeto de ideação. Aquele que tem o Supremo como o seu objeto de ideação torna-se Supremo.. P. R SARKAR Shrii Prabhat Rainjan Sarkar


ed.168

TM 11

Estilos de personalidade, Conheça o seu! I

magine receber em mãos um mapa de sua personalidade, com os caminhos que ela percorre, as armadilhas e os tesouros que ela oferece. E a partir disto trilhar um caminho para a sua felicidade, para sua liberdade. Agora vamos um pouco mais além, imagine receber em mãos os mapas das personalidades de seus líderes, de sua equipe, e a partir disso saber como lidar com cada um, sabendo o que os motiva, quais as suas potencialidades e as suas deficiências... enfim, o que esperar deles. Isso é possível com o Eneagrama que traz todas as informações sobre o funcionamento do ser humano. Eneagrama é uma ferramenta de autoconhecimento, que mostra: o mapa da estrutura de nossa personalidade, as motivações, pensamentos, sentimentos e as estratégias por trás das decisões. Cada um de nós possui filtros que define a forma como vemos o mundo. Cada um dos tipos tem uma tendência de agir de uma determinada maneira. Fundamentalmente, o Eneagrama ajuda os indivíduos a desenvolver uma maior auto-consciência e auto-aceitação e assim assumir a responsabilidade pessoal por seu comportamento. Isso muda o padrão de responsabilizar os outros pelos seus problemas e dificuldades e, em vez disso, cria-se um padrão de indivíduos assumindo a responsabilidade pelas conseqüências de suas ações. Isso permite que os funcionários em todos os níveis se tornem atores em seus ambientes, em vez de receptores passivos. ”

Ginger Lapid-Bogda, Ph.D. É baseado em 9 tipos principais das estruturas da personalidade. Tipo 1: PERFECCIONISTA – Busca fazer as coisas bem feitos. Exige de si mesmo e dos outros que sejam responsáveis e que correspondam os seus altos padrões de excelência. Pessoa objetiva e realista; Tipo 2: PRESTATIVO – Procura agradar e satisfazer as necessidades das outras pessoas. Tende a negar suas próprias necessidades. Busca utilizar os talentos dos outros; Tipo 3: PERFORMANCE – Organiza sua vida de forma a alcançar metas especificas e de parecer bem sucedido, para angariar o respeito e admiração dos outros. Pode mudar de imagem a qualquer momento, para se adequar a cada situação e causar uma impressão positiva; Tipo 4: PROFUNDIDADE - Deseja ter contato profundo tanto com o seu próprio mundo interior quanto com de outras pessoas, e sente-se mais vivo quando expressa com autenticidade os próprios sentimentos e experiências. Tipo 5: PRIVACIDADE - Tem sede de conhecimento, focado em fatos e preciso, fascinado pela informação, recorre ao distanciamento emocional, como meio de manter o mínimo de envolvimento com os outros; Tipo 6: PRECAUÇÃO - Podem ser bastantes perspicaz na antecipação e prevenção de possíveis problemas, são responsáveis, práticos e muito questionadores;

Tipo 7: PRAZER - Adoram novas experiências, evitam a dor. São pessoas entusiasmadas, curiosas cativantes, imaginativos e muito criativos. Estimulante e visionário; Tipo 8: PODER - Busca a verdade, gosta de manter as situações sobre controle e de exercer influência direta sobre os outros e também sobre os acontecimentos. São líderes, desafiadores, protetores e lutam pela justiça. Tipo 9: PAZ - Esta em busca sempre de paz harmonia, são pessoas relaxadas e fáceis de lidar, procura desenvolvem relações duradouras e apóiam os outros. Benefícios do Eneagrama: Pessoais - Auxiliar no processo de autoconhecimento e autocompreensão; e Aceitação das diferenças do outro, com maior transparência nos relacionamentos; Organizacionais - Auxiliar na identificação do perfil solicitado (competências, talentos e limites); Aperfeiçoar a liderança, desenvolver uma equipe de alta performance e manter a motivação do grupo; Em Programas de Capacitação: reconhecimento e potencialização de talentos; Como relacionar com colegas e gestores e manter um relacionamento assertivo. Simone Arruda - Psicóloga, Coach Profissional, Master Practitioner, especialista em Gestão de Pessoas, com formação em Dinâmica dos Grupos pela SBDG (Sociedade Brasileira de Dinâmica dos Grupos).  Certificada no Enneagram Profissional Training Program (EPTP) no Brasil por Helen Palmer e David Daniels, co autora do Livro “A Bíblia do Coaching”. Atua como coach, consultora na área de gestão de pessoas e facilitadora de treinamento de desenvolvimento comportamental.


E S P E C I A L

D O

M Ê S

12 TM

ed.168

QUANDO O PERSONAGEM É MAIOR QUE A PESSOA..

T

odos temos uma identidade própria que está ligada às raízes de nossa descendência. Quando as circunstâncias da vida nos leva a interpretar papéis carregados de lutas emocionais, há sempre o perigo de nos identificarmos com a força dramática desses personagens, até chegar ao ponto de sermos destruídos por eles. Para nos livrarmos dessa possessão de personagens fictícios que tem grande energia psíquica, pois são alimentados por imensa massa do inconsciente coletivo que por sua vez é constituído pela coletividade que projetam no personagem suas frustações e sonhos, precisamos preservar as nossas raízes históricas de identidade, principalmente aquelas ligadas as nossas origens familiares, mesmo que essas raízes também carreguem em si outros traumas. Os atores, por força da profissão são levados à interpretações que em muitos casos interferem nas suas personalidades originais, e por isso se desequilibram. Essa a interferência conhecida quando a vida imita a arte e vice e versa. Muitos filmes e textos são baseados neste fenômeno de interação entre o personagem e a pessoa. Sofia Copolla, filha do genial Francis Copolla, persegue esse tema em seus filmes, o último “Em algum lugar qualquer”, narra a história de uma celebridade que apesar de sua riqueza e fama, não tem nenhum poder sobre sua vida. No filme “O cisne negro”, à medida que a protagonista – bailarina – vai entrando no personagem, idealizada pelo coreógrafo, ela vai se ferindo cada vez mais grave, até que no ato final, em frente ao espelho ao seja, com toda sua sombra projetada, o espelho quebra e a mata. Diariamente, vemos pessoas tragadas pela sombra individual ou coletiva. Os acontecimentos parecem fatalidades fortuitas, mas não são. Na verdade, são tramadas pelo inconsciente eterno e poderoso. Não podemos evitá-lo, nem temê-lo, precisamos conhecê-lo afinal, suas bases científicas foram demonstradas por Freud em 1900. No livro “Ao encontro da sombra” – o potencial oculto do lado escuro da natureza humana – ed. Cutrix, organizado por Connie Zweig e Jeremiah Abrams, traz na pág. 34 um texto de autoria de Robert Bly:“...projeção sem contato pessoal é perigoso. Milhares, milhões de homens americanos projetaram o seu ideal feminino interior sobre Marilyn Monroe. Se um milhão de homens deixou suas projeções sobre ela, o mais provável era que Marilyn morresse. Ela morreu. Projeção sem contato pessoal pode causar danos a pessoa que a recebe. Seja dito também que Marilyn Monroe precisava dessas projeções como parte de sua ânsia de poder, e que sua perturbação certamente retrocedia problemas da infância...nenhum ser humano pode receber tantas projeções – isto é, tanto conteúdo inconsciente – e sobreviver. Por isso, é da maior importância que cada pessoa traga de volta as suas projeções. A conscientização que o programa de vida que vivemos não é o da nossa escolha muitas vezes, nos causa uma angustia e uma vazio difícil de suportar, por isso, muitas pessoas preferem se alienar fingindo estar tudo bem. Porém, esse vazio existencial que em muitos casos é diagnosticado como depressão e, erradamente, medicalizados, sempre é o ponto de partida para a ressignificação da vida. Nossas escolhas nos define perante a sociedade e perante nos mesmos, mas é fundamental sabermos que a forma com que vivemos sempre foi fundamentada na vida, principalmente de nossos pais que possuíam uma expectativa de como deveríamos ser, sempre baseadas, essas expectativas nas suas próprias frustações e, em grande parte, também baseada na ignorância do próprio desenvolvimento psicológico do ser humano.

Nossa vida começa muito antes do nascimento. Com expectativas ou a falta dela sobre nós. Em alguns casos fomos concebidos por mero acaso, quando nascemos pode acontecer que nossos pais não estejam e perfeita harmonia. Algumas vezes nem somos desejados, em outras, recebemos projeções de possessividade e em outras ainda enfrentamos abandonos afetivos. Nosso desenvolvimento ocorre, desde os primeiros dias, sem que os responsáveis por nós conheçam os aspectos psicológicos ligados ao processo orgânico de nosso desenvolvimento. Temos necessidade que nossas fantasias infantis sejam preservadas e estimuladas até que nosso processo cognitivo esteja apto a funcionar, o que ocorre por volta dos sete anos, porém, muito antes disso somos colocados em escola e instituições que nos impõe condicionamentos e regras, com tarefas e ordens de cunho social e religioso, as quais não entendemos. Somos manipulados com palavras e presentes para conseguirmos bons resultados no processo de “adestramento”ao qual somos submetidos. Nossa infância é então roubada em nome de uma necessidade de estarmos adaptados a um mundo de lutas que se auto destrói. James Hollis, em seu livro “A passagem do meio” pág. 16 e 17 – Ed. Paulus, 4ª ed., 2006 – escreve: Quando a criança é oprimida, ela vivencia a imensidão do Outro jorrando através de frágeis fronteiras. Por não possuir o poder de escolher outras circunstâncias de vida, por não possuir nem a objetividade de identificar a natureza do problema como Outro, e por não possuir os elementos necessários a uma experiência comparativa, a criança reage de forma defensiva, tornando-se excessivamente sensível ao ambiente e “escolhendo” a passividade a co-dependência ou a compulsividade para proteger o frágil território psíquico. A criança aprende variada forma de acomodação, pois a vida é vista como inerentemente opressiva para um eu relativamente impotente. Essas feridas, bem como as várias reações incons-

cientes adotadas pela criança interior, tornam-se forte determinante da personalidade adulta. A criança não consegue incorporar uma personalidade que se expressa livremente; em vez disso, é a experiência da infância que molda seu papel no mundo. A partir do sofrimento da infância, portanto, a personalidade adulta é mais uma reação reflexa às primeiras experiências e traumas da vida do que uma série de escolhas. Entendemos que a criança na sua inocência, na ausência de ressentimentos ou sentimentos de culpa, ou jogos de manipulação afetiva, a não ser aquelas ensinadas pelos adultos, representa a essência do ser espiritual iluminado que todos somos. Esta é a razão pela qual no N. T Jesus diz a José Nicodemos que a não ser que o homem volte a ser criança, ele não entrará no reino dos céus... O reino do céu como dizia Richard Bach não é um lugar, nem um tempo, mas um estado de espírito. O mundo perdido é o mundo da infância. Depois que fomos“arrancados”do mundo das fantasias para sermos introduzidos na “realidade” de jogo de poder no mundo, ficou interrompida nossa ligação com nosso espírito e, no lugar dessa ligação, surgiram as instituições, que segundo elas, podem suprir a nossa alma, nossa criança perdida. Precisamos nos tornar pais e mães dessa criança abandonada em alguma dimensão de tempo, pois se algo não foi resolvido então não é passado, a conexão se rompeu e precisa ser refeita naquele ponto que se rompeu, porém há muitos rompimentos, o que nos leva a trabalhar muitas vezes até esgotarmos todas as interrupções que ocorreram. Esse é um trabalho individual e solitário, que só cabe a cada um de nós realizar, uma vez que somos essência única. Num nível superficial, quando nos lembramos dos traumas ou mais profundo quando nos esquecemos, todos nós somos portadores desse abandono da infância e somente a nós cabe a responsabilidade de resgatar este “eu – criança” do espaço – tempo – sintonia no qual fomos abandonados. Osmar Santos osmar.santos@institutohs.com.br


ed.168

TM 13


C O R P O

E

M E N T E

14 TM

ed.168

REIKI E FLORAIS NO TRATAMENTO DA INSÔNIA- PARTE II C

omo já abordado no artigo da edição anterior, o Reiki e os Florais de Saint Germain já vêm sendo utilizados com resultados no mundo inteiro para tratamentos de insônia e outras enfermidades psicossomáticas. Desta forma, a insônia é entendida como um desvio da condição humana, a qual pode estar em desarmonia, e o tratamento buscará o equilíbrio nas dimensões física, emocional, mental e espiritual. Neste aspecto, no âmbito da medicina antroposófica, a insônia não é considerada uma doença, mas sim um sintoma do paciente doente, que está com os corpos sutis desalinhados e desequilibrados. O desequilíbrio e desalinhamento energético causam bloqueios que impedem o livre fluir da energia para as células do corpo, situação que se somatiza cedo ou tarde como insônia. O ser humano é formado de 8 corpos, sendo apenas um deles, o corpo físico. Os outros 7 corpos não são constituídos de matéria densa perceptível aos cinco sentidos, pois são corpos formados por energia vital e fluidos (corpo etérico inferior e superior, corpo emocional inferior e superior, corpo mental inferior e superior, e corpo espiritual). Este número pode variar para mais ou pra menos dependendo da abordagem realizada (algumas excluem o corpo físico como integrante do homem verdadeiro, e outras acrescentam camadas e divisões do corpo espiritual). Assim, os corpos sutis são representados e distribuídos ao longo do eixo central do nosso corpo (chakras), sendo compostos de substância Luz interligados, retratando sua saúde no corpo físico. Quando a doença está 95% formada nos corpos sutis, ela se manifesta no corpo físico. O uso dos Florais em conjunto com Reiki trabalharão trazendo a dose de potência energética que o corpo

perdeu com os bloqueios, corrigindo as causas das perturbações no sistema de energia multidimensional, reequilibrando os corpos físico e sutis. O tratamento contínuo, inclusive, pode levar à dissolução do nó energético, que não volta a se formar, e consequentemente, a doença não volta a se manifestar nem como insônia, nem de outras formas. Tais resultados já são comprovados pela ciência, a qual afirma que o trabalho com Reiki nesse sentido “possui caráter preventivo e harmonizador, agindo sempre na causa dos problemas, com resultados concretos na ansiedade, na insônia, no medo, na insegurança, no pânico, assim como nos órgãos, tecidos e sistemas, cuidando do ser humano de forma integral” (FREITAS, 2014). Ademais, não se esqueça de que o tratamento energético não substitui o tratamento da medicina tradicional. Ambos os tratamentos (energético e alopático) devem ser feitos de forma integrativa, complementar e em conjunto, para se garantirem melhores resultados. Cure a ti mesmo! FREITAS, Vera Lucia et al . Benefícios do Reiki em população idosa com dor crônica Colaboração: Suelen de Azevedo Terapeuta Reiki (TR 264-16/DF) Terapeuta Floral (TF-140-16/DF)

A árvore dos problemas U

m fazendeiro resolve contratar um carpinteiro para uma série de reparos em sua propriedade. O primeiro dia do carpinteiro foi bem difícil. O pneu de seu carro furou, fazendo com que ele deixasse de ganhar uma hora de trabalho. Sua serra elétrica quebrou, e aí ele cortou o dedo. Como se não bastasse, no final do dia, seu carro não funcionou. Assim, o fazendeiro resolve oferecer carona para sua casa. Percorrida a viagem, o carpinteiro convidou-o a entrar e conhecer sua família. Quando os dois se dirigiam à porta da casa, o carpinteiro parou junto a uma pequena árvore e gentilmente tocou as pontas dos galhos com as duas mãos. Ao abrir a porta da casa, o carpinteiro já parecia outro. Os traços tensos do seu rosto transformaram-se em um grande sorriso. Ele abraçou os filhos e beijou a esposa. Após uma alegre refeição, o fazendeiro agradeceu e despediu-se de todos. O carpinteiro acompanhou seu convidado até o carro. Assim que passaram pela árvore, o fazendeiro questionou seu anfitrião sobre o motivo pelo qual ele tocara na planta antes de entrar em casa. - Ah! Esta é a minha planta dos problemas. Eu sei que não posso evitar todos os problemas no meu trabalho, mas eles não devem chegar até meus filhos e minha esposa. Então, toda noite, eu deixo meus problemas nesta árvore quando chego em casa, e só os pego de volta no dia seguinte. E o senhor quer saber de uma coisa? Toda manhã, quando volto para buscar meus problemas, eles não são nem metade daquilo que eu lembro de ter deixado na noite anterior. Jamais descarregue seus problemas e frustrações nos outros, principalmente naqueles que você tanto ama!!! Tenha a sua árvore... Autor desconhecido


ed.168

TM 15

O que é Access Consciousness

A

ccess Consciousness oferece ferramentas pragmáticas para mudar as coisas em sua vida que você não tenha sido capaz de mudar até agora. E se quem você é, é muito maior do que qualquer um jamais reconheceu? Access Consciousness™  é um movimento mundial que não podem entrar. É sobre você criálo - não encontrá-lo. E se você pode ser, fazer e optar por ser nada? Access Consciousness ™ oferece ferramentas pragmáticas para mudar as coisas em sua vida que você não tenha sido capaz de mudar até agora. Atualmente disponível em 173 países. As ferramentas têm contribuído para mudar a vida de mais de 30 mil pessoas em todo o mundo durante os últimos 25 anos. Por meio  de seminários, telesseries, livros, áudios e consultas, que a maioria das pessoas gosta, realmente funciona!  Access Consciousness ™ não se trata de metáforas, idéias ou conversa doce. Ele realmente funciona! Cada pessoa que usa essas ferramentas se torna cada vez  mais consciente.. O objetivo de  Access Consciousness ™ é criar um mundo de consciência e unidade.Consciência inclui tudo e julga nada. É nossa meta, chegar ao ponto em que você recebe de Access a consciência de tudo, sem julgamento de nada. Se você não tem o julgamento de qualquer coisa, então você começa a olhar para tudo pelo que ele é, não pelo que você quer que ele seja, não para o que deveria ser, mas apenas para o que é. A consciência é a capacidade de estar presente em sua vida em todos os momentos, sem julgamento de você ou qualquer outra pessoa. É a capacidade de receber tudo, não rejeitam nada, e criar tudo o que desejo na vida - maior do que o que você tem atualmente, e mais do que você pode imaginar.

A meta de Access é ajudá-lo ao ponto onde você está consciente o suficiente para criar uma mudança dentro de você. Access oferece ferramentas e processos que tornam possível mudar tudo que não está funcionando em sua vida. Depois de se tornar mais consciente, será mais fácil para você prosperar em face das mudanças que estão ocorrendo em todo o planeta no momento. Uma perspectiva distinta Access é um ponto de vista sobre a vida diferente. Trata-se de ver todas as coisas que você sempre soube que deveria ser possível, mas não sabia como receber, sem qualquer julgamento sobre as escolhas feitas no passado ou no futuro. Access dá às pessoas as ferramentas da vida real, para usarem e poder ajudá-los a chegar onde eles gostariam de estar. A partir desta perspectiva, uma nova realidade é criada onde as pessoas funcionam a partir da escolha e das possibilidades em suas vidas. Elas funcionam de

um lugar onde elas não são mais o efeito de tudo e todos ao seu redor e onde já não se julgam. Qual é a sua consciência sobre a sua realidade atual? Você vê as pessoas sendo felizes e alegres? Você vê um mundo onde todos são abraçados ou onde todos vivem sem julgamento? As crianças são homenageados por seu ser, ou são crianças manipuladas e controladas a acreditar que eles são menos do que os adultos? Você tem a sensação familiar de que você está preso? A cada vez que você toma um passo em frente, você toma dois passos para trás? Se (quando) você se torna consciente do que você diz e pensa, sua realidade mudará de forma exponencial. Seus pensamentos e declarações geram sua vida. Você tem a capacidade de criar qualquer coisa instantaneamente. E se você estivesse disposto a ser brutalmente honesto com você mesmo e começar a criar (gerar) sua realidade? O que isso parece? Tudo que você tem a fazer é escolher.  Access Consciousness ™ não é para os fracos de espírito ou fracos de coração. Se você tiver a coragem e desejo de ser verdadeiramente você, o extraordinário você, o fenomenal você, talvez Access seja para você. E se você estivesse disposto a nutrir e cuidar de você?  E se você abrir as portas para ser tudo o que você já decidiu que não é possível ser?  O que seria necessário para você perceber o quão crucial  você é para as possibilidades do mundo ?  Access Consciousness oferece todo um universo de processos, classes e possibilidades de mudança. Nós temos literalmente classes ou produtos em quase todos os tópicos que você poderia pensar! Onde você gostaria a sua aventura começar? FONTE: Blog de Access Consciousness  http://www.accessconsciousness.com/ 


TERAPIAS

A L T E R N A TI V A S

16 TM

ed.168

Relacionamentos amorosos e superficialidade nos tempos atuais

O

tem infinitas possibilidades.

E

m nossa sociedade é muito comum olharmos para a terceira idade como um momento de lidar com limitações. Geralmente nossa tendência é reproduzir isto e achar que envelhecer necessariamente nos priva de muitas coisas prazerosas e que nos fazem sentir bem. O que não percebemos muitas vezes é que toda fase da vida traz consigo algumas limitações mas também oportunidades. Observe que cada fase desde a infância, passando pela adolescência e fase adulta tem suas dificuldades e desafios, mas também alegrias, crescimento e superação . A velhice muitas vezes é vista como uma fase final, sem muita perspectiva de mudança e realização, mas será que realmente tem que ser assim? Vamos usar algumas perguntas para ampliar nossos horizontes: Será que estou percebendo as oportunidades que esta fase da vida está me oferecendo? Será que estou disposto a ser feliz? Estou realmente disposto a sair do lugar de vítima do destino e fazer algo por mim? Estou aberto a receber da vida? Será que não é uma convenção imposta pela sociedade e que eu aceito como minha de que a velhice é uma fase de monotonia, recolhimento e limitação ? Conheço alguns idosos que não compraram esta ideia de limitação e que depois dos 70 anos de idade resolveram mudar completamente suas vidas. Fizeram mudanças na forma de se relacionar e mudanças externas na forma de viver. Posso dar o exemplo de uma idosa que descobriu que tinha um desejo de morar junto a natureza e que aos 76 anos de idade resolveu fazer esta mudança e hoje ela diz que está vivendo os anos mais felizes de sua vida. Pode ser que você também queira mudanças na sua vida, talvez de outra natureza, talvez você queira se relacionar melhor com alguém ou queira se apreciar mais. Pode ser que você queira melhorar alguma área de sua vida. Na verdade não importa agora o que você quer mudar, o mais importante é saber se você esta disposto a descobrir. A melhor idade é a que você esta vivendo agora se você a vive por inteiro. Maria Valeria Guimaraes Psicóloga clinica (Especilização em Gerontologia)

cenário atual dos relacionamentos amorosos vem deixando mulheres e homens muito insatisfeitos, especialmente as mulheres. Dos consultórios terapêuticos às mesas de bar, o discurso parece o mesmo. São queixas sobre relações superficiais, descartáveis e interesseiras, desprovidas de conexão real. Podemos associar essa questão aos conceitos de “dessacralização” e “Complexo de Jonas”, termos criados por Abraham Harold Maslow. O primeiro é usado para definir a perda de sentido de sagrado na vida rotineira do indivíduo. Assim, a pessoa tende a banalizar o sexo e, consequentemente, seus relacionamentos amorosos e seus parceiros. Já o segundo, seria a dificuldade do indivíduo em se permitir realizar todo seu potencial, evitando as responsabilidades inerentes ao sucesso. Inclui-se nesse complexo o medo de amar, tendo como referência o amor maior - o de Deus -, aquele que transcende até nossos conceitos de justiça e merecimento. Quando esse comportamento se torna disseminado, é criada a “normose”, ou seja, a patologia da normalidade. Nesse contexto, o comum vira a regra, mesmo que não faça sentido e cause sofrimento aos envolvidos, pois há o respaldo social de uma maioria desatenta e adormecida para a essência. Diante desse cenário, as pessoas tendem a ter dificuldades em confiar uns nos outros, pois a transparência e a espontaneidade estão em baixa, dando lugar aos jogos e manipulações. Com isso, muitos rejeitam a ideia de compromisso e supervalorizam o sexo casual, interrompendo os relacionamentos quando estes parecem atingir o próximo nível de intimidade e profundidade emocional. O resultado disso é que os interessados em algo mais profundo tendem a se frustrar e, muitas vezes, acabam por ficar longos períodos sozinhos, evitando, assim, o desgaste emocional de um relacionamento efêmero e sem futuro. Já os normóticos, parecem idealizar as diversas possibilidades simultaneamente e, nessa gula pelas pessoas, acabam tendo todo mundo e, ao mesmo tempo, ninguém.

É necessário encontrar um meio de resgatar a felicidade, a plenitude e a confiança dentro dos relacionamentos amorosos, já que a insatisfação e a decepção se apresentam como crônicas nessa área, conforme relatos de muitas pessoas tanto no Brasil, como em outros países. Segundo a historiadora Mary Del Priore, vivemos tempos em que a liberdade sexual é um fardo para os jovens e muitos deles têm nostalgia dos velhos tempos, quando ainda havia prudência e sabedoria. Ou seja, por um lado, ganhamos a liberdade; por outro, perdemos a sacralidade da relação sexual, banalizada pelos meios de comunicação, letras de músicas etc. É importante encontrarmos uma maneira de conciliar a conquista da liberdade – que tem seu mérito – com a dignidade e o respeito que as relações afetivas merecem. Afinal, como diz o sociólogo Zygmunt Bauman em seu livro Amor Líquido – sobre a fragilidade dos laços humanos, “amar o próximo pode exigir um salto de fé. O resultado, porém, é o ato fundador da humanidade”. Alexandra Vasconcelos Facilitadora PRO de PSYCH-K ® e Terapeuta Transpessoal Quiron Instituto de Desenvolvimento Humano alexandratranspessoal@yahoo.com.br www.somostodosum.com.br/ alexandravasconcelos


ed.168

TM 17

“os olhos são a janela da alma” L

eonardo da Vinci, nos idos de 1500, dizia que “os olhos são a janela da alma e o espelho do mundo”. Hoje, através da Microsemiótica Irídea, com a análise da Banda do Sistema Nervoso Autônomo (BSNA), do limbo e da Borda Pupilar Interna (OPI), pode-se revelar segredos, choques e abalos vividos que interferem diretamente na forma de ver a vida, de reagir aos problemas, absorver as energias das outras pessoas e consequentemente apresentar uma baixa nas defesas do organismo, seja a nível espiritual, emocional e físico. Através de nossas irís, janelas da nossa alma, localizamos transtornos observados na introflexão da BSNA na região do Super Ego, (temos sete áreas importantes, além do SE), que podem revelar problemas na concepção ou no momento do parto. Isso pode se manifestar como depressão, introversão, tendências a distrações, desistências ao se manifestarem os menores obstáculos, crenças que o mundo exterior não as compreende ou que não compreende a mensagem que desejam transmitir, prejudicando amplamente, as relações com a vida. Verificar se a origem é fisiológica ou emocional é possível através de sinas ou pigmentos em determinadas áreas e associada a lateralidade e ao ângulo de Fuchs. Todos os eventos marcantes na vida são registrados na íris e a energia estagnada afeta

o momento atual da vida predispondo a falta de amor próprio, dificuldade em perdoar e aceitar os fatos. Este método, Chronorischio, idealizado e desenvolvido pelo médico Italiano Daniele Lo Rito, em conjunto aos pontos citados acima favorece uma avaliação precisa e identificação das causas manifestas no presente. Para tratamento a Terapia Flor de Íris, com o kit Portal do Tempo, composto por um floral que dissipa os traumas e choques, melhora a falta de energia, ajuda a se libertar do passado, mostrando uma re-leitura dos fatos, estabiliza o humor, elimina a tristeza; um gel utilizado de forma específica e um CD com neuroacústica

para ser ouvido antes de dormir. Aplicação de gel polifórmico e esferas de prata nas áreas da idade atual, timo e maior introflexão, ainda na consulta aceleram os resultados. Claude Bernard postulava que a saúde do organismo depende de seu próprio ambiente interno. Louis Pasteur, em seu leito de morte afirma: “Bernard tinha razão, o micróbio não é nada, o terreno é tudo”. Reconhecendo a importância da correção do terreno e da alcalinização do organismo podem entrar no protocolo o Oxigen que desintoxica o organismo e auxilia no psíquico, visto que contém Lapachol e Flor de Íris Germânica; o Henstress que supre deficiência vitamínica, trabalha a ansiedade e equilibra o Sistema Nervoso e OPI correto. Nutrição, relaxamento e atividade física além do perdão e muito amor! Para finalizar um protocolo a palavra-chave: “Reconciliação” com o mundo, mas principalmente consigo mesmo! Referencia: LO RITO, Daniele. Como amamos e desejamos ser amados. Trad. Juliano Sartor. PACHECO, Clodoaldo. O amor como arquétipo de cura. Soraia Rezek Bióloga, Homeopata Microseometista Irídea.


TERAPIA

E

A STR O L O G I A

18 TM

O

ed.168

O Cristo Íntimo

Cristo é o Fogo do Fogo, a Chama da Chama, a Assinatura Astral do Fogo. Sobre a cruz do Mártir do Calvário está definido o Mistério do Cristo com uma só palavra de quatro letras: INRI – Ignis Natura Renovatur Integra – “O Fogo Renova Integralmente a Natureza”. O advento do Cristo no coração do homem nos transforma radicalmente. O Cristo é o Logos Solar, a Unidade Múltipla Perfeita. O Cristo é a vida que palpita no universo inteiro, é o que é, o que sempre tem sido e o que sempre será. Muito se falou sobre o Drama Cósmico; inquestionavelmente, este Drama está explicado nos quatro Evangelhos. Foi-nos dito que o Drama Cósmico foi trazido à Terra pelos Elohim; o Grande Senhor da Atlântida representou esse Drama em carne e osso. O Grande Kabir Jesus também teve que representar o mesmo drama, publicamente, na Terra Santa. Ainda que o Cristo nasça mil vezes em Belém, de nada serve se não nascer em nosso coração também. Ainda que tenha morrido e ressuscitado ao terceiro dia, dentre os mortos, isso de nada serve se não morrer e ressuscitar em nós também. Tratar de descobrir a natureza e a essência do fogo é tratar de descobrir a Deus, cuja presença real sempre se revelou sob a aparência ígnea. A Sarça Ardente (Êxodo, III, 2) e o Fogo do Sinai, a raiz do outorgamento do Decálogo (Êxodo, XIX,

18), são duas manifestações pelas quais Deus apareceu a Moisés. Sob a figura de um Ser de Jaspe e Sardônio da cor da chama, sentado num trono incandescente e fulgurante, São João descreve o Dono do Universo (Apocalipse, IV, 3, 5). “Nosso Deus é um Fogo Devorador”, escreve São Paulo em sua “Epístola aos Hebreus”. O Cristo Íntimo, o Fogo Celestial, deve nascer em nós – e nasce, em realidade, quando temos avançado bastante no trabalho psicológico. O Cristo Íntimo deve eliminar de nossa natureza psicológica as próprias causas do erro: os eus-causa. Não seria possível a dissolução das causas do ego, enquanto o Cristo Íntimo não tenha nascido em nós. O Fogo Vivente e Filosofal, o Cristo Íntimo, é o Fogo do Fogo, o Puro do Puro. O Fogo nos envolve e nos banha por todos os lados; vem a nós pelo ar, pela água e pela terra que são seus conservadores e seus diversos veículos. O Fogo Celestial deve se cristalizar em nós; é o Cristo Íntimo, nosso Salvador interior profundo. O Senhor Íntimo deve assumir nossa mente, os cinco centros da máquina orgânica e todos os nossos processos mentais, emocionais, motores, instintivos, sexuais. Samael Aun Weor Extrato do livro A Grande Rebelião, editado pela Edisaw www.edisaw.com.br) Seleção do texto sob responsabilidade da Escola Gnóstica do Distrito Federal (GnoseDF)

O DESAFIO DA

T

odas as experiências, lições e desafios que a vida nos propõe podem ser vivenciados de diversas maneiras. É a nossa forma de nos portar diante deles que determinará os resultados. Com relação à mensagem do 7 de copas, que representa situações em que inúmeras possibilidades se abrem diante de nós, sem que tenhamos firmeza acerca de qualquer uma delas, somos confrontados com o desafio da escolha sábia. Quando nos encontramos diante do desafio de escolher, muitos de nós se veem angustiados por temerem os resultados que uma decisão equivocada pode lhes trazer e simplesmente estagnam, ingressando num círculo vicioso de indecisão, ansiedade, procrastinação e apatia. Nesse caso, é preciso compreender que a não-decisão é em si uma escolha, uma escolha que envolve deixar que as coisas corram à revelia da nossa vontade. Por outro lado, há quem, diante do mesmo desafio, levianamente, se deixe levar pelos impulsos instintivos, pela vaidade ou pela ganância. Muitos são os caminhos e tentadoras as oportunidades que vários deles apresentam. Porém, os vislumbres que temos necessitam ser confrontados com a implacável realidade, que, não poucas vezes, faz cair por terra as fantasias, leva ao choro os que não gozam de paciência, perseverança e fé, e à autopiedade os levianos que normalmente se queixam de colher as consequências desagradáveis daquilo que semearam. Para evitar que isto aconteça, quer seja a estagnação, quer seja a escolha tola, é importante fincar os pés na realidade, analisar os pormenores de todas as possibilidades e agir de acordo com princípios que tenham um real sentido para nós.


ed.168

TM 19

ESCOLHA SÁBIA O PODER DA MENTE O

É pautando nossas decisões num senso ético, optando por agir em consonância com aquilo que julgamos ser o correto, observando como gostaríamos que os outros agissem na mesma situação, que vencemos o desafio da escolha sábia, que se repetirá tantas vezes quantas forem necessárias para que aprendamos a lição. Embora o naipe de copas seja associado principalmente às relações amorosas, este é um ensinamento que se deve observar sempre que a vida nos impuser o desafio de escolher. Qualquer que seja a escolha a ser feita, devemos observar os princípios éticos que são caros para nós e agir de acordo com eles, por mais tentador que os infringir possa parecer. Castelos construídos no ar tendem a ruir, cedo ou tarde. Código de Ética do Tarot, conheça e compartilhe: eticatarot.wordpress.com Por Talita Dantas Estudiosa dos mistérios do Tarot Santuário de Delfos

Dr. Herbert Benson, um cardiologista de Harvard fez um experimento com macacos para mostrar a habilidade do corpo no controle de fenômenos fisiológicos aparentemente involuntários. Ele começou recompensando os macacos por aumentarem ou diminuírem a sua pressão arterial. O sucesso era assinalado usando luzes coloridas. Depois de um tempo, os macacos eram capazes de aumentar ou diminuir a pressão arterial de acordo com a sinalização das luzes coloridas. Os macacos eram capazes de controlar a própria pressão usando unicamente o poder da mente. Na Fundação ODIER em Nantes, na França, uma Galinha robô foi construída a partir de um gerador de eventos aleatórios móvel e serviu de referência para um grupo de pintos recém-nascidos. A galinha robô foi colocada do lado de fora da gaiola dos pintos, onde tinha ampla liberdade de movimentação, e seu trajeto era monitorado e registrado. A certa altura, ficou claro que a galinha robô se movimentava duas vezes e meia mais na direção dos pintos do que seria de se esperar. A “suposta intenção” dos pintos, isto é, o seu desejo de ficar perto da mãe, parecia afetar a galinha robô, levando-a para perto da gaiola dos pintos. A intenção dos pintos afetou uma máquina, alterando o movimento dela. Os dois experimentos acima mostram a capacidade da mente de afetar tanto a nossa fisiologia quanto a nossa realidade, e isso vindo

de animais que acreditamos ter uma capacidade mental muito inferior à nossa. Nós temos uma capacidade mental inimaginável, mas somos limitados por crenças que estabelecem aquilo que podemos realizar, aquilo que somos capazes de fazer. Não usamos quase nada do nosso imenso poder de curar o nosso corpo e alterar a nossa vida. Está na hora de começarmos a nos ver sob uma nova perspectiva, de entendermos que somos muito mais do que imaginamos, e de usarmos esse poder em nossa vida. Anna Maria de La Rocque Ormonde annamariaormonde@gmail.com


C O R P O

E

M E N T E

20 TM

ed.168

A Gnose do I Ching - o Livro das Mutações

D

esde a mais remota antiguidade o ser humano procura compreender o mundo em que vive e o que se passa dentro de si mesmo. Um dos mais antigos ensinamentos para organizar e transmitir esse conhecimento é o I Ching, o Livro das Mutações, que expõe as razões do Universo e do Homem e o caminho para que ambos sejam UM novamente. O termo I significa mutação, contém em seu ideograma chinês o Sol e a Lua, o Yin e o Yang, e deve ser compreendido no sentido de mudança, permanência, transformação, síntese. Há cerca de sete mil anos, na região conhecida como o “Grande Pântano do Sonho e da Nuvem”, a atual China, o sábio dos sábios Fu Xi criou oito símbolos com três linhas - os trigramas - para representar as grandes potências da Natureza: o Céu e a Terra, o Fogo e a Água, a Montanha e o Lago, o Trovão e o Vento. As linhas podem ser contínuas, representando o polo Yang, ou interrompidas, o polo Yin. O sábio gnóstico Samael Aun Weor relata em suas obras que Fu Xi é um verdadeiro cristificado (alto iniciado) chinês, concebido pela imaculada Hoa-Se às margens de um rio. Samael também ensina, em seu livro Logos, Mantras e Teurgia, que a linguagem de ouro, o idioma universal e a gramática cósmica perfeita se encontram nos caracteres chineses. A partir da combinação dos oito trigramas, Fu Xi elaborou sessenta e quatro símbolos com seis linhas - os hexagramas, constituindo a sequência do Céu Anterior. Por volta de 1.100 a.C., outro sábio, o Rei Wen, escreveu um pequeno texto sobre cada um dos sessenta e quatro símbolos, criando um novo ordenamento, o céu Posterior. Seu filho, o Duque de Zhou, analisou cada um das linhas em belíssimos versos plenos de parábolas e metáforas.

Esse material é composto por 4.900 caracteres e forma o I Ching original, que traduzidos para uma língua ocidental ocupariam quarenta páginas. Passado algum tempo, a humanidade perdeu o entendimento do I Ching, tornando-se necessário que outro sábio, Confúcio (551-479 a.C.), escrevesse várias obras revelando o significado dos hexagramas. Os estudos de Confúcio são denominados de Dez Asas pelos chineses, que fazem uma analogia do I Ching com um pássaro: as criações de Fu Xi são a cabeça; os textos do Rei Wen são o corpo; os versos do Duque de Zhou são a cauda; e os comentários de Confúcio são as asas. Sem as asas, um pássaro não pode voar. O I Ching sempre foi usado de maneira oracular. Inicialmente com o aquecimento de carapaças de tartarugas ou ossos de boi, depois com o lançamento de varetas de milefólio ou bambu - cujo processo leva perto de meia hora. Durante a dinastia Chung do sul (1.127-1.279) foi desenvolvido o método oracular das moedas, que obtém o hexagrama em alguns minutos, popularizando-se rapidamente. Ressaltamos que todo processo de consulta, desde a reverência inicial ao livro, a disposição dos instrumentos na mesa, a purificação com incenso das varetas ou moedas, a concentração interior, o desenho numa folha de papel do hexagrama obtido, a leitura do texto, sua interpretação e por fim a guarda do I Ching no seu envoltório próprio reveste-se de um caráter sacro que os ocidentais muitas vezes negligenciam. Em 15 de outubro a Associação Gnóstica de Brasília promoverá workshop especial sobre a filosofia do I-Ching e seu uso oracular. Inscreva-se já. George Peel é engenheiro e presidente do Instituto Gnóstico Interdisciplinar em Santos

CRISTO NO CORAÇÃO DO HOMEM JESUS NÃO É O ÚNICO CRISTO

T

odos nós temos um sentimento de limitação. Como nos livrarmos desse sentimento? Primeiro, precisamos compreender que Deus tem um plano para nós. Seu plano se encontra no Cristo Universal, através de quem todas as coisas foram feitas. As pessoas confundem o Cristo Universal com a identidade do homem Jesus o Cristo. Existe um Cristo Universal. Este Cristo Universal individualizado para cada um de nós na pessoa do nosso Eu Superior, o nosso Santo Cristo Pessoal. Jesus continha o Cristo em si, como todos nós. Ele foi chamado de “Jesus, o Cristo” porque encarnava a plenitude do Cristo Universal. Como o apóstolo Paulo escreveu sobre Jesus: “Nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade.” Deus não criou apenas Jesus e depois virou as costas e fez, do restante de nós, meros mendigos. Criou todas as pessoas no planeta com um mesmo propósito – o de tornarem-se Cristo. Cada um de nós pode tornar-se Cristo! Deus não tem um filho favorito; somos todos filhos prediletos. Se não fosse assim, teríamos pouca esperança de redenção. Se Cristo tivesse conseguido o que pretendia, todos na Terra teriam aceito Cristo e a sua mensagem há muito tempo e, assim, teriam se graduado na escola da Terra. Mas ao invés disso, vemos os mesmos feitos adâmicos que causaram a expulsão do Paraíso: a velha maçã proibida ainda está sendo comida e as pessoas ainda a aceitam como o fizeram naquela época. As pessoas continuam fazendo as mesmas coisas que sempre fizeram ao longo da história. As páginas criminais dos jornais modernos poderiam muito bem se aplicar à Roma antiga ou à Pompéia.


ed.168

A diferença é que hoje temos muito mais gente para multiplicar as negatividades do mundo. As pessoas ficam confusas com o problema populacional. Não compreendem que Deus designou um determinado número de almas para este planeta. Uma certa porcentagem está no plano astral ou no mundo celestial esperando renascer. O restante está encarnado. As pessoas estão morrendo e renascendo o tempo todo. E não há fim para isso, até que suas almas alcancem a união com Deus. Isto me faz lembrar do menino que olhou embaixo da cama e viu poeira. “Mamãe”, disse, “você falou que viemos do pó e para o pó retornaremos, não é?” “Certo,” respondeu a mãe. “Então”, disse ele,“alguém está chegando ou partindo embaixo da minha cama agora mesmo”. E assim é. Alguém está chegando ou partindo a cada minuto. A idéia geral é esta: levem Deus a sério, aproveitem seriamente a sua oportunidade de estarem encarnados, mas não se levem muito a sério. Aprendam a rir de si mesmos. Aprendam a sorrir. Aprendam a ser felizes. Aprendam a não dar importância excessiva às suas personalidades humanas. Quando ouvirem passos na noite, perguntem:“Quem vem lá?” E a voz responderá: “Deus.” Não permitam que Deus seja um navio que passe ao largo à noite. Detenham-no. Peçam-lhe que permaneça um pouco com vocês. Vocês não precisam sentir que Deus está longe. Deus está próximo – tão próximo como a sua respiração. Texto baseado no livro A Resposta que Você Busca está no Seu Interior, de Mark L.Prophet

TM 21

Arte Terapia

O processo criativo com fins psicoterapêuticos

P

ara a Psicologia Analítica, fundada pelo psiquiatra suíço Carl Gustav Jung, o anseio criativo é intrínseco ao ser humano. Jung considerava o processo criativo como uma essência viva implantada em nossa alma. A Arte Terapia fundamentada na Psicologia Analítica ocupa-se em decifrar as imagens simbólicas que surgem durante o processo psíquico de criação. A arte na visão de Jung não tinha valor estético em si, portanto, não é assim avaliada no processo arte terapêutico. O que importa ao arte terapeuta é a decifração das imagens simbólicas que tomam forma numa obra de arte. Portanto, nada mais natural que o uso da arte como facilitadora no contato com conteúdos intrapsíquicos, inconscientes, trazendo-os para a consciência, para que possam ser processados de forma saudável, possibilitando a identificação e dissolução de conflitos, bloqueios e dificuldades emocionais de toda ordem. No setting arte terapêutico são utilizados suportes adequados para que a energia psíquica do cliente materialize os símbolos do seu inconsciente, tornando-os visíveis por meio de manifestações artísticas diversas como: desenho, pintura, modelagem em argila, colagens, mosaico, e também: poesia, encenação teatral, música, dança e tantas outras formas de expressão criativa. A arte terapia destina-se a todas as pessoas, em todas as faixas etárias, da criança ao idoso, proporcionando formas alternativas e diversas de expressão dos sentimentos, emoções, pensamentos, enfim, do seu mundo interno. É fundamental,

então, que o arte terapeuta saiba adequar a cada pessoa e situação, com sensibilidade e respeito, os melhores recursos, os melhores materiais e a linguagem mais apropriada para cada um dos seus clientes, ajudando-os a perceber sua própria força criativa e correlacioná-la à solução de problemas, e assim, contribuir tanto para o desenvolvimento do potencial criativo, quanto para o processo de autoconhecimento daqueles com quem trabalha. Iara Machado (Arte terapeuta formada no IJEP Instituto Junguiano de Ensino e Pesquisa)


P SI C O L O G I A

22 TM

ed.168

ENTRE A LOUCURA E A CORAGEM “Quem não foi um jovem capaz de cometer loucuras não pode ser um velho sábio”, dizia a placa na parede do café em que parei para descansar depois de um passeio numa tarde chuvosa de um sábado qualquer. Ao lado, outra frase: “ser feliz é um ato de coragem”. Fiquei pensativa. Em que medida cometi (ou cometo) suficientes loucuras para ser sábia ou sou corajosa o bastante para ser feliz? Da vida, até aqui, conheci trancos e barrancos, altos e baixos, e, como todo mundo, já chorei e já sorri. Mas em que medida fui atrevida o necessário para fazer a diferença, para romper barreiras, vencer meus limites, ir além do comum ou sair da zona de conforto? Não sei. Todos os meses escrevo minhas reflexões para quem as queira ler, sem nunca pensar, realmente, se meus leitores estão interessados em saber o que penso ou, mais ainda, se o que penso acrescenta alguma coisa na vida de alguém. Outro dia, ouvi de um senhor bem idoso uma estória divertida, um desses “causos”que se contam ao redor da mesa do lanche. Há muitos anos, quando ele morava em São Paulo, sua esposa estava viajando e ele não tinha muito o que fazer naquele dia. Resolveu pegar um avião e ir conhecer a recém-inaugurada Brasília. Ao chegar no aeroporto, entrou num taxi e pediu ao motorista que o levasse a conhecer a cidade. Ao cabo de duas horas, foi informado de que já havia conhecido tudo o que havia para conhecer. Então, voltou para o aeroporto, pegou outro avião e voltou para casa. Mais tarde, voltaria a Brasília outras vezes. O senhor contou essa estória como quem contasse que foi ali na esquina e voltou. Diverti-me muito com o relato, porque havia ali uma tal simplicidade que a alegria pela travessura cometida perdurava e ainda estava ali, inteira, refletida em suas palavras. O que temos para contar quando não ousamos? De

que rimos ou de que fazemos rir, quando não fazemos nada insensato? Por que viver uma vida inteira plana e reta, sem curvas nem ondulações? Quem quer uma vida enfadonha? Observo as pessoas que são jovens há menos tempo do que eu, os tais “mais novos”. Vejo tanta gente preocupada com coisas que lhes distraem, que lhe tiram o foco e, por isso, perdem um tanto da força e da fé. Por que tanto tempo perdido em mostrar aos outros o que os outros querem ver, dar satisfações a quem acredita que as pode pedir, se é muito mais divertido ser quem se é, gostem os outros ou não? Essa é a grande loucura e a grande coragem: tornar-se quem se é, como propôs o filósofo. Nada que não esteja no si-mesmo pode trazer sabedoria ou felicidade e para que se chegue ao si-mesmo é necessário um tanto de loucura e coragem. Loucura suficiente para ser quem se é e coragem bastante para não precisar agradar os outros. Simples assim. É... Adoro escrever... Enquanto de meus dedos jorram as minhas reflexões que bailam serelepes pelo teclado, percebo que, sim, sou louca e corajosa... Marcia Godoy

S

A m i g as

entei em uma varanda, em um dia de verão, bebendo chá gelado enquanto visitava minha mãe. -Nuncaesqueçadassuasamigas,elafalou,mexendoemcubos de gelo em seu copo. - Não importa o quanto você ame seu marido, você ainda precisará de suas amigas. Lembre-se de sair com elas, hoje e sempre, e lembre-se que amigas também podem ser irmãs, filhas, primaseoutrasparentasquevocêtenha. Mas que conselho estranho, pensei! Eu! Não tinha acabado de me casar? Eu que não havia acabado de entrar no mundo dos "casais”? Eu era uma mulher casada agora, meu Deus, não somente uma garotinha que precisasse de amigas. Mas mesmo assim, escutei minhamãe,mantivecontatocomminhasamigasefiznovasamizades aolongodocaminho. Conforme os anos passavam, um após o outro, gradualmente, comeceiaentenderoqueminhamãequisdizernaqueledia.Aquiestá oqueeuaprendisobreasamigas: Amigas trazem comida e ajudam a limpar o banheiro quando vocêprecisadeajuda. Amigascuidamdosseusfilhosedeseussegredos.Amigaslhedão conselhosquandovocêospede.Àsvezesvocêescuta,àsvezesnão... Amigas nem sempre lhe dizem o que você quer, mas são honestasnoquedizem. Amigas amam você e ficam a seu lado, mesmo quando não concordamcomsuasescolhas. Amigasriemcomvocê,mesmoquandonãohámotivoaparente. Amigasajudamvocêasairdeconfusões. Amigas fazem festa para a sua filha ou filho quando eles casam ou ficam grávidos, mesmo que não aconteçam necessariamente nestaordem. Amigasestãosempreaseuladoquandotemposdifíceischegam. Amigasescutamquandoseusfilhosamagoam. Amigas escutam você lamentar quando perde um emprego ouumamigo. Amigas escutam quando seus pais ficam doentes, e choram quandoalguémquevocêamamorre. AssimsãoasA.M.I.G.A.S.


ed.168

TM 23

A Sombra dos religiosos - parte 2 S

em reconhecer a sombra, é incapaz de ter a consciência de que o espiritualista virou materialista, que sua generosidade se tornou um instrumento da sua mesquinhez, humilhando muito mais do que ajudando. Jung nos alerta para a dinâmica dos opostos e a necessidade de reconhecer e aceitar a sombra. Essa citação nos ajuda a compreender melhor isso: “ Bellica pax, vulnus dulce, suave malum. (Uma paz bélica, uma doce ferida, um mal suave).[...] Eu nada poderia acrescentar a incomparável simplicidade e síntese destas palavras.[...] elas clareiam a obscuridade e o paradoxo da vida humana.[...] sujeitar-se e abandonar-se ao antagonismo fundamental da natureza significa aceitar as tendências que se entrecruzam a si mesmas no psiquismo.” JUNG, C.G. Ab-reação, análise dos sonhos, transferência. (§523). Sem perceber, quanto mais encarna a persona do honesto, fica mais desleal e hipócrita. Quanto mais pratica a caridade, mais faz maldades. Sua humildade, discrição e simplicidade acobertam sua arrogância e vaidade. O altruísta tornou-se um total egoísta e, se não acontecer algo impactante, num sonho, evento sincronístico, doença ou algum episódio trágico que possibilite o confronto com a sombra e o si mesmo, ele continuará alienado e protegido por sua persona, negando a polaridade e correndo o risco de morrer completamente iludido, sem saber de todo o mal que fez. Sem a integração da sombra, é impossível a entrega consciente ao processo de individuação e, sem isso, jamais acontecerá a salvação ou iluminação tão almejada pelos religiosos. Porque, da mesma forma que a persona é necessária para nossa adaptação ao mundo externo, a sombra é o portal para a realização da alma e, apesar de não ser tarefa fácil, cabe ao ego a mediação dessas polaridades

complementares, onde a persona estimula para fora, para cima e para frente e a sombra para dentro, para trás e para baixo. Integrar os opostos, não elimina as polaridades, apenas possibilita a flexibilização do ego. A sombra jamais poderá ser extinta e, na realidade, como diziam os alquimistas, ela é ouro puro. Saber dela, aceitá-la e integrá-la nos deixam incorruptíveis. George Orwell, no romance “1984”, escreve: “Guerra é Paz, Liberdade é Escravidão, Ignorância é Força”. Isso nos ajuda a compreender que a integração dos opostos não pode acabar com as polaridades, porque fazem parte do Tao, e o Tao é tudo e nada em contínua transmutação, estimulando o ego a entregar-se conscientemente ao processo de individuação, possibilitando, como escreveu Proust, na sua obra “Em busca do tempo perdido – a prisioneira”, na maturidade devemos ressignificar a persona onde: “a alma da criança que fomos e a alma dos mortos de quem saímos vêm jogar-nos às mãos as suas riquezas, assim como os seus maus destinos, exigindo colaborar nos novos sentimentos que experimentamos e nos quais, apagando sua antiga efígie os refundimos em uma criação original”. Essa aproximação, a meu ver, possibilita dar espaço simultâneo para a Criança

Divina e o Velho Sábio, presentes em cada um de nós, em detrimento dos seus opostos representados pelo Puer Aeternos e o Senix. Torço para que, os religiosos de destaque, não importando se são líderes espíritas, gurus, sacerdotes, rabinos, imãs, pais de santo, pastores, e todos aqueles que se arvoram da persona do generoso, altruísta, caridoso, humilde, espiritualista e honesto, não deixem de reconhecer que também são mesquinhos, egoístas, maldosos, arrogantes, vaidosos, materialistas e desonestos, que sua ética é duvidosa e que sua simplicidade é absolutamente complexa! Só assim poderão superar a condição reptiliana, voltada exclusivamente para o sobreviver, crescer e perpetuar, dos prazeres da fome, segurança territorial e sexual, para seguir adiante na sua evolução e realização do si mesmo. *Waldemar Magaldi Filho, analista junguiano, psicólogo, mestre e doutor em Ciências da Religião, Autor do Livro: “ Dinheiro, Saúde e Sagrado” Editora Eleva Cultural,Sócio fundador do IJEP – coordenador dos cursos de pós-graduação em Psicologia Junguiana, Arteterapia e Expressões Criativas e Psicossomática – www.ijep.com.br


24 TM

ed.168

Revista tm 168 final para net  

Revista tm 168 final para net

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you